Você está na página 1de 24

AULA 11

O corpo humano (Parte I) – Anatomia e Fisiologia


A Terra abriga mais de 7 bilhões de seres humanos. Cada um é um ser úni-
co, com aspectos diferentes como a aparência externa. Porém, internamente
todos nós somos formados pelas mesmas estruturas anatômicas (genetica-
mente, 99,5% iguais); que funcionam de forma semelhante.

Corpo humano: um fantástico universo,


cheio de descobertas

Pele e ossos: dos pés à cabeça

Essa aula tem como objetivo fazer uma viagem de estudo pelo corpo humano. Um mundo im-
pressionante que ainda continua sendo objeto de estudos científicos, sobretudo na área de medicina.
O universo que existe sob nossa pele, constitui um grupo de sistemas intregrados, com órgãos que
cooperam, segundo a segundo, para nos manter vivos e bem dispostos. Para além dos mistérios da
mente, vamos focar as engrenagens do corpo.
O corpo humano pode ser considerado como uma máquina biológica complexa, cujo funciona-
mento e constituição é quase inteiramente idêntico ao funcionamento e constituição dos corpos de outras
espécies de animais, particularmente aquelas que estão evolutivamente mais próximas do Homem. A
anatomia humana estuda as grandes estruturas e os sistemas do corpo humano. A fisiologia é o ramo da
biologia que estuda as múltiplas funções mecânicas, físicas e bioquímicas do corpo humano.

Biologia 2 - Aula 11 169 Instituto Universal Brasileiro


Corpo humano (Parte I)
Anatomia e Fisiologia • Tecido conjuntivo – função de
preenchimento e sustentação. Forma as
O corpo humano é uma maravilha. Mo-
cartilagens e ossos.
ve-se livremente, atua deliberadamente e so- • Tecido muscular – função de con-
brevive sob as mais variadas condições. Sua tração (movimentos). Há três tipos: liso, es-
constituição é complexa; suas necessidades, triado e cardíaco.
múltiplas. A espécie humana evoluiu a tal • Tecido nervoso – função de coor-
ponto, que se diferenciou dos demais prima- denação, condução e sensibilidade.
tas em vários aspectos: é a única espécie
bípede, dotados de um cérebro altamente de-
senvolvido que lhe permite pensamentos abs- Sistemas tegumentar, muscular,
tratos, com o uso de símbolos. esquelético e nervoso
Os seres humanos apresentam muito
maior capacidade de adaptação às exigências Um conjunto de órgãos que desempe-
do meio ambiente. Algumas características nham uma determinada função no organismo
anatômicas os diferenciam das demais espé- constitui um sistema.
cies: postura ereta, braços mais curtos que as Sistemas do corpo humano
pernas, destreza manual e menor quantidade
de pelos no corpo. A história da evolução hu- • tegumentar;
• muscular;
mana será estudada posteriormente.
• esquelético;
Nossa pretensão nesta aula é forne-
• articular;
cer-lhe conhecimentos básicos sobre a ana- • nervoso;
tomia do nosso corpo, apresentando os ór- • sensorial;
gãos que compõem os diversos sistemas, • endócrino;
relacionando a eles a sua fisiologia, para • respiratório;
que você possa entender a estrutura e o • digestório;
funcionamento do corpo. • cardiovascular;
• urinário.
Células e tecidos que formam
Veja alguns exemplos:
os sistemas do corpo
Sistema Sistema Sistema
Antes de tudo, para entender como fun- nervoso digestório muscular

ciona o corpo humano, é preciso relembrar o


estudo sobre a célula que fizemos nas primei-
ras aulas de biologia. É importante que você
recapitule esse assunto, acompanhando o iní-
cio da formação do embrião humano, a partir
de uma única célula, a célula-ovo ou zigoto. Já
vimos que um conjunto de células, semelhan-
Sistema Sistema Sistema
tes e com a mesma função, forma os tecidos, cardiovascular respiratório esquelético
e estes formam os órgãos.
Quando dois ou mais sistemas se rela-
Lembre-se dos tecidos que cionam numa mesma função, podem consti-
compõem nossos órgãos tuir os aparelhos. Por exemplo, os sistemas
muscular, esquelético e articular formam o
• Tecido epitelial – função de revesti- aparelho locomotor, responsável pelos movi-
mento e proteção, interna e externa dos órgãos. mentos do nosso corpo.

Biologia 2 - Aula 11 170 Instituto Universal Brasileiro


Sistema tegumentar

É formado pela pele e glândulas. A pele é o maior órgão do corpo e que está em contato com o
meio ambiente. Suas funções são revestir e proteger o organismo contra atritos, raios solares, substân-
cias tóxicas e penetração de microrganismos, além da perda excessiva de água.
Veja o desenho que representa um corte da pele, mostrando sua estrutura interna:
Glândulas
sudoríparas Pelo Corpúsculo de
Meissner (pressão
leve)
Glândulas
sudoríparas
Estrato
córneo
(camada de
Epiderme células)

Camada
papilar

Derme Glândula
sebácea

Músculo
eretor do pelo

Tecido Camada
subcutâneo reticular

Nervo

Corpúsculo de Tecido adiposo


Folículo Pacini (células de
Artéria
capilar Veia (tato - pressão) gordura)

Formação da pele queratina, uma proteína que dá resistência


e impermeabilidade à pele. A queratina forma
unhas, garras e pelos de todos os mamíferos.
As células mortas são continuamente elimi-
nadas e substituídas por células produzidas
na camada mais profunda, chamada camada
germinativa. Essa camada tem células espe-
ciais, os melanócitos, que produzem a mela-
nina, pigmento que dá cor à pele.

A pele é formada por camadas e tecidos ► Derme


diferentes: a epiderme (camada superficial),
de tecido epitelial; e a derme (camada mais Na derme encontram-se as glândulas
profunda), de tecido conjuntivo. sebáceas, que produzem uma secreção oleo-
sa para a lubrificação da pele. Elas estão situa-
► Epiderme das junto aos folículos dos pelos. As glândulas
sudoríparas, espalhadas no tecido conjuntivo,
Na epiderme, as células superficiais são têm canais que se abrem diretamente na su-
mortas e formam a camada córnea, rica em perfície, por onde eliminam o suor. Ainda na
Biologia 2 - Aula 11 171 Instituto Universal Brasileiro
derme encontram-se vasos sanguíneos e ter-
formar algo parecido com um edifício: as fibras de
minações nervosas para a percepção sensorial
colágeno equivalem a barras de aço, que garan-
do calor, da pressão (tato), do frio e da dor (es- tem ao osso grande resistência à tensão, enquan-
tas se estendem até a epiderme). to o papel do cimento é executado por cristais de
hidroxiapatita. Esses, tão duros quanto o mármore,
► Hipoderme garantem às peças esqueléticas uma resistência à
compressão superior à do concreto armado.
Abaixo da derme encontra-se o tecido Revista Superinteressante. Março de 2006.
chamado subcutâneo ou hipoderme, forma- Fragmento adaptado.
do por células de gordura que constituem o
tecido adiposo.
Sistema muscular
No corpo humano há cerca de 640 mús-
culos, que constituem o sistema muscular ou
musculatura. As células que formam o tecido
muscular são chamadas fibras, de forma alon-
Função das glândulas sudoríparas gada, com um ou muitos núcleos.
Há três tipos de musculatura: estriada es-
A função dessas glândulas é atuar quelética, lisa e estriada cardíaca.
no mecanismo de manutenção da tem- Tipos de músculo
peratura do corpo. Em nosso corpo
há cerca de dois milhões de glându-
las sudoríparas e a maior parte locali-
za-se no rosto, na palma das mãos e
planta dos pés. Junto com a água, são
eliminadas pequenas quantidades de
ureia e sais. Em intensa atividade físi- Musculatura Musculatura
cardíaca esquelética
ca e sob forte calor, o ser humano pode
perder litros de água por transpiração.

Aparelho locomotor: sistemas


muscular, esquelético e articular
Os movimentos do nosso corpo são efe-
Musculatura
tuados graças à atividade coordenada desses lisa
três sistemas: muscular, esquelético e articular.
As fibras estriadas apresentam estrias
A força dos músculos e dos ossos transversais (daí o nome), e as lisas não as
possuem.
Constituído por ossos, músculos, ten-
dões, ligamentos e outros componentes das Fibra muscular estriada
articulações, o sistema músculo-esquelético é
o engenho mecânico mais completo já projeta-
do pela natureza, capaz de executar variadas
ordens emitidas pelo cérebro – desde pintar um
soldadinho de chumbo até rebocar grandes ob-
jetos. Os ossos estão preparados para resistir a
movimentos fortes e bruscos. Essa característi-
ca é fruto de sua arquitetura interna. Fibras de Estrias
colágeno e cristais salinos se entrelaçam para

Biologia 2 - Aula 11 172 Instituto Universal Brasileiro


► Musculatura estriada esquelética

É a musculatura que se prende aos ossos,


responsável pela locomoção do corpo e por to-
dos os movimentos, como levantar os braços,
correr, dobrar os joelhos, virar o pescoço ou até
mexer um dedo. As fibras dos músculos estria-
dos são longas, têm contrações voluntárias
(dependem da vontade), rápidas e potentes.
Esses músculos apresentam nas suas extre- ► Musculatura lisa
midades feixes de tecido conjuntivo, chamados
tendões, que se prendem aos ossos. É formada por conjuntos de fibras que
se contraem independentemente da vontade
humana: trata-se de movimentos involuntá-
rios. Essa musculatura é encontrada nos ór-
gãos ocos do corpo, como estômago, intesti-
no, útero e vasos sanguíneos.

No nosso corpo há muitos músculos


antagônicos, isto é, na realização dos movi-
mentos, quando um se contrai, o outro relaxa.
Por exemplo, os músculos do antebraço, bí-
ceps (do “muque”) e tríceps, são antagôni-
cos: quando dobramos o braço, o bíceps se
contrai e o tríceps se distende.

Bíceps
(contraído)

Tríceps Nas artérias, o estado de contração da


Inserção
(relaxado) musculatura lisa determina a diminuição (va-
soconstrição) ou o aumento do calibre (vasodi-
Bíceps
Tendão latação), relacionados à pressão arterial. Esse
(relaxado) tipo de musculatura tem contração lenta, como
os movimentos do intestino durante a digestão,
Úmero
Tendão chamados de movimentos peristálticos.

► Musculatura estriada cardíaca


Rádio
Tríceps
(contraído) É a musculatura que forma o coração
Ulna (miocárdio). Esse tipo de músculo é especial,
pois, mesmo sendo estriado, suas contrações
Biologia 2 - Aula 11 173 Instituto Universal Brasileiro
são involuntárias, mas os batimentos são rá- Além das proteínas contráteis, uma
pidos e potentes. Suas fibras são ramificadas fibra muscular é constituída quimicamente
(anastomosadas), juntando-se umas às outras. por água (80%), sais (1%) e compostos or-
gânicos. Desses compostos, são importan-
tes o polissacarídeo glicogênio (combus-
tível da contração), o ATP ou trifosfato de
adenosina (combustível energético imedia-
to da contração) e o composto fosfocrea-
tina ou CP, fonte energética para o relaxa-
mento. Os íons cálcio (Ca++) armazenados
no retículo endoplasmático (sarcoplasmáti-
co) das fibras também exercem papel im-
portante na contração muscular.
Os músculos da locomoção funcionam
recebendo ordens (impulsos nervosos) do
sistema nervoso central, por isso suas fibras
estão ligadas a nervos. Quando o impulso
nervoso chega a essas fibras, provoca um
encurtamento (contração); cessado o impul-
so, as fibras tornam-se flácidas, o músculo
se estira e cessa o movimento.

Neurônio motor

Junção
Axônio neuromuscular
(conduz estímulos)

Dendritos
(recebe
stímulos)

Mielina

Fibra
Fibras estriadas dos músculos muscular
cárdicos ao microscópio

Como funcionam os músculos


Mecanismo da contração muscular
Toda célula muscular (fibra) contém no
citoplasma dois tipos de proteínas contrá- Durante a contração muscular ocorre um
teis, em forma de filamentos (miofibrilas): “encurtamento” do sarcômero, ocasionado, não
a actina (filamentos finos) e a miosina (fila- pela mudança do comprimento dos filamentos
mentos grossos) com maior peso molecular. de actina e miosina, mas pela sobreposição
A interação dessas duas proteínas desen- desses filamentos, ou seja, o deslizamento dos
cadeia a contração muscular e a disposição filamentos na contração muscular. Os sarcô-
regular delas ao longo da fibra produz o pa- meros se encurtam porque os filamentos finos
drão de faixas claras e escuras alternadas (actina) deslizam ativamente por entre os fila-
(estrias), típicas do músculo estriado. Cada mentos grossos (miosina), deslocando os fila-
conjunto de filamentos de actina e miosina mentos de actina mais para o centro do sarcô-
que se repetem ao longo de uma miofibrila é mero “puxando” os discos Z, causando assim o
denominado sarcômero. “encurtamento” do sarcômero.
Biologia 2 - Aula 11 174 Instituto Universal Brasileiro
Sarcômeros são delimitados pelas linhas Z
Sarcômero estirado
Linha Z Linha Z
Músculo
estirado

ATP + Ca2+ + Mg2+

Músculo
contraído
Sarcômero contraído
Linha Z Linha Z

Actina Miosina

As linhas Z constituem o ponto onde se originam os filamentos de actina e os filamentos de


miosina ficam intercalados com os de actina. Note que de ambos os lados dos filamentos de miosina
existe um espaço. Essa é a conformação quando a célula muscular está relaxada. Na contração, o
sarcômero encurta e as moléculas de miosina “encostam” nas linhas Z.
Neste caso, a estriação típica modifica-se momentaneamente, retornando ao estado de relaxamento.
A energia para os filamentos de proteína deslizar é fornecida pelo ATP, cuja quebra é propicia-
da por íons Ca++ liberados pelo retículo endoplasmático das fibras.

Fosfocreatina é a principal reserva de energia nas células

A fosfocreatina constitui a principal reserva de energia nas células musculares. Quando a fibra
muscular necessita de energia para a contração, grupos fosfato são transferidos da fosfocreatina para
o ADP (adenosina difosfato), que se transforma em ATP (adenosina trifosfato). Quando o trabalho
muscular é intenso, as células repõem seu estoque de ATP e fosfocreatina, intensificando a respiração
celular. Para isso fazem uso do glicogênio armazenado nas fibras musculares. Após a contração
muscular há liberação de calor. O corpo se locomove porque os músculos esqueléticos produzem seu
movimento puxando os tendões, que, por sua vez, puxam os ossos.
Muitos músculos passam através de junções e são ligados aos ossos. A contração traz para
perto ou afasta um osso de outro com o qual se articula.

atingem amplitude máxima e depois de-


crescem, até que o músculo deixa de res-
ponder. Isso ocorre porque o ácido pirúvi-
co resultante da glicólise (uma das etapas
Fadiga muscular da respiração celular) é convertido em áci-
do lático, causando a fadiga muscular,
Quando há falta de oxigênio causada comum em atletas. O ácido lático é tóxico
pelo exercício em excesso, as contrações e quando acumulado, provoca as dores

Biologia 2 - Aula 11 175 Instituto Universal Brasileiro


musculares (cãibras). Depois de algum Sistema esquelético
tempo o ácido é metabolizado no fígado ► Estrutura do esqueleto
e o músculo volta à sua capacidade de
contração. A predisposição genética está É formado por um conjunto de ossos e
relacionada à massa muscular e à se- cartilagens, cuja função é dar sustentação ao
creção de testosterona, o hormônio que corpo, proteção aos órgãos internos e movi-
garante aos homens uma musculatura mentação. O tecido ósseo é um tipo especial
mais exuberante que a das mulheres. de tecido conjuntivo, muito duro e resistente,
Mas, diferentemente do que ocorre em que compõe os ossos. Os ossos do corpo
relação à composição fibrosa, a ativida- humano se juntam por meio das articulações
de muscular influi no aumento da massa (cartilagens) e são responsáveis por oferecer
e da resistência. O sedentarismo deixa um apoio para o sistema muscular, formando
os músculos mais fracos e pode causar alavancas que permitem ao homem executar
atrofia, ao passo que o treinamento aju- vários movimentos. Num corpo adulto, exis-
da a aumentar o volume dos músculos, tem cerca de 208 ossos, de três tipos: longos
melhora sua potência e os deixa mais re- (dos braços e pernas), chatos (do crânio) e
sistentes à fadiga. curtos (do punho, dos dedos e vértebras).

Observe no desenho, os nomes dos principais ossos do corpo humano

Crânio Crânio

Clavícula Coluna cervical


Esterno
Escápula
Úmero
Úmero
Costelas
Coluna
Vertebral
Ulna
Ulna
Rádio Rádio
Sacro

Cóccix
Pelve
Fêmur Fêmur

Patela

Fíbula

Fíbula
Tíbia
Tíbia

Biologia 2 - Aula 11 176 Instituto Universal Brasileiro


Esqueleto pode ser dividido óssea com transplante da medula espinhal.
em duas partes: Infelizmente, não se domina ainda a tecnologia
necessária para transplantar um fragmento que
1. Esqueleto axial: formado pela cai- seja da medula espinhal, isto é, da porção do
xa craniana, coluna vertebral e caixa to- sistema nervoso central que passa por dentro
rácica (costelas). do canal localizado na coluna vertebral. Muitas
2. Esqueleto apendicular: compreen- pessoas, por falta de informação, temem fazer
de a cintura escapular, formada pelas es- doação de medula óssea, achando que ficarão
cápulas e clavículas; cintura pélvica, for- paraplégicas! O transplante de medula óssea
mada pelos ossos ilíacos (da bacia) e o (TMO) é um tipo de tratamento que visa substi-
esqueleto dos membros (superiores ou an- tuir uma medula óssea doente por uma saudável
teriores e inferiores ou posteriores). para restabelecer a produção normal das célu-
las sanguíneas, pelas células-tronco. É indicado
para diversas doenças, tais como leucemias, lin-
► Funções do esqueleto fomas, mieloma múltiplo, aplasia de medula
e imunodeficiências. Nem todos os pacientes
Além de sustentação corporal, o esque- portadores destas doenças têm indicação para
leto apresenta três importantes funções: realização de transplante, pois depende do tipo
• Reserva de sais minerais: Principal- e do estágio da doença e da idade do paciente.
mente de cálcio e fósforo, que são fundamentais Doar a medula óssea é um procedimento simples
para o funcionamento das células e devem estar que pode salvar vidas. A doação não traz nenhum
presentes no sangue. Quando o nível de cálcio di- risco para o doador, pois em pouco tempo sua
minui no sangue, sais de cálcio são mobilizados medula estará completamente regenerada.
dos ossos para suprir a deficiência.
• Reserva de gordura: Determinados os- ► Estrutura de um osso
sos ainda possuem medula amarela (ou tutano).
Essa medula é constituída principalmente por cé- O tecido ósseo é formado por células cha-
lulas adiposas, que acumulam gordura como ma- madas osteócitos (osteo = osso; cito = célula),
terial de reserva. que se distribuem em círculos, formando lâmi-
• Fábrica de sangue: No interior de alguns nas verticais ao redor de um canal central, por
ossos, principalmente dos ossos longos como o onde passam um nervo e um capilar sanguíneo.
fêmur (da coxa) e o úmero (do braço), encontra-
se a medula óssea vermelha, um tecido rico em Estrutura de um osso fêmur
células tronco ou progenitoras que são responsá-
Osso esponjoso
veis pela formação dos componentes do sangue:
as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos
(glóbulos brancos) e as plaquetas. As hemácias Vasos
Linha
sanguíneos
cuidam da oxigenação dos tecidos; os leucócitos epifisária
são células responsáveis pela defesa do organis-
mo contra infecções; e as plaquetas compõem o Vaso
sanguíneo
sistema de coagulação do sangue. Sistemas
Medula de Havers
óssea
amarela

Cartilagem
Não confunda medula óssea articular
com medula espinhal

Quando se fala em transplante de medula,


muita gente confunde transplante de medula

Biologia 2 - Aula 11 177 Instituto Universal Brasileiro


O conjunto de cada canal com muitas
lâminas em volta, constitui um sistema cha-
mado sistema de Havers (ou osteôneo). A
parte compacta do osso é formada por mui-
tos desses sistemas.
Fatores que podem acelerar a
perda de tecido ósseo

Para nossa infelicidade, esse equilíbrio se


Canal de Haver rompe naturalmente à medida que envelhece-
Osteócito mos. Os ossos humanos atingem o maior vigor
por volta dos 30, 35 anos de idade. A partir de
então, podemos perder de 3 a 5 mm de densi-
dade óssea por ano. E mais: certas doenças, se-
dentarismo, deficiência de cálcio e de vitamina
D, o uso de determinados medicamentos, o abu-
so de álcool e cigarro e a menopausa precoce,
Osteôneo visto ao microscópio (corte de um osso),
mostrando os osteócitos orientados em círculo entre outros fatores, podem acelerar a perda de
ao redor do canal de Havers. qualidade e quantidade do tecido ósseo, provo-
cando o aparecimento da osteoporose.
Superinteressante. Março de 2006. Adaptado.
► Metabolismo ativo dos ossos

Embora pareçam órgãos inertes, os ► Caixa craniana


ossos, durante toda a vida, têm um metabo-
lismo ativo, sendo constantemente remode- É formada pela junção de 22 ossos cha-
lados pela reestruturação de suas lâminas tos, inicialmente separados, o que permite o
ósseas, de acordo com as forças de pressão seu crescimento.
e tração que atuam sobre eles.
Na ossificação por crescimento ou fratu- Função do crânio: proteger o sis-
ra, as células do periósteo (camada externa) e tema nervoso central (encéfalo) como um
do endósteo (camada interna) se multiplicam capacete, e dar forma à cabeça e face.
e se diferenciam em osteoblastos (osteo =
Parietal
osso; blastos = que dão origem), que formarão Frontal

os novos osteócitos (tecido ósseo).


Esfenóide
Essas células, estimuladas por um hormô-
nio da glândula tireoide (a tirocalcitonina), remo-
Nasal
vem os minerais do sangue para incorporá-los à
matriz óssea. Os osteoclastos (clasto = destrui-
ção) são células grandes, atuam destruindo a
matriz óssea e fazendo a reabsorção do tecido Zigmático
velho, possibilitando a incorporação de cálcio e
fósforo ao plasma sanguíneo. Occipital

Esse processo é estimulado pelo hormô-


nio paratormônio, produzido pelas glândulas Maxilar
Temporal

paratireoides. O equilíbrio e manutenção das


taxas de cálcio e fósforo no plasma sanguíneo
dependem da ação desses hormônios. Nor- Mandíbula

malmente, exceto nos ossos em crescimento,


as taxas de tecido ósseo digerido e reconsti-
tuído são iguais entre si, de modo que sempre Esses ossos se encontram ao longo de
teremos a mesma quantidade de osso. linhas chamadas suturas, visíveis no crânio
Biologia 2 - Aula 11 178 Instituto Universal Brasileiro
de um bebê ou de uma pessoa jovem, mas de-
saparecem gradualmente por volta dos 30 anos,
quando se acham soldados entre si. A única arti-
Vértebras
culação móvel do crânio é a da mandíbula. cervicais
A maioria dos ossos cranianos está dispos-
ta em pares, um do lado direito e o outro do lado
esquerdo. Para tornar o crânio mais forte, alguns
desses pares, como os dos ossos frontais, occipi- Vértebras
tais e esfenóides, fundem-se num osso único. Os torácicas

pares de ossos cranianos mais importantes são


os parietais, temporais, maxilares, zigomáticos,
nasais e palatinos. Os ossos cranianos são finos,
mas devido ao seu formato curvo, são muito for-
tes em relação a seu peso. Vértebras
lombares

► Coluna vertebral – o eixo do nosso


corpo
Sacro
Cóccix
Além de dar sustentação e postura ao
corpo, a coluna vertebral exerce a importan- Ventral Dorsal
tíssima função de proteger a medula espi-
nhal, que está alojada no seu interior. Per-
mite a movimentação de diversas partes do
tronco, dá suporte e mobilidade à cabeça e Aspecto da articulação
fixação a numerosos músculos. entre as vértebras

A coluna vertebral é formada por 33 Cápsula


articular
vértebras, distribuídas de acordo com a
região em que estão: Cavidade
articular

• Cervical (C), 7 vértebras.


• Torácica (T), 12. Corpo de
vértebra
• Lombar (L), 5.
Disco
• Sacro (S), 5 vértebras fundidas. intervertebral Faceta
• Cóccix, 4 vértebras fundidas. articular

Faceta
articular
Processo
Cervical (C) espinhoso

Na região cervical está o ponto de


Torácica (T) articulação com o crânio: vértebra Atlas
ou C1, que permite a flexão e a exten-
são do mesmo, bem como suportar seu
Lombar (L)
peso sobre a coluna. Ainda nesta região
Sacro (S) está a vértebra responsável pela rotação
cóccix da cabeça: a vértebra Axis ou C2. Na re-
gião torácica encontram-se os pontos de
inserção às costelas, enquanto que na

Biologia 2 - Aula 11 179 Instituto Universal Brasileiro


• Lordose. É o aumento anormal da
região lombar é suportado todo o peso do curva lombar levando a uma acentuação da
tronco, dos membros superiores, do pes- lordose lombar normal (hiperlordose). Os
coço e da cabeça quando estamos na po- músculos abdominais fracos e um abdome
sição sentada ou em pé. Na região sacro- protuberante são fatores de risco. Caracteris-
coccígea, onde estão as vértebras sacro e ticamente, a dor nas costas em pessoas com
coccígeas, são articulados os ossos ilíacos aumento da lordose lombar ocorre durante as
do quadril, que irão articular os fêmures. atividades que envolvem a extensão da colu-
na lombar, tal como o ficar em pé por muito
Desvios da coluna tempo (que tende a acentuar a lordose).

A - Escoliose B - Cifose C - Lordose


• Cifose. É definida como um au-
mento anormal da concavidade posterior
da coluna vertebral. As causas mais pro-
váveis dessa deformidade são a má postu-
ra e o condicionamento físico insuficiente.
Doenças como espondilite anquilosante e a
osteoporose senil também ocasionam esse
tipo de deformidade.

• Escoliose. É a curvatura lateral da


coluna vertebral, podendo ser estrutural ou
não estrutural. A progressão da curvatu-
ra na escoliose depende, em grande parte,
da idade que ela inicia e da magnitude do
ângulo da curvatura durante o período de
crescimento na adolescência, período este
onde a progressão do aumento da curvatu-
ra ocorre numa velocidade maior. O trata-
mento fisioterápico usando alongamentos e
respiração são essenciais para a melhora
do quadro.

► Caixa torácica

Desvios da coluna É formada pelas costelas, que pro-


Cifose Normal Lordose tegem, como uma gaiola, os pulmões, o
coração e os principais vasos sanguíneos.
Há, ao todo, doze pares de costelas, todas
presas às vértebras. Os sete pares supe-
riores estão ligados por cartilagens a um
osso achatado, no meio do peito, chama-
do esterno (essas são chamadas costelas
verdadeiras); três pares ligam-se às coste-
las superiores e os dois últimos pares, me-
nores, prendem-se somente nas vértebras
e terminam em pontas livres, permitindo o
aumento do tórax nos movimentos respira-
Coluna normal Coluna com escoliose tórios. Por isso são chamadas costelas flu-
tuantes ou falsas.
Biologia 2 - Aula 11 180 Instituto Universal Brasileiro
Sistema articular camada de cartilagem articular, que a
deixa lisa, reduzindo o atrito. Entre as ca-
Cartilagens
beças desses ossos há placas cartilagi-
nosas, chamadas meniscos, que funcio-
O tecido cartilaginoso ou cartilagem é
nam como amortecedores contra choques
um tipo de tecido conjuntivo com a função de
mecânicos. E ainda existem os ligamen-
sustentação e proteção de algumas partes do
tos (cordões de fibras colágenas), unindo
corpo. Suas células chamam-se condrócitos.
um osso ao outro. À frente, encontra-se
Associadas aos ossos nas articulações (jun-
a patela (antigamente chamada de rótu-
tas) fazem parte do esqueleto, além de for-
la), um pequeno osso em forma de dis-
marem, isoladamente, outras partes: orelhas,
co, preso ao fêmur e à tíbia. Todo esse
nariz, laringe, discos intervertebrais e menis-
conjunto é protegido por uma cápsula de
cos. Nas articulações, formam uma cápsula
cartilagem fibrosa, cheia de líquido sino-
protetora que recobre a superfície dos ossos,
vial, que lubrifica todos os espaços entre
diminuindo o atrito entre eles.
as estruturas, proporcionando um perfeito
Há três tipos de cartilagens: dobramento da perna.
Observe nas imagens a complexida-
• Cartilagem hialina – a mais co- de dessa engrenagem óssea:
mum ocorre nas extremidades das cos-
telas, nas articulações dos ossos, nos
anéis da traqueia e nas fossas nasais.

• Cartilagem elástica – aparece


nas orelhas e na epiglote, que, além de
fibras de colágeno, possuem fibras elásti-
cas, que lhes dão flexibilidade.

• Cartilagem fibrosa – é a mais


resistente e que possui maior quantida-
de de fibras colágenas. Essa cartilagem
forma os discos entre as vértebras, fun-
cionando como amortecedor e possibili-
tando os movimentos de flexão do corpo. Articulação do joelho
Também forma os ligamentos, cordões
Fêmur
resistentes de fibras colágenas, que li-
gam um osso a outro.

Sinóvia

Cartilagem

Patela
O joelho é uma peça complexa, impor- (rótula do
joelho)
tantíssima na nossa locomoção. É formado
por um conjunto de estruturas que permi- Tíbia
tem a articulação entre dois ossos: o fêmur
(coxa) e a tíbia (perna). A superfície das ca- Fíbula
beças desses ossos é recoberta por uma

Biologia 2 - Aula 11 181 Instituto Universal Brasileiro


Sistema nervoso ► Rede de neurônios

“O que existe de característica hu-


mana e única em toda a natureza é a
nossa capacidade de raciocinar abstrata-
mente, usando símbolos. É esse talento
que serve de base à nossa capacidade
de falar, escrever, arquivar e acumular
técnicas e invenções, nos expressar nas
artes, enfim, de entendermos o mundo”.
Trecho adaptado do livro A descoberta
do homem. Lennart Nilsson,
Círculo do livro, São Paulo, 1974.
O neurônio é uma célula que apresenta
ramificações curtas, os dendritos, e uma rami-
Na nossa vida, somos estimulados o ficação longa chamada axônio (axon = eixo).
tempo inteiro e respondemos aos elementos O impulso nervoso caminha sempre num
do meio ao nosso redor. Estímulos externos, sentido: entra pelos dendritos e sai pelo
como cheiros ou sons, e internos como dor axônio, que se liga aos dendritos do outro
ou sensação de fome, provocam reações no axônio, ou a um órgão. É como se fosse um
organismo, que “responde”, localizando a cabo de eletricidade. O axônio é envolvido
origem do estímulo. Todo esse processo de por uma membrana, a bainha de mielina,
interação com o ambiente, controle do fun- que confere cor branca aos nervos e a certas
cionamento dos diversos órgãos, expressão regiões do cérebro e da medula.
de emoções, raciocínio e memória, ocorre no
sistema nervoso central. Estrutura de um neurônio

Dendritos
Corpo
Axônio
celular

Núcleo

Bainha de Nódulos
mielina de Ranvier

O sistema nervoso pode ser conside-


rado como um computador extremamente O impulso nervoso é formado pela pas-
complexo, onde seus componentes essen- sagem de íons através da membrana plasmá-
ciais são os neurônios, células altamen- tica do neurônio. Já vimos anteriormente, que
te especializadas em receber estímulos e a bomba de sódio e potássio é responsável
coordenar respostas, enviando-as através pela diferença de concentração dos íons só-
de impulsos nervosos. dio e potássio dentro e fora da célula.
Temos aproximadamente 100 bilhões
de neurônios. Compondo o tecido nervoso, ► Como funciona um neurônio?
existem as células da glia ou neuróglia (glia
= cola) com diversas funções, como nutrir e No neurônio em repouso, a face ex-
dar suporte à rede de neurônios, isolando-os terna da membrana plasmática tem carga
eletricamente uns dos outros, para evitar a elétrica positiva, pela alta concentração de
interferência no impulso nervoso. Para cada íons sódio (Na+). A face interna tem carga
neurônio, há várias dessas células. elétrica negativa, fornecida por íons fosfato
Biologia 2 - Aula 11 182 Instituto Universal Brasileiro
(PO4--), bicarbonato (HCO3--) e proteínas, em As sinapses
maior concentração dentro da célula. Nes-
sas condições, diz-se que o neurônio está São as regiões de comunicação entre
polarizado. um neurônio e outro, ou entre um neurônio
Quando recebe um estímulo, a mem- e uma fibra muscular. Normalmente, a sinap-
brana sofre uma despolarização, isto é, se ocorre entre o axônio de um neurônio e os
uma inversão de cargas elétricas: a super- dendritos de outro. Quando um impulso atinge
fície externa fica negativa e a interna, po- as terminações do axônio, há liberação nes-
sitiva. Imediatamente, a bomba de sódio e se local, de substâncias químicas mediadoras
potássio entra em ação e expulsa o sódio, do impulso, chamadas neurotransmissores,
fazendo a membrana voltar à polaridade ini- dos quais o mais comum é a acetilcolina. Logo
cial. O estímulo provoca, assim, uma onda após a sua liberação, a acetilcolina é destruí-
de despolarizações e repolarizações que se da pela enzima colinesterase, que impede a
propaga ao longo da membrana plasmática passagem contínua do impulso.
do neurônio. Essa onda de propagação é o
impulso nervoso. Sinapse
A membrana permanece despolarizada Enzima
Neurotransmissor Receptor
apenas 1,5 milésimos de segundo e a propa-
gação se faz em altíssima velocidade. Lem- Axônio Dendrito
bre-se que a bomba de sódio e potássio é
transporte ativo, com gasto de energia, con-
sumindo ATP do neurônio.

A condução saltatória

A propagação rápida dos impulsos ner- Mitocôndrias


vosos é garantida pela presença da bainha
de mielina que recobre as fibras nervosas.
A bainha de mielina é constituída por cama-
das concêntricas de membranas plasmáticas
de células da glia, principalmente células de
Shwann. Entre as células da glia que envol-
vem o axônio existem pequenos espaços, os Drogas X Neurotransmissores
nódulos de Ranvier, onde a membrana do
neurônio fica exposta. As substâncias químicas das drogas
Nas fibras nervosas mielinizadas, o impul- ocupam o lugar dos neurotransmissores,
so nervoso, em vez de se propagar continua- alterando a passagem normal dos impul-
mente pela membrana do neurônio, pula dire- sos nervosos. Os efeitos das drogas po-
tamente de um nódulo de Ranvier para outro. dem ser observados em todo o organis-
Nesses neurônios mielinizados, a velocidade de mo, e podem causar diversas doenças. As
propagação do impulso pode atingir velocida- drogas ilícitas podem ser classificadas de
des de até 200 m/s (720 km/h). Esse processo é acordo com seus efeitos no corpo huma-
conhecido como condução saltatória. no, que podem ser:
● Drogas estimulantes: aumentam
os estímulos nervosos e deixam o indiví-
duo mais eufórico. Exemplos: cocaína e
anfetaminas.
● Drogas alucinógenas: provo-
A mensagem passa rapidamente (~400km/h)
neurônio normal - bainha de mielina intacta cam sensações falsamente agradáveis.

Biologia 2 - Aula 11 183 Instituto Universal Brasileiro


Exemplos: maconha e LSD. Esses efei- e a medula espinhal.
tos podem ser percebidos em minutos, mas • Sistema nervoso periférico (SNP)
tendem a durar pouco tempo, e por isso é co- - compreende os nervos: cranianos (12
mum o uso abusivo das drogas em quantida- pares) e raquidianos (31 pares).
des cada vez maiores, levando o indivíduo à • Sistema nervoso autônomo (SNA)
dependência química. Veja as complicações - independe do nosso controle voluntário. Di-
causadas pelo uso das drogas: lapsos na vide-se em simpático e parassimpático.
memória; diminuição da inteligência; insônia;
Cérebro
perturbações nervosas; falta de apetite; com-
plicações que afetam o sistema respiratório, Encéfalo Cerebelo
digestório e circulatório.
Central Bulbo
Veja, por exemplo, a representação Medula
da ação do álcool(moléculas avermelha- espinhal

das) nas sinapses e suas moléculas inter- Sistema Nervos


ferindo nos neurotransmissores. O mesmo nervoso cranianos
acontece com as moléculas de todas as Periférico
outras drogas. Nervos
Raquidianos
A ação do álcool
Simpático
Normal Autônomo
Enzima Parassimpático
Neurotransmissor Receptor

Axônio Dendrito

Sistema nervoso central (SNC):


encéfalo e medula espinhal
O sistema nervoso central recebe estí-
mulos, coordena e elabora respostas, coman-
Mitocôndrias da todos os movimentos voluntários do cor-
po, assim como todos os atos voluntários.
Intoxicado
Neurotransmissor
Enzima
Receptor ► Encéfalo
Axônio Dendrito
É toda a massa de tecido nervoso si-
tuada dentro do crânio. A medula é o seu
Molécula
do álcool
prolongamento, atravessando o canal verte-
bral, formado pelos buracos das vértebras,
dispostos uns sobre os outros. O encéfalo
compreende três partes principais: o cére-
Mitocôndrias
bro, o cerebelo e o bulbo.
Disponível em: www.tuasaude.com/efeitos das
drogas. Acesso em: 13. 08. 2014. Adaptado.
● Cérebro

Tem como funções a percepção e o pro-


Organização do sistema nervoso
cessamento de informações do interior e do
O sistema nervoso é dividido em: exterior do corpo e a elaboração de impulsos
nervosos para a execução de movimentos. É
• Sistema nervoso central (SNC) - com- a maior massa do encéfalo, tendo em média
preende o encéfalo (cérebro, cerebelo e bulbo) 1.450 g. É formado por dois hemisférios cere-
brais, direito e esquerdo, com inúmeros sul-
Biologia 2 - Aula 11 184 Instituto Universal Brasileiro
cos chamados circunvoluções, dando o as- esqueléticos do lado oposto do corpo. Nas laterais
pecto de uma noz. Esses sulcos servem para superiores da cabeça localizam-se os lobos pa-
aumentar a superfície e permitir que um maior rietais, relacionados às sensações provenientes
número de neurônios ocupe uma área limitada. da pele, músculos, juntas e tendões. Os lobos
A grande superfície externa é a massa temporais situam-se nas laterais inferiores da ca-
cinzenta, chamada de córtex, onde ficam os beça e ligam-se à audição. Os lobos occipitais,
corpos celulares dos neurônios. No córtex ce- localizados na parte posterior da cabeça, estão li-
rebral localizam-se os centros ou áreas res- gados à visão. Os lobos olfatórios ficam por bai-
ponsáveis pelo controle sensorial (audição xo do cérebro e estão associadosao olfato.
e visão) e motor (movimentos do corpo e da Veja a representação das partes do cé-
fala). A massa branca, situada internamente, rebro, e a posição dos lobos cerebrais:
é formada pelos axônios (fibras). O hemisfério
direito controla o lado esquerdo do corpo e o Lobo frontal Lobo
parietal
hemisfério esquerdo controla o lado direito.

Hemisférios cerebrais vistos de cima Lobo


occipital
Hemisfério esquerdo Hemisfério direito

Olfato, narina Olfato, narina Lobo


direita esquerda temporal
Pensamento
analítico Intuição Medula espinhal Cerebelo

Controle motor, Controle motor,


lado esquerdo
lado direito O hipotálamo (ou diencéfalo) é a região in-
terna, acima da ponte, entre os dois hemisférios
Linguagem Imaginação
cerebrais. Ele controla o balanço hídrico do corpo
Ciência
matemática Música e e, através da glândula hipófise, regula sentimen-
arte tos de medo, agressão e desejo sexual. A hipófise
ou pituitária é a principal glândula do organismo
Visão, campo
direito
Visão, campo porque controla o funcionamento de todas as ou-
esquerdo
tras glândulas. Ela é uma pequena glândula situa-
Hemisfério cerebral esquerdo da abaixo do cérebro, na base do crânio, numa
associado às funções fossa chamada sela túrcica. O tálamo, acima do
Planejamento Comando Tato e hipotálamo, é a região que regula as funções de
sensibilidade
Direcionamento
motor motor
Inteligência
sono e alerta.
da atenção espacial
Cérebro humano - vista lateral
Memória Compreensão
funcional de palavras
espacial
Movimento Cérebro
visual
Corpo caloso
Visão
Controle Ventrículos
da escrita Controle
motor fino Tálamo
Hipotálamo
Reconhecimento Ciclo de sono/vigília,
de objetos controle geral Hipófise ou Mesencéfalo
Sentido da audição de excitação pituitária
Cerebelo
Ponte
Medula Tronco cerebral
Alguns dos sulcos mais profundos dos he-
misférios delimitam áreas chamadas de lobos
Vista lateral do cérebro, em corte longitudinal mediano,
cerebrais, aos quais se atribuem funções espe-
passando entre os dois hemisférios. O desenho mostra
cíficas. A parte anterior de cada hemisfério com- o hemisfério direito e os nomes das estruturas internas.
preende o lobo frontal, que controla os músculos
Biologia 2 - Aula 11 185 Instituto Universal Brasileiro
● Cerebelo
Camadas protetoras
Coordena os movimentos do corpo e
controla o equilíbrio. Sua estrutura interna, O encéfalo e a medula estão protegi-
lindíssima, é chamada pelos anatomistas, de dos por três membranas de tecido conjunti-
“árvore da vida”. As ramificações são fibras vo, chamadas meninges: pia-máter, mais
que conduzem impulsos nervosos e o córtex, interna e cheia de capilares sanguíneos,
em torno, contém as células que regulam e está em contato direto com o tecido nervo-
coordenam os movimentos do corpo. Elas fa- so. Dura-máter, mais grossa e externa, em
zem as ações de andar, levantar, sentar ou contato com os ossos do crânio, e aracnoi-
correr, tão suaves quanto equilibradas. de, situada entre as duas meninges, tem
espaços preenchidos pelo líquido cefalorra-
quidiano ou líquor (semelhante ao plasma),
cuja função é de nutrição, além de servir de
almofada protetora do sistema nervoso.

Corte do cerebelo, mostrando o aspecto Foto do cérebro, mostrando a pia-máter,


interno, formando a “árvore da vida”. com vasos sanguíneos.

● Bulbo

É a parte que se liga à medula, respon-


sável por funções vitais, como o controle da
respiração, dos movimentos cardíacos e da
Meningite
pressão sanguínea. A ponte, acima do bulbo,
está ligada ao cérebro e também controla al- É a inflamação das meninges, causada
gumas funções involuntárias. por infecção de bactérias (Meningococcus ou
outras) ou vírus. Nas meningites virais o qua-
dro é mais leve. Os sintomas se assemelham
aos das gripes e resfriados. A doença acome-
te principalmente as crianças, que têm febre,
dor de cabeça, um pouco de rigidez da nuca,
Efeito do tabagismo inapetência e ficam irritadas. Uma vez que os
exames tenham comprovado tratar-se de me-
Fumantes mais velhos perdem substân- ningite viral, a conduta é esperar que o caso
cia cinzenta e a função cognitiva numa veloci- se resolva sozinho, como acontece com as
dade maior do que não fumantes. Fumantes outras viroses. As meningites bacterianas são
crônicos que abandonaram o cigarro durante mais graves e devem ser tratadas imediata-
o estudo perderam menos células nervosas mente. Os principais agentes causadores da
e retiveram melhor função intelectual do que doença são as bactérias, transmitidas pelas
aqueles que continuaram a fumar. vias respiratórias ou associadas a quadros in-
fecciosos de ouvido, por exemplo.
Wikipédia, a enciclopédia livre.

Biologia 2 - Aula 11 186 Instituto Universal Brasileiro


Arco reflexo espinhal
Corte transversal da medula espinhal,
mostrando um arco reflexo
Receptor
Células nervosas se Dorsal
Substância
alimentam de oxigênio Neurônio cinzenta
Neurônio intermediário
sensorial
O metabolismo energético é mais
elevado no cérebro que na maioria dos
outros órgãos do corpo. No momento
em que lhes é cortado o suprimento de
sangue oxigenado, mesmo por alguns
minutos, as células nervosas ficam irre-
mediavelmente danificadas ou morrem. Fibra Secção transversal
nervosa através da
Todos os dias, ano após ano, o cérebro motora
medula espinal

humano consome 3,3 ml de oxigênio Ventral Substância


Efetor branca
por 100 gramas de tecido, por minuto. (Músculo)
A quantidade é constante, variando a
concentração por área mais usada. Por
Ao contrário do cérebro, na medula es-
exemplo, num esforço de pensamento,
pinhal a substância cinzenta (corpos celulares
a área correspondente consome mais
dos neurônios) situa-se para dentro e a subs-
oxigênio que outras áreas. Durante o
tância branca (fibras nervosas ascendentes e
sono, o consumo total de oxigênio não
descendentes) na parte periférica.
diminui, mas há modificação na sua dis-
tribuição. As lesões cerebrais que cau-
Reflexos
sam o estado de inconsciência têm como
consequência a diminuição do consumo
Na medula, certas cadeias de neurônios,
de oxigênio, o que também ocorre du-
relativamente simples, controlam atos invo-
rante a anestesia geral em cirurgias.
luntários, são os chamados reflexos. Quando
(Lennart Nilsson. A descoberta do homem. você retira instantaneamente o dedo picado
Círculo do livro, São Paulo, 1974. Texto adaptado) por um espinho ou quando sua perna levan-
ta em resposta a uma martelada que o mé-
► Medula espinhal dico dá no seu joelho, são exemplos de atos
reflexos. Alguns são programados no seu
Fazendo parte do SNC, é um tubo ner- sistema nervoso desde o nascimento (refle-
voso em continuação do encéfalo. Está alo- xos inatos), como a deglutição e o ato de
jada dentro da coluna vertebral e sua função sugar o leite materno.
é conduzir os estímulos motores do cére-
bro aos órgãos e estímulos sensitivos dos Sistema nervoso periférico (SNP)
órgãos ao cérebro. Também é capaz de ela- É formado pelo conjunto de nervos que
borar respostas motoras rápidas, que são relacionam o SNC com os órgãos do corpo.
os reflexos: o impulso sensorial entra pelo Os nervos são constituídos pelos axônios dos
ramo nervoso dorsal da medula, passa pelo neurônios, podendo apresentar diversos com-
neurônio intermediário e é transmitido ao primentos. Conduzem tanto impulsos sensi-
nervo motor, que sai pelo ramo ventral, indo tivos dos órgãos, como impulsos motores do
diretamente ao músculo. Nos atos reflexos, cérebro aos músculos.
o impulso não chega até o cérebro para que Como principais, temos 12 pares de
este elabore a resposta, mas a própria me- nervos cranianos, sensitivos, que partem
dula responde rapidamente. do encéfalo, e 31 pares de nervos raquidia-
Biologia 2 - Aula 11 187 Instituto Universal Brasileiro
nos ou espinhais, partindo da medula. fibras que transmitem impulsos nervosos
aos órgãos. Essas fibras são adrenérgi-
Tipos de nervos: cas, isto é, liberam adrenalina.
• Sensoriais - são formados por den-
dritos e levam o impulso nervoso dos ór- Sistema Simpático
gãos para os centros cerebrais.
• Motores - formados por axônios, Dilata a pupila

conduzem impulsos dos centros cerebrais Inibe a salivação

para os músculos e glândulas.


• Mistos - contêm feixes sensoriais Relaxa os brônquios

e motores. Acelera batimentos


cardíacos

Inibe a digestão

Estimula a produção
de glicose
pelo fígado

Estimula a secreção de
Gânglios nervosos x adrenalina e noradrenalina

gânglios linfáticos Relaxa a bexiga

Estimula o orgasmo e
Gânglios nervosos são centros ner- promove a ejaculação
vosos secundários, formados por aglomera-
ções de corpos celulares de neurônios. Estão
ligados entre si e aos órgãos por nervos, re- Sistema Parassimpático
gulando muitas funções das nossas vísceras.
Já os gânglios linfáticos pertencem à rede Origina-se no encéfalo, bulbo e região
linfática e atuam na defesa do organismo, sacral da medula espinhal. Suas fibras são
produzindo os anticorpos. colinérgicas, isto é, liberam acetilcolina. A
cada ação do sistema simpático, corresponde
uma ação contrária do parassimpático.
Sistema nervoso autônomo (SNA):
simpático e parassimpático Sistema Parassimpático
O sistema nervoso autônomo recebe
esse nome porque funciona independen-
temente do nosso controle voluntário. Ele Contrai a pupila

regula nossas funções vegetativas, como a vo I


II Estimula
Ner a salivação
respiração, a digestão, a pressão arterial, Nervo VII
Nervo IX
os batimentos cardíacos, a temperatura do Contrai os brônquios
Reduz os
corpo, as secreções, e outras. O SNA com- Nervo X
batimentos
preende os sistemas simpático e paras- cardíacos

simpático, que possuem ações antagôni- Estimula a


digestão
cas, isto é, contrárias: quando um estimula,
o outro inibe. Estimula a liberação
Pelve nervos
de bile
esplâncnicos
Sistema simpático

Origina-se das porções torácica e lom-
Contrai a bexiga e
bar da medula espinhal, e é constituído por promove a ereção
23 pares de gânglios ligados por ramos aos
nervos raquidianos. Dos gânglios partem
Biologia 2 - Aula 11 188 Instituto Universal Brasileiro
Compare as ações adiposo), chamada hipoderme, que funciona
antagônicas dos sistemas: como isolante.
Simpático Aparelho locomotor: sistemas
muscular, esquelético e articular.
• Acelera os batimentos cardíacos;•
Dilata as artérias coronárias; Sistema muscular
• Contrai os vasos e aumenta a pres-
são arterial; Tem a função de contração. A mus-
• Diminui o peristaltismo e a secreção culatura é formada por fibras, que são as
intestinal; células do tecido muscular. De acordo com
• Dilata a pupila; o tipo de fibra, a musculatura pode ser de
• Dilata os bronquíolos pulmonares; três tipos: estriada esquelética, lisa, es-
• Contrai o esfíncter da bexiga uri- triada cardíaca.
nária.
Funcionamento dos músculos
Parassimpático
Os músculos se contraem devido à presen-
• Diminui os batimentos cardíacos; ça de duas proteínas contráteis no citoplasma de
• Contrai as artérias coronárias; suas fibras: a actina e a miosina, em forma de
• Dilata os vasos sanguíneos e diminui filamentos, chamados miofibrilas.
a pressão arterial;
• Aumenta o peristaltismo e a secreção Sistema esquelético
intestinal;
• Contrai a pupila; Dá forma e sustentação ao corpo. É
• Contrai os bronquíolos pulmonares; formado por ossos, que podem ser de três
• Relaxa o esfíncter da bexiga. tipos: longos (fêmur, úmero), curtos (vérte-
bras) e chatos (crânio). Nos ossos longos,
a medula óssea vermelha fabrica as células
do sangue: hemácias, leucócitos e plaque-
tas. As células ósseas são chamadas os-
teócitos, que se dispõem em círculos, ao
redor de um canal por onde passam nervos
e vasos capilares sanguíneos, formando o
Corpo humano (Parte I) sistema de Havers.

Anatomia e Fisiologia Divisão do esqueleto:

A espécie humana, única espécie bí- ● Esqueleto axial: formado pela caixa
pede, com cérebro altamente desenvolvido e craniana, coluna vertebral e caixa torácica
maior capacidade de adaptação, diferencia- (costelas).
se dos demais primatas pela postura ereta, ● Esqueleto apendicular: compreen-
braços mais curtos que as pernas, destreza de a cintura escapular, formada pelas escá-
manual e menor quantidade de pelos no cor- pulas e clavículas; cintura pélvica, formada
po. Estudamos nesta aula, alguns sistemas pelos ossos ilíacos (da bacia) e o esqueleto
do corpo humano. dos membros (superiores ou anteriores e in-
feriores ou posteriores).
Sistema tegumentar: pele e glândulas
Coluna vertebral
A pele é formada pela epiderme, su-
perficial (tecido epitelial) e pela derme, mais Eixo do corpo, sustentação e proteção
profunda (tecido conjuntivo). Abaixo da derme da medula espinhal. Divide-se em regiões:
fica a camada de células gordurosas (tecido cervical – pescoço (7 vértebras); torácica

Biologia 2 - Aula 11 189 Instituto Universal Brasileiro


- costas (12 vértebras); lombar - abaixo da medula espinhal: pia-máter, mais interna e
cintura (5 vértebras); sacral - região do quadril vascularizada, diretamente em contato com
(5 vértebras fundidas) e coccigeana - a extre- o tecido nervoso; aracnoide, intermediária,
midade da coluna (4 vértebras fundidas). e dura-máter, mais externa, em contato
com os ossos.
Desvios da coluna
● Medula espinhal. Fica dentro da
Lordose: aumento da curvatura na re- coluna vertebral, protegida pelas vértebras.
gião lombar; cifose: aumento da concavida- Sua função é conduzir os impulsos nervo-
de da coluna na região torácica, o indivíduo sos do cérebro aos órgãos e vice-versa.
fica curvado para a frente; escoliose: curva- Também elabora os reflexos, que são res-
tura lateral da coluna vertebral. postas rápidas, sem que o impulso chegue
até o cérebro.
Sistema articular
► Sistema nervoso periférico (SNP)
É formado pelas cartilagens que se en-
contram entre dois ossos, permitindo a movi- Formado pelo conjunto de nervos,
mentação sem atrito entre eles. Há três tipos que conduzem os impulsos nervosos. Os
de cartilagens: hialina, mais flexível, presente nervos sensoriais são formados por den-
nas articulações e nas extremidades das cos- dritos dos neurônios e levam os impulsos
telas; fibrosa, mais resistente, forma os dis- até o cérebro. Temos 12 pares de nervos
cos entre as vértebras. A cartilagem elástica, cranianos, encarregados da visão, audição,
bem flexível, está presente no nariz e orelhas, paladar, olfato, dor etc. Os nervos motores
não fazendo parte das articulações. (31 pares) partem da medula e são forma-
dos pelos axônios. Conduzem impulsos do
Sistema nervoso cérebro para os músculos e glândulas.
Os nervos mistos contêm feixes sensoriais
Divide-se em: sistema nervoso central e motores.
(SNC), sistema nervoso periférico (SNP) e
sistema nervoso autônomo (SNA). ► Sistema nervoso autônomo (SNA)

►Sistema nervoso central (SNC): É de controle involuntário. Compreende


encéfalo e medula espinhal. os sistemas simpático e parassimpático,
que funcionam antagonicamente: se um esti-
● Encéfalo (cérebro, cerebelo e bulbo). mula determinada função, o outro a inibe.

Cérebro é a maior parte do encéfa- ● Sistema nervoso simpático é for-


lo, formado por dois hemisférios (direito e mado por uma cadeia de 23 gânglios ao
esquerdo), com muitos sulcos ou circunvo- lado da medula, ligados aos nervos ra-
luções. Anatomicamente, cada hemisfério quidianos. Suas fibras liberam adrenali-
é dividido em áreas: lobos frontal, parietal, na (fibras adrenérgicas), cuja ação é, por
temporal e occipital. exemplo, acelerar os batimentos cardíacos,
Cerebelo está situado atrás do en- dilatar a pupila, aumentar a pressão arte-
céfalo, coordena os movimentos e con- rial, entre outras.
trola o equilíbrio. No seu interior as fibras
se ramificam, dando aspecto de uma árvore ● Sistema parassimpático origina-
(chamada “árvore da vida”). se no encéfalo, no bulbo e na região sacral
Bulbo é a porção dilatada que se con- da medula espinhal. Sua fibras são colinér-
tinua com a medula. É o centro da respi- gicas, liberam acetilcolina, cuja ação é,
ração, dos movimentos cardíacos e da dentre outras, a diminuição dos batimentos
pressão arterial. cardíacos e da pressão arterial, a contração
Meninges são as três membranas da pupila e dos bronquíolos, ações que são
que envolvem e protegem o encéfalo e a contrárias às do sistema simpático.

Biologia 2 - Aula 11 190 Instituto Universal Brasileiro


a) ( ) estriado, de contração voluntária.
b) ( ) estriado, de contração involuntária.
c) ( ) liso, de contração voluntária.
d) ( ) liso, de contração involuntária.

1. (FUVEST) Em acidente em que 4. (Cesgranrio-RJ) Os anestésicos,


há suspeita do comprometimento da coluna largamente usados pela Medicina, tornam re-
vertebral, a vítima deve ser cuidadosamente giões ou todo o organismo insensível à dor
transportada ao hospital, em posição deitada porque atuam:
e, de preferência, imobilizada. Este procedi-
mento visa preservar a integridade da coluna, a) ( ) nos axônios, aumentando a po-
pois em seu interior passa: larização das células.
b) ( ) nas sinapses, impedindo a
a) ( ) o ramo descendente da aorta, transmissão do impulso nervoso.
cuja lesão pode ocasionar hemorragias. c) ( ) nos dendritos, invertendo o
b) ( ) a medula óssea, cuja lesão sentido do impulso nervoso.
pode levar à leucemia. d) ( ) no corpo celular dos neurônios,
c) ( ) a medula espinhal, cuja lesão bloqueando o metabolismo.
pode levar à paralisia.
d) ( ) o conjunto de nervos crania- 5. (FUVEST) Qual dos seguintes com-
nos, cuja lesão pode levar à paralisia. portamentos envolve maior número de ór-
gãos do sistema nervoso?
2. (UFRGS/2005) Considere as afir-
mações a seguir sobre o tecido muscular a) ( ) Salivar ao sentir o aroma de
esquelético. comida gostosa.
b) ( ) Levantar a perna quando o mé-
I. Para que ocorra contração muscu- dico toca com martelo no joelho do paciente.
lar, há necessidade de uma ação conjunta c) ( ) Retirar bruscamente a mão ao
dos íons cálcio e da energia liberada pelo tocar um objeto muito quente.
ATP, o que promove um deslizamento dos d) ( ) Preencher uma ficha de identifi-
filamentos de actina sobre os de miosina na cação.
fibra muscular.
6. (VUNESP) Imagine as seguintes si-
II. Exercícios físicos promovem um
tuações:
aumento no volume das fibras da muscu-
latura esquelética, através da produção I. Você vai tomar uma injeção e fica
de novas miofibrilas. com o braço distendido, recebendo a pi-
III. Em caso de fadiga muscular, parte cada da agulha sem nenhuma reação.
do ácido lático produzido através da fermen- II. Você estava distraído e alguém
tação lática passa para a corrente sanguínea picou-lhe o braço com um alfinete; a rea-
e é convertida em aminoácidos pelo fígado. ção foi um salto.

Quais estão corretas? Os órgãos do sistema nervoso que


controlaram a primeira e a segunda reação
a) ( ) Apenas I. foram respectivamente:
b) ( ) Apenas II.
c) ( ) Apenas I e II. a) ( ) medula e cérebro.
d) ( ) Apenas II e III. b) ( ) cerebelo e córtex.
c) ( ) cérebro e medula.
3. O músculo cardíaco é do tipo: d) ( ) medula e hipotálamo.
Biologia 2 - Aula 11 191 Instituto Universal Brasileiro
Comentário. Tratata-se de um tipo de
músculo especial. Apesar de ser um tipo estriado,
as contrações do músculo cardíaco são involun-
tárias. Diferentemente dos movimentos voluntá-
rios dos músculos estriados esqueléticos.
1. c) ( x ) a medula espinhal,
cuja lesão pode levar à paralisia.

Comentário. A medula espinhal é par-


te do sistema nervoso central e sua principal
função é conduzir os impulsos nervosos mo-
tores do cérebro para os diversos órgãos de
locomoção, como também os impulsos sen- Fibras estriadas dos músculos
cárdicos ao microscópio
sitivos dos órgãos para o cérebro. Ela é pro-
tegida pela coluna vertebral, pois, como um Observe que suas fibras, ao microscó-
tubo, passa por dentro do canal formado pela pio, apresentam-se ramificadas ou anastomo-
sobreposição das vértebras. Por esse motivo, sadas, juntando-se umas às outras.
uma pessoa acidentada deve ser removida
em posição horizontal,evitando qualquer mo- 4. b) ( x ) nas sinapses, impe-
vimento da coluna vertebral. Se a medula es- dindo a transmissão do impulso nervoso.
pinhal sofrer qualquer lesão, haverá compro-
metimento motor e sensorial. Comentário. Ao agir nas sinapses, lo-
cais onde os neurônios se encontram bem
2. c) ( x ) Apenas I e II. próximos (a extremidade de um axônio próxi-
ma a um dendrito do outro neurônio), os anes-
I. Para que ocorra contração muscu- tésicos impedem que o impulso da dor se pro-
lar, há necessidade de uma ação conjunta pague de um neurônio a outro.
dos íons cálcio e da energia liberada pelo
ATP, o que promove um deslizamento dos 5. d) ( x ) preencher uma ficha
filamentos de actina sobre os de miosina de identificação.
na fibra muscular. Comentário. Ao preencher uma ficha
de identificação, necessitamos que o siste-
II. Exercícios físicos promovem um ma nervoso interprete estímulos visuais das
aumento no volume das fibras da muscu- palavras, cheque na memória as informações
latura esquelética, através da produção de solicitadas, além de mandar sinais que nos
novas miofibrilas. permitem escrever as respostas da ficha. As
demais alternativas estão relacionadas com
respostas simples e involuntárias.
Comentário. As contrações muscula-
res dependem do ATP (molécula energética) 6. c) ( x ) cérebro e medula.
e da ação dos íons Ca++, que promovem o
deslizamento dos filamentos de actina sobre Comentário. Ao saber que vamos tomar
os de miosina na fibra muscular. Os exercícios injeção, controlamos nossos impulsos; assim, te-
físicos fazem aumentar o volume mas não o remos um ato voluntário controlado pelo cérebro.
número das fibras musculares. A afirmativa Quando estamos desprevenidos, a resposta é um
III é incorreta, pois o ácido lático formado no ato reflexo e involuntário, comandado pela medu-
músculo não é convertido em aminoácido. la espinhal. Nesse caso, o impulso não chega até
o cérebro, mas entra pelo nervo sensitivo, passa
3. b) ( x ) estriado, de contra- pelo neurônio associativo (interno) e caminha pelo
ção involuntária. nervo motor até o músculo, que se contrai.
Biologia 2 - Aula 11 192 Instituto Universal Brasileiro