Você está na página 1de 22

O reino animal

AULA 7 Já são conhecidas mais de 1 milhão de espécies animais e muitas ainda não
foram descobertas. Certamente você sabe distinguir entre um cachorro e um
gato. Mas você sabe o que é um animal? Quais as características que reú-
nem diferentes espécies de animais num reino?

Há mais vida na Terra do que o homem é capaz de saber...

A biodiversidade da vida animal

Nos tempos bíblicos, Deus ordenou a Noé que construísse uma arca para abrigar um casal de
cada espécie de bicho, enquanto o mundo se afogava no dilúvio universal. A missão de Noé pode
ter sido ainda mais extravagante do que a lenda sugere. De fato, passados mais de dois séculos
desde que o botânico sueco Carolus Linnaeus (1707-1778) começou a classificar as formas animais
de vida, não se sabe quantas espécies dotadas de patas, rabos, antenas, asas, guelras existem. Em
todas as classes, a cada dia se descobre uma espécie nova.
Isso é biodiversidade, o explosivo potencial que a vida possui de se multiplicar em miríades
de formas adaptadas aos mais variados ambientes. Desbravando o globo de polo a polo, embre-
nhando-se em florestas e mergulhando nos mares, o homem conseguiu descrever 1,4 milhões de
espécies, como se designa a unidade biológica fundamental. Cerca de 950.000 são insetos (inver-
tebrados), 41.000 são vertebrados e o restante é uma coleção desconjuntada de outros inverte-
brados. Parece um desvario da natureza - mas é pouco mais do que uma amostra. A maioria dos
biólogos concorda que esse censo não dá conta nem da terça parte dos passageiros convidados
a embarcar na arca de Noé.
Os cientistas reconhecem, por exemplo, serem parcos os seus conhecimentos sobre a di-
versidade e a distribuição dos insetos, uma categoria que parece ter a preferência da natureza,
pois constitui folgadamente a maioria dos seres vivos, maioria anônima, escondida nas florestas
tropicais. Sabe-se preto no branco que mais da metade da bicharada do planeta tem seu endere-
ço nos trópicos, mais precisamente nos 7% da superfície do globo coberta por florestas tropicais,
não é de espantar que o Brasil, onde a floresta ocupa 42% do território, seja o campeão mundial
de biodiversidade.
Superinteressante, julho de 1990. Texto adaptado.

Biologia 2 - Aula 7 97 Instituto Universal Brasileiro


Reino animal (Reino Animalia)
Animais invertebrados e vertebrados • Invertebrados (diversos filos), ani-
mais que não apresentam coluna vertebral.
O que difere os animais das plantas? • Vertebrados ou cordados (filo Chor-
data) animais que possuem um eixo de sus-
Todos os animais são pluricelulares eu- tentação (notocorda) formado por vértebras
cariontes, como as plantas. ósseas ou cartilaginosas, chamado coluna
Existem muitas características que diferem vertebral.
os animais das plantas. Veja as três principais:

Os animais:

• Alimentam-se de outros seres vivos


- são heterótrofos.
O reino é dividido em filos, de acor-
• Possuem a capacidade de locomo-
do com características comuns entre os
ver-se e de responder aos estímulos do
animais do grupo. Os taxonomistas reco-
meio que os rodeia - têm sistema nervoso
nhecem de 30 a 40 filos no Reino Animal.
e muscular.
Filo, portanto, é a categoria que agrupa
• Desenvolvem-se a partir de uma
classes relacionadas filogeneticamente,
massa celular, a blástula, que se originou
distinguíveis das outras por diferenças
de um zigoto, resultante da fertilização de
marcantes, e que é a principal subdivi-
um óvulo por um espermatozoide.
são dos reinos; em biologia filo também é
chamado ramo.
Reino é dividido em filos
Para facilitar o estudo, dividiremos os Veja no gráfico a divisão proporcional
animais em dois grandes grupos, como são do número de espécies nos principais filos
popularmente conhecidos: animais.

Artrópodes
1 milhão
Outros filos
7 mil

Anelídeos
Cordados 9 mil
54 mil

Equinodermos Moluscos
6 mil 150 mil

Esponjas Nematelmintos
Platelmintos
4 mil Cnidários 80 mil
15 mil
11 mil

Biologia 2 - Aula 7 98 Instituto Universal Brasileiro


Invertebrados
Serão estudados seguindo-se a ordem de água doce. São animais fixos, alimentam-
evolutiva, ou seja, partindo dos mais simples para se de partículas (algas microscópicas, pro-
os mais complexos. Assim, temos oito grupos ou tozoários, larvas etc.), que se encontram em
filos de invertebrados. Nesta aula vamos estu- suspensão na água e são levados pela cor-
dar sete desses filos: poríferos, cnidários, pla- renteza. Apresentam cores variadas, desde o
telmintos, nemátodos, anelídeos, moluscos, marrom até o vermelho, laranja ou violeta. O
equinodermos e o filo dos artrópodos será es- tamanho vai de alguns milímetros a 20 centí-
tudado separadamente, na aula seguinte. metros ou mais.

Simetria do corpo do animal

Simetria é a semelhança entre as


partes do corpo do animal, quando o di- Estrutura
vidimos em planos imaginários, seguindo O corpo das esponjas assemelha-se a
um determinado eixo. Em geral, refere-se um barril, fixo a qualquer substrato pela base
à aparência externa do corpo. A simetria e apresentando no topo uma abertura, o ós-
pode ser bilateral ou radial. culo (do latim osculum, diminutivo de boca),
que se comunica com uma cavidade interna.
É chamada bilateral A parede do corpo é formada por diferentes
se o corpo pode ser dividi- células especializadas:
do em duas metades iguais, • porócitos - células com abertura cen-
através de um único plano tral, formam os poros.
de divisão, longitudinal e • pinacócitos - células da epiderme.
mediano, apresentando o lado esquerdo • coanócitos - responsáveis pela di-
semelhante ao lado direito. gestão. Essas células revestem a cavidade
da esponja. São células com flagelo e, pela
A simetria é radial se o agitação deles criam uma corrente contí-
corpo pode ser dividido em nua de água do interior da cavidade para o
várias partes iguais, através ósculo.
de diversos planos imaginá- • amebócitos - células móveis que
rios que passam por um úni- distribuem os nutrientes às demais células
co eixo, como raios. da esponja. Também fabricam as espículas
(com forma de espinho ou agulha) de síli-
ca ou carbonato de cálcio, que dão forma e
Filo Poríferos (do grego poris = poros; sustentação à esponja, constituindo o seu
foros = portador) “esqueleto”.
A água entra pelos poros e sai pelo ós-
culo, estabelecendo uma corrente que entra
Nem parecem animais
com nutrientes e sai levando as substâncias
São animais conhecidos como esponjas. resultantes da digestão. Por terem digestão
Exclusivamente aquáticos, a maioria é de am- intracelular, as esponjas são consideradas
biente marinho, embora haja representantes animais filtradores.
Biologia 2 - Aula 7 99 Instituto Universal Brasileiro
Reprodução

As esponjas apresentam duas formas


de reprodução:
O comércio de es- 1. Assexuada - através de saliências
ponjas. Antes de serem chamadas gemas, que se destacam do
comercializadas, as es- corpo da esponja e se fixam nas rochas. A
ponjas retiradas do mar regeneração através de fragmentos da es-
recebem um tratamento ponja, também é considerada reprodução
para se tornarem limpas e assexuada.
macias. Para isso, são retiradas todas as es-
2. Sexuada - ocorre por meio da
pículas que as tornam duras. O comércio de
fecundação dos óvulos por espermato-
esponjas para diversos usos, principalmente
para banho, vem de longa data, desde gregos zoides de outras esponjas, trazidos pela
e romanos. Atualmente, muitos países como água circundante. O zigoto origina larvas
China, México, e todos do mediterrâneo, co- microscópicas que se desenvolvem em
letam e vendem grandes quantidades de es- novos indivíduos.
ponjas empregadas também em pinturas e
artesanatos.
Filo Cnidários ou Celenterados
A palavra cnidário deriva do grego
knidos e significa “urticante”, “que queima”.A
palavra celenterado deriva do grego koilos,
que significa “compartimento”, “cavidade”, e
entheron, que diz respeito a “intestino”.
Qual o animal com maior
capacidade de regeneração?
Características
A esponja do mar: ser colorido e de Todos produzem substância que queima,
formas exóticas que vive no fundo dos ocea-
expelida por células especiais da epiderme
nos. Sua capacidade de regeneração é tão
impressionante que, mesmo se for triturada
(cnidócitos) quando o corpo do animal é toca-
num liquidificador, ela consegue renascer. do. Constitui um mecanismo de defesa.
“Em condições ideais, um indivíduo comple- • Digestão intra e extracelular (na ca-
to pode se reconstituir a partir de conjuntos vidade gastrovascular).
celulares mínimos”, afirma o biólogo marinho • Sistema nervoso difuso - células
Márcio Reis Custódio, do Departamento de sensoriais por todo o corpo.
Biociências da Universidade de São Paulo
(USP). Os ancestrais desses animais - que
fazem parte do filo dos poríferos e podem ter Estrutura
até 2 metros de altura - surgiram há 1 bilhão São animais exclusivamente aquáticos, na
de anos, período próximo ao do aparecimen-
maioria marinhos. Vivem fixos, isolados ou em
to das primeiras formas de vida no planeta.
Mesmo se for esmigalhada, a esponja vai se
colônias, ou se locomovem livremente. Apre-
regenerar. Isso se deve, em parte, à estrutura sentam duas formas : pólipos e medusas.
simples de seu organismo: sem órgãos bem
desenvolvidos, é formada por apenas uns 20 Pólipos
tipos de células polivalentes, capazes de de-
sempenhar funções. São fixos, cilíndricos e possuem tentá-
culos ao redor da boca. Exemplos: hidras (de
Disponível em: www.mundoestranho.abril.com.br.
Acesso em 19.11.2013. água doce), anêmonas (rosas-do-mar) e os
corais (colônias).
Biologia 2 - Aula 7 100 Instituto Universal Brasileiro
Medusa

Mesogleia

Cavidade
gastrovascular
Anêmona Hidra

Ectoderme

Endoderme

Boca
Corais Tentáculos

Medusas – (águas-vivas)
As principais classes de celenterados
São livres e nadam ativamente. Têm a Os celenterados dividem-se em três
forma de calota esférica ou de um guarda- classes principais:
chuva, com muitos tentáculos em volta.
• hidrozoários, representados pe-
las hidras e caravelas;
• cifozoários, representados pelas
águas-vivas;
• antozoários, representados pe-
las actínias ou anêmonas-do-mar e pelos
corais.

Hidrozoários

► Hidras. São minús-


culas (3 a 4 mm de compri-
mento), vivem em água
Anatomia dos celenterados doce fria e limpa. Geral-
mente são verdes pela pre-
Pólipo sença de algas unicelula-
res dentro de suas células,
Tentáculos numa relação de mutualis-
Boca mo. Embora sejam pólipos, têm a capacidade
Ectoderme
de locomoção dando “cambalhotas”, fixando
Endoderme alternadamente o disco basal e os tentáculos
no substrato.
Mesogleia

Cavidade
gastrovascular

Biologia 2 - Aula 7 101 Instituto Universal Brasileiro


► Caravelas.
com um filamento (nematocisto), que pode
As caravelas são co-
ser ejetado. Quando uma água-viva encon-
lônias flutuantes que
tra outro objeto, uma estrutura de disparo
vivem geralmente no exterior do cnidócito, um “gatilho” deno-
em alto mar. A co- minado cnidocílio, prepara o veneno para
lônia é formada por ser lançado. As estruturas das células ur-
muitos indivíduos, minúsculos pólipos, alinha- ticantes atingem a vítima como pequenos
dos nos tentáculos, cada um desempenhando dardos venenosos. O veneno é uma neuro-
uma função: protetora, digestiva, reprodutora, toxina que paralisa a presa. Embora uma
entre outras. O maior indivíduo é um saco flu- água-viva possa matar um animal aquático
tuador de cor azul-arroxeada, semelhante a pequeno, sua fisgada normalmente não é
uma boia e muito atrativa para os banhistas fatal aos humanos. Ela costuma provocar
queimadura, dor, irritações na pele, febre
quando são levadas pela correnteza até as
e cãibras nos músculos. O grau de dor e
proximidades das praias. As substâncias urti-
a reação a uma fisgada de água-viva pode
cantes que fabricam causam sérias queimadu- depender da espécie.
ras nos seres humanos que tentam pegá-las,
atraídos pela beleza da bolha colorida.
Sua fisgada pode ser muito dolorosa e
pode apresentar sintomas como calafrios, fe- Opérculo
Nematocisto
bre, náusea, vômito e choque. Em alguns ca-
sos, as fisgadas são fatais.

Cifozoários Cnidocílio

► Águas-vivas. São
exclusivamente marinhas, Reservatório
existem há mais de 650 mi-
lhões de anos e vivem em Núcleo
diferentes profundidades.
São abundantes em todos Cnidoblasto com Cnidoblasto com
os litorais e nas nossas o nematocisto o nematocisto
praias não conseguimos descarregado carregado
distingui-las dentro da água por terem o corpo
transparente, de aspecto gelatinoso, formado
por 98% de água. A boca é inferior, central e se Antozoários: anêmonas e corais
comunica com a cavidade gastrovascular.
No interior da água, nadam por jato-propul- ► Anêmonas. São
são, contraindo o corpo e esticando os tentácu- pólipos maiores e mais
los. Muitas flutuam, deixando-se levar pelas cor- complexos que as hi-
rentezas. Você já foi queimado por uma delas? dras. Vivem individual-
mente, possuem alguns
centímetros e muitos
tentáculos ao redor da
boca. Podem se arrastar
muito lentamente, mudando o local de fixação.
O veneno que queima Internamente, apresentam septos longitudi-
O corpo das águas-vivas e principalmente
nais com faixas musculares e células produ-
os tentáculos, são cobertos por células urtican- toras de enzimas digestivas. Alimentam-se de
tes chamadas cnidócitos ou cnidoblastos, peixinhos que são paralisados e capturados
pelos tentáculos.
Biologia 2 - Aula 7 102 Instituto Universal Brasileiro
Reprodução assexuada

• Por brotamento nas hidras. Surge


um broto que se destaca do corpo adulto e se
fixa no substrato.
Os peixes-palhaço
• Por bipartição (ou cissiparidade) - as
não são sensíveis às neu-
anêmonas. Segundo um plano longitudinal, o
rotoxinas da anêmona,
corpo divide-se em duas partes iguais.
por isso fazem dela um
• Alternância de gerações - uma fase
abrigo, acomodando-se
assexuada (pólipo) e outra fase sexuada
entre os seus tentáculos.
(medusa). Em algumas espécies a fase pre-
dominante é pólipo; em outras, a fase predo-
► Corais. São minante é medusa. Diferentemente das plan-
colônias de minús- tas, todos os indivíduos são diploides, apenas
culos pólipos, prote- os gametas são haploides.
gidos e sustentados
por um “esqueleto”
calcário e orgânico.
Os corais crescem incessantemente em altu-
ra, cerca de 1 a 2 cm por ano, enquanto vão
se ramificando. Internamente os pólipos se
O que são recifes de corais
comunicam por canais, garantindo a troca de
substâncias entre eles. O colorido dos corais Quando os corais estão agregados
se deve à presença de algas unicelulares de em longas extensões, formam os recifes
várias cores, no seu interior. de corais. No Brasil os recifes de coral
ocupam áreas imensas, e são as únicas
Reprodução dos celenterados formações do tipo no Atlântico Sul. Das
350 espécies de corais existentes no mun-
A reprodução dos celenterados pode ser do todo, 18 delas encontram-se no Brasil,
assexuada ou sexuada. Em muitas espécies sendo que oito só existem em mares bra-
ocorre alternância de fases sexuada e as- sileiros.
sexuada.

Veja o esquema que representa a reprodução da água-viva

Fecundação Liberação da
interna larva plânula

Cifístoma Após a fecun-


dação, forma-se o zi-
Medusas Fixação ao
adultas goto que dá origem a
substrato
uma larva chamada
plânula. Essa larva se
Estrobilização
Espermatozoides (divisão fixa e divide-se trans-
liberados na água transversal) versalmente (estrobili-
Éfiras zação) formando uma
(medusas pilha de pequenas
imaturas)
medusas (éfiras) que
se soltam e transfor-
mam-se em adultas,
Desenvolvimento iniciando novo ciclo.
Liberação
das éfiras

Biologia 2 - Aula 7 103 Instituto Universal Brasileiro


Os vermes
Classificados em três grupos (Filos): entre os órgãos, daí serem classificados como
Filo Platelmintos, Filo Nemátodos e Filo acelomados, com simetria bilateral. A maio-
Anelídeos. ria é parasita de vertebrados. Estude os prin-
São animais invertebrados de corpo cipais representantes.
mole, simetria bilateral e sem patas. Alguns
são parasitas e outros, de vida livre. Direta ou Planária (classe dos turbelários,
indiretamente, os vermes desempenham im- todos de vida livre, isto é, não parasitas)
portante papel em relação à saúde das popu-
lações e agem em todos os ecossistemas.
Olho Poro genital

Filo Platelmintos (plati = chato;


helminto = verme)
Têm o corpo achatado dorsoventral- Boca
mente. Principais representantes: Faringe protráctil

Planária. De vida li- A planária é encontrada debaixo de pe-


vre, terrestre ou aquática. dras e folhas no solo úmido. Possui:
mede de 2 a 3 mm de com- • Sistema digestório incompleto. O tubo
primento. digestório é formado por boca, faringe, intestino
simples ou ramificado, mas não possuem ânus.
Esquistossomo (Schistosoma manso- • Sistema circulatório - ausente. O
ni). Parasita, causador da esquistossomose alimento é distribuído pelo intestino ramificado
ou “barriga-d’água”. Mede cerca de 3 cm. e a a todas as células do corpo.
fêmea, menor e mais fina, fica encaixada no • Sistema respiratório - ausente. As
canal do corpo do macho. trocas gasosas se fazem diretamente entre as
células e o ambiente.
• Sistema excretor. Presença de cé-
lulas-flamas com cílios, cujos batimentos re-
tiram os excretas e os eliminam através de
poros na superfície dorsal do corpo.
Macho com fêmea
alojada no canal Macho com ventosa Sistema excretor da planária

Tênia (Taenia solium e


Taenia saginata). Parasita, Poro excretor
conhecida como “solitária”, tem
o corpo semelhante a uma fita
e pode chegar a alguns metros
de comprimento.
Cílios
Solenócito ou
A importância dos platelmintos célula-flama

São animais triblásticos, isto é, possuem • Sistema nervoso. Um par de gân-


os três folhetos embrionários: ectoderme, me- glios cerebrais ligados a dois cordões nervo-
soderme e endoderme, e não há espaço (celoma) sos ao longo do corpo.
Biologia 2 - Aula 7 104 Instituto Universal Brasileiro
• Sistema sensorial. As planárias pos-
suem duas aurículas na cabeça, que funcio-
nam como órgãos quimiorreceptores e dois
ocelos que percebem a direção da luz.
• Reprodução assexuada. Por regene- Esquistossomose é uma doença cau-
ração ocorre nas planárias. Qualquer fragmento sada pelo Schistosoma mansoni, parasita que
do seu corpo regenera a parte que falta. tem no homem seu hospedeiro definitivo, mas
que necessita de caramujos de água doce
Regeneração como hospedeiros intermediários para desen-
volver seu ciclo evolutivo. A esquistossomose
chegou às Américas Central e do Sul prova-
Planária velmente com os escravos africanos e ainda
hoje atinge vários estados brasileiros, princi-
palmente os do Nordeste.

• Reprodução sexuada. Também ocor-


re nas planárias, que são hermafroditas. Os
corpos de dois animais se unem e trocam es-
permatozoides.

Reprodução

Como se pega a doença? Tendo con-


tato com água onde há caramujos contami-
nados com larvas do verme Schistossoma
mansoni em banhos, lavagem de roupa, pes-
ca etc. Os caramujos são contaminados na
Esquistossomo (Schistosoma mansoni - água onde se despejam esgotos ou quando
classe dos tremátodos, todos parasitas) as fezes das pessoas são deixadas próximas
Esse verme é de grande importância a rios, riachos, represas ou lagos e carrega-
das pelas chuvas e enxurradas. Os ovos do
para a espécie humana, por ser o parasita
verme Schistossoma mansoni saem junto com
causador da esquistossomose, também co-
as fezes da pessoa doente. Quando caem na
nhecida como barriga-d’água, doença do água saem embriões (miracídios) de dentro
caramujo ou xistose, que ataca principal- dos ovos e entram no caramujo, onde cres-
mente o fígado e o baço. cem e viram larvas chamadas cercárias. As
larvas cercárias saem do caramujo e entram
Esquistossomo (macho e fêmea) no corpo pela pele das pessoas que têm con-
Ventosas tato com essa água. Na fase inicial surgem
da fêmea
manifestações alérgicas como coceira e ver-
Ventosa
oral do
Fêmea Canal melhidão na pele. Após seis meses ou depois
macho Ventosa ginecóforo de anos, o fígado é comprometido com áreas
ventral do
macho de fibrose e ocorre o aumento do baço, que
resulta em ascite (crescimento do abdômem),
ocasionando dores, diarreias e até ruptura de
varizes no esôfago.
www.saude.pr.gov.br/arquivos/material educativo.
Macho esquistossomose.
Acesso em: 03.12.2013. Texto adaptado.

Biologia 2 - Aula 7 105 Instituto Universal Brasileiro


Entenda o ciclo de vida do esquistossomo e saiba quais são as principais
medidas de saneamento ambiental para seu controle

O hospedeiro intermediário é o caramujo e o hospedeiro definitivo é o homem.

Cercária

Vermes adultos
(no intestino
humano) Miracídio
Fezes
com
ovos
Caramujo

No Brasil, a doença foi descrita em 18 estados e no Distrito Federal, sendo que sua ocorrência está
diretamente ligada à presença dos moluscos transmissores. Os estados das regiões Nordeste, Sudeste e
Centro-oeste são os mais afetados. Estima-se que cerca de 25 milhões de pessoas vivem em áreas sob o
risco de contrair a doença. Atualmente, a esquistossomose é detectada em todas as regiões do país.
As principais medidas de saneamento ambiental para o controle da esquistossomose são: aterro,
drenagem ou retificação de coleções hídricas; revestimento e canalização de cursos d’água; limpeza e
remoção da vegetação marginal e flutuante; abastecimento de água para consumo humano; esgotamento
sanitário; controle do represamento de águas; correção de sistemas de irrigação; melhoria da infraestrutura
sanitária; instalações hídricas e sanitárias domiciliares.

Tênia ou “solitária” (Taenia solium e anéis grávidos. Cada proglote mede cerca de
Taenia saginata - classe cestoide) 0,5 cm de comprimento.

Os vermes platelmintos desta classe são Taenia solium


endoparasitas, de corpo segmentado, provi-
do de ventosas e ganchos fixadores, com Rostro com
ganchos Anéis
ausência completa de sistema digestório. Os Ventosa
Anéis ou
proglotes maduros
adultos parasitam o tubo digestório dos ver-
tebrados e as formas larvárias aparecem em
Escólex

vertebrados e invertebrados.
Estróbilo

Uma tênia mede geralmente de 2 a 3


metros de comprimento, chegando, às vezes,
Colo

a medir de 8 a 9 metros.
O seu corpo é constituído de: escólex
(cabeça) com ganchos para fixação, colo
(pescoço) e estróbilo (longa fita, com inúme-
ros anéis ou proglotes:cerca de 800 a 900). O As tênias não apresentam sistema di-
crescimento do verme ocorre a partir do colo, gestório. Vivem na luz intestinal de mamíferos,
onde se localizam os anéis mais jovens; a se- incluindo o ser humano. Absorvem os alimen-
guir, os anéis maduros e na extremidade, os tos já digeridos pelos hospedeiros, através de
Biologia 2 - Aula 7 106 Instituto Universal Brasileiro
toda a superfície do corpo.
Os ovos da tênia, misturados à terra,
As tênias são hermafroditas, ocorrendo
podem ser ingeridos pelo porco e levados
auto-fecundação. Os órgãos reprodutores pela circulação até se instalarem na muscu-
repetem-se em cada anel ou proglote. latura do animal. Nessa fase, as larvas en-
contram-se encapsuladas, formando peque-
Sistema reprodutor da Tênia
nos cistos (bolinhas brancas), conhecidas
na carne de porco como “canjiquinhas”. Se
Útero com ovos essa carne, mal cozida, for consumida pelo
homem, ele adquire a larva com o escólex,
Testículos
que se fixa na mucosa intestinal e cresce
Útero
até se tornar adulta. A pessoa contaminada
Canal deferente
elimina grande quantidade de ovos nas fe-
Poro genital
zes. O ciclo é idêntico quando se trata da
Receptáculo seminal Tênia saginata, só substituindo o hospedeiro
intermediário pelo boi.
Ovário

Glândula

As larvas da tênias alojam-se na muscu-


latura, nas vísceras e no sistema nervoso de
vários hospedeiros intermediários, como pei- Se todo o corpo da tênia for removi-
xes e mamíferos. do do hospedeiro, permanecendo apenas
Em geral, apenas uma tênia adulta per- o escólex na parede intestinal, ela pode se
manece fixa na mucosa do intestino de uma regenerar, originando novos proglotes e
pessoa parasitada, daí o nome solitária. As tornando-se adulta novamente.
duas espécies parasitas humanas têm o por- A presença do verme adulto no in-
co (T. solium) e o boi (T. saginata) como hos- testino humano determina uma série de
pedeiros intermediários. perturbações gerais que caracterizam a
doença teníase. Entre as principais per-
Entenda o ciclo de vida da Tênia solium turbações aparecem as intestinais: buli-
Cisticerco na mia (fome exagerada) ou anorexia (falta
musculatura de apetite), náuseas, vômitos e diarreias
do porco
Cisticerco em profusas, enfraquecendo o paciente. Fi-
corte com escó-
lex invaginado nalmente, são comuns em enfermos com
teníase fenômenos nervosos de ordem
tóxica, como fadiga, mal-estar, irritação e
Desinvaginação
do escólex
insônia.
A cisticercose é a enfermidade
determinada pela presença da larva cis-
ticerco no organismo humano. Nesse
caso, os ovos foram levados à boca por
mãos contaminadas, sendo mais comum
HI Porco em crianças de zonas rurais, habitua-
Anel das a brincar na terra. Aí a contamina-
maduro
ção é igual à que ocorre no porco. No
Ovo HD
ser humano, os cistos podem produzir
sintomas muito graves, especialmente
HI = hospedeiro intermediário (porco)
se forem formados no fígado, na medula
HD = hospedeiro definitivo (homem)
espinhal ou no cérebro.

Biologia 2 - Aula 7 107 Instituto Universal Brasileiro


Filo Nemátodos (do grego é, macho e fêmea são diferentes: as fêmeas
medem cerca de 30 a 40 cm de tamanho e os
nematos = fio) machos de 15 a 30 cm. As fêmeas possuem a
São vermes de corpo cilíndrico e afi- parte posterior retilínea e os machos são facil-
lado nas pontas. Há espécies parasitas de mente reconhecíveis pelo enrolamento ventral
plantas e animais, porém a maioria é de vida de sua extremidade caudal.
livre em solos úmidos, na água doce e no mar.
Dentre as mais de cinquenta espécies que pa-
rasitam a espécie humana, a mais comum é a
lombriga (Ascaris lumbricoides).

Fêmea Macho

Sintomas da ascaridíase. Habitual-


mente o parasitismo por Ascaris é assinto-
Vermes adultos de Ascaris lumbricoides
mático. As manifestações mais frequentes
Áscaris fêmea (à direita) e áscaris nos casos sintomáticos são: dor abdominal,
macho (menor e com extremidade enrola- náuseas, vômitos, diarreia e anorexia. É co-
da, à esquerda). mum a criança eliminar os vermes pela boca,
pelas narinas ou pelo ânus, antes ou durante
o quadro clínico.
Transmissão. Por ingestão de ovos com
A importância dos nemátodos larvas, procedentes do solo, água ou alimen-
São animais de corpo cilíndrico, alon- tos (principalmente verduras) contaminados
gado e não segmentado, protegido por um com fezes humanas. Poeira e insetos também
revestimento quitinoso; são desprovidos de podem veicular mecanicamente os ovos de
apêndices locomotores; o sistema digestório Ascaris lumbricoides.
é completo, com boca anterior e ânus poste-
rior. A cavidade do corpo é um pseudocelo-
ma, separada da cavidade digestiva e forrada
parcialmente pela mesoderme. A maioria é de
vida livre, mas há muitos parasitas de plantas
e animais. Crianças com verminose apresentam
Entre os nemátodos mais comuns que baixo nível de aprendizagem
parasitam o ser humano, estão:
Diversos estudos demonstraram que
• a lombriga (Ascaris lumbricoides); infecções parasitárias e quociente intelectual
• o oxiúro (Enterobius vermicularis); trilham caminhos opostos. Um deles, realiza-
• o ancilóstomo (Ancylostoma duode- do no Brasil pelo grupo de Jardim-Botelho,
nale e Ancylostoma brasiliense); mostrou que crianças em idade escolar com
• a filária (Wuchereria bancrofti). ascaridíase apresentam performance mais
medíocre nos testes de capacidade cognitiva.
Naquelas parasitadas por mais de um verme
Lombriga (Ascaris lumbricoides) intestinal os resultados são piores ainda.
É considerada a mais “cosmopolita” dos
drauziovarella.com. Folha de S. Paulo /colunistas.
parasitas humanos. Os vermes adultos são ci- 21.09.2013.
líndricos e apresentam dimorfismo sexual, isto
Biologia 2 - Aula 7 108 Instituto Universal Brasileiro
Ciclo da ascaridíase no organismo humano

Estágio
infeccioso

Estágio de
diagnóstico
Larva

Fezes

Ovo
Fertilizado Infértil

Entenda a sequência da infestação pelo áscaris:


1 - A ingestão de água ou alimento (frutas e verduras) contaminados pode introduzir ovos de
lombriga no tubo digestório humano.
2 - No intestino delgado, cada ovo se rompe e libera uma larva.
3 - Cada larva penetra no revestimento intestinal e cai na corrente sanguínea, atingindo fígado,
coração e pulmões, onde sofre algumas mudanças de cutícula e aumenta de tamanho.
4 - Permanece nos alvéolos pulmonares podendo causar sintomas semelhantes ao de pneu-
monia.
5 - Ao abandonar os alvéolos passam para os brônquios, traquéia, laringe (onde provocam
tosse com o movimento que executam) e faringe.
6 - Em seguida, são deglutidas e atingem o intestino delgado, onde crescem e se transformam
em vermes adultos.
7 - Após o acasalamento, a fêmea inicia a liberação dos ovos. Cerca de 15.000 por dia. Todo
esse ciclo que começou com a ingestão de ovos, até a formação de adultos, dura cerca de 2 meses.
8 - Os ovos são eliminados com as fezes. Dentro de cada ovo, dotado de casca protetora, ocor-
re o desenvolvimento de um embrião que, após algum tempo, origina uma larva.
9 - Ovos contidos nas fezes contaminam a água de consumo e os alimentos utilizados pelo
homem.

Oxiúro (Enterobius vermicularis) Transmissão. Existem vários métodos


de infestação.
É um verme muito pequeno, de corpo A autoinfestação é uma transmissão di-
alongado e filiforme. O macho mede de 3 reta, da região anal para a boca do hospedei-
a 5 mm de comprimento e a fêmea, de 8 a ro. As fêmeas, ao atingirem a parte terminal
12 mm. Seu ciclo de vida se completa num do intestino, produzem uma intensa coceira
único hospedeiro e não necessita de um anal. O parasitado, coçando-se e levando em
período de incubação fora do organismo. A seguida as mãos à boca, sofre a auto-infesta-
fêmea deposita cerca de 10.000 ovos, que ção. Este processo é comum nas crianças e
se instalam no reto, na região anal. É um determina infestações crônicas.
verme cosmopolita de grande ocorrência, Pode ainda ocorrer infestação, quan-
mais comum no homem e especialmente do a pessoa (hospedeiro) ingere ovos junto
nas crianças. com o alimento contaminado, com a poeira,
Biologia 2 - Aula 7 109 Instituto Universal Brasileiro
etc. É comum a infestação ao sacudir os mais comum da elefantíase é nos membros
lençóis da cama. inferiores. Com o aumento do tamanho das
Também pode ocorrer que, com a eclo- pernas, estas ficam parecidas com patas de
são das larvas nas bordas da mucosa anal, elefante; daí o nome “elefantíase”.
estas migrem para o interior do intestino, onde
sofrem transformações até atingir o estado
adulto e alcançar o ceco.

O ancilóstomo (Ancylostoma duodenale


e Ancylostoma brasiliense)

Ancylostoma duodenale

Os ancilóstomos da espécie duodenale


são os causadores da doença ancilostomose,
também chamada amarelão, opilação e mal-
da-terra. Caracteriza-se por produzir anemia
intensa no hospedeiro, variando a gravidade
com o grau de infestação. Provocam feridas
que sangram no interior do intestino, levando
à anemia. Dependendo do tipo de verminose,
com a coleta dos esgotos evita-se que as
Ancylostoma brasiliense fezes contaminem os ambientes e que os
ovos dos vermes contaminem a água e o
É um verme nematoide, parasita do cão cultivo de hortaliças, legumes e frutos.
e do gato, encontrado mais raramente como Uma higiene pessoal rigorosa e cuida-
parasita intestinal do homem. Suas larvas, dos no preparo dos alimentos são também
quando penetram na pele do homem, ficam medidas preventivas contra as verminoses.
vagando na epiderme e na derme, produzindo Evitando-se águas paradas no inte-
uma dermatose; a larva é conhecida por “larva rior de garrafas, pneus e pratos de plan-
migrans”. O comichão é intenso e constitui o tas, impede-se a reprodução dos mosqui-
maior incômodo. A parasitose é comum nas tos transmissores de doenças, pois estes
praias frequentadas por cães infestados pelo põem seus ovos na água.
Ancylostoma brasiliense. Vulgarmente, este
animal é conhecido como bicho geográfico,
pois ao se movimentar sob a epiderme, dei-
xa umas marcas ou rastros, semelhantes aos Filo Anelídeos (aneli = anel)
mapas que conhecemos na geografia.
São vermes de corpo cilíndrico, alonga-
do, segmentado em anéis. A maioria é de
A filária (Wuchereria bancrofti)
vida livre e os representantes desse grupo são
A filária existe em quase todos os paí- as minhocas (terrestres), as sanguessugas
ses situados na zona tropical e subtropical. O (de água doce) e os poliquetos (marinhos).
continente mais atingido é a África. No Brasil,
também é largamente registrado.
Produz a doença filariose, caracteriza-
da por perturbações do sistema linfático, sen-
do mais típica a elefantíase, isto é, a hipertro-
fia (aumento) de certos órgãos. A localização Poliqueto Sanguessuga Minhoca

Biologia 2 - Aula 7 110 Instituto Universal Brasileiro


A importância dos nemátodos

São os únicos vermes celomados e


segmentados (o corpo dividido em anéis).
Apresentam três classes: oligoquetos, poli-
A importância ecológica das minhocas
quetos e hirudíneos.
As minhocas são animais subterrâ-
Classe oligoquetos (oligo = pouco; neos, vivendo em solos úmidos e ricos em
chaeta = cerda) húmus, sendo pouco encontradas em so-
los ácidos, secos e arenosos. Elas vivem
São as minhocas, os anelídeos mais no interior de galerias que elas próprias
conhecidos. Elas possuem poucas cerdas na cavam, perfurando o solo com a extremi-
região ventral do corpo e são de vida livre, en- dade anterior e ingerindo a terra.
contradas em solos úmidos. A minhoca utiliza os resíduos vege-
tais para a nutrição, expulsando pelo ânus
as partículas terrosas, que constituem o
húmus, rico em minerais.
Durante a noite as minhocas se des-
locam para as camadas mais superficiais,
onde depositam as fezes. Desta maneira
e em consequência das inúmeras galerias
escavadas, as minhocas exercem impor-
As minhocas são hermafroditas (mo- tante papel na agricultura, arejando o solo
noicas). Apresentam testículos e ovários e a e repondo os minerais (cálcio, nitrogênio,
fecundação é cruzada. Dois animais se unem fósforo e magnésio), mantendo a fertilida-
e trocam espermatozoides. Após a cópula, os de do solo. Darwin calculou que na Ingla-
animais se separam e cada um produz um ca- terra as minhocas removem, anualmente,
sulo com zigotos que darão origem a novos 25 toneladas de terra.
indivíduos.Na época da cópula forma-se uma
região mais clara chamada clitelo, cujo muco
mantém os animais unidos e também forma a Classe poliquetos (poli = muito;
parede do casulo. chaeta = cerda)

São anelídeos aquáticos marinhos, de


vida livre. São dioicos, isto é, de sexos se-
parados.
Possuem muitas cerdas formando tufos
em expansões laterais do corpo, chamadas pa-
rapódios, usados como remos para natação.

Os anelídeos apresentam sistema circu-


latório, com um vaso principal dorsal e o san-
gue é vermelho pela presença de hemoglo-
bina. Nas minhocas a respiração é cutânea
(através da pele): o oxigênio do ar entra por
difusão no muco que envolve o corpo e é cap-
tado pela hemoglobina do sangue.
O sistema nervoso é formado por um sis-
tema de gânglios e uma cadeia nervosa ventral.
Biologia 2 - Aula 7 111 Instituto Universal Brasileiro
têm grande importância na alimentação hu-
mana ao longo de toda a história da civiliza-
ção. As ostras são de interesse comercial pela
produção de pérolas.
Agora estudaremos as três classes
Nas ilhas Fiji e Samoa há grandes poli-
quetos conhecidos como palolos. Em noites mais importantes e conhecidas do Filo Mo-
de lua cheia, os nativos coletam grandes quan- luscos: gastrópodos ou univalvos, lameli-
tidades de ovos na superfície do mar e os con- brânquios ou bivalvos e cefalópodos.
somem como uma iguaria muito apreciada.
Gastrópodos ou univalvos
Classe hirudíneos (não têm cerdas) Inclui os moluscos que têm uma única
concha. O nome gastrópodo origina-se do gre-
São as sanguessugas, parasitas exter- go gaster = estômago e podos = pés. São os
nos e temporários, pois sugam o sangue de caracóis de jardim, as lesmas (sem concha) e
muitos vertebrados. Vivem em pântanos, ria- os caramujos marinhos e de água doce.
chos e charcos.

Os caracóis são hermafroditas. A fecun-


dação é cruzada,ocorrendo a união de dois
animais que trocam espermatozoides. Cada
um faz a postura de dezenas de ovos, que ori-
ginam novos indivíduos, sem passar pela fase
de larva.
Os gastrópodos possuem na boca uma
Filo Moluscos (do latim mollis = mole) espécie de lixa, chamada rádula, com a qual
Os animais desse filo têm o corpo mole, raspam superfícies e trituram alimentos. Por
protegido ou não por uma concha calcária pro- isso são chamados, quanto à alimentação, ani-
duzida por eles próprios. A maioria é marinha, mais raspadores.
mas muitos são terrestres ou de água doce.
O corpo tem simetria bilateral e é dividido em Lamelibrânquios ou bivalvos
cabeça, massa visceral e pé.
Na cabeça localizam-se a boca e os ór-
gãos dos sentidos (visão e tato), situados nas
extremidades dos tentáculos. O pé é uma
massa musculosa que se contrai para a loco-
moção e a massa visceral contém os órgãos Têm a concha formada por duas val-
internos e está coberta por uma película cha- vas. O nome lamelibrânquio faz referência
mada manto, que fabrica a concha. às brânquias em forma de lâminas.Também
são conhecidos pelo nome de pelecípodos
(pé em forma de cunha), que se enterram
cavando a areia do mar. Os mexilhões, os-
tras ,vôngoles e mariscos, vivem fixos nas ro-
Entre o manto e a massa visceral existe chas.Quanto à obtenção de alimento, esses
um espaço onde se encontram os pulmões animais são chamados filtradores porque
nos terrestres e as brânquias nos aquáticos. fazem a água passar através do corpo a fim
Mexilhões, ostras, escargots, polvos e lulas de obter partículas nutritivas.Para isso, pos-
Biologia 2 - Aula 7 112 Instituto Universal Brasileiro
suem dois sifões: inalante, para entrada de e especialmente nas margens dos sifãos; tais
água e exalante para saída.Os bivalvos são células apenas dão ao animal a percepção da
moluscos de sexos separados. intensidade luminosa.
Sistema circulatório. A circulação é
Aspecto externo de um lamelibrânquio aberta, isto é, o sangue circula através de la-
cunas, impulsionado pelas contrações de um
Vista Charneira
ou mais corações.
Lateral Sifão
exalante Sistema excretor. A excreção é feita por
rins muito simples (nefrídios), que retiram os
excretas da cavidade do corpo e os expelem
através de poros.

Sifão
Pé inalante

Vista
Posterior Como a ostra produz a pérola?
Sifão
exalante

Sifão
inalante

Sistema muscular. Na face interna de


cada valva aparecem cicatrizes indicando a
inserção dos músculos (figura). Os de maior
desenvolvimento são os músculos adutores, A pérola é o resultado de uma reação
sendo um anterior e outro posterior, usados natural da ostra contra invasores externos,
para fechar a concha. Dois músculos retra- como certos parasitas que procuram repro-
tores recolhem o pé na concha, enquanto um duzir-se hospedados nela. Para isso, se alo-
músculo protrator serve para estendê-lo. jam no manto, uma fina camada de tecido
que protege as vísceras da ostra. Ao defen-
Músculo Músculo der-se do intruso, a ostra ataca-o com uma
retrator retrator substância segregada no manto, chamada
nácar ou madrepérola., composta de 90%
Músculo de um material calcário chamado aragonita
adutor (CaCO3), 6% de material orgânico (conche-
olina, o principal componente da concha ex-
terna) e 4% de água. O nácar é depositado
Músculo
protrator
Músculo sobre o invasor em camadas concêntricas,
adutor cristalizando-se rapidamente. O tempo mé-
dio de maturação de uma pérola é de três
Sistema sensorial. As estruturas sen- anos. O processo pode ser induzido arti-
soriais estão representadas por órgãos tác- ficialmente - introduzindo-se um grão de
teis, distribuídos principalmente ao longo dos areia, por exemplo. Desse modo são feitas
bordos do manto. Também os órgãos visuais, as pérolas cultivadas.
constituídos por simples células fotorrecep- Revista superinteressante - outubro de 1988.
toras, estão distribuídos ao longo do manto
Biologia 2 - Aula 7 113 Instituto Universal Brasileiro
Nutricionalmente a ostra é rica em
elementos minerais como o fósforo, cal-
cio, ferro, iodo, cobre e manganês, sen-
do ideal para regimes de emagrecimento. Concha de náutilus (detalhe)
Cada 100 gramas possuem 70 calorias,
sendo que uma dúzia delas tem protídios Os cefalópodos têm a cabeça bem di-
iguais a um bife. É tão rica quanto leite e ferenciada, com olhos complexos. Possuem
considerada um remédio contra arterios- muitos tentáculos (os polvos 8 e as lulas, 10)
clerose. A sua água tem o mesmo valor e nadam muito rapidamente por movimentos
proteico que a sua carne. de jato-propulsão, expulsando água através
A principal curiosidade sobre a ostra de um sifão. Em situações de perigo, uma
é o fato de ser transexual, isto é, passa glândula de tinta solta um líquido preto, que
a vida a mudar de sexo. Existem alguns é expelido pelo sifão, dificultando a visualiza-
tipos que têm o ritmo de mutação de sexo ção pelo predador.
ligado a emissão de gametas, outros ti-
pos esperam por seus ovos para efetuar
a mudança.
Externamente possui coloração acin-
zentada, malhada com branco, interna-
mente possui um “revestimento” de ma- Existem lulas gigantes?
drepérola bastante belo e o corpo varia de
branco a amarelo suave. O escritor francês Júlio Verne (1828-
1905) no livro de ficção Vinte mil léguas
submarinas, descreve a luta dos tripulantes
de um navio com uma lula gigante. De fato,
Cefalópodos (do grego lulas gigantes existem sim! Já foram en-
kephale = cabeça; podos = pés) contrados muitos exemplares mortos e há
cientistas pelo mundo investigando esses
São representantes dessa classe: os moluscos gigantes que vivem nas regiões
polvos, sem concha; as lulas e as sépias, mais profundas do mar.
com uma concha reduzida (“pena”) no inte-
rior do corpo e os náutilus, com uma concha
espiralada, formada por câmaras.
Filo Equinodermos
Os equinodermos são animais mari-
nhos sem uma cabeça diferenciada, pos-
suem simetria bilateral na fase de larva e
simetria pentarradial (cinco raios) na fase
Polvo Lula adulta. Apresentam um esqueleto interno
formado de placas calcárias, recoberto por
uma pele fina.
A característica exclusiva desses ani-
mais é a presença do sistema ambulacrário,
um conjunto de canais internos por onde cir-
cula água e serve para locomoção (pés ambu-
Sépia Concha de náutilus
lacrários), circulação e respiração.
Biologia 2 - Aula 7 114 Instituto Universal Brasileiro
A existência de espinhos na maioria de- Você já viu como uma estrela-do-mar se
les originou o nome do grupo: echino = espi- locomove? Ela não precisa mexer os cinco
nho e derme = pele. Veja os animais repre- braços, pois o que a faz andar é o conjunto de
sentantes desse filo: centenas de pezinhos (pés ambulacrários)
na face ventral, que parecem fazê-la deslizar
sobre o substrato. O sistema ambulacrário é
formado por um conjunto de canais, ampolas
e pés, por onde circula a água do mar.
Esqueleto calcário
Ouriço-do-mar do ouriço-do-mar
Entenda como funciona
o sistema ambulacrário,
tomando a estrela como exemplo

A água penetra pela placa madrepóri-


Bolacha-da-praia ca, situada no dorso da estrela e preenche
ou currupio Estrela-do-mar Estrela-serpente os canais internos. Por contração das am-
polas, os pés ambulacrários recebem maior
pressão da água e se distendem, fixando-se
através de pequenas ventosas. Quando os
pés ambulacrários se contraem, a água volta
às ampolas e eles, flácidos, se desprendem
Pepino-do-mar Lírio-do-mar da superfície.
A imagem mostra o interior de uma es-
Todos são bentônicos, isto é, vivem no trela-do-mar com o conjunto de canais que
fundo do mar, em várias profundidades, raste- formam o sistema ambulacrário. Do canal
jando na areia ou sobre as rochas. circular partem os canais radiais que se distri-
buem pelos cinco braços do animal.
Sistema ambulacrário
Placa
Estrela-do-mar Madrepórica
Canal
Vista Placa Circular
dorsal Madrepórica

Canal
Radial
Ânus

Pés
Vista Sulco Ambulacrários
ventral Ambulacrário

Todos os equinodermos respiram atra-


vés de pequenas brânquias na superfície
do corpo, que fazem a troca gasosa com
o meio.
Boca Pés
Possuem sistema digestório simples,
Ambulacrários com boca ventral, um longo tubo intestinal e
ânus dorsal.
Biologia 2 - Aula 7 115 Instituto Universal Brasileiro
Os animais estão classificados em dois gran-
des grupos:
Invertebrados. Aqueles que não possuem
coluna vertebral como eixo de sustentação.
O que é a lanterna de aristóteles. Vertebrados ou cordados. Todos os que
possuem coluna vertebral, formada por vérte-
Nos ouriços-do-mar existe, ao redor da bras ósseas ou cartilaginosas.
boca, uma estrutura chamada lanterna de
aristóteles (descrita pelo filósofo Aristóte- Invertebrados
les), formada por cinco dentículos calcários,
Classificados em oito filos:
usados para triturar partículas e raspar algas
Poríferos - esponjas. São animais fixos,
na superfície das rochas. Por isso os ouriços
os mais simples, a maioria marinha.
sempre são encontrados nesses locais.
Cnidários ou celenterados - anêmonas,
águas-vivas, caravelas, corais, todos marinhos,
exceto a hidra, minúscula e de água doce. Princi-
pal característica: presença de células urticantes,
os cnidoblastos, em grande número nos tentácu-
los, como mecanismo de defesa.

Vermes - três filos


Lanterna de Aristóteles
1 - Platelmintos. Planária, esquistosso-
mo, tênia (solitária).Vermes de corpo achatado,
somente a planária é de vida livre.
2 - Nematelmintos ou nemátodos. Lom-
briga (áscaris), oxiúro, ancilóstomo e filária, to-
dos parasitas da espécie humana. Há também os
de vida livre em solos úmidos e na água doce. São
vermes de corpo cilíndrico, não segmentado.
Capacidade de regeneração 3 - Anelídeos. Minhocas, poliquetos e
sanguessugas. São vermes celomados, de cor-
Entre os equinodermos, a estrela-do-mar po cilíndrico, segmentado. Compreendem três
é o que apresenta maior capacidade de rege- classes: oligoquetos (poucas cerdas), polique-
neração. Seu corpo, fragmentado em dois ou tos (muitas cerdas) e hirudíneos (sem cerdas).
mais pedaços, pode originar duas ou mais es-
trelas inteiras. Um único braço é capaz de se Filo Moluscos
regenerar em uma estrela completa. Invertebrados de corpo mole, a maioria prote-
gida por concha calcária (esqueleto externo). São
aquáticos e terrestres. Exemplos: caracol de jardim,
lesma, caramujo, mexilhão, ostra, polvo e lula.

Filo Equinodermos

Reino Animal Apresentam um esqueleto interno formado


de placas calcárias, recoberto por uma pele fina,
Animais vertebrados e invertebrados revestida de espinhos. Corpo com simetria radial
O que difere animais e plantas? (pentarradial). Locomoção através de pés ambula-
• São heterótrofos (não produzem crários, vivem no fundo do mar, sobre as rochas ou
seu próprio alimento). arrastando-se na areia. Exemplos: ouriço e estrela-
• Presença de sistemas nervoso e -do-mar, lírio do mar, pepino-do-mar.
muscular, responsáveis pela capacidade Filo Artrópodos. Serão estudados em
de locomoção e coordenação de estímulos. continuação, na aula seguinte.

Biologia 2 - Aula 7 116 Instituto Universal Brasileiro


c) ( ) o epitélio do manto envolve completa-
mente o corpo estranho e secreta nácar em finas
camadas concêntricas.
d) ( ) a rádula, presente nos bivalves, pro-
duz o nácar que envolve o corpo estranho.
1. (PUC - PR) Os cnidários são animais ra-
diais e diploblásticos, por serem: 6. O filo Equinodermos inclui, entre outros
organismos, as:
a) ( ) bilaterais de três folhetos embrionários.
b) ( ) bilaterais de dois folhetos embrionários. a) ( ) águas-vivas.
c) ( ) de simetria radial com três folhetos b) ( ) minhocas.
embrionários. c) ( ) planárias.
d) ( ) de simetria radial com dois folhetos d) ( ) estrelas-do-mar.
embrionários.
7. (UFPB-Adaptada) Viajando, você che-
2. (Universidade Federal Paraná PR) As ga a um local bonito com uma lagoa convidati-
esponjas são metazoários que se classificam no va para um banho refrescante. Nota uma placa
grupo dos: com o nome: Lagoa da Coceira. Além de peque-
nos peixes, você percebe a presença de vários
a) ( ) briozoários. caramujos de conchas espiraladas planas, mar-
b) ( ) celenterados. rom-acinzentadas. Diante dessas evidências,
c) ( ) poríferos. você decide:
d) ( ) ciliados.
a) ( ) tomar um banho porque, se existe
3. Em cnidários, a digestão do alimento co- vida (peixes e caramujos), a lagoa não está po-
meça na cavidade gastrovascular e termina dentro luída e não oferece riscos à saúde.
das células. Designamos esse tipo de processo di- b) ( ) tomar banho, porque usou recente-
gestivo como: mente medicamentos contra a gripe e está imu-
ne a qualquer contaminação.
a) ( ) digestão extracelular. c) ( ) evitar o contato com a água , porque
b) ( ) digestão intracelular. a lagoa pode estar contaminada com cercárias
c) ( ) digestão extra e intracelular. que poderão penetrar pela sua pele e causar a
d) ( ) digestão intracorporal. esquistossomose.
d) ( ) não tomar banho, porque, prova-
4. (F.C.M. Santos - SP) Cnidoblasto é: velmente, existe o Ascaris lumbricoides, um
verme que utiliza os moluscos como hospe-
a) ( ) a célula que vai originar o nematocisto; deiros intermediários e pode provocar cocei-
b) ( ) uma célula modificada que vai dar ori- ras pelo corpo.
gem a um cnidário.
c) ( ) uma célula intersticial modificada que 8. (PUC-SP-2007-adaptada) A respeito de
contém o nematocisto. um verme transmitido ao homem pela ingestão
d) ( ) a célula inicial que dá origem a uma de carne suína ou bovina, foram feitas quatro
colonia de cnidários. afirmações. Identifique e assinale a única alter-
nativa correta.
5. (UFJF) Os moluscos são conhecidos
pela produção de pérolas, muito usadas na fa- a) ( ) Trata-se de um nematelminto herma-
bricação de joias. Em relação a este fenômeno, frodita.
podemos dizer que todas as afirmativas estão b) ( ) Apresenta simetria bilateral, corpo ci-
corretas, exceto: líndrico e amplo celoma.
c) ( ) É o verme causador da esquistosso-
a) ( ) as pérolas são encontradas nos bivalves. mose no ser humano.
b) ( ) as pérolas são formadas a partir de d) ( ) Ao ingerir ovos do parasita, o ser hu-
partícula estranha que penetra entre o manto e a mano passa a ser seu hospedeiro intermediário,
concha do molusco. podendo apresentar cisticercose.

Biologia 2 - Aula 7 117 Instituto Universal Brasileiro


da pérola. A rádula é uma espécie de “língua ra-
ladora”, situada na faringe da maioria das espé-
cies bivalvas. Esses moluscos usam a rádula para
raspar a superfície das rochas, a fim de obterem
algas e partículas nutritivas.
1. d) ( x ) de simetria radial com dois
folhetos embrionários. 6. d) ( x ) estrelas-do-mar
Comentário. Os cnidários (anêmonas, Comentário. A estrela-do-mar e outros
águas-vivas, corais) são animais invertebrados organismos conhecidos como ouriço-do-mar,
formados a partir de dois folhetos embrionários pepino-do-mar, bolacha-da-praia, pertencem ao
(ectoderme e endoderme) e apresentam o corpo filo Equinodermos ou Echinodermata (do gre-
com simetria radial, isto é, pode ser dividido em go echinos = espinhos, e dermatos = pele). A
várias partes iguais se vários planos passarem por maioria deles possui um esqueleto interno cal-
um único plano. No caso de simetria bilateral, o cário recoberto por uma pele com espinhos. As
corpo pode ser dividido em duas metades iguais, águas-vivas são cnidários ou celenterados ; as
passando-se um único plano. minhocas são vermes anelídeos e as planárias
são vermes de corpo achatado, pertencentes ao
2. c) ( x ) poríferos. filo Platelmintos (do grego platys = plano, acha-
Comentário. O nome poríferos vem da tado, e helminthes = verme).
existência de poros por todo o corpo das espon-
jas, que são animais metazoários (muitas célu- 7. c) ( x ) evitar o contato com a água,
las) de organização muito simples, aquáticos e porque a lagoa pode estar contaminada com
fixos. Os cnidários são metazoários, porém apre- cercárias que poderão penetrar pela sua pele e
sentam características como capacidade de lo- causar a esquistossomose.
comoção e sensibilidade. Os ciliados são proto- Comentário. O nome Lagoa da coceira
zoários (uma única célula) e os briozoários são já é sugestivo para que se evite o contato com
minúsculos, vivem em colônias, participando da a água. A presença de caramujos de cor mar-
construção de corais. rom, com concha espiralada plana, confirma a
existência nesse local, de larvas chamadas cer-
3. c) ( x ) digestão extra e intracelular. cárias, do verme causador da esquistossomose.
Comentário. No caso dos cnidários, há Essas minúsculas larvas ficam abrigadas no ca-
apenas uma cavidade gastrovascular, que recebe ramujo (hospedeiro intermediário) e quando li-
o alimento e inicia a digestão extracelular. Esse vres na água, penetram na pele da pessoa, pro-
processo continua e termina dentro das células. vocando muita coceira, o que justifica o nome da
Por isso, a digestão nos cnidários é extra(cavida- lagoa. É interessante que você reveja na aula o
de digestória) e também intracelular (interior das ciclo completo do verme esquistossomo, ainda
células). presente em muitas lagoas e represas de várias
regiões do Brasil.
4. c) ( x ) uma célula intersticial modi-
ficada que contém o nematocisto. 8. d) ( x ) Ao ingerir ovos do parasita,
Comentário. Uma das características dos o ser humano passa a ser seu hospedeiro in-
cnidários é a presença de células urticantes, que termediário, podendo apresentar cisticercose.
produzem uma substância que queima.Essas cé- Comentário. A carne de porco e de boi
lulas são chamadas cnidócitos ou cnidoblastos e podem transmitir larvas da tênia ou solitária, que
contêm um filamento, o nematocisto, que lança a ficam encapsuladas na musculatura daqueles ani-
substância quando tocado. Esse é um mecanismo mais. Quando ingeridos, desenvolvem-se dentro
de defesa contra predadores. do intestino humano, tornando-se vermes adultos
(o homem é hospedeiro intermediário). Se o ser
5. d) ( x ) a rádula, presente nos bi- humano ingerir ovos do parasita, ele passa a ser
valves, produz o nácar que envolve o corpo hospedeiro intermediário como o porco ou boi.
estranho. Nesse caso, a verminose é chamada cisticerco-
Comentário. Esta é a única afirmação in- se, muito grave, podendo atingir o cérebro. A tênia
correta, pois a rádula é uma estrutura relaciona- é um verme platelminto, tem corpo achatado e não
da à alimentação dos moluscos e não à produção causa a esquistossomose, mas a teníase.

Biologia 2 - Aula 7 118 Instituto Universal Brasileiro