Você está na página 1de 10

O Reino dos Fungos

AULA 3 O Reino dos Fungos apresenta grande variedade: são popularmente conhe-
cidos como bolores, mofos, fermentos, levedos, orelhas-de-pau, cogumelos.
Podem ser extremamente prejudiciais à saúde do homem, ou ser utilizados
como alimento; existem os que parasitam vegetais e animais mortos, e os
que servem de matéria-prima para remédios.

Cogumelos

Orelha-de-pau

Os fungos e suas formas delirantes


A natureza inventou, com os cogumelos, esculturas delicadas e delirantes. E a cada dia surgem
novas formas. A ciência só identificou 4% dos fungos que existem. Mas só eles já são um espetáculo
de encher os olhos. Olhe só. Você pergunta: a que plano arquitetônico, a que delírio febril esses se-
res frágeis obedecem? Difícil saber. Eles brotam espontaneamente na natureza.
A Micologia, ciência que estuda os fungos, não dá conta de tanta variedade. Estima-se que
existam 1,5 milhão de espécies no mundo, mas só 69 mil foram descritas – 2 500 no Brasil. Na Ama-
zônia, deve haver milhares desconhecidas. A classificação é difícil. Há fungos que nascem e morrem
em poucas horas, antes que os pesquisadores possam sequer conhecê-los. Eles existem há 130
milhões de anos. Uns são deliciosas iguarias, outros são venenos fatais e há aqueles que funcionam
como poderosos alucinógenos. Todos, obras de arte.

Superinteressante. Fevereiro de 1997. Texto adaptado.

Biologia 2 - Aula 3 35 Instituto Universal Brasileiro


Reino dos Fungos e os Liquens
à membrana plasmática) com quitina, em vez
Fungos
de celulose, como nos vegetais. Outra diferen-
Os fungos se desenvolvem em qualquer ça em relação aos vegetais é que possuem
ambiente. Podem ser encontrados tanto no ar centríolos, organoides celulares atuantes du-
e no solo como dentro de casa, nos sapatos rante a divisão celular.
e roupas, nas frutas e pães, e também pa- Além disso, sua substância de reserva
rasitando nossas unhas ou órgãos internos. não é o amido, como nos vegetais, mas sim
Os fungos podem ser úteis na produção de o glicogênio, outro carboidrato. As hifas po-
queijos, vinhos e cervejas, e também usados dem apresentar um ou dois núcleos ou ainda
na fabricação de antibióticos como a penicili- vários núcleos.
na. Existem inúmeras espécies desses seres, A estrutura de reprodução é chamada
que, de tão peculiares, são classificados num corpo de frutificação. É o chapéu do co-
reino à parte. gumelo. Quando o chapéu surge na super-
fície do solo ou de um tronco podre, por
exemplo, significa que surgiram de um ex-
Características gerais dos fungos
tenso micélio subterrâneo, que pode alcan-
• Podem ser uni ou pluricelulares, to- çar dezenas de metros, vivendo há anos
dos eucariontes. sem ser notado.
• São desprovidos de clorofila, logo,
não fazem fotossíntese. Têm nutrição heteró- Estrutura
trofa, por isso necessitam de matéria orgânica Estrutura
proveniente de outros seres vivos. Para isso, reprodutora
produzem enzimas digestivas que agem so-
bre a matéria orgânica dos seres que atacam,
absorvendo as substâncias decompostas.
Existem fungos que vivem como pa-
rasitas, no exterior ou interior de seres vi-
vos, prejudicando-os e causando-lhes do-
enças. Entre os fungos mais conhecidos
Estruturas
citamos os bolores, os cogumelos, as produtoras
Hifas
orelhas-de-pau, e outros como as leve- de esporos
duras, invisíveis a olho nu.

Características gerais dos fungos


Nos fungos pluricelulares cada célula é
longa e em forma de filamento ou fio e recebe
o nome de hifa. Inúmeras hifas formam uma
rede de fios entrecruzados e misturados, que
no seu conjunto é chamado de micélio.
Apesar de o micélio ser formado por vá-
rias células, não é um tecido verdadeiro. Cada
hifa isoladamente não é visível a olho nu, mas
o micélio, sim. As células dos fungos possuem Micélio
parede celular (reforço da membrana, externa
Biologia 2 - Aula 3 36 Instituto Universal Brasileiro
Cenocítica

Maior ser vivo do mundo é um fungo


Septada
O maior
fungo conhecido
vive numa flores-
ta dos Estados
Unidos, onde as
Dicariótica
hifas ocupam uma
área subterrânea
de cerca de 9 km2. Foi descoberto apenas
em 1996: um fungo que cresce sob o solo da
Floresta Nacional de Malheur, no Estado do Ore-
gon, Estados Unidos. O Armillaria ostoyae, po-
pularmente conhecido como “cogumelo do mel”,
nasceu como uma partícula minúscula (esporo), Reprodução dos fungos
impossível de ser vista a olho nu, e foi estenden-
do seus filamentos durante um período estimado Os fungos podem apresentar as duas
de 2.400 anos. Da superfície, dá para ver apenas formas de reprodução: sexuada e assexuada.
suas extremidades junto aos troncos das árvo-
res, mas debaixo da terra ele ocupa 880 hecta- Reprodução sexuada
res – o equivalente a 1.220 campos de futebol.
“Ele ainda cresce de 70 centímetros a 1,20 metro Ocorre na maioria dos fungos. Hifas
por ano”, diz o engenheiro agrônomo João Lúcio
com um só núcleo (n) se fundem, funcionan-
de Azevedo, da USP. Antes de sua descoberta, o
maior ser vivo era outro fungo da mesma espé-
do como gametas e formam hifas com dois
cie, encontrado em 1992. Até os anos de 1990, núcleos (2n) que vão constituir uma estrutura
o título pertencia a uma árvore sequoia da Ca- conhecida como corpo de frutificação (“cha-
lifórnia. À superfície do solo, ele possui a forma péu”) do cogumelo. No corpo de frutificação
de pequenos cogumelos de aparência inocente, (2n) ocorrerão meiose e produção de esporos
mas sob o solo (micélio) fixa-se nas raízes das ár- (n). Os esporos soltam-se do corpo de frutifi-
vores da floresta, roubando-lhes água, nutrientes, cação e espalham-se no ambiente. Em condi-
provocando putrefação e morte destas. Embora ções favoráveis, germinam e originam hifas,
existam espécies de árvores que resistam a este que por sua vez formam o micélio. Neste caso,
fungo, a taxa de crescimento fica comprometida. as hifas haploides representam a geração ga-
Assim, abre caminho para que espécies vegetais
metofítica. O corpo de frutificação representa
floresçam no lugar.
a geração esporofítica.
http//curiosidades-mundocurioso.blogspot.com.
br/2010/05/maior ser vivo do mundo. Reprodução assexuada

Pode ocorrer por cissiparidade, gemipa-


Tipos de hifas ridade e esporulação.
As hifas podem ser cenocíticas, isto é, Cissiparidade. Como nos fungos uni-
sem septos, seus núcleos ficam dispersos celulares, com simples divisão da célula em
numa massa citoplasmática comum. Há hifas duas iguais, cada uma constituindo um novo
septadas, cujas células possuem um núcleo indivíduo.
haploide e há hifas com dois núcleos haploi- Gemiparidade ou brotamento. Com
des. Neste caso, formam as hifas chamadas formação de brotos ou gêmulas que brotam
dicarióticas (di = dois; cario = núcleo). e se destacam, constituindo um novo orga-
Biologia 2 - Aula 3 37 Instituto Universal Brasileiro
nismo. As leveduras se reproduzem por bro-
tamento.
Gemiparidade ou brotamento
Broto ou gema
Vale recordar que os fungos obtêm
energia através do processo da fermenta-
ção. Eles degradam a molécula de glicose
em condições anaeróbicas, isto é, sem
oxigênio.
Esporulação. Com formação de espo- Observando as equações da fermen-
ros, que podem ser resultantes de divisão por tação, já estudadas, entende-se que na
mitose ou meiose fermentação alcoólica, a partir de cada
molécula de glicose são produzidas duas
moléculas de etanol (álcool etílico), duas
Classificação moléculas de gás carbônico e liberação de
energia na forma de calor (duas molécu-
O Reino dos Fungos compreende o filo las de ATP). Já na fermentação lática, são
Mycophyta, com várias classes. As principais produzidas duas moléculas de ácido lático
são as classes dos ficomicetos, dos basidio- e energia (duas moléculas de ATP), sem li-
micetos e dos ascomicetos. beração de gás carbônico.

1. Ficomicetos - são os mais simples. Aplicações da fermentação alcoólica


O micélio se espalha sobre o substrato, origi-
nando esporângios na extremidade de algu- • Na produção de bebidas alcoóli-
mas hifas. Os esporângios soltam os esporos, cas, tendo em vista que o processo gera
que se dispersam no ambiente, podendo ger- etanol. As diferentes bebidas alcoólicas são
geradas a partir da atividade das leveduras
minar em outros substratos.
Saccharomyces cerevisiae, que se utilizam
Exemplos: os bolores do gênero Mucor, da glicose presente em certos alimentos
que se desenvolvem sobre frutas em apodre- para gerar energia via fermentação. As be-
cimento, e os do gênero Rhizopus, pretos, que bidas mais comuns obtidas por esse pro-
crescem sobre pão envelhecido e sobre frutas. cesso são: o vinho (fermentação do suco
de uva), a cerveja (fermentação do malte,
oriundo da cevada), o saquê (fermentação
do arroz) e a cachaça (fermentação do açú-
car da cana)
• Na produção do etanol (álcool com-
bustível). Neste processo as leveduras atu-
am sobre o melaço da cana-de-açúcar.
Certos mofos do gênero Penicillium são • Na fabricação de pães, bolos,
úteis, pois produzem antibióticos (penicilina) e biscoitos e outras massas. Inicialmente
também dão sabor a alguns queijos. se mistura fermento biológico em pó (le-
A penicilina G é um antibiótico natural veduras) à massa. No interior da massa,
derivado de um fungo, o bolor do pão Peni- um meio anaeróbio, as leveduras realizam
cillium chrysogenum. Ela foi descoberta em fermentação alcoólica e liberam CO 2, que
15 de setembro de 1928 pelo médico e bac- forma bolhas capazes de inflar a massa. E
teriologista escocês Alexander Fleming (1881- o álcool? O álcool, produzido em peque-
1955) e está disponível como medicamento na quantidade se evapora ou é degradado
desde 1941, sendo o primeiro antibiótico a ser quando a massa é levada ao forno para as-
utilizado com sucesso. sar. Os períodos de fermentação emprega-
dos na produção de bebidas alcoólicas são
Fonte: Wikipedia/penicilina. muito mais longos que a fermentação das
Acesso em: 19.06.13. Texto adaptado. massas.

Biologia 2 - Aula 3 38 Instituto Universal Brasileiro


As partes de um cogumelo

Chapéu

Vinho em vinagre: uma fermentação


que os fungos não fazem

A fermentação acética (do latim


aceto = azedo) é realizada por bactérias Lamelas
aeróbias (Acetobacter) em duas etapas.
Na primeira etapa, a glicose é transfor-
mada em álcool e gás carbônico:
Anel

C6H12O6 2 C2H5OH + 2 CO2


glicose álcool gás carbônico


Na segunda etapa o álcool é oxida-
do, produzindo ácido acético e água.
O “chapéu” do cogumelo é chamado ba-
C2H5OH + 2 O2 2 C 2H 4O 2 + 2 H 2O sidiocarpo (corpo de frutificação). Na face
álcool oxigênio ácido acético água
inferior há inúmeras lamelas dispostas radial-
mente e é na superfície delas que são produ-
zidos os esporos (basidiósporos) haploides.
Vinho, suco de maçã e sidra são os
Caindo no solo ou em substrato rico em maté-
substratos mais usados para a fabricação
ria orgânica, desenvolvem-se em novas hifas,
de vinagres.
ainda haploides, formando um micélio.

3. Ascomicetos - são fungos superio-


res, unicelulares ou pluricelulares, estes com
micélio bastante desenvolvido. Exemplos: o
Aspergillus, um bolor que ataca sementes de
plantas como o amendoim e soja, milho, trigo
e arroz, sendo muito venenoso, pode causar a
morte em virtude de graves lesões no fígado.

2. Basidiomicetos (cogumelos e ore-


lhas-de-pau) - neste grupo encontram-se os
fungos comestíveis, como os champignons, Células de levedura da cerveja e fermento biológico
(Saccharomyces cerevisiae)
os shiitakes e outros. As hifas são septadas e
desenvolvem-se sob o solo ou no interior de
troncos apodrecidos.

Gênero Morchella
Trufas (comestível)

As leveduras são ascomicetas muito co-


nhecidas. São unicelulares e se reproduzem as-
Orelha-de-pau Champignon sexuadamente por brotamento. A espécie Sac-
(não comestível) Amanita (venenoso) (comestível)
charomyces cerevisiae, conhecida como levedura
Biologia 2 - Aula 3 39 Instituto Universal Brasileiro
da cerveja ou fermento biológico, é responsável • Na associação (mutualismo) com
pela fermentação alcoólica na produção do vinho, algas unicelulares, formando os liquens, or-
da cerveja e do etanol e também na produção da ganismos pioneiros na ocupação dos ambien-
massa do pão. Outros representantes desse gru- tes terrestres, preparando-os para a instala-
po são as famosas trufas (gênero Tuber), com ção de espécies mais complexas.
corpos de frutificação que crescem sob a terra,
são muito apreciadas na culinária europeia. Doenças

• Na agricultura podem causar prejuí-


zos com a presença de bolores que atacam e
decompõem as sementes, produzindo inclusi-
ve, toxinas que podem matar. Atacam também
Os ascomicetos produzem, em sua re-
outras partes das plantas, como folhas, caules
produção assexuada, milhões de esporos tão
pequenos como partículas de poeira. Por se-
subterrâneos (tubérculos), frutos etc.
rem leves e resistentes, espalham-se no am- • Causam sérias doenças no ser huma-
biente, podendo sobreviver por muito tempo no como bronquite e asma, rinites e aler-
até que surjam condições favoráveis à ger- gias desencadeadas pelos esporos que se
minação. São esses esporos, principalmente disseminam pelo ar.
os do gênero Aspergillus, que no ambiente • Micoses (mico = fungo) são infecções
doméstico provocam crises alérgicas de asma causadas por fungos parasitas. As frieiras nos
e rinite nos seres humanos. Quando ocorre pés, causadas pelo Tricophyton, que também
aspergilose, quadro gravíssimo, o fungo colo- pode atacar outras partes do corpo, provocan-
nizou todas as vias respiratórias. do manchas vermelhas com coceira.
A levedura Candida albicans é parasita
Importância ecológica dos fungos e causa a candidíase: “sapinho” (infecção na
língua) e nas mulheres, corrimento vaginal.
• Como decompositores, reciclam a ma-
téria orgânica, decompondo cadáveres ou restos
de seres.
• Formam as micorrizas, associações sim-
bióticas com as raízes das plantas. Essas asso-
ciações são de mutualismo, em que tanto a planta
quanto os fungos são beneficiados: os fungos auxi-
liam a planta na absorção de nutrientes (principal- Foto de Candida albicans ao microscópio
mente o fósforo) e a planta fornece ao fungo subs-
tâncias orgânicas como carboidratos e vitaminas. Os fungos apreciam ambientes úmidos,
com pouca ou nenhuma luz. Como seus espo-
Fungo ros são facilmente espalhados pelo ar ou água,
são seres com muito sucesso. Juntamente
com as bactérias são os organismos que con-
Hifas do fungo
seguem decompor a matéria orgânica. Sem
eles, os cadáveres não seriam decompostos
(apodrecidos) e não haveria a reciclagem de
substâncias orgânicas na natureza.
No solo de uma floresta, por exemplo,
Raízes
da árvore caem folhas, frutos, galhos, enfim, várias par-
Raízes tes das plantas. Com a decomposição pelos
Hifas fungos e bactérias, tornam o solo rico, pois as
substâncias componentes das partes caídas
MICORRIZAS das plantas são reduzidas em forma de subs-
Biologia 2 - Aula 3 40 Instituto Universal Brasileiro
tâncias muito simples, que são absorvidas pe-
a presença de veneno ou substâncias alucinóge-
las raízes das plantas num ciclo natural, per- nas, é muito difícil (e perigoso) diferenciá-los no
feito e necessário. O mesmo acontece com os “olhômetro”. Para piorar as coisas, estima-se que
cadáveres de animais ou suas fezes deixadas nem 5% das espécies estejam classificadas na
no solo. Tudo é reciclado, graças à atividade literatura biológica. Isso significa que nem um mi-
dos fungos e bactérias decompositoras. cologista (especialista em fungos) muito experien-
te pode enfiar na boca um cogumelo achado no
meio da floresta. Mesmo que ele se pareça muito
com uma espécie comestível, é bom desconfiar,
afinal um mesmo gênero pode ter espécies que
matam, deixam doidão ou, simplesmente, en-
chem a barriga (exemplo, o gênero Amanita). Em
O champignon de Paris, ou simplesmen- laboratório, há duas formas de se identificar um
te champignon, é o cogumelo mais consumido cogumelo: análise morfológica e bioquímica. A
no mundo, sendo, inclusive, o mais popular no primeira nada mais é do que comparar as carac-
Brasil. É consumido fresco ou em conserva e terísticas da espécie encontrada com as das já
sua popularização ocorreu devido à facilidade identificadas e catalogadas nos livros científicos.
com que este cogumelo se adaptou em todos Para isso, leva-se em conta o formato, as medi-
os países por que passou. das e a coloração do cogumelo. Mesmo que ele
se pareça com alguma espécie conhecida, por
precaução é analisado por um bioquímico trei-
nado para identificar a presença de toxinas. Por
isso, não coma cogumelo colhido na natureza!
Disponível em: www.mundoestranho.com.br/ciência/co-
gumelos. Acesso em: 25.06.2013. Texto adaptado.
Champingon Portobello Champingon de Paris

O nome científico do champignon é Aga-


ricus bisphorus e foi a primeira espécie de cogu- Os liquens
melo a ser cultivada racionalmente no Brasil.
Sua cultura foi iniciada pelos imigrantes Os liquens são seres especiais. São forma-
chineses do estado de São Paulo, especial- dos por uma associação de simbiose entre um
mente por agricultores da região de Mogi das fungo (ascomiceto) e uma alga unicelular, verde
Cruzes (SP) que é, até hoje, o maior produtor ou azul (cianobactéria). Esse tipo de associação
nacional desta espécie. é chamado de mutualismo, onde os dois se be-
Basicamente, existem dois tipos de neficiam e um não vive sem o outro. A alga faz
champignon: o tradicional champignon de Pa- fotossíntese e fornece alimento ao fungo; e este
ris (de cor branca) e o champignon Portobel- dá proteção e ambiente adequado à alga.
lo, de cor parda. Brasil e Holanda consomem Distribuem-se por toda a esfera terres-
mais os de cor branca, enquanto França e Es-
tre, inclusive pelas regiões polares, pelas altas
tados Unidos preferem o Portobello.
montanhas, superfície das rochas e solos des-
http//www.cogumelosonline.com.br/champignon. providos ou pobres de vegetais. São vistos,
Texto adaptado.
com grande frequência, fixos nas cascas das
árvores, em três formas: incrustantes (placas),
foliáceos (lâminas salientes) e arboriformes
(forma de arbustos ramificados).

Na natureza os liquens desempenham


Qual a diferença entre cogumelo papel importante na desagregação das ro-
comestível, venenoso e alucinógeno? chas, concorrendo para tornar o meio próprio
ao desenvolvimento de vegetais. Por isso,
Como existem muitas espécies de cogu- são os pioneiros no processo de sucessão
melos, e nenhuma característica física denuncia ecológica.

Biologia 2 - Aula 3 41 Instituto Universal Brasileiro


Podem ser encontrados em diversas co- Reprodução
res: cinza-azulado, avermelhado, esverdea-
do, amarelado. Muitos como o tornassol, por A reprodução dos líquens é feita através
exemplo, fornecem matéria corante; outros de uma estrutura chamada sorédio, formada de
são comestíveis, constituindo um importante algas unicelulares envoltas por alguns pedaços
alimento para os animais das regiões árticas, de hifas. Essas estruturas se soltam do corpo
como as renas, por exemplo. do líquen e são levadas pelo vento, caindo mui-
tas vezes em locais distantes e garantindo o
Veja alguns tipos de líquens mais desenvolvimento de um novo líquen.
comuns na natureza.

Alga unicelular

Hifas do fungo

Apesar de resistentes à seca, os lí-


quens são sensíveis à poluição ambiental. ► Fungos - são seres uni ou pluricelu-
Por absorverem vapor d’água e partículas de lares, eucariontes (células com núcleo), sem
poluentes, principalmente dióxido de enxofre clorofila, razão pela qual são colocados num
(SO2), são considerados bioindicadores da reino separado dos vegetais. Como não fazem
qualidade do ar. fotossíntese (são heterótrofos), vivem à custa
de outros seres vivos, animais e vegetais, ab-
sorvendo deles a matéria orgânica. Estão pre-
Estrutura de um líquen sentes em todos os ambientes e podem causar
doenças como alergias e micoses. São úteis
Observe no esquema a associação en- (os unicelulares) na produção de antibióticos,
tre o fungo e a alga no corpo de um líquen. bebidas e pães. Os fungos vivem em ambien-
tes úmidos e com pouca luminosidade. Fazem

} Córtex superior (cama-


da compacta de hifas)
decomposição de matéria orgânica e asso-
ciação com raízes. Na associação com algas

} unicelulares, formam os líquens.

}
Algas Classificação. 1 - Ficomicetos: bolo-
res. 2 - Basidiomicetos: cogumelos. 3 - As-
comicetos: leveduras e trufas.
► Líquens - são associações entre um
Medula (rede de hifas)
fungo e uma alga microscópica (unicelular).
Os líquens são ecologicamente importantes

}
por serem os pioneiros na sucessão ecológi-
ca, preparando rochas e solos para a vegeta-
Córtex inferior (hifas ção. Também funcionam como bioindicado-
rizoides de fixação) res de poluição, pois absorvem vapor d’água
e partículas de gases poluentes (SO2).

Biologia 2 - Aula 3 42 Instituto Universal Brasileiro


5. As micorrizas são exemplos de rela-
ção por mutualismo entre:

a) ( ) fungos de diferentes espécies.


b) ( ) algas de diferentes espécies.
Marque (x) na única alternativa que c) ( ) fungos e algas.
completa corretamente as frases a seguir. d) ( ) fungos e plantas.

1. Uma diferença importante entre algas 6. (UFRO) Os fungos são importantes


e fungos é que apenas um deles apresenta: para o homem em todos os processos abaixo,
exceto:
a) ( ) núcleo com membrana nuclear.
b) ( ) associação que forma os liquens. a) ( ) fermentação, como na produção
c) ( ) clorofila. de bebidas alcoólicas.
d) ( ) corpo vegetativo em forma de talo. b) ( ) fabricação de antibióticos, como a
penicilina.
2. Quanto à presença de núcleo nas cé- c) ( ) alimentação, como os cogumelos
lulas e capacidade de produção de alimento, comestíveis.
pode-se afirmar que os fungos são seres: d) ( ) purificação do ar através da fotos-
síntese.
a) ( ) procariontes e autótrofos.
b) ( ) procariontes e heterótrofos. 7. As partes comestíveis de certos cogu-
c) ( ) eucariontes e autótrofos. melos e trufas são:
d) ( ) eucariontes e heterótrofos.

3. Uma pessoa pode fabricar em casa


alguns copos de iogurte a partir de leite fresco
misturado a um pouco de iogurte industriali-
zado. A mistura deve permanecer a uma tem- Champingon Portobello Champingon de Paris
peratura de aproximadamente 37 °C e após
algumas horas o produto estará pronto. A a) ( ) esporos.
transformação do leite em iogurte ocorre pelo b) ( ) corpos de frutificação.
processo da: c) ( ) esporângios.
d) ( ) liquens.
a) ( ) fermentação lática, realizada por
fungos. 8. Alexander Fleming, um cientista esco-
b) ( ) fermentação alcoólica, realizada por cês, estudava bactérias. Uma ocasião esque-
bactérias. ceu-se de uma placa de vidro num local escu-
c) ( ) fermentação lática, realizada por ro e úmido. Depois de certo tempo, achou-a
bactérias. e verificou que as bactérias haviam morrido,
d) ( ) fermentação acética, realizada por mas que havia um bolor na placa. Iniciou uma
bactérias. série de estudos e concluiu que aquele fungo
produzia uma substância que matava as bac-
4. As hifas, presentes nos fungos, são: térias. Chamou esta substância de penicilina,
pois ela é produzida:
a) ( ) células com cloroplastos.
b) ( ) células longas, apresentando um, a) ( ) pelo fungo Penicillium.
dois ou vários núcleos. b) ( ) pelo fungo Aspergillus.
c) ( ) células longas, sem núcleo. c) ( ) pelo Champignon.
d) ( ) esporos. d) ( ) pelo Saccharomyces.
Biologia 2 - Aula 3 43 Instituto Universal Brasileiro
as alternativas a e c estão erradas. Esporos
são células de reprodução, não fazem parte
das hifas. Portanto, a alternativa d também
é incorreta.

1. c) ( x ) clorofila. 5. d) ( x ) fungos e plantas.

Comentário. Quando o corpo vegetati- Comentário. Fungos associam-se às


vo de uma espécie não apresenta raízes di- raízes da maioria das plantas, formando as
ferenciadas, nem caule e folhas, falamos em micorrizas. Tanto as plantas quanto os fun-
talo. Por isso, muitos autores chamam as al- gos são beneficiados nessa associação. Os
gas e os fungos de talófitos. Algas e fungos fungos auxiliam na absorção de água e nu-
possuem membrana nuclear, mas, somente trientes e as plantas fornecem aos fungos
as algas possuem clorofila. substâncias orgânicas como carboidratos e
vitaminas.
2. d) ( x ) eucariontes e heterótrofos.
6. d) ( x ) purificação do ar através
Comentário. Procariontes são os se- da fotossíntese.
res cujas células não possuem núcleo,
como as bactérias e as algas azuis. Autó- Comentário. As alternativas a, b e c
trofos (auto = por si; trofos = alimento) são estão corretas, pois tratam da importância
seres fotossintetizantes. A única alternativa dos fungos: fermentação alcoólica feita por
correta é a d pois, células dos fungos têm fungos unicelulares, produção da penicilina
núcleo envolvido por membrana (cariote- extraída do bolor Penicillium e o consumo de
ca), por isso são eucariontes (eu = pró- algumas espécies na alimentação. Apenas a
prio; carion = núcleo). Como não fabricam alternativa d está incorreta, pois os fungos
alimento, porque não fazem fotossíntese, são aclorofilados, portanto não fazem fotos-
são heterótrofos. síntese, sendo incapazes de produzir alimen-
to (são heterótrofos).
3. c) ( x ) fermentação lática, reali-
zada por bactérias. 7. b) ( x ) corpos de frutificação.

Comentário. A transformação do lei- Comentário. Nos cogumelos a parte


te em iogurte é realizada por bactérias comestível é o “chapéu” ou corpo de frutifica-
(lactobacilos) que fazem a fermentação ção. É nessa estrutura que ocorre a formação
lática. Nesse processo, a energia é obtida de esporos haploides (basidiósporos), que,
da lactose, que é o açúcar do leite. A tem- caindo em local rico em matéria orgânica, de-
peratura adequada intensifica o processo senvolvem-se em novas hifas.
fermentativo.
8. a) ( x ) pelo fungo Penicillium.
4. b) ( x ) células longas, apresen-
tando um, dois ou vários núcleos. Comentário. O nome do antibiótico
(penicilina) originou-se do nome do fungo,
Comentário. Hifas são as células dos Penicillium (um tipo de bolor), cuja toxina
fungos, que são longas e formam um ema- mata bactérias. O Aspergillus é um fungo
ranhado chamado micélio. Os núcleos são ascomiceto que elimina milhares de espo-
haploides e quando a hifa tem dois núcleos ros no ar, causando alergias. O Champig-
é chamada dicariótica (di = dois; carion = non é comestível e o Saccharomyces é um
núcleo). As células dos fungos não possuem fungo fermentador, usado na produção de
cloroplastos, mas possuem núcleo, por isso bebidas e pães.
Biologia 2 - Aula 3 44 Instituto Universal Brasileiro