Você está na página 1de 4

Universidade Federal do Rio de Janeiro

CT - Centro de Tecnologia
DEE – Departamento de Eletrotécnica
Laboratório de Eletrônica II
Prof.: Antônio Maurício
Turma: EE1

Grupo 1:
Alan Goes DRE.: 106050622
Rafael Cesar DRE.: 106053442
Leandro Henrique DRE.: 106047873

Relatório
Experiência 7
Introdução

Existem várias aplicações, tais como conversão D/A, conversão A/D e


transdutores, onde o sinal de entrada está na forma de tensão e se deseja uma saída
em corrente. Nesta prática será investigado o funcionamento de um conversor de
tensão em corrente com uso de amplificadores operacionais mostrado na figura 1.

Figura 1 – Circuito proposto no experimento.

O projeto do circuito foi realizado previamente no preparatório. Os resultados


são mostrados a seguir.

Preparatório

Obtenha expressão para IL/Vi em função dos resistores desconsiderando a


presença de C na figura 1.

Resolvendo o circuito obteve-se:

R5
IL ⁄R
1
=
Vi R + R [1 + R 3 − 1]
5 L R2

Considerando R2 = R5, R4 = RF e RL << R2, obtenha uma expressão simplificada


da corrente de saída em função de Vi.

Fazendo as simplificações sugeridas, obteve-se:

𝐼𝐿 1
=
𝑉𝑖 𝑅1

Explique a presença de C no circuito.


O capacitor C é chamado de capacitor de estabilização [1]. Sua função é prevenir
o circuito de ruídos excessivos na entrada do amplificador e possíveis oscilações de
tensão. Sem esse capacitor, os distúrbios do circuito poderiam ser amplificados,
causando problemas na saída.

Considerando R2 = RF = 100kΩ e expressão do item 2, projete um circuito com


relação de saída de 1mA/V.

O projeto consiste em calcular os valores das resistências de R1 e R3, uma vez


que os valores de todos os outros resistores e o valor da capacitância são conhecidos.
Assim,

IL
= 10−3 = 1/R1
Vi

R1 = 1kΩ

Calculando R3 através da equação do item 1:

IL 100000⁄
= 10−3 = 1000
Vi R3
100000 + 1000[1 + 100000 − 1]

O que resulta em R 3 = 0.

Caso Vi seja uma onda quadrada com 1Vp e freqüência de 100Hz e RL substituído
por um capacitor de 470nF, qual será o sinal esperado para VO.

Com oscilações de RL através de um potenciômetro colocado no lugar da carga,


foi notado como esperado que houve uma diminuição da corrente no ramo. No
entanto, a tensão permanece constante na saída, indicando que variações de carga
afetam somente a corrente drenada do circuito.

Comparando os resultados com a expressão do item 2 do preparatório, somente


a corrente de carga diminuiu com aumento da carga (Lei de Ohm), indicando que o
valor de R1 teria virtualmente aumentado no circuito. Esse fato não ocorre, uma vez
que R1 é fixo e, portanto, existe uma relação de R1 com a carga do arranjo e que foi
simplificada matematicamente. Essa relação pode ser observada indiretamente pela
expressão do item 1 (aumentando RL diminui a IL/Vi).

Conclusão
Para se utilizar o circuito descrito no experimento desta prática de laboratório,
deve-se estar atento a carga a ser utilizada no projeto do sistema ou dispositivo, uma
vez que esse circuito estará sujeito a variações bruscas de carga. No caso de utilizá-lo
como um conversor, este pode não apresentar maiores problemas, se o capacitor de
estabilização for convenientemente projetado.

Você também pode gostar