Você está na página 1de 14

www.qconcursos.

com

101 Q974868 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: Câmara de Monte Alto - SP Prova: VUNESP - 2019 - Câmara de Monte Alto - SP - Auxiliar Técnico

Legislativo

                      Os benefícios da imigração para um país

      Muitos daqueles que se opõem à imigração ignoram uma verdade inconveniente: os imigrantes costumam ser os
melhores cidadãos.

      Historicamente, imigrantes mexicanos e seus lhos resgataram cidades menores com população em declínio nos
Estados Unidos, informou Alfredo Corchado ao The New York Times. Cerca de metade das 6 mil pessoas de Kennett Square,
perto da Filadél a, por exemplo, são de ascendência hispânica, e é provável que a cidade teria se extinguido sem elas.

      Kennett Square alega ser a capital mundial dos cogumelos, o centro de uma indústria de US$ 2,7 bilhões no sudeste da
Pensilvânia que emprega 10 milhões de trabalhadores.

      Mas, nos últimos dez anos, o número de imigrantes mexicanos nos EUA diminuiu em mais de um milhão. Alguns foram
deportados, e outros foram embora espontaneamente por receio das autoridades.

      “Os mexicanos estão indo embora, e isso é má notícia para todos”, disse Chris Alonzo, presidente da Pietro Industries,
uma das maiores empresas de cogumelos. “Toda essa negatividade e estímulo ao medo geraram um sentimento anti-
imigração que está prejudicando nossa cidadezinha. Temos escassez de mão de obra, o que ameaça a vibração da nossa
comunidade”. 

      Os recém-chegados também ajudaram a dar novo ânimo à vida cultural da região.

      “Os mexicanos tiveram um impacto positivo na comunidade ao trazer mais cor e sabor para uma vida sem graça”,
explicou Loretta Perna, coordenadora de programas da Escola Kennett High.

(Tom Brady, The New York Times. Publicado em O Estado de S.Paulo. 23.09.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa em que, na reescrita da frase do primeiro parágrafo, o emprego do acento indicativo da crase está de
acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

A Muitos daqueles que refutam à imigração ignoram uma verdade ...


B Muitos daqueles que desaprovam à imigração ignoram uma verdade ...
C Muitos daqueles que repudiam à imigração ignoram uma verdade ...

D Muitos daqueles que condenam à imigração ignoram uma verdade ...


E Muitos daqueles que resistem à imigração ignoram uma verdade...

102 Q974811 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: Câmara de Serrana - SP Prova: VUNESP - 2019 - Câmara de Serrana - SP - Técnico Legislativo

                                     Nero e a lira

      O Brasil cou chocado com o incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro. Só diante das chamas terríveis e do
patrimônio desaparecido para sempre que alguns perceberam que nunca tinham ido ao espaço museológico agora
perdido. Eu já tinha escrito o mesmo sobre os riscos da nossa Biblioteca Nacional e do seu acervo inestimável em condições
de risco similar. Aqui em São Paulo, é o caso do Museu do Ipiranga, fechado há tanto tempo. Perde o público, perde a
cultura e empobrecemos em um campo já abalado da memória. Até quando? O que mais precisaria queimar no Brasil, para
que a gente percebesse que patrimônio é algo que se vai para sempre?

      O descaso tem precedentes terríveis. Em 1978, um conjunto inestimável de quadros virou cinzas no Museu de Arte
Moderna do Rio de Janeiro. Patrimônio cientí co foi carbonizado várias vezes: a coleção do Instituto Butantã em São Paulo e
do Museu de Ciências Naturais da PUC de Minas Gerais. Coleções insubstituíveis torraram por completo. O Museu da
Língua Portuguesa ardeu em chamas, como também a tapeçaria de Tomie Ohtake no Memorial da América Latina: somos o
país que usa cultura como material de combustão. Nenhum Nero foi indiciado, ninguém responde, nada se faz com tantos
e repetidos avisos trágicos. É uma política de terra arrasada, de resultados e cazes e criminosos.

      Mesmo aquilo que funciona e bem corre o risco do desamparo. A Sala São Paulo enche de orgulho os paulistas e
brasileiros. A Osesp é uma joia esculpida com trabalho, talento e muito sacrifício. Manter algo do padrão da Osesp e da Sala
São Paulo em um país como o Brasil é quase um milagre. A qualidade material da sala, o esforço de todos e a educação de
um público el. Por ela passa a na or da música brasileira e internacional.
      A cultura brasileira é assim. Muita coisa queimou, projetos sobreviveram em estado precário, e todos aguardam poderes
sensíveis ao papel insubstituível da cultura na de nição da cidadania. Quando eu vejo o montante do fundo partidário
em comparação ao estado precário de orquestras e museus, sou percorrido por uma dor muito forte.

      O que mais terá de silenciar, queimar, desaparecer ou car no passado até que acordemos? Quantos artistas deixarão
de comunicar seu talento com uma sociedade que necessita desesperadamente de criação e sensibilidade para pensar
mais alto e melhor? Alguém aqui acha coincidência que a economia mais forte da Europa, a Alemanha, também seja uma
terra de forte investimento privado e público na música e nas artes? O que mais precisa desaparecer para sempre, para que
governos e eleitores descubram o valor do nosso patrimônio material e imaterial?

      Para nós, pessoas sem poder, resta prestigiar o que ainda existe, visitar mais nossos museus, cobrar dos políticos que
elegemos há pouco e valorizar com alunos e lhos os muitos heróis de uma resistência cultural.

               (Leandro Karnal. O Estado de S.Paulo. 18.11.2018. Adaptado)

De acordo com o uso indicativo da crase, assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, as lacunas da
frase:

_______ qualidade material da Sala São Paulo soma-se _______ educação de um público el. Somos os heróis que
resistem_______ derrocada da cultura.

A A . . à .. a
B A . . à .. à

C À .. à . à
D A.a.à

E A.a.a

103 Q974754 Português > Crase , Morfologia - Pronomes , Colocação Pronominal


Ano: 2018 Banca: VUNESP Órgão: Prefeitura de São Bernardo do Campo - SP Provas: VUNESP - 2018 - Prefeitura de São Bernardo do

Campo - SP - Agente de Tesouraria I ...

            A nossa democracia é laica, mas nossas decisões políticas são tomadas sob a premissa de que Deus é – e sempre
será – brasileiro. Queremos benefícios sem custos (e quem em sã consciência não quereria?).

            Exigimos que seja assim. Os custos hão de ser empurrados para algum momento indeterminado do futuro e cair
sobre as costas de alguma entidade benévola não especi cada, sem machucar ninguém. Algum dia alguém dá algum jeito e
ca tudo certo. Deus resolve.

            A maioria dos brasileiros concorda com o controle de preço do diesel, e quer ainda o controle de preço da gasolina e
do gás natural. Só não aceita ter que pagar a conta. A Petrobras que tenha um prejuízo. E quem vai cobri-lo? O Tesouro,
essa entidade superior e fonte de riquezas.

                        Não é um caso isolado. Todos pedem por mais gasto para suas causas e setores de preferência, sem nunca
especi car quem vai car com a conta; essa ca para uma gura oculta, alguém com um bolso vasto e generoso. Há quem
diga, inclusive, que o aumento de gastos vai aumentar a arrecadação; multiplicação milagrosa dos pães.

            Essa é a lógica que governa o Brasil desde 1500, consagrada na Constituição de 1988, tão pródiga em direitos para
todo mundo. O direito é a manifestação do at* divino entre os homens: uma obrigação incondicional que a realidade –
alguém – terá de dar algum jeito de cumprir.

         O problema é que acabou o “milagre econômico” – um crescimento acelerado e sem causas conhecidas, que ocorre
apesar de todas as de ciências e entraves, esses sim muito bem conhecidos. Deus parece ter conseguido o green card** e
nos abandonou.

            O que fazer? Uma alternativa é seguir con ando na intervenção divina até o m, deixando o ajuste ao deus-dará. A
corda estoura para o lado mais fraco, e voltamos ao caos primordial. A outra é ser impiedoso e olhar para a realidade com
olhos de descrença.

            Para que alguns continuem ganhando, pessoas de carne e osso terão que pagar. E aí sim poderemos responder à
pergunta que o Brasil é mestre em evitar: quem?

               O problema é que para as escamas caírem de nossos olhos também será necessário um milagre...

(Joel Pinheiro da Fonseca, Folha de S.Paulo, 12.06.2018. Adaptado)

* at: do latim, faça-se, haja; referência à frase bíblica: “faça-se a luz”.

** green card: cartão de residência permanente nos EUA. 

Assinale a alternativa que preenche as lacunas do trecho adaptado, de acordo com a norma-padrão de colocação de
pronomes e de emprego do sinal de crase.
Nunca ________ de um caso isolado. ________ por mais gasto para causas e setores de preferência, sem nunca especi car
________ quem cabia a conta; essa cava para uma gura oculta, alguém com um bolso vasto e generoso. Geralmente
________ que, com o aumento de gastos, ________ pretendida arrecadação.

A se tratava ... Se pedia ... à ... acreditava-se ... se chegaria a


B tratava-se ... Pedia-se ... a ... se acreditava ... chegaria-se à

C tratava-se ... Se pedia ... à ... acreditava-se ... chegaria-se a


D se tratava ... Pedia-se ... a ... se acreditava ... se chegaria à

E se tratava ... Pedia-se ... a ... acreditava-se ... se chegaria a

104 Q974709 Português > Crase


Ano: 2018 Banca: VUNESP Órgão: Prefeitura de São Bernardo do Campo - SP Prova: VUNESP - 2018 - Prefeitura de São Bernardo do

Campo - SP - O cial Administrativo I

       Quando me propus a escrever um texto sobre o lme “Pantera Negra”, eu pensei na possibilidade de escrever sobre
todos os sentimentos que se misturavam em meu corpo e coração vendo o lme.

      Fui ver o lme sob muita expectativa, como todo o povo negro ao redor do mundo indo para as salas de cinema vestidos
com suas melhores roupas — acho que eu nunca fui tão arrumada ver um lme —, como se fosse uma ocasião muito
especial. E de fato foi.

      Em tempos em que a questão da representatividade negra ganha cada vez mais força na cultura nerd/geek, ver um
herói negro é algo grati cante, muito forte e cheio de signi cado para o povo negro que curte esse universo.

      Diante disso, desde quando vi o trailer do lme pela primeira vez, eu não parei de pensar em um ponto
importantíssimo: as crianças negras.

       Uma amiga me mostrou uma foto no Instagram que fez meu coração esquentar de felicidade: o seu lho, diante do
cartaz do lme, vestido de Pantera Negra, com um sorriso enorme no rostinho.  Uma busca rápida pela hashtag
#BlackPanther, e o resultado são várias fotos de crianças com seus pais e responsáveis, meninos e meninas negras, de
várias partes do mundo, sorrindo, usando com orgulho camisetinhas com o herói da vez estampado ou com a máscara do
rei T’Challa cobrindo seus rostinhos, da mesma forma que o lho dessa minha amiga.

      Eu confesso que saí da sala do cinema sentindo um alívio imenso, porque talvez eu também tenha sido uma criança que
precisava dessa carga de representatividade.

(Paula Silva. “Pantera Negra: nalmente um lme 100% negro!”. http://azmina.com.br, 07.03.2018. Adaptado)

Quanto ao uso do sinal indicativo de crase, assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas da
frase a seguir.

O lançamento de uma obra cinematográ ca nos leva ____ querer discutir sobre ____ questões presentes nela, porque vêm
____ tona realidades muitas vezes próximas ____ pessoas.

A a … as … à … às
B à … as … a … as

C a … às … a … às
D à … as … à … às

E a … às … à … as

105 Q974075 Português > Crase


Ano: 2017 Banca: FEPESE Órgão: Prefeitura de Fraiburgo - SC Provas: FEPESE - 2017 - Prefeitura de Fraiburgo - SC - Contador ...

Avalie o uso da crase nas frases que seguem e julgue o acerto das a rmações colocadas entre parênteses.

1. A noite estava clara e as pessoas foram a praia ver a chegada dos pescadores a terra. (Há nessa frase a ocorrência de
duas crases.)

2. Já estavam a poucos metros da casa à qual me referi para o repouso. (Uso correto da crase.)

3. O caso a que aludi é visível a noite e a olho nu. (Nessa frase, há a ocorrência de apenas uma crase.)

4. Não ligo àquilo que me disseste ontem pela manhã. (Uso correto da crase.)

5. Dirigiu-se a Vossa Senhoria com aspereza quando foi a Fraiburgo. (Nessa frase, em apenas um caso a crase é obrigatória.)

Assinale a alternativa que indica todos os itens corretos.


A São corretos apenas os itens 3 e 5.
B São corretos apenas os itens 4 e 5.

C São corretos apenas os itens 1, 2 e 3.


D São corretos apenas os itens 1, 4 e 5.

E São corretos apenas os itens 2, 3 e 4.

106 Q972294 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: Quadrix Órgão: CRA-PR Provas: Quadrix - 2019 - CRA-PR - Advogado I ...

Com relação aos aspectos linguísticos e estruturais do texto, julgue o item a seguir.

Na linha 12, o emprego do acento grave indicativo de crase decorre da regência da forma verbal “visa” e da presença do
artigo feminino que de ne o nome “emancipação”.

Certo
Errado

107 Q972145 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: Quadrix Órgão: CRA-PR Prova: Quadrix - 2019 - CRA-PR - Auxiliar Administrativo I
Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos e estruturais do texto, julgue o item

Nas linhas 4 e 13, o emprego do acento grave indicativo de crase justi ca‐se pela regência de formas verbais que exigem a
preposição “a” e pela presença de artigo feminino que de ne os termos regidos.

Certo
Errado

108 Q970232 Português > Pontuação , Uso da Vírgula , Crase


Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: Prefeitura de Recife - PE Prova: FCC - 2019 - Prefeitura de Recife - PE - Analista de Planejamento,

Orçamento e Gestão

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou:
envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é
coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - ca recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri
um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e
ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade
por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu
sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 

(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

O emprego da pontuação e a observância do sinal de crase estão adequados na frase:

A Quando se está à envelhecer, as nossas sensações boas ou más, parecem confundir-se em nosso espírito.
B Não se tribute as nossas experiências desafortunadas, a responsabilidade maior de um penoso envelhecimento.

C Em meio aquelas boas horas da infância, sempre havia alguma suspeita, de que tudo logo acabaria.
D Quem diria, que a proporção que o tempo passa, mais retornos imaginários experimentamos à outras idades?
E Corresse o tempo de modo uniforme, como alguns acreditam, não voltaríamos às mais antigas sensações.

109 Q970152 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: Prefeitura de Recife - PE Prova: FCC - 2019 - Prefeitura de Recife - PE - Analista de Gestão Contábil

Sobre a amizade

            O clássico pensador romano Cícero dizia que nada é mais difícil do que conservar intacta uma amizade até o último
dia da vida. Para ele, os interesses e mesmo o caráter dos homens costumam variar com o tempo, por conta dos reveses ou
dos sucessos por que passamos. As mais vivas amizades da infância podem não resistir aos anos da adolescência, quando
grandes transformações nos atingem.

            Mesmo para aqueles cuja amizade resiste por muito tempo, há a possibilidade de desavenças políticas porem tudo a
perder. Outras violentas dissensões surgem quando se exige de um amigo algo de inconveniente, como se tornar cúmplice
de uma fraqueza nossa, ou quando se lhe pede uma providência que esteja acima de suas forças. Mas essas ameaças à
amizade não devem enfraquecer a potência desse sentimento; devem nos lembrar o quanto um amigo é precioso, e quão
preciosa será a conservação de sua leal companhia. 

(Cláudio Augusto Catilino, inédito)

Há correta exão das formas verbais e plena observância das normas para emprego do sinal de crase em:

A É a muito custo que preservaremos uma amizade, sobretudo se não contivermos nossos primeiros impulsos.

B Ele acabará se desfazendo dos amigos a medida que eles virem a contrariar seus ímpetos caprichosos.
C Uma amizade resiste à toda prova quando, em qualquer das ocasiões da vida, se manter leal e verdadeira.

D Se aprouviesse a alguém construir uma sólida amizade, teria de renunciar as fraquezas mais comuns.
E Nada poderei fazer em reparo a fragilidade de uma amizade que não advir de uma leal construção.

110 Q969904 Português > Interpretação de Textos , Coesão e coerência , Crase Sintaxe , Uso dos conectivos
Ano: 2019 Banca: UFSC Órgão: UFSC Provas: UFSC - 2019 - UFSC - Administrador ...
Com base no trecho abaixo, retirado do texto 1, analise as a rmativas e assinale a alternativa correta.

“Ao associarem a noção de constitutividade à de interação, escolhendo esta como o lugar de sua realização, as concepções
bakhtinianas de linguagem e de sujeito trazem, ao mesmo tempo, para o processo de formação da subjetividade, o outro,
alteridade necessária, e o uxo do movimento, cuja energia não está nos extremos, mas no trabalho que se faz
cotidianamente, movido por interesses contraditórios, por lutas, mas também por utopias, por sonhos.”(linhas 58 a 63)
I. Em “Ao associarem a noção de constitutividade à de interação [...]”, há uma retomada por elipse do termo ‘noção’,
justi cando a marcação de ocorrência de crase.

II. A palavra ‘esta’ tem como referente a expressão ‘as concepções bakhtinianas’.

III. A expressão entre vírgulas ‘alteridade necessária’ corresponde a uma explicação do termo antecedente.

IV. As duas ocorrências da conjunção ‘mas’ estabelecem relações coordenativas: a primeira, adversativa, e a segunda,
aditiva.

A Somente as a rmativas I e III estão corretas.


B Somente as a rmativas II e III estão corretas.

C Somente as a rmativas I, III e IV estão corretas.


D Somente as a rmativas I, II e IV estão corretas.
E Somente as a rmativas II e IV estão corretas.

111 Q969739 Português > Crase


Ano: 2017 Banca: Instituto Ânima Sociesc Órgão: Câmara de Guaramirim - SC Prova: Instituto Ânima Sociesc - 2017 - Câmara de

Guaramirim - SC - Auxiliar Administrativo

O enunciado “explica Oliveira em entrevista à GALILEU” foi extraído do texto da questão anterior. Quanto ao emprego do
acento grave que sinaliza a ocorrência da Crase, pode-se con rmar como correto o que está exposto na alternativa:

O uso do acento grave nessa situação está inadequado, visto que a palavra que se apresenta após a letra “à” é uma
A
palavra do gênero masculino.

Embora a variedade padrão da língua admite a ocorrência da Crase diante de termos masculinos, o enunciado deveria
B
ser refeito, excluindo o acento grave.
Admitindo o equívoco ocorrido no enunciado em questão quanto ao emprego do acento grave, ele não necessita ser
C
refeito, pois, sua compreensão é plena.

D Uma correção adequada do enunciado quanto à ocorrência da Crase seria: “explica Oliveira em entrevista a GALILEU”.
O uso do acento grave nessa situação está adequado, visto que se encontra subentendida no enunciado a palavra
E
“revista”.

112 Q969655 Português > Crase , Sintaxe , Regência


Ano: 2018 Banca: Dédalus Concursos Órgão: IPRED - SP Prova: Dédalus Concursos - 2018 - IPRED - SP - Contador
“Se elas entopem e o abastecimento para, as células musculares do órgão começam a morrer em questão de minutos.”
(linhas 4 a 7). Assinale a alternativa que justi ca corretamente o porquê de o termo destacado não ter sido craseado:

A O termo “a” não foi craseado, pois não há preposição exigida por regência nominal de “começam”.
B O termo “a” não foi craseado, pois não há preposição exigida por regência verbal de “começam”.

C O termo “a” não foi craseado, pois antecede o verbo “morrer” e, diante de verbos, não há crase.
O termo “a” sem crase está incorreto, o correto é “à” (craseado), pois recebe o acento grave o “a” inicial das locuções
D
adverbiais como em “à morrer”.

O termo “a” sem crase está incorreto, o correto é “à” (craseado), pois recebe o acento grave o “a” inicial das locuções
E
conjuntivas como em “à morrer”.

113 Q969552 Português > Pontuação , Uso da Vírgula , Crase


Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: BANRISUL Prova: FCC - 2019 - BANRISUL - Escriturário

A chave do tamanho

        O antes de nascer e o depois de morrer: duas eternidades no espaço in nito circunscrevem o nosso breve espasmo de
vida. A imensidão do universo visível com suas centenas de bilhões de estrelas costuma provocar um misto de assombro,
reverência e opressão nas pessoas. “O silêncio eterno desses espaços in nitos me abate de terror”, a igia-se o pensador
francês Pascal. Mas será esse necessariamente o caso?

                O lósofo e economista inglês Frank Ramsey responde à questão com lucidez e bom humor: “Discordo de alguns
amigos que atribuem grande importância ao tamanho físico do universo. Não me sinto absolutamente humilde diante da
vastidão do espaço. As estrelas podem ser grandes, mas não pensam nem amam - qualidades que impressionam bem mais
do que o tamanho. Não acho vantajoso pesar quase cento e vinte quilos”.

        Com o tempo não é diferente. E se vivêssemos, cada um de nós, não apenas um punhado de décadas, mas centenas de
milhares ou milhões de anos? O valor da vida e o enigma da existência renderiam, por conta disso, os seus segredos? E se
nos fosse concedida a imortalidade, isso teria o dom de aplacar de uma vez por todas o nosso desamparo cósmico e as
nossas inquietações? Não creio. Mas o enfado, para muitos, seria difícil de suportar. 

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 35) 
Quanto à pontuação e à observância do emprego do sinal de crase, está plenamente correta a frase:

A Tendo em vista à longevidade da atual geração, as seguintes pode bene ciar um horizonte ainda mais largo.

B Dada a condição dos moços de hoje, os moços de amanhã obterão mais facilidades.
C Uma vez alcançada, a imortalidade, será que à ela todos festejarão?

D É à longo prazo que muitas felicidades possíveis são alcançadas.


E Sempre haverá aqueles que, à todo custo, perseguem o ideal da imortalidade.

Português > Interpretação de Textos , Redação - Reescritura de texto , Funções morfossintáticas da palavra SE
114 Q968913
Crase , Sintaxe , Regência , Concordância verbal, Concordância nominal
Ano: 2019 Banca: IADES Órgão: SEASTER - PA Provas: IADES - 2019 - SEASTER - PA - Enfermeiro ...

Texto 2

Com base na norma-padrão e nas questões gramaticais referentes ao texto, assinale a alternativa correta.

A forma verbal sublinhada no trecho “No Pará funcionam quatro unidades” (linha 5) poderia, de acordo com as regras
A
de concordância, ser substituída por qualquer uma das seguintes formas: existe ou há.
A redação Além dos lhos de até 14 anos de idade, as mulheres podem convidar a parentes do sexo feminino às
quais também estejam ameaçadas. está correta do ponto de vista da regência verbal, portanto poderia substituir o
B
período “Além dos lhos de até 14 anos de idade, as mulheres podem levar parentes do sexo feminino que também
estejam ameaçadas.” (linhas de 13 a 15).

A oração “A localização não é identi cada” (linha 6) poderia ser substituída pela seguinte redação: Não identi ca-se a
C
localização, pois a colocação do pronome se e a concordância da forma verbal identi ca estão corretas.
Caso a autora resolvesse substituir a forma verbal sublinhada na oração “que garantem sua integridade” (linha 12)
D pela construção dão garantia, o emprego do sinal indicativo de crase diante do termo “sua integridade” seria
obrigatório.
O uso do sinal indicativo de crase é obrigatório no trecho “vinculado à Secretaria Estadual de Assistência Social,
Trabalho, Emprego e Renda (Seaster)” (linhas de 1 a 3) e também o seria na oração “para garantir a segurança das
E
mulheres que passam pelo local” (linhas 6 e 7) caso a autora substituísse o termo “das mulheres” pela construção as
mulheres.

115 Q968783 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: IADES Órgão: SEASTER - PA Prova: IADES - 2019 - SEASTER - PA - Técnico de Enfermagem
De acordo com as questões gramaticais referentes ao texto, o uso do sinal indicativo de crase seria

opcional no trecho “ao chegar a São Paulo” (linha 3) caso o autor resolvesse empregar a construção cidade de diante
A
do termo “São Paulo”.
inviável caso o autor substituísse o trecho “pro ssão que exercia em Portugal” (linhas 5 e 6) pela redação pro ssão a
B
qual se dedicava.

obrigatório se, no lugar da construção “decidiu vir para Belém” (linha 13), o autor empregasse a redação decidiu vir à
C
Belém.
inviável no trecho “que está vinculada à Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda
D
(Seaster)” (linhas de 14 a 16) caso o vocábulo “vinculada” fosse substituído pela construção subordinada.

opcional caso o autor substituísse o vocábulo sublinhado no trecho “Hoje, Seu Avelino espera regressar a Portugal”
E
(linhas 20 e 21) pela construção a sua pátria.

116 Q968423 Português > Crase , Sintaxe , Análise sintática


Ano: 2017 Banca: UERR Órgão: CODESAIMA Prova: UERR - 2017 - CODESAIMA - Engenheiro Agrônomo

Sem quórum, Câmara adia novamente leitura da segunda denúncia contra Temer

Sessão do plenário não foi realizada por causa da baixa presença de deputados. Supremo só poderá analisar
denúncia contra o presidente se a Câmara autorizar. 

Por Fernanda Calgaro e Alessandra Modzeleski, G1, Brasília

25/09/2017 

                Pela segunda vez, Câmara dos Deputados adiou, nesta segunda-feira (25), a leitura da nova denúncia contra o
presidente Michel Temer, apresentada pela Procuradoria Geral da República. Não houve presença su ciente de
parlamentares para a abertura da sessão de plenário. A leitura é uma formalidade para o processo ter andamento na Casa. 
         A sessão de plenário havia sido agendada para iniciar às 14h. Era necessário que, dos 513 deputados, pelo menos 51
deputados estivessem presentes para que ela fosse aberta. No entanto, 30 minutos depois, com apenas 23 parlamentares
na Casa, dos quais nove presentes no plenário, a reunião foi cancelada. Uma nova sessão foi marcada para a manhã de
terça-feira (26).

        A denúncia contra Temer foi entregue pelo Supremo Tribunal Federal (STF) à Câmara na quinta-feira (21). Na sexta-feira
(22), a leitura já havia sido adiada, depois que a sessão do plenário foi cancelada, também por falta de quórum.

                Um dos deputados presentes nesta segunda, Chico Alencar (Psol-RJ) a rmou que acreditava que o quórum seria
alcançado e trouxe a denúncia impressa para acompanhar a leitura. Segundo ele, a demora do governo em concluir essa
etapa já é vista como uma estratégia para angariar apoio. 

        "A indagação que ca é: tendo pressa em enterrar logo essa denúncia, por que governistas não se mobilizam para dar
o quórum aqui? Parece que isso tudo, na verdade, faz parte do jogo. É uma sinalização que eles vão vender carinho esse
apoio ao governo, como toda e qualquer matéria".

        Denúncia

        Temer foi denunciado ao STF pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas a Corte só poderá
analisar a acusação se a Câmara autorizar. 

        A votação pode acontecer em outubro, segundo estimou o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

        Nesta quinta, o Supremo rejeitou, por 10 votos a 1, pedido da defesa de Temer para suspender o envio da denúncia à
Câmara. 

        Os advogados do presidente queriam que a Corte aguardasse a conclusão das investigações sobre se executivos da J&F
omitiram informações nas delações premiadas. As provas apresentadas por eles compõem parte da denúncia contra
Temer. 

        Análise na Câmara 

        Assim como na primeira denúncia oferecida contra Temer, por corrupção passiva, caberá à Câmara dos Deputados
decidir se autoriza ou não a continuidade do processo ao Supremo. 

        Se a denúncia seguir para o STF e os ministros decidirem aceitá-la, Temer se tornará réu e será afastado do mandato
por até 180 dias. 

        Mas, para a acusação da PGR contra o presidente seguir para a Corte, são necessários os votos de, no mínimo, 2/3 dos
deputados, ou seja, 342 dos 513. 

        Se a Câmara não der aval ao prosseguimento do processo, a denúncia cará parada até o m do mandato de Temer,
em 31 de dezembro de 2018. 

https://g1.globo.com/politica/noticia/sem-quorum-camara-adia-novamente-leitura-da-nova-denuncia-contra-temer.ghtml

Observe a estruturação sintática dos períodos 1 e 2 para, em seguida, dispor sobre o uso do acento grave nos períodos.
Veri que as declarações a respeito e opte pela alternativa correta.

1. Nesta quinta, o Supremo rejeitou, por 10 votos a 1, pedido da defesa de Temer para suspender o envio da denúncia à
Câmara.

2. Assim como na primeira denúncia oferecida contra Temer, por corrupção passiva, caberá à Câmara dos Deputados
decidir se autoriza ou não a continuidade do processo ao Supremo.

Observe as declarações:

I- No caso 1, o uso do acento grave é exigido por conta da predicação verbal, tendo em vista que o verbo “REJEITOU” é verbo
bitransitivo, sendo o objeto direto é todo o trecho “pedido da defesa de Temer para suspender o envio da denúncia” e o
objeto indireto é “à Câmara”.

II- No caso do período 2, “caberá” também é um verbo transitivo direto, tendo o objeto direto “à Câmara dos Deputados”.

III- Tratando dos dois casos, levantados pelos períodos 1 e 2, podemos declarar que, no período 1, a regência da preposição
está centrada na expressão “envio”, exigindo o uso do acento grave que se funde com o artigo do vocábulo “Câmara”. Já no
período 2, a regência da preposição está sob a in uência do verbo “caberá” por se tratar de um verbo transitivo indireto.

Assinale a alternativa coerente quanto às declarações I, II e III.

A A declaração I está verdadeira.


B A declaração II está verdadeira.

C Apenas a declaração III está verdadeira.


D As declarações I e II estão verdadeiras.

E Todas as declarações estão falsas.


117 Q967934 Português > Crase
Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: UFABC Prova: VUNESP - 2019 - UFABC - Assistente em Administração

Assinale a alternativa que preenche correta e respectivamente as lacunas da frase a seguir, no que se refere à ocorrência da
crase, conforme a norma-padrão da língua.

O operador de câmera quis con rmar se estava correta ____ informação de que o número de pessoas dispostas _____
dedicar-se _____ aulas de matemática havia aumentado.

A a … a … às
B à … à … as

C a…à…à
D à…a…a

E a … à … as

118 Q967836 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SP Prova: VUNESP - 2019 - TJ-SP - Contador Judiciário

      No que respeita ___ democracia, a liberdade de expressão é direito fundamental diretamente correlato __ garantia de
voz aos cidadãos na manifestação de suas várias correntes políticas e ideológicas. É certo que ___ proteção da liberdade de
expressão não é su ciente para assegurar a participação popular no debate político, pois os direitos fundamentais
efetivam-se de modo interdependente: _____ e cácia de um direito fundamental depende da e cácia dos demais. Porém,
não restam dúvidas de que, para que tal liberdade se concretize, é imprescindível que aqueles que desejem manifestar-se
na esfera pública tenham como fazê-lo e não sejam reprimidos por isso.

                                                                (https://www12.senado.leg.br. Adaptado)

De acordo com a norma-padrão, as lacunas dos enunciados devem ser preenchidas, respectivamente, com:

A à ... à ... a ... a

B à ... a ... a ... à


C a ... a ... à ... a

D à ... à ... à ... à


E a ... a ... à ... à

119 Q967641 Português > Crase , Problemas da língua culta , Há-a


Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: TJ-SP Prova: VUNESP - 2019 - TJ-SP - Médico Judiciário

Leia o texto.

Graças______ leitura de “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, romance de Martha Batalha, referente ________angústias de
duas irmãs na década de 1940, um homem de 42 anos, preso em São Paulo, decidiu reatar com a lha. O livro chegou
________ essa pessoa por meio do Programa Clubes de Leitura e Remição de Pena.

(Mariana Vick. Folha de S.Paulo, 26.06.2018. Adaptado)

De acordo com a norma-padrão, as lacunas do texto devem ser preenchidas, respectivamente, por:

A a ... as ... a
B a ... às ... à

C à ... às ... a
D à ... as ... à

E à ... às ... à

120 Q967475 Português > Crase


Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: MPE-SP Prova: VUNESP - 2019 - MPE-SP - Analista Técnico Cientí co - Contador

      É muito comum o brasileiro sofrer com o acento grave, sinal que serve para indicar crase, ou seja, a fusão de “a + a”. Ele
é apenas um sinalzinho com inclinação à esquerda, tem seus encantos, porém deixa muita gente boa em situação delicada.
      Quando alguém me pergunta como faz para aprender a “crasear”, digo para começar pelo avesso: primeiro aprenda a
não colocar o acento em lugar proibido. Há certas construções em que ele não cabe, pois falta metade: um dos “a + a” não
comparece. Por exemplo, o artigo de nido feminino “a” não pode ser usado em determinadas situações, o que, por
exclusão, nos leva ao raciocínio de que o “a” da construção é apenas a preposição “a”.

(Dica do professor João Bolognesi, texto editado por Talita Abrantes. Em: https://exame.abril.com.br)

Considere o trecho nal do texto:

Por exemplo, o artigo de nido feminino “a” não pode ser usado em determinadas situações, o que, por exclusão, nos leva
ao raciocínio de que o “a” da construção é apenas a preposição “a”.

Assinale a alternativa em que a primeira frase con rma e a segunda frase nega o contido na passagem nal do texto.

Quando cheguei à repartição, percebi que ali foram feitas algumas mudanças. / A nova funcionária foi encaminhada à
A
direção do setor.
Durante a reunião do departamento, lemos, com atenção, a ata da anterior. / Emprestei o livro importado a quem não
B
deveria.

C Oferecemos a todos os participantes do evento um exemplar do livro. / Na reunião, eles se referiram a essa nova lei.
D Analisando a documentação, conclui-se que está tudo em ordem. / Pedimos atenção à nova legislação do condomínio.

Encontrei o autor a cujo livro nos referimos na última bienal. / A foto do acidente à qual tive acesso me deixou
E
chocada.

Respostas

101: E 102: B 103: D 104: A 105: E 106: C 107: E 108: E 109: A 110: C 111: E

112: C 113: B 114: E 115: E 116: C 117: A 118: A 119: C 120: E

www.qconcursos.com

Você também pode gostar