Você está na página 1de 7

A ESTRELA DE LAURA; BAUMGART, KLAUS; MINUTOS DE LEITURA

Laura sempre quis ter alguém especial, alguém com quem pudesse partilhar
todos os seus segredos. Uma noite, o desejo de Laura realiza-se. Uma estrela
muito brilhante passa pela sua janela e cai na rua à porta da sua casa. Laura
leva a estrela para casa e trata da sua ponta partida. Ao vê-la brilhar na sua
mão, apercebe-se que tinha encontrado a amizade especial que tanto
procurava. Mas, no dia seguinte, ao acordar, a pequena estrela tinha
desaparecido - será que tinha sido apenas um sonho?

Nesta história, maravilhosamente ilustrada, com uma mensagem simples e


intemporal, uma menina aprende que a amizade às vezes significa deixar
partir quem nos é mais precioso.

Este livro tem ainda como elemento atractivo uma estrela realmente
brilhante (impressão holográfica) em todas as páginas.

SONHOS DE NATAL; MOTA, ANTÓNIO; GAILIVRO

Trata-se de uma história de Natal, numa aldeia longínqua onde o


Inverno chega mais cedo.

Quando as férias de Natal de Manuel e das outras crianças se


aproximam, a expectativa de que o Natal chegasse mais rápido é
cada vez maior. Os preparativos para o Natal concediam a este
ambiente caseiro uma atmosfera harmoniosa, em que as crianças
faziam os pedidos ao Menino Jesus. Mas no fim há uma surpresa: o
pai de Manuel regressa do Brasil, onde estava emigrado, na noite de
Natal.

AS FÉRIAS DO PAI NATAL; CUSTÓDIO, LOURDES; CAMPO DAS LETRAS


Ontem, no meu jardim, apareceu um passarito muito engraçado. Chamava-
se Takitalá. Regressara de uma longa viagem que fizera a uma ilha. Um lugar
lindo contou-me, ainda cansado de tanto voar, onde havia muito sol, um mar
transparente e um céu azul-bébé.
Só fiquei surpreendida quando o Takitalá disse que o Pai Natal se encontrava
nessa ilha a passar férias.
– O Pai Natal... a sério? – perguntei-lhe, incrédula.
– Sim – respondeu, sem hesitação, o passarito.
Apesar de tentar, não consegui imaginar o Pai Natal com o seu grosso fato
vermelho, gorro e botas, numa ilha tropical. Resolvi, por isso, esclarecer as
minhas dúvidas.
2 HISTÓRIAS DE NATAL; VIEIRA, ALICE; CAMINHO

Uma criança não quer acreditar que o Pai Natal não existe, como os pais
lhe querem fazer crer. Um Pai Natal que acha que também tem direito a
receber presentes. São duas histórias de Alice Vieira, com belíssimas
ilustrações de João Caetano, “Mistérios de Natal” e “A primeira prenda do
Pai Natal”.

«Quando o despertador tocou, a casa inteira parecia ainda adormecida.


Lavínia sentou-se na cama e, de repente, lembrou-se que o Natal estava à
porta.
"Meu Deus", exclamou, "tanta coisa para fazer e eu aqui deitada!"
Não tardaria a ver a Mãe chegar a pedir-lhe o pequeno-almoço, ou o Pai a
resmungar porque queria ter ficado mais tempo na cama. "Adultos...",
pensou, "é preciso ter muita paciência com eles..."
A Mãe andava agora com aquela mania de que o Pai Natal não existia!
Lavínia sorrira, e cheia de boa vontade lá lhe explicara que isso era
mentira, que ela não devia acreditar em tudo o que lhe diziam no
emprego. O emprego era para onde Lavínia levava a Mãe e o Pai todos os
dias. Lá estavam outros adultos, e todos brincavam muito uns com os
outros, até que chegava o momento de voltarem para casa. Depois era a
As Histórias: hora de tomar banho, Lavínia contava-lhes uma história e eles
adormeciam. Mas nestes últimos tempos, com o Natal à porta, andavam
muito excitados.
— O Pai Natal não existe. Eu sei — dizia a Mãe.
Mistérios de Natal — O Pai Natal é mentira. Toda a gente sabe — dizia o Pai.
Então Lavínia, cheia de paciência, contava-lhes a história verdadeira do Pai
Natal, e todo o trabalho que ele tinha na noite de 24 de Dezembro, para
escorregar pelas chaminés abaixo e deixar, na cozinha de cada criança,
aquilo que cada criança tinha pedido.
— E como é que ele cabe na chaminé? — perguntava a Mãe.
A Primeira Prenda — Não se está mesmo a ver que é mentira? — dizia o Pai.
Lavínia sorria, sorria sempre. Eram tão engraçados, os adultos! O pior é
do Pai Natal que o tempo passava muito depressa. Não tardariam a ficar crianças, e
então perdiam a graça toda. Era aproveitar agora. [...]»

O PAI NATAL PREGUIÇOSO E A RENA RODOLFA; SALDANHA, ANA;


CAMINHO

É Dezembro. Na Lapónia, andam todos muito atarefados. O carteiro


entrega as cartas, a secretária do Pai Natal, a rena Rodolfa, lê-as e procura
as prendas pedidas nas prateleiras, as outras renas preparam-se para a
grande corrida de Dezembro. Só o Pai Natal parece não ter pressas. Mas,
quando estão já de partida, descobre-se que o provérbio de que o Pai Natal
tanto gosta — «Devagar, que tenho pressa» — está mesmo certo. Do que é
que a rena Rodolfa se foi esquecer?!
O SEGREDO DO NATAL; MOLA, ASTRID; K EDITORA

O pequeno Rafael é um anjo-carteiro que leva as cartas com os


pedidos de Natal à fábrica dos brinquedos que há no céu. E tem de
se despachar: já não falta muito tempo para o Natal e ainda precisa
de recolher alguns pedidos.
Só que desta vez, ele foi visto pelo Cristiano enquanto recolhia a
sua lista que estava na janela. Ninguém podia saber do segredo da
fábrica dos brinquedos que há no céu!
Será que o Cristiano vai guardar segredo? E o presente dele?
O anjinho Rafael vai conseguir fazer com que o seu desejo se torne
realidade?
É que o Cristiano esqueceu-se de uma coisa muito importante…

DESEJO DE NATAL; BOUVARD, LAURENCE; CIVILIZAÇÃO

O Nico, o pequeno cabrito-montês, vivia no alto da montanha,


longe dos homens. Uma noite de Natal, o Nico não conseguia
adormecer. Estava muito triste. De manhã, o professor tinha
pedido aos alunos que expressassem os seus maiores desejos e,
quando o Nico confessou que gostava de poder puxar o trenó do
Pai Natal, toda a sala de aula se tinha rido dele.
Calmamente, o Nico saiu da gruta e enfrentou a noite cintilante e
gelada. De repente, apercebeu-se de uma forma estranha que se
dirigia para si a grande velocidade.

“Mas o que é isto?” – pensou – “Parece…”

Neste livro as imagens têm três dimensões.

NOITE DE NATAL; RAHIR, RENÉE; ASA

"Um Natal de Sonho" ilustra com magníficas imagens em três


dimensões uma noite de Natal com tudo o que caracteriza este
momento do ano tão especial - o espírito de solidariedade, a
felicidade e a alegria.

“…Dois meninos, tremendo de frio, pedem esmola a quem passa.


Mas as pessoas passam sem parar, como o vento e o mar. Apenas
um boneco de neve, gordo como uma pipa, repara neles e se
enternece”.
O LIVRO DE NATAL; MENÉRES, Mª ALBERTA; ASA

Neste livro podemos encontrar informação diversa sobre o Natal,


poesia de Natal, breves contos, uma peça de teatro… enfim, como
diz a autora:

Neste livro de Natal


Uma porta desenhada
Não vai ficar nada mal.
Quem quiser vir passear
Nas ruas das suas páginas,
ver ou ler, meter conversa por aqui e por ali,
Não tem nada que enganar,
Vai nesta porta bater
Truz Truz Truz e Truz e Truz…
E depois, é só entrar!

TU É QUE ÉS O PAI NATAL? NORBERT, LANDA; ASA


De gorro vermelho, casaco vermelho e barba branca, o ursinho
Simão parece mesmo o Pai Natal! Pelo menos é o que pensam os
ratinhos da floresta, que lhe perguntam ansiosos:
– Pai Natal, podemos pedir-te um desejo?
– Claro que podem – responde o Simão. – Tudo o que quiserem!
O que ele não estava à espera, era que o único desejo dos ratinhos
fosse simplesmente que o pequeno Ratocas, que estava doente,
ficasse bom depressa. E agora? Como é que o Simão há-de sair
deste imbróglio?

CONTOS DE NATAL; ANDERSEN, HANS CHRISTIAN; EVEREST EDITORA

Volume dedicado às histórias de Natal mais


populares de Hans Christian Andersen, fielmente
adaptadas ao espiríto e ao estilo original. As suas
mais famosas personagens e os cenários mais
surpreendentes são aqui apresentadas em
fabulosas ilustrações da autoria de Anastassija
Archipowa, que recriam e complementam as
histórias na perfeição.
NATAL! NATAL! MAGALHÃES, ANA Mª e ALÇADA, ISABEL; CAMINHO

Cinco histórias e uma breve peça de teatro que têm em


comum a celebração do Natal. Na primeira, o Pai Natal
contrata um rapaz muito guloso, que troca as prendas a
distribuir; na seguinte, três bruxas reclamam por nunca
receberem prendas; quando queremos chegar a horas à
nossa terra para celebrar o Natal em família e só temos
contratempos, quase choramos de raiva – assim
aconteceu com o João Bicudo; o quarto conto relata-nos
o milagre dos sacos cheios dos pobres que deram o
pouco que tinham; no último conto, um engarrafamento
na estrada, em noite de Natal, transforma-se em
presépio, com o nascimento inesperado de uma criança.
Na peça final, as mulheres dos reis magos também vão
adorar o Menino Jesus.

O NATAL DO PEDRO; ALMEIDA, BERNARDO PINTO de; ASA

O Pedro era um menino com muita imaginação. Gostava


de travessuras, de compota e de passear com os pais no
shopping, onde todas as lojas de brinquedos lhe pareciam
sítios do maior interesse.
No Natal desse ano, que foi o primeiro em que se deu
conta da magia do presépio e também de que Jesus era
um menino como ele, o Pedro não quis deixar de partilhar
a festa com esse seu novo amiguinho.
Este livro conta essa aventura, aliando a leveza do texto às
sempre singulares ilustrações de Mestre Júlio Resende.

HISTÓRIAS DE NATAL; LELARGE, FABRICE; CIVILIZAÇÃO

As histórias deste livro estão cheias da magia, da


alegria e da esperança do Natal. E ainda ensinam
às crianças receitas e pequenos trabalhos
manuais para se ocuparem e divertirem durante
as férias de Natal.
HISTÓRIAS DE NATAL CONTADAS EM VERSO; PERAFITA, ALEXANDRE;
ÂNCORA EDITORA

Trata-se de um conjunto de poemas narrativos onde


a linguagem poética se associa a imagens essenciais
do nosso quotidiano cultural infantil nortenho como
sejam o jogo do pião, a deslocação dos rebanhos
fora do povoado, a figura do pastorinho, as
personagens típicas ligadas às mais variadas
actividades rurais, tais como, a moleirinha, a
costureirinha, o peliqueiro, o ferrador, o gaiteiro e
as figuras emblemáticas do natal cristão com ênfase
especial sobre o Menino Jesus e os três Reis do
Oriente. Não faltam ainda a neve, a cabana e a
estrela que guiou Maria e José na caminhada para
Belém.
A obra contém ainda um teatrinho de Natal.

PAISAGEM COM TRENÓ E NEVE AO FUNDO; VIEIRA, VERGÍLIO ALBERTO;


CAMPO DAS LETRAS

O conto abre com um expressivo jogo de luzes, de claro-


escuro, e com a recriação de um espaço interior em que
se respira serenidade. É nesta casa que o rumor da noite
é substituído pelo silêncio do cansaço e que, no regaço
da mãe, “o luar embala um menino”. Contada através de
segmentos de uma viva prosa poética, nesta história
relata-se um episódio que decorre em Dezembro, em
Nazaré, e que se reveste de um forte simbolismo: um
magote de crianças viaja num trenó através da neve e
grita «Jesus! Jesus! Salta daí!»…

HISTÓRIAS DE NATAL CONTADAS EM 1-2-3 MINUTOS; MAI, MANFRED;


ASA

Conjunto de 30 maravilhosas histórias para serem


lidas em 1, 2 ou 3 minutos. São histórias ternas e
encantadoras que falam de grandes e pequenos
presentes, de bonecos de neve, do Pai Natal e do
Menino Jesus, e de outros temas natalícios.
DICIONÁRIO DO PAI NATAL; SOLOTAREFF, GREGOIRE; CAMPO DAS
LETRAS

Alguns exemplos:

A abelha: as abelhas do Pai Natal não fabricam mel,


mas bombons.

B brinquedo: o Pai Natal experimenta sempre os


brinquedos que fabrica para os meninos; mas ele dá-
lhos mesmo se não funcionam, porque mais vale um
brinquedo que não funciona, do que brinquedo nenhum.

L ler: se receberes uma carta vermelha da qual não


consegues ler uma única palavra, é certamente uma
carta do Pai Natal.

O DESEJO DO PAI NATAL; SENNER, KATJA; EDIÇÕES NOVA GAIA

“O Desejo do Pai Natal” conta a história da vontade do Pai


Natal em guardar para si mesmo um dos presentes que
deveria entregar, neste caso um comboio. Por isso, o Pai
Natal atrasa-se na entrega dos presentes, pois fica a
brincar com o comboio…

UM BEIJO PARA O PAI NATAL; COUDOL, ELISABETH; EDIÇÕES NOVA GAIA

"O pequeno Max decidiu encontrar-se com o rei dos brinquedos


e dar-lhe um grande abraço. Mas será que o rei dos brinquedos
vem até sua casa? Max vai averiguar junto das decorações de
Natal e descobre um homem muito, muito velhinho que está a
tirar uma soneca no sofá de sua sala. Mas algo está errado! O
velhote está triste, cansado e diz que não consegue sonhar.
Nada o alegra. Mas, depois de variadíssimas tentativas falhadas
e depois de muito pensar, Max descobre o que pode voltar a
fazer sonhar o Rei dos Brinquedos... Certo é que acaba mesmo
por merecer um beijo do Pai Natal!"

Interesses relacionados