Você está na página 1de 8

Anna Carolina Volpi Mello-Moura

Cacio de Moura-Netto
C
Abílio Albuquerque Maranhão de Moura
Antonio Carlos Guedes-Pinto
A
Fausto Medeiros Mendes
P
Í
T
U
L
O

08

Tratamento
endodôntico
em dentes decíduos
onde estávamos e para onde vamos?

“Infelizmente, o Professor Abílio Albuquerque Maranhão de Moura faleceu


durante a preparação do capítulo. Sentiremos muito a sua falta.”
ANUÁRIO

E
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA A Endodontia moderna está Pesquisa e ensino em Endodontia em dentes em laboratório para conhecerem
em constante atualização e ino- as peculiaridades anatômicas dos
vação, com inúmeras pesquisas decíduos dentes decíduos e saber empregar
buscando melhorar a qualidade O ensino do tratamento endodôntico em dentes decíduos na graduação bem a técnica previamente à ati-
da sanificação, da modelagem e e na pós-graduação sempre foi baseado em aulas teóricas sobre o as- vidade clínica. Isso acaba gerando
do preenchimento do sistema de sunto e complementado com a parte prática da técnica endodôntica du- muita insegurança e dificuldade de
canais radiculares. Entretanto, rante o atendimento de crianças na Clínica Infantil. Ou seja, ao contrário execução entre os alunos de gra-
essa evolução não é notada nas do que ocorre na disciplina de Endodontia, os alunos não são treinados duação, somadas à inexperiência
condutas normalmente realizadas em atender crianças e, em muitos
mbora a educação e a prevenção no contexto na terapia endodôntica de dentes casos, à falta de oportunidade de
da saúde bucal sejam prioritárias na Odonto- decíduos. Embora muitos desses fazer um tratamento endodôntico
logia Contemporânea, as alterações de ordem conhecimentos não sejam novos, de dente decíduo. Nos alunos de
pulpar que acometem os dentes decíduos em aparentemente foram deixados pós-graduação a situação não é
função de lesões de cárie e traumáticas ainda de lado e ficaram esquecidos por diferente. O especialista é formado
são muito frequentes (Figuras 01 e 02). Além grande parte dos profissionais, o sem ter ao menos um treinamento
disso, apesar da prevalência de cárie ter sofrido que demonstra uma falta de ins- mais aprofundado no assunto.
um declínio nos últimos tempos, o comprometi- trução sobre a importância desta
mento do órgão pulpar em decorrência de trau- intervenção no paciente infantil. Com base nisso, vem à tona a
matismos é altamente relevante em crianças e, Ou seja, ao avaliarmos esse fato, questão: porque não melhoramos o
dependendo da extensão das estruturas dentá- notamos que isso catalisou a di- treinamento nessa área?A resposta
rias afetadas, torna-se necessária a realização minuição da qualidade técnica seria teoricamente óbvia: para me-
do tratamento endodôntico21,29. dos tratamentos endodônticos em lhorar precisaria treinar em dentes
dentes decíduos e a pouca quan- 03 04 05 decíduos sem ou com pouca rizó-
tidade de evidências científicas lise. E assim encontramos o maior
relacionadas ao assunto. dos obstáculos para se melhorar o
ensino nessa área: onde encontrar
Dessa forma, é notória a neces- inúmeros dentes decíduos com es-
sidade de mudanças radicais nas sas características? Os bancos de
condutas frente ao tratamento en- dentes certamente não iriam suprir
dodôntico em dentes decíduos com toda a demanda.
o intuito de que os conhecimentos
gerados na área da Endodontia se- 06 07
Baseando-se nessa problemá-
jam aplicados na Odontopediatria. tica, foi desenvolvido um modelo
A Endodontia, na clínica infantil, pedagógico de dentes decíduos
01
deve caminhar para sair do limbo artificiais, constituídos por resi-
científico, onde as pesquisas e a nas sintéticas, retratando a se-
qualidade técnica deixam a desejar melhança aos tecidos dentários.
e evoluir para um novo momento, Além disso, possuem a anatomia
no qual será realizada com critério, interna e o tamanho semelhantes
novos conceitos e técnicas basea- ao dente decíduo natural e são
das em evidências científicas. sensíveis às técnicas radiográfi-
cas e tomográficas12. Assim, a par-
Considerando essa problemática tir desse momento, passa-se a ter
discutiremos a seguir alguns pon- uma opção para solucionar o trei-
tos relacionados a essa questão namento da técnica endodôntica
que refletem como está o atual mo- em dentes decíduos. Entretanto,
02
mento e para onde podemos seguir. é importante que esses modelos
pedagógicos de dentes decíduos
artificiais sejam testados e aper-
08 feiçoados (Figuras 03 a 08).

154 i n t e g r a d a e at u a l 155
ANUÁRIO A pesquisa da Endodontia em dentes decíduos precisa ser melhor con- de furca, reabsorção radicular, espa- neo pulpar de dentes decíduos traumatizados. O resultado é obtido em
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA
duzida pois há necessidade da produção de evidências científicas na área. ço perirradicular, cripta e formação unidades arbitrárias (UA) e pontos de corte estão sendo definidos para se
Consta na literatura apenas uma revisão sistemática sobre terapia pulpar do germe8. Um ponto importante indicar dentes com ou sem vitalidade3, 31.
conservadora em dentes decíduos, o que mostra a necessidade de desen- de ressaltar em relação aos dentes
volver estudos clínicos randomizados para delinear melhor o assunto19. Sen- anteriores diz respeito à sobreposi- Dessa forma, o diagnóstico de necrose pulpar antes do aparecimento
do assim, os dentes artificiais também podem contribuir no desenvolvimen- ção das imagens do ápice do dente de sinais clínicos e radiográficos mais evidentes poderá ser realizado pela
to de pesquisas e construção de evidências. decíduo com o germe do sucessor Fluxometria Laser Doppler. Porém, é importante ressaltar que esse apare-
permanente. Isto dificulta a interpre- lho ainda não é comercializado no Brasil. No entanto, auxilia nas pesqui-
tação para fazer o diagnóstico dife- sas para melhorar a avaliação do clínico que só dispõe do exame clínico
Diagnóstico do estágio de saúde pulpar rencial entre rarefação periapical, e radiográfico3, 31.
Um importante aspecto do tratamento pulpar em dentes decíduos é esta- devido à necrose pulpar, e expansão
belecer o grau de saúde da polpa por meio da avaliação do estágio de in- do folículo do germe do sucessor O diagnóstico pulpar em dentes decíduos traumatizados deve ser cuida-
flamação ou necrose pulpar. Essa situação determinará a melhor forma de permanente (Figuras 11 e 12)1 ,8 , 9,30. doso; na dúvida é realizado o acompanhamento, confirmando a evolução
tratamento do caso8. da necrose pulpar com imagens radiográficas mais nítidas ou algum sinal
Além disso, é importante lembrar clínico. Métodos mais acuráveis devem ser pesquisados e testados para
Por isso é importante saber interpretar os dados relacionados à anam- que se contraindica a realização de comprovação do grau de saúde pulpar em dentes decíduos.
nese, ao exame clínico e exame radiográfico para se poder decidir pelo testes térmicos de percussão em
tipo de tratamento pulpar. dentes decíduos devido à subjeti-
vidade da resposta da criança e da Anatomia e acesso endodôntico
Em relação à anamnese, é importante levar em conta: idade do paciente, possibilidade de se perder o condi- A correta cirurgia de acesso endodôntico e localização dos canais são
condição sistêmica, sintomatologia, tempo decorrido da agressão pulpar, cionamento comportamental8. passos extremamente importantes para o sucesso do tratamento. Entre-
uso de medicamentos1, 8. tanto, são poucos os livros e artigos em Odontopediatria que abordam
Sendo assim, o diagnóstico da saú- o assunto, limitando o aprendizado do odontopediatra. Embora não haja
No exame clínico, podemos dividí-lo em duas partes. A primeira seria o de pulpar dos dentes fica restrito à muitas inovações para se destacar em relação a esse assunto, é importan-
exame do dente onde se observaria a localização da lesão, a quantidade de anamnese, ao exame clínico e ao exa- te resgatar alguns valores da técnica endodôntica em dentes permanentes
remanescente dental e a alteração de cor coronária. A segunda parte seria me radiográfico. Mas, principalmente e aplicá-los nos decíduos. Para isso, antes de se aprofundar na questão
examinar os tecidos de suporte com objetivo de se identificar: abcesso, fís- quando temos um estágio de saúde relacionada à cirurgia de acesso endodôntico em decíduos, é importante
tulas e a coloração do tecido gengival (Figuras 09 e 10)1,8. pulpar irreversível, a falta de acurácia relembrar algumas características anatômicas que são importantes para
desses métodos de diagnóstico pode essa fase do tratamento.
O exame radiográfico também é de grande importância para a conclusão nos trazer dúvidas e erros. Ou seja,
do diagnóstico pulpar. Para isso, ao realizá-lo, deve-se notar: proximidade da a necrose pulpar em dentes decíduos Quando comparamos a anatomia dos dentes decíduos com a dos perma-
lesão de cárie/polpa, rarefação óssea periapical, rarefação óssea na região é detectada após o aparecimento de nentes, verifica-se uma aparente semelhança de forma, mas com diferenças
sequelas como fístula, lesão apical e em alguns detalhes que são de extrema importância no momento de uma
reabsorção externa9. intervenção2,8. A literatura é vasta em relação aos estudos anatômicos dos
dentes permanentes, enquanto carente em relação aos dentes decíduos, sen-
Um método de diagnóstico pul- do dessa forma de grande valia mais pesquisas sobre esse assunto.
par auxiliar não invasivo e mais
objetivo para a avaliação da vitali- Os dentes decíduos possuem dimensões menores do que os correspon-
dade pulpar é a Fluxometria Laser dentes permanentes e, consequentemente, a camada de esmalte e denti-
Doppler. Estão sendo desenvolvidas na é mais delgada. Essa característica facilita a instalação e progressão
09 10
pesquisas no Centro de Trauma de dos processos patológicos. Deve-se considerar também que essa caracte-
Dentes Decíduos da Disciplina de rística ocasiona a redução da distância para a câmara pulpar, o que nos
Odontopediatria da FOUSP utili- obriga a ter mais cuidado durante a cirurgia de acesso.
zando o Fluxômetro Laser Doppler
(Moor Instruments, moorLABTM, Incisivos
Axminster, Inglaterra), laser de
diodo no comprimento de onda de Os oito incisivos superiores e inferiores decíduos possuem canal sempre
780nm, potência de 1mW e frequ- único e uniforme, com ligeira constrição entre a câmara pulpar e o canal
ência de corte do sinal Doppler em radicular, principalmente quando o dente é visto no sentido mésio-distal. A
11 12 15 kHz, para medir o fluxo sanguí- raiz pode ser cônica, conoide ou piramidal-triangular. O forame apical geral-

156 i n t e g r a d a e at u a l 157
ANUÁRIO de secção ovalar e triangular. Suas ou totalmente. Podem ter três canais Para realizar a cirurgia de aces- lar para os incisivos e losango para Eliminar todo o teto e os resíduos

ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA
faces proximais são sulcadas e independentes ou quatro canais, so, alguns pontos devem ser con- os caninos. E, em razão do estrei- da câmara pulpar tais como restos de
com o terço apical frequentemente sendo dois na mesial, apresentando siderados pois, caso não seja feita tamento abrupto do colo, confere tecido pulpar, áreas de calcificação
mente está localizado ao redor do desviado para a vestibular, medin- muitos canais acessórios. O compri- com critério, haverá dificuldade pa- a necessidade de uma abertura e restos de materiais endodônticos
ápice anatômico da raiz, sendo que o do de 12-14 mm, em média, antes mento radicular dos segundos mola- ra se acessar o sistema de canais, mais ampla, com as paredes cir- quando o dente já sofreu uma inter-
posicionamento desse é alterado no do início da rizólise. Os caninos in- res varia de 16,5 – 18,5 mm7, 24, 27. remover interferências, promover cundantes ao preparo mais expul- venção. Se o teto da câmara não é
decorrer da rizólise.Não se observa a feriores diferem apenas por terem a desinfecção e, posteriormente, sivas (Figura 13). completamente removido, não será
presença de canais acessórios e na raízes mais curtas e medindo de 11 Os primeiros molares inferiores obturar de forma satisfatória a ca- possível realizar a limpeza adequada
maior parte dos casos os incisivos a 13 mm7, 24, 27. possuem duas raízes- uma mesial vidade endodôntica. Molares da região coronária, o que poderá im-
apresentam uma curvatura para a e uma distal-geminadas duas a du- plicar na contaminação ou infecção
face vestibular no terço final da raiz, Molares as e muito divergentes. São mui- A cirurgia de acesso é realizada No que se refere à cirurgia de acesso do espaço endodôntico e na alteração
relacionada com a pressão exercida to longas e delgadas, fortemente com broca esférica diamantada de dos molares superiores e inferiores, cromática do dente endodonticamen-
pelo sucessor permanente. Cortes Além da menor espessura de es- achatadas no sentido médio-distal. diâmetro compatível com o dente devemos lembrar que o ponto de te tratado, causando prejuízo estético
transversais das raízes dos incisivos malte e dentina, deve-se conside- A raiz mesial é sempre a mais de- para trepanação na cavidade pul- eleição deve ser na fosseta central principalmente nos dentes anteriores.
mostram que a anatomia do canal rar também que essa característi- senvolvida e de forma triangular. par. Após isso, utiliza-se broca tron- e a direção de trepanação para a re-
radicular varia de oval para redonda, ca irá gerar a redução da distância Normalmente possuem 3 canais (1 co-cônica sem corte na ponta para gião de maior volume pulpar, sendo  Permitir uma visão completa e

podendo chegar a triangular11, 24, 27. teto-assoalho nos molares decídu- na distal e 2 na mesial), sendo que a determinação da forma de contor- a palatina nos superiores e a distal direta do assoalho da câmara pulpar
os7, 24. Devemos, então, ter mais a raiz mesial, muitas vezes, possui no e de conveniência. nos inferiores. A forma de conveni- e das entradas dos canais radicula-
Em relação os incisivos centrais cuidado durante a cirurgia de dois canais confluentes no ápice e ência é dada por pontos delimitados res e facilidade na introdução de ins-
superiores decíduos, as raízes acesso para não gerar perfurações que deixam a câmara pulpar através Anteriores pelas entradas dos canais no asso- trumentos dentro do canal. Dessa
possuem um ligeiro achatamen- no assoalho pulpar. do orifício comum. O canal distal alho pulpar, sendo predominante- forma, a extensão total do assoalho
to no sentido vestíbulo-lingual e o é constrito no centro, embora tam- A cirurgia de acesso dos dentes mente triangular nos superiores e convexo deve ser visualizada. Isso
comprimento radicular varia de 16 Os primeiros molares superiores bém possam aparecer dois canais anteriores decíduos segue alguns trapezoidal nos inferiores. O estrei- se aplica principalmente nos dentes
a 17 mm antes do início da rizó- decíduos possuem, normalmente, nessa raiz. Tem-se como média de padrões muito semelhantes aos tamento do colo também acontece posteriores, onde o assoalho mostra
lise. Os incisivos laterais superio- três canais que acompanham o con- comprimento para as raízes dos pri- permanentes. O ponto de eleição nesse grupo de dentes promovendo, sulcos naturais até que os orifícios
res, por sua vez, possuem a raiz torno geral das raízes, sendo a raiz meiros molares inferiores decíduos se dá na região do cíngulo, situa- portanto, uma abertura coronária dos canais sejam localizados. Essa
achatada do sentido mésio-distal palatina a mais comprida e volumo- para o mésio-vestibular de 15-17 da nas faces palatina ou lingual. mais ampla (Figuras 14 e 15)4. característica da cirurgia de aces-
e comprimento radicular variando sa e a mésio-vestibular com forma mm, mésio-lingual de 9 a 15 mm, A direção de trepanação deve ser so endodôntica é dada, sobretudo,
de 14-16 mm7, 24, 27. triangular e maior do que a distal. disto-vestibular de 12 a 15 mm e dis- perpendicular às paredes lingual Independente do grupo dental, pela chamada forma de conveni-
Em 45% dos casos, pode haver o to-lingual de 10 -15 mm7, 24, 27. ou palatina e a forma de conveni- existem alguns requisitos que de- ência, onde as paredes do preparo
Os incisivos centrais inferiores fusionamento das raízes vestíbulo- ência deve reproduzir a anatomia vem ser verificados para uma cor- possuem expulsividade, facilitando
decíduos são os menores dos inci- -distal com a palatina A maioria dos Finalmente, nos segundos mo- externa do dente, ou seja, triangu- reta cirurgia de acesso4: assim a visualização.
sivos, com a raiz muito achatada dentes desse grupo mostra a exis- lares decíduos inferiores, temos
no sentido mésio-distal e compri- tência de três canais independen- a conformação das raízes seme-
mento variando de 9 a 11 mm. Já tes, entretanto, pode aparecer uma lhante a dos dentes permanentes,
os laterais inferiores decíduos pos- conexão simples de origem comum com raízes distintas na mesial e
suem raiz conoide, pouco achata- dos dois canais distais e lingual em distal. Essas são triangulares, lon-
da no sentido mésio-distal, e com dois deles e uma conexão através de gas, achatadas no sentido mésio-
terço apical inclinado para a lin- canais intercomunicantes entre os -distal. Possuem, frequentemen-
gual em 100% dos casos. O com- outros dois. O comprimento dos pri- te, 3 canais (2 na mesial e 1 na
primento varia de 10-12 mm7, 24, 27. meiros molares superiores decíduos distal) ou 2 canais (um na mesial
varia de 8- 10,5 mm7, 24, 27. bifurcado no terço médio da raiz
Caninos e um na distal), além da presen-
Os segundos molares decíduos ça de inúmeros canais formando
Os caninos decíduos possuem um superiores possuem semelhança no uma rede de intercanais. Em re-
canal sempre único, podendo apre- número de raízes com o primeiro mo- lação ao comprimento radicular,
sentar delta apical e ligeira constri- lar superior, entretanto as raízes são temos: mésio-vestibular de 15-17
ção cervical. As raízes dos caninos mais longas e escavadas. A raiz pa- mm, mésio-lingual de 11-16mm,
decíduos superiores possuem for- latina e a disto-vestibular, frequente- disto-vestibular de 13-16 mm e
ma cônica ou prismático-triangular, mente, apresentam-se unidas parcial disto-lingual de 12-16 mm 7, 24, 27. 13 14 15

158 i n t e g r a d a e at u a l 159
ANUÁRIO tornando-o impreciso na determi- confiança é o uso do localizador fora- sa oral e a periodontal passa a ser
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA Determinação do comprimento radicular
nação da região do bisel da rizólise. minal eletrônico. Esse método possui equivalente nesse momento, e as-
Alguns mitos sustentaram por muito tempo a conduta de que o tratamento A segunda técnica ainda resulta na grande popularidade no tratamento sim o mostrador indica o término do
Após a realização do acesso endo- endodôntico dos dentes decíduos se limita apenas à manipulação da câmara necessidade de mais de uma to- de dentes permanentes, já com algu- canal radicular22.
dôntico, uma sonda endodôntica de pulpar. O maior deles era de que a lima introduzida no interior do canal radi- mada radiográfica para se estimar mas evidências científicas também
ponta reta deverá ser utilizada para a cular poderia facilmente atingir o germe do sucessor permanente, lesando-o. o comprimento de trabalho radicu- em dentes decíduos, mostrando re- A utilização dos localizadores fo-
localização dos canais. Feito isso, se- lar15. Além disso, expõe o paciente sultados superiores quando compa- raminais em crianças traz vantagens
gue um passo que diferencia muito Entretanto, esse mito pode ser facilmente derrubado desde que a manipu- a radiações ionizantes, aumenta o rados aos métodos convencionais6-13. como: diminuição do tempo clínico,
a adequada finalização ao acesso dos lação dos canais radiculares seja efetuada dentro de limites de segurança, tempo clínico e necessita de uma aumento do conforto do paciente,
canais: o preparo da entrada do canal protegendo assim o germe do sucessor permanente. maior cooperação comportamental Os localizadores foraminais são menor necessidade de cooperação
ou a remoção das interferências. Ao da criança. O comportamento da aparelhos baseados em princípios comportamental da criança e me-
contrário dos permanentes, esse pas- A área de trabalho endodôntica é obtida por meio da mensuração do ca- criança e o tamanho reduzido da elétricos que podem detectar o limi- lhor precisão na localização do limi-
so não é descrito na técnica endodôn- nal radicular do dente decíduo, levando-se em conta o limite do bisel da cavidade bucal, associados à ne- te entre o endodonto e o periodon- te apical5-13. Além disso, dentes com
tica para decíduos. Mas, ao utilizá-lo, rizólise, procedimento esse denominado odontometria1. cessidade do isolamento absoluto, to26. Um pólo localizador é colocado processos reabsortivos podem ser
nota-se o quanto facilita os passos téc- tornam a tomada radiográfica com em contato com a mucosa oral, por tratados com mais segurança uma
nicos já que a entrada dos canais nor- A determinação da odontometria em dentes decíduos tem sido, basica- uma lima no interior do canal uma meio da alça labial, e outro pólo co- vez que o risco de agressão ao germe
malmente é mais achatada e, às vezes, mente, executada das seguintes formas: obtida pela mensuração radicular técnica muito complicada. nectado ao instrumento endodônti- permanente fica diminuto28. Muitos
pode estar obstruída. Dessa forma, su- por meio da radiografia de diagnóstico com o auxílio de uma régua milime- co. Quando a lima é introduzida no estudos têm avaliado a acurácia de
gere-se preparar a entrada dos canais trada transparente (método mais empregado pelos odontopediatras - Figura Uma alternativa extremamente interior do canal radicular e alcança métodos eletrônicos em dentes per-
com brocas de Gates-Glidden (#1 e 2) 19)10 ou, ainda, por meio da radiografia da confirmação da odontometria, válida para se obter o comprimento o tecido periodontal, o circuito se manentes, mas poucos estudos em
ou, ainda, pontas ultrassônicas endo- com o instrumento introduzido no interior do canal (Figura 20)1. Todavia, radicular de trabalho em dentes de- fecha. A resistência programada no dentes decíduos, sendo a maioria de-
dônticas (Figuras 16 a 18). ambas as técnicas têm a desvantagem de ser um exame bidimensional, cíduos com maior precisão, rapidez e aparelho e a existente entre a muco- les in vitro (Figuras 21 e 22).

16 17 19

18 20 21 22

160 i n t e g r a d a e at u a l 161
ANUÁRIO do tipo Kerr (lima inicial mais duas diferenciadas, entre elas: efeito me- guta-percha, e sim apenas uma tação de oscilação de 30o). Esse sis- Independente da técnica de instru-
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA
subsequentes). O processo de lim- mória de forma, superelasticidade, pasta obturadora. Deve-se levar em tema de instrumentação oscilatória mentação utilizada, deve-se também
peza esgota-se quando, após o uso resistência à fadiga e extrema fle- conta também as peculiaridades respeita melhor a anatomia dos den- otimizar a irrigação do sistema de
Preparo endodôntico do último instrumento, as substân- xibilidade. Alguns trabalhos in vitro anatômicas dessa região. O bisel tes, por isso essa técnica também é canais. As cânulas metálicas antiga-
cias químicas apresentam-se sem foram realizados com esse tipo de da rizólise no terço apical de den- chamada de tratamento endodônti- mente utilizadas muitas vezes não
Realizado o devido acesso e a de- nenhuma turvação (Figura 23A-C). instrumentação e mostraram van- tes decíduos, sendo alargado pelo co anatômico (AET – Anatomic En- se adaptam ao formato anatômico
terminação do limite de tratamento, tagens como diminuição do tempo preparo rotatório, certamente faci- dodontic Treatment). O diferencial da entrada dos canais devido ao seu
procede-se ao preparo do sistema Atualmente a mecanização do clínico e preparo com maior conici- litaria um grande extravasamento desse sistema está nos instrumen- grande calibre. Uma alternativa para
de canais radiculares. Convencio- preparo do canal radicular é uma dade6.25 (Figura 24). Porém, a exem- da pasta obturadora pelos tecidos tos que se baseiam na variação de isso é utilizar seringas com pontas de
nalmente, o assunto instrumenta- realidade na Endodontia de dentes plo da instrumentação manual, os periapicais e para o germe do su- conicidade e não no aumento do irrigação finas e maleáveis, como as
ção dos canais radiculares em den- permanentes, promovendo um pre- sistemas rotatórios têm a finalida- cessor permanente. diâmetro da ponta ativa. Composto Navitips e Endo-EZE Irrigator (Ultradent
tes decíduos não é muito discutido, paro mais rápido, eficiente e reduzin- de de alargamento de todo o canal por 4 instrumentos de aço inoxidá- products) e pontas para aspiração pe-
principalmente devido ao mito já do o tempo clínico e o esforço físico radicular, inclusive do terço apical. Analisando as necessidades es- vel e com secção quadrangular (S1, quenas, mas calibrosas - White Macs
abordado anteriormente sobre os do profissional. Por essas razões, é No tratamento endodôntico de den- pecíficas da terapia endodôntica de S2, S3 e S4), com diâmetros de 0,10; (Ultradent products)32 (Figura 26).
possíveis riscos da instrumentação extremamente válida a tentativa de tes permanentes essa caracterís- dentes decíduos, na qual se almeja 0,13; 0,13 e 0,13 mm e de conicida-
em dentes decíduos. Porém, ao der- adequar os sistemas de preparo au- tica é essencial para um bom pre- uma sanificação e modelagem de to- des 0,025; 0,035; 0,045 e 0,060, res- No tratamento endodôntico de
rubarmos tal mito, nos deparamos tomatizado para a Odontopediatria. paro já que a correta conformação do o conduto, mas sem causar alar- pectivamente. Ou seja, durante todo dentes decíduos, a fase do preparo
com a necessidade de se aperfeiço- do limite apical viabilizará uma boa gamento do limite apical, outra téc- o preparo do canal, a variação do provavelmente é a parte mais defa-
ar a técnica endodôntica em dentes Um das opções para mecaniza- adaptação do cone obturador e, por nica mecanizada pode ser proposta. diâmetro da ponta é de apenas 0,03 sada quando comparada à evolução
decíduos, buscando novas propos- ção do preparo do canal em dentes conseguinte, um melhor vedamen- mm, enquanto que a conicidade na Endodontia de dentes perma-
tas de sanificação e modelagem que decíduos seria a utilização dos sis- to apical. Já em Odontopediatria o Essa técnica é conhecida como aumenta mais do que o dobro. Isso nentes. Isso nos incita a tentar dei-
sejam compatíveis às característi- temas rotatórios. Esses são com- alargamento da porção apical do sistema EndoEZE AET (Ultradent confere um preparo mais adequado xar os conceitos antigos na busca
cas anátomo-patológicas inerentes postos por limas formadas por li- canal é contraindicado uma vez Products), que utiliza limas especiais em Odontopediatria, que modela do aumento de qualidade, trazendo
a esses dentes. gas de níquel-titânio (NiTi). As ligas que não se utiliza um material só- de aço inoxidável acopladas a um bem o terço cervical e médio e pre- novas alternativas para serem testa-
de NiTi apresentam características lido obturador, como os cones de contra-ângulo oscilatório (movimen- serva o terço apical20,23,33 (Figura 25). das e estudadas.
Em Odontopediatria, as primei-
ras técnicas endodônticas preco-
nizavam somente a manipulação
da câmara pulpar, dispensando a
instrumentação dos condutos radi-
culares e baseando-se quase que,
exclusivamente, na ação dos medi-
camentos para promover a desin-
fecção dos mesmos.

Todavia, quando se entende a im-


portância de descontaminar todo o
endodonto, o profissional usualmen-
te opta pela instrumentação manual
dos canais radiculares. A técnica de
instrumentação manual em dentes
decíduos, geralmente, é realizada
em sessão única, obedecendo aos
seguintes passos8: anestesia, isola-
mento absoluto, remoção do tecido
cariado, abertura da câmara pul-
par coronária, instrumentação com
associação de líquido de Dakin e
Endo PTC. O preparo dos canais é
executado com limas endodônticas 23A 23B 23C 24 25 26

162 i n t e g r a d a e at u a l 163
ANUÁRIO
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA Obturação C OMO PADRONI Z AR A PGP ?

preenchimento da cavidade endodôntica 1g Pasta Guedes-Pinto =

Antes de proceder à obturação, os condutos são secos com cones de papel


estéreis. Entretanto, pontas de aspiração fina podem ser utilizadas para oti-
mizar esse passo técnico, como as Capillary tips (Ultradent products)32.
1 cm
Para a obturação pode ser utilizada a Pasta Guedes-Pinto, que será feita
da seguinte forma: 1cm de um tubete de anestésico com iodofórmio, 1 cm
de Rifocort e 2 gotas de PMCC5,17-8. A pasta será manipulada em uma placa
de vidro tendo seus componentes associados até a completa homogeneiza-
ção (Figuras 27 e 28). Será introduzida no canal, com o auxílio de uma lima,
que deve girar no sentido horário e puxar, para que o material seja deposi-
tado no interior do canal. Para dentes anteriores pode-se utilizar a broca
Lentulo; em caso de extravasamento não há necessidade de se preocupar
pois a mesma é reabsorvível.

Após a colocação da pasta, acrescenta-se uma camada de guta-percha


com o auxílio de um condensador de amálgama de diâmetro compatível
com a cavidade e preenche-se a câmara pulpar com cimento provisório,
preparando o dente para receber uma restauração definitiva. Por último
realiza-se uma radiografia final para controle da obturação. 27

O caso deve ser monitorado clínica e radiograficamente após 1 semana,


15 dias, 1 mês, 3 meses, 6 meses, 12 meses, 18 e 24 meses.

Em relação aos materiais de preenchimento endodôntico, seria in-


teressante buscar por materiais que viessem com seus componentes
já associados e em uma seringa que facilitasse a introdução no canal.
Em relação à Pasta Guedes-Pinto, tem se buscado essa alternativa. En-
quanto ainda não temos a Pasta Guedes-Pinto já com os componentes
associado pode-se utilizar a seringa Skini com a Capillary tips (Ultra-
dent products) (Figuras 29 e 30), que tem sido bastante útil para auxiliar
na obturação.

28 29

30

164 i n t e g r a d a e at u a l 165
ANUÁRIO Referências Bibliográficas
ODONTOPEDIATRIA CLÍNICA
1. Assed S, Freitas AC, Silva LA, Nelson-Filho 10. Guedes-Pinto AC, Paiva JG, Bozzola 20. Palo RM, Paradella TC, Faria R, Valera 30. Wanderley MT, Mello-Moura ACV, Mou-
P. Tratamento endodôntico em dentes de- JR.Tratamento endodôntico de dentes de- MC, Araújo MAM. Avaliação do desgaste ra-Neto C, Bonini GAVC, Cadioli IC, Proko-
cíduos. In: Leonardo MR. Endodontia: tra- cíduos com polpa mortificada.Rev Assoc das paredes internas de canais radiculares powitsch I. ,Lesões traumáticas em dentes
tamento de canais radiculares princípios Paul Cir Dent 1981;35(3):240-245. de molares. Revista Associação Paulista decíduos e permanentes. In Guedes-Pinto
técnicos e biológicos. 4º ed. São Paulo: dos Cirurgiões-dentistas. 2005; 60(5): 375-8. AC. Odontopediatria. 8.ed. São Paulo: San-
Editora Artes Médicas; 2005. p.167-232. 11. Goerig A, Camp JH. Root canal treat- tos, 2010. p.712-64.
ment in primary teeth: a review. Pediatr- 21. Piovesan C, Mendes FM, Ferreira FV,
2. Brabant H. Comparasion of the charac- Dent 1983;5(1):33-7. Guedes RS, Ardenghi TM. Socioeconomic 31. Wanderley MT. Avaliação dos métodos
teristics and anomalies of the deciduous inequalities in the distribution of dental ca- de diagnóstico pulpar em dentes decídu-
and permanent dentition. J Dent Res 12. Imparato JCP, Silva SE, Mori I. Mode- ries in Brazilian preschool children. J Public os traumatizados. [Tese de Doutorado].
1967;46:897-902. los pedagógicos de dentes decíduos arti- Health Dent. 2010 (Epub ahead of print). São Paulo: Faculdade de Odontologia da
ficiais. Pedido de patente depositado no USP; 2004.
3. Cadioli IC. Avaliação da utilização do INPI(Processo número 15849). 22. Oishi A, Yoshioda T, Kobayashi C, Suda
fluxômetro laser doppler como método H. Eletronic detection or root canal con- 32. Zmener O, Pameijer CH, Serrano SA,
auxiliar de diagnóstico pulpar em dentes 13. Katz A, Mass E, Kaufman AY. Electronic trictions. J Endod. 2002; 28(5): 361-64. Palo RM, Iglesias EF Efficacy of the Navi-
decíduos [Monografia de Especialização] apex locator: a useful tool for root canal Tip FX irrigation needle in removing post
[CD-ROM]. São Paulo: Faculdade de Odon- treatment in the primary dentition. ASDC 23. Rasquin LC, de Carvalho FB, Lima RK. instrumentation canal smear layer and de-
tologia da USP; 2005. J Dent Child. 1996;63: 414–7. In vitro evaluation of root canal prepara- bris in curved root canals. J Endod. 2009
tion using oscillatory and rotary systems in Sep;35(9):1270-3. Epub 2009 Junho.
4. Castellucci A. Access Cavity and Endo- 14. Kielbassa AM, Muller U, Munz I, Monting flattened root canals.JAppl Oral Sci. 2007
dontic Anatomy. In: Endodontics. 2 ed, Tri- JS. Clinical evaluation of measuring accu- Feb;15(1):65-9. 33. Mello-Moura ACV. Performance de dife-
dente, 2002. racy of Root ZX in primary teeth.Oral Surg rentes métodos de instrumentação radicu-
Oral Med Oral Pathol. 2003; 95(1): (94-100). 24. Salama FS, Anderson RW, McKnight- lar em dentes decíduos naturais e artificiais
5. Cerqueira DF, Mello-Moura ACV, San- -Hanes C, Barenie JT, Myers DR. Anatomy avaliados pela tomografia computadoriza-
tos EM, Guedes-Pinto AC. Cytotoxity, his- 15. Mente J, Seidel J, Buchalla W, Koch MJ. of primary incisor and molar root canals. da por feixe cônico. Tese (Doutorado). Fa-
topathological and clinical aspects of an Electronic determination of root canal leng- Pediatr Dent 1992;14(2):117 -8. culdade de Odontologia da Universidade de
endodontic iodoform-based paste used in th in primary teeth with and without root re- São Paulo. São Paulo, 2011.
pediatric dentistry. J Clin Ped Dent. 2007; sorption.Int Endod J. 2002; 35, 447–52. 25. Silva LAB, Leonardo MR, Nelson-Filho
32(2):105-10. P, Tanomaru JMG.Comparison of Rotary
16. Mello-Moura ACV, Moura-Netto C, Araki and Manual Instrumentation Techniques
6. Crespo S, Cortes O, Garcia C, Perez AT, Guedes-Pinto ACV, Mendes FM. Ex vivo on Cleaning Capacity and Instrumentation
L.Comparison between rotary and manual performance of five methods for root canal Time in Deciduous Molars. Journal of Den-
instrumentation in primary teeth.JClinPe- length determination in primary anterior tistry for children. 2004; 71(1): 45-47.
diatr Dent.2008 32(4):295-8. teeth. 2010; 43:143-7.
26. Subramanian P, Konde S, MandannaD.
7. Della Serra O, Ferreira FV. Dentes decí- 17. Mello-Moura ACV, Fanaro JB. Nicolle- An in vitro comparasion of root canal mea-
duos. In: Della Serra O, Ferreira FV. Ana- ti, MA, Wanderley MT, Guedes-Pinto AC, surent in primary teeth. J Ind Soc PedPrev
tomia dental, 5 ed,São Paulo:Artes Médi- Mendes FM. Proportion variability of the Dent 2005; 23(3).
cas,1976. iodoform-based Guedes-Pinto paste com-
ponents mixed by undergraduate dentistry 27. Toledo, OA. Topografia canalicular dos
8. Guedes-Pinto AC. Santos EM Tratamen- students and pediatric dentists. Ind J Dent dentes decíduos como contra-indicação dos
to Endodôntico em Dentes Decíduos. In Res (in press). tratamentos dos canais radiculares. Rev. As-
Guedes-Pinto, A.C. Odontopediatria. 8a ed. soc Paul Cirurg Dent 1961;15(1): 24-28.
São Paulo:Editora Santos; 2010. p. 589-612. 18. Mello-Moura ACV, Cerqueira DF, San-
tos EM. Pasta Guedes-Pinto – Revisão de li- 28. Tosun G, Erdemir A, Eldeniz AU, Ser-
9. Guedes-Pinto AC, Wanderley MT, Cadioli teratura:26 anos de estudos citotóxicos, hi met U, Sener Y. Accuracy of two electronic
IC, Mello-Moura ACV. Abordagem integral stopatológicos,microbiológicos e clínicos. apex location in primary teeth with and wi-
do traumatismo na dentição decídua. In: Revv Pos Grad 2007; 14(3):264-70. thout apical resorption: a laboratory study.
(Coord.) Baldacci Filho R, Macedo MCS. I Endod J. 2008; 41: 436-41.
250 CIOSP – Atualização Clínica em Odon- 19. Nadin G, Goel BR, Yeung CA, Glenny
tologia. Artes Médicas: São Paulo, 2007; AM. Pulp treatment for extensive decay 29. Vasconcelos Cunha Bonini GA, Marce-
cap 17, p.413-35. in primary teeth. Cochrane Database Syst nes W, Oliveira LB, Sheiham A, Bönecker M.
Rev. 2003;(1):CD003220. Trends in the prevalence of traumatic dental
injuries in Brazilian preschool children.Dent-
Traumatol. 2009 Dec;25(6):594-8. 2009.

166 i n t e g r a d a e at u a l 167