Você está na página 1de 4

QUESTÕES SOCIOLOGIA

1. (Ufub) De acordo com a teoria de Marx, a desigualdade social explica-se:

a) Pela distribuição da riqueza de acordo com o esforço de cada um no desempenho de seu


trabalho.
b) Pela divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não
proprietários dos meios de produção.
c) Pelas diferenças de inteligência e habilidade inatas dos indivíduos, determinadas
biologicamente.
d) Pela apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contextos
históricos, marcados pela igualdade de oportunidades.

2. Os estamentos foram a forma de organização social de um grande número de civilizações


no mundo antigo. As divisões que compunham o sistema de estamentos visto no Feudalismo
europeu eram:

a) O Rei, a nobreza e os servos.


b) O Rei, o clero e os servos.
c) A nobreza, o clero e os servos.
d) Os escravos, o clero e a nobreza.

3. Os sistemas de estratificação estão divididos em quatro tipos diferentes:

a) a escravidão, a casta, o estamento e a classe.


b) As castas, os estamentos, a democracia e as classes.
c) a escravidão, a servidão, o estamento e a classe.
d) a escravidão, a casta, o regimentalismo e a classe.

4. (ENEM/2010) Homens da Inglaterra, por que arar para os senhores que vos mantêm na
miséria? Por que tecer com esforços e cuidado as ricas roupas que vossos tiranos vestem?
Por que alimentar, vestir e poupar do berço até o túmulo esses parasitas ingratos que
exploram vosso suor — ah, que bebem vosso sangue?
(SHELLEY. “Os homens da Inglaterra’. Apud HUBERMAN, L. In: História da Riqueza do
Homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.)

A análise do trecho permite identificar que o poeta romântico Shelley (1792-1822) registrou
uma contradição nas condições socioeconômicas da nascente classe trabalhadora inglesa
durante a Revolução Industrial. Tal contradição está identificada:

a) na pobreza dos empregados, que estava dissociada da riqueza dos patrões.


b) no salário dos operários, que era proporcional aos seus esforços nas indústrias.
c)na burguesia, que tinha seus negócios financiados pelo proletariado.
d)no trabalho, que era considerado uma garantia de liberdade.
e)na riqueza, que não era usufruída por aqueles que a produziam.

5. (UENP/2011) “A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem e


consolidam a partir de estruturas, agentes e processos que lhes dão forma histórica concreta.
Os países e regiões da América Latina moldaram, desde os tempos coloniais até nossos dias,
expressões desses fenômenos sociais que, embora apresentem as peculiaridades próprias de
cada contexto histórico e geográfico, compartilham um traço em comum: altíssimos níveis
de pobreza e desigualdade que condicionam a vida política, econômica, social e cultural. O
conceito de construção é praticamente similar ao de produção, sendo utilizado aqui para
enfatizar que a pobreza é o resultado da ação concreta de agentes e processos que atuam
em contextos estruturais históricos de longo prazo.”
(Produção de pobreza e desigualdade na América Latina. Antonio David Cattani, Alberto D.
Cimadamore (orgs.) ; tradução: Ernani Ssó. — Porto Alegre : Tomo Editorial/Clacso, 2007,
p.07.)

De acordo com o texto é correto afirmar:

a)A pobreza sempre existiu e é da natureza das sociedades organizadas que ela ocorra.
b)A pobreza não pode ser considerada característica presente em toda a América Latina.
c)A desigualdade social não condiciona a vida política, econômica, social ou cultural.
d)A pobreza não pode ser considerada fruto da desigualdade.
e)A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem na história e por isso
são absolutamente reversíveis.

6. (UPE/2013) As desigualdades sociais no Brasil têm muitas causas e geram várias


consequências. Historicamente, elas iniciaram seu desenvolvimento com a chegada dos
portugueses. A Sociologia vem estudando as diferenças sociais entre os brasileiros, em
diversos aspectos. Sobre esse assunto, assinale a alternativa CORRETA.

a)As condições de miserabilidade da população estão ligadas prioritariamente aos péssimos


salários pagos.
b)A relação entre desigualdades e questões raciais no Brasil é um tema histórico. Por essa razão,
tornou-se preocupação dos estudos sociológicos a partir da década de 1990.
c)A noção da pobreza frente às desigualdades sociais no país revela concepções com enfoques no
aumento do enriquecimento, do desenvolvimento industrial e da privação relativa.
d)O setor informal é outro fator indicador de condições de reprodução capitalista no Brasil. Os
camelôs e vendedores ambulantes são trabalhadores, que não estão juridicamente
regulamentados, mas que revelam a especificidade da economia brasileira.
e) Os programas assistenciais (Bolsa-Família, Fome Zero e outros tantos) do governo brasileiro
avançaram, mas os índices de pobreza não diminuíram.
7. A respeito da distribuição das pessoas em situação de pobreza no país, assinale a
alternativa correta.

a) A pobreza está concentrada exclusivamente em estados da região norte e nordeste do país.


b) Nas regiões sul, sudeste e litoral brasileiros, a questão da pobreza já foi superada, pois não há
mais números significativos de pessoas em situação de pobreza.
c) Praticamente todos os municípios brasileiros, principalmente as periferias dos grandes centros
metropolitanos, contam com pessoas abaixo da linha da pobreza.
d) A pobreza está concentrada em poucas cidades do país. Na maior parte dos municípios
brasileiros, essa situação é inexistente.
e) A maior parte das pessoas em situação de pobreza é encontrada em pequenas cidades e
propriedades rurais isoladas.

8. (Uffs 2011) Ao relacionar Sociologia e Política, temos o pensador Jean-Jacques Rousseau


como um expoente do iluminismo do século XVIII. Esse autor, com muita propriedade,
analisou as origens das desigualdades existentes na sociedade de sua época e, segundo ele, a
espécie humana apresentava dois tipos de desigualdade:

a) Uma, que chamava de espiritual, porque o ser humano sempre se orientou pela necessidade
religiosa de adoração ao divino. Outra pela desigualdade produzida pela luta do homem pela
sobrevivência.
b) Uma, que apontava como natural, visto que os seres humanos são dotados de diferenças físicas
que muitas vezes são determinantes de sucesso. Outra relacionada à questão psicológica, pois os
homens naturalmente são diferentes de mulheres, orientando diferenças inatas de comportamento
social.
c) Uma, que chamava de espiritual ou gnosiológica, pois a espiritualidade humana acabava por
moldar a cultura do homem diferente da cultura animal. Outra que ele designou como diferença
cultural, pois a cultura é genuinamente humana.
d) A desigualdade provocada por fenômenos naturais que acabava por orientar diferenças culturais
das sociedades ainda pré-históricas e a desigualdade promovida pela luta do homem pela
sobrevivência, visto que essa luta representou a evolução do ser humano até os dias de hoje.
e) Uma, que chamava natural ou física, porque foi estabelecida pela natureza e que consiste na
diferença das idades, da saúde, das forças corporais e das qualidades da alma. Outra, que se pode
chamar de desigualdade moral ou política, pois depende de uma espécie de convenção e foi
estabelecida pelo consentimento dos homens.

9. Entre os fenômenos sociais estudados pela Sociologia, a mobilidade social é um indicador


do nível de desigualdade e de mudança social. Sabendo disso, ao falarmos em mobilidade
social, estamos nos referindo:

a) à frequência com a qual as famílias de uma sociedade deslocam-se ou mudam suas residências
em um determinado período de tempo.
b) ao número de migrantes e imigrantes que passam pelo território de um país em determinado
tempo. Assim, quanto maior for o número de migrantes e imigrantes, mais “movimentada” uma
sociedade será.
c) ao índice de pessoas que conseguem ascender ou que caem na escala socioeconômica de uma
sociedade, observando os meios e os mecanismos que os indivíduos dispõem para tanto.
d) ao desenvolvimento dos meios de transporte públicos responsáveis pela movimentação das
pessoas em uma sociedade justa e desenvolvida.
e) à quantidade de carros ou veículos que circulam em uma cidade, tendo em mente que, quanto
maior for a quantidade de veículos em uma cidade, mais móvel ela se tornará.

10. (UEL 2007) De acordo com Octavio Ianni: “Para melhor compreender o processo de
estratificação social, enquanto processo estrutural, convém partirmos do princípio. Isto é,
precisamos compreender que a maneira pela qual se estratifica uma sociedade depende da
maneira pela qual os homens se reproduzem socialmente”. Fonte: IANNI, O. Estrutura e
História. In IANNI, Octavio (org). Teorias da Estratificação Social: leitura de sociologia. São
Paulo: Cia. Editora Nacional, 1978, p. 11.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre estratificação social, considere as afirmativas
a seguir:

I. Os estamentos são formas de estratificação baseadas em categorias socioculturais como tradição,


linhagem, vassalagem, honra e cavalheirismo.
II. As classes sociais são formas de estratificação baseadas em renda, religião, raça e
hereditariedade.
III. As mudanças sociais estruturais ocorrem quando há mudanças significativas na organização da
produção e na divisão social do trabalho.
IV. As castas são formas de estratificação social baseadas na propriedade dos meios de produção e
da força de trabalho.

A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é:

a) I e II
b) I e III
c) II e III
d) I, II e IV
e) II, III e IV