Você está na página 1de 2

Abordagem Centrada na Pessoa (Rogers)

Informações iniciais
• O foco principal de Rogers residia no processo da psicoterapia.
• Sua teoria da personalidade é um produto de sua teoria psicoterápica.
• A abordagem enfatiza as percepções, os sentimentos, as auto avaliações subjetiva, a auto realização e o processo de mudança.
• Rogers enfatizava as qualidades positivas e de auto realização da pessoa.
• Rogers minimizava os aspectos de redução da tensão do comportamento e, ao invés disso, enfatizava a auto realização como motivo humano central.
• A auto realização envolve a abertura contínua à experiência e a capacidade de integrar experiências em um senso de self mais amplo e diferenciado.

Principais conceitos
Abordagem fenomenológica: enfoca a maneira como a pessoa percebe e experimenta o self e o mundo.

Autoconceito: percepções e significado associado ao self, a mim ou ao eu.

Campo fenomenal: A forma de o indivíduo perceber e experimentar o seu mundo.

Self ideal: O autoconceito que o indivíduo mais gostaria de possuir.

Classificação Q: Dispositivo de avaliação; o sujeito separa afirmações em categorias que seguem uma distribuição normal. Utilizado como medida de
afirmações com relação ao self e ao self ideal.

Auto realização: Tendência fundamental do organismo de se realizar, manter, aperfeiçoar e de cumprir com o seu potencial.

Autoconsistência: Expressa uma ausência de conflito entre as percepções do self.

Congruência: Ausência de conflito entre o self percebido e a experiência. Condição essencial para o crescimento e para o progresso terapêutico.

Incongruência: Existência de uma discrepância ou de um conflito entre o self percebido e a experiência.

Subpercepção: Estímulo experienciado sem ser trazido para a consciência.

Distorção: Processo defensivo em que a experiência é modificada de maneira a ser trazida para a consciência em uma forma que seja consistente com o
self.

Negação: Mecanismo de defesa; sentimentos ameaçadores que não são permitidos à consciência.

Necessidade de aceitação: Necessidade de afeto, amor, respeito e aceitação dos outros.

Autoestima: Visão valiativa que a pessoa tem do self; julgamento pessoal do próprio valor.

Teoria da entidade: Crença de que certa característica da personalidade é fixa, não maleável.

1
Teoria incremental: Crença de que determinada característica da personalidade é maleável e passível de mudança.

Aspectos centrais da teoria de Rogers

Self
• Conceito estrutural e fundamental da teoria rogeriana da personalidade.
• As partes do campo fenomenal vistas pelo indivíduo como eu ou mim formam o self.
• O indivíduo percebe objetos externos e experimenta e conecta significados a eles.
• O sistema total de percepções e significados formam o campo fenomenal do indivíduo.
• O autoconceito representa um padrão organizado e consistente de percepções.
• Embora o self mude, ele sempre retém essa qualidade padronizada, integrada e organizada.
• O self representa um conjunto organizado de percepções.
• Embora os indivíduos tenham experiências das quais não estão conscientes, o self é primariamente consciente.

Self ideal
• Autoconceito que o indivíduo mais gostaria de possuir.
•Envolve as percepções e os significados que potencialmente são relevantes para o self e que são altamente valorizados pelo indivíduo.

Auto realização
• Tendência básica das pessoas: “O organismo possui uma tendência e empenho básico – realizar, manter e promover o organismo que se encontra em
processo de vivência”.
• Tendência de um organismo de crescer a partir de uma entidade simples até uma entidade complexa, de dirigir-se da dependência à independência, da
fixidez e rigidez para um processo de mudança e liberdade de expressão.
• Tendência de cada pessoa em reduzir as necessidades ou a tensão, mas enfatiza os prazeres e as satisfações que derivam de atividades que melhorem
o organismo.

Autoconsistência e congruência
• O organismo funciona para manter uma consistência (ausência de conflitos) entre autopercepções e uma congruência entre percepções do self e
experiências.
• O organismo busca manter sua própria estrutura de self.
• Os indivíduos comportam-se de maneira consistente com o seu autoconceito, mesmo que esse comportamento não lhe traga outro tipo de gratificação.
• No que se refere à congruência entre self e experiência, as pessoas tentam unir – ou tornar congruente – aquilo que elas sentem com a maneira como
elas se enxergam.
• Experimentamos um estado de incongruência quando existe uma discrepância entre o self percebido e a experiência real. Tal estado envolve tensão e
confusão interna. A ansiedade é o resultado de uma discrepância entre experiência e a percepção do self.

Você também pode gostar