Você está na página 1de 6

CIÊNCIAS DA NATUREZA

E SUAS TECNOLOGIAS
FRENTE: FÍSICA I
EAD – MEDICINA
PROFESSOR(A): PAULO LEMOS

AULA 02

ASSUNTO: MOVIMENTO UNIFORME (M.U.)

A área do gráfico entre os instantes t1 e t2 é numericamente


igual à variação do espaço sofrida pela partícula.
Resumo Teórico Generalizando, qualquer que seja o gráfico V × t, a área sempre
representará a variação do espaço no referido intervalo de tempo.

1. Espaço x Tempo v

No Movimento Uniforme, o espaço varia com o tempo de


∆S Área
N
forma linear, pois a função horária que rege esse movimento é do
1º grau, assim sendo, trata-se de uma reta.
t1 t2 t
S S

Velocidade relativa (VREL)


Consideremos duas partículas x e y movendo-se em uma
mesma trajetória e com velocidades escalares Vx e Vy, em três situações
t t distintas: movendo-se no mesmo sentido, em sentidos opostos e em
Movimento Movimento trajetórias perpendiculares.
progressivo retrógrado A velocidade escalar que uma das partículas possui em relação
à outra (tomada como referência) é chamada de velocidade relativa
2. Velocidade x Tempo (VREL) e o seu módulo é calculado da seguinte forma.

No Movimento Uniforme, a velocidade escalar é constante Móveis com velocidade de mesmo sentido.
e diferente de zero, portanto será representada por uma reta
paralela ao eixo do tempo. 
Vy

V V 
Vx
Y

X
0 t 0 t

a b Módulo da velocidade relativa.


Gráfico da velocidade em função do tempo (V x t) para o movimento uniforme: VREL = |Vx| – |Vy|
em a, progressivo (V > 0); em b, retrógrado (V < 0).
Móveis com velocidades de sentidos opostos.

Propriedade do gráfico (V × t) 
Vx
Observe a figura a seguir. 
Vy
V X

V
∆S N
Área
0 Módulo da velocidade relativa.
t1 t2 t
VREL = |Vx| + |Vy|

F B O NLINE.COM.BR OSG.: 117378/17


//////////////////
MÓDULO DE ESTUDO
Móveis com velocidades perpendiculares. 03. A velocidade vertical de uma gota de chuva é constante e igual
a V, enquanto a velocidade de translação horizontal de um cano é
 também constante e vale 2V.
Vy
Determine qual deve ser a inclinação α do cano, em relação
à horizontal, para que a gota de chuva percorra o seu interior
sem tocar na parede. (Dê a resposta por meio de uma função
 trigonométrica.)
Vx
 
2V V

Módulo da velocidade relativa.


04. (Unicamp-SP) A figura ao lado Computador Câmera
mostra o esquema simplificado de S1 S2
|VREL|² = |Vx|² + |Vy|² um dispositivo colocado em uma rua,
para controle de velocidade dos
automóveis (dispositivo popularmente
chamado de radar).
Exercícios Os sensores S1 e S2 e a câmera d=2m
estão ligados a um computador.
Os sensores enviam um sinal ao computador sempre que são
01. (Enem) As cidades de Quito e Cingapura encontram-se próximas pressionados pelas rodas de um veículo. Se a velocidade do veículo
está acima da permitida, o computador envia um sinal para que
à Linha do Equador e em pontos diametralmente opostos no
a câmera fotografe sua placa traseira no momento em que essa
globo terrestre. Considerando o raio da Terra igual a 6370 km,
estiver sobre a linha tracejada. Para certo veículo, os sinais dos
pode-se afirmar que um avião saindo de Quito, voando em média sensores foram os seguintes:
800 km/h, descontando as paradas de escala, chega a Cingapura em,
aproximadamente
A) 16 horas.
B) 20 horas.
C) 25 horas. S1
t (s)
D) 32 horas.
E) 36 horas.
S2 0 0,1 0,2 0,3 t (s)
02. À noite, numa quadra esportiva, uma pessoa de altura h caminha
em movimento retilíneo e uniforme, com velocidade escalar V. A) Determine a velocidade do veículo em km/h.
Apenas uma lâmpada L, que pode ser considerada uma fonte B) Calcule a distância entre os eixos do veículo.
luminosa puntiforme e que se encontra a uma altura H do piso,
05. (Mackenzie-SP) Correndo com uma bicicleta, ao longo de um trecho
está acesa.
retilíneo de uma ciclovia, uma criança mantém a velocidade constante
de módulo igual a 2,50 m/s. O diagrama horário da posição para esse
L movimento está ilustrado a seguir. Segundo o referencial adotado,
no instante t = 15,00 s, a posição x da criança é igual a
x(m)

H

v
h
E
Sombra da pessoa 25,00

Determine, em função de H, h e V, a velocidade escalar média VE


da extremidade E da sombra da pessoa projetada no chão. 0 30,00 t(s)

A) –37,50 m B) –12,50 m
C) 12,50 m D) 37,50 m
E) 62,50 m

F B O NLINE.COM.BR 2 OSG.: 117378/17


//////////////////
MÓDULO DE ESTUDO
06. (UFRN – modificada) Uma das teorias N
Se esses móveis se mantiverem em movimento com as mesmas
para explicar o aparecimento do ser características, durante um tempo suficiente, eles devem se cruzar
humano no continente americano Estreito no instante e na posição iguais, respectivamente, a
propõe que ele, vindo da Ásia, entrou de A) 10 s; 200 m.
Bering
na América pelo Estreito de Bering e Rota de migração B) 15 s; 300 m.
foi migrando para o sul, até atingir a C) 20 s; 400 m.
Patagônia, como indicado no mapa ao 5 000 km
D) 25 s; 400 m.
lado. Datações arqueológicas sugerem A B E) 30 s; 450 m.
que foram necessários cerca de Patagônia

10000 anos para que essa migração 10. Dois carros percorrem uma estrada, separados pela distância de
se realizasse. O comprimento AB, mostrado no mapa, corresponde 50 m, com a mesma velocidade constante de 15 m/s. Um terceiro
à distância de 5000 km nesse mesmo mapa. carro percorre a mesma estrada, no mesmo sentido que os dois
Com base nesses dados, pode-se estimar que a velocidade escalar primeiros, com velocidade de 20 m/s. Qual é o intervalo de tempo
média de ocupação do continente americano pelo ser humano, que separa as duas ultrapassagens do terceiro carro pelo primeiro e
ao longo da rota desenhada, foi de, aproximadamente, pelo segundo, respectivamente?
A) 0,5 km/ano. B) 8 km/ano. A) 20 s
C) 24 km/ano. D) 2 km/ano. B) 20/7 s
C) 40 s
07. (Fuvest) Dirigindo-se a uma cidade próxima, por uma autoestrada D) 10 s
plana, um motorista estima seu tempo de viagem, considerando E) 10/7 s
que consiga manter uma velocidade média de 90 km/h. Ao ser
surpreendido pela chuva, decide reduzir sua velocidade média para 11. Uma partícula percorre uma trajetória quadrada de lado L = 12 m.
60 km/h, permanecendo assim até a chuva parar, quinze minutos O primeiro lado do quadrado é percorrido em 4,0 s; o segundo
mais tarde, quando retoma sua velocidade média inicial. Essa lado, em 6,0 s; o terceiro lado, em 2,0 s; e, finalmente, no quarto
redução temporária aumenta seu tempo de viagem, em relação lado, a partícula mantém uma velocidade escalar constante de
à estimativa inicial, em 1,0 m/s. Qual deveria ser a sua velocidade escalar para percorrer o
A) 5 min. B) 7,5 horas. quadrado inteiro em movimento uniforme, demorando o mesmo
C) 10 min. D) 15 horas.
tempo?
E) 30 min.
12. (Uerj-RJ/2010) Um foguete persegue um avião, ambos com
08. Em uma regata, os barcos devem atravessar um rio, chegando
velocidades constantes e mesma direção. Enquanto o foguete
a um ancoradouro situado 2 km ao norte do ponto de partida.
percorre 4,0 km, o avião percorre apenas 1,0 km. Admita que,
A correnteza do rio é de 10 km/h para oeste e a velocidade do
em um instante t1, a distância entre eles é de 4,0 km e que,
barco, relativa à água, é de 20 km/h.
no instante t2, o foguete alcança o avião.
N
chegada
correnteza
L
0 002

saída
S
No intervalo de tempo t2 – t1, a distância percorrida pelo foguete,
A) Qual o tempo de prova desse barco? em quilômetros, corresponde, aproximadamente, a
B) Qual a direção dada ao barco para que ele não chegue fora A) 4,7
do ancoradouro? B) 5,3
09. (FMTM-MG) Na figura estão representados, num plano cartesiano, C) 6,2
os gráficos posição-tempo do movimento de dois móveis, A e B, D) 8,6
que percorrem a mesma reta.
posição (m) 13. (Uespi) Um passageiro perdeu um ônibus que saiu da rodoviária
há 5,0 min e pegou um táxi para alcançá-lo. O ônibus e o táxi
descrevem a mesma trajetória e seus movimentos são uniformes.
600
A velocidade escalar do ônibus é de 60 km/h e a do táxi é de
500 90 km/h. O intervalo de tempo necessário ao táxi para alcançar o
400 A ônibus é de
A) 5,0 min
300
B) 10 min
200 C) 15 min
100 B D) 20 min
E) 25 min
0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 tempo (s)

OSG.: 117378/17 3 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
MÓDULO DE ESTUDO
14. (Fuvest) Marta e Pedro combinaram de se encontrar em um certo Da semelhança dos triângulos LAB e LEC, temos:
ponto de uma autoestrada plana, para seguirem viagem juntos.
Marta, ao passar pelo marco zero da estrada, constatou que, H H−h H H−h H
= ⇒ = ⇒ VB = ⋅V
mantendo uma velocidade média de 80 km/h, chegaria na hora EC AB VB ⋅ t VB ⋅ t H−h
certa ao ponto de encontro combinado. No entanto, quando ela
já estava no marco do quilômetro 10, ficou sabendo que Pedro H
tinha se atrasado e, só então, estava passando pelo marco zero,
Resposta: ⋅v
H−h
pretendendo continuar sua viagem a uma velocidade média de
100 km/h. Mantendo essas velocidades, seria previsível que os 03.
2V
dois amigos se encontrassem próximos a um marco da estrada Gota
com indicação de θ
km VG
km VG = V
A) B)
20 30 α

2V
km km
C) D)
40 50 C⋅ O V 1
Logo: tg α = ⇒ tg α = ⇒ tg α =
C⋅ A 2V 2
km
E) 60 Resposta: tg α = 1/2

15. Dois móveis, S e T, cruzam-se no ponto O, dirigindo-se 04.


segundo as direções s e t, com velocidades constantes
vs = 10 m/s e vt = 6 m/s.

sen 53º = 0,80


S cos 53º = 0,60

O 53º
t
T

Determine a velocidade de S em relação a T.

a) Em um intervalo de tempo ∆s = 0,1 s, as rodas dianteiras (ou


traseiras) percorrem a distância d = 2 m:
Resolução d 2
Vm = = ⇒ Vm = 20 m s
∆t 0,1
01. Diametralmente opostas significa uma de um lado, outra do outro Vm = 72 km h
do globo, ou meia volta na Terra, 180°. O comprimento de uma
circunferência é dado por: b) O intervalo de tempo decorrido entre as passagens das rodas
C=2·π·R dianteiras e traseiras, por Sm, por exemplo, é ∆t = 0,15 s. Então,
a distância d’, entre os eixos, é dada por:
∆S πR 3,14 ⋅ 6370 d’ = vm · ∆t’ = 20 · 0,15
Assim: ∆t = ⇒ ∆t = ⇒ ∆t = ⇒ ∆t = 25 h
V V 800 d’ = 3 m
Resposta: C
Resposta: a) 72 km/h b) 3 m
02.
05. Sendo o movimento uniforme e a reta do gráfico x × t decrescente,
a velocidade escalar é negativa.
Para t = 30 s S30 = S0 + vt
25 = S0 – 2,5 · 30
S0 = 100 m
Para t = 15 s S15 = S0 + vt
S15 = 100 – 2,5 · 15
S15 = 62,5 m

Resposta: E

F B O NLINE.COM.BR 4 OSG.: 117378/17


//////////////////
MÓDULO DE ESTUDO
06. O segmento AB cabe aproximadamente quatro vezes na rota Instante de encontro:
desenhada. SA = SB
600 – 40t = 0 + 20t
Então: ∆s  20.000 km ∆t = 10.000 anos
60t = 600
∆s 20000 t = 10 s → SB = 0 + 20 · 10 = 200 m
vm =  ⇒ vm  2 km ano
∆t 10000 SA = 600 – 40 · 10 = 200 m

Resposta: D Resposta: A

10.
07. Viajando a 60 km/h, ele, em 15 minutos, percorre uma distância
de 15 km.

km 1
∆S = V · ∆t ⇒ ∆S = 60 · h = 15 km
h 4

Essa distância foi programada para ser percorrida com velocidade


de 90 km/h. Se assim fosse, o tempo gasto seria de 10 min:

∆S 15 1
V= ⇒ 90 = ⇒ ∆t = h = 10 min
∆t ∆t 6
Velocidade relativa entre 3 e 2:
Assim, o tempo adicional devido à chuva foi de 5 minutos. 1) VR = 20 – 15 = 5 m/s

Resposta: A de 50
2) t = = ⇒t= = 10 s
VR 5
08.
Resposta: D

11. Para melhorar a compreensão do texto, vamos esboçar a figura


quadrada da trajetória e demarcar os tempos ou a velocidade
de cada trecho.
Observação: Podemos somar as distâncias e podemos somar
os tempos (∆t), porém não podemos somar as velocidades dos
diversos trechos.

d 2 2 1
a) f = ⇒t= ⇒t= = ⇒
Vy VB ⋅ cos 30° 20 ⋅ 3 5 3
2
3 0, 2 3
⇒t= h= h
15 3 V

b) VB sen θ = VC

1
⇒ 2 0 ⋅ sen θ = 10 ⇒ sen θ =
2

θ = 30° 1°) Cálculo do tempo para percorrer o quarto lado.
∆S ∆S 12
V= ⇒ ∆t 4 = ⇒ ∆t 4 = ⇒ ∆t 4 = 12 s
0, 2 3 1 ∆t V4 1
Resposta: a) h; b) senθ =
3 2
2°) Cálculo do tempo total para percorrer todo o quadrado.
∆tmin = 4 + 6 – 2 + 12 ⇒ ∆tmin = 24 s
∆S 400 − 600 −200 3°) Distância total percorrida:
09. = = = –40 m/s
∆t 5, 0 − 0 5, 0 ∆S4 = 4 · 12 ⇒ ∆Smin = 48 m
S = S0 + vt → SA = 600 – 40t
4°) Cálculo da velocidade escalar para percorrer o quadrado:
∆S 100 − 0 100 ∆S 48
VB = = = = 20 m/s Vmédia = ⇒ Vmédia = ⇒ Vmédia = 2 m/ s
∆t 5, 0 − 0 5, 0 ∆t total 24

SB = 0 + 20t Resposta: VMédia = 2 m/s

OSG.: 117378/17 5 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
MÓDULO DE ESTUDO
12. A velocidade do foguete (Vf) é 4 vezes a velocidade do avião 15.
(Va) → Vf = 4 Va → equacionando os dois movimentos uniformes,
e colocando a origem no ponto onde está o foguete (instante
t1) → Sf = Vf · t → Sf = 4 Va · t → Sa = 4 + Va · t → no encontro
eles ocupam a mesma posição no instante t2 → Sf = Sa → 4Vat2 =
= 4 + Vat2 → t2 = 4/3Va → substituindo em Sf → Sf = 4Va · (4/3Va) →
→ Sf = 5,3 km.

Logo: em S

Resposta: B
VT = 6 m/s VS cos 53° = 10 · 0,6 = 6 m/s
 1  então: VST = VS · sen 53°
13. Nos 5,0 min  h , o ônibus já havia percorrido
 12 
⇒ VST = 10 · 0,8 = 8 m/s
60 km/ h · 1/12 h = 5,0 km.
Resposta: 8 m/s

ST = 90 t
}
S0 = 5, 0 − 60 t
1
⇒ 90 t e = 5, 0 − 60 t e ⇒ t e = h ⇒
6
⇒ t e = 10 min

Resposta: B

14. No momento em que Marta passa pelo km 10, Pedro está no


km 0. Temos a situação descrita a seguir.

Como os movimentos são uniformes, a relação entre espaço e


tempo é dada por s = s0 + v · t. Assim, para Pedro e Marta, temos,
respectivamente, SP = 0 + 100 · t e SM = 10 + 80 · t.
No momento do encontro:
SP = SM ⇒ 100 t = 10 + 80 t + 80 ⇒ 20 t = 10 ⇒ t = 0,5 h

Substituindo esse instante em qualquer uma das funções horárias,


por exemplo, na de Pedro, determinamos a posição do encontro:

SP = 100 · 0,5 ⇒ SP = 50 km

Resposta: D

SUPERVISOR/DIRETOR: Marcelo Pena – AUTOR: Paulo Lemos


DIG.: Cl@udi@ – 01/08/17 – REV.: Tatielly

F B O NLINE.COM.BR 6 OSG.: 117378/17


//////////////////