Você está na página 1de 33

Índice

UI Design ................................................ .......................................... 4


Script ................................................. ............................................. 9
Modelos de Dados ................................................ .................................. 15
Variáveis, ações e macros ............................................. .......... 23
Gerenciamento de Projetos ................................................ ........................ 29
Segurança (Acesso à Seção) ............................................. ........................ 33
Otimização ................................................. ...................................34
Gerenciamento e migração de código .............................................. ............... 38
Padrões de Nomenclatura ................................................ .............................. 48
Estruturas de pastas ................................................ ...................... 49
Teste / Certificação ............................................... ......................... 51
Solução de problemas / Suporte ............................................... ..................... 57
Treinamento ................................................. ............................................ 62
Resumo ................................................. ....................... .................. 64
Introdução
Este guia de práticas recomendadas é um manual de referência para desenvolvedores do QlikView.
Desenvolvedores do QlikView
são indivíduos que projetam e implementam aplicativos QlikView e suas áreas de especialização
variam de modelagem de dados a scripts e design de interface do usuário. Este documento foi
desenvolvido para facilitar muitas
compreensão mais clara das metodologias e práticas ideais para produzir altamente
aplicativos QlikView utilizáveis, altamente otimizados e altamente configuráveis, sejam usados por
pequenos
departamentos ou por grandes empresas.

UI Design
O design é importante. Ela afeta as taxas de adoção do usuário, taxas de utilização, velocidade de
análise e uso
Padrões. Tudo isso afeta a eficácia do documento QlikView. o
princípios de bom design de interface promovidos por Stephen Few e Edward Tufte são a base
para as melhores práticas que a QlikTech recomenda ao projetar e criar um documento QlikView.
O esquema abaixo mostra (em alto nível) alguns desses inquilinos de bom design. QlikTech
disponibiliza muitos exemplos, documentos, decks de slides e outros materiais do QlikView para
ajudar
demonstrar esses princípios.

Exemplos
Uso de modelos fornecidos ou desenvolvidos para consistência e simplicidade:
Uso de fechamento implícito para limitar o espaço da tinta que não é de dados:

Uso de cores neutras e suaves e uso de contraste: cores suaves e neutras são muito
menos cansativo para os olhos e aumenta a adoção do usuário. O uso de contraste ajuda os olhos
identificar rapidamente pontos de interesse ou exceções. Esses conceitos andam juntos, já que o uso
de
é difícil fazer um contraste com as cores primárias. Considere uma combinação de cores suaves e
o uso de contraste em todos os gráficos, especialmente nos casos em que exceções ou outliers
devem ser
em destaque.

Uso de tamanho, formas e intensidade para chamar a atenção para pontos de dados: as formas são
outra rápida
ponto de identificação para os olhos. Eles podem ser usados para segmentar pontos de dados em
grupos. Cor
as intensidades funcionam bem para faixas de valores ou valores extremos
Muitas das práticas recomendadas de design são exibidas nos aplicativos de demonstração
publicamente
disponível em http://www.demo.qlikview.com. Além disso, há uma apresentação de slides
cobrindo as técnicas de design do QlikView, que são muito abrangentes. Por favor visite
QlikCommunity e procure por DataVisualization.ppt.

Outras práticas recomendadas para o design do UID incluem:


- Coloque uma caixa de seleção atual em todas as folhas no mesmo local
- Faça com que as caixas de listagem apareçam nos mesmos locais em todas as folhas
- Organize as caixas de listagem e as caixas múltiplas primeiro na frequência de uso (a maioria
usada na parte superior,
menos utilizado na parte inferior). Em seguida, sub-classifique as caixas de listagem em grupos em
ordem hierárquica
(maior grupo no topo, menor grupo no fundo).
- Coloque propriedades suspensas selecionadas em todas as tabelas dinâmicas / dinâmicas
- Use Variáveis como expressões em vez de definir as expressões diretamente no
editor de expressão
- Ao criar um grupo de drill, adicione uma expressão para o rótulo do campo no grupo de drill.
A expressão deve ser igual a Somente (Todos os campos superiores) e '>' e 'nome do campo atual',
portanto,
que equivale a SalesRepA> Produto. SalesRepA é o item que foi perfurado,
Produto são os valores representados no gráfico
- Em vez de definir exceções em tabelas diretas / dinâmicas, use gráficos que mostram o
exceções rapidamente

Sempre inclua uma guia Ajuda / Instruções e / ou um link para um site de ajuda em nosso site.
Exemplos de guias Ajuda / Instruções estão incluídos na seção Introdução no QlikView.
Considere copiar uma das páginas de instruções interativas em um modelo que você possa usar
entre aplicativos.
- Nomeie cada planilha e objeto com cabeçalhos descritivos
- Os gráficos em preto e branco são melhores quando se considera o daltonismo e a simplicidade
- Vermelho e verde - muitas pessoas são daltônicas em vermelho / verde - considere isso, por
exemplo quando
usando pistas visuais
- Vermelho e verde também estão associados a bons / maus indicadores / desempenho.
Use apenas vermelho e verde quando quiser indicar o que é bom e o que é ruim.

Crie uma resolução fixa que se aplique às áreas de trabalho da sua organização (por exemplo, 1024
x 768)
- Sempre considere a ordem de classificação e se a frequência deve ser apresentada (# ou%) na lista
caixas (às vezes muito úteis, mas definitivamente nem sempre)
- Objetos repetidos (botões de limpeza) na mesma posição em todas as folhas
- Caixas múltiplas podem ser boas para pessoas acostumadas a trabalhar com QV, mas são
não é muito intuitivo. As caixas de listagem ocupam mais espaço, mas são melhores (você pode, por
exemplo, ver o
áreas cinzentas melhor).
- Layout limpo nos gráficos - alinhar títulos dos eixos, título do gráfico, texto, etc ...
- Dimensões da hierarquia colocadas em ordem
- Horário e datas são elementos cruciais da maioria dos aplicativos e devem ser altamente intuitivos
para
pesquisar e usar
- As colunas da tabela devem sempre ser pesquisáveis (exibir totais em tabelas sempre que
sentido)

A QlikTech recomenda vivamente a incorporação das melhores práticas de design para todos os
QlikView
desenvolvedores e designers ao iniciar uma implantação do QlikView. Bom design de interface leva
altas taxas de adoção e interfaces eficazes. A rica camada de interface do usuário do QlikView
permite classe mundial
visualização e design em todos os aplicativos QlikView.
Para novas implantações do QlikView e novos designers, é altamente recomendável que o QlikView
Todos os desenvolvedores e designers participam do treinamento de designers. Os cursos de
Designer são
estruturado para reforçar o bom design e aprender as técnicas do QlikView que ajudam a fornecer
esse
projetar de maneira simples e elegante. Eles também são uma ótima oportunidade para praticar um
bom design e
aplique esse design aos seus aplicativos QlikView em uma configuração de laboratório.

UI Design References:
# QlikTech Demo Site http://www.demo.qlikview.com
# QlikTech Visual Design Presentation on QlikCommunity
DataVisualization.ppt
#
# Information Dashboard Design, by Stephen Few
Show Me the Numbers, by Stephen Few
#
# The Visual Display of Quantitative Information, Edward R. Tufte
Visual Explanations, by Edward R. Tufte

Script
visão global
Script é o ambiente no qual um desenvolvedor do QlikView automatiza a extração, transforma
e processo de carregamento de trazer dados para o ambiente QlikView. Cada documento do
QlikView
(aplicativo) contém um editor de scripts por meio do qual esse processo está ativado.
As práticas recomendadas determinam que o uso de várias guias em um script dividirá as várias
partes,
permitindo uma visão simples das informações para desenvolvimento e suporte futuros.
Dependendo do
complexidade do aplicativo, você pode ter uma variedade de seções de script diferentes. O comum
partes de um script estão abaixo:
• Segurança (script geralmente oculto)
• Datas e informações do calendário
• Guia por fonte de dados
• Guia por medida principal / tabela principal
• Guia por tabela de pesquisa
Guia Segurança (Script Oculto)
No QlikView, é possível restringir os privilégios de um usuário de documento a partir do
documento
Propriedades: Segurança e as páginas Propriedades da planilha: Segurança. Quaisquer
configurações podem ser alteradas se
o usuário do documento está conectado como ADMIN.
A identidade e a senha do usuário necessárias para abrir um documento restrito ao usuário estão
especificadas em
o script de carregamento e será exibido no arquivo de log se você permitir que o QlikView gere um.
No entanto, por
com o acesso do usuário no script oculto, o arquivo de log não fornecerá nenhum login
em formação. O botão Script oculto que abre o script oculto é encontrado no menu Editar script.

A identidade e a senha do usuário necessárias para abrir um documento restrito ao usuário estão
especificadas em
o script de carregamento e será exibido no arquivo de log se você permitir que o QlikView gere um.
No entanto, por
com o acesso do usuário no script oculto, o arquivo de log não fornecerá nenhum login
em formação. O botão Script oculto que abre o script oculto é encontrado no menu Editar script.

Cargas Precedentes
O uso das instruções de carregamento anteriores pode simplificar seu script e facilitar o
entendimento.
Veja o código abaixo para um exemplo disso.

Table1:
LOAD CustNbr as [Customer Number],
ProdID as [Product ID],
floor(EventTime) as [Event Date],
month(EventTime) as [Event Month],
year(EventTime) as [Event Year],
hour(EventTime) as [Event Hour];
SQL SELECT
CustNbr,
ProdID,
EventTime
FROM MyDB;

Isso simplificará a instrução SQL SELECT para que o desenvolvedor possa continuar
testar / aumentar a declaração usando outras ferramentas, sem a complexidade do QlikView
transformações incorporadas na mesma instrução SQL.
Para obter mais informações sobre o recurso LOAD anterior, consulte o Manual de referência do
QlikView.

Outras práticas recomendadas para scripts incluem:


- Use a Autonumeração somente após a depuração do desenvolvimento. É mais fácil depurar
valores
com um número em vez de apenas poder usar substitutos. Veja o QlikView
Consulte o Manual de Referência se não tiver certeza de como / quando usar a numeração
automática.
- Coloque áreas de assunto em guias diferentes para não confundir os desenvolvedores com muito
complexidade

Nomear as declarações concatenar / ingressar


- Ao adicionar script a um QVW, é melhor fazer uma carga binária em grandes conjuntos de dados
e, em seguida,
estender o script. Posteriormente, mescle o script após o desenvolvimento estar quase completo.
este
não altera funcionalmente nada, mas economiza tempo durante o desenvolvimento.

Use HidePrefix =%; para permitir que o desenvolvedor corporativo oculte campos-chave e outros
campos
raramente usados pelo designer (isso só é relevante quando o co-desenvolvimento é
sendo feito).
- Ao usar a função Applymap (), preencha o valor padrão com algo padrão, como
"Desconhecido" e valor desconhecido, para que os usuários saibam qual valor é desconhecido e
podem ir
preencha-o no sistema de origem sem que os administradores precisem se envolver. Veja o
QlikView Reference Manual, se você não tiver certeza de como / quando usar o Applymap ().
Nunca use Sublinhados ou barras (ou qualquer coisa "técnico") nos nomes dos campos. Em vez de
codifique nomes amigáveis, com espaços.
- Em vez de: "mnth_end_tx_ct" use: "Contagem de transações no final do mês"
- Use o Qualify * apenas quando for absolutamente necessário. Alguns desenvolvedores usam o
Qualify * no
início do script e desqualificar apenas as chaves. Isso causa muitos problemas ao script
com declarações de junção à esquerda etc. É mais trabalho do que vale a longo prazo. Veja o
QlikView Reference Manual, se você não tiver certeza de como / quando usar Qualificar e
Desqualificar.
- Use arquivos "Incluir" ou script oculto para todas as conexões com o banco de dados ODBC /
OLEDB.
- Use variáveis para o nome do caminho em vez de codificá-las ao longo do seu script. este
reduz a manutenção e também fornece uma maneira simples de encontrar caminhos (supondo que
você coloca
na primeira guia para facilitar a localização).
- Todas as referências de arquivo devem usar a convenção de nomenclatura UNC. Não use C: \
MyDocs \ ...
- Sempre tenha a opção Logfile ativada se precisar capturar informações de tempo de carregamento
para
finalidade de remoção de erros
- Comentar títulos de script para cada guia. Veja o exemplo abaixo:

Coment
e as
seções
do
script
em uma
guia
com
descriçõ
es
curtas. Veja o exemplo abaixo:
Adicione comentários da data da mudança, quando apropriado. Veja o exemplo abaixo:

Use o recuo para tornar o script mais legível pelos desenvolvedores. Veja o exemplo abaixo:

Nunc
a use
LOA
D*
em
uma
instru
ção
de
carre
game
nto.
Em
vez disso, liste as colunas para carregar explicitamente, para
que você sabe quais campos serão carregados e isso não será alterado à medida que novas colunas
forem

adicionado ou excluído das tabelas de origem. Isso também ajuda os desenvolvedores a identificar a
carga
campos no script. Veja o exemplo abaixo:

Listas de verificação de desenvolvimento


A QlikTech recomenda o uso de uma lista de verificação do desenvolvedor para destacar e reforçar
o desenvolvimento
melhores práticas.
A maioria dos clientes corporativos desenvolve isso a partir de um modelo ou amostra de práticas
recomendadas. Consulte o seu
Executivo de contas ou diretor de serviços regionais para obter uma amostra da QlikTech. Uma
maneira de ajudar
promover a visibilidade e a presença da lista de verificação é limitá-la a uma página e laminá-la
para
cada desenvolvedor. Isso facilitará o envio da lista de verificação e a consulta com frequência.
Alguns
os clientes usarão a lista de verificação nas revisões de código para garantir que as melhores
práticas foram seguidas antes
liberando um QVW para ambientes de teste ou produção.

Um exemplo de captura de tela de uma lista de verificação está abaixo:

Modelos de dados
A seguir, são apresentados diagramas de três modelos de dados básicos que podem ser criados no
QlikView
com muitas outras combinações). Usando esses três exemplos, podemos demonstrar algumas das
diferenças de desempenho, complexidade e flexibilidade entre eles.
Embora os esquemas em estrela sejam geralmente a melhor solução para aplicativos QlikView
rápidos e flexíveis, existem
são momentos em que várias tabelas de fatos são necessárias. Aqui estão as maneiras certas e
erradas de participar
eles:
Outros exemplos de como criar e usar tabelas de links estão contidos no QlikCommunity on-line
(http://community.qlikview.com/)
Além da modelagem para várias tabelas de fatos, uma alternativa é concatenar os dois fatos
tabelas em uma única tabela de fatos. Isso é ilustrado abaixo.

Para mostrar como isso pode ser realizado, a seção abaixo nos leva a um cenário de dois
tabelas de fatos a serem combinadas em uma tabela de fatos.
Um exemplo de tabela dessa concatenação de tabelas de fatos é mostrado abaixo.
Conjuntos de dados grandes
O QlikView pode lidar com conjuntos de dados muito grandes e rotineiramente o faz. No entanto,
para otimizar o usuário
experiência e hardware necessários, você tem opções.
Considere o seguinte cenário: Você tem um conjunto de dados de pedidos grandes (1 bilhão de
linhas). Você precisa
forneça métricas de resumo de alto nível para seus executivos, análise de tendências para seus
negócios
Analistas e tabelas e valores detalhados para sua equipe de Processamento de pedidos. Você tem
muitos dados
opções de design com o QlikView, mas para fins de demonstração, vamos explorar apenas três delas
abaixo:
1) Somente tabela de fatos detalhada - permita que o QlikView faça todo o trabalho para exibir os
detalhes e
resuma as métricas do nível mais baixo de detalhes ao mais alto resumo necessário.
uma. Vantagens - simplicidade. Esta é a solução mais fácil de codificar. Você simplesmente
conecte os pedidos em um nível detalhado (talvez no nível do SKU) ao modelo de dados e
projetar todas as métricas de alto nível, gráficos de tendências e tabelas detalhadas e
seleções no QVW.
b. Desvantagens - o QlikView precisará agregar até 1 bilhão de linhas de detalhes
com todas as seleções feitas. Embora o QlikView seja provavelmente a única ferramenta de BI que
pode
fazer isso com desempenho aceitável, ainda resultará em uma experiência mais lenta do usuário
do que precisa
Encadeamento de documentos - 2 (ou mais) versões do QVW são criadas. Um deles tem o
tabela de pedidos detalhada como a tabela de fatos principal, os outros têm versões pré-agregadas
da tabela Pedidos como suas principais tabelas de fatos. Vamos assumir apenas 2 QVWs para este
caso.
Você tem um diagrama abaixo mostrando o modelo de dados do "resumo" QVW e uma
modelo de dados do QVW "detalhe". Observe que os valores da dimensão são basicamente os
mesmos
entre os dois modelos. A principal distinção é a tabela de fatos no modelo de dados. o
os usuários podem iniciar a partir do aplicativo de resumo, mostrando métricas e gráficos de alto
nível.
Se eles quiserem detalhar detalhes, use o recurso Encadeamento de documentos no QlikView para
transfira as seleções de um QVW para outro QVW e abra esse segundo QVW. o
o usuário verá novos gráficos e guias sendo exibidos e (se você o criar como tal) nem sequer
precisa saber que eles foram transferidos de um QVW para outro. Isso significa que você apenas
esteja usando a tabela de fatos de 1 bilhão de linhas quando seus usuários precisarem. O restante do
processamento
ocorrerá na versão pré-agregada da tabela Pedidos, que pode ser menor
de 100 milhões de linhas, por exemplo. O Encadeamento de documentos é discutido em detalhes no
Manual de Referência do QlikView e em vários documentos do QlikView.
uma. Vantagens - otimiza o hardware e a velocidade de resposta da navegação no QlikView
e gráficos. Como as seleções e a navegação dos usuários são específicas para seus
necessidades, você não desperdiça CPU e RAM processando 1 bilhão de linhas de detalhes quando
o usuário não precisava de coisas processadas nesse nível.
b. Desvantagens - as tabelas (QVDs) precisam ser pré-agregadas e mantidas para
essa abordagem. Embora este seja um esforço de desenvolvimento único, é um pouco mais
complexo que a opção 1, em que apenas uma versão da tabela Pedidos é necessária.
A terceira opção (e de maneira alguma a última) é usar uma tabela de resumo pré-agregada no
além da tabela detalhada em um único modelo de dados QVW. O diagrama mostrado abaixo
é uma maneira de usar uma tabela pré-agregada no mesmo modelo de dados que a versão detalhada
da mesa. Você carregaria a tabela pré-agregada como uma ilha de dados (não conectada
para as outras tabelas no modelo de dados). Então, como seleções relevantes no fato detalhado
tabela é feita, você pode transferir essas seleções para a tabela pré-agregada usando um
Ação acionada (QlikView versão 9 e superior).
uma. Vantagens - essa opção não requer um segundo QVW e encadeamento de documentos
para usar as versões detalhadas e resumidas de uma tabela grande.
b. Desvantagens - essa opção exigirá que algumas configurações sejam feitas no QVW para
acionar as ações que transferem seleções de uma tabela para outra. Enquanto o
QVW muda ao longo do tempo, você precisará acompanhar onde / quando fazer
essas
açõe
s são
acion
adas.

Obse
rve:
estas
são
muit
as
outra
s maneiras pelas quais você pode atender às necessidades descritas acima
cenário. Esses são apenas três métodos que destacam os recursos e capacidades do QlikView para
gerenciar conjuntos de dados muito grandes. Consulte o Guia de boas práticas de arquitetura para
obter mais
exemplos de maneiras de gerenciar grandes conjuntos de dados e grandes implantações do
QlikView de maneira ideal
maneira.

Principais fatores que afetam o modelo:


• Dados distintos da coluna.
• Informações distintas dos campos-chave.
Ambos podem afetar o tamanho da memória do modelo de dados e a experiência do usuário. Por ter
muitos
tabelas, os links podem se tornar um problema de memória
Sabe-se que você pode reduzir em 50% a pegada de memória ao modificar
a estrutura de dados; e, portanto, aumentando adicionalmente a resposta da interface do usuário.
Consulte a seção Otimização deste documento para obter dicas úteis sobre como reduzir o tamanho
e
complexidade do seu modelo de dados.

Variáveis, ações e macros


Variáveis
(O seguinte é retirado de uma postagem do blog: http://www.quickqlearqool.nl/?p=902)
Neste post, quero compartilhar com você uma boa prática ao lidar com as várias expressões que
existe em um documento QlikView. As expressões mais usadas são as usadas nos gráficos, em que
eles possuem medidas como Soma (Vendas), Soma (Preço * Quantidade), etc. Estes são os
maior probabilidade de ser reutilizado por outros objetos e em folhas diferentes. Existem muitas
outras expressões
incluindo atributos de gráfico, expressões de cores e condições de exibição, você pode vê-los todos
indo para o menu Visão geral de configurações / expressões.
As expressões mais usadas são as usadas nos gráficos, nas quais elas mantêm medidas como
Soma (vendas), Soma (preço * quantidade), etc. Estes são os que têm maior probabilidade de serem
reutilizados por
outros objetos e em folhas diferentes. Existem muitas outras expressões, incluindo atributos do
gráfico,
Expressões de cores e Mostrar condições, você pode vê-las todas, acessando o menu
Visão geral de configurações / expressões.
O uso de expressões pode ser intensivo no QlikView, especialmente quando se tem um usuário
sofisticado
interface. Existe uma necessidade crescente de lidar com essas expressões de maneira mais
eficiente, e isso
pode ser realizado pelo uso de variáveis.
Razões para manter expressões em variáveis:
• Para obter reutilização: a fórmula para uma medida como Vendas geralmente permanece a mesma
em um documento QlikView, portanto, não faz sentido escrevê-lo em todos os gráficos.
• Para impor consistência nas fórmulas: evitando o risco de ter fórmulas diferentes
que calculam a mesma medida.
• Para fornecer um ponto único para aplicar alterações: se e quando uma fórmula precisar ser
alterada,
você só precisa alterar uma variável e todos os gráficos e outros objetos que se referem a
essa variável seguirá.
• Para permitir que o usuário final faça alterações através de uma caixa de entrada, quando
necessário. Isso poderia
seja o caso de destinos para KPIs ou parâmetros gerais.

As variáveis podem ser criadas manualmente, acessando o menu Configurações / Visão geral das
variáveis ou
usando as instruções SET / LET no script. Eles têm um nome e um valor, que podem conter
qualquer
tipo de seqüências de caracteres ou números e eles podem ser usados como referência de todos os
objetos da pasta. o
Caixa de entrada é o objeto projetado para mostrar variáveis na interface do usuário.
Se você deseja começar a experimentar movendo suas expressões para variáveis, tente o seguinte:
1. Vá para a guia Expressões em um de seus gráficos e copie uma das fórmulas, para
instância Sum (SalesValue)
2. Vá para o menu Configurações / Visão geral das variáveis e clique no botão "Adicionar" para
criar um
variável. Atribua a ele um nome como vFormulaSales (é uma prática recomendada ter todas as
variáveis
nomes começando com v para ajudar a diferenciá-los dos campos).
3. Selecione sua variável na lista de variáveis e cole a fórmula no gráfico no diretório
Caixa de texto "Definição". Se a fórmula começar com um sinal =, remova-a. Por fim, clique em
"OK"
para salvar as alterações.
4. Volte para a guia Expressões das propriedades do seu gráfico e substitua a fórmula por
o seguinte: $ (vFormulaSales)
A expansão do sinal $ indica que a sequência contida na variável é uma fórmula que precisa ser
calculado.
A etapa final é substituir, substituir as fórmulas clonadas em todos os outros objetos, para que todos
se refiram
para a mesma fórmula contida na nova variável. Todo novo objeto que precisa mostrar
Soma (vendas) também deve se referir à variável.
Você já pode ter alguns documentos do QlikView em que não aplicou essa prática, mas
nunca é tarde para começar. A longo prazo, realmente vale a pena.

Variáveis são comumente usadas para ajudar a alternar as configurações do banco de dados entre
ambientes
sem necessidade de codificação embutida no QVW, conforme ele se move de um ambiente para
outro. Vejo
o código de exemplo abaixo para obter uma técnica de práticas recomendadas para fazer isso:

SET vEnvironment= ‘PROD’;


IF vEnvironment = ‘PROD’ THEN
···ODBC CONNECT TO MyOracleDBProd (XUserID is *****, Xpassword is ****)
SET vDBName = ‘MyOracleDBProd‘;
ELSEIF vEnvironment = ‘TEST’ THEN
···ODBC CONNECT TO MyOracleDBTest (XUserID is *****, Xpassword is ****)
SET vDBName = ‘MyOracleDBTest‘;
ELSE
···ODBC CONNECT TO MyOracleDBDev (XUserID is *****, Xpassword is ****)
SET vDBName = ‘MyOracleDBDev‘;
END IF
In your LOAD statements you now reference the vDBName as follows:
SQL SELECT *
FROM $(vDBName).MySchema.MyTable;

Existem dois métodos simples para alterar esse valor variável de ambiente para ambiente
conforme o QVW é promovido:
1) Force o desenvolvedor ou administrador a alterar manualmente o valor da variável no script
2) Use um arquivo Incluir com a instrução SET vEnvironment ..... Cada ambiente
possui seu próprio arquivo de texto de instrução do Inlcude que permanece no ambiente. O QVW
carregará
no arquivo de inclusão que existe em seu diretório, obtendo sempre a variável adequada
definido para o seu ambiente.
As variáveis também podem ser usadas para armazenar lógica de expressão comum (métrica) e
usadas em muitos
Documentos do QlikView. A lógica da expressão pode ser armazenada no Excel, em um arquivo
simples ou em um banco de dados.

A amostra abaixo mostra algumas expressões armazenadas em um arquivo do Excel relacionado às


métricas do Physician.

Essas variáveis são então lidas em arquivos QVW usando uma instrução LOAD simples e, em
seguida,
convertido em variáveis usando esta lógica abaixo:

Feito
isso,
as
variáv
eis
podem ser usadas em qualquer expressão no QVW. Um exemplo do
A lógica de expressão para utilizar a variável é mostrada abaixo.

Este método permite o gerenciamento central da lógica em métricas. Você pode simplesmente
mudar e
testar aprimoramentos lógicos em uma planilha ou banco de dados e permitir que os QVWs
recarregem o
lógica na próxima vez que forem acionados para recarregar.

MACROS
A seguir, algumas reflexões que você deve estar ciente quando começar a incluir macro
instruções em seu aplicativo.
A execução de uma macro exclui automaticamente todos os caches, desfaz o buffer do layout e
desfaz a lógica
buffers de operação e isso em geral tem um impacto negativo muito grande no desempenho,
experimentado pelos clientes. A razão para excluir os caches etc. é que é possível modificar
propriedades, seleções do mac-ros, abrindo assim conflitos entre o estado em cache
e o estado que foi modificado de uma macro e esses conflitos praticamente sempre travam ou
travar os clientes (e, na pior das hipóteses; travar ou travar o servidor também).

As macros são executadas no nível VBS, enquanto o QlikView em geral é executado no


montador que é milhares de vezes mais rápido por padrão. Além disso, as macros são
síncrono de encadeamento único em oposição ao QlikView que é assíncrono e fortemente
encadeado
e isso faz com que as macros interrompam efetivamente todos os cálculos no QlikView até o
término e
Depois disso, o QlikView precisa retomar todos os cálculos interrompidos, que é um processo
delicado e
uma fonte (pelo menos historicamente) de conflitos (ou seja, o QlikView congela enquanto a macro
é
ainda em execução, sem a possibilidade de a macro ser concluída).
Enquanto o QlikView é cada vez mais otimizado em termos de desempenho e estabilidade, as
macros
mantenha sempre seu baixo desempenho e o espaço entre a funcionalidade genuína do QlikView
e as macros continuarão aumentando, tornando as macros cada vez menos desejáveis
ponto de vista do desempenho. Esse fato, combinado ao fato acima, de que as macros tendem a
abaixo da mina todas as otimizações feitas no QlikView exigem compensações negativas graves
assim que
macros se tornam parte integrante de qualquer aplicativo maior.

As macros são de natureza secundária quando se trata da funcionalidade do QlikView - primeiro


todas as funções internas.
funções básicas do QlikView são executadas e testadas e, posteriormente, as macros são executadas
e testadas, o que
significa efetivamente que as macros nunca terão o mesmo status ou prioridade que o QlikView
básico
funcionalidade - sempre considere as macros como último recurso, mas nada mais. Desde o
API de automação reflete o QlikView básico em termos de propriedades do objeto etc., o conteúdo
da macro
pode realmente mudar entre as versões, tornando essa uma área muito comum para problemas de
migração.
Depois que uma macro é incorporada em um aplicativo, esse aplicativo deve ser revisado a cada
nova versão para garantir que as macros não sejam afetadas por alterações estruturais
no QlikView e isso torna as macros extremamente pesadas em termos de manutenção.

Somente um subconjunto de macros funcionará em um ambiente de servidor com thin clients (Java,
Ajax) desde
operações locais (copiar para a área de transferência, exportar, imprimir etc.) não são suportadas,
embora algumas dessas
ter um equivalente no servidor (por exemplo, Server-SideExport etc.) muito caro em termos de
desempenho com cada cliente afetando efetivamente o desempenho do servidor de maneira
negativa.
Em conclusão: o que estamos buscando é uma maior conscientização quando se trata de macros e
o que pode funcionar com alguns milhares de registros não é necessariamente muito bom quando
macros
envolvidos e os problemas tendem a se manifestar e a se tornar mais graves quando
conjuntos de dados maiores são envolvidos. Também é importante observar que certos eventos só
podem ser
capturados através do uso de macros e, por esse motivo, pode ser difícil evitar o mac-ros
completamente. O departamento de P&D sempre se esforça para incorporar tanto desta
funcionalidade quanto
possível como funcionalidade básica do QlikView, limitando assim o uso de macros a longo prazo -
no entanto, como afirmado anteriormente: alguns eventos são difíceis de capturar, exceto de fora
macro ...
Dado todo o exposto, as macros não podem fazer parte de nenhum padrão de design recomendado
do QlikView!

AÇÕES
Ação é uma nova entidade no QlikView 9. Elas são derivadas dos atalhos de botão antigos, que eles
também substitua. Além de oferecer uma gama muito maior de operações do que os atalhos antigos
(incluindo as operações mais comuns em planilhas, objetos de planilha, campos e variáveis), você
pode
também define uma série de operações em uma única ação. A introdução de ações deve
reduz bastante a necessidade de macros, o que é bom, pois as macros nunca são eficientes de um
ponto de vista do desempenho.
As novas ações não podem ser usadas apenas nos botões. Também objetos de texto, objetos de linha
/ seta e
gráficos de medidor podem receber ações, que são executadas ao clicar no objeto de pasta em
Pergunta, questão.
As macros de gatilho das versões anteriores do QlikView foram substituídas por ações de gatilho.
Isso permite criar gatilhos bastante elaborados sem o uso de macros. Desencadear
macros de versões anteriores serão automaticamente convertidas em uma ação RunMacro quando
carregado no QlikView.
Leia mais sobre gatilhos no manual de referência do QlikView.

GESTÃO DE PROJETOS
VISÃO GLOBAL

As recomendações nesta seção devem ser exploradas e decididas


antes do início do projeto, não durante a fase de implementação.
A metodologia SCRUM funciona bem com o QlikView. Alguns fatores importantes são
• Como os projetos QlikView são muito rápidos, os métodos da SCRUM para reuniões freqüentes
funciona bem com o desenvolvimento do QlikView
• Um método de notificação deve ser configurado entre desenvolvedores simultâneos quando um
deles
estão mudando objetos compartilhados
• Definir processos para:
• QA
O que denota um 'Erro' ao executar o controle de qualidade?
• Dados / totais incorretos são erros
• Etiquetas / descrições incorretas são erros
O que denota um "aprimoramento"?
• Alterações no layout (adição, alteração de itens) são
aprimoramentos se o item / folha já passou na inicial
aceitação pelo usuário final
* É importante indicar entre erros e aprimoramentos porque
Os erros devem ser corrigidos, os aprimoramentos devem ser aprovados antes de serem
implementado. Tentamos ficar longe de aprimoramentos durante o controle de qualidade, pois
pode exigir que re-controle de qualidade muito trabalho.
• Solicitações de mudança
O que devemos fazer quando um usuário pede para alterar itens? Quando nós
tem que pedir permissões?
• Plano de comunicação e execução
• Quando as principais partes interessadas se reunirão para revisar as mudanças de escopo ou
aprimoramento
solicitações de?

Metodologia DSDM
• Baseado na metodologia RAD
• um dos métodos ágeis; parte da Aliança Ágil
• Semelhante ao SCRUM em processo e conceito, NO ENTANTO:
- Menos jargão que SCRUM
- Nenhuma educação sobre papéis e títulos do SCRUM
- Menos documentos necessários
• Metodologia Agile RAD reconhecida globalmente
• Iterativo e incremental
• Ênfase no envolvimento contínuo do usuário
Concentre-se na consciência do escopo, pontual e dentro do prazo
Ajustes para alterar requisitos incorporados ao cronograma
Facilmente dobrável em projetos abrangentes de clientes e PMO
Esforço, funções e documentação do projeto em “linguagem simples”.
Cíclico de volta a oportunidades adicionais de vendas e receita
Metodologia RAD / DSDM
• RAD = implantação rápida de aplicativos
• DSDM = método dinâmico de desenvolvimento de sistemas
- Metodologias RAD e DSDM altamente reconhecidas na América do Norte e Europa
como parte da Agile Project Management Alliance
- As metodologias RAD e DSDM ajustam-se ao perfil típico do projeto QlikView com
modificação mínima
- As metodologias RAD e DSDM podem ser referenciadas e pesquisadas para auxiliar
governança e modelos de projeto
- As metodologias RAD e DSDM fornecem uma base para transferências de conhecimento
- As metodologias RAD e DSDM são requisitos e documentação de recursos
magra, mas completa

Elementos RAD / DSDM

Fases do projeto 3 fases:


• Pré-projeto
• Ciclo de vida do desenvolvimento do projeto
• Pós-projeto
Funções de Recursos da Equipe do Projeto 6 Funções
• Proprietário / patrocinador do projeto
Analista Técnico
• Gerente de Projetos / Analista de Negócios
• Consultor de serviços especializados
• Desenvolvedor de parceiro de serviço
QlikView
• Equipe de projeto do cliente
Documents Required 8 documentos
• Carta do projeto com escopo
• Requisitos: Comercial, Funcional,
Não funcional, Técnico
• Plano de teste e resumo
• Cronograma e plano do projeto
• Resumo do projeto e desenvolvimento
• Transferência e suporte de conhecimento
Sumário
• Entrevista pós-projeto da equipe
Sumário
• Entrevista de satisfação do cliente
Sumário
Documento de noivado “Carta do Projeto”
Documento único com tabelas
Documentação:
• Objetivo da Carta, Executivo
Resumo, Visão Geral do Projeto, Escopo
com metas, objetivos e
entregas, condições com
premissas, plano de comunicação,
rastreador de problemas, rastreador de riscos,
restrições e caminho de escalação,
Abordagem Estruturada, Equipe
Plano de Organização, Contato da Equipe
Diretório
• Documentos em anexo: projeto
programação (planilha), SOW,
solicitações de mudança, marco
resumos (requisitos, design e
desenvolver, testar, implantação)
Cronograma do projeto Planilha do Excel exportável para MS
Projeto, et al. Software de gerenciamento de
projetos,
com base nos formatos do MS Project

A seguir, é mostrado um exemplo de plano de projeto para um projeto QlikView. A QlikTech


recomenda que um
plano de projeto seja criado e seguido para projetos QlikView e que a ajuda de um técnico
qualificado
Gerente de Projeto ser procurado para projetos maiores. Muitos mais modelos e amostras são
disponível pelo QlikTech Expert Services ou on-line pelo QlikCommunity.
Segurança (acesso à seção)

O Acesso à seção pode ser configurado no script QlikView para lidar com a segurança. Está contido
no
.qvw, o que significa que um único arquivo pode ser criado para armazenar os dados de vários
usuários ou usuários.
grupos. O QlikView utilizará as informações na Seção Acesso para autenticação e
Autorização e reduzir dinamicamente os dados, para que um usuário veja apenas os dados que está
permitido.
O QlikView fornece os seguintes níveis de acesso:
ADMIN - pode mudar tudo no documento. Usando a página Segurança no
Nas caixas de diálogo Propriedades do documento e Propriedades da folha, uma pessoa com acesso
ADMIN pode
limitar as possibilidades dos usuários de modificar o documento.
USUÁRIO - não pode acessar as páginas de segurança.
NENHUM - usado opcionalmente para maior clareza, sempre tratado como "sem acesso".
Enquanto o QlikView Publisher pode usar sua funcionalidade "repetir e reduzir" para reduzir um
QVW por linhas
por usuário ou grupo à medida que está sendo recarregada, você também pode fazer isso na Seção
Acesso
dinamicamente à medida que o documento é aberto. Qualquer um dos métodos funcionará e ambos
terão benefícios.
O loop e a redução do Publisher ajudarão você a reduzir o espaço de memória dos QVWs
no (s) servidor (es), enquanto o método de acesso à seção é portátil com o documento. Outro
O motivo de usar o Acesso à Seção é a aplicação de autenticação no QVW, por meio de um ID do
usuário,
senha ou ambos. Isso é especialmente importante se o QVW for ativado para download
do AccessPoint ou de outra forma distribuído aos usuários.
A QlikTech recomenda que os QVWs que serão distribuídos sejam protegidos por senha ou em
menos validado com relação a um userID com acesso à seção.

Práticas recomendadas ao usar o Acesso à seção:

No Acesso à seção, sempre use a função Upper () ao utilizar uma instrução load, use-a
em todas as colunas, não importa o quê. (mesmo ao ler em .qvd)
Grupos do AD para segurança
Segurança em arquivos de inclusão
Adicione a conta de serviço do editor à tabela Acesso à seção
Utilizando um design de "Esquema em estrela" para o modelo de dados com tabelas NO LINK.
Tabelas de links doem
desempenho muito!
O melhor caso é ter uma tabela de fatos com as dimensões diretamente conectadas ao fato. No
casos raros devem ser usadas dimensões adicionais de "flocos de neve".
Nas tabelas de fatos, não há mais de 30 a 40 colunas definidas. (pode haver alguns
mais / menos, mas não possui 150 colunas, a menos que você tenha menos de 10 milhões de
registros
(com um servidor decente)
• Muitas vezes, ter muitas colunas é uma situação provocada pela utilização de ‘Função
Reproduzir métricas ". Embora isso possa ser útil, muitas dessas métricas criam uma
degradação de desempenho no servidor.

Otimização
visão global

Quando a fase de desenvolvimento de um aplicativo estiver concluída e a fase de implantação


começar,
é muito importante considerar as práticas recomendadas para otimizar a área de cobertura do
aplicativo para que
a experiência do usuário final é suave e contínua. Esta seção discute as melhores práticas
otimização de dados e manipulação de expressões.
Carga de dados
Após o carregamento, descarte todos os campos desnecessários. Um arquivamento desnecessário é
aquele que não está atualmente
usado em gráficos, caixas de listagem etc. Algo que não está sendo usado no momento. Há utilidade
Aplicativos QlikView disponíveis no QlikCommunity que identificarão as colunas não usadas no
seu
QVW e até gerar as instruções DROP necessárias para eliminá-las do seu modelo de dados.
Uma captura de tela do UnsedFields.QVW é mostrada abaixo. Este QVW está disponível em
QlikCommunity para download e uso gratuito.
Se seus dados forem enormes, decida dividi-los em vários períodos de tempo. Por exemplo: Tenha
um
QVW “Este ano versus Ano passado”, um segundo com dados de 5 anos (ou mais), já que a maioria
as pessoas querem ver este ano em relação ao ano passado. (se esse é o caso). Nota: isso também
resulta em uma
experiência do usuário final muito mais rápida. Vamos supor que você descubra que 80% dos seus
usuários
observe apenas os últimos 13 meses de dados, mas seu QVW mantém 60 meses de dados. Se vocês
crie duas versões do QVW (uma que contém apenas os últimos 13 meses e outra que
todos os 60 meses), você pode permitir que os usuários analisem primeiro a versão de 13 meses do
QVW e, em seguida, vincule à outra versão somente quando necessário. Isso resultará em 80% do
seu
sessões do usuário final que consomem uma fração da RAM, CPU e tempo de processamento que
eles
antes de dividir o aplicativo. Isso melhora a experiência de seus usuários finais e
estende seu hardware ainda mais.
• Não normalize demais os dados. Planeje de 6 a 10 tabelas totais em um QlikView típico
inscrição. Isso é apenas uma diretriz, mas há um equilíbrio a ser alcançado com os dados do
QlikView
modelos. Veja a seção do modelo de dados deste documento para mais detalhes.
• Elimine pequenas tabelas "folha" usando Carga de Mapeamento para rolar valores de código em
outras
dimensões ou tabelas de fatos.
• Eliminar contagem (distinta x) s Eles são muito lentos
• Eliminar números de contagem, ou textos de contagem, são quase tão lentos quanto o número de
contagens (distinto)
• Armazene tudo o que for possível como um número em vez de uma string
• Des normalizar tabelas com pequeno número de campos
• Use números inteiros para unir tabelas
• Permita apenas 1 nível de dimensões em flocos de neve no registro de fatos. (fato, dimensão,
floco de neve, nenhum)
• Use a numeração automática quando apropriado
• Use o modelo Carregamento incremental para carregar incrementalmente e interromper os
arquivos .qvd históricos
em .qvds individuais com base no período incremental
• Sempre use caminhos relativos ao fazer referência a arquivos

Use nomes UNC ou tarefas automatizadas podem não conseguir fazer referência aos caminhos
• Preferências do usuário local em um arquivo de inclusão
• Incluir arquivos para conexões
• Divida o carimbo de data / hora em campos de data e hora quando é necessário data e hora
• Remova a hora da data por andar () ou por data (data # (..)) quando a hora não for necessária
• Reduza campos-chave concatenados amplos via autonumber (), quando todas as tabelas
relacionadas estiverem
processado em um script
• (Não há vantagem ao transformar campos alfanuméricos, quando string e
o campo numérico resultante tem o mesmo comprimento)
• Use campos numéricos em funções lógicas (as comparações de strings são mais lentas)
• (a - b) / b
• data (max (SDATE, 'DD.MM.AAAA'))
max (data (SDATE, 'DD.MM.AAA'))
• A granularidade dos dados de origem é necessária para a análise?
• Use sinalizadores numéricos (por exemplo, com 1 ou 0), que são pré-calculados no script
Soma (sinalizador * valor) vs. soma (se (sinalizador, valor))
• Reduza a quantidade de objetos de gráfico abertos
• Calcular medidas dentro do script (tamanho do modelo <> desempenho online)
• Limite a quantidade de expressões nos objetos de gráfico / pivô, distribua-os em vários
objetos (use minimização automática)
• Desative o Hyperthreading no BIOS do servidor; O Hyperthreading (apenas CPUs Intel) pode
abrandar o processamento do script
• Seja muito cuidadoso usando macros!
melhor: (a / b) - 1
é fator xxx mais rápido que
"Soma () agrupar por"

Para QVWs muito grandes, você pode otimizar ainda mais pré-armazenando em cache as seleções
na RAM.
O QlikView armazena o resultado de um cálculo de fórmula regular dentro de diagramas na pasta
compartilhada
memória cache. O mesmo usuário ou outro usuário busca o resultado do cache
quando a fórmula e os filtros são os mesmos, ou seja, o resultado é entregue instantaneamente sem
qualquer processamento. As entradas de cache permanecem na memória cache atribuída até o QV-
o modelo é recarregado por ex. após uma atualização. Isso significa que os primeiros usuários após
uma recarga
tem que aceitar o tempo de espera, porque o cache está vazio. Este problema pode ser resolvido via
um script do Visual Basic (VBS) que simula seleções de usuário no aplicativo e que
pode ser iniciado automaticamente (por meio de uma tarefa de execução externa no Publisher) após
o
atualização do modelo de dados.
Este exemplo de VBS abaixo é executado em todas as pastas do aplicativo, abre todos os diagramas
e seleciona todos os campos na dimensão Região
Use expressões de Condição de cálculo para limitar o cálculo de tabelas muito grandes quando
não é relevante. O cálculo de objetos de diagrama - especialmente com muitos complexos
fórmulas - podem causar uma carga significativa no sistema e, portanto, algum tempo de espera,
quando não houver
filtro está definido. Pode fazer sentido forçar o usuário a selecionar um ano,
sim, uma categoria de produto ou uma
região ou todas essas dimensões antes do início do cálculo dos objetos do diagrama.
Utilize variáveis e / ou Análise de conjuntos em vez de cálculos de dados complexos em expressões.
Usando funções de tempo dentro da expressão (1-3
(1 abaixo) resulta em tempo de espera 3-15
3
vezes
mais em comparação com uma comparação simples (4 abaixo) ou com a Análise de conjuntos (5
abaixo).
1
2)
3)
4)
5)
soma (se (inmonth (Data, data (max (data total))), - 12),
Encontro)),
Vendas) )
soma (inmonth
inmonth (Data, data (max (Data total)), - 12)
Encontro)),
* -1 * Vendas)
soma (se (inmonth (Data, vPYMonthEnd, 0), Vendas))
soma (se (Data> = vPYMonthStart e Data <= vPYMonthEnd,
soma ({$ <Data = {"> = $ (vPYMonthStart) <= $ (vPYMonthEnd)"}>}
Vendas))
Vendas)
Essas práticas recomendadas de otimização são demonstradas e praticadas no QlikView Developer
e cursos de treinamento para designers. A QlikTech recomenda fortemente que os clientes tirem
proveito disso
treinamento para otimizar as implantações do QlikView e maximizar o retorno
reter urn investimento eles
pode realizar com o QlikView.

Diretrizes de gerenciamento de código e migração


Gerenciamento de código
Para fornecer uma visão geral das práticas recomendadas de Gerenciamento de código, é útil
examinar um
estudo de caso fictício que examina um processo de alteração de aplicativo QlikView para uma
empresa. o
o nome da empresa fictícia é Acme Industries.
Relatório: Guia de Solicitações de Mudança da Acme Industries
Alterando o processo de liberação do aplicativo QlikView
Esperamos que os usuários finais tenham solicitações de aprimoramento e / ou relatórios de defeitos
para o
Aplicativo QlikView. Gerenciaremos essas solicitações de mudança usando o padrão Acme
Industries '
procedimentos de gerenciamento de alterações de software sempre que possível.
Várias solicitações de mudança podem ser implementadas e agrupadas em uma nova versão. A
frequência
ainda não foi determinado, mas uma vez estabilizada a aplicação, novos lançamentos serão
é mais provável que seja um evento trimestral ou mensal, em vez de um evento diário.
Abrindo uma Solicitação de Mudança
A solicitação de alteração deve ser inserida primeiro na ferramenta ou bug da Acme Industries
sistema de rastreamento. A solicitação de mudança deve ser priorizada pelo projeto QlikView
Gerente. À medida que mais solicitações de mudança são recebidas, o Gerente de Projeto atribui a
prioridade mais alta
solicitações de mudança para um desenvolvedor do QlikView para implementação.
Implementando uma Solicitação de Mudança
1. Saída do (s) arquivo (s) QVW
O desenvolvedor do QlikView verifica os arquivos QVW apropriados do site da Acme Industry
ferramenta de controle de revisão. (Como alternativa, em vez de verificar o (s) arquivo (s) QVW, o
script e
os arquivos de layout podem ser exportados do (s) QVW (s) via QlikView Developer para
gerenciamento pelo
ferramenta de controle de revisão preferida).

Alterando o aplicativo QlikView


O desenvolvedor do aplicativo QlikView agora estende e / ou repara o aplicativo QlikView, usando
habilidades dos cursos QlikView Designer e Desenvolvedor. O aplicativo QlikView pode ser
modificado e estendido localmente na área de trabalho de um desenvolvedor ou remotamente no
servidor de teste. o
A tabela a seguir compara as duas abordagens diferentes:

Desenvolvimento Software para desktop Software Servidor Notas


Localização Requeridos Requeridos
Localmente na área de QlikView Desktop n/a Baseado em servidor
trabalho desenvolvimento é útil
Remotamente em teste Remoto do Windows QlikView Desktop para
Servir Conexão da área de volumes de dados
trabalho maiores.
Cliente

Em geral, é uma boa prática usar hosts separados para fins de teste e produção para grandes
implantações. No entanto, uma máquina pode servir em ambas as funções, se necessário,
especialmente em pequenas
implantações. No caso de uma máquina servindo em ambas as funções, os arquivos de teste e
produção podem ser
armazenados em árvores de diretório separadas, e o administrador do sistema pode controlar o
acesso ao
árvore de diretórios de produção usando permissões de arquivo do Windows NTFS. O restante deste
documento
discute o uso de hosts de teste e produção separados; no entanto, os mesmos conceitos podem ser
aplicado ao usar árvores de diretório de teste e produção separadas em uma única máquina.

Implantação de Teste no Servidor de Teste


O desenvolvedor do QlikView agora copia o arquivo QVW atualizado no QlikView do servidor de
teste
pasta do servidor e valida se o aplicativo funciona como desejado quando acessado pelo
tipo de cliente preferido (por exemplo, plug-in Internet Explorer do QlikView).
4. Teste de Recarga no Servidor de Produção
O desenvolvedor do QlikView trabalha com o administrador do servidor para validar se o QVW
atualizado
O arquivo pode recarregar dados com êxito no servidor de produção. Este teste é especialmente
crítico se o
O desenvolvedor do QlikView adicionou chamadas a quaisquer novas fontes de dados no arquivo
QVW atualizado, como aquelas
as fontes de dados podem não estar disponíveis no ambiente de produção.

Redução de dados antes do check-in


No desenvolvimento de software, o objetivo de um sistema de controle de revisão é controlar as
alterações no software
artefatos do aplicativo, e não para os dados processados pelo aplicativo. Assim sendo,
Antes de verificar a nova versão do (s) arquivo (s) QVW, todos os dados devem ser removidos do
Arquivos QVW, por meio do comando Arquivo do QlikView Desktop> Reduzir data> Remover
todos os valores.
Isso reduzirá o tamanho do arquivo QVW de cerca de 2 MB para 200 kb. Não estamos preocupados
sobre o check-in deste arquivo sem dados, pois o arquivo QVW será preenchido novamente com os
dados após
sendo implementado no servidor de produção, quando seu script de carregamento é executado.
Esta etapa é relevante apenas se a Acme estiver executando um controle de revisão nos arquivos
QVW; não é
relevante ao usar a abordagem alternativa de executar o controle de revisão no script e
arquivos de layout.
6. Check-in e implantação
O desenvolvedor deve verificar o arquivo QVW atualizado e reduzido no sistema de controle de
revisão,
e, em seguida, alerte o administrador do sistema para a disponibilidade do arquivo atualizado. O
sistema
O administrador copia os arquivos QVW atualizados para o diretório Production no servidor.
Se a Acme estiver usando a abordagem alternativa de executar o controle de revisão no layout e no
script
arquivos (em vez do QVW), o desenvolvedor deve verificar o script e o layout modificados
arquivos e o administrador do sistema importaria esses arquivos de script e layout atualizados para
os arquivos QVW de produção.
Fechando a Solicitação de Mudança
A solicitação de mudança deve ser marcada como fechada na ferramenta de solicitação de mudança
da Acme Industries ou
sistema de rastreamento de bugs.
Isso conclui o relatório típico sobre a implementação de uma solução de controle de alterações para
o QlikVIew.

Sumário
O QlikView é uma solução de BI muito rápida e flexível. Embora existam poucas partes móveis
(QVDs e
QVWs) para gerenciar o desenvolvimento, existem infinitas combinações ou recursos, processos,
ambientes, usos, plataformas de entrega e projetos que podem ser aplicados. Com velocidade vem
a necessidade de alguma governança e consistência, e o QlikView não é exceção.
Essas práticas recomendadas não são totalmente abrangentes. Uma boa estratégia para se manter
atualizado com as melhores
práticas é aumentar o uso de documentação como essa com outras formas de entrada. Alguns
destes são:
- QlikCommunity - a comunidade online do QlikView com 10.000 usuários
- QlikTalks - encontros locais e regionais do QlikView em que as melhores práticas, novas
recursos, soluções de vitrine e especialistas em fornecedores são destacados.
- QlikTech Expert Services - uma variedade de serviços são projetados para ajudar um QlikView
a equipe acelera muito rapidamente com as melhores práticas de desenvolvimento,
arquitetura e administração. Entre em contato com o executivo de conta ou regional
Diretor de Serviços para obter informações sobre os serviços disponíveis na QlikTech e seus
parceiros certificados em todo o mundo.
- Grupos de desenvolvedores - grupos locais para um cliente ou organizados por vários clientes são
formando em muitas cidades. Verifique se há um grupo de usuários local na sua cidade
através do QlikCommunity.
A QlikTech recomenda fortemente que os clientes dediquem tempo para aprender as melhores
práticas e técnicas que otimizam
implantações e agiliza o tempo de entrega do QlikView. Considere a implementação desses
práticas recomendadas e outras em sua implantação. Eles são uma ótima maneira de acelerar o
sucessos do QlikView ainda mais!

Você também pode gostar