Você está na página 1de 180

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,

APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE


VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Copyright © 2018 by Eduardo H. K. Oliveira

Revisão

Samara Kouzak
Guilherme Bezerra Rodrigues
Alessandra Ângela

Capa

Douglas Lucas

Edição de imagens

Pedro Mafra

Projeto gráfico e diagramação

Silvana de Barros Panzoldo

DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO (CIP)


048m
Oliveira, Eduardo Henrique Kouzak
O manual do Bitcoin: tudo o que você precisa saber para não perder tempo nem dinheiro /
Eduardo Henrique Kouzak Oliveira ; prefácio Samy Dana. – Brasília, DF: [s.n.], 2018.

ISBN 978-85-5697-430-3

1. Tecnologia. 2. Finanças. I Título.


CDD: 600

omanualdobitcoin@gmail.com
www.omanualdobitcoin.com

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
AGRADECIMENTOS

Esta produção é o resultado da soma de esforços de muitas pessoas, que


contribuíram decisivamente para torná-la realidade.
Gostaria de agradecer, antes de tudo a Deus, pelo dom da vida, pela saúde e pelo
acesso às ferramentas necessárias para adquirir e produzir conhecimento.
Aos meus pais, Dimas e Bárbara Oliveira, a quem eu tudo devo, pelo exemplo,
proteção, amor e dedicação empenhados durante toda minha existência e mesmo antes
da concepção.
À minha irmã Juliana Oliveira, pelo companheirismo e exemplo, mesmo sendo
consideravelmente mais jovem.
Ao meu cunhado Guilherme Rodrigues, pela amizade, incentivo desde o primeiro
rascunho e pela perícia na revisão do texto.
Aos meus sogros George e Selma Kouzak, meus segundos pais, pelo carinho e apoio
incondicional a todos os nossos projetos de vida.
À minha amada esposa Samara Kouzak, a melhor metade de mim e verdadeiro porto
seguro. Por fazer-me melhor ao seu lado, amar-me e oferecer-me inúmeras razões para
viver. Pela sua participação direta no livro, sem a qual ele não existiria. E
principalmente na minha vida, sem a qual ela não teria graça.
À minha querida família, por ser uma base inesgotável de fé e retidão, e por
depositarem confiança em mim, muitas vezes mais do que eu mesmo.
Aos meus pacientes e colegas de trabalho, membros de uma segunda e enorme
família, por me guiarem e por me inspirarem no ofício diário.
Aos meus amigos, pela lealdade, autenticidade e capacidade de tornar os dias mais
leves e divertidos.
Ao meu amigo Daniel Salomão, por prestar inestimável consultoria editorial a este
estreante escritor.
Ao meu amigo Pedro Mafra, pela gentileza de edição das imagens contidas no livro.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Ao Samy Dana, pelo prestígio e generosidade em emprestar seu valioso tempo na
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
composição do prefácio.
Aos demais profissionais envolvidos, pela atenção aos mínimos detalhes e
profissionalismo. Um verdadeiro time de pessoas talentosas e comprometidas.
Aos colaboradores desconhecidos e anônimos que, ao despertar dúvidas,
contradições e oportunas reflexões, enriqueceram e propiciaram subsídios fundamentais
para a elaboração do texto.
Agradeço sobretudo a você, caro leitor, por despertar-me inexplicável empolgação
durante a redação deste livro. O seu carinho, a sua atenção e seu verdadeiro interesse
pelo conteúdo desta obra são as recompensas mais honrosas com as quais eu poderia
sonhar.
A todos que contribuíram para a concretização desta missão, o meu muito obrigado!

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Aos nossos futuros filhos,
que possam viver em uma sociedade
mais informada, justa e livre.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
SUMÁRIO

Agradecimentos
Prefácio
Introdução

PARTE I
DECIFRANDO O
UNIVERSO DOS BITCOINS
capítulo 1
O QUE É O BITCOIN E POR QUE DEVO ME IMPORTAR?
capítulo 2
NASCE UMA MOEDA DESCENTRALIZADA
capítulo 3
O FUNCIONAMENTO DA BLOCKCHAIN
capítulo 4
QUEM SÃO OS MINERADORES
DO SÉCULO XXI?
capítulo 5
JARGÕES DO CRIPTOMUNDO
capítulo 6
A PIZZA DE MEIO BILHÃO DE REAIS
capítulo 7
FIGHT OR FLIGHT
capítulo 8
MITOS E VERDADES

PARTE II
ARQUIVO EM
ECONOMÊS BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
BOM PORTUGUÊS
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 9
HISTÓRIA DO DINHEIRO – DO ESCAMBO AO MASTERCARD
capítulo 10
UM ANTÍDOTO CONTRA INFLACIONÁRIO
capítulo 11
POR QUE O LASTRO PODE SER DESIMPORTANTE
capítulo 12
MOEDA DE TROCA OU RESERVA DE VALOR?
capítulo 13
O ALTO CUSTO DOS ATRAVESSADORES
capítulo 14
LIBERDADE POLÍTICO-MONETÁRIA
capítulo 15
CETICISMO DOS ATORES TRADICIONAIS

PARTE III
PASSO A PASSO: COMO COMPRAR, PROTEGER E UTILIZAR SEUS
BITCOINS
capítulo 16
AFINAL, QUANTO INVESTIR?
capítulo 17
COMPRANDO SEUS PRIMEIROS BITCOINS
capítulo 18
UMA CORRETORA PARA CHAMAR DE SUA
capítulo 19
COMO CONFIGURAR UMA HOT WALLET
capítulo 20
GUARDE SEUS BITCOINS DENTRO DO COFRE
capítulo 21
CONVERTENDO BITCOINS EM REAIS
capítulo 22
ARQUIVO
CUIDADO BAIXADO
COM DA THEREBELS
OS LADRÕES VIRTUAIS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PARTE IV
BITCOIN EM PAUTA
capítulo 23
OS POLÊMICOS FORKS E COMO SE PREPARAR
capítulo 24
COMO EXPLICAR AOS AMIGOS E FAMILIARES?
capítulo 25
O QUE JÁ SE PODE PAGAR COM BITCOINS
capítulo 26
É POSSÍVEL MELHORAR O MUNDO COM BITCOINS?
capítulo 27
E SE FOR UMA BOLHA?
capítulo 28
ALTCOINS E A BUSCA DA MOEDA PERFEITA
capítulo 29
REGULAÇÃO NO BRASIL E NO MUNDO
capítulo 30
O QUE PODEMOS ESPERAR?

Referências bibliográficas
Sobre o autor

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PREFÁCIO

A palavra Bitcoin não passou despercebida por ninguém em 2017. Mesmo aqueles que
não possuem muito interesse em conhecer a fundo sobre aplicações financeiras de renda
variável voltaram seus olhos para a criptomoeda. O alvoroço geral em torno do assunto
se deve à rápida valorização que a moeda virtual alcançou.
O sonho do dinheiro fácil é uma armadilha comum para qualquer ser humano. Ver o
colega ao lado ganhando dinheiro rapidamente é uma tentação contagiosa para angariar
cada vez mais investidores adeptos ao Bitcoin. Mas até que ponto essa valorização
pode chegar? E se o valor despencar repentinamente? Mais além, o que está por trás
dessa rápida valorização?
Antes de investir qualquer quantia no ativo, o mais importante é conhecer o terreno
onde se está pisando. EDUARDO H. K. OLIVEIRA é um entusiasta do tema e traz
informações mais detalhadas sobre o funcionamento de uma criptomoeda e a tecnologia
presente por trás das moedas virtuais. Aos interessados em ingressar neste mundo, ele
aponta os caminhos para investir na moeda, com uma parte dedicada a um passo a
passo.
Por fim, coloca alguns contrapontos importantes, como a possibilidade de o
investimento acabar se tornando uma bolha financeira. Eu inclusive acredito que haja
uma bolha financeira formada e não recomendo o investimento. Este risco, inclusive,
foi ressaltado também por economistas de renome e ganhadores do prêmio Nobel, como
Robert Shiller, Joseph Stiglitz e Jean Tirole.
Diante das incertezas e a curiosidade gerada em torno do Bitcoin, a leitura traz
maiores esclarecimentos sobre o tema. Independentemente do apetite do leitor para
investir neste novo tipo de ativo, a obra é interessante para trazer mais familiaridade
com as criptomoedas - que provavelmente continuarão em pauta ainda por muito tempo,
independente dos rumos do Bitcoin no futuro.
Tendo em vista um cenário de avanço constante de tecnologias como Blockchain e
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Inteligência Artificial ocupando cada vez mais espaço em todas as esferas, nada mais
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
saudável do que buscar atualizações sobre como essas tecnologias estão impactando o
mercado financeiro.
Dito isso, boa leitura a todos!
Samy Dana

SAMY DANA possui graduação e mestrado em Economia, Doutorado em Administração


e Ph.D. in Business. É professor da Escola de Administração de Empresas da Fundação
Getulio Vargas, âncora do programa Conta Corrente (Globo News), comentarista da Rádio
Globo e da TV Globo nos telejornais Hora 1, SP1 e Jornal da Globo. É também colunista da
Portal G1 de notícias e do Jornal O GLOBO. Possui mais de 15 anos de experiência em
consultorias e apresentação de palestras. É autor de vários livros ligados a finanças,
economia e negócios.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
INTRODUÇÃO

“Os investimentos em conhecimento


geram os melhores dividendos.”
– BENJAMIN FRANKLIN

O Bitcoin é o assunto do momento. Viveu nos últimos anos e, em especial a partir de


2016, uma impressionante valorização, ganhando, dessa forma, a atenção de todo o
mundo, desde pessoas comuns à crítica especializada. O fenômeno criptográfico já é
considerado por muitos a maior invenção desde o surgimento da internet, com potencial
de verdadeiramente revolucionar a infraestrutura financeira mundial.
Porém, como todo assunto da moda, ele também divide opiniões. Economistas
prestigiados recomendam muita cautela ao negociá-los, evitando-se alocar quantidades
significativas de capital, devido à alta volatilidade e significativo risco de perdas.
É exagero dizer que o Bitcoin irá mudar a forma como lidamos com o dinheiro? Qual
é o seu papel na economia brasileira e no mundo? Ele é seguro, afinal? Como funciona?
Por que sua cotação flutua com tanta rapidez? Por que alguns acreditam que ele seguirá
se valorizando e adquirindo cada vez mais adeptos enquanto outros profetizam o
colapso e o estouro de uma bolha? O que e como fazer para inserir-me definitivamente
neste controverso universo?
Para responder a essas e tantas outras perguntas, procurei reunir neste livro
informações práticas e teóricas contextualizadas, cujo principal objetivo será introduzir
você, leitor, neste interessante, e por vezes nebuloso, mundo das criptomoedas.
Para tornar nosso passeio mais didático, dividiremos o livro em quatro partes:
Na primeira, o objetivo será fazê-lo compreender a essência do funcionamento do
Bitcoin. Embora atualmente seja quase impossível ligar a televisão ou navegar na
internet sem ouvirmos falar no assunto, poucos veículos se prestam realmente a explicar
oARQUIVO
que está por BAIXADO
detrás da DA THEREBELS
moeda. Igualmente, háSEM na FINS LUCRATIVOS,
rede muitas informações
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
desorganizadas, o que gera ainda mais confusão em meio a termos técnicos e pouco
intuitivos. Nesse bloco, focaremos na origem do Bitcoin, em como é constituído e como
a computação mantém a confiabilidade do sistema, além de explicar quem são e como
atuam os mineradores. Também veremos como tem se comportado a cotação nos
últimos anos, avaliando o seu histórico de volatilidade. E, por fim, um tira dúvidas
sobre mitos e verdades acerca do Bitcoin.
A segunda parte é dedicada a aproximar o leitor de conceitos econômicos básicos,
contextualizando-os à realidade do Bitcoin. Como ele se insere no mercado? Que
papéis ele já exerce ou poderá alcançar? Como ocorreu a evolução do dinheiro desde
os seus primórdios até os dias atuais? Veremos ainda como populações em situações de
fragilidade têm visto no Bitcoin uma chance contra as crises que assolam seus países.
Conceitos muito bem conhecidos por economistas, mas alheios à maioria de nós,
traduzidos em bom português.
Na terceira parte, um passo a passo sobre como comprar e armazenar de forma
segura seus primeiros Bitcoins. Além disso, dicas fundamentais para protegê-los contra
a ação de hackers e pessoas mal-intencionadas. É a parte essencialmente prática do
livro, repleta de ilustrações que o auxiliarão a prosseguir, minimizando a chance de
eventuais erros.
A quarta e última parte do livro foi reservada para assuntos quentes na comunidade,
que envolvem o presente e o futuro do Bitcoin. Falaremos sobre a sua regulamentação
no Brasil e no mundo, como posicionar-se diante das atualizações do sistema, como já
é possível utilizar seus Bitcoins e como reagir diante do risco de manobras
especulativas sobre o mercado da criptomoeda.
Espero que gostem do resultado deste humilde e árduo trabalho, realizado sobretudo
com bastante carinho e dedicação. Pretendo, sinceramente, contribuir com a
democratização da informação, e incentivar reflexões e debates acerca dessas recentes
inovações tecnológicas.
Boa leitura!

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PARTE I

DECIFRANDO O
UNIVERSO DOS BITCOINS

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 1
O QUE É O BITCOIN E POR QUE DEVO ME
IMPORTAR?

“Não é o mais forte que sobrevive,


nem o mais inteligente, mas o que
melhor se adapta às mudanças.”
– CHARLES DARWIN

O Bitcoin é uma nova forma de dinheiro. Diferentemente das moedas tradicionais, ele
funciona em uma rede interconectada de computadores, por meio da criptografia. É,
pois, uma moeda exclusivamente digital.
O Bitcoin foi lançado em 2009, por um programador anônimo identificado pelo
pseudônimo Satoshi Nakamoto. Desde então, o seu protocolo, desenhado em código
livre, já foi testado e desafiado por quase uma década, sem registrar qualquer falha
grave. Isso surpreende até os maiores especialistas em tecnologia.
Mas como funciona afinal uma moeda digital? Moeda digital (ou criptomoeda) é
aquela criada, armazenada e utilizada exclusivamente a partir de dispositivos
eletrônicos, como um computador ou um smartphone. Ao contrário das demais, como o
dólar, o euro ou real, o Bitcoin não é controlado por um Banco Central ou qualquer
instituição governamental. Por isso, o Bitcoin acumula a característica de ser uma
moeda descentralizada, que prescinde de uma autoridade única. Ele foi inicialmente
lançado como um meio de pagamento eletrônico, para a compra de produtos ou
serviços. Mas, com o passar dos anos, sua utilidade foi muito mais além. Qualquer
pessoa pode transferir diretamente recursos para um familiar ou um amigo, dentro ou
fora de seu país, ou mesmo contribuir com organizações não governamentais sem a
participação de intermediários. É uma moeda sem fronteiras. E, diante das crescentes
valorizações, tem ainda despertado o interesse de poupadores, que veem no Bitcoin
uma oportunidade de manter (ou ampliar) seu poder de compra futuro.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Todas as transações realizadas na rede são registradas em um grande livro contábil,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
chamado Blockchain. Esses registros são públicos, ou seja, qualquer um pode acessar.
No entanto, a confidencialidade é garantida pela criptografia. O usuário não é
identificado pelo seu nome real, mas sim por um código ou uma sequência
alfanumérica, tal como uma conta de e-mail. Com transações diretas entre os usuários,
elimina-se não apenas barreiras geográficas, mas custos de atravessadores e
burocracia. E ganha-se tempo.
A segurança é garantida por usuários avançados, chamados mineradores, que
emprestam poder computacional para a validação de testes criptográficos. Eles são
capazes de avaliar se uma transação é ou não idônea e atuam como um ponto
fundamental de confiança entre as partes. Como recompensa pelo seu trabalho de
manter a segurança da rede, recebem novas moedas. Porém, a reserva de bitcoins é
finita e a sua disponibilidade se dá em passos cada vez mais lentos. Isso tudo foi
programado para evitar que o seu preço se desvalorize.
Desde a primeira transação, realizada em 2010, quando 1 bitcoin valia menos que 1
centavo de dólar, a moeda já experimentou quedas e expressivas valorizações. Sete
anos após, teve seu valor multiplicado quase 5 milhões de vezes e ganhou de vez
popularidade. Apenas em 2017, a variação positiva foi superior a 1.200%, atingindo o
recorde de US$ 20 mil por bitcoin. Já ostenta o quinto lugar entre as moedas com maior
circulação no mundo.
Hoje, diversas empresas tradicionais como Microsoft, Dell e Amazon aceitam o
Bitcoin como meio de pagamento. E não estão sozinhos. Estima-se que mais de 1
milhão de estabelecimentos já realizem negociações com a moeda.
Enquanto o Bitcoin ganha protagonismo na nova forma de transacionar, a aparente
complexidade do seu funcionamento pode desafortunadamente acabar afastando muitas
pessoas, que desejam aprender seus mecanismos, mas os julgam difíceis demais para
si. Garanto que você perceberá, ao final do livro, que nada disso é tão complicado
quanto antes parecia. Qualquer cidadão pode começar a comprar, guardar e mesmo
utilizar seus bitcoins. Para isso, basta um CPF, uma conta bancária e acesso à Internet.
Obviamente você não é obrigado, nem é meu objetivo convencê-lo a fazer isso. O foco
aqui é esclarecer, debater, estimular reflexões, tornando-o apto a pensar criticamente –
e não mais pelos outros – e incentivá-lo a tomar as suas próprias decisões.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Embora haja controvérsias quanto à precificação futura do Bitcoin, ninguém duvida
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
da capacidade disruptiva e revolucionária que a invenção de Satoshi Nakamoto
representa para o futuro. Enquanto entender o Bitcoin pode ser visto de forma simplória
como um objeto de interesse restrito, é bastante provável que em um futuro (muito)
próximo entender suas bases não seja mais uma questão de escolha, mas sim de real e
cotidiana necessidade.
Antecipar-se à compreensão desta incrível tecnologia, que chegou para modificar a
forma com que as pessoas transacionam e, em sentido mais amplo, interagem entre si, é
inevitável. Aqueles que vencerem a barreira da inércia e mergulharem a fundo na busca
da informação e do conhecimento, estarão também, sem dúvida, mais capacitados a
realizar escolhas mais acertadas e inteligentes.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 2
NASCE UMA MOEDA DESCENTRALIZADA

“Com a moeda eletrônica baseada em prova criptográfica, sem a


necessidade de confiar num terceiro intermediário, o dinheiro pode sim
ser seguro e as transações sem tanta dificuldade.”
– SATOSHI NAKAMOTO, CRIADOR DO BITCOIN

Logo após a crise financeira global de 2008, enquanto crescia a desconfiança em torno
da economia centralizada, uma pessoa (ou grupo de pessoas) sob o pseudônimo de
Satoshi Nakamoto1 publicou em um fórum de estudiosos em criptografia um white
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
paper denominado “Bitcoin: Um sistema eletrônico de dinheiro ponto a ponto”. O
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
documento, publicado em 1º de novembro daquele ano, está disponível online.2
Até então, nenhum dos veteranos do fórum havia ouvido falar em Nakamoto. Ele
nunca tinha postado nada na internet. Nenhuma busca no poderoso robô de buscas do
Google resultou em qualquer informação relevante sobre ele. Claramente, era um
pseudônimo. A ideia em si não era original, várias tentativas de criação de moedas
virtuais haviam fracassado antes. A diferença, segundo seu criador, estava na rede P2P
(ponto a ponto) descentralizada, na qual os próprios usuários validariam as transações
e emitiriam novas moedas, sem a necessidade de nenhum intermediário. Apesar de uma
ou outra resposta, seu manifesto não chegou exatamente a empolgar a comunidade.
Mas contrariando todas as probabilidades, Nakamoto insistiu no desenvolvimento do
código, disponibilizando-o para quem quisesse baixá-lo a fim de se iniciar a rede de
Bitcoins. O livro-razão3 do Bitcoin, a chamada Blockchain, começou em 3 de janeiro
de 2009, as 18:15 UTC, por Satoshi Nakamoto. O primeiro bloco é conhecido como o
“bloco gênesis”. Seu primeiro registro foi uma única transação pagando a recompensa
de 50 novos bitcoins ao seu criador.4
Embora o Bitcoin já tivesse sido materializado na forma de software, e não figurasse
mais apenas no campo das ideias, o ceticismo permaneceu. Membros do grupo de
discussões questionavam como Nakamoto faria para valorar a moeda. De fato, por mais
de um ano, não houve mercado e seu valor monetário era praticamente nulo.
Apenas em 2010, com mais de um ano de vida do protocolo, o usuário “Lazlo”
entrou para a história ao realizar a primeira troca de bitcoins por um produto real: duas
pizzas. Naquele momento, inaugurou-se a primeira cotação do Bitcoin, com cada
unidade valendo menos que meio centavo de dólar. Quase nada, mas pelo menos já era
superior a zero.
Poucos demonstraram alguma disposição em minerar, mas os que fizeram puderam
acumular milhares de bitcoins com certa facilidade. O interesse inicial em torno dos
bitcoins era muito mais “acadêmico” do que monetário.
Afinal, o bitcoin não passava de um projeto obscuro, criado por um programador
desconhecido, sem o apoio financeiro de qualquer governo nem instituições, que
contrariava o que se ensinava acerca do dinheiro até então. Não passava de uma obra
tecnológica, sem qualquer aplicação objetiva ou alcance.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Mas o bitcoin foi correndo de ouvido em ouvido e decolou. Sete anos depois, os
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
mesmos 10 mil bitcoins utilizados na primeira transação da história da moeda valeriam
uma fortuna.
O sistema como um todo tem se mostrado inviolável durante quase uma década. Os
atentados registrados envolveram roubos de senhas ou ataques a casas de câmbio e
indivíduos com vulnerabilidades em seus computadores. Mas em nenhum momento,
desde sua criação, um hacker conseguiu subverter o código do Bitcoin a seu favor. Um
assalto qualquer a um banco, embora seja um episódio infeliz e requeira medidas
adicionais de segurança, não implica que o Real esteja corrompido!
A rapidez e baixo custo de transações, independentemente de fronteiras e de
autoridades centralizadoras, e a privacidade através de transações anônimas
conquistaram cada vez mais adeptos. O modelo tradicional de segurança baseado em
um controle central evoluiu cada vez mais para outro descentralizado, livre, distribuído
e consensual.
A discussão em torno do dinheiro criptográfico chegou às universidades. E também à
mídia, sendo hoje um dos assuntos de maior destaque nos principais veículos de
comunicação. Empresas de todos os setores voltam seus olhos para as aplicabilidades
da moeda. Também é notória a preocupação dos governos. Como veremos em capítulo
adiante, um número considerável de países já concluiu ou está em fase de
regulamentação das moedas virtuais.
A Blockchain tornou-se o maior marco revolucionário desde a invenção da internet.
E seu primeiro experimento, o Bitcoin, é a personificação de um casamento genialmente
arquitetado entre duas grandes ciências: a economia e a computação. O bitcoin em si
poderá até ser moldado e quem sabe suplantado por uma moeda alternativa, mas a
façanha de Nakamoto terá deixado para sempre seu legado em nossa história.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 3
O FUNCIONAMENTO DA BLOCKCHAIN

“Eu acho que a internet vai ser uma das principais forças para reduzir o
papel do governo. A única coisa que está faltando, mas que em breve será
desenvolvida, é um dinheiro eletrônico confiável.”
– MILTON FRIEDMAN5

Se você chegou até aqui, é provável que esteja curioso e ávido para decifrar essa
palavra mágica por detrás do Bitcoin. Blockchain é um tema atual e recorrente em todo
o mundo, embora ainda pareça um conceito difícil de engolir para algumas pessoas.
Vamos simplificar?
Em primeiro lugar, discutiremos o papel de um intermediário de confiança entre
pessoas e empresas, até que possamos compreender a ruptura que a Blockchain
representará nesse processo.
Historicamente, as transações em dinheiro ou de valores de qualquer natureza
(imóveis, outras propriedades, títulos, etc.), para serem concretizadas, e sobretudo
acreditadas, dependem de intermediários que garantam a fé dessa transação. São eles:
bancos, tabeliões de cartórios e repartições públicas, dentre outros. Eles executam
tarefas como autenticação e guarda de registros, e dessa forma atestam a veracidade e
distribuem confiança às partes envolvidas.
Se você decidir realizar um empréstimo bancário, é provável que antes a instituição
credora solicite o levantamento de vários documentos e a autenticação de suas cópias
em um cartório. O escrivão é quem dá fé que aquele documento é de fato verdadeiro.
Se após contrair essa dívida, você não conseguir honrá-la, o banco lançará mão de
medidas judiciais ou extrajudiciais tendentes a garantir o seu pagamento. Assim, um
bem dado como garantia poderá eventualmente ser bloqueado. E você não poderá
negociá-lo ou utilizá-lo para obter um novo empréstimo, até que tenha dado baixa à
essa pendência. Isso ocorre pois, ao efetuar uma transferência de propriedade, poderá
ARQUIVO
ser BAIXADO
requisitada uma declaraçãoDA THEREBELS
“Nada SEM
consta”, atestando queFINS
o bem LUCRATIVOS,
está desimpedido.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
No mundo da Blockchain, essas tarefas não são realizadas por um órgão central ou
uma autarquia, mas por todos que participam da rede formando espécies de “nós”. Para
ser validada uma informação, que é pública, é necessário o consenso entre os “nós”.6
Esse tipo de auditoria descentralizada é ainda mais delicado quando se tratam de
ativos digitais. Ao contrário de um bem material, um ativo digital, como bitcoins, ações
e propriedades intelectuais, estão contidos em um arquivo, e poderiam ser facilmente
replicados. Isso criaria um problema conhecido como “dupla despesa” (o ato de gastar
a mesma unidade de valor mais de uma vez).
O risco do uso fraudulento de um ativo impediu até o momento transferência direta
entre pessoas e empresas, necessitando de um intermediário que coordenasse o
processo. Por exemplo, quando você acessa o seu Internet Banking e faz uma
transferência, necessita de um terceiro – o banco, que bloqueia momentaneamente o seu
saldo (ou retira o equivalente ao valor a ser transferido) e o reabilita após ter acusado
o banco de destino que uma quantia de igual valor monetário deve figurar no
destinatário. Nesse caso, um intermediário não é o bastante e são necessários dois
intermediários para que haja a compensação, que pode levar de minutos a dias para ser
efetuada, dependendo da complexidade (transferências interbancárias, remessa de
valores ao exterior, etc.). Além do tempo consumido e da ameaça à privacidade do
usuário, toda essa sequência de eventos vem, em geral, acrescida de elevadas taxas
operacionais.
Mas, e se houvesse uma maneira de realizar transações digitais sem nenhum
intermediário? Por exemplo, enviar instantaneamente um valor para um filho que faz um
intercâmbio em outro país, comprar uma viagem no Pacífico Sul ou simplesmente
investir na bolsa de valores da Indonésia? Essa revolucionária tecnologia já existe e
seu potencial inclui praticamente qualquer atividade que atualmente ainda dependa de
terceiros, incluindo bancos e outras instituições financeiras, o mercado imobiliário,
seguros, áreas jurídicas, de saúde e do setor público, dentre outros. Apresento-lhe a
Blockchain.
Afinal, como ela funciona? Vamos imaginar que você esteja redigindo sua tese de
mestrado e, várias vezes na semana, necessita enviar o arquivo .DOC (Microsoft Word)
para que seu orientador o revise e corrija eventuais erros. A cada vez que você lhe
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
envia o arquivo, fica impossibilitado de prosseguir a redação, já que tem de esperá-lo
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
retornar o arquivo. Caso resolvesse modificá-lo ao mesmo tempo que o revisor, as
alterações de um dos dois seriam perdidas.
Com o surgimento do GoogleDocs (ou o equivalente Office 365, da Microsoft), você
e seu orientador podem agora, e de forma simultânea, revisar o arquivo, já que este não
está fisicamente com um nem o outro, mas sim, compartilhado por ambos no ambiente
da nuvem. As modificações são instantaneamente atualizadas e um já visualiza as
edições do outro.
Raciocínio muito semelhante pode ser utilizado para se compreender a Blockchain.
Ela atua como um grande livro-razão, visível e acessível universalmente, e todos
compartilham a versão mais atual, que se atualiza a cada 10 minutos.
Mas aqui há uma particularidade: os dados são sempre adicionados, jamais
subtraídos ou modificados. Uma vez inseridos, os registros são permanentemente
visíveis e não podem ser desfeitos.
Quando alguém inicia uma transação na rede Bitcoin, ela é informada em tempo real
para todos os computadores (nós) que compõem a rede P2P ou peer-to-peer (ponto a
ponto). Através de cálculos criptográficos, a rede de nós verifica e valida a transação. 7
Essa transação é combinada com outras que estão acontecendo naquele momento e se
agrupam em um bloco de dados. Esse bloco é, por fim, adicionado a essa enorme
planilha compartilhada Blockchain (cadeia de blocos, em tradução livre). Este novo
bloco, uma vez encaixado, torna-se inviolável e permanente na cadeia de blocos. A
transação é, pois, completada.8

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Fig. 3-1. Transação de bitcoins pela Blockchain
(Crédito: Adaptado de Thomson Reuters)

Antes de finalizar, é importante definirmos um outro conceito: o hash – a impressão


digital de cada bloco. O hash é criado a partir dos dados contidos no novo bloco e
funciona como uma assinatura deste. Um novo bloco também contém dados do bloco
anterior, ou seja, o sistema é construído sobre si mesmo. Por exemplo, o Bloco 1 –
contendo suas informações – gera o Hash 0. O Bloco 2 agrega seu próprio conteúdo ao
Hash 0, e gera o Hash 1, e assim sucessivamente. Dessa forma, o hash vai assinar o
conteúdo do bloco. Assim, evita-se fraudes, uma vez que é difícil voltar e manipular um
bloco individualmente.9
Da mesma forma que uma unidade de criptomoeda foi transmitida, também contratos,
registros ou outros tipos de informações podem o ser, de forma que esse movimento
tenha sido permanentemente registrado na nossa enorme planilha, podendo ser
futuramente
ARQUIVO e indefinidamente
BAIXADO DA consultado.
THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 3-2. Formação dos blocos e hash.

Como um arranha-céu que vai sendo erguido a partir do primeiro bloco, a


Blockchain − criada para ser a base do Bitcoin − teve o seu primeiro bloco depositado
em 2009 por Satoshi Nakamoto. Até hoje ele pode ser consultado, bem como os
próximos blocos (ou andares) que foram sucessivamente encaixados nos anos seguintes.
Este grande edifício do nosso exemplo é o “livro de registros” utilizado pelo
Bitcoin, a chamada Blockchain, onde cada transação é registrada de forma cronológica
e linear, sendo também digitalmente assinada para garantir sua integridade e
veracidade. A aprovação de cada transação depende de um consenso, o que previne
fraudes.10
Embora nenhuma transação possua identificações diretas de quem participou dela
(como nome, documentos ou e-mail), cada uma delas possui uma assinatura digital, o
hash anteriormente descrito. Toda pessoa pode verificar qualquer transação: basta
acessar sites como Blockchain.info11 e digitar o número do hash. Caso ele esteja
correto, a transação poderá ser visualizada.12
Assim como a internet, a Blockchain carrega consigo uma robustez intrínseca. Ao
armazenar blocos de informações descentralizadas, isso traz duas consequências:
primeiramente, impede que seja controlada por qualquer entidade. Em outras palavras,
ninguém é dono da Blockchain e ao mesmo tempo ela pertence a todos, sendo pública
por definição. Isso traz transparência e isenção ao sistema. Em segundo lugar, não pode
ser corrompida em um ponto central de fragilidade, tendo sido operada, até o presente
momento, sem um único ponto de falha significativa.
ARQUIVO BAIXADO
Os impactos potenciais DA THEREBELS
da tecnologia Blockchain naSEM FINSe LUCRATIVOS,
sociedade na economia global
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
são extremamente significativos. Entre as empresas que já podem se beneficiar da
Blockchain estão bancos, corretoras e seguradoras, além de companhias de logística,
saúde, análise de dados, desenvolvimento de aplicações, economia colaborativa e
consultorias.
Sally Davies, repórter do Financial Times, disse que “Blockchain é para o Bitcoin o
que a internet é para o e-mail. Um grande sistema eletrônico, em cima do qual você
pode criar aplicativos. A moeda é apenas uma delas”.13
No campo da saúde, para exemplificar, um problema recorrente em todo o mundo é
como compartilhar os registros médicos de um paciente - frequentemente fragmentados
entre diversas clínicas e hospitais -, e ao mesmo tempo proteger a sua privacidade.
Para resolver essa questão, um time de pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia
de Massachusetts) testaram uma aplicação-piloto chamada MedRec.14 Foram
registrados os exames de sangue, histórico de vacinação, prescrições médicas e outros
registros terapêuticos. Os resultados foram tão positivos que já se planeja ampliar a
avaliação para outros locais.
Outras possíveis aplicações seriam no aperfeiçoamento da segurança de documentos
oficiais. Imagine o exemplo dos passaportes. No futuro, o governo poderia continuar
emitindo o documento, mas talvez você não precisaria mais carregar uma versão física
dele no bolso. Um sistema de reconhecimento facial no setor de imigração encontraria
seu passaporte na nuvem Blockchain e faria a verificação. Uma solução semelhante
poderia substituir também a carteira de motorista. Assim, você não mais necessitaria
carregar sua CNH para dirigir aqui ou em qualquer lugar do mundo. Se for parado em
uma blitz, a polícia escanearia seus dados biométricos (íris ou digitais) e teria pleno
acesso à rede Blockchain, sabendo imediatamente se sua habilitação está em dia e se há
ou não alguma pendência. Esse sistema seria muito mais resistente a violações do que
os documentos físicos emitidos pelos órgãos oficiais, frequentemente alvos de
falsificações.
Com uma lista cada vez maior de usos no mundo real, a tecnologia Blockchain tem a
chance de revolucionar a forma como trocamos informações. Ela nasceu para aumentar
a confiabilidade nas relações entre empresas e indivíduos e tem se provado bastante
eficaz no seu propósito.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
O potencial de ruptura da tecnologia é imenso, inclusive ameaçando os antigos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
intermediários que mantêm modelos de negócios tradicionais baseados em garantia de
confiança, como tabeliões e autoridades públicas de registro de automóveis,
casamentos, propriedades, patentes, passaportes, registros médicos, entre outros.15
As transações em moeda virtual são apenas o começo. Como qualquer tecnologia
emergente e inovadora, ninguém pode prever o futuro da tecnologia Blockchain. Mais
que isso, especialistas afirmam que as mais incríveis e empolgantes aplicações e
plataformas que poderão se beneficiar da Blockchain ainda estão por ser inventadas.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 4
QUEM SÃO OS MINERADORES
DO SÉCULO XXI?

“Eu não apenas uso o cérebro que tenho,


mas todos os que consigo pegar emprestado.”
– WOODROW WILSON

Para que o sistema Bitcoin funcione, é necessário processar e validar as transações.


Para isso, é utilizada uma rede de computadores conectados pela internet que formam a
rede descentralizada do Bitcoin. Qualquer pessoa pode se juntar à rede e agregar
capacidade computacional. Ao resolver problemas matemáticos complexos, novos
Bitcoins são emitidos e entram em circulação na rede.
O minerador de Bitcoins é, portanto, um usuário amador ou profissional, que se
ocupa de acompanhar essas transações em tempo real e validá-las. Isso é importante,
por exemplo, para evitar que um mesmo Bitcoin seja utilizado em duplicidade.
Esse trabalho é fundamental para evitar fraudes, e quanto mais houver pessoas
dispostas a empenharem seus esforços e computadores na rede do Bitcoin, mais seguras
e rápidas serão as transações. Mas aí você deve estar se perguntando: “Ok, por que
alguém faria isso?” Pois bem, não se trata de puro altruísmo. O minerador recebe por
operação uma pequena taxa daquela pessoa que transferiu um valor ou realizou uma
compra. Além disso, a geração de novos Bitcoins ao longo do tempo é distribuída a
quem contribuiu com poder de processamento cedido à rede, ou seja, os mineradores.
Esses incentivos econômicos permitem a remuneração dos operadores do sistema, os
mineradores, garantindo em contrapartida transações ágeis e confiáveis. Em outras
palavras, a mineração é o que leva o Bitcoin adiante, e ao mesmo tempo o mantém
seguro para todos.
O termo mineração é, pois, uma analogia àquela que ocorre com as demais
commodities, sendo o ouro a mais conhecida delas. Assim como o reluzente metal,
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
aqueles que trabalham na mineração do Bitcoin empenham seu esforço em troca de uma
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
recompensa.
Para minerar, além de computadores com uma alta capacidade de processamento,
gasta-se energia elétrica. Por esse motivo, é mais barato minerar em países onde a
energia custa menos, o que, convenhamos, não é exatamente o caso do Brasil.
Assim como o ouro, o Bitcoin vai se tornando mais escasso conforme é minerado. À
medida que mais mineradores se juntam à rede, a dificuldade em obter novos bitcoins
aumenta.
Como pagamento pelo árduo trabalho de minerar o próximo bloco, o minerador tem o
direito de adicionar uma transação para si no bloco gerado. É o único momento em que
bitcoins são criados.
Em 2009, quando o Bitcoin foi lançado, aqueles que mineravam recebiam 50 bitcoins
por bloco inserido. Em 2012, essa recompensa passou para 25, e quatro anos após, em
2016, para 12,5 bitcoins. Esse mecanismo, chamado de halving (divisão pela metade,
em tradução livre) foi desenhado por Satoshi Nakamoto para controlar a criação e a
inflação da moeda, e prevê que o prêmio pela mineração seja reduzido em 50% a cada
4 anos.
Foi ainda definido, em seu algoritmo, um limite máximo de emissão de 21 milhões de
BTCs, sendo que 95% terão sido descobertos até 2030. Assim, o número total de
Bitcoins em circulação, atualmente na casa dos 17 milhões, deverá crescer em um ritmo
cada vez mais lento, até que o último bitcoin seja emitido, no ano de 2140.16

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 4-1. Bitcoins em circulação. (Crédito: Blockchain.info)

Mas como isso ocorre de fato? Onde estão escondidos os bitcoins restantes e que
tipo de problemas são necessários solucionar para gerá-los? Bem, o processo de
mineração consiste em tentar decifrar códigos com valores criptografados emitidos
pelo software. Essas emissões são sequências de bits geradas pelo algoritmo do
programa. Envolvem equações matemáticas altamente complexas.17
Num primeiro momento esse assunto parece um tanto difícil de compreender, não?
Concordo com você. Facilitará nosso entendimento se lembrarmos de um velho
conceito do ensino fundamental. Aposto que você deve se lembrar da professora do
primário, quem provavelmente lhe apresentou pela primeira vez os números primos. E
o que eles têm a ver com criptografia e mineração de bitcoins?
Vejamos:
Por definição, número primo é qualquer número p cujo conjunto dos divisores não
inversíveis não é vazio, e todos os seus elementos são produtos de p por números
inteiros inversíveis. Complexo? Calma lá! Isso nada mais significa que números primos
são aqueles divisíveis apenas por 1 e por eles mesmos.18 Por exemplo: 2, 3, 5, 7, 11,
13, 17, 19, 23 e por aí vai. Citar sequencialmente os primeiros números primos não é
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
tarefa difícil e pode até mesmo lhe entreter por alguns segundos.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
No entanto, conforme o avanço, é possível que seu cérebro comece a exibir sinais de
fadiga e a tarefa fique menos atraente. Quer ver? 29, 31, 37, 41, 43, 47, 53, 59, 61...
Por muito tempo, imaginou-se que a aplicação dos números primos era extremamente
limitada fora da matemática. Isto começou a mudar na década de 1970, quando os
conceitos de criptografia de chave pública foram inventados, nos quais os números
primos formaram a base dos primeiros algoritmos.19
O teorema fundamental da aritmética afirma que qualquer número natural diferente de
1 pode ser escrito de forma única (desconsiderando a ordem) como um produto de
números primos: este processo se chama decomposição em fatores primos (fatoração)20
e você deve se lembrar de alguns deveres de casa que incluíam esses problemas.
Por exemplo: o número 26 pode ser fatorado em 2 e 13. Já 44 é divisível em 2, 2 e
11. 1.870 é quebrável em 2, 5, 11 e 17. Enquanto isso, 510.510 pode ser quebrado em
2, 3, 5, 7, 11, 13 e 17. Já deu para entender, né? Não importa o quão grande for o
número, ele pode ser fatorado. Mas, e quando falamos em números de 50 dígitos? 1 mil
dígitos? 1 milhão de dígitos?
Euclides, 300 a.C., já demonstrava a existência de centenas de números primos.21
Ainda hoje, matemáticos do mundo inteiro especulam se existirá ou não uma quantidade
infinita deles.
Você poderia ficar chocado, mas há concursos com prêmios generosos àqueles que
se dispuserem a descobrir números primos jamais antes descritos, tal como a
descoberta de estrelas nas distantes galáxias. Na internet, o projeto GIMPS (Great
Internet Mersenne Prime Search) utiliza a potência combinada dos computadores
pessoais dos participantes para realizar os cálculos necessários para encontrá-los.
Curtis Cooper, um matemático da Universidade do Missouri, descobriu em janeiro
de 2016 o que hoje é considerado o maior número primo calculado (pelo menos até o
início de 2018), contendo mais de 22 milhões de dígitos (quase 5 milhões a mais que o
recorde anterior).22 Se fossem manuscritos em folhas de papel levariam mais de 3
meses. E se fossem impressos ocupariam um livro com cerca de 7 mil páginas.
Provavelmente não seria um grande sucesso de vendas. Por seu feito, Cooper faturou 3
mil dólares. Acredita-se que, por volta de 2025, deva ser encontrado o primeiro
número primo com 1 bilhão de dígitos.23
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
A questão é que quanto maior um número qualquer, mais difícil é para fatorá-lo. Até
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
hoje, não foi descoberto um método eficiente de quebrar números enormes em primos, a
não ser por força bruta, ou seja, por tentativa e erro. Só que quando falamos em
algarismos realmente muito grandes, podem ser necessários muitos anos, mesmo com
grande poder computacional, para conseguir chegar ao resultado correto. No entanto,
fazer o caminho inverso e criar um número gigantesco é bastante fácil. Basta multiplicar
dois números primos gigantes para chegar a um algarismo (não primo) ainda maior e
quase impossível de fatorar à força. Se você não conhece aqueles dois números usados
inicialmente, é muito difícil descobri-los à força. E é aí que entra a criptografia, que
nada mais é do que uma forma de usar a matemática para garantir a segurança dos
dados. Tudo que um computador puder fazer facilmente sem que possa ser desfeito com
simplicidade será do interesse das tecnologias de encriptação e segurança.24
Assim como resolver as equações que levam aos números primos torna-se uma tarefa
cada vez mais complexa e demorada, o mesmo ocorre com os problemas criptográficos
que envolvem a emissão de novos bitcoins.
Assim como Curtis Cooper dedica-se à descoberta de novos números primos,
mineradores do mundo inteiro, desde o seu vizinho ao magnata chinês, investem nessa
atividade e por ela são remunerados.
Limitações à atividade de minerar incluem a dispendiosa conta de luz gerada por
computadores rodando programas dia e noite, além do alto investimento necessário
para adquirir hardwares capazes de resolver os problemas matemáticos acima
descritos, cada vez mais extensos e complexos.
Felizmente, foi projetado na gênese do Bitcoin um equilíbrio entre disponibilidade
da moeda, custos de transações e taxas de remuneração, de tal forma que a atividade
dos mineradores permaneça indefinidamente viável e atrativa. Mesmo quando não
houver mais bitcoins para serem garimpados, seu duro trabalho será pago pelas taxas
de confirmação. É isso o que permite, em outra análise, a estabilidade do sistema, sua
inviolabilidade e agilidade nas transações.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 5
JARGÕES DO CRIPTOMUNDO

“Pense com independência.


Seja o enxadrista, não as peças do xadrez.”
– RALPH CHARELL

Jargão significa “código linguístico próprio de um grupo sociocultural ou profissional


com vocabulário especial, difícil de compreender ou incompreensível para os não
iniciados” (HOUAISS).
Como toda tribo, os entusiastas das criptomoedas também utilizam alguns termos e
jargões, que quando excessivos podem fazer as outras pessoas se sentirem deslocadas.
Você sabe o que significa DUT? FOMO? Mão de alface?
Divirta-se com os termos mais comuns no criptomundo:
ALAVANCAGEM : realizar uma dívida para negociar valores exponencialmente maiores,
com o objetivo de auferir lucros, porém correndo riscos também mais elevados.
ALTCOINS: refere-se às demais criptomoedas, que não o Bitcoin.
BEARISH/BEAR: quedas abruptas no preço de um determinado ativo, diante do
pessimismo do mercado quanto à sua perspectiva de valorizações. Faz alusão à
patada de um urso, de cima para baixo.
BLOCKCHAIN (CADEIA DE BLOCOS) : é uma tecnologia que visa a descentralização como
medida de segurança. Funciona como um livro-razão público, partilhado por todos
os nós e universal. Cria consenso e confiança na comunicação direta entre duas
partes, ou seja, sem intermediários. Cresce constantemente à medida que novos
blocos completos lhe são adicionados por um conjunto de registros. Os blocos são
adicionados à Blockchain de modo linear e cronológico. A Blockchain possui
informação completa sobre endereços e saldos desde o bloco primordial até o bloco
mais recentemente concluído. A Blockchain é vista como a principal inovação
ARQUIVO BAIXADO
tecnológica do Bitcoin. ODA THEREBELS
projeto original temSEM FINS
servido de LUCRATIVOS,
inspiração para o
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
surgimento de novas criptomoedas e de bancos de dados distribuídos.
BOOK (OU ORDER BOOK): livro de ordens de compra e vendas de determinada moeda
em uma Exchange.
BULLISH/BULL: altas abruptas no preço de um determinado ativo, diante do otimismo do
mercado quanto à sua perspectiva de valorizações. Faz alusão à chifrada do touro, de
baixo para cima.
BUY WALL/SELL WALL : quando a força compradora (volume de ordens de compra)
impede que o preço caia, ou a força vendedora impede que o preço suba, conforme a
lei da oferta e da demanda, formando uma “parede” no market depth.
CONSENSUS (CONSENSO): é o pilar central das Blockchain abertas, como a do Bitcoin e
de outras criptomoedas. Atingir o consenso é um processo de tomada de decisão
complexo, mas necessário, para que um sistema opere de maneira verdadeiramente
descentralizada. É obtido a partir dos utilizadores que operam como “nós” na rede e
sinalizam as suas preferências em relação a alterações e atualizações no código. Se
uma quantidade suficiente de “nós” aceitar uma mudança no código, então aquela
alteração é implementada por todos os participantes da rede antes que novos blocos
sejam adicionados à Blockchain.
CRIPTOGRAFIA: é a tecnologia usada para transformar uma informação da sua forma
original para outra impossível de ser identificada, permitindo a sua transmissão
segura. A intenção é que apenas o destinatário, de posse da chave privada, possa
decodificar aquela informação.
CRYPTOCURRENCY (CRIPTOMOEDA) : o Bitcoin abriu caminho a uma nova geração de
moedas virtuais descentralizadas, ponto a ponto, também designadas como
criptomoedas, um subgrupo das moedas digitais que utiliza a criptografia. Hoje já há
centenas de novas criptomoedas, sendo que o Bitcoin continua sendo o de maior
marketcap.
DAPPS (APLICAÇÃO DESCENTRALIZADA): é um aplicativo ou software autônomo, de
código livre, que pode ser atualizado ou modificado pelos usuários da rede mediante
consenso.25
ARQUIVO
DAY BAIXADO
DA
TRADER : trader THEREBELS
que faz
movimentos SEM FINSe LUCRATIVOS,
rápidos, montando-os desmontando-os no
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
mesmo dia.
DEEP WEB : Refere-se ao conteúdo da internet que não é indexado pelos mecanismos de
busca-padrão, ou seja, não faz parte da internet aberta. Pode ser eventualmente usada
para fins ilícitos.
DESPEJAR: ato de vender uma grande quantidade da moeda enquanto ela está subindo,
causando um Dump.
DISTRIBUTED LEDGER (LIVRO-RAZÃO DISTRIBUÍDO): outro termo para descrever
Blockchain. Utilizam como base as redes peer-to-peer (ponto a ponto) para criar um
sistema confiável de verificação.
DUMP: é quando o preço cai muito repentinamente. É o oposto de Pump.
EXCHANGE (CORRETORA OU CASA DE CÂMBIO) : plataforma online para comprar e
vender criptomoedas utilizando moedas tradicionais (fiduciárias) ou para executar
trocas entre diferentes criptomoedas.
FEES: taxas, pequena porcentagem que o usuário paga para a rede a cada transação.
FOMO: Fear of Missing Out! Medo de ficar de fora de alguma alta. Isso gera mais
interesse na moeda, fazendo com que ela se valorize.
FORK: é a criação de uma versão alternativa de uma Blockchain em andamento,
normalmente porque um conjunto de mineradores começam a hash. Pode ser causado
maliciosamente por um grupo de mineradores, ganhando muito controle sobre a rede
graças a um bug no sistema; ou quando uma equipe de desenvolvimento,
intencionalmente, decide introduzir novos recursos em uma nova versão de um
cliente. Um fork é bem-sucedido quando se torna a versão mais longa do bloco.
FUD: Fear, Uncertainty and Doubt (medo, incerteza e dúvida). Efeito que gera uma
panic sell ou corrida às vendas, provocando baixas nos preços.
HARD FORK: é uma alteração na Blockchain que torna válidos os blocos/transações
anteriormente inválidos e, portanto, exige que todos os usuários o atualizem.
HASH POWER: é o poder computacional de mineração. As moedas virtuais são criadas
quando mineradores resolvem complexos problemas matemáticos ao verificar e
armazenar dados em blocos. Criar esses blocos requer uma quantidade cada vez
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
maior de energia e poder computacional.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
HASH: pode ser entendido como a assinatura do bloco de informações.
HASHING: é o processo de verificação da Blockchain que utiliza um algoritmo de
autenticação.
HEDGE: é uma estratégia de proteção para investimentos de risco, que visa proteger
operações financeiras contra grandes variações de preço de um determinado ativo. O
objetivo do hedge não é ter lucro, mas travar os preços, evitando que tenham uma
alteração indesejada.
HODL: trocadilho com a palavra hold (ver abaixo), jargão utilizado com frequência
entre os entusiastas das criptomoedas.
HOLD: segurar a moeda, confiando em uma valorização futura.
HYPE: é qualquer assunto quente, sobre o qual todos falam e comentam.
ICO (INITIAL COIN OFFERING): É como uma pré-venda de alguma moeda. Os adquirentes
transferem capital aos programadores, apostando que, após o lançamento, ela valha
mais do que se investiu na pré-venda. Uma analogia interessante seria como comprar
um imóvel na planta.
IMMUTABILITY (IMUTABILIDADE) : significa que, uma vez que um bloco é verificado e
adicionado à Blockchain, o seu conteúdo não pode ser editado. É a chave para a
confiança e funcionamento da Blockchain.
INTERNET DAS COISAS (DO INGLÊS, INTERNET OF THINGS, IOT) : é a rede de objetos
físicos, veículos, prédios e outros que possuam tecnologia embarcada, como
sensores e conexão com rede capaz de coletar e transmitir dados.
KNOW YOUR CLIENT, KYC (CONHEÇA SEU CLIENTE) : é o conjunto de regras que obriga às
corretoras a exigir de seus usuários informações básicas de identificação antes de
permitir transações entre moedas fiduciárias e criptomoedas. Variam conforme a
jurisdição. Visa evitar que as pessoas utilizem as moedas virtuais para fins ilícitos.
LENDING: deixar seus bitcoins ou altcoins emprestados, rendendo uma porcentagem de
juros.
LONG: aposta na alta de uma moeda. O contrário de Short.
ARQUIVO
MÃO BAIXADO
DE ALFACE DA: THEREBELS
(WEAK HAND) SEM FINS
oposto de holder/hodler. LUCRATIVOS,
Aquele que se livra
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
rapidamente de seus ativos, temerosos de um movimento de baixa.
MARGIN TRADING: negociar alavancado com ativos emprestados pela corretora.
MARKET CAP / MARKET CAPITALIZATION: valor de mercado.
MINER (MINEIRO OU MINERADOR): é quem dedica poder computacional para validar e
manter a Blockchain. São recompensados por seu trabalho recebendo novas
criptomoedas. Ou seja, são eles quem “encontram” os bitcoins.
MOEDAS FIAT (MOEDAS FIDUCIÁRIAS) : fiat é a moeda oficial de qualquer país em que é
impressa e emitida pelo Banco Central ou outra autoridade governamental (por
exemplo, o Dólar ou o Real). É qualquer título não conversível, ou seja, não é
lastreado a nenhum metal (ouro, prata) e não tem nenhum valor intrínseco. Seu valor
advém da confiança que as pessoas têm em quem emitiu o título, além da
obrigatoriedade em lei de sua adoção.
MULTI-SIG (ASSINATURA-MÚLTIPLA) : refere-se a um address que necessita de mais de
uma chave privada para transferência de fundos. Pode ser do interesse de empresas
que não desejam que uma pessoa possa individualmente transferir fundos ou em
situações privadas que seja útil dividir responsabilidades.
NÓ OU NODO (NODE): cada computador conectado à rede Blockchain, cuja tarefa é
validar as transações. Cada nó possui uma cópia da Blockchain.
OPEN SOURCE: código aberto. É um modelo de desenvolvimento que torna livre a
redistribuição de um projeto, dando a possibilidade para que qualquer um possa lê-
lo ou modificá-lo.
ORDER MAKER: tipo de ordem de venda ou compra que aguarda o preço atingir o valor
desejado. Essas ordens entram no book (ou livro de ofertas) e podem ter taxas de
comissão mais baratas.
ORDER TAKER: uma ordem que “toma” a vez das outras que estão no book. É executada
imediatamente por já ter alguma ordem vendendo mais barato do que o preço de
compra do usuário, ou comprando mais caro do que o preço de venda.
ORPHAN BLOCK (BLOCO ÓRFÃO): é um bloco na rede Blockchain que não faz mais parte
de uma cadeia de blocos válida, e que fez parte de um fork que foi descartado.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
PAPER WALLET:
é uma folha impressa contendo um ou mais endereços bitcoins públicos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
e suas chaves privadas correspondentes. Muitas vezes usado para armazenar bitcoins
com segurança, em vez de se utilizar carteiras de software, que podem ser
corrompidas, ou carteiras on-line, que podem sofrer ataques hackers. Uma forma útil
de armazenamento “frio” (off-line) de bitcoin.
PEER-TO-PEER, P2P (PONTO A PONTO) :É uma arquitetura de redes de computadores onde
cada um dos pontos ou “nós” da rede funciona tanto como cliente quanto como
servidor, permitindo compartilhamentos de serviços e dados sem a necessidade de
um servidor único central.
POOL: é quando vários mineradores se juntam e mineram um bloco, a fim de repartir a
recompensa entre eles. Os pools ou piscinas de mineração são uma maneira útil de
aumentar sua probabilidade de explorar com êxito um bloco à medida que a
dificuldade aumenta e executar essa tarefa por conta própria torna-se impraticável.
PRIVATE KEY (CHAVE PRIVADA) : é o código secreto que permite que os seus bitcoins
sejam gastos. Toda carteira bitcoin contém uma ou mais chaves privadas. Elas estão
matematicamente relacionadas a todos os endereços bitcoins gerados para a carteira.
É uma estranha sequência de letras e números. Veja um exemplo:
L3LPsR71Z4nkttAAjmm6pdBkGkehP3sFktA9mmFECt1ZgYYuPLn9.
PROOF-OF-WORK, POW (PROVA DE TRABALHO) : é um dado que é difícil (custoso ou
demorado) de se produzir, mas de fácil verificação com vistas à sua validação por
todos. O Bitcoin usa o sistema Hashcash de prova de trabalho.
PUMP: quando o preço da moeda valoriza muito repentinamente. É o oposto de Dump.
SATOSHI: é a menor subdivisão de um bitcoin atualmente disponível, equivalente a um
centésimo de milionésimo de bitcoin (0,00000001 BTC).
SHA-256 :é uma função criptográfica utilizada como base do sistema de trabalho do
Bitcoin.
SHORT: aposta na queda de uma moeda. É o oposto de Long.
SOFT FORK: é uma alteração no protocolo Bitcoin que restringe as regras. Essas
mudanças são compatíveis com versões anteriores e de consenso de toda a
comunidade.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
STOP-LIMIT / STOP:
APENAS PARAtipo de ordem de compra ou venda que é ativada automaticamente
CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
após o ativo atingir um valor determinado.
TOR: um protocolo anônimo usado por pessoas que querem privacidade ou ocultar sua
identidade online.
TRADE / TRADING: compra e venda de ativos.
TRADER: é um investidor do mercado financeiro que busca lucrar com operações,
beneficiando-se da volatilidade do mercado.
VOLATILIDADE: é a flutuação de preços de um ativo ao longo do tempo.
WALLET (CARTEIRA) : ferramenta para armazenamento de bitcoins para uso posterior.
Uma carteira contém as chaves privadas associadas aos endereços bitcoins. Pode ser
on-line (hot) ou off-line (cold).

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 6
A PIZZA DE MEIO BILHÃO DE REAIS

“Liberdade significa responsabilidade. É por isso que a maior parte dos


homens a teme.”
– GEORGE BERNARD SHAW

No dia 18 de maio de 2010, um desenvolvedor chamado Laszlo Hanyecz postou um


pedido despretensioso no fórum Bitcointalk.org26, perguntando se alguém aceitaria 10
mil bitcoins em troca de duas pizzas. “Gosto de cebolas, pimentões, cogumelos,
pepperoni...” – escreveu.
No dia 22 de maio, apenas quatro dias após, Jeremy Sturdivant − um adolescente que
usava o nome de Jercos −, aceitou os 10 mil bitcoins e enviou duas pizzas do Papa
John’s Pizza para a casa de Hanyecz, em Jacksonville, Flórida.
Logo, postou um Hanyecz entusiasmado: “Gostaria de informar a todos que troquei
com sucesso 10 mil bitcoins por duas pizzas”, ao lado da foto.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


Figura 6-1. Primeira compra realizada com bitcoins (Crédito: Laszlo Hanyecz)
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Naquela época, esses 10 mil bitcoins valiam cerca de US$ 41. O que ninguém
imaginava era o potencial explosivo do Bitcoin, verificado em seguida. Sete anos
depois, o seu valor unitário ultrapassou os U$ 20 mil. No começo do ano de 2018,
aqueles mesmos 10 mil BTC já valiam mais de R$ 500 milhões.

Figura 6-1. Cotação histórica do Bitcoin em dólares americanos (Crédito: Blockchain.info)

Em 2013, em entrevista ao The New York Times, Hanyecz negou se arrepender da


compra. “Era como se os bitcoins não tivessem qualquer valor naquela época, então a
ideia de negociá-los por pizza era algo incrível”.
Desde então, 22 de maio é apelidado de Bitcoin Pizza Day. Os fornecedores de pizza
em todo o mundo oferecem descontos aos usuários de bitcoin para comemorar a compra
do Laszlo. E a comunidade adotou o Índice Pizza, que é o valor dos bitcoins gastos nas
pizzas. Iniciado em US$ 41, quando a transação de fato ocorreu, aumentou
significativamente seu valor desde então, totalizando cerca de US$ 150 milhões (ou R$
500 milhões) no início de 2018.
Esse icônico fato nos dá uma dimensão da valorização exponencial obtida pela
criptomoeda nos últimos anos, e ainda mais expressivamente em 2017.
Os dados da tabela abaixo, publicados pela revista Exame, dão a medida precisa do
histórico: quem comprou apenas R$ 100 em bitcoins em 2011, teria R$ 120 mil,
considerando a cotação à época da publicação da reportagem, em setembro de 2017.27
Tabela 6-1. Valor estimado a partir da conversão de R$ 100 em bitcoins em diferentes datas (Crédito: Revista
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS Exame) SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
R$ 100 Preço do BTC Quantidade Quanto
convertidos em na data da compra comprada aprox. valeriam hoje*
31/08/2011 R$ 15,00 6,67 R$ 120.000,00

31/08/2012 R$ 23,57 4,24 R$ 76.368,26

31/08/2013 R$ 319,95 0,31 R$ 5.625,88

31/08/2014 R$ 1.245,00 0,08 R$ 1.445,78

31/08/2015 R$ 869,04 0,12 R$ 2.071,24

31/08/2016 R$ 1.947,92 0,05 R$ 924,06


* Considera cotação de 31 de agosto de 2017, de 18 mil reais.
Mas a reportagem adverte: “Do mesmo jeito que a moeda virtual teve uma
valorização expressiva de 2011 para cá, ela pode inverter a tendência e devolver parte
do ganho a qualquer momento.”
Veja a seguir um ranking comparativo entre o retorno obtido em Bitcoin e demais
investimentos e índices no ano de 2017. 28
Tabela 6-2. Comparação entre rentabilidade de diversas aplicações no ano de 2017 (Crédito: Adaptado do
site G1.globo.com e Blockchain.info)

(em %)

Bitcoin 1.283,96

Ibovespa 26,86

Euro 16,25

Ouro 13,89

Fundos de Investimento em Renda Fixa* 10,3

Fundos DI* 10,16

CDB* 9,38

Poupança 6,61

IPCA 2,95

Dólar 1,99

IGPM -0,52
* Considerada rentabilidade média.
O mercado das criptomoedas fechou o ano de 2017 com capitalização de 600 bilhões
deARQUIVO
dólares, dos BAIXADO DA
quais o Bitcoin THEREBELS
representava SEM FINS
quase metade. LUCRATIVOS,
Isso mesmo, mais de meio
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
TRILHÃO de dólares. De acordo com o site CoinMarketCap.com, essa capitalização
era de apenas US$ 18 bilhões no início de 2017, demonstrando escalada superior a
3.000% naquele ano.
Além dos aumentos expressivos em sua cotação, o volume diário de negociações
também disparou: no início de 2017, eram trocados cerca de US$ 100 milhões em
bitcoins diariamente; cerca de um ano depois, já ultrapassava US$ 10 bilhões, em
média.
Para algumas pessoas, esse é o retrato de uma bolha especulativa, prestes a estourar.
Para outros, entretanto, essa valorização nada mais é do que a fiel expressão da
escassez da moeda diante de uma demanda em franca expansão. Outros já projetam o
arrefecimento de sua volatilidade e um crescimento mais lento nos próximos anos.
As recentes entradas do Bitcoin nos mercados de contratos futuros na CBOE
(Chicago Board Options Exchange) e a respeitável CME (Chicago Mercantile
Exchange), maior bolsa de mercadorias do mundo, trouxeram ainda mais expectativa e
um novo rali de alta.
Enquanto se firma, a moeda ainda enfrenta alta e incômoda volatilidade,
especialmente quando há notícias de ataques cibernéticos a casas de câmbio virtuais.
A volatilidade significa que é arriscado armazenar um ativo − em qualquer data, seu
valor pode aumentar ou diminuir bruscamente. Para comparação, a volatilidade do ouro
é em torno de 1,2%, enquanto a de outras grandes moedas ficam na média entre 0,5% e
1,0%.29
O site btcvol.info monitora a volatilidade do Bitcoin. Veja a seguir:

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 6-3. Volatilidade histórica do Bitcoin (Crédito: Btcvol.info)

Percebe-se que, embora ainda girando em torno de 5% no início de 2018, a


volatilidade histórica do Bitcoin tem apresentado uma tendência de redução
significativa em relação à experimentada nos anos anteriores.
No pós-Brexit, a Libra esterlina chegou a apresentar maior volatilidade que o
próprio bitcoin30, demonstrando que as moedas fiduciárias também não estão imunes a
turbulências.
Apenas em 2017, mesmo com a assombrosa valorização acumulada, o bitcoin sofreu
nada menos do que seis quedas expressivas, superiores a 30% no intervalo de poucos
dias. É verdade que acabou recuperando-se a seguir, mas quem comprou nos topos e
vendeu às pressas na baixa, provavelmente amargou um forte prejuízo.
O gráfico a seguir ilustra a verdadeira montanha russa que se sucedeu naquele ano.31

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 6-4. Movimentos de alta e baixa da cotação do Bitcoin
em 2017, em escala logarítmica (Crédito: TradingView)

Não obstante, ninguém pode precisar com exatidão o caminho que o Bitcoin irá
seguir, mas seu histórico de valorização faz dele nada menos que um fenômeno, a ser
acompanhado bem de perto por todos. Do público leigo ao especializado, não faltam
olhares curiosos, de cobiça, mas também de genuíno interesse no estudo de seu
potencial.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 7
FIGHT OR FLIGHT

“Aquele que souber quando pode lutar e quando não pode será vitorioso.”
– SUN TZU

Ninguém quer cometer erros, particularmente no que se refere ao seu dinheiro. Nesse
caso, errar não significa apenas ter desferido um golpe contra seu ego, mas contra sua
própria saúde financeira. No entanto, nenhum bom investidor tem 100% de acertos. Os
erros são inevitáveis. Para aprendermos com eles e nos tornarmos investidores e
pessoas melhores, primeiro necessitamos ser capazes de reconhecer quando eles
acontecem.
Discutir acertos e erros, promover um intercâmbio de feedbacks e buscar
incessantemente o conhecimento é o caminho mais promissor para o aperfeiçoamento.
Na vida e nos negócios, aprendemos desde cedo que há duas formas principais de
experimentar o erro: por ação e por omissão. Errar por ação significa que decidimos
deliberadamente realizar algo. Imbuídos do know-how teórico para desempenhar
determinada tarefa ou simplesmente motivados por feeling e, em alguns casos, pelo
ardiloso instinto do impulso, fomos ativos e executamos uma determinada ação, porém
percebemos mais tarde que era melhor tê-la evitado. Quantas vezes, após um
comentário inoportuno, pensamos conosco mesmos: “Perdi a oportunidade de ficar
calado”?
Muita gente é excessivamente resiliente com o erro e acredita que, tentando sempre,
um dia acertará. “É errando que se aprende”, dizem. Como disse, os erros são comuns
ao nosso processo de aprendizado, mas eles podem e devem ser calibrados com a
nossa experiência e também das outras pessoas. Errar é humano, mas insistir no erro
não é inteligente. Do empirismo vem também outra máxima: “Devemos aprender com o
erro dos outros”.
Tendo isso em mente, é fácil se compreender que esse raciocínio se aplica a
ARQUIVO
premissas BAIXADO
testadas DA THEREBELS
anteriormente. Por você ou por SEM FINS LUCRATIVOS,
seus semelhantes. Mas, e quando
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
navegamos por águas virgens? O que fazer quando simplesmente não existe um
histórico, uma base comparativa e tudo é inédito? O que fazer: agir ou observar? Ficar
ou correr?
Na medicina, estudamos o mecanismo chamado “luta e fuga”. Foi descrita pelo
fisiologista Walter Bradford Cannon em 1927. Sua teoria Fight or Flight diz que os
animais (logicamente isso nos inclui) reagem às ameaças com uma descarga comum do
sistema nervoso simpático, fazendo com que o animal permaneça e lute ou fuja para se
defender. Essa teoria envolve a participação de hormônios de estresse e
neurotransmissores – entre eles a adrenalina, o cortisol e a acetilcolina –, que
interagem entre si em complexas reações moleculares. O objetivo é dar ao corpo maior
força e velocidade em antecipação à luta ou à corrida.
No mundo moderno, as nossas reações de luta ou fuga são bem mais específicas.
Claro que ainda é possível ter de acioná-la diante de um raro encontro com um animal
feroz ou com um assaltante portando um revólver. Mas, na maioria das vezes,
poderemos contar com tempo suficiente para analisarmos as opções e, assim, tomarmos
a decisão que nos parece mais correta.
Entretanto, em um mundo cada vez mais competitivo e acelerado, às vezes acabamos
acreditando que se não reagirmos imediatamente, seremos assolados por uma
irremediável sensação de perda de oportunidade. Muitas crianças já sofrem com a
pressão que lhes é precocemente imputada. Devem agir como adultos que ainda não
são. E nós, adultos, temos de agir como seres infalíveis que também não somos.
Os arrependimentos que carregamos ao longo da vida podem ser ainda mais fortes.
Quem nunca se perdeu em um pensamento: “E se eu tivesse aproveitado aquela
proposta de emprego?” “E se eu tivesse escolhido outra carreira?” Muitas vezes,
agimos por medo da própria inação. Ambas, ação e omissão, têm consequências.
Positivas e negativas. A antecipação de seus resultados nem sempre é matemática. Nem
sempre é previsível.
Obviamente, a inércia absoluta também pode ser prejudicial. Se nos paralisarmos
diante da grande responsabilidade de definir rumos, fatalmente pagaremos um alto custo
lá na frente. É o chamado custo de oportunidade. É o oposto do benefício que teria sido
obtido se uma ação, não tomada, tivesse sido feita − a oportunidade perdida. Este é um
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
conceito usado na economia. Exemplificando em termos financeiros, imagine que você
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
descubra uma nota de R$ 100,00 que permaneceu esquecida dentro do bolso de uma
calça por cinco anos. Intuitivamente, você abrirá um sorriso, pois será como se tivesse
acabado de ganhar R$ 100,00. Mas na realidade, aquela nota que está lá não brotou do
nada, você já a possuía antes. E, provavelmente, em vez de ganhar dinheiro, você
perdeu. A mesma nota já não vale hoje o mesmo que cinco anos atrás, pois parte de seu
valor foi consumido pela inflação. Além do mais, caso tivesse incluído esses R$
100,00 no montante dos seus investimentos, que lhe renderam, por exemplo, 5% ao ano
mais inflação, você teria hoje R$ 127,00 mais correção. Isso certamente teria sido
possível, pois tanto você não precisava dela naquele momento que acabou deixando-a
esquecida. Esses R$ 27,00 são o custo da oportunidade perdida e tem um importante
significado em finanças.
Hoje, diante da euforia em torno do Bitcoin, é comum as pessoas projetarem a não
aquisição da moeda no passado a um suposto e elevado custo de oportunidade perdido.
Às vezes, culpam-se por não terem adquirido bitcoins sob o pretexto de que já estavam
no topo e arrependem-se por verem que continuou a se multiplicar meses depois.
Não há o que se falar em custo de oportunidade nesse caso. As estrondosas
valorizações passadas não significam automaticamente que a compra de bitcoins em
momentos de maior incerteza tivesse sido uma atitude inteligente. Não se penitencie por
isso. Aposto que nem Nakamoto Satoshi imaginou que o Bitcoin fosse tão longe. Como
em todos os crescimentos exponenciais, o topo pode ser renovado sucessivamente.
Desde que você não esteja entre os últimos, haverá sempre pontos de entrada.
Por outro lado, caso as projeções não se confirmem, a conta será mais amarga para
aquele que foi mais ousado e preferiu “errar por ação”.
Não há certo ou errado, sobretudo em algo que não tem qualquer paralelo na história
e não é, portanto, passível de comparações. Não falo isso apenas para lhe tirar o peso
das costas. Essa hesitação provavelmente foi e pode continuar sendo a atitude mais
assertiva. Cada um tem o seu próprio limite para suportar riscos. E ainda que, em algum
momento futuro, o Bitcoin venha a ser adotado universalmente como moeda de troca ou
reserva de valor, ele ainda não é e tampouco está na iminência de ser um porto
realmente seguro.
Meu melhor conselho diante de dúvidas é buscar ativamente a informação. O
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
conhecimento é sempre bem-vindo. Quanto mais você estudar, compreender e analisar
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
criticamente uma realidade, mais bem preparado você estará para tomar decisões
corretas na sua vida. A menos que você esteja diante de um leão faminto, não deixe o
senso de urgência e o impulso determinar as suas escolhas. Troque a pressa pela
serenidade. Troque o risco ignorado pelo risco conhecido e calculado. Na maioria das
vezes, você poderá voltar e ter uma nova oportunidade.
Mais do que se gabar dos acertos impulsivos, fortuitos, você se orgulhará
genuinamente daqueles em que você sabia aonde queria chegar. Aqui cabe um aviso:
nem sempre a nova oportunidade será tão boa quanto a que passou. Seja prudente, mas
não durma no ponto!
Caso o Bitcoin efetivamente prospere, você já terá largado com ampla vantagem. E
ela não se contabilizará necessariamente pela quantia em sua carteira. O conhecimento
acumulado antes dos demais é o que lhe permitirá continuar tomando as melhores
decisões.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 8
MITOS E VERDADES

“As novas opiniões são sempre suspeitas e geralmente opostas, por


nenhum outro motivo além do fato de ainda não serem comuns.”
– JOHN LOCKE

Diante da falta de informações confiáveis sobre um assunto, é natural que surjam


especulações que logo se espalham. Algumas delas verdadeiras, outras nem tanto,
acabam embaralhando-se e prejudicando a compreensão sobre o tema.
Devido à rapidez da informação adquirida na internet, não temos tempo de processá-
la. E nos esquecemos de questioná-la. Os mitos fazem parte do nosso dia a dia. Estão
presentes nas crenças populares e mais recentemente nas correntes de e-mails e
aplicativos de mensagens instantâneas. Às vezes, é difícil separar o joio do trigo.
A seguir, listei algumas afirmações atribuídas ao Bitcoin. Provavelmente você já
escutou ou escutará algumas delas por aí. Não tenho a pretensão de refutar opiniões,
tampouco endossá-las. Mas é possível fazer um breve exercício de análise de
coerência. Vamos juntos?

BITCOIN É UMA MOEDA ANÔNIMA


PARCIALMENTE VERDADE
As casas de câmbio de bitcoins, também conhecidas como Exchanges, têm
regras rígidas quanto à identidade. É fato que as transações por meio de bitcoins
possuem maior privacidade. Emitentes e destinatários são identificados na
Blockchain apenas pela chave pública, uma combinação de letras e números.
No entanto, podem sim ser rastreados por meio de técnicas já utilizadas para
investigar e-mails e tráfego de informação digital. Seria o equivalente a um
usuário que navega na web sob um pseudônimo, mas que poderia ser rastreado
pelas autoridades, em caso de envolvimento em crimes cibernéticos.

ARQUIVO BAIXADO
O BITCOIN DAEM
É ILEGAL THEREBELS
NOSSO PAÍSSEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS
MITO
PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
O bitcoin é legal no Brasil e na maior parte do mundo. Isso não significa dizer,
porém, que seja regulamentado. Até hoje muitas ferramentas online carecem de
melhor definição por parte dos legisladores, mas nem por isso são consideradas
à margem da lei. Inclusive a Receita Federal já orienta sobre como os
contribuintes devem declarar seus bitcoins no ajuste do Imposto de Renda (ver
Capítulo 29). No momento da publicação deste livro, existem apenas sete países
onde seu uso é considerado ilegal: Argélia, Bangladesh, Bolívia, Equador,
Marrocos, Nepal e Quirguistão.32
BITCOIN SÓ PODE SER UTILIZADO PARA COMPRAS NA INTERNET
MITO
O bitcoin é uma moeda descentralizada entre usuários interconectados na grande
rede. No entanto, já é aceito em centenas de milhares de estabelecimentos
físicos no mundo todo, e esse número não para de crescer.
BITCOIN É UM ESQUEMA DE PIRÂMIDE
MITO
Uma pirâmide, também chamada Ponzi, requer um fundador inicial que
convence as demais pessoas de lucro fácil. Não existe um ponto central de
poder no Bitcoin, pois é um sistema descentralizado. Um esquema Ponzi sempre
exige que novos investidores paguem os investidores anteriores. Este não é o
caso do Bitcoin, pois o sistema pode funcionar com praticamente qualquer
número de usuários. No entanto, a rede é mais forte ao ser usada por mais
pessoas.33
BITCOIN É UTILIZADO POR CRIMINOSOS
VERDADE
Por ser mais difícil rastrear – embora não impossível, como vimos −, o Bitcoin
foi associado como a ferramenta preferida por pessoas que atuam na chamada
Deep Web. Vale lembrar que isso não torna a moeda uma arma do crime,
tampouco que deva ser evitada devido ao mau uso que alguns poucos fazem
dela. Inúmeras pessoas já utilizam bitcoins para economizar 10-20% em
compras pela Amazon e outras varejistas, ou para enviar recursos para
organizações humanitárias, por exemplo. Por outro lado, lembremos que, todos
os dias, criminosos sequestram em troca de dólares ou reais, vendem drogas,
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
armas ou praticam corrupção em moeda corrente.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
A MINERAÇÃO CONSOME ENERGIA ELÉTRICA
VERDADE
Como vimos, a mineração depende essencialmente de poder computacional e
energia elétrica. Aqui, o uso da energia serve para um propósito na rede, que é
o de proteger todas as transações através da mineração. Essa atividade é
essencialmente útil para provar que alguém gastou recursos na expectativa de
obter uma recompensa em troca de seus esforços. A prova de trabalho ou proof-
of-work (PoW), como se chama em inglês, atua como um mecanismo de
prevenção contra ataques na rede Bitcoin. Se você considera que Bitcoin seja
importante, então a mineração não é um desperdício de energia elétrica. Da
mesma forma, se você acredita nas moedas fiduciárias, todo o gasto de energia
para produzi-las não é um desperdício.
BITCOIN NÃO TEM NADA DE ESPECIAL EM RELAÇÃO ÀS DEMAIS
CRIPTOMOEDAS
MITO
O Bitcoin é a moeda virtual original, sendo as demais Altcoins geralmente
derivadas do Bitcoin ou de ramificações da sua Blockchain. O Bitcoin é
limitado a apenas 21 milhões de moedas, enquanto a maioria delas é muito
maior em volume. A segurança da Blockchain tem se mostrado à prova de
hackers desde a sua criação há 10 anos, em 2008. Os Bitcoins podem
transportar até 1.000 bits de informações digitais (chaves, combinações,
assinaturas, etc.) por moeda e podem ser divididos em milionésimos de
unidades, conforme necessário, para microtransações.
O BITCOIN NÃO TRAZ NENHUMA NOVIDADE EM RELAÇÃO AO
DÓLAR OU O OURO
MITO
O Bitcoin tem aumentado significativamente seu valor ante o Dólar. Em
comparação, o Dólar perde valor a cada ano desde a Segunda Guerra Mundial.
Dólares (assim como a maioria das moedas) só podem ser divididos 100 vezes.
Bitcoin? 100 milhões de vezes. As moedas fiduciárias são controladas por
corporações, enquanto o Bitcoin é descentralizado.
Ao contrário do ouro, você já pode utilizar bitcoins para comprar bens e
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
serviços diretamente. O ouro é mais difícil de se transportar, armazenar e
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
converter em moedas fiduciárias. Bitcoins, sendo arquivos digitais, são muito
mais práticos nesses aspectos.
OS GOVERNOS PODEM PROIBIR O BITCOIN
VERDADE
Embora a tendência global seja de reconhecimento das criptomoedas pelos
governos, uma minoria impôs restrições ao seu uso.
O Bitcoin não está sob a jurisdição de nenhuma autoridade ou censura,
funcionando como uma rede descentralizada autorregulada de usuários
espalhados por todo o globo. Dessa forma, as instituições têm poder limitado
para interferir na utilização das moedas digitais. Mas podem dificultar a
conversão de entrada e saída a partir das moedas oficiais.
No que tange à regulamentação internacional, o Japão criou recentemente um
marco regulatório para empresas que usam bitcoin, a fim de liberá-lo para uso
no dia a dia. Na mesma linha, há ampla aceitação no mercado consumidor de
países desenvolvidos da Europa, Ásia e América do Norte.
É POSSÍVEL GANHAR BITCOINS GRATUITAMENTE
VERDADE
Existe pela web o que se conhece popularmente como faucets ou “torneiras de
Bitcoin”. Esses sites prometem satoshis − frações de uma moeda completa − em
troca de preenchimento de códigos captcha ou da sua participação em eventos
promocionais. Todavia, o valor de satoshis é irrisório pelo custo-benefício do
tempo gasto.
QUALQUER UM PODE MINERAR BITCOINS
VERDADE
Qualquer pessoa pode se aventurar no mundo da mineração e ser remunerada
por isso. Contudo, cabe lembrar que nos últimos anos a mineração tem exigido
hardwares ultra potentes, além do elevado custo de energia elétrica para fazê-
los rodar. Com a necessidade de altos recursos, a maior parte da mineração
hoje é praticada por consórcios de usuários ou megainvestidores.

1. Embora tenha havido muita especulação em torno da verdadeira identidade de Satoshi Nakamoto, ela permanece
desconhecida até os dias de hoje.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
2. NAKAMOTO, S. Bitcoin: a peer-to-peer electronic cash system. Bitcoin.org, 1º nov. 2008. Disponível em:
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
<https://bitcoin.org/bitcoin.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2017.
3. De forma resumida, o livro-razão é um registro de movimentações contábeis agrupadas, usualmente utilizado por
empresas.
4. W I K I P E D I A . Mineração de Bitcoin. Disponível em:
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Minera%C3%A7%C3%A3o_de_Bitcoin>. Acesso em: 23 nov. 2017.
5. Friedman (1912-2016) foi laureado com o Prêmio Nobel de Economia e considerado um dos pensadores mais
influentes do século XX. Um dos líderes da chamada Escola de Chicago, defendeu durante toda sua vida que os
mercados concorrenciais, livres da intervenção estatal, levariam ao funcionamento mais eficiente da Economia. Previu,
ainda nos anos 90, o surgimento de uma moeda digital confiável a partir da internet, ou seja, mais de uma década antes
do lançamento do Bitcoin.
6. PRUSTY, N. Building Blockchain projects. Birmingham: PACKT Publishing Limited, 2017.
7. SWAN, M. Blockchain : blueprint for a new economy. Sebastopol, CA: OReilly Media, 2015.
8. ANTONOPOULOS, A. M. Mastering bitcoin: programming the open Blockchain. Sebastopol, CA: OReilly
Media, 2017.
9. DRESCHER, D. Blockchain basics: a non-technical introduction in 25 steps. New York: Apress, 2017.
10. SCHIAVON, G. Mineração de Bitcoin: entenda como funciona. Foxbit, 24 out. 2016. Disponível em:
<https://blog.foxbit.com.br/mineracao-de-bitcoin-entenda-como-funciona>. Acesso em: 21 nov. 2017.
11. Aqui vale um adendo. Não confundir Blockchain (a plataforma utilizada pelo Bitcoin), com o site Blockchain.info
(um site privado que dentre outras ferramentas, permite a consulta das transações publicadas envolvendo a rede
Blockchain).
12. ROLIM, L. Blockchain: entenda o que é e como funciona essa tecnologia revolucionária! Disponível em:
<https://atlasproj.com/blog/blockchain-como-funciona>. Acesso em: 12 dez. 2017.
13. DAVIES, S. How bitcoin and its blockchain work. Financial Times, 3 fev. 2015. Disponível em:
<https://www.ft.com/video/2be94381-66dc-3320-a292-6a1cde0a3d5f>. Acesso em: 13 nov. 2017.
14. MEDREC. What is MedRec? Disponível em: <https://medrec.media.mit.edu>. Acesso em: 21 nov. 2017.
15. TAPSCOTT, D. Blockchain revolution: how the technology behind bitcoin is changing money, business, and the
world. New York: Portfolio-Penguin, 2016.
16. SCHIAVON, G. Os bitcoins vão acabar? Entenda a marca dos 21 milhões de BTC. Foxbit, 10 abr. 2017.
Disponível em: <https://blog.foxbit.com.br/os-bitcoins-vao-acabar-entenda-marca-dos-21-milhoes-de-btc>. Acesso em:
10 dez. 2017.
17. SCHIAVON, G. Mineração de Bitcoin: entenda como funciona. Foxbit, 3 out. 2017. Disponível em:
<https://blog.foxbit.com.br/mineracao-de-bitcoin-entenda-como-funciona>. Acesso em: 10 dez. 2017.
18. VIANNA, J. J. L. Elementos de arithmetica. 15. ed. Rio de Janeiro: 1914. p. 59.
19. WIKIPEDIA. Prime number. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Prime_number>. Acesso em: 19 dez.
2017.
20. WIKIPEDIA. Número primo. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%BAmero_primo>. Acesso
em: 19 dez. 2017.
21. EUCLIDES. Os elementos. Livro IX, Proposição.
22. Great Internet Mersenne Prime Search. GIMPS, 7 jan. 2016. Disponível em: <https://www.mersenne.org>.
Acesso em: 21 dez. 2017.
23. REVISTA VEJA. Cientistas descobrem o maior número primo – e ele tem mais de 22 milhões de dígitos. Veja, 6
maio 2016. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/ciencia/cientistas-descobrem-o-maior-numero-primo-e-ele-tem-
mais-de-22-milhoes-de-digitos>. Acesso em: 21 dez. 2017.
24. SANTINO, R. Entenda por que os números primos são importantes nos dias atuais. Olhar Digital, 21 jan. 2016.
Disponível em: <https://olhardigital.com.br/fique_seguro/noticia/entenda-por-que-os-numeros-primos-sao-importantes-
ARQUIVO BAIXADO
nos-dias-atuais/54584>. DA2017.
Acesso em: 20 dez. THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
25. RAVAL, S. Decentralized applications. Sebastopol, CA: OReilly Media, 2016.
26. LASZLO. Pizza for bitcoins? Bitcoin Forum, 18 maio 2010. Disponível em: <https://bitcointalk.org/index.php?
topic=137.0>. Acesso em: 22 dez. 2017.
27. FIGO, A. Quem comprou R$ 100 em bitcoins há seis anos hoje tem R$ 120 mil. Exame, 1º set. 2017. Disponível
em: <https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/quem-comprou-r-100-em-bitcoins-ha-seis-anos-hoje-tem-r-120-mil>.
Acesso em: 3 dez. 2017.
28. ALVARENGA D. Ibovespa foi melhor investimento em 2017; veja ranking de aplicações. G1 Economia. 28
dezembro 2017. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/noticia/ibovespa-foi-melhor-
investimento-em-2017-veja-ranking-de-aplicacoes.ghtml>. Acesso em: 4 jan 2018.
29. BUY BITCOIN WORLDWIDE. The Bitcoin volatility index. Disponível em:
<https://www.buybitcoinworldwide.com/volatility-index>. Acesso em: 14 dez. 2017.
30. PETERSEIL, Y. Brexit turns Bitcoin into an unlikely haven currency: chart. Bloomberg, 8 jul. 2016. Disponível
em: <https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-07-08/brexit-turns-bitcoin-into-an-unlikely-haven-currency-
chart>. Acesso em: 14 nov. 2017.
31. TRADINGVIEW. Bitcoin: 2017 year of the bulls. 22 dez. 2017. Disponível em:
<https://www.tradingview.com/chart/BTCUSD/ZrcaxO5C-Bitcoin-2017-year-of-the-bulls>. Acesso em: 23 dez. 2017.
32. W I K I P E D I A . Legality of bitcoin by country or territory. Disponível em:
<https://en.wikipedia.org/wiki/Legality_of_bitcoin_by_country_or_territory>. Acesso em: 15 dez. 2017.
33. BITCOIN MAGAZINE. Top 10 myths about Bitcoin. Nasdaq, 13 maio 2016. Disponível em:
<http://www.nasdaq.com/article/top-10-myths-about-bitcoin-cm620562>. Acesso em: 30 nov. 2017.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PARTE II

ECONOMÊS EM
BOM PORTUGUÊS

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 9
HISTÓRIA DO DINHEIRO – DO ESCAMBO AO
MASTERCARD

“A mudança é a lei da vida. E aqueles


que olham apenas para o passado ou presente, certamente perderão o
futuro”
– JOHN F. KENNEDY

A história do dinheiro poderia facilmente preencher uma grande biblioteca. O assunto


como um todo é muito extenso. O propósito deste capítulo é bem mais simplista. Vamos
aqui fazer uma breve retrospectiva de como as pessoas negociavam entre si antes do
surgimento do dinheiro, como ele surgiu, modificou-se e como sua evolução poderá
facilitar nossas vidas em um futuro próximo.
A cronologia do dinheiro começa com o escambo, passa pela moeda, pelo papel e,
hoje, quase todo mundo já prefere o plástico.
Por volta de 6.000 a.C., o escambo (ou troca de mercadorias), foi introduzido pelas
tribos da Mesopotâmia e adotado pelos fenícios. Os babilônios também desenvolveram
um sistema de trocas aperfeiçoado.34 O crescente desenvolvimento da pecuária e
agricultura fizeram com que a produção ultrapassasse a necessidade das tribos, gerando
um excedente, que era então trocado por bens ou mercadorias de outras tribos. Todo o
tipo de itens era trocado: alimentos, chás, armas, artefatos e especiarias. Na Roma
Antiga, o sal se tornou tão popular e valioso que era utilizado para o pagamento dos
soldados. Daí a origem do termo salário. Na Idade Média, os europeus navegaram o
mundo para trocar artesanato e peles de animais por sedas e perfumes.
Por mais que o escambo tenha prevalecido por séculos como um sistema satisfatório,
ele esbarrava em sérias dificuldades que, ao longo do tempo, acabaram por catalisar
sua substituição pelo dinheiro.35
Em primeiro lugar, era necessário vencer o problema da dupla coincidência de
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
desejos. Vamos supor que você tivesse um monte de bananas e quisesse um par de
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
sapatos; não seria suficiente encontrar alguém que tivesse sapatos ou alguém que
quisesse bananas. Para fazer o comércio, seria necessário encontrar alguém que tivesse
sapatos e estivesse disposto a trocá-los por bananas.
Uma segunda dificuldade do escambo era o troco. Quanto de uma mercadoria era
equivalente a certa quantidade de outra? Imagine isso com centenas de itens
disponíveis. Em um sistema de troca, a lista de preço seria um documento muito
complicado, pois cada mercadoria teria que ser citada em termos de qualquer outra.
Como retornar o troco após a troca de itens não equivalentes?
O terceiro entrave decorria da indivisibilidade de alguns bens de troca. Imagine que
você seja um alfaiate e necessite de carne. Para sua sorte, o açougueiro necessita de um
casaco. Mas caso lhe baste um quilo de carne, o valor do casaco excederia em muito o
valor correspondente. Você não poderia cortá-lo sem destruir o seu valor.
A troca de mercadorias depende, pois, das necessidades particulares de cada
indivíduo ou comunidade e, geralmente, uma quantidade limitada de alguns itens é
suficiente para produzir satisfação.
Para superar tamanhas limitações do sistema de trocas, começaram a surgir
mercadorias que pudessem ser aceitas como um bem temporário. Por exemplo, você
poderia trocar o seu casaco em sal. Trocaria parte desse sal por um quilo de carne. E
manteria o restante para uso futuro. Ao longo da história, outros itens foram úteis no
propósito de mercadoria comum de troca: conchas, metais preciosos, gado36, facas,
discos de pedra, dentre outros. O que credenciava a aceitação desses itens era o valor
que as pessoas lhe davam em função de sua utilidade, beleza ou raridade.
Mas nem sempre esse meio de troca era o mais prático. Imagine a dificuldade de se
transportar alguns deles para realizar negócios em terras distantes.
Em cerca de 1.100 a.C., os chineses começaram a usar miniaturas de ferramentas em
bronze para realizar trocas, o que mais tarde deu origem às primeiras moedas em
formato de disco metálico, tal como hoje conhecemos.37
No século VIII a.C., na Lídia, atualmente território turco, as moedas foram muito
difundidas e se tornaram o principal meio de troca. Eram fabricadas a partir de uma
liga metálica oriunda da fusão entre ouro e prata, em partes iguais. O problema
emergente disso é que, a cada troca efetuada, era necessário realizar a sua pesagem.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Então, para agilizar esse processo, as moedas passaram a ser marcadas com o seu peso
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
correspondente já no momento da fabricação.
No século seguinte, os gregos foram os responsáveis pela criação de uma moeda
metálica com um valor padronizado pelo Estado. Logo os demais impérios apressaram-
se em abraçar essa padronização, pois isso facilitava a cobrança de impostos, além da
construção de forças militares.
Com a padronização de valores, o fluxo de bens e serviços se intensificou. Mesmo as
camadas menos abastadas passaram a experimentar itens antes inacessíveis.
Não demorou para surgirem os bancos pioneiros. Estes eram originários das oficinas
de ourives, locais seguros onde os senhores feudais depositavam o seu ouro.
De forma pragmática, os novos responsáveis pelo arquivamento do metal começaram
a emitir papéis que representavam uma quantidade específica de ouro, dando aos seus
donos o direito de resgatar tal quantidade a qualquer momento. E assim surgiram os
primeiros cheques bancários.38
Por sua vez, a China inauguraria a segunda grande revolução na história do dinheiro:
o papel-moeda. Distribuído pela dinastia por volta do ano de 600 a.C., as cédulas
acabaram, porém, não se espalhando para outros lugares. E caíram em desuso no fim do
século XIV.
Somente em 1661 as notas reapareceram na Europa, mais precisamente na Suécia e, a
partir de então, difundiram-se para o restante do mundo.39 O dinheiro ficou mais
portátil, o comércio avançou e a contabilidade tornou-se mais fluida.
Por fim, o cartão de crédito teve seu início com as companhias de combustível no
início do século XX. Com ele, os clientes podiam fazer compras quando estivessem
distantes de suas casas e em locais onde fosse difícil conseguir dinheiro vivo. Há quem
considere a invenção do cartão de crédito como sendo a terceira revolução monetária.
Hoje, apenas um décimo da oferta total de dinheiro nos EUA existe sob a forma de
papel e moedas. O restante é o que conhecemos como moeda escritural, ou seja, aquela
que existe apenas no livro dos bancos, intangível e imaterial por sua natureza.
A Suécia, por exemplo, já está bastante adiantada no processo de substituição do
dinheiro de papel pelo eletrônico. As cédulas devem se transformar, em menos de cinco
anos, em meras peças de museu, e o país europeu poderá se tornar a primeira nação
cashless do mundo.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Até as nossas moedinhas estão sendo substituídas a ritmos mais lentos. Em um futuro
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
não distante, é possível que sua utilidade não vá além dos jogos de cara ou coroa.40
Nos dias atuais, não é mais necessário encontrarmos um sapateiro que queira
bananas. E a evolução do dinheiro continua ininterrupta, caminhando a passos largos
rumo a virtualização completa da moeda. Segundo o antropólogo Jack Weatherford,
“(...) com a informática, o dinheiro se transformou em impulsos eletrônicos invisíveis,
livres do espaço, do tempo e do controle de governos e corporações”.41 Serão as
criptomoedas o novo meio de troca do terceiro milênio?

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 10
UM ANTÍDOTO CONTRA INFLACIONÁRIO

“Os americanos estão ficando mais fortes. Vinte anos atrás, eram
necessárias duas pessoas para carregar dez dólares em compras feitas na
mercearia da esquina. Hoje, um garoto de cinco anos consegue fazer isso
sozinho.”
– HENNY YOUNGMAN

Quando eu era pequeno, meus pais costumavam me levar para fazer compras. Eu ficava
admirado com a velocidade com que trabalhavam as máquinas de etiquetar preços e
seus operadores. Poucas horas depois, o etiquetador já estava ali estampando novos
preços, repetindo tudo outra vez.
A Era da Hiperinflação dominou o cenário econômico nas décadas de 1980 e 1990
em nosso país. Os preços chegavam a dobrar entre um mês e outro. Rapidamente, o
salário perdia seu poder de compra. Isso gerava um corre-corre aos supermercados e
filas quilométricas em todo início de mês.
Era comum ver racionamento de alguns produtos, com limite de unidades por cliente.
Prateleiras esvaziavam-se em minutos. As pessoas compravam e estocavam tudo o que
podiam em casa. As famosas compras do mês tornaram-se comuns e até hoje persistem
como hábito residual em muitas famílias.
Caso você tenha menos de 30 anos, pode pensar que estamos narrando um roteiro de
filme apocalíptico, ou descrevendo cenas de países mergulhados em guerra civil. Mas
foi exatamente o que ocorreu por aqui no período que antecedeu o Plano Real. Pergunte
aos mais velhos.
Nos últimos anos, o fantasma da inflação voltou a nos assombrar. Fenômenos
climáticos contribuíram para a alta dos preços dos alimentos e derivados. Mas,
sobretudo, a desastrosa política econômica dos últimos governos fez despertar o dragão
hibernado. Para conter a alta, o Banco Central foi obrigado a elevar a taxa básica de
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
juros.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
A taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) não representa os
juros reais pagos pelo consumidor, mas é um índice de referência para a definição de
todas as demais taxas da economia. É também o principal instrumento do Banco Central
(BC) para controle da inflação.
Quando o Comitê de Política Monetária (COPOM) decide aumentá-la, o crédito fica
mais caro ao consumidor e, consequentemente, o consumo das famílias se retrai. Com a
demanda reduzida e um excesso de oferta de bens e serviços, os preços desaceleram.
A alta dos juros traz ainda um grave efeito colateral: o aumento da dívida pública.
Estando atrelada à SELIC, ela se avoluma. Com menos dinheiro em caixa, temos ainda
mais cortes em investimentos na saúde pública, educação e segurança, por exemplo.
Mas calma lá. Se falta dinheiro para investir, por que o Banco Central simplesmente
não emite mais dinheiro? Poderia pagar as dívidas e de quebra sobrariam recursos para
as áreas prioritárias. Afinal, ele é o emissor do Real. Parece uma boa ideia, não?
Apesar de possuir, nestes termos, máquinas de fazer dinheiro, essa é a pior das
alternativas. Seria como se o BC jogasse ainda mais combustível sobre os preços. A
expansão monetária, em vez de uma política austera, traz como maior consequência o
descontrole das chamas inflacionárias.
Quer dizer então que os governos jamais morderam a maçã da tentação de imprimir
dinheiro? A história do último século responde bem a essa pergunta.
Até a Primeira Guerra Mundial, vigorou de forma bastante satisfatória no mundo o
chamado padrão-ouro. Vejamos por que ele foi tão importante para o amadurecimento
da economia moderna.
Com o desenvolvimento das moedas nacionais, as nações adquiriram
discricionariedade para definir suas políticas. Eram diretamente responsáveis pela
forma como a moeda funcionava dentro de seus territórios. No entanto, com a
intensificação do processo de globalização, as políticas de um país passaram a
interferir nas do seu vizinho, já que havia fluxo de dinheiro e mercadorias entre as
fronteiras.
Para estabelecer um certo equilíbrio, as nações capitalistas concordaram entre si em
atrelar suas moedas a uma determinada quantidade correspondente de ouro, já bastante
difundido no globo. Assim, ao converter o valor de seu dinheiro em ouro, definiu-se o
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
que fora chamado de lastro. Para cada excedente de ouro proveniente das exportações
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
(que ia para os cofres do governo), acrescentavam-se em circulação cédulas
equivalentes a esse montante.
A grande sacada do padrão-ouro é que o valioso metal sempre foi limitado. Sem
poder minerá-lo indefinidamente, os governos não poderiam imprimir dinheiro a bel-
prazer. Assim, a emissão baseada em lastro foi fundamental para que se criasse a
confiança no comércio entre as nações e no jovem sistema financeiro global.
O padrão-ouro conferiu estabilidade às taxas de câmbio. Os exportadores, sabedores
de que não poderiam confiar na desvalorização da moeda para melhorar sua
competividade, não viam alternativa senão otimizar custos e melhorar sua eficiência.
Os bancos privados, fiéis guardiões do ouro da burguesia emergente, perceberam que
poderiam emitir mais comprovantes de depósito do que o que havia em seus cofres, já
que dificilmente as pessoas retiravam todo o ouro que haviam depositado. E
começaram a fazer empréstimos em troca do pagamento de juros, numa proporção mais
alavancada do que aquela que de fato detinham. Literalmente, foi aí que os bancos
fizeram surgir dinheiro do nada, trazendo riscos inflacionários e de insolvência. A
irresponsabilidade dos atores financeiros acabou mais tarde culminando em sucessivas
crises.42
A alavancagem do dinheiro fabricado se agravou a partir de 1914. Com a Primeira
Guerra Mundial, as alianças políticas mudaram, o endividamento internacional
aumentou e as finanças públicas se deterioraram. As dívidas decorrentes do conflito
forçaram os países a imprimir mais dinheiro para pagá-las, mesmo sem lastro em ouro.
A partir de então, as coisas degringolaram. Seguiu-se, no pós-guerra, um período
hiperinflacionário. Logo, o padrão-ouro, que garantiu décadas de estabilidade
monetária, acabou abandonado de vez.
Para se ter uma ideia, a Alemanha, grande derrotada na Primeira Guerra, viu a
quantidade de dinheiro circulante quase quadruplicar. Para piorar, como indenização
aos vencedores, foram obrigados a pagar cerca de 33 bilhões de dólares em ouro ou
moeda estrangeira, já que o marco alemão estava bastante desvalorizado. As reservas
do metal praticamente se esgotaram. A emissão de notas sem qualquer tipo de lastro
tornou-se inevitável. Cinco anos após o fim da guerra, cada cédula de marco valia em
ouro apenas uma mísera fração do que valia em 1914. O Banco Central alemão chegou
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
a emitir cédulas de 100.000.000.000.000 (100 trilhões) de marcos.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Hoje nenhum país utiliza mais o lastro em ouro. E nem sempre o padrão-ouro é
lembrado com tantas paixões. Embora tenha funcionado a contento enquanto vigente,
não chegou perto de ser a forma mais sustentável de se estabelecer a mútua confiança
entre os povos. Para o jornalista Alexandre Versignassi, autor de Crash – Uma Breve
História da Economia, o padrão-ouro “no fundo era um sistema imbecil. [...] é só
pensar: manter o padrão-ouro consistia em desenterrar o metal em uma mina, num
grotão qualquer, para enterrá-lo de novo nos cofres dos bancos. […] Era o planeta
inteiro mobilizando uma força soberba de trabalho para minerar e transportar o metal.
Tudo com a única função de fazer as pessoas acreditarem que o dinheiro de papel que
elas carregavam não era só papel.”43
No caso do Bitcoin, ao contrário do dinheiro em papel, não se pode criar unidades
da criptomoeda. Como falamos nos capítulos anteriores, o Bitcoin foi projetado em sua
gênese para ampliar sua disponibilidade em ritmos progressivamente menores. Quando
o último Bitcoin for minerado em 2140, circularão somente cerca de 21 milhões de
bitcoins. Caso a procura pela moeda continue a crescer no mundo, ao passo em que a
oferta tende à estabilidade, a consequência esperada é um aumento do seu poder de
compra. Por exemplo, aquela pizza comprada em 2010 por 10 mil bitcoins hoje poderia
ir para a sua mesa por apenas uma pequena fração de um único BTC. Trazendo para o
nosso mundo real, é como se a pizza estivesse mais barata hoje do que alguns anos
atrás.
Se a quantidade não aumenta, as pressões inflacionárias diminuem e podem até
inverter-se. É por isso que se diz que o bitcoin tem o potencial de ser uma moeda
deflacionária. A deflação é aquele estado em que os preços se reduzem e o poder de
compra aumenta. É o movimento diametralmente oposto à inflação.
Aqui cabe abrir parênteses. Assim como a inflação é o meio mais cruel de
empobrecimento de uma população, na medida em que seu dinheiro comprará cada vez
menos, a deflação também pode ser ruim.
A teoria da espiral deflacionária diz que, se é esperada queda dos preços, as pessoas
tendem a adiar suas compras para conseguir se beneficiar dos preços mais baixos. Essa
queda da demanda faria com que os comerciantes abaixassem ainda mais os preços de
suas mercadorias para estimular o consumo imediato, reduzindo indiretamente a
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
produção e o crescimento, como num efeito cascata.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Entretanto, essa teoria é controversa mesmo entre economistas. Além disso, o Bitcoin
já provou não seguir exatamente as mesmas regras e padrões aplicáveis às moedas
tradicionais.
Na prática, percebeu-se em ambientes deflacionários, que o desconto de preços
praticados tende a compensar o ímpeto poupador do comprador, por vezes superando-
o. No médio prazo, tende-se ao reequilíbrio da oferta versus demanda e,
consequentemente, dos preços.
Se existe algum consenso, é o de que a inflação é perniciosa, atingindo com maior
violência as camadas mais pobres da população. Não é, portanto, mais saudável que um
teórico risco deflacionário. Nesse cenário, o Bitcoin poderia se revelar como uma
providencial ferramenta capaz de frear a desvalorização do dinheiro da população.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 11
POR QUE O LASTRO PODE SER DESIMPORTANTE

“A primeira regra de qualquer tecnologia utilizada num negócio é que a


automação aplicada a uma operação eficiente vai aumentar a eficiência. A
segunda é que a automação aplicada a uma operação ineficiente vai
aumentar a ineficiência.”
– BILL GATES

Vimos anteriormente como o padrão-ouro foi fundamental para garantir a confiança nas
moedas fiduciárias nacionais. O ouro reluzia confiança sobre as notas de papel,
tornando-as suas autênticas substitutas. E, desde que permanecesse em depósito, as
pessoas tinham fé no dinheiro que circulava e no governo que a emitia.
Em relação à realidade das criptomoedas, muito se tem discutido quanto à suposta
ausência de lastro. É sabido que o Bitcoin não é lastreado em ouro, tampouco em uma
moeda fiduciária. Descentralizado, também não é garantido por qualquer instituição
governamental.
Além disso, não há um valor intrínseco ao Bitcoin. Se não representar um efetivo
poder de troca por bens ou serviços, um Bitcoin nada mais é que uma sequência
encadeada de zeros e uns.44
Afinal, não seria um grotesco retrocesso uma moeda desfalcada de lastro? E que
moeda é essa que só existe em nossa imaginação?
Primeiramente, a imaterialidade (ou a intangibilidade, no jargão economês) não é
nenhuma novidade. A maioria das economias modernas é baseada hoje na moeda
escritural45, o dinheiro criado pelos bancos.
Em segundo lugar, o lastro não é necessário ao Bitcoin e já vamos entender o porquê.
Em um mundo onde o padrão-ouro foi abandonado, as moedas fiduciárias atuais
passaram a se sustentar sob dois pilares: o curso forçado e a confiança no emissor.
O curso forçado significa que, por força da lei, os cidadãos são obrigados a adotar a
ARQUIVO
moeda BAIXADO
oficial do DA
seu país. Por THEREBELS
exemplo: SEM
não utilizamos FINS
o Real LUCRATIVOS,
porque o comparamos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
com outras moedas e concluímos sê-lo o mais estável e promissor. Nós utilizamos o
Real simplesmente por determinação do Estado. O nosso Banco Central, tal qual os
demais do mundo, detém o monopólio sobre a moeda corrente. Sem o curso forçado,
dificilmente as moedas ruins sobreviveriam.
Por sua vez, é fundamental que o emissor conquiste a confiança dos destinatários de
seus títulos. Imagine que um determinado Banco Central decida imprimir cédulas
indiscriminadamente. Essa atitude velhaca, tão logo percebida pelo mercado, se
revelaria um verdadeiro tiro no pé. Com a confiança arruinada, seria inútil a
desesperada medida. Valendo cada vez menos, seriam necessárias várias unidades de
dinheiro para comprar os itens mais básicos. Em pouco tempo, “zeros” teriam de ser
acrescentados às notas desvalorizadas, em meio a inflação galopante. Déjà-vu?
Numa era em que reinava a mútua desconfiança, o ouro cumpria papel primordial. A
sua disponibilidade limitada e a impossibilidade de forjá-lo, o credenciava a um fiador
comum entre duas partes nem sempre tão harmônicas. É importante frisar que o ouro
não teria tido sucesso não fosse sua relativa escassez. Ainda que a cada dia mais ouro
seja minerado, estima-se que ele seja finito na natureza. Se os colonizadores europeus
gozaram de fartas e inexploradas jazidas, hoje para extrai-lo são empregadas técnicas
cada vez mais dispendiosas e proporcionalmente menos rentáveis.
Daí percebemos como o Bitcoin é novamente inovador desde sua criação. Ao
contrário de um simples arquivo digital, facilmente replicável, a concepção fria e
inexorável da matemática criptográfica viabiliza essa propriedade de escassez
programada. Paulatinamente, os últimos bitcoins serão minerados até meados do
próximo século e em velocidade cada vez menor, necessitando de esforços
progressivamente maiores.46
O Bitcoin lastreia-se, portanto, em si próprio. Em sua escassez algorítmica, ou
melhor, na sua oferta inelástica. Ele não pode ser inventado ou criado, apenas minerado
conforme prevê o seu código inviolável.
Assim, é importante entendermos que o lastro não é uma exigência teórica de uma
moeda, mas apenas um arremedo prático contra práticas irresponsáveis dos emissores
de papel. Seria perfeitamente dispensável caso houvesse outra maneira eficaz de
assegurar a diligência das casas de moeda. Se o lastro é um disciplinador que atua
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
sobre a emissão de uma moeda, pode-se dizer que há diferentes formas de se “lastreá-
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
la”, e o Bitcoin adotou desde a sua gênese a mais eficiente delas.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 12
MOEDA DE TROCA OU RESERVA DE VALOR?

“Se você gosta de ouro, há muitas razões


pelas quais você deveria gostar do Bitcoin.”
– CAMERON WINKLEVOSS

Aristóteles, antes mesmo dos economistas modernos, acreditava que a vida humana
numa comunidade política seria impossível sem o mercado e o dinheiro. Um sistema
econômico justo e igualitário exigiria a adoção de um padrão de equivalência comum,
baseado na confiança entre seus usuários.
Como vimos, antes de seu uso como lastro, o ouro desempenhou importante papel
como moeda de troca. E não foi à toa. Alguns fatores contribuíram para sua aceitação
universal: a facilidade de manuseio, a não perecibilidade e a dificuldade em falsificá-
lo. Foi por excelência a moeda de troca dominante por longos períodos.
Antes sequer de obter esse status, porém, o ouro já era bastante valorizado pelas
pessoas. Era de grande utilidade na fabricação de joias e adornos, em função da sua
beleza, brilho e raridade. Ou seja, ele sempre teve um valor próprio – ou intrínseco,
como diriam os economistas.
Já o papel-moeda, que posteriormente substituiu o ouro, não possui qualquer valor
intrínseco. Uma cédula de papel não vale por si só, mas pelas mercadorias e serviços
que pode comprar. Ainda que tenha o autógrafo de seu artista preferido ou a
combinação da Mega Sena, não deixa de ser um pedaço de papel. O valor que
acreditamos que ele tenha é fruto da confiança que compartilhamos com nossos pares
que, de fato, aquele bilhete valha algo.
E o ouro, tendo perdido sua função de lastro, que função ocuparia hoje em dia? Por
que ainda hoje vemos falar em cotações do ouro nos jornais, já que o seu valor
intrínseco (para confecção de joias, por exemplo) por si só não parece ser o bastante
para atrair tamanho interesse?
ARQUIVO
O ouro tem seBAIXADO
mostrado umDA fielTHEREBELS SEM
aliado àqueles que FINS LUCRATIVOS,
lhe confiam suas poupanças. O
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
objetivo é manter o poder de compra ao longo dos anos. Diferentemente dos
investimentos de risco, que podem sucumbir da noite para o dia, o ouro tem se
valorizado constantemente por décadas, repondo a inflação. É o que os economistas
chamariam de reserva de valor, na qual se busca preservar (e se possível elevar) o
valor de compra futuro.
Dito isso, a pergunta que surge é: qual papel o Bitcoin deverá assumir – moeda de
troca, reserva de valor, ambos, ou nenhum deles?
Utilizar o Bitcoin como proteção de capital tem sido o objetivo de muitos
investidores. Isso se deve ao fato de não poder ser inflacionado como as moedas de
curso forçado, além de sua proteção pela criptografia da Blockchain, sendo, portanto,
invulnerável a fraudes; por último, é especialmente útil em economias em situação de
fragilidade, pois pode representar uma opção mais estável em relação à moeda oficial
do país em crise.
Assim, o Bitcoin pode ter alguma utilidade como reserva de valor. Mas, como tudo
pode falhar, não é recomendável alocar uma proporção considerável do seu patrimônio
na criptomoeda, caso queira protegê-lo, pois ainda é considerada um investimento de
altíssimo risco.
E como moeda de troca, o Bitcoin é útil? Essa talvez tenha sido a ideia central na sua
concepção. É muito cedo para definirmos se algum dia ele ocupará de fato esse papel
no nosso dia a dia. Mais precoce ainda é afirmar que chegará a ameaçar as moedas
nacionais. O que se sabe por enquanto é que já há centenas de milhares de empresas no
mundo que aceitam pagamento em bitcoins, incluindo grandes empresas como Paypal e
Microsoft.
Em termos de volume circulante, os números também impressionam. O Bitcoin já é a
quinta moeda no mundo, tendo deixado para trás moedas poderosas como o Rublo russo
e a Libra esterlina e, mais recentemente, a moeda oficial da Índia, a Rúpia. As quatro
moedas à sua frente são o Yen, o Yuan, o Euro e o Dólar. Já há mais bitcoins que reais
em circulação, o que obviamente não nos surpreende. Esses números são, naturalmente,
um pouco distorcidos, porque o valor em circulação de uma moeda não reflete o seu
valor total. No entanto, os números revelam o poder substancial do Bitcoin em termos
de interações cambiais.47
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Há ainda uma terceira função da moeda reconhecida por economistas, que é a
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
chamada unidade de conta. Isso significa ser o referencial das trocas, o instrumento
pelo qual as mercadorias são cotadas. No Brasil temos o Real como referência para a
precificação dos bens e serviços. Então, se você for ao cinema, o valor do ingresso
será listado em reais, por exemplo, R$ 40,00. Mas poderia ser 0,001 BTC. Hoje, o
Bitcoin está distante de ser utilizado como unidade de conta, ou reviveríamos as
emoções das etiquetadoras alterando os preços de minuto a minuto, como nas décadas
de 80 e 90. Para que isso ocorra um dia, a sua volatilidade necessita ser vencida
primeiramente.
Antes de encerrar o capítulo, gostaria de fazer uma breve pausa para balanço. Não
um balanço patrimonial em bitcoins. Mas um balanço do quanto já avançamos até este
momento do livro. Se você não é economista, talvez alguns termos como valor
intrínseco, intangibilidade, oferta inelástica e reserva de valor tenham sido novos para
você. A partir de agora, garanto que não se sentirá mais perdido na próxima vez em que
estiver discutindo sobre Bitcoin em uma roda de amigos. Você não irá se satisfazer
apenas com o palpite alheio e desinformado de que o “Bitcoin é uma bolha” (ou de que
“não é”, proferido igualmente por pessoas que repetem o que ouvem), pois já conhece
grande parte dos fundamentos dessa moeda digital e é capaz de contextualizá-la no
processo evolutivo do dinheiro.
A intenção deste livro não é lhe convencer das vantagens ou tampouco lhe assustar
com os riscos, mas torná-lo capaz de tecer uma análise crítica, do ponto de vista de um
cidadão comum acerca da moeda que pode dominar nosso futuro. Afinal, caso isso
ocorra, o Bitcoin não será mais assunto de nerds fanáticos por engenharia
computacional, mas estará presente no dia a dia de cada pessoa, de crianças a adultos
de todas as idades.
Agora que já digerimos o economês que nos afastava do mundo do Bitcoin, sugiro
que relaxe por alguns instantes ou simplesmente tome um copo de água, pois após
poucos capítulos onde terminaremos de discutir o impacto potencial do Bitcoin na
economia, será hora de iniciarmos a Parte III desse livro, a mais prática delas. Com o
seu livro em mãos, prometo-lhe ensinar o passo a passo, de forma didática, para
embarcar de vez no mundo do Bitcoin. Com ilustrações, detalharemos os primeiros
passos para criar sua conta em uma Exchange, comprar seus primeiros bitcoins e
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
guardá-los de forma segura. E quem sabe até utilizá-los, se desejar.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 13
O ALTO CUSTO DOS ATRAVESSADORES

“Escolhemos colocar nosso dinheiro e fé


em uma estrutura matemática livre de
política e de erro humano.”
– TYLER WINKLEVOSS

Segundo dados do Banco Central, as vendas em cartões de crédito e débito


movimentaram mais de R$ 1 trilhão em 201648, representando um aumento nominal em
relação ao ano anterior de cerca de 3 e 10%, respectivamente. No mesmo período,
houve uma queda de 12% no valor das movimentações por meio de cheques.
A Cielo, principal credenciadora de cartões no país, tem mais de 2 milhões de
estabelecimentos ativos em seu cadastro, e esse número tem crescido nos últimos anos.
Enquanto o plástico substitui rapidamente as notas de papel, em breve poderá avistar
em seu retrovisor um possível sucessor se aproximando para a ultrapassagem. Uma das
principais vantagens das moedas criptográficas está justamente nos custos mais baixos
de operação, ao eliminar atravessadores.
Você sabe quem são esses atravessadores e quanto é necessário para bancá-los?
Vamos supor que ao fim de um jantar com seu acompanhante em um dos seus
restaurantes favoritos, o garçom lhes traga uma conta de R$ 150,00. Seguramente, ele já
terá a mão uma máquina de cartões, a forma preferida dos seus clientes para
pagamentos. E afinal, convenhamos, hoje em dia quase ninguém carrega dinheiro na
carteira. Quando muito, apenas uma pequena quantia para emergências.
Você fica bastante satisfeito, afinal terá até 30 dias paga pagar a fatura e, com sorte,
ainda poderá acumular milhas. Mas há sempre o outro lado da moeda. O dono do
restaurante só receberá o valor daquele jantar após os mesmos 30 dias. Não se engane:
de algum modo, o custo desse crédito será repassado a você! Mas vamos com calma,
que estamos apenas começando.
ARQUIVO BAIXADO
Suponhamos que você pagueDA sua THEREBELS SEM
fatura em dia – isto FINS
é, sem LUCRATIVOS,
as astronômicas multas e
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
juros de até 400% ao ano –, vários atravessadores do sistema ainda morderão o seu
dinheiro antes de chegar ao destino final.
O primeiro deles é o emissor, ou seja, o banco que lhe forneceu o cartão − não
necessariamente aquele onde você é correntista – em troca do pagamento de uma
anuidade. O emissor irá reter da conta do jantar algo como 1,5 a 2% e, em seguida,
repassará o que sobrar ao próximo da cadeia de atravessadores: o credenciador. Essa
taxa retida é chamada tarifa de intercâmbio.
Pois bem, o credenciador (a empresa da maquininha) receberá, por sua vez, o valor
descontado e dará também a sua mordida: é a chamada tarifa de desconto. Cabe
ressaltar que, além dela, o credenciador cobra do comerciante o aluguel mensal da
máquina, que pode chegar a cerca de R$ 150,00 por mês. Advinha quem vai arcar com
mais esse custo?
Por fim, temos a bandeira, que é a marca que estampa o seu cartão de crédito: Visa,
Mastercard, American Express, dentre outros. A abocanhada praticada pela empresa da
bandeira do cartão chama-se tarifa de acesso. Essa tarifa é cobrada tanto do emissor
(banco) quanto do credenciador (da maquininha). Esse pedágio por utilizar a “marca”
do cartão consome outros 3 a 3,5% da sua conta.
Está anotando? Daqueles R$ 150,00 impressos no bilhete do garçom, nada menos do
que 5% ou R$ 7,50 são apenas para pagar os intermediários (tarifas de intercâmbio, de
desconto e de acesso). Este é o valor cobrado pelos componentes dessa lesiva cadeia,
responsável tão somente por fazer o dinheiro sair do seu bolso para o do comerciante.
Ou pelo menos uma parte dele, né?

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 13-1. Custos de atravessadores envolvendo uma típica compra com cartão de crédito.

Veja que estamos tratando de uma simples operação à vista. Desconsideramos, pois,
outras taxas que podem ser cobradas pelos atravessadores, incidentes sobre
parcelamentos ou atrasos no pagamento da fatura, incluindo multas e juros. Tampouco
estamos considerando os pesados impostos sobre produção e comercialização de bens
eARQUIVO
serviços, queBAIXADO DA THEREBELS
não são objeto SEM
específico dessa FINS LUCRATIVOS,
reflexão. Estamos aqui nos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
concentrando apenas no custo do atravessamento – ou intermédio, como queira – dos
pagamentos via cartão de crédito, para exemplificar a modalidade preferida pela
população hoje em dia.
É igualmente necessário destacar que o nosso exercício mental simula uma transação
doméstica ou local. Imagine agora que o delicioso jantar ocorra durante uma viagem
internacional. Dessa forma, transportar o dinheiro do seu bolso para o do
estabelecimento lhe custaria muito mais. Além do IOF, as taxas agregadas de câmbio
nem sempre serão tão digeríveis quanto o apetitoso jantar.
Experimente só enviar dinheiro para outro país. Para quem possui parentes no
exterior, viaja ou está morando fora, essa necessidade é recorrente, seja com o
interesse de enviar ou receber recursos. Nesse caso, prepare-se para enfrentar
obstáculos burocráticos, prazos demorados e, claro, abocanhadas mais vorazes dos
atravessadores, que podem chegar a retirar para si até 10% do seu montante.
Nesse contexto, a transação em moeda digital surge como uma ferramenta capaz de
dinamizar essa troca. No universo das criptomoedas, não há fronteiras. Tanto faz
transferir um valor para a padaria da esquina ou para outro continente. O processo é
realizado da mesma forma, com muito mais agilidade, transparência e sobretudo menos
taxas envolvidas, já que não há os tradicionais atravessadores.
Além disso, a rede funciona 24 horas por dia, livre de inconveniências como o
expediente bancário, feriados e greves.
Talvez você já tenha ouvido que as transferências em bitcoins são diretas entre
usuários, não envolvem intermediários e, portanto, são gratuitas. Isso está parcialmente
impreciso. De fato, não há bancos, credenciadoras ou empresas de bandeiras no
percurso do dinheiro. Ainda assim, há necessidade de se auditar o livro de registro de
blocos (Blockchain). Conferir se os pagamentos são autênticos e evitar o duplo gasto é
tarefa dos mineradores. Como ninguém trabalha de graça, eles são justamente
recompensados pelos seus esforços, como já vimos anteriormente.49
Mas, para o usuário final, esse custo é infinitamente mais baixo que aquele praticado
pelo sistema tradicional. De fato, o crescimento explosivo do Bitcoin tem trazido o
problema da escalabilidade para as mesas de discussões. O congestionamento da rede
faz com que as taxas no momento não sejam tão baratas quanto as outrora praticadas.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Mas é próprio da tecnologia da Blockchain a adaptabilidade do seu código para
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
problemas previstos, para os quais as soluções também são alcançáveis (ver Capítulo
23), uma vez que a descentralização favorece o amplo debate e soluções surgem com
muito mais facilidade.
Enquanto o consenso não vem, a paciência pode ser a chave para obter custos mais
baixos. Algumas carteiras personalizáveis permitem ao usuário definir a taxa paga aos
mineradores. Usualmente, uma transação típica leva até 10 minutos para ser
confirmada, o prazo com que cada bloco é adicionado à rede. Mas pode levar várias
horas, a depender do tráfego. Se esperar não é um incômodo para você, pode ser
interessante optar por envios de baixa prioridade, que contam com taxas muito mais em
conta.
Na próxima parte do livro, voltaremos a falar nos custos envolvidos na
movimentação da criptomoeda, especialmente aqueles cobrados pelas casas de câmbio
virtuais.
Por enquanto, é suficiente enxergarmos que a transação de valores através dos atores
tradicionais (em especial os bancos, bandeiras e credenciadores) tira para cada um
deles fatias consideráveis do seu bolo.
Em um mundo que preza por eficiência e sustentabilidade, o dinheiro virtual chega
trazendo enormes expectativas de otimização de custos e prazos para transações
globais.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 14
LIBERDADE POLÍTICO-MONETÁRIA

“O dinheiro não criará sucesso,


mas a liberdade em fazê-lo sim.”
– NELSON MANDELA

Enquanto a crise econômica em países como a Venezuela e Zimbabwe diminui a oferta


de empregos, o abastecimento de mercadorias e o poder de compra de seus
consumidores, o interesse dessas populações pelas criptomoedas só aumenta, em
especial pelo Bitcoin.
Há um histórico de má gestão sobretudo nos países da América Latina e África no
que concerne à quantidade de moeda circulante. O populismo, a falta de uma cultura de
educação e responsabilidade financeira pelo Estado, e de um projeto de gestão,
associados a uma baixa escolaridade e discernimento das camadas mais pobres, ora
vítimas e objetos de sua ação, contribuem de forma significativa para adoção de
medidas econômicas inflacionárias nos países em desenvolvimento.50
A inflação é uma das formas mais nefastas com que o Estado e seus burocratas
podem atentar contra a população. Sob o enfoque monetário, pode-se concluir que a
inflação chega a ser um ato de fraude cometido por uma autoridade central, em
detrimento aos geradores de riquezas, os indivíduos.
A Venezuela é hoje o país com a taxa de inflação mais elevada do mundo. A ditadura
socialista sofreu com uma rápida queda nos preços do petróleo, lançando toda sua
economia em turbulência. A inflação fechou 2017 com alta de 2.700%, deixando muitas
pessoas sem necessidades básicas. O país está imprimindo notas de alta denominação
para que os cidadãos não tenham que levar sacolas de dinheiro para os supermercados,
mas isso não resolve o problema da pobreza.
Por lá, um outro ponto de apoio ao crescimento do Bitcoin é o baixo custo da energia
elétrica, o que é uma vantagem para os mineradores. O desemprego e o baixo salário
ARQUIVO
mínimo BAIXADO
são também DA THEREBELS
fortes incentivos SEM FINS
à mineração, atividade LUCRATIVOS,
que vem se tornando uma
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
importante fonte de renda para um número crescente de famílias.
A moeda virtual também tem permitido aos venezuelanos a importação de itens que
se esgotaram no mercado doméstico. Há ainda aqueles que utilizam bitcoins para enviar
remessas a familiares que se asilaram em outros países e, por fim, os que confiam na
criptomoeda como proteção contra a desvalorização do Bolívar.
Todos esses fatores têm feito do nosso vizinho em crise um terreno fértil ao avanço
da moeda, onde a aceitação no comércio local está em plena expansão.
Não coincidentemente, os recentes entraves entre EUA e Coréia do Norte têm
provocado picos de valorização da moeda nos momentos mais turbulentos entre os dois
países.
Em entrevista para a Bloomberg, Alistair Milne, diretor de investimentos e
cofundador de um fundo de hedge de US$ 22 milhões que investe em ativos de
criptografia, afirmou que “o Bitcoin é um refúgio seguro para pessoas de todo o mundo
que não confiam em seus governos”. Segundo ele, “existem muitos países onde as
pessoas procuram um bem não que não seja vulnerável a instituições em colapso”.51
Mais icônico ainda é o caso do Zimbabwe, o antigo “celeiro da África”. Além da
fome, dos altos preços da gasolina e da escassez de água, o país também sofre uma alta
inflação e desvalorização da moeda. O Zimbabwe desistiu de sua própria moeda em
2009, mesmo ano em que o Bitcoin nasceu, depois que a hiperinflação levou à
impressão de notas de até 100 trilhões de dólares, que não valiam quase nada. A nação
se viu povoada de verdadeiros “bilionários” famintos. Atualmente, o país usa o Dólar
americano; contudo, também são usualmente adotados o Rand sul-africano, o Pula do
Botswana, a Libra esterlina e o Euro, além do dinheiro digital. O Bitcoin multiplicou-se
no país africano, chegando a ser negociado com prêmio de até 100% ante seu valor no
mercado internacional.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 14-1. Cédula de 100 trilhões de dólares do Zimbábue (Crédito: Wikipedia)

Outra vantagem da não alcançabilidade do dinheiro virtual pelo Estado seria a


proteção ao confisco estatal. Em 2013, o fantasma do Plano Collor desembarcou na
Europa. Para combater a crise econômica, o governo do Chipre aprovou o confisco a
contas de seus cidadãos. Foi o suficiente para amedrontar a população de outros países
europeus em crise, como Portugal, Espanha, Itália e Irlanda. A medida escancarou mais
uma vez a quebra de confiança nos governos e no sistema bancário, que se dissipava
lentamente desde a crise bancária de 2008.
Em 2016, a Índia viveu um episódio semelhante. O governo indiano subitamente
baniu as notas de 500 e 1.000 rúpias (o equivalente aproximadamente a R$ 25 e 50,
respectivamente). A medida pretendia coibir o mercado negro e o pagamento de
propinas, pois ambos utilizam exclusivamente dinheiro vivo e preferencialmente em
alto valor nominal. Em vez disso, a medida atabalhoada provocou uma crise de liquidez
sem precedentes. Em um país de 1,25 bilhão de pessoas − em sua maioria
desbancarizadas −, o caos e desespero tomaram conta da sua população. Em três dias,
casas de câmbio, bancos, caixas eletrônicos e hotéis ficaram sem dinheiro vivo. Da
noite para o dia, milhões de pessoas que tinham essas cédulas se viram impedidas de
comprar qualquer coisa com elas, até mesmo os itens mais básicos.
Nesse sentido, a Blockchain significa uma ruptura na concepção do dinheiro,
posicionando a tecnologia a favor das sociedades mais oprimidas, econômica ou
ARQUIVO Ideais
politicamente. BAIXADO DA THEREBELS
de liberdade SEM FINS
monetária, que possibilitem aoLUCRATIVOS,
indivíduo eleger a
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
sua moeda e decidir onde gastar seus recursos, estão em destaque. A descentralização
da moeda pode finalmente tirar seu controle das mãos de ferro opressoras de alguns
governos ditatoriais. Esse tema tende a esquentar nos próximos anos e tudo leva a crer
que as discussões acerca das moedas digitais terão sobre si o foco dos holofotes
internacionais. Se prosperarem, a separação entre Estado e moeda pode inaugurar um
irremediável e libertário caminho da nossa história.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 15
CETICISMO DOS ATORES TRADICIONAIS

“Nossas vidas começam a terminar no dia em que permanecemos em


silêncio sobre as coisas que importam.”
– MARTIN LUTHER KING JR.

O JP Morgan é uma das principais instituições financeiras do mundo, também uma das
maiores empresas a negociarem ações na bolsa de valores. Dito isso, não é de se
estranhar o fato de a empresa ver com suspeitas qualquer tipo de alternativa pouco
convencional ao sistema financeiro global, como é o caso das criptomoedas.
Em conferência realizada em Nova Iorque em setembro de 2017, Jamie Dimon,
presidente do banco, foi enfático ao afirmar que o Bitcoin “é uma fraude” e que
invariavelmente essa bolha vai estourar. 52 Além disso, Dimon defendeu que as
criptomoedas servem apenas a interesses criminosos e afirmou ainda que demitiria
qualquer funcionário de seu banco que fosse tolo o suficiente para se envolver em
transações com bitcoins.
O discurso não parecia ser compartilhado por Nikolaos Panigirtzoglou, estrategista
do mesmo banco. Segundo ele, com o início das negociações de contratos futuros, o
Bitcoin aproxima-se de classes de ativos mais tradicionais, podendo se tornar uma
maneira confiável de armazenar patrimônio no longo prazo.
Por sua vez, o excêntrico gênio da indústria de antivírus, John McAfee, foi mais
contundente na resposta ao presidente do JP Morgan. McAfee, que vendeu sua empresa
à Intel e hoje ocupa-se de minerar a criptomoeda, disse que respeita Dimon, mas
desafiou suas críticas e, em tom provocativo, fez uma aposta no Twitter. Em setembro
de 2017, projetou que o Bitcoin chegaria a US$ 500.000 até o ano de 2020. Dois meses
após, elevou ainda mais suas expectativas. De acordo com John, sua previsão anterior
baseou-se em um modelo que previa o Bitcoin a US$ 5 mil ao final de 2017, mas ele
acelerou muito mais rápido que poderia ter imaginado e, portanto, estaria elevando suas
ARQUIVO
previsões BAIXADO
para US$ DA
1 milhão ao THEREBELS
final de 2020. SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Naquela mesma linha de Dimon, outros banqueiros têm expresso seu ceticismo em
relação à estabilidade e resistência do Bitcoin. Axel Weber, do UBS Group, disse que
o Bitcoin não tem valor intrínseco porque ninguém garante a moeda. Em relação à
Blockchain, Weber foi mais otimista e disse que a Blockchain poderia ter aceitação no
longo prazo.
Enquanto isso, o CEO do Credit Suisse Group, Tidjane Thiam, disse que
“atualmente, o único motivo para comprar ou vender bitcoins é ganhar dinheiro, a
própria definição de especulação e de bolha”.
Uma pesquisa publicada pela Natixis Investment Managers mostrou que 64% dos
investidores institucionais (bancos, seguradoras, fundos e outras entidades que investem
no mercado de capitais, incluindo as estatais) acreditam que as altas sequenciais da
cotação do Bitcoin sejam indícios de que o mercado vive uma bolha. O levantamento
foi feito com 500 investidores institucionais do mundo todo, responsáveis por mais de
US$ 19 trilhões em ativos.53
E ainda tem aqueles que se posicionam em cima do muro. Enquanto o bilionário e
cofundador do Paypal Peter Thiel é um grande entusiasta e tem espalhado aos quatro
cantos do mundo que o potencial do Bitcoin está sendo subestimado, sem mostrar a
mesma empolgação para as demais criptomoedas, seu parceiro e também cofundador da
mesma empresa, Max Levchin, revelou ser um grande fã da tecnologia Blockchain, mas
ainda está indeciso em relação ao Bitcoin.
Se os críticos estarão com a razão, ou os otimistas se darão bem por terem enxergado
antes dos demais a oportunidade, é uma dúvida para a qual ainda não temos respostas.
Um ponto de convergência é que o Bitcoin e a Blockchain devem ser enxergados como
inovações disruptivas, com enorme potencial e elevado risco. Alguns preferem se
concentrar no potencial. Mas, fazê-lo sem um olhar sóbrio acerca do risco subjacente é
um grande erro, tanto quanto a insistente cegueira daqueles que teimam em negá-lo.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
34. SCHUMPETER, J. A. History of economic analysis. London: Routledge, 1994.
35. JEVONS, W. S. Money and the mechanism of exchange. New York: D. Appleton and Co, 1876.
36. A atual moeda indiana Rúpia vem do termo em sânscrito (a linguagem da antiga Índia) “rupa”, que significa
“gado”.
37. CREDIT CRITICS. A brief history of money. Disponível em: <https://creditcritics.com/a-brief-history-of-
money>. Acesso em: 26 nov. 2017.
38. HISTÓRIA DE TUDO. História do cheque. Disponível em: <http://www.historiadetudo.com/historia-do-
cheque>. Acesso em: 26 nov. 2017.
39. SUPERINTERESSANTE. Como surgiu o dinheiro? Superinteressante, 31 out. 2016. Disponível em:
<https://super.abril.com.br/cultura/como-surgiu-o-dinheiro>. Acesso em: 1º dez. 2017.
40. BANCO CENTRAL DO BRASIL. O dinheiro no Brasil. Museu de Valores do Banco Central. Disponível em:
<http://www.bcb.gov.br/htms/museu-espacos/dinheirobrasileiro/histdinbr.asp?idpai=MUSEU>. Acesso em: 4 dez.
2017.
41. WEATHERFORD, J. A história do dinheiro. Rio de Janeiro: Campus, 2005.
42. Hoje, a maioria dos países adota o sistema de reserva fracionária, que permite aos bancos fazerem empréstimos ou
investimentos em valor muito superior ao valor dos depósitos sob sua guarda, mantendo em reserva apenas uma
pequena fração desses depósitos. Esse sistema se baseia na crença de que os depositantes não sacarão o seu dinheiro
ao mesmo tempo. Se o fizessem, os bancos não teriam como atender a demanda, ou seja, quebrariam.
43. VERSIGNASSI, A. Crash: uma breve história da economia. São Paulo: Leya, 2011.
44. Bit (simplificação para dígito binário, Binary digit em inglês) é a menor unidade de informação que pode ser
armazenada ou transmitida, usada na Computação e na Teoria da Informação. Um bit pode assumir somente 2
valores: 0 ou 1, corte ou passagem de energia respectivamente.
45. A moeda bancária ou moeda escritural consiste nos depósitos à vista existentes nos bancos ou em outras
instituições creditícias.
46. LANCELOT, R. Whats the deal with Bitcoins? Pennington, NY: People Tested, 2013.
47. BUCK, J. Bitcoin is 6th largest currency in the world by circulation. The Cointelegraph, 2 dez. 2017. Disponível
em: <https://cointelegraph.com/news/bitcoin-is-6th-largest-currency-in-the-world-by-circulation>. Acesso em: 3 dez.
2017.
48. CAMPOS, E. Cartões de crédito e débito movimentaram mais de R$ 1 trilhão em 2016. Valor Econômico, 10 jul.
2017. Disponível em: <http://www.valor.com.br/financas/5032900/cartoes-de-credito-e-debito-movimentaram-mais-de-
r-1-trilhao-em-2016>. Acesso em: 13 nov. 2017.
49. KELLY, B. The Bitcoin big bang: how alternative currencies are about to change the world. Hoboken, NJ: John
Wiley & Sons, 2015.
50. ASSAF FILHO, A. A tecnologia e a liberdade monetária. Administradores.com, 30 nov. 2017. Disponível em:
<http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/a-tecnologia-e-a-liberdade-monetaria/108165>.
Acesso em: 13 dez. 2017.
51. URBAN, R. Bitcoin Is the new crisis currency. Bloomberg, 17 nov. 2017. Disponível em:
<https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-11-17/bitcoin-emerges-as-crisis-currency-in-hotspots-such-as-
zimbabwe>. Acesso em: 20 dez. 2017.
52. Pouco mais de três meses após seu inflamado discurso, o polêmico CEO da JP Morgan Chages, Jamie Dimon,
voltou atrás. Em entrevista exclusiva ao canal americano Fox Business, afirmou estar arrependido de dizer que Bitcoin
é uma “fraude”. “A Blockchain é real”. E acrescentou: “(...), eu só tenho uma opinião diferente de outras pessoas.
Não me interessa muito este assunto”.
MARTIN, K. JPMorgan Chase CEO Jamie Dimon regrets saying Bitcoin is a ‘fraud,’ but still isn’t interested in it.
Fox Business, 9 jan. 2018. Disponível em: <http://www.foxbusiness.com/markets/2018/01/09/exclusive-jpmorgan-
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
chase-chairman-ceo-jamie-dimon-regrets-saying-bitcoin-is-fraud-but-still-isnt-interested-in-it.html>. Acesso em: 11 jan.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
2018.
53. GAZETA DO POVO. Para 64% dos investidores institucionais, bitcoin é uma bolha, diz pesquisa. Gazeta do
Povo, 7 dez. 2017. Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/economia/livre-iniciativa/para-64-dos-
investidores-institucionais-bitcoin-e-uma-bolha-diz-pesquisa-9w1vpu8y22gnke9qwhsnmmxy9>. Acesso em: 21 dez.
2017.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PARTE III

PASSO A PASSO: COMO COMPRAR,


PROTEGER E UTILIZAR SEUS
BITCOINS

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 16
AFINAL, QUANTO INVESTIR?

“Todos os caminhos da ação são arriscados, então a prudência não está


em evitar o perigo (o que é impossível), mas em calcular o risco e agir
decisivamente.”
– NICOLAU MAQUIAVEL

Enquanto bolsas do mundo inteiro discutem a criação de mercados futuros e outras


modalidades de investimento nas criptomoedas, você já pode adquirir bitcoins e
negociá-los diretamente através de uma casa de câmbio de moedas virtuais.
Assim, chegamos a um ponto crucial: quanto investir? Não há uma resposta exata
para essa pergunta. Em primeiro lugar, o Bitcoin não deve ser encarado como um
investimento, pelo menos por enquanto. Não se pode eleger um ativo tão volátil e
inconstante como opção adequada para reserva de valor. Da mesma forma, vimos
anteriormente que o Bitcoin poderá não se tornar tão cedo uma plena moeda de troca.
Por todas as vantagens dessa incrível invenção, podemos até torcer verdadeiramente
para que isso ocorra. Mas enquanto não ocorre, o Bitcoin deve ser encarado como um
ativo especulativo, de elevadíssimo risco.
Para tanto, não se permita expor além de um limite que você considera confortável,
caso tudo dê errado. Isso irá variar conforme a realidade de cada pessoa. Antes de
tudo, você já é um investidor? Já possui um colchão de segurança54 para eventuais
emergências? Possui uma carteira de investimentos equilibrada entre renda fixa e
variável de acordo com seu perfil de agressividade, estabilidade na carreira, metas
pessoais e profissionais? Se você respondeu não a qualquer dessas perguntas, este pode
não ser o melhor momento para pensar em ativos de risco. Procure um profissional
qualificado, como um consultor de investimentos recomendado por pessoas de sua
confiança. Ele lhe ajudará a traçar planos de investimento mais condizentes com o seu
momento.
ARQUIVO
Caso você jáBAIXADO
tenha o hábitoDA
de THEREBELS SEM
investir regularmente FINS
e não LUCRATIVOS,
deposite nos bitcoins a
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ilusão de se tornar rico, além de compreender o elevado risco envolvido, e ainda
deseje agregar uma exposição limitada, continue lendo os próximos capítulos.
No universo das criptomoedas, tão importante quanto a preocupação em torno da
segurança digital, é você realizar uma leitura muito sóbria acerca do seu
comportamento. Estabelecer previamente planos e não agir por impulsos é fundamental.
Não permita que a ganância o empurre para a ladeira incerta da especulação. Tenha
cuidado redobrado com falsas promessas, garantias de ganhos fáceis e histórias
inverídicas.
Quanto maior o potencial de retorno, maiores os riscos. É seu dever conhecê-los. O
próprio Banco Central classificou a compra e venda de bitcoins como sujeita a riscos
“imponderáveis”. Nesse ponto cabe uma crítica. Embora não se saiba até onde o
Bitcoin poderá valorizar-se nos próximos anos, o risco de perda não é imponderável,
desde que você não opere alavancado, ou seja, com dinheiro emprestado. Por outro
lado, o risco de perda é bem conhecido, mesmo no mais catastrófico dos cenários.
Limita-se a 100% daquele capital investido. Para isso é fundamental fazer uma
programação prudente do máximo que pode se expor.
Se o Bitcoin micar, ou virar pó no jargão dos investidores, você não terá
comprometido uma fração significativa e o restante dos seus investimentos continuará a
nadar em águas calmas. Caso você dê sorte ou, por um ponto de vista diferente, prove
que estava certo quanto às perspectivas da moeda, será remunerado com uma baita
valorização.
“E se eu me arrepender de não ter investido mais?” Volte a lembrar dos seus
investimentos. Por mais que a renda variável ofereça um maior potencial de lucro, são
as alocações mais conservadoras quem dão robustez à sua poupança, amortecendo as
volatilidades. Um time vencedor não se faz só de atacantes. Os zagueiros podem não
ser seus artilheiros, mas são eles os responsáveis pela defesa da sua trave e por evitar
que você seja eliminado.
Assim, somente você poderá responder o quanto irá alocar. Essa decisão envolve
variáveis completamente individuais. Para algumas pessoas que já tenham uma sólida
carteira de investimentos, um orçamento disciplinado e segurança nos seus rendimentos,
assumir uma exposição de 1% em qualquer modalidade de risco pode ser uma opção
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
tolerável, caso o pior ocorra. Outros, mais experientes, chegam a dedicar frações ainda
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
maiores para especulação. Por outro lado, pessoas endividadas ou que não tenham um
colchão de segurança sequer deveriam cogitar essa possibilidade, devendo ficar longe
desta e qualquer outra operação de risco.
Lembre-se: o excesso de confiança pode destruir seus investimentos.55 Afinal, sua
meta não é sair na frente no placar, nem se limita a vencer o jogo. Seu objetivo é ganhar
o campeonato! Para isso, você precisa dos melhores jogadores. E é fundamental um
time equilibrado.
Estando convicto do seu limite, temos ainda um outro ponto de atenção: o das perdas
em razão de ataques virtuais ou de erros durante a compra ou utilizações de bitcoins,
uma vez que se trata de uma situação inédita. Assim, eu sugiro fortemente que,
independentemente do quanto você irá definir como tolerável para os seus aportes em
bitcoins, faça antes uma operação completa inaugural, que chamaremos de Operação
Caloura. Para isso, sugiro dedicar o valor de R$ 250,00 (o mínimo aceito por algumas
corretoras).
Obviamente, não se trata ainda de um investimento, nem especulação. Por mais que o
mercado dobrasse o valor de um bitcoin, R$ 250,00 de lucro não te deixariam tão
satisfeito assim. Mas não se esqueça que um erro no seu primeiro trade poderia levar
tudo a perder e você nunca mais teria acesso à sua carteira. Caso isso ocorra, tenho
certeza que você estará muito mais aliviado de ter comprometido apenas R$ 250,00 no
seu processo de treinamento do que um valor mais significativo. Considere-o um custo
de aprendizado, aquele que lhe terá aberto as portas do sistema e lhe treinado para as
próximas operações.
A seguir, percorreremos juntos os primeiros passos para realizar sua Operação
Caloura, e dessa forma adquirir os seus primeiros bitcoins.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 17
COMPRANDO SEUS PRIMEIROS BITCOINS

“Você deve aprender as regras do jogo. E então você deve jogar melhor do
que qualquer outra pessoa.”
– ALBERT EINSTEIN

Chegamos ao momento mais prático e emocionante do livro!


Vamos apresentar-lhe os passos necessários para converter reais nos seus primeiros
bitcoins (ou frações dele, os satoshis). Garanto que, ao contrário do que pudesse lhe
parecer, concluirá que não se trata de nenhuma tarefa excessivamente complicada. Para
isso, seguiremos as etapas e mostraremos as ilustrações de duas das principais
corretoras brasileiras: a FoxBit e o Mercado Bitcoin. No capítulo seguinte,
apresentaremos um comparativo mais completo entre as principais Exchanges
brasileiras, com foco sobretudo nas taxas cobradas pelas diversas modalidades de
transação.
No momento da publicação deste livro, a FoxBit ostenta o posto de maior volume e
liquidez dentre as Exchanges brasileiras. Por outro lado, o Mercado Bitcoin, há mais
tempo em funcionamento, possui a maior carteira de clientes. Mas sua escolha não
deverá necessariamente se restringir a uma dessas duas opções. Além disso, os passos
apresentados diferem muito pouco entre si e as demais disponíveis no país. Pesquise,
informe-se! Ao optar por uma Exchange, esteja ciente de fazê-lo sob sua própria
responsabilidade.
Lembre-se que a negociação de bitcoins, embora legal, não é regulada nem pelo
Banco Central, pois não é oficialmente uma moeda, nem pela Comissão de Valores
Mobiliários (CVM), pois não é valor mobiliário. Portanto, também não conta com a
garantia do FGC.56 Ao negociar através da plataforma de uma Exchange, você estará
confiando tão somente na reputação dela. Seu dinheiro estará muito mais seguro assim
que você movê-lo da Exchange para uma wallet. Não se preocupe por enquanto, logo
ARQUIVO
você aprenderá BAIXADO
como fazê-lo. DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Como prometi, verá que o passo a passo a seguir não apresenta qualquer mistério.

FOXBIT
1º PASSO: FAÇA O CADASTRO

Abra o site da FoxBit (https://foxbit.exchange) e clique em Registrar.


Preencha os campos solicitados e confirme.
Você será solicitado a digitar novamente o seu e-mail. Em seguida, digite o
código de confirmação que foi enviado para o e-mail cadastrado.
Se desejar, marque Confiar neste computador por 30 dias para não ter que
repetir a confirmação do código a cada acesso.

Obs.: Esteja certo de estar operando a partir de um computador confiável. Para


maiores dicas sobre segurança, veja o Capítulo 22.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-1. Exemplo de cadastro para novos usuários em uma Exchange (FoxBit)

2º PASSO: VERIFICANDO A SUA CONTA

Devido a leis internacionais contra lavagem de dinheiro e leis federais, os


depósitos e saques em moeda local só estarão disponíveis para clientes com
contas verificadas.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-2. Passo-a-passo para verificação de conta.

No menu da esquerda, clique em Verificar a sua conta.


Preencha seus dados pessoais corretamente e envie os documentos conforme
solicitado.
Em períodos de alta demanda, esse processo pode levar alguns dias. Em caso
de demora, contate a sua corretora.

3º PASSO: TRANSFERINDO RECURSOS DO SEU BANCO PARA A


CORRETORA

Na aba lateral esquerda, clique em Depósitos.


Na próxima janela, clique em Depositar Real.
Escolha o Banco que você é correntista. Se ele não estiver listado, escolha
Outros Bancos. Se não for correntista, opte por Dinheiro na Boca do Caixa.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-3. Transferência de recursos de uma conta bancária para a Exchange

Atente-se para os prazos de confirmação (que podem ainda sofrer atrasos em


períodos de alta demanda) e os limites para valores mínimos e máximos.
Infringir essas condições poderá fazer com que seu depósito não seja
confirmado, além de sujeitar-lhe a multas.
Para agilizar a identificação do seu depósito, utilize alguns centavos no final em
vez de valores cheios. Ex.: R$ 2.000,14.
Lembre-se: se essa for sua primeira operação, recomendamos fortemente que o
faça com um valor pouco significativo. No caso da FoxBit, o mínimo permitido
é R$ 250,00.
Anote os dados informados para depósito, tais como agência e conta e vá para
ARQUIVO BAIXADO
seu Internet DA THEREBELS
Banking. Após SEM
a transferência, tire uma FINS
foto ouLUCRATIVOS,
um printscreen do
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
comprovante.
Retorne à sua plataforma da FoxBit. Na mesma aba Depósito, identifique o seu
depósito pendente na lista e clique em Enviar Comprovante.

Figura 17-4. Depósito em R$ aguardando confirmação pela Exchange

Localize o arquivo da foto ou printscreen e clique em Enviar.


Assim que o depósito for identificado pela Exchange, você será comunicado
por e-mail e o saldo constará na barra superior da sua plataforma.
Essa confirmação geralmente ocorre em poucos minutos, mas pode levar horas
a dias em períodos de alta demanda. Em caso de atrasos, verifique diretamente
com a sua corretora.

4º PASSO: COMPRANDO SEUS PRIMEIROS BITCOINS

Aqui vale uma pausa. Intuitivamente, você pode desejar clicar em Comprar ou
Vender. Esse é um método possível, mas aqui você estará comprando bitcoins a
preço de mercado. Isso significa que os primeiros da lista do livro de ofertas
serão utilizados para definir sua compra até a quantidade estipulada. Sua ordem
será executada (ordem ativa) e a comissão cobrada será de 0,5%.
Se você não tem pressa, pode lançar uma ordem passiva, ou seja, com valor de
compra inferior ao anunciado pelos vendedores naquele momento. Isso
significa que sua oferta de compra ficará listada até que um vendedor aceite
negociar com você por aquela cotação. A ordem passiva é comissionada pela
metade da taxa, 0,25%.
Se tiver optado pela segunda opção, clique em Livro de ofertas. Você terá
ainda a chance de ver as ofertas para compra (à esquerda, listados em ordem
decrescente de valor) e para venda (à direita, listados em ordem crescente de
valor). O que lhe interessa nesse momento é a coluna VENDA, pois você é o
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
comprador.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-5. Livro de ofertas e formulário para compra ou venda de bitcoins

No campo Comprar BTC, digite a quantidade de bitcoins ou frações que deseja


comprar e o valor que está disposto a pagar (para uma ordem passiva, escolha
um valor abaixo do mínimo que está sendo praticado no livro de ofertas).
Assim que clicar em Comprar, você poderá acompanhar sua ordem listada na
coluna COMPRA. Se estiver posicionada entre as primeiras, é possível que
logo seja executada.
Mais uma vez, você será notificado assim que sua operação for concluída. A
qualquer momento, poderá modificá-la, cancelá-la ou alterá-la para uma ordem
ativa (a preço de mercado), para execução imediata.
PARABÉNS! Você é o mais novo proprietário de bitcoins no mercado.
Verifique se o saldo em BRL e BTC, na barra superior, foram atualizados
corretamente.

5º PASSO: SACANDO
ARQUIVO BAIXADOBITCOINS PARA SUA CARTEIRA
DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Já falamos anteriormente que a Exchange é um ambiente apenas para conversão
de moedas. Deixar seus bitcoins sob custódia dela lhe expõe a riscos
desnecessários. Seus recursos estarão muito mais seguros em uma carteira cuja
chave privada apenas você possua.
No menu da esquerda, clique em Saques e em seguida Sacar Bitcoin.

Figura 17-6. Saque de bitcoins da Exchange para uma wallet privada

Defina a quantidade a enviar para sua carteira. O máximo disponível será o seu
saldo menos a taxa de transação.
Cole o endereço da sua carteira (você verá como criar uma adiante) e confirme.
O tempo para confirmação, assim como a maioria das transações na rede é em
torno de 10 minutos.
Atenção: certifique-se de que você tenha a chave privada da carteira de
destino. Assim, você poderá movimentar seus saldos no futuro.

Viu como foi simples?


Vamos ver agora como realizar o mesmo procedimento em outra Exchange.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
MERCADO BITCOIN
1º PASSO: FAÇA O CADASTRO

Abra o site do Mercado Bitcoin (https://www.mercadobitcoin.com.br) e clique


em Cadastre-se.
Preencha os campos solicitados e confirme.
Crie uma senha com no mínimo 8 caracteres contendo letras e números.
Clique no link enviado para seu e-mail para ativar a conta criada.
Obs.: Esteja certo de estar operando a partir de um computador confiável. Para
maiores dicas sobre segurança, veja o Capítulo 22.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-7. Exemplo de cadastro para novos usuários em uma Exchange (Mercado Bitcoin)

2º PASSO: VERIFICANDO SUA CONTA

Devido a leis internacionais contra lavagem de dinheiro e leis federais, é


necessária a verificação da identidade do cliente.
ARQUIVO
No cantoBAIXADO DA clique
superior direito, THEREBELS
sobre o seu SEM
nome >FINS LUCRATIVOS,
Configurações > Cadastro
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
> VIP.

Figura 17-8. Passo-a-passo para verificação de conta

Envie uma foto digitalizada de um dos documentos aceitos.


Em seguida, clique em Selfie e siga as orientações.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-9. Verificação de conta (continuação)

Apesar do alerta de alta demanda, no teste realizado esses passos foram


confirmados em menos de 30 minutos. Caso haja uma demora superior a 48
horas, contate a sua corretora.

3º PASSO: INCREMENTANDO A SEGURANÇA DA SUA CONTA

ARQUIVO
Se vocêBAIXADO DA THEREBELS
também for neurótico SEM
por segurança, cliqueFINS
sobreLUCRATIVOS,
seu nome no canto
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
superior direito > Configurações > Segurança > Checklist de segurança.
Siga todos os passos, que incluem habilitação de autenticação em dois passos,
criação de palavra segura e alteração de senha para uma mais forte.
Esses passos não são obrigatórios, mas com certeza lhe garantirão um sono
mais tranquilo.
Uma vez concluída, você obterá a mensagem abaixo e estará pronto para iniciar
suas operações.

Figura 17-10. Checklist de segurança concluído

4º PASSO: TRANSFERINDO RECURSOS DO SEU BANCO


PARA A CORRETORA

Na página principal da plataforma, aba lateral esquerda, clique em Depósito.


Caso você seja cliente de um dos bancos listados, escolha-o para transferências
mais rápidas. Caso contrário, você pode realizar uma TED.
Atente-se para os prazos para confirmação (que podem ainda sofrer atrasos em
períodos de alta demanda) e os limites para valores mínimos e máximos.
Infringir essas condições pode lhe sujeitar a multas, além de não ter seu
depósito confirmado.
Para agilizar a identificação do seu depósito, utilize alguns centavos no final em
vez de valores cheios. Ex.: R$ 2.000,14.
Lembre-se: se essa for sua primeira operação, recomendamos fortemente que o
faça com um valor pouco significativo. No caso do Mercado Bitcoin, o mínimo
permitido é R$ 50,00.
Anote os dados informados para depósito, tais como agência e conta e vá para
seu Internet Banking. Após a transferência, tire uma foto ou um printscreen do
comprovante.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-11. Transferência de recursos de uma conta bancária para a Exchange

Retorne à sua plataforma e anexe o comprovante.


Assim que o depósito for identificado pela Exchange, você será comunicado
por e-mail e o saldo constará na aba lateral esquerda da sua plataforma.
Essa confirmação geralmente ocorre em poucos minutos, mas pode levar horas
a dias, em períodos de alta demanda. Em caso de atrasos, contate diretamente a
sua corretora.

5º PASSO:
COMPRANDO SEUS PRIMEIROS BITCOINS

Na aba lateral
ARQUIVO BAIXADO esquerda,
DAabaixo de Bitcoin, clique
THEREBELS SEMemFINS
Comprar.
LUCRATIVOS,
Defina o valor em R$ que deseja utilizar.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Note que automaticamente o sistema converterá para a quantidade em bitcoins
de acordo com a cotação atual e também calculará a taxa de comissão a ser
paga à Exchange.
Confirme clicando em Comprar.

Figura 17-12. Formulário para compra de bitcoins

PARABÉNS! Você é o mais novo proprietário de bitcoins no mercado.


Verifique se o saldo em reais e bitcoins foram atualizados corretamente.
Posicione o cursor sobre o saldo em Bitcoins para ver todas as casas decimais.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 17-13. Saldos atualizados em reais e na moeda virtual.

6º PASSO: TRANSFERINDO BITCOINS PARA SUA CARTEIRA

Já falamos anteriormente que a Exchange é um ambiente apenas para conversão


de moedas. Deixar seus bitcoins sob sua custódia lhe expõe a riscos
desnecessários.
ARQUIVO BAIXADO Seus recursos estarão muito mais
DA THEREBELS SEMseguros
FINSem uma carteira cuja
LUCRATIVOS,
chavePARA
APENAS privada CONHECIMENTO.
apenas você possua. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Dito isso, clique no menu à esquerda em Transferir.

Figura 17-14. Transferência (ou saque) de bitcoins da Exchange para uma wallet privada

Cole o endereço da sua carteira (você verá como criar uma adiante).
Defina a quantidade a enviar para sua carteira. O mínimo é 0,001 BTC. O
máximo será o quanto tem em caixa menos o reservado para a taxa dos
mineradores.
Clique em Mostrar opções avançadas para definir a taxa de mineração de
acordo com a prioridade desejada. O Mercado Bitcoin permite que você
ARQUIVO BAIXADO
personalize essa taxa, DA THEREBELS
porém SEM
lembre-se que caso elaFINS LUCRATIVOS,
esteja muito baixa, poderá
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
permanecer na fila de espera por horas ou dias. Assim, recomendo que você
escolha uma das opções pré-definidas, condizentes com a realidade atual de
mercado.
Se você habilitou a verificação em dois passos, acesse o App do seu celular e
cole o código dentro do tempo de validade.
O tempo para confirmação dessa transação dependerá da prioridade acima
definida.
Você já sabe disso, mas não custa relembrar: as transferências em bitcoin são
definitivas e, uma vez realizadas, não podem ser canceladas.
Importante: certifique-se de que você tenha a chave privada da carteira de
destino. Somente assim você poderá movimentar seus saldos no futuro.

Não perca a atenção. Embora comprar e armazenar bitcoins não seja o bicho-papão
que muitos imaginam, um erro ou exposição de suas senhas a pessoas mal-intencionadas
pode fazer com que você perca todo o investimento.
Prossiga com a sua Operação Caloura até o final e, somente após se sentir
confortável, faça uma compra maior.
Antes de finalizarmos o capítulo, gostaria de esclarecer um ponto importante. Em
períodos de congestionamento da rede, as taxas de mineração podem acabar ficando
proporcionalmente muito caras para pequenas transferências, como 50 reais. Não
desanime, o propósito da Operação Caloura é treiná-lo, habituá-lo à essa rotina.
Quando sentir-se apto a movimentar cifras menores, essas taxas significarão muito
pouco ou quase nada, uma vez que não guardam relação de proporcionalidade com o
valor transacionado.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 18
UMA CORRETORA PARA CHAMAR DE SUA

“O conhecimento de nada serve, a não ser que se ponha em prática.”


– ANTON CHEKHOV

Como vimos, um ponto crucial é decidir a partir de qual corretora realizar o


intercâmbio entre reais e bitcoins. Para auxiliá-lo em uma escolha minimamente
embasada, preparei a tabela a seguir que resume as taxas praticadas pelas principais
Exchanges brasileiras.
Você pode também, perfeitamente, ter contas em mais de uma delas. Para se
beneficiar da diferença de comissões cobradas, é possível utilizar uma para depósito e
compra e outra para saque, por exemplo, como melhor lhe convier.
Devo lembrar que algumas corretoras tradicionais de investimento estão em processo
acelerado de adaptação ao mercado das criptomoedas e, muito em breve, prometem
oferecer essa modalidade a seus clientes.
A chegada de instituições de peso deve trazer maior fluxo e concorrência ao
mercado. Com isso, torcemos para que possamos desfrutar de taxas cada vez mais
baixas (quem sabe até isenção total delas, como forma de atração a novos clientes) e
melhoria na qualidade dos serviços prestados.
Tabela 18-1. Comparativo de custos para depósitos e saques de reais e bitcoins entre as principais Exchanges
disponíveis no Brasil

Depósitos Saques Ordens

Arena Bitcoin Zero Zero 0,39% + R$ 9,00 para bancos não 0,00150 0,25% 0,25%
conveniados BTC

BitcoinToYou 1,89% + R$ 8,00 para bancos não Zero 1,89% + R$ 8,00 para bancos não 0,00095 0,60% 0,25%
conveniados conveniados BTC
(mín. R$ 2,99) (mín. R$ 2,99)

Bitcoin Trade Zero Zero 0,99% + R$ 4,90 Variável 0,50% 0,50%

Braziliex Zero Zero 0,25% + R$ 9,00 0,00100 0,50% 0,50%

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS, BTC

APENAS
flowBTC
PARA CONHECIMENTO.
0,50% (mín. R$ 5,00) Zero
SE VOCÊ PAGOU
1,19% + R$ 8,00 para bancos não
POR ELE
0,00150 0,35% 0,35%

VOCÊ FOI ENGANADO.


conveniados (mín. R$ 5,00) BTC

FoxBit Zero Zero 1,39% + R$ 9,50 para bancos não 0,00120 0,50% 0,25%
conveniados BTC

Mercado 1,99% + R$ 2,90 Zero 1,99% + R$ 2,90 Variável 0,30% 0,70%


Bitcoin

Negocie Zero Zero 0,90% + R$ 8,90 para bancos não 0,00100 Até Até
Coins conveniados (mín. R$ 1,50) BTC 0,40% 0,30%

Walltime Zero Zero 1,23% + R$ 9,00 para bancos não 0,00070 0,40% 0,20%
conveniados BTC

Ficou na dúvida quanto ao significado das colunas anteriores? Entenda-as melhor a


seguir e veja quando se aplicarão cada uma das taxas de comissão.

Tabela 18-2. Significado das taxas de depósito e saque e denominações de ordens no livro de ofertas

O que é Quando se aplica

Taxa de Comissão paga à Exchange para receber dinheiro em reais Quando você tem capital em reais e deseja adquirir
depósito proveniente do seu Banco. bitcoins através de uma corretora.
em R$
Obs.: Isso não inclui a taxa da TED que você pagará ao
seu Banco, caso a sua conta e a corretora trabalhem com
bancos diferentes.

Taxa de Comissão paga à Exchange para receber depósito em Quando você tem bitcoins em sua wallet, por exemplo, e
depósito bitcoins. Note que todas as corretoras listadas isentam deseja convertê-los em reais para posteriormente enviá-
em BTC essa tarifa. los de volta ao seu banco.

Taxa de Comissão devida à Exchange para enviar o seu saldo em Quando você deseja, por exemplo, desfazer-se de parte ou
saque reais para o seu banco. toda a alocação em bitcoins, retornando os recursos para
em R$ seu banco.

Taxa de Comissão devida aos mineradores e recolhida pela Etapa fundamental, que consiste em retirar os seus
saque Exchange para enviar o seu saldo em bitcoins para outra bitcoins da Exchange e guardá-los em maior segurança em
em BTC carteira. Essa taxa é bastante dinâmica e varia em função uma hot ou cold wallet.
do congestionamento da rede.

Ordem Aquela que você emite e deixa no Livro de Ofertas, Quando você deseja pagar menos do que se está
Passiva esperando comprador ou vendedor. É também chamada de vendendo ou vender por mais que o mercado está
Order Maker ou Ordem Formadora. pagando. Nesse caso sua ordem entrará na fila e será
executada ao atingir o valor definido.
Obs.: Note como algumas corretoras cobram taxas mais
baixas para ordem passiva em relação à ativa.

Ordem Aquela que você já compra ou vende instantaneamente, Quando você tem pressa para que sua ordem seja
Ativa ao primeiro preço que estão oferecendo. É também imediatamente executada a preço de mercado.
chamada de Order Taker ou Ordem Tomadora.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 18-1. Esquema ilustrativo demonstrando taxas de depósitos e saques para negociação de bitcoins

Observações importantes:

Devido à alta demanda recente, algumas corretoras chegaram a enfrentar


atrasos de horas até muitos dias para aprovação de cadastro ou mesmo para
processamento de ordens de compra e venda. Para evitar transtornos e
aborrecimentos, cheque antes a situação com a sua corretora.
Algumas corretoras estipulam limites de valores para transações diárias. Em
algumas delas, usuários verificados – ou seja, que enviaram documentos
adicionais comprovando sua identidade –, podem ter limites maiores
concedidos.
A depender da liquidez, a própria cotação pode variar consideravelmente
entre as diversas corretoras.
Algumas corretoras reservam-se o direito de aguardar até três blocos
(confirmações) na Blockchain para liberar o seu depósito em BTC,
especialmente para usuários não verificados, a fim de proteger-se contra o
risco do gasto duplo. Isso leva em média 30 minutos.
As corretoras mudam constantemente os seus valores de corretagem. Confira
sempre os valores mais atualizados com sua corretora.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 19
COMO CONFIGURAR UMA HOT WALLET

“Regra nº 1: Nunca perca dinheiro.


Regra nº 2: Não esqueça a regra nº 1.”
– WARREN BUFFET

Depois de comprar seus primeiros bitcoins em uma casa de câmbio, é fundamental que
você os transfira para sua carteira ou wallet.
Além de permitir que suas moedas fiquem em um lugar seguro, você evita problemas
como o famoso caso da Mt. Gox, uma casa de câmbio japonesa que foi alvo de um
ataque hacker e perdeu mais de 850 mil bitcoins próprios e de seus clientes, o que
representava cerca de 6% da moeda em circulação na época.57
As moedas virtuais utilizam duas chaves: pública e privada. Parece complicado?
Nem tanto. A chave pública é uma sequência de letras e números visível a todos e que
pode ser identificada na Blockchain. A chave privada é mantida apenas pelo usuário
que possui a criptomoeda e é necessária para acessar a sua carteira.
Assim, a chave pública pode ser compartilhada com outras pessoas sem problemas58.
Se você deseja que alguém lhe envie fundos, é esse o endereço que você irá informar à
outra pessoa. Já a chave privada tem de ser protegida e não deve ser revelada ou
anotada em locais vulneráveis, pois pode ser alvo de hackers ou pessoas mal-
intencionadas. É como a sua conta de e-mail. Você repassa o endereço, mas caso as
pessoas descubram a sua senha poderão apagar as suas mensagens ou enviar e-mails se
passando por você.
Há duas formas de carteira: hot e cold. De uma forma simplista, podemos dizer que
as primeiras estão conectadas à internet e as segundas não. Vamos entender as
vantagens e desvantagens de cada uma delas.
Neste capítulo aprenderemos a configurar as hot wallets (carteiras quentes) ou
carteiras online. Elas estão conectadas à internet e, portanto, têm a conveniência de
ARQUIVO
serem BAIXADO
instantaneamente DA THEREBELS
acessíveis. Se desejar realizarSEM FINS LUCRATIVOS,
uma compra, pagar uma conta ou
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
enviar fundos, esse é o método mais prático. Algumas hot wallets são compatíveis
inclusive com as principais plataformas de smartphones, trazendo seus bitcoins
literalmente para a palma da sua mão.
Por outro lado, estando na nuvem, podem ser alvo de hackers e não é recomendável
que você deixe grandes quantias nessas carteiras. Você pode deixar uma pequena
quantidade em hot wallets portáteis para o dia a dia, assim como você anda com notas
de dinheiro para uma rápida necessidade.
Veja as principais wallets conectadas à Internet:

Bitcoin Core: é carteira de Bitcoin original e completa, que pode ser baixada
no seu computador desktop. Ela oferece segurança de alto nível, privacidade
e estabilidade. No entanto, tem poucas funcionalidades além de consumir
bastante memória e espaço no seu HD.
Electrum (https:\\electrum.org): aplicativo multiplataforma (Windows, Linux,
OSX e Android) de código aberto. Isso significa que é possível ter certeza do
que esses programas fazem, então você não corre o risco de o programador
estar “espionando” suas chaves privadas. Uma opção mais rápida em relação
à carteira oficial. Ótima opção tanto para iniciantes quanto usuários
avançados. Além disso, possui suporte multi-sig, caso você deseje, por
exemplo, que a sua carteira ou de sua empresa requeira duas ou mais
assinaturas para realizar transações. Permite optar entre taxas de mineração
prioritárias ou mais econômicas. Você pode ainda utilizá-lo como cold
storage em um computador que não tenha acesso à internet.
Mycelium (https://wallet.mycelium.com): uma das carteiras mais seguras e
populares, disponível para celulares nas plataformas Android e iOS. Também
programada em código aberto, traz a função de proteger suas chaves no
próprio dispositivo, sem ter de confiar em serviços de terceiros. É uma
carteira HD (abreviação de Hierarchical Deterministic). As carteiras HD
utilizam-se de uma sequência de 12 palavras aleatórias (seed). Pela sua
simplicidade, é bastante recomendada para iniciantes.

ARQUIVO BAIXADO
Tomaremos como exemplo oDA THEREBELS
Mycelium, SEM
para explicar FINS
o passo LUCRATIVOS,
a passo de como criar
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
uma carteira quente ou hot wallet. Utilizamos a versão disponível para iPhones.
Portanto, pode variar em relação à versão disponível para Android, bem como sofrer
atualizações. Embora ainda cada software de carteira possua suas próprias
particularidades, os princípios são bem parecidos e podem ser extrapolados a partir
desse exemplo.

1º PASSO: CRIAÇÃO DA CARTEIRA

Baixe o aplicativo Mycelium Wallet e instale-o a partir da App Store ou


Google Play.
Abra o aplicativo e clique em New Wallet. Você poderá ser solicitado para
“chacoalhar” seu celular para agregar aleatoriedade e gerar uma chave única à
sua carteira.

2º PASSO: FAZENDO UM BACKUP

Em seguida, clique em Backup now (ou Backup later para postergar essa
etapa). Lembre-se de que o backup é essencial para que você restaure sua
carteira e não perca seus fundos, em caso de danos ou furto do celular.
Clique em Start e anote a sequência de palavras em um papel que possa ser
guardado em local seguro. Em seguida, para ter certeza de que anotou
corretamente, você será solicitado repetir as 12 palavras separadas por espaço.
Avance e clique em Finish.

3º PASSO: RECEBER BITCOINS

Para receber bitcoins na sua wallet, é necessário informar à contraparte a sua


chave pública. Para descobri-la, clique em Receive. Ela se encontrará abaixo
do QR Code.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 19-1. Como receber bitcoins em uma hot wallet (Mycelium)

Como é uma sequência de letras e números muito grande, você pode simplificar
o envio clicando no botão de compartilhar e escolher um destinatário em
qualquer aplicativo (ex.: e-mail, Whatsapp, etc.).
Caso a pessoa que irá lhe enviar bitcoins esteja próxima, você pode
simplesmente apresentar o QR code gerado. Para facilitar ainda mais, você
pode definir a quantidade de bitcoins a serem recebidos. Com isso, basta a
pessoa apontar a câmera e confirmar no aplicativo dela.
Você também pode enviar seus créditos da Exchange para sua carteira
realizando estes mesmos passos. Nesse caso, basta colar o endereço da sua
wallet no campo de envio da sua Exchange e definir a quantidade a ser enviada.
Lembre-se que deixar dinheiro na Exchange não é considerada uma prática
segura.

4º PASSO: VERIFICAR SALDO

Clique em Balance para verificar o saldo de bitcoins disponíveis em sua


wallet.
Algumas pessoas podem ter dificuldade para dimensionar valores em bitcoins.
Nesse caso, basta clicar sobre o saldo e escolher uma das moedas listadas −
Dólar, por exemplo −, e o sistema converterá automaticamente o valor na
moeda selecionada, facilitando a visualização.
Lembre-se que após realizar a transferência para sua wallet é necessário
aguardar alguns minutos para que o valor conste no seu saldo.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 19-2. Visualizando saldo de bitcoins convertidos em outras moedas

5º PASSO: ENVIAR BITCOINS

O processo de envio de bitcoins também é bastante simples e intuitivo. Na aba


principal, clique no botão Send.
Se houver um QR code, libere o acesso do App à câmera e simplesmente
aponte-a.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 19-3. Como enviar bitcoins a partir de uma hot wallet

Na ausência do QR code, cole o endereço Bitcoin do destinatário, defina o


valor a ser transferido e a moeda (no caso, BTC refere-se a bitcoins).
E m Miner fee, você pode definir se deseja uma transferência prioritária ou
econômica. O custo irá variar em função do tempo para processar a operação.
Clique em Send para confirmar a transação.

6º PASSO: VERIFICAR HISTÓRICO

Clique na aba Transactions para verificar todos os créditos enviados ou


recebidos.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 19-4. Visualização do extrato de transações da sua carteira

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 20
GUARDE SEUS BITCOINS DENTRO DO COFRE

“A verdade é que nenhum banco de dados on-line substituirá seu jornal


impresso diário.”
– CLIFFORD STOLL

Vimos no capítulo anterior como criar e utilizar uma hot wallet. Elas são extremamente
práticas para transações de bitcoins do dia a dia ou de elevada frequência. No entanto,
estão sujeitas aos riscos envolvendo a rede de computadores. Portanto, não se
recomenda armazenar valores altos, assim como você provavelmente não andaria nas
ruas com muitas notas de dinheiro na carteira.
Para grandes quantidades de bitcoins, como aqueles casos em que a intenção do
portador é guardá-los na expectativa de uma futura valorização, recomenda-se as cold
wallets ou carteiras frias. Como são carteiras off-line, não estão à mercê de hackers.
Portanto, o armazenamento frio provê o mais elevado nível de segurança para a sua
poupança. Como desvantagens, são menos práticas que as hot wallets e estão sujeitas a
danos físicos ou perda.59
Há basicamente duas modalidades de cold storage, as hardware wallets e as
carteiras de papel, também conhecidas como paper wallets.
No caso das hardware wallets, você deve adquirir um dispositivo, que se assemelha
fisicamente a um pendrive. Após depositar seus bitcoins, você poderá guardá-los em
um cofre ou outro lugar seguro. As duas principais hardware wallets do mercado são a
Trezor e a Ledger.60
A Ledger Nano S (www.ledgerwallet.com) pode ser comprada no site da sua
fabricante por 79 euros e permite o armazenamento das principais moedas digitais
existentes. Assim como as hot wallets, há uma sequência seed que pode ser utilizada
para restauração, em caso de perda ou danos à sua carteira física. Uma tela OLED
embutida permite verificar e confirmar cada transação. Mesmo se inserida em
ARQUIVO não
computadores BAIXADO
confiáveis,DA THEREBELS
todas as transações SEM FINS
ocorrem LUCRATIVOS,
dentro de um ambiente
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
seguro e, para serem confirmadas, dependem que você pressione um botão, aumentando
ainda mais a segurança.
A Trezor (https://trezor.io) foi por um tempo a única hardware wallet existente. Pode
ser adquirido por 89 euros e também oferece a segurança do cold storage e facilidade
de recuperação em caso de perda do dispositivo.
Em 2015 foi lançado a KeepKey (https://www.keepkey.com), que custa 129 dólares
e conta com uma tela maior e alguns recursos adicionais de segurança em relação às
demais.
Todos os dispositivos são suficientemente seguros, não havendo também grandes
diferenças quanto à praticidade. A decisão sobre qual escolher será baseada,
principalmente, no preço e preferências de design. Qualquer que seja a sua escolha, seu
dinheiro estará seguro com uma delas.
Ao optar por uma hardware wallet, você está confiando no fabricante. Em se tratando
de um dos três citados, não há nenhum problema nisso. Mas é necessário atentar-se para
evitar falsificações ou carteiras usadas que possam ter sido hackeadas. Por isso é
importante que sejam adquiridas diretamente dos seus fabricantes.
Caso o seu nível de desconfiança seja ainda maior, ou caso você deseje uma opção
gratuita, sem abrir mão da conveniência do armazenamento off-line, uma opção bastante
interessante são as paper wallets. Esta é uma alternativa simples para quem não quer
adquirir uma hardware wallet, mas quer ter seus recursos armazenados com segurança
máxima. Você só irá necessitar de um computador que não esteja (e, se possível, não
volte a estar) conectado à internet, papel e preferencialmente uma impressora.
Abaixo, um passo a passo para você criar a sua paper wallet.

1º PASSO: ACESSAR O SITE

Acesse o site Bitaddress.org, deixe-o aberto e desconecte o computador da


internet (cabo ethernet e wireless).
Caso o computador a ser utilizado não possua internet, você pode acessar o site
de outro equipamento, salvar a página (botão direito do mouse > Salvar
como...) e copiá-lo para o computador a ser utilizado.

ARQUIVO
2º BAIXADO
PASSO: GERANDO DA THEREBELS
O BITCOIN ADDRESS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Mova o seu mouse pela tela para adicionar aleatoriedade ao processo, até o
indicador de progressão mostrar 100%.

Figura 20-1. Como gerar uma paper wallet a partir do Bitaddress.org

3º PASSO: IMPRIMA A SUA PAPER WALLET

Clique em PRINT para imprimir a sua paper wallet e guarde uma ou mais
cópias no cofre ou outro local seguro.
Verifique que há duas chaves alfanuméricas, cada uma delas associada a um
QR code. A chave da esquerda é a chave pública, o seu Bitcoin address. Você
pode fornecê-lo a terceiros, sem riscos. Já o da direita é a chave privada ou
private key. Não permita o acesso dessa última a ninguém que não seja de sua
estrita confiança, pois ela será utilizada para movimentar seus fundos.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 20-2. Exemplo de endereços e QR codes correspondentes das chaves pública e privada de sua recém-
criada paper wallet

4º PASSO: RECEBA SEUS BITCOINS DA EXCHANGE PARA A SUA PAPER


WALLET

Vá ao site da sua Exchange. Copie e cole o Bitcoin address ou chave-pública


da sua carteira (aquela associada ao QR code da esquerda).
Lembre-se: você só deve fazer esse passo após imprimir a Private Key. Tenha
certeza de que esta esteja perfeitamente legível. Imprima mais de uma cópia,
preferencialmente.

Atenção: para máxima segurança, recomenda-se que você não volte a conectar à
internet o computador utilizado na geração da sua carteira de papel, assim como
restrinja o seu acesso físico a pessoas de confiança.
Lembre-se: você é seu próprio banco. Portanto, é o único responsável pela segurança
dos seus bitcoins. Isso é especialmente verdadeiro no caso da paper wallet. Caso você
perca sua private key, jamais poderá recuperar seu saldo.
ARQUIVO BAIXADO
Como pode parecer DAconfiar
temerário THEREBELS
parte da suaSEM FINS
riqueza a umLUCRATIVOS,
pedaço de papel e
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
tinta (vulneráveis a água e fogo, por exemplo), você pode salvar uma cópia das suas
chaves em um pendrive, em arquivo de texto, por exemplo, e guardá-lo em outro local
distante do primeiro e igualmente seguro.
É também recomendável informar um familiar próximo ou outra pessoa de extrema
confiança onde encontrar suas paper wallets, em caso de um evento inesperado.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 21
CONVERTENDO BITCOINS EM REAIS

“A única opção na vida que é quase sempre a errada é ir embora e


escolher não estar no jogo.”
– BILL CLINTON

É bastante simples sacar seus bitcoins. Para retirar o valor equivalente em reais para a
conta do seu banco, por exemplo, necessitamos da interface de uma Exchange, assim
como fizemos para transformar reais em bitcoins, no Capítulo 17.
Pergunte à sua corretora sobre os custos de conversão e evite pagar taxas excessivas.
Caso você esteja utilizando uma hot wallet, já vimos no Capítulo 19 como enviar
fundos. Nesse caso, basta colocar como destinatário o endereço da carteira da sua
corretora. Você fará o mesmo no caso das hardware wallets.
Mas se você desejar sacar o valor a partir de uma paper wallet, há um passo
adicional. Primeiramente, necessitamos importar a sua carteira para um cliente online.
A forma mais simples é através do site Blockchain.info.61
Tenha muito cuidado com esses passos. Nunca é demais lembrar que você deve
realizar todos esses passos com a Operação Caloura (aquela de R$ 250,00) antes de
executá-los com montantes maiores.
Atente-se ao fato de que, ao importar a sua paper wallet para a Blockchain.info ou
qualquer outro cliente P2P, você a estará transportando do ambiente off-line para o on-
line. Portanto, para minimizar riscos, esteja certo de fazê-lo em um computador seguro.
Para maiores informações, veja no próximo capítulo como proteger-se.
Vamos ao passo a passo para importar a sua paper wallet na Blockchain.info e
converter seus bitcoins em notas de real outra vez, caso essa seja sua intenção.

1º PASSO: CRIANDO UMA CONTA NA BLOCKCHAIN.INFO

Acesse o site https://blockchain.info/wallet e clique em Sign up.


ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Insira seu e-mail e uma senha forte. Aceite os termos e clique em Continuar.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
2º PASSO: TORNE O AMBIENTE MAIS SEGURO ANTES DE PROSSEGUIR

Acesse o seu e-mail utilizado no cadastro. Você terá recebido uma mensagem
da Blockchain.info. Clique no botão de confirmação no corpo do e-mail.
Volte à janela da Blockchain.info no seu navegador. Clique em Configurações >
Segurança.
Clique em Frase de Recuperação e imprima-a. Escreva nessa folha as 12
palavras geradas na ordem apresentada. Em seguida, reescreva as que lhe
forem solicitadas e clique em concluir.

Figura 21-1. Folha de registro impresso das 12 palavras


sequenciais para recuperação da sua wallet (Blockchain.info Wallet)

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 21-2. Verificação de palavras-chave

E m dica de senha, você pode definir um lembrete para ajudá-lo em caso de


esquecimento. E, abaixo, ainda tem a opção de criar uma segunda senha.
Assegure-se de não as perder.
Clique em Verificação em Dois Passos e no círculo da direita para adicionar
seu número de celular. Siga o próximo passo. Você receberá um SMS.
Confirme-o.

Figura 21-3. Campo para digitar o código enviado


ARQUIVO BAIXADO DAativação
por SMS para THEREBELS
da verificação SEM FINS LUCRATIVOS,
em dois passos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Pronto, sua conta na Blockchain.info estará muito mais segura a partir desse
momento.

3º PASSO: IMPORTE SUA PAPER WALLET

Novamente na página da sua carteira, clique em Configurações > Endereços >


Importar Endereço.
Cole a chave privada da sua paper wallet. A seguir, confirme a sua segunda
senha, se a tiver criado no passo anterior.
Uma alternativa ao último passo é colar a sua chave pública. Nesse caso, você
será requisitado a digitar a private key da sua paper wallet na próxima vez em
que desejar movimentar esses fundos. Se fizer isso, continue mantendo a paper
wallet em um local seguro e acessível.

4º PASSO: TRANSFIRA OS RECURSOS DA SUA WALLET PARA A


CORRETORA

Na página principal da sua Blockchain.info wallet, clique em Enviar.


Cole o endereço da wallet fornecido pela sua corretora ou escaneie o QR code
correspondente.
Defina a quantidade de BTCs a ser transferida e taxa de mineração e clique em
Continuar.
Em poucos minutos, seu dinheiro estará disponível na corretora, disponível
para saque.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 21-4. Campo para enviar seus bitcoins para a wallet da corretora

Em vez de sacar os fundos para a Exchange, você pode dar outra destinação aos seus
recursos. É possível utilizá-los, por exemplo, para realizar uma compra ou pagar por
um serviço. Nesse caso, em vez de inserir o endereço da Exchange, substitua-o pelo do
destinatário.
Você ainda pode utilizar a interface da Blockchain.info como ponte para enviar seu
saldo para uma outra hot wallet de sua preferência.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 22
CUIDADO COM OS LADRÕES VIRTUAIS

“O difícil na vida não é ganhar


dinheiro, mas sim mantê-lo.”
– JOHN MCAFEE

O mercado da criptomoeda ganhou milhões de novos adeptos nos últimos anos. Apenas
no Brasil, já há mais de 1 milhão de pessoas físicas nesse mercado, contra 613 mil
investindo na B3 (Bovespa).62
Muitos dos recém-chegados desconhecem os riscos, tornando-se uma presa fácil para
hackers.
Os ataques por meio de malwares e phishings são apenas alguns exemplos de
oportunidade de furto. Então, qual seria a melhor maneira de proteger os seus
investimentos contra os ladrões virtuais?
Não há solução perfeita. Mas assim como no mundo físico, há várias medidas para
tornarmo-nos menos vulneráveis a invasões. Veja um roteiro simples que, se
corretamente seguido, pode lhe prevenir de muita dor de cabeça.

CUIDADOS COM SEU COMPUTADOR


Antes de tudo, utilize sempre um computador confiável, com proteção
antivírus e anti-spyware de alto nível.
Jamais acesse contas de corretoras ou hot wallets através de redes públicas,
incluindo Wi-Fi de cafés e shoppings, bibliotecas ou LAN houses.
Mantenha seu navegador atualizado. Dê preferência aos mais seguros, como o
Google Chrome ou Firefox. E desabilite todas as extensões e plug-ins.
Memorize a URL da sua corretora. Jamais confie em links buscados no
Google ou recebidos por e-mail.
ARQUIVO BAIXADO
Cuidado DAmaneira
com Phishing, THEREBELS SEMutilizam
que os hackers FINSpara
LUCRATIVOS,
lhe redirecionar
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
a sites falsos, a fim de pescar suas senhas. Ex.: blockchain.ifno poderia ser
um phishing do verdadeiro site blockchain.info. Fique alerta!
Não clique em links ou imagens recebidos por e-mail. De modo geral, a
comunicação realizada entre as corretoras e seus clientes é através de e-mail
em modo texto. Na dúvida, ligue para sua corretora.

CUIDADOS COM SUAS SENHAS


Ninguém está autorizado a solicitar a sua senha. Portanto, desconfie se alguém
perguntá-la, mesmo que se identifique como um funcionário da sua corretora,
por exemplo.
Prefira senhas que possam ser memorizadas. Se for necessário anotá-las,
guarde-as em local seguro.
Crie senhas fortes, contendo combinações de letras maiúsculas e minúsculas,
números e caracteres especiais. Quanto maior a quantidade de caracteres,
mais difícil de ser quebrada.
Alguns serviços permitem recuperação de senhas. Outros, por motivos de
segurança, não. Reflita honestamente sobre a chance de você esquecer a senha
recém-criada. Faça uma senha forte, mas uma senha que você irá lembrar. Ou
anote-a em local seguro. Certamente você já perdeu em definitivo acesso a
algum um e-mail ou outro serviço por esquecimento de senha. Você não vai
querer fazer o mesmo com dinheiro, certo?
Evite senhas óbvias, como números em sequência, o seu próprio nome ou
datas de aniversário.
Por mais tentador que seja, jamais utilize para proteger seu dinheiro virtual a
mesma senha de e-mails, redes sociais, etc. Elas são um alvo fácil para
hackers devido à quantidade de vezes e a diversidade de computadores com
que você acessa essas contas.
Troque sua senha periodicamente. Ou sempre que você desconfiar que ela
possa ter sido comprometida.

ARQUIVO BAIXADO
CUIDADOS DA THEREBELS
COM SUA WALLET SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Lembre-se: hot wallets são para pequenas quantias do dia a dia. Não deixe
muito dinheiro guardado nelas. Para isso, existem as cold wallets: não tão
práticas, mas muito mais seguras.
Se você decidir comprar uma hardware wallet, faça-o diretamente com o
fabricante. Jamais adquira uma usada ou no mercado paralelo, pois ela
poderá conter um malware embutido.
Algumas Exchanges e carteiras trabalham com a autenticação em dois passos.
Se o seu serviço for compatível com essa tecnologia, baixe e configure o app
Authy no seu celular (iOS ou Android). Para habilitar, basta apontar a câmera
do seu celular para o QR code fornecido pelo serviço compatível. Assim,
você necessitará da senha mais o token fornecido pelo app para acessar seus
fundos. Isso cria uma segunda camada de proteção para o caso de um hacker
violar a sua senha.
Tenha sempre em mente: no universo das criptomoedas, você é o seu próprio
banco. Se você perder a sua chave privada, você não tem o seu dinheiro. Se a
segurança dela for comprometida, seu dinheiro também será. Leve a sério a
sua chave.
Faça backups. Não um, mas vários. Quantos forem necessários. Siga o
exemplo da mãe natureza! Seu DNA foi replicado em todas as células do seu
corpo por uma boa razão. Você pode perder milhões delas, e sempre haverá
uma cópia.
Mantenha cópias de suas senhas não memorizáveis e seeds em um papel. E
guarde-o em locais seguros.

CUIDADOS COM SEU COMPORTAMENTO


Mantenha seu celular próximo ao realizar operações. Algumas corretoras
podem utilizar confirmações por SMS ou ligações. Se você tiver habilitado a
autenticação em dois passos, necessitará confirmar o token recebido.
Jamais pule a Operação Calouro. Ela é fundamental para que você se
ambiente com as plataformas das corretoras e das wallets. Se cometer um
ARQUIVO
erro naBAIXADO
sua primeira DA THEREBELS
operação, SEM
o prejuízo será bemFINS
menor.LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Jamais aja por impulso. Trace suas metas e siga-as à risca! Ao lidar com
dinheiro, controle a euforia e não deixe o emocional sobrepujar o seu lado
racional. Limite os danos. Não comprometa mais do que poderia suportar a
perda.

54. Termo comum entre os investidores, que se tornou popular com o livro Pai Rico, Pai Pobre. É uma reserva que
todos devem ter para casos de emergências, como a perda de um emprego ou problemas de saúde. Deve ser o
equivalente a todas as suas despesas mensais, multiplicado por 6 a 12 meses, sendo preferencialmente alocado em
investimentos conservadores, como alguns fundos de renda fixa de liquidez diária.
55. DIPIETRO, J. Day trading stocks the wall street way: a proprietary method for intra-day. Hoboken, NJ: John
Wiley & Sons, 2015.
56. O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é uma associação sem fins lucrativos mantida pelos bancos, que garante
uma série de investimentos de renda fixa, até um valor máximo de R$ 250 mil por banco por CPF. Isso significa que,
no caso de falência do emissor de um dos títulos cobertos, os investidores têm seus investimentos ressarcidos. Para
contratos firmados a partir de 22 de dezembro de 2017, a soma dessas coberturas também foi limitada a até R$ 1
milhão por investidor, mantidos os limites de R$ 250 mil em cada banco.
57. POPPER, N. Digital gold: Bitcoin and the inside story of the misfits and millionaires trying to reinvent money.
New York, NY: Harper, an Imprint of HarperCollins, 2015.
58. Lembre-se que o saldo de uma carteira Bitcoin não é oculto. Assim, se alguém tiver a sua chave pública, poderá
vê-lo, mas não gastá-lo.
59. BARSKI, C. Bitcoin for the befuddled. San Francisco: No Starch Press, 2015.
60. SZMIGIELSKI, A. Bitcoin essentials: gain insights into Bitcoin, a cryptocurrency and a powerful technology, to
optimize your Bitcoin mining techniques. Birmingham: Packt Publishing, 2016.
61. Novamente, não confunda o site privado Blockchain.info, aqui utilizado, com o livro descentralizado onde são
registradas as transações de bitcoins, conhecido como Blockchain, que abordamos no capítulo 3.
62. JARDIM, L. Bitcoins já atraem 1 milhão de brasileiros. O Globo, 10 dez. 2017. Disponível em:
<http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/bitcoins-ja-atraem-1-milhao-de-brasileiros.html>. Acesso em: 11 dez.
2017.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
PARTE IV

BITCOIN EM PAUTA

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 23
OS POLÊMICOS FORKS E COMO SE PREPARAR

“Sempre que você se encontra do lado da maioria, é hora de fazer uma


pausa e refletir.”
– MARK TWAIN

Agora que você já sabe como comprar e proteger seus bitcoins, vamos aprofundar mais
a discussão de alguns temas pertinentes.
No universo das criptomoedas, alguns termos frequentemente surgem e nem sempre
são de fácil compreensão. Neste capítulo, iremos entender o que são os forks, quais as
diferenças entre os soft forks e hard forks e o que eles significam para o futuro da
principal moeda digital: o Bitcoin.
Provavelmente você já ouviu falar neles. Ou, ao pesquisar sobre criptomoedas, pode
ter se deparado com os calorosos debates diante das expectativas de um fork iminente
na rede Bitcoin.
Forks nada mais são que atualizações no código de uma criptomoeda. Assim como
um programa de computador ou um aplicativo do seu celular sofrem atualizações, o
mesmo ocorre com os protocolos de uma moeda virtual. A princípio, o objetivo de um
fork é aprimorar a sua funcionalidade. Aqui, porém, há uma particularidade. Como o
Bitcoin é um software de código livre e, portanto, não tem um “dono”, os forks são
desenvolvidos por indivíduos ou grupos independentes, e dependem de um consenso na
comunidade para sua aplicação.
A depender desse consenso, os forks podem ser didaticamente divididos em soft
forks ou hard forks.
Soft forks são implementações que visam corrigir pequenos problemas, de forma
suave, como o próprio nome sugere. Os soft forks são compatíveis com a versão
original do Bitcoin e são consensuais entre os usuários da rede. Com o soft fork,
somente os mineradores terão que atualizar a plataforma e os usuários poderão
ARQUIVO
continuar BAIXADO
recebendo os novos DA THEREBELS
blocos mesmo rodandoSEM
“nós” FINS
antigos.LUCRATIVOS,
Geralmente os soft
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
forks visam adicionar regras mais rígidas que, portanto, permanecerão compatíveis com
as anteriores. O SegWit, ativado em agosto de 2017, é um ótimo exemplo de um soft
fork, que acrescentou melhorias no tráfego, reduzindo custos e tempo de espera.
Já os hard forks são modificações em que algumas regras anteriores são desfeitas ou
relaxadas. Isso pode ser fundamental para tornar o sistema mais ágil e menos
redundante, por exemplo. Os blocos produzidos a partir das novas regras só são
considerados válidos por clientes atualizados. Muitas vezes pode ser difícil obter
consenso acerca das modificações a serem implementadas. No cenário mais extremo, a
dissidência pode acabar dando origem a uma nova moeda. Ou seja, a moeda antiga
bifurca-se em duas Blockchains, assim como uma estrada que se bifurca em duas rotas
distintas. Portanto, elas compartilharão o mesmo histórico prévio, mas seguirão
caminhos independentes e poderão coexistir paralelamente, com parte dos usuários
aderindo à nova moeda e outra permanecendo na anterior.
O perigo real é o seguinte: os soft forks são reversíveis, pois seguir as novas regras é
opcional. Os hard forks são irreversíveis, e qualquer erro no código ou comportamento
imprevisto na rede só pode ser corrigido através de outro hard fork. Isso pode levar
rapidamente a um buraco profundo.63
Podemos simplificar esse raciocínio fazendo uma analogia com as atualizações do
seu Windows. Os soft forks seriam as atualizações periódicas, que ocorrem quase
diariamente e muitas vezes independem da sua ciência, ocorrendo em segundo plano.
Por outro lado, caso surjam novas funcionalidades, com mudanças drásticas no código
de programação, será possível instalar um novo sistema operacional (migrando do
Windows 7 para o Windows 10, por exemplo). Essa já seria uma analogia aos hard
forks. Nesse caso, alguns aplicativos antigos poderão não mais ser compatíveis com o
novo sistema. Alguns usuários podem preferir, por diversas razões não migrar. Estar
com a versão mais recente não garante estar com a melhor delas. Basta lembrar o fiasco
que foi o lançamento do Windows 8, repleto de bugs. Muitos usuários tiveram de
formatar suas máquinas e retornar ao Windows 7.
Se o hard fork culminar no desdobramento em duas versões da moeda, elas
percorrerão caminhos independentes e não intercambiáveis. Aquela que tiver mais
adeptos, agregará maior sequência de blocos e será, portanto, mais valorizada pelo
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
mercado.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Normalmente quando surge uma moeda derivada de um fork, todos os que possuíam a
original passam a possuir também uma quantidade equivalente da altcoin, geralmente na
proporção de 1 para 1, dobrando a quantidade absoluta de moedas. Por isso alguns o
interpretam como a possibilidade de “dinheiro grátis”. Mas o sucesso de uma pode
custar o insucesso da outra. Além disso, um fork mal executado pode trazer ainda mais
confusão para um mercado que luta por mais aceitação.
O Bitcoin Cash (iniciado em agosto de 2017) e o Bitcoin Gold (outubro de 2017) são
exemplos de versões modificadas do Bitcoin, porém nenhuma delas foi capaz de
ameaçar a hegemonia da moeda original até o momento.
O intuito desses recentes hard forks foi corrigir o problema do engarrafamento da
rede Blockchain. Com um aumento exponencial no tráfego, as transações têm enfrentado
alguns atrasos e aumentos nos custos de aprovação. Isso é mais notório para
transferência de pequenas quantidades de dinheiro − pouco atrativas aos mineradores −,
podendo resultar em longas filas para confirmação. Assim, soluções que visem tornar
os blocos mais leves ou ampliem a sua capacidade de trânsito são bem-vindas e devem
ser estimuladas.
Assim como na política, é essencial o debate em busca de consensos, nem sempre
tangíveis. O pluralismo partidário − quando não vinculado às más práticas − reflete a
diversidade de ideias. A criação de uma nova criptomoeda pode até ser positiva. No
caso do Bitcoin Cash, removeu descontes da rede Bitcoin, dando-lhes a própria
Altcoin.64 Novamente, assim como na política, a fundação de uma nova moeda pode
camuflar intenções escusas. Por isso, um hard fork pode ser visto com bastante
desconfiança por parte da comunidade e das instituições que lidam com as
criptomoedas.
Vejamos o exemplo da polêmica envolvendo o Bitcoin Gold. Segundo seus
desenvolvedores, a nova moeda tem o propósito de descentralizar a mineração do
bitcoin, hoje restrita a poucos grandes grupos de mineradores, e de se tornar uma
melhor reserva de valor, por isso o nome Gold (ouro, em português). Diferentemente do
Bitcoin, o Bitcoin Gold usa a Equihash como proof-of-work, um algoritmo resistente ao
ASIC (Circuitos Aplicados Integrados Específicos), responsáveis pela atual mineração
do Bitcoin. Isso permite que qualquer pessoa possa minerar Bitcoin Gold utilizando um
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
computador comum (GPU). A ideia é dar aos usuários comuns a chance de “minerar”
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
sem que eles dependam de uma escala de operações maior formada essencialmente por
computadores ultrapotentes (ASIC).65
No entanto, os idealizadores do Bitcoin Gold foram acusados de falta de
transparência e de não cumprirem premissas básicas de segurança. Além disso, pré-
mineraram cerca de 100 mil unidades da moeda antes do fork e temia-se que eles
despejassem essa quantidade no mercado tão logo fossem abertas as negociações. As
duas principais Exchanges brasileiras tiveram posicionamentos opostos em relação à
esse fork. Enquanto a Foxbit, alegando primar pela segurança de seus usuários,
declarou que não participaria do hard fork, o Mercado Bitcoin ofereceu suporte
completo à nova criptomoeda. Por sua vez, a Bittrex, imponente casa de moedas com
sede nos EUA, ofereceu suporte ao fork, garantindo aos seus clientes a
conversibilidade dos bitcoins na nova moeda. Porém, emitiu alertas que refletiam
aquelas preocupações da Foxbit.
Cabe lembrar que uma vez que os seus bitcoins estão custodiados por uma Exchange,
você ficará à mercê da decisão delas quanto à participação ou não em um hard fork.
Caso você tenha uma opinião divergente da sua corretora, deverá sacar os fundos para
a sua própria wallet (hot ou cold wallet) antes da data do fork. Com a sua senha
privada, você poderá resgatar a nova moeda assim que disponibilizadas ferramentas
compatíveis. E ainda que não seja simpático à nova moeda, poderá vendê-la em uma
Exchange que dê suporte. Além disso, como dito anteriormente, manter fundos em uma
Exchange nunca é a atitude mais segura.
Aliás, os especialistas recomendam bastante cautela durante os hard forks. Os
sistemas das novas moedas podem ser bastante instáveis no seu início, aumentando a
chance de perdas. Sugere-se aguardar até que a comunidade avalie a confiabilidade do
novo sistema. Caso se confirme tratar-se de um hard fork idôneo e haja carteiras ou
Exchanges que deem suporte a ele, você poderá a qualquer momento resgatar seu saldo.
Para isso, é importante guardar ambas chaves pública e privada da carteira que
continha saldo em bitcoins no momento do fork.
À medida em que a moeda amadurece, novas atualizações estão a caminho. Os forks
podem ajudar a renovar os ânimos do mercado com alguma dificuldade que venha a
surgir na Blockchain. Mas podem também esconder intenções maliciosas.66 Não se
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
precipitar é fundamental.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 24
COMO EXPLICAR AOS AMIGOS E FAMILIARES?

“Toda pessoa informada precisa conhecer


sobre o Bitcoin, porque ele pode ser uma das invenções mais importantes
do mundo.”
– LEON LOUW

Se ainda não lhe ocorreu, talvez em breve você se depare com a seguinte situação:
Como explicar a alguém completamente alheio a este universo o que é um Bitcoin?
Como ele funciona? Por que é tão importante e as pessoas não param de falar sobre
esse assunto? Ou ainda: por que gastar dinheiro “real” para trocar por outro “virtual”?
Reservei para você um pequeno resumo que pode lhe auxiliar a sair dessa
encruzilhada e explicar, de forma bem simples, para um público ainda não iniciado no
universo da criptografia.
Talvez eles lhe deixem em paz e parem de achar que você está ficando louco ou – o
que é mais provável − até se interessem por aprender mais sobre esse assunto.
Você verá que não é uma tarefa impossível!
Antes disso, vai uma dica: não há necessidade de se explicar o que são nós, hashes
ou forks. Ao menos, não nesse primeiro contato. Evite também jargões ou termos
técnicos. Não empurre seu interlocutor para fora da zona de conforto. Já há uma chuva
de informações maçantes, desorganizadas e pouco intuitivas, capazes de deixar
qualquer um entediado.
Sempre há duas formas de explicar a mesma coisa. Opte pela mais didática e você
ganhará o interesse genuíno do seu ouvinte. Com a assimilação de novos conceitos, a
curiosidade será estimulada e aí o aprofundamento será mais fluido.
Coloque-se igualmente disponível para responder às dúvidas que certamente se
seguirão. Você verá como é prazeroso intercambiar conhecimentos acerca da
aplicabilidade dessa tecnologia.
ARQUIVO
Vejamos como BAIXADO DA THEREBELS
é simples transmitir SEMasFINS
a uma pessoa leiga LUCRATIVOS,
premissas básicas sobre o
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
que é e para que serve o Bitcoin:

1º PONTO: É COMO DINHEIRO, MAS DIGITAL


Bitcoin pode ser interpretado como uma moeda, assim como o Real, o Dólar e o
Euro. Mas um dinheiro apenas digital, eletrônico. Lembra, de alguma forma, o seu
próprio Internet Banking. Você pode utilizá-lo para pagar contas, realizar compras,
fazer ou receber transferências. Tudo pela internet.
Aqui há, entretanto, diferenças fundamentais. Enquanto as moedas oficiais são
emitidas por um Banco Central, controlada sob regras impostas pelo Estado, o Bitcoin
não possui um órgão centralizador. Pelo contrário, é uma moeda descentralizada. Por
isso também é extremamente segura. As transações são permanentemente registradas em
um livro público (Blockchain) e compartilhado por todos. Os usuários são
identificados apenas por uma sequência alfanumérica, conhecida como chave pública, e
não pelos seus nomes ou CPFs. A chave pública seria como o número da sua conta
corrente, que você pode compartilhar com qualquer pessoa, até mesmo para receber um
depósito. Por outro lado, a chave privada é utilizada para movimentar o saldo da sua
carteira. Seria o equivalente à senha do banco que, como sabemos, você deve protegê-
la com bastante segurança, pois é o que lhe permite acesso e controle sobre seus
recursos.
Além da descentralização, outra vantagem é que aqui não são necessários
intermediários, enquanto no sistema financeiro tradicional os bancos e as operadoras de
cartão de crédito atuam como tal. As transações são realizadas diretamente entre quem
envia e quem recebe o dinheiro. Isso traz duas consequências práticas. A primeira delas
é agilidade. Valores podem ser enviados para qualquer parte do mundo quase
instantaneamente, enquanto remessas internacionais pelo método tradicional chegam a
levar 2 dias úteis ou mais para compensação. A segunda consequência é o menor custo
dessas operações. Sem intermediários, desconta-se apenas uma pequena comissão dada
aos mineradores (usuários que garantem a confiabilidade da rede), incomparavelmente
menores que os custos habituais de envios em moeda estrangeira.

2º PONTO: EXPLIQUE A MINERAÇÃO COM ANALOGIAS


Após seu interlocutor ter assimilado o bitcoin como um dinheiro digital, a próxima
ARQUIVO
pergunta que lheBAIXADO
surgirá é: DeDA
ondeTHEREBELS
vêm os bitcoins?SEM
Você FINS
tem umLUCRATIVOS,
bitcoin? Como faz
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
para consegui-los?
Mais uma vez, use e abuse das analogias. É sempre mais fácil entender um novo
conceito sob a óptica de outro já conhecido. Essa é uma valiosa estratégia, inclusive
utilizada já diversas vezes aqui ao longo dos capítulos. Aposto que você assimilou
alguns conceitos mais complexos relacionando-os a situações práticas ou mesmo do seu
dia a dia.
Pois bem, usaremos o exemplo de uma jazida de um cristal ou metal precioso
qualquer. Para evitar confusões com outras propriedades monetárias do ouro, vamos
falar de diamantes. Todos sabem que os diamantes são muito raros, recompensando o
espinhoso ofício da extração a quem os encontrar. Assim como há pessoas empenhadas
na mineração de diamantes, o mesmo ocorre com os bitcoins. Os garimpeiros de
bitcoins dedicam seus esforços para que, encontrando algumas porções dele, possam
armazená-los ou mesmo trocá-los por dinheiro “de verdade”.
Já foi mais fácil encontrar diamantes. Hoje, é um trabalho muito complicado e cada
vez mais se tornará, à medida que o diamante será mais difícil de ser extraído. Essa
árdua tarefa demanda não apenas o esforço humano, mas sobretudo o emprego de
supermáquinas e, portanto, um considerável consumo de energia. No entanto, continua e
provavelmente continuará sendo algo lucrativo, pois o diamante tem se mantido muito
valioso ao longo do tempo, especialmente quando ele fica mais raro.
As máquinas de extração que, no caso do diamante tem de realizar cálculos para
determinar o local de maior probabilidade de obter êxito, aqui são ultracomputadores,
que realizam cálculos matemáticos para vencer a criptografia que “esconde” os bitcoins
a serem minerados.
Embora você possa tentar a sorte sozinho, é pouco provável que saia encontrando
diamantes por aí com tanta facilidade. Então pode se juntar a outros interessados e
formar grandes consórcios de mineração. Com a complexidade crescente, isso acaba ao
longo do tempo ficando sob a responsabilidade de grandes investidores ou pessoas com
bastante capital para bancar os custos da extração.
No caso do Bitcoin é o mesmo raciocínio. Embora qualquer um possa minerar, essa
missão é mais factível para grandes consórcios de usuários ou megainvestidores que
possam bancar o dispendioso maquinário.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Se você não é um minerador de diamantes, ainda assim é possível comprá-lo em
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
casas especializadas. Para isso, pode pagar em reais, dólares, ou qualquer outra moeda
aceita, desembolsando o preço de mercado naquele momento. Dependendo do capital
que queira gastar, você pode comprar uma imponente ou, se não, apenas uma pequena
pedrinha do cristal.
Igualmente, por mais valioso que esteja um bitcoin, a sua perfeita divisibilidade
possibilita que você adquira apenas a fração que o seu bolso permitir.

3º PONTO: PARA QUE EU TERIA BITCOINS?


Seu interlocutor leigo, a essa altura, já compreende o que é o dinheiro digital e o
conceito de mineração. Mas pode estar ainda em dúvidas quanto à utilidade prática
dessa moeda.
Pois bem, similarmente ao dinheiro físico, o Bitcoin também pode ser utilizado para
comprar mercadorias (como um livro ou uma bicicleta, por exemplo) ou serviços
(como a corrida do Uber ou um jantar no seu restaurante predileto). Obviamente, isso
dependerá de o Bitcoin estar listado como um dos meios de pagamento aceitos pelo
estabelecimento.
Enquanto é relativamente fácil encontrar empresas online que aceitam o Bitcoin, ele
ainda é menos difundido nas lojas físicas, pelo menos em nosso país. Mas essa
realidade tende a mudar conforme a moeda amadurece e se torna mais conhecida, o que
efetivamente vem ocorrendo de forma rápida no mundo todo. No Japão, 260 mil locais
já aceitam a moeda. Em milhares de caixas espalhados pelas grandes cidades, você já
pode trocar bitcoins por ienes (a moeda local) e vice-versa. Esse mesmo movimento
tem sido seguido por diversos países.
Mas essa não é a única função do Bitcoin. Voltando à nossa analogia com o
diamante, você pode guardar aquela pequena pedra para vendê-la no futuro,
acreditando na sua valorização, porém correndo-se um grande risco. Pode ser que, no
futuro, ela valha muito mais ou muito menos do que você pagou.
Caso você seja menos apegado, outro destino possível é doar sua pedra preciosa
para uma instituição de caridade. Assim, ela poderá vendê-la e financiar seus projetos
filantrópicos. Ou você pode ainda deixá-la como patrimônio para seus herdeiros.
Mas o que tem verdadeiramente atraído as pessoas ao Bitcoin é sua recente
ARQUIVO
valorização. SóBAIXADO DA THEREBELS
em 2017, a moeda SEM Algumas
subiu mais de 1.200%. FINS LUCRATIVOS,
pessoas têm visto
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
uma oportunidade de lucrar com sua meteórica alta, mas devem estar cientes do
elevado risco que correm, já que não há quaisquer precedentes e ninguém sabe onde o
mercado pode parar.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 25
O QUE JÁ SE PODE PAGAR COM BITCOINS

“Tudo parece impossível até que seja feito.”


– NELSON MANDELA

Até pouco tempo, apenas algumas lojas virtuais aceitavam pagamentos em bitcoins.
Mas esse cenário mudou radicalmente, especialmente no último ano. A aceitação do
Bitcoin como forma de pagamento tem crescido constantemente, de forma que cada vez
mais lojas físicas estão aderindo à moeda. Ou seja, é possível que você também realize
pagamentos em criptomoedas em breve.
Como dito, o Japão é um dos países mais avançados na aceitação do Bitcoin. Até
janeiro de 2017, a Coincheck, principal casa de câmbios virtuais no país, havia
habilitado cerca de 5 mil estabelecimentos, dentre eles famosos hotéis-cápsula,
empresas de gestão imobiliária e até mesmo uma exclusiva rede de restaurantes. Esse
número ganhou novas proporções em abril do mesmo ano, quando a Exchange anunciou
uma nova parceria para credenciar outros 260 mil estabelecimentos.
No Brasil, as primeiras capitais a despontar nesse mesmo rumo foram São Paulo e,
curiosamente, Aracaju. De lojas de calçados a clínicas veterinárias, a lista não para de
crescer. Tanto que o site Coinmap.org criou um mapa no estilo Google Maps,
alimentado em tempo real pelos próprios usuários. Esse site aponta os locais no mapa
que aceitam bitcoins como pagamento para bens e serviços. E você pode ainda filtrar
por região ou por tipo de estabelecimento.
Grandes redes internacionais não perderam tempo e também já anunciaram
compatibilidade com a tecnologia, por exemplo, a cadeia de hotéis Howard Johnson,
presente em diversas cidades do mundo. Mesmo assim, caso você decida se hospedar
em um hotel concorrente, também é possível. Basta fechar seu pacote com a agência de
viagens Destinia (http://destinia.com.br), por exemplo, e utilizar seus satoshis para
pagar pela viagem completa.
ARQUIVO
Se sua praiaBAIXADO
é garimpar DA THEREBELS
descontos, SEM FINS
que tal comprar desde LUCRATIVOS,
livros a produtos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
eletrônicos na Amazon, até 30% mais baratos, utilizando seus bitcoins? Para isso,
acesse o site Purse.io e veja como obter seu cupom.
Sabia que até sua conta de luz ou telefone já pode ser quitada com a moeda? Para
isso, utilize os serviços do Pague com Bitcoin (https://paguecombitcoin.com) ou BitBol
(https://www.bitbol.com.br).
A Dell (http://www.dell.com.br) foi uma das primeiras a aderir ao Bitcoin como
meio de pagamento. Adicione ao carrinho computadores, tablets ou outros eletrônicos e
escolha a opção no checkout. A gigante Microsoft também não ficou de fora e permite
que seus clientes comprem jogos, vídeos e aplicativos para as plataformas Windows,
Windows Phone e Xbox.
Você pode ainda presentear um amigo, familiar ou a si mesmo (por que não?)
comprando um vale presente na Gyft (www.gyft.com) ou eGifter (www.egifter.com)
usando seus bitcoins. As redes têm parcerias com grandes varejistas, como Starbucks,
Domino’s, Nike, iTunes, American Airlines e Royal Caribbean. Você pode tomar o seu
café preferido ou quem sabe reservar um cruzeiro para o Caribe. Pode até mesmo
chamar um Uber!
Que tal alugar um apartamento em Copacabana para o Réveillon? O hotel Copa
Apartments, oferece suporte para pagamentos na moeda com o Bitpagos. E se você
quiser viajar para ainda mais longe, a companhia Virgin Galatic promete a experiência
única de uma viagem espacial. O bilionário Richard Branson, que está à frente desta e
de outras 500 empresas, afirma que os primeiros turistas já deverão embarcar nos
próximos meses e não demorou em anunciar que os tickets poderão ser adquiridos em
bitcoins. Nada mais futurístico do que pagar uma ida ao espaço usando dinheiro virtual,
não é mesmo?
Gastar seus bitcoins já foi impossível. Hoje não é mais. A lista de varejistas que
aceitam pagamentos com Bitcoin em todo o mundo não para de crescer. Para aqueles
que ainda não fazem parte da lista, há maneiras fáceis de converter seus Bitcoins em
dinheiro para comprar quase tudo o que quiser.
Com um número crescente de adeptos, muitas empresas enxergam na nova tecnologia
uma imperdível oportunidade estratégica e correm contra o tempo para oferecer novos
meios de pagamento a consumidores cada vez mais digitais.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 26
É POSSÍVEL MELHORAR O MUNDO COM
BITCOINS?

“Alguém que vive dentro de suas possibilidades sofre de falta de


imaginação.”
– OSCAR WILDE

Já vimos em capítulo anterior como o aprisionamento de uma população sob o


monopólio monetário do Estado pode empobrecer seus membros, e expô-los ao perene
risco de confiscos e expropriações. Para o economista Walter Williams 67, as razões de
uma sociedade se enriquecer são muito variadas. Já “as causas da pobreza são bastante
simples e diretas”68, sendo a insegurança jurídica quanto à propriedade uma das
principais. Para ele, “uma maneira de avaliar a proteção dos direitos humanos é
perguntar até que ponto o Estado protege o intercâmbio voluntário e a propriedade
privada.” O temor dessas e de outras arbitrariedades torna, segundo o economista,
extremamente difícil fazer planejamentos. A impossibilidade de estabelecer políticas
de longo prazo condena, especialmente países da África e América Latina, à
perpetuação da pobreza.
Nesse sentido, o Bitcoin poderia assumir um papel ímpar dentre todos os tipos de
propriedade, pois a sua posse é eterna tal que nenhuma entidade governamental poderia
tirá-la. O dinheiro fiduciário, ouro, imóveis ou qualquer outra forma de riqueza podem
ser levadas à força pelo Estado, mas uma moeda fora de seu alcance estaria
intrinsecamente blindada. Em tom profético, Williams complementa: “Quando a
pobreza passar a ser vista como resultado da intervenção imprudente de alguns
governos — como regulamentações, burocratização, tributação e inflação — e da falta
de capacidade produtiva, políticas mais efetivas surgirão.”
A moeda tem ainda o potencial de transformar a economia dos mercados emergentes
ao se propor a atender populações desbancarizadas. De acordo com o Banco mundial,
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
apesar da forte expansão da inclusão financeira nos últimos anos, 2,5 bilhões de
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
pessoas e outras 200 milhões de micro e pequenas empresas no mundo ainda não
possuem acesso a crédito e serviços financeiros básicos. Esse é um problema crítico
que afeta o desenvolvimento das economias locais e a geração de empregos,
especialmente em países emergentes da América Latina, Ásia e África. O Banco
Mundial considera a universalização do acesso financeiro como passo fundamental
para atingir sua missão de erradicar a pobreza e melhorar as condições de vida nos
países em desenvolvimento. Algumas organizações já se movimentam para oferecer
soluções a essas pessoas e pequenas empresas marginalizadas e, com o auxílio da
tecnologia do Bitcoin, ajudá-las a obter pela primeira vez o que poderiam chamar de
uma conta bancária, dinamizando também o comércio local.
Além do potencial impacto na economia mundial, há diversas outras possibilidades
transformadoras para os detentores do dinheiro virtual, entre elas, o apoio a causas
humanitárias.
Um número cada vez maior de associações de caridade tem adotado o Bitcoin para
financiar as suas missões. Consequentemente, amplia-se o leque de potenciais
doadores, alcançando pessoas até então menos envolvidas.
Os doadores virtuais podem ainda contar com total privacidade garantida pela
criptografia e, a depender da legislação local, obter também benefícios fiscais. Sem ter
de encarar fronteiras, as doações chegam mais rapidamente ao destinatário. E isso faz
toda a diferença. As taxas são sensivelmente menores que em métodos tradicionais −
como os cartões de crédito ou débito. Algumas operadoras chegam até mesmo a isentar
os custos de transação para doações voltadas à caridade, o que significa que elas serão
100% destinadas a quem mais precisa.
A United Way ( https://www.unitedway.org) é a maior organização de filantropia do
mundo. Foi fundada nos EUA há mais de 125 anos. Hoje, está presente em mais de 40
países e mobiliza anualmente 2,9 milhões de voluntários, 9,6 milhões de investidores
sociais (doadores individuais) e US$ 5,3 bilhões em prol das comunidades carentes. É
uma nobre oportunidade para ajudar a melhorar a vida de cerca de 50 milhões de
pessoas, com programas nas áreas da educação, saúde e geração de renda.
Se você é um ativista ambiental e se preocupa com o desmatamento ilegal na
Amazônia ou com o impacto de algumas indústrias sobre o ecossistema, pode ajudar o
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Greenpeace (https://www.greenpeace.org.br) em sua missão utilizando o dinheiro
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
virtual. O Greenpeace não aceita doações de empresas ou governos, apenas de
indivíduos. Portanto, adotar o Bitcoin em seu modelo de negócios é uma excelente
estratégia. Não há valores mínimos. Qualquer quantia é bem-vinda.
Mesmo com o avanço da ciência e da tecnologia, sabemos atualmente que uma a cada
sete crianças no mundo vai para a cama com fome, todas as noites. Você pode somar
forças ao Save the Children, por intermédio do BitPay (https://bitpay.com), na missão
de trazer mais conforto e esperança a 157 milhões de crianças. É possível utilizar a
plataforma também para contribuir com a Cruz Vermelha, sem quaisquer cobranças de
taxas de processamento.
A BitGive Foundation (https://www.bitgivefoundation.org), primeira empresa do
terceiro setor a trabalhar exclusivamente com a moeda digital, é a representação mais
clara da filantropia contemporânea. Fundada em 2013, seu propósito é aproximar a
inovação tecnológica às causas humanitárias. Com a generosidade da comunidade
internacional, ela apoia diversas entidades que prestam caridade, incluindo algumas
das listadas acima. A tecnologia Blockchain permite aos doadores rastrear transações
em uma plataforma pública, em tempo real. Assim, é possível ver como os recursos são
gastos e garantir que eles alcancem seu destino final.
Há ainda iniciativas de levantamento de recursos na moeda em benefício a grupos de
resistência política contra regimes totalitários, que de outra forma conseguiriam
facilmente asfixiar o apoio financeiro tradicional.
Assim, anteriormente visto como uma moeda associada ao submundo ilícito, o
preconceito em torno do Bitcoin vai se pulverizando. Cada vez mais, ele é encarado
como uma nova tecnologia aliada, com potencial de nos ajudar a resolver antigos
problemas.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 27
E SE FOR UMA BOLHA?

“Apenas um tolo testa a profundidade


da água com ambos os pés.”
– PROVÉRBIO AFRICANO

Afinal: moeda do futuro ou bolha especulativa? À medida em que se valoriza em ritmos


impressionantes, aumentam na mesma proporção as discussões quanto aos rumos da
moeda, com defensores ferrenhos de ambos os lados.
O Bitcoin já apresentava fortes valorizações em 2017, quando ganhou ainda mais
fôlego com a sua entrada no mercado de derivativos. A partir de dezembro, ninguém
menos que a CME (Chicago Mercantile Exchange), maior bolsa de mercadorias do
mundo, passou a oferecer em sua plataforma a negociação de contratos futuros, dias
após da sua rival CBOE (Chicago Board Options Exchange ) fazer o mesmo. Esse era o
gás necessário para um novo rali, que fez a moeda encostar pela primeira vez na
barreira dos US$ 20 mil e encerrar o ano com forte valorização superior a 1.200%,
surpreendendo até os mais otimistas.
Tamanho fenômeno não poderia passar despercebido pelos críticos e gerou fortes
reações de todos os lados. Estrategistas de investimento e especialistas em finanças,
que já viam desde o início do ano paralelismo com a famosa bolha “ponto com”, que
estourou em 2001, aumentaram a advertência quanto ao risco de colapso.
Uma bolha é caracterizada por uma alta generalizada gerada por excesso de
confiança, e uma posterior queda dos preços. Na famosa crise da internet, o índice
Nasdaq subiu mais de 1.000% em menos de uma década. Em 10 de março de 2000,
atingiu seu pico de 5.132 pontos. Posteriormente, chegou a cair 78% nos 30 meses
seguintes, depois necessitando de alguns anos até se recuperar. Algumas empresas −
como a Pets.com e Webvam − foram à falência e fecharam as portas. Outras, como
eBay e Amazon.com, posteriormente se recuperaram e chegaram a superar seus valores
ARQUIVO
recordes BAIXADO
do ápice daquele ano.DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Figura 27-1. Gráfico histórico do Índice Nasdaq demonstrando
forte desvalorização após o ano 2000 (Crédito: Google Finance)

O episódio não chegou a acabar com a internet. Hoje, empresas como Google,
Apple, Microsoft, Amazon e Facebook, tornaram-se muito mais sólidas, e fazem parte
do nosso dia a dia. Mas é inegável que levou à bancarrota milhares de investidores,
cegados por sua ganância desenfreada, e trouxe uma severa crise em sequência.
Paul Krugman, vencedor do prêmio Nobel em 2008, foi enfático ao afirmar que a
recente valorização das moedas virtuais é uma bolha. Outros economistas apontam para
os possíveis perigos associados à moeda virtual. “O entusiasmo pelo Bitcoin é
desproporcional à sua aplicação imediata”, sublinhou Robert Shiller. Por sua vez, Jean
Tirole referiu que o Bitcoin “é um recurso sem valor intrínseco”. 69 Para o analista
Martin Tillier, comentarista e colaborador da Nasdaq, o estrelismo exagerado em torno
do Bitcoin somado à alavancagem são a receita do desastre, e aconselha cautela
àqueles que detêm a moeda.70
Não é de hoje, tampouco, que parte da mídia especializada aponta indícios de bolha.
Em 2011, Timothy B. Lee escreveu para a Forbes: “Está cada vez mais claro que o
preço recorde de US$ 32 em 8 de junho representasse o pico de uma bolha
especulativa, que agora está estourando”.71 E estourou mesmo: o preço do Bitcoin
desabou para 2 dólares no fim daquele ano e só voltou ao patamar de 30 dólares em
março de 2013. Novos ralis e novos estouros foram se seguindo.
No fim de 2017, ressurgiram as especulações acerca do estouro de uma nova bolha,
quando rapidamente o valor do Bitcoin caiu 33%. Ao analisarmos o gráfico histórico
em escala logarítmica, percebemos que esses movimentos não são nenhuma novidade.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Como dito, já ocorreram em diversas outras ocasiões, inclusive com quedas ainda mais
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
expressivas. E provavelmente continuarão ocorrendo. Não obstante, os preços voltaram
a subir posteriormente, pelo menos até o presente momento.
Vejamos o que ocorreu de 2011 a 2017:

Figura 27-2. Gráfico em escala logarítmica demonstrando movimentos de baixa seguidos de recuperação na
cotação do Bitcoin desde 2011 (Adaptado de The Chart Master, CNBC.com)

Apesar das quedas verificadas, a tendência de alta se manteve para aqueles que
seguraram o ativo nos piores momentos de panic sell. Para efeitos de comparação, um
investidor que tivesse alocado US$ 1 mil na compra de bitcoins em 2011 ou,
alternativamente, em ações de respeitadas multinacionais, teria colhido ao fim de 2017
os seguintes retornos:72
Tabela 27-1. Comparativo de retornos ao fim de 2017 a partir de um investimento hipotético de US$ 1 mil em
2011 (Adaptado de The Chart Master, CNBC.com)

Apple US$ 3,8 mil

Amazon US$ 6,5 mil

Tesla US$ 12,5 mil

Nvidia US$ 12,7 mil

Bitcoin US$ 37 milhões

É patente não fechar os olhos para a valorização histórica da moeda, merecedora de


um olhar atento sobre seu potencial.
A valorização do Bitcoin é vista com naturalidade por alguns, resultado do aumento
do interesse versus sua escassez. Para eles, não há razões de comparações com crises
ARQUIVO
passadas BAIXADO
e as semelhanças nãoDA
vãoTHEREBELS SEM
além da euforia. São FINS LUCRATIVOS,
incrédulos em relação à teoria
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
da bolha: “Bitcoin não é uma empresa que poderia perder rentabilidade e frustrar seus
acionistas”, dizem. Também refutam comparações com a crise das hipotecas sub-prime
do ano de 2008, provocada por fraudes comandadas pelos grandes bancos.73 “O Bitcoin
não é a bolha, é a agulha que vai furar o sistema tradicional”, diz Rudá Pellini, sócio da
plataforma de investimento Wise&Trust.74
Os irmãos gêmeos Tyler e Cameron Winklevoss são exemplos de plenos entusiastas
no futuro da moeda. Anteriormente famosos por disputas judiciais contra Mark
Zuckerberg pela ideia original do Facebook, depois de serem indenizados em cerca de
US$ 65 milhões, os gêmeos compraram o equivalente a US$ 11 milhões na
criptomoeda. Quando a cotação ultrapassou US$ 11.400, tornaram-se oficialmente os
primeiros bilionários conhecidos no mercado de bitcoins.
Apesar da espetacular valorização de seu patrimônio, eles não pensam em vender tão
cedo. “Nós acreditamos que ainda seja, provavelmente, um dos melhores investimentos
no mundo e que será por décadas”, diz Tyler. Como commodity rara, eles acreditam
que o Bitcoin possa superar o ouro como reserva de valor, devido à sua capacidade de
prosseguir se inovando. 75
Segundo os otimistas quanto ao futuro da moeda, um dos seus principais desafios − a
baixa aceitação inicial − está sendo paulatinamente superado. Após o Japão inclui-la
como meio oficial de pagamento, muitos países correram para regulamentá-la. Antes
restrito a poucos sites de comércio online, o Bitcoin ganhou a adesão de milhões de
estabelecimentos físicos no mundo, atraídos pelas taxas mais baratas e a perspectiva de
um meio mais resistente a fraudes. Além disso, em situações de crise econômica e
descrédito das moedas locais, como na Venezuela e Zimbabwe, o Bitcoin também já
teria ensaiado papéis de moeda de troca e reserva de valor, alistando-se como uma
alternativa viável.
De fato, o estouro de uma eventual bolha especulativa pode não significar por si só
um determinante para o avanço ou não da moeda criptográfica. A cotação do Bitcoin
seria secundária em relação à expansão da plataforma, que traz inegáveis vantagens
comparativas às demais formas de pagamento. Esse seria um assunto a preocupar muito
mais os especuladores que os potenciais beneficiários de suas propriedades
tecnológicas.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Não importa o quanto o Bitcoin seja revolucionário em sua concepção. Ninguém
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
discute o potencial das Blockchains. Mas tudo isso é muito recente. As leis de mercado
são diretamente influenciadas por fatores psicológicos, impossíveis de serem previstos.
Histerias coletivas podem jogar os preços para cima ou para baixo em questão de
minutos, relegando qualquer racionalidade para segundo plano.
Uma forte correção poderia trazer até mais austeridade para um mercado que se
regozija de agigantada euforia. Espera-se ainda que a expansão da aceitação da moeda
culmine em uma volatilidade mais moderada. Uma moeda líquida e menos volátil
fatalmente se tornaria menos interessante à cobiça dos especuladores. Esse
amadurecimento seria fundamental para a reorientação do Bitcoin rumo aos seus
desígnios originais.
Se se trata ou não de uma bolha, não sabemos. Como vimos, as opiniões são tão
conflitantes quanto apaixonadas. Cada ala reúne uma fartura de motivos para apontar o
seu prognóstico. Mas a razão não parece sujeita a reivindicações no momento. As
discussões continuarão.
Se você compreende o cenário de incertezas mas, por outro lado, não se contentará
em assistir aos próximos capítulos do lado de fora do estádio, há uma única saída
razoável: limitar sua exposição. Seja piedoso com o seu dinheiro. Ele é fruto do seu
suado e penoso trabalho. Qualquer negligência resultará em uma onerosa conta. E talvez
você não possa pagá-la na moeda de sua preferência.
Volto a insistir: não exponha uma quantia significativa do seu patrimônio, por mais
otimista e entusiasta que você seja.
Você possui uma vantagem muito grande em limitar sua alocação. No melhor cenário,
caso se consolide como uma moeda forte, as projeções apontam para potenciais de
valorização muito mais altos que os vividos até aqui e seu pequeno aporte poderia se
tornar verdadeiramente grande.
No cenário ruim, caso o mercado pare de enxergar sustentáculos à moeda, você
suspirará aliviado por ter comprometido apenas irrisória quantia. Use a assimetria a
seu favor.
Ainda que sua situação lhe permita, utilize o excedente para cultivar o hábito
saudável do investimento regular. Os ativos conservadores na sua carteira sim têm
chances reais de lhe prover a segurança futura e devem estar sempre no seu foco.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Você não precisa prever o futuro. Mas você tem a obrigação de agir com
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
responsabilidade, pois a dúvida, no momento, é o único objeto realmente concreto.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 28
ALTCOINS E A BUSCA DA MOEDA PERFEITA

“Uma mudança deixa sempre


patamares para uma nova mudança.”
– NICOLAU MAQUIAVEL

O Bitcoin não está sozinho! Embora sua hegemonia jamais tenha sido ameaçada,
existem milhares de alternativas hoje disponíveis. São as chamadas Altcoins, que
resumidamente são todas as moedas que não o Bitcoin.
No momento da publicação desse livro, segundo o site CoinMarketCap.com, há cerca
de 1.500 moedas virtuais, mas a quase totalidade delas tem um marketcap pouco
expressivo. O mercado como um todo alcança mais de meio trilhão de dólares, e é
dominado com larga vantagem pelo Bitcoin.
Cada uma das Altcoins apresenta diferenças sutis em relação ao seu código, recursos
disponíveis ou propósitos. Algumas foram desenvolvidas para suprir deficiências do
Bitcoin, outras são originárias de hard forks. Há aquelas com propósitos bem
específicos e outras cujo surgimento está vinculado intimamente à especulação. Muitas
pessoas que não pegaram a onda inicial do Bitcoin acreditam que uma ou outra possa
seguir o mesmo sucesso da invenção de Satoshi Nakamoto.
Em um provável cenário em que a maioria delas provavelmente desaparecerá,
investir em Altcoins é visto por alguns como um investimento tão barato quanto
improvável de oferecer um retorno concreto.
Mas há realmente talentosos programadores e grandes corporações dispostas a
investir alto na criptografia e no desenvolvimento de novas moedas.
Vejamos as de maior relevância no mercado atual e quais são as perspectivas em
torno delas:

ETHEREUM:
ARQUIVO
Atualmente é a BAIXADO DA
segunda moeda THEREBELS
mais SEM
importante, após FINSSeu
o Bitcoin. LUCRATIVOS,
sistema é a base
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
para outras moedas. A maioria das ICOs (Initial Coin Offerings) usam Ethereum. Tem
um custo de transações bem menor que o do Bitcoin e atualmente detém o segundo
marketcap. De acordo com os seus desenvolvedores, o que torna o Ethereum diferente
do Bitcoin é que ele visa levar a tecnologia da Blockchain e os contratos inteligentes
para “tudo” que possa ser programado: votações, nomes de domínio, transações
financeiras, crowdfunding, governança de empresas e estados, contratos e acordos de
qualquer tipo e até mesmo propriedade intelectual. Em 2016, houve um polêmico fork
na rede como tentativa de recuperá-la de um ataque. Esse desdobramento deu origem ao
Ethereum Classic, que embora não se encontre na lista das 5 principais moedas, ainda
prospera.76

BITCOINCASH E BITCOIN GOLD:


Já abordados nos capítulos sobre forks, o BitcoinCash é resultado de um
desmembramento da rede Bitcoin, destinado a ter transações mais rápidas. O Bitcoin
Gold, também com origem semelhante, tem como objetivo principal favorecer a
mineração por usuários comuns com uma placa GPU (processador gráfico, como os
modelos NVIDIA), tirando dos grandes grupos o monopólio sobre a mineração. Embora
ainda seja improvável que essas moedas tomem o lugar do Bitcoin, são Altcoins
interessantes e podem em algum momento vir a desafiá-lo.

RIPPLE
Apesar de figurar entre as cinco principais moedas, o Ripple não goza da mesma
publicidade e apresenta muitas diferenças em relação às demais Altcoins. Inicialmente
foi concebido como uma rede de pagamentos entre instituições financeiras, e por isso
tem atraído a atenção de bancos, que veem no Ripple o potencial de acelerar
pagamentos e reduzir tarifas. Os bancos American Express e Santander já anunciaram
parcerias para processar transações transfronteiriças. Além disso, grupos como Google
Ventures e a IDG Capital Partners injetaram investimentos em seu desenvolvimento.
Outra diferença é que não se trata de uma moeda descentralizada, mas controlada por
uma empresa, que já criou todas as 100 bilhões de unidades (portanto, não está aberta a
minerações por usuários), e disponibilizou metade para circulação. O restante será
ARQUIVOlançado
gradualmente BAIXADO DA Alguns
no mercado. THEREBELS
indivíduosSEM
veem oFINS
RippleLUCRATIVOS,
como a antítese do
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
que as criptomoedas deveriam representar, qual seja a independência de bancos e a
transação entre indivíduos livre de terceiros.

IOTA
É uma moeda popular com uma grande oferta, tendo um dos maiores marketcaps
atualmente. Trata-se de uma criptomoeda descentralizada e de microtransações
voltadas à Internet das Coisas (IoT). Parte do princípio que a demanda por pagamentos
aumentará à medida que cada vez mais dispositivos se comuniquem entre si. Ao
contrário das principais moedas que utilizam a Blockchain, utiliza um método diferente
chamado Tangle, que é responsável pela autenticação das transações e por evitar o
duplo gasto. A IOTA poderia ser fundamental para pagamentos rápidos, através de
caixas eletrônicos, máquinas de venda automática e medidores de estacionamento, por
exemplo.77

LITECOIN
Já foi considerada por muitos a segunda moeda digital mais importante e está
frequentemente entre as Top 5 em marketcap. É muito semelhante ao Bitcoin, porém
custa muito menos. Possui algumas diferenças em relação à moeda que a inspirou: a
rede processa cada bloco em 2,5 minutos em vez de 10 minutos; e irá produzir 84
milhões de milhões de unidades, o que representa o quádruplo da rede Bitcoin. Ao
contrário do Bitcoin e da maioria das Altcoins, baseadas em SHA-256, o Litecoin
utiliza a função scrypt no seu algoritmo de provas de trabalho. Esta função tem como
objetivo prevenir que a mineração em GPU e ASIC tenha uma vantagem significativa
sobre o CPU, tornando factível a mineração a partir de computadores comuns.78
O Bitcoin é, de longe, a criptomoeda mais popular e difundida. O sistema foi
genialmente projetado e logo ganhou a atenção de todo o mundo. Mas carrega o ônus de
ter sido o primeiro e, com seu uso em larga escala, começam a surgir desafios nem
sempre tão previsíveis quando da sua gênese.
Nesse contexto, as Altcoins surgem com a missão de resolver parte dessas
imperfeições. Ainda pouco valorizadas, acredita-se que alguma delas possa conquistar
o mercado, se efetivamente se provar superior.
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Adivinhar qual delas irá ostentar o papel de protagonista, se é que isso ocorrerá, é
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
uma tarefa quase impossível. Além disso, alternativas melhores e mais inovadoras
poderão surgir a qualquer momento.
Ao mesmo tempo, ninguém duvida da plasticidade do Bitcoin em se modificar ao
longo da trajetória, em prol do pleno atendimento das demandas de sua comunidade. Se
isso ocorrer, poderá resumir as Altcoins a um breve capítulo experimental da
universalização da moeda virtual.
Seja como for, a descentralização e a inter-relação com a tecnologia criptográfica
parecem ser os caminhos mais propícios à plena democratização e modernização do
dinheiro.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 29
REGULAÇÃO NO BRASIL E NO MUNDO

“Quando o Bitcoin é convertido de moeda a dinheiro físico, essa interface


deve ser mantida sob algumas ressalvas regulamentares. Penso que,
dentro do universo Bitcoin, um algoritmo que substitui as funções do
governo ... [isso] é realmente muito interessante”
– AL GORE

Tendo em vista o fato de que bitcoins não são emitidos, endossados ou regulados por
qualquer Banco Central, uma questão pertinente é: o Bitcoin é legal ou ilegal?
Embora a maioria dos países não torne ilegal o uso do Bitcoin, seu status como
dinheiro (ou commodity) varia, com diferentes implicações regulatórias. Enquanto
alguns países permitiram explicitamente seu uso para fins lícitos, outros o proibiram ou
restringiram. Como vimos anteriormente, apenas Argélia, Bangladesh, Bolívia,
Equador, Marrocos, Nepal e Quirguistão consideram o seu uso ilegal.
Naturalmente, dado o pouco tempo de vida do Bitcoin, seu status legal ainda aguarda
definição em muitos países.
O Japão assumiu um papel vanguardista na regulamentação do Bitcoin. Em abril de
2017, alterou sua lei de serviços de pagamento, passando a aceitar as moedas digitais
como forma legal para tal finalidade. Além disso, a Agência de Serviços Financeiros
do Japão (FSA, na sigla em inglês) aprovou oficialmente, em setembro do mesmo ano,
a operação de 11 corretoras de criptomoedas. Não coincidentemente, o volume de
negócios decolou no país desde então.
Por lá, os caixas eletrônicos que trocam dinheiro comum por Bitcoin conhecidos
como BTMs, estão espalhados por todo o país, e é possível até pagar contas com um
desconto especial para formas de pagamento usando a criptomoeda.
Contudo, após o colapso da Mt Gox, a maior Exchange de Bitcoin do país, que foi
supostamente hackeada, perdendo 850 mil bitcoins, os reguladores japoneses entraram
ARQUIVO
em BAIXADO
ação. Ao invés DA THEREBELS
de tentarem deter o uso dasSEM FINS LUCRATIVOS,
criptomoedas, eles divulgaram
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
regulamentos que exigiam permutas para manter reservas de capital, mantendo os
fundos dos clientes separados e também implementaram os procedimentos de KYC
(Know Your Client )79, identificando as pessoas com quem eles estão fazendo
negócios.80
Nos EUA, o Departamento do Tesouro publicou diretrizes sobre o uso de moedas
virtuais, definindo que as empresas de serviços monetários devam aplicar medidas
contra lavagem de dinheiro e KYC. Além disso, cada Estado definiu ou não regras mais
específicas em torno do Bitcoin e demais criptomoedas. O estado do Arizona, por
exemplo, que já aprovou em maio de 2017 as assinaturas da Blockchain e os contratos
inteligentes como válidos, agora discute implementar pagamentos de impostos em
Bitcoin.81
A bolsa de Chicago anunciou em dezembro de 2017 o início da negociação de
contratos futuros em Bitcoin, fornecendo uma plataforma de negociação regulamentada
para esse fim. Enquanto isso, a Nasdaq – que reúne as principais empresas de
tecnologia do mundo – também planeja lançar um contrato futuro com base em Bitcoin
em 2018 e outras importantes bolsas no mundo já se movimentam nesse sentido.
Por outro lado, a China vive em meio às incertezas, e parece ter dado um passo na
contramão global. O Partido Comunista chinês ordenou que fechassem todas as
Exchanges de criptomoedas e vetou a emissão de novas moedas, as ICOs, fazendo a
cotação do Bitcoin despencar. Posteriormente, essa queda se mostrou ser apenas
temporária, e o Bitcoin prosseguiu sua busca por novos recordes de alta após alguns
dias. Enquanto executivos de Bitcoin foram proibidos de deixar o país asiático,
mineradores já se preparam para mudar para países vizinhos. No entanto, as
autoridades não demonstram claramente, até o momento, planos de suspender as
transações de varejo da moeda.
A União Europeia ainda não aprovou legislação específica em relação ao status do
Bitcoin como moeda, mas declarou que a tributação de impostos não é aplicável à
conversão entre moeda tradicional (fiat) e Bitcoin. É possível que o Banco Central
europeu possa ter uma atitude de “comprador cuidadoso” em relação às moedas digitais
em vez de tentar uma regulamentação ou proibição definitiva.82
Como se nota, autoridades de todo o mundo estão lutando para lidar com a tecnologia
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
Blockchain e as moedas digitais. Os reguladores parecem estar de certa forma
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
confusos, com países como a China assumindo uma abordagem restritiva, enquanto o
Japão assume uma postura completamente liberal e vários governos no mundo
aguardam as cenas do próximo capítulo.
São abundantes, no entanto, alertas das autoridades quanto aos riscos envolvendo a
negociação com bitcoins. Em 2012, o FBI publicou um documento destacando seus
medos em torno de Bitcoin, expressando sua preocupação de que criminosos poderiam
estar utilizando bitcoins para atividades ilícitas sem serem rastreados. No ano seguinte,
a mesma agência fechou o Silk Road, um site baseado na Deep Web (plataforma
utilizada para venda de produtos ilegais), em que havia comercialização de drogas,
armas e outros produtos ilícitos usando a plataforma TOR de navegação anônima. Em
discurso inflamado, o senador Charles Schumer explicitamente associou o uso do
Bitcoin às compras realizadas nesse site.
Após o fechamento do site, algumas pessoas chegaram a apontar que poderia ser o
fim do Bitcoin. Mas, contrariando as expectativas, o volume de transações caiu apenas
discretamente, e logo voltou a subir.
Com a prisão do seu fundador, Ross Ulbricht, o FBI levou a leilão público cerca de
50 mil bitcoins apreendidos na operação, colocando-os de volta à circulação. O valor
estimado à época era de US$ 18,6 milhões.
No Brasil, o Banco Central emitiu em novembro de 2017 um comunicado no qual
alerta sobre os riscos decorrentes da guarda e negociação das moedas virtuais.83 Veja-o
na íntegra a seguir:
COMUNICADO Nº 31.379, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2017

Alerta sobre os riscos decorrentes de operações de guarda e negociação das denominadas moedas
virtuais.

1. Considerando o crescente interesse dos agentes econômicos (sociedade e instituições) nas denominadas
moedas virtuais, o Banco Central do Brasil alerta que estas não são emitidas nem garantidas por qualquer
autoridade monetária, por isso não têm garantia de conversão para moedas soberanas, e tampouco são
lastreadas em ativo real de qualquer espécie, ficando todo o risco com os detentores. Seu valor decorre
exclusivamente da confiança conferida pelos indivíduos ao seu emissor.

2. A compra e a guarda das denominadas moedas virtuais com finalidade especulativa estão sujeitas a
riscos imponderáveis, incluindo, nesse caso, a possibilidade de perda de todo o capital investido, além da
típica variação de seu preço. O armazenamento das moedas virtuais também apresenta o risco de o

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


detentor desses ativos sofrer perdas patrimoniais.

APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE


VOCÊ FOI ENGANADO.
3. Destaca-se que as moedas virtuais, se utilizadas em atividades ilícitas, podem expor seus detentores a
investigações conduzidas pelas autoridades públicas visando a apurar as responsabilidades penais e
administrativas.

4. As empresas que negociam ou guardam as chamadas moedas virtuais em nome dos usuários, pessoas
naturais ou jurídicas, não são reguladas, autorizadas ou supervisionadas pelo Banco Central do Brasil.
Não há, no arcabouço legal e regulatório relacionado com o Sistema Financeiro Nacional, dispositivo
específico sobre moedas virtuais. O Banco Central do Brasil, particularmente, não regula nem
supervisiona operações com moedas virtuais.

5. A denominada moeda virtual não se confunde com a definição de moeda eletrônica de que trata a Lei nº
12.865, de 9 de outubro de 2013, e sua regulamentação por meio de atos normativos editados pelo Banco
Central do Brasil, conforme diretrizes do Conselho Monetário Nacional. Nos termos da definição
constante nesse arcabouço regulatório consideram-se moeda eletrônica “os recursos em reais
armazenados em dispositivo ou sistema eletrônico que permitem ao usuário final efetuar transação de
pagamento”. Moeda eletrônica, portanto, é um modo de expressão de créditos denominados em reais. Por
sua vez, as chamadas moedas virtuais não são referenciadas em reais ou em outras moedas estabelecidas
por governos soberanos.

6. É importante ressaltar que as operações com moedas virtuais e com outros instrumentos conexos que
impliquem transferências internacionais referenciadas em moedas estrangeiras não afastam a
obrigatoriedade de se observar as normas cambiais, em especial a realização de transações
exclusivamente por meio de instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil a operar no mercado de
câmbio.

7. Embora as moedas virtuais tenham sido tema de debate internacional e de manifestações de autoridades
monetárias e de outras autoridades públicas, não foi identificada, até a presente data, pelos organismos
internacionais, a necessidade de regulamentação desses ativos. No Brasil, por enquanto, não se observam
riscos relevantes para o Sistema Financeiro Nacional. Contudo, o Banco Central do Brasil permanece
atento à evolução do uso das moedas virtuais, bem como acompanha as discussões nos foros
internacionais sobre a matéria para fins de adoção de eventuais medidas, se for o caso, observadas as
atribuições dos órgãos e das entidades competentes.

8. Por fim, o Banco Central do Brasil afirma seu compromisso de apoiar as inovações financeiras,
inclusive as baseadas em novas tecnologias que tornem o sistema financeiro mais seguro e eficiente.

Otávio Ribeiro Damaso (Diretor de Regulação)


Reinaldo Le Grazie (Diretor de Política Monetária)
Em resumo, embora o Banco Central do Brasil não endosse o uso das criptomoedas,
isentando-se de quaisquer responsabilidades decorrentes do seu uso, os cidadãos
brasileiros são livres para adquiri-las e movimentá-las.
No Congresso Nacional, tramita o projeto de lei nº 2.303/2015 que visa incluir as
moedas digitais na categoria de meios de pagamento, sob a supervisão do Banco
ARQUIVO
Central. BAIXADO
No entanto, DAdesafios
há enormes THEREBELS SEM desde
a esta regulação, FINSo LUCRATIVOS,
estabelecimento em
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
lei do Real como moeda única até a dificuldade em se definir a natureza jurídica das
criptomoedas. Há dúvidas se elas poderiam ser consideradas, no âmbito da nossa
legislação, como moedas ou valores imobiliários. Além disso, preocupa o Banco
Central a possibilidade de serem utilizadas como instrumento de evasão de divisas.
Há ainda o impasse que diz respeito à legislação e a prevenção dos crimes de
lavagem de dinheiro, já que as operações com moedas digitais dificultam a
identificação das partes envolvidas.
Por enquanto, como não é classificado como moeda, o cidadão brasileiro não está
obrigado a recolher impostos sobre sua circulação.
Apesar disso, o fisco determina que quem possuir mais de R$ 1 mil em bitcoins,
deve declará-lo no ajuste anual do Imposto de Renda. No software disponibilizado pela
Receita, deve-se declará-los como “Outros bens e direitos”, código 99. Na caixa
“Discriminação”, deve-se anotar a quantidade de moedas que você possui, pelo seu
valor de aquisição.
Além disso, quem obtiver lucros com a venda da moeda deve recolher a tributação
de 15%, em caso de lucros até R$ 5 milhões. Esta alíquota sobe para 17,5% nos ganhos
entre R$ 5 e 10 milhões, para 20% nos ganhos entre R$ 10 e 30 milhões e para 22,5%
nos lucros acima de R$ 30 milhões. Contribuintes que contabilizarem vendas mensais
inferiores a R$ 35 mil estão isentos desse recolhimento. Para realizar a quitação com o
fisco, é necessário baixar o Programa de Apuração dos Ganhos de Capital, disponível
no site da Receita Federal.
Concluindo, é improvável que os governos possam efetivamente proibir o uso das
criptomoedas, já que elas se instalam num ambiente criptográfico livre de intromissões
externas. No entanto, isso não os impede de arbitrarem os pontos de entrada e saída do
mundo fiat, ou seja, o momento no qual os cidadãos convertem as moedas nacionais em
criptomoedas ou fazem o caminho inverso.
É necessário relembrar que essa teórica liberdade monetária não autoriza o cidadão
a praticar atos que violem as leis locais. Igualmente, sendo independente de bancos e
instituições governamentais, é importante frisar que não há garantia alguma contra
eventuais perdas que possam ocorrer.
A despeito da aparente confusão das autoridades acerca de como gerenciar e
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
regulamentar as criptomoedas, sua popularidade não para de crescer. Isso torna
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
provável que alguns governos enxerguem no médio prazo a necessidade e
potencialidades dessa regulamentação. Com isso, o mapa regulatório do Bitcoin no
mundo tende a ser extremamente dinâmico e se modificar ao longo dos próximos meses
ou anos.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
capítulo 30
O QUE PODEMOS ESPERAR?

“Todo mundo aqui tem a sensação de que agora é um daqueles momentos


em que estamos influenciando o futuro.”
– STEVE JOBS

Em um futuro previsível, muitos dos atuais métodos de pagamento continuarão a ser


utilizados em todo o mundo. Cartões de crédito, cartões de débito e serviços de
pagamento online − como Paypal − ainda serão extremamente populares. No entanto, as
criptomoedas estão caindo rapidamente no gosto de consumidores, ao mesmo passo em
que despertam interesse de empresas e a atenção dos governos.
Talvez uma das principais barreiras ao seu pleno desenvolvimento, seja a regulação
estatal, que se mostra cada dia mais urgente. Uma reação em cadeia com adesão
crescente de novas empresas que hoje apenas observam à sombra, mas que comecem a
se sentir obrigadas a aderir ao movimento para não perder concorrência, será essencial
à sobrevivência do Bitcoin.
Embora, à primeira vista, pareça haver uma oposição entre o dinheiro tradicional e a
moeda digital, não se tratam de modelos mutuamente excludentes, mas sim
complementares. Apesar de a estabilização do Bitcoin não parecer próxima e de não
sabermos se, e quanto tempo ele sobreviverá, a tendência é que seja, ao mínimo, um
importante complemento às moedas fiduciárias, ao reduzir os custos das operações e
cortar distâncias.
A adesão da moeda por agentes do mercado financeiro tradicional, como bolsas de
valores, corretoras e grupos de investimento, pode injetar bilhões de novos dólares no
seu marketcap. Digno de nota, a enorme capitalização já existente no mercado das
criptomoedas − que ultrapassa meio trilhão de dólares −, torna cada vez menos
provável que ele se dissolva.
Caso a base de usuários continue a crescer consideravelmente, a liquidez do Bitcoin
ARQUIVO
poderá domar emBAIXADO DA THEREBELS
parte a sua volatilidade, afastando SEM FINS LUCRATIVOS,
especuladores e favorecendo usos
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
mais racionais.
Não podemos nos esquecer, ainda, que o próprio protocolo do Bitcoin deverá
evoluir. Ele é o primeiro aplicativo escrito sobre a plataforma Blockchain, uma
revolucionária tecnologia de criar, trocar informações e armazená-las sem qualquer
intermediário. O Orkut foi transformador enquanto rede social, mas foi superado pelo
Facebook. Outros aplicativos como ICQ, MySpace e MSN tiveram seus momentos de
glória e foram fundamentais para catalisar os seus sucessores. Hoje temos Twitter,
LinkedIn, Instagram, dentre outros tantos. BlackBerry e Nokia também inauguram uma
época, e hoje cederam lugar a seus sucessores. Outras Altcoins poderão assumir o trono
e fazer ainda melhor que o Bitcoin. É possível que a mais completa moeda digital
sequer tenha sido inventada!
Além da finalidade monetária, diversas outras aplicações à Blockchain
inexoravelmente estão por serem lançadas. Seja como tecnologia de banco de dados,
como facilitador de pagamentos, transferência de propriedades ou com algum uso que
ainda não conhecemos, os fundamentos que deram origem à criptomoeda estarão
seguramente presentes de diversas formas em nosso dia a dia.
Talvez o principal legado de toda essa inovação seja a descentralização da confiança
e da segurança digitais. Antes concentrados sob uma autoridade central, um ponto único
e naturalmente vulnerável, parte-se agora para o compartilhamento ponto a ponto,
transparente, público, distribuído e consensual. Representa mais do que uma simples
quebra de paradigma técnico no intercâmbio de dados, traz uma ruptura na forma com
que os indivíduos se relacionam entre si. Aos enaltecedores da liberdade, trata-se de
uma inédita oportunidade na história mundial de o cidadão controlar seu próprio
dinheiro, sem necessidade de um órgão central, deixando uma marca eterna de
liberdade no mercado financeiro.
À época do advento da internet, não poderíamos ter previsto seus usos atuais em
todos os aspectos da vida. Da mesma forma, o Bitcoin é uma tecnologia Blockchain em
plena evolução, com enormes perspectivas, tanto para empresas quanto para
indivíduos.
Adicionalmente, o livre código da Blockchain favorecerá que mentes criativas
aliadas ao capital de investidores em tecnologia, desenvolvam no mundo todo novos
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
usos e aplicações com potencial de mudanças ainda inimagináveis.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
63. MARQUES, D. Não tenha medo do fork, só existe um Bitcoin. Guia do Bitcoin, 16 out. 2017. Disponível em:
<https://guiadobitcoin.com.br/nao-tenha-medo-do-fork-so-existe-um-bitcoin>. Acesso em: 21 nov. 2017.
64. O termo altcoin refere-se a qualquer criptomoeda que não o Bitcoin.
65. BLOG MERCADO BITCOIN. Bitcoin gold no mercado Bitcoin. 23 out. 2017. Disponível em:
<https://blog.mercadobitcoin.com.br/bitcoin-gold-no-mercado-bitcoin-bd1e2a44040b>. Acesso em: 11 nov. 2017.
66. CAETANO, R. Learning Bitcoin: embrace the new world of fiance by leveraging the power of crypto-
currencies using Bitcoin and the Blockchain. Birmingham: Packt Pub, 2015.
67. Filho de mãe solteira, negro, nasceu bem antes dos movimentos de direitos civis – no qual se destacou Martin
Luther King Jr. Williams tornou-se um dos economistas libertários mais brilhantes e influentes dos EUA. Segundo
Richard Rahn, do The Washington Times, foi abençoado por ter uma mãe trabalhadora e que transmitiu princípios da
educação e excelência a seu filho, apesar dos escassos recursos. Astuto o suficiente para agarrar oportunidades que
outros deixaram ignorar, entendeu que o trabalho duro pode resultar em uma vida melhor. Além disso, nunca teve
medo de modificar suas opiniões e tampouco de falar verdades ao poder, apesar das ameaças. Walter Williams é hoje
professor honorário de economia da George Mason University, autor de mais de uma dezena de livros e mais de uma
centena de publicações em notórios e respeitados periódicos acadêmicos.
RAHN, R. A towering success story. The Washington Times , 20 dez 2010. Disponível em:
<https://www.washingtontimes.com/news/2010/dec/20/a-towering-success-story>. Acesso em: 12 dez. 2017.
68. WILLIAMS, W. Poverty Is Easy to Explain. Foundation for Economic Education. 21 abr 2011. Disponível em:
<https://fee.org/articles/poverty-is-easy-to-explain>. Acesso em: 12 dez. 2017.
69. DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Economistas céticos face à valorização da moeda virtual ‘bitcoin’. Diário de Notícias,
1º dez. 2017. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/economistas-ceticos-face-a-valorizacao-da-moeda-
virtual-bitcoin-8958129.html>. Acesso em: 6 dez 2017.
70. TILLIER, M. Is Bitcoin in bubble trouble? Nasdaq, 30 nov. 2017. Disponível em:
<http://www.nasdaq.com/article/is-bitcoin-in-bubble-trouble-cm884905>. Acesso em: 18 dez. 2017.
71. LEE, T. B. The Bitcoin crash. Forbes, 7 ago. 2011. Disponível em:
<https://www.forbes.com/sites/timothylee/2011/08/07/the-bitcoin-crash>. Acesso em: 1º dez. 2017.
72. WORTH, C. Amidst the crypto carnage, technician says now could be your best chance to buy bitcoin. CNBC, 22
dez. 2017. Disponível em: <https://www.cnbc.com/video/2017/12/22/amidst-the-crypto-carnage-technician-says-now-
could-be-your-best-chance-to-buy-bitcoin.html>. Acesso em: 25 dez. 2017. [Adaptado]
73. REINGOLD, D. Confessions of a Wall Street analyst: a true story of inside information and corruption in the
stock market. New York: Collins, 2007.
74. PORTINARI, N. Bitcoin tem alta de 1.751% no ano, e discussão sobre bolha ganha força. Folha de S. Paulo, 18
dez. 2017. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1944099-bitcoin-tem-alta-de-1751-no-ano-
e-discussao-sobre-bolha-ganha-forca.shtml>. Acesso em: 20 dez. 2017.
75. POPPER, N. How the Winklevoss twins found vindicatino in a Bitcoin fortune. The New York Times , 19 dez.
2017. Disponível em: <https://www.nytimes.com/2017/12/19/technology/bitcoin-winklevoss-twins.html>. Acesso em: 3
jan. 2018.
76. DANNEN, C. Introducing ethereum and solidity: foundations of cryptocurrency and Blockchain programming
for beginners. New York: Apress, 2017.
77. KRAMBECK, D. IOTA: a cryptoplatform for securing transactions on the IoT. All About Circuits , 18 mar.
2017. Disponível em: <https://www.allaboutcircuits.com/news/iota-a-cryptoplatform-for-securing-transactions-on-the-
iot>. Acesso em: 10 dez. 2017.
78. VIGNA, P. The age of cryptocurrency: how bitcoin and digital money are challenging the global economic order.
New York: Picador, 2016.
79. AMÉRICO, F. Japão dá lição de regulamentação de criptomoedas a governos ocidentais. Guia do Bitcoin, 14
ARQUIVO
nov. BAIXADO
2017. Disponível DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
em: <https://guiadobitcoin.com.br/japao-da-licao-de-regulamentacao-de-criptomoedas-a-
governos-ocidentais>. Acesso em: 24 nov. 2017.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
80. NARAYANAN, A. Bitcoin and cryptocurrency technologies: a comprehensive introduction. Princeton, NJ:
Princeton University Press, 2016.
81. HIGGINS, S. Arizona Lawmakers Want to Let People Pay Taxes in Bitcoin. Coindesk, 11 jan. 2018. Disponível
em: <https://www.coindesk.com/arizona-lawmakers-want-let-people-pay-taxes-bitcoin>. Acesso em: 12 jan. 2018.
82. DINKINS, D. Banco Central Europeu está considerando regulamento do Bitcoin de acordo com membro do
Conselho. The Cointelegraph, 18 nov. 2017. Disponível em: <https://br.cointelegraph.com/news/european-central-
bank-considering-bitcoin-regulation-according-to-council-member>. Acesso em: 18 dez. 2017.
83. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Comunicado nº 31.379, de 16 nov. 2017. Alerta sobre os riscos decorrentes
de operações de guarda e negociação das denominadas moedas virtuais. Disponível em:
<http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?numero=31379&tipo=Comunicado&data=16/11/2017>.
Acesso em: 25 nov. 2017.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALVARENGA D. Ibovespa foi melhor investimento em 2017; veja ranking de aplicações. G1 Economia. 28
dezembro 2017. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/educacao-financeira/noticia/ibovespa-foi-melhor-
investimento-em-2017-veja-ranking-de-aplicacoes.ghtml>. Acesso em: 4 jan 2018.
AMÉRICO, F. Japão dá lição de regulamentação de criptomoedas a governos ocidentais. Guia do Bitcoin, 14 nov.
2017. Disponível em: <https://guiadobitcoin.com.br/japao-da-licao-de-regulamentacao-de-criptomoedas-a-
governos-ocidentais>. Acesso em: 24 nov. 2017.
ANTONOPOULOS, A. M. Mastering bitcoin: programming the open Blockchain. Sebastopol, CA: OReilly Media,
2017.
ASSAF FILHO, A. A tecnologia e a liberdade monetária. Administradores.com, 30 nov. 2017. Disponível em:
<http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/a-tecnologia-e-a-liberdade-monetaria/108165>.
Acesso em: 13 dez. 2017.
BANCO CENTRAL DO BRASIL. Comunicado nº 31.379, de 16 nov. 2017. Alerta sobre os riscos decorrentes de
operações de guarda e negociação das denominadas moedas virtuais. Disponível em:
<http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?
numero=31379&tipo=Comunicado&data=16/11/2017>. Acesso em: 25 nov. 2017.
BANCO CENTRAL DO BRASIL. O dinheiro no Brasil. Museu de Valores do Banco Central. Disponível em:
<http://www.bcb.gov.br/htms/museu-espacos/dinheirobrasileiro/histdinbr.asp?idpai=MUSEU>. Acesso em: 4 dez.
2017.
BARSKI, C. Bitcoin for the befuddled. San Francisco: No Starch Press, 2015.
BITCOIN MAGAZINE. Top 10 myths about Bitcoin. Nasdaq, 13 maio 2016. Disponível em:
<http://www.nasdaq.com/article/top-10-myths-about-bitcoin-cm620562>. Acesso em: 30 nov. 2017.
BLOG MERCADO BITCOIN. Bitcoin gold no mercado Bitcoin. 23 out. 2017. Disponível em:
<https://blog.mercadobitcoin.com.br/bitcoin-gold-no-mercado-bitcoin-bd1e2a44040b>. Acesso em: 11 nov. 2017.
BUCK, J. Bitcoin is 6th largest currency in the world by circulation. The Cointelegraph, 2 dez. 2017. Disponível em:
<https://cointelegraph.com/news/bitcoin-is-6th-largest-currency-in-the-world-by-circulation>. Acesso em: 3 dez.
2017.
BUY BITCOIN WORLDWIDE. The Bitcoin volatility index. Disponível em:
<https://www.buybitcoinworldwide.com/volatility-index>. Acesso em: 14 dez. 2017.
CAETANO, R. Learning Bitcoin: embrace the new world of fiance by leveraging the power of crypto-currencies
using Bitcoin and the Blockchain. Birmingham: Packt Pub, 2015.
CAMPOS, E. Cartões de crédito e débito movimentaram mais de R$ 1 trilhão em 2016. Valor Econômico, 10 jul.
2017. Disponível em: <http://www.valor.com.br/financas/5032900/cartoes-de-credito-e-debito-movimentaram-
mais-de-r-1-trilhao-em-2016>. Acesso em: 13 nov. 2017.
CREDIT CRITICS. A brief history of money. Disponível em: <https://creditcritics.com/a-brief-history-of-money>.
Acesso em: 26 nov. 2017.
DANNEN, C. Introducing ethereum and solidity: foundations of cryptocurrency and Blockchain programming for
beginners. New York: Apress, 2017.
DAVIES, S. How bitcoin and its blockchain work. Financial Times, 3 fev. 2015. Disponível em:
<https://www.ft.com/video/2be94381-66dc-3320-a292-6a1cde0a3d5f>. Acesso em: 13 nov. 2017.
DIÁRIO DE NOTÍCIAS. Economistas céticos face à valorização da moeda virtual ‘bitcoin’. Diário de Notícias, 1º
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,
dez. 2017. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/economistas-ceticos-face-a-valorizacao-da-moeda-
virtual-bitcoin-8958129.html>. Acesso em: 6 dez 2017.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
DINKINS, D. Banco Central Europeu está considerando regulamento do Bitcoin de acordo com membro do
Conselho. The Cointelegraph, 18 nov. 2017. Disponível em: <https://br.cointelegraph.com/news/european-
central-bank-considering-bitcoin-regulation-according-to-council-member>. Acesso em: 18 dez. 2017.
DIPIETRO, J. Day trading stocks the wall street way: a proprietary method for intra-day. Hoboken, NJ: John
Wiley & Sons, 2015.
DRESCHER, D. Blockchain basics: a non-technical introduction in 25 steps. New York: Apress, 2017.
EUCLIDES. Os elementos. Livro IX, Proposição.
FIGO, A. Quem comprou R$ 100 em bitcoins há seis anos hoje tem R$ 120 mil. Exame, 1º set. 2017. Disponível em:
<https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/quem-comprou-r-100-em-bitcoins-ha-seis-anos-hoje-tem-r-120-mil>.
Acesso em: 3 dez. 2017.
GAZETA DO POVO. Para 64% dos investidores institucionais, bitcoin é uma bolha, diz pesquisa. Gazeta do Povo, 7
dez. 2017. Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/economia/livre-iniciativa/para-64-dos-investidores-
institucionais-bitcoin-e-uma-bolha-diz-pesquisa-9w1vpu8y22gnke9qwhsnmmxy9>. Acesso em: 21 dez. 2017.
Great Internet Mersenne Prime Search. GIMPS, 7 jan. 2016. Disponível em: <https://www.mersenne.org>. Acesso
em: 21 dez. 2017.
HIGGINS, S. Arizona Lawmakers Want to Let People Pay Taxes in Bitcoin. Coindesk, 11 jan. 2018. Disponível em:
<https://www.coindesk.com/arizona-lawmakers-want-let-people-pay-taxes-bitcoin>. Acesso em: 12 jan. 2018.
HISTÓRIA DE TUDO. História do cheque. Disponível em: <http://www.historiadetudo.com/historia-do-cheque>.
Acesso em: 26 nov. 2017.
JARDIM, L. Bitcoins já atraem 1 milhão de brasileiros. O Globo, 10 dez. 2017. Disponível em:
<http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/bitcoins-ja-atraem-1-milhao-de-brasileiros.html>. Acesso em: 11
dez. 2017.
JEVONS, W. S. Money and the mechanism of exchange. New York: D. Appleton and Co, 1876.
KELLY, B. The Bitcoin big bang: how alternative currencies are about to change the world. Hoboken, NJ: John
Wiley & Sons, 2015.
KRAMBECK, D. IOTA: a cryptoplatform for securing transactions on the IoT. All About Circuits , 18 mar. 2017.
Disponível em: <https://www.allaboutcircuits.com/news/iota-a-cryptoplatform-for-securing-transactions-on-the-
iot>. Acesso em: 10 dez. 2017.
LANCELOT, R. Whats the deal with Bitcoins? Pennington, NY: People Tested, 2013.
LASZLO. Pizza for bitcoins? Bitcoin Forum, 18 maio 2010. Disponível em: <https://bitcointalk.org/index.php?
topic=137.0>. Acesso em: 22 dez. 2017.
LEE, T. B. The Bitcoin crash. Forbes, 7 ago. 2011. Disponível em:
<https://www.forbes.com/sites/timothylee/2011/08/07/the-bitcoin-crash>. Acesso em: 1º dez. 2017.
MARQUES, D. Não tenha medo do fork, só existe um Bitcoin. Guia do Bitcoin, 16 out. 2017. Disponível em:
<https://guiadobitcoin.com.br/nao-tenha-medo-do-fork-so-existe-um-bitcoin>. Acesso em: 21 nov. 2017.
MARTIN, K. JPMorgan Chase CEO Jamie Dimon regrets saying Bitcoin is a ‘fraud,’ but still isn’t interested in it.
Fox Business, 9 jan. 2018. Disponível em: <http://www.foxbusiness.com/markets/2018/01/09/exclusive-
jpmorgan-chase-chairman-ceo-jamie-dimon-regrets-saying-bitcoin-is-fraud-but-still-isnt-interested-in-it.html>.
Acesso em: 11 jan. 2018.
MEDREC. What is MedRec? Disponível em: <https://medrec.media.mit.edu>. Acesso em: 21 nov. 2017.
NAKAMOTO, S. Bitcoin: a peer-to-peer electronic cash system. Bitcoin.org, 1º nov. 2008. Disponível em:
<https://bitcoin.org/bitcoin.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2017.
NARAYANAN, A. Bitcoin and cryptocurrency technologies: a comprehensive introduction. Princeton, NJ:
Princeton University Press, 2016.
PETERSEIL, Y. Brexit turns Bitcoin into an unlikely haven currency: chart. Bloomberg, 8 jul. 2016. Disponível em:
<https://www.bloomberg.com/news/articles/2016-07-08/brexit-turns-bitcoin-into-an-unlikely-haven-currency-
chart>. Acesso em: 14 nov. 2017.
POPPER, N. Digital gold: Bitcoin and the inside story of the misfits and millionaires trying to reinvent money. New
ARQUIVO
York, NY: Harper, BAIXADO DA THEREBELS
an Imprint of HarperCollins, 2015. SEM FINS LUCRATIVOS,
POPPER, N. How the Winklevoss twins found vindicatino in a Bitcoin fortune. The New York Times, 19 dez. 2017.
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Disponível em: <https://www.nytimes.com/2017/12/19/technology/bitcoin-winklevoss-twins.html>. Acesso em: 3
jan. 2018.
PORTINARI, N. Bitcoin tem alta de 1.751% no ano, e discussão sobre bolha ganha força. Folha de S. Paulo, 18
dez. 2017. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/12/1944099-bitcoin-tem-alta-de-1751-no-
ano-e-discussao-sobre-bolha-ganha-forca.shtml>. Acesso em: 20 dez. 2017.
PRUSTY, N. Building Blockchain projects. Birmingham: PACKT Publishing Limited, 2017.
RAHN, R. A towering success story. The Washington Times , 20 dez 2010. Disponível em:
<https://www.washingtontimes.com/news/2010/dec/20/a-towering-success-story>. Acesso em: 12 dez. 2017.
RAVAL, S. Decentralized applications. Sebastopol, CA: OReilly Media, 2016.
REINGOLD, D. Confessions of a Wall Street analyst: a true story of inside information and corruption in the stock
market. New York: Collins, 2007.
REVISTA VEJA. Cientistas descobrem o maior número primo – e ele tem mais de 22 milhões de dígitos. Veja, 6
maio 2016. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/ciencia/cientistas-descobrem-o-maior-numero-primo-e-ele-
tem-mais-de-22-milhoes-de-digitos>. Acesso em: 21 dez. 2017.
ROLIM, L. Blockchain: entenda o que é e como funciona essa tecnologia revolucionária! Disponível em:
<https://atlasproj.com/blog/blockchain-como-funciona>. Acesso em: 12 dez. 2017.
SANTINO, R. Entenda por que os números primos são importantes nos dias atuais. Olhar Digital, 21 jan. 2016.
Disponível em: < https://olhardigital.com.br/fique_seguro/noticia/entenda-por-que-os-numeros-primos-sao-
importantes-nos-dias-atuais/54584 >. Acesso em: 20 dez. 2017.
SCHIAVON, G. Mineração de Bitcoin: entenda como funciona. Foxbit, 24 out. 2016. Disponível em:
<https://blog.foxbit.com.br/mineracao-de-bitcoin-entenda-como-funciona>. Acesso em: 21 nov. 2017.
SCHIAVON, G. Os bitcoins vão acabar? Entenda a marca dos 21 milhões de BTC. Foxbit, 10 abr. 2017. Disponível
em: <https://blog.foxbit.com.br/os-bitcoins-vao-acabar-entenda-marca-dos-21-milhoes-de-btc>. Acesso em: 10
dez. 2017.
SCHUMPETER, J. A. History of economic analysis. London: Routledge, 1994.
SUPERINTERESSANTE. Como surgiu o dinheiro? Superinteressante, 31 out. 2016. Disponível em:
<https://super.abril.com.br/cultura/como-surgiu-o-dinheiro>. Acesso em: 1º dez. 2017.
SWAN, M. Blockchain: blueprint for a new economy. Sebastopol, CA: OReilly Media, 2015.
SZMIGIELSKI, A. Bitcoin essentials: gain insights into Bitcoin, a cryptocurrency and a powerful technology, to
optimize your Bitcoin mining techniques. Birmingham: Packt Publishing, 2016.
TAPSCOTT, D. Blockchain revolution: how the technology behind bitcoin is changing money, business, and the
world. New York: Portfolio-Penguin, 2016.
TILLIER, M. Is Bitcoin in bubble trouble? Nasdaq, 30 nov. 2017. Disponível em: <http://www.nasdaq.com/article/is-
bitcoin-in-bubble-trouble-cm884905>. Acesso em: 18 dez. 2017.
TRADINGVIEW. Bitcoin: 2017 year of the bulls. 22 dez. 2017. Disponível em:
<https://www.tradingview.com/chart/BTCUSD/ZrcaxO5C-Bitcoin-2017-year-of-the-bulls>. Acesso em: 23 dez.
2017.
URBAN, R. Bitcoin Is the new crisis currency. Bloomberg, 17 nov. 2017. Disponível em:
<https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-11-17/bitcoin-emerges-as-crisis-currency-in-hotspots-such-as-
zimbabwe>. Acesso em: 20 dez. 2017.
VERSIGNASSI, A. Crash: uma breve história da economia. São Paulo: Leya, 2011.
VIANNA, J. J. L. Elementos de arithmetica. 15. ed. Rio de Janeiro: 1914. p. 59.
VIGNA, P. The age of cryptocurrency: how bitcoin and digital money are challenging the global economic order.
New York: Picador, 2016.
WEATHERFORD, J. A história do dinheiro. Rio de Janeiro: Campus, 2005.
W I K I P E D I A . Legality of bitcoin by country or territory. Disponível em:
<https://en.wikipedia.org/wiki/Legality_of_bitcoin_by_country_or_territory>. Acesso em: 15 dez. 2017.
W I K I P E D I A . Mineração de Bitcoin. Disponível em:
ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Minera%C3%A7%C3%A3o_de_Bitcoin>. FINS
Acesso em: 23LUCRATIVOS,
nov. 2017.
WIKIPEDIA. Número primo. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/N%C3%BAmero_primo>. Acesso em:
APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
19 dez. 2017.
WIKIPEDIA. Prime number. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Prime_number>. Acesso em: 19 dez.
2017.
WILLIAMS, W. Poverty Is Easy to Explain. Foundation for Economic Education. 21 abr 2011. Disponível em:
<https://fee.org/articles/poverty-is-easy-to-explain>. Acesso em: 12 dez. 2017.
WORTH, C. Amidst the crypto carnage, technician says now could be your best chance to buy bitcoin. CNBC, 22
dez. 2017. Disponível em: <https://www.cnbc.com/video/2017/12/22/amidst-the-crypto-carnage-technician-says-
now-could-be-your-best-chance-to-buy-bitcoin.html>. Acesso em: 25 dez. 2017. [Adaptado]

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
SOBRE O AUTOR

Eduardo H.K. Oliveira tem 31 anos, é médico formado pela Universidade de


Brasília em 2009. Posteriormente, especializou-se em dermatologia e concluiu
seus estudos em cirurgia e oncologia cutânea no Reino Unido. Também é ex-
professor universitário, empresário, investidor e um verdadeiro entusiasta de
tecnologia. É aficionado por soluções que proponham transformar a vida das
pessoas.
Despertado desde muito jovem para a educação financeira, também demonstrou
engajamento no estudo de política, economia e empreendedorismo. Iniciou seus
estudos em moedas virtuais em 2013 e, devido à crescente busca por novas
informações sobre esse assunto, decidiu escrever esta obra com o intuito de
compartilhar seus conhecimentos.

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.
Dúvidas, sugestões ou críticas?
Envie um e-mail para:
omanualdobitcoin@gmail.com
Ou acesse:
www.omanualdobitcoin.com

ARQUIVO BAIXADO DA THEREBELS SEM FINS LUCRATIVOS,


APENAS PARA CONHECIMENTO. SE VOCÊ PAGOU POR ELE
VOCÊ FOI ENGANADO.