Você está na página 1de 86

1 L)t (.

:()
SECREL\R!Á DF ED C•\ÇÃC DJST•\\CJA
I3RÁSIL
pRocrtAJ1A NACiONAL DL [ORf\ÁÇiI) EH PÚBLICA

ABRIL DE 2009
MINISTÉRiO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
UNTVERSIDADE ABERTA DO BRASIL
PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ADMiNISTRAÇÃO PÚBLICA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO


BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
MODALiDADE A DiSTÂNCIA

Equipe de ela boraçào:

Pro? D?. Eliane Moreira Sá de Souza UFG —

Coordenadora
ProP D? Neiva de Araújo Marques UFMT —

Prof. MSc. Oreste Preti UFMT


Prof. Dr. Paulo Guedes UFBA


Prof MSc Otto Benar R. de Farias UPE


-

ProL MSe Luis Othon Bastos UPE


-
Projeto Pedagógico do Curso

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO


a) Nome do Curso:
BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

b) Proponente:
UPE Fundação Universidade de Pernambuco
-

c) Público-Alvo:
Concluintes do segundo grau. que residam nas regiões dos municípios Pólos de Apoio
Presencial do Curso de Administração Pública da LAR selecionados por meio de
processo seletivo de ingresso na UPE.

d) Número de Vagas:
Serão ofertadas até 180 (cento e oitenta) vagas, distribuidas nos Pólos de Apoio
Presencial do Curso em Pernambuco, com abrangência aos municípios
circunvizinhos.

e) Forma de Ingresso:
Processo Seletivo

f) Duração do Curso:
Mínimo 8 e máximo 12 semestres para integralização curricular.

g) Previsão para início das atividades:


Processo seletivo: Julho 2009
Início atividades: Fevereiro 2010

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


5
Projeto Pedagógico do Curso

2. INTRODUÇÃO
O Projeto Universidade Aberta do Brasil — IJAB foi criado pelo Ministério da
Educação, em 2005, no âmbito do Fórum das Estatais pela Educação, para a articulação
e integração de um sistema nacional de educação superior a distância, em caráter
experimental, visando sistematizar as ações, programas, projetos, atividades
pertencentes às políticas públicas voltadas para a ampliação e interiorização da oferta do
ensino superior gratuito e de qualidade no Brasil.
Objetivando a consecução e fomento dos cursos da UAB, e consequentemente, a
democratização, expansão e interiorização da oferta de ensino superior público, e da
formação de gestores públicos, o Ministério de Educação, por meio da Secretaria de
Educação a Distancia — SEED, estimula a oferta do curso de Administração Pública na
modalidade a distância, operacionalizado pelas instituições Públicas de Ensino
Superior, de acordo com os instrumentos legais emanados pela UAB.
O Curso Bacharelado em Administração Pública vem ao encontro das
necessidades das organizações públicas contemporâneas, que buscam gestores com
visão holistica das ações administrativas e políticas governamentais, capacitados para
exercitar a gestão na esfera regional, nacional e internacional, de forma a contribuir para
o alcance dos objetivos da nação.
Para atender a demanda pela formação superior de gestores públicos no Estado
de Pernambuco, incluindo seus mais distantes municípios, a UPE - Fundação
Universidade de Pernambuco oferta o curso de Administração Pública na modalidade a
distância (EaD), como forma eficaz para ampliar o número de beneficiários da formação
superior gratuita e de qualidade, cumprindo assim sua missão e colaborando com o
desenvolvimento da sociedade brasileira.
O projeto pedagógico do curso está pautado na observância aos dispositivos
legais e dispositivos regimentares Institucionais, entre eles:

LDB — Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n° 9.394, de


20.12.1996);

0’ DCN — Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Administração,


Bacharelado (Resolução CNE/CES n°4 de 13.07.2005);

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


6
Projeto Pedagógico do Curso

SJNAES — Dispositivos legais e orientações do Sistema Nacional de


Avaliação da Educação Superior;

As Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração —

Bacharelado estabelecem uma estrutura mínima para o projeto pedagógico do curso,


contemplando os elementos estruturais abaixo, os quais integram este projeto:

1. objetivos gerais do curso, contextualizados em relação às suas inserções


institucional, política, geográfica e social;

II. condições objetivas de oferta e a vocação do curso;

III. cargas horárias das atividades didáticas e da integralização do curso;

IV. formas de realização da interdisciplinaridade;

V. modos de integração entre teoria e prática;

VI. formas de avaliação do ensino e da aprendizagem;

VII. modos de integração entre graduação e pós-graduação;

VIII. incentivo à pesquisa, como necessário prolongamento da atividade de


ensino e como instrumento para a iniciação científica;

IX. concepção e composição das atividades de estágio curricular


supervisionado, suas diferentes formas e condições de realização;

X. concepção e composição das atividades complementares;

XI. inclusão de trabalho de conclusão de curso sob as modalidades


monografia, projeto de iniciação científica ou projetos de atividades,
centrados em campo teórico-prático ou de formação profissional; e

XII. especificação de cursos de pós-graduação lato-sensu e siricto-sensu,


caracterizando a educação continuada.

O Curso de Administração Pública será ofertado na modalidade a distância. É


importante compreender que a Educação a Distância (EaD) não pode ser reduzida a
questões metodológicas, ou à simples gestão acadêmico-administrativa, ou como
possibilidade apenas de emprego de Novas Tecnologias da Comunicação (NTCs) na
prática docente e no processo formativo dos estudantes.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


7
Projeto Pedagógico do Curso

Não existe uma metodologia de Educação a Distância (EaD) e, menos ainda, um


“modelo” único na oferta de cursos a distância. Cada instituição, ao longo desses anos,
vem construindo sua experiência em EaD e se ajustando à modalidade, dando-lhe
identidade, calcada na realidade local e na trajetória da instituição e dos profissionais
que atuam na EaD.
Cabe esclarecer que nesse projeto não estão definidos os aspectos
procedimentais para as IPES, no que diz respeito ao modelo de gestão e de organização
do curso. Isso será definido no projeto pedagógico de cada instituição. O que está
acenado aqui são os aspectos gerais sobre a modalidade de EaD, em sua dimensão
conceitual e de gestão, para que seja garantida a qualidade na formação profissional dos
estudantes deste curso.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


8
O.

O Esudo ch± c: iïru :j,, 1;:: . ji.


e um distrito (o
Arquipélago de L:err:r
• J’-rr’ ;:t-- u- S,3 mil im2. Nele
habitavam, *7. Lt_LcE :-.5 }J-QsLcff }usNLE:,. , fKtruio No: úese, onde o
Estado de Perr-:ir- -.rrJ: 1
( EN.L -rEo dc 51,5 milhões
de habitantes.

Er:2Ç’:uoH! ..::u’
, ci75?:oicPiBregionai
- - - --

O LDi c;..ji.: . *- z-J..: c:gi2o Nordeste


(0,749), OJZFtLH e:. - !::: :, - EE.::. ::.:n :ILIF:.p51 erro (0,
816).

Nos i1u reucnvrs f:,EV.c’’ ‘.t ï]EEEiE) :[1.: :v:::::cuc:sErvrivtrLo de sua


atividade eccrd uma :.L::j !E*E
- o - E tem
acompanicco -.‘_:‘
‘u -‘ — - -

O L5O’) :——u --v- -


J- )callzaçâo
estratégica que ii:.: C’:::::: c. *-:r- - -: ;:;uitindo o

escoaniemo uc Nu-i :.tj:s: :‘ Ct HY, ,r OS ( -“ .u:::-) : 1: 5


Çj vias estados
brasileiros, mL -
-
cc Hc.: - .::Z -cv. :ZJE: :;cc.EZ-,::t r. ica LO Norte,

União uropdia, Ásia e, ;i’’ua jLu,çijl e Africa.

2. Recife’ e sua tKeíu - [círopoUl

O Reciiè e CaruL.: c:’: cc !--Nc:’. Cmi - sec-.u:c’c ‘ib da Reiào

1Nordeste e inai--r r—:nca ;r-n cc-nila ccci cc. e ÇvES : ucn[rc v-m oriio dc si o maior
mercado C(-’c-: “-.,‘- .rzcc:c:) C.u.H e V:”!ZS ;. es com

popuiaçao sJrc’:. : :: ,c .,:‘::crv ::c -

O Recifbd cii2acc—cccL. -e ie unui Rcgiàc \ ctlopohana uuc agTcga 14 municípios

e que, no ano dc 2(07, ii — uma ‘dci Laçïc dc me. :-: 2,5 mi! dc hahiantes. A

Bachareiado em Adnnn:scr< -. ão POr:: a. - ,ob.; E,


avO- ca
Projeto Pedagógico do Curso

Região Metropolitana do Recife se constitui em uma das maiores concentrações urbanas


do Brasil. Essa Região Metropolitana oferece um amplo leque de infra-estrutura e
serviços, o que a torna um local privilegiado tanto para os que nela habitam como para
aqueles que estão em busca de um local com vantagens comparativas positivas para
instalar os seus empreendimentos.

O Recife é conhecido corno centro de um sofisticado comércio varejista regional


e centro de uma área de cultura e lazer que atrai não só o cidadão local, mas também
turistas brasileiros e estrangeiros. A cidade dispõe de um aeroporto bem equipado — o
Aeroporto Internacional dos Guararapes - com ligações nacionais e internacionais
regulares. Esse aeroporto movimenta, atualmente, mais de 5 milhões de
passageiros/ano, com capacidade para absorver um crescimento adicional desse
contingente decorrente do crescimento das atividades econômicas e do movimento
turístico, em Pernambuco e na Região Nordeste.

Ao Sul, dentro ainda dos limites da Região Metropolitana do Recife, entre os


municípios do Cabo de Santo Agostinho e de Ipojuca, encontra-se o moderno Porto de
Suape e seu Complexo industrial.

3. Atividade Econômica

A economia de Pernambuco vem experimentando uma profunda transformação


na sua base. De uma base agrícola, há 40 atrás centrada no plantio em larga escala de
cana-de-açúcar, a economia evoluiu, com uma mudança em direção a uma centralização
no setor serviços. A atividade sucro-alcooleira, entretanto, passou por um significativo
processo de modernização e mesmo tendo, atualmente, uma menor participação na
formação do PIE estadual, a atividade tem se concentrado, de forma eficiente, na
produção de biocombustivel.

Nos últimos 20 anos, a base industrial do Estado se diversificou. Pernambuco tem


hoje um parque industrial fortemente baseado na indústria de transformação, incluindo
os setores de produção de bebidas, química, têxtil, metalurgia e confecções.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distancia


10
Projeto Pedagógico do Curso

Nos últimos quatro anos a economia de Pernambuco vem experimentando uma


verdadeira revolução por conta de grandes investimentos que estão se instalando no
Estado. E o motor dessa revolução é o Complexo Industrial Portuário de Suape.

Três grandes projetos, denominados de Empreendimentos Estruturadores, estão


sendo implantados no Complexo Industrial Portuário de Suape: Uma Refinaria de
Petróleo, com investimentos de U$S 4,5 bilhões, um Complexo Petroquímico e Têxtil,
onde serão investidos USS 1,2 bilhão e um Estaleiro Naval, especializado na construção
de grandes navios, com investimentos de U$S 670 milhões. Com isso, o Estado está
experimentando um grande impulso na dinamização da sua produção industrial.

Ao lado das 81 empresas já instaladas no Complexo, outros novos negócios


encontram-se em implantação (alguns deles já prestes a entrar em operação), com
investimentos que somam U$S 7,0 bilhões. Diversos outros projetos estão sendo
negociados entre o Governo do Estado e o setor privado, cujos investimentos somam
U$S 10,0 bilhões.

Ao lado do Complexo Industrial Portuário de Suape, devem ser mencionados


outros importantes vetores do desenvolvimento do Estado. São eles:

• pólo de informática, cuja base localizada na cidade do Recife, com mais de 250
empresas instaladas apresentou, em 2008, faturamento superior a US$ 260
milhões;
• pólo de serviços médicos, concentrado na Região Metropolitana do Recife, o
qual com sua avançada tecnologia e profissionais qualificados absorve 15 % da
demanda por serviços de saúde de outros estados nordestinos;
• pólo têxtil da Região do Agreste;
• pólo gesseiro do Sertão do Araripe, onde 312 empresas, em 2007, extrairam e
beneficiaram 5,2 milhões de toneladas de gipsita;
• agricultura irrigada do 7
alc do São Francisco, atividade que coloca a região
como segundo maior produtor de frutas do Brasil e que responde por 42% das
exportações brasileiras de frutas in natura (US$ 645,0 milhões em 2007). A
fronteira da agricultura irrigada com as águas do Rio São Francisco deverá ser

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância


11
Projeto Pedagógico do Curso

consideravelmente ampliada em Pernambuco, a partir da construção do Canal do


Sertão (onde serão investidos US$ 1,2 bilhão) e da implantação do Projeto de
Transposição do Rio São Francisco (orçado em US$ 2,0 bilhões); e
• indústria do turismo, com ênfase no pólo turistico centrado no litoral, onde
estão sendo implantados empreendimentos turísticos privados (hotéis e resoris)
com investimentos que totalizam US$ 1,5 bilhão.

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


12
‘< —

7, — —
N

ií-•t:.
,,

1 —

• E f.E T
Especificamenr, 1k- — dl) esta piaiicjado para
serofertadoemtrês(3)Ht

2 S — 60

--.--
60
3

Na figura :. ;)S (DS de Apoio


Presencial escolhitL c nnicíoios
inseridos em espaço e

P8

-—

a” ‘

BachareadaemA(-!::H . .r:a.:--.4c, a :1
Projeto Pedagógico do Curso

5. ASPECTOS INSTITUCIONAIS
A Fundação Universidade de Pernambuco (UPE) é uma universidade pública
estadual situada no Recife, no Estado de Pernambuco, Brasil.

Em 1966, as faculdades de Ciências Médicas de Pernambuco (findada em 1950), de


Odontologia de Pernambuco (1955), de Enfermagem Nossa Senhora das Graças
(1945), de Ciências da Administração de Pernambuco (1965) se uniram com a
Escola Politécnica de Pernambuco (1912) para formar o núcleo inicial da Fundação
ck Ensino Superior de Pernambuco FESP, que viria a se transformar, no inicio da
-

década de 90, na Universidade de Pernambuco, adquirindo caráter público e


assumindo o seu papel social.

Viriam, ainda, na década de 70 se juntar a Escola Superior de Educação Física


(findada em 1946) e as Faculdades de Formação de Professores de Garanhuns
(1966), de Nazaré da Mata (1966) e de Petrolina (1968).

Em 1976 foi criado o Instituto de Ciências Biológicas, como unidade centralizadora


das disciplinas básicas dos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem e
Educação Física. Mais recentemente (2007) foram criadas Faculdades de Ciência e
Tecnologia nos municípios de Caruaru e Salgueiro.

Desta forma, a UPE possui um campus descentralizado e espalhado por diversas


cidades do estado (Camaru, Garanhuns, Nazaré da Mata, Petrolina e Salgueiro),
além de haver implantado o curso de Ciências Biológicas (Licenciatura em
Biologia) à Distância nos municípios de Fernando de Noronha, Garanhuns, Nazaré
da Mata, Ouricuri, Palmares, Petrolina, Serra Talhada, Surubim e Tabira, além do
município de Campina Grande, no estado da Paraíba.

5.1. Missão

Contribuir para o desenvolvimento sustentável de Pernambuco através do ensino, da


pesquisa e da extensão universitária.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


14
Projeto Pedagógico do Curso

5.2 VISÃO

Ser reconhecida, até 2022, pela sociedade e diversas instâncias de governo, por
sua contribuição para o desenvolvimento sustentável em todas as regiões do Estado, em
razão da sua excelência no ensino, na pesquisa e na extensão universitária, assumindo-
se, definitivamente, como Universidade estatal, pública e gratuita.

5.2. PRINCÍPIOS E VAWRE5

Excelência em serviços, integridade, comprometimento com o desenvolvimento


econômico e social de Pernambuco r compromisso contra todas as formas de exclusão
social.

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância


15
. . - . .-,
-. --

(. rtl L

-:.:-.

a. [)RETF Z:ES íM-EtOD 1.íV/S /•

A.proposta rneiod c c.ao {oao.: ,t:’’t--- i:r.:: .i--L ao —ceHuieS diretrizes.

1. i’.Tortear a ConceocL(, aoïozJo ,


a - uoc.• aios coi ict moçaios a sereni
trabalhados no cOHo, ao nioa ac:dJo! o icOLOjil os tipos de
saberes que Jje saio o--co 001 0- eN>o,ars s scnedades do
Século XXT. os ft cLnalcoico . e (a-- írcj;r. scOs dos campos
de conliecimentn cis «-ooca< o 01*000 o
desenvolvimento (io:;tpiL(o . ao 0000ívio ético e
responsáveq

11. Promover oca:: 0000- 05:0 °c-0 ‘:-


---..

.
lifl5

envolvidos :0 a nhí:::i: Cc..001 e cc ijicação, bem


como suas respoLON :0 .daiu-- o r o o-.volvimento
do pensa:uen:o ooa:- e 0: (o:,’:

111. Selecionar caias O C0-;tOIJ_;0\:]LJ :.h[niL.Oi i(oo:iia;’oI;ic-, o- coidextos

das realidades vi [00- noS» 0(0,0-sO o-:. .j.lrvnH-’. p0: de trabalho


etr:lRPu 0015 050-05 1
0c0. e,

IV Adota-a uni c:1p::er1:hs:a :0:’, :raia’i:eoa- tio Rc::::, e conteúdos,


recusando posicio Fi004 utos unilaicraR, ):iata\a)s ou ciouuinános; e

V Nortear as t[°’aie ri lo,o-:a 05100101/0000-, segundo uma


concepçio que- 0-sus:c e acv:o: -Ha:: :.oTr: ::0- o informação e
tornada de cnJduca de pmhHn:a e didcu]Jade-, com o objetivo de
resolv& os.

VI. Em sinlese, as cOl/es do curso dci cli- 1


(-O[LLL a; ftruação que
pr1vHeue co:npete:iea i-s. ou tis e po:’ icus, oaseadas nos
aspectos:

Bacharetado em Adrnnistração 0ü50:a [iaiaaie a ida J


Projeto Pedagógico do Curso

0’ técnico-científico, condizente com as exigências que a gestão pública


contemporânea impõe; e

0’ ético-humanístico e político-social, que a formação do cidadão e do gestor


público requer.

6.2. DIMENSÕES DE FORMAÇÃO

A formação e o perfil do administrador público serão expressos através de duas


dimensões:

1. epistemológica: que diz respeito à escolha e aos recortes teórico-


metodológicos das áreas e disciplinas ligadas ao currículo da
Administração Pública; e

II. profissionalizante: que, implicando a primeira, diz respeito aos suportes


teórico-práticos que possibilitam uma compreensão do fazer do
administrador público e a construção de competências para atuação em
todas as suas relações sociopolíticas, culturais e nas perspectivas da moral
e da ética.

6.3. AsPEcTos DO CURSO

A concepção do Curso de Bacharelado em Administração Pública está voltada


para a formação de egressos capazes de atuarem de forma eficiente e eficaz no contexto
da gestão pública, à luz da ética, buscando contribuir para o alcance dos objetivos e
desenvolvimento das organizações governamentais e não governamentais, de forma a
possibilitá-las atender às necessidades e ao desenvolvimento da sociedade.

Para tal, o curso contempla sólida formação nas teorias administrativas e


enfatiza o desenvolvimento de competências necessárias ao bom desempenho
profissional do gestor público, além de formação generalista, permitindo definir um

Bacharelado em Administração Pública, modahdade a distância


17
Projeto Pedagógico do Curso

perfil de administrador moderno, capacitado a planejar, organizar, dirigir e controlar a


ação e as políticas públicas nas diversas esferas de poder e de governo.
Buscando oportunizar a formação de profissionais para atuarem como gestores
em áreas especificas da adminstração pública, o curso oferece três Linhas de Formação
Específica (LFE), ampliando competências e agregando ao egresso habilidades para o
exercício da gestão pública na área por ele escolhida.
Acenando para a educação continuada, por meio de um elo entre graduação e
pós-graduação, serão ofertadas a critério de cada (IPES) três LFEs, sendo indicadas
inicialmente as seguintes linhas:

Linha de formação em Gestão Pública da Saúde;

fr Linha de formação em Gestão Municipal;

Linha de formação em Desenvolvimento Local Sustentável;

O projeto pedagógico do curso procura valorizar a formação de atitudes de


reflexão, de busca de inovações, de prospecção e criação de caminhos próprios que
possam suprir as necessidades da gestão pública e permitir a atuação nos processos
operacionais e decisórios sob a égide do conhecimento, da ética, da cidadania e da
humanidade.
O desenvolvimento dos aspectos estruttrais do curso de Administração Pública,
sua vocação e organização caracterizam-se pelos seguintes elementos compositivos:

1. Transversalidade — Os conteúdos sempre que vinculados a outras


disciplinas, serão estudados de forma integrada, perpassados por questões
ligadas aos aspectos éticos, de transparência, de inovação e de
sustentabilidade. isso possibilitará aos autores dos textos didáticos e aos
estudantes a construção holi stica de determinado tema.

II. Atividades Acadêmicas Articuladas ao Ensino — envolvendo discentes em


práticas de pesquisa e extensão, com o objetivo de despertar nestes,
atitudes de investigação, de reflexão, de análise critica e de prospecção de
soluções inovadoras, além de propiciar vivências administrativas inseridas
nos setores produtivos e de serviços. Dentre as atividades Acadêmicas
Articuladas ao Ensino encontram-se os seminários temáticos, que
possibilitam o desenvolvimento de pesquisas, articulando atividades

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância


18
Projeto Pedagógico do Curso

acadêmicas com as necessidades do Estado e da sociedade, como também


a realização do Estágio Supervisionado, inserindo o discente em atividades
reais de administração pública, aprimorando assim a sua formação
profissional.

111. Trabalho de Conclusão de Curso — TCC — que consiste na elaboração de


uma monografia desenvolvida pelo acadêmico, ao longo dos Seminários
Temáticos distribuidos nos Módulos V, VI, VII e VIII, com foco nos
conteúdos de gestão pública estudados no curso e aplicados à área da Linha
de Formação Específica escolhida pelo acadêmico. No TCC, o estudante
deverá demonstrar domínio significativo do conteúdo programático do
curso, dos procedimentos metodológicos da pesquisa e das normas técnicas
de elaboração de uma monografia. Os TCCs aprovados integrarão o acervo
do curso, enriquecendo as fontes de pesquisa para desenvolvimento do
pensamento administrativo dos acadêmicos. A defesa do trabalho será
continuada, a cada semestre, integrando atividades dos Seminários
Temáticos nos encontros presenciais e será assistida por estudantes do
curso, disseminando assim as pesquisas desenvolvidas e a visão holística
das organizações.

6.3.1. Objetivo Geral

Formar profissionais com amplo conhecimento de Administração Pública,


capazes de atuarem no âmbito federal, estadual e municipal, administrando com
competência as organizações governamentais e não-governamentais, de modo pró-ativo,
democrático e ético, tendo em vista a transformação e o desenvolvimento da sociedade e
do país.

6.3.2. Objetivos Específicos

Os objetivos específicos do curso são:

1. Oportunizar a conscientização do estudante para agir dentro de princípios


éticos, morais, legais e civicos, promovendo o ser humano como força de
trabalho e capital intelectual.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


19
Projeto Pedagógico do Curso

II. Propiciar formação integral do egresso de tal forma a permitir-lhe


pesquisar, estudar, analisar, interpretar, planejar, implantar, coordenar e
controlar ações no campo da administração, fazendo vigorar a legislação
profissional e normas éticas a que está sujeita a gestão.

III. Formar profissionais capazes de ampliar os níveis de competitividade


organizacional frente ao dinamismo das transformações no âmbito interno
e externo às organizações.

IV. Capacitar o estudante para enfrentar os desafios e as peculiaridades locais e


regionais e do próprio mercado de trabalho, considerando a fhnção social
que deve exercer, por meio de formação sólida que lhe dê um
embasamento de cultura geral, complementado pela visão holística em sua
dimensão humanística e técnica.

V. Preparar o estudante para atuar como gestor, envolvendo-se com decisões,


estratégias e adversidades, buscando estabelecer vantagens competitivas no
mercado globalizado, frente às mudanças impostas pelo ambiente.

VI. Preparar lideranças para a administração pública, gerar novos


empreendedores e capacitar mão-de-obra já inserida no mercado para
atuação na gestão pública.

VII. Despertar no estudante o interesse de capacitar-se como gestor público


empreendedor, gerente e técnico preparado para enfrentar as mais
diferentes situações de mercado e de necessidades da sociedade, com
liderança, iniciativa e criatividade para interferir na realidade, antecipando-
se aos fatos ou adequando-se às novastendências.

6.4. PERFIL DO EGRESSO

O curso de Administração da UPE está organizado visando formação de


profissionais com perfil aderente àquele demandado pelas organizações públicas
contemporâneas, permitindo, por meio de disciplinas obrigatórias, da linha de formação
específica, dos seminários temáticos, do estágio supervisionado e do Trabalho de
Conclusão de Curso, a formação de competências que preparem o egresso às
contingências da gestão pública.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


20
Projeto Pedagógico do Curso

As organizações públicas modernas buscam o administrador generalista, integral


e integrado, notadamente um agente de mudanças, que gere novos conhecimentos e
caminhos para o aprimoramento e o desenvolvimento socioeconómico, político, técnico
e cultural. Em outras palavras, um profissional autodidata, detentor de amplo portfólio
de conhecimento, consciente da continua necessidade de aprofúndamento do
conhecimento da Administração Pública e atualização das interfaces entre esta e outras
áreas relacionadas, especialmente as afins, sem perder de vista as descobertas daquelas
colTelatas, uma vez que qualquer que seja o objeto de trabalho, ele estará inserido no
contexto integral de uma sociedade globalizada.
Para atender às expectativas dessa sociedade emergente, o curso Bacharelado em
Administração Pública procura formar profissionais de competência sólida e moderna,
em condições plenas de atuação eficiente e eficaz, preocupados com a relevância social
do produto de seus trabalhos, apresentando habilidades para pró-atividade e
criatividade; raciocínio lógico, crítico e analítico; visão sistêmica e estratégica para
negociações, tomada de decisão, liderança e trabalhos em equipe.
O egresso do curso de Administração Pública estará apto a:

1. atuar e desenvolver atividades específicas da gestão nas organizações


públicas e participar da elaboração, do planejamento, da coordenação e do
controle de políticas públicas;

II. compreender de forma sistêmica o meio social, político, econômico e


cultural onde está inserido e assim tomar decisões em um contexto
diversificado e interdependente da área pública, promovendo o
estreitamento das relações entre Governo e Sociedade Civil;

III. empreender e promover transformações de forma interdisciplinar,


compreendendo a necessidade do continuo aperfeiçoamento profissional e
do desenvolvimento da autoconfiança. participando da modernização e
inovação das estruturas e fbncionamento do Serviço Público;

IV. expressar-se e comunicar-se com clareza e assertividade;

V. promover com determinação e vontade política e administrativa a educação


continuada de servidores públicos;

VI. liderar processos de mudança das desigualdades e de exclusão econômica e


social;

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


21
Projeto Pedagógico do Curso

VII. adequar os recursos financeiros, fisicos e tecnológicos visando o bem-


estar coletivo e promover processos democráticos participativos no âmbito
estatal que possibilite a iniciativa e o desenvolvimento pleno das pessoas;

VIII. reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar


estrategicamente, introduzir modificações nos processos organizacionais,
atuar preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos e exercer,
em diferentes graus de complexidade, o processo da tomada de decisão;

IX. refletir e atuar criticamente sobre a esfera da produção de serviços


públicos, compreendendo sua posição e função na estrutura produtiva sob
seu controle e gerenciamento;

X. desenvolver raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores e


formulações matemáticas presentes nas relações formais e causais entre
fenômenos produtivos, administrativos e de controle em diferentes
contextos organizacionais e sociais; e

XI. elaborar, implementar e consolidar projetos, realizar consultoria e


auditoria, elaborar pareceres e pericias administrativas em organizações
públicas.

6.5. ORGANIZAÇÃO CuRRIcuLAR

A estrutura curricular do curso contempla disciplinas cujos conteúdos revelam as


inter-relações das dimensões da realidade público-privado, nacional-internacional e das
esferas federal, estadual e municipal, numa perspectiva histórica e contextualizada de
sua aplicabilidade no âmbito das organizações e do meio, utilizando tecnologias
inovadoras assim como atendendo aos seguintes campos interligados de formação,
conforme especificado nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para os Cursos de
Administração:

1. Conteúdos de Formação Básica — relacionados com estudos


antropológicos, sociológicos, filosóficos, psicológicos, ético-profissionais,
políticos, comportamentais, econômicos e contábeis, bem como os

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 22


Projeto Pedagógico do Curso

relacionados com as tecnologias da comunicação e da informação e das


c:cias jurídicas. at: a. éS à Economta.
Sociologia Organizaciona. Loonomia Hrasileira. Psicologia
Orgarzactoii&. e Lcn. ( -éi.: i’:c:z. :{ai!J,ade GeraL
Macroeconomia: Contabilidade Publica. instituições de Direito Público e
.‘:! acu. LeU!:an: :ifuu.a; ÇILU. UU:liiDt1dL,VO,

Negociação e Arbitragem. Auditoria e ( ontroiadoiia. e Politicas Publicas e

li Cometidos de Fosnação Profissional relacionados com as arcas


esoec;tica. .zJL: a--. .:.r::J- e I:s ja::nações e a
adini nistração de recursos tiu!nanos. mercado e niarketi u. materiais
úrodoç:o e -zsT:ca. .ah:-E- e -:..,t xa:.t.: t:.Ju

planejamento estrat egico e serviços, por meio das discíphnas: Teorias da


;,,,/— ,. ,,‘-, -. •!‘
1 :;, .4’;.fl:

4 .ÇJ. r:,:’_c’:2j Ç -
i.t

Elaboração e Gestão ae Projetos. Orçamento Publico - Administração


Estrateiea. !e.•ia .,.

Pubiicas. i’ianeaniento e F’romzramacão na .\dniinistração Pública. Gest&o


- ,_ t_& ,. --‘ --- .-— -

Sistemas de informação e Comunicação no Público. 1 cunologia e


----r--- ‘—-—---“--t-

.Amhientai e Sustentabidade

iii. Contcudos de Escudos QumiIHL1L: eu:tgs — auangendu


1 - - . ti - - ...
pestiuSct ,i,tLa.i&,iu:. iiaLL2,&tL4. e ..,

ap Hcaçao de tecrioogia s que com n 0w: m para a uutm içan e iit :1 ;zaçao de
estrategias e jTfliP teenlados nas
disciplinas Matemática pma -\dminsnadores. Estatistica Apmicada a
- .,,..,.., O..

de conteudos transversams apresentados eni outras disciplinas.

- (Joatci&os de frorm:ç:. ( ‘_2.;:: - —


u-Jes caate: u’ansversa! e
-. - -. r.-’- -
c;uv L( L-LLi n31Jil1JO.

contempiados nos sem;nanos temaucos. armvmaues cornpmenientares e nas

discpitnas InfrmHci-’ ctn;:.i;adoe Reçan OficiaL


Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração. Ltnuua Brasileira

Racharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


23
Projeto Pedagógico do Curso

de Sinais (LIBRAS): Seminário Integrador. Seminário Temático 1. 11 e flI;


Seminário Temátcu 1. 11.1!! clv das La::!:as defertuaçio 1. Ile III.

As disciplinas Eletivas intewariio um dos Conteúdos de Formação descritos


ae,
ï
1j. de acçrdo c,ú as :espec::\z, e:t:e.:as,

6.6. CARGA H0RÁRIA


A carua horária total do curso contempla 3,000 horas

6.7. MATRIZ CuRRICuLAR


As disciplinas que inteuram a matriz curricWar estão distribuidas em oito
MóduL e são de catw eta.

T. Obrigatória que garantem o perfil desejado para o egresso. totalizando


, •1’ 1.
o±as.

II. Optativa que. totalizando 80 horas. compreende: M horas relativas as


dscpltrsas !nta!tc a:’ü .U
:
1 si.:;e&. RcdeçA Ullca Ou Lna
Brasileira de Sinais (LIBRASt ofertadas nos Môdulos 1. li ou III: e 120
horas rciatnas às :p!iúas :!1te9amua iif !;fl! de ttrnuç&’
específica do curso

A distribuição da carga horária para integralizaçào do curricuto do Curso de


s
1 traçL Pubhca esta repre.sentada ita,xc,
Admin

Bacharelado em Mmlnistraç3o Pública, modalidade a distância


24
-
E Á ‘.)9J:zR LUL’•’ na COE]8 ‘UDE

;‘
Prc?to- cC se

Bachare]ado em Admr srracãc P :a, mecE 5aL a sY ia )


Projeto Pedagógico do Curso

r
LU ::rnvvrtr:t—r.. r ft.er?i Q-ratcria

-,-, -
Metodocia ce EStLcc e c -‘eçi,- -

Arr-.

28 Negocaco e Arbinem FP Cera OHip*na

29 r., ..:rrr:)P:::::, n..


--_____ —

ir
•— - ;.. - —
. cit- — —-.- ..-. — .-.- .

Pchticas ubllcs e Scceoace 60 Pub. 0br.gat?jr

32 orcze.Çz.”rccess Tc-rc-cs.: : 50

33 :. .:
:.

-.

34 : Redação C’ri —____________ (-er& Qt2tp.


.rer’-2*F t-r -: 2v

-- ,e:v . 0:..

1
3:,err:i::re;c E. .i-

-:-

:E;T’..’Z..

.E.E.
: Serr:r;r,c, ...
: . : frUI .


ri

41 ‘spryunirin Tpmficri E.: i-— . / . . . v’: -‘::rE. j:nal’.-.-.

. 5pninr:’n Trnt:co :.: -, :1: LíE .:: 2 30

A3
- .
o -i-,
--: .--- -
. .-—-

4—:
.. : Çktpmç flP ,nrnrrn:n ç Lrmvn:r-E.r:v, E.
-
— ,
.1.:

LL-.. - - :_ - —-

E. E.,--.:
)tL,-,r-..-’ •_CiI-c.-’--i-cr -. -- —- —CO

-c - -

ç’ nO EEO E.---

.-i, — —- — --- --
r
-

*flflr.:ri:--I.flÇ:V :)!E . - --

im:v.j — E, Oerc -

(:, (3erE

50 Yec,,.e .,ç.E.,. *

ES Conteúdos-: Forrneço ca

FP Cor-teE.-ç-/: 1,.

EQT Cgn:-:ús On::zxu-z: ss Tecn&r

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


27
Projeto Pedagógico do Curso

6.8. CONTEÚDO PROGRAMÁTIc0

O ementaTo das dscinhinas esta deflndo no Anexo 2

6.9. DISCIPLINAS ELETIVAS

São disciplinas ofertadas a partir do C


6
Modulo, cujos conteudos remetem a
ternas emergentes e/ou nossibilitam adequar a formação do gestor publico á demanda

Empreendedorismo Governamental

Fundarnemos do denição e oriuem: migração do Estado


x mhbco: razões
do empreendedorismo. Gestão E oreendedora anaiisedecenarios: deniificacão de

por resultados: Perfil e Comportamento Empreendedor síndromes, mitos.


caracte!’!siiras. hnh!V:ace nata .ionipcna ente aerend:ic. empreendedor
intraempreendedoi’, e emoreendedo; es ‘ai ecico

Referências Básicas

GERBER, T\j.ci:.e
r ;7.p7’c’!//7’ 7 :9!hf , ‘o Taujo Fundamento,
20(34.

REZENDE Deins Aicdes, CASTUi flçmo o \‘ dkei de Jobi in I’Jw,ekmze,no


Evirategico Wwu.Ãpv/ u’p:een...eu. suo pai tItApaO o lias uit’aaes P efe mias e
¶JictJiiL%1iC5 rue: eu :\:u Je:,’U. L1

Referências Compiernertares

_ARI\1AJNJ. Domingos. 7 ‘nmn &/L/l’ø) jn o/t:í’i’ Guia J>; oic.o para Elaboração e Gestão

de Projetos Sociais. Porto Alegre. Tomo EditoriaL 2002.

B i’DETR,., (‘vnl ‘nn 4;n’eit:i&r a t,nq :‘iIn fel Ju de ‘ora F- da 2

• r2
“b” ‘““‘““ ‘. -‘

‘lflrç
uii.\çoriarra uci LflSUI. LtYJ...

MINTZBERG, Henry. AHLSTRAND. Bruce. LAMPEL, Joseph. .Vitár: de esirategm.


Porto Alegre: Bookman, 2000.

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a dist5ncia


28
Projeto Pedagógico do Curso

SOLONC4 Davi !/‘-‘ ii y.”::-r:u’j&Pnbi:r 2 ed Santa


Catarina Biblioteca LH’c-rstp!’a

Gestão da Qualidade no Setor Público -

Considerações sobre o setopúbiEco Quabdacie c cetos e orinoipios. Planejamento e


:-.i.ii fltrT-pz f;u;trIanr,
— -

cpfl,rnc
—-.-.--%...- ------.------“-‘------‘-,“.t”

- -._‘<-
:Ç. ¼....: ... ..t..:

çrÇø?tSrz,zÇ

-.
-

-: - .!;neifo Bocfl. i9:

FTTZSiPtIO’. :‘-f-u !T3’..t\i\!(\ j;-, h---•--


Pont’Aegr# fl1O;i-iT

CA1\li

1 CS. \-:oen! Fal:m!f’’ 1r;: !e:- . :-; ::: !ra!-ano :o diaa
Be!o !-lori-zonLe: LElC. ;z.::.:.zu -- -J

-
;hj ‘}u’

DEMTNG. W. dada J i;iaJaLLJ ia Zísu.J. Pio da Janeiro


Marques-Saraiva. iu

DE\-UNU. \,:!oaN Euru .‘U;U cfl:-c ;- 14 hc- z- p;;a controLe de


c--._n_ :- •—
rUuij. LU’.3

.iorenii TL (jP.V\ -½. Frr E -

5* Puni: Makrn
jçflra’.’.—T-Ti! o1

a ‘
e e aa a’e
‘m produtos e- ser’iço \2fl -‘ru:I ;•aO’

Saraiva 200:-

SCi-iENNER Rouer W .ÍdJ??huo:ft*n do f.1\7J cn,”-o,ion:-. Slo Paulo Futura.


logo

Análise e Prospecção de Problemas Nacionais

robena Nacionav co tem crãne:* mctodo& de cEeutificacho. cauaoterizaçao. analise

Nac!c-nals
n:erceuen-aenc:a e i:c-:uhce entre Poderes e ooes na LverrL omar em des!aque

Bacharejado em Adninistraçáo Pública, rnodaidade a distância


29
-c: C:..:

.rT/rT4. - -

http://www.nalijsouzaweb.br.com/educacao brasil.pdf

-:-<

-
-- Z -

ittp
z- scieIohrscieo php?pid=SO 100-
-

5742008OO0200004&script=sciarttext&tlngpr

Bachareiado em AdmLnist!aco Pú-bHca, meçi -- a


Projeto Pedagógico do Curso

SCHETN’VAR Esteia .ALGEBAI [E E’.-ehne (Orus (‘onve//iospn-ncipu!iT’os e


escola Rio de Janeiro: Lamparina. 2004

SCFIWARTZMAJ\, Simon. ris flfl(St[% chI/)(Efl’ZL Rio de Janeiro. FGV. 2007.

sicsu. Joo {(.frg A!V’v*h.?fÇtfl 1,’ -


--;ui: j.2’: j-’;?j- —ira
São Paulo: Boitenipo Editorial, 2007

\- IkNN k Mana Iucnt Wene:k .4;,,- ‘in i:;&d 4] k- ei vi’ c/,s 4ça’jutk,Socga/
no BrasiL Rio de janeiro: Revan, IUPEIU. 1998.

6.10. SEMINÁRI0s TEMÁTICOS

Para contribuir também com a iormaçao uliegrai do profissional da


.--‘-‘-- flL,.,. ;-----.,
,c: çc,.;,..

Foram pensados como um dos elementos centrais cio processo de aprendizagem do


- ‘ u::;_ i- -::.:u;..-
•••%•‘‘ - ‘“•‘•‘-‘

:u:-ç. cc

pesquisa sobre e no cotidiano das praticas de adminisiração

O estudante realizará pesquisa sobre determinado fltto, relacionado com a realidade em


‘_i
— - — —

estudo serão apresentados duran?e os encoulros presenciais


Kt’. \ir; 1 v:’; ,r:;r--’r

promover a inserção e a integração do estudante como o curso na modalidade a


dEstánca, sendo r-ornmado co-mo- Semna!1o ntegrador
A partir do segundo Módulo os Seminários Temáticos possLbi nam a aplicação
.__a .-.—-----
- —
-----—

púhkcas e revelando caráter sistémico do comportamento organizacional. Os


Çøm:nr;-iQ T: tL-nQ -—-
-’r—--
1 \:if ir .r-;r:tnpn
— ---——-------——--
r’p Fnvmrn

Especifica 1. li e lii das quais uma deverá ser escoibida pelo estudante para

Nos \ioduios II. lii e lv o estudante realizara pesquisa e um diagnostico sobre o


:arrne da 1FF 1 Semiráric ieP-2T:Ç’ i. -da LIL SemiEar-c- ematicc 1h e da LEI
iii (Seminario Temáiico Jilï o que possihiiiraraac-ompreensãu macrn da Linha de
rø1rt .:. rii. — f}r ;‘i, :., H- :nittc
r-’---’”-’” -

Formação Especifica que irá dirigir sua formação, elaborando, no Seminário Temático 1
da LF’E. um projelo de pesquisa, a partir de um problema denuFcado na fàse de

Bacharelado em Administraçào Pública, modalidade a distância


31
Projeto Pedagógico do Curso

diagnóstico e fundamentado na literatura estudada nos seminários. Nos Seminários


‘_‘%___%_“__‘_‘_“•“
2 r-,

relatório em foi-maio de TCC.


Os Seminanos icmat!cos sorão sempre rcceddos dc p!ancjamenio especfco,
podendo incluir modalidades diversas de traba’ho: grupos de trabalho. oficinas,
.Oflti c:ttLa. ijatç: ‘JL:XaUL. peiti dIt2flaUV. LLU U,

professores e aberto ao publico interessado em Êzeral

6.11. EsTÁGIo SUPERVISIONADO

O estágio supervisionado, totalizando 300 horas correspondentes a 10% do total


rin ‘c.rrrrr,n , Í?p:,:n’.vc-, in

UPE, apresentado no Ànexo 1.

As aiiv;daôes de Eswo Supervisionado scrão rcaiizadas durante os Módulos \,


VI VII e V! ;r rçç.:sç rtP4H2 ans

Semiflci iO
-

tCiTI<itituS II. LL c tias LI


A...,4.,,.
rD1Ui, e ::au • -. az .z autarj

saberes, fazendo pontes entre a prática e teoria, entre o mundo académico e o campo
p-rotlsE!002!. entre o- Rio no mundod zraba!ho e o ofhar critico sobre ee

6.12. ATIVIDADES COMPLEMENTARES

As atividades complementares compreendem 20 horas. correspondentes a 4%


ua z.c:aY c&tzzz:zc.’,:-4r.z:
.—.

A oferta das atividades que as compreende será de livre escolha de cada IPES.

1’ Dtsctphnas Redacao Oficial e lnforuiaf;ca para Admtn;stradores: podem


ser ofertadas para os estudantes que não as escolheram como optativas.
Oficnas com o obcn’-o de apbcar os co’.ec!mcntns teoncos,
propiciando vi éncias práticas no uso dos métodos e instrumentos da
gestão ç-uhlica Devem ser aphradas de forma presencial. podendo ser
realizadas em cada módulo ou concentradas em módulos específicos.

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância


32
Projeto Pedagógico cio Curso

fr Palestras e Seminários: cujos temas permelem a gestão pública.

fr Visitas Técnicas.
Colaboraçfto em Pesquisas

6.13. ATIvIDADEs DE NIvELAMENTo


Para contribuir também com reforço de conteúdos básicos para os estudos
quantitativos. era ofertado ao estudante a disciplina \lanmatica liásica. corno conteúdo
de nivelamento, que não integra a matriz curricular. contudo retbrça os estudos
realizados no 2’ s,rau.

MATEMÁTICA BÁSICA —60 horas —4 créditos

Conjuntos e Relaçóes. Potenciação, Radiação, Loarh mo e Exponencial. Produtos


Notáveis. Razão. Proporção e Porcentagcm. [rações. Lquaçõcs de !* 2” graus.
Inequações de 1° grau. Aplicações.

Referências Básicas

LEITHOLD 1 ‘ tis I s’en’ct’i” 4p1’.”:idfT?’ ? (‘fP”T’li’ :#?4fl1”fÇ :“fl Snc’ Pt!úo


Harbra. 1988,

BEZERRA Manoei .1 k’UlNOlÇl .lcie Cados ,\nu Ikei’rcs Matemaxka ç2’ Grau).
Volume tinico. 4. cd. São Paulo: Scipione, 1996.

Referências Complementares
WEBER, Jean E. .i it/t’flhiftcYtIklla &‘n,lomui (‘.14i111111s!raçâo. 2. ei São Paulo:
Harpa&. Row do Brasil. 1986.

ALENCAR Flt.ETt3 r4gs’ dc ieora ,,Ieme,nor cbm c.npnno à 5 ai. são Paulo.
Nobel, 1974

Bacharelado em Administração PGblica, modalidade a tistância


33
OD .••“

° ••‘
: 4
,,_

n • 1. •
• .14 1’
— 1 1)3

‘ r • .4) •
4.. «44 1
w •1 •I ..t
(‘1
•..
o.. ••‘.• :4) .
ç
‘:1
••ii .4

(1)

1
1n ‘.4
(3
0 “ ::i
..

* ,

O) . .

(3
..
: 1

01

1
1
::.“

•‘ ,1 :i’• ;.
LI.

..

o
(0
o
0
o
(1
o
4., 0’n
•i) o.
0O

(4 o

(1) ,.,I.) (.4


:

(4) .4
Projeto Pedagógico do Curso

O Curso de Adniinistraco Í’ub!ica na modaHciade a chsncia possui estrutura


aut1:rii1uati Jçu.

O euLt. e uJ’ante a-ad no çu e cite irá estudar “a


dsiància:

$ P:uí.. crer .
..2ur-c. .-2!iJÇ]i, do ;oateflatS -I;datcos
(Emnressus e:OC: er Ambje-nies Virtuais de Àirendlzaem):

fr !-‘::.c.u ;::.:
de determinada
(1scn)! ina no curso:

Pr. f-:s!-o[cs Ç J>ZL-


c
3 . .

..:jaz. :e 1
:os—gradL
a ção da
PLS ou com orojelo esuectco com a ftLnçito de acompanhar o
- ..:.:::_..
:...r:...:..t
- r---.

todu. ou a1oLtr d seus s s:stma: rara eu atnhiar 10 f0CC550 de

Tutoes (1! ee!!cnn::. -iOJ!O!ii . :!unu! e?St”!J \±nmstracão, Ou em

áreas afins. aiunnjç: nu “ai ri: na tpsijju[c; Eles


tÇU .t;:!r.JÇ L!..LU:u .
- tç. ..:

caminhada. Recebem fErmaco em EaD. antes de inciarern suas


aU -. ra

‘tu o’ ic ftipc’ e ‘‘ u-r —--- jr de A clrmnist aca

‘tuto’es a cBstauca - -eendera CIO ssema tutoria aC!otaclo pela


iiUntLiU C çza U:1uÇ !:lÇr u:Lu.MUIIaL3

Adm:irsraço os munic ios Poins. e

:ze
ações !DanJa(as ia euuipe pedac ica e de unodução de material

A figura abaixo esquemanza a estrulura ai! 1:straruopeoagogIca do Curso.

Bachareado em Administração Pública, modalidade a distância


35
Projeto Pedagógico do Curso

1 - Concepek do curso
Ei±bçir,uáo do matrid dilij
4 Acomparihamato eAvhaco
> Pcsquisa

:
Prcjesscires e
•1
Pesquitacores
-‘
Faeuldrd:
Instiftto
— /z Prote!sores Autores j
7V 7/
UAfi

ii NúcleodeFaD
ESTUQANTES

-EglipePedagóQica
e
-Colejiado
L’rcTcaet3Q Fo aIøre
icsfÍuP.:os h
Apoio Tei e
LuQisiIc.

OL:. ao s;ftd.nte -Apoio


C-cqieco du curso “

>‘ PIanerne,to > Pedaoóco


)- flCS.
— ?utcogr!vu
> Mol&rorfi

Fu.q2eR
Llidubca
> Ori.ri1ador
Av&iadora

fl’w:. t ;:;v: disiflneia


Fonte: Adapwda cio Prch (11%

Assim oruanizadi a ‘5nstirwcão e;ishiant& node oft’vecer saber atualizado

conhecimentos iistnmiemai.s (a render a aprender. v!sanclo educação Dermanente do


cidadão e estando compromssada com o
[‘aia tal. nessa rga zaç: dever s:a•r iesene ccrisiaiurene
0 k es: :zrz-a .rza:-a: crosTa

crodução e chstr!huicão cjcs’,nater!as d!daticos. de gestão de


ti Ç a1 ÇiÃUiLCflÇfli e de
a\aiiação. e os Poios de Ãoio Preencia!

Bacharelado em Adniinistraço PúbHca, modalidade a distância


36
1 te,.
>‘
‘4
g ) e-e.’
‘:‘
1
-a 4, O
e)

g 4 (e) e)
o e c’ e,,
m e — “

a 1 o ele
71 ‘7
e’ v
2
e) e) O () ‘Çi
e, (e) (‘4 0 l ar
4’O
e) e;) F?t. Ç o
4’) t± o o
C-) co (‘O (e) Da
o

ia
— — e 12
, se
o e) O es
“7, na
na —
a) 1» n CD
fl) (a’)
e, (e) r o eh ei 5-t
e» (e) o
.1 - 9
: 1*
e)
e)
4’)
:5)
-
‘e)
“4
-

ir
e)

1
‘te
z‘*4
(1’
‘1
ti)
(‘O

e)
a 4) e)
ele )
) li
1
se, 3,
“e re4 e)
e)
a,
e’ ‘O
e) 4’)
.ee,
) te, )
n’a te e, 1,
1’)
n
‘a
e’ * e;)
a,
)
.3 e’,
e,,
“4 e.
a)

e. e’
e) ‘e — - ‘li
O -a i
4+
(‘O ‘a
de (e) • ‘!
‘e
na e-’
t e)
: 1 ..‘ e (e’)
e.)
1,
- e-,
‘1 (3

• ‘e) ‘o - ••,. :4
— ;
:, 1 I’eI ‘0 ra
tb’ 2 .7: na
‘j o ‘e ‘e—
(—e o
‘-a
£0 2 ,
. .
(a,
-t r
<e, • e ‘a
1, .1 L • ‘-4
- :t ‘4, na
‘e)
(Á) -e
o.,
° “ N a
i - V4 2 rM 4t,
2
o
(4 e.;
e)
í’
‘e
(e)
e
p
1
e e 00
,, ,, o (e) vi eh
c“a O
r.

Bachar&ado em Aàm!nstraço PúbUca, mDd• ade a st’icia


tu o. •:‘
o) CI (4 (II
n 3
• e,
o) •1

a;
RO
6 —
o $
o1 (e.
o 4) ‘e) :
m 4, e’, « •
o II
3 tI,
e ci. O
“e • o
CI ç
.1 r.ei e.. ri
1
•fl 7’ 4 te t••
‘1 e — t1
— t

• 1”
—.
.4. ntn
II., “e->
.4 e)
e, e., 1
L.
-I Co’
4
n
o,
4,
“e
e..
‘e’: - o
•se.

.. 1
3o
4
;i
i:
o. e’
e e:—,
1)1 4: CL’ •4
o. E — “e.

o, 1
• e j.•
a
$1: —e
• : •
e: te-e -)
r..
E;;:,,
a,
-, • -
(D
9—

1: 13
1
e) j• o ‘
. rt
4t 4.
te
-
te.. ‘l r
(e) e)
1
li
il •1
r ——
e, 4, e) o
o’
“h
pi
e.;.,
ri
‘e.
CL’ e. ‘o, e’
o,
o ?. •
a CI.,
‘e, o 1:) • ( t
$4 ‘e,
r
e’l b
a 4: o
j a
a; — 4 3
1.
., n
‘A
oL2
o p
te, c. “ . :
1» (ti ,
(e, e) se 4, o,
;
Projeto Pedagógico do Curso

manutenção dos nucleos tecnolôszicos na UPE e nos Pólos. que dêem


suporte á rede conunicaciona1 prevista para o curso: e

OI’fl1 zaço de wn sistuma conumcac:onaI .m[te O:. diIC elueN !k-,los e a

UPE

Produção de Material Didático

O material didatico confhura-sc como dinamzador da construção curricuiar e

A estrutura pedagógica de EaD do Curso de Administração Pública conta com

Especialistas em Ead:
Pçznnr nrnr4nrindr

Programadores visuais:

Especialistas em TIC.

ao estudante. acompanhá-lo e motivá-lo ao aprendizado.

8.1. SELEÇÃO DE PROFESSORES TUTORES

8.2. SISTEMA DE TUT0RIA

A tutoria no curso de Administração Pública como componente findamental do


.t..U:fl;;

curso Nesse sentido, o tutor não deve ser concebido como sendo um -facilitador” da
aprenazagem, ou um anïmaaor. ou um
A tutoria é um dos elementos do processo educativo que possibilita a
•.çy (4Ç.
ç:aLaavu ‘.;L1.”t. ‘_

tempo/espaço da escola tradicional, O processo dialógico que se estabelece entre


DtL4V.QjiLÇ UL’J’U’..’’. LUU.fl - tJ U.’::’..J flJL4iLttJ au

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


40
Projeto Pedagógico do Curso

“distância”. deve estar ennanentemenre em contato com o estudante, mediante a


1taiL’a1Cirau uu ‘JlaU4fl..U, Ciii UitU! i:v, U f.CiLiitLl, C.pCLaLiVa. a

realizaØes. as duvidas, as difictudades sejam elementos dínamizadores desse processo


I”a fase de p!:neiar?eto. o tu:or cre discuro com os
professores formadores, a respeito dos conteúdos a serem trabalhados, do material
2.1ç,,,4,, Á À.
a uLanLauu. Uti pupota :I:çuLi’JluL4’,4, ,‘lU’ÇU UÇ aç.utjaima1tscrtuu

avaliação de aprendizagem, dos Sendnários Teraizicos e dc’ Estágio Supervisionado.

avaliação do percurso 1e cada estudante sob sua orientação: era que nivel cognitivo se
OiiU11Ua. t{UC z.uCaplCzU:ia. CÇ uiua-U ciii ifliitiUC

construtivo. se- reproduz o coadecimerso sociaimente roduzido necessario para


compreensão da rea::cado. reconstroi coanacutontos. ¶2 C CC r&nc:orar tec-na

prática. se consulta hibiiog-ratia de aooio. se reaiiza as tarefas e exercicios propostos,


uuuui, u,iual1tc pala

estudar. se particpa de oranizaçdes uicadas a sua Dormaçao profissionais ou a

Além uiso. o tutor de;’e neste orocesso de acomranhamento. estimular motivar


iajuçC. ‘U’ i:;.,C Li ‘iiLiÇiiltiÇ ifliLiiU

atividades a cadmcas e de aorer-:jz::em

formação especIfica. em rermos dos aspectos poticCedag(5gEcos eia educação a


ij GjÇJ.. ÇUIj,J :flÇJL.a u.j zJ.

oportuniznoa pela 1 ‘-‘L.a nau-os co miaR’ au curso e ao orn CO curso

r
....Ofl’iO ,,Cdt Os —
c:i,t._.. £ L’Ç L,,LLO ukn_..,I Uu’
nó.,
tIL

.‘crher-re Nirtec. com ro:ursoa de furum. chat. hihoteca virtual.


rtrcs::orio de tarefris cue;tEonhros recursos de
..--

fr ielefone

ø e-mel.

Bacharelado em Administraçao Pública, modalidade a distância


41
Projeto Pedagógico do Curso

8.3. ENCONTROS PRESENCIAIS

Os encontros presenciais serão motivos de amplo planejamento. envolvendo os


—‘ ‘-‘-‘-‘-,- -a--

serem contempladas incluem-se avaliação do desempenho discente, apresentação de


à h$Â.., ÂçLL..- 4... Tr’t ....:... •Ár.L...,.
paicua, uzç11u:ua. ltt.. v:ILa, tÇiiaa’

social da comunidade académica.

8.4. CONTROLE DA PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DO MATERIAL


DIDÁTICO

O controle da produção e distribuição do material didático será realizado por


ti::: : jIUCUU tyÇ.fl L1’J Ç ::a4i LI 1—.

Bacharelado em Administraç5o Pública, modalidade a distância


42
o •C so

A..:..t .Á.
Das1ca
- . - .

-
Projeto Pedagógico do Curso

? adequação do sistema de tutona.

adequação do Arnbíeruc \ irical de Awendizagem

qualidade do maieriai uurresso e da muftmídia nittat!va

qualidade e adequação do atendimento administrativo;

desempenho da coordenação do curso, e

eficácia do proarania

Corno instrumentos de avaliação serão utilizados os instrumentos do processo de


pctkIpr,An u—

A estrutura de EaD projetada rara o curso possibilita a intnração das ações dos

como a prática de acompanhamento efetivo do estudante e sua svaliaçao em dimensão

Os resu!tados das avaiacoes deverão ser unhzados com a função de


!-etroa!lmefltar os subss:emas :-c: -: o ay::rora’: .

de qualidade e eficácia.

9.3. AvAuAçÃo DE APRENDIZAGEM

O processo de avaliação de aprendizagem na Educação a Distãnci& embora se

considerações especiais em aiguns aspectos.


.-..

ser a de obter dos estudantes não a capacidadc de reproduzir Heias ou informações, mas
-L-.
a aja,uaLLC

criticamente frente às situações concretas que se lhes apresene”

a presença fisica do professor Por este motivo, faz-se necessário desenvoiser método de
estudo md;—-:-dua! e em aru”o “ara que n ncadém!co osa:

cascar iracraçao ocrmancutc cora os ccncaas. os ororessores formaaores e


com os orientadores todas as vezes que sentir necessidade:

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


44
Projeto Pedagógico do Curso

k÷,.- CjiI-ffiII-(
OUt% ní--’-
S, (ItÂ,’ %, “..? I.!OL)í.,,”O
i;.-,Ã

cesenvo’ 0’ aeu)aç;nrne (‘e nunose e euuorao%o de ;ulzos proprios.

O trabalho do autor, então, ao organizar o material didático do curso de


Adm3n5traçãoeublsca. e levar o cswda a uucst açoo doe juga saber e.
principalmente para que questione os principios subjacentes a case saber
Nebe atinJo, a :L:ào leeua-o:ai:ea c-ou o;-ero:’. o oo t-aarnemo

dos conteúdos selecionados para o curso de Administração Pública e a relação


intersubjetiva e dlaio!ca entre rrofcssc’rcswdantc. mcdada 00-! textos, e ffindamental.
O que interessa. nortanto, no rocesso dc toaltação de aprendizaorn é analisar a
-

1 CIzA’ ::‘ L;-r :,:L:::u :. ‘1 - cus-c:c::u:

possa atuar dentro de seus linnes sobre o -que o impede de acir para transtbrmar aquilo
_—,;,,i—.._— -.
,iÇflQ ::flucL’,’.c OU :‘

Por isso, e importante desencadear recesoae nuhaoão quo possibilite analisar


como se realiza não -e-u- ot\itoeflLO ou -datit 03 ÇU-LidiUu-D. mas também
como se realiza o sureimento de outras formas de conhecmenro. obtidas de sua prática
1
edes
c -ia.aoarrroos
uaex
ct;::nc:azoc:a ’.ooanoearso
p-:ri er

A5 avaliações do uesernr-enn-a co’esTudiar:e serão rezi:tas odeia normas vkientes


4 Pi ,---‘-r; o;

O estudante será avaliado em três situações distintas:

durante o da-; ctsct’,aoortr’.r tvraes re :za-its a chstància

como pesquisas. exercicios. e outras tarefas pianejadas para o

fr durme os eneonuos oresenciaR o .n::: do reuli,-oção de pro\as.


apresentação de trabalhos e realização de outras tarefas propostas no
-rnr’rr, 3

do- e-uso. .a:o se-No: taTO’ do TEr a :a-: cH\t defesa em banca

exan’ i na aora

Ncssas situaçõca dc avalaçào, os tutores c os proícssorcs formadores deverão


estar atentos nara ohs&r-ar e azer o :oostro nos so,rtjtjates asrortoo a prrvtuçi.-s escota

do estudante. seu método de estudo. sua arricipação nos Encontros Presenciais. nos

Bachareládo em Administração Púbhca, modalidade a distáncia


45
Projeto Pedagágico do Curso

fói-uns e nos bate-papos se ele está acompanhando e compreendendo o conteúdo


proposto em cada unia das discpiina. se e capaz de cccicnameuios cntco-reflexivos
frente ás abordazens trabalhadas e frente á sua prática pronssiona! (dimenso cognitiva)
e na reaIízaço dc estudos de caso e de oesau:sa.aoartir cc oropos:cõcs temaUcas
relacionadas ao seu campo de formação profissional, entre outros flitores.

Bacharelado em Administraçáo Pública, modalidade a distância


4.6
LL
- -:
.:.:;:
:‘•‘‘
Li)
i’1 1
i c’_,
l ri 1

tL’- <L) .
. . ,__(f
- (1::
: .. .
:
—.
:. ..
•:. .
-:
: .1
-..
:•
<1
LI
ri)
O
cl
o
lo
Li’
Lii
L,i
ci
1.’
40
Li
1;
Eo)
II:
o
1:— -U
ri)
o)
CL) LI)
—.
1t
Li
‘-J Ci)
1:) LI: (o
co
Ir ito

1H: i

Iii í•,[IIi:.1 )Ii


•1 1 .

1H; .10

:111

:i EI: 1
.Hjl;iiC
1 CC lL: 1
o 1H
.
.
,rFIYOCIIií
ANEXO 2— EMENTÁRI0
As ementas referentes aos módulos da estrutura etirricular apresentada
constituem-se dc:

MÓDULO 1

FILOSOFIA E ÉTICA —60 horas —4 créditos

Ementa:
Conect. dç. t.k;..tia: t;k.st.1a ...v,i.a k..;tt:jü c vn.o at. dc persar. F;losotia e outras
formas de conhecimento humano. Características gerais dos grandes períodos da
história da filosofia. Conceito ae &ica. Ética corno problema teórico e como problema
prático. Ética e responsabilidade Teorias morais. Útica e “ética profissional” Ética e
política.

Referências Básicas
CIJAUI. Maj-i!ena. (‘m’ftetfl/:xnfl
i ScPauk’: Ática. IQQ$. (NB: Esta obra. além de
4
ser boa em si, está disponível inegr&menLe em .siias da inlernel).

MARCiX’d)fIS. Damio ,exuAv huxtais di’ :iüx pa. 2. kxn cc Janaro Jorge 7ahar,
2000.

Referências Complementares
APEL. !r!-Otto. .&t- frr :1: y:c”ry:: Petrépc!s: V’zes. ?‘d,

HADOT, Pietre. O que éfilosqfia amiga? Sào Paulo: Loyola, 1999.

MARCONDES, Danilo. Textos búdcos ck’ Ética: de Platão a Fouçault. Rio de Janeiro:
Zahar, 2007.

PLATÂO. A República. São Paulo: Mania Claret, 2002.

VASQUEZ, Adolfo Sni.!;cz. £ic,s fth d ,aIrc C açi.; Brasiieiia, 1970.

WEBER. Max, A ética pnd.’s;irni.? e o e siriro k, cq;itcilixnw. 4


gg Paulo: Martin
,
Cmre 200i.
Proleto Pedagógica da Curso

INTRODUÇÃO À ECONOMIA —60 horas —4 créditos

Conceitos e princípios de economia. Evo’ução do Pensamento Econômico Noções de


Microeconomia: mercado e preços: demanda e oferra: teoria do consumidor; teoria da
firma; estrutura de mercado e eficiência. Noções de Macroeconornia: detemiinação da
renda e do produto nac!onai: mercado dc bens e serviços e lado monctário. O setor
externo, câmbio e estrutura de balança de pagamento. Setor Público: fianções
econômicas: estrutura tributaria e deficit púhico. Desenvolvmdnto Econdmco, fontes
de crescimento. financiamento e mod&os.

Referências Básicas

DORNEUSC1!. Rucb:cr: PISCi1ER. S:anev D’\’if). Bcua Jmr::Jn?u a ccnon;ia


(Para Cursos de Adminisu ação, Direito, Ciencias Humanas e Comabeis Tradução de
nelga Tjoflhj.cini. «O ri.i ‘e o. riscve

PINHO. Diva Benevides: VASCONCELLOS. rxlarco Antonio 5. de. .44a,n,a/Je


nIrocinçc7o à ecvuromIa. Equipe de Professores da USP. Sâo Pauo: Saraiva. 2006.

Referências Complementares

uTi Ai Tuiu y i au icr, 7L.iZ


n’ *
GRE”AY
wi. .
— ....•

£.LjJ, i auiu fui quiiH


.

uc,
,

i’tãi.ta -oiores
,,.,:

Montoya. Jmivduçào á economia. São Paulo: Aiias, 2007.

tvfAIKflV. N. Greory. íJi/iodução a eco//anua ,Lutçào Compacta). Tradução de AlIan


Vidigai Hastings. São Paulo: Pioneira Thonson Learning. 2005.

ROSSETTT. José Paschoal. Jnn’oduc’?&: a cC’.u/fli,’ua. São Paulo: .&tlas. 2003

ROSSLTTI.ioe Pac:ooa
j’yflff
3 ::‘•‘‘‘
t’rr, .?{v:.::’.. Sr.r. P2L
Atlas, 2004.

SAMUELSON. Paul A,; NQRDAS. \ViEam D. !tcrraaY7:a. Rio de Janeiro: McGraw


Hili, 2004.

METODOLOGIA DE ESTUDO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO —60 horas


—4 créditos

Métodos de estudo: orientação para a leitura, análise e interpretação de texto. Ciência,


,:... t’ A
itjUD.

instrumentos e lécaicas de coleta e análise de dados. Estrutura e organização de


tN

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 50


Projeto Pedagógico do Curso

Referências Básicas

LAKATOS, Ex/a Maria, MARCONI. Marina de Andrade. Lk3Lkilogia cíein fica. 7. cd.
São Paulo: Atlas, 2007.

RICHARDSON, Roberto Jany, ei ai, Je.quíNa .socía/: inetodos e tecnicas. 3. cd. rev.
ampi. São Paulo: Atlas, 2007.

Referências Complementares
flrn’fl A ,,L,.r ..:, orni’’, ...;.;..‘-..
V ti, .fl.flCItJ LI J_,L! Ir’, OL..!’ ‘1 .&. ..J 1 ‘2. 1 U .r’fII f.i.I LI!! LI 1 /L11J2 5 Ir
1 !uInLtr!c.i .SUL!LU3.

5. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

DEMO, Pedro. Ife(vduIowu pcu’u yuctn c1n.’r uJ?icndcr. São Pauko: Atlas, 2008.

GIL, Antonio Carles A k’CJil:J’ r&j’e*J?Hhi :ï.’:;ri/. 5 cd. Sã: Paulo Atlas,
2007.

LiJC K.ESi. Canos ei ai F»:’r mn er’’4’ .uua pJopoia meodoiowca. 3. ed. São
Paulo Contez. OS

?flNAYO. Maria Ceci*! ue Souza Or’: Pe.çnive: T


111 :erria. me!o:c’ e
criatividade. Petropoiis. \‘oze. 2002.

SALOMON, D&o Vci;a. (‘,:ia, fc.:i ;;o;u.igÍ tuia. li. cd. São Paulo. Martins
Fontes, 2004.

SEVERÍNO, António Joaquim. . ieuxio/n’h, do mI/ar//lo o/em/fico. 23. ed. rev. e


atualizada. São Paulo: Cortez, 2007.

TRIVfOS ‘guso T\ i:’fULqzu!’ (P7 c7J’.’P*L soeiais a pesquisa


qualitativa em educação. São Pa:ir. .Atias. 1987

YIN, Robert 1K Evita/o de cervo: planejamento e métodos. 2. cd. Porto Alegre:


Bookman. 2001

VERGAR.A. Sv!via Constam .!?/a r’J’.srJ1;/va cr7 crdm/nisírca.râo. São Paulo:


AFas.i997

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL — 60 horas ‘—4 créditos

Contribuições das teorias jsNCfeacas par: o do estudo das oranizaçães.


Impacto dos diversos ti. de «,!vaa di.’ Irabiho na “ida e s’de das pessoas.
Temds da a. ::.*- c:’n c.s:ucos .:.rganiaacionais. uotn açao.
aprendizagem, percepção e grupos. Tensão e conflito. Processo de liderança.

Referências Básicas

BERQMvUM. (cedi: COD.’.. ftç:berç Jic.?::?iI:7:ca Jc !;c’u ‘)rgu.’i!zac::nia/


São Paulo: Atlas, 1997.

Bacharelado em Administraçc Pública, modalidade a distância


51
Projeto Pedagógico do Curso

ZANELLI, José C.; BORGES, Jairo; RASTOS, Antonio V. Psicologia, oigamzações e


trabalho no Brasil. PoIo Alegre: Artmed, 2004.

Referências Complementares
f 3
B ec!!
2 ,
:,:.
/‘
la v
n,,l...,,,,
L LJIJfl, fl_UIJUI LU
,
o:.;..:
.1 .UL Ul LÇ<iLi LÇ
- -

14 £HcLI Lf LJLÃJIIflILWI
J
1 tur
empresas. 3. ed. São Paulo; Atlas, 1982.

CHANLAT, Jean—François. O indn’klno na orgotnrauào: dimensõcs esquecidas. Vol. 3.


São Paulo: Atlas, 1996.

LA.NE, Silvia; CODO. Wanderley. FsicoJogia social São Paulo: Brasiliense, 1986.

SCHEJN, Edgard 1—1. Psicologia oigan/zati000/. Rio de Janero: (juanabara Dois, 1982.

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO 1 — 60 horas —4 créditos

Introdução à Administração: mercado de trabalho; conceito de administração; o


...,..,.i,5.
L: ••Q••• lCt :ç.n_-LLCL:çalL.cu. IÇ!i tO VillV1lCLl.

organizações: conceitos e ambientes competitivos giohalizados Iunções administrativas


V oiganitaiuiui. c ,u’Czru —u:;fl tt-:;L!-U, t’lOvaS
tendências.

Referências Básicas

MAX1MLNO, Antônio Cesar A. Ton g(’luJ kí u(’nh/n.çnluun: da revolução urbana


à revolução digital. 4. cd., São Paulo: Atlas, 2006.

SELVA, Reinaido O. da. Tntus da aclnruíísuucào. São Paulo: Pioneira Thompson


Learning, 2005.

Referências Complementares

BATEMAN, Thomas S; SNELL. Scot A. .4 dminis.’rvção: liderança e colaboração no


mundo competitivo. São Paulo: McGraxv-Hifl, 2007,

CARAVANIES, Geraido R. L1 ai. Áthnnn.wiztçào. íeoras e processos. São Paulo.


Pearson Prentice Hail, 2005.

CHIAVENATO. ldalberto. PI7Ic*rPio. t/a ubni,,)sin, ün: o essencial em teoria gera’ da


administração. Rio de Janeiro: Eisevier, 2006.

Introdução Ci léoria guiai da adminisliação: unia visão abrangente da


-

moderna administração das organizações. T ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

FARIA José C .4dnunLvrraço: introdução ao estudo-. ¶ ed São Paulo: Pioneira. 2000.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


52
Projeto Pedagógico do Curso

STONER, James Arthur. F.; FREEMAN, R. Edward. AcIm/nisfração. 5. cd. Rio de


Janeiro: Prentice Hail do Brasil, 1999.

SEMINÁRIO INTEGRADOR —30 horas — 2 créditos

Móouio 2

CIÊNCIA POLÍTICA —60 horas —4 créditos

O pensamento político clássico: o conceito clássico e moderno da política. Estado e


sociedade. Liberalismo e Socialismo. Democracia direta e represemativa. Os atores
políticos: parlamentos, partidos políticos, grupos de interesse, estruturas institucionais e
mídia. Sufrágio e a!stemas eleitorais: Pfaneamenzc’ e tomada de decisões. Decisões
políticas, estratégicas, táticas e operacionais, análise politica: estudo das categorias,
conceitos e problemas básicos da ciência poUtca, tais como: dominação, poder,
conflito, autoridade e legitimidade. Política, participação e informação. Sistema político
c’ass co e co-c ro co e o e’ c e1rrrosrsa;s L’Pst2cando a
importância de seu conhecimento para a Administraçào e relacionandoos com a
1:,:,,,. L.,.:I,2..,. ._.....1
reaimauc pOnua

Referências Básicas

BOBEJO, Noberto. (ifanao uma dutusa das regras do iugo. Rio de


Janeiro: Paz e telTa, 1986.

DALLARI, Dalmo de Abreu, O que ó pOrt/tIpO ção política. São Paulo: Brasiliense,
2004,

Referêndas Complementares

GIDDENS, Anthony. Para a/diu Lia esquerda e da dtt’eiía. São Paulo: Editora da
UNESP, 1996.

LEO MÀAR. WofganQ. O afie epu fica. 20. cd. São Vauio: BrasIense. 2004.
1fl4n.TrTXrc 4...:..r...... n....._I:,.. xT
ju:,e na;tui!u ue. c1c::cíapJii;;Lt. i3!fl1ia. vCsuOu, LUV

MOISES, José Alvaro. Os inasi/cuns e a í/ejnoc7’acu,. São Paulo: Ática, 1995.

WEBER, Max. C;éi,:a e pcn’iika. duis \ocaçõ.zs São Pauo: Cuitrix, 1992.

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distáncia


53
Projeto Pedagógico do Curso

CONTABILIDADE GERAl. —60 horas —4 créditos

Elementos de Contabilidade: definições. ApIicaço. Exigências legais e finalidades de


Contabilidade. Organizçào das unidades econômicas. Fatos contábeis e econômicos.
Método das Partidas Dobradas: registros e sistemas contábeis. Demonstrações
contábeis. Apuração do resuhacio do exercício. Baianço patrimonial e demonstração de
resultado do exercício. Aspectos ftmdamentais da teoria contábil. Análise das
intormações conta heis.

Referências Básicas
rTrn,rTDTTC
Li 3,
eertu
.;.....,í ,s-...,..._!.-J.,,-’_..
Ct ..LVLLt?i(1LL
T,:i;.-i..J
t IJ! iLLtL’L L’LtULL
L-..-(.-, .4.4,
nuclCctc€ccS po,«A
_nçoes /
..,COtfl
Suplemento). São Paulo: Atlas, 200712008.

SILVA, César Augusto Jibúrcio; ÏR1S [ÃO, Õdberto. Gontcflnlidade básica. São
Paulo: Atlas, 2008.

Referências Complementares
%4r:’rrc Ç’fl,jr i 0r3 nnfl,Jr 4l .‘ l)TflI
COT ‘ flF)fl’ L%_’_’±’LI _L.LLr Li3 CLiI’ !_CL 1 ±LiINL,,\LI!Jsrv .I’

Disponível em: <http:/lww.cpc.org.br!pronunciamentosindex.php>. Acesso em: 27


mar. 2009.

MACROECONOMIA —60 horas —4 créditos

Fundamentos da análise macroeconômica; Problemas macroeconômicos; Modelos


piscroecnn?miços Contabilidade 7\acionaJ, Determinantes da demanda e oferta
agregada; Moeda, Juros e renda: Economia Aberta. Po1ítca económica: O papel do
governo; lnfiaçào.

Referências Básicas

CLLLLCC -n
Cl AKTflflADfl fli. :... 1.’ c. n,..,’ n.. ..: 11 -,
L)NttnflLJ, tJnVLL .Ll’I(aJ fJccc’tfl,,,t,a ‘t. CLI. 3aU 1 autO. i 1 nau, .

MANKIVV, N. Gregorv. ;‘iíacmeconotn/o. 6. cd. Rio de Janeiro: ETC. 2008.

Referências Compernentares
DAflflk i,,.,
13L.tifl, .at iO jtC aLatlu, L_L’ c ,‘_uuct t•.j rte 1 uua tiL euuta. Ã’JL,ci OcCOl,QhhiG.

teorias e aplicações á economia brasileira. São Paulo: Alínea. 2006.

CARVALHO, Jose L. ei cri. J-trncícrmcnros dc ecunci mci: Macroeconorma v. 1. São


Paulo: CengageLearnin, 2008.

Bacharelado em Administração PúMica, modalidade a distância 54.


Projeto Pedagógica da Cursa

DORNBUSCHZ, Rudiger; FISCHER, Staniey. A Íacroeconomia. 5. ed. São Paulo:


Makron, 1991.

MA1CW, N. Greory. Jnhmdnção à economia. Rio de Janeiro:Campus, 1999.

KRUGMAR Paul: \k ELLS, Robin hmthrçào à economia Rio de Janeiro: Elsevier,


2007.

MATEMÁTICA PARA ADMINISTRADORES —60 horas —4 créditos

Teoria dos Conjuntos. Matrizes. Sistemas de equações lineares. Funções. Limites.


Continuidade. Derivadas. Aphcaçào do conteúdo estudado em problemas
administrativos.

Referências Básicas

BOLJLOS, Paulo. CáLido dikrencia! e imççraJ. Vo!. 1. São Paulo: Makron Books,
1999.

STLVA, Fernando Cesar Marra e, ABRÃO, Mariângeia. Aíciicmancu btiswa para


decisões ad,ninisr,a,ivas. São Paulo: Atlas, 2007.

Referências Complementares

LARSON, Roiand E: HOSTEILER. Robert P: EDWARDS. Bruce El Cálculo com


aplicações. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

\VHIPKEY, Kerineth L. WHIPKEY iiaç\ Neil Cdienio e suos ;i:úiíipíco cq)licuçÔes. 3.


ed. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1982.

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO II —60 horas —4 créditos

Escolas e Evolução do Pensamento Administrativo. Gestão por função e gestão por


processos. Sistema administrativo e mudança orgamzacionai.

Referências Básicas
4 A 1) ‘rflJQ nE 1)i.’ 1,
J.LfljX 1 it3i
fl A
LL
-.—A ,.:,t....,.
... .

JJC. R ltU tt!14L t$t )t 3ttC’


ri: - ..
tt cUI flt i!lJ.’tfl o,,ta,
...
. au
—...
autO.
Atlas, 2007.

PAULA. Ana Paula Paes de. Foi urna 1,03:0 gestão paN/co: limites e potencialidades da
experiência contemporânea. Rio de Janeiro: Editora da FGV. 2005.

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


55
Projeto Pedagógico do Cursa

Referêncbs Compiernentares

MOTTA, Fernando C. P.; VANCONCELLOS, Isabeila E G. Teoria geral da


administração. São Paulo: Pioneira Thonsom, 2005.

SALDÂJ’U-IA, Ciezio. hilrodução à gestão pública. São Paulo; Saraiva, 2006.

SILVA, Arídio eta!, Si.viemas de iqfrninaçcio na administração pública. Rio de Janeiro:


Revan, 2004.

WREN, Daniel A. Idéias de atiminisnz ção: o pensamento clássico. São Paulo: Ática,
2007,

Idéias de ad»iinistmção: o pensamento moderno. São Paulo: Ática, 2007.

SEMINÁRIO TEMÁTICO 1 —30 horas — 2 créditos

MóDulo 3

CONTABILIDADE PÚBLICA —60 horas —4 créditos

Elementos de contabilidade geral. Contabilidade Pública. métodos e sistemas de


escrituração. Receita e despesa pública. Contabilidade orçamentãria. financeira e
patrimonial. Demonstrações contábeis: balanços, variações patrirnoniais, consolidação e
prestação de contas. Lançamentos contábeis. Planificação contábil. Contabilização em
empresas públicas. Campo de aplicação da contabilidade pública. Patrimônio público.
Exercício financeiro. Aspectos filndamentais Relatórios RREO e RGF.

Referências Sáskas

MOTA, Francisco Glauber Lima. Contabilidade Aplicada ao Setor Publico. Brasília;


autor-editor, 2009.

PJSCITELLI, Roberto Bocaccio. (Jonta/ulidade Publica: uma Abordagem da


Administração Financeira Pública. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Referências Compernentares

À’NTrIpTJrfl 1 ..Z.r?;3..3,
flOtflO(IIIIULFLÍt. C.’. fl..i j....
4 10fl4
—. ...‘, oao. , i 1ff ‘t!L.L(.
-.

3’J r aupj. 1- 7

CRUZ, Flavio da ei ai. (Jomenrários à Lei n° 4.320: normas gerais de direito financeiro,
orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Muncipios e do Distrtto Federal. São
Paulo, Atlas: 2008.

GTACOMONI, James. Orçamento Público. São Pauto, Atlas, 2007.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 56


Projeto Pedagógico do Curso

KOHAMA, Helio. Contabilidade Pública: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006.

MACHADO ir., 1. Teixeira. A Lei 1.320 comentada. Rio de Janeiro: IBAM, 1998.

SiLVA, Lino Martins. Contabilidade Governamental: um enfoque administrativo. São


Paulo: Atlas, 2004.

SLOMSKI, Valmor. Manual de Contabilidade Pública: um enfoque na contabilidade


municipal. São Paulo: Atlas. 2003

ECONOMIA BRASILEIRA —60 horas —4 créditos

Evolução histórica da economia brasileira no periodo republicano. A evolução recente


da economia no Brasil: agricultura e indústria: comercio erterior; inflação; relações
intersetoriais e regionais. Temas emergentes na economia brasileira e a atualidade: o
problema da distribuição de renda e indicadores socioeconõmicos; desemprego e
informalidade; globalização, inserção periferica e acordos internacionais.

Referências Básicas

REGO, José Márcio; MARQUES, Rosa Maria (Orgs.). Economia brasiJeira. 2. ed. São
Paulo: Saraiva, 2003.

VASCONCELLOS, Marco AnwninSanduvíde;GREMAUD. Ámaury Patrick;


TOI’ETO JÚf,qOR, Rudinei. Economia brasileira contemporônea. 6. ed. São Paulo:
Atlas, 2005.

Referências Complementares

ABRE!.), Marcelo de Paiva. Á ordem do pivg/eMv : cem anos de politica econômica


Republicana (1889-1989). 15. tiragem. Rio de laneiro: Campas, 1990.

BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro. 4. cd. Rio de Janeiro:


Contraponto. 2000.

GIAMBIAGI, Fábio; V1LLELA, André (Orgs.). Lcoinm,ia brasileira conteinporanea.


Rio de Janeiro: Elsevier, 2005

GREMAUD, Anmuiy Patrick, SÂES, Fiávio Azeedo Marques de, TONETO JÚNIOR,
Rudinei. For naçâo econômica do bra.wl. São Paulo: Atlas, 1997.

WERNER, Baer. Á economia brasileira. São Paulo: Nobel, 2002.

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO —60 horas —4 créditos

Bacharelado em Admiriistraçâo Pública, modalidade a distância 57


Projeto Pedagógico do Curso

Noções de Direito; Norma jurídica e outras normas sociais. Direito público e direito
privado. Subdivisões. Fontes do direito. Conceito de Estado, sua origem e formação;
Elementos de Estado: Estado de direito, Estado Social de Direito e Estado Democrático
de Direito; Poder e funções do Estado; Formas de Estado, formas de Governo e sistemas
de Governo. Conceito de Constituição; classificação e poder constituinte; Supremacia
da Constituição e controle de constitucionalidade; As Constituições brasileiras. A
constituição vigente. Organização do Estado Brasileiro: Forma de Estado, forma de
Governo e sistema de Governo; Poder legislativo: função, organização, garantias; Poder
Judiciário: funções, organização, garantias. Poder Executivo: funções, organização,
atribuições e responsabilidade. Conceito de Administração pública; Princípios;
Organização administrativa. Administração Direta e indireta; Servidores públicos.
Direitos e Garantias individuais; Direitos fundamentais do Homem.

Referências Básicas

CARVALHO FILHO, José dos Santos. A’Íwmalde Direito Administrativo. Rio de


Janeiro: Lúmen Júris, 2009.

LENZA. Pedro. Direito Gonsrimeionct/ Esquematizado. São Paulo: Saraiva, 2009.

Referências Complementares

BONAV1DES, Paulo. flwria Geral do Estado. São Paulo: Malheiros, 2009.

DI PWTRO, Maria Sylvia Zanelia. Direito Admiui,wvriiv. São Paulo: Atlas, 2009.

MELLO, Ceiso Antônio Bandeira de. C,,rço de Direi/o Adminisnwh’o. São Paulo:
Malheiros, 2009

MORAES, Alexandre de. Direito Gontií,,ciona1. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, José Afonso da. Cuno dc Direito (2onsntueional Fosiri’o. São Paulo:
Malheiros, 2009.

SOCIOLOGIA ORGANIZACIONAL —60 horas —4 créditos

A Sociologia e seu objeto de estudos. Conceitos básicos: relação social, estrutura e


paradignias de relacionamento, socialização e formação da cultura. interação social: o
individuo e a sociedade. Papel social, grupos e organização social. Organização formal
e organização informal. Atitudes, valores e comportamento nas organizações. Cultura
organizacionai: tipologia, caracteristicas e planejamento de mudanças.

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


58
Projeto Pedagógico do Curso

Referências Básicas

BERNARDES, Cyro; MAR.CONDES. Reinaldo C Sociologia aplicada à


administração. São Paulo: Saraiva, 2001.

DIAS, Reinaldo. Sociologia das oiganizações. São Paulo: Atlas, 2008.

Referências Comp’ementares

CHANLAT, Jean-François. O indii’iduo na oiani:ação. São Paulo: Atlas, 1992.

FWRSEY, Paul P.; BLANCHARD, Kenneth H. Psicologia pala adhzinistraciores: a


teoria e as técnicas da liderança situacional. São Paulo: Editora Pegagógica
Universitária, 1986.

LAXATOS, Eva M.; MARCONI, Marina de Andrade. Sociologia geraL 7. ed. São
Paulo: Atlas, 1999.

LANER, Afine; CRUZ JUNIOR João Benajamim. Repensando as olganizações.


Florianópolis: Fundação José Boiteux, 2004.

STONER, James A. F. Aainiiasvvçvo. 2. cd. Rio de Janeiro: IvicGraow-Hiil do Brasil,


1982.

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA —60 horas —4 créditos

O estado, o governo e a sociedade. Evolução da administração pública brasileira:


patrirnonialismo, burocracia e gerencialismo. Contexto contemporâneo da atuação do
Estado. Governabilidade, governança e descentralização do poder. Estrutura e função da
administração pública. Eficiência, eficácia e efetividade na administração pública.
Reformas administradvas e programas de desburocratização: DASP, Decreto-Lei n°
200/67; Constituição de 1988 e Emenda Constitucional n° 19/98. Considerações sobre o
novo papel do Estado e da administração pública. A reforma de Estado e da
administração pública: experiências inglesa, americana e brasileira. Representação e
participação: gestão pública e privada. Accountai’iiin e i?csj’isiucness: as relações
entre demandas, políticas, ação governamental, controles e resultados.

Referências Básicas

BRESSER PERETR& Luiz Carios SPNK, Peter (Org.). Refon a do estado e da


administração pública geivnciai. Rio de Janeiro: Fundação. Getúlio Vargas, 1998.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. Um estado para a sociedade cirii temas éticos e políticos
da gestão democrática. 2. cd. São Paulo: Cortez, 2005.

Bacharelado em Adminístraç5o Pública, modaHdade a distância


59
Projeto Pedagógico do Curso

Referências Complementares

BEHRING, Elaine Rossetti Brasil em contra-reforma: reestruturação do estado e perda


-

dos direitos. São Paulo: Cortez, 2003.

JTJNQUILHO, Gelson Silva. Gestão e ação gerencial nas organizações contemporâneas:


para além do “folclore” e o “fato”. Revista Gestão & Produção, São Carlos, v. 8, n. 3, p.
304-318, Dez. 2001. Disponível em: <http://www.scielobr/pdf7gp/v8n3/v8n3a07.pdP.
Acesso em: 7 mar. 2009.

MATIAS-PERETRA, José. Curvo de Ãdininistivção Fúhlica: foco nas instituições e


ações governamentais. São Paulo: Atlas, 2008.

MOTTA, Fernando Clâudio Prestes. O que é burocracia. 2. ed, São Pau’o: Brasiliense,
2006.

PAULA, Ana Paula Paes de. Por uma no;zi gestão pii/líca: limites e possibilidades da
experiéncia contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

SEMINÁRIO TEMÁTICO II — 30 horas —2 créditos

MÓDuL04

DIREITO ADMINISTRATIVO — 60 horas —4 créditos

Conceito. Campo de Aplicação Objeto do Direito. Sujeito direito. Pessoas jurídicas e


administrativas. Fontes do Direito Administrativo. Administração Pública. Autarquias.
Sociedades de economia mista. Empresas públicas. Fundações Função pública e bens
públicos. Relação de Direito Administrativo. Regime Juridico-Administrativo.
Princípios Constitucionais do Direito Administrativo. Poderes Administrativos.
Organização Administrativa. Órgàos Administrativos. Atos Administrativos. Noções
Gerais sobre Procedimento Administrativo. Licitação. Congatos Administrativos.
Domínio público. Intervençào na propriedade. Responsabilidade civil da administração
pública. Crimes contra a administração pública.

Referências Básicas

DI PIETRO, Maria Syivia Zaneila. Direito admintqrcxíivo São Paulo: Atlas, 2009.

MELLO, Celso Antonio Bandeira de. Curvo de direito administrativo. São Paulo:
Malheiros, 2009

Referências Complementares

Bacharelado em Admínistração Pública, modalidade a distância 60


Projeto Pedagógico do Curso

ANTUNES ROCHA, Cármen Lúcia. Frincipios constitucionais dos servidores


públicos. São Paulo: Saraiva, 1999.

CRETELLA JÚNiOR, José. Curso de direito administrativo. Rio de Janeiro: Forense,


1994.

JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de direito adminLçuativo. 3. cd. São Paulo: Saraiva,
2008.

MEDAUAR, Odete. Direito administratiiv moderno. São Paulo: Revista dos Tribunais,
2005.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2005.

ESTATÍSTICA APLICADA À ADMINISTRAÇÃO —60 horas —4 créditos


Fases do método estatistico. Dados brutos e derivados. Medidas de tendência central,
separatrizes, medidas de dispersão. Probabilidade. Distribuições discretas e contínuas.
Amostras e populações. Testes de hipóteses.

Referências Básicas

BRUN[, Adriano Leal. E5tarística aplicada a gestão empresarial. São Paulo. Editora
Atlas, 2007.

MCCLAVE, Jarnes T.; BENSON, P. George; SINCICH, Terry. Estatística para


administração e economia. Traduzido por Fabricio Pereira Soares e Fernando Sampaio
Filho. São Paulo: Pearson Prentice Hail, 2009.

Referências Complementares

BUSSAB, Wilton de Oliveira; MORETTTN, Pedro Alberto. Estatística básica. São


Paulo: Editora Atual, 2002.

COSTA NETO, Pedro L. de Oliveira. Estatística. São Paulo: Edgard Biucher, 2002.

LARSON, Ron; FARBER, Bruce 1-1. Kçtatística aplicada. São Paulo: Pearson Prentice
Hali, 2007.

LEVINE, David. M.; BERENSON, Mark L.; STEPHAN, David. Estatística: teoria e
aplicações (usando o Microsofi Excel em português). Rio de Janeiro: LTC editora,
2000.

PEDROSA, Amônio Carvalho; GAMA. Silvério M. A. Introdução computacional à


probabilidade e estatíç/ica Porto Editora, 20O4

Bacharelado em Administração Pública, modahdade a distância 61


Projeto Pedagógico do Curso

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO SETOR PÚBLICO —60


horas —4 créditos

Fundamentos de sistemas, processos e informações; Tecnologia e sistemas de


informações aplicações no setor público e privado; Gestão de tecnologia da informação
no setor público; Planejamento Estratégico e Tecnologia da Informação; Governo
Eletrônico; Governança Tecnológica; Padrões de Sistemas de Informação e Políticas
Públicas.

Referências Básicas

LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane P. Gerenciarnenlo de vis/emos de iformação.


Rio de Janeiro: LTC, 1999.

STAIR, Ralph M. SisWnza.s’ de informação: uma abordagem gerencial. Rio de Janeiro:


ETC, 1998.

Referências Complementares

BOAR, Bernard. Tecnologia cio infórmação: a arte do planejamento estratégico. 2. ed.


São Paulo: Berkeley, 2002.

CASSARRO, Antonio Carlos. Si.vie,na de infónnaç&s para fornada de decisões São


Paulo: Pioneira, 1999.

LAURINDO, Fernando. Tecnologia da in,tbrmação: eficácia das organizações. São


Paulo: Futura, 2003.

O ‘BRiEP, James A. Sistemas de Jqformaçâo e as decisões gerenciais na era da


Internei. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

TEORIA DAS FINANÇAS PÚBLICAS —60 horas —4 créditos

Finanças públicas: teorias, conceitos, evolução. Finanças públicas no Brasil. Instituições


financeiras brasileiras. Política fiscal, atividade econômica e finanças públicas:
tributação e gasto público. T”ecessidade de financiamento do setor público, déficits e
dívida pública. Renúncia de receita. Politica fiscal e distribuição de renda. O problema
previdencïário no Brasil. Reforma tributária e federalismo fiscal.

Referências Básicas

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância


62
Projeto Pedagógico do Curso

GLMVIBL4GI, Fábio; ALÉM, Ana Cláudia. Finanças Públicas. 2. ed. Rio de Janeiro:
Campus, 2001.

REZENDE, Fernando. Finanças Públicas. 2. cd. São Paulo: Atlas, 2001.

Referências Complementares

MANKIW, N. Gregory. Introdução à Economia. São Paulo: Thompson Pioneira, 2005.

RIANI, Flávio. Economia ciO Setor Público. 3. cd. São Paulo: Atlas, 1997.

ORGANIZAÇÃO, PROCESSOS E TOMADA DE DECISÃO —60 horas —

4 créditos

Organização e reorganização. Organogramas. Aproveitamento racional do espaço fisico.


Processos: fluxogramas e otimização. Condicionantes e componentes da estrutura
organizacional: autoridade, responsabilidade e comunicação; estratégia, tecnologia,
ambiente, pessoas e objetivos Departamentalização. Centralização e Descentralização.
Métodos e instrumentos de modernização de estruturas, sistemas e processos das
organizações. Estruturas alternativas; tendéncias atuais. A função decisão no contexto
da Administração. Administração como um processo de tomada de decisões
empresarial: análise estratégica, alocação e mobilização dos recursos, especificações e
desempenho. Tipos de decisão. Métodos e processos de tornada de decisão.
Instrumentos para a tomada de decisão.

Referências Básicas

D’ASCENÇÃO, Luiz Carlos M. Organização, .viste,nas e métodos. São Paulo: Atlas,

GOIvffiS, Luiz Fiávio Autran Monteiro; GOMES, Carlos Francisco Sïmães;


ALÍJEIDA, Adiei Teixeira. Tomada de decisão gerencial: enfoque multicritério. São
Paulo: Atlas, 2002.

Referências Complementares

ARAÚJO. Organização. sistema.ç e inéíocíus e a.s tect?ologiaS d’e gestão oiganizacionai.


Vol. 1. São Paulo: Atlas, 2005.

Organização, sistemas e métodos. Vol. 11. São Paulo: Atlas, 2006.

MOITA, Fernando Prestes; VASCONCELOS, IsabelIa Gouveia. Teoria geral da


administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


63
Projeto Pedagógico do Curso

PEREIRA, Maria José Lara de Bretas; FONSECA, João Gabriel Marques. Faces da
decisão: as mudanças de paradigmas e o poder da decisão. São Paulo: Makron Books,
1997.

RAMOS, Guerreiro Alberto. 4 nova ciência das o;ganizações: urna reconceituação da


riqueza das nações. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1989.

SIMON, Herbert Alexander. Comportamento administrativo. Rio de Janeiro: Fundação


Getúlio Vargas, 1970.

SEMINÁRIO TEMÁTICO III —30 horas — 2 créditos

MÓDULO 5

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA 1 —60 horas —4 créditos

Evolução e conceitos de logistica e de administração de materiais Previsão da demanda


interna de bens e serviços. Estudo do gerenciamento da administração de recursos
materiais, como função básica de administração. Gestão de transportes. Gestão de
estoques e materiais. Gestão de compras. Gestão de fornecedores (contratos).
Administração de Patrimônio.

Referências Básicas

BALLOU, Ronald H.. Logtvtica EmpresariaL São Paulo: Atlas. 2003.

Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. 6. ed. São Paulo: Bookrnan, 2006.

Referências Complementares
FRANCISCHTNTT, Paulino, 6.; GJJRGEL, Floriano do Amaral. Administração de
Materiais e do Património. São Paulo: ThomsonfPioneira, 2004.

KEEDI, Samir. i*ansporíes, Uni!ização e Seguros Internacionais de Carga. São Paulo:


Aduaneiras, 2006.

MARfiNS, Petrànio Garcia; ALT, Paulo Renato Campos. Administração de Materiais


e Recursos Paíri.’noniais. São Paulo: SaraRia, 2003.

POZO, Haniliton. Administração de Recursos Materiais e Patri.’noniais: urna


abordagem logística. São Paulo: Atlas, 2007.

VIANA., João, J. Administração de Materiais: um enfoque prático, São Paulo: Atlas,


2008.

GESTÃO DE PESSOAS NO SETOR PÚBLICO —60 horas —4 créditos

Bacharelado em Administraço Pública, modalidade a distância 64


Projeto Pedagógico do Curso

Evolução da gestão de pessoas. Conceitos da gestão de pessoas. Processos de gestão de


pessoas. Planejamento estratégico de pessoas. Gestão de equipes, gestão por
competências e gestão do conhecimento. Gestão de pessoas no setor público: teoria e
prática. Admissão e dispensa de servidores públicos. Cargos e salários. Programas de
incentivos e beneficios. Prêmios e recompensas. Desenvolvimento de pessoas. Políticas
de desenvolvimento de servidores. Carreiras: estruturação de cargos e ifinções no setor
público. Avaliação de desempenho individual. Sistemas de informaçes gerenciais na
gestão de pessoas. Higiene e segurança no trabalho. Qualidade de vida no trabalho.
Gestão de pessoas no contexto da organização moderna. Tendências da área de gestão
de pessoas no serviço público.

Referências Básicas

LiMA, Paulo Daniel Barreto. A excelência em Gestão Público. Rio de Janeiro:


QualityMark, 2007.

LIMONG1-FRANÇA, Ana Cristina. Práticas de recursos humanos - PRI-!: conceitos,


fundamentos e procedimentos. São Paulo: Atlas, 2007.

Referências Complementares

ARAÚJO, Luís Cesar G. Gestão de pessoas: estratégias e integração organizacional.


São Paulo: Atlas, 2006.

BOHLANDER, George; SNELL, Scott; SHERMAN, Arthur. Administração de


recursos humanos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

DEIVIO, Gisela. Foliticas de Gestão de Pessoas nos organizações: papel dos valores
pessoais e da justiça organizacionai. São Paulo: Atlas, 2008.

SENGE, Peter M. A quinta disctlina: arte, teoria e prática da organização de


aprendizagem. São Paulo: Best SeIler, 1990.

ZAR1FIAN, Philippe. Objetivo competência: por urna nova lógica. São Paulo: Atlas,
2001.

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA E COMERCIAL —60 horas —4 créditos

Envolve conceitos sobre Direito Empresarial e sua evolução. Pessoas Físicas e jurídicas.
Atos e fatos juridicos. Empresário. Empresa. Estabelecimento Empresarial/Comercial.
Obrigações profissionais do Empresário/Comerciante. Sociedades Empresariais!
Comerciais, sua constituição, modificação, extinção e liquidação. Contratos em geral.
Títulos de crédito. Noções de falência e Recuperação Judicial. Envolve conceitos de

Bacharelado em Administração Pública, modal dade a distância 65


Projeto Pedagógico do Curso

Direito Tributário, tais como, conhecimento sobre ramos do Direito Público, com ênfase
no ramo do Direito Tributário. Estudo das normas constitucionais relativas ao sistema
tributário nacional e das normas gerais de Direito Tributário. Estudo e discussão da
legislação tributária federal, estadual e municipal.

Referências Básicas

RAMOS, André Luiz Santa Cruz. Curso de Direito Empresarial. 2. ed. São Paulo: Jus
Podium, 2008.

TORRES, Ricardo Lobo. Curso de Direito Financeiro e Tributário. iS. ed. Rio de
Janeiro: Renovar, 2008.

Referências Complementares

BORRA, José Edwaido Tavares. Direito sociehirio. 8. ed. Rio de Janeiro: Renovar,
2003.

CARRAZZA, Roque Antonio. Curso dc direito constitucional tributário. 23. ed. São
Paulo: Malheiros, 2007.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comerciaL Vol. 2, 5. ed. São Paulo: Saraiva,
2002.

MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 29. ed. São Paulo: Malheiros,
2008.

RESTWFE, Paulo Sérvio. Manual do novo direito comercial. São Paulo: Dialética,
2006.

MATEMÁTICA FINANCEIRA E ANÁLISE DE INVESTIMENTO —60 horas —

4 créditos

Capitalização simples e composta. Descontos simples e compostos. Equivalência de


fluxos de caixa em regimes de capitalização simples e composta. Anuidades ou rendas.
Sistemas de amortização. Inflação e correção monetária. Fluxos de caixa e análise de
investimentos. Critérios econômicos de avaliação de projetos: taxa interna de retorno,
valor presente liquido e indice de lucratividade.

Referências Básicas

ASSAF NETO, Alexandre. Matemática Financeira e suas aplicações. São Paulo: Atlas,
2008.

Bachareado em Administração Pública, modalidade a distância


66
Projeto Pedagógico do Curso

MATFIIAS, Washington Franco; GOMES, José Maria. Alatemática Financeira. São


Paulo: Atlas, 2009.

Referências Complementares

ASSAF NETO; LiMA, Francisco Glauber. Gmso de administração financeira. São


Paulo: Atlas, 2008.

FAMA, Rogério Gomes. Matemática Comercia! e Financeira. São Paulo; Ática, 2007.
FARO, Clóvis E Fundamentos de matemáticafinanceira. São Paulo: Saraiva, 2006.

PUCCINI, Abelardo Lima. Matemáticafinanceira objetiva e aplicada. São Paulo:


Saraiva, 2008.

PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA —60


horas —4 créditos

Planejamento e políticas públicas. Teorias e modelos de planejamento governamental.


Enfoque sistémico e estratégico de planejamento. Métodos, técnicas/características e
etapas Avaliação e acompanhamento como parte do ‘processo de planejamento.
Construção de indicadores de monitoramento e avaliação. Evolução do planejamento
governamental no Brasil. Os Pianos Nacionais de Desenvolvimento. Planejamento
governamental no Brasil contemporâneo: concepção, estrutura e sistema do PPA.

Referências Básicas

LANNI, Otávio. Es-tudo e Plane/amento Económico no Brasil (1930-1970). Rio de


Janeiro: Civilização Brasileira, 1977.

MATUS, Carlos. Aden.s; senhor presiden(e: governantes governados. São Paulo:


FUNDAP, 1997.

Referências Complementares

CARVALHO, Horácio M. Introdução à teoria doplanejcunenlo. São Paulo:


Brasiliense, 1976.

FERREI’RA, Francisco Whitaker. Planejamento sim e não. 19 ed. Rio de


Janeiro: Paz e Terra, 2002.

HU’ERTAS, Franco, O método PES: entrevista com Matus. São Paulo: FUNDAP, 1996.

LAFER, Betty M. Planejamento tio BrasiL São Paulo: Perspectiva, 1970.

MATUS, Carlos. Estratégias políticas. São Paulo: FUNDAP, 1996.

Bacharelado em Administraçác Pública, modalidade a distância 67


Projeto Pedagógico do Curso

SEMINÁRIO TEMÁTICO 1 NA LFE 1, LFE II ou LFE III —30 horas —2 créditos

O ESTADO NO DESENVOLVIMENTO LOCAL SuSTENTÁVEL

MÓDuL0G

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA —60 horas —4 créditos

Evolução do pensamento estratégico. Administração Estratégica e Planejamento


Estratégico. Vantagens e desvantagens do Processo de Planejamento Estratégico. Etapas
do processo de Planejamento Estratégico na Administração Pública: implantação,
controle e avaliação do processo de Planejamento Estratégico.

Referências Básicas

THOMPSON Jr., Arthur A.; STRTCKLAND [TI, Alonzo J. Planejamento estratégico:


elaboração, implementação e execução. São Paulo: Pioneira, 2000.

JOHNSON, Guerry; SCHOLES, Kevan; WHITTINGTON, Richard. Explorando a


estratégia coiporativa. Porto Alegre: Bookman, 2007.

Referências Complementares

HITI, Miche] A.; IRELAND, R. Duane.; HOSKISSON, Robert E. Achninistração


estratégica: competitividade e globalização. São Paulo: Thompson, 2008.

ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS —60 horas —4 créditos

Planejamento e projeto: conceituação, Estruturas organizacionais voltadas para projeto.


Habilidades de gerente de projetos. Equipes de projeto. Ciclos e fases do projeto: fluxo
do processo. Definição do escopo do projeto. Identificação de restrições. Planejamento
de recursos e estimativas. Definição dos controles de planejamento do projeto. Criação
do plano de projeto. Avaliação e controle do desempenho do projeto. Planejamento,
programa e controle de projetos e produtos especiais, produzidos sob encomenda.

Bachareladoem Administração Piblica, modalidade a distancia


68
Projeto Pedagógico do Curso

Métodos e técnicas utilizados na avaliação econômica e social de projetos. Avaliação do


risco e do retomo dos projetos. Análise de custos Muros gerados pelo projeto.
Aceleração de projetos. Organização geral. Aplicação de técnicas de Gantt, CPM,
PERT/TEMPO e PERT/CUSTO. Uso de soflware para gerenciamento de projetos.

Referências Básicas

CLEMENTE, Ademir (Org.). Fro/etos empresariais e públicos. São Paulo: Atlas, 2002.

MAXIMIANO, Antônio Cesar A. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana


à revolução digitaL 4. cd. São Paulo: Atlas, 2006.

Referências Complementares

CARVALHO, Marly Monteiro; REBECI-UN1 JUNIOR, Roque. Gerenciamento de


projetos na prática (casos brasileiros). São Paulo: Atlas, 2006.

CLEMENTS, Jarnes P.; GIDO, Jack. Gestão de projetos. São Paulo: Thomson, 2007.

CONTADOR, Cláudio R. Pro/eto.v sociais: avaliação e prática. 4. ed. São Paulo: Atlas,
2002.

MOURA, Dácio Guimarães; BARBOSA, Eduardo E. 1}vha/hcmdo com projetos:


planejamento e gestão de projetos educacionais. Rio de Janeiro: Vozes, 2006.

PMI. PMI-BOK — Book qflúzowledge. Trad. Equipe PMI-MG. Belo Horizonte:


PMI/MG, 2002.

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA II — 60 horas —4 créditos

Introdução a operações e à natureza do serviço. Operações de serviço. Sistemas e


processos de serviço. Projeto e organização do posto de trabalho. Arranjo fisico e fluxo.
Localização de instalações. Gestão de filas. Gestão da capacidade e da demanda.
Relacionamento com clientes e fornecedores. Melhoria operacional: produtividade,
qualidade, garantia e recuperação de falhas. Planejamento e gestão da rede de operações
e serviço.

Referências

ARNOLD Jr., Tony Administração de materiais: uma introdução. São Paulo: Atlas,
1999.

JOHNSTON, Robert; CLARK, Grahan. Administração de Operações de Serviço. São


Paulo: Atlas, 2002.

Bacharelado em Administraço PúMica, modalidade a distância


69
Projeto Pedagógico do Curso

FRITZSTMMONS, James A.; FRITZSIMMONS, Mona J. Adrninistivção de Serviços.


Porto Alegre: Bookman, 1998.

SLACK. Nigel e! ai. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 2002.

ORÇAMENTO PÚBLICO —60 horas —4 créditos

Fundamentos e princípios orçamentanos. Aspectos constitucionais do orçamento.


Processo orçamentário como instrumento de planejamento: relação entre Plano
Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual
(LOA). O ciclo orçamentário. Eiaboração do orçamento: receita e despesa. Execução
orçamentária e financeira: etapas da receita e da despesa. Créditos adicionais. Gestão
democrática de alocação de recursos: orçamento participativo.

Referências Básicas

ALBUQIJERQUE, Claudiano; MEDEIROS, Márcio; FEIJÓ, Paulo Henrique. Gestão


de Finanças Públicas: fbndamentos e práticas de planejamento, orçamento e
administração financeira com responsabilidade fiscaL 2. ed. Brasília: Editora Paulo
Henrique Feijó, 2008.

GIACOMON1, James. Orçamento público. 11. ed. Amp. Rev. e atual. São Paulo: Atlas,
2002.

Referências Complementares

CORE, Fabiano Garcia. Reformas orçamentárias no Brasil: uma trajetória de tradição e


formalismo na alocação dos recursos públicos. Anais do DC Congreso Tnternacional dei
CLAD sobre la Reforma dei Estado y de la Administración Pública, Madrid, Espafia,
2004. Disponível em: <http://www.c1ad.org.ve/fiilltext./0049604.pdfs.

FREITAS, Mário 5. N. Uma releitura do orçamento público sob urna perspectiva


histórica. Bahia Análise e Dados. Salvador, 2003. Disponível em:
<http://wi. sei.ba.gov.br/públicacoes/públicacoes_seilbahia_analise/analisejlados/pdfi’fi
nancas/pag_09. pdf’.

GARCIA, Ronaldo C. Subsídios para Organizar a Avaliações da Ação Governamental


Brasilia: IPEA, 2001. Disponível em:
<www.preac.unicarnp.br/arquivo/materiais/txt_apoio_ronaldo_garcia.pdP.

LiMA, Edilberto Carlos Pontes. Algumas observações sobre orçamento impositivo 110
Brasil: planejamento e políticas públicas, 2003. Disponível em:
<http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/ppp/pdflppp26.pdfWpage=6>. Acesso em: 9 abr.
2009.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 70


Projeto Pedagógico do Curso

SOUZA, Alexandre B. Planejamento Go; ‘eniamental no BrasiL Brasília: Departamento


de Administração da Universidade de Brasília. Disponível em:
<http://www.angelfirecomlar/rosao llpagel6.html>. Acesso em: 9 abr. 2009.

ELETIVA DA IPES 1 —30 horas —2 créditos

SEMINÁRIO TEMÁTICO II NA LFE 1, t.FEII ou LFEIII —30 horas — 2 créditos

ESTADO E GESTÃO AMBIENTAI.

MÓDULO 7

AUDITORIA E CONTROLADORIA —60 horas —4 créditos

Probidade administrativa. Principios e sistema de controle na. administração pública.


Controle sociai e transparência no Brasil. Fiscalização orçamentária, financeira, contábil
e patrimonial do Estado. Organização e funcionamento do controle externo e interno na
administração pública Fluxo da gestão governamental (PPA. LDO. LOA). Conceitos de
Auditoria Governamental. Tipos de Auditoria Governamental. Controles da
Administração Pública. Elaboração de Relatório de Auditoria.

Referências Básicas

CRUZ, Flávio da. Auditoria governamental. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LUNXES, Rogério João; SCHNORRENBERGER, Darci. Coníroladoria: na


coordenação dos sistemas de gestão. São Paulo: Atlas, 2009.

Referências Complementares

MACHADO, Marcus Vinícius Veras; PETER, Maria da Glória Arrais. Manual de


auditoria governamentaL São Paulo: Atlas, 2003

CRUZ, Fiávio da; GLOCK, José Osvaldo. Contívle inwrno nos municiios. 1 ed. São
Paulo, Atlas. 2006.

SLOMSKY, Valmor. Contmladoria e gol’ernaliça na gcsíào pública. São Paulo: Atlas,


2005.

SANTOS, Gerson dos. Afanual de admiinstração patrimonial. Florianópolis: Papa-


livro, 2003.

Bacharelado em Administraçâo Púbiïca, modalidade a distância 71


Projeto Pedagógico do Curso

SILVA, Lino Martins da. Contabilidade governamental. 7. ei São Paulo: Atlas, 2008.

GESTÃO DA REGULAÇÃO —30 horas —2 créditos

Direito e Economia da Reguiação e da Concorrência; O Poder Reguiatório do Estado e


Concessão de Serviços Públicos; Políticas e Estrutura da Regulação no Brasil; Defesa
do Consumidor; Defesa da Concorrência. O marco regulatório brasileiro: legislação,
órgãos e entidades (nacionais, estaduais e municipais).

Referências Básicas

PINDTCK, Robert. S RURFNFELD, Daniel L. Microeconomia. 5. ed. São Paulo:


Prentice Hali, 2002.

MOLL, Luiza Helena. Agências de regrilação do mercado. Porto Alegre: Editora


UFRGS, 2002.

Referências Complementares

ARAGÃO, Alexandre Santos da A organização e controle social das agências


reguladoras: crítica aos anteprojetos de lei. Porto Alegre: ABAR, 2004.

CAMARGO, Ricardo A. L. Agências de regulação no ordenamento jurídico-económico


brasileiro. Porto Alegre: Fabris, 2000.

SALGADO, Lucia H. A economia política tia ação antitruste. São Paulo: Singular,
1997.

P1NI-IELRO, Armando Castelar; SÁDDI, Jairo. Direito, Economia e mercados :Rio de


Janeiro: Elsevier, 2005. Cap. 6— Regulação dos Serviços Públicos.

NEGOCIAÇÃO E ARBITRAGEM —60 horas —4 créditos

Mediação e arbitragem: o marco regulatório brasileiro. Negociação: conceitos e


princípios; o conflito; o negociador; o objeto; o lugar; os modelos e estilos;
desenvolvimento da negociação; feedback. Arbitragem: retrospectiva histórica e o
momento atual; conceito; a convenção e os tipos de arbitragem; o árbitro; a sentença
arbitral.

Bacharelado em Adminístraço Pública? modaildade a distância 72


Projeto Pedagógico do Curso

Referências Básicas

CARMONA Carlos A. Arbitragem e processo: um coinentário à Lei n°9.307/96. São


Paulo: Atlas, 2004.

MARTINELLI, Dante P.; Gi-USI, Flávia A. ivegociaçao. aplicações práticas de uma


abordagem sistêmica. São Paulo: Saraiva, 2006.

Referências Complementares

BURBRJDGE, R. Marc et aí Gestão de negociação. São Paulo: Saraiva, 2005.

CARVALHAL, Eugênio do e! ai. Negociação e administração de coty’litos. Rio de


Janeio: FGV, 2006.

FALJONE, Ademar. Negociações sindicais: como negociar em tempos de globalização.


São Paulo: Ívlakron Books, 1998.

FIIRATA, Renato H. Es fitos de negociação. São Paulo: Saraiva, 2007.

MAGRO, Maira; BAETA, Zinia. Guia valor economico dc arbitragem. Rio de Janeiro:
Globo, 2004.

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO —60 horas —4 créditos

História da tecnologia. Conceitos fundamentais: ciência, tecnologia e inovação.


Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação. Principais condicionantes do processo
de inovação tecnológica. Gestão da inovação tecnológica. Avaliação de projetos de
P&D. Financiamento para a inovação no Brasil. Tecnologias convencionais e
tecnologias sociais. Novas tecnologias e suas implicações sociais. As T1Cs em foco.

Referências Básicas

CORAL, Eliza; OGLIARJ, André; ABREU, Aline França de (Orgs.). Gestão integrada
da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas,
2008.

TIGRE, Paulo Rastos. Gestão da Inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de


Janeiro: Elsevier, 2006.

Referências Complementares

BRUNO, Lúcia (Org.) Organização, trabalho e tecnologia. São Paulo: Atlas, 1986.

LIANZA, Sidney; ADDOR, Felipe (Orgs.). Tecnologia e de.çenvolvimento social e


solidário. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 73


Projeto Pedagógico do Curso

TARAPANOFF, Kira (Org.) Jnteligëncia organizacional e competitiva. Brasília:


Editora UNB, 2001.

WARSCHAUER, Mark. iècnologia e inchisão social: a exclusão digital em debate.


São Paulo: Editora Senac, 2006.

ELETIVA DA IPES 11—60 horas —4 créditos

SEMINÁRIO TEMÁTICO III NA LFE 1, LFE II ou 1FF 111—30 horas —2 créditos

MóDuLO8

GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE —60 horas —4 créditos

A evolução da gestão ambiental; as políticas de comando e controle; conceitos e


propostas para um desenvolvimento sustentável; a evolução da legislação ambiental; o
novo papel dos Municípios, dos Estados e da União na gestão ambiental pública; o setor
público como cliente e seu poder de compra; a Agenda Ambiental na Administração
Pública (A3P); o desenvolvimento regional sustentavel; as políticas do governo
brasileiro frente aos acordos internacionais de proteção ambiental

Referências Básicas

MENEGAT, Rualdo; ALMEIDA, Gerson; SATTERTHWAITE, David.


Desenvolvimento susteniável e gestão ambiental nas cidades: estratégias a partir de
Porto Alegre. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

NASCIMENTO, Luis Felipe; LEMOS, Ângela Denise Cunha; MELLO, Maria Celina
Abreu. Gestão Socioarnbiental Estratégica. Porto Alegre: Editora Bookman, 2008.

Referências Complementares

BIDER.MAN, RacheI eta!. Guia de compras públicas sustentáveis: uso do poder de


compra do governo para a promoção do desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro:
FGV, 2006. Disponível em:
<http://www.mma.gov.br/estruturas/a3pf_arquivos/guia compras sustentaveis.pdf’.
Acesso em: 12 mar. 2009.

BUARQUE, Sergio C. Consirnindo o desenvolvimento local susíentáie[ Rio de


Janeiro: Gramond, 2002.

CAMARGO, Ana Luiza de Brasil. Desenvolvimento sustentável: dimensões e desafios.


Campinas: Papirns, 2003.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 74.


Projeto Pedagógico do Curso

HAWKEN, Paul; LOVINS, Amory; LOVINS L. Hunter. Capitalismo Na/tirai: criando


a próxima Revolução Industrial. São Paulo: Cultrix, 1999.

QUiNTAS, José Silva. Introdução à Gestão Ambientai Pública. Coleção Meio


Ambiente Série Educação Ambiental. ifiAMA, Brasilia, 2002.

POLÍTICAS PÚBLICAS E SOCIEDADE —60 horas —4 créditos

Introdução ao estudo das politicas públicas. Conceitos fbndamentais: políticas públicas,


público e privado, público e estatal, público e governamental. Estado, mercado e esfera
pública. O Estado de Bem-estar Social, a formação da cidadania moderna e o
desenvolvimento da democracia. Histórico do Estado de Bem-estar Social. Tipologias
de Estados de Bem-estar Social. A formação da Agenda Pública. A questão da decisão e
da não-decisão. Modelos de decisão e o papel dos atores políticos: parlamentos, partidos
políticos, grupos de interesse, estruturas institucionais e midia. implementação e
avaliação das políticas públicas. Tendências das políticas públicas no inicio do Século
XXI. Liberalismo, social democracia e políticas públicas. O efeito da globalização para
as políticas públicas. A participação da sociedade na decisão e acompanhamento da
execução das políticas públicas: a gestão democrática.

Referências Básicas

SARAVIA, Enrique: FERRAREZI, Eliane. (Orgs). Políticas Públicas. Coletânea.


Brasília: ENAP, vol. 2. 2006. Disponível em: <www.enap.gov.br>. Acesso em: 9 abr.
2009.

Referências Complementares

DAGNINO, Eveline. Sociedade civil e espaços páhlicos no BrasiL Rio de Janeiro: Paz e
Terra, 2002.

LUBAMBO, Cátia W.; COÊLI-1O, Denilson B.; !%IELO, Marcus André. (org.) Desenho
institucional eparticiação política: experiências no Brasil contemporâneo. Petrópolis:
Vozes, 2005.

RELAÇÕES INTERNACIONAIS —60 horas —4 créditos

Analisar as relações internacionais no periodo contemporâneo e verificar como se


encontra estruturado o sistema internacional. Temas como a globalização, a
regionalização, a interdependência e aqueles que têm ocupado a agenda dos governos
nos anos de 1990, tais como as organizações internacionais e não-governamentais, o

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 75


Projeto Pedagógico do Curso

meio ambiente, os direitos humanos, os conflitos étnicos e religiosos, os nacionalismos


e o terrorismo.

Referências Básicas

RODRIGUES, Gilberto Marcos Antonio. O que são relações m,ten,acionais São Paulo:
Brasiliense, 2009.

SFÀTENFUS, Ricardo Manual das organizações inlernacionais Porto Alegre: Livraria


do Advogado, 2008.

Referências Complementares

PASSETTI, Edson; OLIVEIRA, Salete (orgs.). Terrorismos. São Paulo: Eduo, 200&

RESENDE, Paulo-Edgar; DOWBOR, Laislau; IANNI, Octavio (orgs.). Desafios da


globalização. Petrópoli s: Vozes, 2002.

ROMÃO, Wagner; XAVIER, Marcos; RODRIGIJES, Gilberto (orgs.). Cidades em


relações internacionais. São Paulo: Desatino, 2009.

VIGEVANT, Tuilo; WANDERLEY, Luis Eduardo; MARIANO, Marcelo (orgs.).


Dimensão subnaciona/ e as relações internacionais. São Paulo: linesp/Educ, 2004.

VIZENTTNI, Paulo Fagundes. Relações exteriores cio BrasiL São Paulo: Fundação
Perseu Abramo, 2008.

ELETIVA DA IPES III —60 horas —4 créditos

SEMINÁRIO TEMÁTICO IV NA LFE 1, LFE II ou LFE III —30 horas — 2 créditos

DISCIPLINAS OPTATIVAS

REDAÇÃO OFICIAL —60 horas —4 créditos

Características do texto administrativo e a linguagem oficial aplicadas na produção de


documentos e correspondências oficiais e empresariais.

Referências Básicas

Bacharelado em Administraçâo Pública; modalidade a distância 76


Projeta Pedagógica da Cursa

BRASIL. Presidência da República. Manual de redação tia Presidência da República.


2. ed. rev. e atual. Brasília: Presidência da República, 2002.

BRASIL. Congresso Nacional Câmara dos Deputados. Manual de Redação. Brasília:


Câmara dos Deputados, Coordenação de Públicações, 2004.

Referências Complementares

BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de comunicação escrita. 12. ed. São Paulo: Ática, 1995.

FLORES, Lúcia Locatelli. Redação oficial. 3 ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2002.

GOLD. Mirian. Redação empresarial: escrevendo com sucesso na era da globalização.


3. ed. São Paulo: Pearson Pretice MalI, 2005.

MEDEiROS, João Bosco. Correspondência: técnicas de comunicação criativa. 13 ed.


São Paulo: Atlas, 1999.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Administração. Diretoria de Patrimônio e


documentação. Padronização e redação dos atos oficiais. 2 ed. rev. e atual.
Florianópolis: SEA. 2003.

INFORMÁTICA PARA ADMINISTRADORES —60 horas —4 créditos

Estrutura de computadores. Soflwares.Aplicativos: processadores de textos, planilha


eletrônica e apresentação de slides. Sistemas Computacionais: características, noções de
modelagem de dados. Bancos de dados. Internet e páginas web. Correio Eletrônico: uso
corporativo, atividades em grupo.

Referências Básicas

NORTON, Peter. introdução à i,fonnáiica. São Paulo: Pearson Makron Books, 1996.

STAIR, Ralph M. Frincipios de Sistemas de i1formação: uma abordagem gerencial.


Rio de Janeiro: LTC Editora, 1998.

Referências Complementares

GORDON, Steven R.; GORDON, Judith R. Sistemas de iqformação: uma abordagem


gerencial. Rio de Janeiro: LTC Editora, 2006.

LAUDON, Kenneth C., LAUDON. Jane Price. Sistemas de in/brmaçào coiti Internei.
Rio de Janeiro: LTC Editora, 1999.

O’BRIEN, James A. Sistemas de ity’órmação e « decisões gerenciais na era da


Internei. São Paulo: Saraiva, 2003.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distãncia 77


Projeto Pedagógico do Curso

REBOUÇAS DE OLiVEIRA, Djalma de Pinho. Sistemas de infonuações gerenciais:


estratégicas, táticas, operacionais. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

TURBAN, Efraim; RA1NER ir., R. Kelly, POTTER, Richard E. Administração de


tecnologia da iiformação. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

DISCIPLINAS ELETIVAS

Empreendedorismo Governamental

Fundamentos do Empreendedorismo — definição e origem; migração do Estado


patrimonialista ao Estado empreendedor; empreendedorismo privado x público; razões
do empreendedorismo. Gestão Empreendedora — análise de cenários; identificação de
oportunidades; o ciclo orçamentário e as proposições de ações; casos de sucesso; gestão
por resultados; Perfil e Comportamento Empreendedor — síndromes, mitos,
características, habilidade inata ou comportamento aprendido, empreendedor e
intraempreendedor, e empreendedor estratégico.

Referências Básicas

GERBER, Michael E. Empreender Fazendo a Diferença. São Paulo: Fundamento,


2004.

REZENDE, Denis Alcides; CASTOR, Belmiro Valverde Jobim. Planejamento


Estratégico Municipal: empreendedorismo participativo nas cidades, Prefeituras e
Organizações Públicas. 2. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2006.

Referências Complementares

ARMANI, Domingos. Como elaborar projetos? Guia Prático para Elaboração e Gestão
de Projetos Sociais. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2002.

BANDEIRA, Cynthia. Aprender a Empreender. Juiz de Fora: Esdeva, 2006.

HERMANN, Ingo Louis. Empreendedorismo e Estratégia. Santa Catarina: Biblioteca


Universitária da Unisul, 2005.

MINTZBERG, Henry, AHLSTR.AND, Bruce. LA.MPEL, Joseph. Safári de estratégia.


Porto Alegre: Bookman, 2000.

SOLONCA, Davi. Gestão por Resultados na Administração Pública. 2. ed. Santa


Catarina: Biblioteca Universitária da Unisul, 2007.

Gestão da Qualidade no Setor Público

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância 78


Projeto Pedagógico do Cursa

Considerações sobre o setor público. Qualidade: conceitos e princípios. Planejamento e


controle da qualidade. Ferramentas. Melhoria em operações. Qualidade em serviços:
projeto, desenho de processos, programação de serviços e controle de qualidade.

Referências Básicas

CAMPOS, Vicente Falconi. Gerência da qualidade total. Rio de Janeiro: Bloch, 1990.

FITZSIMMONS, James A.; FITZSIMMONS, Mona J. Administração de serviços.


Porto Alegre: Bookman, 2000.

Referências Complementares

CAMPOS, Vicente Falconi. JQC: gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia.


Belo Horizonte: UFMG, Escola de Engenharia, 1994.

CORRÊA, Henrique L.; CAON, Mauro. Gestão de serviços. São Paulo: Atlas, 2002.

DEMING, W. Edwards. Qualidade: a revolução da administração. Rio de Janeiro:


Marques-Saraiva, 1990.

DEMTNG, William. Edwards. Saia da crise: as 14 lições definitivas para controle de


qualidade. São Paulo: Futura, 2003.

JURAN, Joseph M; GRYNA, Frank M. Cont,vle da qualidade. São Paulo: Makron:


McGraw-Hill, 1991.

A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade


emprodutos e serviços. São Paulo: Pioneira, 1992.

LOVELOCK Christopher; WRIGI-IT Lauren. Serviços: marketing e gestão. São Paulo:


Saraiva, 2006.

SCHIvEENNER, Roger W. Administração de operações em serviços. São Paulo: Futura,


1999.

Gestão de Redes de Cooperação na Esfera Pública

Conceito, gênese e tipos de redes, modelos de gestão e estruturas de redes públicas.


Redes federativas e redes públicas de cooperação, redes comunitárias.
Complementaridade e Supletividade nas redes híbridas.

Referências Básicas

Bacharelado em Administraçao PiibIica, modahdade a distância 79


Projeto Pedagógico do Curso

CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena Maria Martins. (Orgs.) Arranjos


produtivos locais e as novas políticas de desenvolvimento industrial e tecnológico. Rio
de Janeiro: UFRJ, 2000.

GOLDSIVIITH, Stephen; EGGERS, Willian (Org.). Governar em rede: o novo formato


do setor público. São Paulo: Editora Unesp, 2006. (Esta é uma públicação da ENAP).

Referências Complementares

CRUZ, Junior Alisson Westarb; MART1NS, Tomas Sparano; AUGUSTO, Paulo Otávio
Mussi (Orgs.). Redes Sociais e Oiganizacionais em Administração. Curitiba: Juruá,
2008.

CRUZIO, Helnon de Oliveira, cooperativas em redes’ de cmtogestão do conhecimento.


Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

FLEURY, Sonia; OUVERNEY, Assis M. Gestão de Redes: a estratégia de


regionalização da política de saúde, Rio de Janeiro: FGV. 2007.

NETO, João Amato. Redes Entre Organizações. São Paulo: Atlas, 2001.

SCI{LITHLER, Célia Regina Belizia. Redes de Desenvolvimento C’onmnitário:


Iniciativas para a transformação social. São Paulo: Global Editora, 2004.

Análise e Prospecção de Problemas Nacionais

Problemas Nacionais contemporâneos: métodos de identificação, caracterização, análise


e prospecção. Políticas públicas para abordagem dos Problemas Nacionais:
interdependência e interfaces entre Poderes e niveis de governo. Temas em destaque:
desigualdades sociais e pobreza; a questão ambiental e da Amazônia e seu caráter
estratéco; a Reforma Sanitária, o Sistema único de Saúde e dilemas na sua
implementação; Educação para a Cidadania: acessibilidade e qualidade.

Referências Básicas

SANCHES Ross, Jurandyr. Geogrczfia do Brasil. São Paulo: EDUSP 2005.

VIANA, Ana Luiza, ELIAS, P. Eduardo, EBAREZ, Nelson (Orgs.). Proteção Social:
dilemas e desafios. São Paulo: Hucitec, 2005.

Referências Complementares

BATISTELLA, Mateus; MORAN, Emilio; ALVES, Diógenes (Orgs.) Amazônia:


Natureza e Sociedade em Transformação. São Paulo: Edusp, 2009.

BEHRING, Elaine B.; BOSCI-IETTI, Ivanete. Política Social: ffindamentos e história.


4. ed. São Paulo: Cortez Editora. 2008.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 80


?r’’ (E

CAMPOS, Andié *iúR!:\i, kicana; CAR CL\, k aah: Lds.). LA;/: o esiado de
urna nação. IP13A, Pj asH., 2007 D].j-’nf\ ci
<http://ww.ipea.gov.h:.11 eCla nc1o: a .c20u7,ncl>. Acesso em: 9
1
v1’.J

abr. 2009.

JACCOLTO, LLsc;atiCI íCtH ‘j:. /c(CÇ:f’.

contemporáneo. Kra Íi ia P LCi


- 5.

LiEvL’ Nisis ‘T:iuciaclc e/ üiT.J. e ‘,ac],f/j, %Aae 1:aerc: IJIOCRUZ,


2005.

4160i FU, \.íJr, unsl, :-i )USA., N:ni ac ,ncsicL ]J;’t,/;e K2://I íAh:cueco no Brasil.
Rev. Anal. iene Afeere-. v 6, a. 2. aee1e,e ‘1ci;CCi 2i.’e5. Disponível em:
<http://www.nalijsouza.web.br.com/educacao brasul.pdt> Acesso ciii: 9 aiJr. 2009.

i40CL, SeíA. ohroei .-n Ci; oci!: aaeai, co ne ema? 3. eu. <lo de Janeiro:
Lci±toi’: iC”,,

SEN, .A.naryo. /i-\/a: /.00p’/. .


H.L’e. Ve- .Lj Hp o -:ianhiadas
Letras, 2000.

SA,\7IAI’Ji jDci’nc’val. Li:’ e-; ,L/’l;


, eia .-aiiu-- .-‘*-ehe.•-o/ o: ZAccoçi7í: pc’rurna
oure po’ loa ei II 1 1,11 5 1 1 —

,.t’.’.EeeLo
‘•e:ii’J ‘t’Ci :,.,,:.‘,J34SaoPaulo
e <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0 100-
15742008000200004&script=sciarttext&tlng=pt> ‘eNso elo: 9 nOr 2009

SCREINVAL, ,;ot.:’--. iCEoe:i.íiA-LA:cÇ’ oec;)xU/vose


escola. Rio (10 J*,’.-iro:

:.4..:’.’
.11. :‘. Ii’v’

SICSU, Joo (Ccrg.). Á77’-.’c/ft/,,P j’ fU/41’. ,,9 O 1efe//Lo _jifPa 01k1? ;‘ão?
So Paulo: L3( iifll’if’e t’Ci;i’cfl::i. 1:1’ :7

VJANNA, Iua’e. !.Ci.-ii Ci ,O.’;a;-.’&’,/o,znCi/,’l


C,’ÏIL’l’i. 1 ;o,’-.,r.i /o ‘Cir.
-’jJ Social
7
no Brasil. Rio dcJa,icii:: R:vai,i[3P014J,

LIclraçao, or’trazos e LQflVefliCS

‘ci’ o,:nç’ier,ms, e iioxigibi idade,


010(01’. 010005, I0e ele! a ‘asaeicia [, :‘asa’;, a’. cieacC’a -z ir’caliciaoo, controle.
,‘icci/,*COL ULtfliO’- O L:t:’.HQN. t’’caca teraJi., iicxcetco. extinção,

Bachare!ade em Adminstraçac Publica, modr,jade a e,str:ic1a


Projeto Pedagógico do Curso

espécies, controle. Convênios: aspectos gerais, participantes, objeto, formalização,


controle.

Referências Básicas

Dl P]ETRO, Maria Syivia Zaneila. Direito administrativo. São Paulo, Atlas, 2009.

MOTTA, Carlos Pinto Coelho. Eficácia nas licitações e contratos. Belo Horizonte: Dei
Rey, 2008.

Referências Complementares

CRUZ, Flávio da (Coord). Lei de Responsabilidade Fiscal comentada 5. ed. São Paulo:
Atlas, 2006.

GASPARIN1, Diógenes. Direito ad,ninistratii’o. São Paulo: Saraiva, 2008.

JUSTEN FILHO, Marçal. curso de direito administrativo. São Paulo: Saraiva, 2008.

MEJRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. Atualização de Eurico de


Andrade Azevedo. Délcio Balestero Aleixo, José Emmanuei Burle Filho. São Pauto:
Malheiros, 2008:

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de direito administrativo. São Paulo:
Malheiros, 2009.

DISCIPLINA DE NIVELAMENTO

MATEMÁTICA BÁSICA —60 horas —4 créditos

Conjuntos e Relações. Potenciação, Radiação, Logaritmo e Exponencial. Produtos


Notáveis. Razão, Proporção e Porcentagem. Frações. Equações de 1° e 2° graus.
Inequações de 1° grau. Aplicações.

Referências Básicas

LEITHOLD, Louis. Matemática Aplicada á Eco, ionna e Adminstração. São Paulo:


Harbra, 1988.

BEZERRA, Manoet J.; PUTNOKI, José Carlos. Novo Bezerra: Matemática (2° Grau).
Volume Unico. 4. ed. São Paulo: Scipione, 1996.

Referências Complementares

WEBER., Jean E. Matemática para Economia e Administração, 2. ed. São Paulo:


Harper & Row do Brasil, 1986.

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância 82


Projeto Pedagógico do Curso

ALENCAR FiLHO Edgar de. Jèoria Elementar dos coi?juntos. 15. ei São Paulo:
Nobel, 1974.

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


83
Projeto Pedagógico do Curso

ANEXO 3— CORPO DOCENTE QUE

PARTICIPA DA GESTÃO DO CURSO

FUNÇÃO DISCIPUNA DOCENTE FORMAÇÃO TfflJLAÇÃO !2Açp_


Coordenador do Curso Luis Ottaon Rastos Administração Mestre
Proí Filosofia e Ética Watdernar ir. História Mestre
Prof Teorias da Administração t Ana Carolina Administração Mestre
Prof Introdução a Economia Luis Márcio Economia Doutor
Prof Psicologia Organizaoional José& Spencer H, ir ReI. Públicas e Psicologia Mestre
Prof Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração Fernanda Rodo Administração Mestre
Orieot Seminário Integrador Luis Othon Bastes Adminsitração Mestre
Prol Ciência Política Mano Medeiros Ciências Sociais Doutor
Prof Teorias da Administração II Ana Carolina Administração Mestre
Prof Macroeconomia Marcos Calado Ciências Econômicas Mestre
Prof Contabilidade Geral Marcelo Lucena Ciências Contábeis Especialista
Prof Matemática para Administradores Roldão Torres Engenhana Mestre
Orient Seminário Temático t Agnaldo Jose Administração Mestre
Prol Teorias da Adm. Pública Anlonio Fernando Braga Administração Mestre
Prof Sociologia Orpanizacional Waldemar ir História Mestre -

Prof Economia Brasileira André Castelo Torres Economia Mestre


Prof Contabilidade Pública Marcelo Lucena Ciências Contábeis Esilaista
Prol Instituições de Direito Público e Privado Ferrnando Andrade Ciências Jurídicas Mestre
Orient Seminário Temático II Edmauro Assunção Administração Mestre
Prof Teorias das Finanças Públicas André Casteto Torres Economia Mestre
Prol Organização, Processos e Tomada Decisão Edmauro Assunção Administração Mestre
Prol Sistemas de Informação e Comunicação no Setor Público Patrlcia Cristina Moser Sistemas de Informação Mestre
Prof Estatística Aplicada á Administração Fernanda Roda Administração Mestre
Prof Direito Administrativo Fernando Andrade Ciencias Juridicas Mestre
Orieni Seminário Temático III
Prol Planejamento e Programação na Adm. Pública Edmauro Assunção Administração Mestre
Prof Gestão de Pessoas no Setor Público Fernando Pontual Administração Mestre
Prol Gestão de erações e Logística 1 Luis Othon Bastos Administração Mestre
Prol Matemática Financeira e Análise de Investimento Rúbson Gées Ciências Econômicas Mestre
Prol Legislação Tributária e Comercial Fernando Andrade Ciencias Juridicas Mestre
Orient Seminário Temático 1 na
Orient LFE
Orient Seminário Temático 1 na
Orient LFE II
Orient Seminário Temático 1 na LFE III
Odent Estio CurricularSuvisionado 1 Ana Carohna Administração Mestre
Prol Orçamento Público Marcelo Lucena Ciencias Contábeis Especilaísta
Proí Administração Estratégica Paula Gonçatves Administração Mestre
Prol Gestão de Operações e Logística Ii Luis Othon Bastos Administração Mestre
Prol Elaboração e Gestão de Projetos Antonio M da Si[va Filho Engenharia Doutor
Prol Eletiva da IPES 1
Orient Seminário Temático II na

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


84
Projeto Pedagógko do Curso

Orient LFE
Orient Seminário Temático II na
OTieM LFE II
Orient Seminário
Orient Temático II na
Drient LFE III
) Estágio Curricular Supervisionado Ana Carolina Administração Mestre
Prot Auditoria € Controtadorla Marcelo Lucena Ciencias Contábeis Especilaista
Prof Negociação e Aibitragem Adriana Cordeiro Administração Mestre
Prof Tecnologia e Inovação Marjony Camelo Comunicação Social Mestre
Prof Eletiva da IPES II
Prof Gestão da Regulação Marco Antonio Beserra Administração Especilaista
Orient Seminário Temático III na
Orient LFE 1
Orient Seminário Temático III na
Orient LFE II
Qrient Seminário Temático tIl na
Orient LFE til
Orient Estágio Curricutar Supervisionado III
Prof Potiticas Públicas e Sociedade Cristóvão Brito Ciências Econômicas Doutor
Prof Gestão Ambiental e Susterrtabilidade Carlos Ubirajara Geografia Mestre
Prot Relações Internacionais Tiago Jorge E Maranhão História Mestre
Prof Eletiva da IPES III
Orient Seminário Temático IV na
Orient LFE 1
Orient Seminário Temático IV na
Orient LFE II
Orienl Seminário Temático IV na
Orient LFE III
Orlent Estágio Curricular Supervisionado IV

Bacharelado em Administração Pública, modalidade a distância


85
Projeto Pedagógico do Curso

ANEXO 4— REGIMENTO DE ESTÁGIO

Bacharelado em Administraçâo Pública, modalidade a distância


86
Prc to do Curso

oiJ Modefagem e Sinnu[açâo


02 Mzirketing Governar-nerFtai
03 Jogos Organzadcrias
1 Controe ntrrno
OS Comércio nierEHzc*aí
06 Fontes de Financiamento PúhHco
07 Direito ntcrnaciona
08 Responsabdiciade Socia. e Tc
[ceirc
2
09 Direito cio Consuminor -—___________

10 de Cooneratívas —_______________________

11 Gestão de Vigiincia_Sanit3[ic

con :ç,Jjr i’:ii,rfinH cJni.n> O 160 haconforme a


e o ç .i fc (.í’elada.

Bacharelacio em Administraçao PCticca, ;odd jdade a


.