Você está na página 1de 8

GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES

MÓDULO 02 –EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS

Saiba quais equipamentos e ferramentas serão utilizados em


uma ativação de fibra óptica FTTH. Conheça-os detalhadamente e para
que servem cada um deles.

Conteúdo Do Curso:

1 – Equipamentos utilizados em uma ativação FTTH;


2 – Ferramentas usadas em uma ativação FTTH;

Equipamentos:

1) Conetores De Campo:
2) Os conectores usados em campo
são do modelo SC-APC, cor verde,
usados na CTO e conectores SC-
UPC, cor azul, usados nas ONUs
(conversores ópticos)

Entenda como funciona o Conetores


De Campo:

O funcionamento deste
equipamento é mecânico, você precisa
unir a sua fibra com a fibra que existe
no interior do conector. Para um
funcionamento perfeito, a fibra deve

Instrutor: Paulo Ronaldo


1
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
estar limpa e clivada corretamente.
Uma força é necessária para a união das duas fibras. Para isso, deixamos
um pequeno arco na sua fibra, forçando contra a do conector, antes de puxar a trava
do conector.

ONU – OPTICAL NETWORK UNIT:

A função das ONUs é converter o sinal


ótico em eletricidade, podendo assim, conectar
qualquer roteador pela porta LAN1 ou LAN2. A
porta das ONUs são Gigabit, ou seja, podem
transmitir até 1 Giga de dados por segundo. As
ONU trabalham em modo bridge ou Router.
Existem vários tipos de ONUs. Alguma já vem com
roteamento integrado, no caso das ONUs híbridas.

ROTEADORES:

Os roteadores servem para armazenar os dados do usuário, fazendo a


conectividade do cliente ao servidor PPPoE ou outra forma de autenticação do
provedor, liberando assim, a conexão com a internet. Mas sua função principal é criar
redes virtuais ou rotas para outros dispositivos
conectados, conseguindo liberar o acesso à
internet entre vários dispositivos ao mesmo tempo,
sem conflitos entre eles.
Existem vários tipos de roteadores.
Roteadores de 150Mbps de uma Antena são
usados para planos menores. Já para planos
maiores, roteadores mais modernos e com
tecnologia WIFI Dual Band 2.4GHz, 5GHz e portas
WAN/LAN Gigabit, são de uso obrigatório.

Instrutor: Paulo Ronaldo


2
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES

DROP FLAT 1FO:

O Drop Flat é um cabo óptico, composto de 1 ou


2 fibras, protegidas por dois arames de aço finos,
sustentados por um arame de tração mais rígido, que pode
ser descartado do drop. Existem diversas cores de drop. A
mais usada é a cor preta por suportar raios UV.
O drop é mais frágil que os cabos ópticos AS –
Autossustentados. Seu manuseio requer mais cuidado e
preparo das equipes de ativação. Todo cuidado é pouco no
seu manuseio, já que ele é o mais caro em toda sua rede
FTTH, por ser usado em maior quantidade.

ESTICADOR CUNHA:

A utilização incorreta desta


ferramenta pode comprometer o resultado final
da instalação. Os esticadores utilizados na rede
FTTH, já vem com a identificação da empresa.

Instrutor: Paulo Ronaldo


3
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
Ele também vem com instruções de instalação impressa pelo fabricante.
Estas instruções devem ser obrigatoriamente seguidas. Caso não siga
estas instruções, a chance de quebra do mesmo é enorme, chegando até quebrar no
ato da instalação!
Os esticadores de drop podem ser opcionais, caso queira economizar.
Basta cortar o arame de tração do Drop e esticar (prender) na própria BAP ou fita de
aço.

FERRAMENTAS USADAS NA ATIVAÇÃO


FTTH:

Além do carro e escadas, os técnicos


devem utilizar EPI e EPC, ferramentas de instalação
de ferragens (quando houver poste sem ferragens),
ferramentas de fixação de Drop, ferramentas de
montagens de conectores de campo, notebook e
outras. Veja detalhes de cada uma delas, nas
páginas a seguir:

ESTICADOR DE FITA DE AÇO – FUSIMEC:

Esta ferramenta é utilizada


para esticar a fita de aço, apertando
os anéis guias contra o poste. Procure
esticar bem a fita, para que os anéis
fiquem firmes. O manuseio da fia de
aço, deve ser com luvas de couro.
Existem Fusimec manuais (foto) e
semiautomáticas com catracas.

Instrutor: Paulo Ronaldo


4
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
ALICATE DECAPADOR DE DROP:

A utilização incorreta desta


ferramenta pode comprometer o resultado
final da instalação. Esta ferramenta é
utilizada para cortar os dois elementos de
proteção do drop, deixando apenas a fibra
encapada. Caso esta ferramenta esteja
ruim durante o corte, ela pode atingir a
fibra e acabar trincando, comprometendo-a
fisicamente. Se isso acontecer, refaça o procedimento e peça outra ferramenta.

ALICATE DECAPADOR DE FIBRA:

A utilização incorreta desta


ferramenta pode comprometer o
resultado final da instalação. Esta
ferramenta é usada para retirar o
revestimento da fibra, deixando apenas
a fibra nua, sem a sua capa verde.
Muito cuidado ao usar esta ferramenta.
Ela não pode aranhar a parte
nua da fibra. Se tiver desregulado, ela
pode danificar a fibra nua e deixá-la
trincada, podendo romper dentro do conector ou no tubete (em uma fusão), durante a
instalação ou com o tempo.

Instrutor: Paulo Ronaldo


5
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
CLIVADOR (CORTADOR DE FIBRA DE
PRECISÃO)

A utilização incorreta desta ferramenta


pode comprometer o resultado final da
instalação. Esta ferramenta corta a fibra nua com
muita precisão. Sempre faça testes e limpeza
nos clivadores. Para testar seu corte, use em
uma fibra e coloque na máquina fusão, para ver
o resultado no microscópio da mesma.

O CORTE PERFEITO DE UM CLIVADOR:

O corte perfeito permite que a luz


entre e saia sem perdas. Um corte errado,
com sujeiras pode impedir ou atrapalhar a
entrada ou saída da luz, parcialmente ou
totalmente, gerando perdas enormes ou
totais. Mantenha o clivador sempre limpo e
guardado na sua caixa.

KIT DE LIMPEZA DE FIBRA:

Estas ferramentas são utilizadas


na higienização das fibras antes de serem
clivadas. Nunca limpe a fibra após o
clivamento. O álcool teve ser o mais puro
possível (isopropílico).

Instrutor: Paulo Ronaldo


6
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES
Espere uns 5 segundos para secagem e clive-a. A limpeza da fibra é
obrigatória. Caso contrário, a sujeira poderá interferir na saída da luz e em caso de
fusão, a sujeira será fundida junto com as fibras.

GABARITO DE CLIVAGEM:

Esta ferramenta facilita a vida dos técnicos, na hora de


saber a medida correta da decapagem e também a medida correta
do clivamento. A não utilização desta ferramenta pode resultar em
um mal clivamento e consequentemente muitas perdas. Neste
caso, será necessário remover o gabarito original de clivador, para
que ele encaixe correto.

EMISSOR DE LUZ (DETECTOR DE FALHAS):

Esta ferramenta envia uma luz na ponta de um dos conectores e tem sua
saída na outra extremidade, caso a fibra não tenha um rompimento. Excelente para
detectar rompimento em uma rota ou em um determinado trecho da rota.

Instrutor: Paulo Ronaldo


7
GST- CURSOS

PROFISSIONALIZANTES

POWER METER:

Esta ferramenta mede a perda de uma fonte de luz. Uma ferramenta muito útil no
dia a dia de um técnico.
Sempre tampar após a utilização, para que não entre sujeira dentro do
mecanismo óptico interno.

Instrutor: Paulo Ronaldo


8