Você está na página 1de 12

Sintaxe de Regência

AULA 4 Sintaxe é a parte da gramática responsável por funções específicas, como as


relações estabelecidas entre os elementos de uma oração ou período. Regência
estuda as relações de dependência entre termos de uma oração ou de orações
entre si. Existem dois tipos de regência: a verbal e a nominal.

Os estudos de regência são importantes para falar e escrever bem

Verbos que enganam o povo

Vejamos alguns verbos que estão na boca do povo com a regência errada: quando se fala de
maneira incorreta, fica mais difícil escrever corretamente. Vamos lá!

• Assistir

Meu primo assistiu o jogo.
Meu primo assistiu ao jogo.
O correto é “Meu primo assistiu ao jogo”. O verbo assistir, com sentido de “ver” exige a preposisição
“a” em sua regência.

• Preferir

Eu prefiro Matemática do que Filosofia.
Eu prefiro Matemática à Filosofia.
Pode parecer estranho, mas segundo a norma culta, não se usa “do que”, mas sim preposição “a”
para a regência do verbo preferir: “eu prefiro isto a aquilo.”

• (Des)obedecer

Ele (des)obedece o regulamento da empresa.
Ele (des)obedece ao regulamento da empresa.
O verbo obedecer (desobedecer) exige, obrigatoriamente, a preposição “a”: “obedeço ao meu pai”,
“obedeço à minha mãe”, ou “não obedeço a ninguém”.

Fragmento adaptado de post disponível em: http://www.blogdogramaticando.com/2011/04/


regencia-verbal-completo-34-verbos.html. Acesso em: 20.03.2014.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 41 Instituto Universal Brasileiro


Sintaxe de Regência
Regência verbal e nominal Afinal, o que é regência?

Na gramática, a regência consiste na re-


Leia os seguintes verbetes de um dicio-
nário de português: lação necessária que se estabelece entre duas
palavras, uma das quais servindo de comple-
assistir mento a outra (dependência gramatical).
(as.sis.tir)
(lat assistere) vti 1 Comparecer, estar
presente: Assistir a um ofício divino. vtd e vti Regência
2 Acompanhar, principalmente em ato público, • Regência (dependência, subordinação):
na qualidade de ajudante, assessor ou assisten-
relação de dependência que as palavras man-
te. vti 3 Acompanhar, para dar conforto e conso-
lação ou para tratar na qualidade de médico ou têm na frase.
enfermeiro: Assistir aos doentes, aos presos. • Um termo rege o outro que o complementa.
vtd e vti 4 Ajudar, favorecer, proteger, socorrer.
vti 5 Caber, pertencer: Não lhe assiste razão Regência é a situação de dependência
para isso. vint 6 Estar hospedado, hospedar-se que certas palavras guardam, com respeito a
em: Assiste na casa do irmão. Com o sentido outras. A sintaxe de regência ocupa-se, pois,
de comparecer, estar presente, e tendo como
do estudo das relações de dependência das
complemento um pronome pessoal, não admite
a forma lhe, porém a ele, a ela, a eles, a elas: palavras dentro da oração.
“Lá vão os frades celebrar um auto. Não serei eu Toda vez que um termo vem subordinado
que assista a ele” (A. Herculano). a outro, temos uma regência. O termo subor-
dinante ou principal chama-se regente e o su-
acostumado
bordinado recebe o nome de regido.
(a.cos.tu.ma.do)
adj. 1. Que se acostumou (a algo); que
tem costume, hábito (de); HABITUADO [+ a, com: Termo regente. Palavra principal a que
Uma mulher acostumada a acordar cedo; Bebe outra se subordina.
muito e não se embriaga; está acostumado.] 2. Termo regido. Palavra dependente que
Que se adaptou, condicionou; familiarizado [+ a, serve de complemento e que se subordina ao
com: Tinha a vista acostumada à escuridão; Jo- termo regente.
gadores acostumados com altitudes elevadas.] 3.
Que se repete por hábito ou costume; costumei-
ro; habitual; usual: Recolheram-se à hora acos-
tumada. sm. 4. Aquilo que é habitual, costumeiro:
O acostumado em nossa casa é o hóspede sen-
tar-se à cabeceira. [F.: Part. de acostumar. Ant.
nas acps. 1 e 2: desacostumado.]
Você não deve se esquecer de que
Regência costuma vir indicada
toda palavra precedida de preposição
em dicionários
funciona como termo regido, em relação à
Alguns verbos e nomes (substantivos, palavra que a antecede, que é a regente.
adjetivos e advérbios) pedem complementos. Veja os exemplos:
Esses complementos podem exigir a presen-
ça da preposição. Por isso, os dicionários • Copo de cristal
costumam indicar se os verbos são transi- Palavra regente: copo
tivos diretos (VTD) ou transitivos indiretos Preposição: de
(VTI); e quais preposições devem ser usadas Palavra regida: cristal
com eles; ou com os substantivos, adjetivos (de cristal: adjunto adnominal)
e advérbios.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 42 Instituto Universal Brasileiro


Tipos de Regência
• Amor a Deus
Palavra regente: amor A regência pode ser nominal ou verbal,
Preposição: a conforme trate do regime dos nomes (subs-
Palavra regida: Deus tantivos e adjetivos) ou dos verbos. Quan-
(a Deus: complemento nominal) do o termo regente é um verbo, a regência
é verbal; quando é um nome, a regência é
• Gostam de festas nominal.
Palavra regente: gostam
Preposição: de
Palavra regida: festas
(de festa: objeto indireto)

• Moro em São Paulo


Palavra regente: moro
Preposição: em
Palavra regida: São Paulo
(em São Paulo: adjunto adverbial de lugar)

Vamos relembrar as
preposições?

Palavra invariável que serve para li-


gar termos ou orações. Quando esta ligação
acontece, normalmente há uma subordinação
do segundo termo em relação ao primeiro. As
preposições são muito importantes na estru-
tura da língua, pois estabelecem a coesão
textual e possuem valores semânticos indis-
pensáveis para a compreensão do texto. O conhecimento da regência correta
Preposições essenciais são pala-
(isto é, da regência que segue a gramáti-
vras que atuam exclusivamente como pre-
ca normativa, aquela gramática que pres-
posições: a, ante, perante, após, até, com,
contra, de, desde, em, entre, para, por, creve o que se deve e o que não se deve
sem, sob, sobre, trás, atrás de, dentro de, usar na língua) de cada verbo e de cada
para com. nome é função, atividade natural, do uso.
Os substantivos, adjetivos, verbos e Ou seja, cada falante conhece a regência
advérbios podem exigir complemento re- dos verbos e dos nomes que fazem parte
gido de preposição. Exemplos: “Desejo de do seu repertório usual.
estudar.” Palavra regente: desejo (subs-
tantivo); “Rico em virtudes.” Palavra re-
gente: rico (adjetivo); “Faço isto indepen-
dentemente de minha vontade.” Palavra Regência verbal
regente: independentemente (advérbio);
“Lembremo-nos da Pátria!” Palavra regen- A regência verbal se ocupa do estudo da
te: lembremos (verbo). relação estabelecida entre os verbos e seus
complementos.
Língua Portuguesa 2 - Aula 4 43 Instituto Universal Brasileiro
• Lutar com, contra;
• Resignar-se a, com;
• Retroceder a, para;
• Rodear-se com, de.

Há verbos que, mudando de regência,


mudam também de significado.

Exemplo: reparar.

“O pedreiro reparou o muro.”

• Verbos que pedem a preposição


“a”: aceder a, aderir a, agradar a, aspirar a,
conduzir a, impelir a, induzir a, obedecer a,
obstar a, resistir a.

• Verbos com preposição “de”: abu-


sar de, condoer-se de, convencer-se de, cui-
dar de, curar de, divergir de, desesperar de, “Você reparou na elegância de Maria?”
entender de, necessitar de, zombar de.

• Verbos seguidos da preposição


“com”: concordar com, divertir-se com, im-
plicar com, pactuar com.

• Verbos acompanhados da preposi-


ção “por”: clamar por, velar por, zelar por.

Alguns verbos podem vir seguidos de


complementos que admitem várias regências,
• Na primeira oração, o verbo reparar
como:
significa consertar e é transitivo direto, tendo
• Acomodar-se a, com; como objeto direto o substantivo muro.
• Arremeter a, com, contra, para; • No segundo exemplo, o mesmo verbo
• Assemelhar-se a, com; se liga ao objeto indireto - elegância - através
• Atentar a, em, para, por; da preposição “em” e significa notar, obser-
• Conformar-se a, com, em; var. Houve, portanto, uma mudança de regên-
• Contentar-se com, de, em; cia e uma variação de sentido.
• Continuar com, em;
• Convir com, em;
• Deleitar-se com, em;
• Descer a, de; Transitividade dos verbos
• Esforçar-se em, para, por; Nomenclatura utilizada quanto à transi-
• Faltar a, com; tividade verbal:
• Filiar-se a, em;
• Fugir a, de; VI - Verbo Intransitivo
• Incorporar a, em;
• Investir a, contra, com, para; VTD - Verbo Transitivo Direto

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 44 Instituto Universal Brasileiro


VTI - Verbo Transitivo Indireto
VTDI - Verbo Transitivo Direto e In-
direto
VTD + objeto direto (OD) - comple- Há expressões que exigem preposições
mento do verbo que não possui preposi- diferentes, dependendo do verbo regente, o que
pode causar dúvidas. A gramática normativa tra-
ção e que também pode ser representa-
dicional estabelece a regência de acordo com
do pelos pronomes oblíquos “o”, “a”, “os”,
o sentido dos verbos (forma considerada corre-
“as”. ta), mas a realidade linguística insiste em usar
VTI + objeto indireto (OI) - vem preferencialmente uma das formas (mesmo se
acrescido de preposição e igualmente considerada incorreta). Veja este exemplo:
pode ser representado pelos pronomes
“lhe”, “lhes”. Cuidado, porém, com alguns Eles trazem a pizza a domicílio.
verbos, como “assistir” e “aspirar”, que Eles entregam a pizza em domicílio.
não admitem o emprego desses prono-
mes. Atenção: os pronomes “me”, “te”, • A domicílio - verbos: trazer, levar,
“se”, “nos” e “vos” podem, entretanto, fun- enviar, conduzir, dirigir-se.
cionar como objetos diretos ou indiretos. A regra estabelece que a locução adver-
bial “a domicílio” deva ser usada nos casos de
VTDI + objeto direto (OD) e objeto
verbos que indicam movimento.
indireto (OI) - vem com os dois comple-
mentos acima. • Em domicílio - verbos: entregar, fa-
zer, cortar, dar.
De acordo com a gramática, o verbo en-
tregar presume “a entrega de algo em algum
lugar”. Neste caso, é a finalidade que vale:
“a entrega será feita no (em + o) domicílio de
uma pessoa”. O mesmo raciocínio se aplica
aos outros verbos deste grupo.
Regência verbal é uma característica
Não se pode negar que é muito comum
dos verbos que funcionam como núcleos a construção “entregar a domicílio”. Porém,
de predicados verbais. Mas há também em se tratando de sintaxe formal, a constru-
verbos típicos de predicados nominais, ção correta é “entregar em domicílio”.
identificados como verbos de ligação (ser,
estar, permanecer, ficar etc.).
VL - Verbo de Ligação Verbos que apresentam
diferentes regências
Dentre os verbos de várias regências, o
destaque vai para aqueles que fazem parte de
nossa linguagem diária - escrita e falada - e
aqueles que deixam dúvidas quanto ao em-
Na regência verbal, o verbo é o re- prego correto. O aluno poderá usar esta aula
gente da oração, enquanto o seu comple- como um pequeno manual, isto é, recorrer a
mento é o termo regido, logo, é o que irá ela sempre que tiver dúvidas a respeito do
ser flexionado. Então, podemos entender emprego de algum verbo. Não é necessário
por regência verbal a relação que o verbo memorizar os diferentes tipos de regência que
estabelece com seu complemento (objeto um determinado verbo possui; o importante é
direto ou indireto). compreender e saber aplicar a forma correta,
ao falar e ao escrever.
Língua Portuguesa 2 - Aula 4 45 Instituto Universal Brasileiro
1 - Abraçar
Transitividade Sentido Exemplo
VTD Abraçar (alguém) Teve vontade de abraçá-lo. (OD)
VTI Abraçar-se (a alguém) O garoto abraçou-se ao pai. (OI)

2 - Aconselhar
Transitividade Sentido Exemplo
VTDI Dar conselho a alguém Meu irmão aconselhou-me calma. (OI e OD)
VTD Recomendar O médico aconselhou este remédio. (OD)

3 - Agradar
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Ser agradável, satisfazer A decisão do diretor agradou aos alunos. (OI)
VTD Acariciar A mulher agradava o marido. (OD)

4 - Aspirar
Transitividade Sentido Exemplo
VTD Sorver, cheirar, respirar Aspiramos ar poluído diariamente. (OD)
VTI Desejar, pretender Ele sempre aspirou a uma carreira de sucesso. (OI)

5 - Assistir
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Ver, observar Você assistiu ao jogo ontem? (OI)
VTI Caber, pertencer É um direito que assiste a todos. (OI)
VTD Prestar assistência Os enfermeiros assistiram o doente. (OD)
VI Morar, residir Atualmente, ele assiste em São Paulo.
Observação. Assistir é verbo transitivo indireto (VTI) quando tem significado de: ver,
presenciar, nesse caso, o objeto indireto é precedido da preposição “a” e, portanto, não cabe o
pronome lhe e sim ele(s) e ela(s). É também transitivo indireto quando tem sentido de: caber,
pertencer e, já neste caso, o pronome lhe é admitido.

6 - Atender
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Servir, prestar atenção Desdobrava-se para atender à mãe. (OI)
VTD Cumprir, satisfazer O Senhor atendeu minhas preces. (OD)

7 - Chamar
Transitividade Sentido Exemplo
VI Chamar, soar, tocar Chamou, chamou e ninguém atendeu.
VTD Convocar, fazer vir Chamem os alunos para a prova. (OD)
VTI Invocar Chamava por Deus. (OI)
Observação. O verbo chamar pode ser VTD ou VTI no sentido de apelidar, qualificar,
denominar (acrescido do predicativo do objeto) e admite quatro formações:
Chamei-o arrogante.
Chamei-o de arrogante.
Chamei-lhe arrogante.
Chamei-lhe de arrogante.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 46 Instituto Universal Brasileiro


8 - Ensinar
Transitividade Sentido Exemplo
VI Doutrinar Sua vocação era ensinar.
VTD Educar Os pais também devem ensinar os filhos. (OD)
VTDI Instruir, fazer conhecer Ensinei-lhe as capitais dos estados. (OI e OD)
Ensinar alguém a fazer Ensinei-o a dirigir. (OD e OI)
algo. (OD e OI)
Ensinar algo a alguém.
(OI e OD)

9 - Esquecer, lembrar
Transitividade Sentido Exemplo
VTD Perder da lembrança / Esqueci o recado. (OD)
trazer à memória
Ela não lembrou o nome dele. (OD)
VTI O mesmo - pronominal Eu me esqueci do recado. (OI)
Ela não se lembrou do nome dele. (OI)
Observação. Os verbos não mudam de significado, apenas permitem duas construções:
• Verbo transitivo direto (VTD) + objeto direto (OD)
Esqueci a sua idade.
Lembrei a sua idade.
• Verbo pronominal + preposição “de” (VTI) + objeto indireto (OI)
Esqueci-me da sua idade.
Lembrei-me da sua idade.

10 - Implicar
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Ter implicância Ela sempre implicava com o professor. (OI)
VTD Acarretar, causar Deixar o carro na calçada implica multa. (OD)
Observação. É bastante comum o uso do verbo “implicar”, no sentido de acarretar, como
VTI com a preposição “em”, (“Deixar o carro na calçada implica em multa”), mas não é adequado
segundo a norma culta.

11 - Obedecer, desobedecer
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Submeter-se, ou não. Sempre obedeço ao professor.
O réu desobedeceu à ordem judicial.

12 - Pagar, perdoar
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Quando se refere a Não paguei aos credores. (OI)
pessoas.
Deus perdoa aos pecadores. (OI)
VTD Quando se refere a Paguei o débito do carro. (OD)
coisas.
Deus perdoa os seus pecados. (OD)
Observação. Na verdade, esses dois verbos serão sempre VTDI, mas é bastante comum
que um dos objetos fique subentendido.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 47 Instituto Universal Brasileiro


13 - Preferir
Transitividade Sentido Exemplo
VTDI Escolher entre duas ou Prefiro o teatro ao cinema. (OD e OI)
mais coisas
Observação. Segundo a gramática normativa, não se deve usar o verbo preferir reforçado
com as palavras “menos” ou “mais”.

14 - Simpatizar, antipatizar
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Ter afeição, ou não. Eu simpatizo com você. (OI)
Eu antipatizo com a minha sogra. (OI)
Observação. É comum encontrarmos os dois verbos sendo usados como pronominais,
formas inadequadas de acordo com a norma culta:

Eu me simpatizo com você.


Eu me antipatizei com ela.

Nos dois casos acima não se usa o pronome oblíquo átono me.

15 - Visar
Transitividade Sentido Exemplo
VTI Almejar, pretender Todos visam a uma vida de paz. (OI)
VTD Mirar, pôr visto O gerente visou os cheques. (OD)

Regência nominal Essa relação é sempre interme-


A regência nominal estabelece a relação diada por uma preposição. No estudo
entre um nome e seu complemento. Estuda da regência nominal, é preciso levar em
os casos em que nomes (substantivos, adje- conta que vários nomes apresentam exa-
tivos e advérbios) exigem uma palavra para tamente o mesmo regime dos verbos de
completar-lhes o sentido, em geral estabeleci- que derivam. Conhecer o regime de um
da por uma preposição. verbo significa, nesses casos, conhecer o
regime dos nomes cognatos.
Observe o exemplo:

Verbo obedecer e nome corres-


pondente obediente: ambos regem
complementos introduzidos pela pre-
posição “a”. Veja:
Obedecer a algo/ a alguém.

Obediência às orientações Verbo

Obediente a algo/ a alguém.


Trata-se da relação existente entre
um nome (substantivo, adjetivo ou advér- Nome
bio) e os termos regidos por esse nome.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 48 Instituto Universal Brasileiro


Alguns nomes podem vir seguidos de
complementos que admitem várias preposi- Análogo a
ções. Exemplo: o substantivo gosto /ô/ (que Ansioso de, para, por
tem pronúncia diferente da forma verbal Apto a, para
gosto /ó/). Ávido de
Benéfico a
• “Ele tem gosto à pesca.”
Capaz de, para

• “O gosto de representar transfor- Compatível com


mou-a numa grande atriz.” Contemporâneo a, de
Contíguo a
• “Tenho gosto em escutar o mar.” Contrário a
Curioso de, por
• “Ele não tem gosto para o dese- Descontente com
nho.”
Desejoso de
Diferente de
• “Sua mãe inculcou-lhe o gosto
para as artes.” Entendido em
Equivalente a
Escasso de

Lista de nomes acompanhados das Essencial a, para

preposições que os regem Fácil de


Fanático por
Substantivos Favorável a
Admiração a, por Generoso com
Aversão a, para, por Grato a, por
Atentado a, contra Hábil em
Bacharel em Habituado a
Capacidade de, para Idêntico a
Devoção a, para, com, por Impróprio para
Doutor em Indeciso em
Dúvida acerca de, em, sobre Insensível a
Horror a Liberal com
Impaciência com Natural de
Medo a, de Necessário a
Obediência a Nocivo a
Ojeriza a, por
Paralelo a
Proeminência sobre
Parco em, de
Respeito a, com, para com, por
Passível de
Preferível a
Adjetivos Prejudicial a
Acessível a Prestes a
Acostumado a, com Propício a
Afável com, para com Próximo a
Agradável a Relacionado com
Alheio a, de Relativo a

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 49 Instituto Universal Brasileiro


Satisfeito com, de, em, por
Semelhante a
Sensível a
Sito em
Suspeito de Sintaxe de Regência
Vazio de
Regência verbal e nominal

Afinal, o que é regência?


Advérbios
Longe de
Regência, em gramática tradicional, é a
Perto de relação sintática que se estabelece entre um
termo regente ou subordinante (que exige
Advérbios terminados em -mente ten-
outro) e o termo regido ou subordinado (re-
dem a seguir o regime dos adjetivos de que
gido pelo primeiro termo).
são formados: paralela a; paralelamente a;
relativa a; relativamente a. Regência
• Regência (dependência, subordi-
nação) relações de dependência que as
palavras mantêm na frase.
• Um termo rege o outro que o com-
plementa.

Tipos de Regência

A regência pode ser nominal ou ver-


bal, conforme trate do regime dos nomes
(substantivos e adjetivos) ou dos verbos.
Quando o termo regente é um verbo, a re-
gência é verbal; quando é um nome, a re-
gência é nominal.

Regência Verbal
Os substantivos, adjetivos e advérbios
geralmente exigem que seus complementos É o estudo da relação estabelecida en-
venham precedidos por uma determinada tre os verbos e seus complementos.
preposição específica, prevista nos dicioná-
rios de regência. A utilização de outra prepo- Atenção. Muitas vezes alguns ver-
sição, não prevista, constitui erro de regência, bos podem apresentar diferentes regências
e deve ser evitada. À esquerda apresentamos sem que seus sentidos sejam alterados ou,
alguns casos inadequados ( ) de regência ao contrário, acarretando diferentes signifi-
nominal; à direita seguem as construções re- cados e acepções.
comendadas ( ):
Regência Nominal
TV a cores TV em cores
bacharel de direito bacharel em direito A regência nominal estuda os casos
em que nomes (substantivos, adjetivos e ad-
igual eu igual a mim vérbios) exigem uma palavra para comple-
alienado com alienado de tar- lhes o sentido. Em geral, a relação entre
um nome e o seu complemento é estabeleci-
curioso com curioso de/por da por uma preposição.

Língua Portuguesa 2 - Aula 4 50 Instituto Universal Brasileiro


III - Desde criança sempre aspirava a
uma posição de destaque, embora fosse tão
humilde.
IV - Aspirando o perfume das centenas
de flores que enfeitavam a sala, desmaiou.
1. Assinale a alternativa em que o ver-
bo assistir, significando “ver” foi empregado a) ( ) II, III, IV
com a regência correta. b) ( ) I, II, III
c) ( ) I, III, IV
a) ( ) Eles assistiam na capital federal. d) ( ) I, III
b) ( ) Não assisti à novela ontem.
c) ( ) Não assisti a novela ontem. 5. (FUVEST) Indique qual alternativa é
d) ( ) Sempre foi assistido pelos amigos. correta:

2. Para fazer a regência verbal corre- a) ( ) Preferia brincar do que trabalhar.


ta, quais os elementos de ligação adequados b) ( ) Preferia mais brincar a trabalhar.
para preencher os espaços abaixo? c) ( ) Preferia brincar a trabalhar.
d) ( ) Preferia mais brincar que trabalhar
Conforme solicitação bancária, visou
______ cheques necessários à transação. 6. (FMU) Observe o verbo que se repete
Uma rasura qualquer, por menor que nas expressões: “aspirou o ar” e “aspirou à
fosse, implicaria ______ anulação do docu- glória”. Tal verbo:
mento.
Na época do licenciamento, paguei a) ( ) apresenta a mesma regência e o
______ débitos referentes às multas em atraso. mesmo sentido nas duas orações.
Obedecer ______ regulamentos do jogo b) ( ) embora apresente regências dife-
é uma das condições mais importantes. rentes, ele tem sentido equivalente nas duas
orações.
a) ( ) os - a - os - aos c) ( ) poderia vir regido de preposição
b) ( ) aos - à - aos - os também na primeira oração sem que se modi-
c) ( ) aos - a - aos - aos ficasse o sentido dela.
d) ( ) os - à - os - os d) ( ) apresenta regências e sentidos
diferentes nas duas orações.
3. Assinale a única construção incorreta
do verbo esquecer. 7. Considerando a regência dos nomes
em destaque, assinale a alternativa que traz
a) ( ) Esquecemo-nos de apagar as luzes. as preposições devidas, respectivamente:
b) ( ) Não esqueci de você.
c) ( ) Não se esqueças de mim. O fumo é prejudicial ______ saúde.
d) ( ) Esqueceu-lhe de pagar as contas. Suas ideias são compatíveis ______ as
minhas.
4. (UFPA) Assinale a alternativa que con-
tém as respostas corretas. Os jovens pareciam alienados ____
tudo.
I - Visando apenas os seus próprios in- Ele já é bacharel _____ direito.
teresses, ele, involuntariamente, prejudicou
toda uma família. a) ( ) a – para – com – de
II - Como era orgulhoso, preferiu decla- b) ( ) à – para – por – em
rar falida a firma a aceitar qualquer ajuda do c) ( ) à – com – de – em
sogro. d) ( ) a – com – por – de
Língua Portuguesa 2 - Aula 4 51 Instituto Universal Brasileiro
perfume das centenas de flores que enfeita-
vam a sala, desmaiou. Apenas a afirmação I
está construída com um erro de regência ver-
bal, estando, portanto, incorreta. Veja: Visan-
do apenas os seus próprios interesses, ele, in-
1. b) ( x ) Não assisti à novela ontem. voluntariamente, prejudicou toda uma família.
O correto seria visando aos seus próprios
Comentário. A b é a única alternativa interesses, pois no sentido de “pretender”
correta. O verbo assistir, significando “ver” é ou “ter em vista”, é mais comum a construção
transitivo indireto. Seu objeto indireto deve do verbo “visar” com complemento indireto,
ter a preposição “a”. Nesse exemplo, a pre- acompanhado pela preposição “a”.
posição “a” se acha contraída ao artigo definido
feminino “a”, originando a presença do acento 5. c) ( x ) Preferia brincar a trabalhar.
grave indicativo de crase (à), o que corresponde
à junção de “a + a”. Sendo assim, a alternativa Comentário. A correta construção do
c está incorreta por apresentar-se apenas com verbo preferir é com a preposição a; além
o artigo “a”. Nas demais alternativas o verbo as- disso, não pode vir acompanhado por pala-
sistir apresenta outros significados: a) = morar vras intensificadoras do tipo mais em sua
em d) = prestar assistência. construção, pois no próprio verbo já há essa
indicação. Use corretamente: “Prefiro brincar
2. a) ( x ) os - a - os - aos a trabalhar”. (Nunca “prefiro mais”, pois prefe-
rir já quer dizer gostar mais.)
Comentário. A regência do verbo vi-
sar com sentido de “dar visto” se faz sem 6. d) ( x ) apresenta regências e sen-
preposição (VTD), portanto, neste caso, usa- tidos diferentes nas duas orações.
se apenas o artigo; o verbo implicar, com
sentido de “causar, acarretar”, é usado sem Comentário. Em “aspirou o ar” o ver-
preposição (VTD); o verbo pagar, quando se bo aspirar é transitivo direto e significa chei-
refere a coisas, vem sem preposição (VTD); rar, sorver. E em “aspirou à glória”, o verbo
o verbo obedecer exige sempre a preposi- aspirar é transitivo indireto e significa preten-
ção “a” (VTI), portanto obedecer “aos regula- der, ter em vista, por isso é regido de pre-
mentos” ou “às leis”. posição “a”, resultando em crase, já que se
coloca antes de palavra feminina: à glória ( “a”
3. b) ( x ) Não esqueci de você. preposição + “a” artigo).

Comentário. A construção incorreta 7. c) ( x ) à - com - de - em


aparece na alternativa b. O verbo “esquecer”
deve ser empregado em sua forma pronominal Comentário. Observe as frases com-
(esquecer-se) quando ocorre a preposição de. pletadas com as preposições adequadas: O
A forma correta é: Não me esqueci de você. fumo é prejudicial à saúde. Suas ideias são
compatíveis com as minhas. Os jovens pare-
4. a) ( x ) II, III, IV ciam alienados de tudo. Ele já é bacharel em
direito. Lembre-se de que a regência nominal
Comentário. A alternativa a está corre- da palavra prejudicial exige a preposição a,
ta, pois as afirmações II, III e IV estão corretas por isso a crase diante de palavra feminina.
quanto à regência verbal. II - Como era orgu- No caso dos demais nomes há apenas uma
lhoso, preferiu declarar falida a firma a aceitar preposição adequada: compatível com; alie-
qualquer ajuda do sogro. III - Desde criança nado de; bacharel em. A utilização de outra
sempre aspirava a uma posição de destaque, preposição, não prevista, constitui erro de re-
embora fosse tão humilde. IV - Aspirando o gência nominal, e deve ser evitada.
Língua Portuguesa 2 - Aula 4 52 Instituto Universal Brasileiro