Você está na página 1de 64

Manual do

Professor
Apresentação

Caro(a) colega professor(a),

Nesta reformulação, manteve-se a estrutura da obra, preservan-


do-se sua principal característica: a praticidade. Os conceitos são apre-
sentados de forma objetiva, sem rodeios ou complicações; porém,
muitos deles são aprofundados com o intuito de levar os estudantes a
uma postura mais analítica e reflexiva sobre certos fatos gramaticais.
Esse é o objetivo dos boxes que têm por título Fique por dentro!.
As atividades continuam divididas em dois blocos: Não fique aí pa-
rado! e Questões de exames. No primeiro, há diversas atividades que
exigem do estudante reflexão sobre o conteúdo trabalhado no capítu-
lo. O segundo, no final do volume, apresenta questões recentes de di-
versos exames de todo o país, incluindo questões do Enem. Dessa for-
ma, o(a) colega professor(a) pode fazer a opção de trabalhar ou não
com questões de processos seletivos, segundo sua conveniência.
Um livro sempre pode ser melhorado, por isso, desde já, agradeço
aos colegas professores pelas observações e sugestões que porventu-
ra venham a ser feitas.
O autor
MANUAL DO PROFESSOR

2
Respostas dos exercícios de fixação
1 propostos no livro-texto

Parte 1 – FONOLOGIA E ORTOGRAFIA


Capítulo 1 – Fonologia (p. 21)
Notas introdutórias:
1. Professor(a), segundo alguns autores, palavras como Mário, colégio, his-
tória admitem uma dupla classificação (que implica uma dupla possibili-
dade de divisão silábica): tanto podemos afirmar que terminam em diton-
go crescente, como podemos considerar a ocorrência de hiato (Má-ri-o;
co-lé-gi-o; his-tó-ri-a). Nesta obra, optamos por classificar esses encontros
como ditongos crescentes e não como hiatos. Em consequência, tais pala-
vras serão classificadas como paroxítonas e não como proparoxítonas
eventuais, como fazem alguns autores.
2. Em vários exercícios, temos a ocorrência de ditongos fonéticos, que não
são representados na escrita (é, por exemplo, o caso de palavras termina-
das em em ou am, em que, foneticamente, temos os ditongos /ẽj/ e /ãw/);
chamamos a atenção para a corriqueira ocorrência desses ditongos em
questões de exames. Destacar para os alunos que esses ditongos fonéticos
ocorrem na última sílaba da palavra, ao passo que os dígrafos vocálicos
am e em ocorrem em sílabas internas.

1. de-sig-na – crus-tá-ceo – pri-mi- uma vogal aberta (berra, belo,


ti-va-men-te – et-ni-a – i-den-ti- loja), ora representa uma vogal
fi-ca-ção – pró-prio – e-xem-plo fechada (gelo, cedo, moça). MANUAL DO PROFESSOR
– dis-so – re-ce-beu – his-tó-ria 4. a) cinco letras e quatro fonemas
2. encontrado – habitava – identi- b) oito letras e oito fonemas
ficação – disso – holandesa – c) seis letras e cinco fonemas
história d) oito letras e sete fonemas
3. A letra destacada representa fo- e) cinco letras e quatro fonemas
nemas distintos nos pares b, e, 5. Apresentam encontro conso-
h, i, j, k e l. nantal: planetas, Páscoa, Plutão,
Professor(a), seria interessante detectado, outros, corpos, siste-
comentar que nos pares berra – ma; apresentam dígrafo: Coe-
gelo, cedo – belo e loja – moça, lhinho, esses, tamanho, compa-
a letra destacada ora representa rável, tinha, que.

3
6. Separando as sílabas: nai-pe, 18. herói, tênue
Pa-pai, No-el, Co-e-lhi-nho, pi-a- 19.
da, Plu-tão, fron-tei-ras. Apre-
sentam ditongo: naipe, Papai, ditongo ditongo
hiato
crescente decrescente
Plutão, fronteiras (todos os di-
tongos são decrescentes); apre- várias Laura Saara
sentam hiato: No-el, Co-e-lhi-
nho, pi-a-da. cárie ouço melancia
7. Ocorre dígrafo e encontro con-
sonantal em: pronto (encontro língua véu saúva
consonantal: pr; dígrafo vocáli-
paciência herói juízes
co: on); intrusos (encontro con-
sonantal: tr; dígrafo vocálico: in); mistério pastéis telefonia
fronteiras (encontro consonan-
tal: fr; dígrafo vocálico: on). tábua roupa
8. a) V
b) V árduo grau
c) F (O ditongo é decrescente.) loira
d) V
e) V tesoura
f) F
g) V 20. se-pa-ra-ção, ca-nho-to, sí-la-ba,
9. a) bato, cato, chato, dato, gato, U-ru-guai, fá-ceis, as-sas-si-no,
jato, mato, pato, rato, tato lí-rio, mes-tre, cha-péu, ap-to,
he-roi-co, dig-no, lin-gui-ça, gri-
b) feto, fito, foto
sa-lho, mag-né-ti-co, cáp-su-la,
c) faço, facho, fado, falo, falho,
quen-te, e-lip-se, chei-ro-so, si-
faro, favo
lep-se, bra-si-lei-ro, men-sa-gei-
Professor(a), as frases serão pes-
ro, pers-pec-ti-va, disp-nei-a,
soais.
sa-í-mos, ál-co-ol, ra-í-zes, mei-a,
MANUAL DO PROFESSOR

10. Na palavra quando. co-o-pe-rar, ba-lai-o, ca-a-tin-


11. 10 fonemas ga, as-sem-blei-a, ex-ce-ção,
12. fixo a-poi-o, cre-em, e-pi-de-mi-a,
13. Representante possui 11 fone- car-ro-ça, bar-ro, for-tui-to, gra-
mas; assanhado, 7. tui-to, ab-so-lu-tis-mo, pneu-
14. b 15. b 16. b má-ti-co, tungs-tê-nio, e-gíp-cio,
17. Na primeira palavra de cada par, ob-ses-são, abs-cis-sa, ad-jun-to,
ocorre ditongo (pais; vou; ob-ce-ca-do, ad-ver-bi-al, qui-
Má-rio; co-lé-gio); na segunda ro-man-ci-a
palavra de cada par, ocorre hiato 21. a, c, a, c, a, c, a, b, a, b, b, b, b, c, b,
(pa-ís; vo-o; Ma-ri-a; de-sa-fi-o). c, b, b, c, b, b, b, c, c, b, c

4
22. recém, refém, aerólito, hipódro- Brasil, estarão embandeiradas as
mo, cizânia, anátema, pântano, repartições públicas. Não fun-
notívago, têxtil, cáfila, ínterim, cionarão a Bolsa e a Associação
biótipo, óbolo Comerciais ao meio-dia. Haverá
alvorada nos quartéis, onde os
Capítulo 2 – Ortografia (p. 45) ranchos serão melhorados.
1. a) O acaso não existe… – Tudo b) Conforme noticiámos, efetua-
na natureza obedece a uma lei -se hoje, no Velódromo Paulista,
de causa e efeito e, por isso, a a vigésima segunda prova do
vida é um fenômeno exato, campeonato deste ano.
matemático, inexorável… A feli- Professor(a), pelo Acordo Orto-
cidade também não é uma coisa gráfico de 1990, pode-se usar
que passa a certas horas, mas é facultativamente acento agudo
um estado de alma que chega nas formas da primeira pessoa
na hora certa. A felicidade, aliás, do plural do pretérito perfeito
não é um privilégio dos ricos e dos verbos da primeira conjuga-
dos abastados, mas está ao ção para distinguir das formas
alcance de qualquer pessoa […] de primeira pessoa do plural do
b) Mundialmente famosas pela presente do indicativo.
sua extraordinária precisão, rapi- 3. a) instrumentalizar; teorizar; usar;
dez, manejo fácil e grande dura- pesquisar
bilidade, as máquinas R. C. Allen b) formulação; teorização; ade-
realizam com a mais absoluta quação; complementação
perfeição todo e qualquer cálcu- 4. Professor(a), seria interessante
lo de contabilidade. Diversos que os alunos construíssem fra-
modelos, elétricos ou manuais – ses com as palavras que não
um tipo para cada ramo de foram empregadas como res-
negócio. posta da atividade.
c) Uma flecha, um abate. Você a) deferiu
coloca a flecha na corda e sente b) discriminação MANUAL DO PROFESSOR
todos os músculos bem-traba- c) flagrante
lhados de seus braços se fortifica-
d) tráfico
rem para puxá-la ao máximo.
e) infração
Você sente o arco gritando de
tensão, sente o vento sussurran- f ) comprimento
do em seu ouvido, o que carrega- g) absolveu
rá seu disparo até o alvo. Tudo h) discrição
muito silencioso, rápido e preci- i) despensa
so. Uma flecha, um abate. j) mandato
2. a) Hoje, comemoração do ani- k) arriar
versário da Independência do l) dilatar

5
m) soar c) improvisar
n) espectadores d) televisionar (ou televisar)
o) cela e) alisar
p) cassada 11. a) coragem; estrangeiro; pajé
q) ascender b) cafajeste; subterfúgios; mar-
r) cerrar gem
s) cheque c) litígio; sugestão; jesuíta; evan-
t) extrato gelho
5. a) aonde d) relógio; sargento; geringonça
b) onde 12. a) empecilho
c) Onde b) beneficente
d) aonde c) de repente
e) donde
d) prazerosamente
6. a) x
e) misto
b) ch, ch
f ) cabeleireiro
c) x
g) disenteria
d) ch
h) mortadela
7. a) poetisa
b) sacerdotisa 13. a) mal; mau
c) profetisa b) mal
d) monja c) mau
e) consulesa d) mal
f ) baronesa e) mal
g) duquesa 14. a) a
8. a) holandês, holandesa b) Há
b) finlandês, finlandesa c) a; há
c) calabrês, calabresa d) a
d) milanês, milanesa e) há
MANUAL DO PROFESSOR

e) maranhense (Este adjetivo 15. a) por que


apresenta uma única forma para b) por quê
os dois gêneros.)
c) por que; porquê
f ) paraense (Este adjetivo apre-
d) porquê
senta uma única forma para os
dois gêneros.) 16. a) sem-terra
9. papelzinho, piresinho, vasinho, b) pão-duro
lapisinho, mesinha, juizinho, c) copo de leite
anelzinho, luzinha, chapeuzinho d) pele-vermelha
10. a) fertilizar e) pele vermelha
b) racionalizar f ) mais-que-perfeito

6
g) mesa-redonda passe seu dedo sobre ela e
h) montanha-russa depois toque em Apagar.
17. b b) A nossa pimenta-malagueta,
18. a que é a alma do vatapá baiano,
19. a) amor-perfeito constitui um condimento anódi-
no de suprema eficácia como
b) girassol
estimulante das glândulas de
c) planalto
pepsina, para fazê-las derramar
d) pisca-pisca no estômago copioso suco gás-
e) água-de-colônia trico e assim produzir uma ativa
f ) mula sem cabeça digestão. A pimenta-malagueta,
20. além-mar, antebraço, anteon- associada ao limão-galego, é um
tem, antessala, antialérgico, excelente tópico para as infla-
aquém-mar, arquiduque, arqui- mações da garganta, tão co-
-inimigo, autoanálise, autodida- muns entre nós.
ta, contra-ataque, contrabaixo, c) Não é de espantar que os
contrarregra, ex-aluno, ex-na- atores se sintam atraídos por
morado, extrajudicial, extraofi- Molière: quando, em 1643, o
cial, infraestrutura, infrassom, jovem Jean-Baptiste Poquelin
intrauterino, neoclássico, pró- repudiou a carreira da qual seu
-sangue, proto-história, pro- pai, “Tapeceiro do Rei”, sonhava
tomártir, pseudofruto, recém- fazê-lo seu sucessor, virou ator e,
-nascido, sem-terra, semicírculo, para não envergonhar a família,
semi-infantil, sobrenatural, so- adotou o simples nome de
bressaia, super-homem, supraci- Molière, o mundo tirou a sorte
tado, suprassensível, ultrassom, grande. Como a maioria dos
vice-líder grandes dramaturgos, este tam-
bém viveu no mundo do teatro,
Capítulo 3 – Acentuação gráfica (p. 54) foi ator e sabia que é com a atua-
1. a) Toque no ícone SMS. Digite ção do ator, no palco, que seu MANUAL DO PROFESSOR
um nome ou número de telefo- texto fica completo e atinge vida
ne no campo Para ou selecione plena. […]
alguém dos seus contatos. d) Existem duas maneiras de o
Escreva sua mensagem e depois seu Sim entrar na vida de empre-
toque em Enviar. Para enviar sário. Ele pode iniciar uma
fotos ou vídeos, toque no botão empresa doméstica ou comprar
Câmera. Para apagar ou encami- um lote comunitário e construir
nhar toda ou uma parte de uma ali a sua empresa.
mensagem, toque em Editar. • Para iniciar uma empresa na
Para remover uma conversa casa do seu Sim, clique no tele-
inteira de sua lista de Mensagem, fone ou computador, depois

7
selecione a opção NEGÓCIOS e c) europeia
depois INICIAR EMPRESA DO- d) hebreia
MÉSTICA. e) pigmeia
• Para comprar um lote comu- 4. a) caracóis e) troféus
nitário, clique no telefone ou b) anzóis f ) céus
computador, depois escolha
c) anéis g) véus
IMOBILIÁRIA no menu, e depois
COMPRAR LOTE COMUNITÁRIO. d) coronéis
e) A música pode fazer milagres. 5. a) O jovem repórter não foi
Pode tornar sonhos reais, pode muito hábil ao entrevistar as
trazer memórias de um amor do crianças órfãs.
passado, pode até mesmo trazer b) Foi inútil relacionar tantos
a coragem de volta ao coração itens; o mecânico não vai fazer
mais abalado. Não importa o todos os consertos no automó-
quão desesperadora seja a situa- vel hoje.
ção, a nota certa pelas mãos de c) Escreva a lápis no álbum; será
um menestrel ou cigana pode mais fácil apagar todas as anota-
trazer a inspiração ao mundo. ções.
2. A questão ortográfica d) Eurípedes é da época em que
Neste “Almanhaque” nós não com um vintém se compravam
adotámos uma ortografia unifi- dois pastéis.
cada. A mesma palavra aparece e) É inútil pedir, Maurício insiste
escrita de maneira diferente, por em pôr açúcar na chupeta do
vezes, na mesma página. Isso nenê.
pode parecer ignorância da f ) Empresário sequestrado em
nossa parte, o que, aliás, não é Brasília é solto no Amapá.
mal pensado. Para justificar essas g) O disc-jóquei não para de
falhas poderíamos usar do clássi- tocar aquela música.
co recurso de explicar que são
h) Biólogos não conseguiram
cochilos da revisão. Mas isso seria
MANUAL DO PROFESSOR

encontrar o pinguim perdido.


uma sujeira. Preferimos dar um
soco na mesa, arregaçar as man- 6. e
gas e assumir corajosamente a 7. a) mantém
responsabilidade de nossos atos. b) intervém
Professor(a), pelo Acordo Orto- c) mantêm
gráfico de 1990, o acento em d) detêm
adotámos (primeira pessoa do 8. ágape, álcool, arquétipo, este-
plural do pretérito perfeito do reótipo, ínterim, leucócito, pân-
indicativo) é facultativo. tano, protótipo, recém, refém,
3. a) ateia têxtil, trânsfuga, vermífugo, zéfi-
b) plebeia ro, zênite

8
Parte 2 – MORFOLOGIA c) sinfonia
Capítulo 4 – Estrutura e formação das d) hipotermia
palavras (p. 80) e) hipertermia
1. Arqueólogos são pessoas que se f ) dislexia
dedicam à arqueologia, que é o g) antiético
estudo dos costumes e cultura
de povos antigos. Topógrafos h) antediluviano
são pessoas que se dedicam à i) predizer
topografia, que é a descrição j) endovenoso
minuciosa de um lugar. 5. a) Enem é uma sigla constituída
2. Respostas pessoais. pelas primeiras letras de Exame
Sugestões: biólogo (aquele que Nacional do Ensino Médio.
estuda seres vivos), sociólogo
(aquele que estuda a sociedade), b) Foi formada por derivação
antropólogo (aquele que estuda sufixal do verbo avaliar (avalia(r)
o ser humano), biógrafo (aquele + ção = avaliação).
que escreve sobre a vida de c) Objetivar, objetivação, objeti-
alguém), geógrafo (aquele que vidade; orientação, orientador;
descreve a Terra), comediógrafo
principalmente; subsidiar, subsi-
(aquele que escreve comédias).
diado, subsidiário.
3. Grupo 1: ascensorista, azulejista,
balconista, cartunista, diarista, d) Se na palavra projetos o prefi-
eletricista, figurinista, florista, xo pro- significa “movimento
lojista, motorista, propagandis- para a frente” (projetar = lançar
ta, taxista, radialista. Nessas para a frente), a palavra futuros
palavras, o sufixo -ista indica é redundante, já que ninguém
profissão, ocupação.
faz projetos para o passado.
Grupo 2: monarquista, comunis-
ta, materialista, abolicionista, 6. a) As doenças são: sinusites, rini- MANUAL DO PROFESSOR
socialista, ambientalista, anar- tes, laringites, amigdalites e oti-
quista, racista, budista, humanis- tes. Em todas essas palavras apa-
ta, parlamentarista, esquerdista, rece o sufixo -ite, que indica
evolucionista, fascista, feminista, inflamação (sinusite: no contex-
governista, idealista, imperialis-
to, inflamação dos seios nasais;
ta, marxista, modernista, nacio-
rinite: inflamação da mucosa do
nalista. Nessas palavras, o sufixo
-ista indica partidário de alguma nariz; laringite: inflamação da
doutrina. laringe; amigdalite: inflamação
4. a) antecoxa das amígdalas; otite: inflamação
b) extrapolar da orelha).

9
b) Resposta pessoal. Sugestões: b) treinamentos (d), recomeçar
apendicite: inflamação do apên- (d), época (p)
dice; artrite: inflamação em arti- c) reinício (d), veículos (p)
culação; bronquite: inflamação d) feijoada (d), prato (p), brasilei-
dos brônquios; celulite: inflama- ro (d)
ção do tecido celular; cistite: 11. a) narcotráfico (c), vítimas (s)
inflamação da bexiga; colite:
b) mico-leão-dourado (c), espé-
inflamação do cólon; conjuntivi-
cies (s)
te: inflamação da conjuntiva; der-
matite: inflamação da pele; diver- c) autódromo (c), temporada (s)
ticulite: inflamação do divertícu- d) televisão (c), passatempo (c)
lo; duodenite: inflamação do Professor(a), em narcotráfico,
duodeno; encefalite: inflamação autódromo e televisão temos
do encéfalo; faringite: inflamação os chamados compostos erudi-
da faringe; gastrite: inflamação tos, que são aqueles formados
do estômago; gengivite: inflama- com radicais que não possuem
ção das gengivas; hepatite: infla- vida autônoma na língua.
mação do fígado; meningite: 12. Inglória, desafeto.
inflamação das meninges; nefri- 13. Beleza, pureza; substantivos.
te: inflamação do rim; odontite: 14. a) radical; sufixo; desinência
inflamação de dente; pancreati- nominal; desinência nominal
te: inflamação do pâncreas.
b) prefixo; radical; desinência
7. São radicais de origem grega nominal
eco (casa) e logo (conhecimen-
c) radical; vogal temática; desi-
to, estudo), presentes na palavra
nência verbal (modo-temporal);
ecologia. O radical de origem
desinência verbal (número-pes-
latina, cida (que mata), está na
palavra inseticida. soal)
8. a) Código de Endereçamento d) radical; vogal temática; desi-
Postal nência verbal (modo-temporal);
desinência verbal (número-pes-
b) Fundação Nacional do Índio
MANUAL DO PROFESSOR

soal)
c) Tribunal Regional Eleitoral
e) radical; sufixo
d) Confederação Brasileira de
Futebol 15. a) tempo + medida
e) Comissão Parlamentar de In- b) correto + escrever
quérito c) povo + conduzir
9. a) endoidecer d) outro + nome
b) despedaçar e) homem + estudo
c) esverdear f ) livro + coleção
d) amolecer g) pequeno + ser vivo
10. a) chuvoso (d), engarrafamentos h) pássaro + estudo
(d) i) verde + folha

10
j) falso + nome 6. a) sultana
k) povo + governo b) marido
l) estrangeiro + aversão c) rapazes
16. a) biologia 7. Assim, passa cada noite com
b) fonologia uma jovem, mandando matar a
c) morfologia jovem no dia seguinte, até que
d) zoologia Sherazade se oferece para pas-
e) arqueologia sar uma noite com o sultão, com
a condição de contar ao sultão
Capítulo 5 – Substantivo (p. 101) uma história antes da execução.
1. Professor(a), espera-se que os 8. a) tola, tolo
alunos encontrem no texto os b) rei, gente
substantivos compostos couve- c) basta, imoralidade, caça, Rio
-flor, formado por dois substan- Grande do Sul
tivos (couve + flor), e pimenta- d) executivo, preço
-do-reino, formado por substan- e) almoço, opções, entrada
tivo (pimenta) + contração da 9. a) Na ilhota há um riacho.
preposição de com o artigo o
b) Naquele vilarejo morava um
(do) + substantivo (reino).
rapagão que tinha um narigão.
2. Resposta pessoal. Sugestões: c) Na ruela havia casebres e um
banho-maria, noz-moscada, palacete.
cheiro-verde, alho-poró, batata-
d) Havia um canzarrão na saleta.
-doce, galinha-d’angola, carne-
-de-sol, azeite de dendê, feijão- e) Um burrico foi levado numa
-de-corda, feijão-fradinho, erva- barcaça.
-doce, cravo-da-índia etc. 10. a) a tristeza do homem
3. a) guardar b) a pobreza das crianças
b) perder c) a altura do edifício
c) extraviar d) a liberdade do homem
d) furtar e) a viuvez da mulher MANUAL DO PROFESSOR
e) emitir f ) a recordação da cena
4. a) Tais palavras referem-se ao g) a impressão do livro
substantivo cheques. h) a atualização dos conheci-
b) Tem a função de caracterizá- mentos
-los. i ) a verificação dos resultados
c) Aos adjetivos. j ) a concessão dos privilégios
5. O substantivo assinatura: “[…] 11. a) Minhas tias-avós viajaram.
se a assinatura do emitente não b) Piquem os alhos-porós e cozi-
for facilmente reconhecível em nhem as batatas-doces.
confronto com a (assinatura) c) Os recém-nascidos estão sen-
existente em seus registros […]”. do amamentados.

11
d) Os livres-docentes, em seus d) A banca aprovou o candidato.
abaixo-assinados, desistiram dos 15. 1, 2, 1, 2, 3, 1, 3, 3, 3, 2, 2, 3, 3, 1,
cargos. 2, 2, 2, 3, 1, 3, 3
e) Os primeiros-sargentos foram 16. a) degraus, troféus, heróis,
encarregados de proteger as pri- balões, canções, corações
meiras-damas. b) questões, opiniões, casarões,
f ) Os guardas-civis compraram paredões, vozeirões, alemães
águas-de-colônia nos supermer- c) cães, capitães, pães, tabeliães,
cados. cidadãos, cristãos
g) Os alto-falantes dos parques d) irmãos, bênçãos, órgãos,
anunciaram as novas atrações. órfãos, mares, açúcares
h) Compraram limões-galegos e) rapazes, cruzes, gizes, fuzis,
para temperar os peixes-espada fusíveis, cônsules
(ou peixes-espadas). 17. a) papeizinhos
i) Nas fruteiras havia bananas- b) balõezinhos
-nanicas e bananas-prata (ou ba-
c) pasteizinhos
nanas-pratas).
d) generaizinhos
j) Os tenentes-coronéis ficaram
e) colarezinhos
nos quartéis-generais.
f ) hoteizinhos
12. a) A czarina era uma autêntica
dama. 18. grânulo, corpúsculo, questiún-
b) A nora e a sogra criavam ove- cula, gotícula, versículo, película,
lhas e cabras. óvulo, porciúncula, radícula,
montículo, opúsculo, partícula
c) A juíza e a heroína eram
madrinhas da consulesa. 19. núpcias, pêsames
d) Aquele indivíduo conhecia a Capítulo 6 – Artigo (p. 109)
jornalista e a estudante.
e) Aquela artista era a ídola da 1. Em a, a presença do artigo defi-
dentista. nido na expressão “dos credores”
dá ideia de totalidade, isto é,
MANUAL DO PROFESSOR

13. a) pedrinha, pedrada, pedreira


todos os credores estiveram pre-
b) livreiro, livreco, livraria
sentes à reunião; em b, a ausên-
c) florzinha, florista, floreira
cia do artigo confere à expres-
d) jardinzinho, jardineiro, jardi- são “de credores” um sentido
nagem partitivo, isto é, alguns dos cre-
e) maquinista, maquinaria, ma- dores compareceram à reunião.
quineta
2. Em o jogo o sentido é de “um
f) jornalista, jornaleiro, jornalismo grande jogo”, “um belo jogo”; em
14. a) O elenco saiu atrasado. um jogo, o sentido é de “um
b) A esquadra voltou ao mar. jogo qualquer”, “um jogo co -
c) O júri se reuniu na sala secreta. mum”.

12
3. Porque nesses ditados popula- f ) Não conheço a escola cuja
res (e em diversos outros) os diretora se aposentou.
substantivos estão sendo usa- 9. a
dos de modo genérico.
4. a) Em I, um é um numeral por- Capítulo 7 – Adjetivo (p. 131)
que exprime quantidade exata, 1. O anúncio foi publicado para
opondo-se ao numeral dois. parabenizar São Paulo pelos
b) Em II, a é preposição exigida seus 453 anos.
pelo verbo ir (quem vai, vai a 2. Adjetivos.
algum lugar). O nome de lugar
3. Resposta pessoal. Professor(a),
Roma não admite a anteposição
muitas pessoas de outras ori-
de artigo. Não se diz “A Roma é
gens moram em São Paulo e
uma bela cidade”, mas “Roma é
acolheram essa cidade como
uma bela cidade”.
sua. Segundo o texto, para ser
5. a) o; o paulistano basta ter sonho,
b) as; o esperança e um grande coração.
c) os 4. a) pai, fotografia, retrato, mar,
d) as vento, cheiro, canto.
e) o b) Resposta pessoal.
6. Em a, afirma-se que ele leu o 5. a) Gorda, baixa, sardenta (refe-
livro inteiro; em b, que qualquer rem-se a ela); crespos e arruiva-
livro deve ser bem-conservado. dos (referem-se a cabelos);
7. a) uma; um enorme (refere-se a busto);
b) a; o achatadas (refere-se a nós)
c) Uma b) Foram empregados para des-
d) as crever a personagem, apresen-
e) o; uma tando suas características.
8. a) Todos três foram à escola de 6. a) Pedro é um funcionário de
bicicleta. estatura elevada. MANUAL DO PROFESSOR
b) A notícia foi veiculada por O b) Pedro é um funcionário gra-
Estado de S. Paulo, que é o jornal duado (importante).
que costumo ler. c) Aquele homem tinha um
c) Discutia os assuntos mais pro- amigo idoso (de idade avançada).
fundos / Discutia os mais pro- d) Visitou-me ontem um amigo
fundos assuntos. de longa data (antigo).
d) Todas as quatro vezes que 7. a) O adjetivo é caro.
toquei a campainha ninguém b) A forma prescrita pela gramá-
me atendeu. tica normativa para o superlativo
e) Haverá hoje uma reunião com absoluto sintético desse adjetivo
Sua Majestade. é caríssimo (lojas caríssimas).

13
8. a) Na primeira ocorrência, pa- sas verde-claras e gravatas mar-
ciente é substantivo; na segun- rom-escuras.
da, adjetivo. b) Os primeiros-ministros estive-
b) Na primeira ocorrência, pa- ram presentes nas inaugurações
ciente significa “pessoa que está das exposições nipo-brasileiras.
sob cuidados médicos”. Na se- c) Os chefes de gabinete guar-
gunda, significa “tranquilo”, “que davam as lentes côncavo-conve-
espera serenamente”. xas nos criados-mudos.
9. a) maravilhoso d) As cirurgias foram realizadas
em modernas clínicas médico-
b) horrorosa
-cirúrgicas.
c) é saboroso
e) Seus cabelos castanho-escu-
d) rigoroso ros eram muito bonitos.
e) preconceituosas f ) As festas cívico-religiosas con-
f ) são mais poderosas taram com as presenças dos ex-
10. a) hispano-suíço -governadores.
b) anglo-brasileiros g) Os tabeliães corteses falaram
c) nipo-chineses com os escrivães cruéis.
d) euro-asiáticas h) Os cidadãos fiéis usavam blu-
e) greco-romana sas amarelo-escuras.
i) Os guardas-noturnos usavam
11. a) carnavalesca
ternos azul-marinho e camisas
b) solar; lunar verde-esmeralda.
c) febril j) Deixaram, nos guarda-roupas,
d) abdominais os ternos escuros e as gravatas
e) pulmonar cinza.
f ) antiofídico 14. a) amaríssimo
12. a) O médico preencheu o for- b) antiquíssimo
mulário com uma letra ilegível. c) beneficentíssima
b) A atriz usava um perfume d) friíssimo
MANUAL DO PROFESSOR

inesquecível. e) seriíssima
c) Vai entrar em cartaz um filme f ) infantil (ou pueril)
imperdível. g) leonina
d) O mágico fazia coisas inimagi- h) lacustre
náveis. 15. a) madrinha honesta
e) O pai deixou para o filho um b) dama cortês
imóvel impenhorável. c) cirurgiã espanhola
f ) Era uma pessoa imperturbá- d) consulesa impostora
vel. e) heroína ateia
13. a) Os vice-reitores gostavam de f ) nora chorona
usar ternos marrom-café, cami- g) governadora anterior

14
Capítulo 8 – Numeral (p. 142) quatorze, ou décimo quarto
século)
1. a) segunda fase
b) século XIX (século dezenove,
b) cem por cento vendido
ou décimo nono século)
c) duzentos e setenta metros
c) século XIX (século dezenove,
quadrados
ou décimo nono século)
d) quilômetro duzentos e nove
d) século XX (século vinte, ou
e) cento e vinte quilômetros
vigésimo século)
f ) três mil e quinhentos reais o
e) século XX (século vinte, ou
metro quadrado
vigésimo século)
2. a) F (Pertencem ao século XX.)
f ) século XXI (século vinte e um,
b) V ou vigésimo primeiro século)
c) V 6. a) ordinal; cardinal
d) V b) fracionário
e) V c) ordinal
f ) F (Corresponde a correio.) d) multiplicativo
3. Ocorreu ontem o sorteio do e) cardinal
quadragésimo oitavo concurso f ) ordinal
da quina. O prêmio total de
g) fracionário
dezessete milhões, quinhentos e
h) multiplicativo
noventa e quatro mil, trezentos
e vinte e um reais e doze centa- 7. a) numeral
vos foi dividido entre os dezes- b) artigo indefinido
seis acertadores, cabendo a c) artigo indefinido; numeral
cada um deles a importância de d) numeral; numeral
um milhão, noventa e nove mil, 8. a) Está correta. São aceitas as
seiscentos e quarenta e cinco duas grafias: catorze e quatorze.
reais e sete centavos. b) cinquenta
4. a) Para fazer os doces da festa, c) um milhão MANUAL DO PROFESSOR
usaram trinta e seis ovos. d) octogésima
b) Esse fato ocorreu há mais de 9. a) Esta é a trigésima vez que
duzentos anos. venho aqui.
c) Fazia cinco anos que estavam b) Ela foi a octogésima sétima
casados. classificada.
d) Teve aumento de salário por c) Amanhã ele completará o
ter completado cinco anos tra- septuagésimo (ou setuagésimo)
balhando na empresa. sexto aniversário.
e) Faz mais de seis meses que d) Para prestar queixa, compare-
ele não dá notícias. ceram ao quinquagésimo pri-
5. a) século XIV (século catorze ou meiro Distrito Policial.

15
e) A empresa fica no quadragé- g) septingentésimo (ou setin-
simo segundo andar daquele gentésimo) septuagésimo (ou
prédio. setuagésimo) sétimo
f ) Com ventos de sessenta qui- h) octingentésimo octogésimo
lômetros por hora, uma tempe- oitavo
ratura de menos vinte graus i) nongentésimo (ou noningen-
centígrados (ou vinte graus cen- tésimo) nonagésimo nono
tígrados negativos) transforma-
-se em menos cinquenta graus Capítulo 9 – Pronome (p. 171)
centígrados (ou cinquenta graus
1. a) V d) F
centígrados negativos).
b) F e) V
g) Uma inflação de quarenta por
cento ao mês pode resultar em c) V f) V
cinco mil e quinhentos por 2. a) o (demonstrativo); que (relati-
cento ao ano. vo); estas (demonstrativo)
h) A dívida já é de quatro b) nossa (possessivo); eu (pes-
milhões, quinhentos e oitenta e soal); outro (indefinido)
dois mil, seiscentos e dezoito Professor(a), nesta frase, a pala-
reais e trinta e nove centavos. vra que não é pronome, mas
i) Por ter trabalhado apenas três conjunção (integrante).
meses, seu décimo terceiro salá- c) tais (demonstrativo); todos
rio corresponde a três doze avos (indefinido); qualquer (indefini-
do salário integral. do); ele (pessoal)
10. a) quarto d) tudo (indefinido); uma (inde-
b) décimo finido); outra (indefinido)
c) onze e) ele (pessoal); aqueles (de -
d) vinte e três monstrativo); essa (demonstrati-
e) quinze vo); ele (pessoal); a (pessoal);
f ) vigésima terceira que (interrogativo)
11. a) centésimo décimo primeiro f ) uma (em relação a morava:
MANUAL DO PROFESSOR

b) ducentésimo vigésimo se - indefinido); outra (indefinido).


gundo Professor(a), em uma lagoa e
c) trecentésimo (ou tricentési- uma pequena poça-d’água, uma
mo) trigésimo terceiro é artigo indefinido.
d) quadringentésimo (ou qua- g) todas (indefinido); suas (pos-
drigentésimo) quadragésimo sessivo); aqueles (demonstrati-
quarto vo); que (relativo)
e) quingentésimo quinquagési- 3. Todos: pronome indefinido;
mo quinto meu: pronome possessivo; que:
f ) seiscentésimo (ou sexcentési- pronome relativo; nada: prono-
mo) sexagésimo sexto me indefinido; nos: pronome

16
pessoal oblíquo; nós: pronome b) Vi-o no cinema.
pessoal reto; nossa: pronome c) Deram o livro para mim.
possessivo; nos: pronome pes- d) Emprestaram o caderno para ti.
soal oblíquo; eu: pronome pes- e) Receberam-nos (ou recebe-
soal reto; que: pronome relativo. ram a nós) com muita atenção.
4. O drama do treinador, a meu ver, f ) Entre ela e mim não há qual-
é que todas as pessoas, no quer problema.
mundo inteiro, dizem que o g) Jamais houve qualquer pro-
Brasil tem hoje o melhor elenco blema entre ti e mim.
de craques do planeta. Com esse h) Não vá à festa sem mim.
material nas mãos, se a seleção i) Ofereceram o trabalho para eu
for campeã, todos vão dizer: fazer.
“Também, com um time desses, j) Não deu para eu ir à escola
até eu”. ontem.
5. Os pronomes demonstrativos k) Falta muito pouco para eu
aquele e esta recuperam, res- descobrir a verdade.
pectivamente, os termos meu l) Meu amor, preciso muito falar
país e minha família, funcionan- com você. (Caso queira manter o
do como importantes elemen- tratamento em terceira pessoa.);
tos de coesão textual. Meu amor, preciso muito falar
6. a) O pronome relativo que está contigo. (Caso opte pelo trata-
distante de seu antecedente, mento em segunda pessoa.)
induzindo o leitor a erro de m) Querida, eu gosto muito de
interpretação (“por ter posto a você. (Caso queira manter o tra-
mão em um doce em uma lan- tamento em terceira pessoa.);
Querida, eu gosto muito de ti.
chonete que não ia comprar”:
(Caso opte pelo tratamento em
esse trecho afirma que ele não ia
segunda pessoa.)
comprar a lanchonete). O em-
n) Eles queriam falar conosco /
prego inadequado do pronome
Eles queriam falar com nós mes-
relativo é responsável pela que- MANUAL DO PROFESSOR
mos (com nós dois).
bra da coesão textual.
o) Não o convidei para a festa.
b) […] foi morto com dois tiros
p) Não lhe obedeço porque não
nas costas anteontem, em uma
o respeito.
lanchonete, por ter posto a mão
q) Mandei-a sair.
em um doce que não ia comprar.
9. a) 2 d) 1 g) 1
7. Não, pois, na linguagem formal,
os pronomes retos eu e tu só b) 1 e) 2 h) 1
devem ser empregados na fun- c) 2 f) 2 i) 2
ção de sujeito. 10. a) 1 d) 2, 2, 1, 3
8. a) Convidei-a para a festa de ani- b) 3 e) 1, 2
versário. c) 2, 1, 2, 1

17
11. a) essa (D); nossos (P) f ) Não compreendi os motivos
b) meu (P); esse (D) que nos alegaram.
c) minha (P); nossa (P) g) Quem te disse essa boba-
d) seu (P); mesma (D) gem?
e) esses (D); isso (D); esta (D); h) Quanto me custa entender os
minha (P); meu (P) motivos!
f ) minha (P); minha (P); minha i ) Está correta.
(P); isso (D); meu (P) j ) Está correta.
12. a) esta / aquela k) Não te devolverão os docu-
b) aquele / este mentos apresentados.
c) esta / aquela l) Nunca te devolveriam os do-
d) isto cumentos apresentados.
e) isso m) Senhores passageiros, diri-
f ) aquilo jam-se à plataforma de embar-
que.
g) esta
n) Está correta.
h) estas
o) Está correta.
13. a) D d) O g) D
p) Tinha-lhe contado os fatos.
b) D e) R h) D
q) Não lhe tinha contado os fa-
c) O f) P i) O tos.
14. a) que, pode r) Está correta.
b) pode s) Não lhe quero entregar os
c) cujo, que (lhe pediram) documentos / Não quero entre-
Professor(a), o que do trecho gar-lhe os documentos.
“disse que não faria” é conjunção. 17. c 18. d 19. d
d) que, quanto
e) que Capítulo 10 – Verbo (p. 208)
15. a) R e) I i) I 1. Os três primeiros verbos expri-
mem ações passadas e se encon-
MANUAL DO PROFESSOR

b) I f) R j) ?
c) D g) ? tram no modo indicativo (expri-
mem fato certo); a forma verbal
d) R h) I
viajavam está no pretérito
16. a) Informaram-me os reais moti-
imperfeito (exprime um fato
vos de sua demissão.
anterior ao momento em que se
b) Jamais te enganaria dessa fala, mas não o toma como con-
maneira. cluído, acabado); as formas ver-
c) Está correta. bais encontrou e exclamou
d) Está correta. estão no pretérito perfeito (expri-
e) Alguém me convenceu da mem um fato passado já concluí-
verdade. do). A forma verbal encontramos

18
exprime fato certo no presente 6. a) regular
(presente do indicativo). b) irregular
2. Nas duas ocorrências (“Não di- c) regular
gas encontramos” e “Não digas d) irregular
‘estamos perdidos’”), o verbo e) irregular
dizer foi empregado no modo f ) irregular
imperativo (negativo), na segun- g) irregular
da pessoa do singular.
7. a) Os convites de formatura já
3. Aqueles que perderam o ma- tinham sido preparados pela
chado os alcançaram. comissão.
4. a) Tanto redarguir quanto re - b) Interrogaram-se as testemu-
trucar significam “responder”. nhas.
Usa-se redarguir com sentido
c) Convocaram os sócios para
de responder argumentando e
uma reunião.
retrucar no sentido de respon-
der de imediato. d) Um brasileiro ia pilotar o carro.
b) Ambos os verbos têm a fun- e) Aplaudiu-se com entusiasmo
ção de assinalar o modo como a apresentação do cantor.
foi dada a resposta. 8. a) A maioria dos verbos está no
modo imperativo: deixe, mude,
Professor(a), se julgar conve-
niente, comente que tais verbos afervente, corte, refogue etc.
são denominados verbos de b) Tais verbos poderiam apare-
elocução ou verbos dicendi. cer no infinitivo impessoal cum-
5. a) radical: viaj prindo a mesma função: deixar,
mudar, aferventar, cortar, refo-
vogal temática: a
gar etc.
tema: viaja
9. a) choveu: fenômeno da nature-
desinência modo-temporal: va
za; 2.ª conjugação
desinência número-pessoal: m
b) garoou: fenômeno da nature-
b) radical: encontr za; 1.ª conjugação MANUAL DO PROFESSOR
desinência número-pessoal: ou c) derrubou: ação, 1.ª conjuga-
c) radical: encontr ção; destelhou: ação, 1.ª conju-
vogal temática: a gação
tema: encontra d) ficaram: estado (mudança
desinência número-pessoal: de); 1.ª conjugação
mos e) houve: existência; 2.ª conju-
d) radical: encontr gação
vogal temática: a f ) causou: ação; 1.ª conjugação
tema: encontra 10. a) O verbo reaver é defectivo e a
desinência número-pessoal: manchete emprega uma forma
ste que não existe: reavê. O verbo

19
reaver é derivado de haver, mas b) Se houvesse quórum, a maté-
só é conjugado nas formas em ria seria votada.
que o verbo haver mantém o v. c) Se ele fosse hábil, ganharia a
b) Quando não existe a forma do eleição.
verbo defectivo, deve-se utilizar d) Se todos tivessem sorte, acha-
uma locução verbal ou um sinô- riam nova jazida.
nimo que, é claro, também não e) Se nós fôssemos firmes, con-
seja defectivo. Dessa forma, para venceríamos o paciente.
ficar correta, a manchete deveria
16. a) Corretor, venda a fazenda!
ser: “Líderes asseguram vaga, e
Corinthians recupera (ou conse- b) Daniel, não leia o livro!
gue reaver) o 2.º lugar”. c) Dênis, entregue as flores!
11. a) enxugado d) Crianças, vejam o cometa!
b) enxuta e) Marcelo, não discuta!
c) acendido 17. a) vou comprar (locução verbal):
d) aceso vou: auxiliar; comprar: principal;
e) entregado pediu (verbo)
f ) entregue b) parecia (verbo)
g) imprimido c) Tenho de escrever (locução
h) impresso verbal): tenho: auxiliar; escrever:
12. a) relatou principal
b) imaginei d) continuo (verbo)
c) pensava e) iam saindo (locução verbal):
d) contarei iam: auxiliar; saindo: principal
e) faltara f ) permaneceu (verbo)
f ) sofria g) continuam buscando (locu-
g) espia ção verbal): continuam: auxiliar;
h) orávamos buscando: principal
13. a) Canta aquela canção. 18. a) chegarmos
MANUAL DO PROFESSOR

b) Sai de casa hoje. b) recebermos


c) Volta tarde. c) sorrirmos
d) Escreve neste papel. d) pusermos
14. a) Não receba este presente. e) repusermos
b) Não saia de casa imediata- f ) virmos
mente. g) revirmos
c) Não tranques aquela porta. h) trouxermos
d) Não ponhas o livro no armá- i) viermos
rio. 19. a) Se você comprar frutas no su-
15. a) Se nós estivéssemos bem, permercado, eu também com-
venceríamos. prarei.

20
b) Se você ouvir música de d) Analisar-se-ão os trabalhos
madrugada, eu também ouvirei. esta manhã.
c) Se você vir sombras no jar- 25. a) cantemos
dim, eu também verei. b) vendamos
d) Se você nadar duas horas por c) partamos
dia, eu também nadarei. d) ponhamos
20. a) passiva analítica e) recebamos
b) passiva sintética (ou pronomi- f ) saibamos
nal) g) queiramos
c) passiva analítica h) durmamos
d) ativa i) sobrevivamos
e) passiva sintética (ou pronomi- 26. a) cantássemos
nal)
b) vendêssemos
21. a) Uma linda história foi contada
c) ríssemos
por mim para as crianças dormi-
d) trouxéssemos
rem.
e) puséssemos
b) Toda manhã as roupas do
varal são recolhidas por Joana. f ) dispuséssemos
c) Um aumento salarial foi con- g) víssemos
cedido aos funcionários pela h) prevíssemos
empresa. i) viéssemos
d) Muitos livros são lidos por Pe- Capítulo 11 – Advérbio (p. 219)
dro todos os anos.
22. a) O impostor enganou as moças. 1. Não, agora, tarde (duas ocorrên-
b) O comandante abandonou o cias), muito, deliciosamente.
navio no cais. 2. Só, indica exclusão (pode ser
c) Aquele grupo encenará uma substituída por apenas).
nova peça. 3. Muito, advérbio de intensidade,
d) O técnico incorporará um está modificando o advérbio MANUAL DO PROFESSOR
novo atleta ao time. tarde; deliciosamente, advérbio
23. a) A compra do imóvel será efe- de modo, está modificando o
tuada. advérbio tarde. Professor(a),
b) As provas não serão corrigidas. comente que deliciosamente
c) A contratação dos aprovados expressa um julgamento e que,
será efetivada. nesse caso, o advérbio é consi-
24. a) Consertar-se-á a roupa. derado um modalizador.
b) Regar-se-ão as plantas todos 4. Aqui: Portugal; lá: Brasil.
os dias. 5. a) A palavra onde é um prono-
c) Confeccionam-se bolos de me relativo e retoma “minha
aniversário. terra”.

21
b) Na oração “Onde canta o e) repentinamente
Sabiá”, desempenha função sin- f ) apressadamente
tática de adjunto adverbial (O g) concomitantemente
Sabiá canta na minha terra.). h) indubitavelmente
6. Não. O advérbio de lugar lá, que 10. Resposta pessoal. Sugestões: a)
se refere a Vila Isabel, faz men- Não sabia que você dirigia tão
ção a um lugar distante da pes- mal.; b) Moro muito longe da
soa que fala. Caso o compositor escola.; c) Costumo acordar bem
estivesse no bairro de Vila Isabel, cedo todos os dias.; d) Apesar do
teria dito: “Quem nasce aqui na despreparo físico, o time jogou
Vila…”. muito bem.
7. a) O fato objetivamente infor- 11. Respostas pessoais.
mado é que Fábio Costa pegou 12. a) modo
dois jogos de suspensão.
b) lugar
b) Apenas.
c) tempo
c) Não, o uso do advérbio ape-
d) intensidade
nas deixa uma informação im-
e) afirmação
plícita: Fábio Costa deveria ter
uma punição superior a dois f ) modo
jogos. g) intensidade
8. a) como, como, tanto h) dúvida
b) sempre, como i) tempo
c) ainda, não, já 13. a) Este jogador está mais bem
d) hoje, mais, hoje posicionado que aquele.
e) rapidamente, não b) Esta questão está mais mal
elaborada que aquela.
f ) sempre
g) hoje Capítulo 12 – Preposição (p. 225)
h) devagar
1. Estamos no ano 50 antes de
i) não, não, aqui
Cristo. Toda a Gália foi ocupada
MANUAL DO PROFESSOR

Professor(a), nesta atividade pelos romanos… Toda? Não!


destacamos apenas as palavras Uma aldeia povoada por irredu-
que funcionam como advérbio; tíveis gauleses ainda resiste ao
não foram destacadas as expres- invasor. E a vida não é nada fácil
sões formadas por mais de uma para as guarnições de legioná-
palavra que exercem funções rios romanos nos campos fortifi-
típicas do advérbio. cados de Babaorum, Aquarium,
9. a) brevemente Laudanum e Petibonum…
b) certamente Professor(a), as preposições que
c) paulatinamente apresentamos na resposta são
d) inutilmente, debalde aquelas que constam do texto

22
original. Evidentemente, em 6. a) desde, com, na (em + a), nas
alguns casos os alunos poderão (em + as), da (de + a), com, na
encontrar outras soluções, como (em + a)
fazer ou não a contração da pre- b) dessa (de + essa), da (de + a),
posição com artigos, por exem- de, de
plo: “… ocupada por romanos” c) na (em + a), das (de + as), na
em vez de “… ocupada pelos (em + a), num (em + um), do (de
romanos”; “… guarnições dos + o), aos (a + os), da (de + a)
legionários romanos em cam- d) no (em + o), com, de
pos fortificados” em vez de “… e) para, com
guarnições de legionários roma- f ) durante, sem
nos nos campos fortificados”. g) entre, de
2. a) entre h) a, de
b) após i) sem, com, de
c) perante 7. a) apesar de, de acordo com
d) até b) em vez de, perto de, junto de
e) sob 8. a) Todos aguardavam o momen-
f ) sobre to de o menino falar.
g) para b) Apesar de as chuvas terem
h) com voltado, o racionamento de
i) por água continuou.
j) contra
k) desde
Capítulo 13 – Conjunção (p. 232)
l) sem 1. a) condição
3. a) Os leitores gostaram do uni- b) adição
forme roxo. 2. Na primeira frase, a oração ini-
b) Os leitores simpatizaram com ciada pela conjunção quando
o uniforme roxo. acrescenta à anterior uma infor-
c) Os leitores se lembraram do mação de tempo. Na segunda, a MANUAL DO PROFESSOR
uniforme roxo. oração iniciada pela conjunção
d) Os leitores se referiram ao porque informa a causa da inso-
uniforme roxo. lação.
4. Em ambos os casos, a preposição 3. a) Não foram enumerados todos
de exprime causa. os sintomas. Isso fica claro pelo
uso do pronome indefinido
5. a) lugar f ) finalidade
alguns (“[…] são alguns dos sin-
b) assunto g) lugar tomas da insolação”).
c) meio h) lugar b) O sintoma considerado mais
d) lugar i) tempo grave que os demais é perda da
e) causa consciência.

23
c) A palavra que permite essa 8. Ouvimos um ruído, logo (por-
conclusão é até. tanto) havia gente nos fundos
Professor(a), no caso da alterna- da casa.
tiva c, a palavra até funciona 9. Devolva-me o livro, pois (por-
como um operador argumenta- que, que) estou precisando dele.
tivo cuja finalidade é apontar o 10. Ele saiu quando eu cheguei.
argumento mais forte numa 11. Chegou atrasado porque (visto
série. Evidentemente, a posição que, já que) saiu tarde de casa.
que perda da consciência
12. Resolvemos tomar banho frio,
ocupa na enumeração (último
embora (se bem que) fosse um
elemento da série) também fun- inverno rigoroso.
ciona como elemento para
13. Estudamos com afinco, de modo
reforçar que se trata, dentre os
que conseguimos boa nota.
sintomas, do mais grave.
14. a) embora: conjunção subordi-
4. a) A conjunção subordinativa
nativa concessiva; e: conjunção
concessiva embora.
coordenativa aditiva
b) Se a vítima ficou bloqueada no
b) portanto: conjunção coorde-
trânsito, a região, provavelmente,
nativa conclusiva
não era de “pouco movimento”. E,
c) pois: conjunção coordenativa
se a região era de “pouco movi-
explicativa
mento”, a ausência de fiscalização
não caracteriza a concessão mar- d) todavia: conjunção coorde-
nativa adversativa
cada pela conjunção embora. Se
em vez de “pouco movimento” e) se: conjunção subordinativa
tivéssemos grande ou muito condicional
movimento, não haveria contra- f ) quando: conjunção subordi-
dição alguma. nativa temporal
5. a) verdadeira g) como: conjunção subordina-
b) verdadeira tiva causal
15. a) PR b) SI c) SI d) PR
MANUAL DO PROFESSOR

c) falsa (exprime adversidade)


d) verdadeira Capítulo 14 – Interjeição (p. 237)
e) verdadeira
1. a) interjeição c) substantivo
6. a) consequência
b) advérbio d) preposição
b) adversidade
2. a) advertência e) dor
c) concessão
d) causa b) silêncio f ) invocação
7. Ele era artilheiro do time, mas c) animação g) desejo
(porém, todavia, contudo etc.) d) alívio h) alegria
não marcou nenhum gol no 3. a) Silêncio!, Psiu!
campeonato. b) Coragem!, Força!

24
c) Cuidado! d) ele mesmo
d) Xô!, Fora!, Rua! 5. Para que Deus abrisse as tornei-
4. a) se: C; antes: A; depois: A ras das nuvens e regasse suas
b) C plantações, ou seja, para que
c) P chovesse.
6. a) intransitivo
d) tão: A; que: C; em: P; e: C
b) transitivo indireto
e) C
c) de ligação
f) A
d) transitivo direto
g) quando: C; a: P
e) transitivo direto e indireto
h) C
7. a) A mentira tem perna curta.
i) I
b) Roma é a capital da Itália. / A
j) muito: A; quando: C capital da Itália é Roma.
k) A, A c) As cores do arco-íris são sete.
l) I / São sete as cores do arco-íris.
d) O cão é o melhor amigo do
Parte 3 – SINTAXE homem. / O melhor amigo do
Capítulo 15 – Termos essenciais da oração homem é o cão.
(p. 257) Professor(a), apresentamos
1. O primeiro período é formado como resposta frases declarati-
por duas orações: “Havia bastan- vas; evidentemente, os alunos
te tempo” e “que não chovia na poderão apresentar como res-
região”. Ambas constituem ora- posta outros tipos de frase.
ções sem sujeito, já que temos 8. Nesse período, temos três for-
verbos impessoais (haver indi- mas verbais (é, praticarem e
cando tempo, na primeira; cho- ameaçam); portanto, temos três
ver, que exprime fenômeno da orações:
natureza, na segunda). 1. O problema é;
2. Fazia bastante tempo que não 2. que eles também ameaçam o MANUAL DO PROFESSOR
chovia na região. próprio ambiente;
3. O sujeito da primeira oração é “O 3. além de praticarem um co-
trigo, o centeio, a cevada e tan- mércio com requintes de cruel-
tas outras culturas” (sujeito com- dade.
posto); o sujeito da segunda “é 9. Tais orações não são frases, pois
toda a safra” (simples). não possuem sentido completo.
4. a) os camponeses 10. Temos aí um exemplo de frase,
b) Deus já que se trata de um enunciado
c) primeira ocorrência: eles (os com sentido completo. Observar
camponeses); segunda ocorrên- que não há verbo; portanto essa
cia: as trombetas frase não pode ser considerada

25
um exemplo de oração ou de 15. a) Verbo transitivo direto e indi-
período. reto.
11. Professor(a), as respostas apre- b) É: verbo de ligação; tem: verbo
sentadas são apenas sugestões. transitivo direto; tornar-se: verbo
a) Muitos livros de História fa- de ligação; causam: verbo transi-
ziam parte da biblioteca. tivo direto e indireto.
b) Dois carros antigos estavam c) É: verbo de ligação; corre:
em exposição. verbo intransitivo.
c) O apito do trem era ouvido ao d) Verbo transitivo direto.
longe. e) Verbo intransitivo.
d) Dois experientes jogadores de f ) Merecemos: verbo transitivo
futebol participaram do evento. direto; somos: verbo de ligação.
e) Naquele mês, chegaram vá- g) Verbo transitivo indireto.
rios navios de carga ao porto. 16. a) Sujeito: Os dinossauros; pre-
f ) O novo gerente de vendas foi dicado: também viveram nos
o responsável pelo bom desem- polos.
penho da loja. b) Sujeito: as denúncias contra
12. a) núcleo: telefones. Eles eram cientistas; predicado: têm au-
escassos naquele bairro. mentado ultimamente.
b) núcleos: Gabriela, Camila e c) Sujeito: mais de cem espécies
Raquel. Elas (ou as três) chega- de frutas venenosas; predicado:
ram atrasadas. existem.
c) núcleo: atitude. Isso (ou aquilo) d) Sujeito: os pássaros; predica-
não me agrada nem um pouco. do: nos galhos da pitangueira,
d) núcleo: pessoa. Alguém fez brincavam livremente.
alusão ao acontecimento. e) Sujeito: muitos; predicado:
e) núcleos: Atos, Portos e Ara- nos últimos dez anos abando-
mis. Três eram os mosqueteiros. naram seus sonhos.
13. Em a, fala-se da onça, mas o f ) Sujeito: muitos autores; pre-
MANUAL DO PROFESSOR

sujeito gramatical é “o povo”. dicado: nestes livros contam


Em b, fala-se das chaves, mas o suas experiências pessoais.
sujeito gramatical é “ele”. g) Sujeito: os culpados; predica-
14. a) Vai fazer quatro anos que do: naquele momento, foram
moro neste bairro. saindo disfarçadamente.
b) Havia muitos motivos para ele h) Sujeito: os crimes de guerra;
aceitar a proposta. predicado: são inadmissíveis.
c) Deve haver lugares mais inte- Professor(a), os núcleos do su-
ressantes que este. jeito e do predicado estão desta-
d) Faz três semanas que ele não cados.
aparece. 17. a) impressionante

26
b ) cabe 20. Respostas pessoais.
c ) espaçosa 21. a) Os alunos chegaram à soleni-
d ) sente dade apreensivos.
e ) copie b) Todos saíram do hospital sa-
tisfeitos com a recuperação do
f ) cliente
paciente.
g ) brincavam
c) Os espectadores assistiram ao
h ) altas jogo sentados nas arquibancadas.
i ) tímida d) Os transeuntes caminhavam
j ) recomendou pelas ruas apreensivos.
k ) continuam e) Depois de uma longa viagem,
l ) lindo os turistas chegaram ao local
18. a) desprezível (do objeto) cansados.
b ) insatisfeitas (do sujeito) f ) Os jurados assistiam ao julga-
c ) cansados (do sujeito) mento calados.
22. a) Há muitos cheques sem
d ) desesperados (do sujeito)
fundo.
e ) inadmissíveis (do sujeito)
b) Haverá um novo caminho
f ) triste (do objeto) para o sítio?
g ) preso (do objeto) c) Deve haver situações seme-
h ) rasgado (do objeto) lhantes.
i ) imperdoável (do objeto) d) Ainda há crianças fora da es-
j ) incerta (do objeto) cola.
k ) preocupados (do objeto) 23. a) Pensa-se no futuro. / Pensam
l ) arriscada (do objeto) no futuro.
m) confortável (do objeto) b) Precisa-se de faxineira. / Preci-
n ) de incompetente (do objeto) sam de faxineira.
o ) desesperados (do sujeito) c) Vive-se tranquilamente no
interior. / Vivem tranquilamente
p ) abertas (do objeto)
no interior.
q ) solícito (do sujeito)
24. a) Eles saíram de casa esperan- MANUAL DO PROFESSOR
r ) fácil (do sujeito) çosos.
s ) inflexível (do sujeito) b) Eles esperavam o aconteci-
t ) inflexível (do objeto) mento tranquilos.
19. a) Se não existissem obstáculos, c) Todos caminhavam apressa-
teríamos conseguido. dos para o local do espetáculo.
b) Há motivos suficientes para d) Indignados, eles observavam
ele fazer a reclamação. os acontecimentos.
c) Deveriam existir mais linhas e) A multidão assistia delirante
férreas no Brasil. ao espetáculo da cantora.
d) Pode haver fatos que desmin- f ) Os alunos ouviam atentos as
tam essa afirmação. explicações da professora.

27
g) A mãe relatava desesperada o d) de mosquitos
desaparecimento da criança. e) do voo
25. a) Um ramalhete de flores apa- f ) ao dicionário
receu no jardim da casa de Ana g) de petróleo
Maria. h) da barraca
b) As casas da vila foram refor- i) da casa
madas no último verão. j) ao parque
c) Coisas estranhas acontece- k) com o trabalho
ram naquele dia.
l) para menores
d) Mais um embaixador estran-
m) a baratas
geiro chegou ontem a Brasília.
Professor(a), as respostas dadas
26. c
são apenas sugestões.
27. b
6. a) Sujeito: você (determinado,
Capítulo 16 – Termos integrantes da simples); predicado: já mostrou
oração (p. 272) muita nota vermelha para seu
pai (predicado verbal); comple-
1. a) o leite da vaca mentos verbais: muita nota ver-
b) nós melha (objeto direto); para seu
c) a flor pai (objeto indireto).
d) nós (implícito) b) Nota vermelha significa “nota
2. a) Substitui o leite da vaca; exer- baixa”; numa escala de zero a
ce a função de objeto direto. dez, trata-se de uma nota abaixo
b) Substitui a flor; exerce a fun- de cinco. Nota preta é uma
ção de objeto direto. expressão popular que significa
3. Por nós. “muito dinheiro”.
4. a) O complemento de beber é o 7. a) Todos os termos destacados
leite da vaca, que vem repetido exercem a função sintática de
por meio do pronome oblíquo o. complemento nominal.
Professor(a), comente com os b) (1) um padre: sujeito; (2) a tu-
MANUAL DO PROFESSOR

alunos que, nesse caso, temos do: complemento nominal


um objeto pleonástico. c) (1) seu saldo: objeto direto; (2)
b) Tirar o leite. de suas contas: complemento
c) No texto, usar foi empregado nominal
no sentido de “fazer uso”, “servir- d) (1) importante: predicativo
-se”. Trata-se de um verbo transi- do sujeito; (2) lhe: objeto indire-
tivo indireto. Seu complemento to; (3) acesso: núcleo do objeto
é da violência (objeto indireto). direto; (4) às coisas: comple-
5. a) da perfeição mento nominal; (5) você: sujeito
b) da tempestade 8. a) necessidade de carinho
c) de água fria b) sequestro do empresário

28
c) confiança no colega Capítulo 17 – Termos acessórios da oração
d) obediência ao regulamento e vocativo (p. 283)
e) combate à fome
1. Verbete, em dicionários, é cada
f ) amor ao próximo uma das palavras acompanha-
g) prejudicial à saúde das de suas acepções, exemplos
h) entrega dos documentos e outras informações.
9. a) Todos os objetos perdidos 2. Não só (somente, unicamente,
foram recuperados pelo funcio- exclusivamente) o autor do
nário. Novo Dicionário da Língua
b) Todo o trabalho foi feito por Portuguesa, Aurélio Buarque de
mim sem ajuda de ninguém. Holanda, é o especialista res-
c) Os quadros em exposição são ponsável por seu amplo e preci-
iluminados por uma luz fraca. so conteúdo.
d) Todas as questões da prova 3. “Aurélio Buarque de Holanda”
foram resolvidas pelo aluno. refere-se a “o autor do Novo
e) Os assaltantes foram presos Dicionário da Língua Portuguesa”
pela polícia. e “astrônomo brasileiro que
coleciona feitos científicos e
10. a) OI e) OI
títulos em vários lugares do
b) OD f ) DP mundo” refere-se a “Ronaldo
c) OI g) DP Rogério de Freitas Mourão”.
d) DP h) DP Ambos os termos exercem a
11. a) objeto indireto função de aposto.
b ) objeto direto 4. a) No texto, a palavra responsá-
c ) objeto indireto vel está empregada como adje-
tivo, caracterizando o substanti-
d ) objeto indireto
vo especialista.
e ) objeto indireto b) A significação de responsável
f ) objeto indireto é completada pelo termo “por
g ) objeto indireto seu amplo e preciso conteúdo”, MANUAL DO PROFESSOR
h ) objeto direto que exerce a função sintática de
i ) objeto direto complemento nominal.
j ) objeto indireto c) O núcleo do complemento no-
k ) objeto direto minal é o substantivo conteúdo.
l ) objeto indireto Professor(a), comente com os
alunos que as palavras seu,
m) objeto indireto
amplo e preciso exercem a fun-
n ) objeto direto ção sintática de adjunto adno-
o ) objeto direto minal.
p ) objeto indireto 5. Os verbetes sobre astronomia e
q ) objeto indireto astronáutica, constantes das

29
versões do dicionário entre 1975 Professor(a), as respostas dadas
e 1986, têm autoria de Ronaldo são apenas sugestões.
Rogério de Freitas Mourão, 9. Pode-se entender que o diretor
astrônomo brasileiro coleciona- indicou alguém e esta indicação,
dor de feitos científicos e títulos feita por ele, agradou a todos os
em vários lugares do mundo. acionistas. Nesse caso, do dire-
6. Astronomia é a ciência que trata tor tem sentido ativo (o diretor é
da constituição, da posição relati- o agente da indicação), exercen-
va e dos movimentos dos astros; do a função sintática de adjunto
astronáutica é a ciência e a técni- adnominal. Numa segunda in-
ca do voo no espaço cósmico. terpretação, pode-se entender
7. Em a, o termo em destaque indi- que alguém indicou o diretor e
ca o agente da ação verbal, isto essa indicação agradou aos acio-
é, aquele que fez o pagamento nistas. Nesse caso, do diretor
dos impostos. Trata-se, pois, de tem sentido passivo, exercendo
um agente da passiva. Em b, o a função sintática de comple-
termo destacado indica o meio mento nominal.
utilizado para fazer o pagamen- 10. a) claras: predicativo do sujeito;
to. Trata-se, pois, de um adjunto as razões: sujeito; as pessoas:
adverbial. objeto direto; dessa busca
Professor(a), para ficar clara a obsessiva: complemento nomi-
distinção, pode-se colocar o nal; boas: adjunto adnominal;
agente e o meio numa mesma tempestuosa: adjunto adnomi-
frase: O pagamento dos impos- nal; escalador nascido em 1944
tos foi feito pelo funcionário da na região do Tirol: aposto
empresa pela internet. b) antigo: adjunto adnominal;
8. a) este / aquele Salustiano Padilha: aposto; inde-
b) de verão / de chuva centes: adjunto adnominal; do
c) deserta estômago e de fome: adjunto
d) primeiro adverbial; na família: adjunto
MANUAL DO PROFESSOR

adverbial
e) um, uma
c) na vila: adjunto adverbial; os
f ) dentais
mais adiantados: aposto; de
g) seu
moeda falsa: complemento nomi-
h) a, bacteriana nal; os crentes e simples: aposto
i) carnívoros / ferozes d) uma das hortaliças mais culti-
j) que falam vadas no mundo: aposto; flexí-
k) do animal vel: adjunto adnominal
l) brasileiro e) senhora: vocativo; nesta jane-
m) sem saída la: adjunto adverbial
n) dois, competentes f ) antiga: adjunto adnominal;

30
pouco: adjunto adverbial; cola- 15. a) filho de Ulisses e Penélope
terais: adjunto adnominal; a dois b) marido de Helena
varões: complemento nominal; c) o marujo
Afonso da Maia: aposto; medici- d) um ente mitológico com
na: objeto direto corpo de homem e cabeça de
g) primeira: adjunto adnominal; touro, uma das ilhas da Grécia
aos quatro meses: adjunto ad-
e) filho de Crono e Reia
verbial; duma gastroenterite:
f ) um valente guerreiro troiano
adjunto adverbial; solícito: ad-
junto adnominal g) as roupas, os móveis, os livros
11. Respostas pessoais. h) Cassandra
12. a) lugar i ) o capitão do mato, Vinicius de
b) modo Moraes, poeta e diplomata, o
branco mais preto do Brasil
c) companhia
j ) da Sé
d) assunto
16. a) complemento nominal
e) finalidade
f ) intensidade b) adjunto adnominal
g) instrumento c) complemento nominal
h) causa d) complemento nominal
13. a) infelizes e) complemento nominal
b) o, animado, carnavalesco, as f ) adjunto adnominal
c) a, pobre, uma, vultosa g) complemento nominal
d) antigos h) adjunto adnominal
e) várias, um, terrível i ) complemento adnominal
f ) os, verdadeiros 17. d
g) dois, o 18. a) Mangueira
h) matutinos, aqueles b) amado leitor
i) uma, de rei c) Dona Glória
j) os, interessados d) rapaz
MANUAL DO PROFESSOR
14. a) na planície vazia e) amigo
b) no cinto f ) ó estrelas
c) ontem, a Belém g) meus amigos
d) de longe h) Dona Evarista
e) não i ) minhas senhoras
f ) sempre, mal, na sala de aula
g) com calma Capítulo 18 – Tipos de período (p. 289)
h) naquele lugar, não, muito, alto 1. a) Dois períodos. Primeiro perío-
i) fora de casa, sempre, muito, do, formado por duas orações:
bem [Quando abri os olhos], [vi o

31
vulto de uma mulher e o de uma Professor(a), temos, além da
criança]. Segundo período, for- oração principal, duas orações
mado por duas orações: [As subordinadas adjetivas coorde-
duas figuras estavam inertes nadas entre si.
diante de mim], [e a claridade c) CCS i) CCS
indecisa da manhã nublada d) CCS j) CS
devolvia os dois corpos ao sono e) CC k) CCS
e ao cansaço de uma noite mal-
f ) CS l) CS
dormida]. O primeiro período é
composto por subordinação e o g) CC m) CC
segundo, por coordenação. h) CC
b) Três períodos. Primeiro perío- 4. a
do, formado por uma única ora-
ção (período simples, oração Capítulo 19 – Orações coordenadas e
absoluta): Arminda caiu no cor- orações intercaladas (p. 296)
redor. Segundo período, forma- 1. a) V d) V
do por duas orações: [Ali mesmo b) F e) F
o senhor da escrava abriu a car-
c) V
teira] [e tirou cem mil-réis de
gratificação]. Trata-se de um 2. b, c, e
período composto por coorde- 3. Ou vocês conseguem uma auto-
nação. Terceiro período, forma- rização ou não poderão viajar
do por três orações: [Cândido sozinhos.
Neves guardou as duas notas de Aquela empresa triplicou suas
cinquenta mil-réis], [enquanto o exportações para o exterior; não
senhor novamente dizia à escra- é verdade, portanto, que esteja
va] [que entrasse]. Trata-se de em crise.
um período composto por su- Vá diretamente à bilheteria do
bordinação. teatro, que lá você ainda encon-
2. a) Professor(a), as respostas são trará ingressos.
MANUAL DO PROFESSOR

Era formado em Odontologia, to-


apenas sugestões.
davia nunca exerceu a profissão.
No ano de 1383, um muçulmano
Vivia dizendo mentiras, por isso
árabe, que servia ao soberano
ninguém mais acredita nela.
de Túnis, tomou um navio para
Nunca saiu de sua cidade, no
Alexandria no Egito.
entanto é capaz de descrever
b) Durante uma festa religiosa lugares que nunca viu.
em que não trabalhou, o jardi- O banco fecha às quatro horas,
neiro viu dois pássaros pousa- então corra, que ainda dá tempo
rem na folhagem de uma árvore. de pagar as contas.
3. a) CS Leve o guarda-chuva, pois está
b) CCS ameaçando chover.

32
4. Respostas pessoais. Sugestões: da assindética; “o sapato aperta”:
a) Ele morava bem distante do oração coordenada assindética;
local de trabalho, portanto saía “o país exporta”: oração coorde-
de casa bem cedo. nada assindética.
b) Gabriela nasceu em 1991 e 7. a) O trânsito estava caótico,
seu irmão, em 1992, logo ela é mas (porém, todavia, contudo
mais velha que o irmão. etc.) ninguém chegou atrasado
c) Fumar é prejudicial à saúde, à reunião.
então não fume. b) Por favor, devolva-me o livro,
d) Sabiam que a prova seria difícil, pois (porque, que) estou preci-
por isso estudaram com afinco. sando dele.
e) O preço da geladeira na loja A c) O voo 3216, que partiu de Ma-
estava mais baixo que na loja B, ceió, pousará no Aeroporto de
portanto preferi comprar na loja A. Congonhas, que foi reformado
5. a) [Os Condenados eram quatro recentemente.
rapazes] [que cantavam] [e d) Há muitos tipos de colírios
faziam muito sucesso naquele destinados ao tratamento de
mês de setembro.] diferentes doenças dos olhos. Os
olhos, entretanto (no entanto,
O período é formado por coor-
porém), são órgãos de muita
denação e subordinação. Temos
sensibilidade; portanto (logo,
uma oração principal, “Os Con-
assim, por isso), o uso de qual-
denados eram quatro”, e duas
quer tipo de colírio, sem orienta-
orações subordinadas, “que can-
ção e controle do médico, pode-
tavam e faziam muito sucesso”,
rá causar mais problemas do
que estão coordenadas entre si.
que resultados positivos.
b) [Clip era um filmezinho] [que
e) Nunca me esqueço de um
você via] [mas não precisava
consórcio de moto que fiz quan-
entender.]
do tinha 17 anos. Estava come-
O período é formado por coor-
çando a ganhar dinheiro e aca- MANUAL DO PROFESSOR
denação e subordinação. Temos
bei gastando mais do que podia.
uma oração principal, “Clip era
um filmezinho”, uma oração A cada mês o valor aumentava.
subordinada, “que você via”, e Fui sorteada, tirei a moto, mas as
uma oração coordenada sindéti- parcelas nunca acabavam. Hoje
ca adversativa, “mas não precisa- os consórcios podem ter muda-
va entender”. do, mas eu nunca mais fiz um.
6. É formado por quatro orações: 8. Na frase d: Não esfregue os
“O relógio aponta o momento olhos nem pisque depois de pin-
exato da morte incerta”: oração gar o colírio.
coordenada assindética; “a gra- 9. a) Ele fazia promessas com entu-
vata enforca”: oração coordena- siasmo; ninguém, todavia, acre-

33
ditava nele. / Ele fazia promessas 12. e
com entusiasmo; ninguém acre-
ditava nele, todavia. Capítulo 20 – Orações subordinadas (p. 315)
b) As pessoas acreditam em dias 1. a) A oração é “mesmo jogando
melhores; são, portanto, otimis- bem”, uma concessiva. A incoe-
tas. / As pessoas acreditam em rência decorre do fato de que a
dias melhores; são otimistas, relação entre jogar bem e ser
portanto. festejado não é de concessão,
10. a) oração coordenada assindética mas de causa e efeito: foram
b) oração coordenada sindética festejados porque jogaram bem.
aditiva b) A oração que estreou ontem
c) oração coordenada sindética refere-se a Sebá. Trata-se de uma
aditiva oração subordinada adjetiva
d) oração coordenada sindética explicativa.
adversativa 2. a) Refere-se ao termo o pai de
e) oração coordenada sindética Arturzinho, identificando-o. Tra-
explicativa ta-se de um aposto.
f ) oração coordenada sindética b) As orações coordenadas entre
conclusiva si são que trabalhava muito e
g) oração coordenada sindética preservava o seu descanso.
explicativa Trata-se de duas orações subor-
h) oração coordenada sindética dinadas adjetivas que se refe-
conclusiva rem ao substantivo médico.
i) oração coordenada sindética Professor(a), comente com os
conclusiva alunos que, nesse período, as
11. “A canoa deslizava brandamen- orações subordinadas adjetivas
te”: oração coordenada assindé- não se referem a uma oração
tica; “entrava na boca do rio principal, mas a um substantivo,
Canumã”: oração coordenada médico, e que esse tipo de cons-
MANUAL DO PROFESSOR

assindética; “e despertava as sar- trução (oração adjetiva sem ora-


dinhas meio adormecidas entre ção principal) é bastante co-
duas águas”: oração coordenada mum, por exemplo: “O sabão
sindética aditiva; “nenhum pás- que lava mais branco”, “O banco
saro cantava”: oração coordena- que atende a todas as suas
da assindética; “as vozes notur- necessidades” etc.
nas da floresta haviam-se cala- 3. a) Por três orações.
do”: oração coordenada assindé- b) Período composto por coor-
tica; “mas nós estávamos alerta”: denação e subordinação (perío-
oração coordenada sindética do misto).
adversativa c) Condição.

34
4. As frases serão pessoais. Suges- 6. No primeiro período há uma
tões de respostas: única oração (período simples);
a) Perguntei se ele sabia o ende- no segundo ocorrem duas ora-
reço. Oração subordinada subs- ções (período composto por
tantiva objetiva direta. subordinação). “De muita roupa”
b) Tinha receio de que ele retor- e “de usar muita roupa” exercem
nasse. Oração subordinada a função sintática de comple-
substantiva completiva nominal. mento nominal.
c) Nossa ideia era que ele fizesse Professor(a), vale destacar que
o trabalho. Oração subordinada no segundo período a função de
substantiva predicativa. complemento nominal é exerci-
d) É fundamental que todos se da por uma oração subordinada
empenhem. Oração subordina- (oração subordinada substanti-
da substantiva subjetiva. va completiva nominal reduzida
e) Pedro lembrou-se de que era de infinitivo).
dia de feira. Oração subordinada 7. a) Manter limpos os espaços
substantiva objetiva indireta. públicos e recuperar a natureza
f ) Havia um grande interesse em afetada. Essas orações exercem
que todos participassem. Ora- a função sintática de sujeito do
ção subordinada substantiva verbo custar. Temos, portanto,
completiva nominal. um sujeito composto oracional.
g) Era aguardado ansiosamente Tais orações devem ser classifi-
que ele se manifestasse. Oração cadas como orações subordina-
subordinada substantiva subjetiva. das substantivas subjetivas
h) Percebe-se que todos têm reduzidas de infinitivo coorde-
interesse. Oração subordinada nadas entre si. A primeira é coor-
substantiva subjetiva. denada assindética; a segunda,
i) Muita gente pediu que ele se coordenada sindética.
candidatasse. Oração subordi- b) Limpos refere-se ao objeto
nada substantiva objetiva direta. direto os espaços públicos, MANUAL DO PROFESSOR
exercendo a função sintática de
j) Ele sugeriu ao colega que
predicativo do objeto; o adjetivo
retornasse o mais depressa pos-
afetada refere-se ao substantivo
sível. Oração subordinada subs-
natureza, que funciona como
tantiva objetiva direta. núcleo do objeto direto, exer-
k) Ele se esqueceu de que ama- cendo a função sintática de
nhã não haverá expediente. adjunto adnominal.
Oração subordinada substantiva c) Caro refere-se a custa (verbo);
objetiva indireta. trata-se de um advérbio e exerce
5. a) B c) A a função sintática de adjunto
b) A d) B adverbial.

35
8. a) objetiva direta n) oração subordinada substan-
b) subjetiva tiva subjetiva
c) subjetiva o) oração subordinada substan-
d) objetiva direta tiva subjetiva
e) subjetiva p) oração subordinada substan-
f ) subjetiva tiva subjetiva
g) subjetiva q) oração subordinada substan-
h) objetiva direta tiva objetiva direta
i) subjetiva r) oração subordinada substan-
tiva objetiva direta
j) subjetiva
s) oração subordinada substan-
Professor(a), comente com os
tiva predicativa
alunos que nos itens c e i temos
a oração principal na voz passiva t) oração subordinada substan-
sintética. tiva apositiva
9. a) oração subordinada substan- 10. Nesta frase, a oração subordina-
tiva completiva nominal da adjetiva que pode ser bebi-
do é restritiva (deve-se observar
b) oração subordinada substan-
que ela não se separa da princi-
tiva objetiva direta
pal por sinal de pontuação): atri-
c) oração subordinada substan-
bui ao nome álcool uma carac-
tiva completiva nominal
terística que não é própria de
d) oração subordinada substan- todos os elementos dessa espé-
tiva predicativa cie. Portanto, há tipos de álcool
e) oração subordinada substan- que podem ser bebidos e outros
tiva completiva nominal que não podem; o texto comen-
f ) oração subordinada substan- ta a fabricação apenas daqueles
tiva completiva nominal que podem ser bebidos.
g) oração subordinada substan- 11. a) O saber é um bem indestrutí-
tiva objetiva indireta vel.
h) oração subordinada substan- b) A caneta solta tinta indelével.
MANUAL DO PROFESSOR

tiva apositiva c) Tem uma letra ilegível.


i) oração subordinada substan- d) Foi uma cena inimaginável.
tiva objetiva indireta e) É uma grandeza imensurável
j) oração subordinada substan- (ou incomensurável).
tiva completiva nominal f ) É uma atitude incompreensí-
k) oração subordinada substan- vel.
tiva completiva nominal 12. a) cujo velho sonho era a forma-
l) oração subordinada substanti- tura do filho: explicativa
va objetiva indireta b) onde canta o sabiá: restritiva
m) oração subordinada substan- c) que corte uma polegada se -
tiva objetiva direta quer às abas do tempo: restritiva

36
d) Que têm um futuro: restritiva; j) final
que têm um passado: restritiva 16. a) estar na sala certa: oração
e) que a Musa antiga canta: res- subordinada substantiva objeti-
tritiva va direta reduzida de infinitivo
f ) que é o médico da casa desde b) ficarmos em casa: oração
anos: explicativa subordinada substantiva predi-
g) que me parecia humorístico: cativa reduzida de infinitivo
explicativa c) vagueando na noite: oração
h) que encontrei um dia em casa subordinada adjetiva restritiva
do Mendonça: restritiva reduzida de gerúndio
i) que sempre procederam d) não dizendo a verdade: ora-
bem: restritiva ção subordinada adverbial con-
j) que me serviram durante dicional reduzida de gerúndio
anos: restritiva e) terminada a festa: oração
13. Em I, afirma-se que todos os subordinada adverbial temporal
homens têm seu preço e, por- reduzida de particípio
tanto, são fáceis de ser corrom- f ) chegares a tempo: oração
pidos; nesse caso, temos oração subordinada substantiva subje-
subordinada adjetiva explicati- tiva reduzida de infinitivo
va. Em II, afirma-se que apenas g) por se queixarem: oração
alguns homens têm seu preço; subordinada adverbial causal
esses e apenas esses são fáceis reduzida de infinitivo
de ser corrompidos; temos aí h) andando sem destino: oração
oração subordinada adjetiva subordinada adjetiva restritiva
restritiva. reduzida de gerúndio
14. a) Os infelizes estavam cansados i) para encurtar o caminho: ora-
e famintos porque tinham cami- ção subordinada adverbial final
nhado o dia inteiro. reduzida de infinitivo
b) Os infelizes tinham caminha- j) temendo consequências mais
do o dia inteiro, logo estavam
MANUAL DO PROFESSOR
drásticas: oração subordinada
cansados e famintos. adverbial causal reduzida de
15. a) proporcional gerúndio
b) causal k) fazermos mudanças radicais:
c) temporal oração subordinada substantiva
d) proporcional subjetiva reduzida de infinitivo
e) comparativa l) não comparecendo à reunião:
f ) final oração subordinada adverbial
g) comparativa condicional reduzida de gerúndio
h) temporal m) precisando: oração subordi-
i) temporal nada adverbial temporal (ou con-

37
dicional) reduzida de gerúndio f ) Com certeza, nosso problema
Professor(a), a dupla classifica- está nas cotas, porque precisa-
ção decorre do fato de que pre- mos de muitas mais.
cisando pode equivaler a se g) Sebo é o lugar onde se ven-
precisar (condicional), ou quan- dem livros usados.
do precisar (temporal). h) Toda essa situação gera muitos
17. Porque a oração correndo em conflitos dentro da sala de aula, o
direção à estação pode estar se que não ocorria anos atrás, quan-
referindo a guarda ou a crimi- do o ritmo de vida e a estrutura
nosos. familiar eram diferentes.
18. d 19. e 20. b i) Ao final da sessão, restavam
apenas cinco deputados no ple-
Capítulo 21 – Concordância (p. 338) nário.
1. a) Da forma como está redigida a j) A revelação dos acontecimen-
frase, o adjetivo feminina, pela tos ocorridos naquela sessão
sua posição, pode estar se referin- plenária chocou muitas pessoas.
do ao substantivo chuva (chuva k) Faltavam apenas dois veícu-
feminina). Quanto ao sentido, los para que a indústria automo-
esse adjetivo não pode caracteri- bilística aquecesse o mercado
zar o substantivo chuva. A chuva de vendas de carros modernos.
pode ser fraca, forte, intensa, fina l) Num único dia passaram
etc., mas nunca feminina. boiando três corpos.
b) Temos capa feminina para m) Em diversos órgãos de im-
chuva. prensa surgem especulações a
2. Proibida a venda de bebidas al- respeito da separação da atriz.
coólicas a menores de 18 anos. n) Ainda subsistem indícios de
3. a) A distribuição de todas as ati- que ela foi a autora do crime.
vidades apresentadas no capítu- o) Estão à disposição dos inte-
lo fica a critério do professor. ressados os editais do concurso.
MANUAL DO PROFESSOR

b) A população dos dois países 4. a) Tu serás submetido à verifica-


envolvidos no conflito realizou ção de pressão arterial, pulso e
uma manifestação. temperatura. Será também reali-
zada uma entrevista para que
c) O ritmo das mudanças ocorri-
seja avaliado se realmente tu
das nas empresas tende a mudar.
podes ser doador. O resultado
d) A administração dos imóveis dos testes realizados será envia-
urbanos constatou várias irregu- do por correspondência.
laridades. b) Você e eu seremos submeti-
e) O preço de vários produtos dos à verificação de pressão
agrícolas subiu muito nos últi- arterial, pulso e temperatura.
mos meses. Será também realizada uma

38
entrevista para que seja avaliado 6. a) Esperam-se soluções para o
se realmente você e eu pode- caso.
mos ser doadores. O resultado b) Eu e ele devemos retornar
dos testes realizados será envia- logo.
do por correspondência. c) Havia muitas coisas estranhas
Professor(a), comente que é naquela casa.
comum o uso da primeira pessoa
d) Existem dois candidatos com
do plural no lugar de você e eu.
chances de ganhar.
c) Você será submetido à verifi-
cação de pressão arterial, pulso e e) Os Estados Unidos aderiram
temperatura. Serão também rea- ao acordo.
lizadas algumas entrevistas para f ) Faz três meses que ele não
que seja avaliado se realmente aparece.
você pode ser doador. O resulta- g) Mais de um aluno faz o está-
do dos testes realizados será gio obrigatório.
enviado por correspondência. h) Deram duas horas da tarde no
d) Você será submetido à verifi- relógio do mosteiro.
cação de pressão arterial, pulso i) Precisa-se de padeiro e confei-
e temperatura. Será também teiro com prática.
realizada uma entrevista para j) Até o ano passado, naquela
que seja avaliado se realmente
cidade não havia agências ban-
você pode ser doador. Os resul-
cárias.
tados dos testes realizados serão
enviados por correspondência. 7. a) parecia
5. Mude o verbo de acordo com as b) havia
alterações propostas para o c) testemunhava
sujeito. d) deixam
a) O senador e o deputado vão 8. a) Acabavam de soar se encon-
se filiar a outro partido. tra no plural para concordar com
Os parlamentares vão se filiar a o seu sujeito, que, nessa oração,
outro partido. é 9 (horas) e três quartos. MANUAL DO PROFESSOR
b) A geração shopping center b) No relógio do castelo exerce
tem valores próprios. a função sintática de adjunto
Você e eu temos valores pró- adverbial.
prios. c) Bater está no singular, con-
c) O turista argentino e o uru- cordando com seu sujeito, que,
guaio preferem o litoral de San- nessa oração, é o relógio.
ta Catarina. d) Se omitirmos o termo o reló-
Os turistas paraguaios preferem gio, que funciona como sujeito
o litoral de Santa Catarina. de bater, o sujeito passa a ser 10
Tu e eu preferimos o litoral de horas, e o verbo deverá concor-
Santa Catarina. dar com ele, indo para o plural:

39
“Precisamente no momento em tando-lhe o sentido. Trata-se de
que baterem 10 horas […]”. um objeto indireto. O trecho à
9. a) As tardes chuvosas e frias vida, à igualdade, à segurança
impediam qualquer atividade agi- e à propriedade refere-se ao
tada. / Os dias chuvosos e frios substantivo direito, completan-
impediam qualquer atividade agi- do-lhe o sentido. Trata-se de um
tada. / O mês chuvoso e frio impe- complemento nominal.
dia qualquer atividade agitada. Professor(a), comente que te -
b) Blusas finas e sedosas foram mos objeto indireto composto
compradas pelos gentis e edu- (dois núcleos: brasileiros e es-
cados rapazes. / Lenço e blusa trangeiros) e complemento no-
finos e sedosos (ou fina e sedo- minal composto (quatro nú-
sa) foram comprados pelas gen- cleos: vida, igualdade, seguran-
tis e educadas garotas. / Blusa ça e propriedade).
fina e sedosa foi comprada pela 2. a) O trecho é “[…] ter gostado ou
gentil e educada senhora. aprovado qualquer governante”.
c) Minhas primas usavam perfu- Gostar exige preposição de
mes caríssimos. / Meu tio usava (“gostar de qualquer governan-
calças e camisas caríssimas. te”); aprovar não pede preposi-
d) Seu súbito interesse provo- ção (“aprovar alguém ou alguma
cou estranha força nas pessoas. / coisa”). Para ficar adequado ao
Seu súbito interesse e solidarie- que estabelece a gramática nor-
dade provocaram estranho mativa, o trecho deveria estar
comportamento nas pessoas. assim redigido: “[…] não me lem-
10. e 11. d 12. d 13. e 14. a bro de ter gostado de qualquer
governante ou aprovado qual-
15. a 16. e 17. e 18. b 19. b
quer um deles”; ou: “[…] não me
20. e 21. d 22. d 23. d 24. c lembro de ter aprovado qualquer
25. a 26. a 27. d 28. b 29. a governante ou gostado dele”.
30. e b) O trecho em que o autor
MANUAL DO PROFESSOR

segue a regra estabelecida pela


Capítulo 22 – Regência (p. 352) gramática normativa é: “[…] não
1. a) Exprime assunto, equivalendo gosto do atual governo nem o
a sobre. aprovo […]”.
b) A preposição perante relacio- 3. Na primeira ocorrência, bater é
na o adjetivo iguais a seu com- empregado no sentido de “agre-
plemento, a lei. Poderia ser subs- dir”, “surrar”, “dar pancada”. Nessa
tituída por ante ou diante de. acepção, é transitivo indireto,
c) Aos brasileiros e aos estran- exigindo complemento regido
geiros residentes no País refere- pela preposição em, “bater em
-se ao verbo garantir, comple- alguém”. Na segunda, bater é

40
empregado no sentido de “ven- dente, as autoridades resolve-
cer”, “superar”, “sobrepujar”. Nes- ram proceder a uma fiscalização
sa acepção, é um verbo transiti- rigorosa.
vo direto, exigindo, portanto, l) Custou-me (ou custou a mim)
complemento sem preposição, tomar esta decisão.
“bater alguém”. m) As constantes faltas ao traba-
4. Nesta frase, empregou-se o verbo lho implicaram sua demissão.
preferir de acordo com o nível n) O aluno simpatizou com a
formal de linguagem, ou seja, professora.
com objeto direto e objeto indire- o) Esqueci-me dos documentos.
to, este regido pela preposição a. / Esqueci os documentos.
Professor(a), comente que a p) Nunca perdoarei ao homem
palavra mais presente na frase que me magoou.
não está se referindo ao verbo q) No Municipal, assisti a uma
preferir, mas ao substantivo ópera de Verdi.
dinheiro, núcleo do objeto dire- r) Prefiro aspirar a uma posição
to mais dinheiro. honesta a ficar aqui.
5. a) A perda do cartão de con- 6. a) Este é o filme a que o aluno
sumo implica uma multa de assistiu. / Este é o filme de que o
R$ 500,00. aluno gostou.
b) É preferível combater os b) São opiniões a que me refiro.
males a intimidar as próprias / São opiniões de que duvido.
emoções. c) É um autor de cuja obra
gosto. / É um autor com cuja
c) Ele aspirava a uma posição de
obra simpatizo.
maior destaque.
7. a) Todos pareciam alheios a tudo.
d) Este é certamente um direito
b) Você é favorável a que ele seja
que não assiste a estas pessoas.
perdoado?
e) Venha assistir aos debates em
c) Não tenho a menor dúvida de
minha sala.
que ele voltará. MANUAL DO PROFESSOR
f) A cortesia mandava obedecer
d) Esta decisão é benéfica a
aos desejos da minha antiga dama.
quem?
g) Os desempregados visam a
e) Você é capaz de fazer isso?
melhores condições de vida.
f ) Estava ansioso por uma res-
h) Assistimos ontem a um belo
posta ao meu pedido.
filme na televisão.
8 . a) a f ) lhe
i) Aquele jogador ainda aspira a
uma vaga na seleção. b) lhe g) lhes
j) Aquelas pessoas só visavam c) o h) o
aos seus próprios interesses. d) lhe i) a ele
k) Depois daquele terrível aci- e) o j) a ele

41
Parte 4 – APÊNDICE àquela rua.
Capítulo 23 – Crase (p. 366) h) Não sabia que a mulher à qual
1. a) Pedro chegou ao colégio an- se dirigira era diretora da empresa.
tes de mim. Ocorre a crase. i) Não sou favorável a essa pena.
b) Costumo ir ao mercado aos j) Não sou favorável à derrubada
domingos. Ocorre a crase. dessa árvore.
c) Atendemos a todos os pedi- k) Não sou favorável à pena de
dos. Não ocorre a crase. morte.
d) Aguardavam ansiosamente o l) Mandou-me à padaria.
comparecimento de todos. Não m) Respondeu a ela que não
ocorre a crase. poderia sair naquela noite.
e) Era uma pessoa apegada aos n) Foi à formatura da filha.
modismos. Ocorre a crase. o) Despediram-se às primeiras
f) Esse livro não pertence a ne- horas da tarde.
nhum aluno. Não ocorre a crase. p) Não conte nada à (a) sua vizi-
g) Pedi desculpas a ele. Não nha.
ocorre a crase. q) Não conte nada a ninguém.
h) O prêmio foi entregue ao pri- 3. Em I, ocorre artigo antes de pes-
meiro colocado. Ocorre a crase. soas: nessa frase, a palavra pes-
i) Fizeram alusão ao mesmo indi- soas está empregada de modo
víduo. Ocorre a crase. preciso, determinado. Em II, não
j) Assistimos a um jogo de tênis. ocorre artigo (e, portanto, não
Não ocorre a crase. ocorre crase): nessa frase, o
k) Não chegaram a resultado substantivo pessoas foi empre-
algum. Não ocorre a crase. gado de modo vago, indetermi-
l) Graças a este rapaz consegui nado.
achar o caminho. Não ocorre a 4. “Os hóspedes do PMG Hotel, por
crase. estarem alojados dentro do Pan-
2. a) Perguntou à vizinha se conhe- tanal, terão sempre ao seu redor
MANUAL DO PROFESSOR

cia aquele escritor. como companhia a fauna e a


b) Perguntou a uma mulher se flora pantaneira. Os programas
conhecia aquela rua. são pescas a piranhas, focagem
c) Assisti à cena estarrecido. de jacarés, caminhadas ecológi-
d) Ele aspirava à ascensão rápida cas, passeios a cavalo e barco a
na empresa. motor acompanhados de guias
e) Aspirava a muitas badalações com prática do Pantanal.”
em sua nova vida. Em a cavalo e a motor, não
f ) Perguntou como se chegava à ocorre crase porque há apenas a
praça principal. presença da preposição a; são
g) Perguntou como se chegava expressões adverbiais formadas

42
por palavras masculinas (cavalo bandeira na mão, enrolada à
e motor). Em pescas a piranhas, volta do curto mastro.
não há crase porque só ocorre a f ) Acreditava ter obedecido fiel-
preposição a; a palavra piranhas mente às instruções do
está empregada em sentido Conselho. Se fracassara, a culpa
genérico. deveria ser atribuída à omissão
Professor(a), comente que em de algum detalhe desconhecido
pescas a piranhas o a está no da profecia.
singular diante de uma palavra g) Devo dizer que o resultado
no plural (piranhas), o que com- não se fez esperar: pressentindo
prova a não ocorrência do arti- à tarde que a dor não chegaria
go. Se na frase constasse pescas ao anoitecer, vasculhei a casa à
às piranhas, ocorreria a crase, procura de um instrumento ade-
porque o substantivo piranhas quado de defesa.
estaria precedido pelo artigo as, h) À noitinha a mãe chegou, viu
e também porque o substantivo a caixa, mostrou-se satisfeita,
pescas exige a preposição a. dando a impressão de que já
esperava a entrega do volume.
5. a) Não era talhado para obede-
i) Levantava cedo, tomava seu
cer a ordens ou deixar de dizer o
café com leite e saía às pressas
que pensava por respeito à hie-
para a rua. Voltava, às vezes,
rarquia.
meia hora depois. No jantar era
b) Sentado, a princípio, à minha o primeiro a chegar à mesa.
frente, fizera, aos poucos, girar a
j) Perguntei por que não tinha
cadeira, de forma a ficar sentado ido à escola, respondeu que não
com o rosto voltado para a porta ia mais, nunca mais, e me con-
do aposento. tou a história do cavalo. Disse
c) Só que nenhum dos dois que não adiantava ir à escola
pode ser tão emocionante, nem porque estava resolvido a fugir.
jamais foi tão disputado tão pal- k) A moça me disse ontem que a
mo a palmo ou pé a pé, topada a lua estava linda. À noite me tele- MANUAL DO PROFESSOR
topada, canelada a canelada, às fonou e me animou a chegar à
vezes tapa a tapa. janela.
d) Tanto o cura quanto o barbei- l) O homem já estava solto, gra-
ro fizeram muitas e detalhadas ças à intervenção do cônsul
recomendações à ama e à sobri- holandês, a quem ele se fez
nha, no sentido de recuperar o compreender com meia dúzia
alquebrado corpo de nosso de palavras holandesas.
conhecido herói. m) Outro dia fui a São Paulo e
e) Quando ouviu a voz assim resolvi voltar à noite, uma noite
chamá-lo, ele estava de pé à de vento sul e chuva, tanto lá
porta de sua guarita, com uma como aqui.

43
6. a) à, à, à, a d) à, a Professor(a), espera-se que os
b) a, a e) a alunos comentem que na frase
c) à em que aparece o até (uma pala-
vra denotativa, funcionando
Professor(a), o verbo conhecer
como operador argumentativo)
não pede preposição a. Nessa
há uma informação pressuposta
frase, o a que antecede o nome
(disseram outras coisas e, entre
de lugar Bahia é artigo.
elas, num grau maior de impor-
7. a) à, às, a e) à, à tância, que o mundo ia se aca-
b) a, à f ) a (ou às) bar), o que não ocorre na segun-
c) a g) a da frase: disseram apenas isso
d) a h) à (que o mundo ia se acabar).
8. a) As d) a d) Para esses três verbos, temos
b) Às e) à sujeito indeterminado. Não é
possível pelo contexto determi-
c) à
nar quem anunciou, garantiu e
9. a) àquele d) àquele disse que o mundo ia se acabar.
b) aquela e) àquela 2. a) conjunção subordinativa con-
c) àquela secutiva
10. a 11. b 12. d 13. a 14. e b) conjunção subordinativa inte-
15. b 16. e 17. b 18. e grante em ambas as ocorrências
c) conjunção subordinativa com-
Capítulo 24 – Morfossintaxe das palavras parativa
que e se (p. 376) d) pronome reflexivo recíproco
1. a) A palavra que é uma conjun- e) pronome reflexivo
ção subordinativa integrante, f ) pronome relativo
por estar introduzindo uma ora- g) preposição
ção subordinada substantiva h) conjunção subordinativa con-
objetiva direta. A palavra se é dicional em ambas as ocorrências
MANUAL DO PROFESSOR

partícula expletiva ou de realce i) se: conjunção subordinativa


(o mundo ia acabar). integrante; se: é um pronome
b) No último verso, a palavra se reflexivo na função de objeto
é pronome apassivador, pois se direto; que: conjunção subordi-
liga a um verbo transitivo (fazer), nativa integrante; se: parte inte-
apassivando-o. grante do verbo; que: pronome
Professor(a), comente que em relativo na função sintática de
não se fez batucada temos uma objeto direto de fez
voz passiva sintética em que o 3. a) sujeito
sujeito é batucada. b) objeto direto
c) Resposta pessoal. c) objeto indireto

44
d) objeto direto l) conjunção subordinativa inte-
e) objeto indireto grante
4. a) conjunção subordinativa inte- m) parte integrante do verbo
grante n) partícula expletiva ou de realce
b) conjunção coordenativa ex- o) índice de indeterminação do
plicativa sujeito
c) conjunção subordinativa cau- p) pronome apassivador
sal q) conjunção subordinativa con-
d) advérbio dicional
e) preposição 6. c 7. d 8. e
f ) substantivo interrogativo
g) pronome adjetivo interroga-
Capítulo 25 – Pontuação (p. 393)
tivo 1. Em a, a presença das vírgulas
h) partícula expletiva ou de indica que Mário Duarte é o
realce nome do advogado do jornalis-
i) conjunção subordinativa inte- ta. Nesse período não se expres-
grante sa o nome do jornalista. Em b,
j) conjunção subordinativa com- com a ausência das vírgulas,
parativa Mário Duarte passa a designar o
k) conjunção coordenativa ex- nome do jornalista. Nesse perío-
plicativa do, o que não vem expresso é o
nome do advogado.
l) substantivo
5. a) conjunção subordinativa inte- 2. Se o homem soubesse o valor que
grante tem, a mulher andaria de rastos à
sua procura. Se o homem soubes-
b) índice de indeterminação do
se o valor que tem a mulher, anda-
sujeito
ria de rastos à sua procura.
c) partícula expletiva ou de realce
3. a) Pelo simples receio de pare-
d) conjunção subordinativa causal MANUAL DO PROFESSOR
cer vulneráveis, muitas institui-
e) pronome apassivador ções bancárias evitam o assunto
f ) pronome reflexivo fraude digital.
g) pronome reflexivo b) Muitas instituições bancárias,
h) conjunção subordinativa inte- pelo simples receio de parecer
grante vulneráveis, evitam o assunto
i) índice de indeterminação do fraude digital.
sujeito c) Muitas instituições bancárias
j) pronome apassivador evitam, pelo simples receio de
k) conjunção subordinativa con- parecer vulneráveis, o assunto
dicional fraude digital.

45
4. a) Havia alguns problemas, -se o pai, a mãe, a avó, três crian-
porém, que expressavam a ças e uma mocinha magra de
experiência específica das socie- dezenove anos.
dades árabes. Quando se torna- b) Macabéa, que nunca se irrita-
ram independentes, elas herda- va com ninguém, arrepiava-se
ram uma variedade de escolas: com o hábito que Glória tinha
algumas públicas, algumas pri- de deixar a frase inacabada.
vadas; algumas modernas, algu- c) Meu antigo patrão, Salustiano
mas islâmicas tradicionais; algu- Padilha, que tinha levado uma
mas ensinando por meio do vida de economias indecentes
árabe, outras de uma língua para fazer o filho doutor, acaba-
europeia, geralmente inglês ou ra morrendo do estômago e de
francês. fome, sem ver na família o título
b) Quando o primeiro guarani que ambicionava.
abriu os olhos, estava adulto, d) Então tirou o roupão violenta-
benfeito, completo. Assim como mente, passou um vestido sem
tudo ao seu redor: o céu, o Sol, a apertar o corpete, vestiu por
Lua, as nuvens, as estrelas, os cima um casaco largo de inver-
montes, o mato, o campo, o rio, no, atirou o chapéu para a cabe-
a oca, o peixe, o bem, o mal, a ça despenteada, saiu, desceu a
vida, a morte. rua tropeçando nas saias.
c) A poluição sonora provoca e) O povo se apinhava na aveni-
muitos efeitos negativos. Os prin- da, o dinheiro circulava alegre-
cipais são: distúrbios do sono, mente, as lâmpadas de carbure-
estresse, perda da capacidade to espargiam sobre o burburi-
auditiva, surdez, dores de cabeça, nho focos de luz muito branca.
distúrbios digestivos, perda de 6. a) “À noite, porém, o doutor per-
concentração, aumento do bati- cebendo que a mulher dormia,
mento cardíaco e alergias. saltou a janela e correu em dire-
Professor(a), nesta atividade, as- ção ao cemitério; Cora, de pés
MANUAL DO PROFESSOR

sim como nas que seguem, nus, com as chinelas nas mãos,
apresentamos como resposta a procurou a criada para irem jun-
pontuação dada ao texto con- tas à colheita de ossos.”
forme consta da fonte em que b) “Minha criadagem se com-
foram recolhidos os fragmentos. põe, ou melhor, se compunha
Evidentemente, dado o caráter de um cocheiro, um jardineiro,
subjetivo da pontuação, em um criado de quarto, uma cozi-
alguns casos, outras respostas nheira e uma roupeira, que era
também são possíveis. ao mesmo tempo uma espécie
5. a) Ao redor da mesa, por um de despenseira.”
instante imobilizados, achavam- c) “Como eu tinha imaginado,

46
uma corrente marítima impele o dido em educação) faça as refor-
navio, se é que assim se pode mas necessárias.
designar adequadamente uma
Capítulo 26 – Figuras e vícios de
onda que, rugindo e uivando pelo
linguagem (p. 404)
alvo gelo, reboa em direção ao sul
com velocidade igual à da queda 1. a) O segredo que a personagem
vertiginosa de uma catarata.” vai revelar à mãe é que iria mor-
d) “Como, porém, estivesse com rer, que sua morte está próxima.
a camisa rasgada, o paletó sem a b) A personagem faz uso de
manga direita, ligeiras escoria- eufemismos: “minha luz está se
ções por todo o corpo e de enfraquecendo”, “a vela de meu
sunga, recebeu ordem superior ser se apagará”, “antes que se
para retirar-se, sob pena de faça escuridão”, “e minha alma
abertura de inquérito adminis- seja levada”.
trativo de acordo com os estatu- 2. A figura é “quando o vinho esti-
tos em vigor.” ver dizendo coisas mornas em
e) “Aos cinquenta anos, magro, nossa cabeça”. Temos aí uma
metonímia (a causa pelo efeito).
alto, de gestos imponentes e
Não é o vinho quem diz, mas o
uma certa altivez forçada, era
efeito do vinho. Ao mesmo
mais conhecido por sua enorme
tempo, temos uma prosopopeia
biblioteca, onde empenhava
ou personificação, já que se atri-
toda a moeda conseguida nas
bui ao vinho (ser inanimado) um
colheitas ou pela venda sucessi- predicado próprio de ser anima-
va de partes de suas terras, do do (dizer), e um eufemismo, já
que propriamente por sua que podemos entender que “o
esquisita maneira de viver.” vinho dizer coisas mornas em
7. A Literatura Portuguesa nos nossa cabeça” significa um ligei-
deu dois grandes escritores: ro estado de embriaguez. O
Camões, grande poeta renas- adjetivo mornas está emprega-
centista, e Fernando Pessoa, do em sentido conotativo, confi- MANUAL DO PROFESSOR
grande poeta moderno. gurando uma metáfora.
8. Guimarães Rosa e Clarice Lis- Professor(a), o importante nesta
pector são importantes nomes atividade é os alunos percebe-
da Literatura Brasileira: o primei- rem as relações de sentido esta-
ro escreveu Sagarana; a segun- belecidas pela figura.
da, A hora da estrela. 3. a) Aos arcaísmos.
9. O país prepara uma verdadeira b) Velhas caducas e pobres ve-
festa – um verdadeiro Carnaval lhinhas.
– para o dia 15. 4. a) anacoluto
10. Desejamos que o novo ministro b) silepse de número
(esperamos que seja um enten- c) silepse de pessoa

47
d) aliteração f ) folha de rosto, folha de che-
e) prosopopeia (ou personifica- que, folha de papel
ção) g) menina dos olhos
f ) zeugma h) olho da rua, olho gordo, olho
g) prosopopeia (ou personifica- mágico, olho-d’água, olho de
ção) gato (dispositivo de segurança),
h) gradação olho-de-gato (erva)
i) inversão i) orelha do livro
j) metonímia (pia no lugar de 6. a) Sílvio Santos
batismo) b) Xuxa
k) antítese c) Batman
l) aliteração, assonância e paro- d) Paris
nomásia e) Castro Alves
m) inversão f ) Rio de Janeiro
n) metáfora g) Recife
o) anáfora h) Egito
p) aliteração e assonância i) Carmem Miranda
q) paronomásia, aliteração e as- j) Maracanã
sonância
k) Tiradentes
r) metáfora
l) Dom Quixote
s) sinestesia
7. a) cacófato (“como-o com sebo”)
5. a) asa da xícara, asa do avião
b) pleonasmo
b) barriga da perna
c) solecismo
c) bico de gás, bico de pena, bico
de papagaio (formação óssea), d) solecismo
bico-de-papagaio (planta) e) solecismo
d) boca-da-noite, boca do estô- f ) pleonasmo
mago, boca de sino g) barbarismo
e) braço da poltrona, braço de h) (um mamão)
MANUAL DO PROFESSOR

mar, braço de ferro i) pleonasmo

Anotações

48
Respostas das questões de exames
2 propostas no livro-texto

Parte 1 – FONOLOGIA E ORTOGRAFIA 11. Fonema.


Capítulo 1 – Fonologia (p. 407) 12. Demarcação: ditongo nasal de-
1.c 4. b crescente (ão); juízo: hiato das
2.a 5. c 7. a vogais u e i; interpenetram: di-
3.b 6. a 8. 6 (2 + 4) tongo nasal decrescente (am);
9.a) O s entre vogais representa o iguais: tritongo oral (uai).
fonema /z/, ou seja, um fonema Professor(a), em interpene-
sonoro. tram, temos a ocorrência do di-
b) O s, precedido de consoante, tongo fonético /ãw/.
representa o fonema /s/, ou seja, 13. d 14. e 15. c 16. d
um fonema surdo. 17. d 18. a 19. b 20. e
c) Professor(a), espera-se que 21. 01 + 04 + 16 + 32 = 53
os alunos percebam que todas 22. 01 + 02 + 04 + 08 = 15
as palavras deste item apresen- 23. d 24. e 25. e
tam o prefixo trans seguido de 26. c
vogal e que, nesses casos, o s
Professor(a), a divisão silábica
representa o fonema sonoro /z/.
da palavra Piauí é a seguinte:
O Formulário ortográfico afirma:
Pi-au-í.
“É sonoro o s do prefixo trans,
em se lhe seguindo vogal […]”. 27. e 28. d 29. e 30. a 31. d
10. Hiato: anunci-ar, ju-ízos, a-in-da, 32. c 33. a 34. c 35. c 36. a
mei-o; ditongo nasal: confun- 37. c
dem, atropelam, paixões, des-
mentem, solução, travam; di- Capítulo 2 – Ortografia (p. 412) MANUAL DO PROFESSOR
tongo oral decrescente: aos, ou- 1. d 7. c 13. c
tros, meio. 2. b 8. e 14. e
Professor(a), em confundem, 3. a 9. b 15. c
atropelam, desmentem e tra-
4. b 10. c 16. a
vam, temos a ocorrência dos
ditongos fonéticos /ẽ j/ e /ãw/, 5. c 11. c 17. b
que não são representados na 6. e 12. d
escrita. Chamamos a atenção 18. a) limpeza, defesa, baronesa,
para a corriqueira ocorrência surdez e freguesa (ou freguesia)
desses ditongos em questões de b) analisar, sintetizar, paralisar,
vestibulares. civilizar, alisar

49
19. a) ressarcido Parte 2 – MORFOLOGIA
b) recendia Capítulo 4 – Estrutura e formação das
c) excentricidade palavras (p. 421)
20. c 24. d 1. b
21. d 25. b 2. c
22. e 26. a 3. Resposta da PUC-RJ: A palavra
23. e inveja é a única que não se
estrutura por prefixação. Todas
Capítulo 3 – Acentuação gráfica (p. 418) as demais apresentam prefixo
de negação in-, acrescido à base
1. c adjetiva.
2. 2 + 4 + 8 + 32 = 46 4. c
3. c 4. d 5. b 5. a) Resposta esperada: No artigo
6. A forma verbal pôde (pretérito 1548, o casamento é considera-
perfeito) é acentuada por oposi- do inexistente, isto é, sem efeito,
ção a pode (presente do indica- desde que ocorram as condi-
tivo); trata-se de um acento dife- ções arroladas. Já no artigo
1550, o casamento é passível de
rencial.
ser tornado sem valor, desde
7. d que solicitado e observadas
8. 1 + 8 + 16 + 32 = 57 determinadas condições. Essa
9. e 10. c 11. a diferença é produzida pelo
12. Conveniência: palavra paroxíto- acréscimo do sufixo -ável (que
tem o sentido de possibilidade
na terminada em ditongo oral;
de praticar ou sofrer uma ação)
também: palavra oxítona termi-
ao verbo anular. Com isso, anulá-
nada em -em; matéria: palavra vel tem o sentido de “aquilo que
paroxítona terminada em diton- pode ser anulado”, implicando
go oral; espírito: palavra propa- assim a possibilidade de realiza-
MANUAL DO PROFESSOR

roxítona. ção de um processo. Já em nulo,


13. d a ideia de processo inexiste, pois
14. c o seu sentido é de um evento
sem validade. Portanto, confor-
15. b
me o artigo 1548, o casamento
Professor(a), comente com os não se realiza juridicamente;
alunos a respeito da importân- pelo artigo 1550, o casamento é
cia de observar o contexto em dado como realizado, porém, é
que aparece a palavra para veri- passível de anulação.
ficar se ela deve ou não ser acen- b) Resposta esperada: Diferente-
tuada. mente de infringência, palavra

50
formada a partir de infringir por Capítulo 5 – Substantivo (p. 425)
meio do acréscimo do sufixo
1. e 5. d 9. d
-ência (que transforma um
verbo em substantivo), incom- 2. a 6. b 10. d
petência apresenta um proces- 3. e 7. a 11. b
so suplementar, já que inexiste 4. a 8. c
o verbo incompetir. O verbo 12. a) magreza; b) semelhança;
competir recebe igualmente o c) autenticidade
sufixo -ência e, posteriormente, 13. Aguardo teu telefonema e teu
a palavra formada (competên- convite para sair.
cia) recebe o prefixo in-, forne- 14. c 17. b 20. a
cendo o sentido de “ausência
15. c 18. c 21. e
de competência”.
16. c 19. d
Espera-se que o candidato seja
capaz de perceber a relação 22. Os livres-docentes, em seus
entre competência, incompe- abaixo-assinados, pediram de-
tência e o verbo competir (que, missão do cargo.
nessa relação específica, tem Capítulo 6 – Artigo (p. 429)
um sentido associado ao de
atribuição, menos usual do que 1. a
aquele associado a rivalidade e 2. No primeiro caso, a anteposição
competições). do artigo indefinido confere ao
Não se espera, por outro lado, substantivo homem um caráter
que o candidato faça qualquer genérico, ou seja, trata-se de
consideração de ordem etimoló- qualquer elemento da espécie
gica sobre fring- como um even- humana. No segundo, o mesmo
tual radical latino. Como falante substantivo se refere à espécie
da língua, ele dispõe do conhe- humana.
cimento sincrônico de que frin- 3. d
gir não é um radical de verbo 4. d MANUAL DO PROFESSOR
existente. (Não se cobrará o uso 5. a) A oposição entre os substanti-
de metalinguagem). vos homem e mulher é reforça-
6. e 11. b 16. b da pelo emprego do artigo defi-
7. c 12. a 17. a nido o para homem e do indefi-
8. a 13. b 18. d nido uma para mulher, ou seja,
9. b 14. a o homem faz referência a um
homem determinado, específi-
10. c 15. c
co; já uma mulher faz referência
19. aferventar, enaltecer, esvoaçar a uma mulher qualquer, ideia
20. d 22. a essa reforçada pelo adjunto
21. a 23. e adverbial de exclusão apenas.

51
b) A oposição definido/indefinido Capítulo 9 – Pronome (p. 435)
(o/uma) reforça a oposição ho-
1. No contexto, capital significa
mem × mulher. O emprego do
“fundamental, principal, essen-
artigo definido confere a ho-
cial”. O pronome pessoal oblí-
mem um caráter singular. O
quo lhe retoma a expressão
emprego do artigo indefinido
confere a mulher um caráter de “nota diplomática”, funcionando
indiferença, de inferioridade. como complemento nominal de
“origem” (“[…] dá origem à nota
Professor(a), note que, no con-
diplomática”).
texto, o artigo indefinido, refor-
çado pelo adjunto adverbial de 2. c
exclusão apenas, tem caráter 3. a
pejorativo. 4. c
6. e 7. b 8. d 5. a) “Embora os jornalistas não
devessem fazer previsões,
Capítulo 7 – Adjetivo (p. 430) fazem-nas o tempo todo.”
1. b 4. d 7. e b) O pronome demonstrativo o
2. a 5. a 8. c funciona como elemento de
3. b 6. d coesão, retomando a ideia de
9. contentes: grau comparativo de “prestar contas quando erram”.
superioridade 6. c 10. e 14. a
10. b 12. e 14. a 7. e 11. c 15. d
11. e 13. a 15. c 8. c 12. c 16. a
16. Aquilo foi para todos nós uma 9. b 13. a 17. e
desilusão, um golpe, um desgos- 18. a) Sim, pois nesse trecho mim
to inefável (ou inexprimível). está sendo empregado na fun-
17. e ção de complemento.
b) Deveria ficar “entre ele e mim”,
MANUAL DO PROFESSOR

Capítulo 8 – Numeral (p. 433) pois a forma reta eu só pode ser


1. c usada na função de sujeito, que
2. e não é o caso nesse trecho.
3. b 19. c 21. e 23. a
4. a) triplo; terço 20. e 22. d 24. a
b) milésimo septuagésimo (ou se- 25. Dificilmente se encontra um ex-
tuagésimo) quinto -aluno que não tenha consegui-
5. e 8. a 11. b do uma boa colocação.
6. a 9. d 12. b 26. d
7. b 10. d 13. a 27. À palavra homem.

52
28. a) Estes são alguns dos equipa- com o sentido de “ir junto”; já o
mentos cuja entrada no país a músico ambulante, com o senti-
reserva de mercado não permi- do de “tocar junto”.
tia, sem a autorização do Depin. 2. c 7. e 12. a
b) Fazer pesquisa insinuando 3. a 8. e 13. d
que 64% dos brasileiros acham 4. e 9. a 14. e
que existe corrupção no governo 5. a 10. d 15. e
Itamar não é um ato inteligente
6. c 11. e 16. c
de um jornal de que todos gosta-
mos e por cuja isenção é dever Professor(a), na alternativa a,
deveria ser utilizado o verbo
de todos nós brasileiros lutar.
aumentar, e não crescer. Trata-
29. c -se, portanto, de um problema
30. Sugestão: Doença alguma pode semântico, e não gramatical.
ser curada com este remédio. 17. a 20. d 23. a
31. Ana, amanhã lhe farei uma visiti- 18. a 21. c 24. a
nha e contar-lhe-ei tudo o que 19. b 22. a
sei a respeito dele. Espere-me às
25. a) A interpretação usual é a de
nove horas e não me faça espe-
que as pessoas não devem furtar.
rar muito. No caso, o futuro do presente é
32. a) Esta mão. utilizado com valor de imperati-
b) Essa mão. vo, equivalendo a “não furtes”.
33. Amigo algum me ajudará. b) Bastos Tigre interpreta o
34. Os candidatos à carreira diplo- mandamento no futuro como
mática, entre os quais estava o uma proibição que deve vigorar
seu noivo, apresentaram-se im- posteriormente ao momento
pecáveis no coquetel do em- em que se fala. No contexto,
baixador. “não furtarás” [amanhã] é enten-
35. As tropas da Otan, cujas mano- dida como uma permissão para
bras vinham sendo preparadas furtar hoje.
por grandes estrategistas, esta- 26. a) prestar esclarecimento MANUAL DO PROFESSOR
vam confiantes. b) dar (ou fornecer) informação
36. b 39. b 42. e 27. Façam-se as apostas, enquanto
se elaboram os novos planos.
37. c 40. b 43. a
28. e 33. b 38. d
38. b 41. e 44. a
29. a 34. a 39. c
Capítulo 10 – Verbo (p. 443) 30. e 35. b 40. b
1. O verbo acompanhar é respon- 31. a 36. a
sável pelo efeito de humor, pois 32. d 37. b
pode ser entendido de duas 41. a) mantiver
maneiras: o guarda o utilizou b) interveio

53
42. e d) ininterruptamente
43. Não saias daqui! Não fujas! Não e) excepcionalmente
abandones o que é teu e não me 8. a 10. d 12. c
esqueças. 9. d 11. d 13. d
44. a) reouver 14. Sugestão: Pois não é que ele
b) compuser veio!; Eu imagino o que você não
45. d 48. e 51. d faria nesse caso.
46. e 49. d 52. c 15. a) tacitamente, silenciosamente
47. e 50. d b) monotonamente, monocordi-
camente
Capítulo 11 – Advérbio (p. 451) c) resignadamente
1. c d) fraternalmente
2. d 16. Com humildade pensando na
3. Resposta da Uerj: vida…
Longes: substantivo comum
Capítulo 12 – Preposição (p. 454)
Longe: advérbio de lugar
Longes: tempos distantes 1.e
Longe: espacialmente distante, 2.d
longínquo, afastado 3.d
4. c 4.Era no tempo em que ainda os
5. c. Nessa frase, a palavra pior portugueses não haviam sido
relaciona-se a verbo indicando por uma tempestade empurra-
modo; nas demais, relaciona-se dos para a terra de Santa Cruz.
a substantivos. 5. e 7. b 9. a
6. Não. O termo em destaque mo- 6. c 8. a
difica um verbo, saíssem. Trata- 10. a) 1. No final da Guerra Civil ame-
-se, portanto, de um advérbio e, ricana, o ex-coronel ianque […]
como tal, não deve ser flexiona- sai à caça do soldado desertor que
MANUAL DO PROFESSOR

do. Para que a frase estivesse realizou assalto a trem que levava
adequada à norma culta, a confederados. 2. No final da
redação deveria ser “A implica- Guerra Civil americana, o ex-coro-
ção é que esses países talvez se nel ianque […] sai à caça do solda-
saíssem melhor economica- do desertor que, com confedera-
mente se fossem mais pareci- dos, realizou assalto a trem.
dos entre si”. b) Na frase 1, com indica que, no
7. a) paulatinamente trem, havia soldados, ou seja,
b) indubitavelmente estabelece relação entre conti-
c) concomitantemente, simulta- nente (trem) e conteúdo (solda-
neamente dos). Na frase 2, com indica com-

54
panhia, ou seja, o soldado deser- 16. Professor(a), sugira aos alunos
tor realizou, em companhia dos que coloquem a oração na voz
confederados, assalto a trem. passiva sintética: “Quando não
11. Sugestão de resposta: a) Ele se diferenciam os criminosos
sempre chega à noite; b) Es- dos tiras, tudo pode acontecer”.
creveu a lápis. 17. e 23. d 29. c
12. a) lugar
18. c 24. c 30. c
b) meio, modo
19. a 25. a 31. e
13. c
20. b 26. b 32. b
Capítulo 13 – Conjunção (p. 456) 21. e 27. e
1. A conjunção comparativa qual 22. e 28. d
pode ser substituída, sem altera-
ção de sentido, por como ou Capítulo 16 – Termos integrantes da
pelos coloquialismos que nem, oração (p. 464)
feito, igual.
1. 02 + 08 = 10 5. c
2. c 8. c 14. c
3. a 9. b 15. b 2. d 6. e
4. c 10. a 16. d 3. c 7. d
5. b 11. d 17. c 4. b 8. e
6. c 12. c 18. a 9. e
7. d 13. a Professor(a), na frase da alterna-
tiva e, à lei é complemento no-
Capítulo 14 – Interjeição (p. 459) minal.
1. b 2. c 10. e.
Professor(a), nessa oração, o
Parte 3 – SINTAXE
loiro sueco é sujeito, e os bol-
Capítulo 15 – Termos essenciais da oração sos, objeto direto, devendo ser,
(p. 460)
pois, substituído pelo pronome
1. Segunda oração: era cintilante o MANUAL DO PROFESSOR
oblíquo o.
brilho
Terceira oração: que desferia a 11. b
sua pupila negra 12. a) Vi-o catando-a.
Colocando o verbo antes do pre- b) Ambos (ver e catar) funcio-
dicado: o brilho que a sua pupila nam como verbos transitivos
negra desferia era cintilante. diretos.
2. b 7. c 12. b 13. a) Muitos te ajudaram.
3. c 8. a 13. d b) Os mestres nos aconselharam.
4. d 9. b 14. e 14. a) A emoção do povo era disfar-
5. d 10. b 15. b çada pela impassibilidade dos
6. b 11. a rostos.

55
b) Os viajantes eram assustados fato trouxe benefícios para a
pelo negrume da noite. pesquisa. A outra possibilidade
15. b 18. a 21. e seria reconhecer o termo neuro-
16. b 19. b 22. e cientista como agente da ação,
isto é, o neurocientista fez a indi-
17. e 20. d 23. e cação e essa indicação feita por
Capítulo 17 – Termos acessórios da oração ele trouxe benefícios para a pes-
quisa. Na primeira leitura, o
e vocativo (p. 469) termo neurocientista estaria
1. O humor nasce da ambiguidade exercendo a função de comple-
de “pra burro”, que pode ser mento nominal; na segunda, de
adjunto adverbial de intensida- adjunto adnominal.
de (bom pra burro: “muito bom”) b) Sugestões de resposta: A indi-
ou complemento nominal de cação que o neurocientista fez
bom, remetendo, então à ex- trouxe benefícios para a pesqui-
pressão “pai dos burros” (bom sa; O fato de terem indicado o
pra burro: “bom para quem pre- neurocientista trouxe benefícios
cisa de dicionário”). para a pesquisa; A indicação
feita pelo neurocientista trouxe
2. 005 (001+ 004)
benefícios para a pesquisa.
3. O advérbio agora traz implícita a
10. d 13. c
noção de transitoriedade, refor-
çando o caráter de estado mo- 11. c 14. a
mentâneo do estado do narrador. 12. b 15. a
4. a 6. c 16. a) B c) C
5. d 7. e b) D d) A
8. Na primeira frase, o substantivo 17. b
Fabrício exerce a função sintáti- 18. c
ca de sujeito e o substantivo 19. Resposta pessoal. Sugestão:
pedreiro, a função de aposto. Na a) Ele morreu de fome; b) Ele
segunda, o substantivo pedrei- veio de Florianópolis.
MANUAL DO PROFESSOR

ro exerce a função sintática de 20. a.


núcleo do sujeito e o substanti- Professor(a), somente a segun-
vo Fabrício exerce a função de da consideração é verdadeira.
aposto especificativo do subs- 21. d
tantivo pedreiro. 22. Porque os animais podem ter
9. a) Uma das possibilidades de lei- sido agente ou paciente da
tura seria considerar o termo matança. Fora de contexto, não
neurocientista como paciente fica claro se o termo dos ani-
da ação, ou seja, nesse caso, o mais exerce a função sintática
neurocientista foi indicado (indi- de adjunto adnominal ou de
caram o neurocientista), e esse complemento nominal.

56
23. b 24. a 25. c 16. oração subordinada substantiva
completiva nominal
Capítulo 18 – Tipos de período (p. 474) 17. oração subordinada substantiva
1. d. objetiva direta
2. 01 + 02 + 16 = 19 18. Que a escrava é que estragara o
3. Não só as condecorações grita- doce: oração subordinada subs-
vam-lhe do peito como uma tantiva objetiva direta.
couraça de gritos: Ateneu! Ate - Professor(a), nesse fragmento, a
neu!, mas também Aristarco expressão é que é partícula
todo era um anúncio. expletiva (ou de realce), poden-
do, pois, ser eliminada sem pre-
4. a
juízo ao sentido: fui dizer à
5. d minha mãe que a escrava estra-
Capítulo 19 – Orações coordenadas e gara o doce.
19. b 21. c
orações intercaladas (p. 475)
20. a 22. c
1. d 5. b 9. d
23. c
2. c 6. c 10. d
Professor(a), a rigor, o objeto
3. c 7. c 11. e direto de argumentei é que não
4. d 8. c 12. d é justo que o padeiro ganhe
festas, formado por duas ora-
Capítulo 20 – Orações subordinadas (p. 477) ções, sendo a segunda (que o
1. 01+ 02 + 04 + 08 + 16 = 31 padeiro ganhe festas) sujeito de
2. d 7. b que não é justo, que passa a
3. b 8. c funcionar como oração principal
em relação à terceira oração.
4. b 9. d
24. d 28. b 32. a
5. c 10. a
25. a 29. b 33. d
6. b 11. b
26. c 30. a 34. e
12. a) Vos: objeto indireto, verdadei-
27. d 31. b MANUAL DO PROFESSOR
ras: predicativo do sujeito
35. a) Os meninos de rua, que pro-
b) Que as lágrimas eram verda-
curam trabalho, são repelidos
deiras: objeto direto (oração
pela população.
subordinada substantiva objeti-
b) Sem as vírgulas, a oração
va direta)
adjetiva que procuram trabalho
13. oração subordinada substantiva limita, restringe o termo meni-
subjetiva nos. Entende-se, pois, que uma
14. oração subordinada substantiva parte dos meninos de rua procu-
subjetiva ra trabalho e que essa parte é
15. oração subordinada substantiva repelida pela população. Com as
objetiva direta vírgulas, o sentido da oração

57
adjetiva muda: ela passa a ser 46. a
explicativa. Entende-se assim 47. d
que todos os meninos de rua 48. Mesmo sendo magra (apesar de
procuram trabalho e são repeli- ser magra […]; ainda que magra
dos pela população. […]), tinha não sei que balanço
36. Sugestão: a) I. Esta garantia fica- no andar […].
rá automaticamente cancelada 49. As lavouras de trigo da Região
caso o produto não seja correta- Sul foram danificadas, já que
mente utilizado. uma forte massa de ar polar veio
II. Não se aceitará a devolução junto com a frente fria, causan-
do produto se ele contiver do acentuada queda da tempe-
menos de 60% de seu conteúdo. ratura que, associada ao longo
b) As despesas de transporte ou período com registro de chuva,
quaisquer ônus decorrentes do deve reduzir o potencial produ-
envio do produto para troca cor- tivo da cultura.
rem por conta do usuário. Professor(a), a questão admite
37. a) Embora o preço do ingresso variação na estrutura da respos-
para o jogo fosse bastante módi- ta. O importante é que sejam
co, havia pouquíssimos torcedo- mantidas as relações de causa e
res no estádio. efeito contidas nos períodos
b) O concerto teve de ser adiado simples originais.
porque chovia copiosamente 50. A construção gramatical utiliza-
em toda a cidade. da é a da oração subordinada
c) Os funcionários relaciona- adverbial condicional com a
vam-se bem com o diretor, conjunção se e o verbo no im-
senão não teriam conseguido perfeito do subjuntivo, configu-
levar adiante o projeto sem o rando o mundo irreal do presen-
apoio dele. te: se eu fosse (subentendido:
Professor(a), as respostas são mas não sou).
apenas sugestões. 51. e 54. d 57. b
MANUAL DO PROFESSOR

38. e 40. d 52. a 55. b 58. c


39. a 41. d 53. a 56. b
42. b 59. e
Professor(a), No item b, a oração Professor(a), na alternativa e, a
destacada é coordenada sindéti- relação é de adversidade e não
ca explicativa. de concessão.
43. d 60. d
44. e 61. Sugestão: O indispensável é co-
45. Ele se arrogava o direito de nhecer o princípio adotado para
inventar leis determinantes do avaliar a experiência realizada
comportamento do povo. ontem, a fim de compreender a

58
atitude tomada pelo grupo en- 36. Sim, pois se trata de adjetivo em
carregado do trabalho. função de predicativo do sujei-
62. b 66. d to; deve, portanto, concordar
63. c 67. a com o sujeito: Ela e Piedade fica-
ram sós.
64. d 68. a
37. b 38. c 39. b
65. e 69. d
40. O comentário não é justificável,
Capítulo 21 – Concordância (p. 490) uma vez que em Aluga-se moças
1. b 10. b 19. e não há erro de ortografia, e sim
erro de concordância verbal. A
2. c 11. b 20. c
correção feita pelo jornal está
3. a 12. a 21. b apropriada, uma vez que o verbo
4. d 13. d 22. d deve estar no plural concordan-
5. c 14. e 23. b do com o sujeito plural (moças).
6. d 15. a 24. b 41. Os verbos são restar e corres-
7. a 16. b 25. d ponder. Resta está no singular
8. b 17. a 26. c porque concorda com o núcleo
9. d 18. d do sujeito, o substantivo déficit,
que é singular. Correspondem
27. Não pode haver perspectivas de
está no plural porque concorda
futuro sem independência
com o numeral vinte, que é
financeira.
núcleo do sujeito.
28. a.1) Caso você não tenha tam-
42. e 44. e
bém uma reserva financeira
para sobreviver. 43. c 45. b
a.2) A menos que você tenha 46. a) A polícia desses países não
também uma reserva financeira pôde prendê-los porque o go-
para sobreviver. verno brasileiro não fez o pedi-
do formal de captura.
29. Se você não dispuser também
b) A causa provável é o fato de o
de uma reserva financeira para MANUAL DO PROFESSOR
núcleo do sujeito (polícia) estar
sobreviver.
acompanhado de um adjunto
30. d 32. a 34. a no plural (desses países). O
31. c 33. e redator, erroneamente, fez a
35. A forma verbal enxugava, nú- concordância com o adjunto no
cleo do predicado, estabelece plural em lugar de a fazer com o
concordância com o sujeito da núcleo do sujeito, conforme es-
oração ele (o carroceiro). A for- tabelecem, nesse caso, os princí-
ma verbal secavam estabelece pios de concordância verbal.
concordância com o termo reto- 47. A forma verbal surgem foi em-
mado pelo pronome relativo pregada na terceira pessoa do
que (pingos de água). plural, porque seu sujeito é

59
novos desafios, ou seja, o verbo 58. a 61. e 64. a
concordou com o sujeito. 59. b 62. e 65. a
48. b 66. a) Havia jardins e manhãs na-
49. a) Já estão inclusas no processo quele tempo: existia paz em
as investigações a respeito das toda a parte.
manifestações linguísticas das
b) Se houvesse mais homens
abelhas.
honestos, não existiriam tantas
b) Não há nenhumas probabili-
brigas por justiça.
dades de aprofundar as pesqui-
sas sobre a comunicação dos 67. c 71. a 75. d.
chimpanzés. 68. c 72. a 76. c
c) Foi desnecessária a discussão 69. d 73. e 77. a
sobre a possibilidade da existên-
70. e. 74. a
cia de uma comunicação linguís-
tica animal. 78. É proibida a entrada de pessoas
d) É perigosa a afirmação a res- estranhas no recinto. / É proibi-
peito da emissão fônica dos ver- do entrada de pessoas estranhas
tebrados como um conjunto de no recinto.
símbolos linguísticos. Professor(a), convém relembrar
50. e que as expressões formadas de
51. a) O trecho “São para esses cida- verbo ser + adjetivo (é bom, é
dãos anônimos […]”. necessário, é proibido etc.) não
b) “Dentro de instantes serão variam. Se, no entanto, o sujeito
divulgados novos resultados” e vier precedido de artigo ou ou-
“É para esses cidadãos anôni- tro determinante, a concordân-
mos […]”
cia será feita normalmente.
52. Ao meio-dia e meia, depois de
79. c 82. d 85. e
penosa escalada, durante a qual
houve perigos o mais surpreen- 80. b 83. a 86. a
MANUAL DO PROFESSOR

dentes possível, o grupo de alpi- 81. b 84. c


nistas franceses atingiu o ponto 87. e.
mais elevado da cordilheira.
Professor(a), na alternativa b, o
53. b 54. e 55. c
erro está na palavra mau: o cor-
56. a) Sois vós que deveis pensar e
reto seria mal (advérbio). Em d,
querer por mim.
o erro está em afim, que, nessa
b) Tu e ele ireis (ou vão) pescar
no lago. frase, deve ser escrito separado,
c) Já deve fazer dois meses que a fim.
ela partiu. 88. c
57. b 60. e 63. c 89. a

60
Capítulo 22 – Regência (p. 506) 21. d 23. e 25. c
1. b 7. c 13. b 22. c 24. c
2. a 8. d 14. e 26. a) matérias que você tem; onde
3. b 9. c 15. e na frente funcionava um bar
4. a 10. b 16. c b) Concentre sua atenção nas
matérias em que você tem
5. d 11. a 17. a
maior dificuldade; uma casa, em
6. d 12. c
cuja frente funcionava um bar,
18. a) Entidades de classe ou sindi-
foi totalmente destruída por um
cais não podiam contribuir para
incêndio.
os partidos.
27. a) A menina de cujos olhos eu
b) Quando se trata do destinatá-
rio da ação, o verbo contribuir gosto ainda não chegou.
exige a preposição para. A pre- b) O homem para (ou a) quem
posição com serve para indicar o eu telefonei ontem não estava
instrumento da contribuição. O em casa.
autor, na redação, confundiu as c) A rua em que (ou onde) eu
duas preposições, utilizando a gosto de correr é toda arborizada.
preposição com no lugar da pre- 28. a) Esta é a escola em que os pais
posição para. confiam.
19. a) A primeira ocorrência é a cor- b) O verbo confiar é transitivo
reta. Em “Não tenho dúvidas de indireto e exige a preposição
que a reportagem […]”, o uso da
em, que deverá estar antes do
preposição de diante da conjun-
pronome relativo que.
ção subordinativa integrante
que é obrigatório, pois essa pre- 29. a) O povo tem ido aos bares das
posição é regida pelo substanti- ruas para aliviar as constantes
vo dúvidas. decepções diárias.
b) “[…] mas é preciso ressalvar b) A esperança chegou paulati-
que a história não pode ser escri- namente aos já fatigados cora- MANUAL DO PROFESSOR
ta […]”; no texto, o emprego da ções brasileiros.
preposição está incorreto porque c) Mudar de vida implica sem-
não há termo regente que exija a pre difíceis e embaraçosas aco-
preposição de: o verbo ressalvar modações.
é transitivo direto, não exigindo, d) É preferível combater os males
pois, preposição para introduzir a intimidar as próprias emoções.
seu complemento.
30. b 34. e 38. c
20. O consórcio em que o Brasil
inteiro confia. 31. c 35. b 39. a
Professor(a), o verbo confiar 32. e 36. c 40. b
nessa frase rege a preposição em. 33. b 37. b

61
41. d 46. b 53. b 60. e
Professor(a), o verbo optar rege 47. c 54. d 61. e
a preposição por. 48. c 55. e 62. c
42. c 44. b 46. b 49. e 56. b 63. b
43. e 45. e 47. e 50. d 57. c 64. e
51. a 58. b 65. d
Parte 4 – APÊNDICE 52. d 59. d 66. b
Capítulo 23 – Crase (p. 515)
Capítulo 24 – Morfossintaxe das palavras
1. d 3. e 5. d que e se (p. 524)
2. c 4. e 6. a 1. e 15. d 29. b
7. Em celebração à passagem do 2. b 16. a 30. c
cinquentenário da morte de
3. d 17. c 31. d
José Lins do Rego, aconteceram
há pouco mais de um mês, na 4. e 18. d 32. d
capital paraibana, várias ativida- 5. b 19. d 33. a
des promovidas pelo Governo 6. e 20. a 34. a
do Estado: concurso de redação, 7. e 21. d 35. e
espetáculo teatral, exibição de 8. a 22. b 36. a
filme e concerto. 9. d 23. b 37. e
8. b 10. a 10. c 24. b 38. c
9. a 11. e 11. b 25. e 39. b
12. Sim, deve ocorrer acento indica- 12. a 26. d 40. d
dor da crase, uma vez que o 13. d 27. c 41. a
verbo ir pede preposição a (vou 14. d 28. d 42. b
a) e o substantivo casa vem de-
terminado (casa do novo habi- Capítulo 25 – Pontuação (p. 531)
tante da cidade). 1. b
13. b 24. e 35. b 2. 01 + 04 = 05
MANUAL DO PROFESSOR

14. e 25. d 36. c 3. d


15. e 26. b 37. e 4. Resposta da PUC-RJ: Muitos sécu-
16. d 27. a 38. d los atrás, refletindo sobre a tem-
17. b 28. e 39. b poralidade, Santo Agostinho con-
18. b 29. d 40. b fessou que, embora tivesse uma
noção tácita de tempo aparente-
19. c 30. d 41. b mente não problemática, não
20. c 31. a 42. c seria capaz de fornecer uma defi-
21. c 32. a 43. e nição explícita desse conceito.
22. a 33. c 44. b 5. d 7. d
23. c 34. c 45. e 6. e 8. b

62
9. É fato conhecido por muitos que b) No segundo período, suben-
Paulo Lins, escritor carioca, viveu tende-se a preposição para:
na Cidade de Deus, onde se “Para quem ama, o feio bonito
desenrola a trama de seu famo- lhe parece”.
so livro. 10. d 12. b
10. É aquela velha história: se você 11. c 13. a
coloca coisas caras em casa, vai 14. Ter um bom currículo, ter um
precisar pôr trancas nas portas e currículo qualificado.
grades nas janelas. 15. d
11. e 25. e 39. c 16. a
12. d 26. d 40. a Professor(a), substitui-se a par-
13. d 27. d 41. d te pelo todo: asas no lugar de
aviões.
14. c 28. b 42. c
17. e 19. e 21. a
15. e 29. a 43. b
18. a 20. c 22. c
16. d 30. e 44. b
23. c
17. a 31. e 45. e
Professor(a), em c ocorre meto-
18. c 32. d 46. e nímia: o autor (esse poeta) pela
19. b 33. c 47. a obra (os poemas, os livros, a
20. b 34. a 48. a obra).
21. e 35. e 49. b 24. Ele ironiza o amor de Marcela. Para
22. e 36. c 50. c obter o efeito irônico, aproxima
termos que normalmente esta-
23. a 37. a 51. c riam distantes: o tempo de dura-
24. e 38. e ção do amor e o valor em dinheiro
desperdiçado com esse amor.
Capítulo 26 – Figuras e vícios de
25. b 27. a 29. a
linguagem (p. 543)
26. c 28. c 30. b
1. e 31. Aliteração e assonância. MANUAL DO PROFESSOR
2. A palavra “belo” da frase: “Que 32. d 33. d 34. b
belo planeta vocês estão deixan- 35. d
do para mim, heim?”. Professor(a), paradoxo é uma
3. b 5. c 7. a espécie de antítese em que os
4. d 6. b 8. e termos opostos pelo sentido se
9. a) Sim. Há diferença de sentido. fundem numa expressão pelo
Na primeira frase, afirma-se que menos aparentemente contradi-
aquele que ama o feio passa a tória.
achá-lo bonito, porque o ama. 36. e 39. b 42. d
Na segunda, para aquele que 37. b 40. c 43. e
ama, o feio parece bonito. 38. c 41. a

63
MANUAL DO PROFESSOR

64
Anotações

Interesses relacionados