Você está na página 1de 698

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA – CNI

Robson Braga de Andrade


Presidente

DIRETORIA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA – DIRET

Rafael Esmeraldo Lucchesi Ramacciotti

Diretor de Educação e Tecnologia

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL – SENAI

Conselho Nacional
Robson Braga de Andrade

Presidente

SENAI – Departamento Nacional

Rafael Esmeraldo Lucchesi Ramacciotti

Diretor - Geral

Gustavo Leal Sales Filho


Diretor de Operações
APRESENTAÇÃO

A organização da oferta formativa coerente com as mudanças no processo produtivo é um dos grandes desafios
enfrentados pelas instituições de formação profissional que preparam o trabalhador sob as perspectivas da
competência e polivalência, com o propósito de desenvolver suas capacidades para compreensão e aplicação
das bases gerais, técnicas, científicas e socioeconômicas de uma área de atuação.

O ITINERÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL elaborado nas diversas áreas da indústria,


para subsidiar as ações de formação profissional do SENAI, tem como objetivo o alinhamento e atualização do
desenho curricular com base em contextos reais do mundo do trabalho.

Nesse sentido, este documento apresenta o itinerário nacional da área Automação e Mecatrônica como resultado
do trabalho articulado nacionalmente por meio dos Comitês Técnicos Setoriais Nacionais, dos Comitês de
Especialistas Técnicos do SENAI e, também, dos Interlocutores da ação.

Embora apresente o itinerário formativo de áreas tecnológicas, não se constitui como um documento finalizado,
uma vez que dentre as ações nacionais está o permanente monitoramento dos Perfis Profissionais e Desenhos
Curriculares Nacionais no sentido de mantê-los aderentes às necessidades do mundo do trabalho e à
Metodologia SENAI de Educação Profissional.

Desta forma, entregamos aos regionais a versão 2019 atualizada e ampliada, enquanto instrumentalização para
atender de forma proativa ao desafio da organização da oferta formativa, tendo em vista o fortalecimento do
padrão nacional e das ações do Sistema SENAI.
LISTA DE OCUPAÇÕES

1 INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL
1.1 INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

2 TÉCNICO EM INTERNET DAS COISAS - IOT

3 TÉCNICO EM CIBERSISTEMAS PARA AUTOMAÇÃO

4 TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL


4.1 Instrumentista Industrial

5 TÉCNICO EM MECATRÔNICA

6 TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA INDUSTRIAL

7 TECNÓLOGO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL


MATRIZ DE REFERÊNCIA

O Itinerário Nacional de Educação Profissional da área de Automação e Mecatrônica contempla cursos de


Educação Profissional Técnica de Nível Médio, Educação Profissional Tecnológica de Graduação.

Os desenhos curriculares aqui apresentados representam uma base nacional comum para a oferta formativa dos
Departamentos Regionais, tendo em vista a atualização técnica e tecnológica de seus cursos e a manutenção do
padrão de qualidade educacional SENAI.

Embora nem todos os currículos tenham sido desenvolvidos a partir de um Perfil Profissional definido por um
Comitê Técnico Setorial -- estratégia prioritária da Metodologia SENAI de Educação Profissional -- todos foram
desenvolvidos a partir de pesquisas de mercado, estudos técnicos de tendência e prospecção, conhecimento
tácito da área e norteadores estratégicos e submetidos ao comitê de Especialistas técnicos do SENAI que
procederam a devida análise para que os regionais possam usufruir de um documento condizente com as
demandas da indústria nacional.

Os Departamentos Regionais poderão montar suas ofertas formativas utilizando o currículo de cada ocupação, na
íntegra, ou fazendo o acréscimo de até 20% à carga horária estabelecida. A medida fará com que todo curso
atenda a uma base nacional comum sem, contudo, comprometer as especificidades estaduais.

A seguir, a Matriz de Referência da área de Automação e Mecatrônica que apresenta os cursos com suas
respectivas Unidades Curriculares e cargas horárias, além de representar graficamente a composição de cada
curso e servir para orientação ao regional na composição de novas ofertas a partir do desmembramento do
currículo aqui apresentado.
40
ELETRICIDADE APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO
horas

40
COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO
horas

60
MECANICA APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO
horas

80
COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA
horas

120
ELETRÔNICA APLICADA A SISTEMAS AUTOMATIZADOS
horas

100
MECÂNICA APLICADA A SISTEMAS AUTOMATIZADOS
horas

80
COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA
horas

120
ELETRÔNICA APLICADA A SISTEMAS AUTOMATIZADOS
horas

100
FUNDAMENTOS DA INSTRUMENTAÇÃO
horas

80
CÁLCULO APLICADO À AUTOMAÇÃO
horas

80
CIRCUITOS ELÉTRICOS
horas

80
COMUNICAÇÃO E METODOLOGIA CIENTÍFICA
horas

40
EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO
horas

40
INTRODUTÓRIO ESTATÍSTICA APLICADA À AUTOMAÇÃO
horas

80
FÍSICA APLICADA À AUTOMAÇÃO
horas

80
INTRODUÇÃO À AUTOMAÇÃO
horas

40
LIDERANÇA E GESTÃO
horas

80
MÁQUINAS ELÉTRICAS
horas

80
MATEMÁTICA APLICADA A SISTEMAS ELÉTRICOS
horas

40
PROCESSOS INDUSTRIAIS
horas

60
Gestão de Projetos de Automação e TI
horas

80
Fundamentos do Desenv olv imento de Sof tware
horas

80
Fundamentos de Redes de Comunicação
horas

80
Fundamentos do Desenv olv imento de Sof tware
horas

60
Gestão de Projetos de Automação e TI
horas

80
Fundamentos de Redes de Comunicação
horas
60
Fundamentos da Instrumentação
horas

80
CÁLCULO APLICADO A MECATRÔNICA
horas

80
CIRCUITOS ELÉTRICOS
horas

80
FÍSICA APLICADA
horas

80
FUNDAMENTOS DE LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO
horas

80
Gestão de Pessoas para Pesquisa e Inov ação
horas

80
MÁQUINAS ELÉTRICAS
horas

80
BÁSICO Processos da Manuf atura Mecânica
horas

60
Fundamentos da Inf ormação e Comunicação
horas

60
Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico
horas

100
Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI
horas

60
Fundamentos da Inf ormação e Comunicação
horas

60
Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico
horas

100
Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI
horas

40
COMISSIONAMENTO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE
horas

120
INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE
horas
ESPECÍFICO
40
MANUTENÇÃO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE
horas

PARAMETRIZAÇÃO E CALIBRAÇÃO DE INSTURMENTOS DE MEDIÇÃO 60


E CONTROLE horas

CIRCUITOS ELETROPNEUMÁTICOS E ELETROHIDRÁULICOS 100


APLICADOS À MANUFATURA horas

100
ACIONAMENTOS ELETROELETRÔNICOS
horas

100
MODELAGEM VIRTUAL DE ELEMENTOS MECÂNICOS
horas

60
DIAGRAMAS HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS
horas

100
ACIONAMENTOS ELETROELETRÔNICOS
horas

120
MEDIÇÃO DE VARIÁVEIS FÍSICAS INDUSTRIAIS
horas

40
INSTRUMENTAÇÃO ANALÍTICA
horas

80
DESENHO TÉCNICO MECÂNICO
horas
MODELAMENTO TRIDIMENSIONAL DE COMPONENTES 80
horas

80
MODELAMENTO E CINEMÁTICA DE CONJUNTOS TRIDIMENSIONAIS
horas

80
ANÁLISE ESTRUTURAL DE SISTEMAS MECÂNICOS
horas

80
PROJETOS DE ELEMENTOS DE MÁQUINAS
horas

80
PROGRAMAÇÃO E USINAGEM CNC
horas

80
MANUFATURA ASSISTIDA POR COMPUTADOR
horas

80
SIMULAÇÃO DE PROCESSOS DE MANUFATURA
horas

80
GERENCIAMENTO DE PROJETOS
horas

80
DESENHO TÉCNICO DE SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO
horas

100
SISTEMAS MICROPROCESSADOS
horas

80
CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS
horas

100
ESPECÍFICO I DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS SUPERVISÓRIOS
horas

80
ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS
horas

80
SISTEMAS ELETROPNEUMÁTICOS E ELETROHIDRÁULICOS
horas

140
CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS
horas

PROJETO DE SISTEMAS PARA CONTROLE DE PROCESSOS 80


INDUSTRIAIS horas

100
REDES INDUSTRIAIS
horas

80
SISTEMAS ANALÓGICOS
horas

80
SISTEMAS DIGITAIS
horas

80
INTEGRAÇÃO COM SISTEMAS ROBÓTICOS
horas

40
SISTEMAS DIGITAIS DE CONTROLE DISTRIBUÍDOS
horas

180
MEDIÇAO DE VARIAVEIS FISICAS DE PROCESSO
horas

40
INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL ANALÍTICA
horas

60
INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS HABILITADORAS DA IND 4.0
horas

80
GERENCIAMENTO DE PROJETOS
horas

140
Integração de Sensores e Dispositiv os de Automação
horas

80
Implementação de Sof tware de Gerenciamento
horas

100
Projetos de Interf aces Eletrônicas
horas

100
Programação de Sistemas Embarcados
horas

60
Programação de Driv ers para Dispositiv os de Automação
horas

60
Manutenção de Sistemas Embarcados
horas

80
SISTEMAS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS
horas

80
CIRCUITOS MICROCONTROLADOS
horas

140
PROCESSOS DE MANUFATURA
horas

80
CIRCUITOS MICROCONTROLADOS
horas

80
TÉCNICAS DE CONTROLE horas

80
SISTEMAS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS
horas

40
SISTEMAS DE INTERTRAVAMENTO INDUSTRIAL
horas

40
ELEMENTOS FINAIS DE CONTROLE
horas

80
SISTEMAS ANALÓGICOS
horas

80
SISTEMAS DIGITAIS
horas

ESPECÍFICO II 80
SISTEMAS EMBARCADOS
horas

80
ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS
horas

IMPLEMENTAÇÃO E COMISSIONAMENTO DE SISTEMAS DE CONTROLE 100


E AUTOMAÇÃO horas

40
CLASSIFICAÇÃO DE ÁREAS E PROTEÇÃO CONTRA EXPLOSÃO
horas

GESTÃO DA MANUTENÇÃO DE SISTEMAS DE CONTROLE E 60


AUTOMAÇÃO horas

100
Sistemas de Armazenamento de Dados para Automação
horas

60
Programação para Coleta de Dados em Automação
horas

100
Interconexão em Sistemas de Automação e TI
horas

100
Instalação de Sensores e Dispositiv os de Automação
horas

60
Projetos de Estrutura de Sensoriamento
horas

30
Manutenção de Sensores e Dispositiv os de Automação
horas

160
SISTEMAS AUTOMATIZADOS DE MANUFATURA
horas

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO APLICADAS À 140


INDÚSTRIA 4.0 horas

120
PROJETOS DE SISTEMAS DE CONTROLE INDUSTRIAL
horas

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO APLICADAS À 140


INDÚSTRIA 4.0 horas

40
GESTÃO DA MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
horas

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO 80


horas

40
PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO
horas

40
PROGRAMAÇÃO ORIENTADA AO SERVIÇO
horas

80
ESPECÍFICO III REDES INDUSTRIAIS
horas

120
Tecnologias da Segurança da Inf ormação
horas

80
Projetos de Integração de Cy bersistemas para Automação
horas

120
Conectiv idade de Cy bersistemas para Automação
horas

60
Manutenção de Sistemas de Automação e TI
horas

100
Redes de Comunicação para IoT
horas

80
Projetos de Integração de Equipamentos e Dispositiv os
horas

80
Desenv olv imento de Interf ace de Usuário para IoT
horas

30
Manutenção de Redes de Comunicação
horas

PROJETO DE SISTEMAS ELETROPNEUMÁTICOS E 80


ELETROHIDRÁULICOS horas

80
CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS
horas

80
INTERFACES E SISTEMAS DE CONTROLE
horas
ESPECÍFICO IV
80
CÉLULAS ROBOTIZADAS
horas

80
IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS MECATRÔNICOS
horas

160
PROJETO DE SISTEMAS MECATRÔNICOS
horas

400 1300 1300 1240 1200 2400 2400


CH Total
horas horas horas horas horas horas horas
Qualif icações

INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Técnico em Internet das Coisas - IoT


Formação Inicial

Técnico em Cibersistemas para Automação

TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

TÉCNICO EM MECATRÔNICA

TECNÓLOGO EM MECATRÔNICA INDUSTRIAL

TECNÓLOGO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL


1. INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Identificação da ocupação

INSTRUMENTISTA
Ocupação CBO 3134
INDUSTRIAL

EDUCAÇÃO Educação Profissional Técnica


C.H MÍNIMA 400h
PROFISSIONAL de Nível Médio

NÍVEL DA EIXO Controle e Processos


2
QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICO Industriais

FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE
Automação INFORMÁTICA, PRODUTOS ELETRÔNICOS E
ÁREA SEGMENTO
e ÓPTICOS, FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS,
TECNOLÓGICA TECNOLÓGICO
Mecatrônica APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS E
FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Implementar e manter instrumentos de medição e controle de processos industriais,


COMPETÊNCIA
considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança
GERAL
e de meio ambiente

REQUISITOS
Ter, no mínimo, 16 anos completos
DE ACESSO

Relação das Unidades de Competência

Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais,


Unidade de Competência 1 considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e
segurança e de meio ambiente.

Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais,


Unidade de Competência 2 considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e
segurança e de meio ambiente.

2
Descrição das Unidades de Competência

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 1
Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Atendendo as condições ambientais e de segurança requeridas para a


operação
Instalar instrumentos de
Realizando as conexões e fixações nas condições estabelecidas no projeto
medição e controle.
Considerando as especificações técnicas do fabricante
Seguindo as especificações técnicas do projeto

Utilizando os softwares e dispositivos de parametrização aplicáveis ao


Parametrizar instrumentos
instrumento de medição e controle de processo
de medição e controle.
Considerando os dados do projeto

Gerando relatório de calibração conforme procedimento da empresa


Atendendo as condições de segurança requeridas para a operação
Comparando os sinais dos instrumentos com os padrões de referência
Calibrar instrumentos de validados e especificações do projeto
medição e controle. Aplicando os procedimentos técnicos e as normas pertinentes
Observando os padrões de referência indicados no projeto e/ou os valores
de referência validados
Aplicando princípios de metrologia

Documentando os resultados dos testes realizados em conformidade com


o sistema de qualidade da empresa
Comissionar instrumentos de Realizando os testes físicos aplicáveis aos instrumentos em questão com
medição e controle. referência nas especificações do projeto
Garantindo a comunicação entre os instrumentos constitutivos da malha de
controle nas condições estabelecidas no projeto

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 2
Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Documentando os resultados dos diagnósticos


realizados em conformidade com o sistema de
qualidade da empresa
Utilizando os softwares de supervisão e manutenção
aplicáveis à avaliação de processos e controle de
variáveis
Testando os instrumentos da malha a partir da
Realizar avaliações diagnósticas de instrumentos
simulação das variáveis
3
de medição e controle. Inspecionando as condições físicas e funcionais dos
instrumentos com base nas referências técnicas
pertinentes
Considerando o diagrama de interligação da malha
de controle
Fazendo, pela utilização de instrumentos específicos,
medições das grandezas físicas e elétricas

Documentando as ações de substituição realizadas


em conformidade com o sistema de gestão da
empresa
Atendendo as normas ambientais e de segurança
aplicáveis ao processo
Testando o equipamento com base nas
Substituir componentes de instrumentação.
especificações técnicas do componente e as
variáveis do processo
Seguindo os procedimentos técnicos e operacionais
indicados para a ação de substituição
Considerando as especificações técnicas do manual
do fabricante do instrumento a ser substituído

Documentando as ações de reparação realizadas em


conformidade com o sistema de gestão da
manutenção da empresa
Atendendo os requisitos ambientais e de segurança
aplicáveis à operação
Seguindo os procedimentos de reparação indicados
Reparar componentes básicos de circuitos para o processo
eletroeletrônicos, mecânicos e/ou pneumáticos de Testando o funcionamento do componente e do
medição e controle. circuito com base nas variáveis do processo
Considerando a natureza, características e
configuração do circuito a ser reparado
Considerando o diagrama do circuito a ser reparado
Considerando o tipo, as características e funções do
componente a ser reparado

4
Competências de Gestão

Adaptar-se permanentemente ás mudanças organizacionais.


Apresentar postura proativa e responsável, atualizando-se continuamente e adaptando-se, com criatividade e
senso crítico, às mudanças tecnológicas, organizativas, profissionais e socioculturais que impactam as suas
atividades.
Apresentar, no planejamento e desenvolvimento das atividades profissionais, uma postura de atenção,
disciplina, organização, comprometimento, precisão e zelo.
Atuar em equipes multidisciplinares de trabalho, comunicando-se profissionalmente, interagindo e
cooperando com os integrantes dos diferentes níveis hierárquicos da empresa.
Atuar profissionalmente, respeitando os princípios e procedimentos técnicos e de qualidade, de higiene,
saúde e segurança e de meio ambiente.
Desenvolver o trabalho em conformidade com as diretrizes e procedimentos da empresa, assegurando a
qualidade técnica de produtos e serviços
Ser ético na conduta pessoal e profissional.
Ser resiliente.
Tomar decisões no planejamento e na resolução de problemas relacionados às atividades sob sua
responsabilidade.

Contexto de Trabalho da Ocupação

Meios de Produção

Outros

Normas e procedimentos técnicos


Publicações do setor (livros técnicos, revistas técnicas, artigos técnicos, catálogos de produtos e serviços,
anais de congressos)
Legislações de direitos autorais, trabalhistas, ambiental, de saúde e segurança, etc

Máquinas e Equipamentos

Sensores e transdutores industriais


Placas de controle dedicadas
Computadores \ Dispositivos Móveis
Motores Elétricos
Calibradores
Instrumentos de medidas
Analisadores industriais
Programador dedicado para configuração de instrumentos
Equipamentos com segurança intrínseca
Válvulas de controle e de segurança
Posicionadores
Transmissores
Registradores
Controladores de processo
Controladores programáveis
Acionamento Eletrônico de Motores: Inversor de Frequência; Soft starter; Servoacionamento; Conversores
CA\CC;

Ferramentas e Instrumentos

Interface Homem Máquina – IHM


5
Sistema de aquisição de dados
Softwares supervisórios
Ferramentas manuais
Desenhos Técnicos e Fluxogramas

Materiais de Consumo

Condutores elétricos
Acessórios hidráulicos, pneumáticos, eletropneumáticos e eletrohidráulicos
Isolantes elétricos
Produtos de limpeza
Componentes elétricos e eletrônicos
Cablagem aplicada a sistemas de instrumentação

Métodos e Técnicas de Trabalho

Técnicas de Manutenção
Boletins / Relatórios técnicos
Catálogos e Manuais
Metodologias de diagnóstico
Normas Regulamentadoras - NRs
Normas técnicas nacionais (Normas Técnicas, de serviços e outras) e internacionais (ISO, DIN e outras)
Procedimentos de Segurança, Organização do Trabalho e Gestão Ambiental
Sistema de comunicação e informação
Sistemas de gestão da qualidade e produtividade
Técnicas de avaliação de resultados
Trabalho em equipe

Condições de Trabalho

Condições ambientais

Ambientes confinados
Ambientes com atmosferas explosivas
Ambientes com condições ergonômicas variadas
Ambientes com trabalho em altura
Ambientes com ruídos, umidade, variações térmicas, partículas em suspensão e substâncias tóxicas e
inflamáveis
Ambientes com iluminação e ventilação variados
Ambientes internos e externos, com vários postos de trabalho

Turnos e horários

Possibilidade de trabalho em turnos e jornadas extras ou flexíveis

Riscos profissionais

Riscos ergonômicos: posição ergonômica em relação à atividade a ser desenvolvida


Riscos biológicos: infecções externas (dermatites), infecções internas, exposição à poeira, vapores e gases,
animais peçonhentos
6
Riscos físicos: queda, choques, queimaduras, ruído, variações de temperatura, vibrações, elementos
cortantes e perfurantes.
Riscos químicos: exposição a óleos e produtos químicos

Equipamentos de Segurança

EPIs
EPCs

Posições no Processo Produtivo

Contexto Profissional

Ambientes de produção
Embarcações e Plataformas
Vendas e compras técnicas
Empresas de Engenharia
Indústrias em geral
Assistência técnica
Manutenção industrial
Trabalho autônomo
Empresas de pequeno, médio e grande porte, e microempresas
Laboratórios e plantas-piloto de pesquisa e desenvolvimento de sistemas de instrumentação

Contexto Funcional e Tecnológico

Em dependência hierárquica, com grau médio de responsabilidade e autonomia limitada no desempenho de


suas atividades
As atividades do profissional consistem, basicamente, em trabalhos de execução e que envolvem a utilização
de instrumentos, equipamentos, máquinas e técnicas específicas

Saída Intermediária para o Mercado de Trabalho

Vendedor Técnico
Instrumentista Industrial
Instrumentista Comercial
Representante Técnico

Evoluções da Ocupação

Adesão à produção com tecnologias limpas


Uso de novos materiais em geral
Normas para redação de relatórios técnicos
Normalização e padronização de projetos
IEEE (voltado à área de automação e mecatrônica)
IEC 11, IEC 31, IEC 61131-3
Normas Técnicas
Normas de gestão: ISO 9001; ISO 55000 (Gestão de Ativos)
Normas de segurança: OHSAS / ISO 18001: referente à Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional; NBR
Brigada de Incêndio; NR 17: referente à ergonomia; NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão e

7
Sistemas de Aterramento; NBR 5413: referente à iluminação, NR 12 – Segurança na Operação de Máquinas
e Equipamentos; NR 10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; NR 11 - Segurança na
Movimentação de Cargas; NR 20 – Líquidos e Combustíveis Inflamáveis; NR 33 – Espaços Confinados; NR6
– EPIs; NR 13 – Vasos de Pressão; NR 35 – Trabalho em Altura
Legislação Trabalhista (CLT): Legislação do aprendiz; Direitos e deveres pertinentes à função; Fim da
insalubridade; Contratação temporária; Terceirização de serviços
Uso de softwares e aplicativos
Desenvolvimento de qualidades pessoais (atitudes e comportamento)
Comunicação profissional, oral e escrita
Organização e métodos de trabalho
Novas tecnologias de acesso à informação
Atualizações relativas aos sistemas de gestão da qualidade, saúde, segurança e meio ambiente
Atualizações tecnológicas
Novas tecnologias e formas de interação homem x máquina
Novas tecnologias de sensoriamento
Novas tecnologias de automação e controle
Mudanças no Sistema da Qualidade
Formação para a competência
Exigências no atendimento às normas e regulamentações, especialmente as de segurança
Máquinas e equipamentos com tecnologia digital e virtual
Utilizar softwares e aplicativos específicos ou direcionados aos processos produtivos
Ter postura proativa
Tomar decisões no âmbito de suas responsabilidades
Autodesenvolvimento e atualização tecnológica
Meio ambiente: ISO 14000; ISO 14001; Certificação OHSAS / ISO 18001; Lei dos Resíduos Sólidos
12.305/2010. (Política Nacional dos Resíduos Sólidos)
Cumprir os aspectos ambientais, sociais e de segurança
Normas ISA - Normalização e padronização de projeto

Formação Profissional Relacionada à Ocupação

Aperfeiçoamentos nas tecnologias de automação


Cursos de graduação (Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Controle e Automação,
entre outros)
Técnico de Nível Médio em Automação
Técnico de Nível Médio em Mecatrônica
Tecnólogo em Automação
Tecnólogo em Mecatrônica

Indicação de Conhecimentos Referentes ao Perfil Profissional

Conhecimentos
Telemetria e tecnologias
de transmissão
Interligações elétricas e
pneumáticas
Parametrização de
instrumentos

8
Redes industriais
Desenho aplicado à
instrumentação
UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos Instalação de tubos,
industriais, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de conexões e válvulas
qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente. Variáveis industriais
Ferramentas, materiais e
equipamentos
Técnicas de controle
Processos industriais
Projeto de instrumentação
Elementos finais de
controle
Classes de instrumentos
Malhas de controle
Calibração de sistemas de
medição

Conhecimentos
Mecânica dos fluidos
Testes de funcionalidade
Instrumentos de medição e
controle
Sistemas e supervisão
Tipos de manutenção:
preventiva e preditiva
Malhas de controle
Saúde, segurança e meio
ambiente
Elementos primários de
nível, vazão, pressão e
UC2 : Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais,
temperatura
considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e
Documentação técnica
segurança e de meio ambiente.
Simbologia aplicada à
instrumentação
Procedimentos de
substituição de
componentes
Estatística aplicada à
metrologia
Reparação de circuitos
elétricos, eletrônicos,
mecânicos e pneumáticos
Testes: a quente, a frio, em
bancada; de malha
Confiabilidade metrológica

Identificação das Ocupações Intermediárias

OCUPAÇÃO INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

9
CBO 741105

Competência Geral:

Realizar a instrumentação do controle de processos de automação e, também, a sua manutenção, atendendo


aos requisitos técnicos, de qualidade, de saúde, higiene e segurança, e de meio ambiente.

10
Desenho curricular
Resumo da Organização Curricular

Carga Horária
Módulos Unidades Curriculares Carga Horária
do Módulo

MECANICA APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO 60 h

COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA À


40 h
INTRODUTÓRIO INSTRUMENTAÇÃO 140 h

ELETRICIDADE APLICADA À
40 h
INSTRUMENTAÇÃO

PARAMETRIZAÇÃO E CALIBRAÇÃO DE
60 h
INSTURMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE

MANUTENÇÃO DE INSTRUMENTOS DE
40 h
MEDIÇÃO E CONTROLE
ESPECÍFICO 260 h
INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO
120 h
E CONTROLE

COMISSIONAMENTO DE INSTRUMENTOS DE
40 h
MEDIÇÃO E CONTROLE

TOTAL 400h

11
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: MECANICA APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.
UC2 : Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais, considerando as normas, padrões
e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Instrumentalizar o aluno para o atendimento de necessidades específicas que impactam a
compreensão e a utilização de técnicas relacionadas à mecânica aplicada à instrumentação, com vistas ao
desenvolvimento das capacidades técnicas específicas que caracterizam a atuação do profissional da área

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. METROLOGIA


1.1 Medidas de comprimento: Unidade
fundamental, múltiplos e submúltiplos,
Fundamentos Técnicos Científicos
Conversão de unidades, Polegada, Conversão
de milímetros em polegadas; *(Frações,
Reconhecer diferentes tipos, características e Números Decimais, Potência de 10; Média
finalidades de ferramentas manuais Aritmética; Média Ponderada; Medidas de
Reconhecer as unidades de medida Dispersão)
aplicáveis à mecânica assim como as suas 1.2 Medidas de massa: Unidade fundamental,
formas de conversão múltiplos e submúltiplo, Operações
Reconhecer os diferentes tipos de 1.3 Instrumentos de Medição dimensional:
instrumentos utilizados na medição de paquímetro e micrometro
grandezas mecânicas, suas características, 2. ELEMENTOS HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS
formas de uso e finalidades DA INSTRUMENTAÇÃO
Interpretar resultados de medições de 2.1 Tipos: cilindros; válvulas; reguladores;
grandezas mecânicas tubos, mangueiras e conexões
Reconhecer diferentes tipos de componentes 2.2 Características
empregados em sistemas hidráulicos e 2.3 Aplicações
pneumáticos 3. FERRAMENTAS MANUAIS EMPREGADOS NA
Reconhecer tipos, características e funções INSTRUMENTAÇÃO
de elementos de fixação (parafusos, porcas, 3.1 Tipos
arruelas, ...) 3.2 Características
Definir soluções matemáticas para diferentes 3.3 Aplicações
tipos de problemas relacionados à mecânica 3.4 Técnicas e recomendações de uso e
aplicada a sistemas de instrumentação conservação
4. ELEMENTOS DE FIXAÇÃO
4.1 Tipos, características e aplicações:
Capacidades Sociais, Organizativas e Rebites, Porcas, parafusos e arruelas, Anel
Metodológicas elástico, Pinos, Chavetas
12
5. CONCEITOS DE ORGANIZAÇÃO E DISCIPLINA
Capacidades Metodológicas NAS ROTINAS E COMPROMISSOS
5.1 Organização do tempo
Reconhecer o conceito e a importância da
5.2 Organização de compromisso
qualidade nas rotinas de trabalho
5.3 Organização de atividades
Reconhecer a iniciativa como característica
5.4 Administração de finanças pessoais
fundamental e requisito de um bom
6. PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E
profissional
CONTROLE NO TRABALHO
Reconhecer a pesquisa como fonte de
7. QUALIDADE
inovação e formação de um espírito
7.1 Conceito
empreendedor
7.2 Aplicação
Capacidades Sociais 7.3 Eficiência, Eficácia e Melhoria Contínua
8. FERRAMENTAS DA QUALIDADE
Demonstrar espírito colaborativo em 8.1 5s
atividades coletivas 8.2 PDCA
Demonstrar atitudes éticas no 8.3 MASP
comportamento e nas relações 8.4 Fluxograma
interpessoais 8.5 Histograma
8.6 Brainstorming
Capacidades Organizativas
8.7 Ishikawa
Reconhecer situações de risco à saúde e
segurança do trabalhador e as diferentes
formas de proteção a esses riscos
Aplicar os princípios de organização nas
rotinas de trabalho e nos compromissos
pessoais

13
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Laboratório de Pneumática
Ambientes Pedagógicos Laboratório de Hidráulica
Laboratório de informática
Sala de aula

Paquímetro
Micrômetro
Ferramentas manuais
Máquinas, Equipamentos, Instrumentos e
Kit multimídia (projetor, tela, computador)
Ferramentas
Conjunto de Bloco Padrão
Réguas Graduadas
Kit de pneumática e hidráulica

Manuais e literaturas técnicas


EPIs e EPCs
Recursos didáticos
Produtos para limpeza (vaselina lubrificante para
instrumentos)

14
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO

Carga Horária: 40h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.
UC2 : Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais, considerando as normas, padrões
e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento dos fundamentos técnicos e das capacidades sociais,
organizativas e metodológicas relacionadas à comunicação oral e escrita e à utilização de recursos
computacionais na elaboração de textos, planilhas, apresentações e pesquisas de forma a potencializar as
condições do aluno para o posterior desenvolvimento das capacidades técnicas específicas que caracterizam a
atuação do profissional

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA


1.1 Elementos de comunicação:
emissor, mensagem, receptor e
Fundamentos Técnicos Científicos
canal
1.2 Leitura e interpretação de textos
Pesquisar dados e informações em sites de busca técnicos
Identificar dados e informações em tabelas, textos, 1.3 Estrutura de frases e parágrafos
fluxogramas, manuais e normas técnicas aplicáveis à 1.4 Técnicas de resumo
instrumentação 1.5 Relatório
Reconhecer os requisitos de uso dos softwares e 1.6 Gramática aplicada ao texto
aplicativos básicos dedicados à elaboração de 1.7 Técnicas de argumentação
diferentes tipos de documentos técnicos 2. PESQUISA
Aplicar a terminologia técnica e os princípios e normas 2.1 Tipos de pesquisa:
da linguagem culta na comunicação oral e escrita, bibliográfica; pesquisa em
considerando, especialmente, os requisitos da coesão e publicações eletrônicas; pesquisa
da coerência de campo
2.2 Apresentação de resultados de
pesquisas: Tema; Objetivo; Método;
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas Análise das informações; Síntese
das informações; Citações
Capacidades Metodológicas 2.3 Bibliografias confiáveis e não
confiáveis
Reconhecer o conceito e a importância da qualidade
3. EDITOR DE TEXTOS
nas rotinas de trabalho
3.1 Tipos
Reconhecer a iniciativa como característica
3.2 Formatação
fundamental e requisito de um bom profissional
3.3 Configuração de páginas
Reconhecer a pesquisa como fonte de inovação e
3.4 Importação de figuras e objetos
15
formação de um espírito empreendedor 3.5 Arquivamentos
3.6 Controles de exibição
Capacidades Sociais
3.7 Correção ortográfica e
Demonstrar espírito colaborativo em atividades dicionário
coletivas 3.8 Quebra de páginas
Demonstrar atitudes éticas no comportamento e nas 3.9 Recuos, tabulação, parágrafos,
relações interpessoais espaçamentos e margens
3.10 Marcadores e numeradores
Capacidades Organizativas 3.11 Bordas e sombreamento
3.12 Colunas
Reconhecer situações de risco à saúde e segurança do
4. PLANILHAS ELETRÔNICAS
trabalhador e as diferentes formas de proteção a esses
4.1 Funções/finalidades
riscos
4.2 Linhas, colunas e endereços de
Aplicar os princípios de organização nas rotinas de
células
trabalho e nos compromissos pessoais
4.3 Formatação de células
4.4 Configuração de páginas
4.5 Inserção de Fórmulas
4.6 Elaboração de gráficos
4.7 Classificação e filtro de dados
5. INTERNET
5.1 Normas de uso
5.2 Navegadores
5.3 Sites de busca
5.4 Download e gravação de
arquivos
5.5 Correio eletrônico
5.6 Direitos autorais (citação de
fontes de consulta)
6. ÉTICA
6.1 Código de conduta
6.2 Respeito às individualidades
pessoais
6.3 Ética nas relações
interpessoais
6.4 Ética no desenvolvimento de
atividades do cotidiano
7. HABILIDADES BÁSICAS DO
RELACIONAMENTO INTERPESSOAL
7.1 Respeito
7.2 Cordialidade
7.3 Disciplina
7.4 Empatia
7.5 Responsabilidade
7.6 Comunicação
7.7 Cooperação
8. TRABALHO EM EQUIPE
8.1 Conceito de grupo e equipe
8.2 O desafio do trabalho em
equipe
8.3 O relacionamento com os
colegas de equipe
8.4 Responsabilidades individuais

16
e coletivas
8.5 Cooperação
8.6 Divisão de papéis e
responsabilidades
8.7 Compromisso com objetivos e
metas
8.8 Relação com o líder
9. INICIATIVA
9.1 Conceito
9.2 Importância, valor
9.3 Formas de demonstrar iniciativa
9.4 Consequências favoráveis e
desfavoráveis
10. PESQUISA
10.1 Tipos: bibliográfica, de campo,
laboratorial, acadêmica
10.2 Características
10.3 Métodos
10.4 Fontes
10.5 Estruturação

17
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Laboratório de informática

Revistas
Normas
Material Didático Livros
Catálogos
Manuais

Computadores com acesso a internet (e com software de editor de


Máquinas, Equipamentos,
texto, planilha eletrônica, editor de apresentações)
Instrumentos e Ferramentas
Kit multimídia (projetor, tela, computador)

18
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: ELETRICIDADE APLICADA À INSTRUMENTAÇÃO

Carga Horária: 40h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.
UC2 : Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais, considerando as normas, padrões
e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Desenvolver os fundamentos técnicos relacionados à eletricidade, de forma a instrumentalizar


o aluno a estabelecer as bases para a atuação na medição e controle em processos industrias

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. ELETRICIDADE BÁSICA


1.1 Eletrostática
1.2 Grandezas elétricas *(Potência de
Fundamentos Técnicos Científicos
base dez, números fracionários e
decimais, múltiplos e submúltiplos,
Reconhecer as unidades de medida aplicáveis à conversão de base numérica)
elétrica, assim como as suas formas de conversão 1.3 Fontes de energia
Reconhecer os diferentes tipos de instrumentos 1.4 Instrumentos de medidas
utilizados na medição de grandezas elétricas, suas 1.5 Lei de Ohm *(Função Linear, Funções
características, formas de uso e finalidades Trigonométricas)
Interpretar resultados de medições de grandezas 1.6 Associação dos resistores
elétricas com referência em padrões pré- 1.7 Leis de Kirchhof *(Sistemas Lineares)
estabelecidos 1.8 Potência e energia elétrica *(Funções
Reconhecer diferentes tipos, características e do 1º e do 2º Grau)
funções dos componentes eletroeletrônicos 2. ELETRÔNICA APLICADA À
Definir soluções matemáticas para diferentes tipos INSTRUMENTAÇÃO (BÁSICA)
de problemas relacionados à eletroeletrônica 2.1 Diodos
aplicada a sistemas de instrumentação 2.2 Capacitores
2.3 Transistores

Capacidades Sociais, Organizativas e 2.4 Amplificadores


Metodológicas 2.5 Fontes de Alimentação
3. ORGANIZAÇÃO DE AMBIENTES DE
TRABALHO
Capacidades Metodológicas
3.1 Princípios de organização
Reconhecer o conceito e a importância da 3.2 Organização de ferramentas e
qualidade nas rotinas de trabalho instrumentos: formas, importância
Reconhecer a iniciativa como característica 3.3 Organização do espaço de trabalho
fundamental e requisito de um bom profissional 4. SEGURANÇA NO TRABALHO
Reconhecer a pesquisa como fonte de inovação 4.1 Acidentes de trabalho: conceitos, tipos
e formação de um espírito empreendedor e características
19
Capacidades Sociais 4.2 Agentes agressores à saúde: riscos
físicos, químicos e biológicos
Demonstrar espírito colaborativo em atividades 4.3 Equipamentos de proteção individual
coletivas e coletiva: tipos e funções
Demonstrar atitudes éticas no comportamento e 4.4 Mapa de riscos (Finalidades)
nas relações interpessoais 4.5 Inspeções de segurança
4.6 Sinalizações de segurança
Capacidades Organizativas
4.7 Prevenção e combate a incêndio:
Reconhecer situações de risco à saúde e Conceito e importância de PPCI
segurança do trabalhador e as diferentes formas 4.8 CIPA
de proteção a esses riscos
Aplicar os princípios de organização nas rotinas
de trabalho e nos compromissos pessoais

20
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Ambientes Pedagógicos Laboratório de eletroeletrônica
Sala de aula

Máquinas, Equipamentos, Instrumentos


Kit multimídia (projetor, tela, computador)
e Ferramentas

Gerador de sinais
Transformador
Equipamentos, Ferramentas e
Instrumentos de medições elétricas (multímetro, voltímetro,
Instrumentos
amperímetro, osciloscópio)
Fonte simétrica

Manuais
Produtos para limpeza
EPIs
Resistores
Capacitores
Condutores elétricos
Diodos
Transistores
Recursos didáticos
Protoboard
Pushbutton
Sugador de solda
Ferro de solda
Potenciômetro
Estanho para solda
Placa universal
Literaturas técnicas

21
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: PARAMETRIZAÇÃO E CALIBRAÇÃO DE INSTURMENTOS DE MEDIÇÃO E


CONTROLE

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Desenvolver as capacidades técnicas, sociais, organizativas e metodológicas requeridas para
a realização da parametrização e calibração de instrumentos de medição e controle e automação,
considerando requisitos técnicos, de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .1 Instalar 1.1 .1 Atendendo as - Interpretar os procedimentos que


instrumentos condições 1. VARIÁVEIS
estabelecem as condições ambientais
de medição e ambientais e de INDUSTRIAIS
e de segurança a serem atendidas
controle. segurança 1.1 Nível
nas etapas e operações de calibração
requeridas para a 1.2 Pressão
de instrumentos de medição e controle
operação 1.3 Temperatura
1.4 Vazão
2. INSTRUMENTOS
1 .2 1.2 .1 Utilizando os DA MALHA DE
- Reconhecer as características
Parametrizar softwares e CONTROLE
essenciais, as funções e os requisitos
instrumentos dispositivos de 2.1 Sensor
de uso/operação dos softwares e
de medição e parametrização 2.2 Transmissor
dispositivos dedicados à
controle. aplicáveis ao 2.3 Controlador
parametrização de instrumentos de
instrumento de 2.4 Válvula de
medição e controle
medição e controle Controle
de processo 3. DOCUMENTAÇÃO
DE PROJETO DE
1.2 .2 Considerando INSTRUMENTAÇÃO
- Identificar, no projeto, os dados
os dados do projeto 3.1 Identificação
técnicos das variáveis a serem
das variáveis
consideradas no processo de
3.2 Ordem de
parametrização dos instrumentos de
Serviço; Manual;
medição e controle
Catálogo;
- Selecionar os instrumentos de Procedimento;
medição e controle com referência no Norma; Projeto
tipo e nas características das variáveis 3.3
industriais a serem controladas Características
3.4 Finalidades /
Aplicações
3.5 Importância
1 .3 Calibrar 1.3 .1 Gerando 4. CONTEXTOS DE
- Interpretar os procedimentos da
22
instrumentos relatório de empresa quanto aos requisitos a APLICAÇÃO DAS
de medição e calibração conforme serem atendidos na geração dos VARIÁVEIS DE
controle. procedimento da relatórios referentes aos processos de PROCESSO NA
empresa calibração de instrumentos de CALIBRAÇÃO
medição e controle 5. PADRÕES E
FAIXA DE
TOLERÂNCIA
5.1
1.3 .2 Comparando - Reconhecer as tolerâncias admitidas Rastreabilidade
os sinais dos para cada tipo de variável medida de padrões
instrumentos com os 5.2 Seleção de
padrões de - Correlacionar os valores medidos padrão
referência validados pelos instrumentos com os padrões adequado
e especificações do validados pelos órgãos acreditados 5.3 Faixa de
projeto tolerância
- Reconhecer as características,
6. INCERTEZAS DA
funcionamento e funções dos
MEDIÇÃO
equipamentos a serem calibrados e
6.1 Função e
dos padrões
distribuição de
- Identificar, no projeto e manual do probabilidade
fabricante, os valores de referência a 6.2 Média
serem considerados na medição do aritmética
sinal do transdutor 6.3 Medidas de
dispersão
6.4 Distribuição
de
1.3 .3 Aplicando os - Identificar, nos procedimentos da probabilidades
procedimentos qualidade da empresa, as referências usuais na
técnicos e as normas relativas à periodicidade e as faixas metrologia
pertinentes de ajuste máximas e mínimas a serem 6.5 Incertezas
consideradas na calibração do de medição
instrumento 7.
PARAMETRIZAÇÃO
- Interpretar os procedimentos DE INSTRUMENTOS
técnicos aplicáveis à calibração 7.1 Parâmetros
quanto aos ferramentais a serem de configuração
utilizados, as referências normativas 7.2 Estrutura de
envolvidas e o fluxo de processo a ser hardware
observado 7.3
Programação
- Reconhecer o método de ensaio a
8. CALIBRAÇÃO DE
ser considerado no processo de
SISTEMAS DE
calibração do instrumento de medição
MEDIÇÃO
e controle (manuseio do equipamento,
8.1 Manual do
ligações, especificações técnicas dos
fabricante
equipamentos, valores de referência,
8.2 Operações
...)
básicas para
qualificação de
sistemas de
medição
1.3 .4 Observando os - Avaliar, com base nos valores de 8.3 Operações
padrões de referência, as distorções de medição de Calibração
referência indicados e controle apresentados pelo
23
no projeto e/ou os instrumento, tendo em vista a sua 8.4 Ajuste
valores de referência calibração 8.5 Regulagem
validados 8.6 Verificação
- Identificar, no projeto e/ou nos dos processos
valores de referência indicados no de calibração
documento de validação, as variáveis 8.7 Destino dos
de processo a serem consideradas na resultados de
calibração dos instrumentos de uma calibração
medição e controle 8.8 Métodos de
calibração:
direta e indireta
8.9 Padrões
1.3 .5 Aplicando - Reconhecer os princípios da para calibração
princípios de metrologia aplicáveis à calibração de (valores de
metrologia instrumentos de medição e controle referência)
8.10
Procedimentos
gerais de
Fundamentos Técnicos Científicos
calibração: tipos
e características
8.11 Método
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas básico de
medição
8.12 Faixa de
indicação (FI) e
medição (FM)
9. NORMAS
APLICADAS À
CALIBRAÇÃO
10. QUALIDADE E
MEIO AMBIENTE
10.1 Agentes
agressores à
saúde
10.2 Destinação
de Resíduos
10.3 Coleta
Seletiva
10.4
Campanhas de
Conscientização
10.5 Qualidade
Ambiental
10.6
Reciclagem dos
resíduos
10.7 Norma ISO
14000
10.8 Conceito
Geral
10.9 Aplicação
11. FERRAMENTAS

24
APLICADAS À
CALIBRAÇÃO
11.1 Tipos
11.2
Características
11.3 Aplicações
12. INSTRUMENTOS
PARA MEDIÇÃO DE
GRANDEZAS
ELÉTRICAS
APLICADAS À
INSTRUMENTAÇÃO
12.1 Tipos
12.2
Características
12.3 Aplicações
13. SEGURANÇA
13.1
Procedimentos
13.2 Normas
13.3 Riscos
ocupacionais na
manutenção
13.4 Acidentes
de trabalho
13.5 Medidas
de proteção
13.6 Utilização
de
equipamentos
de proteção
individual
13.7 Utilização
de
equipamentos
de proteção
coletiva
13.8 Controle e
conservação
dos
equipamentos
14. ORGANIZAÇÃO
EMPRESARIAL
14.1 Estruturas
hierárquicas
14.2 Sistemas
administrativos
14.3 Controle de
atividades

25
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Laboratório de informática com acesso à
Ambientes Pedagógicos internet
Sala de aula
Laboratório de instrumentação

Catálogos e Manuais
Literatura técnica
Material Didático Produtos para limpeza
EPIs e EPCs
Normas

Ferramentas manuais
Materiais de consumo
Banho térmico
Termômetros
Termopar
Pt100
Manômetro
Vacuômetro
Transdutor de pressão
Célula de carga
Máquinas, Equipamentos, Instrumentos e
Temporizador
Ferramentas
Analisador de Sinais
Multímetro
Osciloscópio
Calibradores
Configurador de instrumentos
Bancada de instrumentação
Planta de instrumentação
Chave magnética
Transmissores
Sensores industrias

26
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: MANUTENÇÃO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE

Carga Horária: 40h

Unidades de Competência:

UC2 : Manter instrumentos de medição e controle de processos industriais, considerando as normas, padrões
e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento das capacidades técnicas, sociais, organizativas e


metodológicas requeridas para a realização de serviços de manutenção de instrumentos de medição e
controle, segundo critérios, normas e procedimentos técnicos, de saúde e segurança e de meio ambiente

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

2 .1 Realizar 2.1 .1 - Interpretar os


avaliações Documentando 1. SIMBOLOGIA APLICADA
procedimentos da empresa
diagnósticas de os resultados dos À INSTRUMENTAÇÃO
quanto aos requisitos a
instrumentos de diagnósticos 1.1 Diagramas elétricos
serem atendidos na geração
medição e realizados em 1.2 Diagramas
dos relatórios de avaliações
controle. conformidade Pneumáticos
diagnósticas de instrumentos
com o sistema de de medição e controle 1.3 Plantas de
qualidade da tubulações
empresa 1.4 Fluxogramas de
Instrumentação
2.1 .2 Utilizando 2. MECÂNICA DOS
- Avaliar a criticidade das
os softwares de FLUIDOS (NOÇÕES)
sinalizações e/ou alarmes
supervisão e 2.1 Propriedades
dos eventos, tendo em vista
manutenção gerais dos fluidos
a definição das prioridades
aplicáveis à 2.2 Diferença entre
e/ou sequenciamento das
avaliação de líquidos e gases
intervenções corretivas
processos e 2.3 Variação do líquido
controle de - Interpretar as sinalizações com a temperatura
variáveis e/ou alarmes dos eventos 2.4 Pressão dos fluidos
nas telas do software de 2.5 Hidrodinâmica
supervisão 2.6 Hidrostática
3. FUNCIONAMENTO DE
- Reconhecer as ferramentas INSTRUMENTOS DE
do software de avaliação de MEDIÇÃO E
processos e controle de PARAMETRIZAÇÃO
variáveis que se aplicam à (NOÇÕES)
análise diagnóstica de 3.1 Nível
instrumentos de medição e 3.2 Pressão
controle 3.3 Temperatura
3.4 Vazão
4. ELEMENTOS PRIMÁRIOS
DE
27
2.1 .3 Testando - Selecionar, com base nas 4.1 Nível
os instrumentos características do 4.2 Pressão
da malha a partir instrumento de medição e 4.3 Temperatura
da simulação das controle, o método mais 4.4 Vazão
variáveis indicado para a realização 5. MALHA DE CONTROLE
de teste das variáveis 5.1 Conceito
5.2 Malha aberta
- Reconhecer os processos 5.3 Malha fechada
de simulação de grandezas 5.4 Simulação de
físicas em avaliações controle de processos
diagnósticas de instrumentos 6. ELEMENTOS FINAIS DE
de medição e controle CONTROLE
6.1 Definição
- Avaliar, com base nos
6.2 Tipos de Válvulas
parâmetros de validação, a
6.3 Partes da Válvulas:
resposta do instrumento de
Corpo, Castelo e
medição e controle aos
Atuador
sinais gerados nas
6.4 Aplicação de
simulações
Válvulas
6.5 Acessórios
7. SISTEMA DE
2.1 .4 SUPERVISÃO – PARA
- Avaliar as condições físicas
Inspecionando as SIMULAÇÃO DE VARIÁVEIS
dos instrumentos de medição
condições físicas 7.1 Funções básicas
e controle, considerando
e funcionais dos dos sistemas de
desgastes mecânicos,
instrumentos com supervisão e IHM
corrosões, conexões
base nas 7.2 Aquisição de dados
elétricas e mecânicas
referências 7.3 Telas de alarme e
técnicas - Avaliar as condições tendências
pertinentes funcionais dos instrumentos 8. TESTE DE
de medição e controle, FUNCIONALIDADE
considerando calibrações, 8.1 Métodos
falhas de comunicação, 8.2 Procedimentos
interferências 8.3 Instrumentos de
eletromagnéticas, teste
aquecimento 9. MANUTENÇÃO
9.1 Manutenção
corretiva: conceito,
procedimentos,
aplicações
9.2 Manutenção
2.1 .5 - Interpretar o fluxograma de preventiva: conceito,
Considerando o funcionamento da malha de procedimentos,
diagrama de controle aplicações
interligação da
9.3 Manutenção
malha de controle - Identificar o diagrama de
preditiva: conceito,
interligação entre os
procedimentos,
instrumentos que constituem
aplicações
a malha de controle
9.4 Procedimentos de
substituição de
componentes
2.1 .6 Fazendo, 9.4.1

28
pela utilização de - Interpretar resultados de Recomendações
instrumentos medições de grandezas do fabricante
específicos, físicas e elétricas 9.4.2
medições das Procedimentos
grandezas físicas - Reconhecer os diferentes operacionais
e elétricas tipos de instrumentos 9.4.3 Técnicas de
utilizados na medição de ajuste
grandezas físicas e elétricas, 9.5 Reparação de
suas características, formas circuitos básicos
de uso e finalidades. (UC - 9.5.1 Elétricos
Eletricidade Aplicada a 9.5.2 Eletrônicos
Instrumentação (matemática, 9.5.3 Mecânicos
eletricidade, eletrônica) 9.5.4
Pneumáticos
2 .2 Substituir 2.2 .1 9.6 Ferramentas
- Interpretar os
componentes de Documentando manuais
procedimentos da empresa
instrumentação. as ações de 10. DOCUMENTAÇÃO
quanto aos requisitos a
substituição TÉCNICA
serem atendidos na geração
realizadas em 10.1 Relatórios de
dos relatórios referentes aos
conformidade manutenção
processos de substituição
com o sistema de dos instrumentos de medição 10.2 Composição de
gestão da históricos de
e controle
empresa manutenção
10.3 Sistema de
registro
11. TESTES
2.2 .2 Atendendo - Interpretar os 11.1 Testes a Quente
as normas procedimentos que 11.2 Testes a frio
ambientais e de estabelecem as condições 11.3 Teste em bancada
segurança ambientais e de segurança a 11.4 Testes de malha
aplicáveis ao serem atendidas nas etapas (loop Check)
processo e operações de substituição 12. CONFIABILIDADE
de instrumentos de medição METROLÓGICA
e controle 12.1 Erros
12.2 Erros sistemáticos
12.3 Erros aleatórios ou
acidentais
2.2 .3 Testando o - Reconhecer os diferentes 12.4 Precisão e
equipamento com tipos de testes físicos exatidão
base nas aplicáveis ao funcionamento 13. ESTATÍSTICA
especificações de instrumentos de medição APLICADA À METROLOGIA
técnicas do e controle 13.1 Conceitos básicos
componente e as
13.2 Caracterização da
variáveis do - Avaliar a compatibilidade
amostra
processo dos resultados dos testes e
13.3 Média
da eficácia da comunicação
13.4 Medida de
entre os instrumentos que
dispersão
compõem a malha de
13.5 Variância da
controle com referência nos
amostra
requisitos do projeto
14. DISSEMINAÇÃO DE
INFORMAÇÃO TÉCNICA
PARA O CLIENTE
15. QUALIDADE
29
2.2 .4 Seguindo - Organizar os componentes 15.1 Aplicação de
os procedimentos a serem substituídos, as Ferramentas da
técnicos e ferramentas, instrumentos e Qualidade na
operacionais acessórios em conformidade Manutenção: ciclo
indicados para a com a lógica de processo a PDCA; 5W2H; GUT
ação de ser executada 15.2 Plano de ação
substituição 16. SEGURANÇA
- Selecionar as ferramentas,
16.1 Riscos
instrumentos e acessórios
ocupacionais na
em conformidade com as
manutenção
características técnicas do
16.2 Acidentes de
componente a ser substituído
trabalho
16.3 Medidas de
proteção
2.2 .5 - Interpretar as 16.3.1 Utilização
Considerando as especificações e de equipamentos
especificações informações técnicas do de proteção
técnicas do manual do fabricante do individual
manual do instrumento como referência 16.3.2 Utilização
fabricante do para a substituição de de equipamentos
instrumento a ser componentes de proteção
substituído coletiva
16.4 Controle e
conservação dos
2 .3 Reparar 2.3 .1 - Interpretar os equipamentos
componentes Documentando 17. MEIO AMBIENTE
procedimentos da empresa
básicos de as ações de quanto aos requisitos a 17.1 Consumo
circuitos reparação serem atendidos na geração consciente
eletroeletrônicos, realizadas em dos relatórios referentes aos 17.2 Descarte de
mecânicos e/ou conformidade processos de reparação de resíduos da
pneumáticos de com o sistema de instrumentos de medição e manutenção: impactos
medição e gestão da controle ambientais
controle. manutenção da 18. SAÚDE, SEGURANÇA
empresa NO TRABALHO E MEIO
AMBIENTE
2.3 .2 Atendendo 18.1 Normas e
- Interpretar os
os requisitos Procedimentos de
procedimentos que
ambientais e de segurança no trabalho
estabelecem as condições
segurança 18.2 Saúde ocupacional
ambientais e de segurança a
aplicáveis à 18.3
serem atendidas nas etapas
operação Responsabilidades
e operações de reparação
socioambientais
de instrumentos de medição
19. VIRTUDES
e controle
PROFISSIONAIS -
CONCEITOS E VALOR
19.1 Responsabilidade
2.3 .3 Seguindo 19.2 Iniciativa
- Interpretar as normas
os procedimentos 19.3 Honestidade
técnicas, os procedimentos
de reparação 19.4 Sigilo
operacionais e
indicados para o 19.5 Prudência
recomendações do
processo 19.6 Perseverança
fabricante aplicáveis ao
19.7 Imparcialidade
circuito a ser reparado
30
- Selecionar os 20. A RELAÇÃO COM O
componentes, as LÍDER
ferramentas, instrumentos, 20.1 Estilos de
acessórios e materiais de liderança: democrático,
consumo a serem utilizados centralizador, autoritário
com base na natureza do e liberal
reparo a ser realizado 20.2 Papéis do líder
20.3 Como apresentar
críticas e sugestões ao
líder
2.3 .4 Testando o 21. TRABALHO E
- Reconhecer os diferentes
funcionamento do PROFISSIONALISMO
tipos de testes físicos
componente e do 21.1 Administração do
aplicáveis ao funcionamento
circuito com base tempo
de componentes e circuitos
nas variáveis do 21.2 Autonomia e
de sistemas de medição e
processo iniciativa
controle
21.3 Assertividade no
- Avaliar as interferências trabalho: eficiência e
geradas pelo reparo no eficácia no trabalho;
próprio circuito, tendo vista a produtividade; impacto
realização de adequações e do seu trabalho nos
ajustes, se necessário resultados da empresa
22. DESENVOLVIMENTO
PROFISSIONAL
22.1 Planejamento
2.3 .5 - Identificar os pontos de Profissional: ascensão
Considerando a reparo com base na medição profissional, formação
natureza, das variáveis elétricas e/ou profissional,
características e mecânicas, conforme o caso investimento
configuração do educacional
circuito a ser - Distinguir as características 22.2 Empregabilidade
reparado e finalidades dos diferentes 22.3
tipos de circuitos utilizados Autoempreendedorismo
em instrumentos de medição 23. VISÃO SISTÊMICA
e controle 23.1 Conceito
23.2 Pensamento
sistêmico
23.3 Resultados da
2.3 .6 - Interpretar o diagrama do empresa (saúde
Considerando o
circuito, considerando seus empresarial)
diagrama do componentes constitutivos e
circuito a ser sua lógica de funcionamento
reparado

2.3 .7 - Interpretar as
Considerando o especificações e
tipo, as informações técnicas
características e contidas nos manuais dos
funções do fabricantes como referência
componente a ser para a reparação de
reparado componentes de sistemas de
medição e controle
31
- Reconhecer os diferentes
tipos, características e
funções dos componentes
eletroeletrônicos, mecânicos,
pneumáticos e hidráulicos
empregados em sistemas de
medição e controle

Fundamentos Técnicos Científicos

Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas

32
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Laboratório de instrumentação e controle
Ambientes Pedagógicos
Biblioteca
Laboratório de informática com acesso à internet

Normas
Material Didático Literatura Técnica
Catálogos e Manuais

Osciloscópio
Chaves elétricas
Transmissores
Válvulas Fonte CC
Kit estação de solda
Ferramentas manuais
Máquinas, Equipamentos, Instrumentos e Multímetro
Ferramentas Sistema Supervisório com conexão a IHM e CLP
Configurador portátil para programação de
instrumentos
Planta Didática de Instrumentação
Sensores
Transdutores
Gerador de sinais

Produtos para limpeza


Recursos didáticos EPIs e EPCs
Ar comprimido

33
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: INSTALAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE

Carga Horária: 120h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento dos fundamentos técnicos e científicos e das capacidades
técnicas, sociais, organizativas e metodológicas requeridas para a execução dos serviços de instalação de
instrumentos de medição e controle em sistemas de automação, segundo critérios, normas e procedimentos
técnicos, de saúde e segurança e de meio ambiente

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .1 Instalar 1.1 .1 - Avaliar o contexto e as condições de


instrumentos Atendendo as 1. PROCESSOS
segurança na instalação do sistema de
de medição e condições INDUSTRIAIS
medição e controle em questão
controle. ambientais e 1.1 Tecnologia de
de segurança - Interpretar os procedimentos de funcionamento de
requeridas segurança aplicáveis às diferentes processos
para a operações na instalação de instrumentos industriais:
operação de medição e controle química e
petroquímica,
- Reconhecer os diferentes tipos de celulose e papel,
resíduos gerados em processos de tratamento de
instalação de instrumentos de medição e água e esgoto
controle, assim como os procedimentos a 1.2 Equipamentos
serem observados na segregação e Industriais:
destinação dos mesmos Tubulações e
acessório;
Bomba:
compressor;
1.1 .2 - Reconhecer as especificidades do forno; caldeira;
Realizando as contexto que impactam a instalação dos trocador de calor;
conexões e instrumentos de medição e controle reator;
fixações nas
fluxogramas de
condições - Interpretar a documentação técnica que
processo
estabelecidas constitui o projeto quanto aos requisitos a
2. CONCEITOS
no projeto serem considerados e atendidos na
BÁSICOS DE
realização das conexões e fixações
INSTRUMENTAÇÃO
requeridas na instalação
PARA CONTROLE
- Selecionar as ferramentas e materiais 2.1 Malha aberta
para a realização das conexões e fixações 2.2 Malha fechada
com referência nas especificações do 3. CLASSES DOS
projeto (mecânica) INSTRUMENTOS
34
- Reconhecer tipos, características e 3.1 Sensor;
funções dos elementos constitutivos de Transmissor;
instalações de comunicação entre Registrador;
instrumentos de medição e controle Indicador
3.2 Controlador
3.3 Elementos
Finais de Controle
3.4 Conversor
3.5 Transdutor
1.1 .3 4. CARACTERÍSTICAS
- Interpretar o manual do fabricante quanto
Considerando GERAIS DOS
às características técnicas dos elementos
as INSTRUMENTOS
de conexão (mecânicas, hidráulicas,
especificações 4.1 Range; Span;
pneumáticas, elétrica, ...), ferramentas e
técnicas do Repetitividade;
acessórios a serem utilizados na
fabricante Sensibilidade;
instalação do instrumento de medição e
Zona Morta;
controle, considerando sua
Precisão;
compatibilidade com o projeto
Exatidão;
Confiabilidade;
Rangeabilidade;
1.1 .4 Histerese;
- Reconhecer os elementos constitutivos de
Seguindo as Rastreabilidade;
desenhos técnicos mecânicos básicos
especificações (caligrafia técnica, simbologias, linhas, Tipos de Erro
técnicas do 5. TELEMETRIA E
vistas)
projeto TECNOLOGIAS DE
- Interpretar a documentação técnica que TRANSMISSÃO
constitui o projeto quanto aos requisitos a 6. SIMBOLOGIAS E
serem considerados e atendidos nas NOMENCLATURAS
etapas da instalação dos instrumentos de (NORMA ISA)
medição e controle 6.1 Diagramas
P&I
7. VARIÁVEIS
INDUSTRIAIS
Fundamentos Técnicos Científicos 7.1 Variável
Pressão
7.1.1
Reconhecer diferentes tipos de processos contínuos, características das
Importância
malhas de controle que o controlam e as diferentes variáveis físicas, suas
de sua
características e formas de medição,controle e correção
medição
7.1.2
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas Unidades de
Pressão
Capacidades Sociais 7.1.3
Definição de
Apresentar comportamento ético no desenvolvimento das atividades sob
Pressões
a sua responsabilidade
7.1.4 Tipos
Reconhecer os diferentes comportamentos das pessoas nos grupos e
de Pressão
equipes
7.1.5
Capacidades Metodológicas Medidores
de Pressão
Avaliar cenários com vistas à tomada de decisões dentro do âmbito de 7.2 Variável Nível
suas responsabilidades 7.2.1
Aplicar os aspectos de inovação em suas atividades profissionais
35
Aplicar os princípios da gestão da qualidade nas suas rotinas de Importância
trabalho de sua
Identificar, diante das necessidades do cliente, as melhores técnicas de medição
atendimento às suas necessidades 7.2.2
Unidades de
Capacidades Organizativas Nível
7.2.3
Reconhecer o papel do trabalhador no atendimento dos princípios da
Definição de
qualidade e no cumprimento das normas ambientais, de saúde e
Nível
segurança
7.2.4
Aplicar os princípios de organização do trabalho estabelecidos no
Medidores
planejamento e no desenvolvimento de suas atividades profissionais
de Nível
7.3 Variável
Vazão
7.3.1
Importância
de sua
medição
7.3.2
Unidades de
Vazão
7.3.3
Definição de
Vazão
7.3.4
Medidores
de Vazão
7.4 Variável
Temperatura
7.4.1
Importância
de sua
medição
7.4.2
Unidades de
Temperatura
7.4.3
Definição de
Temperatura
7.4.4
Medidores
de
Temperatura
7.5 Elementos
Finais de Controle
7.5.1
Definição
7.5.2 Tipos
de Válvulas
7.5.3 Partes
das
Válvulas:
Corpo,
36
Castelo e
Atuador
7.5.4
Aplicação
de Válvulas
7.5.5
Acessórios
de Válvulas
7.5.6
Instalação
de Válvulas
7.5.7
Válvulas de
Segurança
8. TÉCNICAS DE
CONTROLE
8.1 Conceitos e
Terminologias
8.2 Vantagens do
Controle
automático
8.3 Tipos de
Controle
8.4 Estabilidade
das Malhas de
Controle
8.5 Controladores
8.6 Algoritmo PID
8.7 Estrutura
interna dos
controladores
8.8
Controlabilidade
das Variáveis
8.9 Controle
Multivariável
8.9.1
Feedback
8.9.2
Feedforward
8.9.3
Cascata
8.9.4 Razão
8.9.5 Split
range
9. DESENHO
TÉCNICO APLICADO
À INSTRUMENTAÇÃO
9.1 Instrumentos
de desenho
9.2 Caligrafia
técnica

37
9.3 Normas
técnicas
9.4 Leiaute
9.5 Vistas
essenciais
9.6 Simbologias
9.7 Escalas
9.8 Cotagem
9.9 Ângulos
9.10 Perspectivas
10. DOCUMENTAÇÃO
E PROJETO DE
INSTRUMENTAÇÃO
10.1 Identificação
das variáveis
10.2 Ordem de
Serviço; Manual;
Catálogo;
Procedimento;
Norma; Projeto
10.3 Lista de
instrumentos
10.4 Lista de
cabos
10.5 Lista de
materiais
10.6 Listas de
entrada e saída
10.7 Diagramas
de interligação
10.8 Diagramas
de malha
10.9 Detalhes de
instalação
10.10 Normas ISA
S5.1, 5.2, 5.3, 5.4
11. INSTALAÇÃO DE
TUBOS, CONEXÕES E
VÁLVULAS
11.1 Tipos,
características e
funções
11.2 Preparação
de componentes
11.3 Planta de
tubulações
11.4 Identificação
de circuitos e
seus
componentes
12. FERRAMENTAS,
MATERIAIS E

38
EQUIPAMENTOS
12.1 Tipos,
características e
aplicações
12.2 Manuseio
12.3 Cuidados
12.4
Consequências
de uso
inadequado
13. INTERLIGAÇÕES
ELÉTRICAS E
PNEUMÁTICAS
13.1 Definição
13.2 Tipos de
diagramas de
interligação
14. PROCEDIMENTOS
DE TESTES
14.1
Metodologias
14.2 Instrumentos
14.3 Validação
15. RESÍDUOS
15.1 Tipos
15.2 Destinação
16. SEGURANÇA
16.1 Riscos
ocupacionais na
instalação
16.2 Acidentes de
trabalho em
instalações
16.3 Medidas de
proteção –
Procedimentos de
segurança
16.4 Utilização de
equipamentos de
proteção
individual
16.5 Utilização de
equipamentos de
proteção coletiva
17. CONTROLE E
CONSERVAÇÃO DOS
EQUIPAMENTOS
18. QUALIDADE
AMBIENTAL
18.1 Prevenção à
poluição
ambiental
18.2 Descarte de
39
resíduos
18.3 Reciclagem
de resíduos
18.4 Uso racional
de Recursos e
Energias
19. SEGURANÇA NO
TRABALHO
19.1
Comportamento
seguro
20. QUALIDADE DE
VIDA NO TRABALHO
20.1 Cuidados
com a saúde
20.2
Administração de
stress
20.3 O impacto do
uso de drogas
lícitas e ilícitas na
saúde e no
trabalho
21.
COMPORTAMENTO E
EQUIPES DE
TRABALHO
21.1 O homem
como ser social
21.2 O papel das
normas de
convivência em
grupos sociais
21.3 A influência
do ambiente de
trabalho no
comportamento
21.4 Fatores de
satisfação e
insatisfação no
trabalho
21.5 A influência
das
características de
personalidade nas
relações
interpessoais e no
desenvolvimento
das atividades
típicas de sua
área ocupacional
22. CONFLITOS NAS

40
EQUIPES DE
TRABALHO
22.1 Tipos
22.2
Características
22.3 Fatores
internos e
externos
22.4 Causas
22.5
Consequências
23. INOVAÇÃO
23.1 Conceito
23.2 Inovação x
melhoria
23.3 Visão
inovadora
24. CLIENTE
24.1 Clientes
internos e
externos
24.2 Cuidados no
atendimento
24.3 Impactos da
qualidade no
atendimento
24.4 Expectativas
do cliente
24.5 Fidelização
de clientes
24.6 Excelência
no atendimento
25. SISTEMA DE
GESTÃO QUALIDADE
25.1 ISO9001:
aspectos centrais
26. SISTEMA DE
GESTÃO AMBIENTAL
26.1 ISO14000:
aspectos centrais
27. ANÁLISE DE
CENÁRIOS
27.1 Ferramentas
de análise de
cenários e
solução de
problemas
27.2 Definição de
prioridades
27.3 Tomada de
decisões:
responsabilidades
e impactos
41
42
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de instrumentação
Laboratório de informática com acesso à
internet.

Literatura técnica
Materiais de consumo
Material Didático
Normas
Catálogos e Manuais

Trena
Tacômetro
Balança
Célula de carga
Temporizador
Planta didática
Multímetro
Termômetros
Máquinas, Equipamentos, Instrumentos e Ferramentas manuais
Ferramentas Analisador de Sinais
Dinamômetro
Termopar
Pt100
Manômetro
Vacuômetro
Transdutor de pressão
Régua graduada
Paquímetro

Produtos para limpeza


Recursos didáticos EPIs e EPCs
Tubos de cobre e conexões

43
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO

Perfil Profissional: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Unidade Curricular: COMISSIONAMENTO DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO E CONTROLE

Carga Horária: 40h

Unidades de Competência:

UC1 : Implementar instrumentos de medição e controle em processos industriais, considerando as normas,


padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente.

Objetivo Geral: Desenvolver as capacidades técnicas, sociais, organizativas e metodológicas requeridas para
a realização do comissionamento de instrumentos de controle e automação, considerando requisitos técnicos,
de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .4 1.4 .1 Documentando - Interpretar os procedimentos da


Comissionar os resultados dos 1.
empresa quanto aos requisitos a
instrumentos testes realizados em DOCUMENTAÇÃO
serem atendidos na geração dos
de medição e conformidade com o DO PROJETO
relatórios referentes aos processos
controle. sistema de qualidade 1.1
de comissionamento dos
da empresa Documentação
instrumentos de medição e controle
de testes de
malhas
1.2 Diagramas
1.4 .2 Realizando os de malhas,
- Reconhecer os diferentes tipos de
testes físicos interligação,
testes físicos aplicáveis ao
aplicáveis aos elétrica
comissionamento de instrumentos de
instrumentos em 1.3 Arranjos
medição e controle
questão com físicos
referência nas - Avaliar a compatibilidade dos 1.4 Lista de
especificações do resultados dos testes e da eficácia cabos de
projeto da comunicação entre os instrumentos
instrumentos que compõem a malha 1.5 Detalhes
de controle com referência nos típicos
requisitos do projeto (processo,
elétrico e
pneumático)
1.6
1.4 .3 Garantindo a - Analisar a adequação das Identificação
comunicação entre os condições físicas das instalações de das variáveis
instrumentos comunicação entre os instrumentos 1.7 Pontos de
constitutivos da malha da malha com referência nas instalação
de controle nas especificações do projeto 1.8 Normas ISA
condições
S5.1, 5.2, 5.3,
estabelecidas no
5.4
projeto
2. DEFINIÇÃO,
CONCEITOS
44
Fundamentos Técnicos Científicos FÍSICOS UNIDADES
DE MEDIDAS,
PRINCIPAIS
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
MÚLTIPLOS E
SUBMÚLTIPLOS
Capacidades Sociais
DAS VARIÁVEIS DE
Apresentar comportamento ético no desenvolvimento das atividades sob a PROCESSO
sua responsabilidade 2.1 Nível
Reconhecer os diferentes comportamentos das pessoas nos grupos e 2.2 Vazão
equipes 2.3 Pressão
2.4
Capacidades Metodológicas Temperatura
3. ELEMENTOS DE
Avaliar cenários com vistas à tomada de decisões dentro do âmbito de
INSTRUMENTAÇÃO
suas responsabilidades
A SEREM
Aplicar os aspectos de inovação em suas atividades profissionais
AVALIADOS
Aplicar os princípios da gestão da qualidade nas suas rotinas de trabalho
3.1 Sensores
Identificar, diante das necessidades do cliente, as melhores técnicas de
3.2
atendimento às suas necessidades
Transmissores
Capacidades Organizativas 3.3
Controladores
Reconhecer o papel do trabalhador no atendimento dos princípios da 3.4 Elementos
qualidade e no cumprimento das normas ambientais, de saúde e finais de
segurança controle
Aplicar os princípios de organização do trabalho estabelecidos no 3.5 Atuadores
planejamento e no desenvolvimento de suas atividades profissionais 3.6
Posicionadores
3.7
Analisadores
3.8
Controladores
Lógicos
Programáveis
4. MALHA DE
CONTROLE
4.1 Conceito
4.2 Malha
aberta
4.3 Malha
fechada
5. ELEMENTOS
FINAIS DE
CONTROLE
5.1 Definição
5.2 Tipos de
Válvulas 5.3
Partes da
Válvulas:
Corpo,
5.3 Castelo e
Atuador
5.4 Tipos de

45
Válvulas
5.5 Partes da
Válvulas:
Corpo, Castelo
e Atuador
5.6 Aplicação
de Válvulas
5.7 Acessórios
de Válvulas
5.8 Instalação
de Válvulas
6. REDES
INDUSTRIAIS
6.1 Definição
6.2 Tipos
6.3 Protocolos
de
Comunicação
7.
PARAMETRIZAÇÃO
DE INSTRUMENTOS
7.1 Parâmetros
de configuração
7.2 Estrutura de
hardware
7.3
Programação
8. TESTES
8.1 Testes a
Frio
8.2 Testes a
Quente
8.3 Testes de
malha (loop
Check)
9. RELATÓRIOS DE
NÃO-
CONFORMIDADES
10. SISTEMA DE
SUPERVISÃO –
PARA SIMULAÇÃO
DE VARIÁVEIS
10.1 Funções
básicas dos
sistemas de
supervisão e
IHM
10.2 Aquisição
de dados
10.3 Modos de
comunicação
10.4 Telas de
alarme e
46
tendências
11. CALIBRAÇÃO
DE SISTEMAS DE
MEDIÇÃO
11.1 Manual do
fabricante
11.2 Operações
básicas para
qualificação de
sistemas de
medição
11.3 Operações
de Calibração
11.4 Ajuste
11.5
Regulagem
11.6
Verificação dos
processos de
calibração
11.7 Destino
dos resultados
de uma
calibração
11.8 Métodos
de calibração:
direta e indireta
11.9 Padrões
para calibração
(valores de
referência)
11.10
Procedimentos
gerais de
calibração:
tipos e
características
11.11 Método
básico de
medição
11.12 Faixa de
indicação (FI) e
medição (FM)
12. PADRÕES E
FAIXA DE
TOLERÂNCIA
12.1
Rastreabilidade
de padrões
12.2 Seleção
de padrão
adequado

47
12.3 Faixa de
tolerância
13. INCERTEZAS DA
MEDIÇÃO
13.1 Função e
distribuição de
probabilidade
13.2 Média
aritmética
13.3 Medidas
de dispersão
13.4
Distribuição de
probabilidades
usuais na
metrologia
13.5 Incertezas
de medição
14. ÉTICA
14.1 Cidadania
14.2
Comportamento
social
14.3 Direitos e
deveres
individuais e
coletivas
14.4 Valores
pessoais e
universais
14.5 O impacto
da falta de ética
ao país:
pirataria,
impostos

48
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de instrumentação
Laboratório de informática com acesso à
internet

Literatura técnica
Materiais de consumo
Normas
Material Didático
Produtos para limpeza
EPIs e EPCs
Catálogos e Manuais

Balança
Célula de carga
Temporizador
Planta didática
Ferramentas manuais
Multímetro
Termômetros
Analisador de Sinais
Máquinas, Equipamentos, Instrumentos e Dinamômetro
Ferramentas Termopar
Pt100
Manômetro
Vacuômetro
Transdutor de pressão
Régua graduada
Paquímetro
Trena
Tacômetro

Recursos didáticos Tubos de cobre e conexões

INFORMAÇÕES SOBRE A VERSÃO DA OCUPAÇÃO

Data de Validação 20/09/2017

Data de Validade 31/12/2022

Departamento
Nacional do
Local
SENAI /
Brasília - DF

49
1.1. INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

Identificação da Saída Intermediária

Ocupação de Referência: INSTRUMENTISTA INDUSTRIAL

INSTRUMENTISTA
Ocupação CBO 7411-05
INDUSTRIAL

EDUCAÇÃO Educação Profissional Técnica


C.H MÍNIMA h
PROFISSIONAL de Nível Médio

NÍVEL DA EIXO Controle e Processos


2
QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICO Industriais

FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE
Automação INFORMÁTICA, PRODUTOS ELETRÔNICOS E
ÁREA SEGMENTO
e ÓPTICOS, FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS,
TECNOLÓGICA TECNOLÓGICO
Mecatrônica APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS E
FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Realizar a instrumentação do controle de processos de automação e, também, a sua


COMPETÊNCIA
manutenção, atendendo aos requisitos técnicos, de qualidade, de saúde, higiene e
GERAL
segurança, e de meio ambiente.

REQUISITOS
Ter, no mínimo, 16 anos completos
DE ACESSO

50
Competências de Gestão

Adaptar-se permanentemente ás mudanças organizacionais.


Apresentar postura proativa e responsável, atualizando-se continuamente e adaptando-se, com criatividade e
senso crítico, às mudanças tecnológicas, organizativas, profissionais e socioculturais que impactam as suas
atividades.
Apresentar, no planejamento e desenvolvimento das atividades profissionais, uma postura de atenção,
disciplina, organização, comprometimento, precisão e zelo.
Atuar em equipes multidisciplinares de trabalho, comunicando-se profissionalmente, interagindo e
cooperando com os integrantes dos diferentes níveis hierárquicos da empresa.
Atuar profissionalmente, respeitando os princípios e procedimentos técnicos e de qualidade, de higiene,
saúde e segurança e de meio ambiente.
Desenvolver o trabalho em conformidade com as diretrizes e procedimentos da empresa, assegurando a
qualidade técnica de produtos e serviços
Ser ético na conduta pessoal e profissional.
Ser resiliente.
Tomar decisões no planejamento e na resolução de problemas relacionados às atividades sob sua
responsabilidade.

Contexto de Trabalho da Ocupação

Meios de Produção

Outros

Normas e procedimentos técnicos


Publicações do setor (livros técnicos, revistas técnicas, artigos técnicos, catálogos de produtos e serviços,
anais de congressos)
Legislações de direitos autorais, trabalhistas, ambiental, de saúde e segurança, etc

Máquinas e Equipamentos

Sensores e transdutores industriais


Placas de controle dedicadas
Computadores \ Dispositivos Móveis
Motores Elétricos
Calibradores
Instrumentos de medidas
Analisadores industriais
Programador dedicado para configuração de instrumentos
Equipamentos com segurança intrínseca
Válvulas de controle e de segurança
Posicionadores
Transmissores
Registradores
Controladores de processo
Controladores programáveis
Acionamento Eletrônico de Motores: Inversor de Frequência; Soft starter; Servoacionamento; Conversores
CA\CC;

Ferramentas e Instrumentos

Interface Homem Máquina – IHM


51
Sistema de aquisição de dados
Softwares supervisórios
Ferramentas manuais
Desenhos Técnicos e Fluxogramas

Materiais de Consumo

Condutores elétricos
Acessórios hidráulicos, pneumáticos, eletropneumáticos e eletrohidráulicos
Isolantes elétricos
Produtos de limpeza
Componentes elétricos e eletrônicos
Cablagem aplicada a sistemas de instrumentação

Métodos e Técnicas de Trabalho

Técnicas de Manutenção
Boletins / Relatórios técnicos
Catálogos e Manuais
Metodologias de diagnóstico
Normas Regulamentadoras - NRs
Normas técnicas nacionais (Normas Técnicas, de serviços e outras) e internacionais (ISO, DIN e outras)
Procedimentos de Segurança, Organização do Trabalho e Gestão Ambiental
Sistema de comunicação e informação
Sistemas de gestão da qualidade e produtividade
Técnicas de avaliação de resultados
Trabalho em equipe

Condições de Trabalho

Condições ambientais

Ambientes confinados
Ambientes com atmosferas explosivas
Ambientes com condições ergonômicas variadas
Ambientes com trabalho em altura
Ambientes com ruídos, umidade, variações térmicas, partículas em suspensão e substâncias tóxicas e
inflamáveis
Ambientes com iluminação e ventilação variados
Ambientes internos e externos, com vários postos de trabalho

Turnos e horários

Possibilidade de trabalho em turnos e jornadas extras ou flexíveis

Riscos profissionais

Riscos ergonômicos: posição ergonômica em relação à atividade a ser desenvolvida


Riscos biológicos: infecções externas (dermatites), infecções internas, exposição à poeira, vapores e gases,
animais peçonhentos
52
Riscos físicos: queda, choques, queimaduras, ruído, variações de temperatura, vibrações, elementos
cortantes e perfurantes.
Riscos químicos: exposição a óleos e produtos químicos

Equipamentos de Segurança

EPIs
EPCs

Posições no Processo Produtivo

Contexto Profissional

Ambientes de produção
Embarcações e Plataformas
Vendas e compras técnicas
Empresas de Engenharia
Indústrias em geral
Assistência técnica
Manutenção industrial
Trabalho autônomo
Empresas de pequeno, médio e grande porte, e microempresas
Laboratórios e plantas-piloto de pesquisa e desenvolvimento de sistemas de instrumentação

Contexto Funcional e Tecnológico

Em dependência hierárquica, com grau médio de responsabilidade e autonomia limitada no desempenho de


suas atividades
As atividades do profissional consistem, basicamente, em trabalhos de execução e que envolvem a utilização
de instrumentos, equipamentos, máquinas e técnicas específicas

Evoluções da Ocupação

Adesão à produção com tecnologias limpas


Uso de novos materiais em geral
Normas para redação de relatórios técnicos
Normalização e padronização de projetos
IEEE (voltado à área de automação e mecatrônica)
IEC 11, IEC 31, IEC 61131-3
Normas Técnicas
Normas de gestão: ISO 9001; ISO 55000 (Gestão de Ativos)
Normas de segurança: OHSAS / ISO 18001: referente à Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional; NBR
Brigada de Incêndio; NR 17: referente à ergonomia; NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão e
Sistemas de Aterramento; NBR 5413: referente à iluminação, NR 12 – Segurança na Operação de Máquinas
e Equipamentos; NR 10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; NR 11 - Segurança na
Movimentação de Cargas; NR 20 – Líquidos e Combustíveis Inflamáveis; NR 33 – Espaços Confinados; NR6
– EPIs; NR 13 – Vasos de Pressão; NR 35 – Trabalho em Altura
Legislação Trabalhista (CLT): Legislação do aprendiz; Direitos e deveres pertinentes à função; Fim da
insalubridade; Contratação temporária; Terceirização de serviços
Uso de softwares e aplicativos
53
Desenvolvimento de qualidades pessoais (atitudes e comportamento)
Comunicação profissional, oral e escrita
Organização e métodos de trabalho
Novas tecnologias de acesso à informação
Atualizações relativas aos sistemas de gestão da qualidade, saúde, segurança e meio ambiente
Atualizações tecnológicas
Novas tecnologias e formas de interação homem x máquina
Novas tecnologias de sensoriamento
Novas tecnologias de automação e controle
Mudanças no Sistema da Qualidade
Formação para a competência
Exigências no atendimento às normas e regulamentações, especialmente as de segurança
Máquinas e equipamentos com tecnologia digital e virtual
Utilizar softwares e aplicativos específicos ou direcionados aos processos produtivos
Ter postura proativa
Tomar decisões no âmbito de suas responsabilidades
Autodesenvolvimento e atualização tecnológica
Meio ambiente: ISO 14000; ISO 14001; Certificação OHSAS / ISO 18001; Lei dos Resíduos Sólidos
12.305/2010. (Política Nacional dos Resíduos Sólidos)
Cumprir os aspectos ambientais, sociais e de segurança
Normas ISA - Normalização e padronização de projeto

Formação Profissional Relacionada à Ocupação

Aperfeiçoamentos nas tecnologias de automação


Cursos de graduação (Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Controle e Automação,
entre outros)
Técnico de Nível Médio em Automação
Técnico de Nível Médio em Mecatrônica
Tecnólogo em Automação
Tecnólogo em Mecatrônica

54
2. TÉCNICO EM INTERNET DAS COISAS - IOT

Identificação da ocupação

Ocupação Técnico em Internet das Coisas - IoT CBO Não informada

EDUCAÇÃO Educação Profissional Técnica de Nível


C.H MÍNIMA 1300h
PROFISSIONAL Médio

NÍVEL DA EIXO Controle e Processos


3
QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICO Industriais

ÁREA Automação e SEGMENTO


Automação
TECNOLÓGICA Mecatrônica TECNOLÓGICO

Desenvolver e Implementar soluções com sistemas embarcados e sensoriamento para IoT


COMPETÊNCIA aplicados ao monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
GERAL normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

REQUISITOS
Estar cursando o 2º ano do ensino médio ou ensino médio concluído.
DE ACESSO

Relação das Unidades de Competência

Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as


Unidade de Competência 1 normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de


Unidade de Competência 2 processos, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema


Unidade de Competência 3 automatizados, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

55
Descrição das Unidades de Competência

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 1
Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando o projeto do sistema embarcado


Considerando procedimentos técnicos de programação conforme a
Programar microcontroladores
linguagem a ser utilizada
e microprocessadores
Considerando procedimentos técnicos para registro de informações
sobre o software do sistema embarcado

Considerando os requisitos da demanda e características do ambiente


das instalações dos circuitos condicionadores de sinais
Considerando os materiais, equipamentos e componentes necessários
para os circuitos condicionadores de sinais
Seguindo procedimentos técnicos de elaboração de desenho de
Projetar circuitos
circuitos eletrônicos
condicionadores de sinais para
Considerando os requisitos de viabilidade técnica e de custos dos
sensores
circuitos condicionadores de sinais
Considerando procedimentos técnicos para registro de informações
sobre os circuitos condicionadores de sinais
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de saúde e
segurança e de sustentabilidade

Considerando os requisitos do projeto de automação e ou ordem de


serviço
Considerando as especificações técnicas dos dispositivos contidas na
documentação do fabricante
Programar drivers para Considerando os paradigmas das linguagens de programação
dispositivos de automação adequados aos dispositivos
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para
documentação do software
Considerando os padrões e normas técnicas relacionados à
programação de drivers

Considerando o projeto, documentação técnica, plano de manutenção e


ou ordem de serviço do sistema embarcado
Considerando as especificações técnicas dos insumos, componentes e
ferramentas contidas na documentação do fabricante
Considerando os procedimentos técnicos de manutenção e proteção
Manter sistemas embarcados
dos sistemas embarcados
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de saúde e
segurança e de sustentabilidade
Considerando procedimentos técnicos para registro de informações
sobre a manutenção

56
UNIDADE DE COMPETÊNCIA 2
Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando
as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando o projeto de automação


Considerando as características do ambiente das instalações da
estrutura de sensoriamento
Considerando insumos e componentes disponíveis, bem como os
Planejar a estrutura de recursos humanos e tecnológicos necessários para a estrutura de
sensoriamento sensoriamento
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade
Considerando procedimentos técnicos para registro de informações
sobre a estrutura de sensoriamento

Considerando as especificações do projeto de automação e ou


ordem de serviço
Considerando as especificações técnicas dos sensores e
dispositivos contidas na documentação do fabricante
Realizar a instalação e
Considerando os procedimentos técnicos definidos para instalação
parametrização de sensores e
e parametrização dos sensores e dispositivos de automação
dispositivos de automação
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro das informações da instalação e parametrização

Considerando as especificações do projeto de automação


Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade
Considerando os procedimentos técnicos de testes de
Comissionar sensores e
comissionamento conforme os tipos de sensores e dispositivos
dispositivos de automação
Considerando as características técnicas dos sensores e
dispositivos contidas na documentação do fabricante
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro das informações do comissionamento

Considerando as especificações técnicas dos sensores e


dispositivos contidas na documentação do fabricante
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade
Manter sensores e dispositivos de
Considerando o Plano de Manutenção do sistema de automação e
automação
ou ordem de serviço
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para
registro de informações sobre a manutenção dos sistemas de
automação

57
UNIDADE DE COMPETÊNCIA 3
Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de


saúde e segurança do trabalho, privacidade e segurança de
dados, e de sustentabilidade
Considerando os requisitos, especificações e prazos da
Elaborar projetos de integração de
demanda de integração
dispositivos e equipamentos de
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
automação
registro de informações sobre o projeto
Considerando as características técnicas dos materiais,
ferramentas, dispositivos e equipamentos dos sistemas de
automação

Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de


saúde e segurança do trabalho, privacidade e segurança de
dados, e de sustentabilidade
Considerando as especificações do projeto de infraestrutura de
redes para IoT
Instalar redes de comunicação para IoT Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro de informações sobre a instalação da rede
Considerando as características técnicas dos dispositivos de
redes contidos na documentação do fabricante
Considerando os procedimentos técnicos e Boas Práticas de
instalação e configuração de dispositivos de rede

Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de


saúde e segurança do trabalho, privacidade e segurança de
dados, e de sustentabilidade
Considerando o projeto de integração de dispositivos e
Elaborar interface de usuário para
equipamentos de automação
interação com sistemas de IoT
Considerando técnicas e Boas Práticas de desenvolvimento
conforme necessidade da interface de usuário
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro de informações sobre a interface de usuário

Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o


registro de informações sobre a certificação
Preparar a infraestrutura de rede de
Considerando as normas técnicas e Boas Práticas conforme o
comunicação para certificação,
tipo de infraestrutura de redes a ser certificada
homologação e licenciamento
Considerando requisitos do demandante e ou legislações para
homologação e licenciamento de redes de comunicações

Considerando as especificações técnicas dos dispositivos


contidos na documentação do fabricante
58
Considerando o Plano de Manutenção das redes de
comunicação e ou ordem de serviço
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para
Manter redes de comunicação
registro de informações sobre a manutenção das redes de
comunicação
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança do trabalho, privacidade e segurança de
dados, e de sustentabilidade

59
Competências de Gestão

Apresentar comportamento ético na conduta pessoal e profissional.


Apresentar compromisso com o negócio da empresa, considerando visão sistêmica dos aspectos técnicos,
sociais, econômicos e tecnológicos que impactam nas atividades sob sua responsabilidade e nos resultados
da empresa.
Apresentar postura proativa e inovadora, atualizando-se continuamente e adaptando-se, com criatividade, às
mudanças tecnológicas, organizativas e profissionais.
Apresentar, no planejamento e no desenvolvimento das suas atividades profissionais, uma postura de
comprometimento, responsabilidade, engajamento, atenção, disciplina, organização, precisão e zelo.
Atuar na coordenação em equipes de trabalho, comunicando-se profissionalmente, orientando
colaboradores, interagindo e cooperando com os integrantes dos diferentes níveis hierárquicos da empresa.
Atuar profissionalmente, cumprindo os princípios de higiene e saúde, os procedimentos de qualidade e de
meio ambiente e as normas de segurança aplicáveis às atividades sob a sua responsabilidade.
Ser flexível, adaptando-se às diretrizes, normas e procedimentos da empresa, de forma a assegurar a
qualidade técnica de produtos e serviços.

Contexto de Trabalho da Ocupação

Meios de Produção

Máquinas e Equipamentos

Rotuladora/Etiquetadora
Computador completo (placa mãe, processador, drive ótico, memória, unidade de armazenamento, placa de
vídeo, placa de rede, fonte, placa de rede sem fio, dentre outros) ligado em rede, com acesso à internet,
gerenciador de rede, editor de textos, planilha eletrônica
Distribuidor Interno Óptico (DIO)
Robôs Industriais e colaborativos
Patch Panel
Células Robotizadas
Access Points
Racks
Máquina de fusão de fibras ópticas
Roteadores
Processo industrial contemplando as variáveis: nível, pressão, vazão, temperatura e analítica
Cleaver de precisão
Controladores lógicos programáveis
Servidores
Equipamentos de medição, certificação e análise de cabeamento
Switches
Cabos metálicos
Conversor de mídia de rede DGO
Máquinas CNC

Ferramentas e Instrumentos

Pinça
Kit antiestático
Cleaver de precisão
Localizador de cabo
Sugador de solda

60
Estação de soldagem
Fontes de alimentação de tensão e corrente
Alicates em geral (universal, bico, corte, decapador, crimpagem, dentre outros)
Transmissores de pressão digital e analógico
Analisador de espectro
Software de configuração
Chaves em geral (allen, torx, fenda, Philips)
Transmissores de nível: radar, ultrassom, capacitivo, pressão diferencial, célula de carga e empuxo
Software de supervisório
Estação de retrabalho
Plataforma de desenvolvimento de sistema embarcado
Gerador de sinais
Conversores correntes para pressão e pressão para corrente
Sensores de temperatura: termopares e termorresistência
Transmissor de temperatura
Interface Homem Máquina (IHM)
Controladores Lógicos Programáveis
Chave de fluxo
Manômetros
Pressostato
Visores de nível
Testador de cabos de rede
Lupa
Instrumentos de medição e testes (multímetro, osciloscópio)
Software de programação de CLP
Software para linguagem de descrição de hardware
Analisador de Rede
Ferramenta de inserção/impacto (punch down)
Chave de nível
Transmissores de vazão: magnético, coriolis, turbina, ultrassom (Doppler e tempo de trânsito), vortex e
pressão diferencial
Soprador térmico
Software de programação geral
Sistemas de medição e análise de gases e líquidos de processo envolvendo variáveis: CO2, O2, pH,
densidade, turbidez, condutividade
Software para simulação de circuitos eletrônicos

Materiais de Consumo

Velcro
Acionamento; Sinalização; Dispositivo de proteção; Motores elétricos
Estanho para Solda
Cabos elétricos
Fita Teflon
Cabos de compensação e de extensão para medição de temperatura
Componentes Eletrônicos
Pig tail
Limpa contato
Cordão óptico
Patch cords
Álcool isopropílico
Cabo de fibra optica
Anilhas de identificação

61
Cabos coaxial
Conectores
Capa para conector
Cabos par trançado

Métodos e Técnicas de Trabalho

Ferramentas de gestão da manutenção


Ferramentas de gestão da qualidade e produtividade
Metodologias de diagnóstico
Metodologias e ferramentas de gerenciamento de projetos
Métodos para ensaios tecnológicos
Normas Regulamentadoras (NR)
Normas técnicas nacionais (Normas de serviços e outras) e internacionais (ISO, DIN e outras)
Procedimentos técnicos internos
Produção por projetos específicos
Sistema de comunicação e informação
Técnicas de análise de problemas e tomada de decisão
Técnicas de avaliação de resultados
Técnicas de gestão de pessoas
Técnicas de instrumentação (projeto, instalação e manutenção)
Técnicas de metrologia
Técnicas de organização do trabalho
Técnicas de programação e planejamento de processos de manutenção
Técnicas de reparação
Técnicas de segurança de máquinas

Condições de Trabalho

Condições ambientais

Possibilidade de trabalho em ambientes fechados, ambientes externos (ar livre) e ambientes confinados.

Turnos e horários

Possibilidade de horários administrativo, turnos de revezamento, horários intermitentes e viagens frequentes.

Riscos profissionais

Riscos físicos - vibrações, radiações ionizantes, frio, calor, pressões anormais e umidade.
Riscos ergonômicos - esforço físico excessivo, levantamento e transporte de peso exagerados, exigência de
postura inadequada, controle rígido de produtividade, trabalho noturno, jornadas de trabalho extensas,
monotonia e repetitividade, iluminação incorreta, entre outras situações que se ligam ao estresse físico ou
psicológico do trabalhador
Riscos de acidentes - causados por conjuntos físicos inadequados, máquinas e equipamentos sem proteção,
ferramentas inapropriadas, eletricidade, probabilidade de incêndio ou explosão, armazenamento
inadequado, entre outras situações de risco que poderão contribuir para ocorrência de acidentes no
ambiente de trabalho.
Riscos químicos - contato com poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases, vapores e substâncias compostas ou

62
produtos químicos que podem prejudicar a saúde do trabalhador.

Posições no Processo Produtivo

Contexto Profissional

Possibilidade de trabalho em: empresas de Manutenção Industrial; empresas engenharia de processos;


empresas de vendas de componentes; empresas integradoras; fabricante de máquinas e equipamentos;
empresas de projetos; empresas de Automação Industrial e profissional autônomo.

Possíveis Saídas para o Mercado de Trabalho

Técnico em indústria 4.0


Técnico em sistemas ciberfísicos
Técnico em sensoriamento remoto
Técnico em Conectividade Industrial
Técnico em virtualização de dados
Técnico em Comunicação industrial
Técnico em sensoriamento inteligente

Evoluções da Ocupação

Desenvolver drivers para dispositivos utilizados nas aplicações IoT.


Integrar protocolos de comunicação para interoperabilidade entre sistemas, equipamentos e dispositivos
utilizados em aplicações industriais.
Integrar redes físicas para comunicação entre sensores, sistemas, equipamentos e dispositivos.
Programar dispositivos utilizados em aplicações IoT.
Compatibilizar os dados dos sistemas de controle de produção com os dispositivos IoT.
Realizar o diagnóstico e a manutenção dos dispositivos IoT.
Identificar os requisitos de controle de produção utilizados em cada aplicação com tecnologia IoT.
Realizar a integração entre sistemas de software e sistemas de hardware, horizontalmente e verticalmente
para aplicações industriais.
Determinar as tecnologias de sensores aplicáveis para cada solução, considerando as condições
operacionais e de rastreabilidade.
Aplicar sistemas de telemetria utilizados em processos produtivos.
Conectar sensores industriais com as soluções de nuvem para enviar e receber de dados.
Aplicar métodos, técnicas e ferramentas para garantir a segurança da informação na conexão entre os
sensores e demais dispositivos.
Identificar os requisitos de segurança da informação necessários em aplicações com tecnologia IoT

Mudanças na atuação do profissional

Tendências tecnológicas e organizacionais que irão impactar mais fortemente a ocupação nos
próximos 5 e 10 anos

Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas integrado horizontal e verticalmente.


Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de automação digital sem sensores.
Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de cibersegurança.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas de Telemetria.

63
Uso, pelas empresas industriais, de Protocolos de Comunicação genéricos e sistemas de segurança.
Uso, pelas empresas industriais, de sistema de Big Data para planejamento da produção.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas Cognitivos.
Uso, pelas empresas industriais, de Redes Neurais para Controle de qualidade na indústria e Prevenção de
falhas e controle de manutenção.
Uso, pelas empresas in, da Industriais, da Internet das Coisas (IoT) para controle da produção.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas de Prototipagem Virtual para Projeto.
Uso, pelas empresas industriais, de Wireless Sensor Networks (WSN).
Uso, pelas empresas industriais, de Redes Wireless padronizadas.
Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de automação digital com sensores para identificação de
produtos e condições operacionais, linhas flexíveis.
Uso, pelas empresas industriais, de serviços em nuvem associados ao produto.
Uso, pelas empresas industriais, de Simuladores e Softwares Aplicativos Simuladores de processos.
Uso, pelas empresas industriais, de Redes de Comunicação Wi-Fi e RF - Protocolos e redes de
comunicação sem fio e altíssima velocidade.

Formação Profissional Relacionada à Ocupação

Agricultura 4.0
Automação de equipamentos hospitalares
Automação predial
Domótica
Drivers de comunicação (físicos e lógicos)
Estatística industrial (Analytics)
Instrumentação
Inteligência Artificial
Machine Learning (Analytics)
Manutenção preditiva
Programação em sistemas embarcados
Smart cities

Indicação de Conhecimentos Referentes ao Perfil Profissional

Conhecimentos
Eletrônica
analógica e
digital
Metrologia
Desenho técnico
Manutenção
Técnicas de
programação
UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, Hardware e
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade. software
Informação e
comunicação
Gestão de

64
projetos
Sistemas
embarcados
Eletricidade
Desenvolvimento
de software

Conhecimentos
Sensores e
dispositivos de
automação
Metrologia
Desenho técnico
Eletrônica
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de
analógica e
processos, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde
digital
e segurança e de sustentabilidade.
Informação e
Comunicação
Linguagens de
programação
Gestão de
Projetos
Eletricidade

Conhecimentos
Internet das
coisas
Redes de
comunicação
Técnicas de
programação
Metrologia
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema
Desenho técnico
automatizados, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade,
Matemática
saúde e segurança e de sustentabilidade.
aplicada
Usabilidade
Manutenção
Protocolos de
comunicação
Eletricidade
Desenvolvimento
de software

65
Desenho curricular
Resumo da Organização Curricular

Carga Horária
Módulos Unidades Curriculares Carga Horária
do Módulo

Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI 100 h

BÁSICO Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico 60 h 220 h

Fundamentos da Informação e Comunicação 60 h

Fundamentos de Redes de Comunicação 80 h

Gestão de Projetos de Automação e TI 60 h


INTRODUTÓRIO 280 h
Fundamentos do Desenvolvimento de Software 80 h

Fundamentos da Instrumentação 60 h

Programação de Drivers para Dispositivos de


60 h
Automação

Programação de Sistemas Embarcados 100 h


ESPECÍFICO I 320 h

Projetos de Interfaces Eletrônicas 100 h

Manutenção de Sistemas Embarcados 60 h

Manutenção de Sensores e Dispositivos de


30 h
Automação

ESPECÍFICO II Projetos de Estrutura de Sensoriamento 60 h 190 h

Instalação de Sensores e Dispositivos de


100 h
Automação

Desenvolvimento de Interface de Usuário para IoT 80 h

Projetos de Integração de Equipamentos e


80 h
Dispositivos
ESPECÍFICO III 290 h

Redes de Comunicação para IoT 100 h

Manutenção de Redes de Comunicação 30 h

TOTAL 1300h

66
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à eletrônica aplica
a sistemas de automação e TI que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação,
bem como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. TRABALHO EM EQUIPE


1.1 Relações com o líder
1.2 Compromisso com
Fundamentos Técnicos Científicos
objetivos e metas
1.3 Divisão de papéis e
Reconhecer as características, funções e relações das grandezas responsabilidades
elétricas aplicados em sistemas de automação 1.4 Cooperação
Reconhecer os fundamentos da eletrônica analógica e digital 1.5 Responsabilidades
aplicados em sistemas de tecnologia da informação e automação individuais e coletivas
1.6 O relacionamento com
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas os colegas de equipe
1.7 Trabalho em grupo
2. ORGANIZAÇÃO DE
Capacidades Sociais
AMBIENTES DE TRABALHO
Constatar o valor da ética nas relações humanas 2.1 Organização do
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas espaço de trabalho
2.2 Organização de
Capacidades Organizativas ferramentas e
instrumentos
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente
2.2.1 Importância
como requisitos para a organização de ambientes de trabalho
2.2.2 Formas
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de
2.3 Princípios de
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das
organização
atividades profissionais
3. CIRCUITOS LÓGICOS
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no
3.1 Famílias lógicas
contexto da organização, conforme os resultados dos produtos e
3.1.1 Características
serviços da empresa
3.1.2 Tipos e
67
Capacidades Metodológicas definições
3.2 Tipos e Definições
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma 3.2.1 Lógicos
postura proativa e inovadora combinacionais
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um 3.2.2 Lógicos
espírito empreendedor sequenciais
3.3 Expressões
algébricas
3.3.1 Simplificação
de circuitos lógicos
3.3.2 Simplificação
algébrica
3.4 Portas lógicas
3.4.1 Tabela da
verdade
3.4.2 Função lógica
3.4.3 Tipos
4. SISTEMAS DE
NUMERAÇÃO
4.1 Representação
numérica
4.1.1 Ponto flutuante
4.1.2 Complemento
de 2
4.1.3 Complemento
de 1
4.2 Código BCD
4.3 Conversões entre os
sistemas
4.4 Tipos
4.4.1 Sistema
hexadecimal
4.4.2 Sistema
binário
5. COMPONENTES
OPTOELETRÔNICOS:
CARACTERÍSTICAS E
APLICAÇÕES
5.1 Acoplador óptico
5.2 Fototransistor
5.3 Fotodiodo
5.4 Matriz de LED
5.5 Display de sete
segmentos
6. TRANSISTORES
6.1 Aplicações
6.1.1 Amplificador
de sinais
6.1.2 Transistor
como chave
6.2 Circuitos de
polarização

68
6.3 Características
6.4 Tipos
6.4.1 Efeito de
campo (FET)
6.4.2 Bipolar
7. CIRCUITOS
RETIFICADORES
7.1 Reguladores de
tensão
7.1.1 Circuito
integrado
7.1.2 Regulador
Zener
7.2 Filtro capacitivo
7.2.1 Fator de
Ripple
7.2.2 Constante RC
7.3 Tipos
7.3.1 Em ponte
7.3.2 Monofásico
com ponto neutro
onda completa
7.3.3 Monofásico de
meia onda
8. SEMICONDUTORES
8.1 Características
térmicas
8.2 Diodo
8.2.1 Curva
característica do
diodo
8.2.2 Características
8.2.3 Tipos
8.3 Polarização direta e
inversa
8.4 Junção PN
8.5 Elementos tipo P e N
9. SINAIS ELÉTRICOS
9.1 Características
9.2 Tipos de ondas
9.2.1 Dente de serra
9.2.2 Triangular
9.2.3 Quadrada
9.2.4 Senoidal
10. INSTRUMENTOS DE
MEDIDAS ELÉTRICAS
10.1 Tipos
10.1.1 Digitais
10.1.2 Analógicos
10.2 Características
10.3 Equipamentos de
medição

69
10.3.1 Osciloscópio
10.3.2 Ohmímetro
10.3.3 Amperímetro
10.3.4 Voltímetro
11. MÁQUINAS ELÉTRICAS:
DEFINIÇÕES E TIPOS
11.1 Transformadores
11.2 Motores
11.3 Geradores
12. CIRCUITOS ELÉTRICOS
EM CORRENTE ALTERNADA
12.1 Sistemas de
distribuição de energia
elétrica
12.1.1 Aterramento
12.1.2 Isolação
12.1.3 Normas
12.2 Potência em circuitos
de corrente alternada:
definições
12.2.1 Fator de
potência
12.2.2 Aparente
12.2.3 Reativa
12.2.4 Ativa
12.3 Circuito em corrente
alternada: definições e
aplicações
12.3.1 Impedância
(RL, RC e RLC)
12.3.2 Capacitivo
12.3.3 Indutivo
12.3.4 Resistivo
12.4 Corrente elétrica
alternada: definições e
aplicações
12.4.1 Amplitude
12.4.2 Período
12.4.3 Frequência
13. CIRCUITOS ELÉTRICOS
EM CORRENTE CONTÍNUA
13.1 Capacitores
13.1.1 Definições
13.1.2
Características
13.2 Potência em corrente
contínua
13.3 Leis de Kirchhoff
13.4 Fontes geradoras
13.5 Notação científica e
de engenharia
13.6 Associação de

70
Resistores
13.7 Leis de OHM
13.8 Circuitos elétricos
13.8.1 Misto
13.8.2 Paralelo
13.8.3 Série
14. ELETROMAGNETISMO
14.1 Lei de Faraday
14.1.1 Aplicação
14.1.2 Definição
14.2 Regras do
eletromagnetismo
14.3 Campo Magnético
14.3.1 Campo
magnético no
condutor
14.3.2 Densidade
do fluxo magnético
14.3.3 Fluxo de
indução magnética
14.3.4 Linhas de
forças magnéticas
15. FUNDAMENTOS DA
ELETRODINÂMICA:
DEFINIÇÕES E APLICAÇÕES
15.1 Energia elétrica
15.2 Condutores e
isolantes
15.3 Resistência e
resistividade
15.4 Corrente elétrica
15.5 Potencial elétrico
15.6 Diferença de
potencial
16. FUNDAMENTOS DA
ELETROSTÁTICA:
DEFINIÇÕES E APLICAÇÕES
16.1 Potencial elétrico
16.2 Força elétrica
16.3 Eletrização
16.4 Campo elétrico
16.5 Carga elétrica

71
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de eletricidade
Biblioteca
Laboratório de eletrônica

Matriz de contato (protoboard)


Software de simulação digital
Gerador de função
Osciloscópio
Multímetro
Quadro branco
Projetor multimídia
Máquinas, Equipamentos, Equipamentos de proteção ESD
Instrumentos e Ferramentas Estação de solda
Componentes eletroeletrônicos
Equipamentos de proteção individual
Componentes eletrônicos
Fonte de alimentação
Transformadores
Motores
Ferramentas manuais

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais Manuais e catálogos
Livros didáticos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

72
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à metrologia e


desenho técnico que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem como, as
capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. INICIATIVA


1.1 Consequências
favoráveis e
Fundamentos Técnicos Científicos
desfavoráveis
1.2 Formas de
Aplicar fundamentos da matemática para cálculos de dimensionamento e demonstrar
conversão de unidades de medidas iniciativa
Aplicar os fundamentos da metrologia para dimensionamento e medições 1.3 Importância e
de grandezas físicas valor
Reconhecer simbologias, nomenclaturas e fundamentos de desenho 1.4 Definição
técnico aplicados em projetos 2. CARACTERÍSTICAS
PROFISSIONAIS
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.1 Zelo
2.2 Precisão
2.3 Organização
Capacidades Sociais
2.4 Disciplina
Constatar o valor da ética nas relações humanas 2.5 Atenção
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas 2.6 Engajamento
2.7
Capacidades Organizativas Responsabilidade
2.8
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente como
Comprometimento
requisitos para a organização de ambientes de trabalho
3. PROJETOS DE
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de
AUTOMAÇÃO E TI
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das
3.1 Planta baixa e
atividades profissionais
layout
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no contexto da
3.2 Diagrama
73
organização, conforme os resultados dos produtos e serviços da construtivos
empresa 4. DESENHO TÉCNICO
4.1 Desenho
Capacidades Metodológicas
assistido por
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma postura computador
proativa e inovadora 4.1.1 Tipo
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um espírito 4.1.2
empreendedor Definição
4.2 Normalização
de desenho
técnico
4.3 Escala
4.4 Elementos
gráficos
4.4.1 Cotas
4.4.2 Cortes
4.4.3 Vistas
4.4.4
Perspectiva
isométrica
4.4.5
Projeção
ortogonal
4.4.6
Símbolos e
recursos
gráficos
4.4.7
Legendas
4.4.8
Escritas
4.4.9 Linhas
4.4.10
Figuras
geométricas
5. METROLOGIA
5.1 Metrologia
dimensional
5.1.1
Paquímetro
5.1.2 Escala
5.2 Sistemas de
Medidas
5.2.1
Conversão
de unidades
5.2.2
Múltiplos e
submúltiplos
das unidades
5.2.3
Sistema

74
Inglês de
Unidades
5.2.4
Sistema
Internacional
de Unidades
(SI)
5.3 Grandezas
físicas e unidades
de medidas
5.3.1
Comprimento
5.3.2 Volume
5.3.3 Área
6. MATEMÁTICA
APLICADA
6.1 Razão e
Proporção
6.2 Potenciação
6.3 Fração
6.4 Números
Decimais

75
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de metrologia
Biblioteca

Software CAD para desenho construtivo


Quadro branco
Máquinas, Equipamentos, Calculadora
Instrumentos e Ferramentas Instrumentos de medição
Quadro branco
Projetor multimídia

Livros didáticos
Normas técnicas
Apostilas
Materiais
Projetos de automação e TI
Sites e aplicativos
Manuais técnicos e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

76
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Fundamentos da Informação e Comunicação

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à tecnologia da


informação e comunicação que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem
como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. ESTRUTURA


ORGANIZACIONAL
1.1 Sistema de
Fundamentos Técnicos Científicos
comunicação
1.2 Organização das
Aplicar os fundamentos da informática para pesquisas de funções, informações e
informações técnicas, elaboração de textos, desenhos, planilhas recursos
eletrônicas e apresentações multimídias 1.3 Funções e
Aplicar os princípios, padrões e normas da linguagem culta na responsabilidade
comunicação oral e na elaboração de textos técnicos 1.4 Formal e informal
Interpretar gráficos e tabelas relacionados as características 2. PESQUISA
técnicas dos equipamentos e dispositivos de automação e TI 2.1 Estruturação
Interpretar textos técnicos das áreas de automação e tecnologia da 2.2 Fontes
informação, contidos em normas, projetos, manuais, catálogos e 2.3 Métodos
documentações técnicas 2.4 Características
2.5 Tipos
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.5.1 Acadêmica
2.5.2 Laboratorial
2.5.3 Campo
Capacidades Sociais
2.5.4 Bibliográfica
Constatar o valor da ética nas relações humanas 3. HABILIDADES BÁSICAS
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas DO RELACIONAMENTO
INTERPESSOAL
Capacidades Organizativas 3.1 Cooperação
3.2 Comunicação
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente
3.3 Responsabilidade
como requisitos para a organização de ambientes de trabalho
3.4 Empatia
77
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de 3.5 Disciplina
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das 3.6 Cordialidade
atividades profissionais 3.7 Respeito
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no contexto 4. DOCUMENTAÇÃO
da organização, conforme os resultados dos produtos e serviços TÉCNICA
da empresa 4.1 Fluxograma
4.2 Descritivo técnico
Capacidades Metodológicas 4.3 Solicitação de
compras
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma
4.4 Manuais de
postura proativa e inovadora
fabricante
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um
4.5 Catálogos
espírito empreendedor
4.6 Ordem de serviço
4.7 Normas técnicas
4.8 Relatórios técnicos
5. INTERNET
5.1 Comunicação
5.1.1 Redes sociais
5.1.2 E-mail
5.2 Pesquisa
5.2.1 Plágio
5.2.2 Direitos
autorais
5.2.3 Ferramentas
de busca
6. EDITOR DE
APRESENTAÇÕES
GRÁFICAS
6.1 Slide
6.1.1 Formatação
6.1.2 Inserção de
figuras e arquivos
6.1.3 Regras de
estruturação
6.2 Apresentação
6.2.1 Ferramentas
de multimídia
6.2.2
Gerenciamento de
tempo
6.2.3 Estruturação
da apresentação
7. EDITOR DE PLANILHAS
ELETRÔNICAS
7.1 Impressão de
arquivos
7.2 Gráficos
7.3 Tabelas
7.4 Fórmulas básicas
7.5 Formatação de
células
7.6 Linhas, colunas e

78
células
8. EDITOR DE TEXTO
8.1 Impressão de
arquivos
8.2 Quadros
8.3 Formatação
8.4 Inserções
8.5 Digitação de textos
9. COMUNICAÇÃO
9.1 Níveis de fala
9.1.1 Linguagem
padrão
9.1.2 Linguagem
coloquial
9.1.3 Gíria
9.2 Processo
9.2.1 Feedback
9.2.2 Código
9.2.3 Canal
9.2.4 Mensagem
9.2.5 Referente
9.2.6 Receptor
9.2.7 Emissor
10. DISSERTAÇÃO
10.1 Elaboração de texto
crítico
10.2 Estrutura
10.2.1 Conclusão
10.2.2
Desenvolvimento
10.2.3 Introdução
11. TÉCNICA DE
INTELECÇÃO DE TEXTO
11.1 Concisão
11.2 Coerência
11.3 Interpretativa
11.3.1 Validade e
relevância da
argumentação e da
contra-
argumentação
11.3.2
Profundidade no
tratamento do tema
11.3.3 Coerência
interna
11.4 Temática
11.4.1 Resumo do
texto
11.4.2 Depreensão
da mensagem
11.4.3 Depreensão
do tema
79
11.4.4 Depreensão
do assunto
11.5 Análise textual
(etapa de preparação de
compreensão do texto)
11.6 Tipos de parágrafo
11.6.1 Dissertativo
11.6.2 Descritivo
11.6.3 Narrativo
11.7 Estrutura dos
parágrafos
11.7.1 Ideias
secundárias
11.7.2 Tópico frasal

80
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Biblioteca
Laboratório de informática

Softwares de edição de texto, planilhas e apresentações


Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Normas técnicas
Materiais
Projetos de automação e TI
Manuais técnicos e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

81
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Fundamentos de Redes de Comunicação

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos à redes de comunicação que
subsidiem o desenvolvimento de capacidades técnicas da ocupação, bem como, as capacidades sociais,
organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. COMPONENTES DE


REDES DE COMUNICAÇÃO
1.1 Acessórios de rede:
Fundamentos Técnicos Científicos
características e
aplicações
Reconhecer fundamentos de redes de comunicação associados a 1.1.1 Canaletas
sistemas de automação e TI 1.1.2 Eletrocalhas
1.1.3 Réguas de
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas tomadas
1.1.4 Guias de
cabos
Capacidades Sociais
1.1.5 Bandejas
Proceder de modo ético no desenvolvimento das atividades sob a 1.1.6 Rack
sua responsabilidade 1.2 Passivos de rede:
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas nos grupos características e
e equipes aplicações
1.2.1 Tomadas
Capacidades Organizativas RJ45
1.2.2 Patch panel
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em possíveis
1.3 Ativos de rede:
situações de riscos inerentes às atividades sob sua
características e
responsabilidade
aplicações
Demonstrar postura profissional como resposta em situações e
1.3.1 Repetidor
contextos adversos
1.3.2 Access Point
Demonstrar comprometimento com os objetivos e metas do
1.3.3 Roteador
negócio para alcance dos resultados da empresa
1.3.4 Switch
Capacidades Metodológicas 1.3.5 Hub
1.4 Cabeamento
Manifestar comportamento autoempreendedor na realização das estruturado
atividades profissionais sob sua responsabilidade 1.4.1 Cabeamento
óptico
82
1.4.2 Cabeamento
metálico
1.4.3 Subcamadas
1.4.4 Normas
técnicas
2. ARQUITETURA DE REDE:
CARACTERÍSTICAS E
APLICAÇÕES
2.1 Rede IoT
2.1.1 Protocolos de
comunicação
2.1.2 Sensores e
atuadores
2.1.3 Infraestrutura
2.2 Rede Corporativa
2.2.1 Lógica
2.2.2 Física
2.3 Rede Industrial
2.3.1 Dispositivos
de campo,
sensores e
atuadores
2.3.2 Controle
(CLP, CNC, SDCD
e PC)
2.3.3 Supervisão
(Workstation, PC e
IHM)
2.3.4
Gerenciamento de
planta
(Workstation)
2.3.5
Gerenciamento
coorporativo
(Mainframe e
Cloud)
3. REDES DE
COMUNICAÇÃO
3.1 Software simulador
3.2 Endereçamento de
rede
3.2.1 Máscaras de
sub-rede
3.2.2 IP
3.3 Modelos de
referência
3.3.1 TCP/IP
3.3.2 Modelo OSI
3.4 Comunicação de
dados
3.4.1 Modos de

83
operação
3.4.2 Multiplexação
3.4.3 Sinais de
comunicação
3.4.4 Meios de
transmissão
3.4.5 Protocolos de
comunicação
3.5 Classificação de
redes
3.5.1 Topologia
3.5.2 Capacidade
de transferência de
informação
3.5.3 Tecnologias
de transmissão
3.5.4 Meio físico
3.5.5
Terminologias
3.6 Definição

84
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Laboratório de redes
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de informática
Sala de aula

Projetor multimídia
Testador de cabos
Ferramentas manuais
Alicate de crimpagem
Dispositivos para redes IoT
Softwares simuladores da estrutura de rede
Multímetro
Cabos metálicos
Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Switch
Roteador
Punch Down
Decapador
Localizador de cabos
Dispositivos para redes industriais
Patch Panel
Rack

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais
Apostilas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

85
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Gestão de Projetos de Automação e TI

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos à gestão de projetos que
subsidiem o desenvolvimento de capacidades técnicas relativas ao desenvolvimento e monitoramento de
projetos de sistemas automatizados bem como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. OBJETIVOS E METAS


ORGANIZACIONAIS
1.1 Feedback
Fundamentos Técnicos Científicos
1.2 Avaliação de desempenho
1.3 Ferramentas de monitoramento
Aplicar os fundamentos da gestão de projetos associados 1.4 Indicadores de desempenho
aos sistemas de automação e TI 1.5 Planejamento estratégico
Aplicar os fundamentos da qualidade, saúde, segurança e 2. COMPORTAMENTO E EQUIPES DE
meio ambiente nas atividades de integração de sistemas TRABALHO
de automação e TI 2.1 Hierarquia nas relações de
trabalho
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.2 Cultura organizacional
2.3 Fatores de satisfação no
trabalho
Capacidades Sociais
2.4 A influência do ambiente de
Proceder de modo ético no desenvolvimento das trabalho no comportamento
atividades sob a sua responsabilidade 2.5 O papel das normas de
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas convivência em grupos sociais
nos grupos e equipes 2.6 O homem como ser social
3. METODOLOGIAS ÁGEIS DE
Capacidades Organizativas GERENCIAMENTO DE PROJETOS:
APLICAÇÃO
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em
3.1 Kanban
possíveis situações de riscos inerentes às atividades
3.2 SCRUM
sob sua responsabilidade
3.3 PM Canvas
Demonstrar postura profissional como resposta em
3.4 Design Thinking
situações e contextos adversos
4. GERENCIAMENTO DE PROJETOS
86
Demonstrar comprometimento com os objetivos e 4.1 Padrões de gerenciamento de
metas do negócio para alcance dos resultados da projetos
empresa 4.1.1 Softwares de
gerenciamento de projetos
Capacidades Metodológicas 4.1.2 Monitoramento e
controle de projeto
Manifestar comportamento autoempreendedor na
4.1.3 Gerenciamento de
realização das atividades profissionais sob sua
riscos do projeto
responsabilidade
4.1.4 Gerenciamento de
comunicações
4.1.5 Gerenciamento dos
recursos humanos
4.1.6 Gerenciamento de
custo
4.1.7 Gerenciamento do
tempo
4.2 Definição e Planejamento
4.2.1 Gerente de projeto
4.2.2 Stakeholders
4.2.3 Demandas e restrições
4.2.4 Requisitos
4.2.5 Projetos e processo
4.2.6 Objetivo
5. PROJETO DE SISTEMAS DE
AUTOMAÇÃO E TI
5.1 Relacionamento com o cliente
5.2 Etapas de gerenciamento
5.3 Ciclo de vida
5.4 Tipos
5.5 Objetivo
5.6 Características
5.7 Definição
6. MEIO AMBIENTE
6.1 Gestão ambiental
6.1.1 Responsabilidade
ambiental
6.1.2 Sistemas de gestão
ambiental
6.2 Gerenciamento de resíduos
6.2.1 Tratamento
6.2.2 Classificação
6.2.3 Caracterização
6.3 Desenvolvimento sustentável
6.3.1 Conservação x
preservação ambiental
6.3.2 Paradigmas ambientais
6.3.3 Ecossistema
7. FUNDAMENTOS DA QUALIDADE
7.1 Sistemas de qualidade
7.1.1 Certificação
7.1.2 Manuais de qualidade
7.1.3 Definição

87
7.2 Ferramentas da qualidade
7.2.1 MASP
7.2.2 Cronoanálise
7.2.3 Diagrama de Pareto
7.2.4 Lista de verificação
7.2.5 Fluxograma
7.2.6 Diagrama de causa e
efeito
7.2.7 Ciclo PDCA
7.2.8 Brainstorming
7.3 Princípios da qualidade
7.3.1 Motivos e benefícios
7.3.2 Definição
8. SEGURANÇA E SAÚDE NO
TRABALHO
8.1 Prevenção contra incêndio
8.1.1 Equipamentos de
combate a incêndios
8.1.2 Agentes extintores
8.1.3 Métodos de extinção do
fogo
8.1.4 Classes de incêndio
8.1.5 Teoria do fogo
8.2 Procedimentos para
atendimento de emergência
8.2.1 Procedimentos de
primeiros socorros
8.2.2 Procedimentos de
emergência
8.3 Equipamentos de proteção
individual e coletiva
8.3.1 Certificado de
Aprovação (CA)
8.3.2 Obrigações legais
8.3.3 Classificação
8.3.4 Métodos de utilização
8.3.5 Definições
8.4 Impactos dos acidentes e
doenças
8.4.1 Custos resultantes para
a sociedade
8.4.2 Prejuízos da empresa
8.4.3 Danos causados ao
trabalhador
8.5 Acidentes e doenças do
trabalho
8.5.1 Serviço Especializado
em Engenharia de
Segurança e Medicina do
Trabalho (SESMT)
8.5.2 Comissão Interna de
Prevenção de Acidentes

88
(CIPA)
8.5.3 Comunicação do
Acidente do Trabalho (CAT)
8.5.4 Doenças profissionais
ou do trabalho
8.5.5 Causas e
consequências
8.5.6 Definição
8.6 Riscos ocupacionais
8.6.1 Mapa de risco
8.6.2 Medidas de controle
8.6.3 Avaliação
8.6.4 Classificação

89
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de informática
Biblioteca

Software para gerenciamento de projetos


Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Normas técnicas
Materiais
Projetos de automação e TI
Manuais técnicos e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

90
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Fundamentos do Desenvolvimento de Software

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos à programação de software


que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem como, as capacidades
sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. AUTOEMPREENDEDORISMO


1.1 Cooperação como ferramenta
de desenvolvimento
Fundamentos Técnicos Científicos
1.2 Independência e autoconfiança
1.3 Persuasão e rede de contatos
Aplicar metodologia de planejamento de software para 1.4 Valores do empreendedor
elaborar programas de equipamentos e dispositivos 1.4.1 Comprometimento
Aplicar técnicas de programação na elaboração de 1.4.2 Persistência
algoritmos inerente ao sistema de automação e TI 1.5 A construção da missão
Reconhecer características de hardware e desoftware de pessoal
base aplicados a sistemas de TI eautomação 1.6 Auto-responsabilidade e
empreendedorismo
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 1.7 Atitudes empreendedoras
1.8 Características
empreendedoras
Capacidades Sociais
2. POSTURA PROFISSIONAL
Proceder de modo ético no desenvolvimento das 2.1 A importância da organização
atividades sob a sua responsabilidade do local de trabalho
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas 2.2 Planejamento, organização e
nos grupos e equipes controle
2.3 Compromisso
Capacidades Organizativas 3. VIRTUDES PROFISSIONAIS:
CONCEITOS E VALOR
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em
3.1 Imparcialidade
possíveis situações de riscos inerentes às atividades
3.2 Perseverança
sob sua responsabilidade
3.3 Prudência
Demonstrar postura profissional como resposta em
3.4 Sigilo
91
situações e contextos adversos 3.5 Honestidade
Demonstrar comprometimento com os objetivos e 3.6 Iniciativa
metas do negócio para alcance dos resultados da 3.7 Responsabilidade
empresa 4. ENGENHARIA DE SOFTWARE
4.1 Modelagem de sistemas
Capacidades Metodológicas
4.1.1 Organização de dados
Manifestar comportamento autoempreendedor na 4.1.2 Técnicas
realização das atividades profissionais sob sua 4.1.3 Requisitos
responsabilidade 4.1.4 Regra de negócio
4.2 Metodologias de
desenvolvimento de sistemas
4.2.1 Tipos (clássicas e
ágeis)
4.2.2 Aplicabilidade
4.2.3 Ferramentas
4.2.4 Características
5. PROGRAMAÇÃO DE DISPOSITIVOS
DE AUTOMAÇÃO E TI
5.1 Linguagens de programação
5.1.1 Indentação
5.1.2 Semântica
5.1.3 Frameworks
5.1.4 Bibliotecas e API´s
5.1.5 Técnicas de
programação (C e Java)
5.1.6 Aplicações (Assembly,
C, C++, C#, Visual Basic,
HTML, Java, Phyton, PHP,
JavaScript)
5.1.7 Características
5.2 Paradigmas de Programação:
características
5.2.1 Orientado a eventos
5.2.2 Orientado objetos
5.2.3 Lógico
5.2.4 Declarativo
5.2.5 Funcional
5.2.6 Imperativo
5.3 Etapas do processo de
conversão
5.3.1 Montagem
5.3.2 Compilação
5.3.3 Ligação
5.3.4 Interpretação
5.4 Programas de computadores
5.4.1 Níveis de linguagens de
programação
5.4.2 Características
5.4.3 Definição
6. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO E
ALGORITMOS
6.1 Algoritmos

92
6.1.1 Estruturas de dados
6.1.2 Fluxogramas
6.1.3 Repetições
6.1.4 Decisões
6.1.5 Descritivo
6.2 Lógica
6.2.1 Operadores relacionais
6.2.2 Operadores aritméticos
6.2.3 Operadores lógicos
6.2.4 Lógica proposicional
7. SOFTWARE
7.1 Aplicativos
7.1.1 Tipos
7.1.2 Definições
7.2 Software de Base
7.2.1 Drivers
7.2.2 Sistemas operacionais
7.2.3 Firmware
8. ELEMENTOS DE HARDWARE DE
COMPUTADORES
8.1 Placa Principal
8.1.1 Interfaces
8.1.2 Memória cache
8.1.3 BIOS
8.2 Memória
8.2.1 FLASH
8.2.2 Temporária
8.2.3 Permanente
8.3 Arquitetura
8.3.1 Dispositivos Periféricos
8.3.2 Unidade Central de
Processamento
8.4 Histórico

93
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Biblioteca
Laboratório de informática

Projetor multimídia
Quadro branco
Máquinas, Equipamentos,
Software de simulação digital
Instrumentos e Ferramentas
Compiladores
Softwares de programação IDE

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais Manuais e catálogos
Apostilas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

94
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Fundamentos da Instrumentação

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos à instrumentação que


subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem como, as capacidades sociais,
organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. SIMBOLOGIA E


NOMENCLATURA
1.1 Diagramas P&I
Fundamentos Técnicos Científicos
1.2 Norma ISA-5.1
2. INSTRUMENTAÇÃO PARA
Reconhecer os fundamentos da instrumentação aplicados em AUTOMAÇÃO
sistemas de automação 2.1 Malhas de controle:
características
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.1.1 Fechada
2.1.2 Aberta
2.2 Características gerais dos
Capacidades Organizativas
instrumentos
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em 2.2.1 Telemetria
possíveis situações de riscos inerentes às atividades sob (Pneumática, Eletrônica
sua responsabilidade Analógica, digital, via
Demonstrar postura profissional como resposta em rádio, Wireless)
situações e contextos adversos 2.2.2 Tipos de Erro
Demonstrar comprometimento com os objetivos e metas do 2.2.3 Rastreabilidade
negócio para alcance dos resultados da empresa 2.2.4 Histerese
2.2.5 Rangeabilidade
Capacidades Sociais 2.2.6 Confiabilidade
2.2.7 Exatidão
Proceder de modo ético no desenvolvimento das
2.2.8 Precisão
atividades sob a sua responsabilidade
2.2.9 Zona Morta
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas nos
2.2.10 Sensibilidade
grupos e equipes
2.2.11 Repetitividade
Capacidades Metodológicas 2.2.12 Span
95
Manifestar comportamento autoempreendedor na 2.2.13 Range
realização das atividades profissionais sob sua 2.3 Classes dos instrumentos:
responsabilidade características e aplicações
2.3.1 Transdutor
2.3.2 Conversor
2.3.3 Elementos finais de
controle
2.3.4 Controlador
2.3.5 Indicador
2.3.6 Registrador
2.3.7 Transmissor
2.3.8 Sensor
2.4 Variáveis físicas industriais
2.4.1 Nível
2.4.2 Pressão
2.4.3 Vazão
2.4.4 Temperatura
3. PROCESSOS INDUSTRIAIS
3.1 Equipamentos Industriais:
definições e aplicações
3.1.1 Reservatório
3.1.2 Reator
3.1.3 Trocador de calor
3.1.4 Caldeira
3.1.5 Forno
3.1.6 Compressor
3.1.7 Bomba
3.1.8 Tubulações e
acessório
3.2 Aplicações (principais
segmentos industriais da
região)
3.3 Fluxograma de processo
3.4 Tipos e etapas
3.5 Definição

96
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de instrumentação
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Multímetro
Placas de orifícios
Válvulas
Sensores
Transmissores
Planta de processo
Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Projetor multimídia
Simuladores de controle de processo
Ferramentas para calibração/parametrização
Chave magnética
Ferramentas manuais
Bancada de calibração

Projetos de automação
Apostilas
Livros didáticos
Materiais
Manuais e catálogos
Normas técnicas
Sites e aplicativos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

97
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Programação de Drivers para Dispositivos de Automação

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na programação de drivers para dispositivos de
automação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .3 1.3 .1 Considerando - Identificar o escopo e


Programar os requisitos do 1. DOENÇAS
cronograma previstos no projeto
drivers para projeto de OCUPACIONAIS
de automação e ou ordem de
dispositivos automação e ou 1.1 PCMSO
serviço para garantia do
de ordem de serviço 1.2 ASO
atendimento dos prazos e
automação 1.3 Tipificação legal
demanda estabelecidos
1.4 Definição
- Identificar funcionalidades e 2.
requisitos dos dispositivos e RESPONSABILIDADES
equipamentos a serem PROFISSIONAIS
considerados para a programação 2.1 Políticas públicas
dos drivers ambientais
2.2 Seguridade
social
2.3
1.3 .2 Considerando - Identificar as funcionalidades e Responsabilidade
as especificações características do ambiente de social
técnicas dos desenvolvimento de acordo com a 2.4
dispositivos documentação dos equipamentos Responsabilidades
contidas na ou dispositivos socioambientais
documentação do 3. PROGRAMAÇÃO
fabricante - Identificar as características PARA COMUNICAÇÃO
técnicas dos equipamentos e DE DISPOSITIVOS DE
dispositivos que subsidiam sua AUTOMAÇÃO
programação 3.1 Protocolos de
comunicação
3.1.1
1.3 .3 Considerando Documentação
- Aplicar as linguagens de
os paradigmas das de software
programação conforme os
linguagens de 3.1.2 Técnicas
requisitos técnicos estabelecidos
programação de
no projeto
adequados aos programação
98
dispositivos - Aplicar procedimentos de (C#, Python e
instalação de pacotes de software Visual Basic)
para preparação do ambiente de 3.1.3
programação, de acordo com as Linguagens de
características técnicas dos programação
dispositivos instalados (Assembly, C,
C++, C#,
- Definir o paradigma da Visual Basic,
linguagem de programação a ser HTML, Java,
utilizado em função dos requisitos Phyton, PHP,
técnicos do projeto e do JavaScript,
dispositivo etc.)
3.1.4
Requisitos da
demanda
1.3 .4 Considerando - Identificar os procedimentos 3.2 Requisitos dos
os procedimentos técnicos de registro e guarda de protocolos de
técnicos informações contidas nas comunicação
estabelecidos para instruções de trabalho da empresa 3.2.1
documentação do
Parâmetros de
software - Aplicar ferramentas de
configuração
elaboração de documentação para
3.2.2 Formato
os softwares dos dispositivos
de dados
- Detalhar as funções das linhas de 3.3 Ambiente
código para registro técnico das Integrado de
informações dos softwares dos Desenvolvimento
dispositivos (IDE): instalação e
configuração
3.3.1
Bibliotecas
1.3 .5 Considerando - Aplicar requisitos normativos 3.3.2 Pacotes
os padrões e para a programação de de
normas técnicas dispositivos comunicação
relacionados à 3.3.3 Layout
programação de - Selecionar os requisitos 3.3.4
drivers normativos aplicáveis para a Comandos
programação de dispositivos 4. DISPOSITIVOS DE
AUTOMAÇÃO PARA
COMUNICAÇÃO
(DRIVERS)
Fundamentos Técnicos Científicos
4.1 Protocolos
4.1.1
Especificações
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 4.1.2
Aplicações
Capacidades Organizativas 4.1.3 Tipos
(ProfiBus,
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a acidentes
ModBus,
de trabalho e doenças ocupacionais
DeviceNet,
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento e
ProfiNet,
organização de ambientes de trabalho
Ethernet IP,
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno e
EtherCat, ASI e
externo relacionado aos negócios da empresa
99
Capacidades Sociais CanOpen)
4.2 Aplicações
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para colegas e 4.3 Características
equipes de trabalho 4.4 Definição
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na coordenação
de equipes de trabalho

Capacidades Metodológicas

Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento,


mantendo-se atualizado profissionalmente

100
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Laboratório de redes
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Laboratório de automação/mecatrônica
Laboratório de informática

Softwares de supervisório
Plataforma de desenvolvimento de sistemas microprocessados
Plataforma de desenvolvimento de sistemas microcontrolados
Projetor multimídia
Controladores Lógico Programáveis (CLP)
Softwares de programação de microprocessadores
Softwares de programação de microcontroladores
Máquinas, Equipamentos,
Ferramentas manuais
Instrumentos e Ferramentas
Quadro branco
Gateways industriais
Softwares de desenvolvimento de programas
Softwares de configuração de dispositivos de automação
Dispositivos de automação com comunicação (IHM´s, inversores,
transmissores, etc.)
Softwares de programação de CLP

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Apostilas
Materiais
Manuais e catálogos
Normas técnicas
Projetos de automação e IoT

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

101
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Programação de Sistemas Embarcados

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na programação de microcontroladores e
microprocessadores.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

1 .1 Programar 1.1 .1 - Identificar o escopo e


microcontroladores Considerando o 1. DESENVOLVIMENTO
cronograma previstos no
e projeto do PROFISSIONAL
projeto do sistema
microprocessadores sistema 1.1 Empregabilidade
embarcado para garantia
embarcado 1.2 Investimento
do atendimento dos
educacional
prazos e demandas
1.3 Planejamento
estabelecidos
profissional
- Identificar as 1.3.1 Formação
funcionalidades do profissional
sistema embarcado 1.3.2 Ascensão
tendo em vista a profissional
programação dos 2. CONTROLE EMOCIONAL
dispositivos a ser NO TRABALHO
realizada 2.1 Inteligência emocional
2.2 Autoconsciência
- Identificar as 2.3 Fatores internos e
informações técnicas externos
sobre os periféricos do 2.4 Perceber, avaliar e
sistema embarcado e expressar emoções no
suas características que trabalho
impactam na 3. DOCUMENTAÇÃO
programação TÉCNICA: ELABORAÇÃO
3.1 Controle de versão
- Identificar os tipos e
3.2 Arquivamento
características dos
3.3 Código-fonte
dispositivos que
comentado
demandam programação
3.4 Algoritmo
para aplicação em
3.5 Cronograma
sistemas embarcados
3.6 Fluxograma
4. COMPONENTE LÓGICO
DIGITAL PROGRAMÁVEL
102
(CPLD E FPGA)
1.1 .2 4.1 Circuitos de
- Aplicar procedimentos
Considerando de programação de aplicações
procedimentos microcontroladores e 4.2 Compilação da
técnicos de microprocessadores descrição de hardware
programação conforme a linguagem 4.2.1 Análise gráfica
conforme a definida dos resultados
linguagem a ser 4.2.2 Mensagens
utilizada - Definir a linguagem de 4.2.3 Mapeamento
programação a ser dos sinais internos
utilizada em função dos 4.2.4 Processos
requisitos técnicos do específicos
projeto e do dispositivo 4.3 Depuração do código
4.3.1 Sequencial
- Aplicar procedimentos
4.3.2 Em tempo de
de instalação e
execução
configuração de pacotes
4.3.3 Simulação
de software para
4.4 Técnicas de
preparação do ambiente
programação
de programação, de
4.4.1 Processos
acordo com as
combinatórios
características técnicas
4.4.2
dos dispositivos
Implementação de
registradores
4.4.3 Descrição
1.1 .3 comportamental
- Identificar os
Considerando 4.4.4 Descrição por
procedimentos técnicos
procedimentos fluxo de dados
de registro e guarda das
técnicos para 4.4.5 Descrição
informações contidas
registro de estrutural
nas instruções de
informações 4.4.6 Redes Petri
trabalho da empresa
sobre o software 4.4.7 Máquinas de
do sistema - Detalhar as funções das estados finito
embarcado linhas de código para 4.5 Ferramentas de
registro técnico das Software (LDH)
informações do software 4.5.1 Bibliotecas
dos dispositivos 4.5.2 Arquivos
4.5.3 Configuração
de pinos
4.5.4 Níveis de
hierarquia
4.5.5 Estrutura de
Fundamentos Técnicos Científicos
Projeto
4.6 Arquitetura
4.6.1
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas Transreceptores
4.6.2 Gerenciador
Capacidades Organizativas de clock
4.6.3 Blocos de
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a
memória
acidentes de trabalho e doenças ocupacionais
4.6.4 Matriz de
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento
interconexão
e organização de ambientes de trabalho

103
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno 4.6.5 Unidade lógica
e externo relacionado aos negócios da empresa 4.6.6 Estrutura
eletrônica
Capacidades Sociais 5. PROGRAMAÇÃO DE
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para MICROCONTROLADORES E
colegas e equipes de trabalho MICROPROCESSADORES
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na 5.1 Circuitos de
coordenação de equipes de trabalho aplicações
5.2 Execução e testes
Capacidades Metodológicas 5.2.1 Simulação
5.2.2 Depuração
Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento, 5.2.3 Compilação
mantendo-se atualizado profissionalmente 5.2.4 Interface de
desenvolvimento
integrado (IDE)
5.3 Linguagem de
programação
5.3.1 Estruturas
5.3.2 Funções
5.3.3 Variáveis
5.4 Planejamento
5.4.1 Algoritmos
5.4.2 Fluxogramas
6. MICROCONTROLADORES
E MICROPROCESSADORES
6.1 Interrupções: funções,
aplicações e configuração
6.1.1 Outras
6.1.2 Externas
6.1.3 Internas
6.1.4 Timer
6.2 Periféricos internos:
funções, aplicações e
configuração
6.2.1 Interface de
Comunicação
(USART, I2C, SPI,
USB e OneWire)
6.2.2 Conversor A/D
6.2.3 PWM
6.2.4 Contadores
6.2.5
Temporizadores
6.3 Instruções de máquina
6.3.1 Grupo
6.3.2 Estrutura
6.4 Memória e
registradores
6.4.1 Funções
6.4.2 Tipos e
características
6.5 Pinagem

104
6.5.1 Entrada e
Saída (I/O)
6.5.2 Descrição
6.6 Arquitetura
6.6.1 Advanced Risc
Machine (ARM)
6.6.2 Reduce
Instruction Set Code
(RISC)
6.6.3 Complex
Instruction Set Code
(CISC)
7. SISTEMAS EMBARCADOS
7.1 Aplicações
7.2 Tipos de dispositivos
e características
7.2.1 Application
Specific Integrated
Circuits (ASIC)
7.2.2 Complex
Programmable
Logic Device
(CPLD)
7.2.3 Field
Programmable Gate
Array (FPGA)
7.2.4 Digital Sinal
Processor (DSP)
7.2.5
Microcontroladores
7.2.6
Microprocessadores
7.3 Definição

105
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Laboratório de eletrônica
Ambientes Pedagógicos
Sala de aula
Biblioteca

Software de simulação digital


Softwares para programação (microcontroladores, microprocessadores,
CPLD e FPGA)
Plataforma de desenvolvimento com microprocessador
Plataforma de desenvolvimento com microcontrolador
Equipamentos de proteção individual
Dispositivos de proteção antiestática
Máquinas, Equipamentos, Plataforma de desenvolvimento com lógica digital programável
Instrumentos e Ferramentas Componentes eletrônicos
Multímetro
Osciloscópio
Gerador de função
Quadro branco
Projetor multimídia
Matriz de contato (protoboard)
Ferramentas manuais

Projetos eletrônicos
Livros didáticos
Sites e aplicativos
Materiais
Apostilas
Manuais e catálogos
Normas técnicas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

106
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Projetos de Interfaces Eletrônicas

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na elaboração de projetos de circuitos condicionadores
de sinais para sensores.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .2 Projetar 1.2 .1 Considerando - Avaliar as características


circuitos os requisitos da 1. LIDERANÇA
do ambiente que impactam
condicionadores demanda e 1.1 Delegação
no funcionamento do
de sinais para características do 1.2 Gestão de
hardware para definição das
sensores ambiente das conflitos
especificações dos circuitos
instalações dos 1.3 Feedback
que irão compor o projeto
circuitos (positivo e negativo)
condicionadores de - Correlacionar as 1.3.1 Efeitos
sinais informações fornecidas pela 1.3.2 Causas
demanda com as 1.4 Críticas e
características do circuito sugestões
eletrônico para 1.4.1 Reação
estabelecimento do 1.4.2
condicionamento de sinais Ponderação
1.4.3 Análise
1.5 Papéis do líder
1.6 Características
1.2 .2 Considerando - Identificar requisitos de 1.7 Estilos
os materiais, proteção para os 1.7.1 Liberal
equipamentos e dispositivos e componentes 1.7.2
componentes do circuito eletrônico Centralizador
necessários para os 1.7.3
circuitos - Aplicar procedimento de Democrático
condicionadores de cálculos de 2. PRINCÍPIOS DA ÉTICA
sinais dimensionamento de 2.1 Ética no
componentes para definição desenvolvimento das
do circuito eletrônico atividades
profissionais
- Identificar os materiais,
2.2 Ética nos
equipamentos e
relacionamentos
componentes suas
profissionais
2.3 Ética nas
107
características técnicas relações
demandadas para o circuito interpessoais
condicionadores de sinais 2.4 Respeito às
individualidades
pessoais
1.2 .3 Seguindo - Aplicar técnicas de 3. PROJETO DE
procedimentos proteção de circuitos CIRCUITOS
técnicos de conforme as necessidades CONDICIONADORES DE
elaboração de de funcionamento do SINAIS
desenho de circuitos condicionador de sinais 3.1 Apresentação
eletrônicos
final ao cliente
- Aplicar ferramentas de
3.2 Documentação
simulação para assegurar o
técnica
funcionamento do circuito
3.2.1 Manual de
condicionador de sinais
serviço
- Aplicar recursos 3.2.2 Manual de
computacionais em software instalação
de projeto para elaboração 3.2.3 Manual do
de desenhos de esquemas cliente
eletrônicos e layout de 3.3 Lista de recursos
placas de circuitos 3.4 Parâmetros de
impressos (PCI) qualidade
3.5 Prazo de entrega
- Aplicar simbologias, 3.6 Elaboração de
terminologias e convenções proposta ao cliente
gráficas de circuitos 3.7 Requisitos da
eletrônicos pertinentes para demanda
projetos de circuitos 3.8 Definição
condicionadores de sinais 4. SOLDAGEM DE
COMPONENTES
ELETRÔNICOS
4.1 Técnicas de
1.2 .4 Considerando - Selecionar a técnica de soldagem e
os requisitos de fabricação de placas de dessoldagem
viabilidade técnica e circuito impresso (PCI) para 4.1.1 SMD
de custos dos garantia da viabilidade 4.1.2 PTH
circuitos técnica e financeira do 4.2 Materiais:
condicionadores de circuito condicionador de características e
sinais sinais aplicação
4.2.1
- Aplicar técnicas de
Termoretrátil
prototipagem físicas e
4.2.2 Fita
virtuais para prova de
Kapton
conceito, tendo em vista a
4.2.3 Salva chip
eficiência e qualidade
4.2.4 Álcool
requeridas pelo circuito
isopropílico
eletrônico
4.2.5 Estanho
- Identificar custos dos 4.2.6 Fluxo
recursos humanos e 4.2.7 Solda
tecnológicos para líquida
4.2.8 Fita de
dessoldagem

108
elaboração do orçamento 4.3 Equipamentos:
do projeto de circuitos manipulação
condicionadores 4.3.1 Estação
1.2 .5 Considerando - Aplicar procedimentos de de retrabalho
procedimentos registro pertinentes a 4.3.2 Estação
técnicos para registro elaboração de de soldagem
de informações sobre documentação de projetos 4.4 Tipos de solda
os circuitos de circuitos eletrônicos 5. PROCESSOS DE
condicionadores de FABRICAÇÃO DE PCI
sinais - Identificar os 5.1 Fluxo de
procedimentos técnicos de fabricação
registro e guarda de 5.1.1 Insumos
informações contidas nas 5.1.2 Materiais
instruções de trabalho da 5.1.3
empresa Equipamentos
5.1.4 Etapas
5.2 Técnicas
mecânicas
1.2 .6 Considerando - Aplicar dispositivos 5.2.1 Aditivo
as normas técnicas, normativos para elaboração 5.2.2 Desbaste
de gestão da de projeto, tendo em vista a 5.2.3 Térmico
qualidade, de saúde compatibilidade técnica, 5.3 Técnicas
e segurança e de segurança do usuário e do químicas
sustentabilidade circuito eletrônico e 5.3.1
preservação do meio Fotográfico
ambiente 5.3.2
Serigráfico
5.4 Layer (face)
5.4.1 Múltiplas
Fundamentos Técnicos Científicos 5.4.2 Dupla
5.4.3 Simples
5.5 Materiais de
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas substratos:
características
Capacidades Organizativas 5.5.1 Folhas de
alumínio
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a acidentes 5.5.2 Poliester
de trabalho e doenças ocupacionais 5.5.3 Teflon
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento e 5.5.4 Fibra de
organização de ambientes de trabalho vidro / Epóxi
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno e 5.5.5 Fenolite
externo relacionado aos negócios da empresa 6. SISTEMA DE CAD
PARA CIRCUITOS
Capacidades Sociais
ELETRÔNICOS:
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para colegas COMANDOS E
e equipes de trabalho PROCEDIMENTOS
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na coordenação 6.1 Teste de
de equipes de trabalho funcionamento
6.1.1 Ajustes
Capacidades Metodológicas 6.1.2
Verificação das
Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento,
funcionalidades
mantendo-se atualizado profissionalmente
109
6.1.3
Verificação de
sinais
6.1.4 Simulação
computacional
6.2 Placas de
circuitos impressos
6.2.1 Pós-
processamento
(lista de ligação
e arquivos de
produção)
6.2.2 Trilhas
6.2.3 Pads e
Vias
6.2.4
Roteamento
6.2.5
Componentes
6.2.6 Footprint
6.2.7 Camadas
(layers)
6.2.8 Layout
6.3 Esquema
eletrônico
6.3.1 Listas de
materiais
6.3.2 Ligações
e barramentos
6.3.3
Bibliotecas de
componentes
6.3.4
Componentes
eletrônicos
6.3.5 Legendas
6.3.6 Layout da
área de trabalho
7. ESTRUTURAS
MECÂNICA
7.1 Aplicações
7.2 Características
7.3 Tipos
7.3.1
Acessórios
7.3.2
Adaptadores
7.3.3 Suportes
7.3.4
Conectores
7.3.5 Fixadores
7.3.6

110
Contenedores
(case)
8. COMPONENTES
ELETRÔNICOS
8.1 Dimensões físicas
8.2 Perfil
8.3 Encapsulamento
8.4 Tipos
8.4.1 Surface
mounting device
(SMD)
8.4.2 Pin
through hole
(PTH)
9. CIRCUITOS
ELETRÔNICOS:
CARACTERÍSTICAS,
APLICAÇÕES E
DIMENSIONAMENTO
9.1 Aplicações com
novas tecnologias de
circuitos integrados
9.2 Circuitos de
proteção
9.2.1 Dinâmica
9.2.2 Surtos
9.2.3
Eletromagnética
9.2.4
Antiestática
9.3 Buffer
9.4 Conversores D/A
e A/D
9.5 Osciladores
9.5.1 Biestável
9.5.2
Monoestável
9.5.3 Astável
9.6 Amplificadores
operacionais
9.6.1
Deslocadores
de níveis
9.6.2
Comparadores
9.6.3
Aritméticos
9.6.4
Diferenciais
9.6.5 Inversor e
não inversor

111
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Laboratório de eletrônica
Ambientes Pedagógicos
Sala de aula
Biblioteca

Software de simulação de circuitos eletrônicos


Softwares de CAD para circuitos eletrônicos e PCI
Multímetro
Quadro branco
Projetor multimídia
Matriz de contato (protoboard)
Sugador de solda
Ferramentas manuais
Suporte para PCI
Máquinas, Equipamentos,
Equipamentos de proteção individual
Instrumentos e Ferramentas
Dispositivo de proteção antiestática
Lupa com luminária
Ferramentas elétricas
Componentes eletrônicos
Pinça
Soprador térmico
Estação de soldagem e retrabalho SMD
Gerador de função
Osciloscópio

Normas técnicas
Projetos eletrônicos
Manuais técnicos e catálogos
Materiais
Livros didáticos
Apostilas
Sites e aplicativos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

112
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Manutenção de Sistemas Embarcados

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções utilizando sistemas embarcados, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na manutenção sistemas embarcados.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .4 Manter 1.4 .1 Considerando - Selecionar materiais,


sistemas o projeto, 1. ORGANIZAÇÃO DE
ferramentas e insumos em
embarcados documentação AMBIENTES DE TRABALHO
função das ações previstas
técnica, plano de 1.1 Organização do
nos documentos de referência
manutenção e ou espaço de trabalho
para manter o sistema
ordem de serviço do 1.2 Organização de
embarcado
sistema embarcado ferramentas e
- Identificar os tipos, instrumentos
periodicidade e históricos 1.2.1 Importância
para organização das ações 1.2.2 Formas
de manutenção do sistema 1.3 Princípios de
embarcado organização
2. ACIDENTES DE
TRABALHO
2.1 CAT
1.4 .2 Considerando - Correlacionar a equivalência 2.2 Tipificação legal
as especificações de funcionalidades entre 2.3 Definição
técnicas dos distintos componentes e 3. CULTURA
insumos, dispositivos para substituições PREVENCIONISTA
componentes e em caso de obsolescência 3.1 Doenças
ferramentas contidas sexualmente
na documentação do - Identificar as especificações transmissíveis
fabricante técnicas dos componentes e 3.2 Drogas e
dispositivos para diagnóstico entorpecentes
das falhas dos sistemas 3.3 Alimentação
embarcados Saudável
3.4 SIPAT
3.5 Qualidade de vida
no trabalho
1.4 .3 Considerando 3.5.1
- Analisar o funcionamento dos
os procedimentos Administração de
dispositivos dos sistemas
técnicos de stress
embarcados para diagnóstico
manutenção e 3.5.2 Cuidados
113
proteção dos de causas e falhas com a saúde
sistemas 3.6 Comportamento
- Aplicar técnicas de proteção
embarcados seguro
na manipulação dos
4. EXECUÇÃO DA
componentes e dispositivos a
MANUTENÇÃO DE
serem reparados ou
SISTEMAS EMBARCADOS
substituídos na manutenção
4.1 Procedimentos de
- Aplicar procedimentos segurança e
técnicos de manutenção em sustentabilidade
função das demandas 4.1.1 Descarte de
previstas no plano e ou ordem resíduos
de serviço para manter o 4.1.2 Medidas de
sistema embarcado proteção
4.1.3 Normas de
segurança
4.1.4 Riscos
1.4 .4 Considerando - Identificar os requisitos ocupacionais
as normas técnicas, normativos relacionados a 4.2 Procedimentos de
de gestão da manutenção para garantia do manutenção
qualidade, de saúde atendimento das 4.2.1 Backup
e segurança e de especificações técnicas 4.2.2 Atualização
sustentabilidade nacionais e internacionais, de de firmware e
segurança, qualidade e software
sustentabilidade 4.2.3 Alterações
de configurações
- Identificar os riscos
4.2.4 Alterações
envolvidos no processo de
de códigos em
manutenção para adoção das
software
medidas normativas aplicáveis
4.2.5 Análise de
temperatura
4.2.6 Limpeza e
1.4 .5 Considerando impermeabilização
- Aplicar ferramentas de
procedimentos 4.2.7 Reparos ou
elaboração de documentação
técnicos para substituições
para registro da manutenção
registro de (conexões,
informações sobre a - Identificar os procedimentos componentes
manutenção técnicos de registro e guarda eletrônicos,
de informações contidas nas componentes de
instruções de trabalho proteção, placas
de circuitos
- Detalhar as funções das impressos e
linhas de código para registro dessoldagem e
técnico das informações dos soldagem)
softwares corrigidos 4.2.8 Teste dos
componentes e
dispositivos
4.2.9 Análise de
Fundamentos Técnicos Científicos
sinais
4.2.10 Teste de
circuitos de
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas alimentação
4.3 Componentes e
Capacidades Organizativas
114
equipamentos dos
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a sistemas
acidentes de trabalho e doenças ocupacionais 4.3.1 Vida útil
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento e 4.3.2
organização de ambientes de trabalho Especificações
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno e técnicas de
externo relacionado aos negócios da empresa manutenção
4.4 Ferramentas e
Capacidades Sociais
instrumentos
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para 4.4.1 Analisador
colegas e equipes de trabalho de espectro
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na 4.4.2 Osciloscópio
coordenação de equipes de trabalho 4.4.3 Multímetro
4.4.4 Medidor de
Capacidades Metodológicas Temperatura
4.5 Análise de falhas
Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento,
4.5.1 Por software
mantendo-se atualizado profissionalmente
4.5.2 Por análise
de funcionamento
4.5.3 Por giga de
teste
4.5.4 Por
comparação com
outro equipamento
4.5.5 Por
comparação com
esquema
eletrônico
4.5.6 Inspeção
visual
4.6 Causa de falhas e
defeitos: características
4.6.1 Interferência
eletrostática
4.6.2 Interferência
eletromagnética
4.6.3 Curto-circuito
4.6.4 Isolação
4.6.5 Manipulação
4.6.6 Limpeza
4.6.7
Componentes
4.6.8 Descargas
atmosféricas e
surtos
4.6.9 Ventilação
4.6.10 Conexões
4.6.11 Umidade
4.6.12 Sistemas
de alimentação
5. PLANEJAMENTO E
CONTROLE DA
MANUTENÇÃO (PCM)
115
5.1 Software de gestão
de manutenção
5.1.1 Relatórios
5.1.2 Indicadores
5.1.3
Operacionalização
5.1.4 Atalhos
5.1.5 Recursos
5.2 Documentação
técnica
5.2.1 Projetos
5.2.2 Catálogos e
Manuais
5.2.3
Procedimentos
técnicos
5.2.4 Normas
5.3 Indicadores de
desempenho de
manutenção
5.3.1 Tempo
médio para
reparos (MTTR)
5.3.2 Tempo
médio de falhas
(MTBF)
5.3.3 Porcentagem
de pedidos de
manutenção por
tipo
5.3.4 Tempo
médio de
processamento
para um pedido de
manutenção
5.3.5 Pessoas-
horas despendido
em cada categoria
de manutenção
5.3.6 Número
médio de falhas de
processamento
5.4 Revisão de
requisitos
5.4.1 Revisão de
código
5.4.2 Interfaces
que poderiam
impactar na
manutenção
5.4.3 Áreas de
melhoramentos

116
futuros
5.5 Plano de
manutenção
5.5.1 Previsão de
recursos
5.5.2 Métricas de
manutenibilidade
5.5.3 Cronograma
5.5.4
Procedimentos de
manutenção e
checklist das
tarefas
5.5.5 Lista de
ferramentas
5.5.6 Ordens de
serviço
5.5.7 Histórico de
manutenção
5.6 Tipos de
manutenção
5.6.1 Perfectiva
5.6.2 Adaptativa
5.6.3 Evolutiva
5.6.4 Preventiva
5.6.5 Preditiva
5.6.6 Corretiva
5.7 Definição

117
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de eletrônica
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Biblioteca
Laboratório de Informática

Equipamentos de proteção individual


Dispositivos de proteção antiestática
Ferramentas elétricas
Estação de retrabalho
Componentes eletrônicos
Plataforma de desenvolvimento de lógica digital programável
Termômetro infravermelho (pirômetro digital)
Estação de soldagem
Fonte de alimentação
Osciloscópio
Máquinas, Equipamentos, Multímetro
Instrumentos e Ferramentas Projetor multimídia
Gerador de funções
Software de gestão da manutenção
Softwares para programação (microcontroladores, microprocessadores,
CPLD e FPGA)
Software de simulação digital
Ferramentas manuais
Plataforma de desenvolvimento de microprocessadores
Plataforma de desenvolvimento de microcontroladores
Sugador de solda
Quadro branco

Sites e aplicativos
Normas técnicas
Projetos eletrônicos
Materiais Catálogos e manuais técnicos
Livros didáticos
Apostilas
Sites e aplicativos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

118
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Manutenção de Sensores e Dispositivos de Automação

Carga Horária: 30h

Unidades de Competência:

UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as


normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na manutenção de sensores e dispositivos de automação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

2 .4 Manter 2.4 .1 Considerando - Correlacionar a


sensores e as especificações 1. ÉTICA SOCIAL
equivalência de
dispositivos técnicas dos sensores 1.1 Comportamento
funcionalidades entre
de e dispositivos contidas social
distintos dispositivos para
automação na documentação do 1.2 Cidadania
substituições em caso de
fabricante 1.3 Cultura, história e
obsolescência
dilema
- Identificar as especificações 1.4 Consciência moral
técnicas dos sensores e 1.5 Senso moral
dispositivos para diagnóstico 2. QUALIDADE AMBIENTAL
de possíveis falhas 2.1 Energias renováveis
2.2 Uso racional de
recursos e energias
disponíveis
2.4 .2 Considerando - Identificar os requisitos 2.3 Reciclagem de
as normas técnicas, de normativos relacionados a resíduos
gestão da qualidade, manutenção para garantia do 2.4 Descarte de
de saúde e segurança resíduos
atendimento das
e de sustentabilidade especificações técnicas 2.5 Aquecimento global
nacionais e internacionais, de 2.6 Prevenção à
segurança, qualidade e poluição ambiental
sustentabilidade 2.7 Homem e o meio
ambiente
- Identificar os riscos 3. EXECUÇÃO DA
envolvidos no processo de MANUTENÇÃO DE
manutenção para adoção SENSORES E
das medidas normativas DISPOSITIVOS DE
aplicáveis AUTOMAÇÃO
3.1 Procedimentos de
segurança e
sustentabilidade
3.1.1 Descarte de
resíduos
119
2.4 .3 Considerando o- Aplicar procedimentos 3.1.2 Medidas de
Plano de Manutenção técnicos de manutenção em proteção
do sistema de função das demandas 3.1.3 Normas de
automação e ou ordem previstas no plano e ou segurança
de serviço ordem de serviço para 3.1.4 Riscos
manter o sensores e ocupacionais
dispositivos 3.2 Procedimentos de
manutenção
- Selecionar materiais, 3.2.1 Backup
ferramentas e insumos em 3.2.2 Atualização
função das ações previstas de firmware e
no plano de manutenção e ou software
ordem de serviço para 3.2.3 Alterações
manter sensores e de configurações
dispositivos 3.2.4 Alterações
de códigos em
- Identificar os tipos,
software
periodicidade e históricos
3.2.5 Análise de
para organização das ações
temperatura
de manutenção
3.2.6 Reparos ou
substituições
3.2.7 Teste dos
2.4 .4 Considerando sensores e
- Aplicar procedimentos de
os procedimentos dispositivos
registro das informações
técnicos estabelecidos 3.2.8 Análise de
pertinentes à instalação
para registro de sinais
realizada.
informações sobre a 3.2.9 Teste de
manutenção dos - Selecionar as informações circuitos de
sistemas de pertinentes a instalação alimentação
automação realizada em função do 3.2.10 Normas
instrumento de registro a ser Técnicas
preenchido. 3.3 Ferramentas e
instrumentos
3.3.1
Osciloscópio
3.3.2 Multímetro
3.3.3 Medidor de
Fundamentos Técnicos Científicos
Temperatura
3.4 Análise de falhas
3.4.1 Por software
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
3.4.2 Por análise
de funcionamento
Capacidades Organizativas 3.4.3 Por
comparação com
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do
outro
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à
equipamento
sustentabilidade
3.4.4 Por
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes
comparação com
institucionais no exercício de suas responsabilidades
esquema elétrico
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais,
3.4.5 Inspeção
econômicos e tecnológicos no planejamento e execução das suas
visual
atividades
3.5 Causa de falhas e

120
Capacidades Sociais defeitos: Tipos e
características
Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença ou 3.5.1
ausência de princípios ou elementos éticos Corrosão/abrasão
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a 3.5.2 Interferência
harmonização entre os membros da equipe eletrostática
3.5.3 Interferência
Capacidades Metodológicas
eletromagnética
Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a 3.5.4 Curto-
criatividade como ferramenta para promoção da inovação circuito
3.5.5 Isolação
3.5.6 Manipulação
3.5.7 Limpeza
3.5.8
Componentes
3.5.9 Descargas
atmosféricas e
surtos
3.5.10 Ventilação
3.5.11 Conexões
3.5.12 Umidade
3.5.13 Sistemas
de alimentação
3.6 Plano de
Manutenção
3.6.1 Relatório de
Manutenção
3.6.2 Previsão de
recursos
tecnológicos
3.6.3 Cronograma
de manutenção
3.6.4
Procedimentos de
manutenção e
checklist das
tarefas
3.6.5 Lista de
peças e
ferramentas
3.6.6 Ordens de
Serviço

121
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de informática
Laboratório de automação/mecatrônica

Dispositivos de automação com comunicação (inversores, transmissores,


IHM, etc)
Controlador lógico programável (CLP)
Sensores e dispositivos de automação
Multímetro
Quadro branco
Projetor multimídia
Máquinas, Equipamentos, Software de gestão da manutenção
Instrumentos e Ferramentas Software de simulação digital
Equipamentos de proteção individual
Dispositivos de proteção antiestática
Ferramentas elétricas
Termômetro infravermelho (pirômetro digital)
Osciloscópio
Ferramentas manuais
Softwares para programação (dispositivos de Automação)

Livros didáticos
Normas técnicas
Manuais e catálogos
Materiais
Projetos de automação
Sites e aplicativos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

122
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Projetos de Estrutura de Sensoriamento

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as


normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar no planejamento da estrutura de sensoriamento.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

2 .1 Planejar a 2.1 .1 Considerando o - Identificar o escopo e


estrutura de projeto de automação 1. VISÃO SISTÊMICA
cronograma previstos no
sensoriamento 1.1 Aspectos
projeto de automação para
1.1.1
garantia do atendimento dos
Econômicos
prazos e demandas
1.1.2
estabelecidos
Tecnológicos
- Definir os tipos de sensores 1.1.3 Sociais
para garantia dos requisitos 1.1.4 Técnicos
funcionais do sistema de 1.2 Sociedade em
sensoriamento, considerando rede
as variáveis e seus limites 1.3 Microcosmo e
operacionais macrocosmo
1.4 Definição
- Identificar as característica 2. CRIATIVIDADE
e funcionalidades do sistema 2.1 Modelos e
de automação para definição ferramentas que
da estrutura de estimulam a
sensoriamento criatividade
2.2 Processo criativo
2.3 Potencial criativo
2.4 Tipos de
2.1 .2 Considerando as - Avaliar as características criatividade
características do físicas e estruturais do 2.5 Definição
ambiente das ambiente que impactam na 3. DIRETRIZES
instalações da estrutura estrutura de sensoriamento EMPRESARIAIS
de sensoriamento para definição das 3.1 Políticas de
especificações da instalação governança
3.2 Instruções
normativas e
2.1 .3 Considerando diretivas
- Dimensionar os recursos
insumos e 3.3 Planejamento
humanos para montagem e
componentes estratégico
123
disponíveis, bem como instalação da estrutura de 3.3.1 Valores
os recursos humanos e sensoriamento, em função do 3.3.2 Visão
tecnológicos tempo de execução e das 3.3.3 Missão
necessários para a características das 4. PROJETO DE
estrutura de atividades ESTRUTURA DE
sensoriamento SENSORIAMENTO
- Identificar requisitos de
4.1 Apresentação
proteção para os dispositivos
final ao cliente
e componentes da estrutura
4.2 Documentação
de sensoriamento
técnica
- Identificar os materiais, 4.2.1 Manual de
ferramentas, equipamentos e manutenção
componentes suas 4.2.2 Manual de
características técnicas instalação
demandadas para a estrutura 4.2.3 Manual de
de sensoriamento operação
4.3 Lista de recursos
- Dimensionar os 4.4 Parâmetros de
dispositivos, materiais e qualidade
equipamentos para definição 4.5 Prazo de entrega
das quantidades, posições e 4.6 Elaboração de
conexões de acordo com o proposta ao cliente
projeto de estrutura de 4.7 Definição
sensoriamento 5. SISTEMA DE CAD
PARA ESTRUTURA DE
SENSORIAMENTO:
2.1 .4 Considerando as COMANDOS E
- Identificar possíveis riscos
normas técnicas, de PROCEDIMENTOS
envolvidos no processo de
gestão da qualidade, 5.1 Normatização
instalação para adoção das
de saúde e segurança 5.2 Teste de
medidas normativas
e de sustentabilidade funcionamento
aplicáveis
5.2.1 Ajustes
- Aplicar dispositivos 5.2.2
normativos para elaboração Verificação das
do planejamento, tendo em funcionalidades
vista a compatibilidade 5.2.3
técnica, segurança do Verificação de
usuário e da estrutura de sinais
sensoriamento e 5.2.4
preservação do meio Simulação
ambiente computacional
5.3 Esquema
mecânico
5.3.1 Desenho
construtivo
5.3.2
Identificação
2.1 .5 Considerando - Aplicar ferramentas de (tag)
procedimentos técnicos elaboração de 5.3.3 Legendas
para registro de documentação para registro 5.3.4 Fixação e
informações sobre a de informações sobre a posicionamento
estrutura de estrutura de sensoriamento 5.3.5 Conexão
sensoriamento
124
- Identificar os procedimentos 5.4 Esquema elétrico
técnicos de registro e guarda 5.4.1 Listas de
de informações contidas nas materiais
instruções de trabalho 5.4.2 Ligações
e barramentos
5.4.3
Bibliotecas de
Fundamentos Técnicos Científicos
componentes
5.4.4
Componentes
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas elétricos
industriais
Capacidades Organizativas 5.4.5 Legendas
5.4.6 Layout da
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do
área de
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à
trabalho
sustentabilidade
6. ESTRUTURA DE
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes
SENSORES
institucionais no exercício de suas responsabilidades
6.1 Procedimentos
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, econômicos e
de montagem
tecnológicos no planejamento e execução das suas atividades
6.1.1
Capacidades Sociais Segurança
(NR)
Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença ou 6.1.2 Elétrico
ausência de princípios ou elementos éticos 6.1.3 Mecânico
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a 6.2 Infraestrutura de
harmonização entre os membros da equipe instalação:
características e
Capacidades Metodológicas
dimensionamento
Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a criatividade 6.2.1
como ferramenta para promoção da inovação Cabeamento
6.2.2
Tubulações
6.2.3 Canaletas
6.3 Características
técnicas dos
sensores
6.3.1
Conectorização
6.3.2
Comunicação
6.3.3
Frequência de
comutação
6.3.4 Formas
de fixação
6.3.5 Sinal de
saída
6.3.6
Temperatura de
operação
6.3.7 Grau de

125
proteção (IP)
6.3.8 Faixa de
medição
6.4 Requisitos do
sistema de
automação:
levantamento
6.4.1 Ambiente
de instalação
6.4.2
Fluxograma de
funcionalidade
do processo
produtivo
6.4.3
Documentação
de
programação
6.4.4
Documentação
mecânica
6.4.5
Documentação
elétrica

126
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Software de CAD para simulação de sistemas de automação


Máquinas, Equipamentos, Software de CAD para sistemas elétricos e mecânicos
Instrumentos e Ferramentas Quadro branco
Projetor multimídia

Sites e aplicativos
Projetos de automação
Normas técnicas
Materiais
Livros didáticos
Manuais e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

127
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Instalação de Sensores e Dispositivos de Automação

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC2 : Implementar sensoriamento para monitoramento e controle automatizado de processos, considerando as


normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na instalação, parametrização e comissionamento de
sensores e dispositivos de automação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

2 .2 Realizar a 2.2 .1 Considerando - Identificar o escopo e


instalação e as especificações do 1. TRABALHO E
cronograma do serviço
parametrização projeto de automação PROFISSIONALISMO
conforme a demanda
de sensores e e ou ordem de 1.1 Inovação,
estabelecida no projeto de
dispositivos de serviço flexibilidade e
automação e ou ordem de
automação tecnologia
serviço para garantir o
1.2 Autonomia e
atendimento dos prazos e
iniciativa
demandas estabelecidos
1.3 Administração do
- Detalhar a sequência das tempo
atividades de instalação 2. CONFLITOS NAS
conforme indicações da ORGANIZAÇÕES
ordem de serviço, para 2.1 Consequências
garantir o atendimento dos 2.2 Causas
prazos e escopo do projeto. 2.3 Fatores internos e
externos
- Identificar as características 2.4 Características
técnicas dos materiais e 2.5 Tipos
equipamentos, bem como 3. COMISSIONAMENTO DE
suas quantidades, posições SENSORES E
e conexões, de acordo com DISPOSITIVOS DE
o projeto de automação. AUTOMAÇÃO
3.1 Relatório de testes:
elaboração
3.2 Procedimentos de
testes
2.2 .2 Considerando 3.2.1 Validação
- Identificar as
as especificações 3.2.2
especificações técnicas dos
técnicas dos Instrumentos de
sensores e dispositivos nos
sensores e medição
manuais e catálogos do
dispositivos contidas 3.2.3 Tipos de
fabricante.
na documentação do testes (físico e
128
fabricante elétrico)
3.2.4 Parâmetros
2.2 .3 Considerando 3.3 Normatização
- Aplicar procedimentos de
os procedimentos 3.3.1 Normas
teste para validação do
técnicos definidos complementares
funcionamento dos sensores
para instalação e 3.3.2 Norma de
e dispositivos.
parametrização dos Instalação e
sensores e - Aplicar procedimentos de comissionamento
dispositivos de montagem, conexão e de máquinas
automação parametrização dos 3.4 Procedimentos de
sensores em dispositivos de segurança
automação e TI. 3.4.1 Para o
equipamento
- Correlacionar os resultados 3.4.2 Para o
medidos nos sensores e trabalhador
dispositivos com requisitos 3.5 Aplicações de
técnicos pré-estabelecidos comissionamento
conforme instalação a ser 3.5.1 Posta em
realizada. marcha (startup)
3.5.2
Dispositivos de
automação
2.2 .4 Considerando - Aplicar requisitos técnicos 3.5.3
as normas técnicas, e normativos na instalação e Eletromecânico
de gestão da parametrização de sensores 3.6 Requisitos no
qualidade, de saúde e dispositivos de automação projeto
e segurança e de e TI 3.6.1
sustentabilidade
Identificação
- Identificar os requisitos
(tag)
normativos aplicados a
3.6.2 Medições
instalação e parametrização
3.6.3 Posições
de sensores e dispositivos
(alocação)
3.7 Definição
4. INSTALAÇÃO,
PROGRAMAÇÃO E
2.2 .5 Considerando - Aplicar procedimentos de CONFIGURAÇÃO DE
os procedimentos registro das informações DISPOSITIVOS DE
técnicos pertinentes à instalação AUTOMAÇÃO
estabelecidos para o realizada. 4.1 Instalação de
registro das softwares para
informações da - Selecionar as informações automação
instalação e pertinentes a instalação 4.1.1
parametrização realizada em função do Gerenciamento
instrumento de registro a ser de licenças
preenchido. 4.1.2
Procedimentos
de configuração
4.1.3 Tipos e
2 .3 2.3 .1 Considerando - Identificar as características pacotes
Comissionar as especificações do técnicas dos sensores e
4.2 Instalação física
sensores e projeto de automação dispositivos, bem como suas
4.2.1 Testes de
dispositivos de quantidades, posições e validação
automação conexões para definição do
129
tipo de testes a ser realizado 4.2.2 Análise de
manuais e
- Identificar as características catálogos de
e funcionalidades do fabricante
sistema de automação para 4.2.3 Gestão da
estabelecimento dos documentação
parâmetros de testes do projeto
4.2.4
Parametrização
4.2.5
2.3 .2 Considerando
- Aplicar requisitos técnicos Ferramentas
as normas técnicas, e normativos identificado no manuais
de gestão da comissionamento de 4.2.6 Análise do
qualidade, de saúde sensores e dispositivos de projeto e da
e segurança e de automação instalação
sustentabilidade
4.3 Conversores e
- Identificar os requisitos
inversores
normativos aplicados para o
4.3.1
comissionamento de
Parametrização
sensores e dispositivos de
de drives
automação
4.3.2 Tipos e
características
4.4 Interface homem
máquina
4.4.1 Técnicas
2.3 .3 Considerando - Correlacionar os resultados de programação
os procedimentos obtidos nos sensores e 4.4.2
técnicos de testes de dispositivos com requisitos Especificações
comissionamento pré-estabelecidos para 4.4.3
conforme os tipos de garantida do funcionamento Comunicação
sensores e conforme a demanda 4.4.4 Tipos e
dispositivos requerida características
4.5 Controladores
- Aplicar procedimentos de
lógicos programáveis
testes de comissionamento
4.5.1 Técnicas
dos sensores e dispositivos
de Programação
para assegurar o
4.5.2 Linguagem
funcionamento e segurança
e paradigma de
do sistema de automação
programação
- Selecionar as ferramentas (conforme norma
e equipamentos necessários de referência)
para a execução dos 4.5.3 Tipos e
procedimentos de testes do características
comissionamento 4.6 Robótica
4.6.1 Técnicas
- Selecionar o tipo de teste de programação
adequado para cada etapa 4.6.2
do comissionamento, de Componentes de
acordo com os sensores e sistemas
dispositivos do sistema de robotizados
automação 4.6.3 Tipos de
robôs

130
5. INSTALAÇÃO E
2.3 .4 Considerando - Identificar as características CONFIGURAÇÃO DE
as características técnicas dos sensores e SENSORES
técnicas dos dispositivos na 5.1 Instalação física
sensores e documentação do fabricante 5.1.1 Análise de
dispositivos contidas para comparação de manuais e
na documentação do resultados do catálogos de
fabricante comissionamento fabricantes
5.1.2 Gestão da
documentação
técnica
2.3 .5 Considerando - Aplicar as ferramentas de 5.1.3
os procedimentos elaboração de Parametrização
técnicos documentação para registro 5.1.4
estabelecidos para o do comissionamento Ferramentas
registro das manuais
informações do - Identificar os 5.1.5 Análise do
comissionamento procedimentos técnicos de projeto e da
registro e guarda das instalação
informações contidas nas 5.2 Transdutores e
instruções de trabalho da conversores
empresa 5.2.1
Conversores de
sinais
5.2.2 Passivos
Fundamentos Técnicos Científicos 5.2.3 Ativos
5.3 Princípios físicos e
aplicações
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 5.3.1 Sistema de
visão (visão de
Capacidades Organizativas máquina)
5.3.2 Sensores
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do de
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à posicionamento
sustentabilidade 5.3.3 Sensor de
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes temperatura
institucionais no exercício de suas responsabilidades 5.3.4 Sensor de
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, econômicos vazão
e tecnológicos no planejamento e execução das suas atividades 5.3.5
Extensômetros e
Capacidades Sociais
células de carga
Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença ou 5.3.6 Sensor de
ausência de princípios ou elementos éticos aceleração
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a 5.3.7 Sensor de
harmonização entre os membros da equipe pressão
5.3.8 Sensor
Capacidades Metodológicas Magnético
5.3.9 Sensor
Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a criatividade
capacitivos
como ferramenta para promoção da inovação
5.3.10 Sensor
indutivo
5.3.11 Sensor de

131
ultrassom
5.3.12 Sensores
ópticos
5.3.13 Sensores
eletromecânicos
5.4 Tipos e
características
5.4.1 Inteligentes
(nó sensor)
5.4.2 Analógicos
5.4.3 Digitais

132
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Biblioteca
Laboratório de automação/mecatrônica

Osciloscópio
Multímetro
Células robotizadas
Bancadas de motores elétricos
Chaves eletrônicas (soft starter) e inversores
Software de simulação
Máquinas, Equipamentos, Software de parametrização de dispositivos
Instrumentos e Ferramentas Software de programação de dispositivos
Projetor multimídia
Gerador de sinais
Ferramentas manuais
Kit de sensores
Bancadas de CLP e IHM
Quadro branco

Livros didáticos
Apostilas
Projetos de automação e IoT
Materiais
Normas técnicas
Manuais e catálogos
Simuladores digitais

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

133
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Desenvolvimento de Interface de Usuário para IoT

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na elaboração de interfaces de usuário para interação
com sistemas de IoT

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .3 Elaborar 3.3 .1 Considerando as - Aplicar requisitos


interface de normas técnicas, de 1. INOVAÇÃO
normativos de segurança da
usuário para gestão da qualidade, de 1.1 Propriedade
informação em sistemas de
interação saúde e segurança do intelectual
IoT para garantia dos
com trabalho, privacidade e 1.2 Anterioridade
requisitos identificados na
sistemas de segurança de dados, e 1.3 Visão inovadora
política da empresa
IoT de sustentabilidade 1.4 Inovação x
- Selecionar os requisitos melhoria
normativos aplicáveis a 1.5 Definição
elaboração da interface de 2. ÉTICA PROFISSIONAL
usuário para garantia da 2.1 Responsabilidade
usabilidade, privacidade e empresarial
segurança de dados 2.2 O impacto da falta
de ética ao país
2.2.1 Impostos
2.2.2 Pirataria
3.3 .2 Considerando o - Identificar o escopo e 2.3 Código de ética
projeto de integração de cronograma do serviço para profissional
dispositivos e garantia do atendimento do 2.4 Código de
equipamentos de prazo e demanda conduta
automação estabelecidos 3. GESTÃO DA
QUALIDADE
- Identificar as 3.1 Mudança
características e organizacional
funcionalidades do sistema 3.2 Ambiente interno
de IoT para definição dos e externo
requisitos da interface de 3.3 Melhoria contínua
usuário 3.4 Pensamento
sistêmico
3.5 Política de gestão
da qualidade
3.6 Cultura
134
3.3 .3 Considerando - Aplicar técnicas e Boas organizacional
técnicas e Boas Práticas Práticas de programação 4. DOCUMENTAÇÃO
de desenvolvimento na elaboração da interface TÉCNICA DE PROJETOS
conforme necessidade da de usuário, tendo em vista 4.1 Tipos: elaboração
interface de usuário as funcionalidades 4.1.1
demandadas Cronograma
4.1.2
- Aplicar procedimentos de Arquivamento
instalação e configuração 4.1.3 Código-
de software para fonte comentado
preparação do ambiente de 4.1.4 Algoritmo
programação, de acordo 4.1.5
com as características da Fluxograma
plataforma selecionada 4.2 Normas técnicas
5. PROTOTIPAGEM DE
- Selecionar plataforma de
SOFTWARE
desenvolvimento de
5.1 Documentação
interface de usuário
técnica
conforme o tipo de
5.1.1 Manual de
dispositivo para interação
usuário
com sistema de IoT
5.1.2 Relatório
- Aplicar técnicas e boas técnico
práticas de usabilidade 5.2 Validação do
tendo em vista as protótipo
funcionalidades da interface 5.3 Criação da tela:
do usuário aplicação
5.3.1 Técnicas
- Identificar os tipos de de programação
dispositivos aplicáveis na 5.3.2
elaboração de interfaces de Linguagens de
usuário para interação com programação
o sistema de IoT (Java, Java
Script, Python e
C#)
5.4 Modelagem da
3.3 .4 Considerando os - Identificar os interface:
procedimentos técnicos procedimentos técnicos de planejamento
estabelecidos para o registro e guarda de 5.4.1 Funções
registro de informações informações contidas nas 5.4.2 Layout
sobre a interface de instruções de trabalho da 5.4.3 Elementos
usuário empresa gráficos
5.5 Requisitos do
- Selecionar dados e
sistema
informações da
6. PLATAFORMA DE
funcionalidade da interface
DESENVOLVIMENTO
para elaboração de manual
6.1 Transferência de
do usuário
dados
- Detalhar as funções da 6.1.1 Acessos a
linha de código para serviços da
registro técnico das internet
informações do software de 6.1.2
interface do usuário Sincronização

135
de dados com
aplicações
Fundamentos Técnicos Científicos servidoras
6.2 Componentes:
configuração e
aplicação
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
6.2.1 Banco de
dados
Capacidades Organizativas
6.2.2
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio da Persistência em
aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade XML
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como 6.2.3
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional Manipulação de
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e arquivos
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho 6.2.4 Visuais de
interface com o
Capacidades Sociais usuário
6.3 Frameworks:
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob
características e
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados
instalação
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos de
6.3.1
trabalho, considerando seus pares e os demais níveis hierárquicos
Multiplataforma
Capacidades Metodológicas 6.3.2
Dispositivos
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a móveis
no planejamento e execução das suas atividades 6.3.3 PC
6.4 Arquiteturas de
software
6.4.1
Configuração
6.4.2 Recursos
7. DISPOSITIVOS MÓVEIS
7.1 Sistemas
operacionais
7.1.1
Aplicações
7.1.2
Compatibilidade
7.1.3 Tipos
7.2 Recursos e
restrições
7.3 Características
7.4 Tipos
8. DESIGN E
USABILIDADE:
CARACTERÍSTICAS E
APLICAÇÕES
8.1 Equilíbrio Visual
8.1.1 Contraste
8.1.2 Cores
8.1.3 Ordem de
Leitura
8.2 Interação humana
136
versus máquina
8.2.1
Usabilidade
8.2.2 Eficiência
de uso
8.2.3
Intuitividade
8.2.4 Utilidade
8.2.5 Interface
ergonômica
8.3 Processos do
usuário
8.3.1 Ergonomia
cognitiva
(processos
mentais)
8.3.2 Cognitivo
8.3.3 Perceptivo

137
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Laboratório de eletrônica
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de informática
Biblioteca

Tablet
SmartPhone
Matriz de contato (protoboard)
Plataforma de desenvolvimento com microcontroladores
Projetor multimídia
Osciloscópio
Máquinas, Equipamentos, Multímetro
Instrumentos e Ferramentas Componentes eletrônicos
Quadro branco
Gerador de função
Softwares de programação
Software de simulação digital
Fonte de alimentação
Laptop

Normas técnicas
Livros didáticos
Sites e aplicativos
Materiais
Projetos de IoT
Apostilas
Manuais e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

138
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Projetos de Integração de Equipamentos e Dispositivos

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na elaboração de projetos de integração de dispositivos e
equipamentos de automação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .1 Elaborar 3.1 .1 Considerando as - Correlacionar as


projetos de normas técnicas, de 1. ORGANIZAÇÃO DO
características dos
integração de gestão da qualidade, de TRABALHO
equipamentos e
dispositivos e saúde e segurança do 1.1 Controle de
dispositivos com as
equipamentos trabalho, privacidade e atividades
normas de cybersecurity
de automação segurança de dados, e 1.2 Gestão
para minimização de
de sustentabilidade organizacional
riscos
1.3 Sistemas
- Aplicar dispositivos administrativos
normativos que impactam 1.4 Estruturas
no planejamento do projeto hierárquicas
de sistemas de IoT 2. COORDENAÇÃO DE
EQUIPE
2.1 Tomada de decisão
2.2 Gestão da rotina
3.1 .2 Considerando os - Avaliar as características 2.3 Definição da
requisitos, do ambiente e organização do
especificações e prazos infraestrutura que trabalho e dos níveis de
da demanda de impactam na elaboração autonomia
integração do projeto de integração 3. PROJETO DE
entre sistemas INTEGRAÇÃO
3.1 Normas e
- Interpretar as procedimentos
informações fornecidas técnicos: requisitos
pela demanda quanto às 3.1.1 Política de
necessidades de Cybersecurity
integração para descrição 3.1.2 Instruções
dos requisitos técnicos a de trabalho
serem contemplados no 3.1.3 Normas
projeto regulamentadoras
3.2 Documentação
- Dimensionar os tempos
técnica
139
de execução das etapas 3.2.1 Manual de
de integração para instalação
elaboração do 3.2.2 Manual de
cronograma do projeto manutenção
3.2.3 Manual de
operação
3.2.4
Normatização
3.2.5 Controle
3.1 .3 Considerando os - Aplicar metodologia de 3.3 Plano de
procedimentos técnicos projetos para elaboração instalação: elaboração
estabelecidos para o da documentação técnica 3.3.1
registro de informações dos sistemas de IoT Documentação
sobre o projeto
técnica
- Aplicar procedimentos de
3.3.2
elaboração de desenhos e
Equipamentos e
esquemas de sistemas de
ferramentas
IoT por meio de recursos
3.3.3 Diagrama
computacionais em
elétrico
softwares de projeto
3.3.4 Desenho
- Aplicar simbologias, construtivo
terminologias, convenções 3.3.5 Etapas e
gráficas de sistemas de atividades
IoT pertinentes para 3.4 Layout: elaboração
projetos 3.4.1
Infraestrutura
3.4.2 Posicional
3.4.3 Por grupo
3.1 .4 Considerando as - Especificar os tipos de 3.4.4 Por produto
características técnicas materiais, ferramentas, 3.4.5 Por
dos materiais, equipamentos e processo
ferramentas, dispositivos dispositivos quanto ás 3.5 Fluxograma
e equipamentos dos suas características funcional
sistemas de automação técnicas demandadas 3.6 Planejamento:
para tecnologia IoT etapas
3.6.1 Viabilidade
- Aplicar cálculos de técnica e
dimensionamento para financeira
identificação das 3.6.2
quantidades e Cronograma
características dos 3.6.3
materiais, equipamentos e Levantamento de
dispositivos de tecnologia requisitos
IoT 3.6.4
Especificação do
escopo
3.6.5
Fundamentos Técnicos Científicos Especificação do
projeto
3.7 Aplicação
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 3.8 Definição
4. INTEGRAÇÃO DE

140
Capacidades Organizativas EQUIPAMENTOS E
DISPOSITIVOS DE
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio da AUTOMAÇÃO E IOT:
aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade REPRESENTAÇÕES,
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como CARACTERÍSTICAS E
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional DIMENSIONAMENTO
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e 4.1 Infraestrutura
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho 4.1.1
Características
Capacidades Sociais
do ambiente
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob 4.1.2 Tipos de
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados redes
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos implementadas
de trabalho, considerando seus pares e os demais níveis 4.1.3 Protocolos
hierárquicos instalados
4.1.4
Capacidades Metodológicas Características
do sistema
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a
4.2 Especificações
no planejamento e execução das suas atividades
técnicas
4.2.1 Parâmetros
de configuração
4.2.2 Interface de
entrada e saída
(I/O)
4.2.3 Ligações
elétricas
4.2.4
Comunicação em
redes
4.2.5 Integração
com dispositivos
4.2.6 Montagem
no sistema
4.3 Tipos de
equipamentos
4.3.1 Sistemas
embarcados
4.3.2
Transmissores,
transdutores,
conversores e
sensores
4.3.3 Interface
homem máquina
4.3.4 Inversores e
conversores
4.3.5 Controlador
lógico
programável

141
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Software de simulação de sistemas de redes de comunicação


Software de CAD para desenhos elétricos e mecânicos
Máquinas, Equipamentos,
Software de simulação digital
Instrumentos e Ferramentas
Quadro branco
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Projetos de redes
Materiais Normas técnicas
Projetos de automação
Manuais e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

142
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Redes de Comunicação para IoT

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na instalação de redes de comunicação para IoT, bem
como na preparação da infraestrutura de rede de comunicação para certificação, homologação e
licenciamento.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .2 Instalar 3.2 .1 Considerando - Identificar os requisitos


redes de as normas técnicas, 1. PENSAMENTO
normativos relacionados a
comunicação de gestão da SISTÊMICO
instalação de redes de
para IoT qualidade, de saúde 1.1 Relações com o
comunicação para garantia
e segurança do mercado
do atendimento das
trabalho, 1.2 Organizações como
especificações técnicas
privacidade e sistemas abertos
nacionais e internacionais,
segurança de 1.3 Dinâmica dos
de segurança, qualidade e
dados, e de sistemas
sustentabilidade
sustentabilidade 1.4 Teoria geral dos
- Identificar os riscos sistemas
envolvidos no processo de 1.5 Princípios e
instalação da infraestrutura características
para adoção das medidas 2. DESENVOLVIMENTO DE
normativas aplicáveis EQUIPES DE TRABALHO
2.1 Processos de
comunicação
2.2 Avaliação de
3.2 .2 Considerando - Identificar os escopo e desempenho
as especificações cronograma do serviço para 2.3 Capacitação
do projeto de garantia do atendimento do 2.4 Motivação de
infraestrutura de prazo e demanda pessoas
redes para IoT estabelecidos 2.5 Níveis de autonomia
nas equipes de trabalho
- Identificar os requisitos de 3. SEGURANÇA EM REDES
segurança da instalação DE COMUNICAÇÃO
física de infraestrutura de 3.1 Políticas de
rede para controle de acesso segurança de redes
3.1.1
- Identificar os protocolos de
Conscientização e
comunicação para
capacitação
143
configuração dos 3.1.2 Revisão,
equipamentos e dispositivos aprovação e
da rede implantação
3.1.3 Tipos de
- Identificar os requisitos
procedimentos
técnicos da infraestrutura de
3.1.4
rede para garantia do
Documentação
atendimento da demanda do
técnica
projeto
3.1.5 Requisitos
3.1.6 Definição
3.2 Normas de
segurança de
3.2 .3 Considerando informação
- Aplicar procedimentos de
os procedimentos 3.3 Virtual Private
identificação da
técnicos Network (VPN):
infraestrutura de rede para
estabelecidos para configuração
atendimento dos requisitos
o registro de 3.3.1 Protocolos
normativos
informações sobre a 3.3.2 Tipos
instalação da rede - Aplicar procedimentos 3.4 Mecanismos de
técnicos para registro das segurança: configuração
configurações realizadas nos 3.4.1 Redundância
dispositivos ativos de rede 3.4.2 Appliance de
segurança
3.4.3 IDS/IPS
3.4.4
3.2 .4 Considerando - Identificar as Firewall/Proxy
as características funcionalidades e 3.5 Princípios
técnicas dos características técnicas dos 3.5.1 Legalidade
dispositivos de dispositivos e periféricos de 3.5.2
redes contidos na redes que impactam em sua Autenticidade
documentação do instalação 3.5.3
fabricante Disponibilidade
3.5.4
Confidencialidade
3.5.5 Integridade
4. COMUTAÇÃO E
INTERCONEXÃO DE REDES
3.2 .5 Considerando - Selecionar ferramentas e DE COMUNICAÇÃO
os procedimentos equipamentos para 4.1 Redes wireless:
técnicos e Boas instalação de redes de configuração
Práticas de acordo com infraestrutura 4.1.1 Segurança:
instalação e para atender a demanda do criptografia,
configuração de projeto autenticação e
dispositivos de rede
prevenção à
- Aplicar procedimentos de
intrusão
instalação e configuração em
4.1.2 Faixas de
dispositivos, equipamentos
radiofrequência
ou periféricos conforme suas
4.1.3 Estação
características técnicas para
cliente
atendimento das demandas
4.2 Protocolos de redes
do projeto
4.2.1 Transporte:
- Aplicar os procedimentos TCP e UDP

144
técnicos conforme os 4.2.2 Rede: IPv4 e
requisitos normativos IPv6
relacionados a instalação de 4.3 VLAN
redes de comunicação para 4.3.1 Configuração
garantia do atendimento das 4.3.2 Roteamento
especificações técnicas inter VLAN
nacionais e internacionais, 4.4 Ativos de redes
de segurança, de qualidade 4.4.1
e de sustentabilidade Características
4.4.2 Simbologias
5. COMUNICAÇÃO IOT:
3 .4 Preparar a 3.4 .1 Considerando CARACTERÍSTICAS E
- Aplicar os procedimentos
infraestrutura os procedimentos APLICAÇÕES
técnicos de registro para
de rede de técnicos 5.1 Normas técnicas:
elaboração de relatório de
comunicação estabelecidos para requisitos
testes da infraestrutura de
para o registro de 5.1.1 IEEE 802
rede
certificação, informações sobre a 5.1.2 Redes de
homologação certificação área pessoal sem
e fios (WPAN)
licenciamento 3.4 .2 Considerando 5.2 Infraestrutura de IoT
- Correlacionar os resultados
as normas técnicas 5.2.1 Meios físicos
dos testes realizados na
e Boas Práticas 5.2.2 Periféricos
infraestrutura de rede com os
conforme o tipo de 5.2.3 Acessórios
padrões normativos
infraestrutura de 5.2.4
estabelecidos para
redes a ser Equipamentos
proposição de soluções às
certificada 5.3 Tipos de protocolos
não conformidade
5.3.1 Z-Wave
- Aplicar procedimentos de 5.3.2 Thread
testes conforme o tipo de 5.3.3 ZigBee
certificação considerando 5.3.4 REST
Boas Práticas e dispositivos 5.3.5 MQTT
normativos 5.3.6 Bluetooth
5.3.7 LPWAN
- Selecionar os dispositivos (LoRaWan e
normativos aplicáveis a SigFox)
infraestrutura de rede para 6. COMUNICAÇÃO
preparação da certificação INDUSTRIAL:
CARACTERÍSTICAS E
APLICAÇÕES
6.1 Normas técnicas
6.2 Tipos de protocolos
6.2.1 FieldBus
3.4 .3 Considerando - Aplicar dispositivos legais 6.2.2 OPC
requisitos do na elaboração de 6.2.3 CanOpen
demandante e ou documentação para emissão 6.2.4 ASI
legislações para de responsabilidade técnica 6.2.5 EtherCat
homologação e 6.2.6 Ethernet IP
licenciamento de - Selecionar os requisitos 6.2.7 Profinet
redes de legais aplicáveis em 6.2.8 DeviceNet
comunicações homologação e 6.2.9 ModBus
licenciamento de redes de 6.2.10 ProfiBus
comunicação para sua 6.2.11 Hart
adequação
145
6.3 Meios Físicos
6.3.1 Fibra
6.3.2 Wirelless
Fundamentos Técnicos Científicos 6.3.3 Ethernet
cabeada
6.3.4 Serial
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 7. INFRAESTRUTURA DE
REDES DE COMUNICAÇÃO
Capacidades Organizativas 7.1 Normas de
cabeamento estruturado
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio 7.2 Documentação
da aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade técnica: registro
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como 7.2.1 Relatório de
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional implantação
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e 7.2.2 Relatório de
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho testes
7.3 Teste e manutenção
Capacidades Sociais
de redes
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob 7.3.1 Requisitos
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados de licenciamento
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos 7.3.2 Requisitos
de trabalho, considerando seus pares e os demais níveis de homologação
hierárquicos 7.3.3 Requisitos
de certificação
Capacidades Metodológicas 7.3.4 Ferramentas
de software para
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a
monitoramento de
no planejamento e execução das suas atividades
redes
7.3.5 Ferramentas
de testes físicos
7.4 Instalação
7.4.1 Acessórios
7.4.2 Ativos de
redes
7.4.3 Passivos de
redes
7.4.4 Cabos
7.4.5 Conectores
7.5 Meios de rede
wireless
7.5.1 Interferências
7.5.2 Tipos e
características
7.6 Projeto físico de
redes
7.6.1 Requisitos
7.6.2 Simbologias
8. INTERNET DAS COISAS
(IOT)
8.1 Infraestrutura:
características e
funcionalidades

146
8.1.1 Computação
em nuvem (cloud
computing)
8.1.2 Dispositivos
8.1.3 Serviços
8.1.4
Sensorização
8.1.5 Servidor web
8.2 Aplicações
8.2.1 Smart Cities
8.2.2
Residencial/predial
8.2.3 Comercial
8.2.4 Industrial
8.3 Definição

147
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de redes
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de informática
Biblioteca
Laboratório de automação/mecatrônica

Software de configuração de redes


Controladores Lógico Programáveis (CLP)
Ferramentas manuais
Dispositivos para IoT
Dispositivos de Automação com Comunicação (IHM´s, inversores,
transmissores, controladores de robôs industriais, etc.)
Switches
Quadro branco
Gateways industriais com e sem fio
Máquinas, Equipamentos,
Access Point
Instrumentos e Ferramentas
Roteadores com e sem fio
Softwares de monitoramento de redes
Softwares de simulação de estruturas de redes
Projetor multimídia
Testador de rede
Localizador de cabos
Testador de cabos
Osciloscópio
Multímetro

Projetos de IoT
Manuais e catálogos
Sites e aplicativos
Materiais
Livros didáticos
Apostilas
Normas técnicas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

148
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Internet das Coisas - IoT

Unidade Curricular: Manutenção de Redes de Comunicação

Carga Horária: 30h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver soluções de IoT para comunicação de sistema automatizados, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na manutenção de redes de comunicação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .5 Manter 3.5 .1 Considerando as - Correlacionar a


redes de especificações técnicas 1. EXECUÇÃO DA
equivalência de
comunicação dos dispositivos MANUTENÇÃO DE
funcionalidade entre distintos
contidos na REDES DE
dispositivos para
documentação do COMUNICAÇÃO
substituições em caso de
fabricante 1.1 Procedimentos
obsolescência
de segurança e
- Correlacionar as falhas de sustentabilidade
componentes e dispositivos 1.1.1 Descarte
com as possíveis causas de resíduos
descritas no manual do 1.1.2 Medidas
fabricante para garantia do de proteção
funcionamento das redes de 1.1.3 Normas
comunicação de segurança
1.1.4 Riscos
- Identificar as especificações ocupacionais
técnicas dos componentes e 1.2 Procedimentos
dispositivos para diagnóstico de manutenção
das falhas em redes de 1.2.1 Backup
comunicação 1.2.2
Atualização de
firmware e
software
3.5 .2 Considerando o - Aplicar procedimentos 1.2.3
Plano de Manutenção técnicos de manutenção em Alterações de
das redes de função das demandas configurações
comunicação e ou previstas no plano de 1.2.4
ordem de serviço manutenção e ou ordem de Alterações de
serviço para garantia da códigos em
funcionalidade das redes de software
comunicação 1.2.5 Limpeza
1.2.6 Reparos
- Selecionar materiais,
ou substituições
149
ferramentas e insumos em 1.2.7 Teste dos
função das ações previstas dispositivos de
no plano de manutenção e ou rede
ordem de serviço para 1.2.8 Análise
realização da manutenção de sinais
1.2.9 Teste de
- Identificar os tipos,
circuitos de
periodicidade e históricos da
alimentação
manutenção para definição
1.2.10 Normas
das ações a serem
técnicas
realizadas na rede de
1.3 Ferramentas e
comunicação
instrumentos
1.3.1
Equipamento
3.5 .3 Considerando os - Aplicar procedimentos de de fusão de
procedimentos técnicos registro na elaboração de fibra
estabelecidos para documentação de 1.3.2
registro de informações manutenção conforme o tipo Analisador de
sobre a manutenção das de instrumento a ser utilizado cabos
redes de comunicação 1.3.3
- Identificar os procedimentos Localizador de
técnicos de registro e guarda cabos
de informações contidas nas 1.3.4 Testador
instruções de trabalho da de cabos
empresa 1.3.5 Multímetro
1.4 Análise de falhas
1.4.1 Por
software
3.5 .4 Considerando as - Identificar as possíveis 1.4.2 Por
normas técnicas, de situações de risco à saúde e análise de
gestão da qualidade, de segurança associados ao funcionamento
saúde e segurança do processo de manutenção 1.4.3 Por
trabalho, privacidade e para aplicação de medidas comparação
segurança de dados, e de proteção com outro
de sustentabilidade
equipamento
- Aplicar requisitos
1.4.4 Por
normativos relativos à
comparação
manutenção para garantia da
com diagrama
privacidade e segurança de
de redes
dados da rede de
1.4.5 Inspeção
comunicação
visual
- Identificar os tipos de 1.5 Causa de falhas e
descartes de materiais defeitos: Tipos e
utilizados na manutenção das características
redes de comunicação 1.5.1
conforme os requisitos Interferência
normativos de eletrostática
sustentabilidade 1.5.2
Interferência
eletromagnética
1.5.3
Manipulação

150
Fundamentos Técnicos Científicos 1.5.4 Limpeza
1.5.5
Componentes
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 1.5.6
Descargas
Capacidades Organizativas atmosféricas e
surtos
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio da 1.5.7
aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade Ventilação
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como 1.5.8 Conexões
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional 1.5.9 Umidade
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e 1.5.10
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho Sistemas de
alimentação
Capacidades Sociais
1.6 Causa de falhas e
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob defeitos: Tipos e
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados características
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos de 1.7 Plano de
trabalho, considerando seus pares e os demais níveis hierárquicos Manutenção
1.7.1 Relatório
Capacidades Metodológicas de manutenção
1.7.2 Previsão
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a no
de recursos
planejamento e execução das suas atividades
tecnológicos
1.7.3
Cronograma de
manutenção
1.7.4
Procedimentos
de manutenção
e checklist das
tarefas
1.7.5 Lista de
peças e
ferramentas
1.7.6 Ordens de
serviço

151
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Biblioteca
Laboratório de redes
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de informática
Sala de aula

Software de gestão de manutenção


Softwares de análise de rede
Softwares simuladores digitais
Dispositivos de comunicação com Rede Low Power
Cabos ópticos e metálicos
Quadro branco
Projetor multimídia
Patch Panel
Máquinas, Equipamentos, Rack
Instrumentos e Ferramentas Switch
Roteador (com e sem fio)
Punch Down
Dispositivos de comunicação sem fio (bluetooth, Zigbee, GSM)
Decapador
Alicate de crimpagem
Rotulador
Repetidores
Access Point

Projeto de redes
Sites e aplicativos
Materiais Apostilas
Normas técnicas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

INFORMAÇÕES SOBRE A VERSÃO DA OCUPAÇÃO

Data de Validação 18/07/2019

Data de Validade 31/12/2024

Local Brasília/DF

152
3. TÉCNICO EM CIBERSISTEMAS PARA AUTOMAÇÃO

Identificação da ocupação

Técnico em Cibersistemas para


Ocupação CBO Não informada
Automação

EDUCAÇÃO Educação Profissional Técnica de Nível


C.H MÍNIMA 1300h
PROFISSIONAL Médio

NÍVEL DA EIXO Controle e Processos


3
QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICO Industriais

ÁREA Automação e SEGMENTO


Automação
TECNOLÓGICA Mecatrônica TECNOLÓGICO

Planejar e implementar a integração de sistemas de automação com sistemas corporativos


COMPETÊNCIA e ou de engenharia, desenvolvendo projetos de integração de comunicação, cybersecurity e
GERAL armazenamento de dados em larga escala, considerando as normas, padrões e requisitos
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

REQUISITOS
Estar cursando o 2º ano do ensino médio ou ensino médio concluído.
DE ACESSO

Relação das Unidades de Competência

Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de


Unidade de Competência 1 automação, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados


em sistemas de informação corporativa e ou de engenharia, considerando as
Unidade de Competência 2
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para


Unidade de Competência 3 armazenamento em larga escala, considerando as normas, padrões e
requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

153
Descrição das Unidades de Competência

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 1
Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e
requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o


registro de informações
Considerando as especificações do projeto de automação e ou
ordem de serviço
Instalar sensores e dispositivos de Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
automação saúde e segurança e de sustentabilidade
Considerando as especificações técnicas dos sensores e
dispositivos contidas na documentação do fabricante
Considerando os procedimentos técnicos definidos para instalação
dos sensores e dispositivos

Considerando as especificações do projeto de automação e ou


ordem de serviço
Considerando as especificações técnicas dos equipamentos e
dispositivos contidas na documentação do fabricante
Realizar a programação e
Considerando os paradigmas das linguagens de programação
configuração de equipamentos e
adequados aos equipamentos e dispositivos
dispositivos
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro de informações sobre o software
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade

Considerando as especificações do projeto de automação


Considerando as especificações técnicas dos softwares contidas
na documentação do fabricante
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
Implementar software de
registro de informações sobre o software
gerenciamento
Considerando os procedimentos técnicos e de segurança definidos
para instalação, configuração e programação dos softwares
Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de
saúde e segurança e de sustentabilidade

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 2
Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando as especificações do projeto de integração


Considerando as especificações técnicas dos softwares

154
dos equipamentos e dispositivos contidas na
documentação do fabricante
Programar softwares para coleta de dados
Considerando os paradigmas das linguagens de
em equipamentos e dispositivos de
programação adequados aos equipamentos e
automação
dispositivos
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos
para o registro de informações sobre o software
Considerando as Boas Práticas para validação de
software

Considerando as especificações do projeto de integração


Considerando as normas técnicas, de gestão da
qualidade, de saúde e segurança e de sustentabilidade
Estruturar sistemas de armazenamento de Considerando os procedimentos técnicos de
dados aplicados em processos implementação do sistema de armazenamento de dados
automatizados em função das características do gerenciador
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos
para o registro de informações sobre o sistema de
armazenamento de dados

Considerando procedimentos técnicos e métodos de


programação para importação e exportação de dados
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos
Programar a interconexão com sistemas de para o registro de informações sobre o sistema de
informação corporativa para importação e informação
exportação dos dados coletados Considerando as características do sistema de
informação corporativa contida na documentação do
sistema
Considerando as especificações do projeto de integração

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 3
Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o


registro de informações sobre o projeto
Considerando as características técnicas dos materiais, ferramentas,
Planejar a integração entre equipamentos e dispositivos dos sistemas de automação e
sistemas de automação e sistema informação
de informação Considerando os requisitos de escopo do projeto, especificações e
prazos da demanda de integração
Considerando as normas e padrões técnicos, de gestão da
qualidade, de saúde e segurança e de sustentabilidade

Considerando as especificações do projeto de integração

155
Considerando as normas técnicas e requisitos legais de uso do
software
Instalar aplicações e serviços em Considerando as especificações técnicas do sistema operacional e
servidores hardware do servidor
Considerando os procedimentos técnicos de instalação, configuração
e execução conforme o tipo de serviço
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro de informações sobre a instalação no servidor

Considerando as especificações do projeto de infraestrutura de rede


Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de saúde
e segurança e de sustentabilidade
Considerando os procedimentos técnicos de instalação e
Instalar redes de comunicação de
configuração de dispositivos e periféricos de rede
dados
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
registro de informações sobre a instalação da rede
Considerando as características técnicas dos dispositivos e
periféricos de redes contidos na documentação do fabricante

Considerando os procedimentos técnicos de manutenção da


infraestrutura de rede
Preparar a infraestrutura de rede
Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
de comunicação para a
registro de informações sobre a certificação
certificação
Considerando as normas técnicas e Boas Práticas conforme o tipo de
infraestrutura de rede a ser certificada

Considerando a política de segurança da informação da empresa


Considerando as características das tecnologias de software
Implantar tecnologias para utilizados na segurança especificada na demanda
garantir a segurança da Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o
informação registro de informações sobre a segurança da rede
Considerando procedimentos técnicos de configuração e
programação de mecanismos de segurança

Considerando os procedimentos técnicos estabelecidos para o


registro de informações sobre a manutenção dos sistemas de
informação e automação
Manter os sistemas de Considerando as normas técnicas, de gestão da qualidade, de saúde
informação dos processos e segurança e de sustentabilidade
automatizados Considerando o Plano de Manutenção e ou Ordem de Serviço dos
sistemas de informação e automação
Considerando as especificações técnicas dos dispositivos contidas
na documentação do fabricante

156
Competências de Gestão

Apresentar comportamento ético na conduta pessoal e profissional.


Apresentar compromisso com o negócio da empresa, considerando visão sistêmica dos aspectos técnicos,
sociais, econômicos e tecnológicos que impactam nas atividades sob a sua responsabilidade e nos
resultados da empresa.
Apresentar postura proativa e inovadora, atualizando-se continuamente e adaptando-se, com criatividade, às
mudanças tecnológicas, organizativas e profissionais.
Apresentar, no planejamento e no desenvolvimento das suas atividades profissionais, uma postura de
comprometimento, responsabilidade, engajamento, atenção, disciplina, organização, precisão e zelo.
Atuar na coordenação em equipes de trabalho, comunicando-se profissionalmente, orientando
colaboradores, interagindo e cooperando com os integrantes dos diferentes níveis hierárquicos da empresa.
Atuar profissionalmente, cumprindo os princípios de higiene e saúde, os procedimentos de qualidade e de
meio ambiente e as normas de segurança aplicáveis às atividades sob a sua responsabilidade.
Ser flexível, adaptando-se às diretrizes, normas e procedimentos da empresa, de forma a assegurar a
qualidade técnica de produtos e serviços.

Contexto de Trabalho da Ocupação

Meios de Produção

Máquinas e Equipamentos

Switches
Elementos de comando elétrico
Cabos metálicos
Servidores
Canaletas
Válvulas: direcionais, de bloqueio, de fluxo e de pressão e solenóides
Processo industrial contemplando as variáveis: nível, pressão, vazão, temperatura e analítica
Access Points
Racks
Controladores lógicos programáveis
Unidade hidráulica
Cleaver de precisão
Storage Area Network (SAN)
Máquinas CNC
Blocos IDC
Dispositivos Power Line Communication (PLCs)
Equipamentos de medição, certificação e análise de cabeamento
Dispositivos Power Over Ethernet (PoE)
Células robotizadas
Computador completo (placa mãe, processador, drive óptico, memória, unidade de armazenamento, placa
de vídeo, placa de rede, fonte, placa de rede sem fio, dentre outros) ligado em rede, com acesso à internet,
gerenciador de rede, editor de textos e planilha eletrônica
Conversor de mídia de rede DGO
DIO
Painéis para montagens de circuitos eletropneumáticos e eletro-hidráulicos
Roteadores
Unidade de conservação
Máquina de fusão de fibras ópticas

157
Rotuladora/Etiquetadora
Patch Panel
Compressor de ar
Robôs Industriais

Ferramentas e Instrumentos

Interface Homem Máquina (IHM)


Software de configuração de dispositivos de processo industrial
Sugador de solda
Transmissores de vazão: magnético, coriolis, turbina, ultrassom (Doppler e tempo de trânsito), vortex,
pressão diferencial
Estação de soldagem
Bomba de pressão
Microcomputadores portáteis ligados em rede, com acesso à internet
Geradores de função
Alicates em geral (universal, bico, corte, decapador, crimpagem, dentre outros)
Instrumentos de medição e testes (multímetro, osciloscópio)
Chave de nível
Rotâmetro
Chaves em geral (allen, torx, fenda, Philips)
Válvulas de controle: globo (sede simples, dupla, gaiola), borboleta, esfera e gaveta
Softwares para programação de sistema supervisório (SCADA)
Softwares de Sistema de Execução da Manufatura (MES)
Softwares de gerenciamento de banco de dados
Softwares de programação de CLP
Sistemas de medição e análise de gases e líquidos de processo envolvendo variáveis: CO2, O2, pH,
densidade, turbidez e condutividade
Registradores digitais
Controladores digitais
Software de configuração
Softwares de PLM
Softwares ERP
Sistema de monitoramento e alarme de gases
Configuradores e programadores para áreas classificadas
Orifício integral
Bocal de vazão
Placa de Orifício
Chave de fluxo
Ferramenta de inserção/impacto (punch down)
Cabos de compensação e de extensão
Inversores de frequência: analógicos e digitais
Analisadores de redes industriais
Posicionador de válvula analógico e digital
Manipuladores eletropneumáticos
Transmissores de pressão digital e analógico
Localizador de cabo
Kit antiestático
Cleaver de precisão
Software simulador de circuitos eletropneumáticos e eletro-hidráulicos
Sensores de temperatura
Transmissores de nível: radar, ultrassom, capacitivo, pressão diferencial, célula de carga e empuxo
Software gerenciamento da manutenção

158
Software de programação de controladores lógicos programáveis
Controladores Lógicos Programáveis
Fontes de alimentação de tensão e corrente
Visores de nível
Software desenho assistido por computador
Transmissor de temperatura
Manômetros
Válvula reguladora de pressão de precisão
Pressostato
Lupa
Conversores correntes para pressão e pressão para corrente
Matrizes de contatos para montagens e ensaios de circuitos eletroeletrônicos (protoboard)
Pinça
Testador de cabos de rede

Materiais de Consumo

Sensores
Tubos de cobre e polipropileno
Fita Teflon
Limpa contato
Patch cords
Velcro
Pig tail
Acionamento, sinalização, dispositivo de proteção e motores elétricos
Cabo de fibra óptica
Conectores
Capa para conector
Cabos coaxial
Cordão óptico
Cabos par trançado
Cilindros de gases para calibração de instrumentos
Anilhas de identificação
Conexões para tubo de cobre
Cabos de compensação e de extensão para medição de temperatura
Conexões para tubo de polipropileno
Cabos elétricos

Métodos e Técnicas de Trabalho

Ferramentas de gestão da manutenção


Ferramentas de gestão da qualidade e produtividade
Metodologias de diagnóstico
Metodologias e ferramentas de gerenciamento de projetos
Métodos para consulta de documentos técnicos (RFC)
Métodos para ensaios tecnológicos
Normas Regulamentadoras (NR)
Normas técnicas nacionais (Normas de serviços e outras) e internacionais (ISO, DIN e outras)
Procedimentos técnicos internos
Processos de produção em escala

159
Produção por projetos específicos
Técnicas de análise de problemas e tomada de decisão
Técnicas de avaliação de resultados
Técnicas de elaboração de bancos de dados
Técnicas de gestão de pessoas
Técnicas de instrumentação (projeto, instalação e manutenção)
Técnicas de organização do trabalho
Técnicas de programação e planejamento de processos de manutenção
Técnicas de reparação de sistemas automatizados
Técnicas de segurança de máquinas

Condições de Trabalho

Turnos e horários

Disponibilidade para viagem


Possibilidade de revezamento
Horário administrativo
Turno fixo

Riscos profissionais

Riscos físicos - vibrações, radiações ionizantes, frio, calor, pressões anormais e umidade.
Riscos de acidentes - causados por conjuntos físicos inadequados, máquinas e equipamentos sem proteção,
ferramentas inapropriadas, eletricidade, probabilidade de incêndio ou explosão, armazenamento
inadequado, entre outras situações de risco que poderão contribuir para ocorrência de acidentes no
ambiente de trabalho.
Riscos químicos - contato com poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases, vapores e substâncias compostas ou
produtos químicos que podem prejudicar a saúde do trabalhador.
Riscos ergonômicos - esforço físico excessivo, levantamento e transporte de peso exagerados, exigência de
postura inadequada, controle rígido de produtividade, trabalho noturno, jornadas de trabalho extensas,
monotonia e repetitividade, iluminação incorreta entre outras situações que se ligam ao estresse físico ou
psicológico do trabalhador

Ambientes de Trabalho

Ambientes fechados, com baixa luminosidade, com variações de temperatura e ruidoso

Posições no Processo Produtivo

Contexto Profissional

Possíveis empresas ou departamentos que a ocupação poderá atuar: integradores de sistemas industriais;
departamento de automação de empresas industriais em geral; departamento PCP de empresas industriais
em geral; departamento de TI de empresas industriais em geral; fabricantes de máquinas e equipamentos; e
profissional autônomo.

Possíveis Saídas para o Mercado de Trabalho

Técnico em Internet Industrial


Técnico em Informática Industrial

160
Técnico em Big Data Industrial
Técnico TI e TA
Técnico Automação Informática
Técnico de Indústria 4.0
Técnico em Informática e Automação
Técnico em MES

Evoluções da Ocupação

Assegurar que o desempenho dos sistemas de segurança da informação dos processos produtivos esteja
alinhado com as políticas de segurança cibernética
Implementar sistemas de comunicação de dispositivos dos processos produtivos em redes com e sem fio
Implementar filtros de modelagem para conversão de dados em informação relevante para a análise dos
processos industriais
Desenvolver programas de automação em paradigmas de baixo e alto nível de programação
Implementar sistemas de armazenamento da informação em todos os níveis do sistema de informação,
inclusive Big Data
Gerar dados dos processos produtivos conectados entre si, através de instalação, configuração e
programação de dispositivos e sensores
Gerar dados dos processos produtivos conectados aos sistemas corporativos, através de instalação,
configuração e programação de dispositivos e sensores
Implantar as tecnologias para garantia da segurança das informações dos processos produtivo
Realizar a manutenção dos sistemas de informação do processo produtivo
Integrar dados dos processos produtivos a sistemas corporativos e de engenharia, utilizando diferentes
dispositivos de automação e seus protocolos de comunicação

Mudanças na atuação do profissional

Tendências tecnológicas e organizacionais que irão impactar mais fortemente a ocupação nos
próximos 5 e 10 anos

Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de cibersegurança.


Uso, pelas empresas Industriais, da Internet das Coisas (IoT) para controle da produção.
Uso, pelas empresas industriais, de sistema de Big Data para planejamento da produção.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas integrado horizontal e verticalmente.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas Cognitivos.
Uso, pelas empresas industriais, de Redes Neurais para Controle de qualidade na indústria e Prevenção de
falhas e controle de manutenção.
Uso, pelas empresas industriais, de Protocolos de Comunicação genéricos e sistemas de segurança.
Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de automação digital sem sensores.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas de Telemetria.
Uso, pelas empresas industriais, de serviços em nuvem associados ao produto.
Uso, pelas empresas industriais, de Simuladores e Softwares Aplicativos Simuladores de processos.
Uso, pelas empresas industriais, de Sistemas de Prototipagem Virtual para Projeto.
Uso, pelas empresas industriais, de sistemas de automação digital com sensores para identificação de
produtos e condições operacionais, linhas flexíveis.
Uso, pelas empresas industriais, de Redes Wireless padronizadas.
Uso, pelas empresas industriais, de Wireless Sensor Networks (WSN).
Uso, pelas empresas industriais, de Redes de Comunicação Wi-Fi e RF - Protocolos e redes de
161
comunicação sem fio e altíssima velocidade.

Formação Profissional Relacionada à Ocupação

Big Data
Cloud Computing
Desenvolvimento de aplicativos para indústria
Inteligência Artificial
Realidade Aumentada
Sistemas de Visão Artificial

Indicação de Conhecimentos Referentes ao Perfil Profissional

Conhecimentos
Sensores e
dispositivos de
automação
Softwares de
gerenciamento
Metrologia
Desenho
aplicado
UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando Informação e
as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de comunicação
sustentabilidade. Eletrônica
analógica e
digital
Sistemas de
Automação
Desenvolvimento
de software
Eletricidade
Matemática
aplicada

Conhecimentos
Dispositivos de
automação
Matemática
aplicada
Técnicas de
programação
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em Eletricidade
sistemas de informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, Sistemas de
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade. armazenamento
Informação e

162
comunicação
Desenho técnico
Protocolos de
comunicação
Desenvolvimento
de software

Conhecimentos
Gestão de
projetos
Redes de
comunicação
Desenho técnico
Metrologia
Matemática
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para
aplicada
armazenamento em larga escala, considerando as normas, padrões e requisitos
Informação e
técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
comunicação
Desenvolvimento
de software
Protocolos de
comunicação
Sistemas de
automação e TI
Cybersistemas

163
Desenho curricular
Resumo da Organização Curricular

Carga Horária
Módulos Unidades Curriculares Carga Horária
do Módulo

Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI 100 h

BÁSICO Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico 60 h 220 h

Fundamentos da Informação e Comunicação 60 h

Fundamentos de Redes de Comunicação 80 h

INTRODUTÓRIO Fundamentos do Desenvolvimento de Software 80 h 220 h

Gestão de Projetos de Automação e TI 60 h

Implementação de Software de Gerenciamento 80 h

ESPECÍFICO I 220 h
Integração de Sensores e Dispositivos de
140 h
Automação

Interconexão em Sistemas de Automação e TI 100 h

Programação para Coleta de Dados em


60 h
ESPECÍFICO II Automação 260 h

Sistemas de Armazenamento de Dados para


100 h
Automação

Conectividade de Cybersistemas para Automação 120 h

Projetos de Integração de Cybersistemas para


80 h
Automação
ESPECÍFICO III 380 h

Tecnologias da Segurança da Informação 120 h

Manutenção de Sistemas de Automação e TI 60 h

TOTAL 1300h

164
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Eletrônica Aplicada à Sistemas de Automação e TI

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à eletrônica aplica
a sistemas de automação e TI que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação,
bem como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. SISTEMAS DE


NUMERAÇÃO
1.1 Representação
Fundamentos Técnicos Científicos
numérica
1.1.1 Complemento
Reconhecer as características, funções e relações das grandezas de 2
elétricas aplicados em sistemas de automação. 1.1.2 Complemento
Reconhecer os fundamentos da eletrônica analógica e digital de 1
aplicados em sistemas de tecnologia da informação e automação. 1.1.3 Ponto flutuante
1.2 Código BCD
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 1.3 Conversões entre os
sistemas
1.4 Tipos
Capacidades Organizativas
1.4.1 Sistema
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente hexadecimal
como requisitos para a organização de ambientes de trabalho 1.4.2 Sistema
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de binário
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das 2. COMPONENTES
atividades profissionais OPTOELETRÔNICOS:
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no CARACTERÍSTICAS E
contexto da organização, conforme os resultados dos produtos e APLICAÇÕES
serviços da empresa 2.1 Acoplador óptico
2.2 Fototransistor
Capacidades Sociais 2.3 Fotodiodo
2.4 Matriz de LED
165
Constatar o valor da ética nas relações humanas 2.5 Display de sete
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas segmentos
3. TRANSISTORES
Capacidades Metodológicas 3.1 Aplicações
3.1.1 Amplificador
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma
de sinais
postura proativa e inovadora
3.1.2 Transistor
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um
como chave
espírito empreendedor
3.2 Circuitos de
polarização
3.3 Características
3.4 Tipos
3.4.1 Efeito de
campo (FET)
3.4.2 Bipolar
4. CIRCUITOS
RETIFICADORES
4.1 Reguladores de
tensão
4.1.1 Circuito
integrado
4.1.2 Regulador
Zener
4.2 Filtro capacitivo
4.2.1 Fator de
Ripple
4.2.2 Constante RC
4.3 Tipos
4.3.1 Em ponte
4.3.2 Monofásico
com ponto neutro
onda completa
4.3.3 Monofásico de
meia onda
5. SEMICONDUTORES
5.1 Características
térmicas
5.2 Diodo
5.2.1 Curva
característica do
diodo
5.2.2 Características
5.2.3 Tipos
5.3 Polarização direta e
inversa
5.4 Junção PN
5.5 Elementos tipo P e N
6. SINAIS ELÉTRICOS
6.1 Características
6.2 Tipos de ondas
6.2.1 Dente de serra
6.2.2 Triangular

166
6.2.3 Quadrada
6.2.4 Senoidal
7. INSTRUMENTOS DE
MEDIDAS ELÉTRICAS
7.1 Tipos
7.1.1 Digitais
7.1.2 Analógicos
7.2 Características
7.3 Equipamentos de
medição
7.3.1 Osciloscópio
7.3.2 Ohmímetro
7.3.3 Amperímetro
7.3.4 Voltímetro
8. MÁQUINAS ELÉTRICAS:
DEFINIÇÕES E TIPOS
8.1 Transformadores
8.2 Motores
8.3 Geradores
9. TRABALHO EM EQUIPE
9.1 Relações com o líder
9.2 Compromisso com
objetivos e metas
9.3 Divisão de papéis e
responsabilidades
9.4 Cooperação
9.5 Responsabilidades
individuais e coletivas
9.6 O relacionamento com
os colegas de equipe
9.7 Trabalho em grupo
10. ORGANIZAÇÃO DE
AMBIENTES DE TRABALHO
10.1 Organização do
espaço de trabalho
10.2 Organização de
ferramentas e
instrumentos
10.2.1 Importância
10.2.2 Formas
10.3 Princípios de
organização
11. CIRCUITOS LÓGICOS
11.1 Famílias lógicas
11.1.1
Características
11.1.2 Tipos e
definições
11.2 Tipos e Definições
11.2.1 Lógicos
sequenciais
11.2.2 Lógicos

167
combinacionais
11.3 Expressões
algébricas
11.3.1 Simplificação
de circuitos lógicos
11.3.2 Simplificação
algébrica
11.4 Portas lógicas
11.4.1 Tabela da
verdade
11.4.2 Função
lógica
11.4.3 Tipos
12. CIRCUITOS ELÉTRICOS
EM CORRENTE ALTERNADA
12.1 Sistemas de
distribuição de energia
elétrica
12.1.1 Aterramento
12.1.2 Isolação
12.1.3 Normas
12.2 Potência em circuitos
de corrente alternada:
definições
12.2.1 Fator de
potência
12.2.2 Aparente
12.2.3 Reativa
12.2.4 Ativa
12.3 Circuito em corrente
alternada: definições e
aplicações
12.3.1 Impedância
(RL, RC e RLC)
12.3.2 Capacitivo
12.3.3 Indutivo
12.3.4 Resistivo
12.4 Corrente elétrica
alternada: definições e
aplicações
12.4.1 Amplitude
12.4.2 Período
12.4.3 Frequência
13. CIRCUITOS ELÉTRICOS
EM CORRENTE CONTÍNUA
13.1 Capacitores
13.1.1 Definições
13.1.2
Características
13.2 Potência em corrente
contínua
13.3 Leis de Kirchhoff
13.4 Fontes geradoras
168
13.5 Notação científica e
de engenharia
13.6 Associação de
Resistores
13.7 Leis de OHM
13.8 Circuitos elétricos
13.8.1 Misto
13.8.2 Paralelo
13.8.3 Série
14. ELETROMAGNETISMO
14.1 Lei de Faraday
14.1.1 Aplicação
14.1.2 Definição
14.2 Regras do
eletromagnetismo
14.3 Campo Magnético
14.3.1 Campo
magnético no
condutor
14.3.2 Densidade
do fluxo magnético
14.3.3 Fluxo de
indução magnética
14.3.4 Linhas de
forças magnéticas
15. FUNDAMENTOS DA
ELETRODINÂMICA:
DEFINIÇÕES E APLICAÇÕES
15.1 Energia elétrica
15.2 Condutores e
isolantes
15.3 Resistência e
resistividade
15.4 Corrente elétrica
15.5 Potencial elétrico
15.6 Diferença de
potencial
16. FUNDAMENTOS DA
ELETROSTÁTICA:
DEFINIÇÕES E APLICAÇÕES
16.1 Potencial elétrico
16.2 Força elétrica
16.3 Eletrização
16.4 Campo elétrico
16.5 Carga elétrica

169
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de eletrônica
Laboratório de eletricidade
Ambientes Pedagógicos Laboratório de Informática
Sala de aula
Biblioteca

Equipamentos de proteção ESD


Estação de solda
Componentes eletroeletrônicos
Equipamentos de proteção individual
Componentes eletrônicos
Fonte de alimentação
Gerador de função
Máquinas, Equipamentos, Osciloscópio
Instrumentos e Ferramentas Multímetro
Quadro branco
Projetor multimídia
Motores
Ferramentas manuais
Matriz de contato (protoboard)
Transformadores
Software de simulação digital

Apostilas
Manuais e catálogos
Materiais Livros didáticos
Normas técnicas
Sites e aplicativos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

170
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Fundamentos da Metrologia e Desenho Técnico

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à metrologia e


desenho técnico que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem como, as
capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. INICIATIVA


1.1 Consequências
favoráveis e
Fundamentos Técnicos Científicos
desfavoráveis
1.2 Formas de
Aplicar fundamentos da matemática para cálculos de dimensionamento e demonstrar
conversão de unidades de medidas iniciativa
Aplicar os fundamentos da metrologia para dimensionamento e medições 1.3 Importância e
de grandezas físicas. valor
Reconhecer simbologias, nomenclaturas e fundamentos de desenho 1.4 Definição
técnico aplicados em projetos. 2. CARACTERÍSTICAS
PROFISSIONAIS
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.1 Zelo
2.2 Precisão
2.3 Organização
Capacidades Organizativas
2.4 Disciplina
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente como 2.5 Atenção
requisitos para a organização de ambientes de trabalho 2.6 Engajamento
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de 2.7
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das Responsabilidade
atividades profissionais 2.8
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no contexto da Comprometimento
organização, conforme os resultados dos produtos e serviços da 3. PROJETOS DE
empresa AUTOMAÇÃO E TI
3.1 Planta baixa e
171
Capacidades Sociais layout
3.2 Diagrama
Constatar o valor da ética nas relações humanas construtivos
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas 4. DESENHO TÉCNICO
4.1 Desenho
Capacidades Metodológicas
assistido por
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma postura computador
proativa e inovadora 4.1.1 Tipo
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um espírito 4.1.2
empreendedor Definição
4.2 Normalização
de desenho
técnico
4.3 Escala
4.4 Elementos
gráficos
4.4.1 Cotas
4.4.2 Cortes
4.4.3 Vistas
4.4.4
Perspectiva
isométrica
4.4.5
Projeção
ortogonal
4.4.6
Símbolos e
recursos
gráficos
4.4.7
Legendas
4.4.8
Escritas
4.4.9 Linhas
4.4.10
Figuras
geométricas
5. METROLOGIA
5.1 Metrologia
dimensional
5.1.1
Paquímetro
5.1.2 Escala
5.2 Sistemas de
Medidas
5.2.1
Conversão
de unidades
5.2.2
Múltiplos e
submúltiplos
das unidades

172
5.2.3
Sistema
Inglês de
Unidades
5.2.4
Sistema
Internacional
de Unidades
(SI)
5.3 Grandezas
físicas e unidades
de medidas
5.3.1
Comprimento
5.3.2 Volume
5.3.3 Área
6. MATEMÁTICA
APLICADA
6.1 Razão e
Proporção
6.2 Potenciação
6.3 Fração
6.4 Números
Decimais

173
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Laboratório de metrologia
Biblioteca

Calculadora
Software CAD para desenho construtivo
Máquinas, Equipamentos,
Instrumentos de medição
Instrumentos e Ferramentas
Quadro branco
Projetor multimídia

Projetos de automação e TI
Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais
Apostilas
Livros didáticos
Manuais técnicos e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

174
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: BÁSICO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Fundamentos da Informação e Comunicação

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos e científicos relativos à tecnologia da


informação e comunicação que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem
como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. ESTRUTURA


ORGANIZACIONAL
1.1 Sistema de
Fundamentos Técnicos Científicos
comunicação
1.2 Organização das
Aplicar os fundamentos da informática para pesquisas de funções, informações e
informações técnicas, elaboração de textos, desenhos, planilhas recursos
eletrônicas e apresentações multimídias 1.3 Funções e
Aplicar os princípios, padrões e normas da linguagem culta na responsabilidade
comunicação oral e na elaboração de textos técnicos 1.4 Formal e informal
Interpretar textos técnicos das áreas de automação e tecnologia da 2. PESQUISA
informação, contidos em normas, projetos, manuais, catálogos e 2.1 Estruturação
documentações técnicas 2.2 Fontes
Interpretar gráficos e tabelas relacionados as características 2.3 Métodos
técnicas dos equipamentos e dispositivos de automação e TI 2.4 Características
2.5 Tipos
2.5.1 Acadêmica
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.5.2 Laboratorial
2.5.3 Campo
Capacidades Organizativas 2.5.4 Bibliográfica
3. HABILIDADES BÁSICAS
Perceber a importância da saúde, segurança e meio ambiente DO RELACIONAMENTO
como requisitos para a organização de ambientes de trabalho
INTERPESSOAL
Perceber as características pessoais próprias e das equipes de 3.1 Cooperação
trabalho que promovem eficiência e eficácia na realização das
3.2 Comunicação
175
atividades profissionais 3.3 Responsabilidade
Perceber o seu papel e a importância do seu trabalho no contexto 3.4 Empatia
da organização, conforme os resultados dos produtos e serviços 3.5 Disciplina
da empresa 3.6 Cordialidade
3.7 Respeito
Capacidades Sociais
4. DOCUMENTAÇÃO
Constatar o valor da ética nas relações humanas TÉCNICA
Demonstrar espírito colaborativo em atividades coletivas 4.1 Fluxograma
4.2 Descritivo técnico
Capacidades Metodológicas 4.3 Solicitação de
compras
Constatar a iniciativa como requisito fundamental para uma
4.4 Manuais de
postura proativa e inovadora
fabricante
Perceber a pesquisa como fonte de inovação e formação de um
4.5 Catálogos
espírito empreendedor
4.6 Ordem de serviço
4.7 Normas técnicas
4.8 Relatórios técnicos
5. INTERNET
5.1 Comunicação
5.1.1 Redes sociais
5.1.2 E-mail
5.2 Pesquisa
5.2.1 Plágio
5.2.2 Direitos
autorais
5.2.3 Ferramentas
de busca
6. EDITOR DE
APRESENTAÇÕES
GRÁFICAS
6.1 Slide
6.1.1 Formatação
6.1.2 Inserção de
figuras e arquivos
6.1.3 Regras de
estruturação
6.2 Apresentação
6.2.1 Ferramentas
de multimídia
6.2.2
Gerenciamento de
tempo
6.2.3 Estruturação
da apresentação
7. EDITOR DE PLANILHAS
ELETRÔNICAS
7.1 Impressão de
arquivos
7.2 Gráficos
7.3 Tabelas
7.4 Fórmulas básicas
7.5 Formatação de

176
células
7.6 Linhas, colunas e
células
8. EDITOR DE TEXTO
8.1 Impressão de
arquivos
8.2 Quadros
8.3 Formatação
8.4 Inserções
8.5 Digitação de textos
9. COMUNICAÇÃO
9.1 Níveis de fala
9.1.1 Linguagem
padrão
9.1.2 Linguagem
coloquial
9.1.3 Gíria
9.2 Processo
9.2.1 Feedback
9.2.2 Código
9.2.3 Canal
9.2.4 Mensagem
9.2.5 Referente
9.2.6 Receptor
9.2.7 Emissor
10. DISSERTAÇÃO
10.1 Elaboração de texto
crítico
10.2 Estrutura
10.2.1 Conclusão
10.2.2
Desenvolvimento
10.2.3 Introdução
11. TÉCNICA DE
INTELECÇÃO DE TEXTO
11.1 Concisão
11.2 Coerência
11.3 Interpretativa
11.3.1 Validade e
relevância da
argumentação e da
contra-
argumentação
11.3.2
Profundidade no
tratamento do tema
11.3.3 Coerência
interna
11.4 Temática
11.4.1 Resumo do
texto
11.4.2 Depreensão
da mensagem
177
11.4.3 Depreensão
do tema
11.4.4 Depreensão
do assunto
11.5 Análise textual
(etapa de preparação de
compreensão do texto)
11.6 Tipos de parágrafo
11.6.1 Dissertativo
11.6.2 Descritivo
11.6.3 Narrativo
11.7 Estrutura dos
parágrafos
11.7.1 Ideias
secundárias
11.7.2 Tópico frasal

178
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Biblioteca
Laboratório de informática

Softwares de edição de texto, planilhas e apresentações


Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Normas técnicas
Materiais
Projetos de automação e TI
Manuais técnicos e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

179
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Fundamentos de Redes de Comunicação

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos a redes de comunicação que
subsidiem o desenvolvimento de capacidades técnicas da ocupação, bem como, as capacidades sociais,
organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. COMPONENTES DE


REDES DE COMUNICAÇÃO
1.1 Acessórios de rede:
Fundamentos Técnicos Científicos
características e
aplicações
Reconhecer fundamentos de redes de comunicação associados a 1.1.1 Canaletas
sistemas de automação e TI 1.1.2 Eletrocalhas
1.1.3 Réguas de
tomadas
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
1.1.4 Guias de
cabos
Capacidades Organizativas
1.1.5 Bandejas
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em possíveis 1.1.6 Rack
situações de riscos inerentes às atividades sob sua 1.2 Passivos de rede:
responsabilidade características e
Demonstrar postura profissional como resposta em situações e aplicações
contextos adversos 1.2.1 Tomadas
Demonstrar comprometimento com os objetivos e metas do RJ45
negócio para alcance dos resultados da empresa 1.2.2 Patch panel
1.3 Ativos de rede:
Capacidades Sociais características e
aplicações
Proceder de modo ético no desenvolvimento das atividades sob a
1.3.1 Repetidor
sua responsabilidade
1.3.2 Access Point
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas nos grupos
1.3.3 Roteador
180
e equipes 1.3.4 Switch
1.3.5 Hub
Capacidades Metodológicas
1.4 Cabeamento
Manifestar comportamento autoempreendedor na realização das estruturado
atividades profissionais sob sua responsabilidade 1.4.1 Cabeamento
óptico
1.4.2 Cabeamento
metálico
1.4.3 Subcamadas
1.4.4 Normas
técnicas
2. ARQUITETURA DE REDE:
CARACTERÍSTICAS E
APLICAÇÕES
2.1 Rede IoT
2.1.1 Protocolos de
comunicação
2.1.2 Sensores e
atuadores
2.1.3 Infraestrutura
2.2 Rede Corporativa
2.2.1 Lógica
2.2.2 Física
2.3 Rede Industrial
2.3.1 Dispositivos
de campo,
sensores e
atuadores
2.3.2 Controle
(CLP, CNC, SDCD
e PC)
2.3.3 Supervisão
(Workstation, PC e
IHM)
2.3.4
Gerenciamento de
planta
(Workstation)
2.3.5
Gerenciamento
coorporativo
(Mainframe e
Cloud)
3. REDES DE
COMUNICAÇÃO
3.1 Software simulador
3.2 Endereçamento de
rede
3.2.1 Máscaras de
sub-rede
3.2.2 IP
3.3 Modelos de

181
referência
3.3.1 TCP/IP
3.3.2 Modelo OSI
3.4 Comunicação de
dados
3.4.1 Modos de
operação
3.4.2 Multiplexação
3.4.3 Sinais de
comunicação
3.4.4 Meios de
transmissão
3.4.5 Protocolos de
comunicação
3.5 Classificação de
redes
3.5.1 Topologia
3.5.2 Capacidade
de transferência de
informação
3.5.3 Tecnologias
de transmissão
3.5.4 Meio físico
3.5.5
Terminologias
3.6 Definição

182
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de redes
Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos
Sala de aula
Biblioteca

Multímetro
Quadro branco
Projetor multimídia
Ferramentas manuais
Punch Down
Decapador
Localizador de cabos
Testador de cabos
Máquinas, Equipamentos,
Cabos metálicos
Instrumentos e Ferramentas
Alicate de crimpagem
Softwares simuladores da estrutura de rede
Dispositivos para redes IoT
Dispositivos para redes industriais
Patch Panel
Rack
Switch
Roteador

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais
Apostilas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

183
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Fundamentos do Desenvolvimento de Software

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativos à programação de software


que subsidiarão o desenvolvimento das capacidades técnicas da ocupação, bem como, as capacidades
sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. AUTOEMPREENDEDORISMO


1.1 Cooperação como ferramenta
de desenvolvimento
Fundamentos Técnicos Científicos
1.2 Independência e autoconfiança
1.3 Persuasão e rede de contatos
Aplicar metodologia de planejamento de software para 1.4 Valores do empreendedor
elaborar programas de equipamentos e dispositivos 1.4.1 Comprometimento
Aplicar técnicas de programação na elaboração de 1.4.2 Persistência
algoritmos inerente ao sistema de automação e TI 1.5 A construção da missão
Reconhecer características de hardware e de software de pessoal
base aplicados a sistemas de TI e automação 1.6 Autorresponsabilidade e
empreendedorismo
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 1.7 Atitudes empreendedoras
1.8 Características
empreendedoras
Capacidades Organizativas
2. POSTURA PROFISSIONAL
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em 2.1 A importância da organização
possíveis situações de riscos inerentes às atividades do local de trabalho
sob sua responsabilidade 2.2 Planejamento, organização e
Demonstrar postura profissional como resposta em controle
situações e contextos adversos 2.3 Compromisso
Demonstrar comprometimento com os objetivos e 3. VIRTUDES PROFISSIONAIS:
metas do negócio para alcance dos resultados da CONCEITOS E VALOR
empresa 3.1 Imparcialidade
3.2 Perseverança
184
Capacidades Sociais 3.3 Prudência
3.4 Sigilo
Proceder de modo ético no desenvolvimento das 3.5 Honestidade
atividades sob a sua responsabilidade 3.6 Iniciativa
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas 3.7 Responsabilidade
nos grupos e equipes 4. ENGENHARIA DE SOFTWARE
4.1 Modelagem de sistemas
Capacidades Metodológicas
4.1.1 Organização de dados
Manifestar comportamento autoempreendedor na 4.1.2 Técnicas
realização das atividades profissionais sob sua 4.1.3 Requisitos
responsabilidade 4.1.4 Regra de negócio
4.2 Metodologias de
desenvolvimento de sistemas
4.2.1 Aplicabilidade
4.2.2 Ferramentas
4.2.3 Características
4.2.4 Tipos (clássicas e
ágeis)
5. PROGRAMAÇÃO DE DISPOSITIVOS
DE AUTOMAÇÃO E TI
5.1 Linguagens de programação
5.1.1 Indentação
5.1.2 Semântica
5.1.3 Frameworks
5.1.4 Bibliotecas e API´s
5.1.5 Técnicas de
programação (C e Java)
5.1.6 Aplicações (Assembly,
C, C++, C#, Visual Basic,
HTML, Java, Phyton, PHP,
JavaScript)
5.1.7 Características
5.2 Paradigmas de Programação:
características
5.2.1 Orientado a eventos
5.2.2 Orientado objetos
5.2.3 Lógico
5.2.4 Declarativo
5.2.5 Funcional
5.2.6 Imperativo
5.3 Etapas do processo de
conversão
5.3.1 Montagem
5.3.2 Compilação
5.3.3 Ligação
5.3.4 Interpretação
5.4 Programas de computadores
5.4.1 Níveis de linguagens de
programação
5.4.2 Características
5.4.3 Definição
6. LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO E

185
ALGORITMOS
6.1 Algoritmos
6.1.1 Estruturas de dados
6.1.2 Fluxogramas
6.1.3 Repetições
6.1.4 Decisões
6.1.5 Descritivo
6.2 Lógica
6.2.1 Operadores relacionais
6.2.2 Operadores aritméticos
6.2.3 Operadores lógicos
6.2.4 Lógica proposicional
7. SOFTWARE
7.1 Aplicativos
7.1.1 Tipos
7.1.2 Definições
7.2 Software de Base
7.2.1 Drivers
7.2.2 Sistemas operacionais
7.2.3 Firmware
8. ELEMENTOS DE HARDWARE DE
COMPUTADORES
8.1 Placa Principal
8.1.1 Interfaces
8.1.2 Memória cache
8.1.3 BIOS
8.2 Memória
8.2.1 FLASH
8.2.2 Temporária
8.2.3 Permanente
8.3 Arquitetura
8.3.1 Dispositivos Periféricos
8.3.2 Unidade Central de
Processamento
8.4 Histórico

186
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Compiladores
Software de simulação digital
Máquinas, Equipamentos,
Softwares de programação IDE
Instrumentos e Ferramentas
Quadro branco
Projetor multimídia

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Materiais Manuais e catálogos
Apostilas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

187
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Gestão de Projetos de Automação e TI

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de
informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.
UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga
escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de fundamentos técnicos relativas à gestão de projetos que
subsidiem o desenvolvimento de capacidades técnicas relativas ao desenvolvimento e monitoramento de
projetos de sistemas automatizados bem como, as capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. OBJETIVOS E METAS


ORGANIZACIONAIS
1.1 Feedback
Fundamentos Técnicos Científicos
1.2 Avaliação de desempenho
1.3 Ferramentas de monitoramento
Aplicar os fundamentos da gestão de projetos associados 1.4 Indicadores de desempenho
aos sistemas de automação e TI 1.5 Planejamento estratégico
Aplicar os fundamentos da qualidade, saúde, segurança e 2. COMPORTAMENTO E EQUIPES DE
meio ambiente nas atividades de integração de sistemas TRABALHO
de automação e TI 2.1 Hierarquia nas relações de
trabalho
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 2.2 Cultura organizacional
2.3 Fatores de satisfação no
trabalho
Capacidades Organizativas
2.4 A influência do ambiente de
Conscientizar sobre a necessidade de se proteger em trabalho no comportamento
possíveis situações de riscos inerentes às atividades 2.5 O papel das normas de
sob sua responsabilidade convivência em grupos sociais
Demonstrar postura profissional como resposta em 2.6 O homem como ser social
situações e contextos adversos 3. METODOLOGIAS ÁGEIS DE
Demonstrar comprometimento com os objetivos e GERENCIAMENTO DE PROJETOS:
metas do negócio para alcance dos resultados da APLICAÇÃO
empresa 3.1 Kanban
3.2 SCRUM
Capacidades Sociais 3.3 PM Canvas
188
Proceder de modo ético no desenvolvimento das 3.4 Design Thinking
atividades sob a sua responsabilidade 4. GERENCIAMENTO DE PROJETOS
Distinguir os diferentes comportamentos das pessoas 4.1 Padrões de gerenciamento de
nos grupos e equipes projetos
4.1.1 Softwares de
Capacidades Metodológicas gerenciamento de projetos
4.1.2 Monitoramento e
Manifestar comportamento autoempreendedor na
controle de projeto
realização das atividades profissionais sob sua
4.1.3 Gerenciamento de
responsabilidade
riscos do projeto
4.1.4 Gerenciamento de
comunicações
4.1.5 Gerenciamento dos
recursos humanos
4.1.6 Gerenciamento de
custo
4.1.7 Gerenciamento do
tempo
4.2 Definição e Planejamento
4.2.1 Gerente de projeto
4.2.2 Stakeholders
4.2.3 Demandas e restrições
4.2.4 Requisitos
4.2.5 Projetos e processo
4.2.6 Objetivo
5. PROJETO DE SISTEMAS DE
AUTOMAÇÃO E TI
5.1 Relacionamento com o cliente
5.2 Etapas de gerenciamento
5.3 Ciclo de vida
5.4 Tipos
5.5 Objetivo
5.6 Características
5.7 Definição
6. MEIO AMBIENTE
6.1 Gestão ambiental
6.1.1 Responsabilidade
ambiental
6.1.2 Sistemas de gestão
ambiental
6.2 Gerenciamento de resíduos
6.2.1 Tratamento
6.2.2 Classificação
6.2.3 Caracterização
6.3 Desenvolvimento sustentável
6.3.1 Conservação x
preservação ambiental
6.3.2 Paradigmas ambientais
6.3.3 Ecossistema
7. FUNDAMENTOS DA QUALIDADE
7.1 Sistemas de qualidade
7.1.1 Certificação

189
7.1.2 Manuais de qualidade
7.1.3 Definição
7.2 Ferramentas da qualidade
7.2.1 MASP
7.2.2 Cronoanálise
7.2.3 Diagrama de Pareto
7.2.4 Lista de verificação
7.2.5 Fluxograma
7.2.6 Diagrama de causa e
efeito
7.2.7 Ciclo PDCA
7.2.8 Brainstorming
7.3 Princípios da qualidade
7.3.1 Motivos e benefícios
7.3.2 Definição
8. SEGURANÇA E SAÚDE NO
TRABALHO
8.1 Prevenção contra incêndio
8.1.1 Equipamentos de
combate a incêndios
8.1.2 Agentes extintores
8.1.3 Métodos de extinção do
fogo
8.1.4 Classes de incêndio
8.1.5 Teoria do fogo
8.2 Procedimentos para
atendimento de emergência
8.2.1 Procedimentos de
primeiros socorros
8.2.2 Procedimentos de
emergência
8.3 Equipamentos de proteção
individual e coletiva
8.3.1 Certificado de
Aprovação (CA)
8.3.2 Obrigações legais
8.3.3 Classificação
8.3.4 Métodos de utilização
8.3.5 Definições
8.4 Impactos dos acidentes e
doenças
8.4.1 Custos resultantes para
a sociedade
8.4.2 Prejuízos da empresa
8.4.3 Danos causados ao
trabalhador
8.5 Acidentes e doenças do
trabalho
8.5.1 Serviço Especializado
em Engenharia de
Segurança e Medicina do
Trabalho (SESMT)

190
8.5.2 Comissão Interna de
Prevenção de Acidentes
(CIPA)
8.5.3 Comunicação do
Acidente do Trabalho (CAT)
8.5.4 Doenças profissionais
ou do trabalho
8.5.5 Causas e
consequências
8.5.6 Definição
8.6 Riscos ocupacionais
8.6.1 Mapa de risco
8.6.2 Medidas de controle
8.6.3 Avaliação
8.6.4 Classificação

191
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Ambientes Pedagógicos Laboratório de informática
Biblioteca

Software para gerenciamento de projetos


Máquinas, Equipamentos,
Quadro branco
Instrumentos e Ferramentas
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Normas técnicas
Materiais
Projetos de automação e TI
Manuais técnicos e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

192
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Implementação de Software de Gerenciamento

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na implementação de software de gerenciamento.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Desempenho Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência

1 .3 1.3 .1 Considerando as
- Identificar os requisitos de
Implementar especificações do projeto 1. DESENVOLVIMENTO
segurança da informação a
software de de automação PROFISSIONAL
serem considerados na
gerenciamento 1.1
implementação do software
Empregabilidade
de gerenciamento
1.2 Investimento
- Identificar os meios físicos educacional
e protocolos de 1.3 Planejamento
comunicação compatíveis profissional
com os dispositivos e 1.3.1
equipamentos do sistema Formação
de automação profissional
1.3.2
- Identificar o escopo e Ascensão
cronograma previstos no profissional
projeto de automação para 2. CONTROLE
garantia do atendimento EMOCIONAL NO
dos prazos e demandas TRABALHO
estabelecidos 2.1 Inteligência
emocional
2.2 Autoconsciência
2.3 Fatores internos
1.3 .2 Considerando as - Identificar as e externos
especificações técnicas
funcionalidades e 2.4 Perceber, avaliar
dos softwares contidas na características técnicas do e expressar
documentação do
software de gerenciamento emoções no trabalho
fabricante necessárias para sua 3. DOENÇAS
implementação OCUPACIONAIS
3.1 PCMSO
3.2 ASO
1.3 .3 Considerando os 3.3 Tipificação legal
- Identificar os
procedimentos técnicos 3.4 Definição
procedimentos técnicos de
estabelecidos para o 4. PROGRAMAÇÃO DE
193
registro de informações registro e guarda de SOFTWARE PARA
sobre o software informações contidas nas SISTEMAS DE
instruções de trabalho da EXECUÇÃO DA
empresa MANUFATURA (MES)
4.1 Requisitos dos
- Aplicar ferramentas de
protocolos de
elaboração de
comunicação
documentação para o
4.1.1
software de gerenciamento
Documentação
- Detalhar as funções das de software
linhas de código para 4.1.2
registro técnico das Configuração
informações do software de 4.1.3 Formato
gerenciamento de dados
4.2 Instalação e
- Aplicar procedimentos configuração
técnicos de gerenciamento 4.2.1 Controle
de licenças de software de acesso
para garantia do 4.2.2
funcionamento e Programação
atendimento da legislação de scripts
4.2.3 Drivers
de
1.3 .4 Considerando os comunicação
- Aplicar procedimentos de
procedimentos técnicos e 4.2.4 Software
programação para
de segurança definidos IDE
integração e comunicação
para instalação, 4.3 Aplicações
de equipamentos e
configuração e 4.4 Requisitos do
dispositivos com softwares
programação dos projeto de
de gerenciamento
softwares automação
- Aplicar procedimentos de 4.5 Características
segurança para controle de 5. PROGRAMAÇÃO DE
acesso e permissões de SOFTWARE
usuários SUPERVISÓRIO
5.1 Requisitos dos
- Aplicar procedimentos de protocolos de
instalação e configuração comunicação
para implementação de 5.1.1
softwares de Documentação
gerenciamento de software
5.1.2
Configuração
5.1.3 Formato
de dados
5.2 Instalação e
1.3 .5 Considerando as configuração
- Aplicar requisitos
normas técnicas, de 5.2.1 Controle
normativos na implantação
gestão da qualidade, de de acesso
de softwares de
saúde e segurança e de 5.2.2
gerenciamento
sustentabilidade Programação
- Selecionar os requisitos de scripts
normativos aplicáveis a 5.2.3 Drivers

194
instalação, configuração e de
programação de softwares comunicação
de gerenciamento 5.2.4 Software
IDE
5.3 Aplicações
Fundamentos Técnicos Científicos 5.4 Requisitos do
projeto de
automação
5.5 Tipos
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
5.5.1 SDCD
5.5.2 SCADA
Capacidades Organizativas
5.6 Características
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a acidentes de 6. PROTOCOLOS DE
trabalho e doenças ocupacionais COMUNICAÇÃO
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento e INDUSTRIAL:
organização de ambientes de trabalho CARACTERÍSTICAS E
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno e APLICAÇÕES
externo relacionado aos negócios da empresa 6.1 Normas técnicas
6.2 Protocolos
Capacidades Sociais 6.2.1 OPC
6.2.2 ModBus
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para colegas e
6.2.3 CanOpen
equipes de trabalho
6.2.4 ASI
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na coordenação de
6.2.5 EtherCat
equipes de trabalho
6.2.6 Ethernet
Capacidades Metodológicas IP
6.2.7 Profinet
Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento, 6.2.8
mantendo-se atualizado profissionalmente DeviceNet
6.2.9 ProfiBus
6.3 Meios Físicos
6.3.1 Fibra
6.3.2 Wireless
6.3.3 Ethernet
cabeada
6.3.4 Serial

195
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Sala de aula
Biblioteca
Ambientes Pedagógicos Laboratório de automação/mecatrônica
Laboratório de redes
Laboratório de Informática

Softwares de supervisório
Multímetro
Software de simulação digital
Dispositivos de automação com comunicação (IHM, inversores,
transmissores, célula robotizada, SDCD)
Projetor multimídia
Máquinas, Equipamentos, Controladores Lógico Programáveis (CLP)
Instrumentos e Ferramentas Softwares de sistemas de execução da manufatura
Softwares de configuração de dispositivos de automação
Softwares de programação de CLP
Softwares de desenvolvimento de programas
Ferramentas manuais
Gateways industriais
Quadro branco

Sites e aplicativos
Apostilas
Projeto de automação
Materiais
Manuais e catálogos
Normas técnicas
Livros didáticos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

196
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO I

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Integração de Sensores e Dispositivos de Automação

Carga Horária: 140h

Unidades de Competência:

UC1 : Implantar equipamentos e dispositivos em sistemas de automação, considerando as normas, padrões e


requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na integração de sensores e dispositivos, bem como para
programação e configuração de equipamentos e dispositivos.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

1 .1 Instalar 1.1 .1 Considerando - Aplicar procedimentos de


sensores e os procedimentos 1. RESPONSABILIDADES
registro das informações
dispositivos técnicos PROFISSIONAIS
pertinentes à instalação
de automação estabelecidos para o 1.1 Políticas públicas
realizada
registro de ambientais
informações - Selecionar as informações 1.2 Seguridade social
pertinentes a instalação 1.3 Responsabilidade
realizada em função do social
instrumento de registro a ser 1.4
preenchido Responsabilidades
socioambientais
2. ORGANIZAÇÃO DE
AMBIENTES DE
1.1 .2 Considerando - Identificar o escopo e TRABALHO
as especificações do 2.1 Organização do
cronograma do serviço
projeto de conforme a demanda espaço de trabalho
automação e ou 2.2 Organização de
estabelecida no projeto de
ordem de serviço automação e ou ordem de ferramentas e
serviço instrumentos
2.2.1
- Detalhar a sequência das Importância
atividades de instalação 2.2.2 Formas
conforme indicações da ordem 2.3 Princípios de
de serviço, para garantir o organização
atendimento dos prazos e 3. LIDERANÇA
escopo do projeto 3.1 Delegação
3.2 Gestão de
- Identificar as características
conflitos
técnicas dos materiais e
3.3 Feedback
equipamentos, bem como suas
(positivo e negativo)
3.3.1 Efeitos
3.3.2 Causas
197
quantidades, posições e 3.4 Críticas e
conexões, de acordo com o sugestões
projeto de automação 3.4.1 Reação
3.4.2
1.1 .3 Considerando Ponderação
- Aplicar requisitos técnicos e
as normas técnicas, normativos na instalação de 3.4.3 Análise
de gestão da 3.5 Papéis do líder
sensores e dispositivos de
qualidade, de saúde automação e TI 3.6 Características
e segurança e de 3.7 Estilos
sustentabilidade - Identificar os requisitos 3.7.1 Liberal
normativos aplicados a 3.7.2
instalação de sensores e Centralizador
dispositivos 3.7.3
Democrático
4. PRINCÍPIOS DA ÉTICA
4.1 Ética no
1.1 .4 Considerando
- Identificar as especificações desenvolvimento das
as especificações técnicas dos sensores e atividades
técnicas dos
dispositivos nos manuais e profissionais
sensores e catálogos do fabricante 4.2 Ética nos
dispositivos contidas
relacionamentos
na documentação do
profissionais
fabricante
4.3 Ética nas relações
1.1 .5 Considerando interpessoais
- Aplicar procedimentos de 4.4 Respeito às
os procedimentos teste para validação do
técnicos definidos individualidades
funcionamento dos sensores e pessoais
para instalação dos dispositivos
sensores e 5. ACIDENTES DE
TRABALHO
dispositivos - Aplicar procedimentos de
montagem e conexão dos 5.1 CAT
5.2 Tipificação legal
sensores em dispositivos de
automação e TI 5.3 Definição
6. CULTURA
- Correlacionar os resultados PREVENCIONISTA
medidos nos sensores e 6.1 Doenças
dispositivos com requisitos sexualmente
técnicos pré-estabelecidos transmissíveis
conforme instalação a ser 6.2 Drogas e
realizada entorpecentes
6.3 Alimentação
saudável
6.4 SIPAT
1 .2 Realizar a 1.2 .1 Considerando - Identificar o escopo e 6.5 Qualidade de vida
programação as especificações do no trabalho
cronograma previstos no
e projeto de projeto de automação e ou 6.5.1
configuração automação e ou Administração
ordem de serviço para garantia
de ordem de serviço de stress
do atendimento dos prazos e
equipamentos demanda estabelecidos 6.5.2 Cuidados
e dispositivos com a saúde
- Identificar funcionalidades e 6.6 Comportamento
requisitos dos dispositivos e seguro
equipamentos a serem 7. INSTALAÇÃO,
configurados para definição da
198
parametrização PROGRAMAÇÃO E
CONFIGURAÇÃO DE
- Identificar funcionalidades e DISPOSITIVOS DE
requisitos dos dispositivos e AUTOMAÇÃO
equipamentos a serem 7.1 Instalação de
programados para definição da softwares para
lógica de programação automação
7.1.1
Gerenciamento
de licenças
1.2 .2 Considerando - Identificar as funcionalidades 7.1.2
as especificações
e características do ambiente Procedimentos
técnicas dos de desenvolvimento de acordo de configuração
equipamentos e
com a documentação dos 7.1.3 Tipos e
dispositivos contidas equipamentos ou dispositivos pacotes
na documentação do
7.2 Instalação física
fabricante - Identificar as características
7.2.1 Testes de
técnicas dos equipamentos e
validação
dispositivos que subsidiam sua
7.2.2 Análise de
programação e ou configuração
manuais e
catálogos de
fabricante
1.2 .3 Considerando 7.2.3 Gestão da
- Aplicar paradigmas de
os paradigmas das documentação
linguagens de programação
linguagens de do projeto
conforme os requisitos técnicos
programação 7.2.4
estabelecidos no projeto
adequados aos Parametrização
equipamentos e - Aplicar procedimentos de 7.2.5
dispositivos configuração em dispositivos, Ferramentas
equipamentos ou periféricos manuais
conforme suas características 7.2.6 Análise do
técnicas e requisitos projeto e da
estabelecidos no projeto instalação
7.3 Conversores e
- Aplicar procedimentos de inversores
instalação de pacotes de 7.3.1
software para preparação do Parâmetros
ambiente de programação, de 7.3.2 Tipos e
acordo com as características características
técnicas dos equipamentos e 7.4 Interface homem
ou dispositivos instalados máquina
7.4.1 Técnicas
- Definir o paradigma de
de
programação a ser utilizado em
programação
função dos requisitos técnicos
7.4.2
do projeto e do equipamento ou
Especificações
dispositivo
7.4.3
Comunicação
7.4.4 Tipos e
1.2 .4 Considerando características
- identificar os procedimentos
os procedimentos 7.5 Controladores
técnicos de registro e guarda
técnicos lógicos programáveis
de informações contidas nas
7.5.1 Técnicas
199
estabelecidos para o instruções de trabalho da de
registro de empresa programação
informações sobre o 7.5.2
- Aplicar ferramentas de
software Linguagem e
elaboração de documentação
paradigma de
para o software dos
programação
equipamentos e dispositivos
(conforme
- Detalhar as funções das linhas norma de
de código para registro técnico referência)
das informações do software 7.5.3 Tipos e
dos equipamentos e características
dispositivos 7.6 Robótica
7.6.1 Técnicas
de
programação
1.2 .5 Considerando
- Aplicar requisitos normativos 7.6.2
as normas técnicas,
à programação e configuração Componentes
de gestão da de equipamentos e dispositivos de sistemas
qualidade, de saúde
robotizados
e segurança e de - Selecionar os requisitos
7.6.3 Tipos de
sustentabilidade normativos aplicáveis a
robôs
programação e configuração
8. INSTALAÇÃO E
de equipamentos e dispositivos
CONFIGURAÇÃO DE
SENSORES
8.1 Instalação física
Fundamentos Técnicos Científicos 8.1.1 Testes de
validação
8.1.2 Análise de
manuais e
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
catálogos de
fabricantes
Capacidades Organizativas
8.1.3 Gestão da
Demonstrar comportamento prevencionista em relação a acidentes documentação
de trabalho e doenças ocupacionais técnica
Sensibilizar colegas e equipes de trabalho para o planejamento e 8.1.4
organização de ambientes de trabalho Parametrização
Demonstrar responsabilidade profissional com o público interno e 8.1.5
externo relacionado aos negócios da empresa Ferramentas
manuais
Capacidades Sociais 8.1.6 Análise do
projeto e da
Disseminar os valores éticos pessoais e profissionais para colegas
instalação
e equipes de trabalho
8.2 Transdutores e
Perceber a liderança como ferramenta estratégica na coordenação
conversores
de equipes de trabalho
8.2.1
Capacidades Metodológicas Conversores de
sinais
Valorizar oportunidades de crescimento e desenvolvimento, 8.2.2 Passivos
mantendo-se atualizado profissionalmente 8.2.3 Ativos
8.3 Princípios físicos
e aplicações
8.3.1 Sistema

200
de visão (visão
de máquina)
8.3.2 Sensores
de
posicionamento
8.3.3 Sensor de
temperatura
8.3.4 Sensor de
vazão
8.3.5
Extensômetros
e células de
carga
8.3.6 Sensor de
aceleração
8.3.7 Sensor de
pressão
8.3.8 Sensor
capacitivos
8.3.9 Sensor
magnéticos
8.3.10 Sensor
indutivo
8.3.11 Sensor
de ultrassom
8.3.12 Sensores
ópticos
8.3.13 Sensores
eletromecânicos
8.4 Tipos e
características
8.4.1
Analógicos
8.4.2 Digitais

201
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Laboratório de máquinas elétricas/eletricidade industrial
Ambientes Pedagógicos Biblioteca
Sala de aula
Laboratório de automação/mecatrônica

Multímetro
Células robotizadas
Bancadas de motores elétricos
Quadro branco
Projetor multimídia
Kit de chaves eletrônicas (soft starter) e inversores
Máquinas, Equipamentos, Software de simulação
Instrumentos e Ferramentas Software de parametrização de dispositivos
Software de programação de dispositivos
Osciloscópio
Gerador de sinais
Ferramentas manuais
Kit de sensores
Bancadas de CLP e IHM

Apostilas
Normas técnicas
Materiais Livros didáticos
Manuais e catálogos
Projetos de automação

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

202
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Interconexão em Sistemas de Automação e TI

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de


informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar nos processos de interconexão em sistemas de
automação e TI.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

2 .3 Programar a 2.3 .1
- Aplicar procedimentos
interconexão com Considerando 1. VISÃO SISTÊMICA
de testes para validação
sistemas de procedimentos 1.1 Aspectos
dos requisitos técnicos,
informação técnicos e métodos de segurança e de 1.1.1 Econômicos
corporativa para de programação 1.1.2 Tecnológicos
interface do usuário
importação e para importação e conforme a demanda 1.1.3 Sociais
exportação dos exportação de 1.1.4 Técnicos
estabelecida no projeto
dados coletados dados 1.2 Sociedade em rede
- Aplicar procedimentos 1.3 Microcosmo e
de segurança da macrocosmo
informação para 1.4 Definição
proteção da importação 2. DIRETRIZES
e exportação de dados EMPRESARIAIS
2.1 Políticas de
- Aplicar os governança
procedimentos técnicos 2.2 Instruções normativas
e métodos de e diretivas
programação conforme 2.3 Planejamento
o tipo de paradigma de estratégico
linguagem a ser 2.3.1 Valores
empregado e interface 2.3.2 Visão
do usuário prevista no 2.3.3 Missão
projeto 3. CONFLITOS NAS
ORGANIZAÇÕES
- Aplicar procedimentos
3.1 Consequências
técnicos de instalação e
3.2 Causas
configuração do
3.3 Fatores internos e
ambiente de
externos
desenvolvimento (IDE)
3.4 Características
para realização da
3.5 Tipos
programação
4. GESTÃO DA QUALIDADE
203
4.1 Mudança
organizacional
4.2 Ambiente interno e
2.3 .2 externo
- Identificar os
Considerando os procedimentos técnicos 4.3 Melhoria contínua
procedimentos 4.4 Pensamento sistêmico
de registro e guarda de
técnicos informações dos 4.5 Política de gestão da
estabelecidos para qualidade
códigos fontes
o registro de programados conforme 4.6 Cultura organizacional
informações sobre a interconexão realizada 5. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA
o sistema de 5.1 Documentação de
informação - Detalhar as funções software
das linhas de código 5.1.1 Ferramentas
para registro técnico das 5.1.2 Estruturação
informações da 5.2 Normas Técnicas
programação de 5.2.1 Qualidade
interconexão 5.2.2 Segurança da
informação
6. INTEGRAÇÃO COM
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
2.3 .3 - Identificar os requisitos CORPORATIVA E
Considerando as
de segurança da ENGENHARIA
características do informação aplicados 6.1 Gerenciamento de
sistema de
aos sistemas de segurança e testes
informação informação corporativa 6.1.1 Aplicação de
corporativa contida
para garantir o criptografia
na documentação atendimento das 6.1.2 Utilização de
do sistema
políticas de governança firewalls
de dados 6.1.3 Controle de
acesso a informação
- Identificar as
6.1.4 Análise de
características técnicas
riscos
do sistema de
6.2 Tecnologia da
informação corporativa
Informação
que impactam na
6.2.1 Interconexão
importação e exportação
com sistemas de
dos dados coletados
execução de
manufatura (MES)
6.2.2 Planejamento
do archiving:
2.3 .4 extração da base de
- Identificar os requisitos
Considerando as técnicos da demanda dados
especificações do 6.2.3 Conversões:
para definição dos
projeto de módulos do sistema de importação e
integração exportação de
informação corporativa a
serem programados dados
6.2.4 Avaliação da
qualidade dos dados
6.2.5 Autorizações:
Fundamentos Técnicos Científicos configuração de
segurança do
sistema

204
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 6.2.6 Fechamento
de gaps: testes de
Capacidades Organizativas
validação
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio 6.2.7 Configuração
da aplicação de normas e procedimentos da gestão da detalhada:
qualidade adaptações e/ou
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes customizações
institucionais no exercício de suas responsabilidades 6.3 Comunicação
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, 6.3.1 API
econômicos e tecnológicos no planejamento e execução das 6.3.2 Banco de
suas atividades dados a banco de
dados
Capacidades Sociais 6.4 Sistema de
armazenamento
Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença
6.4.1 Conexão com
ou ausência de princípios ou elementos éticos
arquivos (NoSQL)
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a
6.4.2 Conexão com
harmonização entre os membros da equipe
SGBD
Capacidades Metodológicas 6.5 Programação
6.5.1 Técnicas: C#,
Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a Visual Basic e
criatividade como ferramenta para promoção da inovação Phyton
6.5.2 Linguagens:
(C++, C#, Visual
Basic, HTML, Java,
Phyton, PHP,
JavaScript)
7. SISTEMA DE INFORMAÇÃO
CORPORATIVA (ERP) E DE
ENGENHARIA (PLM)
7.1 Aplicações
7.1.1 Ferramentas
de simulação
7.1.2 Padronização
dos procedimentos
operacionais
7.1.3 Otimização do
fluxo da informação
7.1.4 Tomadas de
decisões
7.1.5 Controle da
produtividade
7.2 Customização
7.3 Parametrização
7.4 Módulos
7.4.1 Verticais
7.4.2 Estratégicos e
táticos
7.4.3 Operacionais
7.5 Tipos e Características
7.5.1
Agilidade/velocidade

205
nos processos
7.5.2 Qualidade e
confiabilidade das
informações e dados
7.5.3 Ciclo de vida
7.6 Definição
7.6.1 PLM
7.6.2 ERP

206
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Software MES
Software de programação (IDE)
Software ERP
Máquinas, Equipamentos,
Software PLM
Instrumentos e Ferramentas
Software de gerenciamento de banco de dados
Quadro branco
Projetor multimídia

Apostilas
Projetos de software
Manuais e catálogos
Materiais
Sites e aplicativos
Livros didáticos
Normas técnicas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

207
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Programação para Coleta de Dados em Automação

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de


informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar nos processos de programação de softwares para coleta
de dados em equipamentos e dispositivos de automação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

2 .1 Programar 2.1 .1 Considerando - Identificar o escopo e


softwares para as especificações do 1. TRABALHO E
cronograma previstos no
coleta de dados projeto de integração PROFISSIONALISMO
projeto de integração para
em 1.1 Inovação,
garantia do atendimento
equipamentos e flexibilidade e
dos prazos e demandas
dispositivos de tecnologia
requeridas
automação 1.2 Autonomia e
- Identificar os protocolos de iniciativa
comunicação estabelecidos 1.3 Administração
no projeto para a integração do tempo
de equipamentos e 2. MANIPULAÇÃO DE
dispositivos de automação DADOS
2.1 Teste de
- Identificar os requisitos de manipulação de
dados a serem coletados dados
para estabelecimento das 2.1.1
técnicas de programação a Modelagem de
serem empregadas casos
2.1.2
Requisitos
2.2 Requisitos dos
2.1 .2 Considerando - Identificar funcionalidades protocolos de
as especificações
e características técnicas comunicação (OPC)
técnicas dos softwares dos equipamentos, 2.2.1
dos equipamentos e
dispositivos e dos softwares Configuração
dispositivos contidas para coleta de dados a 2.2.2 Formato
na documentação do
serem consideradas em de dados
fabricante sua programação 2.3 Tratamento de
dados em SQL
2.3.1
Documentação
208
2.1 .3 Considerando - Aplicar procedimentos de de software
os paradigmas das segurança da informação 2.3.2 Controle
linguagens de para proteção dos dados de acesso
programação coletados 2.3.3
adequados aos Programação
equipamentos e - Aplicar procedimentos de de scripts
dispositivos programação em função do 2.4 Tipos
paradigma das linguagens 2.4.1 Em
de programação a ser Sistemas de
empregado Execução da
Manufatura
- Definir o paradigma das
(MES)
linguagens de programação
2.4.2 Em
conforme os requisitos
Sistemas
identificados no projeto de
Supervisórios
integração
3. PROGRAMAÇÃO DE
DISPOSITIVOS
3.1 Requisitos do
2.1 .4 Considerando projeto de
- Identificar os
os procedimentos procedimentos técnicos de automação
técnicos estabelecidos 3.2 Teste de
registro e guarda de
para o registro de software
informações contidas nas
informações sobre o instruções de trabalho da 3.2.1
software Modelagem de
empresa
casos
- Aplicar ferramentas de 3.2.2
elaboração de Requisitos
documentação no software 3.2.3 Tipos
para coleta de dados dos 3.3 Tratamento e
equipamentos e comunicação de
dispositivos dados
3.3.1
- Detalhar as funções das
Documentação
linhas de código para
de software
registro técnico das
3.3.2 Controle
informações do software
de acesso
para coleta de dados dos
3.3.3
equipamentos e
Programação
dispositivos
de scripts
3.3.4
Requisitos de
dados
3.3.5 Blocos
2.1 .5 Considerando - Aplicar procedimentos de de
as Boas Práticas para comunicação
teste para garantir o
validação de software atendimento dos requisitos 3.3.6
técnicos e de segurança Protocolos de
previstos no projeto de comunicação
integração 3.4 Programação
estruturada
3.4.1 Blocos
de
Fundamentos Técnicos Científicos
209
organização
3.4.2 Blocos
funcionais
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
3.4.3 Blocos
de função
Capacidades Organizativas
3.4.4 Blocos
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio da de dados
aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes
institucionais no exercício de suas responsabilidades
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, econômicos e
tecnológicos no planejamento e execução das suas atividades

Capacidades Sociais

Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença ou


ausência de princípios ou elementos éticos
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a
harmonização entre os membros da equipe

Capacidades Metodológicas

Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a criatividade


como ferramenta para promoção da inovação

210
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de redes
Biblioteca
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Laboratório de automação/mecatrônica
Laboratório de informática

Multímetro
Software de simulação digital
Dispositivos de automação com comunicação (IHM, inversores,
transmissores, célula robotizada, SDCD)
Controladores Lógico Programáveis (CLP)
Projetor multimídia
Máquinas, Equipamentos, Softwares de sistemas de execução da manufatura
Instrumentos e Ferramentas Softwares de configuração de dispositivos de automação
Softwares de programação de CLP
Softwares de supervisório
Softwares de desenvolvimento de programas
Ferramentas manuais
Gateways industriais
Quadro branco

Sites e aplicativos
Apostilas
Projetos de automação
Materiais
Normas técnicas
Livros didáticos
Manuais e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

211
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO II

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Sistemas de Armazenamento de Dados para Automação

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC2 : Integrar sistemas de armazenamento de dados dos processos automatizados em sistemas de


informação corporativa e ou de engenharia, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar nos processos de estruturação de sistemas de
armazenamento de dados aplicados em processos automatizados.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

2 .2 Estruturar 2.2 .1 Considerando as


- Correlacionar os
sistemas de especificações do 1. CRIATIVIDADE
requisitos técnicos
armazenamento projeto de integração 1.1 Modelos e
estabelecidos no projeto
de dados ferramentas que
com a política de
aplicados em estimulam a
governança de dados
processos criatividade
estabelecida para
automatizados 1.2 Processo criativo
garantia da segurança
1.3 Potencial criativo
da informação
1.4 Tipos de
- Selecionar os criatividade
requisitos técnicos das 1.5 Definição
informações 2. ÉTICA SOCIAL
demandadas no projeto 2.1 Comportamento
para definição das social
estruturas de 2.2 Cidadania
armazenamento de 2.3 Cultura, história e
dados dilema
2.4 Consciência moral
- Identificar a tecnologia 2.5 Senso moral
de armazenamento de 3. ARMAZENAMENTO EM
dados conforme as LARGA ESCALA
especificações 3.1 NoSQL
estabelecidas no projeto 3.1.1 Linguagem
de integração de programação
aplicada
3.1.2 Técnicas de
criação e
manipulação
2.2 .2 Considerando as (texto e binário)
- Aplicar requisitos
normas técnicas, de 3.1.3 Arquitetura
técnicos de segurança
gestão da qualidade, 3.1.4 Definição
212
de saúde e segurança e da informação conforme 3.2 Big data
de sustentabilidade a política de governança 3.2.1 Linguagem
de dados e normas de programação
associadas aplicada
3.2.2 Técnicas de
- Aplicar requisitos
manipulação
normativos em
(Map reduce,
procedimentos técnicos
Hadoop, Hive e
para estruturação do
Pig)
sistema de
3.2.3 Definição
armazenamento de
4. LINGUAGEM SQL
dados
4.1 Instruções de
gerenciamento de
dados
2.2 .3 Considerando os - Aplicar procedimentos 4.1.1
procedimentos técnicos Modificação de
técnicos de
de implementação do programação conforme estruturas
sistema de (tabelas, bases,
o tipo de linguagem do
armazenamento de banco de dados índices)
dados em função das 4.1.2 Definição
características do - Definir a arquitetura do 4.1.3 Criação
gerenciador sistema de 4.2 Instruções de
armazenamento de manipulação de dados
dados em função das 4.2.1
informações Modificação de
identificadas no projeto informações em
de integração bancos de dados
4.2.2 Remoção
- Aplicar técnicas de
4.2.3 Inclusão
modelagem de dados
4.2.4
conforme a tecnologia
Recuperação
de armazenamento
5. ADMINISTRAÇÃO E
empregada
GERENCIAMENTO DE
- Aplicar procedimentos BANCO DE DADOS
técnicos de instalação e 5.1 Estratégias de
parametrização do backup e recuperação
sistema de 5.1.1 Replicação
gerenciamento de de dados
banco de dados 5.1.2
conforme arquitetura Automatização
definida no projeto das tarefas de
administração
- Identificar estrutura 5.2 Gerenciamento de
física e lógica usuários e controle de
necessárias para acesso
instalação do sistema 5.2.1 Criptografia
de armazenamento 5.2.2 Requisitos
da política de
governança
5.3 Planejamento de
2.2 .4 Considerando os SGBD
- Identificar os
procedimentos técnicos 5.3.1
procedimentos técnicos
213
estabelecidos para o de registro e guarda de Configuração
registro de informações informações dos 5.3.2 Instalação
sobre o sistema de sistemas de 5.4 Modelagem
armazenamento de armazenamento 5.4.1 Linguagem
dados contidas nas instruções UML
de trabalho da empresa 5.4.2
Normatização
- Aplicar ferramentas de
5.4.3 Criação de
elaboração de diagramas
documentação para
5.5 Análise de
geração do diagrama requisitos do projeto
de entidades e
6. SISTEMAS DE
relacionamento
ARMAZENAMENTO
6.1 Dispositivo de
- Detalhar as funções
das linhas de código Storage
6.1.1
para registro técnico
das informações do Convergência de
padrões
sistema de
armazenamento de 6.1.2
Gerenciamento
dados
6.1.3 Tipos e
características
6.2 Infraestrutura
Fundamentos Técnicos Científicos
6.2.1
Computação em
nuvem
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas
6.2.2 Modelo de
compartilhamento
Capacidades Organizativas massivo
6.2.3
Demonstrar organização na realização das atividades, por meio da
Características
aplicação de normas e procedimentos da gestão da qualidade
6.2.4 Tipos
Ponderar diferentes aspectos estabelecidos pelas diretrizes
6.3 Tipos
institucionais no exercício de suas responsabilidades
6.3.1 Arquivos
Ponderar conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, econômicos
6.3.2 Banco de
e tecnológicos no planejamento e execução das suas atividades
dados (SGBD)
Capacidades Sociais

Ponderar situações em diferentes contextos quanto a presença ou


ausência de princípios ou elementos éticos
Intervir em situações de conflito, buscando o consenso e a
harmonização entre os membros da equipe

Capacidades Metodológicas

Adaptar contextos e situações profissionais utilizando a criatividade


como ferramenta para promoção da inovação

214
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Serviços em nuvens
Storage
Software de desenvolvimento de programas
Máquinas, Equipamentos,
Software de gerenciamento de dados (SGDB)
Instrumentos e Ferramentas
Software de simulação digital
Quadro branco
Projetor multimídia

Livros didáticos
Normas técnicas
Apostilas
Materiais
Manuais e catálogos
Projetos de automação e TI
Sites e aplicativos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

215
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Conectividade de Cybersistemas para Automação

Carga Horária: 120h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga


escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na instalação de redes de comunicação de dados, bem
como na preparação da infraestrutura de rede de comunicação para a certificação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .3 Instalar 3.3 .1
- Identificar os escopo e
redes de Considerando as 1. PENSAMENTO
cronograma do serviço para
comunicação especificações do SISTÊMICO
garantia do atendimento do prazo
de dados projeto de 1.1 Relações com o
e demanda estabelecidos
infraestrutura de mercado
rede - Identificar os requisitos de 1.2 Organizações
segurança da instalação física de como sistemas
infraestrutura de rede para abertos
controle de acesso 1.3 Dinâmica dos
sistemas
- Identificar os protocolos de 1.4 Teoria geral dos
comunicação para configuração sistemas
dos equipamentos e dispositivos 1.5 Princípios e
da rede características
2. INOVAÇÃO
- Identificar os requisitos técnicos
2.1 Propriedade
da infraestrutura de rede para
intelectual
garantia do atendimento da
2.2 Anterioridade
demanda do projeto
2.3 Visão inovadora
2.4 Inovação x
melhoria
3.3 .2 2.5 Definição
- Identificar os requisitos
Considerando as 3. SEGURANÇA EM
normativos relacionados a
normas técnicas, REDES DE
instalação de redes de
de gestão da COMUNICAÇÃO
comunicação para garantia do
qualidade, de 3.1 Políticas de
atendimento das especificações
saúde e segurança segurança de redes
técnicas nacionais e
e de 3.1.1
internacionais, de segurança,
sustentabilidade Conscientização
qualidade e sustentabilidade
e capacitação
- Identificar os riscos envolvidos 3.1.2 Revisão,
216
no processo de instalação da aprovação e
infraestrutura para adoção das implantação
medidas normativas aplicáveis 3.1.3 Tipos de
procedimentos
3.1.4
Documentação
3.3 .3 - Selecionar ferramentas e Técnica
Considerando os 3.1.5 Requisitos
equipamentos para instalação de
procedimentos redes de acordo com 3.1.6 Definição
técnicos de 3.2 Normas de
infraestrutura para atender e
instalação e demanda do projeto segurança de
configuração de informação
dispositivos e - Aplicar procedimentos de 3.3 Virtual Private
periféricos de rede instalação e configuração em Network (VPN):
dispositivos, equipamentos ou configuração
periféricos conforme suas 3.3.1 Protocolos
características técnicas para 3.3.2 Tipos
atendimento das demandas do 3.4 Mecanismos de
projeto Segurança:
configuração
- Aplicar os procedimentos
3.4.1 Appliance
técnicos conforme os requisitos
de segurança
normativos relacionados a
3.4.2 IDS/IPS
instalação de redes de
3.4.3
comunicação para garantia do
Firewall/Proxy
atendimento das especificações
4. COMUTAÇÃO E
técnicas nacionais e
INTERCONEXÃO DE
internacionais, de segurança, de
REDES DE
qualidade e de sustentabilidade
COMUNICAÇÃO
4.1 Redes wireless:
configuração
3.3 .4 4.1.1
- Aplicar procedimentos de
Considerando os Segurança:
identificação da infraestrutura de
procedimentos criptografia,
rede para atendimento dos
técnicos autenticação e
requisitos normativos
estabelecidos para prevenção à
o registro de - Aplicar procedimentos técnicos intrusão
informações sobre para registro das configurações 4.1.2 Faixas de
a instalação da realizadas nos dispositivos ativos radiofrequência
rede de rede 4.1.3 Estação
cliente
4.2 Protocolos de
Redes
3.3 .5 - Identificar as funcionalidades e 4.2.1
Considerando as Roteamento:
características técnicas dos
características dispositivos e periféricos de STP, PVST, RIP
técnicas dos v2, NAT, OSPF,
redes que impactam em sua
dispositivos e instalação BGP, VRRP e
periféricos de EIGRP
redes contidos na 4.2.2 Enlace:
documentação do ARP, PPP,
fabricante HDLC, HSRP e

217
3 .4 Preparar 3.4 .1 - Selecionar ferramentas, Frame Relay
a Considerando os equipamentos, materiais e 4.2.3 Rede e
infraestrutura procedimentos insumos para manutenção da Transporte:
de rede de técnicos de infraestrutura de rede IPv4, IPv6, TCP,
comunicação manutenção da UDP
para a infraestrutura de - Aplicar procedimentos técnicos 4.3 VLAN
certificação rede de reparo ou substituição para 4.3.1
adequação das não Configuração
conformidades identificadas 4.3.2
Roteamento
inter VLAN
4.4 Métodos de
3.4 .2 comutação de dados
- Aplicar os procedimentos
Considerando os técnicos de registro para 4.4.1
procedimentos Agregação de
elaboração de relatório de testes
técnicos links
da infraestrutura de rede
estabelecidos para 4.4.2
o registro de Configuração de
informações sobre portas tronco
a certificação 4.5 Arquiteturas
4.5.1 Modelo
3.4 .3 - Correlacionar os resultados dos hierárquico
Considerando as
testes realizados na infraestrutura 4.5.2
normas técnicas e de rede com os padrões Multicamadas
Boas Práticas
normativos estabelecidos para 4.6 Ativos de redes
conforme o tipo de proposição de soluções às não 4.6.1
infraestrutura de
conformidade Gerenciamento
rede a ser
IOS e arquivos
certificada - Aplicar procedimentos de testes
4.6.2
conforme o tipo de certificação
Configuração de
considerando Boas Práticas e
funcionalidades
dispositivos normativos
4.6.3
- Selecionar os dispositivos Características
normativos aplicáveis a 4.6.4
infraestrutura de rede para Simbologias
preparação da certificação 5. INFRAESTRUTURA DE
REDES DE
COMUNICAÇÃO
5.1 Normas de
Fundamentos Técnicos Científicos cabeamento
estruturado
5.2 Documentação
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas técnica: registro
5.2.1 Relatório
Capacidades Organizativas de implantação
5.2.2 Relatório
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do de testes
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à 5.3 Teste e
sustentabilidade manutenção de redes
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como 5.3.1 Requisitos
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional de certificação
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e 5.3.2
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho Ferramentas de
218
software para
Capacidades Sociais monitoramento
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob de redes
5.3.3
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos de Ferramentas de
testes físicos
trabalho, considerando seus pares e os demais níveis hierárquicos
5.4 Instalação
Capacidades Metodológicas 5.4.1
Acessórios
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a 5.4.2 Ativos de
no planejamento e execução das suas atividades
redes
5.4.3 Passivos
de redes
5.4.4 Cabos
5.4.5
Conectores
5.5 Meios de rede
wireless
5.5.1
Interferências
5.5.2 Tipos e
características
5.6 Projeto físico de
redes
5.6.1 Requisitos
5.6.2
Simbologias

219
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de automação/mecatrônica
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Biblioteca
Laboratório de redes

Access Point
Controladores Lógico Programáveis (CLP)
Gateways industriais com e sem fio
Máquinas, Equipamentos,
Roteadores com e sem fio
Instrumentos e Ferramentas
Switches
Quadro branco
Projetor multimídia

Projetos de redes de comunicação


Apostilas
Livros didáticos
Materiais
Normas técnicas
Sites e aplicativos
Manuais e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

220
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Projetos de Integração de Cybersistemas para Automação

Carga Horária: 80h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga


escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar no planejamento da integração entre sistemas de
automação e sistema de informação

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .1 Planejar a 3.1 .1 Considerando os - Aplicar metodologia de


integração procedimentos técnicos 1. ORGANIZAÇÃO DO
projetos para elaboração da
entre sistemas estabelecidos para o TRABALHO
documentação técnica da
de automação registro de informações 1.1 Controle de
integração dos sistemas
e sistema de sobre o projeto atividades
informação - Aplicar procedimentos de 1.2 Gestão
elaboração de desenhos e organizacional
esquemas de integração 1.3 Sistemas
entre sistemas por meio de administrativos
recursos computacionais 1.4 Estruturas
em softwares de projeto hierárquicas
2. COORDENAÇÃO DE
- Aplicar simbologias, EQUIPE
terminologias, convenções 2.1 Tomada de
gráficas de sistemas de decisão
automação e de informação 2.2 Gestão da rotina
pertinentes para projetos 2.3 Definição da
organização do
trabalho e dos níveis
de autonomia
3.1 .2 Considerando as
- Especificar os tipos de 3. MEIO AMBIENTE E
características técnicas materiais, ferramentas, SUSTENTABILIDADE
dos materiais,
equipamentos e 3.1 A indústria e o
ferramentas, dispositivos quanto ás suas meio ambiente
equipamentos e
características técnicas 3.2 Políticas públicas
dispositivos dos demandados para ambientais
sistemas de automação
integração dos sistemas 3.3
e informação
Responsabilidades
- Aplicar cálculos de
socioambientais
dimensionamento para
4. PROJETO DE
identificação das
INTEGRAÇÃO DE
221
quantidades e CYBERSISTEMAS PARA
características dos AUTOMAÇÃO
materiais, equipamentos e 4.1 Plano de
dispositivos de automação comissionamento
e TI 4.1.1 Validação
do escopo:
itens de
3.1 .3 Considerando os - Avaliar as características verificação x
requisitos de escopo do protocolos
do ambiente e infraestrutura
projeto, especificações que impactam na 4.1.2
e prazos da demanda Verificação
elaboração do projeto de
de integração integração entre sistemas cruzada da
documentação
- Interpretar as informações do projeto
fornecidas pela demanda 4.1.3
quanto às necessidades de Procedimentos
integração para descrição de testes de
dos requisitos técnicos a funcionamento
serem contemplados no 4.2 Orientações da
projeto implementação do
projeto
- Dimensionar os tempos de
4.2.1
execução das etapas de
Segurança na
integração para elaboração
instalação
do cronograma do projeto
4.2.2 Teste de
redes
4.2.3
3.1 .4 Considerando as Manutenção
- Correlacionar as
normas e padrões 4.2.4 Ajustes
características dos
técnicos, de gestão da 4.2.5 Montagem
equipamentos e
qualidade, de saúde e 4.3 Documentação
dispositivos com as normas
segurança e de técnica do projeto:
de cybersecurity para
sustentabilidade elaboração
minimização de riscos
4.3.1 Manual do
- Aplicar dispositivos usuário
normativos que impactam 4.3.2 Detalhes
no planejamento do projeto típicos de
de integração dos sistemas instalação
4.3.3
Diagramas de
interligações
elétricas dos
equipamentos
Fundamentos Técnicos Científicos
4.3.4 Lista de
cabos/diagrama
de cabeamento
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 4.3.5 Layout de
painéis e racks
Capacidades Organizativas 4.3.6 Croqui da
integração na
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do
planta baixa
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à
4.3.7 Lista de
sustentabilidade
222
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como equipamentos e
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional requisição de
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e material
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho 4.3.8
Diagramas de
Capacidades Sociais processo,
engenharia e
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob
redes
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados
4.3.9 Memorial
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos de
descritivo e de
trabalho, considerando seus pares e os demais níveis hierárquicos
cálculo
Capacidades Metodológicas 4.4 Desenvolvimento
4.4.1 Integração
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a de
no planejamento e execução das suas atividades armazenamento
de dados
4.4.2 Controle
de versões e
rastreabilidade
4.4.3
Modelagem dos
softwares para
integração
4.4.4 Requisitos
dos softwares
4.5 Planejamento
4.5.1
Cronograma
4.5.2 Análise de
viabilidade
técnica e
financeira
4.5.3 Estrutura
Analítica do
Projeto (EAP)
4.5.4
Elaboração de
esboços
4.5.5
Levantamento
de requisitos
normativos
4.5.6
Levantamento
de requisitos
técnicos
4.5.7 Definição
do objetivo
5. DESENHO ASSISTIDO
POR COMPUTADOR:
CONSTRUTIVO,
ELÉTRICO, REDES E
AUTOMAÇÃO
223
5.1 Impressão de
desenhos
5.1.1 Arquivo
5.1.2 Física
5.2 Geração de
elementos gráficos
5.2.1
Tolerâncias
5.2.2 Cotas
5.2.3 Cortes
5.2.4 Vistas
5.3 Layout da área de
trabalho e atalhos
5.4 Comandos

224
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de informática
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Biblioteca

Softwares de simulação digital


Máquinas, Equipamentos, Software CAD para desenho estrutural, elétrico, redes e automação
Instrumentos e Ferramentas Quadro branco
Projetor multimídia

Sites e aplicativos
Projetos de automação, civil, redes, eletricidade e mecanismos robóticos
Normas técnicas
Materiais
Livros didáticos
Manuais e catálogos
Apostilas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

225
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Tecnologias da Segurança da Informação

Carga Horária: 120h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga


escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na instalação de aplicações e serviços em servidores,
bem como na implantação de tecnologias para garantir a segurança da informação.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .2 Instalar 3.2 .1 Considerando - Correlacionar os requisitos


aplicações e as especificações do 1. ÉTICA PROFISSIONAL
técnicos estabelecidos no
serviços em projeto de integração 1.1 Responsabilidade
projeto com a política de
servidores empresarial
governança de dados
1.2 O impacto da falta
estabelecida para garantia
de ética ao país
da segurança da informação
1.2.1 Impostos
- Identificar o escopo e 1.2.2 Pirataria
cronograma da instalação 1.3 Código de ética
para garantia do atendimento profissional
dos prazos e demandas 1.4 Código de conduta
estabelecidas 2. TECNOLOGIAS
APLICADAS À
- Identificar os requisitos SEGURANÇA DA
técnicos e funcionalidade da INFORMAÇÃO
integração que demandam 2.1 Sistema de gestão
instalação de aplicações e 2.1.1 Políticas e
serviços em servidores normas
2.1.2 Controle de
acesso
2.2 Técnicas
3.2 .2 Considerando
- Aplicar dispositivos 2.2.1 Testes
as normas técnicas e normativos de licenciamento 2.2.2
requisitos legais de
de software para utilização de Configuração
uso do software aplicações e serviços em 2.2.3 Atualização
servidores 2.2.4 Instalação
2.3 Tipos
- Identificar requisitos legais
2.3.1 Controle
relativos a licenciamento e
lógico (software):
uso de software para
Firewall, Proxy,
Antivírus, SSL e
226
instalação de aplicações e VPN
serviços em servidores 2.3.2 Controle
físico (hardware):
3.2 .3 Considerando Firewall e
- Aplicar procedimentos de
as especificações Proteção física
instalação de hardware
técnicas do sistema 3. SERVIDORES
periféricos em servidores
operacional e 3.1 Serviços
para agregar recursos de
hardware do servidor 3.1.1
forma a atender as
Implementação
funcionalidades demandadas
3.1.2
- Correlacionar as Configuração
características e 3.1.3 Atualização
funcionalidades do sistema 3.1.4 Instalação
operacional e hardware com 3.1.5 Tipos e
as aplicações e serviços a características
serem executados (Web, DHCP e
DNS)
3.2 Aplicações de
software
3.2 .4 Considerando - Aplicar procedimentos 3.2.1
os procedimentos Configuração
técnicos de instalação,
técnicos de configuração e execução 3.2.2 Atualização
instalação, 3.2.3 Instalação
conforme o tipo de aplicação
configuração e ou serviço a ser realizado 3.2.4 Tipos e
execução conforme o características
tipo de serviço 3.3 Sistema
operacional
3.2 .5 Considerando - Aplicar procedimentos de 3.3.1 Atualização
os procedimentos 3.3.2
registro das informações
técnicos pertinente a instalação Configuração
estabelecidos para o 3.3.3 Instalação
realizada
registro de 3.4 Licenciamento de
informações sobre a - Identificar os procedimentos software
instalação no servidor técnicos para registro de 3.4.1 Tipos e
licenças e versionamento de características
aplicações e serviços 3.4.2 Políticas
instalados no servidor 3.5 Tipos e
características
- Identificar os procedimentos
3.5.1 Remoto
técnicos para registro de
3.5.2 Local
informações sobre a
3.6 Definição
instalação de serviços e
4. SEGURANÇA DA
softwares no servidor
INFORMAÇÃO
4.1 Riscos
4.1.1
Vulnerabilidades
4.1.2 Ameaças
4.2 Princípios
3 .5 Implantar 3.5 .1 Considerando a
- Identificar os requisitos e 4.2.1 Legalidade
tecnologias política de segurança procedimentos técnicos de 4.2.2
para garantir da informação da
segurança da informação Autenticidade
a segurança empresa para seleção das tecnologias 4.2.3
da
compatíveis
227
informação Disponibilidade
4.2.4
Confidencialidade
3.5 .2 Considerando 4.2.5 Integridade
- Correlacionar as
as características das características das 4.3 Definição
tecnologias de
tecnologias com os requisitos
software utilizados na da política de segurança da
segurança
informação para definição
especificada na dos softwares e ou hardwares
demanda
a serem empregados

3.5 .3 Considerando
- Identificar os procedimentos
os procedimentos técnicos de registro e guarda
técnicos
de informações contidas nas
estabelecidos para o instruções de trabalho
registro de
informações sobre a - Aplicar ferramentas de
segurança da rede elaboração de documentação
para registro da tecnologia
de segurança da informação
implantada

- Detalhar as funções das


linhas de código para registro
técnico das informações do
software

3.5 .4 Considerando
- Aplicar procedimentos de
procedimentos testes e ferramentas de
técnicos de
monitoramento para
configuração e avaliação de possíveis falhas
programação de
de segurança na tecnologia
mecanismos de implementada
segurança
- Aplicar procedimentos de
configuração em tecnologias
de segurança da informação
para garantia dos requisitos
identificados na política de
segurança

- Aplicar os procedimentos
técnicos de programação
conforme o tipo de
paradigma de linguagem de
programação da tecnologia a
ser implementada

228
Fundamentos Técnicos Científicos

Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas

Capacidades Organizativas

Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do


meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à
sustentabilidade
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho

Capacidades Sociais

Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob


sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos
de trabalho, considerando seus pares e os demais níveis
hierárquicos

Capacidades Metodológicas

Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a


no planejamento e execução das suas atividades

229
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de redes
Sala de aula
Ambientes Pedagógicos
Biblioteca
Laboratório de informática

Sistemas operacionais para servidores


Softwares de virtualização (local e ou remoto)
Softwares de segurança da informação (antivírus, firewall e proxy)
Máquinas, Equipamentos,
Firewall físico
Instrumentos e Ferramentas
Servidores
Quadro branco
Projetor multimídia

Livros didáticos
Sites e aplicativos
Materiais Manuais e catálogos
Apostilas
Normas técnicas

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações
conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

230
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: ESPECÍFICO III

Perfil Profissional: Técnico em Cibersistemas para Automação

Unidade Curricular: Manutenção de Sistemas de Automação e TI

Carga Horária: 60h

Unidades de Competência:

UC3 : Desenvolver projetos de integração de comunicação e cybersecurity para armazenamento em larga


escala, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
sustentabilidade.

Objetivo Geral: Propiciar o desenvolvimento de capacidades técnicas e de capacidades sociais,


organizativas e metodológicas requeridas para atuar na manutenção de sistemas de informação dos processos
automatizados.

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Técnicas Conhecimentos


Competência Desempenho

3 .6 Manter os 3.6 .1 Considerando


- Aplicar ferramentas de
sistemas de os procedimentos 1. DESENVOLVIMENTO DE
elaboração de
informação técnicos estabelecidos EQUIPES DE TRABALHO
documentação para
dos para o registro de 1.1 Processos de
registro da manutenção
processos informações sobre a comunicação
automatizados manutenção dos - Identificar os 1.2 Avaliação de
sistemas de procedimentos técnicos de desempenho
informação e registro e guarda de 1.3 Capacitação
automação informações contidas nas 1.4 Motivação de
instruções de trabalho pessoas
1.5 Níveis de autonomia
- Detalhar as funções das nas equipes de trabalho
linhas de código para 2. QUALIDADE AMBIENTAL
registro técnico das 2.1 Energias renováveis
informações dos softwares 2.2 Uso racional de
corrigidos recursos e energias
disponíveis
2.3 Reciclagem de
resíduos
3.6 .2 Considerando
- Identificar os requisitos 2.4 Descarte de
as normas técnicas, de normativos relacionados a
resíduos
gestão da qualidade,
manutenção para garantia 2.5 Aquecimento global
de saúde e segurança do atendimento das
2.6 Prevenção à
e de sustentabilidade
especificações técnicas poluição ambiental
nacionais e internacionais, 2.7 Homem e o meio
de segurança, qualidade e ambiente
sustentabilidade 3. EXECUÇÃO DA
MANUTENÇÃO DE
- Identificar os riscos
SISTEMAS DE
envolvidos no processo de
AUTOMAÇÃO E TI
manutenção para adoção
3.1 Procedimentos de
231
das medidas normativas segurança e
aplicáveis sustentabilidade
3.1.1 Descarte de
resíduos
3.1.2 Medidas de
3.6 .3 Considerando o proteção
- Aplicar procedimentos
Plano de Manutenção técnicos de manutenção 3.1.3 Normas de
e ou Ordem de Serviço segurança
em função das demandas
dos sistemas de previstas no plano e ou 3.1.4 Riscos
informação e ocupacionais
ordem de serviço para
automação manter o sistema de 3.2 Procedimentos de
informação dos processos manutenção
automatizados 3.2.1 Backup
3.2.2 Atualização
- Selecionar materiais, de firmware e
ferramentas e insumos em software
função das ações previstas 3.2.3 Alterações
no plano de manutenção e de configurações
ou ordem de serviço para 3.2.4 Alterações
manter o sistema de de códigos em
informação dos processos software
automatizados 3.2.5 Limpeza
3.2.6 Teste dos
- Identificar os tipos,
componentes e
periodicidade e históricos
dispositivos
para organização das
3.2.7 Reparos ou
ações de manutenção
substituições
3.2.8 Análise de
sinais
3.6 .4 Considerando 3.2.9 Teste de
- Correlacionar a
as especificações circuitos de
equivalência de
técnicas dos alimentação
funcionalidades entre
dispositivos contidas 3.3 Componentes e
distintos dispositivos para
na documentação do equipamentos dos
substituições em caso de
fabricante sistemas
obsolescência
3.3.1 Vida útil
- Identificar as 3.3.2
especificações técnicas Especificações
dos dispositivos para técnicas de
diagnóstico das falhas dos manutenção
sistemas de informação 3.4 Ferramentas e
dos processos instrumentos
automatizados 3.5 Análise de falhas
3.5.1 Técnicas de
execução
3.5.2
Procedimentos
Fundamentos Técnicos Científicos
3.5.3 Ferramentas
de diagnóstico de
falhas
Capacidades Sociais, Organizativas e Metodológicas 3.5.4
Metodologias
Capacidades Organizativas
232
4. PLANEJAMENTO E
Conscientizar-se sobre o papel do trabalhador na preservação do CONTROLE DA
meio ambiente e no cumprimento das normas aplicadas à MANUTENÇÃO (PCM)
sustentabilidade 4.1 Software de gestão
Valorizar o planejamento e a organização do trabalho como de manutenção
facilitadores do desenvolvimento da postura profissional 4.1.1 Relatórios
Apresentar pensamento sistêmico, de forma organizada e 4.1.2 Indicadores
consciente, no relacionamento com as equipes de trabalho 4.1.3
Operacionalização
Capacidades Sociais
4.1.4 Atalhos
Evidenciar postura ética na tomada de decisão dos aspectos sob 4.1.5 Recursos
sua liderança, responsabilizando-se pelos impactos gerados 4.2 Documentação
Valorizar o seu papel como coordenador de equipes e processos técnica
de trabalho, considerando seus pares e os demais níveis 4.2.1 Projetos
hierárquicos 4.2.2 Catálogos e
Manuais
Capacidades Metodológicas 4.2.3
Procedimentos
Demonstrar postura profissional orientada à inovação, aplicando-a
técnicos
no planejamento e execução das suas atividades
4.2.4 Normas
4.3 Indicadores de
desempenho de
manutenção
4.3.1
Produtividade
(OEE):
disponibilidade,
eficiência e
qualidade
4.3.2
Porcentagem de
pedidos de
manutenção por
tipo
4.3.3 Tempo
médio de
processamento
para um pedido
de manutenção
4.3.4 Pessoas-
horas despendido
em cada categoria
de manutenção
4.3.5 Número
médio de falhas
de processamento
4.4 Revisão de
requisitos
4.4.1 Revisão de
código
4.4.2 Interfaces
que poderiam

233
impactar a
manutenção
4.4.3 Aspectos de
portabilidade do
software
4.4.4 Áreas de
melhoramentos
futuros
4.5 Plano de
manutenção
4.5.1 Previsão de
recursos
4.5.2 Métricas de
manutenibilidade
4.5.3 Cronograma
4.5.4
Procedimentos de
manutenção e
checklist das
tarefas
4.5.5 Lista de
ferramentas
4.5.6 Ordens de
serviço
4.5.7 Histórico de
manutenção
4.6 Tipos de
manutenção
4.6.1 Perfectiva
4.6.2 Adaptativa
4.6.3 Evolutiva
4.6.4 Preventiva
4.6.5 Preditiva
4.6.6 Corretiva
4.7 Definição

234
Ambientes pedagógicos, com relação de equipamentos, máquinas, ferramentas, instrumentos e
materiais

Laboratório de redes
Biblioteca
Ambientes Pedagógicos Sala de aula
Laboratório de informática
Laboratório de automação/mecatrônica

Software de gestão da manutenção


Software de configuração de redes
Periféricos de rede IoT
Softwares de execução de manufatura (MES), corporativo (ERP) e
engenharia (PLM)
Quadro branco
Projetor multimídia
Máquinas, Equipamentos,
Periféricos de redes industrias
Instrumentos e Ferramentas
Software de simulação digital
Software de programação de dispositivos de automação
Osciloscópio
Multímetro
Testador de rede
Testador de cabos
Ferramentas manuais

Normas técnicas
Sites e aplicativos
Apostilas
Materiais
Projetos de automação e TI
Livros didáticos
Manuais e catálogos

Nas condições de infraestrutura, serão asseguradas as condições de


acessibilidade instrumental e arquitetônica, reconhecendo a
especificidade e a peculiaridade do aluno com deficiência, levando-se em
Observações/recomendações conta a(s) Norma(s) Regulamentadora(s) da ocupação, NBR nº 9050, Lei
nº 13.146/2015, a LDB nº 9394/96 e a legislação específica em vigência
da deficiência em questão, quando for o caso.

INFORMAÇÕES SOBRE A VERSÃO DA OCUPAÇÃO

Data de Validação 18/07/2019

Data de Validade 31/12/2024

Local Brasilia/DF

235
4. TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Identificação da ocupação

TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO
Ocupação CBO 3001
INDUSTRIAL

EDUCAÇÃO Educação Profissional Técnica


C.H MÍNIMA 1240h
PROFISSIONAL de Nível Médio

NÍVEL DA EIXO Controle e Processos


3
QUALIFICAÇÃO TECNOLÓGICO Industriais

FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE
Automação INFORMÁTICA, PRODUTOS ELETRÔNICOS E
ÁREA SEGMENTO
e ÓPTICOS, FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS,
TECNOLÓGICA TECNOLÓGICO
Mecatrônica APARELHOS E MATERIAIS ELÉTRICOS E
FABRICAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

Integrar sistemas e tecnologias e desenvolver soluções para o acionamento de


COMPETÊNCIA dispositivos, a medição e o controle de variáveis em processos industriais, considerando
GERAL as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio
ambiente

REQUISITOS
Estar cursando o 2º ano do ensino médio ou ensino médio concluído.
DE ACESSO

Relação das Unidades de Competência

Desenvolver soluções para o acionamento de dispositivos e a medição de


Unidade de Competência 1 variáveis em processos industriais, considerando as normas, padrões e
requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente

Desenvolver soluções para controle de variáveis em processos industriais,


Unidade de Competência 2 considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e
segurança e de meio ambiente

Integrar sistemas e tecnologias de controle e automação em processos


Unidade de Competência 3 industriais, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de
qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente

236
Descrição das Unidades de Competência

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 1
Desenvolver soluções para o acionamento de dispositivos e a medição de variáveis em processos
industriais, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e
de meio ambiente

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando os requisitos estabelecidos para o processo na


documentação técnica de referência
Utilizando as estratégias de medição de acordo com o tipo de
variável e de processo industrial
Atuar na aplicação de estratégias para Considerando as características dinâmicas das variáveis
medição de variáveis químicas em químicas que atuam no processo industrial em questão
processos industriais Redigindo rotinas para manutenção de dispositivos de medição
de variáveis químicas industriais nas condições técnicas
requeridas e padrões estabelecidos
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto
nas condições estabelecidas pela empresa

Considerando os requisitos estabelecidos para o processo na


documentação técnica de referência
Utilizando as estratégias de medição de acordo com o tipo de
variável e de processo industrial
Atuar na aplicação de estratégias para Considerando as características dinâmicas das variáveis físicas
a medição de variáveis físicas em que atuam no processo industrial em questão
processos industriais Redigindo rotinas para manutenção de dispositivos de medição
de variáveis físicas industriais nas condições técnicas requeridas
e padrões estabelecidos
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto
nas condições estabelecidas pela empresa

Considerando as informações, especificações técnicas e


requisitos estabelecidos no escopo do projeto
Especificando os componentes e dispositivos em documentos
Elaborar circuitos de acionamento de técnicos padronizados
motores elétricos Criando os diagramas requeridos pelo projeto em conformidade
com os padrões e normas pertinentes
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto
nas condições estabelecidas pela empresa

Considerando as informações, especificações técnicas, normas


técnicas e requisitos estabelecidos no escopo do projeto
Especificando os componentes (hidráulicos, pneumáticos) em
Elaborar diagramas hidráulicos e documentos técnicos padronizados
pneumáticos para sistemas industriais Criando os diagramas requeridos pelo projeto em conformidade
com os padrões e normas pertinentes
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto

237
nas condições estabelecidas pela empresa

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 2
Desenvolver soluções para controle de variáveis em processos industriais, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Considerando as características dinâmicas das variáveis químicas e


físicas que atuam no processo industrial em questão
Considerando os requisitos e normas de segurança estabelecidas
para o processo
Realizar a especificação de
Utilizando as estratégias definidas pelo controle automático para o
elementos finais de controle para
processo industrial
processos industriais
Utilizando o dispositivo de atuação mais indicado para o processo
industrial em questão
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto nas
condições estabelecidas pela empresa

Considerando os requisitos e normas de segurança estabelecidos


para o processo
Utilizando os limites de segurança definidos para o processo
industrial
Elaborar sistemas de
Considerando as características dinâmicas das variáveis físicas e
intertravamento para o controle de
químicas que atuam no processo industrial em questão
processos industriais
Utilizando o dispositivo de atuação mais indicado para o processo
industrial em questão
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto nas
condições estabelecidas pela empresa

Considerando os requisitos estabelecidos no escopo para o


funcionamento do sistema automatizado em questão
Criando a relação de dispositivos de entradas e saídas em
conformidade com as especificações dos circuitos
Especificando os Controladores Lógicos Programáveis e seus
módulos com referência na documentação do projeto
Criando soluções em Controladores Lógicos Programáveis para
Elaborar sistemas lógicos processos industriais pela aplicação de técnicas específicas e
programáveis linguagens normatizadas
Utilizando as técnicas, métodos, padrões, referências técnicas e
tecnologias que se aplicam à estruturação de programas para
sistemas contínuos e sequenciais
Estabelecendo, com referência em critérios técnicos, situações
marginais e de segurança que impactam o funcionamento do sistema
Realizando o arquivamento da documentação técnica (programas e
documentos) do projeto nas condições estabelecidas pela empresa

Considerando os requisitos estabelecidos para o processo na


238
documentação técnica de referência
Considerando as características dinâmicas das variáveis físicas e
químicas que atuam no processo industrial em questão
Utilizando as estratégias de controle automático que se aplicam ao
Elaborar estratégias para controle
controle de variáveis físicas e químicas do processo industrial em
contínuo de variáveis em
questão
processos industriais
Utilizando, com referência nas indicações e especificações de
catálogos e manuais, o dispositivo de controle mais indicado para o
processo industrial em questão
Realizando a sintonia da malha de controle com referências nos
limites operacionais determinados pelo sistema unitário

Considerando as informações, especificações técnicas, normas


técnicas e requisitos estabelecidos no escopo do projeto
Especificando os componentes em documentos técnicos
Elaborar sistemas eletrônicos padronizados
microcontrolados Criando os diagramas requeridos pelo projeto em conformidade com
os padrões e normas pertinentes
Realizando o arquivamento da documentação técnica do projeto nas
condições estabelecidas pela empresa

UNIDADE DE COMPETÊNCIA 3
Integrar sistemas e tecnologias de controle e automação em processos industriais, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente

Elementos de Competência Padrões de Desempenho

Realizando diagnósticos do funcionamento dos componentes dos sistemas


de controle
Considerando as indicações e referências técnicas estabelecidas no plano
de manutenção
Participando dos serviços de manutenção nas condições estabelecidas
pela empresa, normas e referências técnicas pertinentes
Verificando a disponibilidade dos recursos tecnológicos, de infraestrutura e
humanos requeridos para a execução dos serviços de manutenção
Manter sistemas de Controlando o atendimento dos requisitos de segurança que se fazem
automação e controle necessários para a execução dos serviços de manutenção
Registrando os serviços de manutenção executados em conformidade com
o sistema de qualidade da empresa
Orientando, com referência na legislação e política de resíduos ambientais
da empresa, a destinação dos resíduos gerados nos serviços de
manutenção
Realizando inspeções, avaliações e testes durante e ao final da execução
dos serviços de manutenção
Dando encaminhamento às situações imprevistas

Estabelecendo, com referência no escopo, indicadores relevantes para a


análise de comportamento dos sistemas
Armazenando, de forma segura, as informações (dados e indicadores) em
239
Gerenciar dados e bancos de dados (locais ou em nuvem)
indicadores de sistemas Gerando curvas e gráficos de tendências para análise estatística de
variáveis e processos (análise erros)
Disponibilizando dados e informações de acordo com as demandas e
responsabilidades

Mapeando as tags do sistema automatizado a partir das especificações do


escopo do projeto
Mapeando as tags do processo de controle a partir das especificações do
projeto
Especificando a arquitetura e/ou interfaces de acordo com os requisitos do
projeto
Criar interface e Desenvolvendo telas gráficas de interface homem x máquina em
comunicação de sistemas conformidade com as especificações do projeto (P & ID) (alarmes,
com os usuários históricos, nível de acesso dos usuários)
Considerando as redundâncias previstas no projeto para a garantia do nível
de confiabilidade operacional
Realizando a configuração da comunicação do sistema de supervisão com
o controlador de acordo com as especificações do projeto
Realizando o arquivamento da documentação do projeto nas condições
estabelecidas pela empresa

Configurando os dispositivos e equipamentos em conformidade com os


requisitos estabelecidos no projeto
Conferindo a validade e a rastreabilidade do certificado de calibração dos
instrumentos de referência
Considerando os parâmetros técnicos a serem ajustados nos componentes,
sistemas e suas interfaces
Atendendo os requisitos de segurança que impactam a realização do
Comissionar o sistema de comissionamento
controle e automação Realizando os testes de comissionamento com base nos manuais do
fabricante e requisitos do projeto
Documentando as alterações e ajustes realizados no projeto nas condições
e padrões estabelecidos
Validando a calibração e a configuração dos instrumentos com referência
na documentação técnica pertinente
Liberando o sistema de controle para o start-up nas condições
estabelecidas pela empresa

Considerando o tipo, as características e as funções das variáveis


industriais que impactam a instalação
Certificando-se da conformidade dos instrumentos, equipamentos e
dispositivos com as especificações do projeto
Considerando as características, funcionalidades e requisitos dos
instrumentos, equipamentos e dispositivos de controle e automação a
serem instalados e de suas interfaces
Seguindo as etapas e especificações do projeto e demais documentos
Instalar instrumentos, técnicos pertinentes
equipamentos e Realizando a montagem, fixação e interligação dos instrumentos,
240
dispositivos de controle e equipamentos, dispositivos e suas interfaces na sequência e requisitos
automação e suas estabelecidos no projeto e pelo fabricante
interfaces Configurando, com referência nas especificações do projeto, as interfaces
entre equipamentos de controle e automação para a garantia da
comunicação de dados
Integrando ao sistema as tecnologias automatizadas e robotizadas
indicadas no projeto
Realizando os registros e o arquivamento da documentação técnica
(programas e documentos) referente à instalação de instrumentos,
equipamentos e dispositivos de controle e automação nas condições
estabelecidas pela empresa

Especificando os dispositivos de medição do sistema de controle com


referência nos requisitos do escopo
Especificando os dispositivos de correção do sistema de controle com
referência nos requisitos do escopo
Criando a relação de dispositivos de entradas e saídas em conformidade
com as especificações dos circuitos
Elaborar sistemas de Especificando os controladores com referência na documentação do
controle industrial escopo
Criando diagramas de interligação do sistema de controle com referência
no escopo
Utilizando as técnicas, métodos, padrões, referências técnicas e
tecnologias que se aplicam à estruturação de programas para sistemas
Realizando o arquivamento da documentação técnica (programas e
documentos) do projeto nas condições estabelecidas pela empresa

241
Competências de Gestão

Adaptar-se permanentemente a mudanças organizacionais


Apresentar comportamento ético na conduta pessoal e profissional
Apresentar postura proativa e atitude inovadora e empreendedora, atualizando-se continuamente e
adaptando-se, com criatividade e senso crítico, às mudanças tecnológicas, organizativas e profissionais
Apresentar, no planejamento e no desenvolvimento das suas atividades profissionais, uma postura de
comprometimento, responsabilidade, engajamento, atenção, disciplina, organização, precisão e zelo
Atuar na coordenação de equipes multidisciplinares de trabalho, comunicando-se profissionalmente,
orientando colaboradores, interagindo e cooperando com os integrantes dos diferentes níveis hierárquicos da
empresa
Atuar profissionalmente, cumprindo os princípios de higiene e saúde, os procedimentos de qualidade e de
meio ambiente e as normas de segurança aplicáveis às atividades sob a sua responsabilidade
Estabelecer relacionamento profissional com instâncias externas e internas
Ser flexível, adaptando-se às diretrizes, normas e procedimentos da empresa, de forma a assegurar a
qualidade técnica de produtos e serviços
Ter visão sistêmica, considerando conjuntamente os aspectos técnicos, sociais, econômicos, tecnológicos e
de qualidade aplicáveis às atividades sob a sua responsabilidade

Contexto de Trabalho da Ocupação

Meios de Produção

Máquinas e Equipamentos

Atuadores Pneumáticos, Hidráulicos e Eletromecânicos


Acionamentos elétricos e eletrônicos
Calibradores de instrumentos
Circuitos elétricos e eletrônicos
Comandos elétricos convencionais
Computadores e equipamentos de informática (micros, impressoras, scanner, tablet, etc.)
Controlador Lógico Programável (CLP) e/ou SDCD
Dispositivos de segurança
Dispositivos para transmissão de dados
Dispositivos para tratamentos de sinais
Equipamentos de acionamentos elétricos e eletrônicos
Equipamentos de diagnóstico
Equipamentos de medições elétricas, analógicos e digitais
Equipamentos de segurança intrínseca para área industrial
Equipamentos e sistemas de Instrumentação
Instrumentos calibrados de medição e controle de variáveis industriais tais como vazão, temperatura, nível,
pressão, densidade, instrumentos analíticos (ph, condutividade , ...)
Instrumentos de medição, verificação e controle
Interfaces multimodais
Microcontroladores
Redes industriais (redes de comunicação de dados): Protocolos de comunicação industrial
Robôs
Sensores e transdutores industriais
Simuladores de Realidade Virtual
Sistemas Supervisórios e IHM (Interface Homem-Máquina – Display)
Válvulas de controle e de segurança de processos industriais

242
Acionamento Eletrônico de Motores: Inversor de Frequência; Soft starter; Servoacionamento; Conversores
CA\CC

Ferramentas e Instrumentos

Ferramentas e instrumentos elétricos


Ferramentas de realidade virtual
Ferramentas manuais
Ferramentas pneumáticas, hidráulicas e eletromecânicas
Instrumentos de medição elétrica e mecânica
Sistemas de visão
Comissionamento virtual

Materias de Utilização Habitual

Consumíveis para manutenção


Materiais para desenho
Materiais para limpeza
Materiais para registros
Componentes eletrônicos, pneumáticos, hidráulicos e elétricos

Tecnologias associadas aos diversos processos de informática

Software de Linguagens de programação


Software de programação de Controladores Lógicos Programáveis
Software de programação de Microcontroladores
Software de sintonia de controle de processos industriais
Software para análise de desempenho de manutenção (análise de riscos)
Software para análise de erros (metrologia)
Sistema de controle e aquisição de dados (SCADA, MES) e sistema supervisório de controle e controle
estatístico de processo (CEP)
Software para Redes industriais
Software para simulação de circuitos elétricos/eletrônicos
Software para simulação de circuitos eletropneumáticos, eletro-hidráulicos e eletromecânicos
Software supervisório
Editores de texto e planilhas eletrônicas para geração de gráficos, tabelas e relatórios técnicos
Software para gerenciamento da manufatura (ERP e MRP)
 Sistema informatizado de gestão da manutenção
Software de auxílio ao desenho industrial (CAD)
Software de diagnóstico
Software de gestão de projetos

Métodos e Técnicas de Trabalho

Boletins / Relatórios técnicos


Catálogos e Manuais
Ferramentas de gestão da manutenção
Ferramentas de gestão da qualidade e produtividade
Metodologias de diagnóstico
Metodologias e ferramentas de gerenciamento de projetos
Métodos para ensaios tecnológicos
Normas Regulamentadoras - NRs
Normas técnicas nacionais (Normas de serviços e outras) e internacionais (ISO, DIN e outras)
243
Procedimentos técnicos internos
Processos de produção em escala
Produção por projetos específicos
Sistema de comunicação e informação
Técnicas de análise de problemas e tomada de decisão
Técnicas de avaliação de resultados
Técnicas de elaboração de bancos de dados
Técnicas de gestão de pessoas
Técnicas de instrumentação (projeto, instalação e manutenção)
Técnicas de metrologia
Técnicas de Organização do Trabalho
Técnicas de programação e planejamento de processos de manutenção
Técnicas de Reparação de Sistemas Automatizados
Técnicas de segurança de máquinas

Condições de Trabalho

Condições ambientais

Ambientes com iluminação e ventilação variados


Ambientes com ruídos, umidade, variações térmicas, partículas em suspensão e substâncias tóxicas e
inflamáveis
Ambientes com trabalho em altura
Ambientes confinados
Ambientes em áreas classificadas
Ambientes em áreas de riscos elétricos
Ambientes internos e externos, com vários postos de trabalho
Ambientes off-shore
Podem trabalhar de forma presencial ou remota
Ambientes com condições ergonômicas variadas

Turnos e horários

Possibilidade de trabalho em turnos e jornadas extras ou flexíveis, em locais distantes do posto fixo de
trabalho

Riscos profissionais

Riscos ergonômicos: Movimentos repetitivos; Posição ergonômica em relação à atividade a ser


desenvolvida
Riscos físicos: Queda; Queimaduras; Choque elétrico; Ruído; Variações de temperatura; Vibrações;
Elementos cortantes e perfurantes (corte, amputações, esmagamentos, ...); radiações solares; radiações
ionizantes; fumos metálicos
Riscos químicos: Exposição a produtos químicos, vapores e gases
Riscos biológicos: Infecções externas (dermatites); Infecções internas; animais peçonhentos

Equipamentos de Segurança

EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva) de acordo com a atividade a ser executada e riscos presentes
no local de trabalho
EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de acordo com a atividade a ser executada e indicações do
manual de serviços

244
Posições no Processo Produtivo

Contexto Profissional

Os técnicos de automação industrial atuam em empresas de pequeno, médio e grande porte ou de forma
autônoma
Situação de emprego: vínculo formal por meio da CLT, estatutário ou como pessoa jurídica ou autônomo
O Técnico em Automação poderá atuar, principalmente, em indústrias de processos de fabricação contínuos,
tais como petroquímicas, siderúrgicos, de alimentos, energia, indústria automobilística, eletroeletrônica,
laboratório de controle de qualidade, de manutenção e pesquisa e em empresas integradoras e prestadoras
de serviço

Contexto Funcional e Tecnológico

O grau de autonomia desse técnico irá variar de acordo com sua posição na equipe. Inicialmente será mais
baixa, com a tomada de decisão sempre supervisionada. Com sua ascensão funcional ele responderá por
toda a equipe e pelo seu próprio trabalho para um superior imediato, caracterizando nível mais elevado de
autonomia
O nível de complexidade da tecnologia utilizada pelo técnico em automação industrial é médio
O Técnico de Automação Industrial, via de regra, trabalha em equipes, não impossibilitando o
desenvolvimento de trabalhos individuais. Geralmente a equipe possui um líder com acesso direto a projetos,
manutenção, comissionamento e à chefia imediata. Pode desenvolver atividades de integração de sistemas
de automação; Responsabiliza-se pela elaboração de projetos de automação compatíveis com o seu nível de
qualificação; Propõe, planeja e executa instalação de equipamentos automatizados e sistemas robotizados;
Emprega programas de computação e redes industriais no controle da produção; Realiza manutenção em
sistemas de automação industrial; Realiza medições, testes e calibrações de equipamentos elétricos; e
executa procedimentos de controle de qualidade e gestão

Possíveis Saídas para o Mercado de Trabalho

Inspetor de Instrumentação
Instrumentista Industrial
Integrador de sistemas de automação
Representante técnico de empresas de automação
Vendedor Técnico
Consultor Técnico
Empreendedor Autônomo
Instrutor Técnico
Técnico em Automação Industrial

Evoluções da Ocupação

Atualizações contínuas de softwares


Exigências no atendimento às normas e regulamentações, especialmente as de segurança
Máquinas e equipamentos com tecnologia digital e virtual
Métodos de sintonia de controladores industriais
Novas ferramentas da qualidade e de gestão
Novas tecnologias de acesso à informação
Novas tecnologias de eficiência energética
Novas tecnologias de monitoramento remoto
Novas tecnologias de sensoriamento

245
Novas tecnologias dos processos de fabricação
Novas tecnologias e formas de interação homem x máquina
Novas tecnologias relacionadas à inteligência artificial (lógica Fuzzy, Big Data, ...)
Sistemas de processamento de imagens
Uso de novos materiais e insumos em geral
Adesão à produção com tecnologias limpas
Aplicar as normas pertinentes às atividades de automação e comunicação digital
Aplicar no contexto de redes industriais as ferramentas da qualidade
Configurar equipamentos digitais de controle com gerenciamento de ativos incorporados
Aplicar as ferramentas de gerenciamento de projetos
Configurar e dar manutenção em sistemas de tecnologia da informação
Operar software de gerenciamento de projetos
Conhecer a tecnologia de Circuitos integrados flexível e eletrônica elástica
Conhecer e programar algoritmos de controle
Operar e programar sistemas de captura de imagens
Programar e manter em sistema de comunicação sem fio (wireless e bluetooth)
Programar e manter sistemas de IIoT
Programar algoritmos avançados
Conhecer e programar protocolos industriais
Conhecer linguagem de programação orientada a objeto
Programar interfaces gráficas
Auxiliar em projetos de sistemas eletromecânicos
Comissionar Sistemas de controle contínuos (Regular e executar ajustes finais de programação dos
equipamentos/ processo)
Configurar dispositivos de medição e controle contínuo
Executar manutenções planejadas ou corretivas e determinar quando e que tipo de manutenção é necessário
Executar manutenções planejadas ou corretivas
Gerar ou adaptar equipamentos e tecnologias para atender as necessidades de usuários
Identificar as causas de erros ou falhas operacionais, propor e aplicar ações de solução
Instalar dispositivos de medição e controle
Instalar máquinas, equipamentos, estrutura elétrica, softwares e, se necessário, fazer carga inicial de dados,
de acordo com normas e especificações
Integrar máquinas, equipamentos e dispositivos
Parametrizar Drives de acionamentos
Programar CLPs
Programar sistemas microcontrolados
Projetar sistemas de comandos elétricos
Projetar sistemas hidráulicos, pneumáticos e eletromecânicos
Realizar Diagnósticos em Sistemas de Automação
Realizar Manutenção em Sistemas de Automação
Reparar máquinas ou sistemas para recuperar sua condição operacional
Escrever e modificar programas de computadores, máquinas e equipamentos para finalidades diversas
Integrar Sistemas Tecnológicos (Sensores / Robôs / Dispositivos de Controle)
Parametrizar redes industriais
Programar Sistemas de Controle (CLP / HMI / Drives / Supervisórios)
Programar sistemas supervisórios
Executar serviços típicos do nível operacional
Analisar grandes quantidades de dados
Aplicar procedimentos de segurança da informação em sistemas de controle da manufatura
Implementar Redes wireless padronizadas
Implementar sistemas do tipo MES
Integrar RFID nos sistemas sensoriais de processos

246
Atualização técnica e pedagógica permanente do corpo docente
Currículos flexíveis, que permitam a inclusão de atualizações tecnológicas e relativas aos sistemas de gestão
da qualidade, saúde, segurança e meio ambiente
Desenvolvimento de qualidades pessoais (ética, atitudes e comportamento)
Formação para a competência
Infraestrutura física em conformidade com as novas tecnologias
Uso de ambientes virtuais de aprendizagem
Redes de Comunicação Wi-Fi e RF - Protocolos e redes de comunicação sem fio e altíssima velocidade
Redes industriais baseadas em Ethernet
Redes Wireless padronizadas
Controle Avançado Multivariável (Advanced Process Control - APC)
Sistemas de Controle com auto-diagnóstico
Protocolos de Comunicação genéricos e sistemas de segurança
Dispositivos de Visão
RFID e sua integração nos sistemas sensoriais
Sensores Inteligentes
Robótica Colaborativa
Sistemas EDDL/FDT-DTM/FDI para criação de linguagem de conversão
Simuladores e Softwares Aplicativos Simuladores de processos
Automação digital com sensores para identificação de produtos e condições operacionais, linhas flexíveis
Automação digital sem sensores
Cibersegurança
Coleta, processamento e análise de grandes quantidades de dados (big data)
Incorporação de serviços digitais nos produtos (“Internet das Coisas Industrial” ou Product Service Systems)
Monitoramento e controle remoto da produção com sistemas do tipo MES e SCADA
Realidade aumentada
Robótica colaborativa
Sistemas integrado horizontal e verticalmente
Utilização de serviços em nuvem associados ao produto
Meio ambiente: ISO 14000; ISO 14001; Lei dos Resíduos Sólidos 12.305/2010. (Política Nacional dos
Resíduos Sólidos)
Normas de segurança: OHSAS 18001 e ISO 44000: referente à Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional;
NBR Brigada de Incêndio; NR 17: referente à ergonomia; NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão
e Sistemas de Aterramento; NBR 5413: referente à iluminação, NR 12 – Segurança na Operação de
Máquinas e Equipamentos; NR 10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; NR 11 -
Segurança na Movimentação de Cargas; NR 20 – Líquidos e Combustíveis Inflamáveis; NR 33 – Espaços
Confinados; NR6 – EPIs; NR 13 – Vasos de Pressão; NR 35 – Trabalho em Altura
Legislação Trabalhista (CLT): Legislação do aprendiz; Direitos e deveres pertinentes à função; Fim da
insalubridade; Contratação temporária; Trabalho flexível; Terceirização de serviços
Normas de gestão: ISO 9001; ISO 55000 (Gestão de Ativos)
IEC 11, IEC 31, IEC 61131-3
IEEE (voltado à área de automação e mecatrônica)
Normalização e padronização de projetos
Normas para redação de relatórios técnicos
Normas ISA - Normalização e padronização de projetos
ABNT NBR 12100 - Segurança de Máquinas e Equipamentos
Atuação docente sintonizada com as opções educacionais da Instituição

Formação Profissional Relacionada à Ocupação

Aperfeiçoamento em Análise e Simulação de Processos Produtivos

247
Aperfeiçoamento em CAD
Aperfeiçoamento em Ciências de Dados
Aperfeiçoamento em Comandos Elétricos
Aperfeiçoamento em Eletrohidráulica
Aperfeiçoamento em Eletropneumática
Aperfeiçoamento em Metrologia
Aperfeiçoamento em Programação Avançada de CLPs
Aperfeiçoamento em Programação de Robôs Industriais
Aperfeiçoamento em Sistemas Embarcados
Aperfeiçoamento em Sistemas Supervisórios
Aperfeiçoamento em Virtualização de Processos Produtivos
Bacharelado em ciências e tecnologia
Bacharelado em engenharia da computação
Bacharelado em engenharia de automação
Bacharelado em engenharia de controle e automação
Bacharelado em engenharia de manutenção eletrônica
Bacharelado em engenharia de telecomunicações
Bacharelado em engenharia elétrica, modalidade eletrônica
Bacharelado em engenharia elétrica, modalidade eletrotécnica
Bacharelado em engenharia mecatrônica
Curso superior de tecnologia em automação industrial
Curso superior de tecnologia em eletrônica industrial
Curso superior de tecnologia em eletrotécnica industrial
Curso superior de tecnologia em manutenção industrial
Curso superior de tecnologia em mecatrônica industrial
Curso superior de tecnologia em sistemas elétricos

Indicação de Conhecimentos Referentes ao Perfil Profissional

Conhecimentos
Processos Industriais
Acessórios para
montagem de
instrumentos
Acionamentos
Princípios de
funcionamento de
analisadores
Tecnologias da
Instrumentação
Documentação Técnica
Medição de variáveis
industriais
Introdução à Pneumática
e Hidráulica
Circuitos em Corrente
Alternada
Instrumentos de Medida
UC1 : Desenvolver soluções para o acionamento de dispositivos e a medição de dimensional
variáveis em processos industriais, considerando as normas, padrões e Motores elétricos
248
requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente Eletricidade Básica
Sistemas de
amostragem
Materiais Metálicos para
Tubos e conexões
Metrologia aplicada a
Instrumentação
Interpretação de
Desenhos Técnicos
Normas Técnicas, (NBR,
normas internacionais),
NRs e Normas
específicas
Circuitos hidráulicos
Classes dos
instrumentos
Circuitos de Corrente
Contínua
Ferramentas Manuais
Circuitos pneumáticos
Eletrônica Analógica

Conhecimentos
Técnicas de Controle
Eletrônica Digital
Parâmetros de controle
Segurança
Sintonia do Controlador
em malhas
Microcontroladores
Características
dinâmicas das variáveis
UC2 : Desenvolver soluções para controle de variáveis em processos industriais, Aplicação de Sensores
considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e Digitais e Analógicos
segurança e de meio ambiente Tolerâncias para
controle de processo
Tipos de processo
Documentação Técnica
Controlador Lógico
Programável (CLP)
Sistemas de
intertravamento industrial
Elementos finais de
controle

Conhecimentos
Documentação Técnica
Manutenção de
sistemas Automação e

249
Controle
Diagnóstico em
Sistemas de automação
e controle
Redes Industriais
Comissionamento do
sistema de controle e
UC3 : Integrar sistemas e tecnologias de controle e automação em processos
automação
industriais, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade,
Classificação de área
saúde e segurança e de meio ambiente
Sistemas Supervisórios
(SCADA) e Interface
Homem-Máquina (IHM)
Desenvolvimento do
projeto
Sistemas ciberfísicos
Desenho assistido por
Computador
Implementação do
projeto
Planejamento e Controle
da Manutenção – PCM

Identificação das Ocupações Intermediárias

OCUPAÇÃO Instrumentista Industrial

CBO 741105

Competência Geral:

Manter e implementar equipamentos de sistemas de controle e automação, respeitando procedimentos e


normas técnicas, de qualidade, de saúde e segurança e de meio ambiente

250
Desenho curricular
Resumo da Organização Curricular

Carga Horária
Módulos Unidades Curriculares Carga Horária
do Módulo

FUNDAMENTOS DA INSTRUMENTAÇÃO 100 h

ELETRÔNICA APLICADA A SISTEMAS


INTRODUTÓRIO 120 h 300 h
AUTOMATIZADOS

COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA APLICADA 80 h

INSTRUMENTAÇÃO ANALÍTICA 40 h

MEDIÇÃO DE VARIÁVEIS FÍSICAS INDUSTRIAIS 120 h


ESPECÍFICO I 320 h
ACIONAMENTOS ELETROELETRÔNICOS 100 h

DIAGRAMAS HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS 60 h

ELEMENTOS FINAIS DE CONTROLE 40 h

SISTEMAS DE INTERTRAVAMENTO INDUSTRIAL 40 h

ESPECÍFICO II SISTEMAS LÓGICOS PROGRAMÁVEIS 80 h 320 h

TÉCNICAS DE CONTROLE 80 h

CIRCUITOS MICROCONTROLADOS 80 h

GESTÃO DA MANUTENÇÃO INDUSTRIAL 40 h

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E
140 h
ESPECÍFICO III COMUNICAÇÃO APLICADAS À INDÚSTRIA 4.0 300 h

PROJETOS DE SISTEMAS DE CONTROLE


120 h
INDUSTRIAL

TOTAL 1240h

251
Detalhamento das Unidades Curriculares

Módulo: INTRODUTÓRIO

Perfil Profissional: TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Unidade Curricular: FUNDAMENTOS DA INSTRUMENTAÇÃO

Carga Horária: 100h

Unidades de Competência:

UC1 : Desenvolver soluções para o acionamento de dispositivos e a medição de variáveis em processos


industriais, considerando as normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de
meio ambiente
UC2 : Desenvolver soluções para controle de variáveis em processos industriais, considerando as normas,
padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente
UC3 : Integrar sistemas e tecnologias de controle e automação em processos industriais, considerando as
normas, padrões e requisitos técnicos, de qualidade, saúde e segurança e de meio ambiente

Objetivo Geral: Desenvolver os fundamentos técnicos e científicos e as capacidades sociais, organizativas e


metodológicas que se aplicam aos processos industriais e à Instrumentação, considerando suas
representações gráficas e tecnologias empregadas na Instrumentação industrial

CONTEÚDOS FORMATIVOS

Elemento de Padrão de Capacidades Conhecimentos


Competência Desempenho Técnicas

Capacidades Técnicas 1. INSTRUMENTOS DE MEDIDA DIMENSIONAL


1.1 Régua
1.1.1 Unidades dimensionais lineares *
Fundamentos Técnicos Científicos
(sistema métrico, números decimais,
fração, transformação de unidades,
Reconhecer a importância da metrologia para potência de10)
garantia da informação e adequação dos 1.2 Paquímetro
sistemas de controle aos requisitos dos 1.3 Micrometro
sistemas da qualidade 2. METROLOGIA APLICADA A
Reconhecer os elementos básico do desenho INSTRUMENTAÇÃO
técnico para interpretação de diagrama de 2.1 A ciência da medição
instrumentação 2.1.1 Conceitos Fundamentais
Distinguir os diferentes materiais e insumos 2.1.2 A Presença da Metrologia no Dia-
empregados na montagem de Instrumentos, a-Dia
suas características básicas, propriedades e 2.1.3 A Importância da Metrologia para
aplicações as Empresas
Reconhecer diferentes tipos de materiais, 2.2 Processo de medição
conexões e acessórios empregados em 2.2.1 Fatores Metrológicos
sistemas de instrumentação e controle, suas 2.2.2 Resultado da Medição
características, funções e requisitos de uso 2.3 Calibração
Reconhecer diferentes tipos de processos 2.3.1 Por que calibrar
industriais contínuos, suas principais 2.3.2 O processo de calibração *
características e finalidades a que se destinam (razão, proporção, função do 1° e
Reconhecer diferentes tipos de equipamentos 2°grau)
que compõem processos industriais de 2.3.3 Padrões e Rastreabilidade
transformações físicas e químicas 2.3.4 Materiais de Referência
252
Reconhecer as diferentes estruturas de malhas