Você está na página 1de 15

Perguntas Propostas ao Leitor

Introdução
Como VoIP Reconhece uma Chamada Telefônica
Numeração das Chamadas
CODEC
Qualidade do Som
Atraso de Ponta a Ponta
Protocolos
"Gateways"
Efeito Eco
Sinalização
Considerações Finais
Glossário
Fontes
Links
Respostas às Perguntas

PERGUNTAS PROPOSTAS
Primeira: Resumidamente, o que é voz sobre IP?

Segunda: Qual é a grande vantagem da telefonia IP


sobre a tradicional?

Terceira: Qual o principal protocolo usado em VoIP?


Para que serve?

Quarta: Quais são as causas principais de atraso na


rede? Como se classificam estas causas?
Quinta: Qual é a grande dificuldade a curto prazo
para a implantação da tecnologia VoIP?

Voice-over-IP (VoIP) habilita o roteador (router) a


transportar voz (telefonemas por exemplo) sobre a
rede Internet. Na VoIP um DSP segmenta a voz em
"frames" e os armazena em pacotes de voz. Estes
pacotes são transportados pela rede IP de acordo com
a especificação H.323 da ITU-T para transmissão
multimídia (voz, vídeo e dados) através da rede IP.
Por ser uma aplicação sensível ao atrazo, será
necessário ter um sistema de transmissão de ponta a
ponta com eficiência sufuciente para operar VoIP com
sucesso. Para isso deve-se ter um conjunto de
protocolos e características para fornecer seviço de
qualidade (QoS). Considerações de tráfego também
devem ser vistas para manter a cadência do discurso.
É utilizado para conectar uma rede de soluções de
telefonia IP aos troncos de telefone normais ou aos
dispositivos analógicos. Estes troncos de telefone
podem ser conectados à rede telefônica pública
comutada PSTN ou aos sistemas das centrais privadas
de comutação PBX existentes. Os dispositivos
analógicos incluem os telefones existentes,
aparelhos de fax e unidades de conferência de voz.
Quanto à rede de dados, o cisco vg200 oferece uma
porta ethernet 10/100 com detecção automática.
Internamente, cisco vg200 tem processadores digitais
de sinais DSP que convertem voz analógica e digital
em pacotes IP para serem transportados através da
rede IP utilizando os codificadores/decodificadores
(CODEC - coders/decoders) padrão, incluindo g.711,
g.723.1, g.729(a), etc.
1. O usuário liga o "handset". Este sinal ativa a
parte de aplicação de VoIP no roteador.
2. A parte de aplicação de VoIP habilita a chamada
telefônica por tom e espera o usuário fornecer o
número de telefone.
3. O usuário digita o número. Este número é
acumulado na seção aplicação.
4. Quando os dígitos suficientes para completar a
ligaço são acumulados, o número de telefone é
mapeado em um endereço IP usando DPM. O "Host" IP
tem a conexão, e também a destinação, do número de
telefone ou PBX responsável por completar a chamada
do destino configurado em "host".
5. A sessão aplicação então roda o protocolo H.323
para estabelecer um canal de transmissão e recepção
em cada direção da rede IP. Se o canal está sendo
compartilhado com um PBX, o PBX envia a chamada para
o telefone de destinação. Se o protocolo RSVP
estiver sendo configurado, as reservas de RSVP são
colocadas em um arquivo para atingir o QoS desejado
na rede IP.
6. O CODEC é habilitado para ambos os endereços do
processo de conversação e conecsão usando
RTTP/UDP/IP como protocolo.
7. Todas as indicações de chamada em andamento são
encerradas assim que um canal de audio é
estabelecido. Esta sinalização pode ser detectada
por portas de voz (pode ser feito com DTMF depois de
ter completado a ligação). E é feito na sessão
aplicação com o portocolo RTCP.
8. Assim que termina a ligação, as reservas feitas
pelo RSVP são encerradas (desde que o RSVP tenha
sido usado, é claro!). os endereços se tornam
osiosos e ficam esperando a próxima conexão de
estabelecimento de uma nova chamada.
O padão PSTN usa um esquema de numeração específico,
este esquema segue a recomendação da NANP para a
América do Norte. A codificação é feita da seguinte
maneira: Existem códigos específicos para área,
escritório e estação. As áreas são isoladas
geograficamente, os códigos de escritório são
específicos para um grupo de "switches" e os códigos
de estação especificam um "switch" qualquer. Na
América do Norte o formato é 1Nxx-Nxx-xxxx, com N de
2 a 9 e x de 0 a 9. cada país estabelece um código
de três dígitos.
ANALÓGICO x DIGITAL
A transmissão analógica não é eficiente por ter
problema com ruído de linha. Assim os sinais
analógicos são degradados com a distância, precisam
ser amplificados periodicamente. O que ocorre é que
o ruído de linha também amplificado resultando na
perda de qualidade do som transmitido. Em resposta,
é usada a transmissão digital com modulação PCM ou
ADPCM. Em ambos os casos, o som analógico é
convertido em digital a uma taxa de 8000 amostras
por segundo.

PCM e ADPCM são exemplos de forma sde onda de CODEC.


O CODEC fornece formas de onda comprimidas
explorando a redundância da onda original. Em geral,
o CODEC inclui um sistema de predicção linear LPC,
CELP e uma quntização MP-MLQ Técnicas de codificação
para telefonia e pacotes de voz são padronizadas
pelo ITU-T na série G.

 G.711: Descreve a técnica de codificação para


voz em PCM 64 Kbps. É feito através de PBX ou
PSTN.
 G.729: Usado para voz com compressã de taxa de 8
Kbps. Há duas variações deste padrão: G.729 e
G.729.A. A principal diferença é a complixidade
computacional, ambos fornecem fornecem qualidade
similar a 32 Kbps em ADPCM.
Outro problema que pode irritar o ouvinte durante a
conversação telefônica é o eco. Assim, também deve-
se empregar algoritmos de cancelamento de eco de
forma a evitar tais incômodos. Os algoritmos mais
modernos modelam padrões matemáticos da conversação
humana e o subtraem no caminho de transmissão. Para
funcionar de forma eficiente, esta técnica deve ser
empregada no mesmo roteador que faz a codificação da
voz.

Cada CODEC fornece som com uma determinada


qualidade. E esta qualidade é algo subjetivo, pois
depende das preferências de cada pessoa. Um
parâmetro usado é o nível de opinião médio MOS.
Assim, um grande número de ouvintes julgam a
qualidade do som em uma escala de 1 (ruím) até 5
(excelente). A tabela 1 abaixo mostra os escores de
MOS para cada CODEC. Uma das mais importantes
considerações em transmissão de voz é minimizar o
atraso. para isso deve-se considerar o trafego de
voz em tempo real. Se ocorrer um atraso muito grande
no pacote, o som será ireconhecível, o atraso
aceitável é da ordem de 200 ms. Há basicamente dosi
tipos de atraso: Propagação e processamento. O
atraso de propagação é causado pela característica
da luz em uma fibra optica e atrasos de
processamento ou serialização são causados pelos
aparelhos. A figura 2 mostra os atrasos introduzidos
por diferentes aparelhos de CODEC. Outro atraso de
processamento é o tempo para gerar o pacote de voz.
Em VoIP o DSP forma um "frame" a cada 10 ms. Outra
forma de atraso é mover o pacote para a saída da
fila. "Jitter" também interfere no tempo de
transmissão. Ocorre quando há uma variação entre o
tempo em que o pacote é esperado e o tempo de
recebimento; isto é, o pacote foi recebido antes ou
depois do esperado. Assim ocorre descontinuidade no
fluxo de voz em tempo real.
TABELA 1: Métodos de compressão e coeficiente MOS.

Método de Taxa de bits Tamanho do Frame


MOS
compressão (Kbps) (ms)
G.711 PCM 64 0,125 4,1
G.729 CS-ACELP 8 10 3,92
G.729 x 2
8 10 3,27
encoding
G.729 x 3
8 10 2,68
encoding
G.729a CS-ACELP 8 10 3,7

TABELA 2: Atrasos induzidos pelo CODEC.

Taxa de Tamanho do Atraso de


CODEC
bits (Kbps) Frame (ms) compressão (ms)
G.711 PCM 64 0,125 5
G.729 CS
8 10 15
ACELP
G.729a CS
8 10 15
ACELP

Considerando o endereçamento, CODEC e tarifação dos


pacotes pelo tamanho é inevitável o atraso. Este
atraso tem valores de 5 ms com G.711 e 10 ms com
G.729.

Os atrasos fixos são ocasionados por diversos


fatores, que podem ser citados abaixo:

 Compressão: Tempo gasto na codificação da voz em


pacotes.
 Entre-processos: Atraso que ocorre em função dos
handoffs entre os roteadores da rede.
 Transmissão: Devido às limitações de velocidade
dos enlaces.
 Rede: Uma função das capacidades da rede.
 Buffer: Os pacotes são acumulados aqui para
manter a ordenação.
 Descompressão

ATRASO em cada etapa da transmissão.

O congestionamento da rede é o principal responsável


pelo atrazo. Estes atrazos são causados pela
acumulação dos pacotes nos roteadores. Atrasos da
ordem de 150ms ou mesmo 250ms são considerados
intoleráveis por alterar a qualidade e diminuir a
iteratividade. Para outras aplicações da Internet,
este tempo pode ser maior sem apresentar problemas
de desempenho.

Como se os atrasos em si não fossem um problema


grave, ainda há mais um problema: A perda na rede.
Esta perda é um problema grave quando se trata de
emviar dados. Para voz, dois casos devem ser
considerados: Pacote de voz com e sem compressão.
Para pacotes sem compressão, uma perda pode não
causar problema de compreenssão do som. Em pacotes
comprimidos sempre haverá uma perda maior que é dada
pelo fator de compressão. Assim, o som terá o que
patece uma pausa. Para garantir uma baixa
probabilidade de perda, é necessário uma taxa de
transmissão maior possível, apesar do protocolo TCP
tentar garantir uma perda pequena. Isso sem falar em
mais velocidade de processamento.

O IP é um protocolo de camada de rede encarregado em


encapsular os dados em pacotes para roteamento. O
que está sendo encapsulado não faz a menor diferença
para ele. Poder ser o TCP ou UDP. Em telefonia sobre
IP, estes protocolos chamados de transporte seriam
RTTP. O RTTP é responsável pela ordem de chegada dos
pacotes. Há a questão das aplicações em tempo real
onde pacotes atrasados ou extraviados não podem mais
ser amostrados na saída. Estes pacotes devem ser
descartados. Neste caso, a camada de aplicação deve
interpolar dados adjacentes para compensar o pacote
que falta, caso contrário o resultado será
desagradável, um efeito semelhante à voz picada dos
telefones que suspendem a portadora quando não há
mais sinal transmitido acima de um determinado
nível. O RTTP não precisa se preocupar com a
confiabilidade dos dados pois não há como
retransmitir em tempo razoável para não alterar a
qualdade do som.

Os protocolos RTTP precisam manter-se constantemente


informados do tempo de chegada dos pacotes. Atrasos
maiores que 300msec de ida e volta tornam a conversa
muito difícil. Para manter a harmonia emtre
qualidade e latência, os RTTP contam com um segundo
protocolo chamado RTCP. Esta qualidade em redes é
comumente chamada QoS.

A conexão para VoIP é estabelecida, sinalizada e


terminada por outro protocolo. Os mais usados são
H.323, SIP e MGCP. O H.323 deve destacar-se por ter
sido o padão criado pelo ITU-T por ser o orgão mais
influente em telecomunicações no mundo. Seja qual
for o protocolo, este fica encapsulado no IP, o que
é interessante. O SIP é muito parecido com o famoso
HTTP por ser baseado em texto e ter mensagensmuito
simplificadas. Finalmente, o MGCP é mais voltado
para estabelecer o controle dos "gateways" Os
"gateways" são codificadores e decodificadores que
passam o sinal de um protocolo para outro. São
responsáveis pelo encapsulamento dos sinais de voz
digitalizados para o prootocolo RTP e vice-versa. Os
"gateways" são os primeiros produtos disponíveis
para VoIP.

TABELA 3: Protocolos principais.

Protocolo descrição
Baseado no UDP para manejar pontos de
SGCP
endereçamento e suas conexões
Usado na seção de envio múltiplo. Controla
SAP
a distribuição para um grupo de receptores
Convida um usuário a entrar em um ponto a
SIP
ponto ou seçào de envio simples
RTSP Usado em interface, é em tempo real
SDP Descreve a seção para SAP, SIP e RTSP

Já é possível encontrar "gateways" para ligação em


equipamentos de PBX, são conectados às redes locais
e a outros "gateways" em escritórios remotos fazem o
trabalho de recuperação. No meio do caminho pode
haver comutadores, embora não haja suporte técnico
para uso na internet; isto é, nada de roteadores. A
Cisco é uma das empresas que oferece "gateways" de
VoIP que podem ser empregados em redes comutadas. Já
a Nortel está desenvolvendo "gateways" que suportam
roteadores, mas isso ainda está em pesquisa.
Principalmente no que se refere à tradução do
endereço de IP.
O modelo VG200 da Cisco permite conexão à telefonia
com PSTN ou PBX. Telefone analógicos ou aparelhos de
FAX também podem ser conectados. Este "gateway"
consiste em um módulo de rede (NM - Network Module)
que fornece processamento e recursos DSP e placas de
interface de voz VCI oferecendo as interfaces de voz
física. Uma configuração típica inclui duas placas
VCI (FXS e FXO) para um total de quatro portas
analógicas de voz.

Este efeito, no telefone, é ouvir sua própria voz no


receptor enquanto você está falando. Se o eco
superar cerca de 25 milisegundos pode ocorrer
problemas na comunicação como interrupções. Na rede
telefônica tradicional o eco é causado pela
impedância não casada entre os terminais. Em pacotes
de voz, são construidos canceladores de eco em CODEC
de baixa taxa de bits e operam em cada DSP. Estes
canceladores são limitados pelo tempo total de
espera para pacotes refletidos serem recebidos, este
efeito é conhecido como "echo trail" e é normalmente
da ordem de 32 milisegundos. Atualmente as
implementações de cancelamento de eco levam em
consideração este "echo trail" por configuração pelo
comando "echo-cancel-coverange". VoIP tem "echo
trail" configurável em 8, 16, 24 e 32 milisegundos.
Há atualmente várias formas de sinalização usadas em
telecomunicações. Uma das que se referem a
transmissão de voz é a sinalização de acesso.
determinando se uma linha está "off-hook" ou "on-
hook". FXS e FXO são tipos de sinalização de acesso,
há dois métodos de fornecer este sinal:

 O Loop inicia com uma das técnicas mais comuns


para snalização de acesso em um padrão PSTN end-
loop network. Quando a conexão é feita (muda
para "off-hook"), esta ação fecha o circuito e
passa corrente da central telefônica indicando
uma mudança de estado. Esta mudança realiza a
ligação por tom. A chamada é sinalizada da
central para o destino enviando um sinal padão
"on-off" que faz o telefone tocar.
 GS é outro método usado para indicar o estado de
"off-hook/on-hook" da central. Este método é
usado em linhas truncadas entre unidades de PBX.
A sinalização GS trabalha usando terra e
detecção de corrente. Isso permite que a rede
indique "off-hook" e capture uma chamada
independentemente do toque de telefone.
Outra técnica de sinalização usada entre PBX ou
comutação de telefonia entre redes é conhecida
como E&M. Esta sinalização existe em cinco tipos
diferentes.

Apesar de ser de um interesse alto por fornecedores


de tecnologias, Os produtos disponíveis são
basicamente voltados às redes locais WAN's, ainda
sem tráfego na internet. Este é o maior objetivo da
tecnologia VoIP, pelo menos no ponto de vista dos
usuários que se preocupam com ligações interurbanas
e internacionais.
Respostas às Perguntas

Resposta1) Que tal telefonar para a China e pagar


tarifa de ligação local? Com Voz sobre IP (Voice
over IP [VoIP]) isto é possível. A diferença básica
com a telefonia tradicional é a não ocupação
integral do canal, isto é, quando ninguém está
falando a ligação está efetiva e é tarifada. Em VoIP
a voz é dividida em pacotes e enviada pela internet
com endereçamento e todas as características da
internet. A grande dificuldade, e problema a ser
resolvido futuramente, é manter a cadência de mídias
contínuas. Um atraso considerável (da ordem de
3000ms) torna a conversa difícil.

Resposta2) A grande vantagem é a flexibilidade. Ao


invés de ter um sistema só para voz, outro só para
dados, usa-se um sistema único com custo reduzido
para o usuário. Um sistema de comunicação
miltimídia. Outra grande vantagem é a reduçào da
ociosidade da rede. na telefinia tradicional a
ligação está ativa mesmo sem conversação e em VoIP
os pacotes de voz são roteados. Isso reduz o custo.

Resposta3) IP é o protocolo da camada rede que faz o


encapsulamento dos pacotes, sejam de dados ou mídias
contínuas. mas no caso da voz são necessários
protocolos de transporte chamados RTP [real time
protocol]. RTP cuida da ordem de chegada dos
pacotes. Os pacotes que chegam atrasados não podem
mais ser amostrados na saída, em seu lugar é feita
uma interpolação na camada de aplicação. Uma
característica importante destes procolos: Os RTP's
não precisam se preocupar com erros; já que, pelo
menos por enquanto, não há tempo para retransmitir
pacotes errados! Um outro protocolo é o RTCP [real
time control protocol] que é usado para manter a
cadência do discurso de forma a manter um mínimo de
qualidade determinada.

Resposta4) Estes atrasos são classificados de acordo


com as causas possíveis: Fixos ou variáveis. Os
atrasos fixos são responsáveis por alterações na
qualidade do som não alterando a continuidade. Já os
variáveis tiram a cadência do som.
Os atrasos fixos são causados por: Compressão,
descompressão, "buffer" e limitação de velocidade
nos enlaces. Atrasos variáveis são causados por
congestionamento na rede devido a lotação de pacotes
nos roteadores.

Resposta5) Os "gateways" são um grande problema. Em


geral não suportam roteadores e também não há
suporte técnico adequado para o uso em IP. Na
verdade os fabricantes ainda estão precionados pelas
grandes empresas limitando soluções na internet.
Quanto ao problema dos atrasos, parece qua a solução
é usar equipamentos mais rápidos dentro das subredes
da internet, isso pode levar muito tempo. Faça um
teste: Use um modem de 56Kbps e acesse um endereço
qualquer fazendo um "ping" (ida e volta). O tempo de
resposta deve ficar entre 300 milisegundos
dependendo do endereço escolhido.

ADPCM: adaptive differential PCM

DPM: Dial Plan Mapper

CELP: Code-Excited Linear Prediction

CODEC: COder-DEcoder Compression

DSP: Digital Signal Processors

DTMF: Dual-Tone MultiFrequency

FXO: Foreward Exchange Office

FXS: Forewad Exchange Station


GS: Ground Start

HTTP:Hiper Text Transfer Protocol

ITU-T: International Telecommunications Union-


Telecommunications

LPC: Linear Predictive Coding

MOS: Mean Opinion Score

MP-MLQ: MultiPulse-MultiLevel Quantization

NANP: North American Numbering Plan

PBX: Private Branch Exchange

PCM: Pulse Code Modulation

PSTN: Public Switched Telephone Network

QoS: Quality of Service

RTCP: Real Time Control Protocol

RTTP/UDP/IP: Real-Time Transport Protocol/User


Datagram Protocol/Internet Protocol
VCI: Voice Cards Interface

http://www.radiolink.com

http://www.audiocodes.com

http://www.cisco.com/univercd/cc/td/doc/product/aces
s

http://www.micom.com/product/vip.html

http://www.micom.com/product/manuals/index.html
http://www.micom.com/product/manuals

Você também pode gostar