Você está na página 1de 3

Ética, Cidadania e Realidade Brasileira I

Aula 1- Ética, Moral e a Condição Humana

Introdução:
O objeto de estudo da referida aula será acerca de aspectos da moral e os dois pilares
da condição humana (ética e moral).

Tópico 01: O que é ética?


Vejamos inicialmente a frase de Aristóteles “O homem quando guiado pela ética é o
melhor dos animais; quando sem ela, é o pior de todos." Pare para pensar: as pessoas
nascem boas ou más? Mesmo sabendo o que é certo ou errado? Já percebeu que,
muitas vezes, a própria sociedade educa moralmente seus membros?
A ação humana, como sabemos são frutos de escolhas entre o certo e o errado; entre
o bem e o mal. Dessa maneira, os comportamentos dos indivíduos baseiam-se em
parâmetros socialmente aceitos que permitem a convivência em sociedade. O ser
humano é guiado por conceitos que norteiam a prática dos valores positivos e das
qualidades humanas.
Portanto podemos inferir então, que a ética não serve como base apenas nas relações
entre indivíduos, mas, também, como pilar das relações sociais dos homens, uma vez
que a ética é a base da justiça e das leis que regulam a convivência de todos os
indivíduos que vivem em sociedade.
Mas remonta a pergunta que norteia esse presente tópico em estudo, o que é ética?
Ética é um modo de regular comportamentos do indivíduo, formados por si próprio,
através de valores (que partilha com outros) para dar sentido às ações e às decisões.
Para o autor Gilberto Cotrim, “ética é uma disciplina teórica sobre uma prática humana,
que é o comportamento moral... A ética tem também preocupações práticas. Ela orienta-
se pelo desejo de unir o saber ao fazer. Como filosofia prática, isto é, disciplina teórica
com preocupações práticas, a ética busca aplicar o conhecimento sobre o ser para
construir aquilo que deve ser". Cotrim (2004, p. 264).
Os princípios éticos são os caminhos pelos quais o homem, enquanto ser racional e
livre, rege sua conduta.
Significa dizer que a ética proporciona, simultaneamente, a teoria (o “bem”, e o “mal) e
uma dimensão prática (o que deve ser feito). Portanto, esses princípios ajudam a
explicar as razões de nossas ações e, através deles, admitimos as consequências de
nossas ações.
Observação: O filósofo Mário Cortella conceitua a ética como um conjunto de valores e
princípios que você usa utiliza para decidir as três grandes questões da vida: Quero?
Devo? Posso?
Tópico 02: O indivíduo e os aspectos da moral
Cordi (2003, p.64) conceitua, “a moral é tanto um conjunto de normas que determinam
como deve ser o comportamento quanto ações realizadas de acordo ou não com tais
normas”.
Para o autor, estamos sujeitos a influências do meio social desde a infância, seja pela
família, escola, amigos, meios de comunicação, tecnologia. Dessa forma, vamos
adquirindo aos poucos os princípios morais. Assim, ao nascermos, somos apresentados
a um conjunto de normas já estabelecidas e aceitas pelo meio social.
Já para o autor Murcho (2004), este define o conceito de moral como: “costumes,
hábitos, comportamentos dos seres humanos, as regras de comportamentos adotados
pelas comunidades”.
Para Marilena Chauí (2003), para que exista a conduta moral é necessário:

 Ter consciência de si e dos outros  reconhecer que o simples fato de o outro


existir já nos torna sujeitos iguais.

 Ser dotado de vontade  saber controlar e orientar nossos impulsos e vontades


para que sempre ande conforme nossa consciência, sendo assim capaz de
decidir corretamente entre as opções que surgem.

 Ser responsável  Assumir, reconhecer e responder por nossas ações, sendo


capaz de avaliar as consequências e efeitos que serão gerados no próximo.

 Ser livre  Ser capaz de oferecer-se como causa interna de seus sentimentos,
atitudes e ações, por não estar submetido a poderes externos que o forcem e o
constranjam a sentir, a querer e a fazer alguma coisa. A liberdade não é tanto
para escolher entre alternativas possíveis, mas o poder para autodeterminar-se,
dando a si mesmo as regras de conduta.
Assim, após todos as respectivas elucidações, a moral é tudo aquilo o que não faríamos
de jeito nenhum, mesmo que não tivesse ninguém olhando.

Tópico 03: Ética e moral: Dois Pilares da Condição Humana


A moral é sempre normativa, ou seja, deriva das regras de como proceder diante das
convenções da sociedade. Ela não possui qualquer conteúdo filosófico, é apenas o que
as pessoas fazem e pensam, e deriva dos costumes e valores criados pelos diferentes
grupos humanos. Portanto, a moral é a “matéria-prima” para que a Ética seja aplicada.
Podemos exemplificar valores morais de nossa sociedade podemos elencar:

 A liberdade;
 A igualdade entre os seres humanos;
 A honestidade;
 A prioridade no cuidado com crianças, doentes e idosos;
 A valorização do trabalho;
 E a própria democracia
Geralmente costumamos achar que a ética e a moral são sinônimos. Porém, é notório
apresentar as diferenças entre ambos os conceitos. Conforme disposto por Rodrigues,
temos que a distinção exposta:

Exposto o quadro esquemático, que distingui os dos conceitos, podemos concluir que a
moral, não tendo conteúdo filosófico, é formada por valores que o indivíduo adquire
durante toda a sua vida. Já a ética tem a ver com o que o indivíduo é, independente do
que ele acredita.
Muitas vezes, no cotidiano, a ética irá pôr em questão a verdade sobre os valores morais
da sociedade, mas, sem um conjunto de valores, uma vez que a ética não tem o condão
de delimitar quais atitudes devem ser tomadas, levando-se em conta que os valores
podem ser alterados. Portanto, a moral é relativa e está sujeita às transformações da
sociedade.
Barbosa (2011), afirma que a ética nos conduz à reflexão sobre a responsabilidade do
ato moral, que é um ato de livre escolha. Para o autor, estamos sujeitos a influências do
meio social desde a infância, seja pela família, escola, amigos, meios de comunicação,
tecnologia.
Dessa forma, vamos adquirindo aos poucos os princípios morais. Assim, ao nascermos,
somos apresentados a um conjunto de normas já estabelecidas e aceitas pelo meio
social.