Você está na página 1de 23

AKITA INU - GUIA COMPLETO DA RAÇA

DAS POSSÍVEIS DIFICULDADES À PAIXÃO INCONDICIONAL.

Por Leandro Martins de Souza

1
Leandro Martins de Souza

AKITA INU - GUIA COMPLETO DA RAÇA


DAS POSSÍVEIS DIFICULDADES À PAIXÃO INCONDICIONAL.

1º Edição
Fabio Martins de Souza
2012

2
Sumário

Agradecimentos.....................................................................................................4

Introdução...............................................................................................................5

Sobre o autor...........................................................................................................5

Resumo histórico....................................................................................................6

Principais características do Akita.......................................................................6

Escolhendo o criador.............................................................................................7

Escolhendo o filhote...............................................................................................9

Recebendo o filhote................................................................................................9

Educando seu Akita..............................................................................................12

Saúde.....................................................................................................................14

Pelagem.................................................................................................................16

Temperamento......................................................................................................19

Reprodução...........................................................................................................20

Maturidade.............................................................................................................21

Bibliografia............................................................................................................23

3
Agradecimentos

Devo agradecer a Deus por ter me dado dois dons!

O primeiro de ser capaz de criar e entregar verdadeiros anjos para diversas


famílias. Muitas delas precisam de um companheiro desta magnitude para se
reestruturar ou entregar novamente a alegria e o motivo de existir. E o segundo de
ser extremamente teimoso e acreditar que aqueles meus sonhos poderiam se
tornar realidade. Sem dúvida, herança dos meus queridos avôs que, infelizmente,
já não estão entre nós.

Tenho que agradecer também a todos os envolvidos com a raça Akita no Brasil.
Muitos me ajudaram, outros tantos não significaram muito para mim ou para a
raça, mas todos são os responsáveis pelo meu amadurecimento e aprimoramento
neste trabalho. Cada ponto negativo serviu de degrau para melhorar cada vez
mais, tanto na teoria quanto na prática.

Por fim, mas mais importante, à minha querida e amada esposa, Juliana, que
voltou a fazer tudo possível. Que abriu seu coração, que estudou, chorou e vibrou
com nossos anjos. Se hoje existe um responsável pela qualidade dos cães e pelas
conquistas do Yucatán BR, posso dizer, com toda a franqueza, que é ela.

Eu te amo!

4
Introdução

Este guia lhe apresentará os caminhos que você irá percorrer desde a escolha
desta raça tão especial até a sua maturidade.

Aqui, abordaremos todos os detalhes e características do Akita Inu, desde a


escolha correta do criador e de seu filhote. Trataremos também como lidar com as
particularidades da raça, educar de forma adequada e manter seu cão feliz,
saudável, bonito e equilibrado para a vida toda.

Quem sou eu?

Meu nome é Leandro Martins de Souza e tenho mais de 15 anos de experiência


prática com Akitas. Sou o titular do canil Yucatán BR e hoje possuo cerca de 40
cães da raça, sendo que a maioria é nascida no nosso próprio canil. Além disso,
temos cães importados da Argentina, Coreia do Sul, Espanha, Itália e Japão.
Também já exportamos cães para toda a América do Sul.

Nosso canil é responsável pelo nascimento de mais de 700 filhotes da raça, e


acompanhamos boa parte deles, estudando o comportamento e avaliando a saúde
e temperamento deles de perto. Fomos os primeiros a realizar teste de
temperamento em Akitas.

Diversos cães do canil Yucatán BR são Grandes Campeões de Beleza e alguns


são vencedores de Best In Show Geral e Especializado. Temos como regra básica
de criação não discriminar algumas características comparadas às outras,
mantendo a beleza, saúde e temperamento no mesmo patamar de importância.

5
Resumo histórico

Originalmente, todas as raças caninas japonesas eram de pequeno e médio porte


e não existia nenhuma de grande porte. Em 1603, provindo da região de Akita, os
cães chamados Akitas Matagis (cães de tamanho médio que caçavam ursos),
passaram a ser usados como cães de combate. A partir de 1868, a raça foi
cruzada com Tosas Mastiffs. Como consequência desses cruzamentos, o talhe
aumentou e traços característicos próprios dos cães tipo Spitz desapareceram.

Em 1908, as rinhas de cães foram interditadas. A raça, contudo, foi preservada e


aperfeiçoada como uma grande raça japonesa e, em 1931, nove cães, exemplares
de nível superior, foram designados "Monumentos Históricos". Durante a Segunda
Guerra Mundial (1939-1945) era comum usar pele dos cães para confeccionar
vestes militares. O Japão fazia parte do “Eixo”, que apoiava a Itália de Mussolini e
a Alemanha de Hitler. A polícia ordenou a captura e confisco de todos os cães,
menos o Pastor Alemão que era usado para fins militares. Muitos criadores
aficionados tentaram enganar a lei, cruzando seus cães com Pastor Alemão. No
fim da guerra, o número de Akitas estava drasticamente reduzido, e eram
apresentados apenas três tipos diferentes da raça:
1) Os Akitas Matagis;

2) Os Akitas de combate;
3) Os Akitas descendentes do cruzamento com Pastores Alemães.
A situação da raça estava muito confusa. Durante o processo de restauração da
raça pura, após a guerra, Kongo-Go, um cão com linha de sangue DEWA, que
exibia a influência do Mastiff e do Pastor Alemão, teve uma passageira, porém
tremenda popularidade, fazendo com que o número de criadores de Akita também
aumentasse.
No entanto, os criadores esclarecidos recusaram-se a aceitar este tipo de cão
como a verdadeira raça japonesa e se esforçaram para eliminar as características
das raças estrangeiras fazendo cruzamentos com os Akita Matagi, para voltar ao
tipo original. Estes esforços tiveram sucesso e permitiram a estabilização da raça
pura do Akita de grande porte tão conhecido nos nossos dias.

Principais características do Akita

O Akita é um cão de porte grande e robusto. Apresenta uma expressão de


nobreza e superioridade, beirando a arrogância, e deve ter uma pelagem farta e
ter sua cor bem definida. Seu corpo é relativamente curto, porém deve ser
proporcional, com formas ligeiramente arredondadas. Em estado de alerta, sua
cabeça e cauda (enrolada sobre o dorso) devem estar quase da mesma altura. As
patas – tanto dianteiras quanto traseiras – têm de ser paralelas e fortes. O peito é
6
bem desenvolvido e transmite a sensação de força e elegância. Outra
particularidade da raça é que o Akita deverá sempre aparentar ser mais pesado do
que realmente é.

A altura ideal de um Akita macho adulto é de 67 cm na cernelha – junção das


escapulas – e seu peso deve variar entre 35 e 40 kg. Já para as fêmeas adultas, a
altura ideal é de 64 cm na cernelha e o peso deve variar entre 25 e 30 kg.
Portanto, a fêmea jamais deve ser mais alta ou mais pesada ao macho.

Calmo, higiênico e centrado. Assim deve ser o Akita. Jamais deve apresentar
agressividade gratuita ou qualquer tipo de temor.

Do ponto de vista sensorial, o Akita possui um “sexto sentido” muito forte. Ele
basicamente lê e rastreia a "alma" das pessoas. Sendo assim, é completamente
aceitável que ele se demonstre inquieto ou desconfortável com a presença de
pessoas estranhas. Mesmo assim, um Akita equilibrado jamais deverá atacar sem
motivo ou temer essas pessoas.

Para a sua família, o Akita é um excelente companheiro. Tem um aprendizado


rápido e fácil, é uma raça extremamente limpa e, apesar de procurar sempre a
companhia de seus humanos, não são sugadores, que necessitam de interação e
atenção o tempo inteiro. São extremamente silenciosos, alertas ótimos guardiões.

Escolhendo o criador

Em primeiro lugar, você deve procurar os criadores disponíveis da raça Akita.


Estimo que no Brasil, atualmente, há cerca de 30 criadores da raça que registram
cães no sistema FCI.

Este aumento de popularidade deve-se ao filme "Sempre ao seu lado" (título


original, A Dog’s Story), dirigido por Lasse Hallström que conta de forma
extremamente romântica a história de amor e lealdade do cão Hachiko com seu
dono, Parker Wilson, interpretado pelo ator Richard Gere.

Fique atento ao termo "criar", pois se refere apenas a ter ninhadas registradas,
mas isso não quer dizer que o responsável por isso tenha tido qualquer
preparação para que realizasse o acasalamento. Portanto, solicite aos criadores
cujo que você entrou em contato, uma visita para conhecer os animais e se
conhecerem pessoalmente, já que a venda de um filhote deve ser um ato de
confiança mútua. Se o criador rejeitar a visita, com qualquer tipo de desculpa, fuja.
Todos nós, criadores idôneos, gostamos de receber visitas e falar sobre nossos
“filhos”. Se tal criador não quer lhe atender, algo errado tem.

Nesta visita, você deverá avaliar as condições de higiene do local, condições de


higiene dos cães (lembre-se que os Akitas são extremamente limpos), a qualidade
e receptividade dos criadores, a boa vontade em lhe explicar e falar sobre a raça

7
(incluindo seus pontos negativos), a seriedade na qual o criador trata a sua
criação, e o temperamento dos cães. Caso o criador mostre apenas o pai e a mãe
da ninhada, peça para ver outros cães. Se ele mostrar apenas os principais, peça
para ver também os que têm qualquer tipo de problema ou que estão fora de
algum padrão. Uma boa dica também, é observar o respeito que cada criador tem
com seus cães.

Leve em consideração, mas não se deixe levar apenas pelas medalhas e títulos
que os cachorros e o criador têm. Você não sabe quem estava disputando com ele
no dia da competição, e há também o fato de que nem sempre quem venceu era
realmente o melhor da competição.

Procure saber se o criador possui cães de sua própria criação, ou seja, nascidos
em seu canil, e peça pra vê-los. Mostrar uma cria de outro canil não corresponde à
realidade dos filhotes que ele vem produzindo.

Solicite o contrato de compra e venda do criador e fique atento às garantias de


saúde que ele oferece. Segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC),
animais de estimação são equivalentes a bens duráveis, e têm como regra uma
garantia de saúde de 90 dias a partir da data da compra.

Infelizmente, o custo de uma criação séria e rígida, é alto. Podemos enumerar,


começando por alimentação de altíssima qualidade e passando por todos os
processos de prevenção de doenças (antiparasitários internos e externos, vacinas,
assepsia, desinfecção, limpeza e organização do local onde vivemos junto aos
cães, exames laboratoriais, consultas veterinárias, etc.), suplementos vitamínicos
para a preparação dos animais para exposições, mão de obra treinada e
especializada para o manejo corretos dos cães, construção e manutenção de
instalações, além das tradicionais contas. Com ninhadas, os gastos aumentam
ainda mais, começando pela preparação dos pais e os cuidados com os filhotes
após o nascimento. Além de comerem muito bem, eles desperdiçam muita ração,
e são vermifugados a cada 15 dias e vacinados e microchipados na data correta.

Além dessa parte básica, os criadores sérios ainda fazem altos investimentos em
melhoramento genético, com a aquisição de novos exemplares nacionais e
importados podendo chegar ao valor de R$ 60.000,00, contratação de coberturas
(acasalamento de outros criadores) e viagens. Fora isso, alguns não contabilizam
as exposições caninas, que estão cada vez mais caras... Inscrições, viagens,
preparação, contratação de handler, etc.

Enfim, através dessa breve explanação dá pra entender que se o valor do filhote
esta abaixo da média, deve-se suspeitar da procedência e da qualidade do
criador. Infelizmente, muitos criadores que não são sérios se preocupam pouco
com a qualidade e muito com os valores, e grande parte das vezes os genéricos
são usados, independentemente da qualidade. Procure saber qual a opinião do
criador sobre seus cães e questione sobre o histórico de saúde e temperamento
deles.

8
Por fim, é importante saber qual era o objetivo final do criador ao realizar o
acasalamento. Procure entender quais os aspectos positivos e negativos o criador
espera da ninhada e qual o real objetivo para a produção da mesma. Indague-o
sobre a possibilidade de ele mesmo ficar com um filhote desta ninhada ou se o
objetivo dela é estritamente comercial.

Escolhendo o filhote

Após definir o criador de sua confiança, está na hora de escolher o seu filhote.

O primeiro item a se discutir é o sexo do novo bebê. Como sabemos, Akitas não
são tolerantes a cães do mesmo sexo, mesmo se conviverem desde filhotes ou
serem de raças diferentes (abordaremos este tema com maior cuidado em
Temperamento). Sendo assim, se você já possui um cão de estimação, o sexo
dele determinará o sexo de seu futuro Akita.

As diferenças entre o comportamento de machos e fêmeas geralmente são


bastante sutis, já que ambos são classicamente higiênicos, calmos e leais aos
seus donos. As pequenas diferenças aparecem no modo de proteção, pois o
macho é mais observador e é quem vai para o combate e a fêmea normalmente é
mais cuidadosa com crianças, e é quem dá o alarme. Ela fica geralmente fica mais
próxima da casa e dos seus familiares em um momento de necessidade de
guarda. Mesmo assim não é nada que irá interferir de forma bruta na convivência
com a família.

Se o fato de os machos demarcarem território e as fêmeas entrarem no cio for um


incômodo, nossa orientação é a castração. Quando realizada em cães jovens
(fêmeas antes do primeiro cio e machos antes de começarem a demarcar
território), a castração só traz benefícios à saúde dos cães. A castração não muda
a índole do Akita e nenhum cão tem desejo sexual, portanto não ficarão "tristes"
ou "frustrados" por não acasalarem ou terem filhotes. Além disso, cada organismo
responde de uma forma a castração e o ganho de peso não é uma regra.

Jamais escolha um filhote com traços de agressividade ou medo. Procure um que


apresente um comportamento intermediário e que mostre interação com os irmãos
e as pessoas. Se possível, pegue-o no colo e olhe nos olhos dele. Procure um
olhar intrépido, calmo e sereno. Deve estar com a pelagem brilhante, sem se
coçar demonstrar felicidade. Se possível, observe suas fezes. A cor correta é o
marrom escuro, seca e com formato normal. Não deve ter cheiro forte.

A escolha do bebê deve ser auxiliada pelo criador. Ele deve alertá-lo quanto ao
temperamento dos pais e avós e o que ele espera para aquela ninhada. Converse
com ele, e conte o máximo de detalhes que puder sobre a sua rotina, para que,
juntos, possam encontrar o filhote ideal.

9
Recebendo o filhote

Ao levar seu filhote para casa, é necessário que você veja a situação do ponto de
vista dele, para que possa tomar atitudes que ele possa entender e facilitar a sua
adaptação.

Lembre-se que você deve ter paciência e persistência para fazê-lo aprender e
entender o que você espera dele. Você e sua família são os principais
responsáveis pelo que seu filhote irá se tornar.

É natural que o filhote chore durante os primeiros dias em sua nova casa. Isso
ocorre porque em sua mente há uma mensagem gravada dizendo que solidão é
igual à morte. Por isso, o ideal é que, nos primeiros dias, você o mantenha sempre
próximo, mesmo durante a noite, pois o trauma que ele pode adquirir por ficar
sozinho poderá ser irreversível, e a adaptação dele longe dos donos, aos poucos,
é perfeitamente possível.

Para adaptá-lo ao local em que ele irá passar a maior parte do dia, o melhor a se
fazer é ficar com ele boa parte do tempo neste local, brincando e interagindo com
ele. É importante que ele conheça bem o local, e confie em você para que se sinta
protegido.

Uma boa dica é colocar um pano entre a sua cabeça e seu travesseiro durante a
noite. No dia seguinte coloque esse pano debaixo dos pratos de água e ração
dele. Sempre que ele for se alimentar ou beber água, irá sentir seu cheiro e sentirá
mais confortável. De forma gradativa, vá deixando seu filhote passar mais tempo
no local onde deverá ficar alguns momentos sozinhos e outros com você. Ele irá
se adaptar com o tempo, e aquele canto será o melhor lugar do mundo para seu
cãozinho.

Lembre-se que esse local deve ser seguro, sem tomadas ou fios expostos,
armadilhas que possam machucá-lo, limpo, com abrigo do vento, do sol e da
chuva. Não se esqueça também que seu "banheiro" deverá ser em local oposto ao
de sua cama e comedouro. Mantenha uma distancia de pelo menos um metro
entre o comedouro e o bebedouro (se tiver uma casinha, coloque um de cada
lado), assim evita-se a contaminação da comida com a água e vice-versa.

Ao contrário de muitas opiniões, o piso frio não é o principal responsável por


problemas de conformação física nas patas, nem é o responsável por displasia
coxo-femoral. Uma boa dica é cortar rente, os pelos que ficam dentre os dedos
das patas (entre as “almofadinhas”) e manter o local sempre seco.

O Akita não necessita de grandes espaços para viver. Prova disso é a sua criação
no Japão, que já sabemos, não possui terras suficientes para a criação dos cães.
Então, o espaço não é o problema. Os Akitas, inclusive, se adaptam muito bem
em apartamentos. É necessário apenas respeitar horários de atividade física e das

10
necessidades fisiológicas do cão.

Um grande problema é a falta de rotina, fator principal para que o Akita organize
suas atividades. Hora de passear, comer, brincar, tudo isso faz com que ele se
concentre e espere cada horário. Se você respeitar essa rotina, de olho no relógio,
verá o quão bem funciona o relógio biológico dessa raça.

Você conhece aquele ditado: “cão cansado é cão feliz”? Isso se aplica
principalmente aos filhotes de akita. Ofereça a ele brinquedos de diferentes cores,
texturas e sons, para que ele possa se entreter durante o dia todo. O ideal para
que ele se distraia, brinque, aprenda e fique feliz, é ter um outro filhote ou alguém
para brincar e jogar bolinha. Quanto mais seu filhote se focar nos brinquedos dele,
menos ele irá destruir sua casa e as suas coisas e mais ele irá dormir. Assim,
antes de você se deitar, não esqueça de fazê-lo brincar ao máximo,
proporcionando aos dois uma boa noite de sono.

O horário da refeição é primordial. Recomendamos que bebês de até seis meses


se alimentem pelo menos cinco vezes ao dia (porção diária dividida por cinco),
com uma ração de excelente qualidade. Utilizamos apenas rações “super-
premium” em nosso canil. E recomendamos que essa seja utilizada por toda sua
vida. Porém, por experiência própria, sabemos que apenas a ração não é o
suficiente para que o filhote atinja o potencial máximo de sua genética. Assim
sendo, recomendamos suplementos específicos para cães em crescimento. Se o
objetivo será participação de exposições, outra suplementação deverá ser
oferecida depois de adulto. Lembre-se que seu filhote deverá ter a sua disposição
água limpa e fresca sempre.

O banheiro do seu filhote deverá estar sempre limpo e com fácil acesso. Precisa
também ficar longe de sua casinha e de seu comedouro e bebedouro. Você pode
forrar o local que quer que seu filhote use de banheiro com um tapete higiênico,
sinalizando o local onde quer que ele faça suas necessidades. Não se esqueça
que um bebê não tem condições de pensar e lembrar que precisa sair do quarto
em que se encontra, passar pelo corredor, chegar à sala, virar a direita, entrar na
cozinha, seguir até a área de serviço e entrar no banheirinho de empregada pra
fazer um xixizinho. Certamente, mesmo que ele tenha a boa intenção de ir ao
“banheiro” dele, não conseguirá chegar a tempo. Então, você e sua família
precisam ter bom senso em facilitar a vida do filhote, para que ele erre o menos
possível. Espalhe banheiros (tapetes higiênicos) pela casa para que ele entenda
que o correto é fazer suas necessidades no tapete higiênico. Após ele entender
isso, vá retirando os tapetes que são menos utilizados pela casa, e
gradativamente direcione o filhote para apenas um ponto, que é onde você deseja
que ele aceite como banheiro. Neste exercício, o quanto menos ele errar, melhor e
mais rápido será seu resultado.

Você deve se atentar à saúde do seu filhote. A primeira parte de sua imunização é
feita ainda com o criador, que já lhe entregará o filhote com uma aplicação de
antipulgas e administrará, no mínimo, três doses de vermífugos e uma dose de

11
vacina.

O antipulgas é de administração mensal, e é de extrema importância para a saúde


do seu cãozinho. Além de evitar infestações, ajudará a prevenir doenças
transmitidas e decorrentes por picadas de insetos. Apesar de toda a preparação
da mãe, antes da cobertura e parto, basicamente todos os filhotes nascem com
vermes. Então, é preciso desverminar os filhotes de forma correta, contando
sempre 14 dias da data da primeira administração para conseguir buscar o ciclo
completo dos vermes. Repetimos a cada duas semanas, principalmente enquanto
os filhotes estão com as mães e irmãos, pois a possibilidade de nova infestação é
grande. Para cães que moram em casa e não passeiam na rua, o ideal é que
sejam vermifugados a cada seis meses (lembrando de sempre repetir a dose,
duas semanas depois da primeira administração). Já os que passeiam na rua ou
participam de exposições, no máximo a cada três meses.

A vacinação é necessária, pois é a única defesa que o seu filhote terá contra
diversos vírus terríveis e mortais. Em nosso canil, vacinamos nossos filhotes com
42 dias de vida (utilizamos a V8 importada, por preferência pessoal), repetindo as
doses a cada 21 dias, até completar quatro doses. Após 15 dias da última dose,
seu filhote estará seguro para sair e passear na rua.

Dica importante: Antes do ciclo da vacinação completo, jamais exponha seu


filhote.

Educando o seu Akita

A educação do Akita está intimamente relacionada à ligação e subordinação aos


seus humanos. Quanto maior a relação entre cão e familiares, você terá um
convívio harmonioso e ótimos resultados.

Todo ser vivo tem a capacidade de aprender. Uns com mais facilidade, outros
menos. Mas todos têm. E o Akita não é a exceção. Muito pelo contrário, os cães
da raça Akita têm uma facilidade imensa em aprender, inclusive para dar "nós" e
"enrolar" seus donos.

Diferente dos cães de guarda ou pastoreio, a raça Akita não foi desenvolvida para
obedecer a comandos ou trabalhar para o homem. Por isso, as técnicas utilizadas
para adestrá-lo não serão as mesmas que boa parte dos adestradores utiliza.

Por exemplo, os cães pertencentes ao grupo 1, chamado grupo de cães de


pastoreio, são formados por cachorros aptos a trabalhar em fazendas junto ao
gado ou grupos de animais. Já os pertencentes ao grupo 2, são formados por
cães molossos, pischers e schnauzers. Esses três tipos de cães, dentro do
mesmo grupo, têm como característica em comum a facilidade de servir ao

12
homem. Por isso, também são utilizados como cães de guarda e cães policiais. A
forma física, a facilidade de aprendizado e vontade de servir ao homem os fazem
os mais procurados para realizar esta função.

O grupo que os Akitas pertencem é o 5: Grupo dos cães Spitz e tipo primitivos. Os
Akitas são cães primitivos, ou digamos nativos do Japão.

Pelo seu territorialismo e agressividade com cães do mesmo sexo nato, a raça foi
utilizada pra guarda e rinhas, sendo a última uma grande "febre" entre os
japoneses. Porém, os Akitas nunca foram selecionados para servir ao homem,
para obedecer a comandos, mesmo porque essas tentativas nunca surtiram bons
resultados. Entretanto, isso não significa que os cães não aprendiam nada, mas
que o aprendizado era utilizado da forma em que o cão considerava melhor e não
do jeito que lhe era imposto.

Talvez, por esse comportamento primitivo e falta de resultados com adestradores


acostumados a trabalhar com cães que instintivamente procuram a obedecer ao
seu condutor, chegou-se à conclusão errada de que o Akita não deve ser
adestrado.

Partindo do principio que o Akita não nasceu para servir ao homem, é


territorialista, e tem vontades próprias, é necessário se utilizar de técnicas para
educá-lo corretamente, não trazendo traumas para ele e para a relação. Ser líder
do seu cão é princípio básico para manter a harmonia da casa. E essa liderança
você e sua família é quem deve conquistar, sempre esperando que o Akita tente,
de uma forma ou outra, a colocação dele nos primeiros postos da matilha.

Sendo assim, nossa primeira recomendação é a imposição de regras básicas que


devem ser obedecidas sempre, como forma de “pedágio”. Por exemplo, ensine
seu cão a sentar. Pegue um biscoito e, com ele atrelado a uma guia e um
enforcador, segure-o sem deixar que ele saia andando ou pule para pegar o
biscoito. Coloque sua mão, fechada com o biscoito dentro, bem rente ao focinho
do cão. Suba a mão, junto ao focinho até que ele fique com a cabeça totalmente
voltada para cima (literalmente olhando para cima). Ele irá sentar
automaticamente, pois não conseguirá andar para trás, pois você não deixará
devido ao enforcador. Assim, com ele sentado, você o recompensa com o biscoito.

Repita este exercício pelo menos cinco vezes ao dia durante uma semana,
sempre falando em tom firme e baixo a palavra “senta”. Ao final desta semana,
você perceberá que ele automaticamente irá sentar quando quiser algo que você
tenha para ele. A partir disso, ele entendendo o que significa a palavra "senta",
você poderá usar este comando como pedágio.

13
Por exemplo, vai sair para passear, faça-o sentar, abra a porta e só permita que
ele levante após alguns segundos, e ainda forçando-o a ficar atrás ou ao seu lado
durante o passeio. Lembre-se: o líder da matilha anda à frente. Se você permitir
que ele vá à frente, estará emitindo um reforço positivo, e ele entenderá que ele é
o líder da matilha.

Faça o mesmo quando for oferecer sua alimentação. Cobre o pedágio. Você
poderá ensinar seu cão a deitar, ficar, andar junto, e sempre utilizando esses
comandos como forma de impor a sua liderança.

Não se esqueça que a audição do cão é cerca de 500 vezes mais potente que a
nossa, então nunca é necessário gritar com ele, muito menos agredi-lo. Respeito
é peça-chave para manter a confiança entre o Akita e seu dono.

Outro bom reforço de liderança pode ser exercido durante as brincadeiras. Deixe
que o seu cão eleja um brinquedo de ouro. O brinquedo que ele mais gostar, ele
poderá brincar apenas com você e quando você quiser. Assim, ele irá entender
que você é o dono do brinquedo e que ele só pode brincar quando o líder, ou seja,
você, deixar.

Se atente ao fato de que o líder é quem protege e alimenta a matilha, porém é


também quem mantém a ordem e disciplina entre seus integrantes.

Importante: Você deve ser o adestrador do seu cão. O Akita não deve obedecer a
uma pessoa estranha (adestrador profissional), pois não tem nenhuma ligação
emocional com ele.

Saúde

A saúde geral do animal está diretamente relacionada à higiene, por isso antes de
falarmos de fato sobre doenças, vamos abordar esse quesito importantíssimo.

O local que seu Akita irá viver deve ser extremamente limpo para que não haja
risco de contaminação por conta das fezes e outros fatores. A higienização do
ambiente deve ser feita com água em abundância e produtos de limpeza, como
água sanitária ou produtos específicos que encontramos no mercado, por
exemplo, diluíveis à base de quaternário de amônia.

No caso do Akita em especial, é muito importante ficarmos atentos a nunca deixar


o local molhado após a limpeza, a fim de evitar que eles deitem e fiquem úmidos
tenham um crescimento de fungos na pele e alergias.

14
Após 15 dias da aplicação do último reforço da vacina óctupla (V8), podemos dizer
que o animal está totalmente imunizado, apto a circular em locais públicos.

Antes desse período, não recomendamos passeios em rua, parques, no chão de


pet shops, e outro lugares que cães costumam frequentar, a fim de preservar sua
saúde contra doenças infecto-contagiosas e parasitoses.

Em relação às pulgas e carrapatos, também devemos estar sempre atentos, já


que esses ectoparasitas inconvenientes transmitem uma série de doenças (ex:
DAAP e Babesiose). Para esta prevenção devemos utilizar uma coleira
antipulgas/carrapatos/mosquitos e produtos específicos que são aplicados no
dorso do cão.

Provavelmente, o maior problema de saúde dos Akitas na atualidade, seja a


dermatite alérgica a picadas de insetos. E para combater esta alergia, devemos
nos focar na eliminação destes insetos e proteção de nossos cachorros.

Como qualquer inseto pode ser o causador do problema (pulgas, carrapatos,


pernilongos, formigas, aranhas, etc.), recomendamos o uso de um produto de
aplicação tópica sobre o dorso do cão que combata pulgas, carrapatos e
mosquitos, aliado a uma coleira medicamentosa que também combate estes três
tipos de insetos. Para cães que moram em residências onde têm grama,
recomendamos a pulverização quinzenal de um inseticida, com uma bomba
borrifadora e um pano úmido com o mesmo produto para as áreas internas da
casa.

Se o cão for muito alérgico, a recomendação é a utilização de repelentes


adequados para cães quando for sair para passeios na rua. O Akita não é um cão
frágil. Na verdade, ele é apenas um cão de raça, que tem suas particularidades
como qualquer outra.

Dentre essas particularidades, a principal e mais especifica doença é a Síndrome


de Voight Koyanagi Harada, mais conhecida como síndrome do akita. Esta
síndrome é uma consequência de uma alteração auto-imune que ataca
principalmente a pigmentação da pele e os olhos dos Akitas.

O tratamento é para a vida toda, e tem como base anti-inflamatórios e corticóides.


A síndrome do akita não tem cura, e sua origem não é conhecida. É certo que
cães que têm esta doença nunca deverão reproduzir.

A adenite sebácea, infelizmente também é comum entre Akitas. Essa sim tem
fundo hereditário, ou seja, é transmitida através dos seus ascendentes. Ela
inflama as glândulas sebaceas do Akita, desregulando a produção do óleo que
lubrifica e protege a pele. Quando o cão tem a adenite, sua pele fica negra, com
15
odor desagradável, e ele se coça muito, provocando muitos ferimentos
secundários. Infelizmente, esta doença pode ser confundida com vários outros
problemas de pele, tendo assim uma necessidade de uma biópsia para fechar o
diagnóstico.

O tratamento também é para toda a vida, porém é possível controlar a doença.


Banhos de imersão com óleo mineral são fundamentais para ajudar no controle da
Adenite. Portanto, o indicado é tirar de reprodução pais, irmãos e os cães que
possuam adenite sebacea.

A displasia coxo-femoral, ainda não é um mal tão comum, mas está crescendo
entre os Akitas. Ela consiste no mau encaixe entre o osso coxal (antiga "bacia") e
o fêmur. Também é uma doença hereditária, mas que pula gerações, ou seja, pais
saudáveis podem produzir cães com displasia severa. O tratamento é cirúrgico.

As três doenças supracitadas não são exclusivas do Akita, porém, infelizmente,


têm crescido o aparecimento delas entre os nossos amados cães.

A principal dica aqui é você escolher seu filhote num criador idôneo e sério, que
trabalha pelo melhoramento e desenvolvimento da raça Akita, preocupando-se
com a eliminação destes problemas na família e assegurando a saúde dos seus
filhotes através do seu contrato de compra e venda.

Mesmo saudável, leve seu cão ao médico veterinário para uma consulta de rotina
a cada seis meses. Além da consulta, solicite a ele um hemograma (exame de
sangue) e um coproparasitológico (exame de fezes) para total controle sobre a
saúde do seu cachorro.

Pelagem

O Akita possui uma pelagem dupla, que consiste em uma pelagem fina, macia,
curta e densa que chamamos de “sub-pelo”. E outra espessa, comprida, dura,
brilhante e com aspecto de agulha, chamamos de “pelo”.

Para que o pelo esteja vistoso, é necessário que a pele e o sub-pelo estejam
saudáveis e completos, pois isso interfere no aspecto e na tonalidade da cor do
cão.

As cores descritas no padrão são:

- Vermelho

16
- Branco

- Tigrado

- Sésamo (praticamente extinta).

Todas as cores acima mencionadas, exceto a branca, devem apresentar o


"uragiro" (pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, nas bochechas, sob o
queixo, pescoço e ventre, na face inferior da cauda e face interna dos membros –
nos tigrados é aceito que o branco esteja mesclado com o preto ou cinza).

A tonalidade do cão vermelho pode variar desde palha até o tijolo. O preferível é o
vermelho sangue, desde que sempre exista um degrade do vermelho para o
uragiro.

Dentre os tigrados, temos diversas denominações como o tigrado preto (onde a


cor que predomina é o preto), o tigrado prata (quando se tem um salpicado entre
branco, cinza e preto), o tigrado azul (onde só temos a cor cinza e a cor branca) e
o tigrado vermelho (onde o fundo ao invés de ser branco, é avermelhado).

Nos brancos, é aceito que haja uma pequena pigmentação amarelada nas pontas
das orelhas, entretanto não é permitido que existam quaisquer manchas ao longo
do corpo.

É importante ressaltar, que os Akitas japoneses não podem ter máscara preta no
rosto ou ter em seu corpo placas no fundo branco.

Nos filhotes vermelhos, é comum vermos a cor cinza. Basicamente o que vemos é
o sub-pelo, que irá desaparecer em meio do pelo de agulha, quando crescer.
Quanto mais aparente o sub-pelo no filhote, melhor qualidade e quantidade de
sub-pelo ele terá como adulto, influindo diretamente no tom e no aspecto do pelo
adulto.

A pelagem do Akita é um dos pontos principais para a beleza do cão. E se o akita


não tiver uma excelente genética, absolutamente nada do que você fizer o fará ter
uma pelagem linda, como verdadeiro campeão. Portanto a escolha correta do
filhote é ponto-chave para uma pelagem bonita e exuberante.

Para manter o pelo do Akita bonito, primeiramente temos que saber como está a
saúde dele. Um cão cheio de vermes, por exemplo, dificilmente terá um pelo com
um bom aspecto.

Caso a saúde do Akita esteja perfeita, o segundo passo é saber como está a sua
alimentação. A ração é ponto importante para a qualidade da pelagem. E é

17
extremamente comum, mesmo dentre as rações super-premium, diferentes
reações do organismo quanto à qualidade do pelo. Por experiência própria,
concluímos isso.

Devemos também levar em conta a temperatura do ambiente em que o cão vive.


Em regiões quentes, é certo que o Akita não colocará a pelagem completa, como
própria defesa do organismo. Assim como cães que vivem em regiões frias, terão
uma pelagem muito exuberante.

Agora falando sobre o manejo correto do Akita, quando se refere à qualidade e


manutenção do pelo é seguinte: a escovação diária, com escova específica para
cães, com pinos metálicos e sem bolinha nas pontas é fundamental para manter o
pelo bonito e saudável. A ideia da utilização da escova sem as bolinhas na ponta é
justamente para não arrancar o sub-pelo que dá o tom e sustenta o pelo
arrepiado. Uma vez por semana você pode levar o seu cão a um pet shop, para
que ele seja “soprado”, sem que tome banho. O soprador, como o próprio nome já
sugere, sopra o ar com força contra a pele do cão, retirando todos os pelos mortos
e sujeiras, desembaraçando o pelo e massageando a pele. Além disso, o soprador
ajuda a secar possíveis áreas úmidas, que são terríveis para a raça. Manter seu
akita em local seco também é fundamental para sua pelagem.

Os suplementos alimentares recomendados para o pelo são os feitos à base de


levedura de cerveja e de ômega3, pois contêm ácidos graxos eficazes para a
saúde da pele e do pelo do seu Akita. Consulte o seu veterinário de confiança
para que ele determine o suplemento e a quantidade.

Durante a época em que seu cão não esta soltando pelo, sugerimos banho em
temperatura ambiente e secagem com soprador a cada três meses. Jamais use a
rasqueadeira em um cão que não esteja na muda.

A dica de ouro vem agora. Durante a troca de pelos, suspenda o uso de


suplementos. Faça a escovação com a rasqueadeira duas vezes ao dia retirando
o máximo de pelo morto que puder e dê banhos mornos semanais com xampu
neutro e secagem com secador morno. Assim que seu cão perder todo o pelo,
você irá perceber que irá passar a rasqueadeira e quase não irá retirar pelo morto.
Neste momento, além dos banhos mornos semanais, reinicie o uso do soprador,
suspenda a rasqueadeira e volte a usar a escova. Pergunte ao seu veterinário se
você pode dobrar a quantidade de suplementos durante a colocação do pelo.
Quando o cão chegar ao ápice da pelagem, suspenda os banhos semanais e volte
com a quantidade habitual da suplementação.

Para um cão saudável e com o manejo correto acima, todo esse processo de
queda e reposição completa do pelo dura por volta de 35 dias.

18
Temperamento

Você já deve ter visto aquela criança mimada no supermercado, se debatendo no


chão, gritando e chorando, porque sua mãe não quis comprar aquele pacotinho de
balas, não é?

Pois bem, o Akita tem tudo para se transformar nesta criança. Ele é teimoso e
dominante por natureza.

Assim, ele precisa de educação e pulso firme da sua família. Sem isso, ele se
tornará uma criança mimada e mal educada que, enquanto filhote, até poderá
parecer bonitinho, mas depois de adulto trará grandes inconvenientes.

Por isso eu lhe faço a pergunta: Você é capaz de educar um Akita?

Você e todos os moradores de sua casa deverão ser líderes do Akita. Nunca
esqueça isso.

Seria basicamente uma falta de respeito com a raça Akita resumir a mais nobre e
importante característica dela. Por isso, daremos aqui apenas uma introdução
sobre o assunto, já que nossa próxima publicação deverá ser exatamente sobre o
seu temperamento.

Os Akitas talvez sejam os mais singulares representantes do mundo canino. Eles


mesclam a fidelidade do cão com a sensibilidade felina. Aliás, os Akitas têm muito
do comportamento dos felinos. Inclusive no quesito higiene. Se lambem para se
livrar dos pelos mortos, e são exigentes com a limpeza do seu banheiro.

Como todos os cães, adoram a presença da sua família e a protegem com unhas
e dentes, mas, como um bom felino, são independentes e por vezes pouco
receptivos a estranhos. A bem da verdade, quem não convive com a raça, não
consegue imaginar o quão inteligente e devoto o Akita pode ser para a sua família.

Por conta da utilização em rinhas (briga entre cães), os Akitas não se dão bem
com cães do mesmo sexo. A convivência entre machos ou fêmeas adultos não
deve ser tolerada entre os Akitas. E isso independe se existe grau de parentesco
(como mãe e filha) ou convivência desde filhotes (irmãos de ninhada). Essa não é
uma característica que eu aprecio, porém faz parte da essência da raça. Tentar
mudar ou retirar este comportamento pode trazer prejuízos imensos às outras
características da raça, como a leitura da alma humana.

Akitas adultos que aceitam cães do mesmo sexo não têm o comportamento
esperado para a raça e isso demonstra que ele poderá ter outros desvios

19
comportamentais também.

A raça Akita Inu é primitiva e eles não foram desenvolvidos para obedecer ao
homem. Por isso, um adestramento imposto (mesmo que seja feito por seu dono)
não deverá ter um bom resultado. Eles trabalham muito bem com cumplicidade,
bom senso, amor e paciência. Porém, como característica marcante, a teimosia
esta presente na convivência com um Akita. Para você obter êxito, seja sempre
mais teimoso que do ele, e motive-o a fazer o que você deseja.

O adestramento para guarda, por vezes não dá bons resultados (quando os


mesmos não são catastróficos), por um simples motivo: o akita se guia pelo
campo energético de seus familiares. Ele entra em estado de alerta, apenas se
sua sensibilidade detecta alteração neste campo. Numa ação simulada e
esperada não existe modificação neste campo, e por isso ele permanece tranquilo.

Já em casos reais, de assalto, por exemplo, é certo que um Akita equilibrado com
o temperamento correto irá detectar a energia liberada pelo seu dono e tomará
uma atitude por si só, sem a necessidade de comando oral. Os Akitas adultos,
equilibrados, são cães extremamente observadores, silenciosos – latem apenas
quando necessário – e calmos.

Reprodução

Acreditamos, de verdade, que a reprodução de cães deva ser feita apenas por
pessoas que estudam e se dedicam ao melhoramento genético da raça.

A irresponsabilidade de acasalar e produzir cães sem conhecimento genético e da


linhagem do casal envolvido, pode causar prejuízos imensos à raça que criamos.
Além disso, Akitas são cães extremamente particulares. Então, a colocação de um
Akita em um lar que não tem uma estrutura familiar adequada pode trazer traumas
às pessoas e ao cão que lá vive.

Se você sonha em ter filhotes de Akita em sua casa, solicite ao criador de sua
cadela, assim que for adquiri-la, que te auxilie na escolha de um exemplar correto
para esta função e pergunte se ele pode te auxiliar em todo o processo do
acasalamento. Desde a escolha do padreador até o destino ideal para os filhotes.

Se você não tem a intenção de acasalar seu cão ou leva-lo para exposição, a
castração precoce é o maior ato de amor que você pode fazer pelo seu cão. Mas,
explanando um pouco sobre o assunto, a partir do primeiro cio da fêmea, ela esta
fisiologicamente pronta para conceber uma ninhada, mas ainda não está
fisicamente preparada. O ideal é o acasalamento entre o 18º e o 24º mês de vida,
20
independentemente do numero do cio. Os machos estão prontos a partir do 12º
mês de vida.

O casal, antes do acasalamento, deverá ter passado por uma minuciosa avaliação
veterinária, realizando exames de saúde (entre eles, brucelose, displasia,
leishmaniose) e deverão estar vacinados e vermifugados.

O acasalamento, normalmente se dá entre o 10º e 14º dia, não devendo se


estender por um longo tempo, para que seja mais fácil estimar a data provável do
nascimento. Com cerca de 30 dias após o primeiro acasalamento, deve-se fazer
um exame de ultrassom na cadela para a confirmação da gestação e avaliação
dos fetos. Os bebês nascem geralmente entre o 58º e 61º dia após o primeiro
acasalamento. A média de nascimento é de cinco filhotes.

Os umbigos caem normalmente com três dias de vida. Com 11 dias começam a
abrir os olhos e passam a escutar com cerca de 20 dias.

Eles devem ser vermifugados duas semanas após o nascimento, repetindo a


vermifugação a cada duas semanas, até a entrega aos novos proprietários. A
vacinação (óctupla) é feita com 42 dias de vida. A partir da entrega, os novos
proprietários deverão seguir o protocolo do médico veterinário de sua confiança.

Eles deverão permanecer com a mãe pelos primeiros 35 dias de vida, com ração
seca para filhotes água fresca e limpa à vontade. Fique atento à altura dos potes
de água e comida. Se for fundo demais para os bebês, eles poderão cair dentro e
não conseguir sair.

Maturidade

O Akita, por característica, é um cão extremamente calmo. E quanto mais se


aproxima a idade, mais tempo ele passará dormindo. É importante que se tenha
consciência da sua idade e não impor exercícios físicos exagerados e deve-se
protegê-lo de abusos climáticos (excesso de calor ou chuvas, por exemplo) e
evitar que o cão esteja obeso nesta fase da vida.

A longevidade do Akita gira em torno dos 14 anos de vida. Normalmente ele segue
muito bem até os 12 ou 13 anos, porém tem uma drástica queda na sua
disposição após essa idade.

Este é o momento de manter a saúde do seu akita em 110%. Por isso, as visitas
ao médico veterinário deverão ser mais constantes, assim como exames de rotina
deverão ser realizados com uma frequência maior.

21
O quesito principal que o seu Akita precisa na maturidade é a retribuição do
carinho e lealdade que ele teve com você e sua família pela vida toda.

Uma alimentação adequada, somado com leves caminhadas diárias e um bom


momento junto a família, fará o seu cão ter a certeza de que ele foi e é amado até
a sua partida.

22
Bibliografia

Meios Eletrônicos

Site oficial da CBKC: http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo5/akita.pdf

Site oficial Canil Yucatán BR: http://www.akitainubrasil.com.br

Blog Maravilhosos Akitas: http://maravilhososakitas.blogspot.com.br

Site do Clube do Akita: http://www.clubedoakita.com.br

23