Você está na página 1de 90

INTRODUÇÃO

Deixar nosso país para viver em outro não é fácil por várias
razões. Muitas vezes é preciso partir sozinho, deixando
para trás a família, amigos e toda uma história, sem contar
todo o processo de adaptação. Afinal, novo país também
significa, além de uma nova vida, uma nova cultura, com
novos hábitos e costumes.

Porém, com a forte crise vivida no Brasil, tanto econômica


quanto política, cada vez mais brasileiros vêem na
migração uma oportunidade de buscar algo melhor...
E Portugal está entre os países mais procurados por
brasileiros que desejam morar na Europa.
E os motivos são muitos, além da semelhança do idioma,
a cultura, as oportunidades de emprego, a busca por uma
melhor educação, qualidade de vida e também por mais
segurança constituem os principais motivos para iniciar
essa fase de mudanças.

Atualmente nós brasileiros representamos em média 25%


dos imigrantes de Portugal. Se você também deseja fazer
parte desta comunidade de quase meio milhão de
brasileiros, o Guia completo de como morar em Portugal
é o primeiro passo que você precisará dar e que te
auxiliará a dar todos os outros.

Através de dicas, teoria, prática e muita pesquisa, aqui


no Guia completo como morar em Portugal você terá
todo o auxílio e informações que precisará para iniciar essa
mudança. Aqui cada passo foi meticulosamente
pensamento, desde o início do seu planejamento até a sua
chegada em Portugal.

O guia completo, com tudo que você precisa saber e


fazer para morar no quinto melhor país do mundo para
se viver e trabalhar está em suas mãos.

Boa leitura!
SUMÁRIO
CAPÍTULO 1 - PLANEJAMENTO
1.1- Como planejar a sua viagem
1.2- Onde morar em Portugal
1.3- Custo de Vida em Portugal
1.4- Passagens aéreas: como economizar

CAPÍTULO 2 - DOCUMENTAÇÃO PARA FAZER NO BRASIL


2.1- Passo a passo para Emissão do Passaporte no Brasil
2.2- Direito à assistência médica gratuita em Portugal: saiba como obter
2.3- Carta convite: o que é e como funciona
2.4- Declaração de saída definitiva do país

CAPÍTULO 3 - DOCUMENTAÇÃO PARA FAZER EM PORTUGAL


3.1- O que é e como fazer o NIF
3.2- Transferência de habilitação Brasileira para Portugal
3.3- Como fazer a sua habilitação em Portugal
3.4- Bônus: Como comprar um carro em Portugal

CAPÍTULO 4 - COMO VALIDAR O DIPLOMA EM PORTUGAL


4.1- Diferença entre reconhecimento acadêmico e profissional

CAPÍTULO 5 - COMO MORAR LEGALMENTE EM PORTUGAL


5.1- Diferentes Tipos de Vistos e como obtê-los
5.2- Como entrar em Portugal como turista e legalizar-se
5.3- Viver ilegalmente em Portugal
5.4- Direitos de moradores ilegais x moradores legalizados

CAPÍTULO 6 - ALUGUEL, TRANSPORTE E MERCADO DE TRABALHO


6.1- Tipos de Imóveis em Portugal
6.2- Como alugar um imóvel

6.3- Dificuldades para alugar apartamento em Portugal


6.4- Transporte Público em Portugal
6.5- Mercado de trabalho: Como conseguir emprego em Portugal
6.6- O que esperar do mercado de trabalho português em 2018
6.7- TOP 10: Profissões mais procuradas em Portugal
CAPÍTULO 7 - EDUCAÇÃO
7.1- Estrutura do ensino
7.2- Como matricular seus filhos na escola: Ensino básico e secundário
7.3- Ensino Superior: passo a passo para iniciar seus estudos
7.4- Ensino superior: utilizando o ENEM para estudar em Portugal
7.5- Mestrado e Doutorado em Portugal
7.6- Bônus: quanto custa estudar em Portugal

CAPÍTULO 8 - TUDO SOBRE NACIONALIDADE PORTUGUESA


8.1- Diferença entre cidadania, nacionalidade e naturalização
8.2- Quem tem direito à Nacionalidade Portuguesa
8.3- Como obter a Nacionalidade Portuguesa

CAPÍTULO 9 - NÃO DEU CERTO, E AGORA?


9.1- Programas de retorno voluntário.

CONCLUSÃO - Próxima parada: Portugal


CAPÍTULO 1 – PLANEJAMENTO

Antes de optar por tentar a vida em outro país há vários pontos que
precisam ser analisados e planejados com muita atenção e antecedência.
Pode parecer simples migrar para Portugal, afinal, é um país de idioma
semelhante, mas a verdade é que não é bem assim.

Autoconhecimento e objetivo são pontos importantes e muitas vezes


esquecidos ao iniciar um planejamento. Afinal, você sabe o que realmente
busca em Portugal? O que você espera do país? Você vai em busca
de oportunidade de trabalho ou uma educação diferenciada? Você
quer qualidade de vida? Você quer enriquecer? Conheça bem seus
objetivos e expectativas e comece a planejar sua viagem...

1.1 - Como planejar a sua viagem?

Além do autoconhecimento, de seus objetivos e da


razão ter escolhido Portugal como destino, começar a planejar
uma viagem envolve uma série de pontos que precisam ser
pensados. Afinal, o que você pretende fazer no país? Como
você irá se manter financeiramente? Você conseguirá lidar com
o fato de estar longe da sua família? Onde você irá morar?
Essas são algumas das várias questões que fazem parte do dia-
a-dia de quem resolve iniciar o processo de mudança. E foi
pensando nessas dúvidas, questionamentos e
dificuldades que podem ser encontradas no caminho, que criamos
este material: um verdadeiro guia para seu sonho de morar em
Portugal.

O 1º passo e também o mais importante é o seu planejamento


financeiro. A falta desse planejamento é um dos motivos pelo qual muitos
brasileiros acabam tendo que retornar ao Brasil. Pois embora Portugal
Onde morar?

Você também precisará decidir a cidade para onde pretende ir e, mesmo


estando no Brasil, já pesquisar lugares para alugar. Para realizar este processo
há brasileiros que tiram alguns dias de férias e vão para Portugal conhecer o
país, o local onde pretende se instalar e alugar o seu cantinho.

Se você irá com filhos também é importante pesquisar uma escola que
lhe passe confiança, principalmente se forem pequenos. No decorrer deste
guia também lhe explicaremos como fazer para matricular seu filho na escola.

Adaptando-se a uma nova cultura

Também é importante que você pesquise sobre a cultura portuguesa,


afinal, é preciso levar em conta que você está indo para outro país, onde
costumes, regras, tradições e culturas serão diferentes do que aqui no Brasil e
você precisará adaptar-se a elas.

Mercado de trabalho

Caso você já tenha uma área profissional que pretenda seguir ou que
possua experiência, é importante pesquisar bem se há oportunidade na cidade
que você escolheu para residir, assim você já ficará atualizado quanto a
realidade do mercado.

Trabalhe seu psicológico

Outro ponto a ser pensado é em como você irá lidar com a distância da sua
família, o que é ainda mais difícil caso você esteja indo para Portugal sozinho,
deixando esposa e filhos (mesmo que o objetivo seja levá-los futuramente). Portanto
pense também em como trabalhar o seu psicológico,
os melhores lugares para se viver em Portugal, você está no lugar certo. A
última pesquisa realizada avalie bem seus objetivos e tenha a certeza de que o
seu sacrifício será para um bem maior, para que você não acabe desistindo no
meio do processo.

Entenda que o momento de planejar é muito importante e começa muito


antes de você de fato decidir ir para Portugal. Mudar de país é uma mudança
significativa em sua vida, que precisará de grandes planos, esperamos que
este guia lhe ajude neste processo.

1.1 - Onde morar em Portugal?

Nós já falamos aqui que Portugal é o melhor país da Europa para se


viver, de acordo com o ranking Expat Insider (2017), da InterNations e o 5º
melhor do mundo. Mas um ponto fundamental para quem está indo é saber
onde morar. Claro que essa decisão depende de muitos fatores, como sua
condição financeira, distância de seu serviço ou faculdade (se for o caso),
estilo de vida que você busca, onde você gostaria de morar (interior, praia,
centro), entre outras coisas.

Caso você queira saber mais sobre pela Bloom Consulting Portugal City
Brand Ranking (2017) revelou as 25 melhores cidades portuguesas para se
viver. Para saber mais detalhadamente sobre elas, basta clicar no link. Aqui
nos limitaremos a falar de apenas 10 delas, que são:

Lisboa

A capital do País, localizada no litoral sul, é um ótimo lugar para se


viver. Porém é importante que você tenha condições financeiras para isso, pois
o custo de vida lá é alto. Por ser capital, existem muitas oportunidades de
emprego e estudo, visto que é onde estão localizadas as melhores
universidades do país, como a Universidade de Lisboa. Além de educação e
empregabilidade, a cultura e a saúde também são destaque nesta cidade. Não
é a toa que Lisboa, com seus mais de 500 mil habitantes, está entre as 10
Porto

Localizada à noroeste de Portugal, Porto foi eleita a segunda melhor


cidade para se viver em 2018, de acordo com a pesquisa realizada pela Time
Out City Life Index!

Seus mais de 230 mil habitantes, lhe concedem o título de segunda


cidade e quarto município mais populoso de Portugal. Além de ser considerada
uma das cidades mais receptivas e bonitas do país, conta com ótimas opções
de estudo e oportunidades de trabalho, em razão das grandes empresas que lá
se localizam. De acordo com Lídia Farias, brasileira de 25 anos, “a única
desvantagem de morar aqui [em Porto] são os valores elevados das moradias”.

Cascais

Cascais é indicada para quem está indo em busca de sossego.


Localizada no litoral, ela conquista o coração de seus mais de 200 mil
habitantes em razão da ótima qualidade de vida que oferece. Os custos de
vida em Cascais são relativamente mais baixos do que em Lisboa. A maioria
das vagas nesta cidade, portanto, são destinadas aos setores de turismo e
serviços, e as oportunidades não são muitas.

Sintra

A Vila de Sintra conta com mais de 370 mil habitantes e localiza-se na


região de Lisboa. Sintra é uma típica cidadezinha de interior que em razão de
seus belíssimos pontos turísticos é mais procurada para quem busca passear
e fazer turismo. Se você está buscando um lugar tranquilo e com belezas
encantadoras, Sintra é uma boa opção.
Braga

A Universidade do Minho atrai muitos estudantes para Braga, razão pela


qual é considerada uma cidade universitária. Localizada ao norte de Portugal,
com cerca de 180 mil habitantes, Braga é ideal para você que busca qualidade
de vida e tranquilidade. Uma vantagem é o valor acessível dos aluguéis.
Quanto ao mercado de trabalho, a maior parte das vagas são para profissões
específicas como eletricistas e mecânicos, além de trabalhos de prestação de
serviços, como limpeza e atendente de restaurante (garçom), sem contar que a
grande maioria exige outras línguas (além do português e inglês).

Coimbra

Destino procurado por muitos brasileiros em razão da facilidade em


ingressar na Universidade de Coimbra, considerada a terceira melhor do país,
onde é aceito o ENEM. Por ser uma cidade de estudantes, Coimbra tem um
baixo custo de vida que a torna ainda mais atrativa. Além de ser uma das
cidades mais antigas do país, ela é também uma das cidades mais
importantes! Se você deseja fazer parte dos mais de 100 mil habitantes que
moram lá, saiba que este é um ótimo destino.

Leiria

Leria conta mais de 120 mil habitantes e é um dos maiores polos


industriais de Portugal. É uma cidade um pouco esquecida quando o assunto é
viver em Portugal, mas saiba que lá há muitas vagas de emprego. Além de sua
localização estratégica, pois fica no centro do país, também oferece uma ótima
qualidade de vida (possui os melhores índices da Europa), ótimas opções de
estudo e saúde, sem contar na economia invejável. Uma curiosidade
interessante é que, mesmo nos tempos de crise, Leiria se manteve com alto
índice de empregabilidade e crescimento acima da média nacional.
Vila Nova de Gaia

Esta cidade fica próxima à Porto e Lisboa, mas a diferença de custo de


vida é bem grande. Vila Nova de Gaia é uma cidade que vem crescendo e
recebendo muito investimento por parte do governo português. Localizada na
Região Norte do país, ela conta com mais de 300 mil habitantes.

Viseu

Viseu é uma das maiores cidades do centro de Portugal e destaca-se


quando o assunto é família, em razão da ótima qualidade de vida e educação.
Os relatos referentes às oportunidades de trabalho são bem distintos, então a
dica é que você pesquise de acordo com a sua a área. O custo de vida em
Viseu é bem acessível.

Faro

Faro é a capital de Algarve. Esta cidade conta com cerca de 47 mil


habitantes e destaca-se por suas lindas praias. Outro atrativo é que as
Universidades de Faro aceitam o ENEM como forma de ingresso. É importante
saber, no entanto, que Faro é uma cidade turística no período de verão,
quando são geradas muitas oportunidades de emprego, já no inverno estas
oportunidades decaem consideravelmente. Apesar disso Faro é citada como
melhor lugar para se morar em Portugal, de acordo com pesquisa realizada
entre brasileiros que vivem lá.

Claro que, mesmo com estas dicas, tudo dependerá do seu objetivo ao ir para Portugal,
portanto depois de defini-lo basta pesquisar o local que mais se enquadra com suas
condições financeiras e com o que você busca e planejar sua mudança.
1.1 - Custo de vida em Portugal

O custo de vida em Portugal é um fator motivante para quem deseja se


mudar para a Europa, visto que é um dos menores da Europa Ocidental. Neste
aspecto, uma das primeiras despesas que você precisa levar em conta é o
valor do aluguel, que normalmente será seu maior gasto. Esse valor irá variar
de acordo com o tipo de lugar e cidade para onde você irá. Além disso,
também é preciso se preocupar com gastos individuais e coletivos (caso você
vá com sua família).

O Numbeo é um site que permite que você calcule e tenha uma ideia do
custo de vida em Portugal, de acordo com a região onde você pretende ficar.
Você consegue fazer este cálculo aqui. O Numbeo também permite que você
faça uma comparação dos custos de vida no Brasil x Portugal. Para isso, basta
clicar aqui.

Observação: Caso você vá como estudante seus gastos serão menores.

Se você verificar no site acima (Numbeo) verá que a média de gasto por
pessoa, considerando água, luz e gás são em torno de 83€. As médias para
mercado e saúde ficam entre 150€ e 15€ por pessoa, respectivamente.
Lembrando que estes são apenas valores estimados e o ideal é que você faça
uma pesquisa de acordo com seu estilo de vida, colocando no papel todos os
gastos que você terá, como aluguel, escola de seus filhos (se for o caso),
faculdade (se for o caso), gás, mercado, transporte, saúde, luz, água, internet,
entre outros, e faça o seu planejamento financeiro.

Dica: As cidades consideradas com o menor custo de vida em Portugal


são: Braga, Viseu, Bragança, Leiria e Fato.
1.1 - Passagens aéreas: como economizar?

Como sempre frisamos, ter um planejamento financeiro é muito importante.


Pensando nisso, separamos algumas dicas para te ajudar a economizar na hora de

1. Planejamento e flexibilidade

Se você está se programando com antecedência e tem flexibilidade de


data e horário, saiba que isso pode influenciar diretamente no valor das
passagens. Isso porque os preços variam por vários motivos e um deles é a
questão de oferta e procura, por exemplo, passagens que antecedem o final de
semana (como sexta-feira) ou em dias que encerram o final de semana (como
domingo), normalmente tem valores mais elevados.

2. Procurar por aeroportos secundários

Esta é uma estratégia muito adotada, pois ao escolher um aeroporto


secundário os valores das passagens normalmente são menores. Porém, é
importante que você analise se vale a pena para você, levando em conta
distância, custo e tempo de deslocamento.

3. Compre a passagem na hora certa

Tudo depende dos preços e promoções. Há casos em que é vantajoso


planejar e comprar as passagens com bastante antecedência, mas o ideal é
que você pesquise bem para saber se realmente vale a pena. Normalmente, o
período ideal de antecedência (para a compra da passagem) é de 40 a 100
dias, mas caso a viagem seja em alta temporada, onde a procura é
consideravelmente maior, é interessante comprar com mais antecedência.

4. Comparadores de preço

Outra dica é utilizar comparadores de preços de passagens que te ajudarão a


identificar promoções e empresas que estão oferecendo o melhor valor, de acordo
com o período e destino que você busca. Aqui você irá notar que a pesquisa é bem
importante e que há bastante diferença de valores, fazendo isso você terá grandes
chances de economizar um valor legal.
1. Fique atento às promoções e saiba identificar se é boa para você

Quando você encontrar uma promoção que caiba no seu bolso e esteja
de acordo com o seu planejamento, não demore muito: adquira logo a
passagem e não perca a oportunidade! Porém é importante ficar atento às
regras e condições de pagamento. Outro ponto importante é confirmar se no
valor final estarão inclusas todas as taxas, para que você não tenha um gasto
não planejado na hora do embarque.

Também não adianta apenas ver uma promoção e já sair comprando.


Você precisa analisar e pesquisar se esta promoção é a certa para você e
reconhecer caso não seja. Como já falamos, você precisa levar em conta uma
série de fatores como o horário do voo e horário de chegada, entre outros.
Afinal, não adianta economizar na passagem e gastar um dinheirão com
deslocamento, comida, entre outros. Portanto analise bem a situação para que
o barato não acabe saindo caro para você.

2. Pesquise o preço de voos diretos e conexões

Pode ser bem cansativo e também entediante passar por este processo tendo
que fazer conexões, mas em alguns casos pode ser muito vantajoso em questões
econômicas! Além disso também é importante, em caso de conexões, que você tenha
um cuidado redobrado com suas bagagens e certifique-se de que elas serão
despachadas juntamente com você no próximo voo. Outra dica para economizar, no
caso de escalas, é comprar a passagem em companhias diferentes, caso haja muita
diferença entre valores.
1. Evite a cobrança de IOF
Para que você evite o acréscimo de IOF (6,38%) em seus cartões de
créditos (caso você vá adquirir a passagem desta forma) a dica é fazer a
compra em empresas brasileiras (que cobrem em reais).

1. Passagem de estudante

Caso você seja estudante e possua a carteirinha que te dê direito ao


benefício, pode ser que consiga tarifas especiais. Há agências especializadas
para emissão deste tipo de passagens, então vale a pena se informar e entrar
em contato para saber se o benefício se aplica para você e se está disponível
para as datas e destino em questão.

Dicas de buscadores de preço: 128 milhas, Voopter, Kaiak e melhores


destinos. Mas você também poderá pesquisar em outros sites que trabalhem
com este tipo de processo.

Por fim, o ideal é que você seja paciente, realize pesquisas e aguarde o
momento certo para garantir mais economia na hora de comprar suas passagens.
Esperamos que estas dicas lhe ajudem.
CAPÍTULO 2
DOCUMENTAÇÃO PARA FAZER NO BRASIL

Antes de pensar na data da viagem e na compra da passagem, há


uma série de documentos que precisam ser feitos ainda no Brasil. Confira
quais são eles e o passo a passo de como fazê-los.

2.1 - Passo a passo para Emissão do Passaporte no Brasil.

O primeiro documento que você precisa fazer é o passaporte! E ao


contrário do que muita gente pensa, se trata de um processo muito simples,
principalmente desde dezembro de 2017, quando entraram em vigor as
mudanças que objetivam facilitar o processo.

Este documento é emitido pela Polícia Federal e para


solicitá-lo são necessários alguns documentos, tempo e o
pagamento de uma taxa, a GRU, que veremos
abaixo. Este processo é muito simples, no meu caso
precisei comparecer ao órgão apenas duas vezes:
para levar os documentos, assinar alguns papéis e tirar
a foto e as digitais e depois apenas para retirar o
documento.

3 tipos de passaportes brasileiros

● Passaporte comum, solicitado por qualquer cidadão brasileiro que


não tenha problemas com a justiça;
● Passaporte express, comum em caráter de urgência e solicitado
por qualquer pessoa com viagem marcada para até quatro
meses, sendo necessário levar as passagens para comprovação;
● Passaporte de emergência, que só pode ser solicitado em oito
situações específicas: catástrofes naturais, conflitos armados,
motivo de saúde, proteção do patrimônio, necessidade de
trabalho, ajuda humanitária, interesse da Administração Pública e
outras situações emergenciais que não podem ser previstas.

Passo 1: Reúna os documentos necessários

De acordo com a Casa Civil, com a implementação do projeto “Brasil


Eficiente” que está sendo aplicado gradualmente desde dezembro, os viajantes
não precisarão mais apresentar documentos como certidão de quitação
eleitoral, certificado de reservista e comprovante de pagamento da GRU para
emitirem o passaporte. Agora, os documentos necessários para o processo
são apenas:

● RG e CPF (pode ser Carteira de Habilitação com foto ou Carteira de


Trabalho);
● Comprovante de naturalidade (no caso de estrangeiros que tenham
se naturalizado brasileiro);
● Passaporte anterior (no caso de renovação).

Como o processo está ocorrendo gradualmente, é importante que você


confirme se o mesmo já está em vigor no órgão onde você fará este processo.

Passo 2: Preencha a solicitação no site da Polícia Federal

O preenchimento do formulário é simples e rápido, e da início ao processo para emitir


seu passaporte. Ao final, basta gerar seu protocolo.
Passo 3: Pagamento da GRU (Taxa de Emissão)

Assim que você finalizar o preenchimento do formulário você poderá


gerar a Guia de Recolhimento da União (GRU), que atualmente está no valor
de R$ 257,25. Após efetuar o pagamento você poderá escolher o local de sua
preferência para que o atendimento seja realizado, de acordo com a cidade e
posto mais próximo de você. Há alguns locais em que o agendamento não é
obrigatório, porém, neste caso, você corre o risco de precisar enfrentar grandes
filas e perder muito tempo do seu dia com este processo, então o ideal é
sempre agendar.

Passo 4: Compareça ao Posto de Polícia Federal

O próximo passo é comparecer ao Posto da Polícia Federal no dia e


horário agendados, com todos os documentos originais (listados no passo 1).
Finalizado este processo, você receberá um protocolo com a data prevista de
entrega e basta aguardar. Este prazo geralmente é de 06 dias úteis.

Passo 6: Retirada do Passaporte

Passado o tempo de espera, chegou a hora de retornar ao Posto da


Polícia Federal para retirar o seu passaporte. Para isso, basta levar um
documento original com foto.

Duração do Passaporte

O passaporte comum tem duração de dez anos.


Emissão de Passaporte para Menores de Idade

Menores de 18 anos também poderão emitir passaporte, desde que


possua a autorização de ambos os pais ou do responsável legal (no site da
Polícia Federal você encontra modelos de autorização). O menor também
precisará estar presente no momento do requerimento.

Validade

A validade do passaporte de menores, varia de acordo com a idade.


Confira:

0 a 1 ano incompleto: validade de um ano;

1 ano a 2 anos incompletos: validade de dois anos;

2 anos a 3 anos incompletos: validade de três anos;

3 anos a 4 anos incompletos: validade de quatro anos;

4 anos completos a 18 anos incompletos: validade de cinco anos.

Dica Bônus

Uma dica importante para você que já teve o nome ou o sobrenome alterado,
como em caso de casamento ou divórcio, é também levar todas as certidões originais
atualizadas, mesmo que você já tenha o passaporte emitido com o nome/sobrenome
correto.
Mais informações

Caso você tenha alguma dúvida sobre o processo, você pode consultar
a página de Dúvidas Frequentes da Polícia Federal, ou entrar em contato pelo
e-mail faleconosco@dpf.gov.br ou pelo telefone 194.

Para informações sobre passaportes para menores de idade, para


estrangeiros e demais assuntos, você pode acessar aqui.

2.1 - Direito à assistência médica gratuita em Portugal: saiba


como obter.

Se você está indo para Portugal é preciso garantir que, caso precise de
alguma assistência médica, você a tenha. Neste caso, basta você solicitar o
PB4. Este processo, além de garantir seu acesso à saúde, também é
necessário se você deseja morar no país. A boa notícia é que este seguro é
gratuito.

Mas o que é o PB4?

É um acordo firmado entre os governos que possibilita à todo beneficiário do


INSS o direito ao atendimento gratuito em redes de saúdes públicas portuguesas.
Para isso, é necessário solicitar o PB4, também conhecido como CDAM (Certificado
de Direito à Assistência Médica). Solicitando este documento você terá direito à
usufruir da saúde pública Portuguesa.
Custos

Não há custo para solicitar este documento, apenas o valor gasto com
as taxas de impressão, cartórios, etc.

Validade

O PB4 tem validade de um ano, podendo ser renovado. Mas atenção: a


renovação só pode ser feita no Brasil. Para que seja solicitada é necessário
que uma terceira pessoa tenha uma procuração sua assinada por você e vá
até o mesmo núcleo onde foi realizado o processo.

Tudo pronto! Chegando em Portugal, o que preciso fazer?

Depois de realizar todo o processo, chegou a hora de garantir o seu


direito. Ao chegar em Portugal você deve fazer seu registro no centro de saúde
de seu bairro. Você precisa levar o formulário do PB4, seu passaporte e a
autorização de residência. Após concluído o registro você receberá um número
que garantirá seu benefício.

Então não precisarei pagar pelas consultas?

Em Portugal a saúde pública tem um valor simbólico, nada muito caro,


que precisa ser pago para utilizá-la, o que garante o bom funcionamento da
saúde no país. Afinal, não é a toa que Portugal tem a 9ª melhor saúde pública
da Europa e 12ª do mundo.
25

Caso você tenha dúvidas e deseje obter mais informações sobre este
assunto, basta consultar o site do Ministério da Saúde.

2.1 - Carta convite: o que é e como funciona?

Este é um documento informal que irá comprovar que você tem lugar
para se hospedar em território português, caso vá ficar na casa de alguém. A
pessoa que escrever esta carta estará se responsabilizando pela sua estadia
no país.

A vantagem deste documento é que as chances de você ser barrado na


fronteira são praticamente nulas, pois com ele você estará comprovando que
possui moradia e, em alguns casos, assegurando que terá meios para se
manter.

Estudante: caso você seja estudante a universidade deverá fornecer


uma Carta de Aceitação na Universidade, devidamente carimbada, assinada e
reconhecida, com as informações do curso e o prazo de permanência no país.

Quem pode escrever esta carta?

Para que tenha reconhecimento e seja válida ela deverá ser redigida por
um residente português. Atenção, pois se a pessoa tiver apenas o visto de
turista ou ainda não tiver a situação legalizada no país, ela não poderá
escrever esta carta para você.

Quais informações devem constar na carta?

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, é necessário que


seja incluído neste documento os dados do anfitrião (nome completo,
documento de identidade, nacionalidade, profissão e endereço completo), seus
dados (nome completo, passaporte, nacionalidade, profissão e endereço de
2.1 Declaração de saída definitiva do país

Quando o plano é morar ou estudar no exterior, há alguns


procedimentos solicitados pela Receita Federal, como a comunicação de Saída
Definitiva do País, que muitas vezes é esquecida e pode acabar gerando
problemas.

Sou obrigado a fazer?

Se você decidiu morar no exterior de forma permanente ou já mora há


mais de 12 meses consecutivos, a resposta é sim! Fazendo este comunicado
você deixa de pagar imposto no Brasil e começa a pagar apenas em Portugal.
Assim, você evita a dupla tributação. Mas, caso você não saiba se ficará em
Portugal ou ainda pretenda voltar para o Brasil futuramente, o ideal é que você
espere para fazer esta declaração quando tiver mais certeza.

Como fazer a Declaração de Saída

Para fazer sua Declaração de Saída Definitiva do País é preciso acessar


o aplicativo do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) ou Receitanet, ambos
disponíveis no site da Receita Federal. Este processo é online e gratuito.

Você pode saber mais no site da Receita Federal.


Caso eu queira solicitar o cancelamento da Declaração de Saída
Definitiva do País, é possível?

Sim! Caso ocorra algum imprevisto ou você mude os planos após ter feito a
comunicação de Saída Definitiva, é possível acessar a página de cancelamento, no
site da Receita Federal. Após preencher todos os dados basta assinalar o termo de
responsabilidade em que você se diz ciente de que está agindo corretamente ao
cancelar a comunicação e, ao finalizar o processo, basta emitir o recibo de
cancelamento e pronto.
CAPÍTULO 3
DOCUMENTAÇÃO PARA FAZER EM PORTUGAL

Assim como há uma série de documentos que você precisa


fazer ainda estando no Brasil, também há aqueles que precisarão
ser feitos em solo português. E para te guiar neste
processo listamos algumas destas documentações
e o passo a passo de como fazê-las.

3.1 - O que é e como fazer o NIF?

O Número de Identificação Fiscal (NIF), também chamado


de Número do Contribuinte, nada mais é do que um número de
identificação equivalente ao CPF aqui no Brasil. Este é o primeiro
documento que você precisará fazer ao chegar em Portugal e
também um dos mais importantes, afinal, você precisará dele para
quase tudo.

Quem pode tirar o NIF?

Se você é imigrante e possui dupla nacionalidade ou possui um visto, mesmo


que de turista, você pode (e deve!) retirar o NIF.
Mas como solicito o NIF?

Você tem duas opções: ir até uma Autoridade Tributária Aduaneira ou,
caso queira economizar tempo, se dirigir à alguma Loja do Cidadão. Você
precisará apresentar alguns documentos como passaporte, comprovante
autenticado de residência no Brasil e representante fiscal*1. O custo para este
processo é gratuito, mas caso você deseje emitir também o Cartão de
Contribuinte, será cobrada uma taxa de 6,80€.

Dica: Caso você tenha pressa, em Lisboa e Porto este documento fica
pronto na hora. Caso você tenha o Cartão Cidadão é possível solicitar que o
número do seu NIF seja adicionado a ele.

5 razões pela qual é importante tirar o NIF assim que chegar em


Portugal

1. Você precisará do NIF para abrir uma conta bancária em Portugal.

2. Para alugar ou comprar uma moradia em Portugal, a apresentação do


NIF é indispensável.

3. Você também precisará dele para contratar serviços básicos como


água, internet, luz, telefone e etc.

4. Para que você cadastre-se no Centro de Saúde da sua localidade e


garanta acesso à saúde pública portuguesa, também é necessário apresentar
o NIF.

5. Para que você solicite residência em Portugal, não importa o motivo


(estudos, trabalho, investimento…) é indispensável a apresentação do NIF.

1
* Caso você não tenha um passaporte europeu, é necessário ter um representante fiscal. Este
representante precisará residir legalmente em Portugal, podendo ser tanto Português quanto
estrangeiro com residência permanente.
Resumindo, ao chegar em Portugal não perca tempo e vá logo fazer
este importante documento!

Ficou com dúvidas? Consulte a página do Portal do Cidadão.

3.1 - Transferência de habilitação Brasileira para Portugal

Se você mora ou está pensando em se mudar para Portugal e precisa


de ajuda para transferir a sua CNH brasileira para a Carta de Condução
Portuguesa, você está no lugar certo. Saiba que você só pode dirigir em
Portugal com a sua habilitação brasileira por um período de 185 dias, a partir
da data de carimbo de seu passaporte. Após este período, para que você
possa dirigir legalmente, é necessário que seja feita a transferência.

Etapas para Transferência

Primeiramente, para dar início ao processo, você precisa: Ter o título de


residência de Portugal (ele é feito no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras logo
que você chega ao país), apresentar um comprovante de residência português,
seja um contrato de aluguel, conta de água, luz, etc (pode ser solicitado na
Junta de sua freguesia, e fica pronto em apenas um dia, tendo um custo de
3,60€), possuir a cópia autenticada pelo consulado brasileiro de sua CNH
original, bem como o próprio documento original dentro do prazo de validade,
solicitar ao consulado brasileiro uma declaração para a troca de CNH (esse
documento terá um custo médio de 15€) e um atestado de saúde emitido por
um médico português.

Dica: Tendo o PB4, basta agendar um atendimento médico no Centro de


Saúde de sua região e solicitar um atestado para IMTT (Instituto de Mobilidade e dos
Transportes). O valor da consulta médica é de 5€. Caso você prefira solicitar na
própria autoescola, o valor fica 15€.
Após ter reunido todos os documentos, o último passo é ir até o IMTT e
solicitar a transferência de sua CNH para a carta de condução portuguesa. O
valor desta transferência é de aproximadamente 30€. Depois de realizado o
processo, a sua CNH original retorna ao Brasil e a carta de condução
portuguesa passa a ser seu único documento válido e ativo. Quer uma ótima
notícia, além da facilidade de todo esse processo? Este documento vale até
seus 50 anos de idade!

Prazo de espera

O tempo para que você receba a sua habilitação portuguesa é de em


média 30 dias. Mas não se preocupe, pois eles emitem uma declaração que te
permite dirigir legalmente logo após finalizado este processo.

Custo

O valor total para transferir a sua habilitação sairá, em média, 53,60€.


Este documento te autoriza a dirigir em qualquer país da União Europeia.

Atenção: caso você não transfira sua carteira dentro do prazo, será
submetido a um exame prático de 40 minutos de duração e, claro, pagará por
isso. Caso não seja aprovado, a sua carteira ainda ficará retida e será preciso
tirar uma nova.

3.1 - Como fazer a sua habilitação em Portugal?

Se você vai morar em Portugal e ainda não tem carteira de motorista (ou
perdeu o prazo para transferir) será preciso emitir a Carta de Condução Portuguesa.
Mas fique tranquilo, embora o processo seja um pouco diferente do que conhecemos,
ele é bem simples. O primeiro passo, além de residir legalmente em Portugal, é
solicitar um atestado médico de capacidade física e mental. Após obter este
documento você deve ir até uma Escola de Condução (autoescola) e iniciar o
processo. Ele é composto por 28 aulas teóricas com
duração de 50 minutos cada, exame teórico, 38 aulas práticas, também de 50
minutos cada e, por fim, o exame prático. Feito isso, você terá sua carteira em
mãos.

Diferenças entre Emissão de Habitação no Brasil e Portugal

Uma das maiores diferenças que você vai notar ao iniciar este processo
é o vocabulário. Muitas coisas recebem nomeações completamente diferentes
do que conhecemos aqui no Brasil. Uma dica é pesquisar antes de iniciar o
processo para que você não fique perdido. Outra diferença é a questão das
aulas teóricas… Elas ocorrem todos os dias, durante o dia todo, e você pode ir
quando quiser, sem marcar horário.

Em Portugal, para fazer a prova teórica é necessário ter feito ao menos


metade das aulas práticas, ou seja, você começa a dirigir sem ao menos ter
passado pelo teste teórico!! Depois de aprovado no exame prático você já
pode sair dirigindo, através da autorização que irá receber.

A validade da carta provisória também é diferente. Em Portugal ela tem


duração de 3 anos e durante este período você não poderá cometer nenhuma
infração grave, para assim receber a tão esperada Carta Definitiva.

O tempo de processo também varia. Ele tende a levar, em média, de 3 a


4 meses.

Quanto custa para tirar Habilitação em Portugal?

Não há um preço padrão para este processo, pois ele pode variar de acordo
com a cidade onde você fizer. Porém a média de investimento é de 760€. Seu maior
gasto será com a escola de condução (em média 650€). O
33

A primeira dica é adquirir um carro seminovo, pelo menos de primeiro momento


até você ter certeza da sua vida em Portugal e de suas condições financeiras,
principalmente se você ainda não tem algum emprego fixo. Como os carros em
Portugal desvalorizam restante do valor se distribui entre o exame médico (em
torno de 15€, mas tendo o PB4 e realizando o exame no seu Centro de Saúde,
o valor pode ficar em 5€), o livro de leis (20€), o exame teórico e prático (em
torno de 15€ e 30€, respectivamente) e, por fim, a emissão da carta (em média
30€).

Lembramos que esta é apenas uma média e os valores não são


padrões. Sendo assim, o indicado é que você confira os preços diretamente
com a escola de condução que optar por fazer o processo.

3.1 - Bônus: Quanto custa comprar um carro em Portugal?

Se você já tem permissão para dirigir legalmente em Portugal uma coisa


é certa: em algum momento você irá querer comprar o seu próprio veículo de
transporte. E, pensando nisso, separamos um bônus para falar brevemente
sobre os custos e impostos que você precisará pagar caso opte por adquirir um
veículo.

Uma diferença importante é que em Portugal todos os carros são


completos de fábrica e não há a opção de escolher os itens que você deseja
ou não. Por este motivo o valor é considerado alto por alguns brasileiros.

rápido, é possível que você consiga fazer ótimos negócios por um preço
acessível. Duas dicas de sites para que você encontre o carro que busca, de
acordo com seu orçamento é o OLX e o Stand Virtual.

Caso você queira posteriormente adquirir um veículo 0Km, há as opções


de financiamento, porém alguns lugares dificultam esta forma de adesão para
nós brasileiros, pois acreditam que podemos retornar ao Brasil à qualquer
momento deixando a dívida de lado. Normalmente os lugares que aprovam o
financiamento cobram um valor bem alto de entrada (você também pode dar o
seu carro como entrada, caso tenha). Também há o caminho tradicional, mas
também mais difícil, que é através de um fiador português.

Quanto aos custos, além das parcelas você também precisará se


atentar para o devido pagamento de seus impostos, no caso de Portugal são
dois: o IUC (imposto único de circulação) que é correspondente ao nosso IPVA
e é calculado de acordo com cada tipo de carro e o ISV (imposto sobre
veículo), este último é pago apenas uma vez e geralmente já é incluso no
preço da compra do carro.

Você pode simular o valor do ISV 2018 aqui.

Você também pode conferir a tabelas com os valores do IUC para 2018
aqui. E caso prefira simular o valor, clique aqui.
CAPÍTULO 4
COMO VALIDAR O DIPLOMA EM PORTUGAL?

Se você já possui formação e pretende seguir sua profissão em Portugal,


ou ainda, se deseja estudar (estágio profissional, Erasmus, mestrado ou
doutorado), você precisará fazer o reconhecimento do seu diploma.
Mas aí vem uma grande dúvida e também motivo de muita confusão:
Validar o diploma na Europa, pedir a equivalência ou registrá-lo? Por
essa razão vamos te explicar a diferença entre
cada uma delas e como solicitar.

Validação de Diploma Brasileiro em Portugal

Para que você consiga se matricular em qualquer instituição


portuguesa para dar continuidade ou início aos seus estudos, é
necessário que você valide os diplomas de todos os graus que
possui.

Para fazer este processo no Brasil você precisará que toda a


sua documentação seja reconhecida a partir da Apostila de Haia. O
primeiro passo é procurar um cartório credenciado pelo Conselho
Nacional de Justiça e fazer as autenticações de todos seus
documentos. Toda a apostila que você receberá é impressa de
forma especial com um QR Code2 que será adesivado no verso do documento
original que você apresentou. Geralmente, os únicos documentos que
precisam passar por este processo são o Diploma de Graduação Secundária,
Superior e o Histórico Escolar.

Equivalência do Diploma do Brasil em Portugal

Se você é estudante brasileiro é importante que você saiba que a


equivalência de diplomas em Portugal é feita apenas para graduação. Caso
você tenha mestrado ou doutorado será preciso fazer a Validação do Diploma,
conforme explicado acima.

A equivalência é um processo semelhante ao que você precisa fazer


quando troca de curso ou faculdade. Aqui você precisará validar todas as
matérias cursadas e sua qualificação será comparada com a qualificação
portuguesa, levando em conta o conteúdo, nota e duração. Para fazer este
processo é necessário escolher uma instituição de ensino superior em Portugal
que possua a mesma graduação de seu diploma e buscar informações sobre
como fazer o procedimento, custo e prazo, pois isso varia de acordo com cada
instituição e curso. Caso não haja em Portugal exatamente o mesmo curso do
Brasil. basta procurar um que seja semelhante para dar continuidade ao
processo.

Registro do Diploma

Esse registro é uma forma de reconhecer seu grau acadêmico, caso


você tenha mestrado e doutorado. Esse processo geralmente tem um prazo de
até um mês e é mais fácil e simples de ser feito. Para fazer este registro basta
encaminhar-se à Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), portando todos os

2
QR Code é um código de barras bidimensional que pode ser escaneado pela maioria dos
aparelhos telefônicos que tenham câmeras.
documentos obrigatórios para o processo, também seguindo a Apostila de Haia
para os documentos necessários.

Outro ponto importante é que em Portugal nem todas as profissões


podem ter o reconhecimento solicitado e há casos em que é necessário fazer
uma nova formação ou atualizar a já feita para estar de acordo com o exercício
profissional português, caso você queira exercê-la. Portanto a nossa dica é que
você pesquise sobre sua área de atuação, quer seja formado, esteja cursando
ou pretenda ingressar, e se informe sobre o processo que precisa ser feito na
Universidade que você escolher, para que seja evitado qualquer mal-entendido
e você consiga dar continuidade à suas funções e estudos sem problema
algum.

Documentos

Os documentos que você precisará para este processo são: o seu


diploma brasileiro, grade curricular validada e assinada pela instituição de
ensino brasileira, a descrição da forma de avaliação de seu curso (que deve
ser solicitada junto à instituição de ensino), uma certidão que comprove que
você concluiu o curso (se for o caso) e, para finalizar, uma declaração
devidamente reconhecida pela Secretaria de Educação de seu Estado
explicando a finalidade de seu curso.

Como falamos anteriormente, alguns documentos precisarão ser


reconhecidos a partir da Apostila de Haia, então confira abaixo os valores
atualizados de 2018, para cada estado brasileiro, referente a este processo.

Minas Gerais R$ 25,81

Santa Catarina R$ 34,85

Acre R$ 35,80
Rondônia R$ 36,49

Distrito Federal R$ 37,30

Ceará R$ 42,10

Amazonas R$ 43,20

Piauí R$ 47,19

Rio de Janeiro R$ 49,98

Alagoas R$ 50,00

Rio Grande do Sul R$ 50,32

Espírito Santo R$ 50,86

Amapá R$ 51,30

Bahia R$ 54,24

Tocantins R$ 56,49

Goiás R$ 57,80

Rio Grande do Norte R$ 62,27

Paraíba R$ 62,70

Sergipe R$ 65,08

Pernambuco R$ 77,46

Mato Grosso R$ 78,54

Mato Grosso do Sul R$ 83,70


Maranhão R$ 85,40

Paraná R$ 90,30

São Paulo R$ 107,10

Depois de realizar este processo, seus documentos serão reconhecidos


tanto no Brasil quanto em Portugal e ficarão disponíveis para consultas, de
forma rápida e fácil.

Para consultar os cartórios que estão aptos a fazer este serviço aqui no
Brasil, clique aqui.

Atenção: A Apostila de Haia não tem prazo de validade, mas também


não prorroga a validade dos documentos apostilados. O processo é feito na
hora, caso não seja solicitado nenhuma tradução.

4.1 - Diferença entre reconhecimento acadêmico e


profissional

Muitas pessoas confundem a validação acadêmica com o


reconhecimento profissional, porém são duas coisas diferentes. E para que
você não se confunda, vamos te explicar direitinho a diferença entre cada um.

Reconhecimento profissional

É solicitado quando a sua profissão precisa de reconhecimento para ser


exercida em terras portuguesas. É uma autorização, por parte da autoridade
responsável, de que você tem competência para exercer a função, por
exemplo, se você é médico, a ordem dos médicos precisará lhe conceder este
reconhecimento. Para que você consiga solicitá-lo é necessário estar morando
no país ou ter visto de trabalho e fazer a equivalência do seu diploma.

Reconhecimento acadêmico

Já o reconhecimento acadêmico é a equivalência do seu diploma em


Portugal. Ele também é um pré-requisito para solicitar seu reconhecimento
profissional. Neste caso você precisará ter seus graus (notas) e diploma
reconhecidos. Este processo serve para pessoas que tem como objetivo ir
estudar em Portugal. Além disso, você também poderá se inscrever em
processos de concursos portugueses.

Profissões que não precisam de Validação de Diploma

Assim como há profissões que não aceitam reconhecimento em


Portugal, há outras em que ele nem sequer é necessário, quer seja para
estudar ou trabalhar. Se você é da área de comunicação, administração ou
alguma outra área que não varie muito de país para país, você não precisará
fazer este processo. Portanto a nossa dica é que você sempre pesquise sua
área de atuação, para entender como funciona e qual processo precisa ser
feito.

Ficou com alguma dúvida referente à equivalência, reconhecimento e


registro de seus diplomas? Então acesse aqui
CAPÍTULO 5
COMO MORAR LEGALMENTE EM PORTUGAL

Quando você está pensando em ir morar em algum outro país, o ideal é


buscar meios de já fazer esta mudança legalmente e garantir que você estará
em dia com as regras e leis do país de destino. Em Portugal há diversos tipos
de vistos que podem ser retirados, e o mais indicado é que sejam solicitados
quando você ainda estiver no Brasil.

Para Portugal há um total de 15 vistos que podem ser solicitados,


incluindo o Visto Gold3, que foi criado em 2012 e permite que você
trabalhe, viva e circule livremente pela maior parte dos países europeus.
Este visto pode ser solicitado por pessoas de qualquer
nacionalidade, exceto europeia, através de
investimentos no país (compra de um imóvel, aplicação
financeira superior à um milhão de euros, abertura de
empresa que conceda mais de 10 postos de trabalho, entre
outros).

Os outros 14 tipos de vistos são divididos entre Estada


Permanente (7 tipos), que são vistos de longa duração e de estada
temporária (7 tipos).

3
Muitas pessoas se confundem quando o assunto é o Visto Gold, pois acreditam que com ele
terão direito à Cidadania Portuguesa, mas isto não é verdade. A cidadania até pode ser
concedida para você ou não, após 5 anos da data de obtenção deste documento.
5.1 Diferentes Tipos de Vistos e como obtê-los

Como dito anteriormente, além do Visto Gold que já foi falado, há mais
outros 14 tipos de vistos que você pode solicitar em Portugal.

Confira abaixo os 7 vistos de Estada Permanente e como obtê-los.

D1 - Visto de Residência para Exercício de Atividade Profissional


Subordinada

Este visto é um dos mais utilizados por brasileiros e pode ser solicitado
caso você vá para Portugal já com uma promessa ou contrato de trabalho. Ele
pode ser solicitado quando você ainda estiver no Brasil, mas muitos brasileiros
acabam indo para Portugal como turistas e solicitando este visto diretamente
lá, pois acaba sendo mais fácil.

Para solicitar este visto você precisa apresentar o seu Contrato de


Trabalho ao Consulado português (tanto no Brasil quanto em Portugal) e uma
declaração do Instituto do Emprego e Formação Profissional, comprovando
que não há profissional para a vaga no país (essa declaração será fornecida
pela própria empresa que irá lhe contratar).

Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D1.

D2 - Visto de Residência para Exercício de Atividade Profissional


Independente e para Imigrantes Empreendedores

Esse visto é destinado para quem busca empreender. É onde muitos


brasileiros têm encontrado a oportunidade de chegarem à Portugal já legalizados.
Para solicitá-lo é preciso abrir uma empresa em Portugal. Este processo pode ser feito
por qualquer pessoa! Após abrir a empresa, será
necessário um depósito de 5.000,00 €. Esse investimento não será perdido e
você poderá usá-lo para arcar com suas despesas (aluguel, água, luz e etc).

O pedido deste visto é realizado juntamente ao Consulado Português


(tanto no Brasil quanto em Portugal). Mas preste atenção, pois o procedimento
varia de acordo com o país onde você fará:

No Brasil você precisará da Declaração que investiu ou pretende investir


em Portugal (indicando onde será investido, valor e duração do investimento),
também será preciso comprovar que você possui condições de fazer este
investimento (ou comprovante, caso já tenha feito), o formulário de
requerimento, passaporte, foto 3x4, PB4, certificado de Registro Criminal,
comprovação de hospedagem e de meios financeiros para se manter em
Portugal. Este processo pode durar até 60 dias.

Agora, caso você solicite o visto D2 já estando em Portugal, o processo


é bem mais fácil, rápido e menos burocrático e você precisará apenas do seu
Cartão de Contribuinte de Portugal (ou passaporte, caso não possua o cartão),
abrir uma conta bancária empresarial (custa 360€), Pacto Social (semelhante
ao nosso Contrato Social), código de acesso ao cartão eletrônico e número de
segurança social da empresa (estes 3 documentos serão feitos no momento do
atendimento), indicar um contador (você tem até 15 dias) e, por fim, fazer o
depósito da quantia citada acima.

Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D2.

D3 - Visto de Residência para Atividade de Investigação ou Altamente


Qualificada

O visto D3 é uma opção para estudantes de doutorado ou para quem


trabalhe com alguma profissão altamente qualificada. Se for o seu caso, você
pode obter mais informações com o Consulado Português mais próximo ou
entrando em contato no site da Embaixada de Portugal, ou ainda pelos
contatos: embaixadadeportugal@embaixadadeportugal.org.br e (61) 3032
9600.
Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D3.

D4 - Visto de Residência para Estudo, Intercâmbio de Estudantes,


Estágio Profissional ou Voluntariado

Este visto é destinado para estudantes de Ensino Superior, estágios ou


trabalho voluntário (período superior a 1 ano). Vamos falar mais sobre este
item no capítulo dedicado à como estudar em Portugal.

Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D4.

D5 - Visto de Residência no Âmbito da Mobilidade dos Estudantes do


Ensino Superior

Este visto pode ser solicitado por pessoas que querem completar
estudos que já foram iniciados, como em casos de intercâmbio.

Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D5.

D6 - Visto de Residência para Efeitos de Reagrupamento Familiar

Este é um dos vistos que têm menos emissão aqui no Brasil, pois as pessoas
normalmente preferem solicitar o reagrupamento familiar quando já se encontram em
terras portuguesas. O reagrupamento familiar só pode ser solicitadas para familiares de
1º grau. Neste caso, pais podem reagrupar filhos até os 18 anos (é necessário que seja
comprovado o valor de 30% do salário mínimo português, por filho); filhos podem
reagrupar pais até os 65 anos (necessário comprovar rendimento de 7.000 euros por
ano) e, por fim, cônjuge também pode reagrupar cônjuge, desde que seja comprado o
casamento ou a união estável.
Para solicitar este reagrupamento você precisará de um requerimento
impresso, que pode ser encontrado no site da SEF e também precisará,
através do seu extrato bancário, comprovar que você tem as condições
financeiras exigidas, além do comprovante de residência.

Você precisará apresentar os seus seguintes documentos:

● Passaporte;
● Visto ou autorização de Residência;
● Atestado de Antecedentes Criminais carimbado pelo Consulado
Brasileiro;
● Certidão de Nascimento;
● Autorizar o SEF a consultar seu nome no Sistema Criminal
Português;
● Extrato que comprove meios de subsistência;
● Condição de alojamento.

Se você for reagrupar seu filho, precisará apresentar o passaporte dele,


certidão de nascimento, foto 3x4, atestado de antecedentes criminais,
autorização do SEF para consulta no sistema criminal, cópia da guarda do seu
filho reconhecida pelo governo português (caso seu filho seja menor de idade,
também é necessário apresentar a autorização do outro progenitor, com firma
reconhecida) e, por fim, comprovar matrícula em uma unidade de ensino, no
caso de filhos maiores de idade e solteiro.

Se você for reagrupar o cônjuge é necessário que seja apresentado:


passaporte, certidão de casamento ou união estável, atestado de antecedentes
criminais e, por fim, uma foto 3x4.

Se o reagrupamento for para pai ou mãe, você precisará de: passaporte, caso tenha
idade inferior a 65 anos você precisará comprovar que tem condições financeiras de
arcar com as despesas dele, foto 3x4 (em alguns locais é tirada na hora) e autorização
ao SEF para consultar o sistema criminal português.
Uma dica importante é que estes documentos são de cunho geral e
podem sofrer algumas alterações dependendo do local onde você irá solicitar.
Portanto é indicado que você entre em contato com o SEF onde você realizará
a solicitação e se informe de maneira correta quanto à documentação exigida.

Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D6.

D7 - Visto de Residência para Aposentados ou Titulares de


Rendimentos

Este visto é destinado para pessoas que já encerraram seu período de


contribuição e estão aposentadas ou são titulares de rendimentos, como
pensões, aluguéis, investimentos, e outros…). O custo e o prazo para retirar
este visto são de até 200€, caso você faça por conta própria, e demora, em
média, de 30 a 60 dias.

Caso você consiga retirar este visto, é possível levar seu cônjuge, filhos
até 18 anos (caso sejam maiores de idade é necessário outro visto, como de
estudo, por exemplo) e pais com 65 anos ou mais. Lembrando que este visto
não concede permissão para trabalhar, mas não te impede de abrir uma
empresa futuramente ou solicitar uma permissão de trabalho.

Para solicitar este visto você precisará dos seguintes documentos:


Passaporte original e cópia autenticada, comprovante de renda brasileira (no
caso de aposentados, o comprovante de aposentadoria e no caso de
rendimentos, o comprovante referente ao montante), documento que comprove
que estes benefícios (aposentadoria ou demais rendimentos) foram
transferidos para Portugal, comprovante de residência em Portugal, registro
criminal fornecido pela Receita Federal (com assinatura reconhecida em
cartório e carimbada pelo Itamarati), formulário autorizando que o consulado
acesse seu registro criminal português, atestado médico, PB4, foto 3x4,
pagamento da taxa aplicável e formulário de pedido de visto devidamente
preenchido e assinado.

Documentos que podem ser solicitados: Se casado, cópia autenticada da


certidão de casamento e se tiver filhos menores, cópias autenticadas das certidões de
nascimento.
Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D7.

Caso você tenha alguma dúvida e queira consultar mais informações,


assim como a documentação completa para a emissão de cada um dos vistos
citados acima, basta clicar aqui ou no site do Consulado mais próximo de
você.

Confira agora os 7 vistos de Estada Temporária, ou seja, os vistos com


duração curta, menor de 1 ano:

E1 - Visto de Estada Temporária para Tratamento Médico

Estes vistos são destinados para pessoas que vão até Portugal fazer
algum tratamento de saúde em instituições oficiais de saúde.

E2 - Visto de Estada Temporária para Transferência de Cidadãos


nacionais/OMC (prestação de serviços ou formação profissional)

Este visto é para cidadãos nacionais da Organização Mundial do


Comércio que se dirigem até Portugal para prestar algum serviço ou formação
profissional.

E3 - Visto de Estada Temporária para exercício de Atividade profissional


subordinada ou independente temporária)

Este visto é para pessoas que vão para Portugal trabalhar


temporariamente, sem ultrapassar o período de 6 meses.
Saiba mais sobre a lei correspondente ao visto D7.

Caso você tenha alguma dúvida e queira consultar mais informações,


assim como a documentação completa para a emissão de cada um dos vistos
citados acima, basta clicar aqui ou no site do Consulado mais próximo de
você.

Confira agora os 7 vistos de Estada Temporária, ou seja, os vistos com


duração curta, menor de 1 ano:

E1 - Visto de Estada Temporária para Tratamento Médico

Estes vistos são destinados para pessoas que vão até Portugal fazer
algum tratamento de saúde em instituições oficiais de saúde.

E2 - Visto de Estada Temporária para Transferência de Cidadãos


nacionais/OMC (prestação de serviços ou formação profissional)

Este visto é para cidadãos nacionais da Organização Mundial do


Comércio que se dirigem até Portugal para prestar algum serviço ou formação
profissional.

E3 - Visto de Estada Temporária para exercício de Atividade profissional


subordinada ou independente temporária)

Este visto é para pessoas que vão para Portugal trabalhar


temporariamente, sem ultrapassar o período de 6 meses.
E4 - Visto de Estada temporária para exercício de Atividade de
Investigação ou Altamente Qualificada

Este visto é muito semelhante ao visto de Residência para Atividade de


Investigação ou Altamente Qualificada (D3), porém ele tem validade inferior a 1
ano.

E5 - Visto de Estada Temporária para o exercício de Atividade


Desportiva Amadora

Este visto é para pessoas que vão à Portugal praticar algum esporte,
durante uma temporada. Essa atividade, porém, precisa ser certificada pela
Federação e o clube pelo qual você irá realizar as atividades precisa se
responsabilizar pela sua hospedagem e saúde.

E6 - Visto de Estada temporária para Cumprimento de Compromissos


Internacionais e Estudo

Este visto serve para permanências em território português para


períodos maiores do que 3 meses, com a finalidade de programas de estudos
como intercâmbios, estágios profissionais não remunerados ou voluntário.
Também pode ser solicitado em casos de compromissos internacionais,
convenções ou relacionado à acordos entre países para a finalidade de
prestações de serviços.

E7 - Visto de Estada Temporária para Acompanhamento de Familiar em


tratamento

Conforme o próprio nome já diz, ele serve para pessoas que precisarão
acompanhar um familiar em algum tipo de tratamento.

Para acessar a lei sobre os 7 vistos citados acima, basta clicar aqui.
5.1 Como entrar em Portugal como turista e legalizar-se

Para entrar em Portugal como turista nós brasileiros não precisamos de


muito, inclusive o próprio visto não é necessário. E devido à essa facilidade é
que muitos brasileiros acabam indo e se instalando ilegalmente no país.

Validade do Passaporte

Para conseguir entrar em Portugal como turista é preciso ter um


passaporte com validade superior à três meses à partir da data de embarque.
Caso você pretenda solicitar ao SEF a prorrogação de seu visto por mais 3
meses, a validade do seu passaporte precisa ser igual ou superior ao tempo
que você ficará no país. Outro ponto importante é que você esteja em dia com
a justiça brasileira, o que você precisará comprovar.

Dinheiro

Será necessário comprovar que você tem condições de se manter no


país. No caso, até 2018, o valor mínimo para comprovação é de 40€ diários
(por pessoa). Além deste valor, você também precisa ter 75€ para entrar em
território nacional (atenção: esse valor precisa ser comprovado cada vez que
você entra ou sai de Portugal).

Saúde

Você também precisa ter o PB4 (explicamos como tirá-lo, lembra?).


Para ficar em solo português é necessário que você tenha a segurança de que,
caso você precise de atendimento médico, você terá este suporte. E é isso que
o PB4 te garante.
Passagem e Hospedagem

Turistas precisam apresentar a passagem de ida e volta (ou seja, que


tem data e meios para retornar ao país de origem) e também comprovar que,
durante o tempo em que ficará no país terá onde se abrigar, seja hospedagem
particular ou familiar. Caso você vá se hospedar na casa de um amigo ou
parente seu, é necessário que seja feita a Carta Convite (falamos sobre isso no
capítulo 3).

Como consigo me legalizar?

Se você for para Portugal como turista e procura formas de se legalizar,


saiba que há apenas duas maneiras e uma delas é conseguindo uma
oportunidade de emprego! Pois através deste contrato você começa a
contribuir com a segurança social e após um período mínimo de 5 meses
contribuindo você pode dirigir-se até o SEF e demonstrar o interesse em retirar
seu título de residência portuguesa. Passado um tempo o próprio SEF entrará
em contato com você para agendar uma data e um horário para realizar uma
entrevista.

Atenção: Esse prazo de espera normalmente passa de um ano, portanto


é importante ter em mente que, durante todo este período, você estará vivendo
ilegalmente em Portugal. Também esteja preparado, pois nem todo brasileiro
consegue se legalizar indo como turista.

A outra forma de você conseguir ir como turista e legalizar-se é através


do visto D2 e para isso você precisará abrir uma empresa e fazer a solicitação
do visto.

5.1 - Viver ilegalmente em Portugal?

Viver ilegalmente em Portugal é um assunto muito comentado, afinal, grande


parte dos brasileiros acabam indo como turista e ficam vivendo ilegais no país. Há
quem vá desta forma e consiga trabalho ou legalize-se posteriormente, porém é algo
complicado, difícil e sem garantia. O preconceito para contratação de brasileiros, ainda
mais quando ilegais, é bem grande.
“Muitos empregadores portugueses acreditam que, ao contratar mão de obra
brasileira está tirando a oportunidade de seus conterrâneos”, é o que relatou
Felipe Luis, de 35 anos, que foi tentar a vida em Portugal e ainda não se
encontra legalizado.

Mas sendo direto, a questão é que, embora não seja indicado, é sim
possível que você viva em Portugal mesmo sem estar legalizado. Porém é um
risco que você vai correr, isso porque moradores ilegais tem uma série de
direitos negados, veja abaixo.

5.1 - Direitos de moradores ilegais x moradores legalizados

Deportação e Exploração

Além de viver com o medo de poder ser deportado, você também estará
suscetível à ser explorado, pois como não terá as documentações necessárias
para que grandes empresas lhe contratem, será preciso aceitar as
oportunidades que vierem, podendo resultar em salários baixíssimos e
jornadas de trabalho elevadas.

Saúde

Há quem diga que imigrantes ilegais não tem direito nenhum em


Portugal quando o assunto é saúde, mas não é verdade. Em Portugal a saúde
é um direito de todos, desde que você tenha o PB4. Portanto, assim que
chegar em Portugal é importante que você solicite este documento, pois caso
seu visto vença não conseguirá fazê-lo.

Viagem

Na Europa é tudo muito lindo e muito próximo, sem contar que você
pode encontrar passagens aéreas por preços baixíssimos para outros países.
Imagine poder viajar por apenas 1 euro (sim, há promoções de passagens por
este valor), aí você fica animado e já pensa em arrumar as malas… E lembra
que você está ilegal no país! Nesse caso você não conseguirá passar pela
fronteira e ficará preso, sendo mandado de volta ao Brasil.

Finanças

Você só poderá abrir uma conta bancária enquanto estiver no país


legalmente. Caso tenha feito neste período, você terá uma conta normalmente,
só não conseguirá atualizá-la. Mas, caso você não tenha feito dentro do
período de validade do seu visto, você não conseguirá mais fazê-la.

Cursos

Se você deseja fazer algum curso que não seja em uma instituição
particular, você não conseguirá estando ilegal.

Escola

Um ponto que demonstra como Portugal valoriza a educação é que, se


você tiver um filho (ou pessoa menor de idade), você consegue, mesmo que
sua situação no país seja ilegal, matriculá-lo na escola. Isso porque em
Portugal qualquer criança tem direito à educação, não importa a situação em
que esteja.

Por fim, vale ou não a pena estar ilegal em Portugal?

Mesmo que Portugal seja o país dos sonhos para você, onde você
espera buscar a realização profissional, uma qualidade de vida melhor, melhor
acesso à saúde e educação… Uma coisa é certa, viver ilegal em Portugal não
é nada legal. Portanto, antes de ir viajar, estude, se planeje e busque uma forma de ir
para o país já legalizado, para evitar eventuais problemas que possam surgir e, claro,
boa viagem.
CAPÍTULO 6
ALUGUEL, TRANSPORTE E MERCADO DE TRABALHO

6.1 - Tipos de Imóveis em Portuga

Se você está indo para Portugal e pretende alugar um apartamento, é


necessário que você conheça as tipologias que existem para que você não
fique perdido e saiba alugar o apartamento de acordo com o que você precisa.

Para que você entenda:

T0 são apartamentos sem quarto separado, o que conhecemos como


kitnet aqui no Brasil, com o quarto junto da sala;

T1 são apartamentos com um quarto;

T2 são apartamentos que possuem dois quartos;

T3 são apartamentos de três quartos e daí por


diante...

Como você pode ver, a letra “T” identifica


quantos quartos há no imóvel. Além disso, você
também precisará levar em consideração alguns
pontos, como: você procura algo mobiliado ou não?
quanto você quer pagar? onde você deseja morar?, entre outros.

Agora que você já conhece as classificações vamos te mostrar como


alugar um imóvel em Portugal.

6.1 - Como alugar um imóvel

Depois de definir o tipo de imóvel que você busca e onde deseja morar,
há alguns passos que você precisa seguir para conseguir alugar o seu
cantinho e tudo depende da situação em que você se encontra. Por exemplo,
se você já está legalizado é possível alugar diretamente com a imobiliária, mas
caso esteja chegando no país e ainda não esteja com a situação legalizada e
não possua todos os documentos necessários, você certamente precisará
tentar alugar diretamente com o proprietário. A parte ruim é que, caso você
alugue diretamente com o proprietário são pedidas cauções de 1, 2 ou 3
meses (varia de acordo com cada proprietário). Por essa razão uma dica que
lhe damos é que você vá com a quantia necessárias para pagar no mínimo 6
aluguéis adiantados, por garantia.

Caso você seja estudante o processo é um pouco mais fácil. Uma dica é
participar de grupos no Facebook onde outros estudantes anunciam quartos
para dividir, com um preço muito acessível e com as despesas básicas já
inclusas (água, internet, luz, gás…).

Mas vamos direto ao ponto: o que você precisa para alugar um


apartamento em Portugal, quer seja com a imobiliária ou diretamente com
proprietário, é: documento de identificação, contrato de trabalho ou algo que
comprove sua condição financeira, NIF, quantia necessária para pagar alguns
meses adiantados (se necessário) e, dependendo do caso, também é preciso
apresentar um fiador ou, na ausência deste, uma quantia maior de garantia.
Valor dos aluguéis

Pesquisamos e trouxemos para você a média dos valores de aluguéis


nas principais cidades portuguesas, de acordo com os valores de mercado do
ano anterior

Lisboa

Por se tratar da capital do país é comum que os preços realmente sejam


mais elevados. Um apartamento T1 (de um quarto) em Lisboa, custa por mês,
em média 650€, T2 850€ e T3 e T4 em diante 1.000€, podendo ultrapassar
2.000€ dependo da localidade. Uma dica é que você procure regiões próximas
da capital onde o aluguel costuma ser bem mais barato.

Coimbra

Coimbra fica em média 2 horas de distância da capital e os valores dos


imóveis são bem diferentes. Você consegue alugar um T1 por 300€, T2 por
450€ e T3 em diante por, em média, 550€.

Braga

Braga fica ao norte de Portugal e lá você consegue alugar um T1 por,


em média, 290€, T2 por 400€ e T3 em diante em torno de 550€.

Cascais
Nesta cidade os preços também são elevados. Um apartamento de 3 quartos ou mais
pode chegar a custar 4.000€. Você pode conseguir apartamentos de dois quartos por 850€ e
de um quarto por 650€.

Porto

Porto é a segunda maior cidade de Portugal e os preços para alugar um


apartamento T1, T2 e T3 é, em média, 500€, 700€ e 900€, respectivamente.

Faro

Conhecida por suas lindas praias, Faro não possui um valor muito
elevado para aluguel e é uma boa opção de destino. Você conseguirá alugar
um apartamento de 1 quarto em Faro por um valor médio de 400€. Já T2 e T3
por 500€ e 800€ mensais.

Importante: Estes são valores estimados e os mesmos poderão ter


variações de acordo com alguns fatores, como localidade, estado de
conservação do imóvel, se é mobiliado ou não, etc.

Demais custos

Além do custo com aluguel, que será seu maior gasto mensal, você
também precisará se planejar para pagar água, luz, gás, internet, transporte,
pacotes de tv, alimentação, saúde e demais gastos. Estes valores variam de
acordo com o local onde você irá viver, número de pessoas que viverão com
você e, claro, seu consumo mensal.

6.1 - Dificuldades para alugar apartamento em Portugal


Demora no atendimento

Aqui no Brasil nós somos acostumados a ter um retorno muito rápido


quando o assunto é alugar ou comprar imóveis. Já em Portugal o atendimento
é muito demorado por parte dos corretores.

Animais

Em Portugal muitos imóveis não aceitam animais, isso significaria que


você teria que deixar seu amiguinho e ir viver “sozinho”.

Somos brasileiros

Não querendo generalizar, mas existe sim um certo tipo de preconceito


quando o assunto é estrangeiro e é visível que muitos ficam com o pé atrás
quando o assunto é alugar imóvel para brasileiros. Neste caso eles cobram um
valor alto de caução, que serve de segurança para eles. Isso quando eles já
não negam na hora, por você ser brasileiro.

Documentação

Normalmente, para que nós brasileiros consigamos alugar um imóvel


são solicitados vários documentos. E se você estiver no país como turista, é
possível que não possua alguns deles, o que acaba dificultando o processo.

Golpes
Outro ponto que é preciso ter muito cuidado são com os golpes que são
dados na internet. Quando você encontrar algo muito barato, onde rapidamente
lhe enviem um link para pagamento, para garantir o aluguel: desconfie!
Provavelmente é golpe.

6.1 - Transporte Público em Portugal

Assim como vários outros países da Europa, Portugal também possui


uma ótima rede pública de transportes, que permite a locomoção pelas cidades
com facilidade. Lá você poderá se locomover por metrô, bondes, ônibus e até
mesmo barcos.

Trem

Em Portugal você dificilmente irá escutar alguém falar “trem”, isso


porque lá eles são chamados de comboios. Este é um dos meios mais
utilizados no país devido à rapidez e flexibilidade. Se você optar por usar este
meio de condução, você terá três opções: trens urbanos (para viagens curtas),
intercidades (de uma cidade à outra), regional (de uma região à outra) e o
alfapendular, também conhecido como trem rápido por viajar à 220 km/h.

Aqui você consegue consultar tarifas e horários, de acordo com o


destino que você busca.

Metro

O Metro em Portugal (metro e não metrô) conta com cerca de 50 linhas. Utilizar
este meio de transporte é bem simples. Mas fica a dica para que você tenha em mãos
um mapa, pelo menos até se acostumar.
Bondes

Também conhecidos como “Eléctricos”, os bondes que antes cobriam


uma extensa parte, atualmente tem apenas 5 linhas em operação e é mais
utilizado no turismo.

Ônibus

Em Portugal você encontrará diferentes tipos de serviços de ônibus (que


lá são chamados de autocarros) tanto público, quanto privado. Há 3 tipos de
ônibus que você poderá pegar em Portugal, são eles: urbanos (que são os
transportes feitos dentro das cidades), interurbanos (entre uma cidade e outra)
e regionais (entre regiões). Embora seja um meio de transporte que funcione
muito bem em Portugal, ele é um ponto de descontentamento entre muitos
portugueses em razão de atrasos e falhas.

6.1 - Mercado de trabalho: Como conseguir emprego em


Portugal?

Se inserir no mercado de trabalho é um dos grandes desafios de muitos


brasileiros que vão a Portugal. O mercado realmente é um pouco mais fechado
para nós, principalmente se não estivermos legalizados, porém há vagas
disponíveis por todo o país.

Como encontrar emprego em Portugal?

É possível que você consiga alguma oportunidade mesmo ainda estando no


Brasil, mas o ideal é que você já se encontre em solo português
para que você consiga fazer entrevistas e procedimentos necessários, no caso
da empresa não realizar este procedimento online. O que indicamos é que
você já comece a pesquisar as vagas mesmo antes de ir viajar.

Salários

O salário mínimo em Portugal sofreu um reajuste em 2017 e atualmente


é de 580€. Normalmente profissões que não exijam ensino superior tem como
base este salário, já cargos que tenham ensino superior como exigência o
salário normalmente ultrapassa os 1.000€. Bastante diferença, não?

Como encontrar oportunidades de trabalho em Portugal?

A primeira dica é que você invista no seu currículo e seja bem claro e
objetivo! Também é uma grande diferença ter experiência em sua área, pois
em Portugal eles prezam muito por isso. Outro grande diferencial é ter o
domínio da língua inglesa, que costuma ser uma característica fundamental
para que você consiga se inserir no mercado de trabalho português. Outro
ponto importante é estar no país de forma legal. Lembrando que, com o visto
de turista você não possui liberação perante a lei para trabalhar.

Como você estará em outro país o ideal é que você pesquise muito, estude e
conheça tudo sobre Portugal, até para saber se vale mesmo a pena a mudança.
Conheça seus objetivos, saiba o que esperar do país e esteja atualizado quanto ao
custo de vida, mercado de trabalho e oportunidades de estudos.
para que você consiga fazer entrevistas e procedimentos necessários, no caso
da empresa não realizar este procedimento online. O que indicamos é que
você já comece a pesquisar as vagas mesmo antes de ir viajar.

Salários

O salário mínimo em Portugal sofreu um reajuste em 2017 e atualmente


é de 580€. Normalmente profissões que não exijam ensino superior tem como
base este salário, já cargos que tenham ensino superior como exigência o
salário normalmente ultrapassa os 1.000€. Bastante diferença, não?

Como encontrar oportunidades de trabalho em Portugal?

A primeira dica é que você invista no seu currículo e seja bem claro e
objetivo! Também é uma grande diferença ter experiência em sua área, pois
em Portugal eles prezam muito por isso. Outro grande diferencial é ter o
domínio da língua inglesa, que costuma ser uma característica fundamental
para que você consiga se inserir no mercado de trabalho português. Outro
ponto importante é estar no país de forma legal. Lembrando que, com o visto
de turista você não possui liberação perante a lei para trabalhar.

Como você estará em outro país o ideal é que você pesquise muito,
estude e conheça tudo sobre Portugal, até para saber se vale mesmo a pena a
mudança. Conheça seus objetivos, saiba o que esperar do país e esteja
atualizado quanto ao custo de vida, mercado de trabalho e oportunidades de
estudos.

6.1 - O que esperar do mercado de trabalho português em


2018?
A realidade de Portugal para 2018 é bem diferente da brasileira, que
ainda se encontra em crise. Neste ano o país registrou uma das menores taxas
de desemprego desde 2008.

Se você trabalha na área de tecnologia saiba que esta é uma das áreas
que mais estão gerando emprego. Portugal também é muito carente no que diz
respeito à mão de obra, como indústria metalúrgica, que precisa de milhares de
trabalhadores e não encontra profissionais no país.

A estimativa para este ano é que 4 em cada 10 empresas iniciem novas


contratações. Também é estimado que pequenas e médias empresas criem
mais de 70 mil oportunidades de emprego no país.

Confira abaixo a lista dos melhores sites de emprego em Portugal:

● Net Empregos
● It Jobs
● Alerta Emprego
● Carga de Trabalhos
● Indeed
● Neuvoo
● Trabalho Certo
● CarrerJET
● Sapo
● Indústria Criativa
● Bolsa de Emprego Público
● Emprego XL
● IT Jobs
● Turijobs - Para Vagas em Turismo e Hotelaria

O Linkedin também funciona muito bem na Europa!

Se você quer saber quanto pode ganhar em Portugal de acordo com a sua
área e experiência, clique aqui.
6.1 TOP 10: Profissões mais procuradas em Portugal

Segundo o estudo realizado pela Consultora Hays, especializada em


recrutamentos, as áreas mais procurados no mercado português são:
Comerciais, Engenheiros, Tecnologias da Informação, Marketing e
Comunicação, Administrativos/Suporte, Financeiros, Logística/Suply Chain,
Apoio ao Cliente/Contact Center, Consultores e Recursos Humanos/Payroll.

É importante que você fique atento e pesquise a sua área de interesse,


pois estes números variam de acordo com cada região de Portugal. No Norte,
por exemplo, é grande a procura por profissionais de TI, no Centro, os
profissionais mais procurados são da área da engenharia, já no sul do país
profissionais da área de comunicação e marketing superam a procura por
engenheiros.

Profissões mais procuradas para Regime Temporário

Se você está à procura de vagas temporárias, as mais procuradas são: Auxiliar


de Produção, Operador de Armazém e Assistente de Loja.
CAPÍTULO 7 - EDUCAÇÃO

A qualidade de ensino é um dos grandes atrativos do país,


especialmente para nós brasileiros. Se este é seu caso e você deseja saber
como estudar em Portugal, matricular seus filhos, custos e como funciona toda
a estrutura de ensino, então preste atenção neste capítulo que terá tudo que
você precisa saber sobre o assunto.

7.1 - Estrutura do ensino

Em Portugal, assim como no Brasil, você pode ter


acesso à educação pública (mais utilizada) e também privada. A
estrutura do ensino é dividida em três partes: Pré-escolar (não
obrigatório), Ensino Básico e Ensino Secundário,
além do Ensino Superior, mestrado e doutorado.
Se você quer descobrir como funcionam estas
estruturas, continue a leitura.

Fase Pré-Escolar

Esta é uma fase não obrigatória, equivalente ao que conhecemos como


creche aqui no Brasil, onde cabe aos pais decidirem se a criança fará ou não. A
fase pré-escolar é voltada para criança de 0 a 5 anos.
Inscrições: é importante ficar atento à data das inscrições para que seu
filho não fique de fora, caso tenha interesse em matriculá-lo. É interessante
sempre confirmar as datas diretamente com a instituição de ensino, mas
normalmente elas ocorrem entre os dias 15 de abril e 15 de junho.

Ensino Básico

O Ensino Básico em Portugal é equivalente ao Ensino Fundamental aqui


no Brasil. Esta fase é dividida em ciclos: o primeiro ciclo é do 1º ao 4º ano
(duração de 4 anos), o segundo ciclo é do 5º ao 6º ano (duração de 2 anos) e o
terceiro e último ciclo é o 7º e 9º ano (duração de 3 anos). Esta fase é voltada
para crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos de idade.

Para conhecer a matriz curricular de cada um dos ciclos citados acima


você pode consultar este site.

Ensino Secundário

O Ensino Secundário é equivalente ao Ensino Médio no Brasil e também


possui a duração de 3 anos. Como esta fase antecede a faculdade, o
estudante já começa a escolher a área que deseja seguir e se especializar. A
idade média dos alunos nesta fase é de 15 e 18 anos.

As datas de inscrição para o Ensino Secundário normalmente variam de


acordo com cada instituição, por isso é interessante que você entre em contato
com a escola escolhida solicitando a informação.

Para saber mais sobre o Ensino Secundário em Portugal, clique aqui.

Além da fase Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário, ainda há


o Ensino Superior, que iremos tratar logo em seguida.

Informações: o ano letivo em Portugal inicia em setembro e termina ao


final do mês de junho do ano seguinte. As férias acontecem em julho, agosto e
início de setembro, mas as datas podem sofrer alterações de acordo com o
ano letivo.

7.1 - Como matricular seus filhos na escola: Ensino básico e


secundário

Há quem sem mude para Portugal sozinho e não precisa ter a


preocupação com a educação dos filhos. Se este não é o seu caso e esta
preocupação faz parte da sua mudança, continue a leitura que vamos lhe
mostrar o passo a passo para fazer a matrícula de seu filho. A boa notícia é
que, mesmo que você não tenha sua situação legalizada no país, seus filhos
poderão estudar normalmente. Isso porque em Portugal a educação é para
todos.

Como inscrever seus filhos na escola

Para que você consiga realizar a inscrição de seus filhos será preciso
uma série de documentos como o preenchimento da matrícula com foto,
passaporte da criança, histórico escolar, documento de identificação, número
do utente (que será feito no Centro de Saúde de seu bairro), carteira de
vacinação, entre outros. Você também precisará comprovar sua residência e
ter o NIF e demais documentos de identificação em mãos. Neste caso o
indicado é entrar em contato com a instituição para confirmar a lista de
documentos, que podem sofrer alteração.

As matrículas acontecem anualmente entre os meses de abril e junho para o


período pré-escolar e de ensino básico. Caso sua data de chegada ao país seja após
este período, vá até um Agrupamento Escolar assim que chegar e verifique suas
opções.
início de setembro, mas as datas podem sofrer alterações de acordo com o
ano letivo.

7.1 - Como matricular seus filhos na escola: Ensino básico e


secundário

Há quem sem mude para Portugal sozinho e não precisa ter a


preocupação com a educação dos filhos. Se este não é o seu caso e esta
preocupação faz parte da sua mudança, continue a leitura que vamos lhe
mostrar o passo a passo para fazer a matrícula de seu filho. A boa notícia é
que, mesmo que você não tenha sua situação legalizada no país, seus filhos
poderão estudar normalmente. Isso porque em Portugal a educação é para
todos.

Como inscrever seus filhos na escola

Para que você consiga realizar a inscrição de seus filhos será preciso
uma série de documentos como o preenchimento da matrícula com foto,
passaporte da criança, histórico escolar, documento de identificação, número
do utente (que será feito no Centro de Saúde de seu bairro), carteira de
vacinação, entre outros. Você também precisará comprovar sua residência e
ter o NIF e demais documentos de identificação em mãos. Neste caso o
indicado é entrar em contato com a instituição para confirmar a lista de
documentos, que podem sofrer alteração.

As matrículas acontecem anualmente entre os meses de abril e junho para o


período pré-escolar e de ensino básico. Caso sua data de chegada ao país seja após
este período, vá até um Agrupamento Escolar assim que chegar e verifique suas
opções.
Dica: caso você possua seu Cartão de Cidadão português a matrícula
de seus filhos nas fases pré-escolar e ensino básico podem ser feitas aqui.

Não há vagas, e agora?

Como falamos anteriormente, a educação é um direito de todos em


Portugal. Portanto, caso você tenha ido à várias instituições e não tenha
conseguido vaga, não se desespere: ele logo será encaminhado para outra
unidade mais próxima.

7.1 - Ensino Superior: passo a passo para iniciar seus


estudos

Antes de decidir cursar o Ensino Superior em uma Universidade


portuguesa é preciso pensar, estudar a ideia e fazer um planejamento. Para te
ajudar neste processo fizemos um passo a passo a seguir.

A primeira coisa que você precisa é determinar seu objetivo e área onde
busca se especializar. O próximo passo é pesquisar instituições que ofereçam
o curso que você busca e avaliar qual oferece as melhores condições, e, claro,
possibilita seu ingresso. Você também precisará levar em conta onde irá morar,
deslocamento até a universidade e todos os gastos que estarão englobados
nesse processo.

Portanto o segundo passo é exatamente este, fazer o planejamento financeiro


de acordo com os gastos que você terá, tanto com deslocamento quanto com
despesas de aluguel, comida, internet, água, luz e tudo mais que você achar
necessário. Ter um bom planejamento financeiro é essencial, conforme sempre
frisamos ao longo deste material.
Após ter encontrado seu curso e a universidade onde pretende cursá-lo,
o próximo passo é fazer sua inscrição. A solicitação de matrícula é feita
exclusivamente online, basta verificar os documentos necessários e como
proceder, de acordo com a instituição.

Após solicitado o ingresso verifique a data que a instituição fixou para


dar a resposta das candidaturas e fique de olho! Se a sua candidatura for
aceita o próximo passo é fazer sua matrícula (este passo também pode ser
feito online).

Tudo pronto? Ainda não… Depois de feito todo esse processo, chegou a
hora de solicitar seu Visto de Estudante (veja como tirar este visto no capítulo
5).

Depois de solicitar o visto será preciso apresentar-se no SEF de


Portugal e também na instituição de ensino para efetivar todo o processo e
confirmar a sua inscrição.

Dica: Fique sempre atento ao cronograma, datas e prazos da instituição.


Os processos e documentos solicitados podem variar de instituição para
instituição, portanto entre em contato para confirmar e tirar todas suas dúvidas.

7.1 - Ensino superior: utilizando o ENEM para estudar em


Portugal

Para estudar em Portugal você tem duas opções e o que vai definir qual das duas usar é
se você tem ou não tem residência portuguesa. Se você é brasileiro e não tem a
cidadania portuguesa, você pode utilizar o ENEM (explicaremos mais a seguir), agora,
se você está há mais de dois anos morando legalmente em Portugal ou já possui a dupla
cidadania europeia, você entrará na modalidade de ingresso nacional e precisará
realizar o exame nacional, que é feito assim que você termina o ensino básico
português.
Também existem “regimes especiais” e “concursos especiais”, este
último direcionado para pessoas maiores de 23 anos de idade que já tenham
alguma formação técnica ou superior.

Utilizando o ENEM para estudar em Portugal

Estudar em Portugal é o sonho de uma parcela cada vez maior de


brasileiros, mas o que muitos ainda não sabem é que pode ser muito fácil
realizá-lo, isso porque muitas instituições já aceitam o ENEM como forma de
ingresso. Atualmente, das mais de 120 universidades portuguesas, 28 já
aceitam o ENEM como forma de ingresso. Confira abaixo quais são elas:

Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário

Instituto Politécnico da Guarda

Instituto Politécnico da Maia

Instituto Politécnico de Beja

Instituto Politécnico de Bragança

Instituto Politécnico de Castelo Branco

Instituto Politécnico de Coimbra

Instituto Politécnico de Leiria

Instituto Politécnico de Santarém

Instituto Politécnico de Setúbal

Instituto Politécnico de Viseu


Instituto Politécnico do Cávado e Ave

Instituto Politécnico do Porto

Instituto Politécnico Portalegre

Instituto Universitario da Maia

Universidade da Beira Interior

Universidade da Madeira

Universidade de Algarve

Universidade de Aveiro

Universidade de Coimbra

Universidade de Lisboa

Universidade dos Açores

Universidade do Minho

Universidade do Porto

Universidade do Porto

Universidade Lusófona do Porto

Universidade Lusófona

Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Para concorrer à uma vaga em qualquer uma destas universidades


utilizando o ENEM você não pode ter nacionalidade de nenhum estado
membro da União Europeia, nem residir legalmente em Portugal por um
período superior a 2 anos.
Para que você saiba se é possível candidatar-se utilizando sua nota do
ENEM é necessário ter conhecimento do desempenho mínimo exigido pela
instituição. Para confirmar esta informação, assim como documentação,
prazos, valores, entre outros, o ideal é entrar em contato diretamente com a
universidade.

Custo do Processo

Há instituições que realizam o processo de inscrição de forma gratuita,


já outras cobram taxas que podem variar entre 20€ e 120€. Para saber se a
instituição que você escolheu cobra alguma taxa, indicamos que você pesquise
no site ou entre em contato com o setor responsável a fim de evitar surpresas.

Documentos

Os documentos que geralmente são solicitadas neste processo, são:


seguro saúde (é obrigatório para qualquer pessoa que vá a Portugal), cópia de
seus documentos de identificação e passaporte, suas notas do ENEM, a
comprovação de que você finalizou o Ensino Médio, vacina antitetânica, e o
NIF. Mas é importante que você que assim como os custos, critérios e prazos,
os documentos também podem variar de acordo com cada instituição, por este
motivo é importante sempre conferir a lista diretamente com a instituição.

Importante saber: diferente do que conhecemos aqui no Brasil, em


Portugal não há bacharelado e licenciatura! Lá todos os cursos são
licenciaturas. Outra diferença é que o ingresso por ENEM não te possibilita
fazer o curso gratuitamente.

7.1 - Mestrado e Doutorado em Portugal


Além da busca pelo ensino superior, muitos brasileiros também vão ao
país para realizar mestrado e doutorado ou acabam se formando e desejando
seguir os estudos. Pois bem, após concluir a faculdade (ou caso você já tenha
se formado no Brasil e validado seu diploma) você poderá seguir para o
mestrado, que em média tem duração entre 1 ano e meio a dois anos e, após o
mestrado, seguir para o doutorado, que dura em média 3 anos.

Mestrado

O mestrado é chamado em Portugal de 2º ciclo de estudos e o primeiro


passo é a inscrição, que pode ocorrer entre março e julho (é importante que
você fique atento ao período de sua instituição). Para isso é preciso também
ter o diploma validado. Outro passo importante é reunir os documentos, são
eles: a ficha de inscrição que é disponibilizada online pela instituição, o
pagamento da inscrição (você precisa confirmar o valor com a sua instituição,
pois eles variam), seu histórico escolar, diploma de graduação (com
reconhecimento, caso seja brasileiro), currículo, cópia do passaporte e carta de
motivação, fora outros documentos que também podem ser solicitados pela
instituição.

Dica: Saiba porquê e como fazer a carta de motivação aqui.

Custos

Muitas instituições contam com valores diferenciados para brasileiros. O


preço varia, em média, entre 1.000€ até 7.000€ por ano.

Doutorado

Em Portugal também é chamado de 3º ciclo e doutoramento. Os documentos


para este processo também variam de acordo com cada universidade, portanto é
importante que você entre em contato para verificar a
listagem correta de materiais. Mas você com certeza precisará apresentar seus
diplomas anteriores e em alguns casos também o histórico escolar.

Para o doutorado há universidades que requerem um projeto já pronto


para concorrer à vaga, porém há outras em que não é necessário, você
precisará entrar em contato com sua instituição e se informar quanto a este
processo. Outro ponto é que este processo pode ser feito diretamente do
Brasil.

Custos

Os custos também variam de acordo com a instituição, mas a média em


universidades públicas é de 2.800€, podendo ser parcelado. Também há
universidades que cobram taxa de inscrição.

Tanto para o processo de mestrado quanto de doutorado as validações


podem ocorrer de forma bem demorada, portanto esteja preparado.

7.1 - Bônus: quanto custa estudar em Portugal?

A preocupação de muitos estudantes brasileiros ao irem estudar em


Portugal é relacionado aos custos, afinal, um passo muito importante na hora
de fazer uma mudança é, sem dúvidas, o planejamento financeiro, até porque
ninguém quer mudar de país para passar necessidade, não é mesmo? É claro
que estes gastos irão variar de acordo com o perfil de cada estudante,
instituição de ensino, curso, aluguel, gastos com comida, água, luz, internet,
entre outros…

Fase Pré-Escolar

Se você está indo com filhos, saiba que para matriculá-los na fase pré-
escolar você terá um gasto médio de 150€. Este valor varia com a instituição e
não inclui eventuais gastos durante o ano letivo.
Ensino Básico

No ensino básico, caso você opte por escolas públicas, ele é gratuito.
Neste caso você terá apenas o custo com a alimentação de seu filho (o valor
varia de acordo com o seu salário). Os gastos com livros didáticos também
serão por sua conta e também variam de acordo com sua faixa salarial. Caso
você opte por matricular seu filho em uma escola particular a dica é pesquisar
valores, pois eles podem variar bastante, em média entre 80€ e 400€.

Ensino Superior

Os custos do Ensino Superior também variam de acordo com a


instituição e área escolhida. Mas em média ficam em torno de 1.000€. Neste
caso o ideal é que você consulte sua instituição quanto aos valores para já
incluí-lo em seu planejamento.

Mestrado

Os custos para mestrado variam entre 1.000€ e 7.000€ anuais.

Doutorado

Para doutorado os custos anuais são, em média, 2.500€

Informação: Por ser brasileiro saiba que há instituições que cobrarão valores
diferentes, isso porque o governo de Portugal oferece aos seus conterrâneos um
subsídio que nós brasileiros não temos direito.
Curiosidade: em Portugal não são cobradas mensalidades como aqui no Brasil
e sim “propinas”. Isso mesmo, você pagará propina pelos seus estudos e não
mensalidades.
CAPÍTULO 8
TUDO SOBRE NACIONALIDADE PORTUGUESA

Agora chegou a hora de falarmos sobre o sonho de muitos brasileiros,


que é a tão sonhada nacionalidade portuguesa. Este capítulo é dedicado única
e exclusivamente para este tema e busca te explicar como funciona e tirar suas
dúvidas quanto à este processo.

8.1 - Diferença entre cidadania, nacionalidade


e naturalização

Antes de tudo é importante falarmos sobre algumas


definições que acabam gerando confusão neste processo e
que acaba confundindo muitas pessoas, que é o significado de
nacionalidade, naturalização e cidadania.

Nacionalidade é referente ao seu país de nascimento. A


nacionalidade pode ser tanto sociológica, definida por grupos de
pessoas com mesmo idioma, cultura, costumes e etc., como
jurídica, onde o indivíduo precisa ser membro do estado e
participar ativamente na economia, política e etc. Além de ser
adquirida no nascimento, a nacionalidade também pode ser
adquirida futuramente por meio da naturalização.
Naturalização, no caso, é quando nos naturalizamos em uma
nacionalidade que não é a nossa de nascimento, um exemplo é a migração:
quando nós brasileiros resolvemos ir para Portugal e, através de uma série de
requisitos, documentos e legislação, adquirimos também a nacionalidade
portuguesa. Neste caso, somos brasileiros, mas também nos naturalizamos
portugueses através do processo de requerimento de nacionalidade
portuguesa.

A dupla nacionalidade ou dupla cidadania, como o próprio nome já diz, é


exatamente quando ocorre a naturalização citada acima e acabamos tendo a
nacionalidade de mais de um país. Ou seja, ao mesmo tempo em que temos a
nacionalidade do nosso país de nascimento (Brasil) também adquirimos a de
Portugal. Neste caso, somos considerados tanto brasileiro quanto português.
Você também pode ter mais do que duas nacionalidades, desde que seja
aceita pelo país, como é o caso de Brasil e Portugal.

Por fim, cidadania é quando você exerce, perante a sociedade,


participação de direitos concedidos à pessoas naturais do país onde você está,
participando política, econômica e socialmente, de forma igual aos
conterrâneos.

8.1 - Quem tem direito à Nacionalidade Portuguesa?

É importante você saber que além de não ser um processo fácil e


rápido, não é para todos. Aqui iremos esclarecer quem tem e quem não tem
direito a requerer a nacionalidade, bem com falar sobre o processo,
documentos, prazos e custos.

Filho de pais portugueses

Se você é filho de pais portugueses nacionalizados, ou seja, que tenham


nascido em Portugal, quer você tenha 18 anos ou menos, você pode requerer à
cidadania portuguesa. Caso seus pais tenham adquirido a
nacionalidade portuguesa e não sejam originariamente portugueses você deve
buscar se informar, pois, dependendo da hipótese, pode ser que você também
tenha direitos.

Neto de avós portugueses

Se seus avós são portugueses você também tem direito a cidadania, só


precisa se encaixar na presunção de vínculos que é solicitada em lei. Se a
nacionalidade de seus avós for adquirida, você não possui o direito. Entretanto,
para retirar a cidadania portuguesa neste quesito (sendo neto de português),
você terá que saber qual procedimento você precisará fazer, isto varia, saiba
mais:

Se for filho de pais falecidos você tem o direito de obtê-la por meio da
naturalização. Neste caso a naturalização apenas não será aceita caso você
não comprove algum tipo de vínculo com Portugal, de acordo com o que é
exigido.

Agora, se seus pais estão vivos, eles precisarão adquirir a dupla


cidadania antes de você, para que você consiga, por meio de atribuição e
através de seu direito como filho de um português, adquirir a sua.

Portanto note que, além de encaixar-se nas exigências de vínculo


solicitadas, você também precisará seguir o procedimento acima de acordo
com sua situação.

Bisneto de Portugueses

Não há algo muito específico quando o assunto é direito à nacionalidade para


bisnetos de portugueses e o processo pode depender muito de quem ainda está vivo
na sua família. O mais comum, neste caso, é quando os pais (também pode ser os
avós) adquirem a nacionalidade através de atribuição e
você, como filho (ou neto), solicite a nacionalidade como filho de português
nacionalizado. Agora, caso seus pais adquiram a nacionalidade por meio de
aquisição, você só poderá fazer a solicitação enquanto ainda for menor de
idade.

Caso more há mais de 6 anos no país

Caso você resida em Portugal legalmente há mais de 6 anos e seja


maior de idade, você também pode adquirir a nacionalidade por naturalização.
Neste caso, você terá direito à nacionalidade por tempo de residência.

Caso seja casado com Português

Caso você seja casado (a) com um cidadão português por um período
superior à 3 anos, você também tem o direito à solicitar a cidadania. Não
importa se o casamento é homoafetivo ou heteroafetivo.

Caso tenha União Estável com um Português

Assim como o casamento, a união estável pode ser tanto entre pessoas
do mesmo sexo quanto entre pessoas de sexo oposto, você só precisa
comprovar que a união existe há mais de 3 anos.

Adoção por parte de Portugueses

Neste caso a criança só precisa ser adotada por cidadãos portugueses e já tem
direito à cidadania. Ela só precisará passar pelo processo de requerimento, neste caso
a documentação varia de acordo com o país de
nascimento: caso tenha nascido em um país estrangeiro ou caso tenha
nascido em Portugal mas seja de um país estrangeiro.

Reaquisição de Nacionalidade

A reaquisição é feita quando, por algum motivo, você perdeu sua


nacionalidade portuguesa. Os motivos podem ser vários, por exemplo: caso
você tenha se casado com um brasileiro (ou de qualquer outro país) e tenha
perdido sua nacionalidade, caso você tenha perdido a sua nacionalidade
portuguesa ao ter adquirido outra, caso você tenha optado por outra
nacionalidade quando a lei não permitia que você tivesse duas, entre outros
casos.

Descendentes de Judeus Sefarditas Portugueses

Caso você seja descendente de judeus sefarditas portugueses e


comprove que pertence à esta comunidade, com base nos requisitos que lhe
serão exigidos e desde que você não tenha sido condenado por algum crime
ou esteja em processo de julgamento, você pode, conforme explicado na lei
portuguesa, solicitar sua cidadania.

Se tiver ficado alguma dúvida sobre quem tem direito a Nacionalidade


Portuguesa ou você queira conferir toda a documentação necessária para cada
um destes processos acima, clique aqui.

8.3- Como obter a Nacionalidade Portuguesa?

Se você descobriu, com base nos tópicos anteriores, que você se encaixa em
algum dos grupos de pessoas que podem solicitar a Nacionalidade portuguesa, agora
você precisa pensar, planejar e iniciar o processo (que por sinal pode ser bem
demorado).
É importante que você saiba que para fazer este processo, você tem
duas opções: por atribuição, quando a nacionalidade é passada de geração e
geração, no caso de filhos, netos e bisnetos e normalmente é mais simples e
por meio de naturalização ou aquisição, que é solicitado tanto por
descendentes quanto por não descendentes. Diferente do processo por
atribuição, a desvantagem é que este último é muito demorado e ainda,
mesmo depois de todo o trabalho, com toda a documentação e todas as taxas
pagas… ele pode ser negado.

Confira o passo a passo para solicitar a cidadania:

1. Pesquisa

Agora que você já sabe que tem direito a cidadania portuguesa, você
precisará ter conhecimento de toda a documentação necessária atualizada,
assim como os custos com os quais você terá que arcar durante o processo.
Afinal, o planejamento financeiro é uma etapa muito importante.

2. Planejamento

Depois de ter pesquisado e estar bem informado sobre o processo, a


próxima etapa é o planejamento. Aqui você irá colocar a sua pesquisa em
prática e planejar passo a passo do que precisa ser feito para que tudo saia do
jeito certo e você garanta sua nacionalidade, evitando perder tempo e dinheiro.
Caso precise de ajuda, você pode contratar uma consultoria. Mas esteja
preparado para arcar com este custo!

3. Certidão de Nascimento portuguesa e demais documentos

Este é o primeiro documento que você precisa ter. Além de ser um dos
documentos mais importantes é também um dos mais difíceis de conseguir, visto que
na maioria das vezes é muito antigo ou acaba sendo perdido. Caso
você não tenha o documento em mãos mas tenha as informações necessárias
para solicitar o requerimento, basta entrar em contato com o Portal do Cidadão.
Caso você também não tenha estas informações, você precisará de muita
paciência, pois além de demorado, também é um processo bem complicado.

Após conseguir providenciar a certidão de nascimento portuguesa será


necessário ficar atento ao restante da documentação necessária e solicitá-la
juntamente ao órgão responsável. Em breve falaremos sobre esta
documentação…

1. Retificações e Homologações

É importante ter cuidado e atenção para solicitar os documentos


corretamente, sem contar que isso pode influenciar diretamente no prazo de
espera do seu processo, uma vez que, caso haja informações incorretas ou
incompletas em alguns documentos, você precisará retificá-los novamente e
isso pode levar muito tempo e atrasar seu processo em meses. Também há
uma série de documentos que devem ser homologados, como é o caso de
processos de divórcios.

2. Assinatura Presencial

Assim que tiver em mãos toda a documentação necessária, você


precisará reconhecer todas as certidões brasileiras em cartório e legalizá-las
no consulado português mais próximo. Lembrando que há documentos que
precisam ser legalizados de acordo com a Apostila de Haia, antes de serem
legalizados no consulado.

3. Formulário de Requerimento

Após estar com todos os documentos certinhos, retificados e homologados


(caso necessário), você precisará preencher o formulário de
requerimento referente ao seu processo. Este formulário pode ser facilmente
encontrado na internet, basta baixar e preencher.

Dica: sempre guarde uma cópia do formulário preenchido, exatamente


da forma que você irá entregá-lo.

1. Realizar o pagamento e dar início no processo

Após seguir todos os passos acima, basta realizar o pagamento das


taxas. Aqui você decidirá se este procedimento será feito no Brasil ou em
Portugal e escolherá a melhor forma de dar entrada no processo, de acordo
com seu tipo de requerimento.

Outras informações

Tempo de espera

É difícil de estimar o tempo exato, pois cada caso é um caso e pode


variar muito. Por exemplo, caso você precise retificar alguns documentos, isso
irá incluir mais tempo de espera no seu processo (em torno de dois meses ou
mais). Mas normalmente a espera varia de 3 à 9 meses, dependendo do tipo
de solicitação. Por exemplo, se você for neto de português e seus pais forem
vivos, leva em torno de 6 meses, agora, caso seus pais já sejam falecidos este
processo demora um pouco mais, em média 8 meses. Se é filho de português
o processo é mais rápido, podendo levar cerca de 3 meses.

Caso você já resida em Portugal há pelo menos 6 anos o processo dura em


média 6 meses. Agora, se o pedido for de cônjuge ou união estável o tempo de espera
pode chegar à 1 ano (ou mais).
O que também pode influenciar no processo é se você o fará em
Conservatórias de Registro Civil ou no próprio Consulado Português, onde o
tempo de espera do processo é muito maior.

Custos

O custo final de cada processo irá variar bastante em função da situação


particular de cada um, do estado (ou país) que será feito, da cotação do Euro
no momento, entre outros.

Quanto aos custos para pedidos de atribuição de nacionalidade por


maiores de idade (filhos e netos de portugueses originários) o valor cobrado
pelas Conservatórias é de 175€ e 250€, para filhos e netos, respectivamente.
Já para menores ele é gratuito.

Para aquisição da nacionalidade por menores ou incapazes cujos pais


tenham adquirido a nacionalidade e para menores que adquirirem a
nacionalidade por naturalização, o custo é entre 120€ e 200€. Em casos de
adoção o processo é gratuito.

Caso você adquira por ser cônjuge ou estar em união estável, o valor é
em torno de 120€. A média para o restante dos casos é de 250€.

Para ter uma média mais detalhada dos preços, o Consulado Geral de
Portugal em São Paulo posui uma página onde explica detalhadamente a
composição dos valores. Apenas lembrando que estes preços são referentes
ao consulado em questão e podem sofrer variações.

Documentos

Para cada um dos casos a documentação exigida varia, assim como também
pode variar de acordo com o lugar onde o processo será feito. Por essa razão é
importante sempre verificar os documentos exigidos e informações específicas para o
tipo de procedimento.
Documentos que costumam ser solicitados para qualquer que seja o
processo: cópia de seus documentos de identificação e passaporte,
comprovação de residência (tanto brasileira quanto portuguesa), formulário
preenchido de acordo com o tipo de requerimento, certidão de nascimento,
cópia de diploma e histórico escolar (em alguns casos), certidão de
antecedentes criminais, certidão de casamento (caso seja cônjuge), certidão
de comprovação da união estável (se for o caso), certidão de nascimento do
português (em caso de filhos, netos e bisnetos de português), documentos que
comprovem a adoção (se for o caso) e demais documentações que podem ser
solicitadas dependendo do tipo de requerimento e do local do processo.

É importante que você sempre peça informações no local onde o


processo será feito, pois, a parte de documentação normalmente é bem
complicada.

Há formas de conseguir ajuda para este processo?

Sim, por se tratar de um processo demorado e complexo, que requer


bastante atenção, paciência e tempo, muitos brasileiros acabam buscando
auxílio em assessorias, que podem ajudar desde as questões mais simples até
fazer todo o processo para você. Se esta for sua opção, esteja preparado para
gastar um valor alto. Embora mais caro do que se feito por sua conta, este
processo vale a pena caso você não tenha tempo para correr atrás de toda a
documentação e tenha condições financeiras de arcar com este custo.

Porquê solicitar cidadania portuguesa?

Se você está em solo português, mas não possui a cidadania portuguesa, você
nunca terá a garantia de direitos iguais. Tendo a cidadania, além de todos os direitos,
você também poderá morar em qualquer um dos 28 países membros da União
Europeia.
Outra coisa importante é que você saiba que a nacionalidade portuguesa não
anula a brasileira, devido ao acordo feito entre Brasil e Portugal que permite a dupla-
cidadania. Portanto fique tranquilo, você pode sim ser cidadão legal de ambos os
países e gozar dos mesmos direitos e privilégios que os cidadãos de origem.
CAPÍTULO 9
NÃO DEU CERTO, E AGORA?

Uma das grandes preocupações de muitos brasileiros que vão para


Portugal é exatamente o medo de que as coisas não deem certo e eles
precisem voltar… É nestas horas que o sonho de morar em outro país pode
também se tornar um pesadelo. E a realidade é que muitos passam por esta
situação, mas sem ter condições de retornar para o país de origem e é nessas
horas que entram os Programas de Retorno Voluntário.

9.1 - Programas de retorno voluntário

Hoje em dia nós brasileiros


representamos a maior comunidade estrangeira de
Portugal. Com isso, também aumentaram os casos de
brasileiros que precisam de ajuda para voltar ao Brasil. Só
em 2017 foram 346 brasileiros que retornaram de Portugal
através de programas voluntários. E, deste grande número,
232 foram beneficiados com o Programa de Retorno
Voluntário Arvore. Isso significa que o programa deu auxílio
para quase 90% destes brasileiros que não tinham
condições para retornarem ao Brasil. Além de ser um número grande, de
acordo com as estatísticas nós brasileiros estamos entre os mais ajudados por
este tipo de programa.

Vale ressaltar que, por essa razão, é importante que haja todo um
planejamento, muita pesquisa, estudo e sempre um plano B (C e D, se
possível). Mas, caso alguma coisa não saia como planejado e você precise de
ajuda para retornar ao Brasil, leia abaixo sobre o Programa Arvore, como
funciona e quem pode participar.

Programa Arvore VI

O Programa de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração, da


Organização Internacional para as Migrações (OIM), Arvore VI, auxilia pessoas
que não tem condições de retornar ao seu país de origem ou não querem mais
continuar no país onde estão acolhidos e precisam de ajuda para retornar, de
forma voluntária.

Como funciona

Para quem está em Portugal e deseja voltar para seu país de origem, mas não tem
condições, este programa muitas vezes é a única solução. Para solicitar a participação
neste programa, você deve ir até um escritório da OIM ou em alguma instituição
parceira, juntamente com toda a documentação necessária. Após reunir todas as
informações e os documentos, você terá um tempo para tomar a decisão de seguir ou
não com o processo (você poderá desistir em qualquer etapa). Decidido a retornar para
o Brasil, você será auxiliado tanto no retorno como também para reintegrar-se (cada
caso é avaliado individualmente e os apoios variam, podendo chegar à 2000€). Após seu
processo ser aprovado, a OIM entra em contato com você para agendar a data do seu
retorno e lhe passar todas as informações. Por fim, no dia da viagem eles te oferecem
todo acompanhamento, até o portão de embarque e chegada ao destino.
Documentos Necessários

No dia que a OIM agendar uma entrevista com você, será necessário
levar alguns documentos, são eles: passaporte, autorização de residência
(caso possua) e o documento com sua afiliação. Há outros documentos que
podem ser relevantes e que também poderão ser solicitados durante o
processo, como seu NIF, NISS, documentos médicos, entre outros.

Dica: Caso você não possua alguma documentação acima basta entrar
em contato com a OIM.

Quem pode participar

Podem participar deste programa pessoas que comprovem não ter


condições de arcar com as despesas de retorno ao país de origem, mas ao
receber este auxílio é importante que você saiba que ficará impedido de voltar
à Portugal por um período de 3 anos. Também podem participar do programa:
pessoas que solicitaram refúgio e tiveram seu pedido negado ou retirado,
migrantes em situação regular, migrantes retidos ou em situação de
vulnerabilidade (como menores desacompanhados, idosos, pessoas com
problemas de saúde, pessoas vítimas de tráfico humano ou outras formas de
violência), entre outros.

Quem não pode participar

Pessoas que já tenham recebido ajuda deste ou de outros programas de


retorno voluntário português, pessoas que tenham prestado alguma falsa declaração
ou que já possua nacionalidade em algum dos estados da União Europeia (ou que
seja dependente de alguém que possua) e pessoas que tenham cometido algum crime
e não estejam em dia com a justiça portuguesa.
requerimento referente ao seu processo. Este formulário pode ser facilmente
encontrado na internet, basta baixar e preencher.

Dica: sempre guarde uma cópia do formulário preenchido, exatamente


da forma que você irá entregá-lo.

1. Realizar o pagamento e dar início no processo

Após seguir todos os passos acima, basta realizar o pagamento das


taxas. Aqui você decidirá se este procedimento será feito no Brasil ou em
Portugal e escolherá a melhor forma de dar entrada no processo, de acordo
com seu tipo de requerimento.

Outras informações

Tempo de espera

É difícil de estimar o tempo exato, pois cada caso é um caso e pode


variar muito. Por exemplo, caso você precise retificar alguns documentos, isso
irá incluir mais tempo de espera no seu processo (em torno de dois meses ou
mais). Mas normalmente a espera varia de 3 à 9 meses, dependendo do tipo
de solicitação. Por exemplo, se você for neto de português e seus pais forem
vivos, leva em torno de 6 meses, agora, caso seus pais já sejam falecidos este
processo demora um pouco mais, em média 8 meses. Se é filho de português
o processo é mais rápido, podendo levar cerca de 3 meses.

Caso você já resida em Portugal há pelo menos 6 anos o processo dura em


média 6 meses. Agora, se o pedido for de cônjuge ou união estável o tempo de espera
pode chegar à 1 ano (ou mais).
Família

Caso você esteja em Portugal com a sua família e vocês se encaixem


nos requisitos acima, todos poderão ser beneficiados pelo programa, quer
sejam crianças, adultos ou idosos.

Custo

Este programa é gratuito.

Prazo

Não há um prazo certo, pois cada caso é avaliado de forma individual e


leva um tempo específico. Mas, normalmente, após solicitado o retorno, o
tempo médio de espera varia entre 1 e 2 meses.

Para mais informações sobre o Programa, legislação, serviços


prestados, documentação, bem como os locais disponíveis para fazer o
pedido, clique aqui.

Você também pode entrar em contato pelo e-mail iomlisbon@iom.int ou pelo Facebook.
CONCLUSÃO

Próxima parada: Portugal!

Baseado em muita pesquisa, entrevista e relatos de


brasileiros que vivem em Portugal, nós procuramos trazer
para você no Guia completo de como morar em Portugal
a realidade do país, diferenças, dicas e demais
informações importantes que irão te auxiliar nesta mudança.

Assim que você tiver seu objetivo estabelecido e


começar o seu planejamento, caso surjam eventuais dúvidas
ou você precise consultar informações, não esqueça que
você tem o presente material à sua disposição, com objetivo
de lhe auxiliar neste processo.

Caso tenha ficado alguma dúvida ou você deseje fazer


uma crítica ou observação, fique à vontade para entrar em
contato conosco: info@immigrant.pt

Agradecemos a sua leitura e agora que você já sabe tudo que


precisa para mudar-se para Portugal desejamos boa sorte neste
processo.