Você está na página 1de 18

A ÉTICA SOBRE A

EUTANÁSIA, DISTANÁSIA,
ORTOTANÁSIA E
MISTANÁSIA:

Uma reflexão frente ao princípio da


autonomia e da vontade.
Considerações iniciais:
 O que é a Eutanásia?;

 Eutanásia quanto ao tipo de ação;

 Eutanásia quanto ao consentimento do paciente;

 O que é a Distanásia?;

O que é a Ortotanásia?;

O que é a Mistanásia?
O que é Eutanásia?

 É a prática pela qual se abrevia a vida de um


enfermo incurável de maneira controlada e
assistida por um especialista.

 Prática é proibida no Brasil e considerada


homicídio.
Reflexão sobre a morte:
 A morte sempre existiu e sempre existirá entre
nós porque morrer é parte integral da vida e da
existência humana, tão natural e previsível como
nascer.

Por que, então, é tão difícil morrer?

 Por que, na sociedade


moderna, a morte
transformou-se num
tema a ser evitado de
todas as maneiras?
Argumentos a favor:
 As pessoas que julgam a eutanásia um mal necessário
tem como principal argumento poupar o paciente
terminal irreversível de seu sofrimento e aliviar a
angústia de seus familiares.

 São raciocínios que


participam na defesa da
autonomia absoluta de
cada ser individual, direito
a escolha pela sua vida e
pelo momento da morte.
Uma defesa que assume o interesse individual acima da
sociedade que, nas leis e códigos, visa proteger à vida.
Argumentos contra:
 Muitos são os argumentos contra a eutanásia, desde os
religiosos, éticos até políticos e sociais. Ponto de vista
religioso: a eutanásia é tida como uma usurpação do
direito á vida humana, ou seja só Deus pode tirar a vida
de alguém.

 Ponto de vista da ética


médica: tendo em conta o
juramento de Hipócrates,
segundo o qual considera a
vida como um dom sagrado,
sobre o qual o médico não pode
ser juiz da vida ou da morte de alguém.
O dilema ético para os profissionais da
área da saúde:
 A eutanásia representa atualmente uma complicada
questão de bioética e biodireito, pois enquanto o
estado tem como princípio a proteção da vida dos seus
cidadãos, existem aqueles que, devido ao seu estado
precário de saúde, desejam dar fim ao seu sofrimento
antecipando a sua morte.
E nesse caso, como agir
perante o princípio de autonomia
do doente?

Como agir perante o direito


de viver?
Classificação da Eutanásia quanto ao
tipo de ação:
 Não se pensa em eutanásia sem lembrar do
Código de Ética.

O que nos faz repensar e colocar em dúvida alguns


conceitos como o de vida ou morte no seu contexto
dentro do aspecto de qualidade de vida e o morrer
dignamente.

 Atualmente a eutanásia pode ser classificada de


várias formas, de acordo com o critério
considerado.
 Eutanásia Ativa: o ato deliberado de provocar a morte
sem sofrimento do paciente, por fins misericordiosos. Trata-
se da ação pela qual se põe fim a vida de uma pessoa
enferma, por um pedido do paciente ou a sua revelia. O
exemplo típico seria a administração de uma overdose de
medicamentos com a intenção de por fim a vida do enfermo.
É também chamada de morte piedosa ou suicídio assistido.
Refere-se ao profissional.
 Eutanásia passiva ou indireta: a morte do
paciente ocorre, ou porque não se inicia uma ação médica
ou pela interrupção de medidas como suspender ou retirar a
alimentação, a hidratação ou a oxigenação, com o objetivo
de diminuir o sofrimento. Por exemplo a retirada de um
equipamento essencial como um respirador em um paciente
terminal, sem esperanças de vida.
 Eutanásia voluntária: quando a morte é provocada atendendo a
uma vontade do paciente.

 Eutanásia involuntária: quando a morte é provocada contra a


vontade do paciente.

 Eutanásia não voluntária:


quando o paciente ou qualquer responsável não é consultado ou não
manifesta qualquer posicionamento sobre a decisão.
O que é a Distanásia?
É conceituada como uma morte difícil ou penosa, usada para indicar
o prolongamento do processo da morte, por meio de tratamento que
apenas prolonga a vida biológica do paciente, sem qualidade de vida
e sem dignidade. Também pode ser chamada de obstinação
terapêutica.

 Nesse sentido, enquanto, na eutanásia,


a preocupação principal é com a
qualidade de vida remanescente,
na distanásia, a intenção é de se fixar na
quantidade de tempo dessa vida e de
instalar todos os recursos possíveis para
prolongá-la ao máximo.
O direito de morrer de forma digna diz respeito
a uma morte natural, com humanização, sem que
haja o prolongamento da vida e do sofrimento,
através da instituição de intervenções fúteis ou
inúteis, que se reporta à distanásia.
O que é a Ortotanásia?

 A Ortotanásia é deixar que o paciente siga seu


caminho natural para a morte sem aumentar-lhe a
vida de forma artificial, ou seja, apenas o
acompanhamento para que a morte seja menos
sofrível possível e de forma natural.
O que é a Ortotanásia?

 A ortotanásia se
distingue da eutanásia
passiva com base na intenção do agente em
conjunto com a indicação médica dos
recursos suspensos.

 Na ortotanásia o processo de morte já está


instalado, diferente da eutanásia passiva
Mistanásia
A eutanásia social.

Leonard Martin sugeriu o termo para denominar a


morte miserável, fora e antes da hora em três situações:

1 - a grande massa de doentes e deficientes que, por


motivos políticos, sociais e econômicos, não chegam a
ser paciente por não ingressarem efetivamente no
sistema de atendimento médico;

2 – doentes ou pacientes vítimas de erro médico.

3 - pacientes vítimas de má-prática por motivos


econômicos, científicos ou sociopolíticos.

Você também pode gostar