Você está na página 1de 23

Cálculo Numérico

Interpolação.

Prof. Eduardo D. Bernardes

Universidade Estadual de Santa Cruz

2019 (2o semeste)


Interpolação polinomial.
Motivação

1 - Funções conhecidas apenas em um dado conjunto finito e


discreto de pontos de um intervalo [a, b].

i xi f (xi )
0 x0 f (x0 )
1 x0 f (x1 )
2 x0 f (x2 )
3 x0 f (x3 )

Neste caso, se for necessário trabalhar com esta função cuja


forma analı́tica é desconhecida, pode-se considerar uma funão
que é aproximação para a função desconhecida.

2 - Funções complicadas de serem trabalhadas.


Interpolação polinomial

Consideremos n + 1 pontos distintos x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn e


valores de f (x) nestes pontos:
f (x0 ), f (x1 ), f (x2 ), f (x3 ), · · · , f (xn ).
Interpolação polinomial

Consideremos n + 1 pontos distintos x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn e


valores de f (x) nestes pontos:
f (x0 ), f (x1 ), f (x2 ), f (x3 ), · · · , f (xn ).

Idéia: encontrar um polinômio de grau n, pn (x), tal que

pn (xi ) = f (xi ), i = 0, 1, 2, 3, · · · , n.

Graficamente...
Interpolação polinomial

Consideremos n + 1 pontos distintos x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn e


valores de f (x) nestes pontos:
f (x0 ), f (x1 ), f (x2 ), f (x3 ), · · · , f (xn ).

Idéia: encontrar um polinômio de grau n, pn (x), tal que

pn (xi ) = f (xi ), i = 0, 1, 2, 3, · · · , n.

Graficamente...

O polinômio pn (x) que satisfaz estas condições é chamado de


polinômio interpolador de f (x) nos pontos
x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn , os quais são chamados nós da
interpolação.
Teorema:
Seja f (x) uma função conhecida nos n + 1 pontos distintos
x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn . Existe um único polinônmio pn (x) de grau
menor ou igual a n tal que

pn (xi ) = f (xi ), i = 0, 1, 2, 3, · · · , n.

Demonstração...
Exemplo 1:
Encontre o polinômio que interpola os pontos da tabela.

x f (x)
−1 4
0 1
2 −1
Exemplo 1:
Encontre o polinômio que interpola os pontos da tabela.

x f (x)
−1 4
0 1
2 −1

Exemplo 2:
Aproxime, por interpolação, a função f (x) = ln(x), x ∈ [1.0, 2.0]
dividindo esse intervalo em n = 2 subintervalos iguais e
verifique o erro para a proximação de ln(1.14) dada pelo
polinômio interpolador de grau 2.
Forma de Lagrange.

Sejam x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos. O polinômio


que interpola f (x) nestes pontos, na forma de Lagrange, é dado
por:
n
X
pn (x) = yi Li (x),
i=0
Qn
k=0|k6=i (x − xk )
onde yi = f (xi ) e Li (x) = Qn
k=0|k6=i (xi − xk )
Forma de Lagrange.

Sejam x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos. O polinômio


que interpola f (x) nestes pontos, na forma de Lagrange, é dado
por:
n
X
pn (x) = yi Li (x),
i=0
Qn
k=0|k6=i (x − xk )
onde yi = f (xi ) e Li (x) = Qn
k=0|k6=i (xi − xk )
Observações:
1. Li (x) é um polinônmio de grau n; portanto, pn (x) é um
polinômio de grau menor ou igual a n.
2. Li (xk ) = 0, se k 6= i, e Li (xk ) = 1, se k = i.
Forma de Lagrange.

Sejam x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos. O polinômio


que interpola f (x) nestes pontos, na forma de Lagrange, é dado
por:
n
X
pn (x) = yi Li (x),
i=0
Qn
k=0|k6=i (x − xk )
onde yi = f (xi ) e Li (x) = Qn
k=0|k6=i (xi − xk )
Observações:
1. Li (x) é um polinônmio de grau n; portanto, pn (x) é um
polinômio de grau menor ou igual a n.
2. Li (xk ) = 0, se k 6= i, e Li (xk ) = 1, se k = i.
Verificar que o polinômio na forma de Lagrange é interpolador...
Exemplo: Considere a tabela a seguir.

x f (x)
−1 −2
0 −1
2 7

Calcule f (1) usando o polinômio de interpolação de f (x) na


forma de Lagrange.
Forma de Newton.

Pré-requisito:

Definição: Sejam x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos no


intervalo [a, b] e sejam f (x0 ), f (x1 ), f (x2 ), f (x3 ), · · · , f (xn ) valores
conhecidos.
Defini-se:
I f [xi ] = f (xi ) a diferença dividida de ordem 0 de f (x) em xi .
I f [xi , xj ] = f [xxj ]−f [xi ]
a diferença dividida de ordem 1 de f (x) em
j −xi
xi e xj (i e j consecutivos).
I f [xi , xl , xj ] = f [xl ,xxj ]−f [xi ,xl ]
a diferença dividida de ordem 2 de
j −xi
f (x) em xi ,xl e xj (i, l e j consecutivos).
I ···
I f [x0 , x1 , x2 , · · · , xn ] = f [x1 ,x2 ,··· ,xnx]−f [x0 ,x2 ,··· ,xn−1 ]
a diferença
n −x0
dividida de ordem n de f (x).
Forma de Newton.

Pré-requisito:

Definição: Sejam x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos no


intervalo [a, b] e sejam f (x0 ), f (x1 ), f (x2 ), f (x3 ), · · · , f (xn ) valores
conhecidos.
Defini-se:
I f [xi ] = f (xi ) a diferença dividida de ordem 0 de f (x) em xi .
I f [xi , xj ] = f [xxj ]−f [xi ]
a diferença dividida de ordem 1 de f (x) em
j −xi
xi e xj (i e j consecutivos).
I f [xi , xl , xj ] = f [xl ,xxj ]−f [xi ,xl ]
a diferença dividida de ordem 2 de
j −xi
f (x) em xi ,xl e xj (i, l e j consecutivos).
I ···
I f [x0 , x1 , x2 , · · · , xn ] = f [x1 ,x2 ,··· ,xnx]−f [x0 ,x2 ,··· ,xn−1 ]
a diferença
n −x0
dividida de ordem n de f (x).

Construir a tabela...
Exemplo:
Construa as diferenças divididas para os dados da tabela a
seguir.

x -1 0 1 2 3
f (x) 1 1 0 -1 -2
Polinômio de interpolação na forma de Newton.

Seja f (x) contı́nua e com derivadas contı́nuas em [a, b]. Sejam


x0 , x1 , x2 , x3 , · · · , xn n + 1 pontos distintos no intervalo [a, b]. O
polinômio que interpola f (x) nestes pontos, na forma de
Newton, é dada por:
pn (x) = f [x0 ] + (x − x0 )f [x0 , x1 ] + (x − x0 )(x − x1 )f [x0 , x1 , x2 ] + · · · +
(x − x0 )(x − x1 ) · · · (x − xn−1 )f [x0 , x1 , · · · , xn ]
Exemplo 1:
Encontre o polinômio que interpola os pontos da tabela abaixo
usando a forma de Newton.

x f (x)
−1 −2
0 −1
2 7
Erro na interpolação polinomial.

Teorema: Sejam x0 < x1 < x2 < · · · < xn n + 1 pontos distintos.


Seja f (x) uma função com derifadas até ordem n + 1 para todo x
pertencente ao intervalo [x0 , xn ]. Seja pn (x) o polinômio interpolador
de f (x) nos pontos x0 , x1 , x2 , · · · , xn . Então, qualquer ponto
x ∈ [x0 , xn ], o erro é definido por:

f (n+1) (ζx )
en (x) = f (x) − pn (x) = (x − x0 )(x − x1 )(x − x2 ) · · · (x − xn )
(n + 1)!

onde ζx ∈ (x0 , xn ).
Limitante superior para o erro:

Suponhamos que f (x) e suas derivadas até ordem n + 1 são


contı́nuas em [x0 , xn ].

|f (n+1) (ζx )
|en (x)| = |f (x)−pn (x)| = |(x−x0 )(x−x1 )(x−x2 ) · · · (x−xn )|
(n + 1)!

Mn+1
|en (x)| ≤ |(x − x0 )(x − x1 )(x − x2 ) · · · (x − xn )|
(n + 1)!

onde Mn+1 = maxx0 ≤x≤xn |f n+1 (x)|.


Exemplo: Considere as aproximaçoes para ln(x) na tabela a seguir.

x 1 2 3 4
ln(x) 0 0.0931 1.0986 1.3863

a) Obtenha uma aproximação para ln(3.7) por interpolação linear.


b) Calcule o erro exato no cálculo da aproximação para ln(3.7).
c) Calcule o limite superior para o erro no caso do polinômio
interpolador obtido.
Escolha do grau do polinônmio interpolador

A tabela das diferenças divididas pode direcionar a escolha do grau do


polinômio interpolador.

Exemplo: Considere a função f (x) = x tabelada abaixo com
quatro casas decimais.

x 1 1.01 1.02 1.03 1.04 1.05


f (x) 1 1.005 1.01 1.0149 1.0198 1.0247

I Construa a tabela de diferenças divididas com todos os pontos


da tabela.
Escolha do grau do polinônmio interpolador

A tabela das diferenças divididas pode direcionar a escolha do grau do


polinômio interpolador.

Exemplo: Considere a função f (x) = x tabelada abaixo com
quatro casas decimais.

x 1 1.01 1.02 1.03 1.04 1.05


f (x) 1 1.005 1.01 1.0149 1.0198 1.0247

I Construa a tabela de diferenças divididas com todos os pontos


da tabela.

Observação: Ao examinarmos as diferenças divididas, verificamos


que as diferenças de ordem 1 são praticamente constantes e as de
ordem 2 são quase todas nulas. Assim, neste caso, o polinômio de
grau 1 será o melhor que aproximará a função na região considerada.
Referências

Peters, S. e Szeremeta, J. F.
Cálculo numérico computacional.
Editora da UFSC, Florianópolis, 2018.
Disponı́vel em:
https://editora.ufsc.br/estante-aberta/ Acesso em:
24 ago. 2019.
Ruggiero, M. A. e Lopes, V. L. da R.
Cálculo numérico: aspectos teóricos e computacionais.
Pearson Makron Books, São Paulo, 1996.
Burden, T. L. e Faires, D.
Análise numérica.
Pioneira Thomson Learning, São Paulo, 2003.