Você está na página 1de 98

CAPA_BR.

qxd: Couv 16/04/10 11:26 Página 1

3 3 3

O
Glossário PrOFESSOr DOMINIQuE GraNDjEaN, Glossário
responsável pela unidade de Medicina de
Prof Dominique Grandjean

Prof Dominique Grandjean - Tudo o que você deve saber sobre o papel dos Nutrientes na saúde de Cães e Gatos
reprodução e Esporte da Escola Nacional
LIPÍDEOS boidratos, minerais, vitaminas, sem esquecer o de Medicina Veterinária de alfort, onde também NECESSIDaDES ENErGéTICaS tam o trânsito intestinal, enquanto que as
Principais constituintes das gorduras, os lipídeos mais essencial de todos: a água. leciona e faz pesquisa em Nutrição animal, compi- Quantidade variável de energia necessária para fibras solúveis e/ou fermentáveis, participam
são extremamente energéticos (gorduras, óleos).
Desempenham também papel funcional no NuTrIçãO
lou neste trabalho os conhecimentos atuais sobre
uma área em evolução permanente: a nutrição Tudo o que você deve saber compensar as perdas diárias do organismo, em
função da idade, do estado fisiológico (cresci-
na proteção da parede intestinal e no combate
às bactérias responsáveis pelas diarreias.
organismo por intermédio das vitaminas lipos- Conjunto dos fenômenos que permitem ao sobre mento, gestação, lactação...), da atividade física,
canina e felina.
solúveis (vitaminas A, D, E e K) e pela existência
de moléculas lípidicas indispensáveis à vida (áci-
dos graxos essenciais, hormônios).

METaBOLISMO
organismo degradar os alimentos, absorvê-los
e utilizá-los para o desenvolvimento e manu-
tenção da vida, em função do meio ambiente.
O equilíbrio nutricional dos alimentos permi-
te:
E na realidade, existirá algo mais vivo e, sobretudo, mais evolu-
tivo que a nutrição? Todos sabemos que os nutrientes (elemen-
tos necessários para o corpo, contidos nos alimentos) não ser-
vem apenas para saciar a fome! São os “tijolos” que vão
o papel
dos Nutrientes
na saúde de
do porte do animal (no caso do cão), e de uma
eventual castração.

ENErGIa
CarBOIDraTOS
Compostos orgânicos com um papel essencial-
mente Energético. No entanto alguns deles
desempenham papel estrutural ou de promo-
Conjunto das transformações bioquímicas que - produzir a energia que o organismo constan- Para poder funcionar, o organismo do animal ção da microbiota intestinal benéfica.
se processam num ser vivo para assegurar o seu
desenvolvimento e sobrevivência; algumas rea-
ções favorecem a construção, por via de sín-
teses (anabolismo) e outras a destruição, por
temente precisa,
- fornecer os materiais necessários à constru-
ção e à renovação permanente dos órgãos,
- fornecer pequenas quantidades de determi-
construindo (ou destruindo...) os órgãos, os tecidos, o esqueleto,
etc, e que participam do bom funcionamento do organismo (ou
que podem eventualmente degradá-lo...).
cães e gatos necessita de energia, a qual vai buscar nos ali-
mentos que consome, de origem animal ou
vegetal.
Durante a digestão estes alimentos são quebra-
Classificam-se em duas categorias em função
da sua composição:
- os carboidratos simples, também designados
por "açúcares" (glicose, frutose, sacarose, lac-
via de degradações (catabolismo). nadas substâncias indispensáveis ao correto dos em nutrientes que, uma vez absorvidos, for- tose...) existentes na fruta, no mel, no leite, no
desenvolvimento dos fenômenos biológicos necem energia por ação do metabolismo: em um açúcar e seus derivados.
MICrONuTrIENTES que se processam permanentemente nas célu- Este livro apresenta, um a um, os elementos que devem fazer alimento premium para cão ou gato: - os carboidratos complexos, entre os quais se
Nutrientes presentes em quantidades muito redu- las. parte de um alimento de alta qualidade para cães e gatos. - 1 g de proteínas fornece aproximadamente encontram o amido (fonte de energia) e as
zidas nos alimentos (vitaminas, oligoelementos). 4 kcal, fibras alimentares (indispensáveis à saúde do
PrOTEÍNaS Graças às inúmeras ilustrações e esquemas, o leitor poderá - 1 g de carboidratos fornece aproximadamente tubo digestivo).
MINEraIS As proteínas são as únicas moléculas do orga- 4 kcal (excluindo as fibras),
O alimento, além de matéria orgânica e de nismo que contêm nitrogênio. Elas fornecem facilmente compreender a utilidade dos diferentes tipos de - 1 g de lipídeos fornece aproximadamente
água, é constituído por minerais. elementos essenciais à vida, os aminoácidos, fibras, a necessidade de algumas vitaminas, o papel dos 9 kcal. INGrEDIENTES
São também denominados por matéria para todas as células que compõem o organis- nutrientes principais: as proteínas, os lipídeos e os carboidra- Elementos visíveis (matérias primas alimen-
mineral. De acordo com o seu nível de mo. O seu papel é múltiplo: crescimento, tos... tares) que entram na composição de uma fór-
incorporação no alimento, podem ser reprodução, imunidade, etc. As proteínas tam- ENzIMaS mula. Um ingrediente pode constituir fonte
macroelementos (ex. cálcio e fósforo) ou oli- bém são necessárias na fabricação das enzimas Molécula orgânica capaz de acelerar ou desen- de diversos nutrientes e ser melhorado pela
goelementos (ferro,cobre, zinco, etc.). que efetuam as reações químicas no interior cadear uma reação bioquímica no organismo. exclusão de componentes que não possuem
do organismo. importância nutricional.
NuTrIENTES
Moléculas orgânicas ou elementos minerais VITaMINaS FIBraS aLIMENTarES
simples que entram na composição dos ali- É uma substância orgânica semvalor energético Compostos existentes nos vegetais que englo- QuILOCaLOrIa
mentos, e que são indispensáveis ao funciona- próprio, indispensável ao organismo. bam celulose, hemicelulose, pectina, e que não Unidade de medida das necessidades energéti-
mento do organismo. Em função do estado do Algumas delas o animal não consegue sintetizar são assimiláveis pelo organismo. Sem carac- cas do animal e da concentração energética do
animal, produzir um alimento balanceado é em quantidades suficientes para o funciona- terísticas nutritivas diretas, as fibras alimen- alimento. Uma quilocaloria = 1.000 calorias =
comparável a conseguir montar um quebra mento normal de seu organismo. Dessa forma, tares são, contudo, muito importantes devido 4,18 quilojoules.
cabeças, onde cada peça representa um existem vitaminas que devem ser fornecidas a algumas funções: as fibras insolúveis facili-
nutriente diferente. obrigatoriamente através da alimentação, em
Agrupam-se por famílias, denominadas quantidades diárias suficientes.
princípios nutritivos: proteínas, lipídeos, car-

ISBN : 2-7476-0059-9 9 782747 600798


Continua na página desdobrável da contracapa
CAPA_BR.qxd: Couv 16/04/10 11:26 Página 2

Cada alimento, fonte de nutrientes específicos, Cada alimento, fonte de nutrientes específicos,
assegura o funcionamento de diversos órgãos assegura o funcionamento de diversos órgãos
Cérebro
e sistema nervoso Cérebro
Olhos
e sistema nervoso

Tireóide Olhos Tireóide Aparelho digestivo


Rins Músculos
Aparelho digestivo
Ossos
Dentes Rins

Músculos Dentes
Energia Aparelho genital

Aparelho genital Sangue

Sangue

Ossos

Articulações
Pele Articulações Fígado Pele
Fígado
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 1

Prof Dominique Grandjean

Tudo o que você deve saber


sobre
o papel
dos Nutrientes na saúde de

cães e gatos
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 2

ADVERTÊNCIA

Esta obra cuja finalidade é proporcionar uma boa informação ao leitor, não
deve ser utilizada como guia médico para substituir consultas e/ou intervenções dos
Médicos Veterinários que deverão ser sempre regularmente consultados.

Diretor artístico : Élise Langellier / Guy Rolland


Coordenação Editorial : Emmanuelle Pasquier
Concepção técnica : Diffomédia / Paris
Supervisão : Pascale Pibot (Responsável das Edições Científicas - Royal Canin)
Contato editorial : Marie-Laure Rémy-Néris (Royal Canin)
Revisão Portuguesa (Brasil): Luciana Domingues de Oliveira (Royal Canin do Brasil)

Ilustrações : Diffomédia/Élise Langellier, Vincent Jacques, Éric Josié, Lucie Sauget


Fotografias capa : Y. Lanceau/RC et J.-P. Lenfant/RC
Fotografias pp 6 ; 7 ; 8 : Y. Lanceau/RC

© 2006 Royal Canin


© 2006 Aniwa SAS

Editor Aniwa
10, rue du Colisée
75008 - Paris
www.aniwa.com

Depósito legal : 3° trimestre 2006


Impressão : Intergraf (Brasil)
Qualquer representação ou reprodução, integral ou parcial realizada sem o consentimento do autor ou seus representantes legais é ilícita de
acordo com as disposições do Código da Propriedade Intelectual (Art.L.112-4) e constitui uma contrafação sancionada pelo Código Penal.
Apenas são autorizadas (Art.L.112-4) as cópias ou reproduções estritamente reservadas à utilizada privada do reprodutor e que não se desti-
nem a utilização coletiva, assim como análises e breves citações justificadas pelo caráter crítico, pedagógico ou informativo da obra da qual
fazem parte sob reserva, no entanto, da observância das disposições contidas nos artigos L.122-10 a L122.12 do Código da Propriedade Intelectual
relativo à reprodução por reprografia.
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 3

Sumário
Prefácio Os minerais 44
Nutrição-Saúde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 Cálcio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46
Fósforo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Os quatro objetivos Potássio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
da Nutrição-Saúde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8 Citrato de potássio . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
O quebra-cabeças nutricional . . . . . . . . . . 9 Sódio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Fosfatos de sódio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .51
A armadilha das designações Magnésio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52
e dos ingredientes . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10 Oligoelementos quelados . . . . . . . . . . . . . . 53
Zinco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
As diferenças da fisiologia digestiva Ferro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
entre, o homem, o cão e o gato . . . . . . . 12 Manganês . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
Cobre . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
Conhecê-los bem Iodo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
para respeitar a sua saúde . . . . . . . . . . . 14 Selênio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Cobalto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60

Os carboidratos 16
Amido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18 As vitaminas 62
Açúcares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 Vitamina A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64
Fibras alimentares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20 Vitamina D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65
FOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Vitamina E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66
MOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22 Vitamina K . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67
Mucilagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Tiamina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
Riboflavina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69
Ácido pantoténico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Os lipídeos 24 Piridoxina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71
Vitamina B12 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72
Ácidos graxos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Niacina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Ácidos graxos ômega 6 . . . . . . . . . . . . . . . 27 Biotina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74
Ácido gama-linolênico (GLA) . . . . . . . . . . . 28 Ácido fólico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75
Ácidos graxos ômega 3 . . . . . . . . . . . . . . . 29 Colina-Inositol . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76
Ácido eicosapentaenóico (EPA) e Vitamina C . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77
ácido docosahexaenóico (DHA) . . . . . . . . 30
Ácidos linolênico conjugados (CLA) . . . . . 31
Os outros nutrientes 78
Água . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 80
Os proteínas 32 Antioxidantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 81
Aminoácidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 Pigmentos carotenóides . . . . . . . . . . . . . . . 82
Aminoácidos essenciais . . . . . . . . . . . . . . . 35 Polifenóis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Aminoácidos sulfurados . . . . . . . . . . . . . . . 36 Glicosamina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Arginina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Condroitina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85
Glutamina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Green Lipped Mussel (GLM) . . . . . . . . . . . 86
Lisina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Ácidos de frutos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Tirosina e fenilalanina . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Aloe vera . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Taurina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Curcumina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 89
Aminoácidos de cadeia ramificada . . . . . . . 42 Probióticos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
Carnitina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Zeolita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 91
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 4

Prefácio

H
abitualmente, um prefácio encoraja a leitura de uma obra em particular. Aqui, o meu propó-
sito será um pouco diferente: recomendo também a leitura dos outros livros de Dominique
Grandjean. Ao ler Peter Singer e Tom Regan, os mentores filosóficos dos direitos dos ani-
mais, surge a questão se eles compreendem mesmo os animais. Ao ler Charles Darwin, Albert
Schweizer e o próprio Dominique Grandjean, a empatia é imediata. Mesmo num pequeno livro
como este, que resume as funções e as propriedades revitalizantes dos nutrientes, ou seja, os elementos
essenciais dos alimentos, o desejo de ajudar os nossos cães, gatos e outras criaturas é aparente. E isso é
uma dádiva do autor, cuja vida é dedicada à amizade entre os seres humanos e os animais..

Cada momento que se dedicar à leitura deste livro será bem investido.
Não pretendo aborrecê-lo com uma proclamação solene acerca dos excelentes conhecimentos do
professor Grandjean, uma vez que existem mais quatro ou cinco especialistas do mesmo nível no
mundo. Ele distingue-se por uma imaginação fértil, o que dá vida a estas páginas. Em alguns minu-
tos, este pequeno livro ensinará mais à maioria dos leitores, do que a maior parte das outras fontes
sobre alimentação e saúde. Isso posso te garantir.

Permita-me confiar-lhe um segredo.


Em 1989, quando o Conselho de Pesquisa Nacional Norte Americano definiu as necessidades ali-
mentares dos cães em termos de energia, Royal Canin já tinha dado um passo a frente. De fato, além
de conceber os seus alimentos em função do seu aporte energético – e aqui intervém Dominique
Grandjean – todos os novos alimentos são dotados de uma quantidade de energia por quilograma
cuidadosamente calculada, adaptada ao modo de vida do animal. Assim, cada produto possui uma
densidade energética específica; o animal pode, assim, comer à vontade, sem engordar nem emagre-
cer, absorvendo a quantidade ideal de nutrientes. Este pequeno livro deve permitir compreender as
funções de cada nutriente para que, dessa forma, possa melhor adaptar a alimentação que será feita.

Os veterinários conhecem bem os trabalhos clínicos do professor Grandjean sobre os regimes ali-
mentares dos cães com afecções renais crônicas. A ideia prevalecente é que estes cães, a maior parte
deles idosos e magros, deviam seguir uma dieta pobre em proteínas, com base nos conhecimentos
adquiridos a partir dos ratos. Os testes realizados na Escola Veterinária de Alfort revelaram o contrá-
rio: estes cães beneficiavam mais com uma alimentação com um valor moderadamente elevado em
proteínas, o que estimula as funções renais enfraquecidas pelos alimentos com elevado teor proteico.
Esta é mais uma prova de que um melhor conhecimento dos nutrientes beneficia tanto os cães
doentes quanto os saudáveis.

Este livro é pequeno em tamanho, mas grande em conteúdo! Os textos e as ilustrações vão ensinar-
lhe tudo o que deseja saber sobre os nutrientes indicados para o seu animal e até mesmo para si. Vai
permitir-lhe escolher acertadamente os alimentos para os seus cães e gatos. E não é essa a melhor
forma de demonstrar que gostamos deles ?
David Kronfeld
O Professor “Paul Mellon” distinto da
Agricultura e Medicina Veterinária,
Virginia Tech, Blacksburg

4
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 5

Nutrição
Saúde
fabricantes de alimentos para animais de
companhia fizeram evoluir positivamente
a saúde dos nossos cães e dos nossos gatos.

Calcula-se que em 15 anos, os cães tenham


ganhado sensivelmente 3 anos em esperança
A de vida.
nutri-
ção veterinária Da simples “sobrevivência”, que contribuía com o
é a ciência que tem por objetivo descobrir nutrientes mínimo necessário para a manutenção da vida do
essenciais e as suas respectivas funções, em doses be- animal, passamos para a “alimentação”, o que se tra-
néficas para o animal, em função das quantidades duziu num animal mais belo e bem mais ativo.
ingeridas. A Nutrição é uma ciência dinâmica: o nú- Assim, surgiu a “Nutrição”. Esta nasceu do conhe-
mero de publicações referenciadas sob as palavras- cimento mais aprofundado do funcionamento do
chave “Saúde” e “Nutrição” subiu para 2748 em organismo e do estudo dos benefícios para a saúde
2005 contra 1331 em 1995, no espaço de 10 anos! proporcionados pela Natureza (extratos vegetais, cer-
tos minerais, diferentes qualidades de proteínas, etc.).
Assim, em cada ano são introduzidos novos ali-
mentos, novas fórmulas nutricionais que, além dos Atualmente, é possível formular os alimentos em
nutrientes essenciais para a manutenção de um or- função de necessidades bem definidas, de carências
ganismo saudável, incorporam elementos naturais bem identificadas que é preciso combater e de es-
para prevenir certos riscos de doenças e proteger o or- pecificidades raciais descobertas a par e passo com
ganismo. os progressos de investigação.

Em 30 anos, os alimentos preparados pelos grandes Tanto os cientistas quanto as grandes marcas de ali-

Da alimentação à Nutrição-Saúde
Parâmetros considerados
Necessidades energéticas (recomendações nutricionais
Anos 1970 Alimentação
extrapoladas a partir de cães de raça Beagle)
Idade e atividade
Anos 1980 Nutrição
(importância da digestibilidade dos ingredientes)
Nutrição de acordo Idade, atividade, porte (estudo das diferenças
Anos 1990
com o porte fisiológicas entre as raças)
Interesse de certos ingredientes para a saúde (nutracêuticos)
Anos 2000 Nutrição-Saúde
Influência da raça

5
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 6

mentos comerciais já reconheceram que os cães


devem ser alimentados de forma específica se forem
filhotes, adultos ou idosos, e também de acordo com
seu porte (cães pequenos, médios, grandes ou gi-
gantes).

No caso dos gatos, hoje em dia é possível estabele-


cer a diferença das necessidades nutricionais e não para
consoante a idade, mas também o modo de vida, mastigar, sem pré-digestão pela saliva, estômago
as sensibilidades, a condição sexual e mesmo a raça adaptado para digerir presas engolidas rapidamente,
(Persa, Maine Coon, Siamês, etc.). Este tratamento tubo digestivo relativamente curto (quanto maior
tem vindo a aumentar dia a dia, permitindo evoluir for o animal, mais curto), mal adaptados à digestão
a alimentação para Nutrição-Prevenção da maioria dos cereais… Eis o que ca-
e, quando necessário, Nutrição-Saúde ou racteriza um cão ou um gato.
Nutrição-Tratamento, ao participar no
tratamento de certas doenças. Animais fundamentalmente ativos reti-
O tamanho e a
ram a energia de que necessitam das gor-
Se foi o tempo em que os cães eram ali- forma dos órgãos duras e não apresentam os problemas de
mentados com os restos das refeições e os destes carnívoros “colesterol” como os humanos, mas
gatos bebiam leite (de vaca, o que não é muito diferente podem sofrer de obesidade (e das suas
está em concordância com as suas neces- dos nossos. consequências graves: cardíacas, diabéti-
sidades!). Mas outro perigo espreita os cas, articulares, etc.), caso não se respeite
nossos animais. Trata-se da tendência para a alimentação e a dosagem adaptadas.
o antropomorfismo. A proximidade (apa-
rente) entre os nossos companheiros de quatro patas No caso do cão, a alimentação é um regulador de
e o ser humano leva-nos a crer que sabemos como comportamento: o mesmo alimento, servido no
eles “funcionam”. Mas reagir de forma antro- mesmo comedouro, no mesmo local, à mesma hora,
pomórfica é conhecer mal o seu animal e esquecer constitui uma garantia de equilíbrio psicológico. O
que ele é um carnívoro. É projetar nele os nossos de- gato, pelo contrário, animal caçador individual, deve
sejos, o nosso modo de vida, sem se considerar suas ter livre acesso à sua alimentação, fazendo assim cerca
diferenças. de doze pequenas refeições durante o dia (e noite).

O ser humano é omnívoro, dotado de paladar apu- Torna-se mais fácil entender que é impossível ali-
rado, e que aprecia a variedade e dá importância ao mentar bem o seu animal se lhe for preparada uma
que lhe é apresentado no prato. Sendo assim, é nor- alimentação semelhante à do homem, que para o
mal pensar que ele faz bem quando dá ao gato ou animal não deve ser excessivamente cozida, nem
ao cão uma alimentação semelhante à sua. Trata-se muito rica em carboidratos, nem mal adaptada ao
de um erro grave. Quase 10.000 anos de domesti- seu modo de vida ou à sua morfologia. Considera-
cação não foram suficientes para transformar estes se o mesmo em relação a todos os pequenos prazeres
carnívoros em omnívoros! O organismo destes carní- que lhes oferecemos à imagem daqueles que tam-
voros está dimensionado de uma forma muito dife- bém nos permitimos. Um pedaço de chocolate (em
rente do nosso. Mandíbulas concebidas para cortar doses elevadas é um veneno para o cão!), açúcar, um

6
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 7

saúde não valerá este pequeno investimento de


tempo? É fundamental, porque ler os rótulos das
embalagens não dá uma visão clara da Nutrição.
Codificadas por regulamentações administrativas,
caracterizadas frequentemente pela exploração de
projeções
pouco de queijo (30 gramas de Queijo Prato cor- de sentimentos e comportamentos humanos, as in-
respondem a 1/3 das necessidades alimentares em formações mencionadas nas embalagens são, por
energia de um cão de raça pequena!), um pedaço de vezes, difíceis de serem compreendidas.
pão, etc., todos estes pequenos “extras” desequili-
bram rapidamente uma dieta equilibrada por si. Estes É por este motivo que alguns “truques” facilitam a
desequilíbrios podem acarretar transtor- escolha da alimentação que
nos intestinais e degradar pouco a pouco
Alimentar o melhor se adapta às verdadeiras necessi-
a saúde do animal. Estragar o seu cão ou animal diaria- dades de cada animal, truques que lhe for-
gato com mimos adquire assim um duplo mente com um necemos a seguir, em resposta a pergun-
sentido… alimento que tas que colocam legitimamente inúmeros
contém nutrientes proprietários de animais de companhia.
Então, este livro terá com simples objetivo Quando se adota um cão ou um gato, as-
frustrar o leitor, impedindo-o de dar pro-
adaptados ao seu sume-se simultaneamente a responsabili-
vas do seu afeto ao seu animal? É claro tamanho, à sua dade pelo seu conforto de vida e pela sua
que não, muito pelo contrário! Mas o idade e à saúde. Esta responsabilidade implica tam-
afeto devotado a um animal não deve dar sua condição bém aprender a conhecê-los… verdadei-
origem a comportamentos alimentares fisiológica ramente.
contranaturais. Este guia pretende escla-
recer o leitor sobre o que são os nutrientes e a sua Boa leitura, boas descobertas e não hesite em nos
importância para o cão ou para o gato, bem como comunicar sobre suas dúvidas no site da Internet:
sobre as verdadeiras fontes de bem-estar e saúde para
o animal. Este esclarecimento revela-se cada vez mais
necessário, porque compreender a ciência da
Nutrição implica dedicar-lhe alguma atenção – e a

7
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 8

Os quatro objetivos
da
Nutrição
Saúde
Impulsionado pela pesquisa veterinária e científica, o
conceito tradicional de Nutrição, ou seja, construção,
manutenção do organismo e fornecimento de ener-
gia, evoluiu para integrar progressivamente dimensões
preventivas e, em determinadas condições, terapêu-
ticas. É o nascimento da Nutrição-Saúde.

A Nutrição possui quatro objetivos:


NUTRIÇÃO: NUTRIÇÃO-SAÚDE:

3 - Nutrição e Prevenção:
1 - Desenvolvimento corporal e manutenção: Alguns nutrientes são incorporados nos alimentos
Aminoácidos, minerais, vitaminas e ácidos graxos (antioxidantes, prebióticos, fibras, ácidos graxos es-
respondem às necessidades nutricionais básicas para senciais, etc) de forma a prevenir riscos, como por
o desenvolvimento e manutenção do organismo. exemplo no caso da doença renal, distúrbios digesti-
vos ou envelhecimento.

2 - Demanda protéica: 4 - Nutrição e Tratamento


Lipídeos e carboidratos são as principais fontes Certos nutrientes são adicionados em maiores
energéticas para os cães. Os gatos também são de- quantidades, enquanto que outros são limitados nos
pendentes de proteínas para seu metabolismo ener- alimentos, de forma a suportar o processo
gético terapêutico ou de convalescença, auxiliando na
recuperação de animais enfermos.

A abordagem nutricional é a realização concreta


num único alimento de um quebra-cabeças com-
plexo, integrando em justas proporções cerca de cin-
quenta nutrientes, necessários para o cumprimento
dos quatro objetivos nutricionais, para responder às
verdadeiras necessidades precisas e específicas de cada
organismo.

A abordagem “ingredientes” designa simplesmente


uma lista de elementos visíveis (ou seja, matérias pri-
mas alimentares), que entram na composição de um
alimento sem integrar a noção de equilíbrio entre
nutrientes. Portanto, revela-se menos precisa e menos
atenta às necessidades do animal.

8
01_09_BR: p 01 à 08 - Titre à avpropos 16/04/10 11:28 Página 9

O quebra-cabeças
nutricional
Preparar um alimento equilibrado é montar um que-
bra-cabeças complexo, constituído por cerca de cin-
quenta peças, cada uma representando um nutriente
indispensável ao animal. O equilíbrio ideal é obtido
ao jogar com a complementaridade dos ingredientes
que, em proporções adequadas, representam cada
um uma parte maior ou menor deste quebra-cabe-
ças.

Exemplo 1:
Antioxidantes

Exemplo 2:
Aminoácidos
essenciais

Etc.

9
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 10

armadilha
A
dos nomes
dos ingredientes

Uma boa alimentação requer atenção


redobrada em relação ao PERFIL DE
NUTRIENTES (proteínas, minerais, vitami-
nas, lipídeos, carboidratos), à sua dosagem e
a diversidade de fontes, mais do que aos
NOMES e aos INGREDIENTES (“com
frango”,“com carneiro”, “com salmão”…)

carne fresca
Croquet es
para cão

25%
de carne fresca
= 4 a 5%
de proteínas

Como é que um alimento com “25% de carne fresca”


contém apenas 4 a 5% de proteínas?
A regulamentação de alguns países obriga os fabri- apenas 6 a 7% de proteínas de carneiro no alimento
cantes de alimentos a inscreverem os ingredientes seco final. Imaginemos que este alimento contém
por ordem decrescente de inclusão na fórmula. também 20% de milho, 20% de arroz, 15% de peixe
Assim, a carne fresca ou certos ingredientes contendo desidratado, 10% de gordura de aves e 10% de óleo
muita água podem aparecer no topo da lista, dando vegetal. O fabricante poderá imprimir em destaque
a ilusão de ser a principal contribuição nutricional. “Carneiro” na lista dos ingredientes, mas os cereais
Por exemplo, se considerarmos que a carne contém serão os principais ingredientes em termos quanti-
75% de água, a inclusão de 25% de carne de car- tativos.
neiro antes do cozimento representa

10
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 11

Todas as descrições de ingredientes são controladas*


“contém…” menos que 4% do ingrediente mencionado
“com…” 4 a 14% do ingrediente mencionado
“enriquecido com...” 14 a 26% do ingrediente mencionado
“a base de…” 26 a 100% do ingrediente mencionado
“total…” 100% do ingrediente mencionado (o que significa que o alimento não é balanceado)

* Pode variar de acordo com a legislação de cada País.

Alimento Alimento Alimento


Cr
“com carne Cr
“com carne de Cr
“com frango”
oq oq
uetes oq
uetes uetes
para cão bovina” para cão carneiro” para cão 4% de frango
Com Com borrego 4% de carne de Co m
vaca 4% de carne frango
4% bovina 4% carneiro 4%

= =
Ingredien Ingredien Ingredien
tes tes tes
o go g o
Vac a Frango Bo rreg Vac a Frango Borre Vac a Frango Borre

Os mesmos ingredientes... os mesmos alimentos... mas 3 designações e 3 embalagens diferentes!!

O mesmo alimento: três designações diferentes possíveis


Assim, um alimento pode ser formulado com, por frango”. E haverá sempre alguém dizendo que o seu
exemplo, 4% de frango, 4% de carneiro e 4% de bo- animal prefere o alimento com carneiro, embora o
vinos, entre outros ingredientes, e ter três designa- conteúdo seja exatamente o mesmo que o do alimento
ções diferentes: “com vaca”, “com carneiro”, “com com frango ou bovino!!!

Como avaliar a qualidade de um alimento?


A qualidade de um alimento é avaliada de várias for- Ingredientes muito digeríveis, com todos os nutrien-
mas: tes de que o animal necessita, constituem a base de
- a curto prazo: pela sua palatabilidade e a sua tole- uma formulação bem feita. O trabalho do formula-
rância digestiva dor consiste em associar os diferentes ingredientes nas
- a médio prazo: pela evolução do estado corporal do proporções que respeitam as exigências nutricionais e
animal e pela qualidade da sua pelagem tecnológicas. Por fim, a qualidade depende das condi-
- a longo prazo: da saúde do animal ao longo do tempo, ções de preparação e armazenamento do alimento.
o seu desempenho desportivo ou reprodutivo.
Um alimento de qualidade é o resultado da conjunção
A qualidade de um alimento é avaliada, em primeiro de vários fatores diferentes.
lugar, pela qualidade dos ingredientes que o compõem.

11
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 12

Diferenças
fisiológicas do sistema digestório
entre o homem,
o cão,
e o gato

Peso do trato digestivo/ 10 a 12%


Peso corporal
Área das membranas olfativas 3 a 10cm2
Células olfativas 2 a 10 milhões
Papilas gustativas 9.000
Dentição 32 dentes
Mastigação prolongada
Enzimas salivares digestivas SIM
Tempo de ingestão de alimentos 30 a 60 minutos
Necessidade energética diária 1.800 a 2.500 kcal/dia
pH estomacal 2a4
Comprimento do intestino delgado 6 a 6,5 m
Comprimento do intestino grosso 1,5 m
Tempo médio de trânsito intestinal 3 dias
Recomendação de ingestão de carboidratos para adultos 60 a 65% da matéria seca
Recomendação de ingestão de proetínas para adultos 8 a 12% da matéria seca
Recomendação de ingestão de gorduras para adultos 25 a 30% da matéria seca
Dieta onívoro

12
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 13

Um cão não é um homem,


e o gato não é um cão pequeno!!!

Diferenças fundamentais em termos fisiológicos e nem um gato Persa e um Singapura! Portanto, é ne-
de regime alimentar fazem com que cada uma das cessário por de lado os nossos reflexos antropor-
espécies possua necessidades nutricionais específi- móficos, que são prejudiciais à saúde dos nossos ani-
cas. Além disso, não se alimenta da mesma forma mais! A tabela seguinte explica algumas destas dife-
um cão de raça pequena e um cão de raça gigante, renças.

2,7% para cães gigantes 2,8 a 3,5%


e 7% para cães de pequeno porte
60 a 200cm2 20cm2
80 a 220 milhões 60 a 70 milhões
1.700 500
42 dentes 30 dentes
muito curta sem mastigação
NÃO NÃO
1 a 5 minutos múltiplas refeições pequenas
130 a 3.500 kcal/dia 200 a 300 kcal/dia
1a2 1a2
2a6m 1 a 1,7 m
20 a 80 cm 20 a 40 cm
24 a 48 horas 24 a 36 horas
muito baixa muito baixa
20 a 40% da matéria seca 25 a 40% da matéria seca
10 a 65% da matéria seca 15 a 45% da matéria seca
semi-carnívoro carnívoro

13
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 14

bem
Conhecê-los

para respeitar a sua saúde


Os cães e os gatos
são carnívoros
e o organismo deles está
adaptado ao consumo de carne

1. 42 dentes no cão; as 5. A acidez do estô- 6. O comprimento do 7. O trânsito no intes-


fortes mandíbulas per- mago é bem mais ele- intestino delgado varia tino grosso é muito
mitem rasgar e não per- vada do que a do estô- entre 2 e 6 m, de acordo lento, mesmo este sendo
mitem a mastigação. mago dos homens (di- com o tamanho do cão. curto (20 a 80cm). É
gere ossos e destruição A duração do trânsito no neste órgão que ocorre
2. Poucas papilas gus- de bactérias patogêni- intestino delgado é de a fermentação dos ali-
tativas; cães não apre- cas ingeridas). cerca de 2 horas apenas. mentos não digeridos.
sentam paladar muito
aguçado.

3. Sem enzimas diges-


tivas na saliva (sem
pré-digestão).

4. O estômago pode
comportar um grande
volume,; até 8 litros
num cão gigante (adap-
tado a refeições volu-
mosas).

14
10_15_BR: p 09 à 14 - pièges aliments 16/04/10 11:29 Página 15

O animal ingere
a sua refeição sem saboreá-la
Os alimentos chegam
ao estômago em grandes pedaços
A digestão é rápida e os alimentos
não adaptados ao regime carnívoro
são rejeitados em grandes proporções

1. 30 dentes no gato, 3. Sem enzimas diges- 5. O estômago do gato 7.O trânsito no intestino
todos incisivos. tivas na saliva (sem pré- (assim como o do cão) grosso é muito lento (20
digestão). contém 6 vezes mais horas, pelo menos),
2. O gato possui ainda ácido clorídrico do que mesmo este sendo curto
menos papilas gustati- 4. Ao contrário do cão, o do homem. (20 a 40cm). É neste
vas do que o cão. Não é o gato faz múltiplas órgão que é feita a fer-
sensível ao sabor açuca- pequenas refeições ao 6. O intestino delgado mentação dos alimentos
rado. longo do dia. do gato está bem adap- não-digeridos.
tado para digerir proteí-
nas e gordura, sendo
menos eficiente na di-
gestão do amido presente
nos cereais.

15
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 16

Carboidratos

ura
leved

ob a designação de carboidratos Todos os vegetais contém carboidratos,


são consideradas moléculas com- desde a sacarose da beterraba até as fi-
postas de carbono, oxigênio e hi- bras mais indigestíveis da casca das ár-
drogênio, que têm certas características vores.
químicas em comum. Os carboidratos
Cães e gatos poderiam viver sem car-
pertencem sobretudo ao reino vegetal,
boidratos na sua alimentação, já que sin-
com exceção da glicose sanguínea, do
tetizam a glicose necessária para as cé-
glicogênio dos músculos e do fígado, e da
lulas a partir de aminoácidos. A ingestão
lactose do leite.
de carboidratos, entretanto, acrescenta
grandes melhorias ao funcionamento

16
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 17

orgânico. bras, que também pertencentes ao


grupo dos carboidratos, desempenham
Embora a glicose, a sacarose, a lactose
um papel importante para o trânsito e
e o amido apresentem como função o
o equilíbrio da microbiota intestinal; é o
fornecimento de energia, a sua origem
caso, por exemplo, dos fruto-oligossa-
vegetal e seu grau de cozimento in-
carídeos (FOS) e dos mano-oligossa-
fluenciam o processo digestivo. A pre-
carídeos (MOS).
sença de amido mal cozido nos alimen-
tos pode desencadear diarreia. As fi-

tubo digestivo

sacarose
lactose
glicose

amido frutose

galactose

sangue

glicose frutose glicose galactose

O amido, a lactose e a sacarose são digeridos


pelas enzimas da borda em escova do intestino
delgado. Em seguida as moléculas simples de gli-
cose, frutose e galactose entram na circulação
sanguínea.

17
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 18

c a r b o i d r a t o s

Amido
também denominados:
Féculas

saúde & Prevenção


Para ser digerido pelo cão ou pelo gato, o amido tem de estar bem cozido; caso contrário, pode de-
sencadear diarreia aguda ao ser fermentado no intestino grosso. Um excesso quantitativo pode indu-
zir o mesmo fenômeno, quando a capacidade de digestão enzimática é ultrapassada , situação frequente
nos cães e gatos de raças nórdicas.

Uma breve informação Fontes naturais


Amidos são moléculas de carboidratos nas quais se São substâncias de reserva (equivalentes ao tecido
interligam milhares de moléculas de glicose através adiposo nos animais), existentes nos vegetais: grãos
de ligações químicas simples. de cereais (arroz, milho, trigo, cevada, etc), batata ou
mandioca. O amido representa 50 a 70% dos grãos
Funções desempenhadas no organismo de cereais.
O amido serve apenas para fornecer energia ao ani- Nos alimentos industrializados secos, o amido dos
mal após serem degradados pelos processos digesti- cereais permite que seja obtida a forma típica dos
vos, para que as moléculas de glicose sejam gra- croquetes (formação de cavidades dentro dos cro-
dualmente absorvidas pelo intestino. quetes pelo processo de expansão).

amido cozido
O amido é decomposto em
glicose
moléculas de glicose através
das enzimas (amilases)
secretadas pelo pâncreas e
pelas células digestivas do in-
testino delgado.

sangue

amido em água
excesso ou cru Quando o amido está em ex-
cesso ou mal cozido, a sua di-
gestão é incompleta.
As moléculas de amido não di-
geridas são fermentadas pela
microbiota intestinal do intes-
tino grosso, promovendo a en-
trada de água no intestino, cau-
diarreia sando diarreia e flatulência.

Fonte de energia - risco de diarreia se administrado cru ou em excesso


18
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 19

c a r b o i d r a t o s

Açúcares
também denominados:
Carboidratos simples, dissacarídeos e trissacarídeos

saúde & Prevenção


Os açúcares não representam nenhum papel preventivo ou curativo para a saúde do cão ou do gato.
Quando incorporados em excesso no alimento, podem causar obesidade ou diabetes.

Uma breve informação vida, a enzima digestiva lactase é necessária para per-
“Açúcar” na linguagem corrente refere-se às pro- mitir a assimilação desse açúcar. Entretanto, a lac-
priedades adoçantes, em termos de sabor, de car- tase é drasticamente reduzida após o desmame.
boidratos como a sacarose ou a frutose. Sem outro Como estes animais deixam de ser sensíveis ao pa-
qualificativo, este termo designa a sacarose (açúcar ladar adocicado, e como podem sintetizar de forma
de beterraba e de cana), mas também pode corres- autônoma a glicose sanguínea a partir das proteí-
ponder à glicose (açúcar da uva), à frutose (açúcar nas, os açúcares deixam de ter interesse nutricional
da fruta) ou à lactose (açúcar do leite). O gato, ao para cães e gatos.
contrário do cão, é muito pouco sensível ao sabor
açucarado. Fontes naturais
Os açúcares são formas simples de reserva energé-
Funções desempenhadas no organismo tica para a maioria das plantas com frutos, raízes ou
Embora a lactose constitua um aporte energético tubérculos. A única fonte deste tipo de açúcar en-
imediato para filhotes de cães e gatos no início da contrada no organismo animal é a lactose do leite.

tubo digestivo

frutose

glicose
sacarose lactose
galactose

A lactose e a sacarose
são digeridas pelas
enzimas da borda em es-
cova do intestino
delgado. Em seguida as
moléculas simples de gli-
sangue cose, frutose e galactose
passam para a circulação
sanguínea.

Fonte de energia - riscos de diarreia e de obesidade


19
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 20

c a r b o i d r a t o s

Fibras alimentares
ra também denominadas:
levedu
Fibra alimentar total (FDT)

saúde & Prevenção


Como resultado dos recentes progressos no conhecimento dos tipos de fibras dos alimentos,
doenças como a obesidade, diabetes, constipação e diarreia podem ser prevenidas ou tratadas de
forma mais eficiente pela adição do tipo correto destes nutrientes, na quantidade adequada, em ali-
mentos para cães e gatos.
Uma breve informação lando os movimentos de contração (peristaltismo).
A celulose é uma molécula muito grande, composta As fibras solúveis podem desempenhar um papel im-
por milhares de unidades de glicose ligadas entre si portante na saúde e no equilíbrio da microbiota in-
por ligações químicas mais sólidas que as encontra- testinal (FOS, MOS).
das no amido. Contudo, a celulose representa ape- A ingestão de quantidades suficientes de fibras é im-
nas uma parte da fibra alimetar encontrada nos ali- portante para favorecer a saciedade em animais com
mentos. As fibras alimentares agrupam outras sub- tendência para a obesidade. É também importante
stâncias vegetais fibrosas, solúveis ou insolúveis: he- em gatos sedentários, que apresentam maior predis-
miceluloses, pectinas, lignina, oligossacarídeos (pre- posição para a formação de bolas de pêlo.
bióticos). A celulose sozinha não tem um grande valor
nutricional, embora seja declarada como “fibra bruta” Fontes naturais
nos rótulos das embalagens. As fibras são um dos principais constituintes das
plantas, e são para elas uma espécie de esqueleto ex-
Funções desempenhadas no organismo terno que lhes confere forma. Assim, compreende-
O papel das fibras no organismo depende da sua na- mos melhor a grande diversidade de moléculas agru-
tureza. As fibras indigestíveis e insolúveis (celulose, padas sob o termo “fibras”; basta, por exemplo, com-
lignina) servem para formar o bolo intestinal, per- parar um tronco de árvore com uma cenoura ou um
mitindo o seu funcionamento mecânico, estimu- feijão verde!

nutrientes

O trânsito intestinal deve fibras alimentares


ser suficientemente lento
trânsito digestivo
para permitir a absorção
dos nutrientes, mas sufi-
cientemente rápido para
evitar a constipação.

As fibras alimentares
estimulam o trânsito
intestinal

equilíbrio, saúde e funcionamento do sistema digestório


20
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 21

c a r b o i d r a t o s

FOS
também denominados:
Fruto-oligossacarídeo, prebiótico
Aspergillus

saúde & Prevenção


A incorporação de FOS no alimento permite, ao mesmo tempo, prevenir as diarreias infecciosas cau-
sadas pela proliferação de bactérias patogénicas no intestino e alimentar convenientemente as célu-
las do cólon, a fim de facilitar a sua renovação regular.

Uma breve informação gestório são bem conhecidos:


Os fruto-oligossacarídeos, ou FOS, funcionam - inibição do crescimento de “bactérias maléficas” (ou
como fibras fermentáveis. Como não são digeri- bactérias patogênicas);
dos, são rapidamente fermentados pelas bactérias - melhoria da digestão e da absorção dos nutrientes.
presentes no cólon, propiciando a produção de A suplementação com FOS na alimentação de cade-
ácidos graxos de cadeia curta (denominados áci- las reprodutoras permite aumentar o teor de anti-
dos graxos voláteis), que: corpos (IgM) presentes no leite, favorecendo melhor
- acidificam o meio intestinal; imunidade dos filhotes.
- são nutrientes excelentes para a manutenção e a
renovação das células; Fontes naturais
- revestem as paredes do intestino grosso. O FOS é sintetizado por um fungo (Aspergillus ni-
gricans) na presença de açúcar. O açúcar, ou saca-
Funções desempenhadas no organismo rose, é composto pela associação de uma molécula
Devido à sua fermentação, o FOS permite alimen- de glicose e uma molécula de frutose. O fungo se-
tar diretamente as células do intestino grosso. Mas creta uma enzima que permite a adição de molécu-
favorecem sobretudo o desenvolvimento de micro- las de frutose suplementares para formar o FOS.
biota intestinal específica (bifidus e lactobacillos),
cujos efeitos benéficos sobre a saúde do sistema di-

sem FOS O FOS serve de substrato de


desenvolvimento para bacté-
rias benéficas à saúde intesti-
nal.

com FOS

bactérias “boas”
bactérias “más”
FOS
trânsito digestivo

Prevenção de diarreias infecciosas - saúde intestinal


21
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 22

c a r b o i d r a t o s

ura
MOS
leved
também denominado:
Manano-oligossacarídeo

saúde & Prevenção


O MOS participa do equilíbrio da microbiota intestinal e age direta e indiretamente sobre a saúde do
sistema digestório. Consequentemente, ele é muito efetivo na prevenção de diarreias e de doenças in-
fecciosas de origem digestiva.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


Os manano-oligossacarídeos pertencem à grande O MOS é originado da parede de leveduras, e exer-
categoria das fibras e, por isso, são carboidratos não cem dois tipos de ações benéficas no intestino:
digeridos pelo animal. Assim como os FOS, são - limitam o desenvolvimento das bactérias patogê-
efetivos contra o desenvolvimento de bactérias pa- nicas, as impedindo de se fixarem na mucosa do in-
togênicas que colonizam o lúmen intestinal, mas testino;
com um modo de ação diferente. Os MOS são com- - melhoram diretamente a eficácia do sistema imune,
postos por dois açúcares: a glicose e a manose. permitindo uma defesa mais eficiente contra os
agentes patogênicos.

Fontes naturais
Os MOS são fibras provenientes da parede das le-
veduras.

sem MOS

bactérias “boas”
bactérias “más”
MOS
trânsito digestivo

com MOS

As bactérias
patogénicas não
se podem fixar
à parede intestinal
A mucosa intestinal
reforça a sua imunidade

Prevenção de diarreias – Melhoria do sistema imune


22
16_23_BR: p 15 à 22 - Glucides - FR 16/04/10 11:30 Página 23

c a r b o i d r a t o s

Mucilagens
Exemplo: psyllium
Psyllium

saúde & Prevenção


As mucilagens são fibras solúveis em água que são utilizadas para tratar problemas de trânsito gas-
trintestinal. Regulam o trânsito intestinal e facilitam a eliminação fecal.

Uma breve informação gestivo. O psyllium atua contra a constipação. Esta


As sementes de psyllium são uma fonte muito boa é a sua principal indicação em medicina humana.
de mucilagens. O psyllium vem da palavra grega A progressão do bolo fecal no cólon é mais regular
“psyllia”, que significa pulga: os grãos, pretos ou lou- e a lubrificação induzida pelo gel de psyllium faci-
ros consoante os cultivares, se assemelham a pulgas. lita a eliminação das fezes.
O psyllium é muito utilizado na alimentação dos
cães de trenó, para prevenir as diarreias de stress.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo As diferentes espécies de psyllium (Plantago ovata,
As mucilagens que compõem a casca das sementes Plantago ispaghula) são plantas originárias da Índia.
de psyllium têm uma grande capacidade de reten-
ção de água. Estas aumentam de volume, fixando a
água e criando um gel que aumenta a viscosidade
do conteúdo intestinal (quimo).
O psyllium é um fator de melhoria do trânsito di-

nutrientes

água livre
sementes de psyllium
As fibras da casca das numa película de água
sementes de psyllium trânsito digestivo
comportam-se como
risco de diarreia
uma esponja: fixam a
água e regularizam o
trânsito intestinal.

menor risco de diarreia

Prevenção dos problemas de trânsito intestinal: diarreia e constipação


23
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 24

Lipídeos

O
s cães, mais que os gatos, são na- cerol, constituintes dos triglicerídeos, são
turalmente atraídos pelos ali- os elementos predominantes. Os lipídeos
mentos ricos em lipídeos, mas podem ser simples (triglicerídeos) ou
estes devem ser limitados se os animais complexos (contendo muitos outros ele-
tiverem pouca atividade física. mentos). As membranas celulares são
Na ausência de restrição, o excesso de compostas, por exemplo, por fosfolipí-
lipídeos conduz à obesidade. Em contra- deos.
partida, não é possível viver sem lipídeos, As gorduras são a fonte energética de
pois são fonte de energia e de ácidos eleição para o organismo do cão ou do
graxos essenciais. gato, que através da oxidação (graças ao
Os lipídeos constituem uma família de oxigênio) obtém a energia que necessita.
substâncias orgânicas, mais conhecidas Um grama de lipídeos representa cerca
como gorduras. Os ácidos graxos e o gli- de 9 kcal de energia metabolizável, ou seja,
2 vezes e meia mais que 1 g de carboi-

24
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 25

dratos ou proteínas. animais (manteiga, sebo, banha, ovos, gor-


dura de aves, óleos de peixe) e vegetais
Certos ácidos graxos (essenciais) tam-
(óleos, sementes oleaginosas).
bém desempenham funções estruturais
para a célula, outros são precursores de
certos hormônios.
As fontes de lipídeos alimentares são
todos os alimentos ricos em gorduras

fígado vesícula
pâncreas biliar

lipase pancreática

glicerol livre

monoglicerídeo

triglicerídeo
lúmen
intestinal ácido biliar

No intestino, as gorduras
dietéticas são emulsionadas
parede
epitelial pelos ácidos biliares e
digeridas pelas enzimas
pancreáticas (lipases). A
mucosa seguir, os ácidos graxos são
intestinal absorvidos para a circulação
sanguínea ou linfática.

linfa
sangue

25
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 26

l i p í d e o s

óleo Ácidos graxos


óleo

saúde & prevenção


Os ácidos graxos poliinsaturados, abundantes nos óleos alimentares, alteram-se sob o efeito do oxi-
gênio, do calor e da luz. Este fenômeno, chamado rancificação ou oxidação, pode tornar-se perigoso,
devido à formação de compostos complexos (hidroperóxidos). É por isso que é indispensável adicio-
nar antioxidantes a um alimento.

Uma breve informação essantes para o fornecimento rápido de energia aos


Os ácidos graxos são os principais constituintes dos cães de esporte, bem como ao animal diabético e
lipídeos. Estes se caracterizam pelo número de áto- aos filhotes recém-nascidos.
mos de carbono que os compõem (falamos de ácidos
graxos de cadeia curta, média ou longa). Estes podem Os ácidos graxos poliinsaturados têm papéis estru-
ser saturados (sem ligação química entre 2 carbonos) turais (nas membranas ou nas lipoproteínas do
ou insaturados (comportando 1 a 6 duplas ligações). sangue). Entre eles, os ácidos graxos precursores das
Estes últimos são mais frágeis, sujeitos à oxidação. séries ômega 3 e ômega 6 têm funções essenciais e
Alguns são designados ácidos graxos essenciais, porque não podem ser sintetizados pelo organismo.
são indispensáveis para o organismo e devem estar im-
perativamente presentes na alimentação. Fontes naturais
São as mesmas que as dos lipídeos: óleos e gorduras,
Funções desempenhadas no organismo vegetais ou animais. Quanto mais um alimento
Os ácidos graxos saturados são apenas fontes de ener- contiver ácidos graxos insaturados, maior a impor-
gia (falamos de calorias “vazias”, porque não têm tância da proteção contra a oxidação (é necessário o
outra função). Os ácidos graxos saturados de cadeia aumento do nível de antioxidantes, como a vita-
curta (6 a 10 átomos de carbono) são muito inter- mina E).

ácidos graxos
de cadeia curta:
ácidos graxos saturados de cadeia
energia (desporto)
longa : energia (manutenção),
armazenamento no tecido adiposo

ácidos graxos polinsaturados de cadeia


longa: energia + estrutura da membrana
ácidos graxos essenciais:
substâncias hormonais

Fornecimento de energia - Fontes de ácidos graxos essenciais


26
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 27

l i p í d e o s

óleo
Ácidos graxos ômega 6

saúde & prevenção


O fornecimento de ácido linoléico é indispensável para a síntese das membranas celulares. Uma ca-
rência provoca o aparecimento de pêlo áspero, seco e quebradiço.Também afeta a integridade da bar-
reira cutânea: a pele torna-se mais sensível à desidratação e às infecções.

Uma breve informação 6 agem sobre a saúde da pele e sobre a qualidade do


Os ácidos graxos, ditos da série “ômega 6”, são áci- pêlo, bem como sobre o sistema reprodutivo do ani-
dos graxos biologicamente indispensáveis e que de- mal.
rivam todos de um ácido graxo essencial contendo
18 átomos de carbono e 2 duplas ligações quími- Fontes naturais
cas, denominado ácido linoléico. A partir deste úl- Os óleos vegetais são, geralmente, ricos em ácidos
timo, derivam dois outros ácidos graxos de cadeia graxos ômega 6. Mas algumas gorduras animais in-
longa, chamados GLA (ácido gama linolênico) e saturadas, como as gorduras de porco ou, sobretudo,
ácido araquidônico. de aves, são igualmente fonte de grandes quanti-
dades de ácido linoléico (mais de 20% na gordura
Funções desempenhadas no organismo de aves). Em contrapartida, as gorduras de bovinos
Indispensáveis à síntese de prostaglandinas, molé- (banha, manteiga) contêm muito pouco deste nu-
culas de atividade hormonal, os ácidos graxos ômega triente.

ômega 6
óleos vegetais
e certas gorduras
animais saúde da pele e
insaturadas qualidade do pêlo

prostaglandinas

função de
reprodução pele

Ácidos graxos essenciais - saúde da pele – Beleza do pêlo – reprodução


27
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 28

l i p í d e o s

Ácido
gama-linolênico
também denominado: GLA

saúde & prevenção


O ácido gama-linolênico (GLA) apresenta uma função significativa no combate todos os problemas de
origem inflamatória, em particular em afecções dermatológicas. Os efeitos positivos são particular-
mente claros nos animais que apresentam reações alérgicas.

Uma breve informação dução é feita dependendo da síntese de outras pros-


O GLA é utilizado em cosmética, nos produtos que taglandinas, as prostaglandinas de tipo 2, que têm
visam regenerar a flexibilidade e a elasticidade da um efeito pró-inflamatório.
pele. É particularmente indicado em caso de desi-
dratação cutânea ou produção excessiva de sebo (se- Fontes naturais
borreia). O GLA é um ácido graxo insaturado da família
ômega 6 (C18: 3). É obtido a partir do ácido lino-
Funções desempenhadas no organismo léico. No gato, a síntese de GLA a partir do ácido li-
A incorporação de GLA no alimento favorece a sua noléico é uma etapa delicada, porque a enzima res-
integração nos tecidos: no fígado, nos glóbulos ver- ponsável por esta transformação tem uma atividade
melhos, nas paredes das veias, etc. Os ácidos graxos muito fraca. Os únicos óleos que contêm uma boa
insaturados, como o GLA, permitem manter a flui- quantidade de GLA são o óleo de borragem, o óleo
dez das membranas celulares, qualidade essencial de onagra e o óleo de groselha preta. Entre estes, é
para realizar as trocas vitais entre células. Um suple- o óleo de borragem o mais rico (> 20%).
mento de GLA favorece o aumento da produção de
hormônios, as prostaglandinas de tipo 1, cujos efei-
tos anti-inflamatórios são bem conhecidos. Esta pro-

ácido linoléico

ácido gama-linolênico
óleo de
borragem
ácido araquidônico

A borragem (Borago officinalis) é uma


planta originária da Ásia. O óleo é
obtido por prensagem das sementes.

beleza do pêlo

saúde, flexibilidade e elasticidade da pele


28
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 29

l i p í d e o s

Ácidos graxos ômega 3


óleo

saúde & prevenção


Além do seu papel biológico, os ácidos graxos ômega 3 são utilizados na alimentação de cães de
esporte, de cães e gatos idosos, de animais com doenças inflamatórias crônicas (osteoartrite, insufi-
ciência renal crônica, diarreias inflamatórias, doenças de pele).

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


Os ácidos graxos ômega 3 constituem uma família As funções dos ácidos graxos ômega 3 são inúmeras,
particular da categoria dos ácidos graxos poliinsa- entre elas:
turados. Esta família deriva de um ácido graxo, - papel anti-inflamatório, inibindo a síntese de certos
constituído por 18 átomos de carbono e 3 duplas mediadores químicos da inflamação;
ligações químicas, denominado ácido alfa-linolê- - melhoria do desempenho esportivo e da oxigenação
nico (ALA). Deste último, derivam 2 outros áci- cerebral (no caso do animal idoso);
dos graxos mais longos, mas muito importantes, - melhoria das capacidades de aprendizagem no ani-
designados EPA (ácido eicosapentaenóico) e DHA mal jovem;
(ácido docosahexaenóico).
Fontes naturais
Certos óleos vegetais (linho, colza, soja) contêm uma
quantidade significativa de ALA, precursor de EPA e de
DHA. Em contrapartida, estes últimos só se encontram
Maturação do sistema de forma concentrada nos óleos de peixe (em proporções
nervoso no animal jovem e diferentes, de acordo com o tipo de peixe) e nas algas.
luta contra o envelhecimento
cerebral no animal idoso intestino articulações

ômega 3
óleos de peixe

oxigenação
papel anti-inflamatório
celular

esforço (muscular) pele rim

Ácidos graxos essenciais- ação anti-inflamatória- oxigenação das células- esforço físico
29
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 30

l i p í d e o s

óleo EPA e DHA


também denominados: ácido eicosapentaenóico
e ácido docosahexaenóico

saúde & prevenção


Os ácidos graxos ômega 3 de cadeia longa (EPA e DHA) são especialmente conhecidos pelo seu papel
anti-inflamatório. Suplementar o alimento com EPA e DHA apresenta também outros interesses:
- proteção das funções cardíaca e renal (papel na fluidificação do sangue e ação hipotensora);
- possível contribuição na diminuição do risco tumoral.
Os EPA e DHA estão presentes em grandes quantidades na retina e sistema nervoso central: um aporte
suplementar durante a gestação e primeiras semanas de vida aumenta a acuidade visual e a capacidade co-
gnitiva dos animais.

Uma breve informação Fontes naturais


O DHA é, por vezes, chamado ácido cervônico, Os ácidos graxos ômega 3 de cadeia longa encon-
porque o cérebro é o órgão que o contém em maior tram-se sob forma concentrada nos óleos de peixes
quantidade. Os carnívoros selvagens, em particular gordos de mares frios (ex.: salmão, cavala, solha,
os felinos, consomem DHA ao comerem o cérebro arenque, capelim, etc.).
das suas presas. O EPA e o DHA estão presentes no fitoplâncton e
nas algas unicelulares. Ao longo da cadeia alimen-
Funções desempenhadas no organismo tar, estes concentram-se no tecido adiposo dos peixes.
Presentes no leite materno, o EPA e o DHA são in-
dispensáveis ao desenvolvimento cerebral e da retina
dos embriões e do feto. A maturidade do sistema
nervoso no animal jovem é tão maior quanto mais
elevada for a concentração em DHA no leite ma-
terno.

DHA

EPA

sistema nervoso retina

renovação das
células neurais

Ácidos graxos essenciais - ação anti-inflamatória - oxigenação das células - esforço físico
30
24_31_BR:p 13-16 - Lipides - FR 16/04/10 11:32 Página 31

l i p í d e o s

Ácido linoléico
conjugado
também denominados: CLA
saúde & prevenção
O ácido linoléico conjugado (CLA), derivado do ácido linoléico tem sido estudado no contexto da luta
contra a obesidade. Uma forma particular de CLA (ou isômero) previne de fato o acúmulo de trigli-
cerídeos nas culturas de adipócitos.

Uma breve informação Fontes naturais


No ser humano, o CLA não reduz o peso corporal de O CLA encontra-se nos ingredientes de origem ani-
pacientes obesos, mas permite aumentar a massa magra mal, como os produtos lácteos, as carnes e as gor-
(os músculos) à custa da massa gorda (ou tecido adi- duras. Estes são sintetizados no rúmen de herbívo-
poso). O CLA apresenta igualmente um efeito positivo ros por certos microrganismos. Em contrapartida,
na composição corporal de cães alimentados à vontade. no cão a produção de CLA pelas bactérias intesti-
nais é muito reduzida. A incorporação de CLA no
Funções desempenhadas no organismo alimento é feita através de formas sintéticas.
A ação anti-adiposa do CLA deve-se a um efeito na
regulação do metabolismo da glicose e dos ácidos
graxos nas células do tecido adiposo. Os diferentes
isômeros de CLA foram largamente estudados de-
vido a outras propriedades potencialmente benéfi-
cas: efeitos sobre o câncer, aterosclerose, função imu-
nológica e diabetes.

Comparado com ácido linoléico, o ácido


linoléico conjugado (CLA) distingue-se pelo
posicionamento de duplas ligações que não
são separadas.

Ácidos graxos - prevenção da obesidade


31
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 32

Proteínas

O
gato e o cão têm necessidades Os aminoácidos, provenientes da de-
protéicas consideráveis. gradação das proteínas alimentares no
Certos estados fisiológicos tubo digestivo, são utilizados pelo or-
são mais exigentes que outros, porque ganismo para a síntese das proteínas
os fenômenos de construção ou reno- que lhe são necessárias para construir
vação são mais importantes: cresci- ou renovar os seus órgãos ou estrutu-
mento, gestação, lactação, esforço físico. ras, veicular moléculas (proteínas de
As proteínas são moléculas constituí- transporte), enviar mensagens de um
das por aminoácidos organizados numa órgão para outro (hormônios), lutar
cadeia de ordem predefinida e que de- contra doenças (anticorpos), etc.
termina a sua natureza e as suas fun-
ções.

32
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 33

As proteínas encontram-se em grande


quantidade nos produtos animais
proteína:
cadeia de
(carnes, peixes, ovos, produtos lácteos)
aminoácidos ou certos produtos vegetais (glúten de
cereais, lentilhas, ervilhas, soja, levedu-
ras, etc.). Os cereais incluídos na com-
posição de um alimento para cão ou
gato contribuem também para o for-
lúmen necimento de proteínas.
intestinal

enzimas (proteases)

borda em
escova
construção
mucosa absorção
intestinal progressiva renovação
dos aminoácidos

transporte

sangue

mensageiros

imunidade

33
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 34

p r o t e í n a s

Aminoácidos

saúde & prevenção


Certas proteínas são tão complexas e “sólidas” quimicamente que a digestão não consegue as de-
compor, impossibilitando a absorção dos aminoácidos. Estas não oferecem qualquer interesse alimentar
ou nutricional para o animal (é o caso das penas, dos pêlos, etc.).

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


O aminoácido é o elemento base que constitui as pro- Os aminoácidos provenientes das proteínas ali-
teínas e os seus derivados. As proteínas são constituí- mentares são os elementos constituintes de todas as
das por um total aproximado de 20 aminoácidos, dos proteínas sintetizadas pelo organismo para o seu
quais apenas 11 (no gato) e 10 (no cão) devem ser funcionamento vital e as suas funções fisiológicas.
fornecidos através da alimentação, porque o orga-
nismo não os consegue fabricar. O alimento deve tam- Fontes naturais
bém fornecer outros aminoácidos, sendo o teor de in- Qualquer proteína alimentar, de origem animal ou
corporação menor, pois as suas funções são menos es- vegetal, é constituída por uma sequência de ami-
pecíficas. noácidos ligados quimicamente entre si.

alimentação

alanina
tirosina
cisteína
serina prolina ác. aspártico
prolina glicina
ác. glutâmico
glutamina
asparagina
organismo
aminoácidos
não essenciais

elementos constituintes de uma proteína


34
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 35

p r o t e í n a s

Aminoácidos
essenciais
Arginina, Histidina, Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Fenilalanina,
Taurina (apenas no gato), Treonina, Triptofano, Valina
saúde & prevenção
A ausência de um só destes aminoácidos essenciais na alimentação interrompe a síntese das proteí-
nas vitais para o organismo. O animal utiliza as suas próprias proteínas para sintetizar as que faltam,
o que coloca progressivamente a sua sobrevivência em perigo.

Uma breve informação prejudicadas: eliminação dos compostos nitrogena-


Os aminoácidos essenciais não podem ser sinteti- dos, síntese de hemoglobina, etc.
zados pelo organismo. Estes têm de ser obrigato-
riamente fornecidos na sua alimentação, em quan- Fontes naturais
tidades e proporções ideais. As proteínas alimentares consideradas “de elevado
valor biológico” são as que apresentam uma boa di-
Funções desempenhadas no organismo gestibilidade e são ricas em aminoácidos essenciais:
Os aminoácidos essenciais fazem jus ao seu nome, proteínas do ovo, carne e peixe, isolados de soja, ca-
porque, sem eles qualquer síntese protéica normal seína do leite.
é impossível para o organismo.
O crescimento de filhotes de cães e gatos será mais
lento e, no animal adulto, as funções essenciais serão

Se compararmos a síntese protéica


com a fabricação de bandeiras tricolores: Se um aminoácido essencial
falta, a proteína não será capaz
tecido de assegurar a sua função nor-
tecido tecido
(AANE) mal no organismo.
(AAE) (AANE)

proteínas
essenciais
greve ou falha
na entrega do
tecido violeta
proteínas
anormais

(AANE) aminoácidos não essenciais


(AAE) aminoácidos essenciais

Indispensáveis à síntese de proteínas essenciais do organismo


35
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 36

p r o t e í n a s

Aminoácidos
sulfurados
Metionina e Cistina

saúde & prevenção


Os aminoácidos sulfurados são indispensáveis à síntese da principal proteína do pêlo, a queratina. A insu-
ficiência de aminoácidos sulfurados traduz-se na queda do pêlo, atraso no crescimento e pelagem com um
aspecto geral opaco e frágil.

Uma breve informação Fontes naturais


As sínteses necessárias para a manutenção da pele e De uma forma geral, os aminoácidos estão presentes
da pelagem podem representar até 30% das neces- em grandes quantidades nas fontes protéicas de ori-
sidades protéicas diárias de um cão adulto. gem animal. Assim, estes aminoácidos raramente
fazem falta na alimentação de cães e gatos, com ex-
Funções desempenhadas no organismo ceção dos regimes vegetarianos não suplementados.
Somente a metionina é considerada um aminoácido No entanto, o cão é menos sensível que o gato a
essencial. No entanto, se a cistina for fornecida em essas carências.
quantidade suficiente, pode permitir poupar a me- A metionina e a cistina são particularmente abun-
tionina para outras funções. dantes nas proteínas do ovo, do peixe e na caseína
O metabolismo dos aminoácidos sulfurados produz do leite. Os glútens de trigo e de milho são igual-
ácido sulfúrico, eliminado pela via urinária. É por mente muito ricos em metionina e cistina.
este motivo que o regime natural dos carnívoros,
rico em aminoácidos sulfurados, tende a produzir
urina ácida.

enxofre
S S

metionina cistina

A cistina (constituída pela associa-


ção de duas moléculas de cisteína)
e a metionina são os aminoácidos
mais importantes para a estrutura
da queratina, proteína constituinte
qualidade do pêlo do pêlo.

aminoácidos que entram na composição da queratina dos pêlos


36
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 37

p r o t e í n a s

Arginina

saúde & prevenção


A arginina é um aminoácido essencial para o cão e o gato. Filhotes de cães recém-nascidos alimen-
tados com leite materno com carência em arginina desenvolvem rapidamente catarata, estando na
origem da cegueira de alguns cães. A arginina também é um precursor do óxido nítrico (ON), que
desempenha um papel relaxante sobre as fibras musculares lisas dos vasos. Um suplemento em ar-
ginina pode ter efeitos benéficos em caso de doença cardíaca ou renal.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


A arginina participa na síntese da ureia a partir do Está demonstrado que a arginina reduz os proble-
amoníaco. Pela ausência de arginina na alimenta- mas respiratórios provocados pelo aumento da pro-
ção, o gato pode desenvolver, em poucas horas, si- dução de CO2 durante o esforço, em pessoas que
nais clínicos de intoxicação pelo amoníaco (hipera- sofrem de insuficiência cardíaca crônica grave. A
monemia): vômitos, hipersalivação e problemas ner- arginina desempenha igualmente um papel nos me-
vosos. Esta carência pode conduzir à morte do ani- canismos imunológicos.
mal se não for rapidamente corrigida.
Fontes naturais
A arginina é abundante nos tecidos de origem ani-
mal, tal como músculos, pele e pêlos. A gelatina é
muito rica em arginina.

fígado

O2

arginina ON
arginina
rim ureia O2 oxigênio
ON ON óxido nítrico
vasodilatação ureia

a ureia é eliminada
pela urina
O óxido nítrico (ON) é um relaxante endógeno das fibras
lisas vasculares. É sintetizado a partir da
L-arginina e do oxigênio.

aminoácido essencial: crescimento, síntese da ureia, proteção vascular


37
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 38

p r o t e í n a s

Glutamina

saúde & prevenção


A glutamina é um aminoácido muito importante para o metabolismo das células de renovação rápida,
como as do tubo digestivo e do sistema imunológico. Mesmo não fazendo parte da lista de aminoáci-
dos essenciais, a glutamina pode ser necessária em certas situações. Digamos que se trata de um ami-
noácido “condicionalmente essencial”.
Uma breve informação testinal como fonte de energia. Um fraco aporte,
Em caso de doença ou stress intenso, o consumo de associado a uma forte necessidade nos animais em
aminoácidos se acelera e a concentração sanguínea estado crítico, pode afetar a integridade da barreira
de glutamina diminui. Neste caso, a integridade da intestinal. A suplementação com glutamina pode ser
mucosa intestinal pode ser prejudicada, permitindo importante para reduzir o risco de atrofia das vilo-
a entrada de bactérias intestinais na circulação san- sidades e na recuperação de episódios de afecções
guínea. digestivas.

Funções desempenhadas no organismo Fontes naturais


A glutamina exerce múltiplas funções ligadas à sín- A glutamina é sintetizada por inúmeros tecidos e
tese das proteínas: é um precursor dos compostos cerca de 60% do estoque de glutamina está contido
que entram na composição do DNA celular, regula nos músculos, na forma livre. Quando as necessi-
a síntese hepática de certas substâncias e participa dades aumentam, a produção pelo organismo pode
nos processos de desintoxicação. ser insuficiente. O glúten de trigo é uma boa fonte
A glutamina é utilizada pelas células da mucosa in- de glutamina (contém cerca de 40%). Além disso,
é utilizada como substituto das proteínas lácteas na
alimentação dos recém-nascidos.

a glutamina é um dos precursores do principal fonte de energia


DNA celular da mucosa intestinal

participa nos processos hepáticos


de eliminação das toxinas

aminoácido que participa na integridade da barreira intestinal e na eliminação das toxinas


38
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 39

p r o t e í n a s

Lisina

saúde & prevenção


A lisina é um aminoácido essencial para o cão e o gato: deve ser fornecida obrigatoriamente pela
alimentação para permitir a síntese de todas as proteínas do organismo. Um déficit de lisina num
filhote por causar, por exemplo, um atraso no crescimento.

Uma breve informação vias respiratórias superiores no gato, reunidas sob o


A lisina é muito sensível ao calor: um tratamento nome de coriza felina. O herpesvírus provoca geral-
térmico muito agressivo provoca uma reação com os mente sinais clínicos mais graves que os outros
açúcares (reação de Maillard) que torna a lisina in- agentes, sobretudo no olho. Os filhotes de gato não
disponível para o organismo. O leite excessivamente imunizados podem inclusive ir a óbito. O suple-
quente provoca, por exemplo, uma reação entre a li- mento de lisina limita a intensidade da excreção viral
sina e a lactose. Esta sensibilidade particular faz da e dos sinais clínicos nos animais infectados.
lisina um parâmetro interessante para controlar o
processo de cozimento dos alimentos. Fontes naturais
A lisina é abundante nas proteínas animais, prin-
Funções desempenhadas no organismo cipalmente na carne e na caseína do leite. As pro-
Além do seu importante papel na síntese das pro- teínas da soja também a contêm em abundância.
teínas, alguns estudos demonstraram o interesse de Em contrapartida, a lisina pode estar deficiente
um aumento do aporte alimentar de lisina para lutar num regime alimentar baseado na utilização de
contra o herpesvírus no gato. O herpesvírus felino cereais, requerendo um suplemento deste ami-
faz parte dos agentes responsáveis pelas doenças das noácido.

síntese proteica suspendida proteína final a sintetizar


prematuramente pelo organismo

aminoácidos que
compõem a proteína final

A lisina deve
lisina estar presente em
quantidade suficiente
na alimentação para
permitir a síntese
das proteínas no
atraso de crescimento normal organismo.
crescimento

aminoácido essencial a todas as sínteses protéicas


39
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 40

p r o t e í n a s

Tirosina
e Fenilalanina
saúde & prevenção
A cor da pelagem depende da presença de feomelanina (pigmentos amarelos a vermelhos) e de eume-
lanina (pigmentos castanhos a preto). A produção destes pigmentos requer a presença de aminoácidos
(chamados de aromáticos devido à sua estrutura cíclica), de tirosina e de fenilalanina. Uma carência
destes aminoácidos em animais com uma pelagem escura ou preta torna o pêlo avermelhado, situação
já demonstrada em gatos. Trabalhos realizados em cães da raça Terra-Nova e Labrador pretos demons-
tram que os níveis de fenilalanina e de tirosina necessários para uma pigmentação ideal da pelagem são
mais de 2 vezes superiores às necessidades de crescimento. A suplementação com tirosina permite in-
clusive aumentar a intensidade da coloração da pelagem.

Uma curiosidade implicadas no bom funcionamento do cérebro e na


A cor particular do Siamês se deve a uma particu- função de reprodução. Assim, a suplementação ade-
laridade da enzima chave da via de produção da me- quada de tirosina age positivamente sobre a fertili-
lanina, a tirosinase. Nesta raça, a enzima funciona dade.
apenas a uma temperatura relativamente baixa. As
zonas mais quentes (flanco, ventre e costas) ficam Fontes naturais
muito claras, enquanto as zonas mais frias (cabeça, A tirosina é fornecida diretamente pela alimentação
patas e cauda) são mais escuras! ou é sintetizada a partir de um aminoácido essencial,
a fenilalanina.
Funções desempenhadas no organismo O leite e os produtos lácteos constituem excelentes
Além do seu papel na pigmentação da pelagem e da fontes de tirosina. Em relação às fontes vegetais, ape-
íris, a tirosina é também um precursor da dopamina, nas o arroz contém quantidades não negligenciáveis
noradrenalina e adrenalina. Estas moléculas estão deste aminoácido.

eumelanina feomelanina
preta a castanho amarela a vermelha

A enzima principal da melano-


gênese é chamada de tirosi-
nase. Para estar em atividade,
tirosinase + requer a presença de cobre
cistina
cobre em quantidade suficiente.
dopaquinona

fenilalanina tirosina dopa

prevenção da pelagem vermelha – Funcionamento da tiróide e das glândulas supra-renais


40
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 41

p r o t e í n a s

Taurina

saúde & prevenção


A taurina é utilizada na prevenção e no tratamento de doenças cardíacas graves, chamadas de car-
diomiopatias dilatadas. No gato, a taurina é um aminoácido essencial. É indispensável para a visão e a
função reprodutora. As suas características protetoras em relação aos radicais livres fazem deste ami-
noácido um antioxidante de eleição na luta contra o envelhecimento.

Uma breve informação disso, desempenha uma ação antioxidante impor-


A taurina foi descoberta em 1826 na bile de bovinos tante na célula. Por fim, a taurina representa o papel
(Bos taurus), daí o seu nome. Trata-se de um ami- de precursor na síntese dos lipídeos complexos da
noácido que contém enxofre, presente na maior parte pele (glicoesfingolipídeos) que possuem proprie-
dos tecidos animais e concentra-se nos músculos. No dades antimicrobianas.
entanto, ao contrário dos aminoácidos clássicos, não
participa na síntese das proteínas. Fontes naturais
A carne (exemplo: vísceras de aves) constitui a fonte
Funções desempenhadas no organismo natural rica em taurina.
A taurina permite a síntese dos sais biliares pelo fí-
gado. Mas também influencia os fluxos de cálcio
entre o interior e o exterior da célula, o que lhe per- taurina
mite agir sobre o funcionamento cardíaco. Além

coração
ação oxigenação
conjugada vitamina E celular

+
vitamina C
radicais
livres
+
=
polifenóis

+ taurina radicais livres


captados e
destruídos

prevenção e tratamento das doenças cardíacas - antioxidante natural


41
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:32 Página 42

p r o t e í n a s

Aminoácidos
de cadeia ramificada
também denominados: AACR

saúde & prevenção


De entre os aminoácidos essenciais, a leucina, a isoleucina e a valina formam a categoria dos aminoá-
cidos de cadeia ramificada (AACR). Estes foram estudados em virtude do seu potencial papel inibidor
do crescimento tumoral. Estudos clínicos realizados no homem demonstraram uma relação entre a
suplementação de AACR e o aumento do tempo de sobrevivência.

Uma breve informação noácido tão eficaz isoladamente quanto em


O organismo é incapaz de sintetizar quantidades su- conjunto com a leucina e a isoleucina. A sensibi-
ficientes de leucina, isoleucina e valina; o atendi- lidade à leucina parece, no entanto, diminuir com
mento das necessidades depende dos aportes ali- a idade. Os AACR permitem aumentar a massa
mentares. As concentrações sanguíneas destes três magra e previnem a atrofia muscular nos animais
aminoácidos variam em função dos aportes ali- com caquexia neoplásica.
mentares, mais do que no caso de outros aminoá-
cidos. Fontes naturais
A valina, a leucina e a isoleucina representam pelo
Funções desempenhadas no organismo menos um terço dos aminoácidos essenciais que en-
A valina, a leucina e a isoleucina são capazes de es- tram na composição das proteínas musculares. São
timular a síntese das proteínas e de retardar a sua os únicos aminoácidos cuja primeira etapa de de-
degradação nos músculos. Esta propriedade foi gradação é assegurada pelos músculos.
atribuída especificamente à leucina, sendo este ami-

síntese das
proteínas
musculares

aminoácidos
leucina leucina aminoácidos
proteínas
musculares
Comparada com outros aminoácidos, a leucina
influencia mais o equilíbrio proteico da célula
no sentido do anabolismo do que do
catabolismo.

aminoácidos essenciais à síntese das proteínas musculares


42
32_43_BR:p 17-20 - Protides 16/04/10 11:33 Página 43

p r o t e í n a s

Carnitina

saúde & prevenção


No plano fisiológico, a carnitina facilita a utilização das gorduras como fonte de energia da célula;
consequentemente, é um nutriente muito útil e eficaz em esforços físicos, particularmente nos de
longa duração.
Além disso, em alguns cães (Boxer, Doberman, Cocker, etc.), a doença cardíaca pode estar ligada a um
déficit de produção ou de transporte da carnitina pelo organismo. A perda de peso de animais obe-
sos pode ser acelerada pela adição de carnitina ao alimento.

Uma breve informação cas que se encontram nas células).


A carnitina é um derivado de aminoácido, que o or- A carnitina intervém a este nível, permitindo o
ganismo é capaz de produzir a partir de dois outros transporte dos ácidos graxos através da membrana
aminoácidos: a lisina e a metionina. que envolve cada mitocôndria.
A suplementação de carnitina na alimentação se torna A carnitina desempenha um papel igualmente im-
essencial em fases em que o organismo não é capaz de portante para a reprodução: para várias espécies,
sintetizá-la em quantidades suficientes para suprir as a suplementação de carnitina durante a gestação e
suas necessidades. A sua estrutura química admite duas a lactação aumenta o peso dos recém-nascidos,
formas da molécula, designadas D e L: apenas a L-car- bem como o número de animais por ninhada.
nitina é ativa e eficaz.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo Além da síntese do fígado, a alimentação é outra fonte
A principal via de produção de energia no cão e de carnitina. Se a quantidade de carnitina contida nos
no gato deve-se sobretudo à oxidação das gordu- vegetais é negligenciável, as carnes frescas são ricas neste
ras nas mitocôndrias (pequenas centrais energéti- aminoácido, particularmente a carne de carneiro.

ácidos graxos

O2
O2 O mitocôndria
2

membrana
carnitina

O
O2 2
O2

energia

Indispensável para o esforço físico - proteção cardíaca - Luta contra a obesidade


43
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 44

Minerais

Q
Quando um alimento é com- geralmente de 5 a 8% do total do ali-
pleto, não é necessário adi- mento seco.
cionar qualquer suplemento
Os minerais presentes em grande quan-
mineral. O excesso de sais minerais
tidade (cálcio, fósforo, potássio, sódio,
pode prejudicar a digestibilidade do
magnésio, etc.) são chamados macroe-
alimento e pode até mesmo produzir
lementos. Em contrapartida, os oligoe-
efeito contrário ao pretendido.
lementos estão presentes em quanti-
Quando se incinera um alimento, as dades muito pequenas: representam al-
cinzas produzidas constituem a maté- guns mg/kg (ou ppm: partes por
ria mineral do alimento. Esta representa milhão), mas são indispensáveis ao fun-

44
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 45

cionamento do organismo (ex: ferro, nês, sulfato de cobre, selenito de sódio,


zinco, manganês, cobre, iodo, selênio, iodato de cálcio, etc.
etc.).
Cada mineral participa de várias fun-
Os minerais são fornecidos pelos dife- ções diferentes. Para simplificar pode-
rentes ingredientes do alimento. Estes mos citar algumas das funções que os
podem também estar incluídos sob a principais minerais desempenham no
forma de sais purificados: sulfato de organismo:
ferro, óxido de zinco, óxido de manga-

Macroelementos

cálcio ossificação
fósforo transferência de energia
potássio/sódio equilíbrio iônico celular
magnésio impulso nervoso

Oligoelementos

ferro síntese da hemoglobina das hemáceas


zinco saúde da pele
manganês formação das cartilagens e da pelagem
cobre síntese dos pigmentos cutâneos
iodo funcionamento da glândula tireóide
selênio antioxidante

45
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 46

M i n e r a i s

Cálcio
Ca
saúde & PrevençãO
A ingestão de cálcio adaptada ao estado fisiológico e ao porte do animal permite prevenir doenças causadas por ca-
rência ou por excesso deste mineral. As fases de lactação e crescimento necessitam de aportes mais elevados de cál-
cio. Entretanto, ao contrário do que se pensa, todos os alimentos industrializados fornecem quantidades suficientes
deste nutriente para cães e gatos, mesmo para fases crescimento, gestação ou lactação, sendo contra-indicada sua su-
plementação. Nos últimos anos, tem se verificado o aumento de casos de distúrbios de ossificação em filhotes de cães
de porte grande e gigante que consomem alimentos industrializados de qualidade inferior, devido ao excesso de mi-
nerais contidos nessa categoria de alimento.

Uma breve informação Também permite a transferência de informações


O cálcio é um elemento mineral maior, um metal al- entre as células e a transmissão do impulso nervoso.
calino-terroso, nutricionalmente classificado como Se o teor de cálcio do alimento for muito elevado, um
macroelemento mineral pela sua importância quan- filhote de cão é incapaz de se adaptar a esse excesso,
titativa para o organismo. A razão cálcio (Ca): fósforo e continua a absorver de modo passivo pelo intes-
(P) deve estar perfeitamente balanceada no alimento. tino pelo menos 30 a 40% do cálcio ingerido, daí o
risco de desenvolvimento anormal do esqueleto.
Funções desempenhadas no organismo
O cálcio desempenha dois papéis fundamentais no Fontes naturais
organismo. Noventa e nove por cento do cálcio do O cálcio existe sob a forma de sais minerais, nos ossos
organismo está fixado no esqueleto, ao qual confere de mamíferos, bem como em fontes minerais, como
a sua solidez, juntamente com o fósforo. Em o carbonato de cálcio (cal) ou o fosfato de cálcio.
conjunto, formam o “cimento” dos ossos.

Cálcio Fósforo

+
formação óssea

estrutura do osso - Crescimento – Transmissão do impulso nervoso


46
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 47

M i n e r a i s

Fósforo
P

saúde & PrevençãO


A ingestão adequada de fósforo, adaptada ao estado fisiológico e ao tamanho do animal e em perfeito
equilíbrio com os teores de cálcio, permite assegurar um crescimento harmonioso e o bom funcio-
namento do organismo. Em contrapartida, no animal geriátrico é aconselhável reduzir o fornecimento
de fósforo. O fósforo é o principal nutriente responsável pela progressão da doença renal crônica, de-
vendo ser reduzido em alimentos para esses pacientes.
Uma breve informação pelo organismo (através do ATP). O fósforo também
A palavra fósforo significa etimologicamente “por- está incorporado nas grandes moléculas como o DNA
tador de luz”. Foi descoberto em 1669 por um al- e RNA, as quais são portadoras do patrimônio gené-
quimista alemão que, ao evaporar urina e queimar tico das células.
o resíduo, obteve liberação de fósforo sob a forma
de vapor que brilhava no escuro. Fontes naturais
O fósforo encontra-se nos ossos dos mamíferos sob
Funções desempenhadas no organismo a forma de sais minerais, e também em minerais
O fósforo desempenha múltiplas funções, todas muito como os fosfatos. As carnes, de um modo geral, são
importantes. Oitenta e seis por cento do fósforo do ricas em fósforo. Para se limitar o fósforo na dieta,
organismo está incorporado no esqueleto, ao qual uma parte das proteínas animais pode ser substituída
confere a sua solidez, em associação com o cálcio. É por proteínas vegetais (glúten de trigo ou de milho,
também componente das membranas celulares e um proteína de soja, etc).
elemento sem o qual a energia não pode ser utilizada

formação das mem-


branas celulares formação óssea
(fosfolípidos) P

produção
de energia ao
nível celular

estrutura do osso - Constituição das membranas celulares - energia celular


47
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 48

M i n e r a i s

Potássio
K

saúde & PrevençãO


Não existem problemas comumente relacionados com a ingestão de potássio, exceto em caso de
diarreia, que pode causar perdas consideráveis deste mineral. Certas doenças cardíacas ou renais tam-
bém podem demandar a modificação das quantidades fornecidas pelo alimento. Durante o tratamento
com diuréticos, recomenda-se o aumento do fornecimento de potássio.

Uma breve informação O potássio tem um papel muito importante no fun-


O potássio é um elemento mineral principal, metal cionamento cardíaco. Uma acidez excessiva da urina
alcalino, nutricionalmente classificado como ma- pode conduzir a uma carência de potássio.
croelemento mineral pela sua importância quanti-
tativa para o organismo. Fontes naturais
Encontra-se o potássio facilmente sob a forma de
Funções desempenhadas no organismo sais minerais. Para o ser humano, as melhores fontes
Este elemento mineral é essencial ao funcionamento de potássio são legumes, frutas secas, abacate, carnes
das células assegurando o equilíbrio de pressão entre e peixes defumados, bem como chocolate e banana.
o seu interior e exterior junto com o sódio e de-
sempenhando papel importante no seu metabolismo
energético.

Célula Equilíbrio
de trocas

produção de
energia ao
nível celular

equilíbrio celular - Metabolismo energético


48
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 49

M i n e r a i s

Citrato
de potássio

saúde & PrevençãO


O citrato desempenha um papel inibidor sobre a formação de cálculos urinários de oxalato de cálcio:
pode ser conjugado com o cálcio para formar sal solúvel. Assim, o cálcio deixa de estar disponível para
se ligar ao oxalato e formar um cálculo. O citrato de potássio administrado por via oral também é um
agente alcalinizante (aumenta o pH urinário). A alcalinização urinária tem como consequência diminuir
a excreção de cálcio na urina e aumentar a do citrato.

Uma breve informação desenvolvem em pH ácido: os cálculos de urato de


O efeito alcalinizante do citrato de potássio deve ser amônio (a urina alcalina contém baixas concentrações
manejado com precaução, porque pode induzi,r pa- de amoníaco e íons de amônio) e os cálculos de cis-
ralelamente, risco de formação de cálculos que se tina. Os cálculos de oxalato de cálcio não são sensí-
formam em urina alcalina: os cálculos de estruvita veis ao pH urinário, mas a alcalinização permite li-
e os cálculos de fosfato de cálcio. mitar indiretamente a excreção de cálcio na urina.

Funções desempenhadas no organismo Fontes naturais


O efeito alcalinizante do citrato de potássio é interes- O citrato de potássio é um sal mineral.
sante para combater outros tipos de cálculos que se

iões citrato
citrato de cálcio

oxalato
Cit Cit Cit
Cit Cit Cit
cálcio
Cit Ca Cit O citrato de potássio
Cit é capaz de se ligar ao
Ca Ca Cit
cálcio na urina,
impedindo que ele
forme cálculos de
Ca oxalato de cálcio.
Ca Ca
cálcio
cálculo
de oxalato
de cálcio

sal mineral que auxilia a reduzir a acidez urinária


49
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 50

M i n e r a i s

Sódio
Na

saúde & PrevençãO


A ingestão de sódio não representa um problema em particular, já que cães e gatos mesmo durante
esforços físicos intensos não transpiram, ao contrário do homem e do cavalo. Apenas algumas doen-
ças requerem redução da ingestão alimentar de sódio. Em caso de diarreia severa, é indicado o uso
suplementos de reidratação misturados na água de beber, devendo ser isotônicos para compensar as
perdas de eletrólitos, especialmente a do sódio.

Uma breve informação A forma mais simples de prevenir a formação de cál-


O sódio é um elemento mineral principal, metal al- culos urinários no gato é estimular o gato a beber
calino, nutricionalmente classificado como macroe- água e, consequentemente, aumentar a sua diurese
lemento mineral pela sua importância quantitativa (eliminação de urina). Grandes volumes de urina
para o organismo. aumentam a frequência das micções e ajudam a eli-
minar os cristais que se formam nas vias urinárias.
Funções desempenhadas no organismo Aumentar ligeiramente o teor de cloreto de sódio
Este elemento mineral é essencial para o funciona- do alimento estimula o consumo de água e estimula
mento das células: a diurese.
- assegura o equilíbrio de pressão entre o seu inter-
ior e o seu exterior; Fontes naturais
- desempenha funções importantes no seu metabo- O sódio necessário ao animal é provido pelo cloreto
lismo energético. de sódio (sal de cozinha), de origem mineral ou ma-
O sódio é igualmente o elemento regulador do rinha. O sal de cozinha ou cloreto de sódio (NaCl)
equilíbrio hídrico (sensação de sede ou eliminação contêm 39% de sódio e 61% de cloreto. Acrescentar
pela de água pela urina). Estas funções estão estrei- 2,5% de NaCl a um alimento faz aumentar a concen-
tamente ligadas ao potássio. tração de sódio em 1%.

Equilíbrio
Célula
de trocas

Homeostase
hídrica

Produção de
energia celular

equilíbrio celular - regulação da sede e da diurese - Metabolismo energético


50
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 51

M i n e r a i s

Fosfato
de sódio

saúde & PrevençãO


Certas formas de fosfatos, quando presentes na cavidade bucal, captam os íons de cálcio presentes na
saliva, limitando assim a mineralização da placa dentária. A formação do tártaro é retardada. Cães e
gatos alimentados diariamente com alimentos industrializados secos revestidos com fosfato de sódio
apresentam uma formação de tártaro significativamente inferior à dos animais alimentados com o
mesmo alimento sem fosfato de sódio.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


Os sais de fosfato de sódio são utilizados em inú- Os íons cálcio presentes na saliva são susceptíveis a
meras pastas de dente humanas, para melhorar a hi- formar cristais de hidroxiapatita de cálcio, a forma
giene bucodentária. Nos animais, os fosfatos devem mineral do cálcio utilizado para a formação do tár-
ser incorporados no revestimento dos croquetes, de taro. Os fosfatos de sódio com capacidade de cap-
modo a facilitar a sua liberação durante a mastiga- tar o cálcio reduzem significativamente os depósi-
ção e favorecer o seu contato com o cálcio salivar. tos de tártaro nos dentes. Ao longo da digestão, os
complexos de fosfato de cálcio dissociam-se: o cál-
cio e o fósforo são liberados no tubo digestivo para
serem absorvidos em função das necessidades do
organismo.

Fontes naturais
Os fosfatos de sódio constituem uma família de sais
minerais com mais de 150 moléculas diferentes (or-
tofosfato, pirofosfato, polifosfato, metafosfato, etc.).
Tártaro

Cálcio
(Ca2+)

Os íons cálcio
complexos ficam
indisponíveis para a
formação do tártaro.

Fosfatos de sódio

Quelantes de cálcio – retardam a formação do tártaro dentário


51
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 52

M i n e r a i s

Magnésio
Mg

saúde & PrevençãO


A deficiência de magnésio se expressa com o aparecimento de problemas nervosos. Durante muito
tempo foi recomendado a limitação da ingestão de magnésio para impedir a formação de cálculos de
estruvita (ou fosfato de amônio magnesiano), sobretudo no gato. Atualmente, chegou-se à conclusão
de que manter o pH urinário ácido constitui uma medida preventiva bem mais eficaz. Além disso, o
magnésio desempenha o papel de inibidor da formação de cálculos de oxalato de cálcio.
Os cães de esporte necessitam de aportes mais elevados de magnésio.

Uma breve informação O magnésio também é essencial na condução ner-


O magnésio é um elemento mineral principal, metal vosa e nas contrações musculares, contribuindo para
alcalino-terroso, classificado em nutrição como ma- o metabolismo energético geral do organismo.
croelemento mineral pela sua importância quanti-
tativa para o organismo. Fontes naturais
Encontramos o magnésio nos ossos dos mamíferos,
Funções desempenhadas no organismo bem como em fontes minerais, como a magnésia
O magnésio, assim como o cálcio e o fósforo, é um ou diversos sais minerais.
dos componentes do esqueleto, contribuindo de
forma menos importante para lhe conferir solidez.

Impulso
nervoso

Neurônio

Formação
óssea
Produção de
energia celular

estrutura do osso – Funcionamento do sistema nervoso - energia celular


52
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 53

M i n e r a i s

Oligoelementos
quelados

saúde & PrevençãO


Os elementos quelados ou quelatados, estão ligados a uma molécula orgânica e são absorvidos mais
facilmente pelo seu órgão alvo, revelando-se mais eficientes. O zinco quelatado, por exemplo, fixa-se mel-
hor na pele que o zinco sob forma livre, estimulando assim o crescimento da pelagem. A melhoria da
qualidade nutricional do alimento obtido graças aos quelatos permite cobrir as necessidades do animal
em cada oligoelemento.
Uma breve informação é eliminado pelos excrementos). Quando os oli-
Cientificamente, um oligoelemento quelatado é goelementos são quelatados, a taxa de absorção pode
constituído por um íon metálico ligado a três ami- ser superior a 60%.
noácidos.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo Para quelatar os elementos minerais, como o ferro,
A utilização de oligoelementos quelatados serve ape- o cobre, o zinco, o manganês, o iodo ou o selênio,
nas para melhorar a digestão e, sobretudo, a absor- são utilizados aminoácidos purificados de origem
ção digestiva destes nutrientes, que normalmente é natural.
inferior a 30% (ou seja, 70% do elemento mineral

perdas fecais perdas fecais


pouco importantes importantes

oligoelementos oligoelementos
quelados livres

mucosa
digestiva

sangue

Melhoria da utilização digestiva e metabólica dos oligoelementos


53
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 54

M i n e r a i s

Zinco
Zn

saúde & PrevençãO


Além da sua importância geral do organismo, este oligoelemento é um elemento crucial na síntese do
colágeno e de queratina. Tem propriedades cicatrizantes e melhora a beleza da pelagem. A carências
de zinco ocorre mais frequentemente devido ao fornecimento de alimentos de má qualidade, ricos em
farelos e em minerais, que impedem a absorção normal do zinco.

Uma breve informação dução. É também um elemento fundamental para a in-


O zinco é um elemento mineral principal, elemento tegridade da pele e, consequentemente, para a qualidade
de transição, nutricionalmente classificado como oli- do pêlo. Por fim, o zinco ajuda a eliminar os lactatos pro-
goelemento mineral pela sua importância quantitativa duzidos durante o esforço muscular breve e intenso.
reduzida, ainda que vital para o organismo. As raças
de cães nórdicos podem apresentar problemas de assi- Fontes naturais
milação do zinco. Encontramos zinco sob a forma de sais minerais, mas
também nos cereais integrais e em todos os produtos de
Funções desempenhadas no organismo origem animal. Em caso de necessidade de suplementa-
O zinco pertence a coenzimas de inúmeros sistemas me- ção, o zinco pode ser fornecido sob forma orgânica (glu-
tabólicos. Indispensável ao transporte sanguíneo da vi- conato de zinco ou zinco-metionina) para facilitar a sua
tamina A, desempenha um papel importante na repro- absorção.

Zn função de
reprodução

qualidade da pele
e do pêlo

funcionamento
celular

Qualidade da pele e pelagem - Função reprodutiva


54
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 55

M i n e r a i s

Ferro
Fe

saúde & PrevençãO


Pelas suas funções, o ferro é um nutriente essencial na prevenção e no tratamento das anemias.

Uma breve informação realiza a mesma função nos músculos (o que explica
O ferro é um elemento mineral menor, elemento a cor vermelha do sangue e do músculo). Também
de transição nutricionalmente classificado como oli- apresenta inúmeras funções enzimáticas, influen-
goelemento mineral pela sua importância quantita- ciando em particular a respiração celular.
tiva reduzida, ainda que vital para o organismo.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo O fígado, a carne e o peixe, além de legumes verdes
O ferro é o componente indispensável da hemoglo- e, sobretudo, certos sais minerais, constituem fontes
bina, pigmento que assegura o transporte do oxigê- de ferro para o animal.
nio nos glóbulos vermelhos e na mioglobina, que

Fe
Mioglobina
Hemoglobina

Sangue

Aporte de O2 Aporte de O2
aos órgãos às fibras
musculares

Prevenção e tratamento das anemias - respiração celular


55
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 56

M i n e r a i s

Manganês
Mn

saúde & PrevençãO


O manganês contribui para a qualidade dos ossos e das cartilagens, e deve ser particularmente
monitorado em filhotes e no animal idoso ou com artrose.

Uma breve informação cionamento da mitocôndria (a central energética da


O manganês é um elemento mineral menor, ele- célula), o manganês desempenha papel importante
mento de transição, nutricionalmente classificado na formação dos ossos e cartilagens articulares.
como oligoelemento mineral pela sua importância
quantitativa reduzida, ainda que vital para o orga- Fontes naturais
nismo. De uma forma geral, as carnes são fontes pobres de
manganês, enquanto que os cereais, os grãos, os fru-
Funções desempenhadas no organismo tos e os sais minerais constituem fontes importantes.
Oligoelemento que participa ativamente no fun-

Mn

Qualidade Funcionamento
da cartilagem das mitocôndrias

Qualidade dos ossos e das cartilagens


56
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 57

M i n e r a i s

Cobre
Cu

saúde & PrevençãO


Este oligoelemento faz parte dos fatores anti-anêmicos nos quais se encontram os folatos, a vi-
tamina B12 e o ferro. Armazenado no fígado, pode se revelar tóxico para um número reduzido
de raças caninas. Participa da síntese da melanina, envolvida na pigmentação do pêlo.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


O cobre é um elemento mineral menor, elemento de O cobre atua no organismo, facilitando a absorção
transição, nutricionalmente classificado como oli- intestinal do ferro e a sua incorporação na hemoglo-
goelemento mineral pela sua importância quantita- bina. É o elemento ativo de inúmeras enzimas, em
tiva reduzida, ainda que vital para o organismo particular as que favorecem os fenômenos de oxida-
(<10mg/kg do peso corporal). A maior parte do ção celular. Participa também da síntese do colágeno
cobre do organismo está armazenada no fígado. Este dos tendões e da mielina do sistema nervoso.
nutriente pode se revelar tóxico quando o acúmulo
é excessivo, como acontece com certas raças de cães Fontes naturais
ou linhagens predispostas. Os alimentos mais ricos em cobre são as carnes (cor-
deiro, porco e pato) e as leguminosas (ervilha, len-
tilha, soja, etc.).

Cu
cor do pêlo

síntese da
oxidações
hemoglobina
celulares

Prevenção e tratamento das anemias


57
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 58

M i n e r a i s

Iodo
I

saúde & PrevençãO


Sem iodo, a glândula tireóide é incapaz de funcionar, causando importantes transtornos em todo o
metabolismo e que se manifestam pela presença de bócio.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


O iodo é um elemento mineral menor, não metálico, Este oligoelemento entra na composição dos hor-
nutricionalmente classificado como oligoelemento mônios da tireóide, permitindo a sua síntese.
mineral pela sua importância quantitativa reduzida,
ainda que vital para o organismo. Fontes naturais
O sal marinho e o peixe são fontes preferenciais de
iodo.

hormônios
da tireóide:

triiodotiroxina
I T3

T4 tetraiodotiroxina

I I
tubo digestivo

glândula tireóide
T4
T3

I I
T3 sangue

I I I
T4
I I

síntese dos hormônios da tireóide


58
44_59_BR: p 39 à 54 - Minéraux 16/04/10 11:34 Página 59

M i n e r a i s

Selênio
Se

saúde & PrevençãO


O selênio, tal como os outros antioxidantes, desempenha um papel complementar no combate a todos
os estados de “stress oxidativo” que o organismo é submetido, como envelhecimento, esforço físico
intenso, poluição, câncer, doenças inflamatórias.

Uma breve informação Fontes naturais


O selênio é um elemento mineral menor, não metá- Encontra-se sob a forma de sais minerais, no peixe,
lico, nutricionalmente classificado como oligoele- e em menores quantidades na carne.
mento mineral pela sua importância quantitativa
reduzida, ainda que vital para o organismo.

Funções desempenhadas no organismo


Este oligoelemento é um antioxidante que atua em si-
nergia com a vitamina E para proteger as membranas
celulares, em particular as das células musculares.
meio intracelular:
ação dos polifenóis
ação do
Se
membrana celular:
ação das vitaminas C e E
ação do
Se núcleo: ação dos polifenóis

células do organismo

Prevenção e tratamento das doenças causadas por radicais livres


59
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 60

Vitaminas

ura
Leved

A
palavra “vitamina” é derivada da solúveis (B e C). Em caso de consumo
tiamina, primeira molécula à qual excessivo, as primeiras acumulam-se no
foi dado este nome. A tiamina é organismo e podem tornar-se tóxicas.
uma amina, cujo papel é vital para o or-
ganismo (papel preventivo contra o be- As vitaminas são fornecidas pelos dife-
riberi). Além disso, outros nutrientes rentes ingredientes do alimento.
que desempenham papel semelhante Também podem ser incluídas sob forma
são também denominados vitaminas. purificada. Como as vitaminas são na-
turalmente frágeis (sensibilidade à luz,
As vitaminas estão divididas em duas ao calor, à oxidação, etc.), é possível au-
famílias: as vitaminas solúveis em gor- mentar a sua resistência ao cozimento,
duras ou lipossolúveis (A, D, E, K), e as protegendo-as das agressões exteriores.
vitaminas solúveis em água ou hidros-
Cada vitamina está envolvida em várias

60
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 61

Neurotransmissor vitamina B1

Impulso
nervoso Impulso
nervoso
Neurônios
(células nervosas)

funções diferentes. Para simplificar, po- A vitamina B1 permite a


demos citar algumas das funções que as síntese da acetilcolina, que
principais vitaminas desempenham no é um neurotransmissor.
organismo:

Vitaminas lipossolúveis
Vitamina A visão, regeneração cutânea
Vitamina D metabolismo do cálcio e do fósforo
Vitamina E proteção contra oxidação celular
Vitamina K coagulação

Vitaminas hidrossolúveis
B1 (tiamina) sistema nervoso
B2 (riboflavina) pele
B5 (ácido pantotênico) crescimento, pele
B6 (piridoxina) energia para as células
Colina síntese de fosfolipídeos
B12 (cianocobalamina) e ácido fólico formação das células sanguíneas
PP (ácido nicotínico) pele, energia para as células
H (biotina) pele, pêlos
C (ácido ascórbico) antioxidante

61
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 62

V i t a m i n a s

Vitamina A
também conhecida como:
Retinol

saúde & PreVenção


A carência de vitamina A causa:
- problemas oftálmicos (diminuição da visão noturna, opacidade da córnea, desidratação da conjuntiva);
- problemas cutâneos (desidratação da pele, atrofia das glândulas sebáceas);
- anomalias reprodutivas;
- sensibilidade muito grande às infecções e às complicações pulmonares.
O excesso de vitamina A é também prejudicial ao organismo (problemas articulares, problemas re-
produtivos).

Uma breve informação - Reprodução: síntese de alguns hormônios.


Na Antiguidade, a ingestão de fígado era indicada - Metabolismo: síntese protéica.
no tratamento de certos problemas de visão. A vi- - Pele e pelagem: a vitamina A regula o crescimento
tamina A foi isolada em 1913 e a sua estrutura quí- das células epidérmicas, bem como a produção de
mica sebo. Permite combater a seborreia e a descamação
descoberta em 1931: é um álcool de cadeia longa que se formam frequentemente após um episódio
que é solúvel em gordura. É absorvida pelo intes- de prurido. Atua em sinergia com o zinco e os ami-
tino delgado, e armazenada no fígado. O beta-ca- noácidos sulfurados.
roteno é um precursor da vitamina A para o cão,
mas o gato não é capaz de efetuar essa síntese. Fontes naturais
Fígado, carne, peixe, ovos, produtos lácteos..
Funções desempenhadas no organismo
- Visão: adaptação à escuridão.
Iodopsina
Rodopsina
plena luz escuridão vitamina A

As diferentes
formas da vitamina A
cérebro iodopsina rodopsina (retinol/retinal)
desempenham funções
na síntese dos pigmentos
retinianos necessários à
percepção das cores
(iodopsina dos cones) e
sangue à visão na escuridão
(rodopsina
dos bastonetes).

Visão, pele, reprodução - Luta contra infecções


62
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 63

V i t a m i n a s

Óleo
Vitamina D
também conhecida como: Calciferol
Vitamina D2: ergocalciferol
Vitamina D3: colecalciferol
saúde & PreVenção
A carência de vitamina D causa:
- raquitismo (raro no cão e no gato);
- osteomalácia (dores musculares e articulares, fissuras ósseas).
Nos filhotes de cães de raças grandes, o excesso de vitamina D é muito mais frequente que a carên-
cia. O consumo excessivo (pelo uso de suplementos) provoca problemas graves de ossificação (os-
teocondrite).
Uma breve informação pelo osso;
O efeito anti-raquítico do óleo de fígado de peixe foi - diminuição das perdas urinárias de cálcio e de fós-
descoberto em 1782 e a vitamina D foi isolada em foro.
1932. Lipossolúvel, é fornecida ao organismo pela
alimentação. No homem e nos herbívoros, é feita Fontes naturais
uma síntese natural através da transformação dos A carne e os vegetais são praticamente desprovidos
esteróides cutâneos sob a ação dos raios solares. de vitamina D. As fontes naturais são os óleos de fí-
Para estar ativa no organismo, deve ser modificada gado de peixe, peixes gordos (sardinha, atum), gema
primeiro no fígado e, em seguida, no rim. de ovo, leite e seus derivados.

Funções desempenhadas no organismo


A vitamina D desempenha um papel essencial na re-
gulação do metabolismo do cálcio e do fósforo:
- aumento da absorção intestinal do cálcio e do fós- Para ser ativada no organismo, a
foro; vitamina D deve ser modificada
- otimização da fixação (ou da liberação) do cálcio primeiro no fígado e, em seguida,
Intestinos no rim.

Ca
Sangue Fígado

Rim
Ca cálcio
P fósforo
vitamina D
25-hidroxicolecalciferol
1,25-dihidroxicolecalciferol
P Ca

Crescimento ósseo – mineralização


63
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 64

V i t a m i n a s

Vitamina E
também conhecida como:
Tocoferóis

saúde & PreVenção


A vitamina E é utilizada em nutrição para prevenir ou tratar inúmeras doenças causadas pelo stress oxi-
dativo celular (esforço físico, poluição) ou ligadas ao envelhecimento (doenças cardiovasculares, catarata,
doenças neurológicas degenerativas).
Uma breve informação processos de oxidação biológica. Em termos fi-
A vitamina E foi descoberta em 1920, como sendo siológicos, fazem parte dos meios de defesa do or-
um fator de fecundidade e foi isolada em 1936. Só ganismo. Em contrapartida, quando o equilíbrio
nos anos 80 é que se tornou evidente o seu papel entre antioxidantes e radicais livres é quebrado, o
de principal antioxidante para a célula. A vitamina resultado é o “stress oxidativo”.
E é um termo genérico que engloba várias molécu- De uma forma geral, a vitamina E auxilia:
las: alfa-tocoferol é a forma mais conhecida e cuja ati- - proteção das membranas celulares;
vidade biológica antioxidante é a mais importante - luta contra os efeitos biológicos do stress;
para as membranas celulares. - melhoria das defesas imunológicas.
A vitamina E é armazenada no tecido adiposo de
todo o organismo, no fígado e nos músculos. Fontes naturais
As fontes mais importantes de vitamina E são os ve-
Funções desempenhadas no organismo getais: óleos, sementes oleaginosas, gérmen de ce-
A vitamina E protege as células contra a ação dos reais. Também pode ser encontrada em alguns pro-
“radicais livres”. Cientificamente denominados “es- dutos de origem animal como fígado, ovos e man-
pécies reativas de oxigênio”, estes radicais livres são teiga.
naturalmente produzidos pelas células durante os

vitaminas E e C

células

radicais livres
radicais livres

antioxidante – Proteção contra radicais livres


64
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 65

V i t a m i n a s

Vitamina K
também denominada:
Filoquinona, Menaquinona-7 (MK-7)

saúde & PreVenção


A deficiência de vitamina K é responsável por hemorragias digestivas, nasais, cutâneas e cerebrais,
porque a coagulação sanguínea deixa de ser realizada. A longo prazo, estas pequenas hemorragias, por
vezes invisíveis, conduzem a anemia (insuficiência de glóbulos vermelhos, que transportam o oxigê-
nio no sangue). A ingestão adequada de um alimento balanceado permite prevenir estes riscos.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


Em 1929, a existência de um fator alimentar anti- A vitamina K é um cofator de inúmeras enzimas,
hemorrágico foi colocada em evidência; isolado em o que significa que estas últimas não podem ser
1936, seria designado como vitamina K. Esta de- ativadas sem a sua presença. Deste modo, é in-
nominação agrupa várias substâncias similares, solú- dispensável para certos fatores da coagulação san-
veis em gordura, que permitem a coagulação do guínea. É igualmente importante no metabolismo
sangue em determinadas condições, através de me- das proteínas, permitindo fixar o cálcio nos ossos.
canismos bioquímicos complexos.
Fontes naturais
A vitamina K é classicamente administrada por via As principais fontes alimentares de vitamina K são
injetável em caso de intoxicação por anticoagulantes a carne e os legumes, em particular couve, salsa, es-
(ex.: ingestão acidental de rodenticidas). pinafre, etc. Nos animais, a vitamina K é princi-
palmente estocada no fígado.

K
K K

Enzimas
intestinais
Células
intestinais

sangue

formação
ferida (hemorragia)
do coágulo

Coagulação sanguínea
65
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 66

V i t a m i n a s

e
Levur Tiamina
também conhecida como::
Vitamina B1

saúde & PreVenção


A carência de vitamina B1 é a causa do beriberi em humanos e em animais (fadiga, fraqueza muscular,
problemas de marcha e de visão, etc.). Uma alimentação equilibrada permite evitar esta doença. A vi-
tamina B1 também é uma substância importante na prevenção e tratamento de doenças nervosas de-
generativas e de certas afecções cardíacas, entre outras coisas.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


A tiamina é a primeira vitamina historicamente A tiamina é uma molécula essencial envolvida em
conhecida. Embora o famoso “beriberi” já fosse inúmeras reações bioquímicas complexas, permi-
conhecido na China desde 2.600 a.C. pelas pessoas tindo a produção de energia para a célula. Mas é
com dieta à base de arroz, foi só em 1885 que a sua sobretudo indispensável ao funcionamento do sis-
origem nutricional foi demonstrada e, em 1910 tema nervoso, permitindo a síntese de um neuro-
que a tiamina foi identificada. Essa “amina vital” – transmissor, a acetilcolina, que transmite os im-
que recebeu o nome de “vitamina” - é solúvel em pulsos nervosos de um neurônio para outro.
água e concentra-se no coração, no rim, no fígado
e no cérebro. Fontes naturais
Os alimentos mais ricos em vitamina B1 são as le-
veduras e o gérmen de trigo. Também é encontrada
em carnes, farelos vegetais e cereais.

Neurotransmissor
Vitamina B1

Impulso
nervoso Impulso
nervoso

Neurônios A Vitamina B1 tem


(células nervosas) um papel na síntese
de acetilcolina, um
neurotransmissor

neurotransmissão - metabolismo intermediário


66
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 67

V i t a m i n a s

ura
Leved
Riboflavina
também conhecida como:
Vitamina B2

saúde & PreVenção


A vitamina B2 contribui para a qualidade da pele e do pêlo do animal. A carência provoca modifica-
ções da pele da área periocular e no abdome.

Uma breve informação noácidos, funcionamento das mitocôndrias (central


Após ter sido confundida com a vitamina B1, a ri- energética da célula).
boflavina foi descoberta em 1937. Só depois dos
anos 80 foram conhecidas certas doenças ligadas Fontes naturais
à carência desta vitamina, sendo os sinais clínicos A vitamina é muito comum na natureza, sendo en-
induzidos pouco específicos. É solúvel em água. contrada em leveduras, fígado, queijos, ovos e em
derivados do leite. É também produzida pelas bac-
Funções desempenhadas no organismo térias intestinais no cão e no gato. A riboflavina é
A riboflavina é uma coenzima (substância indis- muito sensível à luz.
pensável ao funcionamento da enzima) em inúme-
ras reações bioquímicas, incluindo a produção de
energia a partir das gorduras, catabolismo dos ami-

Carboidratos
Proteínas
Lipídeos

“Ciclo
de
Krebs”

Central Energia
energética da
célula “cadeia respiratória”

Prevenção das doenças cutâneas - Funcionamento energético do organismo


67
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 68

V i t a m i n a s

Ácido pantotênico
também conhecido como:
Vitamina B5

saúde & PreVenção


Como esta vitamina é encontrada muito facilmente nos alimentos, a carência nutricional de vitamina
B5 é rara e não produz sinais clínicos específicos.

Uma breve informação Associada a outras vitaminas do complexo B (nia-


As pesquisas que deram origem à descoberta do cina, colina e inositol) e a histidina, um aminoácido
ácido pantotênico – integrante de uma molécula particular, o ácido pantotênico desempenha papel
chave no funcionamento da produção de energia muito eficaz na proteção cutânea. Favorece a sín-
celular (a coenzima A) - permitiram a Lipman re- tese dos lípideos cutâneos, principalmente das ce-
ceber o prêmio Nobel de Química em 1953, de- ramidas, e permite limitar a desidratação da epi-
monstrando a importância desta vitamina. derme.

Funções desempenhadas no organismo Fontes naturais


O ácido pantotênico entra na composição da coen- O nome da molécula vem do grego “pantos”, que si-
zima A, a qual está envolvida em praticamente todo gnifica “presente em todos os lugares”. As princi-
o metabolismo (carboidratos, lípideos, proteínas) pais fontes de vitamina B5 são a carne, os ovos e os
para fins de produção de energia para as células. produtos lácteos.

glicose

ácidos graxos aminoácidos

“Ciclo energia
de
Krebs”
central
energética
coenzima A
da célula

“cadeia respiratória”

Coenzima a - Funcionamento energético da célula


68
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 69

V i t a m i n a s

ura
Leved Piridoxina
também conhecida como:
Vitamina B6

saúde & PreVenção


A deficiência de piridoxina manifesta-se por alterações cutâneas, nervosas e sanguíneas. Contribui para
prevenir ou tratar certas doenças que atingem os órgãos em questão.

Uma breve informação Fontes naturais


A piridoxina, ou vitamina B6, só foi descoberta e Como todas as vitaminas do complexo B, a piri-
isolada na metade do século XX e as investigações doxina é uma vitamina solúvel em água, presente
ainda estão em curso para melhor estudar as suas em diferentes alimentos como leveduras, gérmen de
funções no organismo, que parecem ser inúmeras. trigo, carne. Os produtos lácteos e os cereais contêm
apenas pequenas quantidades dessa vitamina.
Funções desempenhadas no organismo
A vitamina B6 atua como uma coenzima de inú-
meros sistemas enzimáticos; desempenha múltiplas
funções em diferentes reações metabólicas, espe-
cialmente para os aminoácidos.

metabolismo sanguíneo
(síntese da hemoglobina)

metabolismo dos aminoácidos metabolismo dos


(síntese, destruição) carboidratos
(utilização do glicogênio)

metabolismo dos lipídeos


(síntese da carnitina)

Coenzima com múltiplas funções - metabolismo dos aminoácidos


69
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 70

V i t a m i n a s

Vitamina B12
também conhecida como:
Cobalamina

saúde & PreVenção


Envelhecimento, dieta vegetariana e doenças digestivas podem provocar carência de vitamina B12, que
deve ser corrigida através de alimentação correta. A deficiência de Vitamina B12 também pode ser ob-
servada como consequencia de vários tipos de câncer e de doenças intestinais.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


Em 1925 foi descoberto o efeito anti-anêmico do fí- A Vitamina B12 está envolvida em inúmeras rea-
gado de vitela, ligadas na época à existência de um ções bioquímicas essenciais como coenzima e de-
“fator extrínseco alimentar”, que só seria isolado na sempenha papel primordial na síntese das proteínas
metade do século, quando então foi denominado de e na produção de glóbulos vermelhos.
vitamina B12. É a única vitamina que incorpora em
sua composição química um elemento mineral: o co- Fontes naturais
balto. A vitamina B12 encontra-se exclusivamente nos pro-
dutos de origem animal (fígado, rins, peixes, carnes).
Os vegetais não contém essa vitamina.

combate o
envelhecimento

Co evita a
anemia

síntese de
proteínas

síntese de proteínas - metabolismo intermediário – Prevenção de anemia


70
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 71

V i t a m i n a s

Niacina
também conhecida como:
Vitamina PP, Ácido nicotínico, Nicotinamida

saúde & PreVenção


A niacina permite prevenir a pelagra, doença grave que associa sinais cutâneos, digestivos, psíquicos e
hematológicos. Para cães e gatos contribui com a saúde da pele e para a qualidade do pêlo.

Uma breve informação Associada a outras vitaminas do complexo B (ácido


A vitamina PP deve o seu nome ao fato de prevenir pantotênico, colina e inositol) e a um aminoácido
a pelagra no homem, doença na qual a pele se torna particular - a histidina, a niacina desempenha papel
rugosa. No cão, uma carência de niacina provoca der- muito eficaz na proteção cutânea. Favorece a sín-
mite pruriginosa do abdome e dos membros poste- tese dos lípideos cutâneos, principalmente das ce-
riores. Esta doença pode aparecer no caso de ali- ramidas, e permite limitar a desidratação da epi-
mentação pobre em ingredientes de origem animal derme.
e não complementada com vitaminas do complexo B.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo No organismo, a niacina é sintetizada a partir de
A ativação da niacina auxilia o organismo realizar um aminoácido essencial, o triptofano. Presente na
todas as suas reações de oxidoredução, essenciais à maioria dos alimentos, a vitamina PP existe em
produção de energia a partir de gorduras e de açú- quantidades particularmente elevadas na carne, no
cares. peixe, nos cereais e nos cogumelos.

Carboidratos

Lipídeos Proteínas

“Ciclo
de Krebs”

energia central
energética
da célula

“cadeia respiratória”

Prevenção da pelagra - Funcionamento energético do organismo


71
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 72

V i t a m i n a s

Leved
ura Biotina
também conhecida como:
Vitamina B8 ou vitamina H

saúde & PreVenção


Trata-se de uma das vitaminas mais ativas para a obtenção de pele e pelagem saudáveis no animal.
Contribui também de forma direta para o bom funcionamento do sistema nervoso.

Uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


A descoberta da biotina ocorreu no início do século, A biotina está envolvida no catabolismo (reações
a partir do estudo de uma doença chamada “doença químicas de degradação) da glicose, dos ácidos
da clara do ovo”. O consumo da clara de ovo cru graxos e de certos aminoácidos. No entanto, também
em grandes quantidades causa lesões de pele, queda é essencial para a síntese de alguns ácidos graxos..
de pêlo e problemas neuromusculares. A doença
pode ser curada pelo cozimento da clara do ovo, as- Fontes naturais
sociado à ingestão de levedura. A absorção intesti- Solúvel em água, a biotina encontra-se em grande
nal da biotina, vitamina fornecida pelas leveduras, concentração em leveduras, no fígado, nos rins e
é inibida por uma substância “anti-biotina” presente nos ovos cozidos.
na clara de ovo cru, a avidina.

glicose

ácidos graxos aminoácidos

“Ciclo
de Krebs”

central
energética
da célula pêlo e pele

“cadeia respiratória”

Qualidade da pele e pelagem – Funcionamento do sistema nervoso


72
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 73

V i t a m i n a s

ura
Ácido fólico
Leved também conhecido como:
Folato, Vitamina B9

saúde & PreVenção


O ácido fólico está envolvido no desenvolvimento dos tecidos do sistema nervoso. A carência está na
origem de má-formações (como a espinha bífida) no feto em desenvolvimento. A suplementação de
ácido fólico na cadela em gestação parece ter um efeito muito benéfico para reduzir a incidência de
fendas palatinas em filhotes.
O ácido fólico apresenta também papel preventivo das anemias.

Uma breve informação vido na síntese dos componentes essenciais do DNA.


Descoberta na metade do século XX, o ácido fólico Durante a embriogênese, o feto comporta-se como
é uma vitamina solúvel em água que se armazena uma verdadeira “bomba de ácido fólico” e pode
no fígado dos animais. Há alguns anos que se fala ocorrer facilmente carência na mãe se esta não in-
da vitamina B9, mas os folatos são deniminados gerir quantidades suficientes.
como vitamina M, vitamina Bc e fator L.casei.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo Assim como para a maior parte das vitaminas B, as
O ácido fólico é uma vitamina do complexo B. É in- leveduras constituem a fonte alimentar privilegiada
dispensável para todos os tecidos onde as células se de ácido fólico. Mas o fígado e os legumes verdes,
multiplicam rapidamente (ex.: fetos). Está envol- especialmente, o espinafre e o agrião, são particu-
larmente ricos.

Ácido fólico

Síntese Síntese dos


do DNA glóbulos vermelhos

síntese de dna - Prevenção de anemias


73
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 74

V i t a m i n a s

Colina e Inositol

saúde & PreVenção


A colina e o inositol permitem prevenir o acumulo patológico de ácidos graxos no fígado. Estas sub-
stâncias que podem ser facilmente assimiladas em vitaminas, são fatores lipotróficos.

Uma breve informação Combinada com o fósforo, a colina dá origem à


A colina e o inositol não são vitaminas no sentido lecitina, uma forma particular de fosfolípideo pre-
exato da palavra, mesmo estando ligadas às vitami- sente nas membranas celulares das lipoproteínas san-
nas do complexo B. O organismo é capaz de sinte- guíneas. A colina também entra na síntese
tizar a colina no fígado. No entanto, a síntese nem da acetilcolina, um mediador muito importante das
sempre é suficiente para cobrir as necessidades, es- terminações nervosas. O inositol faz parte da bainha
tando indicada sua incorporação nos alimentos. Em de mielina que envolve os nervos.
contrapartida, as células do organismo e as bacté-
rias intestinais são capazes de converter a glicose em Fontes naturais
inositol. A colina é abundante na carne, nos ovos e nas nozes.
As vísceras, como o fígado e o coração de vaca, são
Funções desempenhadas no organismo excelentes fontes de inositol.
A colina e o inositol trabalham em conjunto para
formação das membranas celulares. Associados a ou-
tras vitaminas do complexo B e a histidina, desem-
penham um papel positivo para reforçar a eficácia
da proteção cutânea contra a desidratação.

neurônio

proteção
cutânea bainha dos nervos
(mielina)
inositol
dupla camada
fosfolipídica
colina
sinapse

células Liberação da acetilcolina entre 2 sinapses


para permitir a passagem do impluso nervoso

Proteção do fígado – reforço da barreira cutânea – Condução nervosa


74
60_75_BR: p 55 à 70 - Vitamines 16/04/10 11:36 Página 75

V i t a m i n a s

Vitamina C
também conhecida como: :
Ácido ascórbico

saúde & PreVenção


Geralmente não-essencial no cão e no gato, a vitamina C deve ser fornecida na alimentação quando
o fígado do animal não consegue produzir quantidade suficiente. Ela permite ajudar a prevenir ou a tra-
tar as doenças ligadas ao envelhecimento, ao stress celular induzido pelo esforço físico e as degene-
rações articulares (artrite).

Uma breve informação - metabolismo do ferro;


Enquanto o escorbuto, carência em vitamina C, é -algumas reações imune anti-infecciosas.
conhecido desde há muito tempo pelo homem (os
marinheiros se preveniam consumindo limão), o Fontes naturais
ácido ascórbico não é uma vitamina essencial no A vitamina C é comum na natureza e todos os ve-
sentido estrito da palavra, para cães e gatos, que getais a contêm, em particular as frutas cítricas
podem sintetizá-la em condições normais. (limão, laranja), a groselha, o kiwi e o morango. No
cão e no gato, a síntese da vitamina C ocorre no fí-
Funções desempenhadas no organismo gado, a partir da glicose.
O ácido ascórbico assegura diversas funções vitais
no organismo, tais como:
- neutralização dos radicais livres (efeito anti-stress
oxidativo): a vitamina C permite a regeneração da
vitamina E, que é também um poderoso antioxi-
dante natural;

radicais livres
vitamina C

células

radicais livres

retardamento do envelhecimento - Luta contra os radicais livres – Prevenção da osteoartrite


75
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 76

Outros nutrientes

tualmente, certos alimentos têm maior valor, para evitar certas doenças,
objetivos nutricionalmente mais retardar processos degenerativos como
ambiciosos que apenas suprir o envelhecimento ou simplesmente mel-
as necessidades, evitando ao mesmo horar o bem-estar do animal.
tempo os excessos e as carências nu- Os termos “nutracêutico” ou “Nutrição
tricionais. Quando falamos de Nutrição Saúde” são, por vezes, empregados em
Saúde, é interessante nos debruçar conexão com certos nutrientes que não
sobre certos nutrientes que podem ter são essenciais ao animal, mas que podem
melhorar a sua qualidade de vida.

76
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 77

Nesta família muito heterogênea (e que


não para de aumentar à medida que os
conhecimentos em Nutrição progridem),
encontram-se elementos muito diversos,
como antioxidantes para combater os
radicais livres, moléculas para proteger
as articulações, extratos vegetais para re-
forçar a proteção cutânea, bactérias para
atuar sobre o equilíbrio da microbiota in-
testinal, etc.
A lista é muito longa, mas nós seleciona-
mos alguns exemplos importantes.
Estes “outros nutrientes” podem ter efei-
tos a curto ou a longo prazo. A curto
prazo, trata-se de melhorar o funciona-
mento do organismo ou atenuar fenô-
antioxidantes pelo animal permite, ao
menos indesejáveis, como dores articu-
mesmo tempo, combater o desenvolvi-
lares, prurido cutâneo ou afecções di-
mento de catarata no cão idoso, e tam-
gestivas.A longo prazo, o objetivo é limi-
bém combater o aparecimento de cer-
tar a incidência de agressões exteriores
tos problemas de comportamento liga-
ou atenuar o processo de envelheci-
dos à perda de capacidades de adaptação
mento de certos órgãos.
(senilidade). No homem, inúmeros estu-
Estes nutrientes trabalham, ao mesmo dos colocaram em evidência a importân-
tempo, no corpo e na mente dos animais cia dos antioxidantes na prevenção de
– pela modulação da capacidade cogni- certas doenças neurológicas, como a
tiva. Por exemplo, a ingestão precoce de doença de Parkinson e de Alzheimer.

77
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 78

o u t r o S n u t r i e n t e S

Água

Saúde & Prevenção


Fornecer água limpa e fresca permite prevenir a desidratação, cujos sinais são pele seca , sinal de prega
de pele persistente, capilares sanguíneos mal preenchidos, aumento da frequência cardíaca, tempera-
tura corporal elevada… Cães ou gatos com desidratação de 10% possuem grande probabilidade de
óbito. O consumo de água pelos cães e gatos deve ser acompanhado, sobretudo para animais idosos.
O aumento da sua ingestão pode ser sinal de diabetes mellitus ou de doença renal.

uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


A água (H2O), a mais célebre das moléculas orgâ- A água desempenha múltiplas funções essenciais
nicas, é o principal elemento constituinte do orga- para a vida:
nismo do animal, que contém 75% ao nascer e 60% - meio de dispersão ideal dos nutrientes e dos resí-
na idade adulta. A água é o nutriente mais impor- duos orgânicos;
tante para a vida, tanto em valor absoluto quanto - meio ideal para todas as reações bioquímicas;
em valor relativo, e participa em todas as principais - regulação da temperatura corporal;
funções fisiológicas do organismo. A gordura cor- - lubrificação das articulações, dos olhos, do ouvido
poral contêm apenas 15% de água, o esqueleto 50%, interno (transmissão dos sons), etc.
o músculo 75% e o sangue… 83%. Os gatos tem
uma reputação de “fracos bebedores”, porque são Fontes naturais
capazes de concentrar muito a sua urina. Mas uma A água tem três origens:
concentração urinária demasiadamente elevada au- - a ingerida, que representa o aporte mais impor-
menta o risco de precipitação de cristais e formação tante;
de cálculos. Por consequencia, é necessário incen- - o alimento, que pode conter de 10% (alimento
tivá-los a beber água. seco) a 85% (alimento úmido);
- as reações de oxidação dos nutrientes (1g de lípi-
deos oxidados, por exemplo, produzem 1,07g de
água no corpo).
vapor de água
na expiração
sede: regulação água
das fezes
sem
transpiração

água metabólica

água bebida +
água dos alimentos

água da
urina

nutriente mais indispensável à vida


78
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 79

o u t r o S n u t r i e n t e S

Antioxidantes
também chamados de:
Anti-radicais livres

Saúde & Prevenção


O papel dos antioxidantes para a saúde constitui uma das áreas dominantes da pesquisa médica atual:
luta contra o envelhecimento, prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares, de algumas neo-
plasias, de doenças nervosas, de cataratas e dos radicais livres produzidos pelo esforço físico.

uma breve informação vasta gama de meios de defesa contra os ataques


Os antioxidantes permitem ao organismo comba- de radicais livres, graças a mecanismos enzimáti-
ter os efeitos destruidores dos radicais livres (cien- cos (superóxido dismutase, glutationa peroxidase
tificamente chamados “espécies reativas de oxigê- e catalase) e as substâncias antioxidantes de ori-
nio”), elementos instáveis derivados do oxigênio, gem endógena e alimentar. Um distúrbio deste
produzidos constantemente pelo organismo. A pro- sistema de defesa natural traduz-se por um stress
dução de radicais livres aumenta em caso de infla- oxidativo.
mação, estimulo do sistema imune e exposição à
toxinas. Fontes naturais
Os antioxidantes (vitaminas, pigmentos corantes,
Funções desempenhadas no organismo enzimas) podem ser encontrados em várias frutas
Os antioxidantes protegem as membranas da cé- (limão, laranja, melão, tomate, uva), no gérmen de
lula e o seu núcleo contra os radicais livres, se- cereais, nas folhas do chá verde ou no vinho tinto.
melhantes a pequenos meteoritos que atingem a Os antioxidantes dietéticos mais utilizados são a vi-
célula constantemente. O organismo possui uma tamina E, a vitamina C, os pigmentos carotenóides,
a taurina e os polifenóis.

as vitaminas C e e
agem sobre a membrana
celular
Ultravioletas os polifenóis
atuam sobre o núcleo
Poluição

O2
Stress
radicais
livres

alimentação a luteína
e o beta-caroteno
atuam no interior
da célula

Prevenção e tratamento das doenças causadas por radicais livres – Luta contra o envelhecimento
79
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 80

o u t r o S n u t r i e n t e S

Pigmentos
carotenóides
Exemplos:
beta-caroteno (ou pro-vitamina A),
licopeno, luteína e zeaxantina.
Saúde & Prevenção
Os carotenóides são uma família de pigmentos amarelo-alaranjados que têm um papel antioxidante.
A luteína e a zeaxantina são pigmentos presentes no cristalino e na retina do olho. Absorvem os raios
U.V. e desempenham o papel de filtro protetor para as células da retina. No homem, o risco de cata-
rata é inversamente proporcional à quantidade de luteína ingerida. É igualmente aconselhado suple-
mentação desses nutrientes em pessoas que sofram de degeneração da retina (degeneração da má-
cula). A luteína protege especificamente os bastonetes, enquanto a zeaxantina protege os cones da re-
tina.

uma breve informação Por intermédio desses hormônios, o beta-caroteno


O gato é um carnívoro, cuja saúde depende de um alimentar fornece um ambiente favorável ao desen-
fornecimento regular de nutrientes de origem ani- volvimento e a sobrevivência do embrião. Existe si-
mal. Ao contrário do cão, o gato não converte o nergia entre os diferentes pigmentos carotenóides: a
beta-caroteno de origem vegetal em vitamina A. luteína permite a regeneração da zeaxantina que, por
sua vez, regenera o beta-caroteno, que regenera o li-
Funções desempenhadas no organismo copeno.
Os carotenóides desempenham um papel de an-
tioxidante natural e exercem uma ação estimulante Fontes naturais
sobre o sistema imunológico. Na cadela, o beta-ca- Os carotenóides encontram-se geralmente nos frutos
roteno favorece a síntese de progesterona e de estró- e nos legumes amarelo-alaranjados como a cenoura
genos. Esses hormônios estão envolvidos nas mu- (beta-caroteno), tomate (licopeno), laranja, cravo-da-
danças de comportamento durante os cios e permi- índia, abóbora, glúten de milho (luteína e zeaxantina).
tem ao útero se preparar para uma eventual gestação.

membrana celular radicais livres

núcleo luteína

a luteína protege
a membrana celular

Proteção antioxidante - Luta contra o envelhecimento – Prevenção do câncer


80
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 81

o u t r o S n u t r i e n t e S

Polifenóis

Saúde & Prevenção


Os polifenóis formam uma família de antioxidantes principais, pois exercem o seu efeito protetor
nas membranas celulares e no DNA, o que lhes permite prevenir certas mutações responsáveis pelo
câncer.

uma breve informação das bactérias da placa dentária, que estão na origem
Certos estudos epidemiológicos humanos demons- da doença periodontal, frequente nos animais ido-
tram uma correlação positiva entre o consumo re- sos. O interesse dos flavanóides, uma categoria par-
gular e moderado de vinho tinto, fonte concentrada ticular de polifenóis, também se verifica no caso das
de polifenóis, e a redução da incidência de doenças doenças renais e cardíacas. Estimulam a produção de
cardiovasculares (ex.: aterosclerose) no homem. É óxido nítrico, que induz o relaxamento das fibras
isto que chamamos vulgarmente de “paradoxo fran- musculares lisas dos vasos sanguíneos. A adminis-
cês”! Os cães e os gatos, em contrapartida, são pouco tração diária de flavanóides está associada a redução
sujeitos à aterosclerose, porque possuem menos co- da pressão arterial sistêmica.
lesterol LDL (ou “mau colesterol”) que o homem.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo Existem mais de 8.000 tipos de polifenóis conheci-
O principal interesse pelos polifenóis reside no com- dos, e podem ser encontrados em todos os vegetais.
bate contra as espécies reativas de oxigênio (radicais Estes nutrientes estão envolvidos com a pigmentação
livres), para limitar os efeitos prejudiciais do stress (taninos), crescimento, reprodução e resistência das
oxidativo. A incorporação alimentar de polifenóis plantas contra doenças. A uva, o chá verde e o cacau
de chá verde pode ter interesse para a higiene bu- são as plantas muito ricas em flavanóides.
codentária. Certos compostos inibem o crescimento

Rim Coração Polifenóis Atividade


antioxidante

Melhoria da
circulação sanguínea
Higiene da
cavidade bucal

Luta contra o envelhecimento – Prevenção do cãncer


81
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 82

o u t r o S n u t r i e n t e S

Glicosamina
também conhecida como:
agente condroprotetor

Saúde & Prevenção


Este nutriente é preconizado no tratamento e na prevenção da osteoartrite em cães de grande porte,
em cães de esporte ou em cães e gatos geriátricos. Quanto mais cedo for incorporada na alimentação,
maiores são as probabilidades de limitar a degeneração das cartilagens articulares.

uma breve informação A glicosamina possui fraco efeito anti-inflamatório.


A glicosamina entra na composição dos glicosami- A administração de glicosamina também é interes-
noglicanos (GAGs), elementos de base na forma- sante em casos de cistite idiopática felina, pois a mu-
ção da cartilagem das articulações. cosa da bexiga é revestida por uma camada protetora
de glicosaminoglicanos (GAGs).
Funções desempenhadas no organismo
A glicosamina é uma das principais moléculas en- Fontes naturais
volvidas na elaboração da cartilagem articular, contri- A glicosamina é encontrada na cartilagem de inú-
buindo para assegurar a sua elasticidade. A sua prin- meras espécies animais. Pode ser extraída facilmente
cipal ação consiste em estimular a formação de car- da carapaça de certos crustáceos (ex.: camarões), rica
tilagem nova. Também tem um papel perfeitamente em quitina.
complementar ao da condroitina, que inibe a des-
truição da cartilagem mais antiga.

Após administração oral,


a glicosamina concentra-se
no líquido sinovial.
A glicosamina estimula a Cartilagem
regeneração celular da lesada pelo
cartilagem. envelhecimento

Prevenção e tratamento da osteoartrite


82
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 83

o u t r o S n u t r i e n t e S

Condroitina
também conhecida como: agente condroprotetor

Saúde & Prevenção


Esta molécula previne e trata problemas de osteoartrite em cães de grande porte, em cães de esporte
e em cães e gatos geriátricos. Quanto mais cedo for incorporada na alimentação, maiores são as pro-
babilidades de limitar a degeneração das cartilagens articulares.

uma breve informação para amortecer os choques nas articulações. A sua


O sulfato de condroitina é uma molécula glicídica principal ação consiste em inibir o efeito das enzi-
que entra na composição dos glicosaminoglicanos mas que estão na origem da destruição permanente
(GAGs), elementos de base na formação da cartila- da cartilagem. Tem uma ação perfeitamente com-
gem das articulações. Os GAGs são derivados de sul- plementar ao da glicosamina, que favorece a síntese
fato, de massa molecular elevada. Estão na origem da de novas cartilagens.
capacidade de retenção de água dos proteoglicanos.
Na matriz cartilaginosa, os GAGs contribuem para Fontes naturais
a nutrição da cartilagem. A condroitina pode ser extraída da cartilagem de di-
ferentes espécies animais, como peixes, moluscos,
Funções desempenhadas no organismo suínos, aves, etc.
A condroitina é um dos principais glicosaminoglica-
nos, que são componentes essenciais da cartilagem.
Estes contribuem para assegurar a sua elasticidade e

a condroitina retarda a cartilagem lesada


degradação enzimática pelo envelhecimento
da cartilagem

Prevenção e tratamento da osteoartrite


83
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 84

o u t r o S n u t r i e n t e S

GLM
Green Lipped Mussel

Saúde & Prevenção


O extrato de mexilhão verde (Green-Lipped Mussel ou GLM) apresenta propriedades interessantes
para a prevenção e o tratamento da osteoartrite. Vários estudos demonstram diminuição da dor e
melhoria da mobilidade articular nos cães com osteoartrite durante sua administração.
O GLM ajuda a limitar a inflamação, a preservar a integridade das cartilagens e a combater as lesões
oxidativas.

uma breve informação filtradores da água do mar e tendem a reter os nu-


Os mexilhões frescos fazem tradicionalmente parte trientes essenciais. Deste modo, o GLM contém um
da dieta da população Maori, que vive no litoral da grande número de substâncias potencialmente ati-
Nova Zelândia. Como esta população sofre menos vas para combater a inflamação presente nas os-
de osteoartrite que as populações do interior desta teoartrites, como ácidos graxos ômega 3, condroi-
ilha, foram iniciadas pesquisas para estudar esta tina, glutamina, vitaminas E e C, e oligoelementos
questão e as propriedades anti-inflamatórias deste (zinco, cobre, manganês).
mexilhão foram rapidamente demostradas.
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo O GLM é um extrato de Perna canaliculus, o
Os mexilhões capturados no litoral da Nova mexilhão verde da Nova Zelândia.
Zelândia se beneficiam de um aporte sempre reno- São necessárias precauções extremas para preservar
vado de nutrientes marinhos, fornecidos pelas cor- as qualidades terapêuticas do GLM durante sua ex-
rentes. Os mexilhões desempenham um papel de tração.

O GLM apresenta efeitos anti-


inflamatórios muito interessantes
nos animais que sofrem de dores
articulares (osteoartrite).

Prevenção e tratamento da osteoartrite


84
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 85

o u t r o S n u t r i e n t e S

Ácidos de frutos
(Garcinia cambodgia)

Saúde & Prevenção


O extrato de Garcinia cambodgia é utilizado para limitar a lipogênese no homem e no cão.

uma breve informação Fontes naturais


Os ingredientes ativos são os hidroxicitratos ou ácido O ácido alfa-hidroxicítrico (AHA) encontra-se sob
alfa-hidroxicítrico (AHA), comumente chamados a forma concentrada apenas em algumas plantas,
de “ácidos de frutos”. como o fruto de Garcinia cambodgia, originária do
Sudeste asiático.
Funções desempenhadas no organismo
Apresentam como benefícios a inibição da lipogê-
nese no fígado e diminuição da ingestão energética.
Os mecanismos de acão ainda não foram claramente
estabelecidos.

Lipídeos

aumento de
armazenamento peso corporal
dos lipídeos

Lipídeos

melhor controle
inibição do do peso
armazenamento dos
lipídeos hepáticos

inibição do armazenamento das gorduras


85
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 86

o u t r o S n u t r i e n t e S

Aloe vera
também conhecida como:
Babosa

Saúde & Prevenção


O aloe vera possui várias propriedades que, quando combinadas, propiciam uma ação muito positiva para
a pele. Ativa a síntese do colágeno, o que a torna um agente cicatrizante muito utilizado em aplicações
tópicas para tratamento de lesões e queimaduras. O aloe vera apresentam também ação anti-infla-
matória, estimula a função imune (previne as infecções locais) e e combate a oxidação celular.

uma breve informação priedades cicatrizantes do aloe vera se devem, pro-


As propriedades terapêuticas do aloe vera são utili- vavelmente, a um efeito sinérgico entre polissa-
zadas pelos Egípcios desde 1.500 a.C. para tratar carídeos particulares (ex.: acemanano), e grandes
queimaduras, infecções e parasitas cutâneos. O nome concentrações de aminoácidos, vitaminas E e C,
aloe deriva do árabe “alloeh”, que significa amargo, zinco e ácidos graxos essenciais.
como o líquido extraído das folhas. Em Latin, “aloe”
significa planta, enquanto “vera” significa verdade. Fontes naturais
O aloe vera é extraído de plantas da família dos Aloes
Funções desempenhadas no organismo (Liláceas), originários da África e do México. São as
O aloe vera exerce as suas propriedades cicatri- folhas de Aloe que fornecem os extratos mais
zantes com uso tópico ou por via oral. As pro- interessantes de aloe vera.

pele lesada pele saudável

Os efeitos do aloe vera podem ser exercidos


por aplicação local, mas a administração via
alimentação também propicia efeito
estimulante da cicatrização cutânea.

extrato vegetal – Saúde da pele e auxílio da cicatrização


86
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 87

o u t r o S n u t r i e n t e S

Curcumina

Saúde & Prevenção


O curcumin é uma substância que faz parte dos curcuminoides extraídos do Curcuma ou Açafrão da
Índia. São reconhecidos os seus efeitos benéficos sobre a pele e as lesões cutâneas. Entre as suas ou-
tras propriedades conhecidas, o curcumin tem ação hepatoprotetora e efeito de anti-agregação pla-
quetária que pode ajudar o homem a se proteger da aterosclerose. Os resultados laboratoriais mais
recentes indicam também propriedades anti-cancerígenas.

uma breve informação - facilita o processo de cicatrização;


O curcumin tem cor amarelo-alaranjado pronun- - participa como regulador de reações imune, par-
ciada, sendo utilizado na indústria alimentar, por ticularmente nos estados atópicos ou alérgicos;
exemplo para colorir a mostarda. - tem atividade anti-bacteriana.

Funções desempenhadas no organismo Fontes naturais


O curcumin atua por várias vias diferentes para fa- O curcumin é extraído do rizoma de uma planta da
cilitar os processos de cicatrização cutânea: família do gengibre (Curcuma longa).
- tem propriedades antioxidantes e anti-inflamató-
rias;

ação superficial:
facilita a cicatrização e o
combate à infecções
bacterianas

ação intermediária:
propriedades
antioxidantes e
anti-inflamatórias
ação profunda:
regulação das
reações imunológicas

ajuda no tratamento de afecções cutâneas


87
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 88

o u t r o S n u t r i e n t e S

Probióticos

Saúde & Prevenção


O probiótico é um organismo vivo, administrado por via oral, cujos efeitos benéficos sobre o equilí-
brio da microbiota intestinal podem ajudar a prevenir ou a tratar os problemas digestivos dos ani-
mais. O consumo regular de probióticos pode ter efeitos benéficos sobre a saúde em geral e a imu-
nidade em particular.

uma breve informação Um tipo particular de latobacilos (Lactobacillus aci-


Mais de 90% das células do corpo são bactérias pre- dophilus) é capaz de acelerar a recuperação de cães
sentes no tubo digestivo. O intestino grosso pode e gatos que tenham sofrido enterite de origem bac-
conter até 1012 (dez seguido de doze zeros!) bacté- teriana.
rias por grama!
Fontes naturais
Funções desempenhadas no organismo Atualmente, estão autorizadas dois tipos de pro-
Os probióticos são bactérias “benéficas”, capazes de bióticos na Europa como aditivos em alimentos para
colonizar o intestino às custas de bactérias poten- cães e gatos: o Lactobacillus acidophilus e o
cialmente patogênicas se forem absorvidas com a Enterococcus faecium.
alimentação. No homem, o interesse do consumo re-
gular de leite fermentado (iogurtes, por exemplo)
baseia-se no mesmo princípio.

No intestino, os probióticos
exercem um papel de
regulação da microbiota
em geral:
impedem certas bactérias
de proliferarem e limitam
assim o risco de infecção ou
de fermentação indesejável.

probióticos

bactérias patogênicas

trânsito intestinal

equilíbrio da microbiota intestinal


88
76_89_BR: p 71 à 80 - Autres nutriments 16/04/10 11:37 Página 89

o u t r o S n u t r i e n t e S

Zeolita

Saúde & Prevenção


A incorporação de zeolita nos alimentos é útil na prevenção e no tratamento da diarreia. Ela atua,
não só absorvendo o excesso de água no tubo digestivo (que carateriza o estado de diarreia), mas
também se ligando a certas toxinas responsáveis pelo aumento da secreção de água no lúmen intestinal.

uma breve informação Funções desempenhadas no organismo


As zeolitas são argilas, elementos minerais naturais, As zeolitas têm três ações principais no sistema di-
compostos por folhas microscópicas de silicatos de gestório do animal:
alumínio. São utilizadas há vários anos no trata- - formar uma película protetora na superfície da
mento das diarreias, da mesma forma que a esme- mucosa intestinal;
tita (outra argila). As zeolitas são sais minerais in- - absorver a água em excesso;
solúveis que, comparativamente às - absorver as substâncias tóxicas.
outras argilas, se caraterizam por: Não prejudicam os mecanismos de absorção diges-
- grande porosidade, que lhes permite absorver 50 tiva e permitem melhorar a solidez dos ossos, aju-
% do seu volume; dando na absorção do cálcio.
- superfície de troca extremamente importante (mais
de 100 m2 por grama!). Fontes naturais
A zeolita é extraída principalmente de rochas vulcâ-
nicas.

eliminação passagem dos


trânsito digestivo das toxinas nutrientes não
alterados

absorção
de água

parede
intestinal
intestino

cobertura protetora
progressiva da mucosa
intestinal zeolita
protetora

Prevenção e tratamento da diarreia


89
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­90

Glossário: os ingredientes

­ INGREDIENTES NUTRIENTES

Aloe vera Outros nutrientes: Aloe vera.

Carboidratos: Amidos.
Proteínas: Aminoácidos essenciais,
Trigo
Minerais: Zinco, Manganês.
Vitaminas: Vitamina E, Tiamina, Niacina.

Beterraba Carboidratos: Fibra dietética.

Lipídeos: Fibra dietética.


Manteiga
Vitaminas: Vitamina E.

Borragem
Lipídeos: Ácidos graxos, Ácido gama-linolênico.
(sementes)

Carboidratos: Fibras dietética.


Cenoura
Outros nutrientes: Carotenóides.

Cartilagem Outros nutrientes: Condroitina.

Repolho Vitaminas: Vitamina K.

Coração Vitaminas: Vitamina K, Colina e Inositol.

Minerais: Cobalto.
Mexilhões
Outros nutrientes: Condroitina, Ácidos Graxos.

Crustáceos Outros nutrientes: Glicosamina.

Curcumina Outros nutrientes: Curcumina.

Água Outros nutrientes: Água.

90
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­91

e fontes de nutrientes

INGREDIENTES NUTRIENTES
Proteínas: Tirosina.
Queijo
Vitaminas: Riboflavina.

Minerais: Ferro, Cobalto.


Vitaminas: Vitamina A,Vitamina E,Vitamina K,
Fígado
Riboflavina,Vitamina B12, Ácido fólico, Colina e
Inositol.

Garcinia
Outros nutrientes: Ácidos de frutos.
cambodgia

GLM (Green
Outros nutrientes: GLM.
Lipped Mussel)

Lipídeos: Ácidos graxos, Ácidos graxos ômega 3,


Óleo de peixe
EPA e DHA.

Lipídeos: Ácidos graxos, Ácidos graxos ômega 6.


Óleo vegetal
Vitaminas : Vitamina D,Vitamina E.

Carboidratos: Açucar (lactose); Minerais: Zinco,Manganês.


Lípidos: Ácidos graxos conjugados.
Leite
Proteínas: Aminoácidos sulfurados, Lisina, Tirosina.
Vitaminas:Vitamina A,Vitamina D, Riboflavina, Ácido Fólico.

Carboidratos: Fibra dietética.


ura Levedura Vitaminas: Tiamina, Riboflavina, Ácido Fólico,
Leved
Piridoxina, Biotina.

Carboidratos: Amidos, Fibras dietética;


Proteínas: Aminoácidos essenciais.
Milho
Minerais: Zinco, Manganês.
Outros nutrientes: Carotenóides.

Outros nutrientes: Antioxidantes,


Melão
Carotenóides.

Marigold Outros nutrientes: Carotenóides.

91
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­92

INGREDIENTES NUTRIENTES
Proteínas: Aminoácidos essenciais,
Amino ácidos sulfurados.
Ovos Vitaminas: Vitamina A,Vitamina D,Vitamina E,
Riboflavina, Ácido pantotênico, Piridoxina, Biotina,
Colina, Inositol.

Vitaminas: Vitamina C.
Laranja
Outros nutrientes: Antioxidantes.

Cevada Glúcidos: Amido.

Minerais: Cálcio, Fósforo, Magnésio.


Ossos
Outros nutrientes: Glicosamina, Condroitina.

Proteínas: : Amino ácidos essenciais,


Aminoácidos sulfurados.
Peixes Marinhos
Minerais: Ferro, Iodo.
Vitaminas: Vitamina D, Piridoxina,Vitamina B12, Niacina.

Maçã Carboidratos: Açucar.

Lipídeos: Ácidos graxos essenciais, Ácidos graxos ômega 6.


Suínos
Proteínas: Aminoácidos essenciais.

Psyllium Carboidratos: Mucilagens (fibra dietética solúvel).

Carboidratos: Açucar.
Uvas
Outros nutrientes: Antioxidantes, Polifenóis.

Rim Vitaminas: Vitamina B12.

Arroz Carboidratos: Amido, Tirosina.

92
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­93

INGREDIENTES NUTRIENTES

Alface Carboidratos: Fibra dietética

Sal Minerais: Sódio, Iodo.

Minerais: Cálcio, Fósforo, Potássio, Magnésio,


Oligoelementos quelados, Zinco, Ferro,
Sais minerais
Manganês, Cobre, Selênio, Cobalto, Polifosfatos
de sódio, Citrato de potássio.

Proteínas: Aminoácidos essenciais, Lisina.


Soja
Minerais : Cobre.

Chá verde Outros nutrientes: Antioxidantes, Polifenóis.

Tomate Outros nutrientes: Pigmentos carotenóides.

Lipídeos: Ácidos graxos conjugados.


Proteínas: Aminoácidos essenciais, Arginina,
Glutamina, Lisina, Taurina, Amino ácidos de
cadeia ramificada, Carnitina.
Carne
Minerais: Fósforo, Ferro, Cobre, Selênio.
Vitaminas: Vitamina A,Vitamina K, Tiamina,
Ácido Pantotênico, Piridoxina,Vitamina B12,
Niacina, Colina, Inositol.
Lipídeos: Ácidos graxos essenciais, Ácidos graxos
Aves ômega 6;
Proteínas: Aminoácidos essenciais.

Iogurte Outros nutrientes: Probiótico.

Zeolita Outros nutrientes: Zeolita.

93
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­94

NOTAS
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­95

NOTAS

95
90_96_BR:­p­09­à­14­-­pièges­aliments­­16/04/10­­11:39­­Página­96

NOTAS

96

Interesses relacionados