Você está na página 1de 77

PROVAS E GABARITOS SOBRE A

URBANIZAÇÃO NO BRASIL.
VESTIBULAR 2012
(UNIFENAS) Analise o gráfico abaixo a respeito da evolução da urbanização brasileira:

Fonte: IBGE.Censo 2010 (Folha de São Paulo,30/04/2011)

A partir dos dados observados no gráfico e mais seus conhecimentos sobre a evolução dos
índices de urbanização no Brasil, você pode constatar corretamente que

I) o Brasil é um país urbano, pois possui uma população superior a 80% vivendo nas cidades.
II) o ritmo de crescimento da taxa de urbanização tende a diminuir no Brasil atual, pois a
população
rural já é pouco expressiva, não havendo grandes contingentes para migrar para as cidades.
III) o Censo 2010 apresenta uma população mais urbanizada que há uma década atrás.
IV) as regiões brasileiras com as maiores taxas de urbanização são, pela ordem, Sudeste
(92,9%), Centro-Oeste (88,8%) e Sul (84,9%).
V) segundo o Censo 2010 a população residente no campo apresenta uma taxa inferior a 20%,
demonstrando que o êxodo rural vem perdendo força no país.

Estão corretas as alternativas


a) I e II, apenas.
b) Todas.
c) III e IV, apenas.
d) I, III e V, apenas.
e) II, IV e V, apenas.

(FUVEST)
As imagens acima ilustram uma contradição característica de médios e grandes centros
urbanos no Brasil, destacando-se o fato de que ambas dizem respeito a formas de segregação
socioespacial. Considerando as imagens e seus conhecimentos, identifique e explique
a) duas causas socioeconômicas geradoras do tipo de segregação retratado na Imagem 1;
b) o tipo de segregação retratado na Imagem 2 e uma causa socioeconômica responsável por
sua ocorrência.

Resposta:

a) Crescimento urbano acelerado, resultante do êxodo rural e da industrialização nos centros


urbano que gerou ocupações irregulares e desordenadas, em áreas de riscos (áreas de
encostas) com total falta de infraestrutura e sem políticas públicas.

b) A figura ilustra os condomínios fechados, procurados pelas classes dominantes em busca de


fugir da violência e obter tranquilidade. Embora seja legitimo, só ponto de vista do indivíduo,
buscar maior segurança para si e para sua família, esse fenômeno acentua a exclusão social e
reduz os espaços urbanos públicos, uma vez que propicia o crescimento de espaços privados e
de circulação restrita.

(FGV-RJ) Observe o gráfico:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/sinopse/sinopse_tab_bras
Sobre os fatores relacionados ao processo de urbanização nas regiões brasileiras, assinale a
alternativa correta:

a) A urbanização é mais lenta nas regiões onde predomina a agricultura de alta intensidade
técnica.
b) Na Região Norte, o processo de urbanização é a principal causa do desmatamento.
c) Na Região Centro-Oeste, a urbanização é alimentada pelo êxodo rural resultante da crise do
setor
agrícola.
d) No Sudeste, o elevado grau de urbanização é um reflexo da baixa produtividade do setor
agrícola.
e) No Sul, a urbanização foi impulsionada pela concentração da propriedade fundiária e pela
modernização técnica da agricultura.

(UNICAMP) O Brasil experimentou, na segunda metade do século 20, uma das mais rápidas
transições urbanas da história mundial. Ela transformou rapidamente um país rural e agrícola
em um país urbano e metropolitano, no qual grande parte da população passou a morar em
cidades grandes. Hoje, quase dois quintos da população total residem em uma cidade de pelo
menos um milhão de habitantes.

(Adaptado de George Martine e Gordon McGranahan, “A transição urbana brasileira: trajetória,


dificuldades e lições aprendidas”, em Rosana Baeninger (org.), População e cidades: subsídios
para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Nepo / Brasília: UNFPA, 2010, p.
11.)

Considerando o trecho acima, assinale a alternativa correta.


a) A partir de 1930, a ocupação das fronteiras agrícolas (na Amazônia, no Centro-Oeste, no
Paraná) foi o fator gerador de deslocamentos de população no Brasil.
b) Uma das características mais marcantes da urbanização no período 1930-1980 foi a
distribuição da população urbana em cidades de diferentes tamanhos, em especial nas cidades
médias.
c) Os últimos censos têm mostrado que as grandes cidades (mais de 500 mil habitantes) têm
tido crescimento relativo mais acelerado em comparação com as médias e as pequenas.
d) Com a crise de 1929, o Brasil voltou-se para o desenvolvimento do mercado interno através
de uma industrialização por substituição de importações, o que demandou mão de obra urbana
numerosa.

VESTIBULAR 2011

1-(UFF)

Reconhecido há tempos,
dentro e fora do Brasil, como manifestação artística legítima e pública, o grafite vem
sendo visto também como um elemento relevante do espaço urbano, pois nele realiza
sucessivas intervenções.
Jornal do Brasil, 26/02/2010.

Com base nessa ideia e no foco da matéria jornalística, é correto afirmar que atualmente
o grafite:
a) estimula e aprofunda o desemprego entre a população jovem urbana.
b) potencializa e provoca a revolta de grupos sociais oprimidos.
c) renova e estetiza diversos trechos da paisagem urbana.
d) fortalece e antecipa o aspecto marginal das pichações.
e) abandona e contesta valores estéticos externos à cultura nacional.

2-(UNIOESTE) Sobre a rede urbana brasileira, assinale a alternativa INCORRETA.


a) O sudeste brasileiro pode ser caracterizado como uma rede urbana complexa, pelo
seu alto grau de urbanização e pela sua economia diversificada, fortemente industrial e
de serviços.
b) A configuração das redes urbanas regionais é definida geralmente pelo fator histórico
e pelas atividades econômicas praticadas. Tem-se como exemplos alguns centros
regionais e metrópoles nordestinas que se desenvolveram como portos exportadores de
produtos agrícolas para o mercado internacional.
c) São Paulo e Rio de Janeiro se caracterizam como as maiores metrópoles brasileiras
por concentrar sedes de empresas transnacionais e intensa dinâmica de fluxos
informacionais.
d) Abaixo das metrópoles, no nível hierárquico que define a rede urbana brasileira, estão
os centros regionais que concentram centros universitários, grande rede de hospitais,
médicos e dentistas especializados, retransmissoras de televisão e shopping centers.
Tem-se como exemplos Londrina e Ribeirão Preto.
e) O desenvolvimento mais recente da rede urbana brasileira esteve orientado pelo
crescimento de sua malha ferroviária, que, a partir de 1960, foi a infra-estrutura de
transportes que mais se destacou no território nacional.

3-(UNIR) Os mapas apresentam o número de cidades médias (entre 100.000 e 500.000


habitantes) no território brasileiro em 1970 e nos dias atuais.
(Revista VEJA, 01/09/2010. Adaptado.)

Com base nos mapas e


nos seus conhecimentos, assinale a afirmativa correta.
a) O número de cidades médias da região Norte do país manteve-se inalterado desde
1970, resultado das políticas de conservação ambiental e da rigorosa fiscalização das
instituições responsáveis.
b) A partir de 1970 aumentou o número de cidades médias, o que indica que a riqueza,
antes concentrada nos grandes centros urbanos, vem sendo distribuída também nas
médias aglomerações.
c) A região Nordeste, considerada a mais pobre do país, apresenta hoje poucas cidades
médias, resultado do elevado contingente migratório em direção ao Centro-Sul.
d) O aumento do número de cidades médias pós década de 70 do século XX deve-se
principalmente à política de incentivos fiscais para a instalação das multinacionais nas
metrópoles nacionais, aumentando a demanda por mão-de-obra especializada.
e) O aumento de cidades médias da região Centro-Oeste resulta das políticas de
transferência de renda do governo federal, entre elas a bolsa escola, além de
investimentos maciços em ciência e tecnologia com a criação de tecnopolos.

4-(UFPA) À medida que a urbanização se intensifica, o modo de viver e de consumir de


cada grupo ou classe social gera repercussões na forma de apropriação do espaço
urbano. Sobre essas repercussões é correto afirmar que:
a) as contradições urbanas fizeram surgir, sobretudo nos grandes aglomerados, uma
cidade formal e outra informal que pouco se diferenciam na organização espacial. Porém
a precariedade do saneamento básico é um dos itens que as tornam diferentes.
b) o aumento da procura por espaços para habitação, em áreas de proteção ambiental,
pelas populações pobres em cidades de países periféricos, gera a disseminação de
ocupações irregulares com a intensa degradação desse meio ambiente.
c) o mercado imobiliário atual, ao transformar a ocupação domiciliar em um produto,
uma mercadoria, beneficia tanto as classes economicamente privilegiadas como as
menos favorecidas, através do acesso às áreas de melhor localização que, geralmente,
são dotadas de serviços de esgotos e água potável.
d) em um ambiente urbano ecologicamente equilibrado, tanto as populações pobres
como as economicamente privilegiadas vivenciam acesso a moradia de qualidade, o uso
sustentável de seus recursos naturais e a redução da poluição a níveis considerados
aceitáveis.
e) as desigualdades espaciais que ocorrem nas cidades denunciam que as populações
pobres têm sido submetidas a processos de segregação voluntária, uma vez que são
induzidas a deslocamentos para áreas nobres, tendo como consequência a proliferação
de doenças endêmicas.

5-(MACK) A distribuição desigual de equipamentos públicos e serviços essenciais no


espaço urbano cria áreas privilegiadas e áreas de escassez desses recursos. Nesta
última situação, verifica-se, para o território, a condição de pobreza. A reportagem
“Metrópole para poucos” é farta em exemplos paulistanos, como o bairro do Tatuapé no
primeiro caso e o bairro do Jardim Pantanal no segundo. O professor Milton Santos
enfatiza que pessoas dotadas de condições físicas, intelectuais e até salariais
equivalentes não dispõem das mesmas possibilidades, caso vivam em diferentes pontos
do território. Moradores de áreas privilegiadas pela distribuição de equipamentos de
saúde, de educação, de cultura, etc. têm suas potencialidades sociais e econômicas
aumentadas, uma vez que têm o acesso facilitado a esses serviços. Já aqueles que
vivem em áreas de escassez ou inexistência de tais recursos tendem a se empobrecer a
cada dia, à medida que necessitam de mais recursos próprios para usufruir tais
serviços. Tais dificuldades comprometem ainda mais sua condição social e sua
formação cultural.
A partir do texto e observando o mapa, considere
as afirmações I, II, III e IV.
I. O problema apresentado no texto é comum em cidades industrializadas como Rio de
Janeiro e Porto Alegre, mas também pode ser verificável em outras cidades brasileiras,
como Fortaleza e Santos, com menores índices de industrialização.
II. O traçado e a abrangência das linhas de metrô em São Paulo não confirmam as
desigualdades apontadas no texto.
III. Os casos de homicídios dolosos afetam muito mais a população das áreas mais ricas,
mais vulnerável aos assaltos, principal causa desse tipo de violência.
IV. As desigualdades da relação centro-periferia podem ser observadas tanto na
distribuição espacial dos equipamentos urbanos quanto nas representações de
fenômenos sociais, como no caso da violência.

Assinale a alternativa que contenha apenas afirmativas corretas.


a) I e II
b) II e III
c) II e IV
d) I e IV
e) I e III

6-(UEPB) Escreva F ou V (Falso ou Verdadeiro) para as proposições que tratam de


realidades concretas vivenciadas no espaço urbano brasileiro pela população de baixa
renda.
( ) As favelas, que muitas vezes são vistas por milhares de brasileiros apenas como lugar
da desordem social, agregam milhares de trabalhadores que disponibilizam sua força de
trabalho a serviço do desenvolvimento econômico do país.Esses trabalhadores não tem
acesso a outro lugar no solo urbano, nem condições de usufruir das benesses do
mundo moderno.
( ) A segregação residencial é consequência de um espaço mercadoria, cujos valores de
uso e troca definem as formas de apropriação e de luta pelo direito de morar na cidade.
( ) O espaço urbano de uma grande cidade como São Paulo é hoje a soma de várias
cidades que apresentam realidades diversas sem articulação entre si.
( ) A falta de empregos nas grandes cidades brasileiras inclui na paisagem mendigos que
moram embaixo de viadutos (sem teto), pedem esmolas ao lado de crianças além de
subempregados e crianças que disputam espaços nos semáforos para venderem
bugigangas na busca da sobrevivência.
( ) A violência em toda sua dimensão não é problema apenas das grandes metrópoles;
nas cidades de menor porte ela também se faz presente. Vem deixando sua marca
registrada em muitas escolas brasileiras.

A alternativa que apresenta a sequência correta é:


a) V V F V V
b) V V V F V
c) F F F V V
d) V F V F V
e) F V F V V

7-(UERJ) Na imagem, visualiza-se a região da Baixada Santista, com as diversas cidades


que compõem esse espaço do litoral paulista.

A análise da imagem permite reconhecer a


ocorrência do seguinte processo socioespacial comum em cidades de áreas
metropolitanas:
a) favelização
b) conurbação
c) gentrificação
d) verticalização

8-(UFAL) As afirmativas a seguir abordam alguns aspectos do tema Urbanização no


Brasil. Analise-as atentamente.
1) Para analisar o crescimento das cidades no Brasil, é importante destacar a população
total, a população caracterizada como urbana, o índice de urbanização no ano em que foi
realizado o censo e as taxas de crescimento dessa urbanização.
2) A grande cidade no Brasil se torna o lugar de todos os capitais e de todos os
trabalhos, isto é, o teatro de numerosas atividades marginais do ponto de vista
tecnológico, organizacional, financeiro, previdenciário e fiscal.
3) A urbanização no Brasil deve ser entendida como um processo que resulta da
transferência de pessoas do campo para a cidade, isto é, o crescimento da população
urbana em face do êxodo rural.
4) Entre os fatores repulsivos que contribuíram sensivelmente para a aceleração do
êxodo rural no Brasil, estão a concentração de terras, a mecanização da lavoura e a falta
de apoio governamental mais efetivo ao homem do campo.
5) A rede urbana no Brasil é formada pelo sistema de cidades, interligadas umas às
outras através dos sistemas de transportes e de comunicações, pelos quais fluem
pessoas, mercadorias e informações.

Estão corretas apenas:


a) 1 e 4 apenas
b) 3 e 5 apenas
c) 1, 2 e 3 apenas
d) 2, e 5 apenas
e) 1, 2, 3, 4 e 5
9-(UNESP) A construção de Brasília durante o governo Juscelino Kubitschek (1956-1961)
teve, entre suas motivações oficiais,
a) afastar de São Paulo a sede do governo federal, impedindo que a elite cafeicultora
continuasse a controlá-lo.
b) estimular a ocupação do interior do país, evitando a concentração das atividades
econômicas em áreas litorâneas.
c) deslocar o funcionalismo público do Rio de Janeiro, permitindo que a cidade tivesse
mais espaços para acolher os turistas.
d) tornar a nova capital um importante centro fabril, reunindo a futura indústria de base
do Brasil.
e) reordenar o aparato militar brasileiro, expandindo suas áreas de atuação até as
fronteiras dos países vizinhos.

10-(UFRJ)
“As cidades clamam por transporte público.” Jornal do Brasil

“Vende-se uma laje na favela.”

http://i68.photobucket.co
m/albums/i27/rslonik/asnovidades1/020113830-EX00.jpg

As favelas do Rio de Janeiro estão sendo verticalizadas por falta de espaço para
aumentar a área habitada. A venda da laje está custando até 30 mil reais pelo direito de
construir e usar a parte superior da casa.
Blog “as novidades”, acessado em 05/10/2010

Relacione as duas manchetes.


Resposta:
O déficit de transporte público nas grandes cidades favorece a concentração da
população de baixa renda em áreas favelizadas, mais próximas dos locais de trabalho,
levando à valorização e ao adensamento dessas áreas.

11-(FUVEST) O processo de formação de cidades brasileiras esteve associado, entre


outras situações, à existência de aldeamento indígena, estação de saúde, arraial de
mineração, capela, forte, assentamento de imigrantes, rota de tropeiros ou, ainda, à
construção de cidades planejadas.
Fonte: Atlas Histórico Escolar,
FAE/MEC, 1996. Adaptado.

Com base no mapa e em seus conhecimentos:


a) Preencha, no quadro presente na folha de respostas, a legenda correta para o mapa
acima.

b) Identifique e explique
duas razões para a construção de Brasília, capital do país, que é uma cidade planejada.
Resolução:

b) Dentre as razões,
podemos destacar: estimular a ocupação e a integração econômica e humana do interior
do país; diminuir a vulnerabilidade a agressões externas da capital, deslocando-a do
litoral para o interior; colaborar para uma maior integração do território nacional,
localizando o centro político do país numa área mais central (interland) e afastar o centro
de decisão política da pressão dos grandes aglomerados populacionais.

12-(FUVEST)
A metrópole se transforma num ritmo intenso. A mudança mais evidente refere-se ao
deslocamento de indústrias da cidade de São Paulo [para outras cidades paulistas ou
outros estados], uma tendência que presenciamos no processo produtivo – como
condição de competitividade – que obriga as empresas a se modernizarem. A. F. A.
Carlos, São Paulo: do capital industrial ao capital financeiro, 2004. Adaptado.

Com base no texto acima e em seus conhecimentos, considere as afirmações:


I. Um dos fatores que explica o deslocamento de indústrias da capital paulista é o seu
trânsito congestionado, que aumenta o tempo e os custos da circulação de mercadorias.
II. O deslocamento de indústrias da capital paulista tem acarretado transformações no
mercado de trabalho, como a diminuição relativa do emprego industrial na cidade.
III. O deslocamento de indústrias da cidade de São Paulo decorre, entre outros fatores,
do alto grau de organização e da forte atuação dos sindicatos de trabalhadores nessa
cidade.

Está correto o que se afirma em:


a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

13-(ESPM) Considere o texto e a tabela para responder a questão.

São Paulo tem um dos trânsitos mais desgastantes do mundo, diz pesquisa

As condições de trânsito de São Paulo colocam a cidade entre aquelas que mais
desgastam a população, de acordo com os resultados de uma pesquisa da IBM que
estimou os prejuízos emocionais e econômicos provocados pelo tráfego ruim em 20
grandes centros urbanos do mundo.

(UOL - 01/07/10)

É correto afirmar que:


a) As cidades de países do Primeiro Mundo apresentam os maiores estresses de
trânsito, e São Paulo já é uma delas.
b) Cidades que apresentam a mesma carência de São Paulo em metrô, como Moscou e
México, explicam o cenário exposto.
c) O rodoviarismo explica a situação, pois as cidades em questão abandonaram o
sistema ferroviário, agravando as condições de trânsito.
d) As cidades que apresentam as piores situações encontram-se em países emergentes
e, com exceção de Moscou, apresentam déficit de transporte público.
d) As denominadas “cidades globais” são aquelas que apresentam a situação de maior
desgaste com o trânsito.

VESTIBULAR 2010

14-(UFRGS)
A evolução da população urbana e rural do Brasil
mostrada no gráfico pode ser explicada pela:
a) A mecanização da agricultura e a migração campo-cidade.
b) mecanização da agricultura e a reforma agrária.
c) migração campo-cidade e a reforma agrária.
d) migração campo-cidade e a crise do petróleo.
e) mecanização da agricultura e a crise do petróleo.

15-(UFAM) Na grande cidade, há cidadãos de diversas ordens ou classes, desde o que,


farto de recursos, pode utilizar a metrópole toda, até o que, por falta de meios, somente
utiliza parcialmente, como se fosse uma pequena cidade, uma cidade local. Dessa forma,
a rede urbana e o sistema de cidades também têm significados diversos, segundo a
posição financeira do indivíduo. Há, num extremo, os que podem utilizar todos os
recursos ali presentes. Em outro, há os pobres de recursos, que são prisioneiros do
lugar, isto é, dos preços, da carência local. Para estes a rede urbana é uma realidade
pertencente a um sonho insatisfeito. Por isso são cidadãos diminuídos incompletos.
Adaptação extraída de SANTOS, Milton. Espaço do cidadão (1987).

No estudo das cidades, qual das alternativas a seguir melhor espelha os aspectos
mencionados no Texto.
a) As regiões sul e sudeste receberam esmagadora quantidade de migrantes, cuja mão
de obra qualificada contribuiu para o desenvolvimento e descentralização das condições
de infra-estrutura urbana.
b) A modernização da indústria proporcionou a concentração de pessoas nas grandes
cidades, facilitando as condições de moradia e qualidade de vida nos núcleos urbanos.
c) O espaço urbano é amplamente dominado por agentes hegemônicos, que direcionam
investimentos para seus interesses, organizando o tráfego de veículos particulares,
informação e energia. Relegam assim, investimentos sociais, excluindo os pobres da
modernização.
d) A rede urbana das cidades brasileiras propicia transformações no espaço,
possibilitando às políticas públicas atender aos requisitos de cidadania e inclusão das
classes menos privilegiadas.
e) A partir da década de 70, a infra-estrutura de transportes e comunicação foi se
expandindo pelo país, favorecendo as condições de urbanização para excluídos sociais.

16-(CESGRANRIO)
cesgranrio2010.1_prova_geo
_37.wmf

Considerando o gráfico acima e o contexto social, político e econômico e suas


repercussões na organização do espaço brasileiro, a partir de 1950, analise as
afirmações a seguir.
I – As transformações ocorridas na estrutura urbana brasileira foram resultado de um
rápido crescimento da industrialização que caracterizou o país na segunda metade do
século XX.
II – Os problemas decorrentes da urbanização tendem a se agravar de acordo com a
previsão do gráfico, e se tornam urgentes políticas de planejamento urbano e
investimentos em infraestrutura urbana.
III – A tendência, no caso brasileiro, é de que essa previsão não se realize, já que os
investimentos e o financiamento de melhorias na área rural têm sido ação comum nos
últimos governos.
IV – A estimativa apresentada não considerou o retorno de grande parte da população
urbana para o campo, em virtude de problemas decorrentes da urbanização, tais como
violência e desemprego.

Estão corretas APENAS as afirmações:


a) I e II.
b) I e IV.
c) II e III.
d) II e IV.
e) III e IV.

17-(UFF)

UM LUGAR COMUM, O EUFEMISMO E A FAVELA

Uma valorização do eufemismo parece importante na dinâmica das relações sociais. Seu
emprego permitiria, em parte, contornar o valor negativo que certas expressões
espelham. O eufemismo, no entanto, não afronta o estigma. Seu uso indica uma relação
de cortesia, necessária, no curso das trocas sociais que se passam com aqueles que
não podem se desfazer de suas marcas.
Observamos que este uso é generalizado entre diferentes grupos sociais – a mesma
preocupação pode levar a substituir o termo comunidade por outro equivalente, como
morro ou bairro. Sabemos todos que nas trocas sociais o mais importante é o sentido
que se elabora no interior das suas dinâmicas. O esforço continuado para não ferir as
pessoas que acompanham as trocas sociais correntes motiva o uso do termo
comunidade em muitos momentos, inclusive por aqueles diretamente concernidos – as
pessoas que moram em favelas –, quando se referem a seus locais de moradia.
Empregado pela mídia, pelo governo, pelas associações locais, pelas ONGs, o termo
comunidade muitas vezes explicita a dificuldade dessa operação de levar em conta o
que pensam os que se veem nomeados de uma forma negativa.
Se este uso eufemístico é recorrente, vale observar que, em muitas circunstâncias, do
ponto de vista dos moradores, o que é mais reivindicado é a não identificação, ou seja,
preferencialmente, a anulação de qualquer referência à identidade territorial em trocas
sociais diversas.
O termo “comunidade” em seus usos eufemísticos não é capaz de impedir a associação
da pessoa com os traços negativos provenientes dessa identificação; somente indica a
suspensão destes pelo uso momentâneo de aspas que podem ser retiradas quando for
preciso.
BIRMAN, Patrícia. Favela é comunidade? In SILVA, L.A.(org.) Vida sob cerco. Violência e
rotina nas favelas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008, pp.106-7.
Adaptação.

Do Texto VIII, destaca-se o seguinte trecho:


“Observamos que este uso (do eufemismo) é generalizado entre diferentes grupos
sociais – a mesma preocupação pode levar a substituir o termo comunidade por outro
equivalente, como morro ou bairro”. (linhas 6-8)

A substituição apontada no trecho acima pode ser encontrada em letras de algumas


canções, como no exemplo abaixo.

Endereço dos Bailes


“(...)
Ê ê ê ê! Se liga que eu quero ver
O endereço dos bailes eu vou falar pra você
É que de sexta a domingo na Rocinha o morro enche de gatinha
Que vem pro baile curtir
Ouvindo charme, rap, melody ou montagem,
É funk em cima, é funk embaixo,
Que eu não sei pra onde ir
(...)
Tem outro baile que a galera toda treme
É lá no baile do Leme lá no Morro do Chapéu
Tem na Tijuca um baile que é sem bagunça
A galera fica maluca lá no Morro do Borel
(...)” MC Júnior e MC Leonardo

Essa associação entre favela e morro pode ser explicada pela combinação dos seguintes
aspectos:
a) auto-segregação / interferência do planejamento estatal.
b) segregação social / especificidade do sítio urbano.
c) periferização / espaço urbano como mercadoria.
d) metropolização / busca pela legalização da posse.
e) verticalização / política demográfica natalista.

18-(FUVEST) Durante muito tempo, a população da então Vila de São Paulo foi pouco
expressiva. Seu crescimento foi, contudo, extremamente rápido durante o século XX.
Esse processo pode ser verificado na tabela a seguir.

Fonte: Atlas SEADE da Economia Paulista, 2007. Adaptado.

Considerando os dados apresentados e seus conhecimentos,


a) cite e analise duas causas que contribuíram para o crescimento da população, no
município de São Paulo, no período de 1940 a 1970.
b) cite e explique uma das causas responsáveis pela desaceleração do crescimento
populacional, no município de São Paulo, a partir de 1980.
Resolução:
a) A cidade de São Paulo passa por vertiginoso crescimento populacional a partir do
processo de industrialização, que, muito embora iniciado em fins do século XIX, vai se
acentuar a partir da década de 1940 em diante. Trata-se de uma fase de produção
industrial caracterizada pelo uso intensivo de mão de obra o que associado à
diversificação de unidades de produção acabou gerando demanda de pessoal com
aumento nas taxas de crescimento da população urbana. O processo de urbanização
acaba gerando variadas formas de serviços e oportunidades em atividades como
trabalhos em obras civis na construção e expansão do equipamento urbano,
favorecendo movimentos migratórios que aumentam ainda mais os índices de
crescimento urbano.
b) A partir da década de 1980, é notável uma desaceleração no ritmo do crescimento
populacional do município de São Paulo com motivos como:
– Saturação da malha urbana com infraestrutura sobrecarregada, não conseguindo
acompanhar o crescimento populacional, o que leva alguns contingentes migratórios a
mudarem a utopia, dirigindo-se para outras localidades do entorno metropolitano;
– Alta no custo de vida na cidade. A demanda por moradias e produtos e serviços
variados acaba pressionando os preços de residências e aluguéis e produtos de
consumo;
– As indústrias passam por modificações significativas em seus sistemas de produção
com automação, por exemplo, gerando dispensas de mão de obra. A malha urbana
saturada e congestionada acaba encarecendo os custos operacionais o que faz o setor
iniciar um gradual, mas inexorável processo de descentralização incentivada por ações
governamentais e seguindo os eixos rodoviários em direção ao interior do estado;
– Queda da taxa de natalidade, seguindo tendência observada na população brasileira, o
que reduz o crescimento vegetativo; tal fato é sentido de modo mais notável em áreas
urbanas, como é o caso da capital paulista.

19-(UNICAMP) “Em 1985, viviam na Região Metropolitana de São Paulo mais de 14


milhões de pessoas. A maioria mora em habitações precárias - favelas, cortiços e casas
autoconstruídas em terrenos destituídos de serviços públicos - e ganha poucos salários
mínimos por mês, revelando um acentuado grau de pauperismo e precárias condições
urbanas de existência. A Região configura-se enquanto Metrópole não só pela sua
extensão territorial, mas também porque é a partir dela que se organiza a dinâmica do
capitalismo no Brasil, pois aí se concentra a engrenagem produtiva essencial à
economia do País (...).”
(Lúcio Kowarick, Escritos urbanos. São Paulo: Ed. 34, 2000, p.19.)

a) O que define uma metrópole?


b) Identifique dois fatores econômicos determinantes na metropolização de São Paulo.
Resolução:
a) Fatores que definem uma metrópole: tamanho demográfico expressivo; a
concentração e a diversidade da atividade econômica; a centralização da gestão
(concentração de sedes de grandes empresas); nó significativo de redes técnicas; a
concentração de serviços de ordem superior; locus privilegiado da inovação; ponto de
grande densidade de emissão e recepção de informação, comunicação e capitais.
b) Fatores determinantes na metropolização de São Paulo: a industrialização do estado
de São Paulo, com concentração de capitais e o crescimento do setor terciário.

20-(FATEC) Em 1872 apenas cerca de 10% da população brasileira era urbana, estando
concentrada em cidades como Rio de Janeiro, Salvador, Recife, São Luís do Maranhão e
São Paulo. Os demais povoados urbanos, nas chamadas “vilas”, correspondiam a
apenas 5,7% da população.

Pode-se assinalar como causa principal desses baixos índices de urbanização, no


período,
a) a proibição do comércio interno de produtos nacionais entre as regiões.
b) a produção industrial concentrada no interior do país e o trabalho assalariado em
crescimento.
c) a economia escravista primário-exportadora e o pequeno mercado interno.
d) a falta de políticas de incentivo migratório por parte do governo português e o baixo
povoamento.
e) a expulsão dos trabalhadores do campo e as fortes migrações para a Amazônia.

21-(PUCPR) Sobre a urbanização no Brasil, é CORRETO afirmar:


I. O processo de urbanização no Brasil inicia-se, de fato, no período do pós-guerra com a
instalação, no País, de indústrias multinacionais. Esse processo dá-se pela repulsão do
campo e pela atração da cidade.
II. No Brasil, o processo de urbanização foi essencialmente concentrador, gerando
grandes cidades e metrópoles.
III. O crescimento desenfreado dos centros urbanos no Brasil tem trazido
consequências, como o trabalho informal e o desemprego decorrente de sucessivas
crises econômicas.
IV. Um dos problemas graves provocado pela urbanização no Brasil é a marginalização
dos excluídos que habitam áreas sem infraestrutura urbana e, junto a isso, o aumento da
criminalidade.
V. As principais redes urbanas do Brasil estão na faixa litorânea, devido a fatores
econômicos, históricos e geográficos.
a) Todas as assertivas são verdadeiras.
b) Apenas as assertivas I, II e III são verdadeiras.
c) Apenas as assertivas I e II são verdadeiras.
d) Apenas a assertiva I é verdadeira.
e) Apenas a assertiva II é verdadeira.

22-(UEL)
Texto I

Os cinco anos do governo Juscelino são lembrados como um período de otimismo


associado a grandes realizações, cujo maior exemplo é a construção de Brasília. [...] A
ideia não era nova, pois a primeira Constituição Republicana, de 1891,atribuía ao
Congresso a competência de “mudar a capital da União”. Coube porém a Juscelino levar
o projeto à prática, com enorme entusiasmo, mobilizando recursos e mão de obra
constituída principalmente por migrantes nordestinos – os chamados “candangos”.
(Adaptado de: FAUSTO, B. História do Brasil. 8 ed. São Paulo: EDUSP/FDE, 2000, p. 425-
430.)
Texto II
[...] Eu inauguro o monumento
No Planalto Central do País [...]
O monumento é de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde atrás da verde mata
O luar do sertão [...]
O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga,
Estreita e torta
E no joelho uma criança sorridente,
Feia e morta,
Estende a mão [...]
(VELOSO, C. Tropicália. Álbum Tropicália. Ed. Polygram, 1967.)

Considerando os textos XII e XIII e os conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que
a construção de Brasília representou:
a) A síntese de um período de desenvolvimento econômico sem precedentes na história
nacional, pela prosperidade ocasionada pelo deslocamento maciço de populações
empobrecidas do Nordeste para a nova área de ocupação.
b) A construção da primeira cidade planejada do Brasil, época em que se inaugura a
modernização do país propiciando também a remodelação de portos, construção de
ferrovias, aeroportos e indústrias de base.
c) Uma época na qual o país buscou superar de forma rápida o atraso econômico da
sociedade agroexportadora e adentrar no mundo urbano industrial, vivendo, no entanto,
uma série de contradições sociais geradas pela concentração de renda.
d) O coroamento do esforço governamental, iniciado na Primeira República, que
procurava estimular a ocupação territorial, promovendo a reforma agrária, o
desenvolvimento industrial descentralizado e a modernização do país.
e) A reformulação do movimento conhecido como “Marcha para o Oeste”, que procurou
transformar áreas despovoadas do Brasil em polos de desenvolvimento industrial,
política consolidada na Era Vargas.
23-(UFMT) Em relação ao processo de urbanização brasileiro, no período de 1940 a 2000,
analise a tabela abaixo.

(MENDES, I. L. e
TAMDJIAN, J. O. Geografia Geral e do Brasil: Estudos para a compreensão do espaço.
São Paulo: FTD, 2005.)

A partir das informações constantes da tabela, marque V para as afirmativas verdadeiras


e F para as falsas.
( ) O censo de 1940 registrou que aproximadamente 70% dos brasileiros viviam nas
áreas rurais, evidenciando que a economia brasileira assentava-se no campo.
( ) A elevação da concentração populacional urbana, evidenciada pelo censo de 1950, foi
resultado, em grande medida, do Plano de Metas, fundado pela ação conjunta entre
Estado, capital privado nacional e estrangeiro.
( ) O censo de 1970 revelou que o país havia se tornado majoritariamente urbano,
devendo-se esse fato ao chamado Milagre Econômico e às conseqüentes mudanças no
capitalismo internacional.
( ) Nas duas últimas décadas do século XX, houve expressiva concentração populacional
urbana em decorrência da modernização no campo e da industrialização.

Assinale a sequência correta.


a) V, V, F, F
b) F, F, V, F
c) V, F, V, V
d) V, F, F, V
e) F, V, V, F

24-(UFRJ)
“... contentam-se de andar arranhando [as terras] ao longo do mar como caranguejos.”

(Frei Vicente do Salvador, 1627)

Cerca de 600 milhões de pessoas habitam áreas contíguas à linha de costa, a menos de
10 metros do nível do mar (zonas costeiras de baixa elevação).
a) Cite dois fatores que causam a concentração populacional nas zonas costeiras.
b) Apresente dois impactos da ocupação dessas zonas para o ambiente costeiro.
Resolução:
a) Entre os fatores responsáveis pela concentração populacional nas zonas costeiras,
temos: a facilidade de ocupação das planícies costeiras; a presença de solos férteis nas
planícies litorâneas; a instalação de portos estimula o comércio por via marítima e o
adensamento da ocupação; a valorização das paisagens costeiras para fins residenciais
e turísticos.
b) Entre os impactos que a ocupação das áreas contíguas à linha de costa provoca no
ambiente costeiro, temos: a alteração ou destruição da morfologia, das paisagens e dos
ecossistemas costeiros (mangues, recifes, restingas, dunas); a poluição das águas; a
alteração da morfodinâmica das praias (erosão costeira).

25-(UFRJ) Na década de 1970, o governo brasileiro instituiu nove regiões metropolitanas


com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico de grandes aglomerações
urbanas.
Apresente duas características das regiões metropolitanas.
Resolução:
Entre as características das regiões metropolitanas estão: a integração de uma
metrópole com os municípios a ela contíguos, que também se articulam entre si; a
formação de áreas conurbadas; os intensos fluxos de pessoas, bens e serviços entre os
municípios contíguos; a demanda por infraestrutura e serviços comuns pelos
municípios que compõem a região metropolitana.

26-(UFU) O índice de urbanização no Brasil é muito elevado, cerca de 80% de toda a


população reside em ambientes urbanos. A cidade tornou-se palco das diferenças
sociais, onde uma parte das áreas periféricas (aquelas que não são ocupadas pelos
condomínios horizontais fechados, por exemplo) sofre com a falta de infraestrutura e
serviços básicos. Não bastando isso, a ocupação de áreas irregulares coloca a
população de baixo poder aquisitivo em uma efetiva situação de risco, tornando-a
vulnerável a situações de desastres, como a que aconteceu no morro do Bumba, em
Niterói, no Rio de Janeiro, no início do mês de abril de 2010.

Sobre esse assunto, analise as alternativas abaixo e assinale a INCORRETA.


a) A expansão urbana baseia-se em dois tipos principais de ocupação habitacional: os
loteamentos regulares, com projeto aprovado pelas administrações municipais, e as
ocupações irregulares (invasões) de terrenos privados e públicos. As ocupações
irregulares têm ocorrido especialmente nas encostas de grande declividade, com a
implantação de arruamento precário, sem proteção e moradias precárias.
b) A segunda metade do século XX marcou a aceleração do processo de urbanização no
Brasil e, entre as consequências deste processo, destacam-se a formação de regiões
metropolitanas, a verticalização e adensamento das áreas já urbanizadas e a expansão
urbana para as áreas periféricas.
c) Os processos de expansão urbana, periferização e peri-urbanização têm fortes
impactos socioambientais, dentre eles: o aumento das jornadas entre o centro e as áreas
periféricas, ocasionando o aumento do trânsito e da poluição do ar; a ausência de
saneamento básico e um forte processo de desmatamento e degradação ambiental.
d) A ocupação e a expansão das periferias urbanas são estimuladas pela retenção
especulativa de terrenos em áreas mais bem localizadas, cujo acesso é para todos,
devido o alto valor a ser pago pelas infraestruturas instaladas. No processo de
segregação espacial, o solo urbano torna-se uma mercadoria disputada por diferentes
agentes sociais e econômicos urbanos, que utilizam de estratégias mercantis para
valorizar todas as áreas do espaço urbano.

27-(UEG)
Invadindo espaços

As cidades que antes serviam para abrigar os cidadãos, hoje são o ambiente típico dos
automóveis.
Nos países em desenvolvimento, a ação do poder público em favor do automóvel foi e
tem sido tão eficaz que fica cada vez mais difícil para os moradores das cidades viver
com um mínimo de conforto sem um automóvel particular. Só os que, em razão do seu
padrão de renda, não podem almejar ter um carro sujeitam-se ao ineficiente sistema de
transporte público. Neles perdem várias horas do dia, muitos dias por ano, alguns anos
de vida.
Se as condições fossem outras, se o transporte público fosse mais eficiente, menor
seria a parcela de renda que boa parte da população precisa reservar para compra e
manutenção de um carro particular, menores seriam as demandas por investimentos
públicos no sistema viário, maiores seriam as disponibilidades da renda pessoal para
outras atividades, incluindo lazer, e maiores seriam os recursos que o poder público
poderia destinar para melhorar a qualidade de vida de uma população.
OKUBARO, Jorge J. O automóvel, um condenado? São Paulo: Senac, 2001. p. 52-53.
(Adaptado).

De acordo com a análise do texto acima, é CORRETO afirmar:


a) o elevado custo, os problemas de congestionamento das grandes cidades (ônibus,
automóveis, caminhões) são os maiores responsáveis pela poluição atmosférica nos
centros urbanos, ocasionando a redução na qualidade de vida da população.
b) a baixa tarifa do transporte urbano é um incentivo ao trabalhador, independentemente
do tempo gasto para o deslocamento entre a casa e o trabalho, o que resulta em ganho
no orçamento no final do mês.
c) a qualidade do transporte coletivo urbano, fruto de estratégias de planejamento, acaba
por estimular a utilização do transporte coletivo, diminuindo o número de veículos nos
grandes centros urbanos.
d) a crescente preocupação com o planejamento urbano pelos órgãos oficiais do
governo tem trazido melhorias na condução do tráfego e a diminuição dos custos na
infraestrutura viária.

VESTIBULAR 2009

28-(FUVEST)

A recente urbanização brasileira tem características parcialmente representadas nas


situações I e II dos esquemas acima. Considerando essas situações, é correto afirmar
que, entre outros processos,
a) I representa a involução urbana de uma metrópole regional.
b) I representa a perda demográfica relativa da cidade central de uma Região
Metropolitana.
c) II representa o desmembramento territorial e criação de novos municípios.
d) II representa a formação de uma região metropolitana, a partir do fenômeno da
conurbação.
e) II representa a fusão político-administrativa de municípios vizinhos.

29-(UFAL) Sobre o tema Urbanização, analise as afirmações a seguir.


1) Os fatores que funcionam como atrativos da urbanização, nos países
subdesenvolvidos, estão ligados basicamente ao processo de industrialização.
2) A forte urbanização nos países subdesenvolvidos só ocorreu em face do processo de
globalização verificado após o fim da URSS, quando houve um aumento de exportações
dos produtos primários.
3) As cidades, nos países desenvolvidos, foram se estruturando para absorver os
migrantes, havendo, então, melhorias na infra-estrutura urbana e um aumento da
geração de empregos.
4) Nas áreas metropolitanas de países subdesenvolvidos, muitos desempregados, para
garantir a sobrevivência, refugiam-se no subemprego da economia informal.

Estão corretas apenas:


a) 1 e 2
b) 2 e 4
c) 1 e 4
d) 2 e 3
e) 1, 3 e 4

30-(UFAC) A intensa e acelerada urbanização brasileira resultou em sérios problemas


sociais urbanos, entre os quais podemos destacar:
a) Falta de infra-estrutura, limitações das liberdades individuais e altas condições de
vida nos centros urbanos.
b) Aumento do número de favelas e cortiços, falta de infra-estrutura e todas as formas de
violência.
c) Conflitos e violência urbana, luta pela posse da terra e acentuado êxodo rural.
d) Acentuado êxodo rural, mudanças no destino das correntes migratórias e aumento no
número de favelas e cortiços.
e) Luta pela posse da terra, falta de infra-estrutura e altas condições de vida nos centros
urbanos.

31-(UEPB)
Saudosa maloca

Se o senhor não tá lembrado, dá licença de contar


Ali onde agora está este adifício arto
Era uma casa véia, um palacete assobradado
Foi aqui seu moço que eu, Mato Grosso e o Joca
Construimo nossa maloca
Mais um dia, nóis nem pode se alembrá
Veio os home com as ferramenta e o dono mandô derrubá
Peguemos todas nossas coisas e fumos pro meio da rua
Apreciá a demolição
Que tristeza que nóis sentia, cada tábua que caía
Doía no coração
Matogrosso quis gritar, mas por cima eu falei
Os home ta co’a razão, nóis arranja outro lugar
Só se conformemo quando o Joca falou
Deus dá o frio conforme o cobertor
E hojé nóis pega as paia nas grama do jardim
E pra esquecer nóis cantemos assim:
Saudosa maloca, maloca querida
Dim dim donde nóis passemo dias feliz da nossa vida.
Fonte: CD Reviver Adoniran Barbosa. Som Livre, 2002.

A letra da música de Adoniran Barbosa nos faz refletir, corretamente, que:


I - A segregação residencial no espaço urbano, é conseqüência de um
espaço/mercadoria cujos valores de uso e de troca definem as formas de apropriação e
de luta pelo direito de morar na cidade.
II - Terras vazias à espera de valorização pela especulação imobiliária são uma das
causas de a população de baixa renda não ter acesso à moradia digna.
III - Os favelados resistem a quaisquer tentativas de melhoria habitacional e impedem a
implantação de equipamentos urbanos adequados e eficazes que melhorem sua
qualidade de vida.
IV - A reforma urbana é um bem necessário, já que poucos têm acesso à infra-estrutura e
aos serviços públicos urbanos.

Estão corretas:
a) Apenas as proposições I e II
b) Apenas as proposições I, II e IV
c) Apenas as proposições I e III
d) Apenas as proposições II e III
e) Todas as proposições

32-(FURG) Nas grandes cidades brasileiras, a falta de moradia e o aumento do


desemprego estão diretamente relacionados à existência de que tipos de habitação?
a) Favelas e condomínios.
b) Favelas e cortiços.
c) Mansões e vilas.
d) Vilas e bairros.
e) Lugarejos e condomínios.

33-(CEFET) O processo de expansão da mancha urbana, cuja característica singular é a


formação de subúrbios separados da mancha urbana contínua, denomina-se:
a) aglomeração.
b) conurbação.
c) metrópole nacional.
d) periurbanização.

VESTIBULAR 2008

34-(UCS/RS) A produção do espaço geográfico tem gerado várias paisagens, entre elas a
urbana. Analise, quanto à veracidade (V) ou falsidade (F), as proposições abaixo sobre a
urbanização.
( ) O fluxo de pessoas e mercadorias entre cidades é conhecido como rede urbana.
( ) O conjunto formado pela metrópole e pelas cidades vizinhas é chamado de região
metropolitana.
( ) Uma cidade com mais de 10 milhões de habitantes é chamada de megacidade.

Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo.


a) V – V – V
b) V – V – F
c) V – F – F
d) F – F – F
e) F – V – V

35-(UFASCAR) Analise a tabela e as afirmativas que a seguem.

I. Observa-se em todos os
períodos um crescimento contínuo das grandes cidades, em detrimento das pequenas e
médias.
II. As cidades médias – aquelas com populações entre 100 e 500 mil habitantes – vêm
conhecendo um crescimento superior às demais.
III. As cidades que menos crescem são as menores, as localidades com até 20 mil
habitantes.
IV. As cidades que mais crescem são as maiores, as metrópoles com mais de 500 mil
habitantes.
São corretas as afirmativas:
a) I e II.
b) II e III.
c) I e IV.
d) I e III.
e) II e IV.

36-(PUCMG) No dia 12 de dezembro, comemoram-se 110 anos da inauguração da nova


Capital de Minas Gerais. Inicialmente denominada Cidade de Minas, inaugurada em 1897,
teve seu nome alterado em 1901 para Belo Horizonte. No final do século XIX, mais que
simplesmente transferir a Capital, era preciso construir uma nova cidade, condizente
com um novo tempo, marcado por ideais republicanos e positivistas da “Ordem e
Progresso”. O plano pretendeu atender a racionalidade urbana, o desejo de controlar os
processos sociais e os ideais de prosperidade, em oposição radical à sociedade rural e
arcaica, ao modo de vida e organização social da Monarquia e à sinuosidade das cidades
coloniais. Porém, os processos sociais denunciaram as limitações do projeto de
construir uma cidade planejada, ordenada e ordeira, limitada em seu crescimento aos
contornos de uma grande via de comunicação. A promessa de modernização atraiu para
a Capital em obras gente de todas as partes – mineiros do interior e, sobretudo,
imigrantes – 5 mil operários italianos, espanhóis, portugueses e alemães, que exerceram
papel fundamental na sua construção.

Essas informações mostram que Belo Horizonte experimentou, desde a sua


inauguração, um problema comum às grandes cidades brasileiras, que é o processo de:
a) elevada poluição atmosférica decorrente da implantação de grandes fábricas por toda
a cidade, criando aqui um grande pólo industrial.
b) periferização das populações mais pobres, em especial do operariado, não
consideradas no processo de planejamento da cidade oficial, deslocando-se para áreas
carentes de infra-estrutura.
c) exaustão do sistema viário, decorrente do excesso de veículos automotores e de
tração animal, em arruamentos estreitos e sinuosos, conseqüência do relevo
montanhoso da região.
d) elevados índices de violência urbana, decorrentes do desemprego e da exclusão
social e econômica de grandes parcelas da população.

37-(FUVEST)
A charge acima, satirizando
uma situação problemática, comum às grandes cidades, sugere :
I. importância da circulação para a dinâmica das atividades urbanas, exigindo da
municipalidade a produção de soluções.
II. hegemonia do automóvel particular frente ao transporte público coletivo, resultando
em entraves à fluidez do tráfego viário.
III. ausência de instrumentos legais de planejamento urbano, impedindo o processo de
metropolização.

Está correto o que se afirma em


a) I, apenas.
b) I e II, apenas.
c) III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

38-(FATEC) Considere as afirmações sobre a urbanização brasileira.


I. Embora os números referentes ao processo de urbanização possam conter algumas
distorções, resultantes das metodologias utilizadas, é inegável l que entre as décadas de
1950 até 1980 o Brasil passou de forma intensa por esse processo.
II. No início da ocupação do território brasileiro, houve grande concentração de cidades
na região Sudeste. Esse fenômeno está associado ao processo industrial, que teve seu
maior desenvolvimento nessa região.
III. Num mundo cada vez mais globalizado, há um reforço do papel de comando de
algumas cidades globais na rede urbana mundial, como é o caso de São Paulo,
importante centro de serviços especializados.

Está correto o que se afirma em:


a) I, apenas.
b) II e III, apenas.
c) II, apenas.
d) I e III, apenas.
e) I, II e III.

39-(PUCMG) Observe atentamente o gráfico e, a seguir, assinale a afirmativa


INCORRETA.

a) O maior equilíbrio entre


população rural e urbana verificou-se no final dos anos 60.
b) O declínio da população rural acentuou-se significativamente a partir de meados dos
anos 70.
c) O ritmo de crescimento da população rural e urbana promoveu um desequilíbrio cada
vez mais acentuado entre elas, a partir da década de 70.
d) O ritmo de crescimento da população total tornou-se superior ao da população urbana
a partir de meados da década de 90.

40-(UFT) Dentre vários aspectos, pode-se dizer que a urbanização brasileira ocorreu em
níveis de intensidade e rapidez significativos, que se diferenciam regionalmente.
Quanto ao processo de urbanização no Brasil é CORRETO afirmar que:
a) No Nordeste a rede urbana apresenta maior densidade na zona litorânea.
b) A cidade de São Paulo sempre comandou a rede urbana brasileira.
c) A megalópole brasileira é constituída por São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
d) A porção centro-ocidental do país iniciou os primeiros passos de uma acelerada
urbanização, inclusive com grande densidade demográfica.

41-(ESPM) Observe o mapa sobre a urbanização brasileira e responda:

(IBGE, 2000)
a) A população urbana do Nordeste é a única que está abaixo da média mundial de
urbanização.
b) A baixa produção agrícola no Sudeste, nas duas últimas décadas, explica a
diminuição da população rural da região.
c) A criação de Brasília na década de 40 é a maior responsável pelo êxodo rural na região
Centro-Oeste e o conseqüente aumento da população urbana.
d) A industrialização do século XX e depois o setor de serviços explicam a urbanização
do Sudeste.
e) A ausência de metrópoles no Nordeste é a principal responsável pela fraca
urbanização.

42-(UNIFAL) Leia as afirmativas a seguir.


I - O êxodo rural é uma das causas da urbanização acelerada que acarreta, entre outros
problemas, o aumento do desemprego e crescimento do setor informal das cidades nos
países de industrialização tardia.
II - O crescimento da taxa de urbanização implica uma acentuada melhoria nas
condições de vida da população dos países subdesenvolvidos.
III - O aumento das favelas, dos loteamentos clandestinos e da população sem-teto pode
ser apontado como conseqüência do êxodo rural e da crescente urbanização.

Com base nessas afirmativas sobre urbanização, marque a alternativa correta.


a) Apenas I e II estão corretas.
b) Apenas I e III estão corretas.
c) Todas as alternativas estão corretas.
d) Apenas III está correta.

43-(FACIG) Sobre a urbanização brasileira, é incorreto afirmar.


a) O processo de urbanização brasileira apoiou-se essencialmente, no êxodo rural, ou
seja, na transferência de populações do meio rural para as cidades.
b) A violência urbana nas metrópoles brasileiras está relacionada a uma série de fatores
sociais e econômicos, como: o subemprego, o crescimento de favelas.
c) O processo de urbanização da população brasileira é uniforme. Os estados do país
apresentam uma urbanização de pouco contraste na distribuição da população rural e
urbana.
d) A recente transformação do Brasil em sociedade urbana deixa para trás as estruturas
econômicas e os comportamentos reprodutivos típicos do meio rural.
e) A hierarquização do espaço brasileiro do ponto de vista urbano, apresenta grande
concentração de indústria e serviços na metrópole nacional, representada por São
Paulo.

44-(UFLA) Analise a letra da música abaixo.

Minha Alma (A paz que eu não quero)

A minha alma está armada


e apontada para a cara
do sossego
pois paz sem voz
não é paz é medo [...]
As grades do condomínio
são para trazer proteção
mas também trazem a dúvida
se não é você que está nessa prisão
me abrace e me dê um beijo
faça um filho comigo
mas não me deixe sentar
na poltrona no dia de domingo
procurando novas drogas
de aluguel nesse vídeo
coagido pela paz
que eu não quero
seguir admitindo
http://o-rappa.musicas.mus.br/letras/28945
Assinale a alternativa que indica o problema central destacado na letra da música.
a) A formação da chamada cidade informal das regiões metropolitanas.
b) A falta de infra-estrutura básica nos subúrbios das metrópoles.
c) O aprofundamento da pobreza nas grandes cidades brasileiras.
d) A violência criminal que atormenta os moradores dos grandes centros urbanos.

45-(UMTM) Considere as afirmações a seguir sobre a rede urbana brasileira.


I. O processo de urbanização, acelerado na década de 1990, produziu uma nova
categoria de cidades, as cidades globais, cuja concentração maior está na região
Sudeste, pois é a região mais integrada ao mercado mundial.
II. A região Norte ainda não apresenta cidades com características de metrópoles
regionais. A grande dimensão territorial e a fraca integração econômica fazem com que
as cidades da região tenham mais relações com as metrópoles regionais do Nordeste e
Centro-Oeste.
III. Cada vez mais, São Paulo centraliza as funções de metrópole nacional e global, pois é
o “nó” de vários fluxos que integram a economia nacional à global: capitais,
mercadorias, informações etc.
IV. Na atualidade, a idéia de uma rede urbana hierárquica está ultrapassada, pois cada
centro urbano, independente de seu tamanho populacional consegue manter relações
econômicas, políticas e sociais com outros centros.

Está correto somente o que se afirma em:


a) I e II.
b) I e III.
c) II e III.
d) II e IV.
e) III e IV.

46-(UNISC) Em Geografia, as metrópoles são definidas por uma série de características.


Com base nessas características, poucas das cidades brasileiras são consideradas
metrópoles. Considerando as metrópoles brasileiras, é incorreto afirmar que elas:
a) exercem influência sobre vasta área geográfica, quase sempre mais ampla que o
território dos seus Estados.
b) têm equipamentos urbanos numerosos e variados, capazes de suprir a quase
totalidade das necessidades da sua população.
c) apresentam uma área central, cujo fluxo de veículos, em geral intenso, varia
consideravelmente ao longo do dia.
d) formam uma mancha urbana de densidade demográfica homogênea, que se estende,
de forma contínua, pelos municípios da região metropolitana.
e) nenhuma das alternativas anteriores.

47-(UFF)

Favela Paraisópolis em
São Paulo
O crescimento das cidades no Brasil é marcado por fortes contrastes sociais, os quais
são revelados pelas seguintes características principais:
a) elevados índices de violência urbana; segregação socioespacial; insuficiência na
oferta de empregos;
b) oferta generalizada de empregos; elevados índices de violência urbana; processo de
favelização;
c) baixa intensidade de migração campo-cidade; expansão lenta e antiga; elevados
índices de violência urbana;
d) elevados investimentos em infra-estrutura urbana em áreas periféricas; expansão
rápida e recente; incremento da favelização;
e) segregação socioespacial; baixas taxas de crescimento populacional; elevados
investimentos em infra-estrutura urbana.

VESTIBULAR 2007

48-(UFRN) A transferência da capital do Brasil da região Sudeste para a região Centro-


Oeste é vista como uma das maiores realizações de Juscelino Kubitschek. Explique a
importância dessa transferência para o crescimento econômico da região Centro-Oeste.
Resposta:
Do ponto de vista econômico, a transferência da capital do Brasil do Rio de Janeiro para
a região Centro-Oeste, com a construção de Brasília, promoveu uma maior integração do
território nacional. Daí ocorreu uma dinamização das atividades econômicas no âmbito
da construção civil, gerando inúmeros empregos para as populações, em especial os
migrantes nordestinos. Além disso, a transferência da capital para a porção central do
Brasil promoveu o crescimento de cidades no entorno de Brasília e de outras cidades já
existentes, dinamizando os setores da economia urbana (comércio e serviços). Na
agricultura, verificou-se a expansão da fronteira agrícola, transformando a região do
cerrado em importante área produtiva da economia nacional, em virtude da emergência
de atividades agropecuárias modernas, que estavam articuladas à expansão do capital.

49-(UFV) Leia o texto abaixo, extraído do romance O cortiço, que revela um grave e
histórico problema habitacional dos centros urbanos brasileiros.
Um cortiço! Exclamava ele, possesso. Um cortiço! Maldito seja aquele vendeiro de todos
os diabos! Fazer-me um cortiço debaixo das janelas!... Estragou-me a casa, o malvado!
[...] Noventa e cinco casinhas comportou a imensa estalagem. [...]
[...] E naquela terra encharcada e fumegante, naquela umidade quente e lodosa,
começou a minhocar, a esfervilhar, a crescer, um mundo, uma coisa viva, uma geração,
que parecia brotar espontânea, ali mesmo, daquele lameiro, e multiplicar-se como larvas
no esterco. Durante dois anos o cortiço prosperou de dia para dia, ganhando forças,
socando-se de gente.
(AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. 3. ed. São Paulo: Ática, 1975. p. 20-21.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a realidade urbana brasileira, assinale a
afirmativa CORRETA:
a) Devido ao pouco investimento em políticas habitacionais para as classes mais pobres,
as moradias inadequadas são problemas que persistem no Brasil há mais de um século.
b) O problema relatado no texto é característico apenas em pequenos centros urbanos,
uma vez que o governo federal aplica parcos recursos para construção de moradias.
c) O texto revela uma opção de grande parte da população brasileira, que por motivos
culturais prefere viver nos cortiços.
d) Os cortiços não apresentam riscos à saúde nem à vida dos moradores, pois são
construídos com padrões técnicos e arquitetônicos adequados.
e) As formas de habitação relatadas no texto se mantiveram ao longo do tempo, mesmo
havendo uma elevação significativa da renda recebida pela população mais pobre.

50-(UFRJ) A rede urbana constitui um conjunto de cidades articuladas entre si que


formam uma hierarquia de graus de comandos estabelecida pelo tamanho e pela oferta
de bens e serviços de cada cidade.
Apresente três fatores que estão alterando a hierarquia da rede urbana brasileira.
Resposta:
Entre os fatores que estão alterando a hierarquia da rede urbana no Brasil estão: as
mudanças na infra-estrutura de transporte e telecomunicação; a mudança na
distribuição geográfica dos investimentos; o surgimento de novos setores produtivos; a
logística empresarial; o processo de desmetropolização e o crescimento das cidades de
porte médio, as mudanças nos hábitos de vida; mudança nos fluxos migratórios e a
redistribuição da população.

51-(UFPEL) De acordo com dados da CEPAL (Comissão Econômica para América Latina
e o Caribe), três em cada quatro pessoas na América Latina vivem em cidades e, destas,
44%, em favelas ou habitações precárias. O Brasil e um dos paises mais urbanizados do
mundo, com mais de 80% de sua população considerada urbana. Juntamente com o
numero de pessoas que buscam as cidades por causa das melhores ofertas de
qualidade de vida, os problemas urbanos tem se multiplicado.
Analise as seguintes afirmações.
I. A desigualdade regional na urbanização brasileira e bastante grande, apesar do acesso
a serviços públicos de saneamento ser deficiente de maneira geral. Essa situação e mais
grave na região Norte do que na Sudeste.
II. No interior das cidades, as desigualdades sociais expõem a exclusão, mas as
periferias, apesar do seu crescimento desordenado, são dotadas de boas condições de
infra-estrutura em saúde e segurança.
III. Uma das principais causas da expansão das favelas no Brasil e o êxodo rural; alem
disso, outro fato que faz crescer a população de favelados e a alta taxa de fecundidade,
que normalmente e maior entre a população mais pobre.
IV. Uma nova lógica na organização da sociedade, impulsionada pelo maior numero de
fabricas, inovações econômicas, integração por transportes e telecomunicações, se
refletiu no aumento das taxas de urbanização no Brasil, a partir da década de 1960.
V. Constituição de 1988 do Brasil limita ao governo federal a competência para a criação
de Regiões Metropolitanas, reconhecendo o processo de conturbação, pelo qual o
crescimento de cidades vizinhas forma um só conjunto, compartindo da mesma malha
urbana econômica e de infra-estrutura.

Estão corretas apenas as alternativas


a) I, IV e V.
b) II, III e V.
c) II e IV.
d) I, III e IV.
e) III e V.

52-(UFMG) Analise este trecho de música, em que se retratam condições


socioambientais das grandes cidades brasileiras:
A Cidade
A cidade se apresenta centro das ambições
Para mendigos ou ricos e outras armações
Coletivos, automóveis, motos e metrôs
Trabalhadores, patrões, policiais e camelôs
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce
Chico Science, “A Cidade”.

A partir dessa análise, é INCORRETO afirmar que, nesse trecho de música, o autor
a) considera a exclusão social como uma característica marcante das sociedades
urbanas, que tem aumentado à medida que se intensifica a concentração de renda.
b) denuncia a pequena mobilidade econômica das classes sociais, decorrente da
intensificação da divisão do trabalho que acompanha o processo de urbanização.
c) exalta o modo de vida urbano ao alegar que, nas cidades, a posse de bens duráveis –
como automóveis e motocicletas – é traço característico de seus habitantes.
d) inclui o contingente populacional urbano inserido no mercado de trabalho informal,
comumente ligado à expansão do subemprego e do desemprego estrutural.

53-(UFG) A polarização que os centros urbanos exercem uns sobre os outros determina
a hierarquia urbana, em escala nacional. Nessa perspectiva, a concepção de metrópole
regional abrange:
a) extensas regiões, com influências que ultrapassam o limite estadual.
b) cidades menores e vilas dentro de um limite determinado pelo centro regional.
c) distritos, povoados, comunidades rurais e áreas vizinhas, no limite municipal.
d) todo o território nacional, direcionando a vida econômica e social.
e) centros regionais menores, com raio de ação inferior à esfera estadual.

54-(PUCPR) Há poucos anos, foi estabelecida uma série de novas regiões metropolitanas
no território brasileiro, estendendo para mais de 20 a sua quantidade. No Paraná, a
novidade fica por conta das duas regiões metropolitanas do interior do estado, Londrina
e Maringá, pois até então a única região metropolitana paranaense era a de Curitiba.
Londrina e Maringá são atualmente as sedes de regiões metropolitanas em virtude de:
a) Representarem pólos regionais de referência no norte do Estado, sendo que já se
constata o fenômeno da conurbação tanto na região de Londrina, como também em
torno de Maringá.
b) Ambas são atualmente “cidades milionárias”, ou seja, as populações dos municípios
de Londrina e de Maringá já ultrapassaram a quantia de um milhão de habitantes.
c) Essas cidades desbancaram Curitiba em importância demográfica, industrial e de
diversidades de serviços.
d) Ambas terem largado totalmente sua economia de origem agrícola, recebendo
recursos exclusivamente dos setores industriais e do comércio e serviços.
e) Representarem o principal eixo industrial do Estado e concentrarem as maiores
populações do Estado em torno de seus municípios.

55-(PUCRIO)

Assinale a alternativa correta,


tendo como referência o gráfico acima.
a) A maior concentração demográfica da população brasileira em áreas rurais, no
período de 1940 a 1980, foi resultado da predominância das atividades agroexportadoras
na geração da riqueza nacional.
b) O expressivo crescimento populacional entre 1970 e 2000 foi conseqüência direta dos
programas de incentivo à natalidade, promovidos pelos governos militares, e
direcionados, especialmente, para as populações urbanas de baixa renda.
c) Entre 1940 e 2000, a inexistência de variação da população rural decorreu das
migrações internas e, principalmente, da decadência e estagnação das lavouras de cana-
de-açúcar, café e soja.
d) A crescente concentração da população brasileira em áreas urbanas, a partir de 1970,
esteve associada, entre outros aspectos, à ampliação dos setores industriais e de
serviços e à atração exercida pelas cidades.
e) O decréscimo da população rural brasileira, entre 1970 e 2000, a níveis muito
inferiores aos observados para 1940, relacionou-se à ampliação da atividade industrial e
à extinção de direitos trabalhistas para o homem do campo.
56-(FGV - DIREITO) Observe as tabelas sobre as regiões metropolitanas paulistas:

a) Os dados das tabelas


expressam um fenômeno de ordem geográfica. Qual é esse fenômeno?
Explique a causa principal para a sua ocorrência.ua ocorrência
b) A cidade de São Paulo, em termos mundiais, é classificada como Megacidade e
Cidade Global. Defina e diferencie esses conceitos, relacionando-os com o contexto em
que foram criados.
Resposta esperada
a)
1. O fenômeno de ordem geográfica é o processo de desconcentração territorial,
decorrente da redução relativa dos índices de crescimento da RM de São Paulo em
relação ao crescimento das demais regiões metropolitanas do Estado de São Paulo.
Esse processo também tem sido chamado de interiorização da economia paulista,
descentralização industrial e dispersão industrial.
2. Essa desconcentração é expressa tanto pela redução da taxa de crescimento
populacional da RM de São Paulo frente às demais, como através da redução da
participação da RM de São Paulo no número de estabelecimentos e empregos industriais
no Estado. Em contrapartida, houve um aumento da participação das RM de Campinas e
Baixada Santista no total do Estado.
3. A causa principal deste processo é o movimento de desconcentração industrial
decorrente do avanço dos sistemas de transporte e comunicações, que reduzem a
importância da proximidade da atividade fabril em relação aos centros de decisão
econômica. Assim, a metrópole paulistana, apesar de centralizar as decisões econômico-
financeiras do país e constituir-se no principal nó dos fluxos econômicos, reduz sua
importância relativa no que se refere ao número de atividades industriais. Tais atividades
têm se deslocado para outros espaços próximos, porém com custos de instalação mais
reduzidos (no caso comparativo, as RM de Campinas e Baixada Santista) ou que
apresentem menores problemas de infra-estrutura e de oferta e custo de mão-de-obra.
b)
1. O conceito de “Megacidade” surgiu em decorrência do crescimento acelerado da
população de algumas cidades do mundo, em especial de cidades de países
subdesenvolvidos.
2. O termo foi criado para designar o grupo de cidades com mais de 10 milhões de
habitantes. Portanto, o critério para a definição de uma megacidade é essencialmente
quantitativo.
3. O conceito de “Cidade Global” refere-se às cidades que sediam os “nós” da economia
de fluxos da globalização e pertencem, portanto, a uma rede mundial de cidades, a partir
das quais atuam os atores transnacionais
4. Trata-se de cidades que possuem alta densidade de objetos técnicos que as conectam
aos fluxos globalizados (financeiros, comercias, de serviços, de tecnologia etc), razão
pela qual o critério para sua definição é decorrente dos papéis e funções que
desempenha e é, assim, de natureza qualitativa.
Fonte: Geografiaparatodos

GABARITO:
1-C 2-E 3-B 4-B 5-D 6-A 7-B 8-E 9-B 10-- 11--
12-E 13-D 14-A 15-C 16-A 17-B 18-- 19-- 20-C
21-A 22-C 23-C 24-- 25-- 26-D 27-A 28-D 29-E
30-B 31-B 32-B 33-D 34-E 35-B 36-A 37-B 38-
D 39-B 40-A 41-D 42-B 43-C 44-D 45-E 46-D
47-A 48-- 49-A 50-- 51-D 52-C 53-A 54-A 55-D
56--

GLOBALIZAÇÃO:

Globalização

A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica,


social, cultural, política, que teria sido impulsionado pelo barateamento dos meios de
transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século
XXI. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar
uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos
desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. O processo de Globalização
diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, ou seja, interliga o
mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos.
Com isso, gerando a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações
financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para
mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital
financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém,
obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.

História

A globalização é um fenômeno capitalista e complexo que começou na era dos


descobrimentos e que se desenvolveu a partir da Revolução Industrial. Mas o seu
conteúdo passou despercebido por muito tempo, e hoje muitos economistas analisam a
globalização como resultado do pós Segunda Guerra Mundial, ou como resultado da
Revolução Tecnológica.
Sua origem pode ser traçada do período mercantilista iniciado aproximadamente no
século XV e durando até o século XVIII, com a queda dos custos de transporte
marítimo, e aumento da complexidade das relações políticas europeias durante o
período. Este período viu grande aumento no fluxo de força de trabalho entre os países e
continentes, particularmente nas novas colônias europeias.

Já em meio à Segunda Guerra Mundial surgiu, em 1941, um dos primeiros sintomas da


globalização das comunicações: o pacote cultural-ideológico dos Estados Unidos incluía
várias edições diárias de O Repórter Esso , uma síntese noticiosa de cinco minutos
rigidamente cronometrados, a primeira de caráter global, transmitido em 14 países do
continente americano por 59 estações de rádio, constituindo-se na mais ampla rede
radiofônica mundial.[1]

É tido como início da globalização moderna o fim da Segunda Guerra mundial, e a


vontade de impedir que uma monstruosidade como ela ocorresse novamente no futuro,
sendo que as nações vitoriosas da guerra e as devastadas potências do eixo chegaram a
conclusão que era de suma importância para o futuro da humanidade a criação de
mecanismos diplomáticos e comerciais para aproximar cada vez mais as nações uma das
outras. Deste consenso nasceu as Nações Unidas, e começou a surgir o conceito de
bloco econômico pouco após isso com a fundação da Comunidade Europeia do Carvão
e do Aço - CECA.

A necessidade de expandir seus mercados levou as nações a aos poucos começarem a se


abrir para produtos de outros países, marcando o crescimento da ideologia econômica
do liberalismo.

Atualmente os grandes beneficiários da globalização são os grandes países emergentes,


especialmente o BRIC, com grandes economias de exportação, grande mercado interno
e cada vez maior presença mundial.[2] Antes do BRIC, outros países fizeram uso da
globalização e economias voltadas a exportação para obter rápido crescimento e chegar
ao primeiro mundo, como os tigres asiáticos na década de 1980 e Japão na década de
1970.[3]

Enquanto Paul Singer vê a expansão comercial e marítima europeia como um caminho


pelo qual o capitalismo se desenvolveu assim como a globalização, Maria da Conceição
Tavares aposta o seu surgimento na acentuação do mercado financeiro, com o
surgimento de novos produtos financeiros.

Impacto
A característica mais notável da globalização é a presença de marcas mundiais

A globalização afeta todas as áreas da sociedade, principalmente comunicação,


comércio internacional e liberdade de movimentação, com diferente intensidade
dependendo do nível de desenvolvimento e integração das nações ao redor do planeta.

Comunicação

A globalização das comunicações tem sua face mais visível na internet, a rede mundial
de computadores, possível graças a acordos e protocolos entre diferentes entidades
privadas da área de telecomunicações e governos no mundo. Isto permitiu um fluxo de
troca de ideias e informações sem critérios na história da humanidade. Se antes uma
pessoa estava limitada a imprensa local, agora ela mesma pode se tornar parte da
imprensa e observar as tendências do mundo inteiro, tendo apenas como fator de
limitação a barreira linguística.

Outra característica da globalização das comunicações é o aumento da universalização


do acesso a meios de comunicação, graças ao barateamento dos aparelhos,
principalmente celulares e os de infraestrutura para as operadoras, com aumento da
cobertura e incremento geral da qualidade graças a inovação tecnológica. Hoje uma
inovação criada no Japão pode aparecer no mercado português ou brasileiro em poucos
dias e virar sucesso de mercado. Um exemplo da universalização do acesso a
informação pode ser o próprio Brasil, hoje com 42 milhões de telefones instalados, [4] e
um aumento ainda maior de número de telefone celular em relação a década de 1980,
ultrapassando a barreira de 100 milhões de aparelhos em 2002.

Redes de televisão e imprensa multimédia em geral também sofreram um grande


impacto da globalização. Um país com imprensa livre hoje em dia pode ter acesso,
alguma vezes por televisão por assinatura ou satélite, a emissoras do mundo inteiro,
desde NHK do Japão até Cartoon Network americana.

Pode-se dizer que este incremento no acesso à comunicação em massa acionado pela
globalização tem impactado até mesmo nas estruturas de poder estabelecidas, com forte
conotação a democracia, ajudando pessoas antes alienadas a um pequeno grupo de
radiodifusão de informação a terem acesso a informação de todo o mundo, mostrando a
elas como o mundo é e se comporta[5]

Mas infelizmente este mesmo livre fluxo de informações é tido como uma ameaça para
determinados governos ou entidades religiosas com poderes na sociedade, que tem gasto
enorme quantidade de recursos para limitar o tipo de informação que seus cidadãos tem
acesso.

Na China, onde a internet tem registrado crescimento espetacular, já contando com 136
milhões de usuários [6] graças à evolução, iniciada em 1978, de uma economia
centralmente planejada para uma nova economia socialista de mercado,[7] é outro
exemplo de nação notória por tentar limitar a visualização de certos conteúdos
considerados "sensíveis" pelo governo, como do Protesto na Praça Tiananmem em
1989, além disso em torno de 923 sites de noticias ao redor do mundo estão bloqueados,
incluindo CNN e BBC, sites de governos como Taiwan também são proibidos o acesso
e sites de defesa da independência do Tibete. O número de pessoas presas na China por
"ação subversiva" por ter publicado conteúdos críticos ao governo é estimado em mais
de 40 ao ano. A própria Wikipédia já sofreu diversos bloqueios por parte do governo
chinês.[8]

No Irã, Arábia Saudita e outros países islâmicos com grande influência da religião nas
esferas governamentais, a internet sofre uma enorme pressão do estado, que tenta
implementar diversas vezes barreiras e dificuldades para o acesso a rede mundial, como
bloqueio de sites de redes de relacionamentos sociais como Orkut e MySpace, bloqueio
de sites de noticias como CNN e BBC. Acesso a conteúdo erótico também é proibido.

Qualidade de vida

Londres, a cidade mais globalizada do planeta.

O acesso instantâneo de tecnologias, principalmente novos medicamentos, novos


equipamentos cirúrgicos e técnicas, aumento na produção de alimentos e barateamento
no custo dos mesmos, tem causado nas últimas décadas um aumento generalizado da
longevidade dos países emergentes e desenvolvidos. De 1981 a 2001, o número de
pessoas vivendo com menos de US$1 por dia caiu de 1,5 bilhão de pessoas para 1,1
bilhão, sendo a maior queda da pobreza registrada exatamente nos países mais liberais e
abertos a globalização.[9]

Na China, após a flexibilização de sua economia comunista centralmente planejada para


uma nova economia socialista de mercado,[7] e uma relativa abertura de alguns de seus
mercados, a porcentagem de pessoas vivendo com menos de US$2 caiu 50,1%, contra
um aumento de 2,2% na África sub-saariana. Na América Latina, houve redução de
22% das pessoas vivendo em pobreza extrema de 1981 até 2002.[10]

Embora alguns estudos sugiram que atualmente a distribuição de renda ou está estável
ou está melhorando, sendo que as nações com maior melhora são as que possuem alta
liberdade econômica pelo Índice de Liberdade Econômica,[11] outros estudos mais
recentes da ONU indicam que "a 'globalização' e 'liberalização', como motores do
crescimento econômico e o desenvolvimento dos países, não reduziram as
desigualdades e a pobreza nas últimas décadas".[12]

Para o prêmio nobel em economia Stiglitz, a globalização, que poderia ser uma força
propulsora de desenvolvimento e da redução das desigualdades internacionais, está
sendo corrompida por um comportamento hipócrita que não contribui para a construção
de uma ordem econômica mais justa e para um mundo com menos conflitos. Esta é, em
síntese, a tese defendida em seu livro A globalização e seus malefícios: a promessa
não-cumprida de benefícios globais.[13] Críticos argumentam que a globalização
fracassou em alguns países, exatamente por motivos opostos aos defendidos por Stiglitz:
Porque foi refreada por uma influência indesejada dos governos nas taxas de juros e na
reforma tributária [1].

Efeitos na indústria e serviços

Os efeitos no mercado de trabalho da globalização são evidentes, com a criação da


modalidade de outsourcing de empregos para países com mão-de-obra mais baratas para
execução de serviços que não é necessário alta qualificação, com a produção distribuída
entre vários países, seja para criação de um único produto, onde cada empresa cria uma
parte, seja para criação do mesmo produto em vários países para redução de custos e
ganhar vantagem competitivas no acesso de mercados regionais.

O ponto mais evidente é o que o colunista David Brooks definiu como "Era Cognitiva",
onde a capacidade de uma pessoa em processar informações ficou mais importante que
sua capacidade de trabalhar como operário em uma empresa graças a automação,
também conhecida como Era da Informação, uma transição da exausta era industrial
para a era pós-industrial.[14]

Nicholas A. Ashford, acadêmico do MIT, conclui que a globalização aumenta o ritmo


das mudanças disruptivas nos meios de produção, tendendo a um aumento de
tecnologias limpas e sustentáveis, apesar que isto irá requerer uma mudança de atitude
por parte dos governos se este quiser continuar relevante mundialmente, com aumento
da qualidade da educação, agir como evangelista do uso de novas tecnologias e investir
em pesquisa e desenvolvimento de ciências revolucionárias ou novas como
nanotecnologia ou fusão nuclear. O acadêmico, nota porém, que a globalização por si só
não traz estes benefícios sem um governo pró-ativo nestes questões, exemplificando o
cada vez mais globalizado mercados EUA, com aumento das disparidades de salários
cada vez maior, e os Países Baixos, integrante da UE, que se foca no comércio dentro da
própria UE em vez de mundialmente, e as disparidades estão em redução.[15]

Teorias da Globalização

A globalização, por ser um fenômeno espontâneo decorrente da evolução do mercado


capitalista não direcionado por uma única entidade ou pessoa, possui várias linhas
teóricas que tentam explicar sua origem e seu impacto no mundo atual.

A rigor, as sociedades do mundo estão em processo de globalização desde o início da


História, acelerado pela época dos Descobrimentos. Mas o processo histórico a que se
denomina Globalização é bem mais recente, datando (dependendo da conceituação e da
interpretação) do colapso do bloco socialista e o consequente fim da Guerra Fria (entre
1989 e 1991), do refluxo capitalista com a estagnação econômica da URSS (a partir de
1975) ou ainda do próprio fim da Segunda Guerra Mundial.

No geral a globalização é vista por alguns cientistas políticos como o movimento sob o
qual se constrói o processo de ampliação da hegemonia econômica, política e cultural
ocidental sobre as demais nações. Ou ainda que a globalização é a reinvenção do
processo expansionista americano no período pós guerra-fria (esta reinvenção tardaria
quase 10 anos para ganhar forma) com a imposição (forçosa ou não) dos modelos
políticos (democracia), ideológico (liberalismo, hedonismo e individualismo) e
econômico (abertura de mercados e livre competição).

Vale ressaltar que este projeto não é uma criação exclusiva do estado norte-americano e
que tampouco atende exclusivamente aos interesses deste, mas também é um projeto
das empresas, em especial das grandes empresas transnacionais, e governos do mundo
inteiro. Nesta ponta surge a inter-relação entre a Globalização e o Consenso de
Washington.

Antonio Negri

O pensador italiano Antonio Negri defende, em seu livro "Império", que a nova
realidade sócio-política do mundo é definida por uma forma de organização diferente da
hierarquia vertical ou das estruturas de poder "arborizadas" (ou seja, partindo de um
tronco único para diversas ramificações ou galhos cada vez menores). Para Negri, esta
nova dominação (que ele batiza de "Império") é constituída por redes assimétricas, e as
relações de poder se dão mais por via cultural e econômica do que uso coercitivo de
força. Negri entende que entidades organizadas como redes (tais como corporações,
ONGs e até grupos terroristas) têm mais poder e mobilidade (portanto, mais chances de
sobrevivência no novo ambiente) do que instituições paradigmáticas da modernidade
(como o Estado, partidos e empresas tradicionais).

Mário Murteira

O economista português Mário Murteira, autor de uma das abordagens científicas mais
antigas e consistentes sobre o fenômeno da Globalização[16], defende que, no século
XXI, se verifica uma 'desocidentalização' da Globalização, visto que se constata que os
países do Oriente, como a China, são os principais atores atuais do processo de
Globalização e a hegemonia do Ocidente, no sistema econômico mundial, está a
aproximar-se do seu ocaso, pelo que outras dinâmicas regionais, sobretudo na Ásia do
Pacífico, ganharam mais força a nível global[17]. Para Mário Murteira, a Globalização
está relacionada com um novo tipo de capitalismo em que o «mercado de
conhecimento» [18] é o elemento mais influente no processo de acumulação de capital e
de crescimento econômico no capitalismo atual, ou seja, é o núcleo duro que determina
a evolução de todo o sistema econômico mundial do presente século XXI[19].

Stuart Hall

Em A Identidade cultural na Pós-Modernidade, Stuart Hall (2003)[2] busca avaliar o


processo de deslocamento das estruturas tradicionais ocorrido nas sociedades modernas,
assim como o descentramento dos quadros de referências que ligavam o indivíduo ao
seu mundo social e cultural. Tais mudanças teriam sido ocasionadas, na
contemporaneidade, principalmente, pelo processo de globalização. A globalização
alteraria as noções de tempo e de espaço, desalojaria o sistema social e as estruturas por
muito tempo consideradas como fixas e possibilitaria o surgimento de uma pluralização
dos centros de exercício do poder. Quanto ao descentramento dos sistemas de
referências, Hall considera seus efeitos nas identidades modernas, enfatizando as
identidades nacionais, observando o que gerou, quais as formas e quais as
consequências da crise dos paradigmas do final do século XX.
Benjamin Barber

Em seu artigo "Jihad vs. McWorld", Benjamin Barber expõe sua visão dualista para a
organização geopolítica global num futuro próximo. Os dois caminhos que ele enxerga
— não apenas como possíveis, mas também prováveis — são o do McMundo e o da
Jihad. Mesmo que se utilizando de um termo específico da religião islâmica (cujo
significado, segundo ele, é genericamente "luta", geralmente a "luta da alma contra o
mal", e por extensão "guerra santa"), Barber não vê como exclusivamente muçulmana a
tendência antiglobalização e pró-tribalista, ou pró-comunitária. Ele classifica nesta
corrente inúmeros movimentos de luta contra a ação globalizante, inclusive ocidentais,
como os zapatistas e outras guerrilhas latino-americanas.

Está claro que a democracia, como regime de governo particular do modo de produção
da sociedade industrial, não se aplica mais à realidade contemporânea. Nem se aplicará
tampouco a quaisquer dos futuros econômicos pretendidos pelas duas tendências
apontadas por Barber: ou o pré-industrialismo tribalista ou o pós-industrialismo
globalizado. Os modos de produção de ambos exigem outros tipos de organização
política cujas demandas o sistema democrático não é capaz de atender.

Daniele Conversi

Para Conversi, os acadêmicos ainda não chegaram a um acordo sobre o real significado
do termo globalização, para o qual ainda não há uma definição coerente e universal:
alguns autores se concentram nos aspectos econômicos, outros nos efeitos políticos e
legislativos, e assim por diante. Para Conversi, a 'globalização cultural' é,
possivelmente, sua forma mais visível e efetiva enquanto "ela caminha na sua
trajetória letal de destruição global, removendo todas as seguranças e barreiras
tradicionais em seu caminho. É também a forma de globalização que pode ser mais
facilmente identificada com uma dominação pelos Estados Unidos. Conversi vê uma
correlação entre a globalização cultural e seu conceito gêmeo de 'segurança cultural', tal
como desenvolvido por Jean Tardiff, e outros [20]

Conversi propõe a análise da 'globalização cultural' em três linhas principais: a primeira


se concentra nos efeitos políticos da alterações sócio-culturais, que se identificam com a
'insegurança social'. A segunda, paradoxalmente chamada de 'falha de comunicação', [20]
tem como seu argumento principal o fato de que a 'ordem mundial' atual tem uma
estrutura vertical, na realidade piramidal, onde os diversos grupos sociais têm cada vez
menos oportunidades de se intercomunicar, ou interagir de maneira relevante e
consoante suas tradições; de acordo com essa teoria não estaria havendo uma
'globalização' propriamente dita, mas, ao contrário, estariam sendo construídas ligações-
ponte, e estaria ocorrendo uma erosão do entendimento, sob a fachada de uma
homogenização global causando o colapso da comunicação interétnica e internacional,
em consequência direta de uma 'americanização' superficial. [20] A terceira linha de
análise se concentra numa forma mais real e concreta de globalização: a importância
crescente da diáspora na política internacional e no nascimento do que se chamou de
'nacionalismo de e-mail" - uma expressão criada por Benedict Anderson (1992).[21] "A
expansão da Internet propiciou a criação de redes etnopolíticas que só podem ser
limitadas pelas fronteiras nacionais às custas de violações de direitos humanos".[20]

Samuel P. Huntington
O cientista político Samuel P. Huntington, ideólogo do neoconservadorismo norte-
americano, enxerga a globalização como processo de expansão da cultura ocidental e do
sistema capitalista sobre os demais modos de vida e de produção do mundo, que
conduziria inevitavelmente a um "choque de civilizações".

Antiglobalização
Ver artigo principal: Antiglobalização

Apesar das contradições há um certo consenso a respeito das características da


globalização que envolve o aumento dos riscos globais de transações financeiras, perda
de parte da soberania dos Estados com a ênfase das organizações supra-governamentais,
aumento do volume e velocidade como os recursos vêm sendo transacionados pelo
mundo, através do desenvolvimento tecnológico etc.

Além das discussões que envolvem a definição do conceito, há controvérsias em relação


aos resultados da globalização.[22] Tanto podemos encontrar pessoas que se posicionam a
favor como contra (movimentos antiglobalização).

A globalização é um fenômeno moderno que surgiu com a evolução dos novos meios de
comunicação cada vez mais rápidos e mais eficazes. Há, no entanto, aspectos tanto
positivos quanto negativos na globalização. No que concerne aos aspectos negativos há
a referir a facilidade com que tudo circula não havendo grande controle como se pode
facilmente depreender pelos atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos da
América. Esta globalização serve para os mais fracos se equipararem aos mais fortes
pois tudo se consegue adquirir através desta grande autoestrada informacional do
mundo que é a Internet. Outro dos aspectos negativos é a grande instabilidade
econômica que se cria no mundo, pois qualquer fenômeno que acontece num
determinado país atinge rapidamente outros países criando-se contágios que tal como as
epidemias se alastram a todos os pontos do globo como se de um único ponto se
tratasse. Os países cada vez estão mais dependentes uns dos outros e já não há
possibilidade de se isolarem ou remeterem-se no seu ninho pois ninguém é imune a
estes contágios positivos ou negativos. Como aspectos positivos, temos sem sombra de
dúvida, a facilidade com que as inovações se propagam entre países e continentes, o
acesso fácil e rápido à informação e aos bens. Com a ressalva de que para as classes
menos favorecidas economicamente, especialmente nos países em desenvolvimento,[23]
esse acesso não é "fácil" (porque seu custo é elevado) e não será rápido.

Pontos positivos e negativos da Globalização

POSITIVOS Pontos Negativos

Tecnologia Expansão (impacto no meio ambiente)

Comunicação Poluição

Conforto Conflitos (econômicos, políticos e concorrência)

Relacionamento Competição

Fácil acesso á tudo Desunião


Praticidade Preconceito/Discriminação

Agilidade Irresponsabilidade (valorização do material)

Conexão

Visão ampla do mundo

Valorização

Economia

Crescimento

Postado por Aprendizagem

QUESTÕES SOBRE GLOBALIZAÇÃO:


Entre as promessas contidas na ideologia do processo de globalização da
economia estava a dispersão da produção do conhecimento na esfera global,
expectativa que não se vem concretizando. Nesse cenário, os tecnopolos
aparecem como um centro de pesquisa e desenvolvimento de alta tecnologia que
conta com mão de obra altamente qualificada. Os impactos desse processo na
inserção dos países na economia global deram-se de forma hierarquizada e
assimétrica. Mesmo no grupo em que se engendrou a reestruturação produtiva,
houve difusão desigual da mudança de paradigma tecnológico e organizacional. O
peso da assimetria projetou-se mais fortemente entre os países mais
desenvolvidos e aqueles em desenvolvimento.
BARROS, F. A. F. Concentração técnico-científica: uma tendência em expansão no
mundo contemporâneo?
Campinas: Inovação Uniemp, v. 3, n°1 jan./fev. 2007 (adaptado).

Diante das transformações ocorridas, é reconhecido que

a) A inovação tecnológica tem alcançado a cidade e o campo, incorporando a


agricultura, a indústria e os serviços, com maior destaque nos países
desenvolvidos.
b) Os fluxos de informações, capitais, mercadorias e pessoas têm desacelerado,
obedecendo ao novo modelo fundamentado em capacidade tecnológica.

c) As novas tecnologias se difundem com equidade no espaço geográfico e entre


as populações que as incorporam em seu dia a dia.

d) Os tecnopolos, em tempos de globalização, ocupam os antigos centros de


industrialização, concentrados em alguns países emergentes.

e) O crescimento econômico dos países em desenvolvimento, decorrente da


dispersão da produção do conhecimento na esfera global, equipara-se ao dos
países desenvolvidos.

ver resposta

 Questão 2

(UFC) O processo de globalização tem, na atualidade, provocado grandes


mudanças, tanto nas esferas econômica, financeira e política quanto na vida social
e cultural dos povos e das nações, em escala mundial. A esse respeito, é possível
afirmar, de modo correto, que:

a) A maioria das instituições financeiras globais tem sua sede localizada nos
países subdesenvolvidos.

b) O avanço das telecomunicações e da informática e o uso da internet são


fundamentais para os fluxos financeiros mundiais.

c) O Estado intervém na economia por meio de investimentos no setor industrial,


fortalecendo, assim, as empresas estatais.

d) As transformações políticas, econômicas, sociais e tecnológicas dão-se da


mesma forma nos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

e) Os blocos econômicos regionais são constituídos com o objetivo único de


formação de alianças para defender a autonomia política dos países membros.

ver resposta
 Questão 3

(ENEM 2009 – Prova Cancelada)

O índio do Xingu, que ainda acredita em Tupã, assiste pela televisão a uma partida
de futebol que acontece em Barcelona ou a um show dos Rolling Stones na praia
de Copacabana. Não obstante, não há que se iludir: o índio não vive na mesma
realidade em que um morador do Harlem ou de Hong Kong, uma vez que são
distintas as relações dessas diferentes pessoas com a realidade do mundo
moderno; isso porque o homem é um ser cultural, que se apoia nos valores da sua
comunidade, que, de fato, são os seus.
GULLAR, F. Folha de S. Paulo. São Paulo: 19 out. 2008 (adaptado).

Ao comparar essas diferentes sociedades em seu contexto histórico, verifica-se


que

a) Pessoas de diferentes lugares, por fazerem uso de tecnologias de vanguarda,


desfrutam da mesma realidade cultural.

b) O índio assiste do futebol ao show, mas não é capaz de entendê-los, porque


não pertencem à sua cultura.

c) Pessoas com culturas, valores e relações diversas têm, hoje em dia, acesso às
mesmas informações.

d) Os moradores do Harlem e de Hong Kong, devido à riqueza de sua História, têm


uma visão mais aprimorada da realidade.

e) A crença em Tupã revela um povo atrasado, enquanto os moradores do Harlem


e de Hong Kong, mais ricos, vivem de acordo com o presente.

ver resposta

 Questão 4

(UFAM) São características da Globalização:


a) A adoção do Toyotismo como modelo para a reorganização da produção, a
restrição dos mercados e a valorização tecnológica.

b) O estabelecimento de redes comerciais, com valorização do capital mercantil e


o aumento do controle estatal na economia.

c) A adoção de políticas neoliberais, a desregulamentação da economia e


diminuição dos índices de robotização na indústria.

d) A dinamização tecnológica com a garantia da ampliação de políticas sociais e


direitos trabalhistas.

e) A formação de blocos econômicos, a integração dos mercados e o avanço do


capital financeiro.

ver resposta

 Questão 5

Quais as principais características do processo de globalização?

ver resposta

 Questão 6

Qual a importância do processo de globalização para expansão da atuação das


empresas transnacionais? Cite algumas dessas empresas que possuem filiais no
Brasil.

ver resposta

 Questão 7

(UFPI) Sobre a economia globalizada:


a) Homogeneizou as culturas e reduziu as discrepâncias econômicas entre os
países.

b) Integrou economias e possibilitou a difusão de hábitos dos lugares pelo mundo.

c) Deu visibilidade às minorias, a povos e culturas de recantos isolados do mundo.

d) Quase anulou a xenofobia e os conflitos étnicos e religiosos em todo o planeta.

ver resposta

Respostas
 Resposta Questão 1

a) Verdadeiro - O avanço tecnológico está presente em vários setores da


economia, seja através dos meios de comunicação e até na mecanização das
atividades agrícolas. Os países desenvolvidos se destacam nesse processo em
virtude de maiores investimentos em tecnologia.

b) Falso - Através do processo de globalização, os fluxos de informação, capitais,


mercadorias e pessoas têm acelerado em razão, principalmente, do avanço
tecnológico dos meios de comunicação.

c) Falso - Não, pois as tecnologias se difundem em graus diversos no espaço


geográfico, dependendo da capacidade tecnológica de cada localidade.

d) Falso - Os tecnopolos são centros de pesquisas para o desenvolvimento de


inovações técnicas com a utilização de mão de obra altamente qualificada, e se
localizam, principalmente, em países desenvolvidos.

e) Falso - O crescimento econômico dos países em desenvolvimento não se


compara com o processo utilizado pelos países desenvolvidos, pois são estruturas
econômicas diferentes.

voltar a questão
 Resposta Questão 2

a) Falso – As sedes das instituições financeiras globais estão localizadas em


países desenvolvidos, nos países em desenvolvimento há a presença de filiais de
empresas transnacionais.

b) Verdadeiro – Pois o aparato tecnológico é de fundamental importância para os


serviços de telecomunicação, transporte, investimentos, entre outros fatores
essenciais para realização eficaz das atividades econômicas em escala planetária.

c) Falso – Na economia globalizada, o Estado, normalmente, não intervém no setor


industrial, ocorrendo muitas vezes a privatização de empresas estatais.

d) Falso – Os países desenvolvidos são os principais beneficiados, isso em razão


do desenvolvimento tecnológico desenvolvido por eles, restando aos países
subdesenvolvidos a dependência tecnológica.

e) Falso – A formação de blocos econômicos regionais não tem como objetivo


único a formação de alianças para defender a autonomia política dos países
membros, fatores que impulsionam a formação de blocos econômicos é criação de
áreas de livre circulação de mercadorias, pessoas e serviços.

voltar a questão

 Resposta Questão 3

a) Falso - Não, apesar do processo de globalização, aspectos locais configuram a


cultura de um povo.

b) Falso - O índio entende o jogo de futebol e o show, pois através dos meios de
comunicação tem acesso a esses eventos.

c) Verdadeiro - O processo de globalização proporciona para as pessoas, através


dos meios de comunicação, acesso à informação.

d) Falso - Não, pois isso varia de acordo com a cultura e o contexto histórico de
cada população, havendo valores de conhecimento distintos.
e) Falso - São questões históricas e culturais, não havendo comparações entre
diferentes povos e culturas.

voltar a questão

 Resposta Questão 4

a) Falso – No processo de produção globalizado não há a adoção do modelo


Toyotista de produção, nem a restrição dos mercados.

b) Falso – Não ocorre o aumento do controle estatal na economia.

c) Falso – Os índices de robotização na economia globalizada são elevadíssimos,


pois intensificam a produção e são mais viáveis economicamente.

d) Falso – As políticas sociais e direitos trabalhistas não são características da


economia globalizada.

e) Verdadeiro – As formações de blocos econômicos facilitam a circulação de


mercadorias, proporcionando maiores mercados consumidores e investimentos de
capital financeiro numa escala global.

voltar a questão

 Resposta Questão 5

A globalização ou mundialização do espaço geográfico é caracterizada pelo


processo de interligação econômica, política, social e cultural, em nível global.
Esse processo é consequência, principalmente, da expansão dos sistemas de
comunicação por satélites, da telefonia, da presença da informática na maior parte
dos setores de produção e de serviços, através da internet.

De acordo com o geógrafo Milton Santos, “a globalização constitui o estágio


supremo da internacionalização, a amplificação em sistema-mundo de todos os
lugares e de todos os indivíduos, embora em graus diversos”.

voltar a questão
 Resposta Questão 6

A globalização é de fundamental importância para a atuação das empresas


transnacionais, pois proporciona todo o aparato técnológico para os serviços de
telecomunicação, transporte, investimentos, entre outros, fatores essenciais para
realização eficaz das atividades econômicas em escala planetária. Outro fator
importante para as transnacionais é o processo de Divisão Internacional do
Trabalho (DIT), onde produtos são desenvolvidos em um país e a sua produção
pode ocorrer em diferentes países do mundo, tudo objetivando o menor gasto na
produção e, consequentemente, maior lucratividade para os detentores do meio de
produção.

Entre as empresas transnacionais que possuem filiais no Brasil podemos citar a


Coca Cola, Unilever, Mc Donald’s, Nestlé, Hyundai, Volkswagen, etc.

voltar a questão

 Resposta Questão 7

a) Falso – A cultura, em sua essência, continua heterogênea, e não houve redução


das discrepâncias econômicas entre os países, em alguns países esse processo
se intensificou.

b) Verdadeiro – A economia globalizada possibilitou a integração de economias


através do aparato tecnológico desenvolvido, e difundiu hábitos pelo mundo, por
exemplo, as redes de fast food.

c) Verdadeiro – Proporcionou através dos meios de comunicação maior visibilidade


a culturas locais.

d) Falso – Não houve redução significativa nos casos de xenofobia e nem diminuiu
os conflitos étnicos e religiosos, principalmente nos países africanos.

voltar a questão
GLOBALIZAÇÃO: QUESTÕES-

UNIT/SE) - Universidade Tiradentes -


Questão 1:
“Bric de barro” mostra sua fragilidade.
Com economia excessivamente dependente de um só produto de exportação e um
parque industrial deteriorado, o país enfrenta o desafio do crescimento.
(O Estado de São Paulo, 18/04/2010. p B11)
Com base nos conhecimentos sobre as características dos países que compõem o Bric,
pode-se concluir que o texto do jornal refere-se
A - à África do Sul.
B - à China.
C - à Índia.
D - ao Brasil.
E - à Rússia.

(UERJ) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro -


Questão 2:
No admirável mundo novo das oportunidades fugazes e das seguranças frágeis, a
sabedoria popular foi rápida em perceber os novos requisitos. Em 1994, um cartaz
espalhado pelas ruas de Berlim ridicularizava a lealdade a estruturas que não eram mais
capazes de conter as realidades do mundo: “Seu Cristo é judeu. Seu carro é japonês.
Sua pizza é italiana. Sua democracia, grega. Seu café, brasileiro. Seu feriado, turco.
Seus algarismos, arábicos. Suas letras, latinas. Só o seu vizinho é estrangeiro”.
ZygmunT Bauman Adaptado de Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.
A alteração de valores culturais em diversas sociedades é um dos efeitos da
globalização da economia.
O cartaz citado no texto ironiza uma referência cultural que pode ser associada ao
conceito de:
A - localismo
B - nacionalismo
C - regionalismo
D - eurocentrismo

(UERJ) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro -


Questão 3:
A Cúpula das Américas surgiu em 1994, por iniciativa norte-americana. Os EUA
criticavam a OEA (Organização dos Estados Americanos), que reúne todos os 34 países
do hemisfério, exceto Cuba, e desejavam implantar a ALCA (Área de Livre Comércio das
Américas).
Exercitando o papel de líder dos países da ALBA (Alternativa Bolivariana para os Povos
de Nossa América), Hugo Chávez prometeu que “até as pedras falarão”, na quinta
reunião da Cúpula das Américas, contra o bloqueio americano a Cuba e a favor de sua
reincorporação à OEA. Criada em 2004, a ALBA é formada por Bolívia, Honduras,
Venezuela, Dominica e Cuba.
Adaptado de Folha de São Paulo, 12/04/2009
As divergências entre a ALBA e a OEA refletem mudanças nas relações entre os países
americanos na atualidade.
De acordo com a notícia, essas mudanças se vinculam ao seguinte contexto político:
A - valorização do pan-americanismo frente à projeção da União Europeia
B - resistência de governos nacionalistas às pressões hegemônicas externas
C - criação de regiões de livre-comércio contrárias à globalização econômica
D - aplicação do protecionismo alfandegário à exportação de produtos primários

(UERJ) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro -


Questão 4:
G-20 adota linha dura para combater crise
Grupo anuncia maior controle para o sistema financeiro. Cercada de expectativas, a
reunião do G-20, grupo que congrega os países mais ricos e os principais emergentes
do mundo, chegou ao fim, em Londres, com o consenso da necessidade de combate aos
paraísos fiscais e da criação de novas regras de fiscalização para o sistema financeiro.
Além disso, os líderes concordaram, dentre várias medidas, em injetar US$ 1,1 trilhão
na economia para debelar a crise.
Adaptado de http://zerohora.clicrbs.com.br
A passagem da década de 1980 para a de 1990 ficou marcada como um momento
histórico no qual se esgotou um arranjo geopolítico e teve início uma nova ordem
política internacional, cuja configuração mais clara ainda está em andamento.
Conforme se observa na notícia, essa nova geopolítica possui a seguinte característica
marcante:
A - diminuição dos fluxos internacionais de capital
B - aumento do número de polos de poder mundial
C - redução das desigualdades sociais entre o Norte e o Sul
D - crescimento da probabilidade de conflitos entre países centrais e periféricos

(UEAP) - Universidade do Estado do Amapá -


Questão 5:
Dentre as características do mundo globalizado encontram-se os padrões tecnológicos
avançados de organização da produção de bens e a formação de blocos econômicos.
A figura abaixo indica os países que participam da fabricação das partes que compõem
um Boeing.

Com base nas informações sobre o assunto retratado no texto e na figura, analise os
itens abaixo e, posteriormente, assinale a alternativa correta.
I- As peças que compõem o Boeing são consideradas de alta tecnologia, por isso, são
produzidas em nações industrializadas e com amplo domínio tecnológico.
II- Os países que participam da produção do Boeing investem somas elevadas em
ciências e tecnologias e constituem os principais polos tecnológicos mundiais.
III- Os países que fazem parte da produção do Boeing, com o objetivo de fortalecer as
relações econômicas internacionais, integram o Bloco Econômico Europeu.
IV- A produção do Boeing é realizada por vários países, porém há monopólio do produto
final pelo país responsável pela comercialização do Boeing.
A - Apenas I e III estão corretos.
B - Apenas II e III estão corretos.
C - Apenas II e IV estão corretos.
D - Apenas I, II e IV estão corretos.
E - Todos os itens estão corretos.

(CESUPA/PA) - Centro Universitário do Estado do Pará -


Questão 6:
Um dos principais agentes estimuladores das relações econômicas capitalistas do atual
contexto mundial são as corporações globais, a exemplo das empresas multinacionais,
como a Nike. Sobre as características dessas empresas é verdadeiro afirmar que:
A - são transnacionais, ou seja, o capital das mesmas não possui pátria, sendo que
estas atuam exclusivamente no setor industrial, notadamente no setor automobilístico,
como é o caso da Honda e da Volkswagem.
B - possuem como espaço único de atuação a Ásia e a América Saxônica, fato
relacionado ao desenvolvimento tecnológico de seus países como os Estados Unidos e a
China, que concentram significativo número dessas empresas, principalmente nas ZEEs
(Zonas Especiais de Exportação) chinesas.
C - são competentes em gerenciar suas atividades, ao mesmo tempo, em diversos
locais do espaço geográfico mundial, ou seja, sua escala geográfica de atuação é o
planeta Terra, estando localizadas nos diversos continentes.
D - dependem especialmente das políticas públicas dos países onde se fixam, sem
interferências da unidade principal da empresa (matriz) e da política econômica do seu
país sede.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará -


Questão 7:
A intensificação do comércio mundial, resultante da expansão e da fragmentação do
processo produtivo das multinacionais, aliada à queda das barreiras fiscais em
diferentes países, fomentou a formação de alianças e dos blocos econômicos regionais.
Sobre as diferenças socioeconômicas no interior deles e entre eles afirma-se que o(a):
A - NAFTA, apresenta forte integração econômica e cultural, o que pode ser observado
no uso do idioma inglês como segunda língua da população do México – país integrante
do bloco –, bem como na livre circulação de pessoas dentro dos países que o formam,
tal como ocorre na União Europeia.
B - APEC apresenta reduzidas diferenças socioeconômicas no seu interior, consequência
do desenvolvimento acelerado e harmônico de seus membros que expandiram seus
mercados e aproximaram suas economias ao contexto norte-americano.
C - União Europeia, oriunda do antigo Mercado Comum Europeu, apresenta, se
comparado aos demais blocos, menor desnível socioeconômico interno, ao passo que o
NAFTA possui maior desnível socioeconômico interno, em virtude da crescente
dependência e vulnerabilidade econômica mexicana.
D - MERCOSUL constitui uma zona de livre comércio, sendo que as mercadorias
fabricadas nos seus países-membros circulam entre eles totalmente isentas de tarifa de
importação, contudo, não se chegou ainda hoje a um acordo entre seus componentes,
sobre a livre circulação de pessoas dentro do bloco.
E - formação da União Europeia representa um novo tipo de colonialismo, caracterizado
pela deteriorização das condições de vida dos trabalhadores europeus, principalmente
dos países recém introduzidos no bloco. Destaca-se, neste contexto, a intensificação de
problemas sociais (desemprego, violência urbana dentre outros) a exemplo da
Alemanha e Espanha.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará -


Questão 8:
A discussão sobre o narcotráfico permeia os mais diversos ambientes diplomático-
administrativos e assume posição de destaque nas agendas dos Estados americanos e
no restante do mundo. Tal debate giraria, em torno, principalmente, das políticas de
segurança nacional, uma vez que o mesmo congregaria e patrocinaria a criminalidade
“organizada” em diferentes nações do espaço mundial. Sobre o exposto, é correto
afirmar que:
A - o crime organizado que controla o tráfico de drogas apresenta características
empresariais para se adaptar ao mercado global e não tem conseguido se ligar a
atividades legais, o que dificulta a lavagem do dinheiro oriundo desta atividade ilícita.
B - o narcotráfico vem se apresentando nos países mais pobres como alternativa de
trabalho e geração de renda, principalmente nas regiões periféricas dos grandes centros
urbanos, ocupando, na maioria das vezes, o vácuo deixado pelo Estado e promovendo a
cultura da paz, bem como a valorização da vida.
C - o crescimento da demanda por cocaína nos Estados Unidos e Europa, nas últimas
décadas do século XX, minimizou o tráfico de drogas nos países andinos, transformando
tal atividade de proporções ambiciosas em um negócio de magnitudes modestas.
D - hoje as rotas do narcotráfico alcançam o mundo inteiro e não diferenciam países
produtores de países consumidores. Este mercado global atinge lucros que podem ser
comparados a determinados setores da indústria, o que afere um imenso poder ao
tráfico de drogas.
E - a guerra promovida pelos Estados Unidos na América Latina contra o narcotráfico,
em particular contra a produção de coca na Bolívia, Peru e Colômbia está diretamente
relacionada a sua preocupação com a garantia da soberania e autonomia destes
estados-nação no continente.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará -


Questão 9:
A globalização da economia capitalista fragmentou o espaço econômico mundial. Essa
característica geográfica expressa-se no final do século XX, com a formação de blocos
econômicos de configurações regionais. Sobre os blocos regionais, é correto afirmar:
A - A criação de mercados comuns entre grupos de nações é um fenômeno antigo no
capitalismo. Na expansão comercial europeia do século XVI, as Companhias de
Navegação constituíram verdadeiros mercados comuns, que regularam a circulação de
pessoas, de bens e serviços entre os países centrais e suas colônias.
B - Na década de 1950, originou-se o Mercado Comum Europeu (MCE), que em 1993 se
configurou como União Europeia. Desde 2004, a União Europeia engloba mais de 25
países da Europa com perspectiva de ampliação, se os países candidatos preencherem
os requisitos necessários: uma economia de mercado consolidada, controle sobre o
déficit público e liberdade democrática.
C - Antes da criação da APEC (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico), cogitava-se
a formação de um bloco asiático comandado pela China. Porém, o resultado da criação
colocou três países em evidência: Coreia, Japão e China. A expansão do comércio pelo
oceano Pacífico foi determinada pelos conflitos asiáticos, pela dinâmica da economia
coreana, pelo arranque industrial e comercial dos países do Sudeste e Leste Asiático, e,
além disso, pela crise econômica, na parte ocidental dos Estados Unidos.
D - A CEI (Comunidade de Estados Independentes) é constituída pelos países originários
da ex-União Soviética, com exceção das três nações bálticas. São doze os países que
compõem esse bloco, entre os quais a Rússia, a Ucrânia, a Armênia e a Geórgia, que
buscam reconstruir suas economias, moeda e organização política para criar um estado
federado igual à União Europeia.
E - O Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi formado pelo Brasil, Argentina, Uruguai e
Paraguai. Ele tem por base o estado federado da União Europeia. Países como Bolívia,
Chile, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela também participam como membros
associados. Existem acordos especiais de integração política entre o Mercosul e a
Comunidade Andina e entre o Mercosul e o México, com vistas a criar um parlamento
latino-americano.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará -


Questão 10:
Os organismos internacionais de financiamento atuam ultrapassando as fronteiras do
território do Estado sobre as organizações internacionais financeiras, é correto afirmar:
A - O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial são os principais
organismos financeiros internacionais criados pelo Plano Marshall. O papel dessas
organizações é diminuir as diferenças industriais e tecnológicas entre países ricos e
países pobres para que o desenvolvimento econômico global possa beneficiar a todos.
B - Desde sua criação, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial
desenvolvem tarefas complementares. Enquanto o FMI se encarrega de fiscalizar as
contas públicas e privadas dos países que a ele recorrem, o Banco Mundial é
responsável pelo financiamento de projetos de desenvolvimento das corporações
multinacionais e do empresariado que a ele recorre.
C - O Fundo Monetário Internacional (FMI) ocupa-se das condições internas de
sustentabilidade econômica, social e ambiental dos países que a ele recorrem,
financiando projetos de recuperação de áreas degradadas, realocando os atingidos por
barragens e apoiando a reconstrução das sociedades destruídas por catástrofes
naturais, como o Tsunami de dezembro de 2004.
D - Os recursos financeiros do Fundo Monetário Internacional (FMI) provêm das
contribuições dos Estados-membros. O montante da participação define o peso de cada
país nas decisões. Isso significa que o grupo de países mais ricos do mundo tem o
controle absoluto do Fundo e de seus recursos e os aloca somente aos países que lhes
interessam.
E - O Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e o Banco
Interamericano de Desenvolvimento (BID) são instituições que articulam ações
nacionais nos diferentes países para que estes adotem políticas de fortalecimento do
Estado-Nação e uma economia nacional-desenvolvimentista.

(UFGD/MS) Universidade Federal da Grande Dourados -


Questão 11:
Leia o texto a seguir e responda à questão.
Para a analista, a ascensão dos BRICs é inevitável, mas imprevisível. Não se sabe se o
bloco formado por Brasil, Rússia, Índia e China, conhecido pela sigla BRIC, é uma
associação coesa ou um grupo informal, mas é certo que este bloco aponta para uma
mudança na estrutura de poder mundial que deverá ocorrer nas próximas décadas.
"Ainda não sabemos ao certo [a verdadeira natureza dos Brics], é imprevisível. Mas o
que temos é a ascensão de um grupo de atores que agirá conjuntamente em diferentes
ocasiões, como já fizeram em Londres [na reunião do G20]. Este grupo indica uma
transferência de poder e de dinheiro dos velhos países desenvolvidos para as novas
nações emergentes", afirma Roett.
Disponível em: Folha On Line. Acesso: 16/06/2009. (com adaptações)
Considerando as informações contidas no texto e a estruturação de uma nova ordem
econômica e política mundial, pode-se afirmar que
A - o novo bloco denominado BRIC constituiu-se nos mesmos moldes e com os mesmos
objetivos dos demais blocos econômicos já existentes, tais como: Nafta, União
Europeia, Mercosul e ALCA.
B - os países desenvolvidos ainda dominam o poder político e econômico mundial; no
entanto, atualmente já existem nações emergentes despontando neste cenário e que
podem mudar a estrutura do poder mundial futuramente.
C - o poder político e econômico mundial na atualidade está totalmente centralizado nos
países desenvolvidos o que impossibilita a ascensão política e econômica dos países
periféricos, principalmente da América Latina e África.
D - o bloco denominado BRIC destaca-se pelo fato de constituir-se por países que
conseguiram resolver seus problemas econômicos e sociais tornando-se países ricos e
centrais.
E - o conjunto de países que constitui o BRIC caracteriza-se por altos índices de
desenvolvimento humano e equilibrada distribuição de renda, daí sua emergência no
cenário político mundial.

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia -


Questão 12:
A América Latina vive atualmente uma nova tendência nas políticas socioeconômicas,
reflexo direto da existência de um quadro político dominado por governos progressistas.
Sobre esse assunto, assinale a afirmativa INCORRETA.
A - Na criação da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA), destacam-se as
atuações do México e da Colômbia, países líderes regionais nos processos de integração
e principais entusiastas na aplicação de políticas econômicas independentes.
B - Dentre as políticas adotadas, pode-se destacar maior participação dos processos de
integração regional, intensificação do comércio regional, diversificação de seus
mercados externos e desenvolvimento significativo de seus mercados internos.
C - O Brasil tem um papel central na integração regional, pois é o país mais rico e
influente da região, ganhando maior estabilidade econômica ao intensificar as parcerias
comerciais com seus vizinhos do Sul.
D - A criação da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) forma uma zona de livre
comércio continental que pretende unir as duas organizações de livre comércio sul-
americanas, Mercosul e Comunidade Andina de Nações, além do Chile, Guiana e
Suriname, nos moldes da União Europeia.
E - A Alternativa Bolivariana para as Américas (ALBA) forma um bloco comercial na
América Latina, criando um novo sistema monetário, Sistema Unificado de
Compensação de Pagamentos Recíprocos, Sucre – uma moeda virtual que será utilizada
em trocas comerciais entre membros da Alba e substituirá o dólar.

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia -


Questão 13:
Sobre a Organização das Nações Unidas (ONU) e seu símbolo, analise as afirmativas.
I - Surgiu no fim da Segunda Guerra Mundial e sua sede fica em Nova Iorque.
II - Tem por objetivo preservar a paz e a segurança mundial.
III - Possui várias agências que atuam em vários setores como o PNUD, a FAO entre
outros.
IV - O símbolo da ONU é uma projeção conforme que distorce a forma, mas mantém o
tamanho real dos países.
Estão corretas as afirmativas
A - I, II, III e IV.
B - I e IV, apenas.
C - I, II e III, apenas.
D - II, III e IV, apenas.
E - III e IV, apenas.

(UEMA) - Universidade Estadual do Maranhão -


Questão 14:
Observe a charge.

De acordo com o observado, assinale a alternativa que contenha, respectivamente, a


abrangência e o principal fator gerador da crise econômica atual.
A - Regional, provocada pelo fordismo.
B - Global, ocasionada pela internacionalização do capitalismo financeiro.
C - Local, provocada pela dinamização da economia urbana.
D - Global , provocada pela falta de matérias primas e mão de obra especializada.
E - Global, provocada pela crise do petróleo.

(UFG/GO) - Universidade Federal de Goiás -


Questão 15:
A geopolítica no continente americano sofreu mudanças consideráveis na década atual,
modificando projetos institucionais que visavam maior influência econômica dos Estados
Unidos. Como contraponto a essas iniciativas, o governo da Venezuela propôs a criação
de um novo bloco.
Esse bloco, que conta atualmente com a adesão de vários países, é
A - o Mercosul, que visa estreitar as relações com os países do Cone Sul.
B - o Nafta, que busca aproximar os países da América do Norte e Central.
C - o Pacto Andino, que surge do chamado Acordo de Cartagena, com objetivo de
integração econômica.
D - a Unasul, que objetiva criar mecanismos de proteção aos países da América do Sul.
E - a Alba, que propõe a unificação política e econômica entre os países da América do
Sul e da América Central.

(UESC/BA) - Universidade Estadual de Santa Cruz -


Questão 16:

Disponível em:. Acesso em: 1 nov. 2009.


A análise do mapa e os conhecimentos sobre a OMC, organização internacional que
dispõe, atualmente, de mais de 150 países membros, envolvidos com as questões de
comércio internacional, permitem afirmar:
A - O principal objetivo da organização é normatizar e ampliar o comércio internacional.
B - A organização tem sua sede localizada na Itália, em Roma, e foi criada para
substituir o Pacto de Varsóvia, após a Segunda Guerra Mundial.
C - A OMC agrega todos os países da África, da Europa e da América, com exceção do
Caribe.
D - A atuação da Instituição é pautada em acordos bilaterais entre os blocos regionais,
o que favorece o protecionismo e aumenta as restrições.
E - A OMC realiza conferências mundiais a cada cinco anos e conseguiu eliminar o
protecionismo no comércio internacional.

(UNCISAL/AL) - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas -


Questão 17:
Leia os fragmentos de texto.
[...é o maior bloco econômico do mundo...]
[...já ultrapassou o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos...]
[...o bloco registra...livre circulação de pessoas e mercadorias, moeda única...]
(Atualidades Vestibular, 2008. Adaptado)
O bloco econômico caracterizado denomina-se
A - Nafta.
B - Mercosul.
C - União Europeia.
D - Alca.
E - Tigres Asiáticos.

(UNEAL/AL) - Universidade Estadual de Alagoas -


Questão 18:
O núcleo geoeconômico do mercado comum do sul – MERCOSUL, estende-se desde a
Argentina, passando pelo Uruguai e Paraguai, até a região centro-oeste brasileira. Sobre
esta organização é possível afirmar que
A - a área ocupada com agropecuária moderna restringe-se ao Uruguai e à região Sul
do Brasil.
B - São Paulo e Buenos Aires são metrópoles globais. Brasília, Montevidéu e Assunção
são metrópoles meridionais.
C - parte expressiva da energia consumida no Centro-Sul brasileiro é fornecida pela
Usina Hidrelétrica do São Francisco.
D - a produção e comercialização do MERCOSUL é mais importante para o Brasil e
Paraguai, do que para a Argentina e Uruguai.
E - as cidades de Córdoba, Rosário e Buenos Aires, na Argentina; São Paulo, Rio de
Janeiro e Belo Horizonte, no Brasil, são regiões portuárias.

(UFAL) - Universidade Federal de Alagoas -


Questão 19:
Um dos temas mais debatidos na Geografia Humana da atualidade é o da globalização.
Sobre esse tema, é incorreto afirmar o que segue.
A - Sua origem pode ser identificada no período mercantilista iniciado,
aproximadamente, no século XV.
B - A globalização das comunicações tem sua face mais destacada na rede mundial de
computadores, que permite um intenso fluxo de troca de ideias e informações.
C - A globalização das comunicações, paradoxalmente, diminuiu a universalização do
acesso a meios de comunicação, apesar da inovação tecnológica. Isso se deve à lógica
de mercado do Sistema Capitalista.
D - Os efeitos da globalização no mercado de trabalho são evidentes com a criação de
modalidades de emprego para países com mão de obra mais barata voltada à execução
de serviços que não exigem alta qualificação.
E - A globalização intensifica o ritmo das mudanças nos meios de produção, tendendo a
um aumento de tecnologias limpas e sustentáveis.

UFCG/PB) - Universidade Federal de Campina Grande -


Questão 20:
O impacto da globalização econômica e da montagem do meio técnico-científico-
informacional é visto por muitos autores como o principal fator a produzir a polêmica
“desterritorialização” do Estado e a correspondente (e ilusória) remoção de suas
fronteiras. Na verdade, mais que desaparecendo, as fronteiras político-administrativas
estão, muitas vezes, mudando de escala, especialmente no caso de
grandes blocos econômicos como a União Europeia.
(Adaptado de HAESBAERT, R.; PORTO-GONÇALVES, C. W. A nova desordem mundial.
São Paulo: Editora da UNESP, 2006, p. 57).
Sobre a formação dos blocos econômicos regionais, analise as proposições abaixo e, em
seguida, assinale a alternativa que contém só as corretas.
I) A ideia de formação de grandes blocos econômicos regionais começa após as Grandes
Guerras Mundiais, justamente em uma tentativa de retirar poder de Estados,
especialmente os de maior vocação beligerante, e garantir a paz e o crescimento em
um período de grave crise econômica.
II) A criação dos blocos econômicos regionais se constitui numa resistência organizada
de Estados-nações ao processo de globalização econômica e à implantação das políticas
neoliberais de ajuste estrutural que o acompanhou e aprofundou.
III) No caso da união Europeia, sua criação teve, também, como objetivo, fazer frente
ao crescimento do poderio norte-americano e soviético (depois japonês) no cenário
internacional, dentro das disputas intercapitalistas por hegemonia.
IV) Os blocos econômicos regionais, ao substituírem os Estados-nações como entidades
territoriais responsáveis pelo exercício da política, transformaram-se na escala
geográfica exposta às pressões das sociedades por políticas de segurança, saúde,
educação, habitação, emprego, geração de renda etc.
V) A criação dos blocos econômicos regionais visa, sobretudo, garantir o controle sobre
mercados privilegiados e tidos como parceiros “naturais” na geopolítica do comércio
mundial.
Estão corretas:
A - I, II e III.
B - I, II e IV.
C - I, III e V.
D - II, IV e V.
E - I, IV e V.

(URCA/CE) - Universidade Regional do Cariri -


Questão 21:
É consenso por parte dos cientistas socais que o processo de mundialização do
capitalismo intensificou a tendência à integração entre vários países, acarretando a
formação de blocos econômicos regionais. Acerca dessa tendência, é INCORRETO
afirmar:
A - As nações integram seus mercados, diminuindo, entre elas, as tarifas das barreiras
alfandegárias nacionais.
B - A Comunidade de Estados Independentes (CEI), criada em 1991, formada pela
Federação Russa e mais onze repúblicas que faziam parte da extinta URSS, é uma
organização voltada para a cooperação político-econômica.
C - O CAFTA é a idealização de um novo bloco econômico de livre comércio entre os
Estados Unidos e os países da América Central que prevê a eliminação das medidas
protecionistas e dos subsídios agrícolas, tendo sido criado como um passo inicial para a
implementação da ALCA.
D - Na fase da União Aduaneira, além das mercadorias produzidas no âmbito do bloco
circularem livremente de um país para outro, é estabelecida uma tarifa externa comum
(TEC), para o comércio com os países que não formam o bloco. Esta fase é
caracterizada, também, pela livre circulação de pessoas.
E - A integração europeia, cuja construção se iniciou como um projeto utópico no final
da 2ª Guerra Mundial, é a causa de muitas e importantes transformações na estrutura
política e econômica da Europa Ocidental contemporânea.

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará -


Questão 22:
BRIC é um termo utilizado para referenciar um grupo de países que, embora distintos,
possuem características comuns e tem a cada ano uma importância estratégica cada
vez maior, como se pode comprovar no excerto a seguir:
O ministro Guido Mantega (Fazenda) defendeu nesta terça-feira uma maior participação
dos países do chamado Bric no FMI (Fundo Monetário Internacional). Segundo o
ministro, a meta é passar 7% da cota de países avançados para os emergentes, para
aumentar o poder de decisão. Hoje a proporção é 40% de ações dos emergentes e 60%
de avançados.
Folha Online, em Brasília - 08/09/2009 - Mantega defende maior participação de
emergentes no FMI. http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u621009.shtml
Assinale a opção que traz informações corretas sobre países componentes do BRIC:
A - Brasil, Rússia, Iugoslávia e Canadá são os países que compõem o bloco econômico
chamado BRIC.
B - O bloco econômico formado por Brasil, Rússia, Índia e China, constitui-se de países
que possuem a mesma situação econômica e política, mas índices de desenvolvimento
diferentes.
C - Esses países têm economias estabilizadas recentemente; situação política estável;
diminuição, embora lenta, das desigualdades sociais e níveis de produção e exportação
em crescimento.
D - Segundo previsão do banco de investimentos Goldman Sachs, até o ano de 2050, as
economias dos países-membros do BRIC, juntas, ainda não superarão as economias dos
seis países mais ricos do mundo atualmente, (Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino
Unido, Franca e Itália).

(UESPI) - Universidade Estadual do Piauí -


Questão 23:
“Um persistente déficit na demanda vai pesar sobre a oferta. No momento em que a
crise acabar, até 25 milhões de pessoas talvez percam seus empregos nos 30 países
ricos que pertencem à OCDE.”
“Depois dos choques no preço do petróleo dos anos 70, vários governos europeus
tentaram diminuir o número de desempregados, deixando que os trabalhadores mais
velhos se aposentassem precocemente ou que recebessem benefícios por doença ou
invalidez para os quais não estariam estritamente qualificados. Ao diminuir a
quantidade de trabalhadores mais velhos, eles esperavam liberar empregos para os
mais jovens. Mas essa política foi um fracasso abjeto, observa a OCDE”.
“Aqueles que ficaram redundantes por causa da crise não serão os únicos a deixar seus
empregos. Todo ano, em média um terço dos trabalhadores nos 30 países da OCDE sai
do mercado e aproximadamente o mesmo número consegue novas colocações”.
(The Economist, outubro de 2009.)
Sobre a organização internacional, que aparece grifada nos textos acima, é correto
afirmar que se trata:
A - da antiga OECE (Organização Europeia de Cooperação Econômica) da Guerra Fria.
Atualmente essa organização possui como principal função coordenar políticas
econômicas entre os países mais desenvolvidos.
B - de uma das três irmãs de Bretton Woods, criada em 1994, para administrar o GATT
e diversos outros acordos de comércio de bens, serviços e outros mecanismos
econômicos vinculados ao comércio.
C - de um grupo de países desenvolvidos dedicados à promoção do desenvolvimento
dos países menos avançados. Seu trabalho mais relevante é efetuado mediante
negociação tripartite de convenções sobre normas do trabalho e de proteção ao direito
do trabalhador.
D - da coordenação e cooperação entre países exportadores agrícolas no quadro das
negociações comerciais multilaterais para combater as políticas de subvenções dos
países desenvolvidos.
E - de uma organização especializada da ONU para a realização de estudos técnicos
sobre as regiões continentais; desempenha um papel importante no processo de
industrialização e de promoção da integração.

(UERN) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte -


Questão 24:
Uma importante expansão da economia globalizada é a formação de blocos econômicos
e sobre esses blocos, é correto afirmar:
A - Os blocos econômicos, ao reduzirem barreiras alfandegárias, práticas protecionistas
e regulamentações nacionais, tornam-se mecanismos para abrir as fronteiras de cada
nação para o livre fluxo de capitais.
B - O Nafta é uma união aduaneira que permite a livre circulação de capitais, serviços e
pessoas.
C - O Mercosul recebeu recentemente a adesão do Chile, através do Acordo 4 + 1, ao
mesmo tempo em que trocou o principal parceiro, os Estados Unidos, pela China.
D - Os diversos acordos firmados entre os países membros da OMC (Organização
Mundial de Comércio) eliminaram as barreiras comerciais, mesmo entre aqueles não
participantes de blocos econômicos.

(UFRN/RN) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte -


Questão 25:
A globalização faz parte do processo de expansão do capitalismo, que atinge as diversas
esferas da sociedade, em escala planetária.
Sobre a globalização, é correto afirmar que se trata de um processo
A - o qual, embora apresente tendência à homogeneização do espaço mundial, é
seletivo e excludente.
B - o qual, embora apresente tendência à fragmentação do espaço mundial, tem
reduzido as desigualdades socioeconômicas.
C - o qual eleva a produção da riqueza e conduz à distribuição equitativa de renda entre
os países do mundo.
D - o qual reduz a competitividade entre os países e ameniza os conflitos nacionalistas.

(UPF/RS) - Universidade de Passo Fundo -


Questão 26:
Uma forte expressão da economia global do mundo atual é a organização dos países em
grupos.
Analise as afirmativas e marque V para as verdadeiras e F para as falsas.
(__) O G8 é formado pelo tradicional grupo dos sete países mais ricos do planeta, mais
a Rússia.
(__) O Grupo dos 20 (G-20) reúne os países mais industrializados e as principais
potências emergentes do mundo e busca defender e inserir os países emergentes no
cenário econômico mundial.
(__) Bric é a designação de quatro países emergentes – Brasil, Rússia, Indonésia e
Coreia do Sul – que têm sua projeção econômica baseada no crescimento da produção
agrícola.
(__) A União das Nações Sul-Americanas (formada por todos os países da América
Latina, com o objetivo principal de organizar um sistema de defesa militar para proteger
os países-membros.
A resposta correta corresponde à opção
A - V, V, F, V
B - V, F, V, F
C - F, V, V, F
D - V, V, F, F
E - F, V, V, V

(ACAFE/SC) - Associação Catarinense das Fundações Educacionais -


Questão 27:
Em um mundo economicamente globalizado o capital não encontra fronteiras físicas e,
desta forma, reina a liberdade de comércio entre os países do mundo. Para um maior
fortalecimento das posições econômicas ou para intensificar as relações comerciais
entre si, alguns países formam alianças, os blocos econômicos.
Sobre os blocos econômicos é correto afirmar, exceto:
A - As Zonas de Livre Comércio são acordos comerciais que visam a redução ou
eliminação de tarifas aduaneiras entre os países membros do bloco, como é o caso do
NAFTA.
B - O Acordo de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA) é uma associação de
expressão mundial reduzida e se caracteriza pela livre circulação de mercadorias,
pessoas, serviços e capitais.
C - Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, países integrantes do MERCOSUL, compõem
um bloco econômico que estabelece as mesmas tarifas de exportação e importação para
o comércio internacional fora do bloco.
D - O bloco econômico com maior nível de avanço e de integração econômica é a União
Europeia, pois, além de participar dos acordos do mercado comum, encontra-se na
etapa da união econômica e monetária.

(ACAFE/SC) - Associação Catarinense das Fundações Educacionais -


Questão 28:
O mundo é uma aldeia global e tudo o que nele acontece afeta todas as áreas do
planeta. O global, o nacional, o regional e o local são instâncias interdependentes.
Dentre os acontecimentos políticos e econômicos a seguir, todos estão corretos, exceto
o da alternativa:
A - A crise de Honduras, na América Central, inicia a partir da prisão e exílio do
Presidente Manuel Zelaya, em junho de 2009, o qual retorna em setembro, gerando
mais tensão a partir do momento em que se abriga na embaixada brasileira.
B - A economia do mundo atual baseia-se em relações de interdependência e a grande
turbulência vivida nos últimos meses deve-se a crise que se abateu nas diferentes
regiões e países, reduzindo as atividades comerciais e industriais, gerando desemprego
em geral.
C - O recente acordo de cooperação militar entre os Estados Unidos e a Colômbia,
ocorrido no mês de agosto deste ano, provocou reações positivas da Venezuela, do
Brasil e de outros países sul americanos, desejosos da presença norte americana, cujo
objetivo é apoiar o modo de produção socialista, já em vigor em alguns países.
D - Os programas nucleares do Irã e da Coreia do Norte são considerados polêmicos e
sofrem pressão da comunidade internacional, sobretudo do Conselho de Segurança da
Organização das Nações Unidas, por entenderem que tais programas ferem o tratado de
não proliferação de armas nucleares.

(PUC-MG) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais -


Questão 29:
Com o fim da Guerra Fria e com o avanço do processo de globalização, um conjunto de
transformações vem ocorrendo nas estruturas de poder mundial. Como reflexo desse
processo, algumas organizações internacionais criadas no pós-guerra, como a ONU, o
FMI e o BIRD, vêm perdendo importância, enquanto outras parecem adquirir maior peso
na definição das grandes questões mundiais, como o G-8, o G-20, a OMC e a OCDE.
Sobre essas novas organizações, é INCORRETA a seguinte opção.
A - O G-8 é o grupo formado pelas sete economias mais ricas do mundo desenvolvido:
Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália, Reino Unido e Canadá, acrescido da
Rússia. Teve um papel importante na discussão de medidas para o enfrentamento da
recente crise econômica mundial.
B - O G-20 é o grupo das nações mais pobres do mundo, que exibem os piores
indicadores econômicos e sociais. Tem tido um papel fundamental no debate de temas
como o endividamento externo, a concentração mundial da riqueza e a fome.
C - A OMC (Organização Mundial do Comércio), formada por cerca de 150 nações, tem
tido um papel fundamental na supervisão dos acordos comerciais, na defesa do livre-
comércio e na mediação de conflitos comerciais entre os países signatários.
D - A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), é formada
por 30 países-membros, responsáveis por mais da metade da economia mundial. Busca
promover políticas que assegurem o crescimento econômico, a melhoria da qualidade
de vida nos países-membros e a liberalização do comércio.

(FATEC-SP) - Faculdade de Tecnologia de São Paulo -


Questão 30:
No atual processo de globalização econômica, vem ocorrendo uma verdadeira divisão
econômica e geopolítica do mundo, que distingue centros de inovação tecnológica,
áreas de difusão de indústria e agroindústria avançadas, áreas em desindustrialização,
áreas com economia tradicional em decadência e áreas a serem preservadas. Sob o
comando dos grandes agentes econômicos capitalistas transnacionais, o território dos
países é utilizado intensivamente, afetando o poder dos Estados e alienando a vida das
sociedades que vivem nesses territórios.
Analise as afirmações a seguir como elementos em jogo no processo de globalização
descrito.
I. Hegemonia dos processos produtivos baseados na 3ª Revolução Industrial.
II. Macropolíticas estatais controladoras dos fluxos econômicos e protetoras da mão de
obra.
III. Divisão mundial do trabalho entre centros hegemônicos e periferias e
semiperiferias.
IV. Tendência ao aumento das áreas naturais preservadas pelo “desenvolvimento
sustentável” capitalista.
Pode-se assinalar, como verdadeiros elementos desse processo de globalização, o que
está contido nas afirmações
A - I, II, III e IV.
B - I, II e III, apenas.
C - I e III, apenas.
D - II e IV, apenas.
E - IV, apenas.

(FGV/SP) - Fundação Getúlio Vargas - São Paulo -


Questão 31:
A questão está relacionada ao texto e às afirmações.
Grandes mudanças econômicas da história ocorrem quando revoluções nas
comunicações convergem com revoluções no setor energético.
(Jeremy Rifkin, presidente da Foudation on Economic Trends)
I. Um dos pilares de sustentação da Terceira Revolução Industrial é a ampliação do uso
das formas de energia renováveis.
II. Quando se consolidar, a Terceira Revolução Industrial deverá manter e ampliar os
embates geopolíticos centrados nos combustíveis fósseis que caracterizaram o século
XX.
III. A ampliação da Terceira Revolução Industrial deverá exigir a reconfiguração da
infraestrutura econômica inclusive no setor de edificações.
Está correto, apenas, o que se afirma em
A - I.
B - I e II.
C - I e III.
D - II.
E - II e III.

(UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -


Questão 32:

Espaço, território e rede geográfica são palavras-chaves na Geografia. A rede geográfica


tem o poder de ultrapassar as fronteiras nacionais através da internet.
Analise o mapa com os usuários da internet no mundo.
A partir dessa análise, pode-se afirmar que
A - os EUA, o Reino Unido e a Índia lideram os índices de usuários da internet.
B - o Brasil e o Canadá apresentam número semelhante de internautas.
C - a África Subsaariana tem o número total de internautas superior ao da América
Latina.
D - a China, a Coreia do Sul e o Japão têm o mesmo número de internautas.
E - o número de usuários da internet da Austrália supera o do Mercosul.

(PUC-PR) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná -


Questão 33:
Em relação à dengue, NÃO é correto afirmar:
A - As pesquisas indicam que existe uma forte relação entre o fenômeno climático do
aquecimento global e a expansão da área de incidência da dengue no mundo.
B - A dengue é uma doença infecciosa típica de regiões subtropicais, não ocorrendo nas
demais regiões do planeta.
C - O mosquito Aedis aegypti é o vetor da dengue, uma doença que atinge
principalmente os países pobres.
D - Os "criadouros" de mosquitos da dengue são encontrados em particular nos bairros
de cidades de países mais pobres, que apresentam fornecimento de água e tratamento
de lixo precários.
E - A globalização e o consequente aumento na mobilidade de pessoas beneficiam a
propagação da dengue pelo mundo.
(UNICENTRO/PR) - Universidade Estadual do Centro-Oeste -
Questão 34:
Em 1991, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, criaram o Mercado Comum do Sul
(MERCOSUL). Qual é o nome do tratado que criou o Bloco e quais seus principais
objetivos? Assinale a alternativa correta.
A - Tratado de Assunção. Criar mercados supranacionais e reduzir ou eliminar
proibições, restrições e impostos de entrada ou saída de bens e serviços de um país
para o outro.
B - Protocolo de Ouro Preto. Criar mercados regionais, mas aplicar impostos mais altos
para produtos importados de nações de “fora do bloco”.
C - Tratado de Montevideo. Criar um mercado interdependente entre todos os povos e
não somente blocos, e uma economia homogênea em todas as partes do mundo.
D - Tratado de Assunção. Criar mercados regionais e blocos econômicos que se
organizam para opor-se ao processo de globalização instalado nos países capitalistas.
E - Tratado de Buenos Aires. Criar uma economia homogênea e não sustentada pelos
mercados regionais, pois estes não contribuem para o avanço da globalização.

(UEL/PR) - Universidade Estadual de Londrina -


Questão 35:
Analise o mapa a seguir:

Com base no mapa e nos conhecimentos sobre regionalização mundial, analise as


afirmativas a seguir:
I. A distribuição das rotas conhecidas de lixo eletrônico indica que América do Sul e
África são os destinos preferenciais do lixo eletrônico gerado pela Tríade.
II. A velocidade do consumo e do descarte de aparelhos eletrônicos tornam o acúmulo
desse tipo de resíduo duplamente grave nos países do Terceiro Mundo.
III. A distribuição das fontes e destinos do lixo eletrônico reforça o caráter desigual das
relações políticas e econômicas entre a Tríade e os países do Sul.
IV. A localização dos destinos conhecidos do lixo eletrônico indica o risco de que grande
parte da humanidade sofra os efeitos nocivos desses resíduos.
Assinale a alternativa correta.
A - Somente as afirmativas I e II são corretas.
B - Somente as afirmativas I e III são corretas.
C - Somente as afirmativas III e IV são corretas.
D - Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
E - Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

(EMESCAM/ES) - Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória -


Questão 36:
Já se tornou rotina a leitura de notícias sobre a travessia, em barcos toscos e frágeis de
africanos que tentam vencer o Mediterrâneo e chegar às terras europeias. Os que
sobrevivem, em geral, são presos e obrigados a fazer o caminho de volta. A Europa não
quer mais imigrantes.
Sobre o conteúdo do texto, é correto afirmar que:
A - A globalização neoliberal promove a livre circulação de capitais e mercadorias, mas
fecha as fronteiras para a força de trabalho.
B - As propostas de civilização europeias destinadas aos imigrantes, em vigor durante o
Século XX, estão sendo abolidas em frente às crises econômicas.
C - O ciclo migratório africano e mundial está em fase de esgotamento, pois a
automação crescente das atividades econômicas não prevê mão de obra pouco
qualificada.
D - Os acordos econômicos e diplomáticos entre os países de emigração e os de
imigração têm sido postos em prática para diminuir a movimentação, principalmente de
homens jovens.
E - Os países europeus, em processos de transição demográfica e em plena fase de 3ª
Revolução Industrial, já não admitem a entrada de imigrantes em seus territórios.

(UEPA) - Universidade do Estado do Pará -


Questão 37:
A diversidade regional no mundo
O mundo é regionalmente diverso, cada região do espaço geográfico mundial apresenta
diferentes nuances naturais e socioeconômicas. Cada território, dentro dos limites de
suas fronteiras, apresenta características geográficas próprias, mesmo considerando-se
o avanço da globalização e uma Nova Ordem Mundial que ora se consolida. [...]
Anteriormente, a ordem mundial, era tida como dicotômica ou dualista, ou seja,
predominava a oposição entre o bem e o mal, entre o capitalismo e o socialismo.
Atualmente, a nova ordem é pluralista, ou seja, possui várias frentes de oposição, como
RICOS/POBRES; CRISTÃOS/MULÇULMANOS (ISLÂMICOS); INTERESSES
MERCANTIS/CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA, etc. Nos dias atuais, novos processos de
reconfiguração espaço-territoriais ocorrem no mundo, a maioria deles resultantes de
conflitos étnicos-culturais, antes latentes e que agora se exarcebaram, neste período
pós-Guerra Fria. [...] Neste início de século, essa Nova Ordem se impõe, não mais
exprimindo as velhas relações homem natureza, porém fortalecendo um conteúdo de
um novo mundo globalizado, que traz consigo novas formas de organização das
sociedades contemporâneas. [...] É um mundo ao mesmo tempo plural e singular,
exigindo um novo olhar geográfico nas diferenças e semelhanças das diversas regiões
do espaço mundial.
(Adaptado de Da região à rede e ao lugar: a nova realidade e um novo olhar geográfico
sobre o mundo. MOREIRA Rui. Revista eletrônica de Ciências humanas e sociais.
Acessado em 22/09/2208)
O texto aborda que [...] Anteriormente a ordem mundial era tida como dicotômica ou
dualista [...]. Atualmente, a nova ordem é pluralista [...]. Sobre essa mudança de
ordem é correto afirmar que:
A - a ordem multipolar do início do século XX, e a atual apresentam as mesmas
características: o enfraquecimento do estado-nação e um fortalecimento de outros
agentes internacionais, como a ONU e empresas multinacionais.
B - dentre outros fatos que contribuíram para a mudança da ordem bipolar para
multipolar, destaca-se o esgotamento do modelo soviético e a ascensão do Japão e da
Europa Ocidental, que passaram a disputar a supremacia internacional com os Estados
Unidos.
C - o mundo multipolar foi marcado pela eterna disputa entre capitalismo e socialismo,
tendo os Estados Unidos e a União Soviética de cada um dos lados.
D - antes da Segunda Guerra Mundial, o mundo era dividido em socialistas e
capitalistas. Foi a época da bipolaridade, nessa ordem as potências hegemônicas eram
Estados Unidos e União Soviética.
E - a partir do final da Segunda Guerra Mundial, mudanças geopolíticas profundas
ocorreram, nessa época uma nova ordem é imposta e o mundo passou a ser multipolar.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará -


Questão 38:
Sobre o processo de regionalização do espaço mundial representado pelos blocos
econômicos e a especificidade da União Europeia nesse contexto, é INCORRETO afirmar:
A - O Mercado Comum Europeu, atualmente União Europeia, surgiu em 1957 como uma
estratégia de unir esforços de países historicamente rivais como França, Alemanha e
Grã-Bretanha, a fim de superar a decadência socioeconômica do pós-guerra e criar uma
entidade supranacional capaz de competir com outros grandes blocos econômicos.
B - A União Europeia é o bloco mais antigo e o que atingiu o mais avançado grau de
integração, sendo o único que estabeleceu uma integração econômica, social e política,
por meio da livre circulação de mercadorias, capitais, serviços e pessoas, além da
harmonização de legislações ambientais e trabalhistas.
C - O fim da Guerra Fria eliminou a antiga cortina de ferro com a derrubada dos
regimes socialistas, o que possibilitou o avanço da economia de mercado e a adesão de
países do leste europeu à União Europeia, como a Polônia, a Hungria e a República
Tcheca, desfazendo-se, assim, a antiga regionalização que compartimentava a Europa
em blocos ocidental e oriental.
D - A expansão da União Europeia foi acompanhada de políticas regionais voltadas à
redução do atraso econômico de algumas regiões estagnadas do velho continente.
Ainda assim, é possível identificar um considerável desnível entre as nações localizadas
ao norte do continente (Suécia, Dinamarca, Holanda, França) e aquelas localizadas ao
sul do continente (Portugal, Espanha e Grécia).
E - O renascimento de antigas rivalidades étnicas, sobretudo nos países do leste
europeu, tal como ocorre no território da ex-Iugoslávia (Kosovo) e da ex-URSS
(Chechênia), aumenta a instabilidade política e dificulta a adesão de algumas nações,
como a Sérvia e a Rússia, como membros da União Europeia.

(UFPA) - Universidade Federal do Pará -


Questão 39:
Sobre os blocos econômicos do continente americano, considere as afirmativas abaixo:
I. O NAFTA, acordo norte-americano de livre comércio, surgiu a partir de acordos
bilaterais entre EUA e Canadá. Atualmente está inserido no contexto mundial como um
dos principais megablocos, com destaque para o PIB, para o mercado consumidor e
para o elevado grau de industrialização dos principais países membros.
II. A inserção do México no NAFTA está relacionada com a proximidade geográfica, com
os baixos custos de produção do território mexicano que facilitaram a desconcentração
industrial dos EUA para o país vizinho; além disso, essa inserção harmoniza a legislação
migratória com o objetivo de potencializar o fluxo de latinos para os Estados Unidos.
III. A formação do MERCOSUL é uma estratégia de unir esforços dos principais países
sul-americanos, Brasil e Argentina, com o intuito de fortalecer seus mercados, suas
corporações e, assim, garantir uma inserção mais competitiva desses países periféricos
na economia global, além de diminuir a dependência histórica em relação aos Estados
Unidos.
IV. A expansão do MERCOSUL esbarra nos desníveis de desenvolvimento entre os
países membros e nas frequentes crises econômicas que provocam a adoção de
medidas protecionistas pelos governos nacionais, o que potencializa a competição e
enfraquece a cooperação entre os países membros.
V. A Proposta de criação da ALCA esbarra nas divergências entre os principais países do
continente, pois enquanto os EUA querem a abertura imediata dos mercados em todos
os segmentos, o Brasil defende uma redução gradual das barreiras alfandegárias, a
princípio no comércio de bens manufaturados.
Estão corretas as afirmativas:
A - I e II
B - I, II e III
C - II, III, IV e V
D - I, III e IV
E - III, IV e V

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia -


Questão 40:
A fábrica global representa uma nova distribuição espacial das indústrias baseada em
características que atendem a lógica do lucro. Assinale a alternativa que NÃO apresenta
uma dessas características.
A - Adoção do modelo Just-in-time desde a entrada das matérias-primas até a saída do
produto em que a produção ocorre em série e em massa.
B - Informatização em grande escala, relacionada ao armazenamento e transmissão de
informações, e busca constante de novas fontes de energia.
C - Produção de bens e serviços segmentada em redes mundiais, com base em meios
técnico-informacionais.
D - Integração entre a pesquisa e a tecnologia, aumentando as áreas de atuação de
moderna biotecnologia e microeletrônica.
E - Terceirização para diminuir custos, abrindo mão do controle de certas fases do
processo produtivo.

(UNIR/RO) - Fundação Universidade Federal de Rondônia -


Questão 41:
Sobre globalização e pobreza, assinale a afirmativa INCORRETA.
A - Para garantir o mínimo de condições de sobrevivência aos indivíduos, os países ricos
difundiram os princípios do estado de bem-estar social.
B - A ampliação da exclusão social pode estar vinculada aos princípios neoliberais que
foram incorporados em várias partes do mundo.
C - O processo de globalização econômica e financeira ampliou a diferença entre ricos e
pobres, além de provocar empobrecimento da população, mesmo em países
desenvolvidos.
D - IDH, PIB, PNB, renda per capita, mortalidade infantil, expectativa de vida,
escolaridade são índices utilizados para a classificação dos países em ricos e pobres,
desenvolvidos e subdesenvolvidos.
E - A desconcentração espacial da riqueza na economia internacional tem aumentado a
equidade social entre os países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

(UEA/AM) Universidade do Estado do Amazonas -


Questão 42:
Vários analistas do cenário internacional apontam que esse conjunto de países
aumentou sua influência mundial após a crise econômica de 2008. Assinale a alternativa
que o identifica corretamente.
A - Grupo dos 20, liderado pelos Estados Unidos da América.
B - Mercosul, formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.
C - NAFTA, formado pelo Canadá, Estados Unidos da América e México.
D - BRIC, formado por Brasil, Rússia, Índia e China.
E - Grupo dos 8, liderado pela França.

(IFG/GO) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás -


Questão 43:
A nova ordem mundial é multipolar, em substituição à bipolar, quando os Estados
Unidos e a União Soviética dividiam o comando do mundo. De acordo com os
conhecimentos sobre a nova ordem, assinale a afirmativa correta.
A - O Nafta é um bloco econômico que reúne países do continente norte-americano e
substituiu a OEA.
B - As organizações financeiras internacionais, como o FMI, o Bird e o Gatt, perderam
importância na nova conjuntura multipolar.
C - O Mercosul, bloco formado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, eliminou as
barreiras alfandegárias entres os países-membros e criou uma moeda única, que
entrará em vigor a partir de 2010.
D - Os blocos de maior poderio econômico, tecnológico e político-diplomático são o
americano, o europeu e o asiático.
E - Os dois maiores blocos, em número de países, são o Nafta e Mercosul.

(UNEMAT/MT) - Universidade do Estado de Mato Grosso -


Questão 44:
Até o ano de 1989, o mundo vivia no clima da Guerra Fria, caracterizado por uma
ordem mundial bipolar ou um sistema de polaridades definidas. A partir de então,
ocorreram vários acontecimentos, transformando esse sistema de polaridades definidas
num sistema de polaridades indefinidas de multipolarição econômica do mundo. Esses
acontecimentos beneficiaram o capitalismo, que se mundializou, globalizou-se e
universalizou-se, invadindo espaços geográficos que, até então, encontravam-se sob
regimes de economias centralmente planificadas (experiências socialistas).
Assinale (V) para as afirmativas verdadeiras e (F) para as falsas.
( ) A segunda Guerra Mundial.
( ) A queda do muro de Berlin.
( ) O fortalecimento do capitalismo em sua forma atual, ou seja, o neoliberalismo.
( ) O grande desenvolvimento científico e tecnológico ou Terceira Revolução Industrial
ou Tecnológica.
( ) A expansão marítimo-comercial europeia nos séculos XV e XVI.
( ) A segunda Revolução Industrial nos Estados Unidas da América.
Assinale a sequência correta.
A - Todas são verdadeiras.
B - V – F – F – F – V – V.
C - F – V – F – V – F – V.
D - F – V – V – V – F – F.
E - Todas são falsas.

(UNEMAT/MT) - Universidade do Estado de Mato Grosso -


Questão 45:
O final do século XX revelou novas tendências, dentre as quais a globalização e o
processo de formação dos blocos econômicos. Sobre o processo de globalização, é
correto afirmar.
A - O Brasil, por pertencer ao Mercosul, tem tido problemas nas relações comerciais
com os países platinos.
B - Os EUA, em seu desejo de se fazerem aceitar no NAFTA, tem menosprezado sua
participação na Organização do Tratado do Atlântico Norte.
C - A globalização, na medida em que obriga os países a se abrirem dentro do seu
bloco, força-os a procurar a modernização como forma de sobrevivência.
D - A busca pela sua entrada na “cultura da globalização” fez com que o Brasil
redobrasse os esforços para aumentar o déficit comercial.
E - A formação de grandes blocos econômicos, como o NAFTA, Mercosul, Comunidade
Europeia e outros, tem inibido os movimentos nacionalistas separatistas no mundo.

(UFMT) - Universidade Federal de Mato Grosso -


Questão 46:
Sobre a União Europeia, analise as afirmativas.
I – Surgiu com o apoio dos Estados Unidos em razão da perda de poder e influência
desta nação após a desintegração da União Soviética.
II – Surgiu em 1991, como resultado da assinatura do Tratado de Maastrich, definindo a
estratégia de países europeus diante do final da Guerra Fria.
III – Objetivou, inclusive, a criação de uma moeda única no espaço comunitário.
IV – Estabeleceu metas de política externa e segurança comuns, conferindo-lhe
personalidade junto ao sistema diplomático internacional.
Estão corretas as afirmativas
A - II, III e IV, apenas.
B - I, II, III e IV.
C - II e III, apenas.
D - I e IV, apenas.
E - I, III e IV, apenas.

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul -


Questão 47:
A reorganização política mundial, acelerada após o final da Guerra Fria pôs fim à divisão
política entre os blocos soviético e norte-americano. Uma nova ordem econômica
estrutura-se em torno de outros centros de poder: os Estados Unidos, a Europa e o
Japão. Em torno desses centros, são organizados os principais blocos econômicos
supranacionais, que facilitam a circulação de mercadorias e de capitais. Sobre esses
blocos é correto afirmar que:
A - a formação dos blocos econômicos supranacionais é uma clara evidência do fim do
Estado-Nação promovido pela globalização.
B - mesmo sendo blocos voltados para o estímulo das atividades econômicas e a
acumulação de capital, também existem interesses políticos envolvidos.
C - os principais blocos econômicos são: Nafta, União Europeia, Mercosul e ALCA que
congrega o maior número de países membros.
D - os blocos econômicos promoverão maior aproximação entre os países, na medida
em que a mobilidade é irrestrita no interior destes.
E - dentre as vantagens da formação de blocos econômicos, destaca-se o acesso livre,
irrestrito e sem tensões de imigrantes para os países membros, como ocorre na União
Europeia.

(UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul -


Questão 48:
“(...) apesar de toda a pretensa homogeneização promovida pelos processos de
globalização, notadamente pela difusão da economia de mercado em esferas inéditas da
sociedade e do espaço mundial, e apesar de toda a complexidade promovida pela
circulação de pessoas, mercadorias e informações, tanto do centro para a periferia
quanto da periferia para o centro, ainda é possível delimitar com clareza enormes
espaços relativamente à margem das benesses da globalização e outros extremamente
privilegiados.
(...)”
(Haesbaert, Rogério e Porto-Gonçalves, Carlos W. A nova des-ordem mundial. São
Paulo: Ed. da UNESP, 2006, p. 49).
Em relação ao assunto abordado no texto, é correto afirmar que:
A - a globalização é um processo que ao difundir a economia de mercado em todo o
globo, também promove maior igualdade entre os países.
B - a maior circulação de pessoas, mercadorias e informações promovida pela
globalização resultou no fim das fronteiras entre os Estados-Nações.
C - os enormes espaços relativamente à margem das benesses da globalização citados
no texto localizam-se principalmente na América Latina, África e Ásia.
D - a globalização promove a homogeneização do espaço mundial, na medida em que
mundializa a produção, a circulação e o consumo, além da informação e cultura.
E - com a globalização, países da América Latina, África e Ásia puderam atingir os
mesmos níveis de desenvolvimento socioeconômico que os países da Europa e América
do Norte.

(UFGD/MS) Universidade Federal da Grande Dourados -


Questão 49: Leia o fragmento de texto a seguir.

Sobre o assunto abordado no texto, assinale a alternativa correta.


A - O reforço e o fechamento das fronteiras entre os Estados-Nação são uma das
principais consequências do processo de globalização.
B - A mobilidade de capital, de mercadorias e de informações promovida pela
globalização trouxe consequências positivas quanto à distribuição de renda e a
igualdade social entre os países do mundo.
C - Mesmo com a crescente mobilidade de produção, de informação e de cultura, o
processo de globalização não promoveu a igualdade entre os países, daí as restrições ao
deslocamento das populações dos países mais pobres em direção aos países ricos.
D - Com o fim das fronteiras entre os Estados-Nação, ocorre atualmente, em escala
mundial, um movimento migratório sem restrições, transformando o mundo numa
grande aldeia global.
E - A maior circulação de pessoas, mercadorias e informações, ocorridas com o
processo de globalização, possibilitou a diminuição das diferenças entre os países, não
havendo hoje países ou áreas marginais excluídas desse processo.

(UFMS) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul -


Questão 50:
Sobre o Grupo dos 20 ou G-20, assinale a alternativa correta.
A - É um grupo coeso em suas políticas econômicas internas, em que cada membro
contribui financeiramente para um Fundo Monetário Internacional para salvaguardar os
interesses das empresas multinacionais. Os países membros praticam uma ajuda
humanitária aos países pobres vitimados por guerras civis, violências étnicas e
catástrofes naturais, através de recursos do Fundo Monetário e de instituições
financeiras privadas.
B - É uma aliança militar das nações capitalistas ocidentais mais desenvolvidas,
formada para combater os países que constituem o “eixo do mal” e que disseminam o
terrorismo internacional, que ameaçam a hegemonia das empresas capitalistas, a
estabilidade política internacional e a soberania sobre as reservas energéticas mundiais.
C - É um fórum de discussões políticas e econômicas dos países que controlam a
macroeconomia global, formado para combater a crise financeira mundial ocorrida no
final de 2008. O G-20 forma um bloco político-econômico constituído por países com as
mesmas características socioeconômicas, objetivando ampliar o ciclo de reprodução do
capital em escala regional.
D - É um grupo de países, criado no final da década de 1990, com o objetivo de superar
as sucessivas crises financeiras geradas pela economia global. Visa a favorecer a
concertação internacional, integrando o princípio de um diálogo ampliado, levando em
conta o peso econômico crescente dos países membros. O grupo reúne as 19 maiores
economias do mundo mais a União Europeia, que juntas compreendem 85% do produto
nacional bruto mundial, 80% do comércio mundial e dois terços da população mundial.
E - É uma organização pertencente à Organização das Nações Unidas (ONU) com o
objetivo de discutir e desenvolver políticas de promoção do crescimento sustentado da
economia global. Entre os acordos estabelecidos pela organização estão: a eliminação
de restrições no movimento de capital internacional; a desregulação das economias
nacionais; a criação de um clima de negócios favorável ao investimento estrangeiro
direto e a promoção da estabilidade financeira internacional.

(ACAFE/SC) - Associação Catarinense das Fundações Educacionais -


Questão 51:
“Correspondendo a mais recente fase da expansão capitalista, o processo de
globalização está para o atual período técnico-científico ou informacional do capitalismo
como o colonialismo esteve para a fase do capitalismo comercial (do século XVI ao
XVIII), ou do imperialismo para o capitalismo industrial (do século XIX até a metade do
XX)”.
Fonte: MOREIRA, João C.; SENE, Eustáquio de. Geografia para o ensino médio:
geografia geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2002, p. 345.
Sobre tema da globalização é correto afirmar, exceto:
A - A mundialização do American way of life (modo de vida nos Estados Unidos) e a
homogeneização cultural foram dois aspectos da globalização impostos, mas aceitos
incondicionalmente por todos os povos do planeta.
B - Os fluxos de capitais, bem como os fluxos de mercadorias são importantes nesse
momento da globalização econômica, pois eles se materializam de diferentes maneiras
no território de países espalhados pelo mundo.
C - Os grandes agentes da globalização da produção são as corporações multinacionais,
cuja maioria está sediada nos países do G7, embora já existam algumas dessas
empresas sediadas em países fora desse grupo.
D - Embora não seja recente, a tendência de regionalização do mundo em blocos
econômicos ganhou espaço com a emergência da economia globalizada, cada vez mais
competitiva, o que resulta na expansão de mercados e dos lucros das empresas.

(UDESC) - Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina -


Questão 52:
A União Europeia é formada por 27 países que foram aderindo aos poucos aos países
fundadores: Alemanha, Bélgica, França, Itália, Luxemburgo e Holanda. Essa
organização tem por objetivo propiciar a cooperação econômica e política dos seus
membros.
Analise as afirmativas que apresentam os objetivos da União Europeia.
I. Integrar as políticas relativas ao sistema judiciário, aos impostos sobre importação e
exportação e às leis de asilo político.
II. Melhorar as condições de vida e de trabalho dos cidadãos europeus.
III. Aperfeiçoar as condições de livre comércio entre os países membros.
IV. Reduzir as desigualdades sociais e econômicas entre as regiões.
V. Fomentar o desenvolvimento econômico dos países em fase de crescimento.
VI. Proporcionar um ambiente de paz, harmonia e equilíbrio na Europa.
Assinale a alternativa correta.
A - Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras.
B - Somente as afirmativas I, III e VI são verdadeiras.
C - Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
D - Somente a afirmativa VI é verdadeira.
E - Todas as afirmativas são verdadeiras.

(CEFET/SC) Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina -


Questão 53:
Leia o texto a seguir para responder a questão.
Tecnologia e marginalização social
A vida moderna, mais do que nunca, se transforma num ritmo acelerado, devido ao
incessante passo dos avanços tecnológicos. [...] Por exemplo, a miniaturização
crescente dos computadores, que hoje têm processadores com milhões de componentes
eletrônicos, chegará forçosamente a um limite, em que o seu tamanho será comparável
ao dos átomos. Quando isso ocorrer, o progresso em computação terá de usar um novo
tipo de máquina, baseada em processadores que serão compostos por moléculas, os
chamados computadores quânticos. Fica difícil acompanhar essas novas tecnologias e a
ciência por trás delas. E essa dificuldade tem sérias consequências sociais. [...] É
praticamente impossível, sem o devido poder aquisitivo, se manter em dia com todos os
tecnobrinquedos que existem no mercado. São DVDs, HDTVs (televisores de alta
definição), palm pilots (computadores de bolso), telefones celulares com acesso à
Internet, câmaras digitais e por aí a fora. Se eu repetir essa lista em cinco anos, ela
certamente terá aparelhos que ainda nem imaginamos. [...] O alto custo e a constante
renovação das tecnologias promove a existência de uma ‘subclasse’ tecnológica, os
deixados às margens do turbilhão digital. E, como o motor fundamental da sociedade
moderna são a geração e a troca de informação, esses novos marginalizados digitais
sofrem uma grande desvantagem no mercado de trabalho. Essa estratificação social é
ainda maior em países onde a distribuição de renda é muito polarizada, como é o caso
brasileiro.
(GLEISER, Marcelo. Folha de São Paulo, 11 de agosto de 2002. Caderno Mais.
adaptado.)
Com relação ao debate sobre tecnologia e globalização, responda qual das afirmativas
está CORRETA.
A - O desemprego estrutural ocorre exclusivamente devido ao avanço tecnológico.
B - A tecnologia de ponta está presente da mesma forma em todos os países do mundo,
de modo que as desigualdades sociais estão desaparecendo.
C - Novos marginalizados digitais sofrem uma grande desvantagem no mercado de
trabalho.
D - A criação de tecnologias digitais se concentra nos países periféricos pelo baixo custo
da mão de obra.
E - Somente a informática na escola poderá gerar a retomada de postos de trabalho
desativados.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -


Questão 54: Considere a seguinte tabela:

O processo de globalização atrelado ao mercado tem produzido efeitos muito favoráveis


ao desenvolvimento de países e blocos econômicos, preferencialmente para aqueles que
já detinham um mínimo de condições para sair da linha da pobreza. Sobre o tema, com
o auxílio da tabela acima, é correto afirmar:
A - Uma das condições para que um país saia da linha da pobreza e faça parte do
mundo globalizado é o tamanho de sua população.
B - Um percentual elevado de pessoas abaixo de 15 anos é o fator definidor para que
um país saia da condição de subdesenvolvido e seja considerado emergente.
C - Tanto nos países emergentes como nos desenvolvidos a pirâmide etária é invertida,
ou seja, a base é menor que o topo.
D - O Brasil, embora seja considerado um país emergente, já apresenta índices de IDH
comparáveis aos dos países desenvolvidos.
E - A solução para que os países subdesenvolvidos reduzam a sua situação de pobreza é
a busca do crescimento vegetativo negativo.

(UFPR) - Universidade Federal do Paraná -


Questão 55:
A economia mundial influencia outros setores da sociedade. Sobre esse tema, considere
as seguintes afirmativas:
1. O atual modelo assumido pela economia mundial coloca países subdesenvolvidos e
desenvolvidos em um mesmo patamar socioeconômico e cultural.
2. A presença da rede McDonald’s em países como a Índia e a China mostra a eficácia
dos modelos de consumo ocidentais difundidos pela ruptura de barreiras comerciais.
3. Cuba é um dos poucos países do mundo ocidental que se mantém fora do circuito
mundial do comércio, da informação e da comunicação, embora na atualidade se
verifiquem algumas mudanças na participação cubana nesses setores.
4. A abertura econômica da China tem sido acompanhada por um acelerado processo de
democratização do país.
Assinale a alternativa correta.
A - Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
B - Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
C - Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
D - Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
E - Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.

(UESC/BA) - Universidade Estadual de Santa Cruz -


Questão 56:
A política de imigração dos Estados Unidos tem sofrido alterações, desde o 11 de
setembro. Coparticipantes do Nafta (Tratado Norte-americano de Livre Comércio),
juntamente com o Canadá, o México e os Estados Unidos, continuam enfrentando
problemas em relação à política de imigração.
Sobre o Nafta e as relações México x Estados Unidos, atualmente, pode-se afirmar que
a:
A - fronteira seca entre o México e os Estados Unidos visa, sobretudo, impedir a entrada
de cidadãos mexicanos no território norte-americano, porque esses migrantes são
responsáveis pela maioria dos delitos que ocorrem no país, tornando-se uma ameaça à
segurança nacional.
B - participação do México no Nafta não conseguiu diminuir a concentração de renda
nem eliminar a excludência social do país.
C - entrada do México no Nafta aqueceu a economia do país, possibilitou o pagamento
das dívidas externa e interna, graças ao equilíbrio alcançado pela balança comercial.
D - construção do Muro da Segregação na fronteira do México com os Estados Unidos
aconteceu após o 11 de Setembro, depois das modificações ocorridas na política de
imigração norte-americana.
E - característica que difere o Nafta do Mercosul é o fato de o primeiro ser formado por
países que se encontram no mesmo estágio de desenvolvimento, enquanto o último
agrega países ricos, emergentes e pobres.

(UNCISAL/AL) - Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas -


Questão 57:
Competições, concorrências, vencedores, vencidos, ricos, pobres, abandonados à
própria sorte: termos que exprimem as modalidades e os resultados do funcionamento
de um sistema mundial assimilado então ao desenvolvimento do capitalismo. Nunca na
história da humanidade houve tamanha concentração e diferença no interior da
comunidade humana.
(Oliver Dolfus, Geopolítica do sistema-mundo)
O fenômeno descrito revela
A - o fluxo de informações.
B - a Revolução Industrial.
C - a formação dos blocos econômicos.
D - os efeitos da globalização.
E - o fluxo de mercadorias.

(CEFET/PB) - Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba -


Questão 58:
“CRISE FINANCEIRA SE MANTÉM APESAR DO SENADO AMERICANO APROVAR SOCORRO
PARA OS BANCOS” (O Norte, 03/10/2008) – Os noticiários econômicos não param de
mencionar os impactos da crise econômica que começou no país mais importante da
economia capitalista.
Sobre esse panorama da economia globalizada, é INCORRETO afirmar que
A - a exigência de alto investimento de capital e de tecnologia de ponta aprofunda as
diferenças entre os países subdesenvolvidos e os países desenvolvidos.
B - na economia globalizada, um país depende do outro, e as crises econômicas
alastram-se como epidemias por todo o mundo.
C - o investimento especulativo é considerado positivo e desejável por todos os países,
pois auxilia o crescimento econômico com a instalação de novas empresas e a expansão
e modernização das já existentes.
D - o fluxo financeiro e de informações, as trocas de mercadorias e os deslocamentos
populacionais exercem papel fundamental no processo de globalização.
E - a economia mundial encontra-se completamente vinculada às operações realizadas
nas bolsas de valores e dependem delas.

Questão 59:
“CRISE FINANCEIRA SE MANTÉM APESAR DO SENADO AMERICANO APROVAR SOCORRO
PARA OS BANCOS” (O Norte, 03/10/2008) – Os noticiários econômicos não param de
mencionar os impactos da crise econômica que começou no país mais importante da
economia capitalista.
Sobre esse panorama da economia globalizada, é INCORRETO afirmar que
A - a exigência de alto investimento de capital e de tecnologia de ponta aprofunda as
diferenças entre os países subdesenvolvidos e os países desenvolvidos.
B - na economia globalizada, um país depende do outro, e as crises econômicas
alastram-se como epidemias por todo o mundo.
C - o investimento especulativo é considerado positivo e desejável por todos os países,
pois auxilia o crescimento econômico com a instalação de novas empresas e a expansão
e modernização das já existentes.
D - o fluxo financeiro e de informações, as trocas de mercadorias e os deslocamentos
populacionais exercem papel fundamental no processo de globalização.
E - a economia mundial encontra-se completamente vinculada às operações realizadas
nas bolsas de valores e dependem delas.

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba -


Questão 60:
Com base nos seus conhecimentos e com o auxílio do texto apresentado na questão
anterior, assinale com V ou com F as proposições, conforme sejam respectivamente
verdadeiras ou falsas em relação à atual globalização do capitalismo.
( ) O progresso técnico e o acesso indiscriminado de todos os povos e classes sociais
aos computadores e à internet fazem com que o mundo se apresente sem fronteiras
entre povos e nações, havendo hoje uma só realidade para todos.
( ) A cultura é um elemento diferenciador entre os povos, o que não permite a completa
homogeneização do espaço num mundo globalizado pela informação instantânea e
planetária.
( ) A relação tempo cronológico/ distância é redimensionada com o meio técnico-
científico-informacional, já que pessoas, objetos e informações circulam com uma
rapidez até então inimagináveis.
( ) Os modernos sistemas de comunicações tornaram possível a instantaneidade da
informação e com isso o conhecimento dos eventos longínquos, o que faz com que
todos os lugares se tornem espaços da globalização.
A sequência correta das assertivas é
A-VVVV
B-FFVF
C-FVVV
D-VFVV
E-VVVF

(UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba -


Questão 61:
Em relação à formação dos “blocos regionais” que surgiram com a finalidade de
fortalecer os mecanismos de mercado a nível interno e com países não membros a nível
internacional, é correto afirmar que
A - a União Europeia é a experiência pioneira e mais bem-sucedida integração de
mercados regionais que apresenta uma população com alto poder aquisitivo e elevado
nível de escolaridade.
B - o Nafta foi a mais completa integração regional, da qual o país que mais se
beneficiou foi o México, que recebeu altos investimentos das empresas estadunidenses
e conseguiu o livre acesso da população trabalhadora ao território norte-americano.
C - o Mercosul é o bloco econômico que mais se expandiu ao englobar os países da
Comunidade Andina e se integrar aos países africanos para fazer frente ao Nafta e à
União Europeia nas negociações junto a OMC (Organização Mundial do Comércio).
D - a Alca foi criada com a finalidade de fortalecer a economia dos países da América
Latina e juntamente com o Nafta formar o mais importante bloco econômico
internacional.
E - a Apec se tornou o mais poderoso bloco econômico mundial, por ser comandado
pela China e integrar economias fortes como a do Japão e dos Estados Unidos, o que
transformou o oceano Pacífico na mais importante rota comercial deste início de século.

(UFPB) - Universidade Federal da Paraíba -


Questão 62:
O MERCOSUL e outros blocos econômico-comerciais, como o PACTO ANDINO, o
MERCADO COMUM CENTRO-AMERICANO, o CARICOM (Comunidade do Caribe) e a ALCA
(Área de Livre Comércio das Américas), constituem tentativas de integração de alguns
países latino-americanos para promover os seus interesses diante do comércio
internacional.
Considerando as relações entre o MERCOSUL e outros blocos econômicos, é correto
afirmar:
A - A atual parceria entre o MERCOSUL e a União Europeia representa um significativo
contrapeso geopolítico ao poderio hegemônico dos Estados Unidos da América.
B - A aproximação entre o MERCOSUL e a União Europeia não é relevante para os EUA,
visto que, em 1990, houve um aumento de trocas comerciais entre esse país e o
MERCOSUL
C - Os subsídios agrícolas, fornecidos pela União Europeia aos seus agricultores,
aumentam a possibilidade de competitividade dos produtores rurais do MERCOSUL.
D - O Produto Nacional Bruto (PNB) do MERCOSUL, entre 1999 e 2001, sofreu
considerável redução, devido à desvalorização das moedas do Brasil e da Argentina,
apesar do alto crescimento econômico desses países.
E - As economias latino-americanas são pouco diversificadas, dificultando, assim, um
incremento das relações comerciais entre o MERCOSUL, os EUA e a União Europeia.

(UECE) - Universidade Estadual do Ceará -


Questão 63:
Sobre o processo de globalização, assinale o correto.
A - O processo de globalização, mesmo diante de vários contrastes econômicos e
sociais, reflete na total difusão de informações e acesso indiferenciado a elas,
reduzindo, quase que totalmente, as desigualdades sociais de forma homogênea.
B - A Internet em muito contribuiu para difusão de informações e acesso a serviços (e-
mails, dados bancários, compra e venda de produtos, dentre outras atividades), mas
em nada contribuiu para o redimensionamento das concepções de tempo e espaço,
essenciais à dinâmica da globalização.
C - A globalização, cuja imagem reflete a estrutura econômica norte-americana, é
também representada por instituições como o FMI e o Banco Mundial, nas quais o
neoliberalismo, mesmo atuando para reduzir as barreiras aos fluxos globais, não
viabiliza investimentos produtivos nem a ampliação do comércio em países
subdesenvolvidos como o Brasil e o México.
D - A expansão do processo de globalização também se dá de forma “sutil” e, mesmo
com difusão de informações e acesso a serviços, fortalecem grupos, países ou regiões,
utilizando-se princípios de domínio sobre mercadorias, capitais, serviços, informações e
pessoas.

(IFPI) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí -


Questão 64:
A respeito do processo de formação dos blocos econômicos no mundo contemporâneo,
podemos afirmar corretamente que:
A - o exemplo do Mercosul é ilustrativo do significado promissor desse processo. O
bloco, organizado a partir do Tratado de Assunção de 1991, contou inicialmente com a
participação do Brasil, da Argentina, do Uruguai e do Paraguai, mas o seu sucesso já
trouxe como membros efetivos: Venezuela (2000), Chile (2007), Colômbia (2007),
Bolívia (2008), Equador (2008) e Peru (2008);
B - são instituições de comércio internacional que visam barrar a lógica do processo de
globalização, pois eles se fundamentam na estruturação de barreiras a toda a sorte de
produtos oriundos de países externos aos blocos;
C - a participação do Reino Unido foi crucial para a assinatura do Tratado de Roma em
1957, uma vez que esse país é o símbolo maior do modelo econômico capitalista dentro
do continente europeu. A importância desse país se refletiu em todas as etapas da
integração, particularmente no processo de unificação da moeda, representando o
primeiro país a adotar o euro;
D - o processo de formação de blocos econômicos no contexto da globalização atual
teve início na década de 1930, refletindo uma resposta efetiva à crise econômica
daquele contexto. A experiência pioneira foi representada pela zona de livre comércio
formada entre Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Reino Unido, Alemanha e França;
E - refletem entendimentos entre os integrantes de um grupo de países que pretendem
ampliar sua competitividade na economia mundial, por meio da integração de seus
mercados e da expansão de suas empresas dentro desses mercados supranacionais.
Suas etapas de consolidação iniciam-se com a zona de livre comércio, passando pela
união aduaneira, pelo mercado comum, pela unificação monetária e da moeda, até
atingir a unificação política.

(UFPI) - Universidade Federal do Piauí -


Questão 65:
Com relação aos problemas do mundo globalizado, é correto afirmar que:
I. os conflitos nos países da África Subsaariana são incentivados por países estrangeiros
que se utilizam da política “Dividir para Dominar”;
II. os problemas ambientais têm, como causa principal, o excesso de população nos
países pobres;
III. a globalização da economia é a principal responsável pela exclusão social;
IV. a Eco-92, realizada no Rio de Janeiro, é considerada como importante momento
para a participação dos países em desenvolvimento na agenda da diplomacia ambiental.
É correto afirmar o que está em:
A - I e II
B - II e III
C - I e IV
D - II e IV
E - III e IV

(UFPI) - Universidade Federal do Piauí -


Questão 66:
Na última década do século XX, entra em cena uma nova ordem mundial, caracterizada
pela multipolaridade. Essa característica é atribuída à (ao):
I. ( ) equilíbrio econômico entre Estados Unidos da América, União Europeia e Bacia do
Pacífico.
II. ( ) aumento do comércio internacional entre países do hemisfério Sul.
III. ( ) fortalecimento da democracia nos países asiáticos.
IV. ( ) queda do muro de Berlim.
V. ( ) fortalecimento da União Europeia.
Assinale a alternativa correta:
A - F, F, F, V e F.
B - F, V, F, F e F.
C - V, F, F, F e F.
D - F, F, V, F e F.
E - F, F, F, F e V.

(UCS/RS) - Universidade de Caxias do Sul -


Questão 67:
A globalização econômica independe de fronteiras nacionais. Com ela vieram o
acirramento da concorrência e a consequente necessidade de proteção de mercados,
que conduziram à formação de blocos econômicos, entre eles, os megablocos regionais,
que também produzem uma geoeconomia planetária.
Analise a veracidade (V) ou falsidade (F) das proposições abaixo, considerando as
características gerais dos blocos econômicos.
( ) Em 1980 foi elaborado o Plano Schumam, que mudou o nome da Comunidade
Econômica Europeia (CEE) para União Europeia (UE) e estabeleceu a moeda única
(euro), a unificação das taxas e uma política monetária comum.
( ) Na Conferência de Seattle, decidiu-se que a Apec (Cooperação Econômica da Ásia e
do Pacífico) assumiria características de um bloco econômico regional, para que se
criasse, até 2010, uma zona de livre comércio.
( ) A COMESA (Mercado Comum do Sudeste Asiático) foi criada em 1992, com o
objetivo de implantar uma zona de livre comércio e dar continuidade às ZEEs (Zonas
Econômicas Especiais) do Sudeste Asiático.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo.
A-V–V–V
B-V–F–V
C-F–V–F
D-F–F–F
E-V–V–F

(UNIFRA/RS) - Centro Universitário Franciscano -


Questão 68:
A figura ilustra o funcionamento do sistema capitalista. Marque a alternativa que
expressa considerações incorretas sobre o processo de caracterização do capitalismo no
mundo.
A - O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e posteriormente se
expandiu para outros lugares do mundo como Ásia, África, América e Oceania.
B - Nas décadas de 1970 e 1980, as ideias do liberalismo clássico foram retomadas na
forma de políticas neoliberais que pregavam a não intervenção do Estado na economia.
C - Em 2008, o mundo vive uma crise financeira mundial, onde os estados europeus
decidem intervir em suas próprias economias, disponibilizando recursos públicos para
ajuda aos bancos privados e, assim, configurando uma atitude contrária aos princípios
neoliberais.
D - Na busca de novos mercados, o capitalismo financeiro passa a ser chamado de
globalização, buscando atingir uma integração de economias, culturas, línguas,
produção e consumo.
E - O fluxo de capitais pelo mundo é uma situação nova, determinada pela expansão
das chamadas empresas globais, após a terceira revolução industrial.

(UFRGS) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul -


Questão 69:
Considere as seguintes afirmações, relativas às transformações decorrentes do processo
de mundialização do capital.
I – O chamado Estado Mínimo prega a desregulamentação do estado e a mínima
intervenção deste na economia, a fim de que ele disponibilize seus recursos para
programas de alimentação, saúde, educação, habitação, entre outros.
II – As novas formas de produção industrial levaram à modificação da estrutura
portuária, adaptando-a a navios de menor capacidade de carga, e à terceirização na
contratação do trabalho.
III – As empresas passaram a decidir sua localização mediante avaliação de um quadro
de vantagens comparativas, o que tornou a participação dos municípios decisiva na
política de incentivos fiscais para as empresas.
Quais estão corretas?
A - Apenas I.
B - Apenas II.
C - Apenas I e III.
D - Apenas II e III.
E - I, II e III.

(UERN) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte -


Questão 70:
INSTRUÇÃO: Para responder a essa questão, identifique APENAS UMA ÚNICA alternativa
correta.
Considerando-se os conhecimentos sobre a OMC, suas atribuições e a Rodada de Doha,
pode-se afirmar:
A - A OMC foi criada para substituir a OTAN, agrega 300 países de todos os continentes
e sua função é banir do comércio internacional as relações comerciais desfavoráveis.
B - A expansão do comércio internacional, na última década, foi mais expressiva porque
as commodities foram bastante valorizadas e a OMC proibiu qualquer tipo de
protecionismo nos países centrais.
C - O Brasil e a Argentina, ao se integrarem ao grupo do G8, conseguiram, no encontro
de Cancun, eliminar as tarifas alfandegárias dos produtos industrializados dos países
periféricos para os países desenvolvidos.
D - A Rodada de Doha tem esse nome porque as negociações para democratizar o
comércio internacional começaram em Doha, capital do Catar.

(UFRN/RN) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte -


Questão 71:
A União Europeia representa o mais complexo e avançado estágio de integração entre
países. Acerca da integração da Europa, pode-se afirmar:
A - O Tratado de Maastricht tinha por objetivo promover a união econômica e monetária
e adotar uma política externa e de defesa comum.
B - O Tratado de Maastricht visava impulsionar a união econômica e fomentar uma
política de restrição à integração dos países do Leste.
C - O Tratado de Roma tinha por meta a constituição do Mercado Comum Europeu, por
meio da criação de uma moeda única e da integração dos países do Leste.
D - O Tratado de Roma objetivava a formação da Comunidade Europeia do Carvão e do
Aço, através do estímulo à cooperação econômica e a alianças políticas.
GABARITO: questão 1: E - questão 2: B - questão
3: B - questão 4: B - questão 5: D - questão 6: C -
questão 7: C - questão 8: D - questão 9: B -
questão 10: D - questão 11: B - questão 12: A -
questão 13: C - questão 14: B - questão 15: E -
questão 16: A - questão 17: C - questão 18: B -
questão 19: C - questão 20: C - questão 21: D -
questão 22: B - questão 23: A - questão 24: A -
questão 25: B - questão 26: D - questão 27: B -
questão 28: C - questão 29: B - questão 30: C -
questão 31: C - questão 32: B - questão 33: B -
questão 34: A - questão 35: E - questão 36: A -
questão 37: B - questão 38: A - questão 39: D -
questão 40: A - questão 41: E - questão 42: D -
questão 43: D - questão 44: D - questão 45: C -
questão 46: A - questão 47: B - questão 48: C -
questão 49: C - questão 50: D - questão 51: A -
questão 52: E - questão 53: C - questão 54: D -
questão 55: B - questão 56: B - questão 57: D -
questão 58: C - questão 59: C - questão 60: C -
questão 61: A - questão 62: A - questão 63: D -
questão 64: E - questão 65: C - questão 66: C -
questão 67: C - questão 68: E - questão 69: C -
questão 70: D - questão 71: A