Você está na página 1de 3

Reflexões no Salmo 127

Quando o lar é um doce lar.

Recentemente, li em um adesivo de automóvel estas palavras: “Nenhum sucesso compensa o


fracasso no lar.” Recentemente em um programa apresentou-se a estatística de que 71% dos
entrevistados tinham problemas na vida conjugal e 82% das mulheres se declararam
insatisfeitas com o casamento.

Há uma fábula que retrata bem este fato: Diz que três mocinhas estavam no inferno e
resolveram fazer uma ligação telefônica para as famílias. A primeira ligou, e contou para a sua
mãe como estava lá, como era quente, como era feio,... falou... falou Quando terminou passou
no caixa e pediu a conta. A telefonista cobrou R$ 1.200,00.

A segunda da fila, foi, falou... falou... Contou pra mãe quem tinha encontrado ali... falou...
falou... Ao sair procurou a moça do caixa e foi pagar o seu interurbano R$ 3.500,00.

Veio a terceira. Conversa com seus familiares mais tempo que as outras. Falou um bom tempo
com o pai, mãe, irmão... Ao sair esperava ser cobrada de uma taxa maior. Para sua surpresa, a
telefonista acionou o sistema e não veio valor nenhum, “é de graça.”

As outras disseram: “De graça não pode, falou mais do que todas nós.” Procuraram o gerente
da Teleinferno que foi logo explicando - "É que ligação local não cobramos."

É que a casa da terceira moça era um inferno. E quantas casas não se identificam bem com o
inferno? São semelhantes aos abrigos dos animais: apenas meios de proteção contra o mau
tempo.

A Bíblia nos ensina que o lar pode ser doce em vez de amargo, agradável em vez de pesaroso.
Porém, não há possibilidade de estabelecer uma família sem as bases de Deus. Se nós não
soubermos o que Ele como Arquiteto tem a dizer a respeito do lar, a família será um fracasso,
um inferno.

No entanto, o lar pode ser doce quando:

1. Quando Deus é o Arquiteto da Casa. “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os
que a edificam...”

Toda casa precisa ser bem construída. E uma boa construção começa com um alicerce bem
firme. Não adianta ter uma mansão ampla e bem decorada, com um belo jardim e uma piscina
na frente, mas sem alicerce. Você moraria em um lugar assim?

Quando se trata de construir famílias, só Deus pode ser o engenheiro, o arquiteto e o


construtor. Somente ele pode edificar uma casa estável e segura. E para isso Ele nos dá a
planta desta construção que é sua Palavra que deve ser ouvida e obedecida (VER Mt 7.24-27) .
Quando o homem tenta edificar por sua própria sabedoria sua casa certamente acabará em
tragédia e ruínas.
2. Quando Deus é o Protetor da Casa. “Se o Senhor não guardar a cidade em vão vigia a
sentinela...”

Uma grande preocupação da sociedade em nossos dias é a segurança. Parece que nossas casas
se transformaram em verdadeiras prisões. São grades, correntes, alarmes contra tudo.

As lojas contratam seguranças particulares, os bairros tem vigias particulares que fazem a
ronda noturna, nossa igreja tem alarme instalado. Você estaciona o carro e tem que dar
gorjeta para o flanelinha. Até nas nossas igrejas contratamos seguranças para vigiar os carros
durante o culto.Estamos vivendo uma crise de insegurança.

No entanto o texto é claro não existe segurança na família sem Deus. Gosto do Sl 121.4
quando diz: “É certo que não dormita nem dorme o guarda de Israel”

Se a segurança do mundo falha, a divina não. A Bíblia diz que o guardião divino, não pestaneja,
não cochila, não dorme. É por isso que o Salmista diz: “Deito-me e pego no sono; acordo
porque o Senhor me faz repousar seguro.” Sl 3.5

3. Quando Deus é o Provedor da Casa. “Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde,
comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem”

Diz a sabedoria popular que "O pouco com Deus vale mais do que o Muito sem Deus." Vejam o
que diz o Sl 127.2. Nossos investimentos são bem sucedidos quando somos orientados por
Deus.

Já vi muita gente dizer que a sua vida está muito bem, porque é trabalhador, levanta cedo e
não perde hora de serviço. O Texto descreve uma pessoa com estas características, mas que
falta o principal: “Deus como provedor”.

Temos visto pessoas bem empregadas com um salário invejável, que no entanto estão
atolados em dívidas, com nome sujo na praça. Enquanto outros que vivem com um ou dois
salários observam o milagre da multiplicação dos pães diariamente em suas casas.

O texto não está falando de indolência e preguiça, como aquele cristão que foi encontrado
dormindo em avançada hora do dia. Perguntaram-lhe: “Não vai trabalhar hoje?" Ao que
respondeu: “Aos seus amados Ele o dá enquanto dormem.”

No entanto o texto sugere duas maneiras de agir: O homem que faz um esforço tremendo
confiando no seu próprio poder; e o segundo, de persistente trabalho, confiando em Deus.

4. Quando Deus é o Educador da Casa. Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre seu
galardão. Como flechas não mão do guerreiro assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que
enche deles a sua aljava; não será envergonhado quando pleitear com os inimigos à porta.

Não há duvida que marido e mulher forme um casal, mas marido, mulher e filhos formam uma
família. E a palavra nos diz que os filhos são herança, presente de Deus para o casal. Se for
assim muitos diriam: “É presente de grego porque tem cada filho.”
Mas a palavra também subentende que Deus deve ser o educador, o pedagogo da família. O
apóstolo Paulo afirma positivamente em Ef. 6.4 “... criai-os na disciplina e admoestação do
Senhor”. Não basta levar o filho na Escola dominical, mas criá-los na admoestação do Senhor.

Gosto deste Salmo porque compara os filhos criados no Senhor como flecha nas mãos do
guerreiro. O guerreiro era alguém hábil no manejo do arco e flecha, e que burilava bem suas
flechas. No tiro era certeiro, não errava, acertava na mosca. De forma poética a palavra nos diz
que os nossos filhos quando atirados ao mundo não errarão o alvo.

E ainda serão motivo de orgulho e alegria, em contraste com a criança entregue a si mesma
que é vergonha para sua mãe...” Pv 15.15

As escrituras dizem que tem um dia que o inimigo vem e bate a nossa porta, mas não entra,
porque os filhos não nos trazem vergonha. Os nossos filhos estão firmes em Deus. O sábio
Salomão falou acertadamente: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda
quando for velho não se desviara dele.” Pv 22.6. O diabo não terá poder para conduzi-la por
seus caminhos perversos.

Li a seguinte história: A mãe perguntou para sua filha de 5 anos o que esta faria se o diabo
batesse na porta de casa. A criança respondeu: “Eu peço para Jesus atender a porta”.

É isso mesmo. Se quisermos que o lar seja doce e feliz, Deus tem que estar na frente. Se
formos atender a porta o inimigo entra. Portanto deixemos Deus construir, proteger, prover e
educar nossa família.