Você está na página 1de 599

INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES


INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Inventário Cultural de Proteção do Rio São Francisco –


Fontes para a pesquisa das Referências Culturais

Diretoria de Proteção e Memória – DPM.


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

COMO CITAR:
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS –
IEPHA/MG. Fontes para a pesquisa das referências culturais – Inventário Cultural de
Proteção do Rio São Francisco. Belo Horizonte: IEPHA/DPM/GPI, 2016. 594 p.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Expediente
GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS
Fernando Damata Pimentel
Governador

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA


Angelo Oswaldo de Araujo Santos
Secretária de Estado de Cultura

INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS


Michele Abreu Arroyo
Presidente

Françoise Jean de Oliveira Souza


Diretora de Proteção e Memória

Luiz Guilherme Melo Brandão


Diretora de Planejamento, Gestão e Finanças

Soraia Aparecida Martins Farias


Diretor de Conservação e Restauro

Fernando Pimenta Marques


Diretor de Promoção

Luis Gustavo Molinari Mundim


Gerente de Patrimônio Imaterial
Coordenação Geral do Projeto

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Ficha Técnica IEPHA/MG UNIMONTES – NUHICRE

Ângela Cânfora Dolabela Carla Cristina Barbosa


Luis Gustavo Molinari Mundim Cesar Henrique de Queiroz Porto
Tarcísio Guadalupe de Sá Ferreira Gomes Denilson Meireles Barbosa
Coordenação Geral do Projeto Coordenação NUHICRE/UNIMONTES

Breno Trindade da Silva


Débora Raiza C. Rocha Silva Carlos Caixeta de Queiroz
Fabiele Cristina Santos Costa
Leonardo Augusto Silva de Freitas Cassio Alexandre da Silva
Flávia Alves Figueiredo Souza
Analistas IEPHA/MG
Gustavo Henrique Gomes de Oliveira
André Elias Ferreira de Oliveira Carvalho Lenize Silva Vila Lobos
Andrezza Alves Velloso Maria Generosa Ferreira Souto
Bruna Luísa de Paula
Nôila Ferreira Alencar
Gisele Caroline Raimundo
Guilherme Eugênio Moreira Patrícia Lopes da Silva
Manoella Carvalho Raquel Helena de Mendonça e Paula
Mariana Rabêlo de Farias Rogério Jesus de Oliveira
Paulo Ricardo Silva Rodrigues
Renata Lopes Pinto Simone Narciso Lessa
Rodrigo Caixeta Tiago da Silva Mourão
Estagiários IEPHA/MG Analistas NUHICRE/UNIMONTES

Caroline Marques Flávio


Fundação de Apoio ao Desenvolvimento de Ensino Superior do Norte de Minas
Instituto Opará Ariely Antunes
Karine Rodrigues Dias Caio Hudson Rabelo Alves
Luiz Henrique Brás Barbosa Júnior Elis Medrado Viana
Maria Regina Antunes Carvalho Jorge Luiz Teixeira Ribas
Matheus Phelipe Alves Roberto Veríssimo Silva Junior
Pedro Jardel Pereira
Prefeituras Municipais do Norte de Minas Estagiários NUHICRE/UNIMONTES
Projeto Cidadania Ribeirinha – Assembleia Legislativa de Minas Gerais ALMG
Colaboradores
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Sumário
Apresentação 05
Acervos 12
Referências Culturais 16
• Teses e Dissertações 16
• Videos 45
• Fotos e Artes 50
• Gravação Sonora 90
• Livros 93
• Publicações Seriadas 125

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

• Textos 147
• Pesquisa de Campo 265
• Documentos Administrativos 369
• Pequenos Impressos 568
• Cartografia 576
• Registros Audiovisuais 584

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Apresentação
As Fontes para a pesquisa das Referências Culturais apresentadas a seguir correspondem à finalização da primeira etapa do Inventário
Cultural de proteção do São Francisco, projeto executado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG,
em conjunto com o Núcleo de História Regional da Universidade Estadual de Montes Claros – NUHICRE/UNIMONTES, e que tem como ação maior,
identicar e proteger os bens culturais da região. O objetivo dessa etapa foi levantar o maior número possível de informações referentes a cultura e
tradição de uma parte importante do norte de Minas. A ideia era identificar essas
informações em conjunto com a comunidade, por meio de levantamentos de fontes
espalhadas em diversos locais como arquivos, bibliotecas, universidades e acervos virtuais
entre tantos outros.
O trabalho resultou na identificação dos 2903 itens espalhados em 587 fontes de

57 acervos distintos. Foram consultados jornais, revistas, teses, dissertações,


monografias, textos técnicos, vídeos, fotos, áudios, revistas e outros suportes, sempre na
expectativa dos resultados auxiliarem a delinear um panorama do patrimônio cultural do
norte de Minas. A pesquisa abarcou especificamente 17 municípios lindeiros ao Rio São
Francisco, situados na parte navegável do rio até a divisa com a Bahia (ver Fig. 01). Partiu-
Figura 01 – Mapa de Minas Gerais, destaque para à area do projeto.
Fonte: IEPHA/MG - Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco. se, portanto, de Pirapora/MG, seguindo por Buritizeiro, Várzea da Palma, Ibiaí, Ponto
Chique, Ubaí, São Romão, Icaraí de Minas, São Francisco, Pintópolis, Pedras de Maria da Cruz, Januária, Itacarambi, Jaíba, Matias Cardoso, São João

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

das Missões até Manga. Embora existam especificidades entre as localidades pesquisadas os resultados alcancados espelham, em certa medida, os
bens culturais da região, visto que, muitos dos objetos identificados como referência são compartilhados por toda a comunidade.
Os trabalhos desenvolvidas ao longo do Projeto São Francisco tiveram como critério base o conceito das referências culturais1. O objetivo era
identificar os elementos que remetiam, entre outras coisas, à identidade, à memória e ao pertencimento dos diferentes grupos sociais existentes na
região. Além disso, outro ponto importante na metodologia de pesquisa desenvolvida e adotada pelo IEPHA/MG, foi a plena participação dos
detentores do saber em todo o processo. A perspectiva de construir um levantamento participativo impôs para a instituição uma série de desafios
distintos à realidade praticada nos inventários culturais realizados pelo instituto até aquele momento. A ideia de que os coletivos sociais poderiam
indicar suas referências culturais e, a partir daí, em conjunto com eles, se desenvolveriam as outras etapas da pesquisa, foi a que norteou os
trabalhos.
Nesse processo foram aplicados os mapas de percepção como ferramenta e método para integrar os grupos ao projeto. Aliás, os mapas se
mostraram fundamentais na identificação das referências culturais associadas às pessoas e ao ambiente sanfranciscano. Desenvolvido em diversas
áreas do conhecimento, como a Geografia Humana, a Antropologia e a Psicologia, o mapa de percepção é uma ferramenta que trabalha, por um
lado, com a percepção do ambiente, ou seja, com a subjetividade do olhar e do sentir de indivíduos e de grupos que expressam seus valores, atitudes
e preferências e, por outro, com os mapas propriamente ditos, que são representações ilustrada da realidade. O objetivo foi, portanto, aplicar a
ferramenta na tentativa de compreender a Topofilia2 da região e identificar quais os laços afetivos (simbólicos) que uniam os seres humanos com o
ambiente, pensados nesse caso, pela ótica e instrumentos do patrimônio cultural.

1
“Um critério-chave para a legitimidade de qualquer pleito ao registro é a sua relevância para a memória, a identidade e a formação da sociedade brasileira. A continuidade
histórica dos bens culturais, sua ligação com o passado e sua reiteração, transformação e atualização permanentes tornam-nos referências culturais para as comunidades que os
mantêm e os vivenciam. A referência cultural é um conceito-chave na formulação e na prática da política brasileira de salvaguarda.” CAVALCANTI, Maria Laura V. de C. e FONSECA,
Maria Cecília Londres. Patrimônio Imaterial no Brasil. Brasília: UNESCO, Educarte, 2008
2
TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.
Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Tal perpectiva é recente e atualmente, o IEPHA/MG, tem utilizado os mapas de percepção em suas pesquisas, entre outras coisas, como um
instrumento participativo de levantamento das referências culturais de comunidades e grupos. O processo de construção dos mapas tornou possível
a comunicação e o compartilhamento das referências culturais comuns aos diversos
grupos (Fig. 02). A ferramenta também foi importante pois proporcionou uma
aproximação entre as equipes de pesquisa e as comunidades.
Os mapas foram construídos ao longo de quatro fóruns realizados no ano de
2012, nas localidades de Brejo São Caetano Japoré – Manga/MG, Januária/MG,
Pirapora/MG e São Francisco/MG. As informações coletadas ofereceram uma diversidade
de expressões culturais relacionadas a diversos temas, tais como os saberes da natureza,
da cozinha tradicional, dos ofícios do sertão, da religiosidade, de lendas e mitos e outros,
que serviram de base para as etapas que se seguiram.
Embora extenso, vale ressaltar que o levantamento de fontes bibliográficas,
Figura 02 – Construção do Mapa de Percepção em Pirapora/MG.
documentais, etc é um processo dinâmico que deve ser complementado periodicamente Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.

com novas informações e publicações. A pesquisa serve, como instrumento para o diálogo, para a junção, e é base para a realização de diversas
ações. Serve também como valorização, identificação e memória das produções já elaboradas sobre a região e que, por vezes, ficam restritas a
poucos círculos.
Do ponto de vista da sequência da pesquisa, a partir da análise dos dados do levantamento, foi possível tomar de decisões que orientaram o
escopo das outras etapas do projeto. A coleta de dados foi de fundamental importância para orientar quais seriam os bens culturais a inventariar,
onde estavam os contatos, quais foram os suportes mais utilizados, os tipos de bens culturais mais recorrentes, entre outros. Os gráficos
apresentados a seguir mostram alguns pontos importantes relativos ao levantamento.

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O primeiro gráfico é relativo as


informações coletadas por tema. Na
consolidação das informações houve um
esforço em estabelecer um padrão mínimo
de comparação, respeitando, evidentemente,
o caráter fluído do patrimônio cultural.
Observa-se que “Celebrações e Ritos” foi a
categoria mais presente entre as referências,
correspondendo a 17,5% do total. A segunda
categoria mais marcante foi “Saberes e
Ofícios” (15,4%), seguida por “Formas de
Expressão” (13,1%). A quarta categoria mais
recorrente, somando 12,8% das referências
culturais, foi “Estruturas Arquitetônicas e
Urbanísticas”. “Lugares” e “Mestres e
GRÁFICO 01 – Distribuição das referências culturais do Rio São Francisco por tema.
Praticantes” abrangeram 4,9% e 4,8% do Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.

total, respectivamente. Outros 7,8% das referências culturais distribuíram-se entre os tipos “Paisagístico e Natural” (3,2%), “Bens Móveis e
Integrados” (3,0%), “Arqueologia e Espeleologia” (1,2%) e “Ruínas” (0,4%). Nessa análise, foram incluídas também as categorias “Dados e Histórico”,
“Contato” e “Sítio”, que foram recorrentes durante o levantamento, correspondendo a 17,5%, 4,7% e 1,5% do total, respectivamente (Gráf. 01).

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O gráfico 02 apresenta a distribuição das fontes de pesquisa


segundo o suporte onde foram encontradas. Percebeu-se a
predominância dos suportes textuais durante a pesquisa, que
somaram 68,3% de todo o material, distribuído entre livros, teses,
dissertações, monografias, artigos científicos, reportagens,
panfletos, documentos e outros textos. Os documentos
administrativos forneceram o maior número de referências
(34,3%), sendo incluídos nesse suporte documentos das Prefeituras
e Câmaras Municipais, assim como documentação existente no
IEPHA/MG.
Uma considerável parcela das fontes foi coletada a partir
dos fóruns de elaboração dos mapas de percepção e pesquisa de
campo (17,8%). Fotos e artes visuais corresponderam a 9,5% do
levantamento. Pode-se notar a menor ocorrência de fontes
GRÁFICO 02 – Distribuição das fontes culturais do Rio São Francisco por suporte.
iconográficas, audiovisuais e sonoras no acervo, que, dentre Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.

imagens, mapas, vídeos, documentários e gravações, somaram 14,0% das 2903 referências levantadas. Em relação aos suportes audiovisuais, é
importante informar que a restrição à pesquisa nos acervos virtuais limitou a quantidade de itens levantados refletindo de maneira equivocada uma
baixa produção existente.

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O outro levantamento diz respeito a


distribuição das fontes entre os 17 municípios
pesquisados que teve um caráter
relativamente equilibrado (Gráf. 03). Os
municípios que reuniram o maior número de
referências foram São Francisco (15%),
Januária (14%) e Pirapora (11%). Manga e São
Romão dividiram o quarto lugar, cada
município somando 7% das 2903 referências
encontradas. Abrangendo cada um 5% das
fontes levantadas, encontramos Buritizeiro,
Jaíba e Várzea da Palma. Itacarambi, Matias
Cardoso e São João das Missões
corresponderam a 4% do total cada.
Pintópolis e Ubaí reuniram 3% cada um. Os
municípios de Ibiaí, Icaraí de Minas, Pedras
de Maria da Cruz e Ponto Chique foram os
GRÁFICO 03 – Distribuição das referências culturais do Rio São Francisco por município pesquisado
Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.
menos recorrentes durante o levantamento,
cada um responsável por 2% das fontes de pesquisa. Foram encontradas ainda referências (6%) que diziam respeito a todos os municípios
pesquisados.

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Durante o levantamento
das fontes, algumas categorias
se destacaram, fosse por seu
aparecimento recorrente, fosse
pela sua frequência limitada. O
gráfico 04 reflete a distribuição
das categorias que se
apresentaram de maneira mais
expressiva. Nesse contexto,
destacaram-se as festas de
todos os tipos, a cozinha
tradicional da região, o
artesanato, as comunidades
tradicionais, o Rio São Francisco,
os saberes e ofícios associados
às águas, as parteiras e GRÁFICO 04 – Distribuição das categorias mais expressivas dentre as referências culturais.
Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.
benzedeiras, os mitos e lendas, as danças, dentre outras, que somaram 56,69% de todo o material levantado. A pintura corporal Xakriabá foi muito
pouco recorrente (0,12%), apresentando a necessidade de novas pesquisas e ações de proteção e valorização desse saber indígena. Os demais
43,35% do material distribuíram-se entre dados e históricos das localidades (50,2%), contatos (11,7%) e demais informações de outros acervos e
arquivos.

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Dos 371 itens relativos as Estruturas


arquitetônicas e urbanísticas (Gráf. 05) cerca de
metade, ou seja, 50,1% correspondem a “Edifícios e
residências”, em seguida as “Igrejas e capelas”
aparecem com 20,2%, “Fazendas” (9,7%),
“Arquitetura Ferroviária” (6,7%) e Cais e portos”
com 1,9%. Outros 11,3% resultaram da soma de
diversos temas que quantitativamente foram
pouco expressivos.
Por fim, o tratamento qualitativo dessas
informações indicou a relevância dessas referências
para a comunidade sanfranciscana e para a
identidade e memória da região e de Minas Gerais.
Tal análise foi a base para a seleção, em conjunto
com a comunidade dos bens culturais inventariados
na etapa seguinte do projeto.
GRÁFICO 05 – Distribuição dos temas mais expressivos dentre as Estruturas arquitetônicas e urbanísticas.
Fonte: IEPHA/MG Inventário Cultural de proteção do Rio São Francisco.

Diretoria de Proteção e Memória – DPM. Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI


Núcleo de História Regional – NUHICRE
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

COD. NOME ENDEREÇO


AcervosRESPONSÁVEL

A1 Diretoria de Documentação e Informação Unimontes - Montes Claros Jorge


- Jornais
A2 Internet - diversos Vários Caio, Elis, Roberto
A3 SIA APM on-line http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/ Elis, Andrezza
A4 Prefeitura Municipal de São Francisco www.prefeituradesaofrancisco.mg.gov.br Caio, Elis, Roberto
A5 Preservar Av. Olegário Maciel, Centro, São Francisco Ariely
A6 Unimontes São Francisco Unimontes - São Francisco -Endereço: Rua Maurício Ribas, 780 - Jardim Ariely
Graziela, CEP: 39.300-000 - Telefones: (38) 3631-1634 / E-mail:
campus.saofrancisco@unimontes.br
A7 Google Livros e Acadêmico scholar.google.com.br Caio
A8 Opará Unimontes - www.opara.net.com.br Elis
A9 IEPHA/ICMS Patrimônio Cultural IEPHA/MG - Belo Horizonte - http://www.iepha.mg.gov.br/ Rodrigo
A10 Câmara Municipal de Várzea da Palma www.camaradevarzeadapalma.mg.gov.br Caio, Elis, Roberto
A11 Prefeitura Municipal de Januária http://www.januaria.mg.gov.br/ Caio, Elis, Roberto
A12 Prefeitura Municipal de Pirapora http://www.pmppirapora.com.br Caio, Elis, Roberto
A13 Prefeitura Municipal Jaiba http://www.jaiba.mg.gov.br/ Caio, Elis, Roberto
A14 Prefeitura Municipal de Pedras de Maria http://pedrasdemariadacruz.mg.gov.br/ Caio, Elis, Roberto
da Cruz
A15 Prefeitura Municipal de São João das http://www.saojoaodasmissoes.mg.gov.br/ Caio, Elis, Roberto
Missões
A16 Desvendar.com - Informações de turismo http://www.desvendar.com/ Roberto
em Minas Gerais

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

A17 SCIELO http://www.scielo.br


A18 Prefeitura Municipal Várzea da Palma http://www.varzeadapalma.mg.gov.br/ Caio, Elis, Roberto
A19 Prefeitura Municipal de Buritizeiro http://www.buritizeiro.mg.gov.br Caio, Elis, Roberto
A20 Descubra Minas - SENAC http://www.descubraminas.com.br/Home/Default.aspx Roberto
A21 Portal da Cultura - Ministério da Cultura http://www.cultura.gov.br
A22 PUC Minas - Banco de dados Online http://www1.pucminas.br/
A23 Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de São Francisco Caio, Elis, Roberto
São Francisco
A24 Circuito turístico Guimarães Rosa http://www.circuitoguimaraesrosa.com.br/ Elis, Roberto
A25 Prefeitura Municipal de Manga http://www.prefeituramanga.mg.gov.br Caio, Elis, Roberto
A26 Centro Latinoamericano para el http://www.rimisp.org/inicio/index.php Vários
Desarrollo Rural
A27 USP - Banco de dados Online http://www.usp.br/
A28 UNEB - Banco de dados Online www.uneb.br
A29 PROMOART: Programa de Promoção do http://www.promoart.art.br/ Roberto
Artesanato de Tradição Cultural
A30 Mais Cultura http://mais.cultura.gov.br/ Roberto
A31 Revista Museu http://revistamuseu.com.br/ Elis
A32 Centro Nacional de Folclore e Cultura http://www.cnfcp.gov.br/ Elis
Popular
A33 Biblioteca Digital de Teses e Dissertações http://http://www.bdtd.ufu.br/ Elis
da UFU
A34 Departamento de História Unimontes - Montes Claros Jorge
A35 Núcleo de História e Cultura Regional Unimontes - Montes Claros Elis, Jorge, Roberto
Jr.
A36 Departamento de Geografia Unimontes - Montes Claros Jorge
A37 PUC - SP http://www.pucsp.br Jorge
A38 Prefeitura Municipal de Itacarambi http://www.itacarambi.mg.gov.br/ Raquel
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

A39 Manuelzão/ UFMG http://www.manuelzao.ufmg.br/expedicao2009/index.php?id=47 Raquel


A40 Acervo da Biblioteca Unimontes Unimontes - Montes Claros. Jorge
Dissertações e Teses
A41 Acervo Particular Raquel Helena de raquelde.paula@gmail.com Montes Claros Raquel
Mendonça e Paula
A42 Expedição Engenheiro Halfeld http://www.terrazul.org.br/Caminho1/RELATORIO2.pdf Raquel
A43 Câmara de São Francisco www.camarasaofrancisco.mg.gov.br Raquel
A44 Acervo da Biblioteca Unimontes - Montes Campus Universitário/Unimontes Roberto
Claros
A45 Banco de Dados online PPGDS Unimontes Campus Universitário Montes Claros Elis
A46 Centro Cultural Pça. da Matriz, Montes Claros Jorge
A47 Portal SESC / SP http://www.sescsp.org.br/sesc/revistas_sesc/pb/artigo.cfm?Edicao_Id=42 Raquel
1&Artigo_ID=6438&IDCategoria=7436&reftype=1&BreadCrumb=1
A48 IPEA http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/publicacoes/tds/TD_15772_Web.pdf Raquel
A49 Revista Sagarana http://www.revistasagarana.com.br/revista22/rio-sao-francisco.html Raquel
A50 Agência de Desenvolvimento do Norte de www.adenormg.com.br Elis
Minas
A51 Emater www.emater.mg.gov.br Raquel
A52 IBGE www.ibge.gov.br Raquel
A53 Acervo pessoal de Nôila Alencar noilalencar@hotmail.com Nôila
A54 Portal São Francisco http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/historia-do- Raquel
artesanato/historia-do-artesanato.php
A55 Acervo da Biblioteca da Universidade Andrezza
Federal do Paraná Rua XV de Novembro, 1299 - Centro. Curitiba/PR.
A56 Acervo da Biblioteca da Universidade Andrezza
Estadual Paulista Centro Educacional - Pres. Prudente. São Paulo/SP
A57 Acervo da Biblioteca da Universidade Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha, Belo Horizonte - MG, 31270- Andrezza
Federal de Minas Gerais 901

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Teses e Dissertações
Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

Dissertação de mestrado sobre os


eixos de desenvolvimento - vapores
ALENCAR, Nôila Ferreira. Eixos de desenvolvimento: as e locomotivas - e suas implicações
cidades, os vapores e as locomotivas no norte de minas. Rio São no desenvolvimento das cidades de
2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em Francisco, Manga, Januária, Pirapora e Montes Dados e http://goo.gl/g
1 Desenvolvimento Social) - Programa de Pós-Graduação vapores e Claros durante a primeira metade do Histórico iXhCG
A35
em Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de locomotivas século XX. O texto aborda, além de
Montes Claros, Montes Claros, 2012. contexto histórico, informações
sobre o cotidiano e memória da
sociedade ribeirinha.
Dissertações e
Monografias
ALMEIDA, Mariana Parecida de Farias. O olhar da
O saber fazer dos pescadores e sua do
Geografia sobre a pesca: território, territorialidade e
Pescadores do "hereditariedade", as características Departamento
cultura da comunidade pesqueira de São Francisco-MG.
2 2011. 51f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação
Rio São socioeconômicas e o valor simbólico Lugares de Geografia A36
Francisco e afetivo do rio para os pescadores da Unimontes.
em Geografia) - Universidade Estadual de Montes
locais. Os acampamentos de pesca. Classificação:
Claros, Montes Claros, 2011.

Página 16
Coluna ano
2011.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

As grandes manifestações sociais, as


revoluções, danças, batuques de
ALVES, Rahyan de Carvalho. "Samba, confetes e tambores e os desenhos intrigantes
serpentinas": o carnaval de Pirapora - norte de Minas das paisagens fazem parte do Biblioteca
Gerais: o retrato da (des)construção da cultura e da mundo da geografia enquanto Setorial de
Carnaval de Formas de
3 desigualdade social. 2011. 137 f. Trabalho de Conclusão
Pirapora
ciência denunciadora. Nesse sentido,
Expressão
Pirapora/ MO A58
de Curso (Licenciatura em Geografia) - Universidade as festas constituem, mais 394.25 A474s
Estadual de Montes Claros, Pirapora. especificamente, o retrato social de 2011
2011. um mundo que o homem faz e refaz,
contando suas histórias,
pensamentos e desejos.
ANASTASIA, C. A Sedição de 1736: Estudo comparativo
entre a zona dinâmica da mineração e a zona marginal Estudo comparativo entre a zona
do sertão agro-pastoril de São Francisco. Dissertação Sedição de dinâmica da mineração e a zona Dados e http://goo.gl/L
4 (Mestrado em História) – Departamento de História. 1736 marginal do sertão agropastoril de Histórico P432Z
A2
Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, São Francisco.
1993.
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e Mapa de encurralamento: projeto
Quilombo da
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos Jaíba, Sistema de Áreas Protegidas,
Lapinha e Banco de teses
5 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
Vazanteiros
empresas agropecuárias e Lugares
PPGDS
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em comunidades impactadas. Pesquisa
Pau de Légua
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de de Campo, 2008.
Montes Claros. Montes Claros, 2009
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
Rosa e Nica (mãe e filha) recontam a
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e
história do compadre d'água que Banco de
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos Lenda:
movimentava as águas a ponto de Formas de Teses e

Página 17
6 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em Compadre
virar os barcos das pessoas Expressão Dissertações
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em d'água
"estranhas", que só conseguiam PPGDS
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de
atravessar o rio caladas. p. 51-52
Montes Claros. Montes Claros, 2009
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:


História de Chanco Nunes e seu
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e
Mundo deslocamento de um lado para o Banco de
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos
quilombola e a outro do rio, com todos os seus Formas de Teses e
7 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
história de parentes, para fundar o mundo Expressão Dissertações
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em
Chanco Nunes quilombola, do qual descendem PPGDS
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de
diretamente.
Montes Claros. Montes Claros, 2009.
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e A origem da igreja está associada ao
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos Igreja Matriz início da construção do Arraial Nossa Estruturas
http://goo.gl/
8 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em Nossa Senhora Senhora dos Morrinhos, por Matias Arquitetônicas e
5gSnhN
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em da Conceição Cardoso de Almeida e membros de Urbanísticas
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de sua bandeira.
Montes Claros. Montes Claros, 2009
Frequentam o rio para lavar vasilhas
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
e roupas da família, ao amanhecer o
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e
Quilombo da dia, porque economiza, é mais fácil,
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos
Lapinha e gasta menos sabão e o enxague é http://goo.gl/
9 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
Vazanteiros de mais rápido, acrescido ainda de valor
Lugares
5gSnhN
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em
Pau de Légua simbólico de deixar as panelas
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de
brilhando, bem lavadas, quando
Montes Claros. Montes Claros, 2009
utilizam a água da rio.
A festa acontece no dia 12 de
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco: janeiro; articulava os moradores que
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e compõem o quilombo Lapinha que
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos antes se iniciava com o giro da
Festa de São Celebrações e http://goo.gl/
10 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
Benedito
bandeira que percorria as casas
Ritos 5gSnhN
A45

Página 18
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em pedindo esmolas para o santo.
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de Atualmente há a levantada da
Montes Claros. Montes Claros, 2009 bandeira e, no dia seguinte, a
"derrubada".
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

A madeira de São João é quase viva.


ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco: Não deviam queimar esse pau não,
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e mas ele é tão bom pra lenha.
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos (Angélica). Devoção ao santo,
Madeira de Formas de http://goo.gl/
11 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
São João
vivências que estabelecem com o
Expressão 5gSnhN
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em lugar onde vivem numa relação
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de mágica onde se expressa um tipo de
Montes Claros. Montes Claros, 2009 evitação na associação implícita
entre o "pau" e o santo.
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
História de Chanco Nunes e seu
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e
Mundo deslocamento de um lado para o
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos
quilombola e a outro do rio, com todos os seus http://goo.gl/
12 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
história de parentes, para fundar o mundo
Lugares
5gSnhN
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em
Chanco Nunes quilombola, do qual descendem
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de
diretamente.
Montes Claros. Montes Claros, 2009
Casamentos realizados nos tempos
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco: de festa que significavam momentos
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e de confraternização entre duas
Casamentos
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos famílias que se uniam ou
realizados nos Celebrações e http://goo.gl/
13 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
tempos de
aprofundavam seus vínculos por
Ritos 5gSnhN
A45
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em meio da união dos filhos. Hoje, a
festa
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de falta de acesso à terra é o principal
Montes Claros. Montes Claros, 2009 impedimento para a realização de
casamentos.
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco: Festa mais tradicional da cidade que
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e ocorre na igreja. Antes a festa Banco de
Festa de São

Página 19
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos acontecia na beira do Ribeirão, onde Celebrações e Teses e
14 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
João
os devotos iam em romaria, cumprir Ritos Dissertações
A45
Aparecido
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em suas promessas, festejar o santo, PPGDS
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de realizar casamentos e batizados.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Montes Claros. Montes Claros, 2009

As sociodinâmicas ambientais
ARAÚJO, Elisa Cotta de. Nas margens do São Francisco:
viabilizadas por práticas cotidianas
sociodinâmicas ambientais, expropriação territorial e
de apropriação e significação do
afirmação étnica do Quilombo da Lapinha e dos
Cultura e ambiente natural empreendidas Formas de http://goo.gl/z
15 vazanteiros de Pau de Légua. Dissertação (Mestrado em
Etnias pelas comunidades negras da beira Expressão js9LI
A2
Desenvolvimento Social) - Pós-Graduação em
do São Francisco, Quilombo da
Desenvolvimento Social, Universidade Estadual de
Lapinha e Vazanteiros do Pau de
Montes Claros. Montes Claros, 2009
Légua.
Dissertação que estuda a construção
ARAÚJO, Nerivaldo Alves. Navegando nas margens:
da identidade cultural a partir das
narrativas orais do Velho Chico. 2010. 127 f. Dissertação Narrativas
narrativas orais dos povos da região Formas de http://goo.gl/
16 (Mestrado em Estudo de Linguagens) - Programa de orais e modos
de Ilha de Miradouro e Mocambo Expressão VM4Ljy
A2
Pós-Graduação em Estudo de Linguagens, Universidade de falar
dos Ventos, na Barra do Xique-Xique,
do Estado da Bahia, Salvador, 2010.
Estado da Bahia.
ARAÚJO, R. F. Na batida do corpo, na pisada do cantá:
inscrições poéticas no coco cearense e candombe
mineiro. 2013. 149 f. Dissertação (Mestrado em Letras) Sobre o batuque executado pela Formas de Bibliotecas
17 - Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários.
Batuque
Dona Maria, em São Romão. Expressão UFMG
A57
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
2013
TCC tem como objetivo geral,
ARAÚJO, Raimundo Alves de. Um olhar para o cenário compreender o contexto da
socioeconômico e cultural: povoado Morrinhos do Bom formação do Povoado de Morrinhos
Povoado
Jesus - Icaraí de Minas -MG. 2010. 1 CD-ROM: il. color. do Bom Jesus, no Município de Icaraí

Página 20
18 Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em
Morrinhos do
de Minas, região Norte do Estado de
Lugares NUHICRE A35
Bom Jesus
Licenciatura em Geografia) - Universidade Estadual de Minas Gerais; suas características
Montes Claros, Pirapora, 2010. sociais, econômicas e culturais na
atualidade.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Dissertação de mestrado sobre os


BARROS, Christophe. Vapores e Locomotivas - os meios de transporte - vapores e
instrumentos de civilidade e desenvolvimento da Vapores e locomotivas - como instrumentos de Bens Móveis ou http://goo.gl/
19 população ribeirinha do São Francisco no período Locomotivas civilidade e desenvolvimento da Integrados PFAs1L
A45
Imperial - 1879-1889. população ribeirinha do São
Francisco no Período Imperial.
Dissertações e
Objetiva compreender como se
Monografias
BATISTA, Ramony Magalhães. Manifestações culturais manifesta e reproduz o sentimento
do
no Distrito de Guaicuí/Várzea da Palma - MG como de pertencimento dos moradores
Departamento
elementos constituintes de lugar. Barra do dessa comunidade ribeirinha pelo
20 2010. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação Guaicuí lugar demonstrando-o através da
Lugares de Geografia A36
da Unimontes.
em Licenciatura em Geografia) - Universidade Estadual representação de identidade local a
Classificação:
de Montes Claros, Pirapora, 2010 partir de suas manifestações
Coluna ano
culturais.
2011.
BELÉM, R. A. Zoneamento ambiental e os desafios da
Dissertação sobre zoneamento
implementação do Parque Estadual Mata Seca,
Parque ambiental e os desafios da
Município de Manga, Norte de Minas Gerais. 2008. Paisagístico e http://goo.gl/
21 170f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa
Estadual Mata implementação do Parque Estadual
Natural qVvw5g
A2
Seca Mata Seca, Município de Manga,
de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Federal
Norte de Minas Gerais.
de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2008.
BORGES, Maristela, Corrêa. Os errantes do sagrado:
uma geoantropologia dos tempos e espaços de
Dissertação acerca da cultura
criadores populares de cultura em São Romão, norte de Celebrações Celebrações e http://goo.gl/c
22 Minas Gerais. 2010. 244f. Dissertação (Mestrado em em São Romão
popular / Celebrações / Festas e
Ritos f3Rg3
A33
Rituais de São Romão
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2010.

Página 21
BORGES, Maristela, Corrêa. Os errantes do sagrado: Trabalho sobre a geoantropologia
Região
uma geoantropologia dos tempos e espaços de dos tempos e espaços da cultura http://goo.gl/c
23 criadores populares de cultura em São Romão, norte de
Ribeirinha do
popular na região ribeirinha do São
Lugares
f3Rg3
A33
São Francisco
Minas Gerais. 2010. 244f. Dissertação (Mestrado em Francisco, no norte de Minas Gerais,
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. com ênfase na cidade de São Romão.


Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2010.

BRITO, Saulo Jackson de Araújo. Folclore e religiosidade:


Banco de
mestre Adão e as representações do cotidiano. Obra sobre as religiosidades e causos Formas de
24 Monografia – Universidade Estadual de Montes Claros,
Causos
da região do São Francisco Expressão
Teses A6
Unimontes
São Francisco, 2006.
CAMARGO, Serguei Aily Franco de. Sociobiologia da
gestão participativa dos pescadores comerciais do rio Sociobiologia da gestão participativa
Pesca no São Saberes e Biblioteca
25 São Francisco, MG, Brasil. 1998. 122 f. Dissertação
Francisco
dos pescadores comerciais do rio
Ofícios UNESP
A56
(Mestrado) – Centro de Estudos Ambientais, São Francisco
Universidade Estadual Paulista., Rio Claro, 1998.
CARVALHO, M.F.V. Os Múltiplos Olhares Sobre a
Educação Ambiental em Januária. 152f. 2002.
Educação Dissertação sobre a educação http://goo.gl/
26 Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de
Ambiental Ambiental em Januária
Outros
Eee097
A33
Pós-Graduação em Geografia. Universidade Federal de
Uberlândia, Uberlândia, 2002.
CASEMIRO, S. R. A Lenda da Iara Nacionalismo Literário Demonstrar como o folclore
e Folclore. 2012. 181 p. Dissertação (Mestrado em Lenda e brasileiro serviu aos intuitos dos Formas de http://goo.gl/
27 Letras) – Programa de Pós-Graduação em Literatura Folclore românticos de tentar elaborar uma Expressão mfTH2e
A27
Brasileira. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012. literatura nacional
Este trabalho é um estudo
etnográfico acerca das situações de
CHAVES, José Wagner Diniz. A Bandeira é o santo e o convivência e interação entre
santo não é a bandeira: práticas de presentificação do pessoas, santos e mortos nas Folias
santo nas Folias de Reis e de São José. 2009. Tese de Reis e São José. No “sertão” norte Celebrações e http://goo.gl/i
28 (Doutorado em Antropologia Social) - Museu Nacional,
Folia de reis
mineiro, nas beiras do São Francisco, Ritos wvVbN
A2

Página 22
Universidade Federal de Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. nos municípios de São Francisco e
2009. Januária, onde esta pesquisa foi
realizada, as Folias costumam
acontecer diversas vezes no correr
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

de um ano e para muitos santos.

Este trabalho é um estudo


etnográfico acerca das situações de
convivência e interação entre
CHAVES, José Wagner Diniz. A Bandeira é o santo e o pessoas, santos e mortos nas Folias
santo não é a bandeira: práticas de presentificação do de Reis e São José1. No “sertão”
santo nas Folias de Reis e de São José. 2009. Tese norte mineiro, nas beiras do São Celebrações e http://goo.gl/i
29 (Doutorado em Antropologia Social) - Museu Nacional,
Folia de reis
Francisco, nos municípios de São Ritos wvVbN
A2
Universidade Federal de Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Francisco e Januária, onde esta
2009. pesquisa foi realizada, as Folias
costumam acontecer diversas vezes
no correr de um ano e para muitos
santos.
Os discursos assumidos na
modernidade vêm tratando os temas
da cultura popular como uma vitrine
do politicamente correto, com
capacidade de solucionar problemas
CORREIA, I. T. C. (Res)significações religiosas no sertão econômicos latentes. Tais discursos
das gerais: as folias e os reis em Januária (MG) - defendem o incremento da
Celebrações e http://goo.gl/y
30 1961/2012. 2013. 332f. Tese (Doutorado em História Folia de Reis produção artesanal, a viabilização de
Ritos atpS3
A33
Social) – Programa de Pós-Graduação em História. festas e tradições populares e do
Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2013. folclore em geral, como forma de
atender uma virtual demanda do
mercado turístico e, ao mesmo

Página 23
tempo, promover o
desenvolvimento sustentável de
comunidades rurais e urbanas.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Tese sobre englobamento, exclusão


COSTA, J. B. A. Mineiros e baianeiros: englobamento,
População do e resistência no norte de Minas,
exclusão e resistência. 2003. 335f. Tese (Doutorado em Dados e
31 Antropologia) – Instituto de Ciências Sociais,
Norte de contendo um capítulo de estudos
Histórico
IEPHA A9
Minas voltados para o município de Matias
Universidade de Brasília, Brasília, 2003.
Cardoso
COSTA, Lucas Rodrigues. Tradição e cultura: Folia de Banco de
Tradição e cultura: Folia de reis na Celebrações e
32 reis na cidade de Luislândia. Monografia – Universidade Folias de Reis
cidade de Luislândia Ritos
Teses A6
Estadual de Montes Claros, São Francisco, 2012. Unimontes
Esta pesquisa parte do desafio de
descrever e compreender alguns
aspectos do modo de vida e do
trabalho de pescadores tradicionais
nas cidades de Pirapora e Buritizeiro,
às margens do rio São Francisco, no
norte de Minas Gerais. Os caminhos
para a elaboração e sistematização
desta pesquisa tiveram como
DUMONT, S. R. T. São Francisco – Caminho Geral do
objetivo geral estudar alguns
Sertão: cenários de vida e trabalho de pescadores
aspectos do modo de vida e do
tradicionais em Pirapora e Buritizeiro – Norte de Minas Pesca no São Saberes e http://goo.gl/i
33 Gerais. 2007. 173 f. Dissertação (Mestrado em Francisco
trabalho dos pescadores tradicionais
Ofícios djdMV
A33
nos municípios de Pirapora e
Geografia) – Programa de Pós Graduação em Geografia,
Buritizeiro, Norte de Minas Gerais,
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.
com vistas a descrever a organização
da vida cotidiana sobre as condições
atuais do trabalho do pescador, bem
como os fatores de permanência e
de modificações das atividades da

Página 24
pesca artesanal no rio São Francisco.
Para atender os objetivos propostos,
a metodologia adotada se baseou na
interação pesquisador/pesquisado
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

utilizando como instrumentos e


técnicas de campo: pesquisa
bibliográfica, dados primários e
secundários com base nos órgãos
reguladores da pesca, banco de
dados criado a partir do censo
Estatístico Domiciliar realizado pela
UFSCar, e entrevistas livres
direcionadas. As observações diretas
em campo deram densidade às
entrevistas e, facilitaram os
processos de desvelamento das
questões colocadas na pesquisa.
FERREIRA, Jaqueline de Araujo. Vila do Morro: A festa e
Vila do Morro: A festa e o Resgate do Celebrações e
34 o Resgate do Carro de boi. Monografia - Universidade Festa popular
Carro de boi Ritos
NUHICRE A35
Estadual de São Francisco, 2011.
A dissertação apresenta referências
FIGUEIRAS, Beatriz Silveira Castro. Do mercado popular sobre mercado enquanto lugar. O
ao espaço de vitalidade: o Mercado Central de Belo que nos permite compreender as
Horizonte. 2006. 172 f. Dissertação (Mestrado em relações estabelecidas entre o
Mercado http://goo.gl/x
35 Planejamento Urbano e Regional) - Universidade
popular
Mercado e a cidade, bem como Lugares
NDRgj
A2
Federal do Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: tentar compreender os usos e
<http://teses.ufrj.br/IPPUR_M/BeatrizSilveiraCastroFilg sentidos destes espaços e a rede de
ueiras.pdf>. Acesso em 15 mai. 2013. relações ali tecidas por aqueles que
o vivem cotidianamente.
FILHO, Aderval Costa. Os Gorutubanos: territorialização, A tese oferece referências
produção e sociabilidade em um quilombo do centro Comunidade importantes da comunidade

Página 25
norte-mineiro. 2008. 293 f. Tese (Doutorado em quilombola quilombola dos gorutubanos. http://goo.gl/
36 Antropologia Social) - Universidade de Brasília, 2008. dos Comunidade da qual vieram muitos
Lugares
bVO9Wf
A2
Disponível em: Gorutubanos integrantes para Matias Cardoso
<http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_busca/ar dentre eles Maria e Simiana
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

quivo.php?codArquivo=4712>. Acesso em 28 fev. 2013. responsáveis pela Reza da Chuva

FOSCARINI, A. G. As manifestações culturais populares


como atrativo turístico: estudo de caso do Batuque em As manifestações culturais populares
Batuque
Lapinha da Serra-MG. 2009. Trabalho de Conclusão de como atrativos turísticos: estudo de Formas de Biblioteca
37 Curso (Graduação em Turismo) - Instituto de
Lapinha da
caso do Batuque em Lapinha da Expressão IGC/UFMG
A57
Serra
Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Serra-MG.
Belo Horizonte, 2009.
GALINARO, C. A. Distinção entre cachaça produzida com
cana-de-açúcar queimada e não queimada. 2006. 163f. Distinção entre cachaça produzida
Saberes e Bibliotecas
38 Dissertação (Mestrado em Química Analítica) – Instituto Cachaça com cana-de-açúcar queimada e não
Ofícios USP
A27
de Química da Universidade de São Paulo, São Carlos. queimada
2006
GARCIA, Juliane Martins. Traços Hispânicos no Processo
de Latinidade da Arquitetura colonial em Minas Gerais. Estudos dos aspectos arquitetônicos
2005. 214 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Igreja de das igrejas de Minas Gerais onde se
Estruturas
Urbanismo) – Universidade Federal de Minas Gerais, Nossa Senhora destacam as Igreja de Nossa Senhora http://goo.gl/f
39 2005. Disponível em: do Amparo em da Conceição em Matias Cardoso e a
Arquitetônicas e
7Rsqe
A2
Urbanísticas
<www.bibliotecadigital.ufmg.br/.../disserta__o_juliane. Barro Alto Igreja de Nossa Senhora do Amparo
pdf>. Acesso em 28 dez. 2012. em Barro Alto/Brejo do Amparo

GARCIA, Juliane Martins. Traços Hispânicos no Processo


de Latinidade da Arquitetura colonial em Minas Gerais. Estudos dos aspectos arquitetônicos
2005. 214 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e das igrejas de Minas Gerais onde se
Igreja de Estruturas
Urbanismo) – Universidade Federal de Minas Gerais, destacam as Igreja de Nossa Senhora http://goo.gl/f
40 2005. Disponível em:
Nossa Senhora
da Conceição em Matias Cardoso e a
Arquitetônicas e
7Rsqe
A2

Página 26
da Conceição Urbanísticas
<www.bibliotecadigital.ufmg.br/.../disserta__o_juliane. Igreja de Nossa Senhora do Amparo
pdf>. Acesso em 28 dez. 2012. em Barro Alto/Brejo do Amparo

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

GONÇALVES, N. C. O fogo não está morto: engenhos de


rapadura do Cariri cearense como uma referência O fogo não está morto: engenhos de
cultural na perspectiva das políticas públicas do último rapadura do Cariri cearense como
Engenho de Saberes e http://goo.gl/
41 quartel do século XX. 2011. 84f. Dissertação (Mestrado
Rapadura
uma referência cultural na
Ofícios OCoKOU
A2
em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências perspectiva das políticas públicas do
Humanas. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo último quartel do século XX.
Horizonte. 2011.
HAMERSKI, F. Estudo de Variáveis no Processo de
O objetivo deste trabalho foi a
Carbonatação do Caldo de Cana-de-Açúcar. 2009. 149f.
clarificação do caldo de cana-de-
Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Alimentos) - Dados e Bibliotecas
42 Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de
Açúcar açúcar
Histórico UFPR
A55
por carbonatação, em escala de
Alimentos. Universidade Federal do Paraná, Curitiba.
laboratório.
2009.
HOFFMANN, C. M. Estudo da utilização de concentrado O objetivo deste trabalho foi o
proteico de soro de queijo ultrafiltrado (CPSU), em aproveitamento de soro doce de
requeijão cremoso 2003. 101f. Dissertação (Mestrado queijo, subproduto da fabricação do Dados e https://goo.gl/
43 em Ciência dos Alimentos) – Programa de Pós-
Requeijão
queijo minas frescal, na obtenção de Histórico t3uzQn
A2
Graduação em Ciência dos Alimentos. Universidade um requeijão cremoso, que
Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2003. foi feito em duas etapas.
Busca examinar a religiosidade
popular de pescadores idosos
ribeirinhos de Januária, Norte de
ISIDÓRIO, M. S. Santo Rio São Francisco: religiosidade Minas Gerais, vivenciada no rio São
Religiosidade
popular na sacralidade do rio São Francisco no Francisco, com o objetivo de
dos
imaginário dos pescadores do sertão dos gerais. 2010. entender o imaginário da mística do Formas de http://goo.gl/
44 205 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) –
pescadores do
rio. A base de dados foi constituída Expressão EGFCZW
A37
Rio São
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São por bibliografias históricas, teóricas,
Francisco

Página 27
Paulo, 2010. literárias e pelo trabalho de campo
na Comunidade dos Pescadores.
Para o levantamento dos dados
humanos, nos fundamentamos na
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

história oral, metodologia que


considera os relatos orais dos
sujeitos pesquisados, documentos
vivos e originais. Essa metodologia
privilegia os sujeitos que não
aparecem na história oficial e busca
levantar coletivamente um edifício
histórico a partir de uma base oral,
cimentada pela história vista de
baixo
As igrejas foram demolidas por
ISIDÓRIO, M. S. Santo Rio São Francisco: religiosidade
ordem do bispo alemão, Dom João
popular na sacralidade do rio São Francisco no
Matriz de Batista Pryzyklenk, o que abalou o Estruturas
imaginário dos pescadores do sertão dos gerais. 2010. http://goo.gl/
45 205 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) –
Nossa Senhora ribeirinho religioso devido à Arquitetônicas e
EGFCZW
A37
das Dores prepotência de um estrangeiro em Urbanísticas
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São
dizimar um sagrado patrimônio
Paulo, 2010.
espiritual.
As igrejas foram demolidas por
ISIDÓRIO, M. S. Santo Rio São Francisco: religiosidade
ordem do bispo alemão, Dom João
popular na sacralidade do rio São Francisco no
Batista Pryzyklenk, o que abalou o Estruturas
imaginário dos pescadores do sertão dos gerais. 2010. Igreja de Santa http://goo.gl/
46 205 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Cruz
ribeirinho religioso devido à Arquitetônicas e
EGFCZW
A37
prepotência de um estrangeiro em Urbanísticas
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São
dizimar um sagrado patrimônio
Paulo, 2010.
espiritual.
ISIDÓRIO, M. S. Santo Rio São Francisco: religiosidade
popular na sacralidade do rio São Francisco no
imaginário dos pescadores do sertão dos gerais. 2010. Terno dos Nova geração do Terno dos Formas de http://goo.gl/
47 A37

Página 28
205 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Temerosos Temerosos Expressão EGFCZW
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São
Paulo, 2010.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

JESUS, George Vitor Freitas de. São Romão é mais velha A história de São Romão através da
Narrativas
que São Paulo? História e Memória na região do São memória local. Cap. 2: Oficialidade e NUHICRE/Uni
orais quanto à Formas de
48 Francisco. 2010. 91f. Monografia - Universidade
formação de
narrativas orais: formação e
Expressão
montes - A35
Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas fundação de São Romão. Pag. 49 a IEPHA
São Romão.
Gerais, 2010. 58.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Formas de http://goo.gl/x
49 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo
Palma, e grupos de Folias de Reis
Expressão 3nKAI
A2
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/g
50 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Folia de Reis Palma, e grupos de Folias de Reis
Ritos RrEOD
A2
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Formas de http://goo.gl/L
51 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo
Palma, e grupos de Folias de Reis
Expressão 62g95
A33
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/L
52 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Folia de Reis Palma, e grupos de Folias de Reis
Ritos 62g95
A33
entre as cidades de Pirapora e São

Página 29
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar


Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Formas de http://goo.gl/
53 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo
Palma, e grupos de Folias de Reis
Expressão DRGDS6
A33
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/
54 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Folia de Reis Palma, e grupos de Folias de Reis
Ritos DRGDS6
A33
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Formas de http://goo.gl/
55 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo
Palma, e grupos de Folias de Reis
Expressão 9nVlX6
A33
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Dança de São Gonçalo entre as
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
cidades de Buritizeiro e Várzea da
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/
56 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Folia de Reis Palma, e grupos de Folias de Reis
Ritos 9nVlX6
A33
entre as cidades de Pirapora e São
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Francisco.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
Encontro de
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Ternos de
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
Folia de Reis e
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/

Página 30
57 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Fórum Folder de divulgação do encontro
Ritos DRGDS6
A33
Intermunicipal
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
de cultura
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
tradicional
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar


culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
evoca saberes, fazeres e agires
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Rio São Paisagístico e http://goo.gl/
58 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Francisco
característicos da vida ali, às suas
Natural R4OWMM
A2
margens e em suas ilhas.
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
Seu Joaquim iniciou a formação
como folião e como devoção a São
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Gonçalo e começou a tocar e a guiar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
o grupo de Dança de São Gonçalo e
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Mestres e http://goo.gl/g
59 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Seu Joaquim Folia de Santos Reis da cidade.
Praticantes RrEOD
A2
Devoto e fiel à tradição de tocar e
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
dançar, ele assumiu como missão
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
ajudar os outros a pagarem suas
promessas.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
O grupo, guiado por Seu Joaquim até
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
Grupo de 2000, não chegou a ter uma
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Formas de http://goo.gl/g
60 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Dança de São organização sistemática como outros
Expressão RrEOD
A2
Gonçalo grupos de ritual devocional como a
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
dança de São Gonçalo.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
Grupo Garça Grupo representante da associação
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Formas de http://goo.gl/L
61 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Branca Peito de ternos de folia de reis de Pirapora
Expressão 62g95
A33
de Aço e Buritizeiro.
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.

Página 31
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar O grupo foi fundado em 1984, por
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Grupo Santa Patrocina Lima e define-se como um Formas de http://goo.gl/L
62 da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Cruz grupo folclórico de apresentações Expressão 62g95
A33
Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em musicais e de dança da região.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.


Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.

LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar Presente em portas e jardins na


culturas populares, colher patrimônios: a gestão social cidade para enfeitar e presentificar o
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dados do rio fora do rio. Recontam as histórias Dados e http://goo.gl/L
63 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Município das embarcações, com suas Histórico 62g95
A33
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. assombrações, os perigos vividos no
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011. período das navegações.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Celebrações e http://goo.gl/
64 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Folia de Reis N.D
Ritos DRGDS6
A33
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Levantamento sobre a dança de São Formas de http://goo.gl/
65 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo Gonçalo da Promessa. Expressão 9nVlX6
A33
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Está presente na Barra do Guaicuí
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Grupo de
desde meados do séc. XIX e hoje o
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Dança de São Formas de http://goo.gl/
66 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Gonçalo de
grupo tem cerca de 15 participantes,
Expressão 9nVlX6
A33
sendo a representante e guia a Dona
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. Dona Dalva
Dalva.
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011.

Página 32
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar Grupo de mulheres entoando
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Cânticos cânticos religiosos em tom de voz Formas de http://goo.gl/
67 da cultura popular às margens do Rio São Francisco no religiosos agudo, gutural e lamentoso, em Expressão 9nVlX6
A33
Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em ritmo monótono e repetitivo,
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. entoadas na Igreja de Nossa Senhora


Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011. do Bom Sucesso e Almas.

LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar Seu Minervino é benzedor e


culturas populares, colher patrimônios: a gestão social curandeiro, viveu às margens do rio
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Seu Minervino e aprendeu o que sabe com a avó. Mestres e http://goo.gl/
68 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em benzedor Atuou ministrando ervas e raízes que Praticantes PEQzY2
A33
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. eram cultivadas pelo próprio
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. 2011. benzedor.
LIMA, Marcela Telles Elian de. Pelas Margens do São
Francisco: A Trajetória Histórica e Ficcional de Antônio
Dó. 2006. 112 f. Dissertação (Mestrado em História) -
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas,
Daga de Antônio Dó e demandas por
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Dados e http://goo.gl/f
69 2006. Disponível em:
Antônio Dó terras e desafetos políticos em São
Histórico CfbB4
A2
Francisco
<http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstrea
m/handle/1843/VCSA-
6XTFGL/disserta__o_1_.pdf?sequence=1>. Acesso em
01 jun. 2012.
LIMA, R. G. O povo do Cardeal: sentidos e percursos da A dissertação apresenta referências
louça de barro. 2006. 246 f. Tese (Doutorado em sobre a cerâmica do Candeal e a
Ciências Humanas - Antropologia Cultural) - Instituto de importância do mercado de Januária
Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Cerâmica do na divulgação dos produtos. Saberes e http://goo.gl/
70 de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: Candeal Apresenta o mercado de forma Ofícios 6Q1pGh
A2
<http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/Detalhe detalhada inclusive com planta baixa
ObraForm.do?select_action=&co_obra=31213>. Acesso das lojas e produtos ali
em 15 mai. 2013. comercializados

Página 33
OLIVEIRA, Cláudia Luz de. Vazanteiros do Rio São
Estudo sobre populações
Francisco: um estudo sobre populações tradicionais e Populações http://goo.gl/
71 territorialidades no Norte de Minas Gerais. Dissertação tradicionais
tradicionais e territorialidade no Lugares
HUZIZK
A2
Norte de Minas Gerais
(Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia e
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas


Gerais, Belo Horizonte, 2005.

MOREIRA, Hugo Fonseca. “Se for pra morrer de fome,


eu prefiro morrer de tiro”: o Norte de Minas e a
formação de lideranças rurais. 2010. 129 p. Dissertação Tese sobre o norte de Minas que
Norte de Dados e
72 (Mestrado de Ciências Sociais em Desenvolvimento,
Minas
trata da imagem mineira criada no
Histórico
IEPHA A9
Agricultura e Sociedade). Instituto de Ciências Humanas brasileiro
e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro,
Rio de Janeiro, 2010.
Trabalho tem como objetivo
compreender os modos de vida e de
luta dos pequenos produtores rurais
do projeto Jaíba, maior perímetro
irrigado da América Latina,
localizado no extremo Norte do
Estado de Minas Gerais, abrangendo
os municípios de Jaíba e Matias
MOURA, Auricharme Cardoso de. Trajetórias, Memórias
Cardoso. O projeto Jaíba está
e Experiências dos Trabalhadores Rurais do Projeto
inserido no contexto nacional de
Jaíba, MG. Disponível em < Saberes e http://goo.gl/
73 http://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/4239/1
Projeto Jaíba expansão da fronteira agrícola e
Ofícios naH1hL
A33
reprodução do capitalismo no
/TrajetoriasMemoriasExperiencias.pdf>. Acesso em 16
campo patrocinado pelo Estado ao
dez. 2014.
longo do século XX, transformando
as formas de trabalhar, produzir e
viver dos agricultores familiares. Ao
discutir a substituição da agricultura

Página 34
de subsistência para a agricultura de
mercado centralizo minhas arguições
nas trajetórias, memórias e
experiências de homens e mulheres
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

na luta para ter e permanecer na


terra em um processo que envolve a
disputa por valores e espaço. Para
além de observar o perímetro
irrigado através de frases de efeitos
e os trabalhadores rurais como força
de trabalho e/ou elementos da
produção, esta dissertação procura
verificar como são construídas as
relações sociais e produtivas dentro
e fora do território em que noções
de direito e cidadania são sempre
pontuais.
MUNIZ JÚNIOR, Josias Alves. Lendas do Rio São
Francisco entre os pescadores na cidade de Pirapora- Biblioteca
Constituem chão fértil para o
MG [manuscrito]: nas redes dos mitos e entes sagrados. Setorial de
Tradições, surgimento e afixação das mais Formas de
74 Pirapora, MG, 2006. 24 f. Trabalho de Conclusão de
superstições variadas crenças, tradições e Expressão
Pirapora/ MO A58
Curso (Especialização em Redes Solidárias de Educação 394.25 A474s
superstições.
e Ação Social) - Universidade Estadual de Montes 2011
Claros, Pirapora, 2006.
NETO, Vigílio Aparecido. Sr. Lindolfo e as relações Monografia sobre as relações sociais
Relações
sociais e políticas em Ubaí Norte de Minas Gerais – e políticas na cidade de Ubaí - MG. Dados e
75 1923-1963. 2012. Núcleo de História e Cultura Regional,
sociais e
Aborda aspectos históricos sobre a Histórico
NUHICRE A35
políticas
Universidade Estadual de Montes Claros, 2012. formação da referida cidade.
OLIVEIRA, A. M. L. O Processo de Produção da Cachaça
Artesanal e sua Importância Comercial. 2010.43f O Processo de Produção da Cachaça
Produção de Saberes e Bibliotecas
76 Monografia (Conclusão de Curso) - Programa de Pós-
Cachaça
Artesanal e sua Importância
Ofícios UFMG
A57

Página 35
Graduação em Microbiologia. Universidade Federal de Comercial
Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

OLIVEIRA, Joycelaine Aparecida de. Ciclos de águas e


vidas: o caminho do rio nas vozes dos antigos A vida em torno da viagem nas
vaporzeiros e remeiros do São Francisco. 143 f. 2009. águas, a saudade de casa e da
Dissertação (Mestrado em Geografia) - Pós-Graduação Vapozeiros e família, os encontros, as festas, o
Mestres e http://goo.gl/
77 em Geografia, Universidade Disponível em: remeiros do trabalho e a afetividade que une
Praticantes d0M4dR
A2
<http://www.academicoo.com/artigo/ciclos-de-aguas- São Francisco essa gente ao São Francisco como
e-vidas-o-caminho-do-rio-nas-vozes-dos-antigos- espaço do vivido, sentido e
vaporzeiros-e-remeiros-do-sao-francisco>. Acesso em percebido.
31 mai. 2012.
Dissertação de mestrado sobre o
OLIVEIRA, Otaviano de. Do Brasil ao Sertão: uma análise
processo de constituição da
do processo de constituição da identidade sociocultural
Identidade identidade sociocultural do Norte de Dados e http://goo.gl/
78 do Norte de Minas. 2006. Disponível em:
sociocultural Minas, adotando como referencial Histórico qMdER6
A2
<http://www.ccsa.unimontes.br/ppgds/images/disserta
de análise o contexto do Brasil do
coes/2006/otaviano_de_oliveira.pdf>.
Litoral e do Brasil Sertão.
OTÁVIO. Valéria Rachid - A Dança de São Gonçalo: Re-
Leitura Coreológica e História. 2004. 187f. Dissertação
Referências / Histórico / Aspectos
(Mestrado em Artes) – Universidade Estadual de
Dança de São Coreográficos da Dança de São Formas de http://goo.gl/t
79 Campinas, Campinas, 2004. Disponível em:
Gonçalo Gonçalo em várias partes do país Expressão swYT2
A33
<http://www.bdtd.ufu.br/tde_arquivos/16/TDE-2012-
com destaque para Januária
03-21T150410Z-2862
/Publico/d.pdf>.
PEREIRA, D’Alvana Santos. Evolução nos meios de
Evolução nos meios de transporte
transporte em São Francisco/Minas Gerais: O terminal Acervo
em São Francisco/Minas Gerais: O
Rodoviário Sancho Ribas pautado numa visão de Dados e particular de
80 progresso e transformações. 2011. Monografia.
Transporte terminal Rodoviário Sancho Ribas
Histórico Raquel de
A41
pautado numa visão de progresso e
Universidade Estadual de Montes Claros, São Francisco, Paula
transformações.

Página 36
2011.
PRADO, Regina de Paula Santos. Todo ano tem: as Pesquisa sobre o campesinato na
Bumba-meu- Dados e http://goo.gl/
81 festas na estrutura social camponesa. 1977. Dissertação
boi
Baixada Maranhense e sobre o
Histórico Td0L5J
A2
(Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós- bumba-meu-boi enquanto festa na
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Graduação em Antropologia Social. Universidade estrutura social.


Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1977.

RACHID, V. O. A Dança de São Gonçalo: re-interpretação


coreológica e história. 2004. 187 f. Dissertação Dança de São História coreológica da Dança de São Formas de http://goo.gl/
82 (Mestrado em Artes) – Instituto de Artes. Universidade Gonçalo Gonçalo Expressão VtLhZv
A2
Estadual de Campinas, Campinas. 2004
RAMOS, Ana Paula Mendes. Patrimônio Histórico da
Patrimônio
Cidade de São Francisco no Início do Século XX. 2011. Patrimônio Histórico da Cidade de Dados e
83 Monografia - Universidade Estadual de Montes Claros,
cidade de São
São Francisco no Início do Século XX Histórico
Unimontes A1
Francisco
Montes Claros, Minas Gerais, 2011.
RAPOSO, José Vanderlei Barbosa. Catolicismo popular
na folia de reis em São Francisco-MG (1965-1985). Catolicismo popular na folia de reis Celebrações e
84 Monografia - Universidade Estadual de Montes Claros,
Folia de Reis
em São Francisco-MG (1965-1985) Ritos
Unimontes A1
Montes Claros, Minas Gerais, 2011.
RAPOSO, Renato Francisco de Almeida. Folia de Reis em
São Francisco (MG): Uma Expressão Sertaneja. Folia de Reis em São Francisco (MG): Celebrações e
85 Monografia - Universidade Estadual de Montes Claros,
Folia de Reis
Uma Expressão Sertaneja. Ritos
Unimontes A1
Montes Claros, Minas Gerais, 2006.
O texto visa explorar as
manifestações do imaginário político
brasileiro a partir da reconstrução da
trajetória de Antônio Lopo
RIBEIRO, L. M. R. O Salvador político e a cidade ideal – Montalvão. Filho ilegítimo de um
mito e utopia no extremo Norte de Minas Gerais (1950- Coronel grande proprietário de terras no Dados e http://goo.gl/
86 1980). Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Montalvão extremo Norte de Minas Gerais, Histórico Tfn4gT
A2
de Campinas, Campinas, 2001. Montalvão teve uma carreira

Página 37
política, nas décadas de 1950 a 1970,
marcada pelas características míticas
e sobrenaturais que lhe eram
atribuídas. Ao mesmo tempo em que
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Montalvão se sobressaía local e


regionalmente como oposição à
tradicional política dos coronéis que
há décadas controlavam o
município, sua trajetória evidencia
traços da permanência de ancestrais
práticas de dominação.
RODRIGUES, G. R. No sertão, a revolta: grupos sociais e
formas de contestação na América portuguesa, Minas Processo de ocupação do sertão da
Gerais-1736. 2009. 243f. Dissertação (Mestrado em capitania mineira e as revoltas Dados e http://goo.gl/
87 História) – Programa de Pós-Graduação em História
Motins
conhecidas como Motins do Serão Histórico o8f2HZ
A2
Moderna. Universidade Federal Fluminense, Niterói. do São Francisco, em Minas Gerais.
2009.
RODRIGUES, L. Investimento agrícola e o grande projeto
Jaíba. Uma interpretação: 1970-1996. 1998. 337f. Tese
Texto sobre o Investimento agrícola Saberes e http://goo.gl/z
88 (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, Letras Projeto Jaíba
e o grande projeto Jaíba Ofícios ZpnZq
A2
e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. São
Paulo, 1998.
Dissertações e
Monografias
SANTOS, A. M. F. A festa de Boi de Reis em São do
Francisco – MG: uma expressão popular. 2011. Departamento
Festa do Boi de Reis em São Celebrações e
89 Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Festa do Boi
Francisco Ritos
de História da A34
Departamento de História. Universidade Estadual de Unimontes.
Montes Claros, Montes Claros. 2011. Identificação:
Hist-122, Ano
2008.

Página 38
SANTOS, Ana Flávia Moreira. Do terreno dos caboclos
do Sr. João à terra indígena Xakriabá: as circunstâncias Levantamento sobre a formação do http://goo.gl/
90 da formação de um povo. Um estudo sobre a
Povo Xacriabá
povo Xacriabá.
Lugares
TD2FQq
A17
construção social de fronteiras. 1997. 304f. Dissertação
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

(Mestrado). Programa de Pós Graduação em


Antropologia Social. Universidade de Brasília, Brasília.
1997.
SANTOS, Ana Flávia Moreira. Do terreno dos caboclos
do Sr. João à terra indígena Xakriabá: as circunstâncias São João à terra indígena Xacriabá:
da formação de um povo. Um estudo sobre a Cultura as circunstâncias da formação de um Formas de http://goo.gl/
91 construção social de fronteiras. 1997. 304f. Dissertação Indígena povo. Um estudo sobre a construção Expressão TD2FQq
A17
(Mestrado). Universidade de Brasília, Programa de Pós social de fronteiras
Graduação em Antropologia Social. Brasília.
Uma análise da Obra "Brasil Interior"
Dissertações e
de Manoel Ambrósio, onde são
Monografias
relatados o regionalismo,
SANTOS, Cyrlene Rita dos. O folclore barranqueiro: do
Modo de vida, religiosidade, localismos, linguagem
Regionalismo, memória, e experiência na obra "Brasil Departamento
costume, e seus neologismos, costumes e Formas de
92 Interior" de Manoel Ambrósio. Monografia -
linguagem e experiências do povo ribeirinho nas Expressão
de História da A34
Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Unimontes.
religiosidade. comidas, casamentos e as narrativas
Claros, Minas Gerais, 2008. Identificação:
populares referente aos mitos, como
Hist-122, Ano
o de Maria da Cruz. Conto do carro
2008.
que canta. Pag. 52 a 74.
Texto
disponível no
Acervo de
Monografias
SANTOS, Fabrícia Alkimim. A questão identitária Monografia sobre as questões dos
Identidade do Núcleo de
93 Xacriabá. Monografia - Universidade Estadual de
Xacriabá
índios Xacriabás, localizados no Lugares
História e
A35
Montes Claros, 2010. município de São João das Missões.
Cultura
Regional -

Página 39
NUHICRE/Uni
montes.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Compreender e valorizar a cultura


local é fundamental para manter
SANTOS, Márcia Saturnino dos. A cultura das carrancas viva a história dos povos ao longo
em Pirapora/MG. 2008. 42 f. Trabalho de Conclusão de dos tempos. Se a cultura não é
Saberes e http://goo.gl/
94 Curso (Graduação em Licenciatura em Geografia) - Carrancas valorizada, essa acaba por se perder
Ofícios Al76PJ
A45
Universidade Estadual de Montes Claros, Pirapora, com o passar dos anos. Esse trabalho
2008. tem como objetivo geral conhecer a
realidade da cultura carranqueira
dos artesãos de Pirapora/MG.
COSTA E SANTOS, Rafael Barbi. A Cultura, o Segredo e o
Índio: diferença e cosmologia entre os Xakriabá de São
João das Missões/MG. Dissertação (Mestrado em
Mobilização em torno da cultura
Antropologia) - Faculdade de Filosofia e Ciências Construção
Xacriabá e o seu recente http://goo.gl/g
95 Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Cultural do
desenvolvimento e importância
Lugares
3rPKH
A39
Horizonte, 2010. Disponível em: povo Xacriabá
entre os indígenas.
<http://www.fafich.ufmg.br/ppgan/arquivos/RAFAEL%2
0BARBI%20COSTA%20E%20SANTOS.pdf>. Acesso em 02
set. 2014.
Desde a formação histórica e
territorial, os meios de produção e
SILVA, Cássio Alexandre da. Parque Nacional Cavernas
sua relação com a terra, as relações
do Peruaçu/PARNA – Januária/Itacarambi -MG -
com o meio ambiente, a resistência
Comunidade do Janelão: as comunidades tradicionais e
Comunidade em permanecer no território, seus http://goo.gl/J
96 o impacto da criação da Unidade de Conservação em
do Janelão aspectos culturais materiais e
Lugares
Zpb40
A45
seu território. 2007. 138 f. Dissertação (Mestrado em
imateriais, a sua auto identificação e
Desenvolvimento Social) - Universidade Estadual de
de como eles estão “sentindo-se”
Montes Claros, Montes Claros, 2007.
com a presença do parque em suas

Página 40
vidas.
SILVA, Cássio Alexandre da. Parque Nacional Cavernas Desde a formação histórica e
Comunidade http://goo.gl/J
97 do Peruaçu/PARNA – Januária/Itacarambi -MG -
do Janelão
territorial, os meios de produção e Lugares
Zpb40
A2
Comunidade do Janelão: as comunidades tradicionais e sua relação com a terra, as relações
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

o impacto da criação da Unidade de Conservação em com o meio ambiente, a resistência


seu território. 2007. 138 f. Dissertação (Mestrado em em permanecer no território, seus
Desenvolvimento Social) - Universidade Estadual de aspectos culturais materiais e
Montes Claros, Montes Claros, 2007. imateriais, a sua auto identificação e
de como eles estão “sentindo-se”
com a presença do parque em suas
vidas.
SILVA, Cássio Alexandre da. Parque Nacional Cavernas
do Peruaçu/PARNA – Januária/Itacarambi -MG -
Comunidade do Janelão: as comunidades tradicionais e As comunidades tradicionais e o
Comunidades http://goo.gl/J
98 o impacto da criação da Unidade de Conservação em
tradicionais
impacto da criação da Unidade de Lugares
Zpb40
A2
seu território. 2007. 138 f. Dissertação (Mestrado em Conservação em seu território
Desenvolvimento Social) - Universidade Estadual de
Montes Claros, Montes Claros, 2007.
Monografia sobre as expressões
SILVA, Érika Alves da. Expressões culturais afro-
culturais afro-brasileiras presentes
brasileiras: reconhecer para valorizar. Monografia - Expressões Formas de
99 Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Culturais
no município de Pirapora. Contém
Expressão
Unimontes A45
informações sobre artesanato,
Claros, Minas Gerais, 2010.
danças, entre outros.
SILVA, Ludimila Cardoso da. Os Saberes e as Práticas das
Os Saberes e as Práticas das
Parteiras de Vila do Morro em São Francisco – MG. Saberes e
100 Monografia - Universidade Estadual de Montes Claros,
Parteiras Parteiras de Vila do Morro em São
Ofícios
Unimontes A45
Francisco
Montes Claros, Minas Gerais, 2011.
SILVA, M. I. C. Cosmologia, Perspectivismo e Agência
Social na Arte Ameríndia: estudo de três casos
etnográficos. 2008. 179f. Dissertação (Mestrado em Etnografias Comparação entre as etnografias http://goo.gl/j
101 Antropologia) – Faculdade de Filosofia e Ciências Amazônicas Kaxinawa, Wayana e Wauja.
Lugares
qPOh1
A2

Página 41
Humanas. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo
Horizonte, 2008.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SOARES, Helusane Araújo. Os efeitos da degradação do


Rio São Francisco na vida social e econômica dos
Pesca Ofício da pesca dos pescadores Saberes e
102 pescadores artesanais de Pirapora-MG.2002.38f.
artesanal profissionais. Ofícios
Unimontes A45
Monografia - Universidade Estadual de Montes Claros,
Montes Claros, Minas Gerais, 2002.
SOUSA, Antônio Francisco de. Rio São Francisco. Do
Vapor Saldanha Marinho ao Benjamim Guimarães:
Culturas, Mitos e Lendas de um Rio que Dorme. 2011.
Universidade Federal de Goiás, 2011. Disponível em:
Navegação – Vapor Saldanha
<http://webcache.googleusercontent.com/search?q=ca Navegação - Dados e http://goo.gl/
103 che:5hZZIIgPx7QJ:www.piraporaverde.com/blog/image Mitos e lendas
Marinho – Vapor Benjamim
Histórico HJZETd
A2
Guimarães – Rio São Francisco
s/PDF/elementos%2520pr-
textuais%2520bg%25201.pdf+&cd=20&hl=pt-
BR&ct=clnk&gl=br&client=firefox-a>. Acesso em 12 jun.
2012.
SOUSA, Haidê Alves de Carvalho. Lugares, trabalho, Teve como objetivo conhecer o
Biblioteca
vivência e identidade na comunidade de Barra do Pacuí, processo de formação, o cotidiano e
Comunidade Setorial de
Município de Ibiaí Minas Gerais. os costumes dos moradores;
104 2009. 69 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação
quilombola
destacando a importância do Rio São
Lugares Pirapora/MO A44
Barra do Pacuí 390 S725l
em Licenciatura em Geografia) - Universidade Estadual Francisco para a formação
2009
de Montes Claros, Pirapora, 2009. socioterritorial do Norte de Minas.
SOUTO, M. G. F. Eu nunca vi não... só vejo falar: Mitos e http://150.164.
Ritos da Narrativa Oral nas barrancas do São Francisco. Dissertação sobre Mitos e Ritos da 100.248/poslit/
Formas de tesesedisserta
105 2001. 119f. Dissertação (Mestrado em Estudos Mitos e Ritos Narrativa Oral nas barrancas do São
Expressão coes/verDetalh
A2
Literários) – Faculdade de Letras, Universidade Federal Francisco es.asp?id=314
de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001. 8
SOUTO, M. G. Literatura das "bordas" do São Francisco. Preceitos,

Página 42
Informações históricas, etnográficas,
Estudo de obras marginais que representam Pirapora, costumes,
sociológicas e denunciam preceitos, Formas de http://goo.gl/
106 São Romão, São Francisco e Januária. Fórum de Ensino, ideias,
costumes, ideias, mentalidades e Expressão 3AFz7p
A2
Pesquisa, Extensão e Gestão. Universidade Estadual de mentalidades
julgamentos.
Montes Claros. e julgamentos
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SOUTO, M. G. Literatura das "bordas" do São Francisco. Preceitos,


Informações históricas, etnográficas,
Estudo de obras marginais que representam Pirapora, costumes,
sociológicas e denunciam preceitos, Dados e http://goo.gl/
107 São Romão, São Francisco e Januária. Fórum de Ensino, ideias,
costumes, ideias, mentalidades e Histórico 3AFz7p
A2
Pesquisa, Extensão e Gestão. Universidade Estadual de mentalidades
julgamentos.
Montes Claros. e julgamentos
SOUTO, M. G. Literatura das "bordas" do São Francisco. Preceitos,
Informações históricas, etnográficas,
Estudo de obras marginais que representam Pirapora, costumes,
sociológicas e denunciam preceitos, Dados e http://goo.gl/
108 São Romão, São Francisco e Januária. Fórum de Ensino, ideias,
costumes, ideias, mentalidades e Histórico 3AFz7p
A2
Pesquisa, Extensão e Gestão. Universidade Estadual de mentalidades
julgamentos.
Montes Claros. e julgamentos
SOUTO, M. G. Literatura das "bordas" do São Francisco. Preceitos,
Informações históricas, etnográficas,
Estudo de obras marginais que representam Pirapora, costumes,
sociológicas e denunciam preceitos, Dados e http://goo.gl/
109 São Romão, São Francisco e Januária. Fórum de Ensino, ideias,
costumes, ideias, mentalidades e Histórico 3AFz7p
A2
Pesquisa, Extensão e Gestão. Universidade Estadual de mentalidades
julgamentos.
Montes Claros. e julgamentos
SOUTO, Maria Generosa Ferreira. As transformações da
festa da dança de São Gonçalo de Amarante, nas
barrancas do São Francisco: Tradição e mídia. 2005. 295 Características da festa, narradores,
Festa de São Celebrações e http://goo.gl/
110 f. Dissertação (Tese de Doutorado) Comunicação e
Gonçalo
atores, tradições, transformações; o
Ritos 3AFz7p
A2
Semiótica na área de concentração signo e significação Rio São Francisco.
das mídias, Pontifícia Universidade Católica - SP. 2005.
295 f.
SOUTO, Maria Generosa Ferreira. Eu nunca vi não... só
vejo falá. Mitos e ritos da narrativa oral nas barrancas
Mitos e ritos da narrativa oral nas Formas de Bibliotecas
111 do São Francisco. 2001. 119f. Dissertação (Mestrado em Mitos
barrancas do São Francisco. Expressão UFMG
A57
Estudos Literários) – Faculdade de Letras. Universidade
Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2001.

Página 43
SOUZA, A. C. S. Pirapora, uma cidade média no Norte de Este trabalho pretende analisar a
Minas Gerais. 2008. 120f. Dissertação (Mestrado em Cidade de cidade de Pirapora, inserida na rede Dados e Bibliotecas
112 Geografia) - Tratamento da Informação Espacial, Pirapora urbana do Norte de Minas Gerais, a Histórico PUC Minas
A22
Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo partir de características que Amorim
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Horizonte. 2008. Filho (1976) define como atributos


específicos de uma cidade média.
Estes atributos seriam as relações da
cidade com sua região e com
aglomerações urbanas de hierarquia
superior; o seu tamanho
demográfico; a
capacidade de receber e fixar
migrantes; o desenvolvimento de
relações dinamizadoras a nível
regional; a diferenciação
socioeconômica de sua população e
o aparecimento de problemas típicos
das grandes cidades. Finalmente, a
cidade média deve possuir uma
diferenciação de sua morfologia
intraurbana, caracterizada através
do “Modelo de Zoneamento
Morfológico Funcional” (Amorim
Filho, 2005).
SOUZA, V. L. Caminho do boi, caminho do homem: O
léxico de Águas Vermelhas – Norte de Minas. 2008. 248
f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Programa de Norte de Dissertação sobre os caminhos do http://goo.gl/
113 Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Faculdade Minas Norte de Minas
Sítio
KTlmFz
A39
de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
Horizonte. 2008.
THÉ, A. P. G. Conhecimento Ecológico, Regras de Uso e
Conhecimento Ecológico, Regras de

Página 44
Manejo Local dos Recursos Naturais na Pesca do Alto
Manejo da Uso e Manejo Local dos Recursos Saberes e http://goo.gl/v
114 médio São Francisco. 2003. 213f. Tese (Doutorado) –
Pesca Naturais na Pesca do Alto médio São Ofícios 2D5eW
A2
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade
Francisco.
Federal de São Carlos, São Carlos, 2003.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Vídeos
Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

Da fé vem a esperança e a força de um


povo que só dispõe do amor, da
ANUNCIAÇÃO: Parteiras do Brasil. Direção de Dêniston amizade, do trabalho e do apoio
F. Diamantino. Belo Horizonte: Opará Vídeos. DVD (38 Anunciação: mútuo para viver. "Anunciação" é a
Saberes e http://goo.gl/s
1 min.). son., color. Disponível em: Parteiras do imagem dessa reciprocidade onde, nas
Ofícios 3bd2c
A2
<http://www.oparavideos.com.br/produto/8,,Anunciac Brasil regiões mais carentes do nosso país,
ao---Parteiras-do-Brasil.aspx>. Acesso em 07 jan. 2013. as parteiras ainda têm a função de
trazer ao mundo filhos e filhas dessa
realidade incomum da nossa gente.
Dêniston Fernandes Diamantino é
natural de Manga/MG. Foi ganhador
do prêmio de melhor documentário
no "V FestVídeo/Canela-RS", com "O
DOCUMENTARISTA Dêniston Diamantino. Disponível
Documentarista Velho do Rio"; Prêmio de melhor
em: <http://www.oparavideos.com.br/quem-somos- http://goo.gl/
2 Dêniston-diamantino/4-Sobre-o-Produtor.aspx>. Acesso
Dêniston fotografia no "Festival de Cinema e Contato
QrNKqC
A2
Diamantino Vídeo de São Luís-MA 2002", com o
em 04 jan. 2013.
documentário "Vila do Céu"; e do
Prêmio de melhor fotografia no "III
Vídeo Terra Brasília", com "Cerrado -

45
O Pai da águas".
DONA Maria do Batuque: A Herança de Ernestina. http://youtu.b

Página
Batuque de Formas de
3 Direção de Márcia Paraiso. Plural Filmes, 2013.
Ernestina
Entrevista Maria do Batuque.
Expressão
e/P_SmUjthbj A2
Documentário, 26 min, NTSC, son., color. Disponível Ym
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

em: <http://youtu.be/P_SmUjthbjYm>. Acesso em 15


mar. 2015.

O documentário retrata uma prática


folclórica particular em que muitas
mulheres, as rezadeiras ou penitentes,
ENCOMENDAÇÃO das Almas. Direção de Dêniston F. entoam cantos e rezas para as almas.
Diamantino. Belo Horizonte: Opará Vídeos. DVD (20 Seguindo uma guia que carrega a
Encomendação Celebrações http://goo.gl/
4 min.). son., color. Disponível em:
das almas
matraca e outra que leva erguida a
e Ritos AJIXJ0
A2
<http://www.oparavideos.com.br/produto/3,,Encomen cruz de madeira, o grupo de mulheres
dacao-das-Almas.aspx>. Acesso em 04 jan. 2013. vai parando nas encruzilhadas,
enchendo as noites da Semana Santa
de cantos lamentosos e das
superstições que as acompanham.
Totalmente filmado na pequenina São
Romão, em Minas Gerais,
"Girimunho" é um projeto de longa
GIRIMUNHO. Direção de Helvécio Marins Jr. e Clarissa metragem internacional. Esta é a
Campolina. Belo Horizonte: TEIA Filmes. 90 min. son., história de duas mulheres que
https://youtu.
color. Disponível em: observam os redemoinhos no rio, em
5 <http://www.portugues.rfi.fr/cultura/20110520-
Girimunho
pleno sertão mineiro. Uma delas
Outros be/XRIrIv0Us A2
WY
velhinhas-mineiras-sao-estrelas-do-internacional- perdeu o marido, e sofre em silêncio,
girimunho>. Acesso em 28 mai. 2012. tendo apenas as novidades dos netos
como consolação. A outra carrega
consigo um tambor, e marca o
ambiente com seus sons.
Este documentário é parte do Projeto

46
MESTRES da Viola: Uma viagem Musical pelo Rio São Mestres da Viola. Realizado pela
Mestres da Mestres e https://goo.gl/
6 Francisco. Realização da Associação Nacional dos Associação Nacional dos Violeiros do A2

Página
Viola Praticantes VnDpnT
Violeiros do Brasil. DVD. son., color. Brasil, o projeto tem como principal
objetivo registrar o saber e fazer
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

artístico de mestres, violeiros,


construtores e tocadores de viola ao
longo da Bacia do Rio São Francisco
através do recolhimento de história
oral, entrevistas, fotografias e vídeos.
Foram realizadas pesquisas em vários
municípios em Minas Gerais entre os
meses de janeiro e agosto de 2011.
Da Serra da Canastra, em Minas
Gerais, até a foz entre os Estados de
Alagoas e Sergipe, corre o São
Rio São
Francisco. O documentário percorre
RIO São Francisco, O. Direção de Dêniston F. Francisco, sua
esse caminho e mostra, em suas belas
Diamantino. Belo Horizonte: Opará Vídeos. DVD (30 importância
imagens, a geografia do "Velho Chico" Paisagístico e http://goo.gl/I
7 min.). Son., color. Disponível em: para o povo
e a sua importância para a Natural Q2wlA
A2
<http://www.oparavideos.com.br/produto/10,,O-Rio- ribeirinho e
sobrevivência da população ribeirinha.
Sao-Francisco.aspx>. Acesso em 04 jan. 2013. problemas
Além disso, aborda os graves
ambientais
problemas ambientais como as
queimadas, o desmatamento e o
assoreamento do leito do rio.
Gravado no oeste da Bahia e norte de
Minas Gerais, o documentário mostra
SENTINELA: Rituais Fúnebres no Brasil Sertanejo. várias crenças como o uso do cordão
Sentinela,
Direção de Dêniston F. Diamantino. Belo Horizonte: de São Francisco, a prática de exultar
cordão de São
Opará Vídeos. DVD (28 min.). son., color. Disponível em: o corpo, os preparativos para o Formas de http://goo.gl/f
8 <http://www.oparavideos.com.br/produto/11,,Sentinel
Francisco e
enterro e muitas curiosidades e Expressão KDSfu
A2
práticas
a---Rituais-Funebres-no-Brasil-Sertanejo.aspx>. Acesso crenças que o homem do interior tem
fúnebres

47
em 04 jan. 2013. diante da morte, desde a noite do
velório (sentinela) até a visita da cova

Página
no sétimo dia.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Símbolo maior da navegação, a barca


significa alegria e sobrevivência para o
homem ribeirinho. Assim, nada
melhor do que dar vida ao próprio
vapor para contar as suas histórias, o
folclore e as riquezas do São
VELHO do Rio, O. Direção de Dêniston F. Diamantino.
Francisco. O documentário dá voz ao
Belo Horizonte: Opará Vídeos. DVD (23 min.). Son.,
vapor Benjamim Guimarães para que Formas de http://goo.gl/
9 color. Disponível em: O velho do Rio
ele narre, num tom emocionado, as Expressão enQ3xA
A2
<http://www.oparavideos.com.br/produto/12,,O-
histórias desse rio e de seus
Velho-do-Rio.aspx>. Acesso em 04 jan. 2013.
habitantes. O vapor também conta a
triste história do fim da navegação e
das diversas agressões ao seu meio
ambiente. Ganhador do Prêmio de
Melhor Documentário no "V
FestVídeo/Canelas -RS".
Você já imaginou um santo que cobra
o pagamento de promessas com
dança, cantoria, comida, bebida, e
VIDA e a Dança de São Gonçalo, A. Direção de Dêniston tudo realizado com muita abundância
F. Diamantino. Belo Horizonte: Opará Vídeos. DVD (27 e alegria? Pois esse santo existe, é São
min.). son., color. Disponível em: Vida e Dança de Gonçalo de Amarante, casamenteiro e Formas de http://goo.gl/
10 <http://www.oparavideos.com.br/produto/1,,A-Vida-e- São Gonçalo padroeiro dos violeiros. O Expressão U5as5p
A2
a-Danca-de-Sao-Goncalo.aspx>. Acesso em 04 jan. documentário mostra como é a
2013. comemoração de São Gonçalo em
Portugal e as várias características das
danças que ocorrem em muitos

48
estados do Brasil.
VILAS BOAS, Pâmilla. O Filme que não vi. VIII. Cinema no O documentário registra a memória
Memória de Seu Formas de

Página
11 Rio São Francisco. 29 set. 2010. Disponível em:
Domingos
de Seu Domingos, barbeiro muito
Expressão
NUHICRE A35
<http://cinemanoriosaofrancisco.blogspot.com.br/2010 conhecido na cidade. Consta ainda a
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

_09_01_archive.html>. Acesso em 11 jan. 2013. participação de Seu Tezinho,


fabricante de selas.

49
Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Fotos e Artes Visuais


Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

ARRUDA, Jerúsia. Norte de Minas sedia Fórum


Encontro de Encontro de Ternos de Folias de Reis
Intermunicipal de Cultura. Disponível em: Celebrações e http://goo.gl/
1 <http://jerusiaarruda.blogspot.com.br>. Acesso em 30
Ternos de e o Fórum Intermunicipal de Cultura
Ritos 2IZJc3
A2
Folias de Reis Tradicional.
mai. 2012.
Imagens de patrimônios culturais da
Pintura região de Januária representadas por Arqueologia e NUHICRE -
2 ART Tur Brasil. Januária/MG
rupestre aquarelas, pintura rupestre na Lapa Espeleologia Sala 69
A35
do Carlúcio
Imagens de patrimônios culturais da
região de Januária representadas por NUHICRE -
3 ART Tur Brasil. Januária/MG Povoado
aquarelas, vista parcial do povoado
Lugares
Sala 69
A35
Brejo do Amparo
Imagens de patrimônios culturais da
Igreja Nossa Estruturas
região de Januária representadas por NUHICRE -
4 ART Tur Brasil. Januária/MG Senhora do
aquarelas, vista parcial da Igreja
Arquitetônicas e
Sala 69
A35
Rosário Urbanísticas
Nossa Senhora do Rosário
Imagens de patrimônios culturais da

Página 50
Carranca em região de Januária representadas por Saberes e NUHICRE -
5 ART Tur Brasil. Januária/MG
madeira aquarelas, carranca em madeira do Ofícios Sala 69
A35
Vale do São Francisco

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Imagens de patrimônios culturais da


Praça Getúlio região de Januária representadas por NUHICRE -
6 ART Tur Brasil. Januária/MG
Vargas aquarelas, vista parcial da praça
Lugares
Sala 69
A35
Getúlio Vargas
Imagens de patrimônios culturais da
Estruturas
Ponte sobre o região de Januária representadas por NUHICRE -
7 ART Tur Brasil. Januária/MG
rio aquarelas, Ponte sobre o Rio São
Arquitetônicas e
Sala 69
A35
Urbanísticas
Francisco II
O acervo é constituído por fotos
Cachoeira do Paisagístico e NUHICRE -
8 ART Tur Brasil. Januária/MG
Rio Pandeiros
representando a Cachoeira do rio
Natural Sala 69
A35
Pandeiros
O acervo é constituído por fotos
Chalana no Rio Bens Móveis ou NUHICRE -
9 ART Tur Brasil. Januária/MG
São Francisco
representando a chalana no rio São
Integrados Sala 69
A35
Francisco
O acervo é constituído por fotos Estruturas
NUHICRE -
10 ART Tur Brasil. Januária/MG Cais antigo representando o antigo cais da Arquitetônicas e
Sala 69
A35
cidade Urbanísticas
O acervo é constituído por fotos
Artesanato Saberes e NUHICRE -
11 ART Tur Brasil. Januária/MG
regional
representando o artesanato local e
Ofícios Sala 69
A35
regional
O acervo é constituído por fotos
Praia do rio Paisagístico e NUHICRE -
12 ART Tur Brasil. Januária/MG
São Francisco
representando as praias do rio São
Natural Sala 69
A35
Francisco
Vapor O acervo é constituído por fotos
Bens Móveis ou NUHICRE -
13

Página 51
ART Tur Brasil. Januária/MG Benjamim representando o vapor Benjamim A35
Integrados Sala 69
Guimarães Guimarães

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O acervo é constituído por fotos


Lapa do Arqueologia e NUHICRE -
14 ART Tur Brasil. Januária/MG
Carlúcio
representando vista parcial da Lapa
Espeleologia Sala 69
A35
do Carlúcio.

O acervo é constituído por fotos Celebrações e NUHICRE -


15 ART Tur Brasil. Januária/MG Cavalhada
representando a Festa da Cavalhada Ritos Sala 69
A35

ASSISTIDAS pela Emater Artesãs do Jaíba participam da


Vários artesãos reunidos fazem e
Superagro 2010. Disponível em: Saberes e https://goo.gl/
16 <http://psdbjaiba.wordpress.com>. Acesso em 28 mai.
Artesanato mostram seus trabalhos com palha
Ofícios CSm953
A2
de banana
2012.
ASSOCIAÇÃO comunitária Rural São Francisco de Assis.
Bolsa e Cestaria com palha de Saberes e http://goo.gl/
17 Disponível em: <http://www.nordestecerrado.com.br>. Artesanato
bananeira Ofícios XNQmxk
A2
Acesso em 28 mai. 2012.
AVELIN, Carlos. Um olhar. Disponível em: Integrantes da
Fotos de integrantes da comunidade
<http://rappadeangu.blogspot.com.br/2010/05/um- comunidade http://goo.gl/v
18 olhar-de-carlos-avelim-nos.html>. Acesso em 27 abr. de
quilombola de Palmeirinha em Lugares
yBzDP
A2
Pedras de Maria da Cruz
2012. Palmeirinha
Balsa sobre o Balsa na travessia sobre o São
BALSA Rio São Francisco Itacarambi. Disponível em: Bens Móveis ou http://goo.gl/z
19 <http://www.geolocation.ws>. Acesso em 31 mai. 2012.
Rio São Francisco entre São Francisco e
Integrados yAlSp
A2
Francisco Itacarambi
BLOG da Patida. Grupo Matizes/Família Dumont.
Descrição da Técnica do bordado do Saberes e http://goo.gl/
20 Disponível em: <http://blogdapatida.blogspot.com.br>. Bordados
Grupo Matizes da Família Dumond Ofícios 9O4KDs
A2
Acessado em 28 mai. 2012.
BLOG da Patida. Grupo Matizes/Família Dumont. Depoimento de Sávia Dumond sobre
http://goo.gl/
21

Página 52
Disponível em: <http://blogdapatida.blogspot.com.br>. Sávia Dumond a tradição familiar que cerca a Contato A2
9O4KDs
Acessado em 28 mai. 2012. técnica do bordado.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

CELEBRAR Cultura. Cultura Popular e Artes Cênicas.


Grupo de Cultura Popular das
Disponível em: Rei dos Formas de http://goo.gl/
22 <http://celebrarcultura.webnode.com.br/>. Acesso em Temerosos
margens do "Velho Chico" na cidade
Expressão MovvpU
A2
de Januária.
02 mai. 2012.
CENTRO de Referência do Idoso. Disponível em:
Banco de imagens em todas as Saberes e http://goo.gl/L
23 <http://melhoridadepirapora.blogspot.com.br>. Acesso Artesanato
categorias ( 22 páginas ) Ofícios FBr1y
A2
em 31 mai. 2012.
CIDADES Invisíveis. Diário de Viagem Pirapora Família Dumond/ Peixeiro que criou
Buritizeiro. Disponível em: Família um Clube de Leitura/ Igreja de Bom Saberes e http://goo.gl/
24 <http://cidadesinvisiveispontao.blogspot.com.br>. Dumont Jesus de Matozinhos em Barra do Ofícios 371YK7
A2
Acesso em 28 mai. 2012. Guaicuí
CIDADES Invisíveis. Diário de Viagem Pirapora Família Dumond/ Peixeiro que criou
Igreja Bom Estruturas
Buritizeiro. Disponível em: um Clube de Leitura/ Igreja de Bom http://goo.gl/
25 <http://cidadesinvisiveispontao.blogspot.com.br>.
Jesus de
Jesus de Matozinhos em Barra do
Arquitetônicas e
371YK7
A2
Matozinhos Urbanísticas
Acesso em 28 mai. 2012. Guaicuí
CIDADES Invisíveis. Diário de Viagem Pirapora Família Dumond/ Peixeiro que criou
Buritizeiro. Disponível em: um Clube de Leitura/ Igreja de Bom Saberes e http://goo.gl/
26 <http://cidadesinvisiveispontao.blogspot.com.br>.
Peixeiro
Jesus de Matozinhos em Barra do Ofícios 371YK7
A2
Acesso em 28 mai. 2012. Guaicuí
CITY Brazil. Buritizeiro. Disponível em:
http://goo.gl/
27 <http://www.citybrazil.com.br/mg/buritizeiro/galeriafo Lugares Fotos de lugares atrativos Sítio
Crck02
A2
tos.php?imagem=540>. Acesso em 12 abr. 2012.
CITY Brazil. Carrancas. Disponível em:
Carranca que enfeita a praça junto Saberes e http://goo.gl/
28 <http://www.citybrazil.com.br/mg/itacarambi/galeria- Carranca
ao rio Ofícios 7I1Gmv
A2
de-fotos>. Acesso em 31 mai. 2012.

Página 53
CITY Brazil. Dados do Município. Disponível em:
Fotos do Galeria de Fotos de Pedras de Maria http://goo.gl/
29 <http://www.citybrazil.com.br/mg/pedrasmariacruz/gal
Município da Cruz
Sítio
A5w9mF
A2
eria-de-fotos/2>. Acesso em 10 mar. 2013.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

CITY Brazil. Galeria de Fotos de Buritizeiro. Disponível


Dados e http://goo.gl/F
30 em: <http://www.citybrazil.com.br/mg>. Acesso em 28 Buritizeiro Fotos representativas de lugares
Histórico KgEG6
A2
mai. 2012.
Fotos relativas a festejos populares e
CITY Brazil. Icaraí de Minas. Disponível em: Festejos e
de igrejas na qual podemos fazer Celebrações e http://goo.gl/j
31 <http://www.citybrazil.com.br/mg/buritizeiro/galeriafo celebrações
uma leitura que nos indica Ritos 6AEAf
A2
tos.php?imagem=540>. Acesso em 12 abr. 2012. populares
celebrações.
CITY Brazil. Mathias Cardoso Minas Gerais - Brasil.
Dados demográficos / Fotos e
Disponível em: <http://en.db- Dados e http://goo.gl/
32 city.com/Brazil/Minas_Gerais>. Acesso em 29 mai.
Lugares demais informações sobre a cidade
Histórico 0APFxn
A2
link via satélite
2012.
CITY Brazil. Pedras de Maria da Cruz - Dados do
Dados do
Município. Disponível em:
Município de Dados do Município de Pedras de Dados e http://goo.gl/
33 <http://www.citybrazil.com.br/mg/pedrasmariacruz/gal
Pedras de Maria da Cruz Histórico WxJTtU
A2
eria-de-fotos/2>. Acesso em 10 mar. 2013.
Maria da Cruz

CITY Brazil. Pirapora. Disponível em: Fotos da cidade onde são mostradas
Saberes e http://goo.gl/l
34 <http://www.citybrazil.com.br/mg/buritizeiro/galeriafo Pescaria imagens do Rio São Francisco,
Ofícios UdPVW
A2
tos.php?imagem=540>. Acesso em 12 abr. 2012. vapores e da prática da pescaria.
CITY Brazil. Pirapora. Disponível em: Fotos da cidade onde são mostradas
Rio São Paisagístico e http://goo.gl/l
35 <http://www.citybrazil.com.br/mg/buritizeiro/galeriafo
Francisco
imagens do Rio São Francisco,
Natural UdPVW
A2
tos.php?imagem=540>. Acesso em 12 abr. 2012. vapores e da prática da pescaria.
CITY Brazil. Pirapora. Disponível em: Fotos da cidade onde são mostradas
Bens Móveis ou http://goo.gl/l
36 <http://www.citybrazil.com.br/mg/buritizeiro/galeriafo Vapor imagens do Rio São Francisco,
Integrados UdPVW
A2
tos.php?imagem=540>. Acesso em 12 abr. 2012. vapores e da prática da pescaria.

Página 54
CITY Brazil. Travessia da Balsa em São Romão.
Balsa sobre o
Disponível em: Fotos contemplando várias Bens Móveis ou http://goo.gl/
37 <http://www.citybrazil.com.br>. Acesso em 03 mai.
Rio São
categorias culturais Integrados WwSqXQ
A2
Francisco
2012.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

COLÉGIO Web. Cidade de Itacarambi - MG. Disponível Estruturas


Igreja e http://goo.gl/
38 em: <http://www.colegioweb.com.br>. Acesso em 31
casario
Largo da Igreja e casario Arquitetônicas e
nuYtcF
A2
mai. 2012. Urbanísticas
COSTA, Andreia. Pirapora - Artesanato. Disponível em: Artesanato Pirapora Artesanato - Banco de
Saberes e http://goo.gl/
39 <artesanatopirapora.blogspot.com/2008/11>. Acesso (Fios e Imagens de artesanato de Pirapora
Ofícios qfBUXG
A2
em 29 mai. 2012. Madeira) (14 produtos)
COSTA, Andreia. Pirapora - Artesanato. Disponível em: Artesanato Produtos do Artesanato de Pirapora
Saberes e http://goo.gl/
40 <artesanatopirapora.blogspot.com/2008/11>. Acesso (Fios e e Várzea da Palma expostos na Feira
Ofícios PygZvw
A2
em 29 mai. 2012. Madeira) Nacional
CUNHA, Jackson. Manga. Disponível em: Banco de 07 fotos referentes às
Celebrações e http://goo.gl/r
41 <manga/mg:http://mangamg.no.comunidades.net/>. Festas festas realizadas em Manga e nas
Ritos Fg1sK
A2
Acesso em 11 abr. 2012. regiões adjacentes.
CUNHA, Jackson. Manga. Disponível em:
Fotos que mostram a cidade e seus http://goo.gl/
42 <manga/mg:http://mangamg.no.comunidades.net/>. Lugares
lugares com mais importância
Sítio
pLBkcn
A2
Acesso em 11 abr. 2012.
DIAMANTINO, Carlos. Matias Cardoso: os berços de
Fotos que mostram igrejas antigas,
Minas Gerais. Disponível em: Estruturas
tradições que são até hoje cultivadas http://goo.gl/
43 <http://carlosdiamantino.com/2011/11/29/matias- Igrejas Antigas
na beira do rio e manifestações de
Arquitetônicas e
E4vAKR
A2
cardoso-os-bercos-de-minas-gerais/>. Acesso em 11 Urbanísticas
religiosidade.
abr. 2012.
Navegação no Texto sobre a Navegação no Rio São
DIAMANTINO, Carlos. Pirapora - Salto dos Peixes dos
Vapor Francisco com Fotografia do Vapor Saberes e http://goo.gl/y
44 Cariris. Disponível em: <http://carlosdiamantino.com>.
Benjamim Benjamim Guimarães, de cachoeiras Ofícios 0yFp9
A2
Acesso em 20 mai. 2012.
Guimarães e carrancas
DRAGÕES do Velho Chico. Conterrâneos, n. 28, jan./fev.

Página 55
2011. Disponível em < Banco de imagens de carranqueiros Saberes e http://goo.gl/
45 http://oficinafranciscodlafuenteguarany.blogspot.com.
Carrancas
aprendizes. Ofícios pjLvbR
A2
br/2011/09/blog-post.html>. Acesso em 10 abr. 2012.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Acervo
Desenho a nanquim ilustrando os
particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Índio com arco primeiros habitantes, índio Formas de
46 Editora Dimensão, 1998. e flecha arqueando um arco para lançar Expressão
Raquel Helena A41
de Mendonça
flecha
e Paula -
Ilustração em nanquim de Acervo
embarcações várias, bem como particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Barcos, canoas Bens Móveis ou
47 Editora Dimensão, 1998. e vapores
remeiros, na lida junto ao Rio São
Integrados
Raquel Helena A41
Francisco. Págs. 16, 21, 23, 25, 28, de Mendonça
29, 50, 51, 52. e Paula -
Acervo
particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Desenhos a nanquim de carrancas. Saberes e
48 Editora Dimensão, 1998.
Carrancas
Págs. 82, 84, 85, 87. Ofícios
Raquel Helena A41
de Mendonça
e Paula -
Acervo
Caboclo d’água, Cobra grande ou particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Formas de
49 Editora Dimensão, 1998.
Lendas minhocão, mãe d’água, caboclo
Expressão
Raquel Helena A41
d’água. Págs. 36, 58, 78-80. de Mendonça
e Paula -
Acervo
Esboço em nanquim do percurso do
particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: O Rio São Rio São Francisco com registro de Paisagístico e
50 Editora Dimensão, 1998. Francisco casas, igrejas, povoados as suas Natural
Raquel Helena A41
de Mendonça
margens.
e Paula -
Acervo
Povo ribeirinho em inúmeras
particular

Página 56
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Povo situações cotidianas, plantando,
51 Editora Dimensão, 1998. ribeirinho dançando dentre outras. Págs. 22,
Lugares Raquel Helena A41
de Mendonça
36, 43, 44, 49, 67, 74, 75.
e Paula -

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Ilustração em nanquim de Acervo


embarcações várias, bem como particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: Mestres e
52 Editora Dimensão, 1998.
Remeiros remeiros, na lida junto ao Rio São
Praticantes
Raquel Helena A41
Francisco. Págs. 16, 21, 23, 25, 28, de Mendonça
29, 50, 51, 52. e Paula -
Acervo
Ilustração, em nanquim, de São particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: São Francisco Formas de
53 Editora Dimensão, 1998. de Assis
Francisco de Assis junto às águas.
Expressão
Raquel Helena A41
Págs. 11, 15, 31 e 57. de Mendonça
e Paula -
Imagens do
ESTAÇÕES Ferroviárias do Brasil. E. F. Central do Brasil.
Museu Imagens, antigas e recentes, da Estruturas
Disponível em: http://goo.gl/
54 <http://www.estacoesferroviarias.com.br/efcb_mg_ra
Cultural, antiga Estação Ferroviária, hoje Arquitetônicas e
PPdNdg
A2
antiga Estação Museu Cultural. Urbanísticas
mais/varzea.htm>. Acesso em 12 abr. 2012.
Ferroviária
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Vista do Rio Vista do Rio São Francisco, tiradas de Paisagístico e http://goo.gl/
55 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
São Francisco Buritizeiro. Natural QzlRNO
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Rio São Corredeiras, barrancos, paredões e Paisagístico e http://goo.gl/
56 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco vistas noturnas do Rio São Francisco. Natural QzlRNO
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Estruturas
Rua descalça da cidade onde teria http://goo.gl/
57 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Casario
morrido o Diadorim
Arquitetônicas e
QzlRNO
A2
p. Urbanísticas
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Vista do Rio Vista do Rio São Francisco, tiradas Paisagístico e http://goo.gl/

Página 57
58 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
São Francisco em Ibiaí. Natural QkdSQh
A2
p.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos


Vista da http://goo.gl/
59 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Cidade de Ibiaí
Vista da cidade Sítio
QkdSQh
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Ruínas da
Fotos artísticas de Ruinas em http://goo.gl/
60 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Igreja de
Mocambinho - Jaíba
Ruínas
QkdSQh
A2
p. Mocambinho
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Vale do Fotos de cavernas (2 fotos) Fotos de Arqueologia e Acervo Raquel
61 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Peruaçu pinturas rupestres (4 fotos) Espeleologia de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Rio São Uma canoa transportando pessoas, Acervo Raquel
62 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco fazendo a travessia do São Francisco
Lugares
de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Estruturas
Beirais e Detalhe dos beirais e casario de Acervo Raquel
63 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Casario Januária
Arquitetônicas e
de Paula
A41
p. Urbanísticas
Portais,
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Torres, Casario Detalhes de Portais, Torres e Casario Estruturas
Acervo Raquel
64 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 e Igreja Nossa e Igreja Nossa Senhora do Rosário (6 Arquitetônicas e
de Paula
A41
p. Senhora do Fotos) Urbanísticas
Rosário
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Estruturas
Casario do Brejo de São Caetano/ http://goo.gl/
65 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Casario
Manga
Arquitetônicas e
GM44lK
A2
p. Urbanísticas
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos

Página 58
Detalhe do Engenho da Fazenda Saberes e http://goo.gl/
66 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Engenho
Tabua, de Manoel Nunes Viana. Ofícios GM44lK
A2
p.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos


Detalhes do altar e imagens do Brejo Bens Móveis ou http://goo.gl/
67 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Objetos sacros
de São Caetano Integrados GM44lK
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Estruturas
Porto de Crianças em uma embarcação junto http://goo.gl/
68 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Manga ao Porto de Manga.
Arquitetônicas e
GM44lK
A2
p. Urbanísticas
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Vista de
Vista da cidade tendo o São http://goo.gl/
69 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Mathias
Francisco margeando as residências.
Sítio
3QDzf0
A2
p. Cardoso
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Mestres e http://goo.gl/
70 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Canoeiros Barqueiros no São Francisco
Praticantes 3QDzf0
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Igreja Matriz Estruturas
A igreja vista do alto e tendo atrás o http://goo.gl/
71 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Nossa Senhora
São Francisco
Arquitetônicas e
3QDzf0
A2
p. da Conceição Urbanísticas
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Rio São Vista do Rio São Francisco, em Paisagístico e http://goo.gl/
72 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco Matias Cardoso. Natural 3QDzf0
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Barra do Fotos do Rio São Francisco e de três Paisagístico e http://goo.gl/
73 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Mangaí moradores Natural wqg4VI
A2
p.
Igreja Nossa
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Estruturas
Senhora Foto da Igreja com detalhes laterais http://goo.gl/
74 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Imaculada das portas e das torres.
Arquitetônicas e
wqg4VI
A2

Página 59
p. Urbanísticas
Conceição

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos


Rio São Vistas noturnas do Rio São Francisco Paisagístico e http://goo.gl/
75 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco em Pedras de Maria da Cruz Natural wqg4VI
A2
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Rio São Três Barcos à vela a margem do São Acervo Raquel
76 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco Francisco
Sítio
de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Vista do São Acervo Raquel
77 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco
Vista do Rio - Barcos - Margens Sítio
de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Saberes e Acervo Raquel
78 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Cerâmica Duas Artesãs modelando cerâmicas
Ofícios de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Vista da
Vista da cidade com a Igreja em Paisagístico e Acervo Raquel
79 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Cidade de São
destaque Natural de Paula
A41
p. Francisco
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Festa do Carro Celebrações e Acervo Raquel
80 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
de Boi
Cortejo de carros de bois
Ritos de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Pratos típicos variados elaborados a Celebrações e Acervo Raquel
81 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Festa do Milho
partir do milho Ritos de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Grupo de Foliões com seus Celebrações e Acervo Raquel
82 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Folia de reis
instrumentos Ritos de Paula
A41

Página 60
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Festa de São Imagens, Igreja Brincadeiras da Festa Celebrações e Acervo Raquel
83 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
João de São João. Ritos de Paula
A41
p.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos


Canoeiro conduzindo canoa no São Mestres e Acervo Raquel
84 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Canoeiro
Francisco Praticantes de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Condutor de Condutor de barco ou balsa no Rio Mestres e Acervo Raquel
85 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Barco São Francisco Praticantes de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Lavadeiras às margens do São Saberes e Acervo Raquel
86 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Lavadeiras
Francisco Ofícios de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Vista noturna do São Francisco
Rio São Paisagístico e Acervo Raquel
87 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Francisco
tendo a cidade de São Romão ao
Natural de Paula
A41
p. Fundo
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Saberes e Acervo Raquel
88 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Cerâmica Modo de fazer cerâmica
Ofícios de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Bens Móveis ou Acervo Raquel
89 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Chapéu Artesã fazendo chapéu
Integrados de Paula
A41
p.
Umbuzeiro, umburana, pequizeiro,
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Espécies do gagaiteira, Flor de pequizeiro, Flor de Saberes e Acervo Raquel
90 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Cerrado umbuzeiro, fruto de tichá, embaré, Ofícios de Paula
A41
p.
(barriguda) ipê.
Fotos de uma feira com detalhes das
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Frutos do frutas: Coquinho Azedo, Pequi, Saberes e Acervo Raquel
91 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 A41

Página 61
Cerrado umbu, Panã e fotos de pés de pequi, Ofícios de Paula
p.
panã e buriti.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos


Mandioca e Saberes e Acervo Raquel
92 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120
Farinha
Modo de fazer Goma
Ofícios de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Saberes e Acervo Raquel
93 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Rapadura Processo do modo de fazer rapadura
Ofícios de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Igreja Bom
Ruína da Igreja Bom Jesus de Acervo Raquel
94 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Jesus de
Matozinhos
Ruínas
de Paula
A41
p. Matozinhos
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos
Paisagístico e Acervo Raquel
95 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 Rio das Velhas Vista da Barra do Rio das Velhas
Natural de Paula
A41
p.
FAGUNDES, Marcia Verssiane Gusmão e SILVEIRA, Yara
Maria Soares Costa da. Gestão do turismo sustentável
em Pirapora/MG: uma reflexão do uso comum da Banda de
Formas de http://goo.gl/
96 cultura como atrativo turístico e sua viabilidade para música Três de nd
Expressão YoMddM
A2
minimizar as diferenças sociais. Disponível em Maio
http://www.piraporaverde.com/blog/images/PDF/marc
ias.pdf, acessado em 10.05.2012
FAGUNDES, Marcia Verssiane Gusmão e SILVEIRA, Yara
Maria Soares Costa da. Gestão do turismo sustentável
em Pirapora/MG: uma reflexão do uso comum da Esculturas em
Artesanato talhado em madeira, Saberes e http://goo.gl/
97 cultura como atrativo turístico e sua viabilidade para madeira São
imagem de São Francisco/ ano 2007. Ofícios YoMddM
A2
minimizar as diferenças sociais. Disponível em Francisco
http://www.piraporaverde.com/blog/images/PDF/marc

Página 62
ias.pdf, acessado em 10.05.2012
FAGUNDES, Marcia Verssiane Gusmão e SILVEIRA, Yara Grupo Grupo folclórico Santa Cruz,
Saberes e http://goo.gl/
98 Maria Soares Costa da. Gestão do turismo sustentável Folclórico apresentação na Praça dos Cariris,
Ofícios YoMddM
A2
em Pirapora/MG: uma reflexão do uso comum da Santa Cruz em 2007.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

cultura como atrativo turístico e sua viabilidade para


minimizar as diferenças sociais. Disponível em
http://www.piraporaverde.com/blog/images/PDF/marc
ias.pdf, acessado em 10.05.2012
FOTOS da Cidade - Manga. Disponível em:
Dados demográficos / Fotos e Dados e http://goo.gl/
99 <http://www.mangacity.no.comunidades.net>. Acesso Cidade
demais informações sobre a cidade Histórico PKAZJq
A2
em 29 mai. 2012.
GALERY Artesanato. Disponível em: Artesanato às
Fotos que ilustram o Livro São Saberes e http://goo.gl/
100 <http://www.joseisraelabrantes.com.br >. Acesso em margens São
Francisco Rio Abaixo Ofícios GHxZA1
A2
31 mai.2012. Francisco
GALERY Artesanato. Disponível em: Artesanato ás
Fotos que ilustram o Livro São Saberes e http://goo.gl/
101 <http://www.joseisraelabrantes.com.br >. Acesso em margens São
Francisco Rio Abaixo Ofícios nc9xBS
A2
31 mai.2012. Francisco
GALERY Artesanato. Disponível em: Artesanato ás
Fotos que ilustram o Livro São Saberes e http://goo.gl/
102 <http://www.joseisraelabrantes.com.br >. Acesso em margens São
Francisco Rio Abaixo Ofícios 4k61FS
A2
31 mai.2012. Francisco
GODOY, M. M. Cana-de-Açúcar e Tradição: Breve Ensaio Cana-de-Açúcar e Tradição: Breve
Sobre o Evolver Histórico do Setor Agroaçucareiro de Ensaio Sobre o Evolver Histórico do
Ensaio Saberes e http://goo.gl/J
103 Minas Gerais, 1993. Disponível em:
Histórico
Setor Agroaçucareiro de Minas
Ofícios jAO3C
A2
<http://www.mao.org.br/fotos/pdf/biblioteca/godoy_0 Gerais. Disponível na biblioteca
1.pdf>. Acesso em 05 abr. 2013. virtual Museu Artes e Ofícios.
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Fotos representativas de Ofícios e
Saberes e https://goo.gl/
104 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. Ofício / saber Modos de Fazer, Lugares,
Ofícios 25w9sA
A2
2012. Celebrações de Pirapora e Ibiaí

Página 63
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Fotos representativas de Ofícios e
Celebrações e https://goo.gl/
105 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. Celebrações Modos de Fazer, Lugares,
Ritos 25w9sA
A2
2012. Celebrações de Pirapora e Ibiaí

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em:


Futebol na Formas de https://goo.gl/
106 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai.
praia
Várias Categorias ( 38 fotos)
Expressão 25w9sA
A2
2012.
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Festa às
Celebrações e https://goo.gl/
107 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. margens do Celebração
Ritos 25w9sA
A2
2012. rio
Praia, rio, por
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Estruturas
do sol, rua, https://goo.gl/
108 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai.
praça da
Várias Categorias ( 38 fotos) Arquitetônicas e
25w9sA
A2
2012. Urbanísticas
igreja, barco
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Fotos representativas de Ofícios e
https://goo.gl/
109 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. Lugares Modos de Fazer, Lugares, Sítio
25w9sA
A2
2012. Celebrações de Pirapora e Ibiaí
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Fotos representativas de Ofícios e
https://goo.gl/
110 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. Lugares Modos de Fazer, Lugares, Sítio
AxoQ2x
A2
2012. Celebrações de Pirapora e Ibiaí
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em: Fotos representativas de Ofícios e
Celebrações e https://goo.gl/
111 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 28 mai. Celebrações Modos de Fazer, Lugares,
Ritos AxoQ2x
A2
2012. Celebrações de Pirapora e Ibiaí
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em:
Fotos representativas do artesanato Saberes e https://goo.gl/
112 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 30 mai. Artesanato
de carrancas. Ofícios AxoQ2x
A2
2012.
IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em:
Margem do rio Fotos representativas da margem do Paisagístico e https://goo.gl/
113 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 30 mai. A2

Página 64
São Francisco Rio São Francisco Natural AxoQ2x
2012.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

utensílios domésticos artesanais de


IBIAÍ e Pirapora - (MG). Disponível em:
Mercado madeira, cachaça, castanhas, https://goo.gl/
114 <https://picasaweb.google.com>. Acesso em 30 mai.
municipal comidas típicas, condimentos,
Lugares
AxoQ2x
A2
2012.
carranca
Secretaria
O Alto dos
Municipal de
Reis
IEPHA/MG. Inventário de Proteção do Acervo Cultural. imagens de apresentação do Terno Formas de Cultura,
115 Ano 2010, exercicio 2011. Quadro II.
Temerosos ou
do Rei dos Cacetes Expressão Esporte e
A23
Dança dos
Lazer. São
Cacetes
Francisco/MG
Secretaria
Municipal de
IEPHA/MG. Inventário de Proteção do Acervo Cultural. Festa do Boi- Celebrações e Cultura,
116 Ano 2010, exercicio 2011. Quadro II. de-Reis
Imagem de variações de Bois de Reis
Ritos Esporte e
A23
Lazer. São
Francisco/MG
Reproduções coloridas escaneadas
[34 fotos]. Fachada principal da
escola; entrada escola; escada
acesso ao hall; hall; vista frontal -
janelas lado direito; entrada
Escola
principal; hall; quadro [hall] em
Estadual
IEPHA/MG. Manga. Prefeitura Municipal. Dossiê de homenagem a Olegário Maciel; vista Estruturas
Presidente IEPHA, ICMS,
117 Tombamento E.E. Presidente Olegário Maciel. Manga,
Olegário
interna do hall; corredor de acesso; Arquitetônicas e
2003.
A9
2002. piso corredor; placa inaugural; salas Urbanísticas
Maciel e
de aula; piso da sala de aula; vista
entorno.
interna da sala de aula; janelas da

Página 65
sala de aula; vista lateral esquerda e
direita do pátio interno; vista
escadaria; balaústra da varanda;
escadaria acesso escorredor; piso do
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

corredor e coluna; vista externa do


lado direito da escola; entrada do
porão; vista parcial da 3ª ala;
entrada do porão lado esquerdo;
porão; painel pintado. Entorno:
Praça Padre Ricardo - vista da Igreja
Matriz Nossa Senhora Aparecida;
Rua Olegário Maciel, Cartório de Paz
e Registro Civil localizado na Rua
Olegário Civil; Rua Coronel Joaquim
Lôpo.
IMAGO Design. Diagnóstico dos Núcleos de Produção
Diagnóstico dos núcleos de produção Saberes e http://goo.gl/
118 de Palha de Bananeira.Disponível em: Artesanato
de palha de Bananeira. Ofícios CDVBPS
A2
<http://imagodesign.com.br>. Acesso em 28 mai. 2012.
Construído em 1913, recebe o nome
em homenagem ao patriarca da
Inventário de Patrimônio Cultural e Natural do Norte de Vapor família proprietária da firma. Em
Bens Móveis ou
119 Minas Gerais. Museu Regional Norte de Minas. Benjamim 10.08.1985, o Benjamim é tombado
Integrados
NUHICRE A35
Edificações. 2008 Guimarães pelo IEPHA e voltou a navegar nas
águas do Velho Chico na manhã do
dia 11 de agosto de 2004.

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Grupo Reis do O grupo cantando e vendo o boi Formas de
120 Fichas. Boi pelas ruas da cidade Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


121 Cantadeiras Cantadeiras do grupo Reis do Boi NUHICRE A35

Página 66
Fichas. Expressão

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O vaqueiro atiça o boi e começa a


ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. apresentação. O vaqueiro mata o Formas de
122 Fichas.
Vaqueiro
boi. O boi ressuscita e dança com o Expressão
NUHICRE A35
vaqueiro.

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Mulinha de Apresenta-se para entrar. Quando Formas de
123 Fichas. ouro atiçada pelo vaqueiro, dá coices. Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


124 Fichas.
Sabiá Entra na roda e voa
Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


125 Fichas.
Caboclas Encenam com arco e flecha
Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


126 Fichas.
Luis Caipora nd
Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Dançam requebrando e rolam pelo Formas de
127 Fichas.
Os negros
chão Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


128 Fichas.
Nêga feiticeira Sapateia, muito séria
Expressão
NUHICRE A35

Catariana,
ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de
129 nega do Arrasta as pessoas para dançar NUHICRE A35

Página 67
Fichas. Expressão
bambá

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. História da Formas de


130 Fichas. Ema
Caminha lentamente pela roda
Expressão
NUHICRE A35

ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Formas de


131 Fichas.
Tamanduá Apresenta-se saltitante
Expressão
NUHICRE A35

A fera é temida por todas as


ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. História da Formas de
132 Fichas. Fera
criancinhas. Atiçada pelo vaqueiro,
Expressão
NUHICRE A35
corre no meio do povo.
Após todas as apresentações, tem
ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. um animado samba de roda e os Formas de
133 Fichas.
Samba de roda
personagens chamam o dono da Expressão
NUHICRE A35
casa para sambar.
Manifestação popular que acontece
desde a década de 1970. Acontece
nas ruas da cidade. O Reis começa
sempre depois do dia 08 de janeiro
de cada ano, conta com 70
ITACARAMBI. Expressão cultural. Álbum de Cultura. Celebrações e
134 Fichas.
Reis do boi participantes. As danças discorrem
Ritos
NUHICRE A35
costumes e tradições das tribos
indígenas. Reproduzem com muita
propriedade também as tradições
africanas, numa alusão aos povos
tribais africanos.
JAÍBA. Prefeitura Municipal. Disponível em:
Fotos de manifestações populares Celebrações e http://goo.gl/
135

Página 68
<http://www.jaiba.mg.gov.br/>. Acesso em 13 abr. Carnaval A13
como carnaval e outras festas. Ritos CtOcNc
2012.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

JANUÁRIA Terra Amada. Disponível em:


Artesãos e Saberes e http://goo.gl/
136 <http://januariaminas.blogspot.com.br>. Acesso em 29
artesanatos
Fotos de Artesãos e produtos
Ofícios 9aciPm
A2
mai. 2012.
Projeto de Cinema no Rio São
Francisco: "Da Música Barranqueira
JEGUIANDO. Buritizeiro, MG - Da música barranqueira e
aos peixes que voam": Fotos de
dos peixes que voam (Cinema no Rio São Francisco).
Apresentações Buritizeiro - Vista com excelente Formas de http://goo.gl/
137 Disponível em:
folclóricas qualidade: Ponte Marechal Hermes, Expressão wcXBeB
A2
<http://jeguiando.com/2012/05/07/buritizeiro-mg/>.
Corredeiras do Rio São Francisco -
Acesso em 12 mai. 2012.
das praças, das ruas , das ruínas,
apresentações folclóricas.
Projeto de Cinema no Rio São
Francisco: "Da Música Barranqueira
JEGUIANDO. Buritizeiro, MG - Da música barranqueira e
aos peixes que voam": Fotos de
dos peixes que voam (Cinema no Rio São Francisco). Ponte Estruturas
Buritizeiro - Vista com excelente http://goo.gl/
138 Disponível em: Marechal
qualidade: Ponte Marechal Hermes,
Arquitetônicas e
wcXBeB
A2
<http://jeguiando.com/2012/05/07/buritizeiro-mg/>. Hermes Urbanísticas
Corredeiras do Rio São Francisco -
Acesso em 12 mai. 2012.
das praças, das ruas , das ruínas,
apresentações folclóricas.
Projeto de Cinema no Rio São
Francisco: "Da Música Barranqueira
JEGUIANDO. Buritizeiro, MG - Da música barranqueira e
aos peixes que voam": Fotos de
dos peixes que voam (Cinema no Rio São Francisco). Corredeiras do
Buritizeiro - Vista com excelente Paisagístico e http://goo.gl/
139 Disponível em: Rio São
qualidade: Ponte Marechal Hermes, Natural wcXBeB
A2
<http://jeguiando.com/2012/05/07/buritizeiro-mg/>. Francisco
Corredeiras do Rio São Francisco -
Acesso em 12 mai. 2012.
das praças, das ruas , das ruínas,
apresentações folclóricas.

Página 69
JEGUIANDO. Buritizeiro, MG - Da música barranqueira e Projeto de Cinema no Rio São
dos peixes que voam (Cinema no Rio São Francisco). Francisco: "Da Música Barranqueira http://goo.gl/
140 Disponível em:
Praças e ruas
aos peixes que voam": Fotos de
Lugares
wcXBeB
A2
<http://jeguiando.com/2012/05/07/buritizeiro-mg/>. Buritizeiro - Vista com excelente
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Acesso em 12 mai. 2012. qualidade: Ponte Marechal Hermes,


Corredeiras do Rio São Francisco -
das praças, das ruas , das ruínas,
apresentações folclóricas.
O acervo da fotógrafa é formado por
JEGUIANDO. Buritizeiro, MG - Da música barranqueira e 16 fotos na qual algumas delas
dos peixes que voam (Cinema no Rio São Francisco). fazem referência a lugares e outras a
http://goo.gl/
141 Disponível em: Buritizeiro festejos que acontecem na cidade Sítio
WKg76U
A2
<http://jeguiando.com/2012/05/07/buritizeiro-mg/>. com é o caso de uma apresentação
Acesso em 14 mai. 2012. de música barranqueira, além de
imagens de carrancas.
LAPA do Espírito Santo, em Pintópolis. Disponível em: Várias imagens do município onde se
Banco de http://goo.gl/
142 <http://lapadoespiritosanto.blogspot.com>. Acesso em
Imagens
destacam lugares e Celebrações Sítio
UTVNU5
A2
29 mai. 2012. locais
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social A folia sai por volta das 19h da casa
Terno de Folia
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no de Seu Carlos, percorre um longo Saberes e http://goo.gl/L
143 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Garça Branca
trajeto pela cidade, principalmente a Ofícios 62g95
A33
Peito de Aço
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. pé.
Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Todos estão dispostos e organizados
Dança de São
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no em duas filas, uma ao lado da outra. Formas de http://goo.gl/
144 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Gonçalo - 1ª
Os arcos unidos com fita passam Expressão 9nVlX6
A33
Roda
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. dentro de cada dupla da fila
Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar

Página 70
Cada dupla da fila une seus arcos
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Dança de São
com o arco do companheiro que está Formas de http://goo.gl/
145 da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Gonçalo - 2ª
por detrás. A roda é repetida por Expressão 9nVlX6
A33
Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em Roda
três vezes
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.

LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar


culturas populares, colher patrimônios: a gestão social Os arcos são mantidos abaixados
Dança de São
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no enquanto os dançantes pulam, Formas de http://goo.gl/
146 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Gonçalo - 3ª
batendo os pés juntos, cruzando um Expressão 9nVlX6
A33
Roda
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. com o outro.
Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
Dança de São Os arcos levantados giram em torno
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Formas de http://goo.gl/
147 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Gonçalo - 4ª de cada membro da fila, um para a
Expressão 9nVlX6
A33
Roda esquerda, outro para a direita.
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.
LEAL, Alessandra Fonseca. Semear cultura, cultivar
Arcos unidos, estando o
culturas populares, colher patrimônios: a gestão social
Dança de São companheiro da frente diante do
da cultura popular às margens do Rio São Francisco no Formas de http://goo.gl/
148 Norte de Minas. 2011. 232 f. Dissertação (Mestrado em
Gonçalo - 5ª companheiro de trás, ambos
Expressão 9nVlX6
A33
Roda circundam a fila lateral em torno dos
Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia.
integrantes de cada dupla.
Universidade Federal de Uberlêndia, Uberlândia. 2011.
Fotografia das Cavernas do Peruaçu,
localizada nas proximidades dos
LEPIDOPTERA. Unidades de conservação. Disponível em municípios de Itacarambi e Januária,
Cavernas do Arqueologia e http://goo.gl/
149 <http://www.lepidoptera.datahosting.com.br/unidades
Peruaçu
no norte de Minas Gerais, próximo a
Espeleologia Dqw5On
A2
.htm>. Aceso em 11 abr. 2012. calha do Rio S. Francisco,
caracterizada pelas formações

Página 71
rochosas de origem calcária.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

MATIZES Bordados Dumont. Disponível em: Ofícios e Blog de divulgação do trabalho da


Saberes e http://goo.gl/Z
150 <http://www.matizesbordadosdumont.com/portu/fami Modos de Família Dumond - Bordadeiras de
Ofícios sdLhA
A2
lia.asp>. Acesso em 28 mai. 2012. Fazer Pirapora
Derivado de
Fios -
MATIZES Dumont. Disponível em: Produção de Página no Facebook com inúmeras
Saberes e http://goo.gl/
151 <http://www.facebook.com/pages/Matizes- Bordados - fotos dos bordados da família
Ofícios YKR7fl
A2
Dumont/309842809129076>. Acesso em 07 jan. 2013. Associação Dumond.
Matizes
Dumond
MATUCK, Rubens. Grupo Bananarte Jaíba. Disponível Vários artesãos reunidos fazem e
Saberes e https://goo.gl/
152 em: <http://josemachado.wordpress.com>. Acesso em Artesanato mostram seus trabalhos com palha
Ofícios CClrV7
A2
28 mai. 2012. de banana
MICRORREGIÃO de Pirapora. Disponível em:
<http://www.minas- Cachoeira das Dados gerais sobre a Cachoeira das Paisagístico e http://goo.gl/x
153 gerais.net/diretorio/index.php?cat_id=823&cat_id_thm Andorinhas Andorinhas, em Pirapora. Natural klcYS
A2
=2>. Acesso em 03 abr. 2012.
MINAS Vaquejada. Disponível em: Vaquejada de Galeria constituída por várias fotos
Celebrações e http://goo.gl/
154 <http://www.minasvaquejada.com.br/>. Acesso em 10 Icaraí de que ilustram onde é realizada a
Ritos 5GLmXE
A2
mai. 2012. Minas vaquejada.
MINAS Vaquejada. Disponível em:
Vaquejada de Celebrações e http://goo.gl/j
155 <http://www.minasvaquejada.com.br/>. Acesso em 10
Ponto Chique
Variadas fotos do local e de pessoas.
Ritos MQq07
A2
mai. 2012.
O acervo constitui-se com 21 fotos
MINAS Vaquejada. Disponível em: da localidade onde aconteçe o
Vaquejada de Celebrações e http://goo.gl/

Página 72
156 <http://www.minasvaquejada.com.br/>. Acesso em 10
São Francisco
evento,como das pessoas que
Ritos BTLHeU
A2
mai. 2012. passam por lá. As fotos datam o ano
de 2010.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Miniaturas
sobre cultura
MINEIRIDADES. Miniaturas. Disponível em: São miniaturas representativas das Bens Móveis ou http://goo.gl/t
157 <http://www.facebook.com>. Acesso em 30 mai. 2012.
popular do
Festas Populares de Minas Gerais Integrados xrAV9
A2
Norte de
Minas
MOURA, Gisele. Ilustrações e vinhetas para o livro
Ilustrações e vinhetas para o livro
Batuquim vai abaixo? Ele não vai não!. Disponível em: Ilustrações de Formas de http://goo.gl/
158 <http://gisele-moura.blogspot.com.br>. Acesso em 28 batuque
Batuquim vai abaixo? Ele não vai
Expressão Khn2lp
A2
não!
mai. 2012.
Navegação no
Texto e Fotos sobre a Navegação no
São
NAVEGAÇÃO do São Francisco. Disponível em: Rio São Francisco com Fotografia do Saberes e http://goo.gl/
159 <http://s.glbimg.com>. Acesso em 29 mai. 2012.
Francisco/Benj
Vapor Benjamim Guimarães com Ofícios hEu06e
A2
amim
tripulação.
Guimarães
PANORAMIO. Artesanato de Pirapora. Carranca.
Artesanato de Saberes e http://goo.gl/
160 Disponível em: <http://www.panoramio.com>. Acesso
Pirapora
Artesanato e carrancas de Pirapora
Ofícios V132SH
A2
em 29 mai. 2012.
PANORAMIO. Ponte de Ibiaí para Ponto Chique e outras
Ponte de Ibiaí
fotos de lugares. Disponível em:
para Ponto Ponte sobre o Rio são Francisco Estruturas
<http://www.panoramio.com>. Acesso em 30 mai. http://goo.gl/
161 2012.
Chique e ligando os municípios Ibiaí e Ponto Arquitetônicas e
34W39S
A2
outras fotos Chique Urbanísticas
de lugares
Por do sol em
PANORAMIO. Por do Sol em Ibiaí e outras fotos da
Ibiaí e outras Foto do por do sol tendo o Rio São Paisagístico e http://goo.gl/Z
162 cidade. Disponível em: <http://www.panoramio.com>.
fotos da Francisco em primeiro plano Natural csIqF
A2
Acesso em 30 mai. 2012.
cidade

Página 73
PARÓQUIA Divino Espírito Santo. Caboclos. Disponível
Resumo e fotografias dos caboclos Celebrações e http://goo.gl/j
163 em: <http://www.espiritosantomg.com.br/sao-romao- Congado
de São Romão Ritos NZoxy
A2
mg/caboclos/>. Acesso em 28 out. 2014.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Livro com informações históricas de


PEREIRA, Antônio Emílio. Relicário Fotográfico. Belo Informações Dados e http://goo.gl/k
164 Horizonte: Autor, 2008. históricas
Januária organizado por meio de
Histórico feiir
A2
fotografias.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
em: Artesanato Fotos de artesanato de Pirapora e Saberes e http://goo.gl/s
165 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot (madeira) Carrancas barcos em miniatura Ofícios 5wDIi
A2
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
em: http://goo.gl/s
166 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot
Lugares Fotos de Lugares Sítio
5wDIi
A2
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: Artesanato Saberes e http://goo.gl/z
167 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot (madeira)
Pirapora/ Carrancas barcos em
Ofícios XBHHk
A2
miniatura
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: http://goo.gl/
168 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot
Lugares Pirapora/ Carrancas barcos em Sítio
uhLGR6
A2
miniatura
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: Artesanato Saberes e http://goo.gl/
169 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot (madeira)
Pirapora/ Carrancas barcos em
Ofícios uhLGR6
A2
miniatura
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: http://goo.gl/
170 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot
Lugares Pirapora/ Carrancas barcos em Sítio
mnZD98
A2
miniatura

Página 74
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível Fotos de Lugares/ Artesanato de
Artesanato Saberes e http://goo.gl/
171 em:
(madeira)
Pirapora/ Carrancas barcos em
Ofícios mnZD98
A2
<http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot miniatura
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.

PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível


Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: Artesanato Saberes e http://goo.gl/
172 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot (madeira)
Pirapora/ Carrancas barcos em
Ofícios DkslXu
A2
miniatura
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
PEREIRA, Rogério Santos. Fotos de lugares. Disponível
Fotos de Lugares/ Artesanato de
em: http://goo.gl/
173 <http://www.panoramio.com/user/436210?with_phot
Lugares Pirapora/ Carrancas barcos em Sítio
DkslXu
A2
miniatura
o_id=3307516>. Acesso em 28 mai. 2012.
Banco de imagens (100 imagens )
PIRAPORA - MG. Disponível em:
Sobre Pirapora e Região Formas de http://goo.gl/l
174 <http://br.images.search.yahoo.com>. Acesso em 29 Expressão
Lugares, Ofícios e Modos de Fazer, Expressão URp9c
A2
mai. 2012.
Expressões, Celebrações
Banco de imagens (100 imagens )
PIRAPORA - MG. Disponível em:
Banco de Sobre Pirapora e Região http://goo.gl/l
175 <http://br.images.search.yahoo.com>. Acesso em 29
Imagens Lugares, Ofícios e Modos de Fazer,
Sítio
URp9c
A2
mai. 2012.
Expressões, Celebrações
Banco de imagens (100 imagens )
PIRAPORA - MG. Disponível em:
Sobre Pirapora e Região Celebrações e http://goo.gl/l
176 <http://br.images.search.yahoo.com>. Acesso em 29 Celebração
Lugares, Ofícios e Modos de Fazer, Ritos URp9c
A2
mai. 2012.
Expressões, Celebrações
12 postais com imagens da Flora do
Cerrado no trecho entre Pirapora e
PIRAPORA a Manga em Postais, De.Quatro série de 12 Flora do Paisagístico e Acervo Raquel
177 cartões postais. Cerrado
Manga - Imagens de Gagaiteras e
Natural de Paula
A41

Página 75
Aroeiras em Flor - Butritis, Paineiras -
Ipês, dentre outros

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

12 postais com imagens da Flora do


Cerrado no trecho entre Pirapora e
PIRAPORA a Manga em Postais, De.Quatro série de 12 Flora do Paisagístico e Acervo Raquel
178 cartões postais. Cerrado
Manga - Imagens de Gagaiteras e
Natural de Paula
A41
Aroeiras em Flor - Butritis, Paineiras -
Ipês, dentre outros
PIRES, Maria Coeli Simões. MG - Pedras de Maria da
Cidade de
Cruz. Disponível em: http://goo.gl/z
179 <http://www.efecade.com.br/pedras-de-maria-da-cruz-
Pedras de Fotos de Pedras de Maria da Cruz Sítio
4EId1
A2
Maria da Cruz
minas-gerais/>. Acesso em 27 abr. 2013.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Imbiaí MG.
Disponível em: Fotos de lugares como igrejas, grutas Celebrações e http://goo.gl/
180 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3203/ibiai-mg.html>.
Festejos
e festejos Ritos AcpVd7
A2
Acesso em 12 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Imbiaí MG.
Estruturas
Disponível em: Fotos de lugares como igrejas, grutas http://goo.gl/
181 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3203/ibiai-mg.html>.
Igrejas
e festejos
Arquitetônicas e
AcpVd7
A2
Urbanísticas
Acesso em 12 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Imbiaí MG.
Disponível em: Fotos de lugares como igrejas, grutas Arqueologia e http://goo.gl/
182 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3203/ibiai-mg.html>.
Grutas
e festejos Espeleologia AcpVd7
A2
Acesso em 12 abr. 2012.
Álbum composto por 17 fotos onde
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Itacarambi MG. podem ser vistas imagens relativas a Estruturas
Igrejas e http://goo.gl/
183 Disponível em: <http://www.ferias.tur.br/index.asp>.
carrancas
igrejas como Matriz do Sagrado Arquitetônicas e
OFgLyF
A2
Acesso em 03 mai. 2012. Coração de Jesus e Igrejinha de Urbanísticas
Itacarambi.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Januária/MG.

Página 76
Disponível em: Lugares Fotos indicativas de celebrações e http://goo.gl/
184 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3291/januaria- turísticos lugares turísticos.
Lugares
89cTMb
A2
mg.html>. Acesso em 13 abr. 2012.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Januária/MG.


Disponível em: Fotos indicativas de celebrações e Celebrações e http://goo.gl/
185 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3291/januaria-
Festas
lugares turísticos. Ritos 89cTMb
A2
mg.html>. Acesso em 13 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Pedras de Maria
Fotos de
da Cruz. Disponível em: http://goo.gl/
186 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3569/pedras-de-maria-
Pedras de Imagens que mostra religiosidade Sítio
NZNKK0
A2
Maria da Cruz
da-cruz-mg.html>. Acesso em 12 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de São João das
Missões. Disponível em: Lugares Fotos indicativas de celebrações e http://goo.gl/L
187 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3856/sao-joao-das- turísticos lugares turísticos.
Sítio
SoasL
A2
missoes-mg.html>. Acesso em 13 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de São João das
Missões. Disponível em: Fotos indicativas de celebrações e Celebrações e http://goo.gl/L
188 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3856/sao-joao-das-
Celebrações
lugares turísticos. Ritos SoasL
A2
missoes-mg.html>. Acesso em 13 abr. 2012.
PORTAL Férias. As mais lindas fotos de Ubaí MG.
Disponível em: Celebrações e Imagens que remetem a celebrações Celebrações e http://goo.gl/
189 <http://www.ferias.tur.br/fotos/4044/ubai-mg.html>. festejos e festejos Ritos Mo0h91
A2
Acesso em 12 abr. 2012.
PORTAL Férias. Carrancas. Disponível em:
Carranca que enfeita a praça junto Saberes e http://goo.gl/L
190 <http://www.ferias.tur.br/fotos>. Acesso em 31 mai. Carranca
ao rio Ofícios gWCTm
A2
2012.
Fotos relativas a igreja de N. Sra.
PORTAL Férias. Disponível em: Igreja Nossa Estruturas
Aparecida na comunidade de ponto http://goo.gl/
191 <http://www.ferias.tur.br/fotos/3644/ponto-chique- Senhora
chique e outras da cidade e do rio
Arquitetônicas e
WFRKqk
A2
mg.html>. Acesso em 12 abr. 2012. Aparecida Urbanísticas

Página 77
São Francisco
PORTAL Férias. Itacarambi. Disponível em: Álbum composto por 17 fotos onde
Cidade de http://goo.gl/
192 <http://www.ferias.tur.br/index.asp>. Acesso em 3 mai.
Itacarambi
podem ser vistas imagens relativas a Sítio
OFgLyF
A2
2012. igrejas como Matriz do Sagrado
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Coração de Jesus, Igrejinha de


Itacarambi, além do Estádio
Municipal e algumas imagens de
carranca que estão localizadas nas
pracinhas da cidade.
Fotos tiradas na travessia do Rio São
Francisco em São Francisco / tiradas
PROJETO Uniarte/UNIMONTES. Disponível em: Rio São http://goo.gl/f
193 <http://www.facebook.com>. Acesso em 25 mai. 2012. Francisco
da balsa/ com ribeirinhos/ com Sítio
QCgbr
A2
lavadeiras/ com animais e carroças,
dentre outras.
RUGENDAS, Johann Moritz. Préparation de la racine de
mandiocca. Paris [França]: Engelmann, 1835. Disponível
Farinha de Imagem da preparação da farinha de Saberes e http://goo.gl/
194 em:
Mandioca mandioca por escravos Ofícios 3EJO8A
A2
<http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_iconografia/i
con92944d4i7.jpg>. Acesso em 26 mar. 2013.
Acervo formado por 90 fotos onde
SÃO Francisco agora. Disponível em: são mostrados os cavaleiros do São
Cavaleiros do Mestres e http://goo.gl/
195 <//blogdopiaui.wordpress.com/>. Acesso em 14 mai.
São Francisco
Francisco. Homens e mulheres
Praticantes TZw8H0
A2
2012. participam da festa, se deslocando
em carroças e cavalos.
SÃO Francisco agora. Disponível em: Acervo com fotos que mostram
Locais em São http://goo.gl/
196 <//blogdopiaui.wordpress.com/>. Acesso em 14 mai.
Francisco
igrejas e locais na cidade, além de Sítio
TZw8H0
A2
2012. um mercadinho.
No total são 27 fotos que vem
SÃO Francisco MG. Disponível em:
mostrar alguns locais na cidade http://goo.gl/
197 <http://www.saofranciscomg.com.br/>. Acesso em 24 Cidade
como por exemplo a igreja, o rio e
Sítio
eFpvsw
A2
mai. 2012.
algumas praças.

Página 78
SÃO Francisco MG. Disponível em: Estruturas
http://goo.gl/
198 <http://www.saofranciscomg.com.br/home.php>. Igreja Fotos da Igreja de São Francisco Arquitetônicas e
eFpvsw
A2
Acesso em 13 abr. 2012. Urbanísticas
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SÃO Francisco Vivo. Itacarambi - MG. Disponível em:


Rio São Fotos de todas as categorias Paisagístico e http://goo.gl/
199 <http://www.saofranciscovivo.com.br>. Acesso em 29
Francisco culturais Natural A3a3TH
A2
mai. 2012.
SÃO FRANCISCO. Prefeitura Municipal. Fotos da Cidade.
Disponível em: Fotos de lugares/ Artesanato / http://goo.gl/S
200 <http://www.prefeituradesaofrancisco.mg.gov.br>.
Cidade
barcos / Artesãos
Sítio
4y2KP
A4
Acesso em 29 mai. 2012.
São Romão - Disponível em
São Romão - texto e fotos da cidade Dados e http://goo.gl/
201 http://lulanaoleu.blogspot.com - Acessado em São Romão
com aspectos históricos e culturais Histórico 3tWa11
A2
30/05/2012
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Itacarambi.
Arqueologia e
202 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Arte Rupestre nd
Espeleologia
NUHICRE A35
Social.
Artesanato em
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Itacarambi.
Madeira - Saberes e
203 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Miniatura de
nd
Ofícios
NUHICRE A35
Social.
Barcos
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Itacarambi.
Celebrações e
204 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Cavalgada nd
Ritos
NUHICRE A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Itacarambi.
Foto da Carranca que decora o largo Saberes e
205 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Carranca
junto ao Rio Ofícios
NUHICRE A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Itacarambi.
206

Página 79
Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Vista da Praça Praça com coreto Lugares NUHICRE A35
Social.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Dança de São demonstração de uma dança Formas de NUHICRE -
207 Município Aprovado pela Edição 2006. Gonçalo tradicional Expressão Sala 69
A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Formas de NUHICRE -


208 Município Aprovado pela Edição 2006.
Capoeira nd
Expressão Sala 69
A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Grupo de dança demonstrando o Formas de NUHICRE -
209 Município Aprovado pela Edição 2006.
Maculelê
maculelê. Expressão Sala 69
A35

Foliões -
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Mestres e NUHICRE -
210 Município Aprovado pela Edição 2006.
Tocadores de Dois Foliões tocando caixas de folias
Praticantes Sala 69
A35
caixa de folia
Um carroceiro transportando um
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Saberes e NUHICRE -
211 Município Aprovado pela Edição 2006.
Carroceiro grande cesto de vime em sua
Ofícios Sala 69
A35
carroça.

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Estante onde estão expostas vários Saberes e NUHICRE -
212 Município Aprovado pela Edição 2006.
Cachaça
marcas de cachaças Ofícios Sala 69
A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Bens Móveis ou NUHICRE -


213 Município Aprovado pela Edição 2006.
Pilões Artesanato em Madeira Pilões
Integrados Sala 69
A35

Terno dos
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Temerosos ou Celebrações e NUHICRE -
214 Município Aprovado pela Edição 2006. Reis dos
nd
Ritos Sala 69
A35

Página 80
Cacetes

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Celebrações e NUHICRE -


215 Município Aprovado pela Edição 2006.
Coroação Anjinhos no altar coroando Maria
Ritos Sala 69
A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Festa de São Crianças demonstrando a dança de Celebrações e NUHICRE -
216 Município Aprovado pela Edição 2006. Gonçalo São Gonçalo Ritos Sala 69
A35

Grupo de Marinheiros
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Reis dos Celebrações e NUHICRE -
217 Município Aprovado pela Edição 2006. Temerosos
demonstrando a dança com os
Ritos Sala 69
A35
bastões.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Saberes e NUHICRE -
218 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Doces Caseiros Dois vidros de compotas caseiras
Ofícios Sala 69
A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Artesanato em
Esculturas em madeira (imbuia) de Saberes e NUHICRE -
219 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Madeira -
boizinhos Ofícios Sala 69
A35
Social. Boizinho
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Miniatura de Artesanato em Madeira - Buriti (1 Saberes e NUHICRE -
220 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Barcos Foto) Miniatura de Barcos Ofícios Sala 69
A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Artesanato em Madeira - Barco com Saberes e NUHICRE -
221 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Carrancas
Carrancas Ofícios Sala 69
A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Cerâmica em Várias fotos de cerâmica - Cerâmica Saberes e NUHICRE -
222 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Januária no torno sendo modelada. Ofícios Sala 69
A35

Página 81
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Arroz com Saberes e NUHICRE -
223 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Pequi
nd
Ofícios Sala 69
A35
Social.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.


Farmacopeia Saberes e NUHICRE -
224 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
popular
nd
Ofícios Sala 69
A35
Social.
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária.
Fios (Bordados Saberes e NUHICRE -
225 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
e Crochet)
nd
Ofícios Sala 69
A35
Social.
Feira de
Artesanato
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. (Aguardente -
NUHICRE -
226 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Rapadura - nd Lugares
Sala 69
A35
Social. Bolos e broas -
Farinha de
mandioca)
Casario - Rio -
Casa da
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. Estruturas
Cultura - Foto NUHICRE -
227 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
antiga das
nd Arquitetônicas e
Sala 69
A35
Social. Urbanísticas
embarcações -
Peruaçu
Bonecos
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Januária. participantes
Dona Elza e os bonecos participantes Formas de NUHICRE -
228 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação da
da manifestação do reis de bois Expressão Sala 69
A35
Social. manifestação
Reis de Bois
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Pirapora. Vários tipos de artesanato em
Artesanato em Saberes e
229 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação madeira (colheres - carrancas - NUHICRE A35

Página 82
Madeira Ofícios
Social. pilões - gamelas)

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Pirapora. Bordados


Vários peças com bordados da Saberes e
230 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Família
Família Dumond Ofícios
NUHICRE A35
Social. Dumond
Culinária
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Pirapora.
Regional - Panelas de barro com moqueca de Saberes e
231 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Muqueca de peixe Ofícios
NUHICRE A35
Social.
Peixe
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Pirapora. Ponte Estruturas
Vários ângulos do São Francisco
232 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Marechal
tendo a ponte como detalhe
Arquitetônicas e NUHICRE A35
Social. Hermes Urbanísticas
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Pirapora.
Vista do Rio Paisagístico e
233 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
São Francisco
nd
Natural
NUHICRE A35
Social.
Acervo
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de São Romão.
Saberes e Nuhicre/ Sala
234 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação Pastorinhas nd
Ofícios 69 CCH/
A35
Social.
Unimontes
Acervo
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de São Romão.
Batuque da Formas de Nuhicre/ Sala
235 Município Aprovado pela Edição 2006. Participação
Ernestina
nd
Expressão 69 CCH/
A35
Social.
Unimontes
Fotos apresentando o processo de
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Saberes e
236 Aprovado pela Edição 2006.
Alambique fabricação de cachaça em
Ofícios
NUHICRE A35
alambiques

Página 83
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Banda de Banda de Música tocando pela Formas de
237 Aprovado pela Edição 2006. Música cidade/ Tocando em Festa Expressão
NUHICRE A35

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Brincantes da comunidade
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Formas de
238 Aprovado pela Edição 2006.
Batuque quilombola de Gerais Velho
Expressão
NUHICRE A35
dançando o batuque.

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Saberes e


239 Aprovado pela Edição 2006.
Culinária local Foto com panelas de feijão tropeiro
Ofícios
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Santa Rita de Bens Móveis ou
240 Aprovado pela Edição 2006. Cássia
Altar e imagem de Santa Rita
Integrados
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Coroação à Celebrações e


241 Aprovado pela Edição 2006. Nossa Senhora
Altar com anjos e imagens
Ritos
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Festa de Santa Procissão da Festa de Santa Rita de Celebrações e
242 Aprovado pela Edição 2006. Rita Cássia Ritos
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Festa de São Celebrações e


243 Aprovado pela Edição 2006. Cristóvão
Cortejo com carro de bois e cavalos
Ritos
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Foliões tocando seus instrumentos Celebrações e
244 Aprovado pela Edição 2006.
Folia
em visita a uma residência Ritos
NUHICRE A35

SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Celebrante durante a Missa dos Celebrações e
245 Aprovado pela Edição 2006.
Missa
festejos da Festa de Santa Rita Ritos
NUHICRE A35

Página 84
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Pastorinhas desfilando na Festa de Formas de
246 Aprovado pela Edição 2006.
Pastorinhas
Santa Rita Expressão
NUHICRE A35

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Acervo
Fotos com vista da cidade de Ubaí,
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Vistas da Nuhicre/ Sala
247 Aprovado pela Edição 2006. Participação Social. cidade
tiradas durante realização do Sítio
69 CCH
A35
mapeamento cultural - Selo Unicef
Unimontes
Acervo
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Grupo de Lavadeiras na beira de um Saberes e Nuhicre/ Sala
248 Aprovado pela Edição 2006. Participação Social.
Lavadeiras
rio Ofícios 69 CCH
A35
Unimontes
Acervo
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Ubaí. Município Grupo de Foliões Dançando e Celebrações e Nuhicre/ Sala
249 Aprovado pela Edição 2006. Participação Social.
Folia de reis
tocando seus instrumentos Ritos 69 CCH
A35
Unimontes
SELO UNICEF. Mapeamento Cultural de Várzea da Igreja Bom Foto da ruina da Igreja com a
NUHICRE-Sala
250 Palma. Município Aprovado pela Edição 2006. Jesus de gameleira que brotou no teto e cujas Ruínas
69
A35
Participação Social. Matozinhos raízes alcança o chão.
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Público Mineiro. Disponível em
Navio Rio Navio ancorado no porto fluvial de Bens Móveis ou http://goo.gl/
251 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotogr
Branco Pirapora. Data: 02/02/1923 Integrados 4qR6o0
A3
afico_docs/photo.php?lid=30399>, acessado em 27 abr.
2012
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Público Mineiro. Disponível em Estrada de Estruturas
Inauguração da ponte da estrada de http://goo.gl/
252 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotogr Ferro Central
ferro em 1922
Arquitetônicas e
4qR6o0
A3
afico_docs/photo.php?lid=30399>, acessado em 27 abr. do Brasil Urbanísticas
2012
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Vapor ancorado no porto de

Página 85
Público Mineiro. Disponível em:
Januária, em frente a estação, da Bens Móveis ou http://goo.gl/L
253 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/gravat Vapor Joazeiro
empresa de viação do S. Francisco. Integrados nprUa
A3
a_brtdocs/photo.php?lid=9400>. Acesso em 26 abr.
Data provável: 1900 - 1910
2012.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo


Público Mineiro. Ponte e ferrovia em construção sobre
Ferrovia Fotografia de ponte sobre o Rio São Estruturas
o Rio São Francisco. Disponível em: http://goo.gl/
254 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/gravat
Pirapora- Francisco para passagem da Estrada Arquitetônicas e
4qR6o0
A3
Formosa de Ferro Central do Brasil Urbanísticas
a_brtdocs/photo.php?lid=19662>. Acesso em 27 abr.
2012.
Ponte e ferrovia em construção
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo sobre o Rio São Francisco, do álbum
Público Mineiro. Disponível em Ponte e "Excursão do Sr. Presidente da Estruturas
http://goo.gl/
255 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotogr ferrovia sobre República Dr. Epitácio Pessoa ao Arquitetônicas e
4qR6o0
A3
afico_docs/photo.php?lid=26779>. Acesso em 09 mai. o Rio Estado de Minas Gerais em cia. dos Urbanísticas
2012. Srs. Dr. Arthur Bernardes e Raul
Soares"
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Público Mineiro. Disponível em
Rio São Paisagístico e http://goo.gl/
256 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotogr
Francisco
Vista parcial do rio em Pirapora
Natural 4qR6o0
A3
afico_docs/photo.php?lid=30399>, acessado em
09.05.2012
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Público Mineiro. Disponível em Ponte na Estruturas
vista geral da ponte. Data: http://goo.gl/
257 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotogr cidade de
27/10/1922
Arquitetônicas e
4qR6o0
A3
afico_docs/photo.php?lid=30399>, acessado em 27 abr. Pirapora Urbanísticas
2012
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo
Público Mineiro. Disponível em: Vista parcial do porto. Foto com Estruturas
Porto de http://goo.gl/L
258 <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/gravat
Januária
título original: Partida do Joazeiro do Arquitetônicas e
nprUa
A3
a_brtdocs/photo.php?lid=9400>. Acesso em 26 abr. porto de Januária Urbanísticas

Página 86
2012.
SIAAPM. Sistema Integrado de Acesso ao Arquivo Vapor ancorado numa das margens
Vapor Matta Bens Móveis ou http://goo.gl/L
259 Público Mineiro. Disponível em:
Machado
do rio São Francisco em Januária.
Integrados nprUa
A3
<http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/gravat Data provável: 1900 - 1910
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

a_brtdocs/photo.php?lid=9400>. Acesso em 26 abr.


2012.

Placa
SOUZA, Ademir Evaristo de. Vapor Benjamim informativa da
Guimarães. Disponível em: reinauguração Placa que registra os dados do Vapor Bens Móveis ou http://goo.gl/i
260 <http://www.panoramio.com/photo/8188672>. Acesso do Vapor Benjamim Guimarães Integrados LZuoH
A2
em 26 jun. 2012. Benjamim
Guimarães
Acervo
STARLING, Heloisa M. M.; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Cenas de Trabalho e trabalhadores Particular
Trabalhadores
261 Sandra R.G. ; MARTINS, Bruno V. (Org.). Minas Gerais.
das fazendas
de fazendas de Minas Gerais. pg. 142 Outros Raquel Helena A41
Belo Horizonte: editora UFMG, 2011. a 149 de Mendonça
e Paula
Acervo
STARLING, Heloisa M. M.; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Particular
Celebrações e
262 Sandra R.G. ; MARTINS, Bruno V. (Org.). Minas Gerais. Congada Congada em Minas Gerais. pg. 146
Ritos
Raquel Helena A41
Belo Horizonte: editora UFMG, 2011. de Mendonça
e Paula
Acervo
STARLING, Heloisa M. M.; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Coroação de uma rainha negra, na Particular
Coroação na Celebrações e
263 Sandra R.G. ; MARTINS, Bruno V. (Org.). Minas Gerais.
festa de reis
festa de reis. Ilustração do texto da
Ritos
Raquel Helena A41
Belo Horizonte: editora UFMG, 2011. Fonte citada /pg. 86 a 91. de Mendonça
e Paula
STARLING, Heloisa M. M.; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Desenhos rupestres representativos
Sandra R.G. ; MARTINS, de pessoas, fauna e flora. Ilustração Arqueologia e Bibliotecas
264 Bruno V. (Org.). Minas Gerais - Belo Horizonte: editora
Arte Rupestre
de Texto de fonte citada / pg. 108 a Espeleologia UFMG
A57

Página 87
UFMG, 2011. 121.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Estrada Estruturas
TRAVESSIA Próximo a Urucuia. Disponível em: Fotos da travessia entre Urucuia e http://goo.gl/
265 <http://www.geolocation.ws>. Acesso em 31 mai. 2012.
Urucuia
Pintópolis
Arquitetônicas e
WdjHM1
A2
Pintópolis Urbanísticas
Banco de imagens constituído por
VÁRZEA DA PALMA. Câmara Municipal. Disponível em: Práticas
várias fotos da cidade de Várzea da Celebrações e http://goo.gl/
266 <http://www.camaradevarzeadapalma.mg.gov.br/index religiosas e
Palma, onde é possível perceber Ritos oOF8KT
A10
.php>. Acesso em 12 abr. 2012. turismo
práticas religiosas e locais turísticos.

VELHO Chico. Cachoeiras de Buritizeiro. Disponível em: Paisagístico e http://goo.gl/


267 <http://velhochico.net>. Acesso em 28 mai. 2012.
Cachoeiras Fotos de Cachoeiras
Natural OcPrF4
A2

Organização de Pesca nas


VELHO Chico. Organização da Pesca nas Corredeiras de
Modos de corredeiras do São Francisco - Saberes e http://goo.gl/
268 Buritizeiro. Disponível em: <http://velhochico.net>.
Fazer Técnicas lações por ponto de pesca Ofícios 3zA9L7
A2
Acesso em 29 mai. 2012.
nas corredeiras do São Francisco.
Bordados ricos em detalhes (pontos Acervo
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das e cores) onde podemos identificar o Saberes e particular
269 Letrinhas, 1996.
Bordados
rio e as casas em sua margem. pg: 2, Ofícios Raquel de
A41
3 Paula
Bordados rico em detalhes (pontos e
Acervo
cores) a cobra grande que já engoliu
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das Formas de particular
270 Letrinhas, 1996.
Cobra grande toda a cidade, uma das lendas
Expressão Raquel de
A41
moradores no São Francisco / capa
Paula
do livro e páginas: 18 e 19
Bordados rico em detalhes (pontos e
Acervo
cores) Canoeiro conduzindo canoa e
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das Atravessando Formas de particular
271 Letrinhas, 1996. o Rio
moradores no São Francisco / capa
Expressão Raquel de
A41

Página 88
do livro e páginas:
Paula
4,13,14,15,16,17,18,19,20,21,22)

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Acervo
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das O bordado revela casas em círculo Formas de particular
272 Letrinhas, 1996.
Enchente
dento d'água. pg. 6,7 Expressão Raquel de
A41
Paula
Bordados ricos em detalhes (pontos Acervo
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das e cores) onde podemos identificar Saberes e particular
273 Letrinhas, 1996.
Lavadeiras
lavadeira, em uma ilha, lavando Ofícios Raquel de
A41
roupa. pg. 12 e 13 Paula
Bordado rico em detalhes (pontos e Acervo
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das Nadando no cores) onde se vê um menino em Saberes e particular
274 Letrinhas, 1996. Rio primeiro plano e outras crianças Ofícios Raquel de
A41
nadando no rio. Pg 24 e 25 Paula
Bordados em tons de azul, ricos em Acervo
Superstição
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das detalhes, onde se vê uma prato, com Formas de particular
275 Letrinhas, 1996.
para localizar
vela acesa sobre ele, parado sobre Expressão Raquel de
A41
afogados
um corpo submerso. Pg 22 e 23 Paula

Página 89
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Gravação Sonora
Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

BRAGA, Cida. Festa de Santa Rita de Cássia. [22.10.2012].


Ubaí. Projeto de Inventário para fins de salvaguarda de
proteção do patrimônio cultural imaterial do Vale do São Festa de Santa Entrevista sobre a Festa de Santa Celebrações e NUHICRE/Uni
1 Francisco. Entrevista concedida à Cesar Henrique de Rita Rita de Cássia da cidade de Ubaí. Ritos montes
A35
Queiroz Porto. Disponível no Acervo documental do
NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.
CORREIA Dalva da Graça de Oliveira; BRASILEIRO,
Hermano Batista; PEREIRA, José Delci. São Gonçalo de
Promessa. [18 de agosto de 2012]. Projeto Inventário
Para Fins de Salvaguarda e de Proteção do Patrimônio São Gonçalo da Entrevista sobre São Gonçalo da Formas de NUHICRE/Uni
2 Cultural no Vale do Rio São Francisco.Buritis das Mulatas. Promessa Promessa em Várzea da Palma. Expressão montes
A35
Entrevista concedida a Simone Narciso Lessa, Jorge Luiz e
Caio Hudson. Disponível no Acervo documental do
NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.
CRUZ, Maria José Ramos da. Arroz com pequi. [17 de
março, 2013]. 25 min. Ubaí Minas Gerais: Cozimento do
Arroz com pequi.UNIMONTES/NUHICRE. Entrevista Entrevista sobre o Arroz de Pequi Saberes e NUHICRE/Uni
3 cedida a Elis Medrado Viana e Roberto Veríssimo da Silva
Arroz com Pequi
de Ubaí. Ofícios montes
A35
Junior. 4 Áudios. Disponíveis nos arquivos do

90
NUHICRE/Núcleo de História e cultura regional.

Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

NETO, Moisés Viera. Formação de Várzea da Palma. [02


de agosto, 2012]. Projeto Inventário Para Fins de
Salvaguarda e de Proteção do Patrimônio Cultural no
Dados e NUHICRE/Uni
4 Vale do Rio São Francisco. Distrito de Barra do Guaicuí. Histórico e Perfil Histórico de Várzea da Palma.
Histórico montes
A35
Entrevista concedida a Simone Narciso Lessa. Disponível
no Acervo documental do NUHICRE/Unimontes – IEPHA-
MG.
NUNES, Genivaldo. Modo de Fazer o Preparo da Carne de
Sol. [17 de março, 2013]. 08 min 22 sec. Projeto
Inventário Para Fins de Salvaguarda e de Proteção do
Patrimônio Cultural no Vale do Rio São Francisco. Ubaí. Modo de preparo da Carne de Sol Saberes e NUHICRE/Uni
5 Entrevista concedida a Elis Medrado Viana, Roberto
Carne de sol
em Ubaí. Ofícios montes
A35
Veríssimo da Silva Júnior e César Henrique de Queiroz
Porto. Disponível no Acervo documental do
NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.
PEREIRA, Xisto Martins. Fazenda de Xisto. [08/08/2012].
Ubaí. Projeto de Inventário Para Fins de Salvaguarda de
Estruturas
Proteção do Patrimônio Cultural Imaterial do Vale do São Fazenda de NUHICRE/Uni
6 Francisco. Entrevista concedida à César Henrique Porto. Xisto
Fazenda de Xisto. Arquitetônicas e
montes
A35
Urbanísticas
Disponível no Acervo documental do
NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.
RIBEIRO, Alda. Formação Cultural de Ubaí. [23 de
Outubro de 2012]. Ubaí. Projeto de Inventário para fins
de salvaguarda de proteção do patrimônio cultural Formação Formação cultural da cidade de Dados e NUHICRE/Uni
7 imaterial do Vale do São Francisco. Entrevista concedida Cultural Ubaí. Histórico montes
A35
à Jorge Luiz Teixeira Ribas. Disponível no Acervo
documental do NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.
SILVA, Marcos Antônio. Celebração da Festa de Santa Rita

91
de Cássia. [18 de março, 2013]. 26 min 43 sec. Projeto Festa de Santa Entrevista sobre a Festa de Santa Celebrações e NUHICRE/Uni
8 A35

Página
Inventário Para Fins de Salvaguarda e de Proteção do Rita de Cássia Rita de Cássia da cidade de Ubaí. Ritos montes
Patrimônio Cultural no Vale do Rio São Francisco. Ubaí.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Entrevista concedida a Elis Medrado Viana, Roberto


Veríssimo da Silva Júnior e César Henrique de Queiroz
Porto. Disponível no Acervo documental do
NUHICRE/Unimontes – IEPHA-MG.

92
Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Livros
Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

A obra é mais uma contribuição


para o entendimento do processo
de construção de identidades no
Brasil. Partindo de um caso que
ABDALA, Mônica Chaves. Receita de Mineiridade: A
Cozinha envolve a discussão acerca do Saberes e http://goo.gl/
1 cozinha e a construção da imagem do mineiro.
Tradicional regionalismo e tomando como Ofícios 4P8HxU
A2
Uberlândia: EDUFO, 2007.
foco de estudos a culinária
mineira, procura o papel desta na
constituição de uma identidade
regional, a chamada mineiridade.
ALKIMIM, Carlos Diamantino. Sabor de Manga - Crônicas. Crônicas sobre a Acervo pessoal
Relatos históricos da cidade de Dados e
2 Belo Horizonte: Oficina gráfica editora e publicidade, cidade e as
Manga por meio de crônicas Histórico
de Nôila A53
1999. pessoas Alencar
A proposta de realizar uma
documentação literária para o
conhecimento
ALMEIDA, Mara Zélia de. Plantas Medicinais. 3. ed. Plantas das plantas como fonte de cura, Saberes e https://goo.gl/

93
3 Salvador: EDUFBA, 2011. 221 p. Medicinais sob a ótica da religiosidade Ofícios 3CZ8vn
A2
afro-baiana, objetivou colaborar

Página
com a preservação e
multiplicação das
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

informações obtidas em
trabalhos comunitários,

ALMEIDA, S.P. de; SILVA, J.A. Pequi e buriti: Importância


alimentar para a população dos Cerrados. Planaltina: Importância A importância alimentar para a Saberes e http://goo.gl/
4 EMBRAPA-CPAC, 1994. 38p. (EMBRAPA-CPAC. Alimentar população do serrado Ofícios hDMuxh
A2
Documentos 54).
O livro, bonito e ilustrado, traz a
receita dos mais conhecidos e
melhores pratos da cozinha típica
brasileira, com suas variações nos
diversos estados. Feijoada, arroz
de carreteiro, pato no tucupi,
ALVES FILHO, I.; GIOVANNI, R. di. Cozinha brasileira com Cozinha moqueca de peixe, está tudo lá. E Saberes e https://goo.gl/
5 recheio de história. Rio de janeiro: REVAN, 2000. Tradicional traz também, para cada prato, Ofícios PQ5D5T
A7
sua história, a lembrança de suas
origens nos costumes indígenas
ou africanos, e da lenta
construção cultural nos hábitos
populares que os transformaram
em pratos brasileiros.
AMBROSIO, Manuel. Brasil interior; palestras populares,
folclore das margens do São Francisco: Januária, Minas Folclore do São Livro sobre folclore das margens Formas de
6 Gerais, 1912. v.1, São Paulo, Nelson Benjamin Monção, Francisco do São Francisco Expressão
IEPHA A9
1934, 175p.
Acervo Raquel
ANDRADE, Mário de. Danças Dramáticas Brasileiras. São Danças Formas de Helena de

94
7 Paulo: Editora Martins, 1962. Dramáticas
Danças de Minas Gerais.
Expressão Mendonça e
A41

Página
Paula

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Danças Dramáticas do Brasil - Acervo Raquel


ANDRADE, Mário de. Danças dramáticas do Brasil, edição Danças
Referências - Coreografia e Formas de Helena de
8 organizada por Oneida Alvarenga, vol I, vol II e vol III. Dramáticas do
características da dança em Expressão Mendonça e
A41
Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1982. Brasil
diversas regiões do país. Paula
Derivados de
madeira:
Produção artesanal e mestres em
ANDRADE, Mário de. Pequena História da Música. 8. ed. produção de Saberes e https://goo.gl/
9 São Paulo: Editora Martins, 1987. pilões, gamelas
derivados de madeira na
Ofícios AA0zKX
A7
comunidade de Bom Sucesso
e mestres
artesãos
ANTONIL, A. J. Cultura e opulência do Brasil. 3. ed. Belo Condições
Condições econômicas e sociais Dados e http://goo.gl/
10 Horizonte: Itatiaia/Edusp, 1982. (Coleção Reconquista do econômicas e
do Brasil no século XVIII. Histórico 0iDP8w
A2
Brasil). sociais
Fotografias e descrições Centro
Rio São Paisagístico e
11 BANCO SUDAMERIS. Rio São Francisco River. 1997.
Francisco
representando o rio em sua
Natural
Cultural, 918.2 A46
dimensão. RIO
Conjunto de textos que abordam
BARBOSA, Carla Cristina (org.). Sertão - cultura e poder. Sertão - cultura aspectos da cultura e do poder na
12 Montes Claros: Unimontes, 2007 e poder região sertaneja (religião, política,
Outros NUHICRE A35
cultura, entre outros).
Sertão - Conjunto de textos que abordam
BARBOSA, Carla Cristina (org.). Sertão - identidade e
13 religiosidade. Montes Claros: Unimontes, 2009.
identidade e aspectos de identidade e Outros NUHICRE A35
religiosidade religiosidade do Sertão.
Levantamento das informações
BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário histórico
Rio São acerca das comunidades que Paisagístico e https://goo.gl/
14 geográfico de Minas Gerais. Belo Horizonte: Itatiaia. 382
Francisco vivem em torno do Rio São Natural 8GxFWD
A7

95
p. 2.ed. 1971.
Francisco

Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Arte, folclore e
BARROS, Manuel de Souza. Arte, folclore e Arte, folclore e Dados e https://goo.gl/
15 subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Itambé, 1979.
subdesenvolvim
subdesenvolvimento. Histórico uCOem7
A7
ento
BETO, Frei. Cozinha mineira de Minas Gerais. Abril
Cozinha Saberes e http://goo.gl/
16 Coleções Minas Gerais. São Paulo: Abril,2009. Coleção
Regional
Cozinha mineira de Minas Gerais
Ofícios PtvuGp
A2
Cozinha Regional Brasileira, v.1.
BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino:
Formas de https://goo.gl/
17 aulico, anatomico, architectonico... Coimbra: Collegio das Dicionário Dicionário de significados
Expressão mYF0tp
A7
Artes da Companhia de Jesu, 1712 - 1728. 8 v.
O presente trabalho é constituído
por dois estudos: ‘as minas e os
currais’:
problemas, metodologia e
materiais para o estudo da
BOTELHO NETO, João. Fragmentos da História: A pecuária Dados e Bibliotecas
18 até a metade do século XX. São Francisco MG, 2003.
Pecuária ocupação do solo e do
Histórico UFMG
A57
acesso à propriedade da terra na
Capitania de Minas Gerais (1674-
1739); e
‘flutuações da economia rural de
Minas Gerais (1722-1835).
BOTELHO NETO, João. III Projeto de Cidadania do Novo Projeto de Cidadania do Novo
Formas de Bibliotecas
19 Milênio - Raízes São Franciscanas: a terra, o homem e a Religião. Milênio -Raízes São Franciscanas:
Expressão UFMG
A57
água. São Francisco MG, maio de 2003. a terra, o homem e a água.
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria
Plano de ações e estratégias para
Executiva. Plano de Ações Estratégicas e Integradas para
Turismo a conscientização de um turismo Paisagístico e http://goo.gl/c

96
20 o Desenvolvimento do Turismo Sustentável na Bacia do
Sustentável sustentável na Bacia do Rio São Natural MHlul
A2
Rio São Francisco. Ministério do Meio Ambiente,
Francisco

Página
Secretaria Executiva. – Brasília, 2006.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

História do É talvez a mais completa obra até


BRAZ, Brasiliano. São Francisco nos caminhos da história. Dados e http://goo.gl/
21 Belo Horizonte: LEMI, 1977.
município de então já escrita sobre a história
Histórico 5SwIZL
A2
São Francisco do município de São Francisco
A obscura história das mulheres e
a ciência foram divididas em três
partes e aborda: a raiz histórica
da profissão das sages-femmes
ou parteiras (instruídas)
francesas; a Igreja e o Estado na
política de nascimentos e o
caminhar de uma arte para
ciência: a invenção da cesariana
em vida. Diferentemente de
Brasil ou Estados Unidos, a França
possui escola de graduação para
parteiras e uma das diretoras do
BRENES, Anayansi Correa. Bruxas, comadres ou parteiras:
História das Colégio de Parteiras Francesas, Saberes e https://goo.gl/
22 a obscura história das mulheres e a ciência. Belo
parteiras Christine Blanchot-Isola, escreveu Ofícios 1XX4hq
A7
Horizonte: Pelicano, 2005.
o prefácio do livro.
Tradicionalmente, os partos e
seus cuidados foram realizados
por mulheres conhecidas na
comunidade como comadres ou
parteiras. Ao longo dos séculos, o
trabalho voluntário dessas
mulheres foi sendo transformado
em ofício e, depois, em profissão,

97
acarretando nessa mudança,
primeiramente, a entrada de

Página
outras mulheres (jovens, solteiras
ou viúvas, sem filhos); depois, a
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

da ciência e dos instrumentos


cirúrgicos; e, finalmente, a dos
homens...
O arranjo da casa previa o pote
d'água, de onde cada um retira o
que deve beber, e os bancos de
BRUNO, Ernane Silva. Equipamentos, usos e costumes da pau onde se instalavam para as Bens Móveis ou https://goo.gl/
23 casa brasileira: equipamentos. São Paulo: EdUSP, 2000.
Pote d'água
"prosas". Nas casas mais Integrados eBua4x
A7
opulentas, era possível encontrar
assentos de vime importados da
Bahia. p. 111
Emprego extensivo da rede na
BRUNO, Ernane Silva. Equipamentos, usos e costumes da Uso da rede de pesca do surubim, pirá e Saberes e http://goo.gl/
24 casa brasileira: equipamentos. São Paulo: EdUSP, 2000. pesca curimatá. Relato de George Ofícios WohR0g
A7
Gardner - p. 15.
Farinha de Uso da farinha de mandioca e
BRUNO, Ernane Silva. Equipamentos, usos e costumes da Saberes e http://goo.gl/
25 casa brasileira: equipamentos. São Paulo: EdUSP, 2000.
mandioca e peixe cozido na alimentação
Ofícios WohR0g
A7
peixe cozido ribeirinha.
Uso da roda d'água na moagem
BRUNO, Ernane Silva. Equipamentos, usos e costumes da Roda d'água Bens Móveis ou http://goo.gl/
26 casa brasileira: equipamentos. São Paulo: EdUSP, 2000. para moagem
de cana-de-açúcar, mandioca e
Integrados WohR0g
A7
sementes de mamona. p. 25.
BUZELIN, José Emílio de Castro H.; SETIIF, João Bosco Registro em imagem da Estruturas
Ponte Marechal http://goo.gl/
27 Setti. Ferrovia Centro-Atlântica: Uma Ferrovia e suas
Hermes
construção da ponte que liga Arquitetônicas e
bLVm1s
A7
Raízes. Rio de Janeiro: Memória do Trem, 2001. Pirapora a Buritizeiro. Urbanísticas
CAMARGO, Maria Thereza Lemos de Arruda. O Milho e a
O Milho e a Mandioca nas

98
Mandioca nas cozinhas brasileiras, segundo contam suas Alimentação no Saberes e https://goo.gl/
28 histórias. São Paulo: Fundação Cultural Cassiano Ricardo, Brasil
cozinhas brasileiras, segundo
Ofícios jV2KK8
A2

Página
contam suas histórias
2008.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

CARRAZZA, Luis Roberto; SILVA, Mariane Lima da; ÁVILA,


Manual técnico para
João Carlos Cruz. Manual Tecnológico de Aproveitamento Manual Técnico Saberes e http://goo.gl/
29 Integral do Fruto do Baru. Brasília: Instituto Sociedade, Baru
aproveitamento integral do fruto
Ofícios Ctm9ij
A2
do Baru
População e Natureza, 2010.
Lobisomem, Saci-Pererê, Mula
sem Cabeça e muitos outros
CASCUDO Luís da Câmara. Geografia dos mitos seres fantásticos, que povoam a
Formas de http://goo.gl/J
30 brasileiros. 2. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, Lenda e Folclore imaginação do brasileiro, são os
Expressão 2zWcA
A2
2002. grandes personagens da
Geografia dos Mitos Brasileiros,
de Luís da Câmara Cascudo.
CASCUDO, Luís da Câmara (org.). Antologia da
Descrição sobre saberes e Saberes e Bibliotecas
31 alimentação no Brasil. Rio de Janeiro: Livros Científicos Culinária
culinária Ofícios UFMG
A57
Técnicos, 1977.

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Formas de https://goo.gl/


32 Brasileiro. Rio de Janeiro: INL, 1979.
Folclore Folclore e cultura popular
Expressão Sl0kr3
A2

Este livro dá oportunidade a


todos os interessados em
culinária de conhecer o que se
comeu e bebeu no Brasil. O autor
CASCUDO, Luís da Câmara. História da Alimentação no pesquisou e selecionou os antigos
História da Saberes e https://goo.gl/
33 Brasil. São Paulo/Belo Horizonte: Editora USP/Itatiaia,
Alimentação
costumes universais
Ofícios kAITJA
A2
l983. comparando-os com os do Brasil,
bem como a fabricação de
objetos de uso no preparo da

99
alimentação e até a padronização
de horários de refeições.

Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O livro aborda assuntos relativos Acervo Raquel


CASCUDO, Luís da Câmara. Literatura Oral no Brasil. 3.ed.
Literatura a literatura oral especificando Formas de Helena de
34 Belo Horizonte: Ed. Itatiaia; São Paulo : Ed. Da
Popular lendas, causos, contos dentre Expressão Mendonça e
A41
Universidade de São Paulo, 1984.
outros Paula
O autor tenta encontrar
respostas para mitos sobre as
origens da cachaça, indo às
principais fontes historiográficas,
Derivados da mas também à cultura popular e
CAVALCANTE, M. S. A Verdadeira História da Cachaça. Sá Saberes e http://goo.gl/x
35 Editora, 2011.
cana e bens ao folclore, conseguindo montar
Ofícios 4EmSy
A2
associados uma visão singular e muito
própria sobre a bebida, que
,segundo ele, forma junto com o
Carnaval e o Futebol um tripé
cultural em nosso país.
Citação de Davi Miranda,
CAVALCANTI, Dirce de Assis. O Velho Chico, ou, a Vida é carranqueiro e artista de Saberes e http://goo.gl/a
36 Amável. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998.
Carrancas
Pirapora, visitado pela autora por Ofícios GnRQP
A7
volta do ano de 1975. p. 17.
Citação de Davi Miranda,
carranqueiro e artista de
Pirapora, visitado pela autora por
volta do ano de 1975. p. 17.
Método de produção de
Davi Miranda,
CAVALCANTI, Dirce de Assis. O Velho Chico, ou, a Vida é Carrancas: "(...) O Davi conta que Mestres e http://goo.gl/a
37 Amável. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998.
carranqueiro e
muitas das carrancas vendidas Praticantes GnRQP
A7
artista

100
pelo rio são esculpidas na
madeira lavada da quilha dos
velhos barcos, que não navegam

Página
mais. Outras são mergulhadas na
tabatinga, o barro branco que as
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

torna envelhecidas."

Este tocante relato em primeira


pessoa é resultado de uma
viagem realizada em 1975 pelo
Rio São Francisco, no interior da
Bahia. Dirce de Assis Cavalcanti,
Histórias de vida então colaboradora do governo
CAVALCANTI, Dirce de Assis. O Velho Chico, ou, a Vida é em viagem pelo de Brasília em programas Dados e http://goo.gl/a
38 Amável. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998. rio São culturais, preparava uma Histórico GnRQP
A7
Francisco exposição sobre as carrancas e a
vida ribeirinha. Mas o que
encontrou foram tocantes
histórias de vida, transcritas num
diário cheio de poesia sobre sua
viagem exterior e interior.
CENTRO de Documentação Elóy Ferreira da Silva (Org.).
Apresenta a história e relação das
Comunidades quilombolas de Minas Gerais no século XXI: Comunidades http://goo.gl/
39 História e resistência. Belo Horizonte: Quilombolas
Comunidades quilombolas de Lugares
0JxRzU
A2
Minas Gerais
Autêntica/CEDEFES, 2008.
Centro
Dança do Formas de
40 COMISSÃO Mineira de Folclore. 1998.
Gambá
A Dança do Gambá em Pirapora
Expressão
Cultural, 398 A46
COM
Viagem pelo rio mostrando os
COMPANHIA de Desenvolvimento dos Vales do São Biblioteca

101
São Francisco: o costumes locais, os ofícios, o Paisagístico e
41 Francisco e do Parnaíba. São Francisco: o Rio da Unidade.
Rio da Unidade homem ribeirinho, os barqueiros, Natural
Unimontes - A44
[s.d.]. Montes Claros
as cantigas etc.

Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

A Arte de Pontear Viola é


resultado de mais de vinte anos
de trabalho do violeiro Roberto
Corrêa e foi elaborado a partir de
sua experiência no ensino de
viola, desde 1985, e de suas
pesquisas sobre as tradições do
CORREA, Roberto. A arte de Pontear Viola. Brasília: instrumento. Saberes e NUHICRE/Uni
42 Curitiba, 2000.
Viola
O Método é trabalho original do Ofícios montes
A35
autor. Apresenta, de maneira
acessível, sua técnica,
desenvolvida a partir de
referências distintas: o
conhecimento musical dos
“violeiros tradicionais”, a escola
do violão e a música caipira.
1- Carrancas - p. 43 a 44 -
(Prancha 3); 2- Sinal de Combate
e de Retirada - p. 58 e 59 -
Carrancas, Prancha 11 e 12; 3 - Conjunto de Acervo
máscaras, Diferentes Choças e Cabanas -p. Particular
DEBRET, Jean Baptiste. Viagem Pitoresca e Histórica ao Saberes e
43 Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1989.
instrumentos 24e 25 (Prancha 26); 4 -
Ofícios
Raquel Helena A41
musicais e Diferentes Tipos de Máscaras - de Mendonça
cerâmica (Prancha 27) - Instrumentos de e Paula
Música p. 86 e 87 - (Prancha 33)
Cerâmicas dos Selvagens - p. 88 e

102
89 - (Prancha 34).
Negras 1- Vasilhames de madeira - p. 54 Acervo
DEBRET, Jean Baptiste. Viagem Pitoresca e Histórica ao cozinheiras, a 59 - (Prancha 6); 2- Indústria do Saberes e Particular
44 A41

Página
Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1989. vendedoras de Trançado - p. 76 a 79 - (Prancha Ofícios Raquel Helena
angu 12 /13/14); 3 - Vendedores de de Mendonça
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Milho - p. 95 a 97 - (Prancha 20 e Paula


e 21); 4 -Pequena Moenda
Portável - p. 114 a 116 - (Prancha
27); 5 Transporte de Carne de
Corte - p. 117 a 119; 6- Negras
Cozinheiras Vendedoras de Angu
- p. 142 144 - Prancha 35 e 36; 6 -
Armazém de Carne Seca - p. 155 a
157- Prancha 39.
1- Vasilhames de madeira - p. 54
a 59 - (Prancha 6); 2- Indústria do
Trançado - p. 76 a 79 - (Prancha
12 /13/14); 3 - Vendedores de
Milho - p. 95 a 97 - (Prancha 20 Acervo
Vasilhames de e 21); 4 -Pequena Moenda Particular
DEBRET, Jean Baptiste. Viagem Pitoresca e Histórica ao Saberes e
45 Brasil. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1989.
madeira e Portável - p. 114 a 116 - (Prancha
Ofícios
Raquel Helena A41
trançado 27); 5 Transporte de Carne de de Mendonça
Corte - p. 117 a 119; 6- Negras e Paula
Cozinheiras Vendedoras de Angu
- p. 142 144 - Prancha 35 e 36; 6 -
Armazém de Carne Seca - p. 155 a
157- Prancha 39.
DIAS, Janio Marques. Sertão Norte-Mineiro: terra de Origem, história, tradição, língua
Sertão Norte- Dados e
46 contrastes. In: BARBOSA, Carla Cristina (Org.). Sertão,
Mineiro
falada no norte de Minas e as
Histórico
NUHICRE A35
cultura e poder. Montes Claros: Unimontes, 2007. influências da colonização
A obra retrata um período em

103
que dezenas de embarcações
DINIZ, D.; MOTA, I. P. B.; DINIZ, M. Rio São Francisco:
Vapores e povoavam o Médio São Francisco, Saberes e Bibliotecas
47 Vapores & Vapozeiros Pirapora: Edição dos Autores,
Vapozeiros garantindo a única forma de Ofícios UFMG
A57

Página
2009.
integração entre o Norte de
Minas e o Nordeste do País, por
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

um cenário que atesta a grande


diversidade natural e cultural da
nação.
Numa linguagem leve e atraente,
esse “ABC” faz uma radiografia
completa do chamado “rio da
unidade nacional”; a história de
sua colonização e navegação; as
História, Acervo
atividades econômicas
colonização e particular
DUMOND, Sávia. ABC do São Francisco. Belo Horizonte: predominantes em cada época; a Dados e
48 Editora Dimensão, 1998.
navegação do
flora, a fauna, o folclore e as Histórico
Raquel Helena A41
rio São de Mendonça
lendas; a geologia local, o meio
Francisco e Paula -
ambiente. Além disso, trechos de
textos literários referentes ao rio,
de autores como Lúcio Cardoso,
Carlos Drummond de Andrade e a
dupla Sá & Guarabyra.
Reprodução de documentos
Acervo
históricos antigos relacionados
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos Sertão Norte- Dados e particular
49 Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 p. Mineiro
com o Norte de Minas.
Histórico Raquel de
A41
Ricamente ilustrado com fotos de
Paula
ótima qualidade.
Análise de documentos do
processo de perdão a Dona Maria
Alvará de
da Cruz - Texto ricamente
Perdão
FAGUNDES, Giselle; MARTINS Nahilson. Capítulos ilustrado por cópia dos Dados e Acervo Raquel
50

104
concedido a A41
Sertanejos. Belo Horizonte: Editora Formato, 2002. 120 p. documentos da época bem como Histórico de Paula
Dona Maria da
fotos artísticas dos lugares
Cruz
(casario, rios, fauna e flora)

Página
referentes aos mesmos.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

FELFILI, J. M. et al. Estudos de vegetação para subsidiar a Apresenta estudos de vegetação


criação das Reservas Extrativistas Barra do Pacuí e para subsidiar a criação das Saberes e http://goo.gl/
51 Buritiziero, MG. Brasília: Ministério do Meio Ambiente,
Vegetação
Reservas Extrativistas Barra do Ofícios 4Ug58F
A2
2010. 168p. Pacuí e Buritiziero
A história da saúde e da doença
FIGUEIREDO, Betânia Gonçalves. Cirurgiões, médicos,
Curandeiro e no Brasil ligado ao complexo Saberes e https://goo.gl/
52 boticários e curandeiros no século XIX em Minas Gerais.
Barbeiros universo da cultura e da Ofícios aGMEj3
A7
Rio de Janeiro: Ed. Vício de Leitura. 2002.
sociedade
Apresenta uma importante
FIGUEIREDO, Luciano. Barrocas Famílias: vida familiar em abordagem sobre o tema da
http://goo.gl/
53 Minas Gerais no século XVIII. São Paulo: Ed. HUCITEC. Vida Familiar família e a sua especificidade no Outros
MqyaEb
A2
1997. âmbito do cotidiano da sociedade
mineira.
FRIEIRO, Eduardo. Feijão, Angu e Couve: ensaio sobre a
Saberes e https://goo.gl/
54 comida dos mineiros. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, Culinária História da culinária mineira
Ofícios NHJ8Pv
A7
1982.
FRIEIRO, Eduardo. Feijão, Angu e Couve: ensaio sobre a
Saberes e https://goo.gl/
55 comida dos mineiros. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, Culinária Culinária mineira.
Ofícios NHJ8Pv
A7
1982.
GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edimilson
Comunidade Formas de https://goo.gl/
56 de Almeida. Negras Raízes Mineiras - Os Arturos. Belo
dos Arturos
Raízes culturais dos Arturos/MG
Expressão NHJ8Pv
A7
Horizonte: Mazza, 2000.
HALFELD, H. G. F.. Detalhe do Mapa nº5 (1860). In:
HALFELD, Henrique Guilherme Fernando. Atlas e Atlas e relatório concernente à
relatório concernente à exploração do Rio de São exploração do Rio de São

105
Rio São Dados e http://goo.gl/
57 Francisco desde a cachoeira da Pirapóra até ao Oceano
Francisco
Francisco desde a cachoeira da
Histórico AIHzMg
A42
Atlântico: levantado por ordem do governo de S.M.I. o Pirapóra até ao Oceano Atlântico

Página
Senhor Dom Pedro II. Rio de Janeiro: Lithografia Imperial, pelo engenheiro Halfed
1860. 57p., il. Inclui mapas, 54 x 44 cm.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

HALFELD, Henrique Guilherme Fernando. Atlas e relatório Relatório de viagem do


concernente à exploração do Rio de S. Francisco desde a Rio São engenheiro Halfeld sobre a Dados e http://goo.gl/
58 cachoeira da Pirapora até ao Oceano Atlântico. Rio de Francisco navegação e mapeamento do São Histórico eYIEo0
A42
Janeiro: E. Rensburg, 1860. Francisco
HALFELD, Henrique Guilherme Fernando. Atlas e relatório
Atlas contendo mapas e relatório
concernente a exploração do Rio S. Francisco: Desde a Bacia do Rio São Paisagístico e http://goo.gl/
59 cachoeira da Pirapóra até ao oceano atlântico. 1852, Francisco
dos rios que fazem parte da bacia
Natural W9ykK8
A42
do Rio São Francisco
1853 e 1854. Rio de Janeiro: Lithographia Imperial, 1860.
Atlas e relatório concernente à
HALFELD, Henrique Guilherme Fernando. Atlas e relatório exploração do Rio de S. Francisco
concernente a exploração do Rio S. Francisco: Desde a desde a Cachoeira da Pirapora Dados e http://goo.gl/f
60 cachoeira da Pirapóra até ao oceano atlântico. 1852,
Atlas Geográfico
até ao Oceano Atlântico, Histórico d0Yhl
A42
1853 e 1854. Rio de Janeiro: Lithographia Imperial, 1860. levantado por Ordem do Governo
de S. M. I. O Senhor Dom Pedro II
Caminhos e fronteiras é a história
da lenta ocupação territorial
promovida pelos bandeirantes.
História dos processos e
procedimentos desta empresa,
nela Sérgio Buarque de Holanda
descreve técnicas e práticas
História da cotidianas - de caça e coleta, de
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e fronteiras. 3 Dados e http://goo.gl/t
61 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
ocupação lavoura, de viagem, de
Histórico FJzGI
A2
territorial vestimenta. Detendo-se em
dados referentes à mentalidade
dos paulistas, aponta a maneira

106
específica como estes foram
levados a amalgamar a
experiência indígena a seus

Página
interesses específicos. Com isso,
as vastas transformações
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

ocorridas no país até o século XIX


adquirem o contorno das coisas
vividas.
O livro pontua algumas das
mazelas de nossa vida social,
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 4 ed. Dados e https://goo.gl/
62 Brasília: UNB, 1963.
Vida Social política e afetiva, entre elas a
Histórico oNIW99
A2
incapacidade secular para separar
o espaço público do privado.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
63 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Quilombola -
identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
Água Viva
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
64 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Baleeiro
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Comunidade
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
quilombola
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
65 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
identificada -
identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
Brejo do
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
Amparo
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

107
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Comunidade
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
66

Página
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Lugares A2
identificada - identificada. 1Pxjh
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Cajueiro
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da


Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
67 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Fazenda Picos
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
68 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Gameleira
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
69 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Pasto de Cavalo
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
70 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Retiro dos Bois

108
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Ilha da Capivara

Página
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade quilombola já http://goo.gl/S
71 base conservacionista do mosaico Sertão Veredas -
(Quebra-
identificada.
Lugares
1Pxjh
A2
Guiada)
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da


Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/
72 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Bebedouro
identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Comunidade
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
quilombola
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/
73 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
identificada -
identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
Brejo de São
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
Caetano
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/
74 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Ilha de Ingazeira
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/
75 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Justa

109
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Comunidade

Página
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/
76 base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - identificada - identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Pedra Preta
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da


Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - quilombola Comunidade quilombola já http://goo.gl/
77 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: identificada - identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Puris
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Espinho -
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade Comunidade quilombola já http://goo.gl/
78 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: quilombola identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai identificada
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/
79 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Malhadinha
identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Comunidade quilombola já http://goo.gl/
80 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Riacho da Cruz
identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai

110
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da

Página
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Comunidade quilombola já http://goo.gl/
81 base conservacionista do mosaico Sertão Veredas -
Vila Primavera
identificada.
Lugares
TeYHd4
A2
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da


56.000 ha. Projetos: Mãos dadas
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
Reserva na recuperação da natureza,
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - http://goo.gl/I
82 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
indígena dos "Água é vida", Casa da Medicina, Lugares
JDnii
A2
Xacriabás Tanque Rede, Apicultura,
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
Suinocultura.
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Área de Decreto 98.182 de 26/09/1989.
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Proteção 146.900 ha. Possui conselho em
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Ambiental conjunto com outras UCs. Arqueologia e http://goo.gl/
83 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Federal Infraestrutura com alojamento Espeleologia 3w1yx4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Cavernas do para pesquisadores e escritório
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012. Peruaçu sede.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Decreto de 21/09/1999. 56.500.
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
Parque Nacional Possui plano de manejo e
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Arqueologia e http://goo.gl/
84 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Cavernas do conselho. Estrutura com
Espeleologia 3w1yx4
A2
Peruaçu alojamento para pesquisadores e
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
escritório sede.
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Lei 11.901, de 00/09/1995.
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de 210.000 ha. Extrativismo de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - APA Estadual do pequi, favela, babaçu; apicultura; Paisagístico e http://goo.gl/S
85 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Rio Pandeiros artesanato; segurança alimentar Natural 1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai e regularização da situação

111
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012. fundiária.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
APA Estadual

Página
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Decreto 43.911, de 05/11/2004. Paisagístico e http://goo.gl/S
86 base conservacionista do mosaico Sertão Veredas -
Rio Cochá e
284.468 ha. Natural 1Pxjh
A2
Gibão
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Decreto 36.070 de 27/09/1994.
Parque Estadual
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - 31.221 ha. Possui conselho e Paisagístico e http://goo.gl/S
87 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em:
Veredas do
infraestrutura com alojamento e Natural 1Pxjh
A2
Peruaçu
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai escritório sede.
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Decreto de 21/10/2003. 60.975
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Refúgio ha. Infraestrutura com
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Estadual de Vida alojamento e escritório sede. Paisagístico e http://goo.gl/S
88 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Silvestre Rio Projetos de educação ambiental, Natural 1Pxjh
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai Pandeiros fiscalização, implementação,
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012. infraestrutura.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
Portaria IEF nº 226 de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - RPPN Porto Paisagístico e http://goo.gl/S
89 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Cajueiro
18/11/2005. 8.478 ha. Pesquisa e
Natural 1Pxjh
A2
Educação ambiental.
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - RPPN Fazenda Portaria IBAMA nº 25/1998. Paisagístico e http://goo.gl/
90 Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Ressaca 4.055 ha. Natural TeYHd4
A2
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai
cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.

112
ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Decreto de 21/09/1999. 56.500.
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Parque Nacional Possui plano de manejo e
Arqueologia e http://goo.gl/I
91 base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - Cavernas do conselho. Estrutura com A2

Página
Espeleologia JDnii
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Peruaçu alojamento para pesquisadores e
<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/mosai escritório sede.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

cos/plano-dtbc.pdf>. Acesso em 23 abr. 2012.


ICMBio. Instituto Chico Mendes de Conservação da Decreto 39.954 de 08/10/1998.
Biodiversidade. Plano de desenvolvimento territorial de Parque Estadual 10.173 ha. Infraestrutura com Paisagístico e http://goo.gl/
92 Mata Seca Natural TeYHd4
A2
base conservacionista do mosaico Sertão Veredas - alojamento e escritório na UC e
Peruaçu. Brasília, jan. 2008. Disponível em: Itacarambi.
Conteúdo completo:
Manifestações populares
tradicionais em Minas Gerais; Biblioteca
Mapa das regiões administrativas Central Prof.
IGA. Instituto de Geociências Aplicadas de Minas Gerais.
Festas de Minas Gerais; Artesanato de Celebrações e Antônio
93 Atlas de festas populares de Minas Gerais. Belo
folclóricas Minas Gerais; Culinária e Ritos Jorge/R
A44
Horizonte: IGA, 1998. 102 p.
produtos típicos de Minas Gerais; 398.8151 I59a
Data de emancipação, aniversário 1998
e padroeiro dos municípios de
Minas Gerais.
Resultado das pesquisas e
experiência literária dos
ÍNDIOS XACRIABÁ. Iaiá Cabocla/Povo Xacriabá. Belo professores Xacriabá para a Formas de https://goo.gl/
94 Horizonte: FALE/UFMG: CGEEI/SECAD/MEC, 2005.
Povo Xacriabá
implementação do Programa de Expressão MSb5tH
A2
Implantação das Escolas
Indígenas de Minas Gerais
O presente livro apresenta
JAQUES, Josiane. Januária Ribeirinha. Januária: KG Januária aspectos da cidade de Januária e http://goo.gl/
95 Gráfica, 2011. Ribeirinha suas características enquanto
Sítio
8Xy7xE
A2
cidade ribeirinha
LACERDA, Carlos. Desafio e Promessa: O Rio São Rio São Paisagístico e http://goo.gl/
96 Texto sobre o Rio São Francisco A2

113
Francisco. Rio de Janeiro: Distribuidora Record, 1964. Francisco Natural dMs4XV
LESSA. Simone Narciso. Trem-de-Ferro: o mito da
Descreve estratégias para a
modernidade no sertão. In: BARBOSA, Carla Cristina Trem de Ferro Dados e

Página
97 (Org.). Sertão, cultura e poder. Montes Claros, no sertão
administração da população e o
Histórico
NUHICRE A35
controle do território
Unimontes, 2007.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

LIMA, Rossini Tavares. Moda de Viola: poesia de


Formas de http://goo.gl/
98 circunstância. São Paulo: Departamento de Museus e Música Moda de viola
Expressão UmGi9v
A2
Arquivos, 1997.
Brasil: História Cultura Brasileira:
Vale do São Francisco. 1. Estudo
sobre o Médio São Francisco,
LINS, Wilson. O Médio São Francisco: Uma Sociedade de Acervo da
O Médio São Seus Tipos, sua Gente 2. Dados e
99 Pastores e Guerreiros. 2 ed. Revista e Aumentada Aguiar
Francisco Considerações em Torno do Histórico
Biblioteca da A44
e Sousa LTDA. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1960 Unimontes
Povoamento da Região 3.
Costumes , Episódios Pitorescos;
Religião e Folclore.
Fornece subsídios para a
compreensão da problemática
LUCAS, Ariovaldo Antônio Tadeu; NETTO, Antenor de Acervo da
Águas do São local e regional, além de Paisagístico e
100 Oliveira Aguiar. Águas do São Francisco. Sergipe: Editora
Francisco colaborar com propostas para o Natural
Biblioteca da A44
UFS, 2011. Unimontes
desenvolvimento sustentável do
vale do Rio São Francisco
MACEDO, João Faria. Pequi: do plantio à mesa. Belo Saberes e http://goo.gl/
101 Horizonte: EPAMIG, 2005. 44 p. (Boletim Técnico 76).
Culinária Usos e atribuições do Pequi.
Ofícios OCjosU
A17
Livro que aborda aspectos
históricos sobre a navegação no
Navegação do Acervo pessoal
MACHADO, Fernando da Matta. Navegação do Rio São Rio São Francisco desde os Dados e
102 Francisco. Rio de Janeiro: Topbooks, 2002
Rio São
processos mais artesanais até a Histórico
de Nôila A53
Francisco Alencar
exploração por meio das
embarcações a vapor.
MARQUES, José G.W. Pescando pescadores: etnoecologia Pescando pescadores:
Pesca no São Saberes e https://goo.gl/

114
103 abrangente no Baixo São Francisco. São Paulo: NUPAUB-
Francisco
etnoecologia abrangente no
Ofícios gMkyop
A7
USP, 1995. Baixo São Francisco
MARTINS, Saul. Folclore em Minas Gerais. Belo Formas de http://goo.gl/

Página
104 Horizonte: UFMG, 1991.
Folclore Folclore e cultura popular
Expressão 0xTgdI
A2

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Relato de Januária e suas diversas


Centro
MATTOS, Vera Lúcia. Januária no Tempo... e no Espaço. Januária no dimensões econômicas, políticas Dados e
105 1987. Tempo e Espaço e culturais como o folclore, festas Histórico
Cultural, 981 A46
MAT JAN
tradicionais, turismo e músicas.
Constituição histórica das festas
de coroação de Rei Congo,
MELLO e SOUZA, Marina de. Reis negros no Brasil
privilegiando a perspectiva do Celebrações e https://goo.gl/
106 escravista: história da festa de coroação de Rei Congo. Rei Congo
encontro de culturas diferentes Ritos wG1f6u
A7
Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.
que produziram a manifestação
cultural.
O Guia de Bens Tombados
IEPHA/MG é o resultado de mais
de 40 anos de pesquisa histórica
e bibliográfica sobre o patrimônio
cultural de Minas. Há muito se
esperava a publicação desta
importante obra que se torna,
MOLINARI, Luis. Vapor Benjamim Guimarães – Pirapora Vapor
sem dúvida, uma referência para Bens Móveis ou
107 In: Guia dos bens tombados. Belo Horizonte: Margem 3 - Benjamim
os pesquisadores que atuam na Integrados
IEPHA A9
Comunicação Estratégica, 2011, v. 61. Guimarães
área e demais interessados na
história e memória do Estado e se
constitui, com a sua divulgação e
difusão, um dos mais importantes
instrumentos de preservação do
patrimônio cultural de Minas
Gerais.

115
981.51
MORAIS, Mário Francisco de. Memória viva: história
História lendas e folclore de M827m 2007
lendas e folclore de Guaicuí: Igreja de Pedra de Guaicuí História, Lendas Formas de
108 século XVIII. Belo Horizonte: Gráfica Literatura Ltda., e Folclore
Guaicuí: Igreja de Pedra de
Expressão
Biblioteca A44

Página
Guaicuí século, XVIII. Setorial de
2007. 122 p.
Pirapora
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Condição da atividade pesqueira


na Região do São Francisco em
Minas Gerais: "tem sido realizada
Conhecimento
há mais de um século, com regras
Tradicional e
MOURA, Flávia de Barros Prado (org.). Conhecimento informais para o uso de recursos
Estratégias de Saberes e http://goo.gl/
109 tradicional e estratégias de sobrevivência de populações
Sobrevivência
naturais, as quais abrangem a
Ofícios YJwT2Y
A7
brasileiras. Maceió: EDUFAL, 2007 divisão espacial entre os
de Populações
pescadores (...) como os sistemas
Brasileiras
da 'Praia de Januária' e da
'Cachoeira de Buritizeiro e
Pirapora'”. p. 145
NASCIMENTO, Cândida Dionísia do; CAXITO, Flávia Maria
Expressões Expressões Culturais existentes Formas de
110 Batista. Mapeamento das Expressões Culturais. São
Culturais no Rio São Francisco Expressão
NUHICRE A35
Romão, SELO UNICEF: 2006.
NEVES, Zanoni. Navegantes da integração: Os Remeiros
Remeiros do Navegantes da Integração: os Mestres e http://goo.gl/
111 do Rio São Francisco. Belo Horizonte: Editora UFMG,
São Francisco Remeiros do São Francisco Praticantes Aq7tXE
A7
1998.
Com seus artigos e ensaios, o
autor contribui para o
conhcimento da história de
Pirapora sem perder de vista o
contexto em que o povoado
(depois, cidade) se insere.
NEVES, Zanoni. Pirapora: ensaios de tempos idos. Belo Formas de Bibliotecas
112 Horizonte: NECM, 1999. 56p.
Poesias Conhecedor da história regional,
Expressão UFMG
A57
descreve e interpreta fatos da
história local, tendo em mente a

116
condição de Pirapora como
entreposto e cidade-polo
relevante para o sistema

Página
econômico regional.
113 PAULA, Luís de. Na venda de Meu Pai. Montes Claros: História de O texto de Luiz de Paula é ágil, Dados e Acervo A41
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Editora Unimontes, 2006. pessoas vigoroso; a linguagem Histórico particular


extremamente rica e pitoresca; a Raquel de
trama permeada de leveza, bom Paula
humor, de constatação sincera e
cativante de fatos pessoais e da
vida simples das gentes de Várzea
da Palma e de Montes Claros da
primeira metade do século XX.
Memorial Livro com informações sobre os
PEREIRA, A. E. Memorial Januária: terras, rios e gente. Dados e http://goo.gl/L
114 Belo Horizonte: Mazza Edições, 2004.
Januária: Terras, aspectos históricos, políticos,
Histórico u8aX5
A2
Rios e gente. culturais e religiosos de Januária.
PIRES, Simeão Ribeiro. Raízes de Minas. Belo Horizonte: Utilização de raízes em Minas Saberes e http://goo.gl/g
115 Edição do Autor, 1979.
Uso de Raízes
Gerais Ofícios shV4R
A2
PORTO, Guilherme. As folias de Reis no Sul de Minas. Rio
Celebrações e https://goo.gl/
116 de Janeiro: MEC-SEC: FUNARTE: Instituto Nacional do Folia de Reis As folias de Reis no Sul de Minas
Ritos cilVv8
A7
Folclore, 1982.
PROUS, André Pierre. A arte rupestre brasileira. In.: Pintura Arqueologia e Bibliotecas
117 Arqueologia brasileira. Brasília: UNB, 1992. p.525. Rupestre
Arte e pintura rupestre brasileira
Espeleologia UFMG
A57
Dessa forma, a instituição Museu
de História Natural e Jardim
Botânico da Universidade Federal
de Minas Gerais, que tem ao
longo de 40 anos desenvolvido
PROUS, André Pierre; RODET, Maria Jacqueline. uma competente e reconhecida
Dados e http://goo.gl/z
118 Introdução. In: Arquivos do Museu de História Natural da Museu Natural atividade de pesquisa científica
Histórico wqSO2
A39
UFMG. Belo Horizonte, UFMG, vol. XIX, 2009. nos campos da arqueologia,

117
botânica, cartografia, museologia
e dentre tantas outras ações não
poderia furtar a essa

Página
fundamental prerrogativa –
memória e conhecimento
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

RESENDE, Maria Efigênia Lage de (Coord.); VILLALTA, Luiz


Dados e Bibliotecas
119 Carlos (Org.). As Minas Setecentistas. v. 1. Belo Histórico e Pefil Histórico de Várzea da Palma.
Histórico UFMG
A57
Horizonte: Autêntica, 2007.
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos
120 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais
Antônio Inácio Correia Contato IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos Informe histórico da região do Rio Dados e
121 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais São Francisco. Histórico
IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos
122 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais
Anísio Madureira Contato IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos
123 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais
Aurora Figueiredo Viana Contato IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos
124 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais
Manuel Gonzaga dos Santos Contato IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Eduardo Magalhães (org.). Histórias dos gerais. Histórias dos
125 Belo Horizonte: UFMG, 2010. gerais
Joaquim Figueiredo Viana Contato IEPHA/MG A9
RIBEIRO, Joaquim. Folclore de Januária. Rio de Janeiro: Informações coletadas entre Formas de http://goo.gl/
126 Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro, 1970.
Folclore
1907 e 1964 Expressão pBYTfl
A3
Partindo da região da Mata
Atlântica, a paisagem do Brasil
Central pareceu, aos
colonizadores, mais densa que as
larguezas campestres e mais
aberta que as florestas. Referida
RIBEIRO, Ricardo. A floresta anã do sertão: o cerrado na
Floresta anã do como "campos fechados", ou Dados e http://goo.gl/Z
127 história de Minas Gerais. Belo Horizonte: Autêntica, vol.
sertão "campos cerrados", passou a ser Histórico 9taVX
A2
1, 2005.
chamada, nos dias de hoje,

118
simplesmente de Cerrado. Sua
vegetação foi descrita, pelos
naturalistas europeus do século

Página
XIX, como formada por árvores
tortuosas, enfezadas, esparsas
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

aqui e ali, e as chapadas cobertas


por arbustos foram designadas
como carrascos ou florestas anãs.
ROCHA, Lucas Gomes. Dossiê Técnico: cultivo e Dossiê técnico sobre o cultivo e Saberes e http://goo.gl/
128 aproveitamento do baru. Belo Horizonte: CETEC, 2012.
Baru
aproveitamento do Baru Ofícios NKoQLM
A2
RODRIGUES, Gefferson Ramos. Gerais Velho e Vila Biuca.
Comunidade http://goo.gl/S
129 Presença africana no município de Ubaí, Minas Gerais.
quilombola
Presença africana em Ubaí. Lugares
hfqIQ
A2
(no prelo).
RODRIGUES, Gefferson Ramos. Gerais Velho e Vila Biuca.
Presença
Presença africana no município de Ubaí, Minas Gerais. In: Texto sobre a presença Africana Formas de http://goo.gl/S
130 BARBOSA, Carla Cristina (orgs.). Sertão: cultura, poder e
Africana em
no município de Ibaí Expressão hfqIQ
A2
Ibiaí
resistência. Montes Claros: Unimontes, 2013.
RODRIGUES, Rejane Meireles Amaral. O sertão do São Uma análise da "produção
Dados e
131 Francisco e cultura popular. In: Carla Cristina (Org.). São Francisco cultural" alimentada pela história
Histórico
NUHICRE A35
Sertão, cultura e poder. Montes Claros: Unimontes, 2007. do fazendeiro Antônio Dó
Citações de cidades do Norte de
Minas: Urucuia - p. 43, 47, 321,
322; Serra das Araras - p. 50; São Acervo
Romão - p. 58; Rio Pandeiro Particular
ROSA, João Guimarães. Grande Sertão Veredas. Rio de Grande Sertão
132 Janeiro: Nova Fronteira, 2001 Veredas
(Januária); São Francisco - p. 81 e Sítio Raquel Helena A41
100; Rio São Francisco - p. 90 - de Mendonça
117 - 120 , 121, 326; Caboclo e Paula
d'água - p. 121. Januária - p. 128.
Maria da Cruz p. 129.
SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem pelas províncias do Relato do Viajante sobre as
Formas de http://goo.gl/
133 Rio de Janeiro e Minas Gerais-(1824-1833). Belo Literatura Local expedições vividas no interior do
Expressão YRDFja
A2

119
Horizonte: Itatiaia, 1975. Brasil
SANO, Sueli Matiko; RIBEIRO, José Felipe; BRITO, Márcia
Publicação em artigo sobre a Saberes e http://goo.gl/
134 Aparecida de. Baru: biologia e uso. Brasília: Embrapa, Baru A2

Página
biologia e uso do Baru Ofícios GEzn9j
2004.

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

SANTOS, Deolinda Alice dos. Festejos Tradicionais


Festejos Texto sobre Festejos Tradicionais Celebrações e http://goo.gl/
135 Mineiros: Registros da Fé e do Folclore. São Paulo:
Tradicionais Mineiros Ritos RiEtMX
A2
Empresa de Artes, 2011.
SANTOS, Deolinda Alice dos. Festejos Tradicionais
Festejos Texto sobre Festejos Tradicionais Celebrações e http://goo.gl/
136 Mineiros: Registros da Fé e do Folclore. São Paulo:
Tradicionais Mineiros Ritos CK5TyN
A2
Empresa de Artes, 2011.
Busca identificar a mitologia da
SCHAMA, Simon. Paisagem e memória. São Paulo, http://goo.gl/
137 Companhia das Letras, 1996.
Paisagem natureza no Ocidente em suas Outros
EHavau
A2
várias manifestações.
As manifestações folclóricas da
SILVA, Breno Álvares da; DINIZ, Domingos; MOTA, Ivan P. História e Dados e Bibliotecas
138 B. Pirapora: um Porto na História de Minas. Parte II. 1992. cultura
cidade, artesanato, suas barcas e
Histórico UFMG
A57
remeiros.
SILVA, Paula Pinto e. Farinha, Feijão e Carne-seca: um Saberes e https://goo.gl/
139 tripé culinário no Brasil Colonial. São Paulo: SENAC, 2005.
Culinária História da culinária mineira.
Ofícios KovnOj
A7
O Velho Chico e A navegação, as lendas, o Centro
SILVA, Wilson Dias da. O Velho Chico e sua vida, suas Formas de
140 lendas e sua história. MINTER/CODEVASF, 1985.
sua vida, lendas panorama tradicional do vale e
Expressão
Cultural, 918.1 A46
e sua história sua história. SIL VEL
SOARES, Renata Rocha. João Raposo: artesão de sons, A
Modo de fazer Saberes e
141 arte de Fazer Viola Caipira. São Francisco: Unimontes,
Viola Caipira
A arte de fazer viola caipira.
Ofícios
Unimontes A1
2012.
SOUZA, Bernardino José de. Ciclo do carro de bois no Bens Móveis ou http://goo.gl/
142 Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1958.
Carro de Boi O ciclo do carro de bois no Brasil.
Integrados RzyO2L
A2
Este é o primeiro estudo
realizado no Brasil sobre a
feitiçaria nos tempos coloniais. É
Feitiçaria nos também um dos primeiros livros

120
SOUZA, Laura de Mello. O diabo e a terra de Santa Cruz. Formas de http://goo.gl/
143 São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
tempos editados entre nós dentro da
Expressão ApYVjs
A2
coloniais corrente da história das
mentalidades e do imaginário.

Página
Uma verdadeira arqueologia da
religiosidade popular, com base
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

em cronistas da época, devassas


eclesiásticas e processos da
Inquisição, em uma linguagem
que mostra rigor literário e
científico e não o tédio
acadêmico.
O relato desses viajantes acabou
por transformar-se em
documentação importante, capaz
de acrescentar ao nosso
conhecimento da História
detalhes da vida cotidiana do
período, que dificilmente teriam
sido preservados, não fossem
essas atentas e minuciosas
descrições. Um desses relatos,
SPIX, J.B.; MARTIUS, C.F.P. Viagem pelo Brasil 1817- talvez o mais detalhado e
Relato de Dados e http://goo.gl/
144 1820. Vol. 1. Trad. Lucia F. Lahmeyer. Belo Horizonte:
Viajantes
interessante, é o Reise in
Histórico u5wobS
A2
Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1981. Brasilien, “Viagem pelo Brasil”,
dos naturalistas bávaros Johann
Baptist Von Spix e Carl Friedrich
Philipp Von Martius. Em uma
longa viagem, entre 1817 e 1820,
o botânico Martius e o zoólogo
Spix percorreram milhares de
quilômetros pelo país, visitando

121
São Paulo, Rio de Janeiro, Minas
Gerais, Bahia, Pernambuco, Piauí,
Maranhão, Pará e Amazonas.

Página
STARLING, Heloisa M. M.; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Ideias, Cultura e Textos que fazem referência aos Dados e Acervo
145 Sandra R.G.; MARTINS, Bruno V. (Org.). Minas Gerais. História de municípios a serem Histórico Particular
A41

DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM


Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Belo Horizonte: editora UFMG, 2011. Minas Gerais inventariados: 1º - Guimarães Raquel Helena
Rosa: Veredas no grande sertão. de Mendonça
p. 63 a 72 ; 2º - Festas africanas: o e Paula
som das danças e dos batuques,
p. 83; 3º A vida nas vilas e arraiais
de Minas (Século XVIII e XIX), p.
84 a 107; 4º A arte rupestre e a
arqueologia de Minas Gerais, p.
108 a 123; 5º Fazenda mineira:
Sec. XVIII e XIX , p. 142 a 149; 6º
As celebrações festivas em Minas
Gerais, p. 192 a 209; 7º A Viola
em Minas Gerais, p. 210 a 219. Os
textos são ricamente ilustrados.
TINHORÃO, José Ramos. História social da música popular História da Música popular Formas de https://goo.gl/
146 brasileira. Lisboa: Caminho, 1990.
Música
brasileira. Expressão n9MIFz
A7
Relatos linguísticos e abreviaturas
Relatos na fala do homem são-
TRIGUEIROS, Edilberto. A Língua e o Folclore na Bacia do Centro
linguísticos e franciscano e seus significados. Formas de
147 São Francisco. 1977. Ministério da Educação/Funarte.
abreviaturas na Relatos de festas tradicionais e Expressão
Cultural, 398 A46
Brasília: MEC, 1977. TRI LIN
fala suas músicas. Vocabulário, festas
tradicionais e suas músicas.
Relatos linguísticos e abreviaturas
na fala do homem são-
TRIGUEIROS, Edilberto. A Língua e o Folclore na Bacia do Centro
Festas franciscano e seus significados. Celebrações e
148 São Francisco. 1977. Ministério da Educação/Funarte.
Tradicionais Relatos de festas tradicionais e Ritos
Cultural, 398 A46
Brasília: MEC, 1977. TRI LIN

122
suas músicas. Vocabulário, festas
tradicionais e suas músicas.
TRIGUEIROS, Edilberto. A Língua e o Folclore na Bacia do Ampla documentação sobre a Centro

Página
Língua do Formas de
149 São Francisco. 1977. Ministério da Educação/Funarte.
Sertão
língua e o folclore da região que
Expressão
Cultural, 398 A46
Brasília: MEC, 1977. abrange os Estados de Alagoas, TRI LIN
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Bahia, Minas Gerais, Pernambuco


e Sergipe, nas áreas banhadas
pelo grande rio.
VASCONCELOS, Diogo de. História Média das Minas História das Levantamento histórico de Minas Dados e http://goo.gl/
150 Gerais. 4. ed. Belo Horizonte: Itatiaia, 1974. Minas Gerais Gerais Histórico WkoC6R
A2
VILELA, Ivan. A viola em Minas Gerais. In: STARLING,
Heloisa Maria Murgel; CARDIA, Gringo; ALMEIDA, Sandra A história da Viola em Minas Formas de Bibliotecas
151 Regina Goulart; MARTINS. Bruno Viveiros. Minas Gerais.
Música/ Viola
Gerais Expressão UFMG
A57
Belo Horizonte: UFMG, 2011.
WELLS, J. W. Explorando e viajando três mil milhas
através do Brasil do Rio de Janeiro ao Maranhão. ÁVILA,
História do História do Brasil contata por Dados e http://goo.gl/
152 M. (Trad.). Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro –
Brasil viajante Histórico Alren3
A2
Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995. 2v.: 83
ilust.
Relatório do inglês James Wells
que faz uma viagem através do
WELLS, James W. Explorando e viajando três mil milhas Brasil do Rio de Janeiro ao
através do Brasil do Rio de Janeiro ao Maranhão. Maranhão entre 1870 a 1875,
História do Dados e http://goo.gl/J
153 Tradução de Myriam Ávila e Introdução de Christopher
Brasil
passando pelas margens do Rio
Histórico lACNm
A2
Hill. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro – Centro de São Francisco e relatando os
Estudos Históricos e Culturais, 1995. 2v.: 83 ilust. costumes e as especificidades
culturais de várias cidades
mineiras
Nossa Senhora de Todos os
Nomes Incontáveis são as
qualidades de Maria, Mãe de
ZANON, Frei Darlei. Nossa Senhora de Todos os Nomes:

123
História Jesus e nossa Mãe. Exatamente Formas de http://goo.gl/
154 Orações e história de 260 títulos marianos. São Paulo:
religiosa por isso, ela é venerada sob Expressão pQGwYM
A2
Paulus. 2 Ed. 2006.
muitos nomes, títulos que

Página
expressam diferentes
características de sua vida e
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

pessoa. Neste livro juntamos


várias. Devoções marianas, com
sua origem, tradição e uma
oração para que a nossa
aproximação de Nossa Senhora, e
por ela de Deus, seja sempre mais
intensa e frutífera.
O livro demonstra a luta contra a
transposição do rio e, por meio
O Rio São Acervo da
ZINCLAR, João. O Rio São Francisco e as águas no sertão. de fotografias, caracteriza e
155 Ribeirão Preto: Editora Novo Conceito, 2011.
Francisco e as
demonstra a diversidade da
Sítio Biblioteca da A44
Águas no Sertão Unimontes
população ribeirinha, tradições e
comunidades.
Numa linguagem que é poesia e
prosa ao mesmo tempo, Ziraldo
conta a vida de dois personagens: Acervo
ZIRALDO. O Menino do Rio Doce. São Paulo: Editora das O Menino do um menino e um rio (Rio São Formas de particular
156 Letrinhas, 1996. Rio Doce Francisco). O Livro é ricamente Expressão Raquel de
A41
ilustrado pela família de Paula
bordadeiras de Pirapora (família
Dumond).

124
Página
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Publicações Seriadas
Referências Onde
Item Fontes Bibliográficas, Documentais, Arquivísticas, etc. Descrição Tema Acervo
Culturais encontrar

A chamada cozinha tradicional ou


ABDALA, Mônica Chaves. Sabores da Tradição. Revista do “típica” mineira foi forjada nos
Arquivo Público Mineiro, n. 02, p. 119-129, 2006. séculos XVIII e XIX, em dois
Saberes e http://goo.gl/
1 Disponível em: Culinária momentos distintos: O de
Ofícios Qz5VN7
A3
<http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pd escassez, no auge da mineração
f/Sabores_da_tradicao.PDF>. Acesso em 10 mai. 2013. do ouro, e o de fartura, com a
ruralização da economia regional.
A chamada cozinha tradicional ou
ABDALA, Mônica Chaves. Sabores da Tradição. Revista do “típica” mineira foi forjada nos
Arquivo Público Mineiro, n.2, p. 119-129, 2006. séculos XVIII e XIX, em dois
Saberes e http://goo.gl/
2 Disponível em: Culinária momentos distintos: O de
Ofícios Qz5VN7
A3
<http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pd escassez, no auge da mineração
f/Sabores_da_tradicao.PDF>. Acesso em 10 mai. 2013. do ouro, e o de fartura, com a
ruralização da economia regional.
Narrativas populares sobre mitos,
ALMADA, Márcia. Estórias Fantásticas do Rio São
Mitos do São lendas e criaturas fantásticas do Formas de http://goo.gl/

125
3 Francisco. Revista do Arquivo Público Mineiro, v. 1, p.
Francisco Rio São Francisco do livro de Expressão 7hsuLu
A3
149-155, 2006.
Manoel Ambrósio.
ALMEIDA, Rita Heloisa. Xackriabá: cultura, história, Através de estudos

Página
http://goo.gl/
4 demandas e planos. Revista de Estudos e Pesquisas Xakriabás antropológicos, o artigo tem o Lugares
RGVe2N
A2
(Fundação Nacional do Índio), Brasília, v. 3, n. 1/2, p. 9- intuito de reunir informações
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

39, jul./dez. 2006. sobre o povo Xacriabá, seus


movimentos colonizadores no
vale do São Francisco, a história
da doação de suas terras, a
espoliação a que foram sujeitos e
as lutas reivindicatórias travadas
para alcançarem a regularização
das terras indígenas Xacriabá e
Rancharia.
AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de. Tradição das culturas indígenas
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os Derivados de desde épocas remotas,
Saberes e http://goo.gl/
5 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível barro - Pintura preservado na pintura de louças
Ofícios N1PSNL
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai. da louça em olarias. Candeal e Cônego
2012. Marinho
São várias fotos que constituem o
acervo a respeito da cidade de
Itacarambi no site, temos
imagens relacionadas a entrada
da cidade, os espaços de
socialização, a arte rupestre no
AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de. Vale do Peruaçu, a pintura na
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os louça que é produzida na olaria,
Locais em http://goo.gl/c
6 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível
Itacarambi
além de desenhos e esculturas de Sítio
GWSCW
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai. formas casuais, representativas,
2012. objetivas e evocativas que
remetem a expressões remotas

126
dos que ali habitaram, além das
praças totalmente estruturadas
que tem por objetivo propagar a

Página
cultura da cidade e suas
carrancas gigantes.
DIRETORIA DE PROTEÇÃO E MEMÓRIA – DPM
Gerência de Patrimônio Imaterial – GPI
Núcleo de História e Cultura Regional – NUHICRE
Coordenadoria de políticas de Memória e Patrimônio Cultural
INSTITUTO ESTADUAL DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE MINAS GERAIS – IEPHA/MG
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS – UNIMONTES
INVENTÁRIO CULTURAL DE PROTEÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Praça com carrancas gigantes,


AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de. esculpidas em madeira e
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os concreto, que nasceu para ficar
Praça da Água http://goo.gl/
7 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível
Viva
na proa das embarcações como Lugares
N1PSNL
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai. adorno e proteção dos
2012. barqueiros contra os maus
espíritos.
AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de.
As carrancas gigantes, esculpidas
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os
As carrancas em madeira e concreto, são como Saberes e http://goo.gl/r
8 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível
gigantes portais que emolduram a praça Ofícios KgXj2
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai.
da água viva.
2012.
'As superstições dos barqueiros
AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de.
são tão numerosas', acreditam na
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os
aparição dos esqueletos, contam Formas de http://goo.gl/r
9 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível As superstições
casos curiosos a respeito do Expressão KgXj2
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai.
cavalo d'agua e outros animais
2012.
fabulosos.
AMARAL, Ana Alaíde; LIMA, Fabio Jose Martins de.
Itacarambi, norte de Minas Gerais: entre o lugar e os
Informações gerais sobre a Dados e http://goo.gl/I
10 espaços de diálogo. Vitruvius, v. 10, jul. 2010. Disponível Informações
cidade de Itacarambi Histórico 0HBFh
A2
em: <http://www.vitruvius.com.br/>. Acesso em 10 mai.
2012.
ANAYA, Felisa Cançado. "Vazanteiros em movimento": o
processo de ambientalização de suas lutas territoriais no Texto sobre "Os vazanteiros em
contexto das políticas de modernização ecológica. Ciênc. movimento" e o processo de

127
saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 19, n. 10, out. 2014.