Você está na página 1de 6

JANDILSON SILVA

MARCOS DANILO

CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE - ABC

Relatório apresentado ao curso de ciências


contábeis, como requisito avaliativo para
obtenção da 3ª avaliação da unidade III na
disciplina de Contabilidade Gerencial

Professor: Jozenir Calixta

PATU-RN
MAIO - 2019
Custeio ABC (Custeio Baseado em Atividades)
Cada vez mais a necessidade de informações relevantes tem se evidenciado
e os métodos de custeio devem evoluir para atendê-las. O ABC surge como uma
visão mais estratégica, incorporando novos conceitos de gestão antes ignorados
pelos demais métodos. O Activity Based Costing ou Custeio Baseado em Atividades
(ABC) é um método de custeio que tem como objetivo avaliar com precisão as
atividades desenvolvidas em uma empresa (tanto industrial como de serviços ou
comercial), utilizando direcionadores para alocar as despesas e custos indiretos de
uma forma mais realista aos produtos e serviços. Portanto, o centro de interesse do
ABC concentra-se nos gastos indiretos. A característica desse método é a atribuição
mais rigorosa desses ao objeto de custo, permitindo um controle mais efetivo dos
mesmos e oferecendo melhor suporte às decisões gerenciais (LEONE 2000). O ABC
parte do princípio, de que não é o produto ou serviço que consome recursos, e sim,
os recursos são consumidos pelas atividades e estas, por sua vez, são consumidas
pelos produtos ou serviços.
De acordo com Nakagawa (1997) “o ABC é uma ferramenta que possibilita
uma melhor visualização dos custos através da análise das atividades executadas
dentro da empresa e suas respectivas relações com os objetos e objetivos de custo.”
Esta percepção nasceu do novo enfoque que se passou a adotar, segundo o qual são
as atividades de todas as áreas funcionais de manufatura que consomem recursos.
Os produtos, por sua vez, exigem as atividades. No sistema de custeio baseado na
atividade, os custos tornam-se visíveis passando a ser alvos de programas de
redução e de aperfeiçoamento de processos, auxiliando assim as organizações a
tornarem-se mais lucrativas e eficientes.

Base Histórica

Custeio baseado em atividades ou custeio ABC (Activity Based Costing) é um


método de custeio que está baseado nas atividades que a empresa efetua no
processo de fabricação de seus produtos. Esta é uma metodologia desenvolvida
pelos professores americanos Robert Kaplan e Robin Cooper em meados da década
de 1980, na Universidade de Harvard. Fornece um método para o tratamento dos
custos indiretos, através da análise das atividades, dos seus geradores de custos, e
dos utilizadores.
Este conceito, foi introduzido na metade dos anos 80 através de vários cases
e artigos da Harvard Business School. Segundo Kaplan e Anderson (2003), a
novidade é que a abordagem direcionada ao tempo permite uma maior
heterogeneidade de atividades, a qual pode ser gerenciada de duas formas pelo
sistema ABC induzido pelo tempo: a) expandir o número de atividades, ao pé da letra,
gerenciando um simples pedido, uma média de pedidos ou um pedido complexo; b)
os custos dos recursos devem ser assinalados para os três tipos de atividades de
gerenciamento de pedidos, e um dirigente de transações - simples, médias e de
pedidos complexos – definidos para cada tipo de atividade.

Custeio ABC como ferramenta gerencial

A importância que se dá a utilização do sistema de Custeio ABC, é em virtude


do mesmo não ser apenas um sistema que dá valor aos estoques, mas também
proporciona informações gerenciais que auxiliam os tomadores de decisão, como por
exemplo, os custos das atividades, que proporcionam aos gestores atribuírem
responsabilidades, proporcionando o acompanhamento e correções devidas nos
processos internos da empresa, ao mesmo tempo em que possibilita a implantação e
ou aperfeiçoamento dos controles da entidade.

Aplicação do custeio ABC nas entidades

O ABC determina que atividades consomem os recursos da empresa,


agregando-as em centros de custos por atividades. Em seguida, e para cada um
desses centros de atividades, atribui custos aos produtos baseado em seu consumo
de recursos. Com isso, é possível se determinar quais são os produtos subcusteados
e quais são os supercusteados, possibilitando uma melhoria nas decisões gerenciais.

Vantagens e desvantagens

Em linhas gerais, o custeio ABC apresenta inúmeras vantagens de utilização


como enumeradas a seguir:
✓ Informações gerenciais relativamente mais fidedignas por meio da redução do
rateio;
✓ menor necessidade de rateios “arbitrários”;
✓ obriga a implantação, permanência e revisão de controles internos;
✓ identifica onde os itens em estudo estão consumindo mais recursos;
✓ identifica o custo de cada atividade em relação aos custos totais da entidade;
✓ pode ser empregado em diversos tipos de empresas;
✓ pode, ou não, ser um sistema paralelo ao sistema de contabilidade;
✓ possibilita a eliminação ou redução das atividades que não agregam valor ao
produto.

Em contrapartida pode apresentar também desvantagens à empresa:


✓ Gastos elevados para implantação;
✓ alto nível de controles internos a serem implantados e avaliados;
✓ necessidade de revisão constante;
✓ leva em consideração muitos dados e de difícil extração;
✓ dificuldade de envolvimento e comprometimento dos empregados da empresa;
✓ necessidade de reorganização e reformulação de procedimentos da empresa antes
de sua
implantação;
✓ dificuldade na integração das informações entre departamentos;
✓ falta de pessoal ;e
✓ maior preocupação em gerar informações estratégicas do que em usá-las

Conclusão

Diante do referido estudo podemos chegar ao entendimento de que o custeio


baseado em atividades é uma ferramenta de extrema importância pelo fato de
conseguir mensurar o quanto é gasto em um produto de acordo com as atividades
tendo por base a análise dos custos indiretos, ressaltando que ele é um utensílio
gerencial, não sendo cabível para parte fiscal. Uma avaliação que deve ser feita para
utilização deste tipo de custo é qual porte da empresa e o números de produtos que
fabrica, onde será possível utilizar este método com mais eficácia. Por fim, destaca-
se na utilização gerencial a forma de agregar o valor a cada produto, informando o
que é sub ou super avaliado, com isso gerando informações para tomada de decisão
e além disso trazendo inúmeras vantagens supracitadas, fechando toda assimilação
sobre esta temática.

Referências:

https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5&q=custeio+abc&btnG=
pesquisado em 21 de maio de 2019

http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:https://www.aedb.br/seget/arquivo
s/artigos06/871_CUSTEIO%2520POR%2520ABSORCAO%2520X%2520CUSTEIO%2520A
BC.pdf pesquisado em 21 de maio de 2019

https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/2636/2636 pesquisado em 21 de maio


de 2019
http://gpi.aedb.br/seget/artigos06/784_Artigo%20Abc_Seget1.pdf pesquisado em 21 de
maio de 2019

https://administradores.com.br/artigos/custeio-baseado-por-atividades pesquisado em 21 de
maio de 2019

KAPLAN, Robert; COOPER, Robin. Custo e Desempenho. São Paulo: Futura, 1998.
pesquisado em 21 de maio de 2019

Você também pode gostar