Você está na página 1de 205

[2]

EXPLORANDO
O CÓDIGO DO APOCALIPSE
De Onde Viemos?
Para Onde Vamos?

S. V. Reis

www.varandadelivros.com

[3]
[4]
[5]
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.....................................................................................10
CAP 1 EXPLORANDO O ESBOÇO TEXTUAL GERAL DO APOCALIPSE....14
CAP 2 EXPLORANDO OS SÍMBOLOS APOCALÍPTICOS E TÉCNICAS DA
ACADEMIA..........................................................................................22
CAP 3 EXPLORANDO O TEMPLO ISRAELITA........................................42
CAP 4 EXPLORANDO A LINGUAGEM CODIFICADA DO 7....................50
CAP 5 EXPLORANDO A LÍNGUA HEBRAICA E GREGA.........................53
CAP 6 EXPLORANDO A CULTURA ISRAELITA......................................70
CAP 7 EXPLORANDO OS GRANDES IMPÉRIOS NO APOCALIPSE 17....73
CAP 8 EXPLORANDO O PERSONAGEM CENTRAL DO APOCALIPSE....81
CAP 9 EXPLORANDO A MENSAGEM CENTRAL DO APOCALIPSE........84
CAP 10 EXPLORANDO O INIMIGO CENTRAL DO APOCALIPSE...........87
CAP 11 EXPLORANDO A GUERRA CÓSMICA APOCALÍPTICA E A
CONTEMPORANEIDADE.....................................................................90
CAP 12 EXPLORANDO AS MARCAS DO APOCALIPSE E AS QUESTÕES
ECOLÓGICAS......................................................................................99
CAP 13 EXPLORANDO A MORTE NO APOCALIPSE...........................103
CAP 14 EXPLORANDO O JUÍZO NO APOCALIPSE.............................107
CAP 15 EXPLORANDO AS PROMESSAS DO APOCALIPSE..................114
CAP 16 EXPLORANDO A VIDA NO APOCALIPSE...............................118

[6]
ANEXO 1
A IGREJA CATÓLICA ROMANA COMO A INSTITUIÇÃO
MAIS PODEROSA DO MUNDO E OS DITAMES DE SUA
ENCÍCLICA LAUDATO SI................124

ANEXO 2
A BRILHANTE ORDEM DOS JESUÍTAS E A BUSCA PELO
PODER NO MUNDO.......141

ANEXO 3
OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA COMO O ÚLTIMO
LÍDER MUNDIAL DAS NAÇÕES...148

ANEXO 4
A CIÊNCIA, A RELIGIÃO E A VERDADE SOBRE A
REALIDADE DAS COISAS......155

ANEXO 5
LEI OU GRAÇA?....162

ANEXO 6
O FIM DO MUNDO, A NATUREZA E O
APOCALIPSE....169
ANEXO 7
O FIM DO MUNDO, A NATUREZA E O
APOCALIPSE..189

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA E CITADA.............201


EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Este trabalho é dedicado a você que não tem medo de se


deparar com verdades estonteantes. É dedicado às
pessoas que tem coragem de ser de Cristo em qualquer
situação da vida.
É dedicado para todos que buscam um sentido maior e
bom, no livro do Apocalipse. É dedicado para todos os
cidadãos do Céu. É dedicado àquele que decidirá estar
com a Igreja Remanescente ou com a Igreja Perseguida
no clímax do conflito entre o Bem e o Mal.

[9]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

INTRODUÇÃO
Explorando o Código do Apocalipse – De Onde
Viemos? Para Onde Vamos? é um trabalho feito para
proporcionar a reflexão da vida em meio a guerra. Para
além das questões religiosas denominacionais, pretende-
se aqui pensar a ética cristã num contexto do fim; num
contexto supra denominacional. Não estou aqui para
defender nenhum pastor. Não ganhamos nada em ficar
brigando, defendendo o que pastor X ou Y fala. Não
ganhamos absolutamente nada em lutar por instituição
religiosa, isto é, placa de igreja. Muitos se perdem em
discussões vazias só para defender pastor ou instituição;
e tais pessoas ficam cegas para o que a Bíblia diz. Larga
de ser bobo, você pode estar perdendo sua salvação só
por amar demais um pastor ou instituição/igreja. Pode
ser que você esteja deixando de viver uma verdade
bíblica só porque o pastor, padre ou a instituição não
concorda. Se estiver na Bíblia, fica com a Bíblia e deixe
tal pastor, padre ou instituição sozinho. Eu trabalho
dessa forma; com lógica bíblica somente, e não com a
lógica de pessoas. Se você ver alguma lógica naquilo que
estou dizendo; não será o suficiente.
É isso que queremos mostrar aqui. O que a Bíblia diz?
Para além de interpretação alheia, você deve aprender a
ver a Bíblia por si mesmo. Usando uma linguagem
acessível à mente culta, racional, científica e ao mesmo
tempo, à mente simples; queremos auxiliar você no

[ 10 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

como examinar as escrituras por si. Queremos que você


pense! Deus nunca quis pessoas com fé cega, mas crente
que tudo vê por meio do arrazoar. É por isso que no
final dos três primeiros capítulos fizemos dois tipos de
perguntas: a textual e a reflexiva. O questionário de acesso
textual vai te situar na discussão, caso você não conheça
o livro do Apocalipse. O questionário de acesso reflexivo
vai despertar, ou provocar tua capacidade de pensar,
refletir, arrazoar, criticar, desvencilhar-se de mentiras,
concluir.
Vivemos na era digital. Vivemos a era do click. Por esse
motivo é que optamos por usar uma linguagem direta,
curta, compacta. Em outras palavras podemos dizer que
usamos a linguagem digital, ou melhor, do texto digital.
As massas não têm paciência e nem profundidade para
encarar textos complexos e longos. Até que capacidade
as pessoas tem, mas elas preferem não usar. Isso é
tendência do pós-modernismo. Isso é herança do mundo
tecnológico; da abundância de informação!
Esse estilo e preferência não impossibilitam, ou
paralisam aqueles que gostam de profundidade dos
textos. Todos são convidados a irem além do que
falamos. Somos adeptos da fé que tudo vê, e rechaçamos
veementemente a fé cega, ou fideísmo. Os artigos que
estão em anexo têm o objetivo de te provocar para uma
discussão mais profunda. Os sete textos, embora mais
longos, mas sem fugir às características do texto rápido,
são tentativas de se adentrar a profundidade dos temas.

[ 11 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Há um pensamento lógico dentro da verossimilhança


bíblica e dentro da operação humana. Cabe a você
descobrir, acessar, usar, dominar. O Espírito Santo está a
tua disposição para te auxiliar nas dificuldades. A Bíblia é
um livro sem igual porque qualquer mente consegue
acessá-la, apropriá-la. Há um mistério envolvido nesse
processo porque, às vezes doutores em conhecimentos
científicos não acessam, e indoutos tem total domínio.
Não é o conhecimento dos bancos escolares
formalizados que te dão a senha do código apocalíptico;
mas o poder do Deus Espírito Santo. Por isso que é
necessário que você se desvencilhe do ar de advogado de
pessoa ou instituição. Devemos defender o Cristo e não
instituição ou ideias humanas. Estamos no fim! Não há
tempo mais para isso. Logo, logo será visível apenas dois
grupos no mundo: os fiéis ao que Assim Diz o Senhor, e os
fiéis ao que Assim Diz a Igreja.
Focando a discussão principal do Apocalipse: Deus
criador, mantenedor, redentor e recriador; queremos ajudar você
a ser livre. A ser um cristão de espírito livre e dependente
do Senhor Jesus somente. E essa discussão tem o seu
centro no meio do livro do Apocalipse que compreende
os capítulos 8-14. Dentro do estilo literário judeu – o
quiasmo – a parte de clímax se encontra no centro do
livro.
Seja um cristão autêntico e fique com Jesus. Continue
lendo esse livro; pois o que está em jogo é sua vida
eterna. Uma coisa é certa: quando você terminar de ler

[ 12 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

este livro, terá plena condição de fazer uma boa decisão.


O que você decidir, estará decidido. A responsabilidade é
sua. Ninguém prestará conta de terceiros. Cada um terá
que falar por si. De qualquer forma, você precisa saber
de coisas que este livro fala. Ou neste livro, ou em outro
lugar ou meio, você vai ficar sabendo do que discutimos
aqui. E você fará uma decisão! Ou do lado de cá, ou do
lado de lá; você fará uma decisão.
Jesus está voltando! Maranata!
Boa leitura e boa reflexão!

[ 13 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 1
EXPLORANDO O ESBOÇO TEXTUAL
GERAL DO APOCALIPSE

Um livro enigmático! Ele é diferente de todos os demais


por causa da riqueza de símbolos. Não se pode negar o
quanto é difícil entendê-lo. Para os céticos, a
compreensão apocalíptica (no sentido do conteúdo do
livro) é pitoresca! Para a mente moderna, o Apocalipse é
um enredo de coisas fantásticas, ou seja, coisa da
imaginação de uma mente do século I D. C. E para uma
mente que crê e busca Deus, o livro que João escreveu é
uma revelação dos Céus aos homens.
Neste início de jornada queremos explorar o texto geral
do livro do Apocalipse. É necessário começar por aqui
porque as partes só fazem sentidos quando se domina o
todo. As lacunas tendem a serem eliminadas ou, pelo
menos diminuídas quando se conhece o macro.
Recomendo que você, após ler este início, vá diretamente
à Bíblia e leia do capítulo 1 ao capítulo 22 do livro do
Apocalipse. Mesmo que você não entenda os símbolos,
faz-se necessário o contato direto com o texto cru. Caso
você tenha acesso à língua grega, eu sugiro que você leia
no original. Veja o enredo que se desenvolve ao longo
dos capítulos. Tente relacionar as imagens que forem
aparecendo no texto. Essas imagens, símbolos e relações
não apareceram por acaso. Se você enxergar a simetria

[ 14 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

do enredo, das linguagens imagética, simbólica e


relacional; notará que houve uma mente maior por trás
do escritor. João não era um PhD em teologia do
primeiro século! Ele era alguém simples, apaixonado pelo
seu Mestre e pela missão de salvar gente.
O teólogo Henry Feyerabend afirma que o grande Calvino
não se meteu a besta a escrever qualquer comentário
sobre o Apocalipse e Lutero fugiu por algum tempo do
texto poderoso do discípulo amado. Isso significa que
um simples mortal como nós; precisamos muito mais
que coragem até para ler o texto deste livro. Se
aceitarmos de bom grado o auxílio do Espírito Santo,
teremos a coragem, a atenção, o desprendimento
dogmático que necessitamos, e a percepção para
entendermos este livro. E, conseqüentemente, saberemos
o que fazer.
O mesmo teólogo, Feyerabend esclarece que o livro do
Apocalipse “é um mosaico do restante das Escrituras. Quase
tudo no Apocalipse pode ser conectado com alguma outra parte da
Bíblia” (p. 7). Ou seja, mais da metade do livro é um
empréstimo de outros livros. Isso não é errado porque os
outros livros vêm da mesma fonte: o Espírito Santo. João
conhecia muito bem os livros do Antigo Testamento; e
isso fez com que ele entendesse o anjo que passara a
mensagem.
Ao ler o texto do Apocalipse; você precisa entender algo:
Deus se revela ao homem como Ele quer e na medida em que Ele
acha necessário. O Senhor se deixa conhecer através da

[ 15 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

revelação natural e da revelação especial, como


concordam os teólogos. A primeira compreende a
história, a natureza; ou seja, tudo aquilo que faz parte do
nosso mundo natural diz alguma coisa do Criador. E a
revelação especial é o contato direto do Senhor com sua
criatura – por visões, sonhos, diálogos diretos e indiretos,
e revelações. Tudo isso foi encapsulado ao longo dos
séculos para as gerações futuras em um livro chamado
Bíblia.
Quando você estiver lendo o texto na integra, seja em
português ou em grego, quero que se lembre das palavras
de um doutor em Apocalipse: C. M. Maxwell. Ele
esquematiza o livro assim: porção histórica e porção
escatológica. Por que fez essa divisão? Porque ele pensa que
para se chagar ao ponto correto da interpretação
apocalíptica, devem-se relacionar as duas revelações: a
natural e a especial. Então a história desempenha um
papel fundamental na compreensão da mensagem cifrada
(eu diria assim) do Apocalipse. Esse método de
interpretar as profecias faz sentido porque a Bíblia diz
que o Divino se fez humano e habitou entre nós (Jo
1:14). E por sinal foi o mesmo escritor do Apocalipse
que registrou essa afirmação.
Há três métodos de se interpretar as profecias; dois deles
não nos levam a nenhum ponto relevante. Pelos motivos
apresentados, o método historicista é o mais coerente e
eficiente. O pós-histórico é o método que leva os
acontecimentos para o futuro. É também conhecido de

[ 16 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

futurista. E o a-histórico joga todos os acontecimentos


para o passado. Muitos o conhecem como preterista.
O historicista é o método que lança mão do tempo
cronológico para se explicar os acontecimentos
proféticos. Faz muito sentido quando se olha para Jesus.
Ele respeitou o tempo, a ordem, e o ritmo das coisas
naturais dos homens. Ele nasceu como eu e você, de
uma mulher. Ele comeu, chorou, sorriu, foi tentado,
obedeceu às leis, cumpriu com suas obrigações (até
pagou imposto), morreu como a nossa raça morre; mas
ressuscitou como devemos ressuscitar. Tudo isso me leva
crer na eficiência e verossimilhança do resgate do
homem ao estado original antes da queda – VIVER
ETERNAMENTE COM O CRIADOR.

OBS.: Leia primeiramente todo o livro uma ou mais


vezes para continuar com as atividades propostas. Você
será muito bem recompensado pelo Senhor se seguir as
dicas. Lembre-se: o que está em jogo é sua vida eterna.

QUESTIONÁRIO DE IMERSÃO AO TEXTO


BÍBLICO
1) As sete igrejas estão registradas no:
a) Começo do livro do Apocalipse.
b) Meio do livro do Apocalipse.
c) Fim do livro do Apocalipse.

[ 17 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

2) As descrições das sete trombetas têm alguma


semelhança com as sete:
a) Igrejas
b) Pragas
c) Selos
3) Quais são os dois capítulos que falam dos 144 mil?
a) 1 e 2
b) 20 e 21
c) 7 e 14
4) Qual é o capítulo que fala de duas bestas ao
mesmo tempo?
a) Capítulo 6
b) Capítulo 9
c) Capítulo 13
5) Quem não vai comprar ou vender no fim do
tempo do fim?
a) Aquele que é de Deus.
b) Aquele que é do Diabo.
c) Aquele que é indiferente ao Grande Conflito.
6) Quais são as primeiras palavras do Apocalipse?
a) Revelação de Jesus Cristo.
b) Mistério de Jesus Cristo.
c) Bem-aventurados aqueles que lêem.
7) O último discípulo de Jesus a morrer foi:
a) Pedro

[ 18 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

b) João
c) Paulo

QUESTIONÁRIO DE REFLEXÃO PESSOAL

1) Por que João usa a palavra princípio? Veja o início


de outros livros dele. João escreveu mais 1
evangelho e 3 cartas (Evangelho de João, 1º João,
2º João e 3º João)
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
2) Por que ele, o João, mencionou a palavra SOU?
Além de pesquisar nos outros livros dele, vá ao
livro de Gênesis 1:1.
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
3) Em sua opinião, por que aparece tanto o número
sete em todo o livro de Apocalipse?
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

[ 19 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

4) Por que se popularizou a ideia de que o sete é


conta de mentiroso?
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
5) Tente encontrar referências diretas e indiretas do
número sete. No Novo Testamente e no Antigo
Testamento há inúmeras referências diretas e
indiretas. O que seriam essas mensagens?
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
6) Quando você leu o texto todo do Apocalipse,
percebeu algum enredo? Tente fazer um mapa
conceitual do enredo de todo o livro.
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

[ 20 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

7) Destaque: a parte mais interessante e a parte mais


feliz. Você consegue ver alguma coisa feliz ou só
viu tristezas e horrores no livro de Apocalipse?
_______________________________________
_______________________________________

[ 21 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 2
EXPLORANDO OS SÍMBOLOS E AS
TÉCNICAS DE LEITURA

Os símbolos comunicam mensagens importantes.


Entender as mensagens simbólicas necessita-se lançar
mão de métodos confiáveis de interpretação. No meio
acadêmico existem técnicas científicas que podem nos
ajudar a entender a mensagem do Apocalipse. Podemos
utilizá-las para ficarmos mais seguros quanto à
acertabilidade da mensagem.
Quando eu estava na faculdade me deparei com um livro
fantástico – A Técnica da Comunicação Humana. Penteado,
o autor, levanta um panorama técnico para se
compreender uns aos outros no nível humano. As
técnicas de exploração do texto oral e escrito mostrado
por ele são muito boas. Você pode me indagar e dizer
que estou usando o livro errado, pois a Bíblia é um livro
Divino, então a comunicação aqui é Divina – Humana. É
isso mesmo; mas, não é esse elemento que quero abordar
aqui. Pretendemos explorar, neste momento, o texto do
livro do Apocalipse, com técnicas coerentes no plano
humano.
Segundo Penteado “ler é interpretar símbolos gráficos, de
maneira a compreendê-los, e a leitura constitui uma das cinco
atividades filológicas básicas: pensar, falar, ouvir, escrever e

[ 22 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ler”. (p. 185). Essa última atividade liga-se à primeira. Ler


é entrar em contato com a ideia do autor. Para isso é
necessário esquecer-se de si e fixar-se na ideia do autor;
caso contrário não entenderá a mensagem; pelo
contrário, criaremos outra mensagem; ou uma barreira ao
que o outro está querendo dizer. Esse problema é o que
mais acontece na interpretação bíblica, principalmente no
texto profético. Penteado diz que “na leitura, a compreensão
está muito ligada a essa necessidade de autor e leitor falarem a
mesma língua, para chegarem juntos a uma ampla área de
compreensão. O fenômeno da empatia determina o grau de
entendimento que se exige na leitura” (p. 189). A ‘língua’
utilizada pelo autor neste livro (Apocalipse) é a
simbólica. O que seria um símbolo? É aquilo que
convencionado ou não substitui ou sugere algo.
Dos tipos de leitura, você precisa aplicar a chamada
leitura assimilativa. Caso você passe a ler o Apocalipse
partindo da leitura crítica não entenderá nada. Eu te
aconselho a nem continuar, se estiver lendo o texto
apocalíptico criticamente antes de entendê-lo
textualmente. As primeiras leituras devem ser feitas
usando o tipo assimilativo. Você está, neste momento,
aprendendo algo novo, inteirando-se de algo
desconhecido. Até os teólogos que passam anos e anos
explorando esse livro, sentem dificuldade... imagine nós.
Depois que você estiver entendendo o enredo, o sentido e a
aplicação ou os tipos que existem de aplicação; poderá
reler o texto de forma crítica; caso queira. Mas nos

[ 23 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

primeiros contatos você necessita assimilar a ideia do


autor. Pense nessas perguntas: o que o Espírito Santo quer
dizer com isso? Qual é a mensagem central? Essa mensagem é
direcionada a quem? E etc...
Retornando ao símbolo; ler o Apocalipse como se ler um
livro normal é perca de tempo. A velocidade requerida
aqui é a de tartaruga – quase parando. A cada parágrafo
deve-se fazer pesquisas sobre alguma linguagem ou
símbolo.
O teólogo Stephen Bohr de cidadania americana e
colombiana costuma lembrar, em suas palestras sobre
profecias, que os símbolos na Bíblia são líquidos; ou seja,
podem tomar significados diferentes. Esse é um detalhe
muito importante e necessário ao leitor apocalíptico. E
parece que complica mais ainda. Mas não! Os símbolos
são líquidos porque tomam diferentes formas e podem
significar diferentes coisas quando estão em contextos
diferentes. Por exemplo: Efésios capítulo 6 fala de um leão
que o contexto nos diz que se refere a Satanás; no
entanto, em Apocalipse capítulo 5 o leão que aparece é
Jesus, pois a situação é outra. Se você não ficar atento a
pontos iguais a este, pode confundir-se e não entender
nada.
De onde vêm os símbolos do Apocalipse? Vem da
própria Bíblia! Não devemos aceitar nenhuma
interpretação simbólica que venham de outro lugar.
Deve-se seguir o conselho de Isaias para se estudar a
Bíblia: “um pouco aqui e um pouco ali...” E os símbolos não

[ 24 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

devem ser isolados, pois para se montar um quebra-


cabeça, nós precisamos do ajuntamento, organização,
concentração e atenção. E por que Deus quis que fosse
assim? Para preservar uma mensagem pura; para que
agentes inimigos não a destruíssem. Por isso devemos
nos apoiar nas evidências históricas, na verossimilhança e
relacionar as lógicas humana e Divina. Faça isso tudo ou
esqueça; mas não deixe de solicitar a orientação do
Espírito Santo caso queira entender de verdade.
Usando a chave para se ter acesso aos símbolos
apocalípticos, vamos descobrir o significado do máximo
possível dessa linguagem usando a própria Bíblia. Você
pode construir um vocabulário profético apocalíptico e
bíblico com o auxílio de uma chave bíblica e um
dicionário bíblico igual ou mais conciso do que este. O
autor deste blog teve a iniciativa muito interessante em
fazer um glossário sobre os símbolos do Apocalipse.
Estude-o e tenha mais facilidade de compreender a
mensagem de Deus dada a João. Você pode pesquisar
num dicionário bíblico e aumentar essa lista.

SÍMBOLO SIGNIFICADO REFERÊNCIA

Daniel 8:16, 9:21,


Anjo Mensageiro Lucas 1:19,26;
Hebreus 1:14

[ 25 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Arca da aliança /
Arca de Êxodo 25:10-22,
propiciatório onde
Testemunho Salmo 80:1
Deus habita
Gênesis 10:8-10,
Apostasia religiosa /
Babilônia 11:6-9: Apocalipse
confusão
18:2,3; 17:1-5
Avanço dos nossos
Doutrina de próprios interesses
Números 22:5-25
Balaão, de compromisso,
idolatria
Reino, o poder do
Besta Daniel 7:23
governo, política
Uma cadeia
Aprisionamento
simbólica das Isaías 14:12-20
de Satanás
circunstâncias
Êxodo 10:21-23;
Jeremias 4:20-28;
Trevas morais, o
Negro 08:21, Atos 26:18,
pecado apostasia,
João 12:35; Joel 2:1-
10
Levítico 17:11,
Sangue Vida
Deuteronômio 12:23
Gênesis 1:1,2;
Terra em caos,
Jeremias 4:23-28,
Poço sem fundo rasgado, escuro e
Isaías 24:1-4,19;
vazio
Apocalipse 20:1-3
Sucesso na batalha Salmo 7:11,12;
Arco
contra o mal Salmos 45:4,5

[ 26 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Ezequiel 16:15-58;
Corruptos, apóstata
Mulher corrupta 23:2-21; Oséias 2:5,
igreja
3:1
1 Crônicas 20:02, 2
Reis 11:12; Ezequiel
21:26,27; Tiago
Coroas Vitória realeza,
1:12, 2 Timóteo
4:7,8, 1 Coríntios
09:25
Salmo 11:6; 75:8,
Dispensado
Isaías 51:17, 22-23;
Taça sofrimento e
Jeremias 25:15-17;
julgamentos
49:12
Ezequiel 4:6;
Dia Ano literal
Números 14:34
2 Coríntios 2:12;
Porta Oportunidade
Apocalipse 3:20
Provação Lucas 13:24-25
Isaías 27:1; 30:6,
Salmo 74:13,14;
Satanás ou sua
Dragão Apocalipse 12:7-9,
agência
Ezequiel 29:3,
Jeremias 51:34
Deuteronômio
Velocidade, poder,
28:49; Habacuque
Águia visão, vingança,
1:6-8; Apocalipse
proteção
12:14
Assimilando a Ezequiel 3:1-3;
Comer o livro
mensagem Jeremias 15:16

[ 27 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Egito Símbolo do ateísmo Êxodo 5:2


Espírito Santo para
nos ajudar a ver a
Efésios 1:17-19,
verdade;
Salmo 119:18, 1
Colírio discernimento para
João 2:20,27, João
entender palavra;
16:7-13
antídoto para a
cegueira espiritual
João 18:37, João
Testemunha fiel CRISTO 3:11, Apocalipse
3:14; 19:11
Protestantismo Apocalipse 16:13,14;
Falso profeta
apóstata 19:20
Romanos 7:25;
Testa Mente
Ezequiel 3:8,9
Ezequiel 16:15,26,
Ligação ilícita entre Isaías 23:17, Tiago
Fornicação
Igreja e mundo 4:04, Apocalipse
14:04
Seres celestiais com Apocalipse 5:8-10;
Quatro animais
responsabilidades 4:6-9; 6:1-7; 14:3;
viventes
especiais 15:7; 19:04
Quatro cantos da Quatro direções da
Jeremias 49:36
terra bússola
Gênesis 35:2, Isaías
61:10, 52:1, Zacarias
Vestes Cobertura de justiça
3:3-5; Romanos
13:14

[ 28 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Salmo 19:7-10,
Verdadeiras riquezas
Ouro Gálatas 5:6; James
do céu, a fé escritura,
2:5; Jó 23:10
Mão Símbolo do trabalho Eclesiastes 9:10
Apóstata Igreja / Isaías 1:21; Jeremias
Prostituta
religião 3:1-3, 6-9
Grandes potências, os Daniel 7:6; Daniel
Chefes governantes, os 8:8,22; Apocalipse
governos 17:3,10
João 6:49,50,53;
Maná escondido CRISTO
Mateus 13:44
Deuteronômio 33:17,
Chifre Poder e força
Zacarias 1:18,19
Salmo 89:17,24;
Rei ou Reino
Daniel 8:5,21,22
Êxodo 15:21, Isaías
43:17, Jeremias 8:06,
Cavalo Símbolo da batalha
Ezequiel 38:15,
Zacarias 10:03
Representantes Zacarias 1:8-10; 6:1-
especiais / anjos 8
Êxodo 20:4; Gênesis
1:26; 05:03,
Imagem A semelhança
Deuteronômio 04:25,
Romanos 8:29
Salmos 141:2,
Orações do povo de
Incenso Apocalipse 5:8;
Deus
8:3,4

[ 29 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Romanos 9:6-9,
Verdadeiros
Israel Romanos 2:28,29;
seguidores de Cristo
Gálatas 3:39
Imoralidade, idolatria 1 Reis 21:25, 2 Reis
Jezabel
apostasia, 9:22
Poder de abrir e Apocalipse 3:7,8;
Chaves de Davi
fechar o santuário Isaías 22:22
Isaías 22:22, Mateus
Chaves Controle / jurisdição
16:19
João 1:29, 1
Cordeiro Jesus / Sacrifício Coríntios 5:7;
Gênesis 22:7,8
Esposa do Apocalipse 19:7-9;
Nova Jerusalém
Cordeiro 21:2,9,10
Gênesis 49:9,
Leão Força, Jesus Cristo Apocalipse 5:4-9,
Salmo 07:02
Destruição / agências Joel 1:04,
Gafanhotos
destrutivas Deuteronômio 28:38
Isaías 58:13, Mateus
Dia do Senhor Sábado
12:8; Êxodo 20:10
Salmo 2:7-9;
Criança homem Jesus
Apocalipse 12:5
Sinal / selo / marca Romanos 4:11,
Marca de aprovação ou Apocalipse 7:2-3;
desaprovação Ezequiel 9:4
James 2:10-12;
Medição Rod A Lei de Deus
Eclesiastes 12:13,14

[ 30 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Isaías 8:19,20; 2
A Palavra de Deus
Timóteo 3:16-17
Isaías 47:11-15;
Defensores dos
Naum 3:16,
Comerciantes ensinamentos de
Apocalipse
Babilônia
18:3,11,15,23
Lua Permanência Salmo 89:35-37
Sistema de Moisés de
Hebreus 10:1,11
tipos e sacrifícios
Estrela da Manhã Jesus Apocalipse 22:16
Isaías 2:2-3;
Jeremias 17:3;
Poder político ou
Montanhas 31:23; 51:24,25,
religioso / político
Ezequiel 17:22,23;
Daniel 2:35,44,45
Efésios 1:9,10; 3:9;
Mistério de Deus O Evangelho 6:19, Colossenses
1:26-27
A cidade santa dos Apocalipse 3:12;
Nova Jerusalém
Céus 21:02
Zacarias 4:2-6,
Óleo Espírito Santo
Apocalipse 04:05
1 Coríntios 16:09,
Oportunidade Atos 14:27, João
Porta aberta
ilimitada 10:7-9; Oséias 2:15,
Colossenses 4:03
Símbolo da aliança
Arco-íris Gênesis 9:11-17
de manter

[ 31 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Isaías 1:18; 26:21,


A corrupção do
Vermelho (cor) Salmo 75:8,
pecado,
Jeremias 46:10
Ezequiel 32:6,11;
Destruição
Jeremias 46:10;
perseguição,
Nahum 02:03
Salmo 07:09, 16:7;
Sede da vontade, dos 26:2; 73:21;
Rins
afetos Provérbios 23:16;
Jeremias 17:10
Sinal, marca e selo Romanos 4:11,
Selo significam a mesma Apocalipse 7:2,3;
coisa Ezequiel 9:4
Apocalipse 21:8;
Segunda Morte Lago de fogo
20:14
Apocalipse 12:7-9;
Serpente satanás
20:02
7 castiçais no Lugar
Sete Castiçais Êxodo 25:31-40
Santo do santuário
Sete Igrejas Apocalipse 1:20
Apocalipse 17:9,10;
Sete Cabeças Sete poderes políticos Isaías 2:2-4;
Jeremias 17:03
João 9:5; 01:09,
Jesus, Palavra de
Sete Candeeiros Salmo 119:105;
Deus
Apocalipse 4:5
Símbolo da colheita – Mateus 13:39,
Foice
Fim do mundo Apocalipse 4:14!

[ 32 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Ezequiel 16:46-55,
Sodoma Degradação moral Jeremias 23:14,
Gênesis 19:4-14
Apocalipse 1:16,20;
Estrelas Anjos
12:4, 7-9; Jó 38:7
João 9:5, Salmo
84:11; Malaquias
Sol Jesus e o Evangelho
4:2, Mateus 17:02,
João 8:12
Destruição Isaías 3:25; 13:15,
Espada derramamento de Atos 12:1,2;
sangue, Jeremias 48:2
Apocalipse 19:10;
Testemunho de Espírito / dom da
22:09, 1 Coríntios
Jesus profecia
13:02
Rapidez da vinda de 1 Tessalonicenses
Ladrão
Jesus 5:2; 2 Pedro 3:10
Daniel
4:16,23,25,32, 7:25,
Tempo Ano literal 11:13 margem;
Revelation12: 6,14;
11:2,3
1 Coríntios 03:13,
Teste, provar por
Tormento Hebreus 0:29, Isaías
trilha
33:14
Vinte e Quatro Um grupo de Apocalipse 5:9,10,
Anciãos redimidos da Terra 4:4; 7:9-14

[ 33 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Efésios 6:17,
Espada de dois Palavra de Deus – Hebreus 4:12,
gumes Espada do Espírito Mateus 10:34, Isaías
49:2
João 5:39; Zacarias
Duas Antigo e Novo 4:1-14; Salmo
Testemunhas Testamento 119:130,105; João
12:48
Área habitada –
Águas Revelações 17:15
povos ou nações
Salmo 51:7, Isaías
Branco (cor) Pureza
01:18
Isaías 61:10,
Apocalipse 19:8;
Vestes brancas Victoria e Justiça Zacarias 3:1-5,
Apocalipse 7:14,
Gálatas 3:27
Jeremias 25:31-33;
Comoção contenda,
Ventos 49:36-37; 4:11-13;
“ventos de guerra”
Zacarias 07:14
Falsas doutrinas / Jeremias 25:15-18;
Vinho
ensinamentos 51:7
Jesus sangue da
Mateus 26:21-29
expiação
Habacuque 1:6-8;
Asas Velocidade Jeremias 4:13;
Êxodo 19:4

[ 34 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Jeremias 06:02,
Isaías 51:16, 2
Mulher pura Verdadeira Igreja
Coríntios 11:02,
Efésios 5:22-35
Ezequiel 23:21,
Apocalipse 14:4;
Mulher Impura Igreja apostatada
Oséias 2:5, 3:1,
Ezequiel 16:15-58
Jeremias 9:15;
Absinto Tristeza / amargura 23:15; Lamentações
3:19
Ira de Deus Sete últimas Pragas Apocalipse 15:01

[ 35 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

QUESTIONÁRIO DE IMERSÃO AO TEXTO


BÍBLICO
1) Complete a lacuna: (Apoc 1:4)
“João, às ______ ______ que se encontram na Ásia;”

2) Reescreva a frase e descodifique as palavras


sublinhadas. (Apoc 1:12 e 13)
“Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltando, vi sete
candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante
ao filho do homem, com veste talares e cingido, à altura do
peito, com uma cinta de ouro”.
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

3) Complete a lacuna: (Apoc 5)


“Vi, na mão direita daquele que estava
___________________, um livro escrito por dentro e
por fora, de _________ com sete ____________.”

[ 36 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

4) Descubra a mensagem codificada, basta trocar as


palavras sublinhadas pelos seus significados.
(Apoc 5:5)
“todavia, um dos anciãos me disse: Não chores; eis que o
Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi, venceu para abrir
o livro e os seus sete selos”.
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

5) Siga descodificando o texto, para isso basta ir ao


glossário e substituir a palavra pelo seu significado.
“Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida
de sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze
estrelas na cabeça”.

[ 37 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

6) Como ficaria a tradução (para uma linguagem não


codificada) do versículo 1 do capítulo 1 do
capítulo 13 de Apocalipse:
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

7) Escreva e medite nas últimas palavras poderosas


do livro do Apocalipse 22:18 -21.
_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________

QUESTIONÁRIO DE REFLEXÃO
PESSOAL
1) É possível um texto conter tantos símbolos e
figuras de linguagens e passar uma mensagem
segura?

[ 38 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

____________________________________
____________________________________

2) O que é metáfora? Qual é a diferença entre


metáfora e comparação? Ambas aparecem no
livro do Apocalipse? Busque essas respostas
com a ajuda de um bom dicionário normal e
filosófico?
____________________________________
____________________________________
____________________________________

3) Só teólogo tem a capacidade de entender a


linguagem apocalíptica? Se você acha que sim;
eu te pergunto: Os letrados e iletrados da
sociedade usam ou não as figuras de linguagem
e de pensamento?

[ 39 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

____________________________________
____________________________________
____________________________________

4) Vá a um livro de português e recorde os tipos


de figuras de linguagem e de pensamento. Por
que o Apocalipse utiliza tanto esses recursos?
____________________________________
____________________________________
____________________________________

5) Quando é que vamos saber se a palavra é um


símbolo/figura de linguagem ou está no
sentido denotativo?
____________________________________
____________________________________
____________________________________

[ 40 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

6) Em sua opinião; por que o Apocalipse foi


escrito assim? Quais as implicâncias culturais,
históricas e políticas para ele ter sido escrito
dessa forma?
____________________________________
____________________________________

7) A aplicação da mensagem do livro do


Apocalipse é para ser no plano espiritual ou no
plano natural, humano?
____________________________________
____________________________________
____________________________________

[ 41 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 3
EXPLORANDO O TEMPLO ISRAELITA
NO APOCALIPSE
Deus é criador! Ele fez tudo e deixou registrado o
caminho que conduzia aos Céus após o homem ter caído
em pecado. O que temos registrado hoje de história em
livros está também lá no Pentateuco. É incrível, mas os
escritos de Moisés têm quase quatro mil anos de
existência. Isso significa que a ideia de templo é
antiqüíssima.
Partindo de um contexto bíblico coerente; podemos
seguir os rastros da história do Templo Israelita. Antes
de surgir o povo de Israel, Deus trabalhava com a
humanidade de maneira geral. Isso significa que não
havia um povo específico, ou nação específica até
Abraão. Dentro da lógica cronológica bíblica, Abrão que
se tornou Abraão, surgiu 1948 anos depois da queda de
Adão. Até essa época, Deus contendia com o homem de
forma direta para fazê-lo ver a necessidade de um
salvador.
Hoje não entendemos bem o significado de família. Digo
que não entendemos como os povos do Oriente Médio
compreendem, ou compreendiam. A maioria de nós
ocidentais não conhece nem os nomes das bisavós. Os
primeiros povos, principalmente os antediluvianos,
viviam em função do patriarca. Havia uma ligação muito
forte entre pais e filhos. O que acontecia com os

[ 42 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

patriarcas bíblicos, em termo de convivência, ligação


familiar; se dava provavelmente com os demais povos.
Os relatos dos patriarcas bíblicos são reveladores de
como eram a vida social.
Tantos os idólatras quanto os verdadeiros adoradores
tinham fortes ligações com os seus familiares. A
linhagem dos verdadeiros adoradores recebeu instruções
legais da parte de Deus como adorá-lo. A ideia do
templo – um lugar, casa, espaço para Deus habitar não existia
até Moisés. Pelo menos é isso que percebemos ao se ler o
texto do Pentateuco. Embora não havendo o templo;
isso não significou que elementos dele não tenham
surgidos desde a queda no Éden. Adão e Eva foram
ensinados como adorar. A base da adoração foi dada aos
dois lá no Éden. E após ambos caírem em pecado; Deus
acrescentou o elemento indispensável ao sistema da
salvação – o cordeiro e o seu sacrifício simbolizador.
Deus revelou aos primeiros homens o plano da salvação.
Ele não explicou detalhes e nem era necessário. O cerne,
a base do plano sim, era necessário. No cerne desse
plano estava o derramamento de sangue de um inocente;
pois sem isso não há remissão de pecado (Hb 9:22).
Somente algo puro poderia tirar a impureza do pecador.
Como lição pedagógica e simbólica, Deus instituiu o
sacrifício de um cordeiro que representava algo profundo
e, ao mesmo tempo, misterioso. A partir de então o
homem caído, os anjos caídos, os seres não caídos e todo

[ 43 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

o universo estavam diante do plano de Deus. Tudo isso é


explicito nos livros bíblicos.
Gênesis diz que “abriram-se, então, os olhos de ambos; e,
percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram
cintas para si, quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava
no Jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do
Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do
jardim” (3:7 e 8). Após essa cena deplorável, o que o
Senhor fez? “Fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão
e sua mulher e os vestiu”. Isso significa que Deus teve que
matar um animal para cobrir as vergonhas do casal;
(cobrir o pecado, a desobediência que cometera). Veja
que as folhas não serviram.
Sim meu amigo, por causa da DESOBEDIÊNCIA, o
ritual de tirar a vida do inocente cordeiro foi introduzido.
Os verdadeiros adoradores praticaram esse ritual sem
Templo por mais de 2 mil anos. Deus levantou Moisés
como guia do povo que surgiu a partir de Abraão. O
Senhor Deus pediu para que Moisés anotasse as medidas
da casa (do Senhor) que o homem edificaria na terra.
Pela primeira vez, após 2 mil anos, os verdadeiros
adoradores teriam um ponto de referência terrestre para
se reunirem e adorarem seu Senhor.
Quando Moisés registrou todas as medidas, Deus
recomendou que fosse fiel ao modelo mostrado lá no
Céu. Não foi miragem do deserto! Moisés viu e copiou o
que vira para reproduzir. Isso significa que lá no Céu tem
um Templo real igual aquele do Pentateuco! Durante

[ 44 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

séculos, o templo foi feito com materiais móveis, pois,


quando o povo israelita saiu do Egito, vivia uma vida
errante pelo deserto e um período de turbulência social
na terra conquistada. Mesmo sendo móvel, o
Tabernáculo suportava, continham todos os utensílios e
rituais que o templo receberia.
Lá pelo ano 900 A.C., quando Davi morreu e seu filho
Salomão subiu ao trono, o Templo foi erguido. Davi
havia guardado tanta riqueza para a construção que o
resultado não poderia ser outro – UMA OBRA-PRIMA.
O majestoso Templo foi erigido entre os povos pagãos.
E esse Templo não foi concebido de nenhuma cabeça
humana. Foi o Senhor que criou cada detalhe. O mesmo
Deus que criou o homem, desenhou e construiu o
Templo lá do Céu, e exigiu que Moisés copiasse
igualzinho o da terra. Se você não acredita que lá no Céu
tem um Templo físico, você precisa ler o livro de
Hebreus. Todos os elementos do Templo do Céu estão
presentes no da Terra. Por que isso? É o enredo do
resgate do homem que caíra. O homem precisava de
pistas que o reconduzisse ao seu Criador. Deus deu
muito mais que uma pista; formou uma carta perfeita –
A Bíblia.
Há uma lição pedagógica no ritual do Templo que você
precisa entender. Os detalhes não estão lá à toa. Deus
não é limitado e tudo que Ele faz tem lições ilimitadas.
Os trabalhos do Templo eram para: comemorar as festas
judaicas, e realizar os serviços diários e anuais do povo eleito.

[ 45 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Todo dia o sacerdote oferecia um sacrifício de cordeiro


pela manhã e outro pela tarde. Esse serviço era chamado
de sacrifício diário. Todo ano, no dia da Expiação, o
Sumo Sacerdote matava um cordeiro e entrava no lugar
santíssimo para realizar o ritual anual. O dia da Expiação
era uma das sete festas que a nação israelita comemorava
anualmente.
Por que havia sete festas em torno da vida
religiosa/social do povo escolhido por Deus? Quem é o
sacerdote? Quem é o cordeiro? O que representa cada
mobiliário? Por que o Templo foi destruído? Entenda o
Templo Israelita e não seja enganado por nenhum pastor
mal-intencionado. Busque respostas para essas perguntas
e se surpreenda. Peça e receba cursos bíblicos aqui:
www.biblia.com.br

QUESTIONÁRIO DE IMERSÃO AO TEXTO


BÍBLICO
1) Complete a lacuna: (Apoc 3:12)
“Ao vencedor, fá-lo-ei ______ __ ______ do meu
Deus,”
2) Complete a lacuna: (Apoc 11:1)
“Dispõe-te, e mede o ________ de Deus,”
3) Complete a lacuna: (Apoc 15:8)

[ 46 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“O ___________ se encheu de fumaça procedente da


glória de Deus e de seu poder”,
4) Conte as vezes que apareceu a palavra templo
no Apocalipse.
Apareceu ____ vezes.

5) Como são os detalhes do templo?


_______________________________________
_______________________________________
_______________________________________
6) Quando Jesus morreu, ele estava em que parte
simbólica do templo?
_______________________________________
7) Quantos títulos sacerdotais havia no templo?
______________________________________

QUESTIONÁRIO DE REFLEXÃO
PESSOAL

[ 47 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

1) Por que o Apocalipse usa a palavra


santuário e não templo?
____________________________________
____________________________________
2) Como os israelitas se relacionavam e qual o
papel do templo?
____________________________________
____________________________________
3) Pesquise no dicionário e veja qual a
diferença entre templo, santuário,
Tabernáculo, tenda e casa?
____________________________________
____________________________________
____________________________________
4) Por que o livro de Hebreus fala tanto em
templo e em coisas relacionadas a ele?
Paulo está tentando chamar atenção para
quê?

[ 48 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

____________________________________
____________________________________
5) Qual é a relevância do templo para o
mundo moderno de hoje?
____________________________________
____________________________________
___________________________________
6) Em sua opinião; por que o animal (o
cordeiro) devia ser macho? Por que não
podia ser fêmea? Será que tem alguma
relação com o pastor e pastora? Será que
tem alguma implicância profética nesse
detalhe?
____________________________________
____________________________________

7) O templo celeste vai ser para quê? Há


necessidade dele lá?

[ 49 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 4

EXPLORANDO A LINGUAGEM DO 7: O
CÓDIGO ABERTO
Ocultismo, sincretismo, simbolismo pagão, paganismo
em seus diversos matizes são agressões a Deus e a
verdadeira religião. Religião no sentido de LIGAR
NOVAMENTE ao Deus criador. Qual é a verdadeira
igreja? Essa pergunta é boa e todos querem saber. Ao
mesmo tempo em que ela é boa, as pessoas, na sua
grande maioria preferem não acreditar numa resposta a
contento. O certo é que há, e sempre houve uma religião
verdadeira. Igreja e religião é a mesma coisa? Não!
Confundimos e fundimos seus significados. A etimologia
distingue-as muito bem. Igreja (ekklesia, grego) é reunião
de pessoas, e religião, preferindo a definição de Lactâncio
a Cícero, é religar os seres humanos a Deus (religare,
latim). Será que existe uma igreja (pessoas reunidas)
verdadeira ou uma religião verdadeira? Podem existir
ambas. Vamos trilhar nossa conversa nesse sentido.
As igrejas antigamente não tinham placas. Hoje, a cada
hora, surgem placas e mais placas de igreja. Cada placa
mostra a intenção daquele povo reunido; pelo menos
hipoteticamente. Uma coisa, caro leitor, você deve saber
com clareza: a igreja de Cristo é muito mais que uma placa. E
mais; debaixo de qualquer placa religiosa cristã existe a
ovelha autêntica e a ovelha negra, ou pseudo-ovelha. Por
que isso tudo? Por causa do Grande Conflito. Deus está em

[ 50 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

guerra contra seu arqui-inimigo. E este trabalha noite e


dia para confundir a mensagem de Deus, a missão de
Jesus e o poder do sangue redentor de Cristo.
Continuando ainda com as placas, podemos observar
que há mais de três dezenas de milhar de igrejas
cristãs/evangélicas no mundo. Isso só tem um objetivo:
confundir o povo quanto à verdade e missão de Jesus Cristo. Se
voltarmos para a Bíblia, e para Bíblia somente,
conseguiremos desmascarar as pseudo-igrejas e
principalmente as pseudo-ovelhas que vivem sob uma
capa. Pessoas estão cheias de argumentos contra as
verdades da Bíblia e isso já é resultado dos trabalhos e
esforços do pai da mentira. E para Jesus voltar, todos os
vivos devem ter tido pelo menos oportunidade de
conhecer a verdade. Essas pessoas que se posicionam
contra a verdade entendem mais de filosofias,
psicologias, teorias modernas do que de Bíblia. As
mentes delas são pós-modernas. E dessa forma se
opõem diametralmente contra as verdades bíblicas que,
segundo Deus, nunca mudaram ou mudarão.
A Bíblia, de Gênesis ao Apocalipse, mostra-se
combatendo o ocultismo, o sincretismo, o simbolismo
pagão e o paganismo contemporâneo vigente. Todos os
discursos dos profetas do Antigo Testamento lutavam
bravamente contra essas ideias que tentavam infiltrar na
Igreja de Deus e na Religião de Deus. Há muitos
registros de sacerdotes que deveriam representar e adorar
o Deus verdadeiro que estavam cultuando deuses

[ 51 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

estranhos. Deus é contra qualquer tipo de ocultismo,


sincretismo e simbolismo pagão.
Partindo desse pressuposto bíblico; podemos nos
desvencilhar de milhares de placas de igrejas ou
agremiações religiosas. As sociedades secretas, como a
Maçonaria, tão antiga e tão presente entre nós hoje, são
covis de representantes do inimigo de Deus. Eu acho
que a maçonaria é uma sociedade “secreta” que mais
pratica o sincretismo religioso. Ela aceita qualquer pessoa
que acredita em Deus. Aliás, crer em Deus é requisito
para ser aceito lá. As outras sociedades secretas que
existem, são mais direcionadas e exclusivistas. Os
poderosos da terra (políticos, empresários, bilionários e
etc) têm um ou os dois pés em alguma sociedade dessas.
Creio que uma das razões para isso seja as agendas que
devem ser operadas por lá ou pelos seus pares. Quantos
presidentes você conhece que estiveram envolvidos no
ocultismo? Lembra do Collor? Uma ex-bruxa deu um
depoimento que fizera vários trabalhos na residência
presidencial lá em Brasília.
Por que isso? Se você faz essa pergunta, está certo em
fazer. Podemos identificar várias razões para isso. Em
primeiro lugar, este mundo está na mão do Diabo. Ele é
o príncipe deste mundo. Em segundo lugar, o príncipe
deste mundo oferece coisas do interesse do homem
carnal. Ele oferece um atalho ao homem; e todos nós
gostamos de atalhos. E em terceiro lugar, aparentemente
o príncipe desse mundo não é exigente. As pessoas

[ 52 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

podem viver do jeito que quiser. Como sendo o pai da


mentira; ele consegue enganar todo tipo de gente com
muita facilidade, pois ele foi capaz de até enrolar
milhares de milhares de anjos lá no céu. Fazer isso com o
homem é fichinha para ele. É por isso que o Diabo está
tendo tanto sucesso em nossos dias.
Satanás apresenta Deus como mentiroso. Ele consegue
emplacar a desmoralização do simbolismo do número 7.
Dizem que conta de sete é mentirosa. Satanás
disseminou isso porque há uma verdade eterna na
pedagogia do 7. A religião verdadeira tem um sete na sua
espinha dorsal. Se você prefere acreditar no Diabo, você
não merece o Cristo. Há um simbolismo santo e
verdadeiro em torno desse número. Não há nenhum
problema com símbolos e simbolismo. Os teólogos
dizem que o 7 é o número da perfeição. O número 4 é
humano; pois ele representa a totalidade e universalidade
para o homem. O 3 é o número de Deus, pois representa
o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O homem e Deus
(4+3) resultam em perfeição das ações (7). O 12 é o
número da escolha de Deus; é o número do Governo
aprovado por Deus (4X3=12). Os governos orientados
por Deus aqui na terra foram encabeçados pelo número
12 (12 tribos, 12 apóstolos...). O sete é a base porque é a
união entre o divino e o humano.
Além de disseminar uma mentira contra a espinha dorsal
da verdadeira religião, o Diabo diz também que Deus
exige algo impossível ao homem. Antes de Jesus nascer

[ 53 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

como homem, Satanás inspirou Epicuro a escrever um


manifesto contra Deus e este discurso está vivíssimo
entre nós hoje. Ele disse: “Ou Deus é bom, ou é onipotente.
Ele não pode ser bom e onipotente enquanto existe tanto
sofrimento. Se Ele é bom, por que tem tanto sofrimento? Se Ele é
onipotente, por que não acaba logo com o sofrimento de uma vez?
Se Ele não acaba com o sofrimento; é porque não é bom ou porque
não é onipotente. Mas se Ele tem poder de acabar com todo
sofrimento e Ele não faz isso é porque Deus é um sádico. Ele
gosta de observar as pessoas sofrendo”. As pessoas que não
conhecem os bastidores do Grande Conflito preferem
acreditar nas palavras de Epicuro. A Bíblia é um convite
para se entender e viver uma vida segura no meio desse
conflito. A religião verdadeira nos leva a uma igreja
verdadeira. E esta leva muito a sério a espinha dorsal da
Verdade de Deus. E essa verdade nunca é relativa, é
ABSOLUTA, IMUTÁVEL, PERENE.
O problema está com o paganismo e não com o
simbolismo. Se o símbolo é pagão, eis a questão. Deus
não mexe com o ocultismo, sincretismo e/ou paganismo.
Deus trabalha sim com simbolismo. Só que o Diabo
também trabalha com o simbolismo. Cabe às pessoas
identificar se o símbolo é de Deus ou de Satanás. A
Bíblia está cheia de simbolismo. O pai da mentira copiou
Deus e criou um monte de símbolos. Dentro de
simbologia mensagens vão e vem. Deus tem mensagens
de vida; Satanás tem mensagens de morte. Deus sabia de
tudo antes do começo e vendo a impenetrabilidade de

[ 54 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

mentiras nos seus símbolos, isto é, símbolos santos o


inimigo não tocaria; então o Senhor criou-os e deu ao
seu povo, a sua Igreja, a sua religião autêntica.
Deus instituiu a morte do cordeiro como simbologia do
Cristo que morreria no futuro. Abel obedeceu à
simbologia, mas seu irmão não. Caim introduziu um
novo elemento no ritual (frutas e não o animal que tem
sangue); Deus não aceitou. Deus criou o dia semanal
número sete, o último; para ser descanso para a
humanidade e a terra; dia de adoração exclusiva ao
Senhor. O Diabo ensinou entre os homens rebeldes
outro dia para o descanso e adoração. Ele inspirou povos
para adorar o Sol no primeiro dia da semana.
Satanás sempre esteve no encalço de Deus e de seu povo
para mudar seus símbolos e as práticas. Seu objetivo é
fazer o homem esquecer-se de Deus. É por esse motivo
que Deus criou símbolos e rituais ao homem para este
resistir e não cair nas mentiras do Diabo.
Deus mandou o seu povo construir um templo e dentro
deste encheu de símbolos com mensagens eternas para
todas as gerações. Dentro dessas simbologias está o sete.
O templo israelita pulula toda a Bíblia. O Apocalipse está
recheado de referência ao Templo judaico e aos seus
serviços. Em todos os assuntos do Apocalipse está o
Templo. Daí a ligação do Templo e a pedagogia do sete.
É por isso que o número sete é a espinha dorsal da
verdadeira religião e da verdadeira igreja.

[ 55 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Se você investir tempo em ler Apocalipse e comparar


com o Templo israelita e seus serviços, descobrirá uma
mensagem una e eterna para toda a humanidade.
Apocalipse quer nos dizer que a mensagem codificada
em torno dessa pedagogia serve para nossos dias. A lista
é grande; pois são: sete trovões, sete anjos, sete taças,
sete montes, sete reis, sete candeeiros, sete estrelas, sete
tochas, sete chifres, sete olhos, sete pragas, sete igrejas,
sete selos, sete vozes.
O sete é o número da perfeição. É por isso que o seis é o
número da imperfeição. A Besta é 666; pois tenta chagar
ao 7 e nunca consegue. Satanás tenta ser igual a Cristo,
por isso O copia o tempo todo. A boa notícia é que ele
nunca consegue ser igual ao Cristo. Então ele se torna o
Anticristo. E, o que é pior, ainda inspira pessoas para
serem anticristos também.
Preste atenção nos elementos do Templo israelita. Ele
era o centro da vida do povo eleito. E por que era o
centro? Porque um ano civil da nação era igual ao ano
eclesiástico em que concentrava sete festas. Cada ano era
realizado sete festas que rememoravam a promessa do
Cristo. Todo ano se repetia tudo. Essa era a pedagogia
para o seu povo na antiguidade. Essa é a pedagogia para
seu povo de nosso tempo, do século XXI.
Quando pensamos no trabalho da salvação planejado e
executado por Jesus, recordamo-nos do tempo da
salvação. E neste exato momento que fazem sentidos
duas coisas: a comunicação direta entre: Templo –

[ 56 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Evangelho – Apocalipse; e a pedagogia da simbologia do


sete. No livro do Apocalipse há: sete igrejas, sete
lâmpadas..... Nos evangelhos há a história dos sete
irmãos, sete perdões, sete vezes, discussão sobre o
sétimo dia. E nos serviços do Templo o sete é referência
simétrica.
Primeiro quero mostrar alguns detalhes do Tabernáculo
que depois se tornou o Templo. Este havia três divisões:
pátio, sala santa e sala santíssima. No pátio havia uma pia
e um altar de sacrifício. Na sala santa tinha um
candelabro (com 7 lâmpadas), um altar de incenso e uma
mesa com pães. E na sala santíssima ficava a arca da
aliança. Ninguém poderia entrar na sala santa; só o
sacerdote, e na sala santíssima; só o sumo sacerdote
adentrava uma vez por ano. Leia Êxodo 20 ao 40 e
Levítico 16 e 23 para obter detalhes dos serviços solenes
e simbólicos. O que eu posso adiantar é que cada peça
era representativa. Por exemplo, o cordeiro representava
Jesus, o pão representava Jesus, o sacerdote e o sumo
sacerdote representavam Jesus. Parece estranho isso, mas
cada etapa representava um aspecto do serviço de Jesus
no trabalho da salvação do homem. Cada festa que o
povo de Israel fazia também representava uma etapa no
trabalho da salvação do homem. As setes festas eram:
páscoa, pães asmos, primícias, pentecostes, trombetas,
expiação e tabernáculo. O objetivo de Deus era levar
toda a nação a refletir no plano da salvação. Cada aspecto

[ 57 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

festejado e reverenciado trazia detalhes da importância e


solenidade do Cristo (o cordeiro pascal) faria no futuro.
Paulo escreveu aos Colossenses algo fantástico e
revelador que muitos evangélicos usam só para negar a
validade do quarto mandamento. Quando ele escreveu
Colossenses 2:15e 16 (“Ninguém, pois, vos julgue por causa de
comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque
tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o
corpo é de Cristo”) Paulo estava se referindo aos serviços do
Templo e não à lei moral. O teólogo José Pereira que
escreveu um livro intitulado A Cruz Antes da Cruz mata a
charada ao registrar essas palavras: “como sabemos uma
sombra não é palpável, não é tangível, não é concreta; não existe
por si só. Por outro lado, justamente pelo fato de não existir por si
só, ela é uma prova fiel, exata e inquestionável da existência da
realidade. Por ‘realidade’, entende-se o objeto ou acontecimento que
projeta a ‘sombra’(...) Através da ‘sombra’ o homem estaria certo
que Deus estava presente. Se há uma ‘sombra’ é porque a realidade
ou o corpo que a projeta esta por perto. Esse foi o meio que Deus
instituiu para que o homem pudesse ter ciência de sua presença com
ele” (p. 8). Eu acredito que agora você entende
Colossenses 2:15 e 16. Paulo e os crentes não viviam
mais a sombra, mas a realidade da morte do Cordeiro no
altar de sacrifício. É por isso que os evangelhos fazem
questão de registrar que o véu do Templo rasgou de cima
para baixo e que o animalzinho que seria morto naquela
tarde fugira. Ele, o animalzinho indefeso e dócil, estava

[ 58 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

livre de participar de um ato simbólico representativo


que não deixava de ser cruel e terrível.
Eu queria me reportar agora ao tempo da salvação.
Depois de arrazoarmos quanto ao trabalho dinâmico da
salvação; é apropriado atentarmos para o simbolismo do
tempo. E de novo o sete é nossa referencia. Esse espaço
numérico temporal é extremamente simbólico. Se você
conseguir se desprender de seus dogmas e prestar
atenção à pedagogia bíblica deixada providencialmente
por Deus; certamente será bem orientado pelo Espírito
Santo. Não foi a toa que Deus Espírito Santo incutiu nas
mentes dos profetas bíblicos o sete e suas referencias
temporais diretas e indiretas. Ele é um verdadeiro código
aberto a todos.
Tudo gira em torno da semana da criação. Se você é
mente secularizada já vai ter problema em aceitar a
descrição de Genesis como sendo literal. Quem é o
maior interessado em que você interprete Genesis como
conto de fada? O pai da mentira: Satanás. Cuidado!
Tente acompanhar o raciocínio bíblico do tempo da
salvação. A Bíblia é simples, mas profunda!
Deus criou tudo em seis dias e descansou no sétimo.
Tudo gira em torno do sete porque ele esta relacionado
com a salvação, descanso e restauração. Quando lemos
Salmos 90:4 e 1° Pedro 3:8 chegamos à interpretação do
simbolismo do sete quanto ao tempo da salvação.
Chegamos também à compreensão do porquê da semana
ter sete dias e do porquê do Apocalipse falar tanto no

[ 59 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

sete. A Enciclopedia Britânica diz que não há nenhuma


outra explicação da semana ter sete dias, só a Bíblia
explica. E isso é muito esclarecedor mesmo. Se Deus fez
tudo em seis dias e descansou no sétimo, Ele queria dizer
ao homem, que o ciclo de sete é o ciclo da libertação
como registrado em Levitico 25.
O livro que abre a Bíblia comunica diretamente com o
outro livro que fecha. Genesis tratou o sete de forma
especial e Apocalipse também. O homem e a terra
descansavam aos sábados. Genesis diz isso; pois o
sábado, o sétimo dia foi feito para a humanidade e a
ecologia. Apocalipse, da mesma forma fala que o homem
e a terra, querendo ou não, vão descansar no sábado
milenial. A promessa apocalíptica e do Cristo é que
haverá mil anos de descanso para a terra. Apocalipse 21 é
claríssimo quanto a essa questão. Satanás será preso!
Durante mil anos, Satanás e seus anjos ficarão
confinados numa terra desolada. A terra e o homem
(condenados e justificados) terão o sábado milenial. Está
claríssima essa promessa. Enquanto os condenados
ficarão mortos enterrados ou petrificados sobre a terra;
os justificados passarão o sábado melenial com Jesus no
céu. Agora faz sentido do porquê Satanás ter
disseminado o boato de que a conta de sete é conta de
mentiroso. Ele sabe que não tem mais tempo para fazer
suas mentiras e escravizar os homens. O juízo está
chegando para ele e para todos os homens.

[ 60 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Há um ataque desenfreada sobre essa pedagogia de Deus


aos homens. Esse ditado em que diz que conta de sete é
mentirosa logo será lançada por terra ao vivo e à cores
diante de todo o Universo. Isso é obra do Diabo, pois ele
não quer que ninguém estude ou entenda os tempos;
principalmente o da salvação. Os cientistas falam dos
milhões ou bilhões da existência da vida sobre a terra.
Obra do Diabo também. Quanto menos pessoas
saberem dessa pedagogia, mais gente o Diabo ganha. Ele
não tem interesse que você entenda e muito menos que
você aceite isso; pois ele sabe que no dia que você
entender e aceitar, seu coração alegrará por saber que
Jesus está voltando em breve. E, certamente, o fim do
reino diabólico de Satanás estará findando.
Há também um ataque desenfreado contra Igreja
Remanescente. Esta igreja não aceita a piada de mau
gosto que conta de sete e mentirosa. Esta igreja é acusada
de adorar o sábado ao invés de Jesus. Amigo leitor, se
você prestar atenção na Bíblia, poderá identificar
claramente quatro igrejas da queda de Adão até hoje e o
levantamento de mais outra na seqüência. Quando Adão
e Eva caíram, Deus levantou e Igreja Patriarcal. Na
seqüência o Senhor constituiu a Igreja Hebraica.
Quando Jesus veio e habitou entre nós para tornar
realidade a sombra de outrora, formou a Igreja
Remanescente. Vai chegar o momento, quando o
Anticristo se manifestar e estiver operando com todo o
poder, aparecerá a Igreja Perseguida.

[ 61 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Por favor, amigo; se você não quer ou não pode juntar-se


a Igreja Remanescente hoje, ore fervorosamente a Jesus
para que você participe da Igreja Perseguida. E, para não
variar, o centro, o motivo dessa igreja ser proibida para
operar é a questão da obediência. O centro dessa
obediência está um sete - o dia de repouso no sétimo dia
como na criação do Genesis.

[ 62 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 5

EXPLORANDO A LÍNGUA HEBRAICA E


GREGA
No tempo em que Jesus “se tornou carne e habitou entre nós”,
como registrado nos Evangelhos, duas línguas eram
muito importantes e francas. Elas eram as línguas
internacionais de então. O Grego e o Latim faziam os
papeis das línguas de contatos entre os povos. Enquanto
que hoje jovens e pessoas de negócios se esmeram para
aprender inglês e espanhol; as pessoas daquela época
faziam o mesmo para com o grego e o latim. Uma
verdade tem que ser dita; os materiais e as aulas eram
muito caros. Só os ricos conseguiam uma educação que
incluía o estudo de idioma estrangeiro.
Em Israel havia dois idiomas correntes. O hebraico e o
Aramaico eram duas línguas dos israelitas. A primeira era
para as situações formais nos encontros religiosos
principalmente; a segunda era a língua do povão. Jesus,
certamente, falava as duas. Ambas eram muito próximas;
da mesma família linguística. Vejo a situação lingüística
de Israel de então como é hoje a do Haiti. Os haitianos
falam o crioulo nas ruas e nos lares; e na escola e em
situação oficial usam o francês. Os estudiosos dizem que
hebraico e aramaico são próximos; quase igual o crioulo
e o francês, o português e o espanhol. Alguns têm o
posicionamento de dizer que ambos os idiomas são

[ 63 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

mortos, pois o que temos hoje são outros idiomas que


derivaram daqueles (hebraico e aramaico).
Quero ressaltar que no tempo que Jesus iniciou a quarta
fase da igreja de Deus; havia duas línguas importantes
para o mundo judeu – o hebraico e o grego – que são
necessários ainda hoje conhecê-los para se saber a
intenção dos textos. Por que o grego? Simples! O
império Grego (Macedônio) que antecedeu o império
Romano dominou o mundo e impôs sua cultura e língua.
Esse fato foi tão poderoso que nem os romanos
conseguiram apagar os valores gregos. Como então os
romanos conseguiram se impor? Simples! Os romanos
adaptaram valores gregos aos seus. E a partir desse ponto
conseguiram acrescentar dados culturais genuinamente
romanos. Quer uma prova disso? Compare as mitologias
gregas e romanas. Quer ver algo genuinamente romano?
Observe o direito romano tão presente em nossos dias!
No primeiro século de nossa era; havia uma miscelânea
cultural no oriente médio. Os judeus que haviam sofrido
a diáspora muitos séculos antes, falavam muitas outras
línguas e não dominava o idioma natal, o hebraico. Para
alcançar estes hebreus “estrangeiros”, os rabinos do
século II A.C. traduziram o Antigo Testamento para
grego afim que a vinda do Messias fosse conhecida, (ou
potencialmente conhecida, alcançada), pelo mundo todo.
Hoje, nem todos sabem ou tem acesso ao português, mas
(potencialmente) o inglês todo mundo sabe. Essa foi a

[ 64 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

importância da Septuaginta nos séculos que antecederam


a primeira vinda de Jesus.
Hoje não precisamos saber hebraico ou grego para
acessar as promessas do Cristo. Quase todas as línguas
têm pelo menos uma versão da Bíblia. Após 1800 o
mundo ganhou de presente a multiplicação das Bíblias. A
mensagem está disponível em milhares de línguas pelo
mundo graças a revolução das Sociedades Bíblicas. Isso
foi providência divina. E há língua que tem muitas
versões da Bíblia!
Na nossa língua portuguesa existe mais de uma dezena
de versões. Eu imagino que o português é a língua que
mais tem versões, traduções bíblicas. A partir do século
XIX se explodiu as traduções em todas as línguas através
das Sociedades Bíblicas. A mais antiga delas é a Inglesa.
Antes de Lutero, a Bíblia tinha apenas traduções integrais
para três línguas - hebraico, grego e latim. No entanto,
após a Reforma Protestante, as línguas ganharam versões
do melhor e maior livro de todos os tempos – A Bíblia.
Ela é Best Seller em todas as línguas. Isso só prova uma
coisa- É A PALAVRA DE DEUS!
Eu queria compartilhar algumas curiosidades do texto
bíblico e das línguas grega e hebraica. Vale ressaltar que o
Antigo Testamento foi escrito em hebraico (e algumas
partes em aramaico) e o Novo Testamento foi escrito em
grego Koiné. Esse grego está no estágio um; uma vez que
podemos classificar assim: grego koiné – grego medieval
– grego moderno.

[ 65 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

O hebraico é uma língua simples. Especialistas dizem


que “a maioria das palavras básicas contem três consoantes”
(IASD-CBA p.1). Essa língua é muito objetiva “as
sentenças hebraicas são breves, compactas e definidas”. E “na
maioria dos casos o texto hebraico tem só a metade das palavras da
tradução para o português” (IASD-CBA p.2). Como toda
língua, os verbos dão trabalho. Se você tem facilidade em
aprender idioma; esta é uma boa dica para ficar craque
num idioma. E o mais chocante disso tudo é que as
palavras dessa língua de milênios atrás são as mesmas de
hoje. *“Um estudo disse que o vocabulário de hebraico moderno
tem em torno de 60% de palavras antigas. A fonologia pode ter
mudado um pouco mais ou um pouco menos, mas o significado não
(...). A Bíblia emprega cerca de 8.000 palavras hebraicas
diferentes (das quais 2.000 aparecem apenas uma vez), mas
certamente este não era o vocabulário completo disponível para o
falante hebraico no período bíblico. Esse vocabulário atingia, sem
dúvida, 30.000 ou mais vocábulos, mas os autores dos vários livros
da Bíblia não tinham motivos para usar a maioria deles. A
pesquisa científica demonstrou que, em qualquer língua, 1.000
palavras compõem cerca de 85% de todo o material de um texto
médio. Entre essas 1.000 palavras mais freqüentes em hebraico,
800 são da época bíblica.”
Já falaram muito do grego; até quem não estuda religião,
mas é porque língua portuguesa tem o grego em alta
estima. Podemos acrescentar que a língua portuguesa
tem um arsenal de palavras gregas. Oftamologia, pedagogo,
hemofobia... são exemplos da importância dessa língua para

[ 66 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

nós. Estudar grego vai além de interesses religiosos. E


outra; língua e religião são siamesas. Os acadêmicos da
área de saúde que o digam também. Não só no contexto
e fim religioso, mas nos demais como a tradução de
clássicos gregos, essa língua tem ‘pedigree’.
Quanto à tradução, o Dr Dobson diz que “traduzir não é
colocar as palavras de uma língua em outra; é expressar o sentido
das palavras em outra língua” (p. 23). E ele dá uma boa
indicação, ou provocação quanto a isso: “não pergunte: será
que usei as mesmas palavras em minha tradução? Mas será que
exprime o mesmo significado?” (p. 33).
Essa provocação do Dr Dobson nos desperta para um
detalhe: na dúvida, a única salvaguarda é o texto original. Sabe
por que disso? É que como diz o ditado: traduttore,
traditore. Podemos ser reféns de exegetas mal
intencionados. O grego nos dá possibilidades de
tradução. Então conhecer apenas não basta, precisa-se de
sabê-lo bem. Os casos que a gramática grega tem; como
também o latim, o alemão moderno, o árabe moderno,
exigem domínio lingüístico para se chegar ao mens
legislatoris (o sentido do legislador). Saber bem uma língua
estrangeira é situação sino qua non para se chegar ao
sentido original.
Veja um caso clássico do Novo Testamento que foi
escrito em grego koné. Milhões de cristãos acreditam que
ao morrer, o justo vai direto para o céu. Há cristãos que
não acreditam dessa forma, pois a morte é como um
sono. Por mais que um tente convencer o outro, este não

[ 67 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

se deixará ser persuadido. Mas... o que o sentido original


diz? Quem tem razão? O grupo A que crê e prega que o
justo vai direto ao céu ao morrer; ou o grupo B que crê e
ensina que antes de se ir ao céu, precisa-se dormir,
acordar, enfrentar o juízo e depois adentrar no paraíso?
Quem vai dizer qual dos dois está certo é o texto original
do grego. O texto bíblico está lá em Lucas 23.43

καὶ εἶπεν αὐτῷ Ἀμήν σοι λέγω σήμερον μετ’ ἐμοῦ ἔσῃ ἐν τῷ
παραδείσῳ

Transliteração kai aeipen amem soi lego semeron met emu esse
em ton paradiso

Tradução ao pé da letra “em verdade a ti eu digo hoje comigo


tu estarás no paraíso”

Por não ter vírgula o grego antigo, o tradutor precisa ser


muito bom. E, dependendo onde ela aparecer, pode
mudar o sentido. Além de traduzirmos essa frase,
precisaremos de outras informações para saber onde
colocar a vírgula. Uma informação crucial e que nos
ajuda a colocar a vírgula no lugar certo é que os
evangelhos nos dizem que Jesus só foi ao Céu quarenta
dias depois.
Veja como fica:
Em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso. (sentido 1)
Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso. (sentido 2)

[ 68 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

O fato de Jesus não ter ido ao céu naquele mesmo dia,


descarta o sentido (2). Se eu insistir no sentido (2), estarei
dizendo que Jesus é mentiroso; pois o ladrão convertido
chegaria lá e não encontraria o Mestre. É neste momento
que o conhecimento nas línguas originais te ajuda a se
desvencilhar de pseudo-doutrinas.
Hebraico e Grego são bons idiomas para se aprender. O
objetivo é nobre! A razão é a salvação em Cristo Jesus!
Vamos fazer uma atividade interessante. Pegue um
dicionário grego-português e descubra o sentido cru de
algumas palavras chaves para entender mensagens
eternas. Vou começar com alguns vocábulos...
Allos – outro da mesma espécie
Psyque – alma, vida, coração, pessoa
Pneuma – vento, sopro
Abadom – detruidor

[ 69 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 6

EXPLORANDO A CULTURA ISRAELITA


Você sabe o que é cultura? Depende de como você
encara a definição de cultura, ela pode ser acessível a
todos ou não. Dentre as várias acepções de cultura,
podemos escolher a definição que melhor representa o
nosso interesse. Edward B. Tylor diz que cultura é “todo
aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a
moral, a lei, os costumes e todos os hábitos e capacidades adquiridos
pelo homem como membro da sociedade”.
A definição de Tylor nos serve. A Wikipédia,
enciclopédia virtual, diz que “por ter sido fortemente associada
ao conceito de civilização no século XVII, a cultura, muitas vezes,
se confunde com noções de: desenvolvimento, educação, bons
costumes, etiqueta e comportamentos de elite”. No sentido que
Tylor deu, cultura é fortemente representada,
manifestada na língua. Esta consegue ser um meio de
expressão de todo o complexo envolvendo a cultura.
Estudar uma língua é ter a oportunidade de conhecer a
cultura do povo que a fala. Eduardo Rueda, em um
artigo na revista Conexão 2.0, na edição de julho de
2013, fez uma análise da cultura hebraica; e, podemos
perceber que a língua é a atriz principal, reveladora.
Nessa matéria o articulista põe frente a frente as duas
culturas que influenciou o mundo antigo e moderno: a
hebraica e a grega. No lide ele já destaca que “dos gregos
herdamos o jeito de pensar, e dos hebreus, a fé”.

[ 70 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Recomendo a leitura na íntegra dessa matéria na revista


ou no site. Ele diz algo que vai nos servir muito para
entender o Apocalipse: “Se hoje temos tanta dificuldade para
entender a Bíblia, em grande parte, isso é devido à nossa mente
‘helenizada’ (lembre-se: a Bíblia foi escrita por hebreus). Daí a
importância de entender mais a fundo a mente hebraica”
Na cultura hebraica a praticidade reina absoluto. Tudo
que os hebreus faziam, tinham que envolver a religião. A
vida hebraica girava em torno da religião, de Deus. Eles
não compartimentavam suas atividades diárias, suas
vidas. Havia um continuum que perpassava todas as áreas
pessoais. Seus conhecimentos, artes, crenças, moral, leis,
costumes e hábitos deviam ter aprovação de Deus. O
sacerdote tinha um papel até mais importante que a do
rei. Deus em primeiro lugar!
Quanto mais primitivo, mais fieis eram os israelitas a sua
cultura. À medida que eles foram entrando em contato
com outros povos, ou até mesmo sendo dominado por
estes, iam perdendo sua identidade cultural. Mesmo hoje,
com todo o poder penetrador da modernidade, há
grupos judeus fieis às suas raízes culturais. Os chamados
judeus ortodoxos de hoje tem muito disso que estamos
falando. Os caraítas são os mais conservadores da cultura
primitiva israelita.
Segundo especialistas; o hebraico antigo revela que a
cultura israelita primava pelo concreto, pelo dinâmico,
pela essência das coisas, pela praticidade das coisas. Deus
e o coletivismo são destacáveis nessa cultura

[ 71 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

encantadora. Talvez porque o Senhor lhes ensinara o


ideal do ser humano.
Algo extremamente útil para nós aqui é a ideia do
penasmento linear. A história não é um ciclo repetitivo.
Rueda diz que “para os hebreus, no entanto, a história era
linear, ou seja, caminhava em linha reta. Deus criou o começo da
história, e faz com que ela prossiga para um fim, o chamado ‘Dia
do Senhor’ (yom Yahweh; Jl 2:1; 2Pe 3:10). Mas esse fim será
apenas o começo da eternidade (‘olam; Dn 12:2)”.
Com essa chave podemos descodificar, não só o
Apocalipse, mas toda a Bíblia. Se esse livro resiste ao
tempo, é porque é a Palavra de Deus. Se os hebreus
pensam diferentes e de forma concreta, é porque o
Senhor nunca teve a ideia de mudar alguma coisa.
Compreendamos então o que os símbolos lingüísticos ou
culturais do Apocalipse querem nos dizer. É um convite
que Deus faz: “mantenha distância da mente grega, e entenda a
mensagem do Criador”. Se insistirmos em querer entender a
Bíblia nos moldes gregos; nunca chegaremos à verdade.
Use os óculos da cultura hebraica e descubra que
estamos no fim de tudo que é mal, e na iminência da
Segunda Vinda de Jesus para reinar eternamente sem a
presença do mal e do seu príncipe. Maranata!

[ 72 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 7

EXPLORANDO OS GRANDES IMPÉRIOS NO


APOCALIPSE 17
O que será que move o mundo? O poder, claro! E ele
pode ser operado ou manifestado em diversas formas. O
dinheiro é um tipo de materialização do poder presente no
meio econômico. A prata é um poder que vale muito em
nossos dias, e é estimado demais. Mas existe outra
manifestação de poder: a força. Ela é operada através do
meio militar. É o tal do poder coercitivo. O convencimento
também é uma forma de poder que os religiosos, os
profissionais, as pessoas de modo geral utilizam para seus
devidos fins. A política é um campo em que o
convencimento sempre está presente. É imprescindível a
presença do poder de convencimento no meio político.
É claro que os políticos usam uma estratégia imoral para
se chegar ao convencimento. A mentira tem sido
elencada de forma absurda.
“Desde os primórdios da humanidade as relações entre
indivíduos/grupos se deram visando o poder, o monopólio”
(Wikipédia). Hannah Arendt diz que o poder é sempre
relacional; é necessário a presença de duas ou mais
pessoas no processo. E aquele que depender do outro
estará sujeito ao poder daquele. E todos querem exercer
algum poder sobre o outro. E quanto mais corrompida
for uma cabeça, mais injustiça os subalternos
enfrentarão. Esse é o jogo do poder que o homem usa

[ 73 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

desde a queda, desde o distanciamento de Deus, o


Criador.
Dentro das três esferas as quais a sociedade se firma,
queremos identificar o poder como o motor que faz as
coisas girar. Seja na política, na economia ou na religião,
o poder é algo comum nas três esferas. Ao longo da
história humana, percebemos que o homem tentou
reunir poder por meio da concentração das funções
política, econômica e religiosa. Os Césares são exemplos
mais famosos desse tipo de tentativa. Houve um tempo
em que os Imperadores instalaram a adoração ao
imperador só para demonstrar e concentrar mais poder.
Ser imperador na antiguidade era ser deus.
Os grandes impérios foram demonstrações visíveis de
como uma pessoa pode ser poderosa. A política e a
economia não são separadas hoje em dia. O presidente
tem poderes políticos e econômicos. Já a religião de hoje
é independente do Estado. No Brasil, por exemplo, a
sociedade é laica; ou seja, o Estado não tem uma religião
oficial. Tempos atrás não era assim. Graças a Revolução
Francesa a religião foi separada do Estado. Mas antes
dessa revolução, os impérios elegiam uma religião que
compunha o quadro de poder. O Estado tinha uma
religião oficial.
Vamos seguir a descrição dos impérios de Daniel e a
continuação em Apocalipse sob a ótica do poder. O
capítulo 2 de Daniel é uma demonstração dos poderosos
impérios que se levantaram e caíram. O registro desse

[ 74 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

profeta deixa qualquer um boquiaberto com a exatidão


dos fatos. Ele predisse tudo muito antes de acontecer na
história. Isso só fortalece as descrições e narrações
proféticas de Apocalipse 13, 17 e 18. Interessa-nos aqui o
paralelo entre Daniel 2 e Apocalipse 17. João deu a
sequência de Daniel. E podemos identificar o jogo do
poder na história universal ao se estudar e analisar os
fatos ocorridos até agora. Ambos os livros são crônicas
de nossos dias. Isso é incrível! E podemos também
perceber como Satanás usou pessoas, de forma
consciente ou inconscientemente, pois ele não tem ética
para realizar seus propósitos. Os imperadores, reis ou
líderes são usados por Satanás de qualquer forma; caso
este decida não seguir as leis de Deus. E a história está
cheia de casos de líderes, reis ou imperadores que eram
contra Deus de forma clara ou camuflada.
Daniel foi bem claro quanto aos reinos que viriam. Ele
usou palavras claras, diretas e fez aplicações também
objetivas e claras. João foi mais simbólico, mais discreto;
pois caso estivesse registrado de forma clara, aberta; o
texto do Apocalipse não teria chegado até nós hoje.
Daniel usou a palavra reino, império, rei... E João foi
orientado pelo Espírito Santo a acrescentar à lista a
palavra besta. Besta é um animal, jumento, burro de
carga; mas para João era um animal muito feroz e
monstruoso. As profecias, todas elas, usam animais para
descreverem poderes políticos ou não. Os animais são
imagens simbólicas complexas e completas para esse

[ 75 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

tempo do fim. A referência para Besta no contexto


profético é poder que submete pessoas, coisas. Embora
tenhamos uma acepção negativa da palavra besta, o
significado dela é de um poder institucionalizado, seja ele
político, econômico ou religioso.
As imagens que João usou para dá sequência aos
impérios universais de Daniel são nítidas, compreensivas
e completas. Em Apocalipse 17 aparecem as palavras
imagéticas e simbólicas da mulher, chifre, cabeça e
monte. Daniel é a chave interpretativa para essas
palavras. Há uma repetição de explicação da mesma coisa
em Apocalipse 17. Segundo alguns teólogos, o anjo foi
repetitivo para que não houvesse dúvida ou
incompreensão. Caso não entendesse uma, entenderia
outra. É igual nos cadastros eletrônicos que nos pedem
para repetir a mesma senha. Só que João mudou os
elementos explicativos para facilitar as coisas para o povo
de Deus e complicar para o povo da Besta. O povo de
Deus não tem dúvida quando se depara com a
mensagem do Senhor. Principalmente num contexto de
Fim de Mundo como estamos vivendo agora. Ore ao
Espírito Santo e entenda a mensagem e decida ficar ao
lado da verdade de Deus para ser salvo pelo sangue de
Jesus Cristo.
Preciso ser direto quanto ao assunto de Daniel e
Apocalipse. Não tenho a intenção de ser detalhista
quanto aos reinos. Eu preciso que você leia os dois
capítulos, o de Daniel 2 e o de Apocalipse 17, e em

[ 76 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

seguida; gostaria que você se concentrasse no


desenvolvimento da aplicação.
A descrição dos reinos universais de Daniel 2 põe em
sequência o Império Babilônico, o Império Medo-Persa, o
Império Grego e o Império Romano. O livro do Apocalipse
continua a sequência com o Império Romano Cristão, com o
Império das Ideias (Iluminismo), com o Império Americano e
com o Império denominado de Oitavo Rei. Quero chamar tua
atenção para as datas de duração de cada um deles e para
a formação desse “oitavo” império. Na verdade não
haverá oitavo império, mas um casamento do Império
atual (Americano) com um império adormecido (Romano

[ 77 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Cristão), o qual havia recebido uma ferida mortal, mas


que será curada completamente.
Depois que o Império das Ideias separou a relação de
dependência entre a Igreja e o Estado, nunca mais a
Igreja conseguiu agir como agia antes. A história prova
que, a partir do Iluminismo o mundo vem sofrendo os
impactos da ideia de independência do Estado frente às
coisas da religião. Neste século XX e XXI, até os
Estados onde o Islamismo é forte tem enfrentado
problemas com o desejo do povo de separar o Estado e a
Religião.
O Império das Ideias fez nascer a separação entre Estado e
Igreja. O Império das Ideias não teve um imperador
propriamente dizendo. O seu rei, ou imperador é a
IDEIA, O PENSAMENTO, a liberdade, igualdade e a
fraternidade. Foi algo extremamente novo e inovador na
história universal. Foi uma institucionalização da Ideia e
seu poderio. Já o Império Americano, desde seu nascimento
tem levado a pedagogia do Estado livre das influências
da religião. Os americanos trabalharam bem o legado
deixado pelo Império das Ideias. Na verdade suas bases
foram construídas na senhora já instituída IDEIA. Esse é
o seu maior argumento para atacar países onde não há
democracia e nem liberdade de expressão. Só que o
Apocalipse é categórico em dizer que isso vai mudar. O
tão poderoso e pregador da liberdade e da separação
entre Estado e Igreja (a América) vai render-se ao poder
do adormecido Império Romano Cristão. E quando eles se

[ 78 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

unirem, lentamente, ou melhor, rapidamente, as práticas


da antiguidade do Estado ser dirigido pelas ideias da
Igreja vão voltar. Só lembrando que os Estados Unidos
da América já têm mais de 25 anos no monopólio do
poder. Depois que a URSS caíram, a América reina
absoluto. As coisas devem acontecer com rapidez como
registrado no Apocalipse 17: 9-11. Muito em breve
veremos essa união tão anunciada no Apocalipse 13. E
tão depressa se dará sua desintegração como também
anotado pelo profeta João no capítulo 18 do Apocalipse.
Não sei quanto tempo vai durar essa união, embora seja
curtíssima. Só sei que, como diz João: “e a besta que era e
não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para
a destruição” (Apo 17:11).
É nesse tempo que o mundo entrará em seu clímax final;
sua crise final. Será nesse tempo em que Apocalipse 13 se
cumprirá em todos os seus detalhes. É nesse tempo em
que Mateus 24:9-17, que é uma profecia de Jesus, se
cumprirá com todo vigor. E será nesse tempo também
que Apocalipse 22:11 se cumprirá igualmente. Da mesma
forma, os cristãos autênticos verão e receberão o
cumprimento na íntegra da profecia de Salmo 91.
Nem a mente mais brilhante de Hollywood conseguiria
imaginar um final tão intrigante e avassalador na luta
entre o bem e o mal. Ninguém sabe dos detalhes! Só
quem viver verá como se darão essas coisas. E só os
fortes sobreviverão nesse tempo. E só somos forte se
confiarmos no sangue de Jesus!

[ 79 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

OBS: Para mais detalhes sobre Apocalipse 17, veja o


capítulo 8 do livro CÓDIGO 7: O CRISTO E O
ANTICRISTO de S. V. Reis

[ 80 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 8

EXPLORANDO O PERSONAGEM CENTRAL


DO APOCALIPSE
Nós, seres humanos, temos muitos medos. E tudo que
desconhecemos nos amedronta. Muitos têm medo do
Apocalipse porque não o conhece. Outros têm medo
deste livro porque só ouviu descrições macabras de seus
conteúdos. Os filmes de Hollywood são mestres em
destoarem a mensagem do Apocalipse. Há bilhões de
pessoas que não conhecem o protagonista deste livro.
Quem realmente é o personagem central do Apocalipse?
Como todo livro de histórias, o Apocalipse tem um
personagem central. Não é João e nem o anjo, mas Jesus
Cristo, o centro. Na verdade, Ele é central em todos os
livros bíblicos. Até no livro de Cantares de Salomão,
Jesus é o personagem principal. A metáfora visível lá é
Cristo e sua igreja. Quando o rei Salomão descreve o
esposo e a mulher em namoro e correspondência de
corpo e alma; está se referindo ao grau de intimidade
entre Jesus e seu povo, sua igreja.
Cada livro bíblico tem um jeito especial de se referir a
Jesus. Isaías, em sua obra de mesmo nome dá inúmeros
títulos a Jesus; mas João, quando escreveu Apocalipse,
referiu-se ao Mestre com 38 nomes e títulos diferentes.
Neste livro, Apocalipse, há centenas de menções à
pessoa do Cristo. Isso tudo é muito mais que prova que
Jesus é o ator principal.

[ 81 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Desde o primeiro capítulo, tudo fica claro nestes termos:


“Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos
seus servos as coisas que em breve devem acontecer. E que ele,
enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João”
(1:1). E em outros trechos; o mesmo João amplia a
identificação do personagem Jesus: “porque foste morto e
com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda
tribo, língua, povo e nação” (5:9). A novidade aqui é que o
personagem do Apocalipse – Jesus – é herói de toda raça
humana. Isto é; Ele pode ser herói de qualquer um que
lhe der a permissão. Em outras palavras; o escrito de
Apocalipse está dizendo que Jesus tem presentes para
distribuir entre aqueles que o aceitarem como Senhor e
Salvador. O presente é a vida eterna.
Falando sobre o personagem central do Apocalipse –
Jesus - João deixa claro, ao longo de todo corpo textual,
que Jesus é Deus. E vai mais além! Jesus estava no Céu
rodeado e tomado de glória, mas decidiu despir-se dessa
glória para resgatar o homem quando este caiu. Jesus se
tornou um homem, pois “o verbo se fez carne e habitou entre
nós”. Ele morreu para vencer o pecado; ressuscitou no
terceiro dia; e retornou ao Céu para ocupar o lugar que
estivera outrora.
O capítulo 4 de Apocalipse é uma descrição muito pobre
da glória do Mestre após a vitória sobre o pecado. As
pedras mais preciosas não conseguem representar o
brilho de Jesus. Os elementos da natureza ficam aquém
ao se tentar traduzir a realidade celeste. Por mais

[ 82 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

metafóricas que sejam os elementos comparados; é tudo


que João teve para nos repassar aquilo que o anjo lhe
mostrara.
O capítulo 5 de Apocalipse também é uma descrição.
Quão majestoso é o serviço que seres celestes prestam ao
campeão Jesus. O capítulo 19 de Apocalipse completa,
mesmo com a pobreza de nossa língua humana, a glória e
o poder de Jesus. Os olhos são como chama de fogo.
Quão poderoso é o fogo. Mais poderoso é o olhar do
Mestre. Pense assim e você entenderá as características
do personagem principal.
No livro de Apocalipse, Jesus sempre aparece como
vencedor. Em todo momento, são momentos pós-
ressurreição. João foi um escritor completo porque falou
do Cristo no antes – durante – depois.
O convite do protagonista do livro de Apocalipse é: ‘Sou
um herói. Tenho crédito entre os homens, os anjos e todo o universo.
Quero ser seu Advogado no Juízo Final. Conte todos os seus
segredos, erros, dúvidas; confesse tudo – QUERO TE
DEFENDER’.

[ 83 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 9

EXPLORANDO A MENSAGEM CENTRAL DO


APOCALIPSE
Você que já está acostumado a ler textos científicos da
faculdade sabe que não é fácil encontrar o cerne de um
texto bem elaborado e de linguagem rebuscada. Quando
a gente pega um autor que rodeia demais para falar algo é
muito triste. E quando temos que encarar artigos de
pessoas ou especialistas que são meticulosos e quase
inacessíveis por gostar de vocabulário rebuscado ou
técnico demais; quanto sofrimento! Não é fácil responder
a pergunta que fazemos a esses textos: ‘o que ele quer
dizer?’
O Apocalipse não é fácil! Mas, ao mesmo tempo, os
simples e iletrados podem entendê-lo perfeitamente. Há
muitos letrados que não conseguem adentrar à
mensagem profunda do texto paulino. Qual é o segredo?
É desarmar o espírito! Desprender-se do espírito de
ceticismo, ou mesmo do preconceito ou discriminação
frente ao religioso ou à religião. Uma pessoa armada com
preconceito, crítica ou coisas do tipo, nunca chegará ao
nível profundo da mensagem apocalíptica. Desarmar-se é
a chave para se compreender este livro. Eu sugiro que
você só continue a leitura se houver o desarmamento.
Há muitas pessoas das academias que pensam que o
religioso, a Bíblia, o envolvimento espiritual, são coisas
de fracos e de infantis. Na verdade, esses mestres das

[ 84 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

academias são ateus (ou à toas?), não crêem em Deus e


vivem fazendo o possível e o impossível para anular
Deus. Eles investem pesado em propagandas anti-Deus.
Vocês se lembram que na Europa eles fizeram
propagandas contra Deus? Eles diziam: “Provavelmente
Deus não existe; curta sua vida”. Quanto preconceito tem
essa frase!
Mas os Gideões Internacionais, uma Associação de Homens
de Negócios e Profissionais de Diversas categorias que
distribuem o Novo Testamento gratuitamente,
registraram uma verdade no texto de apresentação: “Leia-
a (Bíblia) para ser sábio, creia nela para estar seguro e pratique-a
para ser santo. Ela contém luz para dirigi-lo, alimento para sustê-
lo e consolo para animá-lo”.
Você que está em intenso contato com o mundo
secularizado pode experimentar a filosofia joanina cristã.
Na verdade, a mensagem do livro do Apocalipse
perpassa por uma analise descritiva sociológica e política
do mundo desde Jesus ao seu colapso final. A luta pelo
poder, o descaso humano pelo próximo e a deterioração
da natureza, o distanciamento entre o homem e o seu
criador; tudo isso é foco no Apocalipse. Estudá-lo, ainda
que não seja para se praticar ou ser dependente de suas
promessas; faz do estudante um sábio e cidadão pensante
competente.
Há muitas promessas lá! Do primeiro ao último capítulo
encontramos lindas garantias feitas pelo personagem
principal – Jesus Cristo glorificado. Promessas como ‘novo

[ 85 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

nome’, ‘vida eterna’, ‘glória perene’, ‘casa de luxo na cidade’, ‘casa


de campo’, ‘saúde eterna’, ‘capacidade de viver bem com os
animais’, ‘Rei justo’, ‘Governo de paz e justiça’, ‘harmonia eterna’,
‘realidade social santa’; essas e outras promessas fazem
parte do texto apocalíptico. Mas se você prefere não
acreditar e rejeita tudo isso; mesmo assim, se estudar os
enfoques antropológicos do livro; você não será o
mesmo. Todos te verão como um erudito na história e
filosofia e sociologia. Tudo que você tem que fazer é
estudar as profecias do Apocalipse de forma profunda e
investigadora.
E desarmar-se não significa que você se converterá a algo
que não queira. Esse ato só nos ajuda a entender outros
sistemas e culturas. Qualquer coisa que formos fazer
envolto ao preconceito; não chegamos ao
enriquecimento cultural ou intelectual e muito menos
espiritual.
Boa busca!

[ 86 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 10

EXPLORANDO O INIMIGO CENTRAL DO


APOCALIPSE
Dizem que quando um não quer, dois não brigam. Aqui
está um princípio óbvio: numa briga deve haver pelo menos
dois. Se o Apocalipse fala o tempo todo em luta;
podemos afirmar categoricamente que há pelo menos
dois seres ou grupos em guerra. A Bíblia fala de Gênesis
a Apocalipse sobre Deus, Jesus e o Espírito Santo; mas
quem é o seu oponente? Seria ele constituído da mesma
matéria? É real ou imaginário?
O mundo secular costuma fazer galhofa dos cristãos que
falam e pregam contra o reino de Satanás. As pessoas
secularizadas não levam essa história muito a sério não.
Uns só acreditam quando vêem alguém endemoninhado,
outros nem isso. Esses alegam que isso não passa de
perturbações psicológicas ou psiquiátricas.
Do lado dos cristãos há pessoas que conversam demais
com o Diabo. Há igrejas que estão mais envolvidas em
expulsar demônios e conversar com ele que com Jesus.
Há cristãos também que atribuem todos os fracassos
(financeiros, amorosos, familiares, estudantis, etc) ao
Diabo. Isso já virou até piada!
Caso exista, o que ele acha disso? Se não existe; o Deus
da Bíblia está mentindo. Na verdade, se o Diabo não
existe, o governo do mal deve ser atribuído a quem? Se o
Diabo não existe, Deus luta contra quem? No entanto,

[ 87 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

deve sim existir porque, como já dissemos, para uma


guerra acontecer precisa haver no mínimo dois lados. Ou
você acha que não vivemos num conflito? Se eu dissesse
que tudo está legal; é só paz e amor; ninguém sofre e
todos estão felizes... Eu estaria mentindo ou falando a
verdade?
O capítulo 12 de Apocalipse é claro ao dizer que houve
guerra no Céu entre o grupo de Jesus e o grupo de
Lúcifer (portador de Luz). Há outras partes na Bíblia que
fala sobre o líder desse grupo. Posso citar Ezequiel 28 e
Isaías 14. Esse líder quis ser igual a Deus e como não
conseguiu, levantou dúvidas entre os anjos acerca do
caráter do Senhor. A Bíblia é uma narrativa em crescente
que mostra o desenrolar do pecado entre os homens. Ela
também tem uma mensagem circular porque mostra
como era antes do pecado em Gênesis e mostra também
como será após o pecado em Apocalipse. As ideias de
início batem com as ideias do final e fecha o ciclo. Este
último livro se preocupou em mostrar como será, (está
sendo) o desfecho da guerra entre Cristo e Satanás.
Falando sobre as obras que Satanás fez e faz, o mesmo
autor em outro livro diz que esse líder é mestre em
“roubar, matar e destruir” (Jo 10:10). Ele conseguiu enganar
uma grande parte de anjos que convivia com Cristo no
Céu. Ele é craque em enganar. Ele é astuto! Satanás gosta
que as pessoas fiquem céticas quanto a sua existência.
Quanto mais gente desacredita em sua existência real,
mais seguro ele fica para agir. Dessa forma sobra só para

[ 88 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Deus. Pessoas que não sabem analisar os porquês do


bem e do mal chegam a chamar Deus de sádico. O
Senhor ficará com toda a culpa das mazelas que assola a
humanidade. Deus se torna então um sádico. A maior
estratégia de Satanás é se esconder e confundir. Ele
confunde quando se cobre com um manto de piedade
para fazer milagres. Ele, com sua astúcia, procura imitar
Jesus. Dessa forma ele mistura mentiras e verdades; boas
ações e más filosofias e crenças. Seu trabalho é confundir
o mundo e as pessoas. Cuidado! Aprenda a discernir
ações impuras ou boas ações com rajadas ou pitadas de
filosofias malignas.
Satanás não é só o inimigo central do Apocalipse, mas de
toda a Bíblia. Caso você tem Satanás como algo criado
no imaginário cristão, você está dizendo que a Bíblia é
mentirosa. De igual forma você está admitindo que tudo
na Bíblia não passa de um grande conto de fada. Se você
pensa assim; ok! Você é livre! Mas isso não muda um
milímetro da realidade da guerra que está acontecendo.
As coisas não vão parar, ou deixar de ser real só porque
você não crê ou aceita ou admite.
Se levar a sério a Bíblia, você só tem a ganhar. Se não crê
em suas palavras e promessas, a Bíblia só não ganhará
você. Deus te cercou de evidências para você se
desvencilhar das mentiras do Diabo e ganhar a vida em
Cristo Jesus. Venha para Cristo! Venha!

[ 89 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 11
EXPLORANDO A GUERRA CÓSMICA
APOCALÍPTICA NA CONTEMPORANEIDADE

O livro bíblico que estamos estudando fala abertamente


de uma guerra. Embora haja muitas promessas, no
Apocalipse existe a predominância do ambiente bélico,
cheio de muitas batalhas. Essas lutas não estão
registradas por acaso. Há uma razão extremamente
importante para elas estarem lá. As pessoas falam demais
das guerras que se encontram lá, e se esquecem das
promessas e dos espólios. Neste momento queremos nos
concentrar nesse cenário de disputa. Mas disputa de que?
Vejamos o desenrolar da história apocalíptica.
O capítulo mais tenso de Apocalipse é o 12. João fala do
embate entre os dois personagens que lutaram e lutam
pelo controle de tudo. Embora a Bíblia seja clara em
dizer que Jesus já é o vencedor; o Diabo ainda luta com
todo seu poder, com toda sua fúria. Há uma codificação
na linguagem utilizada pelo discípulo amado, mas isso
não impede nem mesmo do mais indouto entender o que
está acontecendo entre os homens; e no mundo natural e
espiritual.
Muitos ainda encaram o livro do Apocalipse como
alegoria somente. Pessoas secularizadas como
universitários; e pessoas doutrinadas nas academias, ao
olhar os textos sagrados com muita cautela e ceticismo

[ 90 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

acabam criando preconceito e discriminação, e


conseqüentemente perdem as informações úteis e
necessárias à vida pessoal. Professores Doutores e pós-
doutores ridicularizam os livros sagrados, principalmente
a Bíblia. Eles se esquecem que as ciências que tanto
exaltam e confiam, exigem muita fé deles. Se fôssemos
investigar alguns ridículos de suas ciências, precisaríamos
de centenas de páginas para a exposição. No entanto
nosso interesse aqui é dizer que é perfeitamente possível
ser acadêmico fiável e excelente; sem desprezar as
verdades, as promessas e os alertas que a Bíblia faz aos
homens. E a propósito; a Bíblia nunca se fechou aos
conhecimentos; pelo contrário, ela incentiva os fiéis a
estudar, capacitar e desenvolver-se para ser mais capaz de
entender a grandiosidade de Deus e suas obras.
O grande conflito é delineado de forma repetitiva no
livro de Apocalipse. Essa insistência é devido à
necessidade de se focalizar aspectos importantes da
guerra. Em todo o livro se percebe que o discípulo
amado descreve a luta durante a vida da igreja que Jesus
deixou, formou. Os primeiros capítulos (1-3) falam da
igreja reiniciada por Jesus que passa por sete fases. O
capítulo seis e o oito são as partes que se encontra outro
aspecto da mesma igreja; dividido em sete fases. Há
ainda mais sete fases dentro de outra fase. Alguns
estudiosos dizem que as fases das sete igrejas e dos sete
selos são históricas, enquanto que as fases das trombetas
são escatológicas. O teólogo Samuel Ramos é um desses.

[ 91 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Já outros juntam igrejas, selos e trombetas como


históricas. É uma boa discussão para se estudar com
profundidade. Não faz mal estudar sobre isso! Ore ao
Espírito Santo e ele vai te ajudar nos estudos. Na
verdade há três posições interpretativas das profecias do
Apocalipse. Há os que interpretam as profecias bíblicas
como sendo a-históricas, isto é, seus cumprimentos estão
fora da história, são simbólicos. Há os que interpretam
como sendo históricas, isto quer dizer que os
cumprimentos se dão dentro da história geral. E a
terceira forma de interpretar seria o futurismo. Os
cumprimentos estariam num futuro. Quero dizer que o
mais coerente é o jeito historicista de ver a profecia, pois
Deus veio e entrou na história do homem.
Mas eu gostaria de te desafiar a pensar a guerra cósmica
apocalíptica e a contemporaneidade numa extensão que
vai do Apocalipse ao Gênesis. Lembre-se que o primeiro
livro da Bíblia começa com tudo perfeito e termina com
a queda do homem. Lembre-se também que Apocalipse
começa com tudo imperfeito, bélico, perseguição e
derramamento de sangue; e termina tudo voltando a ser
perfeito. É na verdade o recomeço de tudo! É a recriação
de Deus para o homem que caíra e fora perseguido,
provado por Satanás. Multidões sobreviverão ao
Maligno.
Veja que a Igreja de Deus, num sentido amplo e
universal, passou por fases que; seguindo o exemplo
septual da ideia apocalíptica, podemos classificar em sete

[ 92 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

momentos também. A Igreja Antediluviana foi o


primeiro período que durou entre Adão a Noé. A Bíblia
fala que Deus trouxe juízo ao homem o qual se
distanciou tanto que fora necessário um acerto de conta
parcial. Nessa época havia um povo que vivia como
Deus mandava e outros povos que viviam independentes
do Senhor; livres das ordens do criador.
Depois do Dilúvio surgiu a Igreja Patriarcal. Deus
levantou grandes homens para conduzir suas famílias nos
caminhos do Senhor. Foi nesse período que grandes
nomes surgiram como Abraão, Isaque, Jacó. As diferenças
entre o povo que adorava o Deus verdadeiro e o povo
que adorava deuses estranhos eram visíveis na vida
social, econômica, política e religiosa.
A terceira foi a Igreja do Deserto. Deus foi definindo
lentamente uma linhagem, povo, diferente do restante
dos habitantes da terra civilizada. O requisito era o
mesmo: obediência e adoração ao Deus verdadeiro. Enquanto o
lado que se opunha aos mandados de Deus se
multiplicava com seus milhares de objetos e formas de
adoração; a linhagem que estava sendo lapidada por
Deus se destacava e prosperava. Era o povo da luz,
representante da verdadeira adoração. Esse povo
assegurou a religião verdadeira. Lembrando que religião é
a ligação ao Deus. E essa religião tem caminhos próprios.
A quarta Igreja foi a institucionalização de uma nação:
Israel. Veja bem que Israel nasceu só depois que a
primeira Igreja obedeceu e praticou o que o Deus criador

[ 93 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ordenara. O caminho e os princípios são os mesmos para


todas as três outras igrejas anteriores. Israel como nação
elegeu Deus como Senhor. É por isso que não existe
nenhuma outra nação mais conhecida como ela.
A quinta Igreja foi a “desintitucionalização” das verdades do
Deus verdadeiro. A quarta Igreja, Israel, havia tomado
posse daquilo que Deus oferecia para todo ser humano.
Israel fez um muro de separação entre a Bíblia e os
demais povos. Isso era e é inadmissível! Foi por esse
motivo que Jesus fez um chamado muito especial para
doze pessoas. E esse grupo iniciou a bela história do
Cristianismo. Agora o Cristo não seria exclusividade do
povo de Israel. Ele seria para todos que deixassem o
mundo e abraçasse sua causa, sua missão. Foi uma longa
história! O Diabo ficou muito mais furioso. Nessa fase
ele, o Diabo, mudou de tática. Antes ele perseguia a
Igreja de Deus de todas as formas; mas agora ele começa
fazer incursões para se infiltrar. Leia os três capítulos de
Apocalipse e verás que só conseguiu se infiltrar de vez
cinco séculos depois após o fundamento da Igreja Cristã.
O Diabo trouxe divisão dentro da igreja como nunca
tinha trazido ao povo de Deus. As quatro primeiras
igrejas receberam muitos ataques e até sofreu divisão,
mas nada se comparou a versão quinta Igreja de Deus.
Então o Senhor fez um novo chamado para lançar fora o
Diabo do redil. É nesse momento que surge a Igreja
Remanescente. Ela é a sexta versão. Tudo isso foi e é
necessário para se conter os ataques do Diabo. Estamos

[ 94 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

em uma guerra; e há momentos que é preciso mudar o


local do QG. E nesse período, a tática do Diabo foi
multiplicar igrejas para confundir. Antes ele infiltrara.
Quando o Senhor formou a versão sexta igreja (reunião
de pessoas), ele; o Diabo, veio com o plano de
multiplicar as igrejas cristãs.
Essas pseudo-igrejas confundem a cabeça de todos. Daí
pessoas se perguntam: existe alguma igreja verdadeira? Por
que existem tantas? A resposta para essa pergunta você
agora tem. Mas Deus sabe o que fazer! Enquanto há
mais de 40 mil igreja se dizendo cristãs; Deus já tem um
plano para que ninguém fique enganado. Se você ainda
não sabe qual é a igreja remanescente, na versão sexta
fase; saberá qual será a Igreja Perseguida. Talvez você já
ouviu falar de uma tal igreja remanescente; mas por
alguma razão não teve coragem de se juntar a ela. Mas
fique sabendo que a sétima e última igreja não terá placa.
Ela será perseguida! Ela será ilegal! O que essa igreja crê
e pratica será uma afronta para a igreja do Estado. Ela
será ilegal. Ela será clandestina. Ela não terá licença para
operar.
Nesse tempo vai continuar havendo as dezenas de
pseudo-igrejas cristãs, pois a Igreja do Estado dará
permissão para essas operarem. Mas qualquer pessoa terá
condição de identificar a igreja perseguida. É certo que
nem todos terão a coragem de se juntar a ela. É claro
também que a Igreja Perseguida (reunião de pessoas) nunca
vai permitir que alguém despreze as verdades da Bíblia.

[ 95 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Há um detalhe exclusivo que o Apocalipse registra para a


Igreja Remanescente e para a Igreja Perseguida: O apóstolo faz
um alerta para todo mundo de todas as milhares de
igrejas que existem para que saia dela: “SAIA DELA
POVO MEU”! Hoje Deus tem fieis em todas as igrejas.
Você é gente e não sistema. Você é um filho de Deus e
não um tijolo da igreja A, B ou C. Muitos vão sair dessas
pseudo-igrejas cristãs durante o tempo universal da Igreja
Remanescente. E os outros, sairão, quando a Igreja
Remanescente se tornar Igreja Perseguida. Nem todos
que compõem a Igreja Remanescente irão compor a
Igreja Perseguida. Haverá um vestibular natural. Hoje a
Igreja Remanescente tem um papel a cumprir e quando o
tempo for completado, ela não poderá mais operar como
representante legal de verdades que a Bíblia fala. Hoje a
Igreja Remanescente guarda os mandamentos de Deus e
o testemunho de Jesus e o Estado permite que ela opere
normalmente. Vivemos um momento ímpar da liberdade
religiosa. E enquanto esse tempo estar em vigência a
Igreja Remanescente está trabalhando com todo vapor.
Ela é uma representante visível de verdades que o
mundo e milhares de igrejas apostatadas desprezaram e
pregam contra. Mas essa liberdade será por pouco
tempo!
Eu fico triste e pensativo quando medito nos crentes da
Igreja Remanescente. Há muitos crentes dessa igreja que
pensam que só fazer parte de seu corpo é suficiente.
Ledo engano! O Diabo é esperto e astuto! Ele trabalha

[ 96 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

dia e noite para derrubar esses crentes. Precisamos de


Jesus urgentemente! Cristo pode nos capacitar para
permanecer firmes na fileira do Senhor quando houver a
brusca mudança de Status entre Igreja Remanescente e
Igreja Perseguida. Aqueles que hoje pertencem a Igreja
Remanescente e abraçam ao sistema religioso legalizado
correm um sério risco de se orgulhar. Jesus está
voltando! E a Igreja Remanescente não terá condições de
enfrentar a perseguição descrita em Mateus 24 e nem as
sete últimas pragas. Essa Igreja Remanescente não
resistirá a pressão dos governos pela mudança de postura
quanto ao dia de repouso. A Igreja Remanescente
descansa e prega o dia de repouso no sétimo dia. Isso vai
confrontar com a Igreja do Estado. Os países e a Igreja
se unirão em um objetivo comum muito argumentativo.
Eles lutarão por salvar o planeta, e chegarão num
consenso de todos cessarem trabalhos no primeiro dia da
semana. Igreja e Estado não tolerarão por muito tempo
uma igreja que tiver uma doutrina, ideia contrária. E a
Igreja Remanescente passará a ser ilegal. Infelizmente ela
deixará de operar. Isso é profético! Isso é cumprimento
das profecias de Apocalipse 13 e 14. É nesse contexto
que o boicote mundial será operado. Quem não
concorda com o Estado e a Igreja Cristã do Estado não
poderá comprar ou vender. Será a volta da Idade Média
em pleno século XXI. A perseguição será prática antiga,
mas os instrumentos e motivos serão novos,
convincentes e exeqüíveis.

[ 97 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Se você é de Deus, ou se você deseja receber a salvação


de Deus; e se você está vivendo neste contexto de fim;
ou você virá para a Igreja Remanescente; ou você virá para a
Igreja Perseguida. Um conselho que te dou: É MELHOR
VIR LOGO PARA A IGREJA REMANESCENTE,
para o impacto social e religioso ser menor. Ai daquele
que decidir vir defender a verdade só no tempo da Igreja
Perseguida; pois lamentarão muito por não ter decidido
antes.

[ 98 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 12

EXPLORANDO AS MARCAS DO APOCALIPSE


João, autor do Apocalipse e mais quatro livros da Bíblia,
usa a palavra besta para se referir a instituições sócio-
político-religiosas. Essas instituições ou entidades
poderosíssimas têm voz e vez na política, na economia e
na religião. A conotação que o mundo faz da palavra
besta no contexto religioso é extremamente negativa.
Ninguém quer ser a besta, ou uma besta. Poderíamos
chamar essas instituições ou entidades de impérios,
chefias, poderios do mundo, ditadores de ideias e
tendências.
O livro mais enigmático da Bíblia fala de várias fases que
o mundo cristão passou e o qual, poderes
governamentais/religiosos ou impérios ideológicos
ditavam regras aos seus pares e subordinados. Há
destaque para dois deles. E isso é compreensível porque
eles agiam num contexto sucessivo de poder, porém
esses dois em destaques estão se juntando, ou juntando
forças. Já tratamos desses impérios com detalhes. Neste
momento queremos falar de duas marcas que são
recorrentes no livro das revelações: o Apocalipse. E uma
dessas marcas é identidade de um dos dois poderios que
ora estão operando entre nós.
Popularmente conhecido por Marca da Besta; as pessoas,
tanto do círculo religioso quanto do não-religioso, ficam
preocupadas com isso. Há um detalhe esclarecedor que

[ 99 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

poucos atentam ou atentaram. João pregou e registrou


informação sobre a Marca da Besta e sobre a Marca de
Deus. A partir dessa indicação, é bastante razoável e
lógico pensar que os governos estiveram e estão contra
Deus. Se não fosse assim, não haveria uma Marca de
Deus e uma marca imperial, ou seja, do governo humano
que nega Deus e suas leis e autoria.
Os boatos correm à solta na internet e nos púlpitos das
igrejas protestantes/evangélicas. O que é a Marca da
Besta? Falaram que essa marca era o código de barra;
outros diziam, dizem que é o www e assim vai.
Recentemente saiu alarmes retumbantes apontando para
o CHIP como sendo a Marca da Besta. Tudo papo
furado! Nenhuma dessas afirmações ficam de pé diante
de uma verificação rigorosa; daquelas que fazemos nas
faculdades.
Para começar; a Marca da Besta deve copiar a Marca de
Deus. Até onde eu sei, Deus não tem um código de barra,
um chip ou coisa parecida. Ninguém falsificará uma nota
de R$ 200; mas todos que copiam cédulas serão fieis a
todos os detalhes das notas de R$ 100, de R$ 50. Só há
cópia daquilo que existe. O poder operante que se opõe a
Deus e às coisas santas de Deus vai copiar a Marca de
Deus. A chave para se descobrir a Marca da Besta é
encontrar a Marca de Deus. E onde podemos achar essa
marca? Na Bíblia sagrada, claro!
Pegue uma Bíblia e leia as seguintes passagens bíblicas:
Gênesis 2:1-3, Êxodo 20:8-11, Mateus 12:8, Marcos 2:27,

[ 100 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Mateus 5:17-20 e 1ª João 2:3-6. Perceba que Deus


escolheu um dia para ser sua marca. O Senhor fez
questão que sua marca fosse posta no meio dos Dez
Mandamentos. Quando se ler a íntegra dos Dez
Mandamentos, percebe-se a plenitude do quarto
mandamento. Nenhum dos outros nove é tão completo
quanto este quarto. Nele Deus se auto proclama como o
Criador, o Senhor e o Legislador. Neste mandamento fica
claro o território de seu governo. E tudo que é evocado
na Marca de Deus está sendo contestado por pseudo-
cristãos e ateus. A Criação, o Senhorio e a Lei de Deus
estão sendo atacadas e transgredidas. Percebe a gravidade
do confronto Marca de Deus e Marca da Besta?
O dia de repouso é a brecha que o arqui-inimigo de Deus
e marionetes dos governos das nações acharam para
afrontar o Senhor e tentar desqualificar os fiéis que
decidiram (ou decidem) obedecer ao que Deus manda. O
arqui-inimigo de Deus vai usar um pseudo dia de
repouso para perseguir aquele que não concordar com
ele. O processo de assimilação desse dia de repouso foi
longo e bem catequizado. O sucesso foi tanto que todas
as igrejas e cristãos, com poucas exceções, concordam
com esse pseudo-dia de repouso. A Marca da Besta é o
pseudo-dia de repouso que será imposto a todos –
religiosos e não-religiosos.
O pseudo-dia de repouso é perfeito para se encaixar no
boicote internacional. Apocalipse fala que quem não
concordar com a Besta não vai poder comprar ou

[ 101 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

vender. Quem não concordar estará com a vida social


impossibilitada. Imagino que essas pessoas não poderão
ter conta bancária, bens, cartão de saúde, vida social
normal e etc.
As marcas de Deus e da Besta são invisíveis, mas os seus
efeitos todos percebem; perceberão. Os efeitos visíveis
das marcas de Deus e da Besta são as obediências que
todos vão prestar (para o que a Bíblia diz e para o que a
religião do Estado disser). Muita atenção nessa
afirmação: ninguém será obrigado a portar nenhuma das
marcas; mas todos deverão ser leais a marca que
escolher. Somos livres para escolher a Marca de Deus ou
a Marca da Besta, mas quem escolher a Marca de Deus
vai sofrer perseguição severa e boicote. Só receberá a
Marca da Besta ou de Deus quem estiver plena consciência
do que estiver fazendo. Será uma escolha natural e
impreterível.
O dado interessante é que Deus marca só a testa; a
Besta marca ou a testa ou a mão direita. Muito
esdrúxulo isso, né? Mas existe uma razão para isso!
Descubra!

[ 102 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 13

EXPLORANDO A MORTE NO APOCALIPSE


As pessoas sem ética religiosa ou sem o senso da
religiosidade, do divino, não levam muito a sério a ideia
do pecado. Deus definiu pecado como sendo
transgressão da lei. Há outras definições, mas eu quero
me ater a esta que envolve o sentido da desobediência.
As mentes secularizadas também não levam a sério o
relato de Gênesis. Para elas, os primeiros capítulos deste
livro são simbólicos, ou alegóricos. Isso complica demais;
pois são nos primeiros capítulos desse livro que há a
definição de vida, e ela é o oposto da morte. Se querem
fantasiar uma realidade, tudo bem para quem preferem
isso; pois eu estou fora dessa concepção. Se o pai da
mentira foi tão enfatizado, evidenciado, falado nesses
capítulos, é bem provável (aliás, tenho certeza) que ele
esteja por trás dessa propaganda maldita em querer
tornar alegórico algo tão real. Penso que ele quer limpar
sua própria barra e muitos estão caindo na dele
bonitinho. Satanás é astuto!
Antes de voltarmos ao Gênesis, para depois irmos ao
Apocalipse, gostaria de me referir ao terror, pavor, medo
que o ser humano tem da morte. Ninguém quer morrer!
Nem os velhinhos querem morrer! Todos querem ser
eternos. Criaram até a técnica chamada de “criogenia” para
manter o corpo “vivo” (sem apodrecer, claro!) para
esperar a ciência descobrir o como ressuscitar os mortos.

[ 103 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Isso é insano, mas real. Há muitos lá nos Estados Unidos


que estão congelados esperando por essa proeza
científica.
Adentrando na verossimilhança bíblica, percebi que o
reino da morte foi criado por alguém que mentiu para o
homem, a fim de lançá-lo na miséria do pecado. A
narrativa bíblica que se encontra em Gênesis evidencia o
engano que o pai da mentira arquitetou para derrubar o
casal edênico. Ele parafraseou Deus e inseriu uma
mentira sutilmente. Ele dialogou com o homem
induzindo-o a duvidar das ordens de Deus. Ele persuadiu
o homem através da astúcia maldita à desobediência. E
este caiu bonitinho porque fantasiou uma realidade.
É nesse ponto que a morte entra em cena. No entanto, o
Criador Deus impôs ao reino da morte condições. (No
blog www.kodigo777.blogspot.com.br há postagens contando
detalhes do reino da morte). Quero mencionar uma agora,
pois o espaço aqui é pequeno para falarmos de algo tão
extenso. Deus não deixou que a morte (criação do
Inimigo de Deus) operasse do jeito que ela quisesse.
Quando a morte atacasse alguém, tudo ficaria inerte. Não
poderia haver parte ativa e parte inerte ao morto. Essa
regra é valiosíssima porque organiza as coisas. Nessa
linha lógica operativa percebemos que Deus já estava
direcionando a resolução de um grande problema: a
mentira.
Para entendermos como funciona na prática essa regra,
vale uma exemplificação. Digamos que você tenha 30 cds

[ 104 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

rom. Em cada um você armazenou uma infinidade de


informações valiosas de um grande negócio. À medida
que você ia precisando, usava; e quando não cabia mais,
utilizava outro. Caso não fosse mais necessário aquelas
informações, você arquivava (no arquivo-morto). Passou um
tempo e você usou todos. No dia da prestação de contas
ao dono do negócio, você foi solicitado por cada
informação registrada e guardada no arquivo-morto. Não
importa quantos anos passou; mas no momento que
você inseriu o cd ROM no computador; tudo estava lá.
Todas as informações registradas. Todas estavam como
se você tivesse guardado naquele mesmo instante.
A morte é um sono profundo. Caso você teima em não
concordar com essa posição bíblica; você estará negando
afirmações categóricas da Bíblia sobre este assunto. Se a
morte não é um sono; a ressurreição passa a ser uma
mentira, e a história da vitória de Cristo sobre a morte,
também se torna uma mentira e etc. As verdades da
Bíblia vão desmoronando como um castelo de areia. Veja
que a Bíblia é uma corrente que se quebrarmos um único
elo, tudo estará perdido. Essa história de que o corpo
morre e a alma fica viva é ideia do pai da mentira e não
da Bíblia. O homem não é bipartite e nem tripartite. Ele,
o homem, é holístico. Advogam-se pela causa bicotômica
ou tricotômica, mas quem faz esse trabalho está sendo
discípulo do Anticristo e não do Cristo.
O que acontece na Morte? Há esperança além-túmulo?
Essas perguntas têm respostas e as escrituras falam algo

[ 105 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

diferente que bilhões de cristãos andam dizendo por aí.


Inferno, morte, espírito e alma são vocábulos que
precisam ser compreendidos de forma correta para não
sermos enganados. Pesquise nas línguas originais (grego e
hebraico) esses vocábulos e compreenderás os verdadeiros
sentidos delas em cada versículo bíblico. Não caia na
besteira de tentar entender o que você quer ouvir; mas
lute bravamente para encontrar o sentido que o autor
quis passar. Se alguma coisa estiver difícil; pense em
outras afirmações bíblicas que tal sentido possa está
contradizendo. Por exemplo: se creio que ao morrer os
bons vão para o céu e os ruins para o inferno, eu estarei
criando uma contradição para duas verdades bíblicas: A
RESSURREIÇÃO E O JUÍZO. Se fosse assim, não
haveria necessidade de ambas.
Interessante, né?

[ 106 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 14

EXPLORANDO O JUÍZO NO APOCALIPSE


Eu escrevi um folheto intitulado: “O Juízo Final”.
Quando eu e meus amigos distribuímos para pessoas
refletirem, elas sofrem com o fato de ter que fazer o
acerto de tudo perante o Juízo. Há muitas que se dizem
temerosas quanto ao tema. Quem não deve não teme! E
quem deve, precisa acertar os passos antes desse grande
dia. O Juízo será um acontecimento real, certo, universal.
É impossível alguém escapar dele. O segredo é que uns
serão julgados e absolvidos; outros, julgados e
condenados.
Apocalipse 16 é cruel. Mas quem não deve; ou que deve,
mas já pôs um advogado no caso (1º Jo 2:1), pode ficar
tranqüilo, pois o Salmo 91 será cumprido à risca quando
as cenas de Apocalipse 16 estiverem desenrolando. Será
algo fulminante e rápido.
Isaías, profeta de Deus, muitos séculos antes de João, já
falava dos transgressores que habitam a terra. Ele foi
contundente em afirmar que “a terra cambalearia como
bêbado e balançaria como uma rede de dormir” (24:20). A terra
perece mesmo e por causa de seus moradores. Isso
acontece, respondo parafraseando a própria Bíblia,
porque quebram os mandamentos de Deus e mudam os
estatutos. A lógica é conscienciosa, ela é obediente aos
comandos, sendo eles bons ou ruins. As catástrofes
ecológicas estão aí. João também é contundente ao

[ 107 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

registrar “chegou... o tempo determinado para serem julgados...


para destruíres os que destroem a terra” (Ap. 11:18)
Muito me admirou a maior autoridade católica em tocar
num ponto crucial de forma astuta. O Bispo de Roma
soltou uma encíclica apelidada de Encíclica Verde.
Laudata Si (Louvado Seja) é o primeiro documento da
Igreja Católica Romana a falar com exclusividade das
questões climáticas. Li e reli este documento eclesiástico.
O que achei? Muito bom! As questões que ele levanta lá
que achei extremamente importante foram: o consumismo,
a exploração desenfreada dos recursos naturais, a exploração dos
pobres, o ciclo louco da economia irresponsável, a falta de uma
política voltada para o coletivo que incluo o pobre. Realmente
chegamos ao extremo das explorações dos recursos
poluidores. Nunca se interessaram em buscar as
alternativas de recursos energéticos renováveis. Se os
políticos quisessem, já estaríamos desfrutando de energia
limpa para o planeta. Se houvesse uma força política séria
e desinteressada em explorar o homem e a Terra,
estaríamos bem melhor. Os poderosos da terra não estão
se importando com a terra. E o líder católico usou uma
expressão forte ao chamar a terra de casa comum.
E o que podemos identificar de péssimo, astuto, nesse
documento? O aspecto religioso. Aqui pega muito mal.
Jorge Bergoglio é representante político e religioso ao
mesmo tempo. Ele é rei do menor Estado (país) do
mundo chamado Vaticano. Ele também é chefe da maior
igreja cristã do mundo. Aqui está o problema. A política

[ 108 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

e o religioso estão juntos. Isso é horrível. Ao mesmo


tempo em que ele faz pressão política nos governos de
todo mundo; está também promovendo sua religião
sobre as demais. O Estado age coercitivamente e sendo o
Papa conselheiro dos governos e organismos do mundo;
querendo ou não, ele estará ditando suas doutrinas a
todos; seja ele religioso ou não. Isso é ultrapassar os
direitos individuais de adorar e cultuar e viver sua
religião.
Eu vou ser mais explícito. Essa Encíclica Verde pode virar
documento jurídico, assim como a Carta dos Direitos
Universal do Homem se tornou. Dentro dessa encíclica
(Laudato Si), há uma mudança de uma lei que Deus
estabeleceu. Lembra que falamos no início que a terra
sofre porque o homem quebra a lei de Deus? Dentro da
Lei Moral do Senhor está o dia de repouso e é neste dia que
o Bispo de Roma, que também e rei representante do
Vaticano (e que dita regras aos governos e organismo
como ONU), reinterpreta o dia de repouso. A Encíclica
tem boa intenção quanto a um monte de questão; mas, se
tornada lei universal, só atiçará a Ira de Deus.
O Papa Francisco cita Levítico 25 que é o ideal de Deus
para manter a Terra e o homem sadios. O Senhor
estabeleceu ao seu povo, o que estabelecera antes para
toda a humanidade, o tempo de repouso para o homem e
para a terra. A semana tem 7 dias; seis pode-se trabalhar
e descansar no sétimo; ambos homem e terra. A cada 7
anos, 6 seria cultivada a terra e ela descansaria no

[ 109 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

sétimo. Nos múltiplos de 7, haveria o ano da libertação


para o homem e para a terra. Esse é o plano de Deus
para o homem e a terra. O mundo não obedeceu a essas
regras, nem o homem, nem a terra. Então temos hoje;
homem doente e terra também doente.
A Encíclica Verde, na parte religiosa, está levando seu
ensinamento da Eucaristia para fora dos muros de sua
Igreja. O coração desse sacramento, como eles mesmos
dizem é o primeiro dia da semana. Francisco quer que a
terra seja abençoada transferindo as solenidades do
sétimo dia para o primeiro dia semanal. Isso significa que
ele está romanizando o mundo, ou seja, ele está tentando
romanizar as demais religiões e os não religiosos. Como
o Islamismo não tem força política e nem articulação
política, vai abrir mão do seu dia de repouso que é o
sexto dia da semana. O Budismo, Xintoísmo, Hinduísmo
que são religiões sincretistas não hesitarão em apoiar a
ideia de Bergoglio. O protestantismo, ou seja, quase
todas as igrejas protestantes e evangélicas nem vão se
importar com isso; pois o protesto acabou a muito
tempo. E outra, pouquíssimas são as igrejas evangélicas
ou protestantes que difere o dia de repouso dos
católicos.
Se, ou quando, essa blasfêmia sair de dentro dos muros
da Igreja Romana; o Apocalipse 16 vai entrar em ação. O
que aparentemente seria a cura da Terra; (todos
descansarem, cessarem todas as atividades no primeiro
dia da semana) será a precipitação das piores cenas

[ 110 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

descrita no Apocalipse. Parece algo simples, mas não é.


(LEIA MAIS NOS ANEXOS)
As sete últimas pragas são horríveis para a Terra e seus
moradores. Estas pragas estão reservadas para quem
tiver a Marca da Besta. É um castigo divino para aqueles
que mudaram a lei e os estatutos para explorar a terra e o
homem. Isso precisa acontecer antes de Jesus voltar para
julgar. O dia de descanso está no seio da Lei de Deus e
será o ponto de discussão entre o povo de Deus e o
povo que apóia a Besta. Se duvida; é só pesquisar na
Bíblia. A Marca da Besta só estará operando quando o
coração eucarístico ultrapassar os muros da igreja cristã
romanizada. E não pense você que a Besta fala mal de
Jesus. Ela é linda na teoria, mas na prática é sanguinária e
perseguidora. Satanás entrou na religião de Cristo no
terceiro século de nossa era. Desde então vem
confundindo as verdades de Jesus, o seu evangelho
eterno. Leia Apocalipse 1, 2 e 3 que você descobrirá essa
verdade. E o Diabo vai se posar de santo e cordeirinho
com mais força ainda. Cuidado!
As sete pragas são realizadas dentro das questões
climática e ecológicas. Vejamos que a primeira diz
respeito à terra e ao homem da Besta enfrentando
doença de úlcera. A segunda atinge os mares. A terceira
alcança as águas doces (rios e lagos). A quarta vai ao
espaço e encontra o sol, aquecendo-o mais ainda. A
quinta praga atinge a região onde a Besta opera. E a
penúltima praga mexe com as águas. E a última praga é

[ 111 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

um reboliço total de toda a natureza. As sete últimas


pragas têm um propósito, assim como teve as 10 pragas
do Egito. Faraó havia afrontado Deus publicamente e
humilhado seu povo. O mandatário egípcio havia
privado o povo escolhido, remanescente de Deus de
honrar e adorá-lo no dia escolhido pelo próprio Deus
para repouso. Assim, as últimas pragas são para revelar a
justiça de Deus ao subjugar e eliminar o inimigo. Serve
também para mostrar que há lei que deveria ter sido
obedecida. Que horror serão essas cenas! Você está
preparado para ver e resistir?
As últimas pragas virão num momento em que o mundo
estiver discutindo sobre a lei de Deus frente às leis dos
homens. O principal mandamento será questionado no
nível mundial e extrarreligioso. A obediência no dia de
repouso bíblico será motivo de boicote e perseguição.
Isso envolverá a obediência à ideia bíblica ou à ideia da
tradição cristã romana. Será tão simples e significativa
essa discussão quanto simples e significativa foi o fruto lá
no jardim do Éden.
São realmente cenas fortes e horríveis. O juízo precisa
acontecer! E nele todos estarão. Só não sei que lado você
estará. O julgamento final será um pouco diferente dos
julgamentos que já vimos nos tribunais por aí. Os
componentes dos juízos terrenos são: o juiz, o advogado de
defesa, o advogado de acusação, o réu, as testemunhas, os processos,
o código (lei). Já no Juízo Final os componentes são: o Juiz,
o advogado de acusação, o réu, as testemunhas, os processos, o

[ 112 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

código (a lei dos Dez Mandamentos que estão lá em Êxodo 20).


Esse é o modelo do juízo do antigo Israel. Pesquise os
detalhes do juízo do antigo Israel e será surpreendido.

[ 113 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 15

EXPLORANDO AS PROMESSAS DO
APOCALIPSE
Nem eu e nem você sabemos quantas vezes pessoas
quebraram promessas que fizeram para nós. Até mesmo
você já quebrou promessas que você mesmo fizera a si.
Se a gente olhar só para o período de faculdade, por
exemplo, descobrimos que colegas e professores nos
frustraram. Essa cultura do quebrar compromissos é
fruto também da sociedade pós-moderna que vivemos.
Isso é tão corriqueiro que desacreditamos de tudo.
Os antigos, ou seja, nossos bisavós e tataravós, viveram
numa época mais comprometida em cumprir promessas.
Não estou dizendo que o tempo de nossos antepassados
era melhor; estou admirado do quanto a palavra naquele
tempo era mais comprometida. Hoje estamos fartos de
promessas! Os políticos são os campeões de promessas;
além de serem vazias, nunca se concretizam e as que
chegam a ser realizadas são defaults.
Você alguma vez já fez promessas para Deus? Seja lá
qual for sua religião; você já firmou contrato verbal com
o Senhor? Se sim; você cumpriu o prometido? Agora eu
quero inverter as perguntas. Deus já te prometeu alguma
coisa? Se já; Ele cumpriu? Caso sua resposta seja
negativa; há alguma coisa equivocada. Eu afirmo isso
porque Deus é perfeito e nunca erra ou nunca deixa de
cumprir com o prometido.

[ 114 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Primeiramente tenho que te dizer que existe, pelo menos,


dois tipos de promessas: a condicional e a absoluta. A
promessa condicional só se concretiza quando as partes
cumprem o que lhes cabem no processo. Neste caso,
tanto quem promete (dar), quanto quem se interessa na
promessa (recebe), deve realizar, ou cumprir certos
requisitos. Já a promessa absoluta é unilateral. Não há
nenhuma contrapartida da parte recebedora. O único que
trabalha é a parte doadora.
Vamos para alguns exemplos práticos na Bíblia. A
promessa do cordeiro celeste foi condicional ou
absoluta? É claro que foi absoluta! Não houve nenhuma
contrapartida do homem. Deus foi o único e soberano
em cumprir essa promessa. Há centenas de promessas na
Bíblia e seria um excelente exercício se lêssemos
classificando-as em condicionais ou absolutas. Há duas
que eu gostaria de mencionar. Uma está no Salmo 23. A
maioria das pessoas que lê essa promessa a interpreta
errado. É uma promessa condicional. Pensam que aquele
que tem Jesus, terá tudo. O tudo para o homem é uma
coisa e o tudo para o Senhor é outra completamente
diferente. O tudo humano difere do tudo divino. É fácil
chegar a essa conclusão, basta olhar na língua original
que o texto foi escrito. Como afirmam os especialistas, o
primeiro verso diz assim no hebraico: “O Senhor é o meu
pastor, eu não sentirei falta de nada”. Veja quanta
diferença! O tudo para o homem é a presença, e para

[ 115 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Deus é a ausência. Na compreensão popular desse verso


teremos tudo; já sentido do legislador é outro.
A segunda promessa que eu quero mostrar está no
evangelho de Mateus capítulo 6 e verso 33. Na verdade a
maior parte desse capítulo está demonstrando o quanto
Jesus conhecia psicologia. A ansiedade, o estresse que é o
mal do século; não te alcançaria se você escutasse o
Mestre. E veja que essa promessa, também condicional, é
um complemento de Salmo 23. O verso diz: “buscai, pois,
em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas
vos serão acrescentadas”. É isso mesmo; quem escolhe o
Senhor como pastor, certamente buscará as coisas dos
Céus e não sentirá pressionado pelo pós-modernismo de
conquistar, comprar, possuir... aquilo que não pode; ou por
não ter condições financeiras ou por não ser moralmente
ou espiritualmente conveniente. Você se lembra daquele
pensamento que diz que ‘compramos coisas que não podemos
e/ou não gostamos para impressionar pessoas que não conhecemos
ou gostamos’. Quem busca o reino de Deus, não sentirá
falta de nada mesmo e nem ficará preocupado de viver
em função de terceiros. O candidato ao céu vive em
função do Salvador Jesus somente.
E o Apocalipse? Pois bem, diferentemente do que os
ignorantes textuais apocalípticos pensam, esse livro está
repleto de promessas maravilhosas. A maior promessa
absoluta desse livro é a volta de Jesus para julgar a Terra e
seus moradores. Esta promessa é incondicional, absoluta.
Para uns, haverá absolvição, para outros; condenação.

[ 116 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Além dessa; encontramos a promessa do amor. Há


também a animadora promessa da providência. Quantas
vezes somos quase atropelados, assaltados; ou até
mesmo mortos; mas Deus, em sua proteção divina nos
livra. Existe também a promessa que Jesus nos fez de
restaurar a vida física, espiritual e intelectual. Sim; estou
falando que Jesus ama e quer que nós façamos
faculdades, mestrados, doutorados, pós-doutorados. Não
há nada de errado com isso. Quanto mais estudarmos,
maior será nossa capacidade para compreender as coisas,
os fenômenos, as ciências de nossa sociedade e da
santidade e existência de Deus.
Qual o problema com a Academia de hoje? O
antropocentrismo nihilista, vazio, idiota. Os séculos
XVII e XIX fizeram com que os estudantes negassem
Deus. Os professores ateus enlouqueceram aqueles que
já decidiram não desfrutar das promessas divinas.
Coitados desses! Preferem acreditar no homem que não
cumpre promessas e, além do mais, seus conhecimentos
científicos não passam no teste do tempo. Responda-me:
quantas teorias foram modificadas até hoje? Uma
verdade científica dura só até outra aparecer. Investigue
isso e comprovarás.
Agora, para concluir, faça uma investigação com as
verdades bíblicas. A ciência teocêntrica é segura, não
posso falar o mesmo da ciência antropocêntrica e
intolerante.
Fique com Deus, amigo!

[ 117 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

CAPÍTULO 16
EXPLORANDO A VIDA NO APOCALIPSE
A palavra vida é repetida quatro vezes nos dois últimos
capítulos de Apocalipse. Eu gosto de fazer paralelo entre
Gênesis e Apocalipse porque a Bíblia sugere isso mesmo.
Nos primeiros capítulos do primeiro livro da Bíblia há
citação à vida de forma esclarecedora. O segredo da vida
está lá. Como que o homem passou a viver. No último
livro também diz sobre a restauração da vida que fora
danificada; submetida a um estado de inoperância.
Gênesis e Apocalipse se comunicam muito, sem sombra
de dúvida.
Os sentidos que a vida tem em Gênesis são os mesmos
em Apocalipse. Nota-se que Moisés fala da árvore da vida
e João também menciona. Havia uma árvore no Jardim
do Éden que fora escondido assim que o casal pecara.
Na realidade Adão e Eva foram proibidos de viverem no
Jardim porque havia o perigo deles comerem o fruto
dessa árvore e com isso o pecado, a desobediência
poderiam ser eternizados.
Ninguém quer morrer! Não fomos criados para morrer!
A vida foi uma criação de Deus. E a morte foi uma
invenção do ser rebelado! A Bíblia registra que o pecado
gerou a morte. Mas se observarmos bem, ela, a morte,
pode aliviar dores ao interromper sofrimentos. Já
imaginou uma pessoa que sofre as dores do câncer
tivesse que viver eternamente? É horrível analisar os

[ 118 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ganhos ou as percas que a morte nos causa. Apesar de o


Diabo ter trazido o reino da morte ao ser humano, Deus
interceptou sua perenidade.
Rapidamente podemos chegar a algumas conclusões: 1) a
vida sem qualidade de existir é escravidão; 2) o pecado nos trouxe
uma grande humilhação, pois, mesmo doente não queremos
morrer; 3) o causador da rebelião no céu levou toda a criação de
Deus, inclusive o homem, ao sofrimento; 4) deve existir de fato uma
vida gloriosa e real, pois tudo no homem e na natureza busca e
aspira por prazer, alegria, felicidade eterna.
É desse ponto de vista que se pode encarar todas as
promessas bíblicas como real e certa. A vida eterna e
perfeita é a promessa mais espetacular em toda Bíblia. A
concretização dessa promessa perpassa pelo segundo
advento do Cristo crucificado. As cenas gloriosas e
majestosas encontradas em Apocalipse capítulos 4 e 5, 21
e 22 são muito mais reais e poderosas que nossa
capacidade imaginativa possa pensar. Jesus Cristo é e
sempre foi o centro do Antigo e do Novo Testamento. Eles
são complementares. A vida eterna e gloriosa é e sempre
foi a maior promessa dada ao que crê por meio da
capacidade redentora de Jesus Cristo.
A vida que temos hoje é tediante, deprimente, ansiosa,
escravizadora. Por mais sadio que você seja; por mais
dinheiro que você tenha; por mais capacidade intelectual
e riqueza cultural que você possa acumular; por mais
realizado que alguém possa dizer que é; sempre haverá
um tédio, uma ansiosidade, uma escravidão. A raça

[ 119 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

humana sofre disso, e de outras coisas, não é por causa


de más ações somente, mas por causa da condição que o
pai da mentira nos submeteu num passado distante. Seis
mil anos atrás, Satanás enganou nossas pais edênico e
herdamos as mazelas do pecado.
Somos humilhados sempre! Ao rico pode não faltar-lhe o
dinheiro, mas a satisfação de gastá-lo. Ao famoso pode
não faltar-lhe o reconhecimento, mas o amor genuíno
das pessoas. Ao intelectual pode não faltar-lhe o saber
sobre quase tudo, mas a experiência do prazer de ser. A
qualquer ser que disser que não lhe falta nada, seja
sentimental, material ou espiritual; eu lhe direi que lhe
falta à honestidade, pois se existir essa pessoa com tal
afirmação, ela será uma mentirosa.
Segundo o relato bíblico; os primeiros homens viviam
muito. Quem viveu mais foi Matuzalém com quase mil
anos de idade. Após o Dilúvio, como anotado nos livros
de Moisés, a vida encurtou. A média caiu pela metade. À
medida que a humanidade ia envelhecendo, a idade de
um homem ia caindo, hoje vive muito quem chega aos
70 ou 80 anos de vida. Dentro da verossimilhança
bíblica, tudo isso procede. Quando Deus criou a terra, o
homem era perfeito e sua saúde era impecável. À medida
que o homem ia replicando seus genes e a conduta dos
mesmos destoava das regras e ordem de Deus, essa
perfeição e a saúde de ferro iam definhando. Dessa
forma a resistência diminuía. Acrescentando a isso as
adversidades que a natureza ia submetendo, a vida ia

[ 120 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

encurtando. O homem e a natureza passarão a viver cada


vez mais em meio ao sofrimento.
O que nos motiva a lutar pela vida; estando numa cama
de hospital, estando a ponto de ser atacado por animais,
estando entre destroços de um acidente ou terremoto; é
o sensor da eternidade que o Criador nos dotou. Viver e
viver bem com alegria, prazer, paz e felicidade, é objetivo
e aspiração de todo mundo. O problema está no como
alcançar isso. O pai da mentira continua operando; e ele
entra nessa brecha. Ele ilude bilhões de pessoas,
principalmente os jovens que vão às academias de ensino
e preferem manter-se desligado da religião, de Deus.
O Diabo pregou, prega e pregará a doutrina do DO IT
YOURSELF WITHOUT GOD CREATOR. Distanciar,
e esquecer, e negar Deus é o que ele ensina. Segundo ele,
a vida de alegria, prazer, paz e felicidade; está longe de
Deus. Mentira dele! Longe do Senhor Deus; a vida, além
de ser triste, sem prazer, bélica e infeliz, é sem esperança.
Olha amigo; depois que o efeito da droga passa, fica a
ilusão de um prazer que foi vazio. E depois que uma
noite RAVE regada a sexo, bebida, droga, música
diabólica; além de ficar a inglória do Carpe Diem, seu
corpo pode ser morada de doenças dos mais variados
tipos (AIDS, SÍFILIS...)
Não caia nas mentiras do enganador. Se seu corpo está
entorpecido por essas ou outras práticas que lhe rendeu
desprazer e tristeza, Jesus te convida a renascer ao
verdadeiro prazer. Há esperança em Jesus. Há uma

[ 121 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

promessa maravilhosa ao que crê. O Cristo que te


entende, está te esperando. E onde encontrá-lo? Na
Bíblia sagrada. Os Evangelhos e o Apocalipse te
apresentam o salvador.
A vida gloriosa e real é para você também. Se alguma vez
você já ouviu alguém dizer que a vida eterna é monótona
e chata, fique sabendo que ela não entende nada. A ideia
de vida gloriosa que essa pessoa tem foi formada nos
filmes, novelas e desenhos os quais são obra do Diabo. E
este quer fazer propagando falsa do reino de Deus. O
Senhor vai restaurar tudo como era antes do casal
edênico cair. Você pode pesquisar e fazer muitas
conclusões do que seja a vida gloriosa.
Adão e Eva viviam a glória em carne e osso. E é essa
realidade gloriosa que o senhor vai recriar. Lá no Éden
Adão comia, trabalhava, adorava, louvava, convivia
pessoalmente com ser humano, animais e natureza. Essa
realidade será recriada. A vida gloriosa e real, essa que
Adão e Eva viveram antes de cair na mentira do Diabo,
será a realidade dos Novos Céus e Nova Terra que
Apocalipse 21 e 22 fala. Leia esses dois capítulos
pensando nessa realidade. E além do mais; o Senhor
Jesus Cristo estará conosco nessa nova realidade. Que
maravilha!
É para você também! Basta crer! Se preferir continuar na
incredulidade, o Senhor vai passar sua vez a outro. E
nada vai mudar o evento do qual você não crê. Tudo
muda ao seu ser, crendo e praticando as promessas do

[ 122 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Apocalipse. Jesus está voltando para trazer essa realidade


aos que crêem. Eu estou dentro, e você?

[ 123 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO I

A IGREJA CATÓLICA ROMANA COMO A


INSTITUIÇÃO MAIS PODEROSA DO MUNDO
E OS DITAMES DE SUA ENCÍCLICA LAUDATO
SI

Todos os livros simpatizantes da fé católica e todas as


enciclopédias, também simpatizantes ou chamadas
neutras, dizem a mesma coisa sobre a origem da Igreja
Católica. Veja a definição da Wikipédia: “A Igreja Católica
(o termo "católico", derivado da palavra grega:
κ α θ ο λ ι κ ό ς (katholikos), significa ‘universal’, ‘geral’ ou
‘referente à totalidade’[1] ), chamada também de Igreja Católica
Romana [2] e Igreja Católica Apostólica Romana [3] , é uma
Igreja cristã com aproximadamente dois mil anos[4] ,
colocada sob a autoridade suprema visível do Papa,
Bispo de Roma e sucessor do apóstolo Pedro. Seu objetivo
é a conversão ao ensinamento e à pessoa de Jesus Cristo em vista do
Reino de Deus - concede um papel condizente nesta missão à Nossa
Senhora, a quem intitulou de ‘Mãe da Igreja’, considerando que
nem mesmo se deve temer que o incremento do culto, tanto litúrgico
como privado, a ela dedicado, possa ofuscar ou diminuir o «culto de
adoração, que é prestado ao Verbo Encarnado e do mesmo modo
ao Pai e ao Espírito Santo.[5] [6] . Para este fim, a Igreja
Católica administra os sacramentos e prega o Evangelho de Jesus
Cristo.”

[ 124 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Mas se aplicarmos uma análise histórico-social e


teológica, livre da tradição “cristã”, chega-se a outra data
de nascimento da Igreja Católica Apostólica Romana. A
Igreja Católica é antiga mesma! Já a Igreja Católica
Romanizada é mais recente e não tem mais de dois mil
anos de história como dizem por aí. A Igreja Católica
paganizou-se no quarto século de nossa era. Na verdade
ela veio caindo moralmente a partir do segundo século.
Quando o Imperador de Roma começou a mandar na
Igreja Cristã, as coisas santas ganharam aspectos pagãos.
É por isso que os protestantes a chama de Besta. Além
de se paganizar, ela deixou o poder terreno tomar conta
das doutrinas de Jesus Cristo.
O primeiro Papa não foi Pedro. Isso é evidente! Talvez
Pedro tenha sido o primeiro líder da Igreja Cristã em
Roma. Consequentemente; podemos falar que Pedro
tenha sido o primeiro Bispo em Roma da Igreja
Primitiva. Os Católicos Romanos atribuem o título de
Papa a todos os Bispos de Roma, mas os líderes desta
cidade, nos primeiros séculos, não se intitulavam de
Papa. Eles morreram e não estão aqui para se
defenderem desse escárnio.
Nessa linha de pensamento podemos identificar o
primeiro Papa. No sentido das idéias da Igreja Católica
Apostólica Romana, o primeiro Papa é aquele que era
Bispo de Roma quando o imperador abraçou a
cristandade. No momento em que Constantino, o
Grande, veio para a Igreja, deixou de perseguí-la. Isso

[ 125 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

aconteceu no IV século da era cristã. Então o primeiro


Papa remonta ao IV século. Dessa forma, olhando na
história geral, vimos que o Bispo de Roma dessa época
foi Silvestre I. Ele foi Bispo entre 314 A.D – 335 A.D.
Este foi o verdadeiro primeiro Papa. Até os registros da
Igreja põe Silvestre I como o primeiro santo a não passar
por um martírio. O dia 31 de dezembro é dedicado a este
santo dos bons tempos, ou, dos tempos em que a Igreja
gozava de paz e era protegida pelo Império Romano.
“Durante o seu pontificado a autoridade da Igreja foi estabelecida e
se construíram alguns dos primeiros monumentos cristãos, como a
Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, e as primitivas basílicas de
Roma (São João de Latrão e São Pedro), bem como das igrejas dos
Santos Apóstolos e de Santa Sofia em Constantinopla”
(Wikipédia). Nesse sentido a Igreja Católica Apostólica
Romana tem em torno de 1600 anos.
A Igreja Cristã Primitiva não era política, era religiosa
apenas. Os bispos da Igreja Cristã Primitiva cuidavam
das coisas de Deus e da espiritualidade de seu povo
somente. A Igreja Católica, depois que passou a ser
Romana, tornou-se mais política que religiosa. Ela se
sentiu e ainda se sente no direito de ditar regras para reis,
rainhas, presidentes e primeiros-ministros. Uma prova
cabal disso é o seu recente documento lançado em Junho
de 2015 dirigido a todo mundo. A encíclica Laudato Si
fala da questão climática. O mundo recebeu-a de braços
abertos. Mas o mundo não sabe, ou não quer saber, que
no coração desse documento está uma ideia que engloba

[ 126 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

toda a doutrina católica romanizada chamada de


Eucaristia. E esse sacramento, um dos sete pregados
pela Igreja, é o mais cruel; segundo os ensinamentos
bíblicos.
Tiramos algumas partes da encíclica que fala da religião e
da política. Veja o que Laudato Si diz a respeito da
religião e da política. Você é convidado a conferir cada
citação lá no documento original encontrado no site
oficial da Igreja Católica.

O LADO RELIGIOSO DA LAUDATO SI: A


ENCÍCLICA VERDE
A encíclica é dirigida não só aos fiéis católicos, como o
próprio Papa disse, mas para todos os homens. E
partindo de uma perspectiva religiosa, vejo muitas
incoerências nela quando comparada à Bíblia.
Preste atenção às citações desse documento que, ao meu
modo de ver, constitui um perigo para a liberdade
religiosa que o ocidente goza e uma afronta para com
Deus. Veja seções inteiras ou parte delas que constitui a
formalização dos dogmas católicos para o mundo. Você
é convidado a ler esse documento na íntegra. Está
distribuído gratuitamente na internet.
“...somos chamados a reconhecer «a nossa contribuição – pequena
ou grande – para a desfiguração e destruição do ambiente». Porque
«um crime contra a natureza é um crime contra nós mesmos e
um pecado contra Deus». (seção 8)

[ 127 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“Ao mesmo tempo Bartolomeu chamou a atenção para as raízes


éticas e espirituais dos problemas ambientais, que nos convidam a
encontrar soluções não só na técnica, mas também numa
mudança do ser humano; caso contrário, estaríamos a
enfrentar apenas os sintomas.” (seção 9)
“Meu apelo... proteger a nossa casa comum ... unir toda a
família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e
integral” (seção 13)
“Alguns eixos que atravessam a Encíclica... a cultura do descarte e
a proposta de um novo estilo de vida” (seção 16)
“Como frequentemente acontece em épocas de crises profundas,
que exigem decisões corajosas, somos tentados a pensar que
aquilo que está a acontecer não é verdade.” (seção 59)
“«Se o olhar percorre as regiões do nosso planeta, apercebemo-nos
depressa de que a humanidade frustrou a expectativa divina».”
(seção 61)
“Sem repropor aqui toda a teologia da Criação, queremos saber
o que nos dizem as grandes narrações bíblicas sobre a relação do ser
humano com o mundo.” (seção 65)
“...a existência humana se baseia sobre três relações
fundamentais intimamente ligadas: as relações com Deus, com
o próximo e com a terra.” (seção 66)
“Consequentemente, a legislação bíblica detém-se a propor ao
ser humano várias normas relativas não só às outras pessoas, mas
também aos restantes seres vivos: (...) (4.6). Nesta linha, o
descanso do sétimo dia não é proposto só para o ser
humano, mas «para que descansem o teu boi e o teu jumento»
(Ex 23,12).” (seção 68)

[ 128 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“A tradição bíblica estabelece claramente que esta reabilitação


implica a redescoberta e o respeito dos ritmos inscritos na
natureza pela mão do Criador. Isto está patente, por exemplo, na
lei do Shabbath. No sétimo dia, Deus descansou de todas as
suas obras. Deus ordenou a Israel que cada sétimo dia devia ser
celebrado como um dia de descanso, um Shabbath (cf. Gn 2, 2-
3; Ex 16, 23; 20, 10). Além disso, de sete em sete anos,
instaurou-se também um ano sabático para Israel e a sua terra (cf.
Lv 25, 1-4), durante o qual se dava descanso completo à
terra, não se semeava e só se colhia o indispensável para sobreviver
e oferecer hospitalidade (cf. Lv 25, 4-6). Por fim, passadas sete
semanas de anos, ou seja quarenta e nove anos, celebrava-se o
jubileu, um ano de perdão universal, «proclamando na vossa terra
a liberdade de todos os que a habitam» (Lv 25, 10). O
desenvolvimento desta legislação procurou assegurar o equilíbrio e a
equidade nas relações do ser humano com os outros e com a terra
onde vivia e trabalhava.” (seção 71)
“Hoje, crentes e não-crentes estão de acordo que a terra é,
essencialmente, uma herança comum, cujos frutos devem beneficiar a
todos.” (seção 93)

AGORA VEJA AS LINHAS DE ORIENTAÇÃO À


CRISE ECOLÓGICA PROPOSTA PELA
ENCÍCLICA VERDE
“A maior parte dos habitantes do planeta declara-se crente, e isto
deveria levar as religiões a estabelecerem diálogo entre si, visando o
cuidado da natureza, a defesa dos pobres, a construção duma trama
de respeito e de fraternidade.” (seção 201)

[ 129 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“É muito nobre assumir o dever de cuidar da criação com pequenas


ações diárias, e é maravilhoso que a educação seja capaz de
motivar para elas até dar forma a um estilo de vida.” (seção 211)
“Vários são os âmbitos educativos: a escola, a família, os
meios de comunicação, a catequese, e outros.” (seção 213)
“a Igreja propôs ao mundo o ideal duma «civilização do amor»”.
(seção 231)

“A participação na Eucaristia é especialmente


importante ao DOMINGO. Este dia, à semelhança do
SÁBADO judaico, é-nos oferecido como dia de cura das relações
do ser humano com Deus, consigo mesmo, com os outros e com o
mundo. O domingo é o dia da Ressurreição, o «primeiro dia»
da nova criação, que tem as suas primícias na humanidade
ressuscitada do Senhor, garantia da transfiguração final de toda a
realidade criada. Além disso, este dia anuncia «o descanso
eterno do homem, em Deus».[168] Assim, a espiritualidade
cristã integra o valor do repouso e da festa. O ser humano tende
a reduzir o descanso contemplativo ao âmbito do estéril e do inútil,
esquecendo que deste modo se tira à obra realizada o mais
importante: o seu significado. Na nossa atividade, somos chamados
a incluir uma dimensão receptiva e gratuita, o que é diferente da
simples inatividade. Trata-se doutra maneira de agir, que pertence
à nossa essência. Assim, a ação humana é preservada não só do
ativismo vazio, mas também da ganância desenfreada e da
consciência que se isola buscando apenas o benefício pessoal. A lei
do repouso semanal impunha abster-se do trabalho no sétimo
dia, «para que descansem o teu boi e o teu jumento e tomem fôlego o

[ 130 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

filho da tua serva e o estrangeiro residente» (Ex 23, 12). O


repouso é uma ampliação do olhar, que permite voltar a reconhecer
os direitos dos outros. Assim o dia de descanso, cujo centro é
a Eucaristia, difunde a sua luz sobre a semana inteira e
encoraja-nos a assumir o cuidado da natureza e dos pobres.”
(237)
“Estamos a caminhar para o sábado da eternidade, para a nova
Jerusalém, para a casa comum do Céu.” (243)
Argumento poderoso! O Papa Jesuíta, missionário e
político por natureza, está correndo mundo para que sua
ideia de salvação da terra e da ecologia seja adotada. Está
fazendo aliança com reis, rainhas, presidentes e
primeiros-ministros para emplacar suas ideias nas ações
políticas dos governos do mundo. Cacife político para
isso ele tem. Os Jesuítas são politizados e guerreiros de
nascimento.
A terra realmente precisa descansar. O homem realmente
necessita descansar. O homem e a natureza devem viver
em harmonia. Está no Gênesis e Levítico como o
próprio Papa baseia sua argumentação. Se lermos os
capítulos de Gênesis 1, 2 e 3; e o capítulo 25 de Levítico;
e mais os Dez Mandamentos em Êxodo 20; chegaremos
a seguinte conclusão: O Papa só está errado quanto ao
dia de repouso, dia de descanso.
Ele está reinterpretando o sétimo dia; e, colocando o
primeiro em seu lugar. Se levarmos em consideração que
Jesus cumpriu as festas anuais de seu povo; o objetivo do
Cristo ressuscitar no primeiro dia não estava

[ 131 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

santificando-o. Será mais correto e lógico imaginar que o


Cristo estava respeitando o sétimo dia como Ele mesmo
fizera em vida. Ele morreu na sexta, no mesmo horário
que o cordeiro era morto para ser expiado, descansou
dentro da tumba no sábado e ressuscitou no primeiro dia
da semana. Isso não santificou este dia.
Outra prova cabal bíblica quanto a essa discussão, está
no fato que Jesus alertou o povo a orar para que a
perseguição não ocorresse nem no inverno ou no sábado
(Mt 24:20). Os discípulos também nunca ensinaram a
mudança do sábado para o domingo. É fato! Se você não
entende o simbolismo das festas que Moisés recebeu de
Deus para o seu povo praticar anualmente;
provavelmente você concordará com a argumentação do
Papa. Mas essa é outra discussão!
O que o mundo religioso ainda não se atentou é que a
Igreja Católica está voltando com muito mais poder que
tivera na Idade Média. O Papa está se tornando o Juiz do
mundo. Tudo que ele propor, será convincente aos
políticos do mundo todo. Isso é o que Apocalipse 13 diz.
E a ecologia está sendo o meio pela qual as ideias e
dogmas da Igreja Romana e jesuítica alcancem o mundo
todo. Alcance os religiosos e os não-religiosos como
ficou bem claro na encíclica.
Só quero lembrar que os Jesuítas nasceram na Contra
Reforma. Enquanto os reformadores abalavam o mundo
com a Bíblia somente, os Católicos criaram a Ordem
Jesuíta. O objetivo dos jesuítas ainda é combater os

[ 132 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

protestantes. Só tem um detalhe: nos idos de 1500 foi difícil


para eles; hoje, está facílimo. E não estou exagerando.
Evangélicos de todo tipo estão homenageando Francisco
dentro e fora do Vaticano. E todos, eu digo TODOS,
com algumas exceções, estão de acordo quanto à
interpretação do dia de repouso do sétimo para o
primeiro dia da semana. Será batata para os jesuítas hoje
dominar o mundo religioso, pois o político jaz em suas
mãos.
Haverá uma discussão mundial quanto a obedecer à
Deus ou ao homem. E no centro dessa discussão está o
dia de repouso. O objeto que ora chamamos de marca da
Besta é essa discussão do dia de repouso. Quando
olhamos que o Bispo de Roma vai propor às Nações
Unidas e aos Estados Unidos que dêem um dia de
descanso para terra; vemos que isso faz muito sentido.
Observe que a Encíclica Verde é clara em dizer que
descansar só do trabalho e continuar na cultura do gastar;
só isso não resolve. O dia de descanso é para a família e
para adorar a Deus. E quando vemos todo mundo
cristão adorando a Deus e descansando no primeiro dia
da semana e defendendo isso com unhas e dentes; fico
assustado. Vejo, e você pode ver também, que está fácil
para as ideias jesuíticas ganhar o favor e o apoio de todo
o mundo.

[ 133 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

O LADO POLÍTICO E ECONÔMICO DA


LAUDATO SI: A ENCÍCLICA VERDE.
Nunca uma Encíclica Papal foi tão discutida como esta.
Laudato Si (Louvado Seja), documento Católico que está
ultrapassando os muros da Igreja, consegue ser o centro
das atenções na política e economia mundial. Laudato Si,
a meu ver foi muito feliz quanto aos apontamentos dos
problemas que envolvem a política e a economia. No
entanto, a mistura da Igreja com o Estado não é boa,
nunca foi. Podemos perceber nas linhas e entrelinhas,
intenções esdrúxulas da Igreja para com a política e a
economia. Quero que você veja com seus próprios olhos
e avalie o quanto a Igreja é atrevida em pleno século
XXI. Estamos na iminência da cura da ferida mortal que
o poder religioso recebeu séculos atrás como diz
Apocalipse 13. Veja os extratos que eu considero mais
importante concernente à política e à economia:
“Alguns eixos que atravessam a Encíclica... a cultura do descarte e
a proposta de um novo estilo de vida”
“As mudanças climáticas são um problema global com graves
implicações ambientais, sociais, econômicas, distributivas e políticas,
constituindo atualmente um dos principais desafios para a
humanidade.” (25)
“Uma maior escassez de água provocará o aumento do custo dos
alimentos e de vários produtos que dependem do seu uso. Alguns
estudos assinalaram o risco de sofrer uma aguda escassez de água
dentro de poucas décadas, se não forem tomadas medidas urgentes.
Os impactos ambientais poderiam afetar milhares de milhões de

[ 134 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

pessoas, sendo previsível que o controle da água por grandes


empresas mundiais se transforme numa das principais fontes de
conflitos deste século.” (31)
“A verdadeira sabedoria, fruto da reflexão, do diálogo e do
encontro generoso entre as pessoas, não se adquire com uma mera
acumulação de dados, que, numa espécie de poluição mental,
acabam por saturar e confundir.” (47)
“A dívida externa dos países pobres transformou-se num
instrumento de controle, mas não se dá o mesmo com a dívida
ecológica.” (52)
“O problema é que não dispomos ainda da cultura necessária para
enfrentar esta crise e há necessidade de construir lideranças que
tracem caminhos, procurando dar resposta às necessidades das
gerações atuais, todos incluídos, sem prejudicar as gerações futuras.
Torna-se indispensável criar um sistema normativo que
inclua limites invioláveis e assegure a proteção dos
ecossistemas, antes que as novas formas de poder
derivadas do paradigma tecno-econômico acabem por
arrasá-los não só com a política, mas também com a
liberdade e a justiça.” (53)
“Preocupa a fraqueza da reação política internacional.”
(53)
“Cresceu a sensibilidade ecológica das populações, mas é ainda
insuficiente para mudar os hábitos nocivos de consumo, que não
parecem diminuir; antes, expandem-se e desenvolvem-se.” (55)

[ 135 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“Tende-se a crer que «toda a aquisição de poder seja simplesmente


progresso, aumento de segurança, de utilidade, de bem-estar, de
força vital, de plenitude de valores»[83] como se a realidade, o bem
e a verdade desabrochassem espontaneamente do próprio poder da
tecnologia e da economia. A verdade é que «o homem
moderno não foi educado para o reto uso do poder»,[84]
porque o imenso crescimento tecnológico não foi acompanhado por
um desenvolvimento do ser humano quanto à responsabilidade, aos
valores, à consciência.” (105)
“A economia assume todo o desenvolvimento tecnológico em função
do lucro, sem prestar atenção a eventuais consequências negativas
para o ser humano. A finança sufoca a economia real. Não se
aprendeu a lição da crise financeira mundial e, muito
lentamente, se aprende a lição do deterioramento ambiental.
Nalguns círculos, defende-se que a economia atual e a tecnologia
resolverão todos os problemas ambientais, do mesmo modo que se
afirma, com linguagens não acadêmicas, que os problemas da fome e
da miséria no mundo serão resolvidos simplesmente com o
crescimento do mercado.” (109)
“...é preciso assegurar um debate científico e social que seja
responsável e amplo, capaz de considerar toda a informação
disponível e chamar as coisas pelo seu nome. Às vezes não se coloca
sobre a mesa a informação completa, mas é selecionada de acordo
com os próprios interesses, sejam eles políticos, econômicos ou
ideológicos.” (135)

[ 136 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“...o crescimento econômico tende a gerar automatismos e a


homogeneizar, a fim de simplificar os processos e reduzir os custos.
Por isso, é necessária uma ecologia econômica, capaz de
induzir a considerar a realidade de forma mais ampla.” (141)

AGORA VEJA AS LINHAS DE ORIENTAÇÃO À


CRISE ECOLÓGICA PROPOSTA PELA
ENCÍCLICA VERDE
“Sabemos que a tecnologia baseada nos combustíveis fósseis –
altamente poluentes, sobretudo o carvão, mas também o petróleo e,
em menor medida, o gás – deve ser, progressivamente e sem demora,
substituída.” (165)
“As negociações internacionais não podem avançar
significativamente por causa das posições dos países que privilegiam
os seus interesses nacionais sobre o bem comum global. Aqueles que
devem sofrer as consequências que tentamos dissimular, recordarão
esta falta de consciência e de responsabilidade.” (169)
“Com afirmou Bento XVI, na linha desenvolvida até agora pela
doutrina social da Igreja, «para o governo da economia
mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a
prevenir o agravamento da mesma e consequentes maiores
desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento,
a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do
ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a
presença de uma verdadeira Autoridade política
mundial, delineada já pelo meu predecessor, [São] João
XXIII».[129] Nesta perspectiva, a diplomacia adquire uma

[ 137 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

importância inédita, chamada a promover estratégias internacionais


para prevenir os problemas mais graves que acabam por afectar a
todos.” (175)
“Dado que o direito por vezes se mostra insuficiente devido à
corrupção, requer-se uma decisão política sob pressão da
população. A sociedade, através de organismos não-
governamentais e associações intermédias, deve forçar os
governos a desenvolver normativas, procedimentos e
controles mais rigorosos. Se os cidadãos não controlam o poder
político – nacional, regional e municipal –, também não é possível
combater os danos ambientais.” (179)
“A política não deve submeter-se à economia, e esta não deve
submeter-se aos ditames e ao paradigma eficientista da tecnocracia.
Pensando no bem comum, hoje precisamos imperiosamente que a
política e a economia, em diálogo, se coloquem decididamente ao
serviço da vida, especialmente da vida humana.” (189)
“Mais uma vez repito que convém evitar uma concepção mágica do
mercado, que tende a pensar que os problemas se resolvem apenas
com o crescimento dos lucros das empresas ou dos indivíduos.
Dentro do esquema do ganho não há lugar para pensar nos ritmos
da natureza, nos seus tempos de degradação e regeneração, e na
complexidade dos ecossistemas que podem ser gravemente alterados
pela intervenção humana.” (190)
“É verdade que, hoje, alguns sectores econômicos exercem mais
poder do que os próprios Estados. Mas não se pode justificar uma

[ 138 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

economia sem política, porque seria incapaz de promover outra


lógica para governar os vários aspectos da crise atual.” (196)
“A política e a economia tendem a culpar-se reciprocamente a
respeito da pobreza e da degradação ambiental. Mas o que se
espera é que reconheçam os seus próprios erros e encontrem formas
de interação orientadas para o bem comum. Enquanto uns se
afanam apenas com o ganho econômico e os outros estão obcecados
apenas por conservar ou aumentar o poder, o que nos resta são
guerras ou acordos espúrios, onde o que menos interessa às duas
partes é preservar o meio ambiente e cuidar dos mais fracos. Vale
aqui também o princípio de que «a unidade é superior ao
conflito».” (198)
Eu gostaria que você prestasse bem atenção nos negritos.
Faça suas conclusões. Eu fiz as minhas! Depois de ler e
analisar; cheguei às seguintes conclusões quanto às
intenções da Encíclica Verde para a política e a economia
mundial: 1) A política internacional faliu 2) Ela não foi educada
corretamente, e precisa reeducar-se 3) Ela precisa de um professor
de referência 4) É necessária a unidade política para enfrentar os
problemas do mundo que perpassa pela ecologia.
As perguntas são: Quem será esse professor? Qual será a
lição? Que doutrina adotar? Então entra a tacada de
mestre do Papa, que, a meu ver é um lobo com pele de
ovelha. Ele se apresenta como a pessoa para o posto da
“verdadeira Autoridade política mundial” (175). Francisco,
sendo jesuíta, mostra as garras quando diz: “requer-se uma

[ 139 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

decisão política sob pressão da população” (179). Conseguir as


coisas pela força me lembra a Idade Média.
Não concordo que ele seja o professor e nem que sua
doutrina seja a matéria. Francisco e a Igreja negam as
verdades eternas de Deus e privilegiam a tradição. A
Bíblia é contra isso. Jesus foi claro ao dizer: “Ele, porém,
respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o
mandamento de Deus, pela vossa tradição? E assim invalidastes,
pela vossa tradição, o mandamento de Deus.” (Mateus 15: 3 e 6)

[ 140 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO II
A BRILHANTE ORDEM DOS JESUÍTAS E A
BUSCA PELO PODER NO MUNDO

Alguém escreveu isso sobre os Jesuítas:


“Em toda a cristandade o protestantismo estava ameaçado por
temíveis adversários. Passados os primeiros triunfos da Reforma,
Roma convocou novas forças, esperando ultimar sua destruição.
Nesse tempo fora criada a ordem dos jesuítas — o mais cruel, sem
escrúpulos e poderoso de todos os defensores do papado. Separados
de laços terrestres e interesses humanos, insensíveis às exigências das
afeições naturais, tendo inteiramente silenciadas a razão e a
consciência, não conheciam regras nem restrições, além das da
própria ordem, e nenhum dever, a não ser o de estender o seu
poderio. O evangelho de Cristo havia habilitado seus adeptos a
enfrentar o perigo e suportar sem desfalecer o sofrimento, pelo frio,
fome, labutas e pobreza, a fim de desfraldar a bandeira da verdade,
em face do instrumento de tortura, do calabouço e da fogueira. Para
combater estas forças, o jesuitismo inspirou seus seguidores com um
fanatismo que os habilitava a suportar semelhantes perigos, e opor
ao poder da verdade todas as armas do engano. Não havia para
eles crime grande demais para cometer, nenhum engano demasiado
vil para praticar, disfarce algum por demais difícil para assumir.
Votados à pobreza e humildade perpétuas, era seu estudado
objetivo conseguir riqueza e poder para se dedicarem à subversão do
protestantismo e restabelecimento da supremacia papal.”

[ 141 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“Quando apareciam como membros de sua ordem, ostentavam


santidade, visitando prisões e hospitais, cuidando dos doentes e
pobres, professando haver renunciado ao mundo, e levando o nome
sagrado de Jesus, que andou fazendo o bem. Mas sob esse
irrepreensível exterior, ocultavam-se freqüentemente os mais
criminosos e mortais propósitos. Era princípio fundamental da
ordem que os fins justificam os meios. Por este código, a mentira, o
roubo, o perjúrio, o assassínio, não somente eram perdoáveis, mas
recomendáveis, quando serviam aos interesses da igreja. Sob vários
disfarces, os jesuítas abriam caminho aos cargos do governo,
subindo até conselheiros dos reis e moldando a política das nações.
Tornavam-se servos para agirem como espias de seus senhores.
Estabeleciam colégios para os filhos dos príncipes e nobres, e escolas
para o povo comum; e os filhos de pais protestantes eram impelidos
à observância dos ritos papais. Toda a pompa e ostentação exterior
do culto romano eram levadas a efeito a fim de confundir a mente e
deslumbrar e cativar a imaginação; e assim, a liberdade pela qual
os pais tinham labutado e derramado seu sangue, era traída pelos
filhos. Os jesuítas rapidamente se espalharam pela Europa e,
aonde quer que iam, eram seguidos de uma revivificação do
papado.” (GC p. 234 e 235)
Mas o que a história fala dessa Ordem? As enciclopédias
são unânimes em afirmar que a Ordem da Companhia de
Jesus fora implacáveis com seus adversários e inimigos
do Papa. A Wikipédia diz que a Societas Iesu ou
Companhia de Jesus foi fundada em 1534 por estudantes
da Universidade de Paris. O líder desse grupo foi Inácio
Lopes de Loyola. A Igreja reconheceu oficialmente em

[ 142 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

1540. Existe até hoje, e seu foco é o trabalho missionário


e educacional.
No século XVI Lutero pregou suas teses contra práticas
da Igreja. E é nessa data que se registra o nascimento do
Protestantismo. Inácio de Loyola era filho de nobre e
abandonou as glórias deste mundo para dedicar-se as
causas da Igreja. Ele não podia ter, mas a Igreja deveria
ser rica. Depois de intensa experiência espiritual e muita
penitência se junta a Pedro Fabro, Francisco Xavier,
Afonso Salmerón, Diego Laynez, Nicolau de Bobadilla e
Simão Rodrigues. Estes fundam a Companhia de Jesus para
“’desenvolver trabalho de acompanhamento hospitalar e missionário
em Jerusalém, ou para ir aonde o papa nos enviar, sem
questionar’”.
Eles têm sua própria constituição. Ela foi adotada em
1554. É claro que há adaptações para cada época. Eles
são disciplinados, educados, corajosos, obedientes ao
líder maior. Um jesuíta não é necessariamente um
sacerdote. Só a partir de 1543 que começou a surgir
jesuíta sacerdote. As divisões principais são: professos,
escolásticos e coadjutores. Para ser um jesuíta, precisa-se
de muito estudo. Não existe jesuíta “burro” ou incapaz.
Há votos para fazer juramentos, e há requisitos a serem
seguidos nos chamados Exercícios Espirituais de Santo
Inácio. “A Companhia de Jesus foi fundada no contexto da
Reforma Católica (também chamada de Contrarreforma), os
jesuítas fazem votos de obediência total à doutrina da Igreja
Católica, tendo Inácio de Loyola declarado: ‘acredito que o

[ 143 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da igreja


assim o tiver determinado’”. (Wikipédia)
É popularmente sabido que os Jesuítas usavam, no início
da Ordem, uma capa preta. As gravuras e fotos dos
jesuítas aqui no Brasil os mostram assim. Os jesuítas
seguem e defendem o Papa o qual tem a capa branca.
Em situação oficial ele veste esta capa. O líder dos
Jesuítas é considerado Papa Negro por usar uma capa
preta. A partir de 2013 houve a unificação de liderança.
O Papa vestiu a capa preta; isto é o papado passou a ser
ocupado por alguém que é jesuíta. A Ordem Jesuíta
sempre serviu aos interesses do Papa. Agora o Papa
servirá, depois de tantos séculos sendo servido; aos
interesses da Ordem da Companhia de Jesus.
Dizem que o pensamento e ação jesuíta funcionam
nesses termos: educação, doutrinação, infiltração, sedição,
sedação e perseguição. Sendo assim, tem mais de quatro
séculos que a Companhia de Jesus pratica essa lógica. Por
serem bem disciplinados, educados e estratégicos; tudo
que eles querem conseguem. O jeito político de ser
jesuítico os torna muito efetivos e eficazes em tudo que
faz. Com todo esse aparato, a Companhia de Jesus teve
sucesso junto às cortes, governos e decisões políticas
pelo mundo afora. Ganharam tanto poder que chegaram
ao ponto de serem combatidos pelos próprios políticos.
No século XVIII foi a época que a Companhia passou
por perseguição e morte. Portugal, França, Espanha e
Itália foram países que tentaram eliminar seus membros.

[ 144 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Até o Brasil chegou a expulsá-los de seu território.


Encontraram guarida na Rússia. Passaram pela crise. O
Papa Pio VI reabilitou formalmente as ideias jesuítas.
Depois desse revés, a Companhia teve uma sobrevida.
Hoje, ela é grande e influente no mundo todo. Há
milhares de milhares de adeptos espalhado pelo mundo
todo. Os jesuítas são a nata da Igreja católica que vai de
membros a sacerdotes. Em 2013 aconteceu a êxito
máximo da Companhia de Jesus ao emplacar um jesuíta
Papa. Há quase 20 mil jesuítas pelo mundo. Todos eles
têm influência por serem poderosos, intelectuais,
políticos, sacerdotes. Eles são formadores de opinião em
muitas questões como na política, na economia e agora
na religião. Sendo o Papa um jesuíta; podemos dizer que
o mundo já está sentindo o poder da influência das ideias
jesuítas – o governo mundial, o poder global.
É impossível falar dos jesuítas e não mencionar a
maçonaria, os iluminati, e as sociedades secretas em
geral. Não quero entrar nesse detalhe. Há muita lenda
quando se fala das sociedades secretas; mas onde há
fumaça, há fogo. Não sei em que intensidade, mas há
verdade sobre aquilo que se diz das sociedades secretas.
Talvez 20 ou 30% seja verdade. O que sei é que, tanto
jesuíta quanto qualquer outra sociedade secreta quer o
poder. E para alcançá-lo, fazem de tudo, até pacto com o
Diabo. Vestem-se de uma roupagem santa, ou se posa de
íntimo de Deus; mas só no faz de conta.

[ 145 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Os jesuítas, sendo disciplinados, educados e


determinados, trabalham com agendas. Eles, com
certeza, estão infiltrados nos altos escalões dos governos
do mundo. Isso favorece a criação de leis que fortalece
sua ideologia. Creio que seja perfeitamente exeqüível a
lógica de funcionamento jesuítica. Alguns dizem que os
jesuítas querem dominar o mundo. É bem possível!
Sendo jesuíta o atual Papa, muitas das ideias e doutrinas
católicas podem ser disseminadas para religiosos e não-
religiosos. Nunca foi tão propício, favorável, para a
concretização das agendas jesuíticas. E no coração do
projeto da Companhia de Jesus está a destruição de
pessoas que entende a verdade de forma diferente deles.
As ideias jesuíticas nunca mudaram, só aprimoraram!
Eles vão continuar defendendo a instituição católica
romana até as últimas conseqüências. Suas doutrinas e
tradições serão sugeridas e ensinadas; mas depois de
algum tempo elas serão exigidas e por fim, obrigadas. Os
jesuítas são mestres nisso. Se não acredita, você precisa
pesquisar sobre a inquisição espanhola.
Se você gosta das teorias de conspiração, eu te digo: vá
com calma. Trabalhe com fato, por favor! Você pode
perder um tempo muito precioso com coisas que não
valem apena. Estude sobre Jesus! Estude a Bíblia e suas
profecias. O que tem que acontecer, vai acontecer. Não
precisamos saber dos detalhes das agendas anti-Deus.
Não precisamos ser doutor das teorias de conspiração.
Devemos conhecer Aquele que é o vencedor sobre

[ 146 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

qualquer tentativa de ganho de poder: Jesus. É melhor


conhecer bem sobre Jesus Cristo que sobre Adam
Weishaupt e outros.
Jesus está voltando. Tudo leva a entender que a Ordem
que nasceu para combater a Reforma, vai combater o
povo de Deus dos últimos dias. Não sei quando, mas
isso tudo pode acontecer dentro de pouco tempo o qual
vivemos. E não existe outra forma tão perfeita para
acontecer tudo aquilo do que o Apocalipse diz.
Maranata. Estude sobre Jesus! Se quiser saber sobre as
teorias conspiratórias; que seja o mínimo possível.

[ 147 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO III
OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA COMO O
ÚLTIMO LÍDER MUNDIAL DAS NAÇÕES

A América nasceu para ser grande e poderosa. Ela foi


formada por pessoas sonhadoras. Ela se tornou um
ninho de pessoas que queriam a paz e a liberdade para
viver e ser feliz. Nenhum país tem uma história como a
da América. Suas lutas, seus anseios como nação são
ímpares. Não há ninguém que tenha uma dose de
universalidade que possa desconhecer o nome Estados
Unidos da América. Seus símbolos e sua gente são
marcas registradas no mundo. Era impossível esse
gigante não ser líder.
Quando a vida ficou difícil na Europa para os cristãos,
logo eles tiveram que encontrar um novo lugar para viver
e praticar o jeito protestante de ser. E, é nesse momento
que a América se apresenta como um Novo Mundo. Foi
muitas década depois de Cristóvão Colombo que os
protestantes rumaram à América; mas a alegria foi a
mesma.
Diferentes países exploraram as terras do Novo Mundo.
Espanha, França, mas a principal nação, a chamada
metrópole foi o Reino Unido. Os Estados Unidos de
então compreendia apenas uma tira de terra banhada
pelo oceano Atlântico. O primeiro século de ocupação
do Novo Mundo foi interessante. Vários países europeus

[ 148 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

participaram do processo. Treze colônias foram


formadas só pelos britânicos. As províncias, como
chamadas, foram: New Hampishire, Baía de
Massachusetts, Rhode Island, Connecticut, Nova Iorque,
Nova Jérsei, Pensilvânia, Delaware, Maryland, Virgínia,
Carolina do Norte, Carolina do Sul e Geórgia. A Virgínia
foi a primeira colônia britânica a ser fundada em 1606.
Elas eram independentes com seu sistema de governo.
O primeiro jornal foi fundado em 1704, em Boston, e
seu nome era Boston News-Letter. E segundo a
enciclopédia virtual Wikipédia, “em 1753, a população
dos Estados Unidos era de um 1,3 milhão de habitantes.
A economia do país então era baseada primariamente na
agricultura e na exportação de produtos”. Na verdade, a
América tinha pouco terra e pouca gente. Ela só cresceu
com as guerras.
Quando as treze colônias se organizaram e buscaram a
independência dos britânicos, houve a ampliação de
gente e terra. Não foi fácil nenhuma das guerras que os
americanos participaram. Após se fortalecerem e
organizarem política e militarmente, os primeiros
americanos (dos Estados Unidos), iniciaram sua tão
famosa Revolução Americana. George Washington se
tornou o líder dos rebeldes. E em 4 de Julho de 1776 o
segundo Congresso Continental declarou a
independência das Treze Colônias. O Reino Unido, por
sua vez, declarou guerra. França e Espanha ajudaram os
rebeldes. Foi uma guerra longa com muitas baixas para

[ 149 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ambos os lados. Só em 3 de Setembro de 1783 que o


Reino Unido reconheceu sua derrota e a América (ou os
Estados Unidos) começou a construir sua nova história.
Após a guerra com os britânicos, houve um boom de
avanços político. “Em 1787, líderes e representantes dos
treze Estados Estadunidenses escreveram a Constituição
dos Estados Unidos da América, que tornou-se o pilar
central do sistema político dos Estados Unidos da
América, e centralizou o governo do recém-criado país.
Todos os Estados americanos ratificaram a Constituição
americana por volta de 1789, tornando-se assim
oficialmente Estados dos Estados Unidos da América”.
E nesta data, por unanimidade, George Washington, o
líder do exército rebelde, se tornou o primeiro presidente
americano.
Dentro de quase um século, os americanos construíram
sua ideia de liberdade e prosperidade. As instituições
fortes que hoje os americanos se orgulham, foram
formadas e estabelecidas nesse período. O Congresso, a
Suprema Corte, a Capital de Washington e muitas outras,
como a conquista do oeste tiveram nascimento nesta
época. Mas, em 1861, a guerra civil fez com que a
América se estabelecesse de uma vez por toda. Essa
guerra fez com que o povo se unisse de uma costa a
outra. A questão escravagista do sul trouxe atrito com o
norte. O tão famoso Abraham Lincoln passou todo o
seu governo lidando com a sangrenta guerra de
americano contra americano.

[ 150 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Depois dessa guerra civil, e após o período de


cicatrizações de feridas, a América se robusteceu. Depois
de resolver seus problemas domésticos, os Americanos
foram atrás da liderança do mundo. E rapidamente,
conquistou majestosamente. Os conflitos mundiais do
século XIX mostraram isso com muita nitidez. A
Primeira Guerra e a Segunda Guerra foram oportunidade
para essa nação se mostrar como a poderosa.
A Segunda Guerra Mundial de 1945 deixou claríssimo
para todos os líderes políticos do planeta quem era que
devia ser respeitado. Após 1945 só as URSS tinham
condições de suplantar o poderio americano. Tanto é
que, a partir dessa data, as duas nações rivalizaram para
ver quem ficariam no comando do “mundo”. De 1945 a
1989, a América tinha um rival a altura; mas com o fim
das URSS, a América reinou absoluto. De lá para cá,
temos mais de 25 anos de reino absoluto dos Estados
Unidos da América.
Segundo o Dr Vanderlei Dorneles, a América não é um
governo mundial. E Dorneles é uma voz que merece
respeito, pois todos os seus estudos de mestrado e
doutorado defendido na Usp, fala da história americana.
Com graduação em Teologia e pós nas áreas de história,
ele é uma voz que afirma algo peculiar. Dizer que a
América não é um governo mundial é algo peculiar.
Popularmente dizendo, governo mundial e liderança
mundial é a mesma coisa; mas na verdade não é.
Segundo Dorneles, não há base bíblica para se afirmar

[ 151 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

que haverá um governo mundial nos moldes de


Babilônia, Medo-Persia, Grécia e Roma.
Pensando na lógica do Dr Dorneles, podemos chegar a
seguinte conclusão: depois que o Império Romano caiu
em 476 dc, o mundo conheceu um novo jeito de ser
influenciado e governado – a chamada confederação
político-religiosa. A Igreja Romanizada foi a primeira a
desfrutar desse novo jeito de liderança.
Faz muito sentido essa lógica explicativa de Dorneles,
pois lá na profecia de Daniel 2, após o quarto império,
vem uma pedra e derruba todos os reinos. Os dedos da
estátua parte barro e parte ferro representaram e
representariam ainda os vários governos tentando se unir
até a volta de Jesus. Isso não impede de sempre ter um
líder que se destacasse dentre os demais e influenciasse e
ditasse regras aos seus correligionários.
Hoje, temos os Estados Unidos como sendo o grande
líder mundial de todas as nações existentes. São eles que
fazem e acontecem. A América é detentora de cultura
influente, poderio naval, poderia bélico de todas as
espécies, poderia tecnológico, poderio das ideias... E os
Estados Unidos da América são identificados no
Apocalipse como a Segunda Besta que se coligará com a
Primeira Besta. É nessa união que o improvável
acontecerá: perseguição religiosa.
Hoje, os Estados Unidos da América são o país que mais
preza a liberdade religiosa. Dizer que eles perseguirão e
farão guerra contra os cristãos autênticos é loucura. Mas

[ 152 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

o mundo dá voltas. Esse país que tem o Estado longe da


religião vai se render aos apelos do povo. O teólogo
americano Moore disse que “quando as leis do Estado
estão baseadas em princípios morais religiosos, em vez
de laicos, mais cedo ou mais tarde isso sempre resulta em
perseguição àqueles contrários às ideias predominantes”
(p.262).
Se a América é líder e influente, tudo que ela fizer;
exportará ao mundo. O homossexualismo já é defendido
por suas leis e o mundo seguirá essa ideia. Em breve, a
América exigirá de suas leis uma homenagem a Igreja
Romana, e quando isso for realidade lá, o mundo seguirá
seu exemplo. A América, como sendo a líder mundial de
todas as nações, institucionará o dia de repouso o qual a
Igreja Romana o tem como santo. Não virá pelo viés
religioso; mas político-social. E é por esse motivo que os
cristãos autênticos serão perseguidos. Mirando um
objetivo, cumprir-se-á outro; isto é, para atender uma
legislação de “benefício” sócio-político, cumprir-se-á a
profecia de Apocalipse 13: 14-17 “E engana os que
habitam na terra, com sinais que lhe foi permitido que
fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam
na terra, que fizessem uma imagem à besta que recebera
a ferida da espada e vivia. E foi-lhe concedido que desse
espírito à imagem da besta, para que também a imagem
da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os
que não adorassem a imagem da besta. E faz que a todos,
pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes

[ 153 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas;


Para que ninguém possa comprar, ou vender, senão
aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o
número do seu nome”.

[ 154 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO IV
A CIÊNCIA, A RELIGIÃO E A VERDADE
SOBRE A REALIDADE DAS COISAS

Um dos primeiros livros de filosofia que eu li foi O


Mundo de Sofia de Jostein Gaarder. É um história
romanceada para iniciantes em filosofia. E nesse
primeiro livro já senti o drama recorrente à filosofia
humana: descobrir a realidade das coisas, a verdade, sem
mencionar a pessoa de Jesus. E olha que Gaarder estudou
teologia lá em seu país natal, a Noruega. Depois desse e
muitos outros livros filosóficos; conclui que é impossível
chegar à verdade sobre a realidade das coisas isolando o
criador de todas as coisas.
A ciência e a religião viviam em clima de amizade
antigamente. Ambas têm a intenção de buscar a verdade.
Já no tempo de Gaarder, a amizade entre a ciência e a
religião não procedia mais. Antes do século XVIII,
ambas conviviam lado a lado. Grandes nomes da ciência
da grandeza de Isaac Newton conseguiam ser crente e
cientista ao mesmo tempo. Eles conseguiam até escrever
para a ciência e para a teologia. Houve contribuições
grandiosas para a ciência e religião a partir de grandes
cientistas como o citado Isaac Newton.
Podemos perceber que houve uma usurpação por parte
da ciência frente à função da religião. As pessoas
passaram a atribuir função à ciência o que seria para a

[ 155 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

religião. Esta se apóia na fé; a ciência, comprovação


material por meio da observação e experimentação. A
religião lida com o absoluto; a ciência, o relativo. A
ciência não pode ser tomada como dogma, pois ela muda
a cada pesquisa. E cada pesquisa tem métodos diferentes.
É um erro crasso das massas fazer da ciência uma
religião; pois de tempos em tempos o que é uma
afirmação, passa a ser uma negação.
É bem possível que os cientistas antigos sabiam separar
bem as funções de ciência e religião. Isso foi possível
porque o seu objeto de estudo era parte do design. Os
cientistas antigos eram teístas; isto é, não negavam a
existência de Deus. Já os cientistas modernos, na sua
esmagadora maioria, são ateístas porque o seu objeto de
estudo é o caos. Se você se apóia na ciência, como um
crente se apóia na sua religião, você estará colocando o
homem na posição de Deus. Você estará colocando a
criatura no lugar do Criador.
O que é a ciência? “(...)Qualquer conhecimento ou prática
sistemáticos. Em sentido estrito, ciência refere-se ao sistema de
adquirir conhecimento baseado no método científico” (Wikipédia).
É também, uma autoridade (os cientistas se tornam os
novos poderes do mundo); e não é um valor neutro.
Você precisa saber que ciência não é a verdade. Além de
seus resultados mudarem constantemente, aqueles que a
dirige contaminam seus métodos científicos com suas
crenças culturais, contextos particulares, suposição,
hipótese e probabilidade.

[ 156 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Há o chamado modelo clássico da ciência onde tem o


sujeito, o objeto e o conhecimento. Dentro da ciência
descritiva, a relação entre o sujeito e o objeto pode ser
interferida por variáveis diversas. Dentro da ciência
normativa, o sujeito que faz a pesquisa, pode chegar a
resultados diferentes, quando comparado a outras
pesquisas, devido a sua experiência pessoal, visão de
mundo e paradigmas. Há variáveis demais para
confiarmos na ciência como se ela fosse uma religião. Ela
tem o seu papel na sociedade e devemos atribuir o seu
devido valor sem fazer dela e de quem a dirige um deus.
Muito cuidado em contestar a religião ou Deus a partir
do olhar científico moderno. Fico pensando o porquê
que os pais da ciência foram tão diferentes dos cientistas
modernos. Compreendo todos os porquês quando trago
para esse questionamento o Grande Conflito entre Cristo
e Satanás. À medida que o fim de tudo se aproxima, mais
o arqui-inimigo do Senhor se desespera e faz de tudo
para multiplicar ideias que negam a existência do Criador
de todas as coisas. Vivemos uma campanha de
aniquilamento da presença de Deus entre os homens.
Você não pode ser atingido por esta campanha diabólica.
A ciência nos suas três divisões: formais, físico-químicas e
experimentais, e sociais estão povoada de ateístas. Ninguém
nega que a ciência serviu e serve para facilitar a vida do
homem. Houve um grande desenvolvimento com o
advento das ciências; de todas elas. O mundo não seria o
mesmo se faltasse pelo menos um dos três grandes

[ 157 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

campos. A questão que ponho é o homem querer ser


Deus; ocupar o lugar de Deus para receber as honras que
só a Ele devemos render. Para aqueles que advogam que
a religião atrasa, eu digo que a religião falsa atrasa
mesmo. Dessa forma devemos combater a religião falsa,
e não Deus. Quem atrapalhou a ciência se desenvolver
foi a Igreja Cristã Romanizada na Idade Média. Essa
Igreja Cristã Romanizada deve ser combatida mesmo,
pois agora deu para negar Deus como o Criador de todas
as coisas.
“Em uma visão cronológica a ciência nasceu como uma tentativa de
se achar respostas para os questionamentos humanos,
questionamentos como ‘o que há lá fora?’, ‘do que o mundo é
feito?’, ‘qual é o segredo da vida?’ e ‘como chegamos até aqui?’”
(Wikipédia). Em outras palavras, ‘De onde viemos?’ e
‘Para onde vamos?’. Deus nos deu a resposta de cada
uma dessas perguntas. Isolar Deus do processo da vida é
dar um tiro no próprio pé. A Bíblia tem respostas
profundas para essas duas perguntas que tanto anseia o
homem.
E por que os cientistas modernos adoram ridicularizar a
Bíblia? Você pode pensar em mil e uma respostas, mas
concordará comigo que eles pensam e pregam contra
Deus. O Deus bíblico é visto com desprezo e ridículo.
Os poucos cientistas de renome que crê no Deus bíblico
sofrem preconceito e perseguição intelectual. Os
cientistas criacionistas são desdenhados e até boicotados.
Isso é uma verdadeira perseguição! Isso é bullying

[ 158 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

intelectual. Fala-se tanto em liberdade de escolhas, e por


que não dão liberdade para se crê ou não crê num Deus
Criador? Não somos contra quem não acredita em Deus.
Somos livres para crer ou não crer. Não concordamos
com os ataques; com as proibições. É proibido falar do
criacionismo nas escolas. Por que não se abre para as
duas teorias?
A partir das ideias evolucionistas, o mundo se rebelou
contra Deus. Desde o século XVIII temos visto como
pessoas estão trabalhando para erradicar a ideia de Deus
como Criador. Há evidências bíblicas que existe uma
força maligna por trás de tudo isso. Efésios 6:12 diz algo
revelador: “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e
sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste
mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões
celestes”.
Se a ciência fala algo contra Deus, esta não é uma boa
ciência. Se a ciência não denigre a imagem do Senhor,
esta é uma boa ciência. Se não houvesse nenhum
cientista criacionista, você poderia ter um leve argumento
para seguir a ciência; mas como isso não é verdade, você
tem um forte indício de se afastar da má ciência. Não
existe sabedoria longe de Deus. A má ciência tem um
mentor: Satanás. E há um exército perigoso e forte sob
seu comando. No entanto, o mesmo texto de Efésios
6:13 e 14 nos dá um conselho e uma garantia ao mesmo
tempo: “portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que
possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo,

[ 159 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a


verdade e vestindo-vos da couraça da justiça”.
E quem é a verdade? João 14:6 responde: “Respondeu-lhe
Jesus: eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai
senão por mim”. Jesus é a verdade! De onde viemos?
Gênesis 1:27 responde: “criou Deus, pois, o homem à sua
imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”. E
para onde vamos? João 14:3 nos responde reproduzindo
as palavras do próprio Jesus Cristo: “E, quando eu for e vos
preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que,
onde eu estou, estejais vós também”.
Entende o porquê de os cientistas tentarem rebaixar a
Palavra de Deus? Nela encontramos respostas completas
e profundas. E nenhuma dessas repostas tira Deus do
processo da alegria, da salvação, da solução dos
problemas... A Bíblia é um dos objetos de raiva do
Diabo. Ele a odeia com todas as forças. Isso pelo motivo
de que a Bíblia diz categoricamente que Deus é Senhor e
Salvador do homem. Jesus se fez homem, habitou entre
nós, morreu, ressuscitou, subiu aos Céus e comissionou
o Espírito Santo para estar conosco até a consumação
dos séculos. E nesta consumação, seremos provados
sobre aquilo que acreditamos.
Não permita que nenhum cientista ateu abale sua fé. Não
permita que a má ciência seja os óculos que você enxerga
o mundo. As realidades das coisas mudam de óculos para
óculos. Se a má ciência produziu os seus óculos,
provavelmente você terá muitos conflitos com o Assim

[ 160 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Diz o Senhor. Deus não muda! Sua Lei Moral nunca


mudou! Seu amor para com a humanidade nunca mudou!
Sua graça nunca mudou. Sua capacidade de fazer
milagres nunca mudou. Sua vontade e capacidade de
transformar vidas nunca mudaram. Deus não muda!
A má ciência acusa a religião de não responder as
perguntas que o homem tem entalada na garganta. A
Bíblia tem todas as respostas que o homem precisa para
viver e ser salvo do mundo hostil. Ela não responde
todas as perguntas; isso é providencial. A má ciência está
a serviço do Diabo porque nem ela tem respostas para
todas as perguntas que existem. Ele tenta passar a ideia
que a ciência tem todas as respostas. Isso é uma
inverdade! A religião verdadeira de Cristo é clara em
dizer que a fé é o elemento necessário à vida na terra e a
salvação, pois somos limitados demais para compreender
todas as respostas para todas as perguntas. Lembre-se
“sem fé é impossível agradar a Deus” Hebreus 11:6.

[ 161 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO V
LEI OU GRAÇA?

Não há como negar o conflito entre a lei e a graça! Ei!


Não é a Bíblia que faz esse conflito. Quem faz isso são
os milhões de cristãos que pululam o planeta. A Bíblia
nunca fez confusão entre seus temas. A graça e a lei
sempre foram harmoniosas nos seus propósitos.
Centenas de pastores mal intencionados fazem terror
com a lei. Será por quê? Será que foram os pastores
evangélicos que começaram por a graça e a lei em guerra;
ensinar uma e rejeitar a outra? Será que foi o Apóstolo
Paulo que negou a lei em detrimento da graça? Quem
começou essa questão?
Já posso adiantar que não foram os pastores evangélicos
que introduziram o conflito Lei X Graça. Posso garantir
também que, baseado na história e na Bíblia, não foi o
Apóstolo Paulo que fez essa atrocidade no cristianismo.
Para começar a entender esse fato, cabem aqui outras
perguntas. O que é Lei? Existem quantas leis na Bíblia?
O texto Bíblico favorece a divisão de lei ou ela só fala de
uma lei?
Para o cristão que acredita que a lei na Bíblia é uma só as
coisas complicam totalmente. O problema começa aqui.
Acreditando assim fica impossível compreender o todo
bíblico porque tudo vira uma salada mista; tudo vira um
caos. E, para começar, não é o que você acredita; mas o

[ 162 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

que o texto diz. O princípio correto de se entender


textos é esse. A interpretação deve vir de dentro (do
texto) para fora e não de fora para dentro. Os juízes dos
tribunais fazem isso.
O que é lei? Lei é regra, princípio, diretriz sobre ou para
alguma coisa. Todo bom dicionário vai nos dizer isso. E
a Bíblia, será que ela fala de regras, princípios e
diretrizes? É evidente que sim! No Antigo Testamento se
encontra muitos princípios, regras e diretrizes. No livro
da Lei, ou seja; na Torah, os rabinos contam 613 leis. São
muitas as leis! Isso ninguém pode negar. Será que as 613
leis pertencem a um mesmo assunto? Então não existe
apenas uma lei na Bíblia.
Os campos de legislação no Antigo Testamento são: Leis
sobre a vida civil do povo, Leis sobre a dieta, Leis sobre
as liturgias da religiosidade, Leis sobre o primeiro pacto
e Lei áurea. O texto bíblico permite essa divisão. Não é
uma interpretação de fora para dentro, mas de dentro
para fora. Se você seguir essa lógica, encontrará essa
divisão. Em cima dessa base podemos construir
argumentos sólidos e verdadeiros.
Os profetas e a vida do povo de Deus construíram sua
identidade nestas bases. Os cincos primeiros livros da
Bíblia são sustentáculos para todos os demais livros;
inclusive os do Novo Testamento. Para os desavisados,
quero dizer que os escritores do Novo Testamento
usaram muitas referências diretas do Antigo Testamento.

[ 163 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Se tirarmos todas as referências diretas, o Novo


Testamento ficará sem sentido.
Dessa forma terá lógica o que Paulo disse em suas cartas.
Sem essa base e divisão vamos ver conflitos de idéias do
próprio Paulo. Veja uma: por que em Gálatas Paulo
defende tanto a Graça e aparentemente anula a lei, mas
em Romanos fala tão bem da Lei e a confirma de forma
poderosa? Por que há momentos que esse autor fala bem
da Lei e em outro fala mal? Esse é um questionamento
errado! O certo é dizer: Ele, Paulo, fala bem de qual lei? Ele
detona que outra lei? Se o próprio Paulo faz essa distinção
entre as leis; por que pastores teimam em juntar tudo e
afirmar que Paulo desautoriza guardar a Lei de Deus?
Dentre as leis citadas, enfatizemos a Moral de Deus. Não
foi Paulo que iniciou confusão entre a Lei Áurea e a
Graça. Também não foram os pastores evangélicos! Esse
posicionamento de oposição quem trouxe foi o inimigo
quando o próprio Satanás começou a mudar sua
estratégia de ataques a igreja de Deus. Antes ele batia de
frente; mas num dado momento Satanás se infiltrou na
igreja e começou semear heresias. Apocalipse e a história
confirma isso, é só ler os capítulos 1, 2 e 3 do livro de
João. A História Geral diz que no terceiro século a Lei
Áurea de Deus começou a ser atacada com muita
intensidade. Os Líderes Cristãos dos primeiros séculos
quiseram formar sua identidade cristã sem referência
alguma aos judeus, e passaram a agir diferentes; e isso
mexeu no coração da Lei Áurea do Senhor. Paulo nunca

[ 164 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

questionou a validade da Lei Áureo de Deus; poderíamos


chamá-la de Constituição Federal de Deus. Quando ele
fala de forma negativa da lei; ele se refere às Leis das
Liturgias Religiosas e às Leis do Primeiro Pacto. Os primeiros
Cristãos sabiam muito bem essa distinção que Paulo
fazia. A Lei Áurea de Deus – os Dez Mandamentos
(Constituição Federal de Deus) – era entendida
claramente e não se misturava com as demais. Êxodo
31:18 deixa isso nítido para todos do Caminho. Moisés
não teve permissão para escrevê-la; mas o próprio Deus
a fez. A Lei das Liturgias Religiosas foram orientações
para os sacerdotes fazerem o serviço do Senhor com
decência e ordem. As Leis do famoso Primeiro Pacto diz
respeito ao cordeiro que era imolado diária e anualmente
no templo simbolizando o próprio Cristo (sombra da
realidade como registrado em Colossenses 2:16 e 17); e sua
vigência foi até a cruz do Calvário. O chamado Novo
Concerto ou Pacto diz respeito à universalização da graça
de Jesus, pois esse cumpriu literalmente a simbolização
da morte do cordeiro, o qual restringia ao povo de Israel.
A Lei não é do passado! A Lei é do presente! A Lei
Áurea, ou dos Dez Mandamentos não está restrita a um
ou a outro concerto; ela é universal e atemporal. Paulo
compreendia muito bem isso! Ela é atualíssima e
relevante para todas as épocas. A Lei que me refiro é a
Lei Áurea de Deus, encontradas em Êxodo 20: 1 a 17 (lei
agora na sua Bíblia). E ainda vou mais longe: Apocalipse
14 diz que a Lei Áurea de Deus vai ser o teste final do

[ 165 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

povo um pouco antes do juízo final de Deus (obedece ou


não obedece tudo). Eu te pergunto: Você vai obedecer a
Deus ou a homens? “Então, Pedro e os demais apóstolos
afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.”
Atos 5:29
Criaram-se uma discussão vazia ao longo dos séculos. O
inimigo número um de Deus lançou a semente da
discórdia sobre algo que o Senhor estabeleceu desde o
começo. É perigoso adotarmos um discurso contrário à
vontade de Deus. Defender o fim da Lei de Deus é estar
jogando no mesmo time do Diabo. É possível ser crente,
cristão e jogar no mesmo time do Diabo. Isso é
perfeitamente possível porque ele mesmo crê, mas não
obedece. Ele não é submisso a Deus.
Stricto sensus falando, não é o fim da Lei de Deus que se
advogam, mas a mudança do Quarto Mandamento da Lei de
Deus. Então se criaram a dicotomia lei-graça. Isso é
lamentável; mas a realidade.
A Lei e a Graça estão sendo enfatizadas de forma errada.
Colocá-las num ring e ficar na torcida por uma ou outra;
é estratégia maquiavélica. O único que sai ganhando com
essa discussão é o Diabo. É ele que jogou no ring a Lei de
Deus e a Graça de Deus. Como pode haver oposição de
ideias vinda da mesma pessoa, aliás, de Deus? Ponha
uma coisa em sua cabeça, caro leitor, Deus não se
contradiz.
Não seria muita incongruência de pessoas cristãs
defenderem o fim da lei e ao mesmo tempo pregar que

[ 166 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

se deve obedecer a Deus? É por uma razão simples que a


vasta maioria dos cristãos vive nessa incongruência. Eles
usam inúmeros argumentos, e todos fracos e
inconsistentes, só para se livrarem do Quarto Mandamento
da Lei Áurea de Deus, isto é, dos Dez Mandamentos de
Deus. É impossível tirar o Quarto Mandamento da Lei de
Deus, pois o próprio Tiago diz que aquele que tropeçar
em um, é culpado de todos. Das duas uma, ou se aceita
toda Lei, ou se rejeita toda Lei. Não existe possibilidade
do meio termo.
É nesse ponto que os Católicos são mais sinceros e
coerentes, mesmo estão errados. Eles são categóricos em
dizer que a Igreja tem autoridade e fez a mudança do dia
de repouso. Os protestantes dizem que usam a Bíblia
como única autoridade eclesiástica; já os católicos têm
duas fontes de autoridades religiosas: a Bíblia e a
Tradição. Quando os protestantes tentam tirar a validade
do Quarto Mandamento, eles estão sendo católicos, pois
estão defendendo a mesma ideia de autoridade religiosa
da Bíblia e da Tradição. Os católicos têm o primeiro dia
da semana (o Domingo) para descansar, já os
protestantes, evangélicos, pentecostais, e etc, também
pregam e descansam no primeiro dia da semana (o
Domingo), ou qualquer dia. Todos condenam o
descanso no sétimo dia (Sábado), mesmo sendo tão claro
em toda Bíblia. Todos eles acusam os pouquíssimos
cristãos que guardam o dia sétimo de judaizantes.
Aqueles cristãos (mesmo sendo minoria) que guardam o

[ 167 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

sábado (sétimo dia da semana) estão sendo lógicos,


congruentes, e obedientes a Deus; pois é assim que o
texto bíblico diz de Gênesis a Apocalipse.
Caro leitor, você sabe por que o Diabo mirou o Quarto
Mandamento e incitou a maioria dos cristãos a se rebelar
contra ele? Você sabe por que Satanás ama quando um
crente detona com o Sábado (Quarto Mandamento)? Você
sabe por que o mundo odeia esse mandamento e não faz
nenhum esforço para obedecê-lo? E você sabe por que
sempre houve pessoas, minoria bem verdade, mas
sempre houve pessoas pregando a obediência a esse
mandamento? E você sabe por que no clímax do fim do
mundo, o Quarto Mandamento será o ponto de discussão
entre o bem e mal nos quatro cantos do mundo? As
palavras do teólogo Abel R. Molina vai responder todas
essas perguntas. Veja:
“Guardo o sábado porque ele me faz lembrar que sou filho do
Deus criador e não de um deus falso ou pagão que não tem poder
de criar nada. Sem dúvida, o mandamento do sábado é o mais
importante da Lei de Deus (Lei Áurea, Dez Mandamentos). Se
um adorador de ídolos ler os nove mandamentos restantes, sem que
tenha conhecimento do mandamento do sábado, ele chegará à
conclusão que seu deus, o ídolo que ele adora, exige dele todos os
requisitos que estão nos nove mandamentos restantes, pois sem o
mandamento do sábado a Lei de Deus fica sem identificação do
deus que a promulgou. É no quarto mandamento do Decálogo que
está autenticado quem é o autor ou o legislador dessa Lei. É Ele o
mesmo Deus descrito nos capítulos um, dois de Gênesis. É o que

[ 168 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

criou o homem, os animais, a vegetação, o sol, a lua, as estrelas. É


o que abençoou e santificou o sétimo dia da semana. É o Todo
Poderoso, aquele que instituiu o sábado dia da semana servindo de
memorial da bela Criação. Se todos observassem o quarto
mandamento que ordena santificar o sábado, não haveria nenhum
ateu, evolucionista ou incrédulo” (p. 45)
Esse mandamento número quatro é uma demonstração
de que Deus nos ama e nos alcança com sua infinita
Graça. Separar lei e graça é o pior desserviço que um
crente pode prestar a Deus, e muitos, no afã de se livrar
do Quarto Mandamento, andam pregando o fim da Lei de
Deus. Muito cuidado com isso! A Graça de Deus sempre
existiu, a Lei também. Pelo menos esse ponto deve ficar
claro para você, caro leitor; entre a lei e a graça há uma
função distinta e complementar. A graça serve para
salvar o homem, e a lei serve para proteger o mesmo
homem nos caminhos do Senhor. Caminhos este do
Deus Criador de todas as coisas e não de um deus pagão.
“Bem-aventurados os... que andam na Lei do Senhor” Salmo
119:1.

OBS.: Para uma discussão mais localizada e detalhada


dos motivos do sábado, leia o capítulo 12 do livro:
Código 7: O Cristo e o Anticristo, S. V. Reis.

[ 169 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO VI
O FIM DO MUNDO, A NATUREZA E O
APOCALIPSE

Ao se olhar para o núcleo do livro do Apocalipse, isto é,


para os elementos principais que aparecem lá; podemos
identificar a natureza como centro, no que diz respeito à
ambientação escatológica. Isso é lógico e harmônico
porque, na terra, onde estamos; os elementos da natureza
são imprescindíveis à vida. Ninguém sobrevive sem a
água, sem o ar, sem os alimentos que o solo produz.
Precisamos de luz solar, da noite, do dia. O verde da
flora e a dinâmica da fauna fazem nosso viver tornar-se
concreto e seguro.
Encontramos no último livro bíblico referências diretas
desses elementos da natureza e a questão do
definhamento do mundo. Como mencionado em
Gênesis, o homem está no centro da natureza para torná-
la mais harmônica. No entanto a história natural mostra
que aquele que fora criado para preservar, cuidar e
estreitar a relação homem-natureza; destoou tudo e está
fazendo os últimos saques à terra. Como isto aconteceu?
O Pentateuco nos diz qual foi o porquê de tudo; mais
precisamente em Levítico 25, explica uma regra quebrada
pelo homem na relação terra-homem e homem-Criador.
Esse é o chamado principal dos anjos de Apocalipse 14.

[ 170 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

A parte escatológica de Apocalipse é carregada de


imagens e referências claras dos seguintes elementos da
natureza: céus, terra, mar, rios, plantas, águas. A vida humana
é dependente de todos esses componentes. Eles são tão
vitais que se tirar ou danificar um deles, a vida fica
impossível. O interessante é que tanto o crente quanto o
descrente são atingidos por qualquer falta dos tais atores
da natureza. E quando se fala de terra, mar e céus, e,
relacionamos com os maus tratos que a natureza sofre;
lembramos das reações mortíferas que às vezes ela
proporciona a todos os seres viventes – homens e
animais. Recorda do Katrina nos Estados Unidos, do
Tsunami de 2004 na Ásia, do terremoto do Haiti 2010 e
de outros?
Talvez seja esse detalhe do Apocalipse que mais chama a
atenção e cativa o fascínio de todos. O caos, a fúria, o
estrago, o medo, as mortes... tudo isso provoca umas
reações diversas no homem; para uns o temor; para
outros, o respeito com suas predições. Quem conhece o
livro do Apocalipse, entendendo ou não, sabe que, o que
se encontra lá são coisas fora de sério mesmo. E para
aqueles que conseguem ver uma ordem de fatos,
concatenados e bem distribuídos neste livro; sabem que
ele não falhou e nem falhará.
As sete trombetas e as sete últimas pragas são registros
do Apocalipse que fazem qualquer um pensar seriamente
sobre o futuro. Desde o cético ao crente, esses
prenúncios mexem com qualquer imaginação. Eles nos

[ 171 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

amedrontam mesmo! O cerne de ambos os


acontecimentos está na natureza. E o quadro
apresentado, seguindo a lógica apocalíptica, é que terão
lugar ao se chegar ao fim do mundo.
Essa nomenclatura de fim do mundo é muito conhecida
e pouco explicada. Num contexto bíblico, fim do mundo
é um recomeço. O que os textos Bíblicos querem chamar
a atenção é para o fato de que Deus porá fim ao ciclo do
pecado. O mundo pecaminoso e afastado do seu criador
terá um fim realmente. E quanto mais nos aproximamos
desse fim, mais a natureza se revolta. Essa natureza
revoltosa é palco da última batalha entre o bem e o mal.
Se quanto mais longe de Deus, mais o homem maltrata a
natureza; isso significa que, no fim de tudo, ambos vão
estar em seus limites de exploração e revolta
respectivamente.
Quando olhamos para o mundo; e notamos que há um
ajuntamento ecumênico em torno das questões
ambientais; concluímos que realmente estamos no fim.
Tudo está se desembocando para a última batalha. Isso é
um amadurecimento para a colheita; como João diz em
Apocalipse 14. Os sete anjos deste capítulo tocam nesta
questão em cheio.
“Temei a Deus e daí-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo;
e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das
águas”(verso 7)
“Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as
nações do vinho da fúria da sua prostituição” (verso 8)

[ 172 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na


fronte ou sobre a mão ...” (verso 9)
“Tomai a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a
seara da terra já amadureceu!” (verso 15)
“O anjo passou a sua foice na terra, e vindimou a videira da terra,
e lançou-a no grande lagar da cólera de Deus” (verso 19)
O mundo está super maduro para agir contra Deus numa
causa que aparentemente exaltará o criador. Por mais
esdrúxulo que pareça; é verdade! Seguindo as ideias
relativistas, muito em voga, o poder religioso (Besta) se
utiliza de argumentos bíblicos para ganhar o favor de
todos os cristãos e religiosos em geral; e apoiados em
evidências científicas (verdadeiras ou não) conseguem
arrebanhar os mais fortes ateus para a causa comum e
simpática. Os ativistas das questões ambientais e os não-
religiosos estão unidos nesta bandeira.
Quem está encabeçando essa causa? Vaticano e
Washington estão à frente disso numa campanha
mundial. O que é mais perigoso e estranhíssimo nisso
tudo, é que o líder do Vaticano está se tornando o
cabeça, o mentor, a autoridade moral mundial para
conseguir o apoio de todos. No coração do projeto de se
salvar o planeta está algo que a Bíblia chama de
Abominação Desoladora. E quem está delineando esse
projeto é o Vaticano, a Santa Sé. Para quem não tem
percepção espiritual, não conseguem ver o mal que isso é
para Deus e suas verdades.

[ 173 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Primeiro quero falar sobre o que é Abominação


Desoladora. Depois podemos destrinchar as intenções
do Líder do Vaticano e sua política nesta questão. Vamos
mencionar também o fato de Washington está envolvido
nesta. Parece um filme de Hollywood o desenrolar
profético da última batalha. A Abominação Desoladora, as
questões romanas e americanas são desencadeadoras da
última fúria real da natureza que sofre e geme por causa
de seus moradores. Parece algo ingênuo, louco, infantil,
mas tudo fará sentido; até para aqueles que rejeitarão a
obediência ao Deus criador. Mais cedo ou mais tarde,
todos os vivos entenderão os pormenores da última
grande batalha entre Cristo e o Anticristo. E a natureza é
palco porque ela revela o criador; o poder do criador.
Em Daniel 11:39 aparece pela primeira vez a expressão
“abominação desoladora”. Em Daniel 9: 27 essa expressão
está mais diluída, mas faz referência: “ele [JESUS] fará
firme aliança com muitos, por uma semana; na metade da semana,
fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares [FIM DAS
SOMBRAS DE COLOSSENSES 2:16 e 17]; sobre a asa
das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está
determinada, se derrame sobre ele”. Lá no Novo Testamento,
se comparado às citações dos evangelhos, fica claro para
nós sabermos o que seria essa abominação desoladora.
Mateus 24:15, Marcos 13:14 e Lucas 21:20 citam o
assunto. Se reproduzirmos as citações, poderemos chegar
num denominador comum:

[ 174 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

“Quando, pois, virdes o abominável da desolação de que falou


o profeta Daniel, no lugar santo (quem lê entenda),”
“Quando, pois, virdes o abominável da desolação situado
onde não deve estar (quem lê entenda), então, os que estiverem na
Judéia fujam para os montes;”
“Quando, porém, virdes Jerusalém sitiada de exércitos, sabei
que está próxima a sua devastação.”
Os três escritores estão falando de um contexto de
perseguição. Essa profecia de Jesus tem dupla aplicação;
uma para os tempos da destruição de Jerusalém literal, o
povo de Deus de então; e outra para o fim. Nesta época
o povo de Deus, em todo o mundo, será perseguido.
Será algo literal! Biblicamente falando não se encontra
base para o arrebatamento secreto; o tal livramento da
perseguição dos últimos dias. O único arrebatamento que
existe na Bíblia é o arrebatamento visível; aquele que
todo o olho verá. As pessoas que estiverem vivas, na
ocasião da volta literal de Jesus, estas serão arrebatadas e
os mortos em Cristo serão ressuscitados.
Ao se observar os três textos, descobrimos que
abominação desoladora é igual a exército romano. Esse exército
é romano porque a história geral diz que quem destruiu
Jerusalém no ano 70 DC foram os romanos. E por que o
exército romano é considerado abominação desoladora?
Porque ele é pagão. Porque ele adorava outros deuses e
prestava-lhe obediência. Todos os seus símbolos, crenças
e práticas negavam Deus como criador e mantenedor. O
Imperador é que era seu deus. A definição para a palavra

[ 175 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

abominar é: sentir horror, detestar, odiar; e desolação é:


ruína, destruição. Daí o termo abominação desoladora
tem o sentido de sentimento horroroso de destruição, detestável
ruína, odiosa destruição, condenável destruição.
Jesus foi enfático em citar o nome do profeta Daniel. Há
uma razão para isso. Além de falar com clareza sobre a
morte do cordeiro pascal que no passado fora sombra;
Daniel foi claríssimo em dizer sobre um poder que
mudaria “os tempos e as leis”. Esse poder tiraria os
símbolos autênticos de Cristo e colocaria em seu lugar
símbolos pagãos para homenagear seus deuses. Eles
fizeram um batismo de todos os símbolos pagãos. E este
mesmo profeta diz que “sobre a asa da abominação virá o
assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame
sobre ele”; isto é, após Jesus estabelecer sua igreja, o Diabo
se infiltraria no seio da cristandade com seus símbolos
pagãos. João foi claro: “conheço o lugar em que habitas, onde
está o trono de Satanás... tenho, porém, contra ti o tolerares que
essa mulher [igreja], Jezabel, que a si mesma se declara profetisa,
não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem
a prostituição e a comerem coisas sacrificadas aos ídolos” (Apoc
2:13 e 20).
O que restou de Roma hoje? Você tem que concordar
que é a Igreja Cristã Romanizada. Se o exército de
Roma foi uma abominação desoladora, a Igreja Romana
que se diz cristã é: sentimento horroroso de destruição, detestável
ruína, odiosa destruição, condenável destruição aos olhos de
Cristo que se fez carne e habitou entre nós e morreu

[ 176 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

pelos nossos pecados. O que esta Igreja tem de


detestável, horroroso, odioso, condenável? Olhando para
o discurso dos últimos papas, um leigo no assunto dá um
nó em sua cabeça. Francisco, por exemplo, em suas
viagens internacionais anda defendendo a liberdade
religiosa, a proteção contra os pobres, o cuidado com a
natureza, o mal que o sistema financeiro impõe aos
excluídos, e um monte de outras coisas que Jesus
também defende. Realmente é difícil dizer que a Igreja
Católica Apostólica Romana vá perseguir alguém nos
tempos modernos que vivemos. No entanto, não é bem
assim!
A Bíblia é clara em dizer que o Diabo se veste de pele de
cordeiro para atacar as ovelhas de Cristo. Uma prova
cabal que essa liberdade religiosa que Francisco vive
defendendo não passar de balela, é o fato que no passado
não muito distante, sua Igreja, o sistema que ele
representa, perseguiu; e num passado um pouco mais
distante, perseguiu e matou milhões de pessoas que não
concordavam com seus dogmas. Francisco atua num
teatro que gira em torno da tão sonhada soberania que
gozava na Idade Média. Ele quer reconquistá-la. E ela, a
Igreja, vai conseguir; pois Apocalipse 13 diz que a ferida
mortal será curada.
Os movimentos em torno do clima são passos que
conduzem para a realização profética. Pelo livro do
Senhor sabíamos que o predito aconteceria, não
sabíamos como tudo se daria. Agora fica fácil! Todos os

[ 177 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

fatos, sejam eles políticos ou religiosos, apontam para a


questão climática como álibi. Não existe nenhum tema
que consiga reunir tanta gente e de diversos seguimentos.
Sob a bandeira da ecologia todos estão se apoiando. O
ateu, o crente cristão, o crente muçulmano, judeu, e os
demais estão se alinhando. Na verdade, as religiões
orientais sempre se deram muito bem com a natureza.
Isso é bem verdade que o panteísmo é familiar a todos os
seus praticantes. Então é chover no molhado dizer que
eles serão conquistados. O fato do cristianismo pender-
se para o cuidado com a terra e com a natureza só
aumenta o poder de atração e coligação entre religiões
ocidentais e orientais.
A Igreja Cristã romanizada percebeu essa brecha e já
trabalha firmemente nesta questão. O Vaticano está
usando todo seu poder político para liderar a revolução
verde. E já mostrou seu poder, pois até os Estados
Unidos da América que eram contra o discurso verde,
agora apóia e demonstra de fato seu envolvimento. Se
não acredita, dê uma olhada nos jornais e revistas pelo
mundo afora. Obama pegou carona com a Igreja Católica
na questão climática. Aquele que foi tanto criticado por
não assinar os tratados que visava proteger a terra como
o de Kyot, agora anuncia planos ousados de produção de
energia limpa. Quando a nação mais poderosa do mundo
se pende para um lado, ela consegue arrastar o mundo
todo consigo. Depois de tantos anúncios e encontros em
torno da questão climática, e depois dos Estados Unidos

[ 178 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

da América mudarem de postura; gigantes como a China,


grande poluidora do planeta, faz movimentos positivos
quanto ao clima. Ela já anunciou medidas que favorecerá
a ecologia. Virão outros gigantes como Índia e Brasil.
Tudo isso é louvável! Não sou contra! Eu acho que esses
movimentos e mudanças foram tarde demais. O nosso
planeta já deveria ter leis que protegesse a natureza desde
o nascimento das indústrias no século XVIII. Nós
estaríamos bem melhores, caso o homem tivesse
respeitado as leis da natureza. Mas após o surgimento das
indústrias, apareceu também a ganância e a usura com
requinte de crueldade para com o homem e a natureza.
Quanto mais obedecemos às leis, sejam elas quais forem;
mais seguros estaremos. É por isso que vivemos uma
degradação sem precedentes em todos os setores, como
a natureza, a moral, a política... Se estamos mal hoje, é
porque o homem se rebelou contra as ordens
estabelecidas por quem criou, fez. Aquele que compra
uma máquina nova e não segue o manual de fabricação;
logo estraga tudo e para mais nada prestará. Assim
estamos nós hoje com o nosso planeta terra.
O que me incomoda, e poucos estão percebendo; é o
atrevimento do Líder da Igreja Católica quanto aos
problemas de natureza política e econômica. Ele é líder
religioso ou líder político? Se é religioso, por que se mete
em política? É por isso que muitos da modernidade e
todos os protestantes do século XV e XVI o chamam de
Besta do Apocalipse. Quem discorda e nos critica, está

[ 179 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

fazendo o trabalho do Anticristo. O Anticristo tem todas


as características de Cristo, mas é falso. É como notas de
R$ 100 falsa; parece, mas não é. Há muitos evangélicos e
teólogos que vivem e pregam o que esse líder faz. E, o
que é pior, aplaudem tudo que ele faz. Eu não o aplaudo
e nem sigo o que ele diz porque descobri sua verdadeira
intenção nesses movimentos juntos aos reis e
governantes e populares de todos os credos, e até dos
ateus quanto às questões climáticas. Está tudo exposto
na sua encíclica Laudato Si (já comentamos sobre isso
no apêndice I).
Apesar desse documento ser muito bonito, há um
veneno no meio dele. Apesar do discurso de bom
mocinho que defende os pobres, ataca o capitalismo
selvagem, que aponta para as misérias morais, políticas e
sociais; que põe o dedo nas feridas da natureza; tem um
comprimido do Diabo no meio da Laudato Si. E quem
não tem percepção espiritual ou quem não quer nada
com Deus e sua verdade, não consegue ver. Até porque
o que é problema, o que é abominável para Deus; não é
para os ateus, agnósticos e crentes que defende um
cristianismo liberal, relativo. No meio desse documento
chamado encíclica está a abominação desoladora. Deus
suportou por muitos séculos essa abominação que a
Igreja Romana acaricia desde seu nascimento, lá pelos
idos do século IV. Só que, quando a Igreja ultrapassar os
limites de sua área de atuação, a taça da ira de Deus
transbordará. Chegará ao ‘lagar da cólera de Deus’. E esse

[ 180 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

documento é claro em dizer que o que ela propõe é para


todos, isto é, para os católicos e não católicos. E sendo a
Igreja Romana poderosa, influente entre os reis,
presidentes e primeiros-ministros; esse documento será
para todos mesmo. Não importa se a pessoa concorda
ou não com a religião, ela será atingida.
Em pratos limpos, o que seria essa abominação
desoladora da modernidade que a Igreja Católica pratica
desde séculos atrás? É algo simples! É a Eucaristia. Para
ser direto e simples, eu diria que a Eucaristia é uma
celebração da morte e ressurreição do Senhor Jesus. E o
que está de errado com isso? Biblicamente falando, o
erro está em matar e ressuscitar Jesus toda vez que fizer
essa celebração. Eles comem a hóstia (ou pão para os
evangélicos) como sendo a PRÓPRIA CARNE DE
JESUS. O vinho que eles tomam é como sendo o
PRÓPRIO SANGUE DE CRISTO. Isso é a chamada
transubstanciação! A Bíblia diz que o pão e o vinho
devem ser tomados como sendo SÍMBOLOS. E o
coração da Eucaristia, como o próprio Papa Francisco
disse em sua encíclica Laudato Si, é o Domingo; dia de
repouso católico e para quase todos os protestantes.
Como eles mesmos admitem, as solenidades do Sábado
foram transferidas para o Domingo, homenageando
assim a ressurreição de Jesus. A Eucaristia é um dos sete
sacramentos da Igreja Católica, e eu o considero como o
mais grave de todos. Os outros seis são: batismo, crisma,
penitência, unção dos enfermos, ordem e matrimônio.

[ 181 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

A Eucaristia é a mais grave porque mexe no


mandamento mais importante do decálogo. Como o
teólogo Molina diz, o Quarto Mandamento é o único que
identifica quem é o criador de tudo. Como sendo
acariciadora do paganismo, a Igreja Católica se sente
confortável de anular Deus criador e exaltar seus deuses
pagãos. A Eucaristia toca em questões extremamente
profundas. Não temos tempo de tratar nesse pequenino
artigo. Jesus não pediu para ninguém comer sua própria
carne e nem beber seu próprio sangue. Ele tampouco
insinuou a substituição do dia de descanso. Quando
Jesus morre na sexta e ressuscita no domingo, a
mensagem clara é: EU DESCANSEI NO SHABBAH
(SÁBADO), MESMO NA MORTE. A discussão entre o
Sábado e Domingo envolve questões de obediência e
autoria da criação da natureza. Quem discorda do
sábado, está concordando com o sacramento católico.
Quem vive dizendo que o sábado foi para os judeus, está
dando desculpas; pois não existe nenhum verso bíblico
que desabone a guarda do sábado. No contexto do fim,
todos terão que se posicionar quanto aceitar o repouso
no sábado bíblico, ou sábado católico (isto é:domingo).
Dessa forma faz todo sentido aparecer uma afirmativa
forte no mesmo texto que fala da Marca da Besta: “Aqui
está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de
Deus e a fé em Jesus” (Apoc 14:12). O coração dos Dez
Mandamentos é o Sábado do Quarto Mandamento. Ele é
a assinatura de Deus. Um cheque sem a assinatura do

[ 182 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

dono não tem valor nenhum. É por isso que no contexto


do fim o mundo precisa decidir quanto em ser
criacionista ou evolucionista. E quem rejeita o sábado
bíblico estará renunciando a autoria de Deus como sendo
quem fez e mantém todas as coisas que existe. O maior
interessado nisso é o Diabo. Rejeitar verdades eternas
dos três capítulos de Gênesis nos habilita a ser anticristos
ao lado do maior Anticristo.
Apocalipse 14:7 enfatiza a adoração ao Deus CRIADOR
do céu, da terra, e do mar e das fontes das águas. Os
últimos 150 anos a mensagem sobre os Dez
Mandamentos de Deus tem sido intensificada. É um
cumprimento da profecia do primeiro anjo de
Apocalipse 14. Veja que João é enfático quanto à criação.
E o único mandamento que identifica Deus como
Criador é o Quarto Mandamento. Nenhum outro dos
nove fala da autoria da natureza, só o Quarto
Mandamento. Você pode encontra os Dez
Mandamentos na íntegra em Êxodo 20, e também
poderá pesquisar e encontrar corroboração nos livros do
Novo Testamento.
Apocalipse 14:9-12 aponta para um conflito entre dois
tipos de adoradores: da Besta e de Deus. Esses versos
falam da Marca da Besta. Você nunca parou para pensar
o porquê de João relacionar Marca da Besta e Mandamentos
de Deus? Amigo, João quer nos dizer que a Marca da
Besta é algo que envolve adoração, obediência, tirados
do coração dos Mandamentos de Deus. Mudar lei é algo

[ 183 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

gravíssimo! Você conhece alguém que tentou burlar


alguma lei? O que acontece com pessoa que é pega
burlando lei? Você acha que a Lei de Deus seria
diferente? Mudar a Lei de Deus é sentimento horroroso
de destruição, detestável ruína, odiosa destruição,
condenável destruição. Se um estranho for a sua casa e
mudar as regras que você estabeleceu para seu filho sem
o teu consentimento, quais serão seus sentimentos?
Pense como Deus se sente quando um líder religioso,
mesclado de politicagem, mexe nos seus Dez
Mandamentos. Isso é abominação desoladora!
Quando o maior líder religioso conseguir emplacar o
domingo off para todos como lei oficial dos Estados
nações, a natureza explodirá como reação natural a uma
abominação. Quando isso acontecer, os religiosos terão o
Domingo como sendo dia de adoração e descanso; os
não religiosos o terão como dia off apenas. Os religiosos
concordando com a Besta serão marcados nas testas
(aceita e prega o descanso nesse dia); os não religiosos
serão marcados nas mãos direitas (apenas aceitam). Será
uma proposta extremamente elegante, dá um dia da
semana para contribuir com a saúde do planeta. Muitos
estarão rendendo homenagens a Igreja Cristã
Romanizada “sem saber”; outros estarão conscientemente.
Eu digo sem saber porque muitos não querem ou não se
importam com questão religiosa. Estes também não
terão desculpas no Juízo de Deus. Isso já será uma
decisão contra Cristo, e ao lado do Anticristo.

[ 184 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Não tenho dúvida que a natureza ficará furiosa, pois ela é


a revelação natural de Deus. E quando os homens
desprezarem o autor da criação unissonamente, ela não
ficará quieta. É por isso que sou totalmente contra o
Papa liderar questões pelo mundo. Ele e outros papas
antes dele já falaram publicamente que acreditam no
evolucionismo. Isso é horrível! Querendo ou não, ele
sempre empurrará seus dogmas goela a baixo daqueles
que professam alguma fé ou não professam fé alguma;
caso alguém o apoiar. Eu prefiro opor a esse líder
abominável a aceitar seu dia de repouso. Eu prefiro ser
discriminado e/ou sofrer preconceito com Cristo a ser
aplaudido com o Papa que fala talvez 90% de coisas boas
e 10% de ruins. Quem defende o Quarto Mandamento
da Lei de Deus é considerado fundamentalista. Quem crê
na literalidade de Gênesis é também considerado
fundamentalista. Francisco já declarou guerra contra
qualquer forma de fundamentalismo. Quem guarda o
Quarto Mandamento é também discriminado, e sofre
preconceito na família, trabalho e entre amigos. Isso já é
a maior prova que o Quarto Mandamento é o mais
importante e válido, pois se não fosse não teria tanta
oposição dentro e fora do cristianismo. Jesus já previu
tudo isso. Fique com Jesus. Esse frenesi e reboliço que a
natureza vai sofrer, como descrito nas sete últimas
pragas, serão rápidos. E quem é obediente ao autor da
natureza não serão atingidos por eles. Vale apena
agüentar os escárnios e as perseguições ao lado de Cristo

[ 185 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

e de sua verdade. O fim logo vem, mas Jesus e seus


verdadeiros adoradores sobrevirão a ele!

[ 186 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ANEXO VII
AS 7 TROMBETAS E A DISCUSSÃO
RECORRENTE:
SÃO HISTÓRICAS OU ESCATOLÓGICAS?

Não existe livro mais enigmático; digo no bom sentido,


do que o livro do Apocalipse. Ninguém vai conseguir
esgotá-lo! Ninguém chegará a 100% de compreensão
daquilo que ele apresenta. Apesar de ser um livro escrito
para revelar as coisas antes que elas aconteçam; ninguém
terá a capacidade de explicar ou entender para si os
detalhes. Nenhum homem terá esse privilégio; pois o fim
do mal e do Grande Conflito são por demais complexos.
Há uns pares de coisas que só entenderemos à medida
que forem acontecendo. Daí surge uma obrigação: estudar
e reestudar o Apocalipse diariamente para atualizar informação e
coordenar ações. E nessa obrigação, para o candidato ao
Céu, há uma bênção que poucos estão desfrutando: ser
consolado e fortalecido na fé à medida que o tempo avança, a luta
arrocha e Jesus se aproxima.
As trombetas fazem parte dos grupos de quatro blocos
de sete do Apocalipse. Há as sete igrejas, sete selos, sete
trombetas e sete pragas. As profecias do Apocalipse são
interpretadas por teólogos de três maneiras diferentes.
Uns preferem aplicar preterismo para entender as
profecias; isto é, esses estudiosos dizem que o
cumprimento do Apocalipse foi no passado. Outros

[ 187 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

estudiosos dizem o contrário, usando o futurismo, jogam o


cumprimento profético para um tempo futuro. Já os
teólogos historicistas acompanham o curso da história
natural. Dizem estes que o cumprimento profético da
grande maioria das profecias desse livro acompanhou os
acontecimentos da história geral.
É muito mais coerente e verossímil o posicionamento
dos teólogos historicistas. Só que a grande questão que
quero trazer é que há uma linha de interpretação dentro
dos historicistas que difere dos demais quando o assunto
são as sete trombetas. A IASD, conhecida no mundo
inteiro por qualquer estudioso teológico, adota a linha
historicista. Essa publicidade toda dessa igreja se deve
pelo jeito peculiar de crer e viver o evangelho de Cristo.
O teólogo Moore chama de extravagante. Há crenças
Adventistas que são extremamente diferentes de toda
Cristandade. E o coração dessas crenças (eu poderia chamar
aqui de doutrina) é a doutrina do Santuário. Assim como o
santuário teve um papel central na vida do povo de
Israel, tem na vida da IASD. Profecia, santuário e
evangelho são perfeitamente complementares dentro da
linha historicista de interpretar o texto sagrado.
Feyerabend, Marxwell, Belvedere são os nomes conhecidos
na IASD. Eles concordam em tudo quanto aos grupos
dos quatro blocos de sete. Um tem envergadura popular,
outro se volta mais a abordagem técnica. No entanto,
todos concordam entre si. Quanto às doutrinas; as vozes
da IASD são uníssonas. Quanto à interpretação de

[ 188 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

algumas profecias, alguns tentam ver de outra forma.


Dentre esses teólogos que procuram enxergar por outro
ângulo está o Dr Samuel Ramos.
Mesmo sendo adventista, ter estudado na Andrews
University, aposentado dirigindo igrejas nos Estados
Unidos; Ramos não deixou de seguir um caminho
diferente de ver algumas partes do Apocalipse. Apesar de
não concordar com ele sobre Apocalipse 17 quanto ao
oitavo rei; vejo algo palpável e exeqüível no seu jeito de
expor as sete trombetas.
Não quero dizer que um grupo está certo, e o outro está
errado. Nem quero encerrar discussão, pois nem o
Senhor fez isso. Quero explorar as possibilidades de se
ver um texto profético. Para isso proponho que
conheçamos as palavras dos teólogos citados e
cheguemos a alguma conclusão concreta, tangível,
exeqüível do ponto de vista divino e humano. Mas para
isso temos que pensar dentro do verossímil humano,
esforçando para conceber (se é que é possível) o
sobrenatural divino.
Feyerabend diz que “as sete trombetas tem o seu foco na conquista
da ‘Cidade Eterna’, Roma, e suas divisões em dez nações, as quais
iriam se tornar, mais tarde, os países da Europa Ocidental’” (p.
73). Ele continua dizendo que “a trombeta, nos tempos
bíblicos, era usada para convocar grandes reuniões do povo (Lv
23:4), ou para anunciar a aproximação de uma calamidade ou
guerra” (p. 74). Essas palavras do teólogo comprovam
que ele é historicista.

[ 189 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Belvedere, também teólogo de mesma linha interpretativa


afirma que “as sete trombetas pintam a história militar que
ocorreria na era cristã em relação com a igreja” (p. 134). Ele
afirma ainda que “a quinta e sexta trombeta descrevem a
investida das tribos maometanas, sob o comando de vários líderes,
constituindo-se em outro poder que lutaria contra o cristianismo” e
que a “sétima trombeta se refere ao fim e à pregação veemente do
evangelho” (p. 134).
Marxwell, o preferido dos pastores, registra o seguinte
quanto às trombetas: “todos os outonos, em tempos bíblicos,
Deus tinha para seus sacerdotes uma tarefa especial: tocar
trombetas para advertir o povo de que deveria preparar-se para o
Dia da Expiação que se aproximava” (...) “Joel relacionou
trombetas e gafanhotos ao genuíno arrependimento nacional e
familiar. Apocalipse também estabelece conexão entre trombetas e
arrependimento” (p. 237).
Os três teólogos pensam iguais. Embora os leigos não
tenham tanto acesso a Marxwell, eles terminam por
pensar na mesma linha, uma vez que Belvedere e
Feyerabend são bem acessíveis e populares. A
historicidade das trombetas perpassa sua explicação pelas
personalidades da história geral como Alarico, o godo;
Genserico, o vândalo; Átila, o huno; Odoacro, o hérulo;
e o surgimento do islamismo com sua adoração
monoteísta pagã. Os três teólogos supracitados têm a
mesma posição, e Marxwell é o mais detalhistas nos
dados históricos.

[ 190 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Esse posicionamento é tangível, verossímil e lógico. Só


que apareceram pessoas estudadas que questionou esse
posicionamento. E a voz inquietante e questionadora
mais conhecida entre os leigos é do Dr Samuel Ramos.
Uma vez que estudiosos de outras denominações são
quase sempre futuristas ou preteristas não só com as
trombetas, mas com todo o Apocalipse. Ramos critica
abertamente a falta de progressão dos teólogos neste
tema. Eles teimam em não buscar um novo sentido, uma
nova aplicação. Em seu livro Apocalipse Revelado, Ramos é
persuasivo, lógico, verossímil e tangível.
Marxwell e os demais colocam as sete igrejas e os sete
selos do mesmo lado das trombetas. Ramos as separa.
Na verdade, Marxwell analisa o Apocalipse fazendo duas
divisões básicas. De um lado ele coloca a parte histórica
do livro e do outro, a parte escatológica. O único bloco
que faz parte da escatologia são as sete pragas. Ele
agrupa as sete pragas dentro da última trombeta. Ramos
faz uma abordagem seqüencial dos quatro blocos de sete.
Mas o que nos interessa nesse momento são as sete
trombetas. Veja o gráfico de Ramos das sete trombetas
disponível e distribuído no seu site.

[ 191 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

O Dr Ramos é uma voz que se pode ouvir


perfeitamente. Ele difere dos demais porque consegue
aplicar o futurismo dentro do historicismo. Ele se diz
intérprete da linha historicista, mas que não ver razão
textual e nem histórica para tomar as trombetas como
algo que já se passou. Para ele o que se lê nas sete
trombetas ainda vai acontecer. Se analisarmos fatos
bíblicos, históricos e detalhes das trombetas; chegaremos
à conclusão que o Dr Ramos merece pelo menos uma
investigação mais acurada sobre aquilo que ele prega e
diz.
Dentro da argumentação do Dr Marxwell pode-se
perceber que o Dr Ramos não está tonto ou se

[ 192 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

rebelando. Um dos pontos contestado por muitos e


sustentado por Ramos é que o anjo de Apocalipse 8 é
Jesus. Marxwell não ver motivos para esse anjo ser Jesus,
mas afirma que “a Bíblia por vezes apresenta Jesus como sendo
um anjo” (p.230). Se alguma vez a própria Bíblia já
representou Jesus como anjo, por que ela não pode estar
se referindo ao Senhor como anjo ali?
Ao mesmo tempo em que Marxwell diz que as sete
trombetas são impressionistas, fala também que “as sete
trombetas do Apocalipse representam flagelos, guerras e juízos” (p.
239). Ele é contundente em dizer que “a sétima trombeta
fala do julgamento final, quando, para o arrependimento será
demasiado tarde; mas as seis primeiras trombetas anunciam juízos
menos decisivos – embora tremendamente sérios – enviados para
persuadir as pessoas a se arrependerem enquanto ainda resta
oportunidade para fazê-lo” (p. 239).
Olhando os posicionamentos de Ramos e Marxwell
somos obrigados a ir ao texto bíblico. Quero chamar a
atenção para um detalhe apenas. Antes dos anjos com as
trombetas começarem a tocar, acontece “trovões, vozes,
relâmpagos e terremoto” e quando o último toca, há também
“relâmpagos, vozes, trovões, terremoto e grande saraivada”.
Apurando ambas as teorias dos teólogos, podemos
harmonizá-los na medida em que compreendermos o
papel das trombetas e a difícil tarefa do entendimento e
da transição das coisas humanas e das coisas divinas.
Para aquele que crê em um retorno literal, visível e
palpável de Jesus; é coerente se acreditar em

[ 193 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

acontecimentos literais futuros, pois mais cedo ou mais


tarde o sobrenatural encontrará o natural. As descrições e
narrações das trombetas são realmente coisas que fogem
à realidade que conhecemos e vivemos. Os fatos
registrados ali são espantosos e impressionistas para até
mesmo qualquer ateu ou escarnecedor ser impactado.
Há cinco textos que é bom examinarmos agora. Eles são
reveladores, uma vez que Feyerabend diz que as
trombetas eram “para anunciar a aproximação de uma
calamidade ou guerra” e Marxwell vai mais além ao afirmar
que servia “para advertir o povo de que deveria se preparar para
o Dia da Expiação que se aproximava”. Sabemos que a
Expiação era um serviço do Templo em que eliminava
do meio do povo de Israel quem não pedira perdão,
quem não confessara o pecado por meio do sangue do
cordeiro.
Isaias 27:13
Naquele dia, o SENHOR tocará a grande trombeta, e virão os
dispersos da terra da Assíria e os que andavam perdidos no
Egipto. Virão prostrar-se diante do SENHOR, na santa
montanha, em Jerusalém.
Jeremias 4:5
Façam uma circuncisão que afaste todo o mal do vosso coração, ó
habitantes de Judá e Jerusalém. Se não, a minha ira se fará sentir
por causa das vossas transgressões; o meu fogo vos consumirá e
ninguém o poderá apagar.»
Ezequiel 33:5

[ 194 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

Deve a morte a si mesma, porque não deu atenção ao alarme. Pois


se tivesse prestado atenção, poderia ter escapado.
1º Coríntios 14:8; 15:52
Se alguém tocar a trombeta a chamar para a guerra, e o som não
sair claro, quem é que se vai preparar para a batalha?
Isso acontecerá num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som
da trombeta final. Quando ela se ouvir, os mortos ressuscitam para
não mais morrerem e nós seremos transformados.
1º Tessalonicenses 4:16-18
O próprio Senhor, ao sinal dado pela voz do arcanjo e pela
trombeta de Deus, descerá do céu, e os que morreram em união com
Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que estivermos vivos,
seremos conduzidos sobre as nuvens do céu, ao encontro do Senhor,
juntamente com eles. E assim estaremos eternamente com o Senhor.
Por isso confortem-se uns aos outros com estas palavras.
Esses textos nos provam que a porta da graça não se
fecha na primeira trombeta, mas na última trombeta
como disse Paulo; e que é perfeitamente possível elas
estarem anunciando acontecimentos também literais no
contexto do fim. Ninguém será acordado de seu torpor
espiritual sem acontecer coisas fora do comum e
grandiosa. E nenhuma massa ouvirá a voz apocalíptica
“sai dela povo meu” em situação normal.
Dessa forma é extremamente desnecessário o Dr Samuel
Ramos criticar os teólogos que fazem uma interpretação
historicista das sete trombetas; pois esse posicionamento
serviu para guiar a Igreja Remanescente no início do
tempo do fim. Também não faz sentido desmerecer o

[ 195 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

trabalho explicativo e o jeito do Dr Ramos ver as sete


trombetas; pois coisas maravilhosas acontecerão
literalmente no fim do tempo do fim. Assim como
Mateus 24 tem dupla aplicação; as sete trombetas podem
perfeitamente está falando da história da igreja dentro da
história geral e também falando da história da igreja de
Deus no fim do tempo do fim. Gosto da maneira que o
Comentário Bíblico lida com a questão. Ele registra os
três posicionamentos que a cristandade tem. Ele diz que
(posição número 1) “estes castigos (as sete trombetas) são
paralelos as sete pragas”; (posição número 2) “são simbólicos,
pois as sete trombetas não devem ser consideradas cronologicamente,
senão como símbolos da respostas divinas às orações do povo de
Deus, que sofreram em todas as épocas” e (posição número 3)
“correspondem cronologicamente, em grande medida, com o período
da história cristã que envolve as sete igrejas e sete selos, os quais
destacam os acontecimentos políticos e militares” (p. 803). Ele é
cauteloso nas explicações. Isso é bom!
Depois de expormos os pontos, podemos nos
referenciar e nos situarmos dentro dos acontecimentos.
Como dissemos no início que ninguém chegará a 100%,
podemos ter firmeza para falar e pregar sobre as sete
trombetas. Só não podemos surtar! Não podemos fugir
ao natural, tampouco devemos nos perder no
sobrenatural. A transição é difícil! Não é difícil para
Deus, pois Ele está controlando tudo. Ele é o criador e
mantenedor. Equacionar o natural e o sobrenatural nos
últimos dias é tarefa impossível ao homem, mas possível

[ 196 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

a Deus. O homem natural não compreende o


sobrenatural divino, e quando acontece uma
compreensão é obra do Espírito Santo. Só lembrando
que há dois sobrenaturais, o divino e o maligno. É por
isso que no ápice da história do grande conflito será
complexo, difícil e inadiável. Só os fortes conseguirão
passar essa transição: o mortal que se revestirá da imortalidade.
Os fracos terão que morrer antes. Não só os fortes da
parte do Senhor, mas também os fortes da parte do
inimigo terão um papel crucial na última batalha a qual já
podemos palpar.
Dentro dessa perspectiva, pode-se conceber ou admitir
que há sim uma aplicação literal para as trombetas. Nelas
encontramos ações e acontecimentos fora do comum.
Morrer a terça parte das coisas vivas é fora do comum.
Cair elementos físicos do espaço ardendo em chama é
coisa fora da nossa realidade, embora aquele fragmento
que atingiu a Rússia em 2014 mexesse um pouco com os
nossos nervos. Veja que a terra, o ar, as águas são
atingidos por destruições e todos têm a terça parte
devastada. Serão acontecimentos horríveis! É por isso
que muitos nos chamam de loucos, pois cremos na
literalidade de acontecimentos bíblicos como a Volta de
Jesus, como registrado nas cartas de Tessalonicenses.
Temos que admitir que é necessário o mundo sair do seu
normal para que aconteça aquilo que se diz na Bíblia.
Para uma literalidade do retorno de Jesus, transformação
e julgamento da terra e seus moradores; coisas

[ 197 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

sobrenaturais e fora do comum devem acontecer. É por


isso que as trombetas devem ter aplicação também literal.
A menos que você faça parte do grupo de cristão que
interpreta a Bíblia e seus acontecimentos como alegórico
e simbólico, as trombetas serão literais. Para esse tipo de
crente (os relativistas), fará muito sentido dizer que as
trombetas só têm aplicação simbólica e que nada será
literal. Esta é a questão! Num contexto de fim de história
e assentamento de juízos literais, a interpretação única de
que as trombetas sejam simbólicas, ou apenas históricas é
furada. As trombetas são ao mesmo tempo históricas e
escatológicas sim. A necessidade de o sobrenatural
encontrar o natural é uma prova cabal que elas podem
ter aplicação escatológica também.
Dentro de uma interpretação real ou literal de
acontecimentos das trombetas, podemos dizer que elas
fazem parte do despertamento para a colheita final. O
chamado de Apocalipse “sai dela povo meu” se cumprirá
quando as trombetas estiverem tocando. Isso é lógico e
exeqüível, pois sabemos que durante as sete últimas
pragas a porta da graça estará fechada e ninguém será
salvo. Neste momento “o justo ficará mais justo, e o ímpio
mais ímpio”. Trombeta é sinônimo de despertamento
como disseram os teólogos supracitados. Durante as
trombetas: há salvação e perdão; durante as pragas: não há
nem salvação, nem perdão. Será um período pequeno, rápido
que Jesus dará aos crentes que não tiveram a
oportunidade de ouvir a verdade sobre seus

[ 198 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

mandamentos, ou seja, o evangelho eterno. É nesse


momento que multidões decidirão obedecer ao Senhor.
Será uma pena que elas não se juntarão a Igreja
Remanescente, mas a Igreja Perseguida.
Neste contexto podemos esperar acontecimentos
horríveis. O natural encontrará o sobrenatural quando a
discussão dos mandamentos de Deus e os mandamentos
dos homens estiverem ganho o mundo. Quando
religiosos e não religiosos estiverem discutindo a validade
da lei de Deus e a questão do quarto mandamento,
veremos coisas fora do comum acontecendo entre nós.
O principal ataque será no mandamento que expressa a
autoria e senhorio de Deus. Quando esse mandamento
estiver sendo substituído por outro, que na nossa
interpretação é a questão do Sábado e do Domingo, o
mundo será abalado. E nada melhor para abalá-lo que
coisas sobrenaturais iguaiszinhas descritas nas sete
trombetas.
As trombetas, numa perspectiva e aplicação secundária
do texto, não tocaram ainda, mas vão tocar. Nesse
ínterim amigo, é razoável que você e sua casa decidam
pelo Senhor e Autor da vida. Abrace os mandamentos do
Senhor e será salvo, não por ter mérito próprio, mas por
ter ficado com o Criador, com a verdade de Senhor, com
a verdade bíblica. Deus tem um povo muito especial que
está anunciando seu reino e sua justiça de forma
diferente e pura. Esse povo não segue o cristianismo
relativo, moderno, interesseiro e nem aceita que as

[ 199 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

verdades bíblicas sejam trocadas por mentiras. Você está


sendo convidado a sair de qualquer movimento religioso
cristão que não está vivendo e pregando as verdades
como descrita na Bíblia. Você não será salvo se tiver fé
em Jesus e continuar obedecendo aos mandamentos dos
homens. Isso só provará sua falta de fé em Jesus.
Decida hoje a ser fiel a Deus. Hoje é o dia da sua
salvação. Decida a ser um cristão forte para resistir os
acontecimentos fora do comum que estão na iminência
de vermos. Maranata.

[ 200 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA E CITADA

Bíblia Sagrada. João Ferreira de Almeida. Revista e


Atualizada no Brasil. 2ª Ed. Barueri – SP. Sociedade Bíblica
do Brasil, 1999.
DORNELES, Vanderlei. O último império: a nova ordem
mundial e a contrafação do Reino de Deus. 1ª Edição Tatuí –
SP. CPB, 2012
BÍBLIA SAGRADA Multimídia. Mundo Bíblico. Coimbra
Portugal
GONÇALEZ, Lourenço. Assim Diz o Senhor, 1ª edição. Editora
Ados Ltda; Niteroi – RJ, 2007
IASD-CBA – 1ª Ed. Florida; Argentina. Asociación Casa
Editora Sudamericana, 1994. Tomo 1 e 7
HOUAISS, Antônio. Novo Webster’s: Dicionário
Universitário. 5ª Ed. Rio de Janeiro. Record, 2005
BELVEDERE, Daniel. As Revelações do Apocalipse. Casa
Publicadora Brasileira 6ª Ed, Tatuí – SP, 2011
PENTEADO, José Roberto Whitaker. A Técnica da
comunicação Humana. Pioneira 13ª Ed, São Paulo SP, 1997.
MOORE, Marvin. Apocalipse 13. Casa Publicadora Brasileira
1ª Ed, Tatuí – SP, 2014.
SANTOS, José Pereira dos. A Cruz Antes da Cruz. Editora
Tempos Ltda 2ª Ed, São Paulo – SP, 2001.
DOBSON, John H. Aprenda o Grego do Novo Testamento. 1ª
Ed, CPAD, Rio de Janeiro, 1994
Sociedade Bíblica do Brasil. O Novo Testamento Grego, com
introdução em português e dicionário grego-português do
Novo Testamento Grego, Vilson Scholz 2008

[ 201 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

ONLINE

www.biblia.com.br
www.wikipedia.org
http://conexao.cpb.com.br/secoes/reportagem/choque-de-
cosmovisoes REVISTA DE JULHO 2013
http://www.ancient-hebrew.org/12_thought.html (ACESSO
08/09/2015)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cultura (ACESSO
08/09/2015)
https://decretodominical.wordpress.com/2011/11/18/sim
bolos-do-apocalipse-significado-literal/ (ACESSO
10/09/2015)
*http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/56
9260.pdf consultado em 21/10/2013
http://conexao.cpb.com.br/secoes/reportagem/ch
oque-de-cosmovisoes (ACESSO EM 20/08/2015)

[ 202 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

SOBRE O AUTOR

S.V.Reis é professor e escreve sobre religião e línguas.


Ambas andam juntas. É Graduado em Letras, Pós-
Graduado em Psicopedagogia, Neuropedagogia, e
Docência do Ensino Superior. É estudante fiel da Bíblia
desde 1993. Aplica seus conhecimentos lingüísticos na
interpretação das Sagradas Escrituras.

Quando se escreve sobre religião, existe uma referência


para o sentido de RE LIGAÇÃO ao criador. A Bíblia é o
suporte de argumentação aqui. Acreditamos na máxima
dos reformadores de SOLA SCRIPTURA.

Num contexto de fim, conhecer a Bíblia nos seus


detalhes é imprescindível. Dessa forma, ninguém terá
condição de nos tirar do caminho da salvação. E dessa
forma, também, teremos condições de conhecer a
verdade e andar na verdade, como diz João: “conhecerá a
verdade e a verdade libertará você”.

Você pode visitar os blogs e interagir concordando ou


discordando.
www.kodigo777.blogspot.com.br
www.inglesbrasil007.blogspot.com.br

[ 203 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

OUTRO LIVRO DO AUTOR


Pode ser adquirido no blog Kodigo 7
(www.kodigo777.blogspot.com.br)

[ 204 ]
EXPLORANDO O CÓDIGO DO APOCALIPSE – De Onde Viemos? Para Onde Vamos?, S. V. Reis

[ 205 ]