Você está na página 1de 126

SEGUROS

COMPREENSIVOS

7a edição

Rio de Janeiro
2016
É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, ou de partes dele,
sob quaisquer formas ou meios, sem permissão expressa da Escola.

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca da FUNENSEG

E73s Escola Nacional de Seguros. Diretoria de Ensino Técnico.


Seguros compreensivos/Supervisão e coordenação metodológica da Diretoria de Ensino
Técnico; assessoria técnica de Humberto de Matttos Carrilho. -- 7. ed. -- Rio de Janeiro:
Funenseg, 2016.
126 p.; 28 cm

1. Seguros compreensivos. 2. Seguro incêndio. I. Carrilho, Humberto de Mattos. II. Título.

0015-1623 CDU 368(072)

REALIZAÇÃO

Escola Nacional de Seguros


SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO METODOLÓGICA

Diretoria de Ensino Técnico


ASSESSORIA TÉCNICA

Humberto de Mattos Carrilho – 2016


Nelson Flores Duarte – 2015/2014
CAPA

Coordenadoria de Comunicação Social


DIAGRAMAÇÃO

Info Action Editoração Eletrônica


A
Escola Nacional de Seguros promove, desde 1971, diversas
iniciativas no âmbito educacional, que contribuem para um
mercado de seguros, previdência complementar, capitalização
e resseguro cada vez mais qualificado.

Principal provedora de serviços voltados à educação continuada, para


profissionais que atuam nessa área, a Escola Nacional de Seguros
oferece a você a oportunidade de compartilhar conhecimento e
experiências com uma equipe formada por especialistas que possuem
sólida trajetória acadêmica.

A qualidade do nosso ensino, aliada à sua dedicação, é o caminho


para o sucesso nesse mercado, no qual as mudanças são constantes
e a competitividade é cada vez maior.

Seja bem-vindo à Escola Nacional de Seguros.


4 SEGUROS COMPREENSIVOS
Sumário

1 ASPECTOS GERAIS 9

2 COBERTURA DE SEGURO PARA O RISCO INCÊNDIO


Informações sobre o Seguro Incêndio Tradicional
13
15
Características do Seguro Incêndio Tradicional 15
Cobertura Básica 16
Eventos Não Incluídos na Cobertura Básica do Seguro Incêndio Tradicional 16
Coisas ou Objetos Submetidos Voluntariamente à Ação Direta ou Indireta do Fogo, 16
que se inflamam ou se danificam, mas cujo Dano fica a eles Limitados
Combustão Espontânea, Aquecimento Espontâneo ou Fermentação 17
Dano Elétrico 17
Prejuízos Indenizáveis 17
Prejuízos Não Indenizáveis 18
Bens Cobertos 19
Bens Não Compreendidos 19
Rateio e Critérios de Indenização 20
Rescisão e Reintegração 23
Coberturas Adicionais 24
Risco Acessório de Explosão 24
Risco Acessório de Explosão Decorrente de Terremoto 24
Risco Acessório de Incêndio Decorrente de Terremoto 25
Risco Acessório de Incêndio Resultante de Queimadas em Zonas Rurais 25
Risco Acessório de Danos Elétricos 25
Risco Acessório de Vendaval, Furacão, Ciclone, Tornado, Granizo, Queda de Aeronaves 25
ou Quaisquer Outros Engenhos Aéreos ou Espaciais, Impacto de Veículos Terrestres e Fumaça
Risco Acessório de Queda de Aeronave ou Quaisquer Outros Engenhos Aéreos ou 26
Espaciais, Aplicável Somente aos Seguros de Locais com Coeficiente Sinistro/Prêmio dos
Últimos Cinco Anos de até 30% dessa Cobertura
Cobertura Especial de Aluguel 27
Cobertura Especial de Extravasamento ou Derrame de Materiais em Estado de Fusão 27
Cobertura Especial de Desistência de Sub-rogação dos Direitos 27
Cobertura Especial de Rateio Parcial 28
Cobertura Especial de Perda de Prêmio 28
Caracterização do Risco – Cobertura Básica 28
Localização do Risco (L) 28
Natureza das Ocupações Existentes (O) 29
Características das Construções (C) 29
Isolamento de Riscos 32
Enquadramento do Risco – Formação do L.O.C. – Taxação 33
Enquadramento do Risco 34
Existência de Aparelhagem de Proteção e Combate a Incêndio 35

SUMÁRIO 5
Modalidades do Seguro Incêndio Tradicional 36
Modalidade de Seguro Fixo 36
Modalidade de Seguro Ajustável 36
Modalidade de Seguro Flutuante 37
Fixando Conceitos 2 39

3 SEGUROS COMPREENSIVOS
Características dos Seguros Compreensivos ou Multirriscos
43
45
Sistemática dos Seguros Compreensivos 47
Finalidade dos Seguros Compreensivos 48
Garantias ou Coberturas do Seguro 49
Condições Gerais 50
Cláusula Objetivo do Seguro 50
Cláusula de Riscos Cobertos 50
Cláusula de Bens ou Interesses Não Garantidos 51
Cláusula de Limites 51
Cláusula de Rescisão e Cancelamento do Contrato de Seguro 51
Cláusula de Atualização de Valores Contratados e Encargos Moratórios 52
Cláusula de Definições 52
Produtos e Coberturas 53
Seguro Compreensivo Residencial 54
Seguro Compreensivo Condomínio 55
Seguro Compreensivo Empresarial 58
Fixando Conceitos 3 61

4 COBERTURAS DOS SEGUROS COMPREENSIVOS PADRONIZADOS


Grupo 1 – Incêndio
67
70
Cobertura 01.01 – Incêndio 70
Cobertura 01.02 – Incêndio e Explosão de Qualquer Natureza 71
Cobertura 01.03 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos) 71
Cobertura 01.04 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos) e Explosão de Qualquer Natureza 71
Cobertura 01.05 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos), Explosão de Qualquer 71
Natureza e Queda de Aeronaves
Cobertura 01.06 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos), Explosão de 72
Qualquer Natureza, Queda de Aeronaves e Fumaça
Cobertura 01.07 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos e de Queimadas 72
em Zonas Rurais), Explosão de Qualquer Natureza, Queda de Aeronaves e Fumaça
Cobertura 01.08 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos), Explosão de Qualquer 72
Natureza e Fumaça
Cobertura 01.09 – Incêndio, Explosão de Qualquer Natureza e Queda de Aeronaves 73
Cobertura 01.10 – Incêndio (Inclusive Decorrente de Tumultos e de Queimadas em 73
Zonas Rurais) e Explosão de Qualquer Natureza
Cobertura 01.11 – Incêndio Resultante de Queimadas em Zonas Rurais 73
Grupo 2 – Equipamentos 74
Cobertura 02.01 – Equipamentos Eletrônicos e/ou de Baixa Voltagem 74
Cobertura 02.02 – Equipamentos Portáteis 75
Cobertura 02.03 – Equipamentos Arrendados ou Cedidos a Terceiros 76

6 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 02.04 – Equipamentos Cinematográficos, Fotográficos e de Televisão Operados 76
Exclusivamente em Estúdio e Laboratórios ou Depositados em Local Determinado
Cobertura 02.05 – Equipamentos Cinematográficos, Fotográficos e de Televisão Operados 76
Exclusivamente em Estúdio, Laboratórios ou Reportagens Externas
Cobertura 02.06 – Equipamentos Móveis 77
Cobertura 02.07 – Equipamentos Móveis – Viagens de Entrega 77
Cobertura 02.08 – Equipamentos em Exposição – Excluído Risco de Transporte 77
Cobertura 02.09 – Equipamentos em Exposição – Incluído Risco de Transporte 78
Cobertura 02.10 – Equipamentos Estacionários 78
Cobertura 02.11 – Equipamentos em Operações sobre Água 78
Cobertura 02.12 – Equipamentos de Som e Instrumentos Musicais 79
Grupo 3 – Danos Elétricos 80
Grupo 4 – Vendaval/Queda de Aeronave/Impacto de Veículo/Granizo/Fumaça 80
Grupo 5 – Alagamento e Inundação 81
Grupo 6 – Roubo de Valores 82
Cobertura 06.01 – Seguro de Roubo de Valores no Interior das Dependências do Segurado 82
Cobertura 06.02 – Seguro de Roubo de Valores em Trânsito em Mãos de Portadores 83
Cobertura 06.03 – Seguro de Roubo de Valores em Trânsito em Mãos de Portadores – 84
Pagamento de Folha Salarial
Grupo 7 – Roubo de Bens 84
Cobertura 07.01 – Seguro de Roubo ou Furto Qualificado de Bens (Comerciais e Industriais) 84
Cobertura 07.02 – Seguro de Roubo ou Furto Qualificado de Bens do Condomínio 85
Grupo 8 – Responsabilidade Civil 86
Cobertura 08.01 – Responsabilidade Civil Condomínios Residenciais 86
Cobertura 08.02 – Responsabilidade Civil Guarda de Veículos de Terceiros Compreensiva 88
Cobertura 08.03 – Responsabilidade Civil Guarda de Veículos de Terceiros Restrita “A” – 90
Incêndio, Roubo e Furto Qualificado
Cobertura 08.04 – Responsabilidade Civil Guarda de Veículos de Terceiros Restrita “B” – Colisão 90
Cobertura 08.05 – Responsabilidade Civil Familiar 90
Cobertura 08.06 – Responsabilidade Civil Estabelecimentos Comerciais ou Industriais 91
Grupo 9 – Tumultos 92
Cobertura 09.01 – Tumultos – Inclusive Saque, Incêndio e Atos Dolosos Decorrentes 93
dos Riscos Cobertos
Cobertura 09.02 – Tumultos – Inclusive Incêndio e Atos Dolosos Decorrentes dos Riscos Cobertos 93
Cobertura 09.03 – Tumultos – Inclusive Incêndio Decorrente dos Riscos Cobertos 93
Cobertura 09.04 – Tumultos 93
Grupo 10 – Derrame/Vazamentos 94
Cobertura 10.01 – Derrame ou Vazamento de Chuveiros Automáticos (Sprinklers) 94
Cobertura 10.02 – Vazamento de Tubulações e Tanques 95
Grupo 11 – Quebra de Vidros/Anúncios Luminosos 95
Cobertura 11.01 – Anúncios Luminosos 95
Cobertura 11.02 – Quebra de Vidros 96
Cobertura 11.03 – Quebra de Vidros, Espelhos, Mármores, Azulejos e Ladrilhos 97

SUMÁRIO 7
Grupo 12 – Desentulho/Desmoronamento 97
Cobertura 12.01 – Desmoronamento 97
Cobertura 12.02 – Desentulho e Demolição 98
Fixando Conceitos 4 99

TESTANDO CONHECIMENTOS 103

ESTUDOS DE CASO 109

ANEXOS 111
Anexo 1 – Classe de Localização de Riscos (L) 113
Anexo 2 – Tabela de Ocupação de Riscos (O) (Parte) 115
Anexo 3 – Tabela de Ocupações (Parte) 117
Anexo 4 – Taxação e Cálculo do Prêmio da Cobertura Básica (Incêndio) 119

GABARITO 123

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 125

8 SEGUROS COMPREENSIVOS
1
ASPECTOS
GERAIS

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender a filosofia da implantação dos seguros compreensivos.
• Identificar as diferenças básicas entre o seguro compreensivo e o seguro de incêndio tradicional.
• Identificar e diferenciar todos os ramos de seguros patrimoniais disponibilizados pela SUSEP a partir
de 2005.

UNIDADE 1 9
10 SEGUROS COMPREENSIVOS
O
s Seguros Compreensivos são a nova modalidade de Seguros
Patrimoniais, pois estes vêm sofrendo processo de evolução
visando facilitar a sua contratação de modo flexível e dinâmico.

A contratação de seguros, até o advento dos Seguros Multirriscos, hoje mais


comumente denominados Seguros Compreensivos, era feita através de diversas
apólices, dependendo das coberturas desejadas e dos ramos de seguro aos
quais estavam vinculadas.

Exemplo

Um condomínio que desejasse contratar seguro para garantir os


riscos de incêndio (cobertura do Ramo Incêndio), alagamento e
desmoronamento (modalidades de cobertura do Ramo Riscos Diversos),
acidentes pessoais dos empregados (cobertos pelo Ramo Acidentes
Pessoais), responsabilidade civil do condomínio (coberta pelo Ramo
Responsabilidade Civil), roubo de bens (coberto pelo Ramo Roubo),
tumultos e atos de vandalismo (cobertos pelo Ramo Tumultos) e quebra
de vidros (coberta pelo Ramo Vidros) precisaria contratar sete apólices
de seguro distintas, cada qual com seu custo de apólice e respectivo
IOF, o que onerava bastante a cota condominial. Além disso, deve ser
considerado o controle rígido necessário para não se perder a data de
renovação de cada uma das apólices de seguro contratadas.

A solução para este problema começou a surgir no Ramo de Seguro Riscos


Diversos, com a criação das modalidades de Seguro Edifícios em Condomínio Importante
e Seguros Compreensivos de Imóveis Diversos – Residenciais ou Comerciais, A Resolução CNSP 264, de 2012, vedou a
cobrança do custo de emissão de apólice,
respectivamente nos anos de 1975 e 1978, precursoras, portanto, dos
fatura e endosso apartados do prêmio, a
atuais planos de Seguros Compreensivos. Contudo, o desenho de ambas partir de1o de janeiro de 2013.
as modalidades acabou por não atender às necessidades dos segurados,
e os seus custos e coberturas básicas oferecidas não eram muito atrativos.

Aproximadamente em 1985 e 1988, começaram a surgir no mercado, ainda no


Ramo Riscos Diversos, seguros que conjugavam, em uma única apólice, várias
coberturas disponibilizadas por diversos ramos ou modalidades de seguro,
aos quais atribuiu-se o nome de Seguros Multirriscos.
Importante
Na busca contínua de atendimento à demanda apresentada pelos A contratação do Seguros Incêndio
consumidores, novas operações foram desenvolvidas e consolidadas, Tradicional está suspensa pela Circular
formando um novo quadro dos Seguros Patrimoniais, englobando, além SUSEP 395/2009.
dos Seguros Incêndio Tradicional, com a contratação suspensa pela SUSEP,
os seguintes Seguros:

• Multirriscos (Compreensivos Residenciais, Condominiais e Empresariais);


Observação
• de Riscos Nomeados; e
Os Seguros de Riscos Nomeados e de
• de Riscos Operacionais. Riscos Operacionais (cobertura All Risks),
assim como o Seguro Compreensivo,
Os Seguros de Riscos Nomeados, assim como os de Riscos Operacionais, são todos seguros com a estruturação
s emelhan te, quan to a es c olha de
exigem a avaliação individual de cada negócio (inclusive a contratação de coberturas (nomeação das coberturas
resseguro na forma facultativa) e, portanto, não serão objeto de nosso estudo. necessárias). A classificação se dá apenas
Esses seguros são formatados com base nas necessidades de cada segurado em em função da variação do volume de
importância segurada para cada uma
particular, ou seja, prevalece a composição “sob medida”, sendo, normalmente, delas.
utilizados apenas para coberturas de grandes riscos.

UNIDADE 1 11
Em 2005, a SUSEP ratificou essas novas formas de contratação dos Seguros
Patrimoniais e transformou esses seguros em ramos independentes, criando,
para efeitos contábeis, a seguinte codificação:

Código do Ramo Denominação dos Ramos

11 Incêndio Tradicional

14 Compreensivo Residencial
Multirriscos
16 Compreensivo Condominial

18 Compreensivo Empresarial

96 Riscos Nomeados e Operacionais

Em dezembro de 2009, a SUSEP, através da Circular 395/09, estabeleceu nova


codificação dos ramos de seguro e também sobre as coberturas contidas em
planos de seguro para fins de contabilização.

Dessa forma, entre os seguros a serem considerados no Grupo de Seguros


Patrimoniais, ficou definida a seguinte codificação:

Nome Identificador Nome


Grupo Observação
do Grupo do Ramo do Ramo

Incêndio
01 Patrimonial 11 Run-off
Tradicional

Compreensivo
01 Patrimonial 14 Inalterado
Residencial

Compreensivo
01 Patrimonial 16 Inalterado
Condomínio

Compreensivo
01 Patrimonial 18 Inalterado
Empresarial

Riscos
01 Patrimonial 96 Nomeados e Inalterado
Operacionais

Portanto, o Seguro de Incêndio Tradicional não terá mais código para fins de
contabilização, devendo as Seguradoras se adequarem às novas regras.

Assim, iremos tratar, neste manual, as características importantes do Seguro


Incêndio Tradicional que servirão de base para o entendimento e a formatação
de taxas e conceitos para os planos de seguro nos quais vierem a constar os
riscos que compunham a garantia do citado ramo, agora apenas utilizado
como referência para outros ramos de seguro.

12 SEGUROS COMPREENSIVOS
2
COBERTURA DE
SEGURO PARA O
RISCO INCÊNDIO

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender a mecânica da contratação do antigo seguro incêndio tradicional e as vantagens que o seguro
compreensivo oferece.
• Entender os prejuízos indenizáveis e os riscos cobertos pelo Seguro Incêndio Tradicional.
• Rever o conceito de cláusula de rateio e seguro a Risco Relativo e Absoluto.
• Conhecer as coberturas adicionais e as diferenças entre elas no Seguro Incêndio Tradicional e Compreensivo.
• Entender os aspectos do risco incêndio, principalmente quanto à Localização, Ocupação e Construção,
identificando seus itens, suas características e influências na taxação e no enquadramento do risco.

UNIDADE 2 13
14 SEGUROS COMPREENSIVOS
INFORMAÇÕES SOBRE O SEGURO
INCÊNDIO TRADICIONAL
O Seguro Incêndio tem por objetivo garantir, até o(s) limite(s) da(s) importância(s)
segurada(s), o pagamento de indenização por prejuízos consequentes dos
riscos cobertos, causados aos bens garantidos pela apólice. Eles integram
o patrimônio do segurado, em um determinado endereço, o qual recebe a
denominação de seguro direto.

Quando da contratação do seguro, deve-se estipular importâncias seguradas


para cada cobertura pretendida.

As importâncias seguradas dos bens discriminados na apólice são fixadas


pelo segurado, estabelecendo o limite máximo indenizável, sem, contudo,
representar uma prévia determinação dos valores desses bens.

Características do Seguro Incêndio


Tradicional
A palavra “incêndio” tem sua origem na palavra latina incendiu que significa
o ato ou efeito da propagação de fogo.

Para fins desse seguro, podemos, portanto, definir incêndio como sendo
o fogo que se propaga ou se desenvolve com intensidade, destruindo e
causando prejuízos (danos).

Para que fique caracterizada a ocorrência de incêndio, para fins de seguro,


não basta que exista fogo; é preciso que:

• o fogo se alastre, desenvolva-se e se propague;


• a capacidade de se alastrar não esteja limitada a um recipiente ou qualquer
outro local em que habitualmente haja fogo, ou seja, que o incêndio ocorra
em local indesejado ou não habitual; e
• o fogo cause dano ou prejuízo.

Originalmente, a forma de contratação do seguro Incêndio Tradicional


(hoje não contratado mais pelo mercado), era operacionalmente muito mais
difícil que os seguros ora praticados.

Cada planta do risco deveria ser taxada individualmente, e seu prêmio calculado,
e a especificação final da apólice montada com a definição do prêmio final. Entenda bem
Exemplificando: para uma fábrica de grande porte, esta especificação poderia Seguro Incêndio Tradicional
ser composta por um total de 40 a 50 folhas, fora as condições gerais, especiais • Cada planta tinha taxas próprias.
• O Prêmio era calculado de forma
e particulares, representando um gasto enorme de papel, e dificilmente era individual para cada planta do risco.
lida na íntegra por segurados ou corretores. • Especificação de apólice longa e
complexa
Para os Seguros Compreensivos, Nomeados ou Operacionais, basta a definição Seguros compreensivos,
do capital total segurado, das coberturas e suas importâncias seguradas, Riscos Nomeados e Operacionais
e de um endereço de risco, para a emissão da apólice, que tem uma • Cobertura para o endereço segurado
• Importância segurada única.
especificação com muito poucas folhas além das condições gerais, especiais
• Especific aç ão simples e de fácil
e particulares. compreensão.

Como se não bastasse a simplificação operacional, a transição representou


ainda uma grande redução no valor do prêmio final.

UNIDADE 2 15
COBERTURA BÁSICA
A cobertura básica do Seguro Incêndio é concedida a Risco Total ou Proporcional,
abrangendo perdas e danos materiais diretamente causados por:

• incêndio;
• queda de raios, dentro da área do terreno ou edifício; e
• explosão de gás de uso doméstico, dentro da área do terreno ou edifício,
desde que o gás não tenha sido gerado no local e/ou o local segurado
não faça parte de uma fábrica de gás.

EVENTOS NÃO INCLUÍDOS NA


COBERTURA BÁSICA DO SEGURO
INCÊNDIO TRADICIONAL
Alguns fenômenos ou eventos não são considerados incêndio para fins da
cobertura básica do Seguro Incêndio Tradicional, como:

Coisas ou Objetos Submetidos


Voluntariamente à Ação Direta ou Indireta
do Fogo, que se inflamam ou se danificam,
mas cujo Dano fica a eles Limitados
Imagine que na fabricação de um determinado produto, uma das etapas do
processo consista no cozimento ou no enxugamento do produto, ou no seu
simples aquecimento, sendo que para a realização dessa etapa do processo
necessitamos de equipamentos como fornos, trocadores de calor, todos
operando de forma direta ou indireta com fogo.

Agora suponha que durante esse processo tenha havido algum descontrole ou
desarranjo no equipamento, fazendo com que o fogo (ou o calor) danifique
o equipamento e/ou o produto.

Nesse caso, se o fogo não se alastrar ou não se desenvolver, ficando confinado


ao equipamento, ou seja, limitando-se ao local onde ele ocorre habitualmente,
essa situação não deverá ser considerada como incêndio, uma vez que
faltou a propagação, condição essencial para se caracterizar incêndio do
ponto de vista de seguro.

16 SEGUROS COMPREENSIVOS
Combustão Espontânea, Aquecimento
Espontâneo ou Fermentação
Muitos produtos, principalmente de origem vegetal, em determinadas
condições de armazenamento ou empilhamento, de umidade própria ou de
temperatura e umidade ambientes, são suscetíveis de entrarem em processo
natural e espontâneo de fermentação (transformação química) que, por sua vez, Materiais sujeitos a
Combustão Espontânea
gera calor. A esse fenômeno de aquecimento espontâneo e combustão mais
Algodão, soja, óleo de linhaça e carvão
ou menos lenta e sem chamas (pelo menos até atingir certo desenvolvimento) mineral.
dá-se o nome de combustão espontânea.

A combustão espontânea difere fundamentalmente do incêndio em dois


aspectos:

• a combustão é mais ou menos lenta, começa no interior do bem e se


desenvolve, de dentro para fora, nas pilhas ou volumes do produto, por
ser uma reação intrínseca do material; e

• embora em casos dessa espécie haja combustão ou queima, desenvolvimento


de calor e desprendimento de gases, faltam-lhes as chamas capazes de
se propagarem, que são características do incêndio.

Evolução Histórica
Dano Elétrico do Seguro Incêndio
Tradicional
É comum que aparelhos ou condutores elétricos apresentem, por causas Em termos históricos, o Seguro Incêndio é
considerado o mais antigo seguro terrestre
diversas, defeitos que provocam, com ou sem curto-circuito, superaquecimento do mundo, tendo surgido na Inglaterra por
e, consequentemente, derretimento de metais de ponto de fusão mais baixo, volta de 1680, após ter ocorrido o Grande
como o cobre, que é o condutor de eletricidade mais utilizado. Em quase todos Incêndio de Londres de 1666, quando
18.000 casas foram destruídas e mais de
os casos de desarranjo elétrico, há, no final do processo, o aparecimento de 20.000 famílias ficaram desabrigadas.
chamas residuais.
No Brasil, o Seguro Incêndio foi incorporado,
Assim, embora em tais circunstâncias haja calor, combustão e muitas vezes em 1850, ao Código Comercial Brasileiro, e,
através do Decreto-Lei 1.183, de 03/04/1939,
chamas residuais, não há incêndio nem dano causado pelo fogo, apenas foi estabelecida a obrigatoriedade de
dano elétrico. Em todos os casos, a simples interrupção da corrente elétrica sua contratação para comerciantes e
faz cessar o desenvolvimento do fenômeno. industriais.

A Lei 4.591, de 16/12/1964, tornou o


Esses fenômenos citados anteriormente e que se assemelham a incêndio, Seguro Incêndio obrigatório, também,
sem serem considerados como tal para fins de seguro, poderão ser cobertos para as edificações em condomínio.
mediante contratação de cobertura acessória ou adicional. Através do Decreto-Lei 73, de 21/11/1966,
que criou o Sistema Nacional de Seguros
Privados – SNSP, estabeleceu-se que o
Prejuízos Indenizáveis Seguro Incêndio seria obrigatório para
todas as pessoas jurídicas e que deveria
ser realizado pelo valor de reposição
A cobertura do Seguro Incêndio garante sempre os prejuízos materiais dos bens (conforme o Decreto-Lei 61.867,
diretamente causados pelos riscos cobertos, até o limite da importância de 07/12/67, que regulamentou os seguros
segurada. obrigatórios previstos no art. 20 do
Decreto-Lei 73/1966).

UNIDADE 2 17
Entre os prejuízos causados em consequência direta dos riscos cobertos,
incluem-se os seguintes:

• os decorrentes de explosões causadas pelos riscos cobertos, desde que


ocorridas no interior do estabelecimento segurado (edifícios ou áreas
de terrenos);
• desmoronamento diretamente resultante dos riscos cobertos;
• impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados; e
• deterioração de bens guardados em ambientes especiais, devido à
paralisação dos equipamentos, desde que diretamente resultante dos
riscos cobertos.

Algumas despesas efetuadas pelo segurado também são indenizadas


como por exemplo:

• providências tomadas para o combate ao incêndio, evitando-se ou


atenuando-se a propagação do fogo, como a recarga de extintores;
• salvamento e proteção dos salvados, com o objetivo de minorar os
prejuízos; e
• desentulho do local após a ocorrência do sinistro.

Prejuízos Não Indenizáveis


Estão excluídos do Seguro Incêndio os seguintes prejuízos, causados aos bens
segurados e decorrentes de:

• extravio, roubo ou furto, mesmo consequentes dos riscos cobertos;


• fermentação própria ou combustão espontânea. Caso tais fenômenos
originem um incêndio, os prejuízos daí resultantes estarão cobertos;
• submissão de bens a quaisquer processos de tratamento, aquecimento
ou enxugo;
• destruição por ordem de autoridade pública, salvo se para evitar a
propagação do fogo;
• convulsões da natureza, erupção vulcânica, inundação, terremoto, EXCETO
vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo, neste último caso, desde
que contratada a cláusula adicional (TSIB 224 ou 225);
• fenômenos de natureza social, como insurreições, rebeliões, atos de
hostilidade ou de guerra, revoluções, greves, tumultos, motins, arruaças e
outros atos semelhantes, confisco, nacionalização, requisição, destruição
decorrente de quaisquer atos de autoridades, de fato ou de direito,
civil ou militar;
• queimadas em zonas rurais, quer tenham sido por causa fortuita ou ateadas
para limpeza do terreno;
• radiações ionizantes decorrentes de combustível nuclear ou resíduo nuclear,
combustão de material nuclear ou para as quais tenham contribuído
materiais de armas nucleares. Entende-se que combustão abrange qualquer
processo autossustentador de fissão nuclear; e
• danos elétricos, salvo se consequentes de queda de raio.

18 SEGUROS COMPREENSIVOS
Contudo, alguns eventos não indenizáveis pela cobertura básica do
Seguro Incêndio podem ser indenizáveis se forem eventos:

• que podem ser contratados através de coberturas adicionais do


próprio Seguro Incêndio como: vendaval, danos elétricos, incêndio
ou explosão decorrente de terremoto, e incêndio resultante de
queimada em zonas rurais.
Obs.: Já nos Seguros Compreensivos, podemos, inclusive, ter
coberturas adicionais vinculadas a garantias abrangidas por outros
ramos de seguro, como: roubo e furto, inundação, tumultos, greves
e lockout.

Bens Cobertos
As condições gerais do Seguro Incêndio definem que os bens amparados por
esse seguro são:

• edifícios;
• maquinismos, móveis e utensílios (MMU);
• mercadorias, matérias-primas (MMP);
• instalações; e
• benfeitorias.

Bens Não Compreendidos


Mesmo que sofram perdas e danos consequentes dos eventos previstos
na cobertura do seguro, os seguintes bens são considerados como não
abrangidos pelo Seguro Incêndio:

1. papéis de crédito, metais preciosos ou pedras preciosas, obrigações em


geral, títulos, selos, moeda cunhada, papel moeda, cheques, letras, livros
de contabilidade, quaisquer outros livros comerciais; Atenção
Os bens mencionados nos itens 1 a 4
podem ser considerados amparados
2. bens de terceiros recebidos em depósito, consignação ou garantia; pelo Seguro Incêndio, desde que conste
expressamente da apólice sua existência no
local segurado. Os bens descritos no item
3. peças de arte, joias e quaisquer objetos de valor estimativo, raridades, livros,
3, com valor unitário superior a R$ 600,00,
no que exceder a R$ 600,00 por unidade atingida pelo sinistro; deverão ter sua existência mencionada na
apólice com suas respectivas importâncias
4. manuscritos, plantas, projetos, modelos, debuxos e moldes; e seguradas, sem o quê a garantia securitária
ficará limitada a R$ 600,00.

5. bens ou coisas, quando em tráfego ou viagem e, assim como os meios de


transporte, em idênticas condições.

UNIDADE 2 19
RATEIO E CRITÉRIOS DE
INDENIZAÇÃO
É facultado à seguradora o direito de indenizar o segurado com pagamento
em dinheiro ou com a reparação ou substituição dos bens sinistrados, a fim de
Alternativas da repô-los no estado em que se achavam imediatamente antes do acidente.
seguradora para
indenização do segurado
Nas coberturas concedidas a Risco Total (proporcionais), cobertura básica e
• Em dinheiro
• Reparação dos bens sinistrados alguns riscos acessórios, as importâncias seguradas devem representar os
• Substituição dos bens sinistrados valores em risco (valores reais dos bens segurados). Caso não representem,
o segurado será considerado responsável pela diferença e estará sujeito ao
mesmo risco que a seguradora, na proporção da responsabilidade que lhe
couber em rateio.

Traduzindo matematicamente:

P × IS
Ind =
VR

Sendo:
Ind: Indenização
P: Prejuízo
IS: Importância Segurada
VR: Valor em Risco apurado na data do sinistro

Para efeito do cálculo da indenização, os bens segurados são divididos em


dois tipos: bens de consumo e bens de uso. Para cada um deles, há critérios
próprios para a apuração dos prejuízos e dos valores em risco:

• bens de consumo – Mercadorias e Matérias-Primas (MMP).


Apura-se o prejuízo e o valor em risco pelo custo de reposição, no dia e
local do sinistro, tendo em vista o gênero de negócio do segurado, limitado
ao valor de venda, se este for menor.

Traduzindo: valor de custo ou de venda – o que for menor

Não se pode esquecer de que qualquer indenização terá uma limitação e


Exemplo esta é sempre a importância segurada.
Indenização menor do que Prejuízo Atual
• bens de uso – edifícios, benfeitorias, maquinismos, instalações, móveis
Importância segurada: R$ 10.000.000,00 e utensílios.
Prejuízo Atual: R$ 200.000,00
VR Atual: R$ 15.000.000,00 Apura-se o prejuízo e o valor em risco pelo valor atual, isto é, pelo valor
Importância Segurada
dos bens, na data do sinistro, em estado de novo (valor de novo) menos
Indenização = Prejuízo × a depreciação pela idade, uso e conservação destes.
Valor em Risco
R$ 10.000.000,00
Indenização = R$ 200.000,00 × Como resultado dessa apuração, quatro situações podem ocorrer:
R$ 15.000.000.00

Indenização = R$ 200.000,00 × 0,666666


1. Se a Importância Segurada (IS) for menor do que o Valor em Risco Atual
(VRA), a indenização será menor do que o Prejuízo Atual.
Indenização = R$ 133.333,34

IS < VRA, logo: IND < PA

20 SEGUROS COMPREENSIVOS
2. Se a Importância Segurada (IS) for igual ao Valor em Risco Atual (VRA), a
indenização será igual ao Prejuízo Atual (PA).

IS = VRA, logo: IND = PA

3. Se a Importância Segurada (IS) for maior do que o Valor em Risco Atual


(VRA), o segurado terá direito a mais alguma coisa, ou seja, a uma Exemplo
parcela de indenização relativa à depreciação anteriormente deduzida. Indenização igual ao Prejuízo Atual

Importância segurada: R$ 15.000.000,00


Contudo, a parcela de indenização relativa à depreciação não poderá, em Prejuízo Atual: R$ 200.000,00
nenhuma hipótese, ser superior àquela a que o segurado tem direito pelo VR Atual: R$ 15.000.000,00
Valor em Risco Atual, ou seja, não poderá ultrapassar o Prejuízo Atual (PA). Indenização =
R$ 200.000,00 × R$ 15.000.000,00
= R$ 200,000,00
Assim, esse “algo a mais” a que o segurado tem direito está limitado ao R$ 15.000.000,00
PA, sendo o total a indenizar limitado a 2 PA.

IS > VRA, logo: IND = PA + recuperação da depreciação (limitada a 2 PA)

Exemplo
4. Se a Importância Segurada (IS) for maior ou igual a do Valor em Risco Indenização igual ao Prejuízo Atual
Novo (VRN), o segurado também terá direito a mais alguma coisa, ou mais Recuperação da Depreciação
seja, a uma parcela de indenização relativa à depreciação anteriormente
Importância segurada: R$ 16.000.000,00
deduzida. Prejuízo Atual: R$ 200.000,00
Prejuízo Novo: R$ 250.000,00
Conforme visto na situação 3, aqui aplicaremos a mesma rotina de cálculo VR Atual: R$ 15.000.000,00
VR NOVO: R$ 18.750.000,00
de indenização: Indenização =
R$ 250.000,00 × R$ 16.000.000,00
= R$ 213.332,50
IS > VRN, logo: IND = PA + recuperação da depreciação (limitada a 2 PA) R$ 18.750.000,00

Vale lembrar que, em nenhuma hipótese, a indenização poderá ser


superior à importância segurada e nem ao valor real do bem.

Depreciação é a redução do valor de um bem, móvel ou imóvel,


segundo critérios matemáticos e financeiros, entre outros idade (vida
útil) e condições de uso, funcionamento ou operação.

Memória de Cálculo dos Valores Atuais


100 – Depr. (%)
Prejuízo Atual (PA) = PN ×
100

100 – Depr. (%)


Valor em Risco Atual (VRA) = VRN ×
100

Sendo:
PN: Prejuízo de Novo
VRN: Valor em Risco Novo
PA: Prejuízo Atual
VRA: Valor em Risco Atual
Depr.: Depreciação

UNIDADE 2 21
Resumo
Bens de Uso – Edifícios,
Bens de Consumo – MMP
Instalações, Benfeitorias e MMU
• Há depreciação (%). • Não há depreciação.
• Um caso possível para indenização: o
• Quatro casos possíveis para
valor de custo ou de venda (aquele
indenização (retrocitados).
que for menor).
• Indenização pode ser dividida
em duas parcelas:
– 1a parcela: PA = à vista. • Indenização paga em uma única
– 2a parcela: relativa à depreciação parcela.
→ paga após o segurado iniciar a
reposição ou reparo dos bens.
• Indenização limitada à Importância
• Indenização é limitada a duas vezes o
Segurada.
PA, limitada à Importância Segurada.

Como a indenização relativa à depreciação não pode ser superior à fixada


pelo Valor Atual (prejuízo atual), ao se estipular a importância segurada, deve-
se levar em consideração a depreciação, para obter o máximo que o seguro
oferece. Assim sendo:

Depreciação Valor da IS Indenização


= ou < 50% VRN PN
> 50% 2 VRA 2 PA

A indenização relativa à depreciação só será devida após o segurado


iniciar a reposição ou reparação dos bens sinistrados ou suas
substituições, no país, por outros da mesma espécie, tipo e valor
equivalentes. Tal reposição, reparo ou substituição deve ter início dentro
do prazo de 6 meses da data do sinistro.

Se em virtude de determinação legal ou por qualquer razão os bens


sinistrados não puderem ser reparados ou substituídos por outros
semelhantes ou equivalentes, a seguradora será responsável apenas
pelas importâncias seguradas que seriam devidas caso não houvesse
tal impedimento.

Os seguintes detalhes devem ser observados:

• os alicerces dos edifícios são excluídos do seguro, salvo estipulação


expressa;
• as benfeitorias estão incluídas no seguro, salvo se cobertas por seguro
específico; e
• as instalações dos prédios e os acessórios permanentes, pertencentes às
instalações dos maquinários, estão incluídos no seguro.

22 SEGUROS COMPREENSIVOS
Com o pagamento da indenização, a seguradora adquire o direito
sobre as ações do segurado contra terceiros, cujos atos ou fatos
tenham dado causa ao prejuízo indenizado (sub-rogação de direitos).
Assim sendo, a seguradora pode exigir do segurado, em qualquer
tempo, o instrumento de cessão e os documentos hábeis para o
exercício desses direitos. O segurado, por sua vez, não pode praticar
qualquer ato que venha a prejudicar o direito de sub-rogação da
seguradora, nem fazer acordo ou transação com terceiros responsáveis
pelo acidente, salvo prévia e expressa autorização da seguradora.

RESCISÃO E REINTEGRAÇÃO
A apólice do Seguro Incêndio poderá ser rescindida total ou parcialmente, a
qualquer tempo, mediante acordo entre as partes contratantes ou em caso
de sinistro, observados os seguintes critérios:

1. Em caso de rescisão através de acordo entre as partes contratantes, a


seguradora reterá o prêmio recebido, da seguinte forma:

– se o segurado solicita a rescisão: a seguradora retém o prêmio


recebido com base na tabela de prazo curto; e

– se a seguradora solicita a rescisão: a seguradora retém o prêmio


recebido proporcional ao tempo decorrido (pro rata temporis).

2. Em caso de sinistro:

Indenização IS após o Sinistro

Até 5% da IS do item sinistrado. Não sofre modificação.

IS da apólice fica deduzida


De 5% até 80% do item sinistrado.
do valor da indenização.

Acima de 80% do item sinistrado. IS fica automaticamente cancelada.

Em nenhuma hipótese, haverá devolução de prêmio ao segurado,


pelo fato de ter ocorrido redução da importância segurada em função
de sinistros. Tratando-se de seguro a prazo longo, só será devolvido
o prêmio relativo aos anos seguintes ao aniversário da apólice,
subsequentes à data da ocorrência do sinistro.

Na hipótese de a indenização ser > 5% e = ou < 80% da IS da


apólice, o segurado adquire o direito de solicitar a reintegração de sua
importância segurada. Para tanto, será cobrado o prêmio respectivo,
calculado proporcionalmente ao tempo a decorrer.

UNIDADE 2 23
COBERTURAS ADICIONAIS
Através de cláusulas específicas, o segurado pode optar pela contratação das
seguintes coberturas adicionais:

Risco Acessório de Explosão

Explosão de Aparelhos
Perdas e danos materiais causados aos bens segurados por explosão de
caldeiras ou aparelhos de ar comprimido, vapor, óleo ou gás de qualquer
natureza, desde que o gás não tenha sido gerado no prédio segurado e que
este não faça parte de qualquer fábrica de gás, onde quer que o evento tenha
se originado.

Explosão de Aparelhos e Substâncias


Perdas e danos materiais causados aos bens segurados por explosão de
quaisquer aparelhos, substâncias ou produtos inerentes ou não ao negócio
do segurado, onde quer que o evento tenha se originado.

Essas coberturas são concedidas:

• a Primeiro Risco Absoluto (sem rateio); ou


• a Risco Total (há rateio).

Risco Acessório de Explosão Decorrente


de Terremoto
Explosão de Aparelhos
Perdas e danos materiais causados por explosão de caldeiras ou aparelhos de
ar comprimido, vapor, óleo ou gás de qualquer natureza, desde que o gás não
tenha sido gerado no prédio segurado e que este não faça parte de qualquer
fábrica de gás, e que essa explosão seja resultante de terremoto.

Explosão de Aparelhos e Substâncias


Perdas e danos materiais causados aos bens segurados por explosão de
quaisquer aparelhos, substâncias ou produtos inerentes ou não ao negócio
do segurado, e que essa explosão seja resultante de terremoto.

Essas coberturas são concedidas:

• a Primeiro Risco Absoluto (não há rateio); ou


• a Risco Total (há rateio).

24 SEGUROS COMPREENSIVOS
Risco Acessório de Incêndio Decorrente de
Terremoto
Perdas e danos materiais causados aos bens segurados por incêndio resultante
de terremoto.

A cobertura é concedida a Risco Total (há rateio).

Risco Acessório de Incêndio Resultante de


Queimadas em Zonas Rurais
Perdas e danos ocorridos em zonas rurais e ocasionados por incêndio decorrente
de queimadas em florestas, matas, prados, pampas, juncais ou plantações.

A cobertura é concedida a Risco Total (há rateio).

Risco Acessório de Danos Elétricos Atenção


Para a correta fixação da importância
Perdas ou danos causados a fios, enrolamentos, lâmpadas, válvulas, chaves, circuitos segurada, referente à cobertura de Danos
e aparelhos elétricos, pelo calor gerado acidentalmente por eletricidade. Elétricos, o segurado deverá expressá-la
considerando somente o valor de todos
os bens passíveis de sofrerem prejuízos
É estabelecida uma franquia dedutível para esta garantia. pelo calor gerado acidentalmente pela
eletricidade, e não à totalidade dos bens
segurados, pois existem bens que não
A cobertura é concedida a Risco Total (há rateio).
estão sujeitos a esses riscos.

Risco Acessório de Vendaval, Furacão,


Ciclone, Tornado, Granizo, Queda de
Aeronaves ou Quaisquer Outros Engenhos
Aéreos ou Espaciais, Impacto de Veículos
Terrestres e Fumaça
Perdas e danos causados aos bens segurados diretamente por vendaval,
furacão, ciclone, tornado, granizo, queda de aeronaves ou quaisquer outros
engenhos aéreos ou espaciais, impacto de veículos terrestres e fumaça.

Para efeito dessa cobertura:

• entende-se por “vendaval” os ventos de velocidade igual ou superior a 15


metros por segundo ou 54 km/h (quilômetros por hora);

• consideram-se, também, como “aeronave ou quaisquer engenhos aéreos


ou espaciais”, os objetos que sejam parte integrante deles ou por eles
conduzidos;

• considera-se “veículo terrestre” aquele que possa não dispor de tração


própria; e

UNIDADE 2 25
• entende-se por “fumaça” unicamente a fumaça que provenha de um
desarranjo imprevisível, repentino e extraordinário no funcionamento de
qualquer aparelho, somente quando tal se encontrar conectado a uma
chaminé por cano condutor de fumo. Exclui-se a fumaça proveniente de
fornos ou aparelhos industriais.

É estabelecida uma franquia dedutível.

A cobertura é concedida:

• a Risco Total (há rateio); ou


• a Primeiro Risco Relativo (há rateio).

Risco Acessório de Queda de Aeronave


ou Quaisquer Outros Engenhos Aéreos ou
Espaciais, Aplicável Somente aos Seguros
de Locais com Coeficiente Sinistro/Prêmio
dos Últimos Cinco Anos de até 30% dessa
Cobertura
Perdas e danos causados aos bens segurados, diretamente por queda de
aeronaves ou quaisquer outros engenhos aéreos ou espaciais, bem como por
incêndio ou explosão consequente desse mesmo risco.

Para efeito dessa cobertura, consideram-se “aeronave ou quaisquer outros


engenhos aéreos ou espaciais” quaisquer objetos que sejam partes integrantes
deles ou por eles conduzidos.

É estabelecida uma franquia dedutível.

A cobertura é concedida:

• a Risco Total (há rateio); ou


• a Primeiro Risco Relativo (há rateio).

26 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura Especial de Aluguel
Garante ao segurado, quando proprietário do prédio e das máquinas ou
equipamentos:

• o valor do aluguel que o prédio deixar de render, no caso de sinistro pelos


eventos cobertos pela apólice; e

• o valor dos aluguéis mensais que tiver que pagar a terceiros:


– aluguel do prédio; e
– aluguel de máquinas e equipamentos.

O pagamento cessa quando a reposição ou reparo do bem for concluído


ou quando se esgotar o período indenitário fixado, mesmo que a
reparação/reposição não tenha sido concluída, o que ocorrer primeiro.

Entende-se por período indenitário, o período de tempo necessário, estipulado


pelo segurado, para o prédio voltar a ser habitado ou para repor a máquina,
iniciando-se a partir da data do sinistro. Esse período deverá constar na
apólice.

O período indenitário máximo possível é de:

• 24 meses – para aluguel que o prédio deixar de render e aluguéis mensais


que tiver que pagar a terceiros; e

• 36 meses – para aluguel de máquinas e equipamentos.

Cobertura Especial de Extravasamento ou


Derrame de Materiais em Estado de Fusão
Perdas e danos materiais causados, acidentalmente, por extravasamento ou
derrame de materiais em estado de fusão de seus normais contenedores
ou calhas de corrimento, incluindo o próprio material, ainda que não tenha
ocorrido incêndio.

É estabelecida uma franquia dedutível.

A cobertura é concedida a Primeiro Risco Absoluto (não há rateio).

Cobertura Especial de Desistência de


Sub-rogação dos Direitos
A seguradora abre mão do direito de sub-rogação, com relação ao segurado,
na qualidade de inquilino do prédio alugado e coberto pela apólice, salvo nos
casos de culpa grave, dolo ou má-fé.

UNIDADE 2 27
Cobertura Especial de Rateio Parcial
Todo e qualquer sinistro coberto será indenizado sem aplicação de rateio,
desde que a Importância Segurada seja igual ou superior ao percentual do
valor em risco (70%, 80% ou 90%) declarado na apólice. Caso contrário, o
segurado será considerado responsável pela diferença e estará sujeito ao
mesmo risco da seguradora, proporcionalmente à responsabilidade que lhe
couber em rateio.

% sobre o Valor em Risco Adicional sobre o Prêmio


Importante
90% 5%
A Resolução CNSP 264, de 2012, vedou a
cobrança do custo de emissão de apólice, 80% 10%
fatura e endosso apartado do prêmio, a 70% 15%
partir de1o de janeiro de 2013.

Cobertura Especial de Perda de Prêmio


Garante a perda de prêmio e emolumentos (Custo de apólice e
IOF = 7,38%), resultantes do cancelamento total ou parcial da apólice em
consequência de sinistro.

CARACTERIZAÇÃO DO RISCO –
COBERTURA BÁSICA
A determinação do prêmio da cobertura básica se dá com base na
caracterização do risco. Para tanto, é necessária a realização de vistoria prévia,
denominada inspeção de riscos, que consiste em examinar o local, anotando
características que tenham interesse para fins de seguro.

Essas características são apresentadas sob a forma de relatório pelo inspetor


de riscos.

O Relatório da Inspeção de Riscos é, portanto, o instrumento utilizado para buscar


os dados necessários para a caracterização do risco e, como consequência, para
a determinação do prêmio.

A caracterização do risco se dá com base nos seguintes fatores:

a) localização do risco;
b) natureza das ocupações existentes;
c) características das construções;
d) isolamento de riscos; e
e) existência de aparelhagem de proteção e combate a incêndio.

Localização do Risco (L)


É a classificação dada à cidade onde está situado o seguro direto, em função
de sua capacidade de combater um incêndio.

A TSIB (Tarifa de Seguro Incêndio do Brasil) define quatro classes de localização.


Para determinar a classe de uma cidade, consulta-se o artigo 6o da TSIB.
Ali, as cidades são citadas nominalmente nas Classes 1, 2 e 3. As que não são
citadas em uma das três classes são consideradas como pertencentes à Classe
4 (consultar o Anexo 1).

Exemplos: Curitiba-PR = Classe 1;


São Gonçalo-RJ = Classe 4.

28 SEGUROS COMPREENSIVOS
Natureza das Ocupações Existentes (O)
O fator Natureza das Ocupações Existentes representa a periculosidade do
risco incêndio, em função da atividade, quer dos materiais, quer dos processos
utilizados na atividade desenvolvida no local segurado.

A TSIB define 13 classes de ocupação. Para a determinação da classe em que


um risco está enquadrado, consulta-se o artigo 31 da Tarifa, onde as classes
aparecem codificadas em ordem alfabética, no índice de ocupações.

Desse índice de ocupações constam:

• natureza da ocupação, por nome, em ordem alfabética (exemplos no


Anexo 2); e

• rubrica, que indica a classificação a ser adotada para a ocupação (exemplos


no Anexo 3).

Há, na lista de ocupações, três títulos: rubrica (em código), ocupação do


risco e classe de ocupação.

Conhecendo-se a atividade desenvolvida no local, consulta-se o índice


de ocupação, encontrando-se a respectiva rubrica nominal e o código
correspondente. De posse do código, localiza-se, na lista de ocupações, a
classe de enquadramento entre as 13 previstas na TSIB.

Vejamos dois exemplos:

1. Frigorífico
• consulta-se o índice de ocupação (Anexo 2), onde se obtém a
rubrica dessa atividade:
rubrica: Frigoríficos – Código: 244;
• na lista de ocupações (Anexo 3), procura-se a rubrica 244 e
toma-se a classe de ocupação 04;
• a classificação final será: rubrica 244-00 e classe de ocupação 04.

2. Fábrica de cigarros
• consultando o índice de ocupação (Anexo 2) “cigarros”, encontra-se
a rubrica “fumos, charutos e cigarros” com o código 246;
• na lista de ocupações (Anexo 3), procura-se a rubrica 246,
onde encontraremos “fábricas” na sub-rubrica 10 com classe
de ocupação 04;
• a classificação final será: rubrica 246-10, classe de ocupação 04.

Características das Construções (C)


Os prédios são classificados, segundo o grau de vulnerabilidade ao fogo, com
base nas suas características construtivas e nos diversos tipos de materiais
utilizados em sua edificação.

UNIDADE 2 29
A TSIB define quatro classes de construção, com as seguintes denominações:

1. Superior;
2. Sólida (ao ar livre, abertas ou demais);
3. Mista; e
4. Inferior.

Para a determinação da classe de construção, consultam-se os artigos 8 e 15


da TSIB, levando em conta que todos os elementos construtivos de um prédio
devem obedecer, simultaneamente, às características preestabelecidas das
classes. São elas: cobertura, travejamento, estrutura, forro, paredes externas,
piso, instalações elétricas, vão de elevadores e escada geral.

Os materiais de construção são relevantes em função da sua resistência ao


fogo, isto é, do tempo que o material leva para entrar em colapso. Assim,
eles são classificados em:

• incombustíveis: concreto, alvenaria, fibrocimento, gesso e cerâmica; e


• combustíveis: madeira, isopor, plástico e fibra de vidro.

Método Prático para Determinação da Classe de


Construção
A partir do quadro “Determinação da Classe de Construção” a seguir:

1. marca-se um “x” no parêntese do fator característico para cada aspecto


da construção encontrado na vistoria: tipo de estrutura, travejamento,
cobertura, forro;
2. depois de assinaladas todas as características de construção do prédio,
verifica-se qual delas conduziu à maior classe de construção;
3. essa “maior classe de construção” será a classe de construção do prédio.

Determinação da Classe de Construção


Estrutura (Colunas/Vigas/Cintas)
Concreto – integral [ ] (1)
Edifícios com mais de dois pavimentos, dispensada a estrutura integral de [ ] (1)
concreto nos dois últimos pavimentos
Metal – revestido com concreto ou alvenaria [ ] (1)
Não revestido [ ] (2)
Alvenaria (pedra/tijolo) [ ] (2)
Existindo laje de concreto – até dois pavimentos [ ] (1)
Madeira [ ] (2)
Travejamento (Sustentação da Cobertura)
Incombustível [ ] (1)
Combustível [ ] (2)
Protegido por laje de concreto [ ] (1)
Em edifícios de mais de dois pavimentos [ ] (1)
Cobertura (Telhas)
Incombustível [ ] (1)
Com até 25% de telha de poliéster [ ] (1)
Combustível [ ] (4)

30 SEGUROS COMPREENSIVOS
Forro
Incombustível [ ] (1)
Combustível [ ] (2)
Aplicado diretamente sob a laje [ ] (1)
Paredes Externas
Alvenaria (pedra/tijolo/concreto)
Permitindo-se até 25% de PVC, sem outras partes em aberto [ ] (1)
Com mais de 25% de PVC [ ] (2)
Com mais de 25% de PVC, porém em caixilhos [ ] (1)
Metal ou fibrocimento
25% ou mais, com travejamento incombustível [ ] (1)
25% ou mais, com travejamento combustível protegido por laje de concreto [ ] (1)
25% ou mais, com travejamento combustível [ ] (3)
Combustíveis
Menos de 25% [ ] (3)
25% ou mais [ ] (4)
Inexistente (ou mais de 25% abertas) [ ] (2)
Piso
Incombustível [ ] (1)
Metálico [ ] (1)
Combustível [ ] (2)
Aplicado diretamente sobre a laje [ ] (1)
Instalação Elétrica
Embutida [ ] (1)
Protegida (conduítes metálicos, de PVC rígido ou flexível, bandejas, [ ] (1)
canaletas etc)
Aparente
Com justificativa de engenheiro já aceita pelo IRB [ ] (1)
Sem justificativa de engenheiro já aceita pelo IRB [ ] (2)
Vão de Elevador
Incombustível [ ] (1)
Combustível [ ] (2)
Escada Geral
Incombustível [ ] (1)
Combustível [ ] (2)
Outros Casos
Bens ao ar livre [ ] (2)
Prédios em construção
Se puderem ser enquadrados como Classe 1, 2 ou 3, após a construção [ ] (2)
Caso contrário [ ] (4)
Tanques
Concreto [ ] (1)
Metálico ou de madeira ou plástico [ ] (2)
Subterrâneo – concreto ou metálico [ ] (1)

UNIDADE 2 31
Exemplos de Determinação da Classe de Construção

1. Prédio com as seguintes características:


• estrutura: concreto;
• travejamento: combustível;
• cobertura: incombustível;
• forro: incombustível; e
• paredes externas: alvenaria.
Classe de Construção: 2 – sólida.

2. Prédio com as seguintes características:


• estrutura: concreto;
• travejamento: incombustível;
• cobertura: incombustível; e
• paredes externas: alvenaria.
Classe de Construção: 1 – superior.

Isolamento de Riscos
Consideram-se riscos isolados aqueles separados dos demais por paredes ou
espaços desocupados.

• paredes corta-fogo – construção total de concreto, na qual não sejam


empregados outros materiais, além de cimento, pedra, areia, ferro, tijolos
ou argamassa à base de cimento, cal, saibro e areia, e não tenha abertura
de qualquer espécie, salvo se estritamente necessária para passagem de
tubulações, eixos, e divida telhados.

• espaços desocupados suficientes para separação de riscos são os indicados


na tabela a seguir.

Isolamento de Riscos por Distância


2
Classe de Construção 1 3 4
Ar Livre e Construção Aberta Demais

1 0 0 0 0 0

2 – Ar Livre e construção Aberta 0 8m 3m 5m 8m

2 – Demais 0 3m 0 3m 3m

3 0 5m 3m 5m 5m

4 0 8m 3m 5m 8m

32 SEGUROS COMPREENSIVOS
Enquadramento do Risco – Formação do
L.O.C. – Taxação
Três foram os fatores de caracterização do risco: localização, ocupação e
construção. Determinados esses fatores, enquadra-se o risco, formando o
respectivo L.O.C. do prédio/local a ser segurado.

A metodologia para o cálculo do prêmio da cobertura básica do Seguro


Incêndio Tradicional, com base no L.O.C., consta do Anexo 4.

Aplicação prática
1. Qual o L.O.C. de um prédio situado no Rio de Janeiro, cuja
atividade desenvolvida no local é uma farmácia, com as seguintes
características construtivas: estrutura de concreto, paredes externas
de alvenaria, telhado combustível sobre travejamento incombustível,
forro incombustível e instalações elétricas embutidas?

• (L) Rio de Janeiro – Classe de localização: 1 (Conforme Anexo 1);


• (O) Farmácia – Rubrica: 232 – Classe de ocupação: 06 (Conforme
Anexos 2 e 3);
• (C) Características construtivas – Classe de construção: 4 – Inferior
(Conforme quadro “Determinação da Classe de Construção”).
Resposta: L.O.C.: 1.06.4
• Taxa da Cobertura Básica – 1,60% (Conforme Anexo 4).

2. Qual o L.O.C. de um prédio situado em Nova Iguaçu/RJ, cuja


atividade desenvolvida no local é uma loja de artigos fotográficos
(com oficina de revelação), tendo as seguintes características
construtivas: estrutura metálica, paredes externas de alvenaria,
telhado incombustível sobre travejamento incombustível, forro
incombustível e instalações elétricas protegidas?

• (L) Nova Iguaçu/RJ – Classe de localização: 3 (Conforme Anexo 1);


• (O) Loja de artigos fotográficos – Rubrica: 243.21 – Classe de
ocupação: 04 (Conforme Anexos 2 e 3);
• (C) Características construtivas – Classe de construção: 1
– Superior (Conforme quadro “Determinação da Classe de
Construção”).
Resposta: L.O.C.: 3.04.1
• Taxa da Cobertura Básica – Prédio: 0,25% – Conteúdo: 0,50%
(Conforme Anexo 4)

UNIDADE 2 33
Enquadramento do Risco
Classe de Ocupação de um Risco
Na classificação da ocupação, prevalece a classe mais elevada entre as
existentes no risco isolado. Todavia, se no risco isolado existir atividade
principal (a que define o negócio do segurado) e outras auxiliares (as de apoio
à principal), prevalecerá a classe de ocupação da atividade principal, mesmo
que as auxiliares conduzam à classificação mais elevada. A atividade principal
agrava as auxiliares.

Para prédios que tenham sido classificados como classe de construção sólida
(2) ou mista (3) ou inferior (4), com mais de 1 pavimento, o prédio será
considerado como risco único e a classe de ocupação será a mais elevada entre
as existentes nos seus pavimentos. Já para os prédios que tenham classificação
superior (1), cada um dos pavimentos constitui risco isolado distinto e não
apresentará influência sobre os demais. Não é admitida a subdivisão de um
mesmo pavimento, em diversos riscos.

Classe de Construção de um Risco


Para a classificação da construção, devem prevalecer as características de
todos os edifícios que compõem o conjunto. Assim sendo:

1. no caso de um edifício de classe de construção sólida, em comunicação


com outro de classe mista, o conjunto será classificado como classe mista.
O prédio sólido fica agravado para misto, perdendo sua classificação
original;

2. de modo geral, quando um risco isolado for constituído por vários prédios
e entre eles existirem edificações de classe de construção mista ou inferior,
a classificação de todo o conjunto será mista ou inferior, dependendo,
sempre, da relação que existir entre as paredes externas combustíveis
e a área total das paredes externas. Quando essa relação for igual ou
inferior a 25%, a classificação será mista. Caso seja superior a 25%,
agravar-se-á para classe inferior. É importante frisar que, nos casos de
cobertura combustível, o risco isolado a que o prédio pertence será
classificado como inferior (Classe 4 de construção);

3. os prédios de classificação superior nunca terão sua construção agravada,


mesmo que em franca comunicação com prédios sólidos, mistos ou
inferiores. Porém, se em comunicação com prédios de outras classes
de construção, poderá ter sua ocupação agravada em função dessa
comunicação.

34 SEGUROS COMPREENSIVOS
Como formar o L.O.C. de um determinado Risco Isolado:

1. atribuir ao seguro direto (local segurado = endereço segurado) a


sua classe de localização;
2. atribuir a cada prédio ou local integrante do seguro direto sua
classe de ocupação e de construção;
3. formar o L.O.C. de cada prédio ou local integrante do seguro
direto;
4. verificar o isolamento entre os prédios ou locais e assim dividir o
seguro direto em tantos riscos isolados quantos houver; e
5. formar o L.O.C. de cada risco isolado.

Existência de Aparelhagem de Proteção e


Combate a Incêndio
Outro fator que pode influir na taxação do risco é a existência de aparelhagem
de proteção e combate a incêndios. De acordo com os riscos que dispuserem de
meios próprios de prevenção e combate a incêndios, poderão ser concedidos
descontos nos respectivos prêmios, obedecidas as condições da Circular SUSEP
006, de 16 de março de 1992, conforme segue:

Aparelhagem Desconto
Extintores 5%
Hidrantes 5% ou 10% ou 15% ou 20% ou 25%
Bomba móvel 5% ou 10%
Carro de bombeiro 5% ou 10% ou 15%
Detecção e alarme 10%
Sprinklers 20% ou 30% ou 40% ou 60%

• desconto máximo – os riscos, que dispuserem de mais de um tipo


de proteção contra incêndios gozarão de descontos correspondentes a
cada tipo de proteção, limitado, porém, ao desconto máximo final de:

– 40%: pela conjugação de aparelhos sob comando e instalação de


detecção e alarme; e
– 70%: pela conjugação de aparelhos sob comando, detecção e alarme,
e sprinklers.

• taxa mínima – o desconto aplicado não poderá conduzir a uma taxa


inferior a 0,10%.

UNIDADE 2 35
MODALIDADES DO SEGURO
INCÊNDIO TRADICIONAL
O Seguro Incêndio Tradicional adota três modalidades de seguro, a saber:

• Seguro Incêndio Fixo;


• Seguro Incêndio Ajustável; e
• Seguro Incêndio Flutuante.

Modalidade de Seguro Fixo


O Seguro Fixo é aquele em que o valor segurado e o prêmio devido são fixos,
ou seja, não se ajustam ao longo da vigência da apólice.

Esse tipo de seguro é adequado àqueles bens que não sofrem, normalmente,
variações quantitativas.

Exemplos: seguro de uma residência, seguro dos bens que compõem o ativo
fixo de uma empresa, seguro de um escritório de advocacia, seguro de uma
loja de roupas (não considerando seus estoques de mercadorias).

Modalidade de Seguro Ajustável


Algumas atividades, devido às suas peculiaridades, possuem grande
e imprevisível oscilação de seus estoques, cujos armazéns podem, em
determinados dias estar lotados e em outros, praticamente vazios.

Se determinar a importância segurada pela capacidade total de armazenamento,


o segurado estará pagando prêmio desnecessário quando o armazém estiver
vazio. Se fizer seguro pela média, poderá entrar em rateio, caso ocorra sinistro,
estando esse armazém com sua capacidade máxima de armazenamento.

Podemos citar como exemplo o armazém de uma empresa transportadora.


Nesse caso, emite-se uma apólice, tomando-se por base a capacidade total
de armazenamento.

Porém, o segurado paga apenas um depósito inicial, fazendo-se o ajustamento


do prêmio por ocasião de seu vencimento. Obriga-se o seu contratante a fornecer
declarações periódicas, informando o valor exato de seus estoques.

O Seguro Ajustável possui regras bem específicas, de forma que não é


qualquer risco que pode ser segurado nessa modalidade, a qual possui
clausulado próprio.

Exigências Mínimas para Contratação dos Seguros


Ajustáveis
• grande variabilidade do valor do estoque;
• imprevisibilidade das oscilações;
• perfeita organização contábil, de forma a poder comprovar a qualquer
momento a quantidade e o valor do estoque; e
• declarar periodicamente o valor de seus estoques.

36 SEGUROS COMPREENSIVOS
Particularidades dos Seguros Ajustáveis
• não é permitida a emissão de mais de uma apólice ajustável para cobrir
os mesmos bens;
• é proibido reduzir verbas, exceto o cancelamento integral do item;
• há exigência de importância segurada mínima de acordo com o tipo
de seguro;
• as declarações de estoque não servem como solicitação de aumento
da importância segurada; e
• as declarações de estoques servem apenas de base para o cálculo
do prêmio.

Modalidade de Seguro Flutuante


Chamamos de Seguro Flutuante quando uma única verba cobre bens móveis
em dois ou mais riscos; seja pela dificuldade na determinação da importância
segurada, seja pela flutuação das mercadorias entre vários locais.

Para facilitar o entendimento, analise a seguinte situação:

Você está parado na portaria de uma fábrica aguardando ser atendido por
seu segurado e observa:

• situação 1 – uma empilhadeira dentro do pátio da indústria, transportando,


de um prédio para outro, várias caixas com mercadorias.

• situação 2 – um caminhão para no portão e informa que veio retirar as


mercadorias para levar para a galvanoplastia.
Você para e pensa: “Eu fiz seguro individual para cada um dos riscos
que compõem a indústria do meu cliente. Como fica todo este material que
está em trânsito?”

Na situação 1, as mercadorias estão sendo levadas de um galpão para outro.


Já na situação 2, a matéria-prima está indo para as mãos de terceiros para
tratamento químico.

Essas mercadorias e matérias-primas “flutuam”, isto é, em determinado


momento estão aqui e em determinado momento, em outro lugar; ou seja
estão sempre sendo transferidas entre dois ou mais riscos isolados.

Citamos mercadorias e matérias-primas, porém máquinas e equipamentos


são “bens que flutuam” também.

Para essas situações, existem os Seguros Flutuantes, os quais estão divididos


em duas modalidades:

Seguro Flutuante em Locais Especificados


Adotado para as situações em que os bens flutuam entre locais do controle
do segurado, como no caso de uma matéria-prima que sai do depósito, vai
para fabricação, sai e retorna para a montagem e, depois de pronta, volta
para o depósito de produtos acabados.

UNIDADE 2 37
Seguro Flutuante em Locais Não Especificados
Adotado para as situações em que se sabe para quais locais são enviados os
bens a serem segurados e quanto valem, mas onde o segurado não tem o
seu controle, pois estão em mãos de terceiros.

EM RESUMO

Eventos Não
Riscos Garantidos Incluídos na Caracterização do Modalidades
Seguros Abrangidos
pela Cobertura Básica Cobertura Risco na Cobertura do Seguro
pelos Seguros
do Seguro Incêndio Básica do Básica do Seguro Incêndio
Patrimoniais
Tradicional Seguro Incêndio Incêndio Tradicional Tradicional
Tradicional

Combustão Multirriscos
Espontânea, (Compreensivos
Seguro Incêndio
Incêndio Aquecimento Residenciais, Localização do risco
Fixo
Espontâneo ou Condominiais e
Fermentação Empresariais)

Queda de raios, Natureza das Seguro Incêndio


Dano elétrico Riscos Nomeados
dentro da área segurada ocupações existentes Ajustável

Explosão de gás de uso


doméstico, dentro da área
segurada. O gás não deve ser Queimada em Características das Seguro Incêndio
Riscos Operacionais
gerado no local e/ou o local zona rural construções Flutuante
segurado não faça parte de
uma fábrica de gás

Isolamento

38 SEGUROS COMPREENSIVOS
Fixando Conceitos 2

[1] CONSIDERE AS PROPOSIÇÕES ABAIXO:


Anotações:
I) O Seguro Incêndio tem sua cobertura básica concedida a risco total e
cobre, também, desmoronamento e deterioração de bens guardados em
ambientes refrigerados, desde que tais eventos sejam decorrentes dos
riscos cobertos.
II) Danos elétricos decorrentes de queda de raios não estão cobertos pela
cobertura básica, enquanto que os danos materiais decorrentes de
incêndio ou explosão consequentes de terremotos estão amparados na
cobertura principal.
III) Incêndio resultante de queimadas em zonas rurais, evento excluído da
cobertura básica, poderá ser garantido na mesma apólice de Seguro
Incêndio, desde que contratada como risco acessório à cobertura básica
e mediante pagamento de prêmio adicional.
IV) Inundação, tumulto e roubo estão expressamente excluídos da cobertura
básica do Seguro Incêndio. Para se garantir contra prejuízos decorrentes
desses eventos, o segurado deverá contratar seguros específicos.

Assinale a opção correta:

(a) Somente a proposição II está correta.


(b) Somente a proposição III está correta.
(c) As proposições I, III e IV estão corretas.
(d) As proposições II, III e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão erradas.

ASSINALE COM V AS AFIRMATIVAS VERDADEIRAS E COM F AS FALSAS

[2] No Seguro Incêndio:

( ) Quadros e objetos de arte só têm cobertura se expressamente descritos


na apólice.
( ) A indenização será sempre em espécie, não admitindo a reposição do
bem sinistrado.
( ) Quando a importância segurada for inferior ao valor do bem apurado
na ocasião do sinistro, o segurado será responsável pela diferença na
proporção que lhe couber em rateio.
( ) A indenização relativa aos prejuízos apurados em decorrência de um
sinistro só pode ser superior às importâncias seguradas caso esteja
incluída, na apólice, a cobertura adicional de Rateio Parcial.

Assinale a opção correta:

(a) F,V,V,F
(b) V,V,V,F
(c) F,V,V,V
(d) V,F,F,V
(e) F,F,V,F

FIXANDO CONCEITOS 2 39
Fixando Conceitos 2

[3] Analisando-se os critérios adotados para a apuração dos prejuízos e valores


Anotações: em risco no Seguro Incêndio, é correto afirmar que:

(a) As MMP, bens de consumo, são avaliadas segundo a comparação entre


o preço de custo e o de venda, adotando-se o maior entre os dois.
(b) Considera-se a depreciação pelo uso, idade e estado de conservação
de um imóvel na apuração do valor em risco desse bem.
(c) A depreciação a ser aplicada sobre as mercadorias deverá levar em
conta a sua perecibilidade.
(d) A depreciação somente será aplicada sobre os bens de uso, que serão
avaliados segundo o preço de venda.
(e) As MMP, bens de consumo, e os MMU, bens de uso, somente terão
depreciação após completarem 5 anos de existência.

[4] CONSIDERE AS PROPOSIÇÕES A SEGUIR:

I) No caso de rescisão da apólice de Seguro Incêndio por solicitação da


seguradora, o prêmio será retido por ela, aplicando a tabela de prazo curto.
II) O segurado poderá solicitar a reintegração da importância segurada em
caso de sinistro cuja indenização ultrapassar a 85% da IS da apólice.
III) O prêmio relativo à reintegração da importância segurada é calculado
pela tabela de prazo curto.
IV) Com o pagamento da indenização de um sinistro, a seguradora se sub-
roga nos direitos do segurado contra quem causou o dano reparado.

Assinale a opção correta:

(a) Somente a proposição IV está correta.


(b) As proposições II e III estão corretas.
(c) As proposições III e IV estão corretas.
(d) As proposições I, III e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

[5] Assinale a classe de construção de um risco isolado com as seguintes


características construtivas:

• Paredes externas com 60% em alvenaria e 40% em madeira.


• Cobertura incombustível.
• Travejamento combustível.
• Forro combustível e instalação elétrica protegida.

(a) Superior (Classe 1).


(b) Inferior (Classe 4).
(c) Mista (Classe 3).
(d) Sólida demais (Classe 2).
(e) Sólida aberta (Classe 2).

40 SEGUROS COMPREENSIVOS
Fixando Conceitos 2

ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA


Anotações:
[6] O Seguro Incêndio Tradicional adota as seguintes modalidades de
seguro:

(a) Fixo e Flutuante.


(b) Ajustável e de Averbações.
(c) Ajustável e Flutuante.
(d) Fixo, Ajustável e Flutuante.
(e) Ajustável, de Averbações, Fixo e Flutuante.

[7] Analise as proposições a seguir, considerando as modalidades de seguro


adotadas no Seguro Incêndio Tradicional:

I) O Seguro Fixo é aquele em que o valor segurado e o prêmio devido são


fixos, ou seja, não se ajustam ao longo da vigência da apólice.
II) Para as atividades que, devido às suas peculiaridades, possuem grande
e imprevisível oscilação de seus estoques, cujos armazéns podem em
determinados dias estar lotados e em outros praticamente vazios,
adota-se a modalidade de Seguro Ajustável.
III) Nos seguros contratados na modalidade Ajustável, emite-se uma apólice,
tomando-se por base a capacidade total de armazenamento do local
segurado.
IV) Nos Seguros Incêndio Tradicional, contratados na modalidade Flutuante,
uma única verba cobre bens móveis em dois ou mais riscos; seja pela
dificuldade na determinação da importância segurada, seja pela flutuação
das mercadorias entre vários locais.

Agora assinale a opção correta:

(a) Somente as proposições II e III estão corretas.


(b) Somente as proposições II e IV estão corretas.
(c) As proposições I, III e IV estão corretas.
(d) As proposições II, III e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

[8] Assinale qual dos itens abaixo não se refere a uma exigência mínima para
a contratação do Seguro Incêndio Tradicional sob a modalidade Ajustável:

(a) Imprevisibilidade das oscilações dos estoques.


(b) Grande variabilidade do valor do estoque.
(c) Declaração periódica do valor dos estoques do local a ser segurado.
(d) Perfeita organização contábil do segurado, de forma a poder comprovar,
a qualquer momento, a quantidade e o valor do estoque.
(e) Os bens móveis a serem segurados devem estar frequentemente
“flutuando” de um local para outro.

FIXANDO CONCEITOS 2 41
Fixando Conceitos 2

[9] Para a cobertura dos bens que “flutuam”, o Seguro Incêndio Tradicional
Anotações: prevê as seguintes modalidades:

(a) Seguros Flutuantes em Locais Especificados e Seguros Flutuantes em


Locais Não Especificados.
(b) Seguros Flutuantes em Locais Determinados e Seguros Flutuantes em
Locais Indeterminados.
(c) Seguros Ajustáveis em Locais Não Especificados e Seguros Flutuantes
em Locais de Terceiros.
(d) Seguros Flutuantes em Locais Determinados e Seguros Flutuantes em
Locais Não Especificados.
(e) Seguros Flutuantes em Locais de Terceiros e Seguros Flutuantes em
Locais Especificados.

42 SEGUROS COMPREENSIVOS
3
SEGUROS
COMPREENSIVOS

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender as características gerais, a sistemática e a finalidade dos seguros compreensivos, suas
condições gerais.

UNIDADE 3 43
44 SEGUROS COMPREENSIVOS
CARACTERÍSTICAS DOS
SEGUROS COMPREENSIVOS OU
MULTIRRISCOS
C aracterizados como seguros destinados a operações em massa e de
comercialização ampla, já se disseminaram pelo mercado a ponto de se poder
afirmar que, hoje, toda seguradora tem um ou mais “produtos multirriscos”,
elaborados a partir de suas próprias avaliações e experiências, e desenhados
da maneira considerada como a mais apropriada para o atendimento da
demanda do mercado.

Embora a Circular SUSEP 321/2006 tenha disponibilizado ao mercado


de seguros um plano padronizado de Seguros Compreensivos, nada impede
que as seguradoras continuem a desenvolver novos produtos de Seguros
Compreensivos não padronizados e é o que, exatamente, vem acontecendo
no mercado.

Importante

Como todos os ramos ou planos de seguro devem eleger uma cobertura


básica, a SUSEP deixa a critério de cada seguradora escolher os riscos
que estarão cobertos pela cobertura básica dos produtos Compreensivos
Não Padronizados por ela criados. Contudo não são, necessariamente,
eleitos os mesmos riscos que constituem a cobertura básica do Ramo de
Seguro Incêndio Tradicional (incêndio; queda de raio na área do terreno
ou edifício segurado e explosão de gás de uso doméstico dentro da
área do terreno ou edifício, desde que o gás não tenha sido gerado no
local segurado e que tal local não faça parte de uma fábrica de gás); ou
seja, nos Seguros Compreensivos Não Padronizados, a cobertura básica
será definida pela seguradora no contrato de seguro.

Por outro lado, no Ramo de Seguro Incêndio Tradicional, a cobertura


básica era exclusivamente para garantir os riscos de incêndio; queda de
raio na área do terreno ou edifício segurado e explosão de gás de uso
doméstico dentro da área do terreno ou edifício segurado, desde que o
gás não tivesse sido gerado no local segurado e que tal local não fizesse
parte de uma fábrica de gás, sendo esta uma diferença significativa entre
o extinto Seguro Incêndio Tradicional e os Seguros Compreensivos.

Nos produtos não padronizados, a denominação “Seguros Multirriscos”


engloba os Seguros Compreensivos Residenciais, Condominiais e Empresariais,
e apresentam como características principais:

• contratação do seguro a Primeiro Risco Absoluto, ou seja, sem a aplicação


da cláusula de rateio, para quaisquer das coberturas denominadas pelas Composição dos Seguros
seguradoras de coberturas adicionais contratadas; Multirriscos
• Compreensivos Residenciais;
• segmentação pela ocupação e valores dos riscos, visando homogeneizar • Compreensivos Condominiais; e
• Compreensivos Empresariais.
as carteiras. Os locais dos riscos são segmentados pela ocupação e
tamanho, o que permite a contratação de produtos simples e ajustados
às necessidades de cada cliente;

UNIDADE 3 45
• redução das taxas em relação aos chamados seguros convencionais,
em especial quanto à cobertura de Incêndio, com construção de critérios
tarifários contemplando novos elementos na taxação;

• conjugação de várias coberturas em uma só apólice, com cláusulas


Principais características menos restritivas e de mais fácil compreensão pelos segurados; e
dos Seguros Multirriscos
• Contratação do seguro a Primeiro Risco • estruturação modular com uma ampla gama de coberturas e garantias
Absoluto; acessórias, permitindo ao segurado a escolha das mais adequadas
• Segmentação pela ocupação e valores
dos riscos; às suas necessidades, o que resulta na montagem de um seguro
• Redução das taxas em relação aos “personalizado”.
seguros convencionais;
• Conjugação de várias coberturas em
uma só apólice; e Em face dessas características, embora o Seguro Multirriscos seja
• Estruturação modular. fundamentalmente uma forma de contratação, ele não se restringe a uma
mera aglomeração de diferentes seguros em um só contrato.

É importante citar que em função de cada seguradora, com autorização da


SUSEP, elaborar seu próprio produto, com suas próprias condições, podem
ocorrer diferenças significativas entre esses produtos, tanto em relação às
taxas quanto a franquias e condições, e portanto, sendo assim, recomenda-se
cautela antes de qualquer comparação.

Muito mais do que isso, o Seguro Multirriscos proporcionou a revisão e o


desenvolvimento de parâmetros técnicos que, ainda que mantivessem as
bases e as características das carteiras de origem, ganharam novos perfis
e estrutura.

Para o enquadramento dos diversos ramos ou planos de seguros criados ou


a criar pelo mercado segurador, a SUSEP num primeiro momento, através
da Circular 265, de 16/08/2004, redistribuiu os diversos ramos ou planos de
seguro em:

• seguros padronizados – assim considerados aqueles em que as condições


contratuais são idênticas e padronizadas às previstas em normas do CNSP
ou da SUSEP.
Sua comercialização pode ser feita por qualquer seguradora autorizada
pela SUSEP a operar no respectivo ramo.
Exemplo: Seguro Incêndio Tradicional (suspenso pela Circular SUSEP
395/2009), Seguro de Lucros Cessantes, Seguro de Transportes etc;

Atenção • seguros não padronizados – neste caso, a seguradora criará seu produto,
Consider ando a gama de Seguros
Compr e ensi vos não p adr oniz ados
devendo observar os critérios mínimos, previstos na regulamentação
disponíveis no mercado, derivados dos específica, para a estruturação das condições contratuais e notas
Seguros Compreensivos padronizados técnicas atuariais de um ramo ou plano de seguro. No que se refere à
disponibilizados pela SUSEP através
da Circular 321/2006, neste manual,
comercialização, cada seguradora elaborará o clausulado do seu produto
além do Seguro Incêndio Tradicional, e, após a aprovação da SUSEP, poderá comercializá-lo.
apresentaremos as condições ou cláusulas Exemplo: Seguros Compreensivos Residenciais, Seguros Compreensivos
das coberturas definidas pela referida
circular, sob a forma padronizada e a Condominiais e Seguros Compreensivos Empresariais; e
finalidade de cada uma delas.
• seguro singular – são os seguros elaborados pela seguradora especificamente
para uma determinada apólice individual, visando atender, exclusivamente,
a um segurado em especial. Esse seguro deverá ser específico para um
segurado e não estará disponível para comercialização a outros clientes
da seguradora.

46 SEGUROS COMPREENSIVOS
Posteriormente, através da Circular 466/13, de 21/05/2013, a SUSEP extingue
os Planos Singulares, com prazo de 365 dias, a partir da data em que for
disponibilizado o módulo de migração no Registro Eletrônico de Produtos.

“(...) § 5o É vedada a migração de qualquer plano de extensão de


comercialização e de qualquer plano relativo a seguro singular.

§ 6o Findo o prazo descrito no caput, todos os planos em processo


físico não migrados, incluindo os planos de extensão de comercialização
e os planos relativos a processos singulares, serão automaticamente
encerrados, não podendo mais ser comercializados, nem ter suas apólices
renovadas com utilização do respectivo processo encerrado.”

SISTEMÁTICA DOS SEGUROS


COMPREENSIVOS
Os Seguros Compreensivos, também denominados Seguros Multirriscos,
juntamente com os Seguros de Riscos Nomeados e Riscos Operacionais, são
consideradas as formas mais modernas de contratação de Seguros Patrimoniais
e incluem, entre outras, as coberturas previstas nos Seguros Tradicionais,
inclusive a de Incêndio, uma vez que permite que através de uma única apólice
se dê cobertura para diversos tipos de riscos.

Esses novos ramos ou planos de seguro eram uma antiga aspiração do


consumidor de seguros brasileiro: ter em um único documento todos os seus
riscos assumidos.

Essa nova forma de contratar seguros com pluralidade de coberturas, se


tornou realidade, a partir de 1992, com o advento do Plano Diretor do
Sistema de Seguros.

O Plano Diretor tinha como base a desregulamentação do segmento de seguro


e o desenvolvimento do mercado segurador brasileiro, tendo como foco o
consumidor (segurado) e como objetivo tornar o seguro mais acessível, mais
amplo, de melhor qualidade e com redução de custos.

Visando otimizar as taxações desses novos planos de seguro, além dos já


conhecidos critérios de taxação adotados nas diversas modalidades de seguro
incluídas nas coberturas desses seguros, os inspetores de risco também passaram
a dedicar especial atenção ao estudo potencial de perdas, procurando apurar,
também, para cada risco a segurar, os seguintes fatores:

• Perdas Normais Esperadas (PNE) – entendidas como sendo as perdas


corriqueiras reparadas pela equipe de manutenção e que geralmente não
interrompem a produção. Geralmente, esses valores norteiam a fixação
pelas seguradoras das franquias e das POS (participações obrigatórias
dos segurados), por terem, quase sempre, grande frequência e baixo
custo de reparo;

UNIDADE 3 47
• Dano Máximo Provável (DMP) – representa a extensão que o evento
pode atingir em condições normais de atividade, considerando, além das
características intrínsecas do risco, a tempestividade e a efetividade dos
meios de proteção disponíveis (circunstâncias normais de funcionamento,
operação e segurança). Por exemplo, se houver um princípio de incêndio
e a empresa dispuser de sistemas de hidrantes, extintores e todos
funcionarem, qual seria o dano máximo que provavelmente sobreviria
aos bens segurados? Em geral, esse valor auxilia o segurado na fixação
da importância segurada mínima para que não sofra perdas; e

• Perda Máxima Possível (PMP) – representa o que pode ocorrer quando


as condições desfavoráveis se combinarem excepcionalmente e os meios
de combate não operarem. Se, no exemplo anterior, todos os mecanismos
falhassem, qual seria o valor da perda imposta aos bens segurados pelo
incêndio antes que ele fosse debelado? Esse valor, normalmente, auxilia o
segurado na fixação do LMI – Limite Máximo de Indenização –, necessário
à proteção dos bens segurados.

FINALIDADE DOS SEGUROS


COMPREENSIVOS
Os Seguros Compreensivos foram concebidos nos moldes da padronização
estabelecida pela SUSEP, através da Circular 321/2006.

A finalidade dos Seguros Compreensivos é garantir ao segurado, até o


limite do valor fixado com LMI – Limite Máximo de Indenização – em cada
uma das garantias contratadas e de acordo com as condições do contrato,
o pagamento de indenização por prejuízos, devidamente comprovados,
diretamente decorrentes de perdas e danos aos bens segurados, ocorridos
no local segurado, em consequência de risco coberto.

Para que se concretize uma indenização pelos Seguros Compreensivos, devem


ser atendidos os seguintes requisitos:

• os prejuízos devem ser devidamente comprovados;

• as perdas e danos devem ter ocorrido no endereço segurado, já que nos


Seguros Compreensivos a unidade de risco é o local ou endereço
segurado;

• os riscos devem estar previstos no contrato de seguro para serem


cobertos;

• todas as condições contratuais, inclusive as relativas a prazos, devem ter


sido respeitadas; e

• para o pagamento das indenizações, será respeitada a importância


segurada de cada cobertura e a indenização total não poderá exceder à
importância segurada total da apólice.

Nos Seguros Compreensivos, a unidade de risco considerada é o endereço


segurado, não havendo a necessidade de individualização dos riscos isolados,
como ocorre no Seguro Incêndio Tradicional, onde se trabalha com cada
planta segurada.

48 SEGUROS COMPREENSIVOS
GARANTIAS OU COBERTURAS
DO SEGURO
Nos Seguros Compreensivos, estarão garantidos ou cobertos os riscos previstos
e descritos em cada uma das coberturas contratadas pelo segurado e inseridas
na apólice.

Na apólice de seguro, devem ser especificadas as garantias de cada cobertura


contratada, e, nas condições gerais, teremos as informações dos riscos cobertos
e excluídos, e os bens não compreendidos no seguro.

As condições de coberturas e exclusões constantes das condições gerais têm


caráter genérico e se aplicam a todas as garantias constantes da apólice, salvo
expressa disposição em contrário.

Geralmente, as coberturas adicionais possuem exclusões específicas, que deverão


estar claramente discriminadas após a descrição dos riscos cobertos.

Serviços de Assistência
Conforme estabelece a Circular SUSEP 310, de 19/12/2005, os serviços de
assistência, como chaveiro ou encanador, podem estar incluídos na apólice.

A Circular SUSEP 310 foi expedida, visando justamente regulamentar a oferta,


pelas seguradoras, de serviços de assistência, caracterizados como atividades
complementares aos contratos de seguros, e estabelecer a diferenciação entre
esses serviços e as garantias similares oferecidas em contratos de seguro.

De acordo com a SUSEP, as sociedades seguradoras deverão assumir


responsabilidade subsidiária perante o segurado, pela prestação dos serviços
de assistência, na hipótese de eles não serem oferecidos como garantias de
contratos de seguro.

Tais serviços de assistência não poderão ser prestados diretamente pelas


seguradoras e deverão ter seus regulamentos previstos em documento próprio,
apartado das condições contratuais do seguro, não sendo necessário que
sejam submetidos à SUSEP.

Na hipótese de tais serviços serem cobrados do segurado, o seu pagamento


poderá ser realizado no mesmo documento de cobrança do prêmio comercial
ou prêmio líquido, desde que esteja devidamente discriminado.

O regulamento da prestação de tais serviços, que será anexado às apólices,


não poderá prever pagamento em espécie ou reembolso ao segurado.

Quando os custos desses serviços forem suportados diretamente pelas


sociedades seguradoras, deverão ser contabilizados na conta Serviços de
Assistência, dentro do subgrupo de sinistros retidos.

A SUSEP estabelece, ainda, que as seguradoras que comercializarem garantias


similares em contratos de seguros devem atender, obrigatoriamente, às
seguintes disposições:

• as coberturas devem ter caráter prioritariamente indenitário, baseadas no


pagamento de indenização ou no reembolso ao segurado ou beneficiário

UNIDADE 3 49
de despesas incorridas, conforme os valores e limites máximos de
Observação indenização discriminados por cobertura e fixados na apólice ou certificado
A SUSEP padronizou as condições individual;
gerais a serem adotadas nos Seguros
Compreensivos, através da Circular 321,
de 21/03/2006, bem como as cláusulas • deverá ser prevista a possibilidade de substituição da indenização ou
com as coberturas disponíveis, divididas reembolso pela prestação de serviços, mediante acordo entre as partes;
em 12 grupos distintos, para que as
seguradoras estruturem os seus Seguros
Compreensivos. • o valor do reembolso ou da indenização deverá ser compatível com aqueles
praticados pelo mercado de prestação de serviços;

• deverá ser prevista a livre escolha do prestador de serviço, na hipótese de


o segurado ou beneficiário optar pela prestação do serviço; e

• as coberturas devem estar diretamente relacionadas ao objeto segurado.

As condições gerais dos Seguros Compreensivos Padronizados, aprovadas


e divulgadas pela SUSEP através da Circular 321, de 21/03/2006, são
compostas de 25 cláusulas de aplicação genérica. Entretanto, estudaremos
apenas algumas das principais cláusulas.

CONDIÇÕES GERAIS
Cláusula Objetivo do Seguro
Objetivo: essa cláusula estabelece que a finalidade desse seguro é garantir o
pagamento dos sinistros cobertos, observados o Limite Máximo de Garantia
(LMG) da apólice e o Limite Máximo de Indenização (LMI) fixados para cada
cobertura contratada.

Cláusula de Riscos Cobertos


Objetivo: esta cláusula ratifica que os riscos cobertos são os previstos nas
condições gerais e em cada uma das coberturas contratadas, além de prestar
os seguintes esclarecimentos:

• será considerada uma única ocorrência os danos múltiplos e/ou


sucessivos associados a diversos fatos geradores, sem que haja
possibilidade de individualizá-los, ou seja, estabelecer perfeitamente a
relação de causa e efeito entre eles.
Exemplo: se houver um incêndio e uma explosão (causas) e, em
consequência de tais eventos, ocorrerem a quebra, o desmoronamento
e a deterioração de mercadorias (efeitos) sem que se consiga estabelecer
a perfeita relação entre cada causa e cada efeito, a ocorrência será
caracterizada como uma única;

• se o risco causador do sinistro estiver simultaneamente amparado por várias


coberturas, prevalecerá aquela que for mais favorável ao segurado, a
seu critério, não sendo admitida a acumulação de coberturas e seus
respectivos limites máximos de indenização contratados; e

• as despesas de socorro e salvamento estarão amparados pela respectiva


cobertura de seguro.

50 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cláusula de Bens ou Interesses Não
Garantidos
Objetivo: estabelecer que não estarão garantidos os seguintes bens
ou interesses:

• árvores, jardins e quaisquer tipos de plantação ou vegetação;


• veículos terrestres, aviões, embarcações, motonetas, motocicletas e
similares, inclusive suas peças, componentes, acessórios e objetos neles
instalados, depositados ou que deles façam parte; e
• animais de qualquer espécie.

Cláusula de Limites
Objetivo: esta cláusula define o significado dos termos Limite Máximo
de Garantia (LMG) e Limite Máximo de Indenização (LMI) adotados nos
Seguros Compreensivos.

Limite Máximo de Garantia (LMG)


Representa o limite máximo de responsabilidade da sociedade seguradora,
de estipulação opcional, aplicado quando uma reclamação, ou série de
reclamações decorrentes do mesmo fato gerador, é garantida por mais
de uma das coberturas contratadas. O LMG da apólice é fixado com valor
menor ou igual à soma dos limites máximos de indenizações estabelecidos
individualmente para cada cobertura contratada. Na hipótese de a soma das
indenizações, decorrentes do mesmo fato gerador, atingir o LMG, a apólice
será cancelada.

Limite Máximo de Indenização (LMI) por Cobertura


Segundo esta cláusula, entende-se por Limite Máximo de Indenização o valor
fixado para cada uma das coberturas contratadas pelo segurado, que
representa o valor máximo a ser pago pela seguradora, em decorrência de
um sinistro ou série de sinistros garantidos por aquela cobertura, respeitado
o limite máximo de garantia da apólice.

Os limites máximos de indenização fixados são específicos de cada


cobertura, não sendo admissível a transferência de valores de uma
cobertura para outra.

Cláusula de Rescisão e Cancelamento do


Contrato de Seguro
Objetivo: fixar as regras de rescisão e cancelamento do contrato de seguro,
no todo ou em parte, consistindo, basicamente, nas seguintes situações:

• por inadimplemento do segurado;


• por perda de direito do segurado;
• por esgotamento do limite máximo de garantia da apólice;
• quando a indenização ou série de indenizações pagas atingirem o limite
máximo de indenização de uma determinada cobertura, o cancelamento
afetará apenas essa cobertura; e

UNIDADE 3 51
• pela concordância recíproca entre segurado e seguradora, por escrito,
caso em que o cancelamento será denominado rescisão, e, como
ocorre em outros ramos de seguro, na hipótese de rescisão a pedido da
seguradora, esta reterá do prêmio recebido, além dos emolumentos, a
parte proporcional ao tempo decorrido e, na hipótese de rescisão a pedido
do segurado, a seguradora reterá, além dos emolumentos, o prêmio
calculado de acordo com a Tabela de Prazo Curto.
Nos casos de rescisão que gerem restituição, os valores devidos a título
de devolução de prêmios, no caso de cancelamento do contrato,
serão pagos no prazo máximo de 10 dias e estão sujeitos à atualização
monetária.

Cláusula de Atualização de Valores


Contratados e Encargos Moratórios
Objetivo: definir que os Seguros Compreensivos devem ser contratados em
moeda corrente nacional (exceto no caso das operações contratadas em
moeda estrangeira, expressamente autorizadas nos termos da regulamentação
específica), observados alguns critérios para a atualização de valores como
os seguintes:

• as contratações com vigência igual ou inferior a 1 ano não poderão conter


cláusula de atualização de valores;

• o segurado, a qualquer tempo, poderá subscrever nova proposta ou solicitar


emissão de endosso, para alteração do limite da garantia contratualmente
previsto, ficando a critério da seguradora sua aceitação e alteração do
prêmio, quando couber; e

• o índice pactuado para a atualização de valores será o IPCA/IBGE ou o


índice que vier a substituí-lo.

Cláusula de Definições
Objetivo: explicitar as seguintes definições para os termos técnicos utilizados
no contrato de Seguro Compreensivo:

• agravação do risco – circunstâncias que aumentam a intensidade


ou a probabilidade da ocorrência do risco assumido pela seguradora,
independentemente ou não da vontade do segurado;

• ato doloso – ato intencional praticado no intuito de prejudicar a outrem;

• ato ilícito – toda ação ou omissão voluntária, negligência, imperícia ou


imprudência que viole direito alheio ou cause prejuízo a outrem;

• boa-fé – no contrato de seguro, é o procedimento absolutamente honesto


que têm o segurado e a seguradora, agindo ambos com total transparência,
isentos de vícios e convictos de que agem em conformidade com a lei;

• cobertura – garantia de compensação ao segurado, pelos prejuízos


decorrentes da efetivação do sinistro previsto no contrato de seguro;

52 SEGUROS COMPREENSIVOS
• emolumentos – conjunto de despesas adicionais que a seguradora cobra
do segurado, correspondente às parcelas de impostos e outros encargos
a que está sujeito o seguro;

• evento – toda e qualquer ocorrência ou acontecimento, decorrente de uma


mesma causa, passível de ser garantido por uma apólice de seguro;

• furto qualificado – subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel,


mediante destruição ou rompimento de obstáculo à subtração dos bens
segurados, desde que tenha deixado vestígios materiais inequívocos ou
tenha sido constatada por inquérito policial;

• furto simples – subtrair para si ou para outrem, coisa alheia móvel, sem
vestígios materiais de sua ocorrência;

• força maior – acontecimento inevitável e irresistível, ou seja, evento que


poderia ser previsto, porém não controlado ou evitado;

• greve – ajuntamento de mais de três pessoas da mesma categoria


ocupacional que se recusam a trabalhar ou a comparecer onde as chama
o dever;

• indenização – valor devido por força de sinistro coberto, não podendo


ultrapassar, em hipótese alguma, o limite máximo de indenização da
cobertura contratada e o limite máximo de garantia da apólice;

• lockout – cessação da atividade por ato ou fato do empregador;

• objeto do seguro – designação genérica de qualquer interesse segurado,


sejam coisas, pessoas, bens, responsabilidades, obrigações, direitos ou
garantias;

• roubo – subtração, para si ou para outrem, de coisa alheia móvel,


mediante grave ameaça ou emprego de violência contra pessoa, ou
depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de
resistência, quer pela ação física, quer pela aplicação de narcóticos ou
assalto à mão armada; e

• tumulto – ação de pessoas, com características de aglomeração, que


perturbe a ordem pública através da prática de atos predatórios, para cuja
repressão não haja necessidade de intervenção das Forças Armadas.

PRODUTOS E COBERTURAS
Os Seguros Compreensivos se dividem em:

• residencial;
• condominial (residencial, escritórios e consultórios, comercial, misto, flats
e apart-hotéis e shopping center); e
• empresarial, englobando os setores de serviços, comércio e indústria.

Esses seguros dispõem de uma grande gama de coberturas, porém sempre


será necessária a contratação da cobertura básica e, pelo menos, de uma
cobertura adicional.

UNIDADE 3 53
Vamos estudar, a partir de agora, essas 3 modalidades informando que o
que estamos aqui apresentando são as condições básicas desses seguros;
isto porque os Seguros Compreensivos são produtos que, praticamente,
todas as seguradoras desenvolveram e, desta forma, cada uma delas possui
características próprias com relação à amplitude de riscos cobertos. Um leque
de opções, franquias, assistência 24 h, taxas etc são produtos desenvolvidos
pelas seguradoras, mas sempre sustentados pelas condições básicas dos
Seguros Compreensivos.

Seguro Compreensivo Residencial


Este seguro é destinado a residências individuais, casas e apartamentos,
habituais ou de veraneios, amparando prédios e conteúdos existentes no
local indicado na apólice.

É comum não serem abrangidos os imóveis desocupados e os imóveis em


construção, reconstrução ou reforma.

No Seguro Residencial, todas as coberturas são concedidas a 1o Risco


Absoluto.

Entre as coberturas oferecidas, destacamos aquelas que podem ser consideradas


Importante as mais usuais de contratação e que estão contidas em praticamente qualquer
Repare que incêndio e queda de raio são produto disponível no mercado:
coberturas básicas no Ramo Incêndio
Tradicional; e da mesma forma nos • cobertura básica – a sua maioria é oferecida englobando os eventos de
seguros Compreensivos, a queda de raio
também tem amparo, devendo ter provas
incêndio, queda de raio e explosão de qualquer natureza;
inequívocas de sua queda dentro do
terreno segurado. • coberturas adicionais – são várias e dizem respeito às necessidades do
segurado. As principais e contidas em quase todos os produtos são:
Isso simplifi ca e agiliza o processo de
regulação de sinistros e ainda confere ao
produto uma flexibilização maior. – acidentes pessoais de empregados ou do próprio segurado;
– alagamento e inundação;
O risco de explosão nesses produtos é
mais abrangente do que o do Incêndio
– danos elétricos;
Tradicional, pois é de qualquer natureza – desmoronamento;
e também aqui pode ter ocorrido fora do – equipamentos eletrônicos/computação;
local segurado. – impacto de veículos;
– perda/pagamento de aluguel;
– quebra de vidros;
– queda de aeronaves;
– queimadas em zonas rurais;
– responsabilidade civil familiar;
– roubo e furto qualificado de bens;
– tumultos/greve/lockout; e
– vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo ou vento forte.

Além das coberturas básicas e adicionais, os seguros residenciais oferecem,


ainda, serviços de assistência domiciliar, também chamados de assistência
24 h, que podem ser utilizados em decorrência da efetivação de algum
risco previsto (sinistro) no contrato de seguro ou situações emergenciais.
Entre esses serviços, destacamos:

• acompanhante em caso de hospitalização;


• encanador (ou bombeiro hidráulico);
• chaveiro;
• despachante;

54 SEGUROS COMPREENSIVOS
• eletricista;
• guarda de animais domésticos;
• guarda de crianças;
• hospedagem;
• limpeza;
• remoção em caso de falecimento;
• remoção médica;
• retorno antecipado em caso de falecimento de parente próximo;
• segurança e vigilância;
• transmissão de mensagens urgentes;
• transporte e guarda de móveis; e
• transporte escolar.

Existem outros serviços que logicamente variam de produto para produto,


e que estão dia a dia sendo ampliados e/ou reformulados, dependendo da
necessidade e tendência do mercado.

Seguro Compreensivo Condomínio


O condomínio pode ser definido como uma edificação destinada a fins
residenciais ou não residenciais, onde existe um domínio de mais de uma Importante
pessoa simultaneamente, e todas com igual direito, de forma ideal, sobre Para quem possui o Seguro do Sistema
Financeiro de Habitação (SFH), a Resolução
partes comuns e privativas, ou seja, é a edificação que pertence a mais de uma CNSP n o 218, de 6 de dezembro de
pessoa, cabendo a cada uma delas igual direito, idealmente, sobre o todo e 2010, estabeleceu, no artigo 8 o, que
cada uma das partes. o Seguro Condomínio será considerado
a 2o Risco Absoluto, enquanto perdurar
o contrato de financiamento concedido,
É representado por edificação de um ou mais pavimentos construídos sob e desde que o referido contrato esteja
a forma de unidades autônomas, em que cada uma delas, para efeitos de amparado por seguro compulsório, dando
cobertura contra incêndio e outros riscos
identificação e discriminação, é assinalada por designação especial numérica
que possam causar a destruição total
ou alfabética. Cabe, ainda, a cada unidade autônoma, como parte inseparável, ou parcial do imóvel, garantindo a sua
uma fração ideal do terreno e coisas comuns. reposição integral.

A cobertura a 2o Risco Absoluto refere-se


Portanto, a contratação de seguro é obrigatória e deve amparar todos os apenas ao imóvel do mutuário, não
danos materiais que possam atingir a estrutura do edifício, incluindo as partes se aplicando às par tes comuns do
e instalações comuns, bem como as áreas privativas. condomínio.

Por lei, os mutuários SFH (Sistema Financeiro de Habitação) estão


desobrigados de participar no seguro coletivo (Seguro Condomínio) da
edificação, pois já suportam um seguro obrigatório que cobre as partes
comuns, de acordo com a fração ideal do mutuário, e a parte privativa.

O Seguro Compreensivo Condomínio se destina a condomínios verticais


e horizontais.
Atenção
Nesse tipo de seguro, entende-se por bens seguráveis a edificação ou conjunto Os conteúdos de propriedade dos
de edificações de um ou mais pavimentos constituídos de partes comuns e respectivos condôminos e/ou moradores
unidades autônomas, seus anexos, instalações elétricas e hidráulicas, assim das unidades autônomas não s ão
amparados neste seguro.
como tudo aquilo que componha suas construções (exceto fundações, alicerces
e o terreno) dentro do seu limite e em suas áreas comuns, como alpendres, área A lgumas s e gur ador as o f er e c em a
de lazer e garagens, bem como o conteúdo das áreas comuns, composto por garantia para os conteúdos das unidades
autônomas sob forma de cobertura
maquinismos, móvel, equipamentos; abrangendo, também, antenas coletivas e
adicional.
anúncios instalados no condomínio segurado ou no respectivo terreno.

UNIDADE 3 55
Em função da sua ocupação, os condomínios se classificam em:

• condomínios residenciais – aqueles compostos exclusivamente por


residências;

• condomínios de escritórios e consultórios – aqueles ocupados


exclusivamente por escritórios e/ou consultórios;

• condomínios mistos – aqueles ocupados por estabelecimentos comerciais


e residenciais;

• condomínios comerciais – aqueles nos quais prevalecem os estabelecimentos


comerciais;

• flats e apart-hotéis – aqueles cujas unidades autônomas se encontram em


regime de locação temporária sob administração de empresa constituída
para tal atividade, como as atividades de bares, restaurantes, áreas de
lazer e garagens; e

• shopping center – aqueles ocupados por estabelecimentos comerciais


e identificados como shopping center nos cadastros dos órgãos públicos
competentes.

Existem algumas exclusões para o enquadramento do edifício no Seguro


Condomínio, para as quais o seguro mais indicado seria o Empresarial.
Destacamos, assim:

• edifícios que não se caracterizem como condomínios por pertencerem


a um único proprietário, ou seja, aqueles cuja propriedade não seja
conjuntamente exercida com outros;

• edifícios-garagem; e

• edifícios que possuem as atividades comerciais com periculosidade do


risco incêndio elevada.

Quanto à forma de contratação dos seguros Condomínio, a Resolução do


CNSP 218 de 2010, estabelece, em seu artigo 5o, que a contratação do Seguro
Condomínio deverá ser feita obrigatoriamente a Primeiro Risco Absoluto.

No que se refere à Cobertura Básica, o Seguro Condomínio deverá ser oferecido


nas seguintes modalidades:

• Cobertura Básica Simples – com as coberturas de incêndio, queda de


raio dentro do terreno segurado e explosão de qualquer natureza; e

• Cobertura Básica Ampla – com coberturas para quaisquer eventos


que possam causar danos materiais ao imóvel segurado, exceto os
expressamente excluídos.

Isto significa que o condomínio, ao contratar a Cobertura Básica Ampla,


terá incluídos em seu elenco de riscos cobertos vários riscos que poderão ser
contratados como Coberturas Adicionais na Cobertura Básica Simples, como:
alagamento, desmoronamento, entre outros.

56 SEGUROS COMPREENSIVOS
Desta forma, relativamente à Cobertura Básica Simples, poderão ser
contratadas coberturas adicionais, de acordo com os riscos a que estiver sujeito
o condomínio segurado, para atendimento ao disposto no Decreto-Lei no 73
e nos artigos 1.346 e 1.348, da Lei no 10.406/2002 (Código Civil Brasileiro).

A importância segurada contratada é única para todas as garantias das


Coberturas Básicas, não podendo ser estabelecidos sublimites. Assim, se o
condomínio contratar a Cobertura Básica Simples deverá estabelecer uma
Importância Segurada única para os riscos de incêndio, raio e explosão e poderá
incluir outras coberturas como adicionais com os limites que achar adequados
(note que estes sublimites são para as coberturas adicionais incluídas como
vendaval, alagamento, desmoronamento).

Entretanto, se o condomínio optar pela contratação da Cobertura Básica


Ampla, a Importância Segurada escolhida será única para todos os riscos
que vierem a compor a citada Cobertura Básica, além dos riscos de incêndio,
raio e explosão. Estes riscos serão definidos pelas respectivas seguradoras ao
submeterem seus Planos de Seguro à SUSEP para a aprovação.

Em ambas as modalidades do Seguro Condomínio, poderão ser oferecidas,


adicionalmente, outras coberturas não obrigatórias, observada a legislação
em vigor.

A seguir, relacionamos alguns riscos que poderão vir a se constituir como


Coberturas Adicionais nos Seguros de Condomínio.

• coberturas adicionais
– acidentes pessoais de empregados;
– alagamento e inundação;
– anúncios luminosos;
– danos elétricos;
– derrame d’água/vazamento de sprinkler;
– desmoronamento;
– equipamentos eletrônicos/computação;
– impacto de veículos;
– quebra de vidros;
– queda de aeronaves;
– queimadas em zonas rurais;
– responsabilidade civil condomínio;
– responsabilidade civil guarda de veículos;
– responsabilidade civil síndico;
– roubo e furto qualificado de bens;
– tumultos/greve/lockout; e
– vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo ou vento forte.

UNIDADE 3 57
Da mesma forma que no Seguro Residencial, no Seguro Condomínio,
também, o segurado poderá contar com os serviços de assistência, como:

• encanador ou bombeiro hidráulico;


• chaveiro;
• eletricista;
• indicação de assessoramento jurídico emergencial;
• limpeza;
• reparo de antenas;
• segurança e vigilância;
• transmissão de mensagens urgentes;
• transporte e guarda de móveis; e
• zelador substituto.

Seguro Compreensivo Empresarial


O Seguro Empresarial se destina a pessoas jurídicas ou pessoas físicas que
tenham suas atividades nas áreas de prestação de serviços, comércio varejista
ou atacado, oficina, depósito e indústria.

No Seguro Empresarial, as coberturas adicionais são concedidas a 1o Risco


Absoluto. Já a cobertura básica poderá ser concedida a 1o Risco Absoluto
ou Relativo, dependendo do valor em risco do endereço segurado, a saber:

• valor em risco igual ou inferior a um determinado valor (usualmente


R$ 5.000.000,00) – a cobertura é concedida a 1o Risco Absoluto; e

• valor em risco superior a um determinado valor (usualmente


R$ 5.000.000,00) – a cobertura é concedida a 1o Risco Relativo.

Entre as coberturas, apresentamos aquelas que podem ser consideradas


possíveis para contratação em qualquer produto disponível no mercado:

• cobertura básica – na maior parte das vezes, é oferecida englobando os


eventos: incêndio, queda de raio e explosão de qualquer natureza;

• coberturas adicionais
– alagamento e inundação;
– anúncios luminosos;
– danos elétricos;
– derrame d’água/vazamento de sprinkler;
– desmoronamento;
– equipamentos eletrônicos/computação;
– impacto de veículos;
– lucros cessantes ou despesas fixas;
– perda/pagamento de aluguel;
– quebra de vidros;
– queda de aeronaves;
– queimadas em zonas rurais;
– responsabilidade civil;
– roubo e furto qualificado de bens;
– tumultos/greve/lockout;
– valores no interior do estabelecimento e em mãos de portadores; e
– vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo ou vento forte.

58 SEGUROS COMPREENSIVOS
Atualmente, os Seguros Compreensivos dominam nosso mercado de forma
que o antigo Seguro Incêndio Tradicional deixou de existir em todas as suas
modalidades.

Cada seguradora possui seu próprio Seguro Compreensivo, comercializado


através de corretores, que devem se inteirar sobre esses produtos, conhecerem
seus critérios operacionais e, acima de tudo, ter a prática de sua oferta e
confecção de propostas.

Os Seguros Compreensivos possuem diferentes características de seguradora


para seguradora de forma que, dependendo da necessidade do segurado,
nem sempre o custo mais econômico é o que melhor irá atendê-lo.

O corretor deve conhecer essas diferenças, conhecer seus clientes e, aí então,


apresentar o melhor produto e a maior abrangência securitária, de modo a
cumprir sua real função: a de prestar à sociedade a prática de orientar e assistir
na adequação de sua segurança.

EM RESUMO
Composição dos Principais Características Ramos ou Alguns Fatores para Taxação
Seguros Multirriscos dos Seguros Multirriscos Planos do Seguro dos Seguros Compreensivos

Compreensivos Contratação do seguro a


Seguros padronizados Perdas Normais Esperadas (PNE)
Residenciais Primeiro Risco Absoluto

Compreensivos Segmentação pela ocupação e Seguros não


Dano Máximo Provável (DMP)
Condominiais valores dos riscos padronizados

Compreensivos Redução das taxas em relação


Seguro singular Perda Máxima Possível (PMP)
Empresariais aos seguros convencionais

Conjugação de várias
coberturas
em uma só apólice

Estruturação modular

UNIDADE 3 59
60 SEGUROS COMPREENSIVOS
Fixando Conceitos 3

ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA


Anotações:
[1] As formas mais modernas de contratação de Seguros Patrimoniais são:

(a) Seguros Compreensivos e Seguro Incêndio Tradicional.


(b) Seguro Incêndio Tradicional e Seguros de Riscos Nomeados.
(c) Seguros de Riscos Nomeados, Seguro Incêndio Tradicional e Riscos
Operacionais.
(d) Seguros Compreensivos, Riscos Nomeados e Riscos Operacionais.
(e) Riscos Operacionais, Riscos Nomeados e Seguro Incêndio Tradicional.

[2] Visando otimizar o critério de taxação e análise de riscos, nos Seguros


Patrimoniais contratados sob a forma de Compreensivos, Nomeados e
Operacionais, além das disposições tarifárias constantes dos diversos ramos
e modalidades de seguro, os inspetores de risco também passaram a dedicar
especial atenção à(ao):

(a) Localização do imóvel a ser segurado.


(b) Ocupação ou atividade principal do segurado.
(c) Estudo potencial de perdas.
(d) Classe de construção da edificação.
(e) Proximidade do edifício segurado de aeroportos, rios, canais e lagoas.

[3] Um dos fatores analisados pelo inspetor de riscos, visando à taxação dos
Seguros Patrimoniais e que, geralmente, norteia a fixação, pelas seguradoras,
das franquias e das POS (participações obrigatórias dos segurados), por terem
quase sempre grande frequência e baixo custo de reparo, é conhecido como:

(a) VRA – Valor em Risco Apurado.


(b) PNE – Perdas Normais Esperadas.
(c) DMP – Dano Máximo Provável.
(d) PI – Período Indenitário.
(e) PMP – Perda Máxima Possível.

FIXANDO CONCEITOS 3 61
Fixando Conceitos 3

[4] Correlacione os fatores de análise do potencial de perdas com as respectivas


Anotações: definições:

Fator de Análise do Definição


Potencial de Perdas

1. PNE – Perdas Normais Esperadas ( ) São as perdas corriqueiras reparadas


pela equipe de manutenção e que,
geralmente, não interrompem a
produção.
2. DMP – Dano Máximo Provável ( ) Representa o que pode ocorrer
quando as condições desfavoráveis
se combinarem excepcionalmente
e os me ios de comb ate não
operarem.
3. PMP – Perda Máxima Possível ( ) Representa a ex tensão que o
evento pode atingir em condições
normais de atividade e com os
sistemas de proteção e combate
ao risco analisado do local em
funcionamento.

(a) 1–2–3
(b) 2–3–1
(c) 3–2–1
(d) 1–3–2
(e) 3–1–2

[5] O fator de análise de potencial de perdas, estabelecido pelo inspetor de


riscos, que, geralmente, auxilia o segurado na fixação da importância segurada
mínima, para que não sofra perdas, é conhecido como:

(a) VRA – Valor em Risco Apurado.


(b) PNE – Perdas Normais Esperadas.
(c) DMP – Dano Máximo Provável.
(d) PI – Período Indenitário.
(e) PMP – Perda Máxima Possível.

[6] O fator de análise de potencial de perdas, estabelecido pelo inspetor de


riscos, que, geralmente, auxilia o segurado na fixação da importância segurada
máxima, necessária à proteção dos bens segurados, chama-se:

(a) VRA – Valor em Risco Apurado.


(b) PNE – Perdas Normais Esperadas.
(c) DMP – Dano Máximo Provável.
(d) PI – Período Indenitário.
(e) PMP – Perda Máxima Possível.

62 SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL


Fixando Conceitos 3

[7] Assinale qual dos itens a seguir não é um requisito que deve ser atendido
para que se efetive uma indenização pelos Seguros Compreensivos: Anotações:

(a) Os riscos devem estar previstos no contrato de seguro para serem


cobertos.
(b) Os prejuízos devem ser devidamente comprovados.
(c) Todas as condições contratuais, inclusive as relativas a prazos, devem
ter sido respeitadas, exceto quanto ao pagamento do prêmio, que
poderá estar vencido e não pago tempestivamente.
(d) Perdas e danos devem ter ocorrido no endereço segurado, já que
nos Seguros Compreensivos a unidade de risco é o local ou endereço
segurado.
(e) Para o pagamento das indenizações, será respeitada a importância
segurada de cada cobertura, e a indenização total não poderá exceder
à importância segurada total da apólice.

[8] Nos Seguros Compreensivos, a unidade de risco segurada abrange:

(a) Todos os maquinismos, móveis e utensílios do segurado.


(b) Todas as mercadorias e matérias-primas do segurado.
(c) O local ou endereço segurado.
(d) O edifício e as matérias-primas.
(e) O endereço do local de trabalho do segurado.

[9] Os Seguros Compreensivos são divididos nos seguintes ramos ou planos


de seguro:

(a) Residenciais e Condominiais.


(b) Residenciais e Empresariais.
(c) Condominiais, Nomeados e Residenciais.
(d) Empresariais, Condominiais e Residenciais.
(e) Residenciais, Empresariais, Condominiais e Nomeados.

ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA

[10] Assinale a alternativa que contém um interesse não excluído do seguro


pela Cláusula de Bens ou Interesses Não Garantidos, das condições gerais dos
Seguros Compreensivos padronizados:

(a) Aeronaves.
(b) Plantações.
(c) Animais vivos.
(d) Antenas parabólicas.
(e) Árvores.

FIXANDO CONCEITOS 3 63
Fixando Conceitos 3

[11] Analise as proposições a seguir, considerando a Cláusula de Riscos Cobertos


Anotações: das condições gerais dos Seguros Compreensivos padronizados:

I) Se o risco causador do sinistro estiver simultaneamente amparado por


várias coberturas, não será admitida a acumulação de coberturas, e seus
respectivos limites máximos de indenização contratados para indenizar
ao segurado.
II) Será considerada uma única ocorrência os danos múltiplos e/ou sucessivos
associados a diversos fatos geradores, sem que haja possibilidade de
individualizá-los, ou seja, de estabelecer perfeitamente a relação de causa
e efeito entre eles.
III) As despesas de socorro e salvamento não estarão amparadas pela
respectiva cobertura de seguro.
IV) Se o risco causador do sinistro estiver simultaneamente amparado por várias
coberturas, prevalecerá aquela que for mais favorável à seguradora.

Agora assinale a opção correta:

(a) Somente as proposições I e II estão corretas.


(b) Somente as proposições II e IV estão corretas.
(c) As proposições I, III e IV estão corretas.
(d) As proposições II, III e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

[12] Assinale com V as afirmativas verdadeiras e com F as falsas, considerando


as disposições da Cláusula de Limites das Condições Gerais dos Seguros
Compreensivos padronizados:

( ) Essa cláusula define o significado dos termos Limite Máximo de Garantia


(LMG) e Limite Máximo de Indenização (LMI), adotados nos Seguros
Compreensivos.
( ) Através dessa cláusula fica estabelecido que o limite máximo da garantia
do seguro é o valor fixado pela seguradora, que representa o valor
máximo a ser pago pela apólice em função da ocorrência, durante a
vigência do seguro, de um ou mais sinistros resultantes do mesmo fato
gerador, abrangendo uma ou mais coberturas contratadas.
( ) Segundo essa cláusula, entende-se por limite máximo de indenização o
valor fixado para cada uma das coberturas contratadas pelo segurado,
além de representar o valor máximo a ser pago pela seguradora em
decorrência de um sinistro ou série de sinistros garantidos por aquela
cobertura, respeitado o limite máximo de garantia da apólice.
( ) Essa cláusula estabelece que os limites máximos de indenização fixados
são específicos de cada cobertura, não sendo admissível a transferência
de valores de uma cobertura para outra.

Assinale a opção correta:

(a) F,V,V,V
(b) V,F,V,F
(c) F,V,F,F
(d) V,V,V,V
(e) F,F,V,F

64 SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL


Fixando Conceitos 3

[13] Correlacione os termos constantes da cláusula de definições das condições


gerais dos Seguros Compreensivos padronizados com os respectivos Anotações:
significados:

Termo Definição/Significado
1. Ato doloso ( ) Toda ação ou omissão voluntária, negligência,
imperícia ou imprudência que viole direito alheio ou
cause prejuízo a outrem.
2. Lockout ( ) Acontecimento inevitável e irresistível, ou seja, evento
que poderia ser previsto, porém não controlado ou
evitado.
3. Ato ilícito ( ) Cessação da atividade por ato ou fato do empregador.
4. Força maior ( ) Ato intencional praticado no intuito de prejudicar a
outrem

(a) 1–2–3–4
(b) 2–3–1–4
(c) 3–4–1–2
(d) 4–3–2–1
(e) 3–4–2–1

[14] De acordo com a cláusula de definições das condições gerais dos Seguros
Compreensivos padronizados, o conjunto de despesas adicionais que a
seguradora cobra do segurado, correspondente às parcelas de impostos e
outros encargos a que está sujeito o seguro, é denominado:

(a) Prêmio estatístico.


(b) Emolumentos.
(c) Valor matemático do risco.
(d) Impostos.
(e) Carregamento de segurança.

[15] Assinale qual das formas de cancelamento citadas a seguir não está
prevista na Cláusula de Rescisão e Cancelamento do Contrato de Seguro das
condições gerais dos Seguros Compreensivos padronizados:

(a) Inadimplemento do segurado.


(b) Perda de direito do segurado.
(c) Esgotamento do limite máximo de garantia da apólice.
(d) Rescisão unilateral da seguradora, sem a concordância recíproca do
segurado.
(e) Quando a indenização ou série de indenizações pagas atingirem
o limite máximo de indenização de uma determinada cobertura, o
cancelamento afetará apenas essa cobertura.

FIXANDO CONCEITOS 3 65
Fixando Conceitos 3

[16] De acordo com a Cláusula de Rescisão e Cancelamento do Contrato


Anotações: de Seguro das condições gerais dos Seguros Compreensivos padronizados,
nos casos de rescisão que gerem restituição, os valores devidos a título de
devolução de prêmios, no caso de cancelamento do contrato, serão pagos
no prazo máximo de:

(a) 10 dias sem atualização monetária.


(b) 10 dias e sujeitos à atualização monetária.
(c) 15 dias sem previsão de atualização monetária.
(d) 30 dias sem previsão de atualização monetária.
(e) 30 dias com previsão de atualização monetária.

[17] A subtração, para si ou para outrem, de coisa alheia móvel, mediante


grave ameaça ou emprego de violência contra pessoa, ou depois de havê-la,
por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência, quer pela
ação física, quer pela aplicação de narcóticos ou assalto à mão armada, é a
definição de:

(a) Roubo.
(b) Extravio.
(c) Furto simples.
(d) Furto qualificado.
(e) Apropriação indébita.

66 SEGUROS DE RESPONSABILIDADE CIVIL GERAL


4
COBERTURAS DOS
SEGUROS COMPREENSIVOS
PADRONIZADOS

Após ler esta unidade, você deve ser capaz de:


• Entender todas as características da cobertura de Incêndio, de Equipamentos, Danos Elétricos,
Vendaval/Fumaça, Alagamento e Inundação, Roubo de Valores, Roubo de Bens, Responsabilidade
Civil, Tumultos, Derrame/Vazamentos, Quebra de Vidros e Anúncios Luminosos, Desmoronamento
e Desentulho.

UNIDADE 4 67
68 SEGUROS COMPREENSIVOS
A
SUSEP, ao padronizar e disponibilizar as cláusulas de contratação dos
Seguros Compreensivos para o mercado, através da Circular 321,
de 21/03/2006, dividiu as coberturas em 12 grupos distintos e forneceu
os modelos das cláusulas que deveriam ser adotadas pelas seguradoras,
porém estabeleceu algumas regras para a sua adoção, das quais destacamos
as seguintes:

• a estrutura da apólice é modular, e é obrigatória a contratação de uma


cobertura básica e pelo menos mais uma cobertura adicional ou acessória,
sendo que, nos Seguros Compreensivos Padronizados, a cobertura básica
não precisa necessariamente ser a mesma utilizada no Seguro Incêndio
Tradicional, que cobre os riscos de incêndio, queda de raio e explosão;

• para operar com os Seguros Compreensivos padronizados, além de adotar


as cláusulas de cobertura padronizadas, as seguradoras devem observar a
estruturação mínima dos planos de seguro prevista em legislação específica
da SUSEP e enviar previamente àquele órgão o critério tarifário que adotará
para cada cobertura, através de Nota Técnica Atuarial;

• poderão ser incluídas nos Seguros Compreensivos Padronizados, outras


coberturas que não as citadas pela SUSEP, bem como se alterar as
coberturas padronizadas, mediante a submissão prévia à SUSEP dos textos
que se pretende adotar;

• as coberturas de Responsabilidade Civil somente poderão ser incluídas se


houver a contratação simultânea de cobertura do Grupo Incêndio;

• a inclusão de coberturas dos Ramos Lucros Cessantes, Riscos de Engenharia


e Responsabilidade Civil devem ser objeto de processo específico junto à
SUSEP; e

• no caso de Seguros de Pessoas, somente será admitida a inclusão da


cobertura de Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas (DMH).
Contudo, se a seguradora desejar incluir outras coberturas do Ramo de
Seguro de Pessoas, deverá submetê-las à SUSEP, através de processos
separados e específicos.

Chamamos novamente atenção para eventuais diferenças entre coberturas


básicas e/ou adicionais dos diversos produtos disponíveis no mercado. Coberturas Iguais?
Portanto, as necessidades de cada segurado devem ser avaliadas conforme Sim. Note-se que, em muitos casos, as
coberturas citadas podem ser iguais ou
as especificações de cada um deles. apenas com algumas variações em relação
às coberturas de mesmo nome existentes
A seguir, fornecemos a relação dos grupos e respectivas coberturas criados nos ramos ou modalidades de seguro de
onde se originaram, como Equipamentos
pela SUSEP para os Seguros Compreensivos Padronizados, seus objetivos, seus Móveis, do Ramo Riscos Diversos,
principais riscos cobertos e riscos excluídos. Incêndio, do Ramo Incêndio Tradicional,
e assim sucessivamente.

UNIDADE 4 69
GRUPO 1 – INCÊNDIO
Através desse grupo, a SUSEP disponibiliza 11 tipos de coberturas diferentes,
que são formadas a partir das coberturas básicas e adicionais ou acessórias,
do Ramo Incêndio Tradicional, com a inclusão ou a exclusão de um ou mais
riscos previstos nas coberturas originais.

Cobertura 01.01 – Incêndio


Objetivo: esta cobertura é similar à cobertura básica dos Seguros Incêndio
Tradicional, ou seja, abrange as perdas e danos materiais decorrentes de:

a) incêndio;
b) queda de raio ocorrido dentro da área do terreno ou edifício onde estiverem
localizados os bens segurados;
c) explosão de gás empregado em aparelhos de uso doméstico, desde que
ocorrido dentro da área do terreno ou edifício onde estiverem localizados
os bens segurados, contanto que o gás não tenha sido gerado no(s)
local(is) segurado(s) ou que este(s) não faça(m) parte de qualquer fábrica
de gás;
d) desmoronamento diretamente resultante de riscos cobertos;
e) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior;
f) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos; e
g) deterioração dos bens segurados guardados em ambientes refrigerados,
resultante exclusivamente de paralisação do aparelhamento de
refrigeração, em decorrência dos riscos cobertos e ocorridos dentro
da área do estabelecimento segurado.

Riscos Excluídos
Os principais riscos excluídos são:

a) incêndio decorrente de tumultos, greves e lockout ou de queimadas em


zonas rurais;
b) extravio, roubo ou furto, ainda que, direta ou indiretamente, tenham
concorrido para tais perdas quaisquer dos riscos cobertos por essa
cobertura;
c) fermentação ou combustão espontânea;
d) terremoto, erupção vulcânica, alagamento, inundação ou qualquer outra
convulsão da natureza, exceto os prejuízos decorrentes de incêndio ou
explosão de gás empregado em uso doméstico (definida na alínea “c”
do item 1 desta cobertura), desde que causados por vendaval, furacão,
ciclone, tornado ou granizo;
e) explosão ou implosão de qualquer causa, exceto a explosão de gás
empregado em uso doméstico (definida na alínea “c” do item 1 dessa
cobertura);
f) danos elétricos; e
g) queda de aeronaves e/ou outros engenhos aéreos ou espaciais, bem como
quaisquer objetos integrantes deles ou por eles transportados.

70 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 01.02 – Incêndio e Explosão de
Qualquer Natureza
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados na Cobertura 01.01
citada e mais a explosão ou implosão de qualquer natureza, onde quer que
se tenha originado.

No que se refere aos principais riscos excluídos, a cobertura também se


assemelha à anterior, incluindo, entretanto, como risco coberto os riscos
enumerados no item “e) explosão ou implosão de qualquer causa, exceto a
explosão de gás empregado em uso doméstico”.

Cobertura 01.03 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos)
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados na Cobertura 01.01
citada e mais o incêndio decorrente de tumultos, greves e lockout.

No que se refere aos principais riscos excluídos, a cobertura também se


assemelha à Cobertura 01.01 incluindo, entretanto, como risco coberto o
incêndio decorrente de tumultos, greves e lockout, como citado acima.

Cobertura 01.04 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos) e Explosão
de Qualquer Natureza
Objetivo: esta cobertura é uma fusão das Coberturas 01.02 e Cobertura 01.03
citadas anteriormente.

Assim, além dos riscos cobertos previstos na Cobertura 01.01, essa cobertura
cobre os riscos de explosão ou implosão de qualquer natureza, onde quer
que tenha se originado e mais o incêndio decorrente de tumultos, greves
e lockout.

No que se refere aos principais riscos excluídos, a cobertura também se


assemelha à Cobertura 01.01.

Cobertura 01.05 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos), Explosão de
Qualquer Natureza e Queda de Aeronaves
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados na Cobertura
01.04 citada e mais os danos provocados pela queda de aeronaves e/ou outros
engenhos aéreos ou espaciais, bem como quaisquer objetos integrantes deles
ou por eles transportados.

No que se refere aos principais riscos excluídos, a cobertura também se


assemelha à Cobertura 01.01 incluindo, entretanto, como risco coberto a
explosão de qualquer causa, o incêndio decorrente de tumultos, greves e
lockout, e a queda de aeronaves e/ou outros engenhos aéreos ou espaciais,
bem como quaisquer objetos integrantes deles ou por eles transportados.

UNIDADE 4 71
Cobertura 01.06 – Incêndio (Inclusive
Decorrente de Tumultos), Explosão de
Qualquer Natureza, Queda de Aeronaves
e Fumaça
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados na Cobertura
01.05 citada e mais os danos provocados pela fumaça proveniente,
exclusivamente, de desarranjo imprevisível, repentino e extraordinário no
funcionamento de qualquer aparelho, máquina, câmara ou forno existentes
no edifício segurado, desde que estejam conectados a uma chaminé por
um cano condutor de fumo.

Cobertura 01.07 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos e de Queimadas
em Zonas Rurais), Explosão de Qualquer
Natureza, Queda de Aeronaves e Fumaça
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados na Cobertura 01.06
citada e mais os danos provocados pelas queimadas em zonas rurais.

Cobertura 01.08 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos), Explosão de
Qualquer Natureza e Fumaça
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e danos materiais decorrentes de:

a) incêndio, inclusive aqueles decorrentes de tumultos, greves e lockout;


b) queda de raio ocorrido dentro da área do terreno ou edifício onde estiverem
localizados os bens segurados;
c) explosão ou implosão de qualquer natureza, onde quer que tenha se
originado;
d) fumaça proveniente, exclusivamente, de desarranjo imprevisível, repentino
e extraordinário no funcionamento de qualquer aparelho, máquina, câmara
ou forno existentes no edifício segurado, desde que estejam conectados
a uma chaminé por um cano condutor de fumo;
e) desmoronamento diretamente resultante de riscos cobertos;
f) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior;
g) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos; e
h) deterioração dos bens segurados guardados em ambientes refrigerados,
resultante exclusivamente de paralisação do aparelhamento de refrigeração,
em decorrência dos riscos cobertos e ocorridos dentro da área do
estabelecimento segurado.

72 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 01.09 – Incêndio, Explosão de
Qualquer Natureza e Queda de Aeronaves
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e danos materiais decorrentes de:

a) incêndio;
b) queda de raio ocorrido dentro da área do terreno ou edifício onde estiverem
localizados os bens segurados;
c) explosão ou implosão de qualquer natureza, onde quer que tenha se
originado;
d) queda de aeronaves e/ou outros engenhos aéreos ou espaciais, bem como
quaisquer objetos integrantes deles ou por eles transportados;
e) desmoronamento diretamente resultante de riscos cobertos;
f) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior;
g) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos; e
h) deterioração dos bens segurados guardados em ambientes refrigerados,
resultante exclusivamente de paralisação do aparelhamento de
refrigeração, em decorrência dos riscos cobertos e ocorridos dentro
da área do estabelecimento segurado.

Cobertura 01.10 – Incêndio (Inclusive


Decorrente de Tumultos e de Queimadas
em Zonas Rurais) e Explosão de Qualquer
Natureza
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e danos materiais decorrentes de:

a) incêndio, inclusive aqueles decorrentes de tumultos, greves e lockout ou de


queimadas em zonas rurais;
b) queda de raio ocorrido dentro da área do terreno ou edifício onde estiverem
localizados os bens segurados;
c) explosão ou implosão de qualquer natureza onde quer que se tenha
originado;
d) desmoronamento diretamente resultante de riscos cobertos;
e) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior;
f) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos; e
g) deterioração dos bens segurados guardados em ambientes refrigerados,
resultante exclusivamente de paralisação do aparelhamento de
refrigeração, em decorrência dos riscos cobertos e ocorridos dentro
da área do estabelecimento segurado.

Cobertura 01.11 – Incêndio Resultante de


Queimadas em Zonas Rurais
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais causados aos
bens descritos na apólice diretamente causados por incêndio em florestas,
matas, prados, pampas, juncais ou semelhantes, quer a queima tenha sido
fortuita, quer tenha sido ateada para limpeza por fogo.

UNIDADE 4 73
GRUPO 2 – EQUIPAMENTOS
Neste grupo, a SUSEP incluiu diversas coberturas que se assemelham às modalidades
de seguro dos Ramos Riscos Diversos e Riscos de Engenharia.

Cobertura 02.01 – Equipamentos


Eletrônicos e/ou de Baixa Voltagem
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais causados aos
equipamentos eletrônicos e/ou de baixa voltagem, decorrentes de eventos
de origem externa, caracterizados por:

a) danos durante o translado no interior do estabelecimento, montagem ou


desmontagem para fins de limpeza e/ou revisão;

b) despesas extraordinárias comprovadas, inclusive locação, em caso de


impossibilidade de reposição imediata dos equipamentos danificados
em decorrência de um evento coberto por essa garantia. No caso
de locação para reposição temporária, tais equipamentos não constituirão
objeto da referida garantia;
c) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior; e
d) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos.

Para efeito dessa cobertura, entende-se por equipamentos eletrônicos as


máquinas ou equipamentos que utilizem transistores e/ou circuitos impressos e
conectados à rede elétrica (110V ou 220V), e usem a eletricidade para realizar
funções que não seja a transformação em calor, frio ou movimento, isto é,
que não transforme energia elétrica em energia mecânica ou térmica.

Podemos também entender como Equipamento Eletrônico, aquele capaz de


transformar energia em sinais, instruções e comandos.

Riscos Excluídos e Bens Não Compreendidos no Seguro


Esta cobertura não garante os prejuízos causados por:

a) cabos de alimentação de energia elétrica que não façam parte integrante


do equipamento segurado;
b) cabos externos de transmissão de dados entre equipamentos instalados
em prédios distintos;
c) quaisquer dispositivos ou equipamentos auxiliares que não estejam
conectados aos bens segurados;
d) materiais auxiliares e peças consumíveis, exceto quando façam parte
integrante de um equipamento que sofra danos cobertos por essa
garantia;
e) operações de transporte e/ou transladação dos equipamentos fora do
endereço especificado como local de risco;
f) deficiência ou interrupção de serviços de suprimento de gás, água,
eletricidade e ar condicionado;
g) danos originados pelo desligamento ou religamento abrupto, bem
como utilização inadequada, forçada ou fora das condições e padrões
recomendados pelo fabricante;

74 SEGUROS COMPREENSIVOS
h) equipamentos que componham o estoque e sejam enquadrados como
mercadorias;
i) perda de dados e gravações armazenados ou processados ou em
processamento; e
j) softwares de qualquer natureza.

Cobertura 02.02 – Equipamentos Portáteis


Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais, decorrentes
de quaisquer eventos de origem externa, inclusive explosão, roubo e furto
qualificado, bem como os danos decorrentes de operações de transporte
dos equipamentos portáteis de propriedade do segurado fora dos locais
segurados, quando conduzidos por prepostos ou empregados do segurado,
fora dos locais citados na apólice e em território nacional.

Além disso, estarão cobertas as perdas e danos decorrentes:

a) da impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de


força maior; e
b) das providências tomadas para o combate à propagação dos riscos
cobertos.

Para efeito dessa cobertura, entende-se por equipamentos portáteis:


caixas de ferramentas, equipamentos para testes e outros semelhantes,
necessários à execução de serviços externos de reparo ou manutenção
pelos prepostos ou empregados do segurado e exclusivamente enquanto
de posse desses equipamentos.

Principais Riscos Excluídos e Bens Não Compreendidos


no Seguro
Essa cobertura não garante, dentre outros, os prejuízos causados por:

a) movimentação ou transporte do equipamento segurado como carga,


por empresa transportadora;
b) danos elétricos, salvo se ocorrer incêndio, caso em que serão indenizáveis
somente os prejuízos causados pelo incêndio consequente;
c) roubo e furto dos equipamentos do interior de veículo, salvo se o próprio
veículo for roubado;
d) operações dos equipamentos segurados em obras subterrâneas ou
escavações de túneis;
e) operações dos equipamentos segurados sobre cais, docas, pontes,
comportas, píeres, balsas, pontões, embarcações, plataformas (flutuantes
ou fixas) e estaqueamentos sobre água ou em praias, margens de rios,
represas, canais, lagos e lagoas;
f) transladação dos equipamentos segurados entre locais de operação por
helicópteros;
g) equipamentos que se caracterizem como mercadoria do segurado; e
h) operações de içamentos dos equipamentos segurados ainda que dentro
dos locais de operação.

UNIDADE 4 75
Cobertura 02.03 – Equipamentos
Arrendados ou Cedidos a Terceiros
Objetivo: além dos prejuízos decorrentes da impossibilidade de remoção ou
proteção dos salvados, por motivos de força maior e das providências tomadas
para o combate à propagação dos riscos cobertos, esta cobertura garante
as perdas e/ou danos materiais de origem súbita e imprevista causados aos
equipamentos de propriedade do segurado descritos na apólice, quando
arrendados e/ou cedidos a terceiros, por quaisquer acidentes decorrentes
de causa externa, inclusive incêndio, raio e explosão de qualquer natureza,
roubo e furto qualificado.

Esta cobertura abrange os equipamentos segurados quando nos locais de


operação ou de guarda, assim como a sua transladação fora do(s) local(is)
segurado(s), por qualquer meio de transporte adequado (exceto danos aos
veículos transportadores).

Cobertura 02.04 – Equipamentos


Cinematográficos, Fotográficos e de
Televisão Operados Exclusivamente em
Estúdio e Laboratórios ou Depositados
em Local Determinado
Objetivo: esta cobertura é semelhante à cobertura restrita para equipamentos
cinematográficos, fotográficos e de televisão do Ramo Riscos Diversos, e
garante os prejuízos decorrentes da impossibilidade de remoção ou proteção
dos salvados por motivos de força maior; as providências tomadas para o
combate à propagação dos riscos cobertos e as perdas e/ou danos materiais
aos bens segurados, de causa externa, que ocorrerem dentro das dependências
do estúdio, laboratório ou depósito, local que deverá estar expressamente
declarado na apólice.

Cobertura 02.05 – Equipamentos


Cinematográficos, Fotográficos e de
Televisão Operados Exclusivamente
em Estúdio, Laboratórios ou Reportagens
Externas
Objetivo: esta cobertura é semelhante à cobertura ampla para equipamentos
cinematográficos, fotográficos e de televisão do Ramo Riscos Diversos,
e garante os prejuízos decorrentes da impossibilidade de remoção ou
proteção dos salvados por motivos de força maior; as providências tomadas
para o combate à propagação dos riscos cobertos e as perdas e/ou danos
materiais aos bens segurados, de causa externa, que ocorrerem dentro das
dependências do estúdio, laboratório ou depósito, indicado na apólice ou
em reportagens externas.

76 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 02.06 – Equipamentos Móveis
Objetivo: a exemplo da modalidade de Seguro Equipamentos Móveis, do
Ramo Riscos Diversos, esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais
causados aos equipamentos móveis descritos na apólice, por quaisquer
acidentes decorrentes de causa externa, enquanto estiverem nos canteiros de
obras ou locais de trabalho, considerando-se, também, como tais, propriedades
agrícolas e/ou locais de guarda, assim como sua transladação fora desses
lugares, por autopropulsão ou qualquer meio de transporte adequado.

Para efeito dessa cobertura, consideram-se equipamentos móveis: equipamentos


de nivelamento, escavação, compactação de terra, concretagem e asfaltamento,
estaqueamento, britagem, solda, sucção e recalque, compressores, geradores,
guinchos, guindastes, empilhadeiras e outros de características semelhantes.

Cobertura 02.07 – Equipamentos Móveis –


Viagens de Entrega
Objetivo: esta cobertura opera de forma igual à modalidade de Seguro
Equipamentos Móveis (Viagens de Entrega), do Ramo Riscos Diversos,
abrangendo uma única viagem. Os riscos cobertos e excluídos são iguais aos
da Cobertura de Equipamentos Móveis precedente.

A cobertura desta garantia refere-se exclusivamente aos danos ocorridos no


equipamento, em uma única viagem, a de entrega, do local de origem ao destino,
e desde que o traslado do equipamento ocorra por locomoção própria.

Cobertura 02.08 – Equipamentos em


Exposição – Excluído Risco de Transporte
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais, causados
aos equipamentos durante o período de permanência no recinto da exposição,
diretamente causados por:

a) incêndio, raio ou explosão, desde que ocorrido dentro da área da


exposição;
b) roubo parcial ou total dos bens segurados, mediante o emprego
de quaisquer formas de violência, bem como os danos decorrentes da
tentativa do delito, devidamente caracterizada;
c) enchentes, inundações e alagamentos; terremotos ou tremores de terra;
vendaval, furacão, ciclone, tornado e granizo; queda de aeronaves ou
objetos que formem parte integrante delas ou sejam por elas conduzidos;
impacto de veículos, máquinas ou qualquer outro equipamento utilizado
na área da exposição;
d) desmoronamento total ou parcial das áreas construídas ou dos stands;
e) tumultos, motins e riscos congêneres, inclusive atos culposos ou dolosos
praticados por terceiros;
f) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior; e
g) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos.

Para efeito dessa cobertura, consideram-se equipamentos em exposição:


equipamentos, máquinas, veículos, utilidades domésticas, peças e acessórios,
quando expostos em feiras e/ou exposições temporárias (até o máximo de
180 dias), sendo permitida a inclusão dos stands e respectivas instalações
(móveis e utensílios).

UNIDADE 4 77
Cobertura 02.09 – Equipamentos em
Exposição – Incluído Risco de Transporte
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos da cobertura anterior
02.08 e mais os riscos de transporte dos equipamentos segurados para o
recinto da exposição e transporte de retorno ao local de origem, desde que
utilizados meios de transporte pertencentes a linhas regulares de navegação
marítima ou aérea, vagões ferroviários ou veículos devidamente licenciados,
unicamente no território nacional.

Cobertura 02.10 – Equipamentos


Estacionários
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais causados aos
equipamentos estacionários descritos na apólice, por quaisquer acidentes
decorrentes de causa externa.

Para efeito dessa cobertura, consideram-se equipamentos estacionários as


máquinas e/ou equipamentos industriais e comerciais de “tipo fixo”, quando
instalados para operação permanente em local determinado, de propriedade
do segurado ou sob seu controle, compreendendo os equipamentos:

a) de contabilidade, processamento de dados, trabalhos normais de escritório,


xerografia, fotocópia, transmissão e recepção de radiofrequência e telefonia
(excluídos postes, mastros, linhas de transmissão e antenas ao ar livre),
telex, raio X de uso médico e odontológico; e
b) máquinas e equipamentos industriais, comerciais e agrícolas para uso em
ferramentaria, serralheria, carpintaria ou marcenaria, fiação, tecelagem,
tipografia, clicheria, motores, compressores, geradores, alternadores,
transformadores, misturadores, debulhadeiras, enfardadeiras, ensacadeiras,
picadeiras e outros equipamentos para preparo e embalagem de rações,
cereais, conservas e bebidas.

Principais Riscos Excluídos


Entre os riscos excluídos por essa cobertura, destacamos os seguintes:

a) incêndio, raio e explosão de qualquer natureza e suas consequências; e


b) alagamento e inundação.

Cobertura 02.11 – Equipamentos em


Operações sobre Água
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais causados aos
equipamentos descritos na apólice, em operações sobre água, por quaisquer
acidentes decorrentes de causa externa.

Para efeito dessa cobertura, consideram-se equipamentos sobre água:

a) equipamentos de pesquisa submersa, como: registradores de ondas,


correntes, temperatura e salinidade;
b) equipamentos de varredura fixados à embarcação e com partes submersas
como: ecobatímetros, sonares e similares;

78 SEGUROS COMPREENSIVOS
c) equipamentos de pesquisa, registro e comunicação como: teodolitos,
telurômetros, goniômetros, transceptores, trisponders e similares; e
d) equipamentos de trabalho como: guindastes, geradores, compressores,
equipamentos de soldas e outros.

Fica entendido e acordado que a presente cobertura abrange os


equipamentos segurados nos locais de operações e de guarda, assim como
sua transladação para fora de tais locais por autopropulsão ou por qualquer
meio de transporte adequado.

Principais Riscos Excluídos


Entre os riscos excluídos por essa cobertura destacamos os seguintes:

a) quaisquer operações de içamento dos equipamentos segurados, ainda


que dentro do canteiro de obras ou local de guarda;
b) sobrecarga, isto é, por carga cujo peso exceda a capacidade normal de
operação dos equipamentos segurados;
c) estouros, cortes e outros danos causados a pneumáticos ou câmaras
de ar, bem como arranhões em superfícies polidas ou pintadas, salvo se
resultarem de evento garantido por essa cobertura;
d) danos elétricos;
e) transladação dos equipamentos segurados entre áreas de operação ou
locais de guarda, por helicópteros; e
f) operação dos equipamentos segurados em obras subterrâneas ou
escavações de túneis.

Cobertura 02.12 – Equipamentos de Som e


Instrumentos Musicais
Objetivo: esta cobertura garante as perdas e/ou danos materiais causados
aos equipamentos de som e instrumentos musicais descritos na apólice, por
quaisquer acidentes decorrentes de causa externa.

Essa cobertura estende a garantia do seguro aos bens segurados quando em


depósito, em uso ou em trânsito no território brasileiro.

Principais Riscos Excluídos


Entre os riscos excluídos por essa cobertura destacamos os seguintes:

a) acondicionamento inadequado dos aparelhos segurados durante depósito


ou transporte;
b) utilização inadequada dos aparelhos segurados, seja por funcionamento
em condições impróprias, seja por uso excessivo em relação à sua
capacidade normal de trabalho; e
c) curto-circuito, sobrecarga, fusão ou outros distúrbios elétricos causados
aos dínamos, alternadores, motores, transformadores, condutores, chaves
e demais acessórios elétricos, salvo se ocorrer incêndio, caso em que serão
indenizáveis somente os prejuízos causados pelo incêndio consequente.

UNIDADE 4 79
GRUPO 3 – DANOS ELÉTRICOS
Esta cobertura tem sua origem no Ramo Incêndio Tradicional.

Objetivo: essa cobertura garante as perdas e/ou danos físicos diretamente


causados a quaisquer máquinas, equipamentos ou instalações eletrônicas ou
elétricas devido a variações anormais de tensão, curto-circuito, arco voltaico,
calor gerado acidentalmente por eletricidade, descargas elétricas, eletricidade
estática ou qualquer efeito ou fenômeno de natureza elétrica, inclusive a queda
de raio ocorrida fora do local segurado.

Riscos Excluídos
Os riscos excluídos por essa cobertura são os seguintes:

a) danos elétricos decorrentes de causa mecânica;


b) perda de dados, instruções eletrônicas ou software de sistemas
computacionais;
c) danos em consequência de curto-circuitos causados por água de chuva
ou de vazamento da rede hidráulica ou de esgoto originados no local do
risco, alagamento, inundação, ressaca ou maremoto;
d) sobrecarga, isto é, por carga ou operação que exceda a capacidade
normal de operação dos bens segurados, exceto por variação anormal de
tensão;
e) inadequação ou insuficiência de demanda de energia elétrica instalada
no local do risco;
f) desligamento intencional de dispositivo de segurança ou de controles
automáticos;
g) danos decorrentes da interrupção/falha no fornecimento de energia
por parte da geradora ou distribuidora do serviço, mesmo que a
interrupção/falha seja programada; e
h) danos a mercadorias e matérias-primas, inclusive acondicionadas em
ambientes frigorificados.

GRUPO 4 – VENDAVAL/QUEDA
DE AERONAVE/IMPACTO DE
VEÍCULO/GRANIZO/FUMAÇA
Objetivo: esta cobertura, de forma semelhante à cobertura adicional de
mesmo nome adotada no Seguro Incêndio Tradicional e citada anteriormente,
visa garantir as perdas e danos causados aos bens segurados diretamente por
vendaval, furacão, ciclone, tornado, granizo, queda de aeronave ou quaisquer
engenhos aéreos ou espaciais, impacto de veículos terrestres e fumaça.

80 SEGUROS COMPREENSIVOS
GRUPO 5 – ALAGAMENTO
E INUNDAÇÃO
A origem desta cobertura é uma fusão das modalidades “Alagamento” e
“Inundação” do Ramo Riscos Diversos.

Objetivo: Essa cobertura visa garantir as perdas e/ou danos materiais causados
aos bens descritos na apólice por:

a) entrada de água no local segurado proveniente de aguaceiro, tromba


d’água ou chuva, seja ou não consequente da obstrução ou insuficiência
de esgotos, galerias pluviais, desaguadouros e similares;
b) enchentes;
c) inundação resultante, exclusivamente, do aumento do volume de água
de rios e de canais alimentados naturalmente por esses rios, lagos, lagoas
e represas;
d) água proveniente da ruptura ou transbordamento de reservatórios,
adutoras, encanamentos e canalizações, desde que não pertencentes ou
localizados no prédio objeto da cobertura da apólice;
e) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de
força maior;
f) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos; e
g) deterioração de bens garantidos, guardados em ambientes frigorificados,
em virtude de paralisação do respectivo sistema de refrigeração, desde
que tal paralisação seja resultante direta e exclusivamente de alagamento
ou inundação na área onde estiverem os bens segurados.

Para fins dessa cobertura, compreende-se como um mesmo evento a


manifestação dos fenômenos cobertos, ainda que de forma não contínua,
durante um período de 72 horas, inclusive para aplicação da franquia prevista
na apólice.

Riscos Excluídos
Os riscos excluídos por essa cobertura são os seguintes:

a) água de chuva quando penetrando diretamente no interior do prédio


através de portas, janelas, vitrinas, claraboias, respiradouros ou ventiladores
abertos ou defeituosos;
b) ressaca e maremoto;
c) água de torneira ou registro, ainda que deixados abertos involuntariamente;
d) desmoronamento, salvo se diretamente resultante de risco coberto;
e) incêndio e explosão, mesmo quando resultante de risco coberto;
f) vendaval, furacão, ciclone, tornado, granizo;
g) roubo ou furto, verificado durante ou depois da ocorrência de um dos
riscos cobertos;
h) umidade e maresia;
i) água ou outra substância líquida qualquer proveniente de chuveiro
automático (sprinkler) do imóvel segurado ou do edifício do qual seja o
imóvel parte integrante, seja o vazamento acidental ou não; e
j) infiltração de água, ou outra substância líquida qualquer, através de pisos,
paredes e tetos, salvo quando consequente de risco coberto.

UNIDADE 4 81
GRUPO 6 – ROUBO DE VALORES
As coberturas que compõem este grupo, assemelham-se às Coberturas de Valores
no Interior do Estabelecimento do Segurado e Valores em Trânsito em Mãos de
Portadores, da modalidade de Seguro Valores, do Ramo Riscos Diversos.

São valores nesta cobertura:

• dinheiro em espécie;
• cheques em moeda corrente;
• vale-refeição;
• vale-alimentação;
• vale-transporte;
• vale-combustível; e
• outras formas de títulos ou certificados que representem dinheiro.

Esses itens não podem ser mercadorias inerentes ao ramo de negócio


do segurado.

Cobertura 06.01 – Seguro de Roubo de


Valores no Interior das Dependências
do Segurado
Objetivo: esta cobertura visa garantir ao segurado os prejuízos decorrentes de:

a) roubo ou furto qualificado de valores de propriedade do segurado,


conforme definido no inciso I do artigo 155 do Código Penal, quando
ocorridos no interior do estabelecimento segurado;

b) destruição ou perecimento dos valores em consequência de ou


decorrente da simples tentativa de roubo ou furto qualificado; e

c) extorsão de acordo com a definição do artigo 158 do Código Penal.

Para efeito dessa cobertura, define-se:

a) caixa-forte – compartimento de concreto, à prova de fogo e roubo,


provido de porta de aço, com chave e segredo, permitindo-se abertura
suficiente apenas para ventilação, em perfeitas condições de segurança e
funcionamento;

b) cofre-forte – compartimento de aço, à prova de fogo e roubo, fixo ou móvel,


este último com peso igual ou superior a 50 quilos, provido de porta com
chave e segredo, em perfeitas condições de segurança e funcionamento;

c) extorsão – constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, com


o intuito de obter, para si ou para outrem, indevida vantagem econômica,
a fazer, tolerar que se faça ou deixar de fazer alguma coisa (artigo 158 do
Código Penal);

d) furto qualificado – subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel,


mediante destruição ou rompimento de obstáculo à subtração dos bens
segurados, desde que deixados vestígios materiais inequívocos ou tenha
sido constatada por inquérito policial;

82 SEGUROS COMPREENSIVOS
e) roubo – subtração, para si ou para outrem, de coisa alheia móvel, mediante
grave ameaça ou emprego de violência contra a pessoa, ou depois de
havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência,
quer pela ação física, quer pela aplicação de narcóticos ou assalto à mão
armada; e

f) valores – dinheiro em espécie, cheques em moeda corrente, vale-refeição,


vale-alimentação, vale-transporte, vale-combustível e outras formas de
títulos ou certificados que representem dinheiro, desde que não sejam
mercadorias inerentes ao ramo de negócio do segurado.

Principais Riscos Excluídos


Os principais riscos excluídos por essa cobertura são os seguintes:

a) apropriação indébita, nos termos do artigo 168 do Código Penal:


“Apropriar-se de coisa alheia móvel, de que tem a posse ou a
detenção”;

b) furto simples: “Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel”;

c) furto qualificado, definido como tal nos incisos II, III e IV, do parágrafo
4o do artigo 155 do Código Penal, e sem que tenha havido destruição ou
rompimento do obstáculo à subtração da coisa, sendo:

“II – com abuso de confiança, ou mediante fraude, escalada ou destreza;


III – com emprego de chave falsa;
IV – mediante concurso de duas ou mais pessoas;”

d) estelionato, na forma definida pelo artigo 171 do Código Penal: “Obter


para si ou para outrem vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo
alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio
fraudulento”;

e) extorsão mediante sequestro, nos termos do artigo 159 do Código Penal:


“Sequestrar pessoa com o fim de obter, para si ou para outrem,
qualquer vantagem, como condição ou preço do resgate”; e

f) infidelidade, cumplicidade, dolo ou culpa grave de diretores, sócios,


empregados ou prepostos do segurado.

Cobertura 06.02 – Seguro de Roubo de


Valores em Trânsito em Mãos de Portadores
Objetivo: esta cobertura, de forma similar à cobertura de mesmo nome da
modalidade Valores, do Ramo Riscos Diversos, visa garantir ao segurado os
prejuízos decorrentes de:

a) roubo ou furto qualificado de valores de propriedade do segurado,


conforme definido no inciso I do artigo 155 do Código Penal, quando em
trânsito em mãos de portadores;

b) destruição ou perecimento dos valores em consequência ou decorrente


da simples tentativa de roubo;

UNIDADE 4 83
c) extorsão de acordo com a definição do artigo 158 do Código Penal; e

d) os eventos previstos nas alíneas “a”, “b” e “c” estarão cobertos quando
decorrentes de acidentes ou mal súbito sofrido pelos portadores.

As definições dos termos utilizados nessa cobertura e os principais riscos


excluídos são semelhantes aos da cobertura anterior, 06.01.

Cobertura 06.03 – Seguro de Roubo


de Valores em Trânsito em Mãos de
Portadores – Pagamento de Folha Salarial
Objetivo: esta cobertura garante os mesmos riscos citados nas alíneas “b” a
“d” da cobertura anterior, 06.02, e mais os prejuízos decorrentes de roubo ou
furto qualificado de valores de propriedade do segurado, conforme definido
no inciso I do artigo 155 do Código Penal, destinados ao pagamento de folha
salarial, quando em trânsito em mãos de portadores.

As definições dos termos utilizados nessa cobertura e os principais riscos


excluídos são também semelhantes aos da cobertura 06.01.

GRUPO 7 – ROUBO DE BENS


As coberturas deste grupo foram criadas com base nas modalidades de
cobertura do Ramo Roubo e os termos nelas adotados e os principais riscos
excluídos são semelhantes aos da cobertura 06.01.

Cobertura 07.01 – Seguro de Roubo ou


Furto Qualificado de Bens (Comerciais e
Industriais)
Objetivo: esta cobertura cobre as perdas e/ou danos materiais causados aos
bens de propriedade do segurado descritos na apólice por:

a) roubo ou furto qualificado, conforme definido no inciso I do artigo 155


do Código Penal;
b) extorsão, de acordo com a definição do artigo 158 do Código Penal; e
c) danos causados a portas e janelas, bem como danos às fechaduras e
outras partes do local segurado ou onde os bens cobertos se encontram
localizados, quer o furto qualificado tenha se consumado, ou não, ou
tenha se caracterizado como simples tentativa.

As definições dos termos utilizados nessa cobertura e os principais riscos


excluídos são semelhantes aos da cobertura 06.01.

84 SEGUROS COMPREENSIVOS
Bens Não Compreendidos no Seguro
Apresentamos, a seguir, alguns bens que, salvo estipulação expressa na apólice,
não estarão abrangidos por essa cobertura quando contratados:

a) aeronaves, embarcações, automóveis, motocicletas, motonetas e similares


do segurado ou de terceiros, bem como componentes, peças, acessórios
e mercadorias no interior de quaisquer veículos, salvo quando se tratar
de mercadorias inerentes ao ramo de negócio do segurado;
b) bens ao ar livre, em varandas, garagens, terraços, edificações abertas ou
semiabertas, como galpões, alpendres, barracões e semelhantes;
c) objetos de arte ou de valor estimativo, objetos raros, joias, metais preciosos
ou pedras preciosas e valores em geral, como: papéis de crédito, obrigações
em geral, títulos ou documentos de qualquer espécie, selos, moedas
cunhadas, papel-moeda, cheques, bilhetes de loteria, bônus, livros de
contabilidade e quaisquer outros livros comerciais;
d) bens existentes em vitrines, mostruários ou em outros locais protegidos
apenas por vidraças.

Cobertura 07.02 – Seguro de Roubo ou


Furto Qualificado de Bens do Condomínio
Os riscos cobertos, os riscos excluídos e os bens não compreendidos no seguro
são semelhantes aos citados na Cobertura 07.01.

Acrescentamos, apenas, na relação dos bens não compreendidos no seguro, os


quais para serem cobertos dependerão da especificação expressa na apólice,
os seguintes bens do condomínio:

a) objetos de uso pessoal de funcionários, síndicos, condôminos e de seus


familiares e empregados; e
b) bens de terceiros em poder do segurado.

As Coberturas 07.03, 07.04 e 07.05, a seguir citadas, também têm as


cláusulas de riscos cobertos, riscos excluídos e bens não compreendidos
no seguro semelhantes aos citados na Cobertura 07.02.

Essas coberturas são:

• Cobertura 07.03 – Seguro de Roubo ou Furto Qualificado de Bens dos


Condôminos (exclusivamente para Condomínios Residenciais);

• Cobertura 07.04 – Seguro de Roubo ou Furto Qualificado de Bens –


Residências Habituais; e

• Cobertura 07.05 – Seguro de Roubo ou Furto Qualificado de Bens –


Residências de Veraneio.

UNIDADE 4 85
GRUPO 8 – RESPONSABILIDADE
CIVIL
As coberturas incluídas neste grupo pela SUSEP se baseiam em algumas das
principais modalidades de seguro do Ramo de Seguro Responsabilidade Civil
Tradicional e algumas delas são muito procuradas para a contratação nos
Seguros Compreensivos, em especial nos casos de Seguros de Condomínio.

A inovação trazida pela SUSEP é a exigência da contratação de uma Cobertura


do Grupo 01 – Incêndio, para a contratação de uma ou mais entre as coberturas
de Responsabilidade Civil a seguir relacionadas:

Cobertura 08.01 – Responsabilidade Civil


Condomínios Residenciais
Objetivo: esta cobertura estabelece que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado para a presente
cobertura, pelo reembolso ao segurado das quantias pelas quais vier a ser
responsável civilmente, em sentença judicial transitada em julgado ou em
acordo autorizado de modo expresso pela seguradora, pelos danos materiais
e/ou corporais causados involuntariamente a terceiros, ocorridos na vigência
deste contrato e decorrentes de acidentes relacionados à existência,
conservação e ao uso do condomínio especificado na apólice.

Essa cobertura abrange também:

a) despesas emergenciais realizadas pelo segurado para evitar e/ou minorar


os danos descritos no parágrafo anterior; e

b) quando contratada, dentro do limite máximo previsto no contrato de


seguro, a seguradora responderá, também, pelas custas judiciais do foro
civil e pelos honorários de advogados nomeados de acordo com ela.

É importante esclarecer que, atendidas as disposições das cláusulas do contrato


de seguro, o segurado terá direito à garantia, ainda que os danos decorram de:

a) atos ilícitos, culposos ou dolosos, praticados por empregados do segurado,


ou, ainda, por pessoas a eles assemelhadas; e

b) atos ilícitos culposos, praticados pelos sócios controladores, dirigentes,


administradores, beneficiários e respectivos representantes, exceto no
caso de culpa grave equiparável a atos ilícitos dolosos.

Alguns esclarecimentos se fazem necessários em relação aos termos utilizados


nessa cobertura, a saber:

a) segurado – pessoa jurídica constituída, por força de lei, para administrar


o condomínio e representada por síndico legalmente eleito;

b) condomínio – a expressão “condomínio especificado na apólice” abrange


as partes comuns do imóvel que abriga o condomínio, máquinas, aparelhos,
equipamentos e instalações localizadas nas partes comuns, os locais
reservados à administração do condomínio, as vias de circulação de veículos

86 SEGUROS COMPREENSIVOS
e de pedestres, inclusive aquelas exteriores ao imóvel, mas localizadas
no perímetro interior da propriedade em que se situa o condomínio, as
habitações dos empregados, quando cedidas em comodato; e

c) terceiros – trata-se do prejudicado por ato ou fato cuja responsabilidade é


atribuída ao segurado. Nessa cobertura, os condôminos são equiparados
a terceiros.

Riscos Não Cobertos e Bens Não Garantidos


Apresentamos, a seguir, alguns dos principais riscos e bens que não estarão
abrangidos por essa cobertura quando contratados:

a) danos a bens de terceiros em poder do segurado;

b) responsabilidades assumidas pelo segurado por contratos ou convenções,


que não sejam decorrentes de obrigações civis legais;

c) danos causados pela ação paulatina de temperatura, umidade, infiltração e


vibração, bem como por poluição, contaminação e vazamento ou despejo
de produtos; vazamentos e infiltrações, decorrentes de má conservação
das instalações de água e esgoto, sistema de refrigeração, transbordo
ou extravasamento dos sistemas de captação de águas pluviais (calhas) e
demais sistemas de escoamento;

d) danos materiais e/ou corporais sofridos pelos empregados ou prepostos


do segurado quando comprovadamente a seu serviço;

e) danos causados a veículos e/ou acessórios, quando em locais de


propriedade, alugados ou controlados pelo segurado, inclusive pelos
portões automáticos ou não, existentes no imóvel segurado; bem como
danos relacionados à existência, ao uso e à conservação de aeronaves e
embarcações;

f) roubo, furto ou extravio;

g) multas impostas ao segurado, bem como as despesas de qualquer


natureza, relativas a ações ou processos criminais;

h) danos ao próprio imóvel e ao seu conteúdo, decorrentes de incêndio ou


explosão;

i) danos causados por construção, demolição, reconstrução ou alteração


estrutural do imóvel, bem como qualquer tipo de obra, inclusive instalações
e montagens, exceto os danos decorrentes de acidentes relacionados a
pequenos trabalhos de reparos destinados à manutenção do imóvel,
que estarão cobertos;

UNIDADE 4 87
j) ações ou omissões inerentes ao exercício da atividade de síndico do
condomínio, eleito em assembleia devidamente registrada em ata,
decorrente de falhas ou acidentes relacionados a erros e omissões;

k) danos provenientes de operações industriais, comerciais e/ou profissionais,


realizadas pelos condôminos em qualquer parte do condomínio especificado
na apólice;

l) danos resultantes de dolo ou culpa grave equiparável a dolo do segurado,


bem como aos atos praticados pelos sócios controladores, dirigentes,
administradores, beneficiários e respectivos representantes; e

m) reclamações por descumprimento das obrigações trabalhistas, sejam


contratuais ou legais, referentes à seguridade social, seguro obrigatório de
acidentes do trabalho, pagamento de salários e similares, bem como em
relação a qualquer tipo de ação de regresso contra o segurado, promovida
pelo Instituto Nacional de Seguro Social e outros.

Cobertura 08.02 – Responsabilidade


Civil Guarda de Veículos de Terceiros
Compreensiva
Objetivo: esta cobertura estabelece que a seguradora responderá, até o
limite máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado para a
presente cobertura, pelo reembolso ao segurado das quantias pelas quais
vier a ser responsável civilmente, em sentença judicial transitada em julgado
ou em acordo autorizado de modo expresso pela seguradora, relativas a
reparações por danos materiais ocorridos no interior dos estabelecimentos
especificados na apólice e durante a vigência do contrato, causados
exclusivamente a veículos de terceiros sob a guarda ou custódia do
segurado, decorrentes de:

a) incêndio e/ou explosão; roubo ou furto qualificado total; colisão de veículos


contra obstáculos; colisão entre veículos; e

b) acidentes relacionados à existência, conservação e ao uso do local do risco


indicado na apólice.

Essa cobertura permite que estejam cobertas, se especificadas na apólice, as


despesas emergenciais realizadas pelo segurado para evitar e/ou minorar
os danos descritos nas alíneas “a” e “b” anteriores, e as custas judiciais do
foro civil e pelos honorários de advogados nomeados de acordo com a
seguradora.

Nas garantias dessa cobertura prevalecerão, ainda, que os danos decorram de:

a) atos ilícitos, culposos ou dolosos, praticados por empregados do segurado,


ou, ainda, por pessoas a eles assemelhadas; e

b) atos ilícitos culposos, praticados pelos sócios controladores, dirigentes,


administradores, beneficiários e respectivos representantes, exceto no
caso de culpa grave equiparável a atos ilícitos dolosos.

88 SEGUROS COMPREENSIVOS
Disposições Específicas desta Cobertura
• a expressão “interior dos estabelecimentos especificados na apólice”
abrange, também, o perímetro interno da propriedade em que se
localizam os estabelecimentos, se esta pertencer ao segurado ou for por
ele administrada, alugada ou arrendada;

• no caso de guarda de veículos em condomínios residenciais, os condôminos


se equiparam a terceiros;

• para o risco de colisão, será obrigatório que os veículos sejam


manobrados por empregado, quando couber, com o necessário vínculo
junto ao segurado e devidamente habilitado;

• em relação ao risco de “colisão de veículos contra obstáculos”, a garantia


não prevalecerá se o motorista, por ocasião da colisão, for o próprio usuário
do veículo ou não estiver legalmente habilitado;

• em relação ao risco de “colisão entre veículos” a garantia não prevalecerá


se os motoristas, por ocasião da colisão, forem os próprios usuários dos
veículos; e

• terceiros: trata-se do prejudicado por ato ou fato cuja responsabilidade


é atribuída ao segurado.

Principais Riscos Não Cobertos e Bens Não Garantidos


Essa cobertura não garante, entre outros, os prejuízos decorrentes de:

a) danos a bens de terceiros não classificáveis como veículos terrestres;

b) roubo, furto, perda ou extravio de quaisquer peças, ferramentas, acessórios


ou sobressalentes do veículo sob a guarda ou custódia do segurado;

c) danos materiais e/ou corporais sofridos pelos empregados ou prepostos


do segurado quando comprovadamente a seu serviço;

d) danos causados aos segurados, seus ascendentes, descendentes e


cônjuge, bem como a quaisquer parentes que com ele residam ou dele
dependam economicamente, e ainda causados a sócios, diretores e
administradores;

e) danos a veículos sob guarda do segurado, decorrentes de inundação ou


alagamento e qualquer convulsão da natureza;

f) estouros, cortes e outros danos causados a pneumáticos ou câmaras de


ar, bem como arranhões em superfícies polidas ou pintadas.

UNIDADE 4 89
Cobertura 08.03 – Responsabilidade Civil
Guarda de Veículos de Terceiros Restrita
“A” – Incêndio, Roubo e Furto Qualificado
As disposições citadas para a Cobertura 08.02 precedente, aplicam-se a esta
cobertura, diferindo da anterior no tocante aos riscos cobertos, que ficam
restritos aos riscos de incêndio e/ou explosão; roubo ou furto qualificado
total; e acidentes relacionados à existência, conservação e ao uso do local
do risco indicado na apólice.

Cobertura 08.04 – Responsabilidade Civil


Guarda de Veículos de Terceiros Restrita
“B” – Colisão
De forma similar à Cobertura 08.03, as disposições citadas para a Cobertura
08.02, aplicam-se a esta cobertura, diferindo, entretanto das anteriores, no
tocante aos riscos cobertos que ficam restritos aos riscos de colisão de veículos
contra obstáculos; colisão entre veículos; e acidentes relacionados à existência,
conservação e uso do local do risco indicado na apólice.

Cobertura 08.05 – Responsabilidade Civil


Familiar
Objetivo: esta cobertura estabelece que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado para a presente
cobertura, pelo reembolso ao segurado das quantias pelas quais vier a ser
responsável civilmente, em sentença judicial transitada em julgado ou em acordo
autorizado de modo expresso pela seguradora, pelos danos corporais e/ou
materiais causados a terceiros, desde que os danos tenham ocorrido durante
a vigência da apólice, e que decorram exclusivamente dos seguintes riscos:

a) queda de objetos ou seu lançamento em local indevido;

b) ações ou omissões do próprio segurado, de seu cônjuge, de seus filhos


menores que estiverem sob a sua autoridade e em sua companhia,
e/ou de empregados domésticos no exercício do trabalho que lhes
competir, ou em razão deles, ainda que ocorridas no exterior do imóvel
residencial do segurado;

c) danos causados por animais domésticos pelos quais é o segurado


responsável, ainda que ocorridos no exterior do imóvel residencial
do segurado; e

d) existência, uso e conservação do imóvel ocupado pelo segurado.

Essa cobertura garante, também, as despesas emergenciais realizadas pelo


segurado para evitar e/ou minorar os danos cobertos, e, quando contratados
as custas judiciais do foro civil e os honorários de advogados nomeados de
acordo com a seguradora.

90 SEGUROS COMPREENSIVOS
Principais Riscos Não Cobertos e Bens Não Garantidos
Essa cobertura não cobre reclamações decorrentes de danos:

a) causados por quaisquer veículos terrestres motorizados, bem como


aeronaves de qualquer tipo/modelo;

b) causados por qualquer tipo de embarcação, exceção feita a barcos e canoas


a remo, e veleiros de até 7 metros de comprimento;

c) causados pelo exercício ou pela prática dos seguintes esportes, salvo


estipulação em contrário expressa na apólice:
– caça (inclusive submarina); tiro ao alvo; equitação; esqui aquático; surf;
voo livre, em todas as suas modalidades; pesca; windsurf; canoagem;
esgrima em suas várias modalidades e estilos; boxe e artes marciais; e
outros esportes assemelhados;
– danos causados por construção, demolição, reconstrução ou alteração
estrutural do imóvel, bem como qualquer tipo de obra, inclusive
instalações e montagens, exceto os danos decorrentes de acidentes
relacionados a pequenos trabalhos de reparos destinados à
manutenção do imóvel, que estarão cobertos;

d) no exercício de qualquer atividade profissional; e

e) de acidentes sofridos pelos empregados domésticos.

Cobertura 08.06 – Responsabilidade Civil


Estabelecimentos Comerciais ou Industriais
Nenhum indivíduo ou empresa está livre de ser processado. Imagine o que
pode acontecer a uma companhia sem seguro de RC se um empregado
danifica a propriedade de um cliente com a serra elétrica que estiver usando
no trabalho. A indenização resultante do processo legal pode prejudicar muito
a empresa e, em certos casos, levá-la à falência

Riscos Cobertos
O seguro RC estabelecimentos comerciais/industriais cobre danos causados a
terceiros, painéis, letreiros, eventos e mercadoria transportada pelo segurado
ou a seu mando etc. Mais especificamente, cobre riscos contra:

a) existência, uso e conservação do imóvel especificado no contrato;

b) operações comerciais e/ou industriais, inclusive operações de carga e


descarga em local de terceiros;

c) existência e conservação de painéis de propaganda, letreiros e anúncios


pertencentes ao segurado;

d) eventos programados sem cobrança de ingressos, limitados aos seus


empregados, familiares e pessoas comprovadamente convidadas;

e) danos causados por mercadorias transportadas pelo segurado, ou a seu


mando, em local de terceiros ou em via pública, excluídos, no entanto, os
danos decorrentes de acidente com o veículo transportador.

UNIDADE 4 91
Riscos Excluídos
Além das exclusões constantes das condições gerais do contrato, o RC
estabelecimentos comerciais e industriais não cobre reclamações decorrentes de:

a) danos causados por construção, demolição, reconstrução ou alteração da


estrutura do imóvel, bem como qualquer tipo de obra, inclusive instalações
e montagens, admitidos, porém, pequenos trabalhos de reparos destinados
à manutenção;

b) danos causados a/ou por embarcações de qualquer espécie;

c) competições e jogos de qualquer natureza, salvo convenção em contrário; e

d) instalações e montagens, bem como qualquer prestação de serviço em


locais ou recinto de propriedade de terceiros ou por estes controlados
ou utilizados.

GRUPO 9 – TUMULTOS
As coberturas de Greves e Lockout, disponíveis dentro desse grupo de
Tumultos, foram criadas com base na modalidade de Seguro Tumultos,
do Ramo Riscos Diversos, podendo envolver os danos causados por Incêndio,
Atos Dolosos e Saques, desde que decorrentes dos eventos cobertos, cujas
definições apresentamos abaixo:

• tumulto – ação de pessoas, com características de aglomeração, que


perturbe a ordem pública através da prática de atos predatórios, para cuja
repressão não haja necessidade de intervenção das Forças Armadas;

• greve – ajuntamento de mais de três pessoas da mesma categoria


ocupacional que se recusam a trabalhar ou a comparecer onde as chama
o dever; e

• lockout – cessação da atividade por ato ou fato do empregador.

Também como previsto na modalidade tradicional Tumultos, as coberturas desse


grupo (Tumultos, Greves e Lockout) indenizam as perdas e/ou danos materiais
decorrentes de:

a) impossibilidade de remoção ou proteção dos salvados por motivos de


força maior; e

b) providências tomadas para o combate à propagação dos riscos cobertos.

92 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 09.01 – Tumultos – Inclusive
Saque, Incêndio e Atos Dolosos Decorrentes
dos Riscos Cobertos
Objetivo: esta cobertura estabelece que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização, expressamente fixado pelo segurado para a presente
cobertura, pelas perdas e/ou danos materiais causados, direta e exclusivamente,
aos bens segurados, por saques, incêndio e atos dolosos, em decorrência de
tumultos, greve e lockout, conforme definidos anteriormente.

Cobertura 09.02 – Tumultos – Inclusive


Incêndio e Atos Dolosos Decorrentes
dos Riscos Cobertos
Objetivo: esta cobertura é bem semelhante à Cobertura 09.01 e difere dela por
não cobrir as perdas e/ou danos materiais causados, direta e exclusivamente,
aos bens segurados, pelos saques desses bens, em decorrência de tumultos,
greve e lockout, sendo, portanto, mais restrita.

Cobertura 09.03 – Tumultos – Inclusive


Incêndio Decorrente dos Riscos Cobertos
Objetivo: esta cobertura é bem semelhante à Cobertura 09.01 e difere dela por
não cobrir as perdas e/ou danos materiais causados, direta e exclusivamente,
aos bens segurados, por atos dolosos e pelos saques desses bens, em
decorrência de tumultos, greve e lockout, sendo, portanto, mais restrita.

Cobertura 09.04 – Tumultos


Objetivo: deste grupo, essa cobertura é a mais restrita e garante somente
as perdas e/ou danos materiais causados, direta e exclusivamente, aos bens
segurados, por tumultos, greve e lockout, excluindo-se os atos dolosos, o
incêndio e os saques dos bens segurados, decorrentes de tais eventos.

UNIDADE 4 93
GRUPO 10 – DERRAME/VAZAMENTOS
Cobertura 10.01 – Derrame ou Vazamento
de Chuveiros Automáticos (Sprinklers)
Objetivo: esta cobertura é bem semelhante à modalidade de Seguro Derrame
d’água ou Outra Substância Líquida de Chuveiros Automáticos (Sprinklers), do
Ramo Riscos Diversos, e garante as perdas e/ou danos materiais causados,
direta e exclusivamente, aos bens segurados, decorrentes de infiltração,
derrame de água ou outra substância líquida contida em instalações de
chuveiros automáticos (sprinklers).

Para efeito desse seguro, a expressão “instalação de chuveiros automáticos


(sprinklers)” abrange, exclusivamente, cabeças de chuveiros automáticos,
encanamentos, válvulas, acessórios, tanques, bombas dos chuveiros
automáticos e toda a canalização da instalação particular de proteção contra
incêndio, inerente e formando parte das instalações de chuveiros automáticos
(sprinklers), ficando excluídos de tais instalações os hidrantes, as bocas de
incêndio e qualquer outra instalação de saída de água conectada ao sistema,
salvo se tais instalações se encontrarem especificamente incluídas no seguro,
mediante estipulação expressa na apólice.

Principais Riscos Excluídos


Os principais riscos excluídos por essa cobertura são:

a) infiltração ou derrame decorrente de qualquer causa não acidental;

b) infiltração ou derrame através das paredes de edifícios, alicerces ou


tubulações de iluminação que não provenham de instalações de chuveiros
automáticos (sprinklers);

c) explosão ou ruptura de caldeira a vapor ou de volantes, descarga de


dinamite ou de outros explosivos;

d) danos às próprias instalações, ainda que em consequência dos riscos


cobertos, salvo se contratada a respectiva cobertura para esses bens;

e) inundação, transbordamento ou retrocesso de água de esgotos ou de


desaguadouros, ou pela influência de marés ou qualquer outra fonte que não
seja proveniente das instalações de chuveiros automáticos (sprinklers);

f) desmoronamento ou destruição de tanques, suas partes componentes ou


seus suportes; e

g) se, após a contratação do seguro, as instalações tiverem sofrido


reparação, conserto, alteração, ampliação ou paralisação, decorrentes
ou não de ampliação ou modificação na estrutura do local segurado,
a menos quando efetuadas por firma especializada em instalação de
chuveiros automáticos (sprinklers).

94 SEGUROS COMPREENSIVOS
Cobertura 10.02 – Vazamento de Tubulações
e Tanques
Objetivo: esta cobertura garante que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado para a presente
cobertura, pelas perdas e/ou danos materiais de origem súbita e imprevista
sofridos por tanques fixos de depósitos e/ou seus respectivos conteúdos,
ou tubulações existentes no local segurado, diretamente causados por
acidentes de causa externa, exceto por impacto de veículos.

Principais Riscos Excluídos


Os principais riscos excluídos por essa cobertura são:

a) perdas para as quais tenha contribuído a má conservação das tubulações


e/ou tanques; e

b) desmonoramento, recalque ou movimentação.

GRUPO 11 – QUEBRA DE
VIDROS/ANÚNCIOS LUMINOSOS
As coberturas deste grupo foram estruturadas a partir das modalidades
“Quebra de Vidros” e “Anúncios Luminosos” do Ramo Riscos Diversos.

Cobertura 11.01 – Anúncios Luminosos


Objetivo: esta cobertura garante que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado, pelas perdas
e/ou danos materiais causados aos letreiros, anúncios luminosos e painéis,
inclusive às respectivas estruturas e bases, decorrentes de quaisquer
acidentes de causa externa, salvo os expressamente excluídos.

Principais Riscos Excluídos


Os principais riscos excluídos por essa cobertura são:

a) sobrecarga, isto é, por carga cujo peso exceda a capacidade normal da


estrutura do suporte;

b) danos elétricos;

c) queda, quebra, amassamento ou arranhadura, salvo se decorrentes de


acidente coberto por esta apólice; e

d) operações de reparos, ajustamentos, serviços de manutenção em geral.

UNIDADE 4 95
Cobertura 11.02 – Quebra de Vidros
Objetivo: esta cobertura é bastante semelhante à modalidade Vidros, do
Ramo de Seguro Riscos Diversos, e garante que a seguradora responderá, até
o limite máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado, pelas
perdas e/ou danos materiais sofridos por vidros regularmente existentes e
instalados em portas, janelas, vitrinas, balcões e mesas de escritório no(s)
local(is) segurado(s) descrito(s) na apólice, em consequência de:

a) quebra de vidros, causada por imprudência ou culpa de terceiros, ou


por ato involuntário do segurado, de membros de sua família ou de seus
empregados e prepostos; e

b) quebra de vidros resultante da ação de calor artificial ou de chuva


de granizo.

E mais as despesas decorrentes das seguintes medidas:

a) reparo ou reposição dos encaixes dos vidros, quando atingidos pelo sinistro,
ou remoção, reposição ou substituição de obstruções. Mesmo quando
necessário ao serviço de reparo ou substituição dos vidros danificados,
não estarão cobertas a remoção, a reposição ou a substituição de
obstruções quando se tratarem de janelas, paredes e aparelhos; e

b) instalação provisória de vidros ou vedação nas aberturas que contenham


os vidros danificados durante o tempo necessário ao seu reparo ou à
substituição.

Bens Não Compreendidos no Seguro


Salvo estipulação expressa na apólice, essa cobertura não abrange:

a) vidros e espelhos não fixados permanentemente em portas e janelas;


mármores, azulejos e ladrilhos;
b) tijolos de vidro colocados em paredes estruturais ou não;
c) vidros utilizados em aquecedores solares;
d) molduras, letreiros, decorações, pinturas, gravações, inscrições e todo e
qualquer trabalho artístico de modelagem dos vidros;
e) vidros rachados, defeituosos ou necessitando de reparos;
f) vidros em padarias ou restaurantes, quando estiverem a uma distância
inferior a 1,30 m do fogão ou forno;
g) vidros localizados em claraboias e telhados;
h) vidros curvos;
i) anúncios e cartazes envidraçados em teatros e cinemas; e
j) vidros localizados em salas e salões de jogos de bilhar ou em áreas e
recintos para jogos de bola.

Principais Riscos Excluídos


Os principais riscos excluídos por essa cobertura são:

a) danos materiais diretos causados por incêndio, raio, explosão, ocorridos


no local onde se acham instalados os bens segurados;
b) quebra direta ou indiretamente ocasionada por vendaval, furacão,
ciclone, maremotos, terremotos, erupção vulcânica ou quaisquer
outras convulsões da natureza;

96 SEGUROS COMPREENSIVOS
c) arranhaduras ou lascas;
d) danos sobrevindos dos trabalhos de colocação, substituição ou remoção
dos vidros segurados, ou resultantes de desmoronamento total ou parcial
do edifício;
e) quebra direta ou indiretamente causada por tumultos, greve e lockout.

Cobertura 11.03 – Quebra de Vidros,


Espelhos, Mármores, Azulejos e Ladrilhos
Objetivo: os riscos cobertos e os riscos excluídos por esta cobertura são
os mesmos citados para a cobertura 11.02 precedente. A diferença dessa
cobertura para a anterior é que, além das perdas e/ou danos materiais sofridos
por vidros, incluem-se os espelhos, mármores, azulejos e ladrilhos regularmente
existentes e instalados em portas, janelas, vitrinas, balcões e mesas de escritório
no(s) local(is) segurado(s) descrito(s) na apólice.

Bens Não Compreendidos no Seguro


Salvo estipulação expressa na apólice, essa cobertura não abrange:

a) vidros, espelhos, mármores, azulejos e ladrilhos não fixados permanentemente


em portas e janelas;
b) tijolos de vidro colocados em paredes estruturais ou não;
c) vidros utilizados em aquecedores solares;
d) molduras, letreiros, decorações, pinturas, gravações, inscrições e todo e
qualquer trabalho artístico de modelagem dos vidros;
e) vidros rachados, defeituosos ou necessitando de reparos;
f) vidros em padarias ou restaurantes, quando estiverem a uma distância
inferior a 1,30 m do fogão ou forno;
g) vidros localizados em claraboias e telhados;
h) vidros curvos;
i) anúncios e cartazes envidraçados em teatros e cinemas; e
j) vidros localizados em salas e salões de jogos de bilhar ou em áreas e
recintos para jogos de bola.

GRUPO 12 – DESENTULHO/
DESMORONAMENTO
Neste grupo, está incluída a Cobertura de Desmoronamento, que se assemelha
a uma modalidade de mesmo nome do Ramo Riscos Diversos.

A disponibilização de uma cobertura específica para Desentulho e Demolição


é uma inovação nos Seguros Compreensivos.

Cobertura 12.01 – Desmoronamento


Objetivo: esta cobertura garante que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado, pelas perdas
e/ou danos materiais decorrentes de desmoronamento parcial ou total, de
edifícios/prédios e/ou residências existentes no local segurado, decorrente
de qualquer causa, inclusive por convulsões da natureza, como tufão,
furacão, erupção vulcânica, inundação e terremoto, ou qualquer outra
convulsão da natureza.

UNIDADE 4 97
Para efeito dessa cobertura, entende-se por “desmoronamento parcial” o
desmoronamento de paredes ou de qualquer elemento estrutural (coluna,
viga, laje de piso ou de teto), excetuando-se o simples desabamento de
revestimentos, marquises, beirais, acabamentos, efeitos arquitetônicos, telhas
e similares, os quais somente estarão cobertos se os danos sofridos por
tais elementos forem consequentes de desmoronamento de parede ou
de qualquer elemento estrutural citado.

Essa cobertura garante, também:

a) danos materiais decorrentes da impossibilidade de remoção ou proteção


de salvados por motivo de força maior;

b) despesas de salvamento e proteção dos bens segurados diante da


iminência de desmoronamento, devidamente caracterizadas por laudo
técnico e comprovadamente efetuadas pelo segurado e/ou aquelas
incorridas após a ocorrência de um sinistro; e

c) deterioração de bens garantidos, guardados em ambientes frigorificados,


em virtude de paralisação do respectivo sistema de refrigeração,
desde que tal paralisação seja resultante direta e exclusivamente de
desmoronamento na área ou edifício onde estiverem localizados os
bens segurados.

Riscos Excluídos
Os riscos excluídos por essa cobertura são:

a) danos decorrentes de vícios de construção;


b) despesas com laudos técnicos;
c) danos decorrentes de desgaste, fadiga de material, erro de projeto, vício
próprio ou falta de manutenção do imóvel segurado, como trinca e
rachadura em parede, laje, estuque e forro e introdução de sobrecarga;
d) danos a muros construídos sem alicerces (vigas e colunas);
e) desprendimento de materiais de acabamento como azulejos, reboco,
emboço, lustres e/ou suportes;
f) danos decorrentes de reformas, construção ou reconstrução causando
desmoronamento;
g) queda de aeronaves ou impacto de veículos; e
h) danos causados às fundações, aos alicerces e ao terreno.

Cobertura 12.02 – Desentulho e Demolição


Objetivo: esta cobertura garante que a seguradora responderá, até o limite
máximo de indenização expressamente fixado pelo segurado, pelas despesas
de desentulho e demolição originadas por riscos cobertos pela apólice.

Para fins dessa cobertura, considera-se entulho a acumulação de escombros


resultantes de partes danificadas do objeto segurado, ou de material
estranho a este, como, por exemplo: aluviões de terra, rocha, lama, árvores,
plantas e outros detritos.

Despesas de desentulho serão despesas necessárias à remoção do


entulho, incluindo carregamento, transporte e descarregamento em
local adequado. Essa remoção pode estar representada por bombeamentos,
escavações, desmontagens, desmantelamentos, raspagem, escoramento e
até simples limpeza.

98 SEGUROS COMPREENSIVOS
Fixando Conceitos 4

ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA


Anotações:
[1] A SUSEP definiu que na composição das coberturas dos Seguros Compreensivos
Padronizados, as coberturas de Responsabilidade Civil somente poderão ser
incluídas se houver a contratação simultânea de cobertura do grupo:

(a) Roubo.
(b) Incêndio.
(c) Tumultos.
(d) Desmoronamento.
(e) Derrame/Vazamentos.

[2] Assinale o item que contém coberturas cuja inclusão na composição das
coberturas dos Seguros Compreensivos Padronizados somente será admitida
mediante processo específico da seguradora interessada junto à SUSEP:

(a) Incêndio e Lucros Cessantes.


(b) Sprinklers, Tumultos e Riscos de Engenharia.
(c) Riscos de Engenharia, Desmoronamento e Vazamentos.
(d) Quebra de Vidros, Tumultos, Desentulho e Demolição.
(e) Lucros Cessantes, Riscos de Engenharia e Responsabilidade Civil.

[3] A única cobertura admitida nos Seguros Compreensivos Padronizados,


independentemente de consulta prévia à SUSEP, relativa a Seguros de Pessoas
é a de:

(a) Morte Acidental.


(b) Morte por Qualquer Causa.
(c) Invalidez Permanente, Total ou Parcial por Acidente.
(d) Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas (DMH).
(e) Invalidez Funcional por Doença.

[4] Assinale o item coberto pela cobertura de Incêndio dos Seguros Compreensivos
Padronizados:

(a) Incêndio decorrente de tumultos.


(b) Extravio, roubo ou furto de bens.
(c) Combustão espontânea.
(d) Explosão ou implosão de qualquer causa.
(e) Desmoronamento diretamente resultante de riscos cobertos.

FIXANDO CONCEITOS 4 99
Fixando Conceitos 4

[5] Do grupo de Seguros de Equipamentos, a cobertura dos Seguros


Anotações: Compreensivos Padronizados, criada especificamente para cobrir equipamentos
eletrônicos, máquinas ou equipamentos, que utilizem transistores e/ou
circuitos impressos e conectados à rede elétrica (110V ou 220V), e usem a
eletricidade para realizar funções que não seja a transformação em calor, frio
ou movimento, é a de:

(a) Material Rodante.


(b) Equipamentos Móveis.
(c) Equipamentos Portáteis.
(d) Equipamentos Estacionários.
(e) Equipamentos Eletrônicos e/ou de Baixa Voltagem.

[6] Analise as proposições a seguir, considerando as coberturas do grupo de


Seguros de Equipamentos, dos Seguros Compreensivos Padronizados:

I) Para efeito da cobertura de Equipamentos Portáteis, entende-se por


equipamentos portáteis: caixas de ferramentas; equipamentos para testes
e outros semelhantes, necessários à execução de serviços externos de
reparo ou manutenção pelos propostos ou empregados do segurado e
exclusivamente enquanto de posse desses equipamentos.
II) A cobertura para Seguro de Equipamentos em Exposição garante os
equipamentos, máquinas, veículos, utilidades domésticas, peças e
acessórios, quando expostos em feiras e/ou exposições temporárias até
o máximo de 120 dias.
III) A cobertura para Seguros de Equipamentos Estacionários exclui as perdas
e danos ocasionados por incêndio, raio e explosão de qualquer natureza
e suas consequências, e alagamento e inundação.
IV) A cobertura para Seguros de Equipamentos em Operações sobre Água
cobre as perdas e danos decorrentes da transladação dos equipamentos
segurados entre áreas de operação ou locais de guarda, por qualquer
meio, inclusive helicópteros.

Agora assinale a opção correta:

(a) Somente as proposições I e III estão corretas.


(b) Somente as proposições I e IV estão corretas.
(c) As proposições I, III e IV estão corretas.
(d) As proposições II, III e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

100 SEGUROS COMPREENSIVOS


Fixando Conceitos 4

[7] Assinale qual dos itens, a seguir, contém um evento coberto pela cobertura
de Danos Elétricos, dos Seguros Compreensivos Padronizados: Anotações:

(a) Arco voltaico.


(b) Danos elétricos decorrentes de causa mecânica.
(c) Inadequação de energia elétrica instalada no local do risco.
(d) Curto-circuito causado por água de chuva.
(e) Desligamento intencional de dispositivo de segurança ou de controles
automáticos.

[8] Assinale qual dos itens a seguir não está coberto pela cobertura de Roubo
de Valores em Trânsito em Mãos de Portadores, dos Seguros Compreensivos
Padronizados:

(a) Roubo.
(b) Furto qualificado.
(c) Destruição ou perecimento de valores.
(d) Desaparecimento inexplicável.
(e) Mal súbito sofrido pelos portadores.

[9] Assinale qual dos itens a seguir contém um risco coberto pela cobertura
de Alagamento dos Seguros Compreensivos Padronizados:

(a) Ressaca.
(b) Água de torneira ou registro, ainda que deixados abertos involuntariamente.
(c) Roubo.
(d) Incêndio e explosão.
(e) Enchente decorrente de insuficiência de esgotos.

[10] Assinale qual dos riscos a seguir está coberto pela cobertura de
Desmoronamento dos Seguros Compreensivos Padronizados:

(a) Erro de projeto.


(b) Vício próprio.
(c) Vícios de construção.
(d) Desmoronamento por inundação.
(e) Danos causados às fundações e aos alicerces.

FIXANDO CONCEITOS 4 101


Fixando Conceitos 4

[11] Assinale qual tipo de bem a seguir relacionado não é considerado como
Anotações: bem não compreendido no seguro pela cobertura de Quebra de Vidros,
Espelhos, Mármores e Ladrilhos, dos Seguros Compreensivos Padronizados:

(a) Tijolos de vidro colocados em paredes.


(b) Vidros utilizados em aquecedores solares.
(c) Vidros localizados em claraboias e telhados.
(d) Vidros localizados em salas e salões de jogos de bilhar.
(e) Vidros de uma vitrina de joalheria e relojoaria.

102 SEGUROS COMPREENSIVOS


Testando Conhecimentos
ASSINALE A AFIRMATIVA CORRETA
Anotações:
[1] A composição “sob medida” e a utilização apenas para cobertura de grandes
riscos são características da seguinte forma de contratação de seguros:

(a) Multirriscos.
(b) Riscos Nomeados.
(c) Multirriscos ou Nomeados.
(d) Multirriscos ou Operacionais.
(e) Riscos Nomeados e Riscos Operacionais.

[2] Analise as proposições a seguir, considerando as características principais


dos produtos não padronizados de Seguros Compreensivos Residenciais,
Condominiais e Empresariais disponíveis no mercado:

I) A contratação do seguro é a Primeiro Risco Absoluto, ou seja, sem a


aplicação da cláusula de rateio para qualquer das coberturas denominadas
pelas seguradoras coberturas adicionais contratadas.
II) Os locais dos riscos são segmentados somente pela ocupação ou atividade
do segurado, não importando o seu tamanho, simplificando a venda
pelos corretores desses produtos.
III) Os Seguros Compreensivos adotam as mesmas taxas dos seguros
convencionais.
IV) Adota-se a conjugação de várias coberturas em uma só apólice,
com cláusulas menos restritivas e de mais fácil compreensão pelos
segurados.

Agora assinale a opção correta:

(a) Somente a proposição III está correta.


(b) Somente a proposição IV está correta.
(c) As proposições I e II estão corretas.
(d) As proposições I e IV estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

TESTANDO CONHECIMENTOS 103


[3] Analise as proposições a seguir, identificando quais os itens que caracterizam
Anotações: a ocorrência de incêndio, para fins de seguro, além da existência do fogo:

I) É necessário que o fogo se alastre, desenvolva-se e se propague.


II) É preciso que a capacidade de se alastrar não esteja limitada a um
recipiente ou qualquer outro local em que habitualmente haja fogo.
III) O fogo deverá causar dano ou prejuízo.
IV) Incluem-se a combustão espontânea, o aquecimento espontâneo ou a
fermentação.

Agora assinale a opção correta:

(a) Somente a proposição IV está correta.


(b) Somente as proposições I e IV estão corretas.
(c) Somente as proposições II e III estão corretas.
(d) Somente as proposições I, II e III estão corretas.
(e) Todas as proposições estão corretas.

[4] Para o enquadramento dos diversos ramos ou planos de seguro criados ou a


criar pelo mercado segurador, a SUSEP, através da Circular 265, de 16/08/2004,
redistribuiu os diversos ramos ou planos de seguro em:

(a) Seguros Padronizados e Seguros Não Padronizados.


(b) Seguros Tradicionais e Seguros Multirriscos.
(c) Seguros Tradicionais, Seguros Não Padronizados e Seguros
Singulares.
(d) Seguros Multirriscos, Seguros Compreensivos e Seguros Padronizados.
(e) Seguros Padronizados, Seguros Não Padronizados e Seguros
Singulares.

[5] As modalidades de seguro do Ramo de Riscos Diversos, criadas,


respectivamente em 1975 e 1978, como precursoras dos atuais planos de
Seguro Compreensivos foram:

(a) Edifícios em Condomínio, Seguros de Desmoronamento e Seguro de


Alagamento.
(b) Seguros Compreensivos de Imóveis Diversos – Residenciais ou
Comerciais e Seguros Multirriscos.
(c) Edifícios em Condomínio, Seguros de Riscos Nomeados e Riscos
Operacionais.
(d) Edifícios Multirriscos, Seguros de Desmoronamento e Seguro Compreensivo
de Imóveis Diversos – Residenciais e Comerciais.
(e) Edifícios em Condomínio e Seguros Compreensivos de Imóveis Diversos
– Residenciais ou Comerciais.

104 SEGUROS COMPREENSIVOS


[6] Em termos históricos, o seguro terrestre considerado mais antigo do
mundo é o Seguro: Anotações:

(a) de Alagamento, que surgiu em 1347, em Gênova, na Itália.


(b) de Roubo de Bens, em razão da fuga da família real para o Brasil
em 1808.
(c) Incêndio, que surgiu em 1680, na Inglaterra, em razão do grande
incêndio de Londres de 1666, quando 18.000 casas foram destruídas
e mais de 20.000 famílias ficaram desabrigadas.
(d) de Responsabilidade Civil Geral, em razão da exigência de reparação
dos danos, quando provocados por terceiros, inseridos no Código Civil
francês, escrito por Napoleão Bonaparte.
(e) de Transporte de Cargas, efetuado por ferrovias nos Estados Unidos
da América.

[7] Podemos afirmar que a cobertura básica do Seguro Incêndio é concedida


a Risco Total e também abrange as perdas e danos materiais diretamente
causados por:

(a) Danos elétricos.


(b) Queimadas em zonas rurais.
(c) Queda de raios, dentro da área do terreno ou edifício.
(d) Fermentação própria ou combustão espontânea.
(e) Submissão de bens a quaisquer processos de tratamento, aquecimento
ou enxugo.

[8] As condições gerais do Seguro Incêndio definem os bens amparados por


esse seguro. É, portanto, correto afirmar que são considerados como bens
cobertos:

(a) Papéis de crédito, metais preciosos ou pedras preciosas.


(b) Instalações e benfeitorias.
(c) Bens de terceiros recebidos em depósito.
(d) Bens ou coisas, quando em tráfego ou viagem.
(e) Manuscritos, plantas, projetos, modelos.

[9] À seguradora é facultado o direito de indenizar o segurado com pagamento


em dinheiro ou com a reparação ou substituição dos bens sinistrados, a fim
de repô-los no estado em que se achavam imediatamente antes do acidente.
Portanto, para fins do cálculo do valor da indenização, considerando que o
Seguro Incêndio é a Risco Total, devemos adotar o seguinte critério:

(a) Multiplicar o valor do prejuízo pela relação entre a IS e o VR.


(b) Pagar sempre o valor da IS.
(c) Multiplicar o valor do prejuízo pela relação entre o VR e a IS.
(d) Sempre diminuir do valor do prejuízo o valor da franquia.
(e) Pagar sempre o valor do prejuízo.

TESTANDO CONHECIMENTOS 105


[10] No Seguro Incêndio Tradicional, através da contratação do risco acessório
Anotações: de Vendaval, Furacão, Ciclone, Tornado, Granizo, Queda de Aeronaves
ou Quaisquer Outros Engenhos Aéreos ou Espaciais, Impacto de Veículos
Terrestres e Fumaça, entendemos como cobertos os danos causados por
ventos de velocidade igual ou superior a:

(a) 45 metros por segundo.


(b) 35 metros por segundo.
(c) 25 metros por segundo.
(d) 15 metros por segundo.
(e) 5 metros por segundo.

[11] As perdas corriqueiras reparadas pela equipe de manutenção e que


geralmente não interrompem a produção, quase sempre ocorrem com grande
frequência e apresentam baixo custo de reparo. Essas perdas são, portanto,
denominadas:

(a) Perda Mínima Possível.


(b) Dano Máximo Provável.
(c) Perda Máxima Possível.
(d) Perda Total Construtiva.
(e) Perda Normal Esperada.

[12] Nos Seguros Compreensivos pela Cláusula de Bens ou Interesses Não


Garantidos, podemos afirmar que não estarão garantidos os seguintes bens
ou interesses:

(a) Edificações e seus respectivos conteúdos.


(b) Móveis e equipamentos existentes no interior dos prédios.
(c) Máquinas e equipamentos do segurado.
(d) Árvores, jardins e quaisquer tipos de plantação ou vegetação.
(e) Mercadorias comercializadas pelo segurado.

[13] A SUSEP, ao padronizar e disponibilizar as cláusulas de contratação dos


Seguros Compreensivos estabeleceu algumas regras para a sua adoção,
das quais destacamos a seguinte:

(a) Considerando que a estrutura da apólice de Seguros Compreensivos é


modular, é obrigatória apenas a contratação de uma cobertura básica.
(b) Poderão ser incluídas, nos Seguros Compreensivos Padronizados,
quaisquer coberturas previstas no mercado segurador.
(c) A inclusão de coberturas dos Ramos Lucros Cessantes, Riscos de
Engenharia e Responsabilidade Civil podem ser incluídas, nos Seguros
Compreensivos, sem processo específico junto à SUSEP.
(d) As coberturas de Responsabilidade Civil somente poderão ser
incluídas se houver a contratação simultânea de cobertura do Grupo
Incêndio.
(e) Para operar com os Seguros Compreensivos padronizados, além de
adotar as cláusulas de coberturas padronizadas, as seguradoras devem
observar a estruturação mínima dos planos de seguro prevista em
legislação específica da SUSEP e enviar previamente àquele órgão,
através de oficio, cópia das apólices emitidas.

106 SEGUROS COMPREENSIVOS


[14] Para cobertura de Equipamentos Eletrônicos e/ou de Baixa Voltagem,
prevista nos Seguros Compreensivos, teremos como bens compreendidos, Anotações:
no seguro, os seguintes equipamentos:

(a) Cabos externos de transmissão de dados entre equipamentos instalados


em prédios distintos.
(b) Os microcomputadores instalados.
(c) Equipamentos que componham o estoque e sejam enquadrados como
mercadorias.
(d) Cabos de alimentação de energia elétrica que não façam parte
integrante do equipamento segurado.
(e) Quaisquer dispositivos ou equipamentos auxiliares que não estejam
conectados aos bens segurados.

[15] A origem da cobertura de Alagamento e Inundação é uma fusão das


modalidades “Alagamento” e “Inundação” do Ramo Riscos Diversos. Portanto,
nos Seguros Compreensivos, essa cobertura visa garantir as perdas e/ou danos
materiais causados aos bens descritos na apólice por:

(a) Água de torneira ou registro, ainda que deixados abertos involuntariamente.


(b) Umidade e maresia.
(c) Ressaca e maremoto.
(d) Água de chuva quando penetrando diretamente no interior do prédio
através de portas, janelas, vitrinas, claraboias, respiradouros ou
ventiladores abertos ou defeituosos.
(e) Entrada de água no local segurado proveniente de aguaceiro, tromba
d’água ou chuva, seja ou não consequente da obstrução ou insuficiência
de esgotos, galerias pluviais, desaguadouros e similares.

TESTANDO CONHECIMENTOS 107


108 SEGUROS COMPREENSIVOS
Estudos de Caso
Caso 1
Suponha que você, na qualidade de corretor de seguros, tenha sido convidado
para participar de uma cotação a fim de auxiliar uma academia de ginástica
na elaboração de uma proposta de Seguro Compreensivo Padronizado
Empresarial.

A preocupação do cliente se refere à existência, na academia, de um


estacionamento, por ela administrado, onde terceiros estacionam veículos e
para os quais essa academia mantém um manobreiro.

Assim, considerando as coberturas estudadas de Responsabilidade Civil, qual


seria sua orientação ao cliente?

Caso 2
O condomínio do Edifício Imaginário contatou sua corretora de seguros, visando
à contratação de um Seguro Compreensivo de Condomínio Padronizado que
abrangesse a quebra acidental de tijolos de vidro de uma parede divisória do
playground. Considerando as coberturas padronizadas disponíveis, qual a sua
resposta para a consulta do cliente?

ESTUDOS DE CASO 109


Caso 3
Seu cliente, uma empresa que recebe e retransmite dados por cabos de fibra
ótica está renovando seu programa de seguros e solicitou a você (seu corretor)
uma avaliação de riscos passíveis de cobertura. Os equipamentos operam em
salas com acesso restrito e o processo possui back up diário. O cliente quer
sugestões de coberturas para sua completa proteção.

110 SEGUROS COMPREENSIVOS


Anexos

1 Classe de Localização de Riscos (L)

2 Tabela de Ocupação de Riscos (O) (Parte)

3 Tabela de Ocupações (Parte)

4 Taxação e Cálculo do Prêmio da Cobertura Básica (Incêndio)

ANEXOS 111
112 SEGUROS COMPREENSIVOS
Anexo 1
CLASSE DE LOCALIZAÇÃO
DE RISCOS (L)

Classe 1

Cidades de Belo Horizonte, Blumenau, Brasília-DF, Campinas, Curitiba (Cidade Industrial de Curitiba e
os Distritos de Bacacheri e Santa Quitéria), Joinville e todo o Município, Distrito Industrial de Curado
(Município de Recife/Jaboatão-PE), Distritos Industriais do Paulista, de Abreu e Lima-PE, Distrito
Industrial Comendador Arthur Lundgren-PE, Pólo Petroquímico de Camaçari (Complexo Básico),
Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santa Cruz do Sul-RS, São José dos
Campos, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e São Paulo (Nota: Distritos
de Ermelino Matarazzo, Itaquera, Jaraguá, Parelheiros – enquanto seus limites territoriais sejam contíguos
aos de São Paulo, cidades-sede do 1o Distrito do Município – e, bem assim, os distritos de Guaianases,
Perus e São Miguel Paulista, enquadram-se, todos, na Classe 2 de Localização).

Classe 2

Cidades de Adamantina, Americana, Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Belém, Bragança Paulista,
Brusque-SC, Cachoeira do Sul, Centro Industrial de Aratú-BA, Chapecó-SC, Cidade Industrial e
Distrito-Sede do Município de Contagem-MG, Cornélio Procópio, Criciúma, Cubatão, Farroupilha,
Florianópolis, Fortaleza, Franca, Goiânia, Guarulhos, Itajaí, Jacareí (todo o Município), Jaraguá
do Sul, Jaú, João Pessoa (os distritos existentes), Jundiaí, Lages, Limeira, Lins, Londrina, Marília,
Maringá, Mogi das Cruzes, Montes Claros, Natal, Niterói, Nova Friburgo-RJ, Osasco, Ourinhos, Pelotas,
Pindamonhangaba, Pólo Petroquímico de Camaçari (adjacências do Complexo Básico integrante
da COPEC), Ponta Grossa, Presidente Prudente-SP, Presidente Venceslau, Registro, Resende-RJ,
Rio do Sul, Rio Grande, São Carlos, São José do Rio Preto, São Vicente, Sorocaba, Suzano, Taubaté,
Tupã, Uberlândia e Vitória.

Classe 3

Cidades de Apucarana, Aracaju, Arapongas, Araras, Avaré, Barbacena-MG, Barretos, Bebedouro,


Bento Gonçalves, Botucatu, Caçador-SC, Campina Grande, Campo Grande-MS, Campos, Canoas,
Canoinhas, Carazinho-RS, Cascavel, Caxias do Sul, Cianorte-PR, Concórdia-SC, Cruz Alta, Cuiabá,
Curitibanos-SC, Divinópolis, Dracena-SP, Erechim-RS, Esteio-RS, Estrela-RS, Fernandópolis, Foz
de Iguaçu-PR, Francisco Beltrão-PR, Guarujá, Ibiporã-PR, Ijuí, Ilha Solteira, Município de Pereira
Barreto, Indaiatuba, Itajubá, Itapetininga, Itu, Ituiutaba-MG, Joaçaba, Juiz de Fora, Lavras, Maceió,
Mafra, Manaus, Matão, Montenegro, Nova Iguaçu, Novo Hamburgo, Osório-RS, Paranaguá,
Paranavaí, Passo Fundo, Pato Branco, Paulínia, Petrópolis, Piracicaba, Poços de Caldas, Rio Claro-SP,
Rio Negro-PR, Santa Barbara D’Oeste-SP, Santa Maria, Santa Rosa-RS, Sant’Ana do Livramento-RS,
São Bento do Sul, São Borja-RS, São José dos Pinhais-PR, São Leopoldo, São Luís, São Sebastião
do Paraíso-MG, Santo Ângelo-RS, Telêmaco Borba-PR, Teresina, Toledo, Tubarão, Uberaba-MG,
Umuarama, Uruguaiana-RS e Varginha-MG.

Classe 4

Demais cidades, vilas e localidades.

ANEXO 1 113
114 SEGUROS COMPREENSIVOS
Anexo 2
TABELA DE OCUPAÇÃO DE RISCOS (O)
(PARTE)

Índice de Ocupação Rubrica Código

Exposições........................................................... Exposições........................................................... 205

Fábricas ............................................................... Fábricas ............................................................... 230


Fábricas, dependências ........................................ Fábricas ............................................................... 230
Fábrica de relógio de ponto Metal .................................................................. 374-30
Fábricas em montagem ou desmontagem ........... Fábricas ............................................................... 230
Fábricas paradas .................................................. Fábricas ............................................................... 230
Fábricas de relógio............................................... Metal ................................................................. 374
Farelo .................................................................. Forragens ............................................................ 241
Farinhas ............................................................... Farinhas ............................................................... 231
Farinha de mandioca ........................................... Farinhas ............................................................... 231
Farinha de milho .................................................. Farinhas ............................................................... 231
Farinha de trigo ................................................... Farinhas ............................................................... 231
Farmácias ............................................................ Farmácias ........................................................... 232
Fazendas ............................................................. Fazendas ............................................................. 233
Feijão .................................................................. Café .................................................................... 103
Feiras de amostra ................................................ Exposições........................................................... 205
Feiras livres .......................................................... Mercados públicos .............................................. 373
Feltros ................................................................. Tapetes ................................................................ 523
Ferragens ............................................................ Ferragens ........................................................... 234
Ferreiros .............................................................. Metal .................................................................. 374
Ferro ................................................................... Metal .................................................................. 374
Ferro e aço mole.................................................. Metal .................................................................. 374
Fibras vegetais .................................................... Fibras .................................................................. 235
Fibras de vidro (artigo de) .................................... Pláticas, matéria .................................................. 433-30
Fibras de vidro (fábrica de) ................................... Vidros.................................................................. 540-20
Filatelia ............................................................... Filatelia ................................................................ 236
Filtros de barro .................................................... Louças ................................................................. 335
Floco ................................................................... Fibras .................................................................. 235
Fitas para máquinas de escrever .......................... Papel .................................................................. 422
Fitas .................................................................... Fitas, rendas e bordados ...................................... 237
Fitilhos ................................................................ Fitas, rendas e bordados ...................................... 237
Flores .................................................................. Flores .................................................................. 238
Fogões ................................................................ Metal .................................................................. 374
Fogos de artifício ................................................. Fogos de artifício ................................................. 239
Formicida ............................................................ Produtos farmacêuticos ...................................... 437
Fornecedores de navios ....................................... Fornecedores de navios ....................................... 240
Forragens ............................................................ Forragens ............................................................ 241
Fósforos .............................................................. Fósforos .............................................................. 242
Fotografias .......................................................... Fotografias .......................................................... 243
Frigoríficos .......................................................... Frigoríficos .......................................................... 244
Frutas .................................................................. Frutas .................................................................. 245
Fumos ................................................................. Fumos, charutos e cigarros 246
Fundições ........................................................... Metal ................................................................. 374
Gabinetes dentários............................................. Consultórios ........................................................ 134
Galalite ................................................................ Plásticas, matérias ............................................... 433
Galvanoplastia ..................................................... Metal ................................................................. 374
Garagens ............................................................. Garagens ............................................................. 260
Gás carbônico ..................................................... Gás carbônico ..................................................... 260-A

ANEXO 2 115
116 SEGUROS COMPREENSIVOS
Anexo 3
TABELA DE OCUPAÇÕES
(PARTE)

Rubrica Ocupação de Risco Classe

231 FARINHAS (com a Cláusula 312)


10 – Depósitos ................................................................................................................. 03
20 – Beneficiamento, secagem, moagem ou quaisquer outros processos ......................... *
*V. moinho

232 FARMÁCIAS ..................................................................................................................... 06

233 Fazendas, permitindo-se a existência de colchas, lençóis, toalhas e artigos de malha:


10 – Depósitos ................................................................................................................. 03
20 – Loja .......................................................................................................................... 04

234 FERRAGENS
10 – Depósitos ................................................................................................................. 04
20 – Lojas ........................................................................................................................ 05

235 FIBRAS
10 – Naturais – animais (lã e seda);
11 – classificação, beneficiamento e lavagem ............................................................ 04
12 – abridores, batedores, misturadores e processos semelhantes ............................ 05
13 – fiação e processos prévios ................................................................................. 04
14 – preparação à tecelagem, tecelagem e processos subsequentes ......................... 03
20 – Naturais – vegetais (exceto algodão):
21 – maceração, desfibramento, prensagem e outros processos, sem secagem artificial ... 07
22 – idem, idem, com secagem artificial .................................................................. 09
23 – abridores, batedores, misturadores e processos semelhantes ............................ 07
24 – fiação e processos prévios ................................................................................. 07
25 – idem, idem, unicamente com fibra molhada ..................................................... 06

241 FORRAGENS (com a Cláusula 312)


10 – Industrialização:
11 – sem moinho ...................................................................................................... 04
12 – com moinho ..................................................................................................... *
*V. moinhos
20 – Rações balanceadas e farelos:
21 – depósitos .......................................................................................................... 03
22 – lojas .................................................................................................................. 04
30 – Outros
31 – depósitos ou lojas ............................................................................................. 05

ANEXO 3 117
242 FÓSFOROS
10 – Fábricas:
11 – com trabalhos de madeira e com manipulação de fósforos encabeçados .......... 07
12 – com trabalhos de madeira e sem manipulação de fósforos encabeçados ........... 06
13 – sem trabalhos de madeira e sem manipulação de fósforos encabeçados ........... 05
14 – sem trabalhos de madeira e sem manipulação de fósforos encabeçados,
sem secadores ......................................................................................................... 04
20 – Depósito de matéria-prima:
21 – com a Cláusula 304........................................................................................... 03
22 – sem a Cláusula 304 ........................................................................................... 05
30 – Depósitos de fósforos de segurança:
31 – embalados ........................................................................................................ 03
32 – não embalados ................................................................................................. 05

243 FOTOGRAFIAS
10 – Gabinetes e laboratórios .......................................................................................... 05
20 – Artigos fotográficos:
21 – depósitos e lojas, permitindo-se oficinas de revelação e ampliação ................... 04

244 FRIGORÍFICOS (câmaras de refrigeração) .......................................................................... 04

245 FRUTAS
10 – Beneficiamento e embalagem:
11 – sem trabalhos de madeira ................................................................................. 03
12 – com trabalhos de madeira ................................................................................. 08
20 – Depósitos ou lojas .................................................................................................... 04

246 FUMOS, CHARUTOS E CIGARROS


10 – Fábricas .................................................................................................................... 04
20 – Depósitos ................................................................................................................. 03
30 – Estufas para secagem:
31 – a vapor (sistema Redryngmachine ou semelhantes) ........................................... 04
32 – outros processos artificiais ................................................................................ 06
40 – Lojas, permitindo-se a venda de artigos para fumantes ............................................ 04

247 FÚNEBRES, ARTIGOS


10 – Fábricas de caixões ................................................................................................... 06
20 – Lojas:
21 – sem oficina de armadores ................................................................................. 05
30 – Dependência:
31 – escritório, ambulatório, refeitório, instalações sanitárias, portarias, creches e escolas .... 01
32 – casas de caldeiras, casas de força elétrica, casas de máquinas, galeria de
transmissões, casas de balanças e laboratórios de análises ........................................ 02
33 – almoxarifados sem depósitos de matérias-primas e com a Cláusula 304 ............ 03
34 – almoxarifado sem depósitos de matérias-primas e sem a Cláusula 304.............. 07
35 – oficinas necessárias à manutenção de fábrica, caixotaria e expedição................ 03
36 – atividades comerciais e industriais destinadas a suprir as necessidades
de seu quadro de pessoal, exclusivamente ................................................................ 03

Nota: para enquadramento nesta subrubrica, entende-se como dependência apenas os


riscos localizados na área do estabelecimento segurado.

118 SEGUROS COMPREENSIVOS


Anexo 4
TAXAÇÃO E CÁLCULO DO PRÊMIO
DA COBERTURA BÁSICA (INCÊNDIO)

Em função do L.O.C. de cada risco isolado, é que serão encontradas as taxas a serem aplicadas às IS
para o cálculo do prêmio.

As taxas constantes das tabelas citadas neste manual são referenciais, válidas para o prazo de 1 ano, e
são porcentagens aplicáveis sobre as importâncias seguradas (IS).

Para cada Classe de Localização, há uma tabela de dupla entrada: pela coluna Ocupação, da
esquerda, entra-se com a Classe de Ocupação; e, já nas outras colunas da direita, tem-se as Classes de
Construção.

No cruzamento da linha de Ocupação com a respectiva coluna de Construção, tem-se as taxas para
Prédio e Conteúdo.

Classe 1 de Localização
Construção
Ocupação (1) (2) (3) (4)
P C P C P/C P/C
01 0,10 0,12 0,12 0,15 0,45 0,60
02 0,10 0,20 0,20 0,25 0,50 0,65
03 0,15 0,25 0,25 0,35 0,65 0,80
04 0,20 0,40 0,35 0,50 0,80 1,00
05 0,25 0,55 0,50 0,65 1,00 1,30
06 0,35 0,70 0,65 0,80 1,20 1,60
07 0,35 0,90 0,80 1,00 1,50 1,90
08 0,35 1,10 1,00 1,20 1,80 2,20
09 0,35 1,20 1,20 1,50 2,20 2,60
10 0,50 1,50 1,50 1,80 2,60 3,00
11 0,50 1,80 1,80 2,10 3,00 3,50
12 0,50 2,10 2,10 2,50 3,50 4,00
13 0,65 2,50 2,50 3,00 4,00 4,50

ANEXO 4 119
Classe 2 de Localização
Construção
Ocupação (1) (2) (3) (4)
P C P C P/C P/C
01 0,10 0,12 0,12 0,15 0,50 0,70
02 0,10 0,20 0,20 0,30 0,55 0,75
03 0,15 0,30 0,30 0,40 070 0,90
04 0,20 0,45 0,40 0,55 0,90 1,10
05 0,25 0,60 0,55 0,70 1,10 1,40
06 0,35 0,80 0,70 0,90 1,40 1,70
07 0,35 1,00 0,90 1,10 1,70 2,00
08 0,35 1,20 1,10 1,40 2,00 2,50
09 0,35 1,40 1,40 1,70 2,40 3,00
10 0,50 1,70 1,70 2,00 2,80 3,50
11 0,50 2,00 2,00 2,30 3,30 4,00
12 0,50 2,30 2,30 2,80 3,80 4,50
13 0,65 2,80 2,80 3,30 4,50 5,00

Exemplo:
LOC Taxa Prédio Taxa Conteúdo
2-02-1 0,10% 0,20%
1-07-2 0,80% 1,00%
1-03-3 0,65% 0,65%
2-04-2 0,40% 0,55%

Classe de Localização 3
Construção
Ocupação (1) (2) (3) (4)
P C P C P/C P/C
01 0,12 0,15 0,15 0,18 0,55 0,70
02 0,12 0,25 0,25 0,30 0,60 0,80
03 0,18 0,35 0,35 0,45 0,80 1,00
04 0,25 0,50 0,45 0,60 1,00 1,20
05 0,30 0,65 0,60 0,80 1,20 1,50
06 0,40 0,90 0,80 1,00 1,50 1,90
07 0,40 1,10 1,00 1,20 1,80 2,30
08 0,40 1,30 1,20 1,50 2,20 2,80
09 0,40 1,50 1,50 1,80 2,60 3,30
10 0,60 1,80 1,80 2,20 3,10 3,80
11 0,60 2,20 2,20 2,50 3,60 4,30
12 0,60 2,50 2,50 3,00 4,20 4,80
13 0,80 3,00 3,00 3,60 5,00 5,50

120 SEGUROS COMPREENSIVOS


Classe de Localização 4
Construção
Ocupação (1) (2) (3) (4)
P C P C P/C P/C
01 0,12 0,18 0,18 0,20 0,60 0,80
02 0,12 0,30 0,30 0,40 0,65 0,85
03 0,18 0,40 0,40 0,50 0,85 1,10
04 0,25 0,55 0,50 0,65 1,10 1,30
05 0,30 0,70 0,65 0,85 1,30 1,60
06 0,40 1,00 0,85 1,10 1,60 2,00
07 0,40 1,20 1,10 1,30 2,00 2,50
08 0,40 1,40 1,30 1,60 2,50 3,00
09 0,40 1,60 1,60 2,00 3,00 3,50
10 0,60 2,00 2,00 2,40 3,50 4,00
11 0,60 2,40 2,40 2,70 4,00 4,50
12 0,60 2,70 2,70 3,30 4,70 5,20
13 0,80 3,30 3,30 3,90 5,50 6,00

ANEXO 4 121
122 SEGUROS COMPREENSIVOS
Gabarito
Fixando Conceitos

Unidade 2 Unidade 3
1–C 6–D 1–D 10 – D
2–E 7–E 2–C 11 – A
3–B 8–E 3–B 12 – D
4–A 9–A 4–D 13 – E
5–B 5–C 14 – B
6–E 15 – D
7–C 16 – B
8–C 17 – A
9–D

Unidade 4
1–B 7–A
2–E 8–D
3–D 9–E
4–E 10 – D
5–E 11 – E
6–A

Testando Conhecimentos

1–E 6–C 11 – E
2–D 7–C 12 – D
3–D 8–B 13 – D
4–E 9–A 14 – B
5–E 10 – D 15 – E

GABARITO 123
Estudos de Caso
Caso 1
Analisando as coberturas constantes dos Planos Padronizados de Seguros
Compreensivos, verificamos que, em virtude da existência de manobreiro, a
cobertura mais adequada é a de Responsabilidade Civil Guarda de Veículos
de Terceiros Compreensiva.

O objetivo dessa cobertura é estabelecer que a seguradora proceda ao pagamento


das reparações por danos materiais ocorridos no interior dos estabelecimentos
especificados na apólice, causados, exclusivamente, a veículos de terceiros
sob a guarda ou custódia do segurado, decorrentes de:

a) incêndio e/ou explosão; roubo ou furto qualificado total; colisão de veículos


contra obstáculos; colisão entre veículos; e
b) acidentes relacionados à existência, conservação e ao uso do local do risco
indicado na apólice.

Note-se que o cliente necessita ser orientado sobre as seguintes peculiaridades


da cobertura para colisão:

• para o risco de colisão, será obrigatório que os veículos sejam


manobrados por empregado, quando couber, com o necessário vínculo
junto ao segurado e devidamente habilitado;

• em relação ao risco de colisão de veículos contra obstáculos, a garantia


não prevalecerá se o motorista, por ocasião da colisão, for o próprio usuário
do veículo ou não estiver legalmente habilitado; e

• em relação ao risco de colisão entre veículos, a garantia não prevalecerá se os


motoristas, por ocasião da colisão, forem os próprios usuários dos veículos.

É importante, também, orientar o segurado que essa cobertura permite que


estejam cobertas, se especificadas na apólice, as despesas emergenciais
realizadas pelo segurado para evitar e/ou minorar os danos e as custas
judiciais do foro civil e pelos honorários de advogados nomeados de
acordo com a seguradora.

Caso 2
O cliente deverá ser orientado no sentido de discriminar os bens a segurar
(tijolos de vidros), com os respectivos valores, para que se faça a consulta
prévia à seguradora para a inclusão na apólice da Cláusula para a Quebra
de Vidros, Espelhos, Mármores, Azulejos e Ladrilhos.

Caso 3
Além da contratação obrigatória da cobertura básica, o corretor deve sugerir
a contratação de Danos Elétricos (grande quantidade de equipamentos
elétricos em uso), Equipamentos Eletrônicos para (prevenção de danos
de causa externa aos equipamentos de baixa voltagem), Recomposição de
Registros e Documentos, Derrame de Sprinklers e principalmente RC Operações
(para cobrir danos eventuais aos clientes em função da interrupção de
funcionamento), além de Lucros Cessantes (decorrentes de todos os danos
materiais cobertos).

124 SEGUROS COMPREENSIVOS


Referência Bibliográfica
ESCOLA NACIONAL DE SEGUROS. Diretoria de Ensino Técnico. Seguros compreensivos. Assessoria
técnica de Nelson Flores Duarte. 4. ed. Rio de Janeiro: Funenseg, 2013. 126 p.

ESCOLA NACIONAL DE SEGUROS. Diretoria de Ensino Técnico. Seguros compreensivos. Assessoria


técnica de Nelson Flores Duarte. 5. ed. Rio de Janeiro: Funenseg, 2014. 126 p.

ESCOLA NACIONAL DE SEGUROS. Diretoria de Ensino Técnico. Seguros compreensivos. Assessoria


técnica de Nelson Flores Duarte. 6. ed. Rio de Janeiro: Funenseg, 2015. 126 p.

FUNENSEG. Diretoria de Ensino e Produtos. Riscos nomeados e operacionais. Assessoria técnica de


Luiz Carlos Paladino. 5. ed. Rio de Janeiro: Funenseg, 2009. 240 p.

FUNENSEG. Diretoria de Ensino e Produtos. Seguro incêndio tradicional e seguros compreensivos.


Assessoria técnica de José Antonio Menezes Varanda e Nelson Flores Duarte. Rio de Janeiro: Funenseg,
2009. 112 p.

Sites

www.susep.gov.br
www.tudosobreseguros.org.br

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA 125