Você está na página 1de 109

FACULDADES BATISTA DO PARANÁ

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu

MESTRADO PROFISSIONAL EM TEOLOGIA


Área de Concentração: Teologia Prática

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO


(para execução a partir de 2019)

CURITIBA
2018
Sumário
1. PROPOSTA GERAL 1
2. OBJETIVOS 3
2.1. Objetivo Geral 3
2.2. Objetivos Específicos 3
3. A COMPOSIÇÃO DOS CRÉDITOS 4
4. A METODOLOGIA 5
5. DISTRIBUIÇÃO DAS DISCIPLINAS POR SEMESTRE 6
5.1. Composição do Primeiro Semestre (11 créditos) 6
5.2. Composição do Segundo Semestre (10 créditos) 6
5.3. Composição do Terceiro Semestre (09 créditos) 7
5.4. Composição do Quarto Semestre (até 04 créditos) 7
5.5. Trabalho Final (06 créditos) 8
6. HORÁRIO GERAL PARA 2019 e 2020, COMO EXEMPLO 9
6.1. Encontro de Janeiro e Fevereiro de 2019 9
6.2. Encontro de Julho de 2019 11
6.2.1 Disciplinas em encerramento (Iniciadas em Julho de 2019) 13
6.3. Encontro de Janeiro/Fevereiro de 2020 (Terceiro Semestre) 13
6.3.1 Disciplinas que iniciam no Terceiro Semestre 14
6.3.2 Disciplinas do Segundo Semestre em encerramento no Terceiro Semestre 16
6.4. Possível Encontro de Julho de 2020 18
6.4.1 Disciplinas do Terceiro Semestre em Encerramento até o Início do Quarto
Semestre 19
6.4.2 Disciplinas em início 20
7. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Teologia Prática 20
8. DISCIPLINAS E DOCENTES DE CADA LINHA DE PESQUISA 21
8.1. Disciplinas Comuns às Três Linhas de Pesquisa 21
8.2. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e
Contextos Bíblicos 22
8.3. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e
Comunitária 23
8.4. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade, Educação e
Docência nos Processos Formativos 25
9. CORPO DOCENTE 27
9.1. Docente Adriano Sousa Lima 28
9.2. Docente Alan Doyle Myatt 29
9.3. Docente Antônio Renato Gusso 30
9.4. Docente Claiton André Kunz 32
9.5. Docente David Allen Bledsoe 33
9.6. Docente Edilson Soares de Souza 34
9.7. Docente Gleyds Silva Domingues 36
9.8. Docente Jaziel Guerreiro Martins 38
9.9. Luiz Roberto Soares Silvado 39
9.10. Marivete Zanoni Kunz 41
9.11. Reginaldo Pereira de Moraes 42
10. PROJETOS DE PESQUISA 44
10.1. Projeto de ECLESIOLOGIA E PRÁTICAS PASTORAIS 44
10.2. Projeto de INTERPRETAÇÃO, ATUALIZAÇÃO E TRANSMISSÃO DOS
ENSINOS BÍBLICOS 45
10.3. Projeto PERQUIRERE − Práxis Educativa na Formação e no Ensino
Bíblico 46
10.4. Projeto de TEOLOGIA E PSICOLOGIA 47
10.5. Em processo de instauração: Projeto de TEOLOGIA E DIREITOS
HUMANOS: DIÁLOGOS, POSSIBILIDADES E DESAFIOS 47
11. A AVALIAÇÃO DO CURSO 48
12. OBSERVAÇÕES COMPLEMENTARES AO PPC 49
12.1. Convênios 49
12.1.1 Convênio com a Faculdade Batista Pioneira 49
12.1.2 Convênio com Southeastern Baptist Theological Seminary 50
12.2. Convênio com Ampliação e Atualização da Biblioteca 50
12.3. Disciplinas Extras 51
13. EMENTAS E BIBLIOGRAFIA BÁSICA DAS DISCIPLINAS 51
13.1 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas Comuns 52
13.3 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas da Linha 02:
Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária 78
13.4 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas da Linha 03:
Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos Formativos 90
14. INFRAESTRUTURA 99
14.1 Infraestrutura física 99
14.2 Infraestrutura acadêmica 101
14.2.1 Biblioteca 101
14.2.2 Laboratórios instalados 102
14.2.3 Computadores à disposição do curso 102
14.2.4 Adequação da infraestrutura para o atendimento aos portadores de
necessidades especiais 102
14.2.5 Estratégias e meios para comunicação interna e externa 103
1. PROPOSTA GERAL

As Faculdades Batista do Paraná (FABAPAR) contam com quase 80 anos


de atuação na área teológica, formando líderes que atuam em igrejas, agentes que
trabalham em organizações sociais e comunitárias em diversas instituições do
Paraná e do Brasil. Depois de um período de adequação à nova realidade do ensino
teológico brasileiro, que passou a contar com cursos reconhecidos pelo MEC,
investindo em biblioteca, na criação e produção de periódico (revista científica – Via
Teológica), em sua estrutura física, e, principalmente, na formação e qualificação
de professores, também passou a oferecer Curso de Graduação em Teologia,
autorizado pelo Ministério da Educação e Cultura, e cursos de Especialização em
Teologia e áreas afins. Isto ocorre desde 2002, quando seu curso de Bacharelado
em Teologia, modalidade presencial, foi autorizado. O reconhecimento aconteceu
em 2005.
Na sequência, sempre buscando a inclusão social, a melhoria e a
democratização do ensino que oferece, a FABAPAR, mais uma vez inovou e,
investindo em tecnologia da informação e comunicação, no aperfeiçoamento
técnico, no preparo de professores capazes para a atuação no Ensino a Distância,
e no desenvolvimento de práticas tutoriais, voltou seus esforços para a implantação
de seu Curso de Bacharelado em Teologia a Distância, para o qual recebeu a devida
autorização por meio da Portaria 13 publicada pelo Diário Oficial da União em 17 de
fevereiro de 2010.
Em 2012, contando com sua experiência adquirida, e buscando atender às
demandas e exigências da sociedade e do mercado brasileiro, resolveu
disponibilizar aos profissionais da área, pastores, líderes eclesiásticos, líderes de
comunidades sociais, diretores e agentes de organizações não governamentais e
professores de Teologia e áreas afins, um ensino teológico de alto nível, por meio
do PPG em Teologia, nível de mestrado.
O curso surge da necessidade constatada. São milhares de instituições
religiosas, entre igrejas, ONGs e associações comunitárias, espalhadas pelo
território brasileiro, e são poucos os cursos, em nível de mestrado, que preparam
aqueles que atuam como seus organizadores, administradores, capelães,
educadores, gestores e líderes comunitários e religiosos. Assim, há um número
cada vez mais crescente destes segmentos da sociedade que carecem de um
preparo acadêmico e profissional para enfrentar as demandas de suas
necessidades.
Assim, com a implantação do Curso de Mestrado Profissional em Teologia,
com encontros presenciais em duas semanas intensivas a cada semestre, a
FABAPAR atende a profissionais interessados oriundos das mais diversas regiões
do país. Também contribui de forma significativa para a melhoria da condução das
instituições aqui destacadas e outras similares, não só de Curitiba, onde está
localizada a faculdade, mas de todo o país, da América Latina, da Europa e da
África. Constata-se que está cada vez mais comum a presença de alunos de outros
países nos cursos de Bacharelado em Teologia e Pós-Graduação Lato Sensu da
FABAPAR, o que mostra a boa aceitação internacional dos cursos oferecidos pela
instituição. Também, os mestres formados pelo Programa têm dado continuidade
aos seus estudos em doutorados de outras Instituições no Brasil e do exterior.
Embora a instituição seja de confissão batista, assim como tem feito durante
décadas, o que pode ser confirmado pela análise do perfil de seus egressos, ela se
encontra apta e aberta para receber todos os candidatos que se interessarem e
preencherem os requisitos acadêmicos solicitados, independentemente de suas
convicções teológicas, religiosas ou arreligiosas.
2. OBJETIVOS

Os objetivos foram organizados nas duas categorias tradicionais: geral e


específicos. A finalidade é delinear bem a proposta do Curso e da formação
pretendida.

2.1. Objetivo Geral

O Programa de Mestrado Profissional em Teologia das Faculdades Batista


do Paraná visa a formação teológica em nível de Pós-Graduação Stricto Sensu
voltada para a prática organizacional, religiosa, comunitária e social.

2.2. Objetivos Específicos

O Programa de Mestrado Profissional em Teologia tem por finalidade:


 Formar profissionais pós-graduados aptos a elaborar novos
conhecimentos e processos no campo da respectiva área de
concentração;
 Qualificar e aperfeiçoar profissionais dentro de uma perspectiva de
educação continuada;
 Habilitar profissionais a atuar como multiplicadores;
 Capacitar profissionais a prestar assessoria no campo da respectiva
área de concentração.
3. A COMPOSIÇÃO DOS CRÉDITOS

O estudante deve concluir, no mínimo, 38 créditos durante o curso. Cada


crédito, no caso das disciplinas, corresponde a 15 horas-aula, mais, pelo menos, 30
horas de trabalho extraclasse. Os Seminários de Atualização Teológica e Práticas
Ministeriais corresponderão a um crédito cada, e serão apresentados em, no
mínimo, quinze horas-aula. A orientação para o Trabalho Final de Curso será feita
a partir do primeiro semestre do curso e equivale a 2 créditos em cada semestre. O
Trabalho de Conclusão aprovado pela banca corresponderá a 6 créditos. Em
resumo, a composição básica dos créditos, podendo haver diferença no caso de
oferecimento de disciplinas, seminários e atividades extras, optativas, será feita da
seguinte forma:
 8 disciplinas de 2 créditos = 16 créditos;
 6 disciplinas de 1 crédito = 06 créditos;
 Até 4 Seminários de Atualização Teológica ou de Práticas Ministeriais
= até 04 créditos;
 Até 4 Semestres de Orientação Acadêmica = até 08 créditos;
 1 Banca de Qualificação (sem créditos), mas com possibilidade de não
aprovação, se for o caso;
 1 Trabalho de Conclusão de Curso = 06 créditos.

Esse resumo de composição básica serve apenas como exemplo. Assim, a


quantidade de disciplinas de 1 ou de 2 créditos podem variar, desde que se respeite
o total mínimo de 38 créditos para a conclusão do curso.
A fim de estimular os pós-graduandos a se envolverem nos grupos de
pesquisas e, principalmente, a contribuírem com as participações uns dos outros,
em todo semestre será oferecido um Seminário de Pesquisa, no qual cada docente,
Líder de um Grupo de Pesquisa, liderará um encontro com alunos interessados em
sua respectiva linha. A participação em três desses encontros dará ao discente o
direito a um crédito disciplinar, que será registrado em seu histórico.
4. A METODOLOGIA

O curso corresponde a quatro semestres. As aulas e os seminários


ocorrerão em regime intensivo, com encontros em sala de aula que podem
acontecer pelas manhãs, tardes e noites, durante, preferencialmente, duas
semanas no primeiro semestre e duas semanas no segundo semestre de cada ano.
Os orientadores estarão à disposição dos alunos durante todo o semestre,
orientando-os pessoalmente ou pelos meios de comunicação a distância que
acharem mais convenientes em cada caso, de comum acordo entre docente e
discente, mas devem aproveitar, em especial, os dias das aulas para este fim.
Apesar de poderem se comunicar por diversos meios, as postagens dos trabalhos
deverão ser feitas no Ambiente Virtual de Aprendizagem disponibilizado ao PPG.
O primeiro módulo terá início no primeiro semestre, e se encerrará com uma
aula no segundo semestre, durante o segundo módulo. Da mesma forma, com o
segundo. No terceiro semestre, as aulas terão início no terceiro semestre do ano
subsequente, finalizando no início do quarto, com a diferença de terem todos os
seus encontros no terceiro semestre. O quarto semestre fica reservado para os
encontros com os orientadores, visando a finalização do TFC, para os encontros
das linhas de pesquisas, o Seminário de Atualização Teológica ou ainda para a
recuperação de créditos não cursados ou reprovados.
Os estudantes terão encontros em sala de aula com os professores,
normalmente, no início e no fim de cada semestre, tendo o semestre todo para
realizar as tarefas e pesquisas exigidas naquela disciplina. Em alguns casos
especiais, os encontros em sala de aula poderão ocorrer apenas no início ou no
final do semestre. As datas de entrega das tarefas devem ser divididas durante o
semestre e não concentradas em seu final. As tarefas solicitadas devem ser em
âmbito profissional.
O curso também pode oferecer disciplinas, seminários, cursos de extensão,
e outras atividades que ajudam na computação de créditos para o mestrando, fora
das épocas normais dos encontros, sempre como atividades optativas.
5. DISTRIBUIÇÃO DAS DISCIPLINAS POR SEMESTRE

As disciplinas serão apresentadas mais adiante, mas para que se entenda


o funcionamento geral do curso, e a distribuição das disciplinas no horário geral do
curso, aqui apresentaremos a representação de cada uma delas, semestre por
semestre. As disciplinas enumeradas até 07 são pertinentes ao grupo comum e do
número 08 ao 14 são referentes às linhas de pesquisa (uma para cada Linha de
Pesquisa). Dependendo de cada turma, a FABAPAR poderá ofertar, num mesmo
semestre, uma mesma disciplina, com professores diferentes, a fim de atender
melhor as especificidades dos alunos.

5.1. Composição do Primeiro Semestre (11 créditos)

 Disciplina 1 com 2 créditos – comum às linhas (D1Cr2);


 Disciplina 2 com 2 créditos – comum às linhas (D2Cr2);
 Disciplina 3 com 2 créditos – comum às linhas (D3Cr2);
 Disciplina 4 com 1 crédito – comum às linhas (D4Cr1);
 Disciplina 6 com 1 crédito – comum às linhas (D6Cr1);
 Seminário de Atualização Teológica ou de Práticas Ministeriais I com
1 crédito (SATPM1Cr1);
 Orientação Acadêmica I com 2 créditos (OA1Cr2).

5.2. Composição do Segundo Semestre (10 créditos)

 Disciplina 5 com 2 créditos – comum às linhas (D5Cr2);


 Disciplina 7 com 2 créditos – cada aluno deverá escolher entre
D7L1Cr2 ou D7L2Cr2 ou D7L3Cr2;
 Disciplina 8 com 1 crédito –cada aluno deverá escolher entre D8L1Cr1
ou D8L2Cr1 ou D8L3Cr1;
 Disciplina 9 com 2 créditos – cada aluno deverá escolher entre
D9L1Cr2 ou D9L2Cr2 ou D9L3Cr2;
 Seminário de Atualização Teológica ou de Práticas Ministeriais II com
1 crédito (SATPM2Cr1);
 Orientação Acadêmica II com 2 créditos (OA2Cr2).

5.3. Composição do Terceiro Semestre (09 créditos)

 Disciplina 10 com 2 créditos – cada aluno deverá escolher entre


D10L1Cr2 ou D10L2Cr2 ou D10L3Cr2;
 Disciplina 11 com 2 créditos – cada aluno deverá escolher entre
D11L1Cr2 ou D11L2Cr2 ou D11L3Cr2;
 Disciplina 12 com 1 crédito – cada aluno deverá escolher entre
D12L1Cr1 ou D12L2Cr1 ou D12L3Cr1;
 Disciplina 13 com 1 crédito – cada aluno deverá escolher entre
D13L1Cr1 ou D13L2Cr1 ou D13L3Cr1;
 Seminário de Atualização Teológica ou de Práticas Ministeriais III com
1 crédito (SATPM3Cr1);
 Orientação Acadêmica III com 2 créditos (OA3Cr2).

5.4. Composição do Quarto Semestre (até 04 créditos)


 Disciplina 14 com 1 crédito – comum às linhas (D14Cr1);
 Seminário de Atualização Teológica ou de Práticas Ministeriais IV com
1 crédito (SATPM4Cr1);
 Orientação Acadêmica IV com 2 créditos (OA4Cr2);
 Seminário de Pesquisa, podendo validar 1 crédito extra.
Embora os encontros ocorram a cada semestre, como o total de 3 encontros
dá ao mestrando o direito a um crédito, optamos em registrá-lo aqui no último
semestre do curso. Assim, se o mestrando tiver participado de, no mínimo, três
encontros, dos quatro oferecidos ao longo do semestre, terá direito a um crédito em
disciplina, em seu histórico, podendo escolher entre acrescentá-lo ou trocá-lo por
alguma disciplina.
5.5. Trabalho Final (06 créditos)

O Trabalho Final do curso equivale a 6 créditos e segue as orientações do


Regimento Interno do Curso, em seus Artigos 29 e 30, como segue:
Art. 29 – O Trabalho Final consiste em uma investigação descritiva,
exploratória ou experimental, dentro da respectiva área de concentração, conforme
regulamentação da CAPES, com viés prático, objetivando uma produção ou produto
ao final do trabalho.
§ 1º – O Trabalho Final deverá ser escrito em língua portuguesa, contendo
um resumo em língua inglesa.
§ 2º – Por solicitação do orientador e a critério do Coordenador do PPG
poderá ser aceito, em casos excepcionais, Trabalho Final em língua estrangeira.
§ 3º – O Trabalho Final deverá ter um mínimo de 70 (setenta) páginas e um
máximo de 140 (cento e quarenta) páginas, excluída a bibliografia, páginas pré-
textuais e anexos.
Art. 30 – A elaboração do Trabalho Final será feita paralelamente à oferta
de disciplinas e nos intervalos entre os respectivos períodos letivos (módulos ou
semestres), com a supervisão do respectivo orientador, que acompanhará todo o
processo de pesquisa desde o início do curso.
I. Para a Orientação Acadêmica I, será avaliado o projeto de pesquisa;
II. Para a Orientação Acadêmica II, será avaliada a primeira parte do
produto em andamento e o memorial de qualificação;
III. III – Para a Orientação Acadêmica III, será avaliada a segunda parte do
produto em andamento;
IV. Para a Orientação Acadêmica IV, será avaliada a terceira parte do
produto em andamento e a finalização do trabalho (do produto, relatório
etc) com vistas à apresentação do Trabalho Final de Curso à Banca
Examinadora.
V. Em caso daqueles TFCs que saírem desta configuração, o orientador
terá autonomia para redirecionar e redefinir a dinâmica de avaliação,
desde que respeite as fases de desenvolvimento de seus orientandos, a
partir do cronograma previamente definido no projeto apresentado à
qualificação.

6. HORÁRIO GERAL PARA 2019 e 2020, COMO EXEMPLO

Segue o calendário previsto para 2019 e 2020, como amostra do horário


geral. Para um melhor entendimento, é aconselhável que sejam comparados os
períodos completos, ou seja, de duas em duas tabelas, pois a disciplina que
começa, a princípio, em janeiro/fevereiro termina em julho e a que começa em julho
termina no próximo semestre, no mês de janeiro/fevereiro.
Essa grade horária poderá sofrer alterações. Aqui, está exposta como
ilustração. Os encontros podem acontecer nos três períodos do dia, manhã, tarde e
noite. As aulas da manhã acontecerão das 8h30 às 12h30; as aulas da tarde, das
14h às 18h; e as da noite, das 18h30 às 22h30.

6.1. Encontro de Janeiro e Fevereiro de 2019

Os encontros aconteceram nas seguintes datas:


 Primeira semana: de 28 de janeiro a 02 de fevereiro de 2019;
 Segunda semana: de 04 a 08 de fevereiro de 2019.

Disciplinas do 1.º Semestre do Curso = 11 créditos


QUA

QUA
SEG

SEG
SEX

SÁB

SEX

SÁB
TER

TER
QUI

QUI

D D D D D D D D D D
8 D1Cr SAT
D1Cr D1Cr D1Cr D4Cr D3Cr D3C D6C D3C D3C D3C
h 2 PM
2 2 2 2 2 r2 r1 r2 r2 r2
Intervalo para almoço Intervalo para almoço

D
OA1 D4C
1 1.º D2Cr
4 SPCr 2 Cr2* r2
h 1/3* *

Intervalo para lanche Intervalo para lanche


1
Com D4C D4C
8 D6Cr D2Cr D2Cr D2Cr D2Cr SAT SAT
unic.
h r2 r2
1 2 2 2 2 PM1 PM SAT
3
PM
0

* SPCr1= 3 Encontros no Seminário de Pesquisa – Apresentação de Projetos (1


Crédito para a participação em, pelo menos, 3 encontros – Comum às três linhas
de pesquisa – Eletiva). Este será o primeiro encontro para a turma que entrar em
2019 (e, ao mesmo tempo, será o terceiro para a turma que entrou em 2018).
Haverá quatro salas simultâneas, uma para cada Grupo de Pesquisa.

** OA1Cr2 = Orientação Acadêmica. Ela ocorre ao longo de todo o semestre, está


registrada aqui apenas como lembrete de sua existência.

Obs.: Os Seminários de Pesquisa podem ser oferecidos em duas


modalidades, uma que envolve três encontros em diferentes semestres, nas
semanas regulares de encontros e outra em encontros durante o semestre. Isto fica
à critério de cada Líder dos Grupos de Pesquisas.

Disciplinas Ofertadas no Primeiro Semestre

 D1Cr2 – (MPCT) Metodologia da Pesquisa Científico-Teológica (2 Créditos)


– (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Profa. Gleyds Silva Domingues
(GD);
 D2Cr2 – (ITB) Interpretação Teológica da Bíblia (2 Créditos) – (Comum às
três Linhas de Pesquisa) – Prof. Antônio Renato Gusso (RG);
 D3Cr2 – (ITACB) Influências das Teologias Atuais no Contexto Brasileiro (2
Créditos) – (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Prof. Alan Doyle Myatt
(AM);
 D4Cr1 – (AETSA) Aplicações Ético-Teológicas para a Sociedade Atual (1
Crédito) – (Comum às três Linhas de Pesquisa);
 D5Cr1 – (BTMEP) Bases Teórico-Metodológicas da Educação por Princípios
(1 Crédito) – (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Profa. Gleyds Silva
Domingues (GD);
 SATPM1Cr1 – Seminário de Atualização Teológica ou Prática Ministerial –
Assunto de interesse atual a ser definido (1 Crédito) – Preletor de destaque,
nacional ou estrangeiro (Comum às três linhas de pesquisas – Eletiva).

6.2. Encontro de Julho de 2019

Os encontros aconteceram nas seguintes datas:

 Primeira semana: de 08 a 13 de julho de 2019;

 Segunda semana: de 15 a 20 de julho de 2019.

Disciplinas do 2.º Semestre do Curso = 10 créditos


QUA

QUA
SEG

SEG
SEX

SÁB

SEX

SÁB
TER

TER
QUI

QUI
8 D D D D D D D D D D
SAT D
h D5C D5C D5C D5C D5C D7C D7Cr D7Cr D7Cr D7Cr
PM D7Cr2
r2 r2 r2 r2 r2 r2 2 1 2 2
Intervalo para almoço Intervalo para almoço

1 D D1Cr
OA2
4 2.º D7C 2 D2Cr1
h SPC r1 Finali Cr2** Finaliz
r1/3 zaçã ação.
o.
Intervalo para lanche Intervalo para lanche

1 D1Cr D3Cr
Com
8 D6C D6C D6C D6C D6C SAT SAT 2 2
un
h Finali Finali
r2 r2 r2 r2 r2 PM2 PM SAT
3 zaçã zaçã
PM
0 o. o.

* 2.ºSPCr1/3= 3 Encontros no Seminário de Pesquisa – Apresentação de Projetos


(1 Crédito para a participação em, pelo menos, 3 encontros – Comum às três linhas
de pesquisa – Eletiva). Este será o segundo para a turma que entrar em 2019 (e,
ao mesmo tempo, será o quarto para a turma que entrou em 2018). Haverá quatro
salas simultâneas, uma para cada Grupo de Pesquisa.
** OA2Cr2 = Orientação Acadêmica. Ela ocorre ao longo de todo o semestre, está
registrada aqui apenas como lembrete de sua existência.

6.2.1 Disciplinas em início

 D5Cr2 – (RTORSA) Relevância Teológica das Organizações Religiosas na


Sociedade Atual (2 Créditos) – (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Prof.
Alan Doyle Myatt (AM);
 D7Cr2[L1] – (RTAS) Releitura Teológica e Aplicação dos Sinóticos (2
Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Claiton André Kunz (AK) – Eletiva;
 D7Cr2[L2] – (DTP) Diálogo entre Teologia e Psicologia: interfaces do
aconselhamento e capelanias. (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 2:
Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof. Edilson Soares de Souza
(ES) – Eletiva;
 D7Cr2[L3] – (ETD) Epistemologia do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Para
Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos
Formativos) – Profa. Gleyds Silva Domingues (GD) – Eletiva;
 D8Cr1[L1] – (ATPE) Aplicabilidade Teológica da Pregação Expositiva (1
Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Antônio Renato Gusso (RG) – Eletiva;
 D8Cr1[L2] – (DATP) Debates Atuais em Teologia Pastoral (1 Crédito) –(Para
Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof.
Reginaldo Pereira de Moraes (RPM) – Eletiva;
 D8Cr1[L3] – (CFITFH) Cosmovisões e Formas de Interpretação Teológica na
Formação Humana (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos – Prof. Adriano Sousa Lima
(AL) – Eletiva;
 D9Cr2[L1] – (RTALPS) Releitura Teológica e Aplicação da Literatura Poética
e Sapiencial (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e
Contextos Bíblicos) – Profa. Marivete Zanoni Kunz (MK) – Eletiva;
 D9Cr2[L2] – (ATLC) Aplicações Teológicas da Liderança Cristã (2 Créditos)
– (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) –
Prof. Luiz Roberto Soares Silvado (RS) – Eletiva;
 D9Cr2[L3] – (RTCER) Relevância Teológica no Contexto da Educação
Religiosa (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof. Jaziel Guerreiro
Martins (JM) – Eletiva;
 SATPM2Cr1 – Seminário de Atualização Teológica ou Prática Ministerial –
Assunto de interesse atual a ser definido (1 Crédito) – Preletor de destaque,
nacional ou estrangeiro (Eletiva).

6.2.1 Disciplinas em encerramento (Iniciadas em Julho de 2019)


 D1Cr2 – (MPCT) Metodologia da Pesquisa Científico-Teológica (2 Créditos)
– (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Profa. Gleyds Silva Domingues
(GD);
 D2Cr2 – (ITB) Interpretação Teológica da Bíblia (2 Créditos) – (Comum às
três Linhas de Pesquisa) – Prof. Antônio Renato Gusso (RG);
 D3Cr2 – (ITACB) Influências das Teologias Atuais no Contexto Brasileiro (2
Créditos) – (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Prof. Alan Doyle Myatt
(AM).

6.3. Encontro de Janeiro/Fevereiro de 2020 (Terceiro Semestre)

Os encontros acontecerão nas seguintes datas:

 Primeira semana: 27 de janeiro a 01 de fevereiro de 2020;


 Segunda semana: de 03 a 08 de fevereiro de 2020.

Disciplinas do 3.º Semestre do Curso = 09 créditos


QUA

QUA
SEG

SEG

SÁB
SEX

SÁB

SEX
TER

TER
QUI

QUI
8 D D D D D D D7C D11
h D8Cr D8Cr D8Cr D12 D12 D12 D D r1 D Cr2
SAT
2 2 2 Cr1 Cr1 Cr1 D11 D11 D11 Fina
PM
Cr2 Cr2 Cr2 lizaç
ão.
Intervalo para almoço Intervalo para almoço

1 D5Cr OA3
4 2.º 2
h D9C Cr2* D11
SPCr Finali
r2 Cr2
1/3* zaçã *
o.

Intervalo para lanche Intervalo para lanche

1 Co D6C D7C
8 D9Cr D9Cr D9Cr D9Cr D9Cr SAT SAT mun r2 r2
h ic. Fina Fina
2 2 2 2 2 PM3 PM
3 SAT lizaç lizaç
0 PM ão. ão.

* SPCr1=3 Encontros – Seminário de Pesquisa – Apresentação de Projetos (1


Crédito para cada 3 encontros) (Comum às três linhas de pesquisa – Eletiva).

** OA3Cr2 = Orientação Acadêmica. Ela ocorre ao longo de todo o semestre, está


registrada aqui apenas como lembrete de sua existência.

6.3.1 Disciplinas que iniciam no Terceiro Semestre


 D10Cr2[L1] – (TPTP) Teologia Prática de Temas Paulinos (2 Créditos) –
(Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos Bíblicos) – Prof.
Jaziel Guerreiro Martins (JM) – Eletiva. D10Cr2[L2] – (BTPDIR) Base
Teológica e Projetos para o Desenvolvimento de Instituições Religiosas (2
Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e
Comunitária) – Prof. Edilson Soares de Souza (ES) – Eletiva;
 D10Cr2[L3] – (DES) Didática do Ensino Superior: concepções teológico-
educativas e processos formativos. (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa
3: Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof.
Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D11Cr2[L1] – (CTLPDH) Contribuições Teológicas da Literatura Profética
para os Dias de Hoje (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de
Textos e Contextos Bíblicos) – Profa. Marivete Zanoni Kunz (MK) –Eletiva;
 D11Cr2[L2] – (ATPE) Aplicação Teológica da Pastoral dos Excluídos (2
Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e
Comunitária) – Prof. Adriano Sousa Lima (AL) – Eletiva;
 D11Cr2[L3] – (CTCOTD) A Contribuição da Teologia no Currículo e na
Organização do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 3:
Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos Formativos) – Profa.
Gleyds Silva Domingues (GD) – Eletiva;
 D12Cr1[L1] – (DEBTR) Didática do Ensino Bíblico-Teológico e Religioso (1
Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D12Cr1[L2] – (ICSXXI) A Influência da Cosmovisão do Século XXI nas
Teologias e sua Aplicabilidade Pastoral (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa
2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária – Prof. David Bledsoe (DB) –
Eletiva;
 D12Cr1[L3] – (MPCET) Metodologia de Projetos em Contextos Educacionais
e Teológicos (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) − Eletiva;
 D13Cr1[L1] –- (TPHACG) Teologia Prática de Hebreus e a Aplicabilidade das
Cartas Gerais (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos
e Contextos Bíblicos) – Prof. Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D13Cr1[L2] – (PTATS) Perspectivas Teológicas para a Administração do
Terceiro Setor (2 Créditos) –- (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis
Pastoral e Comunitária) – Prof. Luís Roberto Silvado (LS) – Eletiva;
 D13Cr1[L3] – (EATPDE) O Espaço de Ação da Teologia Pública em Diálogo
com a Educação (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof. David Alan Bledsoe
e Reginaldo Pereira de Moraes (DB/RM) – Eletiva;
 SATPM3Cr1 – Seminário de Atualização Teológica ou Prática Ministerial –
Assunto de interesse atual a ser definido (1 Crédito) – Preletor de destaque,
nacional ou estrangeiro – (Eletiva).

6.3.2 Disciplinas do Segundo Semestre em encerramento no Terceiro


Semestre
 D5Cr2 – (RTORSA) Relevância Teológica das Organizações Religiosas na
Sociedade Atual (2 Créditos) – (Comum às três Linhas de Pesquisa) – Prof.
Alan Doyle Myatt (AM);
 D6Cr2[L1] – (RTAS) Releitura Teológica e Aplicação dos Sinóticos (2
Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Claiton André Kunz (AK) – Eletiva;
 D6Cr2[L2] – (TLIAC) Diálogo entre Teologia e Psicologia: interfaces do
aconselhamento e capelanias (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 2:
Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof. Edilson Soares de Souza
(ES) – Eletiva;
 D6Cr2[L3] – (ETD) Epistemologia do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Para
Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos
Formativos) – Profa. Gleyds Silva Domingues (GD) – Eletiva;.
 D7Cr1[L1] – (TEB) Aplicabilidade Teológica da Pregação Expositiva (1
Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Antônio Renato Gusso (RG) – Eletiva;
 D7Cr1[L2] – (CSC) Cosmovisões e Sistemas de Crença (1 Crédito) – (Para
Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof. David
Allen Bledsoe (DB) – Eletiva;
 D7Cr1[L3] – (TLECI) Cosmovisões e Formas de Interpretação Teológica na
Formação Humana (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof. Adriano Sousa
Lima (AL) – Eletiva;
 D7Cr2[L1] – (ARPS) Releitura Teológica e Aplicação da Literatura Poética e
Sapiencial (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e
Contextos Bíblicos) – Profa. Marivete Zanoni Kunz (MK) – Eletiva;
D7Cr2[L2] – (TL) Aplicações Teológicas da Liderança Cristã (2 Créditos) –
(Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof.
Luiz Roberto Soares Silvado (RS) – Eletiva;
 D7Cr2[L3] – (ETD) Epistemologia do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Para
Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos
Formativos) – Profa. Gleyds Silva Domingues (GD) – Eletiva;
 D10Cr1[L1] – (DEBR) Didática do Ensino Bíblico-Teológico e Religioso (1
Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D10Cr1[L2] – (TCSXXI) A Influência da Cosmovisão do Século XXI nas
Teologias e sua Aplicabilidade Pastoral (1 Crédito) – (Para Linha de
Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária – Prof. Reginaldo
Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D10Cr1[L3] – (MPCE) Metodologia de Projetos em Contextos Educacionais
e Teológicos (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) – Eletiva;
 D11Cr1[L1] – (ARHCG) Teologia Prática de Hebreus e a Aplicabilidade das
Cartas Gerais (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos
e Contextos Bíblicos) – Prof. Mark Alan Ellis (ME) – Eletiva;
 D11Cr2[L2] – (TDIR) Teologia e Desenvolvimento de Instituições Religiosas
(2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e
Comunitária) – Prof. Luís Roberto Silvado (LS) – Eletiva;
 D11Cr1[L3] – (CLIFH) O Espaço de Ação da Teologia Pública em Diálogo
com a Educação (1 Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade,
Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof. David Alan Bledsoe
e Reginaldo Pereira de Moraes (DB/RM) – Eletiva.
6.4. Possível1 Encontro de Julho de 2020

Os encontros acontecerão apenas na segunda semana, nas seguintes


datas:

 Primeira semana: 20 a 25 de julho de 2020 (aulas apenas para os alunos


do 1.º semestre);

 Segunda semana: 27 de julho a 01 de agosto de 2020 (essa data pode


sofrer alteração, pois ainda depende da efetivação do calendário
acadêmico da Faculdade como um todo).

Disciplinas do 4. Semestre do Curso


QUA

QUA
SEG

SEG
SEX

SÁB

SEX

SÁB
TER

TER
QUI

QUI
D14 D14 D14 D
8 SAT
Cr1 Cr1 Cr1
h PM
***
Intervalo para almoço

4.º OA4
1 SPC Cr2*
4
r1/3 *
h
*

Intervalo para lanche

1
Co
8 SAT SAT
mun
h
PM4 PM SAT
3
PM
0

* SPCr1=3 Encontros – Seminário de Pesquisa – Apresentação de Projetos (1


Crédito para cada 3 encontros) (Comum às três linhas de pesquisa – Eletiva).

1
Chama-se de Possível Encontro porque se o estudante conseguir os 32 créditos disciplinares,
nos três primeiros encontros, e se ele quiser, poderá ser liberado de comparecimento no último
encontro.
** OA3Cr2 = Orientação Acadêmica. Ela ocorre ao longo de todo o semestre, está
registrada aqui apenas como lembrete de sua existência.

*** D7Cr1 = Será uma disciplina ofertada nos anos pares.

Diante da sobrecarga que um quarto semestre com 6 créditos acabaram


dando aos pós-graduandos, em especial, na fase final de seus TFC, decidimos
mudar a distribuição dos créditos. No PPC anterior os 24 créditos disciplinares eram
distribuídos nos quatro semestre, da seguinte maneira: 08, 06, 06 e 04. Neste PPC,
em vigor, a distribuição semestral passa a ser da seguinte forma: 09, 08, 07 e 0.

6.4.1 Disciplinas do Terceiro Semestre em Encerramento até o Início do


Quarto Semestre
 D8Cr2[L1] – (ARPS) Releitura Teológica e Aplicação da Literatura Poética e
Sapiencial (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e
Contextos Bíblicos) – Profa. Marivete Zanoni Kunz (MK) – Eletiva;
 D8Cr1[L2] – (TATS) Teologia e Administração do Terceiro Setor (1 Créditos)
– (Para Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) –
Prof. Edilson Soares de Souza (ES) – Eletiva;
 D8Cr2[L3] – (TDES) Didática do Ensino Superior: concepções teológico-
educativas e processos formativos. (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa
3: Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos Formativos) – Prof.
Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;
 D9Cr1[L1] – (DEBR) Didática do Ensino Bíblico –Teológico e Religioso (1
Crédito) – (Para Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e Contextos
Bíblicos) – Prof. Reginaldo Pereira de Moraes (RM) – Eletiva;.
 D9Cr1[L2] – (CSC) Cosmovisões e Sistemas de Crença (1 Crédito) – (Para
Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária) – Prof. David
Allen Bledsoe (DB) – Eletiva;
 D9Cr2[L3] – (COTD) A Contribuição da Teologia no Currículo e na
Organização do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Para Linha de Pesquisa 3:
Espiritualidade, Educação e Docência nos Processos Formativos) – Profa.
Gleyds Silva Domingues (GD) – Eletiva.
6.4.2 Disciplinas em início
 SATPM4Cr1 – Seminário de Atualização Teológica ou Prática Ministerial –
Assunto de interesse atual a ser definido (1 Crédito) – Preletor de destaque,
nacional ou estrangeiro – (Eletiva);
 SPCr1 Validação dos créditos do Seminário de Pesquisa para os estudantes
que tiverem, ao menos, três presenças nos encontros semestrais.

Convém lembrar que além das disciplinas ofertadas a cada semestre os


estudantes também serão matriculados na respectivas Orientações Acadêmicas
Individuais, em cada semestre.

7. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Teologia Prática


O número de instituições atuando nas áreas da religião, do ensino, da
saúde, do aconselhamento pastoral, de entidades sociais de apoio às crianças e
aos idosos, de comunidades terapêuticas (acompanhamento a dependentes
químicos) e outras áreas de apoio biopsicossocial e espiritual, tem crescido muito
nas últimas décadas. Contudo, este crescimento não tem sido acompanhado por
um preparo adequado daqueles que atuam nestas áreas. Diante das necessidades
que se apresentam, essas áreas de ajuda são desempenhadas, muitas vezes, mais
com base na disposição e percepção pessoal de cada um dos envolvidos na
condução do processo de apoio e ajuda, do que em ações bem planejadas e
estudadas que, de fato, direcionem as ações para uma melhor solução de médio e
longo prazo, visando a erradicação ou, pelo menos, a diminuição do sofrimento dos
que necessitam destes cuidados. Os cursos na área de humanas amenizam estas
dificuldades no Brasil e América Latina, mas ainda existe uma lacuna expressiva
em nível de especialização, em especial, Stricto Sensu.
O PPG em Teologia das Faculdades Batista do Paraná, nível Mestrado
Profissional, com sua área de concentração em Teologia Prática, e suas linhas de
pesquisas voltadas para a “Releitura de Textos e Contextos Bíblicos”, para a
“Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária” e para “Espiritualidade, Educação e
Docência nos Processos Formativos”, busca suprir estas necessidades específicas,
por meio de uma formação técnica e profissional. Isto sinaliza para a necessidade
de um estudo aprofundado de matérias relacionadas com a prática do líder e sua
comunidade religiosa e/ou social e comunitária, as quais envolvem, entre outras,
disciplinas de organização do trabalho docente, religioso e sociocomunitário de
releituras textuais das Escrituras, de homilética, de gestão de pessoas, técnicas de
aconselhamento, técnicas de ensino, tipos de liderança etc. São questões que
levam o pós-graduando a dialogar com campos da filosofia, psicologia, pedagogia,
história e outros, que colaboram, positivamente, com o preparo do discente para
uma melhor atuação profissional, mais humana, eficaz e condizente com a realidade
social da atualidade no Brasil.
Em resumo, pode-se dizer que a área de Teologia Prática visa o estudo
aprofundado da Teologia, a partir de fundamentação teórica relevante, com vistas
à prática educacional e organizacional das ONGs, igrejas e instituições do terceiro
setor, atuantes no contexto brasileiro e latino-americano.

8. DISCIPLINAS E DOCENTES DE CADA LINHA DE PESQUISA


O curso, inicialmente, contará com apenas uma área de concentração, que
é a Teologia Prática, a qual será tratada em três linhas de pesquisas. Dependendo
da necessidade e, principalmente, respeitando as diretrizes do APCN CAPES,
poderão ser criadas novas linhas de pesquisas.
Segue a distribuição de disciplinas, de seus respectivos docentes e seus
créditos, dentro de cada linha de pesquisa. As disciplinas se dividem em comuns e
eletivas. As eletivas, ainda que estejam direcionadas para cada uma das Linhas de
Pesquisa, abrem oportunidade para que o estudante contribua para a construção
de seu próprio currículo, optando, quando lhe for conveniente, por disciplinas da
outra linha de pesquisa que não a sua.

8.1. Disciplinas Comuns às Três Linhas de Pesquisa

Com vistas a um conhecimento mais abrangente, necessário a todos, as


sete primeiras disciplinas são comuns às três linhas de pesquisa. E, com o intuito
de se criar um vínculo maior entre os pós-graduandos, a grande maioria delas serão
ofertadas logo no primeiro semestre do curso.
 Interpretação Teológica da Bíblia (2 Créditos) – (Comum às três Linhas
de Pesquisa)
Docente: Antônio Renato Gusso;
 Metodologia da Pesquisa Científico-Teológica (2 Créditos) – (Comum às
três Linhas de Pesquisa)
Docente: Gleyds Silva Domingues;
 Influências das Teologias Atuais no Contexto Brasileiro (2 Créditos)
(Comum às três Linhas de Pesquisa)
Docente: Alan Doyle Myatt;
 Relevância Teológica das Organizações Religiosas na Sociedade Atual
(2 Créditos) – (Comum às três Linhas de Pesquisa)
Docente: Alan Doyle Myatt;
 Bases Teórico-metodológicas da Educação por Princípios (1 Crédito) –
(Comum às três Linhas de Pesquisa)
Docente: Gleyds Silva Domingues;
 Aplicabilidade da Teologia e dos Direitos Humanos nas Concepções de
Formação Humana (1 Crédito) – (Comum às três Linhas de Pesquisa)
Docente: Adriano Sousa Lima.

8.2. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 1: Releitura de Textos e


Contextos Bíblicos

A tradição judaico-cristã, assim como outras religiões, tem boa parte de sua
fundamentação prática e teológica, em um conjunto de livros. As Escrituras, ainda
que seja o livro, no sentido de sua totalidade, mais comum entre esta tradição, é de
grande complexidade, o que pode levar a interpretações equivocadas e, até mesmo,
arcaicas. Reconhecendo as dificuldades específicas que envolvem a releitura e o
ensino e a aplicabilidade de tais textos, e também a sua importância para a
religiosidade brasileira, esta linha de pesquisa procura desenvolver um
conhecimento aprofundado da interpretação da literatura básica judaico-cristã para
perceber a prática da religiosidade cristã na atualidade. Para isto, segue a relação
básica dos componentes curriculares pertencentes a esta linha.
 Releitura Teológica e Aplicação dos Sinóticos (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Claiton André Kunz;
 Aplicabilidade Teológica da Pregação Expositiva (1 Crédito) – (Eletiva)
Docente: Antônio Renato Gusso;
 Releitura Teológica e Aplicação da Literatura Poética e Sapiencial (2
Créditos) – (Eletiva)
Docente: Marivete Zanoni Kunz;
 Contribuições Teológicas da Literatura Profética para os Dias de Hoje
(2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Marivete Zanoni Kunz;
 Teologia Prática de temas Paulinos (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Claiton André Kunz;
 Didática do Ensino Bíblico-Teológico e Religioso (1 Crédito) – (Eletiva)
Docente: Gleyds Silva Domingues;
 Teologia Prática de Hebreus e Aplicabilidade das Cartas Gerais (1
Crédito) – (Eletiva)
Docente: Reginaldo Pereira de Moraes e Jaziel Guerreiro Martins.

Observação: Além dessas disciplinas outras também poderão ser


ofertadas, também de forma Eletiva, nas semanas regulares dos encontros em sala
de aula, ou em outras ocasiões que a Coordenação entenda como adequadas,
inclusive com outros professores, igualmente ou mais qualificados.

8.3. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 2: Teologia e Práxis Pastoral e


Comunitária

Ainda dentro da área de Teologia Prática, o curso também trabalha com a


linha de pesquisa aqui denominada “Teologia e Práxis Pastoral e Comunitária”. Ela
parte da constatação de que as instituições religiosas, sociais e comunitárias, de
forma profissional ou amadora, naturalmente, estão envolvidas tanto com a
organização de suas atividades e unidades eclesiásticas ou gerenciais, como com
a orientação, suporte social, e cuidado espiritual da comunidade em geral. Assim,
visando um melhor desempenho por parte dos agentes envolvidos nestas
atividades, a linha propõe, direciona e estimula o estudo e a aplicação da Teologia
na organização institucional das igrejas, ONGs e comunidades sociais, no cuidado
pastoral, ético, moral, social e comunitário da sociedade, buscando o apoio das
técnicas modernas da administração, da liderança, da gestão de pessoas, do
aconselhamento, da capelania, e da orientação espiritual, ético-moral e de
cidadania. Para isto, segue a relação básica dos componentes curriculares
pertencentes a esta linha.

 Diálogo entre Teologia e Psicologia: interfaces do aconselhamento e


capelanias (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Edilson Soares de Souza;
 Debates Atuais em Teologia Pastoral (1 Crédito) – (Eletiva)
Docente: Reginaldo Pereira de Moraes;
 Base Teológica e Projetos para o Desenvolvimento de Instituições
Religiosas (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Luiz Roberto Soares Silvado;
 Aplicações Teológicas da Liderança Cristã (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Luiz Roberto Soares Silvado;
 Aplicação Teológica da Pastoral dos Excluídos (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Adriano Sousa Lima;
 Perspectivas Teológicas para a Administração do Terceiro Setor (1
Crédito) – (Eletiva)
Docente: Edilson Soares de Souza;
 A Influência da Cosmovisão do Século XXI nas Teologias e sua
Aplicabilidade Pastoral (1 Crédito) – (Eletiva)
Docente: David Allen Bledsoe.

Observação: Além destas disciplinas outras também poderão ser


ofertadas, também de forma Eletiva, nas semanas regulares dos encontros em sala
de aula, ou em outras ocasiões que a Coordenação entenda como adequadas,
inclusive com outros professores, igualmente ou mais qualificados.

8.4. Disciplinas Eletivas da Linha de Pesquisa 3: Espiritualidade, Educação e


Docência nos Processos Formativos

De igual modo, dentro da mesma área de Teologia Prática, o curso ainda


trabalha com a linha de pesquisa aqui denominada “Espiritualidade, Educação e
Docência nos Processos Formativos”. Ela parte do pressuposto de que o ser
humano em sua complexidade, enquanto pessoa e identidade, tem necessidades e
demandas que afetam diretamente na sua forma de ler, interpretar, viver e conviver
na realidade social. Essas necessidades e demandas estão presentes no modo
como ele busca respostas para as questões mais fundamentais da vida de natureza
epistemológica, teológica, filosófica, ética, religiosa e social. Isso ocorre porque o
ser humano é um ser que busca sua completude. Neste sentido, estudar a dimensão
da espiritualidade associada aos processos formativos a partir do olhar da Teologia
na educação oportuniza não apenas uma possibilidade de diálogo
interdisciplinar, mas transversal entre as áreas do conhecimento e que pode ser
contemplado no modo como o ensino e a aprendizagem vão sendo construídos nos
processos formativos afetos a uma perspectiva da integralidade do ser humano.
Busca-se, portanto, a partir da interação entre o ensino e a aprendizagem,
despertar a autonomia e a capacidade de reflexão sobre o sentido da vida, a partir
da compreensão dos significados gestados no interior dos diferentes sistemas de
crença, os quais expressam pressupostos que são legitimados ou não pelos
distintos grupos sociais. Assim, esta linha investiga os processos formativos a partir
da ótica da espiritualidade, a qual está implícita ou explícita nos sistemas de crença
e que perfazem a forma como as leituras de mundo são constituídas. Investiga,
ainda, o papel da educação a partir das contribuições da Teologia e de teólogos, a
partir de processos formativos de transformação, renovação, ruptura em diferentes
sociedades, contextos e tempos históricos. Para isto, segue a relação básica dos
componentes curriculares pertencentes a esta linha.
 Epistemologia do Trabalho Docente (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Jaziel Guerreiro Martins;
 O Espaço de Ação da Teologia Pública em Diálogo com a Educação (1
Crédito) – (Eletiva)
Docente: Adriano Sousa Lima;
 Didática do Ensino Superior: concepções teológico-educativas e
processos formativos (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Reginaldo Pereira de Moraes;
 A Contribuição da Teologia no Currículo e na Organização do Trabalho
Docente (2 Créditos) – (Eletiva)
Docente: Gleyds Silva Domingues;
 Relevância Teológica no Contexto da Educação Religiosa (2 Créditos) –
(Eletiva)
Docente: Jaziel Guerreiro Martins;
 Metodologia de Projetos em Contextos Educacionais e Teológicos (1
Crédito) – (Eletiva)
 Cosmovisões e Formas de Interpretação Teológica na Formação
Humana (1 Crédito) – (Eletiva)
Docente: Gleyds Silva Domingues.

Observação: Além destas disciplinas outras também poderão ser


ofertadas, também de forma Eletiva, nas semanas regulares dos encontros em sala
de aula, ou em outras ocasiões que a Coordenação entenda como adequadas,
inclusive com outros professores, igualmente ou mais qualificados.
9. CORPO DOCENTE

O corpo docente do Mestrado Profissional em Teologia das Faculdades


Batista do Paraná segue as definições da Portaria CAPES 191, de 04 de outubro
de 2011, podendo contar com docentes permanentes, docentes colaboradores e
docentes visitantes e, mantendo a quantidade mínima de dois terços de docentes
permanentes, de acordo com o Documento de Área de 2009, da Diretoria de
Avaliação da CAPES. Dos treze membros do corpo docente, 12 são permanentes
e um colaborador. Todos os professores do Corpo Docente têm experiência no
Ministério Eclesiástico, o que é bastante interessante para um Mestrado
Profissional.
O participante do Corpo Docente como colaborador é o professor Luiz
Roberto Soares Silvado, que já tem atuado há mais de vinte e cinco anos como
colaborador com o Curso de Bacharelado em Teologia das Faculdades Batista do
Paraná. Sua participação tem sido de dezesseis horas semanais. Esse professor
possui diploma de Doutor em Ministério pelo Southwestern Baptist Theological
Seminary, Texas, Estados Unidos da América (convalidado como Mestrado em
Teologia pelas Faculdades EST), e tem desenvolvido um trabalho ministerial longo
e de grandes proporções em Curitiba, com repercussão nacional e internacional, o
que torna sua contribuição como docente bastante importante para o Curso de
Mestrado Profissional em Teologia da FABAPAR, com sua ênfase prática.
Dos doze professores do Corpo Docente Permanente, nove possuem títulos
reconhecidos na área de Teologia, dois na área de Ciências da Religião, e um na
de História. Contudo, todos têm, pelo menos, graduação e boa parte Mestrado em
Teologia.
Quanto aos dois professores de Ciências da Religião, o professor Jaziel
Guerreiro Martins fez seu doutoramento em Teologia na Inglaterra, mas teve sua
validação pela UMESP, como Ciências da Religião. O professor Antônio Renato
Gusso, além dos cursos de Mestrado e Doutorado em Ciências da Religião (pela
UMESP), possui graduação em Teologia reconhecido pelo MEC, e Mestrado e
Doutorado em Teologia cursado no tempo em que cursos livres de Teologia ainda
eram permitidos. Também realizou um pós-doutorado em Teologia pela Escola
Superior de Teologia, em São Leopoldo, RS.
Sobre o professor com doutorado em História, ele também possui
graduação livre em Teologia e Graduação em Psicologia, além de atuar como pastor
há quase 30 anos. Assim, sua ampla experiência acadêmica, profissional e de vida,
contribui, e muito, na formação de nossos estudantes. Segue abaixo a relação
completa de nosso corpo docente, com algumas informações consideradas
pertinentes:

9.1. Docente Adriano Sousa Lima

Título: Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em


2016.

Título da tese: A Pneumatologia como Fundamento Teológico do Diálogo Inter-


religioso para as Assembleias de Deus no Brasil.

Nome do orientador: Dr. Clodovis Boff.

Área de atuação: Teologia Sistemática, Ecumenismo, Diálogo Inter-religioso,


Pluralismo Religioso, Religião e Direitos Humanos.

CPF: 918.899.602-68.

E-mail: adriano.lima.66@hotmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3058733042158467

Vínculo com a instituição: desde 2015, Professor Permanente – 30 horas na


instituição, a partir de 2018.

Membro do grupo de pesquisa: “Eclesiologia e Práticas”.

Experiência com orientações e bancas até final de 2017:


− Participou de 17 Bancas de TCC de Graduação;
− Participou de 01 Banca de Mestrado Acadêmico;
− Orientou com êxito 15 Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) de
Graduação.

Experiência profissional não acadêmica:

Presbítero na Igreja Evangélica Assembleia de Deus. Professor na Escola


Bíblica Dominical desde 2005, atuando principalmente nas classes de jovens e
adultos. Comentarista de revistas da Escola dominical da CPAD (comentário de
lições para a classe juvenil 15-17 anos). Participa ativamente na formação de líderes
e professores da Escola Bíblica Dominical, na Assembleia de Deus brasileira,
atuando de forma voluntária como palestrante em igrejas pelo país.
Tem participado de projetos sociais de envergadura nacional, como, por
exemplo, o projeto Rondon, do Ministério da Defesa, em parceria com
universidades.
Atualmente, também está realizando pesquisas na interface entre religião e
direitos humanos, com fins de aplicabilidade direta na sociedade, no que se refere
à afirmação dos direitos fundamentais do ser humano.

9.2. Docente Alan Doyle Myatt

Título: Doutor em Teologia pela University of Denver e Iliff School of Theology,


Denver, Colorado, Estados Unidos da América, em 1995 (Diploma reconhecido pela
EST, como Doutor em Teologia, em 20/10/2006).

Título da tese: Religion and Radical Identity in the Movimento Negro of Roman
Catholic Church in Brazil.

Orientadora: Dr.ª Paula Nesbitt.

Área de atuação: Teologia Sistemática.

CPF: 213.382.668-88.

E-mail: amyatt@pobox.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3560171087113162
Vínculo com a instituição: desde 2011, Professor Permanente – 40 horas na
instituição, com todas no mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Interpretação, atualização e transmissão dos


ensinos bíblicos”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 04 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 02 Trabalhos Finais de Curso (TFCs) de Mestrado
Profissional;
− Orientou com êxito 01 Dissertação de Mestrado Acadêmico Livre;
− Orientou com êxito 03 Dissertações de Mestrado Acadêmico Internacional
(pelo Gordon-Conwell Theological Seminary).

Experiência profissional não acadêmica:

Pastor desde 1995, realiza vários papéis no ministério, destacando-se na


homilia, ensino em escola dominical e palestras diversas. Já trabalhou como líder
de jovens, promovendo encontros e atividades relacionadas com a idade dos
participantes do grupo. Como pastor titular tem atuado na administração geral de
igrejas, assumindo direção de assembleias, reuniões de planejamento, e promoção
geral de missões. Tem experiência como conselheiro, pois desenvolve a prática do
aconselhamento para pessoas de várias idades no dia a dia. Tem ministrado
palestras tratando dos seguintes assuntos: Teologia, Bíblia, Apologética e
Religiões. Como músico (guitarra) fez parte de equipes de louvor em várias igrejas.
Na área da ação social, desenvolveu trabalho como Conselheiro no centro
de tratamento para viciados em drogas e álcool, na Lost and Found, Inc., em
Morrison, no Estado do Colorado, nos Estados Unidos da América, por,
aproximadamente, quatro anos, entre 1986 e 1990. Também tem atuado no
ministério de apoio a enfermos, orientação espiritual, e consolo a enlutados.

9.3. Docente Antônio Renato Gusso


Título: Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo
(UMESP), São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil, em 2007.

Título da tese: As Maldições do Salmo 137: O princípio da reciprocidade na justiça


do Antigo Testamento como chave bíblica para a interpretação.

Orientador: Dr. Tércio Machado Siqueira.

Atualização: Pós-doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST), em


São Leopoldo, Brasil, em 2011.

Área de atuação: Bíblia, Hermenêutica, Teologia Prática.

CPF: 320.902.349-20.

E-mail: renatogusso@hotmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/8540309673646768

Vínculo com a instituição: desde 1993. Professor Permanente – 40 horas no


mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Interpretação, atualização e transmissão dos


ensinos bíblicos”.

Experiência com orientações concluídas até final de 2017:


− Orientou com êxito 20 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 01 TCC de Especialização;
− Orientou com êxito 19 TFCs de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Professor de Bíblia em igrejas do Estado do Paraná desde 1984, atuando


em sala de aulas e ministrando diversas palestras. Pastor desde 1994, desenvolve
atividades de ensino, homilia, liderança de departamento de jovens, de ministério
com famílias, de missões e aconselhamento. Também, como presidente da Igreja
Batista Ágape, trabalha diretamente na administração da igreja, sendo responsável
por suas assembleias, planejamento, coordenação das atividades gerais, liderança
do corpo pastoral e da diretoria.
Coordena o trabalho voltado para os cultos da Igreja Batista Ágape,
orientando equipes para a preparação e direção destes cultos, destacando ocasiões
especiais como casamentos, bodas, funerais e datas marcantes para o cristianismo,
como Natal, Páscoa e outros.
Tem trabalhado na área de treinamento de líderes na Convenção Batista
Paranaense e Convenção Batista Pioneira. Já ocupou os cargos de
Vice-Presidente da Associação Batista da Grande Curitiba e de Vice-Presidente da
Ordem dos Pastores Batistas do Paraná. Realizou treinamento durante dois anos
consecutivos nas sete regionais da Convenção Batista Pioneira, que se espalham
pelos estados do Espírito Santo, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande
do Sul. Por esta mesma convenção tem realizado trabalhos de treinamento em
instituições de ensino na Argentina (2011), treinamento para estudantes e
professores do Instituto Bíblico de Beira, em Moçambique (2012, 2013, 2014) e em
Portugal (2018). Nos anos de 2012 a 2014 representou a Convenção Batista
Pioneira em Convênios firmados entre a Convenção Batista Pioneira, a Convenção
Batista Moçambicana e a Missão Batista Europeia, com sede em Berlim, na
Alemanha. Como experiência internacional, também desenvolveu trabalho de
promoção de missões entre igrejas batistas, Faculdades e instituições sociais, em
2014, na Alemanha, em viagem de 16 dias por aquele país.

9.4. Docente Claiton André Kunz

Título: Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST), São Leopoldo,
Rio Grande do Sul, Brasil, em 2006.

Título da tese: Ações Parabólicas: uma análise dos ensinos de Jesus através de
suas ações.

Orientador: Dr. Uwe Wegner.

Área de atuação: Bíblia, Novo Testamento, Teologia Sistemática.

CPF: 893.352.529-72.

E-mail: claiton@batistapioneira.edu.br
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8792248465166224

Vínculo com a instituição: desde 2012. Professor Permanente – 20 horas no


mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Projeto PERQUIRERE − Práxis Educativa na


Formação e no Ensino Bíblico”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 29 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 01 TCC de Especialização;
− Orientou com êxito 03 TFCs de Mestrado Profissional: 03.

Experiência profissional não acadêmica:

Líder de departamentos em igrejas desde 1993, atuando em diferentes áreas


como trabalho de jovens e adolescentes, escola bíblica dominical, secretaria e
tesouraria. Pastor desde 2002, exerceu o pastorado da Igreja Batista Pioneira
Esperança por 3 anos, atuando também como presidente da mesma igreja por mais
8 anos, e como líder do ministério com casais. Secretário da Ordem dos Pastores
Batistas do Brasil desde 2007, e membro da Comissão de Exame ao Ministério
Pastoral e do Conselho de Tutoria da Convenção Batista Pioneira. Presidente do
Conselho Ecumênico do Programa de Pós-Graduação da Escola Superior de
Teologia de São Leopoldo, desde 2009. Além disso, atuação como palestrante e
professor em diversas igrejas e eventos. Participante e organizador de viagens às
Terras Bíblicas (Israel, Egito, Jordânia, Turquia e Grécia).

9.5. Docente David Allen Bledsoe

Título: Doutor em Teologia pela University of South Africa (UNISA), África do Sul,
2010. Com validação pela PUC-Rio, em 2014.

Título da Tese: Brazilian Neo-Pentecostalism: Development and Distinctions with


a Missiological Case Analysis of the Universal Church of the Kingdom of God and
its Impact on Brazilian Society.
Orientador: PhD. Willem Saayman.

Título: Doutor em Ministério pelo Mid-America Baptist Theological Seminary,


MABTS, Estados Unidos, 2006.

Título da Tese: A Holistic Tent Ministry with American Volunteers to Assist New
Churches in Urban Contexts.

Orientador: PhD. John Floyd.

Área de atuação: Ciências humanas, Missiologia e Teologia prática.

CPF: 221.931.218-69.

E-mail: dabledsoe@gmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3720809391814504

Vínculo com a instituição: desde 2013, Professor Permanente – 40 horas na


instituição.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Eclesiologia e Práticas Pastorais” e


“Interpretação, atualização e transmissão dos ensinos bíblicos”.

Experiência de orientação e participação em bancas até final de 2017:


− Participou de 03 bancas de TFCs de Mestrado Profissional.
− Orientou com êxito 01 TFC de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Tem trabalhado no Brasil com implantação de igrejas e como coordenador e


consultor da International Mission Board, SBC, em todo o Brasil.

9.6. Docente Edilson Soares de Souza

Título: Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba,


Paraná, Brasil, 2012.
Título da Tese: Cristãos em confronto: discórdias entre intelectuais religiosos num
Estado não confessional (Brasil, 1890-1960).

Orientador: Dr. Euclides Marchi.

Área de atuação: História, filosofia e psicologia.

CPF: 492.954.387-87.

E-mail: edilsonssouza@uol.com.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4559349806019571

Vínculo com a instituição: desde 2005, Professor Permanente – 30 horas na


instituição.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Teologia e Psicologia” e do “Núcleo Paranaense


de Pesquisa em Religião (NUPPER)”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


Orientou com êxito 29 TCCs de Graduação;
Orientou com êxito 01 TCC de Especialização;
Orientou com êxito 09 TFCs de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Pastor desde 1982 e Psicólogo clínico desde 1990, quando assumiu a


liderança da Igreja Batista de Guarapuava, permanecendo naquela comunidade até
1985. Em 1985, assumiu a Igreja Batista de Parolin, Curitiba, permanecendo no
cargo por mais de 12 (doze) anos. Em Curitiba, iniciou a formação superior em
Psicologia, concluindo o Bacharelado e o Curso de Formação de Psicólogo em
1989, tendo colado grau como psicólogo em 05 de março de 1990. Após a
conclusão dos cursos, continuou atendendo na clínica da faculdade por mais dois
anos, com supervisão especial, entre 1990 e 1992. A partir deste ano iniciou a
trajetória como Psicólogo Clínico.
Em 1990, desenvolveu dois projetos ligados à psicologia: a) supervisão com
um profissional da linha sistêmica; e b) a formação em Teoria Relacional Sistêmica,
que foi realizada no Núcleo de Psicologia Clínica. Foi também nesse período que
atuou como psicólogo voluntário, dando assessoria ao Lar Batista Esperança (LBE),
acompanhando crianças e adolescentes encaminhados pelo conselho tutelar de
Curitiba.
Em 1997, assumiu o Pastoreio da Igreja Batista no Andaraí, no Rio de
Janeiro. Lá, retomou as atividades como psicólogo clínico, voltando a atuar em
consultório particular, entre 1999-2003. Na PIB, no Andaraí, organizou um Ministério
com Casais, visando o apoio teológico e psicológico das famílias da comunidade
religiosa, mas também da comunidade externa, no entorno das dependências da
igreja.
Atuou como Conselheiro Pastoral, atendendo às demandas de pessoas da
igreja e da comunidade em geral. Neste período, convidado pela Junta de Educação
Religiosa e Publicações, da Convenção Batista Brasileira, produziu textos para
adolescentes e jovens de todo o Brasil, abordando temas atuais e contextualizados,
com os títulos: Vencendo o medo; Removendo o ódio do coração; Dominando as
minhas fraquezas; Sexualidade e amor próprio; Sexualidade e corpo humano; e
Sexualidade e mente. De acordo com informações fornecidas, as revistas tiveram
uma tiragem de mais de 50 mil cópias.
Retornando a Curitiba, depois de 2004, retomou as atividades como
psicólogo clínico. Exerceu, por três vezes, o Pastoreio Interino na Igreja Batista
Água Verde, preparando a igreja para a chegada de um pastor efetivo. De 2011 a
2015, foi Editor da Revista Via Teológica.

9.7. Docente Gleyds Silva Domingues

Título: Doutora em Teologia, pelas Faculdades EST, São Leopoldo, RS, em 2015.

Título da tese: Cosmovisões: (in) visibilidades de marcas discursivas voltadas à


formação humana em projetos político-pedagógicos de instituições de ensino.

Orientador: Dr. Remí Klein.

Atualização: Pós-Doutorado em Educação e Religião, pela Pontifícia Universidade


Católica do Paraná, em 2016. Supervisor: Dr. Sérgio Junqueira.
Área de atuação: Educação, Projetos, Cosmovisão.

CPF: 397.546.774-68.

E-mail: gleyds2016@hotmail.com

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3982430869583455

Vínculo com a instituição: desde 2010. Professora Permanente, com cerca de 30


horas semestrais.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Projeto PERQUIRERE − Práxis Educativa na


Formação e no Ensino Bíblico”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 56 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 24 TCCs de Especialização;
− Orientou com êxito 02 TFCs de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Foi Redatora das Revistas de Estudos Bíblicos para Crianças do Ministério


em Células no Brasil de 1998 a 2004. Trabalhou como Educadora Religiosa na
Primeira Igreja Batista de Boa Viagem de 1985 a 1989. Conselheira do Instituto
OPET (2007 a 2010), foi professora de Escola Bíblica entre os anos de 1985 – 2012.
Participou como Palestrante da Associação Dehoniana Brasil Meridional (ESIC)
para Capacitação de Professores da Rede Estadual de Ensino (de 2011 a 2014) e
como Palestrante da Rede Municipal de Ensino (no mesmo período). Foi
Coordenadora do Projeto Escola e Universidade em parceria com a Rede Municipal
de Ensino de Curitiba (2008 a 2012).
Tem sido Membro do Conselho Missionário da Igreja Batista do Bacacheri
(desde 2008) e Participante do Conselho Ministerial da Igreja Batista do Bacacheri
(desde 2010). É Conselheira da Associação Beneficente Curitibana na Comissão
de Compaixão e Justiça (desde 2010). Tem trabalhado como Colaboradora de
Artigos para a Revista Educador da Convenção Batista Brasileira (desde 2015), e
em 2018 passou a assumir a função de Primeira Secretária do CAEBE (Centro de
Apoio ao Estrangeiro no Brasil e no Exterior) e ainda é Professora convidada do
Ministério Doxa para Treinamento de Missionários.

9.8. Docente Jaziel Guerreiro Martins

Título: Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo


(UMESP), São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil, 2005.

Título da tese: "Sai, Satanás!": a demonopráxis e a demonologia como o eixo


hermenêutico da Igreja Universal do Reino de Deus.

Orientador: Dr. Ettiene Higuet.

Área de atuação: Teologia Sistemática e Teologia Prática.

CPF: 510.673.909-87.

E-mail: diretor@fabapar.com.br

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5695116464099843

Vínculo com a instituição: desde 1997. Professor Permanente – 40 horas na


instituição, com 20 horas no mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Eclesiologia e Práticas Pastorais” e “Teologia e


Psicologia”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 10 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 04 TCCs de Especialização;
− Orientou com êxito 12 TFCs de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Pastor desde 1987, tendo trabalhado em igrejas de periferia, onde atuou com
a comunidade pobre, com atividades sociais e espirituais. No momento não atua
como pastor em igreja, pois dedica-se integralmente a FABAPAR, embora se
envolva em ações sociais de alguns projetos de várias igrejas da cidade de Curitiba,
especialmente no Lar Batista Esperança, que possui 11 casas lares e 128 órfãos.
Em termos de liderança já foi: Presidente da Associação das Igrejas Batistas da
Grande Curitiba, Primeiro Vice-Presidente da Ordem dos Pastores Batistas do
Paraná, Primeiro Secretário da Convenção Batista Paranaense. Atualmente,
exerce as seguintes funções: Presidente da Associação Brasileira de Instituições
Batistas de Ensino Teológico (ABIBET); Presidente do Comitê de Educação
Teológica da Convenção Batista Brasileira. Esse comitê é um órgão consultivo que
dá orientações políticas (não acadêmicas) às instituições Batistas de Teologia. É
membro da diretoria da Associação Evangélica de Teologia da América Latina
(AETAL).
Como pastor tem vasta experiência nas questões administrativas da igreja,
inclusive com livro publicado nesta área. Também trabalhou na preparação e
execução de ordens de cultos para ocasiões do dia a dia e específicas, como Natal,
Ano Novo, Páscoa, Funerais, Bodas etc. Durante seus anos de ministério liderou
jovens, encontros de casais e famílias, e treinou líderes para os diversos
departamentos das igrejas em que atuou. Ainda, investiu tempo nas questões de
aconselhamento e orientação espiritual dos grupos com os quais trabalhou.

9.9. Luiz Roberto Soares Silvado

Título: Doutor em Ministério pelo Southwestern Baptist Theological Seminary,


Texas, Estados Unidos da América, 1987.

Título da tese: Evangelizing and incorporating new believers into a local church
through a partnership mission project.

Orientador: Dr. Daniel Sanchez.

Bolsista do(a): FMB of the Southern Baptist Convention.

Área de atuação: Ministério Pastoral, Missões, Liderança.

CPF: 200.470.379-20.

E-mail: rsilvado@ibb.org.br
Lattes: http://lattes.cnpq.br/8458350727181766

Vínculo com a instituição: desde 1989. Professor Colaborador − 14 no mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Eclesiologia e Práticas Pastorais”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 01 TCC de Especialização;
− Orientou com êxito 01 TFC de Mestrado Profissional;
− Coorientou com êxito 01 Dissertação de Mestrado Acadêmico Internacional
(em Estminster College in Oxford, Baptist Missionary Society of London);
− Orientou com êxito 01 Tese de Doutorado Acadêmico Internacional (em
Southern Baptist Theological Seminary – EUA).

Experiência profissional não acadêmica:

Como presidente da Igreja Batista do Bacacheri, igreja com 3800 membros,


e coordenador geral do Colegiado de Pastores, é responsável pela coordenação do
planejamento estratégico da instituição, de toda a gestão administrativa das
dependências, manutenção do patrimônio, planejamento e gestão financeira do
orçamento, bem como pagamentos conforme o orçamento. A Associação
Beneficente Curitibana é o braço social da Igreja. Como presidente desta ONG tem
a responsabilidade de coordenar o planejamento estratégico e a sua execução,
acompanhando a gestão administrativa e financeira.
Aconselhamento e homilia são bases no seu ministério. Além de pregar na
igreja local também prega em encontros e congressos, dentro e fora do Brasil.
Também atua em classes da igreja, seminários especiais, painéis, grupos de
estudo, e cursos sobre temas específicos. Também promove capacitação para que
o ser humano de forma integral participe da transformação da sociedade. Promove
esta capacitação na igreja local, na denominação batista e também
internacionalmente, por meio do Instituto Haggai, Aliança Batista Mundial e Missão
CCI.
Lidera quatro (4) pastores que compõem o colegiado da igreja. Encontra-se
com eles semanalmente para um momento de mentoreamento e crescimento
pessoal e ministerial. Tem, também, encontros regulares com outros líderes e
vocacionados para o ministério cristão. Devido à posição de liderança no meio
evangélico, e experiência ministerial, tem atendido, regularmente, pastores e
missionários em busca de orientação para sua vida pessoal e ministerial.
Recentemente iniciou um projeto de mentoreamento de “casais pastorais”.
Além da equipe de 4 pastores tem sob sua liderança outros pastores,
seminaristas e líderes. Busca atender o grande desafio da unidade que está na
diversidade de dons e talentos. Também coordena a ABC, ONG que exerce
influência em muitas pessoas e famílias. Como presidente da Convenção Batista
Paranaense, exerce um papel mais estratégico e de representação denominacional.
Mantém a equipe existente motivada para cumprir o planejamento estratégico e
influenciar as diretrizes básicas da denominação no Estado do Paraná.
Participa do conselho do “Lar Batista Esperança”, que cuida de menores de
zero a 18 anos; da “Sociedade Evangélica Beneficente”, mantenedora do Hospital
Universitário Evangélico de Curitiba; e de “várias faculdades”. É presidente da
Convenção Batista Brasileira, pela segunda vez (4 anos) e vice-presidente da
Aliança Batista Mundial (por 5 anos).

9.10. Marivete Zanoni Kunz

Título: Doutora em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST), São Leopoldo,
Rio Grande do Sul, Brasil, em 2012.

Título da tese: O espaço divino no discurso de Ezequiel nos capítulos 8 a 11 e 43


a 48.

Orientador: Dr. Arthur Carlos Dreher.

Área de atuação: Bíblia, Antigo Testamento e Educação.

CPF: 017.681.679-82.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5398997327124397

E-mail: marivete@batistapioneira.edu.br
Vínculo com a instituição: desde 2012. Professora Permanente – com cerca de
30 horas no mestrado.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Interpretação, atualização e transmissão dos


ensinos bíblicos”.

Experiência de orientação concluída até final de 2017:


− Orientou com êxito 15 TCCs de Graduação;
− Orientou com êxito 01 TCC de Especialização;
− Orientou com êxito 11 TFCs de Mestrado Profissional.

Experiência profissional não acadêmica:

Atua na área de ensino para crianças e jovens desde 1997. Tem trabalhado
na coordenação e direção da escola bíblica e como professora de crianças junto ao
Lar da Criança Henrique Liebich em Ijuí/RS, desde 2006. Vem desenvolvendo por
meio desta coordenação: planejamento de atividades, análise de materiais didáticos
para as classes e acompanhamento pedagógico com professores em atividades
gerais. Liderança de ministério de casais e trabalho como secretária de atas da
Igreja Batista Pioneira Esperança, em Ijuí/RS, desde 2003.

9.11. Reginaldo Pereira de Moraes

Título: Doutor em Teologia pelas Faculdades EST, São Leopoldo, RS, Brasil, em
2018.

Título da tese: “O Descanso Sabático em Hebreus”.

Orientador: Dr. Nelson Kilpp.

Área de atuação: Bíblia, Hermenêutica e Teologia Prática.

CPF: 271.938.408-94.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3266629770868938

E-mail: reginaldopmoraes@gmail.com
Vínculo com a instituição: desde 2012. Professor Permanente – 40 horas na
instituição, sendo 20 no mestrado, a partir de 2018.

Membro do Grupo de Pesquisa: “Interpretação, atualização e transmissão dos


ensinos bíblicos” e do “PERQUIRERE − Práxis Educativa na Formação e no Ensino
Bíblico”.

Experiência com orientações e bancas até final de 2017:


− Participou em 65 Bancas de TCCs de Graduação;
− Participou em 32 Bancas de TCCs de Pós Graduação/Especialização;
Orientou com êxito 36 TCCs de Graduação.

Experiência profissional não acadêmica:

Líder de departamentos em igrejas desde 1994, atuando em diferentes


áreas como trabalho de jovens e adolescentes, escola bíblica dominical, secretaria,
tesouraria, comissões administrativas e de construção. Professor de Bíblia em
igrejas do Estado de São Paulo, entre os anos de 1994 a 1997, e no Estado do
Paraná, a partir de 1998. Também tem atuado em sala de aula e ministrado diversas
palestras.
É pastor desde 2003, auxiliou por pouco mais de um ano na Igreja Batista
Jardim Maracanã, em Colombo-PR, e desde julho de 2004 tem sido pastor auxiliar
da Igreja Batista Ágape, em Curitiba-PR. Vem desenvolvendo, principalmente,
atividades de ensino, homilia, liderança de departamento de jovens, de teatro e
missões.
Tem participado como palestrante em vários eventos relacionados à
capacitação de liderança religiosa. Alguns organizados pelas próprias igrejas,
outros por Associações e outros pela Convenção Batista Paranaense. Escreveu o
livro “O Fantástico Mundo dos Fantoches”, como material de apoio e ferramental
lúdico para professores e crianças. Somando todas as tiragens, já vendeu cerca de
14 mil exemplares.
10. PROJETOS DE PESQUISA
O PPG em Teologia, nível Mestrado, das Faculdades Batista do Paraná,
como centro de excelência na área teológica, a mais tradicional em todo o Estado
do Paraná e a de maior destaque entre os Batistas da América Latina, estimula e
promove a pesquisa. Assim, todos os docentes devem estar ligados a um, ou mais
de um, Projeto de Pesquisa, como participantes ou coordenadores, pois há na carga
horária de cada professor tempo disponível para isso.
De início, o Curso contou com dois Projetos de Pesquisa, cada um deles
ligado a uma das linhas de pesquisa propostas pela área geral. Com o andamento
do curso, outros dois foram acrescentados, a partir de necessidades e
possibilidades identificadas. Como pode ser visto no ponto anterior deste projeto,
nas informações a respeito do Corpo Docente, alguns deles já participam de
Projetos de Pesquisa em outras instituições. Isto é muito bem visto e incentivado
pela Coordenação do PPG das Faculdades Batista do Paraná.
Como parte dos relatórios e resultados das pesquisas, espera-se a
produção de artigos, resenhas, livros, e projetos que possam ser publicados ou
executados. Além disso, os projetos procuram promover a participação de seus
integrantes em congressos, debates, simpósios etc., que possam agregar valor às
pesquisas.
A ideia é que, até 2019, cada docente permanente esteja à frente de um
Projeto, ampliando assim o envolvimento de nossa instituição com a pesquisa. Eis,
em ordem alfabética, a descrição básica dos projetos em andamento oferecidos
pelo curso:

10.1. Projeto de ECLESIOLOGIA E PRÁTICAS PASTORAIS

Linha de pesquisa a que está vinculado: Linha 02 − Teologia e Práxis Pastoral e


Comunitária (entre os anos de 2012 a 2017 era chamada de “Linha 02 −
Organização e Cuidado Pastoral”)
Ano de início: 2012
Docente responsável pelo projeto: Dr. José Neivaldo de Sousa
Descrição geral do projeto: Este Grupo visa incentivar, orientar e desafiar
professores e estudantes do curso, ligados à Linha de Pesquisa Organização e
Cuidado Pastoral, a aprofundarem suas pesquisas nas questões metodológicas,
históricas, práticas e atuais, que envolvam a eclesiologia e as práticas pastorais,
administrativas e de cuidado. Para que este objetivo seja alcançado, os orientadores
trabalharão estes assuntos diretamente com seus orientandos e o curso
providenciará oportunidades para o aprofundamento das questões por meio de
seminários de atualização teológica e práticas ministeriais, além da promoção de
reuniões de compartilhamento das pesquisas entre estudantes e docentes.
Relação de docentes vinculados a este grupo:
− Jaziel Guerreiro Martins
− Luis Roberto Silvado

10.2. Projeto de INTERPRETAÇÃO, ATUALIZAÇÃO E TRANSMISSÃO DOS


ENSINOS BÍBLICOS

Linha de pesquisa a que está vinculado: Linha 01 − Releitura de Textos e


Contextos Bíblicos (entre os anos de 2012 a 2017 era chamada de “Linha 01 –
Leitura e Ensino da Bíblia”)
Ano de início: 2012
Docente responsável pelo projeto: Dr. Antônio Renato Gusso
Descrição geral do projeto: Este projeto visa incentivar, orientar e desafiar,
professores e estudantes do curso, ligados à Linha de Pesquisa Leitura e Ensino da
Bíblia, a aprofundarem suas pesquisas nas questões metodológicas, históricas,
exegéticas, práticas e atuais, que envolvem a hermenêutica bíblica e o ensino de
seus resultados. Para que este objetivo seja alcançado, os orientadores trabalharão
esta questão diretamente com seus orientandos e o curso providenciará
oportunidades para o aprofundamento das questões por meio de seminários de
atualização teológica e práticas ministeriais, além da promoção de reuniões de
compartilhamento das pesquisas entre estudantes e docentes.
Relação de docentes vinculados a este grupo:
− Antônio Renato Gusso
− Allan Doyle Myatt
− Marivete Zanoni Kunz

10.3. Projeto PERQUIRERE − Práxis Educativa na Formação e no Ensino


Bíblico
Linha de pesquisa a que está vinculado: Linha 01: Releitura de Textos e
Contextos Bíblicos (entre os anos de 2012 a 2017 era chamada de “Linha 01
– Leitura e Ensino da Bíblia”)2
Ano de início: 2012
Docente responsável pelo projeto: Dr.ª Gleyds Silva Domingues
Descrição geral do projeto: Este Grupo de Pesquisa projeta alguns avanços na
área da investigação, no sentido de possibilitar uma articulação com outras áreas
do conhecimento, a fim de discutir sobre o fenômeno da Teologia aliado aos campos
do Direito, da Educação, da Formação Humana e Social, da Bioética e da
Sustentabilidade, uma vez que esses grandes temas são afetos ao processo de
ensino bíblico como também da prática pastoral, na medida em que suscitam novas
e fecundas provocações que se encontram presentes no contexto da fé e por que
não dizer da vida. Assim, o Grupo assumiu ampliar as discussões, adotando uma
postura epistemológica interdisciplinar, o qual culminará na publicação de uma
coletânea de estudos. O Grupo de Pesquisa ainda demarca sua atuação na
consolidação das pesquisas desenvolvidas pelos estudantes e pesquisadores que
contribuem para as reflexões sobre as linhas de pesquisa em que está situado.
Relação de docentes vinculados ao projeto:
− Gleyds Silva Domingues
− Claiton André Kunz
− Reginaldo Pereira de Moraes

2Este Grupo está em fase de migração para a Linha 03: Espiritualidade, Educação e Docência nos
Processos Formativos.
10.4. Projeto de TEOLOGIA E PSICOLOGIA
Linha de pesquisa a que está vinculado: Linha 02 − Teologia e Práxis Pastoral e
Comunitária (entre os anos de 2012 a 2017 era chamada de “Linha 02 −
Organização e Cuidado Pastoral”)
Ano de início: 2016
Docente responsável pelo projeto: Dr. Edilson Soares de Souza
Descrição geral do projeto: Este grupo propõe estudar a relação entre Teologia e
psicologia, partindo das inquietações que são percebidas na prática pastoral,
tomando como referência as diversas produções da psicologia, além da análise de
determinadas obras da literatura, tanto teológica quanto da psicologia.
Docente vinculado a este grupo:
− Edilson Soares de Souza

10.5. Em processo de instauração: Projeto de TEOLOGIA E DIREITOS


HUMANOS: DIÁLOGOS, POSSIBILIDADES E DESAFIOS

Linha de pesquisa a que estará vinculado: Linha 03 − Espiritualidade, Educação


e Docência nos Processos Formativos.
Ano de início: Iniciará em 2019
Docente responsável pelo projeto: Dr. Adriano Souza Lima
Descrição geral do projeto: Este grupo se propõe a estabelecer um diálogo entre
a Teologia cristã e os direitos humanos, fundamentado nos princípios teológicos (e
jurídicos) da dignidade humana e da solidariedade. Isto porque a Teologia cristã é
elaborada a partir do seu contexto cultural. Os teólogos patrísticos, nos primeiros
séculos, assim a fizeram. Da mesma forma, os teólogos na Idade Média,
modernidade e contemporaneidade. Um dos principais desafios para o teólogo é (e
sempre foi) a sua capacidade de compreender o tempo em que vive e interpretá-lo
à luz do Evangelho. Essa tarefa realizada com eficiência e responsabilidade
possibilita que a Teologia se faça presente na sociedade e possa estabelecer um
diálogo com a mesma, a partir de temas relevantes e fundamentais.
Relação de docentes vinculados a este grupo:
− Adriano Souza Lima
− Jaziel Guerreiro Martins
11. A AVALIAÇÃO DO CURSO

As Faculdades Batista do Paraná possuem uma Comissão Permanente de


Avaliação (CPA). Assim, o Curso de Mestrado Profissional em Teologia também
será avaliado constantemente por esta comissão que, no geral, considera dez
dimensões que envolvem toda a instituição. As dimensões consideradas são as
seguintes:
Dimensão 1: A missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).
Dimensão 2: A política para o ensino (graduação e pós-graduação), a
pesquisa, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os
procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de pesquisa, de
monitoria e demais modalidades.
Dimensão 3: A responsabilidade social da instituição, considerada
especialmente no que se refere à sua contribuição em relação à inclusão social, ao
desenvolvimento econômico e social, à defesa do meio ambiente, da memória
cultural, da produção artística e do patrimônio cultural.
Dimensão 4: A comunicação com a sociedade.
Dimensão 5: As políticas de pessoal, de carreiras do corpo docente e corpo
técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e suas
condições de trabalho.
Dimensão 6: Organização e gestão da instituição, especialmente o
funcionamento e representatividade dos colegiados, sua independência e autonomia
na relação com a mantenedora, e a participação dos segmentos da comunidade
universitária nos processos decisórios.
Dimensão 7: Infraestrutura física, especialmente a de ensino e de pesquisa,
biblioteca, recursos de informação e comunicação.
Dimensão 8: Planejamento e avaliação, especialmente em relação aos
processos, resultados e eficácia da autoavaliação institucional.
Dimensão 9: Políticas de atendimento aos discentes.
Dimensão 10: Sustentabilidade financeira, tendo em vista o significado social
da continuidade dos compromissos na oferta da Educação Superior.

12. OBSERVAÇÕES COMPLEMENTARES AO PPC

Neste ponto, serão esclarecidos alguns detalhes que não aparecem na


descrição geral do Projeto, isto porque ele foi elaborado, também, como base para
o preenchimento do APCN CAPES.

12.1. Convênios

As Faculdades Batista do Paraná entendem que a cooperação com outras


instituições de ensino similar é benéfica para o desenvolvimento acadêmico, tanto
dos docentes quanto dos discentes de seus cursos, de graduação e pós-graduação.
Dentro desta visão, tem oferecido e buscado ajuda de parceiros que compartilham
de ideais semelhantes na área de Teologia.
No momento, dois convênios estão em vigor, um nacional e outro
internacional. Seguem abaixo as descrições básicas dos acordos e das instituições
com quem eles foram firmados.

12.1.1 Convênio com a Faculdade Batista Pioneira

A Faculdade Batista Pioneira (www.batistapioneira.edu.br) é uma instituição


de ensino teológico com mais de 50 anos de experiência. Teve seu curso de
Teologia credenciado e autorizado pelo Ministério da Educação e Cultura em 2008.
Está localizada na cidade de Ijuí, no Rio Grande do Sul, e mantém um convênio
com as Faculdades Batista do Paraná, que pode ser resumido nos seguintes
pontos:
1) Intercâmbio de professores em seus cursos de graduação, em disciplinas
oferecidas em bloco;
2) Troca de informações acadêmicas e administrativas;
3) Acesso de professores e alunos às bibliotecas das duas instituições;
4) Disponibilidade para professores da FBP atuarem como professores e
orientadores, respeitando-se a legislação, no Curso de Mestrado da
FABAPAR.

12.1.2 Convênio com Southeastern Baptist Theological Seminary

O Southeastern Baptist Theological Seminary (www.sebts.edu) é uma


instituição de ensino teológico de grande destaque nos Estados Unidos da América.
Está localizado na cidade de Wake Forest, na Carolina do Norte, onde atua desde
1950. Oferece diversos tipos de cursos, mas enfatiza seus mestrados e doutorados.
O convênio firmado com esta instituição resume-se em:
1) Intercâmbio de professores para realizar palestras, lecionar disciplinas e
fazer visitas especiais;
2) Troca de informações acadêmicas e técnicas, com destaque para o
ensino a distância;
3) Possibilidade de brasileiros, professores e estudantes utilizarem as
dependências do Southeastern para pesquisas;
4) Condições especiais para professores e estudantes da FABAPAR
realizarem cursos de interesse no SEBTS;
5) Acesso de professores das Faculdades Batista do Paraná à biblioteca on-
line do Southeastern Baptist Theological Seminary.

12.2. Convênio com Ampliação e Atualização da Biblioteca

Para desenvolverem suas pesquisas, os estudantes do Curso de Mestrado


em Teologia das Faculdades Batista do Paraná têm à disposição, além da Biblioteca
da própria da faculdade, as bibliotecas das instituições com as quais a faculdade
possui convênios, ou seja, a biblioteca da Faculdade Batista Pioneira, mais as
bibliotecas física e virtual do Southeastern Baptist Theological Seminary. Contudo,
isto não desestimula a instituição em relação à ampliação e à atualização de sua
Biblioteca própria. Pelo contrário, reconhecendo o valor deste instrumento para a
pesquisa, a FABAPAR investe de forma regular e consistente na modernização e
ampliação de seu acervo. O montante em reais destinado a este fim, mensal,
corresponde a 5% do orçamento geral da faculdade, para cada mês, o qual, no
momento (2018), está em R$ 265.500,00 anuais.

12.3. Disciplinas Extras

Além das disciplinas já destacadas no Projeto, visando agilidade e


atualidade constante, o Curso pretende oferecer também outras, de forma optativa,
nas semanas regulares dos encontros em sala de aula, ou em outras ocasiões que
a Coordenação entenda como adequadas. Aproveitando, em especial, professores
e temas de destaque na área, e professores qualificados que fazem parte das
instituições com as quais a FABAPAR possui convênios.

13. EMENTAS E BIBLIOGRAFIA BÁSICA DAS DISCIPLINAS

Seguem abaixo as propostas sugeridas pelo Conselho para cada disciplina.


Cada professor tem relativa autonomia para retrabalhar cada Plano de Ensino,
visando sempre sua atualização bibliográfica, adequação à realidade apresentada
a cada turma e à metodologia de avaliação. Para qualquer mudança que fugir muito
do Plano proposto, cada docente deve encaminhar as mudanças pretendidas para
a Coordenação, que, se achar necessário, pedirá o parecer do Conselho de Pós-
Graduação Stricto Sensu (CONSPOG).

Outro detalhe importante diz respeito à ordem em que aparecem os Planos


de Ensino de cada disciplina. Inicialmente, são separados entre os Planos de Ensino
comuns às três linhas, seguidos por aqueles específicos de cada linha, seguindo a
sequência Linha 01, 02 e 03. Dentro de cada um destes quatro grupos, a sequência
passa a ser por ordem alfabética do nome de cada componente curricular.
13.1 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas Comuns
Disciplina: Curso:

Aplicações Ético- Mestrado Profissional em Teologia


Teológicas para a
Sociedade Atual

Professores: Período: Turma: Créditos: CH semestral:

1.º x 1 45

Ementa:

A disciplina aborda a ética e sua relação com a cultura e a sociedade no decorrer da história e
na contemporaneidade. Busca-se uma compreensão dos conceitos de ética, moral e lei, bem
como a fundamentação de uma ética cristã com base na filosofia platônica e aristotélica, e nos
escritos de Agostinho e Tomás de Aquino. Ao final, será feita uma aplicação da ética na cultura
e na sociedade contemporânea mediante um diálogo com Deus, com o semelhante, consigo
mesmo e com o meio ambiente.

Aptidões e Competências/Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Facilitar ao aluno uma reflexão sobre os processos de valoração ética;


● Facilitar maior compreensão sobre as diferentes teorias na história da ética;
● Promover uma análise sobre a relação ética e vida;
● Analisar a ética na perspectiva interdisciplinar;
● Identificar e diferenciar conceitos ligados à ética como moral e lei.
Conteúdo Programático:

● Ética: conceituação e distinção entre moral e lei


● Ética no conflito dos conceitos
● A moral como objeto da ética
● Distinção entre ética e lei
● Os fundamentos da ética cristã
● O Ethos na filosofia de Platão e Aristóteles
● O encontro da ética e da fé cristã
● Ética Agostiniana e Tomista
● Ética e cidadania
● Construindo uma Ética do diálogo
● O Eu na relação com Deus e o Semelhante
● O Eu na relação consigo e mesmo e com o meio ambiente

Calendário de Atividades:
Bibliografia Básica/Exigida:

DROIT, R. P. Ética: uma primeira conversa. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
SANDEL, M. J. O que o dinheiro não compra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.
______. Contra a perfeição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.
ZINGANO, M. As virtudes morais. São Paulo: Martins fontes, 2013.
SOUZA, J. N. Da ética humanitária a uma ética planetária. In: Protestantismo em revista.
São Leopoldo, RS, n. 26, set-dez, 2011, pp. 96-102.

Bibliografia Complementar:

BOFF, L. Ethos Mundial. Rio de janeiro: Sextante, 2003.


GRENZ, S. A busca da moral: fundamentos da ética cristã. São Paulo: Editora Vida, 2006.
MARCONDES, D. Textos básicos de ética. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.
HORTON, M. O cristão e a cultura. São Paulo: Cultura Cristã, 1998.
KÜNG, H. Ética Mundial. São Paulo Paulinas, 2003.
SOUZA, J. N. Imagem humana à semelhança de Deus. São Paulo: Paulinas, 2010.
______. Cristianismo: a religião do diálogo. São Paulo: Fonte Editorial, 2015.

Disciplina: Curso:

Influências das Teologias Atuais no Contexto Mestrado Profissional em Teologia


Brasileiro

Professores: Período: Crédito: CH semestral:

Alan Doyle Myatt 1º 2 90

Ementa:

O estudo a partir de uma análise bíblica de vários teólogos, questões e controvérsias importantes
na Teologia dos últimos anos, especialmente em relação ao seu impacto na igreja cristã brasileira
no início do século XXI. Serão incluídas a Teologia do processo, teísmo aberto, Teologia
feminista, Teologia da libertação, Teologia negra, pluralismo, Teologia global, e as Teologias pós-
moderna, pós-liberal, e pós-conservadora, entre outras.

Aptidões e Competências/Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conhecer os teólogos e as Teologias principais dos séculos XX e XXI;


● Fazer uma análise crítica das Teologias e movimentos teológicos recentes;
● Responder aos desafios da Teologia contemporânea para a igreja cristã brasileira do
século XXI;
● Construir sua própria Teologia à luz dos problemas sociais da igreja global de hoje;
● Interpretar a Teologia atual de forma adequada para alcançar as necessidades da
sociedade.

Conteúdo Programático:
● Introdução geral;
● A Teologia atual e o conceito de cosmovisão;
● Movimentos teológicos do século XX;
● O pano de fundo da Teologia liberal do século XIX;
● Barth e a Teologia Neo-ortodoxa;
● Bultmann, Tillich e a Teologia existencial;
● Whitehead, Cobb e a Teologia do processo;
● Boff, Gutierrez e a Teologia da libertação;
● A Teologia feminista;
● James Cone e a Teologia negra;
● Cornelius Van Til, Carl F. H. Henry, Francis Schaeffer e o novo evangelicalismo.
● Desenvolvimentos e movimentos recentes;
● Teologia pós-moderna e pós-liberal;
● O novo pluralismo e a Teologia da libertação;
● Teologias globais;
● Novas críticas da Bíblia (Bart Ehrman, o Seminário de Jesus, O Código da Vinci);
● A nova perspectiva sobre Paulo;
● O novo ateísmo;
● Controvérsias e discussões atuais na Teologia evangélica;
● A trindade e subordinação;
● Teísmo aberto;
● Feminismo evangélico;
● A Teologia pós-conservadora.
Calendário de Atividades:

Bibliografia Básica/Exigida:

ASETT (Org.) Pelos muitos caminhos de Deus: desafios do pluralismo religioso à Teologia da
Libertação. Goiás: Editora Rede, 2003.
GRENZ, S. J.; OLSON, R. E. A Teologia do Século 20: e os anos críticos do século 21. 2. Ed.
São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2014.
LOPES, A. N. Polêmicas na Igreja. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2015.
MYATT, A. A Teologia da Libertação e o Novo Pluralismo Religioso. Revista Batista Pioneira. v.
3, n. 1, 2014.
VANHOOZER, K. Há um significado neste texto? Interpretação bíblica: os enfoques
contemporâneos. São Paulo: Editora Vida, 2005.

Bibliografia Complementar:

ASETT (Org.) Pelos muitos caminhos de Deus: do pluralismo religioso à Teologia da


Libertação. Goiás: Editora Rede, 2003.
BOCK, D. L. Os evangelhos perdidos: a verdade por trás dos textos que não entraram na
Bíblia. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2007.
BOCK, D. L. Quebrando o Código da Vinci: respostas às perguntas que todos estão fazendo.
Osasco: Novo Século Editora, 2004.
BOFF, L. A Trindade e a Sociedade. Petropolis: Editora Vozes, 2000.
BOFF, L.; BOFF, C. Como fazer TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO. 9. ed. Petrópolis: Editora Vozes,
2007.
BULTMANN, R. Jesus Cristo e mitologia. São Paulo: Fonte Editorial, 2000.
CAMPOS, H. C. de. O teísmo aberto: um ensaio introdutório, Fides Reformata, 9/2
http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_IX__2004__2/heber.pdf
CASTIÑEIRA, À. A experiência de Deus na Pós-Modernidade. Petrópolis: Editora Vozes,
1997.
CLOUSE, B.; CLOUSE, R. G. (Ed.). Mulheres no ministério: quatro opiniões sobre o papel da
mulher na igreja. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1996.
COSTA, H. M. P. da. Raízes da Teologia Contemporânea. São Paulo: Editora Cultura Cristã,
2004.
DAWKINS, R. Deus: um delírio. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
EHRMAN, B. D. Evangelhos perdidos: as batalhas pela escritura e os cristianismos que não
chegamos a conhecer. Rio de Janeiro: Editora Record, 2008.
EHRMAN, B. D. O que Jesus disse? O que Jesus não disse? Quem mudou a Bíblia e por
quê. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Sinergia, 2009.
FERREIRA, F.; MYATT, A. Teologia Sistemática: Uma análise histórica, bíblica e apologética
para o contexto atual. 2. ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2008.
FRAME, J. Não há Outro Deus: Uma resposta ao teísmo aberto. São Paulo: Editora Cultura
Crista, 2006.
GIBELLINI, R. A Teologia Do Século XX. São Paulo: Edições Loyola, 1998.
GRENZ, S. J. Mulheres na Igreja: Teologia bíblica para mulheres no ministério. São Paulo:
Editora Candeia, 1995.
GRENZ, S. J. Pós-modernismo: um guia para entender a filosofia do nosso tempo, 2. ed. São
Paulo: Edições Vida Nova, 2008.
GRUDEM, W. Confrontando o Feminismo Evangélico. São Paulo: Editora Cultura Cristã,
2009.
LIBÂNIO, J. B.; ANTONIAZZI, A. 20 Anos de Teologia na América Latina e no Brasil.
Petrópolis: Editora Vozes, 1994.
LOPES, A. N. A Bíblia Seus Intérpretes: uma breve história da interpretação. São Paulo:
Editora Cultura Cristã, 2004.
MACHEN, J. G. Cristianismo e Liberalismo. São Paulo: Editora Os Puritanos, 2001.
MCLAREN, B. Uma Ortodoxia Generosa: a igreja em tempos de pós-modernidade. Editora
Palavra, 2007.
MCGRATH, A. E.; MCGRATH, J. O Delirio de Dawkins: Uma resposta ao fundamentalismo
ateísta de Richard Dawkins. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2007.
MYATT, A. A Teologia da Libertação e o Novo Pluralismo Religioso. Revista Batista Pioneira,
v. 3, n. 1, 2014.
PANNENBERG, W. Teologia Sistemática. 3 vol. São Paulo: Editora Paulus, 2009.
PENZO, G.; GIBELLINI, R. (Orgs.) Deus na Filosofia do Século XX. São Paulo: Edições
Loyola, 1998.
SCHAEFFER, F. A. O Deus que Intervém. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2002.
______. O Deus que se Revela. São Paulo: Editora Cultura Cristã 2002.
STUHLMACHER, P.; HAGNER, D. A. Lei e Graça em Paulo: Uma resposta à polêmica em
torno da doutrina de justificação. São Paulo: Editora Vida Nova, 2010.
TILLICH, P. T. Textos Selecionados. São Paulo: Fonte Editorial, 2007.
______. Teologia Sistemática. 5. ed. rev. São Leopoldo: Editora Sinodal, 2005.
TOMITA, L. E.; BARROS, M.; VIGIL, J. M. (Orgs.) Pluralismo e Libertação: Por uma Teologia
Latino-Americana Pluralista a partir da Fé Cristã. São Paulo: Edições Loyola, 2005.
______. Teologia Latino-Americana Pluralista da Libertação. São Paulo: Editora Paulinas,
2006.
VAN T. C. Apologética Cristã. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2011.
WRIGHT, N. T. Paulo: Novas Perspectivas. São Paulo: Edições Loyola, 2009.

Disciplina: Curso:

Interpretação Teológica da Bíblia Mestrado Profissional em Teologia

Professores: Período: Turma: Créditos: CH semestral:

Antônio Renato Gusso 1º 2 90

Ementa:

Estudo crítico dos princípios de interpretação bíblica utilizados no decorrer da história até a
atualidade, e sua aplicação prática.

Aptidões e Competências/Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Demonstrar que conhece e entende a literatura disponível a respeito do assunto;
● Perceber a importância da interpretação adequada da Bíblia;
● Avaliar de forma crítica, com segurança, os métodos de interpretação utilizados na
atualidade;
● Apresentar trabalhos completos de interpretação de textos bíblicos em que fique
evidenciada a utilização das técnicas estudadas.
Conteúdo Programático:
● O ponto de partida da interpretação;
● Quantas interpretações corretas existem;
● A importância da interpretação correta;
● A história da interpretação;
● A interpretação segundo o Midraxe;
● A interpretação ecumênica e outras da atualidade;
● A interpretação das citações do Antigo Testamento no Novo Testamento;
● Os gêneros literários e a interpretação;
● A prática da interpretação.
Calendário de Atividades:

Bibliografia Básica/Exigida:
BEALE, G. K. Manual do uso do Antigo Testamento no Novo Testamento: Exegese e
interpretação. São Paulo: Vida Nova, 2013.
GUSSO, A. R. Como entender a Bíblia: orientações práticas para a interpretação correta das
Escrituras Sagradas. 7. ed. Curitiba: A D Santos Editora, 2013.
KAISER, JUNIOR. W. C.; SILVA, M. Introdução à Hermenêutica Bíblica: Como ouvir a Palavra
de Deus apesar dos ruídos de nossa época. 2. ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2009.
LOPES, A. N. A Bíblia e seus intérpretes: uma breve história da interpretação. 3. ed. São Paulo:
Editora Cultura Cristã, 2014.

Bibliografia Complementar:

ANGLADA, P. R. B. Introdução à hermenêutica reformada: correntes históricas,


pressuposições, princípios e métodos linguísticos. Ananindeua-PA: Knox Publicações, 2006.
BEALE, G. K. O uso do Antigo Testamento no Novo e suas implicações hermenêuticas. São
Paulo: Edições Vida Nova, 2014.
BULTMANN, R. Jesus Cristo e mitologia. São Paulo: Novo Século, 2000.
CARDOSO PINTO, C. O. Fundamentos para exegese do Antigo Testamento: manual de
sintaxe hebraica. 2. ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2013.
CARSON, D. A. As Escrituras dão testemunho de mim: Jesus e o evangelho no Antigo
Testamento. São Paulo: Edições Vida Nova, 2015.
CARSON, D. A. Os perigos da interpretação da Bíblia. São Paulo: Edições Vida Nova, 2001.
CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS − COMISSÃO DE FÉ E CONSTITUIÇÃO − CONIC. Um
tesouro em vasos de argila: instrumento para uma reflexão ecumênica sobre a hermenêutica.
Tradução de Maria Telma Queiroz Brito. São Paulo: Paulus, 2000.
DOCKERY, D. S. Hermenêutica Contemporânea à Luz da Igreja Primitiva. São Paulo: Editora
Vida, 2005.
DREHER, M. N. Bíblia: Suas leituras e interpretações na História do Cristianismo, São Leopoldo:
Sinodal, 2006.
DYCK, E. Hermenêutica: uma abordagem multidisciplinar da leitura bíblica. São Paulo: Shedd
Publicações, 2012.
GUNNEWEG, A. H. Hermenêutica do Antigo Testamento. São Leopoldo: Sinodal, 2003.
GUSSO, A. R. Um esboço histórico da hermenêutica bíblica: da época do Novo Testamento aos
dias atuais. In: Revista Batista Pioneira, v. 2, n. 1, 2012.
______. Noções gerais de exegese do Antigo Testamento. In: Gramática instrumental do
hebraico. 2. ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2008, p. 209-219.
KÖRTNER, U. H. J. Introdução à hermenêutica teológica. São Leopoldo: Sinodal/EST, 2009.
KÖSTENBERGER, A. J.; PATTERSON, R. D. Convite à interpretação bíblica: A tríade
hermenêutica: história, literatura e teologia. São Paulo: Edições Vida Nova, 2015.
OSBORNE, G. A Espiral Hermenêutica. São Paulo: Vida Nova, 2009.
RICOEUR, P. A hermenêutica bíblica. São Paulo: Loyola, 2006.
______. Ensaios sobre a interpretação bíblica. São Paulo: Novo Século, 2004.
REIMER, H. Hermenêutica ecológica de textos bíblicos. Revista de Interpretação Bíblica
Latino-Americana, Petrópolis: Vozes, v.1, n. 50, p. 171-176, jan. 2005.
______; SILVA, V. da. (Orgs.) Hermenêuticas bíblicas: contribuições ao I Congresso Brasileiro
de Pesquisa Bíblica, São Leopoldo: Oikos; Goiânia: UCG, 2006.
SCHLEIERMACHER, F. D. E. Hermenêutica: arte e técnica da interpretação. Petrópolis: Vozes,
2001.
SCHOLZ, V. Princípios de interpretação bíblica: introdução à hermenêutica com ênfase em
gêneros literários. Canoas: Editora da ULBRA, 2006.
SIMIAN-YOFRE, H. (Org.). Metodologia do Antigo Testamento. São Paulo: Edições Loyola,
2000.
WEGNER, U. Exegese do Novo Testamento: manual de metodologia. 2. ed. São Leopoldo:
Sinodal; São Paulo: Paulus, 2001.
ZABATIERO, J. Manual de exegese. São Paulo: Hagnos, 2007.

Disciplina: Curso:

Metodologia da Pesquisa Científico-


Mestrado Profissional em Teologia
Teológica

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Gleyds Silva Domingues 1º 2 90

Ementa:

A pesquisa, enquanto produção do conhecimento. Principais paradigmas da ciência e sua inter-


relação com o a produção do conhecimento. Métodos e Metodologia da Pesquisa. Redação
Científica. Compreensão das diferentes formas de estudar, de fazer pesquisa, das metodologias
e dos instrumentos de coleta de dados, e da formatação de projetos e de relatórios de pesquisa.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Identificar a pesquisa, enquanto produção do conhecimento.


● Diferenciar os paradigmas da ciência, apontando suas características e influências no
contexto da pesquisa.
● Conceituar pesquisa e reconhecer o papel da pesquisa como sistematização do
conhecimento.
● Identificar as principais correntes do método de pesquisa qualitativo: fenomenologia;
etnografia; teoria fundamentada; etnometodologia.
● Descrever os elementos estruturantes da redação científica.
● Elaborar uma proposta de pesquisa.
● Dominar as normas de editoração de trabalhos e pesquisas.
● Preparar um projeto de pesquisa.

Conteúdo Programático
● Pesquisa e produção de conhecimento.
● Paradigmas da ciência e produção de conhecimento.
● Principais correntes do método de pesquisa qualitativo.
● O processo da redação científica.
● Como redigir trabalhos.
● Elaborando resumos.
● Arquivando.
● Esquematizando.
● Redigindo.
● Ética nas pesquisas.
● O ato de pensar o projeto de pesquisa.
● Planejando a pesquisa.
● Estabelecendo o problema a ser pesquisado.
● Fazendo levantamento bibliográfico preliminar.
● Avaliando o problema.
● Formulação de hipóteses.
● Objetivos e justificativa.
● Estabelecendo os métodos de análise e de interpretação de dados.
● Estabelecendo um cronograma de execução.
● Articulação da teoria com a proposta prática.
● Esboço do Trabalho Final de Curso.
● Normas de editoração.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

AZEVEDO, I. B. de. O prazer da produção científica. 11ª ed. São Paulo: Hagnos, 2004;
ALVES, M. Como escrever teses e monografias: um roteiro passo a passo. 2ª ed. Rio de
Janeiro: Editora Campus, 2003.
CHIZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. RJ: Vozes, 2014.

Bibliografia Complementar:

BELL, J. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e


ciências sociais. 4ª Ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.
CASTRO, C. de M. de. Como redigir e apresentar um trabalho científico. São Paulo:
Pearson, 2011.
CRESWELL, J W.; CLARK, V. L. Plano Clark. Pesquisa de métodos mistos. 2ª ed. Porto
Alegre: Penso, 2013.
GONÇALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. 2ª ed., Campinas/SP:
Alínea, 2001.
LAKATOS, E. M. e MARCONI, M. de A. Metodologia do trabalho científico: procedimentos
básicos, pesquisa bibliográfica, científicos. 59ª Ed. São Paulo, Atlas, 2003.
SOUZA, A. C. de; FIALHO, F.; & OTANI, N. TCC: métodos e técnicas. Florianópolis: Visual
Books, 2007.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Normas para apresentação de trabalhos. Curitiba:
UFPR, 2003.
Disciplina: Curso:

Aplicabilidade da Teologia e dos Direitos


Mestrado Profissional em Teologia
Humanos nas Concepções de Formação Humana

CH
Professor: Período Turma Créditos
semestral

Adriano Sousa Lima 1º 2 90

Ementa:

Reflete sobre a relação entre Teologia, direitos humanos e a formação humana; a Bíblia e os
direitos humanos; o fundamento dos direitos humanos; o processo de construção dos direitos
humanos na história; Os temas principais dos direitos humanos: diversidade étnico-racial,
diversidades de gênero, refugiados, liberdade religiosa, cuidado com os idosos; Teologia e as
crianças; Espiritualidade e direitos humanos; a Tteologia na formação humana.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conhecer a importância da Teologia e dos direitos humanos na formação humana.


● Demonstrar a capacidade de produzir uma Tteologia em diálogo com os direitos
humanos.
● Desenvolver uma Tteologia que contribua diretamente para a formação humana.
● Ser capaz de desenvolver uma reflexão teológica que contribua no combate à
discriminação sexual, ao preconceito étnico-racial e à intolerância religiosa.
● Produzir pesquisas teológicas que contribua de forma efetiva para a atuação teológica-
pastoral na sociedade brasileira.

Conteúdo Programático

● Introdução geral.
● A Bíblia e os direitos humanos.
● O fundamento dos direitos humanos.
● O processo de construção dos direitos humanos na história.
● Diversidade étnico-racial.
● Diversidades de gênero.
● Refugiados.
● Liberdade religiosa.
● Cuidado com os idosos.
● Teologia e as crianças.
● Diversidades de gênero.
● Espiritualidade e direitos humanos.
● A Tteologia na formação humana.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

PIOVESAN, Flávia. Temas de Direitos Humanos. 10. ed., São Paulo: Saraiva, 2017.
RIBEIRO, Cláudio de Oliveira. Religião, Democracia e Direitos humanos. Presença pública
inter-religiosa no fortalecimento da democracia e na defesa dos direitos humanos no Brasil.
São Paulo: Reflexão, 2016.
SANTOS, Boaventura de Sousa. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. São
Paulo: Cortez, 2014.

Bibliografia Complementar:

BUTLER, J. Problemas de Gênero – feminismo e subversão da identidade 8ª ed., São Paulo:


Civilização brasileira, 2015.
DUARTE, S; PINHEIRO, N. Estudos feministas e religião – tendências e debates. Curitiba:
Editora Prismas, 2016.
PIOVESAN, F. Direitos humanos e Direito ConstitucionalConstituicional internacional –
18ª ed.; São Paulo: Saraiva, 2018.
RIBEIRO, C. de O. Espiritualidades contemporâneas e Direitos Humanos. São Paulo:
Terceira via, 2018.
ROSSI, L. A.; JUNQUEIRA, S. Religião, Direitos Humanos e Laicidade. São Paulo: Fonte
Editorial, 2015.

Disciplina: Curso:

Relevância Teológica das Organizações


Mestrado Profissional em Teologia
Religiosas na Sociedade Atual

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Alan Doyle Myatt 2º 2 90

Ementa:

O estudo da relação entre Tteologia e religão, e seu papel na cultura pós-moderna. O século
XXI apresenta vários desafios para a Tteologia e a religião. A matéria visa entender ambas, para
desenvolver uma Tteologia fiel às escrituras e relevante ao mundo. Serão incluídos o
relacionamento entre Tteologia e religião, as marcas de uma Tteologia prática saudável, e a
missão da Tteologia na transformação da Sociedade Atual .

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conceituar Tteologia, religião e pós-modernidade.


● Entender os fundamentos da Tteologia prática.
● Entender o relacionamento entre a igreja (como organização religiosa) e o Reino de
Deus.
● Entender como criar uma Tteologia relevante para a sociedade.
● Facilidade em interpretar os problemas de cultura.
● Criar estratégias de transformação teológica numa Sociedade Atual.

Conteúdo Programático

1. Introdução geral.
2. Definições gerais.
2. A natureza e missão da igreja na Bíblia.
3. As marcas de um grupo saudável e relevante para a sociedade.
4. O papel da comunidade religiosa na cidade.
5. A Tteologia como aporte para as necessidades de nossas comunidades e do mundo.
6. O segmento Religioso e a política.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

GOHEEN, M. W. A Igreja Missional na Bíblia: Luz para as nações. São Paulo: Edições Vida
Nova, 2014.
HIEBERT, P. G. Transformando cosmovisões: uma análise antropológica de como as
pessoas mudam. São Paulo: Edições Vida Nova, 2016.
WRIGHT, C. J. H. A Missão do povo de Deus: Uma teologia bíblica da missão da igreja. São
Paulo: Edições Vida Nova, 2012.

Bibliografia Complementar:

BIÉLER, A. A Força Oculta dos Protestantes. São Paulo: Editora Cultura Cristão, 1999.
BOFF, L. Eclesiogenese - A reinvencao da igreja. Rio de Janeiro: Editora Record 2008.
BOFF, L. Igreja - Carisma e Poder. Rio de Janeiro: Editora Record, 2005.
CARRIKER, T. O Caminho Missionário de Deus: uma teologia bíblica de missões. 2a ed.
São Paulo: Editora Sepal, 2000.
DEVER, M. Nove Marcas de uma Igreja Saudável. São José dos Campos: Editora Fiel,
2007.
FERREIRA, F. Avivamento para a Igreja. São Paulo: Edições Vida Nova, 2015.
FERREIRA, F. e MYATT, A. Teologia Sistemática: Uma análise histórica, bíblica e
apologética para o contexto atual. 2a ed. São Paulo: 2008.
GIANASTACIO, V. Uma Igreja que Faz e Acontece: Responsabilidade social, cidadania e
serviço a luz do Novo Testamento. São Paulo: Edições Vida Nova, 2006.
HORRELL, J. S. A Essência da Igreja. São Paulo: Hagnos, 2004.
LOPES, A. N. Mantendo a igreja pura. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2008.
MULHOLLAND, D. M. Teologia da igreja: Uma igreja segundo os propósitos de Deus. São
Paulo: Edições Vida Nova, 2004.
MULLER, G. L. Pobre para os Pobres: A missão da igreja. São Paulo: Paulinas Editora,
2014.
PETERSON, E. H. Caminho de Jesus e os Atalhos da Igreja. São Paulo: Mundo Cristão
2009.
QUEIROZ, E. A Igreja Local e Missões. 6.a edição São Paulo: Edições Vida Nova, 2014.
REEDER, H L. III e SWAVELY, D. A Revitalização da sua igreja segundo Deus. São Paulo:
Editora Cultura Cristã, 2011.
SILVA, E. M. da, e ALMEIDA, N. de B. Missão e Pregação - A comunicação religiosa entre
história da igreja e a história das religiões. São Paulo: FAP-UNIFESP, 2014.
SNYDER, H. Vinho Novo Odres Novos: Vida nova para a igreja. São Paulo: ABU Editora:
1997.
WRIGHT, C. J. H. A Missão de Deus: A Desvendando a grande narrativa da Bíblia. São
Paulo: Edições Vida Nova, 2014.

13.2 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas da Linha 01: Releitura de
Textos e Contextos Bíblicos

Disciplina: Curso:

Contribuições Teológicas da Literatura


Mestrado Profissional em Teologia
Profética para os Dias de Hoje

Professores: Período Turma Créditos CH

Marivete Zanoni Kunz 3º 2 90

Ementa:

Uma introdução à estrutura, conteúdo e significado teológico dos livros proféticos do Antigo
Testamento visando à aplicação do significado dos livros ao exercício ministerial, social e
comunitário.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Distinguir e conhecer alguns textos importantes que serão salientados sobre os


seguintes livros proféticos do Antigo Testamento: Isaías; Jeremias; Ezequiel; Daniel;
Oséias; Joel; Amós; Obadias; Jonas; Miquéias; Naum; Habacuque; Sofonias; Ageu;
Zacarias e Malaquias.
● Demonstrar a capacidade de aplicar estes livros ao exercício ministerial, social e
comunitário.

Conteúdo Programático
1. Introdução geral.
2. Profecia no oriente Médio Antigo.
3. Destaque aos profetas e livros proféticos do Antigo Testamento.
4. A interpretação da profecia do Antigo Testamento.
5. A literatura apocalíptica do Antigo Testamento.
6. A aplicação da literatura poética ao exercício ministerial, social e
comunitáriocomunitario.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

MAZZAROLO, I. O clamor dos profetas ao Deus da justiça e misericórdia. Rio de Janeiro:


Mazzarolo, 2007.
WILSON, R. R. Profecia e sociedade no antigo Israel. Tradução de João Rezende Costa.
2.ed. São Paulo: Targumins; Paulus, 2006.
SICRE, J. L. Profetismo em Israel: o profeta, os profetas, a mensagem. 3.ed. Rio de Janeiro:
Vozes, 2008.

Bibliografia Complementar:

ALEXANDER, T. D. Jonas. In: BAKER, D. W. ALEXANDER, T. D., STURTZ, R. J. Obadias,


Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias: introdução e comentário. São Paulo: Vida
Nova, 2001.
BAKER, D. W. ALEXANDER, T. D., STURTZ, R. J. Obadias, Jonas, Miquéias, Naum,
Habacuque e Sofonias. São Paulo: Vida Nova, 2001.
BALDWIN, J. G. Ageu, Zacarias e Malaquias: introdução e comentário. Tradução: Hans Udo
Fuchs. São Paulo: Vida Nova, 1991.
BERQUIST, J. L. Haggai. In: MILLS, W. E.; WILSON, R. F. Mercer comentary on the Bible.
Macon, Georgia: Mercer University Press, 1994.
COELHO FILHO, I. G. Ageu nosso contemporâneo: um estudo contextualizado do Livro de
Ageu. Rio de Janeiro: JUERP 1991.
______. Habacuque: nosso contemporâneo. Rio de Janeiro: JUERP, 1996.
CRAIGIE, P. C.; KELLEY, P. H. & DRINKARD Jr., J. F. Jeremiah 1-25. In. HUBBARD, D. A. (ed.
ger.) Word biblical commentary. Dallas: Word Books Publisher, 1991. v.26.
DE VAUX, R. Instituições de Israel no Antigo Testamento. Daniel de Oliveira. São Paulo:
Teológica, 2003.
GUSSO, A. R. Os profetas maiores – introdução fundamental e auxílios para a
interpretação. Curitiba: AD Santos, 2014.
HUBBARD, D. A. Joel e Amós: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1996.
______. Oséias: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1993.
MONARI, L. Ezequiel: um sacerdote profeta. São Paulo: Paulinas, 1992.
MONTAGNINI, F. Isaías 1-39: o olhar do profeta sobre os acontecimentos da história. São
Paulo: Paulinas, 1993.
SEUBERT, A. Como entender a mensagem dos profetas: introdução pastoral aos profetas.
Tradução de Célia Maria Genovez. São Paulo: Paulinas, 1992.
SHÖCKEL, L. A. e DIAZ, J. L. S. Profetas II: Ezequiel - Doze profetas menores. São Paulo:
Paulinas, 1991.
SICRE, J. L. A justiça social nos profetas. Tradução de Carlos Felício da Silveira. São Paulo:
Paulinas, 1990.
STURZ, R. J. Miquéias. In. BAKER, D. W. ALEXANDER, T. D., STURTZ, R. J. Obadias, Jonas,
Miquéias, Naum, Habacuque e Sofonias: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova,
2001.
WALTKE, K. B. Buscar a vontade de Deus: uma ideia cristã ou pagã? Tradução de Haroldo
Janzen. São Paulo: Vida Nova, 2015.

Disciplina: Curso:

Teologia Prática de Hebreus e das


Mestrado Profissional em Teologia
Cartas Gerais

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Reginaldo Pereira de Moraes e Jaziel


3º 1 45
Guerreiro Martins

Ementa:

Estuda a origem, o desenvolvimento e a composição dos textos de Hebreus. Analisa e faz uma
releitura das questões teológicas debatidas em textos selecionados, bem como a relevância e
a praticidade da mensagem para os dias atuais.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conhecer e explicar as questões relacionadas com a origem da epístola.


● Desenvolver suas habilidades para identificar a mensagem e a lógica do autor.
● Procurar o significado do autor original.
● Analisar os assuntos abordados nos textos para discernir as perspectivas religiosas,
sociais, econômicas e políticas das comunidades cristãs do séc. I d.C.
● Compreender os desafios teológicos do livro à vida religiosa contemporânea.

Conteúdo Programático
UNIDADE I – Hebreus
a. Introdução Geral a Hebreus.
i.Requerimentos da matéria.
ii.Orientações sobre como esboçar o texto para analisar o argumento do livro e colocar
cada trecho dentro do seu próprio contexto.

b. Questões Metodológica De Hebreus


i. Autoria, data e lugar de composição e destinatários de Hebreus.
ii. História da Interpretação de Hebreus.

c. Conteúdo De Aplicabilidade De Hebreus


i. Análise do argumento de Hebreus.
ii. Diálogo sobre a aplicação de Hebreus.

UNIDADE II – Cartas Universais


a) Introdução geral às Cartas Gerais (ou Universais).
i.Requerimentos da matéria.
ii.Orientações sobre como esboçar o texto para analisar o argumento do livro e colocar
cada trecho dentro do seu próprio contexto.
iii.Datas e autoria das Epístolas Gerais.

b) Unidade II: TIAGO


i.Autoria, data e lugar de composição e destinatários de Tiago.
ii.História da Interpretação de Tiago.
iii.Análise do argumento de Tiago.
iv.DiálogoDialogo sobre a aplicação de Tiago.

c) Unidade III: CARTAS DE PEDRO E JUDAS


i.Autoria, data e lugar de composição e destinatários.
ii.História da Interpretação.
iii.Análise do argumento.
iv.DiálogoDialogo sobre a aplicação.

d) Unidade IV: CARTAS DE JOÃO


i.Autoria, data e lugar de composição e destinatários das Epístolas Joaninas.
ii.História da Interpretação das Epístolas Joaninas.
iii.Análise do argumento das Epístolas Joaninas.
iv.DiálogoDialogo sobre a aplicação das Epístolas Joaninas.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

CARSON, D. A.; MOO, D. e MORRIS, L. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Edição
Vida Nova, 1997, 560 p.
KÖSTENBERGER, A. J. e KRUGER, M. J. Heresia da ortodoxia: como o fascínio da cultura
contemporânea pela diversidade está transformando nossa visão. São Paulo: Vida Nova, 2014,
320 p.

Bibliografia Complementar:

BRUCE, F. F. Estudos do cristianismo não-Paulino: Pedro, Estevão, Tiago e João. São


Paulo: Shedd Publicações, 2005, 142 p.
DAVIDS, P. H. The Letters of 2 Peter and Jude. Grand Rapids: Wm. B. Eerdmanns Pub. Co.,
2006.
DUNN, J. D. G. Unidade e Diversidade no Novo Testamento. Santo André: Academia Cristã,
2009, 694p.
FELDMEIER, R. A Primeira Carta de Pedro. Um comentário exegético-teológico. São
Leopoldo: Sinodal, 2009, 246p.
GREEN, M. 2 Pedro e Judas, introdução e comentário. São Paulo: Editora Vida, 184 p
GUTHRIE, D. Hebreus: Introdução e Comentário. São Paulo: Editora Vida Nova, 264 p.
JOHNSON, L. T. Brother of Jesus, Friend of God: Studies in the Letter of James. Grand
Rapids: Wm. B. Eerdmanns Pub. Co., 2004.
______. Hebrews: A Commentary. Louisville/London: Westminster John Knox Press, 2006.
MARSHAL, I. H. Teologia do Novo Testamento: diversos testemunhos, um só evangelho.
São Paulo: Vida Nova, 2007.
MOO, D. J. Tiago: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1990, 189p.
PINTO, C. O. Foco e desenvolvimento no Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2007.
STOTT, J. R. 1, 2 e 3 João, Introdução e Comentário. São Paulo: Editora Vida, 200 p.
WITHERINGTON III, Bn. Letters and Homilies for Jewish Christians: A Socio-Rhetorical
Commentary on Hebrews, James and Jude. Downers Grove: Intervarsity Press, 2007.

Disciplina: Curso:

Teologia Prática de temas Mestrado Profissional em Teologia


Paulinos

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Claiton André Kunz 3º 2 90

Ementa:

Pesquisa e estuda a vida do apóstolo Paulo em caráter prático. Tem o objetivo de levantar e
aprofundar questões práticas que sejam relevantes para a igreja do século XXI. Faz-se uma
abordagem no conteúdo desses assuntos, procurando os aspectos mais coerentes para
interpretar corretamente os textos dentro de uma hermenêutica técnica e científica,
proporcionando ao estudante condições de discutir, aprofundar e aplicar tais assuntos.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Reconstrução da vida e dos escritos paulinos a partir dos estudiosos mais recentes.
● Discussão e análise dos escritos essencialmente paulinos.
● Conhecer as principais teorias sobre o surgimento das epístolas.
● Conhecimento da vida do apóstolo Paulo visando o entendimento de seu apostolado e
o que seria correlato ao “apostolado” em nossos dias.
● Analisar a contemporaneidade dos “dons” a partir dos escritos paulinos.
● Buscar entendimento da ética paulina, comparando-a com a ética brasileira atual.
● Entender as virtudes registradas nas cartas do apóstolo Paulo, tais como o amor, a fé e
a esperança, analisando-as filosófica, sociológica e teologicamente.
● A importância do social no contexto brasileiro a partir dos ensinos paulinos.

Conteúdo Programático

● Introdução geral à disciplina.


● Definição, importância, objetivos e propósitos da vida e dos ensinos paulinos.
● Discussão e análise dos escritos paulinos.
● Principais teorias sobre o surgimento das epístolas paulinas.
● Paulo e os autodenominados “apóstolos” da atualidade.
● O apóstolo Paulo e a contemporaneidade dos dons espirituais.
● Atualidade da ética paulina para a sociedade brasileira.
● Revitalização das virtudes cristãs registradas nas cartas paulinas.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

BARTH, K. Carta aos Romanos. São Paulo: Novo Século, 2009.


BRUCE, F. F. Paulo o apóstolo da graça: sua vida, cartas e teologia. São Paulo: Shedd,
2003.
CERFAUX, L. O cristão na teologia de Paulo. São Paulo: Paulus, 2003.
SCHREINER, T. R. Teologia de Paulo: o apóstolo da glória de Deus em Cristo. São Paulo:
Vida Nova, 2015.
SCHWEITZER, A. O misticismo de Paulo, o apóstolo. São Paulo: Novo Século, 2003.

Bibliografia Complementar:

AZEVEDO, I. B. As mensagens nas epístolas aos Coríntios (1 e 2): um vocabulário para uma
vida nova. Rio de Janeiro: JUERP, 2005.
CALVINO, J. Comentário à sagrada escritura – exposição de Primeira Coríntios. São Paulo:
Paracletos, 1996.
______. Comentário à sagrada escritura – exposição de Segunda Coríntios. São Paulo:
Paracletos, 1995.
______. Comentário à sagrada escritura – exposição de Gálatas. São Paulo: Paracletos,
1998
______. Comentário à sagrada escritura – exposição de Efésios. São Paulo: Paracletos,
1998
CROSSAN, J. D.; REED, J. L. Em busca de Paulo: como o apóstolo de Jesus opôs o Reino de
Deus ao império Romano. São Paulo: Paulinas, 2008.
DEN HEYER, C. J. Paulo, um homem de dois mundos. São Paulo: Paulus, 2009.
DRANE, J. Paulo. São Paulo: Paulinas, 2002.
DUNN, J. D. G. A teologia do apóstolo Paulo. São Paulo: Paulus, 2003.
ELLIOT, Neil. A arrogância das nações: a carta aos Romanos à sombra do Império. São Paulo:
Paulus, 2010.
HORSLEY, R. A. Paulo e o Império: religião e poder na sociedade imperial romana. São Paulo:
Paulus, 2004.
KÄSEMANN, E. Perspectivas paulinas. São Paulo: Teológica, 2008.
LARA, V. L. A Bíblia e a interpretação sociológica. São Paulo: Paulus, 2009.
LENOEL, J.; ZABATIERO, J. P. T. Bíblia, literatura e linguagem. São Paulo: Paulus, 2011.
LOPES, D. C. Paulo para os conquistados: reimaginando a missão de Paulo. São Paulo:
Paulus, 2011.
MACHADO, J. O misticismo apocalíptico do apóstolo Paulo. São Paulo: Paulus, 2009.
PESCE, M. As duas fases da pregação de Paulo. São Paulo: Loyola, 2006.
PULCINELLI, G. ABC para conhecer o apóstolo Paulo. São Paulo: Paulus, 2010.
RATZINGER, J. Paulo, os seus colaboradores e as suas comunidades. São Paulo: Paulus,
2009.
REGA, L. S. (org.). Paulo, sua vida e sua presença, hoje e sempre. São Paulo: Vida, 2004.
REID, D. G.; HAWTHORNE, G. F.; MARTIN, R. P. Dicionário de Paulo e suas cartas. São
Paulo: Loyola, 2008.
SANDERS, P. Paulo, a lei e o povo judeu. São Paulo: Paulus, 2008.
SANDERS, J. O. Paulo, o líder. São Paulo: Vida, 2009.
SCHNELLE, Udo. Paulo, vida e pensamento. São Paulo: Paulus, 2010.
SCHREINER, J.; DAUTZENBERG, G. Forma e exigências do Novo Testamento. São Paulo:
Teológica, 2004.
SEGAL, Paul F. Paulo o convertido: apostolado e apostasia de Saulo fariseu. São Paulo:
Paulus, 2010.
STOTT, J. Romanos. São Paulo: ABU, 2002.
________. A mensagem de Efésios. São Paulo: ABU, 2007.
WEINGARTNER, L. Em diálogo com a Bíblia – Filipenses. Belo Horizonte: Missão, 2002.
________. Em diálogo com a Bíblia – 1,2 Timóteo. Belo Horizonte: Missão, 2003.

Disciplina: Curso:

Releitura Teológica e Aplicação da Literatura


Mestrado Profissional em Teologia
Poética e Sapiencial

CH
Professores: Período Turma Créditos
semestral

Marivete Zanoni Kunz 2º 1 45

Ementa:

Introdução à estrutura, conteúdo e significado teológico dos livros poéticos do Antigo


Testamento visando à aplicação do significado dos livros ao exercício ministerial, social e
comunitário.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Conhecer a estrutura, conteúdo, e significado teológico dos seguintes livros
poéticos do Antigo Testamento:
● Salmos;
● Cantares;
● Provérbios;
● Jó;
● Eclesiastes;
● Lamentações de Jeremias.
● Demonstrar a capacidade de usar estes livros no exercício ministerial, social e
comunitário.
Conteúdo Programático
1. Questões introdutórias gerais.
2. A Sabedoria nos livros poéticos.
3. Formas poéticas.
4. As características da poesia hebraica.
5. Introdução às formas literárias principais do livro de Salmos (formação do
saltério):
Hinos;
Lamentações;
Salmos reais;
Salmos sapienciais;
Imprecações nos salmos.
6. Introdução à literatura sapiencial do Antigo Testamento:
Provérbios;
Jó;
Eclesiastes.
7. A aplicação para o ministério, no âmbito social e comunitário.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica:

CHAMPLIN, R. N. O Antigo Testamento interpretado versículo por versículo: Salmos,


Provérbios, Eclesiastes, Cantares. 2.ed. São Paulo: Hagnos, 2001, v.3.
LÍNDEZ, J. V. Sabedoria e sábios em Israel. Tradução de José Benedito Alves. 2.ed. São
Paulo: Loyola, 2011. 268 p.
ZUCK, R. B. (edit.). Teologia do Antigo Testamento. Tradução de Luís Aron de Macedo. Rio
de Janeiro: CPAD, 2009. 468 p.

Bibliografia Complementar:

ALEXANDER P.; ALEXANDER D. (edit.). Manual bíblico SBB. Tradução de Lailah de Noronha
e Sociedade Bíblica do Brasil. São Paulo: SBB, 2008. 815 p.
ALONSO SCHOKEL, L.; CARNITI, C. Salmos I: (Salmos 1-72): tradução, introdução e
comentário. São Paulo: Paulus, 1996.
BAUMANN, I. P. As lamentações na teologia do Antigo Testamento. In: Via Teológica. Curitiba,
PR , n.20, Dezembro, 2011, p. 85-105.
______. A universalidade da lamentação. In: Via Teológica. Curitiba, PR , n.13, Dezembro,
2012, p. 73-94.
BENTZEN, A. Introdução ao Antigo Testamento. Trad. Helmuth Alfredo Simon. São Paulo:
ASTE, 1968. 332 p.
CERESKO, A. R. A sabedoria no Antigo Testamento: espiritualidade libertadora. Tradução de
Adail Ubirajara Sobral, Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Paulus, 2004. 213 p.
CHAMPLIN, R. N. O Antigo Testamento interpretado: versículo por versículo. 2 ed. São Paulo:
Hagnos, v.3. 2001. 2042 p.
COELHO FILHO, I. G. Teologia dos Salmos: princípios para hoje e sempre. Rio de Janeiro:
JUERP, 2000.
DEREK, M. A mensagem do Antigo Testamento: uma exposição teológica e homilética.
Tradução de Lena Aranha. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. 956 p.
DILLARD, R. B. e LONGMAN III, T. Introdução ao Antigo Testamento. Tradução de Sueli da
Silva Saraiva. São Paulo: Vida Nova, 2006. 473 p.
EATON, M. A . e CARR, G. L. Eclesiastes e Cantares: introdução e comentário. São Paulo:
Vida Nova, 1989. 334 p.
GUSSO, A. R. O livro de Provérbios: analítico e interlinear. Curso prático para aprimorar o
conhecimento do hebraico bíblico. São Paulo: SBB, 2012. 205 p.
______. Os livros Poéticos: introdução fundamental e auxílios para a interpretação. Curitiba:
A.D.SANTOS, 2012. 128 p.
HARRIS, R. L; ARCHER, Jr. e WALTKE, B. K. Dicionário internacional de teologia do Antigo
Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1998. 1789 p.
HARRISON, R. K. Jeremias e Lamentações: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova,
1980. 189 p.
HILL, A. E. e WALTON, J. H. Panorama do Antigo Testamento. Tradução de Lailah de
Noronha. São Paulo: Vida, 2007. 684 p.
KIDNER, D. A mensagem de Eclesiastes. 2.ed. Trad. Yolanda Mirdsa krievin. São Paulo: ABU,
1998. 97 p.
______. Provérbios: introdução e comentário. São Paulo: ABU, 1980. 192 p.
______. Salmos 73 - 150: introdução e comentário aos livros III a V dos Salmos. São Paulo:
Vida Nova, 1981. 496 p.
______. Salmos 1-72: introdução e comentário. 2.ed. São Paulo: Vida Nova, 1981.
______. Salmos 73-150: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1992.
LASOR, W. S.; HUBBARD, D. A.; BUSH, F. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo:
Vida Nova, 2002.
MONLOUBOU, L. [et al.]. Salmos e os outros escritos. Tradução de Benôni Lemos. São Paulo:
Paulus, 1996. 520 p.
MOUSER, W E. Caminho da sabedoria: como extrair o máximo dos Provérbios. Tradução de
Merval Rosa. Rio de Janeiro: JUERP, 1994.
NICCACI, A. A casa da sabedoria: vozes e rostos da sabedoria bíblica. Tradução de Euclides
Martins Balancin. São Paulo: Paulinas, 1997. 321 p.
PINTO, R. A. A interpretação do livro Cântico dos Cânticos ao longo da história judaico-cristã in
Via Teológica. Curitiba, PR , n.18, Dezembro, 2009, p.23-39.
RIBEIRO, S. J. Cântico dos Cânticos. Guanabara: CPB. 1970. 137 p.
SAYÃO, L. Rota 66 (cd-rom). São Paulo: Radio Trans Mundial, 2008.
SELLEIN, E. FOHRER, G. Introdução ao AT. Tradução de Mateus Rocha. 2.ed. São Paulo:
Paulinas, 1983. 363 p.
STADELMANN, I. L. Cântico dos cânticos. São Paulo: Loyola, 1993.
STORNIOLO, I. Como ler o livro de Provérbios: a sabedoria do povo. São Paulo: Paulinas, 1991.
VV. AA. As raízes da sabedoria. São Paulo: Paulinas. (cadernos bíblicos; 28). Tradução de
Benôni Lenos. São Paulo: Paulinas, 1983. 86 p.
WEISER, A. Os salmos. Tradução de Edwino A. Royer e João Rezende Costa. São Paulo:
Paulus, 1994. 662 p. (Coleção grande comentário bíblico)
WIERSBE, W. W. Comentário bíblico expositivo. Tradução de Susana E. Klassen. Santo André:
Geográfica, 2008. 735 p.

Disciplina: Curso:

Releitura Teológica e Aplicação dos


Mestrado Profissional em Teologia
Sinóticos

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Claiton André Kunz 2º 2 90

Ementa:

Propõe o aprofundamento do estudo da mensagem dos Evangelhos Sinóticos na busca de seus


temas de destaque que contribuem, direta ou indiretamente, para o aprimoramento ético e moral
da sociedade moderna, colaborando com a formação cidadã justa e consciente, com base nos
valores do Reino de Deus.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Relembrar ou conhecer as principais características dos Evangelhos Sinóticos.
● Conhecer a bibliografia básica e atualizada a respeito do assunto.
● Descobrir os temas sinóticos que contribuem para o aprimoramento ético e moral da
sociedade moderna.
● Criar formas para a aplicação efetiva dos temas sinóticos.
Conteúdo Programático
1. Introdução geral.
2. Principais características dos Evangelhos Sinóticos.
3. Questão do problema sinótico.
4. Bibliografia disponível a respeito do assunto.
5. Interpretação e aplicação de textos selecionados em Mateus, Marcos e Lucas.
6. Busca de temas atuais em Mateus, Marcos e Lucas.
7. Aplicação das mensagens atuais dos Sinóticos.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

KUNZ, Claiton André. As parábolas de Jesus e seu ensino sobre o Reino de Deus. Curitiba:
ADSantos, 2014.
MARCONCINI, Benito. Os Evangelhos Sinóticos: formação, redação, teologia. São Paulo:
Paulinas, 2009.
MAUERHOFER, Erich. Uma introdução aos escritos do Novo Testamento. São Paulo: Vida,
2010.
STOTT, John R. W. A mensagem do Sermão do Monte: contracultura cristã. 3.ed. São Paulo:
ABU, 2001.

Bibliografia Complementar:

BALANCIN, E. M. Como ler o Evangelho de Marcos: quem é Jesus? São Paulo: Paulus.
BÍBLIA DE ESTUDO ARQUEOLÓGICA. Tradução de Claiton André Kunz, Eliseu dos Santos e
Marcelo Smargiasse. São Paulo: Vida, 2013.
BLACK, D. A. Por que 4 Evangelhos? Trad. Lena Aranha. São Paulo: Vida, 2004.
CARSON, D. A.; MOO, D. J.; MORRIS, L. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Vida
Nova, 1997.
DANIEL-ROPS, H. A vida diária nos tempos de Jesus. Trad. Neyd Siqueira. São Paulo: Vida
Nova, 2008.
JOHNSON, L. T. Brother of Jesus, Friend of God: Studies in the Letter of James. Grand
Rapids: Wm. B. Eerdmanns Pub. Co., 2004.
KUNZ, C. A. Ações parabólicas de Jesus no Evangelho de Marcos. São Paulo: ASTE, 2014.
LADD, G. E. O Evangelho do Reino: estudos bíblicos sobre o Reino de Deus. Tradução de
Hope Gordon Silva. São Paulo: Shedd, 2008.
LOYD-JONES, M. Estudos no Sermão do Monte. 4.ed. São José dos Campos: Fiel, 2001.
MARSHAL, I. H. Teologia do Novo Testamento: diversos testemunhos, um só evangelho. São
Paulo: Vida Nova, 2007.
MARTINS, J. G. Como entender os textos mais polêmicos da Bíblia: evangelhos sinóticos.
Curitiba: ADSantos, 2011.
MOO, D. J. Tiago: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1990, 189p.
MORACHO, F. Como ler os Evangelhos: para entender o que Jesus fazia e dizia. São Paulo:
Paulus, 2008.
NEVES, I. Comentário bíblico de Mateus. São Paulo: Rádio Trans Mundial, 2008.
________. Comentário bíblico de Marcos. São Paulo: Rádio Trans Mundial, 2008. (Série
Através da Bíblia).
________. Comentário bíblico de Lucas. São Paulo: Rádio Trans Mundial, 2008. (Série
Através da Bíblia).
PINTO, C. O. Foco e desenvolvimento no Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2007.
SAYÃO, L. A. T. Comentário Rota 66 (Mateus, Marcos e Lucas). São Paulo: Rádio Trans
Mundial, 2009.
________. Sermão do Monte: A chegada do Reino. São Paulo: Kairós, 2014. 6 DVDs.
SHEDD, R. P. A felicidade segundo Jesus. São Paulo: Vida Nova, 1999.
STORNIOLO, I. Como ler o Evangelho de Lucas: os pobres constroem a nova história. SP:
Paulus, 2009.
________. Como ler o Evangelho de Mateus: o caminho da justiça. 10.ed. São Paulo: Paulus,
2008.
STOTT, J. R. 1, 2 e 3 João, Introdução e Comentário. São Paulo: Editora Vida, 200 p.
THOMAS, R.; GUNDRY, S. Harmonia dos Evangelhos. Trad. W. Kroker. São Paulo: Vida,
2004.
GUTHRIE, D. Hebreus: Introdução e Comentário. São Paulo: Editora Vida Nova, 264 p.
WITHERINGTON III, B. Letters and Homilies for Jewish Christians: A Socio-Rhetorical
Commentary on Hebrews, James and Jude. Downers Grove: Intervarsity Press, 2007.

Disciplina: Curso:

Didática do Ensino Bíblico-Teológico Mestrado Profissional em Teologia


e Religioso

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Reginaldo Pereira de Moraes 3º 1 45

Ementa:

A disciplina aborda estudos a respeito da didática e de sua aplicação no ensino e na


aprendizagem; conceitua ensino e aprendizagem e a dinâmica destes dois elementos no
contexto educativo de natureza relacional; apresenta elementos teóricos e práticos que apontam
para a compreensão e para a reflexão sobre a formação do professor de Ensino Bíblico e
Religioso, no tocante aos saberes docentes e à profissionalização. Trabalha, ainda, com a
presença dos Paradigmas Educacionais na Prática Pedagógica e como estes se materializam
nos discursos travados entre os sujeitos (professor e aluno) do processo ensino e
aprendizagem; ressalta também a necessidade de aprofundamento da questão sobre a
finalidade do planejamento na prática pedagógica, ao eleger como ponto central a aprendizagem
significativa; reflete e discute a respeito do domínio de métodos e técnicas de ensino; tece uma
análise sobre os estilos de aprendizagem e a relação estabelecida entre professor e aluno, bem
como define o papel dos recursos tecnológicos aplicados ao ensino religioso cristão e finaliza
com o estudo e a análise das concepções, abordagens e fundamentos da Andragogia, elegendo
a problematização como ferramenta indispensável ao processo educativo.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Reconhecer a importância do ato educativo no contexto das comunidades eclesiásticas.
● Estabelecer a relação entre ensinar e aprender.
● Compreender o significado de identidade docente e formação.
● Planejar aulas adotando metodologias ativas e os fundamentos andragógicos.
Conteúdo Programático
● O ato educativo e os significados: o ensinar e o aprender.
● Identidade e formação docente: saberes docentes e profissionalização.
● Práticas de ensino e aprendizagem em comunidades eclesiásticas.
● O currículo na educação cristã.
● Educação por princípios e a cosmovisão teorreferente.
● Fundamentos andragógicos.
● Educação cristã e princípios.
Calendário de Atividades
Bibliografia Básica/Exigida:

CUNHA, Maria Isabel. O bom professor e sua prática. Campinas: Papirus, 12a. 2001.
DOMINGUES, G. S. Diretrizes da Educação Cristã Bíblica. Curitiba: AdSantos, 2017.
______. (e-book). Por que ensino como ensino: narrativas de uma prática docente. Curitiba:
AdSantos, 2017.
LOWMAN, J. Dominando as técnicas de ensino. São Paulo: Atlas, 2004.
PERISSÉ, G. A arte de ensinar. São Paulo: Saraiva, 2012.
TARDIF, M. Saberes Docentes & Formação Profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.
ZABALZA, A. A prática educativa. Como ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

Bibliografia Complementar:

BEHRENS, M. A. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Petrópolis, RJ: Vozes,


2005.
EDUCAÇÃO, Departamento de Ciências Discursos. Perspectivas em Educação. Lisboa:
Universidade Aberta, 2001.
GIL, A. C. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2006.
LEFEVER, M. D. Estilos de aprendizagem: como lidar com um que Deus lhe confiou para
ensinar. Rio de Janeiro: CPAD, 2002.
______. Métodos criativos de ensino: como ser um professor eficaz. Rio de Janeiro: CPAD,
2003.
MADEIRA, V. de P. C. Para falar em andragogia, programa educação do trabalhador, v.2, CNI-
SESI, 1999.
MORALES, P. A relação professor – aluno: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2008.
NEIRA, M. G. Por dentro da sala de aula: conversando sobre a prática. São Paulo: Phorte,
2004.
NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1997.
OLIVEIRA, A. B. de. Andragogia, facilitando a aprendizagem. Educação do Trabalhador, v.3,
CNI-SESI, 1999.
OLENIKI, M. L.; DALDEGAN, V. M. Encantar: uma prática pedagógica no Ensino Religioso.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.
O’SULLIVAN, E. Aprendizagem Transformadora. Uma visão educacional para o século XXI.
São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2004.
PERRAUDEAU, M. Estratégias de Aprendizagem. Como acompanhar os alunos na aquisição
dos saberes. Porto Alegre: Artmed, 2009.
PIMENTA, S. G.; ANASTACIOU, L. das G. C. Docência no Ensino Superior. São Paulo:
Cortez, 2010.
SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e Transformar o Ensino. Porto
Alegre: Artmed, 1998.
TARDIF, M.; LESSARD, C. Trabalho Docente: elementos para uma teoria da docência como
profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.
Disciplina: Curso:

Aplicabilidade Teológica da Pregação


Mestrado Profissional em Teologia
Expositiva

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Antônio Renato Gusso 2º 1 45

Ementa:

Fundamentos teóricos e metodológicos, análise exegética, preparação de esboços e de


mensagens completas para desenvolvimento de sermões expositivos bíblicos.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Conhecer literatura atual especializada a respeito do assunto.
● Conhecer as principais características do Sermão Expositivo.
● Avaliar sermões expositivos à luz do que aprendeu.
● Preparar sermões expositivos de forma clara e simples.
● Desenvolver as habilidades de comunicação do Sermão Expositivo.
● Adequar postura e atitudes às mensagens pregadas.
● Pregar sermões expositivos que atinjam seus objetivos.
Conteúdo Programático
● Introdução geral.
● Definição e Importância de Pregação Expositiva.
● A importância das línguas originais para o Sermão Expositivo.
● As qualidades essenciais do Sermão Expositivo.
● O reconhecimento de um bom sermão expositivo.
● O preparo do Sermão Expositivo.
● A escolha do texto.
● O esboço analítico.
● O objetivo.
● O tema do sermão.
● O esboço homilético.
● A escrita do sermão.
● Perigos a serem evitados.
● A comunicação do sermão.
● Avaliações de sermões e esboços expositivos.
● Apresentações orais e escritas de esboços e sermões expositivos trabalhados
pelos estudantes.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

MARINHO, Robson M. A Arte de Pregar: Como alcançar o ouvinte pós-moderno. São Paulo:
Edições Vida Nova, 2008.
RICHARD, Ramesh. Homilética. Curso Vida Nova de Teologia Básica, Vol. 5. São Paulo: Editora
Vida Nova, 2005.
ROBINSON, Haddon W. Pregação Bíblica: O desenvolvimento e a entrega de sermões
expositivos. São Paulo: Shedd Publicações, 2002.

Bibliografia Complementar:

AKIN, D. L.; CURTIS, B.; RUMMAGE, E. Engaging Exposition. Nashville, Tennessee: B&H
Publishing Group, 2011.
AKIN, D.; ALLEN, D. L.; MATHEUS, N. L. (Ed. Geral). Text-driven: preaching God’s word at the
heart of every sermon. Nashville, Tennessee: B&H Publishing Group, 2010.
BEGG, A. Pregando para a glória de Deus. São José dos Campos, São Paulo: Editora Fiel,
2014.
BRAGA, J. Como preparar mensagens bíblicas. São Paulo: Editora Vida, 2007.
CHAPELL, B. Pregação Cristocêntrica: Restaurando o Sermão Expositivo. 2.ed. São Paulo:
Cultura Cristã, 2007.
DEVER, M.; GILBERT, G. Pregue. Quando a teologia encontra-se com a prática. São José dos
Campos: Editora Fiel, 2016.
DEVER, M. 9 Marcas de uma igreja saudável. Jundiaí́/SP: Fiel, 2009.
GOLDSWORTHY, G. Pregando toda a Bíblia como Escritura Cristã: Aplicação da teologia
bíblica à pregação expositiva. São José dos Campos: Editora Fiel, 2013.
GUSSO, A. R. Sermões expositivos em todos os livros da Bíblia – Antigo Testamento.
Curitiba: A. D. Santos Editora, 2010.
HELM, D. Pregação Expositiva. Proclamando a Palavra de Deus hoje. São Paulo: Editora Vida
Nova, 2016.
KEY, J S. O Preparo e a Pregação do Sermão: o auxílio eficaz para o pregador da Palavra.
Rio de Janeiro: JUERP, 2001.
KOESSLER, J. (editor geral). Manual de Pregação. São Paulo: Edições Vida Nova, 2010.
LACHLER, K. Prega a Palavra. São Paulo: Vida Nova. 2007.
LARSEN, D. L. Anatomia da Pregação: identificando os aspectos para a pregação de hoje.
São Paulo: Vida, 2005.
LAWSON, S. J. O Tipo de Pregação que Deus Abençoa. São José dos Campos (SP): Editora
Fiel, 2013.
NORTH, S. Pregação: Homem e Método. 3.ed. São Paulo: Edições Vida Nova, 2002.
REIMER, J. Liderando pela Pregação: Uma visão diferenciada, Curitiba: Editora Esperança,
2011.
ROBINSON, H. e LARSON, C. B. (org.). A Arte e o Ofício da Pregação Bíblica. São Paulo:
Shedd Publicações, 2010.
RYKEN, P. G. O que é cosmovisão cristã. Série Fé Reformada. São Paulo: Editora Cultura
Cristã, 2015.
SHEDD, R. P. Palavra Viva. São Paulo: Edições Vida Nova, 2000.
STOTT, J. O perfil do pregador. São Paulo: Vida Nova, 2011.
13.3 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas da Linha 02: Teologia e Práxis
Pastoral e Comunitária

Disciplina: Curso:

A Influência da Cosmovisão do Século XXI


Mestrado Profissional em Teologia
nas Teologias e sSua Aplicabilidade

CH
Professores: Período Turma Créditos
semestral

Gleyds Silva Domingues 2º 1 45

Ementa:

Estudo dos conceitos e das bases fundamentais de uma cosmovisão. A compreensão da


cultura, como um espaço de leitura da realidade. A proposta da contextualização como
ferramenta de ação no contexto teológico. A formação de sistemas de crença e o desafio de
praticar umaT teologia.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conceituar cosmovisão, compreendendo seus elementos constitutivos.


● Identificar as bases de uma cosmovisão e suas principais vertentes.
● Apontar a relevância da contextualização no âmbito da prática teológica, observando
seu alcance e suas possibilidades no desenvolvimento de um projeto prático.
● Compreende o papel da cultura na formação de mentalidades e perpetuação de uma
cosmovisão.
● Articula os conceitos, visualizando sua aplicabilidade no contexto social.

Conteúdo Programático

● Conceitos e Bases da Cosmovisão: primeiras aproximações ao objeto de estudo.


● Cosmovisão e Cultura: o sistema de leitura da realidade.
● Cosmovisão e Contextualização.
● Contextualização e prática teológica.
● Temas cognitivos, afetivos e avaliadores.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

HIEBERT, P. G. Transformando Cosmovisões: uma análise antropológica de como as


pessoas mudam. SP: Vida Nova, 2016.
MILLER, D. L. Discipulando Nações: o poder da verdade para transformar culturas. Curitiba:
Fatoé, 2003.
WINTER, R. D.; HAWTHORNE, S. C.; BRADFORD, K. D. Perspectivas: no movimento cristão
mundial. SP: Vida Nova, 2009.

Bibliografia Complementar:

DOMINGUES, G. S. Cosmovisões e Projeto Político-Pedagógico. Saarbrucken, Alemanha:


Novas Edições Acadêmicas, 2015. (e-book)
______. Diretrizes para Educação Cristã Bíblica. Para onde vamos?. Curitiba: AdSantos:
2018.
______. Cosmovisões, linguagens e formação humana. In: BRANDERBURG, Laude Erandi et
al. Ensino Religioso e Docência e(m) Formação. São Leopoldo: Sinodal, 2013.
ELIOT, T. S. Notas para a definição de cultura. SP: É Realizações, 2001.
LEITE, C. A. C. et al. Cosmovisão Cristã e Transformação.MG: Ultimato, 2006.
ORTIZ, R. Mundialização e Cultura. SP: Brasiliense, 2000.
PEARCEY, N. Verdade Absoluta: libertando o Cristianismo de seu cativeiro cultural. Rio de
Janeiro: CPAD, 2012.

Disciplina: Curso:

Aplicação Teológica da Pastoral dos


Mestrado Profissional em Teologia
Excluídos

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Adriano Sousa Lima 3º 2 90

Ementa:

Estuda a compreensão teológica com relação às minorias e aos excluídos numa perspectiva de
práxis pastoral e comunitária. Esse estudo é feito numa perspectiva da realidade sócio
econômica e cultural das comunidades brasileiras atuais.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Perceber a validade e a importância da disciplina diante das demandas da


sociedade.
● Estabelecer relações entre a teoria do teologar com a praticidade da caridade
cristã.
● Desenvolver o hábito de apoiar ONGs e ministérios alternativos.
● Entender a responsabilidade pastoral para com os grupos excluídos,
minoritários ou esquecidos da sociedade contemporânea.

Conteúdo Programático
● Introdução geral à disciplina: definição, importância, objetivos e propósitos
da Pastoral aos grupos minoritários, geralmente excluídos pela sociedade.
● Bases bíblicas para uma práxis voltada para o atendimento das minorias e
dos excluídos.
● Pastoral da Terra.
● Pastoral da cidade: migrantes, sem-teto, desempregados, estudantes.
● Pastoral da Saúde e do cuidado: pacientes fora de possibilidades
terapêuticas.
● Pastoral dos excluídos: menor abandonado, encarcerados, idosos e
profissionais do sexo.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica:

ARAÚJO FILHO, C. F. Novos ministros para uma nova realidade. 5. Ed. Brasília: Sião, 2007.
BARNA, G. Transformando a visão em ação. Campinas: Cristã Unida, 2007.
FREIRE, P.; OLIVEIRA, W. F. de; FREIRE, N. Pedagogia da Solidariedade. São Paulo: Paz E
Terra, 2016.
RIBEIRO, H. Condição humana e a solidariedade cristã. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

Bibliografia Complementar:

CARRIKER, T. Missão integral: uma teologia bíblica. São Paulo: SEPAL, 2002.
___________. Os pobres na igreja latino-americana In: SOTER & AMERÍNDIA (Orgs).
Caminhos da Igreja na América Latina e no Caribe. São Paulo: Paulinas, 2006.
COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. A luta pela terra: a comissão pastoral da terra 20 anos
depois. São Paulo: Paulus, 2000.
COORDENAÇÃO NACIONAL DA PASTORAL CARCERÁRIA. Como fazer pastoral
carcerária. Petrópolis: Vozes, 2007.
DUSSEL, E. 500 anos de história da Igreja na América Latina. São Paulo: Paulinas, 2002.
MARIANO, R. A. Alcoolismo e pastoral. Petrópolis: Vozes, 2009.
SOUZA, J. N. “Vulnerabilidade familiar e aconselhamento pastoral” in Via Teológica. V. 14, n.
28, Curitiba, FTBP, dez 2013, pp. 46-61.
______. Por uma teologia da adoção. In: JOINTH: Jornada Interdisciplinar de pesquisa em
teologia e humanidades. Curitiba: PUCPR, s\d, pp. 184-193.
SOUZA, R. M. C.; ROLDÃO, F. Pistas para construção de uma pastoral do cuidado junto a
pacientes fora de possibilidades terapêuticas e seus familiares. Curitiba: revista Via Teológica,
n.16, vol.1 2008, pgs 101-113.
TRASFERETTI, J. Pastoral com homossexuais. Petrópolis: Vozes, 2009.
Disciplina: Curso:

Perspectivas Teológicas para a


Mestrado em Teologia Profissional
Administração do Terceiro Setor

CH
Professor: Período Turma Créditos
semestral

Edilson Soares de Souza 3º 1 45

Ementa:

Estuda o relacionamento entre a Tteologia e a Administração do Terceiro Setor, envolvendo


tanto o governo administrativo eclesiástico, quanto também, aqueles relacionados a ONG’s e
demais segmentosseguimentos relacionados a atender a sociedade. Trabalha ainda aspectos
conceituais, sua aplicabilidade aos diversos tipos de ministérios com o foco específico na
aprendizagem, desenvolvimento de pessoas e na construção de uma filosofia de Gestão
Eclesiástica e Administração com qualidade, equilíbrio e flexibilidade.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Estabelecer aptidões na prática de administrar o Terceiro Setor.


● Desenvolver o hábito de investir tempo e habilidades na Administração Eclesiástica
e/ou Associacional.
● Produzir um roteiro de alvos e planejamento para o exercício desta Administração.
● Ser capaz de valorizar pessoas e investir em seu amadurecimento.
● Desenvolver estratégias para motivar pessoas envolvidas num projeto.
● Identificar e aplicar princípios administração em seu ministério.
● Desenvolver mecanismos de resiliência diante das opressões e vicissitudes da vida.

Conteúdo Programático

1. Interdependência entre administração e a Tteologia do pastoreio.


2. Liderança Eclesiástica formal e informal.
3. Qualidades do exercício da administração voltada para p terceiro setor.
4. Distinção entre eficiência e eficácia.
5. Como manter a disciplina e a eficiência trabalhando com voluntários.
6. Administração comunitária em um período de modernidade fluida.
7. Resiliência.

Avaliação

Bibliografia Básica:
BARON, D. As leis de Moisés para a gerência: 50 lições de liderança do maior administrador
de todos os tempos. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Record, 2012.
DRUCKER, P.F. O melhor de Peter Drucker: a administração. São Paulo: Nobel, 2002.
MARTINS, J. G. Manual do Pastor e da Igreja. Curitiba: A. D. Santos, 2013.
MAXWELL, J. C. Pequeno manual para grandes líderes. Campinas (SP): Editora United
Press, 2010.
MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 6ª ed. Rio de
Janeiro: Bertrand Brasil:2012.
SENGE, P. M. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. 16ª ed (rev e
ampl.). Rio de Janeiro: Best Seller,2004.

Bibliografia Complementar:

ARAGÃO, H. M. O líder cristão e sua identidade cultural. Curitiba: Descoberta, 1999.


BARNA, G. O Poder da visão. Press Abba, 1996.
________________. Transformando a visão em ação. Editora Cristã Unida, 1997.
BERNARDES, C. & MARCONDES, C.R. Sociologia aplicada à administração. 5a. ed – São
Paulo: Saraiva, 2001.
DAYTON e ENGSTROM. Como Aproveitar ao máximo o seu tempo e potencial. Belo
Horizonte: Betânia, 2010.
DRESCHER, J. M. Se eu começasse meu ministério de novo. Ed. Cristã Unida, 1997.
FINZEL, H. Dez erros que um líder não pode cometer. Ed. Vida Nova, 1997.
HAMPTON, R. D. Administração contemporânea. São Paulo, McGraw-Hill do Brasil, 2013.
HERSEY, P. e BLANCHARD, K. H. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas
da liderança situacional. São Paulo, EPU, 2006.
KEPNER, C. H. & TREGOE, B. B. O administrador racional: uma abordagem sistemática
para solução de problemas e tomada de decisões. São Paulo, Atlas, 2012.
MACKAY, H. Como Nadar Com os Tubarões Sem Ser Comido Vivo. Rio de Janeiro: Editora
Bestseller, 1989.

Disciplina: Curso:

Debates Atuais em Teologia


Mestrado Profissional em Teologia
Pastoral

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Reginaldo Pereira de Moraes 3º 1 45

Ementa:

Estuda as principias tendências que norteiam os debates teológicos pastorais no século XXI,
suas ênfases e postulados, dando principal atenção às questões sociais e culturais quando de
sua relação com a prática eclesiástica e comunitária.
Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Conhecer movimentos teológicos contemporâneos, seus autores e


pensamentos.
● Estar apto a compreender de forma abrangente e profunda as questões
debatidas na sociedade brasileira e como a prática teológica deve encarar tais temas
no século XXI, haja vista haver um confronto de várias ideias divergentes dentro dos
grupos religiosos.
● Estar capacitado a uma reflexão crítica das práticas teológicas que divergem da
maneira ortodoxa que vinha interpretando o cristianismo.
● Estar preparado para dialogar e apresentar uma prática teológica assaz
coerente, lógica e bem fundamentada frente aos diversos debates do século XXI.

Conteúdo Programático

● Neopentecostalismos e Sociedade Brasileira.


● Teologia Pública.
● Teologia, Gênero e Sexualidade.
● Neopaganismos.
● Teologia e Pós-modernidade.
● Igreja e a pós-modernidade.
● Fundamentalismos e Fé Cristã.
● Novíssimos Movimentos Teológicos.
● Pluralidade religiosa.
● Os Evangélicos e o Ultraconservadorismo Norte-americano.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

ALMEIDA, A. O Deus dos pobres. São Paulo: Vida, 2012;


ARMSTRONG, K. Em nome de Deus. São Paulo: Companhia das Letras, 2010;
MARTELLI, S. A religião na sociedade pós-moderna. São Paulo: Paulinas, 2015;
SCHNEIDER-HARPPRECHT, C. (Org). Teologia prática no contexto da América Latina.
São Leopoldo: Sinodal & Aste, 2013.

Bibliografia Complementar:

BARTH, K. Introdução à teologia evangélica. São Leopoldo: Sinodal, 2006;


BOFF, L. Jesus Cristo libertador. Petrópolis: Vozes, 2012;
BUCCI, Eugênio. Sobre ética e imprensa. Petrópolis: Vozes, 2013;
BULTMANN, R. Demitologização. São Leopoldo: Sinodal, 2009;
GIBBELLINI, R. A teologia do século XX. São Paulo: Loyola, 2013;
GRENZ, S.J. Mulheres na Igreja: teologia bíblica para mulheres no ministério. São Paulo:
Candeia, 2008;
GUNDRY, S. Teologia Contemporânea. São Paulo: Mundo Cristão, 2013;
________. Deus mandou matar? 4 pontos de vista sobre o genocídio cananeu. São Paulo:
Vida, 2009;
HAGGLUND, B. História da teologia. Porto Alegre: Concórdia, 20012;
MARTINS, J. G. O espírito e a cosmovisão da pós-modernidade. In: Via Teológica: Curitiba:
FTBP, dez. 2002. n.6. p. 35-62
________. Pós-modernidade e Teologia. In: Via Teológica. Curitiba, FTBP, jun. 2003. n.7. p.
75-98.
________. A biografia do diabo brasileiro. Curitiba: A.D.Santos, 2013.
MOLTMANN, J. Trindade e reino de Deus. Petrópolis: Vozes, 2010;
PALÁCIOS, M.; MARTINS, A.; PEGORARO, O. A. Ética, ciência e saúde – Desafios da
bioética. Petrópolis: Vozes, 2011;
PIERAT, A. B. O evangelho da prosperidade. São Paulo: Vida Nova, 2012;
RICHARD, P. Raízes da teologia latino-americana. São Paulo: Paulinas, 2008;
SOTER (Org.). Gênero e teologia: interpolações e perspectivas. São Paulo: Loyola, 2003;
TILLICH, P. Perspectivas da teologia protestante nos séculos XIX e XX. São Paulo: Aste,
2009.
WIEBE D. Religião e verdade. Rumo a um paradigma alternativo para o estudo da religião.
São Leopoldo, Sinodal – IEPG, 2009

Disciplina: Curso:

Base Teológica e Projetos para o


Mestrado Profissional em Teologia
Desenvolvimento de Instituições Religiosas

CH
Professores: Período Turma Créditos
semestral

Luiz Roberto Soares Silvado 3º 2 90

Ementa:

Estuda aspectos relacionados ao desenvolvimento de instituições religiosas numa visão


abrangente e coerente. Busca as diretrizes através das pesquisas em textos sagrados,
históricos e teológicos, tendo por objetivo despertar a importância da expansão dessas
instituições. Desperta a importância do desenvolvimento das instituições por meio de uma ação
em parceria líder e liderados, na perspectiva da mudança e transformação. Aponta reflexões
sobre a situação das instituições religiosas no mundo contemporâneo e a projeção quanto ao
futuro, estabelecendo uma consciência crítica.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Pesquisar o desenvolvimento de instituições religiosas no contexto religioso, teológico
e histórico.
● Analisar a possibilidade da expansão das instituições religiosas na sociedade.
● Ter consciência da importância do líder no desafio do desenvolvimento.
● Refletir a importância dos dons espirituais na prática eclesiástica.
● Estabelecer estratégias contextuais para a instituição religiosa, visando expansão.
● Perceber o valor da pesquisa como desafio de desenvolvimento.

Conteúdo Programático

● INTRODUÇÃO
● Introdução, objetivos e definições.
● A IGREJA (COMO PROTÓTIPO DE INSTITUIÇÃO RELIGIOSA) NO NOVO
TESTAMENTO
● As quatro dimensões de desenvolvimento.
● CRESCIMENTO DE INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS
● Mitos e Princípios de Desenvolvimento de instituições religiosas.
● Implantação Criativa.
● Ciclo de vida das organizações.
● Usando a ciência da pesquisa e estatística: teoria e prática da radiografia
da igreja.
● LIDERANÇA NAS INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS
● Mudando o “status quo” da instituição.
● Liderança e mentoria - Restaurando a sua paixão espiritual.
● MODELOS DE IGREJA NO SÉCULO XXI
● Modelos Contemporâneos de instituições religiosas.
● A instituição religiosa e a comunidade: presença transformadora.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

CAMPANHÃ. J. Planejamento Estratégico para Igrejas. São Paulo: UNITED PRESS, 2013.
COMISKEY, J. Fazer Discípulos na Igreja do Século 21. Curitiba, PR.: MIC, 2017.
HYBELS, B. Axiomas. São Paulo: VIDA, 2010.
MCGAVRAN, D. Compreendendo o crescimento da igreja. São Paulo: SEPAL, 2001.

Bibliografia Complementar:

BANISTER, D. A Igreja da Palavra e do Poder. São Paulo: VIDA, 2000.


BRANDÃO, F. Igreja Multiplicadora. Rio de Janeiro, RJ: JMN, 2013.
CHAN, F. Multiplique. São Paulo, SP: MUNDO CRISTÃO, 2015.
CRABB, L. O lugar mais seguro da terra. São Paulo: MUNDO CRISTÃO, 1999.
CUNNINGGHAM, L. e HAMILTON, D. J. Por que não elas? Belo Horizonte, BET NEA,2004.
GIANASTÁCIO, V. Uma igreja que faz e acontece. São Paulo: VIDA NOVA, 2006.
HOUSTON, J. M. Mentoria espiritual. Rio de Janeiro: SEPAL, 2003.
LENCIONI, P. Os 5 desafios das equipes. Rio de Janeiro, RJ: SEXTANTE, 2015.
OTT, C. Treinando obreiros. Curitiba: ESPERANÇA, 2004.
PIRAGINE JUNIOR, P. Crescimento Integral da Igreja. São Paulo: VIDA, 2006.
SOUZA, A. C. de. Pentecostalismo. Viçosa: ULTIMATO, 2004.

Disciplina: Curso:

Aplicações Teológicas da Liderança


Mestrado Profissional em Teologia
Cristã

Professores: Período Turma Créditos CH semestral

Luiz Roberto Soares Silvado 2º 2 90

Ementa:

Estuda a liderança nos seus aspectos conceituais, sua aplicabilidade à vida profissional e
ministerial, com o foco específico na aprendizagem, desenvolvimento de pessoas e na
construção de uma filosofia de liderança com qualidade, equilíbrio e flexibilidade.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Identificar e elaborar os processos de crescimento da vida interior.


● Desenvolver o hábito de observar aspectos dos sistemas, tanto individuais quanto
Coletivos.
● Ser capaz de entender as relações complexas no contexto familiar, social, profissional
e ministerial.
● Estabelecer relações entre a prática de gerenciar e liderar pessoas.
● Desenvolver o hábito de investir na vida pessoal e familiar de maneira correta.
● Produzir um roteiro de alvos e planejamento para o exercício de sua liderança.
● Ser capaz de valorizar pessoas e investir em seu amadurecimento.
● Desenvolver estratégias para motivar pessoas e administrar coisas.
● Identificar e aplicar princípios de liderança e administração em sua profissão e
ministério.
● Desenvolver uma filosofia de liderança.
Conteúdo Programático

Unidade I – INTRODUÇÃO
● Definições de liderança.
● Modelos de liderança.

Unidade II – Liderança: ETAPAS NA VIDA DE UM LÍDER


● Processos de crescimento da vida interior.
● Processos de amadurecimento profissional ou ministerial.
● Restaurando a paixão.
● Processos de amadurecimento da vida.
● Desenvolvendo uma filosofia de liderança.
● Aceitando o desafio da liderança nos modelos propostos.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

CLINTON, J. R. Etapas na vida de um líder. Curitiba: Descoberta Editora Ltda, 2000.


HENDRICKS, H. Como o ferro afia o ferro. São Paulo, SP: Shedd Publicações, 2006.
HYBELS, B. Liderança Corajosa. São Paulo, SP: Ed. Vida, 2002.
MAXWELL, J. C. As 21 indispensáveis qualidades de um líder. São Paulo: Ed. Mundo
Cristão, 2000.

Bibliografia Complementar:

COVEY, S. R. A terceira alternativa: resolvendo os problemas mais difíceis da vida. Rio de


Janeiro: Best Seller, 2012.
DUSILEK, N. G. Liderança Cristã: A arte de crescer com as pessoas. Rio de Janeiro: Ed.
UFMBB, 2003.
HOUSTON, J. M. Mentoria espiritual. Rio de Janeiro: SEPAL, 2003.
HYBELS, B. Liderança Corajosa. São Paulo, SP: Ed. Vida, 2002.
MAXWELL, J. C. As 21 indispensáveis qualidades de um líder. São Paulo: Ed. Mundo
Cristão, 2000.
______. As 17 incontestáveis leis do trabalho em equipe. São Paulo: Mundo Cristão, 2002.
______. Líder 360°: como desenvolver seu poder de influência a partir de qualquer ponto da
estrutura corporativa. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2007.
OTT, C. Treinando Obreiros. Curitiba: Editora Esperança, 2004.
PIPER, J. Irmãos, nós não somos profissionais. São Paulo: Shedd Publicações, 2009.
RIEBOCK, J. J. My Generation. Grand Rapids, MI: Baker Books, 2009.
STEUERNAGEL, V.; SOUSA, R. B. de. Nova Liderança. Paradigmas de liderança em Tempo
de Crise, e editores. Curitiba, Pr.: Encontrão.2002.

Disciplina: Curso:

Diálogo entre Diálogo entre Teologia e


Psicologia: interfaces do aconselhamento e Mestrado Profissional em Teologia
capelanias

CH
Professores: Período Turma Créditos
semestral

Edilson Soares de Souza 2º 2 90

Ementa:

A disciplina busca compreender os principais conceitos aplicados às teorias e práticas do


Aconselhamento e Capelania, a partir de uma análise crítica sobre as qualificações profissionais,
os objetivos e as práticas no processo de aconselhamento. Além do embasamento
teórico/metodológico, enfatiza-se a prática do Aconselhamento e da Capelania, dentro de uma
visão sistêmica.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Compreender os principais conceitos utilizados na área de Aconselhamento e


Capelania.
● Desenvolver aptidões profissionais que se aplicam ao Aconselhamento e Capelania.
● Identificar os principais estudiosos e as suas teorias, refletindo sobre as suas
contribuições para o exercício do aconselhamento e capelania contemporâneo.
● Compreender a trajetória do Aconselhamento e da Capelania e a sua relevância no
contexto social.
● Desenvolver exercícios objetivando o Aconselhamento e Capelania, a partir das
discussões propostas pela disciplina.

Conteúdo Programático

● Introdução ao estudo do tema e a sua importância na atualidade, considerando a


modelo de aconselhamento e da capelania centrados em Jesus Cristo.
● Compreensão do aconselhamento e capelania, e sua relação com a poimênica.
● A importância da entrevista no aconselhamento.
● Tipologia do aconselhamento pastoral, partindo de alguns modelos praticados na
atualidade.
● Principais teóricos e suas contribuições na construção de uma compreensão e de
uma prática em aconselhamento e capelania, observando algumas técnicas que são
pertinentes.
● Compreensão da relevância da conversação, inserida no contexto de comunicação
das instituições locais, inclusive, em momentos de crises.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida:

CLINEBELL, H. J. Aconselhamento pastoral: modelo centrado em libertação e crescimento.


4.ed. São Leopoldo, RS: Editora Sinodal/EST, 2007.
COLLINS, G. R. Aconselhamento cristão: edição século 21. São Paulo: Vida Nova, 2004.
SOUZA, E. S. de,; RUPPENTHAL NETO, W. (organizadores). Cuidando de vidas: pesquisas
nas áreas de teoria e prática do cuidado pastoral.. Curitiba: Faculdades Batista do Paraná, 2015.

Bibliografia Complementar:

AITKEN, E. V. de P. Aconselhamento a pessoas em final de vida. 2.ed. São Paulo: Cultura


Cristã, 2004.
BAXTER, R. O pastor aprovado: modelo de ministério e crescimento pessoal. 3.ed. São Paulo:
Publicações Evangélicas Selecionadas, 2006.
COLLINS, G. R. Ajudando uns aos outros pelo aconselhamento. 2.ed (ampliada). São Paulo:
Vida Nova, 2005.
CRABB JR, L. J. Aconselhamento bíblico efetivo: um modelo para ajudar cristãos que se
importam a tornarem-se conselheiros capacitados. Brasília, DF: Refúgio Editora, 1985.
DALGALARRONDO, P. Religião, psicopatologia e saúde mental. Porto Alegre: Artmed, 2008.
SANTOS, H. N. (editor). Dimensões do cuidado e aconselhamento pastoral: contribuições a
partir da América Latina e do Caribe. São Paulo: ASTE; São Leopoldo, RS: CETELA, 2008.
FABER, H e SCHOOT, E. van D. A prática da conversação pastoral. São Leopoldo, RS:
Editora Sinodal, 1973.
FRIESEN, A. Cuidando do ser: treinamento em aconselhamento pastoral. Curitiba: Editora
Evangélica Esperança, 2000.
HURDING, R. A árvore da cura: modelos de aconselhamento e de psicoterapia. Reimpressão.
São Paulo: Vida Nova, 2013.
KOHL, M. W.; BARRO, A. C. Aconselhamento Cristão Transformador. Londrina: Descoberta,
2006.
KORNFIELD, D. Aprofundando a restauração da alma através de grupos de apoio. 2.ed.
São Paulo: Mundo Cristão, 2008.
LEÓN, Jorge. Psicologia pastoral para todos los cristianos. 7.ed. Costa Rica: Editorial
Caribe, 1981.
MALDONADO, J. E. Crises e perdas na família: consolando os que sofrem. Viçosa, MG:
Ultimato, 2005.
MARINO JÚNIOR, R. A religião do cérebro: as novas descobertas da neurociência a respeito
da fé humana. São Paulo: Editora Gente, 2005.
SCHNEIDER-HAPPRECHT, C. Teologia prática no contexto de América Latina. Cristoph
Schneider-Harpprecht (org.). 2.ed. São Leopoldo, RS: Sinodal/ASTE, 2005.
SOUZA, E. S. de. Cristianismo, psicologia e cultura na república brasileira: debates sobre
a influência da religião no desenvolvimento humano (Brasil, 1896-1934). Curitiba: Editora CRV,
2016.
13.4 Proposta de Plano Preliminar de Ensino para as Disciplinas da Linha 03: Espiritualidade, Educação
e Docência nos Processos Formativos

Disciplina: Curso:

Cosmovisões e Formas de Interpretação


Mestrado Profissional em Teologia
Teológica na Formação Humana

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

David Alan Bledsoe 3º 1 45

Ementa:

Estudo sobre as diferentes cosmovisões (teísta, secular e animista), conceitos e características.


A forma de ler e interpretar a realidade a partir dos pressupostos presentes no interior de cada
sistema de crenças. As cosmovisões e os impactos no processo da formação humana e que
subjazem as propostas educativas.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

 Conceituar cosmovisão, destacando sua presença na realidade social, como uma


lente de interpretação.
 Identificar as diferentes cosmovisões, seus pressupostos e a forma como estão
estabelecidos nas lentes de interpretação da realidade social.
 Estabelecer relações entre cosmovisões e formação humana, no sentido de encontrar
indicadores de sua presença no processo formativo.
Conteúdo Programático

 Conceito e definições de cosmovisão.


 Classificações, características e pressupostos das cosmovisões.
 Cosmovisões e reflexões sobre a formação humana.
 Processo formativo e finalidade educativas de formação humana.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

DOMINGUES, G. S. Cosmovisões e Projeto Político-Pedagógico: o sentido da formação


humana. Saarbrücken, Alemanha: Novas Edições Acadêmicas, 2015. E-book.
HIEBERT, P. G. Transformando Cosmovisões: uma análise antropológica de como as
pessoas mudam. São Paulo: Vida Nova, 2016.
SIRE, J. W. O Universo ao Lado: a vida examinada, um catálogo elementar de cosmovisões.
São Paulo: Hagnos, 2001.

Bibliografia Complementar:
CARDOSO, C. A.; CARVALHO, G. V. R. de; SILVA, M. J. Cosmovisão Cristã e
Transformação. Viçosa, Minas Gerais: Editora Ultimato, 2006.
GEISLER, N. Enciclopédia de apologética: respostas aos críticos da fé cristã. São Paulo: Vida,
2002.
GRENZ, S. J. Pós-Modernismo. São Paulo: Vida Nova, 2008.
MARASCHIN, J.; PIRES, F.P. (orgs). Teologia e Pós-Modernidade: novas perspectivas em
teologia e filosofia da religião. São Paulo: Fonte Editorial, 2008.
SCARLATELLI, C.; STRECK, D. R.; FOLLMANN, J. I. Religião, Cultura e Educação. São
Leopoldo: Editora UNISINOS, 2006.

Disciplina: Curso:

A Contribuição da Teologia no
Currículo e na Organização do Mestrado Profissional em Teologia
Trabalho Docente

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

Gleyds Silva Domingues 3º 2 90

Ementa:

O estudo do currículo e suas abordagens. A representatividade do currículo no âmbito das


organizações formativas. O currículo como espaço de construção e produção da cultura. A
incidência curricular no processo de organização do trabalho docente. Análise e caminhos
alternativos para proposições curriculares.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Definir currículo, identificando suas abordagens e seus impactos no espaço


educativo.
● Apontar as influências do currículo no espaço de construção e produção da
cultura, a fim de tecer distinções entre cultura da escola e cultura escolar.
● Identificar o processo de sistematização do currículo nas propostas de
organização do trabalho docente e suas implicações no processo formativo, a partir do
viés ideológico aplicado.
● Compreender o sentido do currículo, respondendo as seguintes questões
direcionadas ao processo de construção do conhecimento: quem? Para quem? Por
quê? Qual finalidade?
● Tecer análises sobre propostas curriculares, identificando sua intencionalidade
formativa.

Conteúdo Programático

● Conceito de currículo
● Estudo reflexivo e crítico das abordagens curriculares
● Cultura Escolar e Cultura da Escola: conceitos e abrangência
● Formação Docente e as Propostas Curriculares apresentadas nas Diretrizes
Curriculares para Formação Docente.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.


SACRISTÁN, J. G. (Org.). Saberes e Incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013.
SANTOMÉ, J. T. Currículo Escolar e Justiça Social: o cavalo de troia da educação. Porto
Alegre: Penso, 2013.

Bibliografia Complementar:

MCKERMAN, Jmes. Currículo e imaginação: teoria do processo, pedagogia e pesquisa-ação.


Porto Alegre: Artmed, 2009.
MOREIRA, A. F. B.; TADEU DA SILVA, T. (orgs). Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo:
Cortez, 2002.
SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GOMEZ, A.I. . Compreender e transformar o ensino: Porto
Alegre: Artmed, 2007.
SILVA, T. T. da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. -2 ed.
Belo Horizonte: Autêntica, 2002.
ZABALA, A. Enfoque Globalizador e Pensamento Complexo: uma proposta para o currículo
escolar. Trad. Ernani F. da Rosa- Porto Alegre:ArtMed, 2002.

Disciplina: Curso:

Epistemologia do Trabalho Docente Mestrado Profissional em Teologia

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

Gleyds Silva Domingues 2º 2 90

Ementa:

A reflexão crítica sobre a epistemologia docente e suas racionalidades. O papel da


investigação-ação no contexto da formação docente e a sua finalidade nos contextos formativos.
A profissionalidade e o profissionalismo docente. Aspectos constitutivos da identidade e dos
saberes docente.

Aptidões e Competências / Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

 Estabelecer distinções entre as racionalidades que fundamentam o trabalho docente.


 Definir os saberes e conceituar identidade docente.
 Compreender as implicações do processo de investigação-ação no contexto de ação e
prática docentes.
 Identificar os fundamentos da profissionalidade e do profissionalismo docente em
interação com os contextos formativos.

Conteúdo Programático

● Epistemologia Docente e suas racionalidades.


● Saberes e Identidade Docente: processo de constituição e exercício docente.
● Profissionalidade e Profissionalismo docente no contexto de atuação e prática da
docência.
● A investigação-ação como fundamento da práxis docente e do processo formativo em
diferentes contextos educativos.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artes
Médicas Sul Ltda, 2000.
NÓVOA, A. (org). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
TARDIF, M. Saberes Docentes e Formação Profissional. 2a edição. Petrópolis: Vozes, 2002.

Bibliografia Complementar:

CARR, W; KEMMIS, S. Teoria critica de la enseñanza: la investigación-acción em la


formación del professorado. Espanha: Martinez Roca, 1988.
CONTRERAS, J.D. La investigación em la acción. Cuadernos de Pedagogia. Madri, n.224,
1994.
DOMINGUES. G.S. Por que ensino como ensino?: narrativas de uma prática docente.
Curitiba: AdSantos, 2017. (e-book)
FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo:
Paz e Terra, 1998.
LINHARES, C.; LEAL, M.C. (Orgs.). Formação de Professores: uma crítica à razão e à política
hegemônicas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
MION, R.A; SAITO, C.H. (Orgs.). Investigação-ação: mudando o trabalho de formar
professores. Ponta Grossa: Planeta, 2001.
PIMENTA, S.G e LIMA, M.S.L. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004.
ZEICHNER, K. M. A Formação Reflexiva de Professores: Ideias e Práticas. EDUCA, Lisboa
1993.

Disciplina: Curso:
Metodologia de Projetos em
Contextos Educacionais e Mestrado Profissional em Teologia
Teológicos

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

3º 1 45

Ementa:

A metodologia de projetos: conceito e características. A sistematização da metodologia de


projetos como ferramenta pedagógica a ser implementada em diferentes contextos
educacionais. O processo de elaboração e estruturação de projetos. A perspectiva
interdisciplinar e transversal como núcleo de elaboração de projetos.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

 Conceituar e apresentar as características do projeto, aplicando-as em contextos


educativos.
 Apresentar a metodologia de projetos como alternativa de trabalho docente em diferentes
espaços educativos.
 Desenhar, planejar, estruturar, sistematizar e avaliar a aplicabilidade da metodologia de
projetos.
 Apontar as implicações da perspectiva interdisciplinar e transversal na construção de
projetos para contextos educacionais.

Conteúdo Programático

 Metodologia de Projetos: conceitos e características.


 Processo de sistematização de Projetos.
 A proposta interdisciplinar e transversal na construção de projetos educacionais.
 Etapas de elaboração de projetos educativos.
 A aplicabilidade da metodologia de projetos no processo ensino e aprendizagem.
 O processo avaliativo no contexto da metodologia de projetos.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

FAZENDA, I. C. A. (Org.). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo:


Cortez, 2002.
HERNANDEZ, F. e VENTURA, M. A Organização do Currículo por Projetos de Trabalho: o
conhecimento é um caleidoscópio. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.
MARTINS, J. S. Projetos de Pesquisa: estratégias de ensino e aprendizagem em sala de aula.
2. Ed. Campinas, São Paulo: Armazém do Ipê (Autores Associados), 2007.

Bibliografia Complementar:

MACHADO, N. J. Educação: projetos e valores. 5. ed. São Paulo: Escrituras, 2004.


MOURA, D. G.; BARBOSA, E. F. Trabalhando com Projetos – Planejamento e Gestão de
Projetos Educacionais. Editora Vozes, Petrópolis-RJ, 2006.
SNYDERS, G. Alegria na sala de aula. São Paulo: Manole Editora, 1988.
VENTURA, P. C. S. Por uma Pedagogia de projetos: uma síntese introdutória. Educação &
Tecnologia, CEFET-MG. Belo Horizonte, V.7, N.1 - Jan. a Jun./2002.
YUS, R. Temas Transversais: em busca de uma nova escola. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Disciplina: Curso:

Didática do Ensino Superior: concepções


Mestrado Profissional em Teologia
teológico-educativas e processos formativos

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

Reginaldo Pereira de Moraes 3º 2 90

Ementa:

A Didática, enquanto ciência do ensino. Os processos formativos vinculados ao ato de ensinar


e aprender. O papel das metodologias ativas no contexto do ensino superior. As novas
concepções de ensino e aprendizagem. O ato avaliativo no contexto da formação dos
aprendentes. A Teologia e sua percepção de sujeito e o processo de significação no ato da
formação humana.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Situar o campo da Didática, enquanto ciência do ensino e sua implicação para o


processo formativo no Ensino Superior.
● Apresentar os elementos do processo educativo, a partir da interação entre o ensinar e
aprender como atos de significação do conhecimento.
● Demonstrar a relevância atribuída às metodologias ativas no contexto do processo
educativo.
● Descrever a finalidade da avaliação e o papel do erro, como elemento de reelaboração
e ressignificação do conhecimento.
● Definir as caraterísticas demarcadoras das concepções de ensino e aprendizagem e
sua influência no processo formativo.
● Estabelecer relação entre o olhar da Teologia sobre o sujeito aprendente e o processo
de significação no processo de compreender o sentido da formação humana.

Conteúdo Programático

● Didática: o campo da ciência do ensino.


● O ato de ensinar e aprender no contexto da formação humana.
● A metodologia ativa e suas diferentes propostas pedagógicas.
● A avaliação formativa e o erro, enquanto produção de conhecimento.
● As concepções de ensinar e aprender e a formação humana.
● O sentido da formação humana e o olhar da Teologia para o sujeito e a significação.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

PERISSÉ, G. A arte de ensinar. Brasília: Editora UNB, 2008.


SACRISTÁN, J. G.; PÈREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre:
Artmed, 2007
TEODORO, A.; VASCONCELOS, M. L. (orgs). Ensinar e Aprender no Ensino Superior: por
uma epistemologia da curiosidade na formação universitária. São Paulo: Mackenzie, Cortez,
2003.

Bibliografia Complementar:

DOMINGUES, G. S. Andragogia de Jesus: a metodologia de ensino que transformou o


processo educativo. Curitiba: AD Santos, 2016.
DOMINGUES. G.S. Por que ensino como ensino? Narrativas de uma prática docente.
Curitiba: AdSantos, 2017.
NEIRA, M. G. Por dentro da sala de aula: conversando sobre a prática. São Paulo: Phorte,
2004.
RIOS, T.A. Compreender e Ensinar: por uma docência de melhor qualidade. SP: Cortez, 2002.
ZABALA, A. A prática educativa. Porto Alegre: Artmed, 1998.
ZANTEN, A. van. Dicionário de Educação. Petrópolis, Rio de Janeiro, 2011.
ZABALZA, M. A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional.
Porto Alegre: Artmed, 2004.

Disciplina: Curso:

Relevância Teológica no
Mestrado Profissional em Teologia
Contexto da Educação Religiosa

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

Jaziel Guerreiro Martins 2º 2 90

Ementa:

Um panorama histórico sobre a inserção da Tteologia no contexto da educação. Da Tteologia


hebreia aos reformadores. Dos reformadores a contemporaneidade. Os pensadores e
expoentes da Tteologia e sua influência sobre a educação. Os pressupostos teológicos no
processo da formação humana. A educação como campo de ação da Teologia Prática.

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:


● Identificar o pensamento teológico que norteou o processo educativo, direcionado à
formação humana.
● Diferenciar os expoentes da Tteologia que exerceram influência no pensar sobre a
educação.
● Estabelecer paralelos entre os pressupostos teológicos e a formação humana nos
períodos e tempos históricos.
● Traçar uma linha de tempo histórico sobre o pensamento teológico e o processo da
formação humana.
● A interseção entre Teologia Prática, Educação e Formação Humana.

Conteúdo Programático

● Teologia Hebreia.
● Teologia Cristã do primeiro século à Idade Média.
● Teologia Reformada.
● Teologia e Educação Libertadora.
● Teologia Contemporânea.
● Expoentes teológicos: Agostinho, Tomás de Aquino, Martinho Lutero, Calvino.
● Teologia Prática e o espaço da educação e formação humana.

Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

FIGUEIRA, E; JUNQUEIRA, S. R. A. (Org.). Teologia e Educação. Educar para a caridade e a


solidariedade. São Paulo: Paulinas, 2012.
LOPES, A. N. (Ed.) Calvino e a Educação: carta de princípios 2009. São Paulo: Universidade
Presbiteriana Mackenzie, 2009.
LOPES, E. Fundamentos da Teologia da Educação Cristã. São Paulo: Mundo Cristão, 2009.

Bibliografia Complementar:

EBELING, G. O pensamento de Lutero. São Leopoldo: Sinodal, 1988.


ELWELL, W. A. (Org.). Enciclopédia Histórico Teológica da Igreja Cristã. São Paulo: Vida
Nova, 1990.
FREIRE, P. Educação como prática da Liberdade. Rio de Janeiro; Paz e Terra, 1980.
LIMA, S. A. (Coord.). Caminhos Novos na Educação. FTD, São Paulo, 1995.
MANACORDA, M.A. História da Educação: da antiguidade aos nossos dias. 9ª ed, São Paulo:
Cortez, 2001.
TILLICH, P. História do pensamento cristão. São Paulo: ASTE, 2000.

Disciplina: Curso:
O Espaço de Ação da Teologia Pública em
Mestrado Profissional em Teologia
Diálogo com a Educação

Professor: Período Turma Créditos CH semestral

Adriano Sousa Lima 2º 1 45

Ementa:

Reflexão e estudo sobre as interfaces da Teologia Pública no contexto das linguagens e dos
estudos culturais, visando a formação de identidades. A interlocução entre o olhar da Teologia
Pública e o espaço de atuação pautado pela diversidade cultural e por diferentes linguagens

Aptidões e Competências/ Habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos:

● Situar o objeto de estudo da Teologia Pública no contexto das linguagens e dos estudos
culturais.
● Definir o conceito de estudos culturais em diálogo com o de linguagens e significados.
● Discutir sobre o conceito de identidade e sua relevância para o campo da Teologia.
● Apontar aproximações e distanciamentos entre a Teologia Pública e o campo dos
estudos culturais.
Conteúdo Programático
● Espaço de ação da Teologia Pública.
● As interfaces da Teologia Pública.
● Linguagens e formação da cultura e da identidade.
● Diversidade cultural, identidade e Tteologia.
Calendário de Atividades

Bibliografia Básica/Exigida

HALL, S. A Identidade Cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.


SILVA, T. T. da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis:
Vozes, 2009.
ZABATIERO, J. Para uma teologia pública. São Paulo: Fonte Editorial, 2011.

Bibliografia Complementar:

CAVALCANTE, R.; SINNER, R von. Teologia Pública: Em debate. São Leopoldo: Sinodal,
2011.
CAVALCANTE, R. A cidade e o gueto. Introdução a uma Teologia Pública protestante. São
Paulo: Editorial, 2010.
FIORIN, J. L. Linguagem e ideologia. São Paulo: Ática, 1997.
LARAIA, R. de B. Cultura: um conceito antropológico. 19 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.
MELLO, L. G. de. Antropologia Cultural. São Paulo: Vozes, 1987.
14. INFRAESTRUTURA

Neste tópico, demonstraremos a estrutura da IES, à disposição do PPG em


Teologia. Num primeiro momento abordaremos a estrutura física em si, e depois a
composição da infraestrutura acadêmica.

14.1 Infraestrutura física


Serão apresentadas as salas disponíveis para cursos, estudos e palestras;
os equipamentos à disposição do curso; salas de aulas disponíveis para o curso e
espaço físico de suporte ao desenvolvimento do curso.
14.1.1 Salas para estudo ou palestras/apresentações
CARACTERÍSTICAS HORÁRIO DE
SALAS CAPACIDADE
ÁREA (m²) FUNCIONAMENTO
De segunda a sexta-feira
Auditório 1
43,38 30 pessoas das 08h às 22h. Aos
(Multimídia)
sábados, das 08h às 14h.
Auditório 2 De segunda a sexta-feira
(Antigo 86,53 72 pessoas das 08h às 22h. Aos
Internato) sábados, das 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira
Auditório 3
34,07 25 pessoas das 08h às 22h. Aos
(Sala 102)
sábados, das 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira
Capela 145,8 200 pessoas das 08h às 22h. Aos
sábados, das 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira
Laboratório de
31,17 10 pessoas das 08h às 22h. Aos
Informática
sábados, das 08h às 14h.
Sala de Estudo De segunda a sexta-feira
Biblioteca – 1º 52.88 22 pessoas das 08h às 22h. Aos
Pavimento sábados, das 08h às 14h.
Sala de Estudo De segunda a sexta-feira
Biblioteca – 2º 27.52 16 pessoas das 08h às 22h. Aos
Pavimento sábados, das 08h às 14h.

14.1.2 Equipamentos à disposição do curso


EQUIPAMENTO
SALAS COMPONENTE
NECESSÁRIO EXISTENTE
Auditório 1
Projetor multimídia um um
(Multimídia)
Auditório 1
Microcomputador um um
(Multimídia)
Auditório 1
Tela para projeção uma uma
(Multimídia)
Auditório 1
TV uma uma
(Multimídia)
Capela Tribuna um um
Capela Aparelhagem de som um um
Capela Piano um um
Capela Projetor multimídia um um
Microcomputadores para acesso
Biblioteca dois dois
à internet
Microcomputadores para
Centro Acadêmico quatro quatro
trabalhos acadêmicos
Salas de aula Telas para projeção seis seis
Salas de aula Projetores multimídias cinco cinco
Salas de aula TVs três três
Salas de aula Pianos dois dois
Salas de aula Tribunas duas duas
Laboratório
Microcomputadores treze treze
informática
Biblioteca Terminais para consultas três três
Todo campus Internet wireless OK OK

14.1.3 Salas de aulas disponíveis para o curso


Todas as salas de aula da IES estão disponíveis para o mestrado, pois o
encontro semestral ocorre sempre no período de férias da graduação. Além dos
auditórios, já mencionados, segue a composição das salas reservadas,
exclusivamente, para as aulas.
CARACTERÍSTICAS HORÁRIO DE
SALA CAPACIDADE
ÁREA (m²) FUNCIONAMENTO
De segunda a sexta-feira das
Sala 101 80,36 55 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala 105 48,48 48 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala 106 40,95 31 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala 201 61,42 35 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala 202 96,16 81 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala 203 59,76 47 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.

14.1.4 Espaço físico de suporte ao curso


CARACTERÍSTICAS HORÁRIO DE
SALA CAPACIDADE
ÁREA (m²) FUNCIONAMENTO
De segunda a sexta-feira das
Sala dos
35,19 20 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
Professores
08h às 14h.
3 gabinetes De segunda a sexta-feira das
para 9,75 cada 3 pessoas cada 08h às 22h. Aos sábados, das
professores 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Secretaria NSA 9 pessoas 08h30 às 21h. Aos sábados,
das 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Financeiro NSA 2 pessoas 08h30 às 21h. Aos sábados,
das 08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala do
15,7 6 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
Coordenador
08h às 14h.
De segunda a sexta-feira das
Sala do diretor 25,8 5 pessoas 08h às 22h. Aos sábados, das
08h às 14h.

14.2 Infraestrutura acadêmica


Neste item, serão especificados os itens sobre a estrutura da Biblioteca e dos
nossos laboratórios, bem como nosso atendimento para pessoas com deficiência e
nossa forma de divulgação.

14.2.1 Biblioteca
A Biblioteca das Faculdades Batista do Paraná atende a comunidade
acadêmica em suas necessidades bibliográficas e de informação, dando suporte ao
desenvolvimento dos cursos ministrados, assim como a comunidade externa.
Estimula o desenvolvimento dos usuários à pesquisa científica e a
informação, por meio do conhecimento registrado. Está equipada para atender às
necessidades de pesquisa, oferecendo ambiente amplo e agradável. O espaço
físico da biblioteca é de 316m2, distribuídos em dois pisos, o superior 196,70m2, o
piso inferior 119,32m2. Acomodam 53 pessoas sentadas com três salas de estudo
em grupo, 13 cabines de estudo individual, 10 computadores para pesquisa.
A Biblioteca encontra-se informatizada com o sistema Pergamum, que
permite a consulta, renovação e reserva do material impresso, download de e-
books.
O acervo é composto por multimeios, livros impressos, e-books, periódicos
digitais e impressos nacionais e internacionais, teses e dissertações do corpo
discente e docente. Dispõe também de recursos de multimídia com fitas de vídeo e
computadores conectados à internet. A seguir, segue a descrição de livros e
periódicos, por área de conhecimento:

DADOS ESTATÍSTICOS DO ACERVO FABAPAR


Artigos Indexados 17.876
OBRAS TEOLÓGICAS 22916
OBRAS AUXILIARES 4185
PERIÓDICOS TEOLÓGICOS 842
TOTAL 29.143
FONTE: Biblioteca da FABAPAR.
Conta também com uma quantidade gigantesca de acervo digital com acesso
aberto, os links estão dispostos de forma que possam ser acessados no site da
Biblioteca <https://fabapar.com.br/biblioteca/>. A equipe da Biblioteca é treinada
para orientar os usuários quanto ao acesso do conteúdo.
Existem também os convênios com as bibliotecas da PUC-PR e Faculdades
FACEL. Está em andamento o convênio com Primeira Igreja Batista de Curitiba que
dispõe de acervo digitalizado com aproximadamente 20 mil títulos, o objetivo do
novo convênio é atender pessoas com deficiência.

14.2.2 Laboratórios instalados


A) Sala multimídia, com área de 43,38m2, capacidade para 30 pessoas, a qual
possui um projetor multimídia, um microcomputador, tela para projeção,
videocassetevídeocassete e TV a cabo.
B) Anfiteatro (capela), com área de 180m2, capacidade para 200 pessoas, o qual
possui um púlpito, uma tribuna, aparelhagem de som, piano e tela para projeção.

14.2.3 Computadores à disposição do curso


Há 23 microcomputadores à disposição do curso, todos conectados à
internet. O acesso é livre para o público interno.

14.2.4 Adequação da infraestrutura para o atendimento aos portadores de


necessidades especiais
Embora nossas instalações sejam antigas, providenciamos rampas em
todos os acessos, de modo que seja facilitado o acesso a todas as dependências
da iInstituição. Há também dois banheiros próprios e adequados para pessoa com
deficiência, bem como vagas no estacionamento. Quanto aos alunos com
deficiência visual e auditiva, a instituição tem providenciado os equipamentos e
materiais necessários para estes possam estudar até a conclusão do curso.
Intérpretes são pagos pela FABAPAR para a tradução à sua língua especial.

14.2.5 Estratégias e meios para comunicação interna e externa


• Reuniões periódicas no anfiteatro.
• Boletins.
• Circulares internas.
• Jornais de circulação em meio religioso.
• Assembleias da Convenção Batista Paranaense.
• Assembleias das Associações Batistas do Estado do Paraná.
• Mala direta.
• Visitas de apoio às igrejas.
• Trabalho social e religioso nas comunidades.
• Projeto social Vida (atividades sociais e pastorais em cidades e bairros carentes
da região metropolitana de Curitiba).

Site: hhttp://mestrado.fabapar.com.br
REFERÊNCIAS
ARAÚJO, E. A construção do livro. 2. ed. Rio de Janeiro: Lexicon; São Paulo:
Unesp, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância.


Referenciais de qualidade para educação superior a distância. Brasília: MEC,
2007.
______. Câmara dos Deputados. Decreto n.º 5.622. Brasília, 2005. Disponível
em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2005/decreto-5622-19-
dezembro-2005-539654-publicacaooriginal-39018-pe.html>. Acesso em: jul. 2019.
______. Resolução CNE/CES nº 4/2016. Brasília, 2016. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=4
8421-rces004-16-pdf&category_slug=setembro-2016-pdf&Itemid=30192>. Acesso
em: jul. 2019.

CONVENÇÃO BATISTA BRASILEIRA - CBB. Princípios Batistas. Rio de


Janeiro, 2017. Disponível em:
<http://www.convencaobatista.com.br/siteNovo/pagina.php?MEN_ID=21>. Acesso
em: ago. 2019.

DRISCOLL, M.P. Psychology and learning for instructionni. Boston: Allyn e


Bacon, 1994.

FABAPAR, Faculdades Batista do Paraná. Projeto de Desenvolvimento


Institucional. Curitiba, 2017.

______, Faculdades Batista do Paraná. Projeto Pedagógico Institucional.


Curitiba, 2017.

FTBP, Faculdade Teológica Batista do Paraná. Projeto Pedagógico do Curso


Graduação a Distância em Teologia. Curitiba, 2014.

HOUAISS. Dicionário eletrônico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva,


[2009]. 1CD-ROM.

KENSKI, Vani M. Design Instrucional. In MILL, Daniel. Dicionário crítico de


educação e tecnologias e de educação a Distância. Campinas, SP: Papirus,
2018.

LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. São Paulo: Brasiliense,


1988.

MACIEL, Cristiano. Ambientes virtuais de aprendizagem. In MILL, Daniel.


Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a Distância.
Campinas, SP: Papirus, 2018.
MEDEIROS, J. B. Manual de redação e normatização textual: técnicas de
editoração e revisão. São Paulo: Atlas, 2002.
______; ANDRADE, M. M. de. Comunicação em Língua Portuguesa. 4. ed. São
Paulo: Atlas, 2006.

MILL, Daniel. Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a


Distância. Campinas, SP: Papirus, 2018.

PRETI, O. Educação a Distância: uma prática mediadora e mediatizada. In:


PRETI, O. (org) Educação a Distância: inícios e indícios de um percurso.
Cuiabá/MT: NEAD/UFMT, 1996, p. 15-56.

SENAI-DN. Orientações aos conteudistas – parte 1: o desafio da construção de


cursos on-line. Brasília, 2002. (Documentos Metodológicos, 2.)

SILVA, C. C. da. Produção editorial. 3. versão. Pontifícia Universidade Católica


do Paraná. Departamento de Extensão. Curitiba: PUC-PR, 2009. Material de apoio
não publicado.

SIMÕES, Mara Leite. O SURGIMENTO DAS UNIVERSIDADES NO MUNDO E


SUA IMPORTÂNCIA PARA O CONTEXTO DA FORMAÇÃO DOCENTE. Temas
em Educação, João Pessoa, v. 22, n. 2, p.136-152, jul. 2013. Disponível em:
<www.periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/download/17783/10148>. Acesso
em: jul. 2019.