Você está na página 1de 42

Aprender a estudar

Métodos e técnicas
Leitura Activa
Como conhecer um livro
Como conhecer um livro
Quando tens livros novos, se souberes como
estão organizados torna tudo mais fácil.

 Deves:
◦ Percorrer o índice
 Mostra o essencial da matéria e a organização do livro

◦ Ler a introdução
 Perceber a intenção e quem são os destinatários do
livro

◦ Folhear as páginas
 Compreender a forma como é apresentada a matéria
Etapas da leitura
Ler “por alto”
Ler “em profundidade”
Ler por alto
 Passar rapidamente os olhos pelo
conteúdo:
Serve para ter uma visão geral do assunto;

◦ Lê um alguns parágrafos, no início no meio e no fim


(leitura em diagonal);

◦ Tem atenção aos:


 Títulos;
 Subtítulos;
 Esquemas;
 Ilustrações;
 Frases destacadas.
Ler em profundidade
 Explora e capta o essencial
◦ Lê o texto todo as vezes forem necessárias;

◦ Tenta perceber:
 O que diz o autor e o que pretende transmitir?
 Se as explicações são fundamentadas?
 Se os factos e argumentos são claros?
 Se concordas com as opiniões?
 O que é novo?
 Se a informação é útil? Podes aplicá-la?
 Se tem a ver com coisas que já sabes?

Analisa, compreende interpreta, compara e avalia.


Processos de leitura activa
Consultar o dicionário
Sublinhar
Anotações
Apontamentos
Consultar dicionários
“O dicionário é uma fonte segura e rápida
para tirar dúvidas.”

 Deves consultar um dicionário sempre que


encontres:
◦ Expressões desconhecidas;

◦ Expressões duvidosas;
Se não tiveres um dicionário à mão anota-as para veres
mais tarde.

Conhecendo e aplicando correctamente as palavras novas,


combate-se a ignorância e fala-se e escreve-se melhor.
Sublinhar
“Quem sublinha lê duas vezes.”

 Um sublinhado bem feito permite:

◦ Captar melhor a informação;

◦ Tirar bons apontamentos;

◦ Fazer revisões rápidas.


Sublinhar
 Quando sublinhares:
◦ Dá prioridade a:
 Definições;
 Fórmulas;
 Esquemas;
 Termos técnicos;
 Palavras-chave;
Sublinhar
 Não abuses dos traços e das cores.

Num parágrafo não sublinhes mais do que uma


frase ou duas;

Sublinhar tudo é o mesmo que não sublinhar nada.

 Sublinha apenas os teus livros

Os sublinhados só funcionam bem para quem os faz.


Fazer anotações
Quem lê activamente faz anotações à margem dos textos

 As anotações são comentários pessoais

◦ Podem ser feitos através de:

 Pontos de exclamação (!) – surpresa, entusiasmo;

 Pontos de interrogação (?) – dúvida discordância, rejeição;

 Letras como observações (B – bom), (I – importante), (N – não), (R – rever);

 Palavras que resumam a ideia central do assunto;

 Nota de referência a outros assuntos (as notas devem ser breves).

Anotar um livro é enriquecê-lo


Tirar apontamentos
A escrever, aprende-se melhor e guarda-se a informação por
mais tempo.

Transcrições
As transcrições são necessárias quando se pretende recolher dados
para um trabalho escrito.

◦ Como se devem fazer:


 Copiar apenas as partes mais significativas dos textos;

 Por entre aspas os textos copiados;

 Indicar a fonte.
Tirar apontamentos
 Resumos
Resumir é abreviar um texto.
Para isso é preciso seleccionar e reformular as ideias
essenciais em frases bem construídas.

◦ Método:
 Compreender o texto;
 Descobrir a ideia-chave de cada parágrafo;
 Registar o conjunto dos vários tópicos, em cada parágrafo;
 Reconstruir o texto de forma pessoal respeitando o original.
Tirar apontamentos
 Esquemas
São simples palavras à volta das quais se podem arrumar
grandes quantidades de informação.

 São bons para elaborar planos de trabalho.

 Podem ser:
◦ Índices;
◦ Quadros;
◦ Gráficos;
◦ Desenhos;
◦ Mapas.
Tirar apontamentos
 Resumos
◦ Características dos resumos:
 Brevidade: os pontos principais da matéria;
 Clareza: ideias simples e precisas;
 Rigor: o essencial sem erros nem deformações;
 Originalidade: o ponto de vista do autor na tua
própria linguagem.

Aprender a resumir aumenta as possibilidades de sucesso.


Velocidade e rendimento
“A velocidade de leitura favorece o rendimento,… mas tem que
ser adequada à natureza dos textos”.
 Tipos de Leitor
◦ Leitor lento:
 É meticuloso,… mas não distingue a natureza dos textos;
 Gasta tempo a armazenar pormenores e exemplos;
 Distrai-se e perde as ideias;

◦ Leitor rápido:
 Avança depressa;
 Tem cuidado com os textos mais importantes;
 Não se fixa em palavras isoladas;
 Centra-se nas ideia e na visão de conjunto.
Velocidade e rendimento
Quadro comparativo
Leitor Lento Leitor Rápido
Acompanha a leitura com o lápis com o Mantêm a cabeça fixa e movimenta
dedo ou com o movimento da cabeça. apenas os olhos.
Pronuncia (em voz alta, em voz baixa ou Olhas as palavras mas não as pronuncia
mentalmente) todas as palavras. (nem sequer em silêncio).
Vê as palavras isoladas ou duas ou três Consegue ver conjuntos de 5 a 10
palavras em cada olhar. palavras cada vez que olha para o texto.
Lê entre 150 a 300 palavras por minuto Lê normalmente 400 a 600 palavras por
em textos de dificuldade média. minuto.
Não adapta o seu ritmo à leitura dos Lê depressa nas leituras simples.
textos. Lê sempre em velocidade Demora mais tempo naquilo que merece
reduzida. maior cuidado.
Dispersa-se com facilidade e nunca Concentra-se na leitura. Sente pouca
chega a sentir-se motivado. Depressa se fadiga. Chega a ler com entusiasmo.
aborrece.
Velocidade e rendimento
 Como se pode melhorar:
◦ Treinando o movimento dos olhos; fixando-os em grupos
de palavras cada vez maiores;

◦ Começando com textos simples. Passando para textos


mais complexos;

◦ Fazendo menos paragens do olhar e mais breves;

◦ Não perdendo a compreensão dos textos.


Síntese
 Conhecer os livros;

 Ver os textos de forma rápida antes da leitura em profundidade;

 Consultar o dicionário;

 Sublinhar nos livros tudo o que houver sobre a ideia principal;

 Fazer anotações à margem dos textos;

 Elaborar esquemas e resumos das leituras;

 Ler rapidamente mas sem pressa.


Elaboração de um trabalho
O escolha do tema
A recolha de informação
O organização do plano
A redacção
Apresentação do trabalho
A escolha do tema
 Definir e enquadrar o tema:
◦ Conhece a tua capacidade individual;
Não excedas aquilo que podes fazer.
◦ Procura fontes de consulta;
Identifica as fontes de consulta.
◦ Define o tempo disponível:
Prevê quanto tempo precisas;
Quanto menos for o tempo maiores as limitações.
Recolha de informação
 Fontes essenciais:
◦ Dicionários
◦ Enciclopédias
◦ Livros especializados
Algumas fontes na Web:
 Wikipédia
 Dicionário Porto Editora
 Peribam
Recolha de informação
 Assuntos da actualidade:
◦ Meios de comunicação social;
◦ Entrevistas;
◦ Visitas de estudo;
◦ Debates e conferências;
◦ Observação e experiência pessoal.

 Deves basear-te em várias fontes:


◦ Credíveis;
◦ Variadas.
Recolha de informação

 Como fazer?

1. Recolher informação geral sobre o tema;

2. Criar fichas com assuntos;

3. Separar por assuntos:

Faz folhas diferentes para assuntos diferentes.


Organização do plano
Um plano rigoroso ajuda a escrever e a fazer
boas intervenções orais.

 Permite:

◦ Arrumar as ideias;

◦ Ganhar tempo;

◦ Eficiência.
Organização do plano
 Filtragem da informação:
◦ Tema;
◦ Objectivos;
◦ Destinatários.

◦ Para que o trabalho resulte tens que eliminar


a informação:
 Supérflua;
 Dúbia;
 Confusa.
Organização do plano

 Ordenar
◦ Dar uma sequência lógica às ideias ou factos
que vais transmitir.

◦ Criar um índice:
Uma lista de palavras ou ideias, precedidas de
números ou letras.
Redacção
 Partes do texto:
◦ Introdução:
 Interesse do tema;
 Modo de o apresentar.

◦ Desenvolvimento:
 Apresenta o tema ponto por ponto;
 Divide o assunto em títulos e subtítulos;

◦ Conclusão
 Resumo e conclusões (tomar posição)
Redacção
 Citações:
◦ Recorrer a autoridades:
As transcrições não valem pela quantidade mas
sim pela qualidade.

◦ Transcrever com fidelidade:


Colocar entre aspas as palavras do autor.

◦ Identificar o autor e a obra:


 Referir o nome autor e a obra.
Bibliografia
 Lista os documentos que utilizaste:
◦ Apelido e nome do autor
◦ Título e subtítulo da obra
◦ Número da edição
◦ Local da edição
◦ Editor
◦ Data da edição
Apresentação do trabalho
 Folhas brancas;
 Escrever só de um lado da folha;
 Primeira página para apresentação do aluno:
◦ nome;
◦ ano;
◦ turma e número
◦ título do trabalho
◦ disciplina
◦ nome da escola
◦ Data

 Segunda página – índice


Apresentação do trabalho
 No corpo de texto:
◦ Salienta títulos e subtítulos;
◦ Sublinha as palavras e expressões significativas;
◦ Faz espaços entre os parágrafos;
◦ Deixa margens nos 4 lados da página para as
anotações do professor;
◦ Numera as páginas;
◦ Faz uma capa,
Síntese
 Escolhe os temas, as fontes
 Define o tempo;
 Define os objectivos;
 Procura informação;
 Arruma as ideias em esquema;
 Se copiares:
◦ Cita o autor;
◦ Transcreve com rigor;
◦ Identifica as fontes.
Regras da Escrita
Estilo
Aprendizagem da escrita
Pontuação
Ortografia

A habilidade de escrever é um instrumento eficaz para o sucesso


tanto na escola, como na vida profissional
O estilo
 Um bom estilo implica:
◦ Clareza;
◦ Coerência;
◦ Elegância.

 Um estilo simples e directo usa:


◦ Palavras familiares ;
◦ Expressões sóbrias;
◦ Frases curtas;
◦ Ligações coerentes.
O estilo
 Palavras familiares
◦ Simples;
◦ Conhecidas.

 Expressões sóbrias
◦ Poupa qualificativos;
Quanto mais simples e natural é a escrita, melhor é a sua
qualidade.
◦ Sê directo
 Escolhe o caminho mais curto para dizer as coisas;
 Diz o essencial em poucas palavras.
O estilo
 Frases Curtas
◦ Implicam saber o que se pretende;

◦ São menos traiçoeiras para quem as escreve e


menos cansativas para quem a lê ou ouve.

 Ligações coerentes
◦ As várias partes do texto devem ser articuladas
por ligações que façam sentido.
Pontuação
 A pontuação serve para tornar a
mensagem escrita deve se:
◦ Clara;
◦ Compreensível.

Sem uma pontuação adequada o sentido


do texto pode ser completamente alterado
Ortografia
 Na expressão escrita o mais importante é
fazeres-te entender.

◦ As palavras têm que ser escritas com


correcção;

◦ Se as pessoas que escrevem as palavras como


as pronunciam na linguagem oral, se falarem
mal escrevem pior.
Aprendizagem da escrita
 Aprender a escrever passa por:
◦ Ler bons autores:
 Enriquece o vocabulário;
 Permite observar como os outros comunicam.

◦ Conhecer a gramática;
 É um meio para falar e escrever com correcção.

◦ Treinando a escrita.
 Consegue-se qualidade, depois de muita
quantidade, feita com intenção de melhorar.
Síntese
 Usa palavras familiares.
 Poupa as palavras desnecessárias.
 Constrói frases curtas.
 Liga as frases de forma coerente.
 Usa os sinais de pontuação.
 Evita erros ortográficos.
 Lê bons autores.
 Conhece as regras básicas da gramática.
 Pratica a escrita.