Você está na página 1de 2

Caros professores...

A Letícia está com dois “0” em seu boletim e não são relacionados a provas...

Reitero a necessidade de ser comunicada, via agenda, sobre trabalhos e


tarefas pedidos a ela. Eu só posso cobrar dela o que chega até mim. Já foi
passado à escola o laudo do DDA e não há como eu saber o que se passa
durante as aulas. Tentei, de toda forma, repor todo o conteúdo que ela perdeu
durante a minha internação e durante a fase em que ela esteve doente e faltou
às aulas.

A Letícia tem TDA ou DDA, com laudo médico entregue à secretaria desde o
início do ano. A única necessidade que ela tem é que todo o registro em
relação às matérias, tarefas e trabalhos, precisam ser feitos por escrito, porque
ela tem grande dificuldade em memorizar e até mesmo em registrar (às vezes
faz-se necessário que o professor faça o registro, se estiver com o tempo
limitado ou acompanhe o registro que ela faz).

No ano passado, (2017)foi combinado com a coordenadoria que os professores


verificariam, ao final de cada aula, se ela havia copiado as tarefas na agenda e
caso não, eles iriam tomar alguma providência sobre isso.Eu tenho
conhecimento do que consta no website, que se tornou página inicial nos meus
computadores... Mas lá não conta nada sobre trabalhos ou processuais...

Como posso ainda receber bilhetes de trabalhos não feitos, lições não feitas,
com a justificativa de que ela não copiou? Como posso cobrar dela uma lição
que ela não copiou ou não anotou? Os professores não conseguem ter esse
controle em classe?

Entendo que ela precisa amadurecer, entendo que ela precisa de várias coisas.
Mas compreendam que pedir que alguém com DDA ou TDA preste atenção, ou
melhor, que guarde informações na memória, é como pedir à um cadeirante
que se levante e ande... Não uso isso como muleta, o problema existe e por
esta razão que ela é acompanhada por um neurologista, uma psicóloga e por
um psiquiatra!

Espero poder contar com a colaboração de vocês. Não aceito o “0” sem prévia
comunicação de atividade não feita, ou material não levado, falta de
envolvimento com o grupo. há de haver uma comunicação saudável e eficiente
entre professores e pais de alunos com necessidades especiais. Sei que a
Letícia é extremamente inteligente, mas não frequenta tantos médicos e
terapeutas por nada. ela necessita de ajuda... e eu, mais ainda!
Muito obrigada pelo apoio e compreensão. Entendo que não seja fácil lidar com
este tipo de problema e/ou situação. Perdoem-me o incômodo. Eu só preciso
que a comunicação seja eficiente, para que tenhamos êxito durante o ano
letivo.

Você também pode gostar