Você está na página 1de 4

UM CONTO DE NATAL

Livre Adaptação Teatral de Graciane Pires

PERSONAGENS

NARRADOR(A)
SENHOR SCROOGE
FRED, o sobrinho
CINDY, a funcionária
ESPÍRITO DOS NATAIS PASSADOS
ESPÍRITO DO NATAL PRESENTE
ESPÍRITO DOS NATAIS FUTUROS
SENHORA SARAH
TODOS: UM CONTO DE NATAL
Entra a narradora como uma fada, fazendo a volta no espaço, dançando, e parando na
frente.

NARRADORA: Era uma vez um senhor muito mau que se chamava Scrooge. Ele detestava o
Natal. Era muito rico e tinha uma fábrica gigante. Tinha uma funcionária de confiança, Jenifer
e seu sobrinho Fred.

Entra o Senhor Scrooge.

SENHOR SCROOGE: Trabalhem! Eu quero dinheiro!


FRED: Bom dia tio! Feliz Natal!
SENHOR SCROOGE: Que Natal, o que! Não acredito no Natal, é uma festa para gastar
dinehiro! Natal é uma farsa!
FRED: Mas tio, o senhor não pode estar falando sério! Hoje haverá uma ceia em nossa casa,
queria que o senhor participasse.
SENHOR SCROOGE: Não irei. Se for para participar dessa farsa, não vou!
FRED: Está bem. Então, tchau tio.
SENHOR SCROOGE: Jenifer, venha aqui!
JENIFER: Sim, senhor!
SENHOR SCROOGE: Você quer uma folga amanhã?
JENIFER: Sim, eu gostaria pois amanhã é dia de Natal.
SENHOR SCROOGE: Mas eu não posso perder dinheiro por causa do Natal. Você não pode
folgar! Como vou ganhar dinheiro assim? Não é justo!
JENIFER: Tudo bem. Eu venho trabalhar então. O Senhor pode receber a senhora que está
lhe aguardando toda a manhã?
SCROOGE: Diga para entrar e pode ir embora.
JENIFER: Sim senhor. Bem, mesmo o senhor não gostando da data, desejo um Feliz Natal.

Entra Sara

SARA: Olá Senhor Scrooge. Me chamo Sara e represento a Fundação das Crianças de nossa
cidade. Vim para saber se o senhor poderia contribuir com algum valor para a realização do
nosso Natal.
SCROOGE: Mas como eu poderia doar o dinheiro que trabalhei tanto para conquistar? Não
tenho dinheiro para doar!
SARA: Que pena, senhor Scrooge. Bem, tudo bem, tenha um Feliz Natal.
Saem.

NARRADORA: Naquela tarde, todos foram para casa. O senhor Scrooge morava sozinho,
numa casa enorme. Era noite de Natal, mas ele nem jantou, foi logo dormir. Quando ele
entrou em seu quarto, teve uma surpresa!

Entrada do Espírito do Natal Passado.

SCROOGE: (Vendo o Espírito do Natal Passado) Quem é você? O que você quer?

ESPÍRITO DOS NATAIS PASSADOS: Eu sou o Espírito dos Natais Passados. Vim para mostrar-
lhe algo. Feche os olhos, vou lhe fazer lembrar de algo muito importante. Veja com atenção.
Você já foi uma criança feliz e sem ganância. Não se lembra? Ao crescer, você foi se tornando
cada vez mais ganancioso, procurando somente dinheiro e mais dinheiro. Perdeu seus
amigos e se afasta cada vez mais dos seus familiares.
SCROOGE: Espírito, por favor, me perdoe, isso me faz sofrer. Não quero pensar em como me
tornei.
ESPÍRITO DOS NATAIS PASSADOS: Ouça, ainda há mais recados para você. (Vai saindo e
chega o Espírito do Natal Presente)
ESPÍRITO DO NATAL PRESENTE: Scrooooge! Eu sou o Espírito do Natal Presente. Quero que
você olhe bem ao seu redor e veja como esta.
SCROOGE: (Olhando ao seu redor e percebendo): Estou sozinho.
ESPÍRITO DO NATAL PRESENTE: E você gosta de estar assim?
SCROOGE: Não! É horrível!
ESPÍRITO DO NATAL PRESENTE: As pessoas que ainda gostam de você estão se afastando,
pois você não tem consideração nem por seu sobrinho Fred, que gosta tanto de você.
SCROOGE: É horrível! Não quero mais ser assim. Ainda dá tempo de mudar?
ESPÍRITO DO NATAL PRESENTE: Espere! Há mais uma visita...

Chega o Espírito dos Natais Futuros.

ESPÍRITO DOS NATAIS FUTUROS: Scrooge! Eu sou o Espírito dos Natais Futuros. Vim lhe
mostrar como serão seus Natais, se você continuar agindo de forma egoísta. Você ficará
cada vez mais sozinho e triste. Você tem a oportunidade hoje de mudar isso.

SCROOGE: Sim! Eu prometo! Eu irei mudar isso! De hoje em diante eu irei honrar o Natal,
não somente em um dia, mas pelo ano inteiro!

O Espírito se retira. Entra a Narradora.

NARRADORA: No outro dia, Scrooge chega em sua fábrica...


SCROOGE: É hoje! Hoje é Natal! Vou começar minha nova vida agora mesmo. Jenifer! Jenifer!

JENIFER: Sim, bom dia senhor!

SCROOGE: Jenifer, me desculpa por ter feito você vir hoje. Está dispensada e terá folga
amanhã. Também enviei uma cesta de Natal para sua casa. Tenha um bom Natal com sua
família!

JENIFER: Que maravilha! Obrigada senhor! Feliz Natal.

NARRADORA: O senhor Scrooge vai até a Fundação das Crianças da Cidade.

SCROOGE: Senhora Sara!

SARA: Sim, senhor Scrooge. Que surpresa ver o senhor aqui!

SCROOGE: Estou aqui porque quero ajudar. Aqui está uma contribuição para o Natal das
crianças. Desculpa por ter sido tão rude com você. Tenha um Feliz Natal.

NARRADORA: E então, Scrooge foi correndo para a casa de seu sobrinho Fred.

Vai até lá.

FRED: Tio! Que surpresa vê-lo aqui! Que bom que veio! Vamos almoçar juntos, venha!

NARRADORA: E assim, Scrooge tornou-se um bom chefe, um bom tio e um bom homem.

TODOS: E todos tiveram um Feliz Natal!

Você também pode gostar