Você está na página 1de 6

CURSO UNIPRÉ 77

QUÍMICA

CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS mesma proporção. O que teremos é a seguinte


situação.
Denominamos cálculos estequiométricos uma
série de procedimentos baseados em princípios
químicos que nos permitem fazer previsões acerca das
quantidades de reagentes consumidos ou produtos
formados por reações químicas conhecidas. Mas por
trás dessas técnicas estão conceitos e postulados Exemplo:
importantes que vão além da matemática pura como
veremos em algumas leis a seguir conhecidas como Tomemos novamente como base a reação enunciada
Leis Ponderais. no exemplo anterior.
H2 g + ½ O2 g H2O g
LEIS PONDERAIS Para a reação entre, por exemplo, hidrogênio
Lei de Lavoisier / 1ª Lei / Lei de Conservação das e oxigênio formando água, os seguintes valores
Massas experimentais podem ser obtidos:

Em uma reação química que se processa em


um sistema fechado, observa-se que a soma das
massas dos reagentes é igual à soma das massas dos
produtos.
A partir desse enunciado podemos concluir
que átomos não podem ser criados ou destruídos ao
longo de reações químicas ordinárias. Tal conceito Observe que como era de se esperar, para
levou à máxima popular que cada reação a massa do produto é igual à soma da
“Na natureza nada se cria, nada se perde, massa dos reagentes, o que está de acordo a Lei de
tudo se transforma”. Lavoisier. Mas além disso as massas dos reagentes e
dos produtos que participam de uma reação apesar de
Se assumimos tal premissa, dados dois serem visivelmente diferentes as relações, ou seja, as
experimentos do tipo: proporções entre as massas são sempre constantes
gerando, portanto, o mesmo resultado. Se fizermos
qualquer relação matemática relacionando dois
valores qualquer para os resultados do experimento
mostrados na tabela verificaremos sempre os mesmos
resultados, uma vez que estão na mesma proporção.
Teremos então que:

Exemplo:
Suponhamos dois experimentos que se
apoiem na reação química balanceada:
H2 g + ½ O2 g H2O g
Lei de Dalton / 3ª Lei / Lei das Proporções Múltiplas
Quando 2 gramas de hidrogênio reagem com
16 gramas de oxigênio verifica-se a formação de 18 Se combinarmos uma massa fixa de um
gramas de água, ou seja, reagindo nas devidas elemento com massas diferentes de um segundo
proporções estequiométricas de modo eu nenhum elemento, haverá formação de compostos diferentes.
reagente esteja em excesso a soma das massas dos As massas diferentes devem manter entre si uma
reagentes é igual a soma das massas dos produtos. relação de números inteiros positivos.
O nitrogênio pode se combinar com o
oxigênio, formando diferentes óxidos de acordo com a
Lei de Proust / 2ªLei / Lei das Proporções Constantes. tabela abaixo:
Quando em várias experiências, duas
substâncias se reúnem para formar um composto o
resultado será sempre o mesmo se o fazem numa
77
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013
CURSO UNIPRÉ 78
QUÍMICA

Retome o exemplo da comprovação da Lei:


Reagentes: 1V + 3V = 4V
Produtos: 2V
Exemplo:
Em determinadas condições de pressão e
temperatura, verificou-se que 0,70 L de monóxido de
nitrogênio reage com 0,35 L de oxigênio para formar
0,70 L de dióxido de nitrogênio. Mostrar que esses
Observe que mantendo constante a massa do dados estão de acordo com a Lei Volumétrica de Gay-
nitrogênio e variando as massas do oxigênio numa Lussac.
relação simples de números inteiros 1:2: 3:4: 5. A proporção montada a partir dos volumes
Exemplo: fornecidos é:
Observe as duas reações abaixo, temos os O,70 : 0,35 : 0,70
mesmos reagentes em diferentes proporções: Dividindo-a pelo menor termo da proporção,
2 C + O2 → CO razão 2/1 = 2 temos:
0,70/0,35 : 0,35/0,35 : 0,70/0,35
2 C + 2O2 → CO2 razão 2/2 = 1 Ou seja: 2 : 1 : 2 (uma proporção de números
Na primeira reação ocorre a formação do inteiros).
monóxido de carbono (CO), cuja proporção de Obs.: lembre-se que numa reação química “o
carbono para oxigênio é uma razão de números volume dos gases pode não se conservar, mas a massa
inteiros de resultado igual a 2. Na segunda reação, sempre se conserva (Lei de Lavoisier)”.
temos a formação do dióxido de carbono (CO2), cuja
relação carbono por oxigênio é uma razão de números De modo bem esquemático podemos definir
inteiros igual a 1. um procedimento padrão de modo a facilitar o cálculo
e minimizar a chance de propagação de erros como se
fosse uma receita mais ou menos da seguinte forma:
Lei de Gay Lussac
Tal lei se aplica para reações que contemplam Procedimentos para o cálculo:
reagente e produtos gasosos.
Numa reação onde só participam gases nas
mesmas condições de temperatura e pressão, existe 1º Definir e montar a equação química que descreve
uma proporção de números inteiros entre volumes o processo em questão.
dos gases participantes da reação em que não Em alguns casos a reação química pode ser
necessariamente o número de mols dos produtos é dada no enunciado em outros casos pode-se exigir o
igual a soma dos números de mols dos reagentes. conhecimento prévio de algumas reações
importantes.
Comprovação da Lei:
2º Proceder o correto balanceamento da equação.
Mesmo que a reação seja dada é importante
conferir se ela encontra-se balanceada.

Exemplo: O ciclo de Haber-Bosch descreve a 3º Encontrar a proporção exigida entre os dados e a


produção de amônia a partir de nitrogênio e pergunta do problema.
hidrogênio gasosos segunda a reação:
Essa é a principal etapa de compreensão do
N (g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) exercício, pois somente quem de fato entendeu o que
é exigido passará dessa etapa.
Através da comprovação da Lei você poderá
notar que o volume do gás produto, que é
proporcional a quantidade de mols, não é
necessariamente igual ao dos reagentes.
78
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013
CURSO UNIPRÉ 79
QUÍMICA

4º Montar a regra de três entre os dados da Logo,


proporção e os oferecidos pelo exercício.
X = 606,89 g de CO2 serão formados.
Nessa etapa é importante que já se tenha a clara
consciência do que se pretende com o cálculo.
REAGENTE LIMITANTE E REAGENTE EM EXCESSO
A situação de limitante ou excesso ocorre
5º Resolver a regra de três e observar a necessidade
quando um dos reagentes é exaurido antes dos
de se fazer novos cálculos motivados por
outros. A reação para assim que algum dos reagentes
rendimentos diferentes de cem por cento.
é totalmente consumido, deixando os demais
Nem sempre essa etapa será necessária pois reagente em excesso como sobra. Para fins de cálculo
na maioria dos casos considera-se rendimento de cem deve-se utilizar sempre o reagente limitante para os
por cento. cálculos, uma vez que os reagentes em excesso não
são capazes de produzir produtos efetivamente.

6º Observar a necessidade de mudança de unidades.


GRAU DE PUREZA (P) E RENDIMENTO (R)
Não raros são os casos em que os dados são
disponibilizados em determinadas unidades e a Não rara é a situação em que se faz uso de
resposta é exigida em unidades distintas. reagentes impuros. As razoes para isso podem ser as
mais diversas possíveis, em algumas situações é
simplesmente por serem mais baratos, já em outras
Ex.: Sabendo que a massa molar do butano é de situações deve-se ao fato de que tais reagentes são
58g/mol e do dióxido de carbono 44 g/mol, Calcule a encontrados na natureza acompanhadas de impurezas
massa de dióxido que será formada quando forem e o custo operacional para purificação não compensa
completamente queimados 200 gramas de butano, em ou simplesmente é dispensável purifica-lo já que pode
uma reação em que encontram-se oxigênio molecular ocorrer das impurezas não inviabilizarem sua
em proporções estequiométricas e o rendimento da aplicação.
reação é de 80%.
1. Reação de combustão do butano (C4H10 ):
C4H10 + O2 CO2 + H2O

2. Reação balanceada
C4H10 + 13/2 O2 4 CO2 + 5 H2O

3. Proporção:
1mol de C4H10 formam 5mols de CO2
EXERCÍCIOS
Ou,
CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS
58g de C4H10 formam 220g de CO2

1. ESPCEX – 2016 - A nitroglicerina é um líquido oleoso


4. Regra de três: de cor amarelo-pálida, muito sensível ao choque ou
calor. É empregada em diversos tipos de explosivos.
58 g de C4H10 ------------------------- 220g de CO2
Sua reação de decomposição inicia-se facilmente e
200 g de C4H10 ---------------- X gera rapidamente grandes quantidades de gases,
expressiva força de expansão e intensa liberação de
logo,
calor, conforme a equação da reação:
X = 758,62 g de CO2
4C3H5N3O9 ()  6N2 (g)  12CO2 (g)  10H2O(g)  O2 (g)
5. Cálculo para o rendimento sugerido:
Admitindo-se os produtos gasosos da reação como
758,62g de CO2 seriam formados em uma realidade de gases ideais, cujos volumes molares são iguais a 24,5 L,
rendimento de 100 % e tomando por base a equação da reação de
“x” serão formados em um rendimento decomposição da nitroglicerina, o volume total
de 80% aproximado, em litros, de gases produzidos na reação
79
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013
CURSO UNIPRÉ 80
QUÍMICA

de decomposição completa de 454 g de nitroglicerina 4. (Espcex (Aman) 2011) A fabricação industrial do


será de ácido sulfúrico envolve três etapas reacionais
consecutivas que estão representadas abaixo pelas
Dados: massa molar da nitroglicerina  227g / mol; equações não balanceadas:
volume molar  24,5L / mol (25C e 1 atm) Etapa I: S 8(s )  O 2( g)  S O 2(g )
a) 355,3 L
b) 304,6 L Etapa II: S O 2(g )  O 2(g)  SO 3(g)
c) 271,1 L
Etapa III: S O 3 (g )  H 2 O (l)  H 2 S O 4 (aq )
d) 123,1 L
e) 89,2 L Considerando as etapas citadas e admitindo que o
rendimento de cada etapa da obtenção do ácido
2.ESPCEX -2015 - O fosgênio é um gás extremamente sulfúrico por esse método é de 100%, então a massa
venenoso, tendo sido usado em combates durante a de enxofre S 8(s)  necessária para produzir 49 g de
Primeira Guerra Mundial como agente químico de
guerra. É assim chamado porque foi primeiro ácido sulfúrico H2SO4(aq)  é:
preparado pela ação da luz do sol em uma mistura dos
gases monóxido de carbono (CO) e cloro (C 2 ), Dados:
conforme a equação balanceada da reação descrita a Massas atômicas
seguir:
C O (g)  C  2 (g)  C O C  2 (g). H S O
1u 32u 16u
Em um reator foram dispostos 560 g de monóxido de
a) 20,0 g
carbono e 355 g de cloro. Admitindo-se a reação
entre o monóxido de carbono e o cloro com b) 18,5 g
rendimento de 100% da reação e as limitações de c) 16,0 g
reagentes, a massa de fosgênio produzida é de
d) 12,8 g
Dados: e) 32,0 g
- massas atômicas: C  12 u; C  35u; O  16u
a) 228 g
b) 497 g 5. (Espcex (Aman) 2013) Uma amostra de 5 g de
c) 654 g hidróxido de sódio (NaOH) impuro foi dissolvida em
d) 832 g água suficiente para formar 1L de solução.
e) 928 g Uma alíquota de 10 mL dessa solução aquosa
consumiu, numa titulação, 20 mL de solução aquosa
de ácido clorídrico HC  de concentração igual
3. ESPCEX – 2014 - Considerando a equação não
0, 0 5 m o l  L  1 .
balanceada da reação de combustão do gás butano
descrita por Admitindo-se que as impurezas do NaOH não reagiram
com nenhuma substância presente no meio reacional,
C 4 H10  g   O 2  g   C O 2 (g)  H 2 O (g),
o grau de pureza, em porcentagem, de NaOH na
amostra é
a 1 atm e 25°(condições padrão) e o comportamento
Dados:
desses como gases ideais, o volume de gás carbônico
produzido pela combustão completa do conteúdo de Element Na H O C
uma botija de gás contendo 174,0 g de butano é: o (Sódio (Hidrogêni (Oxigêni (Cloro
Dados: Químico ) o) o) )
Massas Atômicas: C = 12 u; O = 16 u e H = 1 u; Massa
23 u 1u 16u 35,5u
Volume molar nas condições padrão: 2 4, 5 L  m o l  1 . Atômica
a) 1000,4 L
b) 198,3 L a) 10%
c) 345,6 L b) 25%
d) 294,0 L c) 40%
e) 701,1 L d) 65%
e) 80%

80
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013
CURSO UNIPRÉ 81
QUÍMICA

6. (Espcex (Aman) 2014) a) 20,0 g


Reações conhecidas pelo nome de Termita são b) 18,5 g
comumente utilizadas em granadas incendiárias para
c) 16,0 g
destruição de artefatos, como peças de morteiro, por
atingir temperaturas altíssimas devido à intensa d) 26,0 g
quantidade de calor liberada e por produzir ferro
e) 28,0 g
metálico na alma das peças, inutilizando-as. Uma
reação de Termita muito comum envolve a mistura
entre alumínio metálico e óxido de ferro III, na
8. (Puc-rio) Queimando-se um saco de carvão de 3 kg,
proporção adequada, e gera como produtos o ferro
numa churrasqueira, com rendimento de 90%,
metálico e o óxido de alumínio, além de calor,
quantos quilogramas de CO2 são formados?
conforme mostra a equação da reação:
a) 2,7
2Al(s )+ Fe2O3(s)  2Fe(s) + Al2O3(s) + calor
Reação de Termita b) 3,0

Considerando que para a inutilização de uma peça de c) 4,4


morteiro seja necessária à produção de 336 g de ferro d) 9,9
metálico na alma da peça e admitindo-se o alumínio
como reagente limitante e o rendimento da reação de e) 11
100% em relação ao alumínio, a proporção em
porcentagem de massa de alumínio metálico que deve
compor 900 g da mistura de termita supracitada 9. (Espcex (Aman) 2012) Um laboratorista pesou
(alumínio metálico e óxido de ferro III) numa granada separadamente uma amostra I, de hidróxido de sódio
incendiária, visando à inutilização desta peça de (NaOH), e uma amostra II, de óxido de cálcio (CaO), e,
morteiro, é de como não dispunha de etiquetas, anotou somente a
soma das massas das amostras I  II  igual a 11,2 g.
Dado: MM Al:27; Fe:56; O:16
Cada uma das amostras I e II foi tratada
a) 3% separadamente com ácido sulfúrico  H 2 S O 4 
b) 18% produzindo, respectivamente, sulfato de sódio
N a 2 S O 4  mais água H 2 O  e sulfato de cálcio
c) 32%
 CaS O 4  mais água H 2 O  . Considere o
d) 43%
rendimento das reações em questão igual a 100%.
e) 56% Sendo a soma das massas dos sais produzidos
N a 2 S O 4  C aS O 4  igual a 25,37 g, então a massa
da amostra I de hidróxido de sódio (NaOH) e a massa
7. (Espcex (Aman) 2013) O etino, também conhecido de amostra II de óxido de cálcio (CaO) são,
como acetileno, é um alcino muito importante na respectivamente:
Química. Esse composto possui várias aplicações,
dentre elas o uso como gás de maçarico oxiacetilênico, Dados:
cuja chama azul atinge temperaturas em torno de Na Ca O H S
3000°C. A produção industrial do gás etino está Eleme
(sódi (cálci (oxigên (hidrogê (enxof
representada, abaixo, em três etapas, conforme as nto
o) o) io) nio) re)
equações balanceadas:
Massa
ETAPA I: CaCO3 s CaO s  CO2 g atômic 23 40 16 1 32
a (u)
ETAPA II: CaO s  3C graf  CaC2 s  CO g
ETAPA III: CaC2 s  2H2O  CaOH2 aq  C2H2 g a) 6,8 g e 4,4 g.
Considerando as etapas citadas e admitindo que o b) 10,0 g e 1,2 g.
rendimento de cada etapa da obtenção do gás etino c) 4,5 g e 6,7 g.
por esse método é de 100%, então a massa de d) 2,8 g e 8,4 g.
carbonato de cálcio necessária para produzir 5,2g do e) 5,5 g e 5,7 g.
gás etino é de:
Dados:
H (Hidrogênio) 1 u; C (Carbono) 12u ;O (Oxigênio) 16 u
;Ca (Cálcio) 40 u

81
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013
CURSO UNIPRÉ 82
QUÍMICA

10. (Ufrrj) O óxido de alumínio (Al2O3) é utilizado como


antiácido. Sabendo-se que a reação que ocorre no
estômago é
1 Al2O3 + 6 HCl  2 AlCl3 + 3H2O,
a massa desse óxido que reage com 0,25 mol de ácido
será
a) 3,25g.
b) 4,25g.
c) 5,35g.
d) 6,55g.
e) 7,45g

82
www.cursounipre.com.br atendimento@unipre.com.br Preparatório para Concursos Militares
ESFCEX-ESPCEx-EsSA-CHQAO-AFA-EPCAr-EEAER-EFOMM-CN-EM-Outros
(21) 4101-1013

Você também pode gostar