Você está na página 1de 574

TRADUÇÃO – JULIANA ALVES

REVISÃO INICIAL – FEH KORN


REVISÃO FINAL – LILLY DRACONI
LEITURA FINAL – GESS RYAN
FORMATAÇÃO – IZA

2019
Zane Phillips me confundiu com o seu andador de cães. Não
deveria me surpreender que o homem com um terno mais caro
do que o meu aluguel iria assumir que eu estava lá para servi-lo.
O positivo? Eu o coloquei no lugar dele. O negativo? Eu perdi
minha entrevista de emprego por causa disso. Agora descubro
que ele é um rico empresário australiano e quer compensar
minha entrevista. Sim, ele é incrivelmente gostoso - mas ele
também é um idiota arrogante - então ... não, obrigado. Mas
depois de uma mentirinha branca eu digo sai fora de controle,
de alguma forma eu tenho a chance de jogar a namorada de Zane
para ajudar a promover seu novo site de namoro - e a melhor
parte? Ele não pode dizer não porque vai ser pego em sua
mentira também. Mal sabia eu que isso implicaria compartilhar
um ônibus de turnê com ele pelos próximos meses. A cara que o
ônibus tem apenas uma cama não é a mais ideal das
circunstâncias, mas este show de porta-voz pode ser o pontapé
nas calças que minha carreira precisa, então por que não
arriscar? Famosas últimas palavras. Agora eu estou cruzando o
país - e compartilhando essa cama - com um cara que não
suporto. E pior ainda, meu corpo traidor está se perguntando em
cada turno como é estar debaixo do australiano lindo.

Mas à medida que as milhas se desenrolam, também


aumenta nossa paixão e, se não tiver cuidado, posso
acabar acreditando que os contos de fadas realmente se
realizam,
O amor vem inesperadamente.
Raramente é bonito.
Muitas vezes é confuso.
Isso testará seu temperamento, sua capacidade de
comprometer, seu egoísmo. . .
E sua abnegação.
Mas se ela for embora,
Se você está disposto a lutar por ela. . .
O desgosto vale o risco.
—Roarke
Capítulo Um

Harlow
Ali está ele .

Você conhece o único. Aquele idiota que entra no elevador


lotado, movendo a massa de pessoas, para que você acabe com as
costas empurrada contra a parede. Aquele que fala muito alto em
seu telefone, para que todos saibam que ele está lá quando é meio
impossível não saber, já que ele acabou de se tornar a vigésima
quinta pessoa em um elevador de vinte e quatro lugares.

"Boa, só então", sua voz gira em torno do espaço lotado,


enquanto todos nós nos desviamos, quando ele joga um braço para
fora para gesticular. “Mas companheiro, ela só não era o ajuste
certo. Claro que nós. . . você sabe, mas em algum momento, os
cérebros precisam levar em consideração a mistura.” Um barítono
ri. "Você não tem ideia . . . mas sim. . . é tudo um pote de barro.
Ninguém acredita que alguém que se encontra em um site como
esse, queira mais do que sexo. . . significativo, saindo pela porta, no
minuto em que você deslizou o dedo do jeito que você precisa
deslizar".

Eu rolo meus olhos, enquanto as pessoas ao meu redor


mudam em desconforto. Eu olho para a parte de trás de sua
cabeça, tenho o vislumbre dos cílios escuros e da poeira de barba,
quando ele vira a cabeça por alguns segundos.

Sua cadência australiana me faz querer ouvi-lo durante todo o


dia, enquanto o conteúdo me faz querer matá-lo.

Eu terminei com paus. Bem, não paus reais, esses


definitivamente têm o seu propósito, mas idiotas. Os caras que
acham que são legais demais para tudo. Quem acha que você lhes
deve um encontro, quando eles seguram uma porta para você? . .
Bem, não importa, isso não acontece mais. O cavalheirismo está
morto.

Esse cara é dono do espaço. Não se importa que tenha outras


pessoas com ele no elevador e, se ele fez, ele só quer que todos nós
saibamos o quão incrível ele é, quando ele provavelmente ainda
vive na casa da sua mãe.

Parece que muitos homens fazem isso hoje em dia.

Ei, meu nome é Harlow Nicks. . . uma modelo tentando se


encaixar, nesse mundo grande e ruim.

Aqui, é onde minha história começa. . . Eu vou deixar você ler


o resto por si mesmo.
Capítulo Dois

Harlow
"MERDA.” Eu olho para minha papelada, e a parte onde eu
escrevi o local da entrevista está manchada de tinta. Eu estreito
meus olhos e tento discernir o número da sala: trezentos e treze ou
trezentos e dezoito.

Treze. Eu vou com treze.

Ou é dezoito?

Com uma respiração profunda, coloco minha mão na


maçaneta da sala trezentos e treze, assim que é aberta.

"Bom. Você está aqui."

Eu olho para cima, surpresa ao encontrar o arrogante do


elevador, um olhar de impaciência em seu rosto e irritação gravada
em sua voz. Ele parece familiar, mas eu não consigo colocá-lo,
então eu deixo passar.

"Sim. Oi. Estou aqui por ...”

"Você está atrasada. Smudge precisava ter saído há trinta


minutos atrás. Prontidão, é para isso que eu te pago.”

"Espere. Não, eu não sou-"

E antes que eu perceba, uma coleira é jogada em minhas


mãos e me distraio com um buldogue muito excitado. Ele bufa e
depois avança pelo corredor antes de eu ter um aperto firme na
coleira.

Pega de surpresa com tudo que aconteceu, levo um segundo


para entender que a porta acabara de ser fechada na minha cara, e
que o cachorro agora está correndo pelo corredor. O instinto me
faz correr atrás dele, não posso simplesmente deixá-lo fugir.

"Smudge!" Eu digo em um sussurro áspero, quando tento


correr em meus saltos alto, que não servem bem em corridas.
Smudge? Que tipo de nome é esse? Mas eu corro. Não porque eu
quero, mas porque é a coisa certa a fazer, independentemente de
seu dono ter me confundido com o seu passeador de cão ou não.

Leva uma eternidade para encurralar o bastardo fofo. Ele é


todo ronco e agitado, e tem o rosto mais adoravelmente feio que
eu já vi. Isso é, até que ele faz uma corrida para escapar de mim. É
preciso tudo o que tenho, para não cair de cara no chão quando
meu salto fica preso em um tapete. Eu ouço o estalo. Qualquer
mulher que usa saltos conhece esse som, e se encolhe antes
mesmo de olhar para baixo.

Está quebrado.

Meu salto está quebrado.

E eu tenho uma entrevista.

Eu levanto o meu calcanhar e tento colocá-lo de volta no


lugar. Com a aderência da cola restante e alguns dos grampos,
consigo prender no lugar por um fio, mas sei, mesmo sem tentar
colocar peso nele, que vai cair se eu tentar.

Claro que isso aconteceria comigo.


Eu não deveria nem me surpreender.

Decido que eu posso ficar na ponta dos pés e fingir que o


salto está bem, quando eu chegar à minha entrevista, eu vou tirá-lo
fora. Com os dentes cerrados e a coleira na minha mão, eu me
encolho quando verifico o meu relógio, mas conseguir que o
maldito cachorro se mexa é impossível. Mais alguns minutos se
passam, antes que eu finalmente consiga fazê-lo se mover. Com
bastante persuasão, volto ao escritório.

A sala da frente do escritório está vazia quando abro a porta.


Tudo é feito de linhas suaves e madeira escura. Há um escritório à
minha direita, onde é óbvio que alguém geralmente se senta, mas
está vazio no momento, e depois há uma cama de cachorro no
canto, entre algumas cadeiras da sala de estar à minha esquerda.
Obviamente em casa, Smudge vai até a cama de cachorro e se
sente em casa.

"Olá?" Eu começo a dizer, ao mesmo tempo que a risada soa


atrás de uma porta parcialmente fechada na minha frente.

"Foi bom. Ela foi excelente. Inferno, eu posso até voltar para
uma segunda rodada,”arrogante Aussie diz, com uma risada que
combina com o apelido que eu dei a ele.

“Nunca volte para uma segunda rodada. Elas ficam


desleixadas e complicadas ”, diz uma voz masculina profunda e não
acentuada, quase soando como se estivesse em um alto-falante de
conferência.

"Você é um idiota."

"Você me ensinou bem."

"Escute", diz, Aussie1 arrogante, "não importa como a gente


jogue, cara, eu preciso agir como se tivesse passado por tudo."

"Você quer dizer, que você tem que fingir que encontrou o
amor através dessa merda?" a outra voz pergunta, seguido de uma
risada.

“Jack. Eu te amo e você é meu melhor amigo, mas você vai


foder isso para mim, se você não fingir, pelo menos, tente manter o
seu johnson em suas calças."

"Como se você fosse alguém para conversar", Jack diz,

1
Australiano
enquanto eu me desloco em meus pés, subitamente desconfortável
em ouvir essa conversa. "Quero dizer, você está servindo garotas
gostosas em um prato, e você não está esperando que eu prove?"

“Elas estão em um servidor, um banco de dados, não em um


prato. E é um site para formar casais, não um serviço de
acompanhantes. Vamos nos certificar de que não nos referiremos a
ele dessa maneira, quando conseguirmos Robert na ligação."

"Você é tão estraga prazeres, Zane." Aussie arrogante tem


um nome. "Você está me dizendo que você não está gostando dos
benefícios?"

“Mas as regalias são melhor aproveitadas do lado de fora, e


fora de vista, sim. Além disso ... amor? Vamos lá. É de mim que
estamos falando.” Soa como um verdadeiro jogador, assim como eu
imaginei que fosse quando o vi no elevador. “Olhe Jack, eu preciso
do investimento de Robert. O dinheiro não é tanto o problema,
capital eu tenho, mas são as conexões dele que preciso, para ajudar
a lançá-lo corretamente. Com seu histórico e história no
lançamento de outros grandes sites de namoro, ele é o homem que
eu preciso para me ajudar. Além disso, ele me disse que está
apaixonado pela plataforma, e tem grandes planos sobre como
tornar a plataforma notada desde o início. Falhar não é uma
opção."

"Então não foda isso." A risada de Jack é sarcástica, e o


suspiro que ouço de Zane, diz que não é bem-vindo.

"Esse é o plano." Uma cadeira desliza é um armário se fecha.


Eu me sinto como um voyeur. Devo sair sem dizer a ele que seu
cachorro está aqui? Devo esperar? “Veja, com toda a seriedade,
Robert é loucamente apaixonado pelo amor. Ele perdeu sua esposa
de sessenta anos para o câncer no ano passado. Eles tinham esse
tipo de conto de fadas, namorados desde o ensino médio e o
casamento perfeito".

"Então ele não nos pega?" Jack pergunta, enquanto ambos


riem.

"Não . . . o amor é uma merda".

"Diz o homem que está apaixonado por si mesmo."

Pregou aquele na cabeça.


"Idiota."

“Pau", ele diz, como se esta fosse uma troca normal.

"Faça-me um favor Jack", diz Zane, seu tom tornando-se sério.

"Qualquer coisa."

“Eu preciso que isso funcione, mais do que você possa


imaginar. Você me ajuda com a introdução, e enquanto isso, estarei
ocupado pulando nas arenas, para provar a Robert que esta é a
companhia certa para colocar seu peso para trás. Eu até prometi
que reduziria a audiência de porta-voz a cinco, para que pudesse
ajudar na decisão final, na festa sexta-feira. ”

“Um trabalho tão difícil. Preciso examinar as mulheres em


todos os aspectos do seu desempenho? ” Jack pergunta.

A risada de Zane reverbera nas paredes e me faz revirar os


olhos. Tem que amar a bravata masculina. “Não avalie. E sem tocar
também. Mantenha-o fechado e não foda isso para mim. Robert já
deu a entender, que ele acha que eu não estou comprometido o
suficiente para administrar a empresa corretamente. Tenho que
provar a ele que estou."
"Sim, sim. Eu estou te ouvindo."

Eu já ouvi o suficiente. E pior ainda, eu estive aqui de pé tão


envolvida em escutar essa discussão entre idiotas, que perdi a
noção do tempo.

E então isso me atinge. Quanto tempo eu estive parada aqui?


Quanto tempo eu desperdicei ouvindo egos inflarem? Quando eu
olho para o meu relógio, eu enlouqueço.

Minha entrevista.

Lá se vão todos os meus pensamentos de mastigar Zane, por


assumir que qualquer mulher que esteja passando, está lá para
fazer o que ele manda. . . mas agora, tudo o que posso pensar, é na
minha conta bancária vazia e, a entrevista de emprego esperando
por mim na sala trezentos e dezoito.

Puta merda!

Eu deixo cair a coleira na mesa com um baque e corro para


fora do escritório, tento arrumar minhas roupas da melhor maneira
possível, e remover qualquer baba ou pelo visível de cachorro.
Eu estou sem fôlego, quando eu empurro meu calcanhar e
atravesso a porta do escritório da sala trezentos e treze, me
movendo em direção a mesa da recepcionista em um equilíbrio
irregular.

“Oi, eu sou Harlow Nicks. Eu estou aqui para uma entrevista


às onze, para a posição de admin pessoal. Foi agendada com um. .
.” eu cavo na minha bolsa para o e-mail que imprimi, com o nome
da pessoa que eu tenho a entrevista. Totalmente consciente de que
pareço um cérebro disperso, que eu não contrataria se estivesse no
lugar dela, deixo cair as mãos e entrego meu sorriso mais sincero.
"Me desculpe. Parece que deixei cair quando estava no elevador.
Minha entrevista era às onze com ...”

"São onze e cinco agora." Ela levanta as sobrancelhas de uma


forma, que me diz que ela também está virando o nariz para mim.
“Temos uma política rígida de que, se você não puder chegar para
uma entrevista na hora certa, você definitivamente não merece a
posição. A pontualidade é importante."

Eu olho para ela com lágrimas frustradas ameaçando cair e


digo a mim mesma para ir mais devagar. "Eu entendo", eu digo tão
calmamente quanto possível e, em seguida, me paro quando eu
começo a mudar o meu peso para o salto quebrado. “Eu estava
ajudando alguém no corredor a encontrar seu cachorro. Demorou
algum tempo. Meu atraso não teve nada a ver comigo não estar
aqui a tempo". Eu odeio soar como se eu estivesse implorando,
mas eu estou.

"Sem exceções."

"Mas eu realmente preciso desse trabalho", eu atiro o orgulho


pela janela e imploro.

"Então você deveria ter pensado nisso antes de se atrasar."

Lágrimas nadam em meus olhos enquanto eu olho para ela e


seu coração frio, ela volta a digitar em seu computador, como se eu
não estivesse gritando em silêncio para ela, que minhas contas
estão se acumulando e minha sorte tem sido uma merda
ultimamente.

Eu permaneço lá alguns segundos a mais, como se ela fosse


mudar de ideia, quando eu sei que ela não vai, e eu saio pela porta.
Derrotada, porque é assim que minha vida tem andado
ultimamente, e puta, porque eu estava apenas tentando fazer uma
boa ação, ajudando com o cachorro, eu tiro meus sapatos. De pé no
corredor do terceiro andar, pressiono meus dedos nos meus olhos
para conter as lágrimas de frustração.

Imediatamente, minha mente vai para a pilha de contas na


minha mesa. Para minha conta bancária e seu saldo decrescente,
que tinha sido preenchida bem com o meu último trabalho de
modelagem, que eu pensava que iria durar até o próximo. . . mas o
próximo não chegou. Para o meu agente, que prometeu que as
filmagens do catálogo da Victoria's Secret abririam um caminho
para mim, quando tudo o que fez até agora, foi me deixar de pé no
meio das ervas daninhas.

Eu realmente precisava desse trabalho.

Eu luto contra a queimadura das lágrimas, a sensação


frustrada de desamparo e com conhecimento de que eu teria que
desistir deste meu sonho.
Capítulo Três

Harlow
" AQUI ESTÁ VOCÊ!"

Falar sobre ser arrancada da minha festa de autopiedade, por


ninguém menos que o Aussie arrogante, que foi a causa de tudo
isso.

"Você ”, eu grito com todo o sarcasmo que tenho e enfio os


sapatos nos pés enquanto aponto pra ele.

"Eu?" Ele pergunta, enquanto caminha pelo corredor em


minha direção, o verde de seus olhos em chamas de raiva. “Que
tipo de cuidadora de cães você é? Smudge está apenas chateado
por todo escritório. Você saiu com ele para passear? Ou você ficou
muito ocupada postando Snapchats de si mesma, que você
esqueceu sobre a única coisa que você tinha que fazer? Não
importa. Você está demitida."
"Demitida?" Eu grito para ele, não me importando com o
negócio sendo conduzido no corredor com as pequenas salas de
escritórios ao nosso redor. “Demitida? Como é a sensação de
ganhar como o arrogante do ano?"

"Arrogante? Como eu sou arrogante, quando você é a única


que errou?"

“Eu não estraguei tudo! Eu não sou a sua cuidadora de cães.


Eu não sou nada para você. Seu verdadeiro cuidador de cães
provavelmente desistiu, se eu tivesse que trabalhar para um idiota
como você, também desistiria. É normal supor que todas as
mulheres estão aqui para estar ao seu dispor?” Eu pisei nele e
quase rosnei. “Notícia de última hora, Zane, ninguém gosta de
caras como você.”

Sua risada argumenta comigo. "Sim, eles fazem." Eu odeio


que seu sorriso arrogante, seja tão encantador quanto o som de
sua voz.

“Não, eles não. Não admira que você seja péssimo no amor.”

"Quem disse que sou péssimo no amor?" Ele pergunta, e eu


percebo que acabei de dizer que estava escutando a conversa dele.

"Oh" Eu jogo minhas mãos em falso horror. "Deus me livre


que o seu enorme ego seja atingido."

"Você está apenas com ciúmes."

Eu bufo. "Não, dificilmente."

“Além disso, o amor é uma emoção estúpida, fabricada para


definir relacionamentos.”

"Só quando você namora um idiota como você."

Zane inclina a cabeça para o lado, enquanto cruza os braços


sobre o peito. “É mesmo?" Ele pergunta, enquanto um sorriso torto
de diversão incrédula se alarga em seu rosto.

"Sim." Eu aceno para dar ênfase, mais do que irritada por ele
achar humor na minha raiva.

“Por favor, não pare. Eu adoraria ouvir seu raciocínio".

Eu sei que eu deveria me afastar dele e de como ele está


literalmente falando comigo, desde que eu sou agora uma boa três
polegadas mais baixa sem meus sapatos. Eu deveria virar as costas,
andar pelo corredor com meus pés descalços e entrar no elevador,
porque com certeza, ele não se importa com o que eu penso. Nem
um pouco.

Mas eu não consigo encontrar isso dentro de mim mesma


para fazer.

Há algo nele, o olhar presunçoso em seu rosto, a maneira


como ele falou ao telefone, como ele é lindo mesmo quando eu sei
que não gosto dele, isso me faz ficar e terminar de dizer a ele o que
eu penso.

“Meu raciocínio? É que você acha que é melhor do que


realmente é.” Eu bufo e jogo minhas mãos nos meus quadris,
fazendo minha bolsa escorregar do meu ombro. Então agora, claro,
em vez de parecer forte, eu pareço uma idiota que está de pé com
a alça apertada em volta do meu antebraço e a parte da bolsa
pendurada perto do chão.

"Diz a mulher descalça, que continua empurrando os sapatos


para mim."
"O salto quebrou por causa do seu cachorro", eu digo entre os
dentes. "Ou melhor, porque você foi muito inconsiderado para
realmente ter tempo para parar, e me tratar como um ser
humano."

"Seu salto quebrado é minha culpa?" ele diz, com uma risada.
"Eu estou curioso sobre como sua escolha em sapatos e minha
opinião sobre o amor andam de mãos dadas?"

"Sim." Eu bufo em desgosto. "Porque tudo volta para você,


pensando tão bem de si mesmo."

"Engraçado, foi o que minha ex disse para mim."

"Portanto, a razão pela qual ela é sua ex."

"Então?" Ele diz, com um sorriso zombeteiro.

"Sim, então." Eu dou um passo mais perto. “Este não é o


Outback. Você não está lutando com crocodilos, Dundee. Assim-"

"Eu não estou?"

"Não. Você não está. Então pare de agir como se você não
tivesse coragem ou boas maneiras. As mulheres merecem boas
maneiras. Elas merecem respeito. Elas merecem ..."

Sua risada me interrompe, quando uma mulher passa por nós


no corredor. Seus olhos se encontram e ele mostra um sorriso que
indica o que ele gostaria de fazer com ela. Eu odeio que ela quase
corra para a parede, porque ela está preocupada em flertar com
ele.

"A sério? Você está provando o meu ponto!" Eu digo.

"Sim. Seu ponto. O que foi novamente porque meu ponto,


estava ocupado em se concentrar em outra coisa?" Ele balança a
cabeça, quando ele lhe dá um último sorriso.

Eu cerro os dentes e olho para ele. "Que nenhuma mulher


gosta de um mulherengo."

"Discordo.

“E além disso ...”

“Você é tão sexy quando usa advérbios."

Normalmente eu riria disso. Mas agora, eu sinto que sou o


alvo de sua piada, eu e meu temperamento que não posso
controlar, é preciso de tudo o que tenho para manter minha voz
calma e tranquila.

"Não seja um idiota."

"Surpresa que conheço meus advérbios?"

"Você precisa se superar."

"Mas eu gosto de mim mesmo." Quando ele dá um passo à


frente e coloca um pedaço de cabelo atrás da minha orelha, me
pega de surpresa. Meu próximo retorno morre em meus lábios,
enquanto eu pisco para ele várias vezes tentando calcular por que
ele fez isso. Por que ele faria uma ação tão íntima para alguém o
devorando? "E você gosta de mim também." Sua voz é um ruído
profundo, que transmite a mesma coisa que o olhar que ele deu à
mulher que passava.

Eu recuo com um aceno de cabeça. Confusa quando não


deveria estar. "Não. Eu não. Eu nem sequer acho que Smudge faz.
Ele é fofo e tem maneiras, enquanto você é justo. . .”Eu olho para
ele de cima a baixo. "O verdadeiro cachorro da casa."

Seu sorriso é um relâmpago rápido. "Você já terminou?"


"Não", eu digo, tentando pensar em um retorno e falhando
miseravelmente.

“Então, por todos os meios, continue...”

"Zane?"

Eu me assusto e vejo a dona da voz enfiando a cabeça para


fora da porta do escritório dele. Seu cabelo está penteado para trás
e óculos emolduram seus olhos.

"Sim?" Ele pergunta, mas nunca quebra meu olhar.

"Robert está no telefone", diz ela.

“'Okay. Fique bem aí". Ele espera ela fechar a porta e então
fala. "Obrigado por me levar para a escola, mas parece que a classe
precisa ser dispensada." Ele dá um passo para trás, aquele sorriso
dele em pleno vigor. “Certifique-se de ver os seus passos quando
sair, eu ouvi que é muito fácil quebrar um salto. . .Bom dia".

"Oh meu deus, você é um idiota!" Eu grito e contra todos os


meus instintos racionais, eu jogo meus sapatos para ele. Um em
rápida sucessão após o outro.
O que me deixa ainda mais irritada é que ele ri quando os
pega.

E antes que eu diga uma palavra, ele pisca com um sorriso


que eu adoraria derrubar daquele lindo rosto dele, e então se vira,
e segue pelo corredor com meus sapatos na mão.

Sopro um suspiro enquanto o vejo, percebendo que jogar os


sapatos foi um impulso que eu deveria ter resistido. Agora, eu
estou presa em ter que andar descalça pelas ruas de Los Angeles, e
sei com certeza que, embora esses sejam meus sapatos favoritos,
eu me recuso a dar a Zane a satisfação de pedir de volta.

Em vez disso, olho para a porta do escritório por alguns


instantes. Louca comigo mesma por agir sem pensar, e ainda mais
brava com ele por me fazer agir assim.

E então eu suspiro, sabendo que eu não corrigiria nenhum


erro hoje dizendo a ele ou jogando meus sapatos, mas, porra, foi
bom deixá-lo saber o que eu pensava.
Capítulo Quatro

Zane
Eu sei, eu sei. Você está pensando que eu sou um idiota.

Meh. Talvez eu me pareça como um garoto de programa de


vez em quando. Talvez eu estrague o que devo dizer, porque, às
vezes, estou pensando com o apêndice errado. E talvez eu seja
como qualquer outro homem lá fora, mas você está vendo em
primeira mão, porque está na minha cabeça.

Nós todos falamos assim. Correção. Todos pensamos assim. É


o código de homem. Tudo o que fazemos é parte de algum esforço
invisível ou, neste caso, real. Um caso sério de precisar se unir, para
provar quem tem o maior pau. E no caso de você estar se
perguntando, eu ganho. Sempre. Mas, novamente, o tamanho
realmente importa? (Alerta de spoiler: sim.)
Enfim, pense o que quiser de mim, mas não sou um cara mau.
Eu gosto de mulheres. Eu gosto muito de mulheres. E eu gosto de
muitas mulheres. Isso é um crime?

E há uma em particular que não consigo tirar da cabeça nos


últimos dias, e foda-se se eu sei o que fazer com ela.

Ela é a única ali. Do outro lado da rua, no jardim da frente


daquela casa de um só andar com o Explorer na garagem. Aquela,
com cabelos cor de chocolate empilhados em cima da cabeça,
pernas para dias de merda e uma prateleira que eu adoraria
pendurar...er, o casaco.

Vamos lá, não role seus olhos. Isso foi inteligente. Rude, mas
inteligente. Eu te disse, código de homem .

Inferno sim, ela é fácil aos olhos. . . mas é sua atitude de fogo
do inferno, que não consigo tirar da cabeça.

Eu nunca tive uma mulher falando comigo assim antes. As


mulheres agem em conformidade comigo. Elas querem me agradar
e ganhar meu favor. Ela, com certeza não merecia.

Se ela tem um temperamento assim, eu só posso imaginar


como ela é apaixonada em outras áreas.

Sim, vejo você revirando os olhos. Mas você vai superar, isso
quando eu ligar meu charme. Vamos torcer para ela também.

Aqui, é onde minha história começa...me deseje sorte em


descobrir ela, porquê...vamos encarar. Eu sou um cara, precisamos
de toda ajuda que pudermos conseguir.
Capítulo Cinco

Zane
Eu olho para baixo, para a conta de gás e energia elétrica em
minhas mãos com o grande vermelho 'atrasado' marcado na parte
superior.

"Quem é você, Harlow Nicks?" Eu murmuro, chateado que


estou aqui. Que estou sentado do outro lado da rua vendo ela
brincar com um cachorro, como se eu fosse um perseguidor.

Mas porra, se eu não consigo parar de pensar sobre essa


mulher.

Ela é modelo. Ou melhor, foi modelo. Uma rápida busca no


Google e a enxurrada de imagens que surgiram me disseram muito.
Lingerie só pode ser a minha fraqueza e maldição, se ela não parece
boa modelando nisso.
É por isso que estou aqui? Para dar uma segunda olhada no
que eu perdi por trás de sua máscara de fúria na primeira vez?
Porque com certeza, não é para devolver a conta que ela
acidentalmente deixou no meu escritório, dobrada com seu e-mail
impresso com informações sobre uma entrevista em um escritório
no final do corredor do meu.

"O que você está fazendo, Phillips?" Eu resmungo, quando


saio do meu SUV e atravesso a rua.

Mas eu sei muito bem o que estou fazendo, ou não estaria


carregando essa caixa estúpida comigo.

Ela está de costas para mim quando eu me aproximo, e sua


risada flutua quando ela cai no chão lutando com um vira-lata
multicolorido. Riso. Agora, isso é algo que eu não ouvi dela ainda.

“Então, você gosta de cães?” Eu digo.

Ela congela instantaneamente ao som da minha voz, ao


mesmo tempo em que o cachorro percebe minha presença. Seus
ouvidos desequilibrados se animam e sua cauda colorida começa a
bater quando olho para Harlow, deitada de costas e olhando para
mim.

Curvando-me, acaricio seu cachorro por reflexo, mas meus


olhos ficam fixos nos olhos castanhos olhando para mim.

"Deus. Vá embora."

É bom ver que a hostilidade é sua norma. Pelo menos eu sei o


que esperar. "Então você não gosta de cachorros?" Eu pergunto.
"Isso explica muito."

“Claro que gosto de cachorros. Eu não confio em ninguém que


não faça". Ela se levanta para uma posição sentada e olha para
mim. Eu amo que nem uma vez ela traz uma mão para o cabelo
para ver se está uma bagunça, ou tenta endireitar sua camisa que
caiu do ombro, como a maioria das mulheres que eu conheço faria.
“Vamos, Lula”, ela diz para seu cachorro, quando ela começa a se
afastar. Quando não me movo, ela para e dá um suspiro dramático.
"O que você quer? O que você está fazendo aqui?"

"Você deixou isso no meu escritório no outro dia." Eu estendo


seus papéis para ela. De pé lentamente, ela olha para eles por um
instante, como se não confiasse em mim antes de agarrá-los e
dobrá-los sem olhar para o que eles são.

“Estes são antigos. Meu cheque se perdeu no correio,” ela


murmura, enquanto suas bochechas queimam vermelhas e ela
evita seus olhos dos meus.

Ela está envergonhada. O aviso prévio. Merda . . .eu apenas


usei isso como um meio para encontrá-la. Eu não queria que ela se
sentisse humilhada.

"Aconteceu comigo no ano passado", eu minto. Sentindo-me


um idiota, fico olhando para ela até que ela olhe para mim, para
que eu possa lhe dar um sorriso suave. Ela desloca os pés e, em
seguida, os cílios se agitam para que ela possa encontrar meus
olhos.

Cristo é ela linda. Como eu perdi isso no outro dia? Olhos cor
de avelã, tez perfeita, um pouquinho de sardas no nariz, que de
alguma forma é sexy para ela e os lábios. . . maldição, esses lábios.

Por uma fração de segundo, vejo o lado mais suave de


Harlow. A garota durona, ofuscada por sua própria vulnerabilidade.
E tão rapidamente quanto veio, ela o remove novamente e o fogo e
o enxofre estão de volta com força total.

"Obrigada, você pode sair agora." Um levantamento das


sobrancelhas dela. Um desafio emitido em seu sorriso.

"Você é sempre tão agradável, quando alguém faz de tudo


para devolver suas coisas?"

Seu suspiro é pesado, mas faz coisas tão maravilhosas com os


seios dela debaixo da regata, que eu tenho que me lembrar de não
olhar. “Eu vou me repetir. . . vá embora."

"Por quê?" Minha mão ainda está ocupada acariciando Lula


entre as orelhas. Pelo menos, uma das mulheres com quem estou
lidando agora gosta de mim.

“Por quê? Que tal, porque sua suposição arrogante de que eu


era a sua cuidadora de cães me atrasou para a minha entrevista de
emprego? E esse atraso, me fez perder completamente a entrevista
de um trabalho que eu realmente precisava. Que tal isso, pode ser
motivo suficiente?"

"Você deveria me agradecer por isso."


" O quê ?" Estou preparado para isso, quando as mãos dela
voam para seus quadris e a fumaça imaginária se espalha pelas
orelhas. "Como eu disse, você pensa demais em você mesmo."

É uma coisa ruim que eu a ache sexy quando ela está brava?
Porque os botões são algo que eu definitivamente amo empurrar.
Certos em particular.

“Como eu disse, você deveria me agradecer. Eu te salvei de


assédio definitivo".

"Me salvou?" Ela levanta a cabeça e olha. "E daí? Eu poderia


pegar de você em vez disso?"

"Cuidado", eu aviso, levantando-me quando Lula decide que


ela está cansada e pisa na grama, no espaço entre nós. “Eu não
assedio. Eu flerto. Estou em frente. Mas eu não toco quando não é
consensual, e nunca uso intimidação para conseguir o que quero.
Agora aquele idiota com que você ia ter a entrevista? Jerry . .
vamos apenas dizer que ele não é tão atencioso. Eu o vi em ação
mais vezes do que eu gostaria de contar, e o chamei. ”

"Ótimo saber", diz ela, mas posso dizer pela sua expressão
que ela não acredita em mim.

"Então, do jeito que eu vejo, você me deve uma."

"Eu não te devo uma merda." Suas mãos em punhos.

"Uau! Abaixo garota!" Eu seguro minha mão livre com uma


rendição falsa, a outra ainda segurando a caixa. "Eu estava apenas
brincando".

Ela olha de volta para a casa por um tempo e depois de volta


para mim. "Por que você está aqui?"

Eu seguro os olhos dela e tento descobrir por que ela me


intriga tanto quando normalmente, qualquer mulher que me dê
tanto pesar me levaria a passar para a próxima.

Mas do que estou falando, quando não quero nada dela?


Inferno, eu nunca pretendi dirigir até aqui e falar com ela.

E ainda aqui estou eu.

"Aqui." Eu empurrei a caixa para ela como um adolescente


desajeitado, não tendo certeza do que fazer quando a mãe diz para
eles conseguirem flores para uma menina.
Harlow olha para a caixa e depois volta para mim. "O que é
isso?"

"Seus sapatos." Eu mordo meu sorriso, quando ela me olha


com cautela.

"Meus sapatos?"

“Eu os consertei. Era o mínimo que eu podia fazer, desde que


o Smudge foi parte da razão pela qual eles quebraram". Ela se
desloca no quadril como se estivesse se perguntando se deveria
aceitá-los ou não, mas depois de uma batida, pega a caixa e a
segura debaixo do braço. "Não te mataria dizer obrigado."

"E é aí que esta conversa acaba." Ela sacode a cabeça e


começa a se afastar.

"Espere! O que você faz?"

Ela faz uma pausa e inclina a cabeça para o lado, enquanto


decide se vai responder ou não. Eu meio que espero o giro sedutor
do dedo no cabelo e o movimento dos seus cílios quando ela me
falar que é uma modelo, um movimento que tantas outras
mulheres fariam.
Então, novamente, Harlow Nicks não é nada parecida com
qualquer outra mulher que eu tenha conhecido, a imprevisibilidade
se adapta muito bem a ela.

"O que você quer dizer?"

"Sobre o trabalho? Você estava indo para uma entrevista. . . "

“Escrituração. Garçonete. Palhaço de aniversário". Ela encolhe


os ombros e cora novamente. "O que for preciso para pagar as
contas."

Não me dizendo que ela está esperando por sua grande


chance. Nada de, "minha última campanha foi para a Victoria's
Secret, e você pode me encontrar em seus anúncios". Ou, "estou
entre empregos e você pode me ajudar desde que você é um
homem tão bem sucedido?"

Não. Nenhuma menção, mesmo em uma cidade cheia de


pessoas tentando jogar seus nomes e construir um lugar para si.

Ela revira os olhos multicoloridos dela e balança a cabeça.


"Você sabe o que? Obrigada por trazer de volta. Eu deveria entrar".
"Eu tenho conexões." Brilhante, Zane. Fodidamente brilhante.
É assim que você faz com que ela não fuja de você? Dando a ela
uma linha desprezível? "Talvez eu possa ajudar você a encontrar
alguma coisa."

"Eu não poderia me importar menos com suas conexões." Ela


abaixa a cabeça e quando ela levanta, eu a vejo reinar no orgulho.
Eu me sinto como um idiota por isso. "Eu sinto muito. Isso foi rude.
Como eu disse, obrigada". Ela segura os papéis e oferece um sorriso
reticente.

"Veja . . ." Eu dou um passo em direção a ela, mais do que


ciente de que eu não quero que ela vá ainda e questionando por
que eu estou mesmo fazendo isso. “Eu tenho um evento que estou
realizando no final da semana. Você deveria vir. Eu poderia te
apresentar a algumas pessoas. Pode haver algumas oportunidades
de emprego lá.

“Obrigada, mas não. Eu não sou esse tipo de garota." O rolar


de seus olhos, me faz perceber como ela pegou meu comentário.

Minha risada faz com que Lula levante a cabeça. “Isso não é
exatamente o que eu quis dizer, Harlow. Eu tenho um site para
formar casais, não um serviço de acompanhantes. ”

"Bom saber. Então, basicamente, isso significa que você


escolhe as mulheres que deseja namorar, depois de analisar todas
as informações. Te garanto que agora posso dormir melhor à noite,
sabendo disso".

"Você é exaustiva." E ela é, mas da maneira mais fascinante.

"Olha quem fala." Ela cruza os braços sobre o peito, e levanta


as sobrancelhas.

Eu levanto minhas mãos para cima. “Tudo o que eu estava


tentando dizer, é que as conexões são importantes nesta cidade.
Você e eu sabemos disso. Meu evento. . . vai haver muita gente lá.
Pessoas da indústria,” eu digo, mais do que ciente que eu
simplesmente deixo escapar que eu a procurei, e sei que ela
trabalha na indústria.

"Boa. Ótimo. Você pode ir agora?"

Mas há um sorriso no rosto dela. Uma brecha na armadura


defensiva, que me diz que estou chegando a algum lugar.
"Você tem que aproveitar as oportunidades quando elas se
apresentam." Ela não diz nada, mas o ligeiro sorriso permanece.
“Zane Phillips. Prazer em conhecê-la." Eu estico minha mão para
ela. Ela olha para baixo e acena com a cabeça, mas não se abala.

Porra, ela é teimosa.

E malditamente linda.

"E você é Harlow Nicks."

"Considerando que você estava com minha conta de energia


elétrica, eu acho que isso significa que você sabe ler."

"Eu faço." Eu concordo. "E eu também tenho o seu endereço


de e-mail, da sua entrevista."

"Devo me preocupar que você está me perseguindo?"

Eu balancei minha cabeça e suspirei. "Eu vou lhe enviar as


informações sobre a festa"

"Não se incomode."

“É na sexta à noite. Traje para coquetel. Muita rede de


contatos".

"Eu não vou ler."

Eu mostro um sorriso de megawatt para ela, então me viro


para ir embora. "Sim você irá."

E ela vai.

É raro que uma mulher me resista. Ela está tentando, mas vou
vencer no final. Parece que, por enquanto, tenho meu trabalho
cortado para mim.

Eu sou um homem que sempre tem um objetivo final em


mente. Sempre.

Não faz sentido definir uma meta, se você não planeja batê-la.

A pergunta é, o que diabos eu estou apontando quando se


trata de Harlow Nicks?
Capítulo Seis

Harlow
“Você deve ir, MIJA. Você precisa viver o agora. ”

"Mãe", eu suspiro em exasperação, e olho em sua direção.


Viva o agora. Quantas vezes na minha vida a ouvi dizer isso? Minha
mãe não foge, nunca recua e nunca me deixa resolver, ela faria
qualquer coisa em seu poder, para me ajudar a ter sucesso. "Ir a
algum evento de um arrogante, não irá ajudar a pagar as contas."

"Eu disse a você que eu cobrirei este mês." Ela puxa o cabelo
cor de café em um clipe, afunda-se na cadeira e aponta para meu
laptop. "Olhe para ele."

"Eu olhei para ele, mãe." Toneladas de fotos de Zane, mais do


que eu deveria admitir. Em eventos de caridade. Em funções de
negócios. Em festas com celebridades que são tão conhecidas, que
geralmente são mencionadas apenas por seus nomes.
As manchetes e as linhas cruzam minha mente. CEO do site de
encontros on-line SoulM8.com. Um nativo de Brisbane, na
Austrália, que se mudou para cá quando tinha vinte anos, para
perseguir seus objetivos empresariais. O homem que começou sua
fortuna fazendo alguns negócios de sorte com ações, comprando
negócios fracassados, renovando-os e depois vendendo-os por um
lucro ridículo.

Deve ser bom ter o Midas Touch, como diz um artigo, o


tempo todo sendo um idiota.

"Ele é alto, bonito e bem sucedido."

"E um idiota", eu resmungo.

"Um idiota com conexões." Ela levanta as sobrancelhas dessa


maneira, para me dizer que é mais velha e sabe mais do que eu.

"Um idiota presunçoso", eu murmuro.

“Você ainda está brava pelos sapatos? Que mulher fica brava,
quando um homem lhe traz um novo par de saltos altos, os mais
caros, para substituir os que ela quebrou? Eu não. Mmm-hmm-
não".
"Sim, eu ainda estou brava com os sapatos." E sobre a nota no
topo do Jimmy Choos rosa pálido, que dizia:

“ Vejo você às oito, Cinderela. Você vai mostrar".

"Eu não sou uma princesa", afirmo.

"Mija, eu deixaria ele me chamar de Cinderela a noite toda, se


fosse eu." Ela levanta as sobrancelhas duas vezes para dar ênfase e,
nessa fração de segundo, reforça minha firme determinação de não
comparecer à festa. Ou pensar nele. Ou qualquer coisa sobre ele.

Deixo para minha romântica e desesperada mãe, pintar essa


situação em algum tipo de conto de fadas da Disney. A mesma
mulher que tem tempo e, que, novamente, está de cabeça virada,
simplesmente porque acredita no amor e ama estar apaixonada,
apenas para ter seu coração partido no final. E mesmo através das
lágrimas, e da colher cavando no pote de sorvete que ela está
comendo para lidar com sua miséria, ela vai sorrir e me dizer como
ela não se arrepende, porque o amor não é uma coisa maravilhosa?

Muito drama. Demasiado sentimento. Demais, acredite.

E ela se pergunta por que eu sou tímida quando se trata de


relacionamentos.

"Mija?" Ela me puxa dos meus pensamentos, de volta para a


situação atual: Zane, meus sapatos e a nota. "Vamos lá, talvez ele
seja o príncipe que você estava esperando."

"Eu tive meu coração quebrado vezes o suficiente por homens


que você chamou de príncipe." Eu suspiro. "Não, obrigada."

"Você tem que beijar muitos sapos para ..."

"Você precisa de ajuda, mãe."

"Pelo menos eu sou honesta, ao contrário de algumas


pessoas", ela aponta para mim, "que continuam fingindo, que o
gesto dele não foi um pouquinho romântico".

Eu bufo. "Por alguma razão, não acho que Zane Phillips e a


palavra romântico pertençam à mesma frase."

"Você nem conhece ele."

"Eu o ouvi falar o tempo suficiente, para saber o tipo de cara


que ele é, mãe."
"E eu estou dizendo a você que ele tentou compensar isso."

"Por que você está empurrando tanto isso?" Eu jogo minhas


mãos para cima, e ela apenas balança a cabeça.

"Porque . . . " Ela encolhe os ombros, e percebo o olhar


sonhador em seus olhos, o que me diz, que ela já está escrevendo
para Zane e eu uma história com um feliz para sempre, quando não
há sequer uma história para começar.

Era fofo quando eu tinha oito anos. Isso me fez acreditar, que
meu primeiro amor do ensino médio seria o único, até o meu
coração ser esmagado, quando eu o peguei beijando Shelly Dodson
atrás das arquibancadas depois do treino de futebol. E agora que
estou na casa dos vinte, e com muitos relacionamentos fracassados
no meu currículo, seus olhos estrelados e tramas de conto de fadas
só me fazem vacilar ainda mais quando ela inicia. Porque se ela
acha que ele é o único, seu histórico parece mostrar que ele
definitivamente não é.

Além disso, comer galões de sorvete e modelagem não


andam exatamente de mãos dadas.
"Deixe, mãe."

“Mas e se esse é o jeito do destino jogar vocês juntos? Ele


pode ser um homem muito bom. Ele pode ser digno de um
desmaio quando ele não está sendo o idiota, e vamos encarar, nós
duas sabemos que ele é atraente, sexy e faz seu sangue
cantarolar”.

Eu empurro para cima do sofá e passo ao redor da minha


pequena sala de estar, querendo que ela vá para casa e me deixe
em paz. “Mãe, eu amo que vivamos ao lado uma da outra. Eu amo
que estamos perto e compartilhamos quase tudo, mas isso não
significa, que eu quero sua entrada vinte e quatro horas e sete dias
por semana . Eu sou uma garota grande, que pode tomar suas
próprias decisões. Você pode respeitar isso?”

Se eu não tivesse aberto a caixa de sapatos na frente dela, ela


nunca saberia nada disso.

Quando me viro para encará-la, ela tem aquele olhar irritado


no rosto, sobrancelhas apertadas e lábios em uma linha reta, como
se eu tivesse acabado de ferir seus sentimentos. Ela acena com a
cabeça e torce os lábios, mas não se levanta do sofá e faz o que eu
pedi.

Tudo o que posso fazer é suspirar, e esperar que ela diga. Eu


sei que essa é a única maneira de terminar essa conversa.

“Claro, eu te respeito. O que eu não consigo entender é se


você está brava com alguém por lhe comprar um belo presente, ou
se é porque ele já está esperando que você apareça a festa.”

Eu mordo a resposta sarcástica que quero dar, e decido dizer


a verdade. Além disso, ela vai ver através de uma mentira de
qualquer maneira. "Como sobre ambos? Quero dizer, que homem
compra sapatos femininos que custam vinte vezes mais do que os
que ela quebrou, se ele não espera algo que eu não vou dar a ele
em troca?”

"Você gosta dele, não é?"

"Mãe", eu aviso, quando o olhar estrelado retorna.

“Quando você se mete em algo, significa que você está


lutando contra isso. . . e garotinha, você está cavando os
novíssimos saltos rosa apenas por princípio. ”
"Mãe." Eu suspiro e recuo no meu assento, me sentindo
defensiva e ao mesmo tempo confusa com esses pensamentos que
ela está provocando sobre Zane. "Eu só . . .Eu simplesmente não
sei”.

“Às vezes, as pessoas que fazem você se sentir toda nervosa,


acendem um fogo em seu coração.”

"Mãe . . . ”

"É verdade, Mija."

Eu ri. O que mais eu posso fazer, sabendo que ela já está


fabricando nosso primeiro encontro, primeiro beijo. . . primeiro
tudo? “Pode ser verdade, mas com a minha atual sorte, eu
apareceria com meus sapatos novos, agarrava um salto em uma
fenda e, de alguma forma, derrubava a mesa inteira ou algo assim.”

“Ou talvez, você tropece no seu príncipe e ele vai te pegar,


Cinderela ”.

E aí está. O conto de fadas.

“Eu amo você, mas os príncipes não existem e eu não preciso


de nenhum homem para me pegar. Eu posso administrar
perfeitamente tudo sozinha”.

"Mija", ela diz. "Só porque seu pai não era o melhor dos
homens, não significa que todos os homens são assim."

Eu sacudo o pensamento do homem que nos deixou alto,


secas e quebradas quando eu era pequena. O homem que me
ensinou que o amor é fugaz, mexe com sua autoestima e sempre
tem suas condições.

"Parece-me que eles são."

“Quantas vezes te avisei, para não deixar que seu pai lidere
suas opiniões sobre o amor. Você tem que seguir em frente. Você
tem que acreditar, que a pessoa certa está lá fora para você”.

"E você acha que essa pessoa é Zane." Eu levanto minhas


sobrancelhas, em questão.

"Ele poderia ser. Nunca se sabe. O que sobre ele que ... "

"Vamos ver. Ele é egoísta, acha que o mundo gira em torno


dele e que pode estalar os dedos e me fazer pular. Ele pode não ser
exatamente como pai, mãe, mas com certeza, parece um homem
do qual eu deveria ficar longe. Idiotas vêm em todas as formas e
tamanhos".

"Assim faz o amor."

“Eu acredito que você disse palavras semelhantes para mim,


quando Jamie me explicou depois de cinco meses, que as mulheres
são como leite, elas têm datas de validade. E então, novamente,
quando eu entrei e encontrei Finn na cama com outra pessoa. Ou
quer dizer ..."

“Acredito que, quando você encontrar o caminho certo, o


amor assumirá qualquer forma necessária para que um
relacionamento funcione. Pare de colocar palavras na minha boca,
Mija, porque soa muito como aqueles saltos que você está cavando
com mais força".

Eu me viro e olho pela janela para além rua, meu suspiro


enchendo a pequena mas comum área.

“É só uma festa, Low. Por que você está fazendo isso tão
importante?"
Porque você está certa. Porque eu podia me ver gostando
desse cara, mesmo que eu o odeie. Porque ele é todas aquelas
coisas que você disse e mais, mesmo que eu não queira admitir
isso.

Quando me viro para encará-la, um sorriso suave está em


seus lábios e rifles de resignação através de mim.

“Eu nem sei nada sobre a festa, a não ser que ele disse que
terá gente da indústria. O que exatamente isso significa? A coisa
toda parece muito superficial". Eu explico.

"Assim, por que não ir, e se você não gostar, vá embora. Se


você não aparecer, nunca saberá".

“Então, onde eu estaria indo? Pelo que sei, é uma festa de


swing".

Minha mãe ri e é bom ver um sorriso no rosto dela. Ela tem


feito muita hora extra e parece cansada. “Você e sua imaginação.
Sempre te colocou em problemas.” Ela dá um tapinha no lugar ao
lado dela, para eu sentar. “Tenho certeza que não é uma festa de
swing, é um coquetel. As pessoas se misturam, trocam cartões de
visita e usam saltos altos sexy". Ela pisca. "Não é um grande
problema, realmente."

"Então, por que você está fazendo disso um?" Pergunto, em


exasperação quando me sento.

“Porque, minha linda Mija trabalha tão duro para ser


independente, e eu amo isso. Mas às vezes, quando um homem
bem-sucedido e bonito a convida para uma festa, você precisa
relaxar e se divertir um pouco.”

"Eu não sou a namorada dele, mãe."

“Mas você poderia ser. . . " Ela deixa as palavras caírem,


enquanto eu reviro meus olhos. Ela não entende. Ela não conheceu
Zane e seus modos frustrantes. Ela só o vê como uma possibilidade,
enquanto o vejo como alguém que sente pena de mim e está
tentando aliviar sua culpa, por pensar que eu era seu humilde
passeador de cães.

Não importa o que eu diga, a mulher é uma romântica


hardcore e ela não vai ouvir.

“Como eu disse, mãe. De alguma forma, eu acabaria com um


pescoço quebrado".

Por que eu estou falando comigo mesma, quando não tenho


intenção de ir?

“Mija. Você é linda. Um olhar para você e. . . " Ela abana as


sobrancelhas.

"E o que? Ele vai me adicionar ao seu aplicativo de namoro,


para que ele possa se certificar de me colocar em sua lista de
possíveis? Não, obrigada."

"Você vai e ..."

"Não, eu não vou-"

"E eu vou te dar uma aspirina para segurar entre os joelhos,


para ter certeza de que você não vai cair de jeito nenhum."

Minha risada ecoa em torno da sala de estar. "Mãe, eu


poderia encher uma garrafa de prescrição inteira, com a
quantidade de aspirina que eu deixei cair." Eu me abaixei, quando
ela bateu na minha direção e caí de volta nas almofadas rindo.

"Harlow!" Cócegas. "Você não diz isso." Cócegas. Nossa risada


ecoa nas paredes da sala e ela continua até que eu levanto minhas
mãos em rendição simulada.

"Estou brincando. Eu juro. Estou brincando." Ela para e aperta


um beijo forte na minha testa.

"É melhor você estar."

"Eu estou. Eu quis dizer duas garrafas.” O olhar que ela me dá,
é um que eu amo e odeio. Diz que sabe que estou brincando, mas
que sua filhinha está toda crescida e capaz de fazer escolhas, boas e
ruins sozinha.

Ela volta para o seu lugar no sofá. “Vá Low. O que pode
acontecer? Nós podemos pegar um vestido emprestado, se você
não tiver um. Pegue todos vocês, imaginados. Talvez até te
encontre um novo emprego. Quem sabe, talvez este seja o evento
que você precisa para encontrar um trabalho, que vai lançar a
carreira que você está trabalhando tão duro. Você só tem que
continuar tentando".

"Eu tenho tentado." Eu rio, mas auto a depreciação está


carregada em meu tom. "Eu só não estou tendo grandes pausas."
“Victoria's Secret foi—”

“Eu fiz uma sessão de catálogos. Assim como tantas outros


fizeram. Inferno, se fosse pago, então não teria problema em pagar
as contas. Eu estou indo em todos eles, apenas não consigo
nenhum emprego. Parece que as curvas estão fora e a heroína
chique está de volta.”

Ela tateia e balança a cabeça. Eu já posso vê-la tentando


descobrir, como suportar o peso de nossas contas. “Eu sei que sua
independência é importante para você, mas podemos sempre
voltar a morar juntas até as coisas melhorarem. Entre o pagamento
de seu empréstimo estudantil vencendo e, a transmissão saindo em
seu carro, você foi duramente atingida. Eu poderia te ajudar. Eu
poderia trabalhar turnos extras. Eu-"

"Obrigada, mãe, mas-"

“Não deixe seu orgulho atrapalhar, Mija. Eu adoraria ter você


de volta ao meu teto”.

Eu rio e me sinto bem. "Tecnicamente falando, estamos sob o


mesmo teto".
Ela aperta minha mão. "Você sabe o que eu quero dizer.
Apenas diga a palavra".

"Obrigada. Eu sei que você faria. . .mas eu vou resolver. Algo


vai aparecer, em breve". Eu espero.

“E quanto a perseguir o spokesmodel, que você costumava


falar enquanto se formava? Com seu grau de comunicação, sua
inteligência e sua capacidade de falar sobre qualquer coisa, tenho
certeza de que ..."

“Os trabalhos da Spokesmodel, são ainda menos e mais


distantes do que os trabalhos de modelagem.” A frustração soa
pelo meu tom, enquanto penso em mais uma semana de macarrão
para o jantar.

“Você é mais bonita e mais talentosa do que todas as outras


garotas tentando ser notadas. . . a pessoa certa só tem que ver. ”

Falou como uma mãe verdadeira.

"Obrigada por acreditar em mim . . . mas eu te disse, talvez eu


não seja apenas para modelar ou show business. Talvez eu deva
desistir do jogo”.
"Absurdo." Ela coloca a mão sobre a minha. “Às vezes, as
melhores coisas da vida, são resultado do inesperado. Zane fazendo
o que ele fez. . . talvez fosse esse o seu inesperado. Um sinal, e você
deve ver aonde isso leva”.

“Um sinal, né? Parece mais um aviso”.


Capítulo Sete

Zane
“ROBERT, PARCEIRO. TÃO BOM te ver de novo. ”

"Da mesma forma." Robert estende a mão e aperta a minha.


Ele envelheceu bem para os seus oitenta anos. O cabelo é mais
grisalho do que qualquer coisa, e seus treinos diários, que sempre
parecem surgir em cada uma de nossas conversas, mantiveram seu
aperto firme e seu corpo em forma.

Quando um homem considera investir milhões de dólares em


sua empresa, você faz questão de falar com ele, sobre qualquer
assunto que ele queira falar. Seus treinos diários é um deles.

Sua esposa é outro.

"É bem o tipo de festa de abertura que você organizou", diz


ele, e toma um gole de seu gim-tônica.
“Não é isso que pretendíamos? Chega de rumores para fazer
as pessoas perguntarem sobre isso. . . mas não o suficiente, para
fazer as pessoas quererem saber mais até estarmos prontos para o
lançamento oficial? ”

"Você ouviu." Ele balança a cabeça, e espia pelo pátio da


cobertura.

"Eu sempre escuto, Robert." Eu tomo um gole do meu


Bundaberg e Coca-Cola, e me viro para a cena na nossa frente.

Parece que falamos sobre nossas conversas. O pátio com


terraço está cheio de luzes, aperitivos estão sendo passados e as
bebidas estão sendo servidas nos dois bares em cantos opostos.
Meus favores foram convocados e as pessoas que precisam estar
aqui, aquelas que dizem a Robert que estou em contato com essa
indústria multimilionária chegaram.

Sim, estou jogando o jogo. Estou ganhando, jantando-o e


esperando que seu cheque seja assinado para mim até o final da
semana.

Mas o que é mais importante para mim do que o dinheiro


dele, são suas conexões e sua experiência única de consultoria para
outras plataformas de formar casais, mesmo depois que ele se
aposentou, sua experiência prolífica em relações públicas poderia
me ajudar a obter a visibilidade que preciso, para lançar essa
plataforma com um estrondo.

O homem é uma potencial mina de ouro ambulante para


SoulM8, e não tem nada a ver com a profundidade de seus bolsos.

“E você tem o programa de IA instalado e funcionando? As


falhas que você encontrou na última corrida foram corrigidas?”

Minha risada baixa é um aviso: tire as mãos .“Eu lhe disse,


companheiro, deixe o software, a IA e a implementação para mim.
Tudo que preciso, é da sua ajuda com visibilidade, seus contatos
com a mídia e seu papo com a imprensa, para nos colocar no ar e
na mídia impressa ”.

Ele me olha, o aviso para não ultrapassar a voz, alta e clara.


Ele levanta as sobrancelhas e toma um gole de seu gim-tônica.
"Que tal uma porta-voz?"

Eu ri, feliz por ele ter escutado e colocado os dedos de volta


no seu lado da linha. "Tem sido um trabalho duro ter que olhar
para uma mulher linda após a outra, mas alguém tinha que fazer
isso."

"Deve ter sido taxativo." Ele gesticula, para as pessoas que se


movimentam no pátio. "Você tem uma favorita?"

"Sim." Eu imagino Simone. Simone linda e com a voz sexy que


vai atrair os homens, a demografia mais difícil de se envolver, para
a plataforma. “Esta noite, eu organizei para você encontrar as cinco
mulheres em consideração final, fale com elas, e então, veremos se
concordamos em quem deveria ser nossa porta-voz. Mas acho que
estaremos de acordo”.

"Tudo bem", diz, e acena com a cabeça. "E você ainda acha
que a transação do grupo beta vai aguentar?"

"Eu faço. Já ultrapassamos nossa meta de pré-registro em


vinte por cento, e isso antes de começarmos a turnê promocional
na próxima semana. Assim que começar e fizermos o lançamento
da imprensa, tenho mais do que certeza de que vamos tirar nossas
projeções da água.
Robert não parece empolgado. Um hábito que eu notei,
quando ele está tentando descobrir como expressar alguma coisa.

"Então, me conte sobre sua experiência."

Cristo. Ele foi lá. Não é o suficiente que eu esteja pulando em


todos os aros imagináveis que ele vomitou, mas agora, ele vai me
segurar nessa porcaria? Uma promessa que fiz para tentar obter
seu investimento, que eu esperava que ele fosse esquecer.

"Foi boa." Eu aceno, e esvazio minha bebida em um gole.

Eu posso falar besteira com os melhores deles. Eu posso


beber, jantar e persuadir, mas foda-se, eu não sou bom em mentir
para um homem que vai me ajudar a vencer essa maldita
competição.

"Boa?" Sua risada ressoa em torno de nós, e várias pessoas


olham em nossa direção. "Então você encontrou alguém?"

"Alguém . . . sim." Eu estou indo para o inferno.

“E você acha que tem chance de um futuro juntos?”

Eu aceno, não confio em mim para falar. "Mm-hmm."


Ele bate nas minhas costas e sorri. "Isso é fantástico! O amor
é incrível, não é?"

"É de fato." Definitivamente vou para o inferno.

“Que ótima maneira de ajudar a vender a plataforma para as


massas. O CEO encontrou o amor, você também pode". Ele levanta
as mãos enquanto diz as palavras, como se estivesse lendo um
outdoor.

Muito bem. Tanto, para jogar o antigo cartão "não


funcionou", em alguns dias.

Eu dou-lhe um sorriso apertado, e aceno para um conhecido


do outro lado. "Eu estou tão surpreso."

“Eu não posso esperar para conhecê-la. Qual é o nome dela?"

“Robert! Zane! Que bom ver vocês!"

Graças a Deus por você, Jacko.

Eu olho para o local onde um dos meus amigos mais próximos


está caminhando, uma multidão de mulheres quase quebrando o
pescoço para ver quem ele é.
"Jack!" Robert puxa Jack para um rápido tapinha de homem, e
depois recua. Sorte minha que vocês dois têm algum tipo de
história familiar. Amigo de um tio ou alguma merda assim. Isso fez
com que uma introdução a Robert, fosse muito mais fácil para mim.
"Eu não esperava ver você aqui."

"Eu sempre gosto de apoiar Zane em todas as tortas que ele


tem em seus dedos, porque eu sei que será bem sucedido."

Parece que alguém trouxe o seu jogo de charme esta noite.

"Bom ouvir, bom ouvir", diz Robert.

“Parece que tudo veio junto. Mulheres, uísque e tubarões”,


diz ele, com um sorriso torto, os tubarões sendo um monte de
investidores de alto risco em pé ao redor de nós. O que Jack está
subitamente sugerindo, é poder comprar as ações disponíveis do
SoulM8, se Robert não o fizer.

"É uma casa lotada, de fato", diz Robert, e sorri. "Zane estava
me contando sobre sua nova ..."

“Robert Waze? É você?" Uma voz à nossa esquerda chama.


"Desculpe-me, senhores", Robert diz, seu rosto se iluminando
em um sorriso, quando ele segura o dedo até seu amigo antes de
voltar para mim. “Zane, eu falarei contigo mais tarde, conhecendo
as candidatas.”

"Claro, companheiro."

Jack e eu o observamos ir embora, e então, solto um suspiro


exagerado. "A porra do cara perguntou."

Jack joga a cabeça para trás e ri, conhecendo toda a obsessão


de Robert. "Você precisa ser o produto da sua própria plataforma.
E?”

"Eu disse a ele, que não preciso de um maldito site de namoro


para conhecer mulheres." Deixei a mentira tocar por um segundo, e
observei o choque registrar-se no rosto de Jack.

"Você está fodendo comigo, certo?" Ele finalmente pergunta.

"Claro que estou. Eu disse a ele que encontrei alguém. Como


eu poderia dizer algo diferente? Eu quero que ele pense que o
SoulM8 funciona.”
"Você está tão fodido."

"Eu gostaria que fosse o caso." Eu ri. "Minha noite seria muito
melhor."

“Oh pobre bebê. Passando por um pequeno período de


seca?”

“Isso não é algo que eu posso resolver com um simples


telefonema. Robert acha que eu tenho uma namorada, é uma
questão totalmente diferente. ”

"É uma solução fácil, encontre alguém para preencher


temporariamente."

"Quem? Diga-me quem passaria no teste de aprovação?”


Pergunto, enquanto a barman muito bonita se aproxima e me
entrega uma bebida fresca. "Obrigado."

"É claro", diz ela, sua voz rouca e seus olhos sugestivos.

"E meu ponto foi provado, sem mesmo ter que tentar", diz
Jack, através de uma risada quando ela se afasta, quadris
balançando e saltos clicando.
“Ela é definitivamente gostosa, mas em um jeito mais justo da
noite. Não ganha o material de aprovação de Robert".

"De acordo." Ele acena a mão para todas as pessoas ao nosso


redor. "Tenho certeza que há mais do que algumas candidatas
dispostas aqui esta noite, que fingiriam ser seu verdadeiro amor
por algumas noites, para apaziguar o velho."

"Verdade." Eu tomo uma bebida e olho em volta. Pernas


compridas, vestidos elegantes e muitas oportunidades para andar
por aí.

“Obter o investimento dele é o jogo final. Tenho certeza que


você vai levar mais um para a equipe".

"Eles não me chamam de jogador atoa."

"Você é tão idiota."

"Então, eu tenho dito", eu digo, quando vejo a última mulher


que me chamou assim, logo que ela entra no pátio. Olá, Harlow
Nicks.

Ela apareceu. E não só apareceu, mas ela fez isso em um


vestido que não revela nada, mas ainda faz você querer tirá-lo para
ver o que está escondido abaixo. É preto e simples, com um toque
de clivagem e um lampejo de perna, mas caramba, como ele abraça
suas curvas.

E os saltos

Ela os usava, e o inferno se eles não pareciam sexy como


pecado nela. Sua cor rosa pálido combina com os acentos no
vestido, e seu cabelo está em cachos suaves ao redor dos ombros.

Meus dedos coçam para toca-la e fazer outras coisas.

"Vê algo que você gosta?" Jack diz, com um solavanco no meu
ombro. "Bem maldição. Isso é um definitivo".

"Não, não é. É uma boca inteligente e um temperamento


quente.” Mas meus olhos não a abandonam".

“Oh, mas isso torna muito mais divertido. Lutadora é uma


coisa boa. Especialmente quando está sob os lençóis, e se parece
com ela".

"Eu preciso de outra bebida", eu digo, apesar do copo meio


cheio na minha mão, mas Jack precisa parar de olhar para Harlow.
Ela não é para ele.

"Você faz. Você precisa de um forte, para poder descobrir


quem será sua namorada pronta para brincar. ” Ele me dá tapinhas
nas costas, quando voltamos para o bar depois que eu dou uma
última olhada em seu caminho.

"Considerando que estou pagando a conta hoje à noite, acho


que estou comprando."

"É verdade, cara", diz Jack, tentando seu melhor sotaque


australiano.

"Você ainda é um merda", eu digo, do nosso jeito habitual.

"E você ainda me ama."


Capítulo Oito

Harlow
“NÃO obrigada”, eu digo, com um sorriso apertado para o
homem ao meu lado, agora fazendo sua quarta oferta para me
comprar uma bebida.

"Vamos, eu adoraria comprar uma para você."

“Eu sei e agradeço, mas estou dirigindo.”

"Eu sempre posso te levar para casa." Ele coloca a mão nas
minhas costas, e eu dou um passo para frente saindo de seu
alcance.

"Eu vejo meu amigo que eu estava esperando", eu minto, e


sorrio para uma pessoa invisível na direção oposta. "Foi um prazer
conhece-lo." Não foi não.
"Talvez possamos recuperar o atraso depois."

"Talvez", eu digo, por cima do meu ombro enquanto eu


atravesso o terraço mal iluminado. A música está tocando
suavemente, sob o baixo zumbido das conversas. Há uma grande
variedade de pessoas aqui do que eu posso dizer, mas Drink Man
ocupou a maior parte do meu tempo, desde que eu estive aqui.

Com um suspiro de alívio, eu me escondo em um corredor


escuro que faz fronteira com o lado de fora do pátio. Eu vou ficar
aqui por alguns minutos até que ele volte sua atenção para outro
lugar, e então, eu voltarei para o lado oposto do espaço.

Já que estou aqui, é melhor aproveitar ao máximo o tempo e


tentar encontrar o maior número de pessoas possível.

"Vamos lá, não há desculpa, porque você não pode sair daqui
hoje à noite com uma", diz uma voz masculina, seguida por uma
risada.

"Há muitas desculpas, companheiro." Meus ouvidos se


animam ao som da cadência australiana - Zane - e eu
silenciosamente corto de alívio, sentindo que conheço alguém aqui.
Normalmente, eu sou muito extrovertida, mas andando aqui
sozinha e sabendo que ninguém foi mais intimidante do que eu
esperava. Talvez, seja porque eu construí o evento para ser algo
maior do que realmente é. Ou talvez, seja porque eu estava meio
animada para ver Zane novamente, independentemente do quanto
ele me deixa louca.

E agora estou começando a soar como minha mãe.

“Foda-se suas desculpas. Você não é aquele que me disse que


eu precisava ajudá-lo a vender isso para ele? Bem, é o que estou
tentando fazer. Não me culpe que você mentiu e disse que
encontrou o amor nele. Nós dois sabemos que essa merda não
funciona".

"Você vai calar a boca?"

"Se você não quer que Robert saiba, então é melhor você
começar a descobrir como você vai consertar isso."

"Cristo", murmura Zane.

"Ele não vai ajudá-lo agora", o outro homem brinca, mas Zane
não ri. “Mas eu sei quem pode beijar e fazer tudo melhor para
você. . .Jack gesticula para as pessoas que se misturam no espaço
ao redor deles. “Quero dizer, olhe para todas as mulheres lindas.
Elas são as primeiras para a colheita. Agora, tudo o que você
precisa fazer é encontrar o caminho certo”.

Primeira para a colheita? A sério? Espero que ele não esteja


dizendo o que acho que está dizendo.

Olho para a direita e, em uma das áreas iluminadas vejo Zane,


vestido com minha kryptonita: um colete abotoado, calça comprida
e camisa social enrolada nas mangas. Profissional, mas ainda casual
e muito mais sexy do que eu quero admitir. O homem à sua direita
e de frente para minha direção tem cabelos escuros, olhos claros e
pele morena clara. Ele é surpreendentemente bonito também.
Juntos, eles parecem um anúncio da Ralph Lauren.

"Desista, Jack."

Ah, esse é o Jack. Eu deveria saber.

"E aquela ali?"

"Qual?"
“Vestido creme. Venha me foder com saltos".

"Não é meu tipo", diz Zane em seu copo, enquanto toma um


gole. Eu odeio que eu quero ver como ela é, para tentar descobrir
qual o tipo dele.

"Ela poderia ser minha, no entanto", diz Jack, através de uma


risada. "Simone, então?"

“Não posso. Depois que a promoção terminar, então estou


superado. . . mas depois?" Zane diz, e ri, "isso seria pouco
profissional da minha parte."

“E se as coisas fossem para o sul. . ."

"Exatamente. Isso significaria um desastre por toda parte".

"Que tal ela?"

"Pernas por dias?" Zane levanta o queixo na direção de


alguém.

"Sim, ela."

Ambos inclinam a cabeça para a esquerda, e observam


alguém por um segundo. “Não. Ela não é ruim. . . ela simplesmente
não é. . ."

"Bom", Jack termina para ele. “Você é um filho da puta


exigente. Então, o que acontece com a sósia Chrissy Teigen ali?"

"Ela veio com um encontro."

"Sério? Quando isso parou você?"

Zane diz algo que não consigo ouvir e ambos riem.

Eles estão realmente fazendo isso agora? Ele está realmente


tão desesperado para encontrar. . . um encontro? Tenho certeza,
de que ele tem mulheres mais do que dispostas a estar em seu
braço.

E então isso me atinge. É um encontro que ele está


procurando ou simplesmente alguém para dormir?

Eu dou um passo para trás, desconfortável ouvindo o que é


obviamente um jogo para eles, e então, meus pés vacilam quando
Jack fala.

“E quanto a anterior? Vestido preto, corpo incrível, olhos


assassinos e saltos rosados?"

Minha respiração pega, embora eu não queira me importar


com o fato de eles estarem falando de mim.

Zane ri de um jeito, que me faz sentir como se soubesse que


estou aqui ouvindo. "Não é uma chance no inferno", ele murmura,
em um estrondo baixo.

"Por que não?"

"Duas palavras: maldito pesadelo."

Jack joga a cabeça para trás e ri. "Elas não são todas?" Eles
tilintam os copos, enquanto eu fico lá, e olho para eles como uma
criança que foi ridicularizada na frente de toda a escola.

Levei um segundo para encontrar meu equilíbrio, e depois


estou com raiva de mim mesmo por me importar com o que ele
pensa, quando já provou o quão idiota ele pode ser.

Mas eu comprei o ato dele vindo até a minha casa. Gancho.


Linha. E chumbada. Eu deixei minha mãe e seu romantismo me
atingir, tanto que cheguei aqui esta noite pensando que poderia ter
formado a primeira impressão errada dele. Que o homem que
apareceu em minha casa, fosse o verdadeiro dele, o sincero, e não
o idiota que conheci no escritório no outro dia.

Um pouco de arrogância é sexy. Esse tipo não é.

Eu deveria ter sabido melhor.

Um maldito pesadelo? Por quê? Por que eu não vou me


rebaixar a ele como se ele fosse um deus, só por causa de sua boa
aparência e conta bancária?

É preciso muito mais do que isso para me impressionar.

Afobada e agora querendo aquele copo de vinho, eu ando


pelo caminho oposto de Zane e Jack, atravessando o corredor
coberto para encontrá-lo.

E direto nas costas de um homem que vira a esquina na


mesma hora que eu.

"Oh, me desculpe!" Nós dois dizemos, de uma forma ou de


outra quando as mãos dele vão parar no meu bíceps para me
firmar.
"Perdoe-me", diz ele, enquanto eu dou um passo para trás e
olho para os olhos azuis gentis. "Você está bem, senhorita?"

Eu aceno com a cabeça, minhas bochechas aquecendo com


vergonha que eu corri para este senhor idoso por causa do meu
descuido. "Sim. Eu sinto muito. Eu não estava vendo onde eu
estava indo. Você está bem?"

"Eu estou." Ele ri. "É preciso muito mais do que uma mulher
bonita para me derrubar." Seu anel de casamento brilha na luz
suave, enquanto toma um gole de sua bebida.

"Sua esposa é uma mulher de sorte, então."

Sua expressão suaviza e seu sorriso escurece. "Eu a perdi no


ano passado."

"Eu sinto muito." Eu me sinto uma idiota, mas ao mesmo


tempo, cada parte de mim se derrete com o amor que ele
obviamente ainda tem pela esposa.

“Não sinta. Eu tenho a sorte de ter sido capaz de


experimentar o amor verdadeiro”. Ele sorri e então sobressalta.
“Perdoe meus modos, Robert Waze. Prazer em conhecê-la."
Robert? Como no Robert que eu ouvi Jack e Zane falando duas
vezes agora?

“Harlow Nicks. Da mesma forma." Apertamos as mãos e


depois, sem pensar, nos voltamos para encarar a festa que está
diante de nós. Estranhamente, pela primeira vez a noite toda, eu
me sinto à vontade.

"É meu prazer, Sra. Nicks."

"Harlow, por favor."

“Harlow, então,” ele diz, com um aceno definitivo antes de


pegar uma taça de vinho de um garçom que passa e oferece para
mim.

"Sim por favor. Obrigada." Tomo um gole e, embora não saiba


muito sobre vinho, conheço um caro quando o provo. "Há quanto
tempo você é casado?" Eu pergunto, tanto por curiosidade quanto
pela pura necessidade de fazer conversa fiada, para evitar o
constrangimento que vem com estar em um evento lotado e não
conhecer ninguém.

"Sessenta anos." As linhas ao redor dos olhos dele se enrugam


com o sorriso, e eu duvido que ele perceba que ele
automaticamente torce o anel de casamento ao redor do dedo,
quando ele fala as palavras.

"Isso é incrível." Olha mãe, os contos de fadas da vida real


existem.

Ele concorda. "Eu cortejei ela por cinco anos, antes disso."

Eu faço as contas. Mesmo se ele tivesse dezoito anos quando


se casaram, isso faz dele com quase oitenta anos agora. Eu nunca
teria adivinhado isso, por quão bem e jovem ele é na aparência.

"Você se importa comigo perguntando como você a perdeu?"

"Câncer." Ele balança a cabeça e depois desvia o olhar por um


momento, para reunir suas emoções antes de olhar para mim. "Ela
lutou como uma campeã, mas no final, ela estava muito cansada."

"Ela teve sorte de ter você ao seu lado."

"Eu fui o sortudo."

Suspiro. Grande suspiro gordo. Se nada acontecer hoje à


noite, pelo menos eu posso ir embora tendo conhecido Robert, e
sabendo que o verdadeiro amor realmente existe.

"É por isso que estou aqui", ele continua, sem o meu aviso.
“Um de seus últimos desejos, foi que eu encontrasse a felicidade
novamente. Mas ela era louca em pensar isso. Ela era minha
felicidade".

“Talvez uma amiga então. Alguém que possa lhe fazer


companhia".

“Talvez, mas duvido. Ela era minha vida.” Ele toma um gole de
sua bebida e balança a cabeça, como se estivesse lembrando. E
deixo-o sem interrupção porque, obviamente, ele está sozinho. O
que custa ouvi-lo por alguns momentos, para que ele não se sinta
tão sozinho por um tempo? “Nós tivemos uma boa, sabe? Criamos
uma empresa juntos, criamos três filhas incríveis juntas e, quando
saíram de casa, vivemos nossa vida como se todos os dias fossem
uma lista de desejos. ”

"Isso é incrível." Nós dois nos viramos, para seguir o riso


através do terraço. Zane é o centro das atenções em meio a um
pequeno grupo de homens e mulheres, todos parecendo que
acabaram de sair de uma pista. Ele está animado e possui o público,
pela aparência de suas expressões faciais. Inesperadamente, algo
que Robert me disse clica em minha mente. “Eu espero que você
não se importe comigo, mas você disse que está aqui por causa do
desejo de sua esposa por você. . ."

"Sim." Esse sorriso gentil está de volta em seus lábios,


enquanto ele balança a cabeça. “Aquela empresa que nós
começamos. . . bem, nós vendemos isso em um ponto e
conseguimos guardar o dinheiro, investir e fazer algo disso. Seu
outro desejo, além de eu encontrar a felicidade de novo, era pegar
um pouco do dinheiro que ganhamos e ajudar os outros a
encontrar o tipo de amor que nós tivemos".

"Eu sinto que eu continuo dizendo isso, mas isso é incrível,


Robert."

"É por isso que estou aqui. Para ver se quero apoiar este
empreendimento. SoulM8.com tem uma ótima premissa. Seu uso
de tecnologia de inteligência artificial para ajudar no processo de
formar casais, é sem precedentes em comparação com as outras
plataformas por aí. Os resultados após o teste beta, foram
fenomenais. Eu acho que vai ser um enorme sucesso. ”

"Então por que você parece tão hesitante?" Eu sondo,


tentando fazer a conexão.

"Eu não sei", diz ele e olha para o seu copo vazio, antes de
olhar para cima e encontrar meus olhos. "Se Sylvie estivesse aqui,
ela me diria para escolher a porta-voz, escrever o cheque e ver
como é que ele sai."

"Porta-voz?"

"Sim." Ele olha em volta das pessoas no pátio, e acena com a


mão no estacionamento. “Supostamente, tenho a palavra final
sobre quem representará a empresa. Tenho certeza de que Zane já
tem sua favorita escolhida, mas francamente, eu não sinto que
posso me relacionar com nenhuma das mulheres que conheci aqui
esta noite, além de você. ”

Eu aceno e sorrio baixinho, quando seu elogio atinge meu


coração. Meus próprios olhos piscam sobre as mulheres aqui, e me
pergunto quais estão na corrida. Nenhuma delas tem coisas que eu
não tenho.
"Por que você está hesitando em apoiar a empresa?" Eu
pergunto.

"Por causa dele." Robert ergue o queixo para onde Zane


estava, mas não o menciona pelo nome. Não digo nada, porque de
repente me sinto desconfortável. “Ele me diz que acredita no poder
da plataforma SoulM8, e que funcionou para ele. Ele me disse, que
acredita que o amor é mais importante na vida de alguém do que
dinheiro. . . mas ele também é um vendedor. E ele sai como um
jogador. Como posso confiar que ele não está apenas me dizendo o
que eu quero ouvir, então, eu assino um cheque?"

“Robert. . ."

“Sylvie podia ver através de besteiras a uma milha de


distância. Eu? Eu sou mais confiante e. . . "

As palavras de Zane ecoam nos meus ouvidos. O amor é uma


emoção estúpida fabricada para definir relacionamentos.

Tudo o que Robert está dizendo é correto, e mesmo assim,


não consigo dizer a ele o contrário.

E então, uma ideia me atinge. E se eu pudesse proteger


Robert, colocar o arrogante e idiota australiano em seu lugar e
fazer algo por mim mesma?

Você tem que aproveitar as oportunidades quando elas se


apresentam.

Eu acho que você vai se arrepender de me dar esse conselho,


Zane.

“Robert! Como você está se saindo?” A voz de Zane explode


atrás de mim, quando a mão dele entra e dá um tapinha nas costas
dele.

“Ótimo, obrigado.”

"Harlow", diz Zane, mas não sinto falta do jeito que o olhar
dele percorre o comprimento do meu corpo, antes de pousar nos
meus olhos.

"Zane", eu digo, com um aceno de cabeça e um sorriso


excessivamente sarcástico, enquanto me preparo para fazer o meu
movimento. "Eu estava falando com Robert aqui, e estava prestes a
contar-lhe as boas notícias."
"Boas notícias?" Aviso pisca em seus olhos de esmeralda, e eu
ignoro tudo sobre isso.

"Sim. Sobre como você me contratou para ser o rosto da


campanha publicitária do SoulM8. Que eu serei a porta-voz".

Onde tudo sobre o rosto de Robert se ilumina, cada parte dos


alambiques de Zane rejeita minha revelação, sem expressá-lo.
"Você o que?" Ele finalmente diz, depois que ele toma um longo
gole na bebida em sua mão.

"Eu disse a ele as boas notícias!" Zane endurece quando


estendo a mão para apertar seu braço, para mostrar a Robert
alguma familiaridade entre nós dois. “Fiquei tão surpresa e
animada quando você me disse mais cedo que você me selecionou,
que eu ainda estava processando tudo. E então, claro, eu conheci
Robert e nós estávamos falando sobre como fora de todas as
finalistas aqui, ele sentiu que poderia se relacionar comigo melhor,
então, eu pensei que era o momento perfeito para contar a ele.
Que melhor maneira de usar meu diploma de comunicação e minha
experiência em modelar? ”
“Que melhor maneira, de fato. . ." Zane diz, com a mandíbula
cerrada e os olhos perfurando os meus, enquanto ele coloca um
sorriso em seu rosto.
Capítulo Nove

Zane
Ela está brincando comigo, agora?

Todas aquelas visões que eu tinha daqueles saltos sendo


enterrados na minha bunda enquanto fazíamos sexo, são jogados
para fora da janela.

"Robert?" Harlow diz, enquanto olha para Robert com


aqueles olhos e separa os lábios. “Você não está dizendo nada. Eu
deveria estar preocupada que ..."

"De modo nenhum." Robert olha de mim para Harlow, e


depois abre um largo sorriso. "Esta é uma das melhores notícias
que ouvi há algum tempo."

Espere. O que? Ele está bem com isso?

Mas Simone. Eu disse a Simone que ela tinha o emprego.


"Você será o rosto perfeito do SoulM8, Harlow", Robert diz,
fazendo-me balançar a cabeça como se estivesse em choque.

Lide com ele Z. Maldito seja.

Mas algo está errado. Eu posso ver isso na cara dele. No jeito
que ele continua olhando para Harlow, como se houvesse algo mais
que ele precisa dizer, e eu odeio ser a pessoa do lado de fora
olhando para dentro.

"Então, eu acho que devemos contar a ele as outras notícias


também." O que estou dizendo?

"As outras notícias?" Ambos dizem em uníssono, e se viram


para olhar para mim. Eu acho um pouquinho de satisfação, no fato
de que Harlow parecer preocupada.

Ela deveria estar, porque estou prestes a aumentar sua bunda


logo na campanha, assim que ela pular nela. . . o tempo todo
corrigindo o problema que criei.

Eu dou-lhe um sorriso suave antes de me aproximar dela,


meus olhos de volta em Robert. "Nós estávamos com medo de
mencionar isso", eu blefei. "Ela está certa. Eu originalmente escolhi
Harlow como minha porta-voz meses atrás, e então, eis que,
quando eu entrei online e usei o SoulM8 como você sugeriu, ele
nos uniu. ”

Os olhos de Harlow saem do lindo rosto dela. Dois podem


jogar este jogo, querida.

"É assim mesmo?" Robert pergunta, cabeça girando de mim


para ela e depois de volta, ceticismo em seus olhos, que eu não
quero ver.

“Eu sei que é difícil acreditar. . . mas conversamos um pouco


online durante a fase de testes beta, ambos usando avatares, e
você pode imaginar nossa surpresa quando descobrimos quem
éramos quando nos encontramos cara a cara.” Eu me aproximo,
puxo Harlow para dentro de mim e dou um beijo em sua testa.

"Foi uma grande surpresa", diz ela, jogando perfeitamente na


mão que ela não tem ideia será tratada. “Eu pensei em me
inscrever, para dar uma olhada antecipada no site e ver do que se
tratava a coisa toda. Nunca nos meus sonhos mais loucos, imaginei
que isso aconteceria". Ela desliza o braço em volta de mim, e se vira
para sorrir suavemente para mim.

“Quando você me disse mais cedo, Zane. . .Eu estava cético,


que você estava dizendo a verdade. EU . . .Harlow, minhas
desculpas pelas coisas que eu ... "

"Não se desculpe por sua honestidade", diz Harlow. "Quando


eu descobri quem era o homem com quem eu estava conversando,
eu tinha muitas das mesmas preocupações que você." Ela olha para
mim e, embora seu sorriso seja doce, seus olhos disparam um aviso
para mim que é tão confuso quanto a troca entre os dois. Ela olha
de volta para Robert. “Mas eu tenho que te dizer, quanto mais eu o
conheço, mais essas preocupações se dissipam.”

"É assim mesmo?" Robert pergunta, claramente mais à


vontade do que quando falamos no início da noite.

"É", diz Harlow.

"Eu me sinto como um estranho aqui", eu brinco, odiando


estar no escuro.

"Não é nada para se preocupar", Harlow diz, com um aceno


reconfortante para Robert que me deixa ainda mais curioso, mas
me permite assumir a liderança aqui.

Sua corrida foi boa, Harlow. . . agora é hora de acabar com


isso.

“O que me preocupa, porém, é a aparência de impropriedade,


Robert, e essa é a última coisa que quero pouco antes de um
grande lançamento promocional para a plataforma. Harlow e eu
conversamos aqui ”, eu digo,“ e decidi que é melhor usar outra
pessoa para a posição de porta-voz ”.

O corpo de Harlow endurece ao meu lado e seus dedos cavam


no meu lado.

Como se sente ao ser surpreendida?

"Zane—"

"Espere, querida." Eu pressiono um beijo casto em seus lábios


para calá-la, e odeio notar como eles são macios. “É importante eu
saber que Robert sabe, que não estávamos tentando puxá-lo para
cima. Os meses iniciais de um relacionamento são importantes, ou
pelo menos foi o que ouvi, e não quero comprometer o que temos,
trazendo trabalho para o grupo. Nem eu gostaria que houvesse a
aparência de impropriedade para qualquer um dos nossos
patrocinadores. Com isso em mente, pedi ao meu advogado que
preparasse um novo contrato para que Simone aceitasse o
emprego e, com sua bênção, companheiro, eu a informarei hoje à
noite".

Harlow fica tensa novamente. Não há nada que ela possa


dizer, realmente. Argumente comigo e Robert vai saber que ela
mentiu para começar, ou ficar em silêncio e sorrir para que pareça
que ela está de acordo e salvar a cara.

Ela pode ser corajosa, mas algo me diz que ela não vai contra
a isso.

Robert franze os lábios e olha para nós dois acima da borda


da bebida, enquanto toma um gole. Alguém ri à esquerda de nós.
Eu rapidamente pego o olhar curioso de Simone por cima do
ombro, mas sei que não posso fazer nada para responder a
pergunta em seus olhos.

"É aqui que eu tenho que discordar de você, Zane", diz


Robert. Oh. Merda ."Eu acho que ter um casal da vida real, o CEO e
sua namorada não menos, seria um caminho mais genuíno do que
um rosto bonito e uma cabeça falante nos jornais de imprensa."

Harlow está mais alta e ri, quando ela estende a mão e toca o
braço de Robert novamente. "Eu acho que eu não deveria me
ofender com isso, Robert."

“Minha querida, Harlow. . . ninguém jamais negaria o quão


linda você é. Perdoe-me, se eu te fiz sentir o contrário". Robert
encontra meus olhos. "A experiência vende bem, desde que seja
crível." Ele levanta uma sobrancelha em desafio para mim, e eu não
posso dizer se é sincero ou se ele sabe que eu estou mentindo.

De qualquer forma, estou fodido.

E não o tipo bom de fodido também.

“Todo mundo diz que a fase de lua de mel de um


relacionamento, é a mais importante. Eu não gostaria de arriscar a
nossa desde ..."

"Oh Zane, não seja bobo." Harlow se inclina para beijar minha
bochecha. A raiva faz eu querer me afastar dela, minha morte
iminente - e meu pau - faz com que eu perceba muito sobre ela: seu
perfume, o jeito que seu cabelo faz cócegas na minha bochecha e a
sensação de seus seios esfregando contra o meu peito. “Eu estou
mais do que certa de que o que temos entre nós, é mais que
suficiente para sobreviver a uma pequena promoção. Trabalhar
juntos nos fortalecerá, não acha?"

O que está acontecendo agora? E como eu posso chutar a


bunda dela para o meio-fio e pegar Simone de volta? Simone
complacente e agradável.

E ainda foi eu quem pediu a Harlow para vir hoje à noite. Eu


sou o único que começou tudo isso.

"Minha Sylvie sempre costumava dizer, que um pequeno


conflito só torna tudo muito mais doce", diz Robert.

"E nós amamos as partes doces, não é Zane?" Harlow diz, com
um bater de seus cílios enquanto sua mão desliza para minha
bunda, e dá um tapinha na ênfase.

"Nós fazemos", eu digo através de uma tosse, precisando de


uma razão para me afastar de Harlow e seu corpo muito quente.

“Bom, então,” Robert diz com um sorriso enorme, ainda não


sobre sua necessidade constante de tentar dominar meu sotaque.
"Não é assim que você diz isso, companheiro?"

"É, sim." Estou distraído. Eu sei que soaria, mas porra, se eu


não puder continuar pensando em outras maneiras de sair disso.

Zane Phillips não é encurralado, bajulado ou fodidamente


forçado a fazer qualquer coisa. . . sempre. Eu não consigo nem me
concentrar no que os dois estão dizendo, planejando, fodendo e
planejando, porque a cada segundo que passa, minha raiva
aumenta para o próximo nível.

Será uma dificuldade trabalhar com Harlow? De jeito nenhum.

Será que eu me ressinto com ela a cada minuto, por me


superar? Bem, é claro.

O que começou como um jogo de um para cima do outro, um


concurso, só me ferrou, não foi? Eu me fodi e não tive uma pitada
de prazer nisso.

“Robert Waze! É você?" diz uma voz da nossa esquerda, me


dando uma abertura.
"Precisamos verificar alguns conhecidos", digo a ele,
enquanto meus dedos seguram o cotovelo de Harlow, e eu dirijo-
nos para fora do alcance de todos ao nosso redor.
Capítulo Dez

Harlow
"Você está fora de sua maldita mente?" Zane rosna, quando
eu puxo meu braço de seu aperto, uma vez que nos encontramos
de volta onde eu o vi pela primeira vez, no corredor coberto.

"Não. Na verdade, acho que eu sou muito inteligente. Vim


para uma festa e garanti um novo emprego. Não foi isso que você
me disse? Que haveria oportunidades aqui, que eu talvez pudesse
aproveitar?"

“Sim, existe. Mas não comigo! Não para mim".

"O que há de errado? Você acabou de ser jogado pelo seu


próprio jogo, companheiro? Foi isso que vi acontecer. Você tenta
nos fazer um casal, então eu começo e, oops, isso cimentaria o
negócio ainda mais?” Eu dou de ombros inocentemente, em
contradição com o sarcasmo em minha voz. Eu adoro isso a cada
segundo que passa, eu posso ver a frustração crescer em sua
expressão: o estreitar de suas sobrancelhas, o tique do músculo em
sua mandíbula e a tensão em seus lábios.

"Você tem alguma ideia do que acabou de fazer?" Ele olha por
cima do ombro para se certificar de que nossa conversa não pode
ser ouvida, e nos move novamente, então estamos sob a cobertura
das sombras da noite.

"Sim, eu estava salvando sua bunda." Eu bufo. Não é


elegante, e não combina com o vestido caro que estou usando. Mas
eu não poderia me importar menos.

"Minha bunda?" Sua risada pode congelar a água, é tão


ridícula. "Eu posso lidar com a minha bunda perfeitamente bem,
obrigado."

"Na verdade, você não pode", eu digo, quando eu passo por


ele. “O que você faria, se tivesse ouvido Robert confessar que ele
não confia que você está comprometido com este projeto. Ele
estava preocupado com a sua motivação e sua crença geral nesta
empresa, como mais do que apenas um empreendimento
monetário. ”

O olhar em seu rosto me diz, que ele acredita e tem dúvidas


semelhantes. "A última coisa que eu preciso, é que você interfira
em meus negócios." Lá vem aquela máscara de arrogância
novamente. Ele desliza sobre seu rosto como um escudo de
armadura, um que esconde cada jogo de emoção que possa ser
visto.

"Por que isso? Você está com medo de que talvez Robert
tenha ouvido você tentando tomar uma decisão sobre qual mulher
aqui poderia ser sua namorada de mentirinha, para que você
pudesse puxar uma para cima dele?" Minha voz é doce e sarcástica,
enquanto meus olhos se nivelam com um brilho. "Quero dizer . . .
que pesadelo maldito".

Eu tenho a atenção dele com isso. Seus lindos olhos verdes


apareceram para encontrar os meus, e seus dedos ficam tensos no
copo em sua mão. "Harlow-"

Eu inclino minha cabeça para o lado. "Então, do jeito que eu


vejo, você me deve ."
Seu sorriso é frio, na melhor das hipóteses. “Você está
brincando com fogo".

"Não, apenas administrando a queima controlada que você


começou." Eu sei que estou sendo infantil, mas é tão bom ver a
boca de Zane ficar relaxada, nem uma única palavra suave saindo
de seus lábios. "Eu também estou salvando você de cometer um
grande erro transando com Simone, afastando sua porta-voz e
sendo pego por Robert."

"Eu sou um homem adulto, posso dormir com quem eu


quiser."

Minha risada é completa, rouca e zombeteira. “Não quando


você encontrou o amor da sua vida, você não pode. O que o pobre
Robert acharia, se descobrisse que você estava dormindo com
outra pessoa enquanto supostamente namora comigo? Eu não
acho que isso vá muito bem". Eu balancei minha cabeça
lentamente, gostando de vê-lo se contorcer. “Você não odeia que
seu próprio tiro tenha saído pela culatra? Que você tentou atirar
em ..."
"Se eu tentasse atirar em você, eu seria mais do que bem-
sucedido e você estaria de muito melhor humor."

"Não seja um idiota."

"É assim que eu sou conhecido, querida."

Nós travamos uma guerra visual, nós dois nos encarando,


enquanto tentamos navegar em nossa nova situação.

"É uma solução simples", diz ele, voz baixa, corpo na


defensiva. “Diga a Robert que você não pode mais fazer isso. Sua
mãe está doente. Seu cachorro morreu. Você tem um trabalho
maior em outro lugar. Tanto faz."

"E daí? Você pode dar o trabalho para Simone?” Eu olho por
cima do ombro para as pessoas além, e encontro a mulher que eu
tinha ouvido se gabar mais cedo. Ela é incrivelmente linda em todos
os sentidos imagináveis, cabelo, corpo, lábios e estilo. “Ela não é
aquela que estava contando a todos sobre todo o trabalho que ela
tem, e como ela mal consegue encaixar isso em sua programação
se ela conseguir o emprego? Aquela Simone? Ela vai viver, Zane. E
vou salvá-la da mágoa de ser jogada e pensar que realmente há
algo entre vocês dois".

"Você é um pedaço real de ..."

"Cuidado com o que você diz sobre sua namorada, Zane." Ele
range os dentes, e eu reviro os olhos. "Oh, por favor-"

"Você não vai calar a boca?" ele rosna.

"Não. É uma sessão de fotos e um grande negócio. É o mínimo


que você pode fazer ...”

Antes que eu possa terminar as palavras, os lábios de Zane


estão nos meus. Ele é calor, e fogo e faíscas de raiva estão em sua
língua. Eles me surpreendem momentaneamente enquanto eu
tento me segurar. . . mas inferno, o homem pode beijar.

Eu estou presa nesse estado suspenso de querer tomar uma


posição e empurrá-lo para fora de mim, o tempo todo querendo
beijá-lo de volta, e pegar o que ele está oferecendo.

E quando eu tomo a decisão, apenas quando a mão livre


desliza pelo plano nu das minhas costas, e o calor de seu corpo
penetra no meu vestido na parte da frente, ele me choca ao se
afastar de mim.

Demoro um segundo para recuperar o fôlego. Para encontrar


meus rolamentos e lembrar meus pensamentos.

"Robert, estava assistindo", ele murmura, enquanto seus


olhos perfuravam os meus. Tão inalterado quanto suas palavras
soam, seu corpo, seus lábios e seus dedos se movendo, como se
estivessem ansiosos para tocar algo completamente diferente.
"Apenas mantendo pretextos."

Aturdida quando não me atrapalho, preciso fazer algo para


consertar a confusão que sinto e nos colocar de volta no mesmo
nível. Sem pensar, cerro as mãos no colete dele, fico na ponta dos
pés e pressiono meus lábios nos dele. Eu recebo seu beijo, no calor,
na raiva, na confusão e na curiosidade.

Quando eu retiro meus lábios e respiro fundo, adoro o olhar


perplexo em seu rosto. "Apenas mantendo os pretextos", eu repito
suas palavras, com um bater inocente dos meus cílios e encolher de
ombros indiferente. Qualquer coisa, para esconder a rápida batida
do meu coração e, o fato de que eu posso ser corajosa e avançada,
mas beijar Zane Phillips assim, me deixou super nervosa.

"Sim. Claro."

Ele balança a cabeça, quase como se não confiasse em si


mesmo para dizer mais alguma coisa. Ele toma um gole de sua
bebida, e se vira para a festa que estava às suas costas. Ficamos em
silêncio por alguns instantes, quase como se não soubéssemos o
que dizer ou aonde ir depois daquele beijo. . . e talvez, eu devesse
tomar isso como um aviso para dar um passo atrás, seguir o
conselho dele e fingir um problema, para que eu não tenha que
aceitar esse emprego.

Talvez, seja o que ele queira.

"Bem. Você ganhou, conseguiu o emprego, Harlow. É o


mínimo que posso fazer por você, por me ajudar a manter Robert
feliz".

“Oh. . .sua obediência repentina me assusta". E me deixa


cética.

"Além disso, você vai sair na segunda-feira para uma turnê


promocional de várias semanas." Seu sorriso se amplia, e ele se vira
para eu ver. "Só teremos que nos encontrar uma ou duas vezes
antes de você sair, para que eu possa alcançá-la rapidamente, e
depois que você voltar. . . a distância terá sido demais para nós
administrarmos, sendo um novo relacionamento e tudo mais.”

Eu mastigo o interior da minha bochecha, enquanto nossos


olhos se seguram. "E você tem certeza de que Robert vai ficar bem
com isso?"

"Não." Ele balança a cabeça, como se não tivesse cuidado no


mundo. “Mas considerando que você está prestes a conseguir um
contrato de cento e cinquenta mil, para ficar bonita e falar muito
bem, para promover o SoulM8. . .eu acho que você vai ficar bem,
deixando Robert para baixo".

É preciso tudo o que tenho, para que meu queixo não caia.

Cento e cinquenta mil dólares. Ele acabou de dizer isso?

E aqui estava eu reclamando, sobre quanto dinheiro ele


gastou nos sapatos.

Eu olho para ele com os olhos piscando, os pés mudando e


tentando parecer legal. Mas aquele sorriso arrogante de suas
jogadas no canto da boca, sabe que vou jogar o jogo dele.

"Isso foi o que eu pensei", diz ele, os olhos vagando pelo meu
corpo e de volta ao meu rosto. "Belos sapatos." E com isso, ele sai
sem outra palavra.

Eu olho para ele. Observo ele. A maneira como suas calças


perfeitamente feitas sob medida destacam sua bunda, como o
colete abraça os ombros e o tronco largo, como sua camisa abraça
seu bíceps e o como é do sabor do seu beijo.

Não estarmos juntos, será uma coisa boa.

Tudo sobre Zane Phillips, me incomoda.

Mesmo quando estou pensando em como ele pode me


esfregar do jeito certo.

Eu me inclino para trás, contra a parede de tijolos atrás de


mim e respiro fundo. Então, me atinge: consegui um emprego. Um
trabalho real e legítimo, como porta-voz. Um que me dará mais do
que espaço suficiente para respirar por um tempo, quando se trata
de contas, empréstimos e despesas de subsistência.
Eu estou conseguindo o que eu quero. . . então, por que
minha consciência odeia mentir para Robert?

E por que eu estou desapontada que esta turnê promocional


não envolve Zane?
Capítulo Onze

Zane
"Eu tenho ideias, ZANE ."

"Ideias ?" Cristo. Ideias nunca são boas, quando são de


Robert. A última ideia que ele teve, foi para eu me inscrever e
experimentar o SoulM8 durante o teste beta, e veja onde isso me
levou.

Quando eu olho para cima da minha mesa, para vê-lo de pé


na porta do meu escritório, um sorriso está nos meus lábios. Mas
na minha cabeça, estou amaldiçoando minha recepcionista por
deixá-lo passar sem me avisar.

Ele assinou o cheque, Zane, eu me lembro.

"Sim. Grandes ideias ”, diz ele.

Suas conexões já estão valendo a pena. Escolhemos mais


cinco meios de comunicação, para ajudar a destacar o lançamento
da plataforma, atraídos para quinze novos anunciantes
patrocinados e divulgados na People Magazine para o mês que
vem, rotulado como a melhor e mais recente tendência em
namoro.

"Bom dia, Robert", eu digo, para atrasá-lo e definir o ritmo.


Meu escritório. Minha plataforma. Minha companhia. "Agora, o
que você quer dizer com você ter ideias?"

Ele se move para o meu escritório com facilidade, sua camisa


vermelha é um pouco colorida contra a madeira escura de mogno e
paredes cinza claras, e se senta na minha frente.

"Como está Harlow?"

Sua pergunta me deixa momentaneamente chocado, mas eu


respondo sem perder nada. "Ela está bem."

"E a sessão de fotos?"

"Eu estava fora da cidade durante o dia, mas acredito que


tudo correu bem também." Eu me inclino para trás na minha
cadeira e cruzo as mãos atrás da cabeça.
"O que Harlow disse sobre isso?"

"Eu não falei com ela ainda", eu digo com cautela, andando na
linha fina que eu sinto, como se ele estivesse desenhando para me
pegar na minha mentira.

"Não?"

“Não, nós dois estamos bastante ocupados, mas é Harlow. . .


como as fotos podem ser outra coisa senão lindas?” Eu adiciono
para uma boa medida. “Eu devo ter os modelos dos gráficos em
breve. Podemos analisá-los, e decidir qual caminho seguir com a
campanha publicitária ”.

“Vai precisar fazer uma declaração. Já brincamos o suficiente,


com os anúncios que usamos até agora.

"Nós vamos." Eu imagino o fundo preto sólido. A palavra


"SoulM8" aparece em uma fonte única e reconhecível, com sua
soletração inteligente – SOULM, seguida do número oito. Em nosso
logotipo, o oito é girado horizontalmente, então, parece um
símbolo infinito.

"Sexy o suficiente para trazer as mulheres, masculinas o


suficiente para manter os homens interessados."

Eu aceno, e olho para as pilhas de merda para fazer na minha


mesa. Não há tempo como o presente, para arrancar o Band-Aid e
pular direto para a dor do que quer que Robert queira fazer.

"Agora, me fale sobre essas ideias."

"Eu quero mudar o foco do nosso marketing." Sua voz é


uniforme, seus olhos me estudando por uma reação.

“Eu pensei que era disso que estávamos falando. Adicionando


Harlow como o rosto do SoulM8, tanto visualmente na sinalização e
pessoalmente nas festas de lançamento, ajudará com isso. ”

"Concordo, mas depois de pensar sobre isso na minha corrida


esta manhã, acho que nossa visão é míope."

"É isso mesmo?"

"Sim. Precisamos vender o resultado, o feliz para sempre, não


a ligação inicial ”.

"OK." Eu mastigo a palavra, enquanto espero para ver o que


mais ele vai dizer. Foda-se se isso não for difícil para mim. Para
ouvir e ter que tomar direção. Eu voo sozinho, trabalho como eu
quero e quando eu quero, então, toda essa coisa de parceiro é
besteira. . . mas eu forço um sorriso e lembro-me que o prêmio de
quatro milhões de dólares, e os direitos de se gabar valerão a pena.
“E como você pretende que façamos isso?”

“Nós destacamos um casal que encontrou o amor através do


site e nós os usamos como nossos filhos na propaganda, nossa
promessa do que é possível.”

"Robert". É um aviso. Um está falando sério? Um tiro na proa,


para ele não ir para lá.

A plataforma ainda está no modo beta. A única pessoa que


ele conhece que encontrou amor através do site, sou eu.

"Me ouça."

"Eu não quero."

"Sim, você faz." Seu sorriso, é seu próprio aviso para mim.
“Harlow é linda e inteligente. Você é bonito e bem sucedido. Vocês
dois juntos, incorporam o modelo exato de clientela que visamos:
jovens profissionais urbanos, que não têm tempo a perder nos
bares e aguardar a chegada deles. Você está com muita fome em
todos os aspectos da vida, para se sentar e esperar. Você é
empreendedor. Você é proativo. Vocês são duas pessoas que se
conheceram no site, e encontraram o amor. Que melhor maneira
de vender sua própria plataforma, do que provando que funciona?

Ele é fodidamente brilhante, e eu o odeio por isso. Eu posso


ver a campanha publicitária. Os gráficos online. Os anúncios em
revistas. O fascínio de um casal atraente, que encontrou um
relacionamento de sonho. Tudo, até a parte sobre ser o meu rosto,
que estará nele.

"Eu já configurei para você participar da turnê promocional".

"Jesus Cristo, Robert." Eu tusso as palavras, quando me


levanto da mesa e viro as costas para olhar a parede de vidro, onde
a Cidade dos Anjos está ocupada trabalhando. "Eu não posso
simplesmente largar tudo e ..."

"Sim, na verdade você pode." Quando me viro para encará-lo,


vejo o olhar fixo. Ninguém disse, que Robert Waze fez sua fortuna
por ser um ingênuo. "Sua assistente me disse que seu calendário
está bem claro e as poucas coisas que estão lá, tenho certeza que
você pode movê-las."

"Esta não é a minha única empresa para cuidar."

"É, por enquanto", afirma ele.

"Mas meu trabalho é administrar a empresa, não ser o rosto


dela."

"Não mais."

Aperto a ponta do nariz, e posso ouvir as provocações da


nossa teleconferência mensal, que tivemos esta manhã.

“Vamos, Phillips. Nada para relatar ainda? Eu já estou dando


lucro, enquanto você está aí, com seu pau na sua mão e esperando
para apostar no amor, enquanto estamos lucrando com tecnologia.
"

“Acalme-se, Kostas. Eu gosto de tomar meu tempo, legal e


devagar. Apenas como as Sheilas, gostam disso.
A voz de Robert me traz de volta ao presente. “Eu já alinhei os
três grandes, para o nosso pontapé inicial. Eles estavam mais do
que a bordo, com a menção do seu nome.

The Today Show, Good Morning USA e CBS This Morning.

Eu estou mesmo impressionado, com a linha que Robert


trouxe para a mesa, através de suas conexões.

“Eu pensei que estávamos fazendo pequenos eventos.


Conferências ”. Eu digo, tentando não parecer impressionado.

"Nós estamos", Robert diz, com um aceno de cabeça, "mas


com este novo ângulo de marketing, eu pude vender o lançamento
como uma história de interesse público. O homem rico e
inatingível, é finalmente dominado pelo amor ”.

"Dominado? Esta é a minha dignidade que estamos falando


aqui ”.

"Tudo é justo no amor." Ele pisca, e minhas mãos ficam em


punhos. “Todo esse conceito, me permitiu alinhar mais visibilidade.
As mulheres querem esperança. Elas vão olhar para você, e vão ver
é possível pegar um homem igual. . . e elas compram. Quando você
faz as mulheres desmaiar, elas vão falar. Elas falam e nós
conseguimos clientes. Clientes significa assinaturas. Assinaturas
significa— ”

"Dinheiro."

"Exatamente." Ele concorda. “E não é só isso, mas vamos


ganhar dinheiro unindo as pessoas, levando amor às massas. Agora,
tenho certeza de que podemos usar as filmagens de Harlow a partir
de hoje, mas também quero montar outra com vocês dois juntos. ”

"Boa. Ótimo" eu digo em um tom plano, incapaz de fingir


entusiasmo. "Estou sendo sarcástico, no caso de você não ter
certeza."

Ele não parece se importar. "Você me deu controle criativo,


Zane."

"Sim, cara, isso foi antes de você me incluir em parte de sua


campanha publicitária", eu faço uma piada, meia queixa e
totalmente quero me estrangular por concordar em primeiro lugar.
“Eu não sou modelo. Eu pertenço à sala de reuniões, não do outro
lado de uma lente".

"Isto é o que eu faço. Você precisa confiar em mim".

Mal sabe ele, que não confio em ninguém. Agora não. Nunca.

"Eu não estou feliz com isso."

"Eu estou ciente disso." Robert pousa no braço da cadeira, e


cruza os braços casualmente sobre o peito. “Aqui está a coisa
embora. . . Estou bem ciente de que você não precisa do meu
dinheiro, Zane. Suas contas bancárias são mais do que saudáveis.
São minhas conexões que você precisa".

"Concordo", eu digo, curioso para onde isso está indo.

“E você vai pegá-las, mas tenha em mente que não vou ser
jogado. Eu posso ser um velho, mas eu sou duro nisso, então, se
você acha que eu ia assinar o meu cheque e ir embora em silêncio,
você está errado. Eu acredito neste projeto, eu acredito em você. . .
e mais do que tudo, acredito na promessa que fiz a Sylvie. É por
isso, que estou fazendo isso. É por isso, que quero que isso seja
bem-sucedido. Então, goste ou odeie, eu estou junto para o
passeio. ”

Olá, bala. Conheça a arma. Conheça o templo.

"Eu não esperaria menos que isso." Quanto menos eu digo,


melhor agora.

"Bom", ele diz, com um aceno definitivo. “Agora, deixe-me


dizer o quanto estou extasiado, por você ter encontrado Harlow.
Ela é uma mulher adorável, com tanta dimensão. Eu posso ver
porque, você está apaixonado por ela".

"Ela é bastante, uma força a ser reconhecida."

Pena que parece que sou eu, quem vai ter que fazer o cálculo.

E, claro, uma vez que ele sair do meu escritório, o resto do


meu dia será uma merda, para ir junto com a minha manhã.

Um telefonema dos meus pais. Minha mãe entrando na linha


para reclamar do meu pai, meu pai, em seguida, ficando na linha
para reclamar da minha mãe. Então, eles desligam sem dizer muito
mais, para ter outra bebida, e sem dúvida, brigar mais um pouco.
Outro lembrete agradável do porque os deixei, na primeira chance
que tive.

Então, uma falha frustrante no programa SoulM8 apareceu, e


eu não consegui contatar o engenheiro de software para consertá-
lo. Mais um problema com uma das minhas outras empresas, uma
fusão que estava indo para o sul e eu tive que tentar salvar. Para
não mencionar, ter que lidar com uma decepcionada Simone
perguntando o que diabos aconteceu, quando eu tinha tudo, mas
verbalmente disse a ela que ela tinha o trabalho.

Adicione a isso Smudge, vomitando no tapete.

Mas e mais do que apenas isso, contribuem para o meu mau


humor.

Eu deveria estar feliz. Eu posso dormir com Simone


livremente, e claro, agora sem cruzar limites que eu não deveria
cruzar, porque era seu chefe. Bem, depois ela me perdoa por tudo.
Nossas oito horas encontram tempo para coquetéis, e me darão
uma chance para explicar.

Mas eu ainda estou com um humor de merda. É porque não


quero ficar preso a Harlow?
Cristo, nem é isso.

O problema, é que eu gosto dela. Seu bom senso, sua


capacidade de jogar comigo quando eu não sou o jogador. Seu
maldito corpo.

É por isso, que eu odeio essa ideia. Se nossas primeiras


reuniões forem uma indicação de como será essa viagem
promocional, ela vai falar o que pensa e afirmar a si mesma, todas
as chances que tiver.

Foda-se se isso não é sexy. E confuso. E tudo que eu nunca


vou ter. Tudo o que soletra, complicação. Problema. E porra, se não
vai ser difícil fingir que estou apaixonado por ela, tudo isso
enquanto quero calá-la.

"Você está bem, companheiro?" Eu pergunto a Smudge,


enquanto ele vagueia ao lado da minha mesa, grunhindo um pouco
a cada respiração que ele toma, quando o telefone toca. "Cristo",
eu gemo, quando olho para o nome no identificador de chamadas.

Cinderela.

Não é ruim o suficiente, que ela é tudo o que eu tenho


pensado? E olhado? Eu olho para as imagens na tela do meu
computador, a sessão de fotos que me foi enviada há pouco mais
de uma hora. O tempo que passo contemplando todas as maneiras
que eu poderia me divertir com o corpo dela, o tempo todo
sabendo, o caos e a irritação que ela está me causando em todos os
outros aspectos da minha vida.

É uma porra de maldição, ser um homem às vezes. O que eu


daria para pensar com o meu cérebro, sem o meu pau interferindo
e fodendo as coisas. Literalmente.

"Você não causou problemas suficientes não é?" Eu digo,


quando eu pego o telefone.

"Eu vejo que suas maneiras ainda precisam de alguns ajustes."

“Eu não sou um piano, Harlow. Eu não preciso de ajuste fino".

Sua risada é profunda e rouca, o simples som disso, me faz


pensar em seus lábios na outra noite. O desafio em sua língua. A
rendição em seu corpo, depois que ela parou de lutar contra. Isso é,
até que ela fala. "Oh, mas como você é divertido de provocar."

Foda-se, não estamos nem um minuto nessa conversa, e eu já


estou puto. "O que você precisa?"

“Boa tarde, Zane. Espero que você esteja tendo um bom dia".

"Não, dificilmente." Isso é tudo que vou dar a ela. Eu me


recuso a dar a ela, a satisfação de saber que ela é a razão pela qual
meu humor atual é uma merda. O silêncio se estende, enquanto
percorro o resto das fotos que o fotógrafo me enviou de Harlow.

A câmera a ama. Cada ângulo, de cada curva de tudo sobre


ela. De maneiras que me fizeram gastar muito tempo olhando para
elas hoje, em vez de enfrentar a merda que eu preciso fazer.

É culpa dela. Tudo isso. Não é a maneira mais fácil de envolver


minha cabeça em tudo isso?

"O que você precisa?" Eu pergunto.

"Eu preciso acessar o SoulM8."

"Por quê? Então, você pode foder isso para mim também?"

“Minhas necessidades são duplas. Primeiramente, se eu vou


promovê-lo, eu preciso entender isso. E em segundo lugar, se eu
vou vender sua mentira que nos conhecemos online, você não acha
que seria sensato eu ter um perfil e ser mais do que familiarizada
com o seu? ”

Ela tem um ponto. Merda. Meu suspiro enche a linha. "Você


não pode ficar aí parada, e sorrir?" É um comentário idiota, mas eu
sinto vontade de ficar debaixo da pele dela agora.

Ela não morde a isca. "Eu almocei com Robert, esta tarde", diz
ela despreocupadamente, fazendo-me engasgar com a minha água
e desejar que fosse algo mais forte.

"Por que você iria e faria algo assim?"

“Porque ele pediu. Porque ele queria falar de marketing.


Porque ele é solitário, e eu estava tentando ser legal. Eu não tenho
que ter uma razão e, eu com certeza, não tenho que obter uma
aprovação sua, se eu quiser ir almoçar com alguém. ”

Eu suspiro, já exausto com ela. "Devo supor, que ele lhe


contou a notícia?"

"Notícia?"

"Sim . . . que você e eu, estaremos promovendo juntos. ”


“Ah, essa notícia. Sim, Robert mencionou isso".

“E. . ?"

“E estou tentando entender como vamos administrar isso, já


que sua atitude tem um jeito de ficar no meio de tudo.”

"Deus, você é irritante."

"Então, prepare-se para ficar irritado, porque vamos passar


muito tempo juntos nas próximas semanas."

Porra. Ela está certa.

“Vai ficar tudo bem, Harlow. Vou ficar fora do seu caminho,
desde que você fique fora do meu".

Sua risada atravessa a linha, e me faz pensar, como é quando


ela vem. Totalmente inadequado, mas entre as fotos na minha
frente e seu desafio em todos os lugares, o pensamento estava lá.

"Você entende que teremos que trabalhar juntos, certo?" Ela


pergunta. "Isso torna a permanência fora do caminho, um do outro
bastante difícil."
"Sim e não. Quando temos que estar juntos, vamos estar. Nós
vamos tocar o papel. E quando estivermos longe dos olhos do
público, vamos nos afastar um do outro".

"OK." Ela fala a palavra, e fica em silêncio. "Posso perguntar o


que eu fiz para você, que está com tanta raiva?"

É a minha vez de rir. "Você forçou minha mão." De fato. Não


afetado. Honesto.

“Ah, eu entendi. Homens machões não gostam que lhe digam


o que fazer, mas não há problema que os machistas assumam, que
qualquer fêmea que passa, seja o simples passeador de cães. Uma
pessoa alugada, para fazer o trabalho sujo".

"Estamos de volta a isso?" Mulheres, e sua capacidade de


jogar na maldita pia da cozinha. Daí porque eu não tenho
relacionamentos. Ou mulheres a longo prazo, para esse assunto.

"Não. Não estamos. Era apenas. . ." Ela suspira, e parece tão
frustrada quanto eu me sinto. “De volta à ideia de marketing de
Robert. Eu acho que é inteligente, por parte da empresa, mas
também pode ser desastroso ”.
"Diga-me, como você realmente se sente", digo, sendo pego
de surpresa. Eu não deveria estar surpreso que ela está falando o
que pensa, a maioria das pessoas não fica perto de mim, quando se
trata de assuntos de negócios. Eles apenas beijam minha bunda, e
fazem o que eu digo. Mas com Harlow, assim como tudo o mais
com ela, é diferente da norma.

“Você deveria saber agora, eu vou fazer. Vender a ideia do


casal, que a plataforma funciona, é uma ideia brilhante ”.

"Então, o que parece ser o problema?" Eu pergunto.

"Eu não acho que você será capaz de fazer isso."

“Só quando eu pensei que você estava tentando fazer bonito


comigo. . ."

"Olha, Zane, você está se aproximando disso da maneira


errada, e isso mostra."

"Você é outra coisa, você sabe disso?"

“Você está vendo isso, como um negócio para ganhar


dinheiro” ela diz, me ignorando completamente “não em algo que
possa mudar a vida das pessoas”.

“Você nem me conhece. Nós só nos vimos três vezes".

“Eu já vi o suficiente, para saber que esta é uma entidade


casual para você. Eu não posso colocar meu dedo sobre isso, mas
algo está errado e é mais do que apenas o fato de que isso está fora
de sua casa do leme. Você investe em tecnologia. Em negócios.
Você nunca se interessou por algo assim".

"Alguém está fazendo o dever de casa." Eu odeio e adoro, o


fato de que ela tem tudo ao mesmo tempo.

"Eu tenho. Eu preciso entender a pessoa para quem estou


trabalhando. Qualquer empresário inteligente, faria o mesmo".

Muito mais do que apenas um rostinho bonito. . .

"E você não acha que eu posso conseguir promovê-lo porque,


por quê?"

“Porque isso parece ser um jogo, para você. Você investiu


todo seu tempo e dinheiro em algo que, de acordo com Robert, o
grupo de testes beta adorou e obteve sucesso. . . e, no entanto,
você parece tão clínico e arrogante quanto a isso".

"As empresas geralmente são clínicas".

“E essa atitude vai brilhar, para o consumidor. Poderíamos


fingir um relacionamento até o aplicativo chegar em casa, mas se
você não acredita em nós ou no produto, eles vão ver através disso.

“Então, você é psíquica agora? Capaz de ver que desastre eu


serei, antes mesmo de começar?"

"Talvez eu esteja errada . . . mas eu odiaria estar certa". Ela


fica em silêncio, e eu apenas olho para a foto dela na minha tela, e
odeio que cada parte de mim sabe que ela tem um ponto. Não que
eu vá admitir isso.

"Isso é como uma panela de barro", eu digo.

“Vamos ver sobre isso. Você sabe o que eles dizem sobre o
orgulho masculino, Zane?

"O que é isso?"

"Isso vem antes, de toda grande queda". Sua risada enche a


linha, e é tudo que ouço, antes de terminar a conexão sem outra
palavra. Mas inferno, se ela não acabou de fazer um desafio, eu
tenho toda a intenção de provar errado.

Eu farei a maldita turnê promocional.

Eu vou fazer todas as mulheres solteiras quererem estar na


plataforma, para que elas possam se apaixonar. Até as casadas.

Então, eu vou dizer a ela, que ela estava errada.

Completamente errada.

Concursos de foder.

Eles me pegam toda vez.


Capítulo Doze

Harlow
“Eu coloquei algumas camisinhas em sua mala, Mija.”

“Jesus, mãe. O que aconteceu com manter uma aspirina entre


meus joelhos?" Eu perguntei.

"Às vezes, você tem que ir para o prazer!"

"Algo está seriamente errado com você", eu disse, através de


uma risada.

"Talvez, mas como o esconderijo secreto de doces que eu


coloquei em sua mochila, eu precisava ter certeza de que você
estaria preparada."

"Haverá comida no ônibus, você sabe."

"Eu sei." Ela encolheu os ombros. "Mas também sei que vou
sentir sua falta, e esta é a minha pequena maneira de deixá-la
saber."

Eu odiava que as lágrimas queimassem meus olhos, mas eu


sabia que, se eu as deixasse mostrar, ela estaria mais preocupada
comigo do que ela já fingia não estar. "Eu vou estar perfeitamente
bem."

"Claro que você vai. Você é minha garota".

"E eu vou sentir sua falta, mais do que você sabe."

"Absurdo. Você vai se divertir muito". Quando aquele sorriso


sonhador dela passou por seus lábios, eu a arrastei com um olhar.

“Pare com isso. Nada vai acontecer. Ele é meu chefe. Ele
ainda é um idiota ... "

"Um idiota que te deu um trabalho incrível", ela corrigiu.


"Tipo como um príncipe, se aproximando para salvar o dia."

"Agora, eu já ouvi tudo", eu disse, com um revirar dos meus


olhos. "Vamos esperar que, enquanto eu estiver fora, você
encontre um homem para que possa parar de sonhar com os
contos de fadas sobre a minha vida e, ao invés disso, transformá-los
nos seus." Eu passei meus braços em volta dela e, a abracei
apertado. Nós duas fungamos, mas fingimos que não. “É só
trabalho. Isso é tudo."

"Vai ser trabalho, mas vai ser divertido."

Vai ser um trabalho, mas vai ser divertido.

As palavras da minha mãe em nossa conversa hoje, repetem


em minha mente enquanto eu respiro fundo para controlar os
nervos que zumbem através de mim.

Eu posso colocar meu corpo em exibição em lingerie.


Caminhar em uma passarela sem vacilar, ou encontrar os olhos de
uma única pessoa. Mas há algo sobre as pessoas olhando para mim,
não para as roupas que eu tenho, a tarefa de mostrar que fazem
parecer que estão mais próximas, mais reais.

É apenas o primeiro nervosismo do evento. Uma noite, e mais


cinquenta para ir. Pelo menos, ainda estamos em Los Angeles.
Minha casa, onde há alguns rostos conhecidos na multidão, todos
perguntando, sem dúvida, quando exatamente eu me juntei e me
tornei a namorada de Zane Phillips.

Com o lançamento da campanha publicitária, surgiu a


curiosidade do público junto com a atenção escrupulosa da mídia.
Como o empreendedor e quase-playboy, conhecido por ficar com o
público de Hollywood, de repente, vai do único e pronto, para se
misturar ao ferido e monogâmico?

A plateia ri e me traz de volta, resolvendo meus nervos.

Hora de ganhar meu dinheiro e convencer aqueles que me


conhecem melhor, que eu realmente estou apaixonada por ele. Se
eu puder fazer isso, o resto da viagem será tranquila.

"Por que o SoulM8 é diferente?" Zane pergunta para a


plateia, antes de deslizar uma mão ao redor da minha cintura, me
puxando contra ele e plantando um beijo casto ao lado da minha
cabeça, como se fosse a ação mais natural do mundo. "Porque
funciona."

Um riso abafado atravessa a plateia, e eu luto contra o meu


próprio instinto de endurecer quando ele me toca.

Toque a parte, Low.


"Tal coisa de homem, para dizer", eu digo através de uma
risada, e acaricio sua bochecha, antes de voltar para a plateia. O
teatro é de um bom tamanho, mas a sensação é íntima. Eu posso
ver os rostos das pessoas presentes. Homens e mulheres vestidos
com trajes de negócios, expressões intrigadas, linguagem corporal
engajada e esperança de encontrar sua alma gêmea neste mundo
agitado, brilhando em seus olhos.

"Você me quer de outra maneira?" Nossos olhos se


encontram e, por um breve momento, reconheço para mim mesma
que estava errada.

O homem pode definitivamente vender.

Ele está até me vendendo.

“Claro que não, mas precisamos explicar a essas pessoas por


que funcionou. Por que é diferente das outras plataformas
prometendo encontrar amor. Como isso poderia fazer com que um
solteiro inatingível, como você, decidisse tentar, em primeiro lugar.

"Inatingível?" Ele joga fora de mim, e faz isso perfeitamente.


“Mantenha o ego sob controle, Phillips. Precisamos de espaço
para o resto das pessoas na sala. ”

A plateia ri.

"Ela me ama. Você não pode dizer? ” Um toque brincalhão na


minha bunda, para continuar o truque.

"Na maioria dos dias." Eu aceno com um sorriso. "Agora, por


que você não explica a eles o porquê de suas decisões?"

“Eles não ficarão entediados? Quero dizer, não posso apenas


mostrar-lhes o site?”

“Eles podem fazer isso em casa, querido. Eles vieram ouvir de


nós”.

"Você pode dizer qual de nós administra o show?" Ele diz com
um sorriso tímido, que por alguns segundos, me faz esquecer que
isso é um ato. Estamos em uma sala cheia de pessoas, mas parece
que somos apenas nós dois. "O que posso dizer? Ela gosta de fazer
as regras e eu estou bem com isso.”

"E ele gosta de voar, pelo assento de suas calças."


“Mas veja, nós sabíamos disso, antes de nos encontrarmos
cara a cara. Com a inovadora tecnologia AI que o SoulM8 está
usando, nossos pontos fortes e fracos, gostos e desgostos. . . eles
foram combinados, nos dando uma taxa de compatibilidade que foi
através do telhado ".

"Se isso não foi uma transição suave, eu não sei o que é", eu
digo, com uma risada.

"Você percebeu?" Ele diz.

"Eu fiz." Ele se inclina para um beijo, e quando ele aperta seus
lábios nos meus, eu empurro contra seu peito. “Uh uh Uh."

"Veja?" Ele diz, e me dá uma sacudida de cabeça antes de


voltar para a plateia. "Nós já somos como um casal de idosos."

Mais risadas.

"Por que desisti de ser solteiro, novamente?" Ele pergunta.

"Ah, porque a recompensa - eu - vale muito a pena", eu digo,


com uma reverência brincalhona.

Ele toma uma respiração profunda dramática, para ênfase.


“Minha rainha falou. Os detalhes."

"Sim, eles querem detalhes sobre o porquê, você acha que


isso funciona."

“Bem, eu vou mencionar o termo que acabei de mencionar,


há alguns momentos atrás. AI ou tecnologia de inteligência
artificial. O uso de IA em nossa equipe, é o que diferencia o SoulM8
de outros sites. Eu poderia entrar nessa longa explicação, onde
explico cálculos matemáticos que nem eu entendo ”, ele diz,
enquanto caminha para o outro lado do palco, e toma um gole de
água antes de continuar,“ mas eu vou poupar-lhes o tédio, e dizer
apenas isso: nossos integrantes da IA estão programados para
compilar seus dados e suas interações no site, para que eles
possam conhecê-lo e, por sua vez, combiná-lo com quem
esperamos que seja sua alma gêmea ”.

"Eu sei que soa estranho, mas eu prometo a você, funciona."

"Sim" Ele me oferece um sorriso suave. “E não só funciona,


mas também. . ."

Eu o vejo trabalhar a multidão. Possuí-los realmente. Eu pego


o olho de Robert algumas vezes durante a apresentação, posso
dizer que ele está satisfeito, mas me pede para perguntar a mesma
coisa que eu me perguntei várias vezes. Por que o investimento de
Robert no SoulM8, é tão importante para Zane?

E por que, para um homem cuja carteira de investimento


parece abranger apenas ativos tangíveis, por que ele apostaria na
única coisa que você não pode tocar, questões do coração?
Capítulo Treze

Harlow
“EU custo para admitir isso. . . mas eu estava errada."

A bebida de Zane vacila a meio caminho de seus lábios, antes


de tomar um gole e olhar para mim. "Eu disse a você, que eu
poderia vendê-lo."

Eu deixo o som dos meus saltos clicando no asfalto preencher


o silêncio, enquanto penso em nosso incrível relacionamento
anterior. "Você fez."

"Talvez, da próxima vez, você pense duas vezes em duvidar de


mim."

Meus pés vacilam. Há algo na maneira como ele diz a


afirmação - o indício sutil de mordida - que me incomoda. Tipo,
como ouso questioná-lo, quando tenho todo o direito.

Talvez, eu esteja apenas cansada. Talvez, eu esteja sendo mal-


intencionada. Então, novamente, talvez, suas verdadeiras cores
estejam brilhando.

Deixe ir, Low.

"Então, é isso?" Digo mais para mim do que para qualquer


outra pessoa, quando andamos pela entrada dos fundos do teatro,
para encontrar um grande vagão-cama estacionado. O ônibus é
longo, preto e elegante, com a palavra SoulM8 maior que a vida
estampado ao lado. O ônibus da turnê parece fora de lugar no
estacionamento, e eu paro um momento para encará-lo, quase
como se eu estivesse esperando por algum deus do rock vir a
qualquer momento.

"Sim", diz Zane, seguido de um suspiro, e um movimento com


a bebida na mão. "Isso, infelizmente, é isso."

Eu não me incomodo de olhar em sua direção. Não quero que


minha alta após a noite bem-sucedida, seja arruinada pela súbita
aparição de seu mau humor. Os elogios de Robert ainda soam em
meus ouvidos, juntamente com sua descrença declarada sobre
como ele não pode acreditar que outra empresa não me pegou
como seu porta-voz, nunca querendo me deixar ir. Depois de lutar
para ser notada nessa carreira por tanto tempo, seu elogio me
enche de esperança, de que esse trabalho, possa ser meu ingresso
para mais oportunidades como essa. Adicione a isso. . . olhe esse
ônibus!

Meus olhos estão arregalados e estou mostrando minha falta


de experiência com esse tipo de coisa quando subo a bordo e
absorvo tudo. Onde é elegante e frio por fora, o interior é rico em
cores escuras, e parece caseiro. É carregado com comodidades, que
são mais agradáveis do que as da minha casa. Eu corro a mão sobre
o braço do enorme sofá de couro e entro no centro de
entretenimento, com todos os eletrônicos que consigo imaginar. A
área da cozinha tem uma mini versão de basicamente tudo, exceto,
para o refrigerador convencional. Do outro lado, fica um bar
abastecido, no que eu acho que você chamaria de copa do
mordomo.

Passando pelo o que parece ser um closet em um pseudo


corredor. Eu me assusto, quando vejo minhas roupas penduradas
ali - lado a lado com as camisas engomadas de Zane, e as calças
apertadas. Algo sobre a visão deles me faz estender a mão para
tocá-los, passar meus dedos pelo tecido, quase como se dissesse a
mim mesma que isso é real. Que eu vou estar neste ônibus em
turnê com Zane, por quase dois meses inteiros.

Eu me movo para a parte de trás do ônibus, onde eu acho


uma suíte master. Um banheiro com um chuveiro de tamanho
completo, um espaço de trabalho onde um laptop se senta e, em
seguida, uma cama king size.

Pode parecer estúpido, mas sinto-me uma adolescente tonta,


que esta será a minha casa longe de casa. É luxuoso, confortável e. .
.

E então, isso me atinge.

Meus olhos piscam para encontrar Zane, quando eu nem


estava ciente de que ele estava lá me observando em primeiro
lugar. Seu ombro está encostado na parede, os dois primeiros
botões de sua camisa estão desfeitos e sua gravata está solta e
enrolada em volta do pescoço. Mas são seus olhos que estão me
observando e esperando que tudo se registre.

"Sim." É tudo o que ele diz, com um leve mergulho de queixo,


antes de levar o copo de líquido âmbar aos lábios e olhar para mim
por cima do copo.

"Há apenas uma cama", afirmo o óbvio.

"Apenas uma."

"E há dois de nós."

"Observação brilhante."

Eu nivelo ele com um olhar, quando cada parte do meu corpo


reage de maneira diferente a esta declaração do que a minha
cabeça faz. Meu cérebro? Me diz, que isso pode ser tratado de
maneira racional. Podemos dividir o tempo no sofá e na cama, e só
lidar com isso. Meu corpo? Meu corpo se lembra da sensação dele
contra mim durante a apresentação hoje à noite, e diz que isso vai
ser uma viagem super longa.

Oito semanas.
Isso é muito tempo para ficar presa em um ônibus com um
homem, que eu não tenho certeza se eu gosto ou não.

Meu suspiro é tão pesado, quanto a tensão entre nós. "Vai


ficar tudo bem", eu digo, para tentar aliviar a situação.

"Bem? É como você chama isso?" Exasperação e irritação,


irradiam sua voz.

"Vai ficar tudo bem", repito, tentando salvar o bom humor


que eu estava no evento de hoje à noite. “

"Tudo bem ter só uma cama, se somos dois jogadores."

“Mas ter duas camas não diria nada de positivo sobre o status
do nosso relacionamento agora? Um casal apaixonado dorme
junto".

“Ding. Ding. Ding. Nós temos um vencedor”, ele diz,


condescendência entrelaçando seu tom. Ele balança a cabeça antes
de passar por mim, o corpo escovando um pouco contra o meu e se
senta na beira da cama. Nossa cama.

"Fingir que estamos juntos, não pode ser tão difícil."


Ele bufa, ironicamente em resposta.

“Quinze minutos atrás, você era perfeitamente charmoso na


frente de todas aquelas pessoas. Respondendo a perguntas. Sendo
cordial. Você esteve assim durante três horas para ser exata, e você
não sabe, deve ter atingido a meia-noite, porque você acabou de se
transformar em idiota".

"Ninguém disse que eu tinha que ser legal, quando não


estamos em público".

"Você está enlouquecendo."

"Obrigado. É algo que eu tento aperfeiçoar".

Eu cerro os dentes e respiro fundo. Tecnicamente, tudo isso é


culpa dele. Foi ele quem mentiu sobre estar em um
relacionamento. Ele foi o único que colocou essa bola em
movimento.

Mas eu não falo a verdade. Eu realmente tenho que viver com


o homem, e tanto quanto eu gostaria de colocá-lo em seu lugar, eu
não o faço, porque estou completamente exausta. Eu posso lutar
essa batalha de manhã se for necessário, inferno, eu tenho
semanas e semanas para isso, mas agora ele está bebendo e está
de mau humor. . . e eu só quero sair desses saltos e trocar de
roupa.

"Robert vai ser a minha morte", ele resmunga, e ri quando


ergue o copo e o encontra vazio.

"Eu posso dormir no sofá", eu ofereço.

"Ótimo. Perfeito. E tenho certeza de que Mick vai se


perguntar, por que esse casal novo e loucamente apaixonado
nunca parece dormir no mesmo lugar".

"Mick?"

"Nosso motorista."

Eu olho por cima do meu ombro para o banco do motorista


vazio, e percebo que não tinha pensado em haver alguém presente
para todas as nossas conversas. Nossas brigas. Nosso tudo, tudo.

“Mas ele trabalha para você. Você não pode simplesmente


mandar ele assinar qualquer coisa que diga que ele não pode falar?

"Um NDA?" A raiva contorna cada palavra que ele pronuncia.


"Certo." Eu inclino minhas costas contra a parede. "Dessa
forma, Robert nunca descobriria."

"Vamos ver . . . você trabalha para mim, você assinou um


NDA, e ainda assim, você e Robert ainda conversam sobre tudo. ”

"Isso é diferente."

"Não do jeito que eu vejo."

"Você vai parar de ser tão difícil?" Eu lanço minhas mãos para
cima. “Eu também não estou nem um pouco feliz com esse arranjo.
Eu tinha planos. Eu tinha-"

“Planos? O que você estava planejando fazer? Fazendo um


suéter entre as aparências?" Ele está à altura, e neste momento, eu
odeio tudo sobre ele. O fato de eu estar aqui. A maneira como ele
olha em sua camisa com as mangas arregaçadas nos punhos. O
perigo guerreando em seus olhos.

“Tricotando uma camisola?”

"Você está tão tensa, eu acho que você tem que fazer algo
para relaxar."
"Tensa?" Eu rio, mas depois ele lentamente desaparece,
quando minhas sinapses disparam e a cama atrás dele entra em
foco claro. “É disso que se trata tudo isso?” Eu grito e jogo minhas
mãos no ar. "Eu deveria saber. Você está chateado, porque aqui
comigo e com uma cama, você não vai conseguir dormir com toda a
cidade. ”

Sua risada não tem um pingo de humor. "Certo. Sim. É


exatamente disso que se trata".

"Ótimo. Eu vou ficar longe de você, para que você possa fazer
o que for que você faz".

"Certifique-se de fazer isso."

"Eu vou-"

O barulho de pés subindo os degraus do ônibus da turnê, me


impede de terminar meu comentário.

"Estamos prontos para pegar a estrada?"

Viro-me para ver o dono do suave sotaque sulista. Ele é baixo


e largo, e tem uma barba branca que pode rivalizar com o Papai
Noel. Seu sorriso é amplo, e sua mão segura uma xícara fumegante
de café.

"Você deve ser Mick?" Eu digo, quando dou um passo à frente


e agito sua mão livre.

“E você deve ser Harlow. Tão bom te conhecer."

"Da mesma forma", eu digo.

"Companheiro." Zane o cumprimenta atrás de mim, com um


leve aceno de cabeça.

Mick sorri para ele e depois olha para mim. “Eu carreguei os
armários com comida, e coloquei todos os seus pertences também.
O tanque de gasolina está cheio e estou com cafeína. Vocês dois
estão prontos para pegar a estrada, e seguir para o Arizona?

Nós dois murmuramos alguma forma de consentimento,


enquanto Mick caminha em direção ao assento do motorista, seu
espírito zumbindo e jovial nem perto de um reflexo da hora da
meia-noite refletido no relógio. Dentro de instantes, o motor
ressoa para a vida e o ônibus vibra em sua força.
Eu fico lá por alguns momentos. Assistir Mick passar por
algum tipo de lista mental de coisas que ele precisa fazer no painel,
me acalma um pouco.

Zane ainda é um idiota, mas estamos presos juntos. Serão oito


longas semanas caminhando em cascas de ovos, mas posso fazê-lo
por cento e cinquenta mil dólares.

Forçando-me a deixar ir por enquanto, eu entro no quarto


sem reconhecer Zane. Ele está sentado na mesa, com o brilho azul
do laptop criando uma auréola em torno de sua cabeça. Eu começo
a abrir e a fechar as gavetas do armário, para tentar encontrar o
meu pijama. Leva-me um segundo, mas eu os encontros e, em
seguida, vou para o banheiro e tranco a porta atrás de mim.

Eu tomo meu tempo removendo minha maquiagem, lavando


meu rosto e trocando meu pijama no balanço lento do ônibus,
enquanto ele faz o seu caminho pela estrada. Quando saio do
banheiro, Zane está de pé lá, no meio de puxar os braços para fora
de sua camisa.

Nós dois congelamos. Nossos olhos se encontram. Sua


gagueira sobre mim temporária, antes de recuperar a costumeira
vantagem. Congelados na indecisão, nossos olhos se seguram
enquanto ele remove a camisa e, a coloca na cama. Há um
fantasma de um sorriso.

"Você derrubou alguma coisa." Ele diz as palavras sem


qualquer emoção e, em seguida, joga algo para mim que estava
sentado na cama.

Como reflexo, tento pegar o que quer que seja e, no processo,


deixo tudo em minhas mãos - roupas sujas, sapatos, celular -
incluindo a caixa que ele jogou. Quando me curvo para ver o que é,
cada parte de mim fica vermelha.

E quero matar minha mãe, quando olho para a etiqueta dos


'trojans' na caixa de preservativos olhando de volta para mim.

Aturdida e mais do que envergonhada, eu pego tudo no chão


em um frenesi e tento enterrar a caixa de preservativos na bagunça
das roupas. Quando eu me levanto, Zane se moveu na minha
frente, peito nu, com a pele bronzeada do abdômen, bíceps à
mostra e um sorriso brincando nos cantos de sua boca.
“E eu aqui pensando que seus grandes planos entre os shows
era tricotando suéteres. . . Acho que você nunca conhece alguém,
até morar com eles. "

"Não é o que - não é o que - eles são da minha mãe."

Oh. Meu. Deus. Eu realmente acabei de dizer isso?

A risada de Zane ao redor do pequeno espaço me diz que, na


verdade, acabei de fazer. Eu baixei os olhos e olhei para trás, para a
pilha de roupas - e preservativos - e peguei minha mortificação.

Como se pudesse ficar pior. . .

"Sentindo falta de alguma coisa?" Um elevar de sobrancelhas.


Uma provocação em seu sorriso.

Eu levanto meu queixo até encontrar aquele peito nu, muito


perto, e a preta calcinha Lacey que eu tinha tirado no banheiro,
atualmente pendurado na ponta do seu dedo indicador.

Eu estava errada. Pode ficar ainda pior.

Como você pega suas calcinhas usadas de um homem e


mantém sua dignidade? É bastante impossível. Mas eu seguro meu
queixo alto, enquanto meu rosto provavelmente se transforma em
um milhão de tons de vermelho, e eu pego o pedaço de renda dele
e coloco na minha pilha.

Mais do que feita com essa conversa em que só serviu para


me envergonhar ainda mais, eu tento fugir sem qualquer interação
com ele.

Mas ele não se move. Ele apenas fica lá, com a cabeça
inclinada para o lado e aqueles olhos verdes de sua mina,
procurando. Tudo sobre ele está nublando meu espaço pessoal de
uma forma, que faz com que cada parte de mim, embaixo do meu
short de dormir e camiseta, fique mais do que ciente de tudo sobre
ele.

"Você se importa?" Eu pergunto.

"Para uma mulher que não tem problema em falar o que


pensa, uma coisinha como uma caixa de preservativos e algumas
calcinhas sensuais enrola a língua?"

"Eu te disse, eles não são meus."

"A calcinha ou os preservativos?"


Ele está amando cada segundo disso. Eu vejo isso na maneira
como ele torce os lábios. O brilho nos olhos e a expressão
presunçosa no rosto dele.

"A calcinha é minha."

"Ah, e os preservativos são da sua mãe?"

"Sim. Não." Eu solto uma respiração exasperada, odiando que


o mero vislumbre de seu peito nu me deixa toda nervosa, quando
eu não fico nervosa. Eu raramente fico envergonhada. . . e eu com
certeza, nunca fico sem palavras. "Somente . . . deixa pra lá."

"Então, quem é o cara de sorte?" O único levantamento de


uma sobrancelha, faz mais perguntas do que essas cinco palavras.

"Você pode ficar quieto?" Eu sussurro, parte avisto, quando


olho por cima do meu ombro para a frente do ônibus. Claro que a
porta está fechada, impedindo-nos de ver Mick, mas apenas saber
que ele está lá em lugares tão perto, me deixa no limite.

"Eu perguntei quem é o cara?"

"Ninguém."
"Oh, então você estava planejando ficar com alguém durante
essa viagem?" Eu começo a refutá-lo, e ele fala bem em cima de
mim. "Como exatamente você estava pensando em fazer isso,
quando você deveria estar comigo?"

A rejeição está na minha língua, mas você sabe o que?


Parafuso ele. Ele tinha toda a intenção de jogar o mesmo jogo
durante esta viagem. . . por que tudo bem para ele, e não para
mim?

O fair play está de volta.

"Talvez, da mesma maneira que eu estou mais do que certa,


de que você estava planejando fazer isso."

"E como é isso?" Ele está gostando muito disso.

“Em qualquer lugar, menos esse ônibus. Que tal isso?


Podemos pelo menos concordar que o ônibus continuará sendo
uma zona livre de vadias?

“Vadias? Eu deveria ficar ofendido com o fato de você assumir


que qualquer mulher que eu levaria para a minha cama, é uma
vadia?"
"Eu chamo isso, como eu vejo", eu desafio.

Ele dá um passo mais perto, de modo que seu estômago bate


contra as minhas mãos, e apenas a bola de roupas em meus braços
está entre nós. “Primeiro de tudo, Harlow. . . vadias não são meu
estilo. Eu gosto de trabalhar para o que recebo. Fácil, não é
divertido. Não para um cara como eu". Seus olhos piscam para os
meus lábios e depois para trás, e eu odeio como esse simples olhar,
faz as coisas para o meu interior que eu não quero que ele faça. “E
segundo, você parece ser a única segurando uma caixa de
preservativos. . . então ou você gosta de estar preparada. . . ou
você é fácil".

"Foda-se." As palavras saem antes de eu pensar


corretamente, e meu corpo vibra com raiva.

Ele se inclina e minha respiração engata quando, por alguns


segundos, acho que ele vai me beijar. Sinto o cheiro do uísque em
sua respiração, sinto o calor dele em meu rosto e lembro-me com
muita nitidez da habilidade de seu beijo na outra noite. Eu digo a
mim mesma que vou afastá-lo se ele tentar. . . e então, me
pergunto se eu realmente faria.
"Não se preocupe", ele sussurra. "Isso não faz parte deste
acordo."

"Bom."

"Bom?" ele murmura.

"Sim. Bom."

"Então, não deve ser um problema para você ficar do seu lado
da cama, e eu ficarei no meu."

"Bem." Eu não sei porque meus sentimentos estão feridos,


quando eu estou conseguindo exatamente o que eu quero dele.
Espaço. Mas . . . o que exatamente é seu lado e qual é o meu lado?

Ele permanece a centímetros do meu rosto. Meu corpo reagia


irracionalmente àquele tom de desejo que qualquer mulher normal
sentiria, ao ser encarada por um par de olhos de esmeralda e um
corpo de perfeição cortada.

"E ainda assim você ainda está de pé aqui."

"É o meu espaço também, não é?"


"Adapte-se", diz ele, com um encolher de ombros antes de
recuar, olhos fixos nos meus, e solta o cinto em sua calça.

Vá embora, Low.

E antes que eu tente me mover, as calças dele caem no chão.


Ele está lá em pé, com uma cueca boxer preta apertada em todos
os lugares certos, emoldurado por um par de coxas fortes, e meus
olhos mergulham momentaneamente para o leve rastro feliz, que
mergulha sob o cós.

Quem não olharia?

Quando olho para cima, a arrogância está gravada naquele


belo rosto dele, quase como se ele estivesse perguntando se eu
gosto do que vejo, e um sorriso brinca em seus lábios.

“Se falar sobre preservativos faz suas bochechas ficarem


vermelhas, Harlow. . . então, serão oito semanas longas para você.

“Para sua informação, é preciso muito mais do que


preservativos para deixar minhas bochechas vermelhas”.
"O que faz você corar, então?"

"Você não gostaria de saber" Eu digo, e faço um show de


olhá-lo de cima para baixo. De deixá-lo saber que estou dando uma
boa olhada, antes de dar uma sacudida sutil da minha cabeça como
se eu não pudesse me importar menos, quando a merda do
homem tem um corpo tonificado, bronzeado e tentador.

Sem outra palavra, me viro e me dirijo para a frente do ônibus


e para o sofá que está diretamente atrás de Mick. Eu tenho minhas
roupas sujas em minhas mãos, junto com a caixa de preservativos
que eu poderia matar minha mãe e todos os tipos de confusão na
minha cabeça.

Como eu não gosto muito de Zane, e ainda o acho charmoso e


atraente, e ao mesmo tempo, irritante e frustrante.

"Tudo certo?" Mick pergunta, enquanto eu deixo minhas


roupas no chão ao lado do sofá, o mais limpo possível.

"Sim. Tudo bem", murmuro, enquanto afundo no couro rico e


sinto a necessidade de explicar por que estou aqui fora, e não lá
dentro. "Eu não quero que a luz do meu kindle o incomode."
Minha explicação parece tão ridícula. Só mais uma coisa que
não faz sentido.

Mas isso parece ser suficiente para o curso hoje.


Capítulo Quatorze

Harlow
Aqui estão numerosos artigos online. Um após o outro,
acompanhado de fotos de Zane e eu no palco ontem à noite. Uma
onde ele pressionou um beijo no meu templo. Outra onde ele
estava olhando para mim com adoração em seu rosto, que é tão
crível, que se eu não soubesse diferente, eu compraria eu mesma.

Há artigos sobre o iminente lançamento do SoulM8. Um bom


começo para a rampa lenta que Robert planejou, antes de
chegarmos aos shows da manhã no meio da turnê. Outros artigos,
têm uma menção rápida sobre como o notório solteirão Zane
Phillips, e de como ele foi finalmente pego. Há algumas fotos
tiradas do catálogo da Victoria's Secret. Alguns comentários sobre
mim, mas nenhum que eu realmente me importe, desde o meu
passado está longe de ser digno de notícia ou escândalo.
A visibilidade é um benefício colateral inesperado de entrar
nesse trabalho. Eu sabia que receberia um salário, sabia que
haveria uma visibilidade adicional com a campanha, que poderia
me ajudar a conseguir empregos futuros. O que eu não esperava,
era que as pessoas tivessem interesse em quem Zane Phillips,
estava namorando.

Isso foi ingênuo da minha parte. Eu olhei para ele e li sobre


seus interesses amorosos, não tinha?

Eu continuo rolando e lendo. Existem listas de outras


empresas que Zane comprou, fez sucesso e depois vendeu. Uma
empresa de software do Vale do Silício, que lidava com o
agendamento de hospitais. Uma empresa de gadgets, que fazia
algum tipo de peça de carro. Uma empresa de hardware de
computador, que fabricava itens periféricos. Todas as empresas
compradas quando estavam prestes a falir e depois foram
revendidas alguns anos depois, com um lucro astronômico.

Mas não há menção de por que, Zane decidiu vir para os


Estados Unidos com a idade de dezoito anos em primeiro lugar.
Nenhuma referência à família que ele deixou para trás, ou à casa
que ele sente falta.

Eu clico no botão de volta no navegador, e meus olhos


escaneiam as várias imagens de nós na tela.

Nós definitivamente ficamos ótimos juntos, então, estamos


dando um bom show. Pelo menos tem isso. Porque tudo o mais, é
falso e confuso.

Especialmente, depois de como acordei esta manhã.

O arrastar de pés me tira a atenção dos artigos, e ao homem


com quem estou sempre associada. A cabeça de Zane está baixa
enquanto ele se mexe, um short azul escuro de ginástica está
pendurado na cintura, e há uma confusão de marcas de travesseiro
em suas bochechas.

O magnata dos negócios, parece um garotinho inofensivo com


quem você quer envolver seus braços.

Não se deixe enganar, Low. Ele vai ser o seu mau humor em
breve.

"Bom dia."
Zane grunhe algo incoerente e desliza um olhar para mim,
enquanto ele se arrasta na traseira do ônibus para a área da frente,
onde eu estou sentada apreciando minha xícara de café.

"Estamos no Arizona." Olho pela janela para o verde do


campo de golfe e para o bronzeado do deserto ao nosso redor, no
estacionamento de qualquer estância no qual estamos atualmente
estacionados. Eu não posso ver um sinal, mas há uma abundância
de carrinhos de golfe no verde, mesmo nesta hora adiantada.

Outro grunhido e o estalo do Keurig, quando ele o coloca no


copo.

"Você joga?"

Aqueles olhos verdes me encaram. "Você sempre fala muito


de manhã?"

Eu olho para o meu telefone pela hora. "São nove horas."

"Certo. Manhã." Ele fica de pé com impaciência, enquanto


espera o café fermentar. "É cedo."

“Então você joga? Eu sempre quis aprender, mas nunca tive


tempo para isso. Parece fácil o suficiente. Quero dizer-"

"Eu não sou uma pessoa da manhã." Ele olha para mim, por
baixo de uma mecha de cabelo que caiu sobre a testa dele.

"Bem, eu sou." Eu sorrio brilhantemente, mais do que feliz


por ter encontrado algo que vai irritá-lo.

Ele puxa seu copo para fora do dispositivo, e não posso deixar
de notar a flexão de seu bíceps, quando ele leva imediatamente à
sua boca. Seu assobio enche o quarto enquanto sua língua queima,
mas a maneira como ele fecha os olhos e saboreia o primeiro gole,
me deixa imaginando como ele pareceria saborear outras coisas.

Pare com isso. Foi apenas um Sonho.

Um sonho onde eu imaginei coisas sobre ele, que eu não


deveria imaginar. A sensação do seu peso em cima de mim. O
arranhão da barba no queixo, enquanto se esfrega entre as minhas
coxas. O calor de suas mãos, enquanto apertam meus mamilos. O
som que ele faz quando vem.

"Que tal nos afastarmos um do outro, até que eu tenha


tomado uma xícara ou três de café", sua voz grave diz,
interrompendo meus pensamentos - dele.

"Sim. Certo. OK." Eu tropeço nas palavras, enquanto tento


limpar o sonho da minha mente, que é muito mais vívido agora que
ele está na minha frente. "Quanto é isso?"

Outro gole. Outro suspiro de satisfação. "Você é


perpetuamente alegre, não é?"

"Obrigada."

"Isso não foi um elogio." Ele me olha de cima da xícara, um


aviso para diminuir a felicidade da manhã.

“E é assim que você é sempre de manhã? Mal-humorado?"

Ele acena e ajusta o cós de seus shorts, que caíram


perigosamente baixo. "Mm-hmm."

“Então, não fale, não tenha alegria, não tenha contato visual. .
. que?"

Um canto do lábio dele aparece ligeiramente. "Isso é um bom


começo."
Eu faço um som não-comprometedor, quando me viro para
olhar pela janela. Há quartetos à distância no verde. Carrinhos de
golfe são colocados aqui e ali. “Talvez, eu tenha uma aula hoje. Vá
para o driving range. Não é como se não tivéssemos tempo para
matar.

"Vá em frente."

Eu respiro fundo e percebo que estou divagando, porque não


quero perguntar a única coisa que eu queria saber, desde que
acordei esta manhã.

"Como eu me deitei na cama?"

Penso naquela sensação de espanto que tive, quando acordei


em uma cama estranha, em um lugar novo. Então, aquela
consciência súbita de respiração regular ao meu lado. O cheiro de
xampu, sabonete e homem. E então, quando tive a coragem de me
virar muito devagar, encontrando-o deitado de costas, braço
jogado sobre o rosto e lençóis puxados até a cintura.

“Eu trabalhei até tarde. Mick parou para pegar combustível”,


ele diz, rispidamente.
"O que isso tem hav-"

“Quando Mick parou para o gás, você estava aqui fora. Eu fui
o único que te levou para a cama". Ele tira os olhos do curso cênico,
para além das janelas escuras da carruagem. "Assim . . . mulligan.

"Mulligan?" Eu pergunto, enquanto minha mente gagueja


sobre a noção de que ele me levou para a cama. Não, não apenas
me levou. . . mas me carregou.

“Sim, é um termo de golfe. Você pode descobrir a partir daí".

"Então você joga?"

"Eu jogo muitas coisas." Um sorriso lento desliza em seus


lábios, antes de se virar para a parte de trás do ônibus.

Eu olho para ele. Assisto a curva de sua bunda enquanto ele


se move, incerta de como me sinto, sobre o fato de que ele me
pegou e me levou para a cama.

Eu detectei uma fenda naquela armadura rabugenta dele?

A pia bate na parte de trás do ônibus, os sons de escovação


de dentes começam, me levando para pegar meu telefone e
procurar o que significa mulligan: quando um jogador tem uma
segunda chance de realizar um segundo movimento ou ação.

Eu olho para a definição. Uma segunda chance.

Essa é a maneira de Zane me dizer que ele estragou tudo na


noite passada? Que ele estava sendo um idiota e sabe disso, então
ele me levou para a cama para chamar de uma espécie de trégua?

Fale sobre o excesso de pensamento, Harlow.

E ainda . . . ele disse isso. Ele deixou aberto para


interpretação.

Definitivamente, uma brecha naquela armadura rabugenta.

Isso não é uma surpresa inesperada?


Capítulo Quinze

Zane
Eu assisto ela.

Eu não deveria, porque a cada segundo que passa, fico mais


irado. Mais irritado. Mais tudo, quando ele coloca as mãos nos
quadris dela, para mostrar a ela como ela precisa trocá-los para
transferir seu peso, quando ela balança o taco.

Porra, golfista profissional minha bunda. Mais como um idiota


profissional, para que ele possa jogar com todos os frequentadores
do clube. As esposas solitárias que frequentam o clube de campo,
recebem um pouco mais de atenção, enquanto seus maridos
passam horas ocupados nos links.

Mas Harlow não é casada, e ela não está sofrendo por


atenção. Dezenas de pares de olhos a observam, cotovelos sendo
empurrados de um homem para outro.

Ela está usando uma calça branca imaculada, que exibe as


pernas longas e uma camiseta amarela Daisy, que abraça todas as
outras partes dela. Ela é impressionante em todos os sentidos. Mas
é o sorriso e a risada dela despreocupada, que faz as pessoas
olharem.

Como eu estou.

O que eu não consigo descobrir, é se toda essa coisa inocente


é genuína ou apenas um ato para fazer homens como eu, pensarem
nela, e trazer aquele lado em nós, que nos faz querer ser o primeiro
a conquistar e reivindicar.

"O que eu não daria para ter ela brincando com meu taco", o
homem ao meu lado diz, com um empurrão no cotovelo.

Meus punhos apertam, mas eu não respondo.

Como posso responder, quando minha mente está no mesmo


lugar, mais vezes do que eu gostaria de contar?
As mãos do profissional estão nela novamente. Seu peito nas
as costas dela quando ele chega ao redor e flanqueia, para que ele
possa ajudá-la a balançar o taco. Eles balançam seus corpos para
trás, depois para frente. Quando eles se conectam com a bola, ela
se eleva.

Harlow solta um grito de empolgação e dança um pouco para


celebrar. Seus quadris balançam, e os braços vão acima de sua
cabeça. Sua risada leva mais pessoas pararem, para apreciar a visão
na frente deles.

A única coisa que eu odeio mais do que as mãos do


profissional sobre ela, é como todos os homens que estão aqui a
observam.

Cristo, se eles soubessem que poderiam procurar fotos dela


usando lingerie online. . .

O profissional - em sua camisa polo branca, cabelos perfeitos


e sorriso tonto - faz uma tentativa desajeitada de dar a ela um high
five, e depois a puxa para um abraço comemorativo.

Foda-se, isso é o bastante.


“Harlow? Querida . . .” eu chamo o nome dela, apontando
para o bar, para o intervalo.

A cabeça de Harlow levanta e quando ela me vê, seu sorriso


se abre. “Zane! Você viu minha tacada?"

Isso é certo, filhos da puta. Ela está comigo.

Eu paro apenas dentro da plataforma. "Boa tacada." Eu olho


para o profissional e atiro uma advertência com um olhar, para
retroceder antes de voltar para ela. "Você está pronta para passar
por cima de tudo?"

"Tudo?"

Do que diabos eu estou falando?

"Sim. Para hoje à noite."

“Oh. OK." Confusão enche os olhos, antes de olhar para o


relógio na parede e depois erguer a sobrancelha. "Você quer atirar
as últimas tacadas na minha hora?"

"Não, obrigado. Eu tenho um lugar para nós no bar".


Ela balança a cabeça e sorri. Satisfeito que todas as pessoas
que estão observando sabem que ela está comigo, eu faço o meu
caminho em direção ao bar. Demora alguns instantes antes que ela
me alcance, e eu me levanto e pressiono um beijo casto em seus
lábios.

Isso foi para quem duvidou que ela estava comigo.

Ela enrijece quando nossos lábios se tocam, mas depois


parece perceber que este é o local do nosso evento hoje à noite, e
qualquer uma dessas pessoas pode estar presente.

Demora alguns instantes para que nossos pedidos sejam


atendidos e, quando o fazemos, ela volta sua atenção para mim.

"Então?"

"Então . . .o que?"

“Você disse que precisava falar sobre esta noite. Devo supor
que vamos fazer o mesmo que ontem à noite? Conversa. Flerte.
Informar. Misturar-se".

"Certo."
“Agir como se estivéssemos loucamente apaixonados.”

Eu bufo e olho para longe dela, para onde o garoto de golfe


profissional se mudou para a próxima esposa de Stepford.

"Você me confunde", diz ela, levando-me a olhar para ela.


"Você dirige uma empresa que formar casais, mas tudo o que você
diz sobre isso em particular, é uma contradição total."

“Essa é minha prerrogativa. E eu corro em muitos negócios,


esse só acontece de ser meu foco atual ”.

“E quando não for mais o seu foco? O que isso significa para
as milhares de pessoas que estão se inscrevendo e que acreditam
que vai funcionar, porque dizemos que vai funcionar? ”

"Não é problema meu."

"Isso é uma coisa de merda para dizer."

“Talvez, mas é o caminho do mundo. As coisas nesta vida


duram apenas um determinado tempo. Você gosta delas,
aproveita-as enquanto pode, e depois, lave as mãos deles e siga
caminhos separados. ”
Seus olhos se estreitaram, o avelã neles escurecendo. "Isso é
o que você realmente acredita?"

Eu dou de ombros. O que eu disse tinha seus méritos, mas


porra, se eu vou deixá-la agir como psiquiatra para ver como eu me
sinto sobre mulheres e namoro. Eu sou um homem de trinta e três
anos. Um muito ocupado. Eu não tenho tempo para compromisso.
Eu não tenho tempo para me dedicar a uma pessoa, da maneira
que eu precisaria para fazer um relacionamento dar certo. . . e
francamente, eu realmente não quero.

Crescer com minha mãe e meu pai, não pintou exatamente a


imagem mais otimista do que um bom relacionamento deveria ser.
Bater a garrafa o dia todo e todos os dias, só assim, você consegue
suportar seu cônjuge, isso me ensinou a nunca querer um.

“Terra para Zane? É nisso que você realmente acredita?"

Ela me puxa dos meus pensamentos, e por um instante eu


olho para ela, e tento encontrar minha resposta.

"Minha teoria evolui diariamente", eu finalmente digo.

“Não pense sobre isso, apenas responda." Ela apoia os


cotovelos na mesa, e me dá um olhar fixo. "Você acredita no amor,
Zane?"

"O amor é uma emoção."

Harlow levanta a cabeça e olha para mim, como se estivesse


tentando acreditar que acabei de dizer isso. Eu fiz. E é verdade.

"Não diga isso a Robert."

"Não planejei fazer isso."

Ela toma um gole de sua bebida, e depois observa os cubos de


gelo enquanto agita os canudos ao redor. "Eu não entendo."

"Pare de tentar, vai facilitar muito a sua vida." Muita


conversa. Muito conversa acontecendo aqui.

“Eu não entendo. Você é um homem rico ...”

“Ahh, o poder do todo poderoso Google. Você procurou meu


passado sórdido, enquanto estava nisso? "

Por que me incomoda se ela fez? E quanto ao meu passado,


por que eu quero me esconder dela, quando eu nunca me importei
o que as pessoas pensam das muitas mulheres que eu namorei?
Inferno, eu pesquisei sobre ela. Eu até procurei todos os homens,
cujos braços ela estava.

Ou talvez, não seja sobre os meus namoros passado que eu


não quero que ela saiba, mas sim, a vida que deixei para trás, e que
prefiro que fique fora da discussão.

"Seu passado não era nada que eu não esperava." Ela encolhe
os ombros. "Então, onde Robert entra em jogo, nisso tudo?"

“Sua contribuição monetária ajuda, mas seu valor para o


SoulM8, está em sua experiência na indústria e sua vasta rede de
conexões com a mídia.”

"Então é sua influência que você procura."

Eu tomo um gole da minha bebida, me inclino de volta na


minha cadeira e apenas olho para ela. Como chegamos aqui? Como
na porra eu estou sentado aqui, fingindo ser um casal, que se
conheceu em um site de namoro?

Maldito Kostas e sua competição..


“Sua influência? Sim. Já ouviu falar do IMM?"

Eu posso ver a confusão em seu rosto. A mesma confusão que


senti quando o conheci, enquanto tentava racionalizar que esse
homem despretensioso, era o escrupuloso homem de negócios que
fundou e construiu a International Market Media, para ser uma das
principais empresas de publicidade do país.

Ela me olha, como se ainda estivesse tentando envolver sua


cabeça em torno de tudo isso. "Você quer dizer . . ?"

"Sim, como no International Market Media", eu digo. "Ela foi


construída, possuída e vendida por um bom dinheiro, e uma boa
parte das ações são de Robert e Sylvie Waze, há cerca de quinze
anos."

Surpresa registra em seu rosto, lábios chocados em um O,


aqueles olhos dela ricos em cores brilham com fascinação. "Ele me
disse que tinha uma empresa, mas eu nunca imaginei que era
essa."

"Nem todo mundo é quem eles aparentam ser, Harlow."


Capítulo Dezesseis

Harlow
" Ei você." A voz murmurada de Zane invade minha neblina de
sono e, por um breve momento, penso que ele está falando
comigo.

Meu corpo se inclina, o carinho em seu tom soando um pouco


familiar para mim.

Ele ri baixinho, o som ecoando na escuridão do quarto, me


fazendo abrir os olhos. Eu olho para o relógio na mesa de cabeceira
vendo que são três da manhã.

Que diabos? Com quem ele está falando?

“Você gosta disso? Você? "

Eu congelo, a brincadeira em sua voz e minha consciência


súbita da luz azul da tela de seu computador me chocando e me
deixando totalmente desperta.

“Você brincou com você mesma? Você sente minha falta


fazendo isso? Hã? Parece que você pode fazer tudo sozinha? "

Por favor. Não.

"Você está brincando comigo?" Eu pergunto, mais alto do que


deveria quando me sento na cama, puxando as cobertas ao meu
redor. "Você não pode ter alguma cortesia comum e não fazer isso
quando estou aqui?"

"Fazer o que?" Ele pergunta, quando ele se vira abruptamente


para olhar para mim, sem camisa, o rosto destacado pela tela.

"Isso!" Eu digo, empurrando um dedo para a tela do


computador, que eu estou petrificada para olhar.

"Isso?" Ele ri da maneira mais incrédula, puxando meus olhos


para o que ele está apontando.

E então eu morro.

De constrangimento. De sobrecarga de doçura. Da minha


própria idiotice.
Lá na tela do computador de Zane, há uma sala com uma
cama muito grande. De pé na cama, inclinando a cabeça de um lado
para o outro, não é outro, senão Smudge.

Sim. O cachorro .

Ele está falando com o Smudge.

O grande e macho Zane Phillips, está checando seu cachorro


no canil, e falando com ele às três da manhã.

Eu devo estar dez diferentes tons de vermelho, enquanto eu


olho rapidamente da expressão confusa de Zane para Smudge,
agora sentado, esperando ouvir a voz de seu dono novamente.

"Eu sinto muito. Eu pensei, eu deveria ..." Eu paro no meio da


frase quando vejo a compreensão, clara como o dia, sendo
registrada em seu rosto.

"Oh meu Deus!" Zane joga a cabeça para trás e ri, a mão no
estômago. "Você pensou que eu estava, porra, isso é engraçado."

"Eu só vou calar a boca agora", eu digo, e caio de volta na


cama e cubro meu rosto com o edredom.
"Quero dizer, eu realmente gosto do estilo cachorrinho,
Cinder, mas isso está levando a um nível totalmente novo, que eu
nunca vou."

"Você vai ficar quieto, por favor?" Eu pergunto, minha


mortificação aumentou, com cada riff de sua risada.

"Porra, clássico", ele murmura, através de sua risada.


“Desculpe Smudge, eu amo você e tudo. . . "

E as observações do espertinho continuam, uma após a outra,


enquanto eu coloco minhas mãos sobre meus ouvidos e luto com
meu próprio sorriso.

Eu sou tão idiota.

Zane fala com seu cachorro via web cam.

Acho que preciso reavaliar minha opinião inicial sobre ele.

Qualquer cara que faz isso, recebe uma avaliação no meu


livro.
Capítulo Dezessete

Harlow
"Vamos lá, deixe-me comprar uma bebida."

Eu olho para o homem muito bonito à minha direita. Cabelos


escuros, olhos claros e um ar arrogante nele, que diz que ele sabe
disso. Que tem os olhos em mim a noite toda, independentemente
do fato de eu estar no palco com meu suposto namorado, falando
sobre o amor que encontramos no SoulM8.

"Não, obrigada." Eu ofereço um sorriso apertado, e dou um


passo para trás.

"Aquele é Zane Phillips, você sabe", diz ele, e dá um passo em


minha direção.

“Estou plenamente ciente de quem ele é. Obrigada."

“Nós corremos nos mesmos círculos. Eu sei como ele é.


"Eu sei como ele é também."

A risada do homem é condescendente. "Então você está


preparada, para ter o seu coração partido?"

"Meu coração. Meu negócio,” eu digo tão gentilmente quanto


possível, mais do que ciente de que eu estou aqui representando
uma marca, então, dizer a ele para ir para o inferno como eu
normalmente faria, não é exatamente profissional.

"Eu não faria isso com você." Ele desliza um dedo pelo meu
braço nu, e eu imediatamente dou um passo para longe dele.

"Se você me der licença, eu preciso usar o banheiro."

Saio do salão de baile do country club, e faço o meu caminho


pelo corredor. Precisando de uma escapada melhor do Sr. Forward
do que o banheiro, empurro o primeiro conjunto de portas
destrancadas e me vejo em um pátio aberto. Há bancos e grades de
concreto, onde as trepadeiras subiram pelas paredes de pedra e
entraram na treliça de madeira. Luzes de fadas brilham ao meu
redor, e é tudo que preciso agora para me dar uma pausa.

Eu fico tensa quando ouço passos e, em seguida, corto de


alívio quando vejo Zane. Nossos olhos se encontram no espaço mal
iluminado, e registro a tensão costurada nas linhas do rosto dele.

“Você vai flertar com todo a sala, Harlow? Eu acho que você
pode ter perdido alguns".

"Desculpe?" O alívio que senti momentos atrás, dá lugar a


uma raiva confusa.

“Você deveria estar comigo, lembra? Não com aquele idiota


do Miles Finlay".

"Miles Finlay?"

"O idiota que você era mais do que tagarela."

Mr. Forward?

"Não é da sua conta com quem eu estou conversando-"

“Como o inferno não é—”

"E eu estou bem ciente do que eu deveria estar fazendo." Eu


me movo, para diminuir minha repentina inquietação. “E de onde
eu estava, você parecia estar fazendo um trabalho muito bom, em
trabalhar na sala - aham, mulheres - você mesmo. Você sabe, as
mulheres com vestidos apertados e curtos, marcando todo corpo,
que eu tenho certeza, que ficariam mais do que felizes em ferrar
com sua 'namorada', se você as convidasse de volta para sua casa.
Pena que o seu lugar é o nosso lugar e, é uma zona livre de vadias.”
Minhas mãos estão nos meus quadris e minhas sobrancelhas estão
arqueadas em desafio.

"Como isso me impediria."

Não sei por que o comentário dele me pega desprevenida


como um chicote mental, mas acontece. Eu não consigo entender o
homem e preciso parar de tentar, pelo meu próprio bem.

"Você sabe o que? Isso não funciona para mim.”

"O que não?" Ele pergunta, e descarta com uma risada.

“Sua merda de Jekyll e Hyde. O todo ser legal em público e


depois ser um idiota em particular. É uma besteira total da sua
parte, então decida quem você será, para que eu possa descobrir
como lidar com você. ”

O sorriso lento que se curva em um canto dos seus lábios, diz


que ele está gostando disso, e foda, se eu não odeio um homem
que joga jogos. Eu estive com o suficiente deles, para saber que
eles deixam seu coração partido, seu orgulho ferido e você
constantemente se questionando. "Quem você prefere que eu
seja?"

Ele dá um passo em minha direção.

"Você mesmo. Quem quer que seja. "

Outro passo.

Eu não vou me mexer. Eu não vou me intimidar. Eu não vou


voltar para ele.

"Cuidado com o que você deseja, Harlow."

"O que isso deveria significar?"

Estamos no jardim com a noite ao nosso redor, nossas mentes


tentando se entender e nossos corpos a centímetros de distância.

"Nada." Ele murmura uma risada, e inclina a cabeça para o


lado enquanto olha para mim. O verde de seus olhos diz coisas que
não posso ler e não tenho certeza se quero. "Apenas certifique-se
de não confundir nosso ato com a realidade, é tudo."

"Nosso ato?"

"Que somos um casal."

"Eu não sou."

"Eu já posso ver em seu rosto."

"Ver o que?"

"E seu corpo."

"Que diabos você está falando?"

Sua língua se lança para lamber os lábios, e ele fica em


silêncio um momento, antes de falar. “As mulheres se apaixonam
por palavras, Harlow. Homens se apaixonam por corpos. "

"Você se importaria de me fazer saber do que diabos você


está falando, porque eu estou confusa e você está ultrapassando."

Ele balança a cabeça sutilmente, como você faria com uma


criança que não está entendendo o que você está explicando. “O
olhar em seu rosto esta noite, durante nossa apresentação. Aquele
que diz, que você imagina como isso poderia ser entre nós, se fosse
real. Não confunda nosso ato com a realidade. "

Suas palavras me acordam de uma maneira que eu nunca


admitiria, porque ele está certo. Eu estava pensando isso esta
noite. Enquanto ele falava palavras doces sobre mim e comentários
sobre relacionamentos, eu encontrei alguém novo que eu conhecia,
alguém mais roteirizado por ele, mas ainda me perguntava.

Para um homem que diz que não presta atenção, ele com
certeza, notou aquele deslize da minha capa.

Eu não vou deixar isso acontecer novamente.

"Assim como você, eu posso tocar esse papel perfeitamente",


eu digo.

“Uh-huh. Você pode ser capaz de enganá-los, mas não a mim.


"

"Não pense tão bem de si mesmo." Eu recuo, precisando de


espaço, odiando que ele possa ver através de mim tão claramente.

"Por que não? "


"Você sabe o que? Corte a porcaria, Zane. Você quer ser o
grande homem no campus, então seja ele. Você quer ser o que
possui e é dono da empresa. Bom, foda-se você, mas eu odeio os
dois. Você não pode ser o cara que estava no ônibus da turnê esta
manhã, e me ofereceu um mulligan? Aquele que me pediu
desculpas por ser um idiota, porque ele era um homem grande o
suficiente para perceber que ele foi um idiota e queria consertar
isso. Por que você não pode ser aquele cara o tempo todo?” Eu fico
sem fôlego, e odeio que isso torna mais difícil sair, quando ele
avança e seu peito escova um pouco contra o meu.

"Eu disse para ter cuidado com o que você deseja, Harlow."

"Por quê?" Eu levanto minhas mãos em derrota e frustração,


percebendo que essa conversa não vai a lugar algum.

“Porque esse cara. . " ele diz, quando sua mão me alcança, um
dedo traçando a linha do meu queixo, enquanto minha respiração
queima em meus pulmões. “Aquele cara iria até você, e faria isso.”

E antes que eu possa pensar em respirar, ele está em mim e


escova seus lábios contra os meus. Uma vez. Duas vezes. Meus
lábios se separam. Eles concedem-lhe acesso, assim, na terceira vez
ele desliza sua língua entre eles e ilumina cada parte de mim em
chamas.

Eu hesito e questiono, mas antes que eu possa fazer uma


pausa, ele muda o ângulo do beijo e começa tudo de novo. Lábios
macios. Barba áspera. Língua quente. Gemidos contidos.

Desejo.

Algo que não quero sentir.

Eu minto.

Eu quero sentir isso. Eu quero ceder a isso.

Mas não com ele. Não é assim. Não . . .

Bom Deus, o homem me arrasta para baixo com ele. Neste


jardim cheio de luzes de fadas e sombras escuras, há uma sugestão
subjacente de contenção sob o beijo que emociona, avisa e sugere
o que mais ele quer.

Quando ele terminar. . .


Isso é apenas um ato.

Quando ele recua e esfrega um polegar no meu lábio inferior,


como se para me deixar saber, sim, isso era real. Os lábios que
apenas me drogaram, se transformam em um sorriso malicioso, e o
brilho perverso em seus olhos me assusta e me emociona.

“E isso não é nem a metade do que aquele cara que você


quer, faria com você. . . " Ele sussurra, enquanto se afasta, ainda
mantendo suas mãos no meu rosto, quando ele olha para a porta
às minhas costas e diz uma única palavra. "Finlay ".

Ainda afobada pelo beijo, levo um segundo para registrar o


que ele acabou de dizer. O nome do cara me batendo por dentro.
Mas quando olho por cima do meu ombro, não há ninguém lá.

Finlay estava lá? Assistindo? Ou era apenas a maneira de Zane


apostar em algum tipo de afirmação invisível sobre mim, em um
ardil que está ficando mais confuso a cada segundo, mais que é
impossível separar o que é real e o que é falso.

Ele recua outro passo, agora sem me tocar.

"Finlay?" Eu pergunto, quando meus pensamentos se


alinham, apenas para conseguir uma sutil agitação da cabeça de
Zane em resposta. “Isso é tudo o que isso era? Você quer ter
certeza de entrar lá e fazer sua reivindicação, antes que um cara
que você obviamente odeia faça? Você não me quer, mas isso
significa que ninguém mais pode me ter também? Como você
ousa."

Meu coração dispara fora de controle, e essa pequena parte


de mim, que achava que ele realmente quis esse beijo - aquela que
eu continuo dizendo a mim mesma que não queria, porque não
seria o jogo dele para jogar - se esvazia um pouco.

"Você está fora de linha, Harlow."

Minha risada ecoa nas paredes de concreto ao nosso redor.


"Fora da linha? Em primeiro lugar, você não pode me dizer como
me sinto. E em segundo? Eu não sou um troféu, e com certeza, não
serei o seu. "

"Por enquanto você é, aos olhos do mundo de qualquer


maneira." Seus lábios franzem, e seus olhos me imobilizam.

"Isso é sua culpa."


“Nós dois queríamos algo do outro. Estamos entendidos.
Como eu disse, não confunda a realidade com o ato. . . e com
certeza, não confunda o cara que você quer, com o homem que eu
sou. ”

"O que isso deveria significar?"

"Cuidado com o que você deseja, Harlow."

Ele recua outro passo, nossos olhos ainda se mantêm, antes


que ele acene e então se afasta, sem outra palavra.

Uma coisa que eu estou começando a me acostumar, com ele


fazendo.

Seu jeito de dar a última palavra.

Confusão reina. Em que diabos eu me meti?

E muito mais tarde, quando estou deitada na cama sozinha,


olhando para o teto, minha mente girando sem parar, ouço o
barulho dos pés nos degraus. Eu sinto o mergulho do ônibus da
turnê enquanto ele sobe as escadas. Algumas palavras são trocadas
com Mick, que está esperando pelo retorno de Zane, para que
possamos passar para a próxima cidade. O próximo episódio de
quão confusa podemos deixar Harlow.

Com meus olhos fechados, eu rastreio os movimentos de


Zane pelos sons que ele faz, meu corpo muito mais consciente dele
agora. O estalo do telefone dele conectando ao carregador. O
clique da porta do quarto. Seu suspiro, enquanto ele fica ao pé da
cama. Eu não olho, mas sei que ele está me encarando.

Eu posso sentir isso. No peso da energia ao meu redor. Nos


calafrios que repentinamente correm pela minha pele. Na lenta e
doce dor que queima entre minhas coxas.

Meu corpo está me traindo. Está querendo algo que não


posso ter. Algo que só serve para complicar as coisas, quando elas
já parecem complicadas o suficiente.

E ainda assim, posso sentir seu olhar. Eu posso provar o beijo


dele. Eu posso ouvir as palavras que ele disse repetidas vezes em
minha mente.

O problema é que ele está certo.

As mulheres se apaixonam por palavras.


Por palavras estúpidas, como mulligan. Como essa palavra,
pode ter um traço de romantismo nela? Isso não acontece, mas ele
disse isso e eu parcialmente desmaiei com o significado por trás
dela - o que eu deduzi e como eu. . . merda, estou provando seu
ponto para ele e ele nem mesmo tentou defendê-lo.

Ele muda. A porta do banheiro se fecha. O chuveiro liga.

Todo o tempo que me resta aqui, lembro de seu beijo. Aquele


que roubou minha respiração e, é a fonte atual da minha confusão.

Eu pedi a ele para ser real. . . e então, ele foi lá e me beijou. E


me pareceu muito real.

Ele está propositalmente tentando ferrar com meu cérebro - e


corpo - porque, se esse é o caso, ele conseguiu.

O beijo foi um aviso? Uma promessa sombria? Seu jeito de


estar no controle de uma situação que eu forcei a ele? Uma
maneira de mostrar sua reivindicação em mim com uma mijada de
macho malfeita, que eu não quero fazer parte?

Ou foi apenas mais um jogo dele, do jeito que parece todo


esse empreendimento do SoulM8, de certa forma?
A porta do banheiro se abre novamente, o raio de luz
momentâneo antes de ser desligado e a sala ser novamente
banhada pela escuridão.

A cama mergulha. Os lençóis apertam meu corpo, enquanto


ele os puxa ao redor dele.

Desligue-o, Harlow.

Meu sangue zumbe, do calor do seu corpo ao meu lado.

Feche.

O cheiro do seu banho.

Ele.

Seu longo suspiro prolongado.

Fora.

Seu 'noite Harlow' é murmurado tão suavemente, que quase


acho que imaginei.

E quando o ônibus ressoa para a vida e Mick nos leva para a


próxima cidade, não importa o quanto eu tente, eu não tenho mais
certeza de que desligá-lo será possível.
Capítulo Dezoito

Zane
Ela vai ser a minha morte.

Simples e fodidamente simples.

O calor do Texas começa a penetrar no ar da manhã e, no


entanto, eu me empurro mais longe. Mais difícil. Mais rápido.

Assim como acordei querendo fazer com Harlow, deitada na


cama ao meu lado. Deite-a e foda-a com força e rápido.

Maldito Miles Finlay. O bastardo viscoso, que tenta demais


ser tudo o que não é. Eu lidei com ele nos negócios. Eu assisti ele
em cena social. A fluência é conhecida por tentar parecer, a parte
que as pessoas pensam que ele é. E ontem à noite, ele estava de
olho em Harlow.

Só de pensar no bastardo falando com ela, fazia meu sangue


ferver e cada parte de mim querer marcá-la. Reivindicá-la. Deixá-la
saber que sou eu que ela deveria querer, e não ele. Faze-la
perceber que eu sou muito melhor do que ele, quando ela nem
sequer parecia interessada para começar.

Mesmo quando eu continuo dizendo a mim mesmo, que eu


não a quero em primeiro lugar.

E é claro que eu peguei a porra da isca e a beijei.

Foi um movimento de pau da minha parte?

Claro que sim.

Eu faria de novo?

Em um maldita batida de coração.

Eu verifico os dois caminhos na estrada, atravesso-o e, em


seguida, me empurro pela trilha plana e reta que acompanha a
rodovia. Eu deveria estar olhando para as árvores verdejantes ao
meu redor. Eu deveria parar, e olhar para o tatu bamboleando a
poucos metros de mim. Eu deveria usar o exercício para limpar a
minha maldita mente, mas não importa o quanto eu tente, ele
continua voltando para a pessoa que eu não quero estar pensando.

A única pessoa que eu não deveria querer, mas ainda assim,


porra. Quero dizer, olhe para ela. Ela é linda quando está vestida ao
máximo - classe e sutil sex appeal, que é como uma maldita canção
da Sirene para um homem como eu. . . mas é a mulher de quando
estamos sozinhos no ônibus da turnê, que porra me faz entrar.

Sem maquiagem. Cabelo bagunçado. Seu corpo sob um top


simples e shorts. Simples, mas devastador para minha libido.

Eu não pude lidar com outra manhã de sair para vê-la sentada
no sofá, xícara de café na mão, lábios nus, olhos nus, corpo ainda
quente por estar aconchegada na cama ao meu lado.

Eu estou acostumado a fingir. Eu não estou cego pelos


babados, mas eles são tipicamente o que eu recebo, dia após dia.
Uma mulher tentando me agradar em todas as chances que ela
recebe porque, tudo o que ela quer, é ser vista comigo. Minha
reputação está lá fora. Eu sou um dador de série. Não há vergonha
nisso. Mas me dê real e vulnerável como Harlow, é quando ela olha
para mim, quando estamos fora do olho do público, e foda, se eu
não estou querendo tirar proveito disso e dela, em todos os
sentidos possíveis.

Isso não deveria acontecer.

Como não em todos.

Eu não deveria estar nessa turnê. Eu não deveria estar preso


com ela. Eu não deveria querer ela, como eu quero.

Uma coisa é tê-la em um vestido elegante, onde estou


morrendo de vontade de saber o que há por baixo. . . mas na
verdade, é que saber, é de alguma forma pior. Ter que vê-la
naquela pequena camisa e shorts apertados, e querer provar,
lamber e foder.

Isso é meu inferno. Minha tortura, por ser homem. Por querer
uma mulher. Minha penitência por mentir para Robert, e meu
castigo por ser quem eu sou.

Estou tão fodido.

Como um duplo fodido sem fim, ou prazer à vista.

Eu deveria ter dormido com Simone, antes de sairmos. Eu


deveria ter aceitado as dicas que ela estava me oferecendo, quando
nos encontramos para beber outra noite. Talvez, isso teria ajudado.

Talvez, isso me satisfizesse.

Um pote de merda, companheiro. Isso não teria resolvido.


Não quando você estava olhando para Simone, mas pensando em
Harlow.

A diferença é que, se tivesse sido Simone, tudo teria sido fácil.


Muito fodidamente fácil.

O jeito que ela arrastou a ponta do dedo sobre a clavícula,


para direcionar o meu olhar para seu decote, como se eu não
pudesse perdê-lo. O jeito que ela deslizou o dedão de seus saltos
altos para cima e para baixo na frente da minha canela, debaixo da
mesa. O jeito que ela bebeu um gole, e explicou que ela não tinha
um reflexo de vômito.

E tudo que consegui pensar o tempo todo, era que aquilo, ela,
tudo sobre ela era muito fácil. Sempre dizendo a coisa certa.
Sempre perfeita no posicionamento, na maneira como ela fazia
beicinho, na sugestão que dava a cada insinuação que ela me dava.
Nem uma vez ela jogou a mão no quadril e me disse como
era. Nem uma vez ela discutiu, ou desafiou ou me chamou no
tapete.

Fodida Harlow.

É tudo culpa dela. Isso. O passeio. Eu querer ela. Tudo isso.

E é por isso que estou correndo agora. Empurrando-me pelas


ruas de Austin a um passo, eu não corro. Esgotando-me para que
quando eu voltar para o ônibus da turnê, eu não faça a única coisa
que eu não consegui parar de pensar nesta manhã.

Foder ela. Levá-la para a cama, e terminar o que aquele beijo


entre nós começou, na noite passada.

Porque Harlow Nicks significa problemas para mim, em todos


os sentidos da palavra. Ela tem todos os meus fios cruzados. E ela
me fez hesitar em passar por cima de uma linha, que achei que não
seria fácil de atravessar: dormir com ela.

Mulheres como Simone, querem uma coisa: sexo, o poder


que vem com o sexo e a visibilidade para sua carreira, que vem
sendo associada ao meu nome. Isso é fácil pra mim. Eu posso dar a
ela, ou a qualquer uma isso. É seguro, e claro, deixa minha
liberdade intocada. E meu coração também.

Não, eu prefiro um simples caso de coçar a coceira, e vou


coçar a sua volta.

Ou lamber. Lamber é sempre uma boa maneira de retribuir o


favor.

Mas com Harlow, é diferente. Ela não está impressionada com


nada disso. Ela achava que o jogo era legal - é muito foda doente -
mas eu? Ela não está impressionada com nada, quando se trata de
mim.

Isso é diferente para mim. Não é o mundo que conheço. E


foda-se se eu sei o que fazer com isso, além de ficar bem longe.

Porque, se há uma coisa que os caras fazem melhor do que


bater no peito para ganhar um concurso, é ficar o mais longe
possível de algo que os assusta.

E Harlow assusta o inferno fora de mim.

Meus pés vacilam quando eu corro para o estacionamento, na


parte de trás do centro de convenções. O ônibus está lá e, a
silhueta de Harlow está enquadrada nas janelas escuras da área da
cozinha. Ela está de pé, trazendo uma caneca de café aos lábios, o
cabelo empilhado em cima da cabeça, chamando-me exatamente
como o som de seus roncos suaves, esta manhã.

Bem vindo ao inferno, Phillips.

Onde a tentação é quente pra caralho, as consequências são


condenatórias, e os pecados estão na ponta dos dedos, esperando
para te queimar.
Capítulo Dezenove

Harlow
" Como vai, Mija?"

Ouvir a voz da minha mãe, traz uma súbita onda de saudade


que eu não esperava e lágrimas queimam a parte de trás dos meus
olhos, apesar do sorriso nos meus lábios. "Está indo. É muito
diferente do que eu esperava e, ao mesmo tempo, sinto que é o
que eu devo fazer ”.

“Eu tenho visto os anúncios. Teve um na revista People,


ontem."

"Teve?" Eu pergunto, me sentindo estupidamente feliz com


isso.

"Sim. Foi uma ótima foto sua e de Zane. Sexy e deslumbrante,


até me fez pensar, que eu poderia me inscrever no SoulM8. ”
"Você não iria."

"Por que não? Eu posso ser mais velha, mas ainda tenho
peças que funcionam e um príncipe esperando, para me encaixar
um sapatinho de cristal".

"Mãe." Minha risada preenche o ônibus.

"É verdade. Não há vergonha nisso.” Eu posso ouvir a ruga de


papel, do outro lado da linha. Quase como se ela estivesse abrindo
a revista, e olhando o anúncio novamente. “É um anúncio de
página inteira também. Mostrei a todos, na fila do supermercado. "

"Oh Deus."

"Eu fiz. Eu também comprei todas as cópias que eles tinham.

"Você não fez."

"Eu fiz também. Eu não vou deixar a grande oportunidade do


meu bebê passar, sem documentar. ”

"Eu tive oportunidades antes." Vamos esperar que, desta vez,


a visibilidade realmente se concretize, e mais empregos apareçam
por causa disso.
"Você teve. Mas desta vez, eu sei que vai ser o único, Low. Eu
posso sentir isso em meus ossos."

"Você tem que dizer isso", eu digo através de uma risada.


"Você é minha mãe."

"Você me conhece melhor que isso. Eu lhe digo apenas


verdades. Esse é o meu trabalho."

"Verdades e contos de fadas", eu digo, com uma risada.

"Você nunca é velha demais para um conto de fadas, Mija."

"Oh, por favor."

Ela solta uma série de palavras em espanhol, dizendo que eu


sou louca e isso me faz sorrir. E sinto falta dela.

"É bom ouvir a sua voz", eu digo baixinho.

"Você está com saudades de mim?" Ela pergunta, em seu tom


de mãe.

"Sim. Eu estou. Está . . . "Eu olho ao redor em o que meu


mundo agora consiste, é longo para dizer a ela a verdade.
Confinado. Surreal. Confuso. "É uma experiência", eu digo.

“Diga-me que ele está te tratando bem. Que ele não está te
pressionando, para fazer coisas que você não quer fazer".

"Não", eu rio, encobrindo o fato de que ele pode não estar


me pressionando, mas me atormentar, é outra história. "Ele é um
cavalheiro." Exceto quando ele me beija sem sentido uma noite, e
depois, nos próximos dias apenas grunhe palavras para mim, a
menos que estejamos em modo de promoção. "Ele está confuso."

"Os homens sempre são, Mija."

“Ele é. . . "

"Você gosta dele."

"Por que você diz isso?"

"Porque eu sou sua mãe, e sei dessas coisas."

"Eu não gosto dele", eu digo, talvez apenas para me


convencer. “Quero dizer, são apenas seis dias. Não é muito tempo,
para saber se eu gosto de alguém ou não ”.
"Então, você não tem certeza se gosta?"

Eu suspiro. “Trabalhamos bem juntos. As pessoas acreditam


na história que estamos vendendo. "

"Eu não disse a uma alma de outra forma", ela diz


espontaneamente, e imediatamente me preocupa, que ela conte a
verdade a um dos membros de seu grupo de dança salsa. Deixei o
silêncio cair na linha, como um aviso sutil para ela. “Eu prometo,
Mija. Eu não quero estragar isso para você".

"'Okay."

"Então, o que é isso que está incomodando você?"

"Eu não sei", eu penso, enquanto me levanto e espio as


janelas, para além do mundo. Árvores exuberantes me cercam,
galhos balançando na brisa, enquanto as nuvens acima estão
diminuindo a mudança no céu. “Eu não posso ler nada sobre ele. Eu
não sei o que ele realmente sente por mim… ou o que eu sinto por
ele .. ”

“E quando ele te beija. . . "


“O que você quer dizer quando ele me beija? Como você sabe
o que ele faz? " Eu pergunto, minha mente imediatamente voltou
para a outra noite em Austin, no jardim, e no beijo, que nunca está
muito longe da minha mente.

“Há fotos postadas online. Parece que ele é carinhoso,


durante as apresentações. Sempre beijando sua têmpora ou
tocando suas costas. . . então, eu me perguntei como isso faz você
se sentir".

“Realmente não importa como isso me faz sentir, para ser


honesta. Acaba sendo parte da jogada, porque passamos muito
tempo juntos. Estou aqui para fazer o meu trabalho, e qualquer
coisa que eu deveria estar fazendo com ele, além disso, não vale a
pena pensar".

“Mija, você acabou de falar em um monte de círculos, para


tentar me tirar da trilha. Você gosta dele. Eu sou sua mãe. Eu não
posso ser enganada."

E ela está certa. Eu faço. Em um momento enlouquecedor e


sexualmente frustrante, eu me pergunto como ele é na cama.
"Mãe", eu aviso, não querendo que ela force aqui.

"O que há não para gostar dele, então?"

Minha risada soa, e é atada com sarcasmo. “Talvez, porque


ele é como David, Linc e em seguida Rhett, eu só não posso fazer
isso comigo mesma novamente. Em algum momento, eu tenho que
aprender que não posso ser a segunda, para o ego de um homem.”

“Low. . . todos os homens são assim, de uma forma ou de


outra. O ego deles, é parte da razão pela qual somos atraídas por
eles. Confiança é sexy. Estar seguro em seu lugar no mundo, é algo
que gostamos de saber que nosso parceiro é. Não é uma coisa
ruim, achar isso atraente. Nós gostamos de um homem com um
lado do ego. Isso é atraente, o que não gostamos é um ego com um
lado do homem ”.

"Você pode parar, de fazer sentido agora."

“Vocês são duas pessoas jovens e solteiras. Claro que vocês


vão se sentir atraídos, um pelo outro. Isso é natural. Explore isso ou
não explore isso. Mas faça o que fizer, sabendo que é
perfeitamente possível se perder em um homem, sem se perder no
processo. ”

"Mãe. Nossa. Eu não estou procurando por um


relacionamento". Eu digo as palavras, mas a romântica que ela
incutiu em mim, escondida no fundo, se pergunta como é Zane
Phillips nesse sentido. Ele diz que o amor é uma emoção. . . a
questão é, ele acredita nisso?

"Então, basta procurar um pouco de diversão."

"Eu não vou dormir com ele, mãe."

Sua risada é rica, quando enche a linha. "Está bem então. Só


continue dizendo isso a si mesma. . ."

"Eu vou", eu digo, defensivamente.

“E viva o agora.”
"Muito obrigada ..." Albuquerque? Austin? Houston . . . as
cidades giram juntas e misturadas com as luzes quentes do palco,
levo um segundo para terminar. "Houston", eu digo.

Zane ri do outro lado do palco. "Houston, nós temos um


problema." A plateia ri de sua brincadeira, com minha gafe óbvia.

“Eu nunca soube como os músicos podiam se atrapalhar com


onde eles estavam, mas agora eu entendo. Nós estamos nessa
turnê por uma semana agora ... "

"Não vamos dar todos os nossos segredos do quarto, agora."

"Oh, por favor." Eu rolo meus olhos, e ganho a risada.

"Resistência, baby." Ele pisca, enquanto se dirige para mim.

"Não vamos anunciar falsamente agora", eu digo, surpresa


quando ele anda atrás de mim, e coloca as mãos nos meus quadris.
"SoulM8 irá ajudá-lo a encontrar uma conexão, não lhe dar
resistência."

"Eu posso ver isso, como um novo slogan."

Outra risada da plateia.


Outra pressão de seu beijo no meu templo.

"Você está linda esta noite", ele murmura em voz baixa, o


calor dela batendo no meu ouvido.

Outra agitação na minha barriga não pelo simples, mas pela


roteirizada demonstração de afeto.

Mas isso foi roteirizado? Era um momento que ele queria que
o público escutasse o microfone, para que as mulheres pudessem
desmaiar, ou foram sinceras, e ditas apenas para mim, de modo
que eu silenciosamente desmaiei?

De repente, nervosa e sentindo como se toda a sala estivesse


olhando para mim, enquanto eu tropeçava em pensamentos que
não têm lugar na minha cabeça, eu limpo minha garganta e me
recomponho. "Vamos abrir isso para perguntas, Romeu, antes que
você prometa demais e entregue."

As perguntas gerais vêm uma a uma: a verificação dos


candidatos, verificações de antecedentes, verificações de
segurança, mais explicações sobre o que exatamente nossa
tecnologia AI faz, garante. Espero que a mistura comece um pouco
depois. Normalmente, começa com os homens fazendo perguntas
sinceras para Zane, as mulheres para mim. Então, em algum lugar
ao longo da linha, as mudanças demográficas - tipicamente uma vez
que o álcool afundou, então, estou cercada por homens e Zane por
mulheres.

Mas algo é diferente nesta noite. Zane não sai do meu lado.
Sua mão permanece em algum lugar do meu corpo, o tempo todo.
Tocando. Reivindicando. Deixando todo mundo saber que eu sou
dele.

É tão fofo quanto chato, e não posso deixar de me perguntar


se toda a situação de Miles Finlay o fez pensar duas vezes, antes de
deixar que as fileiras cheias de testosterona e de álcool me
encostassem em um lado da sala sozinha.

Você está linda esta noite.

Mas é esse comentário aí mesmo, o que me tirou do meu


caminho e ainda me faz pensar sobre isso, o que me faz pensar se
alguma outra coisa está acontecendo aqui.

Ele ri com a mulher à nossa direita. Ela é rechonchuda, loira e


genuinamente legal. Certo ou errado, eu a odeio
instantaneamente.

Demoro um segundo para registrar, que é inveja. Desejo de


que Zane pare de prestar atenção, mesmo quando sua atenção é
completamente benigna, em primeiro lugar.

Espere um minuto. É assim que Zane se sentiu na outra noite,


quando me viu com Miles Finlay? É este o seu jeito sutil de me
mostrar como é, e esfregar meu rosto nele?

Eu olho para ele e ele olha para mim com um sorriso suave,
antes de olhar de volta para a loira.

Jesus, Low, pegue um aperto. Você está perdendo sua mente


aqui. Isto não é quem você é. Você não se importa se ele a acha
atraente, desde que ela não acabe na sua cama compartilhada.

Mas eu me importo.

Mesmo quando não quero.

Você está linda esta noite.

Essas palavras repetem em minha cabeça, me dizem


claramente que ele estava certo na outra noite. Estou começando a
acreditar que esses pequenos detalhes dele, significam alguma
coisa. Estou começando a pensar demais em suas intenções, com
todos e cada um. Estou começando a me apaixonar por palavras,
quando não tenho nada a fazer.

Faz apenas uma semana, e preciso de um pouco de espaço


dele. Esse é o meu único pensamento enquanto eu pego algumas
coisas - roupas, escova de dentes, produtos para o rosto - do ônibus
da turnê, e as coloco em uma sacola. Esta noite é uma das poucas
noites de repetição que temos em uma cidade, então, eu vou
aproveitar a oportunidade e conseguir um quarto no hotel onde
estamos estacionados.

Eu abro a porta do ônibus e estou prestes a sair, quando fico


cara a cara com Zane. Ele olha para a bolsa enorme em minhas
mãos, e depois olha para mim, com confusão gravada em seu rosto
bonito.

"O que você está fazendo?"

"Eu não estou me sentindo bem", eu minto. "Eu tenho um


quarto no hotel, para que eu não fique doente."

Zane torce os lábios e a pergunta em seus olhos é implacável.


"Você está doente?"

"Sim. Dor de garganta. Febre ligeira. Dor de cabeça." Pare de


falar ou ele não vai acreditar em você.

"Uh-huh". Ele acena com a cabeça, mas seu tom evasivo me


diz que ele não acredita em mim. Ele fica ao pé dos degraus para
que eu não possa sair.

"Você se importa?"

"Quem é o cara?"

"O que?" É a última coisa em minha mente e, então, fico


confusa quando ele pergunta.

"Você está deixando uma cama perfeitamente boa no ônibus


da turnê, para uma em um hotel, então, só posso supor que você
encontrou alguém para a noite."

Eu juro que devo piscar uma centena de vezes, enquanto


tento processar o que ele está dizendo. Uma parte muito pequena
e infantil de mim, quer concordar com ele e dizer que sim, estou
me encontrando com outra pessoa. Algo, qualquer coisa para
liberar essa súbita tensão entre nós, que é uma constante, sempre
que nos aproximamos.

Mas tudo o que posso pensar é que, se eu lhe disser que sim,
então, não abre a porta para ele fazer o mesmo? A agitação no meu
estômago com o pensamento, me faz calar a boca.

E reafirma que eu realmente preciso de um pouco de espaço,


para limpar minha mente.

"Desculpe deixá-lo para baixo, Zane, mas não há mais


ninguém." Eu engulo o nó na garganta. “Não estou me sentindo
bem, e estamos nos negócios um do outro nos últimos seis dias. .
.Eu pensei que talvez pudéssemos usar um pouco de espaço, já que
é uma das únicas oportunidades que teremos. Eu não sei, só para
não ficarmos nervosos ou algo assim. ”

O verde de seus olhos queima através da noite mal iluminada,


e eu posso ver a luta neles, para decidir se ele acredita em mim ou
não.
Isso por si só, deveria me irritar. O fato de eu querer que ele
acredite em mim, quando na realidade não é da conta dele o que
estou fazendo com meu tempo pessoal.

E ainda assim, quero que ele acredite em mim.

Não quero que ele pense que estou com outra pessoa.

"Deixe-me levá-lo até o hotel", ele diz suavemente, enquanto


se afasta para que eu possa desembarcar do ônibus.

"Estou bem. Você não precisa. Tenho certeza de que você


está cansado. "

Por que estou de repente tão nervosa?

"Estou andando com você."

E nós fazemos, andamos em silêncio pelo estacionamento até


a frente do hotel. Ele me acompanha até a entrada iluminada.

"Deixe-me entrar e colocar o quarto em nossa conta para a


noite."

"Isso não é necessário, mas obrigada." Eu estendo a mão e


coloco a minha em seu peito, para detê-lo. "Eu já reservei."

"Então eu vou ligar para o meu contato e cuidar dessa


maneira." Ele me dá um sorriso apertado, e pela primeira vez, eu
posso ver como ele está cansado. Meu primeiro instinto é estender
a mão e tocar sua bochecha, então percebo o quão estúpido seria,
quando ele é Zane intocável, meu chefe, um jogador e eu sou eu -
confidente demais, desequilibrada e confusa.

Pelo menos eu sei, que ele não dorme mais do que eu. Todo
esse dormitório na mesma cama, onde eu estou tentando não me
mover a noite toda, então, eu não acabo acidentalmente me
aconchegando ao lado dele no meu sono, está tendo um efeito
similar sobre ele também.

"Obrigada, Zane."

"Deixe-me levá-la ao seu quarto?"

"Não, eu estou bem. Isso foi gentil o suficiente". Eu olho para


os meus dedos mexendo com a alça da minha bolsa, e odeio como
a sua presença está fazendo meus nervos dançarem ao redor.

"Espero que você se sinta melhor."


"Tenho certeza que não é nada."

Quando olho para trás, Zane está bem ali, na minha cara,
segundos antes de seus lábios apertarem levemente a minha
bochecha, e ficarem lá. "Tenha uma boa noite de sono, Harlow", ele
murmura, em meu ouvido.

"Sim." Minha voz está sem fôlego. Meu coração está


acelerado. "Você também."

É só quando ele fica a cerca de dez metros de distância, que


eu respiro novamente. Suas costas fortes são largas contra a
escuridão da noite. Mangas da camisa enroladas até os cotovelos,
calças feitas sob medida abraçando o traseiro perfeitamente e a
prata do relógio refletindo as luzes do estacionamento. Eu o vejo
caminhar em direção ao ônibus, até que não posso mais vê-lo.

E então, eu olho para ele mais um pouco.

Isto não é bom.

Não as borboletas súbitas na minha barriga. Não aquela dor


ardente entre minhas coxas. Não eu querendo seguir atrás dele.
Isso não deveria acontecer. Eu gostar dele. Eu racionalizando
comigo mesma, porque seria bom dormir com ele. Estamos presos
no mesmo ônibus de turnê por semanas a fio, afinal. Dois adultos
solteiros e atraentes. Seria apenas a progressão natural das coisas.

Nunca é uma coisa boa, quando começo a justificar minhas


ações, antes de agir sobre elas. Ou esqueço as razões pelas quais eu
não deveria gostar dele - seu ego, seu humor, seu privilégio.

Nunca.

E ainda sim.

Entre no hotel, Low. Obtenha seu espaço.

Limpe sua cabeça.


Capítulo Vinte

Zane
Eu não consegui dormir .

Não é porque Harlow não está aqui. Não poderia ser.

E ainda assim, ela é quem eu estou pensando enquanto estou


no chuveiro, com meu pau na minha mão. A água quente. O
sabonete liso. O pensamento dela deslizando sobre o meu pau com
os dedos pressionados contra o meu peito, seios saltando quando
ela paira acima de mim, e aquele som suave de lamento vindo do
fundo de sua garganta, como ela fez quando eu a beijei na outra
noite.

Não é o que eu quero - minha mão - em vez do calor de sua


boceta, mas foda-se se eu vou levá-la, porque dormir ao lado dela
noite após noite, é o suficiente para testar um homem.
Ainda pior, não dormir ao lado dela na noite passada, me fez
pensar nela sem parar.

Ela estava realmente sozinha, ou ela estava colocando os


preservativos que ela trouxe em uso?

Eu empurro o pensamento da minha mente, e me concentro


nela. Os seios dela. Sua bunda. A voz dela. Imaginando como ela se
sentiria.

E quando eu gozo com um gemido que enche o pequeno


banheiro, não chega nem perto de me satisfazer.

Em. Todos.

Cristo. Essa merda é uma porcaria. O pensamento


permanece, enquanto eu esfrego uma toalha no meu cabelo, em
seguida, envolvo em torno da minha cintura para que eu possa
deitar na minha cama e olhar para o teto. . . limpar minha cabeça?
Não. Pensar nela? Vejo através do nevoeiro da minha ressaca, que
perdura desde a noite passada, quando me empoleirei no bar do
hotel, na possibilidade de que talvez Harlow estivesse mentindo
para mim. Que talvez, ela estivesse se encontrando com alguém, e
eles viriam ao bar onde eu estava.

Sim, é tão ruim assim.

Pior ainda eram as mulheres se esgueirando ao meu lado no


bar, procurando muito mais do que as bebidas que estavam
insinuando para eu comprar. Normalmente eu compraria,
conversaríamos e sairíamos de lá, mas por alguma razão, eu não
estava interessado.

Harlow está me fodendo, e nem sabe disso.

Eu gemo de novo, e definitivamente não é porque estou


voltando a pensar em Harlow.

Como diabos eu fiquei nessa situação, em primeiro lugar? É


tudo culpa do Kostas. Não é assim que sempre foi?

Eu penso em nossa viagem. Para as noites cheias de amigos,


álcool e talvez um pouco de dificuldade. À aposta que todos
fizemos.

"Estou entediado."
Eu olho para Kostas. Ele se recostou na cadeira com o cabelo
na altura dos ombros caindo do rabo de cavalo e no rosto, uma
fileira de garrafas vazias de cerveja está diante dele na mesa. Ele
tem aquele olhar em seus olhos, que me diz que ele está
procurando por problemas.

Não será a primeira vez que vejo essa expressão. Tenho


certeza de que não será a última também.

"Seja o que for que você está pensando, eu estou fora,


companheiro", murmuro, observando que o meu comentário puxa o
foco de Enzo, longe da mulher de cabelos negros do outro lado do
pátio ao ar livre, que é onde estava a sua atenção nos últimos
minutos.

"Uh-oh", diz Mateo, o raspar de sua cadeira no concreto


abaixo de nós. “Da última vez que você ficou entediado, acabei
assumindo o peso disso.”

"Isso foi há dois anos." Kostas diz, com um revirar de olhos.


"Munaki", ele murmura, chamando-o de boceta em sua língua
nativa.
"A prisão é uma prisão", diz Mateo, mas seu sorriso desmente
seu tom firme de voz.

"Vamos lá. Foi uma mistura. Você não passou mais de trinta
minutos atrás das grades.

"O que você está pensando?" Enzo corta a luta que Kostas e
Mateo, estão decididos a fazer.

"Estou entediado", repete Kostas. “Eu preciso ser desafiado.


Eu vou ao escritório todos os dias e, é a mesma merda de sempre.
Eu quero descobrir alguma coisa. Eu quero criar algo e fazê-lo ter
sucesso. ”

"Você pode tornar qualquer coisa bem-sucedida, quando joga


dinheiro sem fim nisso", conta Mateo.

"Eu sei do que ele está falando", Enzo fala. “Sinto falta
daquela emoção da perseguição. Quando meu Nonno me
encarregou de adicionar um novo mercado ao vinhedo, senti que
podia respirar de novo. Era novo. Foi diferente. Não era a mesma
coisa que no dia a dia é besteira".

Eu odeio que eles apenas colocam palavras, para como eu


tenho me sentido ultimamente. Entediado. O dia a dia não possui
nenhum tipo de desafio, como aconteceu no começo. Nós tínhamos
sucesso no mundo dos negócios. A agitação acabou.

A brisa do Mediterrâneo se agita e cheira a sal, mar e ao óleo


de coco usado por muitos ao nosso redor.

"O que você está pensando?" Eu pergunto, interesse


despertado, meu prato mais que cheio.

"Eu digo que temos que fazer um desafio", diz Kostas,


enquanto pega uma cerveja fresca. "Um onde encontramos esse
entusiasmo novamente."

“Você pode encontrá-lo na próxima mulher que passar pela


porta. Com quem você está brincado? Mateo brinca.

“É verdade, mas não é o mesmo.” Ele olha para o bar, para as


pessoas, e demora a encontrar as palavras que quer usar, como fez
quando o conheci em Princeton há mais de uma década.

"Você é muito jovem para ter uma crise de meia idade",


acrescenta Enzo. "Mas uma boceta vai consertar isso para você."
"Eu tenho toda a buceta que eu quero", ele responde.

"Sim, sim", eu digo, sabendo que essas palavras só vão levar a


uma partida de mijada entre os três, para ver quem é que fodeu
quem ultimamente. “Todos nós podemos. . .Kos, qual é o
problema?"

"Sou jovem demais para me deitar e morrer." Kostas e seu


talento para o dramático. “Acho que devemos fazer uma aposta.
Um desafio. Seja qual for a porra que você queira chamar.

“Um desafio? Nós não estamos mais na faculdade ”, diz


Mateo. Memórias relembram os quatro de nós. As competições que
terminariam em lutas de punho. Os egos que lutariam pelo domínio.
A necessidade de estar no topo, é sempre primordial.

"Me escute", diz Kostas, levantando o dedo. “Cada um de nós


usa um milhão de capital, para investir como quisermos em um
novo empreendimento.”

Enzo apita, quando Deus sabe que ele tem bilhões, naquela
conta bancária da família dele. "Apenas um milhão?"

"Apenas um milhão", diz Kostas, como apenas uma pessoa


que viveu uma vida de privilégio infinito, poderia dizer. Para a
maioria das novas empresas, um milhão seria uma fortuna. Para
nós, é uma simples gota no balde. “Tem que ser algo, que você
nunca experimentou antes. Nós colocamos um cronograma sobre
isso. Uma data de início e uma data final. Nós vemos quem pode
pegar esse milhão de dólares, e torná-lo o maior nesse período de
tempo ”.

A ideia faz meu sangue zumbir.

Eu estudo as reações daqueles ao meu redor, homens que são


como irmãos para mim. Nossas vidas são tão ocupadas, que só
podemos nos ver a cada um ou dois anos, e mesmo assim, somos
tão parecidos em direção e ambição, é assustador.

"Ok", Enzo atira a palavra. "Quais são as apostas?"

"Orgulho. Colocando nossas bolas de volta". Kostas franze os


lábios, e olha para cada um de nós. "Não estar em nossos trinta e
poucos anos, sentindo que não há mais nada a fazer."

"Bom, comer duas ou três senhoras, poderia fazer isso por


mim", diz Enzo, com uma risada que me diz que ele já esteve lá,
feito isso. Possivelmente até pagou por isso. Porra, Enzo
."Precisamos de mais do que isso."

"Que tal três milhões?" Mateo fala, e tem todos nós


chicoteando nossas cabeças em seu caminho. “Um milhão de cada
um dos perdedores. Definimos uma data de início, todos nós
colocamos o milhão de dólares para o nosso empreendimento,
todos concordamos com um contador neutro e depois de um
determinado período de tempo, esse contador passa pelas finanças
de cada empresa. Aquele que fizer o maior lucro ou tiver o maior
valor de revenda - algo assim - ganha um milhão dos outros filhos
da puta. ”

“E isso fica entre nós. Ninguém fora de nós quatro saberá


sobre isso ”, diz Enzo, e todos concordamos.

"Claro."

"Investidores externos?" Pergunto, como seria benéfico fundir


forças com alguém. "Podemos ter ajuda?"

"Mmm", Kostas murmura, enquanto passa o dedo pelo lábio


inferior em pensamento. “Eles podem adicionar outro milhão no
máximo, mas você precisa manter a participação majoritária. Mas
por que você compartilharia seu lucro? "

"Você nunca sabe que oportunidades podem se apresentar",


murmuro, encontrando-o olhando para mim.

"Acordado." Um sorriso astuto desliza nos lábios de Kostas. É


alto o suficiente que ele vai morder. "Importa o tipo de
investimento?" Ele pergunta.

"Deve ser legal", digo, sabendo que às vezes mergulham os


dedos em tortas que nem sempre são livres e claras.

"Claro", diz Mateo.

"Eu não estou fodendo por aí, companheiro."

“Relaxe, Zane. Vai ficar limpo ”, acrescenta Enzo.

"Quem está dentro?" Kostas pergunta.

Eu olho em volta da mesa. Eu sou o único homem que venceu


aqui.

O único que não começou com bolsos forrados do


conglomerado de navegação de um pai (Kostas), vinhedos da
Toscana de um avô (Enzo), ou plantações de tabaco de outras
famílias. . . e possivelmente outras culturas (Mateo).

Eu sou o único filho da puta que roubou seu caminho de


Brisbane para evitar os punhos de seu pai, repreendendo sua mãe. .
. e fez algo de si mesmo.

Mas somos todos homens ambiciosos.

A faculdade tem uma maneira divertida, de colocá-lo em


contato com pessoas que pensam como você.

Se é para isso que você quer nos ligar.

"Eu estou dentro", diz Enzo com um movimento de seu pulso,


antes de voltar para a mulher em frente a nós.

"Definitivamente", acrescenta Mateo.

"O cauteloso é o último", diz Kostas, quando nossos olhos se


encontram.

“Não é cauteloso. . . apenas não sou tolo. "


"Você vai ou não Phillips?"

"Eu vou, companheiro."

Eu posso ter ido a Mykonos nessas duas semanas para relaxar


e conversar com meus amigos da faculdade, mas antes de sair de lá
na semana seguinte, eu já estava fazendo progresso no desafio. Eu
encontrei uma pequena start-up, que estava fazendo ondas no
mundo do cyber-namoro na Austrália - sua premissa era diferente e
única, e as pessoas estavam falando sobre isso, e falar é sempre
uma coisa boa. Eu o olhei a noite toda, pesquisando inteligência
artificial e como eu poderia ser capaz de integrá-lo com a
plataforma, e sabia que isso poderia ser realmente algo. Levaram
apenas quarenta e oito horas, para aceitar a oferta que fiz na
manhã seguinte.

O zumbido tinha retornado para mim. Eu mal podia esperar


para chegar em casa para poder revisar certos aspectos da empresa
- nome, imagem, marca - e torná-la minha.

Inferno, eu posso não acreditar no amor ou mesmo apostar


nisso, mas há uma tonelada de pessoas por aí no mundo, que
pagariam uma moeda para encontrá-lo.

Eu corro a mão pelo meu cabelo. Eu não posso pagar dinheiro


para encontrá-lo, mas porra, se eu não estou pagando por isso de
outras maneiras agora.

Concursos de foder.

Eles me pegam toda vez.


Capítulo Vinte e

Um

Zane
“ROBERT? O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO aqui? Que surpresa
agradável."

Na verdade não.

Eu olho para cima da mesa onde tenho papelada espalhada


por toda parte, uma xícara de café velha de duas horas atrás. . . e
nada de Harlow à vista. Robert está de pé na porta aberta, com os
tacos de golfe e o cabelo embaixo de uma touca.

"Eu tenho reuniões de negócios aqui nos próximos dias, e


depois algum tempo livre, então, eu pensei em checar o
cronograma e parar para ver como as coisas estavam indo."

"Elas estão indo muito bem", eu digo, quando fecho a porta


atrás de mim e desço as escadas.

"E Harlow?"

"Ela está fora de casa", eu digo, sabendo muito bem que o


horário do check-out no hotel está se aproximando - porque eu já
liguei para descobrir há uma hora atrás - enquanto estava sentado
trabalhando e imaginando onde ela estava.

Robert balança a cabeça lentamente, enquanto começamos a


andar. Onde? Eu não sei. "Vamos pegar uma bebida."

Eu olho para o meu relógio. "É um pouco cedo ainda, mas


com certeza, companheiro."

"São cinco horas em algum lugar", ele ri, e depois fica em


silêncio de uma forma que me faz - alguém tão acostumado a
observar as pessoas - perceber.

"Isto é." Nós nos dirigimos para o luxuoso hotel, onde o


evento aconteceu na noite passada. Haverá outra noite, seguida
pelo que Robert considerou a fase dois amanhã: uma coletiva de
imprensa, com as estações de rádio pela manhã.

“Está indo bem embora? Parece que suas multidões estão


recebendo bem a plataforma."

"Eles estão." Eu aceno para o concierge com quem falei


ontem à noite, sobre colocar o quarto de Harlow no meu cartão.
“Eu te enviei os números da primeira fase. Tivemos um aumento de
quinze por cento em pré registros, e um aumento de vinte por
cento no tráfego do site, desde o nosso primeiro evento em Los
Angeles. ”

"Amanhã começará a fase dois."

"Entrevistas com a mídia e mais apresentações", eu digo,


repetindo o seu próprio plano de publicidade de volta para ele
como se ele já não soubesse, mas ainda mostrando a ele, que eu sei
disso. Então, ele vê que eu estou levando tudo isso a sério. Quando
cruzamos o saguão, olho em volta como se visse Harlow, mas ela
não está à vista, enquanto nos dirigimos ao bar do hotel.

"Isso vai ajudar a agitar o burburinho, então, vamos para o


turbilhão de Nova York e a rede de televisão, antes do lançamento
oficial online."

"Soa como um plano."

"As multidões realmente parecem amar Harlow", diz ele,


quando entramos no bar, já lotado com pessoas que parecem estar
pegando uma bebida, antes de sair para desfrutar da área de
piscina extravagante do resort.

"Então, parece", eu murmuro, ainda tentando descobrir sobre


o que está expedição de pesca é.

"E como você está com isso?"

"Com o que? Pessoas a amando?”

“Mm-hmm. Deve ser difícil para um homem como você


compartilhar os holofotes, quando você está acostumado a ser
aquele que brilha. ”

Eu inclino minha cabeça e considero seu comentário. “Não é


difícil, não. Ela vai brilhar, se ela estiver no centro das atenções ou
não. Ela é apenas esse tipo de pessoa. "
"Hmm."

Robert fica quieto, e foda, se seu silêncio não é um indicador


de que algo está errado. Então eu espero. Você nunca mostra suas
cartas, a menos que seja necessário.

Ele suspira. Nós pegamos nossas bebidas, e ele ainda está em


silêncio. Então ele olha para mim longo e duro. "Você sabe, às
vezes viajar juntos pode testar um relacionamento."

Eu tomo meu tempo com meu aceno de cabeça.


"Definitivamente."

“Isso faz você lutar, quando normalmente você não faria.


Ensina-lhe o que são os seus medos, e como usá-los para irritar o
outro. Permite que você faça uma ótima maquiagem. ”

Eu sorrio com força. "Onde você está querendo chegar,


companheiro?"

Ele se inclina para trás em sua cadeira e franze os lábios.


"Estou apenas tentando entender, algo que vi hoje".

"OK . . .
“Estou tentando descobrir se estou sendo jogado por você, se
você é quem você se propõe ser. . . Ou se você é apenas um filho da
puta desprezível, certo? ”

Com os olhos fixos um no outro, eu levo meu tempo


levantando minha garrafa de cerveja aos lábios e, em seguida,
coloco de volta antes de falar. Preciso de um minuto para tentar
descobrir, qual é o ângulo dele. "Estou assumindo que você vai me
contar do que você está falando."

“Quando fui fazer o check-in no hotel, antes da minha


primeira reunião, houve uma confusão com a minha reserva. Já que
estamos realizando o evento aqui, usei a conta comercial e eis que
eles me disseram que eu já havia entrado no meu quarto. Aquele
que Harlow Nicks o pegou ontem à noite".

“Isso é uma confusão. Liguei hoje de manhã para colocar meu


cartão e ... "

“Então ela ficou no hotel e você ficou no ônibus? O mesmo


ônibus que eu estava indo esta manhã para discutir algumas coisas
com você, quando uma mulher muito linda estava saindo? Um,
devo acrescentar, não era Harlow".

"Robert ..."

"Não." Ele levanta a mão para me cortar, e me impedir de


explicar. “Não cave o buraco, Zane. Dê-me o respeito que eu
mereço, por não me dar uma desculpa de merda."

Meu temperamento se agita sob a superfície. "Não é o que


você pensa", eu digo, pensando na batida que eu peguei na porta
esta manhã, de um dos coelhos do bar da noite passada.

"Posso ajudar?"

“Você se lembra de mim, da noite passada? Do bar? Uau, esse


é um ônibus incrível.” Eu não respondi, mas peguei a maquiagem
perfeitamente feita e cabelo e já sabia que ela estava mentindo
através de seus dentes. “Eu me diverti a noite toda e agora. . .
agora meu telefone está morto. Eu estava imaginando se talvez eu
pudesse incomodar você, por alguns segundos, e usar seu celular
para chamar um táxi.

Ela bateu os cílios, enfiou os seios o máximo possível, e tentou


fazer a rotina de deixar-me-tocar-seu-braço-para-você-saber-eu-
realmente-como-você. Eu já vi isso um milhão de vezes e, é velho e
desesperado.

“Eu não estou interessado, mas há um hotel perfeitamente


bom que você acabou de ficar bonita, nas suas costas. Você deveria
voltar lá e pedir para usar o telefone de cortesia.

"Vamos, estou apenas procurando por um bom tempo." Ela


tentou entrar no ônibus da turnê, mas eu apenas fiquei lá, seu
corpo roçando o meu, o perfume que ela se afogou enchendo meu
nariz.

"E eu não sou."

Apenas a porra da minha sorte que Robert passou a andar,


quando ela estava indo embora.

“Robert. Você está sendo ridículo. Não foi o que você pensa
que foi".

“Tudo o que sei, é que tenho vocês dois perfeitos no palco.


Quase perfeito demais. Você está vendendo a marca. Você está
fazendo a música e dança. . . mas para um casal tão alto, não há
mais nada por aí. Não há jantares à meia-noite no In e Out.
Nenhuma foto de vocês se beijando em algum bar, em algum lugar.
Nada."

"Eu não sabia que parte do seu plano de marketing, era


explorar meu relacionamento fora da promoção enlatada do
SoulM8."

"Isso não é o que eu impliquei."

"Como o inferno é." Agora estou chateado. Ninguém me diz o


que fazer e como fazê-lo, muito menos, Robert. Foda-se sim, eu
preciso de suas conexões para ajudar a ganhar essa maldita aposta,
mas eu não preciso dele olhando por cima do meu ombro a cada
passo do caminho. – “Você pode ser um parceiro nesse
empreendimento, Robert, mas não pode me dizer como
administrar meu relacionamento. Você mudou de ideia uma vez,
quando eu não queria. "

"E a minha mudança em ter vocês dois como o rosto da


campanha, foi bem-sucedida."

“Mas é aí que a linha termina. Não precisamos abrir cada


parte de nossa vida para sua aprovação. Harlow não se sentiu bem
na noite passada, então ela sugeriu que ela dormisse no hotel para
não me deixar doente, e assim ela poderia ir mergulhar na
banheira. Talvez, ter um pouco de espaço. Eu vim e sentei aqui,
tomei alguns drinques, e aquela mulher que bateu no ônibus esta
manhã era a mesma da noite passada, quando ela tentou flertar
comigo e, com certeza, não conseguiu esta manhã. . . então, se
você terminar de tentar me dizer como viver a minha vida, voltarei
ao ônibus e às teleconferências que agendei nas próximas horas. ”

O gelo em seu copo tilinta quando ele o coloca na mesa, e


seus olhos medem se ele acredita em mim ou não. "O que eu não
consigo descobrir, Zane, é se você está sendo defensivo para
proteger a mulher que você ama, ou para proteger uma mentira
que você me contou?"

"E eu estou tentando descobrir por que, se você não confia


em mim, você entrou no negócio comigo."

Há um sorriso frio no rosto dele. O filho da puta é sério. Fale


sobre ser pego de surpresa por uma pessoa, quando eu nunca sou.

Ele se inclina e abaixa a voz. "Justo . . . mas lembre-se disso,


eu posso ser velho, posso estar sozinho, mas não vou me sentir.”
Ele arrasta a cadeira e joga algumas notas na mesa para a bebida.
“Se você está mentindo para mim, esse acordo acabou e sua
reputação” - ele dá de ombros despreocupadamente - “sua
reputação estará acabada em meus círculos.”

Eu não confio em mim mesmo para dizer uma palavra.


Memórias inundam de volta. As ameaças do que eu posso e não
posso fazer reforçaram, com uma palma aberta no meu rosto. O
choque da garrafa de vodka em suas mãos, a primeira vez que eu
lutei de volta. O voto que fiz a mim mesmo, de nunca permitir que
alguém me ameaçasse novamente.

Para nunca mais viver essa vida.

Não cheguei até aqui para saber quem devo ser, quem foder e
como administrar meus negócios.

Ele não é seu pai, Zane. Apenas um investidor, querendo os


mesmos resultados que você.

Sucesso.
Capítulo Vinte e

Dois

Harlow
A respiração quente de Zane bate nos meus ouvidos, e causa
arrepios na espinha.

Eu consegui manter minha promessa para mim mesma.


Aquela que fiz quando saí do quarto de hotel esta manhã para me
certificar de que continuava ocupada, manter distância física e
manter minha mente longe dele.

Mantive isto, até agora.

É claro que participei do nosso show de cachorros e pôneis


esta noite, para os nossos participantes. Os doces sorrisos no palco,
os olhares persistentes, mas eu o fiz de longe. Eu fiz questão de
estar sempre em movimento, para poder evitar o toque dele.

Distância, significa uma cabeça clara. O espaço, significa que


eu posso evitar a queda livre e sem peso de uma paixão, que
inevitavelmente se transforma em uma aterrissagem dolorosa,
quando você cai na terra.

Porque é isso que é, não é? Uma paixão tola por um homem


bonito e bem-sucedido, que não dará em nada. Não que eu queira
também. . . mas apenas . . .a respiração de Zane bate no meu
pescoço novamente, e eu perco minha linha de pensamento
quando seus braços deslizam ao redor da minha cintura e me
puxam de volta contra ele. Cada longa e dura polegada dele.

"Vamos sair daqui", ele murmura, e quando meus olhos se


movem, eles encontram Robert de onde ele está, sentado em
silêncio, nos observando do outro lado da sala e observando todo o
evento.

"Nós não podemos." Quando eu me viro em protesto, me


vejo peito a peito com Zane. Eu vou dar um passo para trás, mas as
mãos dele estão na minha parte inferior das costas me impedindo.

Sua cabeça desce, seus lábios encontram minha orelha


novamente. "Sim, nós podemos."

"Aonde vamos-"

"Qualquer lugar, exceto aqui." Ele liga seus dedos aos meus e
se vira, para aqueles que estão ao nosso redor. "Pedimos desculpar
por um minuto, Harlow e eu somos necessários para algumas
entrevistas."

E antes que minha mente consiga processar o fato de que


estamos jogando de jeito, Zane está me levando para fora do salão
sem outra palavra.

Nós passamos pela a porta, depois o corredor e saímos pela


porta lateral em direção ao ônibus.

“Vá se trocar. Nós estamos saindo, ”ele murmura, enquanto


abre a porta do ônibus da turnê.

“Zane, o que estam—”

"Que porra é essa com pessoas me questionando hoje?" Há


uma mordida em sua voz, enquanto ele trabalha os botões na
frente de sua camisa. Eu fico de pé ao lado dele, observando
enquanto ele tira sua camisa, a enrola e depois a joga no canto.

"Do que você está falando?"

"Robert". Ele me olha por cima do ombro, e eu


imediatamente empurro meus olhos para admirar a sutil onda de
músculos nas costas dele. "Você está usando isso ou está
mudando?"

"Robert?" Eu dou um passo em direção a ele. "Onde estamos


indo?"

"Fora. Nós estamos saindo".

“O que está acontecendo, Zane?”

"Estou sendo sufocado é o que está acontecendo." Ele passa


por mim no pequeno espaço, e arranca uma camiseta preta de gola
v de um cabide antes de puxá-la sobre a cabeça. “Nós fizemos mais
do que o nosso trabalho, durante a noite. Estou cansado de ser
vigiado, e informado para onde ir e o que fazer", ele se enfurece,
enquanto empurra sua calça para baixo e agarra um par de calças
jeans escuras. “Estamos autorizados a ir e relaxar. Estamos
autorizados a sair dessa prisão sobre rodas. . . além disso, sou seu
chefe, então é o que eu digo".

"Você pode ser meu chefe e você pode definitivamente dizer


o que diabos você quiser, mas isso não significa que eu tenho que ir
junto com isso."

Eu grito quando ele gira e bate na parede de cada lado da


minha cabeça com seus punhos, para que seu corpo enquadre o
meu. Há raiva em seus olhos de esmeralda, frustração, mas é o
desejo que me faz abrir a boca e depois fechá-la com a mesma
rapidez.

“Você quer ficar confinada neste ônibus novamente, ou


prefere se afastar dos olhos curiosos de todas essas pessoas? . . E
Robert. Apenas vá e divirta-se ”, ele diz, com a voz baixa e ralada.

"Você sabe como se divertir?"

Por alguns segundos, eu acho que ele vai se inclinar para


frente e me beijar. Meus lábios partem apenas uma fração e
minhas mãos se fecham em antecipação.
Mas seus lábios se abrem em um sorriso arrogante, e seus
olhos escurecem. "Você está ficando atrevida, Harlow." Há algo
sobre a maneira como ele diz meu nome, que faz com que todos os
nervos fiquem em pé.

"Eu sou sempre atrevida."

Nós nos encaramos, naquele estado suspenso de incerteza.


Onde eu quero que ele me beije, mas não tenho certeza se ele quer
a mesma coisa. São segundos, mas parece que dura para sempre.

"Troque-se", diz ele, antes de se aproximar ainda mais por um


momento e, em seguida, empurrando a parede para pegar o cinto
na cama.

"Onde estamos indo?" Eu pergunto novamente.

"Precisamos fazer coisas fora dos eventos".

"OK." Eu atiro a palavra, quando olho no armário e pego um


vestido curto e de flerte, para combinar com as botas de caubói
que eu trouxe. Estamos no Texas . . .

“Eu sou um cara bastante público. As pessoas me veem. Eles


começarão a reconhecer você com a campanha publicitária. Talvez
eles tirem fotos. Talvez eles não vão. Então, Robert tem sua prova
de que estamos bem".

"Atrevo-me a perguntar o que você fez que, de repente, você


está se preocupando com o que Robert pensa?" Eu pergunto,
enquanto puxo meu vestido sobre a cabeça e, em seguida, olho por
cima do ombro quando ele não responde. Eu estou de pé no quarto
com meu sutiã e calções de menino - muito mais do que qualquer
maiô me cobriria, mas obviamente chamou sua atenção. Ele toma
seu tempo - olhos vagando pelas minhas costas nuas, minha bunda
e minhas pernas, antes que ele pigarreia e encontre meus olhos
novamente. "Você está tentando se afastar dele ou apaziguá-lo?"

"Ambos, realmente." Seus lábios se abaixam. “Esqueça


Robert. Ele não significa nada. Tudo está bem."

"E eu devo acreditar em você?" O vestido desliza sobre minha


cabeça e quando meu rosto aparece, sua atenção ainda está em
mim.

"Acredite em mim. Não acredite em mim. Não é pele das


minhas costas. "

"É aí que você está errado, Zane." E então, o pensamento me


atinge como um aríete. A repentina atenção de Robert. O imediato
arrepio de Zane para ele. Meu estômago se agita de repente,
quando estou olhando para um homem que não tenho direito.
"Você dormiu com outra pessoa e foi pego, não foi?"

"Não."

Meu peito se contrai com o pensamento, e eu odeio que o


mero pensamento tenha me olhando em direção à cama, enquanto
imaginava a porta que abri para ele na noite passada quando fui ao
hotel. A porta que eu abri para que eu pudesse ganhar algum
espaço e distância, então, eu não o queria e obviamente falhei
miseravelmente.

Porque é claro que eu quero ele. Eu não tenho de uma forma


ou de outra, desde que ele me trouxe os sapatos?

Puta merda.

Eu realmente apenas admiti isso?


Minha revelação me atinge com força total, enquanto olho
para ele. Piscando. Rejeito a ideia com um aceno sutil da minha
cabeça, que eu sei que não vai fazer nada para que esses
sentimentos repentinos desapareçam.

É toda essa situação. Tem que ser. A viagem. O dormir juntos


no ônibus. Estar pendurados um do outro vinte e quatro e sete.

Mas a minha irritação deu lugar a querer, a minha resistência


ao desejo, os quais eu estou achando difícil de entender quando,
nas últimas semanas, tudo o que eu disse a mim mesma é que não
pode haver nada entre nós.

Ele está diante de mim, cabelo despenteado, olhos intensos e


tensão em seus ombros, e tudo que eu posso focar, é o que
desencadeou toda essa revelação. Porque mais importante do que
perceber que eu realmente gosto de Zane Phillips, é o medo de que
ele tenha realmente dormido com alguém na noite passada.

“Zane. . ." Seu nome é um suspiro nos meus lábios. Um aviso.


Um apelo pela minha linha de pensamento estar errado. . . mas
quando olho para ele, ele não recua em sua determinação. Ele é um
mentiroso ou ele está dizendo a verdade.

"Robert viu uma mulher se afastando do ônibus esta manhã,


que definitivamente estava tentando ao máximo ser você."

"Eu?" Eu rio, e ele apenas balança a cabeça.

“Ele acha que eu te traí. Entre outras coisas. Eu disse a ele que
ele era louco, e que nossa vida fora desta promoção não é da conta
dele. ” Zane empurra a carteira no bolso de trás, como se a
acusação não fosse grande coisa, e seus olhos piscam em minhas
botas antes de voltarem. "Então, vamos ou o quê?"

Eu olho para ele, para a mão que ele estendeu para mim e, a
pergunta em seus olhos: sim ou não .

Mas eu sei a resposta. Especialmente quando ele está lá


parado, parecendo escuro e perigoso na penumbra do ônibus, e
com minha revelação inesperada passando pela minha mente
repetidamente.

Sim.

Definitivamente sim.
Nós fazemos nosso caminho para o centro da cidade, com as
luzes, os bares e as multidões. Pode ser uma noite de semana, mas
a cidade está viva, com pessoas precisando de uma distração
depois de um dia longo e difícil.

"Escolha." É a única coisa que Zane diz para mim, quando ele
abre a porta do carro e me ajuda a sair do Uber.

Nós gastamos alguns minutos caminhando pela rua forrada


com bares. Passando por vendedores de rua, vendendo brilho inútil
entre os itens, apelando para aqueles que estão muito bêbados. O
cheiro de comida frita enche o ar e o brilho do neon reflete nas
janelas de vidro.

"Você disse que era a minha escolha", eu digo, e levanto as


sobrancelhas, olhando para onde ele se senta ao meu lado na
banqueta.

"Foi uma boa escolha." Um aceno de cabeça. Um gole de


cerveja. Um olhar casual ao redor do bar lotado.
"Você é um mentiroso. Esta é a coisa mais distante do seu
estilo, e você sabe disso. Você queria aquela junta elegante na
esquina." Eu ri.

A música em cima é alta e cheia de som, as fivelas do cinto


são grandes e brilhantes, e a atmosfera é mais barulhenta e casual
do que o sofisticado bar de uísque que eu esperava dele.

“Não. Está perfeito." Ele se inclina para trás em seu banco, o


braço sobre as costas do meu, brincando distraidamente com uma
mecha solta do meu cabelo. É inocente na natureza, mas algo sobre
isso parece íntimo para mim.

Jesus, Low. Deixe de ler as coisas. Pare de querer coisas.

"É", eu murmuro, e segurei seu olhar. Ele não se encaixa aqui


no mínimo. Claro que ele tem jeans e camiseta que parece casual,
mas não há nada remotamente claro sobre Zane. Mesmo vestido
assim, ele pega os olhos das mulheres ao nosso redor. E mesmo
que ele esteja claramente fora de seu elemento, o fato de ele não
se importar é sexy.

Ficamos lá por alguns momentos, enquanto tento imaginar o


que falar. Nós nunca temos estranheza entre nós, e ainda há uma
vantagem estranha para Zane agora - tem sido a noite toda,
realmente - que eu simplesmente não posso colocar o dedo.

"O que Robert quis dizer antes, quando ele disse que poderia
mudar alguns dos nossos horários?"

"Nenhuma maldita pista." Seu suspiro é muito mais pesado,


do que sua resposta reflete. "Este é o seu forte, então, o que ele diz
é suposto ir."

"Suposto?"

“Sim, deveria ser. Está no nosso contrato."

"Estou surpresa que você tenha desistido do controle."

Ele me olha de lado. "Às vezes, você tem que desistir de um


pouco de controle, para garantir o sucesso no final."

"Hmm", eu digo, sentindo que há mais sob o que ele está


dizendo, que eu não entendo.

A música muda e algumas pessoas deixam a pista de dança,


insatisfeitas com a seleção, enquanto outras animadamente
caminham.

"Onde está seu namorado?" Ele pergunta, e me joga


momentaneamente.

"Se eu tivesse um, você realmente acha que ele ficaria bem
comigo estando aqui agora, fingindo ser sua?" Ou que eu deixaria
você me beijar como você fez? Eu acho, mas não falo. Quanto
menos menção de beijá-lo, melhor.

Porque mencionar isso, me faz pensar em fazer isso. E pensar


nisso, me faz querer que ele faça de novo.

Sim, estou com problemas. Problema grande e gordo.

"Você?" Eu pergunto. "Por que você não tem namorada?"

Ele franze os lábios, e toma um gole de cerveja. "Eu me


envolvo."

"Envolve?" Pergunto através de uma risada, e Deus, faz bem


rir com ele. A tensão de estar na mesma cama se foi. A noção de
estar sob um microscópio, com cada movimento sendo
monitorado, desapareceu.
“Sim, envolvo. Nada sério. Nada permanente. Não tenho
tempo suficiente para dar isso a alguém". Ele encolhe os ombros.

"Que bom que eu estou aqui apenas para o sexo, então", eu


digo como uma piada, mas quando eu acho que minha piada cai, eu
posso ver o verde dos olhos de Zane escurecer. Sua espinha
endurece, e a um engate, no movimento da cerveja que ele está
levantando para seus lábios.

"É assim mesmo?" Ele diz, depois de uma batida, o tom e o


humor da conversa mudando instantaneamente. Uma mudança
que eu não me vejo pedindo desculpas, no mínimo.

Nós dois sabemos porque estamos aqui.

Nós dois sabemos o que vai acontecer.

Nós dois ainda viemos de qualquer maneira.

Tem sido pequenos toques a noite toda. Os olhares sutis. As


palavras não ditas que eu posso ouvir, baseiam todas as nossas
conversas.

Querê-lo está bem, Low. Tendo sentimentos por ele, por outro
lado. . . não é.

A batida da música muda. O barman interrompe a tensão


sexual repentina, que salta no espaço entre nós. Quando ele sai,
Zane inclina a cabeça e olha para mim.

"Você é linda."

Eu jogo minha cabeça para trás e rio. "Eu não preciso de


palavras doce, Phillips."

“Boa coisa, porque eu não sou do tipo doce.” Ele espera uma
batida. "Você está linda."

"E você deve estar bêbado."

Ele franze os lábios, e olha para o rótulo de sua garrafa de


cerveja. "Eu não fico bêbado."

No começo eu acho que o comentário é à sua maneira de ser


vendido, mas quando ele olha para cima e sorri, quase se
desculpando para mim, eu sei que ele está sendo sincero. A
diversão e flerte de segundos atrás abandonados a uma solenidade
quieta que ele exala.
"Nunca?"

Ele sutilmente inclina a cabeça de um lado para o outro, como


se estivesse pesando sua resposta. "Raramente. Apenas o
suficiente para obter um burburinho, então não mais.

"Uma aberração do controle, eu entendi?"

Sua risada cai. "Quando seus pais são alcoólatras ao longo da


vida, faz com que o desejo de fazer com que a cara de merda seja
menos atraente."

"Eu sinto Muito. Eu não ... "

"Não sinta", ele dá de ombros, e fica em silêncio, fazendo-me


pensar que este tópico de conversa acabou. Ficamos em silêncio
por um tempo enquanto a música muda mais uma vez, então fico
surpresa quando ele fala sem avisar. “Alguns de nós, têm pais como
modelos. Outros, como eu, pegam a merda do pau e aprendem a se
defender por anos, antes de precisarmos."

"Eles se mudaram para os “estates” com você, quando você


veio para cá?"
Seu bufo é automático, seu desprezo estraga seu belo rosto.
"Não. Não os vejo desde então, e não me importo. "

Deve ter sido ruim. Ele é um homem que poderia voar para
casa ou trazê-los sem se preocupar com o dente que colocaria em
seu bolso, como tantos outros não conseguem, e ainda assim, o
fato de ele não os ter visto fala por si.

"Então eles são a razão pela qual você deixou a Austrália para
trás?" Eu pergunto, juntando dois e dois do comentário dele antes.

"Sim e não."

"Eu posso respeitar isso", eu digo, enquanto vejo as fileiras de


pessoas na pista de dança se moverem em sincronia com a linha de
dança que todos conhecem, e me pergunto o quanto de seus pais e
seu vício, forjou a armadura de Zane, para ter sucesso. "Eu sinto
Muito. Se eu soubesse, nunca teria sugerido que fôssemos beber ...
"

“Não seja ridícula, Cinder. Eu sou um menino grande. Eu bebo


quando quero. Eu paro quando quero. Não é grande coisa." Ele se
inclina para mais perto de mim. "Veja dessa maneira, significa
apenas que você pode beber o quanto quiser, e eu vou ser o único
a ter certeza de que você está bem."

"Você está tentando ser meu cavaleiro de armadura brilhante,


Zane?"

“Você não me parece o tipo de mulher, que precise de


resgate. Você parece lidar com tudo sozinha. "

A admiração em seu tom, me diz que é um elogio. Mas uma


parte dormente de mim se levantar e argumentar, que não há
problema em os homens cuidarem das mulheres,
independentemente de quão fortes elas sejam. Quero dizer, todas
as pessoas querem ser amadas e estimadas, e a força não tem nada
a ver com isso.

Imediatamente me sinto boba por pensar nisso. Eu desvio


meu olhar e sorrio para o garçom, que acabou de chamar minha
atenção. É muito mais fácil olhar para ele do que para Zane, cuja
honestidade me enerva, quando eu nunca fico nervosa.

"Você quer me contar sobre Robert?" Robert está seguro.


Zane e seu corpo perto de mim e sua colônia ao meu redor não
está..

"Não. Não aqui, não agora. Eu quero sentar aqui e não pensar
em trabalho. ”

A ironia, é que é a nossa zona segura. Trabalho. Pode ser onde


fingimos estar juntos, mas, pelo menos, eu sei o que esperar. Pelo
menos, eu sei como reagir. Mas isso - estar aqui com ele, e saber o
que vai acontecer entre nós depois da última rodada,
definitivamente não é seguro.

Estou brincando com um fogo que, sem dúvida, vai me


queimar e, no entanto, pela minha vida, ainda quero sentir o calor.

"Dance comigo?" Eu pergunto, enquanto a música muda para


uma música popular. Qualquer coisa para desencadear a tensão
sexual, que está reverberando entre nós.

“Não. Eu não danço". Ele balança a cabeça, e toma um gole.

“Vamos, Phillips. Solte-se comigo".

Algo relança em seus olhos, desejo, intensidade, eu não sei,


mas faz meu coração bater um pouco mais rápido. "Eu vou assistir",
ele murmura, e segura os dedos até o barman para mais uma
rodada.

“Se adapte, então.” Eu escorrego do banquinho, passo a


ponta do dedo sobre a parte de trás do seu pescoço, e então faço o
meu caminho em direção à pista de dança lotada, sabendo muito
bem que ele está observando cada passo que dou.
Capítulo Vinte e

Três

Harlow
O modo como ela se move na pista de dança.

Cristo todo-poderoso.

Ainda bem que estou aqui pelo sexo.

Não posso dizer que já tive uma linha de abertura como essa
antes. E não apenas as palavras, mas o jeito que ela as entregou. De
fato. Ao ponto. Um leve sorriso, dizendo que ela poderia estar
brincando se eu a surpreendesse.

A mulher é uma força a ser contada, e eu quero ser contado


por ela.

Mãos para baixo.

Sem dúvida.

Ela pode atrapalhar os passos de dança, mas a maneira como


ela joga a cabeça para trás e ri, e como ela gira seus quadris e os
movimenta, tem até mesmo os vaqueiros ao seu redor, em vez de
irritado que ela está arrastando as botas.

Ferido?

Porra. Talvez seja o que eu sou também.

Porque eu não posso tirar meus olhos dela. Não quando ela
olha para cima e encontra meus olhos, quando ela pula um passo à
frente. Não quando ela levanta o queixo para a direita, para me
dizer que vai experimentar o touro mecânico. Não quando ela
monta aquela fera e me faz pensar com cada impulso de seu corpo
girando, sobre se é assim que ela se parece comigo.

Meu pau está duro aqui - imaginando, querendo e sabendo.


Minha libido está em força total. E eu tive apenas o suficiente, para
beber todos os meus pensamentos sobre ter medo de uma mulher
como Harlow.

Regras são feitas para serem quebradas depois de tudo,


certo?

Seus olhos encontram os meus, quando ela sai do tapete


acolchoado onde está o touro e volta para a pista de dança. Ela
sorri suavemente, sugestivamente.

Foda-se.

Eu empurro o banquinho e tomo o resto da minha cerveja


enquanto faço isso.

Eu tentei deixar isso acontecer. Eu tentei deixá-la. . . mas


inferno se eu posso sentar aqui e assistir todo homem neste quarto
olhar para ela, quero estar com ela, quando eu sei que posso estar.

Quando eu sei que quero estar.

Ela pode assustar o inferno fora de mim, mas às vezes, o


medo pode ser um motivador. Então, pode estar com tesão pra
caralho.
Aparafuse as regras. Eu quero ela. Agora mesmo. Eu vou lidar
com as consequências mais tarde.

Ela está esperando por mim quando eu atravesso a pista de


dança, parada em uma massa de corpos em movimento. Mas é o
corpo dela que eu olho. É sua curiosidade que eu quero despertar.
É só ela que eu vejo.

"Eu pensei que você não dançasse," ela diz, quando eu deslizo
meus braços em volta dela e a puxo contra mim.

"Eu não danço", eu murmuro, e depois bato minha boca na


dela. Eu ouço seu grito de surpresa, sinto a tensão súbita de suas
mãos no meu peito e o movimento rápido de seu corpo quando ela
pressiona contra mim.

E quando ela reage, quando ela desliza a mão para a parte de


trás do meu pescoço e roça as unhas no meu cabelo, eu sei que não
há como voltar atrás agora.

Não que eu quisesse que houvesse.

Ela tem gosto de cerveja e desejo, enquanto nossos lábios se


encontram, línguas tocam e corpos imploram por muito mais do
que nós podemos dar aqui, na pista de dança.

Preciso sair daqui, tirar-nos daqui, mas quando tento me


mover, nos encontramos no centro de um andar lotado. Fileiras de
pessoas se movem ao nosso redor, uma após a outra, mas
felizmente, elas nos deram um pequeno círculo de espaço.

Ela percebe também, ri e, em seguida, pressiona a mão na


parte de trás do meu pescoço para que eu a beije novamente.
Garota gananciosa.

E agradeço por isso porque, eu esqueci como poderia ser


apenas beijar alguém. Se perder na sensação de sua língua, nos
sons que ela faz no fundo de sua garganta que eu mal posso ouvir
acima da batida da música, no roçar dos seios dela contra o meu
peito, e na fricção da minha ereção contra ela através do meu
jeans.

Nós nos beijamos nesta pequena ilha do espaço em que só


nós residimos, enquanto o mundo se move ao nosso redor.

A música muda.

A multidão muda.
"Vamos", eu murmuro contra seus lábios, sua mão na minha,
levando-a para fora da pista de dança antes mesmo de dizer uma
palavra.

O pedido de um Uber. Outro beijo. O deslizamento para o


banco de trás. Minhas mãos roçando sua coxa nua. Meus lábios
estão na parte de baixo do pescoço dela. Seus dedos cavando nos
músculos das minhas costas.

Nós não falamos a curta distância de volta para o ônibus,


apenas beijar e tocar, continuando a desgastar a corda fina,
segurando minha contenção com cada segundo que passa. Não
quando abro a porta para isso. Não quando entramos e ficamos a
poucos metros de distância, nosso desejo comendo todo o ar da
sala.

"Esta é uma má ideia", ela sussurra, embora não haja mais


ninguém na sala.

"OK." Eu puxo minha camisa pela minha cabeça.

“Como se não devêssemos fazer isso” - solto o cinto - “você é


meu chefe” – tiro os sapatos - “temos que trabalhar juntos” - sem o
meu jeans - “dormir juntos complicaria as coisas” - eles caem no
chão.

"Você está certa." Eu dou um passo em direção a ela, meu


único pensamento enquanto estou de pé na minha cueca, é onde
estão aqueles malditos preservativos e por que ela ainda está
vestida? "Sobre tudo isso, você está certa." Outro passo mais perto.
"Mas às vezes, Harlow, estar errado pode te fazer se sentir tão
bem".

Eu estendo a mão e esfrego meu polegar sobre os lábios dela.


Meu corpo me pede para tomar, reivindicar e possuir, mas seus
olhos e palavras me impedem.

"Isto é um erro." Suas palavras são quase inaudíveis.

“Nós vamos aprender com isso então. Podemos descobrir se é


algo que queremos fazer novamente ou se queremos nos separar ”.
Ela poderia me dizer que o céu está verde agora, e eu não diria não.

Meus lábios estão nos dela. Minhas mãos deslizando pela


bainha de seu vestido, para que a bunda redonda esteja em minhas
mãos.
"Mas essa é a coisa, não podemos nos separar", ela murmura,
contra meus lábios.

"Você está falando, Harlow." Eu a puxo contra mim, então


meu pau bate nela entre as coxas, e mostra a ela, o que toda essa
conversa a está privando. Ela suspira, enquanto eu gemo e me
permito mergulhar minha língua entre os lábios, e recebê-la de
volta ao meu lado de desespero.

"Zane".

"Estamos aqui apenas para o sexo." Eu rio contra seus lábios,


enquanto seus dedos em meus ombros ficam tensos, apenas para
ficar relaxada quando minha mão serpenteia sob o elástico de sua
calcinha. Eu a separo. Deslize o dedo para baixo em sua vagina e
não posso evitar o gemido que sai da minha boca, quando a
encontro molhada e escorregadia para mim.

"Apenas sexo", eu sussurro, em cima de seu suspiro, quando


meu dedo entra nela. O pulsar do meu pau, enquanto implora para
ser o único a fazer isso. O arranhão de suas unhas nas minhas
costas. Seu gemido, quando eu a provoco.
Meus lábios estão de volta nos dela. Minha língua exigindo,
como meus dedos. "Que bom que você vê as coisas do meu jeito."

E com essas palavras, é como se um interruptor tivesse sido


invertido. Cada grama de hesitação de sua parte se foi. Ela levanta
o vestido sobre a cabeça. Ela desfaz o sutiã, e minha boca não pode
esperar para sugar os mamilos rosados perfeitos.

Sua pele - tonificada e flexível - cheira a xampu, perfume e


sexo. . . Deus, ela cheira a sexo. Eu tomo o mamilo na minha boca e
rolo minha língua, antes que meus dentes raspem sua ponta.
Minhas mãos empurram a calcinha e, em seguida, a minha cueca, o
tempo todo fazendo aquela cambalhota tateando de volta para a
cama.

Quando ela se deita. . . quando eu tenho o efeito completo de


Harlow Nicks nua, isso me tira o fôlego. Existem mulheres. . . e há
mulheres. Harlow é longa com curvas em todos os lugares certos e
uma faixa apertada de cachos castanhos sobre sua boceta,
apontando como uma flecha para exatamente onde eu quero estar.
Suas coxas brilham com o que eu já tirei dela, e seus seios são o
punhado perfeito.
Imagens do que eu quero fazer com ela passam pela minha
mente, enquanto ela me provoca com um sorriso que diz que ela
está esperando. Ela está pronta. Ela está disposta.

Cada parte de mim dói para tocar, provar e foder sua boceta
no esquecimento. Nós tivemos nossas preliminares em um sentido
- noites a fio dormindo ao lado do outro, mas não nos tocando - e
enquanto eu seria o primeiro cara a se voluntariar quando se trata
de mergulhar minha língua nela bem, agora, tudo que eu posso
pensar é em tê-la enrolada em volta de mim.

Vai ser brutalmente doloroso ir devagar quando se trata dela,


considerando o quão atormentado eu já estou.

Mas estou pronto para o desafio, em mais de uma maneira.

Eu começo com o tornozelo dela. Beijo de sua canela até o


joelho. Traço uma linha com a minha língua até a parte interna da
coxa dela. Ela se contorce debaixo de mim, suas pernas enrijecendo
e as mãos segurando os lençóis, quando meu nome cai sem fôlego
de seus lábios.

E se isso não é o suficiente para me tornar mais duro do que


uma rocha, o cheiro dela faz. É sexo - sexo puro e quando eu a
respiro, enquanto pressiono um beijo naquela tira de cachos. O
aperto que tenho se encaixa.

"Cristo, Harlow", eu gemo, enquanto eu rastejo até seu corpo,


a cabeça do meu pau roçando sua pele enquanto eu vou, sua
própria forma sutil de tortura.

Seus dedos deslizam pelo meu peito, enquanto eu mergulho e


capturo seus mamilos na minha boca. Primeiro o direito. Então, o
da esquerda. A palma das minhas mãos tomando conta de mim,
enquanto eu beijo meu caminho até sua clavícula e depois debaixo
do pescoço até a orelha.

"Estou morrendo aqui, Harlow", murmuro contra sua orelha,


e depois gemo enquanto sua mão envolve o meu pau e começa a
acariciar. "Eu preciso de você. Estar dentro de você. Para te
preencher. Para te foder . "

"Sim, por favor!" Seu polegar esfrega sobre a cabeça do pau


enquanto seus dedos me apertam, quando ela se inclina e me beija,
eu sei que ela está no jogo. Que nossas preliminares foram
suficientes para ela.

Inferno, se eu não sou um homem que se orgulha de ter


certeza de que uma mulher vem pelo menos uma vez, antes de eu
ficar de satisfeito, mas desta vez - com seu consentimento - eu
definitivamente não vou dizer não.

Nossos lábios se encontram novamente. "Preservativo?"

"Gaveta. Canto superior esquerdo ”, diz ela.

Eu pego a caixa e depois amaldiçoo, quando vejo que está


lacrada em plástico. Apenas mais uma barreira, uma que
acrescentou segundo até que eu possa tê-la.

E mais uma afirmação de que ela realmente estava doente na


outra noite, e não estava com alguém no momento, como eu
estava miseravelmente pensando que ela estava.

A risada rouca de Harlow enche meus ouvidos, enquanto me


inclino para trás em minhas coxas entre as coxas dela, e luto com a
caixa.

"Aqui", diz ela enquanto se senta, pernas na minha e tira a


caixa de mim. Dentro de um segundo, a unha dela desliza contra o
selo, então ele se rompe. Seus olhos seguram os meus enquanto
ela pega o pacote, rasga e retira o anel de borracha.

"Podemos acelerar este processo visual, para que possamos


chegar à parte sexual dele?"

"Por todos os meios", diz ela, enquanto ela entrega para mim
e, em seguida, deita de volta na cama com travesseiros em suas
costas. Eu olho para baixo, para enrolar o preservativo no meu pau.
Então, com minhas mãos ainda nele, noto a dela deslizando entre
suas coxas.

Seu suspiro enche o quarto enquanto ela se separa e


lentamente se esfrega para frente e para trás sobre seu clitóris.
Suas costas arqueiam um pouco. Suas pernas ficam tensas contra
as minhas.

Eu vejo a ponta de seu dedo deslizar para baixo em sua


costura, e depois voltar para esfregar mais um pouco. Outro
gemido.

Meus olhos piscam para os dela, para encontrá-los treinados


em mim. Me convidando. Perguntando-me. Dizendo que é a minha
vez. E quando seus dentes mordem seu lábio inferior e seus olhos
se fecham de prazer, estou farto disso. Se foi.

Dentro de uma batida, seus quadris estão em minhas mãos,


meu pau está alinhado em sua entrada e eu estou empurrando
polegada por polegada.

Quente. Apertada. Molhada. Céu.

Essas quatro palavras preenchem minha mente, antes que


meus pensamentos se transformem em nada e o desejo vença a
guerra da contenção.

Dou-lhe um segundo para se ajustar ao tamanho e começo a


me mexer. Lentamente no começo. Uma retirada e um impulso de
volta. Uma moagem, quando estamos pelve à pélvis. Me inclino
para capturar seu mamilo entre os dentes, enquanto seus dedos
encontram meu cabelo o puxando.

"Isso é bom", ela murmura, enquanto eu entro e saio dela.

Nós encontramos um ritmo. Eu pego o ritmo, pegando as


pistas enquanto vamos. Amando como ela agarra seus seios, e
aperta seus próprios mamilos entre as pontas dos dedos.
Enlouquecendo quando ela desliza uma mão entre suas coxas, toca
meu pau enquanto desliza dentro e fora dela, e depois, acrescenta
atrito ao seu próprio clitóris.

Sua confiança é sexy. Seus olhos são eróticos, segurando os


meus. Seus comandos gentis me dizendo o que ela gosta e precisa,
é quente pra caramba.

Bem ali, o corpo dela me diz. Mais duro. Oh Deus, bem aí. Me
provoque com a ponta.

"Zane".

"Zane".

"Zane!"

"Eu vou gozar."

Sua boceta aperta em torno de mim como um maldito torno,


apertando cada pouquinho de controle que me resta. Eu a deixo ter
um momento para desfrutar de seu orgasmo, mas a pulsação dela
ao meu redor me empurra para a borda.
Meus dedos apertam sua parte interna das coxas, quando eu
as abro mais e pego o ritmo. Drive após drive. Impulso após
impulso. Minhas bolas doem com o melhor tipo de prazer,
enquanto elas se acumulam e depois fodem, e não posso parar o
trem de carga do maldito ecstasy que me atravessa quando eu
venho.

Meu Deus.

A mulher acabou de usar e abusar de mim, e inferno se eu


não vou voltar para a fila, para ela fazer tudo de novo.
Capítulo Vinte e

Quatro

Harlow
Eu estou cheirando a sexo.

Mick teria que saber o que estávamos fazendo, antes que ele
subisse a bordo do ônibus à meia-noite para nos levar ao nosso
próximo destino.

Eu fecho meus olhos e respiro. Definitivamente cheira a sexo


aqui, e eu meio que gosto disso. O cheiro de Zane na minha pele. A
doce picada de onde sua barba raspou entre os meus seios,
enquanto ele me deixava com febre. A ligeira dor entre as minhas
coxas, de onde o seu pau - deus, aquele seu pau celestial, tão
gloriosamente grosso e longo - trabalhou sua magia, e me
transformou em todos os tipos de dentro para fora.

O homem tem habilidades. Eu vou dar isso a ele. Dedos,


língua e pau. FTD2. Eu sorrio e balanço a cabeça. Eu sei que a FTD é
uma empresa de entrega de flores, mas a partir de agora, toda vez
que ouço esse acrônimo, estarei pensando em Zane, e o quão
habilidoso ele é em usá-las.

O ônibus atravessa a estrada, enquanto os faróis piscam


através da pequena lasca nas persianas dos blackouts. Eu posso
ouvir o barulho profundo da voz de Zane, quando ele diz algo para
Mick.

Zane disse que precisava tomar uma bebida.

Ele disse que voltaria logo.

Isso foi há vinte minutos atrás.

Ele já acha que isso foi um erro? Ele está fazendo a separação
aqui e agora, para que eu saiba que foi exatamente o que dissemos
que era- somente sexo - e nada mais? Ou ele está simplesmente me
dando um pouco de espaço, para que possamos digerir o que

2
aconteceu entre nós.

Mente soprando sexo, era o que era. Confortável. Íntimo.


Diversão.

Mas como se faz sexo casual, quando você é forçado a viver


um com o outro? Como exatamente isso funciona? Você apenas
volta a ser como era antes e age como se nada tivesse acontecido
quando, na verdade, toda vez que ele olha para você, tudo o que
você consegue lembrar é a sensação de seus dedos e o gosto do
beijo dele?

A porta se abre. Fecha. O suspiro de Zane preenche o


pequeno espaço, enquanto a cama mergulha e ele toma seu lugar
ao meu lado. Eu prendo a respiração, me perguntando o que vem
depois. Eu digo boa noite? Eu finjo que estou dormindo?

Eu me assusto quando os lábios de Zane pressionam contra o


meu ombro nu.

"Definitivamente não foi um erro", ele murmura, como se


estivesse lendo minha mente, antes de deslizar a mão para a minha
cintura e me puxar contra ele, com minhas costas para a sua frente.
Incerta sobre como reagir, ou o que dizer, ou se eu deveria
respirar neste momento, eu apenas fico quieta enquanto os
mesmos pensamentos continuam correndo pela minha cabeça.

Abraçar não é casual no meu mundo.

Mas eu não o afasto.

Uma vez foi bom. . . mas precisamos parar nisso.

Com quem estou brincando?

Com seu corpo contra o meu e o calor de sua respiração


contra o meu ombro, eu revivo cada segundo maldito de hoje à
noite. O suave, o doce, o duro, o rápido, o brincalhão, o intenso - o
tudo, e eu não posso deixar de me perguntar, como eu já o quero
novamente.
Capítulo Vinte e

Cinco

Harlow
Eu sei, eu sei, eu sei.

Você está olhando para mim e se perguntando “O que há de


errado com essa garota? Por que ela o está evitando? “

E você está olhando para o estacionamento onde Zane está


fazendo flexões, agachamentos e uma porção de outras coisas,
para mostrar aquele corpo magnífico dele, dizendo “Ele é gostoso,
ele fode muito e ele tem todas as linhas certas“ .

Mas esse é o problema, não é?


Eu sou uma mulher.

Sexo sempre vem com cordas, independentemente de


quantas vezes você diz a si mesma para não amarrar essas cordas,
em primeiro lugar. Isso significa, que há sentimentos. E esses
pequenos idiotas? Eu tenho sido queimada por homens como Zane,
mais vezes do que eu gostaria de contar.

Mas porra, você já olhou para ele?

Talvez, o erro da noite passada valha a pena fazer uma, duas


ou mais dez vezes.

E talvez eu vou. . . Minhas coxas doem só de pensar nisso -


sobre ele. Mas talvez, eu também queira que ele saiba que tem que
trabalhar comigo. Que minhas pernas não se separam quando ele
olha para mim com aquele sorriso sexy dele, que diz que ele quer
me comer viva.

Talvez, eu queira que ele saiba que eu não sou como as outras
mulheres dele.

Eu não posso ser jogada.


Que eu sou mais do que apenas um rostinho bonito para ele
descartar, quando esta promoção acabar.

Mas, novamente, isso não contradiz todo o propósito do sexo


casual?

Veja? É muito mais difícil do que parece. Especialmente


quando ele está bem aí trabalhando assim.

Isso vai ser um problema sério.

Imenso.

Fique por perto - você deveria, porque ele está lá tirando a


camisa - e as coisas estão apenas começando a ficar boas.
Capítulo Vinte e

Seis

Harlow
"Estamos na fase de não falar?" Zane pergunta, e ele olha
para mim, enquanto estou sentada na cadeira de maquiagem. Vou
fazer meu cabelo, no camarim do estúdio do programa matinal
local, em Nova Orleans.

"A fase de não falar?" Eu murmuro, quando eu sei muito bem


o que ele quer dizer: a parte em que eu me certifiquei de não estar
sozinha com ele hoje, para que não tenhamos que ter um silêncio
constrangedor nos pressionando a falar sobre o que aconteceu,
quando nós dois não queremos.
"Sim. Você está me evitando sempre que tem chance". Ele
está abotoando a camisa, e eu desvio meus olhos. Olhar seu corpo
é ruim. Muito ruim. Especialmente, quando dormi muito pouco
pensando naquele corpo, e como ele se sentia deslizando sobre o
meu.

"Eu não estou", eu digo, muito bem ciente de que temos uma
audiência de maquiadores e cabeleireiros ao nosso redor, que já
pensam que estamos dormindo juntos.

Ele me olha, e um fantasma de um sorriso se enrola em um


canto de sua boca. Por que estou de repente nervosa? "É bom
saber", diz ele. "Como você está?"

"Bem." Mantenho meus olhos diretos no espelho à minha


frente, e me concentro lá.

"Bem?"

"Sim, tudo bem."

“Eu adoro quando você me dá uma palavra, quase tanto,


quanto você usa advérbios. Isso me diz que você está tentando não
me ignorar, mas você está falhando miseravelmente". Ele ri, e se
move atrás de mim. Seu reflexo no espelho é de seus ombros para
baixo, então não posso ver seus olhos.

"Você está tentando apertar meus botões?" Eu pergunto.

"Nós dois sabemos que sei como fazer isso com sucesso."

Eu ignoro sua insinuação. “Claro que sabe. Mas empurrar


muito ruim esses botões, fará com que você acabe na casa de
cachorro".

"Todos nós cometemos erros ", ele murmura, enquanto ele


passa a ponta do dedo pelo meu ombro nu. "É só que, às vezes, eu
gosto de cometer erros, quatro ou cinco vezes, você sabe, só para
ter certeza de que valem a pena fazer."

Como é que algumas palavras naquela voz sexy dele, faz


parecer, que cada gota de sangue se direcionou para o meio das
minhas coxas?

E mais importante? Ele está dizendo o que eu acho que ele


está dizendo? Que ele também quer dormir comigo de novo?

"É assim mesmo?"


"Mmm-hmm", ele murmura. “Você pulou da cama e saiu. Eu
fiquei sozinho."

Minhas bochechas queimam brilhantes. "Eu tinha coisas para


fazer."

Ele levanta uma sobrancelha e se inclina, encontrando meus


olhos no reflexo do espelho, planta o mais suave dos beijos na
parte de trás do meu pescoço. Ele deixa seus lábios lá, o calor de
sua respiração sobre a minha pele, de modo que, cada nervo do
meu corpo parece estar de alguma forma ligado àquele ponto.
"Sim. Comigo”.

Sexo jorra, sobre tudo que ele faz. Na sua voz grossa, no seu
olhar, enquanto ele olha para mim e na corrida de sua mão, para
cima e para baixo no meu braço nu.

E eu não sou a única que percebe isso. Há alguns olhares


trocados entre as cabeleireiras e as maquiadoras, enquanto abro a
boca para falar e, então a fecho.

"Senhoras? Vocês podem nos dar um momento?” Ele


pergunta.
"É claro", dizem os cosmetologistas, subitamente em
movimento de suas estações, quando começo a sentir aquela
sensação de agitação na garganta, preocupada com o que
exatamente Zane vai fazer, quando estivermos sozinhos.

Quando a porta se fecha, ele se move diante de mim,


bloqueando o espelho que estou olhando, e espera até que eu
levante os olhos para encontrar a diversão nos dele.

“Você pode parar o show agora. Elas se foram ”, eu digo.

"Eu não estava fazendo um." Eu odeio que essas cinco


palavras simples, tenham o meu pulso acelerando, apesar do meu
racional me dizer, que ele é apenas um doce conversador. “Toda
mulher não merece ser tratada como importante, depois de terem
dormido com alguém?” Ele pergunta.

Oh. Minhas. Quem é esse cara?

Eu tento envolver minha cabeça em torno desse homem, e do


fato de que ele soava como um jogador quando o ouvi conversando
com seu amigo Jack, e ainda assim, - esse comentário - não é nada
parecido com o que um jogador diria. . . bem, a menos que, ele
ainda esteja tentando jogar comigo.

É ele? Eu sou apenas mais uma mulher crédula para ele? Ou


isso é o verdadeiro eu dele, quando ninguém está por perto?

Odiando que eu não saiba e confusa sobre porque eu me


importo, quando eu disse a ele ontem à noite que isso era apenas
sexo, eu construo uma parede ao meu redor apenas no caso.

“O que está acontecendo, Zane?”

"Eu só estava me perguntando, como faríamos isso?"

"Isso?" Eu pergunto. Deus, a intensidade em seus olhos é


enervante.

“Sim, a realidade de que somos ambos adultos maduros que


consentiram em fazer sexo, mas que agora, são de repente tímidos
e não sabem como lidar com o fato de que nós de fato fizemos
sexo, sexo incrível, se eu puder acrescentar e chegar a um
entendimento sobre o que vamos fazer sobre isso. É disso, que
estou me referindo".

"Oh, isso " eu digo baixinho.


"Sim, isso." Ele cruza os braços sobre o peito. “Você se
arrepende? Direto ao ponto. De fato".

"Eu acho que não."

"Bem, essa resposta entusiasmada é um verdadeiro impulso


para o meu ego", ele ri.

“Não, eu não me arrependo, mas deveria ser só sexo. Agora é


obviamente mais do que isso, porque temos que trabalhar juntos,
viver juntos e ... "

Zane levanta a mão para me impedir. “E você está


complicando as coisas, quando elas não precisam ser complicadas.
Você gosta de mim, Harlow? "

Eu ri da sua pergunta ridícula. “Eu espero que sim. Eu dormi


com você, não foi?

"Você não respondeu a minha pergunta."

Eu rolo meus olhos e bufo. "Sim, eu gosto de você."

"Você ainda gosta de mim depois da noite passada?"


"Sim." Minha voz é mais suave desta vez.

"Então, é tudo o que precisamos saber neste momento."

"Não é tão simples", eu digo, quando ele começa a se afastar.

"Não é?"

Deixe que um homem pense em sexo, e o resultado é fácil.

"Não, mas-"

"Foi um erro, Harlow?"

Eu abro minha boca para falar, minha cabeça já tremendo de


um lado para o outro, quando ele estende a mão e coloca um dedo
nos meus lábios. “Não responda isso agora. Não tenha pressa.
Descubra por si mesma. Temos algumas longas semanas à nossa
frente e, a última coisa que quero fazer é torná-las constrangedoras
para nós, mas ao mesmo tempo. . . se é só sexo como você diz,
então, inferno se eu vou te parar se você quiser ter mais um pouco.

Eu rio uma risada nervosa, enquanto procuro o que ele está


dizendo, oferecendo, perguntando. . .“Independente de tudo, ainda
temos que manter o pretexto de que—”

"Você e seus pretextos." Ele sacode a cabeça. “Sim, mesmo


que você diga não, eu ainda vou ter que te beijar quando
estivermos em público. Eu ainda vou ter que tocar em você. Ainda
vou ter que fazer tudo que um casal amoroso faz. . . a única
diferença, é que toda vez que eu fizer isso, você se lembrará da
noite passada". Seu sorriso insulta, onde suas palavras provocaram.

"O mesmo vale para você", eu respondo, sabendo muito bem


que não será fácil.

"Eu não sou facilmente afetado."

"É assim mesmo?"

"Mmm-hmm."

"Nem por uma mulher bonita?" Eu pergunto, e me levanto da


minha cadeira, para que fiquemos peito a peito.

"Aos montes."

"Nem quando eu faço isso?" Eu me inclino na ponta dos pés e


dou um beijo nos lábios dele, minha língua lambendo contra eles.
"Fui beijado antes", diz ele no mesmo tom, apesar do súbito
desejo escurecendo seus olhos.

“Seus mamilos estão sensíveis embora. E quando eu faço


isso?" Eu corro minhas mãos de seus ombros para seu peito, as
pontas dos meus dedos circulando sobre os discos endurecidos sob
sua camisa.

"Eu posso administrar muito bem." Um elevar de uma


sobrancelha.

O bastardo. Ele quer agir como um cabeça dura, como se


dormir comigo de novo fosse algo que não o abale, quando o
endurecimento repentino de seu pênis contra sua calça, me diz de
forma diferente.

Dois podem jogar este jogo.

"E isto?" Eu pergunto timidamente, enquanto eu raspo


minhas unhas abaixo da linha de seu abdômen. Os músculos se
flexionam sob o meu toque, isso só diz, que ele está de fato
perturbado. Bem, isso e a cabeça de seu pênis atualmente
endurecido embaixo de sua calça e seu rápido silvo de respiração,
quando eu coço minhas unhas pela ponta.

Antes que eu possa voltar, a mão de Zane pisca para segurar


meu pulso. "Cuidado, Harlow."

Nossos olhos se travam em desafio, estabelecendo uma luta.

"Existe algum problema?" Eu pergunto, docemente. "Será


difícil, não ser afetado?"

"Não, se você der uma resposta à minha pergunta original",


ele murmura, a voz de puro sexo, que eu sinto em todo o caminho
através do meu corpo.

"E jogar na sua mão?"

"Bem?" Ele diz, com um ângulo de sua cabeça e um olhar para


onde ele está segurando o pulso, minha mão contra seu pênis.

“Você está acostumado com mulheres pulando, quando você


diz sim. Eu não pulo, a menos que eu queira e ... "

"Não é minha culpa que as mulheres não possam resistir a


mim e, no entanto, posso resistir a elas".
Deus, eu quero limpar esse sorriso do rosto dele agora mesmo.

"Oh, eu posso resistir a você muito bem."

"Você tem certeza disso?" Ele tira a minha mão do seu pau e,
a move para que esfregue contra a minha própria carne dolorida.
"Porque . . . nós podemos sempre acabar com isso agora. Você
poderia me dizer que me quer de novo. Eu poderia dizer que
percebi que esse era o caso. E então, nós dois sabemos onde
estamos. Apenas encare isso, Harlow. . . você não pode resistir a
mim. "

"Resistir a você?" Eu ri. "Eu mal posso suportar você."

"Vocês estão prontos?" Uma batida na porta nos assusta. Eu


empurro minha mão para trás e ele me deixa, mas seu corpo não se
afasta do meu.

"Um segundo", diz ele, antes de pisar tão perto, que seu
corpo roça o meu e sua respiração aquece a pele do meu ouvido,
quando ele se inclina para baixo. “Continue dizendo a si mesma que
você não quer outra rodada nos lençóis comigo, mas eu não
compro. Continue tentando agir, como se você não tivesse pensado
nisso a manhã toda. . . mas você só está enganando a si mesma. "

"Não tenha tanta certeza de si mesmo."

“Oh, eu tenho certeza, tudo bem. Agora sua calcinha está


molhada, lembrando em como foi grande na noite passada. Sua
vagina está doendo, querendo que eu a preencha de novo. Seus
mamilos estão tão duros, que machuca saber o prazer que eu te
trouxe. Então, você pode fingir tudo o que quiser que não me quer
de novo. . . mas está escrito em todo o seu corpo.” Seus dentes
mordem meu lóbulo da orelha, enquanto eu respiro
irregularmente. "Você vai dizer sim."

Arrogante filho da puta.

"Entre", ele diz, antes que eu possa responder. Seus lábios


roçam contra os meus, quando a porta se abre e o ruído do lado de
fora entra. "Pretexto, lembra?"

Eu olho para ele, enquanto todo meu corpo quer que eu me


incline para frente, e tome outro gole de seus lábios. Mas eu não
vou. Em vez disso, faço a única coisa que posso para colocá-lo de
volta em seu lugar, e espero que ele saiba o que é querer.
"Quem disse que eu estou usando calcinha?" Levanto da
minha sobrancelha, um sorriso tímido nos meus lábios e uma
aversão no meu olhar, quando eu sento na cadeira para deixar o
cabeleireiro e a equipe de maquiagem trabalharem sua magia em
mim.

Ele fica ali por mais alguns segundos, o peso de seu olhar
palpável.

Quando ele se afasta sem dizer uma palavra, fico me olhando


no espelho e me faço a única pergunta que circula em minha
mente: por que estou hesitando?

Boa aparência. Confere.

Ótimo na cama. Confere.

Está perfeitamente bem com sexo e apenas sexo. Confere.

É frustrante o suficiente, que a irritação não me permite


desenvolver sentimentos por ele. Confere novamente.

É meu medo que eu esteja jogando perfeitamente em sua


mão, que me faz recuar? Muito como eu disse a ele na primeira vez
que nos conhecemos?

Sua risada ressoa pelo corredor de onde ele está neste


estúdio de televisão, e eu simplesmente não sei a resposta.

Toda mulher não merece ser tratada como importante, depois


de ter dormido com alguém?

Um bom sentimento, mas ainda assim, apenas parte do seu


jogo. Mas inferno, se esse jogador não é desmaiado, às vezes.
Capítulo Vinte e

Sete

Harlow
" Aqui está minha garota", Zane diz, antes de puxar minha
cintura, para que eu caia em cima do seu colo sem aviso prévio.

Eu grito de surpresa e então endureço, quando sinto o calor


de seu corpo contra o meu. "O que você es-"

"Apenas, mantendo pretextos", ele murmura no meu ouvido,


enquanto seus braços me envolvem.

Filho da puta.

Ele está certo, embora. Os cerca de duzentos participantes


que chegaram cedo ao nosso evento, estão ansiosos para ganhar
alguns dos prêmios gratuitos, vão gostar quando virem o lindo casal
na cadeira. Eles vão comprar a noção de que o amor realmente
existe.

Mas para mim? Tudo o que posso sentir são seus braços ao
redor da minha cintura, sua respiração batendo na minha orelha e
seus lábios pressionando um beijo suave nos meus lábios.

"Você não está jogando justo, Phillips."

“Talvez não, mas eu sugiro que você não se contorça agora,


como você está fazendo, ou então vai tornar difícil para nós dois
ficarmos de pé. . . considerando o seu hábito de não usar calcinha e
tudo. ”

"Isso foi há dois dias", eu digo.

"Quarenta e oito horas, e muitas fantasias sobre o que eu


encontraria se eu levantasse sua saia."

"Continue sonhando, querido." Eu digo, e raspo uma unha até


sua coxa, enquanto sorrio suavemente para aqueles que estão
passando, que parecem nos reconhecer como as pessoas na
campanha publicitária. "De qualquer forma, eu pensei que nada te
afetasse."

"Apenas, mantendo pretextos", ele murmura, através de uma


risada.

E ele está certo. Toda a sua interação comigo - os toques


extras, os olhares sábios, as pinceladas acidentais nos meus seios -
tem sido quando estamos em público e fazendo nosso trabalho.

No minuto em que voltamos para o ônibus ou estamos


sozinhos, ele não me toca ou sequer olha para mim, mesmo
quando eu lhe dou mais do que uma grande oportunidade. É como
se houvesse essa linha imaginária no meio da cama. Ele garante
não estar nem perto do quarto quando estou me trocando,
tomando banho ou indo para a cama. Ele está diante de mim,
apesar de ser uma pessoa autoproclamada não matutina. É quase
como se ele nem estivesse lá.

Não consigo descobrir se toda essa reviravolta me faz sentir


aliviada, por a pressão estar fora, ou em conflito, por ele parecer
não estar interessado.
Eu quero dormir com ele de novo? Sim. Sim. Ah e sim. Mas ao
custo de provar que ele está certo? Isso é difícil.

Mas . . . mas se eu fizer ele chamar primeiro. . . eu não vou


estar recebendo os dois - uma vitória para provar que ele está
errado, e um sexo incrível para celebrar isso?

Então, o que eu faço? Eu mexo minha bunda o mais


discretamente possível, e ganho um gemido dele.

Eu também sofro no processo, sentindo seu pau endurecer


debaixo de mim e acertar bem no ponto em que eu me colocaria
sobre ele.

“Oopsie. Eu não queria fazer isso ”, eu digo, com uma voz


insultada.

"Zane Phillips". Nós dois piscamos os olhos para cima, como


garotinhos pegos fazendo algo que não deveriam. A súbita tensão
de nossos corpos juntos, só serve para eu sentir o quão duro ele
está.

“Kostas? O que diabos você está fazendo aqui?" Zane


pergunta, choque completo tecendo em seu tom.
Quando olho para cima, há um homem vindo até nós. Seu
cabelo é comprido, mas puxado para trás em um coque. Sua
coloração é fascinante: pele azeitonada, os olhos cinzentos mais
claros, que quase parecem cabelos translúcidos e escuros. Suas
roupas são caras, e sua arrogância é proeminente quando ele nos
alcança.

Ele é bonito, de um jeito sofisticado e europeu. Eu não posso


colocar o dedo em como eu sei disso, mas ele vem do dinheiro. E
privilégio. Você pode nota-lo a uma milha de distância.

Quando os dois homens apertam as mãos, eu tento ficar de


pé, mas Zane me segura apertado com a mão livre, de modo que o
único lugar que eu possa me mover é de lado em seu colo.

“Eu estava passando por algumas reuniões e tenho seguido o


seu novo. . . empreendimento” ele diz em uma voz acentuada, com
humor em seus olhos.

“Se você está seguindo isso, significa que está recebendo a


publicidade que merece. Com ciúmes Kos” Zane para
abruptamente, quando Kostas vira o olhar para mim. Em um
segundo, fui medida, avaliada e objetivada. Para uma mulher
acostumada a usar seu corpo para vender produtos, há algo no
olhar de Kostas que me enerva.

É quase como se ele quisesse me comer viva.

"E quem seria você?"

"Harlow Nicks", diz Zane, sobre mim.

"Ela pode falar por si mesma", diz Kostas, levantando a


sobrancelha para Zane. "Não é o trabalho dela?"

E nessa troca, minha raiva sobre Zane pisando em meus


dedos, se transforma em apreciação. Ele está me protegendo. Eu só
não tenho certeza do que.

"Harlow Nicks", eu digo por mim mesma, e desta vez, quando


eu vou ficar de pé, Zane me libera. Estamos todos em pé.

"É um prazer", diz ele e, em seguida, levanta a mão para os


lábios.

Desconfortável com a vibe crivada de testosterona, eu puxo


minha mão para trás e dou um passo para perto de Zane. "E como
vocês se conhecem?" Eu pergunto.

"Somos velhos amigos", diz Zane, e Kostas sorri. “Fomos para


a faculdade juntos, e Kostas está aqui para tentar enfiar os dedos
na minha torta. Eu o amo até a morte, mas também sei que ele não
suporta, quando outra pessoa está se saindo melhor do que ele em
certas coisas. ”

Um olhar trocado entre os dois, que me diz que obviamente


há mais acontecendo aqui do que parece.

“Ainda há muito tempo sobrando. Deixe esse ego na porta,


companheiro , ”Kostas diz com uma risada, mas eu posso dizer que
Zane está quase chamando-o no tapete pelo o que eles estão
falando. Kostas voltou sua atenção para mim. "O que Zane está
realmente preocupado, é que você dê uma olhada em mim, e
perceba que você está perdendo seu tempo, enquanto está com
ele."

Um sorriso se espalha em meus lábios, e eu apenas balanço


minha cabeça, incerta se Kostas está falando sério ou brincando.
"Estou perfeitamente feliz com as coisas."
"Então eu acho que convidar você para jantar, estaria fora de
questão."

"Você assumiu de maneira correta", eu digo, mais do que feliz


em manter a minha posição.

Kostas nos olha, ambos, antes de voltar seu olhar para Zane.
"Então, você é homem de uma mulher só agora?" Zane fica ao meu
lado. “Quando esse desenvolvimento surpreendente aconteceu?
Da última vez que conversamos, você estava ... "

"Kostas." Tudo sobre o tom de Zane, é um aviso.

"Quero dizer, se eu não visse com meus próprios olhos, eu


teria certeza de que isso era algum tipo de besteira ..."

"O que você está fazendo?" Zane pergunta, dando um passo


para frente, em direção a ele, seu corpo tenso. Ambos estamos
mais do que conscientes de que as pessoas estão ouvindo. "Isso
está te irritando, que o mercado para seus investimentos tenha
caído e você está tendo que começar tudo de novo?"

"Eu vou ficar bem", Kostas murmura.


“Se vocês me derem licença, senhores, preciso usar o
banheiro feminino.”

Zane me dá um beijo na bochecha para uma boa medida,


antes de eu ir para o lado oposto deles, me perguntando o que
diabos era isso.
Capítulo Vinte e

Oito

Zane
"Importa-se de me dizer o que diabos foi tudo isso,
Kos?"Pergunto, no minuto que a garçonete serve nossas bebidas.

"O que você quer dizer?" Sua risada soa no clube ao nosso
redor. É escuro, ostentoso e com assentos de veludo, a música é
baixa, blues, e mulheres estão andando pela área VIP onde estamos
sentados esperando por um convite. “Não seja tão tenso. Viva um
pouco. Você está preso sendo uma vadia para esse seu investidor,
que provavelmente precisa ser soprado de sete maneiras
diferentes, para relaxar. "
"Estou bem, obrigado", digo a Kostas, de onde olho para ele
do outro lado da mesa, grato por tê-lo afastado do evento e dos
ouvidos de Robert.

"Tenho certeza que você está." Sua risada é irritante, sua voz
condescendente.

“É tão difícil para você lidar com o fato de que talvez você não
ganhou isso?” Eu lanço de volta, ignorando sua insinuação sobre
Harlow. "Isso significa tanto para você, que você veio até aqui para
tentar sabotar minha participação nisso?"

Privilegiado porra, garoto rico. Eu amo o idiota até a morte,


mas odeio o lado ruim que sai, as birras que ele joga - quando ele
não sai por cima ou consegue o que quer. Nunca me incomodou
antes. . . mas algo sobre a maneira como ele olhava para Harlow -
como se ela estivesse na disputa - me incomodou.

Eu sei como ele opera. Como ele usa, e depois descarta sem
pensar. E eu sei que quando ele viu Harlow, ele já estava pensando
em como tê-la.

Foda-se isso.
“Eu te disse, Zane. Eu vou ficar bem. O mercado está em alta.
Eu vou fazer de volta o que eu perdi e depois mais alguns. Quando
você já me viu falhar?"

"Então, por que você está aqui tentando foder com o meu?"

“Eu foderia com ela . . . sem dúvida. Harlow é tão boa, que
você é um homem que ama uma boceta só agora? "

"Ela não está disponível."

"Elas estão sempre disponíveis quando se trata de mim." Sua


risada novamente. “Olhe ao redor, Zane. Há vinte mulheres aqui
disputando sua atenção. Elas adorariam deixar você enfiar o seu
pau nelas. . . Por que você está perdendo seu tempo com uma
mulher, quando você pode ter uma, duas, três de cada vez?”

“Eu te amo até a morte, companheiro. Você é como um irmão


para mim. Mas isso - o SoulM8 - e ela - Harlow - melhor ficar livre
de suas impressões digitais. Nós nos conhecemos há muito tempo
para você puxar besteira assim comigo."

Kostas segura meu olhar, e leva seu copo aos lábios sem
quebrar o contato visual. Ele não está acostumado com isso, sendo
desafiado. E ele com certeza, não está acostumado a ouvir não.

Ele olha por cima do ombro para encontrar a garçonete,


levanta o dedo para sinalizar outra rodada e, em seguida, como um
homem sempre acostumado a conseguir o que quer, aponta para
três mulheres do lado de fora das cordas e pede que elas se sentem
conosco.

Ele as observa caminhando, mas fala comigo. “Então, isso é de


verdade? Ela é de verdade? Não é uma tática de negociação para
vender sua empresa? ”

"Por que você diria isso?"

As mulheres estão postadas ao pé do sofá em forma de U, e


esperam que Kostas as aponte onde sentar: uma ao lado dele, uma
entre nós e uma do outro lado.

Mas eu não olho em seu caminho. Não encontro seus olhos.


Recuso-me a dar-lhes um convite aberto, para algo que não quero
dar.

“Porque você é você. Um cachorro quando se trata de


conseguir o que você quer. Além disso, nunca vi você assim com
uma mulher. "

"As pessoas mudam", eu murmuro e, em seguida, retiro a


mão perfeitamente bem cuidada deslizando lentamente pela minha
perna e, a devolvo a dona sem olhar.

"Só quando elas são motivadas por alguma coisa." Ele vira o
rosto e beija a mulher à sua esquerda. “Então, de alguma forma, ela
precisa se ligar a isso. Em você ganhar. Isso eu sei. " Um beijo nos
lábios da mulher à sua direita. "Ou isso ou sua boceta tem que ser
da variedade mágica, e se for esse o caso, você está me
segurando."

"Não é da sua conta", eu digo, trazendo meu copo aos lábios e


me afastando de repente, quando a mulher ao meu lado se inclina
e tenta dar um beijo na minha bochecha. Ela geme em protesto.

Kostas percebe, e levanta uma sobrancelha.

No passado, eu teria deixado ela andar com os dedos até o


meu pau. Deixado ela me provocar com eles. Deixado ela me
mostrar o quanto ela me quer.

Mas foda-se, se eu estou de bom humor agora. Foda-se se eu


vou deixar ela me tocar, quando minha mente continua pensando
em Harlow. Das malditas preliminares que temos que provar para o
outro, não estamos perturbados.

Ela me faz tão bem. Me agarra pelas bolas, e me faz querer


como eu nunca quis antes.

"Eu posso transar com ela, se você precisar de mim para


verificar se ela vale a confusão em seu rosto, e justificar a franca
farsa de você rejeitar a nossa amiga aqui", diz Kostas com um
levantar do queixo para a mulher ao meu lado.

Eu chego para frente no meu assento e coloco meus cotovelos


sobre meus joelhos. “Ela não é minha amiga. Ela é sua. E eu amo
você, Kos, mas é hora de partir e você ir embora. "

"Preocupado que ela vai me querer, ao invés de você?"

"Você é um idiota arrogante, você sabe disso?"

"Assim como você." Ele sorri e desliza a mão até a coxa da


mulher ao lado dele, sem quebrar o contato visual comigo. "Você
nunca foi capaz de ficar com raiva de mim por muito tempo."
"Mmm-hmm", eu murmuro, e bebo o resto da minha bebida
em um longo gole.

"Foi bom ver você, Zane."

Não, não foi, penso comigo mesmo.

“Boa sorte com suas reuniões.”

Ele balança a cabeça, e assim mesmo, ele se move para as


mulheres ao seu redor sem se importar que ele acabou de
transformar em ondas.

Eu pego o Uber de volta à cidade, onde as ruas de Atlanta


estão ocupadas e cheias de vida, mas tudo em que continuo
pensando é em Harlow.

Desde quando me tornei tão defensivo quando se trata dela?

Estou no hotel dentro de trinta minutos, entrando no saguão


em direção ao salão de baile.

"Deve ser bom subir e sair, sem nem dizer uma palavra." A
voz de Harlow é fria e sua expressão não é muito melhor, quando
me viro para encontrá-la sentada em uma cadeira à esquerda. Seus
braços estão cruzados sobre o peito, e aquelas longas pernas
cruzadas no joelho estão saltando para cima e para baixo em
irritação.

“Eu disse a Zoey que estava saindo. Ela deveria ... "

“Ela me contou, mas que diabos, Zane? Eu vou ao banheiro e


volto para ela me dizer que você saiu. "

"Eu sabia que você poderia lidar com isso muito bem."

"Eu ser capaz de lidar com isso, não lhe dá o direito de apenas
fazer."

“Eu não tive escolha. Eu tive que tirar Kostas daqui, antes que
ele causasse uma cena. "

"Causar uma cena, te irritar, ou você só precisava de uma


noite com os meninos para se sentir como um homem de novo, por
que você está preso em um ônibus comigo?"

Eu enfio as mãos nos bolsos e olho em volta, para ver quem


mais está ao alcance da voz. "Ele teria dado em cima de você."

" Você está controlando quem eu vejo agora?" Ela franze os


lábios e seus olhos se estreitam em algo, antes de se voltar para
mim. “Isso parece ter aumentado rapidamente. De 'eu não quero
nada com você' para você me dizendo com quem eu posso e não
posso falar? Fale sobre ser um hipócrita. "

“Você está sendo irracional, Harlow. . . "Meu suspiro enche o


quarto, porque no minuto em que essas palavras saem da minha
boca, eu sei que elas são um erro. O vapor saindo de suas orelhas,
emparelhado com a mandíbula cerrada, confirma isso.

"É isso mesmo?"

Qualquer homem que já ouviu esse tom de voz antes, sabe


que eles estão na merda.

"Olha, você tem o direito de estar louca"

“Você está certo que sim. Você disse que tinha que lidar com
Kostas, e você e ele saíram.” Ela se levanta e joga as mãos para
cima em desgosto. "Saiu para fazer quem sabe o que."

Lágrimas? Há lágrimas nos olhos dela?

Porra.
Eu suspiro, apenas porque não tenho ideia de por que ela está
tão chateada.

“Você não conhece Kostas como eu. Eu o conheço há anos, e


ele estava com vontade de começar alguns problemas. Eu estava
apenas tentando protegê-la disso".

"Proteger-me ou você?" Seus olhos se voltam para o meu


ombro novamente e, em seguida, seus dentes rangem quando ela
encontra o meu olhar novamente. "Por que ele faria isso? Eu tenho
tentado descobrir, por que exatamente ele não gostaria que você
tivesse sucesso se ele fosse um bom amigo. "

"Ele é complicado."

“Isso torna muito mais fácil quando você diz isso, porque aí
então, você não tem que explicar, certo? Isso foi por é proibido
alguém me achar atraente, e você estava tentando marcar alguma
reivindicação, que você não tem, sobre mim? Ou por que existe
outra coisa acontecendo aqui? "

"Olha, me desculpe." As palavras mais importantes que


preciso dizer antes de continuar, porque uma, ela merece ouvi-las,
e duas, foda-se, se não me der mais alguns segundos para admirar
o quão sexy ela é quando está com raiva.

“E me desculpe por ter esperado você voltar. Sinto muito que


fazer o que você estava fazendo com Kostas, teve prioridade sobre
o que tínhamos ido fazer. Eu sinto muito que eu tive que ficar lá
esta noite, e ainda dizer todas aquelas coisas lindas sobre você,
enquanto por dentro eu estava silenciosamente te xingando por me
fazer cobrir para você. Ah, Harlow, estou tão empolgado que você
encontrou amor no site. Ms. Nicks, podemos conversar com o Zane.
. . Oh espere? Onde ele está? Blá. Blá. Blá. "

"Você não teria querido Kostas lá."

“Eu não poderia ter me importado menos se ele estivesse


aqui ou não, mas era você quem deveria ter estado lá. Você sabe
que eu posso me manter com homens egocêntricos, que pensam
que são um presente de Deus para as mulheres.” Seu sorriso é
apertado. "Caso em questão . . . você. ”

Eu assobio para ela cavar e depois perco a batalha, lutando


contra o meu sorriso.
"Não sorria para mim." Ela aponta um dedo no meu peito.
“Isso não é divertido. Nada disso é. Esta sou eu, meu trabalho e
meu. . . "O dedo se transforma em uma mão pressionada contra o
meu peito, me afastando. “Dane-se isso. Foda-se você. Eu vou para
a cama. "

Ela passa por mim, seus saltos batendo no chão, e os quadris


dela balançando tão forte que eu gemo.
Capítulo Vinte e

Nove

Harlow
Com cada passo no pavimento, o som dos meus calcanhares
batendo nele - serve apenas para exacerbar minha fúria.

Apenas quando eu começo a acreditar que Zane é o cara que


eu acho que ele é, ele levanta e me deixa no meio do nosso
trabalho para ter uma noite fora de meninos. Ele volta agindo como
se nada tivesse acontecido, exceto pela mancha cor-de-rosa escura
de batom em seu colarinho, que tenho certeza de que ele nem
sabe que está lá. E eu devo ficar lá e não ficar chateada?

Ou ferida?
É por isso que eu precisava de espaço. Distância. Qualquer
coisa para descobrir, porque eu estou mais magoada do que
chateada. Machucada pela visão do batom, mais do que chateada
por ele me deixando sozinha.

Ele não importa - era apenas sexo – então, eu não deveria me


machucar.

Mas as lágrimas ainda ardem. A rejeição ainda permanece.

Gah. Eu odeio ser uma mulher às vezes. Eu odeio isso, apesar


de dizer a mim mesma que isso não importa, eu ainda me importo.

"Harlow".

Eu fecho meus olhos quando Zane chama atrás de mim. "Por


favor, apenas me deixe em paz." Eu odeio que a quebra na minha
voz me traia.

"Você vai parar um segundo?"

"Não."

Meus pés doem. Minha cabeça dói. Meu temperamento está


em chamas.
“Desculpe eu não estar lá esta noite. Tomei a decisão que
achei que era a melhor no momento".

"Tanto faz." Mas eu não paro de andar.

"Tanto faz?" Sua risada descrente irrita meus nervos. "Alguém


já lhe disse que seu temperamento está fora de controle?"

Eu giro ao redor, fogo em minhas veias e fúria na minha voz.


"Não, não está,” eu grito, quando olho para ele. O luar está às suas
costas, o branco gritante de sua camisa destacada junto com o
batom, e seus olhos verdes procuram os meus. “Fora de controle
está um homem que passou a maior parte dos últimos dois dias,
tentando me fazer admitir que quero fazer sexo com ele. Ele me
provocou. Ele me ligou na hora e novamente. Ele está frustrado e
me excitou. E quando eu não mordo, quando eu não desisto e
durmo com ele imediatamente, porque Deus me livre, ele precisa
entender que eu não sou outro dos seus brinquedos que ele pode
brincar. . . ele sai e encontra alguém".

Sua expressão se transforma através de uma gama de


emoções: confusão, raiva e incompreensão.
"Do que diabos você está falando, Harlow?"

"Esse batom realmente não parece ser minha cor." Eu levanto


minhas sobrancelhas, então me viro e vou em direção ao ônibus.

"Batom?" Ele pergunta, através de uma risada que me faz


cerrar os punhos quando chego à porta. "Cristo, Harlow."

"Me deixe em paz." Eu me atrapalho com a minha chave na


fechadura, e grito quando a mão dele está no meu braço, me
virando.

“Eu não fiz nada. Kostas tentou me distrair, para provar que
ele deveria se abalar com você.

"Boa tentativa."

"É a verdade."

“Diz todo homem que—” Graças a Deus eu paro de dizer a


palavra. Trai. Eu me calo enquanto tento controlar meu próprio
processo de pensamento, enquanto tento entender o sentido.
Então eu luto contra ele. Fora de confusão. Por frustração, por
meus próprios sentimentos me traírem. Por odiar o fato de que eu
estou realmente com Zane e, é mais do que apenas o sexo incrível.
"Diz todo homem que está tentando jogar no campo."

"Você vai me ouvir?" Sua mão aperta meu braço. “Fomos a


um salão de jazz. Kostas levou três mulheres para o estande e ... "

"Salve isso, Zane." Nós nos encaramos, sob a luz suave das
luzes do estacionamento. As imagens que passam pela minha
mente, fazem meu estômago revirar. "Eu não preciso saber o que
aconteceu, ou que há batom em outro lugar em você." O sorriso
que lhe dou é tudo, menos amigável. “Você é exatamente quem eu
acho que você é. Que vergonha de mim por achar de outra
maneira".

"Você é enfurecedora."

"Boa. Isso acontece dos dois sentidos.

"Você quer saber a pior parte?"

"Tenho certeza que não." Eu tento arrancar meu braço do seu


aperto, mas ele apenas segura de forma que minhas costas estão
para o ônibus, e ele está na minha frente.
“É que o tempo todo que estive com Kostas, toda vez que a
garota tentava passar o dedo na minha coxa ou beijar minha
bochecha. . . "Ele faz uma pausa e o músculo em sua mandíbula
fazem um tique, enquanto ele range os dentes e olha para mim.
"Tudo o que eu conseguia pensar era você."

A mulher em mim que quer acreditar, e afundar internamente


em alívio. A mulher em mim que foi ferida por seu tipo e não quer
ficar chateada novamente, está mais alta.

"Explicação conveniente."

"Cristo mulher, você vai parar de ser tão teimosa?" Ele passa a
mão livre pelos cabelos. “Eu tentei te dar seu espaço. Eu tentei
deixar você descobrir por si mesma se você estaria voltando para
isso, querendo cometer outro erro comigo. Mas estou cansado de
esperar, Harlow".

Quando seus lábios colidem com os meus, minhas costas


pressionadas contra o aço frio do ônibus, resisto a ele. Minhas
mãos estão em seu peito, empurrando-o para longe e eu estou
lutando com ele na forma de beijos irados nos lábios macios.
Sua mão bate no meu cabelo enquanto ele assume o controle
completo, apesar da minha resistência.

E quando eu começo a ceder ao calor de sua boca, a


frustração em seu toque e o desejo reverberando entre nós como
se fosse a terceira pessoa no espaço, ele arranca seus lábios dos
meus. Mas ele não se move muito. Sua respiração como plumas
sobre meus lábios, sua respiração irregular, seus olhos perfurando
os meus.

“Eu não a beijei, porque tudo que eu conseguia pensar era


beijar você. Você não entende isso? Tudo que eu queria, era ter
você de novo. "

Nós nos encaramos enquanto suas palavras afundam.

1.

Por.

1.

Tudo que eu queria era ter você de novo.

Minha mão vai de ser plana contra o peito dele, para o


agarrar em sua camisa e puxando-o para mim.

"Isso é só sexo", eu sussurro, como um lembrete para mim e


para ele, para manter as emoções fora disso. As emoções que de
minha parte, estão lentamente se infiltrando quando não têm lugar
aqui.

"Apenas sexo", ele murmura de volta, diversão em sua voz.


Mas quando seus lábios encontram os meus e cada centímetro
duro de seu corpo roça o meu, todos os pensamentos estão
perdidos.

Quero. Preciso. Agora. Por favor.

Essas são as quatro palavras que circulam na minha cabeça,


enquanto Zane trata meus lábios com uma doce reverência atada
com desejo desenfreado.

"Dentro."

"Dentro", eu repito suas palavras, quando ele abre a porta à


nossa direita e eu as subo de costas, para não ter que quebrar o
beijo.
Nós não estamos mais do que um pé dentro com a porta
trancada e nossos corpos flanqueados, quando ele envolve seus
braços em volta de mim e me leva para o quarto.

Pensar não é compreensível, quando ele puxa minha saia até


a cintura sem pensar no ajuste apertado dela e me empurra de
volta na cama.

"Abra suas pernas. Eu estive pensando em provar você por


dias. "

Antes que eu possa dizer uma palavra, seu rosto está entre
minhas coxas. Seus lábios fecham em volta do meu clitóris através
da minha calcinha, e ele chupa. O calor úmido, o arranhar da renda,
a sensação de seus dedos enganchando o tecido de lado e
empurrando dentro de mim sem nenhum pretexto, me tem em um
lamento num instante.

"Zane". É uma palavra sem fôlego repetida nos meus lábios,


quando ele se inclina para trás e puxa minha calcinha pelas minhas
pernas. Ele apoia meus calcanhares em seus ombros e então me
concede um sorriso lascivo, antes de enterrar seu rosto entre
minhas coxas. Ele faz uma demonstração de inspiração, de me
cheirar e depois geme segundos antes de sua língua me separar e
se aprofunda em meus lugares mais íntimos.

É uma sobrecarga de sensações. Calor, pressão e felicidade


quando a língua dele mergulha em mim, se move em um círculo, e
depois lambe seu caminho de uma extremidade do meu sexo para
o outro. Sua mão aperta minha parte interna da coxa, move-se
lentamente pelo meu torso e cobre meu peito. Sua língua se move
para apertar meu clitóris, me provocando com êxtase. Os dedos em
sua mão livre deslizam para dentro de mim e começam a adorar
todos os meus nervos.

Meu corpo está sobrecarregado de sensações. Com o impulso


e a atração do desejo em guerra dentro de mim, para que eu possa
desfrutar do prazer e adiar o orgasmo para que ele cresça e fique
ainda mais forte.

Minhas mãos seguram seu cabelo. Meus quadris se animam.


Minhas pernas ficam tensas. Todos os três tentam ajudar e
atrapalhar, encorajar e impedir.
Um orgasmo significa, que esse prazer acabou.

Um orgasmo significa, que a queima lenta dentro de mim


explodirá em um inferno de desejo.

"Zane", eu lamento, quando ele dobra para baixo em seu


ataque. Dedos sacudindo e língua e sucção.

"Vamos lá, baby", ele murmura, enquanto trabalha


fervorosamente para me empurrar para a borda.

"Deus, ai mesmo." Meus olhos se fecham. Minhas mãos se


agarram no lençol. Meus calcanhares cravam em seus ombros,
enquanto os ecos estrondosos do meu clímax começam a rasgar
através de mim.

Sensação após a sensação segue. Calor e calafrios e tremores


e tensão. Atrás de minhas pálpebras brancas, quando minha cabeça
fica tonta e meu corpo começa a cair naquela névoa orgástica
líquida.

E quando eu acho que meu corpo terminou de pulsar e está


andando tão alto, Zane me empurra ainda mais para as nuvens. Ele
corre a língua suavemente sobre meus lábios inchados, usa a ponta
para circundar a minha entrada - seu gemido é o suficiente para me
fazer gozar novamente - e então pressiona um beijo no meu
clitóris, antes de beijar seu caminho até o meu corpo.

Ele se acomoda em mim nos cotovelos, os olhos escuros e as


pálpebras pesadas de desejo. "Deus, você é incrível", ele murmura,
antes de se inclinar e beijar-me carinhosamente na boca.

"Eu não estou reclamando sobre suas habilidades, com


certeza", eu digo, com uma risada contra seus lábios.

“Coisa boa, porque estou tentando ser paciente e deixar você


ter um segundo. . . mas se eu não conseguir foder sua boceta logo,
vou sentir uma dor muito séria. "

Eu o puxo para baixo e o beijo. “Por suposto, eu acho que te


torturei o suficiente nos últimos dois dias” eu abro minhas pernas
abertas e zombo dele com um sorriso tímido - “isso vai ajudar?”

"Vai mais do que ajudar", ele ri, enquanto começamos a


dança mais uma vez.

E assim que ele desliza para dentro de mim com um fino véu
de proteção, nós entramos no que quer que seja isso entre nós.
Sexo sem cordas.

Privilégios com o chefe.

Amigos com benefícios.

Obtendo as vantagens de interpretar o papel.

Qualquer maneira que você queira definir, está bem para


mim. . . exceto, que não é um relacionamento.

Aqueles em que eu sou horrível.

Aqueles só levam à dor.

Essas são coisas que eu sei que Zane nunca concordaria.


Capítulo Trinta

Zane
“ROBERT! O QUE EU POSSO FAZER por você? "

“Apenas checando, para ver como as coisas estão indo. Você


está em Nashville hoje, certo? "

"Sim." Outro maldito dia no ônibus. Outro dia mais perto de


voltar para a minha vida. Mais um dia de dormir com Harlow. “Você
tem a informação que eu enviei por email? As novas estatísticas e
assinaturas aumentam. ”

“Eles estão ótimos. Você está satisfeito com eles?" Ele


pergunta, e eu posso ouvir uma agitação no fundo, como se ele
estivesse sentado em um restaurante.

"Eu estou. Eles sempre poderiam ser melhores, mas isso é


apenas eu sendo um perfeccionista ”.
"De acordo. Estou pesquisando algumas ideias, para ver o que
mais podemos fazer para ter a base de assinaturas com capacidade
máxima antes do lançamento. ”

"Estou ansioso para ouvi-las." Minha voz cai quando Harlow


desce do ônibus. Seus mamilos estão duros sob sua blusa, e seu
cabelo está uma bagunça. A visão dela puxa tudo em mim para ir
até lá, e sentir o quão quente seu corpo está fresco dos lençóis.

"Mas todo o resto é bom de outra forma?" Robert pergunta.

"Sim. Certo." O silêncio preenche a linha, e sou atingido por


uma pontada de pavor.

"E as coisas com Harlow estão bem?"

Merda. Aqui vamos nós novamente, com o material do


conselheiro matrimonial. Eu já posso sentir isso.

"Sim, as coisas estão ótimas, obrigado."

"Ouvi dizer que vocês dois tiveram uma discussão no saguão


do hotel, na outra noite." Sua voz é tranquila, procurando e me
irritando.
Como diabos ele sabe sobre a nossa discussão?

“Como duas pessoas que são obrigadas a fazer tudo juntos, e


estão próximas uma da outra vinte e quatro e sete, sem espaço. Eu
não preciso de uma porra de manipulador".

“Ninguém disse que você precisa. Zoey está simplesmente lá


para facilitar todos os seus eventos, e ela simplesmente mencionou
isso quando estava saindo do salão de baile e se dirigindo ... "

"Chame seus cães para mim, Robert." Eu empurro para fora


do meu lugar indo para o espaço que há no ônibus da turnê. "Como
você se sentiria se alguém estivesse documentando cada
movimento seu e de Sylvie?"

"Eles teriam visto como um relacionamento real funciona",


ele diz em voz baixa, fazendo-me sentir um idiota por perguntar,
mas diabos se eu preciso de uma figura paterna. “Que há brigas e
você fica irritado. Que às vezes não são só rosas, mas você passa
por isso e tudo mais. ”

Se eu pudesse bater minha cabeça em uma parede de tijolos,


eu faria, porque ele simplesmente não está escutando.
“Você está perdendo meu ponto, companheiro. Eu avisei a
última vez que você enfiou seu nariz no meu negócio, que eu não
vou ter. Parceiros ou não, você só recebe um pequeno pedaço de
mim e Harlow. O resto é o nosso maldito negócio. "

"Espere. Isso é brilhante. Por que não pensei nisso?"

"Volte novamente?"

“Ainda assim, as campanhas publicitárias são boas, porque


criam uma imagem com a qual as pessoas se relacionam, mas é a
observação de pessoas que passam por altos e baixos, que fazem as
pessoas voltarem para mais e se importarem. Você acabou de me
dar uma ideia sobre como manter essa campanha fresca e viva para
que, toda vez que seus eventos forem relatados, eles ganhem uma
nova vida. ”

Jesus. Só essas palavras me assustam. "O que você quer


dizer?"

“Sente-se firme nisso. Preciso fazer alguns telefonemas e ver


se consigo alguma coisa para amanhã. Então eu preciso ..."

"Robert?"
"Você vai amar!"

A chamada é desconectada.

E eu gemo.

O homem realmente será a minha morte.

"Robert?" Harlow pergunta, e então assobia quando ela toma


seu primeiro gole de café.

"Como você adivinhou?"

“O gemido. O olhar no seu rosto. Seus protestos. Todos


podem ter me dado uma dica". Ela se senta no braço do sofá. "Ele é
um querido embora."

"É assim que você chama?" Eu rio com uma risada auto
depreciativa.

"Ele é. Seja legal com ele. Ele é inofensivo".

Deixe para uma mulher se apaixonar por sua rotina


inofensiva, quando sei muito bem como ele pode ser calculista.

"Você não diria isso dele, se ele estivesse ligando para você
todos os dias tentando se intrometer."

"O que eu não entendo é se ele é tão dolorido em sua bunda,


então por que você o deixou investir em primeiro lugar?"

Eu olho para ela por um momento, tentado a dizer a ela para


parar de falar, antes de tomar uma decisão estúpida e deixá-la
entrar no que está acontecendo.

"É complicado", murmuro.

"A maioria das coisas boas são."


Capítulo Trinta e

Um

Zane
"Eu estou indo para matá-lo."

A risada de Jack soa pelo telefone, e eu sei que meu melhor


amigo está tendo algum tipo de prazer doentio em assistir tudo isso
acontecer.

"É apenas uma pequena realidade como a TV."

"E eu pareço querer estar no reality show?" Eu pergunto.

"Eu não posso te ver através do telefone, mas as senhoras te


amam, então se há algum tipo de voto fora, você provavelmente
está seguro."

"Isso não é engraçado." Eu fico olhando para a tela


novamente, TRUST ROPES BONDING CURSE, onde Robert marcou
uma consulta para uma tarde.

Cristo.

“É como diz aquele ditado, o que fazer quando as mentiras


alcançam você? ”

“Quando as mentiras alcançam você, você dá um soco na cara


do seu melhor amigo? Você quer dizer isso?" Eu pergunto, mais do
que frustrado com a mensagem que eu acordei hoje de Robert.
Aquela que eu nem tive a chance de contar a Harlow ainda porque
ela está fazendo as unhas e não está respondendo.

"Talvez seja divertido", diz Jack.

"Divertido?" Eu rio, e passo a mão pelo meu cabelo. Só o


pensamento disso me faz suar nessa maldita camisa. "Ficar
pendurado em cordas no ar e confiando que Harlow vai me pegar
se eu cair, não é exatamente o mais reconfortante dos
sentimentos."
"Espero que você a trate bem, ou então ... oops, ela pode esquecer
de te pegar."

"Não é engraçado, Jacko."

"É tão difícil para você confiar em alguém ou"

"Talvez seja fato de eu caindo no chão e quebrando meu


pescoço", eu estalo, e depois aperto a ponta do nariz em
frustração.

“Olhe para o lado positivo. Você estará fora do ônibus da


turnê, estará fazendo algum exercício e ainda vai ver aquela bela
bunda de Harlow em um arnês, onde tenho certeza, que ela terá
cada curva acentuada. ”

"Eu já as vi, muito obrigado."

Sua risada some. “Porra, não me diga? Isso não demorou


muito. Então, novamente, é você. A qualquer momento após o
primeiro dia, é considerado um longo tempo, quando se trata de
Zane Phillips. ”

“Bem, se vamos fazer o papel. . . "


"Você também pode aproveitar os benefícios, e quais seriam
esses benefícios?"

"Não há queixas aqui", murmuro, enquanto olho para o meu


trabalho espalhado ao meu redor na mesa do ônibus.

"Um conselho, irmão."

"É qual seria?" Eu pergunto, meio prestando atenção, meio


distraído pelo cheiro do perfume de Harlow ainda persistente.

“Não deixe ela se apegar. Vocês estão brincando aí , então, vai


ser muito fácil para ela pensar que no minuto em que você voltar
para casa, tudo o que ela precisa fazer é colocar um avental e latir
ordens para você. "

"Se for apenas o avental, saltos e nada mais, então eu vou


comer o que ela está servindo." Eu ri, a visão disso mais do que
clamando meu pau para a vida. Porra, o mero pensamento dela, faz
isso comigo nestes dias.

Você pensaria que não fizemos sexo na noite passada, pelo


jeito que eu ainda estou excitado por ela.
“Primeiro o avental, e depois hoje você terá cordas. Parece o
meu tipo de festa".

"Você não está convidado."

“Se Robert está tão entusiasmado com os assinantes vendo


como é o amor na vida real, e promovendo um relacionamento de
trabalho, faça um filme caseiro mais tarde, trabalhando com ela” -
ele ri - “isso pode calá-lo”.

Eu rio e depois gemo.

"Apenas pense", diz Jack, "Zane Phillips. Magnata de negócios.


Empreendedor. Mestre casamenteiro. E agora . . .Estrela de reality
show."

"Não me lembre."

Não é assim que quero passar o dia.

Eu temia isso desde o minuto em que peguei meu telefone no


meio do caminho, para encontrar Robert do outro lado.
"Vender o fato de que você e Harlow encontraram um ao
outro no site foi ótimo, mas acho que agora precisamos vender
mais do que a fase inicial da luxúria", ele disse .“Pense em dar às
pessoas a sensação de que o amor vale a pena. As pessoas querem
vender o sonho do amor, então, vamos mostrar a elas o que é
preciso. E eu tenho a ideia perfeita de marketing. . . "

Ele passou a explicar, que nós filmaríamos pequenos


episódios para a web. Cinco a dez minutos cada. Eles seriam de eu e
Harlow trabalhando juntos, ou descobrindo como navegar em
diferentes elementos juntos. Alguns seriam desafiadores, e outros
provavelmente mais relaxados. Apenas um pequeno instantâneo da
vida com nós dois.

"E se nós entrarmos em uma briga?" Eu perguntei.

“Então nós mostraremos isso também.”

"Eu não estou a bordo com isso."

"Realmente não é uma grande coisa. Vou lhe enviar os


detalhes do que configurei para vocês dois, esta tarde. "

"Você está pisando muito perto de passar por cima da linha,


companheiro."

"Confie em mim."

"As famosas últimas palavras."

Eu olho para trás, para a tela do computador, e gemo com a


declaração de missão da empresa: a vida é cheia de desafios. Os
relacionamentos também estão cheios de desafios. Desafios podem
ser oportunidades para crescimento pessoal, construção de
confiança, aprendizado de quando liderar e quando seguir, e para
você perceber e confiar em seu parceiro quando ele está fraco e
vice-versa. Nós, aqui no Test Your Limits, oferecemos inúmeras
oportunidades para construir sua confiança, melhorar sua
comunicação e convencê-lo a provar para si mesmo que sim, você
pode, o tempo todo, se concentrar em construir seu vínculo como
um casal.

Um monte de merda.

É preciso controle para não ligar para Robert, e dizer para ele
ir para o inferno. Que não tem como eu fazer isso.

Estou acostumado a usar o protocolo para manter o controle.


. . mas foda-se, se Robert não tem estado fora dele, em cada
movimento que ele fez. Este é o seu forte, não o meu. Nenhum dos
meus outros negócios - principalmente empresas de investimento e
fundos de hedge - precisa de marketing na escala que esse
empreendimento faz. . . e eu estou empenhado em ganhar.

Especialmente depois da pequena visita de Kostas, no outro


dia.
Capítulo Trinta e

Dois

Harlow
“Você está bem?”

Eu olho para Zane, onde ele está sentado ao meu lado. Suas
bochechas estão pálidas, seu joelho está correndo para cima e para
baixo, e seus dedos estão brancos de tensão, onde ele agarra a
borda do banco em que estamos sentados.

"Eu estou muito bem", ele se agarra a mim. “Isso é uma


besteira. Mais um excesso de coisa, que eu disse a Robert que ele
poderia fazer".

"Eu acho que parece divertido." Eu olho para o conjunto


estonteante de cordas nas árvores. Cada uma delas preparada para
nos testar, de uma forma ou de outra.

"Essa é uma maneira de colocar isso." Ele olha para cima, e


olha para mim. “Lembre-me por que estamos fazendo isso, de
novo? "

"Porque queremos testar essa sua ligação", explica o nosso


instrutor Tucker - alto, moreno, robusto e bonito. Seu sorriso é tão
brilhante quanto o sol e quando seus olhos se encontram com os
meus, há interesse lá, que eu não fiz nada para promover.

"Isso não é exatamente o que eu quis dizer", murmura Zane,


em voz baixa.

“A causa número um de brigas em um relacionamento, é o


estresse. Nosso trabalho é colocar ênfase em você, colocá-lo em
situações desconhecidas e, em seguida, ajudar a orientá-lo em
como se comunicar e ajudar o outro ”.

"Então, em outras palavras, causar o rompimento prematuro


para que você possa entrar e roubar a garota?" Zane resmunga
baixinho, com uma ponta de sarcasmo.
Se Tucker o ouviu, ele não mostra com o grande e
extravagante sorriso que ele nos dá. Ele olha para a sua extrema
esquerda, onde outro funcionário está falando com a pessoa com a
câmera, e dá um sinal de positivo. “Vamos começar? Parece que
todo mundo está pronto."

Desta vez, Zane resmunga algo que eu não entendi bem.

E ele continua com a lição de segurança, a aula é rápida sobre


a técnica apropriada e, a explicação de cada um dos obstáculos que
definitivamente parecem desafiadores.

Subimos um conjunto de degraus, até uma plataforma


construída ao redor de um tronco de árvore. Agora estamos a uns
bons trinta metros do chão, se não mais. Por mais que as alturas
não me incomodem, fico um pouco sobrecarregada quando olho
para baixo e percebo como a equipe parece pequena, de pé, por
baixo, inclinando as câmeras para nós. "Merda isso é alto", eu
murmuro, mais do que grata que eles decidiram não nos ligar com
microfones, e em vez disso, dublar o som mais tarde.

"Isso se chama O Espelho", diz Tucker, olhando para Zane e


depois para mim. "O propósito, é que vocês aprendam a confiar um
no outro."

"Fodidamente perfeito", Zane resmunga, e eu o ignoro. Eu


entendo que ele está chateado com Robert, inferno, mesmo eu
fiquei surpresa com essa nova tática de marketing, mas quando
você dá um passo atrás e olha para tudo, é inteligente.

Além disso, estivemos tão ocupados viajando por todo o país -


a maioria dos lugares que duvido que eu volte a visitar - então será
bom eu ter algumas lembranças, além de como os lobbies de hotel
ou clube são bonitos.

"Estas duas cordas aqui", diz Tucker, apontando para um


conjunto de cordas que são cerca de três metros de distância. Há
outro conjunto de cordas paralelas e cerca de sete pés diretamente
acima delas, então se você desenhasse uma linha imaginária,
poderia fazer um retângulo. As cordas se estendem da árvore em
que estamos atualmente ao ar livre, para outra árvore e plataforma
a uns quinze metros de distância. "Nós vamos prendê-lo na corda
superior, para que você tenha uma linha de segurança para pegar
você quando você cair—"
" Quando?" Zane bufa, como um idiota arrogante.

"Vocês dois ficarão em cordas opostas, e se enfrentarão",


continua Tucker, sem sequer hesitar. "Vocês usarão um ao outro
para se equilibrar, e para ajudar a atravessar a distância."

"O que você quer dizer, com nós usaremos um ao outro para
o equilíbrio?" Zane pergunta.

"Isso você vai ter que descobrir."

"A sério? É tudo o que você vai me dar?" Zane novamente, e


estou irritada com o modo como ele está tratando Tucker, por
simplesmente fazer o seu trabalho.

Se é assim que os privilegiados agem - atirando suas


frustrações, com uma pessoa em outra -, então corte-me. Eu
prefiro ser pobre e ser gentil.

Aparentemente não afetado, Tucker continua sorrindo e


assobiando uma melodia alegre enquanto prende nosso
equipamento à linha de segurança, acima de nós.

"Sinto muito por ele", murmuro, quando Tucker intervém


para prender o meu.

"São sempre os caras durões, que têm um problema com


isso", diz ele em voz baixa e, em seguida, recua com um aceno de
cabeça. “Aqui é onde eu saio. Eu vou descer a escada para que
você possa descobrir isso por si mesmo. Eu te vejo lá embaixo."

"Fodidamente ridículo", Zane resmunga, pelo que parece ser


a décima vez em tantos minutos. Eu sou tipicamente bem
tolerante, mas agora, ele está me irritando.

"Está pronto?" Eu pergunto, com um arrepio à minha voz.

"Emocionado." Ele pisa em direção à borda da plataforma, seu


rosto uma máscara de fúria que eu não entendo muito bem.

"Se nos depararmos, talvez possamos apertar nossas mãos,


ou apertar os pulsos ou algo assim, para que possamos usar nosso
peso para nos equilibrar um no outro."

"Ótimo."

Eu passo um pé na corda mais baixa e uso minha mão na


corda acima de mim para me equilibrar, enquanto espero que ele
faça o mesmo. Ele apenas olha para mim com um olhar de
completa repugnância em seu rosto, que eu não consigo entender.

"Coloque a mão para fora", eu digo, e estendo minha mão


livre, mas ele apenas olha para mim e range os dentes. "Qual é o
seu problema? Você está sendo um completo idiota, e
francamente, eu não estou muito feliz de estar aqui com você
também. Então, engula tudo. Você esqueceu que tem câmeras
documentando todos os seus movimentos? Talvez você deve
manter isso em mente, na próxima vez que decidir ser rude com
Tucker".

"O que é com você defendendo cada homem que vem em


nosso caminho, exceto eu?"

“Defendendo todo homem? A cortesia comum, é mais


parecida com isso. Coloque sua maldita mão, Zane, porque eu
quero isso tão mal quanto você".

Seu suspiro é estrangulado, e há algo sobre a súbita tensão de


todo o seu corpo quando ele coloca todo o seu peso na corda, que
faz com que tudo clique para mim.
Ele não está sendo um arrogante, idiota. Não no mínimo.

Ele está petrificado, e mascarando-o com uma atitude


importante.

Eu acredito que Zane Phillips tem medo de altura.

"Dê-me a sua mão", eu digo, sem quebrar o passo. "Se


tivermos uma mão apoiando à outra, facilitará o próximo passo."

Ele fecha os olhos pelo mais breve dos segundos e diz algo
para si mesmo baixinho, antes de estender a mão e apertar sua
mão em volta do meu pulso e vice-versa.

"Zane?"

"Estou bem. Eu estou bem, ”ele diz, mas seu aperto de morte
em mim diz o contrário. Seu rosto é um leve tom de cinza, e uma
linha de suor escorre por sua bochecha por baixo do capacete.

"Zane?" Eu pergunto de novo, implorando para ele olhar para


mim.

"Deixe isso, Harlow."


“Me dê sua outra mão. Vamos sair na corda".

Outro grito estrangulado de resistência, apesar de seus pés


fazerem o que eu peço e sua mão estender para a minha livre,
como uma tábua de salvação.

"Firme", eu murmuro, o tremor de suas mãos mais do que


perceptível.

"Você pode simplesmente parar de falar por um segundo?"


Ele se fecha para mim, seus olhos se fecham novamente, enquanto
ele emite uma respiração forte para fora de sua boca.

"Zane".

“Pare de dizer meu maldito nome. Cristo." Mas seus olhos se


abrem, e há um pouco mais de cor em suas bochechas agora.

"Você tem medo de altura?"

"O que te faz dizer isso?" Seu tom é sacudido, mas os nervos
renunciam em sua risada. "Estou bem."

"Você não parece bem."


"Como vocês estão indo?" Tucker pergunta do chão. Ele
parece tão distante.

"Jesus Cristo. Ele quer que nos movamos, ”Zane grita.

Ele dá um pequeno passo adiante e eu sigo.

“Bem, esse é o ponto. Mova-se pela corda".

Seu olhar é merecido, mas acho que ele não acha graça no
meu humor. "Isso é tudo culpa sua, você sabe." Sentindo-se
corajoso com sua acusação, Zane dá outro passo e depois comete o
erro de olhar para baixo. "Cristo "

Juro por Deus, que sua palidez passou de cinza para verde.

"Minha culpa?"

"Se você não tivesse mentido sobre eu te dar o trabalho, eu


não teria que estar aqui agora, e então—"

“Você vai colocar a culpa em mim? Você não começou tudo


isso quando mentiu para Robert, dizendo que encontrou amor?
Não ... "
"Você vai calar a boca?"

Nada me faz levantar mais do que dizer isso, e quando estou


prestes a descarregar nele - no meio do ar, sendo segurada por
cordas - vejo claramente como o dia. Sua necessidade de
argumentar, é para distraí-lo de seu medo. Um comentário
sarcástico após o outro.

Então, pela primeira vez, cumpro o pedido. Eu seguro minha


língua, e dou outro passo instável para tentar encorajá-lo a fazer o
mesmo. Um rápido olhar para baixo mostra o reflexo da câmera
seguindo cada movimento nosso, e percebo, que isso faz parte da
masculinidade masculina de Zane. Sua necessidade de agir como
homem, porque ele está sendo filmado.

"Isso não te aterroriza?" Ele pergunta, enquanto eu dou outro


passo e ele fica enraizado no lugar, as cordas balançam, quando
uma pequena brisa atravessa o espaço em que estamos. "Merda."
Ele fecha os olhos novamente, esperando que as cordas se
estabilizem.

"Ei?"
"Agora não, Cinder."

"Olhe para mim. Vamos, você pode, você precisa confiar em


mim".

"Por quê?" Ele ri. "Não é como se você fosse capaz de me


pegar, se eu cair."

"Você está certo. As cordas vão te pegar, mas eu ainda estou


aqui. Eu sou a única que pode trabalhar com você, para que você
possa atravessar essa corda".

Ele balança a cabeça em rejeição, mas não fala. Outro fechar


de seus olhos. Outro deslize de seus pés ao longo da corda. Outro
grito de desespero dado, sob sua respiração.

"Lembra da outra noite?" Eu pergunto.

"Foda-se", ele murmura, enquanto a corda balança


novamente.

"Quando você me inclinou na beira da cama?"

Ele continua, firma seu corpo com a ajuda da minha. "Mmm-


hmm."
"Eu continuo pensando sobre isso que você fez."

Distrair. Desviar.

Degrau.

"O que seria isso?"

“A moagem. Seus dedos. Você bateu seu pau contra minha


boceta", eu digo em termos que ele vai ouvir, e pelo flash de seus
olhos verdes esmeralda até os meus, eu diria que funcionou.

"Mesmo?"

"Mmm-hmm", eu solto um gemido e, em seguida, dou um


passo maior. Quando sua respiração engata e ele começa a olhar
para baixo, eu balanço minha cabeça. "Uh-uh. Olhe para mim.
Apenas para mim".

Ele balança a cabeça, mas a ansiedade ainda possui todo o


seu corpo.

"Qual é a sua posição favorita?"

"Eu sou um cara. Enquanto eu estiver dentro de você, é tudo


isso ... "

“Isso não é uma resposta. Estilo cachorrinho? Passo


.“Vaqueira reversa?” Passo ."69?"

“Se você está tentando me distrair, não vai funcionar.


Estamos a uma milha do chão e ... "

“E se eu te dissesse que minha calcinha esta encharcada,


falando sobre sexo com você de novo. . . isso te distrairia? "

O músculo em sua mandíbula estala, quando ele olha para


mim. "Nada me afeta, lembra?" Mas quando ele diz isso, há o mais
tímido dos sorrisos substituindo a força de seus lábios de apenas
alguns segundos atrás.

"Não olhe agora, Zane, mas em apenas mais alguns passos,


nós conseguimos."

E, claro, ele olha e, em seguida, ofega quando sua falta de


concentração nos deixa desequilibrados.

"Veja? Você fez isso." Mas eu posso ver o pânico retornar,


agora que ele percebeu novamente onde estamos. “Não entre em
pânico. Vamos lá. Você fez muito bem até agora".

"Isso vai acabar?" ele geme.

"Basta escolher algo para se concentrar."

Ele bufa, seus olhos olhando para o V das minhas coxas. "Você
está usando calcinha hoje?"

"Você não gostaria de descobrir?"

E isso é tudo que preciso, para ajudá-lo nos últimos metros da


plataforma. Seus braços me rodeiam no minuto em que nossos pés
estão apoiados sobre as tábuas de madeira, e esperamos que
Tucker suba as escadas e venha nos soltar.

"Obrigado", ele murmura contra o meu ouvido, enquanto ele


me pressiona contra ele. Ele cheira a suor, colônia e medo, e
inferno, se há algo sobre a combinação que chuta minhas
endorfinas em alta velocidade.

"Pelo quê?"

"Por não me repreender."


Eu sorrio. "Eu apenas ajudei a distrair você."

"Obrigado." Ele se inclina para trás e olha para mim por um


tempo, antes de se inclinar e pressionar o mais suave dos beijos aos
meus lábios. A mistura de adrenalina e ternura inesperada, tem
cada parte de mim querendo se derreter nele.

"Então, o que vocês acharam?" Tucker diz, o barulho de seus


pés batendo em nossos ouvidos, apenas alguns segundos antes de
chegar à plataforma. Nós nos chocamos ao ver sua risada. "Não se
preocupe. Isso acontece muito. Lutando nesse sentido,
compensando nisso. ”

Zane se afasta de mim, mas me pega de surpresa quando liga


seu dedo mindinho com o meu ao lado do corpo.

"Você foi ótimo." Tucker bate as mãos juntas. “O cinegrafista


tirou boas fotos também. Agora, vamos para o próximo curso. O
que você vai escolher?”

Eu rio quando Zane geme, mas há muito mais orgulho nisso,


do que há quinze minutos atrás.
Capítulo Trinta e

Três

Harlow
"Ei" Uma mão nas minhas costas, e outra me balançando de
um lado para o outro. "Levante a cabeça sonolenta."

"Que horas são?" Eu gemo, puxando o travesseiro sobre a


minha cabeça.

Um beijo quente é pressionado no meu ombro. A boca de


Zane fica lá, quando ele fala e meu corpo sonolento esquenta.
"Cedo."

"Vá embora."
"Eu pensei que você fosse a pessoa da manhã", diz ele, com
uma risada.

“Por que você parece tão alegre? O que é essa feitiçaria?"

"Vamos lá. Eu quero te levar a um lugar".

"Agora mesmo?"

"Mmm-hmm."

"Uma cafeteria?" Eu pergunto, esperando que nesta hora


ímpia, ele pelo menos me conceda isso.

Outra risada naquele cascalho matinal baixo, que raspa todos


os tipos de sentimentos de amor que eu não deveria sentir.

"Agora mesmo." Uma mão desliza suavemente pelas minhas


costas. “Sem maquiagem. Sem pentear o cabelo. E se você se
mover rápido o suficiente, posso garantir-lhe um pouco de café."

Quando eu me levanto e me viro para encará-lo, ele parece


amarrotado e sonolento como eu. . . e muito sexy. Tanto quanto eu
amo o homem em suas camisas, coletes e gravatas, quando ele está
assim - camiseta com decote em V, jeans e cabelo bagunçado - ele
é irresistível. O CEO do setor de energia, reduziu para o garoto da
faculdade.

"Vamos, vamos perder isso." Suas palavras são enfatizadas,


por um tapinha na minha bunda.

Eu faço o que ele diz, mas resmungo o tempo todo que faço.
Quando ele me entrega uma xícara de café. Quando o ar da manhã
gelada me atinge, quando eu saio do ônibus. Quando ele me diz
que temos que subir uma montanha antes do amanhecer, com o
céu ficando azul. Quando ele verifica seu relógio a cada poucos
minutos, para ter certeza de que estaremos em qualquer lugar que
precisamos estar a tempo.

"Você se importa de me dizer para onde estamos indo, ou o


que estamos fazendo?" Eu pergunto, de onde estamos sentados
em um pedaço de grama, ao lado de uma encosta.

"Você só precisa esperar e ver."

"Famosas últimas palavras", eu murmuro a mensagem


enigmática, mas secretamente gosto desse lado quieto e
despretensioso dele. "Se estamos aqui para assistir o nascer do sol,
você poderia apenas dizer e eu ficaria bem com isso."

Ele não responde, apenas mantém os olhos olhando para a


frente, quando um sorriso enorme ilumina seu rosto. "Veja."

Quando me viro para o leste, encontro-me com a lenta subida


do sol sobre a crista além. O céu está cheio de rosas e laranjas. As
nuvens à distância são uma matriz de cores. Mas antes que eu
possa juntar as palavras, outra coisa começa a espreitar a borda das
colinas e se juntar ao sol. Enormes globos de cor.

" Uau!"Eu nem percebo que digo isso, quando o céu se enche
de repente com um balão de ar quente atrás do outro. Eles
ascendem rápido e silenciosamente. Suas copas - listras, divisas,
bolinhas e sólidos - iluminavam o céu com sua cor e presença.

"Muito legal, né?" Zane murmura ao meu lado.

"Onde você-"

"Shhh" Ele murmura sem olhar para mim, e aponta para a


cena de um cartão postal diante de nós.

"Você já esteve em um?"


"Não."

"Você já-"

“Shhh. Apenas aproveite isso."

E então nos sentamos de manhã cedo com nosso café gelado,


e observamos o céu se animar. Mas há algo sobre o homem ao meu
lado, que me chama a atenção igualmente.

Geralmente sou boa em ler uma pessoa, sabendo quem são


depois de apenas uma reunião. . . e ainda assim, Zane está
continuamente provando para mim que eu posso estar errada. Esse
cara - aquele que fala com seu cachorro pela webcam, e me acorda
para me surpreender com isso - não é nada parecido com o homem
que eu conheci, quando ele me confundiu com o seu cuidador de
cães.

E acho que essa percepção, pode ser prejudicial ao meu


coração.

"Me desculpe, eu fui um idiota ontem." Suas palavras são


suaves e seu tom também quando ele se inclina para trás em suas
mãos, mas mantém os olhos para frente.
"Você estava com medo."

"Eu sempre tive medo de altura."

“Tudo que você tinha que fazer, era me dizer. Qualquer coisa
para me avisar, para que eu pudesse te ajudar".

É por isso que ele me trouxe aqui em cima? Para se desculpar


com uma bela vista, um pedido de desculpas comovente?

"Não é tão fácil."

"Não é como se eu tivesse tirado sarro de você."

Ele ri baixinho. “Você tem alguma ideia de como foi difícil ser
o cara, e ter quer protegê-la se algo desse errado? Ser o mais forte,
que iria estender a mão e agarrá-la se você escorregasse da corda e
caísse, apenas para saber que eu nunca seria capaz de fazer isso,
porque estava petrificado e com medo de cair?"

"Você teria reagido."

"Como você pode dizer isso?"

“Porque eu apenas sei. Você arrisca e arrisca, e você faria isso


sem pensar. "

Ele olha para mim e mantém meus olhos por uma batida, uma
piscina de emoções nadando através de seus olhos de esmeralda
que não consigo decifrar. “Obrigado por me ajudar. . . e me
distrair." Um sorriso tímido enfeita esses lábios, fazendo meu
estômago revirar, antes que ele volte para os balões.

Nós passamos os próximos momentos apontando para os


desenhos. Escolhendo um favorito. Fingindo que há uma corrida
entre todos eles, e nós dois escolhendo o que achamos que
ganharia. Nossa risada ecoa ao nosso redor e, em algum momento,
mudo para estudá-lo. As linhas do perfil dele. A nuca espanando
sua linha do maxilar. O boné de beisebol em sua testa.

"O que você está olhando?" Zane pergunta, seus lábios se


abrindo em um sorriso, mas ele não olha para mim.

"Eu só estou tentando descobrir quem é você em tudo."

“Muitas pessoas tentaram. Poucos conseguiram."

"Eu duvido que alguém tenha vivido com você por quase um
mês."
"Verdade." Ele acena com a cabeça lentamente, e traz a xícara
de café até os lábios. "Ninguém viveu."

"Não?"

"Não."

"Obrigada por elaborar", eu digo, através de uma risada.

Ele encolhe os ombros. "O que você quer que eu diga? Eu


poderia te dar a resposta enlatada que as pessoas esperam. Eu
ainda não encontrei a mulher certa. Eu trabalho muito, e isso não é
justo para a outra pessoa. . . mas também não seria verdade."

"OK." Eu mastigo a palavra, não entendendo completamente


o que ele quer dizer.

“Talvez eu não saiba o que quero. Talvez eu trabalhe demais,


e viver com alguém, significa que eu estou dando falsas esperanças
sobre o homem que eu poderia ser um dia, quando ainda não sou.
Talvez, eu não esteja destinado ao casamento - Deus sabe que eu
tive um péssimo exemplo, enquanto crescia - e por isso, não quero
dar falsas esperanças a ninguém. ”
"E talvez, você apenas aprecie as mulheres", eu digo, com um
levantamento de minhas sobrancelhas, enquanto tento processar
toda essa honestidade dele.

"Isso eu faço. Sim." Ele olha para mim, a cabeça inclinada para
o lado, um sorriso suave nos lábios. "É tão ruim que eu não saiba o
que eu quero ser quando crescer?"

Sua pergunta me faz parar por um momento, para ter certeza


de que ele está sendo sincero. Há uma sinceridade em seus olhos,
que me assusta. "Não. De modo nenhum. Mas me surpreende que
você diga isso. Você é obviamente bem sucedido. Parece que você
tem um milhão de ferros no fogo."

"E você? Por que você não tem namorado, ou marido? O que
você quer ser quando crescer?" Ele estende a mão, e coloca uma
mecha de cabelo que caiu do meu rabo de cavalo atrás da minha
orelha. Por um breve momento, seu polegar descansa no lado da
minha bochecha quando ele faz isso.

Eu luto contra a vontade de virar minha bochecha em sua


mão - garota boba - e em vez disso, me concentro em responder a
sua pergunta.

“Quando cresci, queria ser veterinária. Ou melhor, acho que


minha linha de sucessão quando criança era uma princesa - um
vestido rosa com babados, e uma tiara de diamantes eram
necessários ... "

"Eles não são sempre?"

“E então um astronauta, só porque eu achava que alienígenas


teriam pele roxa, e eu amava a cor roxa.”

"O que aconteceu com rosa?"

"No momento em que eu estava no roxo, eu estava muito


mais rosa". Eu ri. "Então, eu acho que queria ser mãe."

"Ainda é muito plausível."

"Em tempo." Eu aceno e sorrio. “E em seguida, estava


querendo ser a próxima Jane Goodall. A senhora que estuda os
chimpanzés nas florestas da África ”.

“Ama animais e viajar. Confere."


“Então, decidi que queria ser uma rainha. Eu estava cansada
de ser mandada por aí. Esqueça a coisa da princesa indefesa."

"Deixe-me adivinhar, você estava cansada de esperar pelo seu


príncipe vir?"

Eu bufo. “Mais como eu estar cansada de me falarem, que eu


precisava de um príncipe. Minha mãe . . . ela é uma romântica sem
esperança".

"E você tem algo contra o romance, eu não entendo?"

"Não. Sim." Eu dou de ombros, e rio baixinho. "Eu não sei."

"O que? Conte-me?"

“Mesmo depois que meu pai partiu quando eu era pequena,


ela ainda continuou acreditando no conto de fadas. Na noção de
que há um príncipe por aí para todos. Na ideia de que o amor
conquista tudo. Sempre me confundia, desde que eu via ela se
machucar, várias vezes. Por que acreditar tanto em algo, quando
isso continuamente lhe traz miséria? ”

"Eu suponho que é diferente para todos."


“Sim, bem, depois de ver algumas vezes, eu decidi que iria
controlar o meu próprio conto de fadas—”

"Sendo o rei?"

"Sim. Eu queria ser aquele que pudesse tomar todas as


decisões quando se tratasse da minha vida, não deixar minha
felicidade na mão de outra pessoa ”.

"Portanto, você consegue seu zelo para contar como é." Ele
bate com a mão no coração e, desta vez, quando a coloca no chão –
com um sorriso largo no rosto - ele a coloca casualmente sobre o
meu joelho.

"Cortem suas cabeças", eu digo, no meu melhor sotaque


britânico.

“Cuidado, Cinder. . .eu venho de um lugar que já foi uma


colônia do seu reino, meu soberano ”. Ele aperta minha perna. "O
que mais essa sua mente criativa quer ser?"

Eu me calo e olho para o horizonte. “Um olheiro de modelos


me abordou em um shopping, e me disse que eu deveria fazer
fotos. Minha mãe achou que era uma farsa, mas eu implorei para
ela me deixar fazer isso. Eu consegui meu primeiro emprego
algumas semanas depois. Era um desfile - coisa pequena - mas
havia algo sobre a sensação disso. . .eu não sei . . . "Eu dou de
ombros, me sentindo boba e estranhamente vulnerável.

"Você não sabe o que?"

"É realmente bobo."

Ele bate o joelho contra o meu. "Conte-me."

"Isso fez eu me sentir amada." Eu limpo minha garganta,


odiando que de repente eu me sinto exposta. “Eu sei que foram as
roupas que eu estava usando que as pessoas estavam aplaudindo,
mas para uma garota que ninguém notava. . . a quem o pai não
achava que era importante o suficiente para ficar por perto, e ver
crescer. . . isso apenas me fez sentir como se valesse alguma coisa.
E sim. . ." eu levanto a mão para impedi-lo de falar " antes de dizer
que você não deve encontrar sua autoestima nas opiniões dos
outros sobre você, eu sei disso. Naquela época, porém, aquele
trabalho de modelagem foi o começo de eu colocar meus pés no
chão. Foi o momento em que eu poderia ter ficado onde estava
sendo quem eu era, ou poderia ser a pessoa que eu queria ser".

"Tudo o que eu ia dizer, é que eu entendi", ele murmura.


"Compreendo. Minha família . . .Cristo, minha família era uma
bagunça quente. Claro que meus pais estavam juntos para sempre,
mas quando você vive sob a névoa bêbada do álcool, torna tudo
mais tolerável. . . para todos, exceto as pessoas que moram com
você".

"Eu sinto muito."

“Não sinta. Eles preferiam sua vodka ao filho, e Deus me livre,


se ele estivesse entre os dois". Meu coração balança no peito, para
o garotinho que cresceu nessa situação.

"É por isso que você veio para a América?"

"Uma noite . . . merda, uma noite, quando eu tinha quinze


anos, meu pai levantou a mão novamente para mim e pela primeira
vez, eu lutei de volta. As coisas mudaram depois disso. Sua luta
piorou, a bebida tornou-se mais pesada. . . e eu não podia mais
fazer nada certo".

“Zane. . . "
Ele balança a cabeça de um lado para o outro, como se
estivesse lembrando e medindo o quanto me dizer. “No dia
seguinte ao meu décimo oitavo aniversário, fiz o meu movimento.
Eu roubei um colar da minha mãe, para pagar minha passagem de
avião até aqui. Não tenho orgulho disso, mas às vezes, você faz o
que tem que fazer". Ele franze os lábios por um momento, quase
como se estivesse pesando o que dizer em seguida. “Quando fiz
meu primeiro grande negócio no mercado de ações - quando recebi
o mesmo sentimento de valor, de que você estava falando em seu
primeiro trabalho como modelo - enviei-lhe um cheque para o
colar, e depois mais cinquenta deles. Esse foi o meu obrigado, por
me trazer para este mundo. . . e depois a minha afirmação, de que
nunca quis ser como nenhum deles. ”

"Você acha que conseguiu isso?" Ele pisca os olhos para mim,
surpreso com a minha pergunta. "Quero dizer, você fez essa
distinção em sua cabeça, que você é diferente deles?"

"Eu acho que sempre vou estar perseguindo essa distinção",


ele murmura e, em seguida, limpa a garganta, o olhar reflexivo em
seus olhos se foi. Um tópico um pouco próximo demais para um
homem isolado do mundo.

E antes que eu perceba, ele sem esforço, nos colocou na


grama atrás de nós, onde seus lábios encontraram os meus.

O beijo me bate por um segundo.

Nós não estamos em público. Não há ninguém para


documentar a relação entre o dono do SoulM8, e sua parceira.

Nós não estamos no ônibus. Não há, "isso é apenas sexo


casual."

Este é Zane e eu, em uma colina com balões de ar quente


acima de nós, e ninguém ao redor, por milhas.

Eu afundo no beijo. Na falta de pretensão com isso. Em


desfrutar do calor e suavidade de sua língua, e da força em sua mão
que está embalando minha cabeça.

"O que nós somos-"

“Shh. Estamos assistindo a balões ”, ele ri, impedindo-me de


ser estúpida e impedindo-o de me beijar.
Porque isso é tão bom. Ele é tão bom. Tão incrível, que eu
preciso calar a minha mente e deixar seus lábios, língua e o calor
que ele está espalhando por todo o meu corpo, ser a única coisa
em que estou pensando.

"Que outras coisas você sonhava em ser?" Ele murmura


contra meus lábios, quando o beijo termina.

"Eu ainda estou sonhando", eu digo, quando abro os olhos, o


encontro em seu cotovelo olhando para mim e sua mão
descansando no meu estômago.

“E os homens? Os homens são levados em consideração


nesse sonho? "

Eu ri. "Essa é uma declaração bastante ampla".

"Eles?"

Eu engulo por cima do caroço na garganta e tento ignorar a


súbita aceleração do meu pulso. Zane não gosta de namorar ou a
longo prazo ou. . . ele acabou de dizer tudo isso em tantos termos,
então por que meu coração está batendo como se eu quisesse que
ele me quisesse?
Mantenha a luz baixa.

"Eu tenho um gosto horrível para homens."

"Eu deveria estar ofendido?" ele ri.

"Isso não é o que eu quero dizer", eu digo, e então percebo


que é o que quero dizer. "Deixe-me prefaciar isso, dizendo que é
isso que eu quero dizer." Uma risada nervosa da minha parte. Uma
mudança de meus olhos, de volta para os balões ainda pontilhando
o céu.

"Então, eu entendo que você não encontrou o seu príncipe


encantado ainda?" Seu sorriso se enrola nos cantos dos lábios.

"Minha mãe acha que todo homem tem um pouco de ambos


neles."

"E você? O que você acha?"

“Eu acho que escolho os homens que parecem bons, que têm
alguma arrogância, mas no final, se amam mais do que eles
amariam outra pessoa. Mesmo com os erros da minha mãe para
assistir, eu ainda me apaixono por eles. Difícil. E quando percebo
que é tarde demais para recuperar meu coração, eles vão embora e
estou quebrada”.

"Amor de merda", ele diz, e ri.

"Tudo não volta a ele, em um ponto ou outro?" Eu pergunto.

"Você não sabe a metade disso." Ele meio ri, meio suspira.

"O que isso deveria significar?

Zane olha para mim por um momento, seus olhos se


estreitam e seus lábios torcem como se ele quisesse dizer mais,
mas depois balançou a cabeça. "Só um comentário de cara." Ele
encolhe os ombros e, em seguida, pressiona um beijo casto nos
meus lábios. "Devemos voltar?"

"Nós temos que voltar?" Eu ri. “É tão pacífico aqui em cima.


Sem telefones celulares. Nenhum ônibus. Nem-"

"Nem, Robert."

"Não, Robert." Eu rio. "Estou com medo de ver o que está


reservado para nós, no nosso próximo destino."
"Nem me lembre", ele geme, levantando-se e puxando-me
para os meus pés pelas minhas mãos.

“Sempre uma aventura.”

Ele liga os dedos aos meus, e os balança. "Sempre."

Nós caminhamos de volta pela trilha, falando o tempo todo


sobre isso ou aquilo - coisas simples que nunca discutimos, apesar
do fato de que estamos morando juntos. O tempo todo, eu
continuo pensando como eu tive um sorriso no meu rosto o tempo
todo. Como este pequeno passeio inesperado, me fez perceber que
às vezes as primeiras impressões merecem uma segunda olhada.

Especialmente quando se trata de Zane.


Capítulo Trinta e

Quatro

Harlow
“Não é tão ruim.”

Zane olha para mim de onde ele está. Ele tem farinha
polvilhada em uma bochecha, as mangas da camisa enroladas até
os cotovelos e lambendo a cobertura da tigela com a outra.

“Não é tão ruim. Cozinhar juntos eu posso ficar para trás.

"Você gostaria de comer depois disso tudo."

"Quem não iria?" ele ri, e dá outra lambida. "Além disso, você
nesses saltos, um avental e olhando toda doméstica foi-"
"Equivalente a você, parecendo todo doméstico." Eu levanto
uma sobrancelha.

Ele ri. “Eu jurei que haveria uma pegadinha nisso. Como
ingredientes estranhos, ou sem receitas ou algo para nos desafiar ”.

"Cozinhar de olhos vendados."

Ele ri. "Isso, ou cozinhar nu." Ele arqueia uma sobrancelha, e


aquele lento deslizar de um sorriso em seus lábios e, a inclinação de
seus olhos para baixo do meu corpo e de volta, diz exatamente o
que ele está pensando.

"Sempre há isso, mas depois, penso em queimaduras


acidentais em lugares que não precisam ser queimados".

Zane assobia e depois ri. “Soa mais sexy do que seria. Vamos
ser gratos por esse não ser nosso desafio hoje. ”

"Graças a Deus, não." Mas havia um hálito quente na parte de


trás do meu pescoço. Beijos suaves no meu ombro nu. Gemidos
baixos quando eu me inclinei para verificar os cupcakes no forno.

Todas as coisas que eu tenho tentado me lembrar em uma


base diária - toda hora - que fazem parte do show. Aja como um
casal, quando vocês não são um casal. E, no entanto, não consegui
impedir que minha mente fosse para lá. De se perguntar se seria
assim, se Zane decidisse que poderia haver mais depois que essa
turnê acabasse.

Mais?

Ah, Low. Você está perdendo a batalha, não é?

Isso não deveria estar acontecendo.

"Pode ter sido um dia fácil, mas misturado com as outras sete
aventuras que fizemos esta semana, estou exausto." Ele inclina
seus quadris contra o balcão, e eu amo que ele segure a tigela
contra seu estômago, enquanto ele dá outra lambida descarada
como um menino faria.

Há algo extremamente sexy sobre a visão, então, eu olho um


pouco mais do que eu normalmente faria.

"Houve realmente sete?" Eu me inclino para trás em minha


cadeira e bocejo, enquanto deslizo meus pés levantando meus
calcanhares e os coloco em cima da mesa na minha frente. Sim, é
uma área de cozinha e meus pés devem estar no chão, mas o
inferno se meus dedos não estão gritando por algum alívio.

"Vamos ver, houve o curso de teste de cordas."

"Quem poderia esquecer o bom e velho Tucker", murmuro, e


sei que o botão que apertei era o certo, quando os olhos dele
endureceram e as sobrancelhas se ergueram.

"Bom e velho Tucker, que estava me colocando fora do


ringue, para terminarmos nosso relacionamento falso e ele então
poderia ter você."

"Tanto faz." Eu rio, mas amo que ele estava com ciúmes e
admitiu isso.

"Então, teve a pesca no lago."

“Ugh. Minhocas."

Ele ri e eu sei que ele está pensando no meu grito, quando ele
me fez colocar uma no gancho sozinho.

"Mas você pegou um peixe."


"Eu fiz."

"E depois, teve a corrida de três pernas da cidade."

"A mais longa dos Estados Unidos." Eu mostro um sorriso


brilhante pensando no calor, na estranheza de nossas pernas sendo
amarradas juntas e na frustração toda vez que caímos.

"Eu tenho o mais longo aqui."

Eu reviro meus olhos, e balanço minha cabeça. "Tanto faz."

"Você está reclamando?"

"Não, seja o que for", eu digo, enquanto ele dá outra lambida


no glacê.

"Então, teve o desafio da venda."

“Eu não me importo com o que você diz, mas me fazer provar
Vegemite sem me dar um aviso que teria gosto. . ." Eu não sei como
é o gosto, mas vou me certificar de nunca mais comer novamente.
Eu tremo com a ideia de estar vendada, e ter que provar as cinco
coisas que ele me alimentou.
"Não fale mal, é um dos meus favoritos."

"Acredite em mim, se eu decidir ir abaixo, definitivamente


não será para comer essa porcaria." Mas há algo sobre o meu
comentário, que faz com que ele incline a cabeça para o lado, e
olhe fixamente.

"Eu posso pensar em muitos outros benefícios para ir abaixo."


Sua voz é tímida, a lambida de seus lábios é sugestiva. Meu corpo
reage imediatamente, quando ele coloca a tigela ao lado dele e
caminha alguns metros até onde eu estou sentada.

Seus olhos escurecem e seguram os meus, enquanto ele pega


meus pés doloridos e começa a trabalhar o polegar sobre o arco.
Estou mais do que consciente de que apenas recitei quatro das
saídas que tivemos, mas agora tudo em que posso me concentrar, é
nas mãos mágicas dele. "Oh, Deus, isso é tão bom."

"Assim?"

"Aí."

Ele continua a esfregar. Continuo a fazer ruídos apreciativos,


muito semelhantes a lamentos e gemidos.
“Não que eu esteja reclamando de qualquer maneira, Cinder,
mas por que você sempre insiste em usar saltos?”

"Por que não?" Um sorriso suave brinca nos meus lábios. “Se
eu só pudesse ter um salto alto na vida ou um chinelo, eu
escolheria o salto alto. Sofisticado e elegante. Eles machucam? Sim.
Eu pareço a parte que quero ser? Sempre." Ele sorri e balança a
cabeça, enquanto eu deixo a minha cair na cadeira enquanto ele
continua a esfregar. “Não. Sempre. Pare."

"Vou lembrá-la dessas três palavras mais tarde."

"Mmm", eu murmuro, enquanto o doce ferver se espalha


pelo meu corpo com a promessa em suas palavras.

"Eu tenho champanhe, se você quiser um pouco."

"Champanhe?" Eu pergunto.

"Celebrar."

Agora ele tem minha atenção. Eu levanto minha cabeça, para


encontrar seus olhos. "Celebrar o que?"

"Bem, agora estamos mais do que na metade do passeio de


ônibus, que eu juro, acabará sendo minha morte se Robert tiver o
seu caminho ..."

"Deus, você o ama." Eu rio, mas Zane me dá com um olhar


sério .

“E porque os números de assinaturas agora quebraram todas


as previsões. Eu odeio admitir isso, e eu nunca vou dizer isso na
cara dele, mas Robert estava certificado isso de mostrar a porcaria
da vida real. A seção de vídeo do site, está fazendo com que tanto
tráfego seja ridículo ”.

"Parabéns!" Eu digo. "Isso é incrível e oh Deus, isso significa


que ele vai nos fazer mais dessas acrobacias, não é?"

"Temo que sim." A risada de Zane ressoa pela cozinha cheia


de aço inoxidável, e ecoa de volta para mim. “Apenas pense, isso
também significa que você logo não estará tendo que me aturar.
Você vai chegar em casa, na sua cama com Lula e vai voltar para a
sua vida. ”

"Sim", eu digo, minha voz repleta de entusiasmo, para


mascarar o repentino tremor de pânico que suas palavras me
trouxeram.

Mais de meio feito.

Ele me bate ali mesmo, no meio de uma cozinha em uma


escola de culinária com Zane esfregando meus pés, cupcakes no
balcão prontos para serem comidos, e minhas próprias dúvidas
girando em um círculo constante na minha cabeça - mas nada disso
parece importar.

Estou me apaixonando por Zane Phillips.

Estou me apaixonando por ele, e nosso tempo restante é


limitado.

A contagem regressiva começou .


Capítulo Trinta e

Cinco

Harlow
O ônibus para, então começa a andar novamente.

Um Jake aparece na estrada.

Os faróis brilham nas janelas, às vezes. E em outros, o mundo


além parece um labirinto escuro de nada que dura para sempre.

É o máximo que já viajei na minha vida e, infelizmente, tudo o


que vejo são salões de festas, hotéis e trechos intermináveis de
estrada à noite.

Zane brinca distraidamente com o meu cabelo, enquanto


relaxamos no sofá. Ele está sentado observando as notícias, e eu
estou deitada com a cabeça na sua coxa, olhos fechados e tentando
processar como esta é atualmente a minha vida.

"Eu não posso acreditar quantas pessoas apareceram hoje à


noite", eu digo.

“Fiquei surpreso, mas não deveria estar. Os números de


assinatura refletem um burburinho da primeira onda de pessoas
que, permitimos começar a usar a plataforma esta semana. A
sugestão de Robert de compartilhar nas redes sociais, foi a correta
”.

“Eu te ouvi no telefone com ele, mais cedo. Parecia uma boa
notícia, pelo que eu conseguia entender”.

"Notícias muito boas."

Sua mão no meu cabelo é um calmante, tanto que eu congelei


quando ele começou a fazê-lo, porque é um gesto tão
estranhamente íntimo.

“Aquela mulher desta noite. . a da primeira fila, com a camisa


preta de bolinhas em... ”
“Aquela que monopolizou o seu tempo? Eu me senti mal por
você, mas não consegui libertar você sem parecer um idiota. ”

"Estava tudo bem", murmuro, quando seus dedos começam a


massagear meu couro cabeludo. “Ela parecia tão perdida, tão
desesperada para encontrar alguém para amar. . . partiu meu
coração”.

E aqui estamos nós, fingindo ter o amor perfeito. . . bem,


amor não tão perfeito, se você assistir aos vídeos que Robert fez
nos mostrando discutindo sobre o curso da confiança, jogando
farinha uns no outro enquanto cozinhávamos, e possivelmente
xingando um ao outro, enquanto nós caímos com nossas pernas
amarradas juntas.

"Você não pode salvar a todos, Cinder."

"Eu sei." Eu suspiro. “Só espero que ela encontre o que está
procurando no SoulM8, seja com uma companhia. . . um
namorado. Seu príncipe”.

"A vida não é um conto de fadas."

“Para algumas pessoas, como minha mãe, é. Para outras . . .


elas têm que escrever os seus próprios. ” Quando abro os olhos,
sua atenção é desviada das notícias e ele está olhando para mim.
Olhos verdes e um sorriso suave. E eu odeio que cada parte de mim
suspira, sabendo o quão normal isso é. Quanto isso parece com um
namorado e uma namorada no final de uma noite de quinta-feira,
enquanto eles relaxam.

Quanto eu tenho que me lembrar que não é.

"Você parece cansada", diz ele suavemente, e traz o polegar


para escovar suavemente sob meus olhos.

Não seja doce, Zane. Por favor, não seja doce porque isso é
apenas prejudicial para o meu coração.

"Estou bem." Estou exausta, cansada além das palavras, mas


este é um raro momento em que Zane não está trabalhando e eu
vou aproveitar enquanto puder.

"Mmm." Ele encosta a cabeça no sofá e fica em silêncio. "Se


você pudesse ter uma coisa agora, o que seria?"

Eu viro meu rosto em sua mão segurando o lado da minha


bochecha, e apenas fecho meus olhos por um instante e penso.
"Uma noite de folga."

"Uma noite de folga?" Seus olhos estão de volta em mim, seu


polegar esfregando para frente e para trás na minha bochecha. "Eu
conheço seu chefe, você sabe."

"Muito engraçado."

"Estou falando sério. Se você precisasse de uma noite de


folga, deveria ter me contado. Vou dizer a Robert para recuar e
cancelar o que quer que seja”.

"Você nunca precisa de uma noite de folga?" Eu pergunto.

Ele balança a cabeça de um lado para o outro, como se


estivesse pensando em como responder. “Normalmente Smudge, é
o único que se importa onde eu estou - ou melhor, eu devo dizer
que ele é o único que eu me importo que se importe em onde eu
estou. . . então não, trabalhar não me incomoda. Isso me mantém
são.”

"Todo mundo precisa de tempo ocioso."

Um escovar de cabelo do meu rosto. Um dobrar atrás da


minha orelha. "Talvez, eu não tenha encontrado a pessoa certa
ainda para me fazer ter."

O silêncio cai entre nós, porque eu sei muito bem que o que
ele disse, não era algo que ele sentia ou acreditava.

Então, por que ele está dizendo isso agora?

Eu odeio que um pouco de esperança se abra, antes que eu


tenha a chance de desligá-lo. Um pouco de lasca como a daquela
senhora esta noite, que estava tão desesperada.

"Então, uma noite de folga?" ele pergunta.

Leva-me um minuto para encontrar meus pensamentos


novamente - fora dele, e sobre o que estávamos falando antes que
ele fizesse essa declaração. "Eu não sei. Não é que eu precise de
uma noite de folga. . . talvez, seja mais querer fazer algo sem ser
vigiada constantemente. Quando fazemos os shows, temos um
público. Nós fazemos entrevistas e estamos sendo escrutinados por
aqueles que fazem as perguntas, e aqueles que estão assistindo.
Agora fazemos aventuras para serem filmadas, e há outro público.”
Eu balanço minha cabeça, enquanto tento colocar meus
sentimentos em palavras. "Eu só quero ir a algum lugar - fora -
onde eu possa ser eu mesma, e não me importar com quem está
assistindo se eu sugar no meu canudo -"

"Você suga o seu canudo?" Ele pergunta, com uma risada. "Eu
não poderia imaginar, a sempre bem educada Harlow Nicks
sugando qualquer coisa."

"Exatamente!" Eu digo, e jogo minhas mãos para enfatizar o


meu ponto. "Você não vai saber se eu fiz ou não, porque estou
sempre no meu melhor comportamento, pois estou sendo vigiada."

"Ohhhh, agora eu quero saber o que é que você faz, quando


ninguém está assistindo", ele brinca.

"Tanto faz." Eu reviro meus olhos, e faço o meu melhor para


empurrar contra seu peito da minha posição deitada. "Você sabe o
que eu quero dizer."

“Você limpa seu nariz? Eww lambe seu espaguete também?


Talvez você-"

"Pare." Eu rio, enquanto empurro de volta contra seu peito, e


ele envolve seus dedos em meus pulsos e os mantém imóveis. Nós
brigamos por um minuto, até que eu desisto e apenas coloco minha
cabeça no colo dele. "Eu faço tudo isso!" Eu estou brincando.

"Eu sabia!" O sorriso de Zane é largo. Seus olhos vivos. "Eu


tenho uma ideia."

"O que?" Eu pergunto, sentando e olhando para ele.

"Apenas me dê um segundo." Ele levanta um dedo, e pega o


telefone. Eu sento lá enquanto ele digita algo, e depois fala. "Ei,
Mick?" ele diz, levantando do sofá.

"Sim, Zane?" Mick diz, do banco do motorista.

"Pequeno desvio."

"Eu amo desvios", diz ele, com uma risada. "Para onde?"

Zane estende o celular, para que Mick possa ver o que está na
tela.

"Meu tipo de desvio", diz Mick.

"Zane?" Eu pergunto. "O que você está fazendo?"

"Eu estou te dando o que você pediu."


Capítulo Trinta e

Seis

Harlow
“O que você fez? Você alugou este lugar? Está vazio."

"Eu tenho minhas conexões", ele brinca.

Eu olho em volta da galeria na Main Street, no que poderia


ser literalmente uma pequena cidade na América. Há dois
atendentes adolescentes limpando as máquinas e flertando um
com o outro, e um senhor mais velho na frente, que parece que ele
está passando recibos. Além desses três e das toneladas de luzes
piscando nas numerosas máquinas de fliperama aqui, somos
apenas nós.
"O que resta para jogar?" Eu pergunto.

"Bem, nós dissemos que tínhamos que tocar todas as


máquinas aqui pelo menos uma vez antes de sairmos, então" - ele
move a mão para todas as máquinas à minha esquerda, que eu
ainda tenho que tentar - "faça a sua escolha".

"Você disse que Galaga era o seu jogo, certo?" Ele concorda.
"Eu aposto que posso vencer você."

"Acha mesmo?" Ele levanta uma sobrancelha para mim, e eu


já posso dizer que ele está no jogo.

"Você só tem que jogar e descobrir."

"E o que o vencedor ganha?"

"Hmm . . . o que o vencedor quiser. ”

Seu sorriso é rápido como um raio, assim como as mãos dele


enquanto ele me gira e tem seus quadris prendendo os meus
contra uma máquina. Com a mesma rapidez, seus lábios se fecham
sobre os meus em um daqueles beijos rápidos e violentos de
desejo, que deixam seus lábios entreabertos e, a respiração
engatada quando ele recua.

"Eu tenho muitos desejos", ele murmura, antes de recuar


rindo, e golpeando o lado do meu quadril. "Esteja pronta para
perder."

Eu me dou um segundo para me recuperar desse beijo


inesperado, antes de seguir atrás dele.

"Senhoras primeiro", diz ele, antes de deslizar uma ficha na


ranhura da máquina.

"E você também está pagando pelo meu jogo?" Eu digo, e


seguro a mão no meu peito.

"O que eu posso dizer", diz ele, soprando nos dedos e


esfregando-os contra a camisa. "Eu sou um grande gastador."

E assim, começamos uma pequena guerra de videogame. Um


duelo de dois jogos se torna o melhor de cinco, quando ele não
mostrou dominância completa na pontuação, em seguida, tornou-
se um dos melhores onze, quando eu puxei à frente por um, em
seguida, mudou-se para um melhor dos quinze.
"Assista e aprenda, Nicks."

"Eu aprendi muito." Eu digo, com um sorriso de satisfação,


quando ele olha em minha direção. “Eu tenho uma vitória em você.
Isto aqui é um fazer ou morrer".

"Eu sei, mas, depois desse jogo, eu serei o campeão oficial


Galaga da Main Street Arcade." Ele joga os braços para cima em
vitória, e assobia como se uma multidão tivesse torcendo por seu
vencedor.

“Não tão rápido, Phillips. Ainda tenho algumas cartas na


manga".

"É qual seria?" Ele pergunta, quando ele deixa cair uma
moeda dentro "Estou prestes a ganhar agora."

Ele se volta para o jogo. Na direção da pequena nave espacial


e dos insetos alienígenas voadores, que você precisa zapear. Suas
mãos batem freneticamente no botão e seus pés se movem,
enquanto ele antecipa o que fazer a seguir.

Quando eu sei que ele está indo claramente para bater minha
pontuação, eu decido que é hora de trazer para fora todas as
paradas.

"Como você está indo?" Eu pergunto, enquanto passo atrás


dele e me certifico de que minha pélvis se esfregue contra ele. Ele
congela momentaneamente, e então uma risada cai de sua boca e
ecoa ao redor do lugar vazio.

"Boa tentativa, mas não vai funcionar."

"Parece que sua pontuação está chegando lá." Desta vez eu


levanto a camisa dele e raspo minhas unhas sobre o abdômen, logo
acima do botão. Seus músculos ficam tensos sob meus dedos.

"Harlow", ele adverte.

"O que?" Minha voz é uma máscara de inocência, enquanto


minhas mãos fazem a descida de um pecador sob sua cintura.
Minhas unhas brincam com o pedaço áspero de cabelo e então,
lentamente descem até onde seu pau já está lutando contra o jeans
dele.

Seus dedos começam a diminuir a batida do botão. Minha


mão aperta em torno de seu pau o melhor que posso com o meu
corpo flanqueando o dele por trás, e eu faço o meu melhor dentro
dos limites do espaço para acariciá-lo.

Seu corpo continua - as mãos no botão, os quadris imóveis, a


cabeça agora pendurada - enquanto minha mão continua a
provocar, e o jogo emite o som de uma explosão me dizendo que
ele acabou de perder. Sim. Técnica de distração bem sucedida.

"Oops", eu digo, e é preciso tudo o que tenho, para deslizar


minha mão para fora de seu jeans e longe de seu pau muito
tentador e hábil.

"Harlow". É um baixo resmungo de uma maldição.

Eu dou um passo para trás e então grito quando ele investe


em mim com um sorriso no rosto, e começa a me perseguir ao
redor do fliperama. A perseguição dura apenas alguns minutos,
pois o espaço é limitado, mas quando ele me pega, quando ele
envolve seus braços em volta de mim e puxa minhas costas contra
seu pau ainda endurecido, eu me sinto tão torturada quanto ele.

Seus dentes raspam suavemente contra a pele onde meu


ombro encontra meu pescoço, sua respiração difícil no meu ouvido.

"Isso é jogar sujo."


"Sim . . . bem . . . funcionou." Meu sorriso é automático.
Fechando meus olhos, eu afundo no calor maravilhoso e sinto ele
atrás de mim.

"Eu amo que você não sinta remorso." Ele ri, seus lábios ainda
contra a minha pele. “Você ganhou, Cinder. Nomeie seu prêmio".

Eu me viro em seus braços e apenas olho. O cabelo


despenteado. Os olhos verdes. O sorriso torto. A sensualidade que
apenas exala de tudo sobre ele.

Estou tão ferrada.

Distância. Espaço. Tempo.

Essas são as três coisas que preciso agora, porque se


voltarmos para o ônibus, vamos acabar fazendo sexo. . . mas agora
com o nosso humor, com essa vibração entre nós, com meu
coração descaradamente usado na minha manga, não vou apenas
abrir minhas pernas para ele. Eu vou estar abrindo meu coração
também.

"Umm", eu digo, sabendo que preciso relaxar esses meus


pensamentos, para que eu possa ao menos fingir para mim mesma
que ainda podemos fazer a coisa do sexo casual. "Eu quero jogar
outro jogo."

"O que?" Ele ri, claramente pensando que estávamos


voltando para o ônibus e nossa cama, assim como meu corpo quer
fazer.

"Outro jogo. Mais alguns momentos em que não somos o


rosto do SoulM8. "

Ele mastiga o interior de sua bochecha, enquanto olha para


mim com confusão cintilando em sua expressão. "OK. O que você
quiser."

"Obrigada." Minha voz é suave. Meu coração se contrai no


meu peito.

"Que tal você fechar os olhos, girar em um círculo, e qualquer


jogo que você aponte quando parar é o que vamos jogar."

"Você quer jogar girar a garrafa com jogos de arcade?"

"Só se eu conseguir os outros benefícios do giro, quando


voltarmos para a estrada", diz ele, com uma piscadela.
Eu apenas balanço minha cabeça e fico no meio da sala. Com
o dedo apontando para fora e meus olhos fechados, eu giro
devagar no começo e depois um pouco mais rápido até ficar
desorientada. Quando eu paro, os braços de Zane estão lá para me
impedir de cair da tontura, e meu dedo está apontando para uma
máquina de pinball de Lover's Lane.

"Que raio é aquilo?" Eu pergunto, rindo quando percebo que


há duas máquinas de pinball idênticas, lado a lado para um casal
jogar.

"Tudo volta ao amor", diz ele e ri, incrédulo.

Mas enquanto deslizamos nossas fichas nas máquinas e


esperamos os jogos despacharem seus pinballs para nós, algo em
seu comentário me incomoda. Lembra-me da primeira vez que nos
encontramos. Um tempo que agora parece uma eternidade atrás,
quando são apenas semanas.

"O amor é uma emoção, besteira", murmuro baixinho, e


odeio saber que o que diz todas vez que eu estou com ele
ultimamente, faz o meu interior parece que está virando do
avesso.

"O que?" Zane olha para mim brevemente, enquanto ele puxa
o atuador para trás e deixa ele voar contra a bola.

“Se você realmente se sente assim, por que você mesmo não
comprou e renovou o SoulM8?”

"É uma longa história." Ele aperta os botões do flipper


repetidamente, enquanto a máquina fala de volta para ele a cada
empurrão.

"Eu quero saber."

Sua bola desliza através do alcance de suas nadadeiras, e ele


perde sua primeira rodada com um suspiro. "Foi uma aposta", ele
diz muito casualmente, enquanto minha cabeça parece que eu
sofria de chicotadas mentais.

"O que você quer dizer com uma aposta?" Minha máquina de
pinball pisca para eu jogar, mas de repente não tenho interesse.

“Uma aposta. Alguns dos meus amigos e eu fizemos uma


pequena aposta alta. Pegue um milhão de dólares, abra uma
empresa e, ao fim de dois anos, quem tiver o maior lucro ganha o
pote que todos nós apostamos. ”

Eu fico lá, olho para ele e tento compreender o que ele está
me dizendo. Uma aposta. Uma piscina de dinheiro.

"Mas por que razão?"

"Porque somos homens", diz ele e ri, e eu odeio tanto quanto


isso não é uma resposta, é uma perfeita. Não é como se muitos
homens desistissem de um desafio. “Todos somos bem sucedidos -
muito - e precisávamos de algo para colocar a emoção de volta nos
negócios, novamente. Assim . . . "

Então não é apenas uma coisa de ego. . . na realidade é, mas


pelo menos é algo que. . .Deus, por que estou justificando isso? Por
que eu ainda me importo?

Então algo clica. " Kostas?" Eu pergunto, já sabendo a


resposta.

"Sim." Ele acena e depois geme, quando ele erra a bola com o
flipper. "Filho da puta."
"Mas . . . por quê ?"

Sua risada me incomoda. É a primeira dica de


condescendência que tive com ele em semanas e agora, de
repente, quando o mundo lá fora retorna à nossa pequena bolha,
estou muito consciente de como nossas vidas são diferentes. Com o
ônibus luxuoso, o guarda-roupa extravagante e tudo de primeira
classe, tem sido fácil esquecer que isso não é brincadeira em nem
um mundo de sonhos extravagantes para ele, como de certa forma
é para mim.

A pontada no meu peito é tão diferente agora do que a que


senti há alguns minutos atrás.

Por que me sinto magoada por não saber disso?

É porque ele não me contou? É por que eu sinto que estamos


perto o suficiente, que ele deveria ter dito mais cedo?

"Parte das regras do concurso é que ninguém deveria saber


sobre isso", diz ele, antes de eu fazer a pergunta em minha mente.
"Você sabe, a primeira regra sobre o clube de luta e tudo mais."

"Você poderia ter me dito."


Ele olha para mim no meio da batalha. "Vou me referir ao
clube de luta", diz ele, com uma risada brincalhona.

“Eu sei, mas eu sou a única aqui tentando ajudá-lo a vender


essa coisa toda e. . .” Minhas palavras sumiram. Ele não me deve
nenhuma explicação, nada, e ainda assim estou magoada por não
saber disso. Não poderia ter me dito oque estava acontecendo
depois da visita de Kostas? "Deixa pra lá."

"Realmente importa, porque eu comecei a empresa?" Outro


olhar do meu jeito. Outra afirmação distante que eu não deveria
me importar, mas faço.

"Não . . . mas eu quero dizer . . . se não importa por que você


começou, então por que é um segredo?" Ele não responde e eu sei
o porquê. "Robert sabe?"

"Não, e ele não vai saber."

Eu olho para ele, a autoridade em sua postura, e vejo a


pessoa que conheci no primeiro dia. Sumiu o cara brincalhão e doce
de mais cedo. Apareceu o homem que encontrei por engano, que
me mandou passear com o cachorro.
A justaposição mexe com a minha cabeça. E coração .

“É por isso, que você levou Kostas naquela noite. Ele estava
dizendo coisas que agora fazem sentido, mas ... "

"Eu o queria longe de todos, porque, por mais que eu o ame


como um irmão, ele é um garoto rico e mimado que não suporta a
ideia de perder." Ele bate a mão no tampo de vidro quando ele
perde a bola, e coloca outra ficha sem olhar para mim. "Isso, e ele
queria você."

"Oh" Deve haver algo sobre o som simples que eu faço,


porque pela primeira vez desde que começamos essa conversa,
Zane para e olha para mim.

“A minha razão para iniciar a empresa é realmente


importante para você? Só importa que esteja funcionando, que
esteja fornecendo empregos para as pessoas e que tenha sucesso
em seu propósito. ”

"Sua finalidade é ajudar as pessoas a encontrar o amor."

"Exatamente." Ele balança a cabeça e, em seguida, como se a


conversa acabasse, puxa o controle e começa a jogar novamente.
Coloco minhas mãos na minha própria máquina de pinball, e
passo os movimentos como se fosse jogar, mas depois paro. “Então
espere, você vende amor, mas você não acredita nisso? Por que no
mundo você escolheria isso como seu negócio, para desafiar seus
amigos?"

Zane não responde. Ele apenas faz uma careta e empurra seu
corpo para um lado e para o outro, como se seus movimentos
influenciassem onde a bola rola. Quando a bola finalmente desliza
através de suas nadadeiras e o turno termina, ele põe a cabeça
para trás e emite um grande suspiro de frustração por eu não estar
deixando isso passar.

"Porque é diferente do que eles estão investindo."

E o prêmio por respostas vagas vai para, Zane Phillips.

"O que eles estão investindo?"

“Ações. Futuros Médicos."

"E você optou pelo SoulM8".

Ele desliza um olhar para o lado, me dizendo que está mais do


que farto dessa conversa.

"Sim, eu escolhi SoulM8."

"Mas por que?"

“Porque o dinheiro vem e vai, Harlow. Ações caem. Eles se


levantam. Eles caem dentro e fora de favor. . . como a maioria dos
produtos. No final do dia, porém, é pelo amor que as pessoas
voltam no tempo e novamente. ” Ele olha de volta para a máquina
e lança outra bola no campo de jogo. “É a única coisa em que posso
pensar que machuca as pessoas várias vezes, que as deixará de
joelhos e, no entanto, assim como sua mãe, é algo que elas ainda
vão voltar, acreditar e ter uma chance em tudo.

"Todo mundo, exceto por você."

Zane não responde. Ele mantém seu foco na máquina e sua


batalha para sair por cima.

Eu odeio que sua falta de resposta me incomode.

Eu desprezo que isso me dá um pouco de esperança de que


talvez o que eu estou de repente e indesejada sentindo por ele, ele
também possa sentir por mim.

Eu odeio que isso prove sua teoria cem por cento certa.

Mais tarde, naquela noite, não consigo dormir. Eu me permiti


me perder na fisicalidade de Zane quando voltamos para o ônibus.
Nas sensações que ele evocou dentro de mim. Os meus
sentimentos por ele, tentei suprimir.

Claro que ele estava tão atento às minhas necessidades como


de costume. Sempre a quantidade certa de demanda bruta versus
sutileza sensual, sempre os gemidos certos de elogios e gemidos de
necessidades.

Mas eu não ouço nenhuma das palavras que digo a mim


mesma que não preciso, mas ainda quero de qualquer maneira.

Este é o problema com o sexo sem compromisso. Quando


você está fazendo isso com alguém, você faz a escritura e depois
sai. Você não consegue saber como essa pessoa é sem café pela
manhã ou que, na verdade, faz um temporizador escovar os dentes
por exatamente um minuto à noite, antes de ir para a cama. Você
não consegue compartilhar esses olhares conhecedores através de
uma sala lotada, que fala centenas de palavras em questão de
segundos. Você não os conhece fora do quarto - que eles adoram
arcades, balões de ar quente e têm medo de altura.

Você não fica sabendo que eles realmente têm um lado


romântico, apesar de constantemente lhe dizer que eles são duros
e não estão interessados em amar.

De onde eu sento no sofá, as luzes dos faróis dançam através


do teto. Eu os vejo e prometo a mim mesma, apenas tentar
aproveitar as próximas duas semanas.

É para isso que estou aqui - trabalhar, ganhar experiência,


fazer conexões, ganhar visibilidade - fazer o que Zane e eu estamos
fazendo aqui, era apenas um bônus adicional.

Apenas viva no agora, Low. Aproveite tudo sobre isso.

E então, quando você chegar em casa, quando você se


afastar, verá que esses sentimentos são apenas por causa de sua
proximidade.

Isso é tudo.
Capítulo Trinta e

Sete

Zane
Ela é linda.

Esse é o meu primeiro pensamento quando me volto da


cadeira na mesa, e olho para ela dormindo na cama. Seu cabelo,
seu corpo e seus lábios. Eles me chamam. Me provocam. Me
tentam.

Estou tão ferrado

Esse é o meu segundo pensamento. E um que é uma


constante, toda vez que eu olho para ela.
Eu preciso trabalhar.

Eu sempre preciso trabalhar.

Mas eu não me movo. Eu não volto para os fatos e números


enchendo a planilha no meu computador, dizendo-me que este
lançamento difícil chegando na próxima semana, antes de
chegarmos ao circuito de imprensa de Nova York, vai quebrar os
recordes de empresas semelhantes.

Em vez disso a observo, porque diabos se tudo nela não


distrai, e não é só agora. Não é só porque eu sei que ela está nua
debaixo dessas cobertas, e que sua boceta parece o paraíso. Parece
que tudo hoje em dia, volta para Harlow.

Já faz quase seis semanas, e ela ainda me assusta. O jeito que


ela me desafia, me faz sentir, me faz querer me afastar do
computador sem nenhuma razão além de sentar no sofá com ela e
falar sobre coisas triviais ou, melhor ainda, não dizer nada.

Porra.

Eu corro a mão pelo meu cabelo e sei que é melhor que tudo
isso acabe em breve. Merda, eu vi esse olhar em seus olhos. Aquele
que diz que ela está se perguntando o e se. Eu vi as poucas vezes
que ela se força a se afastar, e se recompor. Eu sei que isso é muito
mais do que apenas um trabalho para ela neste momento. . . e foda
se isso não for ruim, já que é tudo para mim.

Continue dizendo a si mesmo e talvez você possa começar a


acreditar.

Faltam duas semanas. O lançamento. Nova York por alguns


dias. Então, nós vamos para casa.

Isso terminará em breve, e nós dois voltaremos aos nossos


diferentes cantos da mesma cidade. Seremos cordiais um com o
outro, quando houver material promocional futuro necessário para
o SoulM8, mas fora isso, o nosso “nós estamos aqui para o sexo”
estará acabado.

Nós vamos seguir em frente.

E eu vou ficar bem com isso.

Deite-se em cima da mentira, em cima de não-quero-encarar-


a-verdade.
Assim como aquela em que eu continuo dizendo a mim
mesmo, que querer passar tempo com alguém tanto quanto eu
quero com Harlow - dentro e fora do quarto - é uma coisa
completamente normal.

Trabalhe, Zane.

O pensamento se repete na minha cabeça, mas eu me levanto


e me arrasto na cama ao lado dela, e apenas a estudo.

Tudo isso - o pensamento constante sobre ela, o desejo


interminável por ela, o saber que quando eu estender ao meu lado,
ela estará lá - é o resultado direto de estarmos presos juntos neste
ônibus, nesta viagem, e fazendo todas as excursões estúpidas que
Robert nos fez fazer.

As excursões que eu lutei contra, mas que de alguma forma,


guardam algumas das minhas melhores lembranças de toda essa
viagem. Harlow na natureza, gosto de chamá-la. Eu sorrio com o
pensamento, mas tudo o que posso imaginar, é que ela está de pé,
sobre o curso de cordas, com seu sorriso largo e confiança em volta
dela como um maldito escudo de armadura.
Eu estendo a mão para tocá-la. Eu não posso resistir. Mais ou
menos na mesma hora que seus olhos castanhos se abrem, e olham
diretamente para os meus. Seu rosto inconscientemente se
transforma em minha mão, em sua bochecha.

É uma merda assim que me pega.

"Bom dia", ela murmura, sua voz soa como sexo direto,
enquanto me agarra pelas bolas e não solta.

Sim, definitivamente ferrado.


Capítulo Trinta e

Oito

Harlow
"HARLOW?"

"Oi, mamãe."

"Ahhh." É isso aí. Ela dá apenas o som e nada mais.

"O que isso deveria significar?"

“Aconteceu, não foi Mija?”

"Do que você está falando?" Eu rio, mas as lágrimas ardem na


parte de trás dos meus olhos, é tão bom ouvir a voz dela. E é ainda
melhor ter alguém que me entenda, mesmo que eu não tenha
sequer dito uma palavra.

"Você foi e se apaixonou por ele."

"Mãe." Repreensão. Desesperada por ela não acreditar no


meu tom, e perguntar mais.

"As mães sabem dessas coisas." Abro a boca para falar e


depois fecho, optando por não dizer uma palavra e esperando que
ela faça. "Então?"

"Eu não sei."

"Isso é um sim, então."

"Não. Foi um não sei". Eu ri, já frustrada e exasperada, que


essa conversa durou apenas alguns minutos.

"Você repetindo significa que foi um duplo sim."

Eu torço meu lábio, e ando um pouco mais perto da árvore


sombria em que estou. Eu pego o verde ao meu redor, o pequeno e
velho casal a distância segurando um ao outro enquanto eles
mancam, e o grande ônibus preto e brilhante do outro lado do,
onde Zane está trabalhando.
Se há alguém com quem eu possa conversar sobre meus
sentimentos, é minha mãe, então por que estou hesitando?

Porque se eu digo em voz alta, então isso significa que eles


são reais.

Minha voz é quase inaudível, quando finalmente falo. "Estou


apenas tentando ser cautelosa."

"Por que, Mija?"

"Porque . . . " Eu rio. "Por razões óbvias."

“Você quer dizer, todas essas razões que você não gostava
dele em primeiro lugar? Ele é bem parecido, ele é bem sucedido,
ele desafia você. . . você quer dizer todas essas razões? "

Eu odeio quando ela faz as coisas soarem tão simples quando,


na verdade, elas parecem que você está tentando juntar um
quebra-cabeça de mil peças, enquanto está vendado.

"Eu quero dizer a razão 'ele não acredita no amor'".

Ela atravessa a linha. "Isso não faz sentido. Todo mundo


acredita no amor, mesmo quando eles dizem que não. Todo mundo
quer o conto de fadas, apesar de esconder isso".

“Você ainda quer, mãe? Mesmo? Depois do que papai fez,


você sabe? "

“Oh, querida” - sua voz se enche de emoção - “claro que sim.


O amor é . . . o amor é a única coisa na vida que não precisa ser
ensinada. Apenas isso. Você não pode evitar quando você sente
isso. Você pode lutar contra isso - Deus sabe que eu fiz no passado -
mas lutar não faz bem a você. Você ainda vai sentir isso, mesmo
quando a luta acabar. ” Sento-me na grama e brinco com as
margaridas selvagens nele tecidas. "Isso significa que você não
contou a ele?"

"Isso é um grande e gordo não."

"Por que não?"

"Porque não, é simples assim."

"Sim. Você não teve problema em falar em outro momento,


então por que o gato tem sua língua agora? "

“Porque isso está quase no fim. Quero dizer, nós vamos voltar
para nossas vidas diárias, onde não somos forçados a viver juntos e
jogar interesses amorosos a cada segundo que estamos em público.

"Mas pelo que você me falou por mensagem, parece que você
está jogando interesses amorosos mesmo quando você não está na
frente das pessoas."

“É verdade”, eu penso, e volto para a noite no fliperama na


semana passada. A diversão. O flerte. A conversa sobre a máquina
de pinball. Minha promessa a mim mesma de apenas aproveitar
tudo isso. . . e ainda assim, aqui estou eu, ainda pensando nisso.

“Vocês estão morando junto. Vocês estão dormindo juntos ...


"

"Mãe!"

"Mija", ela diz, e eu posso imaginar a expressão em seu rosto


quando ela faz. "Por favor, não insulte minha inteligência e finja
que você não está." Ela faz uma pausa para me deixar protestar,
mas é melhor ficar com a boca fechada. “Vocês estiveram em
algum tipo de curso de namoro acelerado em certo sentido. É
natural que surjam sentimentos. Não vejo qual é o grande
problema, porque se eles evoluíram para você, como você sabe que
eles não tenham evoluído para ele? ”

"Porque eu o conheço", murmuro, enquanto minha mente


contradiz minhas palavras, e puxa para cima cada pequena coisa
que ele fez longe dos olhos do público, que diz o contrário.

"Diga a ele."

“Eu odeio me abrir para me machucar. Tornando-me


vulnerável".

"Não somos todos?" ela pergunta. “Olha, você sempre foi


durona. Você sempre se manteve firme e falou por si mesma, mas
você é assim por minha causa. Porque você assistiu como eu deixei
seu pai me empurrar. Não é sempre assim, Low. Não há problema
em estar vulnerável, às vezes. "

"Mãe." A única palavra transmite tantas coisas. Que estou


com medo, ela está certa. Que eu tenho medo que ela esteja
errada. Que estou tão confusa, e com medo de estar fazendo muito
mais disso do que realmente é.

“Eu não estou dizendo para não ser forte. Os homens amam
mulheres fortes. Mas o que estou tentando dizer, é que não tenha
medo de ser fraca".

"Porque isso não é confuso", eu digo, através de uma risada, e


tento combater as lágrimas de repente caindo.

“Um bom homem, saberá como lidar com uma mulher em seu
momento de fraqueza, mija. Ele vai ouvi-la e tentar entender.
Então, quando o momento passar, ele fingirá que nunca viu aquele
momento quebrado, para que possa deixá-la manter sua dignidade,
mesmo quando ela sentir como se tivesse perdido. Esse é o tipo de
homem que você está procurando. O tipo de homem que
secretamente tenho a sensação, de que esse Zane Phillips é".

"O príncipe que você conjurou para ser."

"Não, o homem que você inconscientemente continua me


dizendo que ele é."

"Talvez", eu murmuro, amando suas palavras de sabedoria,


mas não vendo como isso se aplica a mim dizendo a Zane que toda
vez que ele me beija, me toca e me dá aquele sorriso tímido na sala
em um evento - eu sinto cada um deles em meus ossos.
“Admitir que você tem sentimentos por alguém não o deixa
fraca, mija. Isso te faz forte.
Capítulo Trinta e

Nove

Harlow
A batida na porta me assusta, mas sinceramente, estou tão
fora disso que não sei se disse ou não.

Eu acho que sim.

"Harlow?" Preocupação. Preocupação. "Zoey disse que você


não estava se sentindo bem." Passos no chão de madeira. "Você
não parece bem em tudo." Uma mão fria na minha testa. "Você
está queimando."

"Estou bem. Somente . . . só cansada."


"Baby, você não está bem." Mãos em meus calcanhares.
"Zoey!" As pontas dos dedos tirando meu cabelo do meu rosto. Um
beijo pressionado a minha testa.

"Sim, Zane?" Voz de Zoey. Vozes abafadas.

"Zane?" Eu chamo para ele.

"Eu estou bem aqui." Seus dedos se ligando aos meus.


"Apenas sente-se, Zoey vai nos dar um quarto, para que eu possa
levá-la até lá."

"Sem sexo", murmuro, e sua risada enche o quarto.

"Sim. Sem sexo. Mas uma cama grande, onde você pode
dormir e tomar remédio para baixar essa febre". Um aperto de
nossas mãos. "O que está sentindo?"

"Dor de cabeça. Arrepios. Tonta. Quente." Parece que cada


palavra é um trabalho para dizê-lo.

"OK. Shh."

Mais passos. Saltos clicando na madeira. "Aqui, Zane."


“Ei, Cinder. Vou pega-la agora e te levar para o quarto. Você
está bem com isso?"

Seus braços deslizam em volta de mim. Um suave "Aqui


vamos nós", antes de ser levantada.

Eu não me lembro de muito mais do que o cheiro de sua


colônia no pescoço, onde eu descanso a minha testa. A sensação de
que estou bem agora. Seu repetido murmúrio de "eu tenho você".

Ouço o ding dos elevadores.

Zane resmungando "Obrigado, eu tenho isso daqui."

"Mas e o evento?" pergunta Zoey.

"Eu vou ligar para você em alguns minutos."

O clique da porta se fechando e, em seguida, alguns segundos


depois, a completa e absoluta suavidade da cama embaixo de mim.

"Segure-se. Vou te sentar por um segundo e tirar o seu


vestido. Você está bem com isso?"

"Mmm-hmm."
Um zíper, um puxão de tecido com meus braços para cima, a
liberdade quando meu sutiã é solto, então duas mãos lentamente
me deitando em lençóis frios.

Passos. A torneira funcionando. Mais passos. O frio de um


pano sendo colocado na minha testa.

Então escuridão.

Os sons suaves da televisão.

Isso é o que eu ouço primeiro, enquanto luto contra o torpor


que continua me puxando para baixo do cobertor confortável.

Dicas de memórias flutuam. Zane. Um médico. Zane.


Remédio. Zane. Dormir.

"Ei, você está viva", murmura suavemente Zane, com a boca


contra o topo da minha cabeça e seu braço apertando ao meu lado,
é o suficiente para me manter acordada.

Quando meus olhos se abrem, me leva um segundo para


absorver tudo: o luxo suave do quarto do hotel, o horizonte da
noite cintilando nas janelas além e, a sensação do corpo de Zane
contra o meu.

"Hey" eu murmuro e começo a me sentar, mas ele me segura


no lugar.

“Se segure por um momento. Você está fadada a ficar tonta”,


ele diz, e pressiona um beijo no topo da minha cabeça. "Você me
assustou um pouco."

"O que . . ?" Eu pergunto, muito bem, sabendo que eu estava


doente - a dor surda na minha cabeça e as sensações estranhas em
meu corpo me dizem isso -, mas ainda querendo respostas.

"Aqui, deixe-me ajudá-la a se sentar."

Zane ajuda a me puxar para sentar contra os travesseiros


empilhados ao longo da cabeceira, como ele . "Você está se
sentindo melhor?"

Eu concordo. "Sim . . . apenas desorientada."

“O médico disse que esse vírus em particular, por aí, faz isso.
Ele disse que bate rápido e duro, então vai embora dentro de
quarenta e oito horas. . . então, isso significa”, ele diz e olha para o
relógio,“ você tem mais doze horas, até ele ir ”.

" Doze?"

"Sim. Você definitivamente alcançou seu sono. Eu deveria ter


apelidado você de Bela Adormecida, e não de Cinder".

Eu fecho meus olhos e inclino minha cabeça para trás no


travesseiro por um tempo, para fazer minha cabeça parar de nadar.

"Obrigada", eu sussurro.

"Não precisa me agradecer."

"Sim preciso." Eu viro a cabeça no travesseiro para poder


olhar para ele. "Você me trouxe até aqui, me colocou em um
pijama, chamou um médico e cuidou de mim."

"Não é grande coisa, você teria feito o mesmo por mim."

Mas você é um cara, eu quero dizer. Os caras não fazem


coisas assim.
“E os eventos?” Eu pergunto, de repente entro em pânico.

"Eu tive Zoey vindo aqui e sentando com você enquanto você
dormia, para que eu pudesse fazê-lo, e então, nós adiamos o de
hoje para amanhã, para que você pudesse descansar."

“Isso deve ter custado dinheiro para você. Eu sinto muito. Eu


não ... "

"Shush". Outro beijo suave no topo da minha cabeça. “Temos


visto tantas pessoas, apertando mãos, abraçando, entrando e
saindo de ar condicionado de cidade em cidade. Ficar doente
estava prestes a acontecer com um de nós. Só lamento que tenha
sido você. "

Lágrimas enchem meus olhos, e eu não tenho certeza se é


porque eu estou doente ou porque ele está sendo tão legal, mas eu
não tenho o esforço para lutar contra elas e uma desliza pelo meu
rosto.

"Porque você está chorando?" Ele pergunta, com um sorriso


suave no rosto e me puxando contra seu peito nu, enquanto tento
dominar meu súbito furacão de emoção.
“Você não deveria ter ficado. Você vai ficar doente", eu digo,
contra seu peito.

"O que quer que você tenha, eu já estive bem exposto a ele."
O rastro da ponta do dedo subindo e descendo pelas minhas
costas. “Posso te dar alguma coisa? Eu tenho uma sopa pronta para
você. Posso te fazer um banho se quiser. Eu até tenho alguns livros
de colorir.

"Livros para colorir?" Eu rio, e me inclino para trás para que


eu possa ver. A mesinha de cabeceira que ele está apontando, está
coberta por quatro ou cinco livros de colorir e lápis de cera.

Ele encolhe os ombros. “Eu prometi ao médico que eu faria


você descansar as quarenta e oito horas, então, eu estava
determinado a mantê-la aqui e bem. . . você pode colorir na cama".

Há algo sobre ele dizendo essa frase simples e sem qualquer


insinuação sexual, que chama a minha atenção. E significa o mundo
para mim.

"Banheiro", eu digo, depois de um minuto ouvindo seu


batimento cardíaco debaixo da minha orelha.
"Deixe-me-"

"Eu tenho isso", eu digo, empurrando-o para trás enquanto


levo um minuto para ficar de pé, me firmando com a mão na
cabeceira da cama. Então eu ando até a porta aberta, onde eu
encontro minha escova de dentes e o resto dos meus artigos de
higiene alinhados no balcão e uma nova muda de pijama dobrada
ordenadamente ao lado deles.

E desta vez, quando as lágrimas vêm, eu deixo elas caírem.

Eu tomo meu tempo para tomar banho e me limpar, me


sentindo muito mais humana, quando abro a porta para encontrar
Zane sentado de pernas cruzadas na cama com um livro de colorir
aberto, e colorindo uma página.

Há algo em vê-lo - esse homem de negócios poderoso -


reduzido a calças de ginástica e colorindo uma foto de Scooby Doo,
que derrete meu coração.

"Zane?"

"Você está se sentindo melhor?"


"Muito. Você trouxe todas as minhas coisas para cá".

"Era o mínimo que eu poderia fazer."

Eu apenas fico na porta e olho, incapaz de me mover, incapaz


de impedir que meu coração saia do meu peito e caia no chão.

Ele olha para cima de seu projeto e quando ele me vê em pé,


ainda parada. "O que foi?" ele pergunta.

"Eu-eu-" Eu estou me apaixonando por você, eu quero dizer. É


absolutamente ridículo neste curto período de tempo, mas acho que
estou apaixonada por você. Mas em vez disso, eu digo a ele: "Eu só
queria dizer obrigada por cuidar de mim".

Frangote.

“O que você achou que eu faria? Deixá-la aqui para se


defender por si mesma?”

Deus, esse sorriso me pega toda vez.

"Não, mas . . .eu sei que você é louco e ocupado com o


trabalho, e isso ... "
"O que você quer dizer com isso? Compaixão?
Domesticidade? Jogando de enfermeiro para você?"

“Todas as opções acima” - sorrio baixinho - “não estão em sua


típica casa do leme”.

"Para você, elas estão", diz ele, e mantém o meu olhar por um
momento, e então olha de volta para sua foto e começa a colorir.

Incapaz de falar, eu olho para ele por um instante antes de


me deitar na cama ao lado dele e observá-lo colorir. E mais tarde,
quando cochilo - meu braço sobre o seu abdômen, minha bochecha
apoiada em seu peito e seus lábios pressionando um beijo no topo
da minha cabeça novamente - sei que estou perdida.
Capítulo Quarenta

Zane
“ROBERT! Bom te ver.” E é, pelo menos uma vez, porque não
há mais nada que ele possa nos fazer ou fazer, já que estamos a
poucos dias de terminar essa turnê promocional.

Robert atravessa o saguão e estende a mão para apertar


minha. "Você parece bem", diz ele, com um aperto firme e largo
sorriso.

"Eu estou bem", eu digo com um aceno definitivo, quando


nos sentamos à minha mesa no bar. É moderno, elegante e
representa tudo em Nova York: estilo, um toque da história da
cidade por toda parte e uma tonelada de pessoas falando
apaixonadamente sobre qualquer assunto que seja. “Eu sobrevivi a
uma viagem de ônibus, quase atravessando o país sem ficar louco.
Eu estou em Nova York. E o SoulM8 parece estar prestes a lançar
números, que não poderíamos imaginar. ”

“Os números são incríveis. Estou animado com o lançamento


oficial, para ver quais números capturamos ”. Robert ergue o dedo
para o barman, e depois de colocar nosso pedido de bebidas volta
para mim. “Quero dizer, a quantidade de atenção que
encurralamos para este mercado, me tirou as projeções da água. Os
números que você está me enviando são incríveis, e o lançamento
oficial não é até amanhã ”.

Penso nos números de assinaturas pendente que temos


agora, em todos os comentários positivos que recebemos da nova
rodada de testes beta de um grande número de pessoas, e isso me
excita.

Eu levanto meu copo para tilintar contra o dele. “Felicidades,


companheiro. Muito disso tem a ver com você. Suas ideias. Suas
conexões. Até as coisas contra as quais eu resisti. Obrigado por isso.
É verdadeiramente uma experiência. ”

“Uma experiência que você não queria levar.”

Eu aceno devagar, e tomo um gole da minha bebida.


"Verdade . . . mas no final, você estava certo. Promovendo-nos
como um casal. Fazendo as excursões de reality show. Eles
conectaram as pessoas a nós e, por sua vez, fizeram com que se
interessassem pela plataforma. ”

"Tenho certeza que você me xingou uma ou duas vezes."

"Talvez."

Robert ri. "E como Harlow está se sentindo sobre tudo isso?"

"Eu não posso falar por ela, mas acho que ela está satisfeita
com a experiência." É uma pergunta estranha, e há algo em seu
tom que eu não posso colocar meu dedo.

"Ela está aqui?"

"Não no momento. Eu sei que ela tem um agente, mas eu


olhei para ele e não é tão bom. Eu imaginei que, como estamos
aqui em Nova York, eu poderia mandá-la para uma amiga minha na
IMG Models, para ver se ela poderia lhe dar algum conselho".

“Você diz isso, como se não fosse vê-la novamente. No meu


entender, a IMG também tem um escritório em Los Angeles. ”
Ele pega tudo, não é?

“Sim, eles fazem, mas esta é uma amiga pessoal. Ela se


ofereceu para lhe dar alguns conselhos e, nessa indústria,
conselhos de uma pessoa experiente que não está procurando
prejudicá-la, é ouro ”.

"Como acontece com qualquer negócio."

"Verdade."

"Harlow é boa no que faz."

"Ela é", eu digo, com um aceno de cabeça.

"Enviá-la para o IMG, é uma maneira infalível de perdê-la."

"O que isso deveria significar?" Eu pergunto, odiando a tensão


súbita no meu peito que essas palavras trazem. O conhecimento de
que toda essa turnê está basicamente acabada. O acordar com ela
todas as manhãs, e deslizar ao seu lado todas as noites é feito. A
visão das coisas através de um par diferente de olhos, aqueles que
olham para tudo como algo novo e excitante, acabou.

Este estranho, novo normal que eu me acostumei, vai acabar.


“Ela é boa no que faz. Por ser quem ela é". Robert olha para o
fundo de sua bebida por um instante, antes de olhar de volta.
“Você sabe tão bem quanto eu, que ela será arrebatada mais
rápido do que você pensa. Como você vai lidar com estar longe
dela?"

Eu cerro os dentes, porque é tudo o que tenho pensado nos


últimos dois dias. . . sendo além dela.

Juro por Deus que ele sabe que tudo isso é falso, e está me
provocando com cada uma de suas perguntas.

Eu tomo meu tempo, e olho em volta do bar antes de


responder. “Demorou tanto tempo para encontrá-la. . . se é para
ser, companheiro, então veremos nosso caminho através de
qualquer coisa".

"É verdade, mas deixe-me dar-lhe um pouco de conselho" ele


se inclina um pouco mais "se você não quer deixá-la ir e está
pensando em mantê-la, eu sugiro que você tenha um contrato
elaborado para ela assinar mais cedo ou mais tarde".

"Se eu planejo mantê-la?" Eu pergunto, através de uma


risada.

"Na SoulM8, é claro." Ele ri.

"Todo mundo a ama, por que eu não a manteria?"

“Porque o contrato dela era para a turnê, e é isso. Lembre-se


de quão inflexível você era, que só contratássemos para a turnê e
nada mais, no caso de simplesmente não funcionar? ”

Eu aceno com a cabeça pensativo. "Essa coisa toda de


trabalhar juntos quando você está namorando, foi tão duro com
você, que você está pensando em não contratá-la novamente?" Ele
pergunta, quando eu esfrego minha mão sobre o meu queixo e
olho para a minha bebida em vez de responder.

Como eu explico, que esses últimos dois meses foram muito


mais do que apenas isso, namorar e trabalhar? Ter sido forçado a
ver as coisas, através de um conjunto totalmente diferente de
olhos. Uns sem piedade e dispostos a ver o bem em todos, mesmo
idiotas como eu.

"Não, eu definitivamente tenho tido uma experiência de


aprendizado."
Seu sorriso é lento e uniforme. "Não é isso que a vida é em
tudo?"

Nós nos separamos a pouco tempo, ela para ir se resolver


outros assuntos de de sua carreira, e eu para trabalhar. Mas não
importa o quanto eu tente, não posso me concentrar na merda.

Minha mente continua voltando demais para o mesmo lugar:


Harlow.

Eu pego meu telefone e ligo.

"Ei!"

Cristo, apenas a voz dela faz isso para mim.

Cada.

Maldito.

Tempo.

"Como está indo?" Eu pergunto.

"Tem sido, eu não posso nem colocar em palavras o que hoje


tem sido."
"Que bom, hein?"

"Sim. E só que, apenas obrigada .Hoje foi por sua causa. Todas
as dicas, todos os insights e todos os contatos, tudo foi por sua
causa ”.

"Eu não posso esperar para ouvir tudo sobre isso."

Enquanto te olho e te beijo, eu mentalmente adiciono.

"Você nunca vai ser capaz de me calar." Ela ri e os sons da


cidade, uma buzina soprando, a maldição de alguém, uma sirene
passando, filtram através do fundo.

"Eu posso ter algumas maneiras", eu murmuro, e me inclino


para trás no meu banquinho no bar. Uma mulher do outro lado
chama minha atenção e sorri. Eu aceno e, em seguida, viro na
minha cadeira, não estou interessado.

"É mesmo?"

"Janta comigo esta noite?"

"Eu adoraria."
Minha cobertura está quieta, quando eu entro. Eu coloco
minhas chaves na mesa no foyer e estou perto de gritar: “Querida,
estou em casa ”, quando a vejo.

As palavras morrem nos meus lábios.

Ela está parada na parede de janelas com um impressionante


horizonte noturno ao fundo, mas tudo que vejo é ela.

A curva do pescoço dela. A inclinação dos ombros dela. O


inchaço dos quadris dela.

Cada parte de mim dói para tocá-la e ainda sinto que não
posso me mover. Como se eu não pudesse respirar. A visão dela
aqui, no meu lugar, em minha casa, me faz sentir coisas que eu
sempre jurei que não eram reais.

Coisas que não tenho certeza se posso confiar em mim


mesmo para acreditar.
Capítulo Quarenta e

Um

Harlow
MANHATTAN SE ESPALHA POR MILHAS diante de mim. A
silhueta da Estátua da Liberdade fica à direita, o Empire State
Building, à esquerda, e abaixo, está a agitação de uma cidade que
parece nunca desacelerar.

Como uma criança, eu pressiono meu rosto na janela e pego


tudo. O constante empurrão dos táxis pelas ruas. As luzes suaves
dos vendedores de comida nos cantos. O buzinar de buzinas que se
filtram de vez em quando, para me lembrar que isso é real. Que eu
estou aqui e que hoje realmente aconteceu.

Eu ouço Zane quando ele entra, o lançar de suas chaves, seu


suspiro aliviado após um longo dia, o som de seus sapatos e depois
parando no chão de madeira - mas eu não me viro. Ainda estou em
negação sobre o que vai acontecer daqui a três dias.

O peso de seu olhar só aumenta minha expectativa de vê-lo


novamente, mas há algo sobre o momento, sobre a onda de
emoções que me inundam, que me faz esperar que ele dê o
primeiro passo. Isso me faz querer que ele defina o tom para esta
noite.

Negócios ou prazer.

Nós estamos na casa dele. Como ele vai tocar isso?

Minha respiração engata, quando seus lábios pressionam


suavemente a encosta do meu ombro e ficam lá. O simples toque é
tão íntimo, que fecho meus olhos e apenas memorizo a sensação
dele.

Prazer.

"Como foi o seu dia?"

"Mmm." Suas mãos deslizam em volta da minha cintura.


"Mmm?" O som vibra contra a minha pele, e envia ondas de
choque através de mim.

"Foi bom. Maravilhoso. Longo. Eu poderia continuar".

"Eu vejo que você tem o meu texto."

"E seu presente." Eu corro a mão pelo meu abdômen para


alisar o vestido e, a minha mão bate na dele e fica lá. "Obrigada.
Mas não era desnecessário".

“Muitas coisas são. . . isso não significa que você ainda não os
mereça ”.

"Seu lugar é lindo." Eu digo, olhando para ele através do


reflexo na minha frente. Azuis escuros e verdes suaves. Masculino
mas acolhedor.

"Eu não fico tanto aqui, como costumava ficar, mas é bom ter
quando volto."

"Obrigada por me deixar ficar aqui." Eu me sinto boba por


dizer isso, mas é verdade. Eu estava esperando o ônibus ou um
hotel. . . não o lugar dele. Não com ele.
"Depois de tudo que passamos?" Ele ri e move os lábios para
o lado do meu pescoço. "Eu percebi que precisávamos sair em
grande estilo, pelo menos."

Suas palavras fazem meu estômago virar na minha garganta.


Tenho certeza de que ele não quis dizer como eu os levei, um
último encontro antes de nos separarmos, mas é onde minha
mente foi com ele, e inferno, se não é difícil me lembrar de separar
meus sentimentos de tudo isso.

Aproveite o momento , eu me lembro. Respire. Viva o agora.

"Eu digo a você para escolher qualquer restaurante na cidade,


que dinheiro não é o problema" ele ri, e aponta para mim com o
pãozinho - "e você pede comida no telhado".

Eu olho para cima do meu pedaço meio comido de pizza,


sorrio baixinho, e desejo poder tirar uma foto dele assim, agora.
Sentado de pernas cruzadas no chão, mangas de camisa enroladas
até os cotovelos, pés descalços sob as calças, cabelos
desgrenhados, olhos em chamas e aquele sorriso tímido que eu
adoro olhando direto para mim.

“Às vezes, simples é melhor. Sem frescura. Sem pretextos". Eu


dou de ombros e me sinto ridícula ao apontar para a paisagem ao
nosso redor do pátio da cobertura, que eu suponho ser altamente
cobiçada nesta selva de concreto. Há uma treliça coberta no teto
nos dando privacidade, um amplo pátio no qual estamos apoiando
nossas costas, um tapete macio abaixo de nós e, a cidade à nossa
volta completa com cintilações e luz da lua.

"Essa é uma das coisas que eu gosto em você."

"Estou surpresa que você goste de qualquer em mim, depois


de ficar preso em um ônibus comigo por dois meses."

"Você, e seu canudo," ele brinca.

Eu mostro minha língua para ele e dou outra mordida,


percebendo que não importa quantas vezes eu olhe para longe
dele, quando olho para trás, seus olhos estão sempre em mim.
Sempre olhando mais perto do que eu quero. A questão é: o que
exatamente ele espera encontrar? "Como foi o seu dia?"
"Bom. Ocupado. Algumas reuniões de manhã, para algumas
das minhas outras empresas. Uma bebida rápida com Robert, para
passar por cima de alguns detalhes de última hora. Algum tempo
gasto para recuperar o atraso no dia a dia.” Ele estende a mão e
enche meu copo de vinho antes de perguntar. "E quanto a você? Eu
quero ouvir tudo sobre o seu encontro com a Essie".

“Por onde eu começo sem ser dizendo que foi incrível? Ela é
absolutamente maravilhosa e encantadora, e nada como eu
imaginei que ela seria".

Ele ri. “Isso é só porque ela vê um tremendo potencial em


você. Se ela não o tivesse, você a teria achado branda, indecente e
indiferente, sem muito o que dizer, então é um bom sinal, que ela
tenha gostado de você".

“Ela é uma fonte de conhecimento. Eu acho que minha


cabeça ainda está girando. Tendências, mercados, exposição e, gah!
Ainda estou tentando processar tudo". Mas até mesmo a menção
de hoje, da oportunidade única que ele estabeleceu para mim com
uma das maiores agências de modelos do mundo, me faz sentir
como se estivesse flutuando no ar.
"Como você deixou isso com ela?"

“Ela quer que eu encaminhe meu contrato com meu agente


atual para ela quando chegar em casa, para que ela possa ver os
termos. Ela acha que é possível me liberar para que eu possa
assinar com ela".

Eu ainda estou em choque com isso. Freaking IMG Models


quer me gerenciar.

"Eu não esperava menos", diz ele, orgulho em sua voz. “Faça-
me um favor, e deixe que um advogado o veja antes de enviá-lo
para ela. Eu posso até ter o meu olhando para você, para que você
receba uma opinião neutra. Se a Essie quer tanto você, seu
preconceito será um pouco tendencioso, e eu só quero ter certeza
de que você está protegida”.

Eu quero protestar e dizer que posso contratar meu próprio


advogado, e ainda assim, não saberia o primeiro lugar para
começar. "Obrigada. Eu não esperava que você fosse fazer isso. .
.eu simplesmente não saberia onde começar".

“Não é um problema em todas as frentes. Qualquer coisa que


eu possa fazer para te ajudar, Harlow. . . por favor, sinta-se à
vontade para perguntar."

"Mais uma vez obrigada." É tudo o que eu digo, nervos


pulando fora de controle por algum motivo, com o simples elogio
exacerbado pelo olhar guardado em seus olhos.

Diga a ele, Low.

Fico sem falar e mantenho o pequeno espaço.

Não seja um frangote. Diga a ele como você se sente. Que


você está com medo de deixar essa bolha que vocês dois criaram.
Que você tem sentimentos por ele, e não tem certeza do que fazer
com eles ou se ele sente o mesmo.

Pontas dos dedos arrastando sobre as almofadas, as mãos


tocando a parede do pátio de tijolos.

"Harlow?" ele chama meu nome, sentindo que há algo em


minha mente.

Eu fecho meus olhos por um segundo, tentando me esforçar


para dizer a ele, mas percebo que estou petrificada por arruinar a
noite, o clima e a vibração entre nós. Se esta é uma das nossas
últimas noites juntos em nosso casulo, eu realmente quero fazer
isso? Se ele se importa comigo, ele não vai me dizer
eventualmente?

Mas e se ele se sentir do jeito que eu me sinto? E se ele tiver


medo de dizer alguma coisa também?

"Harlow?"

O amor é uma emoção de merda. A frase percorre minha


mente. O mesmo acontece com as outras centenas de coisas que
ele fez, que eu poderia contradizer essa frase.

"É lindo aqui em cima." Minha voz se quebra quando eu falo,


meu coração se enche de emoção. Eu olho para ele por cima do
meu ombro de onde estou, perto da beirada e amo a maneira
como ele olha para mim agora, como se eu fosse apreciada,
desejada. “Me lembra o primeiro evento.”

“Ahh. . . a noite que começou tudo isso". Ele ri baixinho.

"Por que você me convidou para a festa?" Eu faço a pergunta,


que sempre me perguntei.
"Eu não sei." Ele encolhe os ombros, um sorriso tímido
deslizando em seus lábios. "Talvez, porque uma vez que você me
contou sobre a falta da entrevista de emprego, eu me senti um
idiota."

“Tenha cuidado aí, Zane. Você está mostrando que tem um


coração, ”eu provoco, e ele ri.

"Então, novamente, talvez tenha sido por razões puramente


egoístas, porque eu só queria vê-la novamente." Ele esfrega a mão
sobre o queixo. "Eu sabia que você iria aparecer."

"Oh, por favor."

“Você fez, e virou tudo o que eu tinha planejado ao redor.


Deus, eu estava tão chateado com você. É preciso muito para me
cegar como você fez, e Cristo, mulher, você me fez engasgar por
alguns segundos para descobrir como responder".

“Eu assumi que você chamaria meu blefe e seria isso. . . mas
Deus, você era tão idiota com o seu comentário 'ela é um pesadelo
maldito', que eu achei que você merecia isso. ”

"Eu disse isso, não disse?"


Eu concordo. "Você com certeza fez."

"Sinto muito, mas eu nunca conheci uma mulher como você


antes." Ele sorri e balança a cabeça, enquanto ele pensa de volta. "E
acho que eu nunca vou, Cinder."

"Você sabe que a única razão pela qual eu fui naquela noite,
foi para que eu pudesse agradecer pelos sapatos?”

Seus olhos piscam de volta para os meus. “Graças a Deus eu


os enviei então.”

Baque. Lá vai meu coração com seu comentário enigmático,


que parece dizer mais.

"Graças a Deus", eu sussurro e de repente me sinto tão


vulnerável quando nada realmente mudou. Eu volto para a cidade,
e me pergunto quantas outras mulheres estão lá fora se sentindo
como eu faço agora. Com muito medo de admitir seus sentimentos,
e muito esperançosas de que ele vai admitir o seu sem avisar.

A maioria dos homens estaria fora da porta sabendo que o


fim está próximo e, no entanto, aqui estou eu, dentro de sua casa,
em sua vida. O que exatamente isso diz?
Não pense agora, Low. Apenas aja. Aprecie. Viva o agora.

Ansiosa, de repente, eu corro minha mão para o lado do meu


vestido, sinto seu tecido caro, e percebo que ele comprou isso para
uma noite chique, mas não protestou quando escolhi o contrário.
"Sinto muito, Zane" eu digo, virando-me para encará-lo e vendo
que ele está mudado, então ele está empoleirado na beirada da
cadeira, mas seus olhos permanecem fixos em mim. "Eu não
pensei, foi um desperdício de um vestido apenas fazer isso."

"Bem, isso depende da sua definição de desperdício." Seu


sorriso se torna diabólico, quando ele se levanta.

"Como assim?"

“Talvez porque quando eu comprei esse, eu estava pensando


em tirar isso de você. Se esse é o caso, você me poupou tempo no
restaurante,” passo em minha direção “no táxi,” outro passo, “no
elevador, esses são todos segundos preciosos que eu não gostaria
de desperdiçar".

"E o que exatamente você planejou fazer comigo, depois de


remover o vestido?" Eu pergunto, quando ele para na minha frente.
Seus olhos dizem tudo, e o silêncio que se instala nas
rachaduras da tensão sexual prestes a explodir entre nós.

O tempo está se esvaindo.

Cada segundo.

Cada minuto.

É um a menos que tenho com ele aqui.

Eu dou um passo à frente, e pressiono meus lábios nos dele.


Ele reage imediatamente, convidando-me a desfrutar de tudo sobre
ele.

O gemido gutural no fundo de sua garganta. A suavidade dos


seus lábios. As faíscas de calor em sua língua. O gosto de tudo que
cresceu, sendo familiar e excitante para mim.

Estou perdida instantaneamente.

Talvez eu tenha sido por algum tempo, mas apenas agora


percebi isso.

Nossas mãos vagam. Sobre a carne exposta. Sobre o tecido


que não pode sair rápido o suficiente. Cada centímetro que
sentimos, só nos deixa ansiosos por mais.

Ele me guia para baixo da treliça de privacidade. Então seus


dedos sentem a borda da minha bainha e depois deslizam de volta
pelos meus lados, para a parte de baixo dos meus braços,
direcionando-os para irem acima da minha cabeça. Ele se inclina
para outro beijo, antes de puxar o vestido sobre a minha cabeça.

Ele dá um passo para trás e olha para mim enquanto eu fico


ali em exibição para ele, mãos sobre a minha cabeça e usando nada
além de meias, ligas e saltos.

Ele emite um assobio baixo enquanto seus olhos escurecem


de desejo, vagando por todos os pontos de renda e extensão de
pele nua. "Agora, isso definitivamente vale a pena o tempo extra
que você me salvou."

"Zane—"

"Shh", ele sussurra, enquanto avança e depois para nas


minhas costas. Sua respiração está no meu ombro, quando o
chocalhar de seu cinto seguido pelo puxão de um zíper junta-se ao
som da minha respiração irregular. "Você é incrivelmente sexy", ele
sussurra no meu ouvido. "Mas você já sabe isso." Ele arrasta a
ponta do dedo pela linha da minha espinha. "Você me excita de
maneiras que continuam a me surpreender." Minha respiração
engata, quando seus lábios pressionam para o mergulho logo acima
da onda da minha bunda. “Como aqui mesmo. É incrivelmente sexy
em você". Ele pega sua língua e segue uma linha nas minhas costas
até a nuca. "Ou bem aqui", ele raspa os dentes sobre a minha pele,
e calafrios perseguem um ao outro por todo o meu corpo. "Com
você, é fodidamente tudo." Suas mãos deslizam sobre minha pele.
"Eu só quero tocar você em todos os lugares."

Sedução pelo toque. Primeiro para minha bunda onde ele


espalma e depois aperta. Então sobe por meu torso para meus
seios, enquanto ele coloca uma série de beijos na linha do meu
ombro antes de beliscar meus mamilos entre o polegar e o
indicador. Um suspiro chocado escapa dos meus lábios, enquanto
meu corpo se agita com absoluta consciência.

Suas mãos então continuam na frente do meu abdômen,


direto para as minhas coxas. Aumentei minha postura, quando seu
dedo puxou minha calcinha para o lado e mergulhou embaixo
deles.

“Você está molhada para mim, Harlow? Eu te excito? Você me


quer tanto quanto eu quero você agora?"

"O que você sente?" Eu murmuro, quando uma mão dele me


separa e com a outra, seus dedos deslizam para dentro para me
achar lisa para ele. O som que ele emite sozinho quando me sente
molhada, é suficiente para me fazer gozar.

Ele brinca comigo. Me insulta. Me provoca. Tem eu me


contorcendo em sua mão e implorando por mais, mas não vai dar
para mim.

Apenas pequenos pedaços de cada vez. Um beijo de boca


aberta logo abaixo da minha orelha. Um esfregar de um dedo no
meu clitóris. Um beliscão no meu ombro. Um mergulho de seus
dedos dentro de mim. O arranhar do queixo nas minhas costas.

"Zane", um pedido que é mais um gemido, que o faz rir


enquanto seus dedos mergulham em mim novamente. Minhas
unhas cravam em seu antebraço para pedir que ele pare, e implorar
por mais.

Eu aperto meus dedos sobre seu pulso, e direciono seu braço


para cima e debaixo do meu braço para que eu possa deslizar seus
dedos em minha boca. Eu chupo eles, excitada pelo meu gosto e
querendo ele entre seu gemido, "Bom Deus, mulher", e seu pau
grosso e duro contra o meu traseiro.

"Eu quero você", eu digo em voz alta, enquanto suas ações


dizem o mesmo.

Eu me viro para beijá-lo. Para dizer a ele da única maneira que


eu sei, como eu me apaixonei por ele. Em rostos emoldurados,
línguas dançantes, puxões no cabelo e dedos se fechando em torno
de seu pau.

"Deixe-me", murmuro, enquanto o empurro para baixo na


espreguiçadeira e subo em cima dele. Com as minhas pernas sobre
as dele, eu o alinho na minha entrada e pouco antes de eu deslizar
sobre ele, suas mãos piscam e agarram meus quadris.

"Hey", diz ele, levando meus olhos a piscar para encontrar os


dele, mas ele não diz nada. Ele só olha para mim com uma
intensidade que não consigo decifrar, mas que eu quero. É partes
iguais de desejo, luxúria, medo e algo mais que eu não posso
colocar o dedo, mas que faz o meu coração de repente sair do meu
peito.

"O que é isso?"

Um fantasma de um sorriso brinca em seus lábios, e ele


sutilmente sacode a cabeça. "Eu só queria olhar para você assim",
ele murmura.

Emoções guerreiam com desejo em mim. Querendo saber por


que fora de todas as vezes que fizemos sexo, esta é a primeira vez,
que ele disse alguma coisa que colide com a dor que queima todo o
meu corpo para tê-lo.

Viva o agora, Low.

E assim, com meus olhos fixos nos dele, eu afundo polegada


por polegada gloriosamente torturante sobre ele. Eu faço nossos
corpos um só, até o prazer inicial de sentir um ao outro é tão forte,
que nós dois fechamos nossos olhos para simplesmente aproveitar
a sensação.
"Foda-se, isso é bom", ele geme, enquanto seus dedos
apertam a carne dos meus quadris e eu começo a balançá-los sobre
ele. Aos poucos. Então um pouco mais rápido. E então com um
pouco mais de comando.

Um grunhido dos meus quadris nos dele, então ele se afunda


dentro de mim. Deus sim. Um aumento de volta, então eu estou
apenas provocando sua ponta e acertando todos os pontos que eu
preciso acertar. Isso é bom. Uma batida de volta sem aviso prévio.
Novamente. Suas mãos apalpando meus seios. Mais rápido. Seus
lábios se fechando sobre os meus enquanto eu o monto. Mais duro
.

Há um desespero silencioso entre nós. Nos nossos toques. Na


pausa não dita, quando nossos olhos se encontram e ele me
tranquiliza com um sorriso suave, na paixão de nossos beijos e no
apelo em nossas vozes.

Estou tão ocupada tentando agradá-lo que sou pega de


surpresa, quando o trem de carga do meu orgasmo me atinge.
Meus quadris se movem, meu corpo se contrai e meus dedos
cravam em seus bíceps, enquanto a euforia toma conta de mim
onda após onda de sensação.

O maldito homem é um santo tentando resistir, para manter


tudo como está, para que eu possa sair do meu clímax, mas posso
sentir o minuto em que ele perde o controle. Seus dedos apertam
meus quadris e ele me segura, enquanto empurra para cima o mais
rápido e duro que pode. Em poucos segundos ele está gemendo
meu nome e apertando cada músculo de seu corpo, enquanto ele
persegue sua própria felicidade junto com a minha.

Ele é magnífico enquanto assisto sua expressão, como seus


músculos se flexionam, como todo o seu corpo se torna escravo
daqueles poucos segundos de prazer. E sei que eu fiz isso com ele.

Suas mãos me puxam para baixo, de modo que eu deito em


seu peito, nossos corpos ainda unidos. Seus braços deslizam em
volta de mim e apenas me seguram lá, pele com pele, seus lábios
pressionados contra o topo da minha cabeça enquanto nossos
corações e respirações desaceleram.

"Podemos apenas ficar aqui para sempre?" ele murmura, o


calor de sua respiração atingindo meu couro cabeludo, enquanto
seu polegar roça de um lado para o outro nas minhas costas.

Conforto. Adoração. Desespero. Medo. Amor.

Eu sinto cada um deles dele, mas é o que eu mais quero, que


temo que ele nunca vá expressar.
Capítulo Quarenta e

Dois

Harlow
A senhora maquiava meu nariz, enquanto as luzes brilhantes
batiam em mim. Os nervos se agitam por mim, por algum motivo
quando não deveriam.

Zane está ao meu lado.

Assim como ele fez na noite passada e está manhã. Para o


café, sentamos em silêncio confortável e folheamos nossas mídias
sociais e e-mails.

E agora, enquanto nos preparamos para a nossa primeira das


três aparições na televisão hoje.
Mas essa é a grande.

Claro que eu modelei para a Victoria's Secret, eu fiz


propagandas de lingerie em catálogos, eu caminhei em passarelas,
mas esta é de longe, a maior audiência que eu tive em um lugar de
uma vez.

Zane desliza a mão para o meu joelho e aperta. "Você vai se


sair bem", ele murmura.

Eu deslizo meus dedos sobre sua mão, e conecto a minha com


a dele enquanto eu apenas aceno.

“E nós vamos entrar no ar em cinco. Quatro. Três. Dois. Um ”,


diz um homem do outro lado do palco.

“Bom dia EUA. Esta é Fran Harrison, e estamos prestes a falar


com o casal da vida real por trás do site de namoro que parece
estar na boca de todos agora. Estamos falando do SoulM8. O mais
novo site de namoro deve ir ao vivo hoje, à meia noite, e parece ter
um burburinho sobre isso. Estamos aqui com o fundador da
empresa, Zane Phillips, e a mulher que ele conheceu e se
apaixonou em seu próprio site, Harlow Nicks, o casal de quem
todos estão falando. Bem vindos."

"Obrigada pelo convite", eu digo com um sorriso.

"Bom dia, Fran", diz Zane.

"Então explique a todos, se o site está sendo lançando hoje à


noite, exatamente como você conheceu Harlow nele?"

“Nós colocamos uma quantidade significativa de tempo


testando o site, e ajustando nossa tecnologia AI para criar a
combinação perfeita. Tivemos inúmeros grupos para testá-lo,
inclusive eu. . . e Harlow, que estava em um destes grupos beta.”

"Eu estava", eu digo com um sorriso, e um aceno de cabeça.

“E por que você se inscreveu? Eu não acho que alguém vai


discutir quando eu disser que você é uma mulher bonita, que é
mais do que capaz de ter encontros".

"Eu tive o meu quinhão, sim", eu digo como meu calor de


bochechas, e as mentiras que temos dito nos últimos dois meses
apenas saem da minha língua. “Mas eles não eram pessoas
procurando por essa conexão mais profunda. Eles eram homens
que viam o exterior, mas não se interessavam tanto pelo que está
do lado de dentro. Eu estava tendo muitos primeiros encontros,
muitos homens que só queriam uma coisa, e então eu descobri em
um anúncio a versão beta do site, então, aproveitei a oportunidade
e encontrei Zane.” Eu olho e sorrio para ele, a emoção em meu
rosto completamente sincera.

"E como foi a primeira vez que você a conheceu?"

"Foi elétrico", diz Zane, sem perder o ritmo. “Eu sabia que ela
era ardente, apaixonada e não tinha medo de falar o que pensava.
Eu amei isso nela. Que mesmo que ela estivesse procurando por
alguém, ela ainda era ela mesma. Muitas pessoas tentam ser quem
a pessoa com quem estão conversando quer que elas sejam. . . e
com Harlow, ela não teve nenhum problema em me dizer que eu
estava errado ou desafiando minha opinião sobre as coisas. Foi
refrescante”. Zane levanta nossas mãos unidas e beija a minha,
como se fosse algo que ele faz todos os dias. “A primeira vez que
nos encontramos foi uma comédia de erros, e a segunda vez teve
um grande mal-entendido, mas eu ainda queria vê-la. Foi assim que
eu soube".
Mas eu ainda queria vê-la.

"Foi amor à primeira vista para você também, Harlow?"

“Definitivamente tivemos algumas coisas que nos fizeram


questionar se deveríamos continuar com isso, mas sim, eu fui
atraída por ele de uma maneira que eu não tinha estado com
ninguém antes.”

"Nós vamos ter um pouco mais disso depois dos comerciais,


mas antes de quebrarmos, Zane, o que é sobre SoulM8 que faz com
que seja muito diferente de todos os outros lá fora?"

"Como mencionei, somos o primeiro site a usar a tecnologia


AI".

"AI como na inteligência artificial?"

"Sim. Nós passamos muito tempo pesquisando como usar


melhor a inteligência artificial, para a vantagem dos nossos
assinantes. Nossa configuração inicial de perfil é um pouco mais
longa do que outros sites, mas é porque queremos ter certeza de
que temos tanta informação sobre sua personalidade e
características, e gostos e desgostos quanto podemos. Em seguida,
usamos todas essas informações, combinamos com o mesmo
algoritmo e testes de personalidade que outras plataformas de
formar casais usam, mas, em seguida, o SoulM8 leva isso um passo
adiante. Nós pegamos todos esses resultados e permitimos que o
AI os leve de lá. O programa penetra em todas as facetas, e
encontra o que esperamos que seja a combinação perfeita ”.

"E quantos jogos você teve até agora com seus grupos beta?"
Fran pergunta.

“As estatísticas podem sempre ser manipuladas, então, não


vou mentir e dizer que tivemos cem por cento de sucesso. É claro
que tem havido pessoas que se encontraram em sua persona on-
line, não correspondia a quem estavam cara a cara - ou assim o
feedback foi - mas neste momento, estamos mostrando o maior
índice de satisfação de qualquer um dos encontros comparáveis
sites lá fora. ”

“E você nem sequer lançou oficialmente ainda!


Surpreendente." Fran se vira para a câmera. "Fique com a gente,
porque depois do intervalo comercial, vamos dar uma olhadinha
nesses dois e porque todo mundo está zumbindo sobre eles - e
vamos colocar esse zumbido à prova."

A equipe de produção nos conta quando estamos claros, a


equipe de maquiagem corre para o palco e eu sento lá, enquanto
Zane e a anfitriã falam sobre algum conhecimento mútuo.

O mundo continua, enquanto estou sentada aqui repetindo


em minha cabeça tudo o que Zane acabou de dizer.

“Ao vivo em cinco. Quatro. Três. Dois. Um."

“Estamos de volta aqui, continuando nossa conversa com


Zane Phillips e Harlow Nicks. Então, Harlow e Zane, vocês estão
promovendo o site juntos. O que significa, que vocês ficaram presos
por dois meses em um ônibus de turnê".

"Sim", dizemos em uníssono.

"Vamos mostrar ao público como foi para você", Fran diz, e


aponta para o monitor, onde imagens de Zane e eu desperta para a
vida. Pequenos trechos das excursões que Robert nos mandou,
enchem a tela. Nós discutindo sobre o curso da confiança. Então
beijando um ao outro. Jogando farinha um no outro enquanto
assava, Zane me carregando contra o seu lado, para que
pudéssemos terminar a corrida de três pernas. Nós dois rindo
tanto, que não podemos falar. Um momento de silêncio com minha
cabeça em seu ombro, olhos fechados e ele olhando para mim.

"Parece que vocês tiveram bastante a aventura."

"Você pode dizer isso." Eu sorrio.

"Nós definitivamente aprendemos muito sobre o outro", diz


Zane, colocando a mão possessivamente na minha coxa.

“É bom saber, porque temos uma coisa que fazemos aqui no


Good Morning USA. É um joguinho que jogamos com os recém-
casados" ela segura as mãos na frente dela " e antes de vocês
entrarem em pânico e pensarem que estamos pulando a arma, nós
a ajustamos para você. É tudo diversão".

Zane e eu rimos nervosamente, sem saber o que está


acontecendo.

“Pedimos que preenchessem um questionário na sala verde,


esta manhã. Foi uma lista de trinta perguntas. Normalmente,
quando fazemos isso com um casal, acabamos obtendo alguns
resultados realmente engraçados. Perguntas que eles erraram e
que deveriam saber. Respostas que são tão fora da base, que faz
você coçar a cabeça e se perguntar como eles não sabem disso. . .
mas olhe para Zane e Harlow. Podemos colocá-los na tela?" Ela
pergunta, enquanto penso nas trinta perguntas que respondemos
anteriormente, sem saber para que serviam.

O monitor à nossa frente, mostra nossos testes lado a lado. O


meu está à direita com minha letra cursiva e o de Zane está à
esquerda com sua escrita em estilo de bloco. A caligrafia pode ser
diferente, mas conforme eu examino cada pergunta, nossas
respostas são exatamente as mesmas.

Em cada uma delas. De como nós gostamos do nosso café,


quem demora mais no chuveiro para as irritar o outro, e assim por
diante. . .

"Eu não tenho certeza se o público em casa pode ver isso ou


não", diz Fran, "mas não há uma única resposta que esteja errada."

"Uau", diz Zane, quando ele se senta em seu assento para


olhar para a tela. Eu não posso tirar meus olhos dele.

“Fazemos isso há mais de dez anos e isso nunca aconteceu,


nosso casal conseguiu cem por cento das respostas certas.” Fran diz
e ergue as mãos. "Eu acho que SoulM8 é um negócio real."

"Nós vamos tentar ser", diz Zane, com um sorriso suave.

"E ele lança hoje à noite, correto?"

"Sim", eu digo.

"Nós temos as informações do site na parte inferior da tela


para você, se você quiser dar uma olhada, e, Zane", diz ela, com um
pouco de levantar as sobrancelhas e um encolhimento de ombros,
"você já tomou o teste do recém-casado e passou com cores de
vôo. . . então uh . ."

A mão de Zane fica na minha perna quando uma das equipes


de produção grita: "E a câmera está desligada". Eu olho ao meu
lado para ver o olhar de pânico no rosto de Zane antes que ele se
recupere, mas o sorriso firme permanece.

E eu sei.

Um relacionamento exclusivo não é algo que Zane


entretenha, muito menos casamento e filhos.
Nós fomos levados para o próximo local, a próxima sala verde,
o próximo show, e o tempo todo eu continuo pensando em seus
comentários sobre o Good Morning USA. Dos toques pessoais que
Zane adicionou para efeito com Fran.

Eu me lembro repetidamente que tudo isso é um ato. Tudo


isso. Ontem à noite no telhado foi maravilhoso. Romântico.
Simples. Eu esperava que fosse uma indicação de mais, entre nós,
mas depois de hoje, eu sei.

É tudo um ato, Low. Ele não disse nenhuma vez essas coisas
na sua cara, e ainda assim, ele as está dizendo na televisão.

Aqui está sua resposta.

Se ele sentisse algo do que ele disse, seria muito mais fácil me
contar em particular, em vez de quando cinco milhões de pessoas
estão assistindo.
Capítulo Quarenta e

Três

Harlow
Dou um abraço caloroso em ROBERT, e um sorriso sincero.

"Apenas mais dois eventos para ir hoje à noite, garota, e


então você está feita comigo."

"Não diga isso", eu digo, e dou passo para trás. "Vou sentir
saudades de você. E isto. Mais ou menos." Eu rio e ele segue o
exemplo.

“Eu não poderia estar mais satisfeito, com o trabalho que


você fez. Eu sei que tem sido longo, mas ..."

"Não há outro lugar em que eu preferiria estar, do que dando


a todas essas pessoas a esperança de que elas encontrem os felizes
para sempre com alguém."

“Sylvie teria amado você, Harlow. Ela teria muito prazer em


ver sua própria felicidade. Quero dizer, no Good Morning USA hoje,
você apenas parecia tão apaixonada. Isso foi . . . foi a melhor
propaganda que poderíamos ter feito para o SoulM8. ”

"Uau. Eu não sei o que dizer." Eu sufoco as palavras, na


ameaça de lágrimas que queimam meus olhos.

"Está tudo bem?" ele pergunta. Claro que ele notaria.

"Estou bem. Apenas um pouco emocional com isso tudo


chegando ao fim. Foi uma experiência de aprendizado em todas as
frentes e. . . " Eu dou de ombros, incapaz de terminar o meu
pensamento.

“Obrigado por concordar em abrir seu relacionamento com o


mundo. Eu sei que não foi fácil, mas fez toda a diferença ”.

As palavras de Robert ecoam em minha mente pelo resto da


tarde. Enquanto eu estou na cadeira de maquiagem, me
preparando para o nosso segundo e último evento da noite.
Quando eu estou falando no palco sobre SoulM8 e cantando seus
louvores. E depois do discurso, enquanto nos misturamos com a
multidão.

Seu comentário me atormenta pouco a pouco.

Assim como sinto que trabalhei na sala por tempo suficiente e


posso sair para uma pausa tranquila oficial da festa de lançamento,
sou interrompida logo antes de sair do salão de baile.

"Sinto muito incomodá-la, mas eu só tinha que dizer o quão


incrível é está assistindo vocês dois."

"Obrigada. Molly, certo?” Eu pergunto, lembrando-me de


suas perguntas anteriormente, fazendo a sessão de perguntas e
respostas.

"Sim!" ela diz, surpresa. "Eu não posso acreditar que você se
lembrou."

"Claro que sim."

"Eu só . . .eu tenho seguido você e Zane e suas aventuras no


site, enquanto aguardo o lançamento hoje à noite, e eu tenho que
dizer, isso me deu muita esperança. Vocês dois se divertem, se
encaixam quando estão estressados, se completam, se empurram
para correr riscos. . . quero dizer, o quanto vocês dois se importam
um com o outro, apenas brilha. Seu relacionamento é o que eu
pretendo ter, e mal posso esperar para encontrá-lo no SoulM8
como você fez. ”

Eu sorrio baixinho para a mulher diante de mim. Ela é linda à


sua própria maneira, mas as lágrimas nadando em seus olhos e a
esperança tecida através de seu tom, me estripam por algum
motivo.

"Tenho certeza que seu príncipe está lá fora em algum lugar


para você, Molly." Eu a puxo para dentro de mim para um abraço.

"Eu sei." Seu lábio inferior treme e isso me mata. "Olhe para
você. Você encontrou o seu".

"Eu fiz", murmuro baixinho, com um sorriso estampado no


meu rosto que eu simplesmente não sinto.

Eu ando em direção à borda da sala para conseguir uma


pausa, e tento colocar um dedo no que há de errado comigo. Por
que este evento parece tão difícil, quando estamos sentados na
aparência número quarenta e pouco, e é mais difícil do que o
primeiro?

O corredor está livre de participantes, então eu aproveito a


oportunidade para ir em direção ao nosso vestiário privado para
conseguir um momento para mim. Espero que eu possa me livrar
desse sentimento e estar pronta para o meu dever final no SoulM8
-, a festa de lançamento. Uma vez lá dentro, levanto meus
calcanhares e me sento no sofá.

Eu não sei quanto tempo eu me sento lá, perdida em meus


pensamentos. Mas eu me assusto quando a porta se abre e Zane
entra, telefone na sua orelha, segurando o dedo para sinalizar que
vai ser apenas um minuto.

“Não, companheiro. Estou no camarim para poder conversar.


Ele caminha até a mesa onde lanches são servidos para nós e pega
um punhado de amêndoas.” Você deveria estar aqui, Jack. Até você
pode se colocar nessa multidão.” Ele ri e joga algumas das nozes
em sua boca. “Não, a única coisa que eu garanto é que você vai ser
cobrado uma taxa mensal. . . sem merda. . .eu tenho que desligar,
Harlow está aqui. Sim. Mais tarde."

"Hey", ele diz para mim com um elevar de seu queixo, e


depois congela quando eu não respondo. "Está tudo bem?"

"Há muitas pessoas aqui esta noite."

"Tem." Ele dá um aceno medido, e eu posso dizer que ele está


tentando descobrir onde eu estou indo com isso, quando eu nem
sei onde estou indo. "O que está acontecendo, Harlow?" Ele se vira
e descansa o quadril contra a mesa atrás dele, cruzando os braços
sobre o peito.

"Quando a aposta, o desafio, qualquer que seja o seu nome,


acabar, o que você vai fazer com o SoulM8?"

Eu posso dizer pela maneira como ele se assusta, que a minha


pergunta o pega de surpresa, mas sua resposta é tão calma como
poderia ser. "Nenhuma pista."

"O que?" Eu rio, mas parece forçado e incrédulo, como eu me


sinto.

“É um negócio. Se isso acontecer, eu continuo. Se não atender


ao seu potencial, então eu vendo e descubro outra coisa".

"Bem desse jeito."

"Sim, apenas assim."

"Mas, e tudo isso?" Eu joguei minhas mãos para fora. “Todo o


trabalho duro que você fez para obter SoulM8 onde está, e todo o
tempo e esforço que estamos colocando agora para fazê-lo decolar
com um estrondo? Você só vai jogar tudo fora?"

“Às vezes as empresas falham, sem culpa ou falta de esforço.


Você não pode se debruçar sobre isso. Você só precisa tirar o pó de
suas mãos, e passar para a próxima oportunidade.

É isso que você vai fazer comigo? Eu me pergunto.

Tenho certeza de que meus olhos fazem a pergunta, mas


meus lábios permanecem em uma linha fina e imóvel enquanto o
pensamento único toma conta de minha mente.

"Mas-"

"Mas o que? É o que você faz quando administra um negócio.


As decisões nem sempre são fáceis e, às vezes, elas são uma
porcaria, mas você nem sempre pode jogar um bom dinheiro
depois que vai mal. Às vezes, você corta suas perdas. Às vezes, você
assume riscos. E de vez em quando, todos eles pagam e você tem
sucesso. ”

Nossos olhos seguram o espaço, e sua expressão me diz que


ele está tentando entender o que está errado, quando eu nem
sequer sei de nada além de que estou morrendo de medo, de que
tudo isso acabe. Isso, e eu estar doente e cansada de fingir que
somos um casal, quando eu quero realmente ser um.

Minha boca se abre e então se fecha.

Meu peito se contrai e minha garganta queima.

“O que está acontecendo aqui, Harlow? O que estou


perdendo?" Ele pergunta, enquanto ele dá alguns passos em minha
direção, e senta no braço do sofá onde estou sentada.

"Essa coisa toda - nós lá fora, sendo amorosos e perfeitos para


que as pessoas aspirem a ser como nós, está ficando difícil para
mim."

“Ainda bem que estamos quase terminando. Cinco horas


contadas, sim? "

Eu respiro fundo, ignorando a faca no meu coração. "É só isso-


"

"Agora não é hora de crescer uma consciência."

“Foda-se você, Zane. Eu apenas sentei com uma mulher


chamada Molly, que acabou de me dizer que tudo o que ela queria
era encontrar o amor. Eu tive que olhá-la nos olhos e mentir,
quando ela me disse que gostaria de encontrar um como o nosso. E
você me diz que não é enganoso."

“Olha, nós dois estamos cansados. Tem sido um longo


caminho na estrada, e nós dois acabamos com isso. Tudo o que
precisamos é ver isso, e então podemos escapar silenciosamente
do radar enquanto começamos a postar mais e mais histórias de
sucesso no site. Vamos usá-los para promoção, e não haverá mais
necessidade de fingirmos. Então, você vai se sentir melhor sobre
tudo isso".

"Você já teve seu coração partido antes?" Minha pergunta


vem do nada, mas eu continuo pensando em todas essas pessoas
que estão acreditando em nossa mentira, e estão dispostas a pagar
para tentar alcançá-la.

Zane não responde à pergunta, em vez disso, ele leva a bebida


aos lábios e mantém os olhos nos meus, sobre a borda do copo.

"É sempre um jogo para você, não é?"

"O que é?"

"É sempre o coração de outra pessoa na linha, o coração de


outra pessoa com quem você quer brincar, desde que ela molhe o
seu pau quando quiser que ele fique molhado." As palavras estão
fora e eu estou de pé, enquanto a fúria continua a crescer dentro
de mim.

"Preste atenção no seu passo, Harlow."

"Por quê? O que você vai fazer? Me demitir? Não dormir mais
comigo? Dizer a verdade a Robert, então ele sabe que você
realmente não se importa? Que seu investimento em memória de
sua esposa foi desperdiçado, em um cara que não acredita no que
está vendendo?" Ando de um lado ao outro da sala, enquanto a
tensão se acumula nesse pequeno espaço.
"Eu não sou o único homem de negócios que não acredita no
que ele vende, e se eu faço ou não, francamente, não é da sua
conta", ele rosna.

"Não? Eu sei que estou olhando para um homem que me diz


que ele não tem nenhum problema em assumir riscos e reivindicar
perdas profissionalmente, mas ele não consegue entender
pessoalmente. ”

"Que diabos você está falando? Você está em todo lugar e eu


não posso seguir para onde você está indo agora, então, que tal
você soletrar para mim, porque eu estou fodidamente perdido? ”

"Que tal agora? Eu me apaixonei por você, Zane. Sim, apenas


mais uma mulher estúpida e ingênua para você se envolver com
sua campanha publicitária perfeitamente direcionada e gerar
estatísticas. Eu não paguei uma taxa de inscrição, então sinto muito
que você não tenha se aproveitado do meu desespero.”

Eu poderia ter dito a Zane que eu tinha três cabeças, e ele não
ficaria mais surpreso. Seus olhos estão arregalados e os lábios estão
relaxados, e ele apenas balança a cabeça como se estivesse
tentando compreender o que acabei de dizer.

“Harlow. . . "Ele estende a mão para mim e depois deixa cair,


enquanto as palavras escapam dele, mas essa ação simples grita
tão alto para mim.

"Isso foi o que eu pensei." Eu engasgo com as palavras,


enquanto olho para ele. Há tantas desculpas em seus olhos, que eu
não tenho certeza de como dizer a ele que está tudo bem, que sou
tão estúpida quanto ele.

"Eu não sei o que dizer."

Uma batida vem, dois segundos antes que Zoey empurrar a


porta aberta. "Vocês estão prontos?" Ela olha para Zane e depois
para mim. "Está tudo bem?"

"Certo."

"Bem."

Nós dois respondemos em uma corrida de palavras.

"Eu só, eu só preciso de um minuto para me trocar", eu digo,


quando eu mordo de volta a emoção na minha voz, que está
ameaçando se levantar e derramar em lágrimas. "Vocês dois
podem, por favor, me dar licença?" Virando as costas para eles, eu
ando em direção ao vestido pendurado no armário à esquerda. Eu
fecho meus olhos e parece que para sempre, antes de seus passos
irem em direção à porta.

"Har ..."

"Por favor, não faça isso."

Há um silêncio enquanto ele olha para mim, e depois o som


da porta se fechando.

Eu finalmente disse a ele, mãe.

Desta vez, tenho a sensação de que ele não vai me trazer mais
sapatos.
Capítulo Quarenta e

Quatro

Harlow
Minhas bochechas doem DE SORRIR .

E não o tipo sincero, onde tudo está indo bem, mas porque eu
tenho medo de parar, se eu deixar que haja uma simples rachadura
na minha fachada, eu não serei capaz de segurar tudo o que eu
sinto ao mostrar meu rosto.

Pessoas, imagens e proclamações de como eles não podem


esperar pela meia-noite, quando o site vai ao ar. Eles estão em uma
rotação constante durante a noite. Todos eles, claro, exceto Zane.

Ele manteve distância de mim. As poucas vezes em que seus


olhos encontraram os meus, nos encaramos no espaço muito
brevemente antes que alguém aparecesse querendo nossa
atenção.

Sua risada atravessa a sala, e toda vez que isso acontece, meu
coração dói um pouco mais.

"Senhoras e senhores." A voz de Zane explode no microfone


e, a multidão volta sua atenção para o palco, eu lentamente
caminho para o fundo da sala. “Eu só queria ter um momento
rápido para agradecer, a todos que participaram e celebraram o
lançamento do SoulM8 conosco esta noite. De todas as empresas
que eu comecei ou possuí, essa tem um lugar especial para mim,
porque lida com algo que você não pode colocar um preço, os
assuntos do coração. Para muitas pessoas, inclusive eu, o amor
sempre foi uma coisa esquiva que eu não conseguia tocar
exatamente, então eu não tinha muita certeza se acreditava ou
achava que existia. O SoulM8 me ajudou a encontrar as respostas
para isso. Isso me ajudou a perceber que havia alguém lá fora para
mim". Ele olha para baixo por uma batida dramática, e tanto
quanto eu quero acreditar nele, tanto quanto eu quero desmaiar
com suas palavras e acho que ele está falando sobre mim, nós
fizemos tanto fingindo nos últimos dois meses, que não tenho
certeza do que é real e do que é falso. “Olha, eu não estou dizendo
que você vai encontrar o amor da sua vida logo de cara. Pode levar
algumas tentativas, mas o que estou dizendo, é que isso pode
restaurar sua fé no processo. Pode mostrar-lhe que outras pessoas
boas como você estão lá fora, querendo as mesmas coisas. . . e,
eventualmente, você encontrará o caminho um para o outro ”.

A sala irrompe em uma rodada de aplausos, na mesma hora


em que eu saio pela porta dos fundos, incapaz de ouvir sua voz e
suas palavras confusas por mais um segundo.

Eu saio do saguão e no minuto em que meus calcanhares


batem na calçada do lado de fora, sinto que posso respirar pela
primeira vez a noite toda. E então eu me movo. Longe do local,
longe dos olhos de pessoas que possam me reconhecer lá de
dentro, longe das pessoas que vão se importar com o fato de que
há lágrimas escorrendo pelo meu rosto.

O tempo cai no esquecimento enquanto eu ando pelas ruas


frias e desconhecidas, até que eu acabo de volta na cobertura de
Zane. É justo quando termino de embalar minhas coisas, que ouço
a porta da frente abrir e fechar. O lançar de chaves na mesa. O som
de passos que param logo atrás de mim.

Seja forte, Low.

"Você mal podia me olhar lá fora, hoje à noite." Minha voz é


tranquila, enquanto levanto minha bolsa, mas mantenho meu rosto
em direção à parede e longe dele.

"O que você está fazendo, Harlow?"

"Embalando. Indo para casa". Eu me viro para encará-lo, e


vejo o pânico encher seus olhos. Meu peito parece que pega fogo
com a visão dele. Desgrenhado e arrojado. Assustado e desafiador.
Perdido e inseguro.

"Você não pode simplesmente me bater com palavras assim,


e esperar que eu tenha uma resposta na hora", diz ele, tropeçando
nas palavras quando ele não tropeça.

“Se eu te dissesse em um texto, você teria tempo para pensar


sobre isso. . . isso teria feito alguma diferença?" Eu pergunto,
minha própria voz é calma quando ele abre a boca e a fecha sem
responder.

Ele passa a mão pelo cabelo e suspira, enquanto ele dá alguns


passos em minha direção. “Eu sou um cara, Harlow. Eu não sou
bom com esse tipo de coisa".

"Eu não sou boa para eles, aparentemente", eu digo, através


de uma risada incrédula e agito minha cabeça. “Eu tentei lutar
contra isso, Zane. Eu realmente fiz. . . mas aconteceu e eu. . ." Eu
lanço minhas mãos enquanto lágrimas enchem meus olhos.

"Eu me preocupo com você." Ele dá um passo à frente e eu


coloco minhas mãos no peito dele, para que ele mantenha
distância.

"Eu sei que você faz", eu digo, enquanto ele olha para mim
com os olhos cheios de tanta emoção e dor, que apenas enfatiza
novamente a decisão que tomei anteriormente. "Eu não posso
mudar as coisas que estão profundamente arraigadas em sua
natureza, as coisas que você sempre acreditou, e eu não vou
tentar."

"Se você apenas me deixar processar tudo isso", ele diz, sua
voz apertando o estresse, mas eu sei que processar tudo não vai
mudar nada.

Ele me quer, ou não.

Ele está disposto a dar uma chance, ou ele não está.

"Isso é tudo culpa minha", eu digo, e mudo de tática.

"O que você quer dizer com isso?" Sua testa franze, e a tensão
em seus ombros se põe.

“Eu comecei isso. Quer dizer, não tenho certeza de quem


começou isso entre nós, mas deixei ir para onde eu jurei que não
iria. Eu brinquei que eu estava aqui apenas para o sexo, e no
começo eu estava. Eu pensei que não era uma maneira ruim de
passar os dois meses, desde que estávamos presos juntos. Então as
coisas começaram a mudar, e entre fingir ser um casal e o sexo
incrível à noite, acho que comecei a acreditar. A essa altura, já era
tarde demais para eu recuar".

Me diga que você também acreditou! Por favor! Diga-me que


não fui a única.
Me dê algo para continuar. Qualquer coisa para me dizer que
eu não sou insana no que vi de você, no que senti de você.

“Foda-se, Har. . .eu estou lutando aqui. Por que algo tem que
mudar? Porque-"

“Eu deixei a festa hoje à noite, dizendo a mim mesma que


estava doida. Que eu deveria ter calado minha boca, e deixado as
coisas acontecerem. Talvez quando voltássemos para LA, as coisas
pudessem ser como eram no começo, divertidas e sedutoras. Eu
estava disposta a me contentar com isso, Zane. Eu estava disposta a
empurrar meus sentimentos de lado e apenas casualmente
namorar, e ver onde as coisas iriam com você. Mas no fundo, eu
sabia que nunca teria ficado feliz com isso. E então eu estava
perambulando pelas ruas pensando, e eu continuava vendo todos
esses casais andando de mãos dadas, rindo juntos, curtindo um ao
outro. E percebi que eu mereço isso. Eu mereço mais do que isso”
eu digo apontando para ele e para mim. “Deus sim, você
conquistou meu coração, Zane. Você já teve isso por algum tempo.
Você é um homem incrível. . . mas eu mereço muito mais do que
isso".
"Cinder", ele diz naquele baixo estrondo dele, e o maldito
apelido tem lágrimas brotando dos meus olhos. Eu digo a mim
mesma para dar um passo atrás, quando ele estende a mão para
tocar meu rosto. Eu grito para me retirar, quando ele molda minhas
bochechas em suas mãos.

"Tudo bem", eu digo, não tenho certeza se isso é mais para


ele ou para mim.

Nós nos encaramos por mais tempo. Seus olhos nadam com a
emoção que eu preciso ouvir em seus lábios, mas não ouvi.

"Onde você vai?"

“Eu peguei um voo—”

"Por que ..."

“Você tem reuniões aqui, por alguns dias ainda. Você não
precisa de mim aqui para elas, e você com certeza, não precisa de
mim para estragar sua rotina. É para melhor."

“Deixe-me preparar o jato—”

"Está tudo bem. Eu não preciso disso. Eu nunca precisarei


disso". Fecho os olhos por um instante e, quando os abro, encontro
a resolução que estava oscilando. "Obrigada por tudo, Zane."

Ele esfrega o polegar sobre o meu lábio inferior, enquanto ele


balança a cabeça ligeiramente antes de nossos lábios se
encontrarem. É o mais terno dos beijos. O único na minha vida, que
posso dizer que senti profundamente em meus ossos. E o único que
posso dizer, sem dúvida, nunca quis terminar.

Eu recuo e tento sorrir através das lágrimas, antes de pegar


minha bolsa e sair pela porta. Meus saltos ecoam, um após o outro,
um testemunho audível do fato de que estou saindo.

Quando minha mão agarra a maçaneta e puxo, Zane coloca a


mão na porta e a fecha. “Fique, Harlow. Apenas fique e podemos
conversar e descobrir as coisas. Eu não posso te fazer promessas,
mas. . . "

Eu olho para ele e vejo tudo o que quero, mas há uma parte
dele que eu sei que ainda está fechada.

Essa é a parte que quero.

Essa é a parte que eu mereço.


Eu penduro minha cabeça por um momento e olho para trás,
para encontrar aqueles lindos olhos de esmeralda que eu amo.
“Não faça por reflexo. Pense nisso. Entenda. A primeira vez que
você me perseguiu, foi com um par de sapatos. Se você quiser
correr de novo, preciso de um pouco mais do conto de fadas, senão
não o quero de jeito nenhum". Eu estendo a mão e aperto sua
percebendo o quão assustador isso deve soar para um homem, que
jura que o amor é uma emoção fabricada. “Eu não estou pedindo
por tudo, eu só preciso saber que você vai se abrir para a dar uma
chance ao amor. Amar alguém e saber que nunca haverá a mesma
coisa em troca, é uma maneira infeliz de viver ”.

"Podemos conversar-"

"Shh" Eu coloco um dedo nos lábios dele, e é preciso tudo que


eu não tenho para pular em seus braços e ficar bem aqui. Deixá-lo
me convencer do que ele quer, porque essa dor no meu peito é
suficiente para me engolir inteira. "Zane Phillips, você merece o
tipo de amor que faz você acreditar no amor."

E sem outra palavra e com a minha determinação pendurada


por um fio, desço o corredor com a cabeça erguida e o coração
partido, e os dois pés no chão.
Capítulo Quarenta e

Cinco

Zane
“MAIS DO QUE DOIS ESTÁ NOITE?” O bartender pergunta.

"Hoje à noite pede muito mais do que dois, Barney", eu digo


com um aceno, quando um avião ruge em cima, na decolagem.

"Problemas com uma mulher?"

"Algo parecido." Eu abaixo a bebida na minha mão, e olho


através do caminho para o portão quarenta e nove, onde Harlow se
senta. "Apenas mantenha-os próximos."

Ela está enrolada em uma bola na cadeira, com os joelhos


dobrados até o queixo e os braços ao redor deles.
"O seu avião não está pronto?" Barney pergunta. Ele é meu
costumeiro garçom quando passo pelo aeroporto JFK, e conhece
minha rotina.

"O jato está pronto, mas eu não estou voando por um dia ou
dois". Eu percebo o quão estranho isso soa, mas eu não explico
sobre a passagem que eu tive que comprar, só para passar pelos
portões de segurança e ele não perguntar.

Em vez disso, eu apenas a observo, minha própria forma de


tortura pessoal por não ter conseguido fazê-la ficar.

Por não poder dar a ela o que ela precisa.

Meu peito aperta novamente. Da mesma maneira que


aconteceu, desde que eu não consegui encontrá-la na festa de
lançamento. E então, novamente, quando a observei ir embora.

Correção. Quando eu a deixei ir embora.

Então, agora eu sento e me torturo com algo que não posso


ter, só para ter certeza de que ela embarque em segurança. Só para
que eu saiba que ela está bem.
Porque eu tenho certeza que ela não está bem, porra.

Não por um maldito tiro longo.

Você a ama, companheiro? Você pode realmente dizer que a


ama?

O amor é uma emoção de merda.

Minha resposta enlouquecida passa pela minha mente, e pela


primeira vez, desde que me lembro, não compro minhas próprias
besteiras.

Porque esse sentimento que estou sentindo? Isso está


doendo no meu estômago, porque ela está lá e eu estou aqui, e ela
quer tudo e eu não tenho certeza se posso dar a ela, isso não é
nada que eu já tenha sentido antes.

Você merece o tipo de amor que faz você se sentir amado.

Cristo.

É isso que é amor? Porque se esse é o caso, parece a maldita


miséria.
Só porque você está aqui e ela está lá, cara.

O que é que você quer dela então? Um espólio de vez em


quando? Deitar na cama à noite, e rir até o estômago doer de suas
travessuras bobas? Para fechar um fliperama jogando pinball e
Galaga, porque é tão divertido se sentir como uma criança
novamente e ter alguém que sinta assim com você? Para ter medo
do seu juízo final, enfrentando um dos seus maiores medos, mas
ter os olhos dela para olhar e as suas mãos para segurar? Para falar
sobre o trabalho durante o seu café da manhã, e ter alguém
realmente ouvindo? Para puxar todos os tipos de cordas, cordas
que você nem tem, para tentar ajudar sua carreira, porque ela
merece isso?

Porra do inferno. O que você quer Phillips? Porque de todas


essas coisas, apenas uma delas tem a ver com sexo.

Eu deslizo o copo vazio para longe, e pego o novo que Barney


colocou em frente a mim.

O velho eu saberia o que eu queria. Andaria até lá e diria que


ela não vai a lugar nenhum, e traria ela de volta para minha casa.
Nós nos divertiríamos muito vivendo na cidade pelos próximos dias.
Então nós partimos para casa, e uma vez que chegássemos lá nos
separaríamos, e seguiríamos livres, claros e cansados pra caralho.

O novo eu. . .Cristo. Eu corro a mão pelo meu cabelo, e solto


um suspiro frustrado. O novo eu está de volta onde eu estava
quando tudo começou, querendo ficar o mais longe possível de
Harlow porque ela me assusta o tempo todo, fixado no fato de que
eu não consigo parar de pensar nela. Ou querendo ela. Ou
precisando dela.

Mas eu não posso dar o que ela quer. . . o que ela merece. Eu
não posso ser seu cavaleiro de armadura brilhante.

Eu não posso mudar quem eu sou.

Você merece o tipo de amor que faz você acreditar no amor

Ou eu posso?
Capítulo Quarenta e

Seis

Harlow
“ VOCÊ ESTÁ COMETENDO UM ERRO enviando esse texto,
Mija.”

Eu olho por cima do ombro para minha mãe. Atrás dela está a
cozinha e o quintal, todos iguais, mas eles parecem muito
diferentes.

Foram dois meses na estrada, explorando, experimentando,


crescendo - e só me deu vontade de querer mais. Fora da minha
carreira, fora da minha vida. Fora de tudo.

Também tem sido uma lição muito boa, de como você não
pode controlar por quem seu coração se apaixona.

Lula se aconchega ao meu lado, e eu corro a mão


distraidamente sobre o pelo dela. Ela não saiu do meu lado nos dois
dias desde que eu voltei, e não consigo descobrir se é porque ela
sentiu minha falta, ou se é porque ela sabe que eu estou triste e
seu radar de cachorro pegou.

"Ele está no noticiário de novo, Low", ela chama, de onde ela


está assistindo TV. Assim como ela sempre faz quando vê Zane, nós
últimos dois dias desde que voltei. Com o lançamento sendo um
enorme sucesso, parece que ela está dizendo isso a cada dois
minutos.

Ou talvez seja só porque ainda dói, até pensar nele.

Espero que isso fique mais fácil.

Por alguma razão, não tenho certeza se vai.

O que eu sei agora, porém, é que ser removida da situação, da


união constante em que fomos forçados a ter, o entretenimento
um do outro, aquele em que atiramos nossa frustração, e conforto
quando precisávamos disso, fez as coisas parecerem menos . . .
intensas. Como se, quando você está na situação, não consegue
parar de pensar nisso, mas, uma vez que seja capaz de sair, a
emoção não parece tão poderosa.

Isso é besteira, Low.

Alimente-o nessa linha, alimente sua mãe com essa linha, mas
seja honesta consigo mesma e admita, que sente mais falta dele do
que jamais imaginou ser possível. Que você está se questionando
se deveria ter aceitado a oferta dele de deixar as coisas como
estavam, porque talvez, eventualmente, elas pudessem se
transformar em algo mais.

“Robert disse que ele poderia estender seu contrato, Mija.


Que você é necessária para ajudar um pouco mais, pois a
campanha foi bem-sucedida. Se você enviar esse texto, você pode
não conseguir".

"Pelo contrário." Eu suspiro. “Eu preciso enviá-lo para provar


a Zane, que posso ser profissional. Que foi tudo um erro, e que não
vai ser difícil trabalhar com ele. ”

E talvez eu só queira enviá-lo, para ver se ele responde.


Ou talvez ele tenha cortado suas perdas, e imaginado que
Simone conseguirá sua chance.

Eu me odeio por ter esperança, de que talvez ele aparecesse.


Que ele ligaria ou correria para o aeroporto, para me implorar para
ficar ou ficar esperando na minha varanda.

Oh meu Deus. Quando eu me tornei minha mãe? Quando


esse romantismo sem esperança, tomou conta de meus
pensamentos e distorceu minhas opiniões?

É essa maldita palavra. Amor e tudo o que vem com isso.

Mas se realmente estamos prontos, o que ele disse a Robert


sobre nós? Como ele está explicando porque eu saí, quando ele
ainda está lá?

"Independente disso, você não precisa dele", diz ela, com um


shoo de sua mão. “Seu e-mail está cheio com pessoas que querem
falar com você sobre empregos. Ele serviu o seu propósito".

"Mmm-hmm."

"Você vai responder a esses e-mails, não é?"


Eu fecho meus olhos. “Claro, mamãe. Somente . . .eu preciso
de alguns dias, ok? " Minha voz quebra, e inferno se isso não era
um farol chamando-a para sentar no sofá e me consolar.

Ela se aconchega ao meu lado e alisa a parte de trás do meu


cabelo. "Mija ..."

"Estou bem." Eu limpo a lágrima solitária que deixei escapar.

“É minha culpa que você está sofrendo. Eu te forcei a dizer a


ele. Eu promovi isso com minhas noções bobas. Eu deveria ter
mantido minha boca fechada".

"Não é sua culpa. Eu sabia como eu me sentia, eu era apenas


uma garota estúpida e deixei minhas emoções tirarem o melhor de
mim.”

“Ele virá ao redor, Mija. A maneira como ele olhou para você
nos vídeos da festa. . . ele virá ao redor." Eu sorrio para ela, mas
não acredito nisso. "Apenas lembre-se disso, se você sair não o
afeta, então, na verdade, seu tempo com ele nunca realmente
importou em primeiro lugar."

"Sim. Ainda é uma merda".


"Sim" Ela dá um tapinha na minha cabeça, e depois beija o
topo da minha cabeça antes de voltar para ao seu lugar e me deixar
em silêncio.

Com um profundo suspiro e uma exaustão tão profunda eu só


quero dormir por dias, mas sei quando eu fecho meus olhos, vou
ver o olhar em seu rosto quando eu fui embora, eu estudo o texto
no meu telefone:

Parabéns pelo lançamento bem sucedido. Eu tenho seguido


isso de casa, e não poderia estar mais orgulhosa de ter feito parte
disso com você. Obrigada pela experiência, pelas memórias que
me proporcionaram e minhas desculpas por ter deixado as coisas.
Eu fui pega no momento, apanhada no pequeno mundo em que
vivíamos juntos, e agora que eu saí dele, sei que nunca teria
funcionado entre nós.

O cursor piscando no final me insulta para enviar.

Para empilhar outra mentira, em cima de um relacionamento


que foi promovido a partir delas.

Eu respiro fundo.
Suspiro.

E clico em enviar.
Capítulo Quarenta e

Sete

Zane
" FODI ISSO, SMUDGE ."

Eu olho de volta para o texto, para o que parece ser a


centésima vez. Ela porra me escreveu isso?

Smudge olha para mim enquanto a baba sai de sua boca,


como se dissesse: "Faz uma semana e o texto não mudou, então
por que diabos você ainda está olhando para ele?"

Boa pergunta.

Eu me inclino para trás em minha cadeira, jogo meu telefone


na mesa e pego minha xícara de café. A cafeteria está cheia.
Pessoas entrando e correndo, já atrasadas para as reuniões. Em
uma mesa no canto há um homem em seu laptop e, ironicamente,
ele tem SoulM8 em sua tela. Ninguém mais saberia disso pelo
layout discreto que montamos, mas eu percebi. A menininha
sentada à minha direita está tomando seu chocolate quente
enquanto sua mãe se aconchega contra o pai, e estou prestes a
desviar o olhar quando ela chupa o final do conteúdo com o
canudo.

Mordendo seu canudo.

Harlow está fodidamente em todos os lugares, mesmo


quando eu não quero que ela esteja.

"O amor é muito fantástico, não é?" Robert diz, quando se


senta à minha frente, com a xícara recém-cheia na mão, e ergue o
queixo na direção da família que eu estava olhando.

"É", murmuro em resposta.

"É isso aí? É ? Nada mais a acrescentar que isso?"

"O que é que isso quer dizer, companheiro?"


"Você sente falta dela, não é?"

Leva-me um segundo afiado para perceber o que ele acabou


de dizer, e segurar a minha resposta honesta - inferno sim, eu faço -
e me recomponho o suficiente para encontrar seus olhos sem
mostrar o meu choque.

"O que é isso?" Eu pergunto, para ele continuar.

“Você sente falta dela. Vocês estavam juntos e agora ela se


foi, e você percebe como é uma merda não estar mais com ela".

"Do que você está falando?" Eu ri baixinho, enquanto tento


entendê-lo.

“Vamos, Zane. Vocês fizeram um ótimo trabalho mantendo as


pretensões e agindo de forma que ninguém tivesse a menor ideia,
mas eu sabia que vocês não estavam juntos desde o começo. Eu te
disse, eu sou um homem inteligente. Inferno, ela era hostil e falava
o que estava em sua mente, e você era arrogante e achava que
sabia tudo". Ele encolhe os ombros com um sorriso presunçoso
enquanto se inclina para trás em sua cadeira, e toma um gole lento
de seu café antes de olhar de volta para mim. "Vocês eram
perfeitos um para o outro."

“Você está me dizendo que você armou tudo isso? Nos uniu?”
Eu mal consigo pronunciar as palavras, enquanto tento processar o
que estou ouvindo.

“Eu investi o dinheiro em SoulM8 para Sylvie. Para dar-lhe um


legado duradouro. Mas havia algo em você, Zane, que me lembrava
de mim quando eu era jovem. Uma arrogância bem merecida. Um
ar de que você não precisa de ninguém ou de nada. Uma atitude
que você tem tudo planejado, quando a coisa que você mais
precisa na vida você não tem nenhuma ideia do que é .” Robert
acena para a garotinha com o chocolate quente, e sorri antes de se
virar para mim. "Eu era você. Ao contrário do que conto a todos os
outros, pensei em ficar com Sylvie uma ou duas vezes, e depois
seguir em frente. Quem precisa de uma mulher? Quem precisava
daquela besteira chamada amor?" Ele ri quando ele relembra,
enquanto eu tento pegar meu queixo do chão. "Eu estava errado.
Tão errado, e arrogante também. Eu pensei que sabia de tudo, e
quase perdi a melhor coisa que já aconteceu na minha vida por
causa disso. Talvez eu tenha visto algo de mim em você, e algo de
Sylvie em Harlow e talvez. . . apenas talvez, eu queria te dar o
melhor presente que você nunca soube que existia. ”

"Você está me fodendo?"

"Não."

“Então todo o curso de confiança e reality show, oh meu


deus. Foi tudo uma armação".

"Você precisava de um empurrãozinho", ele diz, sem pedir


desculpas, “e foi ótimo para publicidade".

"Nós vendemos sua mentira", murmuro.

"Não, você vendeu o conto de fadas."

Eu pisco várias vezes enquanto olho para ele, ouvindo essa


palavra novamente e tentando entender tudo. "Eu nem sei o que
dizer."

“Diga que você sente falta dela. Admita que você a ama. Eu
sei que assusta o inferno fora de você, mas seu intestino está
agitado e você tem um aperto em seu peito toda vez que você
pensa sobre ela? Essa é sua resposta. É assim que você vai se sentir
quando não estiver com ela". Ele toma mais um gole de café,
enquanto se levanta do banco e coloca um envelope pardo sobre a
mesa. “Esse é o contrato dela para mais trabalhos, se você quiser
usá-lo. Cabe a você descobrir o que você quer à partir daqui. ”

"Robert ..."

“Tenha um bom descanso esta tarde, Zane. Até mais tarde


Smudge".

E ele sai sem dizer outra palavra, me deixando


completamente atordoado.

Ele jogou comigo. Porra, joguei em um jogo que eu não tinha


ideia de que estava, mas diabos, se eu ficarei à margem.
Capítulo Quarenta e

Oito

Harlow
Eu me assusto quando olho para meu celular, e vejo o nome
de Zane. Eu tenho olhado para isso assim toda vez que ele tocou
nos últimos dez dias, e nem uma vez me deu o nome que eu queria.
. . e agora que sim, tenho medo de pegá-lo.

"Olá?"

Jogue legal, Low.

"Cinder?"

A voz dele. Esse apelido. Cada parte de mim vibra ao som


disso e odeia que minha reação ainda seja tão forte, considerando
quão miserável eu estive.

"Oi."

"Como você está?" Ele pergunta, preocupação em sua voz,


que eu não quero ouvir.

"Bem. Ótima" eu digo sem pensar, e imediatamente sou


trazida de volta para a primeira semana no ônibus juntos. A
frustração, a tensão sexual, o desafio.

"Cuidado ao elaborar?" Eu posso ouvir o sorriso em sua voz.

"Estou apenas analisando algumas ofertas que surgiram


desde o lançamento".

"Alguma boa?"

"Um pouco."

"Bem, eu tenho outra, na forma de um contrato para você em


minhas mãos."

Meu coração cai no meu estômago, ao ouvir essas palavras.


Trabalho. Não eu..É por isso que ele está ligando.
"Você faz?" Eu me forço a dizer.

“Mmm-hmm. Robert parou hoje mais cedo, depois que eu


pedi a ele para escrever um para você ficar com SoulM8, como a
porta-voz oficial". Eu não respondo, não posso, já que penso em
como seria difícil trabalhar com ele dia após dia, e ainda me sentir
assim sobre ele.

"Ele sabe que não estamos mais juntos?" Eu pergunto.

O suspiro de Zane preenche a linha, e então o silêncio se


instala enquanto espero que ele responda. "Nós falamos, sim."

"Oh" Meu peito se contrai, porque isso significa que não há


mais necessidade de fingir.

“O contrato, Harlow?”

"Sim. Certo. E quanto a isso?" Eu pergunto, tentando colocar


meu pé de novo embaixo de mim.

“Isso permite que você ainda possa estar em outros trabalhos


enquanto trabalha para nós e ...”

"Obrigada pela consideração, mas acho que vou passar."


O que você está fazendo? Trabalho estável. Cheque de
pagamento constante. Trabalho dos sonhos.

Mas isso significaria vê-lo regularmente. Isso significaria que


eu me lembraria do que não posso ter, do que não posso querer.

"O que você quer dizer com você vai passar?" Sua risada
incrédula, soa exatamente como me sinto agora.

"Eu não acho que seja uma boa ideia, Zane."

"Que pena. Nossa reunião está marcada para as nove da


manhã de amanhã".

"Eu te disse, eu não acho que você precisa passar pelo meu
agente." Em caso de dúvida, sempre culpe o agente.

Sua risada enche a linha. "Eu não passo por agentes."

"Desta vez, você terá que fazer isso." Qualquer coisa, então eu
não tenho que te ver quando tudo que eu realmente quero é ver
você.

"Você vai aparecer", diz ele, e por um breve segundo eu me


lembro de quando ele veio para a casa para trazer os sapatos. De
sua oferta para eu participar da festa. Do começo de tudo isso.

Uma pequena parte de mim se agarra a essa pequena lasca de


algo entre nós, e quer ver se ele está me dando uma abertura como
eu acho que ele poderia estar.

Ou isso, ou eu, sem dúvida, enlouqueci.

"Não, eu não vou", eu digo.

"Sim você irá."

“Ainda arrogante e exigente, eu vejo.”

"Você achou que eu mudaria?"

"Sim." Minha voz é a mais quieta dos sussurros quando eu


falo, meu pequeno aceno de cabeça para ele que eu estava
segurando esperança.

“Você vai aparecer, Harlow. Você vai aparecer, por causa de


mulheres como Molly que conhecemos em Nova York".

Meus dedos apertam meu celular. "Você se lembrou do nome


dela?"
"Você vai mostrar aquelas mulheres que precisam da
esperança, que você é o rosto desta empresa."

E a esperança que eu preciso?

"Eu não vou aparecer", eu minto.

"Sim, você irá."


Capítulo Quarenta e

Nove

Harlow
Não pense muito, Low.

Degrau.

Não entre em seu escritório com grandes expectativas.

Degrau.

Não ande sobre o limiar esperando que ele tenha mudado.

Degrau.

Não segure qualquer esperança de que ele vá falar com você


algo além do contrato.
Degrau.

É como um soco quando eu o vejo. Parece dramático e


ridículo, mas quando ele olha para cima e seus olhos encontram os
meus e esse sorriso lento se espalha em seus lábios, minha
respiração fica presa.

"Olá, Harlow." Ele fica de pé. "Por favor entre."

"Oi." Atravesso o espaço, minha espinha dorsal e meus nervos


se amontoam sob a superfície. Meu coração aperta no meu peito
quando ele dá um beijo suave na minha bochecha, antes de puxar
minha cadeira para mim.

Espero que ele ande de volta em sua mesa para se sentar em


frente a mim, mas em vez disso, ele inclina seus quadris contra isso
bem na minha frente.

Claro.

Longe demais para tocar e tão perto que eu posso sentir o


cheiro de seu sabão e colônia, e me lembrar do que aqueles
cordões de músculos sob sua camisa pareciam sob as palmas das
minhas mãos.
"Então?" Ele diz, e fica em silêncio, até meus olhos se
encontrarem com os dele.

"Então." Há muito a dizer e, no entanto, não é hora ou lugar


para isso. No meu texto eu disse a ele que poderia colocar tudo
entre nós de lado, para que pudéssemos trabalhar juntos. . . e
agora estou tentando, e Deus, como eu estava errada. Não há
como esquecer um homem como Zane Phillips. Não há como
derrubá-lo e empurrá-lo para debaixo do tapete.

"Eu tenho um contrato para você."

"Sim." Quanto menos eu falar é o melhor agora, até que eu


possa ganhar o controle das minhas emoções se descontrolando.
"Posso ver?"

"Eu prefiro falar sobre isso primeiro."

"Claro que você faria."

“Eu acho que os termos dele serão do seu agrado. Ele


permitirá que você fique local, com uma renda mensal estável.
Haverá viagens ocasionais, mas nada como antes".
"Com você?" Eu mal consigo pronunciar as palavras.

"O que?"

"Eu vou ter que viajar com você?"

“Eu sou o CEO da empresa. Sim, algumas das viagens terão


que estar comigo".

Nossos olhos se encontram, enquanto a tensão sexual inflama


entre nós de uma maneira que eu não consigo descrever. Minhas
mãos agarram os braços da cadeira, em vez de estender a mão para
tocá-lo como eu quero.

Meu coração bate estridente enquanto eu tento engolir tudo


o que eu realmente quero dizer, em vez das palavras que saem.

"Sinto muito, eu não posso fazer isso."

"Por que não?" O sorriso de Zane se inclina em um canto, e


não posso, por minha vida, entender por que isso é divertido para
ele.

"Eu não acho que seja sábio."


"Você vai morar comigo, então porque você não poderia
viajar comigo também?"

"Porque eu . . . o que você acabou de dizer?" Eu olho para ele,


meus olhos piscando várias vezes, como se isso me fizesse acreditar
no que eu acho que acabei de ouvi-lo dizer.

Eu luto contra a esperança que ameaça crescer.

“Eu disse que você não está fazendo nenhum sentido. Já que
vamos morar juntos, qual é o problema se viajarmos juntos?" Ele
cruza os braços sobre o peito e entra.

"Quem disse que eu estou indo morar com você?"

"Eu fiz."

"E por que eu faria isso?"

"Porque já faz quase duas malditas semanas desde que você


saiu, Harlow, e eu não posso dormir por merda nenhuma."

"Tenho certeza que muitas mulheres estariam dispostas a


acordar ao seu lado."
“Porque toda vez que eu pego meu café, espero que você tire
sarro de mim por deixá-lo fraco demais.”

"Soa como seu próprio problema."

"Porque eu não consigo parar de pensar em você."

Eu não tenho um retorno para isso que não seja um sorriso


cauteloso que diz que eu quero acreditar, mas estou muito
magoada por ter esperança.

"Isso é por sua culpa", eu sussurro.

"Isto é." Ele concorda. "Eu tenho sido infeliz sem você,
Harlow."

Eu não confio em mim mesma para falar porque, por mais


que pareça saber que ele está sofrendo como eu, isso não muda
sua visão sobre o amor.

"Bom."

"Bom?" Ele ri, e eu aceno com lágrimas que eu não quero


mostrar nos meus olhos. "Senti sua falta. Tudo sobre você. Eu não
dormi, eu tenho sido um idiota para todo mundo, eu. . .Cristo" ele
esfrega a mão sobre o queixo - "SoulM8 está decolando no telhado,
eu deveria ser o cara mais feliz do planeta e ainda assim, a única
coisa em que posso pensar é você e o quanto eu estraguei tudo."

"OK." Eu atiro a palavra porque estou tentando permanecer


fiel à minha promessa de que mereço mais, e com cada palavra que
ele fala, torna muito mais difícil não levantar da cadeira e beijá-lo
sem sentido.

"Estou estragando tudo, não estou?" Ele ri e inspira, enquanto


sacudo a cabeça e enxugo a primeira lágrima que escapou. "Por
favor, não chore."

“Zane. . ."

“Eu te disse que o amor era besteira, mas sabe de uma coisa?
Agora eu acho que parece uma completa miséria. Como se eu
tivesse uma crise estomacal e estivesse tendo um ataque cardíaco
ao mesmo tempo, porque é assim que me sinto sem você. Então
você vê, eu preciso de você de volta. Eu preciso que você me ame,
para que você possa me mostrar o que é. Então você pode provar
para mim que é essa coisa maravilhosa que todo mundo diz que é,
porque agora parece uma merda. ”

"Isso é porque você está passando por desgosto", murmuro.

"É isso que é isso?"

Eu me levanto do meu assento e aceno com a cabeça. "É uma


merda, não é?"

"Deus, sim." Ele sorri e estende a mão para enquadrar meu


rosto em suas mãos, e seu toque. . . oh, como eu senti falta do
toque dele. E o sorriso dele. E sua risada. E tudo sobre ele.

"Parece que há uma faca em seu coração que está torcendo


constantemente."

"Sim", ele murmura.

"E tudo o que você quer fazer é comer três litros de sorvete,
mesmo quando seu estômago dói o tempo todo."

"Algo parecido." Quando ele sorri dessa vez, ele alcança seus
olhos pela primeira vez. "Você pode me ajudar a consertar isso,
Harlow?"
Ele se inclina e escova seus lábios contra os meus, enquanto
outra lágrima cai.

Isto é onde eu pertenço.

Aqui.

Com ele.

Deus, como eu senti sua falta.

"É preciso rastejar muito para consertar um coração partido."

"Eu estraguei tudo, Harlow."

"Você fez."

"Eu deixei você ir embora, sem lutar."

"Você fez."

"Eu não farei isso de novo."

"Por que eu deveria acreditar em você?" Eu pergunto,


precisando ouvir a resposta.

"Porque estar com você me mudou", diz ele, e meu coração


incha no meu peito. “Porque tudo que eu já conheci, tudo que eu
me permiti ver é o lado negativo dos relacionamentos. Então você
entrou, luvas, punhos, e você lutou seu caminho em meu coração.
Eu nem sabia que isso tinha acontecido e, a próxima coisa que eu
sabia era que você tinha ido embora, e eu fiquei entendendo
aqueles contos de fadas estúpidos que você diz que sua mãe
defende pela primeira vez na minha vida. Eu não sou um cavaleiro
de armadura brilhante, Harlow, longe, longe disso, mas sei que
posso ser o homem que você merece. Eu sei que vou trabalhar duro
para te fazer feliz, então nunca mais vou sentir essa miséria. ”

"Você não foi o único que estava infeliz."

"Não?" ele pergunta.

"Não."

"Devo beijá-la e torná-la melhor?" Ele entra e me beija tão


ternamente que eu quero me derreter nele. Quando ele se inclina
para trás, ele levanta as sobrancelhas. "Melhor?"

"Isso é um começo."

Ele ri contra meus lábios. "Seja paciente comigo? Tudo isto é


novo para mim. É território desconhecido que assusta o inferno
fora de mim, mas ficar sem você me assusta dez vezes mais. Então
eu vou cometer erros. Eu vou me atrapalhar. . . mas vou continuar
tentando passar por isso, desde que eu saiba que tenho você como
recompensa do outro lado".

É a minha vez de beijá-lo. Eu serpenteio minhas mãos até a


frente de seu peito, enfiei meus dedos por seus cabelos e despejo
toda a minha emoção reprimida no beijo. Mostrei a ele como é
amar e ser amado.

Quando o beijo termina, ele descansa a testa contra a minha


e ficamos assim por alguns momentos apenas absorvendo o
momento, o outro, e a possibilidade que está agora entre nós.

"Posso dizer agora?" Eu pergunto, precisando tirá-lo do meu


peito e deixar no ar.

"O que é isso?"

"Eu me apaixonei por você, Zane Phillips."

Eu posso sentir o corpo dele se contorcer com as palavras, sua


respiração prender, e então seus lábios encontram os meus
enquanto ele aceita as palavras que eu sei que o assusta.

"Harlow, eu prometo que-"

“Sem promessas, Zane. Eu só quero você. Como você está.


Quem é você. Erros e tudo, porque Deus sabe que eu farei muitos
deles também. Nós não temos que prometer nada além de
tentarmos. É tudo que posso pedir de você".

"Então, isso é um sim?"

"Essa é uma declaração bastante ampla para eu concordar."


Eu ri.

"Você vai morar comigo?" Ele se inclina para trás, olhos


perguntando, sorriso reforçando.

"Depende."

"De que?"

“Se Lula vai gostar do Smudge.”

"Eu tenho certeza que se nós apenas jogarmos juntos na


mesma corrida de cães, eles vão aprender a amar um ao outro.
"É assim mesmo?"

"Sim, olhe para nós dois", diz ele, enquanto ele envolve seus
braços em volta de mim e apenas segura.

"Eu não acredito em forçar um relacionamento."

Zane joga a cabeça para trás e ri. "Oh, eu tenho uma história
para você, então."

"É mesmo?"

"Sim, mas isso é para outra hora."

"O que há agora, então?"

"Compensando o tempo todo que senti falta de beijar você,


Cinder."

Nossos olhos se encontram, seguram e flertam.

"Tal dificuldade, mas eu acho que estou pronta para o


desafio."

"É melhor você estar", ele murmura, enquanto seus lábios


encontram os meus e nossos mundos colidem mais uma vez.
A única diferença é que desta vez, a colisão é bem-vinda.

Sem pretensões.

Sem uma audiência.

Apenas nós dois e um mundo cheio de possibilidades.


Epílogo

Harlow
Um ano depois

A Costa da Sardenha é deslumbrante. As praias, a água, as


pessoas.

O homem andando na minha direção com calções curtos nos


quadris, e olhos somente para mim, ainda mais.

Como esta é minha vida?

Eu nunca mais quero sair.

"Ei", diz ele, e me puxa para ele para um beijo. Uísque e


hortelã estão em seus lábios, e o cheiro do sol está em sua pele.

"Assim?" Eu pergunto.

"Assim . . "Ele murmura contra meus lábios quando se inclina


para trás e olha para mim. "Como eu tive tanta sorte?"

"Você vai me dizer?"

"Dizer o que?"

"O resultado?" Eu golpeio seu peito de brincadeira, enquanto


ele me puxa para outro beijo para tentar me distrair.

"Eu não sei."

"O que você quer dizer com você não sabe?"

Ele está falando sério?

“Eu saí da aposta. Eu deixei o dinheiro ir".

"Muito engraçado. Você nunca faria isso, deixando Kostas


vencer sem lutar. Eu te conheço melhor do que isso". Mas há algo
sobre a maneira como ele diz que me diz que ele não está
brincando. Ele não iria, iria? "Zane?"

“Você não pode lucrar com amor. É inestimável".

"Oh, Deus que brega." Eu ri.


"Ei, não odeie o jogador."

"Bem, então o jogador precisa ter um jogo mais forte", eu


digo, mas há algo sobre a maneira como ele olha para mim que me
faz pensar que ele não está brincando.

"Zane?" Ele apenas olha para mim e levanta as sobrancelhas.


"Zane!"

"Hmm?" Ele inclina a garrafa de cerveja nos lábios.

"Você não está brincando, está?"

"Sobre?"

"Você perdeu a aposta?"

Ele encolhe os ombros como um homem que pode se afastar


desse tipo de dinheiro sem se importar. “Eu concordei com a
aposta em primeiro lugar, porque queria essa emoção. O zumbido
que estava faltando. Mas percebi que não era o negócio que eu
precisava, mas outra coisa. . . ou devo dizer outra pessoa?"

“Ohhh, jogo muito mais forte. Definitivamente, uma


melhoria".
"Veja? Eu posso aprender."

"Você pode", eu me inclino e pressiono meus lábios nos dele.


"E você tem." E então mais uma vez. "Agora você vai me contar, o
que aconteceu na sua reunião?"

Ele encolhe os ombros, como um homem que está


acostumado a ganhar e perder milhões com total indiferença.

A semana passada foi. . .Deus, tem sido fabuloso. Nós


desligamos nossos telefones, desconectamos e sintonizamos. Dias
preguiçosos na praia. Piqueniques espontâneos no parque. Fazer
amor que dura horas.

Sem interrupções. Sem estresse. Só nós.

Então, claro, a companhia veio hoje. Kostas, Mateo e Enzo


chegaram para seus dois anos anuais juntos. E para abrir o
envelope, que contém os resultados do seu concurso de apostas
altas.

Eu olho para Zane. Ele tem cor em sua pele e há uma


facilidade para ele que é novo para mim. Quase como se finalmente
estivesse confortável em sua própria pele. Eu sempre pensei que
ele era antes, mas eu posso ver isso agora.

"O que?" Ele diz, quando me vê observando ele assistir os


iates balançando no azul cristal do oceano.

"Você está falando sério, não é?"

"Eu já brinquei com dinheiro?"

"Mas Zane!" Eu cuspo as palavras. "Isto é muito dinheiro!"


Como mais do que me sinto confortável em dizer. Um milhão de
dólares ele perderá na bolsa e um milhão de dólares que ele usou
para o SoulM8. "Você colocou todo esse dinheiro em SoulM8 e
depois o prêmio e-"

“E o SoulM8 está me fazendo muito mais dinheiro do que


esse investimento inicial. . . e eu te encontrei." Ele me alcança e
cobre o lado do meu rosto, o polegar roçando meu lábio inferior,
tentando me distrair. "Eu acho que sei o valor do meu dinheiro."

"Seu jogo continua melhorando a cada minuto."

"Para minha sorte, temos todo o tempo do mundo."

Ele sorri para mim e faz tudo dentro de mim aquecer. "Então
quem ganhou?"

Ele encolhe os ombros. "Eu não sei. Saí antes que eles
abrissem os resultados da aposta. Tenho certeza que vamos ouvir
tudo sobre isso mais tarde. . . mas agora, eu só queria estar com
você". E nunca fica cansativo ouvi-lo dizer coisas assim.

"Então você nem sabe se ganhou?"

Ele sorri de uma forma que me diz que ele pode ter, ele pode
não ter, e sua ambiguidade me deixa louco.

"Eu esqueci. Eu queria te mostrar uma coisa. Sente-se firme".

Eu me viro e vejo Zane entrar em nossa vila atrás de nós, e


voltar em breve com o que parece ser um laptop. "O que você está
fazendo com isso?" Eu pergunto.

"Quebrando as regras." Seu sorriso é como um relâmpago


rápido.

“Nós dissemos sem internet—”

"Você pode me punir depois." Ele pisca e pressiona um beijo


ao lado da minha cabeça, enquanto coloca o laptop na mesa à
nossa frente.

"O que é isso?"

"Eu-uh-fiquei sabendo deste vídeo viral, e eu queria que você


visse."

Uma coisa tão estranha para ele dizer, mas tudo bem. . ."E?"

“De uma das melhores propostas que vi sair de uma partida


com o SoulM8. “

"Sim?"

"Sim."

“E você escolheu voltar aqui e me mostrar isso, em vez de ver


quem ganhou e ficar com os caras? Fico lisonjeada."

"Eu te disse, eu tenho um jogo louco."

Eu começo a rir enquanto a tela do computador ganha vida.


Zane aperta alguns botões e xinga quando nossa própria imagem
aparece na tela. "Droga", ele resmunga. "Isso é o que eu ganho
pegando emprestado o computador de Kostas."
"O que há de errado?"

"É como se a câmera estivesse presa".

Eu começo a rir. "Posso apenas dizer que não quero saber o


que ele está fazendo ou gravando, para que sua câmera fique presa
na tela." Imagens de mulheres e mais mulheres e tudo mais me
preenche. Zane resmunga mais algumas vezes. "Não é grande coisa.
Nós podemos assistir mais tarde".

“Não, é muito legal. Isto . . . ele valida todas as razões que eu


tive para sair da aposta com os caras. Merda. Apenas me dê um
segundo,” Zane diz e eu vejo enquanto ele sai de costas para a vila
na tela na minha frente. Deve ser muito legal, para ele estar tendo
tanto trabalho.

Quando leva mais de um segundo, eu inclino a cabeça para


trás na cadeira e fecho os olhos.

"Eu acho que eu quase consegui."

“Mmm-hmm. Apenas me diga quando e eu vou abrir meus


olhos, porque este sol parece bom demais.
"Eu acho que está pronto", uma voz chama do outro quarto.

Quando abro os olhos, demora um segundo para o que vejo


aparecer na tela à minha frente.

"O que você é . . ."

E então registra.

Zane está de pé atrás de mim, vestido de smoking. Um


smoking completo. Seu sorriso está tingido de nervos e seus olhos
estão fixos nos meus.

"Zane?" Eu me viro para encará-lo enquanto ele caminha em


minha direção.

"Este vídeo pode não ser para consumo público, mas é algo
que eu quero gravar."

Cada parte de mim treme e treme e não sei se devo sentar, ou


ficar de pé, ou caminhar até ele ou ficar onde estou. A única coisa
que eu sei, é que se ele cai no joelho ou não e me pede para casar
com ele ou não, não importa o que ele diga para mim, a resposta é
sim, desde que isso signifique que vou chegar a estar com ele.
Isso é tudo que importa.

"Ei?" Ele olha para mim, me centra, me dá firmeza. "Você está


bem?"

Eu aceno freneticamente. "Eu não sei o que fazer agora."

"Não faça nada Cinder, mas fique assim, como você está."

Ele cruza a distância até mim - ele de smoking e eu de biquíni


e me inclino e pressiono meus lábios nos dele. Eu não posso
resistir.

“Eu ensaiei o que quero dizer de um milhão de maneiras


diferentes. Tenho notas escondidas por todo esse maldito lugar que
quero dizer, não, isso preciso dizer, mas há uma que importa mais
do que qualquer uma delas. Eu te amo, Harlow Nicks. Você e seu
temperamento mal-humorado e chega como atitude. Você e seu
coração mole e espírito generoso. Você e seus jogos loucos de
palitinhos e Galaga. Claro, você me jogou no meu próprio jogo para
começar tudo isso. . . mas tem sido eu que tenho jogado desde
então.”

Ele se inclina e aperta o mais terno e beija aos meus lábios.


“Eu te amo e vou continuar te amando e dizendo que te amo, até
que você esteja cansada de mim. . . e depois vou dizer que te amo
um pouco mais".

"Nunca." Eu murmuro e desmaio porque quando ele coloca a


mão na minha, ele está tremendo.

Eu sei que está chegando, mas eu suspiro quando ele se


abaixa para um joelho. “Você uma vez me disse que queria o conto
de fadas, Cinder. Que você merecia o conto de fadas. E eu não
poderia concordar mais. Eu quero dar isso para você. Eu quero ser
isso para você. Você quer casar comigo, Harlow?"

"Sim. Sim. Ah, e sim."

Alguns podem dizer que é bobagem que eu nunca olhei para o


anel quando ele colocou no meu dedo, mas eu não fiz. Eu estava
muito ocupada olhando para o homem. Meu verdadeiro diamante
bruto. O homem que eu não podia esperar para passar o resto da
minha vida.

"Então, isso é um sim?" Ele pergunta.

E quando eu pulo em seus braços, o derrubo de costas no


chão e o sufoco com beijos, acho que ele tem sua resposta.

Quem sabia que o amor poderia se sentir tão bom?

"Ei, Cinder?"

"Mmm?"

"Se seus lábios continuarem fazendo o que estão fazendo,


teremos que desligar a câmera."

O FIM.