Você está na página 1de 3

O CASAL E AS CARREIRAS PROFISSIONAIS

Rev. Zenon Lotufo Jr.


Denise e Hélio ( nomes, é claro, fictícios) são dois jovens, De qualquer forma, o que tenho a dizer vale
casados há cerca de um ano e meio . Eu mesmo tive a honra para ambos e, é claro, nada tem a ver com receitas prontas ,
de oficiar . São bonitos, inteligentes e se amam bastante . mesmo porque cada caso tem suas peculiaridades e a função
Mas agora vieram me procurar porque sentem que as coisas do conselheiro é discutir alternativas e não apresentar
não correm bem no seu relacionamento. Expõem a situação: respostas prontas.
ambos ocupam posições de algum destaque nas empresas em
A questão mais séria que atinge todas as
que trabalham; ambos almejam crescer profissionalmente e
pessoas citadas é que elas se sentem presas a situações em
fazer carreira em suas respectivas áreas. Para isso, dedicam-
que não têm escolha; vêem-se como vítimas de forças que
se de corpo e alma a seu trabalho de forma a poder vencer
escapam a seu controle. Portanto, a primeira coisa a fazer é
na dura competição em que estão envolvidos. Permanecem
discutir o caráter dessas forças, como atuam e como se
trabalhando até depois do expediente, levam serviço para
colocar diante delas. Alguns desses fatores são de ordem
casa e, não raro, usam parte do fim de semana para realizá-
cultural, outros, psicológico,. mas quase sempre criam falsos
lo. O resultado é que se sentem, a maior parte do tempo, tão
constrangimentos e barreiras ilusórias e é disso que
cansados que não têm disposição sequer para conversar,
precisamos estar conscientes parta poder lidar com eles de
quanto menos para um programa a dois. As relações sexuais
forma apropriada.,
se tornaram esporádicas e insatisfatórias. Sentem-se
infelizes e não sabem como lidar com a situação . No Comecemos com o aspecto psicológico. São
entanto, não passa pela cabeça de nenhum dos dois poucas as pessoas que escapam totalmente àquilo que uma
sacrificar, por pouco que seja, a carreira profissional. 1 notável psicoterapeuta, Karen Horney, chamava de tirania
dos ‘deves’ São, em geral, mensagens que recebemos na
Zaira formou-se com distinção em uma
infância e que, gravadas em nossas mentes, estão sempre a
faculdade de primeiro nível. Casou-se logo após terminar os
exigir de nós determinadas atitudes e certos
estudos; logo vieram filhos e ela dedicou-se inteiramente aos
comportamentos. O perfeccionismo é um exemplo. Muito de
cuidados do lar. Chegando aos cinqüenta anos, sente-se
nós ouvimos de nossos pais e professores (provavelmente
frustrada e culpa o marido por seu machismo, por não lhe
muito bem intencionados) frases que refletem a necessidade
ter permitido seguir uma carreira. O esposo, por sua vez,
de fazer as coisas de modo perfeito, de sermos sempre os
também aborrecido com a atitude da mulher, jura de pés
primeiros em tudo. Mas, você pode perguntar, não é bom
juntos que não teve nenhuma interferência nas escolhas
procurar melhorar sempre? Sim, é verdade, mas as idéias
dela.
perfeccionistas não são um convite para estar sempre
Pérola é uma senhora ainda moça. Inteligente progredindo; são, antes, um imperativo para atingir a
e estudiosa, domina bem vários idiomas e trabalha dando perfeição e, de tal ordem, que adquirem um caráter
aulas e fazendo traduções. Casada, tem dois filhos ainda compulsivo ou obsessivo. A pessoa fica sem liberdade de
pequenos que requisitam bastante sua atenção. Dizia-me de escolha, o que a leva a, freqüentemente, deixar de fazer
seu constante dilema: se resolvia dedicar-se ao trabalho (que coisas em que poderia se sair bem, por medo de que não
podia fazer em casa), sentia-se angustiada por não estar saiam perfeitas. É o caso de Zaira. Enquanto estudava, seus
concedendo suficiente atenção às crianças; por outro lado, se êxito dependiam praticamente só de seus esforços e de sua
a escolha fosse brincar ou passear com elas, culpava-se por inteligência. Quando se viu diante da possibilidade de
abandonar seu trabalho. Resultado: constante ansiedade e enfrentar um competição muito mais acirrada - como é a do
tensão que, inevitavelmente, se refletia no relacionamento mundo do trabalho- viu-se atemorizada de não corresponder
com o marido, levando a um círculo vicioso: quanto mais a suas exigências internas. O fato de não tentar uma carreira
tensão, mais conflitos, quanto mais conflitos, mais tensão ... profissional, mesmo depois de estarem os filhos já crescidos,
evidencia que os cuidados domésticos funcionaram
Julia é funcionária pública. Também é casada
sobretudo como uma espécie de álibi, uma desculpa
e também tem filhos. Seu grande problema é que o salário inconsciente para não se expor ao que sentiria como
do marido é insuficiente para fazer frente às despesas da
fracasso. Uma pessoa nessas condições não pode ser
casa ; então, embora não goste do que faz e preferisse muito considerada apropriadamente livre para escolher seus
ficar em casa cuidando das crianças, sente-se obrigada a se
caminhos; suas compulsões internas cerceiam suas
manter no emprego. Seu conflito interior tornou-se tão alternativas . 2
intenso que teve de receber tratamento psiquiátrico,
chegando mesmo a ser internada. Iríamos muito longe se tentasse discutir a
grande quantidade de “deves” que povoam nossas cabeças,
Embora tenha mencionado sobretudo
com maior ou menor intensidade . Não é essa a finalidade
mulheres, é evidente que coisas semelhantes ocorrem com deste artigo. Quero, contudo, deixar salientado que nossas
os homens. Talvez em nível de intensidade menor, uma vez
vidas podem ser grandemente prejudicadas por fatores desse
que os papéis masculinos estão melhor definidos em nossa tipo cujo papel, em nossas mentes, equivale em tudo e por
sociedade. Mas também eles freqüentemente se afligem com
tudo ás leis de que Cristo veio nos libertar. É impossível;
o conflito entre as exigências da carreira profissional e o desfrutar a maravilhosa graça que nos é oferecida enquanto
cuidado da família. Um exemplo disso é a reportagem de
essas imposições internas estiverem dominando.
capa de recente número da revista “Exame”; sob o título “A
Angustia do Executivo Nota 10”, relata-se a dificuldade que Os fatores culturais são, de certa forma até
muitos homens encontram para conciliar as duas áreas tão mais complicados porque têm por base idéias falsas que são
importantes na vida, bem como as conseqüências, às vezes compartilhadas por quase todas as pessoas de modo que se
trágicas de não se buscarem soluções adequadas. torna difícil reconhecer seu caráter ilusório e prejudicial. No
2
que nos interessa agora, é o conceito que se tem a respeito O que quero ressaltar, é que a valorização exclusivamente
do trabalho que deve merecer atenção. através do desempenho profissional, a que aludi acima,
roubou das mulheres, como já antes o fizera com os homens,
Antes, uma palavra sobre a questão da auto-
o sagrado direito de optar. Em suma, embora pareça que as
estima. Aceitar-se, amar a si mesmo, ter um bom conceito a
mulheres dispõem hoje de mais opções do que no tempo de
respeito de si mesmo, são elementos de máxima importância
suas avós, as coisas se revelam um tanto diferentes, quando
para a saúde mental e espiritual. Não é sem razão, portanto
as examinamos mais de perto.
que tantos autores cristãos estão se dedicando ao tema. Cito,
por exemplo: “A Arte de Aprender a Amar a Si Mesmo” de Ressalte-se que, tanto em uma época quanto
Cecil Osborne: “Amar a Si Mesmo” de Walter Trobisch; em outra, exercer opções livres requer maturidade,
“Você É Alguém Especial de Bruce Narramore e conhecimento de si mesmo e do mundo em que vivemos; e,
“Construindo uma Nova Imagem Pessoal” de Josh acima de tudo, requer um contato pessoal e íntimo com
McDowell, editados, respectivamente, pelas editoras Aquele que verdadeiramente pode nos libertar. Todas as
JUERP; ABU; Mundo Cristão e Candeia. A busca por se pessoas mencionadas no início deste artigo viam-se presas
sentir valioso aos próprios olhos e aos dos outros é uma das por lhes faltar esse tipo de liberdade.
motivações mais poderosas em nossas vidas. Muito bem,
Há ainda um outro ponto que me parece
quase que inevitavelmente, a auto-estima reflete a opinião
importante referir. É a questão de se estabelecerem
que as pessoas significativas com quem convivemos têm a
claramente as prioridades diante da vida. Precisamos
nosso respeito. Se sou amado por elas, passo a me
utilizar critérios sábios para ter sempre em mente o que é
considerar digno de ser amado; se sou rejeitado, posso
mais ou menos importante que o que. Sem isso, como
concluir que não tenho valor, e assim por diante. Por sua
acontecia com aquela senhora, Pérola, passamos o tempo
vez, a maneira como aquelas pessoas nos vêem e nos tratam,
todo oscilando entre um lado e outro, eternamente
reflete seus valores os quais são fortemente influenciados
insatisfeitos e frustrados porque a todo momento ficamos
pela sociedade em que vivemos. Em outras épocas e
pensando que a outra atividade é que é mais importante, é o
situações, eram múltiplos e variados os critérios pelos quais
que devíamos estar fazendo. Uma vez estabelecido
se atribuía valor a alguém. Assim, a pessoa podia não se sair
conscientemente o que é prioritário e, ao menos enquanto se
bem na vida profissional mas ser considerada bom pai, ou
está cuidando dele, não há porque preocupar-se com o
boa mãe, bom amigo, bom artista amador, e assim por
restante. Não é sem motivos que o Mestre afirma que não
diante. Podia sair-se mal em determinada área e, no entanto,
podemos servir a dois senhores.
manter uma boa auto-estima se se saísse bem em outras.
Contudo, a partir de certo momento, nossa sociedade passou Finalmente, situações existem em que as
a usar como único critério de avaliação do indivíduo seu opções realmente não dependem apenas de nós mesmos. E
desempenho profissional. Josef Pieper, filósofo alemão, são muitas. Vale lembrar, nesses casos a muito sábia oração
assim se refere a esse “mundo totalitário do trabalho”: “O que os Alcoólicos Anônimos divulgaram fartamente:
mundo do trabalho transformou-se no nosso único mundo e “Senhor, dá-me força para mudar as coisas que podem ser
ameaça submergir-nos completamente; as suas exigências mudadas, paciência para conviver com as que não podem e
são cada vez mais absorventes até que, finalmente, hão de sabedoria para saber a diferença.”
escravizar totalmente a natureza humana” (no livro “Ócio e
Culto”. Grifos meus.)
Ora, se uma carreira profissional é a única
forma de conseguir reconhecimento por parte dos demais - e
de si mesmo - qualquer outra atividade, em princípio tão
importante quanto as que são remuneradas, passam a ser
vistas com certo desprezo. É o que acontece,
especificamente com as funções tradicionais da mulher:
cuidar da casa, dos filhos, do marido. Veja bem, não estou
dizendo que essa deva ser a principal atividade das mulheres
. É evidente que tanto quanto os homens, elas têm direito a
carreiras profissionais em que utilizem seus talentos e se
sintam realizadas.
1

Não é sem razão que se tem afirmado ser “Lucro” e “Carreira Profissional” os dois grandes ídolos do mundo neo-liberal
em que vivemos.
2
Vale a pena ressaltar que a passagem bíblica em que Jesus diz “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai
celeste.” (Mt. 5:48) tem sido, segundo alguns estudiosos, traduzida de forma inadequada, uma vez que o termo teleios do
original grego, nesse contexto, significaria antes “inteiro”, “íntegro”. Tanto do ponto de vista teológico quanto psicológico,
isso faz muito sentido, uma vez que há bastante diferença entre procurar atingir a perfeição de Deus (coisa impossível
para a criatura) e buscar ser íntegro enquanto ser humano, isto sim coisa possível embora não através de nossos próprios
esforços, mas como resultado da atuação do Espírito.