Você está na página 1de 6

‫בס"ד‬

Os Doze Sinais das Mazalot

Por Rav Yossef Baruch

Sefer Yetsirah, um dos primeiros livros judaicos jamais escritos, revela os


segredos da astrologia judaica. Por toda a Torah, Talmud e Código da Lei
Judaica existem descrições fascinantes de como D'us canaliza Sua força de
vida em nosso mundo, através de corpos celestiais. Ao mesmo tempo,
quando alguém está conectado à Torah e cumpre seus mandamentos, ele
ou ela está diretamente ligado ao sobrenatural, suplantando as influências
das forças astrológicas.

Os filhos de Yaakov, que tornaram-se as Doze Tribos de Israel, são na


verdade 12 raízes de alma diferentes, das quais descende o povo judeu.
Estas raízes correspondem aos 12 signos do Zodíaco, os doze meses
judaicos, as 12 letras do alfabeto hebraico, e aos doze atributos da alma, tais
como visão, ira, fala e pensamento etc.

Temos a capacidade de nos aperfeiçoar a qualquer tempo, mas a Kabalah


delineia algumas épocas mais auspiciosas para se trabalhar em
determinados atributos. Por exemplo, os dias festivos judaicos não apenas
comemoram eventos históricos, como são o resultado de forças e energias
celestiais. No mês de Nissan, quando celebramos Pessach, o atributo da fala
está em evidência - concedendo-nos a força adicional para refinar nosso
atributo da comunicação.

Segundo a Kabalah, o mês em que você nasceu indica uma força oculta que
você deve desenvolver, ou uma fraqueza que pode superar; entretanto,
você não está trancado na "personalidade" do seu mês. Cada um de nós
recebe estas forças e fraquezas. Podemos refiná-las, uma a uma, durante o
ciclo do ano judaico, assim como nos esforçamos por uma vida onde o físico,
o mental e o emocional estejam integrados com o espiritual.
Têleh – Áries - Nissan

Este primeiro mês do Zodíaco Judaico é governado pela letra hê (‫)ה‬, o sopro
da fala, a partir da qual evoluem todos os outros sons. Os seres humanos
distinguem-se das outras criaturas pelo poder da fala, sua capacidade de
comunicar seus pensamentos aos outros. Assim, "falar corretamente" é o
início do crescimento espiritual. A celebração deste mês é Pessach. Durante
a refeição de Pessach, empregamos nosso poder da fala para seu propósito
mais elevado: comunicarmos a nossos filhos (e à criança que existe dentro
de nós) a experiência da miraculosa presença de D'us em nossa vida e nossa
história. A tribo deste mês é Yehudah, o líder real, do qual descendem os
monarcas judeus. O sacrifício de Pessach no Templo foi um cordeiro, o que
reflete o signo de Áries.

Shor - Touro - Iyar

Iyar é o mês entre nosso renascimento espiritual em Nissan e nossa nova


maturidade - que atingimos ao receber a Torah - em Sivan. Da mesma forma,
a letra deste mês, vav (‫)ו‬, representa a linha reta da verdade. O signo de
Touro, representado pelo animal do mesmo nome, significa a
individualidade e a teimosa devoção à esta verdade, o pré-requisito para a
maturidade. Iyar é, portanto, o mês do "pensamento correto", o atributo no
qual nos concentramos em preparação para receber a Torah. A tribo deste
mês, Yissachar, destacava-se pela sua amorosa devoção ao estudo de Torah.

Teumim - Gêmeos - Sivan

Este é o mês do "movimento correto", de aprender como caminhar nas


trilhas da Torah que recebemos novamente em Shavuot. A Torah é nossa
arma contra o mal; este mês é governado pela letra zayin (‫)ז‬, que significa
"arma." Andar nos caminhos da Torah é sintetizado pela tribo deste mês,
Zevulun, a tribo de navegadores que apoiou a tribo Yissachar em seu estudo
de Torah. Estes dois irmãos tinham carreiras diferentes, mas trabalhavam
juntos, simbolizados pelo signo astrológico de Gêmeos. O conceito de
gêmeos também evoca a imagem das duas tábuas no Monte Sinai, e a
associação de D'us e o povo judeu na Torah.

Sartan - Câncer - Tamuz

O mês é governado pela letra chet (‫)ח‬, que significa "temor". Câncer, o
caranguejo, é uma criatura que tende a correr e esconder-se. O desafio dos
meses do verão é usar nossas faculdades de pensamento, fala e ação de
forma temente a D'us, e afastarmo-nos de situações que obstruam nossa
consciência Divina. A consequência por negar nossa consciência Divina é a
triste comemoração da destruição do Templo neste mês e no próximo. A
tribo deste mês é Reuven, cujo nome origina-se da palavra para "visão," a
faculdade que aperfeiçoamos neste mês. "Enxergar erradamente" leva à
destruição e ao luto; através da "visão correta" aumentamos a santidade do
mundo, concentrando-nos naquilo que é positivo.

Aryieh - Leão - Av

Neste mês, cultivamos a "audição correta," mencionada no nome da tribo


deste mês, Shimeon, que vem da palavra para "audição." A Nove de Av,
pranteamos o Templo Sagrado, destruído por nações, Babilônia e Roma, que
se assemelhavam a leões - daí a associação com o signo de leão. A letra que
governa este mês, tet (‫ )ט‬tem o significado negativo de "areia movediça",
mas é também a primeira letra da palavra "bom" (tov), pois podemos atingir
os níveis mais elevados transformando os níveis mais baixos no bem.
Betulah – Virgem - Elul

Corrigir os atributos dos meses anteriores nos leva ao mês do retorno, Elul,
quando nos concentramos na "ação correta". Fazemos um inventário e nos
preparamos espiritualmente para as Grandes Festas. O desejo de atingir
uma nova inocência em nosso relacionamento com D'us é expressado pelo
signo deste mês, Virgem. A letra regente deste mês, yod (y), significa "mão",
lembrando-nos que nosso sincero arrependimento por nossas falhas e
resoluções para o futuro devem se refletir em nossas ações. A tribo deste
mês, Gad, era formada de arqueiros que aperfeiçoaram a faculdade da ação,
desafiando as forças do mal e conquistando a Terra de Israel.

Moznaim - Libra - Tishrei

Neste mês do "sentimento correto", D'us pesa e avalia nossas ações


passadas, determinando como Ele distribuirá as bênçãos da vida no ano
vindouro. Isto está refletido pelo signo Libra, as balanças. A nova inocência,
que introduzimos em nosso relacionamento com D'us durante o mês
precedente de Elul, é agora realizada através de uma sucessão de dias
festivos, começando com Rosh Hashaná. Tishrei é, portanto, o mês da união
conjugal entre D'us e Israel. Este mês do "sentimento correto" é governado
pela letra hebraica lamed (‫)ל‬, a primeira letra da palavra "coração" (lev). O
nome da tribo deste mês, Efraim, significa "frutífero", expressando que
nossa união com D'us tem repercussões positivas por todo o ano vindouro.

Akrav - Escorpião - Cheshvan

Em Cheshvan, integramos a inspiração de Tishrei à vida real. Não há dias


festivos, somente a vida do dia-a-dia. O valor numérico da letra hebraica
deste mês - nun (‫ )נ‬- é 50, indicando os 50 níveis de consciência Divina que
podemos atingir quando estamos espiritualmente ativos, e os 50 níveis de
impureza nos quais podemos afundar se deixarmos que a vida
"simplesmente passe". O veneno do escorpião é frio, simbolizando o perigo
de abordar a vida sem paixão. O nome da tribo deste mês, Menashe,
também soletra "sopro" (neshimah), conectando-o ao sentido que
refinamos neste mês, o olfato. O olfato é considerado o mais espiritual dos
sentidos, indicando o potencial deste mês para um elevado senso de
espiritualidade.

Keshet - Sagitário - Kislev

Durante este mês, trabalhamos em "correto relaxamento" ou sono, que


resulta de nossa dedicação à "ação correta" durante nossas horas de
atividade. O nome da letra deste mês, samech (‫)ס‬, significa "confiança."
Nossa confiança verdadeira em D'us nos dá a certeza de afirmar nossa
santidade e resistir àqueles que a desafiam. Isso está refletido na celebração
de Chanucah, e o signo astrológico de Sagitário, o arqueiro. "Relaxamento
correto," usando o descanso como um meio para a ação adequada, nos
ajuda a canalizar nossos esforços ("mirando" nosso arco) na direção correta.
Da mesma forma, a tribo deste mês, Binyamin, possuía valentes guerreiros.
Seu território continha o local do Templo Sagrado, aonde nossas preces e
sonhos são dirigidos.

Guedi - Capricórnio - Tevet

Este mês, cultivamos "a ira correta". O Talmud nos diz para sempre
considerarmos os outros favoravelmente, e que a ira é algo que quase
sempre deve ser evitado. Mas existe também uma ira positiva, o senso de o
que rejeitar. O nome da tribo deste mês, Dan, significa "julgar." A letra deste
mês, ayin (‫)ע‬, significa "olho". Temos dois olhos para discernir
constantemente o que aceitar na vida, e o que rejeitar. A capacidade de
constantemente rejeitar o negativo é simbolizada por Capricórnio, a cabra,
conhecida por sua tenacidade.
Deli - Aquário - Shevat

A festa deste mês, Tu Bishvat, é celebrada comendo-se frutos da árvore,


refletindo o atributo deste mês, "alimentar-se corretamente." A letra deste
mês, tsad (‫)צ‬, significa "justo", lembrando-nos do versículo "os justos
alimentam-se para nutrir a alma”. O verdadeiro teste de nossa
espiritualidade é se tornamos a alimentação (e todas as nossas outras
atividades mundanas) uma experiência espiritual, ou se nos rendemos à
gratificação sensorial. Purificando nossas atitudes quanto à materialidade,
tornamo-nos conduítes para distribuir a benevolência de D'us ao mundo.
Isso está refletido no signo de Aquário, o distribuidor de água. O território
de Asher, a tribo deste mês, produzia alimentos em abundância.

Daguim - Peixes - Adar

Os peixes vivem nos recessos ocultos do mar. A Festa principal deste mês é
Purim, que celebra a mão oculta de D'us na história. A letra deste mês, côf
(‫)ק‬, significa "macaco". Reconhecemos que D'us está oculto ao fazermos
máscaras em Purim, imitando (macaqueando) qualquer pessoa que
quisermos. A celebração de Purim derruba as inibições que ocultam nossa
essência interior. Normalmente, transformar o mal em santidade é um
processo metódico. Entretanto, nossos Sábios ensinam que "o júbilo derruba
todas as fronteiras". Através do "riso correto," atributo deste mês,
transformamos obstáculos em oportunidades, um decreto para a destruição
em um dia de celebração. Efetuamos esta transformação com a velocidade
da tribo deste mês, Naftali, o mais rápido dos filhos de Yaakov.