Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS


Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

REIGI SAHŌ
PROCEDIMENTOS DE ETIQUETA RELEVANTE
NO DŌJŌ DE KARATE-DŌ

O desenvolvimento do caráter é o objetivo central do Karate, esse é o principal ensinamento do Mestre Gichin Funakoshi.
Para que isso se dê é preciso seguir os princípios que são conhecidos como a “etiqueta relevante” no Karate-Dō.
Conhecer e praticar a etiqueta (reigi sahō) em sua máxima expressão é o mesmo que conhecer o Karate-Dō.
É importante ressaltar alguns procedimentos de etiqueta no estágio inicial da prática. Dentro do costume japonês relativo
à como portar-se há diferenças marcantes de muitos comportamentos comuns de nosso dia-a-dia. Essas diferenças
serão mais bem compreendidas no futuro ao estudarmos os padrões da cultura japonesa. Os ensinamentos presentes
nas regras do Dōjō (Dōjō Kun), nos vinte ensinamentos do Mestre Gichin Funakoshi (Nijū Kun) e na influência do Bushidō
(Caminho do Guerreiro, uma espécie de código de honra dos samurai) nas artes marciais japonesas, e em especial no
Karate-Dō, dão o tom dessas “regras” de etiqueta:

1. Cumprimente sempre ao entrar ou sair do Dōjō, parede. Também não se deve deitar nem buscar
com uma reverência, (OSU - pronúncia = oss!) ao cadeiras ou objetos para sentar em cima.
professor se ele estiver no Dōjō. Se não estiver 6. Quando o Sensei demonstrar uma técnica a ser
apenas incline-se levemente. exercitada, fique sentado em seiza, silencioso e
2. Minutos antes da prática, esteja aquecido, sentado atento. Após a demonstração, curve-se diante do
formalmente segundo a hierarquia e se possível em Sensei e de um parceiro, então inicie a prática.
meditação silenciosa, importante para esvaziar a 7. Respeite os mais experientes. Nunca discuta
mente dos problemas do dia e preparar-se para o a respeito da técnica. Isso não significa
estudo. não perguntar dúvidas. Se sua dúvida for
3. A aula se inicia e termina com uma cerimônia formal sincera sempre esclareça sua dificuldade de
(em pé = hitsurei ou sentado = zarei). É importante entendimento.
que não se atrase e participe dessa cerimônia, mas 8. Durante a aula não discuta. PRATIQUE!
se houve um motivo para o atraso, deverá esperar, Experiências em outras artes marciais criam
até que o Sensei autorize a juntar-se à turma. dúvidas nos praticantes que iniciam o Karate,
Nessas situações entre saudando o local de prática elas serão sanadas com o tempo ao internalizar
e depois o professor, então junte-se ao grupo de em sua mente e seu corpo os exercícios. Alguns
treinamento. elementos das técnicas só ficam claros com
4. No Dōjō esteja sempre alerta. Distrações impedem o tempo ao alcançar-se níveis de proficiência
seu aprendizado e podem causar acidentes. mais altos. Mesmo assim, os exercícios
5. O modo correto de sentar-se no Dōjō é em seiza. básicos estudados no início são fundamentais
Se por algum motivo não for possível esta posição, para desenvolver as técnicas dos níveis mais
é permitido sentar-se de pernas cruzadas (agura), avançados. Portanto esforce-se em dominar os
nunca estiradas ou com as costas apoiadas à fundamentos básicos e confie em seu professor.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

Cumprimento em pé – Ritsu-rei
(pronúncia: ritsu-rêe)

Saudações ao finalizar um exercício:


Toda vez que um exercício é encerrado, o instrutor profere dois comandos: Yame (parar) e Yasume (descansar).
Ao comando de parada os alunos retomam a posição de alerta natural (Shizen-Tai), e ao receber o comando
para descansar, antes de relaxar, os alunos realizam o cumprimento em pé (ritsu-rei), para então poderem
descansar. A saudação conota o agradecimento pelo conhecimento recebido do Sensei.

9. Se você conhecer o movimento que está passar a seguir um sênior para aprender mais
sendo estudado e o seu parceiro não, deve auxiliá-lo quando for solicitado, assim
conduza-o. Mas nunca tente corrigí-lo ou como auxilia o Sensei.
instruí-lo se não for sênior do nível yūdansha 10. Quando o fim de uma técnica for determinado,
(faixa preta) autorizado pelo Sensei. Muitas pare imediatamente. Faça uma reverência ao
vezes temos a impressão que sabemos e parceiro e junte-se rapidamente aos outros
ainda não sabemos. Outras vezes criamos estudantes.
constrangimentos nos mais novos e os 11. No Dōjō, fale o menos possível. O Karate é
obrigamos a contrair uma dívida moral (On) experiência. Seu corpo lhe ensinará tudo que
indevidamente. Um novato (kōhai) só deve precisa e sua mente pode ser sua pior inimiga.
contrair dívidas quando solicitar ajuda a um 12. Pratique com tantos parceiros diferentes
sênior (senpai), nunca deve ser constrangido. possíveis. Frequentemente, você aprenderá
O júnior, por sua vez, deve sempre agradecer mais praticando com principiantes do que com
o favor do sênior de forma equivalente e se parceiros adiantados.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

Cumprimento Inicial sentado – Za-rei


(pronúncia: dzá-rêe)

Para iniciar o ritual de saudação, após o alinhamento dos alunos, o professor comandará ‘Seiza’! (sentar-se).
1 – Kamiza – local elevado; o local onde fica o retrato do fundador ou outros adornos, uma espécie de altar. É o
lugar onde o professor (Sensei) se coloca.
2 – Shimoza – o local onde os alunos com graduação kyū (faixas coloridas) perfilam em ordem de faixas.
3 – Jōseki – é o local onde os alunos yūdansha (faixas pretas) se sentam.
4 – Shimozeki – é a extremidade contrária ao Jōseki, onde os alunos mais novos devem estar.

Da mesma forma que no cumprimento em pé (ritsu-rei), quando o za-rei é realizado, são pronunciados os
mesmo comandos: Shōmen-ni-rei (saudação ao fundador ou ao público), Sensei-ni-rei (saudação ao professor)
e Otagai-ni-rei (saudação entre todos os presentes). A primeira flexão é feita em silêncio e as outras duas são
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

seguidas da verbalização ‘Osu’!


Após a realização do ritual, o professor comanda ‘Tate’! (levantar-se). Depois de todos os alunos colocarem-
se em pé, é feita uma última vez uma saudação ritsu-rei.
Significado das Saudações no Ritual de Abertura e Fechamento da sessão de treinamento:
1ª Saudação: na direção principal (shōmen) destinada ao fundador ou ao público presente: Shōmen-ni Rei (em
silêncio) – tem como intenção honrar a origem cultural da prática (Japão e todos os mestres que trabalharam
para desenvolver a arte), lembrando o praticante de um compromisso maior do que si e do que o grupo ao qual
pertence (compromisso transpessoal, que vai além de seus interesses). Na presença de um oratório (kamidana)
a vocalização “Shomen-ni-rei” é substituída por “Shinzen-ni-rei”.
2ª Saudação: ao professor: Sensei-ni Rei (todos respondem ‘Osu’) – tem como intenção honrar aquele que
está liderando a prática naquele momento e a quem se aceita contrair dívida moral de respeito, obediência e
lealdade (On). Lembra o praticante do seu compromisso com seu grupo/Dōjō.
3ª Saudação: mútua: Otagai-ni Rei (todos respondem ‘Osu’) – lembra a todos que mesmo diante da
formalidade das relações sensei-seito e senpai-kohai, todos são iguais.

13. Ensinar faz parte do seu treinamento. necessário fazer uma pergunta ao Sensei, vá
Compartilhe seus conhecimentos com os até ele (nunca o chame, muito menos pelo
juniores que pedirem ajuda e o progresso de nome), curve-se respeitosamente e espere o
toda a turma será o seu também. Quando seu consentimento.
estiver no papel de aluno mais adiantado 16. Quando estiver recebendo instruções pessoais
e mais graduado dê seu máximo para ser durante a aula, sente-se em seiza e observe
o melhor exemplo possível. O papel dos atentamente. Faça uma reverência ao Sensei
senpai é puxar o nível da turma como bom quando ele terminar. Se o Sensei estiver
exemplo, e ensinar é papel do Sensei e do instruindo outro aluno, você pode suspender a
Shihan-dai (auxiliar do mestre, quando este prática a fim de observar. Sente-se em seiza e
estiver presente). Quando estiver treinando faça uma reverência quando ele terminar.
concentre-se e fique presente e alerta 17. Durante a aula não deixe o Dōjō a todo
(estado mental conhecido como Zanshin), isso instante, pois você interrompe sua
depende diretamente de estar focado em si, concentração e a dos outros, demonstrando
sem olhar para os lados copiando ou corrigindo uma falta de respeito pelo professor, pelos
os outros. parceiros e pelo local que o Dōjō representa.
14. Não perambule pelo Dōjō: deverá estar Saia apenas quando receber autorização do
praticando, ou se necessário, sentado professor.
formalmente à espera da sua vez. 18. No início e no fim de cada técnica, curve-se
15. Se por alguma razão for absolutamente (hitsu-rei) em cumprimento ao parceiro.

C) Sa-za-u-ki - forma correta de sentar e levantar


No Karate, como em outras artes marciais japonesas, o modo correto de sentar e levantar é muito importante,
fazendo parte do ritual de início e término dos treinamentos. É um conhecimento que demonstra não apenas
o respeito pelas tradições e pelos colegas, mas também o refinamento da etiqueta pessoal, junto de todos os
outros cuidados já citados que vem sendo cultivado desde o período dos primeiros guerreiros do Japão.
Para sentar, o pé esquerdo é levado atrás, colocando-se primeiro o joelho esquerdo no chão. Depois disso o
joelho direito repousa no solo, e se senta sobre os calcanhares, com as pontas dos hálux se tocando (direito
sobre o esquerdo).
Os homens devem sentar com os joelhos afastados (espaço de três punhos), repousando as palmas das mãos
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

sobre as coxas, com as pontas dos dedos para dentro.


As mulheres, por sua vez, posicionam os joelhos de forma que os mesmos se toquem e apontem para frente,
repousando as mãos sobre os joelhos com as pontas dos dedos para frente.
Para levantar, o joelho direito é erguido antes e no movimento de levantar é que o joelho esquerdo é erguido e o
pé alinhado com o direito. Deve-se voltar exatamente para a posição em que se começou.

19. Esteja atento para que o seu Karategi - 21. O Dōjō é como uma família, não como
uniforme - esteja limpo (sem o mau cheiro um pelotão militar. Todos devem crescer
característico de algumas outras práticas). juntos. As competições e os cursos são
Respeite o seu material de treinamento e os momentos de demonstrar o orgulho e
demonstrará nível avançado de conhecimento a fraternidade do grupo, portanto faça o
da arte através de um ótimo Chaku- possível para representar bem seu Dōjō nos
sō (cuidado com seu material e com os eventos, participando do máximo de desafios
equipamentos do Dōjō). e momentos de aprendizado que puder.
20. Se você tem uma graduação, tem também Nessas oportunidades dê seu melhor e apoie
responsabilidade correspondente. seus colegas. Eventos são oportunidades de
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

testar seu nível de desenvolvimento e de manterem o Dōjō sempre limpo. Ofereça-


aumentar a confiança entre os membros de se para auxiliar seu professor nessa tarefa,
equipe. tenha cuidado para não sujar ou bagunçar o
22. Procure chegar ao início da sessão de ambiente, deixe seus calçados na entrada do
treinamento (keiko) e só saia no término. Dōjō, circule pelo interior de chinelos (zori)
Com o tempo perceba que você está em e não use qualquer tipo de calçados sobre o
treinamento permanente (shūgyo), mesmo Shiai-jō (a área de treino/disputa).
enquanto caminha pela rua ou ainda quando 24. Nada de comida, bebida, ou goma de mascar
respira. no Dōjō durante a prática. O Dōjō é como a
23. O Dōjō deve ser varrido todos os dias, antes sua segunda casa, tenha a consciência de
e após a aula. É de responsabilidade de todos auxiliar ao máximo em sua conservação.

D) A hierarquia do Dōjō
- Seito: estudante. Quem recebe instruções do professor e dedica seu esforço e respeito ao treinamento.
- Sensei: O professor. É o responsável pela transmissão dos conhecimentos dentro do Dōjō e soberano do
local. Não existe autoridade superior ao sensei dentro do Dōjō, na antiguidade, mesmo o Imperador devia
respeitar esta premissa.
- Shihan: mestre/modelo, um notável professor de alta graduação e responsável por grandes contribuições ao
Karate em sua carreira. Geralmente possuem muitos alunos com o status de Sensei.
- Shoshinsha: principiante, é o aluno que está experimentando as classes (Kyu). Seu grande objetivo é atingir
altos níveis de concentração no treino, observando as instruções do Sensei, permanecendo sempre atento às
atitudes dos senpai e auxiliando seus kōhai quando solicitado no tempo livre. Nomenclatura aplicada a qualquer
um que está estudando com um professor.
- Mukyu (sem classe/sem Kyu - faixas brancas); Mudansha (sem grau/sem Dan); Dangai (abaixo de Dan).
- Yūdansha: faixas-pretas graduados até o 5º Dan. Na ausência do Sensei devem guiar os treinamentos, e
sendo senpai devem auxiliar os mais novos sempre que possível e quando forem solicitados.
- Kuroobi (faixa-preta)
- Kodansha: faixas-pretas graduados a partir do 6º Dan. Especialistas na arte, geralmente são responsáveis pelo
grupo de uma região ou país.
- Kohakuobi (faixa vermelha e branca); Akaiobi (faixa vermelha)
- Kōhai: júnior, é o aluno mais novo, que começou depois. Deve respeitar profundamente os mais antigos e
observá-los no treinamento.
- Dōhai: companheiro, é o aluno que começou ao mesmo tempo. Deve respeitar profundamente os mais antigos
e observá-los no treinamento, ajudar os juniores e trabalhar junto com os colegas que tem mesmo tempo de
prática.
- Senpai: é o aluno mais antigo. Deve sempre que possível auxiliar os mais novos (kōhai) durante os
treinamentos (mas nunca de forma impertinente), mantendo espírito de respeito e disciplina exemplares, pois é
observado pelos novatos.
- Taishō (capitão - de uma equipe)
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

PASSOS DO RITUAL DE INÍCIO E FIM


DA SESSÃO DE TREINAMENTO

Shugō! - Alinhar! Yōi! - Entrar em Posição! - espalhar-se para a


Ki Ō Tsuke! - Atenção! prática do taisō (ginástica inicial)
Seiza! - Sentar-se! Opt.: Osu! (pronúncia = oss!) - quando o
Mokusō! - Meditar em silêncio! treinamento está encerrado
Mokusō Yame! - Parar a meditação!
Shōmen ni Rei! - Saudação na direção principal!
Opt.: Shinzen ni Rei! - Saudação ao altar! -
quando existe um kamidana no Dōjō
Sensei ni Rei! - Saudação ao professor!
Opt.: Senpai ni Rei! - Saudação ao sênior! -
quando o professor está ausente
Otagai ni Rei! - Saudação mútua!
Tate! - Em pé!
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

PASSOS DO RITUAL DE INÍCIO E FIM


DA SESSÃO DE TREINAMENTO

Dōjō - Sala de treinamento, literalmente “lugar do Caminho”.


Kamiza - Local elevado (onde fica o professor e Shōmen - direção principal)
Shiai-jō - Área de Disputa/Treinamento
Kotō - Quadra
Tatami - cada um dos “colchões”
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

OSU NO SEISHIN
(押忍の精神)

O comportamento opressor não deve ser que o Dōjō é uma extensão de suas experiências
confundido com a rispidez moderada usada no exército ou ainda assistindo a filmes de
por inúmeros professores do Budō. Há certos guerreiros espartanos ou da idade média como
comportamentos rígidos que tem a ver com sendo o comportamento adequado ao “Guerreiro
a ideia de “Compaixão Raivosa” oriunda do Samurai”, e isso está muito longe da realidade.
budismo. A “compaixão raivosa” é uma das cinco O significado do “clima pesado” que às vezes se
formas de compaixão segundo essa tradição, estabelece é de criar uma atmosfera de pressão
e sua forma é exemplificada pela metáfora da que proporcione a capacidade de resistir ao
mãe que ralha com o filho pequeno que estava descontrole emocional. Entende-se que assim, se
a ponto de puxar o cabo de uma panela sobre ajudará o praticante a lidar melhor com situações
o fogão com cozido quente. A mãe, nessa de pressão e perigo quando acontecer um evento
situação, fala agressivamente com a criança, de defesa pessoal. Essa é uma forma de treinar
mas sua intenção é protegê-la das queimaduras, o “espírito” - Shin e nunca deve ser confundida
impedindo um acontecimento negativo. com respaldo à violência.
Por essa razão, muitos Dōjō expõe um quadro Karate-Dō deve ser alicerçado em respeito, e
com 押忍の精神 - espírito do Osu. Osu ele começa, sem sombra de dúvida, no exemplo
(pronúncia = oss) remete à ideia de que nos dado pelo Sensei o tempo todo, respeito é algo
esforçaremos a cada instante mesmo sob o que precisa transparecer e emanar das atitudes
pesado treinamento e o “clima pesado” que do professor. O desenvolvimento do caráter
paira no Dōjō. Também os militares japoneses no Karate-Dō, que está gravado no Dōjō kun,
(especialmente da Marinha) usavam o Osu como é um elemento básico que não deve estar só
saudação, para honrar seu compromisso com o num quadro da parede, deve estar nas pessoas.
“espírito guerreiro” e se manterem focados no Como nos lembra a antropóloga americana
objetivo delineado. Além disso, é uma saudação Angeles Arrien, o Guerreiro é aquele cujas
que se tornou corrente entre grupos de jovens atitudes e a disciplina estão alinhadas com suas
japoneses (do sexo masculino) com o intuito de palavras, ações e valores. A cortesia e o respeito
reforçar a “masculinidade”. precisam estar presentes em todos no espaço
Obviamente nossa realidade não é a mesma de prática, e outras formas de comportamento
do Japão, mas devemos estar atentos e ter são distorções do que se espera da etiqueta
amor próprio. A atitude descortês de muitos japonesa.
professores não é apropriada a um professor de “Osu no Seishin” é antes de tudo, portanto, um
Karate-Dō, e é preciso haver um equilíbrio entre espírito de suportar qualquer tipo de pressão
autoridade e cortesia constantes. Muitas vezes mental. É esforçar-se ao máximo para realizar
confundimos a atitude de homens que acham seu objetivo, no Dōjō ou na vida diária.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Núcleo de Apoio à Educação à Distância - NAPEAD UFRGS
Curso de Extensão em Karate-Dō UFRGS
Professor Mestre Tiago Oviedo Frosi - 3º Dan JKS - CREF 16973-G/RS

REFERÊNCIAS

ANDREATTA, Denis Augusto Cordeiro. Portal Manabu no Karate-Do. Disponível em: <www.
manabunokaratedo.esporteblog.com.br>. Acesso em 07 jul. 2009.

ARRIEN, Angeles. O Caminho Quádruplo: trilhando os caminhos do Guerreiro, do Mestre, do


Curador e do Visionário. São Paulo: Ágora, 1998.

BULL, Wagner. Aikido: o caminho da sabedoria. São Paulo: DAG Gráfica e Editorial, 1988. 354 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FROSI, Tiago Oviedo. Introdução ao Karate Shotokan. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande
do Sul/Gênese Editora, 2015. 155 p.

FUNAKOSHI, Gichin. Os vinte princípios fundamentais do Karatê: o legado espiritual do Mestre.


São Paulo: Cultrix, 2005.

FUNAKOSHI, Gichin. Karatê-Do, meu modo de vida. São Paulo: Cultrix, 2000.

GOULART, Joseverson. Portal Judô Fórum. Disponível em: <http://judoforum.com/blog/joseverson/>.


Acesso em 15 jul 2009.