Você está na página 1de 8

24-11-2015

Animais Acelomados
• Animais sésseis vivem bem com simetria radial.
• Concentração dos órgãos dos sentidos na cabeça é uma vantagem para
animais que buscam activamente presas; isto origina extremidades
anterior e posterior e simetria bilateral

• Acelomados são os animais mais simples com simetria bilateral.


• Possuem um corpo sólido sem celoma.
• Especialização de órgãos origina organização orgânica/sistémica.
• São protostómios com clivagem em espiral. Plathelminthes e
nemertíneos têm clivagem determinada.
• Mesoderme bem definida; são triblásticos (3 folhetos embrionários).
• Com a cefalização aparece o sistema nervoso tipo “escada”.
• Aparecem sistemas excretores e de osmorregulação muito simples.
• Nos nemertíneos aparece o sistema circulatório mais simples e um canal
alimentar com boca e ânus.

24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 1 24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 2

Filo Platyhelminthes
Arthropoda • Características:
Mollusca
Chordata
Platyhelminthes • Platyhelminthes = vermes chatos.
Nematoda
Annelida • Um parênquima mesodérmico celulado substitui a mesogleia.
Porifera
• Variam de 1 mm a vários metros.
Echinodermata
Other (includes Acoelomates) • São de vida livre ou parasítica (com ciclos de vida complexos).
Other protozoans
Apicomplexa • Maioria das Planárias são de vida livre (aquáticos ou ambientes
Ciliophora húmidos); existem espécies simbiontes e parasitas.

• Fascíolas e Ténias são parasitas embora possam ter larvas de


vida livre.
24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 3 Biologia Animal 1 LN 4

• Como o nome indica: achatados dorso-ventralmente


• Órgãos dos sentidos muito simples sob a forma de ocelos.
Presença de células tácteis e quimioreceptoras epidérmicas.
• Maioria das planárias têm epiderme ciliada. Células do
tegumento alojam bastonetes refringentes - rabdites – que
quando expulsos do corpo transformam-se num muco viscoso. • Sistema excretor composto por dois canais laterais com
ramificações com células flâmula. (protonefrídeos); ausente em
algumas formas.
• Cavidade do corpo totalmente preenchida por mesênquima
onde estão incluídos os órgãos.

• Por baixo da epiderme existem fibras musculares que correm


circular, longitudinal e diagonalmente. • Sistemas esquelético, circulatório e respiratório ausentes.

• Sistema digestivo incompleto (tipo gastrovascular). Ausente • Maioria monoicas. Sistema reprodutor complexo com gónadas
nalguns grupos. bem desenvolvidas, ductos e órgãos acessórios. Fertilização
interna. Desenvolvimento directo nas formas não parasitas.
Ciclos de vida complexos envolvendo vários hospedeiros nas
• Sistema nervoso consiste num par de gânglios anterior e dois formas parasitas.
cordões nervosos longitudinais, que se vão ligando por nervos
transversais.
• Quatro Classes: Turbellaria, Trematoda, Monogenea e Cestoda
Biologia Animal 1 LN 5 Biologia Animal 1 LN 6

1
24-11-2015

Classe Turbellaria
• Maioria possui órgãos glandulares duplos na epiderme com 3 tipos de
• 5 mm a 50 cm. Maioria de vida livre. células (viscosa, libertação e de fixação).
• Animais rastejantes (embora possam nadar) através de
movimentos dos cílios e musculares. • Distinção das ordens baseada no tipo do intestino (simples ou ramificado)
tipo de faringe (simples, dobrada ou bolbosa). Por Exemplo Ordem
• Dulçaquícolas e marinhos Tricladida (3 ramificações, uma anterior e duas posteriores); ordem
• Corpo alongado – forma de fita. Cabeça bem distinta com Polycladida – muitas ramificações.
ocelos, aurículas (tácteis e quimio-recepção)
• Sistema digestivo incompleto (boca, faringe e intestino muito
ramificado – sem ânus).
• Maioria monoicos com fecundação cruzada. Reprodução por
fissão e regeneração. Em algumas espécies ovos endolecíticos
(com vitelo); a embriogénese apresenta clivagem espiral
determinada típica dos protostómios. Outros turbelários assim
como todos os monogéneos, céstodes e tremátodes com ovos
ectolecíticos: ovos produzidos não têm vitelo que lhes é
fornecido por órgãos especiais – vitelários. A clivagem é de tal
forma afectada que não se distingue o padrão espiral.

Biologia Animal 1 LN 7 Biologia Animal 1 LN 8

Auricle

Cerebral
ganglion

Paired
nerve cords

Biologia Animal 1 LN 9 Biologia Animal 1 LN 10

Dugesia spp.

Thysanozoon spp.

Pseudoceros spp.

Planocera spp.

Biologia Animal 1 LN 11 Biologia Animal 1 LN 12

2
24-11-2015

Classe Trematoda • Com raras excepções tremátodes da sub-Classe Digenea têm ciclo de
• Todos os tremátodes são fascíolas parasitas. Maioria dos adultos vida complexo, sendo o primeiro hospedeiro (intermediário) um
endoparasitas de vertebrados. molusco e o definitivo ou final (onde ocorre a reprodução sexuada) um
mamífero. Nalgumas espécies um segundo e mesmo terceiro
hospedeiro intermediário pode ocorrer.
• Têm forma em lâmina, similares aos turbelários ectolecíticos, mas o
tegumento não possui cílios nos adultos. • Embora os ciclos de vida variem em pormenor de espécie para espécie,
um exemplo tipo inclui o adulto, um ovo, um miracídio, em esporócito,
• Apresentam adaptações ao parasitismo: órgãos de adesão como uma rédia, uma cercária e estádios de metacercárias.
ventosas e ganchos e grande desenvolvimento do aparelho
reprodutor. • O ovo sai do hospedeiro definitivo com as fezes e tem que atingir a
água; aqui, eclode dentro de um caracol sob a forma de uma larva
ciliada o miracídio; o miracídio penetra nos tecidos de um caracol onde
• Possuem características similares aos turbelários como:Tubo se desenvolve em esporócito (saco alongado que irá produzir redias ou
digestivo bem desenvolvido mas com a boca na extremidade anterior; mais esporócitos); o esporócito reproduz-se assexuadamente dando
e os sistemas reprodutor, excretor e nervoso. Os órgãos dos sentidos origem a mais esporócitos ou a rédias; as rédias por sua vez
estão muito pouco desenvolvidos. reproduzem-se assexuadamente para produzirem mais rédias ou
cercárias. Desta forma um só ovo dá origem a grande número de
descendência. As cercárias emergem do caracol e penetram no
• Três sub-Classes: Aspidogastrea, Didymozoidea e Digenea. As duas segundo hospedeiro ou enquistam na vegetação ou noutros objectos
primeiras classes são pequenas e mal conhecidas, mas a Digenea é tornando-se metacercárias. As metacercárias dão origem a adultos
um grupo grande com grande interesse médico. quando ingeridas pelo hospedeiro definitivo.

Biologia Animal 1 LN 13 Biologia Animal 1 LN 14

Ciclo de vida d Fasciola hepatica

24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 15 Biologia Animal 1 LN 16

Filo Platyhelminthes: Classe Trematoda - Fasciola - desenvolvimento


Fígado de veado

redias

Miracidio com
esporocistos
ovo

Fígado de carneiro

Biologia Animal 1 LN 18

3
24-11-2015

Ciclo de vida de Dicrocelium sp


Classe Monogenea Prohaptor

• Os monogéneos eram colocados antigamente


junto dos Tremátodes, mas a cladística coloca-
os mais perto dos Cestodes !!!!!!.
• São ectoparasitas de peixes (brânquias e pele) e
alguns em bexigas de tartarugas e rãs, e um o
olho do hipopótamo. Normalmente sem
problema de maior na natureza, excepto em
piscicultura.
• Ciclo de vida com um só hospedeiro. Do ovo
Helicella itala.
nasce uma larva – oncomiracidium – que se
agarra ao hospedeiro ou nada algum tempo
livremente. Larva possui ganchos na
extremidade posterior, que dará origem no
adulto a um grande órgão de fixação – o
opistaptor posteriormente e estruturas de
fixação orais - o prohaptor.
Formica rufa Como têm que suportar grandes correntes de água nas brânquias dos peixes,
diferentes espécies desenvolveram diferentes opistaptores para fazerem face
às características do hospedeiro específico.
Biologia Animal 1 LN 19 Biologia Animal 1 LN 20

Classe Cestoda
• Os céstodes (ténias) têm tipicamente um corpo achatado em forma
de fita e muito segmentado. Cada segmento, proglotídeo, contem
um conjunto de órgãos reprodutores.
• Tal como nos tremátodes e monogéneos o tegumento é sincicial e
não possui cílios.
• A superfície dos céstodes está coberta por minúsculas projecções
similares às microvilosidades intestinais – as microtriques – que
têm por função aumentar a superfície de absorção (adaptação a
uma alimentação por absorção).
Gyrodactylus spp.
• São quase todos monoicos.
• Sistemas muscular, excretor e nervoso similar aos dos outros
plathyhelminthes.
Dactylogyrus spp. • Não têm órgãos dos sentidos especializados embora possuam
terminais sensoriais no tegumento que são cílios modificados.

Biologia Animal 1 LN 21 Biologia Animal 1 LN 22

• Uma das estruturas mais especializadas é o escólex que é o


órgão de fixação, provido de ventosas e muitas vezes com
ganchos ou tentáculos espinhosos. Esta zona de ventosas • Um proglotídeo é fertilizado por outro proglotídeo do
chama-se rostelo. mesmo estróbilo ou de estróbilos diferentes (outro
• Salvo raras excepções todos os céstodes requerem pelo animal). O embrião encapsulado formado no útero é
menos dois hospedeiros; os adultos são parasitas do tubo
expelido pelo poro uterino e seguidamente vem para o
intestinal de vertebrados.
exterior, ou um proglotídeo destaca-se e sai inteiro.

• Sub-Classe Eucestoda contém a maioria das espécies da


• Alguns zoólogos admitiam que os céstodes tem uma
verdadeira metamerização; no entanto não é assim
classe. Com excepção de duas pequenas ordens todos têm o
considerado, nas sim uma replicação de estruturas
corpo dividido numa série de proglotídeos sendo chamados de reprodutoras como adaptação ao parasitismo.
polizoicos. As formas larvares têm sempre 6 ganchos.
• O corpo do animal onde existe a cadeia de proglotídeos chama-
se estróbilo. Tipicamente, existe uma zona germinativa • Conhecem-se mais de 1.000 espécies de ténias;
(pescoço) logo a seguir ao rostelo onde os proglotídeos são
quase todas as espécies de vertebrados podem ser
formados. À medida que cada novo proglotídeo é formado, os
infectadas.
restantes movem-se posteriormente no estróbilo.

Biologia Animal 1 LN 23 Biologia Animal 1 LN 24

4
24-11-2015

Biologia Animal 1 LN 25 Biologia Animal 1 LN 26

Biologia Animal 1 LN 27 Biologia Animal 1 LN 28

Taenia solium (ténia do porco)


• Vive como adulta no intestino delgado humano e os juvenis no
músculo do porco. Possui ganchos e ventosas no escólex. Ciclo
de vida similar à da T. saginata só que o vector de infecção é a
carne de porco crua ou “mal passada”.

• T. solium é muito mais perigosa para o homem do que a T.


saginata porque adultos e cisticercos podem desenvolver-se no
homem.

• Se comermos acidentalmente ovos ou proglotídeos os embriões


migram para vários órgãos formando cisticercos . A patologia
chama-se cisticercose e sítios comuns são os olhos e o cérebro,
resultando em cegueira, sintomas neurológicos graves e mesmo
a morte.

Biologia Animal 1 LN 29 24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 30

5
24-11-2015

Cérebro humano de paciente que


morreu com Cisticercose, infecção
com cisticercos de Taenia solium.

Biologia Animal 1 LN 31 Biologia Animal 1 LN 32

Echinococcus granulosus (quisto hidático)


• A ténia do cão causa hidatidose (quisto hidático) no Homem,
uma doença muito grave em várias partes do mundo.
• Formas adultas desenvolvem-se em canídeos e as formas
juvenis crescem em mais de 40 espécies de mamíferos
incluindo homem, macaco, carneiro e gado em geral.
• O Homem serve de hospedeiro intermediário, sendo a fase de
juvenil um tipo específico de cisticerco chamado quisto hidático
que pode crescer lentamente (até 20 anos) atingindo o tamanho
de uma bola de andebol ou mesmo de basquetebol no fígado.
• O cisto consiste numa única câmara (unilocular), mas dentro
dela aparecem por gemulação cistos “filhos” que contém
milhares de escólex, e cada um produzirá um animal adulto
quando ingeridos por um canídeo.
• O único tratamento é a remoção cirúrgica.

Biologia Animal 1 LN 33 24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 34

• Simetria bilateral, com mesoderme mas sem celoma. Todas


Filo Nemertea estas características indicam que os nemertíneos possuem um
ancestral comum próximo com os Plathyhelminthes.

• Tipicamente possuem um longo tubo – proboscis desivaginável – • Nemertíneos apresentam novas estruturas ausentes nos
com o qual capturam as presas. Nalgumas espécies o proboscis
pode estar muito dividido parecendo um tufo vermiforme quando plathyhelminthes: 1. presença de proboscis ; 2. presença de
desinvaginado. Podem ser de vida livre, comensais ou parasitas ânus nos adultos = tubo digestivo completo (maior eficiência,
produtos não digeridos não são descartados pela boca; 3.
• Normalmente não possuem mais de 20 cm, no entanto alguns têm Sistema sanguíneo vascular simples.
muitos metros de comprimento. Lineus longissimus pode atingir
30 m e quando esticados podem atingir 60 m sendo considerados
os maiores animais existentes. Podem ter cores pálidas ou muito • Alguns encontram-se em solo húmido ou água doce mas a
conspícuas. maioria são marinhos.

• Organização básica do corpo similar aos turbelários com epiderme


ciliada e glandular, e alguns com rabdites. • Forma e função: corpo achatado dorso-ventralmente com
extremidades cilindricas. A parede do corpo constituída por
• No entanto diferem por serem quase todos dioicos e as formas epitélio colunar ciliado seguida de camadas musculares circular
marinhas existe uma larva ciliada parecida com a trocófora dos e longitudinal. Um mesênquima semi-gelatinoso preenche o
anelídeos e moluscos, com a forma de capacete chamada Pilidium. espaço entre os órgãos.

6
24-11-2015

• A extremidade anterior possui ocelos, a boca e uma abertura separada


para o proboscis.

• O proboscis pode desenvaginar-se (defesa e predação) de um espaço


interno chamado rincocélio. A desinvaginação é feita por pressão de
fluidos e contração muscular. Na extremidade do proboscis pode ou não
haver estiletes (característico das classes)
• Movimentam-se por cílios e contrações musculares sobre o substrato; o
proboscis pode servir de ponto de fixação para a locomoção.

• Carnívoros alimentando-se de • Sistema circulatório: com um vaso dorsal e dois laterais. Sangue
presas vivas ou mortas. Proboscis sem cor e crepusculado; alguns têm pigmentos com função
enrola-se á volta da presa fixando-a desconhecida. Sem coração; sangue movimenta-se por contração
dos vasos.
com os estiletes da extremidade (
com ou sem toxinas). Sistema • Excreção e respiração: bordo do corpo com tubo lateral ramificado
digestivo completo com estômago com células flâmula. Retiram metabolitos do mesênquima e da
dilatado e intestino com muitos corrente sanguínea. Respiração cutânea.
cecos laterais. Alimentos digeridos
absorvidos pela sistema vascular • Sistema nervoso: Quatro gânglios cerebrais fundidos de onde
sanguíneo. saem um par de cordões dorsais e um par de ventrais. Órgãos dos
sentidos incluem ocelos e papilas sensoriais.

• Reprodução e desenvolvimento : gónadas libertam óvulos e esperma


por pequenos ductos sendo a fertilização na água. Clivagem espiral e
determinada. Larva Pilidium: possui um espinho dorsal por fusão de
cílios e dois lobulos laterais.
• Capacidade de regeneração especialmente da extremidade posterior
que regenera um novo proboscis.
• Rincocélio desenvolve-se a partir da mesoderme mas não tem nada a
haver com o celoma de outros grupos.
• Duas Classes : Cl. Enopla – proboscis com estiletes e boca abre-se
anteriormente à cérebro; Cl. Anopla – proboscis sem estiletes e boca
abre-se por baixo ou posteriormente ao cérebro. Cerebratulus spp.
Baseodiscus mexicanus
Baseodiscus hemprichii

Larva Pilidium

Amphiporus bimaculatus
(Proboscis estendido)

Filo Gnathostomulida
• Gr Gnathos, mandíbula + stoma, boca. São “vermes” com mandíbulas na
boca com cerca de 0,5-1 mm comprimento.
• Primeiros gnatostomulidas foram observados em 1928 mas só foram
descritos em 1956. Desde aí muitas outras espécies foram descritas em todo
o mundo estando descritas 80 espécies em 18 géneros.
• Não possuem celoma, sistema circulatório ou ânus e eram colocados
antigamente nos Turbelários.
• Parênquima pouco desenvolvido; faringe com mandíbulas laterais,
parecidas à mastax dos rotíferos, para arrancar fungos e bactérias do
substrato.
• Epiderme ciliada mas com um só cílio por célula.
• Podem deslizar, nadar e tornear a zona cefálica.
• Podem ser monoicos ou dioicos. Fertilização interna.

24-11-2015 Biologia Animal 1 LN 41

7
24-11-2015

Gnathostomula jenneri