Você está na página 1de 4

Quais São as Cartas de Paulo?

As cartas de Paulo são: Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses,


Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses, 1 e 2 Timóteo, Tito e Filemom. Essas treze cartas
são conhecidas como Epístolas Paulinas.

As treze cartas de Paulo fazem do apóstolo o maior escritor do Novo Testamento.


Durante muito tempo Paulo também foi considerado o escritor da Carta aos
Hebreus. Inclusive, traduções antigas do texto bíblico trazem a designação “Carta
de Paulo aos Hebreus”.
Mas pela falta de fundamentos consistentes, e à luz de uma análise mais cuidadosa
do texto de Hebreus, tem sido amplamente aceito que o autor da epístola não
é Paulo de Tarso. O mais provável é que o escritor tenha sido um líder cristão
desconhecido que provavelmente foi discipulado por algum apóstolo.

As cartas de Paulo falam sobre o quê?


As cartas de Paulo falam sobre questões centrais da Fé Cristã. Divinamente
inspiradas pelo Espírito Santo, essas cartas trazem instruções teológicas
indispensáveis à doutrina cristã. Elas instruem os cristãos quando: a natureza de
Deus; o significado do ministério e obra de Cristo; o ministério do Espírito Santo na
Igreja; a doutrina da salvação; a doutrina dos acontecimentos que se darão no final
dos tempos; o caráter cristão e a aplicação da vontade de Deus na vida prática dos
crentes; a ordem no culto; o governo da Igreja; etc.
Muitos estudiosos classificam as cartas de Paulo em quatro categorias com base no
conteúdo das cartas ou na ocasião quem foram escritas. São elas:

 Cartas escatológicas: 1 e 2 Tessalonicenses.


 Cartas soteriológicas: Romanos, 1 e 2 Coríntios e Gálatas.
 Cartas da prisão: Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom.
 Cartas pastorais: 1 e 2 Timóteo e Tito (embora a carta de 2 Timóteo também
tenha sido escrita enquanto Paulo estava preso).

Quando as Cartas Paulinas foram escritas?


As cartas de Paulo foram escritas ao longo do frutífero ministério do apóstolo. Por
isso não é tão fácil determinar quando exatamente as cartas de Paulo foram
escritas. Para tanto seria preciso ter muitos detalhes sobre a cronologia do
ministério do apóstolo.
Mas uma comparação entre o livro de Atos dos Apóstolos e as Epístolas Paulinas
fornece informações preciosas que nos auxiliam, pelo menos em termos gerais, a
ter uma ideia de quando as cartas de Paulo foram escritas.

Gálatas
Nenhuma das Epístolas Paulinas foi escrita durante o início de seu ministério na
Cilícia e na Síria (Ato 9:30; 11:25,26). Isso significa que todas as cartas de Paulo
foram escritas após o final da década de 40 d.C., quando ele foi comissionado
como missionário pela igreja de Antioquia.

Juntamente com Barnabé, Paulo fez sua primeira viagem missionária. Durante essa
viagem ele visitou a Ilha de Chipre e várias cidades da província da Galácia (Atos
13-14). Muitos estudiosos consideram que foi justamente ao voltar para Antioquia
que Paulo escreveu a Carta aos Gálatas. Seu objetivo era combater a influência dos
judaizantes que tentavam impor tradições judaicas aos cristãos gentios.
1 e 2 Tessalonicenses
Algum tempo depois, entre os anos de 50 e 52 d.C., Paulo saiu em sua segunda
viagem missionária. Dessa vez ele foi acompanhado por Silas. Durante essa viagem
ele recrutou Timóteo. Além disso, com sua evangelização ele alcançou até o
continente europeu, fundando as igrejas de Filipos, Tessalônica e Corinto (Atos
15:36-18:22).
Então o apóstolo ficou um ano e meio em Corinto. Durante esse tempo ele
escreveu as cartas de 1 e 2 Tessalonicenses como forma de encorajamento aos
cristãos que estavam sendo perseguidos.

1 e 2 Coríntios e Romanos
Mais tarde Paulo fez sua terceira viagem missionária. Além de voltar à Galácia,
nessa viagem o apóstolo ficou um longo tempo em Eféso. Enquanto estava em
Éfeso, Paulo foi avisado dos graves problemas que ameaçavam a igreja de Corinto.
Foi então que provavelmente ele escreveu a carta de 1 Coríntios.

Ainda em sua terceira viagem missionária, Paulo seguiu para o norte.


Provavelmente enquanto passava pela Macedônia, o apóstolo recebeu boas
notícias sobre o arrependimento dos crentes coríntios, e como resposta ele
escreveu e enviou a carta de 2 Coríntios. Mais tarde, parece que ele foi
pessoalmente visitar Corinto. Os intérpretes dizem que de Corinto Paulo teria
escrito a Carta aos Romanos.
Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemom
Depois de três meses que estava na Grécia, o apóstolo resolveu voltar à Judeia.
Nesse contexto houve uma revolta popular em Jerusalém que culminou na prisão
de Paulo em Cesareia por dois anos (Atos 20:1-24:27).

Por ser cidadão romano, Paulo solicitou uma audiência com o imperador. Então ele
foi transferido para Roma onde aguardou por cerca de mais dois anos até que seu
pedido fosse atendido (Atos 27:1-28:31).

Foi durante esse cárcere em Roma, entre o final da década de 50 d.C. e o início da
década de 60 d.C., que provavelmente foram escritas as cartas de Paulo aos Efésios,
Filipenses, Colossenses e Filemom. Por isso essas cartas são chamadas de “epístolas
da prisão”. Alguns comentaristas sugerem que pelo menos uma dessas cartas talvez
tenha sido escrita durante o tempo de prisão em Cesareia.

1 Timóteo, Tito e 2 Timóteo


O texto bíblico não explica exatamente o aconteceu com Paulo após sua prisão em
Roma registrada no final do livro de Atos dos Apóstolos. Mas provavelmente ele foi
libertado e talvez ainda tenha saído numa nova viagem missionária. Inclusive, pode
ser que ele tenha conseguido chegar até a Espanha e depois visitado as cidades da
região do mar Egeu (cf. Romanos 15:24; 1 Timóteo 1:3; Tito 1:5; 3:12).

Se isto estiver correto, então é possível que as chamadas cartas pastorais tenham
sido escritas durante esse período final de seu ministério. Primeiro ele teria escrito
as cartas de 1 Timóteo e Tito. Depois, já encarcerado novamente em Roma na
metade da década de 60 d.C. conforme afirma a tradição, ele teria escrito 2
Timóteo pouco antes de ser executado (cf. 2 Timóteo 4:6-18).
Certo é que, depois de vislumbrar tamanha dedicação do apóstolo à causa do
Evangelho, facilmente podemos entender a conclusão que ele próprio fez acerca de
sua vida e ministério ao dizer: “Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei
a fé” (2 Timóteo 4:7).
Existem outras cartas de Paulo?
Paulo era uma pessoa extremamente ativa e dedicada à obra de Deus, e sempre
estava envolvido com propagação do Evangelho e com o zelo pela pureza das
doutrinas centrais da Fé Cristã. Então é certo que o apóstolo Paulo tenha escrito
outras cartas, mas essas cartas não existem mais.

O próprio Paulo menciona duas dessas cartas perdidas. Uma delas seria uma
provável epístola dirigida aos laodicenses (Colossenses 4:16). Parece que a epístola
à igreja de Laodiceia também deveria ser repassada à igreja de Colossos, bem
como a Carta aos Colossenses igualmente deveria ser lida em Laodiceia.

A outra carta foi escrita aos crentes de Corinto antes de o apóstolo ter lhes escrito
1 Coríntios. Parece que o conteúdo principal dessa carta era uma exortação para
que os crentes coríntios se apartassem de cristãos nominais que continuavam
praticando imoralidades (1 Coríntios 5:9).

Por algum motivo Deus não permitiu que essas cartas de Paulo chegassem até nós.
Mas devemos ficar satisfeitos porque tudo o que precisávamos saber está
preservado de forma completa e inerrante no Cânon Bíblico. Inclusive, do próprio
Paulo, Deus permitiu que treze de suas cartas fossem preservadas para servir de
bênção para os cristãos de todos os lugares e de todas as gerações.

Você também pode gostar