Você está na página 1de 79

*****************************************************

***************************************************** Seu ebook tem descriptografados. O arquivo TXT


basta salvar 20% do conteúdo do ebook. Por favor, registrar o software e, em seguida, obter todo o conteúdo e o
formato do ebook. *****************************************************
***************************************************** Dessensibilização do movimento do olho e
reprocessing (EMDR) a terapia princípios básicos, os protocolos e os procedimentos terceira edição Francine Shapiro,
PhD A GUILFORD PRESS Nova Iorque Londres Edição Epub ISBN: 9781462535514; Kindle Edition ISBN: 9781462535521
Copyright © 2018 Francine Shapiro, publicado pela Guilford Press uma divisão de Guilford Publications, Inc. 370
Seventh Avenue, Suite 1200, New York, NY 10001 www.guilford.com Todos os direitos reservados, exceto quando
observado, nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, traduzida, armazenada num sistema de recuperação, ou
transmitida de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico, mecânico, de fotocópia, de microfilmagem, de
gravação ou outro, sem autorização prévia e escrita do editor. O último dígito é o número de impressão: 9 8 7 6 5 4 3
2 LICENÇA LIMITADA A DUPLICAÇÃO esses materiais são destinados para uso apenas por profissionais qualificados. A
editora concede para os compradores deste livro nonassignable permissão para reproduzir todos os materiais para
que a autorização seja concedida especificamente em uma nota. Esta licença é limitada a você, o comprador individual,
para uso pessoal ou uso com clientes. Esta licença não concede o direito de reproduzir estes materiais para a revenda,
redistribuição, electrónico, ou quaisquer outros fins (incluindo, mas não limitado a livros, panfletos, artigos, cassetes
áudio videoor, blogs, sites de partilha de ficheiros, ou sites de intranet, Internet e folhetos ou slides para palestras,
workshops, webinars, ou se ou não uma taxa é cobrada). Permissão para reproduzir estes materiais para estes e
quaisquer outros fins deve ser obtido por escrito do departamento de permissões de Guilford Publications. O autor
tem verificado com fontes acreditado para ser confiável em seus esforços para fornecer informações que é completo
e, de um modo geral, de acordo com as normas de conduta que são aceitos no momento da publicação. No entanto,
tendo em vista a possibilidade de erro humano ou alterações no comportamento, saúde mental, ou ciências médicas,
nem o autor, nem os editores e editora, nem qualquer outra parte que estiveram envolvidas na preparação ou
publicação deste trabalho garante que as informações contidas aqui são precisas em todos os aspectos ou completas,
e não são responsáveis por quaisquer erros ou omissões ou os resultados obtidos a partir da utilização de tais
informações. Os leitores são encorajados a confirmar as informações contidas neste livro com outras fontes. Biblioteca
do Congresso, a Catalogação-na-publicação dados disponíveis do publisher. ISBN 978-1-4625-3276-6 (capa dura) em
memória de meus avós, Charles e Lena Sumner; meus pais, Daniel e Shirley Shapiro; e minhas irmãs, Debra e Marion
com gratidão pelas luzes de orientadores de cada geração e para o apoio amoroso de meu marido, Bob Welch, um
dos meus maiores bênçãos da vida a liberdade é o que você faz com o que foi feito para você. -JEAN-PAUL SARTRE
Sobre o Autor Francine Shapiro, PhD, idealizador e desenvolvedor do emdr terapia, é Senior Research Fellow emérito
o Mental Research Institute em Palo Alto, Califórnia; Diretor Executivo do emdr Institute em Watsonville, Califórnia; e
fundador e presidente emérito da recuperação do Trauma/EMDR programas de assistência humanitária, uma
organização sem fins lucrativos que coordena a resposta a desastres e pro bono treinamentos em todo o mundo. Ela
recebeu o Prêmio Internacional de Sigmund Freud para a ilustre contribuição para psicoterapia, apresentado pela
cidade de Viena em colaboração com o Conselho Mundial para a psicoterapia; o prêmio por contribuições excepcionais
para a prática em psicologia do Trauma da Divisão 56 da American Psychological Association; e o ilustre Prêmio de
Realização Científica em Psicologia da Associação Psicológica da Califórnia. Dr. Shapiro foi designado como um dos
"Grupo de Peritos" da American Psychological Association e da Canadian Psychological Association Iniciativa Conjunta
sobre Ethnopolitical Guerra e serviu como consultor para uma grande variedade de organizações de alcance e
tratamento do trauma e periódicos. Ela tem sido um palestrante convidado em conferências de psicologia em todo o
mundo e tem escrito e co-autoria de mais de 90 artigos, capítulos e livros sobre EMDR. Prefácio Bem-aventurado é
aquele que encontrou o seu trabalho; nenhuma outra peça-bem-aventurança. - THOMAS CARLYLE a caminho de
descoberta a oportunidade de introduzir outra edição traz à mente, mais uma vez, uma declaração do início de filósofo
Heráclito: "Não é possível passo duas vezes no mesmo rio, para diferentes e sempre diferentes águas fluem para
baixo." Esta edição marca 30 anos desde que fez a primeira observação que conduziu ao desenvolvimento do
Desensitization do movimento do olho e reprocessing (EMDR) a terapia, que agora é reconhecida internacionalmente
como um tratamento empiricamente apoiada por trauma. Desde os primeiros dias de controvérsia sobre os efeitos
dos movimentos dos olhos, mais de 30 estudos randomizados têm verificado os seus efeitos, e centenas de artigos
publicados têm documentado os efeitos do tratamento positivo para uma ampla variedade de populações. Dada a
natureza sempre em mudança dos cuidados de saúde, vida e pensamento, é gratificante ver que a maior parte do livro
se manteve relevante para a prática clínica. Ele envelheceu bem. Ao mesmo tempo, esta revisão tem me dado a
oportunidade de oferecer a última teoria e pesquisa de terapia EMDR prática, para expandir as informações sobre o
tratamento de diversas populações, e descrever os processos e protocolos que provaram ser valiosas adições à prática
clínica. A extensa pesquisa controlada em EMDR terapia tem sido atualizado, e outras áreas de investigação
potencialmente úteis são sugeridas. Novos apêndices incluem uma variedade de aids clínica tanto para o terapeuta
praticante e pesquisador, incluindo questionários, formulários, listas de verificação, tratamento e transcrições.
Também tem sido gratificante, ao longo dos últimos 15 anos, para testemunhar em toda a comunidade de profissionais
praticando a terapia EMDR o constante compromisso internacional para a cura do sofrimento. De fato, a primeira
edição deste texto apareceu apenas alguns dias após o atentado de Oklahoma City. A pedido de um agente do FBI que
foram submetidos a tratamento EMDR, voluntários viajou a expensas próprias para oferecer assistência à comunidade
traumatizada. Oklahoma aqueles médicos que já havia sido treinado em EMDR abriram seus escritórios e espalhar a
palavra de oportunidade em toda a área. Durante os 4 meses subseqüentes, dois a três por semana clínicos EMDR
viajou para Oklahoma e oferecidos serviços pro bono para aqueles em necessidade, começando com o
TRAUMATIZADO de profissionais de saúde mental, que em seguida, serviços solicitados para o Frontline, provedores
e sobreviventes. No final dos 4 meses, um curso de formação pro bono foi oferecido para todos os profissionais de
saúde mental na Cidade de Oklahoma, permitindo-lhes continuar o trabalho. Esta efusão espontânea do serviço
marcou a inauguração da recuperação do Trauma/EMDR programas de assistência humanitária (ver Apêndice F),
sublinhando a necessidade de combinar tratamentos avaliados cientificamente com cordial serviço clínico em todo o
mundo. Além disso, ao longo da última década, projectos humanitários de numerosas organizações locais e nacionais
de emdr têm oferecido pro bono após tratamento natural e catástrofes humanas. A pesquisa tem apoiado a eficácia
dos protocolos utilizados nesses esforços, e eles são descritos em capítulos posteriores. Os médicos são aconselhados
a aprender os procedimentos e protocolos para ajudar no socorro tanto nacional como internacional. Como nós unir
e expandir nossos esforços neste empenho global, podemos verdadeiramente cumprir a nossa obrigação como uma
profissão. Para repetir a minha declaração a partir da edição anterior: passamos de Kitty Hawk para a lua em pouco
mais de 50 anos. Mas apesar desses avanços tecnológicos monumentais, milhões de pessoas sofrem de dor incessante
e um ciclo de violência continua desmarcada no mundo todo. Certamente, como sociedade, temos de redirecionar
mais dos nossos vastos recursos e uma maior atenção ao alívio do sofrimento global. Certamente precisamos mudar
nosso nível de expectativas sobre o potencial de cura e desenvolvimento interpessoal. Mas parte do problema também
pode ser causado por uma variedade de atitudes inerentes dentro de nossa profissão. Embora a integração de
conhecimentos em ciências duras tem permitido para a evolução e aperfeiçoamento de aplicativos, que passaram
rapidamente de Edison para a Internet, o campo da psicoterapia, de alguma forma ao mesmo ritmo. O motivo pode
ser a falta de partilha de informação através de disciplinas. Apesar de o advento de muitas novas orientações
psicológicas, cada um permaneceu relativamente distinta ao longo deste último século, com pouca fertilização cruzada
entre ciência e prática. Uma lição pode ser que o tratamento psicológico de indivíduos exige um composto de
conhecimento a partir de diversas abordagens. Mas eu associo-me plenamente com aqueles que acreditam que nós
fortalecer repertórios clínicos através da integração, não através do deslocamento ou exclusão (Beutler, 2009; Beutler,
Someah, Kimpara, & Miller, 2016; Norcross & Goldfried & Norcross, 2005; Shapiro, 2002; Stricker, 2010). Neste
espírito, o desenvolvimento da terapia EMDR durante os últimos 30 anos, mudou-se de uma técnica simples para uma
abordagem integrada de psicoterapia. Aplicações terapêuticas têm expandido a partir do tratamento de transtorno
de estresse pós-traumático para uma ampla gama de queixas clínicas. Também, como veremos, a ênfase está em não
só a eliminação do sofrimento manifesto, mas também a atenção para o quadro clínico completo que incorpora
multifacetada, crescimento pessoal e integração com os sistemas sociais mais amplos. Por essa razão, os médicos de
todas as orientações vai encontrar semelhanças entre EMDR terapia e suas práticas clínicas, bem como aspectos
complementares de outras disciplinas que podem melhorar o seu trabalho. Penso que é nesta síntese que os clientes
podem ser melhor servido. Eu fiz a primeira observação que conduziu ao desenvolvimento do emdr terapia em 1987.
No entanto, o caminho para a descoberta de que tinha começado quase 10 anos antes. Em 1979, eu estava
completando um doutorado em literatura inglesa na Universidade de Nova York e já tinha publicado extensivamente
em que campo. Eu senti que este era um trabalho importante; ser um daqueles que lançam luz sobre a nossa cultura
e literatura, com as suas nuances delicadas, texturas ricas, e o intricado vidas de personagens-me segurou em
constante fascínio. Ao mesmo tempo, eu tinha sido interessados em terapia comportamental, devido às minhas
primeiras leituras de Andrew Salter e Joseph Wolpe. A ideia de um foco, previsível, de causa-e-efeito abordagem à
psicologia humana parecia totalmente compatível com os conceitos de caráter literário e desenvolvimento. Afinal,
muitos autores bem conhecidos indicou que se os caracteres são desenhados para a vida verdadeira e solta, eles então
criar seus próprios terrenos. Tive discussões fascinantes com meus professores de inglês sobre a interação entre o
multifacetado textos eu estava lendo e a qualidade fisiológica de causa-e-efeito de formulações de implicações
comportamentais. Mas a psicologia era apenas um lado do meu interesse. Eu segurei firmemente com aqueles autores
que acreditam na perfectibility da humanidade. Eu deleitava na glória do sofrimento humano transformado em arte
através das obras-primas da literatura inglesa, e eu olhei para a frente a uma longa e frutífera carreira como crítico
literário e estudioso. Então, antes de iniciar a minha dissertação sobre a poesia de Thomas Hardy, eu fui diagnosticado
com câncer. Quando uma doença potencialmente fatal, que pode ser um divisor de águas que marca uma mudança
no curso da vida. Para mim, tempo assumiu uma nova dimensão. A vida não mais estendeu infinitamente antes de
mim. De repente, o BEHAVIORISTA", "causa e efeito fisiológico" assumiu um novo significado. Eu se concentrou sobre
a interação da mente e estressores externos. Eu também queria saber por que tínhamos chegado tão longe,
tecnologicamente, mas parecia incapaz de avançar nas formas de dominar nossas mentes e corpos. Felizmente,
descobri a obras de Norman Cousins e outros no campo da psiconeuroimunologia, que estava surgindo. A ideia de que
há uma ligação entre a doença e o stress parecia óbvio para mim, mas o que fazer sobre isso foi outro assunto. Por
esta altura, de acordo com meus médicos, meu câncer foi curado, mas não havia nenhuma garantia de que isso não
aconteça novamente. Lembro-me de sua comunicação para mim como algo como isto: "O câncer é ido, mas X% obtê-
lo de volta. Não sabemos quem e não sabemos como, então, boa sorte." Agora a pergunta de que métodos
psicológicos e fisiológicos efectivamente trabalhadas para melhorar a saúde física, tornou-se o principal. Eu acreditava
que tinha de haver algumas abordagens psicológicas e fisiológicas já desenvolvido, mas por que não eram bem
conhecidos? De repente, os métodos de diagnóstico e divulgação de informações sobre eles para outros com doenças
fatais se tornou mais importante do que estudar e comunicar sobre literatura séc 19. Saí de Nova York em busca de
workshops e seminários sobre a mente, o corpo e os métodos psicológicos para aumentar o bem-estar físico e mental.
Depois de um tempo, eu me patrocinou workshops para o público em geral, tudo o que eu encontrei que ofereciam
formas concretas para ajudar as pessoas a levar vidas menos estressante. Durante esse tempo, eu também
matriculados em um programa de doutorado em psicologia clínica para completar minha educação formal. O passeio
no parque agitado que levou à descoberta dos efeitos dos movimentos dos olhos ocorreu apenas como eu estava
começando a olhar para um tema de dissertação. Nesse momento, minha única de cross-country para os mecanismos
de busca de mudança mental e minha necessidade de um projeto de pesquisa de doutoramento convergente
ordenadamente. O resto da história do desenvolvimento do emdr é coberto no capítulo 1. Por agora, basta dizer que
minha descoberta dos efeitos dos movimentos dos olhos foi seguida pelo desenvolvimento de uma metodologia que
cresceu rapidamente em complexidade e aplicação. Ao longo das últimas três décadas, positivos resultados clínicos
com terapia EMDR têm sido consistentemente relatado pelos médicos que foram treinados em seu uso. Nosso
trabalho clínico com terapia EMDR mostra-nos que o sofrimento pode ser transformado, não só na arte, mas na vida.
Este livro é um produto de 30 anos de experiência pessoal de ensino e de refinação de emdr, bem como entrada de
muitos clínicos e pesquisadores experientes; inclui recomendações baseadas em pesquisa e históricos, bem como
adverte derivado da experiência de emdr profissionais treinados. A NECESSIDADE DE FORMAÇÃO, pois a ênfase da
minha vida desde 1979 tem sido sobre aprendizagem, desenvolvimento e divulgação de procedimentos que trabalham
para melhorar a saúde mental, não é nenhuma surpresa que a minha principal preocupação agora é com o cliente. Os
clientes são melhor servidos por médicos que são guiados pela pesquisa e estão dispostos a aprender, expandir seus
conhecimentos e experiência com métodos inovadores. Eles também são claramente mais bem servido quando os
médicos são licenciados no campo da saúde mental e treinadas nas terapias que estão usando, e quando é feita uma
investigação adequada para validar e aprimorar os métodos. Estas crenças são o coração do emdr terapia e são a base
sobre a qual o sucesso da terapia EMDR - bem como a sua formação de políticas tem sido construído. Eu tenho sido
abençoado a conheci muitos médicos e pesquisadores que compartilham essas crenças. A terapia EMDR treinamentos
estão disponíveis em todo o mundo por meio de universidades e organizações pós-graduação independente.
Claramente, eles não são todos igualmente completa, assim os médicos devem consultar o Apêndice F para obter
orientação. Uma explicação sobre as políticas de formação EMDR é objecto de um documento de posição do original
EMDR Comité questões profissionais, incluídos no Apêndice E, e parâmetros específicos, podem ser visualizadas no
site do www.emdria.org) (EMDR International Association (associação profissional e independente que supervisiona
a formação e prática clínica na América do Norte). EMDR, a investigação tem demonstrado a correlação entre o
tratamento fidelidade e efeitos clínicos positivos (maxfield & Hyer, 2002) e, claramente, o estágio supervisionado é a
melhor maneira de alcançar esse objetivo. O resto da lógica para essas políticas brota da lógica e da compaixão. Uma
pesquisa dos primeiros 1.200 médicos formados em EMDR terapia indicaram que apenas 2% consideraram o
treinamento supervisionado desnecessária. Além disso, os resultados desta pesquisa (que foram reproduzidas no
Apêndice D da edição 1995; Lipke, 1994, 1995) indicou que 85% dos clínicos encontrados que os clientes tivessem
mais altamente carregado e memórias esquecidas anteriormente emergem com emdr do que com qualquer outra
metodologia praticada na época. As razões para este fenômeno, que ajuda a iluminar a própria natureza da
psicopatologia, são totalmente explicado neste texto e, quando adequadamente tratadas, as memórias são resolvidos
rapidamente. No entanto, parece razoável concluir que se memórias disfuncionais surgem a partir de sessões de emdr,
completo com um elevado nível de perturbação, possivelmente, os médicos devem ser plenamente escolarizados na
metodologia que precipita estas memórias e tem o potencial para resolvê-los. Para reiterar o mais sucintamente, os
clientes são melhor servidos se seus clínicos são treinados. O objectivo é ajudar as pessoas. Naturalmente, a formação
não garante o sucesso com cada cliente. A terapia EMDR não é um cura-tudo; tratamento falhas , como fazem com
qualquer forma de psicoterapia. No entanto, o código de ética da Associação Americana de Psicologia afirma que a
formação e a supervisão são necessárias para um médico para alcançar a competência antes de tratar os clientes ou
fazer pesquisa. Formação adequada significa maior probabilidade de sucesso e menos probabilidade de danos.
Portanto, embora este livro fornece as instruções escritas para começar a usar a terapia EMDR, deve ser empregado
em conjunto com supervisão adequada e treinamento. Repito este abster-se ao longo de todo o texto. Princípios e
procedimentos para parafrasear um conhecido provérbio, é melhor ensinar um homem esfomeado como a pescar do
que dar-lhe um peixe. Da mesma forma, é melhor fornecer os profissionais com um quadro conceptual ou modelo
para servir como um guia para a sua prática clínica de simplesmente dar-lhes inflexível, procedimentos passo-a-passo
para a implementação de emdr terapia. Por isso, juntamente com instruções passo-a-passo as directivas, este texto
apresenta os médicos uma nova maneira de pensar sobre a patologia e tratamento terapêutico, além de um
abrangente conjunto de procedimentos terapêuticos que evoluíram a partir de aplicações clínicas consistentes com a
teoria. A compreensão destes princípios permitirá que o médico para personalizar o tratamento para as necessidades
individuais de cada cliente. Isso se aplica se um cliente está na necessidade de um tratamento rápido para um trauma
isolado ou tratamento abrangente que aborda o quadro clínico completo. Uma das premissas básicas da terapia EMDR
é que a maioria das psicopatologias são baseadas em experiências de vida. O objetivo do tratamento é emdr para
metabolizar rapidamente o resíduo disfuncional do passado e transformá-lo em algo útil. Essencialmente, com emdr
terapia, a informação disfuncional sofre uma mudança espontânea em forma e significado- incorporando insights e
que estão a aumentar em vez de selfdenigrating para o cliente. Os médicos irão encontrar que a informação abordada
neste livro descreve os componentes e estratégias necessárias para proporcionar um tratamento eficaz. Esses
procedimentos padronizados foram desenvolvidos para garantir a activação da inata do cliente sistema de
processamento de informações e, assim, alcançar a plena resolução de a apresentar problema. Os procedimentos têm
sido amplamente testado em ensaios clínicos, com resultados consistentes, demonstrando o seu valor. Uma meta-
análise abrangente (maxfield & Hyer, 2002) indicou que o estudo mais rigoroso o emdr, maiores os efeitos. Além disso,
houve uma correlação positiva entre fidelidade e do tamanho do efeito do tratamento. Um elemento importante de
investigação rigorosa, é a fidelidade, que prevê a verificação de que os procedimentos padronizados foram aplicados
corretamente. Para esse efeito, a Fidelity lista de verificação está incluída no apêndice C. No entanto, a compreensão
dos princípios em que se baseiam os procedimentos de terapia apropriada e fomenta a aplicação flexível. O NOME DA
TERAPIA Embora EMDR foi inicialmente nomeado para os movimentos oculares, que em 1987 parecia ser a parte mais
saliente da metodologia, ao longo dos anos, o nome apareceu a limite indevidamente o apreço e a aplicação da
abordagem. Como este livro indica, EMDR terapia é uma metodologia complexa que inclui muitos componentes; além
disso, outros estímulos além dos movimentos dos olhos provaram útil. Se eu tivesse que fazer tudo de novo, eu
simplesmente "Terapia de reprocessamento." No entanto, por causa do seu grande nome reconhecimento mundial,
decidi manter a abreviação e a designação original, com o entendimento de que, em última análise, serve para ser
histórico, em vez de descritivo, significado. (Existem muitos outros tais nomes históricos. Por exemplo, a Coca-Cola foi
nomeado após um derivado da cocaína que foi eliminado da receita há muito tempo; a categoria de diagnóstico de
esquizofrenia persistir, mesmo que ele não é mais visto como "mente dividida"; e American Telephone and Telegraph
ainda é AT&T, embora já não lida com telégrafos.), a sigla EMDR deve, portanto, ser usado com o entendimento de
que os movimentos oculares são apenas um dos estímulos bilaterais atenção dupla usada para ativar o sistema
informationprocessing do cliente e alcançar os efeitos do tratamento. A UTILIZAÇÃO DESTE LIVRO licenciado somente
profissionais de saúde mental, ou aqueles sob a supervisão directa de médicos licenciados, devem utilizar os
procedimentos e protocolos neste livro. Este cuidado é importante porque, como um complexo , psicoterapia EMDR
deve ser usado apenas dentro do contexto de um plano de tratamento completo e detalhado, com as devidas
salvaguardas que treinados e licenciados os médicos são educados para estar ciente de. Os instrutores de clínica de
pós-graduação irá provavelmente querer envolver seus alunos em um programa de estágio supervisionado antes de
ensinar os procedimentos para eles. Sugestões para a forma e o tempo de prática supervisionada em EMDR terapia
são incluídos neste livro, mas em todos os casos, um curso de formação formal com o licenciado, treinados,
experientes Instrutores EMDR é considerado o fórum mais adequado para a abordagem de aprendizagem. As
diretrizes para estes treinamentos foram originalmente formulado pelo emdr International Association e são agora
ecoado por associações regionais e nacionais de emdr em toda a América do Norte e América do Sul, Europa, Oriente
Médio e Ásia. Todos os instrutores qualificados são instados a ter seus cursos avaliados e devidamente registrado na
associação nacional em sua área (ver Apêndice F). Com cursos assim identificados, os estudantes e os médicos podem
melhor ser guiado para aquelas que são apropriadas, e os clientes podem ter a certeza de que eles estão sendo
fornecidos com protocolos de terapia EMDR adequadas e procedimentos. Os futuros alunos da universidade EMDR
cursos e centros de treinamento privado deve avaliar sua elegibilidade curso através da associação profissional
relevante. Este livro foi escrito com quatro tipos de leitores em mente: académicos, investigadores, médicos, clínicos
e de pós-graduação. Eu tenho tentado fazer a linguagem e a organização apropriada para todos. Os leitores
particularmente interessados na história, de suporte de dados, pesquisa, teoria, e colocação de terapia EMDR no
domínio das terapias de trauma vai encontrar os Capítulos 1, 2 e 12 de particular relevância. Apesar de os terapeutas
preocupados principalmente com a aprendizagem de procedimentos e protocolos vai encontrar material clínico
importante durante esses três capítulos (especialmente o capítulo 2), esse material é mais fortemente concentradas
no resto do texto. O sexo, a fim de evitar tanto o sexismo e a estranheza estilística de frases como "ele ou ela", os
pronomes pessoais têm sido alternado ao longo de todo o texto. Investigação e evolução A evolução contínua do emdr
de uma técnica simples para um complexo psicoterapia abordagem tem sido amplamente baseado em investigação e
observação clínica. A necessidade de investigação controlados para examinar o EMDR abordagem terapêutica é
indiscutível, na medida em que com qualquer forma de terapia, a avaliação clínica é suscetível a muitas das distorções
e falácias de observação pessoal. Atualmente, uma ampla base de pesquisa controlada tem sido avaliada por forças-
tarefas independentes (incluindo a Organização Mundial de Saúde e a Sociedade Internacional para os estudos de
stress traumático) e estabeleceu a terapia EMDR como um padrão, empiricamente suportados, e tratamento eficaz
de traumas psicológicos. Esses estudos e outros distúrbios, juntamente com a investigação as implicações e sugestões
para novas investigações, são discutidos em profundidade no capítulo 12. No entanto, embora a terapia EMDR aparece
eficazes para o tratamento de uma grande variedade de queixas, com base experiencialmente até extensa investigação
comparativa valida esta abordagem para cada um dos distúrbios, que deve ser utilizado somente com as informações
fornecidas pelo cliente para efeitos de consentimento informado. Naturalmente, esta admoestação se aplica a toda e
qualquer forma de terapia para qualquer tipo de transtorno. Entretanto, enquanto a terapia EMDR continua a evoluir
através da investigação e observação clínica, os principais princípios e substância da prática atual que têm resistido ao
teste do tempo são apresentadas neste livro. Como acontece com qualquer nova exploração, o leitor é convidado a
manter um adequado e cético, contudo, a mente aberta. Alterando arraigado maneiras de fazer a psicoterapia pode
não ser fácil. Este livro é apenas o início de um processo de aprendizagem e, espero, de uma gratificante jornada de
descoberta. E, embora as avaliações clínicas e observações pessoais estão longe de ser infalível, eles também são
indispensáveis para a boa achados científicos e para a alegria da cura. Agradecimentos Este livro não poderia ter sido
escrito sem o apoio firme de Robbie Dunton, que libertou o meu tempo e mente para a tarefa. Sou grato por suas
habilidades organizacionais, mas ainda mais pela sua bondade e generosidade de espírito, que nunca falhou
comigo. Agradecimentos especiais vão também para Barbara Hensley e Jessica Cowan para seu apoio à pesquisa. Este
livro é baseado em experiências clínicas de centenas de médicos e pesquisadores, e espero ter feito justiça. Estou
particularmente grato a todos aqueles que compartilharam seus conhecimentos com contribuições substanciais para
seções em suas áreas de especialidade. Essas pessoas, em ordem alfabética, são Susan Brown (vícios), Isabel Fernandez
(resposta a desastres), Ana Gomez (crianças), E. C. Hurley (militar), Louise Maxfield (casais), Liesbeth Mevissen
(deficiência intelectual/transtorno do espectro do autismo), Marco Pagani (NEUROFISIOLOGIA), Gerald Puk
(dissociação), Sarah Schubert (teoria do movimento do olho), Rosalie (Thomas), resposta a desastres e Debra
Wesselmann (crianças). Também estou extremamente grato a Roger Salomão por sua contribuição para o Apêndice
B; Korn, Deborah Louise Maxfield, e Allen Rubin, por sua extensa preparação dos materiais no Apêndice C; e para
aqueles que tomaram o tempo para ler os capítulos ou seções e oferecem valiosas sugestões: Benedikt Aman, Susan
Brown, Ad de Jongh, Isabel Fernandez, Irene Giessl, Barbara Hensley, Cynthia Kong, Débora, Korn, Laliotis Deany,
Christopher Lee, Jennifer Lendl, Patti Levin, Louise Maxfield, Mark Nickerson, Udi Oren, Curt Marca Rouanzoin, Russell,
Steve Prata, Roger Salomão, e Robert Stickgold. Muitos agradecimentos ao pessoal no Guilford Press e, especialmente,
para o editor sênior Jim Nageotte, por sua sugestões astute, e Editor de Produção Sênior Jeannie Tang, para pastorear
cuidadosa do livro através do processo de produção. Introduzir uma inovação para a comunidade de psicologia é
notoriamente difícil, mas eu tenho sido abençoado com um crescimento do círculo de openhearted magistral, clínicos
e pesquisadores cuja capacidade e integridade tranquilizar-me de que estamos no caminho certo. A terapia EMDR aos
formadores, facilitadores e médicos que tiveram a visão para tentar algo novo e a coragem de espalhar a palavra sobre
suas experiências - embora pode parecer arrogância de lhe agradecer por tudo que você fez por um sentido de
responsabilidade pessoal e eu sou eternamente grato. Por último, para o fornecimento de seu rigor científico,
paciência, e apoio inabalável, agradeço ao meu marido, Bob Welch. Tampa de Conteúdo Página de Título Página
Copyright Dedicação Página Sobre o Autor Prefácio Agradecimentos 1. Justificativa A possibilidade descoberta o
primeiro estudo controlado mais observações clínicas e experimentais mudança no paradigma de processamento de
informação adaptativa convergências teórico de transtorno de estresse pós-traumático abordagens abordagens
psicodinâmicas Cognitive-Behavioral abordagem integrativa Resumo e Conclusões 2. Processamento de Informação
adaptativa: o modelo como uma hipótese de trabalho de processamento de informação de memória dupla
estimulação bilateral Atenção Redes UMA AMOSTRA EMDR transcrição parcial da sessão da sessão de amostra
avaliação da sessão de amostra funcional disfuncional Redes Neurais diferentes aplicações da Terapia EMDR para
outros distúrbios Experiência Estática: afetam e declarações de crença na infância congelada Resolução "Time-Free"
Alvos Psicoterapia Acesso Restrito ao material negativo lapsos de memória integrada de dissociação Psicoterapia
Resumo e Conclusões 3. Componentes do emdr terapia e tratamento básico de componentes básicos do emdr metas
de processamento da imagem a cognição negativa a cognição positiva das emoções e seu nível de perturbação, as
sensações físicas ativando o sistema Information-Processing Movimentos Oculares formas alternativas de Estimulação
As Oito Fases da Terapia EMDR Fase Um: A História do Cliente e planejamento de tratamento - Fase 2: Preparação -
Fase 3: Avaliação Fase 4: Fase de dessensibilização Cinco: Instalação Fase 6: Fase de Leitura Corporal 7: Fase de
encerramento Oito: Reavaliação Three-Pronged Terapia EMDR Protocolo Padrão Escolhendo um alvo Padrões de
processamento Multimemory Resposta associativo, a crença inerente ao Trauma o principal participante ou
PERPETRADOR a estímulos pronunciado o evento específico a dominante sensações físicas, Emoções Processamento
Single-Memory dominante efeitos que as alterações Em alterações de imagens em sons mudanças em cognições
mudanças nas emoções, mudanças na sensação física efeitos diferenciais prática supervisionada Resumo e Conclusões
4. Fase Um: Cliente Cliente Cliente História Prontidão de factores de segurança Nível de Rapport perturbação
emocional Vida Estabilidade Suporta Consulta de Saúde Física Geral versus tratamento hospitalar comprometimento
neurológico epilepsia, problemas de droga e álcool requisitos legais de controle de sistemas de distribuição de ganhos
secundários medicação necessita de planejamento de tratamento History-Taking Distúrbios Dissociativos transcrição
prática supervisionada Resumo e Conclusões 5. Dois e três fases: preparação e avaliação - Fase 2: Preparação que
adopta uma postura clínica formando um vínculo com o cliente, explicando a teoria testando os movimentos oculares
criando um cofre/Lugar calmo descrevendo o modelo definindo expectativas abordando medos do Cliente Fase 3:
Avaliação selecionando a imagem identificando a cognição negativa o desenvolvimento de uma avaliação de cognição
positiva a validade de cognição nomear a emoção estimar as unidades subjetivas de perturbação, identificando corpo
sensações, importância dos componentes prática supervisionada Resumo e Conclusões 6. De quatro a sete fases:
dessensibilização, Instalação, Leitura Corporal e fechamento de reprocessamento acelerada da Memória - Fase 4:
Imagens de Transformação Associativa Dessensibilização Nova Memória; imagem muda; incidente se desenrola;
mudanças de aparência e sons pensamentos indicações negativas; Incompatibilidades; Pensamentos positivos;
Insights sensação e afetar emoções novas sensações; a mudança de fase de avaliação Fase 5: Instalação de seis: Body
Scan Fase Sete: Encerramento Avaliação de Segurança Visualização Debriefing e prática supervisionada de Log Resumo
e Conclusões 7. Trabalhando com blocos Abreaction Abreaction e orientações para facilitar Abreaction Abreaction Se
persistir Estratégias de processamento bloqueados Alvo primário alterando o movimento do olho com foco na
sensação do corpo todas as sensações; a sensação primária; Movimento; Uso de palavras não ditas; pressionar o Local
Visuais Digitalização; Efeitos Sonoros; Alterações de diálogo Aparência de imagem; nenhuma ação; Hierarquia;
redirecionando para a imagem; redirecionando para a cognição negativa; adicionar uma declaração positiva;
Verificação da cognição positiva voltar ao alvo metas acessórias Memórias Do Alimentador bloqueando crenças medos
medo de enlouquecer, medo de perder as boas lembranças; medo de mudar fontes de perturbação prática
supervisionada Resumo e Conclusões 8. Fase 8: a reavaliação e a utilização da terapia de emdr Protocolo Three-
Pronged Padrão 8: Fase de reavaliação da terapia de emdr Protocolo Padrão Three-Pronged trabalhando no passado
Single-Target Reciclagem resultados através de vários alvos principais acontecimentos; acontecimentos passados;
PROGRESSÕES; clusters; os participantes trabalhando no presente usando o Log para relatar problemas de sistemas
trabalhando no futuro pessoas importantes situações significativas que incorpora um modelo de futuro
acompanhamento terapia Terapia de conclusão que encerra o Estágio Resumo e Conclusões 9. Os protocolos e
procedimentos padronizados para situações especiais Os Procedimentos Padrão Three-Pronged Protocolo Protocolo
para um único evento traumático Disorder-Based Symptom-Based Protocolo Protocolo Protocolo para Ansiedade
Atual Eye Movement Desensitization passos processuais protocolos para últimos acontecimentos traumáticos eventos
recentes de emdr Protocolo Protocolo para últimos incidentes críticos recente episódio traumático fobias para
Protocolo Protocolo para luto complicado Protocolo para doenças e distúrbios somáticos Dor Self-Directed Condições
utilização de estimulação bilateral para a redução do stress Eye Movement Conjuntos: advertências e sugestões
Considerações Técnicas Butterfly Abraço Self-Control/procedimentos de encerramento da Safe/Lugar calmo de
Recursos Imagens EMDR Desenvolvimento e instalação Instruções para o RDI Visualizações gravadas a técnica de fluxo
de Luz de Mudança de respiração, Movimentos Oculares verticais e a avaliação da segurança Debriefing Resumo e
Conclusões 10. O cognitivo se entrelaçam: uma estratégia proativa para trabalhar com clientes desafiantes Fundação
da Interweave Responsabilidade, Segurança, e as escolhas da montagem da intervenção para o cliente se entrelaçam
escolhas novas informações "estou confuso" "E se fosse seu filho?" metáfora/analogia "Vamos fingir" Método
socrático ações e verbalizações de assimilação prática supervisionada de Ensino Resumo e Conclusões 11. Populações
selecionadas Questões de Abandono PTSD Complexo Vítimas de Abuso Sexual do Cliente Objetivos Estrutura
adequada disponibilidade de integração de Estágios emocionais planaltos informações falsas sobre cuidados de
memória de trabalho Memória Hipnose a falibilidade da memória veteranos de combate lidando com sentimentos de
falta de controle Questões de ganho secundário Filiação e esquecer o medo de lidar com negação, prejuízo moral,
Transição e lidar com a ira de Trauma Sexual Militar utilizando as datas de aniversário entrelaçam cognitivo luto
complicado Resposta de Postdisaster Considerações Especiais EMDR Intervenção na altura do evento ou dentro das
primeiras 48 horas Intervenções EMDR 48 horas ou mais fases de tratamento Postdisaster Trauma Vicário Apoio
Parceiro Casais terapia conjugal Infidelidade Crianças História tendo a fase de preparação mantendo a atenção da
criança a fase de avaliação A dessensibilização e fases de instalação entrelaça cognitivo Reavaliação de encerramento
e trabalhar com cuidadores generalizar os efeitos do tratamento de Deficiência Intelectual, transtorno do espectro do
autismo em crianças Trauma Complexo vício vícios através da lente do Cliente AIP Prontidão e estágios de mudança e
a estabilização de Segurança Calendário de metas de tratamento sugerido para reprocessamento precauções
adicionais e orientações de Transtornos Dissociativos avaliações globais Resumo e Conclusões 12. Teoria, Pesquisa e
implicações clínicas elementos processuais exposição percebida domínio cognitivo atenção à sensação física
Reconstruindo o alinhamento dos componentes da memória livre associação Mindfulness movimentos oculares e
alternativas de resposta a estímulos bilaterais, orientando a distração de memória de trabalho de Rede Neural hipnose
altera a resposta de Relaxamento Sono Sonho Efeito Integrativa Memória de Trabalho Conta EMDR Resposta
orientando o sono REM Resumo de recomendações para investigação de componentes de Tratamento de trauma e
PTSD PTSD Filhos Adultos com tratamento de PTSD PTSD Complexo Pessoal Militar Idosos Pesquisa de resposta a
catástrofes, protocolos individuais EMDR Protocolo Padrão últimos acontecimentos traumáticos Protocol Protocolo
de emdr últimos incidentes críticos recente episódio traumático EMDR Protocolos Protocolo Grupo Grupo Grupo de
protocolo de tratamento integrativo episódio traumático Protocolo protocolos para equipes de Disaster-Response
Futuras Pesquisas diversas aplicações clínicas Ansiedade Fobias transtornos de pânico Transtorno obsessivo-
compulsivo Transtornos do Humor Vícios dor somática, Treatment-Resistant Condições condições diversas populações
critérios sugeridos para o Método de Pesquisa Clínica Validade da psicometria seleção Seleção Participante Pesquisa
comparativa de parâmetros clínicos recomendados para estudos comparativos futuros adicionais pesquisa o modelo
de processamento de informação adaptativa clínica mais ampla e profissional diz respeito a responsabilidade clínica
Responsabilidade Global Resumo e Conclusões Apêndice A. experiências clínicas adversas Sida Infância Questionário
Formato recomendado para registo semanal (TICES) Relatório cognições negativas e positivas Exemplos de cognições
negativas e positivas a forma e seqüência para técnicas de identificação Evento passado afetam Scan (Shapiro, 1995),
Técnica Floatback (jovens, Zangwill, & Behary, 2002) Terapia EMDR EMDR Explicação dos contornos processuais
Instruções Específicas Apêndice B. Transcrições Three-Pronged cliente com um protocolo Veterano de combate
entrelaçam cognitivo caso sessão com um sobrevivente Molestação Apêndice C. Avaliação de Resultados Clínicos e
EMDR Fidelidade Rating Scale (EFRS) DEBORAH L. KORN, PsyD, LOUISE MAXFIELD, PhD, NANCY J. SMYTH, PhD, e Robert
Stickgold, PhD avaliar empiricamente EMDR sem grupo controle: Um Guia Passo-a-passo para terapeutas EMDR ALLEN
RUBIN, PhD Finalidade deste Guia, Parte I: Visão Geral Modelos Single-Case e a lógica da avaliação Single-Case Guia
Passo-a-passo Etapa 1. Especificar o alvo; Passo 2. Definir operacionalmente o alvo; Passo 3. Conceber um plano de
recolha de dados; Passo 4. A fase basal; Passo 5. O design básico de Single-Case; Passo 6. A análise dos dados; Etapa
7. A replicação da Parte II. Within-Group Benchmarks do tamanho do efeito Apêndice D. Investigação Psicofisiológica
Listas e avaliações neurobiológicos Apêndice E. Segurança Cliente EMDR Transtornos Dissociativos Task Force
Diretrizes Recomendadas: um guia geral para o uso do emdr no propósito de triagem de Distúrbios Dissociativos
pressupostos esclarecer o diagnóstico quando um transtorno dissociativo EMDR Incorporação está presente no plano
de tratamento EMDR Preparação para início de fases do tratamento cuidado meio fases do tratamento o tratamento
final Fases Membros da Task Force Treinamento adicional Sugestão de Leitura padrões profissionais e formação do
emdr International Association Apêndice F. Terapia EMDR Recursos de treinamento, América do Norte e América do
Sul Europa Ásia Índice de referências sobre Guilford Press Descubra Guilford relacionados aos compradores de livros
este livro pode fazer o download e imprimir versões alargada de selecionar materiais para uso pessoal
www.guilford.com/shapiro-forms Uso ou uso com clientes (consulte a página de direitos autorais para mais detalhes).
Capítulo 1 justificativa há um princípio que é um bar contra todas as informações, que é a prova contra todos os
argumentos e que não podem deixar de manter um homem em ignorância eterna, que princípio é o desprezo antes
do inquérito. -HERBERT SPENCER desde seu desenvolvimento inicial em 1987, dessensibilização do movimento do olho
e reprocessing (EMDR) terapia tem sido empiricamente apoiada por estudos controlados e randomizados (ECR) e é
reconhecido internacionalmente como um tratamento eficaz para trauma e uma ampla gama de distúrbios com base
experiencialmente. O desenvolvimento da terapia e o seu quadro teórico cresceu de uma exploração de efeitos de
tratamentos realizados de forma consistente, uma exploração que refinado os procedimentos e protocolos em um
tratamento abrangente abordagem. Como veremos, a teoria de procedimentos normalizados e informationprocessing
que orientam a prática clínica incorporar muitos aspectos que deverá ser familiar para a maioria dos clínicos,
acadêmicos e pesquisadores. EMDR é mais conhecido e foi inicialmente nomeado para os movimentos oculares, que
fazem parte dos procedimentos, e os efeitos positivos deste componente foram agora confirmadas por uma meta-
análise de 26 estudos randomizados controlados (Lee & Cuijpers, 2013). No entanto, é vital que nós vemos a terapia
como um todo o sistema. O movimento dos olhos é apenas uma forma de estimulação utilizados e apenas um
componente da abordagem complexa. Além disso, apesar do termo "dessensibilização" em seu nome, o objetivo da
terapia não é simplesmente a redução da ansiedade. De fato, como observado no Prefácio, se eu tivesse de fazê-lo
mais uma vez, gostaria de renomear a abordagem "terapia de reprocessamento." Portanto, embora a sigla EMDR
ainda são o nome designado da terapia, os pontos a seguir será enfatizada durante todo este volume: dupla
estimulação bilateral atenção é apenas um componente integrado com elementos processuais exclusivo para a
terapia, bem como aspectos sintetizados a partir de todas as principais orientações psicológicas. Como uma
abordagem abrangente, muita atenção é dada às imagens, crenças, emoções, respostas físicas, uma maior
sensibilização, estabilidade interna, resiliência e sistemas interpessoais na consecução dos efeitos da terapia de emdr.
Os médicos devem usar diferentes protocolos de emdr, dependendo do tipo de patologia, e seguir procedimentos
terapêuticos personalizados de acordo com a necessidade do cliente. O objetivo da fase de oito EMDR terapia é para
ajudar a libertar o cliente a partir do passado para uma saudável e produtiva. O domínio dos princípios básicos de
terapia EMDR, procedimentos, protocolos e orienta o médico em ajudar o cliente a transformar experiências negativas
em experiências de aprendizagem adaptativa. Por exemplo, ao tratar de uma vítima de um estupro, o médico identifica
os diferentes aspectos do trauma que estão perturbando o cliente. Estes podem incluir imagens intrusivas;
pensamentos negativos ou crenças, o cliente tem sobre si mesma e seu papel na violação; emoções negativas, como
medo, culpa ou vergonha e suas sensações do corpo; e, por outro lado, a maneira precisa o cliente preferir a pensar
sobre si mesma. A vítima de estupro podem começar por intenso sentimento de medo e vergonha. Ela pode ter
imagens constante do estupro intrometer em sua vida presente e podem experimentar pensamentos negativos como
"Eu estou sujo" ou "Foi minha culpa." Depois que seu médico tenha tratado eficazmente seu utilizando procedimentos
de terapia EMDR para se concentrar em respostas internas específicas, a vítima de estupro será capaz de recordar o
estupro sem sentimentos de medo e vergonha. Ela pode, na verdade, sentir habilitada e ser capaz de dizer, "Eu fiz
muito bem. Ele estava segurando uma faca em minha garganta, e eu consegui ficar vivo." para além desta mudança
positiva em seus pensamentos e crenças, ela não terá mais intrusiva imagens do estupro. Mais tarde, ela se recorda o
evento, seus associados, pensamentos, emoções e sensações do corpo pode ser neutro ou positivo, em vez de
perturbar. Como uma vítima de estupro que receberam tratamento EMDR disse de seu ataque, "ainda é um retrato
feio, mas porque eu não fiz nada de errado." De fato, a crença internalizada ela sobre si mesma foi "eu sou uma mulher
forte e resiliente." Conforme ilustrado por este exemplo, terapia EMDR catalisa a aprendizagem. Quando o alvo é uma
perturbadora memória, as imagens negativas, as crenças negativas, emoções negativas e tornar-se menos vivas e
menos válida. A memória alvo parece ficar ligados com mais informações apropriadas: o cliente aprende o que é
necessário e útil a partir da experiência do passado perturbador, e o evento é restaurado para a memória em um
dispositivo adaptativo, saudável, forma nondistressing. Mas a aprendizagem é um continuum. Quando o alvo é
positivo, como uma alternativa desejável futuro imaginado, o imaginário, as crenças, e diz respeito a tornar-se mais
vivo, mais reforçada, e mais válido. Portanto, EMDR terapia é utilizada para (1) Ajude o cliente aprender com as
experiências negativas do passado, (2) apresentar Desensibilizar os gatilhos que são equivocadamente angustiante, e
(3) incorpora modelos para futuras acções adequadas que permitem que o cliente para o Excel de forma individual e
interpessoal dentro de seu sistema. Claramente, então, a partir deste simples descrição do padrão de protocolo de
três pontas, vê-se que a terapia EMDR reúne aspectos de muitas das principais orientações psicológicas: a atenção
para eventos etiológicos sublinhada pela terapia psicodinâmica, as respostas condicionadas destacada por terapia de
comportamento, as crenças da terapia cognitiva, as emoções de terapias experienciais, o corpo sensações de terapias
somáticas, as imagens trabalho de terapias de hipnose e o entendimento contextual da teoria do sistema. Vamos ver
essa integração de orientações importantes ao longo de todo o texto. Como uma abordagem abrangente, todos os
procedimentos e protocolos de emdr são orientados para contribuir para o tratamento positivo efeitos através de
uma interação de contenção de cliente e de processamento de dados (ver também Shapiro, 1999, 2002a; Shapiro &
Laliotis, 2011). Cada tratamento é um efeito de interação do cliente, médico e método. Os médicos devem entender
como se preparar adequadamente seus clientes e permanecer em sintonia com suas necessidades individuais,
mantendo o sistema de processamento de informações ativado para que a aprendizagem pode ter lugar. Os médicos
devem tomar uma história abrangente para identificar as metas adequadas para o processamento e a défices de
desenvolvimento que podem ter de ser abordada. EMDR terapia tem-se revelado muito bem sucedida no tratamento
de trauma importante (Bisson, Roberts, Andrew, Cooper, & Lewis, 2013; Watts et al., 2013; veja o Capítulo 12), e as
observações de milhares de sessões de cliente ao longo dos últimos 30 anos mostram claramente que início de
experiências perturbadoras de todos os tipos negativos e similares podem ter efeitos duradouros. Por exemplo, se nós
permitimos que nossas mentes para ler de volta para a infância e trazer um humilhante incidente, muitos de nós
acham que nós ainda sentir o rubor da emoção, ou que o pensamento de que estava lá no momento em que surge
automaticamente. Sentimos nossos corpos vacilou. De acordo com o modelo de processamento de informação
adaptativa que orienta a prática de terapia EMDR (ver Capítulo 2), gostaríamos de dizer que este evento tem sido
insuficientemente tratados e que estas decorrentes automaticamente pensamentos, emoções e reações físicas pode
ser inapropriadamente colorir nossas percepções e ações em semelhantes circunstâncias actuais. Podemos reagir
negativamente a autoridade, grupos, novas experiências de aprendizado, ou seja o que for que aspectos são evidentes
na memória. Estes não são meramente respostas condicionadas, eles são respostas inerentes à memória armazenada.
Quando um evento tiver sido suficientemente transformados, nos lembramos, mas não a antiga experiência de
emoções ou sensações no presente. Somos informados pelos nossos memórias, não controladas por eles. Como
analisado em detalhe no Capítulo 2, os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) são armazenados
dysfunctionally claramente derivado de experiências deste tipo. Os pesadelos, flashbacks, pensamentos intrusivos e
altos níveis de excitação podem ser vistos como sinais deste Estado-dependentes. Vítimas sentir claramente os níveis
inadequados de medo e de impotência e de comportar-se em conformidade. No entanto, o EMDR terapia tem nos
mostrado nos últimos anos é que até mesmo eventos onipresente, como infância, humilhações e decepções, pode
deixar efeitos negativos duradouros comparáveis. Como eu discutir em detalhe no próximo capítulo, a investigação
tem apoiado estas observações clínicas. Embora os eventos adversos podem não reproduzem as imagens intrusivas
de PTSD, as emoções, crenças e sensações físicas surgem no corpo e mente, coloração apresentam percepções e
levando a infelicidade e comportamentos inadequados no presente. Em termos simples, o passado é presente.
Portanto, não importa se é um "T" grande evento traumático ou tept que precipita o mais onipresente "t" de pequenos
eventos que são galopante durante toda a infância. Há uma longa efeito negativo sobre si e psique. Pela definição de
dicionário é um "trauma" e, em termos de informationprocessing, é postulado a ser dysfunctionally armazenados
como um emocional/memória episódica, de uma forma que impede que, posteriormente, evoluindo para um
integrado utilizável/memória semântica. (Para uma discussão de sistemas de memória ver Alberini & LeDoux, 2013;
armony & LeDoux, 1997; Lane, Ryan, Nadel, & Greenberg, 2015; Schacter & Tulving, 1994; Squire, 2004; Stickgold,
2002; van der Kolk, 2014; van der Kolk, Hopper, & Osterman, 2001). A meta inicial de emdr terapia é para processar
essas experiências e ajudar a libertar o cliente para o presente. Para o clínico, praticando a importante distinção entre
uma forma adaptável processados e armazenados dysfunctionally um evento é que no primeiro caso, a aprendizagem
tem tido lugar e é armazenado com as emoções, capaz de guiar a pessoa no futuro. A memória armazenada
dysfunctionally ainda tem dentro dela algumas das percepções sensoriais e pensamentos que estavam lá no momento
do evento. Essencialmente, a perspectiva da infância é bloqueado no lugar e faz com que a pessoa a perceber o
presente de um ponto vantage de defectiveness semelhantes (por exemplo, "Eu sou unlovable/não é bom o
suficiente"), a falta de segurança, ou a falta de controle. Os médicos a observar esta cada dia em suas práticas: Os
Clientes "conhecer" não deve estar se sentindo sem esperança ou impotente ou amados, mas eles fazem. Eles podem
deslizar para a inflexão da infância, quando se fala de experiências anteriores. Existe uma discrepância entre o que
querem fazer e o que eles podem fazer; entre as possibilidades disponíveis e sua capacidade de perceber e agir sobre
eles. O emdr clínico deve, por conseguinte, identificar os eventos que têm sido dysfunctionally armazenados e são
baixa estatura e coloração presente do cliente percepções (Shapiro, 2007, 2014a; Shapiro & Forrest, 1997/2016) e
auxiliar no tratamento. Essencialmente, EMDR, facilita a aprendizagem multidimensional no emocional, cognitivo, e
os níveis fisiológicos. Indivíduos que sofrem de eventos traumáticos que participou em numerosos estudos PTSD
controlada, e aqueles que sofreram eventos adversos da vida contribuir para outros distúrbios, alcançaram melhorias
rápidas através de emdr terapia, trazendo-os para a faixa "normal" em uma ampla variedade de medidas (consulte o
capítulo 12 para uma revisão de investigação). Indicadores de auto-eficácia e o bem-estar tem aumentado, enquanto
ansiedade e depressão têm diminuído. Os mesmos indicadores são evidentes na prática clínica geral e parecem apoiar
a teoria de que a transformação de experiências de infância também dysfunctionally armazenada permite ao cliente
tornar-se plenamente, de forma abrangente, um adulto; isto é, parece que a maioria das características disfuncionais
exibido todo o espectro de distúrbios psicológicos pode ser visto como sendo aterrados em contribuintes experiencial.
Claramente, a interação entre predisposição genética e as circunstâncias comprometer resiliência, tais como a fadiga,
o abuso da substância, e assim por diante, todos desempenham um papel no quadro clínico. Supõe-se que algumas
doenças, como certos tipos de depressão, pode ser causado apenas por deficiências orgânicas e não seriam candidatos
adequados para tratamento EMDR. Mas a pesquisa e experiência clínica indicam que a maioria das patologias,
incluindo algumas formas de depressão, são forjadas por experiências anteriores que contêm afeta de "impotência",
"desespero", ou qualquer um de todo o espectro de emoções que constituem um sentido de auto-difamação e falta
de eficácia pessoal. Embora não é uma panaceia, o papel específico da EMDR terapia é para ajudar a metabolizar os
contribuintes experiencial para apresentar disfunção, que pode variar de facilmente identificados incidentes críticos
tais como estupros e assaltos, através do mais inócua aparente de interações negativas com familiares, colegas,
professores, e outros estranhos, que deixaram um duradouro efeito negativo. Para muitos de nossos clientes, parece
que simplesmente processar estas experiências anteriores permite que as conexões cognitivas e emocionais que
devem ser feitas e comportamentos adaptativos para emergir espontaneamente, junto com idéias e conceitos auto-
positivo. No entanto, para os clientes que têm sido negligenciadas e mal abusado na infância, também é importante
para determinar o desenvolvimento, o windows pode ter fechado antes de importantes infra-estruturas definidas no
lugar. A criança traumatizada aprenda a constância do objeto, ou será que precisam ser ensinados durante a terapia?
O que o médico tem que modelo para o cliente? Que experiências terão de ser criados para permitir que padrões de
relacionamento saudável para sair? Uma vez que tais interacções positivas são forjadas dentro da relação terapêutica,
também eles se tornam armazenado em memória e pode ser melhorada através do emdr procedimentos. Como
terapeutas, devemos ter cuidado para ver nossos clientes como seres complexos funcionando em todos os níveis de
detecção, pensar, sentir, agir, e acreditar. E não podemos estar satisfeitos com a simples eliminação do sofrimento
manifesto. Nossos clientes merecem mais do que isso. Eles merecem a capacidade de amar, de bond, para excel, e, se
eles escolherem, para encontrar o desejo de servir os outros. Eles merecem todos os atributos que Maslow (1970),
descrita como auto-realização. Para isso, usamos um padrão de três frentes de terapia de emdr protocolo para
proporcionar a todos os clientes um tratamento abrangente do passado, presente e futuro. Espera-se que ninguém é
considerado dispensável. Percorremos um longo caminho desde os dias quando a mente era visto apenas como uma
"caixa preta". NEUROPSICÓLOGOS de desenvolvimento têm demonstrado que a negligência e falta de apego durante
a infância podem levar a uma falta de organização cortical necessário para auto-soothing e auto-regulação (Schore,
1997, 2001, 2015; Siegel, 2002, 2012, 2016). Estas e outras constatações informaram a prática clínica e resultou em
uma forte ênfase sobre a necessidade de estabilização inicial desses clientes e o uso de protocolos de emdr para
melhorar seu acesso a afeta positiva e experiências (Korn, 2009; Shapiro & Laliotis, 2015; wesselmann & Shapiro, 2013;
ver Capítulo 11). Embora o grau de correção possível para os clientes mais gravemente abusada ainda não foi
determinada, deve-se ressaltar que os achados neurobiológicos prejudiciais não são necessariamente permanente.
Com o advento da tomografia de emissão de fóton único (SPECT), tomografia computadorizada, ressonância
magnética funcional (fMRI), e uma maior compreensão de neurotransmissores, estudos indicam que as alterações
biológicas que ocorrem posteriormente à EMDR transformação (por exemplo, Bossini, fagiolini, & Castrogiovanni,
2007; Heber, Kellner, & Yehuda, 2002; Landin-Romero et al., 2013; Lansing, Amém, Tom Hanks, e Rudy, 2005; Levin,
Lazrove, & van der Kolk, 1999; ver Capítulo 12). A utilidade da terapia EMDR é encontrado em sua capacidade de
permitir mudança relativamente rápida, de modo que as intervenções podem ser rapidamente avaliada e terapêuticas
correcções efectuadas. No entanto, a verdadeira força do emdr terapia é encontrado em sua abordagem integrada ao
tratamento. A sabedoria de todas as orientações da psicologia é necessária para certificar-se de que ninguém é
deixado para trás. O objetivo da terapia de emdr é atingir o mais profundo e abrangente, os efeitos do tratamento
possível no menor período de tempo, mantendo a estabilidade do cliente dentro de um sistema equilibrado. No
entanto, essas mudanças devem idealmente manifestam-se em todos os níveis do ser e do funcionamento. Nosso
trabalho como os médicos se torna mais abrangente e texturizados, que vão além de modelos unilateral e tratar a
pessoa como um todo, no contexto de um sistema social. Embora muitos médicos compartilham a noção de que eles
devem promover a unidade do cliente para aprimoramento pessoal, a principal ênfase do campo da psicologia tem
sido direcionada para o desenvolvimento de um sistema de classificação padronizada de sintomas evidentes e
distúrbios específicos. A pesquisa tem sido direcionada para a identificação de características do paciente e a resposta
estilos e, secundariamente, para os ensaios de vários tratamentos para os distúrbios do designado. A pesquisa mostrou
controlada EMDR terapia a ser eficaz no tratamento do tept, e há uma clara necessidade de avaliar EMDR e todas as
outras formas de psicoterapia em uma infinidade de outras aplicações. Menos de 20 anos atrás, revisores
independentes da American Psychological Association Task Force on 12 Divisão suportadas empiricamente
tratamentos (chambless et al., 1998) indicou que de todas as centenas de diagnósticos e terapias, cerca de 12 técnicas
foram consideradas "bem estabelecida" controlado por condições isoladas para investigação, que incluiu "dores de
cabeça" e "lidar com estressores." Em outras palavras, naquela época, quase todas as condições listadas no Manual
Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais não tinha bem estabelecidos, apoiado empiricamente o tratamento.
Até à data, as avaliações dos tratamentos através de estudos clínicos randomizados para uma ampla gama de
distúrbios ainda estão em necessidade de melhoria (beutler & Forrester, 2014; huhn et al., 2014). Sugestões para essa
pesquisa são exploradas no capítulo 12 e Apêndice C. UMA CHANCE DISCOVERY embora o papel do movimento do
olho tinha sido bem documentados em conexão com os processos cognitivos superiores e função cortical (Amadeo &
Shagass, 1963; Antrobus, 1973; Antrobus, Antrobus, & Singer, 1964; Gale & Johnson, 1984; Leigh & Zee, 1983; Fisher,
Monty, e remetentes, 1978; Monty e remetentes, 1976; Ringo, Sobotka, Diltz, & Bruce, 1994) e, na verdade, haviam
sido previamente identificados como correlacionados com uma mudança no conteúdo cognitivo (antrobus et al.,
1964), sua utilização em EMDR terapia é baseada na observação de uma chance eu fiz na primavera de 1987. Ao andar
um dia, percebi que alguns pensamentos perturbadores que eu estava tendo de repente desapareceu. Notei também
que quando eu trouxe esses pensamentos de volta à mente, não eram tão desagradável ou tão válida quanto antes.
Experiência anterior tinha me ensinado que pensamentos perturbadores têm geralmente uma certa "loop" para eles;
isto é, eles tendem a reproduzir-se mais e mais até que um conscientemente faz algo para parar ou alterá-los. O que
chamou minha atenção naquele dia foi que meus pensamentos perturbadores foram desaparecendo e mudar sem
qualquer esforço consciente. Fascinado, eu comecei uma atenção muito particular para o que estava acontecendo. Eu
notei que quando pensamentos perturbadores entrou em minha mente, meus olhos, espontaneamente, começou a
se movimentar muito rapidamente para trás e para frente, para cima, na diagonal. Novamente, os pensamentos
desapareceram, e quando eu os trouxe de volta à mente, sua carga negativa foi bastante reduzido. Nesse ponto eu
comecei fazer os movimentos oculares, deliberadamente, enquanto se concentra em uma variedade de pensamentos
e memórias perturbadoras, e eu achei que estes pensamentos também desapareceu e perdeu a sua carga. Meu
interesse cresceu como eu comecei a ver os benefícios potenciais deste efeito. Alguns dias mais tarde, eu comecei a
experimentar com outras pessoas: amigos, colegas, e os participantes nos workshops de psicologia que eu estava
participando. Eles tinham uma vasta gama de nonpathological queixas e, como o resto da população, tinham
quantidades variáveis de psicoterapia. Quando eu perguntei: "O que você quer trabalhar?" As pessoas trouxeram
lembranças perturbadoras, crenças, e apresentar situações, com denúncias que vão desde a infância as humilhações
para apresentar-dia frustrações. Então eu lhes mostrou como eu tinha movido meus olhos rapidamente para trás e
para a frente, e pedi-lhes para duplicar os movimentos dos olhos, enquanto, simultaneamente, mantendo os seus
problemas em mente. A primeira coisa que descobri foi que a maioria das pessoas não têm o controle muscular para
continuar o movimento do olho para qualquer comprimento de tempo. Ainda determinada a investigar, pedi-lhes para
seguir meus dedos com os seus olhos como eu movi minha mão para trás e para a frente, até que os seus movimentos
oculares duplicada a velocidade e a direção eu tinha usado naquele dia no parque. Isto funcionava muito melhor. No
entanto, a próxima coisa que eu descobri foi que as pessoas iriam começar a se sentir melhor, mas, em seguida, iria
ficar preso no material perturbador. Para superar esta dificuldade, eu tentei diferentes tipos de movimentos dos olhos
(mais rápido, mais lento, em diferentes direções) e pediu que as pessoas a concentrar-se em uma variedade de coisas
diferentes (por exemplo, diferentes aspectos da memória ou da maneira que os fez sentirem-se). Como procedemos,
eu comecei a aprender que estratégias foram mais susceptíveis de obter resultados positivos e completa. Além disso,
comecei a encontrar maneiras padrão de abertura e encerramento das sessões que parecia contribuir para efeitos
positivos. Em suma, trabalhando com cerca de 70 pessoas ao longo de cerca de 6 meses, eu desenvolvi um
procedimento padrão que consistentemente conseguiu aliviar as suas queixas. Porque meu foco principal era reduzir
a ansiedade (como que tinha sido a minha própria experiência com os movimentos dos olhos) e a minha principal
modalidade na época era comportamentais, eu chamei o procedimento "dessensibilização" do movimento do olho
(EMD). O primeiro estudo controlado no inverno de 1987 eu decidi ver se EMD seria bem sucedido em condições
controladas. No meu trabalho inicial eu tinha usado EMD mais facilmente e mais eficazmente com antigas lembranças.
Por isso, decidi que para o meu primeiro estudo oficial eu queria encontrar um grupo homogêneo de pessoas que
tinham dificuldade com antigas lembranças. As pessoas que primeiro me veio à mente foram vítimas de estupro,
vítimas, molestação e Vietnam Veterans que aplicar o diagnóstico de tept, como definido pelo então atual terceira
edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-III; American Psychiatric Association, 1980).
Inicialmente, esta parecia ser uma população ideal por causa de suas antigas lembranças, mas havia um porém: eu
não sabia se os procedimentos revelar-se eficaz na resolução de memórias traumáticas, na medida em que eu não
tinha tentado-los com quaisquer condições patológicas. O que se o cérebro armazenados memórias traumáticas de
maneira diferente? E se eles não poderiam ser acessados pelos procedimentos da maneira que perturbar, mas
nontraumatic memórias poderia? Para testar se a EMD iria trabalhar com pessoas que tinham memórias traumáticas,
decidi encontrar um voluntário que sofreram traumas de combate. "Doug" foi um conselheiro em um programa de
divulgação veteranos local. Embora ele foi muito bem ajustado e bem-sucedido, ele tinha uma memória recorrente
que continuou a perturbar-lo tremendamente. Em uma excursão do dever no Vietnã, em 1960, Doug tinha servido
como um soldado de infantaria. Um dia, enquanto ele estava a descarga soldados mortos de um helicóptero de
resgate, um amigo veio e lhe deu muito desagradável notícia sobre um dos organismos a que ele tinha acabado de
manipulados. Perguntei Doug para manter a memória daquele momento em sua mente enquanto ele seguiu a minha
mão com os olhos. Ele fez isso, e depois de dois ou três conjuntos de movimentos dos olhos, ele relatou que o cenário
havia mudado: a parte da memória auditiva haviam desaparecido. Em vez disso, tudo o que ele viu foi seu amigo boca
se movendo; nenhum som saiu. Depois de vários conjuntos de movimentos dos olhos, Doug me disse que a cena foi
transformado em seu olho da mente até que ele parecia "um chip de pintura sob a água" e que ele agora se sentia
calmo. "Eu posso finalmente dizer a guerra acabou e eu posso dizer a todos para ir para casa", disse ele. Mais tarde,
quando eu pedi-lhe para pensar do Vietname, a imagem que surgiu foi-em vez de corpos mortos-a memória da
primeira vez que ele tinha voado sobre o país, quando ele tinha olhado para ele como "um jardim paraíso." Esta foi a
primeira vez em 20 anos que o Doug tinha lembrado que a imagem positiva do Vietname. Nossa experiência juntos foi
tão bem sucedido que outros veteranos foram encaminhados para tratamento na Veterans Outreach Center. Nos
próximos meses, eu trabalhei com um número de outros veteranos que estavam sofrendo com sintomas de PTSD por
mais de 10 anos. Em algumas sessões, que também atingiu o alívio. Importante, os efeitos durou. Por exemplo, 6
meses mais tarde, quando eu chequei novamente com Doug, ele me disse que tinha mantido os efeitos positivos. A
PERTURBADORA imagem não se imiscuiu desde o seu tratamento. Além disso, deliberadamente, quando ele
recuperou a memória, parecia que o "chip de pintura", e ele sentiu nenhuma aflição quando ele a viu. Meu sucesso
com Doug e os outros veteranos no centro pareciam confirmar que décadas de idade, memórias traumáticas podem
ser acessados e resolvidas pelo método. Com esse incentivo, comecei um estudo controlado com 22 vítimas de
estupro, molestação, ou combate Vietnã que estavam sofrendo de memórias traumáticas. Os sujeitos foram
aleatoriamente designados para um tratamento ou controle. Eu usei EMD com o grupo de tratamento, e eu dei os
sujeitos do grupo controle placebo por pedindo-lhes para descrever sua memória traumática em detalhe. Eu
interrompido sujeitos em ambos os grupos, aproximadamente o mesmo número de vezes para marcar o nível de
ansiedade e de feedback, utilizando as mesmas perguntas (por exemplo, "o que você ganha agora?"). O objetivo de
ter um grupo de controle foi permitir a possibilidade de efeitos positivos resultantes dos sujeitos apenas de passar a
dirigir a atenção de um pesquisador e gastar uma quantidade similar de tempo expostos à memória. Esta exposição,
em que o sujeito detém a consciência focada em memória por um tempo prolongado, pode ser considerada como um
estado "flooding", como era conhecido na época, mas eu considerei um condição placebo, pois o tratamento positivo
não são esperados efeitos terapêuticos com exposição direta (DTE) de uma única sessão de duração (Keane &
Kaloupek, 1982). Eu perguntei os indivíduos de ambos os grupos para me dizer sobre a imagem perturbadora da sua
memória traumática, juntamente com o que os pensamentos negativos e crenças que eles tinham sobre a situação ou
a sua participação no mesmo (por exemplo, "Eu estou sujo", "Eu sou inútil", ou "Eu não estou no controle"). Eu chamei
este a "cognição negativa." Então eu perguntei temas para chamar a memória e a cognição e a taxa negativa para o
seu nível de ansiedade, utilizando um ponto de 11 Unidades subjetivas de perturbação (SUD), em que 0 representa
"neutro" e intensidade 10 é igual a "Ansiedade" mais alto possível (Wolpe, 1991). Também perguntei assuntos a
verbalizar um pensamento positivo ou crença que gostariam de ter sobre si mesmos (por exemplo, "Eu sou a pena",
"estou no controle," ou "Eu fiz o melhor que pude"). Por último, perguntei-lhes para classificar como verdadeiro
sentiram esta opinião positiva foi por meio de um 7-ponto de escala de diferencial semântico-designada a validade de
Cognição (COV), em que 1 representa "completamente falso" e 7 significa "totalmente verdadeira." Eu advertiu temas
para usar seu sentimento do gut como base para seu julgamento, em vez de alguma análise intelectual. O grupo de
tratamento mostrou duas mudanças notáveis: redução dos níveis de ansiedade, mostrando um pronunciado efeito de
dessensibilização, e houve um aumento marcado nas percepções dos sujeitos como verdadeiro as suas crenças eram
positivos, mostrando uma forte reestruturação cognitiva. Inicialmente, o grupo controle apresentou aumento da
ansiedade, que foi consistente com as respostas às fases iniciais de alagamento procedimentos encontrados por outros
pesquisadores (Boudewyns & Shipley, 1983). Além disso, como o controle da ansiedade dos sujeitos aumentou, não
era incomum para o seu senso de auto-eficácia para diminuir. Por motivos éticos, EMD foi administrada ao grupo
controle após terem participado na condição placebo, e positivo, os efeitos do tratamento foram obtidos com o atraso
na condição de tratamento. Os efeitos do tratamento positivo, mantida em 1 e 3 meses de seguimento, indicaram que
a dessensibilização substancial reestruturação cognitiva, pronunciado de percepções sobre o evento traumático, e
uma diminuição nos sintomas primários foram alcançados. Por exemplo, queixas de distúrbios do sono foram
grandemente reduzida. Um sujeito que tinha uma história ao longo de um ou dois sonhos violentos, temeroso por
semana relataram que ele tinha uma violenta sonho na noite seguinte tratamento DO EMD, mas que nesta ocasião
ele tinha sentido no medo e no sonho tinha "ritualmente curvou-se para [seu] Samurai inimigos." Eles tinham, em
seguida, "uniram-se", e ele não tinha medo de violência subseqüente ou sonhos. Ele afirmou que este foi, tanto quanto
ele podia se lembrar, o primeiro período de sua vida na qual ele não tinha pesadelos e sentiu consistentemente "bom
e confiante, sem pausas." Sua esposa corroborou que deixou thrashed ao redor na cama. Um veterano do Vietnã que
tiveram flashbacks, pensamentos intrusivos e pesadelos para 21 anos sobre um incident particular também relataram
apenas um pesadelo subsequentes, que tinha "sem energia." Além disso, ele confessava, "Eu percebi que a pessoa no
sonho cortando minha garganta estava comigo." Ele não tinha outros sonhos assustadores. Ele reconheceu que tinha
pensamentos intrusivos ocasionais, mas alegaram, "Nenhum tem poder mais." Ele também descreveu a si mesmo
como mais calmo em todos os assuntos relacionados e memórias. Embora o estudo foi falho pela falta de padronização
das medidas e avaliações cegas, apenas um outro estudo controlado (com semelhante confunde) tinha sido publicada
com essa população (peniston, 1986). Ele havia relatado efeitos moderados após 45 sessões de biofeedback-assistida
de dessensibilização sistemática. Por isso, juntamente com outros dois estudos sobre a exposição prolongada therapy
publicado no mesmo ano, que encontraram 30% a redução dos sintomas, a emdr pesquisa piloto tornou-se um dos
primeiros publicados estudos controlados avaliando sintomatologia de PTSD (Rebelo, 1989a). Outras observações
clínicas e experimentais durante os 28 anos desde que a pesquisa-piloto inicial (Rebelo, 1989a), mais de 20 estudos
controlados e randomizados de emdr têm sido publicados que comprovam a sua eficácia (ver bisson et al., 2013;
maxfield & Hyer, 2002; rodenburg, Benjamim, de Roos, Meijer, & Stams, 2009; Watts et al., 2013; ver também
Apêndice D). Por conseguinte, as práticas da Sociedade Internacional para estudos de stress traumático terapia EMDR
designado como um tratamento eficaz para a PTSD iniciado em 2000 (Shalev, Friedman, Foa, & Keane, 2000) e
continuaram a fazê-lo (Foa, Keane, Friedman, & Cohen, 2009), juntamente com muitas outras organizações, tanto
nacionais (por exemplo, o Department of Veterans Affairs e o Departamento de Defesa, 2017) e internacionais (por
exemplo, Organização Mundial da Saúde, 2013). Uma revisão da pesquisa controlada existentes e sugestões para
futuras investigações são abordadas em detalhe no Capítulo 12, após a metodologia é mais totalmente explicado. Para
além da pesquisa controlada, bem sucedido resultados clínicos obtidos com emdr indicam a ampla gama de sua
aplicabilidade (ver também o Apêndice D). Desde o primeiro estudo de eficácia (Rebelo, 1989a), os resultados
terapêuticos positivos com emdr têm sido relatados com uma ampla variedade de populações, como documentado
em inúmeros relatórios e estudos de caso (ver também o Capítulo 12). Estes incluem os seguintes: PTSD diversas
populações que sofrem de trauma da guerra, como, por exemplo, combater a Tempestade no Deserto, veteranos da
Guerra do Vietnã, a Guerra da Coreia, e a II Guerra Mundial, e terroristas vítimas e refugiados. Pessoas com fobias,
pânico e outros transtornos de ansiedade, que revelou uma redução rápida do medo e da sintomatologia. Vítimas de
Crime, policiais e socorristas que deixaram de ser perturbado pela Aftereffects de assaltos violentos. Pessoas aliviado
do sofrimento excessivo devido à perda de um ente querido ou a linha-ofduty mortes, como engenheiros não mais
devastada com culpa porque seus comboios inevitavelmente mortos peões. Crianças curado dos sintomas causados
pelo trauma do assalto ou catástrofe natural. As vítimas de agressão sexual que são livres de sintomas debilitantes,
permitindo-lhes levar uma vida normal e ter relações íntimas. Acidente, cirurgia, e vítimas de queimaduras que uma
vez foram emocionalmente ou fisicamente debilitados e são agora capazes de retomar a vida produtiva. Vítimas de
disfunção sexual, que agora são capazes de manter relações sexuais saudáveis. Os clientes em todas as fases da
dependência química e outras dependências, que agora mostram recuperação estável e uma diminuição da tendência
à recidiva. Clientes com trauma agudo e uma ampla variedade de PTSD e traumas de personalidade baseados em
problemas que experimentam benefícios substanciais. Pessoas com ansiedade de desempenho e aqueles que buscam
aprimoramento de desempenho nos negócios, artes do espectáculo, escola, e atividades esportivas que tenham
beneficiado. Pessoas que sofrem de distúrbios somáticos ou dor crônica, que se recuperou rapidamente. Clientes com
diagnóstico de transtornos de personalidade ou complexos TEPT, que mostram maior acordo de estabilização e de
funcionamento. Clientes com depressão e uma grande variedade de outros diagnósticos, que experimentaram
substancial benefício de emdr. Mudança de paradigma, como observei na minha relatórios anteriores (Rebelo, 1989a,
1989b), inúmeros procedimentos que apareceu para ser responsável para o tratamento positivo I efeitos alcançados
no estudo inicial não poderia ser incluído na página de artigos por causa de restrições. O contínuo aperfeiçoamento
desses procedimentos e a subsequente avaliação de centenas de relatos de médicos treinados conduziu à plena
realização que os procedimentos ideais provocou a reestruturação cognitiva e dessensibilização simultânea de
memórias, a espontânea de insights, e um aumento na auto-eficácia, os quais pareciam ser subprodutos do
processamento adaptativo de lembranças perturbadoras. Esta constatação levou a minha renomeando a terapia de
dessensibilização do movimento do olho e reprocessing (EMDR). A mudança de nome da EMD de emdr em 1990 incluiu
uma mudança pessoal na orientação, desde a fase inicial de formulação comportamental de simples dessensibilização
de ansiedade para mais um paradigma integrativo de processamento de informações. Este paradigma inclui a
aplicação para a prática clínica da terminologia e alguns dos conceitos de processamento da informação e de redes
associativas originalmente apresentado por Lang (1977) e Bower (1981). Apesar de um certo número de outras teorias
de processamento de informações fundamentais têm um grande mérito (Barnard & Teasdale, 1991; Chemtob,
Roitblat, Hamada, Carlson, & Twentyman, 1988; Foa & Kozak, 1986; Horowitz, 1979, 1998; Litz & Keane, 1989;
McClelland, 1995; Rachman, 1978, 1980; Teasdale, 1999), o EMDR-modelo de processamento de informação é
geralmente compatível tanto com eles e distintos em seus elementos e aplicações. Embora todos os modelos de
processamento de informações são inerentemente especulativa, dão lugar, espera-se, para uma maior compreensão
dos princípios que regem a percepção e a integração de novas informações em estruturas conceituais existentes e
emocional. Sua utilidade reside na sua capacidade não só de explicar mas também para predizer desfechos clínicos.
No entanto, embora o modelo individual, muitas vezes, determina certas aplicações clínicas, o sucesso das aplicações
clínicas não "provar" o modelo, com exclusão de todos os outros. Cada modelo evoca um conjunto de princípios que
podem levar a efeitos do tratamento positivo sob condições predeterminadas. A aventura reside em encontrar
exceções à regra e formulação de princípios para explicar e elucidar fenômenos clínicos que se encontram fora dos
resultados previstos. A dessensibilização formulação comportamental eu inicialmente utilizado para EMD certamente
resultou em efeitos positivos, mas eu achei que não poderia explicar uma série de fenômenos clínicos suficientemente,
nem poderia conta para o sucesso clínico de uma variedade de aplicações. Isto não é incomum. Em geral, cada modelo
também prevê os tipos de aplicações clínicas necessárias para obter efeitos, e uma série de tratamentos existentes
têm comprovado sua utilidade. Por exemplo, o "mindfulness" aplicações elucidados por teasdale (1999) ter recebido
apoio empírico em aplicação clínica da terapia cognitiva baseada em mindfulness (por exemplo, Piet & Hougaard,
2011; Kimbrough, Magyari, Langenberg, Chesney, & Berman, 2010), e os princípios defendidos pelo rachman (1980) e
Foa e Kozak (1986) ter recebido apoio empírico através da aplicação de terapia de exposição prolongada, que tem sido
validado empiricamente, em numerosos estudos (ver McLean, Asnaani, e Foa, 2015). No entanto, embora os princípios
e práticas mindfulness esposada por teasdale (1999) pode ser facilmente identificada em EMDR práticas (ver Capítulo
5), os outros, também contraindicassem valiosas teorias, práticas que se revelaram sucesso em EMDR terapia. Por
exemplo, listas de rachman (1978) silêncio, distrações e breves apresentações entre as práticas que impeçam o
processamento e cores vivas, longo, e repetidas apresentações como promover a transformação. Essas formas de
aplicação clínica são também propostos pela Foa e Kozak (1986), Foa e McNally (1996). No entanto, como veremos,
EMDR usa silencioso, breves exposições para sempre mudando e muitas vezes difundem a estímulos internos, junto
com uma fonte externa de atenção, o que poderia ser considerado uma "distração." Na verdade, segundo alguns
pesquisadores, a exposição "na terapia de exposição estritamente a utilização de muitos dos ['uma série de
componentes de tratamento EMDR essenciais'] é considerado contrário à teoria" (Boudewyns & Hyer, 1996, p. 192).
Portanto, apesar de não diminuir a importância das terapias de exposição, as condições de princípios que regem a sua
utilização, não aparecem para predizer ou explicar EMDR práticas ou os fenômenos clínicos que são geralmente
observados (McCullough, 2002; Rogers & Silver, 2002; veja o Capítulo 12 para uma discussão mais detalhada). O
modelo de processamento de informação que orienta EMDR prática foi baseada principalmente sobre esses
fenômenos clínicos observados, incluindo a rápida melhoria dos sintomas associados com resistência anterior
distúrbios como o transtorno dismórfico corporal (Brown, McGoldrick, & Buchanan, 1997), dor de membro fantasma
(Shapiro & Forrest, 1997/2016), TEPT (ver capítulo 12). A aplicação bem sucedida de emdr para casos de dor de
membro fantasma pode ser um útil ponto de contexto. Embora tenha sido relatado que como muitos como 85% dos
amputados sofrer dor de membro fantasma (Hsu & Cohen, 2013; melzack, 1992), alguns tratamentos têm oferecido
consistentes ou resultados duradouros (niraj & Niraj, 2014). O modelo de processamento de informação adaptativa,
no entanto, previu a possibilidade de tratamento com efeitos positivos da aplicação de emdr, que mais tarde foram
obtidos clinicamente por profissionais independentes (por exemplo, de Roos et al., 2010; Russell, 2008a; Schneider,
Hofmann, Rost, & Shapiro, 2007; Wilensky, 2006). Basicamente, dor de membro fantasma pode ser visto como uma
manifestação da memória somática armazenados. O fato de que a dor ainda é percebido em um membro ausente é
um exemplo perfeito de armazenamento de memória disfuncional. Uma vez que o agente etiológico e a memória de
sensações de dor são alvejados com emdr o processamento, a dor, em geral, competências. Este exemplo da
necessidade de catalisar o processamento de informação de uma memória armazenados podem servir como um ícone
para tratamento EMDR geral. Tão por muito tempo como a memória é armazenada, o Dysfunctionally negativos e
sensações físicas são mantidos independentemente da consciência cognitiva que não há nenhum membro ou, em
outras patologias, não há necessidade de medo e sofrimento. Observação de muitas sessões de tratamento EMDR
identificou certos padrões de processamento de informação e memória associação que levaram à formulação de
certos princípios, que, por sua vez, orientou o contínuo desenvolvimento e aperfeiçoamento da prática específica, os
protocolos e os procedimentos do emdr terapia. Um princípio que é fundamental a prática de EMDR (mas não
especificados em outras teorias de processamento de informação), e o que é sugerido por uma aplicação coerente
dos procedimentos, é que existe um sistema inerente a todos nós que é fisiologicamente orientadas para processar
informação para um estado de saúde mental. Por meio desse sistema, as emoções negativas são aliviadas, e
aprendizagem decorre, é integrado de forma adequada, e está disponível para uso futuro. Em outras palavras, quando
o sistema estiver funcionando corretamente, o processamento resulta em uma resolução adaptativa da inquietante
ou assustador memórias. O sistema pode tornar-se desequilibrada devido a um trauma ou estresse gerados durante
um período de desenvolvimento, mas uma vez que está devidamente ativado e mantido em um estado dinâmico por
meio de emdr terapia, ela pode transmutar rapidamente informações para um estado de resolução apropriada
terapeuticamente. A dessensibilização, insights, espontânea, reestruturação cognitiva e associação afeta positiva e
recursos são vistos como subprodutos do reprocessamento adaptativo em um nível neurofisiológico. A invocação de
um nível neurofisiológicos é um simples reconhecimento de que este é o lugar onde toda a mudança finalmente
ocorre. Não é suposto para ser específico de emdr terapia; em vez disso, qualquer forma de terapia bem sucedida é,
em última análise, correlacionados com uma mudança neurofisiológicos. Tal mudança NEUROFISIOLÓGICOS é explícito
em modelos informando a exposição prolongada terapias (Foa & Kozak, 1986; Marks, Lovell, Noshirvani, livanou, e
Thrasher, 1998) e implícita em alguns modelos psicodinâmicos (Horowitz, 1979). O processamento da informação
também retoma o meu paradigma realizado orientação comportamental, que incluiu o reconhecimento da interação
do material aprendido, respostas condicionadas, fisiológicas concomitantes, e a habilidade do terapeuta para intervir
de forma estruturada, para behaviorally resultados observáveis. Na verdade, muitos podem optar por interpretar
behaviorista terapia EMDR unicamente em termos de condicionamento e/ou exposição (veja o Capítulo 12 para uma
discussão sobre o paradigma de exposição), e muitos princípios do condicionado e exposição são de fato compatíveis
com emdr terapia. No entanto, a investigação ao longo da última década tem derramado muita luz sobre os
mecanismos subjacentes da EMDR terapia, e enquanto há mais a ser revelado, atualmente os médicos precisam de
maior utilidade heurística clínica que podemos oferecer. O paradigma de processamento de informações, que tenho
chamado de "modelo de processamento de informação adaptativa", fornece um caminho tanto para explicar os
efeitos do tratamento da terapia EMDR e predizer com sucesso a aplicação adequada da terapêutica para uma
variedade de apresentar problemas. Os parâmetros desse modelo são brevemente descritos na próxima seção. Uma
discussão mais ampla é oferecido no Capítulo 2. Processamento de Informação Adaptativa o processamento de
informação adaptativa (AIP) modelo foi desenvolvido para explicar a rapidez com que resultados clínicos são
alcançados com a terapia EMDR e a coerência dos muitos padrões de resposta a ele. Com base na observação de
milhares de sessões de tratamento terapia EMDR, o paradigma de dessensibilização anterior foi substituído por este
modelo, o que não só não explica os resultados do tratamento de forma mais eficaz, mas também mais prediz com
precisão os efeitos clínicos benéficos quando certas variações são utilizados. Portanto, a aplicação terapêutica de
princípios, protocolos e procedimentos coerentes com o modelo AIP resulta em maiores efeitos de tratamento do que
os produzidos pelo descrito inicialmente EMD (Rebelo, 1989a, 1989b); isto é, os princípios que norteiam os
procedimentos, muitas vezes, estabelecer os parâmetros das aplicações clínicas. Afirmou brevemente, AIP respeita a
maioria das patologias, como os derivados de anteriores experiências de vida que pôs em marcha um contínuo padrão
de afectar, comportamentos, cognições, e consequente estruturas de identidade. (I explorar isso em detalhes no
Capítulo 2.) A estrutura patológica é inerente na estática, insuficientemente tratados informações armazenadas no
momento do evento perturbador. Em todo o espectro clínico, que vão desde simples PTSD e fobias para condições
mais complexas, tais como transtornos de pânico, algumas formas de depressão, dissociação e transtornos de
personalidade, a patologia é visto como configurado pelo impacto das experiências anteriores que são mantidos no
cérebro em formulário específico. A continuação da influência dessas primeiras experiências é devido, em grande
parte, à atual eliciar a estímulos negativos e crenças incorporados nestas memórias. Apesar de um cliente pode ser a
memória de um evento real e de comportamento que pode então ter sido adequada para a situação preocupante, a
falta de uma adequada assimilação significa o cliente ainda está a reagir emocionalmente e behaviorally de maneira
consistente com o anterior incidente perturbador. Por exemplo, uma criança pode, compreensivelmente, sentir medo
e falta de controle quando ameaçado por um adulto, mas uma reacção idêntica por um adulto a uma situação
semelhante é geralmente inadequada. Da mesma forma, um adulto pode sentir o medo e a falta de controle durante
um furacão, mas uma reação idêntica a uma brisa dura meses depois é patológico. A natureza disfuncional de
memórias traumáticas, incluindo a forma como eles são armazenados, permite que os negativos e crenças do passado
para permear o cliente no presente. A terapia EMDR processamento de tais memórias espontaneamente acessa redes
contendo informações fisiológicas adaptativas (ilustrado no Capítulo 2) e permite que o mais positivo e empowering
presente afetam e cognições para generalizar a memórias associadas em toda a rede neurofisiológicos e leva
espontaneamente a mais comportamentos adequados por parte do cliente. Patologias clínicas são, por isso, vistos
como passíveis de alterar se o médico metas adequadamente a informação que foi armazenada no cérebro
dysfunctionally. Mesmo pronunciado os transtornos de personalidade são vistos como susceptível de alteração por
força do reprocessamento as memórias que pôs em marcha as características disfuncionais; as memórias orientadas,
por exemplo, podem ser aqueles que fazem com que uma pessoa com uma personalidade paranóide para ser suspeito
de pessoas ou um com uma personalidade esquiva para se sentir inseguro. Além, é claro, de desenvolvimento e défices
experiencial são abordadas através de transformação e assimilação de informação positiva (ver Capítulo 8). Adotando
o modelo AIP pode facilitar a capacidade de muitos EMDR médicos treinados para atingir ambos os efeitos do
tratamento abrangente e substancial. Para alguns clínicos esta pode parecer ser uma natural integração de crenças já;
para outros, ele pode exigir uma mudança na conceptualização clínica. Há uma série de elementos críticos da proposta
de paradigma. Eu mencioná-los aqui, mas eles são mais completamente desenvolvido no Capítulo 2. 1. A possibilidade
de não intrusiva, directa, envolvimento com o fisiológico armazenados elementos patológicos. Observação dos efeitos
do tratamento EMDR sugere que as patologias são representados por informação disfuncional que é fisiologicamente
armazenados e que pode ser acessado e transformado diretamente, sem o uso de medicação. Por exemplo, em vez
de abordar a reação do cliente para o evento perturbador como o biofeedback, terapias de exposição, ou treinamento
de relaxamento do-EMDR terapia centra-se sobre a memória em si. A transmutação das informações na memória alvo
parece ocorrer espontaneamente, levando a uma alteração na reação do cliente. As observações de emdr-produzido
muda na memória em si e a forma como ele é armazenado são consistentes com conjecturas independente sobre as
diferentes manifestações da narrativa (declarativa) e memória (Lipke implícitas, 2000; Stickgold, 2002; van der Kolk,
2002, 2014). Por exemplo, antes de emdr de tratamento, os componentes da memória traumática alvo-imagem,
cognição, afeto, sensações físicas, muitas vezes parecem ser manifestado no Estado-específico e de forma
preocupante em que foram adquiridas. Alguns pesquisadores sugerem que tais memórias traumáticas são mantidos
em memória implícitas (por exemplo, van der Kolk, 1994, 2014; Stickgold, 2002). Após tratamento EMDR eficaz, no
entanto, as memórias são armazenadas com uma imagem menos perturbador, uma positiva, cognição e apropriado.
Além disso, não há atendimento perturbador sensações físicas. Talvez o tratamento da informação permite o seu
armazenamento adequado na memória semântica, um desenvolvimento que também significa liberdade de reações
patológicas. 2. Um sistema de processamento de informação que é intrínseca e adaptável. Parece que um sistema de
processamento de informações inato existe, e de que as patologias ocorrem porque este mecanismo é bloqueado.
Portanto, se a memória traumática é acessado e o sistema é ativado, a terapia com emdr a informação é levada para
uma resolução adaptativa. As observações de milhares de sessões de tratamento EMDR parecem confirmam esta
conjectura. Aparentemente, o sistema é configurado para processar as informações e restaurar a saúde mental no
muito a mesma maneira o resto do corpo é fisiologicamente orientadas para curar quando feridos. Essa crença é a
base para o modelo cliente-centrado principalmente de emdr terapia, que parte do princípio de que durante o EMDR
processando o cliente mudar cognições e afeta irá tornar-se mais adequado e adaptável, e mover-se para níveis ideais,
com o mínimo de intrusão de médico. A sugestão de que o trauma em si, de alguma maneira, provoca um desequilíbrio
que impede o tratamento adequado foi apresentado por Janet (1889/1973) e Pavlov (1927), e foi feita em estudos
sobre os efeitos de neurotransmissores (frick et al., 2016; Sullivan et al., 2013; van der Kolk, 1994, 2014; Watson,
Hoffman, & Wilson, 1988; zager & Black, 1985). Além disso, a hipótese de que a informação em si traumática se moverá
para um patamar positivo uma vez que o sistema é ativado cresceu a partir da observações consistentes de emdr
sessões de processamento. Por exemplo, não há relatos de vítimas de estupro que estão em paz com o evento e, em
seguida, mover através de emdr para um nível de auto-ódio. No entanto, vítimas de estupro que iniciam tratamento
em estado de vergonha e culpa evoluíram com completaram o tratamento de estados positivos, tais como a auto-
aceitação e paz. Embora EMDR clientes podem quebrar com sentimentos de dissociação e negação, e,
temporariamente, sentem-se mais perturbadas, esta é apenas uma fase de transição para a resolução saudável. Por
um lado, esse movimento em direção a um estado positivo quando o sistema de processamento de informação é
mantida de forma dinâmica através do uso de terapia EMDR é, sem dúvida, consistente com conjecturas por Rogers
(1951), Maslow (1970). Por outro lado, é também coerente com os pressupostos do modelo médico, medicamentos e
intervenções são usadas para desbloquear ou acelerar a propriedades de cura natural do corpo. EMDR no tratamento
do trauma, um análogo a cura é se o mecanismo de processamento de informação é desbloqueado. 3. Uma mudança
na identidade constrói como as informações incorporadas turnos. Como a informação preocupante é transformada,
há um concomitante mudança na estrutura cognitiva, comportamento, afetam, sensação, e assim por diante. A
experiência clínica demonstrou que, uma vez que são reprocessadas memórias específicas, o cliente do senso de auto-
estima e auto-eficácia muda automaticamente. Isto leva a novos espontaneamente, mais auto-reforço,
comportamentos. O modelo AIP defende que memórias disfuncionais subjacentes são principalmente responsáveis
por características de personalidade patológica, e que eles podem ser estruturalmente alterados. A teoria prediz com
precisão e é coerente com os achados de emdr clínicos (por exemplo, Brown & Shapiro, 2006; Fensterheim, 1996;
Mosquera, Leeds, & Gonzalez, 2014) que mesmo graves transtornos de personalidade (com a exceção óbvia de
condições de base biológica ou quimicamente) podem ser passíveis de mudança rápida, comparativamente, através
da focalização e o reprocessamento de memórias e atenção para a remediação de déficits de desenvolvimento. 4.
Uma liberação de limitações temporais previamente aceitos. EMDR terapia tem a capacidade de facilitar a profunda
mudança terapêutica em muito menos tempo do que tem sido tradicionalmente assumida para ser necessário,
independentemente do número de anos desde o evento traumático ocorreu. Em EMDR a ênfase está na clínica,
facilitando efeitos terapêuticos através da ligação de adaptativa redes neuro associativo no sistema de processamento
de informações. A proximidade destas redes fisiológica, logicamente, determina que os resultados do tratamento não
precisa ser rigidamente time-bound. Por exemplo, alguns estudos controlados demonstraram que 84% dos 100
singletrauma de tept foi eliminado dentro de 4,5 horas de tratamento (ver capítulo 12). Porque todas as modalidades
clínica pode ser definida como, em última análise, o trabalho com informações armazenadas no cérebro, o paradigma
de processamento de informações fornece uma abordagem integradora que pode incluir e interpretar aspectos chave
de diferentes modalidades, tais como, psicodinâmica, cognitivo comportamental, Gestalt, e terapias orientada para o
corpo (incluindo PSICOFARMACOLOGIA). Convergências teórico o uso do emdr terapia pode ser totalmente
compatível com a maioria das orientações psicológicas (Norcross & Shapiro, 2002; Shapiro, 2002b). A importância da
primeira infância memórias claramente se encaixa no modelo psicodinâmico (Freud, 1900/1953; Jung, 1916; Wachtel,
2002), e a importância da atenção focada para as reações e comportamentos disfuncionais atual é totalmente
coerente com a condicionado e generalização de paradigmas do behaviorismo clássico (Salter, 1961; Wolpe, 1991).
Além de ser uma abordagem centrada no cliente (Rogers, 1951), com uma forte base afetiva e experiencial (Carlos
Newton Júnior & Greenberg, 2002; Greenberg, 2010; greenberg & Safran, 1987), a terapia EMDR aborda o conceito
de positivo e negativo auto-avaliações, que tem raízes firmes no domínio da terapia cognitiva (Beck, 1967; Ellis, 1962;
Meichenbaum, 1977; Young, 1990; Young, Zangwill, & Behary, 2002), e a ênfase nas respostas físicas relacionadas a
um cliente, apresentando disfunção eréctil (van der Kolk, 2002, 2014) é um elemento importante em toda a sua
utilização terapêutica. Transtorno de Estresse Pós-traumático EMDR começou como uma terapia específica para o
tratamento de pessoas com PTSD. Como tal, a abordagem fundamental e uma série de componentes do tratamento
foram baseadas em relatórios de pesquisa sobre esta população. Por exemplo, estudos feitos com o Vietname
veteranos de combate chamou a atenção para o evento traumático em si, indicando que as reações psicológicas ao
estresse são esperados para persistem como uma função direta da magnitude do fator estressor (figley, 1978;
Kadushin, Boulanger, & Martin, 1981; Laufer, Yager, FreyWouters, & Donnellan, 1981; McDermott, 1981; Ellenhorn &
Strayer, 1975; Wilson, 1978). Como veremos, a observação das sessões de tratamento EMDR indica que os eventos
pré-mórbido pode ter uma enorme influência sobre a predisposição a PTSD. Esta observação foi confirmada em
pesquisas independentes (afifi, Mota, Dasiewicz, MacMillan, & Sareen, 2012; Bernat, Ronfeldt, Calhoun, & Arias, 1998;
Blanchard & Hickling, 1997; Breslau, chilcoat, Kessler, & Davis, 1999; bromet, sonnega, & Kessler, 1998; felitti et al.,
1998; Heim, Plotsky, & Nemeroff, 2004; KING, Rei, Foy, & Gudanowski, 1996; teicher et al., 2010; Varese et al., 2012).
Há um consenso na comunidade terapêutica o trabalho com sobreviventes de trauma que a melhoria do tept é feita
quando a vítima vem a lidar com o incidente traumático. Quando EMDR terapia foi desenvolvida, uma vasta gama de
técnicas de tratamento foram empregadas, mas, infelizmente, há relativamente poucos estudos controlados na
literatura que corroboram a eficácia de muitos deles (cf. A FOA, Keane, & Friedman, 2000). Neste ponto, o EMDR
trauma e terapia focada terapia cognitivo-comportamental (TCC) são amplamente reconhecidos como as duas únicas
suportadas empiricamente eficazes abordagens de tratamento para o tratamento do tept (bisson et al., 2013; Watts
et al., 2013; Organização Mundial da Saúde [OMS], 2013). Ainda assim, é útil para analisar como a terapia EMDR
comparar a teoria e a prática não só de TCC, mas também outros grandes orientações prevalente na prática clínica.
Abordagens psicodinâmica Embora a investigação não conseguiu apoio de terapia psicodinâmica no tratamento do
tept, continua a ser amplamente utilizado na prática clínica geral. Tratamento EMDR é altamente compatível com o
modelo de processamento de informação psicodinâmica (Horowitz, 1979), que propõe que uma tendência natural de
"conclusão", continua para retificar a informação traumática em memória ativa até que possa ser conciliado com os
modelos internos do mundo. A menos que o trauma pode ser incorporado em projetos existentes, as informações
permanecerão na memória ativa e quebrar através de pensamentos intrusivos. Este processo se alterna com
Entorpecimento e evitar até que alguns resultados de integração. A abordagem psicodinâmica tentativas de reintegrar
a experiência traumática, usando uma variedade de técnicas destinadas a estágios específicos do transtorno (ou o
processo terapêutico), bem como para o desenvolvimento da personalidade do cliente (por completa, consulte Kudler,
Krupnick, vazio, Herman, & Horowitz, 2008; Summers & Barber, 2009). Intervenções terapêuticas incluem "cobrindo"
técnicas (por exemplo, gestão do stress) para as fases que envolvem memórias intrusivas e "descobrir" (por exemplo,
técnicas de psicodrama) durante fases de negação (Horowitz, 1973, 1974). A tendência "conclusão" teoria é
claramente compatível com o paradigma do processamento de bloqueado EMDR e terapia, a utilização de várias
estratégias para alívio eficaz é coerente com a abordagem multifacetada de emdr terapia, que inclui técnicas de auto-
controle, a incorporação de fases de reconstituição imaginada, e a adopção de comportamentos alternativos. Além
disso, como observado por wachtel (2002), terapia de emdr, que emprega processos associativos livre semelhante a
terapia psicodinâmica, parece aumentar a "trabalhar" através da memória através de insight e integração. Salomão e
Neborsky (2002) também relataram que a terapia EMDR é totalmente compatível com os novos modelos de
psicodinâmica breve. Cognitive-Behavioral se aproxima da abordagem comportamental a PTSD foi elucidado por
Keane, e Caddell Zimering (1985) em relação ao tratamento dos veteranos de combate, e segue Mowrer (1960) a
teoria da aprendizagem de dois fatores, que incorpora tanto clássicos e condicionamento operante. Argumentou-se
que há uma relação análoga entre o desenvolvimento do medo e comportamento de fuga encontrados no tept e
encontrada em animais de laboratório-condicionado. O primeiro fator em teoria de mowrer envolve aprendizagem
por associação, ou de condicionamento clássico, como em Pavlov's os primeiros experimentos em que um sino,
chamado de estímulo condicionado (CS), foi emparelhado com um choque, ou estímulo incondicionado (UCS). Este
emparelhamento leva a um estado emocional aversivo (como o medo), o som do sino (Pavlov, 1927). O segundo fator
é a aprendizagem instrumental, ou comportamento de fuga, o que implica evitar consistente pelo organismo tanto do
CS (bell) e a UCS (choque). Neste paradigma, o medo gerado por tiros em tempo de guerra, ou por violação é associada
com outros apresentando tacos. Todas essas sugestões, como, por exemplo, ruídos fortes ou ruas escuras, são evitadas
pela vítima, sempre que possível. Critérios de diagnóstico de PTSD incluem pensamentos intrusivos sobre eventos
traumáticos, flashbacks e pesadelos que incluem detalhes específicos do trauma. Por isso, técnicas comportamentais
foram adaptadas para aumentar a exposição para o CS para provocar a extinção do comportamento de
ansiedade/concomitante medo e excitação fisiológica. Porque a existência do incidente traumático é a base da
maladaptation psicológicas e comportamentais, abordagens comportamentais empregadas DTE (Boudewyns &
Shipley, 1983), também conhecido como "flooding" (Malleson, 1959) e "implosão" (stampfl, citado em Londres, 1964),
para o alívio de PTSD. O DTE no tratamento do tept, memórias traumáticas são frequentemente reavivado durante
várias sessões até que a ansiedade é reduzida. A intenção é manter a quantidade máxima de ansiedade no cliente por
períodos prolongados. O tratamento baseia-se no pressuposto de que a exposição forçada que proíbe o habitual evitar
resposta a um estímulo de produção de ansiedade (que não é reforçado por um estímulo aversivo incondicionado)
fará com que a ansiedade de ser extinto (Levis, 1980; stampfl & Levis, 1967). Atualmente, o tratamento utilizando a
exposição mais difundida no tratamento do tept é a exposição prolongada (PE; veja Foa, Canadian Boy, & Rothbaum,
2007), que é baseado na teoria de processamento emocional (Foa & Kozak, 1986), postula que as crenças negativas
que envolvem falta de segurança resultam em comportamentos de evasão que impedem que as crenças sejam
disconfirmed. Portanto, o tratamento consiste na exposição transcendental do evento withinsession repetidas através
de descrições do trauma pelo cliente, que são gravados. Sessão entre tarefas envolvem a ouvir as gravações e diários
de exposição in vivo, em que o cliente é instruído a ir voluntariamente à ansiedade-provocando ambientes (por
exemplo, um beco escuro semelhante ao onde a mulher foi estuprada). A terapia EMDR oferece uma alternativa de
tratamento de memórias traumáticas que não necessitam de uma exposição prolongada a alta ansiedade-produzindo
estímulos ou lição de casa, mas desensitizes do evento traumático rapidamente. Comparações diretas relataram mais
rápido declínio de ansiedade com emdr transformação (por exemplo, Rogers et al., 1999). Nove dos 11 ecrs
comparando formas de exposição CBT baseados indicaram que o EMDR terapia é equivalente ou superior em algumas
medidas, com cinco estudos que relatam efeitos positivos em menor número de sessões (consulte o capítulo 12 para
uma discussão mais detalhada). EMDR terapia pode ser considerada um método de exposição por alguns porque o
cliente é convidado inicialmente para manter o evento traumático na consciência para direcionar o tratamento. No
entanto, atenção para o incidente não é mantida, como em terapias de exposição padrão, e o tempo de exposição
necessário em EMDR parece ser muito menos (por exemplo, tratamento de 4,5 horas; Ironson, Freund, Strauss, &
Williams, 2002; Marcus, Marquis, Sakai, 1997, 2004; rothbaum, 1997; Wilson, Becker, & Tinker, 1995, 1997) do que o
exigido pela exposição prolongada DTE técnicas para o processo de extinção para desenvolver e para o cliente a
apresentar sinais de diminuição da ansiedade (ver Rogers & Silver, 2002; Rogers et al., 1999). Além disso, a pesquisa
indicou diferentes mecanismos de ação em que as longas exposições usado no trauma-focalizado CBT (TF-TCC) resultar
em extinção, enquanto exposições curtas como as de terapia EMDR resultar na Reconsolidação da memória (Suzuki
et al., 2004). Como descrito por Craske, Herman, e Vansteenwegen (2006), "… trabalhos recentes sobre extinção e
reintegração … sugere que a extinção não eliminar ou substituir associações anteriores, mas resulta em novo
aprendizado que concorre com as informações antigas" (p. 6). As diferenças entre reconsolidação e extinção têm
importantes implicações no que diz respeito ao potencial de recidiva e aplicações clínicas (ver Shapiro, 2014a) e são
discutidos no Capítulo 12. Enquanto PE utiliza imaginal estendida e in vivo disconfirm exposições para o postulado de
crenças negativas subjacentes a PTSD, outros tratamentos CBT enfatizam o uso de uma variedade de técnicas para
reestruturar as crenças. A mais difundida dessas terapias cognitivas nos Estados Unidos é a terapia de processamento
cognitivo (Resick & Schnicke, 1992), que, inicialmente, incluía uma exposição narrativa escrita baseada da conta mas
tem relatado posteriormente resultados superiores por queda desse elemento (Resick et al., 2008). A terapia inclui
discussões sobre o trauma e técnicas como a utilização do diálogo socrático para tratar diretamente as crenças
negativas. Outras terapias para TCC TEPT como terapia cognitiva para o tept (Ehlers & Clark, 2000), a terapia de
exposição narrativa (Schauer, Neuner, & Elbert, 2011), e breve psicoterapia eclético (BEP) para o tept (Gersons,
Meewisse, e Nijdam, 2015) utilizam uma combinação de terapia cognitiva e técnicas de exposição. Enquanto que a
forma de exposição pode variar no tipo e duração, em todos os casos, o caso é discutido em detalhes específicos e
interações cliente-terapeuta foco em mudar a interpretação do evento. Como indicado anteriormente, a OMS (2013),
diretrizes de prática focada em trauma e EMDR TCC são as únicas duas psicoterapias recomendado para o tratamento
do tept em toda a vida. No entanto, embora existam semelhanças, diferenças distintas foram descritas: "Ao contrário
de TCC com um foco de traumas, EMDR não envolve (a) Descrição detalhada do evento, (b) direto desafiante de
crenças, exposição prolongada (c) ou (d) dever de casa" (p. 1). Estas diferenças processuais e as implicações para o
tratamento clínico, são exploradas em detalhe nos capítulos posteriores. Abordagem integrativa EMDR foi
inicialmente desenvolvida como uma terapia que seria especificamente ajudar os clientes a integrar novos, desejável
auto-declarações, permitindo ao mesmo tempo rapidamente dessensibilizar tacos traumática. Além disso, a
reavaliação cognitiva que inclui a redefinição do evento, de encontrar o seu sentido, e aliviar a auto-culpa inadequada
(Janoff-Bulman, 1985) foi integrado como um importante aspecto do tratamento EMDR trauma de sobreviventes.
Além disso, EMDR está estruturado para facilitar uma rápida integração das novas informações, habilidades de
enfrentamento, e comportamentos oferecida pelo médico. Assim como a abordagem de cognitivebehavioral passou
a incluir diversas técnicas, algumas delas são inerentes em EMDR, procedimentos integrativa (Lazarus & Lazarus, 2002;
Smyth & Poole, 2002; Young et al., 2002). Da mesma forma, a terapia EMDR também engloba aspectos experiencial
(Carlos Newton Júnior & Greenberg, 2002), (Solomon & Neborsky psicodinâmica, 2002; Wachtel, 2002), feminista
(Brown, 2002), células somáticas (van der Kolk, 2014), e uma série de outras importantes orientações psicológicas
(Norcross & Shapiro, 2002; Shapiro, 2002a; Zabukovec, Lazrove, & Shapiro, 2000). No entanto, como uma forma de
psicoterapia, os procedimentos padronizados e protocolos de terapia EMDR são únicos, incluindo o uso bilateral de
atenção dual estímulos como movimentos dos olhos, torneiras, ou tons. Além disso, o emdr é orientado pelo modelo
AIP, que o diferencia de outras formas de terapia. Como observado anteriormente, o paradigma cognitivo-
comportamental views cognições e comportamentos disfuncionais, como as fontes de patologia e utilizar
procedimentos de desafio e alterá-los. Os procedimentos do emdr terapia são guiadas pelo princípio AIP que as
cognições e comportamentos disfuncionais são apenas sintomas da memória armazenada fisiologicamente, dirigida
diretamente por meio de procedimentos de processamento que incluem o uso de estímulos bilaterais. Neurobiológica
levando pesquisadores têm postulado teorias para explicar os efeitos dos acordos bilaterais de atenção dual estímulos
(Andrade, Kavanaugh, & Baddeley, 1997; Stickgold, 2002; van der Kolk, 2002). Investigações empíricas têm indicado
um efeito direto sobre a memória de trabalho (por exemplo, Smeets, Dijs, Pervan, Engelhard, & van den Hout, 2012)
e a conectividade do cérebro (por exemplo, nieuwenhuis et al., 2013). A investigação tem também explorou as
implicações de uma proposta de orientar a resposta e possíveis conexões com o sono de movimento rápido dos olhos
(por exemplo, Green Gables Hotel, & Kuiken, Racher, 2010). Concomitante com a utilização de outros elementos
processuais, o estímulo atenção dupla bilateral parece titular perturbação, facilitar a transformação associativa,
melhorar a memória e a recuperação. A pesquisa é analisada no capítulo 12, juntamente com sugestões para
investigações futuras. Resumo e conclusões a origem da terapia de emdr, inicialmente chamado de EMD, foi a minha
observação de Dessensibilizar o aparente efeito de movimentos oculares repetidas espontânea em pensamentos
desagradáveis. A utilização de movimentos oculares dirigidos com 70 voluntários com reclamações nonpathological
mostrou-se eficaz em reduzir a perturbação. Durante estes testes, o procedimento foi elaborado para maximizar os
seus efeitos para uso em uma população clínica. Um estudo controlado de 22 sujeitos que sofrem de sintomatologia
de PTSD, publicado no Journal of stress traumático (Rebelo, 1989a), informou que o procedimento foi altamente
benéfica para a dessensibilização, reestruturação cognitiva e a eliminação de intrusões pronunciadas decorrentes do
evento traumático. A mudança de nome da EMD de emdr ocorreu quando se tornou evidente que o processo
implicava um mecanismo de processamento de informações, em vez de um simples efeito do tratamento de
dessensibilização. O modelo AIP integrativa enfatiza uma metodologia que estimula o presumível modo de auto-cura
de um sistema de processamento de informações inerentes. Início memórias são considerados como a base primária
para a maioria dos distúrbios psicológicos, e os efeitos da terapia EMDR são vistos como mudando rapidamente o
impacto dessas memórias, a fim de alterar o atual quadro clínico. Uma abordagem tripartida é usado alvejar o evento
etiológico, triggers, atual e modelos adequados para a acção futura. Como uma Psicoterapia Integrativa, uma
variedade de componentes da terapia EMDR são compatíveis com, PSICODINÂMICAS, cognitivas, comportamentais,
experienciais e somáticas orientações. No entanto, a terapia EMDR é amplamente reconhecido em ambas as diretrizes
nacionais e internacionais como uma forma eficaz de tratamento distinto dos outros grandes modalidades. Deve-se
notar tanto para fins de pesquisa clínica e que emdr terapia é uma abordagem complexa, com uma variedade de
procedimentos e protocolos que são consideradas necessárias para a plena eficácia. O Capítulo 2 fornece uma
explicação mais detalhada do modelo para uso clínico. Capítulo 2 O modelo de processamento de informação
adaptativa como uma hipótese de trabalho na medida em que as leis da matemática se referem à realidade, não são
certas; tanto quanto eles estão certos, eles não se referem à realidade. -ALBERT EINSTEIN, como descrito no capítulo
1, EMDR terapia é baseado na minha observação empírica do efeito dos movimentos dos olhos no processamento
cognitivo-emocional. Eu desenvolvi as etapas processuais fundamentais, por meio de tentativa e erro, observando
resultados clínicos. A rápida efeitos observáveis, me permitiu delinear vários padrões de resposta clínica e
naturalmente me levou a formular várias teorias, na tentativa de explicá-los. Refinar estes princípios teóricos me
permitiu prever e testar novas aplicações dos procedimentos, o que, por sua vez, moldaram o desenvolvimento
contínuo da terapia. Embora não possamos ter a certeza de que as teorias resultantes representam o que está indo
sobre fisiologicamente, eles são consistentes com as observações e a pesquisa atual, e ajudar a orientar as decisões
clínicas pela aplicação lógica dos principais princípios. Além disso, para muitos, o modelo pode ser visto como uma
mudança paradigmática na compreensão da natureza da mudança terapêutica. Neste capítulo eu descrever o
processamento de informações "acelerado", que ajuda a fornecer uma explicação de como funciona a terapia EMDR.
Em primeiro lugar, discutir como terapia EMDR se encaixa no modelo de processamento de informação adaptativa
(mudou do modelo de processamento de informação acelerada; Shapiro, 1995a). Eu, em seguida, mostrar como ele
pode ser usado para acessar e ter um impacto sobre o material que está armazenado no cérebro dysfunctionally. Uma
transcrição de uma sessão de cliente real destaca alguns aspectos importantes desta exposição. Eu também rever a
natureza de psicopatologia, uma variedade de aplicações clínicas, e a natureza integrada do emdr abordagem de
tratamento. Embora este capítulo apresenta em detalhe o modelo que orienta EMDR terapia, é importante entender
que, embora este modelo foi inicialmente oferecido como uma hipótese de trabalho e está sujeito a modificação com
base em novas laboratório e observação clínica, que tem previsto com sucesso uma grande variedade de efeitos de
tratamentos e tem orientado a prática clínica em todo o mundo nos últimos 25 anos. Observe que, embora o modelo
se aplica a prática clínica, utiliza a terminologia de neurofisiologia processamento de informação introduzida por
Bower (1981) e Lang (1979). Além disso, apresento conceitos psicofisiológicos, empregando o termo "redes neurais."
Embora o termo "redes" de memória neste texto refere-se a padrões de memórias associadas, o termo "rede neural"
também refere-se à configuração neurobiológica de memória de um indivíduo. Este uso do termo retoma o caminho
"redes neurais" é utilizada por neurobiologists e o estende para mais uma camada de processamento cognitivo-
emocional. É importante ressaltar que a eficácia da terapia EMDR é independente da validade do modelo proposto.
Isso é relevante porque a fisiologia do cérebro ainda não é suficientemente compreendida para confirmar a validade
deste ou de qualquer outro modelo de psicoterapia a esse nível. No entanto, o modelo não parecem contradizer
qualquer coisa conhecida para ser verdade, é consoante com o conhecimento atual em neurociência cognitiva, é
congruente com o observaram os efeitos do tratamento de terapia de emdr, e serve como um mapa de estrada clínica
para tratar uma grande variedade de patologias. Até agora, o modelo mostrou-se altamente explicativos e preditivos
de resposta terapêutica em novas áreas de aplicação. Processamento de informação enquanto EMDR terapia é uma
abordagem de Psicoterapia Integrativa específicos, Processamento de Informação adaptativa (Shapiro, 1993, 1995a,
2007) representa o modelo geral que fornece o quadro teórico e os princípios de tratamento e uma explicação da
patologia de base e o desenvolvimento da personalidade. O modelo de processamento de informação adaptativa é
consistente com Freud (1919/1955) e Pavlov (1927) Início da compreensão do que agora é chamado de
"processamento de informações." Especificamente, parece haver um equilíbrio neurológico em um sistema fisiológico
que permite que as informações sejam processadas para uma "resolução adaptativa", que neste modelo é uma
resolução em que as conexões são feitas associações apropriadas e a experiência é integrada em um esquema
cognitivo e emocional positivo. Essencialmente, o que é útil é aprendidos e armazenados com o afetam e está
disponível para uso futuro. Por exemplo, deixe-nos dizer algo de negativo que nos acontece, como uma humilhação
no local de trabalho, e estamos perturbados por ela. Pensamos nisso, sonhar com ele, e falar sobre isso. Depois de um
tempo, já não somos incomodados por ele, e a experiência pode ser usada adequadamente como informação para
guiar nossas ações futuras. Assim, podemos aprender algo sobre nós mesmos e sobre outras pessoas, podemos
compreender melhor as situações passadas, e somos mais capazes de lidar com situações semelhantes no futuro.
Traumas psicológicos está associada a inúmeras alterações no sistema nervoso causada pela liberação de cortisol,
picos de adrenalina, flutuações de neurotransmissores, e assim por diante, o resultado é uma perda da homeostase
neural (Griffin, Charron, & Al-Daccak, 2014; Rodrigues, LeDoux, & Sapolsky, 2009; Weiss, 2007). Devido a este
desequilíbrio, o informationprocessing sistema é incapaz de funcionar de forma ideal, e a informação adquirida no
momento do evento, incluindo imagens, sons, afeto, e sensações físicas, é armazenada em seu estado perturbador.
Armazenados em esta penosa, Excitatórias, de forma específica, que o material original pode ser desencadeada por
uma variedade de estímulos internos e externos e podem ser expressos sob a forma de pesadelos, flashbacks e
pensamentos intrusivos - o chamado "positivo" sintomas do TEPT. A hipótese é que a elementos processuais de emdr
terapia, incluindo os estímulos bilaterais atenção dupla, desencadear um estado fisiológico que facilita o
processamento de informações. Vários mecanismos pelos quais esta ativação e facilitação de transformação ocorrer
têm sido propostos, incluindo o seguinte: Descondicionamento causada por uma resposta de relaxamento (Rebelo,
1989a, 1989b; Wilson, Prata, RAXA, & Foster, 1996). Uma mudança no estado do cérebro, melhorando a ativação e
fortalecimento de associações fracas (Stickgold, 2002). Outros fatores envolvidos na dupla do cliente foco de atenção,
como ele atende simultaneamente estímulos para o presente e o passado o trauma. Ao longo da última década, a
pesquisa investigou diferentes mecanismos de ação. Atualmente, é a hipótese de que a estimulação bilateral durante
as sessões de tratamento terapia EMDR (1) memória operacional, (2) orientar e estimular o reflexo de uma resposta
parassimpática associado, e (3) obter o mesmo ou processos semelhantes que caracterizam o movimento rápido dos
olhos (REM). O ECR e estudos fisiológicos sobre estes mecanismos são discutidos no Capítulo 12. No entanto, deve-se
ressaltar que estes posited mecanismos de ação não são mutuamente exclusivas. Vários mecanismos podem ser
ativados durante a sessão de processamento para produzir o tratamento acelerado terapia EMDR efeitos observados
em pesquisa e na prática clínica. Por exemplo, a dupla atenção tem sido demonstrado que afetam a capacidade de
memória de trabalho, resultando em uma diminuição na intensidade da memória e a emotividade de imagens (por
exemplo, Engelhardt, van den Hout, Janssen, & van der Beek, 2010), e a estimulação bilateral foi mostrado para
facilitar a recuperação de memória (Christman, Garvey, propper, & Phaneuf, 2003), bem como o reconhecimento de
informação verdadeira (Parker, Buckley, & Dagnall, 2009). Todos esses três fatores são relevantes para efeitos de
tratamento EMDR e resultados, apontando para diversos mecanismos neurofisiológicos envolvendo o sistema de
processamento de informações. Por conseguinte, em EMDR terapia, quando pedimos ao cliente para trazer a memória
do trauma, que pode ser o estabelecimento de uma relação entre consciência e o local onde é armazenada a
informação no cérebro. No contexto dos outros elementos processuais, a estimulação dupla bilateral aparece para
ativar o sistema de processamento de informações e permite a transformação terá lugar (veja o Capítulo 12 para
outras discussões e pesquisas sobre mecanismos de ação). Com cada conjunto de estímulos, passamos a perturbadora
de informações a uma taxa acelerada ao longo de caminhos neurofisiológicos apropriados até que seja resolvido de
forma adaptável. Por exemplo, a resolução pode vir quando a informação preocupante previamente isoladas é posta
em contacto com actualmente detidas informações adaptativas (por exemplo, "Não foi minha culpa, meu pai me
estuprou"). Um dos principais princípios da terapia EMDR é que ativar o tratamento do trauma memória vão
naturalmente adaptativa mova-a em direção à informação de que necessita para a resolução. Inerentes ao
processamento de informação adaptativa (AIP) modelo é o conceito de auto-cura psicológica, uma construção com
base na resposta a cura do corpo físico. Por exemplo, quando você corta sua mão, seu corpo trabalha para fechar e
curar a ferida. Se algo bloqueia a cura, como um objeto estranho ou trauma repetido, a ferida vai fester e causar dor.
Se o bloco é removido, a cura será retomada. Uma seqüência de eventos semelhante parece ocorrer com processos
mentais; isto é, a tendência natural do cérebro para processamento de informações do sistema é de avançar no
sentido de um estado de saúde mental. No entanto, se o sistema estiver bloqueado ou se torna desequilibrado pelo
impacto de um trauma, respostas inadequada são observados. Estas respostas podem ser desencadeados por
estímulos presentes ou talvez pela tentativa do mecanismo informationprocessing para resolver o material. Por
exemplo, a vítima de estupro podem continuar automaticamente para recordar as imagens do estupro bloqueado em
uma tentativa de alcançar a resolução e processamento completo (Horowitz, 1979). Se o bloco é removido, o
processamento continua e leva as informações para um estado de resolução adaptativa e integração funcional. Esta
resolução é manifestada por uma mudança nas imagens, afetar (ou seja, emoções e respostas físicas associadas), e
cognições o cliente associados com o evento. Metaforicamente, podemos pensar no mecanismo de processamento
como "digerir" ou "Metabolizar" as informações para que ele possa ser usado em uma maneira saudável,
lifeenhancing. O sistema de processamento de informação é adaptável quando é ativado: vítimas de abuso começar
tratamento EMDR com um auto-conceito negativo em relação ao evento e sempre terminam com um sentido positivo
de auto-estima. Além disso, o oposto não ocorre, isto é, transformação EMDR revela uma acelerada progressão para
saúde (emoções positivas e maior auto-respeito), mas não para a disfunção eréctil (inadequada, culpa e auto-
repugnância). A noção de activar o mecanismo de processamento de informação adaptativa é central para tratamento
EMDR e tem sido crítica em sua aplicação a uma variedade de patologias. Dupla estimulação bilateral Atenção Como
observado anteriormente, existem outros estímulos além de movimentos oculares dirigido que pode ativar o sistema
de processamento de informações. Por exemplo, alternando as torneiras e auditiva bilateral de mão também tem tons
clinicamente comprovada eficaz (Shapiro, 1994b). Embora a investigação indica que tais estímulos não são tão eficazes
como os movimentos oculares dirigidos (por exemplo, van den Hout et al., 2011), a outras formas de estímulos pode
ser útil em uma variedade de situações clínicas que serão discutidas em capítulos posteriores. Especificamente, o
processamento da informação pode ser ativado quando a atenção é provocada por ou focada em pistas externas (por
exemplo, participando de pistas auditivas ou tácteis, ou simplesmente pelo acto de fixação sobre um estímulo). O foco
em simultâneo a memória traumática pode causar o sistema activado para processar o material armazenado
dysfunctionally. Alternativamente, se os movimentos oculares-se induzir um estado cerebral alterado que modifica o
comportamento do sistema de processamento de informações, podemos esperar outros movimentos rítmicos ou
formas de estimulação repetida sustentada ou para ter um efeito semelhante. Além disso, note-se que, apesar de
inúmeros estudos randomizados têm relatado que os movimentos oculares são clinicamente superior à exposição
isolada (Lee & Cuijpers, 2013), estudos têm indicado que os padrões de ativação cerebral regional produzido pela
atenção sozinho Mostrar sobreposição significativa com os produzidos pelos movimentos dos olhos (Braga, Fu,
Seemungal, sábio, e sanguessuga, 2016; corbetta et al., 1998; Corbetta, Patel, & Gardner, 2008). Abordagens possíveis
para testar estas hipóteses são discutidas no Capítulo 12. Como mencionado anteriormente, eu estou oferecendo um
modelo teórico para interpretar o efeito clínico, não para provar a existência de mecanismos específicos. Por exemplo,
a hipótese de REM apenas tentativas de explicar a aparente papel dos movimentos oculares no tratamento efeitos;
não exclui a possível utilidade de outros estímulos, tais como pistas auditivas ou tácteis. Mesmo se dirigido ou
seguimento de movimentos oculares sacádicos não provar para estimular um mecanismo que opera também durante
o sono REM, esse achado não desconta a eficácia potencial de outros estímulos utilizados no estado de vigília, (ver
também Stickgold, 2002). Obviamente, pode haver outras opções de estímulos, mesmo que o corpo em um estado de
suspensão é incapaz de gerar estímulos auditivos, torneiras, luzes piscando, ou outros dispositivos de fixação externa.
Como Stickgold propõe, a reorientação da atenção repetitivas podem produzir mudanças específicas na ativação
cerebral regional e neuromodulation semelhantes às produzidas durante o sono REM. Independentemente de o
mecanismo exato que leva sobre os efeitos da terapia de emdr, é a ativação do sistema de processamento de
informações que fornece o enfoque clínico para o tratamento. Portanto, embora os termos "conjuntos" e
"movimentos dos olhos" são utilizados ao longo deste texto, eles são feitos para se referir a outros conjuntos de
estímulos eficazes também. Redes de memória a hipótese do cérebro sobre o sistema de processamento de
informações inata leva-nos ao conceito de redes de memória. Em termos muito simples, uma rede de memória
representa um sistema associado de informações. Ninguém sabe o que as redes de memória realmente olhar como,
mas podemos imaginá-los metaforicamente como uma série de canais onde relacionados memórias, pensamentos,
imagens, emoções e sensações são armazenados e ligados entre si. Tratamento EMDR é conceituado como progredir
através de redes de memória, uma configuração que é ilustrado na Figura 2,1. Ao realizar processamento de emdr,
pedimos ao cliente para concentrar em um alvo, isto é, uma memória específica ou sonho imagem; uma pessoa; um
real, fantasiava, evento ou projetado; ou algum aspecto da experiência, tais como uma sensação de corpo ou
pensamento. No AIP modelo, este alvo é chamado de um "nó", porque tem um lugar de charneira entre os associados,
fisiologicamente, material. Por exemplo, se a resposta do cliente com seu chefe é a apresentação de queixa, o médico
pode target uma imagem do rosto do chefe, o que seria considerado um nó, por causa da constelação de experiências
associadas ao seu redor. Se o cliente reage ao alvo com raiva indevidos ou ansiedade, é por causa das associações a
ela vinculadas. Estas associações podem incluir certas experiências com o chefe ou com outras figuras de autoridade,
como o pai. Portanto, se o objetivo da terapia é para o cliente a reagir com calma para o destino, é preciso "limpar"
cada canal através do reprocessamento, o material armazenado dysfunctionally conectado a esse nó. O
reprocessamento é feito durante cada conjunto dos movimentos dos olhos (ou outros estímulos), e vemos cada fase
progressiva do reprocessamento como um platô onde imagens, pensamentos, emoções e uma mudança completa em
seu progresso em direção a uma maior resolução terapêutica. Durante este tempo, a causa subjacente da disfunção
pode ser revelado espontaneamente. Figura 2,1. Uma representação gráfica da evolução do emdr tratamento através
da rede de memória. Um exemplo de sessão de emdr para ilustrar os conceitos subjacentes EMDR terapia, vejamos a
transcrição de parte de uma sessão de tratamento. O cliente é um veterano da Guerra do Vietnã, que já tinha sido
tratado por uma série de experiências traumáticas relacionadas com o combate. O cliente tinha sofrido sintomas de
PTSD moderada desde a guerra, apesar dos muitos anos de terapia, incluindo eventuais tratamento hospitalar. Em
quatro sessões de terapia EMDR anterior ele reprocessou suas memórias perturbadoras, e seus pensamentos
intrusivos diminuiu. O cliente apresente queixa nesta sessão é a sua reacção negativa a um colega de trabalho
incompetentes. Embora a incompetência de um colega de trabalho é obrigado a ser desagradável para qualquer um,
este cliente estava reagindo com tanta raiva e ansiedade que ele era incapaz de trabalhar com a pessoa. O cliente
tinha lutado contra a sua raiva e frustração por semanas e finalmente solicitada assistência porque não podia fugir
com seu colega de trabalho em um projeto em andamento. O simples pensamento de este colega tinha se tornado
uma fonte de desconforto para o cliente que utilizamos a colega de trabalho, ao invés de qualquer interação específica,
como alvo. Como você verá, o médico trabalha com o cliente, utilizando conjuntos de movimentos dos olhos para
processar a informação, fazendo com que sua angústia. Em primeiro lugar, o terapeuta convida o cliente a visualizar
o rosto do colega incompetente, a opinião negativa, e entrar em contato com a ansiedade que gera. Então ela pede a
ele para uma classificação de quaisquer sentimentos negativos que ele tem, expressa em termos da SUD (Unidades
subjetivas de perturbação), onde 0 representa um sentimento neutro ou calmo e 10 equivale a mais perturbação, ele
pode imaginar. Em seguida, o terapeuta convida o cliente para começar a definir pelos seguintes visualmente um
movimento rítmico feito por seus dedos. (Instruções específicas sobre como fazer isso estão indicadas no capítulo 3.)
o médico com o cliente entre conjuntos para determinar o seu estado e perguntar se qualquer informação nova surgiu.
O médico avalia a informação revelada após cada conjunto para determinar se o cliente é o tratamento das
informações e a evolução para um patamar mais adaptativa. No final de cada set, o terapeuta reforça o cliente dizendo,
"Bom." Então ela instrui-lo a deixar ir o que era último em mente e pergunta, "o que você ganha agora?" o cliente e,
em seguida, relata o seu pensamento, emoção mais dominante (ou nível de intensidade), sensação, ou imagem, de
modo que o terapeuta pode obter uma leitura sobre o planalto de novas informações. Com base no que ela aprende,
o médico direciona a atenção do cliente para as novas informações ou ao destino original. A figura mostra o nó (2,2 a
colega incompetente), associada com os canais de informação que são revelados pelo cliente, as sucessivas respostas.
A primeira designação em cada coluna (por exemplo, grande ansiedade, cômico) reflete a resposta inicial do cliente
quando o alvo foi trazido à mente; abaixo de cada tal designação são as associações que surgiu após cada conjunto
subsequente foi iniciado. Apenas uma fase (dessensibilização) da sessão de tratamento é ilustrada. Figura 2,2.
Diagrama de um alvo (o colega incompetente) e os canais de informação que emergem com emdr tratamento, sob a
forma de respostas do cliente e as associações sequenciais relacionados a essas respostas. Transcrição parcial da
amostra sessão o cliente é Eric, idade 39. Ele é um programador de computador. Terapeutas: Então vamos voltar a ver
o homem que você considera para ser incompetente no trabalho. Basta olhar para ele e ver seu rosto e sentir como
ele é incompetente. De 0 a 10, qual é a sensação? ERIC: 7. [O cliente imagina o rosto do colega de trabalho e fornece
uma avaliação inicial de 7 na escala SUD.] Terapeuta: Concentrar-se sobre a imagem e o sentimento e siga meus dedos
com os seus olhos. (Leva cliente em um conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração
profunda. O que você ganha agora? ERIC: Eu não sei. Eu acho que ela se sente um pouco melhor. Antes de chegar em
hoje eu trabalhado através de algumas das coisas e pelo menos em um nível intelectual percebi … bem, é trabalho e
você sabe que eu estou indo estar atrasado na programação e as pessoas estão indo para ser chateado, mas que está
indo sempre ser verdadeiro. Quero dizer, no negócio de computador alguém está sempre atrasado. Então eu comecei
a fazer algumas ligações com isso. [Este é o primeiro canal que se abre. O terapeuta decide voltar para o alvo original.]
Terapeuta: Direito. Quando você trazer a sua face e entrar no sentido de sua incompetência, de 0 a 10, onde está?
ERIC: Provavelmente um 5. Terapeuta: Observe que. (Novamente, o médico leva o cliente em um conjunto de
movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração profunda. O que você ganha agora? [Como veremos,
abre um novo canal, pois o cliente foi trazido de volta para o destino original. Este segundo canal indica uma cadeia
de material associados ligados pelo conceito de "aceitação".] ERIC: Uma coisa que vem acima, é parte da razão que é
frustrante é que por causa da situação do meu chefe, ele não pode avaliar a capacidade do outro rapaz. Eu acho que
ela se sente um pouco melhor do que as outras pessoas podem. Quero dizer, há outras pessoas que vêem e se sentem
frustrados por ela. Mas eu acho que é como eu preciso de todo mundo para perceber o que está acontecendo. E, uma
vez que o meu patrão não pode reconhecê-lo, e concordo com ele, acho que ele recebe de volta para mim que
precisam ser competentes e ter outras pessoas sentem-se EU sou competente. Terapeuta: pensar de tudo isso. (Leva
cliente em outro conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração profunda. O que você
ganha agora? ERIC: Provavelmente um 4 ou um 3. Lenta mas seguramente, estou começando a ter períodos em que
eu percebo que não precisa de outras pessoas. Eu tenho um monte de aceitação do povo e aqueles são provavelmente
as que são importantes. É difícil agora porque o meu chefe é um deles que eu provavelmente não tem, mas isso é
problema dele, não minha. (Risos.) [neste ponto um médico utilizando terapia tradicional pode ser tentado a iniciar
uma discussão focada em ajudar o cliente com sua atitude. No entanto, em EMDR terapia, esta resposta é contra-
indicada. Em vez disso, o médico pede ao cliente para manter em mente o que ele disse e, em seguida, leva-lo em
outro conjunto de movimentos dos olhos para estimular mais processamento. O cliente, em seguida, fornece uma
leitura sobre o que está acontecendo para ele. Como veremos, este cliente atingiu um novo patamar e a informação
evoluiu para uma forma mais adaptativa.] terapeutas: Ok. Pensem nisso. (Leva cliente em outro conjunto de
movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração profunda. O que você ganha agora? ERIC: eu acho que
tenho o suficiente da sua aceitação. Eu tenho tanto quanto eu preciso. Quero dizer, meu chefe mal realmente precisa
de mim agora, então certamente o meu trabalho não está em perigo. Então eu provavelmente começ tanto quanto
eu preciso. Terapeutas: Ok. Pensem nisso. (Leva cliente em outro conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir
e tomar uma respiração profunda. O que você ganha agora? ERIC: Ah… a única coisa que me ocorre é que,
provavelmente, nos próximos meses, a pressão vai deixar em cima do projeto e pelo tempo que ele será capaz de ver.
Terapeutas: Ok. Observe que um. (Leva cliente em outro conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar
uma respiração profunda. O que você ganha agora? ERIC: Sobre a mesma. [Quando o cliente indica nenhuma mudança
e é relativamente confortável, o médico assume que ele tem "limpo" que o segundo canal e o leva de volta ao alvo
original.] terapeutas: Ok. Agora o que acontece quando você volta para o rosto do homem que você sente é
incompetente? O que você ganha agora? ERIC: Não me incomoda. Eu sei que eu estou indo ser frustrado por ele no
futuro, mas eu penso que eu estou indo para ser menos propensos a perder de vista o que está acontecendo. [Note
que embora o nível de perturbação caiu, ainda é incômodo. Durante o próximo conjunto de movimentos dos olhos o
processamento associatively estimula a informações armazenadas em um terceiro canal. Aqui nós descubra o impacto
do Vietnã contra material: Se alguém foi incompetente no Vietname, significava que as pessoas poderiam morrer.]
Terapeuta: apenas vê-lo novamente e sentir a incompetência. (Leva cliente em outro conjunto de movimentos
oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração profunda. O que você ganha agora? ERIC: A coisa que me veio à
mente é, neste caso as apostas não são elevados. Quer dizer, supondo que eu estou certo e ele é incompetente nessa
área e ele fica em parafusos e tudo. Então, o quê? (Risos.) Quero dizer, nós pode girá-lo ao redor. Terapeuta:
Realmente. Observe que um. (Leva cliente em outro conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma
respiração profunda. O que você ganha agora? ERIC: Hum, é bom saber… é bom pensar sobre as estacas e perceber
que ele é apenas um monte de computadores e, obviamente, o problema é que as pessoas não estão morrendo
porque que você não pode reverter. Terapeuta: Então, se você colocar a sua foto novamente, o que você ganha? ERIC:
Hum, é algo cômico! [Uma vez mais, uma vez que as duas anteriores foram as mesmas respostas e o cliente é
relativamente confortável, o terceiro canal é considerado eliminado e o alvo original é produzida. Vemos que a reação
do cliente ao colega incompetente agora é completamente diferente. Somente após as pressões psicológicas do
passado a experiência do Vietnã foram lançados o cliente pode reagir de uma forma mais descontraída no presente.]
Terapeuta: Sim. ERIC: quero dizer que ele é um cara muito brilhante. Ele é um cara muito capaz. Só que quando eu
olhar para os tipos de erros que ele faz, eles são divertidos, e eles são os mesmos que todos nós temos feito quando
nós primeiro tentou este material. Você sabe que você encontrou um problema, você resolveu um pouco bitty parte
do problema. Há este problema gigante lá fora, mas você foi, "Sim! Ótimo, eu resolvi isso", porque era a única coisa
que você poderia encontrar. (Risos.) e então você está tão animado que você encontrou, você fingiu que estava a coisa
toda. E as outras pessoas estão vendo-o bem, e eles foram a manipulação, melhor do que eu. Eu acho que eles sempre
no nível rindo. "Bem, você sabe o que você quer que ele faça a nível ele é?" Eles apenas lidar com isso melhor, mas
todos eles vê-lo bem, e eu acho que é tipo de bonito que ele acha que pode resolver o mundo. Terapeutas: Ok. Pensem
nisso. (Leva cliente em outro conjunto de movimentos oculares.) Bom. Deixe-o ir e tomar uma respiração profunda. O
que você ganha agora? ERIC: Sobre a mesma. Terapeuta: Grande. ERIC: Sim, é muito bom. É bom não ser perdido na
frustração e raiva, e que é onde eu estava, na semana passada. Eu estava perdendo-a e eu senti como não havia nada
que eu pudesse fazer sobre isso. Eu tentei classificar de soltar-me, mas eu não podia. Avaliação da sessão de amostra
a transcrição fornece um excelente exemplo do preceito "O passado é presente." As memórias de pessoas não morrer
no Vietnã 10 anos antes, por causa da incompetência de alguém, eram carregadas Eric's current reacções ao seu colega
incompetente. Revelou a associações de processamento interno, mas, mais importante, permitiram o surgimento
espontâneo de adaptive informações adequadas na presente situação. O último sentido de compreensão e de auto-
eficácia demonstrada pelo cliente na sessão de amostra é a marca registrada de uma bem sucedida sessão de
processamento de emdr. No entanto, este tipo de processamento de informação sem intercorrências e sem entraves
(ou seja, transformação, sem a necessidade de orientação clínica adicional) ocorre com a terapia EMDR apenas cerca
de metade do tempo. Para o restante, os movimentos oculares são insuficientes e a progressão cessa, exigindo que o
médico a intervir em um número de pontos ou o risco de ter o cliente pela retraumatized possivelmente altamente
carregado de informações perturbadoras. EMDR alternativa para desbloquear as estratégias de processamento de
informações são especialmente importantes quando usando os procedimentos com clientes altamente perturbado
(ver capítulos 7 e 10). As associações que o cliente possa ter não podem ser totalmente previstos. Por exemplo, se Eric
tinha visto um amigo morrer em combate, por causa da incompetência de alguém, ele poderia ter lançado em um
intenso abreaction, ou um reexperiencing, do evento. Os médicos, por conseguinte, deve ser treinado em EMDR
procedimentos e observar uma sessão de processamento envolvendo material altamente carregada antes de tentar a
terapia EMDR com um cliente, e eles deveriam proceder com cautela se eles não são experientes em abreactive de
manuseio de respostas. Além disso, os médicos devem sempre usar a terapia EMDR clinicamente em um ambiente
seguro e com tempo suficiente para o cliente quer para processar um evento totalmente ou retornar a um estado de
equilíbrio. Novamente, não há nenhuma maneira de saber se um canal contém material dissociado que irão surgir full-
blown quando o tratamento é iniciado. Em outras palavras, o nível de perturbação do cliente pode ficar muito pior
antes que fique melhor, o clínico deve estar totalmente preparado para isso (veja a discussão sobre história e tomar
precauções, abordados no Capítulo 4, e sobre a fase de preparação, abordados no Capítulo 5, os quais são obrigatórios
para lançar as bases terapêuticas adequadas). Funcional disfuncional terapeutas treinados consistentemente relatam
que durante o processamento de emdr seus clientes imagens negativas, afetam, e cognições tornam-se menos vivas
e menos válida, enquanto imagens positivas, afetam, e cognições tornam-se mais vivas e mais válido. Uma boa
metáfora para os clínicos a aplicar aqui é que de um comboio viajando ao longo de sua rota. Inicialmente, a informação
começa em uma forma disfuncional. Quando o processamento de informações é estimulada, ele se move como um
trem para baixo as faixas. Durante o processamento acelerado que ocorre com cada conjunto, o comboio Viaja mais
um parar ao longo da linha. Em cada "plateau", ou parar, algumas informações disfuncional cai e alguns adaptativos
(ou menos problemático) informação é adicionada, assim como alguns outros passageiros a desembarcar e embarcar
em cada parada. EMDR no final do tratamento, as informações sobre o alvo é totalmente processado e o cliente chega
a uma resolução adaptativa. Metaforicamente falando, o trem chegou ao fim da linha. Os médicos devem lembrar
que, até a conclusão do processamento, declarações a respeito do cliente, o material não será totalmente funcional.
Essas verbalizações apenas manifesto, ou descrever, o planalto imediata; eles indicam o estado atual da informação
processada. Nonadaptive intercalar essas declarações podem seduzir o médico para desafiar o cliente verbalmente ou
por reestruturação cognitiva. Isso seria um erro, no entanto, porque é equivalente a convidar o cliente para descer do
trem em um intermediário (e desagradável). Por causa da ênfase da terapia EMDR no self-healing, prematura qualquer
tentativa por parte do terapeuta para intervir pode retardar ou parar o processamento de informações do cliente. Na
verdade, quando se deslocam de um platô de informações para o próximo grupo, o médico deve orientar o cliente
(tanto quanto possível) simplesmente para pensar a afirmação anterior e não deve tentar repetir. O cliente sabe que
ele tem apenas relatada. Novamente, metaforicamente, quando abrimos o sistema de processamento de
informações, se permita que o comboio avance para baixo da linha. O médico é, sempre que possível, permanecer
fora das pistas. Redes neurais díspares para reiterar, o AIP modelo postula que os sintomas do TEPT são causados por
perturbar as informações armazenadas na memória no cérebro. Esta informação é armazenada na mesma forma em
que foi inicialmente experimentado, porque o sistema de processamento de informação tem, por algum motivo, foi
bloqueado. Mesmo anos mais tarde, a vítima de estupro pode ainda experimentar o medo, ver o rosto do estuprador,
e sentir as mãos dele em seu corpo, como se o ataque estavam acontecendo tudo de novo. Com efeito, a informação
está congelado no tempo, isolado em sua própria rede neural, e armazenados em seu estado perturbador
originalmente de forma específica. Porque a intensidade da paixão tem bloqueado eficazmente a memória em uma
rede associativa restritos, a rede neural em que a antiga informação é armazenada é eficazmente isolados. Nenhuma
nova aprendizagem pode ter lugar devido a informações terapêuticas subsequentes não associatively link com ele.
Por isso, quando surgem pensamentos do incidente, eles ainda estão ligados a todas as atribuições negativas do
evento original. Os resultados de anos de terapia da fala, da leitura de livros de auto-ajuda, e de experimentar
counterexamples também são armazenados, mas que residem em sua própria rede neural. É em parte a disparidade
entre esta informação e a terapêutica dysfunctionally armazenadas informações que leva o cliente para o escritório
do terapeuta para tratamento e ele dizer: "Eu não deveria ser assim." Apesar de veteranos de combate, molestação
sexual, vítimas e vítimas de estupro pode saber intelectualmente que eles não têm culpa pelo que aconteceu com
eles, muitas vezes, continuam a lutar com a cognições negativas e perturbadoras afetam. Mais uma vez, este conflito
parece ser devido ao fato de que a informação é armazenada em diferentes redes neurais em separado. O AIP modelo
sugere que o momento de insight e Integração vem quando as duas redes neurais ligação uns com os outros. Quando
o sistema de processamento de informação é ativado e mantido de forma dinâmica, as ligações entre as duas redes
pode ser feita. Os médicos podem observar uma transmutação de informações após cada conjunto como o alvo com
material e é reformulado pela informação orientada de forma mais positiva. É postulado que a memória é resolvido
de forma adaptável, em seguida, restaurado em forma alterada através do processo de RECONSOLIDAÇÃO da memória
(Suzuki et al., 2004; veja o Capítulo 12). EMDR no final do processamento, o médico pede ao cliente para acessar o
alvo original; depois de uma sessão bem-sucedida que a memória vai surgir espontaneamente de uma forma mais
positiva e será integrado com as afetam e auto-atribuição. Aplicações DA TERAPIA EMDR para outros transtornos as
aplicações clínicas da terapia EMDR não estão limitados a PTSD. Como indicado pelo modelo AIP, queixas ou
organicamente não causada por falta de informação estão enraizadas na insuficientemente tratados
inadequadamente memórias armazenadas no cérebro. Estas memórias em bruto podem incluir o impacto da família
disfuncional de origem interações, juntamente com quaisquer outras experiências e relacionamentos prejudiciais
durante toda a vida da pessoa. As memórias são codificadas com as emoções, crenças e sensações físicas que
ocorreram no momento do evento. Quando algo acontece no presente, ligações em rede a memória existente para
ser compreendido, e esta ligação é a base dos atuais reações. Por conseguinte, características disfuncionais,
comportamentos, crenças, afeta e sensações do corpo são manifestações das passas memórias. Para tratar estes
atributos negativos com emdr terapia, armazenadas fisiologicamente a memória que é a base da patologia é
identificado, acessados e processados para resolução. Em suma, de acordo com o modelo AIP ou inadequado, ou de
experiências não são a base da patologia em todo o espectro clínico, e transformados experiências são a base da saúde
mental. Por conseguinte, os resultados bem-sucedidos de emdr terapia com vítimas de trauma têm levado a sua
aplicação a uma grande variedade de distúrbios. Essencialmente, o já referido princípios do reprocessamento. O AIP
modelo prediz que a maioria dos tipos de perturbar as experiências de vida podem ser tratadas com sucesso,
independentemente da sua origem. Um "T" grande trauma (caso um critério necessário para o diagnóstico de PTSD),
tais como estupro, molestação sexual, ou experiência de combate, tem claramente um impacto sobre suas vítimas em
termos de como eles se comportam, pensam e sentem sobre si, e a sua susceptibilidade a pronunciada sintomas, tais
como pesadelos, flashbacks e pensamentos intrusivos. Essas vítimas terão auto-atribuições tais como "Eu sou
impotente", "Eu sou inútil", ou "Eu não estou no controle." Naturalmente, os clientes que ainda não experimentaram
tais traumas podem ter também selfattributions negativo dominante, como "Eu sou inútil", "Eu sou impotente," ou
"eu estou indo ser abandonada." Muitos destes clientes parecem ter seus efeitos negativos sobre o selfstatements
derivadas de experiências da primeira infância. Por isso, quando são solicitadas a taxa em um 0-a 10 pontos como eles
se sentem sobre um evento representante de sua família de origem, que ajudou a dar-lhes essas crenças, eles podem
relatar um 8, 9 ou 10. Como "big T" vítimas de trauma, eles vêem o evento, senti-lo, e são profundamente afetados
por ela. Esses clientes não eram, naturalmente, explodiu em um campo minado ou molestadas por um dos pais. No
entanto, uma memória de algo que foi dito ou que lhes aconteceu é bloqueado em seu cérebro e parece ter um efeito
semelhante ao de uma experiência traumática. Na verdade, pela definição de dicionário, qualquer evento que teve
um efeito negativo sobre a duradoura auto ou psique é, por sua natureza, "traumática." Por conseguinte, estes
eventos adversos da vida onipresente têm sido referidos em EMDR prática como "t" pequenos traumas para manter
em mente a natureza de seu impacto (Rebelo, 1995a; para outros aplicativos, veja Shapiro, 2012; Shapiro & Forrest,
1997/2016). Uma ampla gama de experiências de vida adversas pode ser a base da patologia, por causa de seu impacto
emocional. Por exemplo, ao ser humilhado na escola não pode ser designado como um "trauma" para o diagnóstico
de tept, em um nível emocional, tal evento pode ser considerado o equivalente evolutivo de ser cortada do rebanho.
O impacto pode ser devastador, afetivamente com efeitos duradouros. Diversos estudos na última década têm
apoiado este princípio básico do modelo AIP no relato de eventos adversos da vida geral que resultou em igual ou
maior número de sintomas de PTSD de trauma importante (por exemplo, ouro, Marx, Soler-Baillo, & Sloan, 2005; Mol
et al., 2005; Robinson & Larson, 2010). Estes eventos incluíram questões tão onipresente como problemas nos
relacionamentos, no trabalho e na escola. Uma indicação da disfunção acentuada é o fato de que a memória do evento
ainda suscita semelhante negativo auto-atribuições, afetam, e sensações físicas que existia no dia a memória foi
originalmente criada. O alvo terapêutico é a perturbar a memória como é atualmente armazenados, pois a informação
disfuncional estabeleceu as bases para a presente patologia. Enquanto uma grande variedade de condições
susceptíveis de mudança, o diagnóstico específico é menos importante do que o direcionamento adequado das
experiências anteriores que estão gerando sintomas disfuncionais do cliente, características e comportamentos. Por
exemplo, body dysmorphic disorder e síndrome de referência olfatória têm sido tratadas com sucesso através de emdr
transformação do evento etiológico aparente (Brown et al., 1997; McGoldrick, Begum, & Brown, 2008). Na maioria
dos casos, o evento inicial não era nada mais do que uma observação depreciativa percebido ou humilhação (veja o
Capítulo 12 e o Apêndice D para uma revisão abrangente de aplicações clínicas). O AIP preceito sobre o impacto do
trauma, e outros eventos adversos da vida que não satisfazem os critérios de trauma importante, já foi demonstrado
pela pesquisa. O primeiro estudo que corroboram o postulado efeitos da infância eventos adversos sobre uma ampla
gama de distúrbios foi um exame de mais de 17.000 pacientes Kaiser Permanente (Felitti et al., 1998). A pesquisa
avaliou a prevalência de 10 categorias de experiências e relatou que a mais tipos de experiências adversas na infância,
maior a probabilidade de desenvolver problemas de saúde mental, tais como alcoolismo, uso de drogas, e depressão,
bem como doenças físicas (por exemplo, coração, fígado e pulmão; câncer; fraturas do esqueleto). A investigação tem
continuado a apoiar os efeitos negativos dos efeitos das experiências da infância, incluindo: duras a punição física na
infância, não subindo para o nível de abuso infantil, está associado a transtornos de humor, transtornos de ansiedade,
abuso/dependência e transtornos de personalidade como um adulto (afifi, Mota, Dasiewicz, MacMillan, & Sareen,
2012). Abuso Verbal por pares é associada com a ansiedade, depressão e uso de drogas (teicher, Sansão, Sheu, Polcari,
& McGreenery, 2010). Efeitos de experiências de vida contribuem para o desenvolvimento da depressão (Heim et al.,
2004). A relação dos efeitos das experiências da infância de psicose (arseneault et al., 2011; heins et al., 2011). Na
verdade, segundo alguns pesquisadores (Leitura, Fosse, Moskowitz, & Perry, 2014, p. 73), "ao contrário de crenças
antigas orientada biologicamente entre pesquisadores e clínicos, a etiologia das psicoses e esquizofrenia são apenas
como socialmente baseado em [por exemplo, início de vida adversidade] como são nonpsychotic de saúde mental,
como a ansiedade e a depressão." Em resumo, uma ampla gama de pesquisas tem indicado que as experiências
adversas na infância, incluindo disfunção familiar, peer problemas, humilhações, e fracassos, profunda e pode ter
efeitos duradouros. Como postulado no modelo AIP, a causa é a memórias não transformados destes eventos que são
fisiologicamente armazenado com o cognitivo, afetivo, e elementos somáticos que originalmente foram
experimentados. Experiência de estática: Declarações de crença e afecta os aspectos preocupantes de dysfunctionally
memórias são armazenados estaticamente ligados uns aos outros, porque o sistema não pode fazer novas ligações
apropriadas. As informações armazenadas na memória neurofisiológicos rede pode ser manifestado por todos os
elementos do evento: imagens, sensações físicas, gostos e cheiros, sons, afetam, e cognições como avaliação e
demonstrações de crença. Quando o trauma não resolvido é estimulada, o cliente não só vê o que ocorreu, mas
também pode afetar o reexperience e sensações físicas que foram sentidas no momento. Alguns pesquisadores
acreditam que a manutenção dos elementos perturbadores, incluindo fortes sensações físicas, é devido ao
armazenamento inadequado na memória de curto prazo, em vez de na memória de longo prazo (Horowitz, 1986,
2011) ou para armazenamento em sistemas implícito/episódica e não em sistemas semânticos (ver Stickgold, 2002,
2008; van der Kolk, 1994, 2002, 2014). Se assim for, o processamento bem sucedido EMDR inclui uma mudança
dinâmica de informação para armazenamento na memória funcional como é metabolizado e assimilado, o que
significa que o que é útil é aprendido e é disponibilizada, com afeto, adequado para uso futuro. Embora a pessoa
crenças negativas e auto-atribuições são transformados em simultâneo com as outras manifestações do trauma, não
lhes é dada maior peso de experiências sensoriais. Eles são chamados de "metaperceptions", porque eles não são a
experiência sensorial, mas são frases da experiência e implicar a língua. A linguagem não é um componente necessário
do trauma original, como se vê, por exemplo, os efeitos negativos do abuso físico e sexual em crianças pré-verbais15.
Por exemplo, muitas crianças são bloqueados nos armários e abusado antes que eles podem falar, mas eles claramente
têm sintomas de PTSD. Alguns terapeutas cognitivo pode dizer que uma criança colocada em um quarto com um tigre
não temeria a besta, a menos que a criança era velho o suficiente para saber que um tigre é perigoso. No entanto,
parece claro que, se o tigre se virou e gritou para a criança, não importa a idade da criança, medo e, possivelmente,
traumatization. Este exemplo ilustra uma das respostas codificadas geneticamente em seres humanos, as respostas
que se desenvolveram por meio de evolução e não exigem o estímulo da linguagem. Assim, enquanto uma pessoa de
crenças, declarou por meio de linguagem, são clinicamente úteis destilações da experiência, é o efeito de alimentá-
los, que é o elemento fulcral da patologia. O conceito de que experiências passadas, lançar as bases para apresentar
disfunção é longe de novo, mas vamos analisá-lo no contexto da terapia de emdr, especificamente, em termos de
memória de armazenamento e o AIP modelo. Imagine que uma menina está andando ao lado de seu pai e se estende
até a sua mão. Naquele momento, o pai, deliberadamente ou inadvertidamente, gira o braço de volta e atinge a criança
no rosto. A criança sente intensa negativos, o que pode ser verbalizado como "Eu não posso conseguir o que eu quero;
há algo errado comigo." (esta auto-culpa é quase previsível: As crianças geralmente parecem levar a culpa de seus
pais", erros ou falhas, um fato que é mais dolorosamente óbvio no caso de molestação sexual das vítimas que se
responsabilizar pelo abuso. Esta tendência também pode ser causado por processos evolutivos que codificam a
submissão a autoridade como um adjunto necessárias para a sobrevivência.) a afectar, talvez intensos sentimentos de
inutilidade e impotência, e as imagens, sons e a dor do golpe são armazenados no sistema de memória da criança.
Esta experiência torna-se uma pedra de toque, a principal auto-definição de evento em sua vida; no modelo AIP, é
chamado de nó. Desde que as memórias são armazenadas claramente associatively, o próximo evento que representa
uma rejeição semelhante é susceptível de estabelecer a ligação com o nó em curso a criação de uma rede de memória
neural armazenadas fisiologicamente que será crucial para a definição da menina de sua auto-estima. Experiências
posteriores de rejeição pela mãe, irmãos, amigos, e todos os outros podem estabelecer a ligação com o nó em canais
de informações associadas. Antes mesmo que a linguagem é desenvolvido de forma adequada, todas as diferentes
experiências de infância que contenham sentimentos semelhantes de impotência, desespero, e inadequação são
armazenados como informação ligando em uma rede organizada em torno da memória o nó da anterior experiência
Touchstone. Experiências positivas não são assimiladas na rede, porque o nó é definido pelos negativos. Quando há
suficiente para formular uma linguagem auto-conceito, como "Eu não posso conseguir o que eu quero; há algo de
errado comigo", associatively verbalização está ligada com a rede pelo afetam o significado daquelas palavras. Na sua
essência, uma vez que afectam-laden conceituação verbal é estabelecido na rede neural, pode ser visto como
generalizar a cada uma das experiências posteriores como a informação armazenada na memória. O processo continua
na adolescência, por exemplo, quando a menina no nosso exemplo experiências rejeição por um professor ou um
namorado. Assim, todos os eventos relacionados com o subseqüente pode link para o mesmo nó ponto e assumir as
atribuições da experiência inicial. Por conseguinte, a avaliação associada a um evento como esse não é limitado a uma
declaração de funções específicas (por exemplo, "Eu não posso conseguir o que eu quero nesta instância"), mas está
ligado à declaração generalizada disfuncionais, "Eu não posso conseguir o que eu quero; há algo errado comigo." O
que acontece quando a menina atinge a idade adulta e algo acontece que parece-ou mesmo ameaça tornar-se-a
rejeição? Esta nova informação é assimilada na memória, e o conceito de "Eu não posso conseguir o que eu quero; há
algo errado comigo" e seu efeito generalizar e tornar-se associado com ele. Ao longo do tempo, a acumulação de
eventos relacionados com a produção de uma profecia auto-realizável; assim, qualquer indício ou possibilidade de
rejeição pode desencadear a rede neural com a sua cognição dominante de "Há algo de errado comigo." Este
comportamento conseqüente da pessoa e atribuições no presente são disfuncionais, porque o que motiva e alimenta-
los é o intenso afetam, medo, dor e impotência que a primeira experiência, agora agravada por todas as experiências
posteriores. Assim, a dor da infância continua a ser desencadeada no presente, e por causa da natureza associativa da
memória e o comportamento da mulher, as respostas atual e avaliações de si mesma e do mundo vai ser disfuncional.
Quando a mulher entra em uma situação social ou de negócios e deseja algo, a rede neural com o efeito que é
verbalizado pelos "Eu não posso conseguir o que eu quero; há algo de errado comigo" será estimulada, e o associado
afetam, nível de perturbação, e auto-depreciativo crença irá prejudicar gravemente o seu comportamento funcional
no presente. Resolução de perturbação é obtido através da estimulação da inerente do cliente processos de auto-
cura. Como discutido anteriormente, um dos principais princípios do modelo AIP é a noção de uma unidade dinâmica
para a saúde mental. O mecanismo de processamento de informação é fisiologicamente desenvolvido para resolver
perturbações psicológicas, assim como o resto do corpo é voltada para curar uma ferida física. De acordo com nosso
modelo, a disfunção psicológica, com todos os seus elementos complexos de falta de auto-estima e auto-eficácia, é
causado pelas informações armazenadas no cérebro. Por meio de emdr terapia, esta informação é acessada,
transformados, de forma adaptável e resolvido. Como explicado anteriormente, pedindo ao cliente para trazer uma
foto do evento original à consciência estimula o fisiologicamente as informações armazenadas. Os movimentos
oculares (ou outros estímulos) activar o mecanismo de processamento de informações, e com cada conjunto, novo,
adaptável, a informação é assimilada na memória rede, transformando o material-alvo até que chega a um estado
funcional, saudável. Por exemplo, durante uma sessão de tratamento EMDR, um cliente que começa com uma imagem
do seu pai abusivo elevando-se ameaçadoramente sobre seu relatório ver-se espontaneamente, podem crescer em
tamanho até ela ficar frente-a-frente com ele. Como as informações antigas evolui no sentido de uma resolução
saudável e terapêutica com conjuntos sucessivos, o cliente pode espontaneamente estado algo como, "Eu estou bem;
meu pai realmente tinha um problema." Isso mudou a avaliação é parte integrante da nova experiência sensorial e
afetar, uma experiência que agora dominam sempre que a rede neural é ativada por estímulos internos ou externos.
Em outras palavras, como a informação, transmuta a mudança corresponde a imagem muda de afectar e de auto-
avaliação, que se tornou uma parte do caminho a experiência agora está armazenada. Automaticamente no cliente se
comporta de maneira diferente agora, desde a crença subjacente é "Eu estou bem" em vez de "Há algo de errado
comigo." Para a maioria dos clientes, resultados bem-sucedidos de tratamento EMDR no novo, generalizando a
cognição positiva em toda a rede neural. Por conseguinte, qualquer associado (por exemplo, memórias de outras
ameaças pelo pai abusivo da mulher em nosso exemplo) que são acessados para posterior tratamento irá resultar no
surgimento da cognição positiva ("I'm fine"), juntamente com as afetam. A resolução terapêutica é revelado em todos
os aspectos do alvo (imagens, sensações físicas, emoções e cognições) e em eventos associados do passado e do
presente, bem como uma mudança de comportamento. Congelados em observação clínica da infância EMDR sessões
de tratamento indica que os resultados terapêuticos são, muitas vezes, alcançada através da progressiva emergência
de uma perspectiva adulta, especialmente nos casos em que o cliente foi bloqueado anteriormente nas respostas
emocionais de um trauma de infância. Muitas das experiências da infância são infundidas com uma sensação de
impotência, falta de opção, falta de controlo, e inadequação. Até mesmo os melhores momentos da infância, como
quando os pais saem para a noite, em que a criança sente para uncared, abandonada, e powerless. O AIP modelo
postula que mesmo essas experiências normais podem ser armazenadas fisiologicamente os eventos causais para
muitas disfunções. O idioma do cliente inclui, muitas vezes, manifestações dessa infância unidos como impotência,
falta de escolha, o medo e a inadequação. Por exemplo, a 50 anos de idade- cliente que fala de longa distância para a
sua mãe e começa a reagir com medo, frustração e ansiedade não está reagindo ao atual de 75 anos inválido no
telefone. Em vez disso, as emoções de sua infância são experientes, devido à estimulação da rede neural associado
com sua mãe, uma rede baseada em anteriores touchstone memórias que incluem sentimentos intensos de medo e
de falta de segurança. Essencialmente, o cliente não pode reagir com calma para sua mãe, até que as memórias
anteriores sejam devidamente processados e relegado para o lugar que no passado. Como EMDR ativa o sistema de
processamento de informações e mantém-a em um estado dinâmico, a culpa e o medo da perspectiva da criança pode
ser transmutado em progressivamente a perspectiva de responsabilidade adequada, segurança e confiança em sua
capacidade de fazer escolhas. Percepções, como da falta de controlo, que foram perfeitamente válida na infância ou
durante um estupro ou situação de combate, não são mais verdade para o adulto no presente. É importante entender
o paralelo entre negativo das experiências da infância e a experiência do trauma da vítima. Em ambos existem, em
geral, sentimentos de culpa e inadequação e falta de controle, segurança ou opções. Presumivelmente, um nó é
disfuncional no lugar na infância (durante estádios), quando a informação positiva não é assimilado a a rede neural
durante o período crítico imediatamente após uma experiência perturbadora (por exemplo, a criança pode não
receber reconfortante após uma lesão). A natureza de nós preexistente, bem como a intensidade de estressores, pode
determinar a formação de sintomas de PTSD pronunciado. Em adultos vítimas de trauma, a presença de um nó
disfuncional preexistente pode explicar porque a crônica de processamento de memórias do trauma sofrido na vida
adulta, por meio de terapia EMDR resulta frequentemente em relatórios do cliente o surgimento da primeira infância
memórias com semelhante efeito. Informação adequada sobre o reprocessamento permite que o cliente reconheça
presentes condições ou circunstâncias adequadas em ambos os níveis emocional e cognitivo. O que temos visto em
um vasto número de clientes é a terapia EMDR sua progressiva evolução para um estado de auto-aceitação, em que
eles têm um senso de segurança e controle no presente. "Tempo Livre" de psicoterapia a psicoterapia tradicional tem
sido tempo no sentido de que os seus efeitos ocorrem somente após um longo período de tempo. Terapia
convencional utiliza verbal (em vez de com base fisiologicamente) procedimentos para mudar a informação que é
dysfunctionally bloqueado no cérebro (veja também van der Kolk, 2002, 2014). No modelo AIP a cura da disfunção
psicológica é visto como sendo, comparativamente, o "tempo-livre", porque os efeitos do tratamento rápido pode ser
observado quando o EMDR processamento é iniciado, independentemente do número de acontecimentos
perturbadores e não importa há quanto tempo eles ocorreram. Conforme discutido anteriormente, o EMDR pode
direcionar tratamentos memórias da primeira infância, traumas, ou situações atuais para efeito terapêutico positivo
porque a rede neural associativa tem links para todos os eventos semelhantes. Como o cliente mantém o alvo, em
consciência, a informação disfuncional é estimulado. O sistema de processamento de informação é ativado através de
conjuntos de estímulos de atenção dual bilateral, e o evento traumático é transmutado para uma resolução adaptativa
com as afetam, de auto-atribuição, e avaliação global. Uma vez que a informação está ligada associatively, muitas
memórias semelhantes pode ser afetado durante a sessão de tratamento, e é possível que o novo afeto positivo e
cognições positivas para generalizar a todos os eventos agrupados em memória da rede. Como alternativa, uma vez
que várias vítimas de estupro, molestação sexual das vítimas, e veteranos de combate pode ter muitos eventos
traumáticos em sua história, o médico poderá agrupar as memórias do cliente em grupos que têm pistas paralelas e
estímulos, tais como memórias de ver companheiros feridos em combate ou memórias de atos abusivos por um irmão
mais velho. O tratamento EMDR então metas ativamente um evento que representa todo o cluster, o que muitas
vezes permite um efeito de generalização, em todas as experiências associadas. As alterações durante o tratamento
EMDR ocorrem rapidamente em relação ao tratamento convencional (1), provavelmente porque as memórias podem
ser orientadas em clusters, (2) o estado disfuncional dependente de material é acessado diretamente, (3) Protocolos
(que será explicado nos capítulos posteriores) são empregados, e (4) estímulo da inata do sistema de processamento
de informações aparentemente transforma as informações diretamente em um nível fisiológico. A capacidade dos
efeitos do tratamento EMDR estar relativamente livre de restrições de tempo é análogo à capacidade das pessoas de
sonhar através de seqüências de eventos extremamente longo, em apenas 45 minutos de sono REM.
Presumivelmente, mecanismos semelhantes no estado de sonho e o AIP a terapia EMDR estado de permitir uma rápida
mudança fisiológica através do material cognitivo-emocional (ver também Stickgold, 2002). Embora este efeito pode
ser encontrado em muitos indivíduos após um sonho sobre uma pequena perturbação, um envolvimento consciente,
activa é necessária para muitos tipos de material a ser traumática da mesma forma influenciado. EMDR durante o
tratamento, o processamento adaptativo de memórias é mantido dinamicamente, isto é, procedimentos EMDR
manter o mecanismo de processamento de informações ativo. Isto está em nítido contraste com o recall estática de
eventos típicos de terapias verbais de longo prazo. Em EMDR, a anamnese, o dirigiu os processos de transformação, e
os protocolos de tratamento reflectem um modelo que enfatiza um forte foco terapêutico. Como mencionado
anteriormente, o modelo incorpora a noção de recuperação e selfhealing gerados espontaneamente após o bom nós
são acessados e o sistema de processamento de informação é ativado (com a óbvia excepção da base biológica ou
quimicamente mentais). Existe uma analogia aqui para o tratamento médico de doença: Assim como o uso de drogas
modernas nos fez rever os nossos pressupostos sobre a quantidade de tempo necessária para curar diversas doenças
físicas, o mesmo ocorre com a utilização de terapia EMDR forçar-nos a examinar as nossas noções preconcebidas sobre
o tempo necessário para curar feridas. De acordo com o modelo do pai, o EMDR médico catalisa o necessário equilíbrio
bioquímicos adequados para processamento. Por exemplo, o estado do cérebro causada pela atenção focada e
movimentos oculares simultânea (ou estimulação alternativa), pode levar a ativação dos sistemas cortical e límbica
(Stickgold, 2002, 2008; veja também o Capítulo 12). Esta interação pode subjacentes a um tratamento rápido. No
entanto, tratamento terapêutico completo envolve o uso de procedimentos e protocolos clínicos que maximizam o
efeito benéfico. Histórico de cada cliente, como discutido no Capítulo 4, inclui indicadores de disponibilidade e
demandas do cliente planos de tratamento exclusivo e níveis de suporte terapêutico. EMDR os médicos descobriram
que através da utilização de protocolos estruturados, algumas sessões muitas vezes pode limpar uma área de
disfunção que pode ter aparecido resistentes aos meses de terapia anterior. O médico deve ser a mente aberta para
o fato de que a rápida, profunda, multidimensional e mudança de um cliente pode ter lugar e pode ser mantida ao
longo do tempo. Para os médicos formados em um modelo de longo prazo, tais como a psicanálise, isto pode ser difícil
de aceitar. No entanto, permitam-me que sublinhe que as observações clínicas de emdr sessões de processamento
têm revelado que nenhuma fase pertinente de cura é ignorado: Os símbolos tornam-se claras, insights, as lições são
aprendidas, e as várias fases de resolução emocional são experientes, embora de uma forma acelerada (ver também
Wachtel, 2002). Independentemente da modalidade psicológica utilizada pelo médico, é apenas lógico que qualquer
mudança terapêutica deve ser baseada em uma mudança fisiológica de informações armazenadas no cérebro (veja o
Capítulo 12 para tratamento de dados neurofisiológicos sobre EMDR). Pode ser útil para os clínicos a reconhecer a
relativamente pequena distância percorrida em cruzar uma sinapse. Mesmo no longo prazo, o insight terapia
psicodinâmica ocorre durante um único momento no tempo; no modelo AIP, insight ocorre quando duas redes neurais
se conectar. Metas a chave para a mudança psicológica é a capacidade de facilitar o processamento de informações
adequadas. Isso significa fazer conexões entre as associações mais saudável. Objectivos específicos são usados para
obter acesso à memória disfuncional redes. Com base na observação clínica, parece que qualquer manifestação da
informação armazenada pode ser usada como um alvo para processamento de emdr. Assim, um sonho, uma memória,
comportamento atual e todos os focos são úteis na medida em que todos eles estimulam a rede neural específico
contendo as informações perturbadoras. Por exemplo, um veterano de combate podem ter um pesadelo recorrente
de ser morto, uma memória de ser baleado, ansiedade ou uma reação a ruídos altos, junto com uma crença difundida
sobre a falta de controle. Todos estes elementos podem ser combinados em um plano de tratamento apropriado.
Uma vez que o sistema de processamento de informação é ativado, os elementos disfuncionais podem ser
metabolizada e a apresentar reclamação resolvida através da vinculação progressiva do alvo com material mais
adaptável. Além disso, há uma série de indicações de obturação redes de memória que podem ser direcionados,
incluindo dissociations, lapsos de memória, e o fato de que o acesso é restrito aos materiais negativos. Acesso Restrito
ao material negativo um indicador de obstrução de uma rede de memória é quando o cliente é capaz de recuperar
somente memórias negativas mesmo quando outros, positiva, eventos têm sido experimentados. Por exemplo, um
cliente apresente queixa era que ela tinha sentido para 2 anos que uma "nuvem negra" paira sobre sua cabeça. Ela
tinha sido muito perto de seu pai, que morreu uma morte terrível em um repouso enquanto ela tinha sido incapaz de
fazer qualquer coisa. Sempre que ela tentou pensar de seu pai, ou sempre que qualquer coisa estimulou uma memória
de ele, somente as imagens que surgiram foram de seu sofrimento no lar. EMDR processamento foi destinada a estas
imagens. Posteriormente, para verificar a eficácia do tratamento, o cliente foi orientado a pensar de seu pai e
perguntou, "o que você ganha?" Ela relatou espontaneamente, vendo uma foto dos dois em uma festa. Quando ela
foi então solicitado para remover a foto e a pensar de seu pai novamente, o mesmo tipo de resultado ocorrido. As
imagens positivas foram ligados a um sentimento de paz, e a nuvem negra havia desaparecido. A pesquisa também
indicou que a positiva é o aumento posterior ao tratamento EMDR (saltou, 2002). De acordo com o modelo, o AIP
informação negativa é mantido em um formulário dysfunctionally excitatórios e, consequentemente, é mais provável
de ser estimulada de outras associações. Assim, embora muitos tipos de informações são armazenadas na memória
associativa rede, acesso a todos, mas o material negativo altamente carregada é bloqueado. Quando os eventos
perturbadores foram processados, eles resolvem de forma adaptável em uma forma mais neutra, com cognições que
verbalizam mais adequado afectar (no exemplo anterior, um tal cognição seria "Ele está em paz agora"). As memórias
positivas podem, então, surgir. Como resultado, qualquer sugestão interna ou externa que atrairia informação da rede
de memória orientada não mais apenas o acesso a informação disfuncional. Por exemplo, se o cliente em nosso
exemplo é convidado a pensar sobre seu pai ou se ela ouve sobre alguém do pai, ela não será mais limitada a
pensamentos sobre os eventos do lar. Uma vez que as lembranças perturbadoras são adequadamente tratados, tacos
permitir acesso a outros, mais positivos, aspectos da rede neural. Lapsos de memória vítimas de abuso sexual na
infância, muitas vezes relatam que não é possível recuperar muitas lembranças dos anos durante os quais o
molestations ocorreu. Parece que a informação altamente carregada sobre o abuso está bloqueando o acesso ao
restante da rede de memória da infância. Uma vez que o trauma é processada, o cliente é capaz de se lembrar de
muitos eventos positivos, tais como experiências com amigos que ocorreram durante esse tempo. Como a rede de
memória total disponível e lembranças felizes se tornam desbloqueados, o auto-conceito muda automaticamente.
Como resultado do aumento da gama de memórias de infância do cliente e associações, ela é capaz de redefinir-se
como uma pessoa com habilidades positivas, uma história e um futuro. Clientes de dissociação pode apresentar-se
como muito sintomáticos, mas com nenhuma memória de um evento traumático que pode ter levado a essa condição.
Nestes casos, os sintomas parecem ser uma manifestação de dysfunctionally informações armazenadas. Não há
nenhuma presunção, contudo, quanto à natureza ou exatidão do touchstone evento. Os médicos devem tomar muito
cuidado para não levar ou interpretar para o cliente (ver a secção "falsa memória" no Capítulo 11). Recorde-se que,
dissociada do material pode ser nada mais do que a informação que não está disponível para a consciência porque ela
é armazenada em forma statedependant isolado em uma rede neural. Como a informação é processada, que pode
surgir em consciência. No entanto, uma imagem é apenas uma das muitas possíveis manifestações de dysfunctionally
informações armazenadas, e a memória visual de um evento nunca pode ser recuperada. No entanto, os médicos
relataram que visando outros aspectos da memória armazenada como sons, cheiros, pensamentos, sentimentos,
sensações ou a apresentar sintomas (incluindo o senso de perigo), muitos destes clientes recuperar imagens visuais
dissociada do evento. De fato, diversos estudos têm relatado que os movimentos oculares reforçar a memória
episódica (por exemplo, recuperação christman et al., 2003; nieuwenhuis et al., 2013). Mais importante, no entanto,
a apresentar os sintomas podem diminuir mesmo se não houver recuperação de imagens. Sessões de terapia EMDR
têm mostrado que a efetiva transformação pode ocorrer se a informação é lançada como uma imagem na consciência
do cliente. Metaforicamente falando, o vídeo pode ser executado (ou seja, a informação pode ser a transformação) se
o monitor está ligado. Outras formas de dissociação ocorrem em clientes que se fundir com a experiência do passado
durante o abreactions. A ESMAGADORA sensações e reações emocionais vivenciadas como o evento é acessado são
indicadores de que a informação foi realizada em forma disfuncional. Como a informação é processada, os clientes
muitas vezes exclamar: "Oh, eu estou aqui", acrescentando, "Eu não estou no Iraque" ou "Eu não estou na minha casa
antiga" ou "Eu não estou em perigo." Da mesma forma, uma completa falta de afeto, que também pode ser indicado
pelo cliente, que usa termos como "Numb", ou "BLOQUEADO" quando um evento traumático é acessado, indica as
informações que foram armazenadas dysfunctionally. Nestes casos, os clientes podem recuperar a afectam, muitas
vezes, em um alto nível de perturbação, durante as fases iniciais do tratamento. Qualquer resposta dissociativa
inadequado, quer uma underreaction ou a um evento traumático, é considerada indicativa de uma rede de memória
bloqueada e é, portanto, um alvo apropriado para processamento de emdr. Psicoterapia integrada, como você pode
ver nas discussões anteriores, muitas modalidades psicológica andorinha em EMDR terapia. Como uma abordagem
clínica, EMDR paradigma abre novas possibilidades terapêuticas, apoiando a integração dos principais elementos do
tratamento psicológico das principais modalidades. Em uma típica sessão de 90 minutos de emdr, o médico observa
mudanças rápidas no cliente. Os médicos que utilizam uma abordagem psicodinâmica são susceptíveis de aviso a livre
associação, catarse, ABREACTION, simbolismo, e a família de origem material. Facilmente observar as correntes de
aprendizagem behaviorista, generalização, respostas condicionadas, associativas, materiais e muito mais. O terapeuta
cognitivo encontra a mudança progressiva das estruturas cognitivas e crenças. O Gestalt terapeuta observa a
eliminação de estática emocional, que permite que o cliente a distinguir mais facilmente a figura e relacionamento. A
Reichian observa a mudança de sensações físicas ligadas ao material disfuncional. O que nós encontramos em EMDR
terapia é um entrelaçamento de muito do que parece ser válido em psicoterapia tradicional. Essencialmente,
independentemente dos termos utilizados, o que todas as modalidades psicológicas têm em comum é que as
informações são armazenadas fisiologicamente no cérebro. Quando a cura é ativado, os elementos-chave da maioria
das abordagens psicológicas estão representados. No entanto, embora o AIP modelo oferece uma teoria unificadora,
que pode ser visto como síntese de todas as modalidades, o psicológico, o modelo abre novo território, definindo
patologia como dysfunctionally armazenada a informação que pode ser assimilada através de um sistema de
processamento ativado dinamicamente. Assim, o clínico utilizando EMDR terapia é oferecida uma nova função de
ajudar a facilitar o tratamento positivo efeitos. Diagnósticos globais, tais como distúrbio de personalidade, muitas
vezes servem para cadeia do cliente para uma montanha de imóveis. O uso do modelo AIP e terapia EMDR sugere que
o médico o foco sobre as características que geram os comportamentos responsáveis para o diagnóstico, em vez de
participar principalmente para o diagnóstico de um rótulo. Características são vistos como tendo sido produzida por
experiências anteriores, incluindo modelagem parental, que são fisiologicamente armazenadas no cérebro e como
sendo susceptível de alteração através de uma transformação. Assim, uma vasta gama de experiências adversas na
infância, adolescência e vida adulta podem ser localizados em um espectro de trauma e pode tornar-se objecto de
emdr-activated muda para a auto-cura e resolução. Cada médico, independentemente da orientação, é convidado a
observar efeitos de processamento EMDR e redescobrir tudo que é acreditado para ser verdadeiro de sua modalidade.
O médico também é convidado, no entanto, a considerar a proposta de modelo de processamento de informações,
em vez de sobrepor prematuramente sobre terapia EMDR derivados anteriormente uma abordagem teórica. O AIP
modelo, refinamentos do emdr, procedimentos e protocolos de tratamento têm evoluído no sentido de explicar e
maximizar os efeitos do tratamento. Portanto, os médicos são aconselhados a usar a terapia EMDR (como descrito em
capítulos posteriores) e observe seus resultados clínicos, antes de tentar defini-lo assim (circunscreve-lo) e fazê-lo em
conformidade com as modalidades estabelecidas anteriormente. Este cuidado pode ajudar a evitar que os benefícios
da terapia de emdr de estar confinado aos limites do que até agora foi alcançado. Por exemplo, se a terapia EMDR é
definido simplesmente como a hipnose, a sua utilidade será limitada aos efeitos já disponíveis para o hipnotizador. Se
é visto apenas como a dessensibilização, dinâmica essencial e aplicativos podem ser ignoradas pelo terapeuta.
Permitindo EMDR terapia para definir os seus próprios parâmetros com base nos seus efeitos, o que significa que os
limites observados em outras modalidades pode ser superado (ver também Norcross & Shapiro, 2002). Assim, para o
máximo efeito terapêutico é fundamental que o médico observe as respostas do cliente sem limites preconceived. Na
prática, EMDR terapia pode talvez ser melhor descrito como um cliente-centrado, interativo, interacional, intrapsychic,
cognitivas, comportamentais, terapia orientada para o corpo. Os principais elementos de todas essas modalidades são
integrados para tratar o cliente como uma pessoa inteira. Resumo e conclusões o AIP modelo postula uma série de
interações e efeitos que envolvem a centralidade das memórias não transformados em conceituar e tratar uma grande
variedade de patologias. O modelo é oferecido como uma hipótese neurofisiológica, porque o entendimento atual da
fisiologia cerebral ainda não é suficiente para verificar se os modelos de processamento de informações subjacentes
a qualquer forma de psicoterapia. No entanto, a investigação tem apoiado muitas de suas doutrinas e previsões. Uma
vez que este modelo baseia-se em observar os efeitos do tratamento, e com sucesso, a terapia EMDR guiado a prática
e a pesquisa durante os últimos 25 anos, ela pode servir como um roteiro que é explicativo e preditivo, mesmo se
acontecer que o detalhes neurofisiológicos da hipótese estão incorretas. O modelo AIP diz que há um sistema
fisiológico inato que é projetado para transformar informações perturbadoras para uma resolução adaptativa e uma
integração saudável psicologicamente. Um trauma ou outras experiências de vida adversas podem perturbar o sistema
de processamento de informações, fazendo com que as percepções sejam armazenados no Estado-dependentes e
pronunciado de forma manifestada por sintomas de PTSD e uma grande variedade de outros transtornos. O sistema
de processamento de informações bloqueadas é pensado para ser estimulada através de uma variedade de possíveis
fatores fisiológicos, incluindo (1) causado por um descondicionamento obrigado Resposta de relaxamento, (2) uma
mudança no estado do cérebro melhorando a ativação e fortalecimento de associações fracas, ou (3) alguma outra
função de um foco duplo mecanismo de processamento de informações (consulte o capítulo 12 para uma discussão
dos mecanismos propostos e revisão dos dados de investigação). A estimulação bilateral alternativos como, por
exemplo, estímulos auditivos e tácteis foram encontrados para ter um efeito clínico semelhante à dos movimentos
oculares. Como salientado ao longo deste texto, os estímulos são utilizados no contexto de procedimentos e
multifacetada, que também são projetados para apoiar e facilitar o tratamento. Essencialmente, a hipótese de que a
informação é metabolizado e transformado ao longo de canais de memória associadas através dos estágios
progressivos de auto-cura. A transmutação é visto em todos os elementos da informação, imagens, sensações,
emoções e crenças. Como a informação se move de DISFUNCIONAL de forma funcional, as manifestações negativas
do alvo se dissipar e os positivos tornam-se mais vívidas. Além disso, há um comparativamente elevada incidência de
aparecimento de material previamente dissociada como memória de diferentes redes neurais progressivamente
associar um com o outro, até que uma resolução adaptativa é conseguida. Dentro de AIP, mais psicopatologias são
baseadas em experiências de vida anteriores que estão no estado-dependentes. Esses eventos adversos da vida pode
ser designada como "t" pequenos traumas para lembrar os médicos de seu impacto. Esta designação reforça a noção
de que a infância eventos pode ter um efeito negativo sobre a duradoura e auto-psique e pode ser conceituada como
efeitos negativos de codificação e sensações que surgem espontaneamente quando accionado por condições actuais.
Portanto, uma infância humilhação dysfunctionally podem ser armazenados em formas que inibem o adulto do senso
de si e o melhor comportamento. Claramente, embora designado "t" pequeno trauma para denotar a natureza desses
tipos de experiências, os acontecimentos não se sentir "small" para a criança. Com efeito, as humilhações da infância
pode ser visto como o equivalente evolutivo de ser cortado do rebanho e pode ajudar a explicar por que uma
sobrecarga emocional consequente para o accionamento de um mecanismo de sobrevivência pode resultar em
armazenamento disfuncional. No entanto, independentemente da causa ou duração de tempo desde que o evento, a
natureza associativa da memória rede permite a generalização dos efeitos do tratamento positivo para modificar o
presente de auto-avaliação e de comportamento. Se a queixa é simples TEPT ou um diagnóstico mais complexo, a
transmutação de uma perspectiva adulta adaptativo pode ser feito rapidamente, comparativamente, por essa
abordagem focada, fisiologicamente, que aparece para desbloquear o sistema informationprocessing e redes de
memória. Todos os elementos importantes das principais modalidades psicológica, bem como os indicadores de
profunda mudança psicológica, serão visíveis no sistema integrado de emdr abordagem terapêutica. Todos os
procedimentos são vistas como contribuindo para o tratamento positivo efeitos. No entanto, os médicos são
advertidos permanecer flexível e utilizar o modelo proposto como um mapa de estrada para permitir a possibilidade
de uma ampla mudança psicológica que pode ser alcançada com rapidez incomum. É necessário, naturalmente, para
que o médico possa ter a educação e qualificações, desde EMDR é somente tão eficaz como a pessoa a utilizá-lo e
todos os treinamento clínico anterior e habilidade serão chamados a alcançar o sucesso terapêutico. Capítulo 3
Componentes do emdr terapia e tratamento básico Efeitos Se você construiu castelos no ar, seu trabalho não precisa
ser perdida; que é onde eles devem ser. Agora coloque as fundações sob eles. -HENRY DAVID THOREAU na primeira
parte deste capítulo, eu explorar em detalhes a importância de um objectivo delineado usado como o ponto focal do
emdr transformação e definir os componentes básicos. Estes incluem a imagem; as cognições negativas e positivas; as
emoções; as sensações físicas; e as escalas de avaliação cognitiva e emocional, o Sud (Unidades subjetivas de
perturbação) e do teor de COV (validade de cognição) escalas. Eu, em seguida, descrever os movimentos oculares,
bem como alternativa de estímulos. Em seguida, reveja a oito fases do emdr terapia: a anamnese e o planejamento
do tratamento, preparação, avaliação, dessensibilização, instalação, leitura corporal, encerramento, e reavaliação.
Finalmente, discuto alguns efeitos clínicos de focalização e típicos cliente EMDR experiências durante o
processamento. Definição neste capítulo todos estes aspectos do tratamento coloca os seguintes capítulos no
contexto da interação médico-cliente, dando instruções específicas para a sua utilização. Os procedimentos nestes
capítulos são principalmente explicativa ilustrada por exemplos de casos de trauma de tratamento. No entanto, estes
componentes fundamentais aplicam-se a todos os pedidos de terapia de emdr. Populações clínicas adicionais são
exploradas nos Capítulos 9 e 11. Componentes básicos DO EMDR EMDR eficaz metas de transformação transformação
depende de uma orientação eficaz. Se o errado ou o errado alvos (componentes) são utilizadas, o tratamento positivo
efeitos são susceptíveis de ser mínimo. Para o sobrevivente de abuso sexual, metas adequadas: memórias de infância,
os recentes acontecimentos que desencadeiam distúrbios atuais e eventos imaginal que incorporam o adequado
comportamento futuro. Quando se tratar de um caso relativamente simples, como, por exemplo, uma vítima de PTSD
simples que sofreu um trauma como um desastre natural, pode ser necessário apenas o único alvo memória do evento,
embora o presente e desencadeia um modelo positivo para o endereço comportamento de fuga deve ser avaliada (ver
Capítulo 8). No entanto, se o evento tiver ocorrido nos últimos meses, os protocolos específicos de eventos recentes
podem precisar ser utilizado (ver Capítulo 9). É importante para o médico a estar familiarizado com os procedimentos
de processamento e protocolos específicos delineados neste texto. Independentemente do número de aspectos
clínicos que requerem tratamento, cada alvo devem ser individualmente circunscritos e totalmente processada. Estas
metas são os blocos de edifício de tratamento EMDR e merecem atenção clínica cuidadosa. Uma cozinha totalmente
delineada ajuda o cliente alvo e o médico para compreender o contexto do trauma e configuração (todos os detalhes
que compõem o trauma e a resposta) e resultará em mais rápido processamento. A maioria dos parâmetros úteis para
o tratamento são a imagem, as cognições negativas e positivas, as emoções e o seu nível de perturbação, e as
sensações físicas. Estes aspectos do alvo deve ser claramente definida para iniciar, continuar e concluir o
processamento EMDR. Deixe-nos fazer exame de um olhar próximo em cada um deles. A imagem que o médico deve
pedir ao cliente para pensar do evento e, em seguida, para se concentrar em uma imagem que representa o todo o
incidente ou o mais perturbador. Se a imagem é distinta é de pouca conseqüência. Na verdade, é bastante comum
para o cliente para ter apenas uma imagem borrada ou fragmentados vista do evento. O objetivo é simplesmente
estabelecer uma ligação entre consciência e onde a informação é armazenada no cérebro. A cognição negativa do
cliente está próximo pedido para identificar uma declaração que expressa a opinião negativa ou auto-avaliação
inadequada que vai com a imagem. Esta declaração é chamada de "cognição negativa." Embora o termo "cognição"
tem sido frequentemente utilizado para definir todas as representações de experiência consciente, em EMDR terapia
é utilizado para significar uma crença ou avaliação. Por conseguinte, o conhecimento atual do cliente representa a
"interpretação" do self, não apenas uma descrição. Como uma interpretação, a cognição negativa responde à questão
"Quais são as minhas crenças auto-depreciativo acerca de mim em relação ao evento?" cognições negativas incluem
afirmações como "I am bad/inútil/incapaz para suceder." A vítima de estupro que olha para trás, tendo sido amarrado
e amordaçado, e oferece a declaração "Eu era impotente" ou "Eu estava com medo" não está fornecendo uma
cognição negativa; ela está dando uma declaração de fato, uma descrição. A terapia EMDR não pode transformar esta
declaração da vítima de estupro, visto que o processamento afeta somente inadequada, material disfuncional. Um
exemplo de uma cognição negativa que é apropriado para o hipotético pode ser vítima de estupro "Eu sou impotente."
Esta declaração indica como ela atualmente sente sobre si mesma quando ela recorda o estupro. Quando a memória
traumática é estimulada, o Dysfunctionally armazenados é sentida e afetar a cognição negativa serve para transmitir
o seu significado. Porque a afirmação "Eu sou impotente" é inadequada ou disfuncional (desde que não há nenhum
perigo ou ameaça atual), EMDR podem ser usadas para reprocessar. Para sobreviventes de abuso sexual, alguns
cognições negativas adequadas podem incluir "Eu sou danificados para a vida", "Eu sou impotente," ou "Eu não
mereço o amor e não a tem." Observe as seguintes características das cognições negativas: todos eles são declarações
de "eu", eles são expressos no tempo presente, e elas envolvem negativo auto-atribuições devido à participação do
cliente (ainda que forçada) no evento traumático. Essas declarações indicam patologia. Como a imagem, as cognições
negativas são links para o material que é disfuncional na necessidade de processamento. O "negativo" de cognição é
definida como a auto-avaliação negativa que fazem vítimas no presente. Quando o cliente traz a memória de um
trauma que pode ter ocorrido há muitos anos, o clínico deve determinar como o nível de perturbação é actualmente
vivida. O cliente pode continuar a pensar sobre si mesmo, indevidamente, em relação ao evento (com sentimentos de
auto-culpa, incapacidade, impotência, ou auto-demérito), demonstrando que a memória não foi resolvido. Quando a
vítima de estupro, traz a cena de estupro e afirma, "Eu sou impotente," ou "eu sou sujo," ou "Eu sou inútil", estes são
interpretações sobre o self made no presente. Porque eles representam objetivamente inadequados (falso) crenças
negativas, eles são os principais alvos para processamento de emdr. Quero sublinhar que a observação clínica indica
que a terapia EMDR não leva o cliente a falsificação da história. Assim, a cognição negativa que é realmente verdadeiro
não será alterado, ou seja, observação clínica EMDR consistentemente indica que a transformação não pode ser usado
para remover um verdadeiro negativo cognição ou incutir uma falsa. Este fenômeno foi primeiramente observado
EMDR com um cliente que foi vítima de estupro. Sua cognição negativa foi "Eu sou culpado." Durante a sessão de
tratamento, ela relatou que este conhecimento tornou-se progressivamente mais, e não menos, válido. Quando
questionado, o cliente revelou que ela estava a pensar no fato de que ela havia mentido para a polícia e o ministério
público sobre os fatos reais do caso; isto é, ela era culpado de engano. Uma nova cognição negativa e, em seguida,
teve de ser utilizada para o tratamento. Mais uma vez, a cognição é negativo frases ("Há algo errado comigo"), em vez
de estudo descritivo ("mãe não me ama"). Se esta afirmação fosse verdadeira, como no caso de um psicótico ou mãe
sádica, não podia (e obviamente) não deve ser alterado pela emdr transformação: Um pai/mãe abusivo não pode ser
transformado em um carinho de mãe. No entanto, o resultado negativo auto-atribuição ("Há algo errado comigo")
podem ser abordados e adequadamente reprocessados, a fim de ajudar a mudar a patologia do cliente. Embora, como
uma criança, o cliente pode ter culpa a si mesma por sua mãe, falta de amor, este foi e continua a ser inadequado e
constitui o verdadeiro alvo para o reprocessamento. Na verdade, de uma política de cognição negativa, muitas vezes
utilizado no trabalho com vítimas de abuso infantil, é "Eu não sou amável." Alguns clientes têm dificuldades em
construir um negativo a cognição. O médico pode oferecer como um cliente uma lista de alternativas de cognições
negativas para ajudá-lo a entender o conceito (ver Apêndice A). No entanto, é importante que estas sugestões sejam
apresentadas de uma forma aberta e unpressured que deixa a escolha ou construção de uma cognição negativa mais
útil, completamente até o cliente. É vital que esta cognição resultam da experiência do próprio cliente e não ser uma
construção artificial do médico. Se um cliente tem dificuldade de colocar uma cognição negativa em palavras, oferecer
alguns exemplos que, na sua opinião, parece ser um bom ajuste. Como uma regra de ouro, a maioria de cognições
negativas parecem se dividem em três categorias: (1) responsabilidade/defeito ("Eu não sou ou algo errado"), (2) falta
de segurança, e (3) falta de controle. Alguns exemplos incluem o seguinte: "Sou inútil." "Há algo de errado comigo."
"Eu sou uma pessoa ruim." "Eu estou sujo." "Eu não sou amável." "Eu estou em perigo." "Vou ser abandonado." "Eu
sou impotente." "Eu estou fora de controle." "Eu não posso ter sucesso." Identificando a cognição negativa auxilia o
cliente a reconhecer mais plenamente a sua irracionalidade, estabelece uma linha de base, e ajuda a estimular a
informação disfuncional que requer o reprocessamento. Uma lista mais extensa de (negativa e positiva) cognições é
apresentado no Apêndice A. A cognição positiva uma vez que o cliente e o médico têm identificado a cognição negativa
associada com o alvo, o próximo passo na sessão de emdr para o cliente para identificar a taxa desejada de cognição
e positivo sobre o ponto 7 da escala de COV (Shapiro, 1989a), onde 1 é "completamente falso" e 7 é "totalmente
verdadeira." A avaliação de COV deve ser baseado em como verdade e como crível a cognição considera positiva para
o cliente, não como verdade é objectivamente. Mesmo permanecendo em tumulto emocional, muitas vezes o cliente
está ciente de que ele deveria acreditar em algo positivo. Portanto, o médico deve pedir ao cliente para relatar seu
"gutlevel" resposta. Por exemplo, uma vítima de estupro pode saber que o estupro não foi sua culpa, mas ainda se
sentir culpado. Portanto, ela pode dar inicialmente apenas a 4 na escala de COV para a cognição positiva "Eu sou uma
boa pessoa." O objetivo de identificar a cognição é positiva para definir uma orientação para o tratamento, para
estimular a alternativa adequada redes neurais, e oferecer o terapeuta e cliente uma linha de base (classificação de
COV) para avaliar o progresso. Identificação de uma cognição positiva antes de começar o reprocessamento também
fornece uma declaração que pode ser usado para uma instalação rápida (a fase de instalação segue imediatamente a
dessensibilização e será descrito em breve) se um melhor não surgir no decurso do tratamento. Conforme relatos de
sessões de tratamento EMDR mostram que se um cliente positivo da cognição é inadequada ou impossível, ele irá
perturbar o reprocessamento. Quando a interrupção ocorre, o cliente é geralmente tentar incorporar alguns forma de
pensar wishful. Irrealista cognições positivas desejado não será incorporada no sistema do cliente. Um sinal desta
condição é uma primeira classificação de COV completamente falsa ("1"), o que geralmente indica que a crença
desejada é impossível de alcançar. Um exemplo disso é o caso de um cliente que tinha sido violada pelo seu
empregador. Cognição desejada do cliente foi "eu posso lutar de volta." Isso parecia razoável ao seu médico, mas a
classificação inicial VOC deu esta declaração não aumentou durante a sua sessão de tratamento. Observando isso, o
médico perguntou-lhe, "o que impede que seja um 7?" O cliente respondeu, "Ele é 6 pés e meio de altura e pesa 350
libras." A menos que o 5-pés de altura cliente tinha tomado aulas de artes marciais, a declaração "Eu posso lutar para
trás" (o que significava o cliente em um sentido literal) foi claramente falso e inadequado como uma cognição positiva
para uma efetiva transformação EMDR. Ao desenvolver uma cognição, instruir o cliente, sempre que possível, para
fazer um "I-declaração" que incorpora um locus de controle interno. Os clientes muitas vezes oferecem declarações
iniciais que estão além de seu controle, tais como "Ele me ama" ou "Eles vão dar-me o que eu quero." Dar aos clientes
exemplos apropriados para redirecionar-los longe de tais declarações, e apontam para a impossibilidade de assegurar
a verdade de afirmações como "Meus filhos nunca vai se machucar." adequado de cognições positivas como "Eu posso
lidar com a situação", "Eu posso confiar em mim", ou "Eu posso agir de forma responsável", oferecer ao cliente uma
redefinição de suas próprias capacidades. Claramente, há mais poder à afirmação "Eu sou amado" do que "Ele vai me
amar." O cliente não tem controle real sobre outras pessoas, pensamentos e ações. O objetivo deve ser o de que o
cliente será capaz de manter um senso de auto-estima e equilíbrio, independentemente de forças externas, em vez
de recorrerem a racionalizações ou falsas esperanças para o futuro. Às vezes, o único cognições positivas que podem
ser razoavelmente apresentados estão incorporados em declarações tais como "It's over", "Eu fiz o melhor que pude",
ou "Agora tenho escolhas." Isso é particularmente verdadeiro no caso do perpetrador culpa, onde às vezes tudo o que
pode ser razoavelmente é "It's no passado" ou "eu posso aprender com ela." nestes casos, a um nível apropriado de
responsabilidade para o comportamento passado é reconhecido e a ênfase é colocada no presente e futuro. Embora
relatos clínicos indicam que o processamento EMDR não pode obscurecer ou falsificar o que é adequado ou
verdadeiro, lições podem ser aprendidas, o impacto de eventos pode ser redirecionado, e o cliente pode ser libertada
do negativo que impede ações positivas no futuro. Ajudar o cliente a identificar uma cognição é um passo importante
na recuperação. A capacidade de definir uma visão alternativa do trauma em linguagem razoável oferece a esperança
de escapar da dor de auto-demérito. Esta atividade é útil em qualquer forma de terapia. No entanto, como a sessão
progride, a cognição positiva inicial identificado pelo cliente pode ser substituída por um melhor. De fato, em EMDR
processamento, é comum que uma cognição mais benéfica para emergir como o material mais antigo disfuncional é
processado. O médico deve tomar cuidado especial para observar uma preferível a cognição e, quando possível, para
usar as palavras do próprio cliente ao afirmar isso. Por exemplo, um cliente pode começar com uma cognição positivas
como "Eu posso ter sucesso." Durante o tratamento, ele não só pode perceber que ele já conseguiu em muitas tarefas,
mas também que não é necessário definir-se pelo seu trabalho. Ele pode terminar com a cognição, "Eu sou uma boa
pessoa." Esta segunda a cognição tem poder maior do que o primeiro, e deve ser incorporada na fase de instalação de
tratamento, que se concentra em positivo e reforça a cognição. Às vezes, o cliente vai precisar de ajuda para formular
cognições positivas. Se o cliente tem dificuldade em pôr uma cognição positiva em palavras, se qualquer uma das
seguintes afirmações se poderia aplicar ao caso do cliente: "Eu fiz o melhor que pude." "é no passado." "Eu aprendi
com ele." "Eu estou no controle." "Eu sou adorável." "Eu sou uma boa pessoa." "Agora tenho escolhas." "Eu posso ter
sucesso." "Eu posso lidar com isso." "Eu estou seguro agora." Evite usar a palavra "não" na formulação da cognição
positiva ("Eu não sou ruim" ou "eu não sou impotente"). A intenção é terapêutico para atender seus clientes de uma
forma positiva de redefinição de si. A nova auto-conceito deve ser o mais positivo possível auto-atribuição. Usando a
palavra "não" não indicam uma característica positiva. Assim, a frase "Eu sou poderoso" é mais terapêutico do que
"eu não sou impotente." Da mesma forma, "Eu sou uma boa pessoa" é mais útil que "eu não sou uma pessoa ruim."
No entanto, pode haver exceções. Por exemplo, um sobrevivente de abuso pode inicialmente beneficiar grandemente
da cognição positiva "Eu não sou responsável por ações de minha mãe." As sessões subseqüentes pode então
concentrar-se no mais pessoalmente reforçar a auto-declarações. Depois que o material mais antigo disfuncional ter
sido processada, a cognição é intencionalmente ligadas ou associadas com a informação anteriormente desagradável
durante a próxima fase do tratamento, conhecido como "instalação." Em outras palavras, estamos incorporando a
cognição positiva na rede de memória que contém o material-alvo. Ao fazê-lo, torna-se possível para esta cognição
para generalizar através da rede em todas as experiências associadas. Além disso, quando as informações processadas
posteriormente é disparado, vai emergir na consciência com a cognição positiva dominante. Além disso, essa ligação
vai permitir que todas as informações relativas aos resultados positivos para ser associado com o material
anteriormente traumatizantes. Esta ligação de redes neurais é visto pelo processamento de informação adaptativa
(AIP) modelo como desfecho primário de reprocessamento. O médico deve ajudar o cliente verbalizar uma cognição
positiva que pode generalizar sobre a maior gama de material disfuncional e permitir a maior vantagem associada a
actividades futuras. Muitas vezes, mais breve, menos cognições específicas têm uma melhor chance de generalização.
Por exemplo, se um cliente é uma memória de reprocessamento de cair de uma escada, a cognição negativa pode ser
"sou um fracasso", considerando que uma cognição positivo apropriado seria "EU pode suceder." Uma inadequada
cognição positiva seria "EU pode suceder com as escadas", porque a declaração que permita a generalização apenas
aos incidentes que incluem escadas. Outra inadequação cognição positiva surgiu no caso de um cliente que estava
tendo uma memória de reprocessamento escorregou e caiu no público. Ela foi dissuadida de usando a declaração
"Pode acontecer a qualquer um uma vez", pois tal declaração, embora compatível com o evento original, não apoiaria
uma auto-avaliação positiva se ela caiu em público novamente. Sempre que possível, a auto-capacitação para eventos
futuros devem ser incorporados na cognição positiva. As emoções e seu nível de perturbação, o cliente é solicitado a
manter em mente a imagem da memória e a cognição negativa, para nomear a emoção sentida, e para dar uma
classificação com base em unidades subjetivas de perturbação (SUD) escala (Wolpe, 1958) (0 = "sem perturbação"
para 10 = "maior perturbação possível"), como se sente agora. O médico deve certificar-se de que o cliente não está
relatando o nível de angústia que ele sentia no momento do evento. O alvo da emdr é disfuncional de processamento
de informações. Enquanto muitas coisas podem acontecer, que são originalmente perturbadoras, nem todos
continuar activamente constrangedora. Alguns são tratadas de forma espontânea através do processamento de
informação natural e adaptativa são resolvidos. Somente quando um evento passado ainda está sem solução deveria
ser alvo de tratamento. Na maioria dos casos não resolvidos, o material é indicado por um nível significativo de
perturbação emocional atual. Tendo o cliente avaliar seus níveis de perturbação emocional utilizando a escala SUD, o
médico poderá determinar qual memórias deve ser alvejado. Ao fazer um plano de tratamento para um cliente, o
médico pode isolar a dominante negativa, como a cognição "vou ser abandonado", e peça ao cliente para ler memórias
anteriores para quaisquer eventos relacionados com essa taxa 5 ou superior na escala SUD. Estas tornam-se excelentes
alvos para o tratamento inicial. O médico deve ter o cuidado de determinar que a emoção que o cliente é a
classificação. EMDR terapia é utilizada para processar qualquer perturbação emocional associada ao evento, quer se
trate de medo, ansiedade, vergonha, culpa, raiva ou tristeza. No entanto, é útil para identificar o ponto de partida.
Clientes que tornam-se confusos e relatar as emoções positivas sobre o SUD escala deve ser lembrado que a escala é
usada para avaliar apenas emoções perturbadoras. Além disso, uma variedade de emoções podem surgir durante o
processamento, tornando-se importante ter o nome do cliente cada emoção é a classificação. Além disso, um cliente
utilizando a escala SUD pode relatar qualquer mudança na intensidade de perturbação, quando, na verdade, a emoção
mudou qualitativamente. Por exemplo, a raiva pode ter mudado a dor, mas o cliente pode dar a mesma escala SUD
avaliação como antes. O médico precisa de saber a emoção que está sendo avaliado, a fim de dar respostas adequadas
e apoio, e para garantir que o processamento está ocorrendo. As sensações físicas, a experiência clínica indica que as
sensações físicas geradas quando os clientes se concentrar em uma memória traumática pontos focais são úteis para
o tratamento. Essas sensações podem estar associadas com a tensão emocional, como os músculos do pescoço
apertado ou o aumento da freqüência cardíaca. Outras sensações físicas pode ser parte da experiência sensorial do
alvo o trauma em si, como a sensação de sentir a aderência da mão do perpetrador. Pronuncia-se sensações físicas
também são associadas com cognições negativas. Por conseguinte, o EMDR tratamento de memória não é
considerado completo até que todas as sensações físicas negativas geradas por pensamentos do trauma foram
devidamente processadas. Ao final do tratamento, um scan mental do corpo pelo cliente deve revelar nenhuma tensão
residual ou atípica sensações físicas. Ativando o sistema INFORMATIONPROCESSING inerente do cliente, o sistema de
processamento de informações pode ser activado pelo emdr e o uso de procedimentos dirigidos movimentos oculares
bilaterais ou por outras formas de estimulação (por exemplo, sensibilidade tátil ou auditivo). Como variam as
preferências do cliente, o médico deve estar familiarizado com todos os três. Movimentos dos olhos, como veremos,
existem vários tipos diferentes de movimentos oculares que podem ser usados em EMDR terapia. O médico do
trabalho é utilizar o tipo que melhor se adequa às necessidades do cliente. Isto inclui a garantia de conforto do cliente
em relação aos movimentos dos olhos. Em nenhum momento, o médico deve prosseguir se o cliente relata dor de
olho, secura, ou ansiedade causada pelo próprio processo. Por exemplo, alguns clientes relatório fortes associações
entre o médico está movendo a mão e memórias de ter sido atingido no rosto por um dos pais. Neste caso, o médico
deseja usar estímulos auditivos ou táteis ou uma barra de luz em vez de mão-dirigido movimentos oculares (ver
Capítulo 9). O médico tem como objetivo gerar movimento do olho de um lado do campo de visão do cliente para o
outro. Este movimento bilateral é feito tão rapidamente quanto possível, sem desconforto. O médico deve usar dois
ou mais dedos como um ponto focal. Esta técnica permite ao cliente via os dedos sem ter que se concentrar em um
objeto pequeno e sem ter as associações negativas que pode ser provocada por um único dedo em movimento (por
exemplo, memórias de ter sido repreendido por um adulto). O médico também pode usar uma caneta, régua, ou
qualquer outro objeto para direcionar o movimento do olho do cliente. No entanto, dois dedos servem muito bem e
parecem ser preferido por muitos clientes, proporcionando uma experiência interpessoal mais. Normalmente, o
médico detém dois dedos de pé, palma voltada para o cliente, de aproximadamente 12-14 centímetros do rosto do
cliente. O cliente é então perguntou, "isso é confortável?" Se a resposta for não, o médico deve determinar o
posicionamento e a distância com que o cliente está mais confortável. O médico então demonstra a direção dos
movimentos dos olhos movendo lentamente a seus dedos horizontalmente a partir da extrema direita à extrema
esquerda (ou ao contrário) do campo visual do cliente, a uma distância de pelo menos 12 polegadas (ver Figura 3,1).
O médico deve avaliar a capacidade do cliente para rastrear a mover os dedos, começando lentamente e, em seguida,
aumentando a taxa para obter a máxima velocidade sustentável confortavelmente. Os médicos relataram mais
processamento eficiente com uma velocidade rápida (ou seja, dois movimentos de vaivém por segundo), embora
alguns clientes funcionam melhor com um movimento mais lento. Durante esta fase de testes, muitos clínicos pedir
ao cliente para relatar quaisquer preferências com relação a velocidade, distância, altura, e assim por diante, antes de
concentrar-se emocionalmente perturbador material. Após a tumultuada material foi alvejado, o médico deve ouvir o
feedback do cliente dá no final de cada conjunto para avaliar a quantidade de processamento que teve lugar. Se o
material disfuncional está mudando rapidamente e o cliente é relativamente confortável, a velocidade em que os
dedos estão movendo podem ser mantidas. Se qualquer uma dessas condições não for atendida, no entanto, a
velocidade, bem como a direcção (a ser discutido em breve) e o número de movimentos dos olhos dentro do conjunto
pode ser ajustada. Figura 3,1. Movimentos horizontais utilizados na realização de emdr. Durante essa fase preliminar,
o médico pode achar que o cliente tem dificuldade em seguir facilmente os dedos. Esta incapacidade pode manifestar-
se como movimentos oculares irregulares ("bumpiness"), incluindo pára e arranca e correndo. Quando isto ocorre, o
médico deve informar o cliente, "empurrar os dedos com os seus olhos." Esta declaração treinadores o cliente a
desenvolver um senso de conexão dinâmica com os dedos, um exercício que pode lhe dar uma sensação de
movimento, resultando em controle de rastreamento mais suave. O médico pode, então, testar a eficácia de um
conjunto de movimentos oculares diagonal, movendo sua mão através da linha mediana da face do cliente no canto
inferior direito ao canto superior esquerdo (ou o contrário), isto é, do nível do queixo ao nível da testa contralateral
(ver Figura 3,2). Mais uma vez, o médico deve avaliar os resultados em relação à facilidade e velocidade de movimento.
Se o cliente as vias mais facilmente em uma direção do que outro, este deve ser o sentido dominante. Se a
transformação aparece preso (não há nenhum relataram alteração de informações após sucessivos conjuntos de
movimentos dos olhos), o médico deve tentar uma variação de movimentos dos olhos, começando com uma mudança
de direção. A duração do conjunto também é determinado pelo cliente feedback. O primeiro conjunto consiste de 24
Movimentos bidirecional, onde uma direita-esquerda-direita é igual a um movimento. Este conjunto permite que o
médico avaliar o conforto do cliente, de preferência, velocidade e capacidade para suportar os movimentos oculares.
Durante este conjunto, o cliente pode simplesmente observar suas próprias reações ou concentrar-se em lugar calmo
da Safe/exercício (utilizando movimentos oculares lentos, em vez de as rápidas utilizadas em processamento), que
será descrito no Capítulo 5. O mesmo número de movimentos pode ser usado no primeiro conjunto de
reprocessamento. Após este primeiro conjunto de reprocessamento, o médico deve perguntar, "o que você ganha
agora?" Esta pergunta dá ao cliente a oportunidade de relatar o que ele está experimentando em termos de imagens,
idéias, emoções e sensações físicas. Se o cliente mostra qualquer indicação de aumento de efeitos terapêuticos-se ele
se sente melhor ou se novas informações surgiu-o médico pode repetir a direção, velocidade e duração do conjunto.
No entanto, o clínico deve estar disposto a experimentar para descobrir se alguma variação seria mais benéfico. Os
médicos relataram que um 24-movimento conjunto é geralmente necessário para o cliente médio para processar
material cognitivo para um novo nível de adaptação. No entanto, a resposta do cliente individual é o determinante
final. Alguns clientes precisam de 36 ou mais movimentos por conjunto de material de processo. Respostas altamente
emocionais, que me cobrir no Capítulo 7, geralmente exigem um grande muitos mais movimentos dos olhos em um
conjunto do que puramente material cognitivo (por exemplo, novos insights que aumentam a profundidade da
compreensão). Figura 3,2. Movimentos diagonais utilizadas na realização de emdr. Por outro lado, alguns clientes
estão fisicamente incapaz de fazer mais do que alguns movimentos dos olhos em uma linha por causa de uma fraqueza
inerente em seus músculos do olho. Outros clientes pode não ser capaz de seguir os movimentos da mão, devido a
um alto nível de ansiedade. Ainda outros clientes podem mostrar um enorme défice de rastreamento ou podem
encontrar o controle aversivo movimentos; eles podem ser tratados com a dupla abordagem (ver Figura 3,3) ou tátil
ou auditivo com tacos. Figura 3,3. A versão de duas mãos de emdr. A dupla abordagem implica passar o terapeuta
posicionar suas mãos fechadas em lados opostos do campo visual do cliente ao nível dos olhos e, em seguida,
alternadamente, erguendo o dedo indicador. O médico orienta o cliente a mover os olhos de levantou um dedo para
o outro. Esta forma de movimento do olho implica uma orientação ou pura resposta atencionais que alguns clientes
encontrar muito mais fácil de manter do que o rápido controle do movimento no processo inicial, e tem muitas vezes
produziram os mesmos resultados terapêuticos. No entanto, a técnica não oferece a mesma flexibilidade de diferentes
direcções quando, por exemplo, transformação fica preso. Significativamente, muitos médicos têm observado que um
cliente pode ter maior dificuldade em manter um rastreamento suave movimento durante as primeiras fases de
processamento. É possível que a ansiedade diminui, os movimentos oculares tornam-se mais fluido e mais fácil de
manter, o que talvez apoia o conceito de inibição recíproca (ver capítulos 1 e 12) como um fator contribuindo no
tratamento. Por conseguinte, quando o médico foi obrigado a começar com as duas mãos orientar o movimento do
olho, pode ser útil para mudar para o rastreamento de uma mão, movimentos dos olhos quando um nível inferior de
SUD foi alcançado. Formas alternativas de estímulo para aqueles clientes que encontram os movimentos oculares
fisicamente ou psicologicamente desconfortável, as formas alternativas de estimulação tátil e auditiva (pode ser
usado) e têm-se revelado eficazes. Tocar é feito por passar o cliente sentar-se com as mãos para cima em palm os
joelhos. O médico então (com um ou dois dedos) torneiras ritmicamente o palms, alternando direita e para a esquerda,
na mesma velocidade em que conjuntos de movimentos oculares serão realizadas. Alternativamente, o médico pode
tocar os joelhos do cliente. O cliente não precisa deliberadamente fixar cada um desses toques para a terapia para ser
eficaz; entretanto, clinicamente, ela tem sido relatado que define espontânea de movimentos oculares rápidos
ocorrem frequentemente durante este procedimento. Estímulos auditivos implica que o cliente mantenha seus olhos
abertos ou fechados (se necessário), enquanto o médico, alternadamente, encaixar os dedos ao lado de cada orelha
em uma taxa comparável à utilizada com conjuntos de movimentos oculares. No entanto, isso só deve ser usado em
situações isoladas, quando nenhuma outra opção é viável e o clínico é capaz de determinar que a proximidade física
não será necessário ser experimentado pelo cliente como intrusivas ou possivelmente ameaçador. Os médicos
também relatam resultados positivos com o uso de fones de ouvido para a estimulação auditiva e dispositivos
electrónicos para a estimulação tátil. Embora estas formas alternativas de estimulação exclui a possibilidade de mudar
de direção, velocidade e intensidade podem ser alterados. E, é claro, eles permitem que o médico a usar o EMDR
abordagem com os cegos e deficientes visuais ou com aqueles que preferem outros modos de processamento. No
entanto, eles não fornecem a alto nível de feedback sobre a atenção do cliente e a ligação para o médico, que pode
ser obtida observando os movimentos oculares. Gostaria também de referir que outros possíveis conjuntos de
movimento do olho do cliente guia de olhos no sentido vertical. Os movimentos verticais não são utilizadas para o
tratamento, mas eles parecem ter um efeito calmante e são particularmente úteis na redução emocional extrema
agitação, tontura ou náusea. Eles também podem ser úteis no final de uma sessão. As oito fases do tratamento Terapia
EMDR EMDR é composto por oito fases essenciais. O número de sessões dedicadas a cada fase e o número de fases
incluídas em cada sessão, varia muito de cliente para cliente (diretrizes são discutidas em capítulos posteriores). A
primeira fase consiste em tomar um cliente história e no planejamento do tratamento. Esta é seguida pela fase de
preparação, no qual o médico introduz o cliente, explica procedimentos EMDR EMDR teoria, cria expectativas sobre
os efeitos do tratamento, e prepara o cliente para possíveis entre a sessão de perturbação. A terceira fase, a avaliação
inclui a determinação do alvo e resposta inicial usando o SUD e os COV escalas. A quarta fase, dessensibilização, aborda
o cliente emoções perturbadoras, e suscita idéias e associações apropriadas. A quinta fase, instalação, centra-se no
reforço da integração de reorganização cognitiva. A sexta fase, que avalia e corrige o corpo residual sensações, é o
corpo. Em seguida, vem o encerramento, que inclui uma fase de balanço e é essencial para a manutenção do equilíbrio
do cliente entre sessões. A oitava e última fase é de reavaliação. Enquanto cada fase se concentra em diferentes
aspectos do tratamento, pode ser útil lembrar que muitos de seus efeitos, um aumento na auto-eficácia,
dessensibilização dos negativos, de Eliciação de insight, a mudança do corpo, sensações, e uma reestruturação
cognitiva-ocorrem simultaneamente, como a informação é processada disfuncional. Estas fases são discutidos em
detalhe nos capítulos 4-8. O que é apresentado aqui é uma visão geral do tratamento. Fase Um: A História do Cliente
e planejamento de tratamento tratamento eficaz com a terapia EMDR requer o conhecimento de como e quando usá-
lo. A primeira fase do tratamento EMDR inclui, portanto, uma avaliação do cliente, fatores que determinam a seleção
do cliente. Um critério fundamental para a adequação dos clientes para tratamento EMDR é a sua capacidade para
lidar com os altos níveis de perturbação, potencialmente, precipitado pela transformação de informações
desestruturadas. A avaliação, portanto, implica uma avaliação da estabilidade pessoal e limitações de vida atual. Por
exemplo, um cliente pode estar enfrentando grandes prazos no trabalho e não gostaria de ser distraído com a contínua
transformação de material traumático; neste caso, o médico pode atrasar até que tais pressões têm facilitado. Além
disso, um cliente deve ser fisicamente capaz de suportar a intensa emoção. O clínico deve avaliar os potenciais
problemas devido à idade ou uma condição cardíaca ou respiratória preexistente. Uma vez que o cliente tenha sido
seleccionada para Processamento de emdr, o médico obtém as informações necessárias para a concepção de um
plano de tratamento. Esta parte do historytaking fase implica uma avaliação de todo o quadro clínico do cliente,
incluindo comportamentos disfuncionais, sintomas e características que precisam ser abordados. O médico, então,
determina os objectivos específicos que terão de ser reprocessado. Estas metas incluem os eventos que, inicialmente,
definir a patologia em movimento, o presente os gatilhos que estimulam o material disfuncionais, e os tipos de
comportamentos positivos e atitudes necessárias para o futuro. EMDR terapia deve ser usado para reprocessar
informações somente após o médico foi concluída uma avaliação completa do quadro clínico e desenhou um plano de
tratamento detalhado. Fase Dois: Preparação a fase de preparação envolve o estabelecimento de uma aliança
terapêutica, explicando o processo EMDR e seus efeitos, abordando as preocupações do cliente, e iniciar o
relaxamento e os procedimentos de segurança. É essencial que o médico informar claramente ao cliente a
possibilidade de perturbação emocional durante e após as sessões de tratamento EMDR. Só dessa forma poderá o
cliente ser verdadeiramente em condições de dar o seu consentimento. Este aviso não apenas dar aos clientes a
oportunidade de fazer escolhas adequadas, mas também lhes permite preparar as suas agendas de trabalho e social
para acomodar qualquer um transtorno emocional. Antes do início da transformação, os médicos devem também
praticar com o cliente, a visualização guiada técnicas descritas no Capítulo 9. Se o cliente não é capaz de eliminar
completamente os níveis moderados de perturbação, com uma destas técnicas, o médico não deve continuar EMDR
processamento até alguns afetam estratégia de regulamentação é estabelecida. Técnicas de relaxamento como estes
podem ser necessários para ajudar o médico levar a fechar uma sessão incompleta e para ajudar o cliente a lidar com
memórias ou emoções desagradáveis que podem surgir após a sessão. Uma preparação adequada é importante para
promover o rápido tratamento e baixas taxas de abandono demonstrado pela investigação (ver capítulo 12). O uso
eficaz de affectregulating técnicas podem dar aos clientes a confiança para lidar com os altos níveis de material que
possa surgir durante a sessão, considerando que a incapacidade de lidar com os sentimentos perturbadores pode
aumentar o nível de medo e tornar o processamento ainda mais difícil. Os clientes podem também beneficiar de
gravações de áudio que incluem exercícios de relaxamento guiado (por exemplo, "Deixar ir de estresse" [Miller, 1994]
ou o fluxo de Luz "técnica" [EMDR programas de assistência humanitária, 2001]). O objetivo é que os clientes sejam
proficientes em estas técnicas de relaxamento e capaz de usar as gravações com confiança, de modo que eles podem
lidar com qualquer perturbação entre de sessões que podem ocorrer. Para alguns clientes com PTSD complexa, pode
ser preferível ensinar técnicas afetam regulamento antes de tomar a história (ver capítulo 11). A fase de preparação
também inclui informação sobre o cliente a teoria de emdr terapia e os procedimentos envolvidos, oferecendo
algumas metáforas úteis para encorajar o processamento bem sucedido, e dizer ao cliente o que ele pode
realisticamente esperar em termos de tratamento. Esses aspectos, juntamente com exemplos de instruções, são
abordadas em detalhe no Capítulo 5. Durante a fase de preparação, o médico deve também explorar com o cliente a
possibilidade de ganho secundário. O que o cliente tem que dar acima ou enfrentar se a patologia é corrigido? Se
houver preocupações nesta área, devem ser tratadas antes de qualquer trauma reprocessamento começa. Incluídos
em esta precaução é o desenvolvimento de um plano de ação para lidar com situações específicas que podem surgir
situações como a necessidade do cliente para encontrar um novo emprego ou um novo lugar para morar. Se os ganhos
secundários são alimentados por sentimentos de baixa auto- estima ou receios irracionais, devem tornar-se o primeiro
alvo de transformação. Até que esses temores são resolvidos, sem outros efeitos terapêuticos significativos pode ser
esperado ou mantidos. Fase 3: Avaliação na fase de avaliação o médico identifica os componentes do Target e
estabelece uma linha de resposta antes do início da transformação. Uma vez que a memória tenha sido identificada,
o cliente é solicitado a selecionar a imagem que melhor representa essa memória. Então ele escolhe uma cognição
negativa que exprime uma disfuncional ou relacionados com auto-avaliação inadequada para sua participação no
evento. Essas crenças negativas são realmente verbalizações do perturbador afetam e incluem declarações tais como
"Eu sou inútil/inútil/unlovable/sujo/mau." o cliente especifica uma cognição positiva que será posteriormente
utilizada para substituir a cognição negativa durante a fase de instalação (fase 5). Quando possível, esta declaração
deve incorporar um locus de controle interno (por exemplo, "Eu sou a pena/amado/a boa pessoa/no controle" ou "eu
posso ter sucesso"). O cliente avalia a validade da cognição positiva usando a escala de 7 pontos VOC. Neste ponto, a
imagem e cognição negativos são combinados para identificar a emoção e o nível de perturbação, sendo esta última
medida pela escala SUD- ponto 10, anteriormente descrito. O cliente é solicitado a escolher um número que indica a
intensidade de suas emoções quando a memória está acessado. Como o reprocessamento começa, tanto as emoções
e sua intensidade provavelmente vai mudar, com o potencial de perturbação temporariamente tornando-se pior. Em
seguida, o cliente identifica a localização das sensações físicas que são estimulados quando ele se concentra no evento.
Assim, a fase de avaliação oferece uma linha de resposta com relação ao alvo memória e os componentes específicos
necessários para concluir o processamento. Fase quatro: a dessensibilização nesta fase, o médico e o cliente iniciar o
movimento do olho (ou outros conjuntos de estimulação bilateral). A quarta fase concentra-se em negativo do cliente,
tal como reflectido na escala SUD. Esta fase do tratamento engloba todas as respostas, incluindo novas percepções e
associações, independentemente de o nível de desconforto do cliente está aumentando, diminuindo ou parado.
Durante a fase de dessensibilização o médico repete os conjuntos, com as variações e mudanças de foco, se necessário,
até que o cliente SUD é reduzido para 0 ou 1 (ou é de outra maneira ecologicamente "apropriado" para o indivíduo
dado a sua circunstâncias actuais). Um 0 ou 1 SUD indica que a disfunção primária envolvendo o caso foi resolvido. No
entanto, o reprocessamento é ainda incompleta, e as informações deverão ser aprofundadas nas importantes fases
restantes. Deve-se ressaltar aqui que, em muitos casos, os conjuntos de movimentos dos olhos (ou outras formas de
estimulação) não são suficientes para concluir o processamento. Relatos clínicos sugerem que pelo menos metade do
tempo o processamento será interrompido e o médico terá de empregar diferentes estratégias adicionais e
procedimentos avançados de emdr para restimulate. Estas variações são cobertos em profundidade nos Capítulos 7 e
10. Fase 5: Instalação da quinta fase do tratamento é chamada a fase de instalação, pois o foco está em acentuar e
aumentar a força da cognição positiva que o cliente identificou como o substituto para o negativo original cognição.
Por exemplo, o cliente pode começar com uma imagem da sua molestação e a cognição negativa "Eu sou impotente."
Durante a 5ª fase de tratamento, a cognição positiva "agora estou no controle" pode ser instalado. O calibre dos
efeitos do tratamento (ou seja, o quanto o cliente acredita que a cognição positiva) é então medido utilizando a escala
de COV. Começa a fase de instalação uma vez que o cliente o nível de emoção sobre o evento alvo caiu para 0 (ou é
de outra maneira ecologicamente adequado) na escala SUD. Neste ponto, o médico pede ao cliente para realizar a
mais adequada cognição positiva na mente, junto com a memória de destino. Então o médico continua o movimento
do olho até que o cliente define classificação do positivo atinge um nível de cognição 7 na escala de COV. Tenha em
mente que o cliente deve a cognição de taxa com base em como ela se sente em um nível intestinal. A mais adequada
cognição positiva pode ser um cliente identificados durante a fase de avaliação, ou pode ser que tenha surgido
espontaneamente durante os sucessivos conjuntos. Mesmo se uma nova cognição positiva não tenha surgido, os
médicos costumam achar que o cliente classificação de COV do original cognição positiva aumentou até o final da fase
de dessensibilização. O médico deve continuar os conjuntos (com o cliente simultaneamente com foco no positivo a
cognição e o alvo do evento), a fim de garantir o maior reforço da cognição. Enquanto imagens negativas, pensamentos
e emoções geralmente se tornam menos vivas e menos válida com cada conjunto, as imagens positivas, pensamentos
e emoções se tornam mais vivas e mais válido. Enquanto o sentido de eficácia, autoconfiança e certeza está
aumentando, os conjuntos deve ser continuado. Avaliação do teor de COV é extremamente valiosa para determinar o
que mais trabalho precisa ser feito para completar a sessão de tratamento. Por exemplo, se um cliente relata um COV
rating inferior a 7 após dois conjuntos, o médico deve questionar a sua para determinar se o nível atual de validade é
apropriado para ela. Por exemplo, um cliente pode dizer, "Eu não posso dar um 7, porque eu não acredito em
extremos" ou "Eu vou ter que ver meu irmão para ter certeza de que eu possa resistir a ele." Estas são declarações de
inócua ou crenças adequadas e indicar nenhuma patologia; consequentemente, a próxima fase do tratamento sessão
pode começar. No entanto, o cliente podem expressar uma opinião negativa, tais como "Eu não mereço ser
completamente feliz." Uma vez que este tipo de opinião negativa vai bloquear a instalação completa da cognição
positiva, ele terá de servir como mais um alvo de processamento de emdr. O objetivo final é a instalação de um forte
e completamente válida cognição positiva que irá aumentar o senso de auto-eficácia e auto-estima. Ligando a cognição
positiva com a memória alvo reforça o vínculo associativo, de modo que, se a memória do incidente original é
disparado, seu retorno à consciência agora será acompanhado pelo novo, fortemente vinculadas a cognição positiva,
como "It's over; estou agora seguro." Como o cliente se concentra na cognição positiva, é infundido em memória do
alvo da rede, onde ele pode generalizar associado ao material. Como discutido anteriormente, a cognição é escolhido
com base na sua capacidade de generalização e remodelar a perspectiva da maior quantidade de material
disfuncionais, bem como para capacitar o cliente para as presentes e futuras ocorrências. Metaforicamente, as
cognições negativas e positivas dar cor a incidentes do passado e do presente (como se o cliente estavam vendo
escuras ou através de óculos cor-de-rosa), de modo que a cognição positiva atua como um corante de cor diferente
que permeia a rede de memória. Claramente, a instalação e o fortalecimento do conhecimento é um componente
crucial da EMDR terapia. A própria existência de cognições negativas é uma indicação de que o evento traumático é
um poderoso fator determinante na vida da pessoa, que ainda não foi devidamente assimilado a um quadro. Os
traumas não resolvidos são caracterizadas por perspectivas negativas sobre questões de auto-controle e perspectivas
de empoderamento, que pode ser manifestado de várias formas em toda a vida de uma pessoa. Informações
traumáticas totalmente processados, pelo contrário, caracteriza-se pelo acesso a uma memória que incorpora uma
perspectiva adaptativa, completo com cognição positiva e adequada. A fase de instalação de emdr terapia centra-se
na força do cliente, auto-avaliação positiva, que parece papel positivo abrangente para o efeito terapêutico. Fase 6:
Após a leitura do corpo cognição positiva foi totalmente instalado, o cliente é solicitado a manter-se no presente caso
o alvo e a cognição e positivo para digitalizar seu corpo mentalmente, de cima para baixo. Ela é convidada a identificar
qualquer perturbação residual sob a forma de corpo sensação. Estas sensações do corpo são então direcionados para
conjuntos sucessivos. Em muitos casos, a tensão vai simplesmente resolver, mas em alguns casos, a informação
disfuncional adicional será revelada. Como mencionado anteriormente, parece haver uma ressonância física material
disfuncionais, o que pode estar relacionado à maneira como ele é armazenado fisiologicamente. Identificação de
sensação física residual e focalização nesta sexta fase de tratamento EMDR pode ajudar a resolver qualquer
informação não processada. Esta é uma fase importante e pode revelar áreas de tensão ou resistência que eram
anteriormente ocultos. Fase 7: Fecho o cliente deve ser devolvido a um estado de equilíbrio emocional no final de
cada sessão, se ou não o reprocessamento está concluída. (Técnicas para fechar a sessão são examinados no capítulo
9.) Além disso, é fundamental que o cliente ser dada as instruções adequadas ao final de cada sessão; isto é, o médico
deve lembrar ao cliente que a imagens perturbadoras, pensamentos ou emoções que podem surgir entre as sessões
são evidência de processamento adicional, o que é um sinal positivo. O cliente é instruído a manter um diário ou um
jornal dos pensamentos negativos, situações, sonhos e memórias que podem ocorrer. Esta instrução permite que o
cliente cognitivamente distanciar-se de perturbação emocional através do ato de escrever. Especificamente, o cliente
é informado para tomar um "instantâneo" de perturbações de modo que eles podem ser usados como alvos para a
próxima sessão. O uso do log e a visualização técnicas ensinadas pelo clínico ou através de uma fita de relaxamento
(explicado nos capítulos 5 e 9) são extremamente importantes para a manutenção da estabilidade do cliente entre
sessões. Como com qualquer trauma de tratamento, a menos que o médico debriefs adequadamente seu cliente
EMDR, corre-se o risco de descompensação ou, em um caso extremo, o suicídio, o que pode ocorrer quando o cliente
dá o seu significado muito emoções perturbadoras ou vistas como indícios de que ele está danificado
permanentemente. O médico deve fornecer ao cliente expectativas realistas sobre o negativo (positivo) e de respostas
que podem surgir durante e após o tratamento. Esta informação aumenta a probabilidade de que o cliente terá de
manter um sentido de equilíbrio face a possíveis perturbações provocadas pela estimulação dos materiais disfuncional.
Pode haver um efeito dominó que estimula outras memórias negativas como o processamento de informação
continua. Uma nova revisão deste material e um tratamento de amostra é apresentada no Capítulo 6. Fase 8:
Reavaliação Reavaliação, a oitava fase do tratamento, deverá ser implementado no início de cada nova sessão. O
médico tem o reaccess cliente metas previamente processados comentários e respostas do cliente para determinar
se os efeitos do tratamento foram mantidos. O médico deve perguntar como o cliente sente sobre o material
previamente orientados e devem examinar os relatórios de log para ver se há qualquer reverberações da informação
processada, já que precisam de ser orientados ou não tratada. O médico pode decidir como alvo um novo material,
mas deve fazê-lo somente após traumas previamente processados foram totalmente integrados. A integração é
determinada em termos de fatores de intrapsychic, bem como sistemas preocupações. Os traumas reprocessado pode
ter resultado em novos comportamentos por parte do cliente, exigindo que o médico para resolver os problemas que
surgem na família ou sistema social. As informações reunidas durante a fase de reavaliação orienta o médico através
dos vários protocolos de emdr e o plano de tratamento. O sucesso do tratamento só pode ser determinada após
reavaliação suficiente de reprocessamento e efeitos comportamentais. Padrão de três frentes de terapia de emdr
Protocolo, enquanto o padrão EMDR procedimentos realizam-se durante cada sessão de reprocessamento, o padrão
de três frentes de terapia de emdr protocolo orienta o tratamento global do cliente (ver Capítulo 8). Cada sessão de
reprocessamento devem ser dirigidas a um determinado alvo. A genérico divisões dos alvos são definidos no protocolo
como (1) as experiências passadas que estabeleceram as bases para a patologia, (2) O presente situações ou gatilhos
que atualmente estimular a perturbação, e (3) o necessário para modelos positivos a acção futura. Todos os protocolos
de emdr especializados (por exemplo, aqueles sobre fobias ou transtornos somáticos) estão interligados com este
formato padrão. Escolhendo um alvo Escolhendo um alvo é simples ao tratar de um único caso de vítima de trauma.
No entanto, quando se tratar de vítima de trauma múltiplo, o clínico deve unir os incidentes traumáticos em grupos
de eventos semelhantes e, em seguida, escolha como alvo um representante para cada grupo de incidentes. O
representante de reprocessamento incidente resulta geralmente em uma generalização, permitindo o tratamento
positivo efeitos para espalhar a todos os incidentes associados. Os clientes pedindo para designar suas mais
preocupantes 10 memórias da infância que lhes permite organizar e consolidar a sua experiência passada em alvos
gerenciável. Avaliando o SUD nível de cada evento e organizando-os em ordem crescente de perturbação, médico e
cliente pode decidir em conjunto qual memória deve ser a meta inicial para o tratamento EMDR. (Consulte o Capítulo
11 para considerações separadas no tratamento de PTSD complexa). A decisão sobre se deve começar na primeira
sessão na extremidade alta ou baixa final do continuum de socorro depende da preferência do médico e avaliação do
cliente. Alguns médicos acham que começando com um evento que tem uma baixa, em vez de um elevado nível de
SUD habilita os clientes a experimentar a mudança e resolução de material com menos perigo; o consequente
sentimento de realização, por sua vez, lhes dá confiança para trabalhar no material mais perturbadora. Embora esta
seja uma estratégia razoável, os clínicos têm encontrado em muitos casos que a baixa escala SUD evento alvo muda
rapidamente em mais angustiante de associações ou lembrado incidentes, talvez fazendo com que o cliente se
assombrarão e a sentir-se mal preparados para continuar o tratamento. Esta possibilidade reforça a importância de
uma adequada preparação do cliente. Na minha prática, eu prefiro (se o cliente consente) para perturbar mais
incidentes na infância. Meu raciocínio é que, ao preparar o cliente para o pior caso e o mais alto nível de angústia, não
há surpresas mais tarde. Além disso, os clientes sentem frequentemente um sentimento de grande realização no final
de uma sessão que concentra-se em um alvo altamente angustiante. Não só eles podem sentir que têm justamente o
pior, mas eles podem descobrir que o pior não é tão ruim quanto eles tinham antecipado. Além disso, eles têm
resolvido o mais memória traumática, o que significa que as sessões seguintes só pode ser mais fácil. Este
reprocessamento resulta frequentemente em um "efeito de generalização" (uma diminuição geral da perturbação
associada), relatada como uma grande redução do medo e da ansiedade na semana subseqüente. No entanto, baixa
escala SUD acontecimentos, ou eventos em ordem cronológica, é também conveniente, dependendo da avaliação
clínica. Como observado anteriormente, alguns clientes experimentar elevados níveis de perturbação emocional entre
sessões, particularmente se o reprocessamento era incompleta e que tenham sido objecto de muitos traumas
relacionados altamente angustiante. O alvo inicial deve, portanto, ser avaliada com base em disponibilidade e
estabilidade do cliente (consulte o Capítulo 4 e os Apêndices A e E). EMDR tratamento não deve ser iniciado com
clientes que não são capazes de conter altos níveis de perturbação emocional ou não estão em uma relação
terapêutica com o médico (ver Capítulo 5). Na tentativa de resolver um trauma, o médico deve orientar todos os
seguintes elementos: (1) a memória do evento real; (2) qualquer flashbacks, pois eles podem ser diferentes a partir
do incidente traumático; (3) as imagens de pesadelo; e (4) quaisquer gatilhos, tais como certos ruídos altos, que trazer
de volta os sentimentos de medo e confusão associados com o trauma anterior. "Gatilhos" são os estímulos que
provocam as imagens disfuncional e cognições, emoções ou sensações, quer como flashbacks total ou parcial como a
excitação do material disfuncional. Os médicos devem tratar cada contacto separadamente; devido a condicionado de
segunda ordem, cada um pode ter-se tornado independente perturbador porque da anterior associação
emparelhados. Por conseguinte, para a completa resolução de um trauma, cada um dos quatro elementos devem ser
orientadas em volta. Metas adequadas para o EMDR: sessão de processamento de qualquer manifestação da
informação disfuncional. Por exemplo, um importante e, muitas vezes, tratamento útil ponto focal é um pesadelo
recorrente. Observação clínica tem mostrado que quando um pesadelo imagem é alvejado, efeitos terapêuticos sejam
alcançados, mesmo quando o cliente é inicialmente tenha certeza do verdadeiro significado do sonho. O overlay
simbólico do sonho é, muitas vezes, removidos durante o processamento EMDR para revelar as experiências de vida
que estavam dirigindo o desconforto. O AIP modelo propõe que o estado de sonho REM é um período inconsciente
surge quando o material a ser processado. Imagens de pesadelo parece estar correlacionada com o nível de afetar e
avaliação cognitiva. Quando o distúrbio é muito alta, o próprio estado REM é interrompida, e o material permanece
unassimilated inquietante. Quando a imagem do pesadelo é alvejado durante uma sessão de processamento de emdr,
ele é tratado como um link direto para a rede em que o material é armazenado traumática subjacente. É esta ligação
que faz com que o material disponível para a resolução terapêutica. Por exemplo, uma vítima de abuso sexual feminina
contou um pesadelo de ser perseguido por um monstro através de uma caverna, sem a compreensão do significado
do sonho, mas no entanto ela tinha sentimentos esmagadores de medo e perigo. Quando a imagem foi alvo durante
o processamento de emdr, o cliente relatou vendo mudança espontaneamente com conjuntos sucessivos para revelar
seu padrasto-perpetrador perseguindo ela através de sua casa de infância. Esta nova imagem foi então disponíveis
para processamento posterior. Em outros casos, a imagem de sonho pode simplesmente dissipar sem referências
óbvias ou insights. Independentemente do nível de conhecimento derivado da experiência, uma vez que a imagem de
sonho ou pesadelo recorrente cena é alvejado e processada, o sonho geralmente não se repetir. Portanto, ele pode
ser útil para clientes relatório (como parte de seus registros) qualquer sonhos perturbadores que eles possam ter tido,
a fim de usá-los como alvos em sessões subseqüentes. Sonhos que não são preocupantes, ou que foram resolvidas
antes de despertar (por exemplo, ganhando uma luta), provavelmente foram processados com sucesso e não são
orientados. Os padrões de resposta observação clínica indica que cerca de 50% do tempo, os clientes experimentar
um contínuo, mudança progressiva para uma resolução do evento alvo. Os tipos de mudanças relatadas pelos clientes
indicam que o processamento afeta todos os aspectos da memória traumática e podem evoluir em uma variedade de
maneiras. No final de cada jogo, os clientes podem relatar uma mudança do alvo a memória ou a mudança para uma
outra memória. Relatório de clientes que novas memórias aparecem momentaneamente durante o set, que surgem
e permanecem durante todo o conjunto, ou que eles superfície apenas como o conjunto conclui. O cliente pode
informar apenas as imagens visuais do evento ou podem dar um full-blown descrição, incluindo pensamentos, vozes,
cheiros, emoções e sensações do corpo. O cliente pode experimentar estes elementos como uma mera sombra do
original ou de uma fullforce abreaction. A fim de explorar os tipos de alterações que indicam a transformação, é útil
para voltar à memória o conceito de que as redes são associatively ligados canais de informação. A memória pode ser
alvo de uma série de incidentes armazenadas em um determinado canal. Como os movimentos oculares e começar a
informação inicia o processamento através do canal, novas memórias podem subir para a consciência. Estas novas
memórias pode aparecer para o cliente em flashes (como se de repente o evento, foram capturados em um spotlight),
eles podem aparecer como uma colagem de muitos eventos, todos de uma vez, ou podem vir a consciência como
corpo, sensações. Não importa a forma como a informação surge de forma subjetiva, enquanto a transformação tem
continuado, para o próximo conjunto o cliente deve simplesmente ser dirigido com a declaração, "Aviso." Em outras
palavras, o médico tem de abordar a memória em qualquer forma que surge. No trabalho com clientes em terapia
EMDR ao longo dos anos, alguns padrões gerais de associação têm se tornado claro. As seções a seguir mostram os
tipos de respostas do cliente que podem surgir quando a informação está em processamento. Os médicos devem
tomar a devida nota das respostas, uma vez que indicam que o médico pode continuar os procedimentos sem a
necessidade de envolver-se em qualquer complexo EMDR intervenção (ver Capítulo 7); isto é, enquanto os clientes
estão a fazer novas associações, os conjuntos podem ser continuado. A variedade de possíveis associações para um
determinado alvo é indicado na Figura 3,4. Os primeiros seis tipos de canais associativos implicam a articulação de
vários eventos discretos que são ligados por um fio comum, considerando que o sétimo canal indica turnos de
informações (por exemplo, imagem, insights) confinados ao alvo único evento. Figura 3,4. Target/nó e os possíveis
tipos de canais associativa. Depois de um conjunto, pode surgir um novo evento que está associado com o associatively
alvo inicial do evento. Não há nenhuma maneira de saber antes do início da transformação que a associação será. No
entanto, cada tipo de associação está ligada por um de uma variedade de segmentos dominantes. Nenhum padrão
particular de associação é considerado preferível a outro a partir de um ponto de vista terapêutico, pois cada tipo de
resposta associativa alcança uma resolução do material que é exclusivo para o cliente individual. Nos parágrafos
seguintes vamos primeiro revisar padrões que emergem quando o cliente relata uma variedade de lembranças. Então
vamos voltar para o tipo de transformação padrões observados quando o cliente retém apenas uma memória na
consciência durante toda a sessão de tratamento. Multimemory de Transformação associativa a crença inerente ao
Trauma memórias emergentes podem ser ligadas por crença dominante do cliente inerente ao traumático evento
alvo. Por exemplo, uma memória de um acidente de carro pode estar associada com a memória de uma agressão
sexual, porque compartilham a cognição do cliente "Eu sou impotente." Por sua vez, tratamento pode revelar qualquer
um desses incidentes, como o papel de memória que faz com que o client extrema ansiedade quando sentimentos de
impotência no trabalho são alvejados. Os médicos podem, muitas vezes, reconhecer crenças disfuncionais importante
determinando em que estas memórias associadas têm em comum. Esta descoberta pode ser útil para delinear um
plano de tratamento mais aprofundado, mas, geralmente, os médicos devem adiar a discussão do material com o
cliente até depois do movimento do olho parte da sessão de tratamento. Lembre-se, as associações são sempre
baseadas na experiência do cliente. A memória não vai surgir que não seja de alguma forma associada com o alvo. No
entanto, o clínico deve permitir que o cliente vem naturalmente para a realização do significado da ligação em vez de
sobreposição ou empurrando o cliente para identificá-lo durante as fases iniciais do tratamento. Independentemente
de os clientes reconhecem as conexões entre seus efeitos negativos sobre a cognição e suas memórias, reestruturação
cognitiva terá lugar durante a fase de instalação da terapia de emdr. O principal participante ou autor memórias alvo
pode estar relacionado com novas memórias pelo perpetrador que eles têm em comum. Por exemplo, a molestação
de um cliente por seu pai pode tornar-se associado com um bater seu pai lhe deu e com o abandono do pai dele em
outra ocasião. Essas associações de processamento irá ajudar o cliente a resolver seus "negócios inacabados" com seu
pai abusivo. Muitas vezes o pai/mãe abusivo pôs em marcha os problemas que um cliente tem com autoridade, falta
de auto-estima, e assim por diante. Uma vez que as memórias relacionadas com um dos pais são processados, os
clientes muitas vezes espontaneamente começar a reagir a situações presentes de forma diferente (por exemplo, a
afirmar-se no local de trabalho). A pronunciada a estímulos memórias emergentes podem ser ligadas por estímulos
primários inerentes a eventos. Por exemplo, quando o processamento da memória de um terremoto, um veterano
militar pode de repente lembrar uma experiência de combate se os sons de queda de objectos ou alto rumbling
dominou os dois eventos. Embora muitas vezes é difícil separar a emoção (por exemplo, medo) ou cognição (por
exemplo, "Eu sou impotente") do trigger externo, pode haver um comboio de associações vinculadas por um cue
sensorial. O cue é revelado como o link conectivo durante o processamento, porque há um aspecto disfuncional para
a reação do cliente ao estímulo. Se a reacção é disfuncional é mostrado pelo elevado nível de emoção e cognição
negativa compreende. O evento específico memórias emergentes pode estar ligado à memória orientada pela
natureza do próprio evento. Por exemplo, quando um estupro é alvo de uma vítima de vários assaltos, uma sequência
de memórias de outros estupros possam surgir. Naturalmente, essas lembranças, as mesmas de cognição e emoção
negativa como o estupro, mas o segmento dominante é o estupro em si. Também é possível que dissociada memórias
da infância molestação a surgir quando o alvo principal é alguma outra forma de abuso sexual. Esteja ciente de que
um ou vários molestação vítima de estupro pode sentir oprimido quando muitas memórias de ataques adicionais
emergem durante uma sessão. Tome especial cuidado com estes clientes para promover sentimentos de segurança,
e assegurar-lhes que eles podem descansar quando eles precisam. Etapas de procedimentos sobre como fazer isso
são abordados no Capítulo 5, e as informações adicionais sobre o trabalho com essa população é apresentado no
Capítulo 11. A dominante sensações físicas, lembre-se que o físico sensações experimentadas no momento do evento
são armazenados no cérebro e podem constituir o segmento dominante da seqüência associativa. Por exemplo, um
cliente tinha uma infância fisicamente abusive: a mãe usadas para amarrar as mãos da criança para um casal e com
um cabo de vassoura. Como o cliente processado esta memória dominante, as sensações físicas, ela experimentou
foram a pressão ao redor de suas mãos e punhos. A próxima memória para vir à consciência era de molestação, que
incluiu a sensação física do seu pai, forçando suas mãos ao redor de seu pênis. Esta memória foi seguido por um de
um estuprador segurando as mãos dela juntos durante o ataque. A memória final a surgir foi de acordar após uma
operação e ser amarrado a uma maca em uma sala de hospital e gritando, mas sem entender o porquê. Estas memórias
seqüenciais revelados para o cliente que a razão para seu terror no hospital foi o sentido de violação e perigo associado
com a sensação de pressão ao redor de seus pulsos. As Emoções dominantes as memórias emergentes podem ser
ligadas pela emoção primária inerentes ao evento. Por exemplo, o processamento de uma falha na memória de um
empreendimento que gera sentimentos de desespero pode ser seguido por uma memória de abandono por um pai,
um evento associado com a mesma emoção. Enquanto a cognição pode ser encontrada de forma adequada que
poderia unir os dois eventos, o que é principal para o cliente é a grande emoção; não é necessário que o cliente para
participar de uma avaliação cognitiva das memórias. Uma vez mais, o clínico deve estar em sintonia com a quantidade
de estresse emocional o cliente é submetido durante o processamento. O cliente que está processando uma cadeia
de memórias que estão estimulando intensa desespero ou a multiple-vítima de estupro que é mentalmente sequência
através de todas as experiências de violação de sua vida, pode sentir como se uma locomotiva está tendo sobre ela.
Como será mais bem explorado nos capítulos seguintes, o clínico deve honrar imediatamente qualquer indicação pelo
cliente que ela precisa para parar. Essa resposta não só reforça a capacidade do cliente de dizer não e manter um
sentido de controlo, mas também demonstra que o cliente é o juiz final de quando para descansar durante a intensa
transformação. No entanto, os médicos devem notar que quando a vítima de estupro, por exemplo, afirma que a
"parada" durante o tratamento, ela pode ser verbalizar o que ela disse, ou quis dizer, para o agressor, porque estes
são os pensamentos, experimentada no momento do evento, que agora estão aparecendo. Quando direcionado ao
agressor, palavras como "Não" e "Stop" deve ser orientada com os conjuntos. Quando falados directamente pelo
cliente para o médico, que significam os conjuntos deve ser encerrado até que o cliente está disposto a prosseguir. A
fim de evitar a confusão entre os dois, o cliente deve ser preparado com antecedência e incentivado por um gesto da
mão que sinaliza o desejo de parar. Em caso de dúvida, o clínico deve parar o jogo e peça para o cliente. Efeitos de
processamento Single-Memory durante o processamento é frequentemente indicado por uma emergência de novas
memórias, como discutido na seção anterior, o médico deve observar que, por vezes, novas memórias superfície
apenas temporariamente durante o jogo e, em seguida, volte para a meta inicial de memória. Em outros casos, não
surgem novas memórias conscientemente, e o incidente é a única que é constantemente mantido. Ainda em outros
casos, o alvo pode mudar para outra memória que permanece na consciência durante a maior parte da sessão. Em
todos esses casos (em que um único evento continua a ocorrer em conjuntos consecutivos) o médico deve avaliar o
alvo para outros indicadores de sucesso de transformação. Um indicador do processamento é quando o cliente
descreve uma mudança ou mudança em qualquer uma das cinco aspectos distintos da memória: imagem, sons,
cognição, emoção, ou sensações físicas. Apesar de todos os aspectos do incidente estão mudando simultaneamente
(por exemplo, uma mudança substancial na cognição se correlaciona com uma mudança nas sensações físicas e
emoção), o cliente pode encontrar que um aspecto domina sua consciência. Ele deve ser encorajado a verbalizar
qualquer aspecto se destaca. Quando a mudança é evidente, o médico deve tomar cuidado para não puxar o cliente
fora do processo perguntando sobre aspectos que ainda não relatados espontaneamente. São os seguintes os tipos
de alterações ou mudanças que o médico pode esperar ver EMDR durante o processamento. Mudanças na imagem
como já indicado, a imagem do alvo caso pode mudar para uma imagem de um outro evento, mas associadas, ou pode
mudar para um aspecto diferente do mesmo evento. No entanto, a imagem também pode alterar o seu conteúdo ou
aparência. Em uma mudança de conteúdo, um rosto leering podem mudar para um sorriso, uma arma pode
desaparecer, e assim por diante. A imagem pode mudar na aparência por uma mudança de perspectiva ou a expansão
de uma cena para incluir mais detalhes. Por exemplo, um cliente recuperou a memória de um encontro em que ele
havia sido humilhado, mas tudo o que ele podia ver era inicialmente o olhar no rosto da colega que insultado ele.
Como transformação continuou, a cena expandida, como antolhos se tiver sido retirada. No cenário mais amplo, o
cliente viu outras pessoas com mais expressões positivas e de apoio. É interessante notar nesse exemplo que esta
auto-afirmação informações sempre tinham sido armazenados no cérebro do cliente. No entanto, não foi
anteriormente disponível quando a memória foi acessado, presumivelmente porque a imagem do rosto do colega foi
associado com um determinado nível de ansiedade afetam o dominante (e humilhação). Como a informação é
processada disfuncionais, maior acesso é oferecida em toda a rede associativa. Após o tratamento, o cliente neste
exemplo foi capaz de recuperar não só o olhar sobre o rosto da pessoa que ele humilhado, mas também outros
detalhes, mais positiva, uma vez que a ansiedade não era mais; dominante quando solicitado para recuperar a
memória, agora ele espontaneamente viu a cena maior. O processamento bem sucedido é também evidente quando
o cliente relata outras mudanças na aparência da imagem. A imagem pode tornar-se maior, menor, ou ilegível; pode
ficar cinza ou mover mais perto ou mais longe; ou ele pode desaparecer completamente. A natureza exata da mudança
não pode ser previsto. Os clientes que deve dar um relato detalhado do incidente com a polícia ou em tribunal devem
ser avisados de que após o tratamento de uma imagem do evento não podem ser recuperadas. Alguns clientes tornam-
se confusos ou perturbados quando a imagem começa a desaparecer. Muitas vezes, eles dizem, "Eu devo estar fazendo
algo errado; eu não consigo tirar a imagem de volta." Os médicos devem assegurar-lhes que qualquer mudança é
natural enquanto o processamento continua, e que, se perder a foto, eles devem pensar apenas do incidente,
independentemente do que vem à mente. Alguns clientes podem tornar-se perturbado quando a imagem começa a
desaparecer, porque eles temem perder boas lembranças ou esquecer completamente que o incidente ocorreu. Estes
clientes devem ser tranquilizado que o alvo evento não será esquecida e que boas recordações ou emoções nunca são
perdidos em EMDR tratamento. Eles devem ser informados de que a informação disfuncional é ser "Digerido" e
convertida em uma forma mais útil, e que tudo o que está sendo mudado é a forma como a informação é armazenada
no cérebro, de modo que a imagem e emoções perturbadoras deixarão dominar. Qualquer mudança na imagem
relatado pelo cliente é indicativo de processamento da informação, e a natureza subjetiva da mudança não precisa ser
questionada pelo médico. Em outras palavras, não importa quão grande ou pequeno o retrato tornou-se ou como ele
aparece desfocado. Os médicos saberão ocorreu transformação se detectarem qualquer indicador de mudança. Até
mesmo a declaração "parece diferente" é suficiente. Os médicos devem evitar questionar o cliente sobre tais
alterações. Tentativas para obter uma descrição detalhada do conteúdo da imagem ou a natureza de um turno não
especificado pode interromper e minar os efeitos de processamento. Mudanças de sons o cliente pode informar que
as vozes das pessoas em memória de destino estão a tornar-se mais silencioso ou tenham desaparecido
completamente. Em um exemplo, um cliente relatou que a audiência alvo evento incluiu seu bebê gritar; ela relatou
após alguns conjuntos que o som havia desaparecido completamente. Da mesma forma, o som de tiros e explosões
podem aumentar ou diminuir de volume como o processamento continua. Relatório de clientes comumente
mudanças no órgão auditivo de memórias-alvo durante o processamento de interações com os perpetradores, pais
ou outros em uma variedade de contextos sociais. Durante o processamento de um confronto desconfortável no
trabalho, um cliente pode informar que o lembrava o diálogo mudou, que ele tem, espontaneamente, começou a usar
a nova linguagem, mais assertivo, enquanto o seu colega de trabalho está a fazer declarações mais respeitosos.
Durante os jogos, os clientes começam frequentemente verbalmente afirmar-se com um pai/mãe abusivo. O médico
deve encorajar o cliente a repetir estas declarações assertivo, internamente ou em voz alta, até que eles são de forma
confiante e forte. Esta verbalização resultou muitas vezes em grandes progressos para os clientes que foram
congelados em uma criança, papel com relação a seus pais e outras figuras de autoridade. Os clientes relatam que as
palavras ou o pensamento no momento do evento pode surgir espontaneamente, junto com a imagem. Os clientes
levantou com o inglês como uma segunda língua no domicílio podem começar a falar em sua língua nativa quando
precocemente as memórias são processados. Se o cliente começa a falar em uma língua estrangeira, basta dirigi-lo
como de costume ("Pense que") e continuar os conjuntos. Embora os clientes podem falar na sua língua na infância,
eles ainda podem compreender instruções em inglês. Mudanças em COGNIÇÕES o nível de insight, muitas vezes,
aumenta a partir de um conjunto para outro. Como mostrado na transcrição do capítulo 2, em que o cliente teve que
lidar com um colega de trabalho, incompetentes cognições do cliente pode tornar-se mais adaptável
terapeuticamente como a informação é processada. No entanto, até que a informação é completamente
transformados, as cognições não será totalmente adequada. Metaforicamente, o comboio não chegou ao seu destino
até a última paragem. Ao longo do caminho, em pausas entre conjuntos, haverá ainda alguns disfuncional material a
ser processado, e o médico deve resistir à tentação de explorar ou sonda um determinado patamar de informação a
menos que o processamento é preso. Desde que as mudanças estão sendo relatados, o médico deve simplesmente
direcionar o cliente para pensar a cognição apenas Verbalizou durante o conjunto anterior. Ocasionalmente, um
cliente pode dar o que é chamado um "polar", que é uma mudança radical de valores negativos para a cognição
positiva em um ponto no processamento. Isto é interpretado em termos de processamento de informações para ser
uma mudança de redes neurais a partir de uma configuração de "não" para uma configuração de "sim." Em outras
palavras, um cliente pode começar com a cognição "Há algo de errado comigo" em relação a situações sociais e após
um único conjunto podem começar a pensar, "Eu estou bem." Quando tal ocorrer, face a face com o cliente é assumida
por ter chegado ao fim de um canal. O médico deve, em seguida, trazer o cliente de volta para o nó original (o destino)
e continuar o processamento. Pode ou não haver mais canais disfuncional. Mudanças de emoções como a memória é
processada, as emoções associadas pode diminuir de intensidade. No entanto, o nível emocional também pode
aumentar drasticamente a memória antes de atingir uma resolução adaptativa. Enquanto o cliente está relatando um
nível diferente de emoção, seja superior ou inferior, a informação é assumida em processamento. Quando a emoção
é o elemento dominante, apresentando a memória, os médicos podem utilizar o SUD escala para avaliar o grau de
mudança. Enquanto a escala SUD é útil, lembre-se de que ela pode ser uma medida insuficiente em alguns casos.
Muitos clientes relatam uma mudança no tipo de emoção (por exemplo, de tristeza a raiva), assim como mudanças na
sua intensidade. Quando o cliente sente uma emoção diferente, o SUD pode aumentar o nível de ansiedade (a um
nível de 3 SUD pode deslocar a tristeza em um nível de 7 SUD), diminuem ou permanecem os mesmos. O médico deve
estar alerta para qualquer nova emoção que surge durante a sessão, a fim de satisfazer as necessidades do cliente.
Por exemplo, o tipo de apoio verbal e não verbal que iria ser tranquilizador para um cliente de extrema raiva pode ser
dramaticamente diferente do suporte necessário caso o cliente começa a experimentar tristeza ou desespero. Os
clientes frequentemente relatam uma mudança progressiva no sentido mais adequado ecologicamente emoções. Essa
mudança se manifesta como movimento através de diferentes "camadas" de emoção (e.g., a partir da culpa a fúria de
tristeza à aceitação). No entanto, cada cliente reage de maneira singular, e as emoções e a sequência pode variar. Às
vezes, não haverá qualquer expressão de um determinado estado emocional, e não a emoção ou o nível de expressão
deve ser exigida do cliente. Enquanto alguns clientes abreact com alta intensidade emocional, outros processo de uma
maneira simples, com pouca exibição ostensiva. Mudanças na sensação física quando a memória está sendo
processado, a maioria dos clientes experimentar alguma manifestação da informação em um nível somático. O corpo
sensações podem ser conectados às emoções vivenciadas durante o processamento (por exemplo, uma alta taxa de
pulsação e estômago apertado associada ao medo). Como alternativa, o corpo sensações podem ser aqueles que
foram experimentadas durante o evento original (como no exemplo do cliente que havia sido amarrado a uma cama
como uma criança e que sentiu a pressão sobre seus pulsos, enquanto que a memória de processamento). Finalmente,
as sensações do corpo pode ser uma ressonância física inespecíficas da cognição disfuncional (isso é explicado no
capítulo 6). O processamento pode ser manifestada através de somatically uma liberação das sensações físicas; isto é,
o cliente experimenta-los com intensidade decrescente com cada conjunto. Estas alterações podem aparecer
simplesmente como uma redução na taxa de pulso ou como o que é denominado uma refazendo a experiência em si.
Como um exemplo, um cliente cuja mãe puniu pela queima sua mão sobre a cozinha fogão reexperienced inicialmente
a sensação ardente como se estivesse ocorrendo no presente, mas com cada conjunto, sentiu essa sensação diminui
de intensidade. Lembre-se, porém, que enquanto o cliente pode sentir apenas vagas sensações físicas da experiência
no início da sessão de processamento, essas sensações podem de repente aumentar em intensidade a qualquer
momento. As sensações físicas sentidas pelo cliente são visualizados em EMDR simplesmente como uma manifestação
da informação que está sendo processada. Conceitualmente, desde as sensações físicas presentes durante o trauma
estão bloqueadas no cérebro, o estímulo da informação pode ser experimentado pelo cliente na parte do corpo onde
as sensações foram originalmente feltro (através do sistema nervoso- aferentes e eferentes). Este estímulo, como com
qualquer outra sensação dolorosa, pode parecer estar na parte do corpo que dói, mas o centro de dor é, naturalmente,
no cérebro. Embora conceitualmente explicado aqui em termos de sensações armazenadas na rede neural, o
reexperiencing da memória (como em um abreaction) pode ser assustador para o cliente e para o clínico na ausência
de preparação. Um cliente que experimenta a angústia por meio do restimulation da dor de agressão física deve ser
confortado e lembrou durante o jogo que ele não está em perigo. No entanto, se o médico não está confortável com
a possibilidade de que o cliente pode sentir emoções fortes e altos níveis de sensações físicas, ela não deve usar EMDR
terapia. Essa advertência é particularmente importante, pois o cliente pode certamente ser traumatizadas, ainda mais
se o médico mostra medo ou aversão a suas reações durante o processamento. Processamento de informações
também pode ser indicado por alterações na localização das sensações do corpo. Por exemplo, um cliente pode
inicialmente indicar aperto no estômago, mas com cada conjunto, as sensações parecem se mover para cima (para o
peito, garganta ou cabeça). O médico deve apenas orientar o cliente a pensar no novo local, sem tentar averiguar o
que se sente como a sensação ou atribuindo um sentido a ele. Um número significativo de clientes de forma
consistente, uma sensação que se sente como se ele está localizado na cabeça. Essa experiência deve ser tratada pelo
médico e não como uma construção metafórica, mas como uma verdadeira sensação física. Os médicos devem
encaminhar os clientes para concentrar a sua atenção sempre que a sensação reside atualmente e não perguntar-lhes
sobre as sensações relatadas nos últimos conjuntos. Além disso, se o cliente relata tontura, dor ou náuseas, ou se
nenhum movimento da sensação é relatado após dois conjuntos, o clínico deve mudar a direção do movimento do
olho. Esta alteração geralmente vai causar sensações físicas para mudar de alguma maneira. Enquanto sensações
físicas durante o processamento EMDR são consideradas um alvo apropriado para conjuntos subsequentes, o clínico
deve usar o senso comum. Algumas sensações físicas podem realmente ser o resultado de problemas no momento
presente. Um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, depois de tudo, pode vir a ocorrer durante uma sessão
de emdr, assim como pode acontecer durante a prática de coral. O cuidado é sempre aconselhável, especialmente
quando se trabalha com clientes adultos mais velhos. Como observado anteriormente, quando dor de olho é relatado,
os movimentos oculares deve ser parado e modos de estimulação utilizados. Em nenhum momento do movimento do
olho deve ser continuado quando o cliente relata dor de olho. Estímulos alternativos podem ser facilmente
substituídos. Efeitos diferenciais mantenha na mente que as referidas alterações destinam-se a transmitir uma ideia
geral do que pode ser esperado. Porque a terapia EMDR não é uma abordagem regulamentada, não existem duas
sessões de tratamento será o mesmo. Cada cliente deve ser tratado como um indivíduo único, com necessidades que
variam de momento a momento. Os médicos devem estar atentos, de modo que eles podem alterar as regras a
qualquer momento para acomodar as necessidades do cliente; devem abster-se de terapia EMDR visualização como
uma corrida para alcançar os efeitos do tratamento. Enquanto os capítulos seguintes são oferecidas para auxiliar a
aplicação clínica da terapia EMDR modelo, terapeutas devem certifique-se de usar todas as suas habilidades e
rapportbuilding recursos clínicos para apoiar o cliente. A eficácia da terapia EMDR depende tanto da qualidade da
viagem como no destino designado. Prática supervisionada Os instrutores podem desejar para supervisionar os alunos
em exercícios que lhes permitem praticar eliciar e desenvolvimento de cognições negativas e positivas em uma
variedade de situações de role-play. Esta é uma parte difícil de emdr terapia para muitos médicos. Uma lista de
cognições Genérico está incluído no Apêndice A, para ajudar o médico (e) do cliente, o processo de aprendizagem.
Também pode ser útil para supervisionar os alunos na utilização dos diversos tipos de movimentos dos olhos e formas
alternativas de estimulação. Isto é sugerido antes o médico tenta usar os procedimentos em uma verdadeira sessão
de reprocessamento com um cliente. Resumo e conclusões EMDR processando os efeitos do tratamento são baseadas
na capacidade de acesso ao alvo e material disfuncional. As manifestações direcionadas inicialmente deste material
incluem a imagem negativa, a cognição, e as sensações físicas associadas com o evento. Baseline medidas incluem
uma identificação da emoção, estimulou um SUD classificação que indica a intensidade da perturbação, e uma
classificação de COV como verdadeiro o cliente acredita que a cognição positiva desejada para ser. O cliente deve ser
cuidadosamente preparados antes de este foco acessar o material estocado. O processamento do material alvo é
iniciada por ter o foco no cliente (estímulos adequados, movimentos oculares, tátil ou auditivo) e, ao mesmo tempo,
concentrando-se em elementos de alinhamento do alvo (imagem, cognição e sensação física) em doses sequenciais.
Processamento ocorre durante estimulação sucessivos conjuntos, que se alternam com o feedback do cliente para
determinar o próximo alvo apropriado. A finalidade de toda a fase 8 tratamento EMDR é acelerado para facilitar o
processamento de informações. A primeira fase determina se o cliente é um candidato adequado para processamento
de emdr e inclui o planejamento do tratamento. A segunda fase se prepara o cliente para qualquer perturbação que
podem surgir durante ou entre as sessões e define as expectativas adequadas. A terceira fase, ou avaliação, concentra-
se em determinar um alvo e a determinação de seus componentes e medidas. Durante as três fases seguintes o médico
realiza a estimulação conjuntos. A quarta fase, ou dessensibilização, incide sobre a perturbação, que é julgado pelo
cliente dos relatórios gerados espontaneamente material e o SUD escala. Quando esta estiver concluída, o início da
fase de instalação, uma fase que se concentra na infusão e reforço positivo a cognição (conforme medido na escala de
COV). Na sexta fase, o restante dos resíduos é realizado visando qualquer material revelado por uma leitura do corpo.
A sétima fase é de encerramento, que retorna ao cliente para o equilíbrio emocional e durante o qual o cliente é
lembrado sobre o potencial de processamento entre sessões. Durante a sessão, o cliente também é convidada a gravar
qualquer perturbação de atendimento em um log e para usar uma variedade de técnicas de relaxamento para manter
um estado de relativa calma. Seleção de cliente apropriado, uma preparação cuidadosa, a aplicação rigorosa dos
procedimentos, e debriefing adequada são vitais para a segurança do cliente, pois o material pode resolver inesperado
superfície durante ou entre as sessões de tratamento EMDR. A oitava e última fase, reavaliação, determina a qualidade
do tratamento e orienta o médico através dos protocolos estendida. A aplicação do emdr terapia para o tratamento
das memórias traumáticas responsáveis por sintomas patológicos envolve o agrupamento de eventos e, em seguida,
visando não só uma representação significativa de memória para cada cluster, mas também imagens de pesadelo,
cenas de flashback, e gatilhos. Além disso, modelos positivos para futuras acções adequadas também são processados.
A ativação do cliente inata do sistema de processamento de auto-cura deve ser feita com o mínimo de intrusão clínica.
Como o tratamento prossegue, efeitos clínicos são julgados pelos relatórios do cliente de novas memórias que
obedeçam a padrões de redes de memória associadas ligadas por tacos semelhantes (por exemplo, crenças,
participantes, ou sensações). Quando uma única memória é mantida durante toda a sessão, resultados clínicos são
avaliados pela qualidade das alterações na imagem, os sons, as cognições, as emoções e sensações físicas. Enquanto
o tratamento é direto sobre a metade do tempo, os restantes casos mais complexos exigem envolvimento clínico (ver
capítulos 7 e 10). No entanto, atenção e foco clínico são obrigatórios em todos os momentos, porque a amplitude e
variedade dos efeitos do tratamento. Instruções específicas para orientar o processo de tratamento são oferecidas
nos próximos capítulos. Capítulo 4 - Fase 1 História o cliente curioso paradoxo é que quando eu me aceitar como eu
sou, então eu posso mudar. -CARL ROGERS neste capítulo, nós olhamos para a primeira fase do emdr terapia, o que
implica a anamnese para determinar se um determinado cliente irá beneficiar de emdr de processamento e o
planejamento do tratamento. Qualquer forma de processamento do trauma pode ser perturbador para o cliente
durante e após as sessões. A primeira seção deste capítulo oferece uma compreensão da natureza e intensidade das
perturbações que possam surgir. Isto deve ajudar o médico a avaliar a disponibilidade do cliente. É imperativo que o
médico a tomar decisões informadas sobre a capacidade do cliente para manter um senso de estabilidade e para
executar determinadas tarefas terapêuticas em face de altos níveis de emoção. Na próxima seção, sobre factores de
segurança do cliente, delimita as áreas de inquérito utilizado para selecionar clientes para tratamento EMDR. Como
indicado anteriormente, esta informação deve ser complementada com prática supervisionada. Para esses clientes
considerados adequados para a terapia EMDR, o médico faz um histórico detalhado, a fim de delinear um plano de
tratamento e identificar as informações específicas necessárias para abordar a apresentar problemas. Para ilustrar a
interação médico-cliente, este capítulo será concluído com a transcrição de uma história real, tendo a sessão.
Disponibilidade do cliente o médico precisa obter uma cuidadosa, detalhada história do cliente para avaliar a
adequação de um cliente para processamento de emdr e avaliar as necessidades psicológicas do cliente durante e
após as sessões. É importante lembrar que cada sessão é diferente, e as necessidades de cada cliente e as respostas
são únicos. A fim de tomar uma decisão informada, o terapeuta deve ser sensível aos tipos de experiências os clientes
têm durante o processamento de informação que podem ocorrer tanto dentro e fora do escritório uma vez EMDR a
transformação foi iniciada. Estimular a informação que constitui a memória do alvo do cliente traz os seus vários
componentes para a consciência. Informação dissociada pode facilmente superfície, como pode muitas emoções e
sensações físicas, experimentado no momento do evento. Enquanto isso é desnecessário para o cliente para dar uma
descrição detalhada do evento, este resurfacing podem ser extremamente muitas vazes apresentam para o cliente.
Se corretamente tratada pelo médico, o processamento acelerado que emdr ativa irá resolver esta informação muito
mais rapidamente do que as terapias convencionais. No entanto, o clínico deve avaliar a disponibilidade do cliente e
a capacidade de descobrir e suportar as informações a fim de verificar se o cliente pode ser guiado através da
perturbação que podem surgir se a memória é tratada. Se não for prorrogado, a preparação é necessária antes do
início da transformação. Uma característica importante da terapia EMDR é que o processamento de informação pode
continuar após a sessão, embora a um ritmo mais lento. Portanto, o cliente pode experimentar algum desconforto
entre as sessões como novas memórias são estimulados em ou abaixo da consciência. Uma metáfora é a de uma fila
de dominós caindo: Como cada memória é estimulada e processado, pode definir uma memória associada. Além disso,
como cada memória é estimulada, pode liberar imagens perturbadoras e emoções. Para que o tratamento seja bem-
sucedido, o cliente deve ser capaz de lidar com as emoções que de desespero, impotência, vulnerabilidade, e assim
por diante-estão associadas com a memória. Não há nenhuma maneira de prever exatamente como um cliente irá
processar um evento em particular. As respostas podem variar de uma leve reação emocional a um full-blown
abreaction. Em EMDR terapia, definir "ABREACTION" simplesmente como o reexperiencing da memória estimulada
em um alto nível de perturbação. Imagens, pensamentos, emoções e sensações físicas podem ser trazidos para a
consciência que o cliente processa as informações. Durante uma abreaction, das emoções e sensações físicas são
particularmente fortes, talvez quase tão forte quanto eles foram durante o evento original. EMDR transformação não
significa, no entanto, gerar pleno flashbacks, uma vez que o cliente é treinado para ter um foco duplo, mantendo a
consciência do evento passado perturbador ao ficar na segurança dos presentes. Este é auxiliado pela dupla tarefas
de se concentrar sobre o alvo e seguindo os dedos do médico. Devido à sua grande intensidade as sensações físicas,
pode ser assustador para o cliente. Por exemplo, um cliente tinha sido jogando cowboys e índios como uma criança
quando seus amigos lhe capturado, amarrado uma corda em torno do pescoço dela, e ela a partir de uma árvore.
Felizmente, uma das mães correu para fora e corte-a, com apenas alguns momentos de sobra. Como seu tratamento
EMDR começou, o cliente começou a emitir sons de asfixia, virou a cores vivas, e claramente estava tendo grande
dificuldade em respirar. Neste caso, o processamento foi concluído com êxito, mas os médicos devem ter em mente
a possibilidade de uma violenta resposta cliente ao determinar fatores de segurança. Mesmo se o alvo aparece de
memória menor, ele pode mudar rapidamente de uma memória altamente carregada. A imagem de marca do emdr é
tratamento de processamento acelerado, com o seu potencial para um rápido descobrimento do material
previamente insuspeitas, algumas das quais podem ser extremamente penoso. Portanto, disponibilidade do cliente
deve ser cuidadosamente avaliada. Factores de segurança cliente os seguintes fatores são cruciais na manutenção da
segurança do cliente e deve ser cuidadosamente avaliada para determinar quais clientes estão prontos para
processamento de emdr. Nível de afinidade clientes devem ser capazes de se sentir confortável com a possibilidade
de experimentar um elevado nível de vulnerabilidade, a falta de controlo, e quaisquer sensações físicas do evento que
pode ser inerente a memória alvo. Isso significa que clientes devem estar dispostos a dizer seus terapeutas a verdade
sobre o que eles estão enfrentando. Embora não seja necessário para eles para revelar os detalhes de seu trauma,
eles devem estar dispostos a experiência na presença do médico emoções que emergem e relatar com precisão a
natureza e a intensidade dessas emoções. Às vezes por causa da falta de confiança, uma alta suscetibilidade para
características de demanda, ou um desejo de evitar mais doloroso de material de forma imprecisa de um cliente relatar
um baixo nível de angústia e inadequadamente ou prematuramente encerrar a sessão. Quando isso acontece, o cliente
é mais provável sentir desconforto entre as sessões e pode ser forçado a lidar com abreaction-nível material sem o
suporte clínico adequado. Os clientes são relatados para estar em maior risco de ideação suicida e tentativas de
suicídio quando se sentem muito incomodados, mas recusar esta informação do médico. Embora isso seja verdade,
com qualquer forma de terapia, o potencial para mais entre sessões de perturbação durante o tratamento EMDR
ressalta a necessidade de uma forte aliança terapêutica, acordos específicos de verdade, e um terapeuta que pode
transmitir uma mensagem de segurança, flexibilidade e respeito incondicional. Clientes com antecedentes de abuso
grave deve ser dada cuidadosa consideração antes de prosseguir com o tratamento, porque eles geralmente têm
dificuldade em torno de questões de segurança e confiança. Até que o cliente se sinta confortável com o médico
comum na interações de terapia tradicional, EMDR transformação não deve ser usado. Perturbação emocional os
clientes devem ser capazes de suportar os elevados níveis de perturbação emocional que podem surgir durante ou
entre as sessões de tratamento EMDR. A fim de ajudar a testar esta capacidade antes de o material traumático é
visado especificamente, é fortemente recomendado que o médico descubra durante a história, tendo-se a sessões de
cliente pode responder a auto-controle e técnicas de relaxamento. O médico deve experimentar uma variedade destas
técnicas com o cliente no escritório e apenas continuar com emdr processamento se o cliente pode com sucesso ser
guiado para dissipar um nível moderado de perturbação (consulte o Capítulo 9 para alguns exemplos). Quando o
material foi alvo insuficientemente processados durante qualquer sessão, bom debriefing (como definido no capítulo
6) É imperativo, e guiou a visualização, técnicas de relaxamento, hipnose ou são usadas para ajudar o cliente recuperar
o equilíbrio emocional. Porque o médico não será capaz de predizer o nível de perturbação entre as sessões, é útil
para treinar clientes no selfcontrol estas técnicas antes de emdr empresa de transformação. Eu recomendo também
o uso de gravações de áudio que podem ser empregadas entre as sessões (por exemplo, "Deixar ir" de estresse; Miller,
1994). Algumas destas técnicas de relaxamento são descritos no Capítulo 9 e pode ser usado para encerrar sessões
incompletas de outra forma. Eles também devem ser utilizados por clientes diariamente e para fornecer ajuda se a
transformação espontânea entre as sessões está causando perturbação emocional. Se o cliente não consegue usar
tais técnicas de auto-controle, processamento de emdr não deve ser tentada até preparação suficiente é concluída.
Os relatórios indicam que clínica EMDR procedimentos podem ser usados para o aprimoramento de recursos para
preparar os clientes com mais complexos afetam a desregulação (Korn & Leeds, 2002). Conhecido como
"desenvolvimento e instalação de recursos" (RDI; Leeds, 1998; Leeds & Shapiro, 2000), esses procedimentos
melhoram o acesso a uma variedade de afeta positiva em uma maneira similar à segurança/Lugar calmo técnica (ver
Capítulo 9). Quando apropriado, os médicos devem experimentar esta e métodos alternativos até que o cliente é
capaz de reduzir significativamente o nível de perturbação. Impossibilidade de reduzir a perturbação pode
legitimamente adicionar ao medo do cliente quando é acessado material disfuncionais, e pode prejudicar seriamente
o tratamento positivo efeitos. A estabilidade é vital que o cliente será avaliado para estabilidade pessoal. Como com
a maioria de terapia do trauma, o suicida não é incomum após tratamento com emdr determinados clientes, tais como
severamente perturbado vítimas de vários molestations sexual. Os médicos devem analisar adequadamente tais
clientes (ver Capítulo 6), e a avaliação inicial deve incluir a capacidade do cliente para lembrar o debriefing instruções
e capacidade de pedir ajuda se necessário. O nível de estabilidade ambiental também é significativo. Por exemplo, os
médicos não devem tentar reprocessar traumas independentes se os clientes estão actualmente a sofrer grandes
pressões da vida (por exemplo, família/social/financeira crises ou problemas de carreira) e são incapazes de lidar com
as perturbações adicionais geradas pelo reprocessamento. Naturalmente, os médicos precisam determinar se os
traumas anteriores são, de facto, não relacionados com as condições de vida atual do cliente. Os clientes que estão
constantemente em um estado de crise pode ser conduzido pelas anteriores experiências de vida adversas que
precisam ser resolvidos antes que eles podem obter alívio de seus problemas atuais. É importante determinar quais
lembranças perturbadoras são diretamente responsáveis por apresentar disfunção erétil, e, portanto, devem ser
tratados com terapia de emdr, e que são relacionados com a presente crise e pode ser definido de lado enquanto os
problemas atuais são abordadas com planos adequados de ação. A vida oferece suporte a clientes devem ter vida
suporta, incluindo amigos e familiares que podem alimentá-los através de qualquer entre sessões de perturbação. Se
os clientes estiverem isoladas ou são os principais cuidadores sem uma rede de apoio de seus próprios, os médicos
devem proceder com cautela. Os médicos devem determinar se seus clientes são capazes de sustentar-se
psicologicamente ou pode ser suficientemente confortado por-lhes sobre o telefone, se eles precisam de ajuda. Saúde
Física Geral, o cliente deve ser saudável o suficiente para suportar os rigores físicos da memória o reprocessamento.
No exemplo anterior da memória de asfixia, o cliente estava em seu 30s, quando tratados e forte o suficiente para
resistir a possíveis consequências físicas. No entanto, ela tinha sido 70 anos, com uma condição cardíaca, eu teria
sérias preocupações sobre sua capacidade de suportar o ataque físico. Os efeitos potenciais da despertou emoção
sobre as mulheres que estão grávidas também devem ser levados em conta. Embora, até à data, não há relatos de
efeitos colaterais graves danos físicos, é sempre melhor usar cautela. Quando qualquer problema físico, incluindo uma
condição cardíaca ou respiratória, faz parte do quadro clínico, um médico deve ser consultado sobre os possíveis
efeitos negativos de altos níveis de resposta emocional. Consulta escritório versus tratamento hospitalar memórias
devem ser avaliados para distinguir entre os que podem ser dirigidas ao escritório e aqueles que pode exigir
intervenção médica ou consulta, incluindo a possibilidade de suporte de internação. Durante um reprocessamento de
uma experiência de quase-morte, o cliente parou de respirar; felizmente, o médico, uma enfermeira psiquiátrica, havia
feito disposições para reanimação. Em outro caso, um cliente estava sendo visto em uma configuração de internação
por um psiquiatra. Durante o reprocessamento de uma memória de tortura, ele começou e convulsing contorcendo-
se na cama, quase como se ele estivesse sendo chocado novamente. O psiquiatra era capaz de trabalhar com ele para
completar a transformação, mas claramente a experiência teria sido muito mais traumático para ambos se não ocorreu
em um ambiente protegido. Os médicos devem sempre apreciar a necessidade de retenção adequado, assistência
médica, ou medicação no tratamento de clientes com esquizofrenia, memórias de quase-morte, ou físicos, ou quando
em dúvida sobre tendências suicidas, estabilidade pessoal ou de vida adequado. A droga ativa e/ou indivíduos viciados
em álcool, necessidades de tratamento dependem de onde a pessoa está no continuum de gravidade (ver capítulo
11). Aqueles que são alcoólatras/crônica grave com necessidade de desintoxicação, em extrema saúde física, ou em
risco de convulsões (por exemplo, causadas por interromper abruptamente o uso de grandes quantidades de álcool)
deve estar em um nível mais elevado de cuidado e sob supervisão médica. Se houver alguma dúvida de clientes, se
tornando um perigo para si ou para outrem, trabalho hospitalar deve ser fortemente considerado. Comprometimento
neurológico não há relatos de danos de cliente para aqueles que sofrem de comprometimento neurológico. No
entanto, uma vez que o modelo AIP consagra certos processos fisiológicos subjacentes, os médicos devem ser sensíveis
a qualquer história de anormalidades neurológicas ou dano cerebral orgânica. Sem contra-indicações para o uso do
emdr têm sido relatados com clientes que sofrem de déficit de atenção/hiperatividade. Os médicos têm relatado uma
menor tendência para a generalização de tratamento para ocorrer com alguns clientes que têm danos cerebrais
orgânicos e, conseqüentemente, a necessidade de atingir um maior número habitual de memórias para alcançar o
pleno efeito terapêutico. Enquanto EMDR transformação tem sido utilizado com sucesso com clientes evincing uma
gama de queixas neurológicas, o cuidado deve ser observado ao tentar o tratamento desta população; isto é, pode
haver algum tipo de dano cerebral que causaria nenhuma resposta ou extremo desconforto durante as sessões de
processamento de emdr. A consulta de um médico sempre deve ser procurado se o médico suspeitar que uma
condição física, incluindo comprometimento neurológico, pode representar um problema. Os médicos de tentar
tratamento EMDR com esses indivíduos também deve ser bem experiente com uma vasta gama de efeitos de
tratamento EMDR para reconhecer qualquer resposta anormal, caso em que a sessão deve ser encerrado. A epilepsia,
enquanto um número de clientes com epilepsia têm sido tratadas com sucesso com a terapia EMDR, o cuidado deve
ser observado como uma questão de curso, como acontece com qualquer cliente que seja neurologicamente
prejudicado. Tenho ouvido apenas três relatórios de clientes experimentando todas as convulsões (pequeno) EMDR
durante as sessões de tratamento. Em um exemplo, a memória foi reprocessado apreensão relacionadas; o cliente
recuperou a consciência dentro de 5 minutos, lavou o rosto, e continuou com a sessão sem mais incidentes. (Esta foi
a única apreensão sofrido pelo cliente em mais de uma dúzia de sessões.) Outro cliente sofreu uma pequena
apreensão durante uma sessão de tratamento EMDR mas depois de concluir o tratamento nunca foi incomodado por
convulsões novamente. Ambos ocorreram com a utilização de movimentos oculares. O terceiro caso envolveu o uso
de uma barra de luz para fins de rastreamento. Em geral, clientes com epilepsia deve ser informado da possibilidade
de uma convulsão durante o EMDR antes que o tratamento seja iniciado, e sugere-se que o terapeuta-dirigido a
estimulação tátil ou áudio a ser usado. Também digno de nota é o caso de um cliente com epilepsia que tinham sido
tratados com sucesso para tept e tentativa os movimentos oculares em seu próprio sempre que ela tinha uma "aura"
ou outro sinal de uma apreensão que se aproxima. Ela descobriu que os movimentos oculares permitiu-lhe evitar os
ataques. Problemas oculares houve um relato de um cliente sustentação de lesão ocular grave que resultou em
cegueira por causa do tratamento do movimento do olho. Isso ocorreu nas mãos de um médico que era inexperiente
no uso do emdr. Aparentemente, mesmo que o cliente consistente relataram dor de olho, o médico, que não tinha
conhecimento dos efeitos do tratamento EMDR, continuou a administrar os conjuntos de movimento do olho. Sob
nenhuma circunstância deve ser continuado tratamento EMDR se o cliente relata dor de olho. Se isso ocorrer, o médico
deve usar formas alternativas de estimulação. O mesmo é verdadeiro para os clientes que estão em condições de
manter a continuação do movimento do olho por olho conjuntos de fraqueza muscular. Os clientes que usam lentes
de contato devem trazer seus casos de lente para sessões de tratamento, de modo que as lentes podem ser removidos
se nenhum sinal de ressecamento ou irritação ocorre. Com muitos clientes, pode ser preferível evitar o uso de
movimentos dos olhos quando eles estão vestindo contactos. Mais uma vez, movimentos oculares, quando não
puderem ser utilizados, o médico pode usar formas alternativas de estimulação auditiva ou tátil (como descrito no
capítulo 3). Drogas e Álcool os clientes com um histórico de abuso de substância deve ter suporte adequado, como,
por exemplo, um programa de 12 passos, Smart Recovery, recuperação, budista ou um equivalente, antes de iniciar o
tratamento EMDR. Fora o apoio de outros em uma luta emocional compartilhada não pode ser subestimada.
Isolamento e vergonha manter muitos indivíduos de ser capaz de pedir ou aceitar ajuda. Os médicos relataram que
enquanto alguns clientes facilmente abandonar o abuso da substância ou desejos durante o tratamento, outros têm
um maior desejo de retomar a actividade, presumivelmente por causa da estimulação de material psicológico
perturbador. Se o reatamento do abuso químico ou outro comportamento addictive representa uma tentativa para
medicar contra o material que está emergindo ou estimulação do antigo desejo não é clara. Em qualquer caso, os
médicos devem tomar cuidado especial com esta população, informações sobre clientes e potenciais problemas
através da criação de salvaguardas contra potenciais abusos retomada ou exacerbação de comportamentos (ver
também o Capítulo 11). Além disso, cada tentativa deve ser feita por médicos com contrato com clientes viciados de
rigorosa honestidade sobre seu uso da substância ou caduca, para garantir a sua segurança e confiança no
relacionamento. Este nível de honestidade contribuirá de forma significativa para sua recuperação. Requisitos legais
se um crime vítima, testemunha ou policial está sendo tratada por um incidente crítico, é essencial para se determinar
se uma deposição legal ou qualquer tipo de julgamento é, ou pode ser necessário do indivíduo. EMDR durante o
processamento, a imagem do evento podem desaparecer, blur, ou desaparecer completamente. Embora o cliente não
esquece o que aconteceu e ainda vai ser capaz de dizer o que ocorreu, ela pode não ser capaz de fornecer uma vívida,
descrição detalhada do evento. Por outro lado, o cliente pode ser capaz de dar uma descrição mais detalhada e pode
realmente ver a imagem com mais clareza após tratamento EMDR. No entanto, não há nenhuma maneira de saber de
antemão como um cliente irá processar um evento em particular. Assim, o consentimento informado deve ser usado
com todas as partes pertinentes ao processo judicial em curso (ou possam ser contempladas). Os médicos devem
explicar que, depois EMDR processamento, (1) o cliente pode não ser capaz de acessar um retrato vívido do evento, e
(2) o cliente não pode mais contar o incidente com extrema emoção (que pode ser um problema se um testemunho
muito emocional é necessária no suporte). Sistemas de Controle Como com qualquer forma de psicoterapia,
tratamento EMDR influi não só clientes, mas também as suas famílias e amigos. Como a informação é processada
disfuncional e novas auto-avaliações são geradas, as mudanças de comportamento do cliente. Como os clientes
tornam-se abertos a novas escolhas, elas devem ser educadas com treinamento de habilidades. Por exemplo, eles
podem precisar de ser ensinado como lidar com pessoas ou situações problema através de instrução em habilidades
de assertividade, namoro, ou carreira. No início do tratamento, os médicos devem organizar os grupos de apoio e
formação para o cliente. A terapia EMDR clientes podem processar material a uma taxa surpreendentemente rápido,
e eles devem estar preparados para lidar com a resistência podem encontrar de colegas, familiares ou amigos. Por
exemplo, se os clientes insistem no restante em um ambiente perigoso em que nova assertividade seria prejudicial
(que pode ser o caso de uma mulher que é espancada ainda vive com seu marido alcoólatra), eles devem ser
informados sobre potenciais problemas e estratégias alternativas para a auto-expressão. Os clientes em relações
sociais disfuncionais (por exemplo, em que poderão ser aproveitadas se eles parecem estar em um estado vulnerável,)
devem ser advertidos para evitar essas relações imediatamente após o trauma o processamento. Por essa razão,
tratamento de clientes em instituições penais pode ser contra-indicada em muitos casos devido à pressão inerente ao
sistema. Ganhos secundários cuidado especial deve ser tomado para avaliar as possíveis consequências positivas,
necessidades, ou questões de identidade que são servidos a apresentar queixa. Os clientes podem ter organizado a
sua existência em torno de sua patologia, e essa possibilidade deve ser abordada, pelo menos cognitivamente, antes
que qualquer alteração pode ser esperado do tratamento EMDR. Essencialmente, o clínico deve identificar o que o
cliente precisa para enfrentar ou desistir se o tratamento for bem-sucedida e determinar se o cliente tiver a
estabilidade e recursos para lidar com a mudança. Um exemplo deste problema pode ser encontrado em alguns
veteranos. Tendo sofrido, pesadelos, flashbacks e pensamentos intrusivos ao longo de muitos anos, são agora
oferecidos tratamento EMDR juntamente com o pedido, "Vamos levar os seus flashbacks, pesadelos, pensamentos
intrusivos e sua deficiência." Um medo do veterano (que ele pode rejeitar a um nível consciente) de se tornar sem-
teto por causa da perda de rendimento é perfeitamente compreensível. A menos que esta questão é abordada, sua
disfunção é susceptível de continuam por resolver. O médico deve resolver esse problema (e outros) por meio de
planos de acção adequados antes de tentar tratar o trauma de clientes que estão a receber a indemnização ou a
vigilância especial por causa da sua deficiência emocional. Medo da perda da identidade social também pode ser um
problema. Um número de veteranos já disseram, "Quem sou eu se eu não sou um veterano ferido?" veteranos de
combate podem ter medo de perder o senso de companheirismo que vai junto com ser um sofrimento membro de
seu grupo de tratamento. Eles também podem ter medo que conforme sua dor emocional diminui, eles vão parar
honrar seus mortos. Explorando estas preocupações antes de começar a trabalhar sobre o trauma é altamente
recomendado. Os fatores diretamente relacionados à luta contra veteranos são mais plenamente exploradas no
Capítulo 11. O medo da perda de identificação com um grupo de colegas é também pertinente molestação algumas
vítimas. Eles podem ficar com medo de cura, porque eles reconhecem que facilita a sua dor, eles já não se sentem tão
forte uma afiliação com outros sobreviventes. Por último, aqueles clientes que estiveram em um grupo de tratamento
por muitos anos pode ter estabelecido sua identidade e estrutura social em torno de tratar sua disfunção erétil; tais
indivíduos precisam tornar-se afiliado com o grupo em uma maneira diferente se o tratamento for para ser bem
sucedido. A distribuição de respostas emocionais dos clientes e a intensidade da sua perturbação entre as sessões são
altamente variáveis. Não há nenhuma maneira de prever com precisão estas reações antes do início da transformação.
Por isso, é importante avaliar o cliente (e o Médico) da situação de vida atual, a fim de reduzir os potenciais problemas.
Por exemplo, se o cliente está programado para fazer uma apresentação importante no trabalho, EMDR trauma a sua
transformação não deve ser iniciado, porque ela pode estar muito distraído ou perturbado a funcionar no pico de
eficácia. Além disso, uma vez que não há nenhuma maneira de saber quanto material disfuncional residuais podem
permanecer no final de uma sessão ou quanto de processamento associados continuarão espontaneamente, deve ser
tomado cuidado para evitar altos níveis de angústia se o cliente tem falta de apoio psicológico. Se, por exemplo, o
cliente está prestes a levar um fora-de-visita da cidade ou se o médico está prevista para uma semana de férias 2, o
reprocessamento de um trauma importante não deve ser iniciado. Os médicos devem explicar aos clientes que o EMDR
pode implicar a transformação da memória emocionalmente intenso trabalho e que não há compromissos
importantes ou longas horas de trabalho devem ser agendadas logo após uma sessão de tratamento. O horário de
trabalho do cliente devem ser passíveis de postsession estes requisitos. Se isso não for possível, o trauma é contra-
indicada. Os médicos devem fornecer uma vez durante cada sessão para processar a memória traumática apresentar
e realizar o encerramento. Recomenda-se que a anamnese inicial ser feita em 50 minutos (ou mais) e que as sessões
de emdr traumas subsequente transformação de ser realizado em sessões de 90 minutos. Embora pelos padrões
convencionais, até mesmo uma sessão de 90 minutos pode fornecer apenas um tempo adequado para a execução de
três fases através de sete e suficientemente o processamento de um determinado trauma. Pelo menos uma sessão de
90 minutos pode permitir que a maioria dos aspectos angustiantes da memória para ser adequadamente tratada. Se
um único trauma é tratada rapidamente, mais do que uma memória pode ser abordado na sessão. Como mencionado
anteriormente, se o trauma é processado de forma insuficiente, o cliente é susceptível de ser deixado com um nível
relativamente alto de perturbação, que pode continuar, ou mesmo aumentar, entre as sessões. Independentemente
do tempo de duração da sessão, sob nenhuma circunstância, um cliente sair do escritório durante (ou imediatamente
após) abreaction não solucionada. Embora um cliente 50 minutos de hora não é geralmente recomendado, um estudo
controlado e randomizado indica que ele pode ser utilizado com sucesso por experientes EMDR clínicos com
populações civis (ver Marcus, Marquis, & Sakai, 1997, 2004). Nestas circunstâncias, EMDR processamento deve ser
feito com o entendimento de que ela pode aumentar a probabilidade de o restante em um nível relativamente alto
de angústia no final da sessão e durante o processamento que continua entre as sessões. Ênfase adicional deve ser
colocado sobre a auto-monitorização de socorro e utilizando técnicas de afectar-regulação no final de uma sessão, e
entre as sessões. Mantendo o tradicional 50 minutos hora também geralmente mais do que duplica o número de
sessões necessárias para a plena correção de reclamações dos clientes. Desde que alguns desorientação pode ocorrer
imediatamente após o tratamento, o médico deve avaliar a capacidade do cliente para deixar o escritório e dirigir com
segurança. Tempo suficiente deve ser deixado no final da sessão para analisar clientes e permitir-lhes, se necessário,
para recuperar qualquer perda de equilíbrio. Mesmo sob as melhores condições, existe a possibilidade de que um
trauma será insuficientemente processados após uma sessão de 90 minutos. Alguns traumas tomar um certo número
de sessões para desarmar. Sempre tenha cuidado se um cliente continua em perigo, e avaliar o que ele poderia ter
necessidades especiais em retornar ao trabalho ou ir para casa. O horário deve ser orientada para as necessidades
específicas do cliente. Por exemplo, clientes com uma grande responsabilidade no trabalho deve ser vista no fim do
dia, ou no final da semana, em vez de no início, porque eles podem se sentir incapaz de voltar a uma situação de alta
pressão. Para acelerar o tratamento, se necessário, sessões de processamento também podem ser agendadas em dias
consecutivos. Precisa de medicação, por vezes, um cliente pode já estar estabilizado na medicação prescrita ou pode
ser avaliada como necessitando de tais medicamentos para manter a estabilidade emocional entre sessões. Até agora,
nenhuma medicação parecem bloquear completamente EMDR processamento, embora os benzodiazepínicos têm
sido relatados para reduzir a eficácia do tratamento com alguns clientes. Um cliente que seja sobre qualquer
medicação para problemas emocionais devem ser cuidadosamente monitorizados, para que a droga pode ser reduzido
ou interrompido no momento adequado. Presumivelmente, como o material psicológico disfuncional é processada, a
ansiedade ou o depression é atenuada, reduzindo, assim, a necessidade de medicação para tratar o problema. Os
médicos devem processar os traumas apresentando novamente, depois que o cliente não está mais tomando a
medicação. Os médicos relataram que se um cliente é convidado a reaccess memória tratada após o medicamento ter
sido interrompido, ele pode voltar com aproximadamente 50% da sua perturbação associados. Por exemplo, um
trauma o combate inicial que foi dada uma classificação de 10 na escala SUD pode diminuir para um nível de pós-
tratamento 0 enquanto o cliente estiver em uso de medicação, mas uma vez que a medicação tenha desaparecido, a
memória pode eliciar uma classificação de 5. Esta regressão revela a presença de alguma disfunção residual no Estado-
dependente, um problema que contrasta com o tratamento estável efeitos normalmente encontrado com
nonmedicated pacientes. Por conseguinte, a necessidade de medicação deve ser avaliada cuidadosamente, com o
entendimento de que a sua presença irá provavelmente aumentar o tempo necessário para o sucesso do tratamento.
Transtornos Dissociativos utilizando EMDR processamento com transtornos dissociativos, especialmente disorder da
identidade de Dissociative (DID; conhecido antes do DSM-IV, o transtorno de personalidade múltipla, ou MPD), é
fortemente desencorajado sem estágio supervisionado em distúrbios dissociativos e os protocolos de emdr. Além
disso, os mais avançados procedimentos de terapia EMDR (descrita no Capítulo 10) são necessários devido à tendência
dos clientes desta população clínica têm dificuldade de reprocessamento da memória traumática completamente (ver
o EMDR Transtornos Dissociativos da Força-Tarefa no Apêndice E). Enquanto os distúrbios dissociativos constituem
uma seção separada no DSM-5, EMDR especialistas em conta como uma forma complexa de PTSD (Spiegel, 1993), em
que a vítima era tão grande que, para a sobrevivência, a memória global foi compartimentado para diferentes aspectos
da dor e perturbação e torna-se personalidade dissociativa dividido em mais Estados. Assim, a personalidade pode ser
conceituada como configurações de rede neural que servem como memória compartimentos (Braun, 1988; lanius &
Bergmann, 2014). Quando a terapia EMDR (ou outros tratamentos; por exemplo, hipnótica abreaction) tem resolvido
o material traumático, a necessidade para a compartimentação amnestic diminui, barreiras entre a personalidade
unidos dissolver, "co-consciência" aumenta, e a integração pode ocorrer. No entanto, é vital que uma fase de
tratamento orientado para ser usado (Sociedade Internacional para o estudo do Trauma e dissociação, 2011),
permitindo tempo suficiente para preparação e processamento de estabilização prévia ao trauma (Chu, Dell, van der
Hart, & Cardeña, 2011; Ross, 1997; van der Hart, Nijenhuis, & Steele, 2006). Os médicos relatam que,
comparativamente, uma rápida integração espontânea da personalidade unidos é observado quando EMDR terapia é
utilizado corretamente com distúrbios dissociativos (ver capítulo 11). No entanto, os clientes estão em grande risco se
a patologia é diagnosticada ou se o tratamento for tentada por um médico que não tem formação adequada em graves
transtornos dissociativos. Se um cliente com um transtorno dissociativo é tratada sem as garantias adequadas, o
direcionamento de memórias traumáticas pode resultar no cliente tendo dificuldade de reprocessar um alto nível de
afeto e sensações somáticas. Além disso, embora o material pode aparecer para chegar a uma conclusão bem sucedida
durante uma sessão, a sua ativação pode causar um elevado nível de perturbação por "afetar" bridging (no resto do
sistema de memória), um efeito que pode resultar na necessidade de internação hospitalar ou atendimento de
emergência entre as sessões. Além disso, há relatos de um número significativo de incidentes de personalidade não
unidos espontaneamente emergindo com o início do processamento de emdr, um fenômeno que pode ser devido à
estimulação ativa das redes neurais. Porque muitos médicos não são educados no tratamento de transtornos
dissociativos e grandemente subestimar sua prevalência, as salvaguardas adequadas deve ser sublinhado (ver Ross,
2015). Uma característica comum aos clientes não é uma história de muitos diagnósticos anteriores, porque eles não
são facilmente identificados. Portanto, o médico que pretendam iniciar EMDR primeiro deve administrar a escala de
experiências de Dissociative-II (DES-II; Carlson & Putnam, 1992) e fazer uma avaliação clínica detalhada com cada
cliente. Quando o DES pontuação está acima de 30, a aplicação de uma entrevista estruturada para o diagnóstico de
transtornos dissociativos, como a entrevista clínica estrutural para Distúrbios Dissociativos DSM-IV (SCID-D; Steinberg,
1994), é indicado (ver também Apêndice E). Um breve resumo será dada aqui de vários dos principais indicadores de
Fez. Observe que, embora a maioria dos clínicos não associar com lapsos de memória, os clientes podem não ter
consciência da sua amnésia e preencher as lacunas de memória, sem saber que ocorreram episódios dissociativos
(Putnam, 1989). Dentro de um padrão de exame do estado mental, os seguintes sinais clínicos deverá sugerir ao
entrevistador que o cliente pode ter um transtorno dissociativo: (1) intratável, sintomas somáticos inexplicáveis, (2)
problemas de sono, (3) flashbacks, (4) e Derealization Depersonalization Schneiderian, (5) sintomas (por ex., vozes,
sentimentos inexplicáveis), lapsos de memória (6), (7) várias internações psiquiátricas, e (8) vários diagnósticos com
pouca evolução do tratamento (ver também Ross, 2015; Van der Hart et al., 2006). Apesar de transtornos dissociativos
ter sido subdiagnosticado, cuidado deve ser tomado para não overdiagnose (Draijer & Boon, 1999). O EMDR
Transtornos Dissociativos diretrizes recomendadas da Força-Tarefa no Apêndice E oferece mais auxílio diagnóstico.
Em caso de dúvida, o médico é fortemente aconselhado a consultar o cliente para um especialista em distúrbios
dissociativos para uma avaliação completa. O planejamento do tratamento, como em qualquer forma de psicoterapia,
o fim da história, tendo sessões é para identificar o quadro clínico completo antes de tentar tratar o cliente. Durante
a fase inicial da história tendo em terapia EMDR determina a adequação do cliente para processamento do trauma, a
segunda fase identifica os alvos em potencial com a maior especificidade possível. Uma metáfora é útil imaginar a
apresentar a patologia a ser um bordo parafusado em cima do cliente. O médico do trabalho é remover a placa, a fim
de dar espaço para o crescimento do cliente. Em vez de martelar a bordo, é mais adequado para tentar identificar os
parafusos que precisa ser orientada. Assim, em uma maneira de falar, EMDR serve como uma ferramenta de poder
para remover esses parafusos mais rapidamente. Mesmo se dois clientes entrar terapia com a mesma queixa, suas
necessidades de tratamento podem variar muito. Os médicos devem determinar quais problemas devem ser
solucionados pela educação, resolução de problemas, ou de técnicas de gestão de stress, e que são baseados em
informação disfuncional que precisa de tratamento. Enquanto o EMDR pode ser usado para aumentar a assimilação
de novas habilidades, os padrões disfuncionais geralmente deve ser tratada em primeiro lugar. Por exemplo, se um
cliente solicita ajuda, porque de um casamento abusivo, a história de decisões terá de verificar o foco principal de
intervenção o EMDR. Se o cliente tornou-se recentemente o marido abusivo após um acidente de carro, o plano de
tratamento apropriado será claramente diferente do necessário caso o cliente tenha tido uma longa história de
relações abusivas que incluem um pai dominador. Enquanto que, no primeiro exemplo, o cliente pode exigir o
reprocessamento do abusivo de eventos que tenham ocorrido apenas no casamento, a existência de uma relação
normal antes do marido foi ferido em uma maneira que causou uma mudança de personalidade permite que o médico
a concentrar-se em fatores presentes, estímulos, e resolução de problemas. No segundo exemplo, o cliente e sua
história de relações abusivas characterological indica elementos que precisam ser especificamente abordada. Essa
observação não é nova na área da psicoterapia em geral. No entanto, neste caso, o plano de tratamento EMDR é
baseado, entre outras coisas, uma conclusão a partir da observação clínica de milhares de sessões de
reprocessamento, ou seja, que as experiências de abuso são, muitas vezes, diretamente responsáveis por
relacionamentos disfuncionais no presente. A associação entre disfunção actuais e anteriores incidentes (explorado
no Capítulo 2 no contexto do modelo AIP) tem sido apoiada pela investigação e é consistentemente demonstrada pelo
cliente durante o processamento de relatórios de sessões de emdr que tentam orientar o presente situações. A fim
de tratar os clientes com relacionamentos disfuncionais atual que têm uma história de abuso ou de série, suas
características generalizada (incluindo predisposições e comportamentos associados a crenças negativas) devem ser
identificados. Juntamente com os abusos que ocorreram no relacionamento atual, a touchstone eventos anteriores
(ou seja, precoce, papel auto-definição de incidentes) geralmente têm de ser orientados e reprocessados antes e
pervasive substanciais presentes alterações psicológicas e comportamentais pode ser esperado. Enquanto alguns
single-evento PTSD vítimas podem ser tratadas com emdr meramente visando a memória traumática, a maioria dos
clientes necessitam de tratamento mais abrangente. Este tratamento deve implicar o direcionamento seqüencial das
primeiras experiências touchstone, crítico, o presente situações que estimulam a disfunção, e comportamentos
alternativos que podem ser usados no futuro, para atender os objetivos da terapia. O médico deve tentar delinear a
apresentar queixa e seus antecedentes com tanta especificidade como possível. Enquanto a seguinte lista não é
exaustiva, ele fornece o médico com algumas diretrizes básicas (ver também o apêndice A). Para informar o seu
planejamento de tratamento, os médicos devem ter o cuidado de verificar o seguinte: 1. Os sintomas. Quais são os
comportamentos disfuncionais predominantes, emoções e cognições negativas? Quais são os sintomas específicos,
tais como flashbacks, pensamentos intrusivos, ataques de pânico, e comportamentos imprudentes? Quais são os
gatilhos atual e sua freqüência, horários, locais, e outras características? Vamos usar como exemplo o caso do cliente
que estava atualmente envolvido em um casamento que foi o mais recente de uma série de relações abusivas. O
médico determinou que a patologia primária foi definida pelo cliente, sentimentos de vergonha e impotência,
juntamente com a cognição "Sou inútil", que foram contribuindo para seu permanente atração por parceiros abusivos
e a sua incapacidade de afirmar-se. A anamnese revelou que sentimentos de pânico e memórias da infância o
espancamento ocorreu quando o marido da cliente agiu friamente, quando seu chefe ficou com raiva, quando ela teve
que afirmar-se com um armazenista, e assim por diante. 2. Duração. Quanto tempo a patologia tem sido aparente? O
que mudou com o tempo? O que ocorreram alterações nos factores que contribuem para a patologia? Em nossa
amostra, caso a patologia do cliente tivesse existido desde a infância, mas os ataques de pânico tinha aumentado em
número e intensidade nos últimos anos. Desde ter um bebê, o cliente sente-se mais vulneráveis e fora de controle. 3.
Causa inicial. O que foi a primeira ocorrência ou evento primário mais perturbador, modelagem, lição, e assim por
diante, que representa a gênese da disfunção erétil? Quais foram as circunstâncias, inclusive interacionais, sociais ou
sistemas de fatores familiares na época do primeiro evento? Uma pergunta é, "Quando foi a primeira vez que você
pode se lembrar de sentir esta maneira?" Em nossa amostra, caso o cliente foi o mais novo de três filhos. Ela foi
espancada por seu pai por infrações menores e foi intimidado pelos seus irmãos. O primeiro ataque de pânico foi
capaz de recordar ocorreu quando ela correu para sua mãe para assistência e foi afastado. Sua mãe acreditava que
seus irmãos" história e gritou com ela, "Espere até seu pai chegar em casa." 4. Ocorrências passadas adicionais. O que
outros incidentes foram instrumentais em influenciar ou reforçando a patologia? Que outras variáveis significativas
existem? Quem são os principais participantes? Quais as categorias de participantes, respostas inadequada, cognições
negativas, e assim por diante, são evidentes? Como poderiam ser os acontecimentos ou agrupados em cluster para
maximizar a generalização dos efeitos do tratamento? Os clientes podem ser solicitados a identificar suas memórias
mais perturbador 10. Eles podem ser encorajados a ler sua vida com uma atitude de interesse experimental, com o
terapeuta como um parceiro de reforço no exame. Descrevendo brevemente a 10 ou assim memórias geralmente vai
ajudar a definir os tipos de cognições negativas e experiências que têm de ser abordadas. Este é geralmente um bom
tempo para identificar um número igual de memórias positivas que podem ser usados para identificar pessoas e
experiências como recursos potenciais. Se o cliente não consegue identificar as memórias positivas e/ou fica
angustiado, isso é uma indicação de que a estabilização adicional pode ser necessária (ver capítulo 11 seção sobre
PTSD complexa). O cliente no caso de nossa amostra foi negativamente influenciado por múltiplos abusos e agressões
durante toda a sua infância; por sua dislexia, o que resultou em humilhações na escola; até uma data a violação, que
ocorreu durante a adolescência; e por suas experiências com uma série de namorados abusivas. Foi possível agrupar
as diferentes tipos de abuso e humilhação. "Clusters" são compostos de eventos que são semelhantes em uma
variedade de aspectos, tais como agressões verbais, pela mesma pessoa, ou tempos de ser abandonado pelo mesmo
pai. Pais, irmãos, três professores, e o agressor namorados foram orientados como os principais autores e os seguintes
cognições negativas foram identificadas: "Eu sou inútil", "Eu estou sujo", "Eu não estou no controle" e "Eu não posso
ter sucesso." Tais cognições apareceu no trabalho, nas relações sociais, e quando o cliente estava envolvido com
figuras de autoridade. Em outros casos, os clusters podem incluir incidentes semelhantes, tais como o fogo combate
experimentado pelos militares. Visando o mais inquietante esses casos geralmente resulta em uma generalização dos
efeitos de transformação positiva para as outras experiências no cluster. 5. Outras queixas. Que outras dificuldades
são encontradas? Que outras disfunções podem estar mascarados pela apresentação primária? Avaliar os domínios
pessoais e relacionais. No caso de amostra, dificuldades relacionadas ao trabalho e parentalidade inadequada pelo
Cliente (sua filha) tinha de ser abordada. 6. Apresentam restrições. Como o cliente é actualmente afectados? O que
são emoções disfuncionais ou comportamentos eliciados? Que ações o cliente é incapaz de tomar? Quais sistemas
questões (tais como família disfuncional ou estrutura social) precisam ser abordadas? O cliente em nosso exemplo foi
infeliz em sua casa e ambiente de trabalho e difundida tinha sentimentos de fracasso e baixa auto-estima. Ela não
poderia afirmar-se, sair de sua situação atual, ou oferecer suporte adequado para sua filha. Além disso, era evidente
que nem seus pais, nem seu marido gostaria que os comportamentos que resultariam de um aumento em sua
selfesteem. 7. O estado desejado. Como o cliente prefere ser agindo, aparecendo, sentimento e crença? O que,
especificamente, está impedindo que isso? Quais são as possíveis conseqüências de um tratamento bem sucedido?
Que experiências positivas existem na história do cliente? Embora o cliente em nosso exemplo, queria ser mais
assertivos e ter um maior sentido de auto-estima, ela foi constantemente bombardeados por memórias de abuso
anteriores e pelas emoções negativas desencadeadas por seu marido e seu chefe. Enquanto alguns de seus
sentimentos eram apropriadas para apresentar situações, sua intensidade foi agravado pela infância eventos; assim,
seus sentimentos muitas vezes sobrecarregado ao ponto de inércia. As potenciais consequências de um tratamento
bem-sucedido do cliente incluído concluindo que ela pode precisar de se divorciar de seu marido e encontrar um
trabalho pagando mais elevado para apoiar a si mesma e a sua criança. Compreensivelmente, a perspectiva de
levantar-se para si mesma desencadeou a cognição negativa "eu não pode ter êxito." Naturalmente, as questões de
ganho secundário existente teria de ser tratada em primeiro lugar. Em geral, no planejamento de tratamento, o
médico está tentando descobrir paralelos entre o passado e o presente, a fim de identificar padrões de respostas.
Tendo delineado o presente estímulos, cognições disfuncionais, emoções e comportamentos, o clínico deve isolar
alvos específicos, que podem variar de um cliente primeiras lembranças para a última experiência perturbadora. Os
planos de tratamento implica a consolidação de recursos e, em seguida, alvo (1) As primeiras memórias que definir as
bases para a disfunção, (2) apresentar os gatilhos que estimulam o material, e (3) respostas de futuro desejado (o
protocolo padrão é discutido nos Capítulos 3 e 8, enquanto considerações para tratamento de tept complexo são
apresentados no Capítulo 11). História - tendo a seguinte transcrição transcrição inclui seções de uma sessão de
tomada de história que envolveu o planejamento do tratamento. O cliente é um quem é vítima de abuso sexual na
terapia para aliviar as seqüelas da molestação. As anotações indicam a finalidade do terapeuta em particular pedindo
as perguntas e as respostas do terapeuta pretende prosseguir em sessões futuras. Terapeuta: o que te traz aqui?
Cliente: Eu tive pesadelos e sono realmente para contanto que eu pudesse recordar. Eu não lembre-se de não tê-lo, e
eu que o atributo de abuso sexual por meu tio quando eu tinha cerca de 5 anos de idade. Eu acho que é uma
combinação de que e meu pai é o que eu chamo de Incestuosa emocionalmente. Ele nunca me tocou ou algo do tipo,
mas realmente fez observações sexuais impróprios, coisas como essa. E minha mãe, na minha infância, sempre corri
um monte de raiva. Você nunca assista a estes filmes de treinamento por abuso infantil? E você sabe que quando o
pai ou a mãe que está prestes a atingir a criança começa a escalada? Foi esse nível de escalada, curto de bater, em
uma base diária. Assim é como o triple whammy. É tudo que completamente. Eu fiz um monte de terapia, eu fiz um
monte de meditação, e fiz toneladas de coisas realmente. Você sabe, 5 anos atrás, eu acordei apavorada 6 noites por
semana, e eu gostaria de dizer agora é mais como um distúrbio do sono. E tenho pesadelos muito ruim quando eu fico
estressada. [O terapeuta identifica a queixa principal como um distúrbio do sono. Alvos principais serão: o pai, a mãe
e o tio.] Terapeuta: Quantas vezes? [Terapeuta tenta estabelecer a frequência como uma linha de base.] Cliente: Eu
estava tentando pensar, porque eu pensei que você iria me perguntar isso. Depende do meu nível de estresse. Talvez
algumas vezes um o mês. Terapeuta: Quantos? Quatro, três? Cliente: em torno disso. Terapeuta: OK. A que você atribui
a resolução parcial, de modo que 5 anos foi 6 noites por semana e agora é apenas três vezes por mês? Cliente: Eu acho
que é uma combinação de tudo o que eu tenho feito. Eu faço um monte de escrever, desenhar, meditação, terapia, e
eu acho que havia um sentido 5 anos atrás do trauma sendo inconsciente e, portanto, a ser mais poderoso. E eu acho
que nesse ponto eu sou, bem, talvez eu esteja mais poderoso. Estou mais consciente de como o trauma me afeta e
como isso afeta meus relacionamentos com outras pessoas, então eu acho que é o que é levado a carga. Terapeuta:
o que trouxe mais consciência? Cliente: foi reprimido por 15 anos, de 5 a 20. Eu estava de férias, e descreve o evento
que ocorreu]. Na sequência do que eu lembrava; a memória voltou. E até mesmo para um par de anos na minha
própria terapia, eu não tinha certeza de que realmente tinha acontecido, porque quando você está 5 é como um
sonho, você sabe. E depois de um par de anos eu disse aos meus pais e descobriu que ele é abusado sexualmente na
maioria das mulheres da minha família. [Neste intercâmbio o terapeuta explora os parâmetros e as limitações de
memória e as tentativas para determinar se as condições garantirem um relatório formal.] Terapeuta: Conte-me um
pouco sobre o que você se lembra de quanto a molestação. [Terapeuta identifica um dos alvos primários.] Cliente: As
memórias são muito onírico. O que eu lembro é uma festa de aniversário e ele gosta de subir em cima de mim em
todos os fours com minha calça para baixo. Eu estava em um acidente de carro há cerca de 4 meses, e eu fui ficando
um monte de trabalho corporal, particularmente em torno desta área de minhas nádegas e quadris. Durante um par
de sessões que eu tinha mais memórias de ser pressionado e inserir algo em minhas nádegas. Eu não acho que foi um
pênis. Foi como se um dedo ou um objeto, ou algo assim. Terapeutas: Ok. Quaisquer outras memórias? Cliente: n°
Terapeuta: assim a uma memória depois, na festa de aniversário com ele subir em você, segurando-o para baixo, e
inserção de algo. Cliente: Foi duas memórias. A festa de aniversário foi um e, em seguida, sendo pressionado e colocar
algo em mim era como um outro. É como dois fragmentos. Terapeutas: Ok. Você tem alguma idéia de onde isso
aconteceu? [Terapeuta verifica a clareza.] Cliente: minha casa, a primeira. Lembro-me de que realmente claramente.
A minha casa onde eu cresci. Terapeuta: para a festa de aniversário ocorreu em sua casa? E a outra memória? Cliente:
Eu não sei. Terapeutas: Ok. Como velho era ele? Cliente: Provavelmente em seus trinta e poucos anos. Terapeuta: e
você foram cinco? Tudo bem. Então nós estamos olhando agora alguém em seus 60 anos, em torno de lá? [Terapeuta
define parâmetros de apresentar segurança para trabalho futuro.] Cliente: Sim. Terapeutas: Ok. Quando você diz que
você acredita que os pesadelos derivam de que, você poderia ser um pouco mais específico? Cliente: Bem, é sempre
homens atacando-me sexualmente. Terapeutas: Ok. Então eles são o mesmo sonho, os mesmos homens? [Terapeuta
tenta definir metas de imagens de sonho.] Cliente: Não, diferentes, mas com o mesmo tema. Terapeuta: Você tem
lembranças vívidas deles? [Terapeuta visa identificar alvos para processamento.] CLIENTE: O mais recente que eu tinha
não era realmente meu tio mas meu pai. E o sonho-este foi realmente um mau-ele foi masturbação e me usar como
uma fantasia de jack. Eu estava gritando no sonho para ele não fazer isso. Terapeutas: Ok. Cliente: normalmente é
ameaçada, e de acordar no quarto de alguém que vai me machucar, alguém invadir o apartamento. Terapeutas: Ok.
Cliente: um que eu tive como um miúdo que foi particularmente aterrador é um grupo de homens chegando na porta
me ameaçando com armas de fogo. Um era o meu pai. Meu pai trabalhava na garagem onde estava e que tinha um
mal duplo que foi mascarado como ele. E isso era terrível para mim como um miúdo. Terapeutas: Ok. Além dos
pesadelos que vai, de que outra forma você acha que pode ser afetada agora? [Terapeuta suscita outras queixas.]
Cliente: Bem, eu tenho este verdadeiro hypervigilance. Você sabe, é realmente difícil de acalmar. Eu tenho um monte
de problemas em minhas relações com os homens. Terapeuta: De que forma? Cliente: todas as maneiras.
Recentemente eu percebi que eu tendem a escolher os homens que são tipo de Sociopata, como meu pai. Muito
carismático, muito charmoso, muito atraente, que realmente não bond. Eles têm um caso com outra pessoa, eles
mentem para mim sobre isso. Geralmente os homens que são muito irritado e hostil e emocionalmente abusivo, eu
diria. Terapeuta: você está em um relacionamento com um agora? Cliente: Não! (Risos.) Terapeuta: Quando foi a
última? [Terapeuta procura um relacionamento que pode ser usado como um alvo.] Cliente: Eu tive um rompimento
em torno de 6 meses atrás. Foi um relacionamento de 8 meses e foi muito grave, e foi tudo que eu apenas descrito.
Ele disse que tinha caído no amor com alguém, e ele foi muito cruel. Que foi realmente devastador para mim, e eu
estou realmente um pouco mais agora. Terapeutas: Ok. O que sobre o relacionamento com seu pai agora? Cliente:
Menino, é difícil, porque, com o meu tio, posso cortar mais ou menos com ele. O meu pai foi a pessoa na minha família
que me alimentou, provavelmente mais do que qualquer outra pessoa. Sempre foi muito difícil para mim individuate
de meu pai, e como posso dizer isso?-ainda há uma grande quantidade de calor e carinho. Alguns anos há eu realmente
definir um limite em seu comentários sexuais e disse a ele que não poderia gastar tempo com ele, se ele fez isso, e ele
parou. [Apresentar relação com o pai vai ser alvejado.] Terapeuta: Você disse que os homens se lembrou de seu pai,
em termos de ser sociopata. Como é que se manifestam para você? Que sobre seu pai especificamente? Cliente: Bem,
depois de 25 anos, ele deixou a minha mãe, deixando uma nota e correndo para a Europa com sua namorada, e
realmente nunca parecia encontrar nada de errado com isso. Curiosamente, a minha mãe ficou na terapia um par de
anos antes e que começou a mudar. Começou a realmente entrar em sua própria queda e a raiva. Minha relação com
minha mãe é mais saudável do que nunca. Nós temos o material e processo de trabalho através de coisas. Ela ainda é
minha mãe; ela ainda me deixa louco, mas é uma relação de trabalho que eu tenho com ela. Terapeutas: Ok. O que
você tem a memória de seu pai, que representaria o seu sentimento de perturbação sobre ele? Cliente: Uma das
primeiras coisas que aparece em minha cabeça estava caminhando para fora da porta para ir a uma festa e meu pai
olhou para mim e disse, "Você tem muita maquiagem", e eu não tinha espelho. Havia um sentido de ele dizer, "não
crescer, não ser uma mulher, não ser, não ser sexual com outra pessoa." [Esta memória será alvejado.] terapeutas:
Ok. Cliente: Eu realmente não tinha pensado de que em cerca de 15 anos. Terapeutas: Ok. O que sobre em relação a
sua mãe? Cliente: a memória é de mim, literalmente de joelhos, gritando com ela para mim e me falou, dizendo: "O
que você quer que eu faça?" e ela não podia responder. [Esta memória será alvejado.] terapeutas: Ok. Que outras
relações ou memórias você tem que vir acima que reforçam o sentimento de não ser bom o suficiente ou a sua
impotência? [Questões de auto-estima e o controle serão orientadas e usado para cognições negativas e positivas.]
Cliente: Não é necessário ser família? Ele pode ser qualquer um em minha vida? Terapeuta: Tipo do top 10 no hit
parade. [Neste caso, as questões terapêuticas aparentemente claras; em outros casos, o terapeuta pode perguntar
para o mais perturbador 10 memórias, sem sugerir um tema cognitivas específicas.] Cliente: um deles é um homem
que eu dormi com alguns anos atrás. Estávamos prestes a ter relações sexuais, e ele disse-me na cama que eu apenas
não fique ligado. Que devastou-me. Eu não sei que iria devastar-me tanto agora, mas no momento em que ela
realmente fez. [Esta memória será alvejado.] Terapeuta: Você foi como velho? Cliente: Vinte e três, talvez. É durante
o último ano e meio que eu sou realmente chegar ao cerne de algumas dessas coisas. Terapeuta: o que mais reforçou-
lo? Cliente: o rompimento com este homem 6 meses atrás, e não é como qualquer instância específica, mas ele
realmente me tratar como se eu fosse o lixo de ontem. Terapeuta: existe alguma memória lá que iria representá-lo?
Cliente: De mim, dizendo: "Você me enganou", e ele disse, "Sim, você gostaria de pensar isso." E havia tanta hostilidade
em sua voz. [Isso pode ser orientada em função do nível de perturbação numa fase posterior do tratamento.]
terapeutas: Ok. Há mais maneiras que foi reforçado? Cliente: Sim. Há outra crença que tenho, também. Fazer um
compromisso para vir aqui trazidos de todos os tipos de coisas, como o que seria como perder meus pesadelos? Você
sabe, eu identificar com meus pesadelos. Me identifico com o meu trauma e meu humor, e uma crença que eu tenho
é que sou danificado para a vida. E que, em algum nível, a minha escolha de profissão, você sabe, e minhas relações
com os homens de tudo o que gira em torno da minha ferida e trauma. Terapeuta: E o que aconteceria se você não
foram danificados para a vida? [Terapeuta investiga os ganhos secundários e objetivos. "Estou danificados para vida"
também serão orientados a cognição como um negativo.] Cliente: Você sabe, eu tenho vislumbres do que isso. Eu
acho uma idéia que eu tenho é de ser mais-Eu sei é muito gerais, apenas sendo mais alegre. Sentindo como eu merece
o amor e as coisas boas que tenho em minha vida já. Ser capaz de ter mais coisas boas. Como um relacionamento
estável e saudável. [Estas declarações serão utilizadas terapeuticamente e transformada em cognições positivas.]
Terapeuta: Existem memórias específicas que você tem quando você sente que você foi ensinado que você não merece
o amor e você não merece coisas boas? [Estes serão orientados cognições negativas.] Cliente: Sim. A grande coisa que
eu tenho da minha mãe é que tinha de ser bonita. Assim, lembre-se … se eu estava olhando para esta hoje … veja esta
pequena coisa sobre minha calça aqui? O que seria uma hora de raiva. Que se eu não olhar perfeito, se eu não era
bonito, se eu era gordo, ela apenas se enfureceu-me como uma criança para ganhar 5 libras. E eu era um garoto magro.
Eu não entendo porque eu não tenho um distúrbio alimentar. Todas as outras mulheres da minha família. [A reação
da mãe será alvejado.] Terapeuta: Qual é a melhor realização que você sente que você tenha obtido fora de todos os
anos de terapia que você teve? Cliente: é só perceber que há uma razão que eu não tenho um bom relacionamento
com os homens. Ele nunca fez sentido para mim. Eu sou uma pessoa agradável. Por que estou tendo relacionamentos
maus? Tenho amizades maravilhosas. Como eu estou repetindo esses padrões que têm a ver com o meu tio, têm a ver
com a minha mãe, tem a ver com meu pai, e realmente ver como eu faço isso. Puxando-me para fora quando parece
que vai começar a acontecer. Eu estive namorando muito, e eu tropecei algumas vezes. Eu namorei um cara que era
como esse padrão, e é alternado muito rapidamente. Foi apenas algumas semanas ou algo assim. Terapeuta: Você
mencionou sentimentos ou pensamentos sobre não ser bom o suficiente ou impotência, ou seja danificado para a
vida. O sentimento de ter que ser perfeito - é que ainda há para você? [Terapeuta resume cognições negativas do
cliente e busca mais informações.] Cliente: é melhor. É ainda lá. Terapeuta: Que memória você tem que está conectado
com o que especificamente? É que grassava no 5 quilos? Cliente: Sim. Terapeutas: Ok. Quaisquer outras crenças que
você poderia dizer que foram executados, como a necessidade de ser perfeita, mas não ser bom o suficiente,
necessitando de ser bonito? Mais alguma coisa? Cliente: que realmente a única coisa que é importante sobre mim é
como eu olhar. Terapeuta: E o que que vai junto com a memória? [Terapeuta provoca uma memória, a fim de visar a
cognição negativa.] Cliente: Tudo. Bem, trata-se de memórias recentes, na verdade. Minha mãe saiu para uma visita,
e era sua constante atenção ao que eu estava comendo. Ela me levou às compras, e ela concentrou seus comentários
sobre o que uma bela figura que eu tive, mais do que qualquer outra coisa. Procura como uma coisa específica, como
como? Terapeuta: Sim, vamos dizer que havia um monte de mensagens que você teve na infância e além do que
estavam dizendo que você foi ou o que estavam sendo julgados por era sua aparência. Se você lhes cluster, se você
estava indo para dizer, "Bem, havia muito," você diria que você tem essa mensagem mais da sua mãe ou do seu pai?
Cliente: ambos. Terapeuta: de ambos. Tudo bem. Cliente: mais da minha mãe, como, "Você tem que ser bonito." Mas
você vê com meu pai foi mais sutil. Com o meu pai eu tinha que ser o tipo de mulher para se alimentando dele. Eu
tinha que ser tipo de sexualized para se nutrir de meu pai, e eu tinha que ser bonito para obter quaisquer traços de
minha mãe. Terapeutas: Ok. Então, o que você tem memórias no que diz respeito à necessidade de ser sexualized para
se nutrir? Cliente: eu lembre-se de ambos apenas estando ali e dizendo, "Oh, você está tão bonito." Eu era 10 anos ou
algo assim. Eu olhei em fotos de quando eu tinha 10 anos, e eu não era bonito. Eu estava realmente gawky e … mas,
você sabe, é o que foi para eles. E, como um adolescente meu pai ir sobre e sobre, por telefone, sobre como eu era
sexy. E como as pessoas, os homens em particular, foram, provavelmente, bom para mim porque eu era bonita. Eu
provavelmente estava fora do bilhete que o tráfego porque eu era bonita. [As memórias das reacções dos pais serão
usados como alvos.] Terapeuta: Em relação aos sonhos, qual foi o último sonho? Cliente: o último sonho era o sonho
de masturbação com meu pai. Terapeuta: e antes disso? Cliente: foi um outro com meu pai. Na verdade, os últimos
foram um pouco mais empoderada, aterrorizante. Eu estava namorando alguém, e ele não estava disponível. Eu
deveria passar a noite com ele e ele estava indisponível, e eu enrolado no mesmo quarto com meu pai para dormir.
Havia uma cama de casal, e havia flores lá ou algo assim. A outra parte do sonho eu me lembro está dizendo a ele que
eu acho que eu queria dormir na minha própria cama. Terapeutas: Ok. Você disse que os sonhos mais quando você
está estressado. O que é que faz com que você salientou? [Terapeuta tenta identificar estímulos presentes.] Cliente:
Eu estava namorando alguém, e ela começou a quebrar durante o mês passado. Nós ambos perceberam que ele não
estava indo para ir a qualquer lugar, e eu comecei começar os sonhos então. Se eu ver qualquer coisa na televisão que
tem a ver com alguém estar traumatizada, que traz para fora. Terapeuta: qualquer tipo de trauma em particular?
Cliente: trauma sexual. Terapeutas: Ok. Mais alguma coisa? Cliente: Eu acho que é muito bonito. Terapeuta: Quebrar
um relacionamento ou trauma sexual na TV? Cliente: Sim. Terapeuta: Como você descreveria o seu trabalho agora?
[Terapeuta examina os sistemas alternativos de queixas e problemas.] Cliente: meu trabalho. Bem, eu estou
trabalhando. Eu trabalho em um escritório grande], eu gosto. Terapeutas: Ok. Mais alguma coisa? Cliente: Não que eu
possa pensar. Terapeuta: se queremos continuar com o EMDR trabalho, como você vai saber que estamos a fazer? O
que vai fazer você decidir que você terminou? [Os objetivos o cliente unidos podem constituir medidas
comportamentais para posterior avaliação.] Cliente: Para ser capaz de dormir profundamente e de forma pacífica e
para realmente quebrar esse conceito que eu estou danificada pela vida e que eu não mereço o amor e eu não posso
tê-lo. Estar em um relacionamento saudável. Terapeuta: mais alguma coisa? Cliente: mais alegria na vida. Terapeuta:
mais alguma coisa? Cliente: n° Terapeuta: Quando você diz, "Eu não mereço o amor e eu não posso tê-lo", quando é
que vêm acima para você? [Terapeuta procura um alvo para a cognição negativa.] Cliente: Eu não acho que há
momentos em que foguetes em particular. Provavelmente quando eu estou muito estressado e eu estou trabalhando
muito e não começando bastante para trás. Certamente durante este último breakup. Terapeuta: Há mais alguma
coisa sobre os homens que você escolher além do fato de que eles dão sinais de não ser capaz de bond? [Terapeuta
explora problemas adicionais.] Cliente: eu pagar demasiada atenção a aparência. Quero dizer, se eles são bons, eu vou
sair com eles. Eu ignorar o resto. Outra coisa, também, é que eu sempre sei logo no início que é um erro. Minha
intuição é muito boa; isso é realmente intacto. É o seguinte, que tem sido um desafio para mim. Terapeuta: Dê-me
um run-through. Cliente: Com relação a este último, lembro-me de dizer a um amigo, "Você sabe, eu estou ficando
com esse cara, mas eu sei que ele é problema. Eu não vou me envolver com ele." E eu acabar em um relacionamento
de 8 meses. Não só eu acho que, eu disse isso em voz alta para outra pessoa. Quero dizer, o que poderia ser mais
claro? Terapeuta: Então, o que aconteceu entre a declaração e o tempo que você saiu com ele? Cliente: Ele veio como
gangbusters. Ele estava realmente sedutor, e o sexo era muito bom. E eu só fiz o que fazer; Eu apenas dei a minha
energia. Eu só realmente ir junto com este para obter este nutrir. Terapeuta: o que significa "dar seu poder"? Cliente:
Isso significa que eu não aja sobre o que são minhas percepções. É como o interior e o exterior perder qualquer tipo
de congruência. É como eu tenho a percepção e então eu ignorá-lo, e eu vou junto com a outra pessoa, a outra pessoa.
Terapeuta: Que sobre habilidades para estabelecer limites em termos de dizer: "Não, eu prefiro não" ou "eu quero
fazer isto", ou afirmar o desejo de fazer alguma coisa? Como você está em que nos relacionamentos? [Terapeuta
procura por comportamentos para ser alvejado.] Cliente: Às vezes, eu vou acabar tendo relações sexuais com um
homem quando eu sei que não se sente bem. Eu só vou empurrar através do sentido que ele não se sente bem.
[Terapeuta identifica este como um comportamento a ser alvejado.] Terapeuta: o que você ganha com isso? Cliente:
Nada. Mas é na sequência de um velho padrão; é o que há de mais familiar. Apenas ignorar, você sabe. Eu significo
crescendo rodeado por estas pessoas abusivas, o que eu poderia fazer, mas para ignorar minhas percepções? Era
muito doloroso, e eu não podia fazer nada sobre isso, de qualquer maneira. Terapeuta: o que outra pessoa, que não
o sexo, mesmo quando ele não se sente bem? Cliente: Eu estou realmente com a manutenção, e às vezes eu só vou
dar e dar e dar, em vez de dizer, "é o seu problema; você lidar com isso." [o terapeuta identifica este comportamento
como um alvo potencial se é ainda problemático numa fase posterior da terapia.] Terapeuta: Como sobre auto-nutrir?
[Terapeuta é a verificação de sinais evidentes de auto-destrutividade ou instabilidade.] Cliente: faço muito isso. Eu já
tinha essa lesão nas costas, mas eu realmente gostaria de exercer um lote e caminhar e tomar muitos banhos quentes.
Esta transcrição indica que o cliente está a sofrer de distúrbios do sono e baixa auto-estima. Cognições negativas
associadas a revelar sentimentos de inutilidade e falta de controle. O cliente auto-avaliações negativas parecem ser o
resultado de molestação precoce, bem como disfuncional relações pai-filho. Estas dificuldades foram em parte
responsáveis por uma série de auto-destrutivo e relações abusivas na idade adulta. Incidentes diretamente
relacionadas com o cliente é a falta de auto-estima será reprocessada durante a fase inicial da terapia. Estes incluem
a infância anteriores incidentes envolvendo seu pai e mãe, bem como uma série de interações mais recente que
reforçou os seus sentimentos de ser inútil e danificado. Pesadelos específicas directamente relacionadas com
sentimentos de medo e emoções equivocadas relativas aos homens em sua vida também vai ser alvejado. Avaliação
terapêutica semelhante, realizado na base de uma história tomada em uma profundidade equivalente ao revelado
pela transcrição acima, seria necessário se o cliente tinha apresentado um distúrbio alimentar ou problema de abuso
de substância que precisa ser abordada diretamente, pois são utilizados protocolos EMDR específicos para essas
condições. Além de identificar efeitos de experiências de vida, é importante para os clínicos para identificar
experiências positivas o cliente teve a fim de facilitar a transformação e preparação. Modelos positivos e
counterexamples auxiliar no processamento de abertura bloqueada (Capítulo 10) e fornecer aos clínicos uma indicação
da história clínica completa. Os clientes que são incapazes de identificar experiências positivas e outros significativos
geralmente precisam de um longo tempo de preparação e uma maior dependência do relacionamento terapêutico.
Uma ampla variedade de aids pode ser usado para aumentar o processo historytaking de base, incluindo o inventário
multimodal da história de vida (Lazarus & Lazarus, 1991), análises funcionais (Smyth & Poole, 2002), o genograma
(Friedman, Krakauer, & ROHRBAUGH, 1988; McGoldrick, Gerson, & Petry, 2008), o inventário de Self-Capacities
alterados (Briere, 1996), os efeitos das experiências da infância (ACE) Estudo (Felitti et al., 1998), questionário (ver
Apêndice A) e questionários de esquema (Young & Brown, 1994). Todos os padrões de resposta negativa no presente
são investigados e rastreados de volta para alvos anteriores à transformação perguntando: "Quando você se sentiu
assim no passado? O que é a primeira experiência que você pode se lembrar quando você se sentiu assim?" Se nada
vem à mente, a técnica "Floatback" (Jovens, Zangwill, & Behary, 2002) pode ser usado. Pedir ao cliente para recordar
a recente experiência perturbadora, identificar a cognição negativa, e observe as sensações físicas associadas. Depois,
instruí-lo: "Agora segure a imagem e opinião negativa na mente, e observe as sensações em seu corpo, e apenas deixe
sua mente flutuar de volta para um momento anterior e diga-me a primeira cena que vem à mente quando você se
sentiu assim antes." Se não emergem das experiências da infância, a influência técnica de scan (Shapiro, 1995b) pode
ser usado: "Como vocês trazem a recente experiência perturbadora de ______, observe as emoções que você está
tendo agora e observe o que você está sentindo no seu corpo. Agora, vamos ler sua mente de volta para um momento
anterior, quando você pode ter se sentido desta maneira antes e apenas observar o que vem à mente." As memórias
que emergem com essas técnicas são indicadas para potenciais alvo. Uma vez que a anamnese é concluída, os ganhos
secundários têm sido abordadas e estabilização adequada tenha sido atingido, o processamento pode ser iniciado de
acordo com o sintoma do cliente imagem (ver também os capítulos 8 e 11). No entanto, devido ao efeito de
generalização, nem toda a memória precisará separar o processamento. Na maioria dos casos, (1) memórias não antes
da idade 4 ou 5 deve ser selecionado para o processamento inicial; (2) Infância eventos devem em geral ser tratadas
antes de adolescente ou adulto memórias, porque são as memórias do alimentador para aqueles que seguem; (3) Os
fragmentos de memória, especialmente aqueles com armazenamento somatossensorial, principalmente, devem ser
deixadas até que depois de todas as memórias são lembrados/contidas; (4) verifica-se que menos de duas dúzias de
memórias geralmente precisam ser tratados para eliminar a maior parte do óbvio disfunção atual; e (5) o resto dos
eventos passados e a segunda (presente) e terceiro (futuro) pinos do protocolo deve ser concluída (ver Capítulo 8)
para tratamento abrangente e estável. Geralmente, a terapia não deve ser considerada completa, até que todas as
memórias perturbadoras, triggers e déficits foram avaliados para o adequado processamento. EMDR terapia pode ser
usado especificamente para tratar o sintoma perfil, mas os médicos são aconselhados a permanecer conscientes de
todo o quadro clínico, de forma abrangente, a lidar com todo o histórico do cliente (ver Capítulo 8). Os clientes podem
oferecer apenas uma descrição parcial de seus sintomas ou traumata por causa de uma falta de clareza sobre as
possibilidades que existem para um highfunctioning individual. Como observado anteriormente, características de
personalidade são enraizadas em memórias anteriores que deixaram o cliente em "criança" perspectivas e afetar
estados. Por isso, muitas características disfuncionais são egosyntonic para o cliente que não tem o desenvolvimento
adulto e perspectiva. A transformação de todas as memórias disfuncionais podem, portanto, servir uma função útil e
não precisa levar anos, devido à capacidade de cluster e a generalização do efeito do tratamento. No entanto, embora
afeta positiva e comportamentos surgem automaticamente para posterior processamento, memória para otimizar o
processamento de efeitos, deve incluir a introdução de novos comportamentos e relações sociais positivas. Portanto,
qualquer deficiência de formação e experiência devem ser avaliados para futura correção. Prática supervisionada Os
instrutores podem desejar para supervisionar os alunos na prática de exercícios de história e a conseqüente revisão
de planos de tratamento. A seleção é apropriado para o cliente como uma parte vital do tratamento do cliente e a
segurança que os instrutores são encorajados a testar os conhecimentos dos alunos sobre os indicadores para o
cuidado e a exclusão. O cliente listas de verificação no Apêndice A, pode ser útil para essa finalidade. Resumo e
conclusões EMDR terapia é uma abordagem altamente interativo clínico que exige sensibilidade e flexibilidade. É
essencial que a seleção do cliente ser conduzida corretamente devido à natureza do material dissociado por resolver,
que podem emergir espontaneamente durante o tratamento e a intensidade da experiência emocional que pode ser
gerado. Portanto, o clínico deve usar apenas processamento EMDR com clientes que têm estabilidade suficiente e
condições de vida adequadas para lidar com possíveis respostas e do abreactive afeta angustiantes que podem surgir
entre as sessões terapêuticas. Segurança cliente exige que o médico avaliar tais fatores terapêuticos como a relação
clínica; condições de vida, incluindo legais e necessidades de relacionamento; questões de estabilização, incluindo
internação e medicação; diagnósticos de dupla; limitações físicas; e a capacidade do cliente para utilizar os
procedimentos de relaxamento. A triagem adequada para distúrbios dissociativos também deve ser feito antes de
tentar EMDR (veja Apêndice E). Em geral, a prática clínica, EMDR transformação não deve ser aplicado na ausência de
uma adequada história do cliente, uma relação de clínicas que inclui o rapport e conforto do cliente, cliente adequada
de recursos, e um plano de tratamento. O plano de tratamento deve identificar alvos específicos, incluindo aspectos
de ganho secundário, que deverão ser abordados sequencialmente. Para a maioria dos clientes, é útil para identificar
os 10 mais perturbadoras lembranças de infância, e avaliar toda a gama de experiências de vida adversas que podem
estar contribuindo para menos de um melhor funcionamento. Essencialmente, o clínico deve avaliar todo o quadro
clínico do passado lembranças que definir a patologia em movimento, as pessoas presentes e situações que estimulam
a disfunção, e os componentes necessários para um modelo adaptativo, positivo para a acção futura. A menos que os
sintomas, fatores contribuintes, e da linha de base da disfunção são devidamente avaliados, eficácia clínica será
limitada. O emdr abordagem não é uma sessão de terapia, e o médico deve ter uma visão clara das áreas de problema
do cliente e a seqüência em que devem ser visados. Uma variedade de aids clínica estão incluídos no Apêndice A para
ajudar na anamnese, planejamento de tratamento, selecção e cliente. Capítulo 5 dois e três fases de preparação e
avaliação, não importa quão devagar você vá, desde que você não pare. -Confúcio depois de tomar um cliente
completo história e concluir o planejamento do tratamento, o médico precisa definir o cenário para o
reprocessamento. Preparação do cliente envolve o estabelecimento de uma relação terapêutica segura, explicando
em pormenor o processo e os seus efeitos, e abordar as preocupações do cliente potencial e necessidades emocionais.
Avaliação determina os componentes da memória de destino e a linha de base medidas de reações do cliente para o
processo. Este capítulo complementa as informações sobre os componentes individuais de terapia EMDR já descrito
no capítulo 3 e explora como trabalhar com estes componentes. Para ambas as fases contempladas no presente
capítulo, vamos começar com uma discussão do ponto de vista clínico e o tipo de informação que os médicos
encontraram útil para se comunicar com os clientes. Em seguida, texto de amostra é sugerida para algumas instruções
específicas o médico dará ao cliente. Eu, em seguida, Rever possíveis reações do cliente e estratégias clínicas
alternativas para ajudar o cliente com conforto. Fase Dois: PREPARAÇÃO A fase de preparação define o quadro
terapêutico e adequado nível de expectativa para o cliente. Preparação do cliente para lidar com a perturbação que
possa surgir em EMDR processamento é crucial. Antes de iniciar a fase de preparação, os médicos devem estabelecer
o bom terreno (como definido no capítulo 4); isto é, eles devem ter um histórico de cliente apropriado, determinar
que o cliente é adequado para o processamento de emdr, preparar um plano de tratamento, e formular um plano de
ação para solucionar quaisquer problemas de ganho secundário que podem evitar que os efeitos do tratamento.
Tendo feito isso, o médico deve preencher alguns passos antes de começar a usar os estímulos bilaterais em qualquer
material perturbador. Como discutido no Capítulo 1, o comportamento de fuga é considerado tanto parte da patologia
e uma das razões é mantida. As etapas discutidas nas seções a seguir permitem ao cliente acessar o material
traumático para transformação e definir um quadro terapêutico que vão promover a exposição interrompida durante
a dessensibilização e reprocessamento completo. Adotando uma postura clínica desde EMDR terapia é altamente
interativo e centradas no cliente, exige flexibilidade por parte do médico. Durante todas as interações e a utilização
dos procedimentos o médico deve ser finamente sintonizados com as necessidades e características específicas do
cliente e preparado para ajustar e mudar de direção, se necessário. O médico deve ser uma atitude de respeito e de
alojamento sobre a necessidade do cliente para a segurança e a tranquilidade. O médico do trabalho é facilitar o
processo de auto-cura. Qualquer aids inespecíficos para este fim (incluindo maneiras de facilitar o vínculo terapêutico
e comunicar apoio incondicional e respeito) irá aumentar a eficácia terapêutica. Como com qualquer modalidade de
tratamento, os procedimentos utilizados em EMDR terapia deve interface com habilidades clínicas, e não substitui-
las. A formação de um vínculo com o cliente, o clínico deve estabelecer um relacionamento com o cliente, que inclui
uma firme aliança terapêutica, um reconhecimento de metas comuns, e uma compreensão da necessidade de uma
comunicação honesta. A menos que o cliente e o médico têm estabelecido um nível suficiente de confiança, EMDR
tratamento não deve ser iniciado. Os clientes devem sentir que eles estarão protegidos durante o processamento e
que, em última análise, eles estão no controle. Isto pode ser feito somente se uma atmosfera de segurança e confiança
é estabelecida durante as sessões iniciais. Atingir este nível de afinidade pode levar muitos meses com alguns clientes;
para outros, será uma questão de uma ou duas sessões. Independentemente de quanto tempo leva de colagem, EMDR
transformação não deve ser tentada sem ele, ou o cliente pode quebrar durante um tratamento abreaction, recusar-
se a continuar e, talvez, a terapia encerrar completamente. O médico deve certificar-se de que o cliente entende a
importância, durante e entre as sessões, da "verdade". Se o cliente informa falsamente o médico que a perturbação
emocional é reduzida (a fim de "fazer o certo", por favor, o terapeuta, ou talvez para terminar o tratamento), há uma
boa possibilidade que entre sessões de perturbação, vai aumentar, e o cliente pode estar em risco sem o apoio
adequado. Porque o desejo de muitos clientes para o terapeuta, é importante transmitir ao cliente que o médico
deseja um relatório preciso, independentemente da sua natureza, mesmo se o cliente deseja parar. O médico deve
dizer algo como o seguinte: "Tudo o que você precisa fazer é dizer-me a verdade sobre o que você está enfrentando
para que eu possa fazer a escolha correta. Só me dê feedback precisas sobre o que está acontecendo. Além disso, você
é o único no controle. Se você precisar parar, apenas deixe-me saber. Apenas me diga o que está acontecendo para
você." explicando a teoria, o médico deve fornecer clientes com uma compreensão geral do emdr teoria em linguagem
compreensível. Para a maioria dos clientes, uma breve descrição, tal como a seguinte declaração, será suficiente:
"Quando ocorre um trauma, parece ficar preso no cérebro." Além disso, os clientes devem ser informados de que esta
informação "bloqueado" começa frequentemente desencadeada por uma variedade de lembretes e é responsável por
suas freqüentes sentimentos de desamparo, desesperança, medo, e assim por diante. Os clientes parecem responder
bem a esta descrição, porque sua própria experiência é muitas vezes um sentimento de que algo está trancada dentro
deles. Por exemplo, cliente idioma muitas vezes transmite sentimentos de ser "preso" ou "preso." Oferecer aos
clientes esta explicação também ajuda a remover o senso de vergonha e culpa se sentem muitas vezes por ter sido
incapaz de agitar seus sintomas. Colocando a culpa no armazenamento do cérebro, em vez de no cliente, é muitas
vezes um passo libertadora em sua própria direita. O médico deve informar ao cliente que os movimentos oculares
aparecerá para permitir que a informação a ser desbloqueado e transformados, talvez de forma semelhante ao que
ocorre durante o sono REM, e que, utilizando os movimentos oculares enquanto acordado permite que a informação
negativa a ser descarregados do sistema nervoso em uma forma mais concentrada. Os médicos podem usar uma
explicação como a seguinte: "Muitas vezes, quando algo acontece traumática, parece ficar preso no cérebro com a
foto original, sons, pensamentos, sentimentos, e assim por diante. Desde a experiência é bloqueado, ele continua a
ser desencadeada sempre que um lembrete vem acima. Ele pode ser a base para um monte de desconforto e, às vezes,
um monte de emoções negativas, como medo e impotência, que não consigo controlar. Estas são realmente as
emoções conectadas com a antiga experiência que estão sendo disparado. "Os movimentos oculares que usamos em
EMDR parecem desbloquear o sistema e permitir que o seu cérebro para processar a experiência. Que pode ser o que
está acontecendo em REM, ou movimento rápido dos olhos, sono, quando nosso sonho mais intenso ocorre: Os
movimentos oculares parecem estar envolvidos durante o processamento do material inconsciente. "A coisa
importante a lembrar é que seu próprio cérebro que estará fazendo a cura e que você é o único no controle." testando
os movimentos oculares é útil para os clínicos para testar a capacidade do cliente para fazer os movimentos oculares
antes visando perturbar qualquer material. Usando movimentos dos dedos, de acordo com as instruções no capítulo
3, os médicos devem perguntar aos clientes siga os movimentos e a dar feedback sobre como é confortável a fazer. O
médico pode experimentar para encontrar o mais confortável distância dos olhos do cliente em que para manter seus
dedos e pode então determinar se o cliente é capaz de executar movimentos dos olhos em várias direções. A direção
o cliente encontra muitas vezes é mais fácil, o mais bem sucedido durante a fase de processamento. Os médicos
também devem experimentar com diferentes velocidades de movimento do olho em cada direção. A maioria dos
clientes parecem preferir uma taxa rápida, e ele aparece para produzir os mais significativos os efeitos do tratamento
(ver capítulo 12). Os médicos devem tomar notas se observar quaisquer dificuldades durante estes exercícios ou se os
clientes relatar quaisquer problemas, incluindo dores de cabeça, com um determinado sentido (neste sentido devem
ser evitados durante o processamento real). Se o cliente não é capaz de seguir os dedos do médico em um
rastreamento de movimento, o médico deve experimentar com as duas mãos e com abordagem de estimulação
auditiva ou tátil (descrito no capítulo 3). Este é um bom momento para dizer ao cliente que se ela precisa parar durante
o processamento, ela pode segurar sua mão como um sinal, ou gire a cabeça. Isso dá ao cliente um maior senso de
controle, e é um elemento importante para o conforto e segurança do cliente. Se um cliente dá a qualquer um desses
sinais, o médico deve parar imediatamente, encontre para fora o que é a dificuldade, e satisfazer as necessidades do
cliente antes de continuar. Ignorando o sinal do cliente será antitherapeutic e pode causar uma quebra de confiança.
Esta fase de testes fornece a oportunidade de experimentar com os movimentos oculares, avaliar as dificuldades, e
determinar o método de sinalização. O médico pode, por exemplo, dar as seguintes instruções: "vamos experimentar
com os tipos de movimentos dos olhos que usamos. Se você encontrá-los, apenas desconfortável segurar sua mão
como este [demonstrar] ou gire sua cabeça para me deixar saber. Lembre-se, eu só preciso de comentários precisos
sobre o que você está experimentando. "Como eu segurar meus dedos até [demonstrar], apenas concentrar-se. Esta
é uma distância confortável? [Ajustar para o conforto do cliente] Bom, agora basta seguir meus dedos com os seus
olhos." Criar um cofre/lugar calmo no Capítulo 4, o médico foi orientado a utilizar uma série de técnicas de
relaxamento, terapia de emdr com potenciais clientes durante a fase de tomada de história e um plano para iniciar a
transformação apenas com aqueles clientes que responderam favoravelmente. Algumas das muitas técnicas de auto-
controle são explicados no Capítulo 9. No entanto, eu descrever nesta seção um exercício que pode ser
particularmente útil para tranquilizar o cliente que ele pode rapidamente recuperar a sua estabilidade emocional
durante qualquer perturbação. O exercício é especialmente útil para um cliente que não pode relaxar porque sente
uma necessidade de permanecer vigilantes, uma necessidade que pode ter sido condicionado durante episódios de
abuso sexual ou em combate. Os participantes com TEPT em um estudo de EMDR (Wilson et al., 1995) relataram que
este exercício foi particularmente útil para eles, nós agora sugerimos que alguma variação (com um efeito positivo
relevante) seja usado com todos. Ele também serve para configurar uma primeira associação positiva com a utilização
dos movimentos oculares. O 8-passo "Seguro/Lugar calmo" exercício foi inicialmente recomendados por Neal Daniels
(comunicação pessoal, 1991), com base em seu trabalho com os veteranos de combate. É uma variação de uma das
visualizações guiadas incluídas na redução do estresse gravação "Deixar ir de estresse" (Miller, 1994), que também
pode ser utilizado como um recurso. O cliente deve ser instado a praticar o exercício da Safe/Lugar calmo EMDR
diariamente antes do início da transformação. Essa prática pode aumentar a eficácia do exercício como uma técnica
de auto-controle. O objetivo é que o cliente para criar um lugar seguro em sua imaginação antes do processamento.
Este oásis emocional pode ser usada para um descanso temporário durante o processamento, como um auxílio para
encerrar a perturbação, a fim de encerrar a sessão, e como uma maneira de lidar com o material perturbador que
podem surgir entre as sessões. O médico deve permitir que o cliente complete margem de manobra na identificação
de um refúgio pessoal e devem com cuidado avaliar a reação do cliente. Alguns clientes tentar usar uma imagem que
é popularmente associado a sentimentos de paz, mas é justamente o oposto para eles, porque é associada a um
evento traumático. Por exemplo, um cliente pode tentar imaginar uma bela praia e ignorar a ansiedade gerada pela
lembrança de ser assaltado perto do oceano como uma criança. Obviamente, neste caso, o cliente deve encontrar
outro lugar seguro. O 8-passo exercício é como segue (consulte o Capítulo 9 para obter instruções de palavras
sugeridas): Etapa 1: Imagem. O médico e o cliente identificar a imagem de um lugar seguro em que o cliente pode
facilmente evocar e que cria uma sensação de paz e segurança. Para os clientes que não são capazes de se sentir
seguro por causa da natureza de seu trauma (por exemplo, abuso sexual ou combate), o melhor é identificar e
concentrar-se em um lugar que lhes permite sentir a calma. Se nenhum desses estados são acessíveis e, em seguida,
identificar um outro sentimento positivo (por exemplo, seguro, pacífico, repousante e agradável). Passo 2: emoções e
sensações. O médico pede ao cliente para focar a imagem, sentir as emoções, e identificar a localização das agradáveis
sensações físicas. Etapa 3: Melhoria. O médico pode usar tons suaves para melhorar as imagens e efeitos. Ele deve ter
o cuidado de transmitir uma sensação de segurança e de segurança para o cliente, que é solicitado a relatar quando
ela sente as emoções. Passo 4: movimentos oculares. A resposta positiva é ainda ampliado para incluir uma série de
movimentos oculares. Uma rápida estimulação bilateral (SBV) emparelhado com o desenvolvimento da Safe/Lugar
calmo pode ocasionalmente ser ativando e trazer associações negativas. Em vez disso, use BLS, lento ou omitir SBV e
siga as seguintes etapas processuais. O médico deve dizer, "Trazer a imagem de um lugar que se sente tranquila e
segura [ou] calma. Concentrar-se sobre onde você sente o agradável sensações em seu corpo e permita-se desfrutar
delas. Agora me concentrar nas sensações e siga meus dedos com os seus olhos." conjuntos são mantidos lento e
curto, de quatro a oito movimentos cada. No final do set, o médico pede ao cliente, "Como você se sente agora?" Se
o cliente se sente melhor, o médico deve continuar o define enquanto o aumento de sentimentos positivos. Se as
emoções positivas do cliente não tenham aumentado, o médico deve tentar a estimulação tátil ou repetir sem
estímulo até que o cliente relata melhora. Se sentimentos de que são negativos, identificar outro calmo ou experiência
segura para o destino. Passo 5: palavra Mestra. O cliente é solicitado a identificar uma única palavra que se encaixa na
imagem (por exemplo, "relaxar", "praia", "montanha", "árvores") e para ensaiar mentalmente, como sensações
agradáveis e um sentimento de segurança emocional são percebidos e realçados pelos sentidos do médico. Este
procedimento é repetido 4 a 6 vezes se o afeto positivo reforça, junto com outros movimentos oculares. Passo 6: Auto-
cueing. O cliente é então instruído para repetir o procedimento no seus próprios, trazendo a imagem e a palavra e
experimentar os sentimentos positivos (ambas as emoções e sensações físicas), sem quaisquer movimentos oculares.
Quando o cliente tem repetido com sucesso o exercício independente, o médico aponta como o cliente pode utilizá-
lo para relaxar durante momentos de estresse. Passo 7: Cueing com perturbação. Para enfatizar o ponto anterior, o
médico pede ao cliente para trazer um pequeno aborrecimento e observe os sentimentos negativos que acompanham.
O médico, então, orienta o cliente através do exercício até que os sentimentos negativos se dissipar. Passo 8: Auto-
cueing com perturbação. O médico pede ao cliente para trazer um pensamento perturbador, uma vez mais, e a seguir
o exercício, desta vez sem a assistência do médico, ao seu relaxante conclusão. Uma vez que este exercício tenha sido
concluída, o médico deve orientar o cliente para praticar em casa todos os dias, por chamar a sentimentos positivos e
de palavra e imagem, enquanto ela usa um CD de relaxamento ou realiza algum outro exercício de relaxamento (por
exemplo, aqueles examinados no capítulo 9). Os clientes podem então usar a técnica para simples relaxamento e
redução do stress. Finalmente, antes de qualquer sessão de processamento de emdr, o clínico deve dizer ao cliente,
"Lembre-se, este lugar seguro está sempre disponível para você. Apenas deixe-me saber se você precisa de voltar a
ele a qualquer momento." O médico deve, ocasionalmente, usar os movimentos oculares para reforçar a segurança
do local. Isso também mantém uma associação positiva com os movimentos oculares. Às vezes os clientes,
especialmente em casos complexos, necessitam de ter acesso a outros afeta positiva, a fim de envolver-se em
processamento. Nesse caso, as situações de "coragem" ou "força" ou qualquer outro necessário afectar pode ser
substituído neste exercício. Consulte o Capítulo 9 para um protocolo de construção de recursos adicionais. Descrever
o modelo o médico deve lembrar ao cliente que apenas como sentimentos positivos estão disponíveis para ele, assim
também são os sentimentos negativos de antigas memórias armazenadas em seu cérebro. Quando o cliente traz o
lugar seguro, ele experimenta os sentimentos agradáveis; quando ele traz as velhas memórias, ele irá experimentar
os sentimentos perturbadores. Pode ser útil para explicar aos clientes que o cérebro tem armazenado a preocupante
evento em uma rede de memória em uma maneira que isola-o e impede-o de se conectar com a informação mais útil
e adaptável, e que quando EMDR processamento inicia-se, as conexões são feitas. Além disso, a fim de explicar como
outros materiais perturbadores do passado podem surgir inesperadamente e como pode ocorrer a resolução, o
médico pode desenhar um diagrama que mostra como redes de memória pode se conectar, por exemplo, um
diagrama semelhante ao da Figura 5,1 e, em seguida, dar uma explicação, tais como as seguintes: "perturbar os
eventos podem ser armazenados no cérebro em uma rede de memória isolada. Isto impede a aprendizagem. O
material antigo simplesmente continua ficando disparado repetidamente outra vez. Em outra parte de seu cérebro,
em uma rede separada, é a maioria das informações que você precisa para resolver o problema. É apenas impedido
de ligar para as coisas antigas. Uma vez que iniciar tratamento com emdr, as duas redes pode se conectar. Novas
informações podem vir à mente e resolver os velhos problemas." Figura 5,1. Objectivo separado e redes adaptativas.
O médico, então, indica, em um diagrama semelhante a Figura 5,2, como as duas redes são ligados. Figura 5,2.
Conectado alvo e redes adaptativas. Os clientes também devem ser informados de que, quando este material
perturbador é desbloqueado e permitiu ao processo, o reservatório de emoções negativas é drenado junto com ele.
Esta explicação, muitas vezes, dá ao cliente a coragem para persistir através das intensas emoções que podem surgir
durante o tratamento. O cliente deve ser informado de que, independentemente de como as emoções perturbadoras
podem ser como eles vêm para cima, "nada de negativo está sendo colocado." Em vez disso, ele está sendo deixado
para fora. O cliente pode ser capaz de ver que, em vez de "morrer mil mortes" todos os dias, ela pode ser libertado
por uma experiência de transformação. O cliente precisa saber que as sensações desagradáveis que podem surgir
durante o tratamento são simplesmente um sinal do material antigo, deixando o cérebro. Pode ser útil usar a analogia
de condução através de um túnel mal iluminado. Se o motorista deseja velocidade através do túnel, então ele deve
manter o pé no acelerador. Se ele tira o pé do acelerador, o carro vai abrandar e meramente costa. Em EMDR
processamento, os movimentos oculares (ou outros estímulos) parecem ser como o acelerador. Se o conjunto é
autorizado a continuar, o processamento pode ser acelerada e as desagradáveis sensações ou emoções podem ser
passados através de rapidamente. Se os movimentos oculares são interrompido prematuramente, no entanto, as
sensações desagradáveis será mais experientes. (Embora as outras formas de estimulação pode ser usada nestas
circunstâncias, bem, eu prefiro os movimentos oculares, quando possível, a fim de acompanhar a dupla consciência
do cliente, que é mantida pelas seguintes a mover os dedos.) Naturalmente, os clientes devem ter a certeza de que se
eles querem parar por um momento, tudo que precisa fazer é dar o sinal. Descrição do clínico do modelo de
tratamento EMDR deve incluir a garantia de que apesar de sensações e emoções desagradáveis podem surgir durante
o tratamento EMDR, elas são causadas apenas pelo processamento das memórias antigas e atuais não apresentam
perigo. É útil para dissipar a apreensão do cliente para dizer algo como, "Só porque você sente medo não significa que
há um tigre real no quarto." O médico deve dar essa orientação em uma maneira que é nutrir e reconfortante e em
nenhuma maneira dismissive. O nível de medo e vulnerabilidade que podem surgir para o cliente pode ser
extremamente alta, e esta experiência não deve ser minimizado ou banalizada. No entanto, os médicos a necessidade
de reforçar a sua capacidade de suportar clientes, bem como observar, suas emoções sem tentar bloquear ou escapar
deles. Para avisar o cliente de que é contraproducente, o médico pode dizer o seguinte: "Apesar de imagens
desagradáveis, sensações, emoções ou podem vir acima como fazemos os movimentos oculares, você pode parar o
processo quando quiser simplesmente levantando a mão como este [demonstra a ação]. É melhor para permitir os
movimentos oculares para continuar tão por muito tempo como possível, mas se as coisas se sentir muito áspero, nós
podemos parar e você pode descansar. A idéia é que se você quiser através de um túnel escuro rapidamente,
mantenha o pé no acelerador. Se você tirar o pé, o carro abranda e costas. Assim, para obter através de emoções
desagradáveis, mantendo os olhos movendo-se através de nós irá obter mais rapidamente. "Como nós os conjuntos
dos movimentos dos olhos, lembre-se que estamos apenas a transformação coisas antigas. Ele pode se sentir real,
mas é apenas a velhas memórias trancadas no cérebro. Só porque você sente medo, não significa que é um verdadeiro
tigre no quarto. A idéia é fazer com que o cérebro se tornar desbloqueado, e deixar o processo através de
informações." definindo expectativas é útil para garantir que o cliente que nada será imposta sobre ela durante o
tratamento, que as memórias serão processados em função de sua própria capacidade selfhealing, e que ela
permanecerá no controle e pode descansar a qualquer momento, basta usar o sinal de stop. Ele não pode ser
excessivamente salientou que se o cliente levanta a mão para "Parar", o médico deve parar imediatamente. Porque a
maioria das vítimas de trauma se sentem pessoalmente inadequada e não tem nenhum controle em suas vidas, o
cliente o medo e auto-avaliações negativas são susceptíveis de ser reforçado se o médico persistir após ser dito para
parar. Independentemente da intenção do médico, como uma quebra de confiança pode minar os benefícios do
tratamento. Independentemente do nível de suporte a ser fornecido, o médico não pode, certamente, conhecer a
quantidade de dor que está sendo experimentado pelo cliente em qualquer momento do tratamento. Assim, é
fundamental que o cliente tem o poder de fazer uma pausa no comando. A descrição inicial do que pode ser esperado
na fase de tratamento oferece garantia para o cliente. A ênfase deve ser na segurança e participação conjunta. É
freqüentemente útil para o cliente que, enquanto recorda as emoções e experiências podem surgir, eles devem ser
vistos como meramente transitória, que é como se o cliente está em um trem e as experiências são apenas o cenário
de passagem. Esta explicação ajuda a promover uma sensação de segurança, na medida em que denota movimento
longe da dor e sugere que, independentemente de como a experiência real pode parecer, não há nenhum perigo real
de que o cliente está protegido (ou seja, ela está dentro do trem). Também implícito nessa metáfora é a noção de que,
mesmo que o cenário é observado através da janela do trem, ele já está passando. O objetivo é convencer os clientes
a ideia de que eles devem observar a experiência, em vez de dar importância a ele. O objetivo é permitir que o processo
de experiência, permitindo sensações e emoções para fluir através de consciência sem medo do medo, o que pode
causar um retraumatization. Em essência, o cliente deve ser informado, "aconteça o que acontecer, apenas deixe
acontecer." O médico deve informar o cliente que, enquanto ela é convidada para começar concentrando-se em uma
imagem, ela provavelmente irá achar que é impossível manter esta imagem. A idéia é simplesmente começar focando
o alvo designado e, em seguida, de modo a permitir o processamento de ocorrer durante os movimentos oculares. O
médico deve lembrar que o sistema de crença dominante de que o cliente pode surgir. Por exemplo, o cliente que
sempre visualizaram a si mesma como uma falha pode fazer afirmações como a seguinte: "Eu devo estar fazendo algo
errado; meus olhos não estão se movendo" ou "Eu não posso manter a imagem" ou "Estou pensando em outra coisa."
O cliente deve ter a certeza de que ela está fazendo o exercício corretamente. O médico deve informar o cliente de
que o conjunto de estimulação vai continuar por um tempo e que ela será então solicitado feedback; isto é, ela deve,
em seguida, descrever qualquer nova informação relevante ou surgiu. No entanto, como com todos os emdr
instruções, o médico deve evitar colocar exigências sobre o cliente sobre seu desempenho esperado, os resultados do
tratamento, ou a quantidade de tempo que a transformação deve ter. Tanto quanto possível, o cliente deve ser
colocado em um estado de espírito em que ela está disposta a permitir o processamento de tomar seu próprio curso,
ao invés de tentar fazer nada de concreto acontecer. Se o cliente tentar forçar nada para ocorrer, o processamento é
provável para parar. Para voltar à nossa metáfora, é como se nós estamos deixando a estação de estabelecer sua
própria via como ele vai junto. Tanto o médico e o cliente deve tentar ficar fora do caminho, tanto quanto possível. O
médico pode, por exemplo, dizer ao cliente: "Como nós processamos as informações e digerir os eventos antigos,
imagens, sensações, emoções ou podem surgir, mas seu trabalho é apenas para notá-los, apenas para deixá-los
acontecer. Imagine que você está em um trem e o cenário está passando. Apenas observe a paisagem sem tentar
agarrar-lo ou torná-lo significativo. Lembre-se, se você precisa de descansar, apenas segure sua mão. "Vamos começar
por perguntar a você se concentrar em um alvo. Então eu vou pedir-lhe para seguir meus dedos com os seus olhos.
Depois de fazer isso por um tempo, vamos parar e conversar sobre qualquer coisa que vem acima. Você não pode
manter uma imagem estável enquanto os movimentos oculares estão acontecendo, então não tente. Quando falamos,
você só precisa me dar feedback sobre o que está acontecendo. Às vezes as coisas mudam e às vezes não. Eu posso
perguntar se algo vem acima; às vezes, e às vezes não. Não há 'suposto' para este processo. Então apenas me diga o
que está acontecendo, sem julgar se deve acontecer ou não. Apenas deixe que aconteça o que acontecer, acontecer.
Alguma pergunta?" Cliente tratar medos sempre dando instruções, o clínico deve ser sensível aos sinais não-verbais
de confusão do cliente e deve responder às perguntas que surgirem. Exemplos de caso deve ser dada quando
necessário para ilustrar certos pontos. Por exemplo, para explicar como velhas memórias interferir na vida diária, o
cliente pode ser dito sobre a mulher que se sentia terror cada vez que seu patrão, porque o seu pai costumava olhar
para ela da mesma maneira antes de bater. É importante que o cliente entenda as instruções, pois o médico irá usar
a mesma analogias durante o processamento para tranquilizar ou acalmar o cliente quando material perturbador vem
acima; isto é, é mais fácil de lembrar um perturbado cliente para tratar o material como "paisagem", passando por
que tentar introduzir a metáfora para o primeiro tempo, enquanto o cliente está fortemente reexperiencing uma
memória. Por favor, note que a amostra instruções incluídas aqui são apenas sugerido; ajustar a linguagem e as
ilustrações para as necessidades de cada cliente. Todas as perguntas e dúvidas do cliente devem ser abordados,
incluindo o medo de enlouquecer, de não ser capaz de lidar com a experiência de tratamento, ou de "não tornando-a
de volta." O médico deve garantir ao cliente que embora estes medos são normais, esses tipos de efeitos negativos
nunca foram observados com emdr terapia. Às vezes, o cliente pode querer falar com alguém que teve tratamento
EMDR, leia um artigo sobre ele, ou de outra forma obter corroboração (ver Apêndice F para médico recursos) antes
de continuar o tratamento. Livros escritos por leigos que descrevem o EMDR tratamento de várias queixas podem
também ser úteis para dissipar os medos e desmistificar o processo (por exemplo, Shapiro, 2012; Shapiro & Forrest,
1997/2016). EMDR não deve ser aplicado até que o cliente esteja pronto. Se o cliente declara uma falta de vontade
de prosseguir com a transformação, em geral, ou com qualquer memória, esse desejo deve ser respeitado. Se o médico
recorre a demanda de alto nível para impor características de tratamento, por exemplo, intimating que emdr terapia
é a única forma de curar e que o cliente "deveria" se envolver no tratamento, os resultados negativos são susceptíveis
de ocorrer. O cliente pode ficar ansiosos durante toda a sessão, interromper o tratamento durante um abreaction ou
dissociar a fim de escapar do suplício. Se EMDR transformação não é aprovado pelo cliente e visto como uma empresa
de participação conjunta, o tratamento não deve continuar. Às vezes um cliente não está disposta a se concentrar em
uma determinada memória por causa de vergonha ou culpa. O médico deve tranquilizar o cliente que, por causa da
transformação está acontecendo internamente, ele não necessita de divulgar os detalhes da memória; apenas relatar
o fato de que ele é algo retido é suficiente. Esta garantia tem sido particularmente útil para as vítimas de estupro, que
são humilhados por suas experiências, molestação vítimas que foram ameaçados e advertiu para não dizer, que são
veteranos de combate e torturado com culpa. Com todos esses clientes, o processamento pode proceder de forma
satisfatória, mesmo na ausência de detalhes específicos. Muitas vezes, no entanto, uma vez que o material é
suficientemente resolvido, o cliente pode revelar mais sobre um determinado evento. Essas revelações não deve ser
desencorajado, pois vai ser terapêutico para alguns clientes para receber uma resposta do apoio incondicional do
médico. No entanto, para outros clientes, tais revelações adicionais são desnecessários para a solução, e não devem
ser prodded divulgar detalhes. A capacidade de processar memórias traumáticas sem que o cliente fornecer uma
imagem clara do evento também pode ser útil para o médico. Alguns clínicos têm sido vicariamente traumatizado
(McCann & Pearlman, 1990) pelo cliente vívidas imagens. Quando um médico tem sido bombardeado por contas
altamente detalhada de episódios traumáticos, movimentos oculares auto-administrado, o Butterfly Abraço, ou a
técnica de fluxo de Luz registrados (veja indicações no Capítulo 9) pode ser usado para minimizar os efeitos negativos.
Os movimentos oculares auto-administrados são contra-indicados para uso pessoal, mas pode ser muito útil para uma
rápida redução de menor estresse. Isto é explicado no Capítulo 9. Fase 3: Avaliação Durante a fase de avaliação, o
médico determina os componentes da memória de destino e estabelece medidas de base para as reações do cliente
para o processo. Uma vez que o cliente identificou a memória a ser tratada, o médico pede ao cliente, "o que acontece
quando você pensa do incidente?" ou "Quando você pensa do incidente, what do you get?" A resposta do cliente
fornece uma linha de como seu cérebro está actualmente a codificação das informações. Até o final do tratamento,
as mesmas questões devem suscitar uma resposta muito diferentes. O cliente é convidado a revelar tudo o que ela
deseja e a todas as partes da memória. No entanto, este aspecto da sessão de tratamento não precisam ser
enfatizados, como discutido anteriormente, o tratamento bem sucedido EMDR não exige que o médico esteja ciente
de todos os detalhes da memória. Lembre-se de que o cliente não deve ser pressionado a revelar mais detalhes do
que ela pode lidar confortavelmente. O médico pode precisar explicar ao cliente que, apesar de outras terapias, ela
pode ter sido submetido a sua necessária para revelar todos os detalhes explícitos, isto não é necessário para o EMDR
e que em vez de a maior parte da sessão a ser utilizada para discutir o que ocorreu, o tempo é gasto no processamento
das informações perturbadoras. Processamento terapêutico começa em um ritmo acelerado com o início dos
movimentos dos olhos e é feito pelo cliente interno do sistema de processamento de informações, em vez de porque
de interação com ou interpretação pelo médico. O cliente deve se sentir confortável e seguro na presença do médico,
a fim de experimentar ou revelar qualquer coisa que ela sente é importante. Em caso algum deve o terapeuta fazer o
cliente sentir que suas revelações são indesejável ou de mau gosto. Selecionando a imagem após o cliente descreveu
todos os elementos do incidente traumático, o médico deve pedir-lhe para designar uma única imagem como o foco
inicial para o tratamento. Enquanto a imagem não tem que ser vivo, permite o acesso à memória principal rede,
representando um evento único, em vez de um pensamento abstrato (por exemplo, a idéia geral de molestação ou
combate militar). Enquanto o cliente muitas vezes não consegue manter a imagem após os movimentos oculares de
começar, ele fornece o link para o NEUROLOGICAMENTE informações armazenadas. Especificamente, o médico pede
ao cliente, "imagem que melhor representa a experiência para você?" Se há muitas escolhas ou se o cliente torna-se
confuso, o médico auxilia perguntando, "Qual imagem representa a pior parte da experiência como você pensa sobre
isso agora?" Quando uma imagem não estiver disponível, o médico simplesmente convida o cliente a "pensar do
incidente." Lembre-se, a imagem é apenas uma manifestação da informação preocupante sobre o evento que foi
armazenado dysfunctionally. Embora a imagem pode ser inicialmente dissociado, indistinto, ou embaçadas, ou podem
tornar-se dissipado e indisponível após processamento subseqüente, apenas pensando sobre o incidente faz com que
o cliente o acesso e a estimulação das informações direcionadas. Além disso, alguns clientes não pensar ou lembrar
de eventos em termos de imagens. Esta fase de avaliação delineia as manifestações mais dominante do incidente
(sejam eles imagens, sensações físicas, emoções, etc.) como os pontos de acesso a informações específicas. Quando
simplesmente pediu para pensar do incidente, o cliente estimula sua própria ligação subjetiva. Identificar a cognição
negativa o próximo passo é identificar a cognição negativa, isto é, a auto- declaração negativa associada ao evento.
Embora o evento pode ter ocorrido no passado distante, a sua evocação é susceptível de causar sentimentos de
angústia e de disfunção que alimentam o cliente é negativo auto-crenças. O cliente é solicitado a isolar o presente
auto-limitação de crença ou de auto-depreciativo sobre si mesma ou a sua participação no evento. Em outras palavras,
quando a informação armazenada é estimulada, uma variedade de emoções que emergem do cliente cor apresentam
percepções, e essas emoções devem ser verbalizada pela negativa a cognição. O cliente pode ter dificuldade em
afirmar a sua cognição negativa. Ela pode ser constrangido, ansioso, ou pouco claras sobre o que se entende por
crença. Isso pode ajudar a explicar ao cliente que estas auto-limitação de avaliações são irracionais, e que é provável
que haja uma divisão entre o que o cliente sabe que é verdade e o que ela sente. Explicando as respostas emocionais
que surgem de forma independente da lógica, e que a consciência madura é muitas vezes necessária para reduzir o
constrangimento do cliente, para que seu estado negativo auto-crença. Às vezes, ajuda se o médico diz ao cliente, "o
que você pensa de si mesmo em seus piores momentos, mesmo se você sabe que não é verdade." No entanto, para a
maioria dos clientes, a simples compreensão do conceito de crenças negativas irracionais é tudo que é necessário.
Especificamente, o médico pede ao cliente, "Que palavras vão melhor com a imagem que expresse sua opinião
negativa sobre si mesmo agora?" (em algumas culturas é preferível dizer: "Como você define a si mesmo?" ou "Que
adjetivos você dá a si mesmo?") quando o cliente não especificar um negativo auto-afirmação, o médico deve oferecer
uma lista de sugestões, tais como "Eu sou inútil/poder/não amável", "Eu deveria ter feito algo", "Vou ser abandonado",
ou "Eu nunca pode suceder." é importante para o médico para usar tacos verbal e não verbal que dão ao cliente a
permissão completa para escolher ou rejeitar estas sugestões. O médico também pode escrever uma lista de cognições
negativas (examinados no capítulo 3 e Apêndice A) e entregá-lo ao cliente como um conjunto de alternativas. Se estas
estratégias não são bem-sucedidos, o médico pode pedir, depois de convidar o cliente para manter a memória em
mente, "Que pensamentos você tem sobre si mesmo?" O médico pode, então, ajudar o cliente a formular uma
adequada cognição negativa. Quando os pensamentos, emoções, ou a situação parece estar muito confuso ou
complexo, é conveniente continuar sem a cognição negativa. No entanto, se em toda possível, deve ser especificado.
A fase de avaliação propriamente dita, juntamente com um simples negativo auto-declaração de que o cliente percebe
a ser ainda um pouco irracional, pode ajudar enormemente o processo terapêutico. Além disso, identificar a cognição
negativa parece apropriada para permitir que a camada de material a ser disfuncionais mais acessados para posterior
reprocessamento. O médico deve certificar-se de que a cognição é negativo auto-referencial, é afirmado no tempo
presente, e é uma crença em vez de uma descrição das circunstâncias. Por exemplo, "Eu sou impotente" é uma boa
cognição negativa; "Eu não estava no controle" não é, porque ele é simplesmente uma descrição exata do evento,
como ocorreu. O médico deve explicar ao cliente que o devido tratamento EMDR não pode modificar qualquer coisa
que é factualmente verdadeiro, ele não vai funcionar para usar um comando como "Eu era impotente", que é uma
verdadeira descrição de um estado e o passado não pode ser mudado. Além de formular uma declaração no tempo
presente, o médico deve tomar cuidado para evitar declarações simples de emoção. Por exemplo, enquanto um
comando como "estou com medo", descreve muito bem a emoção sentida atualmente, não é Terapeuticamente útil
para processamento de emdr. O objetivo terapêutico é identificar um auto-depreciativo ou auto-limitante, que é
impreciso por consensualmente as normas derivadas da realidade no presente. A cognição negativa adequada seria
"Eu sou impotente" ou, pelo menos, "estou em perigo" (se o principal problema é o medo), que é uma cognição
irracional, uma vez que o evento traumático de fato ocorreu há muito tempo. Se há uma razão válida para apresentar-
se o estuprador ainda está perseguindo a vítima, por exemplo, processamento de emdr não mudará a informação
verbalizada pela declaração, porque não é disfuncional. E, uma vez que relatos clínicos indicam que o processamento
não irá eliminar quaisquer respostas saudáveis (por exemplo, excitação necessário como um impulso para a ação
correta), um objectivo alternativo terá de ser encontrado. No caso de perigo real, o cliente e o médico terá de trabalhar
através as possibilidades da vida real e, em seguida, tente reduzir o medo em excesso, concentrando-se em uma
cognição negativa como "Eu sou impotente." Esse medo em excesso deve ser reduzida, pois pode paralisar o cliente e
evitar as medidas adequadas. Em um caso, após transformação medo em excesso sobre um homem que a tinha
violado, um cliente decidiu se mudar para uma nova cidade, porque ela não poderia obter proteção policial. Mais
tarde, tornou-se claro como esta solução foi adequado: o estuprador foi preso somente depois que ele assassinou sua
próxima vítima. O médico deve ter o cuidado de não aceitar cognições que simplesmente verbalizar triste ou infeliz
das experiências da infância. Lembre-se, descrições precisas, independentemente da natureza da tragédia, não será
alterado pela emdr processamento. O médico deve adaptar um comando como "Pai não me ama", "Eu não uma
chance", ou "foi injusta" em uma cognição negativa fazendo perguntas como "Como isso faz você se sente sobre si
mesmo?" Normalmente, isso irá suscitar cognições negativas adequadas, sob a forma de declarações auto-
depreciativo, como "Há algo de errado comigo" ou "eu não sou amável." Para uma cognição negativa para ser mais
eficaz, deve ser indicado nas palavras do próprio cliente e ser acompanhado do associado significativa influência.
Mesmo se o médico é capaz de formular uma declaração mais elegante, ele deve permitir que o cliente use palavras
e expressões que estão familiarizados com ela, e que provocam sentimentos que são congruentes com a declaração.
Como positivo com a cognição, cognição negativa deve representar uma declaração geral sobre o self, em vez de sobre
os detalhes do evento. Por exemplo, o cliente será capaz de processar mais material sobre uma experiência de infância
se ela usa a cognição negativa geral "sou um fracasso" em vez do "EU mais específico falham em jogos de baseball." O
desenvolvimento de uma cognição positivo negativo uma vez que a cognição é identificada, a cognição positiva deve
ser desenvolvido. A cognição é a verbalização do "estado desejado" (a auto-crença de que é uma destilação do afeto
positivo) e geralmente é uma mudança de 180 graus negativos da cognição. Trata-se de uma auto-avaliação de
empoderamento que incorporam o mesmo tema ou problema pessoal como a cognição negativa. Esta auto-avaliação,
que deverá ser colocado em termos positivos que indicam como o cliente preferir a pensar sobre si mesmo
atualmente, embora a preocupante caso não aconteça. Especificamente, o médico pede ao cliente, "Quando você
abrir a foto (ou experiência), o que você prefere acreditar sobre si mesmo em vez disso?" (em algumas culturas, é
preferível dizer, "Como você gostaria de definir-se?" ou "Que adjetivos você gostaria de dar a si mesmo?") quando
possível, a cognição positiva deve incluir uma auto-referenciação locus de controle interno, fortalecendo assim a
capacidade do cliente para aprimorar e incorporar um novo sentimento de auto-estima e fazer escolhas eficazes, que
são aspectos da EMDR ótimo resultado de tratamento. A cognição positiva torna possível uma generalização da auto-
avaliação positiva em toda a rede neural, que, através de princípios da associação, será presumivelmente influenciar
não apenas as percepções do cliente de acontecimentos passados, mas sua atual avaliações e expectativas para o
futuro. A cognição positiva deve ser a mais poderosa declaração o cliente pode conceber, embora possa ser difícil para
ele acreditar no tempo presente. A fim de aumentar as possibilidades de auto-estima elevada, é importante que a
palavra "não", em geral, ser evitados na cognição. Por exemplo, declarações como "Eu não vou falhar" ou "eu não sou
incompetente" não oferecem ao cliente uma avaliação positiva o suficiente, nem estimular e diretamente vinculados
a positivo apropriado a informação armazenada no cérebro do cliente tão fortemente quanto fazer afirmações como
"Eu posso ter sucesso" e "Eu sou competente." Quando possível, a cognição positiva deve incorporar uma nova auto-
avaliação com implicações para um futuro positivo. Exceções a essa orientação pode ser feita quando o sentimento
de medo em relação a um incidente traumático é a principal manifestação da disfunção erétil. Neste caso, uma
adequada cognição positivo pode simplesmente colocar o incidente firmemente no passado, pois as constantes
invasões e estado atual do medo são os aspectos mais problemáticos do evento. Um útil genéricos cognição positiva
neste caso pode ser "It's over; estou seguro agora." Além disso, como analisado no Capítulo 3, o autor culpa pode ser
tratada por declarações como "Eu fiz o melhor que pude", "Eu aprendi com ele," e "Eu posso agora fazer outras
escolhas." mais uma vez, é vital que os médicos a determinar a adequação da cognição positiva do cliente. Sempre
que possível, o médico deve assegurar-se de que a cognição é um documento de auto-avaliação ou crença sobre a
memória. Declarações indicando uma ilusão ou uma tentativa de reescrever a história, como "posso confiar em todos"
ou "isso nunca aconteceu" irá interromper os efeitos do tratamento. Qualquer tentativa de utilizar uma falsa cognição
positiva irá parar o processamento. Relatos clínicos têm consistentemente indicaram que o tratamento EMDR não
permite que o cliente para incorporar em seu sistema de crença nada que seja inadequado ou inválido. Por isso, os
médicos devem ver com suspeita qualquer cognição positiva que usa palavras como "sempre" e "nunca". Por exemplo,
declarações como "Eu vou sempre ter sucesso" e "nunca" não são inadequados. O médico pode ter cognições positivas
ideal em mente apenas para tê-los rejeitados pelo cliente como demasiado irrealista, dado seu presente estado
psicológico. O médico deve ser sensível o suficiente para aceitar uma declaração que parece certo para o cliente e
mais se aproxima de um direcionamento terapêutico positivo. Um cliente que foi vítima de molestação sexual por seu
pai queria usar "Eu era uma criança maltratada" como sua cognição positiva, porque sentiu que é diametralmente
oposta a sua cognição negativa do "eu sou uma prostituta." Enquanto a primeira declaração foi, obviamente, descritivo
e não aplicáveis ou abertamente capacitando, era claramente o primeiro passo para aliviar a culpa do cliente sobre
ter participado do molestation. Da mesma forma, um cliente pode, em princípio, apenas ser capaz de aceitar uma
cognição positiva de "eu posso aprender a confiar em mim" antes de adotar a atitude, "Eu posso confiar no meu
próprio julgamento." Lembre-se que, uma vez que o processamento EMDR é iniciada, uma mais adequada cognição
positiva pode emergir ou pode ser sugerida pelo médico, dependendo da disponibilidade do cliente. No entanto, é
fundamental para o cliente sentir que ele está no controle da situação; a imposição de cognições negativas ou positivas
sobre ela, independentemente de como eles são eloquentes, é susceptível de ter um efeito prejudicial. Rating a
validade do conhecimento uma vez que o cliente tem desenvolvido a cognição, o nível de VOC que cognição é
verificada para fornecer uma linha de base e certifique-se de que a cognição é realmente possível (e não um produto
de wishful thinking). O médico pergunta ao cliente, "Quando você pensa da memória, como verdadeiras as palavras
[repita a cognição] sentir positivo para você agora em uma escala de 1 a 7, onde 1 é completamente falso e 7 se sente
totalmente verdadeira?" Às vezes é necessário explicar melhor: "Lembre-se, por vezes, sabemos algo com a nossa
cabeça, mas parece diferente em nosso intestino. Neste caso, qual é o nível de sentimento do gut da verdade da
cognição positiva [repetir], a partir de 1 (totalmente falso) a 7 (totalmente verdadeiro)?" Se o cliente relata que a
cognição desejada não é mais do que um 1, o clínico deve avaliar a declaração para falhas em lógica, aplicabilidade,
adequação ou ecológica (validade dentro do ambiente do cliente). Enquanto alguns clientes EMDR conseguisse
assimilar cognições positivas que são inicialmente avaliados em um 1 ou 2, como uma avaliação baixa é muitas vezes
uma indicação de falta de idoneidade. Como discutido anteriormente, a fase de avaliação tem muitos efeitos
terapêuticos positivos incorporada. No entanto, se o cliente começa a abreact durante esta fase, o médico não deve
forçar a avaliação para continuar, mas, em vez disso, inicie o reprocessamento. É por isso que o médico deve fornecer
as instruções, teoria, e metáforas para o cliente antes do início da fase de avaliação. Esperamos que o cliente irá obter
progressivamente mais estimulados como a fase de avaliação. O EMDR (componentes da avaliação e a ordem em que
eles são utilizados) são especificamente projetados para acessar a informação disfuncional. Uma vez feito isso, o
cliente aumenta o nível de angústia e, por conseguinte, o médico deve ser preparado para envolver o cliente no
reprocessamento real para ajudar a aliviar a perturbação. Portanto, embora o desconforto pode surgir mesmo quando
identificar as cognições, o médico deve permanecer consciente de que, quando as medições são feitas de emoções e
sensações físicas, a ordem das medições é projetado para estimular o material-alvo. Uma vez que a ativação é
realizada, os conjuntos de estimulação deve ser iniciada imediatamente após um lembrete final com o cliente sobre o
EMDR transformação e expectativas. Nomear a emoção a fim de completar a avaliação de medidas de base e estimular
o material disfuncional, o cliente fica ao lado pediu para trazer a imagem do evento e mantenha-a na mente, junto
com o negativo a cognição. Especificamente, o médico diz: "Quando você pensa da memória e as palavras [repita a
cognição negativa], que emoções você se sente agora?" Esta convergência da imagem e cognição negativa geralmente
vai estimular o material disfuncional em maior intensidade do que qualquer um dos dois sozinho. Os clientes são
convidados para nomear a emoção ou emoções específicas que possam surgir; isso evita confusão no caso de,
posteriormente, descrever a experiência de reprocessamento, usando principalmente o SUD escala (ou seja,
simplesmente relatar um número após cada conjunto). Tal resposta pode levar o médico a concluir que nada mudou,
quando, na verdade, a emoção poderia ter mudado de culpa a fúria de tristeza. O médico deverá ter em mente que a
avaliação SUD pode aumentar dramaticamente quando surgem novos níveis de emoção. Estimar as unidades
subjetivas de perturbação após o cliente tem chamado a emoção que ele está sentindo, o Sud classificação deve ser
determinada. Especificamente, o médico deve perguntar: "Em uma escala de 0 a 10, onde 0 é sem perturbação ou
neutro e 10 é o maior que você pode imaginar de perturbação, como perturbar se sente agora?" Se há um número de
diferentes emoções, senti o SUD é dado apenas sobre o total de perturbação, não em cada emoção. Obter esta
avaliação dá uma linha de leitura não só para o médico, mas também para o cliente. Mesmo se a memória traumática
do cliente não é totalmente transformada em uma sessão, a nível SUD no final da sessão geralmente terá diminuído.
Isto pode dar ao cliente uma sensação de realização, que é um dos objetivos de cada sessão de terapia. Identificar as
sensações do corpo em seguida, o médico pede ao cliente, "Onde você sente-a [a perturbação] em seu corpo?" A
experiência clínica com emdr tem mostrado que as respostas do organismo ao trauma são, muitas vezes, um aspecto
importante do tratamento. Essa pergunta pressupõe que há, normalmente, a ressonância física material disfuncional.
Embora pede ao cliente para determinar onde o corpo sensação é localizado, não é necessário pedir uma descrição
da sensação. Na verdade, isso vai realmente parar o procedimento, incluindo detalhes irrelevantes. Um cliente que
tem dificuldade em avaliar a localização das sensações do corpo deve ser treinado (as instruções serão fornecidas em
breve). Um dos benefícios para o cliente identificar a localização do corpo sensações é que ele fornece ao cliente uma
alternativa à dependência de verbalização inerente a maioria das terapias tradicionais, isto é, focalizando a sensação
do corpo estimulados durante a conjuntos sucessivos libera o cliente da necessidade de concentrar-se em
pensamentos dolorosos ou imagens sangrentas. A identificação da localização das sensações do corpo durante a
conjuntos sucessivos é muitas vezes necessária a fim de avaliar os efeitos do processamento de emdr, e também
estabelece as bases para a próxima fase do tratamento. No entanto, o médico deve estar ciente de que muitos clientes
podem precisar de treinamento de conscientização de sensação, porque eles aprenderam a separar-se
psicologicamente de seus corpos, como um resultado da perturbação contínua ou na convicção de que as suas
necessidades não serão cumpridas. Os médicos podem ajudar alguns clientes a localizar as sensações do corpo,
referindo-se a sua pontuação SUD: "Você relatou um 8 na escala SUD. Onde você sente o 8 em seu corpo?" Se o cliente
ainda é incapaz de responder, cuidadosamente, o médico deve oferecer ajuda adicional, como, por exemplo, a
seguinte instrução: "não intrusiva, feche os olhos e observe como o seu corpo se sente. Agora eu vou pedir que você
pense de algo, e quando eu faço, basta notar que mudanças em seu corpo. Ok, observe seu corpo. Agora, pense (ou
trazer a imagem de) a memória. Diga-me o que muda. Agora adicione as palavras [o médico unidos a cognição
negativa]. Diga-me o que muda." A maioria de clientes será capaz de perceber o aperto de um músculo ou um aumento
da freqüência cardíaca ou respiratória. Não importa quão pequeno é o alterar o cliente percebe, esta sensação de
corpo deve ser alvejado. Isto, por sua vez, muitas vezes, aumentar a consciência do cliente de outras sensações. O
médico também deve permanecer alerta para qualquer resposta por parte do cliente, que nega a consciência corporal
e, ao mesmo tempo, revelando uma sensação física. Por exemplo, quando um cliente diz, "Eu me sinto entorpecido,"
"Eu me sinto bloqueado," ou "eu sinto" separados, isso indica um conjunto específico de sensações que têm assumido
uma particular conotação emocional equivocadamente, indicando uma falta de sentimento. Em resposta a essa
verbalização, o médico deve pedir ao cliente para localizar as sensações ("Onde você se sente bloqueado?") e, em
seguida, centrar a atenção sobre eles. Alguns clientes não serão capazes de identificar a localização do corpo apesar
de treinar, e o médico terá de ajustar as instruções subsequentes em conformidade, pedindo ao cliente para
concentrar-se nos outros componentes do alvo. Um dos objetivos terapêuticos, no entanto, será o de permitir ao
cliente para obter maior acesso às sensações físicas e emoções. Freqüentemente, este objectivo pode ser mais
facilmente alcançado durante o reprocessamento ou depois de um número de o mais formidável memórias têm sido
tratados. Importância dos componentes neste ponto o cliente deve ser suficientemente preparado e o médico deve
ter bastante informação de base para começar com emdr processamento. Os próximos quatro fases do tratamento
(dessensibilização, instalação, leitura corporal, e encerramento) são descritos no Capítulo 6. Antes de continuar, no
entanto, lembre-se que o clínico deve prestar muita atenção a todos os componentes da EMDR procedimentos
terapêuticos, já que cada componente contribui para efeitos terapêuticos. Há um número de razões para esta
abordagem multifocus, incluindo o seguinte: 1. O uso de cognições negativas e positivas é um elemento necessário
para a formulação de caso mais eficaz. Além disso, identificar e verbalizar a cognição negativa dá ao cliente uma
oportunidade para começar a observar a irracionalidade da sua crenças, enquanto que a cognição positiva lhe oferece
uma alternativa que serve como uma luz no fim do túnel. Este fator pode inspirar o cliente com coragem e
compromisso de tratamento nasceu da convicção de que uma alternativa é realmente possível. 2. O uso de escalas do
SUD e voc fornecer o cliente com dados quantitativos para um relatório de progresso, mesmo em uma sessão não
concluídas. A sensação de realização por parte do cliente e o sentido de responsabilidade por parte do médico-permite
a avaliação progressiva de novos blocos e objetivos. 3. O uso das sensações físicas como um ponto focal para a
transformação permite que clientes que são inibidos por causa do conteúdo de seus pensamentos negativos para
concentrar-se em um fator que não oferece nenhuma conotação pessoal negativa. Além disso, ele permite que os
clientes que têm uma tendência a tornar-se sobrecarregados por causa de overanalysis para concentrar-se em um
fator que elimina a necessidade de afeto negativo do buffer. 4. Identificar os componentes do trauma (imagem,
cognição, emoções, sensações, e assim por diante), trazendo à mente robotizada e tampas das imagens traumáticas,
o uso de metáforas e os sinais de mãos-todos são orientados para convencer o cliente de que ela é maior do que a
patologia e pode, efectivamente, continuam a ser um observador da sua esmagadora anteriormente efeitos. Esta
posição oferece ao cliente uma maior capacidade para alcançar o sentido de compreensão, realização e controle que
é um resultado de qualquer intervenção terapêutica bem sucedida. Além disso, o sequencial, pequenas doses de
exposição enquanto o cliente mantém um senso de controle pode ajudar o processo de Descondicionamento. 5. Os
movimentos oculares-se permitir uma titulação dos negativos do alvo da memória, enquanto, simultaneamente,
proporcionando ao cliente uma tarefa ele pode realizar de forma eficaz e, consequentemente, um senso de auto-
eficácia. A pesquisa indicou que os movimentos oculares causam uma redução do desgaste emocional e da imagem
de vividez e um aumento no reconhecimento da verdade (ver capítulo 12). Apesar de outros estímulos, também são
eficazes, os pares o movimento da mão do médico e os olhos do cliente também podem estabelecer um senso de
trabalho em equipe que podem oferecer apoio durante períodos de alta perturbação. Além disso, a utilização de
movimentos dos olhos o médico dá uma boa indicação do cliente, atenção para a tarefa, o que pode ser uma vantagem
importante quando o tratamento é realizado com clientes altamente traumatizadas que poderiam dissociar no
material e olhar fixamente para o espaço. A atenção clínica para o monitoramento e a manutenção do cliente atenção
dual pode ser responsável pela relativa facilidade com que lidar com clientes EMDR processamento, em oposição à
intensidade de abreactions hypnotically induzido. Comparações clínicas dos dois estados indicaram que o EMDR
processamento é muito menos perturbador para o cliente. Além disso, meta-análises de estudos randomizados e
controlados de terapia EMDR revelam taxas de abandono inferiores em comparação com aqueles relatados com
terapias baseadas em exposição (por exemplo, Bradley, Greene, Russ, Dutra, e Westen, 2005; Swift & Greenberg,
2014; ver Capítulo 12). A fase de avaliação devem ser utilizados, especialmente nas fases iniciais da terapia, a fim de
garantir que todos os materiais acessíveis disfuncional é processado de uma forma controlada e contida. Como
mencionado anteriormente, em alguns casos, pode ser necessário deixar cair a cognição negativa porque o problema
é demasiado difuso ou interrupções (confuso, difícil ou doloroso) ao processo do cliente. No entanto, esta é a exceção
e deve ser feita de forma criteriosa. Concentrando-se em uma memória, com todas as partes componentes delineadas,
fácil acesso e processamento são geralmente capazes de ter lugar. Embora a rede neural disfuncionais podem ser
acessíveis através de um único componente ou qualquer combinação destes elementos, tentando processar desta
forma nos estágios iniciais pode ser prejudicial para os efeitos do tratamento. Por exemplo, se concentrando em
apenas uma perturbadora sensação física pode fazer com que o cliente indiscriminadamente para mover-se através
de uma grande variedade de lembranças perturbadoras sem o adequado enquadramento cognitivo ou distância
histórica necessária para facilitar as intervenções clínicas descritas nos capítulos posteriores. Na última fase da terapia,
depois que a maioria das memórias disfuncionais foram resolvidos, este tipo de componente único de acesso às vezes
pode ser benéfico. No entanto, os médicos são advertidos para utilizar todos os componentes quando possível, como
parece resultar da forma mais eficaz e eficiente de efeitos de processamento. Prática supervisionada Os instrutores
podem desejar para supervisionar os exercícios de preparação e fases de avaliação. Atenção específica deve ser dada
usando os movimentos oculares com o exercício seguro/lugar calmo e desenvolvendo as cognições negativas e
positivas. Listas de verificação e um esboço processuais são fornecidos nos apêndices A e C. Resumo e conclusões a
segunda e a terceira fases do tratamento EMDR são vitais para a metodologia global. A preparação para a clínica EMDR
processamento inclui o estabelecimento de rapport e colagem adequada para dar aos clientes uma sensação de
segurança e promover a sua capacidade de dizer ao médico com precisão e com informações suficientes que estão
experimentando uma vez inicia-se o processamento. A fase de preparação também fornece o cliente com informações
sobre os efeitos do tratamento. Depois de explicar EMDR teoria para clientes e definir suas expectativas (usando as
instruções e metáforas em termos que possa entender), os clínicos devem abordar cuidadosamente todas as
preocupações do cliente. A Safe/Lugar calmo exercício é um elemento importante para a fase de preparação que
aumenta a probabilidade de sucesso na transformação. Para casos mais complexos, afetam adicional regulamento
protocolos são descritos no Capítulo 9. Na terceira fase, o médico deve determinar medidas basais do estado atual do
cliente (imagem, cognições, emoções, respostas somáticas, SUD E VOC escalas) antes de começar o processamento
acelerado. As instruções específicas dadas aqui para obter medidas basais e acessar o material-alvo para a
transformação são apenas sugestões. Os médicos devem ter suficiente compreensão de todos os aspectos do
tratamento EMDR para melhorar as instruções e metáforas se um cliente precisa de mais ajuda para seguir as
instruções. Os médicos devem notar que a maior parte deste capítulo é dedicado à preparação do cliente. Esta é uma
fase essencial do tratamento EMDR, porque cria condições propícias à terapêutica sentimentos de segurança do
cliente, que incentivam a exposição à memória, em vez de evitar que podem manter ou agravar os efeitos negativos
do trauma inicial. A fase de avaliação inclui acesso a memória, o que estimula as informações armazenadas no
momento do trauma. Os médicos devem permanecer conscientes que o desconforto do cliente, portanto, pode
aumentar durante esta fase. A estimulação e processamento inicial já começaram, mesmo antes de os movimentos
oculares são utilizadas no material perturbador. Mais uma vez, a terapia EMDR não é limitado aos movimentos dos
olhos, mas inclui uma variedade de componentes, os quais interagem para aumentar a eficácia do tratamento. O
objetivo final da terapia é aumentar o sentido de auto-estima e auto-eficácia. Isto pode ser realizado se o médico
aumenta essas habilidades em cada fase do tratamento. O cliente deve sempre se sentir habilitada e no controle da
sessão de tratamento. EMDR terapia é uma abordagem centrada no cliente, em que o médico atua como um facilitador
do cliente, o processo de auto-cura. Os próximos quatro fases do tratamento EMDR, incluindo o processamento
acelerado de memória do alvo e encerramento, são abordadas em detalhe no Capítulo 6. Capítulo 6 fases de quatro a
sete dessensibilização, Instalação, Leitura Corporal, e o encerramento da grande coisa neste mundo não é tanto onde
estamos, mas em que direção estamos nos movendo. -OLIVER Wendell Holmes Este capítulo examina a
dessensibilização, instalação, leitura corporal e fechamento de fases do emdr terapia. As três primeiras fases implica
o reprocessamento acelerado do alvo (memória de eventos atuais ou trigger); a fase de encerramento, descreve os
procedimentos e informações que devem ser utilizadas para analisar clientes no final de cada sessão. Para cada fase,
o material conceitual (que deve ser aumentada pela informação pertinente no Capítulo 3) e a intenção é revista clínica,
juntamente com palavras sugeridas para cliente instruções (ver também o apêndice A). A dessensibilização, instalação,
corpo e fases de leitura todos envolvem processamento acelerado de informações. Este capítulo começa com a
descrição das interações que são aplicáveis a todas as três fases. A seguir, as instruções para cada fase, juntamente
com o processo, informações pertinentes são apresentadas. Este capítulo oferece algumas orientações gerais para a
efetiva transformação. Estratégias clínicas para processamento restimulating do sistema se parecem estar bloqueados
são abordados no próximo capítulo, e métodos avançados para mais perturbado os clientes são abordados no Capítulo
10. O material abordado neste capítulo devem primeiro ser analisados em uma sessão de treinos com um baixo nível
de perturbação antes de mais angustiante material é direcionado. Reprocessamento acelerada da memória depois
que o médico tenha o cliente cuidadosamente preparada e avaliada a linha de informações sobre o alvo, o estágio é
definido para o acelerado o reprocessamento. Assim como a etapa final na fase de avaliação é completo (identificação
da localização do corpo conectado a sensação do evento traumático), o médico deve analisar com o cliente como
funciona o processamento EMDR e salientar a importância de não propositadamente descartando qualquer
informação. Este último ponto é particularmente necessária com os clientes que estão trabalhando em um adulto
identificado trauma. Esses clientes podem achar que uma memória da infância emerge durante o processamento, mas
ignorá-la como não sendo parte do problema. No entanto, esta pode ser a causa de o elevado nível de angústia e deve,
portanto, ser o ponto focal do conjunto seguinte. É importante lembrar o cliente a perceber o que quer que vem para
cima durante o processamento e a comunicar. Porque o tempo decorrido desde que a explicação do tratamento foi
inicialmente dado ao cliente na fase de preparação, alguns lembretes adicionais pode estar em ordem. O médico deve
estar alerta para qualquer sinal de confusão ou hesitação no cliente. Um lembrete pode ser formulada como segue:
"Agora lembre-se, é o seu próprio cérebro que está fazendo a cura e você é o único no controle. Vou pedir-lhe para
concentrar-se mentalmente sobre o alvo e seguir meus dedos com os seus olhos. Apenas deixe que aconteça o que
acontecer, acontecer, e falaremos no fim do conjunto. Apenas diga-me o que vem acima, e não descarte nada tão sem
importância. Qualquer nova informação que vem à mente é conectado de alguma forma. Se você quiser parar, apenas
levante sua mão." O médico deve, em seguida, peça ao cliente para manter a imagem na mente, junto com o negativo
a cognição e a consciência da sensação do corpo. Por exemplo, o médico pode dizer, "Trazer a imagem e as palavras
[médico repete a cognição negativa] e observação onde você sente em seu corpo. Agora, siga meus dedos com os seus
olhos." metaforicamente, isto é o equivalente de dirigir três feixes de laser nos dysfunctionally material estocado.
Exploração simultânea de todos os três elementos em mente geralmente se intensifica o nível de resposta. Isto é feito
apenas para estabelecer uma primeira ligação para a memória disfuncional; logo que os movimentos oculares de
começar, novas imagens, pensamentos e sentimentos. Por exemplo, após o primeiro conjunto, a cognição negativa
não é geralmente usado novamente durante o processamento (exceções são discutidos no Capítulo 7). Da mesma
forma, o cliente não deve tentar manter a imagem com que ela começou. A sua finalidade é meramente para servir
como um ponto inicial para entrar na rede de memória. Logo após, o material é acessado, o médico inicia a conjuntos
de estimulação. O primeiro conjunto deve incluir cerca de 24 ciclos e movimentos oculares, se usar, deve ser feito
horizontalmente (um conjunto de 24 movimentos foi encontrado clinicamente para produzir um efeito de
transformação marcada em muitos clientes). A configuração inicial é usada para determinar se a direção horizontal é
eficaz para o cliente (consulte o Capítulo 3 para uma discussão completa do número, direcção e velocidade dos
movimentos dos olhos). Suavemente Os clínicos devem reforçar o esforço do cliente durante o período definido pelo
suavemente dizendo, "Bom." Isso muitas vezes assegura a clientes que não têm certeza de que estão fazendo direito.
No final do set, o médico diz, uma versão de "Let it go ou em branco para fora, e faça exame de uma respiração
profunda." Enquanto isso, os clientes não são instruídas para fechar os olhos, pois isso poderia contribuir para a
dissociação ou trance-como membros. Esta reorientação período serve para interromper a intensidade de foco e
concentração, e dá ao cliente a permissão para descansar, reorientar, e prepare-se para verbalizar as novas
informações planalto. Ser capaz de definir a perturbação temporariamente de lado tacitamente também ensina o
cliente que ela é maior do que a patologia e pode estar no controle de sua própria experiência. Alternando movimentos
oculares e instruções também fornece ao cliente com pequenas doses de exposição ao alvo em segmentos
gerenciáveis que promovam a sensibilização e dupla permite que o médico para avaliar o progresso. A fim de aumentar
a sensação de colagem, o médico pode querer inalar e exalar junto com o cliente, no final do set, após a instrução para
fazer exame de uma respiração profunda. Tal tratamento inespecífico adjuntos para desempenhar um papel
importante nos efeitos terapêuticos positivos derivados de qualquer método. É importante manter um sentido de
colagem e trabalho em equipe durante toda a sessão. Quando o cliente aparece pronto, o médico restabelece contato
perguntando, "o que você ganha agora?" Isto permite que o cliente para revelar a informação mais evidente agora,
surgindo como resultado do processamento acelerado. Se o cliente estiver em uma perda, o médico pergunta: "O que
veio para você?", isso permite que o médico para obter uma leitura do cliente sobre quaisquer aspectos do caso que
se passou e sobre o estado atual do material alvo. O cliente geralmente vai revelar novas informações, imagens,
emoções, sensações ou dominante. O médico pode então determinar se qualquer reprocessamento tenha tido lugar.
Se o cliente diz que ele recebe nada, o médico deve dirigi-lo para pensar do incidente, novamente, perguntando,
"Quando você pensa do incidente, what do you get?" A intenção aqui é ser o mais nondemanding possível sobre
qualquer aspecto do evento para que o cliente possa facilmente estado aquilo que é mais saliente e de modo a permitir
a continuidade do processamento entre conjuntos. Para alguns clientes, o foco será uma mudança na imagem; para
outros, é um novo insight ou mudança de perspectiva; e para outros ainda, trata-se de uma nítida mudança no corpo,
sensações. Por essa razão, o médico não deve dizer "o que você vê?" ou "o que você está se sentindo?" ao tentar pedir
uma resposta. O intervalo entre jogos é extremamente importante para muitos clientes, pois oferece a oportunidade
de colocar palavras para uma experiência interna e permite-lhes compreender as mudanças mais facilmente. O
processamento acelerado pode ocorrer tão rapidamente durante os conjuntos que o cliente não é capaz de
compreendê-lo completamente, até ela pode verbalizar. Independentemente do que o cliente diz, o clínico deve ouvir
com compaixão e apoio incondicional. Desde o reprocessamento irá se manifestar de forma diferente em cada
indivíduo, a declaração geral "What do you get?" permite que os clientes para relatar qualquer que seja dominante
aparece sobre uma mudança de pensamento, sentimento, imagem, emoção, sensação, novo incidente, e assim por
diante. Se uma mudança significativa em qualquer das informações é indicada, no mesmo sentido de circulação deve
ser utilizado para o jogo seguinte. Se não houver nenhuma mudança, uma direção diferente do movimento do olho
deve ser tentado. Como observado anteriormente, se a transformação ainda não ocorrer ou se a informação que
começou a mudança parece ficar preso e não se mover após dois ou três direções diferentes foram tentadas, o médico
deve consultar os procedimentos mais proactive Coberto no Capítulo 7 antes de prosseguir. Uma aparente falta de
efeito do tratamento pode significar também o cliente simplesmente não é passível de transformação no escritório.
No entanto, mesmo que tenha sido pouco ou nenhum processamento, um encerramento e balanço deve ser feito,
como explicado mais adiante neste capítulo. Para a maioria dos clientes, algum tipo de mudança ocorrerá.
Independentemente do tipo de experiência relatada, qualquer mudança de material geralmente indica que o
processamento está continuando. Enquanto isso, o médico deve abster-se de fazer observações interpretativas. O
médico pode confirmar a experiência do cliente por tais meios não-verbais como sorri e acena com a cabeça, ou por
comentários como "bom" ou "Uh-huh." Em vez de tentar reestruturação cognitiva ou ir fora em uma tangente
explicação de questões que irão tornar-se irrelevante, uma vez resolvido o problema, o médico poderá realizar o
tratamento mais eficaz fazendo o cliente a concentrar-se sobre o novo material para um novo conjunto. A intenção é
estimular o tratamento EMDR o material disfuncionais, activar o mecanismo de processamento, e permitir que a
informação a fluir ao longo do seu curso natural para resolução adaptativa. A melhor forma de conseguir isso, o cliente
deve ser autorizado a permanecer dentro da experiência, isto é, no contato com as manifestações sensoriais das
informações. A escuta ativa - com o médico dizendo, "o que eu ouço dizer é … " e, em seguida, repetir ou parafrasear
as palavras do cliente não devem ser usados durante o processamento de emdr. Embora esta técnica é amplamente
utilizada em outras formas de psicoterapia, em que ganhos terapêuticos dependem em grande parte de reavaliações
verbal, é antitética ao emdr os efeitos do tratamento. Quando o médico repete as palavras do cliente, até mesmo uma
ligeira mudança na entonação pode alterar o significado. O cliente é forçado a sair de sua experiência suficiente para
interpretar as palavras do médico, compare a declaração do clínico para o que ele está sentindo e, em seguida,
comunicar verbalmente a comparação. Esta forma de interpretação cognitiva, que leva o cliente fora da experiência
sensorial e emocional, podem interromper o tratamento. O médico não deve tentar repetir ou resumir, mesmo se o
cliente tiver falado durante 5 minutos após o conjunto; o cliente está ciente de seus próprios pontos-chave e não
precisa repetir. Pedir ao cliente para manter a sua atenção sobre o que ele disse (ou, se o cliente está confuso sobre a
última coisa que ele disse) é preferível para o médico está tentando paráfrase ou reiterar as palavras do cliente. Outra
abordagem que pode impedir uma rápida tratamento clinicianimposed EMDR é uma tentativa de explorar o significado
de quaisquer símbolos, memórias, pensamentos, sentimentos, e assim por diante, que surgem para o cliente durante
os conjuntos. Os clientes relatório continuamente novas percepções e entendimentos que evoluir naturalmente como
a transformação continua. Por exemplo, quando surge uma nova memória, parte-se do princípio de que existe um
vínculo associativo para o material anterior. Portanto, em vez de fazer o cliente "O que você acha que significa?" ou
"Por que você pensa que veio?" o médico deve apenas orientar o cliente a pagar a atenção para a nova memória
durante o próximo conjunto. Os clientes geralmente voluntário cognitivos pertinentes interpretações, ou estes podem
ser discutido após o processamento é concluído. O médico que procura interpretar cada platô pode ter um efeito
prejudicial sobre o tratamento por distrair o cliente a partir do estimulada experiência e substituindo-o por uma
digressão cognitivo. Tenha em mente que a interpretação do terapeuta é a marca registrada de muitas formas de
terapia tradicional, todos que tiveram apenas um sucesso limitado no tratamento do trauma. Em EMDR terapia, uma
nova cognição deverá ser a manifestação de um novo platô de informações processadas, não uma construção imposta
pelo médico. Quando o cliente tem revelado uma mudança em qualquer parte da informação, a sua atenção deverá
concentrar-se novamente com a instrução "pensar de que" ou "aviso de que" ou "ir com isso", e um novo conjunto
devem ser iniciadas. Neste ponto, o médico deve usar pistas não verbais do cliente (por exemplo, alargamento ou
estreitamento dos olhos, mudanças no tamanho da pupila ou boca, tensão) para determinar o comprimento do novo
conjunto. A intenção é trazer o cliente para um novo patamar de processamento com cada conjunto. O médico deve
ficar atento às respostas do cliente para verificar qualquer nova consciência ou qualquer diminuição do sofrimento.
Tenha em mente que a nova informação irá se registrar no rosto do cliente antes de ela é cognitivamente consciência
disso. Portanto, para permitir que o cliente para obter um alcance interno, o clínico deve continuar a definir durante
alguns segundos depois de perceber a nova expressão facial. Estas orientações são melhor demonstradas em uma
sessão de treinos. Se pronunciado a emoção é evidente, o clínico deve continuar até que o conjunto é evidente que
novos planaltos de informações tenham sido alcançados. A atenção do clínico para pistas não-verbais do cliente na
tentativa de alcançar um patamar mais terapêutico é particularmente importante para abreactive respostas, que são
tratados com mais detalhes no próximo capítulo. Se as mudanças na informação são primariamente cognitivas e não
emotiva, o clínico deve experimentar para determinar se o cliente responde melhor com conjuntos de 36 ou 48
movimentos. (Para alguns clientes, um conjunto de movimentos menos de 24 parece dar melhores resultados.) No
entanto, o clínico não deve se concentrar em contar os movimentos mas simplesmente começ um sentido do
comprimento aproximado do conjunto; a atenção do clínico deve ser sobre as expressões faciais e outras dicas do
corpo do cliente. Enquanto um nível SUD não deve ser solicitado após cada conjunto, uma boa diretriz é que o
equivalente de uma mudança pelo menos um SUD (11 pontos) devem ser evidentes nas respostas do cliente depois
de cada conjunto. Lembre-se, no entanto, que aumenta em perigo também pode indicar processamento; isto é, novas
emoções e novas associações pode aumentar temporariamente a perturbação como o tratamento prossegue.
Administrar adequadamente os conjuntos em resposta a indicações não verbais do cliente muitas vezes pode ser
crucial na obtenção de efeito terapêutico. Portanto, eu fortemente recomendo que o leitor se envolver em práticas,
e ser orientado e supervisionado por um médico treinado e experiente EMDR antes de prosseguir com um cliente. As
seções a seguir aumentar esta instrução. Relatos clínicos apoiaram a necessidade de alterar as características dos
conjuntos de movimento do olho para obter melhores resultados terapêuticos. Portanto, se o cliente relata cefaléia,
tontura ou náusea, ele deverá ser solicitado a se concentrar apenas na sensação do corpo perturbador, enquanto a
direção do conjunto é alterado. Este procedimento permite que, muitas vezes, as sensações físicas a se dissipar.
Empregando movimentos oculares verticais para ajudar a eliminar as sensações também podem ser úteis. A direção
do movimento do olho também deve ser alterada se nenhuma mudança na informação é manifesta. Observou-se
clinicamente que alguns clientes processo somente se define movimento do olho são feitas em uma determinada
direção, enquanto que outros um ou outro processo de igual modo com todos os sentidos ou processo somente se a
direção for alterada em diversos momentos durante o tratamento. Da mesma forma, o comprimento e a velocidade
do aparelho devem ser mudadas para acomodar as diferenças individuais. O mesmo aparece verdadeiro de estímulos
auditivos e tácteis. Relatos clínicos têm mostrado consistentemente essa necessidade de alteração, e possíveis
explicações são exploradas no Capítulo 12. Mudar a direcção, comprimento e velocidade do conjunto pode causar
diferentes tipos de efeitos para diferentes clientes. Quando utilizando EMDR terapia, talvez 50% do tempo a aplicação
adequada dos movimentos dos olhos sozinho causa um reprocessamento consistente da informação disfuncional para
uma resolução adaptativa. Quando a informação não muda depois de repetidas mudanças dos conjuntos, outras
alterações (discutidos nos capítulos seguintes) deve ser feita. Fase quatro: a dessensibilização para fins de
padronização, a quarta fase, que se concentra na redução da perturbação do cliente (quando possível) para 0 no SUDS,
é chamado de "dessensibilização fase." No entanto, embora este termo é usado para designar uma fase da EMDR
procedimentos, não deve ser considerada demasiado restritiva. Em vez disso, dessensibilização, ou remoção de
perturbação, é, na verdade, um subproduto do reprocessamento, assim como a reestruturação positiva da eliciação
de cognição, de insights, e assim por diante. Manifestações de mudança positiva no emocional, níveis cognitivos e
somáticos, continuar durante o tratamento. Para a dessensibilização ocorra, é necessário para processar o material
disfuncionais que é armazenado em todos os canais associados com o evento alvo. Quando um evento é reprocessado,
uma variedade de canais de associação pode ser revelado em consciência. Cada alvo inicial é considerado um nó
fisiológica para que outras experiências do passado estão ligadas. Supõe-se que a perturbação inerente a qualquer nó
de destino é alimentado pelos diversos canais de associação. O processamento da informação nestes canais pode ser
evidenciado através da mudança observada das manifestações da informação (imagem, afetos, pensamentos, sons,
sensações, ou crenças) enquanto o cliente permanece focado sobre o alvo de memória. Para alguns clientes, as
mudanças podem ocorrer através de campanhas de outros eventos ligados ou através de uma progressão de idéias.
Para muitos clientes, sessões de tratamento incluem uma variedade destas diferentes formas de associação. O médico
deve certifique-se de dar as garantias de adequado, quando necessário, para o conforto do cliente, mas, ao mesmo
tempo, deve tentar permitir o processamento para continuar sem interferência indevida. O médico deve manter-se
na mente como uma heurística clínica a noção de um nó de destino com canais auxiliares (ver Figura 6,1,
anteriormente apresentado como Figura 2,1). Cada nova consciência de uma mudança é um sinal de um efeito dominó
de progressiva transformação através do canal. Os conjuntos devem ser aplicadas a cada novo sinal de consciência
progressiva até que todos os canais são "limpos." Figura 6,1. Uma representação gráfica da evolução do emdr
tratamento através da rede de memória. Como cada canal é acessado, emerge um conjunto de associações vinculadas
legalmente. (Essas associações foram exploradas no Capítulo 2.) Por exemplo, alguns canais irá incluir representações
de mudança do alvo enquanto outros incidentes implicar uma mudança no foco de consciência entre os diversos
incidentes que estão ligados por emoções dominantes. Outros ainda terá a forma de uma mudança nas crenças,
enquanto outros manifestar novas percepções relacionadas com outras memórias que servem como exemplos ou
counterexamples. Em última instância, um cliente pode começar a aceitar o fato de que ela não era responsável por
ser abandonado pela mãe e pode se lembrar cenas de felicidade com seus pais ou outros membros da família; essas
lembranças podem ser intercalados com outros que incorporam o tema do abandono. Entre cada conjunto o médico
deve ouvir atentamente para o cliente a fim de identificar o próximo foco para processamento. Dependendo da
resposta do cliente, o médico direciona a atenção para a última declaração, a alternativa de alguns aspectos da
experiência, ou para um novo destino. Os exemplos a seguir ilustram a informação disfuncional em canais associados
que precisa de ser abordada. Em todos os casos, uma vez que a cadeia de associação está esgotado, o cliente deve ser
convidado a retornar à meta original para conjuntos adicionais. O cliente não é perguntado, "Pensar a foto original",
desde que deixe de existir ou ser relevantes para o atual patamar de processamento. Ao invés, o destino é acessado
por perguntar, "Pensar o incidente original." Esta pergunta trará o alvo apropriado como é atualmente armazenadas
no cérebro, e conjuntos adicionais se revelará novos canais precisam ser processados. Quando todos os canais são
tratados, a fase de instalação (descrito posteriormente neste capítulo) pode começar. Processamento associativo
clientes relatam as suas experiências em termos de mudança de imagens, sons, sensações, emoções, sabores ou
odores. Se surgem sabores ou odores, eles devem ser alvo de conjuntos sucessivos. Se esses conjuntos causar-lhes a
desvanecer-se, sem conduzir a outra associação, o alvo original deve ser reaccessed. Na maioria das vezes, imagens,
clientes descrevem em termos de mudança de processamento de imagens. Independentemente de se tratar de novas
memórias ou alterações de um único evento, o emergente material deve se tornar o foco de concentração para um
novo conjunto. Novamente, o médico não deve encorajar qualquer forma particular de relatórios (por exemplo,
perguntando, "o que você vê?"), pois o cliente pode ser mais atento a novos pensamentos ou outros estímulos
sensoriais. Os seguintes são, em geral, observados os padrões do cliente, envolvendo mudanças em imagens e a
resposta clínica adequada. Nova memória quando o cliente informa que a nova memória tem vindo a consciência
durante o conjunto anterior, que a memória se torna o foco no jogo seguinte. Se várias memórias são relatados, o
cliente deve ser orientado a se concentrar em um ela encontra o mais preocupante. Se todas as memórias são
relatados para estar no mesmo nível de perturbação, então o foco deve ser direcionado para o último a aparecer.
Alguns clientes oferecem um fluxo aparentemente interminável de memórias distintas. Se aceder a informação torna-
se esmagadora ao cliente ou leva-o a tornar-se esgotado devido à intensidade durante um período prolongado, pode
ser útil para limitar a quantidade de informações que estão sendo acessados durante o processamento, pedindo-lhe
para voltar para o original memória após cada turno. Esta é uma situação que não é incomum com veteranos de
combate. (São necessários mais estudos para determinar se uma generalização efeito ocorre em tais casos.) Em todos
os casos, o médico deve observar para posterior direcionamento qualquer memória transitória relatadas durante o
processamento que parece particularmente relevante e preocupante. Tais memórias podem surgir brevemente e
desaparecer em um conjunto. No entanto, geralmente reorientação não deve ocorrer até depois da apresentação de
memória foi completamente transformada. (Este direcionamento subsequente é coberto mais completamente no
Capítulo 8.) Quando possível, o cliente deve ser autorizada a assumir a liderança direcionando o conteúdo de sua
consciência como progressiva a informação muda dentro de cada canal. No entanto, é importante retornar à meta
original para processamento adicional após uma linha de associação terminou. Imagem muda, às vezes, os clientes
relatam uma mudança na apresentação de imagem (embora o incidente permanece o mesmo) ou uma imagem sem
qualquer incidente específico anexado, tais como o rosto de uma pessoa. Se surge uma imagem negativa (por exemplo,
mãe scowling), ele deve ser orientado com o conjunto seguinte. Se uma imagem positiva ou neutra emerge (por
exemplo, sentado na sala de estar ou mãe sorrindo feliz), um conjunto ou dois pode ser adicionado para ver se vai ser
reforçada, mas a imagem original deve ser readdressed, logo que possível, especialmente se ocorreu no início da
sessão. Se essa situação ocorrer mais tarde na sessão de processamento, os conjuntos devem ser continuada na
imagem positiva até o reforço cessa. Se o cliente afirma que duas imagens surgiram, um negativo e um positivo (como
mãe e mãe scowling sorrindo), o negativo deve ser alvejado. Esta diretriz é baseada na suposição de que associações
positivas vai cuidar de si mesmos, considerando que os negativos devem ser processados. A fim de garantir o menor
nível de perturbação para o cliente (por exemplo, se o tratamento não for concluído dentro de uma única sessão),
como muitas das associações negativas quanto possível deve ser processado. Mais uma vez, a disfuncional satélite
deve ser "limpo" antes de as associações positivas pode ser permanentemente fortalecida. O incidente se desenvolve
quando ocorre um trauma, ele ficar bloqueado no cérebro na sua forma perturbadora originalmente; os clientes
frequentemente afirmam que as informações se sente "preso" ou sempre presente. Isto é evidente em muitos
clientes, que, quando solicitados a trazer a memória de um incidente a mente, achar que a parte mais preocupante
do incidente é a única disponível. Por exemplo, quando uma mulher que estava em um acidente de barco foi convidado
a pensar do incidente, o que surgiu foi a cena de ir para baixo pela terceira vez. Compreensivelmente, este foi o
momento mais terrível de todo o evento, que definiu a sua subsequente reações de estresse. No entanto, uma vez
que a mulher estava sentado no escritório do médico, ela claramente não estava em perigo de afogamento.
Metaforicamente, é como se todo o incidente está sendo jogado em um DVD que foi colocado em "pause". Quando a
cena é alvo de transformação e os conjuntos de começar, não é incomum para o incidente para começar a desdobrar,
quadro a quadro, como se o leitor tivesse devolvido a "desempenhar". Por exemplo, o referido cliente relatou ver
alguém saltar na água e ser lembrado agarrou e resgatado, descansando no barco, sendo levado para terra, e assim
por diante. Muito frequentemente, o incidente vai mesmo continuar a incluir a experiência posterior do cliente (por
exemplo, no hospital) e qualquer família perturbadora reacções. O cliente deve se concentrar em cada cena em
conjuntos separados, até que resolução é alcançada. O rescaldo do evento traumático inicialmente identificadas
muitas vezes pode ser tão perturbador como o trauma em si. Por exemplo, algumas vítimas de estupro relataram
sentir grosseiramente violados pelos atendentes do hospital e a polícia durante a investigação subsequente. Quando
o incidente não tenha movido espontaneamente a essa parte do evento, pode ser adequado para o médico para obter
estes canais, especialmente se esses aspectos foram relatados para ser preocupante durante a história inicial, tendo
a sessão. Mudanças de Aparência Alguns clientes se concentrar em um aspecto profundamente perturbadora de um
evento que é representada por uma única imagem. Estas imagens são freqüentemente relatados como pensamentos
intrusivos, cenas de flashback, ou pesadelos recorrentes. Durante o reprocessamento, o aparecimento da imagem em
si pode mudar. Enquanto as mudanças na aparência estão sendo relatados (por exemplo, ficar mais escuro, mais
brilhante, maior ou menor; ou seja visto de um ângulo diferente), os conjuntos devem ser repetidos com a imagem
alterada como seu foco. Mesmo se a imagem é descrita como "Indefinida", o cliente deve ser solicitado apenas para
concentrar-se sobre ela. Às vezes, o Cliente informará que a imagem desaparece, embora alguns restos de
perturbação. Quando isso ocorre, o cliente deve ser informado, "pense apenas do incidente" (e concentrar-se nas
sensações físicas). Isso permite que as informações sobre o evento a ser estimulada, de modo que o reprocessamento
pode ser concluída. É importante que o médico continuar a define até a perturbação é resolvido e não assumir que o
desaparecimento da imagem significa sucesso terapêutico. O cliente pode ter a certeza de que ele pode manter uma
rigorosa memória do evento ou de um indivíduo, mesmo que uma determinada imagem desapareceu durante o
reprocessamento. Isto é especialmente importante para o cliente que está de luto por um ente querido, caso em que
deve ser tranquilizado que outras imagens ainda estarão disponíveis após o reprocessamento é completa. Na verdade,
a pesquisa indicou que a positiva do falecido é aumentada para posterior processamento (EMDR saltou, 2001). O
médico deve se lembrar, no entanto, que desde o desaparecimento da imagem central é uma ocorrência comum, as
ramificações legais devem ser cuidadosamente avaliados antes de emdr processamento é iniciado. (Este tópico é
coberto no capítulo 4). Sons e pensamentos, o médico deve estar atento a quaisquer elementos de prova de que as
informações sobre o alvo está sendo processada. Enquanto muitos clientes relatório mudanças nas imagens, o
aparelho auditivo, alterações cognitivas não são menos significativos. Assim, o foco pode mudar com uma seqüência
de novos pensamentos; pensamentos que foram experimentados no momento do evento podem surgir, ou insights
pode desdobrar sem referências visuais. Enquanto os pensamentos ocorrem espontaneamente e progressivamente,
o cliente é incentivado a nota-los para uso em conjuntos subsequentes. Mais uma vez, após um canal auditivo ou
cognitiva da associação tem sido processada, o cliente deve ser convidado para reaccess da meta original. Indicações
negativas quando uma nova declaração negativa ou idéia surge, o médico deve solicitar ao cliente onde ela se sente
em seu corpo. Isto deve ser feito antes de um novo conjunto é iniciado. Isso pode reduzir a ênfase na auto-depreciativo
aspectos da declaração. Geralmente, um novo pensamento irá surgir, e a sequência de pergunta ("Onde você se sente
em seu corpo?") e deverá ser repetida. O médico deve procurar uma progressiva diminuição das associações negativas.
Se os mesmos pensamentos negativos persistirem, o cliente pode estar preso (ver Capítulo 7) ou "looping", e o médico
pode precisar usar a versão pró-ativa de emdr os processos de transformação, chamado "entrelaçam cognitivo" (ver
capítulo 10). Geralmente, é dito ser de loop que ocorrem quando as mesmas indicações negativas e um elevado nível
de perturbação são gerados e reciclou mais de três sets consecutivos, e nenhuma das alternativas sugeridas discutido
no próximo capítulo temos trabalhado. Novos médicos deve desengatar com um cliente e, em seguida, continuar com
os procedimentos proativos de emdr processamento, mas somente depois que eles tiveram uma prática suficiente e
supervisão. Desencontros uma incompatibilidade ocorre quando o cliente tenta deliberadamente trazer algo para a
consciência de que é incompatível com o atual nível de influência. Assumimos a transformação pode ter lugar quando
os movimentos oculares são feitos em conjunto com uma consciente foco no alinhamento componentes do material
disfuncional (imagem, pensamento, sensação física). Após o médico treinou o cliente a formular uma cognição
verbalizes negativos que afetam o nível de associado com um alvo do evento e solicitou ao cliente para manter a
consciência das sensações físicas que são associados com o alvo, todos estes elementos (imagem, cognição, sensação)
são mantidos em consciência. Elas podem ser vistas como o equivalente de três feixes de laser direcionado para o
material disfuncionais armazenadas fisiologicamente. Se, ao experimentar um alto nível de angústia devido a um
trauma induzido de sentimento de impotência, o cliente tenta consolar-se adicionando uma afirmação, tais como "Eu
sou poderoso", a incompatibilidade entre o afeto e a afirmação geralmente vai causar transformação a cessar. Se o
cliente de forma inesperada após um conjunto de relatórios que ela está pensando em algo agradável, o médico deve
determinar se o cliente está deliberadamente tentando evocar uma sensação de alívio pela adição de um pensamento
menos angustiante perguntando, "Você está fazendo ou dizendo qualquer coisa deliberadamente?" Se este for o caso,
o cliente deve ser convidada a soltar a declaração incompatíveis e, uma vez mais, ser instruído como segue: "Basta
deixá-lo acontecer, sem julgar ou tentar forçar nada para acontecer." Por favor, note que, no entanto, declarações
positivas pode surgir espontaneamente em resposta direta à cognição negativa, e estes não devem ser
desencorajados. Por exemplo, sem qualquer tentativa deliberada por parte do cliente, as palavras "eu estou bem"
pode surgir em resposta à cognição negativa "Eu sou terrível." Às vezes, as duas declarações suplente
espontaneamente durante todo um conjunto. No entanto, esta alternância não causa transformação a cessar. Só é
problemático quando o cliente tenta conscientemente para orquestrar a transformação pela inserção de uma
declaração positiva prematuramente. Em caso de dúvida, o médico deve inquirir se o cliente é fazê-lo
deliberadamente. Pensamentos positivos se um novo pensamento positivo emerge no início do tratamento, o médico
deve instruir o cliente a concentrar-se sobre ele, quando outro conjunto é iniciada. No entanto, a menos que uma
mudança significativa ocorre, então o cliente deve ser direcionado para retornar ao destino original. Se o pensamento
positivo é reforçado, os conjuntos adicionais devem ser administrados. É especialmente importante para se concentrar
e fortalecer novos pensamentos positivos que são particularmente adaptive para o cliente antes de voltar para o alvo.
Quando os pensamentos negativos e positivos emergem simultaneamente, o cliente deve ser direcionado para
concentrar-se na negativa. Mais uma vez, a indicação negativa está associada com mais disfuncional material que deve
ser metabolizado, considerando que o pensamento positivo está ligado ao material adequado que está a evoluir
espontaneamente para a integração. Todas as associações negativas deve ser reprocessado antes de uma plena
integração. Portanto, se surgirem pensamentos positivos durante as fases posteriores do processamento,
particularmente durante a fase de instalação, os conjuntos deve ser continuado. Insights Insights se tornam-se
progressivamente mais adaptável, o cliente é solicitado a manter a consciência de seus últimos pensamentos durante
o próximo conjunto. Independentemente do que o cliente diz, o clínico deve apenas dizer, "Pense que", e não tentativa
de repetir ou explicar. Processamento permitindo ao progresso livre pode ser extremamente difícil para muitos
médicos, especialmente quando o cliente declarações parecem ter falhas de lógica ou para revelar compreensão
imperfeita. No entanto, é importante para o médico para se lembrar que o tratamento implica uma transmutação do
material disfuncional e um gradual linkup com adequado, útil, informações de auto-reforço. Cada declaração é uma
verbalização do planalto de informações específicas e estágio de processamento. Até o final do processamento de
emdr, cada declaração será menos adaptável totalmente mas irá definir o cenário para o próximo patamar. Se
recordarmos a metáfora de um comboio progredindo a cada nova parada, torna-se claro que a opinião do cliente não
podem ser totalmente funcional até o "última parada" de informação adaptativa é atingido. Desafiando o cliente ou
tentar explicar as suas declarações é equivalente a pedir-lhe para sair do comboio. Em EMDR terapia, o médico tenta
estimular o material disfuncional e processá-lo de forma acelerada com os conjuntos adicionais. O médico deve intervir
intencionalmente apenas se a transformação for bloqueado. (O calendário adequado e intervenções para
processamento bloqueados são discutidos no Capítulo 7.) Mesmo se um cliente acaba de dar um longo discurso sobre
o recém-revelado informações, a simples instrução "Pense Nisso", juntamente com os indicadores não-verbais
adequadas de apoio, que lhe permite concentrar-se no elemento mais pertinentes do que foi relatado. Se o cliente
pedir instruções, o médico deve aconselhá-lo a manter em mente o último ponto pertinente. E afetar a sensação