Você está na página 1de 6

2 ESPECIAL Terça-feira

31 de Dezembro de 2019

tora-chefe do Angolense.

PR VISITOU SETE PROVÍNCIAS EM 2019 As mudanças também


colocaram a qualidade da
governação local na agenda
política do país. Neste mo-

Um novo estilo mento, os governadores são


nomeados pelo Presidente
da República e são, na rea-
lidade, directos represen-
tantes do poder executivo

de governação nas províncias.


A ligação de responsa-
bilidade política com os go-
vernadores é ténue, o que
contribui para a concen-
Entre Janeiro e Dezembro de tração de poder à volta da
figura presidencial e à volta
2019, o Presidente da República da província de Luanda.
Talvez seja por isso que
esteve nas províncias do antes da chegada de João
Lourenço às localidades os
Namibe, Cunene, Huíla, Zaire, serviços públicos esmeram-
se em pintar ruas, escolas
Moxico, Bié e Cuanza-Sul, e edifícios públicos, tapar
buracos e recolher lixo - ac-
sempre acompanhado por uma ções que deveriam ser con-
cretizadas diariamente ou
larga equipa ministerial periodicamente, no âmbito
da manutenção das infra-
estruturas públicas.
A concretização das au-
tarquias poderá contribuir
para alterar esta realidade,
já que passarão a existir Câ-
maras Municipais com líderes
eleitos e que, por isso mesmo,
respondem directamente ao
cidadão-eleitor.
Suzana Mendes defende
que a implementação das
autarquias vai ser “o ponto
de viragem” na governação
local, com os necessários
processos de desconcentração
de poder a provocar mudan-
ças ao nível da gestão do país.
“Acredito que os cida-
DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO
Miguel Gomes República esteve nas pro- Estes dois sectores, a par Municipal (PIIM). Já no Na- dãos terão a oportunidade
víncias do Namibe, Cunene, do desemprego e das con- mibe e Cunene, o foco prin- de exigir mais dos servi-
João Lourenço afastou-se de Huíla, Zaire, Moxico, Bié e dições económicas, con- cipal foi a seca e o plano para dores públicos. É uma ne-
uma das marcas da gover- Cuanza-Sul, sempre acom- centraram a maioria das minimizar os estragos pro- c e s s i d a d e u rg e n te , até
nação do ex-Presidente José panhado por uma larga preocupações e reclama- vocados pela falta de água. porque, ao nível dos mu-
Eduardo dos Santos: as visitas equipa ministerial. E no úl- ções dos cidadãos e da so- nicípios, há muitas carên-
oficiais às províncias fora de timo mês do ano aproveitou ciedade civil. “Toda a diferença” cias. Continuamos a verificar
Luanda tornaram-se corri- para realizar o mesmo tipo Também a mobilidade e Suzana Mendes, jornalista um grande desnível entre
queiras. Foram sete em doze de trabalho de campo na a falta de um serviço público e fundadora do Fórum de as cidades e o meio rural”,
meses. E passou pelo menos província de Luanda. fiável e eficiente de trans- Mulheres Jornalistas para destacou a jornalista.
uma noite em todas elas, ao Quase todas as visitas portes foi assinalado em a Ig u a l d a d e d e G é n e ro Independentemente das
mesmo tempo que realizou provinciais tiveram a mes- diversos encontros com a (FMJIG), acredita que este autarquias, Suzana Mendes
actos oficiais fora das sedes ma agenda ou mantiveram população. No Cuito, pro- tipo de actuação “faz toda também defende que o
provinciais. Mas para alterar uma linha comum: reali- víncia do Bié, foram inau- a diferença”. Presidente da República
o modelo de governação local zaram-se conselhos de aus- gurados sistemas de “É importante que o Pre- “deve ir mais além”, tomar
devem ser implementadas cultação e governação e distribuição de água. No Jornalista Suzana Mendes sidente da República co- medidas para conhecer
as autarquias. foram inauguradas diversas Cazombo, município do Al- nheça a realidade de perto melhor as zonas rurais e
Entre Janeiro e Dezembro obras ligadas a serviços bá- to Zambeze, província do de execução do Programa e possa estar junto dos ci- perceber o contexto em
de 2019, o Presidente da sicos de saúde ou educação. Moxico, foi lançada a fase Integrado de Intervenção dadãos”, disse a antiga edi- toda a plenitude.

JUSTIÇA milhões de kwanzas, dólares e euros do


Estado para benefício próprio.
Zenu dos Santos e ex-governador
Ex-ministro Augusto Tomás entre os condenados de peso Um general
no banco dos réus
do BNA sentados no banco dos réus
Fonseca Bengui curadoria- Geral da República, por indícios Quem também foi parar ao banco dos Outro julgamento mediático, que marcou o ano, é o do antigo presidente
da prática de vários crimes na gestão do réus é o ex-chefe do Serviço de Inteligência do Fundo Soberano, José Filomeno dos Santos “Zenu”, filho do ex-
A Justiça esteve em destaque, em 2019, CNC, instituto público tutelado pelo Mi- Militar (SISM), general António José Presidente da República, José Eduardo dos Santos, e do ex-governador
com o julgamento de vários gestores. nistério dos Transportes. Maria, que acabou condenado, pelo Su- do Banco Nacional, Valter Filipe, que decorre na Câmara Criminal do
Um dos mais mediáticos foi o do ex- O processo envolvia, também, qua- premo Tribunal Militar, a três anos de Tribunal Supremo, ainda sem decisão.
ministro dos Transportes, Augusto da tro ex-gestores do CNC. A antiga di- prisão maior, pela prática do crime de Zenu está a ser julgado por crimes de burla por defraudação, bran-
Silva Tomás, no que ficou conhecido rectora adjunta para a área Financeira, extravio de documentos que contêm in- queamento de capitais e tráfico de influência, num processo em que
como “caso CNC” (Conselho Nacional Isabel Bragança, condenada inicial- formação de carácter militar, previsto e são, também, arguidos o empresário e amigo de Zenu, Jorge Gaudens
de Carregadores). mente a 12 anos de prisão, viu a pena punível pela Lei dos Crimes Militares. Pontes Sebastião, que responde pelos mesmos crimes, e António
O julgamento, que decorreu na Câ- reduzida para seis anos e dois meses, O réu, que começou a ser julgado em Samalia Bule Manuel, ex-director do Departamento de Gestão de
mara Criminal do Tribunal Supremo, na segunda instância. Setembro, foi absolvido do crime de in- Reservas do BNA. Este, juntamente com o ex-governador, são acusados
entre Maio e Agosto, foi conduzido pelo O antigo director-geral, Manuel António subordinação de que foi pronunciado e e pronunciados nos crimes de burla por defraudação, branqueamento
actual presidente desta instituição, Paulo, condenado a 10 anos de prisão, julgado e aguarda a decisão do recurso de capitais e peculato.
Joel Leonardo. na Câmara Criminal, teve a pena reduzida em casa, onde cumpre a medida de coac- Aos arguidos imputa-se a transferirem, ilegalmente, de 500
Acusado de seis crimes, Augusto para cinco anos e dois meses. ção de prisão domiciliar, desde Junho. milhões de dólares do BNA, para uma conta no Crédit Suisse de
Tomás acabaria por ser condenado a 14 O antigo director adjunto para a área António José Maria retirou das ins- Londres, Inglaterra. A transferência era uma espécie de pagamento
anos de prisão, apenas pelos crimes de Técnica, Rui Manuel Moita, também con- talações do SISM, após ser exonerado, avançado para uma empresa criada pelos envolvidos, a fim de
peculato, violação às normas de execução denado inicialmente a 10 anos de prisão, em Novembro de 2017, documentos montar uma operação de financiamento para Angola, no valor de
do Plano e Orçamento e abuso de poder, vai cumprir apenas cinco anos e dois meses. relacionados com a Batalha do Cuito 30 mil milhões de dólares.
sendo absolvido dos demais. O plenário Eurico Silva foi condenado a dois anos de Cuanavale, alegando que os mesmos O plano assentava na constituição de um suposto Fundo de Investimento
do Tribunal Supremo, ao julgar em se- prisão, com pena suspensa. tinham sido adquiridos por ele e não Estratégico e na utilização da empresa Mais Financial Services, S.A.
gunda instância, reduziu a pena para No período entre 2008 e 2017, Augusto pela secreta militar. O referido acervo como instrumento de actuação.
oito anos e quatro meses. Tomás e os gestores do CNC, sendo um custou ao Serviço de Inteligência e Se- A defesa de Valter Filipe arrolou ao processo o ex-Presidente da
Exonerado do cargo de ministro dos deles, Agostinho Francisco Itembo, gurança Militar, que o general Zé Maria República, José Eduardo dos Santos, como declarante, a quem o
Transportes, em Junho de 2018, Augusto director geral entre 2008 e 2015, actual- dirigia desde 2009, dois milhões, qua- Tribunal remeteu um questionário. O ex-governador do BNA alega que
Tomás foi detido em Setembro do mesmo mente em parte incerta, desviaram, atra- trocentos e oitenta e seis mil, quatro- a transferência foi autorizada pelo então Titular do Poder Executivo.
ano, depois de ser interrogado pela Pro- vés de vários esquemas, milhares de centos e setenta oito dólares.
ESPECIAL Terça-feira
31 de Dezembro de 2019 3
KINDALA MANUEL | EDIÇÕES NOVEMBRO

Nascer Livre para Brilhar


O lançamento da campanha grávidas foram registadas
"Nascer Livre para Brilhar", com o VIH, de acordo com
a fim de eliminar a trans- dados do Instituto Nacional
missão do VIH de mãe para de Luta contra a Sida (INLS),
filho, a Expo-Moxico e a re- que indica a existência de
cova de mineiro da Repú- mais 310 mil pessoas a viver
blica Democrática do Congo com esta infecção no país.
ao Luau destacaram-se das A agravar a situação, deste
actividades de 2019. número apenas metade sabe
A campanha, lançada que tem a doença. Estima-
pela primeira-dama da Re- se que nascem no país cinco
pública, Ana Dias Louren- mil e 500 crianças com a pa-
ç o , su rg iu d o fac to d e tologia e 28 mil novas infec-
Angola ter a taxa de infec- ções de sida são registadas,
ção de mãe para filho mais com 13 mil mortos por ano.
alta da Comunidade de De- A intenção desta campa-
senvolvimento da África nha é, até 2022, reduzir para
Austral (SADC). metade a taxa de transmissão
Só em 2017, aproxima- do VIH de mãe para filho
NO CUNENE damente 21 mil mulheres no país.

DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

Sistema para mitigar a seca


é uma das grandes conquistas
Muitos são os eventos que marcaram o país na área social, entre os quais
a resposta à seca que assolou o Sul. Os artigos são da Angop
O início, em Novembro, da do sistema de bombagem e O empreendimento conta de gado, causando a morte
construção do sistema de da conduta a partir de Cafu com financiamento de 200 de 30 mil animais, entre bo-
transferência de água do Rio até Cuamato. milhões de dólares e foi apro- vinos, caprinos e suínos.
Cunene, a partir da localidade Também vai dispor de vado pelo Executivo em Abril Fenómeno cíclico, que
de Cafu até Shana, para mi- uma estação de bombagem de 2019. Inclui a construção remonta a 1995, a seca fez
tigar os efeitos da seca, é um de dois mil metros cúbicos das barragens de Caculuve deslocar ao Cunene o Pre-
dos acontecimentos mar- de água por segundo, uma e do Ndúe, igualmente na sidente da República, João
cante em 2019. conduta de 57 quilómetros província do Cunene. Lourenço, com o propósito
A obra, com duração de e 30 chimpacas (reservatório A seca severa no Cunene, de constatar os efeitos ne-
18 meses, abarca a constru- tradicional de água nas zonas desde Outubro de 2018, afec- fastos sobre a população,
ção de uma central de cap- rurais para o gado). O pro- tou este ano 880.172 mil pes- constituindo outro facto de
tação de água no Rio Cunene, jecto criou 330 empregos. soas e um milhão de cabeças realce no ano que termina.
KINDALA MANUEL | EDIÇÕES NOVEMBRO

As mais-valia
Abraço solidário aos vizinhos congoleses que são os centros
A exemplo de 2017, quando foram
acolhidos, na Lunda-Norte, 35 mil
cidiram, unilateralmente, aban-
donar o Centro do Lóvua e cami-
dos refugiados. Em tempo recorde,
o Governo angolano mobilizou meios
de hemodiálises
congoleses fugidos da violência ex- nhar, sem qualquer meio automóvel materiais indispensáveis para apoiar
trema dos conflitos etno-políticos e outras condições logísticas, até o retorno dos refugiados.
no seu país, Angola voltou a fazê- a fronteira do Tchicolondo, cerca Sem apoios das organizações não-
lo em 2019, prestando toda solida- de 200 quilómetros, para regressar governamentais, Angola conseguiu
riedade aos seus vizinhos. ao seu país. em dois meses realizar o sonho de
Até Julho de 2019, havia mais Mais uma vez, Angola teve que milhares de homens, mulheres e
23 mil refugiados em solo angolano reagir, levando ao terreno uma de- crianças de regressar para refazerem
à espera pelo retorno à RDC, com legação ministerial, encabeçada pelo a vida na sua própria pátria. A acção
garantias do ACNUR para o fazer seu ministro da Defesa, Salviano Cer- e o tempo utilizado fizeram manchete
em Setembro. Mas na madrugada queira, para demove-los da intenção em cadeias noticiosas no país e no
do dia 18 de Agosto, uma decisão de marchar. mundo, motivando a deslocação do
inesperada contrariou o programa A delegação reuniu-se com as au- coordenador residente da Organização
de repatriamento voluntário e mu- toridades da Lunda-Norte e com das Nações Unidas (ONU) em Angola, O Estado poupa mais de me- dois ou três Centros de He-
dou a rotina no Campo de Refu- responsáveis do ACNUR e, em con- Paolo Balladelli, para enaltecer este tade dos 15 mil milhões de modiálises a nível nacional,
giados do Lóvua. junto, traçaram um plano de emer- gesto, se calhar o único em África, Kwanzas gastos, anualmen- bem como o aumento de
Dezoito mil e 800 refugiados de- gência, face à irredutível decisão nos últimos dois anos. te, em pacientes com insu- competências técnicas dos
BENJAMIM CÂNDIDO | EDIÇÕES NOVEMBRO
ficiência renal, com a criação profissionais, a fim de per-
de centros públicos de he- mitir o diagnóstico preco-
modiálise, afirmou recen- ce, para se evitar que os
te m e n te , a m i n i s t ra d a paciente s cheguem ao s
Saúde, Sílvia Lutukuta. serviços de atendimento
Antes da abertura dos em situação renal crónica
quatro centros da Huíla, Mo- e irreversível.
xico e dos hospitais Pediá- A governante considerou,
trico e Geral de Luanda, o entretanto, insuficientes os
Estado gastava cerca de 15 20 médicos nefrologistas
mil milhões de Kwanzas por existentes no país, esperando
ano, o equivalente a dez por que cada centro de hemo-
cento do Orçamento Geral diálises tenha pelo menos
do Estado (OGE), destinados um especialista.
à Saúde, para o tratamento A ministra da Saúde in-
de 1.628 pacientes. formou estar em vista a cria-
Segundo a ministra, a ção de um Centro Nacional
criação de centros públicos de Transplantes, que vai
para o tratamento de doen- contar com as experiências
ças renais é um grande ga- de Portugal, Brasil e África
nho para a Saúde e vem do Sul.
atender doentes com ne- O centro de hemodiálise
cessidades de diálises em inaugurado recentemente,
tempo regular e com a fre- tem capacidade para aten-
quência necessária. der 90 pacientes por dia,
O país conseguiu realizar o sonho de muitos refugiados congoleses de regressar à sua pátria e refazer a vida Em perspectiva, disse, com insuficiência renal,
está a construção de mais em três turnos.
4 ESPECIAL Terça-feira
31 de Dezembro de 2019

BENEFÍCIOS
ACONTECIMENTOS MAIS RELEVANTES DA VIDA ECONÓMICA EM 2019
Liberalização leva
Introdução do IVA à convergência do câmbio
Em Outubro, o kwanza depre- Os bancos começaram a ofe-

e privatizações influenciam ciou-se em 16 por cento face


ao dólar, no auge de um pro-
cesso de desvalorização que
levou a moeda angolana a acu-
recer taxas de câmbio inferiores
à base de licitação proposta pelo
BNA, ao mesmo tempo que o
mercado paralelo revela inca-

a solvência da Nação mular perdas de 31 por cento


face às duas principais divisas
internacionais (dólar e euro)
de Janeiro até àquela altura.
pacidade de oferecer mais kwan-
zas pelas duas divisas, numa
nova evidência de que se está
diante de uma tendência de es-
Quando, a 24 daquele mes- tabilização do mercado cambial.
Crescimento significativo das receitas ligadas aos impostos sobre o mo mês, o governador do Banco A 10 de Dezembro, pouco
consumo e o desengajamento do Estado das actividades produtivas, Nacional de Angola (BNA), José
de Lima Massano, anunciou a
mais de um mês depois da li-
beralização do câmbio, o Jornal
passando empresas e participações para o sector privado, definem o liberalização do câmbio, atribuiu
as acentuadas perdas do kwanza
de Angola noticiou que o dife-
rencial entre as taxas dos mer-
início de um ciclo virtuoso na economia nacional a um cenário em que havia
“uma procura superior à oferta”,
cado secundário (casas de
câmbio) e do mercado informal
sem que houvesse um elemento era, no dia anterior, de apenas
a regular essa relação, o que 8,37 por cento para o dólar e
acabou por conduzir a um aque- 4,28 por cento para o euro.
cimento do mercado informal Esses números comparam-
de câmbios. se com os do início da reforma,
A situação, acrescentou José em Janeiro de 2018, quando o
de Lima Massano, criou “espaço diferencial cambial para o dólar
para que operações legítimas entre as casas de câmbio e o
sejam realizadas em canais in- mercado informal situava-se
formais” e para a formação de em 61,1 por cento.
um mercado cambial alternativo Um ano depois, em Janeiro
absolutamente especulativo, do ano em curso, a diferença
gerando distorções no funcio- diminuiu para 15,5 por cento,
namento da economia. até situar-se em pouco mais de
Peritos da unidade de análise 8,00 por cento nos primeiros
económica da revista britânica 45 dias posteriores à liberali-
“The Economist” escreveram, zação do câmbio. Relativamente
depois, que o rastilho da erosão ao euro, no início do ano de
do kwanza tinha-se dado em 2019, o diferencial era de pra-
Setembro, quando o BNA retirou ticamente 15 por cento, caindo,
o limite de 2,00 por cento na no começo de Dezembro, para
formação da taxa de câmbio. algo mais de 4,00 por cento.
“A retirada do limite de 2,00 Os peritos do FMI que em
por cento, que terá acontecido Novembro estiveram em Angola
no princípio de Setembro, foi para a segunda revisão do Pro-
Cristóvão Neto milhões de kwanzas, influen- em 878 milhões de kwanzas, O conceito mais geral do o gatilho provável para a re- grama de Financiamento Alar-
ciada pelo aumento da taxa às empresas que pagaram o Propriv consiste no afasta- pentina depreciação do kwanza, g a d o ( E F F, s i g l a i n g l e s a )
A introdução do Imposto so- de IVA quando comparada imposto ao longo da cadeia mento do Estado da produção e não um aumento da procura escreveram um relatório, pu-
bre o Valor Acrescentado com as taxas de Imposto de de valor. de bens e serviços, para evitar de importações nas vésperas do blicado a 20 de Dezembro, em
(IVA), em Outubro, afigura- Consumo (IC), bem como A lei prevê um prazo de a dependência do sector pe- Natal nem uma falta de dólares que consideram que a flexibi-
se como uma das decisões pelo alargamento da base tri- 90 dias para a habilitação ao trolífero como base na di- devido ao combate às actividades lização da taxa de câmbio de-
mais transcendentais da po- butária do IVA diante do IC. reembolso, o que as empresas namização da economia pelo criminosas”, escreveram os pe- verá ter efeitos benéficos na
lítica económica aplicada A receita orçamentada do consideram excessivo, por sector privado e na poupança ritos da Economist Intelligence eficácia dos instrumentos de
em 2019, de tal forma, que IVA e do IEC para 2020 é su- poder gerar dificuldades de de receitas para financiar os Unit (EIU). política monetária.
acaba por responder à per- perior em 154 por cento à tesouraria, mas a AGT con- programas públicos, de acor- No terceiro dia útil posterior Os benefícios, apontaram,
gunta sobre que tipo de país obtida com o IC em 2018 (o sidera que o período é inferior do com as declarações dos à liberalização do câmbio, anun- recaem sobre “as operações
e de organização social se último ano em que vigorou ao de 12 meses vigente na representantes institucionais ciada a 24 de Outubro, os bancos em mercado aberto, necessárias
projecta para Angola. em pleno), representando maior parte dos países que que defendem o programa. comerciais compraram, em lei- para reforçar a âncora nominal,
A expectativa gerada pela um flagrante aumento de cobram o IVA. Outros aspectos concep- lão de divisas, 138 milhões de reduzir o risco de distorção da
previsão de um crescimento 432.400 milhões de kwan- tuais defendidos pelo Go- euros de uma colocação de 150 intermediação financeira, facilitar
significativo das receitas as- zas, de acordo com as mes- A vez das privatizações verno são a transparência na milhões, numa primeira indi- a acumulação de reservas, apoiar
sociadas aos impostos sobre mas compilações. O Governo anunciou, em condução do programa, para cação da tendência confirmada a competitividade externa e a
o consumo decorrente da in- Estes números podem Agosto, o Programa de Pri- não abrir caminho à migração semanas depois, das dificuldades diversificação económica, bem
trodução do IVA e do Imposto explicar a persistência com vatizações (Propriv), com o das práticas de monopólio do mercado cobrir a oferta de como encurtar a diferença entre
Especial de Consumo (IEC) que o Governo tratou a qual o Estado passa para o dominantes na economia, divisas no mercado primário. a taxa oficial e a paralela.
está representada no Orça- questão da introdução do sector privado capital integral do sector público para o pri- | EDIÇÕES NOVEMBRO
mento Geral do Estado para IVA, a qual pode ter sub- ou participações em 195 em- vado. O processo também
2020 como parte da aspiração jacente a sedutora pers- presas, 80 das quais ainda trata com delicadeza a questão
do Estado de transformar An- p e c t iva d a re d u ç ã o d a em 2019, quando inicia o pro- da manutenção do emprego,
gola numa nação solvente. dependência do Orçamento cesso que se estende até 2022. sempre que for possível.
É esta última noção que das receitas do petróleo, O cronograma prevê a pri- Um relatório divulgado
dá expressão orçamental à recurso finito e de preço vatização de outras 81 em- em Dezembro pelo Obser-
provisão de bens e serviços volátil a choques externos. presas em 2020, de 12 em vatório Político-Social de
públicos (água, electricidade, Inicialmente prevista pa- 2021 e das restantes quatro Angola (OPSA) e da Acção
saneamento, saúde, educação ra Janeiro e depois para Ju- em 2022, o ano para o qual para o Desenvolvimento Ru-
e estradas) requerido para a lho, a taxa, de 14 por cento, está programada a alienação ral e Ambiente (ADRA), con-
elevação da nossa condição começou a ser aplicada a 1 parcial do capital da Sonangol, sagrado ao Orçamento Geral
comum de cidadania: um de Outubro, quando o IC, por dispersão bolsista. do Estado de 2020, destaca
marco definidor. de 10 por cento e ineficiente Trinta e duas são consi- a redução da dotação para o
Mas ganhos obtidos de do ponto de vista econó- deradas “empresas de refe- sector económico em 28,8
uma tal noção também se mico, foi removido do sis- rência”, contando-se entre por cento, algo que atribui
colocam ao nível da credi- tema tributário. elas o capital integral ou par- parcialmente ao Propriv.
bilidade necessária para atrair Introduzido sob um re- cial no BCI, ENSA, BAI, Bo- O sector económico ab-
o capital privado, com o qual gime transitório, o IVA ab- diva, Banco Económico, sorve 278,5 mil milhões
o Executivo estabeleceu uma sorve novas adesões em Banco Caixa Geral Angola, de kwanzas, correspon-
aliança para a edificação de Janeiro de 2021, elevando o Sociedade de Desenvolvi- dentes a 11 por cento da
um sector produtivo diver- potencial de arrecadação fis- mento da ZEE, Aldeia Nova, despesa fiscal, o que o do-
sificado e competitivo. cal e os níveis de solvência Biocom, Textang II, SATEC, cumento considera estar
Os números, compilados do Tesouro Nacional. África Têxtil, Nova Ciman- assente no Plano de De-
por especialistas, dizem que Durante este mês de De- gola, Secil do Lobito, Cuca, senvolvimento Nacional
o OGE para 2020, o primeiro zembro, a Administração EKA, Ngola, Mota Engil An- que tem, entre as premissas,
adoptado depois da introdução Geral Tributária (AGT) cum- gola, MSTelcom, Net One, a diminuição da interven-
do IVA, prevê uma arrecadação priu o preceituado no Código Unitel, Sonangalp, Endiama, ção do Estado na economia,
global de receitas não petro- do IVA, entregando os pri- Sonair, TAAG, SGA (Enana) dando maior protagonismo
líferas de cerca de 712.300 meiro reembolsos, avaliados e Angola Telecom. ao sector privado.
ESPECIAL Terça-feira
31 de Dezembro de 2019 5
DRAMA
ANO DE 2019 MARCADO AINDA POR DOENÇAS E CATÁSTROFES NATURAIS
Acidente em
África, um continente sempre Moçambique
Ao longo do ano o mundo

abalado por conflitos acompanhou um dos pio-


res dramas vividos no con-
tinente, causados pela
passagem dos ciclones
Idai e Kenneth na região
O recrudescimento das acções armadas em alguns países da região Ocidental Austral de África, cujas
de África, nos últimos meses, chama a atenção para o aumento do extremismo consequências conti-
no continente, onde especialistas estimam já haver dezenas de milhares nuam a atingir as popu-
lações do Centro e Norte
de guerrilheiros ligados a grupos com origem no Médio Oriente de Moçambique e parte
do Zimbabwe e Malawi.
Milhares de cidadãos nes-
ses países ficaram sem
haveres e muitas infra-
estruturas económicas
ficaram destruídas.
Revelam estudos que o
país banhado pelo Índico
foi atingido por nove ciclo-
nes tropicais, nos últimos
cem anos, mas os últimos
foram tão devastadores
que a sua passagem mo-
bilizou a comunidade in-
ternacional, com destaque
para países da região.
O ciclone Idai, que
além de Moçambique,
atingiu os vizinhos Zim-
babwe e Malawi, provocou
cerca de 600 mortes. Foi
o mais dramático. Os fe-
nómenos destruíram tam-
bém os campos de cultivo,
deixando o país na situa-
ção de penúria, cujos efei-
tos continuam a se fazer
sentir nas comunidades.
No Corno de África, cer-
António Canepa ção para o aumento do ex- clusivistas imperantes du- provocado por grupos ex- siderado o homem forte do ca de 15 milhões de pes-
tremismo no continente, on- rante algum tempo e os an- tremistas armados com li- país, e o Exército do Governo soas estão ameaçadas pela
Em África, os apelos conti- de especialistas estimam já tigos métodos de governação gações ao Daesh (Estado de União Nacional, estabe- seca, no Quénia, Etiópia
nuam a apontar para o fim haver dezenas de milhares se revelarem ineficazes e ca- Islâmico) e à al-Qaeda, a re- lecido na capital, Tripoli, e e Somália.
dos conflitos armados, da de guerrilheiros ligados a ducos, com tendência para gião continuou igualmente reconhecido pela comuni-
violência inter-étnica; para grupos com origem no Médio a estabilização política, eco- assolada pela violência de dade internacional, que até
o fortalecimento das insti- Oriente. A luta contra o “ter- nómica e social, persistem, origem étnico-religiosa, ali- aos últimos dias já provocou
tuições governamentais, a rorismo” no Sahel, a guerra ainda muitos dos problemas mentada pelos elevados ín- milhares de mortes e centenas
boa governação e criação de no Nordeste da República de há décadas, que colocam dices de pobreza, seca e de milhares de deslocados.
condições para a consolida- Democrática do Congo, alia- as lideranças perante os mes- outros fenómenos naturais A guerra está a desestru-
ção da democracia, feitos da ao combate da epidemia mos desafios. que provocaram também a turar praticamente o país, dei-
pela comunidade interna- do ébola, a violência, causada Na região do G5 do Sahel fuga massiva de pessoas, in- xando a Líbia numa situação
cional em defesa das comu- por ataques de grupos ar- (Burkina Faso, Chade, Mali, cluindo jovens, para países de vulnerabilidade. Durante
nidades . O fim do terror, mados no Norte e Centro de Mauritânia e Níger) assis- vizinhos, à procura de se- este período, multiplicaram-
fome, pobreza e do desem- Moçambique, a situação da tiu-se, quase diariamente, gurança e oportunidades se os grupos radicais islâmicos,
prego foram, igualmente, seca e catástrofes naturais a mortes de cidadãos ino- para o seu futuro. muitos dos quais de origem
dos maiores desafios dos Go- no Corno de África, desta- centes, perda de bens, des- ou com ligação a Al-Qaeda,
vernos africanos no ano que caram-se entre os aconte- truição de infra-estruturas, Guerra na Líbia que, influenciados pelos acon-
agora finda. O recrudesci- cimentos que marcaram o com rasto de extrema po- Muito preocupante continua tecimentos no Médio Oriente,
mento das acções armadas continente no ano findo. breza entre as populações e a ser a guerra que eclodiu na procuram agudizar o caos,
em alguns países da região Apesar de os rumos da a fragilização de quase todo Líbia, em Abril deste ano, saquear as riquezas e im-
Ocidental de África, nos úl- história indicarem para a tecido económico, social e entre as forças militares do plantar um Estado que sirva
timos meses, chama a aten- mudança dos sistemas ex- humano. Além do terror, marechal Khalifa Haftar, con- os seus interesses.

Mais seca e outros males investimentos, que permitem


criar outros níveis e melhores
condições no continente.
República Democrática do Congo
Corno de África precisa A região Austral, apesar
da estabilidade em termos Luta contra o ébola continua
de conflitos armados, enfrenta
de mais investimentos o fenómeno da seca, que, se- O ano ficou, igualmente, mar- ções sanitárias internacionais princípio, com campanhas de
gundo dados disponíveis, cado pelo aumento de mortes e a OMS, consideram que a epi- sensibilização, sobretudo no
Na região Central e no Corno em busca de condições e pers- ameaça mais de 45 milhões pelo vírus do ébola no Leste demia só pode ser vencida com meio rural, onde reside cerca
de África, além dos conflitos, pectivas para o futuro. de pessoas. A Zâmbia e o Zim- da vizinha República Demo- o fim da instabilidade militar de 85 por cento da população.
as populações sofrem tam- Muitas vezes, a fuga é feita babwe são tidos como os crática do Congo (RDC), que, que se vive nas regiões mais Mas o recrudescimento do con-
bém com as consequências em condições precárias e de mais críticos, embora o Bots- além disso, é atingido por um afectadas, instalada há vários flito armado está a dificultar
da seca constante e calami- extremo risco. Como foi noti- wana, Lesoto e Namíbia es- conflito armado que dura dé- anos por grupos armados alguns estas acções, levando à sus-
dades naturais, que provo- ciado ao longo do ano, muitas tejam seriamente atingidos cadas, no Nordeste. Sem contar deles formados nos países vi- pensão da vacinação e de cam-
caram a fuga de milhares de pessoas, entre mulheres e e procurem melhores formas com situações contabilizadas zinhos que procuram desesta- panhas de sensibilização.
pessoas à procura de regiões crianças, fizeram-se ao Mar para mitigar as consequências, de contágio, que acabaram bilizar o Governo de Kinshasa. Observadores consideram
com melhores condições para Mediterrâneo, tendo centenas enquanto esperam que a si- em cura, estima-se que mais A eliminação da epidemia que o surto, o segundo mais
a agricultura e criação de ga- delas perdido a vida. O fenó- tuação melhore, com aumen- de três mil casos foram noti- é, neste caso, um outro desafio mortífero na história, é ape-
do, as principais actividades meno é associado também à to das chuvas.O fenómeno ficados nos últimos meses e enorme para as autoridades nas ultrapassado pela epi-
de subsistência. falta de vontade política dos deixou um défice de cerca de cerca de duas mil pessoas mor- locais e instituições sanitárias demia que entre 2014 e 2016
Diariamente, milhares de dirigentes africanos, que são mais de nove milhões de to- reram, vítimas da doença, des- internacionais, uma vez que atingiu a África Ocidental e
pessoas movimentam-se de acusados de quase nada ou neladas de cereais, incluindo de o surgimento do vírus, em novos casos se têm registado, que matou mais de 11.300
um lado para o outro, inclusive pouco fazerem para melhorar em países habitualmente Agosto do ano passado.A si- quase todas as semanas, nos pessoas. A RDC foi palco de
de um país para o outro ou até a vida dos cidadãos nos res- considerados grandes pro- tuação é pior nas zonas rurais últimos meses. A situação, que dez epidemias de ébola desde
mesmo para fora do continente, pectivos países. Por isso, es- dutores, como a África do Sul, e as autoridades congolesas, mobilizou a comunidade inter- 1976, segundo dados dispo-
principalmente para Europa, pecialistas defendem mais segundo os especialistas. em parceria com as organiza- nacional, foi acompanhada, no níveis até hoje.
6 ESPECIAL Terça-feira
31 de Dezembro de 2019

Liceu Vieira Dias, Yannick Afroman, Latedjou, Don Sebas, Wigroove…


Nomes e momentos
que elevaram a cultura em 2019
O xadrez da cultura conheceu mudanças no seu cadeirão Maria da Piedade ainda se espera “acutilância”, nesta aplaudida. Em Março, o acontecimento de vulto, que, por
máximo, quando o Presidente da República, João Lourenço, matéria onde o semba foi indigitado velocista, na corrida isso mesmo, mereceu referência foi a participação de Ndaka
tirou o leme da Cultura, em Junho, a Carolina Cerqueira ao Património Imaterial da Humanidade. Na mesma esteira Yo Wiñi no Festival Internacional de Jazz de Cape Town,
e entregou-o a Maria da Piedade de Jesus. Arqueóloga de alinha-se a indicação de Aguinaldo Cristóvão para secretário na África do Sul.
grande sensibilidade para os assuntos do património, de de Estado da Cultura. Uma entrada no Executivo amplamente Matadi Makola

MÚSICA
Patrícia Faria chega
“De Caxexe” e Português
vai até à “Alma”

Artes Plásticas
Este foi o ano dos festejos do centenário de de Matias Damásio, foi o quinto mais visto
Don Sebas na “… Geografia de Afectos”
Liceu Vieira Dias, considerado o “pai da moderna por aquelas bandas. Aberta ao público a 8 de Outubro, no Centro Eduardo Vueza estreia-se, em Agosto, com
música angolana”, acolhido em Maio no Centro No rescaldo de estrelas que vieram a Angola, Cultural Português de Luanda – Camões, Don “Transformismo”, na Galeria da Escom. Entretanto,
de Estudos da Universidade Católica de Angola. conta-se a dupla Beto Dias e Suzana Lubrano, Sebas Cassule investiu toda a sua pincelada em foi igualmente um ano especial para o escultor
Corria o mês de Abril, quando Puto Português a gambiana Sona Jobarteh, que mostrou, “Memórias de Viagens e Geografia de Afectos”. Mpambukidi Lufindi, que comemorou as “bodas
vendeu, na Praça da Independência, a sua num espectáculo aclamado, as virtuosidades Dias depois, viu-se em maré de afectos com as de ouro” da carreira, com a exposição “Espírito
“Alma”, o quarto álbum da carreira. Em Setembro, da sua kora e, já bem na recta final, Lokua felicitações pelo Prémio Nacional de Cultura e de União”, apresentada, em Agosto, no Centro
na Casa Rede, Maria-Grácia Latedjou conseguiu Kanza partilhou o palco com Dodó Miranda, Artes, na disciplina de Artes Plásticas. Cultural Camões.
ser “Língua Livre”, o seu segundo disco, com o na Tenda Aurora Lopes. Onze anos após a
qual seguiu para Alemanha. sua morte, Teta Lando, figura de proa da
Na praça da Independência, isto em Ou-
tubro, Patrícia Faria quebrou o jejum de dez
música angolana, tem o seu génio reconhecido,
ao ser premiado, a título póstumo, com o YANNICK E O “BAKONGO”
anos, ao chegar “De Caxexe”, com o seu mais Prémio Nacional de Cultura e Artes, na disciplina
recente trabalho discográfico. Anunciado
para Novembro, Totó ST cumpriu a promessa
e lançou “Nga Sakidila”. De Portugal, chegaram
de Música.
Organizativamente, saúda-se a União Nacional
dos Artistas e Compositores (UNAC-SA), que ...
O ano do rap
relatos a confirmar que o vídeo “Teu Olhar”, já tem direcção… Colocados os acontecimentos no balaio,
quer se aceite, quer não, este foi decisivamente
o ano do hip hop, uma “kultura” que vem
Literatura somando adeptos e assumindo notoriedade
desde os anos 1990. Novidade a mais para

O prémio mais importante muitos que se assumem “conservadores” e


ainda longe dos carinhos oficiais da agenda do

para Agualusa Ministério, o hip hop foi, neste ano de 2019, um


grande palco de realizações, com realce para a
primeira edição do internacional Luanda
Para este ano, o grande acon - Kandjimbo propõe, em ensaio, Hip Hop Fest. Ainda em Outubro, o rapper
tecimento das letras foi a no- “Alumbu - O Cânone Endógeno alemão Musa e a DJ Sarah Shakir
meação, há muito merecida, no Campo Literário Angolano realizaram um concerto, na rua 12 de
de José Eduardo Agualusa, co- - Para Hermenêutico Cultural”. Julho, no Sambizanga, no âmbito da
mo Prémio Nacional de Cultura Antes, em Setembro, João digressão da dupla por África. Dito
e Artes, na disciplina de Lite- Tala visiona “Além da Noite”, ao nosso modo, o rap afastou todos
ratura. Esta grande pena das com duas novelas curtas. Para os preconceitos de aceitação que o
letras angolanas classi ficou o fechar com chave de ouro, Men- inibiam e foi feliz. Depois de várias
momento como sendo “um donça sai do “Reino das Casua- tentativas de tomada do galardão de
tempo novo de pa ci ficação no rinas” a pensar “Se os Ministros “o mais querido do ano”, Yannick
país”. Morassem no Muceque”, em ree- invocou toda a força “bakongo” para
Ainda em Novembro, Fragata dição re for mulada, apre sen - garantir que o título do Top dos Mais Queridos
de Morais ressurge na pele de tada ao público no dia 19 de não lhe escapasse, sendo a primeira vez para um
“O Senhor das Águas” e Luís Dezembro. artista de rap. Yannick já teve “praticamente”
este prémio ao seu alcance, tendo se contentado
com o segundo lugar, nas edições 2009 e 2014.

Cinema DANÇA Dada como o “parente po- à África do Sul, para o On-

Um pouco “Para lá dos Meus Passos” Dupla Wigroove bre” dentro da agenda cul-
tural, fazendo o possível
tercontinental Global
Dance Supreme, o mais

Ao Cineasta Dorivaldo Cortez, pela produção e Em Novembro, registe-se a estreia nacional


é campeã africana e o necessário para “se
movimentar”, a dança não
importante festival do es-
tilo em África.
realização de obras, com destaque para o filme do documentário “Kalunga, o Mar de Angola”, de pára de dar o ar da sua Nas batalhas, a dupla
“Falso Perfil”, recaiu o Prémio Nacional de Cultura Bernardo Gramaxo. Um produto caro, o cineasta graça, num ano em que o angolana Wigroove foi a
e Artes, na disciplina de Cinema e Áudio Visual. Jorge Cohen reiterou, numa ocasião oportuna, hip-hop se destacou. Foi campeã africana, na cate-
Entre as produções independentes, destaca-se que as críticas ao cinema angolano devem ser em Setembro que um nú- goria de Popping, enquanto
“Para Lá dos Meus Passos”, um documentário da ponderadas, porque “alguns chegam a comparar mero de dez bailarinos, Grove e Monster consegui-
produtora Geração 80, realização de Kamy Lara e um filme nacional com produções de grandes com o patrocínio da Red ram o terceiro lugar na ca-
Paula Agostinho. estúdios dos Estados Unidos”. Bull Angola, deslocou-se tegoria Estilo Aberto.
ESPECIAL Terça-feira
31 de Dezembro de 2019 7
DOMÍNIO NO CONTINENTE VITÓRIA NOS JOGOS AFRICANOS
Guerreiros de ouro
Futebol com muletas Digna de destaque igual-
mente o triunfo da Selecção
Nacional sénior masculina
de andebol que, neste ano
apesar de terem feito uma
preparação sem contarem
com o apoio e os recursos ne-
cessários para uma emprei-

dá prenda à Nação conquistou um título conti-


nental no género. Depois de
duas tentativas falhadas nos
Jogos Africanos, os Guerrei-
ros, comandados pelo técnico
tada de tamanha envergadura.
Mas, a geração de ande-
bolistas liderada pelo treinador
Filipe Cruz soube contornar
as dificuldades, ficou focada
angolano Filipe Cruz, con- apenas no objectivo de al-
Selecção Nacional junta conquista do Campeonato Africano seguiram transpor a barreira cançar a meta: ganhar a me-
da medalha de prata, supe- dalha de ouro nos Jogos
à vitória no Campeonato do Mundo disputado no ano passado rando os "papões" do Egipto, Africanos deste ano.
com quem tinham perdido Tal como era previsível,
as finais dos jogos de Mapu- a selecção feminina voltou
Amândio Clemente O feito do combinado na- primeira participação num Para o presidente do Co- to'2011 (Moçambique) e de a vencer a competição, vin-
cional de futebol com muletas Campeonato Africano, dis- mité Paralímpico Angolano, Brazzaville'2015 (Congo). cando a hegemonia no con-
A vitória da selecção Nacional ganha particular importância, putado em 2008 na Libéria, Leonel da Rocha Pinto, as Depois de nas últimas edi- tinente. Para as Pérolas o
de futebol com muletas no pelo facto de ser conquistado onde ocupou o lugar mais conquistas dos futebolistas ções dos Campeonatos Afri- torneio dos Jogos Africanos
Campeonato Africano da es- por uma geração de despor- baixo do pódio, o que mo- com muletas “é uma grande canos da categoria terem serviu para a equipa ganhar
pecialidade, disputado na ci- tistas, jogadores, técnicos, tivou-o a perseguir outros prenda que os atletas dão à ocupado com regularidade o rodagem para o Campeonato
dade de Benguela, em oficiais e a direcção do Comité patamares, alcançado na Nação Angolana, até porque último lugar do pódio, Filipe do Mundo, que terminou
Setembro, foi sem sombra de Paralímpico Angolano que, edição de 2013, que decor- muitos deles são vítimas das Cruz e pupilos romperam a recentemente nem Yama-
dúvida, um dos aconteci- cada um à sua maneira e com reu no Quénia, com a con- minas, outros foram mili- barreira do terceiro lugar e moto, Japão, onde ocuparam
mentos desportivos do ano e os recursos que tinham em quista da medalha de prata. tares. Creio que esta con- pularam para a consagração, a 15ª posição.
veio colocar a "cereja em cima mão, demonstraram capa- No palmarés da Selecção quista vem no momento DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO
do bolo", depois da conquista cidade de superação, foco nos Nacional consta a disputa certo”, disse na ocasião.
do Campeonato do Mundo objectivos, organização e, de Campeonatos do Mun- O dirigente considerou
no ano anterior, disputado acima de tudo, muita ambição. do, onde em 2013 foi vice- também que as consagra-
no México, num ano que a A vontade de vencer, do campeã, para na edição ções no Mundial e no Afri-
Selecção Nacional de andebol grupo liderado em campo seguinte em 2018 conseguir cano, “solidifica o espaço”
sénior masculino conquistou, pelo técnico Augusto Bap- pela primeira inscrever o do desporto adaptado como
pela primeira vez uma com- tista "Cheto", começou a nome de Angola na lista referência nos círculos des-
petição continental. ser demonstrada logo na dos vencedores. portivos angolanos.

SANTOS PEDRO | EDIÇÕES NOVEMBRO

PARTICIPAÇÃO BRILHANTE
Mundial Sub-17
Feito digno de registo foi a andanças, acabando por
qualificação inédita da se- terminar a participação nos
lecção Nacional para a fase oitavos-de-final, onde fo-
final do Campeonato do ram derrotados pelos anfi-
Mundo Sub-17 de Futebol , triões, que se sagraram
onde os jogadores angolanos campeões mundiais. Foi a
mostraram o perfume do terceira participação do país
seu futebol, logrando ul- num Campeonato do Mundo
trapassar a barreira da fase de futebol, depois das pre-
preliminar da competição, sença da selecção Sub-20,
onde além de jogarem de na Argentina em 2001e dos
forma vistosa competiram Palancas Negras na edição
de igual com selecções mais da copa disputada na Ale-
cotadas e experientes nestas manha, em 2006.

FRANCISCO BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

JOVENS EXIBEM QUALIDADE MUNDO FORA


Jiu-Jitsu dourado
O Jiu-jitsu, na versão brasileira, anos, -27 kg e faixa amarela, Yura Síndrome de Down, obteve a me-
é uma modalidade que aos poucos Ataíde, classe infanto-juvenil, - dalha de ouro na primeira edição
está a ganhar expansão no país 48 kg, faixa laranja, Rafael de do campeonato brasileiro de jiu-
e é cada vez maior o número de Jesus, 48 kg, infanto-juvenil, faixa jitsu paradesportivo. Em Agosto,
academias e praticantes em todo laranja, e Cristian Chaves, -56 kg, Kiriana Neto voltou a subir ao
o país. Neste ano que finda, trou- infanto.juvenil, faixa laranja. lugar mais alto do pódio, no tor-
xe muitas alegrias para o país Kiriana Neto venceu na final neio internacional NAGA West
com a conquistas de várias me- a brasileira Maria Mascarenhas, Coast Grappling Tournament,
dalhas de ouro, em competições Yura Ataíde derrotou a austra- em Las Vegas, Estados Unidos
de nível planetário. liana Just Legasp,Rafael de Jesus da América, ao derrotar na final
Na XI edição do Campeonato bateu na meia-final o russo Danil a campeã europeia Evolet Elise,
do Mundo de Jiu-Jitsu Profissional, Kolomitsev e na final o austra- da Dinamarca.
decorrido em Abu Dhabi, Emirados liano Benjamin. Destaque também para a me-
Árabes Unidos, de 22 a 30 de Abril, A saga dourada deste desporto dalha de ouro conquistada por
a selecção nacional arrebatou de combate continuou no mês Igor de Carvalho, no Mundial de
quatro medalhas de ouro, con- de Junho, quando o atleta Ivan fisioculturismo, realizado em
quistada por Kiriana Neto, sete Laranjo, 18 anos e portador de Luanda, no mês de Agosto.

Você também pode gostar