Você está na página 1de 41

SALOMÃO RODRIGUES

Com esses 5 passos você vai aprender e evoluir no violão mesmo que você dependa
“AINDA” de cifras ou não saiba fazer batidas e dedilhados das suas músicas preferidas.

Se você ainda não me conhece sou Salomão Rodrigues fundador do projeto VIOLÃO EM
FOCO e já ajudei milhares de pessoas ao redor do brasil a realizarem o seu sonho de
aprender e evoluir no violão e agora chegou a hora de ajudar você. Elas aprenderam e
tiveram resultados, então somente siga essas dicas e vai dar certo.

Não precisa se preocupar se você ainda não sabe fazer um acorde direito ou não consegue
trocar de acordes na hora certa, ou até mesmo depende ainda de cifras para tocar e não
consegue tirar músicas de ouvido.

O que vou te mostrar agora é algo que realmente funciona e que vai te ajudar muito a
chegar rapidamente nos seus objetivos.

Inclusive é engraçado como eu descobri isso, se você acha que não consegue aprender
então vou te contar minha história.

No ano de 2006 eu tinha um sonho de aprender a tocar violão e foi quando peguei pela
primeira vez, só que eu não conseguia tirar som do violão e eu via meus amigos começando
a tocar e evoluindo cada vez mais e me sentia mal por isso, tentava tocar igual a eles só que
acabavam rindo de mim e eu ficava triste por não saber tocar, até porque, era meu sonho
um dia tocar com pessoas famosas. Só que sem incentivo de niguém pensei em desistir de
aprender a tocar violão porque achava muito difícil e não conseguia fazer pestana e
batidas. E isso acabou me desmotivando.

Mas continuei pesquisando para eu aprender a tocar mesmo desmotivado e triste com
meus resultados ainda tentava tocar e melhorar meus acordes, até que no dia 12 de
fevereiro de 2007 minha avó me deu uma guitarra azul da marca condor do modelo rx 20s
fiquei super feliz com o presente de aniversário.

E a partir daquele dia decidi focar e aprender a tocar violão e guitarra de verdade.Comecei
diariamente a estudar o violão, a pesquisar como fazer acordes, melhorar minhas batidas e
como não depender de cifras .

Foi a partir de muitos estudos e práticas que depois daquele dia descobri diversas técnicas
que mudaram a minha vida e que agora vou te passar.

Aplicar isso que vou te passar agora me proporcionou a realizar o meu sonho de aprender a
tocar violão e toquei com os maiores nomes do meio gospel como William Nascimento,
Klev Soares, Jozyanne, Josué Lopez, Wesley Santos e muito mais.
1º Passo Aprenda o Básico

NOTAS MUSICAIS
Vamos começar falando sobre notas musicais.

Uma escala musical é formada por sete notas, sendo a primeira nota repetida no final.

Exemplo:

Escala de Dó = Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – La- Si – Dó. Quando tocamos só uma corda


do violão (solta ou presa).

ela não tem “sobrenome”, não é Maior nem menor, é só uma nota. Cada nota musical
é representada por uma letra que são chamadas de cifras.

Segue abaixo um exemplo:


Quando falamos em acordes temos que fazer várias notas ao mesmo tempo (no
mínimo 3) e dependendo dessas notas temos a classificação do acorde como Maior ou
menor.

1 – SEMITOM
Semitom é a menor distância entre duas notas musicais. 1 Semitom corresponde a 1
casa no violão.

2 – TOM
Tom são 2 semitons ou seja 2 casas no braço do violão.

3 – SUSTENIDO #
São chamados de acidentes as notas entre a escala natural. Tem 2 formas de serem
chamados, uma delas é Sustenido que vem de suspendido ou seja uma nota meio
tom acima no caso uma casa do violão acima e são representados por #.
4 – BEMOL
A outra forma é chamada de Bemol que é o inverso do Sustenido. No caso do bemol
voltamos uma nota ou uma casa no violão e é representado por b.

Segue abaixo o exemplo da escala natural:

Segue abaixo o exemplo da escala cromática com os acidentes:

Obs: Entre MI, Fá e SI, DÓ não existe acidentes.


Resumindo:
1. Existe 7 notas musicais na escala natural.
2. Semitom é a menor distância entre duas notas.
3. Tom é a soma de dois Semitons.
4. Sustenido e Bemol são acidentes na escala natural.
5. Existe 5 acidentes na escala natural.

NOME DAS NOTAS DE CADA CORDA


DO VIOLÃO
Aqui veremos uma coisa bem simples porém muito importante.

O assunto de hoje se trata dos nomes de cada corda do violão.

Abaixo segue uma lista do porque é importante saber os nomes das cordas:

 Para poder afinar corretamente cada corda.


 Para localizar cada nota no braço do violão.
 Para não se perder ao fazer um acorde no violão.

Vimos a importância de saber os nomes agora vamos falar a ordem e os nomes de


cada corda:
1. Corda MI representada pela cifra E
2. Corda SI representada pela cifra B
3. Corda SOL representada pela cifra G
4. Corda RÉ representada pela cifra D
5. Corda LÁ representada pela cifra A
6. Corda MI representada pela cifra E

Na imagem abaixo exemplificamos a ordem e os nomes de cada corda:

Agora faça um exercício mental e decore a ordem e os nomes de cada corda.

Feito isso você vai ver como aprender a tocar violão ficará mais
fácil.
NOTAS NO BRAÇO DO VIOLÃO
Para você fazer qualquer coisa no violão seja uma nota ou um acorde, é necessário
saber todas as notas no braço do violão antes de tudo.

Agora que você já sabe os nomes das cordas vamos passar alguns macetes para
localizar as notas ao longo do braço do violão.

Abaixo segue todas as notas do braço do violão:

Notas em todo o braço do violão.

Temos todas as notas no braço, sendo que se observar temos uma escala cromática
em cada corda.

Por exemplo partindo da corda MI temos 12 notas até repetir o MI formando


assim 7 notas musicais e 5 acidentes.

Para não ficar pulando de casa em casa ou nota por nota podemos pular os acidentes
e assim localizar melhor as notas:
Veja abaixo:

Localizando as notas no braço do violão pulando os acidentes.

Agora vamos aprender como localizar as notas em outras regiões do braço.

Sabendo o nome e a localização de uma nota você consegue facilmente localizar essa
mesma nota em outra corda e outra casa do violão.

Chamamos essas notas de oitavas ou seja a mesma nota uma oitava acima ou uma
oitava abaixo.

Localizando as notas no braço do violão em outras casas e cordas através das oitavas.

Através disso conseguimos localizar todas as notas em todas as cordas e casas do


violão. Aprendendo e memorizando isso podemos entrar em outro assunto.
2º Aprenda Apenas a Teoria
Necessária

INTERVALO MUSICAL
Agora vamos aprender a medir a distância entre duas notas e chamamos isso de
intervalo.

Cada nota da escala é representada por uma ordem, ou seja um número que
identificará a distância da primeira nota referente a segunda.

Vamos usar a escala de DÓ para exemplificar esses intervalos.


Na imagem acima temos a nota de referencia sendo o DÓ

Note que o RÉ referente ao DÓ é a segunda nota portanto temos um intervalo de


2ª(segunda), outro exemplo é o LÁ que é a 6ª(sexta) do DÓ.

Podemos aplicar essa lógica para qualquer nota.

Por exemplo:

Partindo da nota SOL o LÁ é a 2ª( segunda) do SOL. Outro fato extremamente


importante é não levar em consideração a distância de TOM ou seja DÓ para o MI é
um intervalo de 3ª.

Assim como DÓ para o MI Bemol também é um intervalo de 3ª.

No primeiro exemplo temos um intervalo de 2 Tons, que é classificado como terça pois
o DÓ é a primeira, o RÉ é a segunda e o MI é a terça.

No segundo exemplo temos um intervalo de 1,5 Tons, mas também classificado como
terça, pois vamos de um DÓ para um MI (mesmo que seja MI bemol) da mesma forma.

Essa diferenciação pela distância em tons será feita apenas quando qualificarmos os
intervalos, com as diferenciações entre maiores, menores, justos, aumentados e
diminutos.

A nomenclatura correta dos intervalos é:


 1ª Primeira
 2ª Segunda
 3ª Terça
 4ª Quarta
 5ª Quinta
 6ª Sexta
 7ª Sétima
 8ª Oitava
Formação de Acordes – O Que
Ninguém Te Conta
Basicamente não só vamos te ensinar a formar um acorde como vamos também
ensinar a fórmula “mágica” para construir um acorde.

Os acordes são compostos por 3 notas que podemos chamar de tríade. Como
mencionado anteriormente, existe intervalos entre cada nota e vamos aplicar esses
intervalos na construção dos acorde formando assim a fórmula “mágica”.

Segue abaixo os acordes com a tríade de cada um deles. Ou seja cada acorde maior é
formado por 3 notas, são elas:
Para formar o acorde de DÓ você precisa usar a seguinte formula de intervalos:

 1ª DÓ
 3ª MI
 5ª SOL

Chamamos de Tônica, Terça e Quinta. Essas 3 Notas são chamadas de tríade


formando assim os acordes naturais.

Para formar os acordes menores basta alterar a 3ª meio tom abaixo como segue o
exemplo:

Nesse caso podemos ter uma tríade maior ou menor, porém podemos ter outras
tríades que formam acordes mais complexos, Segue abaixo exemplos de tríade:
1. Tríade Maior:
É formada pelos graus: 1º maior, 3º maior e 5ª justa.
Notas: DÓ, MI e SOL
2. Tríade Menor:
É formada pelos graus: 1º maior, 3º menor e 5ª justa.
Notas: DÓ, MI Bemol e SOL
3. Tríade SUS4:
É formada pelos graus: 1º maior, 4ª justa e 5ª justa
Notas: DÓ, FÁ e SOL
4. Tríade Aumentada:
É formada pelos graus: 1º maior, 3º maior e 5ª aumentada.
Notas; DÓ, MI E SOL Sustenido
5. Tríade diminuta:
É formada pelos graus: 1º maior, 3º menor e 5ª diminuta.
Notas: DÓ, MI Bemol E SOL Sustenido

Quando você sabe como o acorde é formado, futuramente saberá fazer inversões e
etc…

É muito importante saber essa fórmula “mágica” então estude bastante esse princípio
básico.

Recapitulando
 Para saber formar um acorde é preciso saber intervalos
 Usamos os seguintes intervalos para formar um acorde maior: 1º, 3º e 5º.
 São chamada de tríade as 3 notas que formam o acorde.
 Você pode aplicar a tríade em qualquer acorde formando uma fórmula “mágica”.
3º Domine as Escalas Para
Elas Nâo te Dominarem
ESCALA MAIOR
1. O que são escalas?

Basicamente uma escala musical é uma sequencia de notas (não de acordes),


que geralmente tem 7 notas(existem algumas exceções).

Para identificar e caracterizar uma escala maior precisamos saber quais notas
compõe.

Vamos usar a escala de DÓ com exemplo.

Escala de DÓ Maior

Note que cada nota tem um número ou seja uma posição. Para definir qual nota se
encaixa no tom específico precisamos saber uma fórmula. Segue o exemplo abaixo:

TOM TOM SEMITOM TOM TOM TOM SEMITOM

Isso é a distância que cada nota precisa para chegar a próxima nota da escala.
As distâncias entre as notas são essas:

DÓ – (1 TOM) – RÉ – (1 TOM) – MI – (MEIO TOM) – FÁ – (1 TOM) – SOL – (1 TOM) – LÁ – (1 TOM) – SI


– (MEIO TOM) – DÓ

Repare que temos MEIO TOM entre o 3º grau (MI) e o 4º grau (FÁ). Também
temos MEIO TOM entre o 7º grau (SI) e o 8º grau, que é a repetição do 1º grau (DÓ).

Essa é a fórmula para montar uma escala maior. Feito isso você saberá montar a
escala em qualquer tonalidade.

Por exemplo:

Escala de RÉ Maior ficaria dessa forma:

RÉ – (1 TOM) – MI – (1 TOM) – FÁ# – (MEIO TOM) – G – (1 TOM) – A – (1 TOM) – SI


– (1 TOM) – DÓ# – (MEIO TOM) – RÉ

Obs: Veja que tivemos que acrescentar o acidente # à nota FÁ para que a distância
entre o 2º grau e o 3º grau fosse de 1 TOM. Caso deixássemos o FÁ natural essa
distância seria de apenas MEIO TOM e essa escala não seria maior. O mesmo
aconteceu com o DÓ#.

Para montar a escala maior em qualquer TOM basta seguir a fórmula abaixo:

1º – (1 TOM) – 2º – (1 TOM) – 3º – (MEIO TOM) – 4º – (1 TOM) – 5º (1 TOM) – 6º (1


TOM) – 7º – (MEIO TOM) – 8º

Agora podemos aplicar essa fórmula:

MI MAIOR:

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

FÁ MAIOR:

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

SOL MAIOR:
____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

LÁ MAIOR:

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

SI MAIOR:

____ ____ ____ ____ ____ ____ ____

Respostas:

MI MAIOR:

MI FÁ# SOL# LÁ SI DÓ# RÉ#

FÁ MAIOR:

FÁ SOL LÁ SIb DÓ RÉ MI

SOL MAIOR:

SOL LÁ SI DÓ RÉ MI FÁ#

LÁ MAIOR:

LÁ SI DÓ# RÉ MI FÁ# SOL#

SI MAIOR:

SI DÓ# RÉ# MI FÁ# SOL# LÁ#

Recapitulando:

 Escala é uma sequência de notas e não de acordes


 Basicamente são formadas por 7 notas
 A fórmula da escala maior é: 1º – (1 TOM) – 2º – (1 TOM) – 3º – (MEIO TOM)
– 4º – (1 TOM) – 5º (1 TOM) – 6º (1 TOM) – 7º – (MEIO TOM) – 8º
 Com essa fórmula podemos obter a escala maior em qualquer TOM.
Agora vamos ver 5 modelos de digitação da escala no braço do violão
Segue abaixo modelos de escalas à partir dos acordes:
Escala Menor – Você Precisa Saber
Disso
O que muitas pessoas não sabem é que a escala menor é basicamente a escala
maior.

Não entendeu? Calma, vou te explicar.

Quando falo que a escala menor é a mesma escala maior isso é verdade, porém
precisamos olhar de outra perspectiva.

A escala menor ela é igual a maior se começar pelo 6º grau, ou seja toda escala maior
tem uma escala menor relativa.

Para entender melhor vamos dar o seguinte exemplo:

Escala de DÓ Maior

Se você olhar para a escala de DÓ o 6º grau é o LÁ, logo a escala de DÓ Maior tem a
escala de LÁ Menor como relativa.

Para formar a escala de LÁ Menor basta começar do 6º grau. Então ficará as


seguintes notas:

LÁ – SI – DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL

A Nota LÁ que é o 6º grau da escala de DÓ passará para o 1º grau ao fazer a escala


de LÁ Menor.

Se analisarmos a escala de Lá menor natural veremos que a sua estrutura é diferente:

LÁ(1º)

SI(2º) – 2ª Maior

DÓ(3º) – 3ª menor
RÉ(4º) – 4ª Justa

MI(5º) – 5ª Justa

FÁ(6º) – 6ª menor

SOL(7º) – 7ª menor

LÁ(8º) – 8ª Justa

Então a fórmula seria um pouco diferente da escala maior.

Ficaria da seguinte forma:

TOM SEMITOM TOM TOM SEMITOM TOM TOM

Vejam que os intervalos de 3ª, 6ª e 7ª mudam em relação aos intervalos de uma


escala maior. Nas escalas menores esses intervalos são todos menores, nas escalas
maiores são todos maiores.

RESUMINDO

Se toda escala maior tem uma escala menor que é relativa, podemos assimilar que
toda escala menor então é relativa a uma escala maior.

Então se temos uma escala de RÉ Menor logo as notas serão as mesmas da escala
de FÁ Maior.

Baseado nisso basta você sempre relacionar uma escala menor à uma escala maior
para melhor assimilar e saber as notas da escala.
4º Aprenda Isso e Toque
Qualquer Música

Acordes no Violão – Aprenda a Formar


Muitas pessoas fazem, porém poucas realmente sabem
fazer.
Primeiramente para falar desse assunto muito importante nos estudos precisamos
distinguir o que é um acorde e uma nota.

Quando falamos em fazer DÓ maior, estamos nos referindo a um acorde. O acorde é


definido como a união de três ou mais notas tocadas simultaneamente.

Quando falamos em fazer a nota DÓ nada mais é do que apenas a nota DÓ.

A Seguir vamos dar um exemplo do acorde de DÓ Maior:

Então um acorde portanto é um conjunto de notas. Se você reparar no acorde de DÓ


Maior tocamos 5 notas, pois não tocamos a 6º corda do violão. Veja Abaixo:

Dessas 5 notas repare que 2 notas se repetem, então podemos afirmar que o acorde
de DÓ Maior é formado por DÓ, MI e SOL.

Temos então a Tríade de DÓ Maior.

Hoje vamos falar sobre algumas regras da formação da Tríade, ou seja dos acordes
formados por 3 notas diferentes.

As notas que formam uma Tríade são:

Nota fundamental: Nota que da o nome ao acorde. Por exemplo, em um acorde de


DÓ Maior a nota fundamental é o DÓ. Essa nota deve ser a mais grave do acorde.
Também chamada de Tônica

Terça: A terça (maior ou menor) em relação à nota fundamental. É a nota que define
se o acorde é maior ou menor.
Quinta: A quinta (justa, aumentada ou diminuta) em relação à nota fundamental. No
caso do acorde de DÓ Maior é a quinta justa.

Vejamos o exemplo do DÓ MAIOR, composto por 3 notas diferentes, DÓ, MI e SOL.


A nota DÓ é a fundamental, e é a mais grave do acorde, sendo tocada na 5ª corda,
pressionada na 3ª casa.
A nota MI é a terça maior, e a nota SOL é a quinta justa.

É muito importante estudar os intervalos musicais, já abordamos um pouco desse


assunto.

A diferença de um acorde menor para um acorde maior está apenas na terça. Vejam
abaixo os acordes de C e Cm

Dó Maior

Dó Menor

A diferença entre os dois é a terça, que é menor no acorde Cm e maior no acorde C.


As outras duas notas permanecem as mesmas.

Os acordes aumentados tem a terça maior e a quinta aumentada, e os acordes


diminutos tem a terça menor e a quinta diminuta.

A representação gráfica desses acordes é a seguinte:

C+ (representa o DÓ aumentado, ou DÓ com quinta aumentada)


C° (representa o DÓ diminuto, ou DÓ com quinta diminuta)

As notas utilizadas seriam

C+
Fundamental: DÓ
Terça maior: MI
Quinta aumentada: SOL#

Fundamental: DÓ
Terça menor: MIb
Quinta diminuta: SOLb

Uma dificuldade comum acontece quando o acorde pedido tem algum acidente, como
por exemplo C# (DÓ sustenido maior).

Nesse caso a nota fundamental não é o DÓ, mas sim o DÓ#, e as outras vão todas
mudar, pois a referencia da fundamental mudou.

A terça maior agora seria MI# (isso mesmo, não é FÁ), e o MI passaria a ser a terça
menor (pois estaria a 1,5 tons da fundamental).
Dicionário de Acordes
Vamos dar continuidade falando um pouco mais sobre formação de acordes!
Acordes maiores e menores em tríades

Esses são os desenhos mais usados de acordes maiores e menores em tríades


(acordes
com três notas) iniciados nas notas naturais (dó, ré, mi, fá, sol, lá e si), e usados com
maior
frequência em: Música Folclórica, Sertaneja, Pop e Rock.

Acordes maiores e menores em tríades

Acordes maiores com sétima menor (7)

Esses são os desenhos mais usados de acordes maiores em tétrade (acordes com
quatro
notas) com sétima (menor), usados com maior frequência em: Blues, Bolero, Tango,
MPB,
Samba, Choro, Pagode, Baião, Xote, e em todas as variações desses ritmos.
Acordes maiores com sétima maior (7M)

Esses são os desenhos mais usados de acordes maiores em tétrade com sétima
maior,
usados com maior frequência em: Jazz, Bossa e MPB

Acordes menores com sétima menor (m7)

Esses são os desenhos mais usados de acordes menores em tétrade com sétima
menor,
usados com maior frequência em: Blues, Jazz, Bossa e MPB.
Acordes de estrutura híbrida (incompleta) 4 e 9

Esses são os desenhos mais usados de acordes com quarta e acordes com nona,
usados
com maior frequência em: MPB e Pop-Rock.
Acordes maiores e menores invertidos

Esses são os desenhos mais usados de acordes invertidos, maiores e menores em


tríades, usados com maior frequência em: MPB e Pop-Rock.

Acordes menores com sétima maior e com sétima e quinta diminuta

Desenhos mais usados de acordes menores com sétima maior, e acordes menores
com
sétima e quinta diminuta, usados com maior frequência em: Jazz, Bossa e MPB.
5º O Mais Importante de Tudo
Campo Harmônico
Para formar o campo hamônica vamos passar uma dica top.

Empilhamento de Terças.

O que é?

Basicamente você vai pegar a escala maior e vai usar as terças para formar o campo
hamônico. Se eu quero formar o primeiro acorde exemplo o de C eu vou pegar a terça
que é E e novamente outra terça que é o G então vamos ter C, E, G.

Segue o Exemplo Abaixo:

*Usando essa dica você irá montar campo harmônico em todas as tonalidades.
Mas, vamos adiantar e monstrar como ficaria o campo hamônico maior

Usaremos como base o campo harmônico maior para servir de exemplo onde iremos
formar o campo harmônico menor.

Campo Harmônico Maior


Campo Harmônico Menor

Repare que o campo harmônico menor é o mesmo campo harmônico maior, porém a
diferença é que começa no 6º grau.

Obs: O campo harmônico menor é construido em cima da escala menor natural, ou


seja, mesma escala maior natural partindo do 6º grau.

Exemplo Escala Maior de C: C D E F G A B


Exemplo Escala Menor de Am: A B C D E F G (repare que começou do sexto grau da
Escala Maior que é o A).
Existem 3 tipos de escalas menores: Escala Menor Natural, Menor Harmônica e
Menor Melódica.
Por causa da escala Menor Harmônica, o 5º Grau do Campo Harmônico Menor soa
melhor com um acorde Maior.
Exemplo de Am o quinto grau soa melhor com E7.
Sistema CAGED – Impressionante
Saber Disso
Talvez você tenha se deparado com o termo “sistema CAGED” em algum momento e
ficou se perguntando de que se tratava isso.

Antes de tudo, é importante falar que esse termo está relacionado ao estudo do violão
e da guitarra. Ele é conhecido como o sistema CAGED.

Você deve estar se perguntando o que é isso CAGED? de onde veio?

Explicando melhor o que é o tal CAGED


CAGED é um nome(Termo) formado pelas letras correspondentes aos 5 acordes, mas
especificamente C (dó), A (lá), G (sol), E (mi) e D (ré). Mas, agora vem o ponto
principal: qual o motivo disso?

Se você for verificar, esses 5 acordes montados no violão podem ser feitos sem o uso
da pestana.

Você estará vendo que essa é uma maneira de visualizar melhor o braço do
instrumento, assim você irá pensar no braço do instrumento através dessas posições
básicos.

Para exemplificar melhor sobre o que é o CAGED, usaremos essas 5 posições para
formar novos acordes a partir delas. Veja um exemplo abaixo:

Usando a Forma de DÓ Maior Para Fazer o RÉ Maior

No exemplo que demos acima temos a primeira posição que faz parte do CAGED que
é o C. A partir dele formamos um novo acordo, o acorde de D. Seguindo assim
conseguiremos montar vários outros acordes como E, F, G e por aí segue-se.

Acredito que com esse exemplo você já consiga entender um pouco do que se trata o
sistema CAGED. Mas, vamos estar utilizando outros exemplos para deixar isso mais
claro ainda.
Usando a posição 2 do sistema CAGED, que é o acorde de E, nós podemos formar
vários outros acordes ao longo do braço da guitarra ou violão, veja:

Usando a Forma de LÁ Maior Para Fazer o DÓ Maior

No exemplo acima nós usamos o desenho do acorde de A para formamos o acorde de


C (DÓ maior), acrescentando apenas a pestana na terceira casa.

Resumindo, o que se faz no sistema CEGED é utilizar os desenhos desses 5 acordes


para formar novos acordes ao longo do braço do instrumento. Esse sistema facilita, e
muito, a execução no instrumento, diversificando a sonoridade, porém, se utilizado
demais pode deixar o músico limitado. Então, o conselho que damos aqui é que você
não se prenda a esse sistema. Ou seja não se limita. Abaixo vamos mostrar como
formar o acorde de DÓ maior dom os 5 exemplos do sistema CAGED:

5 Formas do Acorde de DÓ Maior

Você também pode fazer isso com os acordes menores, tais como Am e Em, veja um
exemplo abaixo:
Usando a Forma de LÁ Menor Para Fazer o DÓ Menor

Usando a Forma de MI Menor Para Fazer o SOL Menor

CONCLUSÃO

Você pode ver que a função do sistema CAGED basicamente é usar um acorde em 5
posições e formas diferentes, isso te ajuda e muito a aumentar o seu “vocabulário” de
melodias andando por todo o braço do instrumento e agregando e muito valor a sua
musicalidade.Sabendo usar o CAGED você pode aplicar tanto em um Violão
base, Violão Fingerstyle e etc...
Entretanto, por mais que você aplique fielmente tudo isso que você aprendeu, você não vai
ter tanto resultado igual teria caso tivesse também um passo a passo completo para
intercalar com as técnicas e dominar o violão em tempo recorde.

E para isso, também posso te ajudar...

Para quem realmente quer parar de depender de cifras, aprender a fazer batidas,
dedilhados e criar arranjos eu sempre indico o meu curso completo de violão.

Só para você ter ídeia são mais de 12 anos estudando, imagina você levando apenas alguns
meses para aprender tudo isso, sem falar o tempo e dinheiro que vai gastar ao fazer aulas
presenciais e nada se compara ao resultado simples e rápido que as minhas video aulas vão
te proporcionar.

E agora você também pode ter acesso a todas essas aulas e parar de perder tempo e
dinheiro procurando aulas e professores presenciais.

Até quando você vai adiar o seu sonho de aprendertocar violão? Não acha que é a sua vez
de fazer coisas incríveis no violão e realizar o seu sonho de aprender e evoluir?

Sim, está na hora de você parar de depender de cifras e não saber que batida e acorde tem
que tocar na sua música preferida.

Bom, são diversas vídeo aulas


dividas em módulos para te
ajudar a evoluir e saber o
caminho certo para aprender
a tocar violão e você vai ter
acesso ao curso completo por

apenas 12x de 28,94


ou seja menos que um lanche
por mês para realizar o seu
sonho de aprender a tocar violão

CLIQUE AQUI E CADASTRE-SE


AGORA