Você está na página 1de 26

Página 1

A maldição do pecado
O que é o homem?
A Doutrina do Homem
INTRODUÇÃO
Muitos de nós já fomos a muitos funerais. Mesmo se tivermos apenas
foi para um ou dois, tem sido demais. Nos funerais cristãos, nós
expressar esperança, porque sabemos que, eventualmente, nos reuniremos
com nossos amigos e entes queridos perdidos. Mas ainda choramos porque
odiamos a dor, as dificuldades, o sofrimento e a morte que o pecado tem
causado em nosso mundo. Reconhecemos que, se não fosse pelo pecado, havia
nunca seria nenhum funeral. O pecado causou estragos em nossa
mundo, em nossas famílias e em nossas próprias vidas. E finalmente
mate-nos. Como chegamos a isso? Por que o pecado tem tanto
poder e presença em nossas vidas?
Esta é a terceira lição de nossa série O que é o homem? e nós
intitulado “A Maldição do Pecado”. Nesta lição, examinaremos o que
a Bíblia diz sobre o pecado humano, e especialmente seus efeitos negativos
na humanidade.
Existem muitos tipos e graus de pecado. Mas no coração deles
tudo é um espírito de rebelião contra Deus. The Westminster Shorter
O catecismo, originalmente publicado em 1647, expressa uma expressão ecumênica
Visão protestante do pecado em sua pergunta e resposta número 14.
resposta à pergunta "O que é pecado?", o catecismo responde:
Pecado é qualquer falta de conformidade ou transgressão do
lei de Deus.
Como veremos ao longo desta lição, desdenha e desconsidere
A lei de Deus era central para o primeiro pecado da humanidade, e eles continuam
para caracterizar nossa condição amaldiçoada.
Nossa lição sobre a maldição do pecado será dividida em três partes. Primeiro, nós
vamos
explore a origem do pecado da humanidade. Segundo, descreveremos o pecado
caráter essencial. E terceiro, consideraremos as consequências do pecado.
Vamos começar com a origem do pecado humano.
Dr. Gregory Perry
Experiência: Vice-Presidente de Estratégica
Projetos nos Ministérios do Terceiro Milênio

Página 2
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
2 de 29
Lição 03 de 04
ORIGEM
A existência do pecado humano é inegável. As pessoas cometem todos os tipos
de atrocidades contra Deus, uns aos outros, outras criaturas, o mundo
em si e até contra si mesmos. Mas de onde veio o pecado?
Qual é a fonte última do pecado humano? E como veio o pecado
infectar a humanidade?
Vamos explorar a origem do pecado humano de três perspectivas.
Primeiro, revisaremos a origem do pecado na raça humana. Segundo,
vamos nos concentrar na origem do pecado nos indivíduos. E terceiro, nós vamos
considere a autoria ou a culpa última pelo pecado humano. Vamos
olhe primeiro para a origem do pecado na raça humana.
RAÇA HUMANA
A humanidade caiu em pecado no início de nossa existência. De fato, foi o
primeiros dois seres humanos - Adão e Eva - que trouxeram o pecado
para a raça humana. Como vimos na lição anterior, Adão e Eva
foram criados sem pecado. Eles não tinham predisposição para pecar, e não
razão para pecar. Deus tinha sido muito benevolente com eles. Eles
tinha todos os motivos para confiar nele, todos os motivos para estar satisfeito com
a provisão que ele havia feito para eles, e todos os motivos para querer
continue em suas bênçãos da aliança e evite as maldições da aliança.
E continuar nessas bênçãos da aliança e evitar o
maldições da aliança, eles precisavam permanecer leais aos termos do
pacto. Gênesis 1, 2 lista uma série de coisas que a aliança
lealdade envolvida. Isso incluiu a obrigação de Adão e Eva de preencher
a terra com os seres humanos e cultivá-la para torná-la adequada para
Presença de Deus. Eles também deveriam governar as outras criaturas que Deus
tinha criado. E eles deveriam trabalhar e cuidar do Jardim da
Éden. Além disso, eles receberam uma proibição explícita:
foi proibido comer o fruto da Árvore do Conhecimento de
O bem e o mal.
Essas obrigações da aliança indicavam os tipos de coisas que
agradou a Deus e os tipos de coisas que o desagradaram. Essa
coisas que o agradassem seriam recompensadas com a aliança de Deus
bênçãos. E aquelas coisas que o desagradassem seriam punidas
através das maldições da aliança de Deus.
Infelizmente, em Gênesis 3: 1-7, a serpente tentou Eva a comer o
fruto proibido, e ela o fez. Então ela deu um pouco disso para Adam,

Page 3
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
3 de 29
Lição 03 de 04
e ele comeu também. Imediatamente, eles perceberam que estavam nus e
senti vergonha. Gênesis não afirma que a árvore tinha algum poder
tornar os seres humanos pecadores. Em vez disso, eram de Adão e Eva.
deslealdade que levou ao sentimento de culpa e vergonha.
Então, em Gênesis 3: 8-24, Deus confrontou Adão e Eva, e
amaldiçoou-os por causa de sua deslealdade. Teólogos costumam rotular
toda essa coleção de eventos - da tentação da serpente
através do julgamento de Deus - "a queda". O nome "a queda" reflete
a idéia de que o pecado de Adão e Eva fez com que a humanidade caísse
Favor e bênçãos de Deus. Por exemplo, em Gênesis 3:16, Deus disse
para Eva:
Aumentarei grandemente suas dores na gravidez; com dor você
dará à luz filhos. Seu desejo será para o seu marido,
e ele reinará sobre você (Gênesis 3:16).
A maldição de Deus não acabou com a obrigação de Eva de multiplicar imagens de
Deus na terra. Mas garantiu que o cumprimento da obrigação
Seria doloroso para ela. Também resultou em conflitos em seu casamento
relacionamento com Adam. E em Gênesis 3: 17-19, Deus colocou um
maldição correspondente sobre Adam:
Maldito é o chão por sua causa; através de labuta dolorosa você
vai comer todos os dias da sua vida. Produzirá espinhos e
cardos para você, e você comerá as plantas do campo. Pelo
suor da sua testa, você vai comer a sua comida até voltar ao
chão, desde que você foi tirado; por poeira você é e
você voltará em pó (Gênesis 3: 17-19).
Deus não acabou com a obrigação de Adão de subjugar e cultivar o
terra. Ele simplesmente tornou as coisas dolorosas e difíceis. Pior ainda, Adam
e Eva experimentaria a morte por causa de seu pecado.
Como resultado da queda, Deus julgou homens e mulheres e,
de fato, toda a criação. Então, por exemplo, trabalho, que
era algo em que Adão e Eva estavam envolvidos antes
até o outono, tornou-se trabalho e, portanto, os seres humanos
uma relação de amor e ódio com o trabalho. O relacionamento entre
entre o homem e a mulher, novamente, foi corrompido e
pervertido. O parto é - novamente, outro dom de Deus para o
a recriação de mais imagens de Deus - tornou-se dolorosa e
basicamente, o resultado geral foi que as coisas boas que
Deus deu para que Adão e Eva desfrutassem continuou sendo
feliz, mas, na verdade, também foram distorcidos e pervertidos

Page 4
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
4 de 29
Lição 03 de 04
em certo sentido, e não foram apreciados em toda a sua plenitude.
- Dr. Simon Vibert
Não sabemos o que teria acontecido se Adão e Eva
não tinha pecado. Alguns acreditam que os seres humanos teriam vivido
perpetuamente no jardim, desde que não pecassem. Outros acreditam
que Adão e Eva estavam em liberdade condicional; e que se eles tivessem passado
sua provação, eles teriam vivido para sempre. Mas a realidade é
que fez pecado, e que seu pecado era a origem do pecado na
raça humana.
Tendo examinado a origem do pecado na raça humana, passemos a
a maneira como o pecado entra nos indivíduos.
INDIVÍDUOS
Se o pecado de Adão e Eva não tivesse afetado mais ninguém, então cada
ser humano individual enfrentaria uma escolha semelhante à
Adão e Eva enfrentaram. Cada pessoa teria que decidir por
a si mesmo se permanecerá sem pecado ou cairá em pecado.
Mas as Escrituras ensinam que a maldição de Adão e Eva se aplica a
todos os seus descendentes naturais - ou seja, todos, exceto Jesus.
Veja o que Paulo escreveu sobre o pecado de Adão em Romanos 5: 12-19:
O pecado entrou no mundo através de um homem, e a morte através do pecado,
e assim a morte chegou a todos os homens, porque todos pecaram ... [T]
O resultado de uma transgressão foi condenação para todos os homens ... [T]
Através da desobediência de um homem, muitos foram feitos
pecadores (Romanos 5: 12-19).
O único ato de desobediência de Adão condenou toda a humanidade porque
Adão era o chefe da aliança da raça humana. Ele representou
não apenas ele mesmo, mas também sua esposa e todos os outros seres humanos
que desceria deles através da geração humana natural.
Seu pecado foi contado como nosso pecado. E sua culpa se tornou nossa culpa.
E porque compartilhamos dessa culpa, também compartilhamos da maldição de Deus
contra essa culpa, incluindo morte e corrupção. É por isso
Paulo poderia dizer que o pecado de Adão resultou em morte humana, e que
transformou todos os seres humanos em pecadores. Por meio de Adão, o pecado
corrompeu a todos nós, para que nascamos neste mundo já culpados
do pecado de Adão, escravizado ao pecado e condenado à morte. Ou como Paul
coloque em 1 Coríntios 15:22:

Page 5
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
5 de 29
Lição 03 de 04
Em Adão todos morrem (1 Coríntios 15:22).
Deus considera toda a humanidade responsável pelo pecado de Adão
causa da doutrina da chefia federal. Adão era, e
é o nosso chefe federal. Agora, uma maneira de entender isso é
pense em uma nação ou um reino. Existem dois reinos,
e cada um dos reinos tem um rei. Se você é cidadão de
reino A e o rei do reino A declara guerra contra
reino B, porque ele é seu chefe federal, você também está
guerra com o reino B. Funciona da mesma maneira que
ly. Adam é nosso chefe federal; estamos todos em Adam quando ele é
criada. Ele é nosso representante federal, então quando ele cai,
nós caímos nele. Agora, se tivermos um problema com isso, estaremos
com problemas, porque a salvação funciona da mesma maneira. Cristo
torna-se nosso chefe federal para que, assim como em Adam, Paul
diz em Romanos 5: "Todos pecaram", em Cristo, todos somos feitos
vivo. Então, Cristo como nosso chefe federal mantém toda a lei,
sucede onde o primeiro Adão falhou e ganha a vitória sobre
morte, inferno e sepultura. Ele é perfeitamente justo para que
ele pode imputar essa justiça a nós, e então em sua
obediência passiva assume a morte que nós
devido ao nosso chefe federal, Adam, para que em seu
obediência ativa e ativa, nossa pecaminosidade é imputada a ele
e sua justiça é imputada a nós. Esse é o outro
lado da chefia federal. Então, você realmente não aprecia a
liderança federal de Adam até você apreciar o federal
liderança de Cristo.
- Dr. Voddie Baucham, Jr.
Pode parecer estranho pensar dessa maneira, mas na verdade era
gracioso por Deus permitir que a humanidade seja julgada em Adão. Adão
tinha uma capacidade muito maior de evitar o pecado do que nós. E ele enfrentou
muito menos tentação. Ele não nasceu em um mundo onde o pecado corria
desenfreado. Ele não foi sujeito a influências pecaminosas de anfitriões de
outras pessoas. Além disso, ele realmente andou e conversou com Deus no
Jardim. Sem dúvida, seu conhecimento e experiência de Deus
superou a nossa. Ele também possuía grande justiça pessoal,
sendo criado completamente sem pecado. Ninguém além de Cristo jamais
tinha uma capacidade pessoal de resistir ao pecado que era maior que o de Adão.
Se enfrentássemos a mesma tentação que Adam enfrentou, fracassaríamos
ainda mais miseravelmente. Então, ser representado por ele era realmente
ter uma grande vantagem.
É fácil ver que Deus aplicou a culpa do pecado diretamente a nós, porque

Page 6
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
6 de 29
Lição 03 de 04
nós fomos representados por Adam. Mas os teólogos são um tanto
dividido quando se trata do processo pelo qual o pecado corrompe e
habita indivíduos. Alguns acreditam que o pecado é aplicado diretamente a
por Deus como a punição judicial adequada pela culpa que compartilhamos
em Adam. Outros acreditam que o pecado é herdado de nossos pais.
Eles acreditam que é replicado em nós da mesma maneira que nossos corpos são
formado após o padrão de nossos pais. De qualquer forma, o pecado corrompe
todo ser humano a partir do momento de nossa concepção. Salmo
58: 3 diz que os ímpios são pecadores desde o ventre. E no Salmo
51: 5, Davi lamentou seu adultério com Bate-Seba ao admitir
que ele era pecador desde que sua mãe o concebeu.
Assim, mesmo as crianças que morrem no útero precisam ser salvas por Jesus.
Como Jesus disse em João 14: 6:
Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao
Pai, exceto através de mim (João 14: 6).
O fato de que ninguém vem ao Pai, exceto por Jesus
indica que todos, sem exceção, precisam de perdão
e purificação do pecado. Por causa do nosso pecado, todos nós entramos no
mundo em um estado de morte espiritual, assim como Paulo ensinou em Efésios
2: 1-3. E todos nós lutamos contra o pecado interior e um pecado pecaminoso, corrupto.
natureza, como descrito em Romanos 7: 14-25. Cada um desses
problemas se originam no primeiro pecado de Adão no Jardim do Éden.
Essa transgressão não era apenas a origem do pecado no ser humano
raça, mas também a origem do pecado em cada ser humano.
Agora que consideramos a origem do pecado na raça humana
e indivíduos, vamos voltar nossa atenção para a autoria de
pecado da humanidade.
AUTORIA
Quando falamos da autoria do pecado humano, temos em mente
a pessoa que é a última culpada. Para fins de ilustração,
considere o que acontece quando alguém joga um jogo como bilhar.
Um jogador move um taco, que bate na bola, que bate
outra bola, fazendo com que ela se mova. Podemos descrever o movimento
das várias partes da perspectiva de qualquer parte. Por exemplo,
podemos dizer que o taco fez com que a bola se movesse e que
a bola branca fez com que a segunda bola se movesse. Mas ninguém faria
dizer que a bola mestra, ou mesmo o taco, foi a origem de todos
esse movimento. Obviamente, foi o jogador que começou todo
primeiro, decidindo mover o taco, e depois realmente

Page 7
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
7 de 29
Lição 03 de 04
movendo-o.
E algo semelhante é verdadeiro quando as pessoas pecam. Claro, humano
o pecado é mais complexo, porque cada pessoa tem vontade e pode
originar ou criar novos aspectos de eventos. Mas em algum lugar, há
ainda uma fonte definitiva para os eventos.
Essa ideia de autoria é importante porque muitos oponentes
do cristianismo acusaram Deus de “autorizar” a queda da humanidade
em pecado. Ou seja, eles tentaram culpar Deus pelo pecado da humanidade.
Eles geralmente tiveram um de dois propósitos em mente. No primeiro
Por outro lado, alguns têm argumentado que, se Deus é pecador, ele não é digno de
seja Deus, e certamente não é digno de ser adorado. No outro
Por outro lado, alguns disseram que se Deus é a fonte última do pecado,
então a humanidade não é responsável pelo pecado, então seria injusto
nos castigue. Mas o que as Escrituras dizem?
Você deve se lembrar que depois que Adão e Eva comeram o fruto proibido,
Deus julgou a serpente, e Adão e Eva. E no curso
desse julgamento, Adão e Eva tentaram transferir a culpa para
alguém. Adam foi o primeiro a tentar mudar a culpa. Dentro
Gênesis 3:12, Adão disse:
A mulher que você colocou aqui comigo - ela me deu algumas frutas
a árvore, e eu a comi (Gênesis 3:12).
Adam não negou comer a fruta, mas tentou evitar
sendo responsabilizado. Primeiro, ele culpou sua esposa, que havia dado
ele a fruta para comer. E segundo, ele implicitamente culpou Deus, já que
Deus a criou. Em Gênesis 3:13, Eva transferiu a culpa para o
serpente, dizendo:
A serpente me enganou e eu comi (Gênesis 3:13).
Tanto Adão quanto Eva tentaram argumentar que a culpa última, ou a
"Autoria" de seus pecados, deve ser colocada em outra pessoa. E isso
parece que eles fizeram isso para tentar deixar de ser punido. Mas
é claro que Deus não concordou com o raciocínio deles. Ele não negou
que eles foram influenciados por outros. Mas ele negou que
essas influências externas forneceram razões suficientes para não punir
eles. Então, nos versículos a seguir, Deus puniu a serpente por
enganando a mulher. Ele puniu Eva por ter sido enganada
desconfiando de Deus, por comer o fruto e por enganá-la
marido. E ele puniu Adão por ter sido enganado por Eva, e
por comer a fruta. Para Deus, Adão e Eva
eram culpados, pelo menos, porque eles escolheram desobedecer a sua

Page 8
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
8 de 29
Lição 03 de 04
comando.
Nesse relato, podemos dizer que o "autor" final do pecado
foi a serpente, porque foi o primeiro personagem a criar
a idéia de pecar, e a primeira a tentar fazer a humanidade pecar.
Mas Adão e Eva também contribuíram com escolhas livres para este evento, e
nesse sentido, foi o autor do pecado humano.
Mas isso ainda nos deixa algumas perguntas muito comuns, como: Por que
a serpente pecou? Quem foi a primeira criatura pensante a pecar?
Por que aquela criatura pecou? E, é Deus em última instância responsável por
os pecados de suas criaturas? As escrituras não respondem a todos esses
perguntas completamente. Mas isso nos fornece informações suficientes
para responder aos aspectos mais importantes.
Em primeiro lugar, as Escrituras insistem enfaticamente que Deus não é
culpado ou culpado de pecado, ou de obrigar alguém a pecar. De fato,
O próprio Deus é o padrão perfeito de bondade. Então, por definição,
ele não pode ser culpado de nada. Ouça o que João escreveu em 1 João
1: 5:
Deus é luz; nele não há trevas (1 João 1: 5).
Nesta carta, John usou repetidamente "luz" para se referir à pureza moral;
e "trevas" para se referir ao pecado e seus efeitos. E o ponto é
claro: Deus é completamente livre do pecado.
O próprio Deus é o padrão último do bem e do mal. Lá
Não existe um padrão moral último fora dele que possa julgá-lo.
Além disso, as Escrituras nos dizem que Deus odeia o pecado em passagens como
Deuteronômio 25:16, Salmo 5: 4 e Zacarias 8:17. E James
1:13 diz que ele não pode ser tentado pelo pecado.
Mas desde que Deus está livre do pecado, e Deus odeia o pecado, e Deus é
certamente poderoso o suficiente para impedir o pecado, como o pecado aconteceu?
Como poderia um Criador todo-poderoso sem pecado projetar uma criação que
levaria ao pecado? A maioria dos teólogos respondeu a esta pergunta
em termos da liberdade, ou liberdade, da vontade das criaturas de Deus.
Se alguém pensou em teologia, a Bíblia, os cristãos,
fé cristã por qualquer período de tempo, mais cedo ou mais tarde a questão
vai surgir em sua mente: “Bem, por que Deus não está
o autor do pecado? ”E acho que temos que reconhecer
e, de fato, afirmam que tudo o que está acontecendo faz parte
um grande plano. E assim, Deus é o único da eternidade que
Page 9
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
9 de 29
Lição 03 de 04
planejou tudo o que vemos, e ele também tem um grande objetivo.
Então, desde a eternidade passada, o plano para a eternidade futura está indo
para cumprir um propósito glorioso ... Mas não dizemos que Deus
é o autor do pecado porque Deus não é a causa eficiente
do pecado, e com isso quero dizer que ele não é o "executor da ação".
Nós fazemos muito do conceito de permissão, que Deus tem
criou seres moralmente responsáveis e ele lhes deu
a capacidade de escolher o certo e o errado. E quando o bem
é realizado, isto é pela graça de Deus, e somos rápidos em
diga que Deus ordenou o bem. Quando o mal acontece,
dizemos que isso está dentro da vontade permissiva de Deus, que
Deus permitiu isso. Isso é verdade desde o Gar-
até o dia em que Satanás se inclina aos pés de Jesus e
afirma-o Senhor.
- Dr. Ken Keathley
Tradições teológicas diferentes entendem o livre arbítrio em diferentes
maneiras. Mas os evangélicos tendem a concordar com a seguinte ordem de
eventos e causas. Primeiro, Deus criou os anjos e dotou
com liberdade de vontade suficiente para poder escolher
entre pecar e evitar o pecado. Quando os anjos escolheram pecar, eles
caiu em desgraça com Deus e passou a ser conhecido como demônios. Jude
6 refere-se a isso quando diz:
Os anjos que não mantiveram suas posições de autoridade, mas
abandonaram seu próprio lar - estes [Deus] se mantiveram nas trevas,
amarrado com cadeias eternas para julgamento no grande dia
(Judas 6).
Segundo Pedro 2: 4 usa linguagem semelhante para descrever esses caídos
anjos.
Após a queda dos anjos, Deus criou a humanidade e colocou
eles no Jardim do Éden. Como os anjos, os seres humanos eram
criado com liberdade de vontade suficiente para pecar e não pecar.
Agostinho, o bispo de Hipona, que viveu de 354 a
430, descreveu isso como o estado de posse não peccare . Este latim
A frase pode ser traduzida literalmente como "ser capaz de não pecar".
uso teológico, no entanto, a frase é mais comumente traduzida
como “a capacidade de não pecar”. Segundo Agostinho, Adão e Eva
foram capacitados para evitar completamente o pecado. Mas eles também tiveram o
capacidade de pecar.

Page 10
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
10 de 29
Lição 03 de 04
Depois que a humanidade foi colocada no Jardim do Éden, Satanás, o mais
anjo caído proeminente, assumiu a forma de uma serpente. E nessa
forma, ele enganou Eva a comer o fruto proibido da Árvore
do conhecimento do bem e do mal. Embora Gênesis não
identifique a serpente com Satanás, Apocalipse 12: 9 e 20: 2, ambos
chama Satanás de "serpente antiga". E em Mateus 4: 6, Satanás usou
as mesmas estratégias para tentar enganar Jesus que a serpente no
Jardim costumava enganar Eve. Nos dois casos, a estratégia era
cite e depois aplique mal as palavras de Deus. Por razões como estas,
a maioria dos teólogos evangélicos igualou a serpente no
Jardim do Éden com Satanás.
De qualquer forma, Gênesis 3: 6 registra que Eva e Adão comeram
o fruto proibido. Eles conheciam o mandamento de Deus e escolheram livremente
desobedecê-lo. Não houve compulsão por parte de qualquer interna ou
poder externo. Suas mentes e escolhas eram próprias. Nisso
assim, a humanidade era culpada por seus pecados, e Deus não era. Agora,
ainda podemos perguntar por que Deus permitiu que a humanidade pecasse. Qual
propósito
serviu?
Uma das questões perenes que os cristãos têm, e com razão
Então, por que Deus permitiu que Adão e Eva pecassem? Parece
inconcebível para nós que um Deus infinitamente poderoso pudesse
de certo modo, antecipou todas essas catástrofes
conseqüências, nesses séculos, milênios, da morte e
sofrimento e dor humana quando ele sabia o que estava por vir.
Por que Deus permitiu isso? Bem, nós não sabemos. E é tipicamente
de nós para julgar nosso juiz e pedir duras críticas
questões morais de seu comportamento, mas acho que no final a fé
diz que Deus deve estar agindo a partir de um cálculo enraizado na
sua infinita sabedoria e bondade. E ele deve ter visto
que, embora esse não seja o uso da liberdade humana e
dignidade que ele pretendia, um bem maior poderia vir de
isso do que cancelar desde o início este magnífico humano
experimentar. E acho que, talvez, no final, não iremos
veja a resposta a esta pergunta até conseguirmos
olhe para trás com gratidão e espanto pela gloriosa
triunfar sobre o mal, o magnífico bem que Deus fará, em
final, alcançar através deste experimento humano e em
apesar da trágica rebelião dos participantes. Nós não temos
idéia clara ainda quão grande é o magnífico triunfo de Deus
será.
- Dr. Glen G. Scorgie

Page 11
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
11 de 29
Lição 03 de 04
Os propósitos de Deus nem sempre são claros para nós. E suas razões para
permitir o pecado no mundo pode ser um tanto misterioso. É verdade
essa história teria tomado um caminho muito diferente se Deus tivesse
nos impediu de pecar. Mas é óbvio que Deus escolheu este curso
para nós em vez disso. Como Paulo escreveu em Efésios 1:11:
Nós estávamos ... predestinados de acordo com o plano daquele que
trabalha tudo em conformidade com o propósito de sua vontade
(Efésios 1:11).
Nada do que acontece está fora do plano ou controle de Deus. Então ele
certamente tinha uma razão para permitir o pecado humano. No mínimo, nós
podemos afirmar que nosso pecado lhe dá a oportunidade de expressar muitas
de seus atributos que seriam escondidos de nós se nunca pecássemos.
Por exemplo, ele às vezes expressa misericórdia e tolerância em
resposta ao pecado humano, e outras vezes ele expressa ira.
Deus é conhecido e glorificado através da expressão desses
atributos. Então, há um sentido em que ele é glorificado por lidar
com o nosso pecado. Podemos até afirmar que, em última análise, o pecado trabalha
para o
benefício dos crentes, tornando uma parte útil de seu plano nos abençoar.
Como lemos em Romanos 8:28:
Em todas as coisas, Deus trabalha para o bem daqueles que o amam, que
foram chamados de acordo com seu propósito (Romanos 8:28).
Tudo o que Deus faz é certo e bom. Não há sequer uma dica de
pecado nele. Portanto, nunca devemos imaginar que o pecado humano de alguma forma
prejudica sua santidade. Pelo contrário, o pecado humano fornece
uma ocasião para Deus revelar sua glória, expressar sua misericórdia e
compaixão através do perdão, e para expressar sua justiça e
ira através do julgamento. E todas essas coisas contribuem para
e demonstrar sua absoluta pureza e bondade. Então, quando nós
pense sobre a origem do pecado na raça humana e na humanidade
indivíduos, precisamos lembrar que a culpa repousa diretamente
nos ombros humanos.
Agora que exploramos a maldição do pecado em termos da origem de
pecado humano, vamos considerar o caráter essencial do pecado.
PERSONAGEM
A maneira mais fácil e segura de identificar o pecado nas Escrituras é procurar
por exemplos de coisas que Deus proíbe, condena ou amaldiçoa.
Quando fazemos isso, vemos que a Bíblia usa uma grande variedade de
vocabulário para se referir ao pecado. Descreve regularmente o pecado em termos de

Page 12
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
12 de 29
Lição 03 de 04
de injustiça, invasão, negligência, errando o alvo, indo
extraviar, perversidade, vaidade, desonestidade, causando ferimentos, rebelião,
impiedade, traição, deslealdade, preguiça, lascívia, luxúria - a lista
poderia continuar, assim como nossa discussão sobre cada palavra. Então,
ao invés de tentar explorar o significado de cada termo das Escrituras
usa para identificar o pecado, focaremos nossa atenção no geral do pecado
atributos.
Vamos descrever o caráter do pecado em duas partes. Primeiro, veremos
que o pecado é fundamentalmente sem lei. E segundo, veremos que é
sem amor. Vejamos primeiro a ideia de que o pecado é ilegal.
SEM LEI
Hoje é comum os cristãos pensarem que a lei de Deus é
desnecessário ou até prejudicial para nós. Geralmente, isso ocorre porque
eles entendem mal o ensino de Paulo sobre o papel da lei na
salvação. Claro, é verdade que a lei não pode nos salvar. Só pode
condenar-nos. É por isso que em Gálatas 5: 4, Paulo escreveu:
Você que está tentando ser justificado por lei foi alienado
de Cristo; você se afastou da graça (Gálatas 5: 4).
Mas é exatamente por isso que a lei é tão útil para nos ajudar a identificar
e caracterizar o pecado. O poder da lei de nos condenar reside em sua
capacidade de identificar nossa pecaminosidade. Como Paulo escreveu em Romanos
5:20:
A lei foi adicionada para que a transgressão pudesse aumentar. Mas
onde o pecado aumentava, a graça aumentava ainda mais (Romanos
5:20).
A lei aumenta o pecado de diferentes maneiras. Por exemplo, coloca
obrigações que não eram exigidas perante a lei. E isso
inflama nossas paixões pecaminosas, chamando a atenção para o que ela proíbe.
No entanto, a lei ainda é boa . Ainda é um verdadeiro reflexo de
O caráter de Deus e o padrão pelo qual o pecado é medido. Como
Paulo continuou escrevendo em Romanos 7:12:
A lei é santa, e o mandamento é santo, justo e
bom (Romanos 7:12).
As pessoas muitas vezes pensam erroneamente que toda a lei de Deus foi dada
pt dificultar, dificultar a vida do homem. Na verdade, não é isso
caminho. A lei de Deus foi dada à humanidade para que a humanidade
tipo [saberia] viver ... com razão. Mas porque hu-

Page 13
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
13 de 29
Lição 03 de 04
homens são incapazes de pecar, [a lei] se torna algo que
é entendido erroneamente pela humanidade pecadora. Mas depois
uma pessoa conhece a Deus, ela saberá com clareza que Deus
foi dada lei para que essa pessoa possa obter uma vida
isso é bom, isso é perfeito em Deus. Então, com isso, na verdade,
um crente deve responder à lei de Deus de uma maneira positiva,
com gratidão, porque a lei de Deus o protege, preserva
ele, o guia. E a lei de Deus, de acordo com a Palavra de Deus,
é algo que é perfeito em si mesmo.
- Rev. Agus G. Satyaputra, tradução
O caráter sem lei do pecado é facilmente aparente na queda de
humanidade no Jardim do Éden. Adão e Eva receberam um
proibição explícita única de Deus. E eles pecaram diretamente
transgredir essa lei. E todo pecado desde então refletiu que
ilegalidade.
Pense na ilegalidade do pecado em termos da aliança de Deus
relacionamento com a humanidade. Mencionamos que a aliança de Deus
demonstra sua benevolência para conosco, requer lealdade de
nós e fornece consequências para nossa lealdade e deslealdade.
Bem, a lei é o que descreve a lealdade que Deus requer de
nos. Tudo o que ele aprova e abençoa é um requisito em sua
lei da aliança - independentemente de ser ou não explicitamente
Escritura. E tudo o que ele condena e amaldiçoa é uma proibição
em sua lei da aliança - se é explicitamente proibido ou não em
Escritura. E, portanto, tudo o que fazemos é em obediência
à aliança de Deus ou em violação de sua lei. Todo motivo de nossa
nossos corações buscam a glória e o prazer de Deus ou buscam nossos próprios
satisfação. Todo pensamento que pensamos, toda ação que tomamos, todo
emoção que sentimos é um passo em direção à construção da aliança de Deus
reino ou um passo em direção à rebelião contra seu rei. Isso é o que
levou o apóstolo João a escrever em 1 João 3: 2-4:
Somos filhos de Deus, e o que seremos ainda não foi
tornado conhecido. Mas sabemos que quando ele aparecer, estaremos
como ele, pois o veremos como ele é. Todo mundo que tem isso
a esperança nele purifica-se, assim como ele é puro. Todos os que
pecados infringe a lei; de fato, pecado é ilegalidade (1 João 3: 2-4).
Nesta passagem, João contrastou a violação da lei com o absoluto
pureza de ser como Jesus. Essas foram as duas únicas opções que ele viu.
Ou somos sem pecado ou somos sem lei.

Page 14
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
14 de 29
Lição 03 de 04
John acreditava que a lei não se limita a um número finito de "dos"
e "não faz" nas Escrituras. Em vez disso, resume a perfeição de Deus
personagem. Esse personagem em si é a realização final do
lei, enquanto a lei escrita nas Escrituras simplesmente a descreve. E
portanto, qualquer coisa que seja contrária à santa natureza de Deus viola
a lei dele. Ouça como Tiago o colocou em Tiago 2: 10-11:
Quem guarda toda a lei e ainda tropeça em apenas um ponto
é culpado de quebrar tudo isso. Para quem disse: “Não cometa
adultério ”, também disse:“ Não mate ”(Tiago 2: 10-11).
O argumento de Tiago era semelhante ao de João: toda lei das escrituras vem
do mesmo Deus e exige que agrademos plenamente a Deus.
O próprio Deus é o padrão último para o nosso comportamento, e o
a lei revela esse padrão para nós. A lei não tem a intenção de revelar
Deus totalmente. Afinal, Deus é infinito, incompreensível - sem palavras
poderia descrevê-lo completamente. Em vez disso, a lei apenas
resume seu personagem. Da mesma forma, nossa obrigação não é
apenas para fazer o que a lei diz explicitamente. É para nos conformarmos com
o caráter perfeito de Deus que a lei descreve. E onde
falhamos, nosso pecado é corretamente descrito como ilegalidade.
Tendo visto que o caráter do pecado é sem lei, vamos explorar a idéia
que também é pouco amoroso.
DESVIO
Quando Adão e Eva pecaram pela primeira vez contra Deus, eles demonstraram
uma terrível falta de amor por Deus e um pelo outro. E o mesmo
coisa é verdadeira quando pecamos. Nosso pecado é desamoroso para com Deus e
em direção a outros seres humanos.
Agora, para entender o que significa não ser amoroso, nós
deve começar explicando o que significa ser amoroso. Lá
existem muitas concepções diferentes de amor. As escrituras falam de amor
entre marido e mulher, amor entre membros da família, amor
entre amigos, amor pela justiça e ideais e até amor pela comida.
Mas quando fala em termos de amar a Deus e à humanidade, tende a
ter algo diferente em mente. Este é um amor de lealdade a
nossas obrigações da aliança e um amor pela bondade para com os outros
por causa da aliança. Pense nas palavras de Jesus para seus discípulos
em João 14:15:
Se você me ama, obedecerá ao que eu mando (João 14:15).

Page 15
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
15 de 29
Lição 03 de 04
O amor é adequadamente expresso como obediência somente quando aquele que
o amor tem autoridade sobre nós. Você pode imaginar uma criança dizendo para ela
pais: “Se você me ama, me obedece”? Ou você pode imaginar
dizendo isso para um de seus amigos? Claro que não. Amigos não podem
ordene que seus amigos os obedeçam. E as crianças não têm
autoridade sobre seus pais. Mas Jesus não estava desafiando sua
discípulos para amá-lo quando criança ou como amigo. Ele estava desafiando
para amá-lo como seu rei da aliança. João capturou esse mesmo
ideia em 1 João 5: 3, onde ele escreveu:
Isso é amor a Deus: obedecer aos seus mandamentos (1 João 5: 3).
E em Deuteronômio 6: 5-6, Deus associou amor e convênio
lealdade desta maneira:
Ame o Senhor seu Deus com todo o seu coração e com todo o seu
alma e com toda a sua força. Esses mandamentos que eu
dar-lhe hoje deve estar em seus corações (Deuteronômio 6: 5-6).
Em ambas as passagens, aprendemos que a expressão primária do
o amor que Deus requer é obediência sincera aos seus mandamentos.
Acho que o amor a Deus motiva a obediência a Deus porque
se ele me ama e eu o amo de volta, e eu também entendo
o preço que ele pagou em meu nome, farei qualquer coisa por
ele. Eu tenho esse relacionamento com alguns seres humanos. Não
muito parecido com Deus, mas com minha esposa. Farei qualquer coisa por ela
ela precisa que eu faça, porque eu sei que ela me ama. eu amo
ela em troca, mas eu entendo o preço que ela pagou
em nosso casamento para me fazer feliz, me santificar,
me faça todo o homem que Deus quer que eu seja. E entao,
reconhecendo isso, tenho um motivo tremendo para ser todo o
homem, eu preciso ser por ela. E a verdade é que acho que funciona
exatamente assim com um relacionamento homem-Deus. Nós vamos fazer
qualquer coisa que sabemos sobre esse amor e sobre isso
preço.
- Dr. Matt Friedeman
Deus não queria que seu povo o obedecesse simplesmente porque eles temiam
ele, ou simplesmente porque eles queriam ser recompensados. Pelo contrário, ele
queria que eles obedecessem porque realmente o honravam, porque
eles agradeceram sua benevolência, porque eram leais
à sua aliança, e porque eles estimavam ele e sua lei
em seus corações. É por isso que as Escrituras tantas vezes falam da vontade de Deus.
aliança em termos de amor. Por exemplo, ouça estas palavras de

Page 16
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
16 de 29
Lição 03 de 04
Deuteronômio 7: 9-13:
Ele é o Deus fiel, mantendo sua aliança de amor a mil
gerações daqueles que o amam e mantêm seus comandos ... Se
você presta atenção a essas leis e tem o cuidado de segui-las,
então o Senhor teu Deus guardará sua aliança de amor contigo,
como ele jurou a seus antepassados. Ele vai te amar e te abençoar
e aumente seus números (Deuteronômio 7: 9-13).
Nesta passagem, o amor de Deus por seu povo e por seu povo
amor por ele, são descritos em termos de fidelidade à aliança.
Isto é o que Jesus tinha em mente quando falou sobre o maior
mandamento da Lei em Mateus 22: 34-40 e Marcos 12: 28-
31. Nessas passagens, Jesus estava discutindo com um fariseu
que era um especialista em direito. E o fariseu fez uma pergunta
designado para testar a compreensão de Jesus de como os mandamentos
da lei se relacionam entre si. Especificamente, ele pediu que Jesus
cite a lei maior ou mais importante. E Jesus respondeu por
citando Deuteronômio 6: 5, 6 e Levítico 19:18. Ouvir
o que Jesus disse em Mateus 22: 37-40:
“Ame o Senhor seu Deus com todo o seu coração e com todo o seu
alma e com toda a mente. ”Esta é a primeira e maior
mandamento. E a segunda é assim: "Ame o seu próximo
como você mesmo. ”Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois
mandamentos (Mateus 22: 37-40).
Primeiro, como lembrete, observe que Jesus identificou essas leis
como resumos amplos destinados a refletir o caráter completo da obra de Deus
lei. Segundo, observe que ambas as leis foram expressas em termos de
de amor: amor a Deus e amor ao próximo.
Paulo fez declarações semelhantes em Romanos 13: 9 e Gálatas 5:14,
onde ele disse que toda a lei pode ser resumida em termos
de amor ao próximo. Em outras palavras, amor a Deus e amor a
vizinho são mais do que apenas duas metades da lei. Em vez disso, cada
desses comandos resume toda a lei. O amor a Deus é
um resumo de toda a lei, e o amor ao próximo é outro
resumo de toda a lei.
Portanto, conclui-se que o pecado é fundamentalmente sem amor para com ambos
Deus e próximo. No mínimo, todo pecado é desamoroso em relação a
Deus, porque mostra que ele não é o principal compromisso de
nossos corações. Todo pecado é uma rejeição de seu caráter, uma rebelião
contra sua autoridade e uma violação de sua aliança. E todo

Page 17
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
17 de 29
Lição 03 de 04
o pecado também é desamoroso para com o próximo. Despreza a reflexão
do caráter e autoridade de Deus em nosso próximo, que é Deus
imagem. E falha em buscar o bem do próximo através do
bênçãos da aliança de Deus.
Eu ensino meus alunos que eles não podem se formar a menos que
passar "Teologia 101", e então eu lhes digo que a Teologia 101 é
simplesmente a afirmação: Deus é Deus e você não é. Sin diz:
“Eu sou Deus.” O pecado marginaliza Deus, a glória de Deus, a honra de Deus
ou, vontade de Deus, reino de Deus, e centraliza nossa glória,
nossa honra, nossa vontade, nosso reino. E assim, seguindo de
Teologia 101, eu tenho Teologia 102: Porque Deus é Deus,
você deve amar o Senhor seu Deus com todo seu coração, alma,
mente e força, e porque você não é Deus, o mundo
não gira em torno de você. Você deve amar seu próximo
como você. E assim, sim, o pecado é fundamentalmente não amar
outras. Está se amando; está se centralizando. E
então, a perfeita obediência a Deus - isto é, não pecar - é
amor. É amar a Deus e amar os outros.
- Dr. Alan Hultberg
Pense no caráter não amoroso do pecado em termos da queda da humanidade
em pecado. A serpente tentou Eva, dizendo-lhe que Deus era
mentindo sobre o fruto proibido. Ele disse que se ela comesse, não apenas
ela não morreria, mas se tornaria como Deus. Depois que ela teve
comido, Adam aparentemente estava convencido da mesma mentira, então ele
também comeu um pouco.
Agora, como Adão e Eva não estavam amando Deus e
vizinho? Eles não eram amorosos com Deus se rebelando contra
sua lei da aliança, e confiando nas mentiras da serpente sobre Deus
verdade. Eva não era amorosa com Adão, tentando-o a pecar,
por estar insatisfeito com a imagem de Deus nele, e por não conseguir
buscar o seu bem através da obediência à lei de Deus. Da mesma forma, Adam
foi desagradável em relação a Eva ao não corrigir seu entendimento
quando ela foi enganada, afirmando sua insatisfação com
A imagem de Deus em si mesma e nele, e cometendo um pecado que
teve repercussões negativas para ela.
E algo semelhante é verdadeiro para todo pecado humano. Bem desse jeito
primeiro pecado de Adão e Eva, todo pecado humano tem uma visão semelhante
de Deus, rejeitando sua verdade, desconfiando de sua benevolência,
e se rebelando contra sua autoridade. Em resumo, todo pecado humano
falha em demonstrar o correto amor da aliança por Deus. E todo

Page 18
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
18 de 29
Lição 03 de 04
o pecado humano também falha em demonstrar o amor apropriado da aliança por nossos
vizinhos. Se pecamos contra eles direta ou indiretamente,
e se pecamos por nossa ação ou nossa inação, nosso pecado sempre
prejudica outras pessoas. Desrespeita a imagem de Deus neles. Falha em
busque o bem deles. E isso prejudica suas vidas com a corrupção
e conseqüências do pecado.
Você já conheceu cristãos que acreditavam que poderiam quebrar
A lei de Deus, desde que eles sejam motivados pelo amor? Ou pessoas
que acreditavam que se eles guardassem a lei de Deus, não importava se eles
amou alguém? Ambos os tipos de pessoas estão errados. Nós
amar a Deus e aos nossos vizinhos somente quando os valorizamos como Deus
convênio exige. E nossas ações mantêm a lei de Deus somente quando
eles são motivados pelo amor da aliança. É isso que faz com que seja tão
fácil de pecar. O pecado não se importa com a metade que ignoramos. Se estamos
sem lei ou sem amor, o pecado vence. É por isso que é crucial para os crentes
entender o caráter do pecado. Porque quando entendemos
estamos mais preparados para evitá-lo e mais agradecidos
da nossa salvação a partir dele.
Até agora em nossa lição sobre a maldição do pecado, exploramos a origem
do pecado humano, e descreveu o caráter essencial do pecado. Agora estamos
pronto para abordar nosso terceiro tópico principal: as consequências do pecado.
CONSEQUÊNCIAS
Na teologia sistemática tradicional, o termo "pecado original" refere-se
às consequências do primeiro pecado da humanidade. Teólogos diferentes
explicaram os detalhes do pecado original de diferentes maneiras. Mas em
Em cada caso, o foco está em:
A condição em que os descendentes naturais de Adão são
nascido como resultado da queda de Adão no pecado.
A desobediência de Adam afeta negativamente todo ser humano que
naturalmente desce dele. Somente Jesus evitou o pecado original.
O pecado original, resumidamente, é o pecado que, no fundo, uma pessoa tem
possuído desde que nasceu. E uma pessoa não pode fugir
esse pecado. Toda pessoa que nasce deve aceitar isso porque
as pessoas nascem de uma linhagem pecaminosa. Vou dar um exemplo:
Não é possível que um leão dê à luz um cordeiro, e é
não é possível para uma pessoa pecadora, a descendência de Adão, dar
nascimento de uma pessoa santa, uma pessoa que está bem diante de Deus.

Page 19
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
19 de 29
Lição 03 de 04
E este é o pecado que já existe. Embora não com-
mitigue com nossos pensamentos, não cometa com nosso discurso,
nós não cometemos isso com nossas ações, já está lá. E
não há ninguém entre nós que possa evitá-lo. É isso que é
chamado “pecado original”. Como Davi disse no Salmo 51, “Eis que
Fui criado em iniqüidade, e em pecado minha mãe
me concebe. "
- Yohanes Praptowarso, Ph.D., tradução
Para os propósitos desta lição, focaremos em três consequências
da queda da humanidade no pecado: corrupção, alienação e morte. Vamos
comece com corrupção.
CORRUPÇÃO
Você se lembrará que quando Adão e Eva comeram da Árvore da
Conhecimento do bem e do mal, mudou-os para pior. Mais cedo,
mencionamos que Agostinho, o bispo de Hipona descreveu
estado original e sem pecado da humanidade como posse não pecamista , significando
que a humanidade tinha a capacidade de não pecar. Mas depois de Adão e Eva
pecados, eles perderam essa capacidade e mantiveram apenas a capacidade de pecar.
Agostinho descreveu seu novo estado como n em posse não pecuária -
a incapacidade de não pecar. A corrupção que Adão e Eva sofreram
removeu sua capacidade de agradar a Deus e de merecer suas bênçãos,
e os deixou apenas com a capacidade de pecar e merecer as maldições de Deus.
Agora, como vemos em Gênesis 3:12, 13 Adão e Eva confessaram sua
pecado, ainda que imperfeitamente. E nos versículos a seguir, Deus foi
tolerante com eles. Ele poderia tê-los matado imediatamente por
pecado. Mas ele não fez. Em vez disso, ele mostrou misericórdia. E em Gênesis
3:15, ele até prometeu enviar um redentor para resgatá-los de
pecado e seus efeitos. Por meio da fé e arrependimento que
Adão e Eva expressaram, Deus renovou seus espíritos e restaurou
sua capacidade de evitar o pecado.
Infelizmente, sua restauração pessoal não se estendeu à sua
descendentes naturais. O resto da raça humana estava fadado a
nascer com a incapacidade de não pecar. Jesus e Paulo compararam isso
estado de corrupção moral em ser escravos do pecado em lugares como John
8: 31-44 e Romanos 6: 6-20. E todos nós permanecemos neste estado de
corrupção até que Deus nos salve, assim como ele salvou Adão e Eva.
Em Lucas 6: 43-45, Jesus comparou nosso estado corrupto a uma árvore ruim

Page 20
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
20 de 29
Lição 03 de 04
que só pode produzir frutas ruins. Ele não quis dizer que não salvo
a humanidade caída nunca faz nada exteriormente bom. Eles ainda
cuidar de seus filhos, ainda respeitar as leis civis, e assim por diante. Mas
a corrupção do pecado os torna incapazes de agir por respeito
pela lei de Deus, ou por amor da aliança a Deus e ao próximo. E
portanto, tudo o que eles fazem é contaminado pelo pecado. Como Paulo disse em
Romanos 8: 6-8:
A mente do homem pecador é a morte ... a mente pecaminosa é hostil a
Deus. Não se submete à lei de Deus, nem pode fazê-lo. Essa
controlado pela natureza pecaminosa não pode agradar a Deus (Romanos 8: 6-
8)
Infelizmente para a humanidade caída, nossa corrupção não é limitada
à nossa incapacidade de evitar o pecado. Estende-se a todas as facetas do ser humano
natureza. Diferentes tradições teológicas compreendem a extensão
dessa corrupção de maneiras diferentes. Mas todos podemos concordar que
todas as faculdades de nossa natureza humana foram afetadas, incluindo
cada parte de nossos corpos e almas. Por exemplo, nossos corpos sofrem
e morra, como Deus disse em Gênesis 3: 16-19. Nossas mentes não
entender, como Paulo apontou em Romanos 3:11. E nossos corações
desejo pelo pecado, como João apontou em 1 João 2:16.
O pecado é generalizado em nossas vidas. Corrompe todas as partes dos caídos
ser da humanidade - nossos corpos, nossas almas, nossas mentes e nossos
desejos, nossos pensamentos e tudo mais. E, como resultado, também
corrompe tudo o que flui do nosso ser - tudo o que
pense, faça e sinta. Quando chegamos à fé em Cristo, Deus renova
nós de uma maneira que restaure nossa capacidade de agradá-lo em todas essas áreas.
Mas para aqueles que ainda não foram salvos, o pecado se expressa em
tudo o que eles fazem.
Considere apenas três maneiras pelas quais as Escrituras falam sobre o pecado que
nosso
a corrupção produz antes de chegarmos à fé, começando com o
conceitos pecaminosos que adotamos.
Conceitos
Os conceitos de Eva foram corrompidos quando ela acreditou nas mentiras da serpente
sobre os motivos de Deus e sobre os efeitos do fruto proibido. E
Os conceitos de Adam foram igualmente corrompidos quando ele determinou
valia a pena comer a fruta. Mas a coisa mais terrível sobre
essas corrupções é que foram passadas a todos os seres humanos
através da maldição de Deus.

Page 21
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
21 de 29
Lição 03 de 04
Como vimos em uma lição anterior, o pecado prejudicou a capacidade da humanidade
para o pensamento conceitual, e nos fez acreditar que idéias falsas
são verdadeiras. Eclesiastes 9: 3 e Jeremias 17: 9 dizem que o pecado faz
todos nós somos loucos em alguns aspectos. Não valorizamos o que Deus valoriza, e
nos comprometemos com o mal. Deuteronômio 29: 2-4 diz que pecaminoso
as mentes têm dificuldade em entender o significado dos milagres de Deus.
E João 8: 43-47 ensina que o pecado nos faz abraçar mentiras e
nos impede de aceitar a verdade. Em Efésios 4: 17-18, Paulo
descreveu o impacto do pecado desta maneira:
Os gentios [vivem] na futilidade de seus pensamentos. Eles são
escurecido em sua compreensão e separado da vida
de Deus por causa da ignorância que há neles devido à
endurecimento de seus corações (Efésios 4: 17-18).
Sempre que deixamos de acreditar na verdade, é porque o pecado
corrompeu nossos conceitos. O que é pior, muitos dos nossos falsos conceitos
eles mesmos são pecadores. Não é pecado para nós entendermos mal
conceitos que são muito difíceis de entender, ou de ignorarmos
coisas que não tivemos a oportunidade de aprender. Mas é pecaminoso para
afirmamos doutrinas falsas e modos de pensar não-bíblicos. Isso é
por que em 1 Timóteo 6: 3-5, Paulo acusou falsos mestres do pecado porque
de sua ignorância culpada e mentes corruptas. Falsas doutrinas
idéias erradas são mentiras que obscurecem a verdade de Deus e que
leve-nos a mais pecados.
Deus é Deus e vale a pena conhecer correta e corretamente.
Devemos a ele saber quem ele é correto e ter
doutrinas corretas, porque doutrina correta descreve quem
Deus é e nosso relacionamento com ele. Então, antes de tudo, Deus é
digno de nosso melhor pensamento e de pensar nele
de maneira tão correta quanto possível. E assim, a doutrina correta é
importante porque honra a Deus. Dá respeito a ele.
Queremos conhecê-lo como ele realmente é. Queremos conhecer o
verdade sobre ele que ele nos revelou. Isso, é claro,
é o propósito das Escrituras, que podemos saber isso. Segundo
Por outro lado, o Novo Testamento fala tão fortemente contra os falsos
doutrina porque leva a um falso modo de vida. Isso leva a
pecado, afastar-se de Deus. Quando não entendemos
Deus corretamente, quando temos uma visão aberrante de Deus, então
nós vamos viver uma vida aberrante. Nós não vamos servir
ele como ele gostaria que nós o servíssemos. Então é por isso que
O Novo Testamento fala tão fortemente contra a falsa doutrina.
- Dr. Gareth Cockerill

Page 22
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
22 de 29
Lição 03 de 04
Um segundo resultado de nossa corrupção são os comportamentos pecaminosos que
executar.
Comportamentos
O comportamento de Adão e Eva foi provavelmente o aspecto mais óbvio
do seu pecado: eles comeram o fruto proibido. E esse pecado serviu como
o modelo para todos os pecados comportamentais que atormentaram a humanidade
desde então. Depois desse tempo, como lemos em Gênesis 6: 5, Deus estava tão
irritado pelo comportamento humano pecaminoso que ele destruiu todo
correr com uma inundação, salvando apenas Noé e sua família para repovoar
o mundo.
Infelizmente, a raça humana não se saiu muito melhor desta vez.
Ainda cometemos todo tipo de pecado comportamental. De fato, em romanos
1, Paulo argumentou que uma das razões pelas quais pecamos tanto é que Deus
nos entregou ao nosso apetite pecaminoso. Nesse mesmo capítulo, Paulo
também forneceu uma descrição assustadora dos comportamentos que agora
nos caracterizar em nossa condição caída e não salva. Ouça o que
Paulo escreveu em Romanos 1: 29-32:
Tornaram-se cheios de todo tipo de maldade, maldade,
ganância e depravação. Eles estão cheios de inveja, assassinato, contenda, engano
e malícia. São fofocas, caluniadores, odiadores de Deus, insolentes,
arrogante e arrogante; eles inventam maneiras de fazer o mal; eles
desobedecer aos pais; eles são sem sentido, sem fé, sem coração,
cruel. Embora eles saibam o justo decreto de Deus de que aqueles
que fazem tais coisas merecem a morte, eles não apenas continuam a fazer
essas mesmas coisas, mas também aprovam quem as pratica
(Romanos 1: 29-32).
Você sabe, quando o século XX começou, havia tão
muito otimismo no mundo, especialmente no mundo ocidental,
devido ao avanço da ciência, devido ao
causa da ampla disponibilidade de educação, devido a todos
as descobertas, o progresso tecnológico e assim por diante,
estava entre filósofos e cientistas sociais e até mesmo
teólogos liberais, havia essa grande aura de otimismo
que o século XX seria um século de paz
em que não haveria mais guerra. Século XX
seria um século em que a razão humana governaria,
e seres razoáveis não vão se matar. Então,

Page 23
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
23 de 29
Lição 03 de 04
nessa enorme expectativa de que estávamos chegando em um
século em que haveria paz, você vê, o problema
lem nesse tipo de coisa ... E esse era o problema em
Marxismo. Tinha uma antropologia otimista que terminou em
desastres sociais porque não tinha a doutrina do pecado.
E então o que aconteceu? Você teve a Primeira Guerra Mundial. Vocês
teve a Revolução Bolchevique. Você teve mais tarde o Holocausto,
Segunda Guerra Mundial, Hitler, Nazismo, e nós poderíamos continuar. E
portanto, resumindo, no século XX, alguns
112,8 milhões de pessoas foram mortas em guerra. Eu estou conversando
apenas guerra - civis e soldados, tanto quanto registrado
os dados nos permitem calcular. Isso é quatro vezes mais do que em
os quatro séculos anteriores cumulativamente. O que faz aquilo
nos digam? Que algo está errado, não apenas as condições sociais
ções. Com todo o conhecimento, o avanço da ciência
e progresso da civilização, há algo de fundamental
totalmente errado com a natureza humana. E é isso que somos
- cristãos - chamando de "pecado". Agora isso não é muito popular
palavra na mídia, na academia e assim por diante, e ainda
Reinhold Niebuhr disse, a doutrina cristã do pecado é a
menos popular de todas as doutrinas, e ainda assim aquela pela qual
temos a evidência empírica mais esmagadora de todos
Onde.
- Dr. Peter Kuzmič
O terceiro resultado de nossa corrupção que mencionaremos é o nosso pecado
emoções.
Emoções
Como vimos, o primeiro e o segundo maiores mandamentos de
A lei de Deus são ambos mandamentos para amar: primeiro, amar a Deus; e
segundo, amar nossos vizinhos. E, claro, o amor é uma emoção,
pelo menos em parte. É a motivação que nos leva à obediência
em todas as áreas da nossa vida. Então, não deveria nos surpreender que pecaminoso
a corrupção também afeta nossas emoções, impedindo-nos de amar
Deus e nossos vizinhos como deveríamos, e nos impedindo de
manifestando outras emoções justas que fluem desse amor.
A corrupção das emoções de Adão e Eva estava envolvida em
o próprio pecado, em seus efeitos imediatos e em sua maldição duradoura.
Por exemplo, em Gênesis 3: 6, Eva desejou a sabedoria de que o
frutas proibidas oferecidas. Nos versículos 7-10, Adão e Eva sentiram vergonha

Page 24
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
24 de 29
Lição 03 de 04
sobre a nudez deles. E no versículo 16, Deus amaldiçoou a maneira como seus
emoções e desejos afetariam seu relacionamento conjugal.
E algo semelhante se aplica à corrupção das emoções pelo pecado
de todo ser humano. Todos lutamos com cobiça, luxúria, orgulho,
ódio, raiva injusta e todo tipo de outras emoções pecaminosas.
Como Jesus disse em Marcos 7: 21-22:
De dentro, do coração dos homens, surgem maus pensamentos,
imoralidade, roubo, assassinato, adultério, ganância, malícia, engano,
indecência, inveja, calúnia, arrogância e loucura (Marcos 7: 21-22).
Mesmo antes de agirmos, nossas emoções e desejos pecaminosos nos arrastam para
pensamentos e comportamentos pecaminosos. Tiago coloca desta maneira em Tiago 1:
14-
15:
Cada um é tentado quando, por seu próprio desejo maligno, é arrastado
longe e seduzido. Então, após o desejo ter concebido, ele dá à luz
pecar (Tiago 1: 14-15).
Em nossa natureza pecaminosa, mesmo a obediência externa à lei de Deus é
impossível. Mas quando consideramos nossa corrupção emocional,
e nossa incapacidade de amar a Deus e ao próximo como deveríamos,
torna-se evidente que, além de sua graça salvadora, não temos
capacidade de agradar a Deus.
Tendo visto que a corrupção generalizada é um dos terríveis
consequências da queda da humanidade no pecado, vamos explorar nossa
alienação de Deus e de outros seres humanos.
ALIENAÇÃO
É realmente impossível exagerar o efeito do pecado. Primeiro,
o salário do pecado é a morte. A morte entra na experiência humana
por causa do pecado. Todos nós vamos morrer por causa do pecado. Segundo,
somos separados de Deus por causa do pecado. Nosso relacionamento é
fraturado e não temos o direito de estar conectado a ele em
tudo por causa da nossa pecaminosidade. E terceiro, nossos relacionamentos
são fraturados, fragmentados e quebrados entre si.
causa do pecado. Porque escolhemos colocar nossas próprias necessidades em primeiro
lugar
e nos colocamos à frente dos outros e somos inflados pelo orgulho
egoísmo e presunção, deixamos de nos dar bem juntos
harmonia perfeita. Então, tudo isso é explicável por causa do pecado.
- Dr. Constantine Campbell

Page 25
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
25 de 29
Lição 03 de 04
Os seres humanos foram criados à imagem de Deus para governar este mundo
em comunhão com ele. Nós deveríamos expandir o Jardim
do Éden para encher a terra inteira, para que toda a criação se tornasse
seu reino terrestre. E naquele reino, Deus viveria com
nós e manifestar sua presença para nós. E nós também deveríamos
viver como uma raça unida, governando cooperativa e amorosamente
criação como vice-regentes de Deus ou reis vassalos.
Mas o pecado quebrou nossa comunhão com Deus e danificou nossa
relacionamentos um com o outro. Isso fez com que Deus banisse Adão
e Eva do Jardim do Éden. Gênesis 3:24 diz que ele
até postou anjos em seu portão para garantir que eles não escapassem
de volta. Como resultado, a humanidade foi forçada a viver no indomável
deserto longe da presença e proteção de Deus. E como nós
aprender em Gênesis 4-6, a humanidade rapidamente se virou
Na região selvagem. Caim matou seu irmão Abel e tornou-se
o pai de muitas gerações de pessoas que trataram os outros
perversamente. Eventualmente, o abuso da humanidade um do outro se tornou tão
grande que Deus inundou o mundo inteiro nos dias de Noé.
A alienação da humanidade de Deus e entre si tem
continuou dessa maneira catastrófica desde então. Já não
ande na presença imediata de Deus como Adão e Eva fizeram; em vez de,
nós odiamos e fazemos guerra com ele. E mentiras, decepção, ódio, conflito
e todos os tipos de outros problemas relacionais nos impedem de viver
pacificamente e cooperativamente com outras pessoas.
Como vimos, a causa inicial dessa alienação foi Adam e
O ato de rebelião de Eva contra Deus quando eles comeram o proibido
fruta. Em seu pecado, nossos primeiros pais afirmaram sua própria autoridade
sobre a autoridade de Deus. Foi um ato de traição contra Deus
aliança que transformou toda a nossa raça nos inimigos de Deus.
Em sua carta aos efésios, Paulo revelou que a queda da humanidade
o pecado fez com que toda a nossa raça caída se unisse ao reino de Satanás.
Passamos de aliados próximos de Deus a combatentes inimigos
em uma guerra espiritual. Como resultado, cada um de nós começa a vida em total
alienação do favor e graça de Deus. Nós o conhecemos apenas como nosso
inimigo natural. Em Efésios 2: 1-3, Paulo ofereceu essa descrição
de sua audiência antes de sua salvação:
Você estava morto em suas transgressões e pecados, nos quais você
costumava viver quando você seguia os caminhos deste mundo e de
o governante do reino dos céus, o espírito que está agora em
trabalhe naqueles que são desobedientes. Todos nós também morávamos entre

Page 26
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
26 de 29
Lição 03 de 04
eles ao mesmo tempo, gratificando os desejos de nossa natureza pecaminosa
e seguindo seus desejos e pensamentos. Como o resto, estávamos por
objetos da natureza da ira (Efésios 2: 1-3).
Observe que Paulo aplicou essa descrição a todos os que não foram salvos, caídos
ser humano quando ele disse "todos nós" vivia assim. Ele fez um
ponto semelhante em Romanos 5:10, onde ele escreveu:
Quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com ele através de
a morte de seu filho (Romanos 5:10).
Não estamos apenas alienados dele porque nosso relacionamento é
tensas, ou porque não podemos estar em sua presença imediata. Está
muito, muito pior que isso. A queda da humanidade no pecado nos fez
Inimigos de Deus.
E enquanto isso não prejudicou nossos relacionamentos com todos os outros seres
humanos
seres na mesma medida, a Queda ainda nos afasta de cada
outro de várias maneiras. Claro, nosso pecado criou muitos inimigos
e guerras entre seres humanos. Mas também é responsável pela nossa
problemas relacionais mais comuns. Da mesma maneira que ele criou
vergonha e conflito conjugal por Adão e Eva, isso cria problemas
em qualquer outro casamento também. Da mesma maneira que produziu
violência em seus filhos, produz violência em todas as sociedades
também. Isso nos faz mentir um para o outro, odiar um ao outro,
prejudicar um ao outro, se ofender e ofender. Faz
nós ciumentos, rancorosos, implacáveis. E mesmo entre os crentes, depois
Deus nos resgatou da nossa escravidão sem esperança para o pecado, nós ainda
lutam para tratar um ao outro com amor e compaixão. Como James
escreveu aos crentes em Tiago 4: 1-2:
O que causa brigas e brigas entre vocês? Eles não vêm
de seus desejos que batalham dentro de você? Você quer algo
mas não entenda. Você mata e cobiça, mas não pode ter o que
você quer. Você briga e luta (Tiago 4: 1-2).
A queda da humanidade no pecado nos alienou de Deus e
de um para o outro. Fomos criados para existir em paz e amor
relacionamentos com Deus e com outras pessoas. Nós deveríamos
viver e trabalhar juntos, centralizando nossas vidas em torno de Deus
servido. Mas a queda nos tornou egoístas, arrogantes e odiosos. Então,
em vez de servir a Deus, nos opomos a ele. Em vez de viver desinteressadamente
com os outros, cobiçamos o que eles têm e os usamos para servir nossos
propósitos próprios. Não, não somos tão ruins quanto poderíamos ser. E nós fazemos
ver restos do bem em relacionamentos humanos caídos. Mas isso não
como deveria ser. O pecado destruiu nosso relacionamento com Deus, e

Page 27
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
27 de 29
Lição 03 de 04
prejudicou gravemente nossos relacionamentos com os outros. Aparte de Deus
graça, esses problemas não têm soluções.
Até agora, consideramos as consequências da queda da humanidade
pecado em termos de corrupção e alienação. Agora estamos prontos para
abordar a questão da morte.
MORTE
Em Gênesis 2:17, Deus disse a Adão que se ele comesse o fruto da Árvore
do conhecimento do bem e do mal, ele morreria. Então depois
Adão comeu o fruto, Gênesis 3:19 registra que Deus amaldiçoou Adão a
morte física. Mas, como mencionamos anteriormente, o pecado de Adão e seus
maldição não afetou apenas Adam. Afinal, ele era o chefe da aliança
de toda a raça humana. Ele era nosso rei. Então, quando ele se rebelou
contra Deus, todo o nosso reino humano caiu sob a sombra de
sua culpa e, consequentemente, sob a maldição da morte. Como Paulo disse
em Romanos 5: 12-17:
O pecado entrou no mundo através de um homem, e a morte através do pecado,
e assim a morte chegou a todos os homens, porque todos pecaram ... [T]
muitos morreram pela transgressão de um homem ... [pela] transgressão
do homem, a morte reinou através daquele homem (Romanos
5: 12-17).
Paulo disse que todos pecaram porque Deus não considerou a culpa de Adão
apenas para Adão, mas também para o resto da humanidade natural. E isto
culpa resulta em nossa morte. Do ponto de vista jurídico do original
pecado, todo ser humano é tão culpado quanto Adão. Então, se Adam
era digno da morte - e ele era - então nós também somos. E isso é
porque nós morremos. Mesmo depois que chegamos à fé em Cristo, a maldição do
pecado permanece
para nossos corpos. Como resultado, todos nós morremos e voltamos a
poeira, assim como Adam.
Agora, Adão não morreu imediatamente quando Deus o amaldiçoou - em
pelo menos não fisicamente. E o mesmo se aplica ao resto de nós.
Deus nos permite uma vida útil física na terra. Mas as Escrituras
implica que Adão morreu espiritualmente quando foi amaldiçoado, e que
seus descendentes naturais estão espiritualmente mortos antes de chegarem
fé.
A questão da morte espiritual é muito bem abordada
em Efésios 2. Basicamente, Paulo diz que estamos mortos em nossos pecados
e nossas transgressões. Então, o entendimento é que
Page 28
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
A maldição do pecado
28 de 29
Lição 03 de 04
estamos mortos, e uma pessoa morta realmente não pode fazer muito com
respeito a agradar a Deus. E particularmente, eu acho, Paul é
abordando a questão de nossas ações e como Deus vê nossa
ações. Esse versículo continua dizendo no capítulo 2 que ... nós somos
seguindo o líder deste mundo. Estamos fazendo as coisas
que ele quer que façamos, porque essa é a nossa tendência natural.
Quando estamos mortos em nossos pecados, seguimos o líder da morte
quem é satanás Quando somos vivificados em Cristo ... somos
dada uma nova vida. É uma nova vida. É uma vida que nos permite
agir, fazer coisas agradáveis a Deus, mas somente possíveis
através disso ... através da vida e morte e ressurreição
de Jesus Cristo e nossa fé nele.
- Rev. Timothy Mountfort
Paulo descreveu a morte espiritual em Efésios 2: 1-5 quando disse:
Você estava morto em suas transgressões e pecados, nos quais você
costumava viver quando você seguia os caminhos deste mundo e da
governante do reino dos céus, o espírito que agora trabalha em
aqueles que são desobedientes. Todos nós também morávamos entre eles em
uma vez ... Mas ... Deus ... nos fez viver com Cristo, mesmo quando
nós estávamos mortos em transgressões (Efésios 2: 1-5).
As pessoas que Paulo descreveu estavam fisicamente vivas. Eles se envolveram em
pecado, e lutou contra Deus na guerra espiritual. Mas Paulo ainda ligou
"mortos" porque estavam sob a condenação de Deus, e
porque eles não tinham a vitalidade espiritual necessária para agradar a Deus.
Paulo também disse que até os crentes costumavam estar "mortos" no mesmo
caminho. Todos os seres humanos caídos compartilham essa condição espiritualmente
morta
até recebermos vida espiritual em Cristo. Como Paulo escreveu em Romanos
8:10:
Se Cristo está em você, seu corpo está morto por causa do pecado, mas seu
o espírito está vivo por causa da justiça (Romanos 8:10).
Aqui Paulo disse que temos vida espiritual se Cristo está em nós. Por
implicação, se Cristo não está em nós, estamos espiritualmente mortos.
Por causa da queda de Adão no pecado, os seres humanos sofrem imediata
morte espiritual quando somos criados, e morte física eventual.
E pior, se nunca chegamos à fé em Cristo, se nunca estamos
redimido da maldição do pecado pela graça de Deus, continuaremos sofrendo
morte espiritual e física no inferno. E assim como espiritual
morte no mundo atual, será uma experiência consciente. o
não redimido existirá para sempre, sofrendo a maldição eterna

Page 29
Transcrição - ST316 O que é o homem? A Doutrina do Homem
© 2019 Our Daily Bread Ministries. Todos os direitos reservados..
Aprendizado Centrado em Cristo - A qualquer hora, em qualquer lugar
29 de 29
A maldição do pecado
Lição 03 de 04
do pecado no corpo e na alma. A maldição do pecado é muito real. Mas
pela graça de Deus, podemos lutar contra a influência do pecado agora, e
escapar completamente no futuro.
CONCLUSÃO
Nesta lição sobre a maldição do pecado, exploramos a origem do
pecado na raça humana e em indivíduos humanos, e discutido
autoria final do pecado. Também descrevemos os aspectos essenciais do pecado.
caráter como sem lei e sem amor. E nós consideramos o pecado
consequências da corrupção, alienação e morte.
O peso do pecado humano nos faria desesperar se não o fizéssemos
tenha esperança em Cristo. Como vimos nesta lição, não é um pequeno
coisa. É um fardo terrível que nos acorrenta à corrupção neste
vida, e nos arrasta para a morte eterna. Em seu famoso livro, The
O Peregrino , John Bunyan descreveu o pecado como uma carga presa
às nossas costas que só podem ser removidas pela cruz de Cristo. Dentro
Em nossa próxima lição, veremos como isso acontece quando nosso Salvador
nos redime da maldição do pecado.

Você também pode gostar