Você está na página 1de 12

IPVA

ÍNDICE
1. IPVA...........................................................................................................................................02
2. Contribuinte do IPVA .................................................................................................................02
3. Legislação Estadual ..................................................................................................................02
4. Base de Cálculo.........................................................................................................................02
5. Alíquotas....................................................................................................................................03
6. Como pagar o IPVA ..........................................................................................................….....04
7. Desconto....................................................................................................................................04
8. Parcelamento do IPVA do Exercício vigente..............................................................................04
9. Veículo Novo................................................................................................................ 04
10. Pagamento do IPVA em atraso ................................................................................................04
11. Parcelamento de débitos de exercícios anteriores...................................................................05
12. Solicitação de parcelamento.....................................................................................................05
13. Parcelamento – prazo de pagamento.......................................................................................05
14. Rescisão de parcelamento.......................................................................................................06
15. Pagamento indevido do IPVA ..................................................................................................06
16. Restituição................................................................................................................................06
17. Documentos obrigatórios para pedido de restituição................................................................07
18. Dívida Ativa...............................................................................................................................07
19. Dívida ativa ajuizada ................................................................................................................08
20. Parcelamento de Dívida ativa ajuizada.....................................................................................08
21. Isenções....................................................................................................................................08
22. Portadores de necessidades especiais - física, visual, mental e autista..................................09
23. Imunidade.................................................................................................................................09
24. Transferência de propriedade de veículos................................................................................10
25. Transferência de veículo para outra Unidade da Federação....................................................10
26. Onde pagar o IPVA na aquisição de veículo novo adquirido em outra Unidade da
Federação?......................................................................................................................................10
27. Comunicação de venda – Quando efetuar?..............................................................................11
28. Veículo furtado/roubado............................................................................................................11
29. Veículo sinistrado......................................................................................................................11
30. Baixa do registro de veículos – Quando efetuar?.....................................................................12

1
1 - IPVA – IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

IPVA é o imposto estadual sobre a Propriedade de Veículos Automotores, devido


anualmente por todos os proprietários de veículos automotores.

O valor do IPVA arrecadado é destinado 50% para o Estado e 50% para o


Município onde o veículo encontra-se licenciado e destina-se ao financiamento dos
serviços básicos da população: saúde, educação, segurança, transportes, etc.

2 – CONTRIBUINTE DO IPVA

Contribuinte do imposto é toda pessoa física ou jurídica proprietária de veículo


automotor.
No caso de arrendamento mercantil, contribuinte é a empresa arrendadora.
Nos casos de veículos com comunicado de venda registrado no DETRAN, o
comprador é o contribuinte em relação aos fatos geradores posteriores à compra.

3 - LEGISLAÇÃO ESTADUAL

Edital N. 001/2011 - Lançamento IPVA 2012


Decreto 3.590/2011 (Tabela de Valores Venais/2012)
Lei nº 17.027/2011
Lei nº 14.260/2003 (Atualizada até a Lei 17.027/2011)
Instrução SEFA nº 26/2008 (Atualizada até a Instrução SEFA nº 30/2011)
Calendário para pagamento com bonificação de 5%
Calendário para pagamento sem bonificação ou parcelado
Resolução Contran nº 11/98

4 - BASE DE CÁLCULO

Quando se tratar de veículos usados, a base de cálculo do IPVA é o valor venal


de mercado do veículo, avaliado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas -
FIPE, contratada pela Secretaria de Estado da Fazenda para elaborar a tabela de preços
médios de veículos, observando-se marca, modelo, espécie e ano de fabricação.

2
Quando se tratar de veículo novo, a base de cálculo é o valor total da nota fiscal
de aquisição, incluído o dos opcionais e acessórios.

Quando se tratar de veículo importado não licenciado no país, a base de cálculo


é o valor constante do documento de importação, convertido em moeda nacional pela
mesma taxa cambial utilizada no cálculo dos tributos federais, acrescido dos valores dos
tributos incidentes e despesas decorrentes da importação, ainda que não pagos.

Quando se tratar de veículo incorporado ao ativo permanente do fabricante,


revendedor ou importador, o valor do custo de aquisição, constante do documento fiscal
relativo à aquisição, ou de fabricação.

Quando se tratar de veículo montado por encomenda de consumidor final, em


local diverso de estabelecimento fabricante do chassis, o somatório dos valores
constantes dos documentos fiscais relativos à aquisição de partes e peças e aos serviços
prestados, não podendo ser este somatório inferior ao valor médio de mercado;
Quando se tratar de arremate em leilão de veículo, o valor da arrematação
acrescido dos tributos incidentes e das despesas debitadas ao arrematante.

5 - ALÍQUOTAS

Sobre a base de cálculo, aplica-se a seguinte alíquota:

1% (um por cento) para:

a) ônibus, micro-ônibus, caminhões e quaisquer outros veículos automotores


registrados na categoria aluguel ou espécie carga, conforme classificação do Conselho
Nacional de Trânsito;
b) veículos automotores destinados à locação, de propriedade de empresas
locadoras ou cuja posse estas detenham em decorrência de contrato de arrendamento
mercantil;
c) veículos automotores que utilizem o Gás Natural Veicular (GNV).

2,5% (dois e meio por cento) para os demais veículos automotores.

3
6 – COMO PAGAR O IPVA

O pagamento do imposto poderá ser realizado:


1. Em qualquer agência do Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Sicredi, apenas com
o número do Renavam do veículo;

2. Imprimindo a GR-PR disponível na “Consulta a débitos do IPVA” no portal SEFA


(www.fazenda.pr.gov.br) e efetuando o pagamento em qualquer Banco
credenciado.

3. Imprimindo a ficha de compensação disponível na “Consulta a débitos do IPVA”


no portal SEFA (www.fazenda.pr.gov.br) e efetuando o pagamento em qualquer
instituição financeira ou seus autorizados.

7 - DESCONTO

Somente para veículos usados, redução de cinco por cento do valor devido para
pagamento integral no mês de fevereiro em parcela única, conforme calendário de
vencimentos.

8– PARCELAMENTO DO IPVA DO EXERCÍCIO VIGENTE

Em até cinco parcelas iguais, sem desconto a partir de Março, conforme


calendário.

9 - VEÍCULO NOVO

A lei Estadual 14.260/2003 prevê em seu Art. 11 que no caso do veículo novo o
vencimento do primeiro IPVA se dará no prazo de até 30 dias da aquisição, qual seja, da
data da Nota Fiscal, e cujo valor será o total da Nota Fiscal (com opcionais e acessórios)
na proporção de 1/12 (um doze avos) para cada mês, incluindo o mês da aquisição.

10 - PAGAMENTO DO IPVA EM ATRASO

O imposto, quando não pago no prazo de seu vencimento, ficará sujeito a


acréscimo de multa e juros, estabelecidos pela Lei.

4
11 - PARCELAMENTO DE DÉBITOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

Os créditos tributários relativos ao IPVA, correspondentes a fatos geradores


ocorridos até 31 de dezembro do exercício imediatamente anterior, inclusive os inscritos
em dívida ativa, ajuizados ou não, poderão ser parcelados em até cinco parcelas,
mensais e sucessivas.

O crédito tributário compreenderá o montante do imposto e dos acréscimos legais,


de conformidade com a legislação pertinente, calculados até a data de solicitação do
parcelamento.
O crédito tributário objeto de parcelamento sujeitar-se-á, a partir do mês
subsequente ao da sua formalização a juros calculados sobre o saldo devedor. O valor
mínimo de cada parcela não poderá ser inferior a R$ 50,00 (cinquenta reais).

12 - SOLICITAÇÃO DE PARCELAMENTO

1- A solicitação do parcelamento poderá ser efetuada na página da “Internet”


www.fazenda.pr.gov.br – IPVA, na “Consulta a Débitos do IPVA” ou em qualquer Agência
da Receita Estadual.
2- Considerar-se-á formalizado o Termo de Acordo do Parcelamento, após sua
efetivação e com o recolhimento da primeira parcela.

13 - PARCELAMENTO - PRAZO DE PAGAMENTO

O vencimento da primeira parcela do parcelamento, ocorrerá no primeiro dia útil


seguinte àquele em que o pedido de parcelamento tenha sido efetuado, vencendo-se as
demais parcelas no último dia útil dos meses subsequentes;
Caso o pedido de parcelamento seja solicitado no último dia útil do mês, o
vencimento da primeira parcela ocorrerá no mesmo dia, vencendo-se as demais parcelas
no último dia útil dos meses subsequentes.

5
14 - RESCISÃO DE PARCELAMENTO

Haverá rescisão do Termo de Acordo de Parcelamento e inscrição do saldo do


crédito tributário em dívida ativa, no decurso do prazo de 3 meses sem o pagamento de
uma parcela.

15 - PAGAMENTO INDEVIDO DO IPVA

O valor recolhido a maior poderá ser imputado em pagamento de outros débitos do


IPVA do mesmo proprietário, observado o contido em Instrução da Secretaria da Fazenda.
Em havendo saldo remanescente, a restituição será feita a requerimento do
contribuinte ou do responsável à autoridade fazendária, que procederá a devolução com
correção monetária, conforme critério de atualização do imposto a que se refere a Lei nº
11.580, de 14 de novembro de 1996, tomando-se por termo inicial a data do pagamento
indevido e por termo final a data do despacho que deferir a restituição.

16 - RESTITUIÇÃO

1 - O contribuinte tem direito a restituição da importância recolhida indevidamente


a título de IPVA, nos casos de recolhimento a maior; de recolhimento em duplicidade ou
de recolhimento de veículo isento/imune.

2 - No caso de veiculo furtado/roubado ou baixado no Paraná, o contribuinte tem


direito a restituição do IPVA excedente, caso tenha quitado todo o exercício.

3 - No caso de perda total do veículo automotor, por sinistro, roubo, furto,


extorsão,estelionato ou apropriação indébita, o IPVA será devido na razão de 1/12 (um
doze avos) por mês ou fração, contados até a data da ocorrência do fato, desde que haja
comprovação do evento mediante a apresentação do Boletim de ocorrência e do
Inquérito policial;
4 - Para pedir a restituição do imposto, o proprietário pode acessar o site da SEFA
(www.fazenda.pr.gov.br), imprimir e preencher o formulário de restituição do IPVA e
protocolar o pedido, juntando-o com os documentos necessários, em qualquer unidade da
Receita Estadual.

6
OBSERVAÇÕES:
Caso o veículo venha a ser recuperado, o imposto do exercício em que ocorrer a
recuperação será devido na razão de 1/12 (um doze avos) por mês ou fração, contados a
partir daquele em que tenha sido expedido o Auto de Entrega pelo órgão competente,
ficando dispensada a cobrança do imposto relativo ao período em que o veículo esteve
fora da posse direta do seu proprietário.

17 - DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA PEDIDO DE RESTITUIÇÃO

➢ O contribuinte deve fazer prova inequívoca da responsabilidade pelo desembolso


do valor financeiro relativo ao recolhimento em relação ao qual esteja sendo
pleiteada a restituição;

➢ CRLV - Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo, que poderá ser


substituído por extrato do Documento de Cadastro de Veículos emitido pelo
sistema de processamento de dados da SEFA/PR, se for o caso;

➢ Documento de Identidade (do requerente e do representante legal, se for caso);

➢ Relativos à conta bancária (cópia de cheque) do proprietário do veículo ou de seu


representante legal e respectiva agência, se for o caso;

➢ Contrato social ou Ata que indique o representante legal, quando pessoa jurídica;
➢ Contrato de arrendamento mercantil, no caso de leasing, quando for o caso;
➢ Boletim de Ocorrência em caso de furto ou roubo;
➢ Inquérito policial formulado em caso de extorsão, estelionato ou apropriação
indébita

18 - DÍVIDA ATIVA

Poderão ser inscritos em Dívida ativa:


1- os débitos do IPVA de exercícios anteriores ao corrente, quando não quitados
integralmente até o último dia útil do exercício anterior;
2- os débitos de IPVA do exercício corrente ou anteriores em razão de ordem
judicial ou com a finalidade de desvincular o débito da propriedade de veículo;
3- O saldo de parcelamento(s) rescindido(s) por inadimplência.

7
19 - DÍVIDA ATIVA AJUIZADA

O crédito tributário inscrito em dívida ativa, quando ajuizado, ficará sujeito a custas
e honorários advocatícios, a serem verificados com a Procuradoria Geral do Estado.
Para saber se a dívida ativa do IPVA está ajuizada, na “consulta a débitos e guias
para pagar o IPVA”, no Portal da SEFA, consta a observação de ajuizamento.

20 - PARCELAMENTO DE DÍVIDA ATIVA AJUIZADA

Na hipótese do crédito estar ajuizado, ou seja, em cobrança judicial, o pedido de


parcelamento só poderá ser efetuado em Agências da Receita Estadual, devendo ser
apresentados comprovantes do pagamento das custas processuais, dos honorários
advocatícios e da prova de oferecimento de bens em garantia ou fiança para liquidação
do débito, nos casos previstos na legislação.

21 - ISENÇÕES

São isentos do pagamento do IPVA, os veículos automotores:

➢ de propriedade de Missões Diplomáticas, Repartições Consulares e


Representações de Organismos Internacionais, de caráter permanente e
respectivos funcionários estrangeiros indicados pelo Ministério de Relações
Exteriores;
➢ utilizados no transporte público de passageiros na categoria aluguel (táxi), de
propriedade de motorista profissional, pessoa física, ou cuja posse seja decorrente
de contrato de arrendamento mercantil, e por ele utilizado em sua atividade
profissional;
➢ tipo ônibus, exclusivamente empregados em linha de transporte urbano,
suburbano ou metropolitano de pessoas, cedida por concessão ou permissão
pública;
➢ destinados, exclusivamente, ao transporte escolar, cuja propriedade ou posse
decorrente de contrato de arrendamento mercantil seja de pessoa física ou
Prefeitura Municipal;
➢ com mais de 20 anos de fabricação;
➢ classificados quanto à espécie como motocicletas cujos motores não excedam a

8
125 cilindradas e que possuam mais de 10 anos de fabricação.
➢ que, em razão do tipo, a legislação específica proíba o tráfego em vias públicas.
➢ de propriedade, ou cuja posse seja decorrente de contrato de arrendamento
mercantil, de pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou
profunda, ou autistas, equipados com motores de potências não superiores a 155
CV, limitando-se tais isenções a um veículo por contribuinte, sem prejuízo das
isenções já concedidas;

22 - PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS - FÍSICA, VISUAL, MENTAL E


AUTISTA

➢ é considerada pessoa portadora de deficiência física aquela que apresenta


alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano,
acarretando o comprometimento da função física;
➢ é considerada pessoa portadora de deficiência visual aquela que apresenta
acuidade visual igual ou menor que 20/200 (tabela de Snellen) no melhor olho,
após a melhor correção, ou campo visual inferior a 20º, ou ocorrência simultânea
de ambas as situações;
➢ adotar-se-á a definição dada pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da
Presidência da República e pelo Ministério da Saúde, para conceituação de
pessoas portadoras de deficiência mental severa ou profunda, ou autistas;

Observações:
➢ o veículo automotor será adquirido ou arrendado em nome do portador da
deficiência ou de seu representante legal e, no caso dos interditos, pelos
curadores.

23 - IMUNIDADE

São imunes de IPVA os veículos pertencentes a:


a- Autarquias e Fundações Públicas;
b- Partidos Políticos e suas Fundações;
c- Sindicato dos Trabalhadores;
d- Instituições de Educação e Assistência Social
e- União, Estados, Distrito Federal e Municípios.

9
As instituições mencionadas nos itens b, c e d devem apresentar declaração
afirmando que: não distribuem qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, a
qualquer título; aplicam integralmente, no País, os seus recursos na manutenção dos
seus objetivos institucionais; mantêm escrituração de suas receitas e despesas em livros
revestidos de formalidades capazes de assegurar sua exatidão.
As Instituições de Educação e Assistência Social devem apresentar estatuto, ata
de eleição da diretoria e comprovante de credenciamento atualizado junto ao Conselho
Municipal de Assistência Social, sendo que este último documento poderá ser substituído
por credenciamento expedido pelo Conselho Nacional de Assistência Social ou pelo
Conselho Estadual de Assistência Social.

24 - TRANSFERÊNCIA DE PROPRIEDADE DE VEÍCULOS

O DETRAN/PR não concederá licenciamento ou transferência de propriedade de


veículos automotores, sem a quitação integral do imposto devido nos exercícios
anteriores e, também, do exercício corrente, ressalvada a possibilidade de concessão do
licenciamento caso haja a formalização de parcelamento dos débitos do IPVA dos
exercícios anteriores ao corrente.
No caso de transferência de propriedade de veículo dentro do Estado, ocorrida até
o dia 31 de julho, será exigida somente a comprovação do recolhimento do IPVA dos
exercícios anteriores ao exercício corrente.

25 - TRANSFERÊNCIA DE VEÍCULO PARA OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO.

Não será possível a transferência para outra Unidade da Federação, da


propriedade de veículo que possua qualquer débito pendentes de IPVA, inclusive objeto
de parcelamento.

26 – ONDE PAGAR O IPVA NA AQUISIÇÃO DE VEÍCULO NOVO ADQUIRIDO EM


OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO?

O pagamento do IPVA deverá ser efetuado no Estado onde for realizado o 1º


registro do veículo, independente do Estado onde for adquirido, bem como do domicílio
tributário do proprietário.

10
27 - COMUNICAÇÃO DE VENDA – QUANDO EFETUAR?

No caso de venda de veículo, o ex-proprietário (vendedor) deverá comunicar a


venda ao DETRAN/PR, no prazo de 30 dias, nos moldes do Artigo 134 do Código de
Trânsito Brasileiro. Este procedimento é obrigatório para isentar o vendedor da
responsabilidade sobre impostos e multas posteriores à venda, bem como de
responsabilidade civil ou criminal sobre ocorrências que possam acontecer com o veículo
(Acidente de Trânsito, Infrações, etc) - Maiores informação no site do Detran/PR
(www.detran.pr.gov.br)

Artigo 134 do Código de Trânsito Brasileiro:

“No caso de transferência de propriedade, o proprietário antigo deverá encaminhar


ao órgão executivo de trânsito do Estado dentro de um prazo de trinta dias, cópia
autenticada do comprovante de transferência de propriedade, devidamente assinado e
datado, sob pena de ter que se responsabilizar solidariamente pelas penalidades
impostas e suas reincidências até a data da comunicação”.

28 - VEÍCULO FURTADO/ROUBADO

O proprietário que teve o veículo furtado ou roubado deve registrar a ocorrência em


qualquer Delegacia de Polícia, que registrará o furto/roubo na base Nacional de furtos.

Os dados da base nacional alimentarão o sistema da Delegacia de Furtos e


Roubos de Veículos do Paraná, fazendo com que o IPVA seja cobrado proporcionalmente,
de acordo com a data de registro da ocorrência.

O IPVA do exercício do roubo/furto ou da devolução do veículo será devido


proporcionalmente na razão de 1/12 (um doze avos) por mês, no período em que o
veículo ficar na posse do proprietário.

29 - VEÍCULO SINISTRADO

Para efeitos de cálculo do IPVA, considera-se veículo sinistrado aquele que, na


forma do Código de Trânsito Brasileiro e legislação complementar, deva,
obrigatoriamente, ter seu registro baixado no RENAVAM, no prazo e forma estabelecidos
pelo CONTRAN, na Resolução Contran 11/98.

11
30 - BAIXA DO REGISTRO DE VEÍCULOS – QUANDO EFETUAR?

A baixa do registro de veículos é obrigatória sempre que o veículo for retirado de


circulação nas seguintes possibilidades:
I – Veículo irrecuperável
II - Veículo definitivamente desmontado
III - Sinistrado com laudo de perda total;
IV – Vendidos ou leiloados como sucata.
O responsável tem até 15 (quinze) dias para efetuar a baixa, após a constatação
de sua condição através de laudo, conforme art. 6º da Resolução nº 011/98 do
CONTRAN.

12