Você está na página 1de 10

AULA 3 Música e Sociedade

Ao longo da história da humanidade a música esteve sempre presente e


influente nas sociedades. Tão antiga quanto o Homem, a música é usada
para exteriorização de alegria, prazer, amor, dor, religiosidade e anseios da
alma. Considerada como forma de expressão cultural e artística.

Música: arte de proporcionar prazer e bem-estar por meio de sons

A importância da música na vida das pessoas

“Primeiro, devemos educar a alma através da música; e, a seguir, o corpo através da ginásti-
ca” - disse Platão.

A música sempre esteve presente na cultura da humanidade. As poesias trovadorescas, acom-


panhadas por sons, e os poemas simbolistas, que visam à musicalidade nas suas criações, são
exemplos do uso artístico da música, no qual o objetivo é proporcionar prazer aos ouvidos e evocar
sentimentos.
A música é reconhecida por muitos pesquisadores como uma modalidade que desenvolve a
mente humana, promove o equilíbrio, proporcionando um estado agradável de bem-estar, facilitando
a concentração e o desenvolvimento do raciocínio, em especial em questões reflexivas voltadas
para o pensamento.
Na música podem estar contidos três elementos: harmonia, ritmo e palavras. A música penetra
diretamente em nossos centros nervosos e ordena de maneira rápida e imediata a divisão do tempo
e do espaço, além de inspirar o gosto pelas virtudes. Daí a importância da boa e verdadeira música.

Texto adaptado de artigo disponível em: http://www.escolavillare.com.br/


a-importancia-da-musica-na-vida-das-pessoas/. Acesso em: 21.10.2014.

Arte 3 - Aula 3 27 Instituto Universal Brasileiro


Música e Sociedade
Considerada como uma prática cultural
e humana, não se conhece nenhuma civili- em que as obras foram compostas”. Nas
zação ou agrupamento que não possua ma- alternativas são apresentadas várias fotos
nifestações musicais próprias. Embora nem de grupos musicais que devem ser iden-
sempre seja feita com esse objetivo, a músi- tificados pelos instrumentos, bem como
ca pode ser considerada como uma forma de pelo figurino e pela disposição dos músi-
arte, considerada por muitos como sua princi- cos: no primeiro, os elementos permitem
pal função. associar o quarteto ao ritmo do chorinho,
um gênero característico da música brasi-
O que é música? Combinação de leira; no segundo, ao gênero característi-
ritmo, harmonia e melodia, de maneira co da musica clássica; no terceiro, tem-se
agradável ao ouvido. No sentido amplo é um grupo de músicos de jazz e blues; e no
a organização temporal de sons e silên- quarto, o ritmo sugerido é o rock.
cios (pausas). No sentido restrito, é a arte
de coordenar e transmitir efeitos sonoros,
harmoniosos e esteticamente válidos, po- História e Música
dendo ser transmitida através da voz ou Estamos vivendo na era da informação.
de instrumentos musicais. Em praticamente qualquer lugar do mundo po-
demos ter acesso a uma infinidade de conhe-
cimentos, notícias, ideias e tecnologias. Nessa
perspectiva, não é estranho termos a impressão
de que algumas coisas sempre existiram. Um
exemplo disso é a música. Ela está em rádios,
televisões, carros, ruas e bem dentro de nossos
ouvidos, através dos dispositivos portáteis que
estão se tornando cada vez mais populares.
A música é a forma de expressão mais
antiga da humanidade. Antes que a fala ou
outra linguagem fosse desenvolvida, antes
também que as pinturas e esculturas fossem
feitas pelos primeiros homens e mulheres, o
ser humano já produzia sons com aquilo que
encontrava na natureza: ossos, cascas de ár-
vores, vísceras de animais, entre outros.

Veja a definição apresentada em


questão do Enem. “A música pode ser de-
finida como a combinação de sons ao lon-
go do tempo. Cada produto final oriundo
da infinidade de combinações possíveis
será diferente, dependendo da escolha
das notas, de suas durações, dos instru-
mentos utilizados, do estilo de música, da
nacionalidade do compositor e do período

Arte 3 - Aula 3 28 Instituto Universal Brasileiro


De lá pra cá, houve uma evolução gi-
gantesca. Os sons brutos e sem significados ligada às festividades, envolvendo dan-
passaram a ser conduzidos por algumas con- ças típicas de uma determinada cultura.
venções que buscam dar ordem aos pensa- O fado, o tango, o samba, o frevo, o
mentos e dessa maneira estabelecer a comu- forró, a música de viola, a música ser-
nicação de ideias e sentimentos. taneja, o maracatu, o reggae, o blues,
entre outras, se perpetuaram e muitas
delas exercem grande influência na mú-
Variedade de gêneros musicais sica moderna.
A música como manifestação artística e
cultural de um povo, em determinada época ou
região, pode ser considerada um veículo usa-
do para expressar os sentimentos. E foi evo-
luindo através dos séculos, resultando numa
grande variedade de gêneros musicais, entre
eles, a música sacra ou religiosa, a erudita Sobre alguns estilos musicais
ou clássica, a popular e a tradicional ou fol- tipicamente brasileiros
clórica. Cada um dos gêneros musicais pos-
sui uma série de subgêneros e estilos.

• Música erudita ou clássica. É carac-


terizada por uma música refinada e agradável,
apresentada de forma instrumental, que atin-
ge o ápice com os grandes gênios da músi-
ca, entre eles, Haydn, Mozart e Beethoven.
Teve sua origem na necessidade de aumento
do poder expressivo das melodias nos ofícios
religiosos. A expressão "música clássica"
passou a ser usada para representar a evo-
lução musical no século XIX, chamado século
de ouro, dos grandes compositores.
• Música popular. É aquela que tem
uma letra predominantemente romântica, jo-
vem, dançante e com refrões fáceis de memo-
rizar. O rock foi um dos mais bem sucedidos
gêneros da música popular, seguido da músi- Modinha. Um dos primeiros gêneros
ca romântica. musicais brasileiros, porém a sua origem
• Música tradicional ou folclórica. está em Portugal. Começa a ser conheci-
Simboliza as tradições e costumes de um povo, do aqui no Brasil no século XVIII, ganhan-
e são passadas de geração a geração, como do peculiaridades regionais, mais senti-
parte dos valores e da identidade de um povo. mental e sincopada, em sua maioria traz
A música tradicional representa as crenças e letras que falam de amor.
as tradições de uma determinada região. Maxixe. Tem como características
contrapontos provocadores, executados
Grande parte da música folclórica por instrumentos graves. É oriundo do
possui letra de fácil memorização e está lundu, sofrendo também influências das

Arte 3 - Aula 3 29 Instituto Universal Brasileiro


danças de salão europeias popularizadas
no Brasil, ficou conhecido pelo requebra-
do de sua dança, que foi considerada obs-
cena na época.
Frevo. Surgiu no final do século
XIX. Seu ritmo é originado da polca-mar-
cha executada pelas bandas militares por
meio de instrumentos de percussão e so-
pro, que com o passar dos anos tocavam
cada vez mais vibrante e acelerado.
Choro ou chorinho. Aparece nas
últimas décadas do século XIX e tem Para se ter uma ideia, dois dos maiores
como precursores algumas músicas de gênios da música clássica universal, Mozart e
salão europeias vindas com a corte, Beethoven, desde muito cedo já encantavam a
como: a polca, valsa, schottisch, mazur- todos com suas habilidades de interpretação e
ca, dentre outras, ricas em instrumenta- composição.
lidade, misturada com o lundu e outros
motivos rítmicos afro-brasileiro bastan-
te sincopados. Tem como instrumental
básico flauta, cavaquinho e violão. Foi
batizado de acordo com o seu caráter
sentimental. Maiores compositores do
gênero foram Chiquinha Gonzaga e Er-
nesto Nazaré.
Samba. Originalmente suas raízes
estão plantadas na Bahia, mas seu de- Foram a impulsividade, e especialmente,
senvolvimento deu-se no Rio de Janeiro. a espontaneidade que levaram os jovens a to-
A primeira composição gravada desse gê- mar as rédeas da produção musical no século
nero musical brasileiro é intitulada “Pelo XX. Após a Segunda Guerra Mundial, a juven-
telefone”, cuja autoria foi reivindicada por tude não estava nem um pouco satisfeita com
Donga e Mauro de Almeida. o mundo que lhe tinha sido entregue pelas ge-
rações anteriores. Alguns extravasaram essa
insatisfação pela violência, pelo alcoolismo e
pelas drogas, outros o fizeram modificando a
Música & Juventude
cultura e as artes de maneira geral. Resgatan-
Talvez, por ser tão ligada aos sentimen- do as raízes ancestrais, a música foi o meio
tos, a música é provavelmente o elemento mais ideal para gritar por um mundo melhor e se
característico da juventude. Nas principais ma- necessário, deixá-lo em desordem para depois
nifestações históricas e no cotidiano as ações reconstruí-lo de maneira adequada.
dos jovens foram embaladas por acordes e re- Mas, música também é diversão, uma vi-
frões. bração que passa por todo o nosso corpo e nos
Mas os jovens não são simplesmente ou- anima. Tudo que vibra gera música. Somos
vintes e apreciadores da música, eles a produ- essencialmente musicais, desde a dança dos
zem também. Não se fala apenas de bandas planetas até o canto minimal de uma pedra. A
juvenis que povoam atualmente as estações música é a grande companheira do ser huma-
de rádio, ou das primeiras gerações do rock no. Pode ser romântica, revolucionária, sim-
com Beatles, Rolling Stones, e os brasileiros ples ou sofisticada. Todos gostam de senti-la,
da Jovem Guarda, embora estes ainda sejam escutá-la, perceber suas nuances, sutilezas e
referências importantes. tonalidades.
Arte 3 - Aula 3 30 Instituto Universal Brasileiro
Música Contemporânea
no Século 20 e 21 música e o teatro (isto a. C.). Posterior-
mente, a música juntou-se ao Teatro de
Revista e mais tarde ao cinema. A músi-
ca e o cinema são inseparáveis, pois ex-
pressam as mesmas histórias e os mes-
mos sentimentos (por exemplo: um filme
romântico é sempre acompanhado por
música clássica; enquanto que, um filme
de ficção é sempre acompanhado por mú-
sica contemporânea).

O século 20 surge como o século das Os incríveis anos 1960 e 1970


experiências, da procura de novos caminhos no Brasil e no mundo
na música e nas artes em geral. No século 20,
assiste-se ao demonstrar das formas conven- 1960 e 1970 ainda exercem certo
cionais e à valorização e novas perspectivas, fascínio sobre as gerações de hoje. Nos
à procura de novos materiais e à utilização de show de música, artistas “ressuscitam”
recursos trazidos pelos avanços tecnológicos. canções ou sons daquela época, encan-
Acentua-se a tendência para valorizar cultu- tando o público. E a moda atual, ainda
ras até então esquecidas. Os novos meios de edita diferentes versões de vestidos tu-
transporte e comunicação facilitam as trocas binhos, calças de boca larga, túnicas
culturais e fazem com que se reconheçam na indianas, maiôs de crochê, mochilas e
música Moderna influências muito variadas. sapatos inspirados nas cores valoriza-
O aparecimento da gravação sonora das pelas tendências da moda daqueles
abre um mundo novo à produção musical. A anos.
procura de novas sonoridades faz com que No início da década de 1960, a
os compositores explorem sons produzidos modernização do Brasil e o desenvol-
por objetos, transformando-os em instrumen- vimento das telecomunicações tinham
tos musicais. Os instrumentos convencionais causado o crescimento das cidades e o
são transformados e preparados de forma a desenvolvimento de uma cultura urba-
alargar as suas possibilidades referentes aos na, sintonizada com os acontecimentos
timbres. O timbre, nesta época, é talvez o pa- políticos, sociais e culturais de outros
râmetro mais valorizado na música. Surgem países.
os primeiros instrumentos eletrônicos, que O rock'n'roll e a música pop inter-
ficarão para sempre ligados à música Pop e nacional conquistaram amplas parcelas
Rock, embora também estejam presentes da nossa juventude desde o final dos
noutros gêneros musicais. anos 1950, influenciando posteriormen-
te os cantores e compositores da jovem
guarda (Roberto Carlos e Erasmo Car-
los) e do tropicalismo (Gilberto Gil e
Caetano Veloso). Junto com a música
dos Beatles e dos Rolling Stones che-
gavam ao país novos costumes e uma
Música, Teatro e Cinema
nova moda.
Diz a história da música, que a A segunda metade da década de
“Tragédia Grega” deu início à junção da 1960 foi a época do lema ''Paz e Amor'',

Arte 3 - Aula 3 31 Instituto Universal Brasileiro


bandeira do movimento hippie. O iê-iê-iê O rádio chegava ao final dos anos
de Roberto Carlos ajudou a embalar a 50 e início dos 60, consolidado em sua
década no Brasil. Um período marcado posição de meio de comunicação de
também por inesquecíveis festivais da massa, como um elemento fundamen-
música popular brasileira, que fize- tal na formação de hábitos na sociedade
ram despontar nomes como Elis Regi- brasileira. Dos anos 30 aos 60, o rádio
na e Jair Rodrigues. Da bossa nova, foi o meio através do qual as novidades
surgiram grandes compositores e intér- tecnológicas, os modismos culturais,
pretes: Tom Jobim, Vinícius de Moraes, as mudanças políticas, as informações
Nara Leão, Elisete Cardoso, Johnny Alf, e o entretenimento chegavam ao mes-
Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli, Roberto mo tempo aos mais distantes lugares
Menescal, Luiz Bonfá, Baden Powell e do país, permitindo uma intensa troca
tantos outros. entre a modernidade e a tradição. O
Os anos 1970 foram marcados rádio ajudou a criar novas práticas cul-
por grandes transformações culturais turais e de consumo por toda a socie-
e comportamentais, que aprofundaram dade brasileira. O rádio era o grande
as mudanças que vinham da década difusor de notícias, novelas e música.
anterior. A cultura musical jovem dos A televisão era então recente no Brasil
anos 1970 explode com diferentes esti- e encontrada em poucas casas. Pelas
los como o reggae, ritmo caribenho que ondas do rádio chegavam os grandes
teve origem na Jamaica e se espalhou sucessos.
pelo mundo; punk, movimento musical e
cultural que teve início nos Estados Uni-
dos; heavy metal, estilo de rock pesado
com base na força das guitarras ampli-
ficadas e distorcidas por toneladas de
equipamentos; progressivo, estilo de
rock que estava baseado em experimen-
tações e fusões com a música erudita e
com o jazz.

Os anos 60 trouxeram renova-


ções para o veículo que alteraram
profundamente o seu comportamento.
Do rádio à TV As novidades tecnológicas permitiram
maior agilidade e maior alcance da in-
formação iniciando as condições para
que a televisão se consolidasse como
o mais importante veículo de comu-
nicação. Dois gêneros de programas
contribuíram para que a TV se tornas-
se fenômeno de comunicação de mas-
sa no país: o programa de auditório
(com a introdução dos comunicadores)
e a telenovela. Profissionais como
Chacrinha (Abelardo Barbosa), Flávio

Arte 3 - Aula 3 32 Instituto Universal Brasileiro


Cavalcanti, Hebe Camargo e Silvio
Santos surgiram, cada um com um es-
tilo próprio, e todos obtendo enorme
audiência para as emissoras nas quais
trabalhavam. Os comunicadores, Cha- Música & Novas Tecnologias. A cul-
crinha e Silvio Santos dirigiam-se a tura digital é o campo onde fazemos uso das
um público de nível sócio-cultural mais novas tecnologias para produzir e disseminar
bens culturais. Na música, vemos a lógica do
baixo, apresentando atrações de apelo
online reconfigurar formas de se fazer negócio,
popular como calouros, gincanas, dis- demandar maneiras alternativas de lidar com a
tribuição de brindes, concursos, pre- propriedade intelectual, criar novos hábitos de
miações e outros. consumo no público – e finalmente transformá-
-lo em agente participativo fundamental.
Ao longo de 2011, o crowdfunding se fir-
mou como uma opção viável para tirar do papel
Retrato da Música projetos musicais. O modelo de negócio com
no Século 21 base na ideia da “vaquinha” usa a internet como
fonte principal para arrecadação de fundos. No-
No cenário Brasil/Mundo, a Músi- vos canais de distribuição, como aplicativos para
ca no século XXI apresentou mudanças web e celular, também criam novas oportunida-
consideráveis, fazendo estilos até então des para comercializar a música. Licenças alter-
conservadores e tradicionais se mistura- nativas, como o Creative Commons, permitem
rem com estilos musicais bem distintos e ao artista determinar como suas obras devem
ser usadas, inclusive em âmbitos comerciais.
originais.
A experiência de ouvir música também
O Jazz se misturou ao Pop. A Mú-
tem se desenvolvido nos meandros das redes
sica Erudita se aproximou da Música digitais. Serviços de streaming, lojas virtuais,
Popular, com orquestras passando a fi- sistemas de recomendação e filtros (nas redes)
gurar em discos de Rock, Pop, Samba, sociais são algumas das ferramentas que propi-
MPB, Heavy Metal e até, Sertanejo. Teve ciam diferentes tipos de consumo para ouvintes
ainda um rápido fenômeno, como a Amy mais exigentes. Até mesmo a cultura do disco foi
WineHouse que misturou R&B (Rhythm revitalizada, com lojas e sebos online onde o co-
& Blues), mais Soul, com música pop e lecionador pode retomar essa prática.
levou às rádios. O público exerce papel fundamental na cul-
Em todo o mundo, a Música Eletrô- tura digital da música. Através do método do cro-
wdsourcing, músicos contam com seus fãs para
nica se fortaleceu, alavancada pelo su-
criar conteúdo na produção de faixas, videoclipes
cesso dos anos 90, sendo carro-chefe
ou setlists de shows. Em redes sociais, artistas e
dos grandes eventos de moda, espor- público estão em contato direto. Já nos métodos
tivos, comemorações, festas e baladas de gamificação, os ouvintes são transformados
em geral. DJs como Fatboy Slim, David em jogadores que precisam se aventurar pelos
Guetta e Mobi foram os que mais ven- desafios propostos pelos artistas para “conquistar”
deram. faixas, álbuns ou vídeos exclusivos.
No Brasil, o Funk e o Sertanejo uni- As novas tecnologias digitais mudam a
versitário estouraram, caindo no gosto da própria cultura musical, seja no polo da produ-
juventude, abordando letras mais ligadas ção, do consumo ou da distribuição. E a própria
à libertinagem, amor sem compromisso cultura musical influencia a inovação e a criativi-
dade no campo das tecnologias digitais. Para o
e sensualidade explícita. Esse é o retra-
futuro, fica a pergunta: para onde vai a música
to da música no cenário Brasil/Mundo do
no século 21?
século 21.
Adaptado de texto disponível em:
Fonte: https://ask.fm/EduardoGrindCorer http://estrombo.com.br/?p=1947

Arte 3 - Aula 3 33 Instituto Universal Brasileiro


clássica, a popular e a tradicional ou
folclórica.

Música & Juventude


Música & Sociedade
Talvez, por ser tão ligada aos sen-
Considerada como uma prática timentos, a música é provavelmente
cultural e humana. Não se conhece ne- o elemento mais característico da ju-
nhuma civilização ou agrupamento que ventude. Nas principais manifestações
não possua manifestações musicais históricas e no cotidiano as ações dos
próprias. jovens foram embaladas por acordes e
refrões.
O que é música? Combina-
Música Contemporânea
ção de ritmo, harmonia e melodia,
no Século 20 e 21
de maneira agradável ao ouvido.
No sentido amplo é a organização
O século 20 surge como o século
temporal de sons e silêncios (pau-
das experiências, da procura de novos
sas). No sentido restrito, é a arte de
caminhos na música e nas artes em
coordenar e transmitir efeitos sono-
geral.
ros, harmoniosos e esteticamente
válidos, podendo ser transmitida
através da voz ou de instrumentos 1960 e 1970 no Brasil e no mundo
musicais.
Início dos anos 1960

História e Música Rock'n'roll no contexto inter-


nacional; no Brasil jovem guarda
A música é a forma de expressão (Roberto Carlos e Erasmo Carlos) e
mais antiga da humanidade. Antes que tropicalismo (Gilberto Gil e Caetano
a fala ou outra linguagem fosse desen- Veloso); Junto com Beatles e Rol-
volvida, antes também que as pinturas ling Stones.
e esculturas fossem feitas pelos pri-
meiros homens e mulheres, o ser hu- Segunda metade dos anos 1960
mano já produzia sons com aquilo que
encontrava na natureza: ossos, cascas Época do lema ''Paz e Amor'',
de árvores, vísceras de animais, entre bandeira do movimento hippie. Pe-
outros. ríodo marcado também por inesque-
cíveis festivais da música popular
Variedade de gêneros musicais brasileira (Elis Regina e Jair Rodri-
gues) e da bossa nova (Tom Jobim,
Vinícius de Moraes e tantos outros).

Anos 1970

A música foi evoluindo através dos Diferentes estilos musicais


séculos, resultando numa grande varie- como o reggae; punk; heavy me-
dade de gêneros musicais, entre eles, a tal; progressivo.
música sacra ou religiosa, a erudita ou

Arte 3 - Aula 3 34 Instituto Universal Brasileiro


1. Identifique as afirmativas que justifi-
cam que a música é uma arte que se asseme-
lha à linguagem.

a) ( ) música clássica.
b) ( ) música tradicional.
c) ( ) música popular.
d) ( ) música folclórica.

3. No final do século XIX e início do sé-


culo XX gêneros como a Modinha e o Lundu,
misturados à Mazurca, Valsa, Maxixe, tocados
e cantados de uma forma diferente, deram ori-
gem a um gênero musical, muito difundido por
compositores como Chiquinha Gonzaga e Er-
nesto Nazaré. Este gênero musical ficou co-
nhecido como:
I. A música é usada para exterio-
rização de alegria, prazer, amor, dor,
a) ( ) Samba canção.
religiosidade e anseios da alma hu-
b) ( ) Bossa nova.
mana.
c) ( ) Marchinha.
II. A música não transmite nenhum
d) ( ) Choro.
tipo de mensagem ou sensação, ape-
sar de emitir sons melodiosos e harmô-
4. O movimento tropicalista, também in-
nicos.
titulado Tropicália ou Tropicalismo tem como
III. A música está aberta a interpre-
representantes desse período nomes como:
tação de cada ouvinte de diferentes po-
vos, culturas e épocas.
a) ( ) Zé Ramalho e Belchior.
b) ( ) Caetano Veloso e Gilberto Gil .
a) ( ) I, II e IV estão corretas. c) ( ) Vinícius de Moraes e Tom Jobim.
b) ( ) Apenas I e II estão corretas. d) ( ) Pixinguinha e Mauro de Almeida.
c) ( ) Apenas I e III estão corretas.
d) ( ) Apenas II e III estão corretas. 5. Quais os principais programas de te-
levisão que fizeram despontar a bossa nova,
2. A expressão passou a ser usada para e nomes como Elis Regina e Jair Rodrigues?
representar a evolução musical no século XIX,
chamado século de ouro, caracterizada por a) ( ) Festivais da Música Popular Bra-
uma música refinada e agradável, apresenta- sileira
da de forma instrumental, que atinge o ápice b) ( ) Programas de Calouros, com júri
com os grandes gênios da música, entre eles c) ( ) Entrevistas, com música ao vivo
Haydn, Mozart e Beethoven. Trata-se da ex- d) ( ) Transmissão de shows com as-
pressão: tros famosos
Arte 3 - Aula 3 35 Instituto Universal Brasileiro
música. Foi a partir de 1880 que o choro populari-
zou-se nos salões de dança e no subúrbio carioca.
Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga foram os
primeiros compositores que deram características
próprias firmando-o como gênero musical.

1. c) ( x ) Apenas I e III estão corretas. 4. b) ( x ) Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Comentário. A música assemelha-se à lin- Comentário. A Tropicália, ou Tropicalis-


guagem não só na qualidade de sequência de sons mo, surgiu em 1967, ainda no tempo da ditadura
articulados, mas também porque comunica algo militar. Um grupo de artistas, cantores, poetas e
mais profundo ao ser humano. As justificativas se compositores se reuniram para trazer algo novo
encontram na afirmativa: I. A música é usada para para o cenário artístico brasileiro. Os participan-
exteriorização de alegria, prazer, amor, dor, religio- tes mais famosos do movimento foram os can-
sidade e anseios da alma humana; e III. A música tores-compositores Caetano Veloso e Gilberto
está aberta a interpretação de cada ouvinte de di- Gil entre tantos outros. O Tropicalismo misturou
ferentes povos, culturas e épocas. A afirmativa II, rock, bossa nova, samba, rumba, bolero e baião.
ao contrário, nega a relação de semelhanças entre A ordem era experimentar, considerar várias pos-
música e linguagem: A música não transmite ne- sibilidades em todos os sentidos. O disco que
nhum tipo de mensagem ou sensação, apesar de deixa isso bem claro é a obra coletiva Tropicália
emitir sons melodiosos e harmônicos. ou Panis et Circensis, que reuniu os principais
cantores, compositores e maestros do movimen-
2. a) ( x ) música clássica. to num mesmo disco. Muito da Tropicália também
pode ser encontrado nos primeiros discos de Gil-
Comentário. A palavra “clássica”, referin- berto Gil e Caetano Veloso, onde se encontram
do-se à música, é empregada em dois sentidos clássicos da época, como as canções-manifesto
diferentes. As pessoas em geral usam a expres- “Tropicália” e “Geléia Geral”.
são “música clássica” considerando a música divi-
dida em duas grandes partes: clássica e popular. 5. a) ( x ) Festivais da Música Popular
Para especialistas, entretanto, “música clássica” Brasileira.
tem sentido especial e preciso: trata-se da música
composta entre 1750 e 1810, que inclui a música Comentário. Festivais da Música Popular
de Haydn e Mozart, bem como as composições Brasileira consistiram em uma série de programas
iniciais de Beethoven. Nesse sentido mais es- transmitidos por algumas emissoras de televisão
pecífico, a música clássica mostra-se refinada e brasileira como TV Excelsior, TV Record, TV Rio,
elegante, com o objetivo atingir o equilíbrio entre Rede Globo, entre os anos de 1965 a 1985. Esses
a estrutura formal e a expressividade. No sentido festivais consolidaram a música popular brasileira,
mais geral, pode se referir à principal variedade de além de revelar grandes compositores e interpre-
música produzida ou enraizada nas tradições da tes da nossa música como Elis Regina, Jair Ro-
música secular ocidental, que abrange um período drigues e outros mais. Nessa época (décadas de
amplo que vai aproximadamente do século IX até 1960 e 1970) o Brasil vivia sob o regime político
o presente. ditatorial militar, que por meio de seu autoritaris-
mo e repressão, mantinha o controle em vários
3. d) ( x ) Choro. aspectos da vida social brasileira, principalmente
na área da cultura (música, teatro, cinema e li-
Comentário. Trata-se do “Choro”, um rit- teratura). Apesar de toda vigilância, repressão e
mo tipicamente brasileiro que surgiu no Rio de perseguição dos agentes do DOPS em todas as
Janeiro em 1870, da fusão de ritmos europeus áreas ligadas à cultura, surgiram várias formas de
com ritmos afro-brasileiros. Os instrumentos vio- protestos contra o regime militar. Na música, em
lão, flauta, cavaquinho dão à música um aspecto especial, surgiram canções de cunho social que
sentimental, melancólico e "choroso". Daí o nome chegaram a uma grande parcela da população
deste estilo musical. No início, era apenas um gru- devido à participação desses músicos e canções
po de instrumentistas que aos sábados e domin- nesses grandes festivais realizados pelas emisso-
gos se reuniam na casa de um deles para fazer ras de televisão.

Arte 3 - Aula 3 36 Instituto Universal Brasileiro