Você está na página 1de 10

Genética: Heredograma e Mapa genético

AULA 4 Heredrograma, palavra que vem do latim heredium = herança, é uma versão
avançada da árvore genealógica, que usa gráficos para representar carac-
terísticas de uma família. Já o mapa genético de uma espécie é um modelo
abstrato do arranjo linear de um grupo de genes ou marcadores.

Sequenciamento do DNA localiza genes como um código de barras

Conheça o Projeto Genoma Humano (PGH)

O genoma humano é o código genético do ser humano, ou seja, o conjunto dos genes hu-
manos. No material genético podemos encontrar todas as informações para o desenvolvimento e
funcionamento do organismo do ser humano. Este código genético está presente em cada uma das
nossas células.
O projeto iniciou-se em 1990, sob a coordenação de James Watson, um dos descobridores do
DNA. Foi concluído em 2003, com o sequenciamento de 99% do genoma humano, com uma preci-
são de 99,99%.
Através do mapeamento genético do genoma humano será possível, muito em breve, descobrir
a causa de muitas doenças. Muitos remédios e vacinas poderão ser desenvolvidos a partir das infor-
mações obtidas pelas pesquisas genéticas. Descobrindo a causa de várias doenças, o ser humano
poderá adotar medidas de prevenção.
Já é possível detectar se um ser humano tem predisposição para sofrer de certas doenças ou
se um embrião herdou doenças graves. Em breve, quando forem descobertas as funções de todos
os genes humanos, outros benefícios virão. O sequenciamento do DNA é estudado como um código
de barras, onde são localizados os genes.

Biologia 3 - Aula 4 57 Instituto Universal Brasileiro


Genética: Heredograma e Mapa genético
Além das características físicas, mui-
tas doenças que podem aparecer com fre- Para representar um filho(s) ou filha(s)
quência entre os membros de uma família, nascidos do cruzamento de um casal:
são transmitidas geneticamente. Um exem-
plo que já conhecemos é a hemofilia. É co- a) Neste exemplo, o
mum, então, que se faça uma investigação, casal tem uma crian-
envolvendo algumas gerações da mesma ça do sexo masculino:
família, para que se cheguem a conclusões
importantes sobre a probabilidade de ocor- b) Neste exemplo, o
rência em futuros bebês. Esse estudo é co- casal tem duas crian-
nhecido como aconselhamento genético, ças do sexo feminino:
e é feito por geneticistas especializados em
Genética Humana.
c) Neste exemplo, o
Heredograma casal tem dois filhos e
Heredograma é o nome que se dá à uma filha:
representação gráfica dos dados obtidos
na investigação. Pode ser chamada tam- d) Neste exemplo, o
bém, árvore genealógica ou genealogia. casal tem uma criança
Como toda representação gráfica, o here- da qual não se tem in-
dograma também utiliza símbolos. É im- formação sobre o sexo:
portante que você aprenda a fazer a leitura
desses símbolos para que possa interpre-
tar corretamente um heredograma. Para representar um membro da fa-
mília que apresenta uma anomalia (anor-
Significado de alguns malidade) hereditária, um símbolo é preen-
símbolos mais usados chido internamente. Por exemplo:

ou ou
Para representar um orga- ou
nismo de sexo feminino: O organismo acima é do sexo femini-
Para representar um orga- no e portador de uma anomalia transmitida
ou geneticamente.
nismo de sexo masculino:
Para representar um orga- ou ou
nismo de sexo desconheci- Os símbolos acima representam um
do ou não informado: organismo do sexo masculino e portador de
Para representar a uma anomalia transmitida geneticamente.
reprodução(cruzamento) Quando um símbolo não está preen-
entre um casal: chido internamente, significa que o orga-
nismo representado é normal, isto é, não
apresenta a anomalia.
Usa-se também o recurso de nume-
ou
rar os símbolos que representam os indiví-
duos de uma família, para facilitar a identi-
ficação dos mesmos.

Biologia 3 - Aula 4 58 Instituto Universal Brasileiro


rentes pares de cromossomos homólogos e
Exemplo: vimos que, na formação dos gametas, estes ge-
nes separam-se, independentes uns dos outros.
Cada cromossomo do par de homólo-
1 2 3 4 gos passa a fazer parte de um dos game-
tas, e portanto, seus genes também. As-
5 6 sim, dizemos que os genes se separam
na formação dos gametas, o que Mendel
7 8 chamou de segregação independente.
Por coincidência, Mendel estudou ca-
Acompanhe a interpretação racterísticas nas plantas de ervilha, que são
deste heredograma condicionadas por genes localizados em di-
ferentes pares de cromossomos homólogos.
O casal 1 e 2 é normal e têm o filho Vamos recordar rápida e objetivamente
5, também normal. a separação de genes assim localizados.
Num outro casal, o indivíduo 3, ho-
mem, é afetado com a anomalia. A mu-
A a
lher, 4, é normal. Este casal tem uma fi-
lha, indicada com o número 6, e também B b

portadora da anomalia. Meiose


O indivíduo 5 cruza com 6 e o casal
tem 2 filhas, indicadas com os números 7 A A a
a
e 8, normais.
B b B b

Mapa genético
Mapa genético é o mapa de um cro- Constatamos acima, a formação de
mossomo de uma determinada espécie, quatro tipos de gametas : AB - Ab - aB - ab.
que mostra a posição relativa dos genes Somente mais tarde os estudos de Men-
e/ou marcadores genéticos. Fica-se conhe- del foram reconhecidos, à medida que mais
cendo a localização do gene em determi- estudiosos se interessavam pelo assunto e
nada região do cromossomo. Na espécie comprovavam seus resultados. Enquanto isso,
humana, esta técnica é muito usada no o progresso tecnológico possibilitava melhor
auxílio da identificação de genes que pre- observação dos componentes celulares.
dispõem a várias doenças. Graças à tecnologia, foi possível a observa-
Para se construir um mapa genético ção do comportamento dos cromossomos duran-
levam-se em consideração dois fatores: te a divisão celular por mitose e meiose. Pôde-se
1.Os genes se encontram nos cromos- comprovar então, que durante a meiose ocorre
somos em posição linear o ‘crossing-over’ ou permutação, com troca de
2.Quanto maior a taxa de recombina- pedaços entre cromossomos homólogos. Já
ção genética, maior a distância entre os ge- explicamos este fenômeno e vimos que ele ocor-
nes e vice-versa. re durante a prófase l da meiose.

Revendo conceitos básicos Conclusões. Estudando-se determinadas


Para melhor compreensão, é importan- características, constatou-se que a expli-
te que você recorde o que foi estudado ante- cação da segregação independente de
riormente, considerando as leis de Mendel. Mendel não se aplica quando os genes es-
Recapitulando: tudados pertencem a um mesmo cromos-
Até aqui, estudamos as características somo, isto é, a uma mesma molécula de
determinadas por genes localizados em dife-
Biologia 3 - Aula 4 59 Instituto Universal Brasileiro
homólogos. Cada um dos cromossomos
DNA. Neste caso, diz-se que tais genes
homólogos apresenta-se duplicado, sendo
estão ligados, fenômeno que se chama
que as duas cromátides permanecem uni-
ligação gênica ou linkage(em inglês),
das pelo centrômero.
ou ainda, ligamento fatorial. É importan-
O cromossomo que carrega os genes
te ressaltar que estes genes não são
A e B é proveniente da mãe e o cromosso-
alelos, isto é, eles não ocupam o mes-
mo que carrega os genes a e b é provenien-
mo locus em cromossomos homólogos.
te do pai. Acompanhe, seguindo as setas:
Ocupam locus diferentes.

A a
Ligação gênica ou Linkage
Vejamos em seguida, quais seriam os
B b
possíveis tipos de gametas formados, quan-
ç ão
do os genes estudados estão em linkage. pli
ca
Du
Por exemplo, os genes localizados no
a A
mesmo cromossomo(A,B e a,b), passam jun- A
A
a a A a A aA a
tos ao mesmo gameta, durante a meiose. Ve- b
b b B b
rifica-se então, que não ocorre segregação B B
B b B B b

independente e, aparentemente, parece ha- “Crossing-over”

ver menor número de gametas diferentes. A

1ª divisão
da
A a meiose
A a B
2ª divisão
da
B meiose
b a B B

a B
A

B b A

A a
Formam-se somente dois tipos de game- b
2ª divisão
tas: AB e ab. da
meiose
Porém, ocorrendo permutação, isto é, a b b

troca de pedaços entre os cromossomos


homólogos, surge um novo arranjo entre os b
genes, o que chamamos de recombinação
gênica. Nesse caso, constata-se a possibi-
lidade de maior número de combinações Observe que os gametas se formam
possíveis na formação dos gametas. com as seguintes combinações de genes
Acompanhe no esquema a seguir, em linkage: AB - aB - Ab - ab.
onde representamos inicialmente, uma cé- Conclui-se que a ocorrência de permu-
lula diploide que vai se dividir por rneiose tação ou ‘crossing-over’ aumenta a varia-
para formar gametas. Como toda célula di- bilidade genética entre os descendentes.
ploide, esta apresenta os cromossomos se- Observe ainda no esquema, que há
melhantes formando pares de homólogos, cromossomos que apresentam os genes
sendo um dos cromossomos do par, pro- numa combinação igual àquela do cromos-
veniente da mãe e o outro cromossomo do somo do pai ou da mãe; dizemos que este
par, proveniente do pai. arranjo de genes é do tipo parental. No
Nesta célula, para simplificar, é repre- exemplo apresentado, são do tipo parental
sentado somente um par de cromossomos os gametas AB e ab.
Biologia 3 - Aula 4 60 Instituto Universal Brasileiro
Por outro lado, há cromossomos que
apresentam genes combinados de uma
A a
maneira diferente daquela existente no cro-
mossomo do pai ou da mãe; dizemos que B b
este novo arranjo de genes é do tipo re-
combinante. No exemplo dado, são do tipo Meiose

recombinante os gametas aB e Ab. O ga-


meta aB carrega o gene a recebido do pai ) an
te
)
an
te
)
)
% tal %n %n % tal
e o gene B recebido da mãe. O gameta Ab 40ren
a
10 bi
om
10 bi
om
40ren
a
(p c c (p
carrega o gene A recebido da mãe e o gene (re (re
A A a a
b recebido do pai. Caso ocorra fecundação
deste gameta, o descendente apresentará
B b B b
características do pai e da mãe, em relação
a estes genes. Apresentará então, maior
variabilidade genética.
Podemos nos perguntar: onde ocor-
rem as quebras nos cromossomos e trocas
de pedaços?
Estas permutações acontecem ao aca-
so e em qualquer ponto do cromossomo.
Diferença entre
Ocorrendo ao acaso, obedecem às re-
mutação e recombinação
gras da probabilidade.
A probabilidade ou chance de ocorrer
A mutação gênica possibilita o
permutação entre dois genes é diretamen-
aparecimento de genes novos, que an-
te proporcional à distância entre eles. Isto
tes não existiam. É uma alteração na
quer dizer que, quanto maior a distância en-
estrutura do gene, envolvendo as ba-
tre dois genes, maior é a probabilidade de
ses nitrogenadas e pode ocorrer tanto
ocorrer quebra do cromossomo, seguida de
na reprodução assexuada, quanto na
recombinação entre os segmentos partidos.
reprodução sexuada.
Exemplo: A recombinação gênica não faz
A probabilidade de ocorrer permuta aparecer genes novos, mas sim, genó-
entre dois genes A e B é de 20%. Es- tipos novos pela combinação de genes
tes genes estão localizados num mesmo através da permutação ou troca de pe-
cromossomo e separados entre si por daços entre cromossomos. Não altera a
uma certa distância. estrutura dos genes.Só ocorre na repro-
Se a probabilidade de ocorrer per- dução sexuada, durante a meiose, na
mutação é de 20%, isto quer dizer que formação dos gametas.
ocorrerão quebras e trocas de pedaços
entre os cromossomos, em 20% das cé- Distância entre genes
lulas que estão se dividindo por meiose.
Como consequência, 80% dos cro- A distância entre dois genes locali-
mossomos não sofrerão permuta e se- zados num mesmo cromossomo pode ser
rão iguais aos cromossomos parentais. calculada de acordo com a frequência com
Mas, 20% sofrerão permuta, sendo que ocorre permutação entre os genes con-
portanto, recombinantes. siderados. É uma distância aproximada,
Observe no esquema a seguir, os ti- sendo útil na elaboração dos mapas gené-
pos de gametas resultantes de uma meio- ticos, cujo objetivo é localizar as posições e
se com permutação ou “crossing-over”: as distâncias dos diferentes genes situados
num mesmo cromossomo.
Biologia 3 - Aula 4 61 Instituto Universal Brasileiro
imensa complexidade biológica. É nes-
sa pequena constelação de genes que
está concentrado o mistério da condi-
ção humana.
Mulheres e homens têm apenas (Fonte: Dráuzio Varella. Artigo: Sobre ratos e homens)
30 mil genes! A divulgação desse dado
pelo Projeto Genoma foi um balde de
água fria no orgulho humano: imaginá- Unidade de recombinação (morganídeo)
vamos que fossem pelo menos 100 mil. Surgiu a necessidade de uma unidade
Homens e ratos compartilham a de medida para determinar a distância entre
imensa maioria de genes. O que nos os genes situados num mesmo cromossomo.
distingue dos ratos é uma pequena Resolveu-se adotar como padrão, uma
constelação que não passa de 300 ge- medida simbólica indicada por duas letras:
nes. Nela, está concentrado o intrigante UR. É formada pelas letras iniciais das pala-
mistério da condição humana. vras Unidade de Recombinação.
Se as moscas têm 13 mil genes, Significa que se há 1% de recombinação
qualquer verme, 20 mil, um abacateiro entre dois genes estudados, a distância que
25 mil, e os camundongos que caçamos os separa é de 1 UR. Em outras palavras, se
nas ratoeiras 30 mil, para nós, 100 mil há 1% de gametas recombinantes, a distância
parecia estimativa razoável. Afinal, não entre os genes é de 1 UR.
foi culpa nossa havermos sido criados à Esta conclusão baseia-se no fato de
imagem e semelhança de Deus. que a porcentagem de recombinação entre
A bem da verdade, já sabíamos dois genes é diretamente proporcional à dis-
que cerca de 99% de nossos genes tância entre eles.
são idênticos aos dos chimpanzés. Mas A unidade de medida UR também é cha-
chimpanzés são animais políticos que mada de unidade Morgan ou morganídeo,
formam comunidades com culturas pró- em homenagem ao geneticista Morgan, pionei-
prias, utilizam instrumentos rudimen- ro na elaboração de mapas genéticos.
tares e matam seus semelhantes pre-
meditadamente. São, por assim dizer, Posição “cis” e “trans”
seres mais humanos.
Admitir, no entanto, que nosso geno- Para facilitar a representação de genes
ma é formado pelo mesmo número de ge- ligados, não é necessário desenhar os cro-
nes dos ratos e que somente 300 genes são mossomos. Fazemos um traço, que repre-
responsáveis pelas diferenças entre nós e senta um par de cromossomos homólogos.
eles, constitui humilhação inaceitável. Portanto, um só traço representa dois cro-
Entender a razão pela qual temos mossomos homólogos.
30 mil genes como os ratos é fácil: eles Na parte superior deste traço, escreve-
são mamíferos como nós e apresentam mos as letras que representam os genes de
fisiologia tão semelhante à nossa que po- um dos cromossomos do par.
dem ser utilizados em experiências para Na parte inferior do traço, escrevemos
entender o organismo humano. O que in- as letras que representam os genes do outro
triga na evolução não é a proximidade ge- cromossomo do par.
nética entre as espécies, mas os genes Exemplo:
responsáveis pelas diferenças.
Se o que nos distingue dos ratos
são mesmo 300 genes, as interações A B
a b
entre estes e o ambiente envolvem

Biologia 3 - Aula 4 62 Instituto Universal Brasileiro


Se os dois genes de um dos cromos-
somos forem dominantes (por exemplo, os Masculino
genes da parte superior do traço) e os dois
genes do outro cromossomo forem recessivos
ou ou
(parte inferior do traço), dizemos que este ge-
nótipo é de um heterozigoto “cis”.

R s
r S
Sexo desconhecido ou não informado.

Em um e outro caso, trata-se de um he-


terozigoto para os caracteres estudados, ou Mapa genético
seja, seu genótipo é RrSs.
É o mapa de um cromossomo de
uma determinada espécie, que mostra a
posição relativa dos genes e/ou mar-
cadores genéticos. Fica-se conhecendo
a localização do gene em determinada
Genética: Heredograma região do cromossomo. Na espécie hu-
e Mapa genético mana, esta técnica é muito usada no
auxílio da identificação de genes que
Heredograma predispõem a várias doenças.
Para se construir um mapa gené-
Árvore genealógica ou genealogia tico levam-se em consideração dois fa-
é a representação gráfica usada para in- tores:
vestigação genética através de gerações. 1.Os genes se encontram nos cro-
Usam-se símbolos para representar os mossomos em posição linear
sexos masculino e feminino, a reprodução 2.Quanto maior a taxa de recombi-
e os filhos de um casal. Para representar nação genética, maior a distância entre
um membro da família que apresenta uma os genes e vice-versa.
anomalia (anormalidade) hereditária, um Observando-se o comportamento
símbolo é preenchido internamente. dos cromossomos durante a divisão ce-
lular por meiose, pôde-se comprovar
que durante a meiose ocorre o ‘cros-
sing-over’ ou permutação, com troca
de pedaços entre cromossomos ho-
mólogos.
Quando ocorre permutação, surge
um novo arranjo entre os genes, o que
chamamos de recombinação gênica.
Neste exem-
Nesse caso, constata-se a possibilida-
plo, o casal tem
de de maior número de combinações
dois filhos e uma
possíveis na formação dos gametas.
filha:
A importância da permutação é
aumentar a variabilidade genética en-
Feminino
tre os descendentes. É por isso que há
ou ou diferenças físicas entre irmãos e nem
mesmo gêmeos são exatamente iguais.

Biologia 3 - Aula 4 63 Instituto Universal Brasileiro


A probabilidade ou chance de ocor-
rer permutação entre dois genes é dire- A B
tamente proporcional à distância entre a b
eles. Isto quer dizer que, quanto maior
a distância entre dois genes, maior é
a probabilidade de ocorrer quebra do R S
cromossomo, seguida de recombinação r s
entre os segmentos partidos.

Distância entre genes Se em cada um dos cromossomos


houver um gene dominante e outro re-
A distância entre dois genes loca- cessivo, dizemos que este genótipo é de
lizados num mesmo cromossomo pode um heterozigoto “trans”.
ser calculada de acordo com a frequên-
cia com que ocorre permutação entre os
genes considerados. É uma distância A b
aproximada, sendo útil na elaboração a B
dos mapas genéticos, cujo objetivo é
localizar as posições e as distâncias dos
R s
diferentes genes situados num mesmo r S
cromossomo.
A distância entre genes situados
num mesmo cromossomo, é calculada
Linkage
através de uma unidade chamada uni-
dade de recombinação (UR), ou mor-
Linkage ou genes ligados, signi-
ganídeo.
fica que estão situados no mesmo cro-
Se há 1% de recombinação entre
mossomo. Neste caso, a segunda lei de
dois genes estudados, a distância que
Mendel (segregação independente) não
os separa é de 1 UR. Em outras pala-
se aplica. Os genes em linkage “viajam”
vras, se há 1% de gametas recombi-
juntos na formação dos gametas,durante
nantes, a distância entre os genes é
a meiose. Exemplo: num genótipo AaBb.
de 1 UR. Ou seja, a porcentagem de
Se os genes A e B estiverem num mes-
recombinação entre dois genes é di-
mo cromossomo, e os genes a e b esti-
retamente proporcional à distância
verem em outro, serão produzidos dois
entre eles.
tipos de gametas: AB e ab.
Posição cis e trans
A a
Para representar a posição dos ge-
nes num par de cromossomos , usamos B b
apenas um traço, e escrevemos em
cima e embaixo, as letras que represen-
tam os genes. Se os dois genes domi-
nantes estão num cromossomo e os dois
A a
recessivos estão no outro cromossomo,
dizemos que este genótipo é de um he- B b
terozigoto cis.
Exemplos:

Biologia 3 - Aula 4 64 Instituto Universal Brasileiro


1 2 3 4

1. O albinismo em seres humanos se


caracteriza pela total ausência de pigmento 9
5 6 7 8
na pele, sendo um caráter recessivo. No here-
dograma abaixo, os indivíduos portadores do 10
caráter estão representados com a cor preta,
o sexo masculino com um quadrado e o sexo A probabilidade de o indivíduo n° 10 não
feminino com um círculo. ser míope e ser do sexo feminino é
a) ( ) 1
4
1 2
b) ( ) 3
4

3 c) ( ) 3
8

d) ( ) 1
Pergunta-se: qual o genótipo do indivíduo 3? 2

a) ( ) AA
b) ( ) Aa 4. A distância entre dois genes localiza-
c) ( ) aa dos num mesmo cromossomo é de 18 mor-
d) ( ) não é possível determinar ganídeos (ou UR). Assinale quais são as por-
centagens de cada possível gameta do tipo
2. Observe o heredograma abaixo e as- parental e de cada possível gameta do tipo
sinale a alternativa que apresenta, respectiva- recombinante, considerando-se um genótipo
mente, os genótipos dos indivíduos 3 e 4.
C D
c d
1 2
a) ( ) 41 % CD - 9% Cd - 9% cD - 41 % cd
b) ( ) 9% CD- 9% cd
c) ( ) 41% CD- 41% cd
3 4
d) ( ) 9% CD - 41 % Cd - 41 % cD - 9% cd

5. Um indivíduo heterozigoto ‘cis’ apre-


senta os seguintes genes:
A B
5 6 7 8 a b
São produzidos os seguintes tipos de
a) ( ) Aa e AA gametas:
b) ( ) AA e Aa
c) ( ) Aa e Aa A A a a
d) ( ) Aa e aa
B b B b
3. Analise o heredograma a seguir, que Concluímos que durante a meiose ocorreu:
representa a genealogia referente à miopia. a) ( ) dominância.
A miopia é determinada por um gene reces- b) ( ) mutação.
sivo m e a visão normal é determinada por um c) ( ) permutação.
gene dominante M. d) ( ) segregação independente.
Biologia 3 - Aula 4 65 Instituto Universal Brasileiro
agora, o cruzamento entre os indivíduos 8 e 9:
8 x 9
P: Mm x Mn
F1: MM - Mn - Mm - mm (genótipos possíveis
do filho, indivíduo 10)
visão normal míope
1. b) ( x ) Aa Assim, a probabilidade do indivíduo nº10 não ser míope é:
Comentário. O n°1 é um homem normal 3
e o n° 2 é uma mulher albina. Como o albinis- 4
mo é um caráter recessivo, o genótipo da mu-
lher é aa. O homem n°1, sendo normal, tem A probabilidade de ser do sexo feminino
1
genótipo AA ou Aa, sendo que não dá para ter é (sempre). De ser do sexo feminino e mío-
2
certeza. Mas, o filho do casal (n° 3) também pe, é dada pelo produto das probabilidades:
é normal, tendo genótipo Aa, pois recebeu o
3 1 3
gene A do pai e o gene a da mãe. Observe x =
4 2 8
que, como não temos certeza sobre o genóti-
po do n° 1, escrevemos o primeiro gene e no A probabilidade de ocorrência de dois
lugar do seu alelo, deixamos um traço, o que eventos ao mesmo tempo, é calculada, mul-
significa que pode ser um gene A ou gene a. tiplicando-se as probabilidades de cada um.

1 2 1 2 4. a) ( x ) 41 % CD - 9% Cd - 9% cD -
_
AA aa _
Aa aa
ou 41 % cd
3 3 Comentário. O total de recombinantes é
Aa Aa
18%. Portanto, metade, ou 9% ,são gametas
do tipo Cd e 9% são do tipo cD. O total de ga-
2. c) ( x ) Aa e Aa metas do tipo parental é 82% (100% ─ 18%).
Comentário. Um primeiro passo é anotar Portanto, metade (ou 41%) são do tipo CD e
os genótipos de todos os indivíduos afetados. 41% são do tipo cd.
Assim, a mulher n° 2 tem genótipo aa e o ho- Confira no esquema a seguir, no qual
mem n° 7 também. Como o casal 3 e 4 (nor- usamos linhas pontilhadas entre os cromos-
mais) tiveram filho afetado, ambos são hetero- somos, simbolizando o ‘crossing-over’ ou
zigotos (Aa) sendo que o filho n° 7 recebeu um permutação:
gene a do pai 3 e o outro gene a da mãe 4. C D

3. c) ( x ) 3/8
Comentário. Para sabermos como é o Gametas: c d
genótipo do indivíduo n° 10, temos que verificar C C c c
como são seus avós e pais. Observe no heredo-
grama que 1 e 2 são pais de 5, 6, 7 e 8. Os indi- D d D d
víduos 3 e 4 são pais do indivíduo 9. O indivíduo 41% 9% 9% 41%
10 é filho dos indivíduos 8 e 9. É fácil verificar que (parental) (recombinante) (recombinante) (parental)
os indivíduos 1, 4, 5 e 7, sendo todos míopes,
têm genótipo mm. Sendo assim, receberam um 5. c) ( x ) permutação.
gene m do pai e um gene m da mãe. Portanto, o Comentário. Pelos tipos de gametas,
indivíduo 2, com visão normal, só pode ser Mm, podemos concluir que houve permutação (re-
pois teve filhos mm. Sua filha, indivíduo 8, sendo combinação). O gameta parental é aquele que
normal, tem genótipo Mm. Observe que já deter- carrega os genes A e B, que estão no mesmo
minamos o genótipo da mãe do indivíduo 10. cromossomo. Fazendo-se uma cruz imaginá-
Vejamos o genótipo de seu pai, o indivíduo ria entre as letras que representam os genes,
9: ele só pode ser Mm, pois tem visão normal, como no exercício anterior, obtêm-se o resul-
mas seu pai (n° 4), é míope. Vamos representar tado das recombinações: Ab, aB, ab.
Biologia 3 - Aula 4 66 Instituto Universal Brasileiro

Você também pode gostar