Você está na página 1de 18

Biomas & Ciclos da matéria

AULA 7 Nos biomas, grandes ecossistemas terrestres, ocorrem os ciclos da ma-


téria, também chamados ciclos biogeoquímicos.Isto porque apresentam
componentes: biológicos (ex. decompositores); geológicos (ex. atmosfe-
ra); e químicos (ex. água, carbono, oxigênio, nitrogênio).

Desmatamento e mudanças climáticas


colocam em risco os ciclos da Amazônia

Desmatamento pode colocar Amazônia em ‘ciclo mortal’, diz estudo

Sob constante pressão do desmatamento e ameaçada pelas mudanças climáticas, a Floresta


Amazônica corre o risco de entrar num “ciclo mortal” que pode levar o ecossistema a se transformar
em algo mais parecido com o Cerrado. De acordo com um estudo liderado por pesquisadores do
Instituto Potsdam de Pesquisas sobre o Impacto Climático, baseado na Alemanha, a perda de cober-
tura florestal provoca uma redução na umidade do ar, desbalanceando o sistema e tornando outras
regiões mais suscetíveis ao desflorestamento. Modelos computacionais indicam que sob condições
de seca, essas perdas adicionais, classificadas como “autoamplificadas”, variam entre 10% e 13%.
Sabemos que a redução das chuvas aumenta o risco de perdas florestais e, por outro lado, as perdas
florestais intensificam as secas. Por isso, mais secas levam a menos florestas, que geram mais se-
cas e assim por diante — afirma Delphine Clara Zemp, pesquisadora do Instituto Postdam e líder do
estudo publicado em março na revista “Nature”. Esse efeito dominó tem potencial para desestabilizar
o equilíbrio do ciclo das águas na Amazônia.
Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/desmatamento-pode-
colocar-amazonia-em-ciclo-mortal-diz-estudo-21144582#ixzz5Hq0LTpbm. Adaptado.

Biologia 3 - Aula 7 97 Instituto Universal Brasileiro


Biomas & Ciclos da matéria
Biomas Vegetação: líquens, musgos e plan-
tas herbáceas. No verão, com o degelo,
Principais Biomas do Mundo aparecem charcos e prados, com plantas
Oceano Glacial Ártico
anuais. Fauna: renas, caribus, urso polar,
pequenos roedores como os lemingues,
Oceano
Atlântico Oceano raposa, lobo, aves migratórias e poucos
Pacífico
insetos, que se reproduzem no verão. Al-
Oceano
Oceano
Índico
guns animais como os caribus e aves mi-
Pacífico gram, fugindo do inverno. Outros como o
urso, hibernam, isto é, às custas da gordu-
ra armazenada é produzido um mínimo de
Camada Gelada e Floresta Decídua Savana energia, como resultado de um baixo me-
Deserto Polar
Tundra
e Mista
Floresta Pluvial
Deserto tabolismo. Durante este sono hibernal, seu
Vegetação
Taiga Tropical
Estepe
Mediterrânea metabolismo reduz-se tanto que o coração
Região Montanhosa
bate poucas vezes por minuto.
Usamos o termo bioma, quando nos re-
ferimos aos grandes ecossistemas terrestres, Taiga (floresta de coníferas)
com aparência mais ou menos uniforme e con-
dições climáticas parecidas. Na aparência de
um bioma, chamam mais a atenção as espé-
cies vegetais, visto que as espécies animais
se expõem menos, escondendo-se dos preda-
dores. Assim, os nomes dados aos biomas ba-
seiam-se no tipo de vegetação apresentada.

Biomas terrestres
Os biomas terrestres são: tundra, taiga,
floresta temperada, floresta tropical, cam-
pos (estepes e savanas), desertos. Localização: região que se segue à
tundra, afastando-se do polo norte: Sibéria,
Tundra na Rússia, Canadá e Alasca. o inverno é me-
nos rigoroso e o solo descongela no verão, o
que permite o desenvolvimento de coníferas
(pinheiros). É a maior floresta do mundo, em
extensão. Vegetação: pinheiros, abetos e
bétulas, mais ao sul. Estas árvores, tendo
copas mais delgadas, dificultam a deposição
de neve nos galhos. Contêm substâncias
anticongelantes que impedem que se for-
mem cristais de gelo que perfurariam suas
células. As sementes das pinhas, são impor-
tantes na alimentação de muitos animais da
Localização: zonas próximas ao polo floresta. Sobre seus galhos desenvolvem-se
Norte, temperaturas muito baixas durante o líquens que também servem de alimento aos
ano.Pouca incidência de luz. herbívoros. Fauna: raposas, alces, ursos,
Biologia 3 - Aula 7 98 Instituto Universal Brasileiro
lobos, arminhos, esquilos e outros peque- intensa a transpiração das plantas e há pouca
nos roedores que se alimentam das pinhas; circulação de ar, devido ao grande número de
lebres do ártico, coruja e aves migratórias; in- plantas. Rente ao solo quase não chega luz e
setos que se desenvolvem no verão, quando por isso há poucas espécies rasteiras. O chão
a neve derretida forma lagoinhas onde vivem é forrado de restos em decomposição, que é
larvas de libélulas. muito rápida devido ao calor e à umidade. Os
vegetais formam estratos, sub-bosques, isto
Floresta temperada é, patamares, de acordo com sua altura. As
grandes árvores ultrapassam 30 metros de
altura. Em busca de luz é comum a presen-
ça de plantas epífitas, que se desenvolvem
apoiadas sobre as mais altas. Por exemplo,
são inúmeras as espécies de bromélias, or-
quídeas e samambaias. A maior floresta tro-
pical é a Floresta Amazônica. Fauna: gran-
de biodiversidade: macacos como o saguí e
o mico-leão, bicho-preguiça, onça (América
do Sul); gorila, chimpanzé, leopardo (Áfri-
ca); orangotango, tigre (Ásia).

Localização: norte dos Estados Uni- Campos (estepes e savanas)


dos, grande parte da Europa e da Ásia. Re-
giões com solo fértil e clima chuvoso, com ve-
rões de temperaturas amenas e invernos frios,
menos intensos que na taiga. Vegetação: As
temperaturas um pouco mais altas possibilitam
o desenvolvimento de florestas com grandes
árvores caducifólias (que perdem suas folhas
no inverno), formando a floresta chamada de-
cídua. Árvores como carvalhos, nogueiras,
bordos, faias.Fauna: veados, esquilos, ra-
posas, lobos, ursos marrons, aves e maior
quantidade de insetos no verão.
Localização: na Rússia, estepes e na
Floresta tropical África, as savanas. Nos Estados Unidos, as
pradarias e no Brasil, os campos são conhe-
cidos como pampas, no Rio Grande do Sul.
Neste bioma não há problemas com a
quantidade de luz solar mas sim com a quanti-
dade de água. Ocorrem períodos de estiagem
(época de seca, sem chuvas). Vegetação:
plantas herbáceas, que têm pequeno porte,
hastes flexíveis e delicadas, pouco desenvol-
vimento, porém rápido. Os campos do tipo sa-
vanas, caracterizam-se por apresentar plan-
tas herbáceas porém, com alguns arbustos e
Localização: região equatorial, caracte- árvores espalhadas. No Brasil, o equivalente
riza-se por um clima úmido, com muita chuva às savanas é o campo cerrado, no Brasil
e altas temperaturas. Vegetação: muito den- Central. Fauna: gnus, zebras, girafas, leões
sa e rica em espécies. No interior da floresta é e hienas, entre outros.
Biologia 3 - Aula 7 99 Instituto Universal Brasileiro
Deserto Floresta Amazônica

Localização: em zonas de chuvas muito


escassas e temperaturas elevadas, com gran-
des variações entre o dia e a noite. América,
África e Ásia. Vegetação: escassa e adap-
tada à falta de água. Destacam-se os cactos
(América) e as palmeiras (África e Ásia), além O clima muito quente e chuvas cons-
de gramíneas e arbustos típicos desse bioma. tantes caracterizam a floresta do tipo plu-
Fauna: coiote, puma, cascavel (Américas); vial tropical. É a maior floresta pluvial tropical
chacal, dromedário (África, Ásia). do planeta, com 4,1 milhões de km2 de ex-
tensão. A transpiração intensa das folhas não
só garante a umidade no interior da floresta,
Biomas brasileiros
como também influi na ocorrência de chuvas,
O Brasil ocupa uma imensa área com juntamente com a evaporação da água dos
diferentes climas e solos e por isto apresen- rios que cortam a floresta. Certas espécies de
ta grande diversidade no tipo de vegetação. plantas crescem sobre as mais altas, em bus-
Como esta vegetação variada caracteriza as ca de luz. São as epífitas, como bromélias,
diferentes regiões geográficas, falamos em orquídeas e samambaias. Elas não prejudi-
formações fitogeográficas. cam a planta que lhes serve de apoio. Apenas
São elas: absorvem a umidade da casca e os sais mine-
• Floresta Amazônica ou Hiléia Ama- rais provenientes da decomposição de folhas
zônica que caem sobre os ramos. Por ser tão rica em
• Mata Atlântica ou Mata Costeira número e diversidade de espécies, podería-
• Caatinga mos deduzir que o seu solo é originalmente
• Mata de Cocais rico em sais minerais. No entanto, se não fos-
• Campos se a floresta, o solo seria pobre em nutrien-
• Mata de Araucárias tes. Vejamos a explicação para isto. No solo
• Mangue há a decomposição dos restos de vegetais
A localização destas formações pode ser e animais, que forma uma camada fértil de
verificada na figura a seguir. humo (adubo natural), que contém sais mine-
rais que serão absorvidos pelas plantas.
A floresta se auto-sustenta, numa reci-
6 clagem constante. Além disso, o solo arenoso
1
e raso obriga as raízes das plantas a se espa-
3 lharem mais na horizontal do que na vertical.
5 Assim, as raízes também colaboram para a
6
retenção das partículas do solo.
1 - Floresta Amazônica
2 - Mata Atlântica 8 9 Com o crescimento populacional, agri-
3 - Mata dos Cocais
4 - Floresta de Araucária 2 cultores chegam cada vez em maior número à
5 - Caatinga
6 - Cerrado 4
Amazônia. Desmatam áreas da floresta para
7 - Campos suas plantações e então os sais minerais logo
8 - Pantanal 7
9 - Mangue se esgotam. A área é abandonada pela procu-
ra de outra, que também será desmatada. As
Biologia 3 - Aula 7 100 Instituto Universal Brasileiro
chuvas então, provocam erosão no solo des- tes (samambaiaçus). A umidade deve-se às
protegido. Outras áreas são desmatadas para montanhas que retêm os ventos que trazem o
comercialização da madeira, para implanta- vapor de água formado nos mares.
ção de projetos de exploração de minerais, Entre as espécies arbóreas, o famoso
para garimpos e outros. Inúmeras espécies pau-brasil era abundante mas hoje restam
são destruídas, entre elas espécies medici- poucos nas áreas de preservação ambiental.
nais, conhecidas pelos povos da floresta, ín- Entre as espécies mais conhecidas, citamos
dios e extrativistas que coletam o látex das os jatobás, canelas, quaresmeiras, jequitibá
seringueiras, os frutos das castanheiras, rosa, a palmeira que fornece o palmito, etc.
do guaraná, etc. Supõe-se que existam inú- Também são muito abundantes as bromélias e
meras espécies medicinais, ainda desconhe- outras epífitas. Seus índices de biodiversidade
cidas. As espécies vegetais estão adaptadas estão entre os maiores do planeta.
à época das cheias, quando a floresta fica par-
cialmente submersa nas várzeas que acom- Caatinga
panham os rios. Uma vegetação que dispõe
de tanta umidade é do tipo higrófila, com fina
cutícula nas folhas, que não apresentam pêlos
nem espinhos, pois não precisam se proteger
contra a perda de água por transpiração.

Mata Atlântica ou Mata Costeira

É uma vegetação típica do clima semi-


-árido que caracteriza regiões do Rio Grande
do Norte, Piauí, Maranhão, Pernambuco,
Paraíba, Sergipe, Alagoas e Bahia. As plan-
tas apresentam adaptações ao clima seco e
quente. Assim, nas cactáceas as folhas se
Como o nome sugere, esta mata deveria transformam em espinhos, para evitar a per-
acompanhar o perfil de toda a costa atlântica da de água por transpiração. A fotossíntese é
brasileira. Originalmente era assim, desde o feita por caules com tecidos verdes e suculen-
Rio Grande do Norte até o Rio Grande do tos, com reserva de água. Há ainda arbustos e
Sul, começando no litoral, avançando pelas árvores pequenas que em geral, perdem suas
montanhas e entrando para o interior. folhas na estação seca, para evitar a trans-
Desde a colonização do Brasil esta piração. Estas adaptações são características
mata vem sendo destruída e hoje só restam de plantas xerófilas (xerós = seco, secura).
8% da mata original, concentrada principal-
mente na Serra do Mar. Mata de Cocais
Em muitos trechos a mata está despro-
vida da vegetação devido ao desmatamen-
to; como consequência, sofre desmorona-
mentos e erosão, atingindo as cidades nas
proximidades da serra.
A Mata Atlântica é também uma floresta
pluvial tropical, com espécies higrófilas, com
abundância de musgos e samambaias gigan-
Biologia 3 - Aula 7 101 Instituto Universal Brasileiro
Abrange regiões dos estados do Mara-
nhão e Piauí, entre a Floresta Amazônica e
a caatinga. Nesta mata predominam as pal-
meiras conhecidas como babaçu e a carnaú-
ba, de grande valor econômico para a região,
pois representam matéria-prima para a cera
de carnaúba e para o óleo de babaçu.

Campos: cerrados e pampas

A espécie mais comum é o pinheiro-do-


-paraná, cujo nome científico, Araucária an-
gustifolia, originou o nome da mata.
Suas sementes, que são os pinhões,
são comercializadas e usadas como ali-
mento. Os pinheiros possuem troncos mui-
to altos e suas ramificações só existem no
topo. Daí, possuírem grande valor comer-
cial para a indústria madeireira, que vem
Os campos conhecidos como cerra- contribuindo para a sua devastação, num
dos aparecem na região centro-oeste do ritmo tão intenso que não permite a reno-
Brasil. A seca é prolongada e a vegetação vação deste recurso natural. Com as copas
adaptou-se a ela. muito altas, a floresta é mais aberta que a
Caracteriza-se por arbustos e árvores mata pluvial tropical, menos úmida e com
baixas, com galhos retorcidos e angulosos poucas epífitas.
e casca grossa; as folhas são espessas e
endurecidas, devido à cutícula grossa. Mui- Pantanal
tas espécies apresentam folhas cobertas por
pêlos que retêm uma camada de ar, com efei-
to isolante contra o calor.
Apesar da seca, o solo é úmido à medida
que se aprofunda, existindo lençóis de água
(depósitos naturais e subterrâneos de água).
Assim, muitas espécies do cerrado têm raízes
profundas. Uma árvore típica do cerrado é o
ipê amarelo, que perde suas folhas na época
de floração. Outros campos, conhecidos como
pampas, apresentam muitas gramíneas que
cobrem grandes extensões no Rio Grande
do Sul. Essa vegetação estimula a criação de É uma região localizada nos estados de
gado, com a formação de extensos pastos. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e que
continua pelo Paraguai e Bolívia.
Mata de Araucárias Durante o período de chuvas (de ou-
tono a março), ocorre a cheia da bacia do
Vegetação que caracteriza o clima Rio Paraguai quando grandes extensões
subtropical do sul do Brasil, com estações de terra são inundadas. Após este perío-
do ano bem definidas e chuvas regulares, do, a terra reaparece, mas muitas regiões
verão mais ameno e inverno rigoroso. continuam inundadas, formando grandes
Biologia 3 - Aula 7 102 Instituto Universal Brasileiro
lagoas, ricas em matéria orgânica trazida Ciclos da matéria
pelas águas dos rios.
A vegetação é mista e complexa, po- São também chamados ciclos biogeo-
dendo ocorrer gramíneas na formação de químicos (ciclo = circulação; biogeoquímico
campos, de cerrados e de mata mais fe- = biológico, geológico, químico).
chada acompanhando as margens dos rios A Terra encontra-se a 150 milhões de
(mata ciliar). São comuns palmeiras como quilômetros de distância do Sol, de onde vem
o buriti. toda a energia necessária para a existência
Há plantas aquáticas como aguapé, vi- de vida no nosso Planeta. Existe um constan-
tória-régia e taboa, esta última, típica nos te fluxo de energia, mas uma parte é perdida
brejos. São abundantes as aves, em conse- para o espaço, sob a forma de calor. Mas em
quência das muitas espécies de peixes. Jaca- relação à matéria, ela pode sofrer transforma-
rés, jabutis e grandes cobras como a sucuri, ções, porém, a sua quantidade total no planeta
capivaras e pacas são animais típicos desta é praticamente constante.
região inundada. Os seres vivos relacionam-se com o meio
ambiente de várias formas. Uma delas é reti-
Mangue rando elementos e substâncias químicas ne-
cessárias à sua sobrevivência e eliminando
outras, resultantes do seu metabolismo.
Na natureza, a matéria realiza um ciclo,
isto é, os elementos químicos das substâncias,
ora estão no ambiente (atmosfera, hidrosfera,
litosfera), ora fazendo parte dos seres vivos.
Nos ecossistemas, a energia flui e a
matéria forma um ciclo.

Os átomos, como os de carbono, oxigê-


nio, nitrogênio e hidrogênio, não são cria-
dos, nem destruídos ou transformados uns
nos outros. A matéria que constitui os ecossis-
Apresenta-se distribuído nas regiões temas é constantemente reciclada, os nutrien-
costeiras, próximas a estuários de rios. É tes têm movimento cíclico, como é o caso da
uma região sujeita à ação das marés e assim, água, do carbono, do nitrogênio, do enxofre,
as árvores caracterizam-se pelas raízes-esco- do potássio e de muitos outros minerais.
ra que aumentam sua estabilidade e as man-
têm firmes sobre o fundo lamacento. Outras
espécies apresentam raízes que se projetam
para cima da água, com a função de captar
oxigênio e por isso são denominadas raízes
respiratórias ou pneumatóforos. O solo é Importância dos decompositores.
rico em nutrientes minerais trazidos pelos rios A atividade dos decompositores é funda-
e originados pela decomposição dos restos or- mental no ciclo da matéria, porque são
gânicos. Consequentemente, é útil para mui- eles que degradam os restos de vegetais
tas espécies animais que aí se desenvolvem. e animais, devolvendo ao ambiente as
Larvas de inúmeras espécies e animais aquáti- substâncias que poderão ser utilizadas
cos, como os caranguejos, vivem nestas águas novamente.
calmas, rasas, quentes e ricas em nutrientes.
O mangue é considerado um grande berçário Para este estudo temos que recordar os
para muitas espécies, que voltam para o mar mais importantes fenômenos químicos relacio-
após seu desenvolvimento. nados à vida: a fotossíntese e a respiração.
Biologia 3 - Aula 7 103 Instituto Universal Brasileiro
Isto se faz necessário, pois as subs- que é usada para produzir outras substâncias.
tâncias que participam nestas reações Portanto, o carbono passa a constituir o corpo
químicas possuem os elementos químicos do vegetal, incorporado em várias substân-
oxigênio(O) e carbono(C). cias, ditas orgânicas.
Fotossíntese. O elemento químico A planta ou parte dela, será comida por
carbono(C) está presente em todos os orga- animais herbívoros e assim, o carbono vai
nismos, fazendo parte da sua constituição. sendo transferido para os demais animais, ao
É o elemento de todas as substâncias or- longo da cadeia alimentar.
gânicas. Na atmosfera, o carbono faz parte Através do processo de respiração que
do gás carbônico-CO2. Esse gás também se acontece nos seres vivos, o carbono volta ao
encontra dissolvido na água. No processo ambiente, nas moléculas de CO2.
da fotossíntese, a planta absorve CO2 e o
carbono é incorporado inicialmente na mo-
lécula da subatância glicose. O gás oxigênio
liberado na reação química, é proveniente
da água absorvida pelas raízes da planta.
A decomposição dos restos de
6 CO2 + 12 H2O C6H12O6 + 6 O2 + 6 H2O plantas e animais e a combustão ou
gás carbônico + água Glicose + oxigênio queima do petróleo e do carvão, ricos
em carbono, também produzem CO 2. O
+ água carvão originou-se da transformação de
vegetais enterrados há milhões de anos
Atenção: o carbono da molécula de gli- e o petróleo é o resultado da transfor-
cose veio do gás carbônico e o gás oxigênio mação de restos da matéria de antigos
é formado a partir do elemento Oxigênio (O) organismos que se depositaram no fun-
da molécula da água, absorvida pelo vegetal. do dos oceanos e que, durante milhões
Respiração - é o processo que ocorre de anos, sofreram a pressão das rochas
dentro de todas as células dos seres vivos, que se formaram sobre eles, a partir de
para obtenção de energia. O oxigênio absorvi- sedimentos ou grãos que foram se de-
do realiza a combustão da glicose, quebrando positando. Por terem sido formados há
as ligações químicas e liberando a energia. tanto tempo, o carvão e o petróleo são
chamados de combustíveis fósseis.
C6H12O6 + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O + Energia
Veja o quadro a seguir e acompanhe a
Glicose + oxigênio gás carbônico + água circulação do carbono. Observe com aten-
+ energia ção a direção das flechas, indicando o ‘ca-
minho’ seguido pelo carbono.
Atenção: o carbono presente na molécula
de glicose passa a fazer parte das moléculas de CO2
gás carbônico e o gás oxigênio combina-se com
Fo

os hidrogênios da glicose, produzindo água.


o

to

es
çã

pi

A partir do conhecimento destes pro-


ira

ra
nt
sp

çã

cessos, fica mais fácil de entender os ciclos


es
Re

biogeoquímicos.
e

cadeia
Animais Vegetais
alimentar
Ciclo do Carbono
Como já foi visto, através da fotossínte- decomposição dos queima de combus-
se os vegetais absorvem o CO2 e o carbono restos orgânicos tíveis fósseis
passa a fazer parte da molécula de glicose,
Biologia 3 - Aula 7 104 Instituto Universal Brasileiro
combustão
O2
respiração gás carbônico

Respiração
Fotossíntese
o
çã
fotossíntese

ira
fotossíntese respiração e

sp
decomposição

Re
Animais Vegetais Queima de
combustível

Fotossíntese
Algas
Carbono da terra micros-
Petróleo Carvão
cópicas
Carbono na forma de moléculas Carbono em
orgânicas de seres vivos combustíveis fósseis
H 2O CO2 H 2O

Ciclo do Oxigênio
O elemento químico oxigênio (O) é cons-
tituinte da água (H2O), do gás oxigênio (O) e
do gás carbônico (CO2). Raios UV O3 (Ozônio)

O elemento oxigênio incorpora-se às O2 na atmosfera

plantas quando estas absorvem a H2O e o Fotossíntese


CO2 para fazerem fotossíntese. Fotos-
síntese
Respiração
Através do processo da fotossíntese, o
Respi-
elemento oxigênio retorna ao ambiente em ração
forma de O2. Fito-
plâncton
Plantas e animais absorvem o O2 para Erosão
a sua respiração e neste processo o oxigênio Rochas Decomposição

combina-se com hidrogênio, formando H2O. Esta


poderá ser usada em outras transformações quí-
micas no interior do ser ou poderá ser eliminada
para o ambiente. No primeiro caso, o elemento
oxigênio fica incorporado no organismo, combi-
nado com outros elementos e formando várias
substâncias do ser vivo. Com a morte e decom-
Ciclo do Nitrogênio
posição, são produzidos H2O e CO2.
A combustão ou queima das substâncias O elemento químico nitrogênio(N) está
combustíveis só acontece em presença do O2 presente na atmosfera, em grande quantida-
e este processo libera, além de energia, água de, na forma de gás nitrogênio (N2).
(H2O) e gás carbônico (CO2). O nitrogênio é fundamental aos se-
O elemento oxigênio pode estar incor- res vivos, pois forma os ácidos nucléicos
porado em várias substâncias e que através (constituintes dos cromossomos), e as
de transformações químicas, retorna ao am- proteínas.
biente sob formas diferentes.
Veja o quadro a seguir e acompanhe a Etapas do ciclo
circulação do oxigênio, presente na água, no
gás oxigênio e no gás carbônico: 1. Fixação - Os únicos seres vivos que
Observação: as linhas pontilhadas indicam conseguem aproveitar o nitrogênio do ar são
subprodutos da respiração e da combustão. certas bactérias chamadas fixadoras de
Biologia 3 - Aula 7 105 Instituto Universal Brasileiro
nitrogênio. Como exemplo, temos as nitro-
bactérias, especialmente as do gênero Rhi- Nitrogênio do ar(N2)
zobium, que vivem nos tecidos das raízes de Bactérias fixa- Decomposição Substâncias
plantas do grupo das leguminosas (feijão, er- doras do solo de restos e cadá- nitrogena-
vilha, vagem, etc.).numa relação de mutualis- e das raízes; veres de plantas das da ex-
algas fixadoras e animais creção
mo- Certas bactérias de vida livre que vivem

Nitrificantes
no solo, também podem fazer esta fixação.

Bactérias
2. Amonização - É a formação de
amônia(NH 3), produzida por bactérias fi- Bactérias
Amônia(NH3)
Desnitrificantes
xadoras e também pela decomposição de

Nitrificantes
matéria orgânica, bem como os produtos

Bactérias
nitrogenados da excreção animal (amônia,
ureia e ácido úrico). Bactérias
Nitritos(NO-2)
Desnitrificantes
3. Nitrificação - transformação da

Nitrificantes
amônia em sais do tipo nitritos (NO 2-) e ni-

Bactérias
Animais
tratos (NO3-) pela ação de bactérias nitri-
ficantes. Bactérias
Nitritos(NO-3) Plantas
Os nitritos são tóxicos às plantas e Desnitrificantes

não são absorvidos por elas. Os nitratos,


uma vez no solo e dissolvidos em água,
são finalmente absorvidos pelas raízes das Ciclo da água
plantas, Dessa forma, o nitrogênio chega A água no estado líquido, sofre cons-
às plantas, em forma de sais de nitrato. tante evaporação. O vapor se condensa
Os animais que se alimentam de ve- formando as nuvens. Assim, a água retorna
getais, recebem então o nitrogênio na for- em forma de chuva, infiltrando-se no solo,
ma de substâncias nitrogenadas que são formando depósitos subterrâneos, preen-
passadas aos demais animais, ao longo da chendo oceanos, mares, rios, lagos, etc. A
cadeia alimentar. água pode também retornar em forma de
4. Desnitrificação - tanto a amônia granizo ou de neve, de acordo com a tem-
(NH3), como os nitritos(NO2─) e os nitratos peratura das camadas de nuvens.
(NO3─), podem ser transformados em nitrogê- A água é uma substância vital para os
nio gasoso(N2) desta vez, pela ação de bac- seres vivos pois participa de inúmeras rea-
térias chamadas desnitrificantes. Assim, o ções químicas do metabolismo.
elemento químico nitrogênio retorna à at- Ela é absorvida pelas raízes dos ve-
mosfera, na forma de gás nitrogênio (N2). getais e usada na reação química da fotos-
Acompanhe o ciclo do nitrogênio, no síntese. Através da transpiração, os vege-
quadro a seguir: tais eliminam água no estado de vapor, que
Fixação
sai pelos estômatos das folhas.
Nitrogênio na atmosfera
(N2) Os animais bebem água ou a ingerem
incorporada nos alimentos que comem. Eles
eliminam água através das excreções (fezes e
Plantas urina) e também através da transpiração, que
Assimilação
Bactérias nos animais é realizada em forma de suor.
Desnitri-
ficantes Deste modo, a água retorna ao am-
Bactérias
fixadoras de N2 Nitritos
(NO3-)
biente, cai em forma de chuva e é nova-
nos nódulos
de raízes de Decompositores
(fungos e bactérias
mente incorporada pelos seres vivos.
leguminosas
aeróbicas e anaeróbicas)
Bactérias Esta sequência repetitiva caracteriza
Amonificação Nitrificação Nitrificantes
Amônia
(NH4+) Nitritos
(NO2-)
o ciclo.
Bactérias fixadoras
de N2 no solo
Bactérias
Nitrificantes
Durante o processo da respiração,
também forma-se água como subproduto.
Biologia 3 - Aula 7 106 Instituto Universal Brasileiro
Acompanhe no quadro a seguir, o ciclo da água. pioneiras nos ecossistemas terrestres.
Nos ecossistemas aquáticos, as es-
Condensação
pécies pioneiras são as algas microscópi-
cas do fitoplâncton.
4 - Nuvens

Precipitação
Após os líquens, desenvolvem-se,
Evaporação
3 - Neve e gelo
Transpiração
na sequência: musgos, gramíneas, sa-
mambaias, pequenos arbustos, grandes
arbustos e por último, surgem as árvo-
res. As sementes podem ser trazidas pelo
vento ou espalhadas pelas fezes de aves e
1 - Oceanos, lagos outros animais que se alimentam de frutos.
Infiltração e rios
2 - Lençóis de água
Os animais vão chegando, à medida que o
ambiente se torna mais suportável. A pre-
sença dos animais também vai modificando
Sucessão ecológica o ambiente, em consequência das intera-
Quando observamos um ecossiste- ções entre seres vivos e ambiente físico.
ma qualquer, por exemplo uma floresta, Isto quer dizer que com o passar do
não imaginamos como ela surgiu. Será que tempo, vão surgindo mais espécies vege-
desde o início surgiram todas as plantas e tais e aumentando também a diversidade
animais ao mesmo tempo? Como era o am- de espécies animais.
biente físico sem os seres vivos de agora?
Pensando um pouco, logo concluímos Sucessão ecológica é o proces-
que a floresta deve ter se desenvolvido aos so que ocorre por meio de sucessivas
poucos, com o passar do tempo. mudanças na comunidade biótica de
Imaginemos que uma certa região pos- uma região, ao longo do tempo.
sui um solo rochoso, não havendo seres vivos. Nas sucessões, a comunidade
O vento desgasta as rochas, carregan- que existe em um dado momento “pre-
do partículas que batem nelas e arrancam para o terreno”, permitindo que uma
novas partículas. A chuva também participa outra comunidade, diferente da pri-
deste processo, conhecido como erosão. meira, se estabeleça.
As mudanças de temperatura enfraque-
cem as rochas, que passam a apresentar ra- Comunidade clímax
chaduras. Este processo pode demorar milha-
res de anos, dependendo do tipo de rocha. As diferentes populações que vão se
Os primeiros seres vivos a se instala- estabelecendo criam uma comunidade com
rem devem suportar as condições do local. maior estabilidade e equilíbrio.
Os líquens são os mais preparados para Isto quer dizer que pequenas altera-
se desenvolver sob condições difíceis e ções no ambiente e na comunidade não
são os primeiros a se instalar a partir de chegam a destruir o ecossistema.
partículas reprodutoras trazidas pelo ven- O estágio de desenvolvimento clímax
to. Lembramos que os liquens são asso- é atingido quando:
ciações de fungos e algas que vivem numa • há uma grande diversidade de espécies;
relação de mutualismo. • ocorrem variadas relações ecológicas
Os fungos eliminam substâncias ácidas entre os seres e grande variedade de nichos
que vão alterando a rocha. Líquens que mor- ecológicos;
rem deixam restos de matéria orgânica nas • as teias alimentares representam as
frestas das rochas. Eles ainda retêm um pou- várias opções de alimento no ecossistema;
co de umidade nos limites ocupados. • ocorre o aumento da biomassa;
Por serem os primeiros seres vivos a se Uma comunidade com estas caracte-
instalar, os líquens representam as espécies rísticas é chamada de comunidade clímax
Biologia 3 - Aula 7 107 Instituto Universal Brasileiro
e este estágio é atingido após sucessivas mo-
demais planetas do sistema solar.
dificações na comunidade, ao longo do tempo.
O abandono social e econômico de
muitos países vem contribuindo para o
Sucessão primária
aumento excessivo da miséria. A popu-
lação aumenta assustadoramente e, na
Ocorre quando a região não foi ocu-
luta pela sobrevivência, explora todos
pada antes por nenhuma comunidade. De-
os recursos naturais renováveis sem,
senvolve-se muito lentamente.
no entanto, dar-se tempo para esta re-
novação.
Sucessão secundária
Nas últimas quatro décadas, vem
aumentando a preocupação com a qua-
Quando uma região já abrigou uma co-
lidade de vida e condições do meio am-
munidade que por algum motivo foi elimina-
biente. Algumas medidas têm sido to-
da, a sucessão que ocorre é chamada de
madas: criaram-se leis de proteção ao
sucessão secundária.
meio ambiente e às espécies vivas, com
A sucessão secundária acontece com
legislação própria desde o nível munici-
maior rapidez, pois o solo já está formado e
pal até o federal; temas sobre educação
em geral, restam ainda algumas espécies da
ambiental são apresentados e discutidos
comunidade anterior. Um exemplo de suces-
com os estudantes; organizações não go-
são ecológica secundária é a comunidade
vernamentais (ONG’s) vêm pressionando
que se desenvolve numa área abandonada
os governos a incluírem em seus planeja-
que anteriormente foi um campo de cultivo.
mentos, projetos de preservação ambien-
Se uma grande área de uma floresta for des-
tal, estudos de impacto no meio ambiente,
truída pelo fogo, a sucessão ecológica que
criação e execução de leis e outras medi-
se desenvolve também é do tipo secundária.
das que contribuam para a qualidade de
vida desta e das futuras gerações.
Com o maior conhecimento e estu-
do das relações ecológicas entre os se-
res e das interações das espécies com
o meio ambiente, vem crescendo o res-
O homem e a biosfera: peito e o interesse. Vejamos algumas
conservação e poluição alterações provocadas pelo ser humano
no meio ambiente e que prejudicam a
O nosso planeta está sujeito a varia- qualidade do ar, solo e água, dos quais
ções climáticas naturais que não podem todos dependemos.
ser evitadas pelo ser humano. No entanto,
com o progresso, o homem vem alterando
significativamente as condições do meio Poluição
ambiente, de forma não natural, prejudi-
cando os seres vivos e a si próprio. Chamamos de poluição o resultado da
A maioria das ações humanas é ação de substâncias presentes no am-
imediatista, isto é, visa um resultado biente em quantidade excessiva ou que,
imediato, ignorando as consequências a mesmo em pequena quantidade, são pre-
médio e longo prazo. Assim, em nome do judiciais à vida. A maioria destas substân-
progresso, da necessidade de matéria- cias não faz parte da natureza, isto é, são
-prima, da sociedade consumista, vamos substâncias sintetizadas pelas indústrias
destruindo o ambiente deste planeta onde químicas. São chamadas de poluentes e
as condições essenciais à vida são úni- contaminam os seres vivos através do ar, da
cas e especiais, comparando-se com os água ou do solo. No entanto, o termo polui-
ção pode ser mais amplo, como por exem-
Biologia 3 - Aula 7 108 Instituto Universal Brasileiro
plo, quando consideramos a poluição sonora roplastos das plantas e assim, afetam a fo-
como uma agressão, com sérios prejuízos à tossíntese e toda a cadeia alimentar, além
saúde física e mental. de causar câncer em animais e vegetais.
Porém, o uso de substâncias gasosas
Poluição do ar conhecidas como CFC(com os elementos
cloro-flúor-carbono) destróem as moléculas
de ozônio da atmosfera. Assim, formam-se
grandes áreas na atmosfera, onde há pou-
co ozônio e aí as radiações UV passam li-
vremente e atingem os seres vivos. Estas
áreas com baixa concentração de ozônio
Resíduos industriais em forma de partí- são conhecidas como ‘buracos na cama-
culas sólidas, cinzas das queimadas e par- da de ozônio’. As substâncias com CFC
tículas de amianto afetam diretamente nossa são usadas na indústria de refrigeração
saúde, causando distúrbios respiratórios. (freezer, geladeira e condicionador de ar),
Além das partículas sólidas, há inú- nos aerossóis (embalagens tipo ‘spray’) e
meros gases nocivos. na expansão de espumas e isopor, entre
Entre estes, destaca-se o monóxido outros. Alguns acordos internacionais de-
de carbono (CO), produzido na combustão terminaram uma substituição progressiva
incompleta de combustíveis como gasolina, no uso do CFC, existindo já as geladeiras
óleo, carvão e gás natural. Este gás com- que não usam este gás.
bina-se definitivamente com a hemoglobina
do sangue, impedindo que esta se combine Consequência dos gases poluentes
e transporte oxigênio (O 2) pelo nosso corpo na atmosfera: a chuva ácida.
e pulmões.
Da energia solar que chega à Terra, Todo combustível de origem orgâni-
parte é usada para a fotossíntese, parte é ca como o petróleo ou carvão, quando são
absorvida pela atmosfera, pelo solo e corpos queimados liberam muitos produtos quími-
materiais, usada para a evaporação e parte é cos com enxofre e nitrogênio.
refletida, sendo devolvida ao espaço. Estes gases se transformam em dió-
Por outro lado, a queima de com- xido de enxofre e óxidos de nitrogênio,
bustíveis pelas indústrias, pelos meios de reagem corn o vapor de água da atmosfera
transporte e pelas queimadas, provocam e caem finalmente em forma de ácidos de
um excesso de gás carbônico (CO 2) na at- enxofre e de nitrogênio, tornando a água
mosfera. Este excesso forma uma camada da chuva extremamente ácida. Esta chuva é
de gás que absorve e prende a energia que prejudicial aos seres vivos e tem destruído
deveria ser devolvida ao espaço, provocan- grandes áreas de florestas e plantações, e
do um aumento médio da temperatura afetado as cadeias alimentares, inclusive de
em todo o planeta (efeito estufa). lagos que chegam a apresentar total ausên-
Teme-se que este aumento de tempe- cia de vida devido à acidez de suas águas.
ratura provoque o degelo das calotas pola- O gás carbônico também contribui
res e dos icebergs (grandes blocos de gelo para a formação de ácidos. Não podemos
flutuantes), o que causaria aumento no ní- nos esquecer que até no degelo da neve,
vel da água, cobrindo cidades e ilhas. forma-se água ácida.
Nas altas altitudes da atmosfera, exis- As substâncias que saem dos escapa-
te uma grande quantidade de gás ozônio mentos dos veículos, resultantes da queima
(O3), conhecida como camada de ozônio. dos combustíveis, também contêm vários
Esta, absorve as radiações ultra-violeta do produtos de enxofre e nitrogênio. O mesmo
sol, prejudiciais a todos os seres vivos. As acontece com indústrias e usinas termoelé-
radiações ultra-violeta (UV) afetam os clo- tricas que obtêm energia da combustão.
Biologia 3 - Aula 7 109 Instituto Universal Brasileiro
São necessárias medidas preventivas, a ní- Bactérias decompositoras então proliferam
vel mundial, para a obrigatoriedade de filtros assustadoramente, consumindo todo o oxi-
e catalisadores nas indústrias e nos escapa- gênio da água e provocando a morte de to-
mentos, bem como o uso racional das fontes dos os componentes da cadeia alimentar.
de energia, diminuindo sua demanda. Os esgotos domésticos não tratados
A melhoria do transporte coletivo nas contaminam as águas com parasitas causa-
grandes cidades também possibilitaria me- dores de inúmeras doenças, como cólera,
nor quantidade de veículos nas ruas e con- verminoses e hepatite. Contaminando a
sequente melhoria da qualidade do ar. água, contaminam indiretamente alimentos
que serão regados com esta água.
Poluição da água Poluição da água do mar: recebem to-
dos os rios e substâncias tóxicas. Nos mares,
um dos maiores problemas são os derrama-
mentos de petróleo, que afetam as cadeias
alimentares, grandes quantidades de metais
pesados lançados como resíduos das indús-
trias químicas. Os metais pesados são assimi-
lados pelo fitoplâncton e contaminam toda a
cadeia alimentar, concentrando-se mais nos
seres do final da cadeia. Tornou-se famoso
um acidente que ocorreu no Japão, na baía de
Mínamata. Uma indústria lançou mercúrio no
mar, que foi assimilado pelos seres marinhos,
concentrando-se no final das teias alimenta-
res, nos peixes. Ao serem consumidos pela
população, contaminaram milhares de pes-
soas, causando a rnorte de muitas. O mercú-
Está claro que a chuva ácida também rio causa distúrbios neurológicos, perda de
contamina a água, embora se forme na at- coordenação, cegueira, loucura e morte.
mosfera, como estudamos pouco antes. Ve- O derramamento de petróleo é um
jamos outros tipos de contaminação da água. dos mais sérios problemas de poluição ma-
Por resíduos de metais pesados rinha. Formam-se extensas manchas na
como chumbo e mercúrio, ácidos, amô- superfície, impedindo a passagem da luz ,
nia e todo tipo de substâncias, na maioria prejudicando a fotossíntese do fitoplâncton.
das vezes sem nenhum tratamento, lança- Além disso, o petróleo adere às brânquias
dos nos rios pelas indústrias. dos peixes, impedindo que respirem.
Por herbicidas, inseticidas e pesti-
cidas, usados na agricultura, que, além de Poluição do solo
contaminar as plantas, contaminam o solo
e demais seres vivos. Além disso, são ar-
rastados para os rios através das corredei-
ras formadas pelas chuvas.
O uso de adubos químicos na agri-
cultura também colabora para o aumento
da poluição.
Adubos de nitratos e fosfatos são
carregados para lagos e rios, possibilitan-
do urn ritmo intenso de reprodução de al-
gas, corn tanta fartura de nutrientes. Sua
população aumenta tanto, que morrem.
Biologia 3 - Aula 7 110 Instituto Universal Brasileiro
O solo é afetado em consequência da
poluição do ar e da água, uma vez que re- de tijolos, telhas e concreto. “A massa obti-
cebe substâncias vindas por estes meios. da precisa ser seca em uma estufa e depois
Recebe diretamente substâncias químicas moída para que sua utilização seja viável”,
dos adubos, inseticidas e herbicidas. diz. Segundo o pesquisador, o pó de metais
O lixo das indústrias e o lixo domés- pesados é economicamente viável. Enquan-
tico também são fontes de poluição para o to a reciclagem de 1 tonelada de baterias,
solo, chamando a atenção os resíduos de que já é feita no exterior, custa perto de
metais pesados das pilhas jogadas no lixo 8.000 reais, a produção do pó pode ser fei-
e a proliferação de microrganismos do lixo, ta a um custo estimado entre 3.000 e 4.000
que causam doenças. reais. O método criado para as baterias tam-
Finalizando, queremos lembrar que a bém pode ser adaptado para outros tipos de
poluição produzida num determinado lugar, pilha, resolvendo assim mais um problema.
sempre acaba atingindo outros, por mais lon-
ge que se encontrem. Assim, o vento carrega (Revista Superinteressante)
partículas e substâncias nocivas; a água con-
tamina um rio e acaba contaminando o mar. Não temos o direito de destruir o
Acidentes em usinas nucleares têm espalha- meio ambiente em prejuízo das gerações
do materiais radioatívos por todo o mundo. futuras. Temos o dever de protegê-lo, res-
É claro que chegam em menor quantidade peitá-lo e lutar por sua qualidade. Afinal,
quanto mais longe estiverem, mas o perigo dependemos dele e a Terra é o único e
existe e não pode ser ignorado. maravilhoso lugar que temos para viver.
É importante que se divulgue e au-
mente o conhecimento sobre os problemas
ambientais, para que as populações pres-
sionem os governos a tomarem decisões
preventivas e conservacionistas em benefí-
cio de todos os seres que habitam a Terra.

Baterias de celulares na produção


de materiais de construção.

O Brasil acumula milhões de bate-


rias de celulares. Nenhuma delas pode
ir para o lixo, devido ao seu potencial
tóxico. Elas serão guardadas sabe-se lá
por quanto tempo pelos fabricantes, até
que alguém arrume um destino final. Se
alguém perguntar, o engenheiro Lélio Biomas & Ciclos da matéria
Ronaldo Massai, professor da Pontifí-
cia Universidade Católica de Campinas Biomas
(PUCCamp), tem uma sugestão. Ele
conseguiu extrair os metais pesados São grandes ecossistemas terres-
cádmio e níquel das baterias e criar um tres, com aparência mais ou menos uni-
pó que pode ser utilizado na produção forme e condições climáticas parecidas.

Biologia 3 - Aula 7 111 Instituto Universal Brasileiro


Na aparência de um bioma, chamam Ciclo do oxigênio:
mais a atenção as espécies vegetais,
O2
visto que as espécies animais se ex-

Respiração
Fotossíntese
põem menos, escondendo-se dos pre-

o
çã
dadores.

ira
Biomas terrestres: Tundra, Tai-

sp
Re
ga, Floresta Temperada, Floresta Tro-
pical, Campos e Deserto. Animais Vegetais Queima de
Biomas brasileiros: Floresta combustível
Amazônica, Mata Atlântica, Caatinga

Fotossíntese
Mata dos Cocais, Campos (cerrado e
pampas), Mata das Araucárias, Pan-
tanal e Mangue.

Ciclos da matéria H 2O CO2 H 2O

Ciclos da matéria ou Ciclo do nitrogênio:


ciclos biogeoquímicos Nitrogênio do ar(N2)

A matéria que constitui os ecos- Bactérias fixa- Decomposição Substâncias


doras do solo de restos e cadá- nitrogena -
sistemas é constantemente reciclada. e das raízes; veres de plantas das da ex-
Fotossíntese e respiração fazem algas fixadoras e animais creção

Nitrificantes
parte dos ciclos do carbono e do oxi-

Bactérias
gênio.
Fotossíntese: incorpora o carbo- Bactérias
Amônia(NH3)
no do ar(CO 2) na molécula de glicose, Desnitrificantes

Nitrificantes
armazenando energia que vem do sol. Bactérias

Utiliza a água,liberando oxigênio para a


respiração.
Bactérias
Respiração: utiliza o oxigênio para Desnitrificantes Nitritos(NO-2)
Animais
quebrar a molécula de glicose, liberando
Nitrificantes

gás carbônico e a energia que estava ar-


Bactérias

mazenada.
Bactérias
Desnitrificantes Nitritos(NO-3) Plantas
Ciclo do carbono:

CO2 Ciclo da água:


Fo
o

Re tes
to

Condensação
çã

ss

sp
ira

4 - Nuvens
ín

ira
sp

çã
Re

Precipitação
o

Evaporação
Transpiração
3 - Neve e gelo
cadeia
Animais Vegetais
alimentar

decomposição dos queima de com- 1 - Oceanos, lagos


restos orgânicos bustíveis fósseis Infiltração 2 - Lençóis de água e rios

Biologia 3 - Aula 7 112 Instituto Universal Brasileiro


resultante da não-dispersão dos poluentes
para as regiões mais altas da atmosfera.
c) ( ) da destruicão da camada de
ozônio, causada pela liberação, na atmosfe-
ra, do dióxido de carbono contido nos gases
1. Em determinada área, foram colhi- do grupo dos clorofluorcarbonos.
dos os seguintes dados: d) ( ) do efeito estufa provocado pelo
acúmulo de carbono na atmosfera, resul-
- Temperatura média anual elevada. tante da queima de combustíveis fósseis,
- Umidade relativa do ar superior a como carvão mineral e petróleo.
80%.
- Vegetação formada principalmente 4. A chuva ácida é provocada:
por árvores de grande, médio e pequeno a) ( ) pela formação de ácidos no solo,
porte; presença de epífitas. carregados pela chuva.
b) ( ) pela combinação de óxidos de
De posse desses dados, pode-se con- enxofre e nitrogênio com o vapor de água da
cluir que a área estudada é: atmosfera, formando ácidos.
a) ( ) uma estepe c) ( ) pela formação de ácidos por cer-
b) ( ) uma floresta de coníferas. tas bactérias que vivem na água.
c) ( ) um cerrado. d) ( ) pela água evaporada e contami-
d) ( ) uma floresta pluvial tropical, nada com ácidos do solo.

2. Uma comunidade clímax caracteri- 5. (Enem) Sabe-se que uma área de


za-se: quatro hectares de floresta, na região tro-
a) ( ) por uma sucessão de comunida- pical, pode conter cerca de 375 espécies
des em uma determinada área. de plantas, enquanto uma área florestal do
b) ( ) por um aumento das relações de mesmo tamanho, em região temperada,
competição em detrimento das relações de pode apresentar entre 10 e 15 espécies.
cooperação entre as espécies. O notável padrão de diversidade das
c) ( ) pelo seu desenvolvimento em florestas tropicais se deve a vários fatores,
curto prazo de tempo. entre os quais é possível citar:
d) ( ) pela exaustão das reservas abió- a) ( ) altitudes elevadas e solos pro-
ticas de sua área. fundos.
b) ( ) a ainda pequena intervenção
3. (Enem) As florestas tropicais úmi- do ser humano.
das contribuem muito para a manutenção c) ( ) sua transformação em áreas de
da vida no planeta, por meio do chamado preservação.
sequestro de carbono atmosférico. Resul- d) ( ) maior insolação e umidade e
tados de observações sucessivas, nas últi- menor variação climática.
mas décadas, indicam que a floresta ama-
zônica é capaz de absorver até 300 milhões 6. Um perigoso inseticida foi carrega-
de toneladas de carbono por ano. Conclui- do pela água da chuva e contaminou um
se, portanto, que as florestas exercem im- lago. Após algum tempo, o grupo de seres
portante papel no controle: vivos que apresentará maior concentração
a) ( ) das chuvas ácidas, que decor- das substâncias nocivas do inseticida será
rem da liberação, na atmosfera, do dióxido o grupo:
de carbono resultante dos desmatamentos a) ( ) dos peixes carnívoros.
por queimadas. b) ( ) dos peixes herbívoros.
b) ( ) das inversões térmicas, causa- c) ( ) do zooplâncton.
das pelo acúmulo de dióxido de carbono d) ( ) do fitoplâncton.
Biologia 3 - Aula 7 113 Instituto Universal Brasileiro
atmosférico durante a fotossíntese, redu-
zindo o acúmulo de CO 2 no ar e minimizan-
do o efeito estufa.

4. b) (x) pela combinação de óxidos


1. d) (x) uma floresta pluvial tropi- de enxofre e nitrogênio com o vapor de
cal. água da atmosfera, formando ácidos.

Comentário. As três características Comentário. Todo combustível de ori-


apresentadas no enunciado, temperatura, gem orgânica como o petróleo ou carvão,
umidade relativa e tipo de vegetação, de- quando são queimados liberam muitos pro-
finem claramente o bioma floresta pluvial dutos químicos com enxofre e nitrogênio.
tropical. Estes gases se transformam em dióxido
de enxofre e óxidos de nitrogênio, reagem
Floresta Amazônica corn o vapor de água da atmosfera e caem
finalmente em forma de ácidos de enxo-
fre e de nitrogênio, tornando a água da
chuva extremamente ácida. Esta chuva é
prejudicial aos seres vivos e tem destruído
grandes áreas de florestas e plantações,
e afetado as cadeias alimentares, inclusi-
ve de lagos que chegam a apresentar total
ausência de vida devido à acidez de suas
águas.

5. d) (x) maior insolação e umidade


e menor variação climática.

2. a) (x) por uma sucessão de comu- Comentário. As condições ambien-


nidades em uma determinada área. tais e climáticas proporcionam uma varie-
dade maior de alimento para as espécies.
Comentário. Uma comunidade clímax É correto dizer que uma maior insolação e
é aquela que já atingiu equilíbrio e estabili- umidade com menor variação climática são
dade, depois de ter passado por sucessões responsáveis por isso, fatores que fazem
durante longo tempo. As alternativas b, c e a floresta tropical ser mais propícia a ter
d estão erradas, respectivamente, porque: maior número de espécies.
as relações ecológicas existem dentro da
comunidade em desenvolvimento, não in- 6. a) (x) dos peixes carnívoros.
terferem; o desenvolvimento não se faz em
curto prazo e os fatores abióticos (água, Comentário. O fitoplâncton se conta-
solo e ar) permanecem em relativo equilí- mina e o zooplâncton, que é formado por
brio. pequenos animais e larvas que se alimen-
tam filtrando a água, também se contamina.
3. d) (x) do efeito estufa provocado Os peixes carnívoros, que se alimentam do
pelo acúmulo de carbono na atmosfera, zooplâncton e dos peixes herbívoros, terão
resultante da queima de combustíveis maior concentração de substâncias tóxicas
fósseis, como carvão mineral e petró- em seu organismo.
leo. Os últimos consumidores nas teias
alimentares recebem toda substância acu-
Comentário. As florestas fixam o CO 2 mulada nos níveis alimentares anteriores.
Biologia 3 - Aula 7 114 Instituto Universal Brasileiro