Você está na página 1de 10

Campo elétrico & Campo eletrostático

AULA 2 Quando falamos em campo, estamos nos referindo à atuação de um determi-


nado fenômeno a certa distância. O campo elétrico é criado por uma carga
ou por um conjunto de cargas em determinada região do espaço. Lembre-se:
eletrostático é todo campo elétrico sem cargas em movimento. Com movi-
mento, o campo passa a ser eletrodinâmico.

Eletricidade estática – no ar, na água, por toda parte...

É a ciência quem afirma: não existe nada eletricamente neutro!

Doze anos atrás o químico Fernando Galembeck encontrou cargas elétricas espalhadas na
superfície e no interior de partículas e filmes de látex naturais e sintéticos. As cargas não deveriam
estar lá, mas estavam; contrariando a suposta verdade de que materiais plásticos como aqueles, se-
riam eletricamente neutros. Reunindo resultados similares, Galembeck e sua equipe da Universidade
Estadual de Campinas (Unicamp) desenvolveram um conjunto de conhecimentos com hipóteses,
descobertas e demonstrações sobre as interações das cargas elétricas positivas ou negativas que
habitam corpos supostamente neutros.
Os conceitos que emergem na Unicamp e em universidades nos Estados Unidos ampliam as
possibilidades de estudo da interação de materiais entre si e com o ambiente – já que o ar e a simples
umidade do ar também podem carregar cargas elétricas – explicando a formação de relâmpagos, por
exemplo. Também inspiram a construção de novos equipamentos. Em 2007, descobertas do físico
norte-americano Lawrence Schein, ex-pesquisador da Xerox e da IBM, sobre partículas com car-
gas elétricas motivaram a criação de uma empresa em Taiwan para desenvolver uma tecnologia de
impressão colorida a laser. Além das impressoras a laser, a eletricidade estática – ou eletrostática –
está por trás do funcionamento de máquinas copiadoras e um tipo de pintura que protege geladeiras
e fogões contra os efeitos de variações constantes de temperatura.
Ao induzir a passagem da eletricidade de um raio por um fio de um papagaio de papel, Benja-
min Franklin não só entrou para a história como inventor, mas também apresentou ao mundo uma
forma de energia que agora se amplia muito mais. Dois séculos depois, por caminhos paralelos,
alguns cientistas como Galembeck e o químico George Whitesides, que coordena um grupo de pes-
quisa na Universidade Harvard, Estados Unidos, estão chegando à mesma conclusão: não existe
nada eletricamente neutro.
Disponível em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2009/04/01/eletricidade-no-ar-na-agua-por-toda-parte/Adaptado.

Física 3 - Aula 2 15 Instituto Universal Brasileiro


Campo elétrico & Campo eletrostático
Campo elétrico é um vetor, portanto, va-
Campo elétrico
mos estudar a direção, o sentido e a inten-
sidade do campo. Quando o campo elétrico é
criado em uma carga positiva ele, por conven-
ção, terá um sentido de afastamento. Quan-
do o campo elétrico é criado em uma carga
negativa ele, por convenção, terá um sentido
de aproximação.

Campo elétrico. É o campo de força


provocado pela ação de cargas elétricas, (elé-
trons, prótons ou íons) ou por sistemas delas. Sentido de Sentido de
Cargas elétricas colocadas num campo elétri- afastamento aproximação
co estão sujeitas à ação de forças elétricas, de
atração e repulsão. Que fique claro que o sentido do campo
elétrico depende exclusivamente do sinal
Os efeitos elétricos que ocorrem nas da carga elétrica.
proximidades de cargas elétricas são asso- A intensidade de um campo elétrico E,
ciados à existência de um campo elétrico no sempre considerando a carga de prova punti-
local, este interage com a carga de prova. forme, é dada pela fórmula:
Um exemplo típico é a interação do ca-
belo de uma pessoa com a tela de uma tele- F
E= q
visão convencional, pois as cargas elétricas
da televisão interagem com os cabelos dei-
xando-os eriçados. Assim, voltando para a definição de cam-
É importante perceber que um campo po elétrico, podemos dizer que ele dependerá
elétrico só pode ser detectado a partir da inte- diretamente a força elétrica entre as cargas e
ração do mesmo com uma carga de prova, se inversamente à carga de prova.
não existir interação com a carga significa que
o campo não existe naquele local.
Unidades de campo elétrico
Quando a força é dada em newtons e
a carga em coulombs, temos para o campo
elétrico:

Newton N
=
Coulomb C

[F] N(Newton)
[E] = =
[q] C(Coulomb)

Partindo de que:
Física 3 - Aula 2 16 Instituto Universal Brasileiro
2. As linhas são tangenciadas pelo cam-
k . |q1| . |q2| po elétrico;
F =
d2 3. Duas linhas de força nunca se cruzam.
A intensidade do campo elétrico é pro-
E que: porcional à concentração das linhas de força.
F Consideremos diferentes pontos de uma
E= q
região P1, P2, ..., Pn, e o vetor campo elétrico
em cada ponto: E1, E2 ..., En.
Após alguns cálculos chegamos à ex-
pressão: En
E1
x
x Pn
|q2| P1 P2
E=k x
d2 Linha de força
E2

Sendo que q2 é a carga que gera o cam-


Linha de Força ou linha de campo é
po elétrico, d a distância entre as cargas e k a uma linha imaginária, tal que a tangente, em
constante elétrica do meio (9,0 . 109 unidades qualquer ponto dessa linha, dá a direção do
do SI). vetor campo elétrico neste ponto.

Exemplo: As linhas de campo nunca se cruzam,


Uma carga de 2,1 x 10-4 C é colocada pois o vetor campo elétrico não pode ter no
num ponto do espaço. Sobre a carga atua
mesmo ponto duas direções simultâneas.
uma força de intensidade 1,47 N. Qual é a in-
tensidade do campo elétrico neste ponto?
Resolução: Configuração das linhas de força
F
E= q
a) Carga isolada positiva:

Onde:
E=?
F = 1,47 N
q0 = 2,1 x 10-4 C +

Então:
1,47
E =
2,1 x 10-4
b) Carga isolada negativa:
1,47
E = x 104
2,1
N
E = 0,7 x 104 -
C

Linhas de força ou linhas de campo


c) Duas cargas de mesmo sinal:
As cargas de prova positivas encontram-
se em movimento dentro de um campo elétrico.
A partir da trajetória dessas cargas, traçam-se
linhas que são denominadas linhas de força, + +
que têm as seguintes propriedades:
1. Saem de cargas positivas e chegam
nas cargas negativas;
Física 3 - Aula 2 17 Instituto Universal Brasileiro
d) Duas cargas de sinal oposto: Comparando 2 e 1, temos:

Q . q0
E . q0 = K
d2
+ - Simplificando, fica:

Q
E=K
d2
Campo elétrico uniforme Que é a intensidade do campo devi-
do à carga Q, num ponto P, à distância d
O campo elétrico é dito uniforme quando de Q.
as linhas de força são feixes de retas parale-
las; portanto, o vetor campo elétrico é o mes-
mo em todos os pontos. Gráfico

Exemplo de campo elétrico uniforme O campo elétrico devido a uma carga Q


pode ser representado por um gráfico carte-
O campo elétrico entre duas placas siano, como o desenhado abaixo.
metálicas planas, carregadas com cargas
de sinais opostos.
As linhas de campo estão represen- E
Q
tadas na figura. E=K
d2
E
+ -
+ -
+ -
+ -
+ - d
+ -
+ -
+ + -
+ -
+ - Como o campo elétrico é inversamente
+ -
proporcional ao quadrado da distância da car-
ga de prova q0 à carga Q, que cria o campo, à
-
medida que a carga de prova q0 se afasta da
carga Q, temos uma diminuição do valor do
campo.
Campo criado por uma
carga puntiforme Sentido do campo elétrico
devido à carga Q
Consideremos uma carga Q e o campo
elétrico E produzido por Q. Num ponto P, à a) Quando a carga Q é positiva, as li-
distância d de Q, coloca-se uma carga de pro- nhas de campo são divergentes (afastamen-
va q0. Pela Lei de Coulomb, a força que atua to em relação a Q).
sobre q0 é dada por:
Q . q0
F=K 1 Q
d 2
E
+
Mas, foi visto que: P

F 2
E= q F = q0 . E
0

Física 3 - Aula 2 18 Instituto Universal Brasileiro


b) Quando a carga Q é negativa, as li-
nhas de campo são convergentes (aproxima- 3º Caso
ção em relação a Q).
Quando a carga Q é negativa e a
carga q0 é positiva o campo elétrico E
Q
e a força elétrica F possuem o mesmo
E
sentido.
- Q
P
F F q0
-
P
E

Observe que o sentido do vetor campo


elétrico E, depende apenas do sinal da carga Quando Q < 0 e q0 > 0
geradora Q.

Comparação entre o sentido 4º Caso


da força elétrica e o sentido
do campo elétrico em P Quando a carga Q é negativa e a
carga q0 é negativa, o campo elétrico E e
Uma carga de prova q0 é colocada num a força elétrica F possuem sentidos con-
ponto P de um campo elétrico E, criado por trários.
uma carga Q. A força elétrica que atua sobre
Q
a carga q0 chamaremos de F. Faremos agora F E q0 F
um estudo sobre os sentidos de E e F. -
P

1º Caso
Q < 0 e q0 < 0
Quando a carga Q é positiva e a
carga q0 é positiva, o campo elétrico E
e a força elétrica F possuem o mesmo
sentido. Campo criado por n cargas puntiformes
Q Num ponto P qualquer, o campo elétrico
q0 F
+ resultante de várias cargas é a soma vetorial
P
F E de todos os campos elétricos, isto é, calcu-
la-se separadamente o campo produzido por
Quando Q > 0 e q0 > 0 cada uma das cargas e, a seguir, faz-se a
soma vetorial dos mesmos.

E = E1 + E2 + ... + En
2º Caso

Quando a carga Q é positiva e a Veja os dois exemplos abaixo:


carga q0 é negativa, o campo elétrico E e 1. Qual é o campo elétrico criado por
a força elétrica F possuem sentidos con- uma carga de 6,2 x 10-6 C a 3 metros da
trários. mesma?
Q
Q Aplicando: E = K 2
F F q0 E d
+
Sendo: K = 9 . 109 N . 2m
2
P
C
Q > 0 e q0 < 0 Q = 6,2 x 10 C
-6

d=3m

Física 3 - Aula 2 19 Instituto Universal Brasileiro


Portanto: E
6,2 x 10-6
E = 9 . 10 x9
32 No interior
da esfera
N
E = 6,2 x 103
C E
E=O

Condutor esférico
E
2. No problema anterior, foi calculado
o campo elétrico à distância de 3 metros No caso de uma esfera, como a distri-
da carga de 6,2 x 10-6, e o valor obtido foi buição das cargas é superficial, o campo em
N qualquer região de seu interior é nulo. Agora,
6,2 x 103
C se um corpo isolante receber uma carga elé-
Qual é a força elétrica sobre uma trica, a mesma não se espalhará pelo corpo,
carga de 10-6 C que se localiza a 3 metros permanecendo na região onde foi gerada.
da carga de 6,2 x 10-6 C?
Aplicando:
Trabalho e potencial no
F=q.E campo eletrostático
Onde q = 10-6 C, teremos:
Esse trabalho é considerado uma va-
F = 10-6 . 6,2 . 103 riação da energia potencial elétrica, ou seja,
isso ocorre quando uma carga se desloca
F = 6,2 . 10-3 N de um lugar para outro. A unidade de me-
dida usada na energia potencial é o joule.
Que é a força elétrica que atua sobre
a carga de 10-6 C. Consideremos uma carga elétrica q que
se desloca num campo elétrico, de um ponto
A até B, sendo TAB o trabalho realizado pelas
Campo eletrostático forças de campo neste deslocamento.
Define-se diferença do potencial (ddp)
Campo elétrico em superfícies ou tensão entre os pontos A e B, como sendo
o quociente entre o trabalho realizado e a car-
Inicialmente relembremos que existem ga que se deslocou de A até B:
corpos que se comportam como condutores
e isolantes, com referência à eletricidade. TAB
Se um corpo condutor, uma folha de metal, U= q
por exemplo, vier a adquirir uma carga elétri-
ca em determinada parte de sua superfície, Onde U é a diferença de potencial.
esta carga logo se distribuirá por toda esta
superfície, até que seja atingida uma condi-
ção denominada de situação de equilíbrio Unidades
eletrostático.
Quando isto acontece, as cargas elétri- Quando o trabalho é dado em joule e
cas do corpo encontram-se distribuídas pela carga em coulomb, a diferença de potencial
sua superfície e, como consequência deste será dada em volt.
fato, será nulo o valor do campo elétrico em
qualquer ponto no interior do condutor. Já na 1 joule
1 volt =
superfície deste corpo, o campo elétrico sem- coulomb
pre lhe será perpendicular.
Física 3 - Aula 2 20 Instituto Universal Brasileiro
Potencial em um ponto Quando a carga q se deslocar do ponto
A até o ponto B, o trabalho realizado neste
A diferença de potencial é considerada deslocamento será dado por:
como sendo:
Q A B

U = VA - VB rA

Onde: VA é o potencial no ponto A; rB

VB é o potencial no ponto B.

A cada ponto de um campo elétrico


TAB = q . ( 4πԑ1 . Qr A
.
1
4πԑ
.
Q
rB (
poderemos associar um número que é po-
1
tencial no ponto. O potencial é uma gran- Nota: = K = 9 . 109 9 . m2/C2, no vácuo.
4πԑ
deza escalar.
Como: Mas, foi visto que:
U = VA - VB
TAB = q . (VA - VB)
A relação:
TAB Logo:
U= q
Q
VA = ou
Pode ser assim expressa: 4 . π . ԑ . rA
TAB Q
VA - VB = q VA = K . , no vácuo.
rA
Para o trabalho, teremos então:
Q
VB = ou
TAB = q . (VA - VB) 4 . π . ԑ . rB

Q
Portanto, o trabalho da força de campo VB = K . , no vácuo.
rB
num deslocamento depende apenas das po-
sições inicial e final e independe da trajetória De onde poderemos concluir que o
seguida; logo, o campo eletrostático é con- potencial de um ponto P localizado a uma
servativo. Quando a trajetória for uma curva distância d de uma carga puntiforme Q será:
fechada, isto é, o ponto inicial A coincidir com
o ponto final B, teremos: 1 Q
Vp = .
4.π.ԑ d
VA = VB
ou
Portanto, o trabalho de A até B será Q
nulo. Vp = K .
d

O potencial terá sempre o sinal da


Trabalho no campo de uma
carga Q.
carga puntiforme

Consideremos um campo elétrico E, Sistema de n cargas puntiformes


produzido por uma carga puntiforme Q, e uma
carga q que se desloca neste campo, sob a Para se obter o potencial num ponto P,
ação de uma força F, onde: situado no campo de n cargas puntiformes,
Q.q calcula-se o potencial devido a cada uma das
F=K. cargas e, a seguir, faz-se a soma algébrica
d2
dos potenciais obtidos.
Física 3 - Aula 2 21 Instituto Universal Brasileiro
q1 P

q2
qn

q3
Campo elétrico & Campo eletrostático
VP = V1 + V2 + V3 + ... + Vn)
Campo elétrico
Exemplos:
É o campo de força provocado pela
1. Qual é o potencial num ponto situa- ação de cargas elétricas, (elétrons, prótons
do a 70 cm de uma carga de 4,9 x 10-7 C? ou íons) ou por sistemas delas. Cargas

{
elétricas colocadas num campo elétrico
d = 70 cm = 0,70 m estão sujeitas à ação de forças elétricas,
Q = 4,9 x 10-7 C de atração e repulsão.
dados
N . m2
K = 9 x 109
C2 F
E= q
Q
Aplicando: V = K .
d
Linhas de força ou linhas de campo
9 x 109 x 4,9 x 10-7
V=
0,70 As cargas de prova positivas encon-
V = 6,3 x 10 V
3 tram-se em movimento dentro de um cam-
po elétrico. A partir da trajetória dessas
cargas, traçam-se linhas que são denomi-
2. Qual é o potencial num ponto situa- nadas linhas de força, que têm as seguin-
do a 3 cm de uma carga de 6 x 10-9 C e a 8 tes propriedades:
cm de uma carga de 4 x 10-6 C? 1. Saem de cargas positivas e che-
gam nas cargas negativas;
VP = V1 + V2 2. As linhas são tangenciadas pelo
Q1 campo elétrico;
V1 = K . 3. Duas linhas de força nunca se cru-
d1
zam;
9 x 109 x 6 x 10-9
V1 = 4. A intensidade do campo elétrico é pro-
3 x 10-2 porcional à concentração das linhas de força.
V1 = 18 x 102 V
Campo eletrostático
Q2
V2 = K . Trabalho e potencial no
d2
campo eletrostático
9 x 109 x 4 x 10-8
V2 =
8 x 10-2 Esse trabalho é considerado uma va-
V2 = 45 x 102 V riação da energia potencial elétrica, ou seja,
isso ocorre quando uma carga se desloca
O potencial será: de um lugar para outro. Como já vimos nos
capítulos anteriores, a unidade de medida
V = 18 x 102 + 45 x 102 usada na energia potencial é o joule.
V = 63 x 102 V
T = q . (VA - VB)
V = 6.300 V

Física 3 - Aula 2 22 Instituto Universal Brasileiro


5. Determine a energia potencial elé-
trica de uma carga elétrica colocada em um
ponto P cujo potencial elétrico é 2 x 10 4 V.
Seja a carga igual a -6 μC.

1. Uma carga q = 12 . 10-6 C é colo- a) ( ) -12 J


cada em um ponto do espaço onde passa a b) ( ) 0,012 J
agir sobre ela, uma força elétrica de inten- c) ( ) - 0,12 J
sidade 30 N. A intensidade do campo elétri- d) ( ) -12 x 10 -6
co neste ponto do espaço, é igual a:
6. Uma carga pontual Q, cria no vá-
a) ( ) 0,4 . 106 N/C cuo, a uma distância r, um potencial de 200
b) ( ) 0,75 . 106 N/C volts e um campo elétrico de intensidade
c) ( ) 1,8 . 106 N/C igual a 600 N/C. Quais os valores de r e Q?
d) ( ) 2,5 . 106 N/C (Dado k = 9 .109 N.m²/C²).

2. Em um ponto P do espaço atua um a) ( ) -7,6 . 10-9 C


campo elétrico de intensidade igual a 600 b) ( ) 7,4 . 10 -9 C
N/C. A carga elétrica que deve ser colocada c) ( ) 3,7 . 10 -8 C
em P, para que a força elétrica seja igual a d) ( ) 4,7 . 10 -7 C
42 N, vale:
7. Qual é o valor do potencial produ-
a) ( ) 7 . 10 C -2
zido por uma carga elétrica puntiforme de
b) ( ) 14 . 10 -2 C 250 µC, no vácuo , a 20 cm de distância?
c) ( ) 17,5 . 10 -2 C
d) ( ) 21 . 10 -2 C a) ( ) 56,25 . 10 6 V
b) ( ) 11,25 . 10 6 V
3. Uma carga elétrica de 36 . 10 -6 C c) ( ) 37,42 . 106 V
cria no vácuo, e a 12 cm de distância, um d) ( ) 95,20 . 10 6 V
campo elétrico de intensidade igual a:

a) ( ) 20,25 . 10 6 N/C
b) ( ) 22,5 . 106 N/C
c) ( ) 14,42 . 106 N/C
d) ( ) 6,25 . 106 N/C
1. d ) (x) 2,5 . 106 N/C
4. Vamos supor que temos uma partí- Comentário. Utilizando os dados do
cula carregada com carga q = 4 μC e que ela problema e as regras apresentadas na aula,
seja colocada em um ponto A de um campo temos:
elétrico cujo potencial elétrico seja igual a
60 V. Se essa partícula ir, espontaneamen- q = 12 . 10-6 C
te, para um ponto B, cujo potencial elétrico Dados
F = 30N
seja 20 V, qual será o valor da energia po-
tencial dessa carga quando ela estiver no Pedido: E = ?
ponto A e posteriormente no ponto B?
F=q.E 30 = 12 . 10-6 .E
a) ( ) 2,4 x 10 J e 8 x 10 J
-4 -5

b) ( ) 2,2 x 10-5 J e 7 x 10-4J E= 30 E = 2,5 . 106 N/C


12 . 10-6
c) ( ) 4,5 x 10-6 J e 6 x 10-1J
d) ( ) 4,2x 10-1 J e 4,5 x 10-7J
Física 3 - Aula 2 23 Instituto Universal Brasileiro
2. a) (x) 7. 10-2 C valor do potencial elétrico pela carga elétrica.
Comentário. Utilizando os dados do Assim temos:
problema e as regras apresentadas na
aula, temos: Ep = -6 . 10-6 . 2 . 104
Ep = - 0,12 J
E = 600 N/C
Dados Pedido: q = ?
F = 42N
6. b) (x) 7,4 . 10– 9 C
Comentário. Para calcular o valor da
F=q.E 42 = q . 600 carga elétrica, basta substituir os dados na
fórmula:
q = 42 = 0,07 = 7 . 10-2 C
600

V=E.r

3. b (x) 22,5 . 106 N/C r= V


E r = 200
600
Comentário. Utilizando os dados do
problema e as regras apresentadas na r= 1
3 m
aula, temos:
V = K. Q
Q = 36 . 10-6C r
Dados
d = 12 cm = 12 . 10-2 m
200 = 9 . 109 . Q
1
Pedido: E = ? 3

E = K . Q2 E = 9 . 109 36 . 10-2 2
-6

d (12 . 10 ) Q = 7,4 . 10-9 C

E = 9 . 109 36 . 10 -4
-6

144 . 10

7. b) (x) 11,25 . 106 V


E = 22,5 . 106 N/C
Comentário. Utilizando os dados do
problema e as regras apresentadas na aula
4. a) (x) 2,4 x 10-4 J e 8 x 10-5 J temos:
Comentário. Por definição, a energia
potencial elétrica armazenada pela carga elé- Q = 250 µC = 250 . 10 -6 C
trica em qualquer ponto do campo elétrico é Dados
d = 20cm = 2 . 10-1 m
dada pela relação E = q . V . Sendo assim, K = 9 . 10 9 N . m2/C2
temos: (deve ser memorizado)
Para o ponto A:
Pedido: V = ?
Epot A = 4 . 10-6 . 60 Epot A = 2,4 .10-4J
V = K. Q
Para o ponto B: d

Epot B = 4 . 10-6 . 20 Epot B = 8 .10-5J


V = 9 . 109. 250 . 10
-6

2 . 10-1

5. c) (x) - 0,12 J V = 11,25 . 106 V


Comentário. Para calcular o valor da
energia potencial elétrica basta multiplicar o
Física 3 - Aula 2 24 Instituto Universal Brasileiro

Você também pode gostar